Catálogo PNLD 2021 - OBJETO 5 | Obras literárias para o Novo Ensino Médio

Page 1

OBRAS DE LITERATURA

NOVOS DESAFIOS EXIGEM MUDANÇAS. MUDE COM A EDITORA DO BRASIL. MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DAS EDITORAS


Obras de Literatura

Atenção! Sua escola não é obrigada a escolher a mesma editora ou coleção dos Objetos 1, 2 e 3. Informe-se sobre o processo de escolha pelos canais oficiais: https://www.gov.br/fnde/pt-br


Prezados(as) gestores(as) e professores(as), Somos uma editora plural, com muita história para contar e que se orgulha em ter Brasil no nome. A Editora do Brasil está presente em todo o território nacional e atende exatamente às necessidades das escolas brasileiras, bem como às novas dinâmicas do Ensino Médio. Em todos os cantos do país, professores e gestores que trabalham com nossos livros têm acesso a um projeto didático comprometido com a ética e com a Educação. Além de nossas obras didáticas, literárias e os lançamentos de formação continuada (que aqui apresentaremos), gestores, professores e estudantes contam ainda com plataformas digitais que conversam com os conteúdos trabalhados, acompanhando as novas tendências educacionais. A Editora do Brasil está há mais de 78 anos desenvolvendo conteúdos de alta qualidade, que abrangem da Educação Infantil ao Ensino Médio: mais de 70 mil escolas adotam nossos livros, que chegam às mãos de mais de 20 milhões de estudantes, professores e gestores das redes privada e pública. Participando com sucesso do PNLD 2021, para o Novo Ensino Médio, com obras para os Objetos 1 (obras didáticas de projetos integradores e projeto de vida), 2 (obras didáticas por áreas do conhecimento e obras didáticas específicas) e 3 (obras de formação continuada), apresentamos nossas obras literárias destinadas a professores e estudantes, da etapa do Objeto 5 do Programa Nacional do Livro e do Material Didático!

Novos desafios exigem mudanças. Mude com a Editora do Brasil.


Sobre o Novo Ensino Médio Última etapa da Educação Básica e segmento com maior índice de evasão, o Ensino Médio demanda uma nova configuração, mais adequada às culturas juvenis, dinâmicas e plurais, prezando por uma formação em consonância com os percursos e as histórias dos estudantes, concretizando seu protagonismo em um cenário com transformações cada vez mais constantes. A escola que recebe estudantes do Ensino Médio, então, além de promover a consolidação e o aprofundamento dos conhecimentos obtidos no Ensino Fundamental, deve estabelecer formação integral pautada em aprendizagens imprescindíveis para os desafios sociais, econômicos e ambientais do mundo contemporâneo, com uma dinâmica significativa para as juventudes, articulando teoria e prática e pautando-se na resolução de problemas reais em seus contextos sociais, culturais e naturais. A aproximação dos conteúdos escolares às realidades das culturas juvenis acarreta a relevância do trabalho com as aprendizagens essenciais organizadas por áreas do conhecimento, respeitando suas competências específicas e habilidades estabelecidas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC): • Linguagens e suas Tecnologias Componentes curriculares: Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Arte (Artes Visuais, Dança, Música e Teatro) e Educação Física. • Matemática e suas Tecnologias Componente curricular: Matemática. • Ciências Humanas e Sociais Aplicadas Componentes curriculares: Filosofia, Geografia, História e Sociologia. • Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Componentes curriculares: Biologia, Física e Química.

PNLD 2021 | Principais mudanças no Programa Nesta edição do Programa Nacional do Livro e do Material Didático – PNLD 2021, serão realizadas pelos professores e gestores da Educação Básica pública as escolhas de obras didáticas, literárias e de recursos digitais voltados para os estudantes do Ensino Médio. O Programa também contempla a escolha de obras de formação continuada para professores e gestores. Diante dessa conjuntura de ressignificação do segmento somada às novas orientações curriculares instituídas na BNCC, os livros e materiais didáticos do Ensino Médio devem estar em conformidade com o panorama de estudantes que, até o momento, não tiveram o ensino baseado no trabalho com competências e habilidades, caracterizando, assim, um ambiente de transição.

4


Objeto 5 Obras literárias (Língua Portuguesa ou Inglesa) Por quanto tempo as escolas usarão os livros escolhidos: três anos (2022 a 2024)

Público: professores e estudantes

Quando as escolas escolherão os livros: 2022

OBRAS DE LITERATURA

Sobre as Escolhas dos Livros

Obras reutilizáveis

• As obras literárias são compostas pelo Livro do Estudante impresso, Material Digital do Estudante*, Manual do Professor impresso (constituído por livro impresso com conteúdo igual ao livro do estudante) e Material Digital do Professor.

Sobre os Materiais Digitais do PNLD 2021 – Objeto 5 • O Material Digital do Estudante, de caráter facultativo, é composto por um videotutorial – que deve apresentar em linguagem audiovisual e atrativa aos jovens – informações que contextualizem o/a autor/a e obra, motivem o estudante para a leitura e abordem a relação da obra entre seu tema e gênero literário. • O Material Digital do Professor é composto por: • PDF com propostas de atividades, subsídios e orientações para aprofundamento dos conteúdos abordados, sugestões de referências complementares e bibliografia comentada. • Videotutoriais, de caráter facultativo, que poderão ser compostos de 3 partes: • 1ª – Conteúdo idêntico ao videotutorial do Material Digital do Estudante. • 2ª – Direcionado para o professor, retomando elementos-chave do Material Digital do Professor em PDF, a respeito das propostas de atividades. • 3ª – Também relacionado ao Material Digital do Professor em PDF, mas a respeito do aprofundamento e sugestões de referências complementares. • Observação: As partes 2 e 3 poderão ser entregues em um único vídeo. OBRAS LITERÁRIAS Livro do Estudante Impresso

Material Digital do Estudante

Manual do Professor Impresso

1 volume

Videotutorial*

1 volume

Material Digital do Professor PDF

Videotutoriais*

*O Material Digital do Estudante, que é constituído por um videotutorial, é facultativo. Ou seja, não são todas as obras que participam da edição do Programa que o possuem. Isso vale para o(s) videotutorial(is) do Material Digital do Professor.

5


COMPOSIÇÃO DAS OBRAS PNLD 2021 – Objeto 5


Todas as nossas obras literárias do Objeto 5, apresentadas aqui neste catálogo, são compostas por: • Livro do Estudante impresso; • Material Digital do Estudante: composto por um videotutorial que apresenta, em linguagem atrativa, informações que contextualizam o/a autor/a e obra, motivando o estudante à leitura; • Manual do Professor impresso; • Material Digital do Professor, composto por: • PDF com propostas de atividades, subsídios e orientações para aprofundamento dos conteúdos abordados na obra; • Videotutorial que retoma elementos-chave do Material Digital do Professor em PDF a respeito das propostas de atividades, aprofundamento e sugestões de referências complementares.

