Page 1

Mostra de Cinema Eslovaco ––––––––––– Outubro-Novembro 2016

TA M B É M FA Z E M O S F I L M E S


Caros amantes de filmes, queridos amigos, O papel de cada embaixada é buscar a convergência entre os povos que representa e os povos dos países em que atua. Uma das formas mais agradáveis e mais eficazes de apresentação é introduzir a cultura do seu país e, assim, criar uma relação mais próxima a ele. Este papel é particularmente importante para um pequeno país jovem da Europa- Central como a Eslováquia especialmente em relação a um país-continente como o Brasil. A República Eslovaca, criada em 1.1.1993 depois da separação da antiga Checoslováquia, é atualmente membro de estruturas políticas e económicas importantes tais como a União Europeia e a NATO. Desde a sua criação, considerou-se como uma prioridade da sua política externa reforçar as relações bilaterais nos domínios da cultura, educação, comércio e turismo. A Embaixada da Eslováquia no Brasil sempre se esforçou para alcançar essas prioridades, mas os esforços para introduzir esta cultura no Brasil - tanto as obras de autores eslovacos como as de arte cinematográfica - muitas vezes não deram certo principalmente por causa da distancia geográfica de nossos países e da logística desafiadora relacionada. Por isto tenho a maior alegria que, em cooperação com a organização Filmtopia e o Slovenský filmový ústav (Instituto da Cinematografia da Eslováquia), conseguimos organizar um evento “SLOVAK VISUAL no Brasil – Mostra dos filmes Eslovacos” que se destina a introduzir ao público brasileiro os detalhes básicos e a individualidade da cinematografia Eslovaca, que é quase completamente desconhecida para o publico brasileiro. As projeções serão realizadas no Rio de Janeiro, Cabo Frio, Florianópolis, Brasília, São Paulo a Porto Alegre. O programa das projeções tem duas partes básicas. A primeira seção introduz as obras de “Nova Onda da Checoslováquia”

e a segunda parte é a introdução de cinematografia Eslovaca contemporânea. Esta escolha dos filmes quer apresentar aos espectadores tanto a primeira etapa mais importante na história do nosso cinema, como em seguida, títulos interessantes como provas da continuidade dos filmes tradicionalmente construídas na autenticidade, rompendo as fronteiras entre ficção e documentários. Finalmente, deixe-me agradecer calorosamente a todos aqueles que de alguma forma ajudaram a tornar este evento uma realidade, especialmente às curadoras e organizadoras p. E. Kržková e E. Pavlovičová. Desejo-lhe uma experiência cinematografia agradável. Milan Cigan Embaixador da República Eslovaca no Brasil


O cinema eslovaco rasgando seu caminho em direção ao sucesso Permitam que, em poucas páginas, apresentemos a vocês, público brasileiro, a essência cinematográfica da qual vocês talvez nunca tenham ouvido falar. Ou o termo “cinematografia eslovaca” lhes diz algo? Talvez vocês tenham ouvido falar do filme tchecoslovaco A Pequena Loja da Rua Principal, o qual ganhou um Oscar no ano de 1966. Talvez alguns de vocês tenham ouvido da nova onda Tchecoslovaca, a qual inundou nosso país, na mesma época que o Cinema Novo no Brasil. Inspirada no neorrealismo italiano e nova onda francesa, novas ondas inundaram pelo mundo todo, e junto com elas estabeleceu-se o termo “arthouse”, para nós “artový film” e a instituição do “filme artístico”, em oposição a Hollywood, ao teatro das filmagens, a iluminação estilosa, estórias fabricadas e as aulas de teatro encenadas. Hoje a Eslováquia é um país independente e autônomo, sua capital, já há 23 anos, não é Praga, mas sim Bratislava, e também os filmes criados neste pequeno país, falam sobre outros temas e são apresentados em outro contexto. Tentemos começar com o lado mais brilhante da cinematografia eslovaca, onde devo confessar, com certeza temos do que falar. Como no Brasil, também na Eslováquia o futebol é mais importante que o cinema. Os organizadores do festival Slovak Visual, no entanto, estão convencidos que os filmes eslovacos são não menos interessantes, e gostariam de apresenta-los ao público do outro lado do oceano, concretamente a vocês no Brasil. Após uma pausa de 20 anos, a partir da chamada Revolução de Veludo (a mudança de regime de comunista para democrático), durante a qual não apareceu no nosso cinema nenhum título de filme significativo, o ano de 2009 trouxe uma reflexão gratificante de dezoito filmes domésticos.

