Page 1

A VANGUARDA BOA ESPERANÇA - MINAS GERAIS - 6° EDIÇÃO - OUTUBRO 2019

EM REVISTA

“... e lá da Igreja o Senhor abençoa e olha a cidade querendo abraçar” (Afonso José Felicori)

150 anos de história


S U M Á R I O

R E V I S T A

MATÉRIAS 06

14

Boa Esperança é incomparável

A fotografia

Editorial

Quando falamos da nossa cidade , percebemos o quanto o seu povo se orgulha de aqui ter nascido, vivido ou regressado. Boa Esperança faz 150 anos ! Para homenageá-la , registramos neste trabalho o quanto o tempo fez toda a diferença nessa trajetória. O projeto visa imortalizar no impresso a história da nossa BELA E BOA ESPERANÇA. Mostrar um pouco do muito que ainda tem para ser contado não foi tarefa fácil, razão pela qual pedimos desculpas por eventuais erros e prováveis omissões. Lamentamos não ter conseguido editar todo o material conquistado, o que ocorreu por absoluta falta de espaço.

4

A VANGUARDA EM REVISTA


08 Espiritualidade e religião 10

30 38 O Folclore

12

44 Gente

A história que inspirou Lamartine Babo

Parceria no amor e nos negócios

Cidade que é inspiração para os talentos

62 Novos empreendedores

26 O preconceito

32

Entrando no trem do passado

08

Educação Importante destacar que se não fossem o talento e a generosidade do Sr. ENÉAS NEVES (falecido) e do Sr. ANTONIO SILVA que fotografaram registros antigos da cidade, pouquíssimo acervo teríamos para mostrar a esta nova geração. Felizmente, neste novo momento os fotógrafos, principalmente o amigo Adriano de Oliveira tem se dedicado a eternizar os momentos marcantes da cidade . Agradecemos aos colaboradores, anunciantes, fotógrafos, enfim, a todas as pessoas que vieram conosco. E em especial ao Diego Marcelo Travez por todo incentivo e força. Debruçamo-nos sobre o ontem e o hoje. Embarcarmos no passado, demos uma parada no presente , mas já com olhos no futuro. Faça você também esta viagem e delicie-se com a leitura ...

CLAUDIA MAIA

56

DE PAI PARA FILHO

A VANGUARDA EM REVISTA Direção Geral: Sandra Regina Pinto Patrício Diagramação e Design: Max Moreira - F13 Design Fotografia: Adriano de Oliveira Jornalista: Rodrigo Vilela DRT-MG 0018655/MG Empresa Jornalística: A Vanguarda Ltda. CNPJ: 03.304.750/0001-45 Os artigos publicados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem, necessariamente, a opinião da revista. As pessoas que não constam no expediente não têm autorização para falar em nome de A Vanguarda em Revista ou de retirar qualquer tipo de material se não tiver em seu poder autorização formal da diretora geral constante no expediente. End.: Av. Quinze de Outubro, 146 - Centro - Boa Esperança - MG Telefone: (35) 3851-2687 / 98895-2195 E-mail: jornal.a.vanguarda@gmail.com


Boa Esperança

é incomparável

Fazer memória do passado, ter coragem no presente e manter a esperança no futuro

N

estes 150 anos de história, quanta coisa mudou! É “neste pedacinho gostoso do chão do Brasil” que nós amamos e queremos ficar.

6

A VANGUARDA EM REVISTA

Fotos: Adriano de Oliveira


A VANGUARDA EM REVISTA

7


Espiritualidade e Religião “ A espiritualidade é diferente da religião. A espiritualidade é uma só, enquanto a religião são muitas. A religião é para aqueles que necessitam de que alguém lhes diga o que fazer e que querem ser guiados. A espiritualidade é para aqueles que prestam atenção na voz interna. A religião tem um conjunto de regras, dogmas e rituais. A espiritualidade o convida a raciocinar tudo e a questionar tudo. A religião expõe e apresenta seus ensinamentos. A espiritualidade lhe dá a paz interior...”. (Do Livro AO LADO DA SERRA DA BOA ESPERANÇA – RANDER MAIA)

Boa Esperança e a Fé

Fato é que o esperancense exercita a fé, seja através de igrejas, templos, centros ou de qualquer denominação que se dê aos locais de oração.

Basílica Menor de Nossa Senhora das Dores A construção da Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores começou em 1812 e terminou em 1827, ainda sem a torre . Em 1893 iniciou-se a construção da torre pelo Padre José Lourenço Leite ( Padre Juca), sendo Roberto Sartini o responsável pelas obras , cuja conclusão deu-se por volta de 1900/ 1940 . Nos anos 40 foram feitas várias reformas e melhorias na Igreja Matriz e em sua torre, sob a direção do Padre José Elias Negreiros . Em 1940 foi colocada uma imagem do Cristo Redentor no alto da Torre, onde antes tinha uma cruz ANOS 60 . No final dos anos 60, a Igreja Matriz teve alterada a sua parte interna. De 1971 a 2000 aconteceu a alteração da parte externa. A data de 10.07.1999 celebrou a ins-

8

talação da BASÍLICA MENOR DE NOSSA SENHORA DAS DORES.

A VANGUARDA EM REVISTA

Santa Rita

Em 1991 a Associação Comunitária do Bairro Nova Era, pelo Presidente Andreor de Lima iniciou a construção da nova capela da Santa Rita. Igreja e casa paroquial foram edificadas com doações do povo, através do trabalho permanente e humilde da Diretoria. No dia 09 de janeiro de 1993 foi nomeado e empossado Administrador Paroquial Pe. Simão Stock Miguel.


A Capela São José Anexa ao Colégio São José, foi construída de 1956 a 1958 pelos padres escolápios (escolas pias) que administraram o então Ginásio São José, de 1954 a 1966. Em estilo neogótico, contendo vitrais doados por famílias esperancenses e belos arescos é patrimônio histórico, artístico e cultural da cidade, além de importante templo católico. ( do livro Ao Lado da Serra da Boa Esperança – Rander Maia)

Centro Espírita Amigos na Dor Sediado na Rua Dr. Antônio Cândido de Figueiredo , foi fundado em 26 de maio de 1940 através da Diretoria: Fundadores: Presidente; Sr. Waldemar Barbosa Secretário; Sr. Zoroastro Neves Tesoureiro; Sr. Herodiano Barbosa Procurador; Sr. Clodoveu Machado Di retoria Atual: Presidente: Sr. Geziel Pereira Machado Secretária: Srta. Rosângela Leite Finochio Tesoureiro: Sr. Sérgio Cândido da Silva Bibliotecária: Sra. Márcia Maria Correa Figueiredo

Igreja Presbiteriana Localizada na Praça Dr. Joaquim Vilela é a mais antiga Igreja evangélica da cidade.

A VANGUARDA EM REVISTA

9


Será que todos conhecem a história da calma cidade que inspirou Lamartine Babo? ( José Guilherme Araújo – O GLOBO 04/08/1983)

“ Dores da Boa Esperança é um lugar onde a maldade é conceito que não existe nos corações e onde a lua, às cinco e meia da tarde , puxa uma cadeirinha e senta no topo da montanha, alcançando os sonhadores.” Poeta apaixonado, trocadilhista sutil, um dos maiores nomes que a música popular brasileira já conheceu, Lamartine Babo, o “ Lalá”, se referia, assim, para jornalistas cariocas,em 1936, a um lugar e “ punhado de terra no coração do Brasil” , onde ele havia passado 12 inesquecíveis dias de sua vida. Lamartine compôs um de seus maiores sucessos, o samba-canção “Serra da Boa Esperança”.

L

quando dançava com Nicinha, perguntou quem era Nair. Ela então contou-lhe toda a história. Lamartine levou tudo na esportiva. Antes de voltar a São Paulo, Lamartine participou de um piquenique em uma fazenda a pé da Serra da Boa Esperança e impressionado com a beleza do lugar, compôs “Serra da Boa Esperança”, que é o verdadeiro hino da cidade. Depois disso ele visitou Boa Esperança por várias outras vezes. (As cartas e detalhes das suas vindas a Boa Esperança estão registradas na Casa da Cultura e disponíveis para visitação).

ERRO DE AMOR

amartine Babo viveu uma história em Boa Esperança que começou por causa do hobby comum na década de 30: o de colecionar fotos autografadas de artistas de rádio. Carlos Netto, um jovem dentista da cidade, era um desses colaboradores e conseguia as fotos escrevendo-lhes. Apesar de já ter escrito várias vezes para Lamartine Babo, sem nunca ter obtido resposta, resolveu, aconselhado pela irmã Eulália, fazer mais uma tentativa usando um pseudônimo feminino. O nome escolhido por Carlos Netto foi o da sobrinha de seis anos Nair Pimenta Oliveira. O resultado foi imediato, com resposta de Lamartine Babo. Carlos Netto escrevia suas cartas em verso, o que chamava ainda mais a atenção do artista. Iniciou-se, assim, uma correspondência que durou mais de dois anos. Para acabar com o engano, Carlos Netto escreveu ao compositor, como Nair, dizendo que ia se casar e morar em São Paulo. Lamartine Babo, inconformado, continuou a escrever e, convidado por Carlos Neto ( que ia lançar um grupo musical na cidade) veio a Boa Esperança. Quando chegou ninguém falava nada, nem Lamartine Babo perguntava. Na noite de estréia do grupo,

10

A VANGUARDA EM REVISTA


PARCERIA NO AMOR E NOS NEGÓCIOS

Nesta era a palavra é parceria. A partir do momento em que casais passaram a unir forças para empreender o sucesso veio como consequência. O ESPAÇO OFICINA DA ARTE idealizado, concretizado e edificado por ALBERTO FELIZALE BARBOSA e ADRIANA BARBOSA MACEDO é prova de que a relação afetiva pode ser estendida com sucesso para o campo de trabalho. “A satisfação profissional leva a uma felicidade comum e isso é muito bom; acreditamos que o importante seja aprender a respeitar as opiniões, chegar a um consenso e não misturar as relações pessoais com as questões do trabalho” , comentam eles. Casados há 25 anos decidiram investir em um espaço para festas e com isso prepararam um cenário de sonhos para quem deseja celebrar. E celebrar é bem a cara de Boa Esperança! Antes, porém, já se imaginava isso.

12

Sr. DECO e D. MARIA JOSÉ ainda trabalham juntos. Chegaram em Boa Esperança em março de 1960. Em 1963, juntaram a relojoaria dele com os calçados e as meias dela e criaram o Bazar do Deco que permaneceu aberto por 35 anos. Aposentados, continuam trabalhando juntos. “Fazemos do trabalho hoje uma terapia e da parceria uma forma de vida”. Com esse paralelo queremos dizer que Boa Esperança sempre assumiu o conceito de parceria.

A VANGUARDA EM REVISTA


A CIDADE DA CULTURA FENAC - O MAIOR FESTIVAL DE MÚSICA DO BRASIL

O Festival Nacional da Canção nasceu em 1971 embalado pelo sucesso dos festivais da TV Record, que revelaram grande parte dos principais compositores e intérpretes brasileiros. Realizado ininterruptamente, consagrou-se como o maior evento do gênero em todo o País. O Troféu Lamartine Babo, que é entregue aos vencedores, passou a ser

cobiçado por compositores de norte a sul do Brasil. O FENAC tem como principal objetivo incentivar e divulgar valores da música brasileira sejam eles compositores, intérpretes ou instrumentistas. Milhares de compositores de todos os estados brasileiros se inscrevem anualmente e 100 mostram o seu

trabalho nas cidades que sediam o evento, apresentando a boa música que se faz no Brasil. Mostras de música instrumental , erudita, dança, teatro e mágica acontecem , gratuitamente, a tarde e a noite no intervalo das apresentações , nas praças e bares .


A fotografia

E assim momentos são eternizados.....

“Ao fotografar me sinto um super-herói, pois através da lente da minha câmera tenho o poder de congelar o tempo. Gosto de fotografar paisagens. A natureza, o sol e a lua me encantam. Também gosto de retratar o momento para que no futuro alguém possa voltar ao passado e reviver antigas lembranças.” Palavras do fotógrafo ADRIANO DE OLIVEIRA, a quem homenageamos pela disposição, por sua paixão pela história e por sua preocupação em registrar momentos. Grande aliado deste projeto! Importante destacar que se não fossem o talento e a generosidade do Sr. ENÉAS NEVES (falecido) e do Sr. ANTONIO SILVA que fotografaram registros antigos da cidade, pouquíssimo acervo teríamos para mostrar a esta nova geração. LUIZ BRAGA, um colecionador de imagens, profissional da mais alta competência que também brinda-nos com sua parceria. ADÃO JOSÉ RODRIGUES, desde 1982, é fotógrafo na cidade. Em nome deste cumprimentamos a nova geração.

Adriano de Oliveira

14

Adão José Rodrigues

COM OU SEM RETOQUES?

Um dos precursores do photoshop na cidade, com certeza, partiu do SR. MANOELINO DOS REIS que possuia um estúdio na Rua Presidente Vargas. Ele tinha uma visão extraordinária e um talento invejáveis. Se antes ficar “disgueio” era ficar de lado e hoje significa encontrar o melhor ângulo sabia orientar o cliente com a maior precisão. Depois preparava com extrema competência o material, fazendo a revelação, inclusive colorindo a fotografia. Ao SR. MANOELINO, já falecido, toda admiração e o mais profundo respeito pelas belas recordações que ainda estão gravadas na memória dos esperancenses.

Antônio Silva

A VANGUARDA EM REVISTA

Luiz Braga

Eneas Neves

Manoelino


A EDUCAÇÃO UM CAPÍTULO A PARTE NESTA HISTÓRIA AOS MESTRES COM CARINHO RUBEM ALVES: escritor, professor, pedagogo, educador, poeta, cronista, contador de histórias, Doutor em Filosofia, Mestre em Teologia, teólogo e psicanalista. Em 2005 proferiu palestra na Câmara Municipal que esteve lotada para receber o filho ilustre. Nasceu em Boa Esperança no dia 15/09/1933 e faleceu em Campinas -SP em 19/07/2014, aos 80 anos.

PROFESSOR ANTONIO BORGES MAIA: impossível esquecer daquele que fingia estar lendo o jornal para depois surpreender o aluno colando. Primeiro professor leigo do Colégio Padre Júlio Maria e Co- fundador da Escola Estadual Presidente Kennedy. De rara inteligência, lecionou várias disciplinas em várias escolas. PROFESSORA ELZA DE OLIVEIRA: de pulso firme e extrema competência, foi Diretora da Escola Estadual Presidente Kennedy.

Nos novos tempos a seleção de professores brilhantes não para. Cumprimentamos em nome da adorável ANDERLUCIA DE LIMA REIS a todos os educadores da rede estadual e municipal de ensino pelo especial Dia do Professor.

