Issuu on Google+

Conteúdos e dicas para o ENEM – 2013 Escola Palomar


Ao ler uma notícia de jornal sobre desmatamento acompanhada de um gráfico que informa sobre o assunto, o aluno precisa identificar as informações mais importantes da notícia e relacioná-las com as informações do gráfico. Desta forma, desenvolverá habilidades distintas de interpretação em uma única atividade como, por exemplo, analisar os textos, identificar as informações mais importantes, comparar os dados, relacionar os textos e as informações, levantar hipóteses e tirar suas conclusões, entre outras coisas.

De acordo com os professores William Roberto Cereja e Ciley Cleto, autores do livro “Superdicas para ler e interpretar textos no Enem” (Editora Saraiva, preço: R$ 13,90), todas as informações do texto ou sobre o texto são importantes. Cabe ao estudante ler o material observando tipo de linguagem, estrutura, conceitos e articulação de ideias. “Assim, como diz o próprio Enem, a leitura é uma espécie de arquicompetência que passa e liga todas as áreas do conhecimento”, afirmam eles.

Confira a seguir 5 dicas importantes para realizar uma boa interpretação de texto e garantir pontos na prova:

Como interpretar um texto no Enem: 1 - Leia com atenção Em algumas questões do Enem, as respostas estão no próprio enunciado. Portanto, leia a questão com atenção e localize as informações necessárias para responder.

Como interpretar um texto no Enem: 2 - Leia toda a questão mais de uma vez com calma e sem ansiedade As alternativas da questão indicam que o estudante faça uma segunda leitura de modo mais orientado.

Como interpretar um texto no Enem: 3 - Estude atualidades Esteja atualizado com relação aos temas de atualidades do momento, pois grande parte dos textos da prova é retirada de jornais, de revistas e da Internet.

Como interpretar um texto no Enem: 4 - As respostas esperadas pelo Enem alinham-se a uma postura ética e cidadã


Portanto, as respostas corretas do Enem apresentam uma perspectiva de preservação do meio ambiente, de diversidade cultural, de não preconceito e de respeito aos direitos do cidadão.

Como interpretar um texto no Enem: 5 - Relacione as informações do texto Nas situações-problema, relacione as informações comuns aos textos de diferentes linguagens e áreas do conhecimento, pois geralmente o centro da questão está nos pontos comuns entre os textos.

Na reta final para o Enem 2013, não perca o foco dos seus estudos. A seguir, 10 links indispensáveis para a revisão do Enem 2012 Drummond é autor de mais de 60 obras, entre elas contos, poesias, crônicas, histórias infantis e artigos. Para entendê-lo, explica o professor de literatura do Cursinho Oficina do Estudante, Charles Casemiro, é necessário pensar no neorrealismo, fase da literatura brasileira que foi marcada pelo realismo absoluto e negação do lirismo e emoção gratuita.

A obra de Drummond é tradicionalmente dividida em quatro fases: a fase gauche (consciência e isolamento), fase social, fase filosófica/ nominal e a fase final, também conhecida como fase de memórias ou uma síntese das anteriores. Para Casemiro, a fase social, que se passou durante o Estado Novo (1937 - 1945) da Era Vargas, é a mais cobrada no Enem. “A Rosa do Povo”, “Sentimento do mundo”, e “Alguma Poesia” estão entre as mais frequentes.

O professor explica que estas poesias formam um núcleo muito aproveitado pelas vestibulares e apresentam características como engajamento social/político e antilirismo. “Quando há emoção, é aplicada para analisar a realidade”, diz.

Nas obras de Drummond há um conflito grande e constante entre a imagem do Brasil do passadismo, anterior à Era Vargas, e a oposição a um Brasil que se modernizou e organizou. “O autor fala muito no Brasil do passado e o novo”, esclarece Charles. Além de discutir a Era Vargas, Drummond também fala sobre a Segunda Guerra Mundial e suas decorrências.


Em suas obras, o poeta está constantemente preocupado com o ser humano, especialmente o brasileiro, e seu lugar/espaço no mundo. Para tratar sobre temas como esse, Drummond se apoia em seu engajamento ao marxismo e socialismo.

As poesias da segunda fase também tratam sobre a metalinguagem, ou seja, a poesia falando de si mesma. “O debate sobre a própria construção da poesia é uma característica típica de escritores modernos como Drummond”, explica Casemiro.

As questões mundiais, principalmente a Guerra Fria, levam o poeta a discussões de interesse universal como a morte, plenitude e o tempo, constituindo a terceira fase do autor, a filosófica e nominal. “O sujeito que fala na poesia de Drummond está sempre angustiado”, aponta o professor.