De acordo com a primeira lei da dialética, podemos concluir que o aumento na quantidade transformou em qualidade. Dois exemplos: Bathory (até agora a última obra histórica pioneira da nova onda tchecoslovaca, Juraj Jakubisko) totalizaram recorde de público com 426.901 bilhetes vendidos, e Amor Cego (filme documentário introvertido do jovem diretor Juraj Lehotský) atraiu atenção em Cannes, onde foi listado na seção Directors‘ Fortnight (como o segundo filme eslovaco na história, após o filme de Jakubisko Desertores e Peregrinos em 1968). Seria possível que, após 40 anos, uma nova geração de jovens cineastas tomasse o lugar de autores progressistas dos anos sessenta, e permita-lhes pacificamente desfrutar de uma merecida aposentadoria? A criação do Fundo Audiovisual eslovaco, no ano de 2010, trouxe novo, mais autônomo sistema financeiro de financiamento da cinematografia nacional, e da indústria cinematográfica. Esta importante instituição foi, desde a sua criação, reorganizada mais de uma vez, com o fim de atender os requerimentos de profissionais criadores de filmes, e todo o ambiente de audiovisual, sendo que as mudanças nem sempre aconteceram de forma tranquila. Durante a melhoria do sistema de apoio geral, várias vezes surgiram incertezas sobre as principais prioridades do fundo – filmes artísticos ou sucesso comercial? Depois de uma ligeira queda quantitativa em 2010 e 2011 veio 2012, com suas dezessete estreias nacionais. Em 2013 o filme Meu cão Killer da jovem diretora Mira Fornay competiu no Festival Internacional de Filmes em Rotterdam, onde ganhou o primeiro prêmio com o nome de Tiger Award. Mesmo que em 2014 apareceu também o filme bem sucedido comercialmente como O Candidato (uma adaptação dos atuais co-autores Maroš Hečko e Michal Havran), usar o termo “sucesso comercial” em termos do pequeno mercado eslovaco de distribuição é sempre um pouco exagerado. Como explicação, devo mencionar, pelo menos brevemente, a situação atual na distribuição cinematográfica na Eslováquia.


Como na maioria dos países europeus, os cinemas na República Eslovaca nos últimos anos passou por um período difícil da cara digitalização. Aqueles que não tinham fundos suficientes para digitalização foram fechando um por um. Embora possamos dizer que a situação do cinema eslovaco possa ser considerada estabilizada, ainda não está bem o suficiente para ser capaz de representar o “Cinema de arte”. Há mais razões, mas a principal pode ser expressa simplesmente - não há lugar para a “arte” no “cinema”, que foi construído as custas das corporações comerciais globalizadas. Esses desafios não são enfrentados apenas pela nossa cinematografia, mas em todo o território da Europa Central e Oriental. Portanto, ao invés de continuar procurando desculpas e razões para pesar, uso o termo ambivalência, que reflete com precisão o fenômeno que separa os esforços dos nossos cineastas na ambição artística e um desejo de obter interesse do público ordinário dos cinemas, cujo gosto é formado pelo cinema dominante de Hollywood. Esta ambivalência permanece desde o tempo do período mais famoso do cinema eslovaco, quando foi, como o nosso país, uma parte do todo maior da Tchecoslováquia e da cinematografia da Tchecoslováquia. Nomes de diretores tchecos como Miloš Forman, Jiří Menzl, Vera Chytilová ou Ján Nemec podem ser encontrados em livros didáticos do cinema mundial ao lado dos diretores eslovacos Dušan Hanák, Juraj Jakubisko e Ela Havetta. As obras cinematográficas, que também podem ser encontradas no programa do festival Slovak Visual (Retratos do Velho Mundo, Pássaros, Órfãos e Loucos e Celebração no Jardim Botânico) pode ser encontrado entre eles. O Sol na Rede do diretor Štefan Uher, que também pode ser encontrado no programa do nosso festival, é considerado pelos historiadores do cinema a vanguarda da nova onda tchecoslovaca, que nós, os eslovacos que não torcem apenas por atletas, especialmente consideramos, já que este é uma das poucas estreias eslovacas

