Issuu on Google+

Ao analisar o entorno, foi estudado uma volumetria que se relacionasse com os edifícios mais novos, logo, algo em torno de 13 pavimentos seria o ideal. Com o objetivo de tornar o espaço livre público em um conector, foi aberto um vão entre as conecções das ruas Dois de Dezembro e Irineu Bornhausen. Além disso, a implantação neste ponto do edifício se deu com o objetivo de esconder as fachadas dos fundos dos prédios vizinhos que dão para o terreno.

EDIFÍCIO LAGOA DA CARIOCA O projeto se trata de um edifício residencial com o programa voltado para um serviço de Apart Hotel, localizado no Flamengo, próximo ao Largo do Machado. Sua implantação foi estudada a partir de vários problemas e potencialidades do entorno, como a valorização da fachada do Oi Futuro,o objetivo em tornar o espaço livre um conector entre as ruas Dois de Dezembro e Irineu Bornhausen, e também, esconder as fachadas de fundos dos edifícios vizinhos que dão para o terreno. Sendo assim, a localização do edifício no terreno faz com que todos esses objetivos sejam alcançados. O edifício é composto apenas por apartamentos de um quarto, e diversos tipos de serviços são oferecidos, como: salão de festas, academia, salão de jogos, lavanderia e sauna. Sua fachada se constitui de diversos materiais, sendo eles, placas aço cortein, mármore branco, esquadrias de aço cortein e guarda-corpos de aço branco.

Para deixar a fachada do Oi Futuro em evidência, o edifício foi cortado, criando uma empena cega com cerca de 16 metros, o que provocou um aumento no espaço público, e consequentemente, o edifício se tornou mais visualmente mais leve.

E por fim, foi criada uma casca revestida de aço cortein que circunda todo o perímetro do edifício, e mais um vão foi aberto para aumentar cada vez mais a sensação de leveza tão importante, ao se transcender de massas edificadas para uma área livre e com edifícios de menor porte.

Patricia M. Graça Couto DRE 110119284 Atelier Integrado_1|2012_1

PA2 Luiz Felipe da Cunha e Silva PP João Paulo Huguenin DIG Alexandre Pessoa CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Sylvia Rola

PRANCHA RESUMO

1


EDIFÍCIO LAGOA DA CARIOCA

MEMORIAL DESCRITIVO

O projeto se trata de um edifício residencial com o programa voltado para um serviço de Apart Hotel, localizado no Flamengo, próximo ao Largo do Machado. Sua implantação foi estudada a partir de vários problemas e potencialidades do entorno, como a valorização da fachada do Oi Futuro,o objetivo em tornar o espaço livre um conector entre as ruas Dois de Dezembro e Irineu Bornhausen, e também, esconder as fachadas de fundos dos edifícios vizinhos que dão para o terreno. Sendo assim, a localização do edifício no terreno faz com que todos esses objetivos sejam alcançados. O edifício é composto apenas por apartamentos de um quarto, e diversos tipos de serviços são oferecidos, como: salão de festas, academia, salão de jogos, lavanderia e sauna. Sua fachada se constitui de diversos materiais, sendo eles, placas aço cortein, mármore branco, esquadrias de aço cortein e guarda-corpos de aço branco. PROCESSO CRIATIVO

Ao analisar o entorno, foi estudado uma volumetria que se relacionasse com os edifícios mais novos, logo, algo em torno de 13 pavimentos seria o ideal. Com o objetivo de tornar o espaço livre público em um conector, foi aberto um vão entre as coneções das ruas Dois de Dezembro e Irineu Bornhausen. Além disso, a implantação neste ponto do edifício se deu com o objetivo de esconder as fachadas dos fundos dos prédios vizinhos que dão para o terreno.

de Implantação 1Planta Esc: 1.1000

Para deixar a fachada do Oi Futuro em evidência, o edifício foi cortado, criando uma empena cega com cerca de 16 metros, o que provocou um aumento no espaço público, e consequentemente, o edifício se tornou mais visualmente mais leve.

1 2Corte Esc: 1.1000 E por fim, foi criada uma casca revestida de aço cortein que circunda todo o perímetro do edifício, e mais um vão foi aberto para aumentar cada vez mais a sensação de leveza tão importante, ao se transcender de massas edificadas para uma área livre e com edifícios de menor porte.

2 3 Corte Esc: 1.1000

Patricia M. Graça Couto DRE 110119284 Atelier Integrado_1|2012_1

PA2 Luiz Felipe da Cunha e Silva PP João Paulo Huguenin DIG Alexandre Pessoa CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Sylvia Rola