CLIQUE E CONHEÇA TODAS AS OBRAS E SEUS MATERIAIS DIGITAIS


Sumário

10 Ainda assim te quero bem............................................ 12 Como subir em árvores................................................ 16 Akpalô................................................................

20 Civilização e outros contos de Eça de Queiroz......... 22 Arco 43...............................................................

Os faroleiros e outros contos de Monteiro Lobato......................................................

26

30 Sentimentos: achados e perdidos ............................. 32 Três dias e mais alguns ................................................ 38 FGV.....................................................................

42 Ilegais .............................................................................. 44 Romeu e Julieta ............................................................ 48 Editora do Brasil................................................


9

OBRAS DE LITERATURA


OBRAS DE LITERATURA

10


0085L21609 GÊNERO TEXTUAL – NOVELA

OBRAS DE LITERATURA

Código da obra

Código da obra

0131L21609 GÊNERO TEXTUAL – CRÔNICA

11


Código da obra

0085L21609 GÊNERO TEXTUAL – NOVELA CLIQUE E CONHEÇA OS MATERIAIS DIGITAIS: BOOKTRAILER | MATERIAL DIGITAL DO PROFESSOR | MANUAL DO PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL ESTUDANTE

12


P. 99

Ainda assim te quero bem é uma obra de arte contemporânea muito plural, pois possibilita o aprendizado sobre si mesmo, os outros e o mundo, levantando questões sobre assuntos que incomodam o ser humano: reflexões existenciais e desigualdades sociais. Durante o trabalho com esse livro em sala de aula, é possível realizar uma grande gama de atividades, como a produção de textos em poesia, prosa e até slam, gênero artístico que aproxima o jovem de sua realidade, item preconizado pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Seja por meios digitais, seja pela boa e velha dupla papel e caneta, é fundamental estimular os estudantes a encontrarem na produção de textos um meio autêntico de expressão.

Ainda assim te quero bem

A Editora do Brasil lança o livro Ainda assim te quero bem, de Caio Riter e Penélope Martins, com ilustrações de Talita Nozomi. O novo título é voltado para os jovens adultos do Ensino Médio. A narrativa, composta apenas por mensagens de texto enviadas por meio de uma rede social, lida com uma situação delicada: o relacionamento entre pais e filhos.

OBRAS DE LITERATURA

Sobre a obra

13


Com leveza e dinamicidade, os autores nos apresentam Ana Lúcia, que tomou a decisão mais difícil de sua vida para viver um grande amor: perder o contato com a filha. Anos depois, ela vê as redes sociais como uma oportunidade perfeita para tentar reconectar-se com Marina, a filha já adolescente. Cada mensagem entre mãe e filha é um ato de coragem, de curiosidade, de perdão, de amor. Como nos conta a autora, Penélope Martins: “Durante o processo de escrita de Ainda assim te quero bem, eu me emocionei muito com a relação afetiva em recuperação dessas duas mulheres, mãe e filha, e com as memórias que as duas foram compondo juntas.” As conversas entre Marina e Ana Lúcia vão além das rememorações de um passado mal resolvido e das mágoas que ainda deixam cicatrizes. Mãe e filha irão também se descobrir mulheres fortes, que precisam achar seus próprios caminhos em uma sociedade cheia de rótulos e regras. Caio Riter, autor do livro, explica como surgiu a parceria com Penélope Martins e o processo de criação dessa história: “Um dia, meio ao acaso, a amiga Penélope me fez esta pergunta: ‘Vamos escrever um livro juntos?’. Eu adoro convite que envolva palavras. Então aceitei. Passei, assim, a participar de uma das maiores aventuras de escrita já experimentadas, escrevendo a quatro mãos, com cada um de nós dando vida a uma das personagens, e tudo se construindo a partir das ações e reações da outra. P. 77 Foi um desafio e tanto.”. As ilustrações de Ainda assim te quero bem ficaram a cargo de Talita Nozomi, que, para esse livro, buscou estabelecer uma relação clara entre o texto verbal e as ilustrações: “Se você olhar de perto, vai perceber que, em cada imagem, há elementos que conversam com as palavras de Marina e Ana Lúcia, expandindo a história além do que as palavras podem revelar”, conta. É um livro para todas as idades, em um formato antigo e moderno ao mesmo tempo.

14


Caio Riter (Autor) Caio Riter nasceu em 1962, em Porto Alegre, onde mora até hoje. É escritor, doutor em Literatura Brasileira e pós-doutorando em Escrita Criativa na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Já publicou mais de 60 livros, incluindo infantis, juvenis, contos e poesias. Recebeu diversos prêmios, incluindo os prêmios Açorianos, Barco a Vapor, Ages – Livro do ano, Orígenes Lessa, Ofélia Fontes, além do Selo Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ). Já teve seus livros inclusos nos Catálogos de Bolonha e White Ravens. Várias de suas obras foram selecionadas para programas governamentais, como o Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) e o Kit Escolar BH. Além de escritor, é professor e ministra oficinas, cursos e palestras sobre criação literária por todo o Brasil. Para saber mais, acesse: caioriter.blogspot.com.

OBRAS DE LITERATURA

Conheça quem fez a obra!

Penélope Martins (Autora) Penélope Martins nasceu em 1973, em Mogi das Cruzes. Pós-graduada em Direitos Humanos pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), dedica-se à formação de novos leitores desde 2006, produzindo conteúdo para encontros presenciais e plataformas digitais. Escritora, narradora de histórias e articuladora em projetos de fomento da palavra escrita e falada, também colabora com a articulação de reflexões sobre a leitura com a Editora do Brasil e outras instituições. Participou de coletivos de mulheres com poesia autoral e faz a curadoria do projeto Mulheres que Leem Mulheres, com ações em diversas instituições culturais, como o Sesc. Já publicou diversos livros por várias grandes editoras, e em 2018 foi selecionada para o PNLD Literário com o livro Minha vida não é cor-de-rosa, que também recebeu o prêmio Biblioteca Nacional em 2019. Para saber mais, acesse: penelopemartins.wordpress.com.

Talita Nozomi (Ilustradora)

Daniela Aparecida Francisco (Elaboradora do material digital) Doutora em Literatura e Vida Social, com ênfase em Literatura Infantil e Juvenil pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), e mestre em Literatura Infantil e Juvenil pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Formada em Pedagogia pela Unesp, cursou magistério, atuou como professora do Ensino Fundamental e foi formadora no Programa Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. É coordenadora pedagógica na Educação Básica desde 2008. Atua também na formação continuada de professores e como docente em curso de Pedagogia.