na história da Tchecoslováquia. Apesar de tudo que foi historicamente comprovado, parece que sucesso insuperável teve Pavel Juráček, roteirista, diretor e uma das figuras-chave da nova onda tchecoslovaca, que em seu diário em 1966 escreve: “Em comparação com os padrões do oeste Hollywood somos diletantes. O cinema tchecoslovaco nunca será referencia mundial da arte muda. Nós somos por enquanto somente curiosos. Estamos na moda. Perturbamos os snobs intelectuais e públicos especializados. Mas isso é tudo. “ Vários indícios nos levam a crer que a cinematografia da Nova onda, e até agora explicitamente não classificada de “nova onda” da cinematografia contemporânea Eslovaca têm muitos pontos em comum, celebram o mesmo tipo de sucesso superam os mesmos tipos de problemas. É por isso que o programa do festival Slovak Visual tem duas partes básicas. A primeira seção apresenta o período da nova onda tchecoslovaca, e a outra é a introdução de cinematografia Eslovaca contemporânea. A razão desta escolha curatorial é apresentar ao público externo primeiro a etapa mais importante na história do nosso cinema e, em seguida, apresentar títulos contemporâneos interessantes como evidência da continuidade da tradição da cinematografia baseada na autenticidade, simplicidade, rompendo as fronteiras entre filmes e documentários, desenho cómico baseado em fontes folclóricas, bem como inspiração vinda das maiores culturas europeias cinematográficas e de vanguarda, como foi a Nouvelle Vague francesa. Além deste critério, seguir uma determinada linha de estética e atitude dos autores, que se estende desde o mais famoso período do nosso cinema, digamos ate o chamado atual avivamento, no entanto, os organizadores do Visual Eslovaco consideraram também outros fatores. Eles sabem que chegando na platéia, a maioria dos quais até agora não teve contato com


esta cinematografia, mas talvez nem mesmo com a nossa cultura como tal. Seria portanto muito ousado apresentar-lhe apenas um tipo específico de filmes com estéticas uniformes. Por isto, os atenciosos cinéfilos brasileiros são o pano de fundo do melhor da nossa história do cinema e colorido contemporâneo, que oferece não só filmes de longa-metragem, mas também curtas, não apenas dramas sociais, mas também comédias ou thirillers. É muito necessário salientar que o gênero passa atualmente por pequenas restrições financeiras da novidade audiovisual eslovaca, e cada gênero filme tem ambições ainda ousadas. Aqueles deles que fazem parte do festival Slovak Visual também não desistiram no princípio, o qual nós considerados em relação à tradição da cinematografia eslovaca. Em outras palavras, não espere em nosso programa filmes com ambições puramente comerciais. Nós convidamos você para o cinema e depois dos filmes para longas conversas principalmente sobre o que eles têm em comum, e no que diferem as imagens em movimento eslovacas e brasileiras.

diretor Elo Havetta, © Instituto da Cinematografia da Eslováquia - Foto arquivo režisér Elo Havetta, © Slovenský filmový ústav - Fotoarchív

Eva Križková Filmtopia

Z nakrúcania filmu Vtáčkovia, siroty a blázni © Slovenský filmový ústav - Fotoarchív Foto do set do pássaros, órfãos e loucos © Instituto da Cinematografia da Eslováquia - Foto arquivo