Drummond no Enem As provas do Enem, de qualquer disciplina, costumam caminhar para a interpretação de texto. Em literatura, e especialmente nas obras de Drummond, tratam sobre o entendimento do texto e os recursos utilizados pelo autor na poesia. “Por construí-la em uma época conflituosa, por conta da guerra, Era Vargas, passadismo e modernidade na poesia, a obra ganha esse aspecto conflituoso.” Além de citar os temas, o professor também ressalta as várias facetas do autor. “Ele usa o verso livre, mas não deixa de lado os versos rimados. Emprega um vocabulário cotidiano, mas também culto. Analisa o popular, mas não abandona o erudito.”

No Enem, os candidatos também devem estar atentos para a multidisciplinaridade. No caso de Drummond, suas obras são relacionadas principalmente com a história. Como ele escreve no poema Mãos Dadas, da obra Sentimento do mundo, “O tempo é a minha matéria. O tempo presente, os homens presentes, a vida presente”.

Os temas prováveis para as provas de redação deste ano são aqueles que, de uma forma ou de outra, interferem na vida das pessoas, como, por exemplo: medo, condição física, futuro e condições de conforto. Os temas, em geral, são sempre relacionados com a vida social. O estudante deve focar nas atualidades contemporâneas, nos acontecimentos que afetam a vida das pessoas nos mais variados ângulos.


Para corrigir, os avaliadores levam em consideração três eixos. São eles: 1) as relações entre Homem x Homem, ou seja, todos os temas envolvidos dentro das conexões existentes entre as pessoas; 2) Homem x Sociedade, todos os temas que podem ser relacionados entre homem e a vida em sociedade e, por último, a ligação entre Homem x Meio Biofísico, em que devem ser consideradas as questões entre o ser humano e o ambiente em que ele vive. Além disso, é muito comum que um eixo apareça dentro do outro.

Achou complicado entender os três eixos? Para facilitar, preparamos um roteiro com as principais relações existentes entre os temas acima e os principais assuntos que podem ser trabalhados dentro da sua redação. Confira: Homem x Homem Nesta relação estão presentes todas as questões que envolvem o homem, como as questões íntimas e também filosóficas (crenças, valores, ambição, religião, ideologia e felicidade). Dentre os 10 temas que podem cair na prova de redação se encaixam nesse eixo os seguintes temas:

Bullying (sofrimento e perspectiva das vítimas) Violência nas escolas (saúde psicológica) Violência no trânsito (problemas com alcoolismo) Álcool X Trânsito (valores) Participação política (ideologia) Homem x Sociedade Aqui devemos observar a relação homem e o outro, ou seja, a sociedade. Neste ponto, podemos colocar as questões ambientais (degradação causada pelo homem), bullying (direitos humanos), violência nas escolas (atentado em Realengo - RJ), a violência no trânsito (falta de estradas asfaltadas), participação política (eleições), álcool x trânsito (seriedade das leis), desarmamento (plebiscito), desigualdade social (o salário dos políticos e o salário mínimo), esporte como fator de inclusão social (destaque do Brasil nas paraolimpíadas) e comportamento jovem nas mídias sociais (como os novos meios de comunicação e as redes sociais afetam as relações, e as redes sociais no escândalo do BBB). Homem x Meio Biofísico Neste ponto, a relação é entre o homem e o meio ambiente em que ele vive, ou seja, as questões de degradação do solo, recursos perecíveis, genética,


questões ambientais. Dentre os principais temas que podem cair na redação podemos observar alguns acontecimentos como o aquecimento global e a sua relação direta com a falta de recursos. A Rio+20, por exemplo, pode cair focando em todos os problemas ambientais e sociais.

O que pode cair na prova de redação do Enem

Para garantir uma boa nota na redação do Enem, a dica é ficar ligado nas questões de atualidades que acontecem no Brasil e no mundo. Ter noção sobre o tema é importante para que o candidato saiba se posicionar e ajuda na argumentação.