16

BRILHANTE TRILHA DA EDUCAÇÃO: COLÉGIO PADRE JULIO MARIA, porque não se pode contar 150 anos de Boa Esperança e não exaltar o Colégio que há 81 contribui para a formação humanista solidária, intelectual, social e moral de muitos esperancenses. Em 1938, dirigido pelas Irmãs Sacramentinas e hoje, sob a atual direção executiva da empreendedora Lívia de Cassia Soares Oliveira, tem como proposta educacional a excelência pedagógica com base na Filosofia Sacramentina. ESCOLA DOCE TEMPO, hoje o COLÉGIO SEI, fundada em 1995 por Magda Carvalho Vilela Brito e Maria José de Moraes Filha. Sua missão é atingir uma educação integral que tem como base de ação os princípios do saber, ética, trabalho e progresso.

ESCOLA ESTADUAL “PRESIDENTE KENNEDY”, de 1º e 2º graus, hoje ESCOLA ESTADUAL “PADRE JOÃO VIEIRA DA FONSECA”, fundada pelo Revmo Padre João Vieira da Fonseca e pelo Co-fundador Professor Antonio Borges Maia em outubro de 1963. Primeira escola pública que ainda hoje está em franca atividade.

FAFIBE - FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE BOA ESPERANÇA/NOVA FAFIBE Criada em 1972 pelo Prefeito Municipal João Júlio de Faria , sendo Co-fundador e primeiro Diretor o Sr. Militão Batista Brasileiro. Iniciou suas atividades no ano seguinte ao da criação , com paralisação em 2011. A partir de 2012 foi reativada pelo Grupo Ieducare. Em 2017 um novo grupo assumiu a gestão passando para NOVA FAFIBE que oferta hoje os cursos de pedagogia, letras, matemática, história, geografia, gestão ambiental e sistema de informação.

A VANGUARDA EM REVISTA


BOA ESPERANÇA –MG Na GLORIOSA DATA DE 15 DE OUTUBRO DE 1869, pela Lei Provincial nº 1611 a Vila foi elevada à categoria de cidade, com a denominação “ Dores da Boa Esperança”, razão pela qual os esperancenses também são chamados dorenses. Em 1939 ocorreu a mudança do nome Dores da Boa Esperança para Boa Esperança.

BREVE HISTÓRIA O município de Boa Esperança surgiu com o desbravamento dos faiscadores que a procura de ouro na região estabeleceram um povoado em 1778, que em 1804 com a chegada do Padre Cleto passou a se chamar Dores do Pântano. Em 1866 a freguesia foi elevada à Vila, por lei provincial da época, sendo desmembrada do território de Três Pontas e com sede no povoado de Dores. Em 1814 começou a construção da Igreja Matriz que fortaleceu o futuro município devido ao cunho político da religião. Nessa mesma época chegaram as primeiras mudas de café, iniciando então uma fase de riqueza e progresso para o município que passou a se despontar como importante produtor cafeeiro nacional. Em 15 de novembro de 1868 foi instalada a Câmara Municipal .

DADOS População : 40. 530 habitantes ( estimativa do IBGE/2017) Geografia: Altitude máxima: 1392 m (Serra da Boa Esperança) Altitude Média: 775 m (Beira Lago) Temperatura Média Anual: 27 °C Clima: tropical de altitude Relevo: Ondulado Montanhoso Solo: Predominante o tipo “Lê-Latossolo Vermelho Escuro” com textura argilosa. Clima: A temperatura anual é de 19 °C. As estações verão e primavera são as mais quentes, com máximas diárias variando de 25 a 29 °C . Raras temperaturas abaixo de 0 °C podem resultar em geadas. Com relação ao regime de chuvas, o clima é úmido, com precipitação média anual de aproximadamente 1500 mm. Recursos Hídricos Rio Grande, da Bacia do Rio Paraná e de alguns de seus afluentes foram inundados pelo reservatório de Furnas que circunda o município. Rios e córregos Ribeirão São Pedro Ribeirão das Três Pontas Ribeirão Marimbondo 18

Ribeirão da Maricota Represa de Furnas - 1ª Usina Hidrelétrica de Furnas Centrais Elétricas, na bacia do Rio Grande. Fauna: Abriga diversas espécies de aves conhecidas como: Biguatinga, garça, irerê, gavião-carijó, saracura-preta, frango-d’á gua, saracura-três-potes, saracura-do-brejo, quero-quero, asa-branca, tuim, jandaia, anu-preto, anu-branco, coruja-do-mato, martim-pescador, joão-de-barro, maria-branca, bem-te-vi, tico-tico, sanhaço-cinzento, tiziu, pássaro-preto-de-brejo, dó-ré-mi; Mamíferos silvestres :Capivara, veado-mateiro, macaco-prego, cachorro-do-mato, lontra, paca, cutia, morcego frugívoro, gambá e outros. Alguns podem ter migrado para outras áreas. Flora: Floresta do tipo Estacional Semidecidual e Ombrófila Mista. Espécies que ocorrem nesta vegetação: açoita-cavalo, angico, cedro, canela, sassafrás, massaranduba, canjerana, amoreira, jatobá, óleo de copaíba, jequitibá, peroba rosa e guatambu. Nas matas ciliares, capixingui, ingá, pinheiro do brejo e ipê do brejo, árvores esparsas e cobertura de arbustos e sub-arbustos apresentando o marolo, barbatimão, espinheira santa, cagáita, ipê do cerrado e pau santo como exemplo. ECONOMIA Município agro-pastoril, produtor de grãos, concentra e distribui bens e serviços para os municípios limítrofes. Agricultura: Desenvolve-se a cultura do arroz, alho, batata-inglesa, feijão, milho, café, cana-de-açúcar, mandioca, soja, tomate e frutas, cada uma delas com mais de 100 hectares de terra cultivada.

A VANGUARDA EM REVISTA


CAFÉ – A BASE DA ECONOMIA Em primeiro plano está o café, principal produto que vem mantendo um nível excelente de produção. É consumido internamente e exportado para outros municípios e estados do país.

Água e esgoto pelo SAAE (Sistema Autônomo de Água e Esgoto), sendo a água tratada na ETA - Estação de Tratamento de Água e esgoto tratado na ETE - Estação de Tratamento de Esgoto.

Pecuária: Uma das mais antigas atividades econômicas do município conta com rebanho leiteiro e de corte. A suinocultura e a avicultura também têm destaque.

Setor terciário

Comércio: Concentra-se principalmente nos Bairros Centro e Nova Era. Royalties: Os “royalties” são uma ajuda financeira que a Central Elétrica de Furnas paga aos Municípios que fazem parte das “bacias de empresas geradoras de eletricidade”. Turismo: As atividades voltadas para o consumo turístico têm participação considerável no valor total da produção do setor de serviços no município : alimentação, hotelaria, transportes rodoviários e lazer. Turismo: força motriz da cidade, principalmente por causa das praias artificiais O município faz parte do circuito turístico Grutas e Mar de Minas. Serviços: Energia elétrica: CEMIG (Centrais Energéticas de Minas Gerais).

FUNDADOR DA CIDADE Embora existam dúvidas e paternidade do Fundador de Boa Esperança, até o momento presente tem-se como o do Capitão Jose Alves de Figueiredo que aqui aportou no ano de 1797, acompanhado de um rastreador que já conhecia a região banhada pelo Rio Grande. Ele tomou o caminho de Lavras do Funile e adentrou pela região das Cardosas. Ficou verdadeiramente deslumbrado com a terra, onde plantou seu primeiro povoado na primeira vez chamada de Dores do Pântano (em razão dos brejos encontradiços em toda a sua extensão territorial).

A VANGUARDA EM REVISTA

quanto ao nome

19


O empoderamento feminino “ Dizem que a mulher é sexo frágil, mas que mentira absurda” De forma direta ou indireta a ousadia e o pioneirismo em diversas frentes repercutem a experiência, a força e a criatividade das mulheres. O esforço conjunto de diversas trajetórias individuais tem colaborado para fazer avançar direitos e debates de interesse comum a todas , independentemente de classe social, escolaridade, gênero ou orientação sexual. Para homenagear e relembrar algumas das mais diversas personagens femininas que engrandeceram e engrandecem Boa Esperança destacamos:

Dona Candoca

Alguns anos atrás o livro da vida começou a escrever uma de

de entes queridos.

suas mais bonitas histórias. Uma mulher incrível, como pouco se vê. Candida de Figueiredo Souza, nascida aos 29 de agosto de 1927, viúva aos 46 anos de Francisco Alves de Sousa, mãe de 9 filhos, 12 netos e 4 bisnetos. Ela não usa capa e não tem superpoderes, mas sem sombra de dúvidas é uma heroína desses novos tempos. Enfrentou várias dificuldades financeiras e suportou muitas perdas

Mas D. Candoca, assim chamada por todos, venceu com fé, trabalho, dignidade, sabedoria, força, humildade, humanidade, honestidade e persisténcia todos os obstáculos que surgiram. Mãe zelosa e sempre fiel aos seus princípios. Consegue encantar a todos com sua personalidade forte. Mulher sábia, de sensatez admirável e extrema elegância. Através de sua atitude e exemplos ajudou a melhorar a vida de muitas pessoas.

A VANGUARDA EM REVISTA


Maria Pia de Melo Vilela “Empoderar uma mulher torna a sociedade mais justa, menos preconceituosa, com a promoção da aceitação e da tolerância a toda e qualquer diferença”. Quando observamos a caminhada da Sra. MARIA PIA DE MELO, tabeliã do Cartório do 2 º Ofício de Notas constatamos: esta mulher sempre foi empoderada.

Isso porque em tempos onde o preconceito racial imperava, ela não se deixou abater por fatos e situações desagradáveis pelas quais passou. Dando o máximo de si, quando não era comum mulher trabalhar fora, assumiu a rigorosa serventia de Cartório e com extrema competência (e muitos detalhes) foi conquistando o seu espaço. Mulher admirável, D. MARIA PIA é nome respeitado, é sinônimo de bondade e ternura. Diante estamos de verdadeira personalidade da nossa Bela e Boa Esperança.

Eterna na Nossa Bela Boa Esperança

neira dos Municípios-AMM, mas o seu espírito arrojado ainda a faria alcançar um degrau maior : o de exercer a nobre função de Conselheira do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais e novamente ser a primeira Mulher a ocupar o importante cargo e tornar-se Presidente da Casa. Fato é que em tudo que suas mãos tocaram resplandeceu a luz. Doce personalidade a quem todos passaram a chamar, depois de sua morte prematura, de ALMA PERFUMADA. NOSSA SAUDADE!

Envolvida nos segmentos sociais, imprimiu obras que ficarão eternamente fincadas na sociedade e na vida das pessoas. No cenário político, tanto era querida que tornou-se a primeira mulher Prefeita da cidade que amou por adoção: a vizinha Três Pontas, cuja Administração foi considerada um marco pelo progresso que imprimiu. Sempre engajada, Adriene Barbosa de Faria Andrade foi eleita a primeira Presidente da Associação MiA VANGUARDA EM REVISTA

21


LAGO DOS ENCANTOS Lago lindo, majestoso. Obra de Deus! Represado o é das águas dos ribeirões. Marimbondo, Maricota e Cascavel são os seus nomes. Pura exuberância da Natureza. Cercado por flora e habitado por fauna esplêndidas. Ao fundo a Serra da Boa Esperança. Melodia tão bem composta por Lamartine Babo. Todo esperancense se orgulha. O turista se encanta. O mineiro se alegra. E o Brasil agradece. Das pescarias e diversões na Beira Lago, terra de gente acolhedora. Do Festival da Canção, do Carnaval e do Campeonato de Jet Ski. Ou mera admiração da magnífica paisagem! Paz neste belo e rico território doce. Tombado pelo patrimônio histórico também o é. Protegido por Nossa Senhora das Dores, Padroeira do Município. E também por Nossa Senhora Conceição da Aparecida, no Jardim Nova Esperança. De coração, na Santa Cruz, que Deus continue abençoando a todos.

DENILSON VICTOR MACHADO TEIXEIRA Nasceu em Boa Esperança – MG, no dia 12 de junho de 1974, filho de José Marcos Teixeira e de Maria das Graças Machado Teixeira, pentaneto do fundador do referido Município, o capitão-mor José Alvares (ou Alves) de Figueiredo. Possui Pós-Doutoramento em Democracia e Direitos Humanos pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (Portugal), Doutorado em Direito pela PUC-SP, Mestrado em Direito do Estado pela UNIFRAN, Especialização em Direito Processual pela PUC Minas e Bacharelado em Direito pela UNIFENAS. Atua como Professor Universitário nos Cursos de Bacharelado em Direito (UNILAVRAS) e de Pós-Graduação em Direito, sendo também pesquisador e escritor jurídico com dezenas de obras e artigos publicados, bem assim, Avaliador de Bancas Examinadoras, Membro Consultivo e Revisor de Periódicos em diversas Universidades do Brasil e de Portugal, Membro Titular da Academia Brasileira de Direito da Seguridade Social (ABDSS), e, Membro Titular da Academia Dorense de Letras (ADL), de Boa Esperança – MG, onde ocupa a Cadeira n. 28. Historicamente, foi o primeiro Conciliador e Juiz Não Togado do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Boa Esperança – MG, tendo atuado também nas Comarcas

Do Dique, da Ponte do Jarbas e das Avenidas JK, Brasil e Aureliano Chaves. Das praias do Seleiro e do Bicano, da Prainha e das cachoeiras. Dos saborosos peixes no saudoso Restaurante do “Zé do Tião do Marcos”. Quem já viu, banhou, sentiu a brisa e amou, do Lago dos Encantos, não esquece jamais! Autoria: Denilson Victor Machado Teixeira

22

A VANGUARDA EM REVISTA

de Alfenas – MG e de Campo Belo – MG, com competência e reconhecimento, inclusive pelo Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG) e pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em virtude dos altos índices de acordos obtidos em ações judiciais nos idos de 1998 a 2002. Ademais, o Pós-Dr. Denilson Victor Machado Teixeira é também renomado Advogado no Sul de Minas (OAB/MG 76.787), sócio fundador do escritório “Machado Teixeira Sociedade de Advogados & Associados”, com sede em Boa Esperança – MG.