FILMES LONGAMETRAGEM CONTEMPORÂNEOS

66 TEMPORADAS 66 Temporadas / 66 sezón Documentário longa-metragem / Roteiro e direção: Peter Kerekes Duração: 86 min. / Ano: 2003 / Contato: Deckert Distribution GmbH, info@deckert-distribution.com No ano de 1936 foi aberta a piscina pública de Košice. Foi construída pelo arquiteto Hugo Barkány. Deu às pessoas a ilusão de um mar. A piscina proporcionou intimidade às pessoas seminuas. Era o lugar para encontros inesperados, era um organismo pulsando em seu próprio tempo. Toda a cidade cosmopolita que Košice era e é, era refletida nesta pequena área de água de três piscinas. Tchecos, alemães, húngaros, eslovacos, jovens e velhos, todos se dedicavam com prazer a fonte de água.


FEITO EM AŠ Feito em Aš / Až do mesta Aš Longa-metragem – drama / Direção: Iveta Grófová Duração: 80 min. / Ano: 2012 / Contato: Punkchart films, ivan@punkchart.sk Depois de sua formatura, Dorotka deixa sua terra natal, a Eslováquia, para trabalhar na cidade tcheca de Aš, onde é confrontada com o mundo da periferia, cheio de costureiras cansadas, aguardando a chegada de seus príncipes vindos da Alemanha próxima. O filme mostra fielmente a realidade e ambiente autêntico, que, na verdade, define a motivação das garotas para decisões mais duras na vida, as quais superficialmente podem parecer imorais.

TIGRES NA CIDADE Tigres na cidade / Tigre v meste Longa-metragem – comédia romântica / Direção: Juraj Krasnohorský / Duração: 85 min. / Ano: 2012 Contato: ARTICHOKE, artichoke@artichoke.sk Os amigos Jazvec, Holub e Hyena passam seu tempo livre tomando cerveja e conversando no bar U nosorožca. Jazvec – um procurador solteiro beirando os trinta, platonicamente apaixonado por uma redatora de um programa de rádio focado na literatura russa, um dia resolve mudar as coisas e lutar por sua felicidade. Misturam-se assim fatos, que mudam não somente a vida dele, mas também a de seus amigos. Uma leve comedia de verão, que com um elenco de estrelas, mostra a capital da Eslováquia, Bratislava, em cores vibrantes e uma ironia positiva.


COMEBACK Comeback / Comebac Documentário longa-metragem / Direção: Miro Remo / Duração: 85 min. / Ano: 2014 / Contato: AH production, hessova@ah.sk Depois de muitos anos na prisão de mais alta segurança na Eslováquia, os prisioneiros estão novamente em liberdade. O regime imposto por tantos anos, muda de um dia para o outro. Aqueles quinze, vinte anos, fazem falta às pessoas. Saem, e não tem nada. Na cadeia não trabalharam, perderam suas casas e família. São livres, mas não sabem nem onde é o ponto de ônibus. Não sabem como ir para casa. Aquela casa que perderam com o passar dos anos. Seus antigos amigos já tem uma posição, trabalho, lugar para morar, esposa, crianças, e eles começam novamente do começo. Olham fascinados todas as novidades. Mulheres, carros, smartphones, euros. Tudo é diferente, somente eles são iguais. É possível recuperar o tempo perdido? Procuram emprego, mas têm registro criminal longo como recibo de supermercado. A prisão tornou-se suas casas.