Veja os 10 temas que podem cair na redação:

As Questões Ambientais Bullying Violência nas Escolas A Violência no Trânsito Participação Política Álcool X Trânsito Desarmamento Desigualdade Social Esporte como fator de inclusão social Comportamento jovem nas mídias sociais

Confira o que mais é cobrado nas questões de geografia do Enem:


O que mais cai em Geografia: 1. Agricultura Dentro deste tema estão assuntos como reforma agrária e problemas de distribuição de terra, extrativismo predatório, agronegócio, agropecuária, fome e subalimentação no Brasil e América Latina, e possíveis impactos sociais da agricultura como, por exemplo, o êxodo rural. “Ao falar de agricultura ou agronegócio no Enem a questão provavelmente terá um texto introdutório com maior número de linhas, sendo cobrada do aluno boa interpretação de texto. Uma dica é tentar transformar o enunciado em uma alternativa correta”, indica Feltrin.

O que mais cai em Geografia: 2. Aspectos Socioeconômicos São cobrados assuntos como desemprego, migração, mortalidade infantil, natalidade, indicadores de saúde, índice de desenvolvimento humano (IDH), e dados sobre a população, como crescimento e envelhecimento. “Gráficos e tabelas aparecem especialmente nestas questões. É necessário prestar atenção diretamente na tabela e não apenas nas alternativas, identificando nela quais são as informações necessárias para responder a questão”, explica o professor.

O que mais cai em Geografia: 3. Desenvolvimento e Impactos Ambientais Questões sobre problemas ambientais como o desmatamento, efeito estufa, enchentes, recursos hídricos, petróleo, poluição, a usina hidroelétrica de Belo Monte, lixo e energia também são muito frequentes. Esses assuntos costumam estar relacionados com biologia. Para se ter uma ideia, no mapeamento feito pela Universia Brasil dessa matéria as questões de ecologia ficaram em segundo lugar. Para 2012, Feltrin indica assuntos como a Rio +20 e o código florestal com possibilidades de serem cobrado pelo exame.

O que mais cai em Geografia: 4. Geopolítica Os tópicos cobrados no Enem sobre geopolítica estão normalmente relacionados a algum contexto histórico apresentado no enunciado da pergunta. Assuntos como globalização, terrorismo, petróleo e guerras, MERCOSUL, união de livre comércio entre países da América Latina, primavera árabe e as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) costumam cair com frequência. O professor Feltrin completa que o aluno deve “procurar informações em jornais, noticiários e mudanças geopolíticas recentes nos mapas, como por exemplo, a questão do novo país africano, Sudão do Sul, e a ONU (Organização das Nações Unidas), pois as pessoas que desenvolvem a prova costumam trabalhar muito com a atualidade”. Além disso, Daril indica assuntos como as eleições presidenciais nos EUA, ditadura militar no Brasil e a Comissão da Verdade, o populismo, trabalho escravo no estado de São Paulo


e a imigração de haitianos para o País como grandes candidatos para serem cobrados no exame. Independente do tema apresentado nas questões é a capacidade de interpretação de texto do aluno que irá indicar o seu sucesso. “A análise de tabelas, textos e mapas é muito frequente. O Enem costuma avaliar as habilidades e competências do aluno, não apenas conteúdos, pois é uma prova voltada para o ensino médio e não funciona como os vestibulares tradicionais”, completa o professor.

Confira a seguir quais são os cinco temas mais frequentes nas questões de química do Enem:

O que mais cai de Química no Enem: Química Ambiental Química Ambiental evolve questões sobre chuva ácida, poluição, combustíveis fósseis e renováveis e outros processos que comprometem a saúde do planeta e, consequentemente, do homem. Por conta desses temas, a química ambiental acaba se relacionando com outras disciplinas como biologia, geografia e física. O professor Anderson Dino recomenda que os alunos estejam atualizados sobre os acontecimentos atuais que envolvem essas questões. “Esse ano, por exemplo, teremos o Rio +20. Podem ser cobrados o ciclo da água, o ciclo do carbono, aquecimento global, e também a questão energética do pré-sal”, disse. O professor João Usberco dá a dica: “Muitos desses temas o próprio enunciado encaminha para o enfoque da questão. Fundamentalmente, um combustível renovável é o adequado para a própria situação do planeta.”

O que mais cai de Química no Enem: Equilíbrio Químico Os equilíbrios químicos tratam sobre reações reversíveis. Questões sobre catalisadores, superfície de contato, cálculo do pH, temperatura e transformações. “Esses assuntos não são básicos. O candidato deve saber calcular a constante de equilíbrio”, alerta o professor Dino. É importante estar atento para as relações que essas questões costumam fazer com a química ambiental, ácidos e também com conteúdos de matemática.

