Page 49

foto Istock

O rio Spey, que corta a região de Speyside

Na rota do single malt O uísque mais desejado dos apreciadores ganha caráter próprio em cada região da Escócia. Saiba quais são as qualidades de Speyside e suas principais destilarias

É vasto e inebriante o mundo do uísque. Considerada a terceira bebida destilada mais consumida no mundo, logo atrás do soju (típico da Coreia do Sul) e da vodca, a “água da vida” – tradução do gaélico uisge beatha, de onde surgiu o nome whisky – nasce a partir do destilado de grãos como a cevada, que foi envelhecido em barris. A descrição parece simples, mas o preparo exige muita expertise. E, nesse caso, os escoceses são os grandes maestros. Entre os vários estilos de uísque produzidos (entenda cada um no box), um que se destaca no país é o single malt – categoria mais valorizada e desejada pelos apreciadores da bebida e só representa 8% do volume de todo o uísque produzido na Escócia. São 118 destilarias responsáveis por produzir tão nobre líquido, que estão espalhadas em cinco regiões escocesas: Campbeltown, Islay, Lowlands, Highlands

e Speyside, cada uma delas com suas características. A região de Campbeltown já chegou a ter 30 destilarias, mas hoje há apenas três e produzem um uísque mais oleoso e forte. Ao seu lado fica a ilha de Islay, com oito destilarias que fazem os single malts mais defumados por conta da turfa, solo em decomposição que é usado para defumar a cevada durante a secagem dos grãos. Lowlands ou “terras baixas” é onde são elaborados os uísques mais leves e suaves, com toques florais. E, por conta das terras altas cercadas por montanhas e vales, é possível encontrar diferentes aromas e sabores na composição dos single malts de Highlands. Mas a região mais conhecida, sem dúvida, é Speyside, onde atualmente existem cerca de 47 destilarias em funcionamento e cerca de 13 abertas ao público para visitação. Cortada pelo rio Spey que dá nome à região,

Menu 221  
Menu 221