O LIMPADOR O limpador / Čistič Longa-metragem – drama / Direção: Peter Bebjak / Duração: 94 min. Ano: 2015 / Contato: DNA Production, dna@dnaproduction.sk Como funcionário de uma agencia funerária, Tomáš vive de limpar lugares, onde pessoas ou animais faleceram. Seus dias estereotipados são perturbados pelo seu novo hobby, o qual descobre quando se vê obrigado a ficar escondido na casa de seus clientes, mesmo depois de ter terminado o trabalho. Tomáš começa a acompanhar secretamente a vida dos sobreviventes, diretamente de suas casas, e cada vez mais sucumbe a este passatempo bizarro. Quando se apaixona, a situação inesperadamente foge de seu controle. Quando, graças a seu trabalho, tem a oportunidade de entrar no apartamento da bela Kristína e seu irmão de duvidosa reputação Adam, Tomáš decide quebrar suas regras de uma só visita, e retorna frequentemente ao mesmo local. Em cada visita, reconhece que nesta família algo não está correto, e que é só uma questão de tempo, até que ele tenha que intervir.


LONGALONGAMETRAGEM METRAGEM DE DE ARQUIVO ARQUIVO

© Instituto da Cinematografia da Eslováquia - Foto arquivo/© Slovenský filmový ústav - Fotoarchív

FILMES FILMES

O SOL NA REDE O sol na rede / Slnko v sieti Filme longa-metragem / Direção: Štefan Uher / Duração: 93 min. Ano: 1962 / Contato: Slovenský filmový ústav (SFÚ), sfu@sfu.sk Um trabalho pioneiro na cinematografia eslovaca, o qual revisitou a direção do desenvolvimento até então seguida, e sugeriu um novo caminho (depois de décadas de esterilidade de pensamento, esquematismo e páthos insurrecional e eufórico), é considerada a primeira obra tchecoslovaca da nova onda. Traz não somente uma nova forma de diálogo (montando a estória „espedaçada“ com ênfase na expressão através de imagens), mas também uma nova forma de ver a realidade – analiticamente dirigido nos sentidos e sentimentos das pessoas, fatos históricos e sociais. O Sol na Rede é a estória de dois jovens, vivendo seu primeiro amor e os acompanha durante o período de três estações do ano.


© Instituto da Cinematografia da Eslováquia - Foto arquivo/© Slovenský filmový ústav - Fotoarchív

ATÉ QUE ESTA NOITE SE ACABE Até que esta noite se acabe / Kým sa skončí táto noc Filme longa-metragem / Direção: Peter Solan / Duração: 91 min. Ano: 1966 / Contato: Slovenský filmový ústav (SFÚ), sfu@sfu.sk Duas jovens assistentes, que depois de economizar o ano inteiro, aproveitam alguns dias de vida sem preocupações, dois encanadores sedentos de aventuras eróticas, um chefe de obra decidido a beber o salário de seu time, e um ex-major, do qual jogos políticos fizeram um alcoólatra – todos eles encontram-se no suntuoso bar nos Tatras Altos. Durante uma noite, pouco a pouco são revelados sonhos não concretizados, ilusões e decepções de pessoas „comuns“ da sociedade daqueles tempos.

CELEBRAÇÃO NO JARDIM BOTÂNICO

© Instituto da Cinematografia da Eslováquia - Foto arquivo/© Slovenský filmový ústav - Fotoarchív

Celebração no jardim botânico / Slávnosť v botanickej záhrade Filme longa-metragem / Direção: Elo Havetta / Duração: 83 min. Ano: 1969 / Contato: / Slovenský filmový ústav (SFÚ), sfu@sfu.sk Estreia fresca e madura do talentoso e prematuramente falecido diretor é uma colorida obra feérica sobre a necessidade de milagres em nossa vida, composta de pequenos mosaicos études. Heróis - residentes interessantes da aldeia vinícola Babindol – procuram na loucura um certo sentimento de felicidade, e assim entram no dilema entre sonho e impotência contra o destino, que é uma contradição entre o desejo ingênuo de voar, e a necessidade diária de cavar o chão para que o vinho nasça – bebida dos sonhadores. Eterno andarilho, cidadão do mundo, Pierre, que apareceu na aldeia (com uma mala – uma caixa de violino vazia, encenado o casamento bíblico em Canaã na Galileia, com a conversão da água em vinho. E o sol se desejado, nasce no meio da noite.