O que mais cai de química no Enem: Transformações Químicas As transformações ou reações químicas ocorrem quando há a formação de uma nova substância, ou seja, quando as propriedades de um elemento original são alteradas. Algumas evidências mostram a ocorrência de uma


transformação química: oxidação, combustão, mudança de cor, liberação de um gás, cheiros, formação de um sólido, etc. Dentro de um assunto tão abrangente, o professor Dino destaca as questões sobre mineração. “Como o Brasil é um grande exportador de minérios, são comuns perguntas sobre obtenção de ferro, reciclagem do alumínio e retirada de bauxita da natureza. Além disso, conteúdos como concentração e separação de misturas são cobradas a partir da transformação do petróleo e obtenção do etanol.”

O que mais cai de química no Enem: Cálculo Estequiométrico O cálculo estequiométrico é o cálculo das medidas em reações e equações químicas. Comum no Enem e na maioria dos vestibulares, é utilizado, por exemplo, quando o médico precisa calcular quanto deve administrar de determinada substância para o paciente. São comuns questões sobre rendimento, excesso, pureza, balanceamento. A dificuldade costuma ser variada, mas o professor Dino alerta “é necessário que o aluno conheça a grandeza mol e saiba calcular e fazer as conversões”.

O que mais cai de química no Enem: Química Orgânica A química orgânica estuda os compostos do carbono. São muito comuns as questões sobre funções orgânicas, “especialmente o reconhecimento e característica das funções”, diz o professor Usberco. “O Brasil é um dos maiores produtores de etanol do planeta. As perguntas são mais fáceis e tratam sobre a produção do etanol a partir de outras fontes como a madeira e o açúcar, além de abordar assuntos como polímeros, plásticos e bioplásticos”, contextualiza o professor Dino.

Além dos temas citados acima, podemos destacar também a interpretação e análise de gráficos e tabelas. “O aluno deve ficar atento para conseguir identificar se o gráfico apenas ilustra, ou seja, serve como complemento do texto ou se as informações contidas nele são exclusivas e essenciais para a resolução do exercício”, completa o professor Dino.

Confira abaixo os temas que mais caem na prova de Biologia do Enem:


O que mais cai no Enem: 1. Fisiologia / Corpo Humano As questões de Fisiologia e Corpo Humano abordadas no Enem são mais voltadas para o cuidado com o corpo e o autocuidado. Saúde pública e todos os assuntos relacionados com as condições de equilibro do corpo são, em geral, as que mais aparecem.

De acordo com a professora Ângela, o aluno deve estudar o conteúdo relacionado à fisiologia. "Nos últimos três anos o Enem abordou temas bastante específicos, como o sistema digestivo e a alimentação saudável. Outros assuntos que aparecem bastante são o sistema nervoso e o sistema cardiovascular, com questões voltadas para a interação de substâncias no organismo e o stress, respectivamente", esclarece a professora.

O que mais cai no Enem: 2. Ecologia Já em ecologia, a prova cobra principalmente a questão das estruturas dos ecossistemas e como os organismos que constituem esses ecossistemas lidam com os nutrientes. "O estudante deve se dedicar a entender o fluxo de energia e a ciclagem dos materiais pelos ecossistemas, como o ciclo do carbono e o ciclo de nitrogênio", sugere Ângela.

Outro ponto que pode aparecer, de acordo com a professora, é a eutrofização. "Essa parte aparece, em geral, junto com os biomas. É importante que o aluno leia sobre desertificação, exploração indevida e temas relacionados. É bem provável, inclusive, que o novo código florestal apareça na discussão. Eu aposto também nos grandes temas ambientais, como a Rio+20.", prevê.

O que mais cai no Enem: 3. Genética / Evolução As questões sobre o tema envolvem genética básica, com a intenção de testar a compreensão do estudante sobre os fenômenos da hereditariedade. "Não são questões trabalhosas, a genética no Enem serve de pano de fundo para os mecanismos que possibilitam a evolução das espécies", comenta Angela.

Por esse motivo, a professora recomenda que os estudantes se dediquem a entender as teorias evolutivas em geral, como Darwin, Lamarck e a teoria


sintética, que une Darwin e Mendel. Segundo Angela, "todas as questões do Enem podem ser resolvidas com a teoria evolutiva agregada ao instrumental oferecido pela genética mendeliana".

O que mais cai no Enem: 4. Meio Ambiente Todos os conteúdos dentro da Biologia que remetam à sustentabilidade podem aparecer no Enem, especialmente a responsabilidade no uso dos recursos. As questões, de acordo com Angela, visam promover a reflexão do candidato sobre as alternativas de conduta, atitude e comportamento. "Essa são as questões que valem mais dentro da TRI. As mais valorizadas são aquelas em que o aluno precisa escolher entre alternativas nas quais ele tem que se posicionar quanto a um problema ambiental", alerta a professora.

