Issuu on Google+

Uma menina com boas intenções

Rui Vieira


Era uma vez uma menina chamada Ana. Essa menina era muito bonita e ela adorava o Natal. Ela recebia montes e montes de prendas e também estava com a sua família toda e aquilo ficava uma grande animação. A Ana era muito parecida com a sua mãe Francisca. A sua mãe era enfermeira e trabalhava no hospital de S. Marcos, mais precisamente na parte da cardiologia.


Uma semana antes da ceia de Natal da Ana disse-lhe que não iria poder passar a Noite de Natal com a Ana. A Ana perguntou à mãe e a mãe explicou-lhe que todas as noites tinham de ficar enfermeiras no Hospital e que na ceia de Natal lhe tinha calhado a ela. A Ana mesmo depois de ter ouvido aquelas palavras da mãe foi para o seu quarto e trancou-se lá. À noite a Ana mal pregou olho, porque estava a pensar se reagiu bem ou mal perante o que a mãe dissera.


De manhã a mãe da Ana tentou explicar melhor o que se iria passar. Depois teve uma ideia que foi levar a Ana ao Hospital para ver os doentes e para ver a reacção da Ana. A Ana ao ver as pessoas naquelas situações ficou a pensar que foi um pouco egoísta ao julgar a função da mãe no Hospital.


À noite ao jantar a Ana esteve a falar com a mãe e disse-lhe que não se importava que a mãe passasse a ceia de Natal no Hospital porque aquelas pessoa doentes precisavam mais de ajuda e de companhia da mãe da Ana do que ela própria.


No final no dia 24 de Dezembro a Ana passou pelo Hospital para desejar um Feliz Natal e uma Bom Ano Novo a todos os doentinhos. Moral da hist贸ria Antes de julgarmos as atitudes das pessoas devemos conhecer as raz玫es por tais atitudes.


Rui Vieira