© Instituto da Cinematografia da Eslováquia - Foto arquivo/© Slovenský filmový ústav - Fotoarchív

RETRATOS DO MUNDO ANTIGO Retratos do mundo antigo / Obrazy starého sveta Filme documentário de longa-metragem / Direção: Dušan Hanák Duração: 65 min. / Ano: 1972 / Contato: Slovenský filmový ústav (SFÚ), sfu@sfu.sk

PÁSSAROS, ÓRFÃOS E LOUCOS Pássaros, órfãos e loucos / Vtáčkovia, siroty a blázni Filme longa-metragem / Direção: Juraj Jakubisko Duração: 79 min. / Ano: 1969 / Contato: Slovenský filmový ústav (SFÚ), sfu@sfu.sk

© Instituto da Cinematografia da Eslováquia - Foto arquivo/© Slovenský filmový ústav - Fotoarchív

Uma das maiores obras da cinematografia eslovaca, ficou dezesseis anos condenada devido aos duvidosos critérios ideológicos e estéticos “normalizadores”, Este documentário de notável sensibilidade e entendimento desenha como os antigos moradores da vila, aparentemente, vivem à margem da sociedade, em condições que fazem fronteira com a pobreza, mas em seu próprio mundo peculiar. Na obra inspirada por cinco ciclos fotográficos, Martin Martinček, cuja galeria de retratos expande com caracteres adicionais, sobrepõe fotografias com disparos documentários artisticamente criativos, sincronia e comentários. Demonstrando uma visão não distorcida pela civilização dos indivíduos, Hanák tenta procurar respostas para questões primárias da existência humana (o desligamento social é um dos recursos para manter a harmonia do mundo interior, a liberdade e orientação na essência do ser).

A parábola mosaica, embora situado em lugar e tempo indeterminados, seu mundo louco sem ideais, cheio de violência, cinismo e falta de esperança, relembra fortemente a atmosfera da sociedade na Tchecoslováquia depois de agosto de 1968. Três solitários especiais, sobrevivem ali somente graças a sua „loucura“ – vida baseada no princípio da brincadeira e filosofia da alegria. O fim trágico da sua coexistência não é uma consequência inevitável das propriedades, oferecendo apenas duas opções: morte ou loucura.


O PEQUENO POLEGAR E OS BACILOS

FILMES FILMES CURTACURTAMETRAGEM METRAGEM DE DE ARQUIVO ARQUIVO

O pequeno polegar e os bacilos / Janko Hraško a bacily Direção: Viktor Kubal / Duração: 7 min / Ano: 1974 Contato: Slovenský filmový ústav (SFÚ), sfu@sfu.sk Estória na qual o Pequeno Polegar salvou pessoas do vírus da gripe.

CONTATOS Contatos / Kontakty Direção: Jaroslava Havettová / Duração: 12 min. / Ano: 1980 Contato: Slovenský filmový ústav (SFÚ), sfu@sfu.sk Sobre as fraquezas das pessoas, interesses e paixões, através do relacionamento entre as coisas.


O GUARDA-CHUVA

O BEBÊ NO BANCO

O guarda-chuva / Dáždnik Direção: Ondrej Slivka / Duração: 5 min. / Ano: 1984 Contato: Slovenský filmový ústav (SFÚ), sfu@sfu.sk Sobre um inventor, que pretende patentear sua invenção.

O bebê no banco / Bábätko v banke Direção: Vladimír Malík / Duração: 6 min. / Ano: 1988 Contato: Slovenský filmový ústav (SFÚ), sfu@sfu.sk Aventuras de um bebê no banco.

COCORICÓ Cocoricó / Ki-ki-ri-kí Direção: František Jurišič / Duração: 8 min. / Ano: 1985 Contato: Slovenský filmový ústav (SFÚ), sfu@sfu.sk Comédia de marionetes sobre o dorminhoco, que perturba o incansável galo.