Dr. José Lourenço Leite Naves

É

bastante comum as pessoas falarem que não se envolvem e que não gostam de política. A verdade é que o distanciamento está ligado à decepção com o cenário brasileiro onde a desonestidade, desvio de verbas públicas, corrupção e etc sempre foram e ainda são assuntos de pauta. Fato é que a política é uma constante em nossas vidas, servindo nas relações familiares e círculos sociais. Todas as vezes que emitimos uma opinião, estamos, na verdade, praticando um ato político e assumindo um posicionamento prático. Devemos ter em mente que a política é essencialmente unida à moral , porque o seu fim último é

a virtude, configurando-se, portanto, em uma atividade de valiosa importância, podendo e devendo gerar frutos de transformação social. Felizmente por nossa BELA E BOA ESPERANÇA passaram grandes administradores. Nesta onda de passado destacamos o PREFEITO JOSÉ LOURENÇO LEITE NAVES, já falecido, que conduziu a Prefeitura Municipal por dois mandatos com extremo zelo e notável dinamismo e através dele, cumprimentamos a todas as influências políticas que se preocupam com o bem da nossa cidade.

Nome que dignifica a palavra Política


Vamos falar sobre preconceito? O QUE MUDOU DE LÁ PRA CÁ. Clube dos Brancos e Clube dos Pretos Principalmente no interior o preconceito racial reinou com intensidade. Boa Esperança vivenciou a clara , porém velada, divisão entre o Radium Clube Dorense (Clube dos Brancos) e o Clube dos Operários, também chamado de “ Clube dos Pretos”. Felizmente isso não mais existe!

Casamento entre pessoas do mesmo sexo O que no passado era motivo de preconceito, hoje nem tanto. Hoje já temos registrado o primeiro casamento entre pessoas do mesmo sexo: Jovane e João Batista Moreira celebraram a união com todo requinte, em cerimônia que ocorreu na data de 04/10/2013. Eles ressaltam: “ Reconhecemos que o valor de alguém é visto pelas batalhas que enfrenta e não pelo que aparenta. Assim, nesta relação de respeito o preconceito não prevalece”.

26

A VANGUARDA EM REVISTA


Boa Esperança “MENINO RICO” DE BOA ESPERANÇA.

POR MUITOS OUTROS

150 anos Juntos construímos um novo tempo de mudança para a nossa amada Boa Esperança. Mensagem da Administração 2017-2020


“MENINO RICO” DE BOA ESPERANÇA (Trecho de conversa entre o ex-engraxate Dr. ANTONIO MARX SILVA e um menino engraxate na Praça da Escola Normal Padre Julio Maria, em Boa Esperança – MG.): Menino engraxate: Dr. Toninho é muito bom ser rico? Resposta do ex-engraxate: Não sei meu filho: Eu nunca me senti pobre.

A SAGA DO HOMEM

ANTONIO MARX DA SILVA, nas alturas dos seus 78 anos de idade é esperancense ilustre, filho do primeiro eletricista Joaquim Luciano da Silva, (vulgo JOAQUIM SAPO) e dona MAURA MARIA DE JESUS, (lavadeira de roupas) é brilhante advogado que honra e enobrece a classe. Trabalhou desde tenra idade. Ajudou a mãe nas colheitas de café, foi engraxate na mencionada Praça Julio Maria, servente de pedreiro, leiteiro, “apartador” de vacas e até candeeiro de bois, menino que vai à frente dos bois de carro, portando uma vara com ferrão. Aluno pobre que estudou no GRUPO ESCOLAR DR. SÁ BRITO e foi diplomado com nota máxima. Graças a uma bolsa de estudos concedida pelo então Prefeito DR. JOAQUIM VILELA, de saudosa memória, o Toninho da Dona Maura 28

foi, à época, o único aluno e preto que cursou o GINASIO SÃO JOSÉ, á época estabelecimento para alunos considerados ricos. À custa de uniformes usados e livros faltando páginas, doados pelos colegas, conseguiu se formar. Foi eleito orador da turma e coincidentemente, para paraninfo, o mesmo Prefeito Dr. JOAQUIM VILELA que lhe dera a bolsa de estudos. Nesta inesquecível data vestiu, pela primeira vez, um terno feito sob medida, confeccionado na ALFAITARIA SILVA (Aulus Silva e irmãos), presente dos amigos e colegas do extinto BANCO MINEIRO DA PRODUÇÃO que acompanharam de perto sua vitoria. Exemplar amigo, filho, pai, tio e marido. Cuidou do pai que faleceu aos 49 anos de idade e de sua mãe até os 95 anos, dedicando-lhes todo carinho, afeto e assistência exemplar. De seu primeiro casamento, possui 03 filhos, sendo dois casados e um solteiro: DANIELE MARX A VANGUARDA EM REVISTA

DA SILVA BARROS, procuradoria da República de S. Paulo, casada com o ilustre médico DR. LUIZ FERNANDO BARROS FREDERIC MARX DA SILVA noivo, designer grafico que se firmou na profissão e ISMAEL MARX DA SILVA recém casado com a competente veterinária MICHELLE CATARINE DINIZ GOMES MARX, de tradicional familia belorizontina, a sobrinha LUCIANA MARIA PIMENTA SHIROMA, admitida na família como filha muito querida, se tornou advogada brilhante e somente deixou o lar depois de formada, Casada com engenheiro DR. PEDRO MITSUO SHIROMA, professor da UFSJ, na cidade de Ouro Branco –MG depois de concluir tese de doutorado na na Universidade da Pensilvânia, em Filadélfia USA.Ajudou sua mae Dona Maura na criação de 05 (seis) sobrinhos: Walisson (Boa Esperança), Welington (três Corações), Wanderson, Washington e Maura (Belo Horizonte). Todos muito reconhecidos que respeitam o tio como


conselheiro pai. No Banco Mineiro da Produção, mais tarde transformado em BEMGE, foi admitido em BOA ESPERANÇA como faxineiro e com o sadia determinação de continuar os estudos, se transferiu para Belo Horizonte. Com competência e brilho subiu na hierarquia e deixou aquele banco em Belo Horizonte, como Chefe de Divisão e advogado do Departamento Jurídico. Em Belo Horizonte, com de enormes sacrifícios, cursou o Colégio Marconi e Veterinária da UFMG. Deixou a veterinária na fase final do curso para colar grau em Direito. Dotado de notável sabedoria jurídica, defensor intransigente do Estado democrático de Direito e do direito às garantias constitucionais ao devido processo legal, à presunção de inocência e aos direitos humanos, especializou-se, dentre outros, nos seguintes ramos do Direito, segundo registros na OAB, Seção de Minas Gerais: CIVEL, COMERCIAL, TRIBUTARIO, FAMILIA, IMOBILIARIO, MINERARIO, PENAL, PREVIDENCIARIO, SEGUROS, SOCIETÁRIO e DO TRABALHO. Detentor de doutorado, mestrado pelas Universidades Gama Filho do Rio de Janeiro, Direito de Sete Lagoas – MG e UFMG possui vários cursos de extensão. Foi agraciado com a comenda LEGISLATIVA VEREADOR MANOEL INÁCIO MIRANDA, pela Câmara de Vereadores de Boa Esperança e de COLABORADOR EMÉRITO DO EXERCITO BRASILEIRO, na 4ª. D.E. pelo General Abdias da Costa Ramos, em Belo Horizonte. Exerceu tambem o cargo de OFICIAL DE GABINETE DA VICE PRESIDENCIA DA REPÚBLICA, a serviço de seu grande amigo e mestre Dr. JOSE MARIA ALKMIN, de saudosa memoria. De lá para cá o advogado não cessou de brilhar. Nos inumeras acões em que atua, seu respeito pelo direito coincide sempre com seu respeito pela pessoa humana. Consultado, destacou grandes incentivadores:

seus

a) No Grupo Escolar Dr. Sá Brito, dentre outros, as ilustres professoras IOLANDA FERRELI DE MORAIS e MARIA JOSE FREIRE (esposa do saudoso Coletor Dr. Olavo Freire Silva) que alem da lisura e honradez, resolvia todos os problemas em sala de aula sem, jamais, enviar aluno algum para a Secretaria e,

b) No Ginásio São José, celeiro de grandes mestres, destacou a professora MARIA APARECIDA PEIXOTO que exibia os seus trabalhos nas demais salas como exemplo de redação e o saudoso mestre ANTONIO BORGES MAIA, através dos quais aprendeu a amar a língua pátria. c) Na Vice Presidência da República teve como mestre e conselheiro DR JOSÉ MARIA ALKMIM, considerado o político raposa da política brasileira, mas raposa no bom sentido. Com aquele mestre aprendeu que: “Se o safado soubesse das vantagens de ser honesto, seria honesto só de safadeza.”. Suas constantes vitórias dentro e fora do meio jurídico são a expressão de um advogado comprometido com a melhor causa da Justiça e com o estado democrático de Direito. É a um só tempo artífice e espectador da história de Boa Esperança, partícipe e profundo conhecedor da historia de Boa Esperança e suas idiossincrasias. A cada conversa repleta de sabedoria nos proporciona uma aula de história, filosofia, direito e de vida. Conviver com o Dr. Marx é saborear cultura, simplicidade, respeito e, sobretudo amizade. Advogado desassombrado e intransigente na defesa da dignidade da pessoa humana, dos direitos e das liberdades fundamentais. Dona MAURA MARIA DE JESUS foi a mola propulsora do Dr. MARX que disse: “Tudo o que hoje sou devo a minha mae, Dona Maura, uma das reservas morais de Boa Esperança”. Agradeço aos meus filhos e sobrinhos e aos demais entes queridos Agradeço as famílias SILVA e MOSCARDINI, em cujo seio fui recebido de braços abertos, em especial nas pessoas da saudosa sogra MARIA LUCIA MOSCARDINI, dos tios RENATO PASSOS SILVA de Juiz de Fora, ETHEL PASSOS SILVA FAUSTINO de Ilicinea, do cunhado ALVARO ETHEL MOSCARDINI e em especial minha esposa TATYANA MOSCARDINI MARX, a qual amo de paixão.” O BRASIL: O Brasil nos dias de hoje vive uma crise sobretudo de CONFIANÇA: que se perde na polarização político / ideológica entre direita (Bolsonaro) e esquerda (Lula), entre governo e iniciativa privada, esta, refém de enorme burocracia e uma opinião pública enraivecida nas mídias sociais do “WhatsApp” e outros meios de comunicação com indescritível intoleA VANGUARDA EM REVISTA

rância. Esta falta de CONFIANÇA nacional emperra o crescimento do país. BOA ESPERANÇA: Na altura do aniversário de seus 150 anos BOA ESPERANÇA merece estar em lugar de destaque no cenário nacional. Na comparação do nosso crescimento com as cidades circunvizinhas, BOA ESPERANÇA não tem tido o seu potencial reconhecido: se encontra sedenta à beira de um lago de águas cristalinas. Chegou a hora de todos os esperancenses, sem exceção, se unir em torno do objetivo maior que é o crescimento de BOA ESPERANÇA. Temos tudo para isso, desde um local privilegiado no mapa do Brasil onde nos encontramos equidistantes dos três principais centros consumidores do país, RIO/ BELO HORIZONTE e SÃO PAULO. Temos clima privilegiado, solo fértil, população trabalhadora em busca de empregos e até uma musica que enaltece a nossa Serra da Boa Esperança. “Não pergunte o que BOA ESPERANÇA pode fazer por você, mas o que você pode fazer por BOA ESPERANÇA”. Vamos deixar de lado essa letargia e partir em busca da ansiada RESSURREIÇÃO. Oxalá não se me fechem os olhos, antes de ver no horizonte os primeiros indícios dessa ressurreição. Assim o queira Deus. A JUVENTUDE: A crise de CONFIANÇA atinge também os jovens de hoje que, diferentemente daqueles de outrora, que desde cedo assumiam grandes responsabilidades. Os jovens de hoje pouco se arriscam, carecem de CONFIANÇA em si mesmo e, por isso, ao invés de sair para o mundo, permanecem mais tempo na sombra e nas costas dos pais, com medo de “... acender um fogão por conta própria” como dizia a finada Dona Maura. A falta de CONFIANÇA é também de alguns pais que não empurram os filhos para fora do ninho, sob o pretexto de que “... não quero que meus filhos passem os apertos que eu passei”. Lembrem-se: “A vida é dura para quem é mole e a vida é mole para quem da duro.”. Grande abraço.

29


Cidade que é inspiração para os talentos Na pintura ONTEM Jacinto Felizali: compositor, músico, pintor, intelectual, escultor. O gênio das miniaturas. Ele chegou ao requinte de escrever música na pauta e cartas longas em ¼ de selo de correio. Klênio Resende Passos e suas belas telas.

Klênio Resende Passos

Jacinto Felizali

HOJE Luiz Vilela , Evânio Cesar , Rodrigo Vilela: o incrível dom de provocar emoção através da pintura.

Evânio Cesar

Luiz Vilela

Rodrigo Vilela

Na Culinária

A culinária do esperancense é riquíssima. Os famosos doces da Sra. Maria Tereza Souza Magalhães (falecida) o bolo da Matilde, a leitoa assada por D. Beta e depois pelas filhas Marli e Cidinha. A empada e os salgados da D. Sinhaninha. Ela criou toda uma família com o seu trabalho. Óbvio que os novos tempos inspiraram mudanças, mas a mão na massa do esperancense não poderia passar em branco nesse momento histórico. Hoje temos o renomado Chef de Cozinha Renato Freire, as confeiteiras, os Buffets, os cafés, os estabelecimentos, os bares, restaurantes e os “botecos”. Hummm..... Que delícia essa Boa Esperança! 30

Tereza Magalhães

Matilde

Marli e Cidinha A VANGUARDA EM REVISTA

Renato Freire

Dona Sinhaninha


Na Música O maior expoente, o ilustre pianista Nelson Freire que brindou Boa Esperança com a apresentação da Orquestra Filarmónica de Minas Gerais, ao ar livre, na Praça do Fórum. O evento mais belo que a cidade viveu nos últimos tempos. A Banda Lira Operária, fundada em 14/09/1952, continua tocando fundo no coração da gente.

Nelson Freire

Cada dia mais os esperancenses vão se revelando, tornando-se mais profissionais e brilhando por onde cantam. Cassino Royale

Déia Silva

Banda Lira Operária

Grupo Essência Samba Pop

Luiz Otávio Reis

Grupo Terça Nobre

Lívia Hipólito Rafaela Reis

No Teatro

Brasil Retrô

Karini Figueiredo

Marcou época pelo estilo irreverente Tito Flávio Cambraia Naves. Houve também o Grupo Teatral Carlos Neto , que estrelou o “Natal do Belarmino”, atraindo grande público. Em total vapor atualmente a Cia Teatral “Comigo Ninguém Pode”, com a peça Marido de Aluguel. Atores: Afonso Cardoso , Patrícia Silva, Marilia Schiavone e Carlos Brito.

Matheus Machado

DJ Eleven

Natal do Belarmino

Carlos Neto

A VANGUARDA EM REVISTA

Tito Flávio

31


Entrando no trem do passado É preciso que um fato mexa com as emoções para ser encontrado depois com facilidade nesse fantástico arquivo do TEMPO Boa Esperança guarda traços de uma arquitetura imponente. Já teve cinema... É uma cidade alegre que sempre vivenciou as festas, teve e tem os melhores bares e restaurantes.

