Page 1


Visão: Ser uma empresa referência do setor sucroenergético com foco na rentabilidade e sustentabilidade. Missão: Produzir, com excelência, energia em forma de alimento, combustível e eletricidade, preservando o meio ambiente e o bem-estar social.


A Caeté Sudeste compreende as Unidades Volta Grande, Delta e Conquista de Minas. Tem um faturamento anual superior a R$ 1 bilhão e emprega aproximadamente 5.500 colaboradores, número que sobe ainda mais no período de safra. Processa mais de 8 milhões de toneladas de cana, com uma área de colheita de aproximadamente 83 mil hectares. É responsável pela maior moagem do estado de Minas Gerais.

GOIAS

MINAS GERAIS Volta Grande

Delta

Conquista de Minas

SÃO PAULO


Unidade Volta Grande Primeira do grupo no Sudeste, foi construída em 1994 em Conceição das Alagoas/MG, entrou em operação em 1996 e possui o maior parque industrial em capacidade de moagem de Minas Gerais.

Unidade Delta Construída na década de 50 em Delta/MG, no ano 2000 essa Unidade foi adquirida pelo grupo e totalmente reformulada. É considerada a mais moderna em produção no país.

Unidade Conquista de Minas Fundada em 1904, foi arrendada pelo grupo em 2011, quando passou por uma profunda reestruturação administrativa e modernização estrutural.


A Caeté se tornou um destaque no cenário nacional com uma administração arrojada, que investe na modernização dos processos em busca da máxima produtividade ao mesmo tempo que valoriza as pessoas, tanto clientes, parceiros

e colaboradores quanto as comunidades de seu entorno geográfico. Uma empresa de espírito inovador, que traz soluções para o presente e para o futuro, orientando seu dia-a-dia por patamares cada vez mais altos de qualificação interna.


Certificações implementadas: NBR ISO 9001:2008 Certifica o controle de qualidade da Unidade Volta Grande e o processo de produção e comercialização de açúcar, etanol e energia elétrica da Unidade Delta.

EPA Certificação das Unidades Delta e Volta Grande para exportar etanol para os Estados Unidos.

KOSHER Certificado de preparação do açúcar VHP da Unidade Delta de acordo com a lei judaica.

Certificações em andamento: NBR ISO 9001:2008 Certificação da Unidade Volta Grande também para a produção e comercialização de açúcar, etanol e geração de energia.

NBR ISO 22.000 Certifica a segurança alimentar da Unidade Volta Grande.

CARB Certificação para exportar etanol para o Canadá.

CERTIFICAÇÃO BONSUCRO Certifica a sustentabilidade da produção de açúcar e etanol.

SELO DO COMPROMISSO NACIONAL Certifica o aperfeiçoamento das condições de trabalho.


A cana-de-açúcar, cujo nome científico é Saccharum spp, se originou no Sudeste Asiático. Historicamente, tem uma enorme importância econômica em diversos países de clima tropical, inclusive o Brasil, que hoje é o principal produtor do mundo. A cana tem um aproveitamento incomparável, nada é desperdiçado. Com essa planta versátil é possível produzir açúcares de vários tipos, para consumo doméstico e industrial,

o etanol consumido na forma de combustível, outras apresentações de álcool para composições químicas, bebidas como a cachaça e o rum, doces como a rapadura e o melado. O bagaço é aproveitado na produção de bioenergia, a torta de filtro serve como fertilizante, bem como a vinhaça, a levedura seca e o melaço podem ser usados na alimentação de animais e também na adubação do solo.


O Brasil é o principal produtor de açúcar do mundo, com uma larga vantagem sobre a Índia, a segunda colocada. Porém, ao contrário do país oriental, o Brasil exporta a maior parte da produção. Com isso, conquistou um importante papel no comércio internacional desse commodity cuja demanda teve um crescimento sólido nos últimos anos.


Panorama brasileiro Produção Exportação

acima de 27 milhões de toneladas

es

ilhõ 0m se 4 adas qua tonel de


A Caeté conquistou uma bela fatia do mercado de açúcar, tanto por aqui quanto lá fora. A última safra rendeu aproximadamente 768 mil toneladas, o que corresponde a 14,5 milhões de sacos, colocando a Caeté como a segunda maior produtora de açúcar do Brasil.