Implantação Cortes Entorno Perspectiva Processo Criativo Memorial Descritivo

P3

1 /9


área geral 1Perspectiva sem escala

2Arborização Esc: 1.1000 Ambiente 01

Entrada Portaria

Ambiente 03

Entrada Garagem

Ambiente 02

de Plantio e Cotas 3Plano Esc: 1.250

EXTRATOS VEGETAIS

ARBÓREO imagem

ARBUSTIVO imagem

FORRAGEIRO imagem

PALMÁCEA imagem

legenda

legenda

legenda

legenda

diâmetro da copa (m) densidade da copa cor das folhas cor da floração

nome vulgar

nome científico

altura (m)

forma de tronco

forma da copa

Canafístula

Peltophorum dubium

Acima de 12 metros

Poliaxial

Globular

0.50 a 1.20 m

nome vulgar

nome científico

altura (m)

diâmetro (m)

densidade

resistência ao sol

Piteira do Caribe

Agave angustifolia

2 metros

2 metros

Densa

Pleno sol

nome vulgar

nome científico

resistência ao pisoteio

resistência ao sol

cor da folha

Grama São Carlos

Axonopus compressus 

Média resistência ao pisoteio

Áreas de meia sombra a plento sol

Verde vibrante a pleno sol

nome vulgar

nome científico

altura (m)

Palmeira real Archontophoenix australiana cunninghamiana

15-20 metros

Densa

Verde escuro

Amarela

cor da folhagem cor da floração Verde claro com bordas amarelas

Amarelas ou brancas

forma de tronco diâmetro da copa (m) Monoaxial

até 0.20m

TIJOLO CERÂMICO MACIÇO

DECK DE MADEIRA IPÊ

PEDRA SÃO TOMÉ BRANCA

Esse material foi escolhido devido a sua alta resistência, necessária em um espaço com grande fluxo de pessoas. Além disso, funciona como separador dos diferentes tipos de material presentes no piso da praça. Dimensões: 0.05x0.09x0.20 m

Esse tipo de madeira é própria para áreas externas, podendo ser exposta a chuvas e sol. Além disso é resistente ao ataque de insetos e ao apodrecimento. Dimensões: 0.02x0.10x2.0 m

É um quartzito que possui nobreza de texturas, sendo antiderrapante, com baixa absorção de água, atérmico (não retêm calor), durável e prático. Dimensões: 0.02x0.60x0.60 m

MATERIALIDADE

Patricia M. Graça Couto DRE 110119284 Atelier Integrado_1|2012_1

PA2 Luiz Felipe da Cunha e Silva PP João Paulo Huguenin DIG Alexandre Pessoa CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Sylvia Rola

Perspectiva Geral Arborização Plano de Cotas e Plantio Extratos Vegetais Materiais

P3

2 /9


AMBIENTE 01

AMBIENTE 02

AMBIENTE 03

Detalhe de mesa - Esc: 1.25

Espaço de Longa Permanência: Foi criado um espaço de convívio através da disposição de mesas ao longo da praça. A paisagem é composta por massas edificadas, como o IAB. Esses recintos tornaram-se possíveis devido a distribuição dos canteiros, criando lugares mais reservados. Estas mesas foram localizadas embaixo de uma Canafístula, árvore que proporciona uma sombra agradável no verão, beneficiando o micro-clima do local. Este espaço pode ser utilizado por qualquer faixa etária, servindo para os idosos como mesa de jogos, ou até mesmo para crianças como mesa para piqueniques.

Detalhe do canteiro de Agáves - Esc: 1.25

Espaço de Curta Permanência: Este espaço é resultado do contraste entre a enorme empena cega da fachada do edifício, que é revestida de aço cortein. A vegetação arbustiva foi escolhida com o intuito de contrastar a cor do aço com uma árvore de folhagens claras e flores amarelas, cor que é presente em diversos elementos do projeto edificado. Bancos foram dispostos ao lado de canteiros que serão preenchidos de Agáves, caracterizando esse espaço como de curta permanência, uma vez que esse tipo de vegetação não proporciona nenhum tipo de sombra, funcionando apenas como elemento de embelezamento paisagístico.

Detalhe do canteiro de Palmeira - Esc: 1.50

Pav. Térreo 1Planta Esc: 1.125

Patricia M. Graça Couto DRE 110119284 Atelier Integrado_1|2012_1

PA2 Luiz Felipe da Cunha e Silva PP João Paulo Huguenin DIG Alexandre Pessoa CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Sylvia Rola

P3

Ambientes praça Detalhamentos Planta Pav. Térreo

3 /9


Laje Impermeabilizada 1 Detalhe Esc: 1.25

Pav. PUC 2 Planta Esc: 1.125

Pav. Tipo 3 Planta Esc: 1.125

de Porta 5 Detalhe Esc: 1.10

Patricia M. Graรงa Couto DRE 110119284

4

Tipo Residencial Esc: 1.50

Atelier Integrado_1|2012_1

PA2 Luiz Felipe da Cunha e Silva PP Joรฃo Paulo Huguenin DIG Alexandre Pessoa CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Sylvia Rola

Detalhe Laje Impermeabilizada Planta Pav. PUC Planta Pav. Tipo Tipo Residencial Detalhe de Porta