O CONSTRUTOR DE MARAVILHAS Quem foi Pietro Romagnoli?

U

m memorável construtor que deixou vigorosas marcas na cidade. Segundo consta, Romagnoli era imigrante italiano e teria retornado a São Paulo, no início dos anos 30. Todo aquele que passeia pela cidade, principalmente por onde podemos classificar de “Centro Histórico”, por certo vai se deparar com algumas construções antigas que detém traços e linhas arquitetônicas de rara beleza, ainda resistentes ao tempo: O imponente Solar dos Silveira Lemos, hoje propriedade da Sra. Luisa Barbosa Freire, na Praça Coronel Neves e a casa que foi do Sr. João Calixto, na rua Presidente Vargas, hoje do Sr. Massilom C. Barbosa, impecavelmente conservados.

SOBRADO LUISA FREIRE

SR. MASSILON E D. AMELIA

O CINE CORAL

O Cine Coral foi inaugurado em 17/09/1960, numa sessão festiva e solene com a exibição do filme “Carmen de Ronda”.

32

Depoimento de Rander Maia sobre o grande dia: “Eu com 14 anos estava lá para assistir a estréia, Curiosamente, neste dia, estava sendo distribuído à porta do Cine Coral, pacotinhos de amostra grátis de leite em pó “Leik e de queijo “pastoso” polenguinho, por uma companhia de laticínios, uma novidade em Boa Esperança”, relembrou Rander Maia ”. O cinema era imponente, poltronas almofadadas confortáveis, o pulman um luxo de acomodações no segundo andar, bomboniere, decoração com motivos marinhos na parede do majestoso hall de entrada, fachadas de pastilhas com desenhos à Portinari. Era cartão de visitas da cidade. Era comum nessa época as pessoas usarem roupas de cor coral, moda influenciada pelo nome do novo cinema. Era o local de encontro dos namorados, mas o lanterninha sempre à espreita dos casais de namorados mais afoitos. No início de cada sessão era executada internamente na sala de exibição e nos alto-falantes externos o prefixo do cinema com a bela música “Concerto nº 1 para piano de Tachaikowsky”, seguido de um jogo de luzes na sala de exibição, antecedido por execuções de grandes sucessos musicais durante a espera do início da sessão. Do lado de fora, na calçada do cinema, havia o “footing” das moças antes das 20:30h. Os cartuchos de pipoca e o biju francês do Antonio Tatu eram oferecidos na fila para compra de ingressos. Alguns nomes que ali trabalharam: Walter Menezes (Gerente), Toninho Finochio, da Eulália, Antonio Milton, Vitão Cunha, Valtinho e Amilcar Sartini na projeção.

A VANGUARDA EM REVISTA


O CARNAVAL ONTEM Época das luxuosas Escolas de Samba Roda Viva, Liberdade, Brasil Moreno, depois a Fogo de Palha. Carnaval dos desfiles, blocos e bailes no Radium Clube Dorense e Clube dos Operários.

RODA VIVA

LA TITA E HERALDO PACHECO - ESCO DE SAMBA FOGO DE PALHA

ZANDRA PAIVA

Escola de Samba Liberdade

Marcos Fernando de Abreu

Roda Viva

Natália Azevedo

Lellis Felicori

O CARNAVAL HOJE

Escolas de samba e blocos diversos são os grandes responsáveis pelo desfile. Tem trio elétrico, baterias, bandas e shows.

Consulado

Unidos do Sete Palmares

Consulado

A VANGUARDA EM REVISTA

33


Entrando no trem do passado É preciso que um fato mexa com as emoções para ser encontrado depois com facilidade nesse fantástico arquivo do TEMPO

Trenzinho do Chico do Agnaldo FONTE JARDINZÃO

Jeep do Senhor Ismael

Visita Tancredo Neves

MEC Campeão Thamis e Joaquim Vilela

Santa Rita Foto Histórica 34

Dona Letícia e Dona Amelinha A VANGUARDA EM REVISTA


Miss Boa Esperança Maridete Machado (Rainha) - Glaucia Vilela (Anterior)

Carnaval no RCD

Carmem Silva no Clube dos Operários

Sapataria Sr. Waldemar

Saulo Naves

Turma dos amigos Foto de 1961 - Carmo, Jorge, Tatão (Cevel), Hernane Guimarães, Dilson Araújo, José Marcelo Araújo, Ailton Araújo, Jonhy, Arnon

Cirurgia de hérnia realizada pelo primeiro veterinário de Boa Esperança José Figueiredo de Souza A VANGUARDA EM REVISTA

Vitão, Cid da Cadeirinha e Afonso

35


Entrando no trem do passado

Bares e Restaurantes Bar e Restaurante do Guido

Guido, Margarida, Anderson, Alexandre e AndrĂŠ

Bicano coberto de sapĂŠ

Bar Bola Sete


O Folclore As Pastorinhas

Na encenação os pastores louvam o Menino-Deus e a mãe Maria na época do Natal. O Grupo se apresenta nas praças, ruas e igrejas .

Folia de Reis

Na zona urbana são as Companhias de Reis Santo Expedito, Bom Jesus e do Tião Camilo e na zona rural as companhias das Comunidades Rio Grande, Pintos e Mata dos Barbosas. Outras expressões culturais e religiosas: Grupo de Moçambique Maringá e os Rezadores pelas Almas, ambos do Bairro Maringá.

Conjunto de crenças, lendas, festas, superstições, artes, costumes e tradições que acompanham um povo. E aqui ?

Cidadania GRUPO ESCOTEIRO ESPERANcA O 43º MG Grupo Escoteiro Esperança foi criado em 28/07/1973 por Anderson Vilela. Desde então, vem prestando serviços ininterruptos aos jovens que vêem no Escotismo uma forma gostosa de aprender. Seja na chefia, seja na administração, muitos são os heróis anônimos que se fizeram presentes na vida do Grupo ao longo dessas quatro décadas e meia: Anderson Vilela de Figueiredo (fundador); Geraldo Finochio, Kleber Felicori, Emanuel Salustiano, José Pedro Schiavoni, Paulo Vitor Monteiro, José Diovani de Figueiredo, Messias Reis, Itelaíde Vieira, José Campos, José Roberto Batista, Derli, Irene Maia, Sidney da Farmácia, Neusa Maria Sousa, Aparecida Rezende Monteiro, Marlene de Oliveira, Ana Izabel de Figueiredo, Daniela Pereira de Oliveira, Daniela de Paula, Sonia (do Zé careca), Chefe Nado, Fernando (do INSS), Vicente Mourão, Rogério de Assis Ferreira, Rui Reis, entre tantos outros não menos importantes que fazem parte desta linda história. Na ativa, ajudando o grupo e o escotismo a crescer cada vez mais, temos Maria Aparecida Silva (Chefe Chiu), Marlúcio Finóchio, Sílvio Figueiredo, Anderson Andrade, Maria José Siqueira (Zezé), Juliano, Ulisses, Amanda, Raquel, Daniel,

38

A VANGUARDA EM REVISTA

Andréia, Otávio, Yenndel e Adriano. Hoje com 46 anos de existência, o grupo tem sua sede no Parque Sucupira e segue firme na missão de entregar melhores cidadãos à sociedade e manter-se “Sempre alerta para servir”!

O TERRiVEL CANARINHO PARDOLA PARDOLA ou CANARINHO PARDOLA foi uma figura lendária que aterrorizou as moças e meninos de Boa Esperança nos anos 50 e início dos anos 60. Armando era o seu nome. A simples menção desse apelido provocava um verdadeiro temor nas pessoas dessa época. Filho de um funcionário público, ele teve uma vida de adolescente com conforto. Sua família era do bem mas ele tinha a fama de atacar as mulheres. As mães, quando as filhas saiam de casa a noite, recomendavam: cuidado, pois o Canarinho Pardola está solto. ( Do livro “ Ao lado da Serra da Boa Esperança – Rander Maia)


Presente no futuro

De ACAR para EMATER-MG muita coisa mudou.

GRANDE JOSÉ LUCAS

O QUE MUDOU

O Extensionista Agropecuário José Lucas Rodrigues iniciou os trabalhos em Boa Esperança em 31 de agosto de 1968, trabalhando no município durante 35 anos e 6 meses. Em 1975 participou da transição da ACAR - Associação de Crédito e Assistência Rural para EMATER-MG – Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais, mudando o foco, que era de assistência técnica a todos os níveis de produtores para atender prioritariamente os pequenos e médios produtores e suas famílias. Vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o convênio com a Prefeitura Municipal de Boa Esperança está fortalecido, desde 1991, com a Cooperativa Agropecuária de Boa Esperança, através do seu escritório sediado na Capebe.

Das muitas razões, o acesso à mecanização, através da ampliação do Credito Rural via Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, criado em 1996; a difusão das tecnologias ao maior número de produtores e a busca constante pela qualidade dos produtos aqui produzidos são responsáveis por tais mudanças.

DE LÁ PRA CÁ De lá para cá houve aumento médio na produtividade das principais atividades agropecuárias do município: café para 32 sacas, milho para 135 sacas e na bovino de leite para 16 litros por dia. Foram registrados acréscimos de mais de 50% na produtividade, onde 75% de toda a produção vem da Agricultura Familiar que abrange os pequenos e médios produtores.

SUSTENTABILIDADE Hoje, mais do que produzir, busca-se a sustentabilidade, ou seja, a preocupação recai sobre a produção, o mercado, a rentabilidade, a qualidade de vida das famílias e a preservação ambiental.

A EMATER-MG A EMATER-MG em Boa Esperança, ao longo da sua trajetória, vem se dedicando a conhecer a realidade agropecuária e por isso tem se reinventado para melhor atender as demandas dos agricultores que fazem do município um celeiro de riquezas e também com que o segmento agropecuário represente a atividade econômica mais importante do município. Hoje, a equipe da EMATER-MG é formada pela Engenheira Agrônoma MSc Thatiane Abrahão Pereira, o Técnico Agropecuário Thiago Alves Santos e pela Assistente Administrativa Irani Rafaela Junqueira.


Boa Esperança ganha representação na OAB Federal A nossa conterrânea Maria Celeste Morais Guimarães, filha de Inês e Hernani Guimarães, advogada e professora de Direito, foi nomeada Vice-Presidente da Comissão Nacional de Recuperação Judicial de Empresas do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, para o triênio 2019\2021. É a primeira mulher e advogada de Minas Gerais a ocupar o cargo no Conselho Federal. Maria Celeste foi eleita, ainda, Conselheira Seccional da OAB, Seção Minas Gerais, na Presidência do advogado Raimundo Cândido Júnior, que a reconduziu como Presidente da Comissão Estadual de Direito Societário também para o triênio 2019\2021. Maria Celeste é Mestre e Doutora em Direito Empresarial pela UFMG, Membro Efetivo do Instituto dos Advogados de Minas Gerais - IAMG e Associada do Instituto Brasileiro de Estudos de Recuperação de Empresas – IBR, da USP, com sede em São Paulo. O cargo no Conselho Federal dá destaque à Mulher Advogada não só na OAB Mineira, mas no cenário jurídico nacional e vem coroar de êxito o trabalho que a nossa conterrânea, Maria Celeste, tem empreendido na consolidação da efetiva participação das advogadas em nosso estado. A OAB Federal reconhece, com a escolha de uma mulher advogada, o valor do estilo de liderança feminino, que traz características mais colaborativas, hoje reconhecidas por todas áreas,

em face da ênfase no trabalho de equipe e tomada de decisão mais consensual. Além do que, o olhar feminino tende a ser mais plural, que leva a uma maior inovação e criatividade. Há pesquisas que demonstram uma relação direta entre a presença de uma ou mais mulheres em órgãos colegiados e a melhoria de boas práticas de governança nas instituições. As mulheres estão buscando, cada vez mais, o conhecimento, capacitação e qualificação. Este é o caminho, diga-se, sem volta, para o fortalecimento da presença feminina no mercado profissional. As Comissões Técnicas da OAB representam toda a amplitude e atualidade da Advocacia. Na constante especialização do direito, com a emancipação de ramos a exigir a velocidade de formação dos profissionais, torna-se imprescindível a agilidade de órgãos dispostos estruturalmente a propiciar o exercício das potencialidades contidas nas regras legais, bem como na densificação dos institutos jurídicos. A evolução do direito, que não se dá sem esforços, fazendo por reclamar o ajuste normativo, exige, por isso, o árduo trabalho das Comissões, a oferecerem permanente contribuição à elaboração legislativa e a sua hermenêutica. São as Comissões Técnicas, portanto, a tradução última da enorme e desafiadora competência do órgão máximo da Advocacia: a Ordem dos

Advogados do Brasil, que não é apenas a entidade de classe do procurador da parte, no debate judicial ou na consultoria, mas uma instituição dotada de profissionais extremamente especializados, treinados pela dialética forense e pela experiência concreta em juízo ou na arbitragem. Maria Celeste, pelo currículo e trajetória profissional nos últimos anos, tendo recebido esta importante missão no Conselho Federal, saberá se engajar firmemente nesse trabalho de trazer para a OAB o que de melhor está sendo produzido e debatido nas Faculdades, nas empresas e na sociedade de modo geral, para honrar a nossa cidade e as melhores tradições dorenses geradoras de conhecimento, cultura, de aprimoramento do exercício da advocacia e de construção da cidadania.


GENTE

“Boa Esperança, teu nome é doce e nos ilumina. Teu povo bom e tua terra rica fazem de ti um lugar abençoado” (RANDER MAIA)

NA ESTAÇÃO DOS FILHOS ILUSTRES DR. NEWTON FREIRE MAIA Cientista, foi professor no Ginásio São José. De fama mundial, era Doutor em Genética Humana e Mestre junto a Universidade Federal do Paraná, em Curitiba. (in memorian)

RANDER MAIA Professor de Ciências, Química e Bioquímica, farmacêutico-bioquímico pela UNIFAL, graduado também em ciências biológicas, licenciado em Química e Bioquímica pela UTRAMIG, pós graduado e especializado em saúde pública e mestrado em Ciência de Alimentos (toxicologia). Foi pesquisador da Fundação CETEC (Centro Tecnológico de MG), Diretor do Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais, Diretor na Prefeitura de Belo Horizonte, Diretor Técnico da Belfar Ltda. Vereador, Secretário Municipal, Vice Prefeito, Diretor da CAPEBE, Diretor Provedor da Santa Casa, Membro da Academia de Letras, Professor em colégios e escolas superiores. Possui vários trabalhos e textos científicos publicados. Casou-se com Inês Maria com quem teve as belas filhas Flávia, Raquel, Letícia, Janice e Santuza. Seus livros constituíram-se em importantes fontes de informações deste projeto.