Ainda assim te quero bem

Talita Nozomi é autora e ilustradora de mais de 10 livros infantis, que renderam seleções para programas importantes de literatura, como o Livros na Escola (2012), Itaú Criança (2013), Catálogo de Bolonha FNLIJ (2014) e Selo Seleção Cátedra da UNESCO (2018).

15


Código da obra

0131L21609 GÊNERO TEXTUAL – CRÔNICA CLIQUE E CONHEÇA OS MATERIAIS DIGITAIS: BOOKTRAILER | MATERIAL DIGITAL DO PROFESSOR | MANUAL DO PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL ESTUDANTE

16


OBRAS DE LITERATURA

Sobre a obra Como subir em árvores é uma coletânea de contos e crônicas, escrita por Tiago de Melo Andrade e ilustrada por Carolina Monterrubio, que dialoga com o mundo, com o ser humano em sua forma mais poética e com a literatura contemporânea. Este livro propicia diferentes oportunidades de trabalho com o texto literário e viabiliza que temas complexos, como morte e depressão, sejam abordados naturalmente em sala de aula.

P. 36

Como subir em árvores

A literatura é uma forma de arte, mas não é a única abordada nesse livro: Como subir em árvores traz ilustrações que apresentam diversas outras possibilidades de exploração artística. Então, a leitura pode ser duplamente explorada e aprofundada por meio da troca de impressões entre os estudantes, como em um clube de leitura, que expõe diferentes e similares pontos de vista sobre uma mesma narrativa e aborda diversas interpretações mediante a relação entre o texto verbal e o imagético.

17


P. 80

O livro não é uma obra didática, e sim uma obra de literatura contemporânea. Como tal, possibilita um amplo trabalho pedagógico em sala de aula, dando abertura para o professor apresentar o conceito de intertextualidade, por exemplo, seja entre os contos e as crônicas que o compõem, seja entre estes e as referências externas de obras nacionais e internacionais. Isso não só enriquece a experiência de leitura como também aguça a curiosidade do estudante para outras obras. A grande árvore em cujos galhos a literatura se desdobra é latente no livro, e sua leitura serve como ponte para conteúdos de outras disciplinas, como Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e outras áreas do conhecimento. Filosofia, História, Geografia e Sociologia podem ser discutidas em seus elementos artísticos, com muitas opções de expansão de experiências, criação e desenvolvimento de peças literárias, sociais e artísticas; podem ser propostas, ainda, discussões literárias relevantes e, tão importante quanto isso, a criação e a manutenção de indivíduos escritores e leitores conscientes.

18


Tiago de Melo Andrade (Autor) Nasceu em São José do Rio Preto (SP), em 1977. Escritor principalmente focado em literatura para a juventude, iniciou sua trajetória publicando de modo independente no ano 2000 e recebeu, no ano seguinte, o Prêmio Jabuti na categoria Autor Revelação. Mora em Uberaba (MG) desde meados dos anos 1980, cidade natal de sua família, dedicando-se exclusivamente à literatura. Por diversas vezes, foi finalista em premiações importantes, como o Prêmio Biblioteca Nacional.

OBRAS DE LITERATURA

Conheça quem fez a obra!

Carolina Monterrubio (Ilustradora) Nascida na Cidade do México, em 1990, é ilustradora e designer têxtil. Seus trabalhos são marcados pelo uso de cores vivas, formas ousadas e femininas e muita luz. Depois de se formar como designer têxtil, ela se especializou em ilustração narrativa pela UNAM (Cidade do México) e em ilustração infantil pela EINA (Barcelona). Venceu a competição internacional da FILIJ México com o pôster “Cuando leo todo puede pasar” e foi finalista da competição para projetar o pôster das festividades de Gràcia, em Barcelona. Suas ilustrações foram publicadas em revistas, livros infantis, projetos têxteis e de design gráfico.

Daniela Aparecida Francisco (Elaboradora de material digital) Doutora em Literatura e Vida Social, com ênfase em Literatura Infantil e Juvenil pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), e mestre em Literatura Infantil e Juvenil pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

Como subir em árvores

Formada em Pedagogia pela Unesp, cursou magistério, atuou como professora do Ensino Fundamental e foi formadora no Programa Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. É coordenadora pedagógica na Educação Básica desde 2008. Atua também na formação continuada de professores e como docente em curso de Pedagogia.

19


OBRAS DE LITERATURA

20


0194L21612 GÊNERO TEXTUAL – HISTÓRIA EM QUADRINHOS

OBRAS DE LITERATURA

Código da obra

Código da obra

0197L21612 GÊNERO TEXTUAL – HISTÓRIA EM QUADRINHOS

21


Código da obra

0194L21612 GÊNERO TEXTUAL – HISTÓRIA EM QUADRINHOS CLIQUE E CONHEÇA OS MATERIAIS DIGITAIS: BOOKTRAILER | MATERIAL DIGITAL DO PROFESSOR | MANUAL DO PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL ESTUDANTE

22


Além do formato em HQ, esse volume também traz breves trechos de grandes obras do autor lusitano Eça de Queiroz, recolhidos de outros livros e escritos, em gêneros literários diversos. Tal disposição torna possível o estudo da interdisciplinaridade, um conceito interessante para o trabalho em sala de aula – Arte, Geografia, História e Sociologia estão presentes nos contos desta obra, além dos elementos literários que se desdobram em Língua Portuguesa e Literatura.

Civilização e outros contos de Eça de Queiroz

Civilização e outros contos de Eça de Queiroz, é uma adaptação literária em quadrinhos elaborada por Francisco Vilachã criada para aproximar os leitores de dois universos aparentemente distintos: o da literatura clássica e o das histórias em quadrinhos (HQ). Com uma linguagem gráfica moderna e ágil, trata-se de um convite irrecusável para conhecer um pouco da obra desse grande artista.

OBRAS DE LITERATURA

Sobre a obra

23


O livro não é uma obra didática, e sim uma obra de literatura contemporânea. Como tal, possibilita um amplo trabalho pedagógico em sala de aula, dando abertura para o professor apresentar o conceito de intertextualidade, por exemplo, seja entre os contos e as crônicas que o compõem, seja entre estes e as referências externas de obras nacionais e internacionais. Isso não só enriquece a experiência de leitura, como também aguça a curiosidade do estudante para outras obras. A grande árvore em cujos galhos a literatura se desdobra é latente no livro, e sua leitura serve como ponte para conteúdos de outras disciplinas, como Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e outras áreas do conhecimento. Filosofia, História, Geografia e Sociologia podem ser discutidas em seus elementos artísticos, com muitas opções de expansão de experiências, criação e desenvolvimento de peças literárias, sociais e artísticas; podem ser propostas, ainda, discussões literárias relevantes e, tão importante quanto isso, a criação e a manutenção de indivíduos escritores e leitores conscientes.