P3

4 /9


Pav. Tipo + Apt. Lateral 1Planta Esc: 1.125

INTERNO CHAPA DE MADEIRA LISA

.06

.15

.03

.04

.015

REVESTIMENTO

.035

ADUELA

MAÇANETA

EXTERNO

NOME DE COMPARTIMENTO NOME DE COMPARTIMENTO

00 XX00

00 XX00

Pav. PUC Superior 2Planta Esc: 1.125

Estrutural do Pav. Tipo 3 Planta Esc: 1.125

Patricia M. Graça Couto DRE 110119284 Atelier Integrado_1|2012_1

PA2 Luiz Felipe da Cunha e Silva PP João Paulo Huguenin DIG Alexandre Pessoa CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Sylvia Rola

P3

Planta Pav. Tipo + Apt. Lateral Planta Pav. PUC Superior Planta Estrutural do Pav. Tipo

5 /9


da Cobertura 1Planta Esc: 1.125

- Reserva Técnica de Incêndio 13 pavimentos com escada de incêndio 6.000 L, 4 pavimentos + 500 L cada pavimento acima 6.000 L + 9 x 500 L = 10.500 L

CÁLCULO DOS RESERVATÓRIOS - Estacionamento 40 vagas no subsolo 50 L por vaga x 40 vagas = 2.000 L

- Total Consumo diário = 2.000 L + 425,3 L + 36.000 L + 14.963,2 L + 1.200 L + 10.500 L Volume total = 65.088,5 L x 2 dias de intermitência = 130.177 L

- Jardim 283,5 m² de jardim 1,5 L por m² x 283,5 m² = 425,3 L - Apartamentos 40 apartamentos com 3 pessoas = 36.000 L - Recreação 750 m² de espaço recreativo 50 L por 2,5 m² x 750 m² = 14.963,2 L - Lavanderia 120 habitantes 10 L por habitante/dia x 120 = 1.200 L

- Reservatório Superior 2/5 do volume total - 2/5 de 130.177 = 52.070 L = 52,07 m³ Medidas - 3,60m x 5,36m x 2,6m - Reservatório Inferior 3/5 do volume total - 3/5 de 130.177 = 78.105 L = 78,105 m³ Medidas - 5,6m x 5,6m x 2,5m

do Telhado 2 Detalhe Esc: 1.25

Subsolo 3 Planta Esc: 1.125

Patricia M. Graça Couto DRE 110119284 Atelier Integrado_1|2012_1

PA2 Luiz Felipe da Cunha e Silva PP João Paulo Huguenin DIG Alexandre Pessoa CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Sylvia Rola

Planta de Cobertura Detalhe do Telhado Cálculo dos Reservatórios Planta do Subsolo

P3

6 /9


Sul 1 Fachada Esc: 1.250

3

Leste 2 Fachada Esc: 1.250

Corte A Esc: 1.125

Patricia M. Graรงa Couto DRE 110119284 Atelier Integrado_1|2012_1

PA2 Luiz Felipe da Cunha e Silva PP Joรฃo Paulo Huguenin DIG Alexandre Pessoa CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Sylvia Rola

P3

Corte A Fachada Sul Fachada Leste

7 /9


Norte 1 Fachada Esc: 1.250

3

Oeste 2 Fachada Esc: 1.250

Corte B Esc: 1.125

Patricia M. Graรงa Couto DRE 110119284 Atelier Integrado_1|2012_1

PA2 Luiz Felipe da Cunha e Silva PP Joรฃo Paulo Huguenin DIG Alexandre Pessoa CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Sylvia Rola

P3

Corte B Fachada Norte Fachada Oeste

8 /9


Instalação Hidráulica 2 Elevação Esc: 1.25

Hidráulica 1 Instalação Esc: 1.25

de Esgoto 3 Instalação Esc: 1.25

Elétrica 4 Instalação Esc: 1.75 esquemática aço cortein 5 Elevação sem escala

esquemático aço cortein 6 Detalhe sem escala

A perspectiva acima evidencia o vão criado para que haja ligação entre as ruas Irineu Bornhausen e Dois de Dezembro. Vigas de aço e um sistema de contraventamento permitem a existência desse grande vão de 15 m, e também de sua extensa parede cega, que é forrada de aço cortein, material este, que foi demonstrado no detalhe a cima.

Em sua fachada Norte, para solucionar o problema da insolação, foi adotado um sistema de brises-soleil horizontais, que filtram a incidência de luz solar. Aproveitando esse alto índice de insolação, foi criado um jardim vertical onde se localiza a circulação vertical do edifício, criando uma parede verde.

O conjunto do Projeto Paisagístico, com o projeto da edificação são altamente harmoniosos, onde seguem uma modulação que se repete tanto na fachada do edifício, quanto no piso da praça. A praça funciona como espaço de contemplação e convívio; é caracterizada por espaços de curta e longa permanência.

Aproximação dos elementos que marcam a fachada Norte do edifício. Os brises-soleil são móveis, e feitos de madeira ipê, que são altamente resistentes ao sol e a chuva.

Patricia M. Graça Couto DRE 110119284 Atelier Integrado_1|2012_1

PA2 Luiz Felipe da Cunha e Silva PP João Paulo Huguenin DIG Alexandre Pessoa CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Sylvia Rola

P3

Hidráulica Esgoto Elétrica

9 /9



PATRICIA COUTO