ARSY VERSY

FILMES FILMES FILMES CURTACURTACURTAMETRAGEM METRAGEM METRAGEM CONTEMCONTEMCONTEMPORÂNEOS PORÂNEOS PORÂNEOS

Arsy versy / Arsy versy / Direção: Miro Remo / Duração: 23 min. Ano: 2009 / Contato: FTF, VŠMU (University of performing arts, Film and television faculty), oparty@vsmu.sk O filme é sobre a vida de uma mãe e seu filho Ľuboš, o qual virou o mundo de pernas para o ar. Ľuboš fugiu do mundo das pessoas, para viver em simbiose com a natureza, voou para um planeta onde vivem somente borboletas – ser vivo inteligente. Sua energia de vida concentrada com uma dose inacreditável de empatia, reflete nas suas fotografias e filmes amadores.

PANDA Panda / Pandy / Direção: Matúš Vizár / Duração: 11 min. Ano: 2013 / Contato: Bfilms, info@bfilm.sk Do jogo da evolução sobre descendentes passiveis de sobrevivência, surgem espécies cujo destino, herdado de seus antepassados, é questionável. O filme Pandas é a história das espécies mais valiosas, adorável símbolo preto e branco do mercantilismo, bem como da natureza da salvação. Panda é alugada, por um monte de dinheiro, da China ao jardim zoológico em Margecany, onde tem, da maioria dos outros animais, as condições de vida mais confortável. E isto mesmo que ela não queira. Ocorre esforço extenuante para “ajudar” a natureza e fazer a panda reproduzir. Caso as pessoas se comportassem com o mundo ao seu redor de forma mais sábia do que agora, as consequências de certas ações são imprevisíveis.


GÊMEOS Gêmeos / Twins / Direção: Peter Budinský / Duração: 6 min. Ano: 2011 / Contato: FTF, VŠMU (University of performing arts, Film and television faculty), oparty@vsmu.sk Gêmeos siameses lutam não somente no ringue, mas também fora dele. Por causa de sua deficiência, precisam juntos superar as trapalhadas na vida pessoal e social, cada um de uma perspectiva diferente. Gêmeos é um filme animado também sobre como pode ser o amor de irmãos e até onde pode chegar...

NA FILA Na fila / V rade / Direção: Kamila Kučíková / Duração: 4 min. Ano: 2014 / Contato: FTF, VŠMU (University of performing arts, Film and television faculty), oparty@vsmu.sk A tediosa espera em filas nem sempre será recompensada.

25KM² 25km² / Direção: Jana Mináriková / Duração: 12 min. Ano: 2011 / Contato: almostar, jana@almostar.sk Milagres e fenômenos sobrenaturais estão acontecendo no mundo todo. Na Eslováquia, por exemplo, há um homem que pega relâmpagos em maquinas especiais, que ele mesmo construiu. Sobre estes homens é o documentário de Jana Mináriková 25 km2.


Organizadores

A mostra foi apoiada por

Parceiros no Brasil

Parceiros


Sao Paulo Unibes Cultural 1.-2.11. 2016 Rua Oscar Freire, 2.500, Sumaré unibescultural.org.br

Porto Alegre Sala PF Gastal 27.-30.1O.2016 Av. Pres. João Goulart, 551 Centro, salapfgastal.blogspot.sk

Florianopolis Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina 21.-23.10. 2016 Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 Agronômica mis.sc.gov.br

Brasilia Embaixada da Republica Eslovaca no Brasil 11.-13.10.2016 Avenida das Nações, Qd. 805, Lote 21B mzv.sk/web/brazilia

Cabo Frio Instituto Cultural Carlos Scliar 15.-16.10. 2016 Rua Marechal Floriano, 253 Orla Scliar carlosscliar.wordpress.com

Rio de Janeiro Escola Darcy Ribeiro de Cinema 7.-13.10. 2016 Rua da Alfândega 5, escoladarcyribeiro.org.br

Slovak Visual programma da mostra  

Entre os dias 6 de outubro e 2 de novembro, o filme eslovaco vai descobrir os espectadores brasileiros e vice versa. Platéias em cinco cidad...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you