24


Francisco Vilachã (Autor - In memorian) Nasceu no Rio de Janeiro (RJ) em 1953 e publicou sua primeira HQ na revista O bicho, passando a colaborar para publicações de suspense e terror na revista Spektro e para as séries fantásticas da editora Grafipar. Mudou-se para São Paulo para trabalhar como ilustrador em meados dos anos 1980 e, com o roteirista Ronaldo Antonelli, editou a histórica InterQuadrinhos, revista exclusivamente feita por artistas nacionais.

OBRAS DE LITERATURA

Conheça quem fez a obra!

Flávia Côrtes (Elaboradora de material digital)

Civilização e outros contos de Eça de Queiroz

Roteirista e tradutora, doutoranda em Teoria da Literatura e Literatura Comparada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e mestre em Estudos Literários pela UERJ. É formada em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especialista em Literatura Infantil e Juvenil também pela UFRJ. Atualmente é vice-presidente da Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (AEILIJ). Tem 21 livros publicados para crianças e jovens, muitos deles premiados e selecionados para diversos projetos de leitura, entre eles o Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE), e participa de eventos literários por todo o país.

25


Código da obra

0197L21612 GÊNERO TEXTUAL – HISTÓRIA EM QUADRINHOS CLIQUE E CONHEÇA OS MATERIAIS DIGITAIS: BOOKTRAILER | MATERIAL DIGITAL DO PROFESSOR | MANUAL DO PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL ESTUDANTE

26


Além de encantar crianças de várias gerações com as criações e os personagens mágicos do Sítio do Picapau Amarelo, Monteiro Lobato escreveu também textos que retrataram sua época de modo realista e que nos posssibilitam conhecer, questionar e, acima de tudo, refletir sobre a sociedade brasileira do início do século XX. Em Os faroleiros e outros contos de Monteiro Lobato, o quadrinista e roteirista Laudo Ferreira apresenta algumas histórias adaptadas para a narrativa em quadrinhos. A obra foi criada para aproximar os leitores de dois universos aparentemente distintos – o da literatura clássica e o das histórias em quadrinhos (HQs) – e vai além, pois convida o leitor já familiarizado com o Sítio do Picapau Amarelo a conhecer um lado mais social e crítico de um dos grandes escritores brasileiros.

OBRAS DE LITERATURA

Sobre a obra

“Pedro Pichorra” – Extraído do livro Cidades mortas, de 1919. Nessa história, visualizamos o primeiro encontro entre um menino e o saci, com um final divertido e inesperado. “O luzeiro agrícola” – Apresenta a trajetória de

Os faroleiros e outros contos de Monteiro Lobato

“Os faroleiros” – Conto que abre essa obra e também Urupês, primeiro livro de contos publicado por Lobato, em 1918. Ele traz um episódio do passado de um jovem que passou um tempo vivendo em um farol.

27


Sizenando Capistrano, um poeta que, para sobreviver, se torna inspetor agrícola e conhece os meandros do progresso e do funcionalismo público. “Era no Paraíso...” – Conto da coletânea O macaco que se fez homem, de 1923, que traz uma história da origem do Homem e da humanidade, de acordo com a visão irônica e irreverente de Lobato. Além da adaptação de contos em quadrinhos, Os faroleiros e outros contos de Monteiro Lobato traz uma breve amostra da extensa e plural obra literária de Monteiro Lobato, com um trecho de Reinações de Narizinho, uma carta ao amigo Lima Barreto e uma releitura da fábula A cigarra e a formiga. Esses são alguns exemplos do legado literário deste que é um dos mais importantes escritores brasileiros, que, ao seu modo sempre crítico, fazia questão de nos lembrar da importância dos homens e dos livros para a construção de um país. A leitura da obra em sala de aula garante a elaboração e o desenvolvimento de uma grande gama de projetos pelos estudantes, como uma Oficina de Histórias em Quadrinhos, na qual os elementos podem ser divididos ou realizados em etapas – desenho, roteiro, colorização, edição – e os trabalhos, então, expostos em um evento literário. O projeto também viabiliza que os alunos conheçam mais sobre os grandes quadrinistas brasileiros e as diferentes formas pelas quais essas obras chegam aos leitores. Essa e outras atividades estão presentes no Manual do Professor e nos demais materiais digitais que complementam o livro, incluindo bibliografia e referências comentadas. Monteiro Lobato atuou ativamente em prol de questões sociopolíticas de sua época, como a defesa da exploração nacional de ferro e petróleo, riquezas então não exploradas pelo governo; a luta pelo saneamento básico como direito essencial a todos; e o combate

28


Para Laudo Ferreira, adaptar esses contos de Monteiro Lobato foi a possibilidade de falar sobre algo que ele próprio gostaria de contar: “O mais interessante, além das narrativas em si, é constatar o quanto o escritor conseguiu transitar por assuntos diversos de maneira simples e, ao mesmo tempo, carregada de reflexões. Isso tudo em contos direcionados a um público mais maduro, diferentes das histórias do Sítio do Picapau Amarelo, pelas quais ficou conhecido.”.

OBRAS DE LITERATURA

ao desmatamento nas regiões agrícolas. Além disso, foi também pioneiro da indústria editorial brasileira: fundou a editora que publicava e vendia seus próprios livros e buscava meios para que o livro fosse um bem democrático, e não apenas um produto voltado para a elite. A diversidade dos momentos históricos vividos pelo autor torna possível a interdisciplinaridade entre Literatura, Língua Portuguesa e História em momentos-chave das histórias brasileira e mundial, como a Proclamação da República, a Primeira Guerra Mundial, a Quebra da Bolsa de Nova Iorque e o Estado Novo.

Conheça quem fez a obra!

Nasceu em São Vicente, litoral sul de São Paulo, em 1964. Desenhista autodidata, desde muito cedo desenhava quadrinhos ou algo semelhante a uma arte sequencial de contar histórias. Publicou suas primeiras HQs no início dos anos 1980 e participou ativamente do movimento de quadrinhos independentes, os fanzines, nesse mesmo período. Em meados da década de 1990, adaptou para os quadrinhos alguns filmes do cineasta José Mojica Marins, o Zé do Caixão, como À meia-noite levarei a sua alma e Esta noite encarnarei em seu cadáver, que tornaram seu trabalho mais conhecido. Trabalha há muitos anos como ilustrador para o mercado editorial e publicitário. É vencedor do Prêmio HQ Mix (importante premiação das histórias em quadrinhos nacionais) por seu trabalho tanto como desenhista quanto como roteirista.

