Filosofia autentica

Page 514

para o Ensino Médio. v. 3: Ciências Humanas e suas Tecnologias. Brasília: MEC/SEB, 2006. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_03_internet.pdf>. Acesso em: 19 abr. 2016. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: MEC/SEB, 1999. Disponível em: <http://portal. mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/cienciah.pdf>. Acesso em: 19 abr. 2016. BOFF, C. O livro do sentido: crise e busca de sentido hoje. São Paulo: Paulus, 2015. Parte crítico-analítica. BORNHEIM, G. Introdução ao filosofar. São Paulo: Globo, 2009. BUNNIN, N.; TSUI-JAMES, E. P. (Orgs.). Compêndio de Filosofia. Tradução Luiz Paulo Rouanet. São Paulo: Loyola, 2002. BURKE, P. Uma história social do conhecimento. Tradução Denise Bottmann. Rio de Janeiro: Zahar, 2002. 2 v. CERLETTI, A. O ensino de filosofia como problema filosófico. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. CARVALHO, M.; SANTOS, M. Debate com Marilena Chaui, João Carlos Salles e Marcelo Guimarães. In: CARVALHO, M.; DANELON, M. Filosofia: Ensino Médio. Brasília: MEC/ Secretaria de Educação Básica. p. 13-44. (Coleção Explorando o Ensino). v. 14. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=7837-2011filosofia-capa-pdf&category_slug=abril-2011-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 15 abr. 2016. CHAUI, M. Contra o febeapá. Kriterion, Belo Horizonte, v. 129, p. 431-438, 2014. CHAUI, M. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 2005. CHAUI, M. Ideologia e educação. Educação e pesquisa, v. 42, p. 245-258, 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000100245&ln g=en&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 19 abr. 2016. CHAUI, M. Percursos de Marilena Chaui: Filosofia, Política, Educação. Educação e pesquisa, v. 42, p. 259-277, 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S1517-97022016000100259&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 19 abr. 2016. COELHO, M. J. Corpo, pessoa e afectividade: da fenomenologia à bioética. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Nova de Lisboa, 1997. Disponível em: <http://purl.pt/5485/1/sa-87495-v_PDF/sa-87495-v_PDF_X-C/ sa-87495-v_0000_1_tX-C.pdf>. Acesso em: 16 abr. 2016. COLLINGWOOD, R. G. Toute histoire est histoire d’une pensée. Paris: EPEL, 2010. COMTE-SPONVILLE, A. O amor. Tradução Eduardo Brandão. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011. CONCÍLIO ECUMÊNICO VATICANO II. Gaudium et Spes (Alegria e Esperança), n. 65. Tradução oficial disponível em: <http://www.vatican.va/archive/hist_councils/ii_vatican_ council/documents/vat-ii_const_19651207_gaudium-et-spes_po.html>. Acesso em: 14 jun. 2015. CONTO chinês anônimo. In: PIQUEMAL, M. Les philo-fables. Paris: Albin Michel, 2008. p. 45-47. CRITELLI, D. M. Analítica do sentido: uma aproximação e interpretação do real de orientação fenomenológica. São Paulo: Brasiliense, 2006. CRITELLI, D. M. História pessoal e sentido da vida: historiobiografia. São Paulo: EDUC & FAPESP, 2009.

512

Filosofia e filosofias – existência e sentidos