44

QUE NÃO É DAQUI MAS É DA GENTE

São presentes que a cidade ganhou.

CLODOMIR TEIXEIRA MILET SOBRINHO

As médicas ginecologistas e obstetras SAYONARA HELEONORA CORREA E FIGUEIREDO (Areado-MG) e LÉLIA MOREIRA DE ANDRADE TOLEDO (Piraúba-MG).

Veio transferido para o Banco do Brasil de Boa Esperança em 1966. Exerceu várias funções sociais em Boa Esperança; Foi presidente do RCD, e, durante 08 vezes foi seu Diretor Social; Presidente do Lions Club de Boa Esperança; Fundou a 1ª Escola de Samba de Boa Esperança, a Roda Viva; Fundador do Festival da Canção de Boa Esperança; Criou, junto com seu proprietário, Ubiratan Maia Vilela, a Boate “Tenda”; Presidente da Praça de Esportes; Escreveu no Jornal “A Vanguarda” e dirigiu o Jornal “Língua de Sogra”; Casou-se com a esperancense Evian Lemos Barbosa, com quem teve duas filhas; Em 1981, foi transferido pelo Banco do Brasil para Caratinga(MG) e, se aposentou como Gerente, em Belo Horizonte. Considera-se filho de Boa Esperança, tamanho seu amor e gratidão por esta terra.

JOSÉ ANTONIO DA COSTA (Passos-MG) Gerente do Banco Itaú e Conselheiro da Fundação Itaú Unibanco.


GENTE QUE BRILHA LÁ FORA DR. GIOVANI MENDES FERREIRA Filho de Marlene e Enoque Candido Ferreira, médico neurocirurgião em Cuiabá-MT, professor da Faculdade de Medicina da Univag; Chefe do Setor de Neurocirurgia do Hospital Santa Rosa , Cuiabá-MT, Post gradduate in pediatric neurosurgery WFNS/ FLANC/SBN; Active Membeer of Internacional Society for Pediatric Neurosurgery ISPN; Título de Especialista em Neurocirurgia pela SBN/AMB; Membro da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia Pediátrica; Membro da Diretoria da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia – Comissão de Credenciamento; MBA em Gestão de Cooperativas Faccat Sescoop MT; Presidente da Sociedade de Neurocirurgia do Estado do Mato Grosso ( 2015-2016); Membro da Câmara Técnica em Neurocirurgia e do Conselho Fiscal da Unimed Cuiabá.

DR. CLAUDIO ALVES DA SILVA Filho de José Severino da Silva e Nely Alves da Silva: Major do Quadro Complementar de Oficiais do Exército Brasileiro; exerceu a advocacia em Boa E sperança de 1998 a 2000. No Exército exerceu as funções de Assessor Jurídico do Comando Militar do Planalto e do Comando de Operações Terrestres; integrante da Delegação do Exército Brasileiro na Conferência Especializada de Assuntos Legais em Operações de Manutenção da Paz e Operações de Ajuda em caso de Desastre, da Conferência dos Exércitos Americanos (San Antonio, Texas, EUA, 2012). Atualmente exerce as funções de analista no Gabinete do Ministro General de Exército Marco Antônio de Farias, no Superior Tribunal Militar. Já foi distinguido com importantes condecorações. Seus artigos sobre Direito Operacional Militar já foram lidos em mais de 20 países.

QUE ALEGRA O CORAÇÃO DA GENTE CLAUDIO FINOCHIO Conhecido por todos, tem o dom de cativar e o fácil poder de interagir no meio social, apesar das suas deficiências. É presença certa na Redação do Jornal A Vanguarda e um apaixonado pela “suposta” leitura.

QUE SURPREENDE JOEL CALCULADORA É o crânio da matemática. Possui uma capacidade de fazer contas impressionante, a desafiar qualquer calculadora pela rapidez e raciocínio.


GENTE Gente que brilha Dr. José Carlos Cunha Com 18 anos de idade foi candidato a vereador mais votado em 1971. Depois foi reeleito por mais duas vezes, sempre como o mais votado. Em 1984 foi convidado e nomeado pelo Governador Tancredo Neves, consultor jurídico do Gabinete Militar do Governo de Minas, dentre outros cargos. Posteriormente fez concurso para Delegado de Polícia Federal passando em primeiro lugar entre 12.000 candidatos. Foi também

46

aprovado em primeiro lugar entre os candidatos de Minas Gerais para Procurador da República. Foi Promotor de Justiça em Belo Horizonte, Guaxupé, Guaranésia, Boa Esperança em cooperação, Caxambu e Lavras. Atualmente está advogando para grandes empresas.

A VANGUARDA EM REVISTA


Nosso orgulho Santa Casa de Misericordia de Boa Esperança

São mais de 100 anos...

De lá pra cá quanta coisa mudou! Fundada em 19/12/1917 a Santa Casa de Misericórdia de Boa Esperança, apesar das inúmeras dificuldades, principalmente de ordem financeira, é a que acolhe não só a população local, mas também a das cidades vizinhas. Quantas vidas ali foram salvas.... Quantas cirurgias, partos, procedimentos, encaminhamentos realizados. Em tempos em que a saúde é questionada, independente se os atendimentos são particulares ou realizados pelo SUS, notório que aqui temos uma entidade que muito mais do que qualquer aspiração, tem caráter humanitário, contando com a colaboração generosa, despretensiosa e valorosa de muitos cidadãos que se prontificaram e ainda hoje se prontificam a abraçar a saúde da cidade, encabeçando a gestão , em meio a inúmeros obstáculos. Fazem por amor! E quantos foram... E está aberta porque o povo DOA! Instituição que nunca paralisou suas atividades. A SANTA CASA é motivo de orgulho para os esperancenses e se desejamos enaltecer a todos que engrandecem a história de Boa Esperança, não poderíamos deixar de destacar o papel desta que dia a dia, através de seus provedores, colaboradores e funcionários, dedicam-se ao máximo para amparar o povo. Aliás, o que seria de nós sem a Santa Casa? Dando uma parada no presente você já parou para pensar nos avanços que ocorreram e do que hoje você recebe não só ali, mas também do Pronto Atendimento Municipal? Feliz realidade.... A VANGUARDA EM REVISTA

47


Serra da Boa Esperança C

antada em versos e prosa por Lamartine Babo esse tesouro esconde maravilhas: Riachos de águas cristalinas, belíssimas cachoeiras, trilhas, grutas... Um lugar fantástico! O ponto culminante é o Pico do Branquinho, com 1596m de altitude.Ali tem instalado o Parque Nacional da Serra. Ponto turístico deslumbrante, tem atraído turistas de todos os cantos do país. O que mudou? Antes, a preservação da fauna e flora não era uma preocupação. Hoje quem ali adentra tem que respeitar. Existe sinalização e a área está protegida. DIANTE ESTAMOS DO PATRIMÔNIO ENCANTADO DA NOSSA BELA E BOA ESPERANÇA

48

A VANGUARDA EM REVISTA


DA CIDADE

CARTÃO DE VISITAS 50

O LAGO DOS ENCANTOS O Lago de Boa Esperança possibilitou o desenvolvimento do turismo e lazer. Formado pelo represamento das águas do Ribeirão Marimbondo, Maricota e Cascavel, possui extensão aproximada de 8 km² (800ha), sendo 3 km² a parte que banha a cidade. É circundado de praças, com avenidas arborizadas, restaurantes, instalações para pesca com vara e ancoradouro. Patrimônio paisagístico, foi tombado pelo Decreto Municipal nº 574/98, estando sujeito a proteção especial pela Lei 2063, de 10/04/67. No 2º domingo de março de cada ano comemora-se o Dia do Lago, que também é chamado de Lago dos Encantos. Em toda a sua orla ocorre a prática de esportes dos mais variados.

QUEM DISSE QUE EM MINAS NÃO TEM PRAIA? Através de uma parceria público-privada toda estrutura de praia foi montada na Av. Beira Lago. Fato é que turistas e esperancenses estão se esbaldando, bem ao estilo dos litorais. Pés na areia, guarda-sol, barracas, banho de sol e de água doce. Na Av. Beira Lago, a mais requintada da cidade, estão concentrados bares, restaurantes, rede hoteleira, além de belas edificações.

Estamos na praia! Com isso o turismo vai se firmando e por consequência, mais emprego e renda vão sendo gerados.

1969 - Antes da Chegada das águas no Lago

1989

1989

Beira Lago

Garça e passaro no "T" na Beira Lago

Nossa praia aos fins de semana

A VANGUARDA EM REVISTA


O conceito mente e movimento

São destaques nessa história!

E

m 1988 foi dada a largada no conceito mente e movimento. E quem proporcionou essa evolução na cidade foi a ACADEMIA WD, a primeira que se instalou em Boa Esperança. De lá pra cá Wandinho Oliveira e Dirlene permaneceram incansáveis na missão de proporcionar aos alunos um treinamento físico de excelência. Com um absurdo foco na capacitação, sempre estiveram engajados no segmento da preparação física e pelo país afora participaram de cursos de ponta buscando o que sempre existiu de mais moderno. Boa Esperança orgulha-se destes profissionais de primeira grandeza e neste momento histórico rende-se a eles em sinal de gratidão e respeito, cumprimentando-os pelo dinamismo e amor com que abraçam a profissão de professores e treinadores.

A VANGUARDA EM REVISTA

51


Cidade em ,

Em 1915 fundou-se o Radium Football Clube e depois o Ipiranga Football Clube. Os relatos dão conta de que nessa época o futebol era praticado no campo da várzea do Sr. José Diniz. Em 1926 veio o BEC – BRASIL ESPORTE CLUBE. Na data de 01/11/1937 foi fundado o , MINAS ESPORTE CLUBE -MEC. O timão atraía multidões e os jogadores usavam uniforme com a predominância da cor verde. (Do livro O Futebol em Boa Esperança e o MEC, por Rander Maia)

Atualmente, tanto o futebol masculino quanto o feminino estão a todo vapor. Arthur Vieira, atleta profissional, desponta na luta (MMA). Destacamos o CEBE por propiciar a prática de esportes em ambiente seguro e descontraído.

MEC - 1983

MEC - 1982

52

A VANGUARDA EM REVISTA


movimento

PARA UMA CIDADE QUE É PURO MOVIMENTO

NOSSA MUITO BEM APROVEITADA Ontem os campeonatos de vôlei de praia. Atualmente stand up, bicicletas, caminhadas, corridas, petecas, caiaques, academia ao ar livre... “Parece que fica até feio apenas passear nesta avenida quando vemos tanta gente praticando esporte por aqui”, outro dia ouvimos isso de um turista.

A VANGUARDA EM REVISTA

53


Terra de MULHER BONITA sim senhor!

Muita coisa mudou nesta trajetória, menos o padrão de beleza da mulher esperancense D. Sílvia Marisa Resende Vilela, que atualmente mora em São Paulo, foi modelo do lançamento da linha Manga, tecidos em algodão brasileiro, além de Miss Belo Horizonte, Miss Minas Gerais 1961, Princesa Sul de Minas, Miss Boa Esperança, Rainha do Café de Boa Esperança, Miss Belo Horizonte, Miss Iate Tênis Clube, Miss Brasília -DF em 1961, Miss MB Tênis Clube. Maria Letícia Naves Diniz que atualmente reside em Belo Horizonte-MG foi Miss Boa Esperança em 1969 e Glamour Girl de Minas em 1968.

Silvia Resende

Silvia Resende - 79

anos

Em tempos atuais, uma pequena mostra de estrelas desta fantástica constelação

Alessandra de Souza Lem

os, 49 anos

la, 16 anos

Isabela Vasconcelos Vile

Maria Letícia

Sofia Fagundes Vilela, 18 anos

Gabriela Cristina da Silva, 22 anos

54

Leticia Lima Souza, 18 anos

s

i Guimaraes, 14 ano

Lanna Gischewsk

Leticia Chaves Ferreira, 18 anos

A VANGUARDA EM REVISTA

Thais Helena da Silva, 24 anos


! o h l i f a r a p i a p De

Uma das tarefas dos pais, talvez a principal delas, é ensinar aos filhos como sobreviver. Não raro, o que vemos são estes seguindo a carreira daqueles ou assumindo a direção dos negócios. Eles passam a ser espelho, servindo de exemplo.

Renata Toledo Barbosa, 26 anos, engenheira civil, assumiu a Direção da GLOBAL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO LTDA em 2012, estabelecimento que durante 22 anos contou com a direção dos pais Renato Barbosa e Cristiani Toledo Barbosa. Ela conta que quando o pai se formou Engenheiro Civil o mercado do ramo estava muito ruim e então ele resolveu abrir a empresa vendendo material hidráulico, elétrico, lazer e irrigação, instalando várias piscinas na cidade. A Global existe há 29 anos e desde o início até hoje no mesmo segmento de materiais, porém sempre buscando melhorias para crescer. “Hoje sou uma pessoa extremamente realizada, amo o comércio e sou grata a Deus por ter iluminado minha decisão de assumir esse negócio de pai para filha”.

56

A Fridoces, por exemplo, foi inaugurada no ano de 1990 pela Sra. Maria Inês Vilela Oliveira e Enise Penoni Oliveira. Com o passar dos anos, passou a ser administrada apenas por Enise Penoni Oliveira, dando início também ao Buffet. Atualmente, a loja é gerenciada pela filha Juliana Penoni Oliveira Gusmão, neta e filha, respectivamente da família e o buffet ainda é gerenciado por Enise. "Eu ficava vendo desde a minha infância a produção de todas as delicias feitas na fazenda. Desde criança sempre gostei muito de cozinhar e criar novas receitas. Quando ainda morava na fazenda, minha brincadeira preferida era cozinhar e assar bolo na minha casinha que meu avô construiu para as netas. Era algo mágico", relembra. "Aprendi desde os meus 5 anos de idade a fazer bolo, rosquinhas, doces, etc. Todas as receitas da infância aprendi com minha mãe. Cresci, e fui então morar fora para fazer faculdade. Meu curso não poderia ser outro a não ser Gastronomia. Me formei e me identifiquei com a culinária italiana, fazendo com que após o curso, juntamente com meu marido Evandro, fundássemos a empresa de massas. Após 3 anos, fui trabalhar com minha mãe e dar continuidade na Fridoces, aperfeiçoando as receitas, porém sem perder a originalidade das receitas."