Em apenas uma safra, a Caeté produz açúcar suficiente para abastecer toda a população de Minas Gerais por mais de dois anos.

Consumo médio brasileiro por pessoa

Consumo médio mineiro por pessoa

8 kg/ano

17 kg/ano


A marca é líder incontestável de vendas no segmento Cristal no país.


O processo de fabricação é totalmente automatizado, sem contato humano. A cana é esmagada para liberação do caldo, que é fervido até se transformar em um xarope e, em seguida, cristalizado. Durante esse processo, o melaço é obtido como subproduto. O açúcar passa por secagem, ensacamento e um rigoroso controle de qualidade antes de seguir para a distribuição.


Extração do caldo

Sulfitação

Peneira

Aquecimento 65° C Caleação Preparo da cana

Decantação Aquecimento 105° C

Secador

Evaporação

Centrífuga Cozimento

Fábrica de fardos

Empacotamento

Imã

Açúcar


Desde a década de 70, o mundo busca formas de minimizar a dependência do petróleo, um recurso finito. O Brasil saiu na frente com a tecnologia necessária para alimentar a frota nacional com um combustível renovável. O país foi o único que conseguiu desenvolver e implantar com sucesso um substituto comercial para os derivados do petróleo que é mais barato e produzido em larga escala. Com o passar dos anos, o etanol voltou a chamar atenção para o país. Desta vez como uma alternativa mais sustentável e ecologicamente viável, que vai ao encontro da recente onda de preocupação com o aquecimento global e outros dilemas ambientais.


Você sabia? O etanol também é extraído do milho, trigo e beterraba em outros países. Porém, o modelo brasileiro, que utiliza a cana-de-açúcar, é muito mais produtivo e provoca menor impacto ambiental.

Considerando a mesma área plantada de cana-de-açúcar e milho, a lavoura de cana produz mais do que o dobro de etanol.

1/1

1/1

=

=

1/2

1/2

0

0

E enquanto o etanol de grãos reduz, em média, 31% da emissão de gases do efeito estufa em relação à gasolina, o etanol proveniente da cana reduz até 89% em seu ciclo completo, pois, além de poluir menos que os combustíveis fósseis, ainda absorve um grande volume de CO2 durante o cultivo.

Cana-de-açúcar

Grãos

Gasolina


A Caeté produziu na última safra mais de 233 milhões de litros de etanol. Isso seria o suficiente para encher o tanque de 4.660.000 carros populares, o equivalente a todos os carros de passeio do Nordeste. Com o lançamento dos automóveis flex no Brasil no início dos anos 2000, o etanol alcançou uma nova onda de popularidade. A Caeté tem orgulho de fazer parte dessa revolução de sustentabilidade.


O caldo resultante do esmagamento da cana também é fermentado para produzir etanol de acordo com as mais rigorosas normas de qualidade. O fermento adicionado ao caldo contém micro-organismos que se alimentam do açúcar, liberando gás carbônico e álcool em um processo que dura até 12 horas. A destilação elimina o excesso de água resultando em álcool hidratado, com concentração de 96%, que pode ainda passar por um processo de desidratação até atingir concentração de 99,5% e virar álcool anidro.


Moagem com rolos trituradores

Esquema gráfico da produção • Lavagem Lavagem da da cana cana • Eletroímã para retirada de impurezas metálicas • Moagem com rolos trituradores Eletroímã para retirada de impurezas metálicas • Descanso para decantação das impurezas Fermentação • Esterilização • Fermentação • Resfriamento • Destilação - Álcool hidratado pronto para ser vendido nos postos • Desidratação - Álcool anidro para ser misturado à gasolina como aditivo • Armazenagem • Distribuição Esterilização