O que o exame procura com essas questões é entender se o aluno vem do colégio com uma consciência socioambiental desenvolvida e de que maneira isso vem sendo trabalhado desde a educação básica. "Nesse caso não tem como o aluno se preparar com estudos, mas o ideal é que ele tome uma postura cidadã em sua resposta. O que ajuda é estar sempre atento ao que acontece na mídia, discutir as questões abordadas recentemente", recomenda Angela.

O que mais cai no Enem: 5. Água O tema água é recorrente no Enem porque vem sendo discutido há muitos anos sem apresentar resultados na conscientização. A professora Angela aconselha os alunos a estudarem o básico, como ciclo da água e mudanças de estado. "No entanto, de novo, aqui é cobrado o posicionamento socioambiental. É fundamental que o candidato lembre-se das atitudes que garantem uma maior economia de água, o uso racional. Uma boa dica é revisar as medidas que podem contribuir para a não degradação das fontes de água doce", pontua.

O que mais cai no Enem: 6. Energia De acordo com a professora o tema é um dos grandes filões do Enem, porque envolve diversas matérias além da biologia, como química e física. As questões abordadas podem envolver todas as fontes de energia convencionais,


mas também é importante que o aluno tenha em mente outros caminhos que estão sendo procurados. "O estudante deve pesquisar as novas opções de biocombustíveis, as formas de energia que nós temos dominado, como o etanol e o biogás. Além de não desconsiderar o pré-sal, com questões como o que é, onde fica e quais são as estimativas", esclarece Angela.

O que mais cai no Enem: 7. Bactérias As questões que abordam bactérias são mais relacionadas com saúde, como, por exemplo, como a biotecnologia permite melhores condições de vida. "O Enem propõe muitas questões que exigem que o aluno mostre o quanto sabe sobre prevenção, então cai vacinação, questões de imunologia, anticorpos... O candidato precisa saber o que é uma vacina, como ela é produzida, etc", explica Angela.

O que mais cai no Enem: 8. Análises / Interpretações De acordo com a professora, nesse sentido o Enem tem sido realmente insistente, para que o aluno seja capaz de interpretar informações fornecidas por meio de outros recursos que não o texto. "Nas ciências da natureza aparecem muitos gráficos, resumos esquemáticos, histogramas... O estudante tem que interpretar qualquer tipo de informação e traduzi-las em uma conclusão coerente", comenta.

A recomendação da professora é que o aluno se prepare para isso com muito treinamento. "Uma boa sugestão é ir atrás do que foi cobrado nas provas anteriores para entender, além do conteúdo, o perfil da prova", indica Angela.

O que mais cai no Enem: 9. Animais Os animais aparecem na prova com o objetivo de aferir se o aluno entende a biodiversidade e conhece as características principais dos grupos de seres vivos que habitam o planeta. "As questões são bem pontuais, a ideia é medir o quanto o estudante conhece da morfologia dos vários grupos de animais. As questões não são voltadas para a memorização, e sim para a análise e associação entre grupos, especialmente pelo parentesco", comenta Angela.


O que mais cai no Enem: 10. Biodiversidade A biodiversidade é tratada no Enem como maneira de aferir até que ponto o candidato teve noções básicas de variedade biológica. "Quase sempre aparecem questões brincando com as eras geológicas, que estão relacionadas com dois eixos: o conhecimento da constituição dos organismos, por meio da estrutura orgânica dos cinco reinos, e as noções do estudante de que esses seres se originaram de formas primitivas", explica a professora.

Veja quais são os 5 temas de física mais frequentes nas provas de 1998 a 2011:

O que cai no Enem: 1) Energia - Eletricidade e Mecânica Tipos de energia, fontes, consumo, cálculo, transformações, etc. Em nosso mapeamento, as questões mais frequentes eram sobre esses assuntos. A professora Mônica Nunes explica que a energia pode ser cobrada em duas áreas da física: a eletricidade e a mecânica. "O Enem gosta de questões sobre o dia a dia e de explorar coisas que os alunos vivenciam." Um exemplo são as perguntas que envolvem o funcionamento de uma geladeira ou de um micro-ondas. São muito comuns também as questões sobre potência elétrica. Para se dar bem nesses conteúdos é preciso estudar e praticar a matéria com exercícios. "Não adianta decoreba de fórmulas. O Enem quer que o aluno interprete e tire as informações necessárias do enunciado", alerta a professora.