A VANGUARDA EM REVISTA

Luiza Freire está à frente da CEVEL CONCESSIONÁRIA DE VEÍCULOS VOLKSWAGEN há 04 anos. A empresa foi fundada e conduzida por seu pai Sebastião Ezer Freire (Tatão da Cevel) desde 05/01/1970. “Assumi a CEVEL que é uma empresa familiar, sem nenhuma experiência. Vou confessar: Foi desesperador. A transição de gestão não está sendo fácil, várias mudanças estão acontecendo, não estou sozinha nesta caminhada, conto com a ajuda e dedicação total de minha filha Karol, dos funcionários, clientes, e principalmente dos ensinamentos de meus pais; era desejo do meu pai que a Cevel não morresse com ele e ela está aqui viva e se depender de nós para sempre”.


“A JOCAPE está em minha vida há 25 anos, desde as primeiras atividades na casa dos meus pais até a sua consolidação na sede propria. Participei da montagem e abertura de Campos Gerais e la trabalhei por 2 anos. Me formei em engenharia em São João Del Rei, e trabalhei na Vale por 10 anos. Durante os anos que estive fora sempre me mantive atento à operações da JOCAPE e do desenvolvimento agrícola de Boa Esperança e região.

Em 2015, observando a crescente mecanização agrícola e somando o desejo de morar aqui, retornei com o objetivo de aumentar a participação da JOCAPE no mercado de peças agrícolas. As modernizações realizadas, aliadas à grande experiência do meu pai José Carlos Garcia de Miranda, estão gerando os resultados esperados com crescimento expressivo nos últimos anos. É um privilégio morar em Boa Esperança, trabalhar no que amo e ainda ter o meu pai ao meu lado como grande exemplo e parceiro”, comentou Hugo José Ferreira Miranda.

“ Os negócios conduzidos pelo meu pai foram aumentando e então eu decidi ajudá-lo, inovando com tecnologia, colocando ideias em prática, motivando a equipe de trabalho, tendo sempre como alvo a satisfação do cliente. Trabalhar com união de esforços – regra que tem feito dar certo nossa parceria”, ressalta Nathali Barbosa Resende Vilela, filha de José Silvio Resende Neto.


FORÇA MOTRIZ DA CIDADE: O AGRONEGÓCIO Com a palavra o engenheiro agrônomo ALYSSON VILELA FAGUNDES. Nossa Boa Esperança é destaque no cenário do agronegócio nacional. Com área total de 86 mil hectares, cultiva aproximadamente 32 mil (37%), sem contar as áreas de pastagens que somam mais de 10 mil ha. O município tem um aproveitamento para a agropecuária de 42mil hectares, ou seja, quase 50% do total da sua área. Dos 32 mil hectares cultivados, a grande maioria é cultivada com Café (19.624 ha), seguido do milho para grãos e silagem (7.000 ha) e Soja (4.000 ha).

Alysson Vilela Fagundes

58

A ECONOMIA LOCAL

O café é a base econômica, representando a maior receita agrícola. É a grande estrela sendo o quinto município em Área de Café em Minas Gerais e o sexto do Brasil. A maioria do PIB local provém do Agronegócio. Boa Esperança conta ainda com uma preservação ambiental exuberante, visto que dentre suas maravilhas estão a Famosa Serra da Boa Esperança, onde hoje está constituído o Parque Estadual Serra da Boa Esperança e uma grande área de lâmina de água do Lago de Furnas.

Fazenda Sabaré - Empresa Fagundes & Fagundes

A VANGUARDA EM REVISTA

O café e o leite sempre foram a base da economia da cidade. Contudo, uma profunda mudança no setor, já que estamos falando de evolução, ocorreu a partir da tecnologia e da chegada das máquinas. Boa Esperança também já experimentou o crescimento industrial. Isso aconteceu com a Usina de Álcool, a Destilaria Boa Vista, que passou a produzir álcool combustível através do Proálcool, programa criado pelo Governo Federal em 1975. Mas com o tempo uma série de problemas tornou o mercado menos competitivo e muitas usinas faliram e encerraram suas atividades, inclusive a instalada em Boa Esperança que fechou em 1989, fato que causou grande prejuízo à economia local. Aqui também havia a Industria de Refrigerantes Boa Esperança Ltda, que produzia o refrigerante ULA, nome que pela simples menção causa grande nostalgia a quem viveu naquele tempo e relembra o sabor de infância e do refrigerante Limão Verde. O que se vê atualmente é um grande esforço para alavancar e fomentar a indústria do turismo, já que hoje Boa Esperança conta com uma rede hoteleira de ótima qualidade, possui bons restaurantes e bares, malha viária satisfatória, perfeita estrutura. É uma cidade lindíssima, onde a qualidade de vida tem imperado.


REDE DO CAMPO

Liderança e expansão no varejo agropecuário [com Roberto Augusto Gonçalves Andrade]

Toda história de sucesso começa com pessoas unidas, dispostas a dar o primeiro passo. A história da Rede do Campo, a primeira rede de lojas agropecuárias do Sudeste brasileiro, não poderia ser diferente. Atentos à importância da união e da perseverança no campo para o desenvolvimento econômico, social e ambiental, empresários uniram-se em 2010 com uma proposta associativista: potencializar a competitividade e as oportunidades de crescimento no segmento agropecuário regional. Após 9 anos, a Rede do Campo está presente nos segmentos de agricultura, pecuária, fertilizantes, rações, máquinas, implementos, assistência técnica, linha pet e tudo que o produtor rural precisa para prosperar. Hoje são 34 lojas, presentes em 33 cidades do Sul e Centro-oeste de Minas Gerais. Na cidade de Boa Esperança/MG, a loja associada Rede do Campo é a Produttiva Agropecuária. Completando dois anos de atuação no ramo do varejo agropecuário da cidade vem crescendo a cada dia com significativa presença nos segmentos de agricultura, pecuária, rações e afins atendendo o produtor rural com serviços e produtos com alto padrão de qualidade.

através do planejamento estratégico, bem definido e revisado periodicamente, e proporciona grande troca de experiências e aprendizado aos associados.

Através do projeto Multiplicadores, promovem o desenvolvimento de líderes e um trabalho de motivação constante com os mais de 500 colaboradores das lojas associadas. Com o planejamento de marketing, grandes parcerias são estabelecidas com as maiores marcas do agronegócio, em uma relação nutrida de confiança e crescimento mútuo. O sucesso foi alcançado graças ao modelo associativista que, muito mais do que comprar em conjunto, mostra o caminho certo

ferência no setor, em Minas Gerais, até 2020, como sinônimo de associativismo, inovação e excelência. Com os olhos de um menino atento ao futuro e a expertise de uma rede estruturada, a Rede do Campo não para por aqui. Estudos para a viabilização da criação de um e-commerce, do centro de distribuição e de marca própria já estão em desenvolvimento. “Hoje, a Rede do Campo é muito mais que uma associação de lojas. É uma família, que os sócios-fundadores criaram trazendo um laço de amizade e empreendedorismo para todos da Rede.” – Roberto Augusto Gonçalves Andrade (Diretor de Marketing) A Rede do Campo, líder no ranking do varejo agropecuário segue em franca expansão!

Em plena expansão, a Rede promove oportunidades de desenvolvimento para toda cadeia produtiva do agronegócio e visa ser reGRANDE VARIEDADE DE PRODUTOS • RAÇÕES E SAL MINERAL • MEDICAMENTOS VETERINÁRIOS •PRODUTOS PARA ORDENHA

• SEMENTES • DEFENSIVOS AGRÍCOLAS • FERRAMENTAS E MIUDEZAS EM GERAL

(35) 3851-1246 • 99957-4490 AVENIDA MARIQUINHA GOMES, 459 - BAIRRO NOVA ERA (ANTIGA MAIOLINI MATERIAL DE CONSTRUÇÃO)


A NOVA ERA - TECNOLOGIA E INTERNET O QUE SERIA DE NÓS E DE TI SEM NÓS?

E

m 1987 chegou o 1º computador na extinta CERCABE e em 1988 Dalton, Cleber e Anderson dos Reis iniciaram o processo de informatização da CAPEBE. Já em 1991 Dalton Figueiredo Resende fundou a Alt-Plus Informática Ltda, a primeira escola de informática da cidade. Depois partiu para a venda de computadores, serviço de assistência técnica e desenvolvimento de sistemas com soluções voltadas para os comércios, serviços e agropecuária. Ana Ozéia Ferreira - importante nome desta era. Em 1995 os irmãos José Osvaldo e Jorge Luiz de Carvalho montaram a primeira provedora de internet. Referência importante ontem e também hoje é a SISPONTO, de Jackson Tulio Reis que em 1995 desenvolveu um software de tratamento de ponto de funcionários – o SISPONTO.

Dalton Figueiredo Resende

José Osvaldo e Jorge Carvalho

Vários provedores de internet, além de empresas e profissionais de informática têm contribuído cada vez mais para a expansão do ramo. Jackson tulio Reis

SERÁ POSSÍVEL IMAGINAR QUE FOI ASSIM? A TELEFONIA NAQUELA ÉPOCA COTEBE-- COMPANHIA TELEFÔNICA BOA ESPERANÇA PRESIDENTE LOMBARDO LINCOLN DE MOURA

Em 1960 inaugurou-se em Boa Esperança a Cia. Telefônica que instalou telefones residenciais na cidade. Antes o serviço telefônico era feito num posto, e as ligações interurbanas demoravam horas e, às vezes, até um dia inteiro. A ligação entre as cidades era feita por quilômetros de fios sustentados por postes. No posto telefônico, além da telefonista, tinha o mensageiro que ia chamar a pessoa em casa quando a ligação ficava pronta. Instalação dos telefones residenciais facilitou muito as conversas locais, mas as ligações interurbanas continuavam demoradas. Esse serviço melhorou muito com a instalação do sistema DDD (Discagem Direta a Distância), via satélite, a partir de 1980. Foi um grande avanço. Os aparelhos telefônicos podiam ser móveis colocados sobre mesas ou fixos instalados a parede ou num local adequado. Inicialmente eram de discagem e depois passaram ser teclados ou digitados. Mas os sistemas telefônicos antes do DDD, sobretudo nas cidades do interior, qualquer pessoa que quisesse falar noutra casa ou loja comercial, bastava tirar o aparelho do gancho e pedir a telefonista para ligar no número desejado. Com o tempo a telefonista decorava todos os números residenciais e comerciais e seus proprietários. Então bastava dizer o nome da pessoa ou onde queria falar na casa do fulano, na farmácia, no armazém, no cinema, no hospital e ela fazia a ligação. (Do livro AO LADO DA SERRA DA BOA ESPERANÇA – RANDER MAIA)

Uma das eficientes telefonistas da época foi ANA LUCIA MONTEIRO, a quem cumprimentamos com carinho. De lá chegar phones Quanta

60

pra cá, até nos smartsimaginemos:coisa mudou....

A VANGUARDA EM REVISTA

Ana Ozéia Ferreira


NOVOS

EMPREENDEDORES HÁ QUANTAS ANDAM ESTA GERAÇÃO?

Uma boa alternativa para empreender pode ser trabalhar na própria área ou criar o próprio negócio. Muitos esperancenses têm alcançado posições de relevância no empresariado local e obtendo sucesso.

CAFÉ SELO VERDE ”A paixão pela bebida e o conhecimento extremo dos processos produtivos, trouxeram reconhecimento à Selo Verde, levando a marca a se tornar uma referência para os apreciadores de café gourmet, destacando-se dos demais produtores de café da região sul de Minas Gerais”.

ENEXSUS ENGENHARIA

Citação de Cíntia Vilela Antunes, jovem empresária que tem sobressaído no segmento. Ela diz que a altitude e condições climáticas da Serra da Boa Esperança são perfeitas para o cultivo do café de qualidade, o café arábica (Coffea Arábica) e que a estrutura de beneficiamento não deixa a desejar em nenhuma etapa do processo pós-colheita.

Essa é a típica história de "O bom filho à casa retorna". Rodrigo Barbosa Brito, depois de 20 anos retorna a sua cidade natal, após cursar Engenharia Elétrica, Mestrado em Telecomunicação, ter sido professor de graduação e pós-graduação do INATEL e gerente técnico do Laboratório de TV Digital da LG Eletronics do Brasil. Hoje, atua integralmente como diretor geral e fundador da ENEXSUS ENGENHARIA, empresa pioneira em Boa Esperança e região na oferta de soluções para geração de energia elétrica à partir de fontes sustentáveis, atualmente com foco em projetos de usinas fotovoltaicas. Empresa esperancense com diversos projetos em mais de 20 cidades no Sul de Minas, São Paulo e Rio de Janeiro. Conhecimento aplicado gerando empregos, renda e energia de forma limpa e sustentável.

MABE CORRETORA DE SEGUROS Há 06 anos ALMIR AURELIANO DA SILVA JUNIOR e MATEUS AVELAR SILVA arregaçaram as mangas e criaram a MABE CORRETORA DE SEGUROS. “Escolhemos enfrentar as dificuldades com zelo e vontade de vencer, sempre procurando os melhores meios para atender os clientes”, salientam os irmãos. Hoje a empresa gera empregos e tem destacada atuação na cidade.

ALVORADA TRATORES Camila Barbosa Oliveira está construindo uma trajetória invejável junto a Alvorada Tratores, seguindo a tradição do avô Tulio e do pai Cleiton na empresa que já conta 35 anos de história. Ela comenta que é necessário um trabalho árduo para que os sonhos e projetos se concretizem e que a humildade é a base do trabalho em equipe. A jovem impressiona pelo foco e objetivos. Atualmente está à frente da administração de 3 empresas do ramo agrícola, abrangendo uma vasta área de atuação no Estado de Minas Gerais.

62

A VANGUARDA EM REVISTA


VÓ TEREZA

A PRIMEIRA CERVEJA ARTESANAL DE BOA ESPERANÇA Após centenas de testes e 22 receitas registradas no Ministério da Agricultura, a VÓ TEREZA surgiu para o mercado em meados de 2018, concretizando-se na 1ª Cerveja Artesanal de Boa Esperança devidamente registrada e com CNPJ domiciliado na terra. A qualidade do produto e a marca caíram logo no gosto do povo. A necessidade de incentivo ao que é da cidade é uma marca da empresa que está presente em todos os eventos, além de patrocinar artistas, ongs e esportistas locais. Com circulação em mais de 20 cidades a VÓ TEREZA ou VTRZ carrega o nome de Boa Esperança estampado nos seus rótulos, associando a fotografia do símbolo do rock com o fato das primeiras brassagens terem acontecido na casa de D. Maria Teresa Teixeira Maia, esposa do saudoso Professor Antônio Maia. Daí o nome carinhoso VÓ TEREZA.