Descanso para decantação das impurezas

Destilação Álcool hidratado pronto para ser vendido nos postos

Resfriamento

Desidratação Álcool anidro para ser misturado à gasolina como aditivo

Armazenagem

etanol

Distribuição


Foto de torres de energia


Por toda a história da humanidade, a produção de uma sociedade sempre esteve intimamente atrelada à eficiência de suas matrizes energéticas. Os ciclos de desenvolvimento são definidos pela fonte de energia. E a busca pela evolução foi impulsionada pela crescente demanda, especialmente nas últimas décadas. Fogo, vento, carvão, vapor, petróleo, gás natural, água, sol, átomo e, por fim, uma resposta limpa, renovável e barata: a cana-de-açúcar. A transformação da cana em energia elétrica já é uma realidade e, diferente de outras fontes, é uma alternativa economicamente viável e ecologicamente sustentável. A melhor notícia é que esse processo aproveita o bagaço que seria jogado fora para alimentar o funcionamento da própria Caeté e ainda sobra para comercialização.


A Caeté produziu na última safra 177 MW/h, energia bastante para abastecer uma cidade de 700 mil habitantes. Tem capacidade para 280 MW/h, o suficiente para atender o consumo de mais de 1 milhão de pessoas. Para gerar essa quantidade de energia seriam necessários 70.000 litros de diesel por hora. Desse potencial energético, 174 MW/h poderão ser comercializados.


No processo de moagem da cana-de-açúcar, o bagaço que resta corresponde a 30% do volume total. Esse material segue para a queima, produzindo vapor em caldeiras que movimentam turbinas e geram energia elétrica.


bioenergia Bagaรงo

Combustรฃo

Caldeiras

Turbinas


Sustentabilidade é uma postura, um processo contínuo de autoaprimoramento. É acreditar na produtividade trazendo frutos para o hoje e para o amanhã. Por isso, a Caeté investe e trabalha para minimizar os impactos no seu meio de atuação. O fim das queimadas nas áreas planas é uma grande conquista que está prestes a se tornar realidade na Caeté. Hoje, 90% da colheita já é feita de forma mecanizada, o que promove um aumento da matéria orgânica e umidade do solo, protegendo sua fertilidade.


A cana-de-açúcar tem um ciclo praticamente perfeito, em que os subprodutos que seriam descartados ao longo da cadeia podem ser reutilizados para fomentar o processo e melhorar ainda mais a produtividade.

as lavouras, passando por canais revestidos de forma a proteger o solo. Como esse processo não emite gás carbônico, a Caeté é beneficiada pelo Protocolo de Kioto e até mesmo comercializa créditos de carbono.

Com o aproveitamento máximo da cana, a Caeté conseguiu substituir o adubo químico pelo fertilizante orgânico. A vinhaça, um dos subprodutos da cana, fertiliza

Além disso, os resíduos obtidos na lavagem da cana não são descartados, mas utilizado na recuperação de áreas degradadas.


O controle biológico de pragas com inimigos naturais da “broca da cana-de-açúcar” também substituiu o uso de mais de 100 mil litros de produtos químicos por safra. O solo onde a Caeté cultiva tantas riquezas também precisa ser protegido. Para conservar as propriedades da terra, é feita a rotação de cultura com plantio de grãos. A Caeté tem uma postura rigorosa com relação ao descarte de resíduos. Inclusive, tem estações próprias para tratar a água que consome e também os esgotos. Implantou ainda a coleta seletiva de lixo, um programa de monitoramento de resíduos e possui aterro sanitário.


A sustentabilidade está presente no dia-a-dia da Caeté, mas também permeia diversos projetos de conscientização ambiental, reflorestamento e manutenção de áreas verdes, proteção da fauna e da flora, preservação da água e respeito a todos os componentes do equilíbrio da natureza.


A Caeté mantém uma Reserva Particular do Patrimônio Natural, uma área preservada de mais de 7 hectares, o que corresponde a 9.000 campos de futebol.

= Dentro da Reserva existe um projeto de monitoramento de grandes mamíferos que já possibilitou o estudo de 16 espécies, entre elas o Gato Palheiro, que está ameaçado de extinção. A Reserva conta ainda com a proteção extra de uma equipe treinada e bem equipada para combater com a máxima eficiência e rapidez os focos de incêndio em todo o seu entorno. Mas nada é mais eficaz para combater queimadas do que a prevenção, por isso a Caeté realiza um trabalho contínuo de conscientização interna e junto à comunidade.