O que cai no Enem: 2) Termologia ou Calorimetria Fique atento com as perguntas sobre calorimetria, temperatura média, calor específico, isolante térmico e transformações térmicas, elas são o segundo tema de física mais recorrente nas provas do Enem. A professora Mônica explica que é necessário entender as diferenças básicas entre temperatura e calor. "Temperatura é a agitação das partículas e calor é a energia que está sendo trocada entre corpos com temperaturas diferentes". Ao sair ou entrar nos corpos, essa energia ou calor pode desencadear dois resultados diferentes; um deles é alterar a temperatura do corpo, efeito chamado calor sensível, ou pode mudar a forma como as partículas estão unidas, chamado calor latente, o que muda o estado físico da matéria.

O que cai no Enem: 3) Hidrostática A hidrostática é responsável por estudar os fluídos em repouso. São comuns perguntas sobre massa, densidade e empuxo. "Os alunos devem lembrar que a


ideia da densidade serve para saber como os corpos flutuam", explica Mônica. "Um corpo que tem densidade menor que a do líquido irá flutuar e com densidade maior irá afundar." Quando mergulhamos um corpo em um líquido, esse fluído irá exercer uma força sobre o corpo, empurrando-o para a superfície livre do líquido, essa força é o que chamamos de empuxo.

O que cai no Enem: 4) Ondulatória Ondas são o transporte de uma perturbação. Uma onda tem certo comprimento e oscila, ou seja, sempre há um movimento sendo repetido, e esse movimento ocorre com certa frequência. A velocidade com que isso acontece depende do comprimento da onda e de sua frequência. "No Enem, normalmente são cobradas questões relacionadas com ondas eletromagnéticas". A professora dá uma dica importante, que, segundo ela, muitos alunos costumam esquecer e acabam se confundindo: "Não se esqueçam que, no vácuo, a velocidade de propagação é igual à velocidade da luz".

O que cai no Enem: 5) Cinemática Questões sobre velocidade média, linear, escalar, distância e aceleração são muito recorrentes nas provas do Enem. Conceitos como deslocamento, referencial e trajetória, ou seja, aquilo que envolve o movimento, devem estar claros na mente do candidato. "A ideia do movimento é a mudança de posição. A velocidade calcula a rapidez com que o corpo muda essas posições", explica a professora.

Confira os assuntos mais pedidos na prova de matemática do Enem, de 1998 a 2011:

1- Cai na prova de matemática do Enem: Geometria "A geometria está dividida em espacial (a que diz respeito a 3 dimensões) e a plana (que trata de apenas uma dimensão)". O que mais caiu foram exercícios pedindo área, aresta, volume de figuras como cubo, paralelepípedo, pirâmide, cilindro, triângulo, retângulo, cone, esfera, círculo. "O Enem trata da realidade do aluno, estamos rodeados de figuras como essas. É provável que seja por isso que o assunto é tão cobrado: devido à sua praticidade".

2- Cai na prova de matemática do Enem: Cálculo simples Este não poderia faltar. O Enem é uma prova básica, que pede conceitos básicos e problemas, mais uma vez, práticos. Portanto, houve muitas questões


que demandavam conhecimentos simples de multiplicação, potência, conversão de medidas, cálculo com IMC, megawatts, consumo médio de energia. Neste caso, a noção de lógica também é importante. Este tópico trata de tudo o que é respeito ao básico da matemática: lógica e operações simples.

3- Cai na prova de matemática do Enem: Interpretação Pode parecer estranho que esta competência seja cobrada na prova de matemática e não na de português, mas, sim, você não leu errado. Até o professor Borges reforça a importância da leitura: "ela é importante porque agiliza o aluno, fazendo com que ele seja mais competitivo". A interpretação pode cair de diversas formas na prova do Enem: de gráficos, infográficos, tabelas e até textos. "São questões 'garantidas' se o aluno for resistente e não estiver nervoso", finaliza o docente.

4- Cai na prova de matemática do Enem: Porcentagem De acordo com o professor, a melhor forma de estudar porcentagem é por meio de exercícios. A teoria por trás dela é simples e, mais uma vez, demonstra que o Enem privilegia questões com pouca complexidade e provenientes do cotidiano.

5- Cai na prova de matemática do Enem: Probabilidade Este é outro assunto que não demanda muita teoria e deve ser amplamente estudado com exercícios. A diferença dele com os outros acima é que, dependendo da pergunta, ele pode ser mais complexo. Principalmente porque é necessário saber análise combinatória para determinar certas probabilidades, o que confere ao assunto um status de interdisciplinar dentro da matemática.