Maria Schtine Viana (Elaboradora de material digital) Doutoranda no Departamento de Estudos Portugueses da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Portugal. Mestre em Filosofia pelo Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (IEB-USP) e Bacharel em Letras (Português/Francês) pela FFLCH-USP. Estudou Artes Cênicas e atuou como atriz em várias companhias teatrais. É autora de livros de literatura, didáticos e destinados à formação de professores. Algumas de suas obras foram aprovadas em programas governamentais, como PNLD e PNBE, e receberam o Selo Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ).

Os faroleiros e outros contos de Monteiro Lobato

Laudo Ferreira (Adaptação e Ilustrações)

29


OBRAS DE LITERATURA

30


0219L21609 GÊNERO TEXTUAL – CONTO

OBRAS DE LITERATURA

Código da obra

Código da obra

0216L21603 GÊNERO TEXTUAL – ROMANCE

31


Código da obra

0219L21609 GÊNERO TEXTUAL – CONTO CLIQUE E CONHEÇA OS MATERIAIS DIGITAIS: BOOKTRAILER | MATERIAL DIGITAL DO PROFESSOR | MANUAL DO PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL DO PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL DO ESTUDANTE

32


As práticas de leitura estão se alterando com o tempo e é preciso atentar-se a essas transformações. A existência e a circulação dos textos acontecem em diferentes suportes, não apenas no impresso. Os jovens estudantes leem em diversas plataformas e suportes: celular, computador, leitor de livros digitais e em outras telas, além do livro físico e impresso. Essa alteração impacta a escola devido à maneira pela qual o jovem leitor se relaciona com o livro como objeto e deve ser pensada na hora de planejar as vivências curriculares com a turma, pois as tecnologias alteram substancialmente o contexto de aprendizagem. O componente curricular Língua Portuguesa prevê essas mudanças na interação entre a juventude e o conhecimento e está inserido na área de Linguagens e suas Tecnologias, seguindo os princípios elencados na Base Nacional

Sentimentos: achados e perdidos

Sentimentos: achados e perdidos traz oito contos retratando pessoas que tomam consciência dos próprios sentimentos, experimentam sensações boas ou ruins, crescem com aquilo que vivenciam ou percebem como ainda precisam amadurecer. Pessoas, enfim, que ou fazem loucuras movidas pela emoção ou não fazem nada por terem sido paralisadas por ela.

OBRAS DE LITERATURA

Sobre a obra

33


Comum Curricular (BNCC), com práticas reais de ensino e aprendizagem que façam sentido e envolvam o aluno. No Manual do Professor que acompanha essa obra, os docentes encontram sugestões de atividades que se relacionam à área de conhecimento de Linguagens e suas Tecnologias – componente curricular Língua Portuguesa –, e se organizam em préleitura, leitura e pós-leitura. De acordo com a nova organização curricular sugerida pela BNCC (BRASIL, 2018) para o Novo Ensino Médio, as atividades não são divididas por seriação, e sim elaboradas para possibilitar seu desenvolvimento de diferentes maneiras, todas adaptáveis a cada ano do Ensino Médio, devido ao formato em espiral do currículo. Este é um livro de contos e de encontros. Nessa coletânea, os oito escritores aqui reunidos projetam, cada um em sua história, um olhar sobre o universo jovem. Os encontros entre personagens e leitores se dão pelas histórias de vida, tão parecidas e, ao mesmo tempo, tão díspares.

34


OBRAS DE LITERATURA

A intertextualidade proposta pela Base Comum Nacional Curricular pode ser amplamente trabalhada após a leitura do livro com a classe. A obra transpassa o campo da Língua Portuguesa, chegando ao de Linguagens e suas Tecnologias, com destaque para as artes alternativas, e também ao de Ciências Sociais e Humanas Aplicadas, contemplando debates suscitados pelos contos do livro sob a perspectiva da área da Sociologia: racismo, bullying, preconceito e o modo pelo qual tais mazelas se perpetuam, muitas vezes por comportamentos normalizados. Essas discussões aproximam o jovem do processo de formação do leitor e do ser humano, sendo que a leitura e as discussões posteriores a ela são suas fortes aliadas.

Sentimentos: achados e perdidos

Cada narrativa oferece um retrato único dos receios, dos traumas e das aspirações de uma juventude cada vez mais voltada para si, na busca por entender melhor o mundo. Os sentimentos expostos em cada história desse livro estão à sua disposição, querendo ser lidos com urgência ou com muita calma. Isso depende apenas de como cada um quer encontrar-se refletido nessa arte chamada Literatura, em histórias que falam de amor, tristeza, ilusão, traição e arrependimento – situações que podem acontecer com qualquer um de nós, até mesmo com você. Experimente ver o mundo com os olhos dos personagens dessas narrativas e viajar no modo deles de sentir a vida. Com certeza, essa experiência levará você a entender um pouco melhor os outros e a si mesmo.

35


Conheça quem fez a obra! Carmen Lucia Campos (Autora) Nasceu em São Paulo. Desde sempre, as histórias fazem parte da sua vida: primeiro, foram os causos contados pela avó; depois, os mirabolantes enredos que a imaginação produzia; e mais tarde, as redações que adorava escrever. Leitora voraz, virou editora e autora. Hoje, com mais de 30 livros publicados, continua fascinada pelas relações humanas e por seus meandros surpreendentes, que a instigaram a criar histórias como “Mano”.

Ivan Jaf (Autor) Nasceu no Rio de Janeiro em 1957. Já publicou mais de 60 livros e escreveu roteiros de cinema e HQs, além de algumas peças de teatro. Acha uma grande bobagem o foco exagerado que se está dando atualmente para o corpo – padrões de beleza, academias de ginástica, cirurgias – em detrimento do espírito. A velhice chega. A morte é certa. Dar prioridade ao corpo é apostar em cavalo perdedor. “Eu não sou um pão de batata” é sobre uma menina que escapa dessa armadilha.

João Anzanello Carrascoza (Autor) Nasceu em Cravinhos, São Paulo, e desde menino tomou gosto por arrumar aquilo que parece fora do lugar. Por isso, tornou-se escritor – escrever é ordenar o mundo por meio de palavras. Essa mania não tem conserto: já publicou 30 livros, e nada de parar até agora. Certos leitores gostam da sua arrumação, já que ganhou os prêmios Jabuti, APCA e FNLIJ, entre outros. Teve um tio muito parecido com esse do conto “Como a luz”. Escreveu essa história em homenagem a ele, para colocá-lo no devido lugar em seu coração.