CONSTRUTORA BARBOSA

UMA EMPRESA FAMILIAR Há 40 anos Boa Esperança recebia o engenheiro civil Marcos José Barbosa. Assim que chegou ele montou seu escritório e começou a trabalhar. Construiu casas imponentes e depois o primeiro prédio. Como o escritório foi ficando pequeno e o trabalho cada vez mais reconhecido foi fundada a CONSTRUTORA BARBOSA que hoje é responsável por várias obras de alto padrão, apartamentos, além de galpões e silos de armazenamento de grãos, empreitadas e incorporações. “E assim esperamos trabalhar por mais 40 anos concretizando sonhos, conquistando cada vez mais respeito, com honestidade e qualidade, e fazendo cada vez mais parceiros e amigos “, comentam Rafael, Renan e Marcos José, filhos de Marcos José Barbosa.


“Espaço para Eventos” e “Oficina da Arte em Ferro”. Um mix de entretenimento, arte e cultura. Ambiente acolhedor e inclusivo, que ativa, atiça e nos atira a grandes emoções, com oportunidade para conhecer as histórias e técnicas de cada peça criada e onde pode se adquirir o melhor da decoração em ferro, com leveza e elegância. Oficina da Arte – Espaço de Evento (35) 3851-1433 • 98438-1080 Avenida Delduque Barbosa, 600, Centro, Boa Esperança-MG Oficina da Arte em Ferro Rua Maria Amelia Leite Naves , 275, Centro, Boa Esperança-MG. @oficina_arte


OS

O

MEIOS DE COMUNICAÇÃO

"PORÉM SEJA TUDO FEITO COM ORDEM E DECÊNCIA" (Cor 1 14 40)

JORNAL A VANGUARDA prossegue em sua caminhada de levar informação ao povo de Boa Esperança desde março de 1945.

Hoje na Direção e Gerência Sandra Regina Pinto Patrício e Redatora Claudia Isabel Maia Portugal.

RADIO SERRA DA BOA ESPERANÇA, inaugurada em 15/10/1984 e a RÁDIO LIDERANÇA FM, fundada em 12/12/2002 levam através de suas ondas de transmissão informação, entretenimento, jornalismo e cultura.

GRATIDÃO

TV BOA ESPERANÇA É o maior representante da imprensa escrita que registra a HISTÓRIA de maneira séria, imparcial e responsável

HISTÓRIA

Em março de 1945 o jovem Newton Freire Maia lançou a primeira edição de “A Vanguarda”, contando com a colaboração de uma equipe de pessoas idealistas que, como ele, achavam que a cidade precisava de um jornal que batalhasse pelo seu desenvolvimento, que fosse um “órgão de defesa dos interesses do povo”. A semente foi lançada, germinou, cresceu, foi cultivada com amor e carinho por muitos cidadãos que, um após o outro, foram dando continuidade à circulação do jornal que se mantém operante até os dias atuais. Pela sua Direção e Redação passaram as mais ilustres personalidades esperancenses, tais como: Dr. Newton Freire Maia, João Correa de Figueiredo, Leopoldo da Veiga Marinho, Dr. Geraldo Freire da Silva, Gutemberg Moreira Leite, José de Souza Figueiredo, Professor Osmar Barbosa, Tarcisio Flávio Pereira e Dr. Antonio Borges Maia. Há quem diga que o JORNAL A VANGUARDA é um dos mais antigos veículos de comunicação do país e pelo seu valor inestimável pode-se afirmar que se constitui em imensa riqueza cultural para Boa Esperança. 66

A WebTv Boa Esperança começou suas atividades em 15 de Outubro de 2014, com o ideal de levar a notícia e a prestação de serviço à cidade e região de forma totalmente imparcial. O site da TV Boa Esperança produz e reproduz notícias, artigos de opinião e entrevistas. A Direção está a cargo de Silvano Damazo de Oliveira.

A VANGUARDA EM REVISTA

DIEGO MARCELO TRAVEZ, filho de D. Nair Ferreira e do saudoso “Maradona”, hoje é nome consagrado no segmento de publicidade e palestras (DMT PALESTRAS). Antes mesmo da graduação já demonstrava que a carreira seria coroada de vitórias. O mais bonito porém, apesar de todo sucesso, é percebermos que jamais esqueceu da sua terra natal e, principalmente, dos laços que fez junto ao Jornal A Vanguarda, onde estagiou, trabalhou, vindo a tornar-se um grande amigo. Se não fosse o seu gás e até as suas mais duras críticas, por certo esse projeto não teria decolado. Nestes 150 anos de história, destacamos esse jovem pelo espírito arrojado e por fazer-nos respirar os ares modernos com leveza e alegria.


PRECISA-SE DESESPERADAMENTE...

O Trabalho Social

De gente que inspira, que acolhe, que educa. Que nos faça sonhar. E que permita fazer acontecer.

MÃOS ESTENDIDAS AO OUTRO NÓS TEMOS Sos, Vida Viva, Centro Vida Plena/ANOC, As Associações, Os Clubes de Serviços, As Maçonarias, A Secretaria de assistência social, A Vila Vicentina, Fazendinhas, As Entidades, segmentos e pessoas que se dedicam à filantropia, além de, claro, uma população que é solidária sempre....

68

D. SPIRIDON MATTAR

Ele renovou a esperança de que é possível imprimir boas ações e construir grandes obras. Para os descrentes mostrou que é possível ser quem sonhamos. O Bispo-Presença deixou em toda Boa Esperança marcas indeléveis: Santuário Bom Jesus, Centro Vida Plena – Complexo Bom Jesus. Foi o grande propulsor da Associação Novo Caminho – ANOC. Depois a Igreja Cristo Ressuscitado – Conjunto Cristo Ressuscitado, no Jardim Nova Esperança, edificado no alto, com vista panorâmica para a cidade, inaugurado em 12/12/2012. Faleceu em 25/07/2014, aos 93 anos de idade, para tristeza de toda a cidade. Está sepultado no Santuário Bom Jesus.

A VANGUARDA EM REVISTA


Avistando o futuro NESTA NOVA FASE NINGÚEM MELHOR DO QUE O PREFEITO MUNICIPAL HIDERALDO HENRIQUE SILVA PARA NOS DIZER O QUE ESPERAR DO FUTURO PLANO DIRETOR O Plano Diretor irá proporcionar o crescimento ordenado da cidade, identificando as áreas com alta densidade populacional e áreas consideradas rurais, propiciando a estrutura de diversas regiões, realizando ações antecipadas e precisas para garantir o bem-estar do povo e promover a prestação adequada dos serviços públicos.

A NOVA ERA Através de um planejamento estratégico e com a inauguração da nova ETA (estação de tratamento de água), no Bairro Aeroporto, será possível acabar com a falta d’água na parte superior da cidade. Um presente para os 150 anos da nossa cidade!

TURISMO COMO FOMENTO DA ECONOMIA O Plano Municipal de Turismo, em andamento desde 2017, é a principal aposta da atual gestão. Após uma série de estudos, ficou concluído que é o segmento capaz de gerar empregos e produzir renda. A Praia do Bicano é um exemplo de sucesso, pois proporcionou emprego e revitalizou a região.

70

AÇÕES QUE CONTRIBUEM PARA UM NOVO TEMPO DE MUDANÇA Confiantes na ideia do desenvolvimento turístico informamos que está em andamento a construção do Bar Flutuante, a revitalização da Praia do Celeiro, a Central de Informações Turísticas e todo investimento na Serra da Boa Esperança. Também esperamos, ansiosamente, por um parecer positivo do Ministério do Turismo liberando recursos financeiros para a revitalização de toda Orla do Lago – sonho da nossa gestão. Além do investimento em turismo e revitalização de diversas regiões da cidade, estamos ampliando a cobertura da saúde pública – com as futuras inaugurações do PSF Vila Belém e Aeroporto. O nosso foco principal agora é o novo Pronto Atendimento Municipal com leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo). O início da construção está previsto para Março de 2020 e o dinheiro total da obra já está em caixa.

, e o O futur c n a sa r e p s E a o B de

A VANGUARDA EM REVISTA

“Estamos planejando para colhermos um futuro melhor. Posso afirmar a cada cidadão esperancense que a casa está arrumada e em breve finalizaremos todo o planejamento para que a cidade possa crescer, oferecendo a nossa população qualidade de vida e emprego. Está valendo a pena todo o esforço para colocar Boa Esperança na rota do desenvolvimento. Boa Esperança passa por um novo tempo de mudanças e os próximos 150 anos serão de grandes transformações. Boa Esperança, parabéns pelos 150 anos!”


SOCORRO !!!! NÃO MAIS NOS CALEMOS Quando falamos em liberdade de expressão, verdade seja dita: a voz de Boa Esperança calou-se com a morte do PROFESSOR ANTONIO BORGES MAIA. Quem dele não tem uma história pra contar? Em velório, nos tribunais, nas escolas, nos palanques, nas reuniões, lá estava ele com seus discursos eloquentes. Ao prepararmos esse trabalho histórico percebemos o que já era fato: “ele estava em todas”. Lutou bravamente contra a desconstrução da torre da Igreja Matriz.

“..... as últimas modificações realizadas na década de 90 na igreja e na torre acabaram por descaracterizar inteiramente nossa majestosa igreja e sua torre, e não agradou a maioria dos esperancenses, ou seja, o povo acha que do jeito que ficou agora, a torre perdeu sua imponência, sua beleza e jogou fora 100 anos de história e arte. A bela torre ficou parecida como uma grande caixa d´água, que escondeu o CRISTO REDENTOR”.

Em tempos que soltar a voz era perigoso... Era uma vez uma bela torre da Matriz. (Trecho de artigo republicado no jornal "A VANGUARDA" no ano de 2003.

72

A VANGUARDA EM REVISTA

E HOJE, QUEM ESTÁ SOLTANDO A VOZ? A população tem se valido ativamente das redes sociais para promover seus desabafos. Os aplicativos twitter, facebook, instagram e whatsapp configuram-se como armas potentes nesta nova era de falar em rede mundial aquilo que se pensa. Tempo também das “fakes news” e isso tem sido trágico. Numa era tão tecnológica percebe-se um distanciamento das pessoas com os livros e com a boa informação. Na contramão das “fake news” destaca-se o JORNAL A VANGUARDA, com linha editorial confiável e decente, além de ser um importante veículo que registra a história de Boa Esperança.


Vem aí a primeira concreteira de Boa Esperança A Beta Concretos chega em Boa Esperança e região trazendo um produto de qualidade, pontualidade na entrega e atendimento diferenciado. Beta é concreto usinado com garantia técnica de resistência e durabilidade para sua obra.

Precisa concretar?


O exercício de algumas A arte de fazer Direito Dr. Ângelo Leite Naves por sua atuação no Tribunal do Júri. Assim também foi o saudoso Dr. Antônio Borges Maia. Dr. Josué Neves aposentou -se na Magistratura e ainda hoje advoga. Dr. José Carlos de Oliveira Cunha foi Promotor de Justiça. Dra. Natália Mesquita Azevedo, Defensora Pública aposentada, conhecida por seu espírito destemido. Dra. Raissa Figueiredo Monte Raso Araújo, bela e jovem Juíza de Direito da Comarca de Três Pontas-MG.

Por aqui grandes nomes se destacaram.

Dr. Ângelo Leite Naves

Dr. José Carlos de

Dr. Josué Neves

Oliveira Cunha

Nossos cumprimentos aos advogados militantes na Comarca e a todos que se desdobram na importante e efetiva administração da Justiça. ujo redo Monte Raso Ara

Dra. Raissa Figuei

Dra. Natália Mesquita Azevedo

Na Construção Civil Antes muita gente se ocupou de diversas tarefas que hoje são atribuições do engenheiro. Eles eram chamados de construtores e contavam com uma série de regras práticas e empíricas, sem base teórica, embora tivessem exata noção de estabilidade, cálculo, equilíbrio de forças, centro de gravidade e etc. Muitas obras foram planejadas e arquitetadas por Antônio Domingos Figueiredo, mais conhecido por “Antônio do Alceu”. Não era engenheiro por formação, mas sim por experiência. Executou com todo conhecimento muitos projetos e realizou inúmeras obras na construção civil. Era pedreiro, comerciante e construtor. Mais tarde, tornaram-se bacharéis os esperancenses Aguinaldo de Souza Filho, Jorge Esteves Vilela e Antonio Carlos de Figueiredo (arquitetos), José Maria Ferreira, Marcos José Barbosa A partir de cujos nomes homenageamos toda a classe. 74

Aguinaldo

de Souza Fi

lho

Jorge Esteves Vilela

A VANGUARDA EM REVISTA

ueiredo

de Fig Antonio Carlos

José Maria Ferreir

a

Antonio Dom ingo

s de Figueir edo

Marcos José Barbosa


profissões ao longo do tempo... A Medicina

Na maioria das vezes os atendimentos eram domiciliares. À chegada do profissional, ao lado da cabeceira uma cadeira. Uma bacia com água morna. Um sabonete novo. Toalha limpa. Cafezinho, bolachinhas. Mesa para prescrever a medicação. Hospitalização somente em casos muito especiais. Médico era conselheiro. Influía até no processo político. Boa Esperança vivenciou esse tempo glorioso com Dr. Joaquim Vilela ( Prefeito por 02 mandatos) , Dr. Antonio Cândido de Figueiredo e Dr. José Mesquita Neves, dentre outros. Tempos mais tarde novos expoentes se revelaram, exercendo com base nos mesmos princípios éticos o delicado trabalho da medicina: Dr. Elias Freire Barbosa, Dr. Gleisson Oliveira Netto, Dr. Joaquim José Azevedo, Dr. Joaquim José Vilela Figueiredo, Dr. Achilles Naves Diniz Pinto e Dr. Natanael Vilela Morais, mais recentemente. Gratidão a toda a classe médica de Boa Esperança.

A ponte entre o ontem e hoje!

Dr. Antônio Ca ndido de Figueiredo

é Dr. Joaquim Jos Figueiredo

ira Netto

Barbosa Dr. Elias Freire

Vilela

Dr. Joaquim Vilela

iniz

es Naves D

Dr. Gleisson Ol ive

Dr. José Mesquita Neves

Dr. Achill Pinto

Dr. Natanael Vilela Mor

ais

Na Odontologia Antes de existirem os dentistas e suas especializações em cada área, o tratamento dental era feito de forma amadora e até com certo requinte de tortura. Isso porque não haviam exames para identificar os problemas e tudo era resolvido com a “extração do elemento causador”, sem anestesia e às vezes, com as próprias mãos. Era o chamado dentista prático. Você sabia que OLINTO TEIXEIRA, nome que dá nome à rua, foi um profissional desse tipo? Felizmente a odontologia evoluiu bastante, principalmente com a invenção da anestesia injetável local, em meados de 1910. E principalmente aquela velha ideia de que qualquer dor de dente deveria ser tratada com a extração do dente foi mudada. Boa Esperança teve e tem dentistas fabulosos. Nossos cumprimentos a toda a classe!

sé Dilson Jo

i Schiavon

Oliveira

Aurea Aparecid

a Cunha Fonse

ca

Jacyneo Felizali

Olinto Teixeira

A VANGUARDA EM REVISTA

Oliveira lustiano de Emanoel Sa

75


EM FOCO

DAUTO NAVES BARBOSA E O SUFIXO D2 TERRA DA BOA MARCHA: Em razão do grande número de criadores da raça foi criado o Clube do Cavalo Mangalarga Marchador de Boa Esperança, fato que tem propiciado a geração de empregos, renda e incremento do turismo, especialmente a partir da exposição que é bastante concorrida. “O amor pelo cavalo vem de longa data e no meu caso passou de geração em geração. Hoje minha neta Alice já dá continuidade ao meu trabalho, pois possui um dom especial desde muito criança mostrando ter muita disposição, coragem, persistência e habilidade, sem contar a grande quantidade de premiações com os animais D2 e de terceiros do seu Centro de Treinamento. Enquanto eu tiver disposição e saúde estarei montando e procurando cada vez mais aperfeiçoar o Mangalarga Marchador. Acredito que Deus me colocou nesse mundo para cumprir essa missão”.