6- Cai na prova de matemática do Enem: Equações e problemas "Funções, equações, problemas e relações de grandeza são conhecimentos essenciais para o Enem. Muitos problemas que parecem ser de área mínima ou máxima são problemas de função. Eles podem muito relacionar estes assuntos. Além disso, equações são básicas na matemática e problemas são cotidianos, ou seja, têm altas chances de estarem na prova de 2012", explica o professor. Rodolfo Borges também acrescenta ser importante saber montar uma equação a partir de problemas e o máximo e mínimo de uma função.

Finalmente, uma competência que tem despontado nos últimos exames foi estatística. "Embora ela não caia muito nos vestibulares, ela é importante para o Enem", aponta o professor da UNICAMP. Média, moda e mediana foram assuntos que chamaram atenção na última edição da prova, porque raramente constavam em vestibulares.


Confira abaixo o que mais cai na prova de história do Enem: O que mais cai no Enem: Brasil República O período que vai de 1889 a 1930 é conhecido como a República Velha. Este momento da história brasileira foi marcado por governos militares que comandaram o país de forma centralizadora, enfrentando a oposição de setores monarquistas, da sociedade civil e das oligarquias regionais.

O que mais cai no Enem: Era Vargas A Revolução de 1930 põe fim na Republica Velha e leva Getúlio Vargas ao poder de forma provisória. É o início da Era Vargas. Seus quinze anos de governo seguintes caracterizaram-se pelo nacionalismo e populismo. Sob seu governo foi promulgada a Constituição de 1934.

O que mais cai no Enem: Brasil Colônia e Segunda Guerra Mundial O período colonial brasileiro é considerado o momento de maior crueldade histórica. Por quase quatro séculos, milhões de indígenas e negros foram sequestrados, vendidos, castigados e obrigados a trabalhar de graça para fazer girar a economia.

A Segunda Guerra Mundial é considerada o maior conflito da história, os combates entre os cinco continentes deixaram 50 milhões de mortos. Este período pode ser denominado como o mundo por debaixo de bombas.

O que mais cai no Enem: Idade Média, Escravidão e Militarismo no Brasil A Idade Média teve início na Europa com as invasões bárbaras, no século V, sobre o Império Romano do Ocidente. Essa época caracteriza-se pela economia ruralizada, enfraquecimento comercial, supremacia da Igreja Católica, sistema de produção feudal e sociedade hierarquizada.

A escravidão é bem mais antiga do que o tráfico negreiro. Ela existe desde os primórdios de nossa história, quando os povos vencidos em batalhas eram escravizados por seus conquistadores. Muitas civilizações usaram e


dependeram do trabalho escravo para a execução de tarefas mais pesadas e rudimentares.

Os chamados “Anos de chumbo” tiveram início em 1964, com o Golpe Militar. Durante esse período o Brasil passou mais de 20 anos sob os desmandos de uma ditadura caracterizada pela violação dos direitos políticos e civis.

O que mais cai no Enem: Revolução Industrial, Guerra Fria e Liberalismo A Revolução Industrial teve início no século XVIII, na Inglaterra, com a mecanização dos sistemas de produção. Com as fábricas, a burguesia tomou de vez o poder econômico e mudou para sempre o modo como o mundo trabalha e se organiza socialmente.

A Guerra Fria marca um dos períodos mais tensos da história. Por décadas o mundo viveu sob o poder de duas superpotências rivais e o medo de um terrível conflito atômico.

Liberalismo pode ser definido como um conjunto de princípios e teorias políticas, que apresenta como ponto principal a defesa da liberdade política e econômica. Neste sentido, os liberais são contrários ao forte controle do Estado na economia e na vida das pessoas.

Confira abaixo o que cai no Enem 2012 de português:

O que mais cai no Enem: 1º lugar - Interpretação de texto A famosa interpretação de texto. A razão pela qual ela é tão cobrada é simples. Num país em que mais da metade da população é analfabeta funcional, o exame nacional precisa cobrar esta competência do aluno. Além disso, a prova torna-se menos decorativa e mais lógica, privilegiando quem


pensa e não quem decora. Entretanto, não pense que estas questões serão sempre pontos garantidos. Depois de horas de prova, o cansaço prejudica o entendimento textual. Além disso, a vivência e maturidade são qualidades testadas com esse tipo de questão. Portanto, deixe de lado o nervosismo e pense logicamente ao responder este tipo pergunta. Aja como um adulto, é isso que o Enem está demandando de você.