Luiz Antonio Aguiar (Autor) Nascido no Rio de Janeiro, é escritor e há cerca de 30 anos se dedica a escrever histórias e a conversar com crianças e jovens sobre esse mundo que tanto adora: a Literatura. Tem prêmios conquistados no Brasil (incluindo 2 Jabutis) e no exterior. É mestre em Literatura Brasileira, ensaísta, palestrante e professor em cursos de qualificação sobre Literatura para bibliotecários e professores de salas de leitura. Achou muito bacana escrever “A história de Carenina” e criar esse personagem, essa garota de personalidade forte. Acredita que nunca tinha encarado o tema do amor por esse lado – e gostou demais da experiência.

Marcia Kupstas (Autora) Nasceu em São Paulo, em 1957, tem dois filhos e atualmente mora em Ubatuba. Seu pai dizia que, aos 5 anos, sentava-se em seu colo e ditava histórias. Falava que ia ser escritora quando crescesse. O conto “O namorado da melhor amiga” caracteriza as paixões da juventude, tema recorrente em sua obra de mais de cem títulos.

36


Nasceu em Taquara, Rio Grande do Sul. Começou ouvindo histórias que seu pai contava depois do jantar, com todos reunidos em volta da mesa. Com 7 anos passou a escrever seus primeiros poemas, e com 10 já estava apaixonado por Machado de Assis. Com essa relação fechada com as palavras, não teve alternativa senão cursar Letras. Já publicou 22 livros, conquistou um Jabuti (2000) e foi finalista de vários prêmios importantes. A história com que participa desta antologia é a ficcionalização do caso de um ex-aluno.

Raul Drewnick (Autor) Nasceu em São Paulo. Seus pais eram poloneses pobres e cheios de sonhos... Para eles e para seu filho. A família trabalhou duramente para que ele pudesse estudar. Escolheu ser jornalista e escritor. Pela crença de todos, ele seria alguém importante, mas o que ele queria mesmo era seguir seu caminho escrevendo e contando histórias. No conto “A estrela Anita”, o autor fala dessa situação em que jovens são escalados para realizar os sonhos dos adultos.

OBRAS DE LITERATURA

Menalton Braff (Autor)

Shirley Souza (Autora) Nasceu em São Paulo, já escreveu mais de 40 livros. Adora tecnologia e games e vive conectada. “Rápido demais” mergulha no universo virtual e mostra um lado perigoso dele – a superexposição, que pode virar um problema para qualquer um.

Sempre gostou de desenhar, e por causa disso foi estudar Arquitetura. Porém, quando se formou, descobriu que, em vez de projetar casas e prédios, o que a deixava mais feliz era desenhar livros. Nas suas ilustrações, de acordo com o tema das histórias, sempre experimenta materiais e técnicas diferentes. Para este livro, escolheu desenhar com lápis de cor e lápis dermatográfico sobre os papéis vermelho e lilás. A textura do lápis e a vibração das cores possibilitaram conferir mais dramaticidade e emoção aos desenhos.

Daniela Aparecida Francisco (Elaboradora de material digital) Doutora em Literatura e Vida Social, com ênfase em Literatura Infantil e Juvenil pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), e mestre em Literatura Infantil e Juvenil pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Formada em Pedagogia pela Unesp, cursou magistério, atuou como professora do Ensino Fundamental e foi formadora no Programa Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. É coordenadora pedagógica na Educação Básica desde 2008. Atua também na formação continuada de professores e como docente em curso de Pedagogia.

Sentimentos: achados e perdidos

Silvia Amstalden (Ilustradora)

37


Código da obra

0216L21603 GÊNERO TEXTUAL – ROMANCE CLIQUE E CONHEÇA OS MATERIAIS DIGITAIS: BOOKTRAILER | MATERIAL DIGITAL DO PROFESSOR | MANUAL DO PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL DO PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL DO ESTUDANTE

38


Três dias e mais alguns, do premiado autor gaúcho Caio Riter, com ilustrações de Laerte Silvino, é uma oportunidade para professores e estudantes discutirem temas muito pertinentes ao adolescente de hoje, como relações familiares e de amizade, namoro, primeiro beijo, questões escolares, sonhos para o futuro e a vida nas favelas. Por meio das reflexões do narrador, um adolescente vivendo muitas descobertas, o leitor se identifica com as situações vividas pelo personagem e passa a refletir sobre sua posição no mundo e o próprio futuro.

OBRAS DE LITERATURA

Sobre a obra

Três dias e mais alguns

Os diversos temas que compõem a obra podem ser trabalhados em sala de aula usando uma série de referências do autor, que muitas vezes se entrelaçam com a narrativa, criando diálogo entre o romance e a obra ou a cultura pop citada. Utilizando o fluxo de consciência e de digressões, com uma série de monólogos interiores do protagonista, Caio Riter envolve o leitor em uma trama que chama atenção pela pertinência dos assuntos e da maneira com que são apresentados: em uma linguagem simples, acessível ao jovem leitor e muito envolvente.

39


A leitura do livro permite o estudo de temas diversos que podem ser abordados em sala de aula: • Intertextualidade com outras obras cinematográficas e literárias citadas no livro; • Interdisciplinaridade: História, Artes Visuais, Música; • Estruturas narrativas; • Preconceito; • Violência urbana; • Educação como projeto de vida; • Conscientização sobre o autismo; • Star Wars e a jornada do herói.

A vida de Matias, protagonista do livro Três dias e mais alguns, não é diferente da maioria dos meninos de sua idade, exceto talvez pela sua paixão pela saga Star Wars e sua sensibilidade para enxergar seu meio social. O livro traz a história desse menino de 16 anos, que vive em uma comunidade carente de Porto Alegre com sua mãe e dois irmãos mais novos. Com um enredo inteligente e uma narrativa extremamente rica, a obra conta como Matias consegue lidar com assuntos delicados, que afetam sua família e a vida fora de casa. A paixão de Matias por Star Wars o faz comparar todos à sua volta com personagens dos filmes, aproximando-o de seus heróis e comparando seu pai e os namorados que sua mãe teve com aqueles que sucumbiram ao lado escuro da Força. Ao longo da história, ele conversa com o leitor e conta como sua mãe não teve sorte em seus relacionamentos, e que seu pai o prometeu férias inesquecíveis em Salvador, mas nunca voltou para buscá-lo – assim como seus irmãos também não tiveram a sorte de ter um pai presente.

40


O Material do Professor, que acompanha essa obra, traz uma série de propostas de atividades e exercícios ligados à leitura do livro, referências e bibliografia comentada.

OBRAS DE LITERATURA

São muitos os aspectos da vida do protagonista que levam a refletir sobre a realidade de muitos brasileirinhos dos quatro cantos do país. Matias é dedicado, responsável e sonha em ser doutor para dar condições de vida melhores para sua família. E já demonstra suas qualidades ainda adolescente, como quando se atenta ao comportamento de Deco, seu irmão menor, e começa a desconfiar de que o caçula seja autista.