Respeitando a legislação em vigor, tem reserva legal averbada e licenciamento das áreas próprias, além de exigir o mesmo compromisso nas terras arrendadas. Também investe na recuperação de Matas Ciliares e, através de parcerias, revitaliza e refloresta áreas de preservação ambiental com espécies nativas do Cerrado, com uma meta de plantar 1 milhão de mudas.


A Caeté também envolve seus colaboradores e a comunidade na preservação ambiental. Dentre as ações educativas do Dia da Água, um concurso interno permite que os colaboradores contribuam com ideias e ações para preservar a água na Caeté. No Dia da Árvore, a educação ambiental é voltada para as crianças da comunidade e para os filhos dos colaboradores.


Antes de cuidar do Planeta, a Caeté olha pelos seus. É uma filosofia empresarial que se baseia no respeito ao ser humano e na busca incessante por um ambiente de trabalho mais agradável e construtivo. São diversos benefícios para o bem-estar e saúde dos colaboradores, como um restaurante na empresa, transporte subsidiado, ginástica laboral e plano médico e odontológico.


A Caeté incentiva os colaboradores a se qualificarem e oferece oportunidades a quem deseja continuar os estudos, inclusive destinando 4 salas para Telecurso, mantendo convênios com faculdades e cursos de línguas, além de ter programas de estágios e trainee para jovens talentos. Outras ações periódicas visam a segurança e produtividade, como as campanhas internas de segurança do trabalho e a implantação do Programa 5S. O colaborador tem ainda a chance de participar de outros projetos internos, como o curso de orçamento familiar oferecido para auxiliar na gestão doméstica, campanhas de vacinação e cadastramento de voluntários para doação de sangue.


A Caeté transformou seu discurso em realidade, colocando seus valores e princípios em prática, assumindo seu papel na sociedade como um compromisso com o futuro e, especialmente, contribuindo para um desenvolvimento amplo, justo e sustentável.


Apóia também o trabalho da APAE, especialmente o uso da musicoterapia para o desenvolvimento físico e mental, proporcionando a instalação de novas turmas do Coral Saber Viver e do Coral Infantil. Também auxilia municípios da região na melhoria do atendimento da saúde pública com a doação de ambulância, equipamentos e móveis para o Programa Saúde da Família.

A Caeté é Empresa Amiga da Criança, comprometida com a educação, saúde e erradicação do trabalho infantil. Contribui com o Fundo da Infância e do Adolescente e diversos programas sociais, como o Lar da Criança de Conceição das Alagoas, a Creche Antônio Nassif Miziara e outros projetos com foco nas atividades esportivas e socioeducativas, como o Pequeno Cidadão e Jovens em Ação.


Os canaviais que fornecem a matéria-prima são divididos entre terras próprias e arrendadas. Para fortalecer ainda mais os produtores rurais parceiros, a Caeté oferece capacitação e subsídios.


Para a comunidade, são diversas ações com foco na educação ambiental, como palestras sobre as espécies nativas do Cerrado, prevenção de queimadas e preservação. Também são oferecidos treinamentos para o uso de novas práticas na limpeza de terrenos e cultivo, além de cursos profissionalizantes e oficinas de artesanato para geração de renda. A Caeté ainda apóia e patrocina projetos de artesanato com o bagaço da cana. O estímulo à capacitação também se estende aos filhos dos colaboradores e outros jovens da comunidade, que participam do Projeto Qualificação Profissional, recebem formação em mecânica de autos e industrial e ainda ganham a oportunidade do primeiro emprego.


Unidade Delta Av. José Agostinho Filho, 750 – Centro Delta/MG - CEP: 38108-000 Unidade Volta Grande Rod. MG 427 – KM 23 – Fazenda Cachoeira – Zona Rural Conceição das Alagoas/MG - CEP: 38120-000 Unidade Conquista de Minas Fazenda Ilha Grande s/no - Zona Rural de Jubaí Conquista/MG - CEP: 38195-000 Escritório São Paulo Avenida Juscelino Kubitschek, 1726 - 19o Andar Conjunto 191/192 – Bairro Itaim Bibi São Paulo / SP - CEP: 04543-000

0800 9433582

escuta

Central de Relacionamento com o Cliente

Caete  

Livro Institucional Caeté

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you