O que mais cai no Enem: 2º lugar - Modernismo Modernismo inclui não só o movimento, mas todos os poetas e escritores que fazem parte dele. Frequentemente, disponibilizamos conteúdo sobre este assunto: Semana de Arte Moderna, Oswald de Andrade, Carlos Drummond de Andrade, Clarice Lispector, Fernando Pessoa, Manuel Bandeira são artistas sobre os quais você pode ler aqui e garantir alguma questão no Enem de 2012. Uma promessa para este ano é Jorge Amado, já que em 2012 comemora-se seu centenário de nascimento. Fique ligado no portal para mais conteúdos modernistas!

O que mais cai no Enem: 3º lugar - Outros tipos de interpretação Tudo o que foi dito em interpretação de texto, obviamente, vale para este tópico. Mas aqui fala-se de interpretação de charges, publicidades, poemas, músicas, infográficos, gráficos e crônicas. Aqui está mais uma prova de que o Enem é basicamente interpretativo. Ou seja, quem souber ler e estiver calmo tem um terço da prova de português do Enem garantida.

O que mais cai no Enem: 4º lugar - Gramática A gramática era um assunto recorrente dos vestibulares em geral. Antes, ela caía assim: "esta frase é coordenada ou subordinada?". Agora, cai diluída em perguntas de interpretação de texto e não tão diretamente. Esta mudança fez com que muitos erroneamente pensassem que ela está extinta dos vestibulares. Mas ela não está. Fique atento a assuntos como figuras de linguagem, pronomes, colocação pronominal, vocativo, aposto, artigo, cojunção e o novo acordo ortográfico.

O que mais cai no Enem: 5º lugar - Variação linguística


A variação linguística é uma matéria pouco estudada na escola e relativamente recente no estudo pré-universitário. Há quatro tipos de variações linguísticas: a história, geográfica, a sociocultural e situacional. A história, como o próprio nome diz, são as variações pelas quais uma língua passou ao longo de sua história. Por exemplo: antes de ser o que é hoje, o pronome "você" variou de "vossa mercê", "vossemecê", "vosmecê", "vancê". A variação geográfica se dá quando a língua varia de um lugar para outro. Por exemplo: no Brasil, falamos banheiro e em Portugal, casa de banho. A sociocultural é realçada mais ainda no Brasil, um país de grande desigualdade. Dependendo da posição social e cultural de alguém, fala-se diferente. Ou seja, é claro que um vendedor de bananas fala a se expressa distintamente de um doutor em Letras. É provável que a pessoa mais estudada fale com um vocabulário mais amplo, respeitando mais as regras gramaticais, entre outros. Por fim, a última variação é a situacional. Falamos diferentemente em diversas situações. Uma pessoa normal fala de certa forma com um professor, com seu chefe, com sua namorada, com sua mãe. Mesmo que seja um vendedor de bananas, sem nenhum estudo, ele mudará seu registro para falar com alguma autoridade - ainda que ele não esteja falando de acordo com as regras gramaticais vigentes em um certo país. A variação linguística mais cobrada no Enem é a geográfica.

O que mais cai no Enem: 6º lugar - Funções da linguagem Embora tenha caído pouco nos 13 anos, a tendência é que ele seja mais cobrado ao longo dos anos. A evolução percentual da matéria foi crescente. Portanto, é um assunto provável de ser cada vez mais demandado. Existem seis funções da linguagem. A primeira é a emotiva, função que destaca a o emissor. Esta mensagem centra-se nas opiniões, sentimentos e emoções do emissor; é um texto subjetivo e pessoal e escrito na 1ª pessoa do singular. A segunda função é a referencial, cujas características são: neutralidade do emissor, objetividade e precisão e uso da 3ª pessoa do singular. A terceira é a função apelativa, em que a mensagem é centrada no receptor. Normalmente, usa-se 2ª pessoa do singular ou plural nesta situação. A função fática é a quarta da lista: ela serve para transmitir o interesse do emissor em testar ou chamar atenção ao próprio canal da comunicação. Vulgarmente falando, é quando dizemos: "hein", "né", "alô", "hum", "ei", etc. A quinta função da linguagem é a poética, aquela que põe em evidência a forma da mensagem, que se preocupa mais em "como dizer" do que com "o que dizer". Suas características são: subjetividade, uso de figuras de linguagem e brincadeiras com o código. A última função é a metalinguística. Caracterizada pela preocupação com o código, este emprego linguístico pode ser definido como a linguagem que fala da própria linguagem.


Conteúdos e dicas para o ENEM - 2013