Conheça quem fez a obra! Caio Ritter (Autor) Nasceu em 1962, em Porto Alegre, onde mora até hoje. É escritor, doutor em Literatura Brasileira e pós-doutorando em Escrita Criativa na PUC-RS. Já publicou mais de 60 livros, dentre eles infantis, juvenis, contos e poesias. Recebeu diversos prêmios, incluindo os prêmios Açorianos, 1º Barco a Vapor, Ages – Livro do ano, Orígenes Lessa, Ofélia Fontes, além do Selo Altamente Recomendável da FNLIJ. Já teve seus livros inclusos nos Catálogos de Bolonha e White Ravens. Vários de seus livros foram selecionados para programas governamentais, como o PNBE e o Kit Escolar BH. Além de escritor, é professor e ministra oficinas, cursos e palestras sobre criação literária por todo Brasil. Para saber mais, acesse: caioriter.blogspot.com.

Laerte Silvino (Ilustrador)

Flávia Côrtes (Elaboradora do material digital) Roteirista e tradutora, doutoranda em Teoria da Literatura e Literatura Comparada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e mestre em Estudos Literários pela UERJ. É formada em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especialista em Literatura Infantil e Juvenil também pela UFRJ. Atualmente é vice-presidente da Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (AEILIJ). Tem 21 livros publicados para crianças e jovens, muitos deles premiados e selecionados para diversos projetos de leitura, entre eles o PNBE, e participa de eventos literários por todo o país.

Três dias e mais alguns

É ilustrador e quadrinista. Recifense, compartilha com o autor Caio Riter sua paixão pela saga Star Wars. Assim como o protagonista de Três dias e mais alguns, Matias, Laerte também aprendeu lições grandiosas por meio dos filmes, livros e gibis que consumia quando mais jovem. O ilustrador também conta que deve à cultura nerd a vontade de trabalhar com desenho.

41


OBRAS DE LITERATURA

42


0201L21609 GÊNERO TEXTUAL – NOVELA

OBRAS DE LITERATURA

Código da obra

Código da obra

0204L21603 GÊNERO TEXTUAL – ROMANCE

43


Código da obra

0201L21609 GÊNERO TEXTUAL – NOVELA CLIQUE E CONHEÇA OS MATERIAIS DIGITAIS: BOOKTRAILER | MATERIAL DIGITAL DO PROFESSOR | MANUAL DO PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL DO PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL DO ESTUDANTE

44


Dados oficiais apontam que a quantidade de brasileiros apreendidos ao tentar atravessar, de modo irregular, as fronteiras dos Estados Unidos e as da Europa bateu o recorde de quase 57 mil em 2021, um aumento de mais de 700% em relação a 2020. O Ministério das Relações Exteriores do Brasil alerta para o crescimento de ofertas de emprego feitas por empresas que cobram os custos da viagem de seus candidatos, um imenso risco que pode, no mínimo, acabar em deportação. Além disso, imigrantes ilegais também estão sujeitos à incerteza, a maus-tratos, ao abuso de poder e ao subemprego. É em meio a essa rede de tráfico humano e estelionato que a trama de Ilegais acontece: a narrativa envolvente de Luiz Antonio Aguiar, com

Ilegais

A Editora do Brasil apresenta Ilegais, uma novela de ficção que conta a história de Jair, um adolescente que ama futebol, sua namorada e sua família. O futuro incerto, no entanto, faz ele buscar oportunidades para crescer na vida fora do Brasil.

OBRAS DE LITERATURA

Sobre a obra

45


bastante suspense e pitadas de alegria e ansiedade, conta como Jair e seus amigos conhecem Fred, um coiote, que oferece a eles a chance de emigrar para os Estados Unidos para conquistar o que ele chama de “vida melhor”. O leitor conhece também a família do protagonista, cujos pais acabaram de se separar; seus amigos Rildo e Delaney, principais incentivadores da ideia de fugir para o país da América do Norte; e a namorada de Jair, Elvira, uma menina esperta que logo descobre o segredo do namorado e tenta tirar o plano de sua cabeça. Além de buscar o melhor para sua família, Jair também anseia pela visita iminente de um olheiro de um grande clube de futebol a um de seus jogos, às vésperas da semifinal do torneio mais importante de seu time, o Saracunas. Ilegais é uma novela que também traz outros gêneros textuais, como o jornalístico, por meio de clippings de jornais e revistas, e o de correspondência, em forma de e-mails trocados entre os primos Delaney e Rildo, tornando a obra ainda mais rica e abrindo diversas possibilidades para trabalhar literatura em sala de aula.

46


O texto, repleto de detalhes, convida o leitor à reflexão e ao pensamento crítico. Ainda indica as várias decisões que precisam ser tomadas ao se levar em conta o Projeto de Vida que traçamos – que precisa considerar o talento nato, as vocações profissionais e o estilo de vida desejado. As ilustrações de Fabio Maciel utilizam cores primárias e linhas simples, preenchendo as páginas de maneira minimalista e poética.

OBRAS DE LITERATURA

A obra discute os direitos sociais dos imigrantes ilegais, que têm por lei assegurados o acesso à educação e saúde, direitos humanos reconhecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). Entretanto, com medo de serem deportados, os imigrantes não recorrem a serviços desse tipo. Abordar o tema em sala de aula é uma oportunidade de levar os estudantes a pensar como as ondas migratórias ocorrem através dos tempos e avaliar algumas das dinâmicas mais recentes, como o intercâmbio estudantil.

Conheça quem fez a obra! Luiz Antonio Aguiar (Autor) Luiz Antonio Aguiar é um escritor nascido e criado no Rio de Janeiro e já lançou cerca de 160 livros, conquistando prêmios no exterior e no Brasil (incluindo dois Jabuti). É também professor de Literatura em cursos de formação de professores e de criação literária. Atua, ainda, como tradutor e consultor editorial e também escreve ensaios e artigos para diferentes publicações.

Fabio Maciel (Ilustrador) Nasceu no Rio de Janeiro, em 1978. É formado em História e Biblioteconomia e mestre em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Editou fanzines no selo Tytyvyllus Publicações. Ilustrador e escritor, colaborou com imagens, contos e poemas em antologias, revistas e páginas de internet.

Doutoranda no Departamento de Estudos Portugueses da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Portugal. Mestre em Filosofia pelo Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (IEB-USP) e Bacharel em Letras (Português/Francês) pela FFLCH-USP. Estudou Artes Cênicas e atuou como atriz em várias companhias teatrais. É autora de livros de literatura, didáticos e destinados à formação de professores. Algumas de suas obras foram aprovadas em programas governamentais, como PNLD e PNBE, e receberam o Selo Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ).