D

Dauto Naves Barbosa

esde os mais remotos tempos Boa Esperança é conhecida pelos seus bons animais de sela e serviço . Afinal o único meio de locomoção do passado ocorria no lombo dos cavalos que eram usados nas viagens, no serviço diário das fazendas, no lazer (caçadas, festas e desfiles), no transporte para as missas de domingos, nos casamentos e atividades afins. No caso de DAUTO NAVES BARBOSA este gosto se manifestou quando ainda era muito criança e foi se desenvolvendo com o passar dos anos, a partir do adestramento e também pela aguçada percepção sobre as qualidades físicas e morais dos animais. “Gosto de andar sozinho nos meus cavalos para não ter que desviar a atenção e assim poder observar melhor as reações diversas e o comportamento do animal diante dos obstáculos que surgem e nos diferentes ambientes do trajeto, subindo e descendo, atravessando mata fechada, embaraçando em cipó, lidando com gado bravo...” Em 1973 Dauto entrou para o quadro de associados da ABCCMM sob o número 727, passando a utilizar o sufixo D2, justificando a letra por ser de uma família de 10 irmãos com a letra D, exceto a Alzira. Ele conta que juntamente com o compadre Jõao Carlos Vilela Barbosa e sob a influência do amigo Douglas Barbosa Leandro se associaram para que os animais fossem registrados, pois antes já se criava cavalos para o serviço, porém sem registro. “Tinha apenas quatro éguas, base do meu criatório, que veio crescendo com o passar dos anos. Com isso a conquista de um grande número de premiações nacionais e regionais. Antes de existir a ABCCMM (Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador), havia em Uberaba a semana Nacional do cavalo e em Belo horizonte a Macapê onde conquistei três campeonatos. A ABCCMM começou a catalogar os campeões nacionais somente a partir de 1982”, comentou ele. 76

Cavalgada Caminhos Gerais, Serra da Boa Esperança - MG 2011

A VANGUARDA EM REVISTA

Cavalgada Boa Esperança - MG, Outubro de 1982


O Haras D2 e o C T E Alice parabenizam Boa Esperanรงa pelos seus 150 anos!

Haras D2 Fazenda Serrinha


ghb


FATOS CURIOSOS

VOCÊ SABIA?

O INCÊNDIO DA PREFEITURA Na madrugada de 24/09/1971 um incêndio destruiu completamente o antigo prédio da Prefeitura, aquele que situa-se na rua Capitão Neves (hoje desativado). A parte material foi reduzida a escombros e a parte histórica a cinzas... Foi um acontecimento sem precedentes que fez chegar ao fim a construção neo-clássica erguida em 1922.A ação foi praticada por três menores que pularam o portão com o intuito de furtar materiais de sucata e peças usadas do setor de almoxarifado que ficava ao lado do prédio. Como a noite estava muito escura acenderam uma tocha que foi jogada posteriormente em uma das aberturas do porão.

80

O DIA QUE O PALCO CAIU SHOW DO DANIEL Por causa de problemas no palco, em razão de uma chuva forte que recaiu na cidade no dia 03/11/2001 o cantor Daniel não pôde apresentar o seu show. Aconteceu que as vigas de ferro da lateral do palco começaram a ceder, chegando a danificar os equipamentos do artista. Daniel e sua produção deram um show de humildade e se apresentaram em cima de um modesto trio elétrico, debaixo de chuva, sem iluminação adequada, sem cobertura, enfim, em situação das mais precárias, em respeito aos esperancenses e pessoas de toda a região que os aguardavam ansiosos.

A VANGUARDA EM REVISTA

O EPISÓDIO DO AVIÃO Em 1980 José Francisco Spineli dirigia seu fusquinha e no banco do carona estava um amigo. De repente um avião da FAB precisou realizar um pouso de emergência e o fez bem ali, na rodovia que liga Boa Esperança a Três Pontas. Pois acreditem: a aeronave esbaldou no teto do carro. Óbvio que todos levaram o maior susto.


CEMITÉRIO DOS BEXIGUENTOS

Situado há aproximadamente 8 km da cidade, as informações dão conta de que ali foram enterradas diversas pessoas acometidas pela “varíola”, doença altamente contagiosa e que foi epidemia na época.

A CRUZ DOS TRÊS SOLDADOS A história: Em 1905 uma quadrilha de ladrões planejou um assalto na fazenda do Sr. João Morais Pessoa, aqui no município. Era comandante do Destacamento Policial o Anspeçada Nicanor Bittencourt, pessoa de maus hábitos, temperamental e lá não muito certo das suas faculdades mentais. A conspiração criminosa foi toda manipulada por Anspeçada que se comunicava com a quadrilha planejando com minúcias o assalto. A cadeia local se sediava logo abaixo da antiga Prefeitura, na atual rua Capitão Neves, sendo carcereiro o Sr. José Borges de Figueiredo que não sabia do plano diabólico engendrado. Temendo Anspeçada que os soldados pudessem filtrar na cidade a invasão da fazenda mencionada, meteu-os nas grades, em número de três: Saturnino, Felipe e José Pereira, pois ficara sabendo que, talvez, Saturnino houvesse confidenciado para alguém alguma coisa de estranho. Como estava próxima a data da incursão criminosa, o Anspeçada foi à cela e notificou os três soldados de que iria levá-los a Três Pontas para efeito de instruções do comando a que Boa Esperança pertencia. Ao que, já noite avançada, os três soldados, algemados, tiveram a cela aberta, porque o comandante acordou o carcereiro, no seu hotel contíguo, para abrir a enxovia, forçado para tanto. Ao saírem da cadeia, Saturnino dissera para os dois outros: "Hoje, nós vamos morrer!" Ao que o Anspeçada contestou dizendo que "tudo não passava de um ato de rotina". Já era madrugada quando os soldados, caminhando a pé foram assassinados perto das Cardosas, a uns 5 km da cidade. A construção ali edificada, chamada de Igrejinha dos Três Soldados foi feita pelo Sr. Deusdate Moreira Mendes (Sr. Date). A VANGUARDA EM REVISTA

81


GALERIA DE PREFEITOS 1º Antônio Cândido Neves

2º Joaquim Cândido Neves

3º Beline Augusto Maia

4º Monsenhor José Lourenço Leite

5º José Freire Silva

6º Dr. Joaquim Vilela

7º Alfredo Naves

8º Dr Antônio Cândido Figdo.

9º João Júlio de Faria

10º Dr. Joaquim Vilela

11º João Vilela Lemos

12º Dr. Joaquim Vilela

13º José Lourenço Leite Naves

14º João Júlio de Faria

15º Júlio Azevedo Oliveira

16º Laércio Freire Silva

17º José Lourenço Leite Naves

18º Ludwig Von K. Dovik Gischewski

19º Rabindrath Antonio B. Gambogi

20º Eugênio Alves Monteiro

21º Ludwig Von K. Dovik Gischewski

22º Dulce Naves Barbosa Gambogi

23º Jair Alves de Oliveira

24º Jair Alves de Oliveira

Nov e Dez/46

1951 a 1954

1955 a 1958

1959 a 1962(*)

1936 a 1946

1963 a 1966

1947 a 1950

1967 a 1970

1993 a 1994

1971 a 1972

1994 a 1996

1973 a 1976

1997 a 2000

1977 a 1983

2001 a 2004

1983 a 1988

2005 a 2008

1989 a 1992

2009 a 2012

Galeria de ex-prefeitos do município de Boa Esperança/MG criada através da Lei No. 3068 de 01/12/2005 Fonte: www.boaesperanca.mg.gov.br

25º Antônio Carlos Vilela 2013 a 2016

82

26º Hideraldo Henrique Silva 2017 até o momento

(*) – Prefeito João Lemos governou de Jan a Out/59, tendo renunciado, entrando em seu lugar o vice Sr. Júlio Azevedo Oliveira A VANGUARDA EM REVISTA


“Boa Esperança comemora 150 anos com um título Internacional de Cidade latino-americana pelo Comércio Justo” A história do Comércio Justo em nossa cidade está ligada à três movimentos: a ocupação da Serra da Boa Esperança por cafeicultores a partir do ano de 1814; a introdução do conceito da sustentabilidade na produção do café no início do século XXI; e a certificação Fairtrade da Cooperativa dos Produtores de Café Especial COSTAS 5588 em 2008, fatos que abriram as portas para o reconhecimento internacional de Boa Esperança, em 2017, como a terceira cidade de Comércio Justo no Brasil; e a sexta na América Latina, inserida em uma rede de mais 2.500 cidades da Europa, América do Norte, África e Ásia. Em 2014, através da iniciativa pioneira da Cooperativa Costas 5588, em parceria com a Administração Municipal, o comércio e outros representantes da sociedade civil local, o projeto foi iniciado com a declaração de apoio ao Comércio Justo e a constituição do Comitê Gestor. Assim, a equipe trabalhou para promover o comércio justo e o consumo responsá-

vel em nossa comunidade. Para alcançar este título de Boa Esperança, cidade de Comércio Justo, foram realizadas várias ações como as celebrações do dia mundial do Comércio Justo e degustações do Café Sustentável; a venda do café em diversos estabelecimentos de parceiros locais; projetos educativos em parceria com escolas e instituições de ensino; eventos realizados pela prefeitura; participação na Conferência Internacional de Cidades; entre outras atividades desenvolvidas ao longo deste percurso. Neste contexto, o projeto tem o objetivo de implementar no município, os princípios e conceitos do Comércio Justo, que além de promover a preservação e recuperação do meio ambiente e o manejo sustentável da produção agrícola, significa fortalecer e valorizar o comércio e os produtos produzidos em nossa cidade, através do consumo responsável. Quando o consumidor decide comprar um café ou qualquer outro produto produzido no município, sua escolha tem impacto direto na

economia local. A renda, o emprego e os impostos são gerados na região, o que contribui para a melhoria dos serviços públicos e para o crescimento socioeconômico da cidade. Este ano, homenageamos Boa Esperança, que é terra de um povo acolhedor; de artistas e escritores famosos no cenário nacional e internacional; terra dos produtores familiares e dos produtos agrícolas; terra do artesanato e da culinária típica; terra de belezas naturais singulares; de eventos culturais, náuticos e esportivos; terra de grande potencial turístico. Com todas estas peculiaridades, é notório seu crescimento em todos os aspectos, portanto, para os próximos anos, seguiremos trabalhando neste projeto, para que nossa cidade seja a terra referência de Comércio Justo, de Consumo Responsável e de Desenvolvimento Sustentável. Parabéns, Boa Esperança pelos seus 150 anos de história. Texto: Eliana Reis, Paola Figueiredo e Viviane Lara (membros do Comitê)

or mid dutos u s pro con a um lha os omia d a j e o n "S sc co te, e eça a e n e i !" al sc con s e fort cidade i sua loca

84

A VANGUARDA EM REVISTA


Preciosidades

Possuem características pitorescas. São singulares. Aqui os trataremos como preciosidades.

Quem lembra?

ESTEFANIA (Estufa) Era atormentada pelos meninos. Ficava nervosa quando lhe zoavam e então corria atrás da molecada atirando pedras e paus. Era bastante temida.

CANJERANA Este só tomava banho quando a polícia o levava.

RUBÃO Muitos tinham medo dele, andava a noite inteira, sempre de pés descalços e falando muito alto.

TIÃO CORAGEM Gostava de música e assentava na rua para trocar seu instrumento

EVARISTO (O Mamão) De andar desajeitado, falava com extrema dificuldade. Metido a valente, sem ser valente coisa alguma, dizia que o trabalho dava-lhe dor de cabeça, que só bobo trabalhava, que não comia sem carne e achava um desaforo prato só com arroz e feijão.

Quem não conhece?

A BONITINHA Assim cumprimenta a todos: Oi Bonitinha!

A VANGUARDA EM REVISTA

ANGELO Comporta-se como político, principalmente como Prefeito, sempre em traje social, preferencialmente terno e gravata.

D. CONCEIÇÃO Adora visitar repartição pública e comércio, sempre com uma sombrinha e uma bolsinha a tiracolo

85


PALÁCIO DA SOCIEDADE ESPERANCENSE RADIUM CLUBE DORENSE Referência forte na memória dos esperancenses e de “visitantes” (ainda assim são chamados as pessoas que vêm de fora) nos bailes, shows, festas e atualmente, nas baladas. Constitui-se em um local extremamente seguro que oferece em seu espaço, que foi todo reestruturado, diversão com segurança. É o “palácio da sociedade esperancense”.


Agradecimentos N

ão poderíamos deixar de agradecer àqueles que permitiram que a viagem acontecesse. Foram inúmeros os envolvidos... tantos que para não incorrermos em omissão melhor nem citar; -Aqueles que patrocinaram, em especial os anunciantes; - Aqueles que nos enviaram as informações, todos a tempo e a hora; - Ao Adriano de Oliveira pela disposição de preparar as imagens e colaborar nos textos; - À equipe A Vanguarda, especialmente a Sandra, nossa doce secretária de anos que faz tudo com todo

amor e profissionalismo; À Fernanda Maia que mostrou que o sangue de contar a história corre na veia; Ao Antonio Silva, Luiz Braga, Adriano pelas fotos; Aos livros do Dr. Rander Maia, inesgotável fonte de consulta; Ao Max Moreira designer gráfico, pelo talento e paciência de tolerar nossa busca pelos detalhes e perfeição; A você leitor que valoriza o que é IMORTAL! Enfim, a todos que atenderam ao nosso chamado e embarcaram nesta história.....

Nosso, muito obrigado!


Foto: Luiz Otรกvio Miranda Figueiredo

A VANGUARDA EM REVISTA

Profile for Max Moreira

Revista A Vanguarda  

Advertisement