Ilegais

Maria Schtine Viana (Elaboradora do material digital)

47


Código da obra

0204L21603 GÊNERO TEXTUAL – ROMANCE CLIQUE E CONHEÇA OS MATERIAIS DIGITAIS: BOOKTRAILER | MATERIAL DIGITAL DO PROFESSOR | MANUAL DO PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL DO PROFESSOR | VIDEOTUTORIAL DO ESTUDANTE

48


Romeu e Julieta é o mais famoso clássico de Shakespeare. A história acompanha um casal apaixonado que vive um amor impossível, pois suas famílias são inimigas. O trágico final é conhecido por todos, mas a emoção de ler essa história é única, e desfrutá-la em linguagem atualizada certamente encantará os jovens leitores. O gênero dramático está situado no campo do mostrar, e, ao traduzir Romeu e Julieta na íntegra, um clássico do teatro, para o gênero narrativo, que é próprio do contar, Fernando Nuno contribui para que o leitor em formação tenha acesso ao texto shakespeariano em um gênero mais acessível.

OBRAS DE LITERATURA

Sobre a obra

Originalmente, a peça Romeu e Julieta é dividida em um prólogo e cinco atos. A divisão em atos foi mantida por Fernando Nuno. O livro usa espaços gráficos para manter essa delimitação de cenas na adaptação para o gênero narrativo. Em sala de aula, esse livro pode ser uma ferramenta muito interessante para que os estudantes treinem a transposição do texto

Romeu e Julieta

O autor usa um estilo fluente, em linguagem atualizada, para narrar o relacionamento impossível de dois jovens que são impedidos de viver uma história de amor por causa da rivalidade entre as famílias. Essa transposição de linguagens é muito importante para que o jovem leitor tenha a oportunidade de explorar o texto de um dos maiores escritores de todos os tempos, William Shakespeare, de modo profundo, mas sem ser limitado pelas barreiras necessariamente impostas por uma linguagem antiga e de difícil compreensão.

49


narrativo de volta para o dramático. Confira aqui uma ideia de como isso pode ser realizado: Por meio do contato com a obra de Shakespeare, os estudantes podem conhecer conceitos do teatro, desde os princípios postulados pelo filósofo Aristóteles. O Manual do P. 16 – Material digital do Professor. Professor traz uma série de textos que auxilia nesse aprofundamento com o texto e os gêneros do teatro e narrativo. A leitura de Romeu e Julieta em sala de aula propicia, além das muitas variações de estudo dos elementos teatrais, bem como reflexões sobre História do Teatro, gêneros da criação artística, a importância do conflito na dramaturgia, transposição do gênero narrativo para o dramático, o papel de cada profissional em uma encenação, os espaços cênicos, as áreas técnicas (figurino, música, produção, iluminação), uma explanação do panorama histórico no qual viveu William Shakespeare e dos acontecimentos que levaram ele a se tornar o maior dramaturgo de todos os tempos. Considerado o maior dramaturgo de todos os tempos, William Shakespeare nasceu na pequena cidade inglesa de Stratford-uponAvon, em abril de 1564. Já adulto, mudou-se para Londres e construiu uma sólida carreira como ator, diretor e dramaturgo, estendendo suas atividades a acionista do Teatro Globe, no qual encenava suas peças. Shakespeare escreveu grandes clássicos como Otelo, Sonho de uma

50


A cidade de Londres já era uma metrópole que atraía pessoas em busca de melhores oportunidades, inclusive no teatro, que era, além de entretenimento, fonte de informação. No palco, o povo assistia a críticas sociais e discursos formadores de opinião da sociedade à época. No Teatro Globe, Shakespeare e sua trupe se apresentavam para até 3.000 espectadores por dia. O autor morreu em sua cidade natal, em abril de 1616, deixando um legado de 38 peças e mais de 150 sonetos.

OBRAS DE LITERATURA

noite de verão, Henrique IV e Tito Andrônico, todas escritas dentro do mesmo período histórico – a Época Clássica, voltada ao ser humano e à ciência.

Romeu e Julieta

P. 20 – Material digital do Professor – O Teatro di San Carlo, em Napoli, foi inaugurado em 1737 e possui em sua estrutura o palco no estilo italiano.

51


Conheça quem fez a obra! Fernando Nuno (Adaptação) É autor de 15 livros. Todas as suas adaptações de clássicos da literatura receberam o selo Altamente Recomendável da FNLIJ. Formou-se em Jornalismo e Letras na Universidade de São Paulo (USP) e estudou História da Arte no Instituto Dante Alighieri de Florença e Mitologia nos sítios arqueológicos gregos pela Viking Students, de Atenas. Foi o editor do Círculo do Livro. Também dirigiu a redação do conteúdo do site brasileiro da Encyclopaedia Britannica.

Daniel Araujo (Ilustrador) Formou-se em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) e trabalha como ilustrador desde então. Já colaborou para revistas e livros, tanto de ficção como de arquitetura e pesquisa. Faz animações e ilustrações para publicidade, e já trabalhou com restauração de filmes clássicos brasileiros.

Maria Schtine Viana (Elaboradora do material digital) Doutoranda no Departamento de Estudos Portugueses da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Portugal. Mestre em Filosofia pelo Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (IEB-USP) e Bacharel em Letras (Português/Francês) pela FFLCH-USP. Estudou Artes Cênicas e atuou como atriz em várias companhias teatrais. É autora de livros de literatura, didáticos e destinados à formação de professores. Algumas de suas obras foram aprovadas em programas governamentais, como PNLD e PNBE, e receberam o Selo Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ).

52


OBRAS DE LITERATURA

Anotações

53


NOVOS DESAFIOS EXIGEM MUDANÇAS. MUDE COM A EDITORA DO BRASIL.

Obras de Literatura

AKPALÔ

Ainda Assim Te Quero Bem Código da obra

ARCO 43

Como Subir em Árvores Código da obra

0085L21609

0131L21609

0219L21609

0194L21612

Os Faroleiros e Outros Contos de Monteiro Lobato Código da obra

0197L21612

EDITORA DO BRASIL

FGV

Sentimentos: Achados e Perdidos Código da obra

Civilização e Outros Contos de Eça de Queiroz Código da obra

Três Dias e Mais Alguns Código da obra

0216L21603

SAIBA MAIS: pnldensinomedio.editoradobrasil.com.br

atendimento@editoradobrasil.com.br (11) 99329-5316

Ilegais Código da obra

0201L21609

Romeu e Julieta Código da obra

0204L21603

Atenção! Sua escola não é obrigada a escolher a mesma editora ou coleção dos Objetos 1, 2 e 3. Informe-se sobre o processo de escolha pelos canais oficiais:

https://www.gov.br/fnde/pt-br

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO