Issuu on Google+

GL BO


o. G_ c .......!II ... Soe;.' "

c ••" .... .. U>I:>oo

O ....IO.__.....__ '.rW<lO~._

..

U"'_._G_'";_«1_'"'"

".. ,_.. _<I.

"""" , _, ..... ~.'_ à <:.. ' . ' . G ..... do lAIo<., ....... . ..... por ..... """'" cio lI'a.. ..... o", um ..",." I" . . o . . . . . . . . . . ~ ocobo. ob,ot_ _ __ <ou, E,.. .., 10<. om ~ no _ pO<o. ....,...m.,..., _ .... ~pfo 01>,0<_ ...... (""'" '" Im 0.""" .. ,.01,0<10 ,....,.......... '" "'-t, ~ •. - tomo o _ _ riQ,ph:...,. . - ,

A ........."'_ "" ,.......... po,,"I'* 00«0 p*>< , _ .., ...... <lo> ...",.'" p;onoit<o, cio

Com.vodo n!' E!ticio <lo! ~~, <...... u m""" ,010""""" ",." .... """.". _ _ • ,",,"'fi" "...\oIk"''' '"""

(t/,,_ oI>nc.ron. "m tn"," OoI lu",OI lOb«o ",., oIoro<,.",A .. oo:I~ .. "'.......

... com O> ,....,kl"'" ... ;...." •• ,6es ......."""", >O _ O:. Ho<Oni cio An. , _,.,._ ,.." . ".m •

......." ~ do, _ ... $01;00-.. >c<n ~ OI ~ _ In),

..........0. . . Ih;', "'" C _ cio To......... _".""" do n)ol<> \I ......... _ ,.......... fu...... ""..... do . . .io<o '<>Ioqio <lo 11M: ' " ~l "" "",,o "" "b ",,0<10 ' 0 100 ... '". do 1155, o .......... o::io _ . ;~o ..... !.60

..... ·,.,crco .. ~do _ _ .. 't' :apor\iW;onwCOOoo. . . . . _ .....,,; hpt<, , _. . . 00 """'......,. """"""'0 "" ..... _ o , .. ,."' .... ... . _ , ........... ó _ " . . . . . . . , , _ .........10<0, ... " .. <lO 0....0 Cn.dooc com "'" -..lo 40 J'<Ib<I ai...., c.m...<i coloco " _ _ "" '"""" ... _,<lo <Io~ ,

,,"""""""->çIoo

"oeO'. __ ..,..

'''''''ri''''' ....

,_,60; por"-,

"'Mor',_ -..100.- ....""""" ..... "'"_ .................

_,m' _

No dI· •• <lo p«><.... <lo ,"""",><lo. "-'"" lo; ~ ~""", " '"'""" ..........'"""" <lo .....

_ ,om ..... , . . ."";,,Jeo, • do........6e>, ,....., • "" '......._ ~, . ... ,., ~lo .. .,&> o ...,., >lo "" ,"'"

""""' ....;.. ,_ , ~,C"'" dOT......... </'....., ... _ ,....... 'oOÇIoo dO.,.,... ....... '" ""'" ,opI< ....

o. rei"""

<em

100',. ..,..,-;, ... ,.....,.

c, ............. _ 'om opoIo <lo" 1::;:0 """-' 11<0< . ",,",,'"

....,.....lt\IlcIó .~....,.., .. _ _....,. • """"100;,.... . _ ......_, "'.....,.,. "' .... """""'... o _ . . . . "lo;" ,l o po<..... ""'... rio'"" .. Co",,,oIl _ , . , . .., _.. "".d0l'.d;' ~ <> .......

_No""'" !«R<"' I, ._

poa ~ .. o",<> ...... ' .......;" _ _""ta - . ............""_ .......... ,.,.",,..._ .._.... ,_ • ....,. .. _ _.1'

• 'po ... "

"'oco

_ _ ...-" . . . _ """"" ......., com '"...... - . . . . ... l./nQ, "" ......"", <anboa"

"',..... <lo $0( 11" . ,I" I .... ' <lo""*,,, co..... ""' ..... • """ ''''I ,... dod. 40 oi_Rio .._ _ 10.>0 do .., .. _. dor~ ... DO rio'"" COO"," ___ _

in • •

_..,..,..,poIo ............... ....

°..

_ _ ........, bola< fomoio p _

_

• ",",,<<o.

_""çko, ,""'""',01-0 ...........,",....

f,,, I.,........ "'" _

..... ,,,.,..ho< bbo<..."...., • •

cio

.... dt<u"," cio . " u60 ••"."...,<1<> "' ••""'" quo . " . . ~I. do ""I'" poj;oI~ .. """' , ","\Ul.imo<o.., ro1oo

cio .,.,.., ..... ~oIo ....... _ ... """,,,<lo

","'<> ...... "". .. ,.000 do ~ ..... ~cIo

ptoto<to

.,do

Offl

. .....,.,......... ,urur.;"

eon...." .... !'O,.., ........-.. 1oIo.&~ .

. ...... _

""""'*'<_.___ °

....._

""""b ""'. dI"",..,1oo .1"".., ,,'," ,

,""""'O ,om .. , _ cio , .........><10

!'O" •

"""fio

boi". . ,oon • EUkO YSo\, ."" .'...... <lo ....... 00-' _, dO _ _

......, 0 ........

'1'"" "" .. _ . . , . .....

.........

_.-lo, • ..- por

100"' . . . 0 1 "m [01 _ _ _ _ ' _ . . . , . , . . . ,....

,.,,~ . . .-.o ( ' t I , ......

'*","'''' ........... "'''1''_ •

~

......,., '" ..."_10

"".cIo ...

" m >Çl<> do """ I <*c ......., .... ... <_OI m", 11 , do ........ '" ~ oi> _ <lo Quom"", o uloomóno '" ~ ;,.,., o.-,. • 8ooIop <I<> II'CR (~tD • fm . . . . . . 11>'_.1, poI<> """""" .. _w....<Io _ . . - "'" ...." 60 <lo -"10 -"40, .... ....... <Go l! do _ .........", "",...." .... <Kno:o' • fI"Gduo;I<r, "'" "",>t. '" """""""lO • cio< 0'0II<0400 • P"" • ~ >lo ,"""', .... poo:;" .............. .... , .. Io-nn:.. do pt"' OÓ<'OO WUCU'" ....... n ........ .....,..",. r "',,,,,",. , ..... ""'" """ ; """'~lO "" 06> ... ,"""'_ ;nIo<Wn.o...., p'tt...,...,.. -

00 __ '*".

'''''''''''C' ,,*,toI "'*"""""". __ " ' '''' ",,... ,.,....,,, ••10",,,•••

"",01'0 .." I do ........... p«oI

No.<» _

""AO"'" p.-ool""'" •"",,,,

tUJIOYSEIO., . ....... ' .... _

~ "',

P"'ojo<ç'" "'"

pça. _"""' • ",""""""",I dO _10 " ...............

"to _

""" " ,"0'

" ''''''0' o_tio

~_

""lo pU"", ... pjo: OI _ tio .... , _pob """""'''''''' ........... PÇII.

• 10.1"


uando observamos um globo a nossa imaginação deixa-se arrastar para a fantasia das viagens, para a descoberta de outros povos, outras culturas. Esta ideia tem uma importância acrescida para nós, portugueses, pela memória das Descobertas, do esforço colectivo que representou o partir para o desconhecido, ao encon­ tro da imaginação. Hoje, a comunicação aproxima-nos e as viagens que efectuamos, ainda que menores em termos de tempo, continuam a aproximar-nos de outros povos e outras culturas. Hoje, podemos ver as empresas como os novos marinheiros , partindo à descoberta de outros mercados, em países, por vezes, distantes, de certo modo unin­ do de uma outra forma (mais de acordo com a mentalidade do século XXI) povos e regiões que foram no passado nossos parceiros comerciais. É dentro desta óptica que o projecto de restauro dos Globos Coronelli da Sociedade de Geografia de Lisboa, nos interessou. Por um lado trazem consigo a memória de um período de esplendor que gostaríamos de (re)encontrar e por outro porque nos aproximam do Mundo e do Universo. Recentemente, começámos a olhar o céu , um novo espaço de conquista, e enquanto não o podemos alcançar trouxemo-lo para os nossos produtos, denominando-os com referências de estrelas e constelações, uma promessa que, um dia, havemos de aí chegar, porque para um povo que ajudou a desvendar os mistérios da Terra estará, concerteza, reservado um papel na descoberta dos enigmas do Espaço.

Firmino António Rocha Administrador Executivo

EUROYSER

hen we 1001< at a globe, we let our imaginations run free to the fantasy world of voyages, and the dis­ covery of other peoples and other cultures.This is of particular importance to the Portuguese, who have been producing charts and navigational maps since the sixteenth century as part of the epic adventure of their maritime discoveries. The combination of "I<nowledge from experience" with the vivid imaginations of mariners and travellers led to geograph ical references that also included descriptions of imaginary lands and mythological creatures. Nowadays, in the age of globalisation, many of the world's secrets seems to have been discovered, and many companies have adopted the mantle of the mariners of yore, setting out for countries and continents in search of new marl<ets and new business opportunities. By doing so, they bring peoples and regions into contact, restoring commun ication between former trading partners. However, modern companies that have a vision of the future 1001< beyond just production and trade . Instead, they are concerned with everything, and one of the significant areas is culture. lt is within this context that we are interested in the restoration of the Coronelli globes from the Sociedade de Geografia. On the one hand, they hark back to an age of magnificence that deserves to be disseminated, on the other - with specific reference to the celestial globe - they bring us closer to a less tangible world .We recently started to see the heavens as a new frontier, a new space to be conquered. Until we can reach th is intangible world, we will bring its imagery down to our products, which are named after the stars and constellations. It is a sort of vow, a promise that in the future we will go beyond this horizon.The nation that helped to unravel the mysteries of the Earth will unquestionably play a role in revealing the enigmas of Space. Firm ino António Rocha Executive Member of the Board

EUROYSER


Ficha T茅cnica

........

~"".

-

,'r _ __

O",;, 0""0

"""'路'~io

~,","",,,",,,


íNDICE

HI$TCWASOEGl.O&05

I'

(lEMmT05 CONSTJT\JINTES. ESTADO D~ C~AÇÁO 11

1"

" ....


INTRODUÇÃO

Português de Conservação e Restauro iniciou este projecto um estudo e desenvolvimento de técni­

Os globos, um te rrestre e um celeste, da Sociedade de Geografia são reduções feitas a partir das esferas conheci­

cas de conservação e restauro adaptadas à recuperação de

das como "Globos de Marly", com quatro metros de

, lobos, tendo como objecto de trabalho os dois globos

diâmetro, executadas em Paris, pelo cartógrafo Vincenzo

Coronelli, de grandes dimensões, pertencentes à

Coronelli (1650-1718) e oferecidas ao Rei de

Sociedade de Geografia de Lisboa.

França, Luís XIV (1638-1715) . De acor­ do com a tradição J , os exemplares

à

especificidade

em estudo teriam sido oferta

desta intervenção recorre­

de um soberano estran­

mos à colaboração de Alain

geiro, provavelmente o

Roger, Conservador - res­

doge

taurador da Biblioteca

D.

João

V

(1689­

Nacional de França',

1750). A sua dimen­

com larga experiência

são, com um diâmetro

na conservação de glo­

aproximado de

bos, nomeadamente de vários

exemplares

metros,

de

Contámos

o

I, I O

desenho

gravado de grande quali­

Vincenzo Coronel li .

dade e uma paleta de cores

também

com

a

variada impressionam o obser­

colaboração de Estácio dos Reis,

14

de Veneza, a

vador.

autor de um levantamento precioso Vincenzo Coronelli elaborou e coordenou

das colecções destes objectos existentes no

várias edições de fusos destes globos. Do globo

nosso patrimóni02.

terrestre conhecem-se quatro edições realizadas Uma intervenção em globos, atendendo à com­

em Veneza, sendo a primeira de

plexidade e variedade de materiais exis­

restantes de 1693, 1699 e 1707 mantêm

tentes: madeira; metal; tela; papier mâché;

a data da primeira edição e não apre­

gesso; papel; vernizes, implica a colab­

sentam, aparentemente, diferenças

oração de especialistas de várias

significativas entre si. Do globo

áreas da conservação e restauro. Este

projecto

proporcionou

pluridisciplinar

entre

um

celeste são conhecidas quatro

trabalho

e duas em Paris (1688 e 1693)'. A partir da bibliografia

Departamento de Conservação - Papel, Mobiliário, Pintura,

disponível podemos afirmar que os globos da colecção da

Escultura,

Sociedade de Geografia utilizaram as edições executadas em

Oficina

áreas

edições, duas realizadas em Veneza (1693, 1699) IPCR:

Metal,

diferentes

1688; as

especializada

do

(marcenaria) ;

Departamento de Estudos de Materiais; Divisão de Fotografia

Veneza e publicadas em 1693 .

e Radiografia; Divisão de Documentação e Divulgação.

I Che( de TfOYOUX d'Arrs da Blbhotheque Natlonale de France.

2 REIS. Está",. . Old GJobes ,n Pon~1 C<>mbra. 1991. Sep BoI. S,b1 Unw. Co,mbra. '101 12. 1991.

J COROEIRO,luoano. - «Globos tprrestres e celestes», p. 259

4 PELLETIER. Mon!que. ROGER. Alaln. - «La renalssance des globes de Coronelh (! 650-1718) au Musée des Beaux-Arts de LJlle», p. 69. Na bibliografia disponível encontramos as datas de 169 2 e 1693 para a segunda edição de Veneza_ Por ImpossIbilidade de confirmar com as rontes qual a corre<ta. Iremos utilizar sempre a data 169 3. Manca Mdanesl conSIdera a edição pansiense de 1693 um segundo estado da gravura utilizada na pnmelra edição de 1688. ILANESI, anca. - «Coronelh·s large cel'estJal pmted globes: A comohcated h,story». p. 156,


16

HISTÓRIAS DE: GLOBOS

STORIES OF GLOBES

Como nasceram os globos

How globes appeared

Enquanto nos empenhávamos com a recuperação de Globos, fomos descobrindo a história destes belos instrumentos científi­ cos. Um dos primeiros globos celestes é mencionado por Arquimedes (287-212 a. C.). Cícero descreve-os no seu tratado De Republica. No tempo dos Romanos, estes globos eram usados como ornamento. Todavia, o uso dos globos celestes, como instru­ mento científico, foi introduzido na Europa pelos árabes, que desempenharam um papel de grande relevo no estudo da astrono­ mia. Os dois mais antigos globos existentes no chamado mundo ocidental, pertenceram ao cardeal Nicolaus Cusanus (1401-1464), originário de Cusa, sobre o Mosela, na Alemanha Ocidental. Um destes globos foi adquirido no ano de 1444, em Nuremberga, na Baviera, sem dúvida, um local privilegiado, pois pode considerar-se o berço dos modernos globos. No que respeita a globos ter­ restres, o desconhecimento da forma da terra atrasou, natural­ mente, a sua representação. De facto, apesar de Platão (429­ 347 a. C.) considerar que a Terra era redonda e Aristóteles (384­ 322 a. C.) ter demonstrado cientificamente a sua esfericidade, baseando-se na forma circular da sombra da Terra nos eclipses da Lua, só no fim da segunda metade do século XV apareceram as primeiras notícias de globos terrestres. O mais antigo que actual­ mente se conhece foi mandado construir por Martin Behaim (1459-1506). Este globo, que se encontra no Museu Nacional Nuremberga, tem 5 I cm de diâmetro e a sua estrutura é recober­ ta por gomos de papel pintados a têmpera por Georg Glockendon, o Velho.

While restoring globes, I gradually discovered the histo­ ry of these superb scientific instruments. One of the ear­ liest celestial globes is mentioned by Archimedes (287­ 212 BC), while Cicero describes them in his treatise De Republica, and they are known to have been used as decorations during the Roman era. However, the use of celestial globes as scientific instruments was introduced in Europe by the Arabs. who played a fundamental rale in the study of astronomy. The two earliest known globes in the Western world belonged to Cardinal Nicolaus Cusanus (1401-1464), a na tive of Cusa, on the River Mosel in western Germany, and one of these globes was purchased in Nuremberg (Bavaria) in 1444. The city was evidently an exceptional place, as it may be considered the birthplace of the modern globe. Man 's lack of knowledge regarding the shape of the world naturally delayed images af the terrestrial glabe appearing . In fact, although Plato (429-347 BC) believed that the Earth was round and Aristotle (384 - 322 BC) scientifically proved it was a sphere , based on the circular form of the earth's shadaw during lunar eclipses, only at the end af the second half of the fifteenth century did the first news of terrestrial globes appear. The earliest known one was constructed by Martin Behaim (1459 - 1506) and is now at the Nuremberg National Museum . It measures 51 cm in diameter and its structure is covered in segments of paper decorated with tempera painting by Georg Glockendon, the Elder.

Como é sabido, Martin Behaim, conhecido em Portugal por Martinho da Boémia, nasceu em Nuremberga e era filho de um rico comerciante. Destinado à carreira comercial estabeleceu-se em Antuérpia e aí conviveu com flamengos que tinham relações com Portugal. Em 1484 estava no nosso país, tendo possivelmente par­ ticipado na segunda viagem de Diogo Cão (a que alguns histori­ adores põem reservas), viagem que demorou 19 meses e durante a qual se descobriu o Zaire. De regresso a Lisboa, foi armado cav­ aleiro pelo monarca. Martinho casou com D. Joana de Macedo, filha de Josse de Hurtere, primeiro donatário das ilhas do Faial e do Pico, e de D. Brites de Macedo. Em 1490 regressa a Nuremberga e em 1492 já estava concluído o seu famoso globo que, aparte das iluminuras que tanto o embeleza, representa as novas terras descobertas pelos Portugueses. Verifica-se, no entanto, que o desenho das ter­ ras neste globo segue, muito de perto, o célebre mapa de Germanus Martellus de 1489. No que respeita a gomos impressos o globo mais antigo que se conhece tem a data de 1509, sendo provavelmente o seu autor Martin Waldeseemuller. Todavia, neste exemplar, de cerca de 8 cm de diâmetro, os gomos são constituídos por gravuras usando matrizes de madeira e não de metal, como viria a ser habitual. Existem globos das mais variadas dimensões. No Museu de Marinha, em Lisboa, encontram-se três pequenos exemplares com

As is known , Martin Behaim, called Martin of Bohemia in Portugal , was born in Nuremberg, the son of a wealthy trader. Destined to have a career in trade, he settled in Antwerp and mixed with Flemish people who were in contact with Portugal. In 1484, he visited Portugal and may - although some historians quest ion this - have pal-­ ticipated in Diogo Cão's second voyage, which lasted 19 months and included the discovery of Zaire . He was made a knight on his return to Lisbon . Behaim married Joana de Macedo, the daughter of Josse de Hurtere, the first donatory of the islands of Faial and Pico (the Azores), and of Brites de Macedo. In 1490, he returned to Nuremberg and by 1492, his famous globe was complete . In addition to the illuminations that so enriched the globe , it also included the new lands dis­ covered by the Portuguese. However, the drawing of the lands shown is closely copied from the famous map by Germanus Martellus, dated 1489. The segments and strips were pr inted from copper plates created by rhe leading engravers of the age. Such piares - especially those used on terrestria l globes were updated as the world became better known.

5 W lllem Blaeu. e é autor de Urn.J. obra da maior ImportâncÍd denominada Old globes tn Ne(herlonds, Com a sua aluda ficamo5 a conhecer melhorWlllem jaosz Blaeu. considerado o mais prestigiado fabricante holandês de globos. NaSCido em AJkrnaar. no ar.o de 1571 . conv1Veu com O astrónomo Tycho Braile e. depor.> de se ler eslJ.beleodo na ,>ua terra natal. mudou-se para Amsterdão por volta de 1598. onde publICOU mapas. Ivros.globos e. mais tarde. atlas. Fabncou globos com j ·,'i.metros que s.e SItuam entre os 10 e os 68 cm. DepoiS da sua morte. em ! 638, o negócIo fOI continuado por seu filho Joan tendo a ofiCina mucado v<Ínas vezes de propneláno. mantendo todaVIa o norre de Blaeu até ao principiO do sécu· lO XVIII. mJ.S actuahzanclo as chapas de Impressão S A refereocia aos Açores surge no segundo volume do Isolano. dedICado d Ilhas ou num Atlas de cartas geográficas Insulares. O tema foi estudado po!" SILVEIRA .leão Cunha da -05 Açores no 'Isoláno' de Vlncenzo Coronell! (Séc À'Vllf In &>Ietlm do Inst.tuto Histórico da Ilha Terceira, vai 15 (separata). 1959


7,5 cm de diâmetro. São chamados globos de bolso. Outros há que foram concebidos para serem colocados em cima de uma mesa ou secretária e os seus diâmetros vão até cerca de 45 cm. Os maiores, com bases mais sólidas. são postos no chão, como. por exemplo. os de Willem Blaeu' e os fabricados por Vincenzo Coronelli, dois dos quais se encontram na Sociedade de Geografia de Lisboa e que merecem a nossa atenção. Na realidade, estes dois últimos exemplares - aliás, os mais belos e maiores (têm I 10 cm de diâmetro) existentes em Portugal - são responsáveis por este nosso texto. A eles iremos voltar porque, além de tudo. são protagonistas de uma história que merece a pena contar.

Coronelli e os seus gigantes Marco Vincenzo Coronelli nasceu a 15 de Agosto de 1650 na cidade de Ravena, de uma família originária de Veneza. Fez os estu­ dos em Roma. no Colégio de S. Boaventura. tendo-se doutorado em 1673. Vai então para Veneza, instala-se no Convento de S. Nicoló della Lattuca. É nomeado Cosmógrafo da Serenissima República e obtém, por 25 anos , o exclusivo da manufactura de mapas e construção de globos.

Em 1686. é feito sub-diácono no Convento de Santa Maria Gloriosa dos Frades. Aqui terá a sua oficina até falecer em 9 de Dezembro de 1718. No que respeita a globos fabrica-os nas seguintes dimensões: 3 '/, pés, que são os de I 10 cm, como os da Sociedade de Geografia, de I 'h pés. de 6 polegadas, de 4 e, ainda, de 2 polegadas. Coronelli deixou-nos, além do Livro dos Globos, onde mostra a construção destes instrumentos cientí-ficos e repro­ duz fusos como os utilizados para cobrir estas esferas. Publicou mais de 400 cartas geográficas, muitas delas reunidas em atlas como o Atlante Veneta, o Corso Geográfico e o Isolario. Este último tem particular interesse para nós portugueses porque, para al ém de uma carta dos Açores. apresenta. para cada uma das ilhas. pro­ fusa informação - nem sempre correcta - respeitante a vá rios aspectos, tais como história, geografia, agricultura, e outros. Na Biblioteca Nacional de Lisboa existem dois exemplares daquela carta, um deles colorido'.

would become the norm . Globes come of ali sizes.The Museu de Marinha (Lisbon) has three small pieces measuring just 7 .5 cm in diameter, called pocket­ -globes. Others were designed to be placed on tables or desks,and measure up to 45 cm in diameter. The largest. with more solid bases, would stand on the floor. Examples include the works by Willem Blaeu' and those made by Vincenzo Coronelli. two of which can be found at the Sociedade de Geografia de Lisboa. These last two globes - the most beautiful and the largest in Portugal. measuring I 10 cm in diameter - are the reason for this text and above ali th e leading characters in a story that deserves to be told .

Coronelli and his giants Marco Vincenzo Coronelli was born on 15 August 1650 in Ravena. Although his family originally came from Venice, he studied in Rome at the S. Bonaventure College. completing his doctorate in 1673 . He then headed for Venice and settled at the Monastery of S. Nicoló della Lattuca. He was appointed cosmographer to the Venetian republic and was granted exclusive rights to maps and globes for 25 years. In 1686. he was made sub-deacon of the Monastery of Santa Maria Gloriosa dos Frades. where he kept up a workshop until his death on 9 December 1718. He produced globes in the following sizes: 3 'I, feet (I 10 cm), like those from the Sociedade de Geografia; 1'1, feet; 6 inches; 4 inches; and even 2 inches. In addition. Coronelli also left us his Book of Globes, where he reveals how to build the instruments and reproduces strips like those used to cover these spheres.

Quando nos referimos a Coronelli não podemos ignorar a sua ini­ ciativa de ter criado a Academia Cosmográfica dos Argonautas. que foi a primeira sociedad e geográfica do mundo e que tinha, entre os seus objectivos, a publicação de mapas. Os membros, pagando 3 liras por mês. recebiam 6 mapas em cada mês até ao total de 260. O universo desta sociedade era tal que, em 1688, tinha 200 mem ­ bros dos quais 74 residiam em Veneza e 79 em Paris. Os globos eram também vendidos por subscrição.

He published over 400 geographical maps, many of which were brought together to form atlases such as the Atlante Veneto. the Corso Geográfico and the Iso la rio. The last of these is of particu­ lar interest for the Portuguese since, in addition to a map of the Azores. each island from the archipelago has profuse (a lbeit not always accurate) information on a range of aspects including histo­ ry. geography. agricu lture. etc. The Biblioteca Naciona l de Lisboa has two copies of this map, one of which is in colou r.'

O prestígio de Coron e lli na arte de fazer globos era tal que, durante a visita que. em fins de Janeiro de 1681, o cardeal César d'Estrées fez a Roma. onde seu irmão era embaixador, encomen­ dou dois grandes globos a Coronelli para serem oferecidos a Luís XlV. Para o efeito, Coronelli deslocou-se a Paris. em Agosto de 1681, para efectuar a construção dos globos e ali permaneceu até Dezembro de 1683. Os globos , um celeste outro terrestre, tinham ambos o diâmetro de 3.85 m. O local escolhido foi a residência Lionne de César d'Estrés e , terminado o seu fabrico , ali ficaram em

No reference to Coronelli would be complete without mentioning his creation of the Cosmographic Academy of Argonauts, the first geographical society in the world, one of whose objectives was to publish maps. In return for a subscription of 3 lira each month. members received 6 maps per month up to a total of 260. Such was the scope of this society that in 1688, it had 200 members, with 74 living in Venice and 79 in Paris. The globes were also sold to subscribers.

5 Wlllem Jansz BI,1eu 1$ consKlered lo be lhe most prestlglous Dutch globe-rn.lker: Bom In Alkmaar In 1571. he knew lhe astronomcr Tycho Brahe. and afte- havlng first estabhshed hlmself In hls home town, then moved to Amsterdam around 1598. pubhsh,ng maps. book.5. globes and IJter Jtlases. He produced globes \. se dlameters range from lOto 68 em. After htS death In 1638. hls son JOdn contlnuea lhe busmess. and a!though lhe workshop changed hands several times. lhe name Blaeu was mamtalned untll lhe beglnnmg af the elghlccnth century. whlle canst,lntly updatJng lhe p(ates used for pnntlng I have followedVan der Krogt on the globes' dõtes af pl"OduchOn. Ounng a V1SJt lo Ltsbon. he dated lhe celestIal globe 10 Cil"Cd 1700 and lhe terreslna! globe to orca 1645 6 The refercnce to the Azares appears tn lhe SC{ond volume of the Isol,ino. .vI uch IS devoted to tslands or IS ,m atlas uf tnsula,r geographlCal charts.. The theme IS examlned tn SILVEIRA lojo Cunha da - ·Os Açores no 'lsoIâno' de VlncenzO Corooellt (Sec.. XVUr In Boletim do Instttuto Htstonco da Ilha Ten:era. \01 ) (separa!::!). 1959

I7


depósito. Como aquela residência foi vendida, os globos passaram para o castelo de Marly (por isso são conhecidos como os globos de Marly) enquanto não seguiam para Versailles, certamente o seu destino, mas onde ainda não havia um compartimento adequado. Entretanto, são enviados para Paris, passam algum tempo no Louvre até que, em 1722 são transferidos para a Biblioteca Real, onde foram expostos a partir de 1782, num salão preparado para o efeito. Monique 'Pelletier, que estamos a seguir, diz-nos que , em 190 I, os globos foram metidos em caixotes e encafua-dos na Orangerie do Palácio de Versailles. A mais importante obra de Coronelli parecia condenada ao esquecimento, até que os organizadores da exposição Cortes et Figures de la Terre, o s apresentaram com toda a sua beleza, depois de sujeitos a cuidadoso restauro. Vimo-los em 1980, no Centro Pompidou, onde teve lugar aquela exposição. Repletos de centenas de figuras pintadas por Jean-Baptiste Corneille, célebre artista parisiense, estes dois globos são ver­ dadeiras obras de arte. No aspecto científico, foram utilizados todos os recursos geográficos e cosmográficos. No globo celeste, por exemplo, a posição dos planetas está referida a 5 de Setembro de 1638, dia do nascimento do rei e todos os astros são represen­ tados em bronze dourado.

18

Terminamos esta referê ncia sem saber qual será o seu destino. Há alguns anos, quando vivíamos em Paris, François Bellec tentou recebê-los no Museu de Marinha de Paris, onde era director, aca­ bando por deixar aquelas funções sem conseguir arranjar-lhes a última morada. Não foram , porém, estes os maiores globos de que há memória. De facto, há notícia de um te rrestre, que se deve a Phillippe Vandermaelen, fundador do Instituto Geográfico de Bruxelas, globo esse que foi construído a partir dum atlas de vários vol­ umes, publicado entre 1825 e 1827. O atlas continha 373 folhas , de cerca de 48,5 x 57 em, representando exclusivamente as ter­ ras, e não os mares, pois o número de folhas para cobrir todo o globo seria da ordem de 1000. Este globo foi uma única vez mon­ tado no Instituto Geográfico de Bruxelas. O seu diâ-metro quase atingia os 8 metros. Todavia, o globo terrestre de maiores dimensões foi construído em Londres, na Leicester Square, e inaugurado e m 185 I, durante a primeira exposição mundial, tendo ali permanecido até 1862. O seu autor, o cartógrafo James Wyld, concebeu-o em negativo, isto é, para ser visto por dentro. O edifício que albergou este georama, tinha 23 metros de altura e 20 de di âmetro. Quatro plataformas permitiam que os visitantes se deslocassem a vários níveis.

Globos existentes em Portugal Vivemos num pais onde se tem cuidado pouco do património artístico e cultural. E, por isso, consideramos que a primeira medi­ da a tomar, tendo em vista a protecção desses valores é, sem qual­ quer dúvida, saber exactamente quais são os bens que possuímos. Iremos ver que, no caso dos globos, a segunda medida a tomar - e com brevidade - é proceder ao restauro, dado que a quase totali­

Coronelli's prestige in the art of producing globes was so great that in late January 1681, during Cardinal César d'Estrées' visit to Rome (where his brother was the ambassador), the cardinal com­ missioned two large globes to give to Louis XIV. Coronelli conse­ quently travelled to Paris in August 1681 to construct the globes, staying there until Oecember 1683 . The globes (one celestial and one terrestrial) both measured 3.85 metres in diameter. The place chosen to build them was the cardinal's Lyon residence, where they stayed in storage after completion .As the residence was later sold, the globes were moved to Marly castle, which explains why they are now called the Marly globes, until they were taken on to Versailles. This was certainly their ultimate destination, but there was no appropriate room to hold them at the palace . In the mean ­ time, they were sent to Paris and were kept for some time at the Louvre before being moved in 1722 to the Roya l Library, where they were exhibited (as from 1782) in a specially-prepared room. According to Monique Pelletier, the globes were packed into crates in 190 I and stored away in the Orangerie at Versailles. Coronelli's most important work seemed doomed to be forgotten until the organisers of the exhibition Cartes et Figures de la Terre (Centre Pompidou, 1980) showed them in their full glory after careful restoration work. Covered with hundreds of figures painted by the famous Parisian artist Jean-Baptiste Corneille, these two globes are authentic works of art, while in scientific terms, they used ali the available geograph­ ical and cosmographical resources. For example, the celestial globe records the position of the planets on 5 September 1638, the day when the king was born, and ali the stars are shown in gilded bronze. The fate of these globes is still unknown. Some years ago, when I was living in Paris, François Bellec tried to incorporate them into the Paris Naval Museum, where he was the director, but he left the post without managing to offer them a final home. However, these globes were not the largest ever known.There are records of a terrestrial globe, produced by Phillippe Vandermaelen, founder of the Brussels Geographical Institute, which was con­ structed from a multi-volume atlas published between 1825 and 1827.The atlas had 373 pages measuring around 48.5 x 57 em, and only showed the land-masses, excluding the seas as around 1,000 sheets would have been needed to cover the entire globe. The globe was only once set up at the Brussels Geographical Institute, as its diameter reached almost 8 metros. Even so, the largest terrestrial globe was built in Leicester Square (London) and unveiled in 185 I during the first world exhibition, staying in place until 1862. It was created by cartographer James Wyld, who designed it in negative, so that it could be seen from inside . The building that housed this georama was 23 metres high and 20 metres in diameter, while four platforms enabled visitors to move to the various different leveis.

Globes in Portugal We live in a country wh~re little care has been taken with artistic and cultural heritage. Thus, I believe that the first step to be taken

Llst af old g!obes In Portugal", in Annal! UI Srono 110 Soenzo. Florença.Anna 11, 1987. Fase. I. Esta lista fOI também publicada no joumol {OI lhe SrtJdy af globes 000 relOled r0strumems.Vtena de Áustna, Nr. 35 -37 "Old globes In Portugal". In 1.We!lm do &Moleco do Unr.>ersKlade de COimbra.COimbra. vel. 42, 1994


dade dos exemplares que encontrámos exige uma intervenção urgente. Começámos a pesquisa em 1983. a pedido de Rudolfo Schmidt. então Presidente da Sociedade Internacional Coronelli, recorren­ do aos bons oficios do Instituto Português do Património Cultural para saber se existiam globos nas instituições dele dependentes, continuando com o envio de circulares para outros museus e arquivos, bibliotecas, escolas e universidades, academias e obser­ vatórios.A Igreja e as Forças Armadas não foram esquecidas, assim como diversos organismos que foram surgindo ao longo da procu­ ra que estávamos a realizar. Fomos recebendo respostas e organizando o ficheiro. Admitimos que haveria muitos globos em casas particulares, mas a dificuldade era saber onde os encontrar. Uma verdadeira pesquisa no escuro. Por isso, sempre que tínhamos uma oportunidade, falá­ vamos no assunto aos parentes, amigos e conhecidos e, por vezes, a sorte bafejava-nos. Foi assim que, certo dia, Nuno Valdez dos Santos nos veio dizer que tendo estado numa velha mansão do Alentejo, ali tinha visto um belo globo. Trazia-nos informação das suas características. Tratava-se de um globo terrestre fabricado cerca do ano 1800. Como os globos eram normalmente adquiri­ dos aos pares, um terrestre outro celeste, dirigimo-nos directa­ mente ao proprietário, pertencente a uma família com uma longa tradição. Admitiamos que o par do globo tivesse passado para algum dos seus parentes, em resultado de partilhas. Feita a pesquisa, tivemos a satisfação de, algum tempo depois, receber um telefonema pelo qual viemos a saber que o outro globo, este celeste, tinha passado de um sótão empoeirado, onde se encontra­ va há longos anos esquecido, para a posse do já referido e agora afortunado proprietário. Assim, após várias dezenas de anos de separação, estes irmãos voltaram a encontrar-se. Mas este episó­ dio não termina aqui. Sugerimos o restauro e o globo - agora acasalado - passou a ser de um objecto de veneração. Em 1986, terminamos a nossa lista de globos antigos existentes em Portugal, lista que apresentamos, em Outubro desse ano, no VI Simpósio da Sociedade de Instrumentos Científicos, que teve lugar em Florença. Tinhamos identificado 96 globos existentes em instituições e na posse de privados. A lista foi publicada no ano seguinte nos Anno/i de Storio deUa Sciencia'. Em Março de 1988, apresentamos uma comunicação na Academia de Marinha e fizemos referência a lista de globos em Portugal. No fim da sessão entregámos um exemplar da lista a cada um dos presentes, pedindo que nos informassem se, porventura, encontrassem algum exemplar que não figurasse aí. A nossa iniciativa resultou pois, ao longo de poucas semanas, recebemos algumas informações que nos permitiram identificar mais 13 globos, o que aumentou o número para 109, tendo esta nova lista sido apresentada no Boletim do Biblioteca do Universidade de Coimbra' e ficando assim constituída: I do século XVI, IOdo sécu­ lo XVII , 30 do XVIII e 68 do XIX, tendo sido considerado o ano 1900 como limite do fabrico. Esta nossa lista, para além de ter permitido catalogar um património que estava completamente esquecido no nosso país, mostrou-nos que , de uma maneira geral, a grande maioria dos

- ~L~ '

I began my quest in 1983, by request of Rudolf Schmidt chalrma of the International Coronelli Society, through the good offices o the Instituto Português do Patrimón io Cu ltural, trying to discover whether there were globes in its dependent institutions, then sending circulars to other museums and archives, libraries, schoo ls and universities, academies and observatories. The Church and Armed Forces were also contacted, as were other bodies whose names emerged during the research period. I received answers and gradually built up and organised a file of globes. I accepted that many globes would be privately owned: the problem lay in knowing where to find them. It was like looking for a needle in a haystack. 50 whenever I had the chance, I would talk about the subject to family, friends and acquaintances. Sometimes, there would be a stroke of good fortune . One day, Nuno Va ldez dos Santos told me that he had been in an old mansion in the Alentejo region and seen a beautiful globe. He also brought me information about its characteristics: it was a terrestrial globe made around 1800. Since globes were normally bought in pairs (one terrestrial and one celestial) , I went straight away to the owner, a member of a long-established family. I had to accept that the other globe may have gone to one of his relatives during the distribution of goods made as a result of legacies.The research been done, but I was delighted some time later to receive a ca ll to tell me that the celestial globe had been put in a dusty attic and long forgotten , but was still in the possession of the same fortu­ nate owner. So, after many years of separation , these twin brothers were reunited. Yet the story does not end here. I pro­ posed that the globe - with its newly rediscovered pair - should be restored and made available for true apprec iation. In 1986, I finished the list of ancient globes in Portugal and pre­ sented it in October at the 6th Symposium of the Society of Scientific Instruments, held in Florence . By then, I had identified 96 globes that were owned privately or by institutions .The list was published the following year in the Annali de Storia della Sciencia 7 . In March 1988, I gave a paper at the Nava l Academy, referring to the list of globes in Portugal. At the end of the session I gave a copy of the list to each person present, requesting that I be informed if, by any chance, they came across any globe that was not included on the list. This proved to be a very successful strategy, as within a few weeks, I had received information that enabled me to identify a further thirteen globes, making a total of 109. This new list was published in the Boletim da Biblioteca da Universidade de Coimbra' , com­ prising the following: I from the sixteenth century, 10 from the seventeenth, 30 from the eighteenth and 68 from the nineteenth, taking 1900 as the last date for manufacture . In addition to cataloguing a heritage that had been completely for ­ gotten in Portugal , this list showed that most globes were in

c' okJ gJobes In Portugal-,In Annall di Stona deUa SClenza, Florence.Anno 11. 1987. Fase. I. The hst 'Nas also publ,shed In the Journal for lhe Study of GI~ aM RelJted Instruments. Vlenna. 00.35-37.

: • ~ C gODes In Porlugar, In Boletim da Biblioteca da Unrver'Sldade de COimbra. COimbra. vol. 42. 1994

19


exemplares está em mau estado de conservação. O seu restauro é uma medida indispensável e urgente.

generally poor condition, which made their restoratio n an urgent imperative.

Todavia, há um caso que não queremos deixar de relatar pela importância que teve na pesquisa. Uma das pessoas a quem dis­ tribuimos a nossa lista foi Ruben Amaral Júnior, na altura, vice-côn­ sul do Brasil em Lisboa, e que, além de ser nosso amigo, continua um grande apaixonado por temas culturais.

However, one case merits special mention due to its importance in my research . One of the people that I gave the list to was Ruben Amaral Júnior, who was then the Brazilian vice-consul in Lisbon. As well as my friend, he is also a keen lover of cultural issues.

Rubem falou-nos de três globos que não constavam da lista. Dois deles estavam num antiquário, mas o terceiro encontrava-se no Palácio Nacional de Sintra, tendo passado pelas malhas da pesquisa que fizemos através do IPPC.Aliás, viemos a saber que tinha sido a directora daquele magnifico Palácio, Matilde de Sousa Franco, a dar a este último globo a devida importância, tirando-o de um armário onde estava encafuado, e expondo-o ao público. Trata-se de um globo que nos dá a imagem do céu, feito em 12 gomos de metal amarelo, cravados numa estrutura interior. Tem 42 cm de diâmetro e dispôe de um meridiano também em metal. A base está perdida. Christoph Schissler (1530-1608), fabricou este globo no ano de 1575, o que significa que se trata do mais antigo que se conhece no nosso pais.Todavia, este globo celeste, além da sua antiguidade, distingue-se pelas figuras que representam as constelações, que são de grande beleza. Tem também gravados dois brasões, um que presumimos ser uma alegoria à profissão do próprio Schissler, por incluir os desenhos de esferas armilares e do Sol e, outro, com as arma s de Augsburg, onde este artista trabalhou e que exibe as iniciais A V, de Augusta Vindelicorum, que era o nome romano desta cidade' .

20

Sabe-se da existência de numerosos instrumentos, chamados de matemática, produzidos por este fabricante, mas, além do exemplar referido, só se conhece um outro globo, com a sua assinatura, tam­ bém metálico, que se encontra no Museu de Greenwich'o. Este, fabricado em 1597, representa a esfera terrestre, que é suportada pela figura de Atlas ajoelhado sobre uma base ricamente ornamenta­ da.A esfera é de dimensões inferiores à do globo de Sintra.A altura total do conjunto é de apenas 5 I cm. São raros os globos metálicos. A estrutura de um globo é, normal­ mente, constituida por pasta de papel coberta de gesso e, assim, compreende-se que seja extremamente frágil. Quando um globo cai ao chão, em especial aqueles que se usam em cima de uma mesa, porque tombam de mais alto, a sua estrutura tem grandes probabilidades de se partir, e o seu destino é, quase sempre, o sótão, quando o há. Isto, quando o proprietário não toma uma decisão mais drástica . De facto, a recuperação de um globo nestas condições é extremamente trabalhosa delicada e , além disso, dis­ pendiosa.

Globos no Mundo

A primeira tentativa que foi feita no sentido de estabelecer, a nivel mundial, o inventário de globos antigos, deve-se seguramente a Edward L. Stevenson que, em 1921, publicou a obra Terrestrial and

Rubem told me about three globes t hat were not on my list. Two were at an antiquarian's shop, wh ile the third was in the Sintra National Palace, and had escaped my dragnet t hrough the IPPC. In fact, I later discovered that the director of the palace, Matilde de Sousa Franco, had realised the importance of this globe and removed it from a cupboard where it had been hidden away 50 that it could subsequently be exhibited to the public. This globe shows the heavens in 12 segments of yel low meta l, riveted onto an inner structure. It has a diameter of 42 cm and a metal meridian, although the base has been lost. The globe was made in 1575 by Christoph Schissler (1530-1608) . which means that it is the earliest known globe in Portugal. However, apart from its age, this celestial globe stands out owing to the figures that represent the exceptionally beautifu l constella­ tions.lt also bears two Coats-of-arms: one is assumed to be an alle­ gory of Schissler's profession as it includes drawings of armillary spheres and the sun; the other shows of the arms of Augsburg, where the artist worked, and includes the initials A V, for Augusta Vindelicorum, the city's Roman name' . Numerous instruments - called mathematical instruments - pro­ duced by this manufacturer are known to exist, but apart from this one, there is only one other globe that bears his signature . Also made of metal, it is now at the Greenwich Maritime Museum 'o, and was produced in 1597. It is a terrestrial globe supported by the figure of Atlas kneeling on a richly decorated base. The sphere is smaller than the Sintra globe, with a tota l height of just 5 I cm . Meta l globes are rare.The norma l structure of a globe consists of papier mâché covered with plaster, which makes them extremely fragile. When a globe falls, it is likely to break, especially if was standing on a table since it wou ld fali from a greater he ight. Its subsequent destination is normally an attic, if such a thing exists and if the owner does not make a more drastic decision. Restoring a globe that is in this condition is an extremely complex, de licate and costly task.

Globes in the World

The first attempt to draw up a worldwide inventory of ancient globes was made by Edward L. Stevenson when he included a list in Terrestrial and Celestial globes, their history and construction, published in 1921 . I believe that this was an outstanding work for its time, as Stevenson managed to discover over 4,000 globes, and is ali the more impressive since he took 1800 as the later date limit for his research .

9 A descnção deste globo pode ver-se em "The oldes\ eXIsllng globee In Portugal" In joumoJ for me Srudy ar glob€s C1f'Id relmed IOSlrurrl(ln/S, Vlend de Austntl. Nr 38/39 e também em "Schlssler's celestial globe of 1575", In BoIel/tn do &bf;oteco "\J Un "ers;dode de COimbra. C~mbra. vai. 42, 1994 O jacques Van Damme. chamou-nos a atenção para um outro globo celeste. aSSinado por Schrssler, que pertenceu à colecção de Henn MIChel. coleqào estJ que, fOI, quase totalmente. adqUlnda por j. A BlUmelr que. mais tarde. a doou ao Museu da C~f)(la de Oxford ~~.- 3je(emos a 'nformação de Hetde Wohlschlager. membro da Sociedade Coronelt. que se tem empenhado na elaboração da lista mundial de globos..


o 1 From the second half of the twentieth centuJ(Y otÍ\vards, this

search has been taken further by the Cor~1Ii S&iety, partfql~rr (}

Iy thanks to the enthusiasm of Rudolf Schmidt. . _.1-......--:lWl"l'

Celestial globes, their history and construction, e que contém a primeira tentativa de um inventário a nível mundial. Foi, a nosso ver, um trabalho magnífico para a época, pois Stevenson conseguiu encontrar mais de 4 000 exemplares, tanto mais que considerou o ano de 1800, como limite da pesquisa. A partir da segunda metade do século XX a procura passa a ser incentivada pela Sociedade Coronelli, em especial, graças ao entu­ siasmo de Rudolf Schmidt.

The following table demonstrates the number of globes k

worldwide from national lists, many of which have been publslíe<i

in the Coronelli Society journal. These lists generally cover globes

produced before 1850, but in some cases include those con­

structed before 1900 (as is the case with Portugal) and sometimes

include sets of pape r segments, as is true of Holland. The resu lts,

which vary for these reasons , are the work of Heide

Wohlschlager", who has informed me that the list has since

expanded and now totais 4,500 produced before 1850.

Para dar uma ideia dos globos conhecidos a nível mundial, apresenta­ mos os quantitativos correspondentes a listas nacionais, muitas delas publicadas na revista da Sociedade Coronelli. Esclarece-se, no entan­ to, que estas listas, de um modo geral, dizem respeito a globos fabri­ cados até 1850, em alguns casos até 1900, como acontece, por exem­ plo com Portugal e por vezes incluem, também, conjuntos de gomos em papel, como acontece com a Holanda. Os resultados, que a seguir apresentamos - e que, pelas razões apontadas, não são uniformes ­ devemo-los a Heide Wohlschlager", que nos informou que a sua lista já se encontra mais alargada, pois, actualmente, já conseguiu chegar aos 4500 fabricados antes de 1850. PAís COUNTRY

. .

...

NÚMERO DE GLOBOS NUMBER OF GLOBES

.

'

­

DATA DE INVENTÁRIO DATE OF INVENTORY

~

Alemanha Bavária Hessen Schleswig-Holstein Rheinland-Pfalz Baden-Württemberg Berlim Ex Alemanha de Leste

Austrália Áustria ---~.-

-----

Canadá Public Archives, Otawa Museu Stewart, Montreal

Checoslo-;áquia Oinamarca- -­ Estados Unidos América França Grã-Bretanha

---.

_I I

----­ Holanda Hungria Itália

Friuli-Venezia Guilia

Japão

~or_ega u___ Polónia Portugal

-

----------------------i-----

Ex-União Soviética Suécia

T ..

'!

19 43

1992 2000 1964 - W9S­

+ ___

Museu Marítimo de Greenwich

~

1962/1983 1980 1959 1992 1998 2001 1963 1988 1997

----

Bélgic~ -

...

268 92 8 59 109 43 169 13 630 82

1 989

247

~ IO

402

--_.­

231

346 336 27 213 25 100 115 82 109

---­

----

1968 1970

1999 I

1963 1993

-----

globe IS descnbed In -The oldest eXIst1ng globe In Portugar. ln Joumal for thc Study af Globes and Related Inslruments.VJenfl3. no. 38/39 and In -SChlssler's celesual ~Iobe of 1575·, In Boletim da Biblioteca da UnrversK1ade de c.o.rtra.

~br,.

""I. 42.1994. leques Van Damme pornled oul another celestial globe srgned by Schlssler. whlCh belonged to lhe colleclton af Henn MIChel. Th., (ollectlOn was almos! comp1elely purchased by J.A &l1melr: who would 1aler donate 11 to the Oxford x~eMús.eum

:.:. .·.'OI.Ad hke lo thank. t--lelde Wohlschlâger: a member of the Coronel!. SOClely who has dedlCated rnuch time ,nd effort to dlOWlng up lhe worlclllsl of globes. for th!s Informatron.

21


Onde estão os globos portugueses?

Where are the Portuguese globes ?

Existem na historiografia dos Descobrimentos várias referências a globos, como por exemplo aquele que foi levado pelos portugue­ ses que participaram na célebre Junta de Badajoz-Elvas em 1524, na qual se discutiu, aliás, sem qualquer êxito, a exacta posição do meridiano de Tordesilhas. Ou, aquele outro, feito por um famoso e grande piloto que se emborrachava e que Armando Cortesão sugere que seja João Dinis Solis. Ou, então, o que estava a ser fabricado em Sevilha no ano de 1519, pelo cartógrafo Jorge Reinei, para ser usado por Fernão de Magalhães na sua viagem de circum­ navegação.

The hi st oriography of t he age of th e di scoveries includes several references to globes, such as the one t hat the Portuguese took w hen participating in the famous Badajoz-Elvas meeting ( 1524), wh ich in va in d iscussed t he precise pos iti on of the Tordes ill as meridian .Another example was produced by a famous pi lot, whom Armando Cortesão suggests was João Dinis Soli s.Ano th e r still was produced in Seville in 15 19 by cartographer Jorge Reinei and was used by Fernão de Magalhães (Mage llan) on his voyage t hat circum­ nav igated the wor ld.

Na Biblioteca Nacional de Paris existe uma carta anónima que vem reproduzida na Porwga/iae Monumento Cartographica e que os seus autores atribuem a Bartolomeu Velho. Tem as dimensões de 365 x 433 mm, está colada num cartão e encontra-se bastante desbota­ da. Esta carta tem a particularidade de estar desenhada em gomos, sugerindo a sua aplicação num globo, depois de recortados. Aliás este processo, ou a pintura executada directamente na superfície do globo, teriam sido as técnicas usadas pelos cartógrafos por­ tugueses , pois não encontramos qualquer notícia respeitante a gomos impressos a partir de matrizes de madeira ou de cobre.

22

Caso a carta, acima mencionada seja da autoria de Bartolomeu Velho, sugere-nos que este cartógrafo se dedicava também à manufactura de globos. De facto, num célebre memorial que apre­ sentou ao rei de França, consta uma longa "Declaration de plusieurs rares instruments universels, Globes, Cartes de naviguer et Avis", que ele, Bartolomeu Velho, se propunha construir e , dando o devido desconto à fantasia deste cartógrafo, que era no entan­ to um belo desenhador, encontram-se variadas referências a glo­ bos. Numa delas aparece-nos uma proposta curiosa: "arte para facilmente se cartear num globo, com os rumos como numa carta de navegar, e sem quaisquer cerimónias". Chegaram até nós outros textos de autores portugueses que nos falam de globos, como, por exemplo, o capítulo VIII do Tratado de Hidrografia, onde o padre Francisco Costa pormenorizadamente descreve, por volta de 1596, o fabrico de globos em moldes muito semelhantes aos que atrás apresentamos. Não obstante existirem várias referências historiográficas, a ver­ dade é que não chegaram até nós exemplares fabricados por por­ tugueses , a não ser um globo que se encontra na British Library, de Londres, e que foi oferecido a esta instituição por Sir Percival David , no ano de 1962. A esfera, de madeira pintada e lacada, tem o diâmetro de 59 em, o que corresponde a uma escala de 1/21.000.000. Foi executado em 1623, na China, pelos padres jesuí­ tas Manuel Dias, o Jovem, e Nicolo Longobardi (1559-1654), este natural da Sicília. No que respeita a Dias, afinal o único autor português dum globo ainda existente, apesar da obra ter sido feita de parceria, sabemos que nasceu em Castelo Branco no ano de 1574, fez o noviciado em Coimbra, passou à jndia em 160 I e a Macau em 1607, acabando por se estabelecer na China em 161 I, donde acabaria de ser expulso cinco anos mais tarde. Transfere-se para Macau, onde ditou teologia,

The Bibliothéque Nacíona le de Paris owns an anonymo us chart that is reproduced in Portugal iae Monumenta Cartograp hica and that the authors attribute to Barto lomeu Ve lho. Measuring 365 x 433 mm, it is attached to a card and has faded bad ly. One specifi c feature of this chart is that it is designed in segments , wh ich s uggests that it was used on a globe once the sectio ns had been cut out. In fact, Portuguese cartographers wou ld either have used this process or painted di rectly onto the globe's surface, as I have found no reference to pr inted segments based on woodb locks or copper plates . If the chart is by Bartolomeu Velho, it suggests t hat the cartogra­ pher was also involved in producing globes.ln fact, a famous report t hat Ve lho sent to the king of France inc ludes a long "Declaration de plusiers rares instruments universels, Globes, Cartes de nav iguer et Av is" that Ve lho was propos ing to make. Making all owances for the vivid imagination of th is cartographer, also a fine artist, there are several references to globes, one of which includes a curio us pro posa i: "art to eas ily map a globe, with the di rections as on a navigational chart, and with no ceremonies". Other texts on globes by Portuguese authors have also survived, such as Chapter VIII of the Tratado de Hidrografia, in which Father Francisco Costa makes a deta il ed description of t he productio n of globes around 1596 using very similar techniques to those men ­ t ioned above. Although there are several historiographical references , only o ne Portuguese-produced globe has su r vived, and is now at t he Brit ish Library, London, following Sir Percival David's donation to the institution in I962.The painted and lacquered wooden sphere has a d iamete r of 59 cm, correspond ing to a scale of 1/2 1,000,000, and was produced in China in 1623 by the Jesuit fathers Manuel Dias the Younger and N icolo Longobardi ( 1559-1654), a nat ive of Sici ly Dias - the on ly known Portuguese to produce an extant globe (albeit in conjunction with Longobard i) - was born in Castelo Branco in 1574, was a novice in Coimb ra and went to In di a in 160 I and to Macao in 1607. He finally settled in China in 16 1 I, before being expelled five yea rs later. He returned to Macao, w here he taught theology, and again returned to China in 162 1, w here - with Longobardi - he w as e ntrusted with reforming the army and par­ t icu larly the artillery, a mission that these devout Jesu its felt went against their true purpose. Indeed, in the Re latione de lle cose pui notabili ... that happen ed in China in 1619, 1620 and 1621 (written


o regressando à China no ano de 1621, e aqui, juntamente com Longobardi é designado para reformar o exército e especialmente a artilharia, missão que estes devotos jesuítas consideravam oposta aos seus verdadeiros desígnios. De facto Dias, na Relotione delle cose pui notobili... que se passaram na China nos anos de 1619, 1620 e 1621 , mas escrita em 1624, diz--nos que, para além dos caminhos da fé, os interesses dos jesuítas naquele país são as matemáticas, para o estudo das quais dispõem de livros e instrumentos em número sufi­ ciente, e a preparação da reforma do calendário e de projectos similares que, até então, tinha sido impossível de levar a efeito. Para além da participação na construção do chamado globo terrestre chinês, Manuel Dias deixou quinze obras, algumas em língua sínica, todas de temática religiosa, à excepção de uma, inspirada na

Geogrophio de Ptolomeu, a que deu o nome de T'ien wen lueh, e que é a descrição da esfera celeste. Morre na China no ano de 1659. O globo chinês, baseado nos conhecimentos geográficos da época mas , especialmente, apoiado no planisfério desenhado pelo padre Matteo Ricci em 1602, mapa este que, juntamente com o globo, constituem as duas mais importantes relíquias da cartografia europeia na China, apresenta uma aceitável correcção no con­ torno dos continentes, que se distinguem por cores. Assim, a Ásia é amarela, contornada a vermelho. Os mares são verdes. Além disso o globo tem numerosa informação sobre os conhecimentos cosmográficos da época. Enfim, uma bela peça que os portugueses tive ram oportunidade de apreciar durante a XVII Exposição Europeia de Arte, Ciência e Cultura que se realizou em Lisboa no ano de 1983 . Chegados aqui, a pergunta que nos parece oportuno fazer é a seguinte: como explicar o completo desaparecimento de globos antigos por­ tugueses, quando há provas concretaS da sua existência? A resposta é, sem dúvida, igual a muitas outras em que pergun­ tássemos onde estão os astrolábios náuticos, os quadrantes, as balestilhas, as agulhas de marear, as ampulhetas, tudo isto instru­ mentos que foram igualmente fabricados no nosso país e usados pelos nossos pilotos do tempo dos Descobrimentos e dos quais os Portugueses não souberam guardar um único exemplar. No caso dos globos, podemos eventualmente atribuir o facto à política de sigilo imposta pelos nossos soberanos, política que alguns historiadores, hoje em dia , põem em causa. No entanto, é bem conhecido o célebre alvará de D. Manuel, com data de 13 de Novembro de 1504, que reza assim: "...defendemos [proibimos] que não façam nenhuns mestres das cartas de marear, nem outros oficiais nenhumas pomas [globos] grandes nem pequenos, de pouco, nem de muito, porque não queremos que se façam em maneira nenhuma...". Fica assim bem claro que o rei proibia a manufactura de globos, o que pode justificar, na época, a sua raridade e explicar que, actual­ mente, apenas se conheça o exemplar atrás referido, mas que foi feito na China já no século XVII. Em todo o caso, o mesmo não se passou com a cartografia de que existe um património notável , se bem que (e talvez por isso) a maior parte se encontre no estrangeiro. De qualquer modo, com ou sem globos de origem portuguesa, o que acima de tudo interessa é que, actualmente , haja consciência

in 1624), Dias says that apart from the paths that country were interested in mathemat' adequate number of books and instruments to draw up a calendar reform and to make they had not yet had time to implement.

1):

of f~th, ~e jesuits in an d't.'hat they "l'Jafl' (11.1 with which to study,!.-...J.--'_7I'~" similar projects -that ;

e

Besides helping to construct the so-called "Chinese terrestria globe", Manuel Dias also left fifteen works, some in Chinese and ali but one on religious themes. The exception was inspired by Ptolemy's Geographia and was ca ll ed T'ien wen lu eh, a description of the celestial sphere. Dias died in China in 1659. The "Chinese globe" was based on contemporary geograph ical knowledge and especially on the planisphere created by Matteo Ricc i in 1602. Together, the latter map and this globe are the two most important relics of European cartography in Chína.The globe has acceptably accurate outlines of the continents. which are dis ­ tinguished by different colours . Thus. for example. Asia is yellow w ith a red outline , while the seas are green. In addition, the globe has a large amount of information on cosmographical knowledge from that age. Ultimately. it is a beautiful work that the Portuguese were ab le to adm ire during the 17th European Exhibition of Art, Science and Culture. held in Lisbon in 1983 . The most appropríate question now seems to be how to explain the complete disappearance of ancient Portuguese globes when there is concrete proof that they did, ín fact exist. Beyond any doubt. the answer is the same as that given to many others when asking the whereabouts of astrolabes, quadrants, cross-staffs, mariner's compasses and hour-glasses, ali instruments that were produced in Portugal and used by Portuguese pilots during the discoveries. Sad ly. Portugal has not managed to preserve a single one. In the case of globes. this may be attrib utable to the po li cy of secrecy imposed by the monarchs, a policy that some of to day's historians have questioned. However, the order from King D. Manuel , dated 13 November 1504. is well known. reading as follows : "...we defend [prohibit] that any master make sailing charts nor any other officer any globes, e ither large or smal l. any or many. for we do not wish them to be made in any manner... ". This makes it perfectly clear that the king was banning the produc­ tion of globes, which may well explain both their rarity at the time and the fact that only the aforementioned globe from that t ime is known . Even that one was produced in China and only in the seventeenth century. In any case, the same was not true of car­ tography, as there is an exceptionally rich legacy in this field. although (and perhaps because) most of it is found abroad. Either with or without Portuguese-made globes, the fund amenta l issue is that there is now awareness of the incalcu lab le value of these scientific instruments. Alongside cartography, they are docu­ ments of enormous interest for the study and development of the discovery of the world, an area in which the Portuguese were pio­ neers . Whether they are minuscule pocket objects or so large that there is no convenient place to exhibit them; whether they are made of

23


do valor inestimável destes instrumentos cientificos que, junta­ mente com a cartografia, são documentos do maior interesse para estudar a evolução da descoberta do Mundo, de que os Portugueses foram pioneiros. Sejam minúsculos objectos de trazer no bolso ou tão grandes que não se encontre local para os exibir, sejam de madeira, de metal, de papier mâché ou até de papel que tomam forma quando se sopra neles, como num balão, sejam simplesmente a representação da Terra ou do Firmamento e , ao mesmo tempo, uma bela obra de arte, repleta de iluminuras com bases ricamente trabalhadas,

que não destoariam numa sala do palácio do Rei Solou do nosso

D. João V, o que interessa é chamar a atenção para estes instru­ mentos científicos, os quais, devida à sua fragilidade, são extrema­ mente vulneráveis. Necessitam, portanto, de cuidados especiais para a sua adequada conservação, pois só assim se conseguirá pro­ longar-lhes a vida para que possam ser admirados pelas gerações futuras.

05 Coronelli da Sociedade de Geografia Quando elaboramos a lista dos globos antigos existentes em Portugal - já o dissemos - constatámos que, grande parte dos exemplares, se encontrava em estado precário, necessitando de restauro. De facto, julgamos que só assim conseguiremos proteger este patrimónío que - também já mostramos - é extremamente sensível ao tempo e aos homens.

24

Ganhamos algum conhecimento sobre o assunto quando nos envolvemos no processo do restauro dos globos Blaeu do Museu de Marinha e, a partir daí, fizemos o que nos foi possível para transmitir esta preocupação aos organismos que podiam eventualmente resolver este problema. Passaram alguns anos, mas agora é agradável saber que o Instítuto Português de Conservação e Restauro con­ seguiu reunir as condições que lhe permitiram iniciar esse demorado e, por consequência, dispendioso trabalho que vai permitir prolongar a vida desses magníficos objectos de arte e ciência de que nos esta­ mos a ocupar. Devemos esta medida a Ana Isabel Seruya e a Mário Pereira, respectivamente directora e sub-director do referido Instituto e, também, a Joana Campelo que tem a responsabilidade da execução do projecto. Como se trata de um trabalho pioneiro no nosso país, foi decidido pedir o conselho técnico da Biblioteca Nacional

de Paris, onde existe um departamento de restauro de globos. Essa

ajuda tem sido dada por Alain Roger, grande especialista na matéria. Os primeiros globos que foram escolhidos para restauro foram, exactamente, os que se encontram na Sociedade de Geografia de Lisboa, da autoria de Vicenzo Coronelli, já várias vezes mencionado. Estes globos têm uma história curiosa. De facto, nos últimos dias de Junho de 1878, o primeiro-tenente de artilharia Fernandes Costa informou o secretário-geral daquela Sociedade que, no Arsenal do Exército, se encontravam, num depósito de objectos inutilizados, dois grandes e velhos globos que lhe pareciam valiosos e que, segun­ do uma antiga tradição, corrente naquele estabelecimento, tinham sido oferecidos por um soberano estrangeiro ao nosso D. João V.

wood, metal, papier-mâché or even paper inflated like a balloon; whether they simply show the Earth or the Firmament, they are fine works of art that are covered with ill uminated images based on richly carved bases whic h wou ld not look out of place in the palace of the Sun King or of Portugal's João V. The important ques­ tion here is to draw people's attention to these scientific instru­ ments whose fragility makes them very vulnerable. As such, they need special care for their proper conservation, as on ly this wi ll extend their lives so that future generations will be able to admire them.

The Coronelli globes from the Sociedade de Geografia W hen I drew up the list of anc ien t globes in Portugal, I discovered that most of them were in delicate condition and required restora ­ tion work. In fact, I believe th at th is is the only way for us to pro­ tect this her itage which - as shown - is very sensitive to the ravages of t ime and to man's hand li ng. I gained so me experience on th is during the restoration work o n the Blaeu globes at the Naval Museum in Lisbon. Since then, I have done eve ryth ing possible to publicise this concern to t he institu­ tions that may help solve this problem. Although some years have passed, I am delighted to discover that the Instituto Português de Conservação e Restauro has managed to find the means to start th is lengthy and therefore costly work that w ill prolong the lifespan of these magnificent works of art and science . This progress is thanks to the efforts of Ana Isabel Seruya and Má rio Pereira, the director and sub-director of t he institute and of Joana Campe lo, who is responsible for completing the project. As t his is a pioneering work in Portugal, it was decided to request technica l support from the Bibl iothéque Nac ionale de Paris, which has a department for restoring globes.The corresponding su pport has been given by Alain Roger, a great specialist in this field. The firs t globes chosen for restoratio n were those from the Sociedade de Geografia de Lisboa, wh ich were constructed by Vicen:w Coronelli. The globes have a curious history. In late June 1878, first-li eute nant of arti ll ery Fernandes Costa informed the society's secretary-ge neral that the army arsena l had two large ol d globes, which he t hought were valuab le , in a storeroom full of unused objects. Longstanding traditio n at the arsenal held that they had been given to King João V by a foreign ru ler. Even 50, some time later, a proposa l was made to use these outstanding objects as fuel for a kiln in the foundry " . Acco rdi ng to Lu ciano Cordeiro, the globes were severely damaged as a resu lt of having been abandoned for many years. They were do nated to the Sociedade de Geografia 03<" \ by an order fro m the minister of war. Luc iano Cordeiro, who studied the globes, accepted that they were built betwee n 1692 and 1694, the year when Doge Francesco Moros ini died and to whom, as shown by one of the cartouches, one of the globes was ded icated. I have e lsewhere stated and repeated - as did Luciano Cordeiro ­ that the globes were a gift from a fore ign ruler to João V of

12 LUCiano Cordeiro. "os globos venezianos da SOCiedade ~ Geographl3 de llsboJ", 111 Boletim do Sociedade de Geogrophlo de Lisboa. n.o 2, 1887. pp 24 2 ~5 r 3 SuppJernento ó Co(fecção dos 1r00ados. COflV€nçÕ€'S. Contratos e ACiOS: PUblKOS celebm<1os entre a ( oróo rle Portupol e as mOiS Potenoos desde 1640. comPIlados. coordenados eonnotados oelo Visconde de Bor2es de Casuo e cOfltilUOCão FrrmlfXJ J ICe &ker.Tomo X. Lisboa. 1873. p.271 e 273

14 Idem. p275 e 277

15 Idem. p 279

16ldem.p 281 e28 3

7 kJem D 284·5

por tu/lO


'1

Mesmo assim, algum tempo atrás, chegara a vigorar a ideia de aproveitar aqueles notáveis objectos como combustivel para um forno de fundição". Luciano Cordeiro, a quem estamos a recorrer, diz-nos que os glo­ bos, infelizmente, muito deteriorados pelo brutal abandono de lon­ gos anos, foram cedidos à Sociedade de Geografia , por despacho do Ministro da Guerra. Luciano Cordeiro, que também fez o seu estudo, admite terem sido construídos entre 1692 e 1694, ano em que morreu o doge Francesco Morosini e ao qual , con­ forme é mencionado numa das cartelas, foi dedicado um dos glo­ bos. Nós já referimos este episódio mais de uma vez, em artigos que escrevemos sobre o assunto, repetindo - como fez Luciano Cordeiro - que os globos tin­ ham sido oferecidos por um soberano estrangeiro ao rei D. João V Todavia, quando o Instituto de Conservação e Restauro nos pediu um texto para inserir numa publicação dedicada ao início do restauro de globos no nosso país, achá mos que devíamos tentar saber algo mais sobre esse enigmático soberano estrangeiro e qual a razão que motivou tal oferta.

Portugal. However, when the Instituto de ConserY(ção'\ Restauro {\.. ~ requested a text for a publication on the bepij1n ing? of restcSFtt<lrr I t. ( work on globes in Portugal, I thought I should discover more abo ut_ ..J-_ -:l1f"f" this enigmatic foreign ruler and why he made th is gift. -

Knowing that Vicenzo Coronelli was a Venetian and was the Q$~

famous globe-maker of the age, a large pair of glo bes would cer­

tainly be a prestigious gift from the Venetian republic. The question

was: what lay behind this present)

qu.e

It is well known that Portugal and Venice shared a common cause, as João V decided to help the republic to contain the Turk ish threat. In fact, the Portuguese king was the on ly Christian monarch to respond to Pope C lement XI 's incessant pleas.

The first request was made in a brief dated 17 January 1715, when the pope asked João - nicknamed "the Magnanimous" - to he lp the public defence against the "blood­ -thirsty enemy"l3. A second and urgent appeal for help was made on Exposição Oceanographi ca, Sala da índia, Sociedade de Geografia , 6 January 1716", and the following day brought an appeal to D. Maria Ana of Austria to intercede with her royal husband, supporting the cause " and encouraging him "with ali efforts and energy [to join] Assim, sabendo que Vicenzo Coronelli era veneziano e o facto ter this pious and most worthy cause". He was also asked to "send sido o mais famoso fabricante de globos do seu tempo, admitimos the largest possible number of ships to reinforce the Christian que um par de grandes globos poderia ser uma prestigiante ofer­ fleet", sh ips which "should be off Malta at the beginn ing or at least ta feita pela Sereníssima República de Veneza. Mas qual teria sido o before the middle of April" " . Some time after this appeal (dated motivo dessa oferta? 18 January), João V sent a letter to the Doge (16 July) to inform him that he had ordered "a squadro n to be formed, composed of É bem sabido que Portugal e Veneza tiveram uma causa em comum the ships that could be made ready w ith in the short t ime quando D.João V decidiu ajudar aquela República mediterrânea a con­ requested by His Ho liness" and that the squadron "Ieft on the tenção perigo Turco.Aliás foi o único soberano cristão que atendeu às fourth of th is month" ". solicitações insistentes do Papa Clemente XI. In fact, this squadron, under Lopo Furtado de Mendonça, the Count of Rio Grande , returned to Portugal without having seen o primeiro pedido foi feito pela breve de 17 de Janeiro de 1715, any military action. Yet on the same day, 14 December, the pope em que o Sumo Pontífice solicitou ao nosso rei Magnânimo que again requested urgent reinforcements so that "ali the ships and acudisse à defesa da salvação pública contra um "encarniçado auxiliary galleys from the Christian flee t wi ll be off Corfu by at inimigo" '] Novo pedido de auxílio e com urgência, em 6 de Janeiro least the middle of the next month of April" " . de 1716"; e logo no dia seguinte, um apelo a D. Maria Ana de Áus­ tria, para que interceda junto do real esposo, e advogue e promo­ va "com todo o esforço e empenho esta pia e justíssima causa" " ; e torna a pedir que " mande para reforço da armada cristã o maior número de navios que puder" e que esses navios "estejam no princípio, ou pelo menos, antes do meio de Abril nas águas de Malta"'·. Após este apelo, de 18 de Janeiro, D. João V, envia uma carta ao doge de Veneza, com data de 16 de Julho, informando-o que já tinha mandado " prevenir uma esquadra composta dos navios que se poderão aprestar dentro do pouco tempo que Sua Santidade desejava" e que essa esquadra "partiu com efeito em quatro do corrente"". Na realidade , esta esquadra, comandada por Lopo Furtado de Mendonça, conde de Rio Grande, regressou a Portugal sem ter tido qualquer acção. Todavia, ainda no mesmo ano, a 14 de

João V sent another squadron in 1717 under the same admiraI. Fighting alongside the Venetian forces under Andrea Pisani , it destroyed the Turks in a battle at the Hapan inlet, some 25 miles from Cape Matapan, although the battle was named after the lat­ ter location. There are several reports on this successful naval action, but the work of Mário Domingues, D. João V, o Homem e a sua Época pro­ vides the invaluable information that "the Venetian senate sent its ambassador, João Mocenigo, who would later become Doge, to Portugal so as to thank King João V fo r the excellent service ren­ dered"" .

2 LU(lano Cordeiro. ·0.. globos veneziaflOS da Sociedade de Geographla de LISboa-. In Boletim da SOCIedade de Geograprlla de Lisboa. no. 2. 1887. pp. 242-5 3 Suppremento á Collecção d05 Trat,ldos. Convenções. Contratos e Actos Publlcos celebrados entre a CorÔ<l de Portugal e as mais PotenClas desde 1640. compilados. coordenados ednnotados pelo VIsconde de Bar tlnuação por JuliO Firmino JudlCe Blker: Tomo X. Llsbon. 1873. pp. 27 r and 273 4 Idem. pp 275 and 277. 5 Idem. P 279. 6 Idem. pp 281 and 283. 7 Idem. pp 284·5 8 Idem. pp 287 and 279 9 DOMINGOS. Mdno. 0.10;0 V o Homem e a lua Épo<:a. p. 203.

de Castro e con

25


Dezembro, o Papa volta a pedir reforços apressados, de modo a que "todas as naus e galeras auxiliares da armada cristã estejam pelo menos em meio do próximo mês da Abril nas águas de Corfu"". D. João V envia nova esquadra, em 1717, comandada pelo mesmo almirante conde do Rio Grande, a qual, em conjunto com as forças venezianas sob o comando de André Pisani, destroça os Turcos, na batalha que se desenrolou na enseada de Hapan, a cerca de 25 milhas do cabo Matapan, mas que ficou na Historia com este últi­ mo nome. Existem numerosos relatos desta bem sucedida intervenção naval , mas fomos encontrar na obra de Mário Domingues , D. João V, o Homem e a sua Época, a preciosa informação que "o senado veneziano enviou depois a Portugal, a fim de agradecer a D. João V tão altos serviços prestados, o seu embaixador João Mocenigo, que mais tarde viria a ser 'doge' de Veneza"".

26

Este autor é pouco generoso no que respeita à indicação de fontes e, assim, nada mais ficamos a saber acerca deste embaixador e da sua acção junto da corte portuguesa. Todavia, a Gazeta de Lisboa, assinala que "O Senhor D. João Mocenigo, ministro extraordinár"io da Serenissima República de Veneza, para Sua Majestade Que Deus Guarde, chegou a esta Corte no dia 27 do mês passado [Novembro de I71 7] e fica alojado nas casas que foram do Inquisidor Francisco Barreto de Menezes"".A mesma Gazeta, cerca de um mês depois informa que "O ministro de Veneza teve audiên­ cia particular de Sua Majestade, na qual em nome da sua República lhe agradeceu o socorro com que este ano reforçou a sua Armada naval expressando dever-se à esquadra Portuguesa grande parte da vitória que se alcançou dos Turcos"". O sucesso da sua passagem pela Corte de Lisboa poderá estar reflectido numa carta para o Doge de Veneza, datada de 1718, onde se refere que o "( ...) ditto Cavalleiro Luis (sic) Mocenigo, que pellas suas singulares prendas e consumada prudência se f.s digno de maiores empregos (.. .)"." Teriam os globos Coronelli sido trazidos pelo embaixador João Mocenigo, como expressão do reconhecimento da Serenissima República de Veneza, pela nossa participação na batalha do cabo de Matapan l Não sabemos. No e ntanto, este tipo de oferta foi práti­ ca frequente ao longo dos tempos. Aliás, e ainda sobre este mesmo acontecimento, o Papa, agradecido pela participação por­ tuguesa, enviou ao "amado filho nobre varão Lopo Furtado de Mendonça, conde do Rio Grande, almirante da esquadra portugue­ sa pela mão dum tal Afonso de Horanza, um " rosário de heliotró­ pio oriental, enriquecido com sagrados tesouros de indulgên­ cias"". E esta oferta aumentou a nossa expectativa. Como não encontrá mos, nos arquivos nacionais, documentação respeitante às relações diplomáticas entre Portugal e a República de Veneza, que pudessem sustentar a nossa conjectura, decidimos deslocarmos a Veneza , na esperança de ai existirem fontes capazes de nos esclarecer que prenda teria trazido - se trouxe - o tal embaixador Mocenigo a D. João V, como reconhecimento pela generosa participação na batalha de Matapan. Marcamos, para o efeito, passagem de avião para nos deslocarmos a Veneza e ai tentarmos procurar efectuar a necessária pesquisa. Entretanto, a equipa de trabalho do In stituto de Conservação e

As Domingues was economical in revealing his sources, nothing more is said of the ambassador and his mission to the Portuguese court. However, the Gazeta de Lisboa noted that "João Mocen igo, extraordinary minister of the Most Serene Republic ofVenice to His Majesty, whom God preserve, reached this court on 27th of the last month [November 1717] and is staying in the houses that belonged to Inquisitor Francisco Barreto de Menezes"" . Around one month later, the Gazeta added that "the Venetian Minister was granted a private audience with His Majesty, during which on behalf of his republic he thanked the king for his help this year in reinforcing the naval fleet, stating that much of the victory over the Turks was due to the Portuguese squadron"" . Mocenigo's success­ fui visit to the lisbon court may also be reflected in a letter to the Doge, dated 1718, which mentions the ''(-..) said Gentleman Luis (sic) Mocenigo, whose singu lar gifts and consummate prudence make him worthy of higher tasks (.. .)"". Although it cannot be stated with absolute certainty, the Coronelli globes may have been taken to Portugal by Giovanni Mocenigo as a token ofVenice's gratitude for Portuguese support in the battle of Cape Matapan . Yet this type of gift was common practice over the centuries. Indeed, the pope - still referring to the same event and equally grateful for the Portuguese support - sent an "Oriental he liotrope rosary enriched with sacred treasures of indulgences" to "our beloved noble son Lopo Furtado de Mendonça, Count of Rio Grande,Admiral of the Portuguese squadron" via a man called Afonso de Horanza 2J This gift also encouraged me to pursue the issue. As Portuguese archives did not provide documents on diplomatic re lations between Portugal and Venice to support this theory, I decided to go to Venice in the hope of finding sources that would clarify which gifts Ambassador Mocenigo would give or actua lly gave to João V in recognition of Portugal's invaluable participation in the Battle of Matapan. I even booked the flight to Ven ice so that I could carry out the required research. In the meantime, the team working at the Instituto de Conservação e Restauro, which was equally interested in the provenance of the globes from the Sociedade de Geografia, con­ sulted Marie Thérêse Mandroux França. She has spent many years working on the history of art in the reign of João V, a field into which the Coronelli globes obviously fito The author of the magnificent, recently publ ished work Catalogues de la collection d'estampes de Jean V, roi de Portugal, kindly informed them that during her research, she had come across a reference to two globes by Coronell i in the Tarouca Archive. I am most grateful to Marie Thérêse Mandroux França for her invaluable help in defini ­ tively clarifying a doubt that had lingered for over a century. The references she had seen appear in two letters that were both sent by João Gomes da Silva, the Count of Tarouca and ambassa­ dor in The Hague , to the Portuguese Secretary of State.The letters confirm one question and raise two others. First, they confirm that the globes from the Sociedade de Geografia were purchased in The Hague by the count, although some doubt remains as to whether these magnificent pieces were

18 Idem. p. 287 e 279. 19 DOMINGOS. Mano. D. JOOo VD. Homem e a suo Época. Romano TorreülSboa. 1964. p.20J 20 pag 20] 21 Gaze<a de UsboJ.9·12·1 717. 22ldem.2 J-12-1717 2l Supplemento a Collecção dos TCiliados . p 297 e 299. 24 8tbbotec.a da Academkl das Ciências. ms 602-A transcnto por Luis Ferrand de Almeida. "o. João V e Slbhole<:a Real . In Remta da UMersKiade de COImbro. volume XXXVI. COimbra 1991. p432. 25 Vnona Moc.erllgo. N-.fTS€ Moceorgo Doge dl Veneza. MIS< C t 1627 da Biblioteca NaztOnale MarCiana. em Veneza.


t

Restauro, tendo-se interessado, como nós , pela proveniência dos globos da Sociedade de Geografia, recorreu a Marie Thérése Mandroux França que se dedica, há longos anos, ao estudo do reinado de D. João V, no sector de História de Arte, onde os nos­ sos Coronelli, sem qualquer esforço, se podem situar. Pois bem, a autora dessa magnífica obra, recentemente publicada com o título

Catalogues de la collection d'estampes de Jean V. roi de Portugal, amavelmente informou que, durante as suas pesquisas, tinha detec­ tado a referência a dois globos daquele mesmo fabricante no Arquivo Tarouca. Estamos agradecidos a Marie Thérése Mandroux França, por esta preciosa ajuda que veio, definitivamente, esclare­ cer uma dúvida que se mantinha há mais um século. Duas cartas do conde de Tarouca trazem -nos uma certeza e duas dúvidas. De facto, ficamos com a certeza de que os globos da Sociedade de Geografia, foram adquiridos em Ha ia pelo conde de Tarouca. Fica no entanto por esclarecer, em primeiro lugar, se estas belas peças foram aceites por D. João V para serem integradas na Biblioteca Real.Admitimos que sim. A este propósito, é oportuno que se diga que os globos (quase sempre aos pares), além de fornecerem a configuração do céu e das terras, eram também instrumentos de prestígio que não fal­ tavam nas grandes bibliotecas, fossem elas do Estado ou privadas. No Palácio e Biblioteca da Ajuda encontramos quatro globos (dois deles William Blaeu, infelizmente inutilizados, devido ao rescaldo de um fogo) e na Biblioteca do Palácio de Mafra, dois da primeira metade do século XVIII. António Galvão de Castelo Branco que no ano de 1727, por ordem de D. João V, andou a visitar as "livrarias" de Cambridge e Oxford, respondendo à pergunta 10' que lhe foi dirigida pelo secretário de Estado Diogo de Mendonça Corte Real escreve:" A I O", sobre globos, somente na livraria pública de Oxford os há e estes são dos maiores"", o que permite deduzir que os globos eram objectos de interesse para D. João V e, muito provavelmente, para o recheio da Biblioteca Real. É evidente que fica por esclarecer como é que os dois belos Coronelli foram parar ao Arsenal do Exército.Acreditamos que tal tenha acontecido durante ou após o fogo que se sucedeu ao Terramoto em que era urgente arranjar depósitos para os salva­ dos. Depois, o desinteresse e a ignorância fizeram o resto. Chegados a esta situação parece que poderíamos encerrar este assunto pois já não se justificava a procura que desejávamos fazer nos arquivos de Veneza. Acontece que, devido ao tipo de viagem aérea que escolhemos, foi-nos impossível cancelar o voo. Assim sendo, não tivemos alternativa: seguimos mesmo para Veneza e, naturalmente, aproveitamos para saber quem foi esse tal João Mocenigo, embaixador em Portugal e futuro doge, como nos diz Mário Domingues.

o

único Giovanni Mocenigo que encontrámos e que veio a ser doge deVeneza, foi Alvise Giovanni Mocenigo, que ficou na História com o nome de Alvise IV. Era membro de uma nobre família de Veneza que se estendeu por séculos. Este Giovanni é filho de Marcantónio - que viria a ser o doge Alvise 111, de 1722 a 1732 ­ nasceu a 19 de Maio de 170 I" e , assim , quando chegou a Portugal

:0 : :: :'

accepted by the king to b~ incorporated into personally believe that they were.

V>

t~Ro~li,9pry. I 111

4

(1

_..J----~l'IiI

It should be noted that t he globes (al most always pai rs) nO~J>n l ~ showed the configuratio n of the skies and t he land, but wer ~ prestigious instruments t hat were always to be found in major libraries, whether state or private. T he Ajuda Palace and Li brary owns four globes (two by William Blae u that were ru in ed following a fire) , whi le the Mafra Palace Library also has two from the first half of the eighteenth century. In I 727. João V ordered Antón io Ga lvão de Castelo Branco to vi sit the "Iibraries" of Cambridge and Oxford. In response to the tenth question addressed to him by Secretary of State Diogo de Mendonça Corte Real , Castelo Branco wrote: "On point ten , regarding globes, only the public library in O xford has them, and t hese are among the largest"", which leads to t he concl us ion t hat glo bes were of interest to João V and very proba bly of importa nce for the Royal Li brary. Evidently, there is still a need to clarify how these two beautifu l Coronell i globes came to end up in the army arsena l. I believe this may have happened during or after the fire that broke out follow ing the great Lisbon earthquake of 1755, when it became necessary to find storage space for surviving items . The subse­ quent lack of interest and ignorance did the resto Having reached this situation, the subject could reasonably be closed, and my trip to the Venice archives was abandoned as point­ less. However, the type of flight booked meant that it could not be cancell ed, so I we nt and took the opportunity to di scover more about G iovann i Mocenigo, the ambassador to Po rtuga l and future Doge, as Mário Domingues said. The only Giovanni Mocen igo who would beco me the Doge was Alvise Giovanni Mocenigo, who is recorded in history as Alvise IV. He was a member of a nob le and long-established Venetian family, the son of Marcantónio - Doge A lvise I1 1 (1722-1732) - and was born on 19 May 170 I" . If th is is so, he was just sixteen years old when he reached Portugal as an ambassador, w hich ra ises some doubts as to the accuracy of the information. There seems to be no doubt that Giovann i was in fact an ambassador to Portugal . A sli m work by Vitto r ia Mocen igo, pu b­ lished in 1905 , states that aged just 30, Alvise G iovanni wa s an ambassador in France from 1730 to 1733 . The same work also notes that Alvise was later an extraordinary ambassador to the Vatican when Pope Benedict XIV was elected in 1740 and that he fulfi ll ed the same ro le in the same year to João V. Although Vittoria Mo cenigo guarantees that G iova nni was an ambassador to Lisbon, the date given does not matc h the fa cts.T he Venice State Archive has an index with the dis patches of the ambassado rs and notes a series of letters written by Alvis e Mocenigo.The first, sent from Lisbon, is dated 30 November 1717 and describes t he audience granted by João V one week before , o n 23 November, as also recorded in the Gazeta de Lis boa. T hus , there seems to be no doubt that the first dip lomatic post which Morcen igo held was in Lisbon and not in Paris, as Vittoria

Pag 203

Gaze", de LJsboa. 9 December 1717. """.23 De<ember 17 17 SoWemento á Coliecção dos Tra"'dos.. pp. 297 and 299. : .. B.OIoo:.eca da AcademIa das ClerlC.aS. ms, W2-A transcnbed by Luis Ferrand de Almetda. ·0. João V e a BIblioteca Real-, In Re'l.IlSla da Unrvers.dade de COimbra. ~ • ·~ OI"a Mocen'go.AMse IV Mocenlgo Doge di Veneza. Mlsc. C 11627. BiblIOteca Nazlonale Marctana.Venlce.

ume XXXVI. COImbra. 1991. p 432.

27


como embaixador tinha apenas 16 anos. Poderemos aceitar esta informação como certa? Que Giovanni foi embaixador em Portugal, parece não haver dúvi­ da, pois tal é afirmado numa pequena obra escrita por Vittoria Mocenigo", em 1905, que nos diz que, com apenas 30 anos, Alvise Giovanni foi embaixador em França de 1730 a 1733. Nessa mesma obra somos ainda informados que Alvise foi, mais tarde, embaixador extraordinário ao Vaticano por ocasião da eleição do Papa Benedito XIV, em 1740 e, neste mesmo ano, exerceu funções idên­ ticas junto do rei D. João V

É certo que Vittoria dá-nos a garantia que Giovanni foi embaixador

em Lisboa, mas a data não confere com a realidade. De facto, no

Arquivo do Estado de Veneza, existe um indice com os despachos

dos embaixadores, que nos remete para uma série de cartas escritas por Alvise Mocenigo. A primeira dessas cartas foi enviada de Lisboa, tem a data de 30 de Novembro de 1717, e descreve a audiência que lhe foi concedida por D. João V, uma semana antes, isto é, no dia 23, como foi noticiado na Gazeta de Lisboa. Assim, parece não restar dúvidas que o primeiro posto diplomático foi Lisboa e não Paris como sobressai do texto de Vittoria Mocenigo, acima transcrito. Deste modo teremos de admitir que Giovanni foi embaixador - aliás com uma missão bem modesta - com a idade de 16 anos. O que talvez possa ser facilmente aceite atendendo a que ele era um Mocenigo. Curiosamente, Giovanni veio entregar as suas credenciais a um D. João que tinha sido rei, exactamente, com aquela mesma idade.

30

Para terminar importa dizer que a carta com a data de 30 de Novembro, acima referida, e que relata a audiência que foi conce­ dida a Giovanni Mocenigo, não refere que este tenha trazido algu­ ma lembrança para o Rei Magnânimo. Possivelmente, não era prática seguida pela Sereníssima República de Veneza.

Os globos barrocos Para além da própria concepção de um globo propiciar uma função decorativa, eles podem estar igualmente sujeitos a uma imagem política, quando associados à presença de um monarca. Isto ocorre quando a esfera é apresentada por figuras alegóricas, como a Vitória ou a Justiça, ou integrando emblemas reais. Assim, com­ preende-se a presença de globos e esferas armilares nas divisas e frontispícios de obras importantes ou quando surge nos retratos

oficiais de reis, aqui como expressão da amplitude de visâo política.

Dentro desta óptica foram criadas constelações com alguma conotação política. Duas podem ver-se no globo celeste de Coronelli, aqui indiscutivelmente associadas à monarquia francesa, pois estes objectos constituem reduções do que originalmente foi criado para Luís XIVA primeira é a constelação do Lírio ou Flor de Lis, forma como aqui é representado este símbolo da monarquia francesa. O segundo elemento é a constelação do Ceptro que, infelizmente, no globo da Sociedade de Geografia perdeu a legenda, mas, nos fusos da edição de Paris de 1688 executados para a actual intervenção de Conservação e Restauro, pode ler-se "Nova Constelação feita no Grande Globo de S(ua) M(agestade) Cristianíssima de Estrelas ainda sem motivo as quais quando passam

Mocenigo's" text suggests. It must therefore be accepted that Giovann i was indeed the ambassador - albeit on a very modest mission - when aged just sixteen . A fact that is easier to under­ stand given that he was a member of the Mocenigo family. Curiously, Giovann i presented his credentials to a man who had beco me king at exactly the same age. Finally on this issue, it has to be said that the aforementioned letter of 30 November concerning the audience granted to Giovann i Mocenigo makes no mention of any gift to João V, as this may not have been a practice among ambassadors from the Venetian republic.

Baroque globes

The design of a globe not only played a decorative role, but could also have a political dimension when associated to the figure of a monarch through the presence of allegorica l figures such as Victory or Justice, or royal emblems. This also explains the appearance of globes and armillary spheres on heraldic devices, the frontispieces of major books and official royal portraits, expressing the breadth of the respective monarch's political vision. This was the background for the creation of constellations that had political connotations . Two such examp les can be seen on Coronelli's celestial globe, and are unquestionably related to the French monarchy, as the globes are reductions of the one original­ Iy made for Louis X IV The first is the constellation of the Lily or Fleur-de-lis, the symbol of the French monarchy, while the second is the constellation of the Hand of Justice, which has unfortunate­ Iy lost its caption on the globe from the Sociedade de Geografia. However, the gor-es on the Paris edition of 1688, used for the restoration work here read "New Constellation made on the Great Globe of H(is) Most Christian M(ajesty) of Stars still without a motif, which are vertical to the kingdom of France when they pass over the Paris Meridian"" . Thus, the firmament - and by correlation, the globe itself - became an objective means of demonstrating the king's divine right. Coronel li's globes marked the peak of this art-form, as he pro­ duced unique works for a select clientele of sophisticated patrons . Even taking into account the state of contemporary scientific knowledge - the fact that he included the Arabic names of the constellations is an unusual feature that demonstrates Coronelli's characteristic respect for history and epistemology - the main purpose of these globes was fundamenta lly artistic. The spectacu­ lar sculptural design of the figures, indicating a Baroque taste rooted in influences that also guided the work of Arnould de Vuez (1644-1729) 28 and Jean Baptiste Nolin (1657-1725) " , relegates the stars to a secondary position and creates an aesthetic object rather than a scientific instrumento The success and sophistication of these globes was unusually reflected in I72S, when Pierre Chapelle - working in Rouen at the factory of Madame Lecocq de Villeray - produced three exception­ ai pairs of pottery objects based on the Libro dei Globi. lO Vincenzo Coronelli's reputation was consolidated in 1681 when he

26 Alctuvo df 510(0 di VenezlO. Chspoccrn degll amboso(JtOfJ oJ senato. Indlce. Roma. 1959

27 Tradução de "Nuova (oSl.eUolJone €reuo ne Gron Qof)j di S. M CnSlJonlsS di Slelk puma In(orm te quo", quando possano solto ,/ Meridiano di POngl sono vertICais oquello ReggJ(l"

28 Estudou em Parrs,Veneza e Roma. TrabJlhou com Le Brun. em Versalhes. Grande número das suas obras encontra-se em edifíCIOS religiosos de une. Cambral e DouJI. 29 Gravador de bunl e editor, aluno de NfColas de POllly_ Viajou para ltáha para prossegUir os seus estudos onde conheceu as obras de alguns pintores que InfluenCIaram profundamente o seu trabalho, como AnniooHe CarraCCl e NlColas PousSln,Teve a titulo de "Gr<N'ador do rei a talhe-doce". PELlETIER Manlque, ROGERAlaln, - «La renaJSsance des gtobes de Caronelh (1650-1718) au Musée des Beaux-Arts de ulle», p 69. 30 Um dos pares pode ser observado no Museu de Cerãmlca de Ruão. proveniente do castelo de Bo,sgUllbert. um segundo par encontra-se no castelo de CholSy, nos aposentos de Rei Luis XlV. o terceiro par figura na cole<ção oentiflCa de ,Ioseph Bonruer de la Moss.on (1702-1744). tesoureiro do estado do Langueóoc. O diâmetro destas peças é de 45 em. -: 1'-.3 sua B.bllotheca Unrversale Coronelll publICa o PnVlleg,o de! Re CnS"tIanlSSlmo ne'dl IUI Statl alie Opere tutte dei Padre Cosmografo Coronel h, ovunque S/ano stampate. Neste texto, refere-se que "... Cuglno 11 Cardinal : Es:'"et"S..i f,.-e 2 GIro runo Celeste .a!tro Terrestre. li pu; grandl che Sla~ gammal St..all (anl. e che sono destlnatJ pe'l nostro CasteHo di Versagh..... tendo passado para Marly. por não h.r-.rer espaço em Versalhes para os colocar.


sobre o Meridiano de Paris são verticais a aquele Reino""- Deste modo, o firmamento e por correlação o próprio globo tornam-se suportes objectivos da demonstração régia do direito divino. O s globos de Coronelli representam o apogeu desta arte, sendo o bjecws únicos, destinados a uma selecta clientela de patronos excl usivos. Ainda que considerem o conhecimento científico coevo - a inclusão dos nomes árabes das constelações é um aspecto inco­ mum demonstrativo do respeito pela História e Epistemologia, que Glracteriza o trabalho deste cosmógrafo - o principal propósito destes oqecros é, essencialmente, artístico. A especta-cular concepção escultórica do desenho das figuras, indieiadora do gosto Barroco cuja raiz se pode encontrar nas influências que nortearam a obra de Arnould de Vuez (1644-1729) " e Jean Baptiste Nolin (1657­ 1725)" , subalterniza a posição das estrelas, tornando-o mais um objec w estético do que um instrumento científico. O sucesso e requinte destas peças teve uma manifestação inco­ mum pois, em 1725, Pierre Chapelle executa em Ruão, na manu­ factu ra de Madame Lecocq de Vílleray, três pares excepcionais de peças em faiança a partir do libro dei Globi 1o • A re putação de Vincenzo Coronelli firmou-se em 1681 com a exe­ cução dos chamados Globos de Marly", para Luís XIV e com um diâmetro de quase 4 metros. O globo celeste apresentava uma decoração pintada unicamente em tons de azul, o que , normal­ mente não ocorre nas suas reproduções menores" . Estas obras Md'esquisito lavoro", como refere Coronelli na sua Bibliotheca Universale" poderiam surgir em quatro tamanhos". A pro dução de globos impressos com um metro de diâmetro, é uma empresa que requer considerável investimento da parte do seu executante. Um globo com cerca de 32,5 cm de diâmetro pos­ -sui uma área de c. 3300 em' , um globo com I metro tem 9 vezes esta medida, c. 300 000 cm' e pode facilmente conter informação equivalente a um atlas médio de cerca de 50 páginas" .

À concentração de informação patente nas peças de Coronelli não será al heia a publicação da sua Bibliotheca Universale, cujas entradas refere ntes a cada constelação explicam algumas das ideias expres­ sas de forma sucinta no globo. Um exemplo pode ser observado na Aro qu e na Bibliotheca surge como: " ALTARE. Lat. Ara. Rã; f I. Nome d'uoo Celeste Coste/lazione, ,h'e la Lv. E xv. Me ridionale, detta altrimente Thunbulum, Altarium, Pharus, Sacrarium, Plneus, Templum , Focus , Tripos , Promorum, Receptaculum Ignitabulum, e 00' Grec. Fú questa già composta di 4 sok ste/le; ma nel nostro Globo vien e/la •. No globo celeste a rota com 9 .. "O mesma legenda resumiu-se a "... Thuribulum, Altare, vel Altarium, Pharus, Socrarium, Puteus, Templum . Focus, Promorum, Receptaculum..." Assim, Coronelli transformou os seus g,tobos de I metro em enciclopédias apresentando o rridi mensionais,

Lege nda da cons telação Ara. Gl obo celeste

produced the so-called Marly Globes, which h~ a '!iameter of almost four metres", for Louis XIV.The ~yoratrón of théfc,IJ~" tial globe is pain ted almost exclusively in shades of blue, which nor­ mally does not appear on the smaller reproductions 12 .TlTese ~r')s "d'esqu isito lavoro", as Coronelli himself says in his Biblia'tn Universal e" , could be made in any af four sizes". The productian of printed glabes measuring one metre in diame­ ter requires considerable investment by the manufacturer.A globe with a diameter of around 32.5 cm has an area of approximately 3,300 cm2, whi le a globe measuring I meter has nine times as much (around 300,000 cm2) and can easi ly contain as much infor­ mation as a medium-sized atlas with around fifty pages"-

que

The publication of Coronelli's Bibliotheca Universale is probably related to the concentration of information in his globe, as the Bibliotheca's references to each constell ation explain some of the ideas found in succinct form on the globe. One example can be seen on the Ara constell ation, which is described in the Bibliotheca as: "ALTARE. Lat. Ara. R.e f. I. Nome d'una Celeste Costellazione, ch 'e la Lv. E Xv. Meridionale, detta altrimente Thuribulum,Altarium, Pharus, Sacrarium , Puteus, Templum, Focus, Tripos, Promorum, Receptaculum Ignitabulum, e da' Grec. Fú questa già composta di 4 sole stelle; ma nel nostro Globe vien e ll a figurata com 9 ... " 16. The same caption on the celestial globe is reduced to "... Th uribulum, Altare , vel Altarium, Pharus, Sacrarium, Puteus, Templum. Focus, Promorum, Receptaculum .. ." Thus, Coronelli managed to transform his one-metre globes three-dimensional encyclopaedias, showing the world and its his­ tory in beautiful cartouches that are decorated with allegories that com bine accurate information - such as the magnetic variations observed during S. Chaumont's journey on the L'Oyseau fro m Brest to Siam in 1686 - with mistakes that are understandable d ue to limited know ledge of the world . Coronell i's concern for accurate references to his sources is well known, as shown by the comets on the celestial globe .These men­ tion the paths, observers and recorded dates, as well as listing the various angles considered between the Equator and the ecliptic. They also include opinions by astronomers ranging from Aratus (c. 315/310-240) to Giovanni Cassini (1625-1712) . The oceans contain no monsters, but are shown being crossed by numerous ships from different loca­ tions, mentioning their origin and purpose.

'T"

I

Coronelli was more of an inte lligent businessman who had invented a new sales technique than an astronomer. His globes were sold in gores, through a subscription system and later mounted by local craftsmen from the purchaser's region . This meant that his work cou ld spread throughout Europe, and were sold as the largest ever printed globes. This brilliant technique solved two tradi­

_ 4.- : : Stato di VeneZla. Dlspaw degh ambasClaton ai senato Ind!(e. Rome. 1959. _- - ... "(" of -Nuova Costellauone erena ne Gran Gabt d! S. M, Cnst!an!ss d! Stelle pnma Infarm Ie qual!. quando passano sono 1I Mendlano à Pangl sono vertlcah àquella Reggja~

_ ~ - ....:~ ,.. Parn.VeOlce and Reme. ar.d worked '.'JIth Le Brun aI Vef'SJllles. Many of hls \vorks ean be found In reilglOus bUlldlngs In UIe. Cambral and Doual.

........~ -0'~ Dubl sher and sludent of Nlcolas de Pollly. He travelled through Itaty to conllnue hls studleS. and came Into contact \\11th lhe work of certaln palnters who had a profound Influence on hls art. sueh as Annlballe Carram and

:::.: __

f"\

lias granted the trtle af -Intaglta engraver to lhe K'ng" PELLETIER. Morllque. ROGER. Alaln, " -la renalsSJtiCe des glpbes de Coronel!! (1650· 1718) au Musée des Beaux-Arts de Lille-, p. 69. palrs. from the Bo,sgu,lbert chateau. (an be seen aI Rouen Ceram!C Museum, v..rhde another IS dI lhe Cholsy chateau. In the ehambers af Louls XIV The third was part af the sclentific callectlon of Joseph & mnler de la

He

~ - --e;e

-; ~ - 744). state treasurer af LJnguedoc.The dlameter cf the peces IS 45 em. :~ .... -:~

:x.bIIshed PnVlleglo dei

'

Re CnstlanlsSlmo ne'dl IUI StatJ alie Opere tune dei Padre Cosmografo Coronelh. ovunque Slano stampate In the abllot.he<:a UnNersate.Thls notes that -

--: -errestre. li plU grand. ehe S/Jno glammal stall fattl. e che sono destinatl pe·t nastro Castello di Versagh." '.vl·ueh ...tent to Marty as there was no space for them In Versadles

Cuglno II CardInal d°Estrees. à fare 2. GIobt. runo

31

11: ,


Mundo e a sua História em belas cartelas, decoradas com alegorias que conjugavam informações correctas - como as variações magnéti­ cas observadas na viagem de S. Chaumont no barco L'Oyseau, de Brest a Sião em 1686 - com erros, compreensíveis por algum descon­

hecimento do mundo.

É notória a preocupação de rigor em referenciar as fontes infor­ mativas, como no caso dos cometas assinalados no Globo celeste, mencionando percursos, observadores e datas de registo ou a listagem dos vário s ângulos considerados entre o Equador e a Eclíptica , com as con s iderações de as trónomos desde Aratus (c. 315/310-240 d.C.) a Giovanni Cassini (1625-1712). Os oceanos surgem despovoado s de monstros, mas percorridos por numerosos barcos de diferentes proveniências, mencionando­ -se a sua origem e propósito. Mais do que um astrónomo, Coronelli foi um inteligente nego­ ciante que inventou um novo método de venda. Os seus globos eram vendidos em fusos . por subscrição. e. posteriorme nte. mon­ tados por artifices locais da região do comprador. Isto permitiu a

difusão desta s peças por toda a Europa. divulgadas. à época . como os maiores globos gravados Iam ais realizados. Esta engenhosa idei a resolvia duas questões. reduzia significativamente o seu preço e o complexo problema de enviar estas grandes esferas para os seus diversos destino s. Esta metodologia acarreta hoje algumas dúvidas para os investi­ gadores. pois as peças nem sempre foram montadas em época

próxima da compra dos fusos. Exemplo disso é o Globo do

National Maritime Museum de Greenwich com fusos impressos

em 1707. montado somente em 1752. perto de Viena. pelo monge franciscano Tobias Eder, com o apoio de Matthias He inen" .

32 De acordo com o estudo de E. Bernleithner foram registados 58 globos celestes de Coronelli com 1,10 m" . O da Sociedade de Geografia pertence à primeira edição dos globos côncavos. mais raros, com outros exemplares nas Bibliotecas: Comunale de Faenza, do Seminário Patriarcal de Veneza, na Nacional de Viena, e

ainda na Abadia beneditina de Melk. no Museu Joanneum. em Graz. e no Bayerisches Nationalmuseum de Munique . Em finais do séc. XVII, a cartografia da Terra estava muito desen­ volvida e a divulgação de novas técnicas de cálculo. seguidas da introdução do octante a bordo dos navios. tornaram os frágeis glo­ bos objectos obsoletos. Com este periodo finda a época áurea do seu fabrico, no entanto, eles irão permanecer por muito tempo como in strumento didáctico. sempre presente nas grandes colecções da s mais importantes bibliotecas históricas.

AS ESFERAS DE 3 112 PES DE VINCENZO CORONELLI Coronelli inicia a sua vida religiosa aos quinze anos na Ordem dos Frades Menores Conventuais. sendo nomeado Doutor em Teologia pelo Colégio Santo-Bonaventura de Roma em 1673.A 12 de Março de 1685 é nomeado pelo Senado veneziano. Cosmógrafo da República e. em 1689. Professor Público de Cosmografia "Lettore Publico"J'.

tiona l problems: it reduced the price sign ificantly and avoided the

prob lem of sendi ng large spheres to the broad range of destina­

tions.

Scholars have now raised some doubts as to th is method. as the globes were not always set up chronologica lly dose to the time when the gores were purchased . One example is the globe at the National Maritime Museum. Greenwich. whose gores were printed in 1707 but which was only mounted in 1752. nea r Vienna by a Franciscan monk named Tobias Eder. with help from Matthias Heinen J7 • According to E. Bernleithner's study. records mention 58 celestial globes by Coronelli measuring I. I O metreS" . The one at the Sociedade de Geografia is part o f the second edition of the rarer concave globes. other examples of which can be found at the Bib li oteca Comunale de Faenza. Ven ice Patriarchal Seminary. t he National Library. Vienna, and the Benedictine Abbey in Me lk, the Joanneum Museum, Graz. and the Bayerisches Nationalmuseum, Munich.

By the late seventeenth century. cartography of the earth had become highly developed and the spread of new calcu lation tech­ niques. followed by the introduction of the octant on board ships, made fragile globes obso lete. The period signalled the end of the golden age for producing globes. although they were 5till u5ed for educational purposes for many years and were a lways found in large collections at the more important historical libraries.

THE 3 1/2 FOOT SPHERES MADE BY VINCENZO CORONELLI C oronelli 's religious life began when he was aged fifteen and joined the Order of the Conventual Friars Minor. ln 1673. he was made a doctor of theology by the Saint Bonaventure College in Rome , and on 12 March 1685. he was appointed cosmograp her to the Venetian republic by its senate. Finally. he beca me pub lic professor of cosmography "Lettore Pub lico" in 1689" .

The documents that Coronelli had collected up to 1683 wou ld fuel his abundant cartographical works. He made extensive use of his collection and - in contrast to the practice of his contempo­ ra ry cartographers - concentrated on us ing it in nume rous pub li­ cations rather than constantly updating it. w hi ch gradua lly led to h im los ing his influence in the scientific world" . However. the globes studied here do indude recent information from that t ime. such as the sea-route of a French ship that sailed ·from Siam to Brest in 1685-86. just two years before Coronelli 's work was published" . Although the earli est of these globes appeared in 1688, it is known that Coronell i started creating the plates in 1685 . "I started cre­ ating the Paris ian globes, reduced to t h ree and a ha lf feet. for pub li cation as pr ints . .. they will be given to ali the Sovereigns so as to encourage them to become patrons of the Atlases which I am pl anning" " . Over the following years. these gores were printed and published several times. and despite minimal differences in the

32 Conhece-se. somente, um úniCO exemplar com ! metro de diâmetro com estas CilractenstlCas. na Biblioteca Comunale de Faenza

33 CORONELlI.Vlncenzo. B1bhothecJ UruverX1le Sacro·Profana. AntlCo-Modema.ln (UI SI Splega com ordlne AlfabetlCo ognl voce. Anca stanlera che pua,)Vere Slgnlficato nel nastro Idioma Italldl"lO, Appartenente Á

qualunque Matena. voL I.

34 ".Globt di vane grandezz e. Celeste. e Terraqueo di 3 p.eck e meuo di dldmettro. correttl. ed dccreSClutL di molte 5telle. e di nUQ\'1 Paes!: mlnlJtl. e com vernlce senza Ptedestalh. Detl com loro Ptedl. e Mendt.:lnl d·ottone. Del!1 di 6 onCIe Dldmetro eon I Ioro Pledl. e Mendlanl Oettldl 4 oooe di Dtametro con I Ioro Pledl. e Mendlanl. DeI!1 di 2 onCte di Ot.:lmetro com I !oro Pledl. e M~nd,an, .. ·· 10 CORONELlI.VulCenzo. BlbllOtheca Unlversale $acro-Profana. Antlco-Modema. In CUl SI Splega com ordtne Alfaoel lCo ognl voce. AN.o stdn.el<l. che puo (Ivere Slgnlficato nel nostro Idloffid Itdhano.App.Jrtenente A Cj\Jalunque MJtena.. \101. I. s.p

35 DEKER. Elly. Gk>bes at &een,,"ch. p I 12 36 CORONELU.Vlncenzo. B.bltothecd Um·ersale Sacro-Profana. MlICO-Modern-:l. 10 CUI SI Spleg.i com ordlne Alfabellco ognl voce. Anco stamera che puo averc SlgnlflCiHO nel nostro IdIOma Italiano. Applrtenente A qualunque M.1tena.VeneZI,l. A spese di MtOOJQ TIVanl. MD.CCI. \01 11. p. I 174 j-

DEKER. EI~ Globes at G-een,·. ch. D I 12


A documentação reunida por Coronelli até 1683 vai alimentar uma obra cartográfica abundante. Explorando ao máximo esse acervo e privilegiando o seu uso em numerosas publicações em detrimento de uma constante actualização. ao contrário de cartógrafos seus con­ temporâneos. foi perdendo progressivamente alguma influência no meio científico da época" . No entanto. encontramos nos globos a que se refere este estudo. a introdução de dados recentes à época de execução, como o itinerário marítimo de um navio francês de Sião a Brest, em 1685-86, anterior dois anos à sua publicação". Embora os primeiros exemplares destes globos da autoria de Coronelli surjam em 1688. sabemos que iniciou a abertura das chapas em 1685: "Iniciei a abertura dos globos Parisienses, reduzidos o três pés e meio, para o sua publicação em gravura . .. destinam-se a ser oferecidos a todos os Soberanos de modo a inspirá-los a tornarem-se patronos dos Atlos que estou planeando' 4 '. Ao longo dos anos seguintes, estes fusos foram sendo alvo de várias tiragens e edições, sendo as diferenças mínimas no exemplar terrestre, podendo-se afirmar que se repetem várias tiragens da primeira edição. O mesmo não se passa com o exemplar celeste que, embora seguindo um mesm o padrão inicial, apresenta diferenças consideráveis no tratamento da imagem e de alguns textos. Em Março de 1685, Coronelli assegura o apoio do Senado da sua cidade natal, Veneza, para a publicação de uma grande série de atlas, o "Atlante Veneta". Nesta época, consegue atrair aí vários artistas, entre estes Filipp Kilian de Augsburg, que gravou a cartela da dedicatória do globo terrestre publicado em 168843 . É nesta altura que cria uma oficina de gravura no Convento da Santa Maria Gloriosa dei Frari, em Veneza , e propõe-se criar um centro de pro­ dução cartográfica nesta cidade . Embora os fusos de globos tenham sido publicados sob a forma de mapa desde meados do séc. XVI , Coronelli é o primeiro cartógrafo a produzir "atlas de globos" numa obra denominada o "Libro dei Globi", com primeira edição em 1697<4. Esta obra é composta por mapas do mundo, cartas das ilhas, vistas e plantas das vilas inspi­ radas nos atlas holandeses e os fu sos para quatro pares de globos com diâmetros diferentes's. Com o intuito de conseguir melhores recursos técnicos e finan­ ceiros, volta a Paris em 1686 e, através de diploma e privilégio con­ cedidos por Luís XIV, negocei a um contrato comercial com o gravador Jean Baptiste Nolin (1657-1725). Neste contrato, datado de 19 de Agosto, Nolin compromete--se a fornecer as chapas gravadas com base no desenho do pintor francês Arnould de Vuez (1644-1729), destinadas à publicação dos fusos para o globo celeste, enquanto o globo terrestre, de execução menos difícil, era gravado em Veneza. A relação com Paris favorece as suas publicações, proporcionando a criação da Societas Gallica, congénere da Accademia degli Argonauti de Veneza, ambas sociedades geográficas e editoras. Em simultâneo. à medida que os seus gravadores de Veneza avançam em pericia e experiência, Coronelli torna-se menos dependente dos seus relacio­ namentos com Paris'·. O contrato com Nolin parece não ter sido escrupulosamente respeitado e as chapas do globo celeste per­ manecem em Paris (encontrando-se ainda hoje no Departamento de Calcografia do Museu do Louvre).

terrestrial globe, they were effectively repeat prirlf' of'i\.e first edi­

tion. The same, however, does not apply t th[ >celestiafj'ttl'Ef,' which kept to the original pattern but revealed considerable_-i·_...-"':lII"I'." differences in the handling of the imagery and in some texts. ~

q

In March 1685, Coronelli won the support of the Venetian senate

to publish a large series of atlases, the "Atlante Veneto". At the

same time, he managed to persuade several artists to join the

project, including Filipp Kilian of Augsburg, who produced the

ded icatory cartouche on the terrestrial globe published in 1688".

He simultaneously set up an engraving workshop in the monastery

of Santa Maria Gloriosa de i Frari, in Venice, and proposed to cre­

ate a cartography production centre in the city.

Although the gores of his globes had been published in map form since the middle of the sixteenth century, Coronell i was the first cartographer to produce "atlases of globes" in a work called the "libro dei Globi", first published in 1697.... This consisted of maps of the world, charts of the islands, views and plans of towns inspired by Dutch atlases and the gores for four pairs of globes with different diameters" . In his quest for better technical and financiai resources, he returned to Paris in 1686. Using a diploma and privileges granted by Louis XIV, he negociate a contract with the engraver named Jean Baptiste Nolin (1657-1725). Through thís contract, dated 19 August, Nolin undertook to supply the engraved plates based on drawings by the French painter Arnould de Vuez (1644-1729). The resu lting images would form the gores for the celestial globe, while the easier work on the terrestrial globe was produced in Venice. Coronelli's relations in Paris helped his publications and led to the creation of the Societas Gallica, a counterpart of the Accademia degli Argonauti in Venice, as both were geographical societies and publishing houses. Simultaneously, as the engravers in Venice became more skilled and experienced, Coronelli became less dependent on his contacts in Paris'·. His contract with Nolin seems not to have been fully adhered to and the plates for the celestial globe stayed in Paris (and are now in the Chalcography Department at the Louvre) . As agreed in the contract, Nolin sent Coronelli the paper proofs of the Paris version of 1688 for him to correct, but this was ali that he received. Coronell i used these proofs, added a dedication in a separate cartouche and gave the resu lting globe to the Doge on I February 1689. Now at the Biblioteca Marciana, Venice, the inscriptions, names of the constellations and stars, magnitude in Arabic numbering, symbols of the planets and the zodiac were ali hand-written in Greek and Latin at the Laboratório dei Frari" . The large dedicatory cartouches to Doge Morosini on some of these globes have no engraved inscriptions. This was because Coronell i published his globes commercially, changing the dedica­ tion according to the purchaser.The alterations that may appear in the smaller ovais were cheap to make, using small prints stuck onto the respective cartouches, while changes to the large dedica­ tion would involve engraving a new plate that corresponded to the gore where it was located" .

32There 1$ onty one known e:xample measunng one metre In dlameter and Wlth these characlenstlCS. nO\'.' aI lhe Biblioteca ComunaJe de Faenza 33CORONELU.Vlncenzo. Btbllothe<d Universale Sacro-PrO(<lf\il, AntlCo-Moderna. In CUI ~ Splega com ordlne AlfabetlCo ogm voce.A.nco stanlera. Cfle puo avere Slgnl f1cato oel nostrQ IdIOma Itahano.Appartenente à qlJ.:11unque Matena. voll. 34 • Globl di vane grandezze. Celeste. e T€!Taqueo di 3 Pledt e mezzo di dldmettro. CQffettl. ed JccresClutl di malte Slelle. e di nUOVI Pa€Sl: mln1311. e com vemice seoza PledestaJh. DeU! com Iara Pledl. e MendlJol d'ottone Dettl di 6 onCle ~)ametro eoo I 101'0 Plcdt € Mendlam Detlldl 4 oru;le di Dlametro ean I Iara Pledl. e Mendlani. Oenl di 2 onCle di Oldmetro com I Ioro Pledl. e Mendlarll .. ," 10 CORONELLI. Vlocenzo. Blbllotheca UONersa(e Sdcro-Prafana. Antlco-Moderna. In :~ SI Spiega com ordlne AlfabetKo ognl VQ(e. Anca slanlel'a. che pua Jver€ slgnlflcato nel nostro Idioma ltahaoo. Appartenente Á qualunque Malena" vol I. f),p. lSDEKKER. EI~. Glabes at Greenw>ch. p. 112 ~':)CORONELLL Vlncenzo. Blbllotheca Unlvers..'1le S,Jero·ProfaoJ...AnllCo-Madern,t 10 CUI SI Splcga com ordlne ,A.lf.1behco ogol voce.Anco stanlera. che puo avere Slgnlficalo nel nostro IdIOma ltahano, ApPilrtenente Á qualunque MatenaVenezla. ':")pese di AntonloTrvanl. M.o.CCLvol. ll.p 1174

"DEKKER. EI~. Glabes aI GreenWlch. p. 112 : ~BERNLEITHNER. E - "0112 ostelTelChlsche Sonderpostmarke zum V Intematlon,Jlen Sy~Slum ' Y:" DerOobusfreund.p 137

de<;

Coronelll-Weltbundes der Globusfreunde" Der Globusrreund. quoted by KUN1TZSCH. Pau! - -European celestial globes wlth Arablc loscnp­

33


Da versão de Paris de 1688, Coronelli apenas recebe as provas em papel que , de acordo com o contrato firmado, Nolin lhe envia para correcção. É com estas provas que o italiano constrói o globo que dedica em cartela própria e oferece ao Doge a I de Fevereiro de 1689. Neste, hoje no acervo da Biblioteca Marciana de Veneza, as inscrições, os nomes das constelações e estrelas, a magnitude em numeração árabe, os símbolos planetários e zodiacais, as letras gregas e latinas todos foram manuscritos no Laboratório dei Frar(". Alguns exemplares destes globos apresentam a grande cartela de dedicatória ao doge Morosini sem inscrições gravadas. Coronelli publica os seus globos com grande visão comercial , alterando a dedicatória de acordo com o comprador. De notar que as alterações que podem ocorrer nas ovais de menor dimensão eram pouco dispendiosas, recorrendo-se a pequenas gravuras coladas sobre as cartelas respectivas, enquanto a alteração da grande dedicatória implicaria a gravação de uma nova chapa cor­ -respondente ao fuso onde se encontra localizada'·. As dedicatórias iniciais para o Cardeal d'Estrées eram gravadas em chapas de menor dimensão e impressas nos espaços em branco das cartelas correspondentes, ou omitidas se necessário, para inclusão de outra dedicatória.

É também em 1689 que os subscritores da Academia de Veneza recebem os primeiros exemplares do globo terrestre prometidos para 1687. A partir dessa data, exemplares deste globo são regular­ mente despachados para os subscritores, na forma de fusos ou mon­ tados em esfera. O seu transporte era difícil e dispendioso e as ver­ sões montadas, terão sido vendidas essencialmente em Veneza e nas cidades com comércio marítimo" .

34

Nesses anos, como o globo celeste apenas é comercializado através de Nolin, o veneziano foi obrigado a executar uma nova gravura reproduzindo os seus desenhos. Em 1693 foi publicada a primeira versão veneziana do globo celeste de 3'j, pés, com desenho grava­ do por Alessandro della Via, um dos gravadores mais conceituados da oficina de Coronelli. Fazendo desaparecer grande parte do som­ breado e dando maior relevo aos contornos das constelações, enquanto trabalho de gravação resultava menos dispendioso, exigin­ do menor perícia dos abridores da chapa, mas obrigava a um proces­ so de pintura mais elaborado, de modo a tornar o desenho mais legível e agradável à vista. Sabemos que alguns subscritores se recusaram a pagar o excedente do valor acordado inicialmente, mas também manifestaram satisfação pelo resultado atingido. Em simultâ­ neo com esta versão publicava nova tiragem do globo terrestre de 1688 e a versão convexa do globo celeste'·. A grande inovação dos globos de Coronelli é a versão côncava da esfera celeste, com a designação "direito", de que a peça da Sociedade de Geografia é um dos raros exemplares. Até entâo, convencionava-se rep­ resentar o céu como apareceria a um observador exterior, visão "div­ ina", designado hoje por "avesso". Carlos Malavista numa comunicação apresentada em Dezembro de 1692 na Accademie FisiccrMatematico, traduz essa profunda mudança fundamental: "Estando na terra, o céu aparece sobre nós, e observamcrlo côncavo e não convexo"" . Nos globos anteriores, Coronelli seguiu essencialmente Augustin Royer, apresentan­ do a maioria das constelações com figura s humanas de costas. O globo veneziano de 1693 pretende dar ao espectador a ilusão de olhar o céu, posicionado na Terra, o que obrigou a um ajuste das figuras, tendo sido necessário rodá-Ias de Este para Oeste de modo a alterar as suas posições. Podemos supor que Co ronelli estaria essencialmente interes-

The initial dedications to Cardinal d'Estrées were engraved on smaller plates and printed onto the blank spaces of the respective cartouches, or left out (if necessary) so that another dedication could be included. In 1689, the members of the Venice Academy received the first terrestrial globes, which had been promised for 1687. From then onwards, versions of the globe were I-egu larly sent to members, either as gores or already mounted on spheres. As transporting the latter was difficult and costly, they were mostly sold in Venice and cities involved in maritime trade" . During that time, since the celestial globe was only sold via Nolin, Coronelli was forced to create new engravings for his drawings. In 1693, the first 3 'h footVenetian version of the celestial globe was published. The drawing was the work of Alessandro della Via, one of the more highly regarded engravers at Coronelli 's workshop. By making much of the shading disappear and emphasising the out­ lines of the constellations, the work was made less costly, demanding less ski ll from those creating the plates, while imposing a more complex painting process 50 that the drawing was easier to follow and more pleasant to look ato It is known that some members refused to pay the additíonal sum charged, although the results achieved were praísed . Simultaneous ly, a new print-run of the terrestrial globe of 1688 was published, as was the convex ver­ sion of the celestial globe SO The most innovative of Coronelli 's globes was the concave version of the celestial sphere, wh ich was called "upright". The globe owned by the Sociedade de Geografia is one of the few such spheres. Until then , the heavens had traditionally been shown as they would appear to an outside observer, a "divine" vision that is now called "reverse" . In a paper presented in December 1692 at the Accademie Fisico-Matematico, Carlos Malavista spoke about this fundamental change: "Being on earth, the sky appears above us, and we see it as concave, not convex" 51 . In previous globes, Coronelli had basically followed Augustin Royer, depicting most of the constellations with the figures shown from the rear. The Venetian globe from 1693 aimed to create the illusion that the observer was looking at the sky from the Earth, which meant that the figures had to be altered, turning them from East to West. It can be assumed that Coronelli was basically interested in creating something different to the previous imagery as a way of attracting a larger audience. Curiously, the globe was not advertised as the first published concave globe, which led to the unfair accusation that the images of the constellations were inaccurate" . In 1693, when Coronelli described the globe, he said that it was better than the one given tot he Doge in 1688 and even better than the one present ed to Lou is XlV. The logic for this was that besides the dua l ecliptic and equatorial grid, as also found on Louis XIV's globe, it also included Arabic nashki characters, and arrows indicating the changes in longitude of ali (not just some) of the stars. Moreover, for the first time, the stars not on ly had Johann Bayer's classification according to their magnitude, but also a cata­ logue number that corresponded to the information that Coronelli would publ ish in the Epitome Cosmografico.The aim of the complicated system of colours, based o n Royer's work, was to distinguish between the stars seen by different astronomers.

38 BERNLEtTHNER. E.- «De bsterrelChlsche Sonderpostmarke zum V. lntematlOnalen $ympoSlum des Coronelll-Weltbundes der Globusfreunde», Der Globusfreund. Clt. por KUNITZSCH. Paul - «European cele'itlal globes wlth arablC Inscnpt1oos»). Der Globusfr'€und, p. 137. 39 CORDEIRO. Luuano. - opc,!.. p. 260. 40 PELLETlER. Mon'que. ROGER.I>' IIn. - op. C,I. P 69 41 BONElU. Mana LUlsa. - CatQlogo dei glOOI anllchl conserva li In l1all3 1globl de Vl ncenzo Coronelll"p. 34 42 ··Ho dato pnnClplO ad ,ntagharc gil glob!. che feo In Pangl ndottl In grandezzô di dlJmetro di tre pledl. e mezzo per publicare alie stampe .. . per farne d"essl presente a tUtll li Pnnclpl per maggl()fmente <In/mar II all<1 ÇYotettlone degrAllanl" che vado d'5pOnendo'. C'C", de Coronelil a Magil,'bech' 1810811685. Florença Apud. MILANESI. - p. 143-144. 4 J WALlIS. Helen.. «Coronelil', L,bro d", GlobO». p. 124. 44 WALUS, Helen. - op.CIt.. p. 124,


tl sado em criar algo diferente do representado anteriormente, como forma de atrair mais público. Estranhamente, este globo não foi publici­ tado como sendo o primeiro globo côncavo publicado, o que lhe valeu a acusação injusta de engano na gravação das constelações" . Em 1693, quando Coronelli descreve este globo refere-o como sendo superior ao apresentado ao Doge em 1688 e mesmo ao oferecido a Luis XlV. Isto porque apresentava para além da grelha dupla, eclíptica e equatorial, como no do rei francês, caracteres árabes nashki, flechas de indicação de alteração de longitude em todas as estrelas (e não apenas em algumas) e , pela primeira vez, as estrelas apresentavam não só a classificação de Johann Bayer por magnitude das estrelas, mas também um número de catálogo, cor­ respondente ao que Coronelli viria a publicar no Epitome Cosmografico. Um complícado sistema de coloração, baseado na obra de Royer. tinha como objectivo permitir a distin-ção das estrelas observadas por diversos astrónomos. Os subscritores franceses recebem em 1693 os exemplares do globo celeste que Nolin publica, já com os textos que estavam em falta na versão enviada a Coronelli , numa edição custeada pela Societas Gal/ica. Não sabemos como nem quais destes subscritores recebem o globo terrestre, mas sabemos, no entanto, que nenhum exemplar deste chegou a França vindo de Veneza, antes da publi­ cação por Nolin do seu par celeste. Em 1699 Coronelli publica nova edição do globo celeste, agora em versão convexa. Segundo a inscrição da dedicatória, este teria sido iniciado para Pietro Ottoboni, Papa Alexandre VIII, mas concluido após a sua morte. Ao contrário das versões anteriores, em vinte e seis chapas, este foi gravado em cinquenta chapas de menores dimen­ sões, mais fáceis de abrir, de publicar em livro e proporcionando uma maior facilidade de montagem dos fuso s na esfera de suporte Sl . O globo terrestre, ao contrário do celeste, não apresenta diferenças significativas ou actualizações geográficas, nas suas várias edições. As encontradas, indiciadoras de diferentes gravuras, podem ser expli­ cadas pela deterioração das chapas, provocada pela repetição das tira­ gens, ou por erros de interpretação na passagem do desenho para as novas matrizes. O único elemento va riável deste globo é o titulo em que é apresentado Coronelli" .

O

In 1693, French members received the celestial gl?be p\blished by Nolin, paid for by the Societas Gallica and i rjuding the textfl1l.i1W ing from the version sent to Coronell i. It is not known which members received the terrestrial globe or how this was done but none of them reached France from Venice before Nolin published the celestial globe . In 1699, Coronelli published a new edition of the celestial globe, this time in a convex version. According to the dedicatory inscription, the globe was begun for Pietro Ottoboni, Pope Alexander VIII, but only completed after his death. Unlike previous twenty-six plate versions, this one was engraved on fifty smaller plates that were easier to create and publish in book formo In addition, the gores could be more easily mounted on the supporting sphereSl • In contrast to the celestia l globe, the various editions of the te rrestrial globe showed no significant alterations or geographical updates. Those found indicate different engravings and can be explained by wear and tear to the plates caused by repeated print­ runs, or by errors in interpreting the image when copying the drawing onto the new plates. The only change to the terrestrial globe is in the title, which reads Coronelli" . These globes can be found in several European institutions, mounted on stands whose varying styles suited the preferences of the respective client or the skill of the joiners. The success achieved by these globes was therefore due to three main factors : the decline in Dutch production, which had dominated Europe for most of the seventeenth century; the fact that they reductions of the famous four-metre globes painted on canvas and given to t he Sun King by Cardinal d' Estrées; and Corone ll i's commercial acumen. After producing a considerable body of car­ tographic work, he invested heavily in disseminating his globes, maps and atlases, creating the first geography society in Europe, the Accademia degli Argonauti, in 1684 55 •

Encontramos exemplares destes globos em várias instituições europeias, montados sobre pés de estilos diferentes, correspon­ dentes ao gosto dos clientes ou ao talento dos marceneiros. O sucesso destes globos deve-se a três factores principais: o declinio da produção holandesa que tinha dominado na Europa durante a maior parte do séc. XVII ; o facto de reproduzirem, em redução, os célebres globos de quatro metros de diâmetro, pintados sobre tela, oferecidos ao Rei-Sol pelo Cardeal d'Estrées; e a habilidade comercial do veneziano que, após realizar uma obra cartográfica considerável, investiu numa boa divulgação dos seus globos, mapas e atlas, constituindo desde 1684 a primeira sociedade de geografia europeia, a Accademia degli Argonauti ss . 39CORDEIRo. L uc~no. - cp. ,,!., p. 2W.

4CPRLETIER Momque. ROCEI'. A~,n. - op c'L p. 69.

.: BONELlI. Mana l Ulsa. - Ca>alogo dei globt ant!chl conservaI I In ltaha. (glOOI de Vlncenzo Coronelll.. p. 34.

..l2 1-10 dato pnnclplo ad Intagllare gli glob!.che feel In Pangl ndottl In grandezza di dlametro di tre ptedl. e mezzo per publicare alie stampe ... per fame d'esSl presente a tunl II Pnnc1pl per rnagg10rmente ar"marh alia protet1!One óegl'Atlanti,

. "" "do d'sponendo·. Lelter Irom Coronell, lo Magllabech, 18108/1685. Florence. Apud. MILANESI. pp. 143 -144.

..:? NAlLlS. Helen. - ·Coronelll·s lIbro dei Globt. p 124

""J.'''lll5. Helen. - op. "L. p. 124.

.!:"::PELLETIER. Mon!que. ROGER.Alaln. - op. Clt.. p.

72

"o:. 'lllS. Helen. - op. "L P 126.

..!-............. NESI. Manca, - op. CII .. p. 147.

.!: '"""t' .:>e<ode(\

lo malnlaln lhe large dedlca\lOn l o Dogc MOroSlni. who dled In \ 694. and l he SJme leX! In subsequent edlllons. SClANNA. N!Colangelo.. ·Corone\li·s Ihree and a half foot globes-,pp. 173· f 75.

.:"..... ~.:.'\!ESt- op.cil.p. 148

' :r- '''ESI.Manca- cp C'Lpp.149·150

, •.,,_ ~ Heien. - cp. C'L P 126 ':v _~ ' "SI Manca- cp C'LPP 150-151 ~. ,'SI Manca - cp c,t pp 149·156

:..L

~. ~~Sl

r-.: . . . r-- -

M.roca. - op. cit. P 146 In 1685, he was appomled Pubbc Cosmographer. In 1689 lettore :ter.!T1OI'S r" an e01t1On frem 1707 WAlllS. Helen. - op aL p 128

PubliCO; In

q

170 I. Gcnerale dell'Ordme dei Mlnon. aI httpJ/wv./w.bo.astro.lt/dlp/MuseumlMuscumHome.html. 30-08·04. V'/allis mentJQns

35


38

OS GLOBOS DA SOCIEDADE DE: GEOGRAFIA

THE GLOBES FROM THE SOCIEDADE DE GEOGRAFIA

No quadro de aquisições efectuadas por D. João V encontram-se evidências de objectos relacionados com Astronomia e Cartografia. Uma leitura simplista poderia ver aí a ideia de expansão do Império, no entanto, tratava-se também de uma manifestação que se enquadrava plenamente na época, a procura de uma explicação racional para o Universo. Este estado de espírito que corria a Europa de então teve diversas manifestações das quais, a que inter­ essa realçar, prende-se com a criação de um número cada vez maior de instrumentos científicos e matemáticos. À luz deste quadro mental não surpreende que o Rei, que fazia ele próprio observações astronómicas, ordenasse aos seus embaixadores que adquirissem nas cortes onde residiam tudo o que aí existisse de mecanismos cientificos, para ser remetido à Corte de Lisboa" . No entanto, D. João V não se limitou às aquisições de instrumentos existentes, encomendando outros, como os que Jacques Cassini (1677-1756) executou para o monarca. Assim, vêm para Lisboa telescópios, sextantes, quadrantes, barómetros, pêndulos, enfim, tudo o que então se podia criar para melhor conhecer a Terra e o Universo. Assiste-se, portanto, a uma tentativa de renovação da cartografia portuguesa, quadro onde se inserem as constantes aquisições de Atlas e Cartas geográficas, nomeadamente, pelo Conde de Tarouca, D. João Gomes da Silva (1671 - 1738), embaixador português em Haia.

The acqulsltlons made by João V included objects related to astronomy and cartography. A straightforward interpretation may see this as a means of expressing the expansion of the empire, yet it was also an expression that was perfectly suited to the age, through its search for a rational explanation of the Universe. This mentality, which swept through Europe at that time, involved a range of forms, the most relevant of which were related to creating an ever-increasing number of scientific and mathematical instruments. In the light of this mental framework, it is no surprise that the king, who himself made astronomical observations, should order his ambassadors to acquire whatever scientific instruments were available at the courts where they served and to send them back to Lisbon" . However, João V did not merely buy existing instruments, but commissioned a series of others, such as those that Jacques Cassini (1677-1756) produced for him. Thus, Lisbon was flooded with telescopes, sextants, quadrants, barometers, pen­ dulums and everything that was being created and helped to gain a better understanding of the world and the universe. As such , there was an attempt to revive Portuguese cartography, a process that involved the constant acquisition of atlases and geographical charts, particularly by the Count of Tarouca, D. João Gomes da Silva (1671 - 1738), the Portuguese ambassador in The Hague.

A presença dos dois globos da Sociedade de Geografia inseriu-se nesse contexto de aquisições, iniciadas a partir de 1724, conforme se pode constatar através de uma carta de 12 de Julho desse ano, publicada no importante estudo de Marie Thérese Mandroux França" . Esta carta, escrita pelo Secretário de Estado Diogo de Mendonça Corte-Real, em nome de D. João V, é uma circular envia­ da para todos os diplomatas portugueses que se encontravam nas principais cortes europeias. Nela é solicitado que reúnam o maior número de gravuras publicadas nos seus países de residência, nos últimos trinta anos - sendo de ixado a cargo de cada um a organi­ zação das respectivas colecções - e os instrumentos científicos que considerem mais significativos para integrar as colecções régias. Esta iniciativa que surge como um negócio de Estado, segue a mesma linha política de afirmação de Portugal levada a cabo no estrangeiro por este monarca.

The presence of the two globes at the Sociedade de Geografia falls within the context of the acquisitions process that began in 1724, as shown by a letter dated 12 July of that year and published in the seminal study by Marie Thérese Mandroux França" . The letter, written by Secretary of State Diogo de Mendonça Corte-Real on behalf of João V, is a circular sent to ali the Portuguese diplomats in the main courts of Europe. It requests them to collect that largest possible number of prints published in the respective coun­ tries during the previous thirty years - with each diplomat to be responsible for organising the respective collections - and the scientific instruments that they believed would be the most impor­ tant to include in the royal collections.This idea, seen as state busi­ ness, was part of the same king's policy of establishing Portugal's position abroad.

Entre os diplomatas colocados em postos europeus sobressaiu o Conde de Tarouca, que enviou para Portugal três grandes Bibliotecas. Ainda que tivesse recebido estas ordens em 1724, já anteriormente, em 1721 , o embaixador havia iniciado o envio de material cartográfico para integrar as colecções régias. A primeira Biblioteca que adquiriu foi a de Theodorus Boendermaker (1682­ 1720) membro de uma importante família de mercadores alemães. Este havia reunido muito material cartográfico numa série de 103 volumes, conhecido como o Atlas Boendermaker. Estas cartas geográficas eram consideradas as mais modernas então conheci­ das , datando as primeiras de 1680. A obra foi adquirida em 13 de Janeiro de 1722, sendo a primeira colecção destinada especifica­ mente à grande Biblioteca Joanina. No final do ano anterior, o Embaixador havia adquirido os seis volumes do Grande Atlas de Guillaume Delis/e, mas esta aquisição não parece ter tido o peso

The outstanding figure among the diplomats serving in Europe was the Count of Tarouca, who sent three large libraries back to Portugal. Even though he only received the king's orders in 1724, in 1721 he had already started sending cartographical material to be incorporated into the royal collections. The first library that he purchased had belonged to Theodorus Boendermaker (1682­ 1720), a member of an important family of German merchants who had assembled a large amount of cartographic material into a series of 103 volumes known as the Boendermaker Atlas. These geographical maps were considered to be the most modern of that age, the earliest dating from 1680. The work was acquired on 13 January 1722, and the first collection was specifically to be incorporated into the great Joanine Library. At the end of the pre­ vious year, the ambassatlor had acquired the six volumes of the Grand Atlas de Guillaume Delisle, but this did not apparently have

n

45 PfLLETIER. Mmque. ROGER. Ala,n.• cp. c". p. 46 WALUS. Helen. - cp. "L. p. 126. 17 MILANESI. Manca - op. ,,'- p. 147. 48 Em época malS tardia acaba por se deCIdir peja decl!catÓfla permanente ao dege MoroSlnl. que morre em 1694. mantendo-se o mesmo texto nas ediÇões postenores. SClANNA. Nfeolangelo, - «The Coronelll's three and a half globes», p.173-1 75 49 MILANESI. - cp. C'L p. 148 50 WAWS. Helen. - op. ,,\.. P 126 5' MILANESI. MarKa. - cp. ,,'- p. 149-150 S2WALUS.Heiefl. - cp "l.p 126


institucional que a colecção Boendermaker viria a ter. Infelizmente, um incêndio na residência do Conde de Tarouca, em Haia, viria a destruir parte desta grande colecção só tendo sido recuperados 60 dos 103 volumes iniciais. Uma das incumbências então dada ao diplomata foi a de refazer os livros em falta, adquirindo, para isso, novos exemplares dos mapas perdidos. Em Setembro de 1723, adquiriu em Haia a Biblioteca Dalmaniana e dois anos depois, em 1725, a Biblioteca do Cardeal Dubois, Primeiro Ministro do regente Filipe de Orleans. que morrera em 1723. Esta gigantesca colecção, com 6.000 volumes, vendida por Jean Swart e Pierre de Hondt, foi expedida para Portugal em 31 "cofres".

the institutional weight of the Boendermaker Cqllecti&n. Sadly. a fire at the Count of Tarouca's residence 1 The Hague ~cl' destroy part of the large collection, and only 60 of the 103 volumes survived. One of the tasks that were then entrusted to the di~lo­ mat was to recover the missing works by buying new copies of the lost maps. In September 1723. he purchased the Dalmanian Library in The Hague and two years later (1725), he also acquired the library of Cardinal Dubois. the former Prime Minister cf Regent Philippe of Orleans who had died in 1723. This massive collection of over 6,000 volumes was sold by Jean Swart and Pierre de Hondt, and sent to Portugal in 3 I "chests".

A atenção do Conde não se centrava só em livros, conforme se Yet the count did not focus exclusively on books, as shown by a pode ler numa missiva redigida em Abril de 1723. onde refere que letter written in April 1723 which mentions that two large globes se encontravam à venda em Haia dois grandes globos, que ele con­ were on sale in The Hague and that he felt they were worthy to siderava dignos da colecção real: become part of the royal collection: "O intento que S. Mag."" que Deos G.'" tem de formar hua grande "The intention of His Majesty, whom God preserve. to create a Bib/iotheco, e o muito que eu Estimo haver concorrido para essa ePito­ great Library, and my great appreciation of having helped in the ma Execução das suas Reais ordens me faz desejar que se ponhão ne/­ speedy execution of his royal orders makes me wish to place in las huns excellentes Globos, que sehão de vender aqui brevemente em there some excellent globes that will shortly be sold here at leilão: São os mi/hores, que se virão nestas Provicias feitos pelo Padre auction:They are the finest to be seen in these provinces. made by .Coronelli, e mayores que hum que conheço do Conde da Ericeira porq. Father Coronelli . and larger than some I know belonging to the tem cinco palmos de Diâmetro, E estão mui bem montados: Entendese Count of Ericeira as they are five palms in diameter, and beauti­ que o preço hadeser entre tresentos e quatrocentos mil reis: Queira Vm. fully mounted: It is said that the price will be between three hun ­ Responder-me sem demora se será do agrado de S. Mag." que os com­ dred and four hundred thousand reis: Would Your Worship be 50 pre, e remeta. kind as to inform me promptly if it would please His Majesty if I Em consequência do que se remetem ordenado ínvio o Catálogo inclu­ bought and sent them. so, Guarde Deos a Vm . Muitos anos .. . 50 that payment may be sent I enclose the catalogue, May ~"u ._ _ Haya, 8 de Abril de I 723"s. preserve Your Worship for many years . The Hague . 8 April 1723" s. Esta missiva, que assinala a pré-exlstenCla de um projecto de

aquisições para a Biblioteca Real. que só seria oficializado no ano

This letter. which proves the pre-existence of an acqu isitions seguinte, enfatiza a qualidade atribuída à obra de Coronelli, não só

project for the Royal Library that would only be formalised in the pelo custo dos globos como pelo facto de referir que "... São os

fo ll owing year, stresses the quality attributed to Coronelli's work, 39 mi/hores, que se virão nestas Provicias..... . O seu custo. enorme para a

not only in terms of the cost of the globes but also in his reference época, não deveria ser muito diferente dos valores então negocia­

to ... ..They are finest to be seen in these provinces ...". The enor­ dos para estas peças" .

mous price pa id at that time would not have been very different to the sums negotiated for the pieces" . No volume II da sua obra Viaggi d'ltalia in Inghi/terra, publicada em

1697, Vincenzo Coronelli faz referência aos preços dos seus glo­

bos. quando novos: 620 liras venezianas para os terrestres e

celestes, sem bases, e 1.240 com estas'·. O Libro dei G/obi. onde se

publicavam os fusos que permitiam a execução destas peças era o

dobro de qualquer outro volume da sua obra Epitome

Cosmografico, ou seja, 310 liras mai s caro.

Quase um mês depois , o embaixador redige nova missiva,

referindo que o leilão ocorrera entretanto e que adquirira os glo­

bos, pois mesmo que o monarca os não quisesse estes ficariam na

sua colecção:

"Em 8 de Abril pedi a Vm. Que me dissese se seria do agrado de

S. Mag.de que Deos g.de que eu comprasse huns famosos Globos, que se vendião aqui em leilão por ter falecido seu dono:Elles se arrematarão por tresentos e setenta mil reis, e com as de spezas que fizerem ate estarem nesse porto virão a custar quatrocentos e quarenta mil reis. Achey-os tão raros pela grandeza, e erão tão geralmete gavados, que ainda que não tinha, nem cabia no tempo ter resposta de Vm. Me resolvi a compralos por minha conta no cozo que S. Mag d " os não queira para a Real Bibliotheco, da qual na verdade me parece que são bem dignos .

In volume 11 of his Viaggi d' ltalia in Inghilterra, published in 1697. Vincenzo Coronelli refers to the prices of his globes when new: 620 Venetian lira for the terrestrial and celestial globes, without bases, and 1.240 if they were included 60 . The Libro dei Globi, which published the gores that formed the globes cost twice as much as any other volume of Epitome Cosmografico, ar an additiona l 3 10 lira. Almost one month later, the ambassador wrote another message, noting that the auction had taken place, that he had acquired the globes, and that even if the king d id not want them. they would become part of his collection: "On 8 April, I requested Your Worship to tell me if His Majesty, wham God preserve, would be pleased if I purchased some famous globes that were being sold here at an auction as the owner had died:They were sold for three hundred and seventy thousand reis, and with the expenses of bringing them to the port, they cost four hundred and forty

thousand reis. I found them so rare due

to

their size, and they were so generally

55 PELLETIER. Monoque, ROGER. A~ln.. op. ClI.. P 610.

56 Cf. Catalogues de la collectloo d'estampes de Jean V. ROI de Portugal. Mane-Thérese Mandroux-França & MaxllTI€ Préaud. pp. 64-69. 57 We would Ilke to thank Mane-Tt-,érese Mandrou x-França for provldlng the InformatlOn that enabled us to dlscover lhe ongln af these two globes fram the SOCiedade de Geografia aM the carrespondence of the Count ofTarouca In the aforementJoned publicatlOn, 58 BiblIOteca NaCional de Lisboa. ArqUIVO Tarouca - NegoClacoens do Conde de Tarouca em Holanda e em Utrecht Tomo XVI. Carlas do Conde para o Secretáno de Estado. Anna de 1723. p. 18. [BNl. Res.. '7920] 59 For the sake of companson. around 20 years later.ln 1742. a reference to lhe Inflated pnce of ollV€ Qllln a penod of shortage appeared In the pamphlet .<\nno NotiCIOSO e Hlstónco saymg ~.. Olive 011 IS In such short supply that II cannot be bought for under 3 lhousand reis per pot • Report dated J 5 September 1742. Folheto nO 37 In DELGADO. Mana Rosalina. NotICIOSO e Hlstonco 1742.LlsOptllnd Edições I BIblioteca Naaonal de usboa - '996. p. 13. 60 WALLlS Helen - 'Coronelh', L,bra de> Globo. Der Globusfreund, no. 18·20. May 1970, p, 126,


Já (icão embarcados, e remeto incluso o conhecimento

do Capitão que os leva. Guarde Deos a Vm. Muitos annos, Haya 6 de Mayo de 1723'~1 Não foi possível identificar em que navio terão viajado estas peças pois partiram de Haia, neste período, duas embarcações: o Santa Theresia, comandado por Pieter Ruurds Roodenburg e o Santa Maria Santa Fresca , cujo capitão era joseph Weldon, surgindo assi­ nalado, ainda que sem referência à função, o nome de Arnoldo Silva". A presença deste nome poderia levar-nos a crer ser ele o intermediário no transporte de duas peças tão valiosas. No período que decorreu entre 8 de Abril e 6 de Maio de 1723, foram publicados na Holanda doze livros relacionados com leilões que aí decorreram" . Um dos leilões, realizado pela firma de Rudolf e Gerard Wetstein a partir de 14 de Abril, talvez o mais importante então ocorrido, colocou em hasta os bens de johannes Theodorus Schalbruch, Professor de História e Reitor da Universidade de Amsterdão.Ainda que não sejam mencionados no respectivo catál­ ogo quaisquer globos, isso não invalida que eles não existissem e , assim, possam ter sido leiloados .... É possivel, portanto, que os dois globos Coronelli pertencessem a esta importante colecção, pois este professor possuía um número importante de atlas, surgindo mencionado como lote 581 o Orbis antiquus, nitidissime pictus e com o 582 um Cellarri Atlas coe/estis, nitidissime pictus. Após a sua chegada ao nosso país, os globos terão ingressado na grande Biblioteca Real, localizada no primeiro piso do torreão do Paço da Ribeira, provavelmente num gabinete onde se guardariam as peças mais valiosas. Aí terão permanecido até ao Terramoto de 175S. No entanto, os globos não deverão ter escapado incólumes, pois os vestígios de fracturas que apresentam na sua superfície poderão ser-lhe atribuídos.

40

Daí é provável que tenham passado para o Arsenal do Exército, espaço relativamente próximo e concordante com a vertente científica destes objectos, ainda que fossem então obsoletos. Será neste local que Luciano Cordeiro os irá encontrar em 1878, já sem memória da sua glória passada, terminando o seu percurso na Sociedade de Geografia onde actualmente se encontram.

A INFORMAÇÃO NO GLOBO TERRESTRE

o

globo terrestre de Vincenzo Coronelli, ainda que provoque menor impacto que o seu par celeste, é um interessante repositório de elementos que caracterizam de forma exemplar a mentalidade do período barroco. De enorme riqueza iconográfica, pelas imagens de outras culturas, povos e animais, nele está patente o gosto pelo exótico - leia-se primitivo - pois para uma visão europocentrista todos os mundos então descobertos eram sempre culturalmente atrasados. A Europa é precisamente o único continente neste globo onde não surgem quaisquer representações, mas apenas o contorno das terras colorído, provavelmente numa intenção geo-política de afir­ mação das diferentes nações estando ausente o que se considera­ va serem os hábitos estranhos de outros povos. Nas represen­ tações relativas aos restantes continentes, desfilam perante os nossos olhos imagens de antropofagismo no Brasil -;. '1.31 , de

praised that even though I had no answer - nor was there time for such from His Majesty - I decided to buy them myself in the event of His Majesty not wanting them for his Royal Library, where I feel in truth they deserve to stand. They have a/ready been sem and I include the acknowledgement of the Captain who is shipping them. May God preserve Your Worship for many years, The Hague, 6 May 1723" " . It has not been possib le to identify t he ship that brought the globes, as two left from The Hague at that time: the Santa Theresia, under Pieter Ruurds Roodenburg and the Santa Maria Santa Fresca, under Joseph Weldon. T he name Arno ldo Sil va also figures prominently, albeit without reference to his funct ion" . However, this reference suggests that he may have been the intermed iary in shipping these two valuable items. Between 8 April and 6 May 1723, twelve books related to auctions were published in Holland 6l . Perhaps the most important, he ld by Rudolf & Gerard Wetstein from 14 April onwards, so ld the property of johannes Theodorus Schalbruch, professor of history and Rector of the University of Amsterdam . Alt hough no globes are mentioned in the catalogue, th is does not mean t hat they did not exist or that they were not part of the auction'" The two C orone ll i globes certainly may have belonged to t his important co ll ection , as the professor owned a significant number of atlases, as lot 581 mentions Orbis antiquus, nitidissime pictus, w hil e lot 582 refers to a Cellarri Atlas coelestis, nitidissime pictus. Once they reached Portugal , the globes would have been incorpo­ rated into the large Roya l Library on the first floor of the tu rret in the Paço da Ribeira , probably in a space that kept the most va luable pieces .They wou ld have stayed there until the earthquake of 1755. However, the globes probably did not escape the event unscathed, as the earthquake may have been the cause of the traces of fractures on the surface . Th is suggests that they were probably moved to the army arsena l, which was relative ly close and appropriate to the scientific aspect of t he objects, even though they were obsolete. This was certainly where Luciano Cordeiro would find them, shorn of their past glory, in 1878, before they completed the ir journey to the Sociedade de Geografia.

THE INFORMATION ON THE TERRESTRIAL GLOBE Although Vincenzo Coronelli's terrestrial globe makes less of an impact than the celestial globe, it is still an interesting repository of e lements that offer an exemplary characterisation of Baroque menta lity. The vast iconographic richness, with images fro m other cultures, peoples and animais, reveals the taste for the exotic - or primitive - as withi n a Euro-centric vision, ali the worlds dis ­ covered until then were cu lturally backward. In fact, Europe is the only continent on t his globe not to be shown w ith imagery. Instead , it only shows the coloured outlines of the lands, which probablr suggests a geopolítical programme designed to estab lish the different nations and to exclude what were seen

53 MILANESI. MarKà. - op ClI. P 150-151 54 M!LANESI. Manca. - op. 01 . p. /46. Em /685 é nomeado Cosmogrófo PublICO: em J 689 Leltore PublICO: em 170 I Generale delrOrdlne dei Mlnon. em http://v-MM'bo,iStro.\tldlp/MuseumlMuseumHome.html, 30-08-04 Walh'S Indica alterações geográficas numa edição de 1707 WALLlS. Helen. - cp. Clt.. p 128. 5S PELLETIER. Moolque, ROGER. AI<lln. op clt. p. 66 Cf. Cl1alogues de la collectlon d'estampes de }ean V. ROI de Portuga l, Mane-Theresc Mandroux-França e MaXlme Préaud, D 64-69. 56 Cf Catalogues de la coHection destampes de Jean V. ROI de Portugal. Mdne· Thérése Mandroux-França E' Maxlme Preaud, p. 64-69. 5' Agraóe<~ ,1 MafLe The~e Mandrcux.França a InforlTlJçJO que nos permtlu descobnr a ongem dos doiS globos da Sociedade de Geogrdrld e da correspondênckl do Conde de Tarouca na publicação a(lma crtada

': Boootec.ll\ 'c O'\l de LIsboa. A'QU '.Q Tarouca Negoc,açoens do Coode de Tarouca em Holanda e em Utrecht Torno XVI. Cartas do Conde para o SecretáriO de Estado. Amo de 1713. p. IR [BNL. Res. 17920J ::::), P.v-a c()"""Oa(;r ~e \.i~!O cerca de 20 lJ!"\oI"'" ~

se ::Cf""CIt"a ~:

"XX' "'I"'E'f'\C".:)e

lf'\OS

J~

~

depois. em 1742 "Uma referência ao preço elevado do alE'ite em tempos de caresba surge no folheto do Anno NotiCIOSO e Htstóoco que " Está o azeyte em tanta esterelKlade o ca"':.t."' 1\0:' c l:le ~ de SeterrOr'o de 742. FoI'leto nO 37 111 DElGADO.1'1ancl RosahoaAmo NotICIOSO e Hlston<o 1742. LI5ÓptJma EdIÇões J abllOteca Nacl()(\éIl de


o as the strange hab,ts of'tth~o­ pies.The im~s of the other ~<{l • nents inc lud e a display of cannl­ balism in Brazil (Image 3) . fig tJ~ giants in Patagonia, exotic anima S 10 Africa, squadrons of ships in Japan whaling near the Arctic, fortifted cities in Central America and ships - identified as portughesi - in me Indian Ocean (lrll, 4).

lutas contra gigantes na Patagónia . de animais exóticos em África. de esquadras de embarcações no Japão. da caça à baleia junto ao Árti­ co. de cidades fortificadas na América central e de naus, assinal­ adas como portughesi, no Oceano índico I Estamos perante representações consideradas "reais", pois daqui foram banidos os monstros fantásti­ cos que povoavam a cartografia de alguns anos antes. Aqui não se encontram sereias. tritões, dragões e horrendos animais marinhos, pois este é um obíecto que pretendia expor o conhecimento. não se deixando dominar pela fantasia, no tocante ao desconhecido. Isto não significa que o mundo aqui represen­ tado esteja correcto, para tal basta observar a Califórnia ainda encarada como uma ilha, embora exista uma tentativa de rigor, expressão do espi rito esclarecido de renovação racionalista e experimental que então se vivia.

These images were considered to be "real", since they excluded the fan­ tastic monsters that had inhabited Amropofagismo no Brasil

cartography from years before. There are no mermaids. tritons, dragons or hideous sea creatures. Instead, the globe was des igned to present know ledge (rather than being dominated by fantasy) about the unknown. This does not mean that the world shown was accurate: suffice it to see that California was sti ll depicted as an island. However, there was some attempt at accura­ cy, reflecting the en lightened minds of the rationalist and experimental renovation of the age.

As alegorias

The allegories

O elemento fantástico presente surge unicamente em seis alegorias colocadas em diversos pontos deste globo. Destas, duas são panegiricas. ou seja evidenciam o carácter dos patronos de Coronelli, as restantes remetem para aspectos histórico­ geográficos importantes na definição do mundo.

The e lement of fantasy still found only appears in six allegories scattered around the globe . Two are eulogies to the personal quali­ ties of Coronelli's patrons, wh il e the rest refe r to important histori­ cal and geographical moments in defin ing the world.

Nau portuguesa

Do primeiro grupo consta a cartela de maiores dimensões aqui representada, referente ao Doge Morosini 6S .Ao centro. a personificação régia da República Veneziano" . sentada, com manto de arminho, tendo em segundo plano, junto ao trono, o seu simbo­ lo, o leão de São Marcos. Ela olha para a sua esquerda na direcção de três figuras: a Geografia, de pé, com a mão erguida; a Matemático, sentada em segundo plano, com um compasso medindo a figura deitada da Terra , coroada com torres. Estas três personagens são desveladas por um conjunto de serafins e num dos cantos superi­ ores a Fomo toca uma t ro mbeta com a divisa "Plus Ultra" , da Accademia Cosmografico Deg/i Argonauti. Á direita da República Veneziano, a Astronomia, com uma veste decorada com estrelas, apre­ senta os Quatro Elementos: o Fogo, personificado por uma jovem com uma estrela na fronte e um fogaréu na mão esquerda; a Terra, uma mulher africana com uma auréola solar, com a mão esquerda segu­ ra duas setas e com a di reita ergue a saia com plantas diversas; o Ar, um ancião ajoelhado, também coroado com uma estrela, tendo junto dele um putto; a Águo, um guerreiro de armadura, também

The first sub-group also has a large cartouche that refers to Doge Morosini " . The centre shows a royal figure symbolising the Venetian Republic" , sitting and wearing an ermine cloak and with the republic's emblem - the lion of Se. Mark - in the back­ ground by the throne. The figure is looking left towards three figures: Geography. standing w ith one hand raised, and Mathematics, sitting in the background with a compass measuring the reclining Earth , crowned with towers .The three are watched over by a group of seraphim, while in one upper corner, Fame is playing a trumpet with the motto "Plus Ultra" from the Accademia Cosmografica Degli Argonauti. Astronomy appears to the right of the Venetian Republic . wearing a robe decorated with stars and presenting the Fou r Elements: Fire, embodied by a young woman with a star on her forehead and a fire in her left hand; Earth is shown as an African woman with a solar ha lo, holding two arrows in her left hand and lifting her skirt filled with plants in her right hand; Air is depicted as a knee li ng o ld man, also crowned with a star and with a puno next to him; Water appears as a armoured

61 BIblioteca NaCIonal de Lisboa. ArqUIVO Tarouca - NegoClaçoens do (anele de Tar0l.K3 em Holanda e em Utre<:hl. Tomo XVI. Cartas do Conde para o Secretáno de Estado. Anno de 1723. p. 23v. [BNL Res.. 17920]

62 I would hke to thank Mano Pereira for thls InfonnatlOn. round In the Gemeentearchler. Amsterdàm.

63 Contact 'N1th the KonmklJe Slbhotheek In The Hague reveaJed that It onJy OW'IlS one of these books. for lhe SchaJbruch aucuon on 14 Apnl 1723. whKh makes no mentlon of any globe.Accordlng to the hbranan.j.AGruys. the other"s.-e

knov.'I'\ frem ~rchlval sources and advel-tlsements.The phYSlCal appearnnce of the objects that were auctloned 1$ not knovvn. 6<1 I would IIke 10 thank GlleS Mandelbrote. cuntor of Bntlsh & EarJy Pnnted (0IlectlC)f1S at the Brrtlsh Llbrary for ali the InformaHon about thls auclIon. ln hls oplnlQn. the globes may have been auctloned but oot menllOOed Ifl lhe ~

65 ALLA SERENrSSrMA REPUBUCA , E , SERENISSIMO PRENcrPE , FRANCESCO MORosrNr., DOGE DI VENETIA I Capltan Gen' Da Mare.' & c. 66 (of()')elh felt

50

strongll

<3

ut hls homel.md

Ventce

that he added Ils dntLpodes lo lhe terrestnal globe

41


ajoelhado, que se volta na direcção do observador fazendo menção de retirar a espada da bainha, num gesto em defesa da rain­ ha, Veneza. Estas quatro personagens apresentam os símbolos astrológicos a que reporta cada elemento: o Fogo tem nos galões que debruam o vestido os signos ry'(Carneiro), ó2 (Leão) e X"(Sagitário); a Terra possui no cinto as marcas do (j(Touro), ll»(Virgem) e Yp(Capricórnio); no Ar só é possível dis­ tinguir, também no cinto da person­ agem, a ,,",(Balança), pois a cabeça do putto que o acompanha oculta os restantes; a Água que apresenta não símbolos mas representações dos próprios signos: no elmo o Escorpião; na espaldeira, sobre o ombro, o

Caranguejo e no braçal os Peixes. AI/a Sereníssirna Republica ..

Curiosa nesta relação de personifi­ cações é a troca de género entre as representações do Fogo e da Água. Este último elemento é vulgarmente figurado por uma mul­ her, sendo o outro personificado por um homem guerreiro. A modificação poderá dever-se ao facto de Veneza ser uma potência marítima, que se via a si mesma como forte e belicosa, escolhen­ do, assim , uma alegoria mais vigorosa que reporta para este ele­ mento do qual era tão dependente. De qualquer modo, isto não explica o facto dos signos representados na armadura da Água

não surgirem enquanto estilizações, mas como imagens completas.

42

Na base do panejamento, onde se encontra a inscrição referente ao Doge Morosini, aos pés de Veneza e junto das alegorias da Matemática, Geografia e Terra, três putti coroados de louro desco­ brem uma medalha com a imagem de Vincenzo Coronellí"' . Curiosamente, neste globo, antes da intervenção agora levada a cabo, esta representação encontrava-se coberta de massa. Aparentemente isto ocorrera de origem, ou seja, o "apagar" da figura de Coronelli terá acontecido aquando da construção

da esfera, pois as massas aí colocadas encontravam--se sob o verniz, não tendo sido possível, no entanto, determinar se este era original ou fora colocado numa intervenção posterior.

o

motivo porque isto aconteceu não é conhecido. Teria o encomendante tido alguma desavença com o cartógrafo, na sequência de pagamentos feitos e que posteriormente se reve­ laram insuficientes, tendo sido necessário pagar mais pelos fusos

gravados dos globos' Seria uma demonstração de desprezo da

parte de um cientista por um homem que os contemporâneos consideraram pouco inovador, no que respeita ao estudo da car­ tografia' Não foi possível encontrar referências a uma situação semelhante a esta, relativamente a Coronelli a única menção a uma cartela também dissimulada com massa surge no globo do Seminário Patriarcal de Veneza, desaparecendo neste globo o retrato do Cardeal D'Estrées", ausente da peça da Sociedade de Geografia".Também, neste caso, não foi possível determinar se isto ocorrera na origem ou em restauro anterior. A segunda alegoria panegírica aqui presente refere-se, precisa­ mente, ao Cardeal D'Estrées, o patrono de Coronelli que o havia

warrio r, also kneeling and turning towards the observer and moving as if to unsheathe his sword, a movement that is to defend the queen - Venice . These four characters have their respective astrological symbols: the braid that trims Fire's robe has ry'(Aries), ó2(Leo} and X"(Sagittarius); Earth has () (Taurus), ll»(Virgo) and Yp(Capricorn) on her belt; only ,,",(lib ra) can be seen on the belt of the figure representing Air as the head af the pu ttO hides the others;Water does not have the sym­ bois, but images of the signs : Scorpio

appears on his helm, Cancer is found on the epau let and Pisces is an his armguard.

One curious aspect of this imagery is

that Fire and Water have switched their traditional genders. The latter is normally portrayed as a woman, while the former is normally a male warrior. In this case, the alteration mar bc due to the face that Venice was a maritime power that saw itself as strong and warlike, and therefore chose a more dynamic allegory to connect to the eleme nt on which the city was so dependent. However, this still does not explain why the signs on Water's armour are complete rather than sty li sed images. Three putti crowned with laurels, revea ling a meda l with a depiction of Vincenzo Coronelli , appear on the base of the drapery, which has the inscription referring to Doge Moros ini , at the feet of Venice and alongside the allegories of Mathematics, Geography and Earth 67 • Curiously, before the latest restoration, the portrait on t his globe was covered with plaster. Since the plas­ ter was under the varnish, this was evidently done when the globe was made, hiding the picture of Coronelli . However, it has not been possible to define whether the varnish was original or was added later.

The reason why the image was covered is not known. The patron may have had a disagreement with the cartographer over payment that later proved to be insufficient, making it necessary to pay more for the engraved gores on the globes. Alternatively, it may have been a sign of scorn shown by some scientist for a man whose cartographic work was not considered to be very innova­ tive. No references to any such situation have been found, and the

only mention of Coronell i is a cartouche (also covered with plas­

ter) on the globe at the Venice Patriarchal Seminary, while the por­

trait of Card inal D'Estrées", not found on the globe from the Sociedade de Geografia" , is also absent. It was also impossible to determ ine whether th is was done originally or during later restoration work. The second eulogistic allego ry refers directly to Cardinal D'Estrées, Coronell i's patron, who sent him to Paris to produce the globes for Louis XIV " . The imagery shows a personi­ fication of Eternity, prodüced after the images created by Cesare Ripa (1560?-1625') , on a pyramid'o. The naked female bust with

Q

fi) WALUS.Helen - (((oronell(s LJbro dei GlobO), Der Globusfreund. N 18-20. MaiO de 1970. p. 126.

61 Slbhote<d NaCional de LIsboa. ArqUIvo TarouciJ . NegoClaçoens do Conde de Tarouca em Holanda e em Utrechl.Tomo XV1. Cartas do Conde para o Secretáno de Estado, Anna de 1723. p. 23v [BNL Res.. 17920] 62 Agradecemos 3 Mano Perera estas Informações. re<olhldas no Gemeentearchlef de Amsterdão. 63 Contactada a Konlnkllje &bliotheek de Haia. foi possível saber que possuem unicamente um destes livros. o do leilão Schalbnxh. que ocorreu em I ~ de Abnl de 1793. o qual não menciona nenhum globo. De acordo com o seu S1b11otecâno. JA Gruys. os restantes são conheCidos através de fon tes arquMstKilS. anunClos de Jomal não sendo conrlf<ldos aspectos particulares dos ooJectos leiloados. 64 Agradecemos a Gles Mandelbrole. Conservador da Britlsh & Early Pnnted CoIlectlOns da 8cttlsh ubrary, todas as InformaÇões relatIVas a este leddo. Na sua opinião é possivel que os globos possam ter sido leiloados. sem referêocla no catalogo respectIVo. 65 ALLA SERENIS51MA REPUBlICA / [ / SERENISSIMO PRENCIPE I FRANGSCO MOROSINI./ DOGE DI VENETIA / Capltan Gen: / Da Mare./ & c 66 A ImportânCia que Corane!! alnbuía à sua Pátna de ongem. Veneza, levou a que no globo terrestre mareasse os seus antipodas. 67 Sobre o pane}J.mento que ocultava o retrato. encontra-se a legenda "FVlncenzo Coronel!! M. C I 51 C~fo e Lenore I Publico I Atlante Veneta". reforçada. na moldura deste com "p.f. COr"OI1eIh Me Cosmogr. Publ."

°


l

enviado a Paris executar os globos para Luís XIV I"' • Sobre uma pirâmide a person­ ificação da Eternidade. de acordo com as repre­ sentações de Cesare Ripa (15601 -1625 1)10. Trata-se de um busto feminino. desnudo. de lon­ gos cabelos. que nas duas mãos erguidas segura dois globos e cuja cintura se prolonga num cir­ culo. decorado com estrelas, que a emoldura. Dois serafins coroados de louro. em primeiro plano. sustendo uma cartela. Na base da pirâmide. que se projecta da água. quatro pequenos tritões alados: dois tocam búzios e os outros, em primeiro plano, seguram um medal­ hão vazio" . Relativamente às quatro alegorias históricas, uma refere-se à mitica nascente do Nilo .Junto de uma arquitectura arruina­ da, a personificação do Rio, um velho reclinado sobre uma ânfora e segurando um remo. olha para a sua direita na direcção de um homem empoleirado sobre um globo, junto de um fogaréu. Este geógrafo (Ptolomeu 1) escreve a história das ideias acerca da nascente do Nilo, sobre um panejamento que cobre toda a arquitectura da representação. Sobrevoando a cena. a Fama, tocando trombeta. transporta uma filactera onde se lê Del Fiume Nilo ou Do Rio Nilo. Em segundo plano, um anjo afasta um véu da gruta onde nasce este Rio. A segunda representação histórica refere-se ao Tratado de Tordesilhas . Sobre um plinto quadrangular. sustido por génios aquáticos e alados, sentado num trono com um grande baldaquino com panejamentos erguidos por dois serafins, o Papa Alexandre VI inclina-se para a sua esquerda. na direcção de D. João 11. Rei de Portugal. Do outro lado. tam­ bém ajoelhado e também abraçado pelo Papa. encontra-se o Rei de Espanha, Fernando, o Católico. Nos degraus, as espadas e os escudos dos monarcas. junto da planta de uma fortifi­ cação. Em segundo plano, serafins, o da direita apaga a chama da Discórdia e à esquerda dois beijam-se fraternalmente , em alusão à Paz.

long hair has both hands rai~ ant i! hold ing two globes. Her wai tl'ne ~. prolo nifdt lcJ~ (} form a circle decorated with stars that frame ' her figure . Two laurel-crowned seraphi in the foreground hold a frame. while the ba, e o the pyramid projects out of the water a d as four small winged tritons: two are blowing shells, while the others (in the foreground) are holding an undecorated medallion".

/I Génio dello Virló raccomondô aIl'Erern itó..

next to a fire . This geographer (Ptolemr~) is writing the history of ideas about the source

af the Nile an drapery that cavers the building. Th e trumpet-playing figure of Fame flies over

the scene and carries a scroll bearing the words Del Fiume Nilo (From the River Nilc).

The background shows an ange l drawing back a curta in aver the grotto where the river is born .

Del Fiume Nilo...

remete para a passagem do Estreito de Magalhães, narrado numa grandiosa cartela arquitectónica. com uma configuração em ferronerie. Este elemento insere-se numa paisagem de sabor africano. com uma serpente e dois leões. Coroando o conjunto, Fernão de Magalhães dialoga com Mercúrio, deus do Conhecimento e do Engenho, que lhe aponta um globo escondido sobre um panejamento.

o.

The second historica l image refers to the Treaty ofTordesillas ~ . Pope Alexander-'l.--....... VI appears on a square plinth, supported by two winged water-genii. sitting on a throne that has a large baldachin with drapery raised by two seraphim . The pope is leaning to his left. towards King João II of Portugal. while 43 King Ferdinand (the Catholic) of Spain appears on the other side, also kneeling and embracing the pope. The swords and arms of the two monarchs are on the steps. next to the plan of a fortification . On the right side in the back­ ground. a seraphim is snuffjng out the flame of Discord. while two others on the left kiss fraternally in an allusion to Peace . The third group refers to passing the Strait of Magellan. as narrated in an imposing arch i­ tectural cartouche in a ferronerie form oThe image is set in an African-style landscape with a snake and two lions, and is crowned by the figure of Magellan , shown in conversation w ith Mercury - the god of Knowledge and Talent ­ who is pointing to a globe hidden on some drapery.

o terceiro grupo

A última alegoria e a mais complexa remete para o Estreito de Anian, que separaria a Ásia . Junto de um da América do Norte

One of the four historical allegories refers to the mythical source of the Nile 10'" \ . The personification of the River - an ald man reclining against an amphora and holding an oar - is shown next to a ruined building. He is looking right towards a man on top of a globe ,

Dello linea d'A/essandro VI, Ó deito Oemorcaz;one...

The fina l and most complex historical allego­ ry refers to the Northwest Passage that sepa­ rates As ia from North America "". 9) .The scene is shown on one side of a square block, reve<lled on the right by an angel and showing several figures .The naked figure ofTruth, with

drapery lhat covered lhe portralt bears lhe InscnptlOn "FVmeenzo Coronelll M.C I Slgnato Cosmógra(o e Lettore I Publico I AtlanteVeneto".relterated on the frame \,.,rlth 1'\1 Coronelh Me Cosmogr. Publ.- MC::;: MlnDI1 Conventua!

5C'ANNA lColangelo. ·Coronelh·s three and a ha!f foot globes-, Der Globusfreund, p. 173.

,::' 5or"r'-e of the empty canouches, speClfica!ty those th.rt showed lhe palroos. wou!d be decorated wrth thelr lmages. Thls dever technlque aJlov/ed Coronelh to adapt lhe product to each Individual palron by changlng the plate co lhe

::.i....· 0vCt"\e avaJlable.

-: -".e .1Jthor of lhe ',vori<. that had lhe greatest tnfluenc.e on lhe f'guratlV€ arts untJl lhe earty nlneteenlh century. Hls most Slgrwficant contnbullon was mal he used figures from clasSICal ~. whde rem<:l\I1ng them (rem thetr narratJve

.=-'•.1. -nakng lhem l""""'oIic..""" of pholosophoul ab>tractKJoS. Cf RJPA. C.,.",. konologl3. P 152

:-: -'"!€ '

~

- -~.<e -€C.1J

1{)11

would sI"K:J.... a portralt of Cardl1"lal D'Estrees. (()("()I"lefh"s patron


bloco quadrangular, tendo numa das faces essa narrativa desvelada, à direita, por um anjo, surgem diversas personagens. A Verdade, desnuda, com uma capa sobre os ombros e coroada com um sol, aponta para a narrativa e observa um quadrante na mão direita da Ciência Naútica. Esta surge reclinada, junto à popa de um navio e de uma bússola. Em segundo plano, Saturno, o Tempo , alado, com a sua foice e ampul­ heta, argumenta com Júpiter, o senhor dos deuses, sentado, com o respectivo atributo, a águia. Em segundo plano, sobre a base quadrangular, o Erro, com orelhas de burro, esconde-se debaixo do panejamento, tendo junto de si um cão, a Ganância referida no texto como o Império Espanhol de Filipe 111 por não divulgar aos outros povos a existência deste Estreito. Ao contrário do que acontece com a Del/o Stretto O'Anian... contraparte celeste , as represen­ tações alegóricas presentes neste

globo deverão ter sido criadas propositadamente.

A INFORMAÇAO NO GLOBO CELESTE Ao contrário do par terrestre, as cartelas neste globo não apre­ sentam qualquer elemento alegórico. Essencialmente decorativas, com desenhos de carácter vegeta lista, quer sejam feixes de louro ou folhagens de acanto , estes elementos discretos diluem-se na exuberância cromática das representações que preenchem esta esfera.

44 Das quatro cartelas presentes só uma possui decoração distinta, envolta num concheado exu­ berante e coroada por uma spagno/ette , I . No seu interior inscreve-se a legenda intit­ ulada Amico Lettore, referente ao modo como neste globo são posicionadas as constelações, tal como viriam a surgir daí a sete anos, em 1700. Outra particularidade aí mencionada é o facto delas surgirem tal como são observadas da Terra, ou seja, no que se convencionou designar como uma versão côncava. Isto constituía uma novi­ dade na execução destes instrumentos, até aí I'epresentados na versão convexa, reconhecível pelo facto das constelações figurativas surgirem sempre de costas para o observador.

a cloak over her shoulders an d crowned w ith a sun, points to the scene and looks at a quadrant in the right hand of Nautical Science.The latter figure is reclining next to the prow of a ship and a compasso Saturn, the winged figure representing Time appears in another scene, carrying his scythe and hourglass. He is talking to Jupiter, the lord of the gods, who is sitting with his attribute: the eagle. The figure of Error appears on the square base in the background. He has donkey's ears, is hiding under the drapery and appears near to a dog that symbolises Avarice. The text defines this as sym­ bolising the Spanish Empire under Philip 111, as Spain did not infol-m other nations that the strait existed . In contrast to the celestial globe. the allegorical images on this globe must have been created specifically for this work.

THE INFORMATION

ON THE CELESTIAL GLOBE

Un like the terrestria l globe, the cartouches on the celestial globe

hold no allegories . Instead, these discreet and essentially decora­

tive elements, showing either bunches of laurel or acanthus leaves

I" I" , spread among the r ich chromatic tones and the images

that cover the globe .

Only one of the four cartouches has a different form of decoration, as it is surrounded by exuberant shellwork and crowned by a spagno­ lette . This shellwork holds a caption titled Amico Lettore, and refers to the way in which this the constellations are posi­ tioned on this globe , as would happen seven years later in 1700.Another peculiar feature is that they are shown as seen from Earth, which was norma lly called a "concave version ". This was a novelty in the production of these instruments, which had previously been con­ vex, as shown by the fact that the figurative constellations were always depicted from the rear.

One curious aspect of this cartouche is that the fema le face superimposed on the right­ Um pormenor curioso, nesta cartela, é o facto 10 Alia Serenissima RepubJica e Serenissimo Prencipe France"o hand gOl'e comes from two different versions . do rosto feminino qu e aí se encontra surgir Morosini... It seems that the original aim was to show a sobreposto, no fuso da direita, a partir de duas three-quarters figure, but the plate for the right-hand gore was versões diferentes. Assim, parece ter havido a intenção de colocar changed (I) when printing started, which led to the face appearing a figura a três quartos, mas, aparentemente, terá ocorrido uma frontally, as it does on the most common version of these globes. troca (I) com a chapa do fuso direito, no início da impressão, The same also applies to the start of the text, which suggests that surgindo o rosto em posição frontal , naquela que é talvez a versão a new version with the proper three-quarters face was printed mais comum nestes globos. Isto não ocorre só com a figura ma s,

68 SClANNA. Nocolangelo. The Coronellis three anc a half faot globes. Der Globusfreunc. p. 173 69 Algumas das cartelas VJZI3S. nomeadamente as que respeltav3m a patronos senam para preencher com figuras que financlclssern a construção dos globos. Este engenhoso artlfióo de (aroneUI. penn1tla..the adaptar o produto ao mecenas do momento. pela jusliJpo51ção de UfTl3 chapa ao espaço da cartela dlsponivel. 70 Autor da obra que mais InnuenClou as Artes figuratIVas até In{oos ao século XIX O seu vasto contnbuto pode-se resumir no facto de ter utilizado as figuras da mitologia cláSSICa. retirando-as do seu contexto namtlvo e transformando-as em personlrlCações de abstrações filosóficas. Cf RIPA Cesar'e. konologla. p 152 71 Neste medalhão estana colocado o retrato do Cilrdeal D'Estrées. patrono de Coronelll 72 "Non se Osservata nel dI5t{nbuIZI)one de Colore nelle SteUe (. "rlegiveL.)" as~nando com um monograma 73 O Ceptro (Sceptrum). tarrbém dito Mão da Justiça (Manus JustICIi!') (OI IntrodUZido por Augustln Royer no seu Mapa Celeste de 1679. para comemorar Luís XlV. Cf. RJDPATH. Star Tales. p. 144


over this first proof ~ the gore. \) ~

igualmente, com o início do discurso aí localizado. Sobre esta primeira prova, realizada num canto do fuso, ter-se-á impresso nova versão, desta vez com a face correcta. a três quar­ tos. Outra característica curiosa no inte­ rior desta cartela é a existência de uma anotação manuscrita, a tinta ver­ melha. onde é mencionado que no globo não foram seguidas as cores convencionadas para as estrelas n A tinta ai empregue parece semelhante à que identifica a passagem dos cometas na superfície da esfera. o que torna provável que esta indicação tenha sido feita pelo mesmo pintor que executou este trabalho.

01Í\ corner of 11 ..

Another interesting characterisW in this cartouche is a hand-written nQte in red ink, which mentions that the stan­ dard colours were used for the starsn . As the ink used seems similar to the one that identifies the paths followed by comets on the surface of the globe, it seems likely that the note was by the painter who produced the work. The same care taken in painting the

constellations also appear on some subtle details. such as the smrs, whosc

II

centres are highlighted w ith silver pigmentoOther globes used nail-heads to achieve the same effect.

Cartela Amjco Lettorc

O cuidado na pintura das constelações pode ser igualmente obser­ vado em pormenores subtis. como as estrelas terem os centros assinalados com pigmento de prata. ou noutros globos também com cabeças de pregos. Ainda que seja sempre referenciado que, relativamente às edições de Paris e Veneza, as representações do Globo celeste são semel­ hantes nas figuras. divergindo no modo de gravação, ocorrem algu­ mas mudanças. Assim, por exemplo, a edição de Paris de 1703 apresenta o remo do Navio mais rectangular do que se vê no globo de Lisboa, onde se prolonga num bico. Também a figura da Virgem , surge na edição de Paris com o peito descoberto e na da Sociedade de Geografia vestida.

As constelações Na Esfera Celeste da Sociedade de Geografia encontram-se 73 constelações. na generalidade as que ainda hoje são reconhecidas pela Astronomia. Destas, cinco já não são con­ sideradas nos modernos mapas estelares. o Ceptro 71 , localizado junto da mão direita de Andrómeda, o Lírio ou Flor de Lis", junto do pé esquerdo da mesma figura. o Rio Jordão 75 rodeando a Ursa Maior e o Rio Tigre. entre Pégaso e Hércules . A constelação de Antinoo" , pela sua proximidade com a Águia. acabou por constituir um todo associando-se-Ihe a figura masculina de Ganimedes" . No mapa de Coronelli estão desenhadas as 48 constelações clás­ -sicas, ditas Ptolomaicas"; as 12 que se consideraram junto ao pólo sul" introduzidas pelos navegadores holandeses Pieter Keyser e Frederick de Houtman . entre 1596 e 1603. incluídas pela primeira vez no Atlas Uranometria publicado neste último ano por johann Bayer. e as representações da Pomba, da Girafa e do Unicórnio so , pro­ postas por Petrus Plancius (1552-1622)" entre 1592. a primeira. e 1613, as restantes" . Curiosamente. Coronelli não considerou, talvez pela sua modernidade face à execução do projecto do Globo. as constelações propostas por johannes Hevelius (161 1­ 1687), ainda hoje representadas·' e publicadas, postumamente, em 1690. no Firmamentum Sobiescianum"'. junto de cada figura surgem legendas que permitem ao observador

Although the figures from the Paris and Venice versions of the celestial globe are always said to be similar. only varying in the form of printing, there are in fact some differences. For example, the oar o n the Argo Navis (Ship) in the Paris edition from 1703 is more rectangular than the one on the Lisbon globe, which ends in a po int. Equally, the figure ofVirgo in the Paris edition is bare-breasted. while she is dressed in the globe from the Sociedade de Geografia.

The constellations The celestial globe from the Sociedade de Geografia shows 73 constellations.Although most are still recognised by contemporary astronomy, five no longer appear on modern maps of the stars: the Hand of justice 71 • next to the right hand of Andromeda, the Lily or Fleur-de-Lis", next to Andromeda's left foot. the River Jordan "~ around the Ursa Major. and the River Tigris, between Pegasus and Hercules. Finally, as the constellation of Antinous" was so close to Aqui la. it was incorporated into the latter and the male figure of Ganymede was added ". Coronelli's map shows the 48 classical or Ptolemaic constella­ tions'·; the 12 near the south pole" that were introduced by Dutch navigators Pieter Keyser and Frederick de Houtman between 1596 and 1603 and first included in the Uranometria Atlas that johann Bayer published in 1603. and the images of Columba (the Dove). the Camelopardalis (Giraffe) and the Monoceros (Unicorn) "", proposed by Petrus Plancius (1552­ 1622)·' between 1592 (the first) and 1613 for the rest"'. Curious ly, Coronelli - perhaps as it was so modern - did not consider the constell ations proposed by johannes Hevelius (161 1-1687), which are still shown todaf"' and were posthumously published (1690) in the Firmamentum Sobiescianum"'. Captions appear by every figure . helping the observer to gain a better understanding of the images. In general, the constell ations are shown in superimposed paragraphs where the first name is in Italian. followed by French. and then in Latin , , ' I. Under the names. there may be a text with the names of the constellations in

..r

72 "Non se OS5ervata nel dlst(nbulzt)one de Colore neUe Stelle (,Ueglble . monogram Slgnature. 73 Sceptrum. al50 called lhe Hand of justlCe (Manus lustICI<e) was Introduced by Augusttn Royer In hls Mapa Celeste of 1679 to commemoriIte l oUls XIV, Cf. RIOPATH. Star Tales, p, J 44 74 Thls constellallon. ICh was designed to elevate the neur-de-hs symbol af lhe French royalty. appeared an the CelestLaI Map of Ignace Gastan Pardles. publ,shed In 1674. Johannes Hevellus's A11as of 1687 calls 1I lhe Boreal FIy. replaClng the preVlOUS reference to Ihls coostellatlon as lhe Wasp. as Introduced In lhe celestial map by )acob Barts.ch In 1624.ln tum. lhe latter name had replaced the constellatloo of Apes. lhe Bee Ihat Petrus Planclus Introduced In lhe celestial globe lha! he produced \oVI\h Pl€:ter V(in den Keere. c. 1612 Cf. RlOPATH. Slar Tales, pp 145·146, 75 Thls rrver and lhe T'gns flrst appcar 00 lhe celestial globe lha! Pelrus Planclus and Pleter van den Keere produced around 1612. Cf RlDPATH 51ar Tales. pp. 144 and 150. 76 Ptolemy (85- 160 AO) mefltlooed Ihls consteHatton In lhe AllTIdgeslO, c. 140 AO. ~ nd 1I was firSI sho.vn on Gerard Mercõtor's celestial gk>be. dated 1551.11 covered a seI af stars SOlJth of AqUlla and "'Ias conSldered a sub-group ar lhe lalter.Tycho Brahe consldered 1\ to be an Independent coostellallon 10 I602.As the flgu"e tS somehmes sho,vn betng camed by Aqulla. 1I has been confused Wllh Ganymede Cf. RJOPATH Slar Tales. p 138. 77 The aSSO(latlon belween Ganymede anel the neghbounng constelldllon of AqUlla (lhe Eagle) denves from lhe facl lhal lhe blrd IS dedKated lo jUpiter.lord of lhe gods. .vho Slolc 1I lo be hls rayal servant In gratJ\ude. lhe btrd was placed Jmong lhe stars..lncludlng Ganymede 3mong lhe,; group duplicates the characler dO; he IS normalty lhe person lhat represenls lhe Aquanus constellallon

45


conhecer melhor as representações aí desenhadas. Na generalidade, as constelações estão indicadas em pará­ grafos sobrepostos, tendo em primeiro lugar a designação italiana, seguindo-se a francesa e, em terceiro, a latina ,, . Sob estas pode surgir um texto, com os nomes das conste­ lações em grego e abaixo em caracteres árabes nashki. Esta é a estrutura básica das legendas encontradas, mas, por vezes, surgem alterações, como, por exemplo, nas constelações do Corvo, do Dourado e da Hidra Macho onde foi acrescentada a sua designação alemã ou nas da Cabra, da constelação do Cocheiro, e do Grou onde estão Lebre, legenda 12 ausentes os caracteres árabes. Por

vezes, para além destes elementos nashki surgem no texto

expressões em árabe, transliterações, formas escritas da vocaliza­ ção das palavras que designam essa representação, como é o caso do Aquário, da Baleia, do Carneiro, do Corvo, do Erídano, de Orion, de Peixes, do Touro ou da Cabeça de Medusa, na constelação de

Perseu.

46

Casos únicos são as referências da Mosca e da Coroa Austral. Na primeira a sua designação altera-se no francês para Abelha·5 e a imagem parece não corresponder a nenhum destes insectos: asas semelhantes ao morcego, corpo de aranha e cabeça com sobrevalorização da trompa algo tentacular. No que respeita à Coroa Austral, a designação modifica-se no latim para Caduceu, um bastão com duas serpentes, atributo de Hermes ou Mercúrio. Também único é o caso da constelação de Perseu, sem qualquer legenda, surgindo uma na Cabeça de Medusa pela importãncia que assume a sua estrela Algol "o Demónio". Dentro de outra categoria estão as constelações do Cocheiro, do Serpentário e dos Peixes, com diversas legendas cada uma relaciona­ da com um dos elementos que as constituem. No caso do Cocheiro encontram-se três legendas: uma para a figura, uma para Cabra e outra para o Chicote. O Serpentário, também conhecido como Ofiuco, tem também uma legenda para a Serpente que o rodeia.

Nos Peixes, surge a menção ao conjunto formado pelos dois ani­ mais e referências particulares a cada um deles, como Austral e

Boreal. Deixando de lado estas especificidades podemos estruturar três modelos base de legendas: a legenda simples, sem qualquer outra referência que não sejam os nomes da constelação nos cinco idiomas·', a legenda informativa, com subdivisões temáticas e a legenda discursiva, com um texto sobre a imagem representada. No primeiro caso, o da legenda simples, mais raro, encontram-se a Fénix, a Flecha, as Nuvens Grande e Pequena de Magalhães e o Pavão. Na generalidade, as legendas encontradas no Globo celeste de Coronelli pertencem à segunda categoria - a informativa - varian­ do estas das mais simples para as mais complexas. Integram-se neste grupo a Ave do Paraíso, a Balança, o Caranguejo, o Corvo", o Dourado, o Escorpião, o Grou, o índio, a Lebre, o Lobo, a Mosca, o

Greek, repeated under that: in Arabic nashki characters. This is the basic structure for' the captions, but some­ times there are variations, such as in the Corvus, Dorado and Hydrus constellations, where the German name is added, or She-goat, in the Auriga constellation, and the Grus, where there is no Arabic lettering. Sometimes, in addition to the nashki letters , there are expressions in Arabic, transliterations, written forms of spoken words that define the image . Exampl es include A9uariu s ,

Cetus,Aries, Corvus, Erídanus, Orion, Pisces, Taurus and Medusa's Head in

the Perseus constellation. The references to the Musca and the Corona Australis are special cases. In the former, the name is altered in French to the Bee" , although the image seems not to match either insect as the wings are bat-like , the body belongs to a spider and the head has an excessively large and rather tentacle-shaped mouth. The name given to the Co rona Australis is changed in Latin to Caduceus, a staff with two serpents that is the attribute of Hermes or Mercury. The Perseus constellation is also uni que as it has no caption, although Medusa's Head does due ta the importance assumed by its star Algol "the Demon" . The Auriga, Serpens and Pisces constellations are included within another category, with different captions that are related to the component elements.There are three captions for Auriga: one for the figure , one for She-goat and one for Whip. Ophiochus (the Serpent Bearer) , also has a caption for the Serpens that surrounds it. In turn , Pisces has a reference to the set formed by the two ani­ ma is and specific mentions to each one as Australis and Borealis. Excluding these specific issues, three models can be established for the captions: the sim pie caption, with only the names of the con­ stellations in five languages" : the informative caption, with thematic sub-divisions: and a disc ursive caption with a text describing the image.

The first and rarest group includes Phoenix, Sagitta, Large and Small Clouds of Magellan and Pavo. In general, the captions on Coronelli's celestial globe fali into the second - informative - category, which vary from the relatively simple to the more complex. This group includes Apus, Libra, Cancer, Corvus", Dorado, Scorpio, Grus, Indus, Lepus, Lupus, Musca,Volans, Equuleus , Quadrant, Sagittarius,Triangulum Australis, Tucana, and Ursa Minor. Ali have sim pie texts with brief explana­ tions related to the theme of the constellation . Sometimes, these references are to the mythologies of the figures .The examples are Aquila, Aquarius , Auriga, Medusa's Head , from the Perseus constellation, Erídanus, Gemini, Leo, Pisces, Ophiuchus, and Taurus . The th ird category of captions has a more complex relationship both with the object depicted and the ideas that Coronelli wished

74 Esta constelação que enalteCia o simbolo da realeza franceSJ. a Flor de Lls. surgiu no Mapa Celestial de Ignace Gaston Pardles. publicado em 1674. No atlas de johannes Hevehus.. em 1687. ela vem deSignada como Mosca Boreal. substItUindo a antenor referenCl3 a esta constelacão (omo Ve:.p3. IntrodUZida no Mapa Celeste de Jacob Bartsch em 1624. Eru última. por sua vez. substltuira a constelação de Apes. a Abelha apresentada por Petrus PlanClus no Globo celeste que executou com Pieter van den Keere. c. 16 I 2. Cf. RJDPATH. StarTales. p. 145/1 46 75 8te no e o Tigre surgem pela pnmelra vez no Globo Celeste que Petrus PlanClus e Pleter van den Keere executaram c. ! 6 12. Cf. RJDPATH . StarTales. p. 144 e 150.

76 Esta constelação foi refendJ por Ptolomeu (85-160 d.e) no seu Almagesto, c. 140 d. C e representada pela pnmelra vez no Globo Celeste de Gerard Mercator. em 1551 . Ela ocupava um COlljunto de estrelas a sul da Aguia. sendo conSiderada uma SUbdMsão desta.Tycho Brahe conSlderoo-a urna constelaçJ.o Independente em 1602. O fado da figura SUrgir. por vezes. transportada pela Águia levoJ a que fosse confundido com Ganlmedes. Cf. RJDPATH, Star Tales. p. 138 77 A assooação de Ganlmedes com a constelaçào VIZlntu da Agt.Jla. deve-se ao facto deste animaL consagrado J JÚpiter. senhor dos Deuses. o ter raptado para ser o copeiro diVino. Como agradeCimento por este feito o animai fOI coloca do entre as estrelas A Inclusâo de Ganimedes neste conjunto constitUi urna duphcação da personagem púls diz-se. normalmente. que é ele a figura que representa J constelação de Aquáno


o Peixe Voador, o Potro, o Quadrante, o Sagitário, o Triângulo Austral, o Tucano ou a Ursa Menor. Todas apresentam textos simples com pequenas explicações relacionadas com o tema da constelação. Por vezes, estas referências remetem para aspectos mitológicos das figuras representadas, como acontece com a Águia, o Aquário, o Cocheiro, a Cabeça de Medusa , da constelação de Perseu, o Erídano, os Gêmeos, o Leão, os Peixes, Serpentário ou o Touro. No terceiro conjunto de legendas, mais densas nas relações entre o objecto representado e as ideias que Coronelli pretende expor, encontram-se: a Ara, a Cabeleira de Berenice, o Carneiro, a Coroa Austral, o Peixe Austral, a Taça e o Triângulo. Nestes textos surgem ideias cuja relação com o objecto estelar parece, aparente­ mente, mais distante. É o caso da Ara, que menciona um templo ou da Cabeleira de Berenice com referência a trivialidades, ideia talvez associada à história que presidiu ao aparecimento desta conste­ lação ou ao facto destas estrelas terem pertencido à Virgem. Neste núcleo de legendas, com um registo mais complexo de relações, também se encontram textos sobre figura s da mitologia e da cul­ tura grega e latina, directa ou indirectamente relacionadas com a constelação representada. Neste grupo enquadram-se: Andrómedo, o Boieiro e a Cabra, Cassiopeia , Ce(eu, o Cão Maior , o Delfim , a Ursa Maior e a Virgem. Numa terceira categoria, dentro do grupo de legendas discursivas, encontram-se Antinoo", assinalando a sua origem , a Cruz" , a Gira(a'O , a Pomba" e o Unicórnio" todas referindo a sua recente descoberta. Neste grupo insere-se, igualmente, o emblema da Accademia degli Argonauti, o Navio" , com uma explicação detalhada da sua escolha para símbolo da organização criada por Coronelli. Mai s curiosa é a legenda do Dragão onde, para além das referên­ cias mitológicas se menciona que este agrupamento de estrelas, para os árabes, correspondia a dois lobos e cinco dromedários" .

f\:'

to transmito The constellations in question inçJude:'\\m, Coma Berenices, Aries, Corona Australis, Pisci ) ustrlà:lis, Crat;fl't1tr Triangulum. In these cases, the texts contain ideas whose relation- _.L.-,"-l~1iõJ sh ip to the stars seems more distant, as in the case of Ara, w"hich speaks about a temp le, or Coma Berenices, which refers to t via! ities, a concept that may be related to the· story about the appearance of the constellations or to the fact that the stars Were part ofVirgo.

qu e

This group of captions, with its more complex relations, also includes texts on figures from Greek and Latin mytho logy and cu l­ ture that are directly or indirectly related to the constellations shown. This group includes: Andromeda, Bootes, the She-Goat, Cassiopeia, Cepheus, Canis Major, Delphinus, Ursa Major andYirgo. The third category - with discursive captions - includes Antinous" , a name that identifies its own origin, Crux" , Cameleopardis"', Columba 91 and Monoceros" , ali of which refer to their recent discovery. The group also includes the emblem of the Accademia degli Argonauti, namely Argo Navis", with a detailed explanation of its choice as the institution's symbol.The caption for Draco is less usual, as besides the mythological references, it is noted that for the Arabs, this group of stars corresponded to two wolves and five dromedaries" . Capricorn and Ce ntaurus adopt another form of thematic expla­ nation that refers to the figures' mythological roots - the Minotaur in the latter case - while Chamaleon mentions the reptile's changeable colours.

47

Num outro registo de explicação temática enquadram-se o Capricórnio e o Centauro, referindo-se as legendas à natureza consti­ tuinte destas figuras mitológicas que, no segundo caso, remete para o Minotauro, ou o Camaleão, mencionando as mudanças de coloração deste réptil.

78 The 49 constellatlons published by Ptolemy (c. ISO AD) form the NSI$ for astronomy and are called the clasSlcal consteHa1loos.They mclude the twelve ZOdI3CS: Anes. Taurus, Gemlnl. Cancer. Lco. VlrgO. Libra. ScorpIO. Saglttanus. Capncorn, Aquanus and PlSCes: the others from the northem slo€'s: Andromeda. Aqulla. Aunga. Bootes. CasSlopeJa. Cepheus. Cygnus. Corona Boreahs. Oelph\nus. Draco. Equuleus. Hercules. Lyra. Ophluchus (lhe Serpent Bearer) . Pegasus. Perseus. Sagltta Serpens.Tnangulum. Ursa MaiOr and Ursa Mlnor: 3nd from lhe southem skJes: Ara. Argo (IVIS. Cetus. Can,S Major and CaniS Mlnor. Centaurus. Corona Austrahs. Corvus. Crater, Endanus. Hydrus. Lepus. Lupus. Onon and Piseis Austnnus. 79 Apus. Dorado. Chamaeleon. Phoenlx. Grus. Musea. Hydrus. Indus. Pavo. Volans. Tnangulum AustraJIS and TucanJ. 80 In me resped1ve capllQOs. Coronelh notes lhat they had been added recently by -modem astronomers" 81 Cf. ALMEIDA & RÉ Observar o céu profundo. p. 84. • 82 Cunousty. Coronelli dtd no! show lhe Gallus constellation. whlch he Introduced II hrmself. Even though rI dld appear In some cel€5tlal atlases. II has na N been abandoned. Cf. RlDPATI-l. Star Ta!es. p. 143 83 Canes VenattCl. Lacerta. Leo Mlnor. Lynx. Scutum. Sextant and Vulpecula consteilat.JOns. O. ALMEIDA & RÉ. Observar o ceu profundo. p 84. . 84 Desptte consultJng a vaned anel SQmetlrnes contradlctory blbhography on those respor1Sible for IntroduClng some constelJauons. lhe maln source IS based on ALMEIDA & Rf. Observar o céu profundo. pp.83-84. 85 Thls reference seems to be confused wlth the Musca Boreahs constellatlon. VJhich appears as Llly on lhls celestl<1l globe. Cf. nole 57 86 ltallan, ff€f1ch. latJn. Greek and ArabtC 87 Unlike lhe prevlOUs ooes. wntten In Latir"\. thrs orre IS 10 Itahan: ",.. ob5C.uro. seu nlgro colore..." 88 " Puer AqUllae. el Ganlmede. CostelatlOne formi ta per comando d"Adnano Imperalore dalle Stelle Infonnrche. da Tolorneo vengamo comumerate sono rAstensmo deU"Aqutla.." 89". IspanlS Cruzero. Le 51elle dI questa CoslellatlOne altre volte appartenevano ai Centauro..." 90 •. CostellatJone eretta dei Medeml di 5telle Inform. orca II Polo, e 5r abello di CasslOpea.• 9 1 ...._ Dalle Stelle Informl dei CJne magglQfe hanno li Modem eret1.a questa Costelkwo,e. quale per brev\SSlmo tempo slá erecta sopra II nostro Horizonte .." 92 " . CostellaMne accreSClutcl dali, moder'nl Astronoml. • 93 • Naus lasoruca. NaVls BattaVlca. dalla quale rAccademld nostra Cosmograflca degh ArgonauH dedusse la denomlnatrone. e l"ldea delle Impresa • 94 • _ Arablln vece di questo dlplnge _ due Lupl. e clnque Dromedans. _ Anllchl I~ lenera 5 CJVe( Z. "


50

A CONSTRUÇAO Df GlOBOC;

CONSTRUCTING GLOBES

A manufactura de globos envolve a conjugação de esforços e conhecimentos de matemáticos, cartógrafos, construtores de instrumentos de precisão, gravadores, impressores e editores. Através da História, os construtores de globos foram sempre confrontados co m o dilema essencial da escolha dos materiais a utilizar para a construção das esferas e como alterar a bidimen­ sionalidade dos mapas para uma representação tridimensional. Embora com muitas variantes, a estrutura de um globo pode definir-se como uma esfera oca, tendo um pilar central como ele­ mento de suporte entre os dois pólos. A esfera pode ser construí­ da com diversos materiais. providenciando uma forma rígida. leve e estável, como a "casca de um ovo"". As paredes são. na maioria dos casos, de papier mâché, sobre o qual assenta uma camada de massa de gesso ou cré. Esta camada oferece uma superfície polida adequada à colagem de folhas de papel e permite, com alguma facilidade. a construção da esfera com um diâmetro pré-determi­ nado pelo número e dimen são dos fusos" gravados a aplicar.

Producing globes involves combining the efforts and know ledge of mathematicians. cartographers. precision instrument makers. engravers. printers and editors. Over history, globe-makers have always had to face the dilemma of choosing the materiais to bui ld spheres and how to adapt the two-dimensional nature of maps to a three-dimensional structure .

Nos globos de pequena ou média dimensão, a esfera era construída uti­ lizando duas calotes unidas na linha do Equador, Para a sua construção utilizava-se um molde rígido - esfera em madeira ou metal - sobre o qual eram aplicadas tiras de pape l ou papelão em camadas sucessivas, Este material , ao secar sob tensão, pro­ porciona uma estrutura coesa e rígida mas, simultaneamente. leve, Após a secagem, a polpa de papel era corta­ da à volta do Equador e os dois hemis­ férios soltos do molde. Seguidamente inseria-se um pilar central, em madeira ou metal, fixando-o através de pregos nas zonas polares. com a dimensão exacta do interior da esfera compl e­ ta",

Despite the many variations. the structure of a globe can essen­ tially be defined as a hollow sphere that has a central pillar between the poles to act as a support.The sphere can be made of a range of materiais that create a rigid. light and stablc form like an "eggshell" os. In most cases . the walls made of papier-mâché . covered with a layer of plaster or chalk. This layer creates a smooth surface onto which sheets of paper can be glued. allowing reasonab ly easy construction of a sphere with a diameter that is predefined by the number and size of the printed gores" that will be glued on

Esplgao metalico Anel meridiano Gamada de argamassa Gamada de papel mâché Pilar central

Fig, I

Esquen1. de um globo

Nos globos de grande dimensão, era frequente, para além do pilar central, o recurso a um "esqueleto" de madeira. Em muitos destes exem­ plares encontramos uma estrutura complexa em madeira, sem recurso a moldes para aplicação do paPier mâché. Sobre o extracto de papier mâché , era aplicado um composto de gesso com cola proteica, de modo a obter uma superfície polida e regular. Este era aplicado em camadas, com secagens intercalares, até atingir a forma e Fig. 2 In serção do pilar cemral dimensão desejadas", O processo de engessamento era conseguido segurando a esfera num torno, sus­ pendendo-a através dos espigões metálicos cravados nos topos do

For small or medium-sized globes, the sphere was constructed using two calottes (hemispheres) joined at the line of the equator. This required a rigid mould - a sphere made of wood or metal - onto wh ich strips of paper or cardboard were applied in several layers. As the material dried under tension. it formed a cohesive, rigid yet lightweight structure. After drying, the paper pulp was cut around the equator and the two hemispheres freed from the mould.A central pillar made of wood or meta l was then inserted and attached using nai ls in the polar regions , establishing the exact size of the interior of the fi n ished spheres "

In addition to the central pillar. large globes often had a wooden skeleton, and many of them have a complex wooden structure that avoided the use of moulds to apply the papier­ mâché. A compound of plaster with protein glue was applied over the papier­ mâché so as to create a smooth , regular surface. This was added in layers and allowing periods for drying until the desired shape and size were achieved" . The plastering process involved holding the sphere on a lathe and suspending it from meta l pivots set at the ends of the central pillar. By immersing and rotating the sphere in a bath of plaster, the liquid stuck to the surface through centripetal force.After the plas­

78 As constel,lçôes dlvu!gad1S por Ptolomeu. c. 150 d. c.. são a base da Astrc;'nom.a sendo designadas como daSSlcas. Em numero de 48 Incluem .lS doze ZodtaC,llS C~melro. Tou~. Gémeos. CaranguejO.leào,VI:gem. ~lança. Escorpião. S<lgltáno, CapncÓm1o. Aqwno e PeIxes: e as restantes no céu do Norte Aguta. Andrómeda. Cocheiro. BoIeiro. CaSSIOpe1J.Cefeu. Cisne. CO(Q.] Boreal. Delfim. Drdgao. Fle<ha. Hen:ules. Lira. Ofluco ou Serpentano. Pegaso. Perseu. Potro. Serpente.Tnângulo. UrSJ MdlOr e UrSd Menor. e no céu do Sul: Ara. B.3lela. 00 Maior e Cão Meno!; Centaur<?o Corru Austral. Corvo. Endano. Hdra. Lebre. Lobo. N':N'IO. Onon. Peixe Austral e Taça. 79 A Ave do Paraíso. o Dourildo. o Cam<lIeào. ,1 Fénlx. o Grou. a MOS<.l..l Hldra Macho ou Serpente Mannha. o Indo. o PavJo. o PelxeVOJdor. o Tn,íngulo Austral c o TUCdno.

80 Nas legendas respectIVas (oronelll asslndLl que h<'!v~m Sido acrescentadas rccentemente por "modemos astronomos··

81 GALMEIDA e RE, Obsc,,,,,c o céu pro(unco, p 84.

82 Cunosamente Coronelh nJ.o representou a c:mstelaçào do G~IIU5. o lo. InlroduZldd por este astrónomo...AJnda ~ue a mesma tenha SIdo representada em alguns Atkls celestes encontra-se hqe abando d<l cr RJOPATII. SlJrTales. p 143.

83 As constelJç6es dos Cães de CdÇd. L.lgarto. Pequeoo l cão. lince. E<.Cudo. Scxtantc e R.IPOSd. cr ALMEIDA e RE. Observa'" o céu profundo. p.84.


pilar central.Através da imersão e rotação num banho de gesso, o líquido aderia à esfera pela força centrípeta, Após secagem da superfície de gesso, esta era aparada na espessura desejada, utilizan­ do um padrão semi-circular de desbaste fixo entre os pólos", A construção de uma esfera com estes materiais tornava difícil ou mesmo impossível a uniformização da espessura e peso das paredes das calotes, Para contrariar quaisquer desniveis tendenciais e permitir uma utilização eficaz do globo, ou seja, que este se mantenha imóvel em todas as posições desejadas, era muitas vezes necessária a inserção de contrapesos, Para o efeito, introduzia-se um saco de chumbos ou outro elemento metálico no interior ou numa das camadas intermé­ dias, de modo a calibrar a esfera,

o

crescente interesse e consequente procura de globos permitiu o desenvolvimento e estudo da forma adequada de conceber mapas gravados para aplicação em esferas, Estes eram seccionados em gomos, denominados fusos , dos quais são conhecidas várias formas, criadas pela dificuldade em planificar directamente uma superficie esférica sem distorções do desenho' '''', Em 1541, o cartó­ grafo Gerhard Mercator (1512-1594) desenvolveu um sistema matemático para a execução de fusos a aplicar em esferas, incluin­ do as regiões polares em separado'o" Na construção de um globo, o papel aplicado na esfera e na tábua do horizonte 'O' é sujeito a manipulações extensas de modo a adaptar-se a estas formas, A textul'a avergoada 'OJ e a sua consti­ tuição serão as mesmas de qualquer outro papel da época utiliza­ do em obras gráficas, O desenho gravado a talhe-doce é impresso sob forte pressão, sendo as folhas cortadas em gomos e coladas a uma superfície uniforme e polida, Os fusos de papel, depois de colados à esfera, são fortemente impermeabilizados com uma encolagem à base de cola de amido ou gelatina, o que favorece a aplicação da aguarela e impede ou minimiza a absorção do verniz aplicado como camada final. Esta camada de verniz promove uma pro­ tecção face ao manuseamento do globo e uma barreira contra a deposição de poeiras e gordura na superfície gravada,

ter surface had dried, it was smoothed down to the desired thi ness using a semi-circular mould held between the two poles" Constructing a sphere with these materiais made it difficult or, almost impossible to standardise the thickness and weight of the calotte walls. Counterweights often had to be inserted to counter any potential imbalance and enable the globe to be used properly, keeping it motionless in any desired position. This was done by inserting a bag of lead shots or some other metal either inside or into one of the intermediate layers so as to balance the sphere. The growing interest and consequent demand for globes led to proper development and study of the best way to design printed maps that could be applied to spheres.The prints were divided into segments called gores, which came in several different forms due to the difficulty of directly planning a spherical surface without dis ­ torting the imagery ,oo. ln 1541, the cartographer Gerhard Mercator (1512-1594) developed a mathematical system to create gores that were to be applied to spheres, including separate sections for the polar regions 'o, . When constructing a globe, the paper applied to the sphere and the horizon ring"" is subjected to adapt to the forms.The laid tex­ ture of the paper'OJ and its form are the same as those of any other paper from the period that was used for artwork. The intaglio engraving is printed under high pressure, and the sheets are cut into segments and glued to a uniform, smooth surface. Once the gores have been pasted to the sphere, they are strongly o ... ~~,--,_ _ ...... with a starch or gelatine-based glue that helps the application of watercolour paint and prevents or minimises the absorption of the varnish topcoat. This layer of varnish protects the globe when it is being handled and creates a barrier against dust and grease on the decorated surface .

This paper, which covers almost the entire surface of the globes (8) , hold the cartography drawing. The most common number of gores used to make up a globe is twelve, and the polar caps may or may not be autonomous. The gores are cut into É sobre este papel, que ocupa a quase various shapes to make it easier to totalidade da superfície dos globos, apply them to the sphere j . The que encontramos o desenho car­ polar caps are created on different tográfico, O número mais frequente pieces of paper so as to achieve de fusos que compõem um globo é cartographic definition doze, podendo as calotes se rem ou ig.3 I · Fu so inteiro. 2- Fus o intei ro aparado.)· Meio fuso. 4- Mei o (u so aparado~ -J proper $- Meio fuso abe rto. 6- Meio fuso aberto aparado. 7 - Calote __ _ around the poles, which are of great não autónomas, Para facilitar a sua importance in celestial globes as the aplicação na esfera, estes eram cortados em várias formas circumpolar stars were a vital reference for navigation. This ;, j I , Para se conseguir uma boa definição cartográfi­ explains why in some globes - such as the celestial one from the ca na zona dos pólos, de grande importância no globo celeste pois Sociedade de Geografia - the central axis does not coincide with as estrelas circumpolares representavam uma referência indispen­ the North -South axis, so as to avoid superimposing the metal pivot sável para a navegação, procurou-se representar as calotes polares with the Polar Star '04. num papel distinto dos fusos, Isto explica porque motivo, em alguns globos, como ocorre no celeste, o seu eixo central não A globe is a precision instrument, so to be effective the construction coincide com o eixo Norte-Sul, procurando evitar-se, deste modo, a sobreposição do espigão metálico com a Estrela Polar'04. does not merely involve the sphere but also a series of other ele­ ments. The central pillar that supports the sphere has two metal Para ser eficaz, como instrumento de precisão e conhecimento, a pivots set into the ends that pass through ali the layers of the

9\ BAYNES-COPE, - "Te" study and conservat,on Df glo!J5". P 14. 96 Stnps cf paper pnnled W1th lhe respectl\tC cartography 07 BAYNESCOPE, A D.. - op. ," , p, 14- I 5 ::<8 FERRONI. Alice . . íecnlche di costruZlone det globl e probleml di conservaz one- p. 70.The d~meter of lhe sphere IS calculated ac.cordmg to the gores to be apphed The formato;.. estabhshes the $Ize of the sphere reqUlred to support Ihem =tq Seml-clfcular v'looden ar metal meu/d. BAYNES·COPE.AD. -

tot~1

op. Clt. pp 1'1-/5

, OESTMANN, Guote"c - op. ot.. p. 121 USlng Mercator's cyilndnc,:1I pl'OjeCllOn. lhe ,ms of the p.-lral1els dnd lhc mendlJns : ;.... honZOnlJI sudJCC parallel to lhe Equator outSlde the sphere II lo;. covered wllh

,,~ li

amphfied a,ccordlng to the dlstance from lhe Equator REYDEN. OIanne "rln de kJe. Clt. paper pnnted wfth the Zodfac. c.alefldar <IM gr<lduatlOfl

area of the pnnled gores. e{Med In a vanety of numbers a.nd


execução do globo não se limitava à construção da esfera sendo exigidos uma série de outros elementos. O pilar central, que suporta a esfera nos pólos, possui doi s espigões metálicos crava­ dos nos seus topos que atravessam todas as camadas da "casca". Estes espigões fazem a ligação, através de dois elementos aparafu­ sados, a um anel exterior - o anel meridiano - envolvendo o globo na vertical e permitindo a sua rotação. O anel meridiano, por sua vez, encaixa na tábua do horizonte, colocada horizon­ talmente na parte superior da base, e num guia metálico da base. O anelou tábua do hor­ izonte, em madeira, é coberto com um papel ilustrado com o Zodiaco, o calendário e a grad­ uação para o cálculo da posição do sol ao longo do ano . Este papel era normalmente aplicado sobre uma camada fina de gesso e, por fim, enverniza­ do à semelhança do globo' o,.

o anel meridiano deverá apresentar, gravada numa das faces , uma graduação. Mais recentemente, encontramos anéis meridianos em madeira ou mesmo em cartão, mas o metal é o material mais comum para a sua execução. Outros elementos metálicos podem estar presentes, como o denominado anel das horas. Este poderá ser colocado em contacto com a esfera, entre esta

52

"shell". These pivots establish a connection through two pivot clamps that are screwed to an outer ring - the meridian ring ­ that vertically surrounds the globe and allows it to be rotated . In turn, t he meridian is he ld to a base by two meridian ring notches in the horizon ring and a meta l gu ide on t he ins ide . The wooden ring or horizon is covered with pape r illustrated with the zodíac, the calen ­ dar and the graduation for calcu lating the position of the sun throughout the year .. This paper was normally appl ied on a fine layer of plaster and then varnished in the same way as the globe 'o,. The meridian should have a graduation

engraved onto one of the sides. More recently,

meridians were made in wood or even card,

although meta l is the most common ly used materi­

Other metal elements may also be found, such as the

so-called hour-ring, which may be in direct contact with the

sphere, between the sphere and the meridian or out­

side the entire set, at the top of the meridian, cor­

responding to the North Pole . As the sphere

rotates, the po inter on the hour-ring makes it possible to determine the pos ition of the globe at different moments of the day and night'Oó.

e o anel meridiano ou exterior a todo o conjunto, --, Thus, the supporting structures '07 and the no vért ice do círculo meridiano, em corre- ÇJg .4 LB::..=-_ :.:3se _ _ _ _ _ _ _ _ _ _~ I f I b ~ . meridian are integra parts o g o es. spondência com o Pólo Norte. Com a rotação da esfera, a lanceta existente no anel das horas permite estabelecer Globes constructed by the same maker may revea l significant a posição do globo nos diversos momentos do dia e da noite'o,. differences due to individual methods and have variations within the same style. Certain components, especially the stands, may As estruturas de suporte '07 das esferas e do anel meridiano são have major differences, reflecting either the client's taste or the um elemento integrante destes objectos. joiner's skill '08. Globos construídos pelo mesmo fabricante podem apresentar diferenças significativas, decorrentes de métodos próprios, com variantes dentro duma mesma tradição. Alguns componentes, par­ ticularmente as bases, podem apresentar diferenças substanciais, reflectindo quer o gosto do cliente quer o talento dos marceneiros'08.

ELEME:N r051 CONS TITUIN E.

ESTADO DE CONSERVACAO

Os dois globos em estudo' o" integrando as esferas, os anéis meridianos e as bases de suporte, apresentam caracteristicas comuns, surgindo algumas diferenças ao nivel da estrutura interna de madeira, do número de fusos e da extensão das intervenções de restauro anteriores. As duas esferas"o, constituídas por uma estrutura interna de madeira onde se sobrepõem camadas de materiais diferentes, servem de suporte ao papel gravado e aguarelado. São suportadas nos pólos por espigões metálicos que fazem a ligação aos anéis meridianos apoiando-se o conjunto numa base de madeira" ', onde estão fixados quatro braços metálicos que sustentam o anel do horizonte . Este está revestido com um papel gravado e colorido,

COMPONENT PARTS. CONSERVATION CONDITION

The two globes being studied 'll'1 , comprising the spheres, meridians and stands, have shared characteristics, although there are some differences in terms of the internai wooden structure, the number of gores and the extent of the previous restoration work. Each sphere "o has an internai wooden structure with superim­ posed layers of different materiais that support the printed and watercoloured paper. T hey are held at the poles by metal pivots that are linked to the meridian rings, and each entire set stands on a wooden base '" that has four metal arms to support the horizon ring.This in turn is covered with printed and coloured paper show­ ing a zodiac, a calendar and graduation. As the meridian ring can be moved in the horizon, the spheres can be posit ioned at a range of angles. An inclination of 23°5, which corresponds to the axis of the Earth, is the most common formo Both globes have extensive areas where previous restoration work has been carried ,out, the most obvious being the intro ­ duction of plasters in a large number of places and covering large

81 Amda que tenhamos recorrido a dIVersa blbllogafta. por vezes contrad!lOna 00 que se refere à responsabilidade de Introdução de algumJs das constelações. d fonte pnoclp:=tl que apresentamos b.)<;eIa-se em AlMEIDA e RÉ. Observar o céu profundo. p. 83-84. 85 Esta referência pare<:e tratar-se de uma confusão com (I constelação da Mosca Boreal. que e Glooo celeste surge como Uno. 86 Italiano, frances. latim. rego e ~rabe.

87 Esta legenda surge em Italiano, ao cootráno das antenores em latim:··.. obscuro, seu nlgro colore.,:" 88 .... Puer Aqullae, et Ganlmede. Costelatlone formata per comando d'Adnano Imperatore dalle Stelle InfonnlChe, da Tolomeo vengamo comumérate sotto I'Astensmo dell'Aqulla .. 89 " Hlspanls Cruzero, L~ Stelle di questa CostellallOne altre vohe appartenevano ai Centauro, ," 90 " CostellallOne eretta dei Modernl di Stelle Intormi, clrca I1 Poh e ScabeHo di CasSlopea " 91 ._ Dalle SteUe Inforrnl dei Car.e m.agglOre hanno li ModerO! eretta questa CostellazlOne, quale per brevlS$lmo tempo sta erecta sopra 11 nostro Honzonle .. ,


I

I'j com o Zodíaco, um calendário e uma graduação. A mobilidade do anel meridiano dentro do anel do horizonte per­ mite colocar as esferas em diversos ângulos, sendo a inclinação de 23°5. correspondente ao eixo da Terra. a forma mais comum. Estes globos apresentavam zonas extensas de intervenções anteri­ ores. sendo a sua característica mais evidente a introdução de mas­ sas de preenchimento em grande número que ocupavam superfí­ cies extensas, sobrepondo-se mesmo ao desenho original tonalizadas com tinta verde. que dificultavam. pontualmente. a leitura do desenho cartográfico. Comparando intervenções com características semelhantes efectuadas em peças de escultura e pintura. apontamos o séc. XIX como época provável para a sua execução. Quando estes globos são transferidos do Arsenal do Exército para a Sociedade de Geografia em 1878, o seu estado de deterioração'" é testemunhado pelo Tenente de Artilharia Fernandes Costa. sendo provável que a sua recuperação tivesse ocorrido nesta data. Podemos hoje reconhecer o avança­ do estado de degradação em que estes globos se deviam encontrar na época deste restauro e a importância da intervenção então efectuada que, embora não correspondendo aos critérios actuais de conservação, per­ mitiu a sua manutenção no tempo.

areas so that even the original drawing is hidden. These wel-I .' tinted with a green paint that. in some cases, makes it difficul t.o understand the cartography. Comparison to similar work on scu lptures and paintings suggests that this work was probably done in the nineteenth century. Certain ly. artillery lieutenant Fernandes Costa noted the poor state of the globes when they were transferred from the army arsenal to the Sociedade de Geografia in 1878 '''. and the restoration was thus probably carried out at that time. Nowadays. it is possible to assess the globes' advanced state of deterioration before that restoration work and the importance of the work done at that time.Although it does not meet current cri­ teria for conservation. it did manage to preserve these objects. The spheres These hollow spheres have an externai diameter of 107 cm (ter­ restrial globe) and 108 cm (celestial globe) and '"

The internai wooden structure, which forms a lattice, consists of a central axis. a square base, eight verti ­ cal and seven horizontal staves. The !I Revestimento de faia G Tela central axis. which has a square cross­ 7 Papier móché 8 Camada de gesso section . links the two poles inside 9 Papel (fusos) de pro tecção spheres . The two forged iron pivots 1D Fuso G~,, ~d9. that are set into the ends of the axis ig. 5 Corte t ransversal dos globos da Sociedade de Geogr:1fia As esferas cross ali the layers and connect the sphere to the exterior meridian through two screwed As esferas. com o centro oco, apresentam um diâmetro pivot clamps. The ends of the axis' four edges, next to exterior de 107 cm no globo terrestre e de 108 cm the square bases. are cut and reinforced with small no globo celeste" ' . metal pieces nailed li. , Eixo central

;: Triângulo 3 Aduela vertica l <I Aduela horizontal

A estrutura interna de madeira compreende The central pillar of the celestial globe is rein­ um eixo central. uma base quadrangular. oito adu­ forced on one si de with a piece of wood glued to elas verticais e sete aduelas horizontais . O eixo one section. The wood is pale and slightly pink in central . de secção quadrangular. une os dois pólos colour. The central pillar of the terrestrial globe na parte interna. . e u ' Cravados nos topos is darker and may be of exotic wood. Although the deste eixo. encaixam dois espigões dentados de ferro axis of the latter has a smaller cross-section, the ends forjado que, atravessando todas as camadas. ligam a are flared to provide added strength for the pivots. In esfera ao anel meridiano exterior através de dois elemen­ contrast to the rest of the wooden parts inside the tos aparafusados. Nos topos. junto aos encaixes com as D I spheres, the central axes are smooth and more care­ bases quadrangulares. as quatro arestas do eixo estão ~ . Aduelas hoclzon lals e veCllcals fully finished. cortadas e reforçadas com pequenos elementos metálicos pregados'" • Ir 1:, J~

I .~ I

No globo celeste o pilar central é reforçado numa das faces por um elemento de madeira colado a uma das secções. A madeira apresenta um tom claro. ligeiramente rosado. O pilar central. no globo terrestre apresenta uma tonalidade mais escura. podendo ser de uma madeira exótica. Neste globo. o eixo tem uma secção menor. mas os topos alargam. para permitir maior resistência aos espigões aí cravados. Ao contrário dos restantes elementos de madeira no interior das esferas, os eixos centrais apresentam uma superfície lisa com acabamento mais cuidado. 103 Paper v.Aiose texture af very fine !ines 104 FERRONI. AI"•. op. "t. pp. 67·70

IS

A square base comprising four triangular parts is located at each end of the axis (at the poles), supporting and connecting to the vertical staves "'. Four of these fit into the corners by the axis. while the rest are set in the bases of the triangles through dovetail joints . The points where the vertical staves cross the horizontal ones form rabbet joints. although those on the first and last horizontal staves cannot be seen at surface levei as they are hidden by the end . Ali the staves have bevel halved joint along them ' . and >< and some dowels with a circular cross-section can sometimes be observed "'.

1he resvh of lhe wwes Ihat shape lhe stf1.Jcture cf lhe sneet.

105 McKlINTOCK.T K.• op Ôt. pp. 135·136.

106 FERRONI. AI'ce. op. e't. pp. 6<,·71

r07 Bullt In wood or metal StudJeS to Identlfy lhe woods used on lhe slands show th.l.t oak domlOated In the Slxteenth and seventeenth centunes. anel Ihat softer woods such as walnut. plOe. poplar and pre(l()us V/oods {rom troptcal trees. such as mahogany, dommated 10 lhe elghteenlh. FERRÜI\!I, Alice. op. C11. p. 70 108 BAYNES·COPE. A O.. op. OI. P 12: McKlINTOCK. T. K.. op "I.. p. 136 109 Celestial Inv. no 1189. lerrestnal Inv. no, I 183. I 10 The celestial globe Vl€lghS SI kg. I I I The base of lhe celesl,,1 globe welghs 4J kg I 12 CORDEIRO. Lu",no. op c<l. p. 259 113 II I" Jlmost periectly sphcncllThe Clrc!c ,lI lhe fqUJtor of lhe lenestn~1 globc IS 3042 em. whilc 11 meas.ufe'> 3040 em ai lhe poIes

53


Em cada extremo deste eixo, junto aos pólos, uma base

quadrangular, composta por quatro elementos triangu­

lares, serve de suporte e de travamento às aduelas ver­ ticais"'. Destas, quatro encaixam nos cantos junto ao eixo, as restantes firmam-se nas bases dos triângulos através de malhetes em cauda de andorinha . O cruzamento das aduelas verticais e horizontais faz-se através de ligações em ganzepe, sendo que os cruzamentos, na primeira e na última aduela horizontal, não são visíveis à face da madeira (escondida no topo). Todas as aduelas apresentam encaixes em forma de

empalme ao longo da sua extensão e e, por

vezes, observam-se também algumas cavilhas de secção circular'''.

É notória uma maior fragilidade da estrutura interna do globo terrestre que apresenta alguns elementos partidos. Possivel-mente, este facto originou, a inclusão das calotes em ferro forjado, cravadas no exte­ rior dos pólos com pregos de secção quadra­ da, com 8 cm de comprimento Neste globo as aduelas têm secção menor e os cruzamentos entre verticais e horizontais estão alternados, enquanto no globo celeste

a espessura da madeira permitiu uma con­

tinuidade no seu alinhamento.

54

Um revestimento de madeira cobre toda a estrutura anteriormente descrita, resultando numa primeira aproximação à forma esférica do globo. Este é constituído por faixas'l7 de faia"', justapostas e pregadas às aduelas, no sentido vertical, com pregos de ferro forjado. Este revestimento tem um envolvimen­ to total em tela com sobreposições coladas'" e pregadas ''', - ainda que, esta não tenha sido observada na sua totalidade - de modo a permi­ tir a sua adaptação à forma esféri­ ca. A tela, com ponto de tecelagem em tafetá " ', é constituída por fibras de linho no globo celeste e de cânhamo '" no globo terrestre ~ 11-

The internai structure of the terrestrial globe is clearly more fragile, as some parts have been broken. This may have led to the addition of forged iron calottes outside the poles that are held by square-headed nails measuring eíght centimetres long. The globe's staves have a smaller cross-section and the joints between verticais and horizontais alternate .' while on the celestial globe the thickness of the wood allowed a continuity in the alignment.

@] ~IR-a-d ; og-afi" r---e d--u m po -' I o --~I

A wooden covering covers ali the above structure to create the first appearance of the globe's spherical form oThis coating consists of strips '" of beechwood "B that are juxtaposed with and attached to the vertical staves with forged iron nails.

This in turn is entirely covered with superimposed layers of glued '" and nailed '20 canvas (although not ali parts have yet been observed) that permits the spherical shape . The canvas, abby woven '2l , on the celestial globe is in linen, while it is made of hemp "'on the ter­ restrial globe. A layer of papier-mâché with an average thickness of 1.3 cm is then added over the canvas. This paper paste, made from rag fibre is covered by a layer made up of plaster and animal glue'" that has an average thick­ . The plaster has a ness of 0.7 cm coarser grained lower levei and a finer upper levei, with a slight separation between the two layers 'H

- -- ­

Two strata of fine paper 12S made of undecorated rag fibre lie between this layer and the printed paper. The layers are formed by seg­ ments of superimposed and glued paper, which act as a pro­ tective layer between the printed

I

\)

Encaixe em ganze pe. 2- Empal me

~

I Enca;xe escond;do a [Opo

] gores and the underlying layer of -plaster. A hand-written inscription with "carpenter's accounts" and a ca!culation to confirm the sums was found on one inter­ mediate layer of paper when lifting the origi­ nai gores to consolidate the underly ing layers. Excluding the staves, the various layers form a total thickness of approximately 2.5 cm "'.

Sobreposta à tela, uma camada de papier mâché, com espessura média de

1,3 cm. Esta pasta de papel, composta por

fibras de trapo, é seguida uma massa de gesso e cola de pele"', com espessura média de 0,7 cm . Esta última apresenta um extracto inferior de grão mais grosseiro e um superior de grão mais fino, havendo uma ligeira separação entre as duas camadas "' .

Entre esta camada e o papel gravado existem dois estratos de papel fino de fibras de trapo'lS, sem decoração. Estes são constituídos por gomos de papel colados, com sobre- ~ 1 Est rutura interna do globo terrest re

I

Both globes have metal pieces to calibrate the spheres.There are two shell-shaped pieces on the terrestrial globe, held by textile fibres to the vertical stave and bearing the number three . On the celestial globe, the calieration is achieved through a metal plate buried in the layer of plaster and covered with

92 ..... Costellatlone accresCluta dalll modem! Astronoml. :

93 "... .Naus lasonleJ. Navls BanaVlca, dalla quale rAccademIJ. nostra CosmograficJ degli ArgonautJ dedUS5e la denomlnahOne. e rldea delle Impres.a :"

91" _ Arabl In vece di questo dlplngc _ due Lup!. e ClfXjue Dromedans _ Antlchl la lettera S aver Z "

95 BAYNES-COPE. - «Th€ study .lnd conserva\ton of globes» . p. 14.

96 Gomos de papel gravados com a cartografia

97 BAYNES-COPE. AD.. - op. CI' .P 14-15

98 O diâmetro da esfera é calculado em funçJO dos fusos d dpIKar. O somatóflo

d05

fusos gravados, que são editados em número e formato vanados, vâo definir a dln"'len>ão da esfera constrUI'da P-Jlâ suporte dos mesmos. fEMONI,Alice,

- decnlche di costruZlone dei glOOI e probleml di conservaZIOM» p. 70.

99 Molde em madeira ou metal com a dimensão e forma de meia esfera B.A.YNES-COPt.,A.D. op,clt.. p. 14-15.


/

is

a band of glued-on wood (Im e 19)'';. . Ii imposs ible to determine whether this .'\ original or was added later, as the area nas plaster from restoration work.

posições entre eles. Estes papéis actuam como barreira de protecção entre os fuso s gravados e a camada subjacente de gesso. Durante a operação de levantamento de fusos originais para consolidação das camadas subjacentes. verificou-se uma inscrição manuscrita de "con­ tas de carpinteiro" e "prova dos nove", numa zona de papel intermédio. As várias camadas. excluindo as aduelas, perfazem uma espessura ~ !Espessura das massas de preenchimemo aproximada de 2,5 em "·. Os dois globos apresentam elementos metáli­ cos para calibração das esferas. No globo ter­ restre são dois elementos em forma de con­ cha, presos com fios têxteis à aduela vertical com o número três gravado . No globo celeste, a calibração é feita através de uma placa metálica enterrada na camada de gesso e coberta por uma faixa de madeira colada'" I / . Neste caso não é pos­ -sível determinar se o elemento é original, ou se foi introduzido posteriormente. pois nesta zona encontramos massas de intervenção.

Printed gores A layer of paper with the printed and coloured map (gores) sits on the structure described above. This laid rag paper contains seven laid lines per centimetre and has 3.4 cm distance between chain lines "·, There is no ". detectable watermark

@] ISeparação e ntre camadas

_

Fusos gravados

::

Sobre o conjunto anterior­ mente descrito assenta a camada de papel, com a car­ tografia gravada e colorida (fusos). Este papel, também de fibras de trapo, do tipo aver­ goado, apresenta sete ver­

gaturas por cm e 3,4 cm de distanciamento

entre pontusais"'. Não foi possivel a obser­

vação de nenhuma marca de águam. " '

~ :: . ", '.~

It was not possible to conclude whether the 48 gores on the celestial globe were pro ­ duced using separare engraved plates, whether there were ini­ tially twenty-four that were then cut along the tropics of Cancer and Caprico rn to make it easier to paste them to the sphere or printed on two smaller sheets, possibly to be included in the Libro dei Globi '

110

O globo terrestre apresenta o número de fusos mais comum: vinte e quatro semi-fusos aparados - do equador até aos 70° de latitude norte e sul - e duas calotes polares. Este número de fusos corresponde a igual número de chapas de gravação. O globo celeste apre­ senta quarenta e oito quartos de fusos apara­ dos - do equador aos trópicos, e até aos 70° de latitude - e duas calotes polares. atraves­ sadas pelos espigões metálicos, que não são coincidentes com os pólos norte e sul

Não foi possível concluir se no globo celeste este número de fusos corresponde a chapas de gravação independentes ou se, num número inicial de vinte e quatro, foram corta­ dos nas linhas correspondentes aos trópicos de Câncer e Capricórnio para facilitar a sua colocação na esfera, ou impressos em duas folhas de menores dimensões, possivelmente ~

.,::'

-

The terrestrial globe has the most common number of gores: twenty-four ha lf clipped gores - from the Equator to 700 latitude north and south - and two polar caps . The number of gores corresponds to a simi lar number of engraved plates. The celestial globe has forty-eight quarter clipped gores ­ from the Equator to the tro pics and 70 0 lati­ tude - in addition to the pola r caps, which are pierced by .··&.h;;....· metal pivots that do not coin­ cide with the poles ,~9 .

There appears to be minimal or no overlapping between the gores. Apparently, they were posi­ tioned end to end, mov ing from West to East, beginning at the Equator and finishing at the poles " '. The cartography and texts were e ngraved us ing intaglio - etched and chased lll- and printed in black with a charcoal based ink.

o 47.5cm

The print on the terrestrial globe compris­ es a line drawing with dots and some cross­ hatching to create shadow ( ":LI.The first three letters of the na me "Barbaria" l33 appear hand-written in brown ink. possibly due to an error in engraving the plate L 23 .

26cm

Fusos (I) terres tre , (2) celeste, (3) cal ote

The print on the celestial globe shows out­ lines and decoration inside the figures , with

I 14 Hypothetlcally. t.hese metal parts rn.ay eXlend LKlder lhe end of lhe central 4XIS. creatlng a remforcement for lhe prvot However. thls cannol be confirmed by tadJOgl'" Jphy. as lhe parts are supenmposed Vlrth the metal calottes I 15 Numbers (an be seen 00 some vertical staves. [ 16 The wood used for these parts. lhe square bases and lhe staves. nas no! be€n analysed. Hov..-ever: dose observaMn suggests It IS xotch plne. 117 Stnp - t11ln Plece af wood. ma)(lfllUm thlckness: I mm. 118 Celestial globe:Fagus sp :Terreçtn,ll globe: Fagus syiv3tJca l. The \voods used for lhe covenngs were Klentlhed thraugh mlCroscoplC observatlOn of samples from an area v.mere Ihls layer was broken (terrestnaJ globe) anel an area under neath the restored plaster (celestial globe). I19 T'NO fragments af the angulJl C,lnv<1S '1.ere supenmposed In onc area 'Nhere prevlOus restordtlon work was refTlOVed on the terrestnal globe 120 The rad'ography revealed nalls ali dJong lhe st;,l\'es to hold the beech stnps 3nd the c""vas. I21 BaSlC W€i:Ne Ihat alternates one WJfp wlth one weft

55


para inclusão no Libro dei G/obi"o.

dots in some areas but no crosshatching to depict shadow. The figures' volume is empha­ sised through the painting ,'.-

Não parece haver sobreposição dos fusos na montagem, ou se ocorre é mínima. Aparen­ temente tendo sido feita topo a topo, a sua colocação na esfera parece ter sido nos senti­ dos W-E e partindo do Equador para os pólos"'.

The chromatic layer The chromatic layer was analysed after the varnishes had been removed 'H In general. only one layer was detected on the paper. However, there were two exceptions on sam­ pies taken on the celestial globe: the grey in the Monoceros constellation and the flesh tones in the Virgo constellation 'lS.

o desenho cartográfico e os textos foram gravados a talhe- doce - água-forte e buril lll ­ impressos a preto com uma tinta à base de carvão vegetal.

o

globo terrestre apresenta uma gravura com desenho linear, ponteado e algumas linhas cruzadas para sombrear o desenho Neste globo encontramos as três primeiras letras do nome "Barborio""] manuscritas a tinta castanha, possivelmente por erro na gravação da chapa.

In most cases, the colou r is made up of a sin­ gle pigment with lead white or charcoal added to some colours and I " .

o globo celeste apresenta uma gravura com marcação do contorno e traçados interiores das figuras e algumas zonas com técnica do ponteado, não surgindo linhas cruzadas para marcação das sombras.A volumetria das figuras é realçada pela pintura

A camada cromática

56

A análise da camada cromática foi efectuada após o levantamento dos vernizes ')'. De modo geral, apenas se detectou uma camada cromática sobre o suporte de papel, com excepção de duas amostras no globo celeste: o cinzento na constelação Unicórnio e car­ nação na constelação Virgem 'lS. Na maioria dos casos a cor é constituída por apenas um pigmento, tendo nalgumas cores, sido adicionados o branco de chumbo ou o carvão vegetal "'. e Na caracterização do tipo de aglutinantes nas várias tintas verificou-se: a presença de resina copal e resina de pinheiro em algumas amostras, correspondentes a resíduos dos vernizes de protecção; a ausência de agluti­ nante em algumas amostras ll7 ou em quantidade tão diminuta que impedindo a sua detecção, indicia a presença de aguarela e a presença de polissacáridos' lS em algumas amostras' l'J - aglutinantes caracte­ rísticos dos guaches e aguarelas. A aplicação da cor nestes globos foi feita recorrendo, essencial­ mente, à técnica da aguada

01

Gravura do glo bo te rrest re

Characterising the type of binder used in the various paints revealed the following: the presence of capai and pine resins in some samples, from residues of the protective var­ nishes; the absence of binder in other sam­ pies' " ar in quantities too minute to be detected, suggesting the use of watercolours ; the presence of polyssacharides ll8 in some other samples ll ' . These binders are typical used with gouache and watercolours. Colou r was mostly applied to these globes through washes , where the colours retain the transparency necessary to see the underlying outline of the print, although some shades are more opaque due to the addition of lead white. In places, it is possible to observe brush strokes that create body and texture, for example in the white highl ights for points of light and in the black ~ and white marking of the meridian respectively for the lines and areas of the print. This marking is very clear, as these divi­ sions are visually extremely important on the surface, particularly of the celestial globe. The pigments used in this layer demonstrate are of high quality and have been used since ancient times. The use of the costly ultrama­ on the rine pigment figures and boats , the seas, oceans and the background of the celestial globe deserve spe­ cial reference, although a more diluted form was used for larger areas. In similar fashion, silver pigment was used for the centres of the stars 2- Ocre vermelh o + Carvão ve ela!.

The seas on the terrestrial globe,

100 OESTMANN. Günther.. op. (,\. p. 12 1 101 Com a projeCção olí"Kh:a Mercatore. os arcos dos paralelos e dos mendklnos aparecem 3r'll>hados em funyl0 da dstâncLa ao Equador. REYDEN Danne van de. em httpJ/w\.. . w$I.eóJlscrrrelrelactlglobes.htm.27-08-04 102 SuperÍlCle honzontal paritlela á linha do Equador e extenor à esfera. onde é aplicado um papel gravado com o Zodíaco. calenwno e graduação. 103 Papel com textura de Ilr..rw:; multo finas resultantes dos ,1rames da forma de rabnco da folha. '04 FERRON I A'oe•. op.COI. p. 67.70. 105 MCKlINTOCK.TK. op.OLp.13S·JJ6 106 FERRONIAioce.op.o' p 66·71. I07Construidcls em ~oora ou metal. estudos de identificação d,lS madelfils ut hzadas nas bases. venficaram J predominânCIa de carvalho. s seco XVI e XVII. e a Introdução de madeiras 1n.1IS macias. como a r.o&'-Jelra. Dnho. choupo e madeiras preüoYls orQ\.€nlentes de arvores tropicaiS. como o mogno. no séc XVIII. FERRONI. Alice. op.Ctt. p 70


I

. As cores apresentam uma transparência necessária à visualização dos traços da gravura subjacente, embora algumas tonalidades apresentem maior opacidade pela adição do branco de chumbo. Observamos pontualmente uma pincelada com corpo e tex­ tura como nos realces a branco para pontos de luz e na marcação dos meridianos Esta última é realçada na pintura a branco e preto, respectivamente o vazado e o traçado na gravura. Esta marcação é feita com muita inten­ sidade, pois estas divisões são muito impor­ tantes visualmente na superfície do globo, com particular destaque no globo celeste.

-_I

which is less colourful than the celestial glol!)~; are painted in blue watercolour stripes t r.' are denser near the coastlines and the areas around the boats .The landmass~s are outlined either in green or red, with some inland regions totally covered in a pinkish red colour and others in brown I .l ' '''. The most intense painting. using denser and brighter colours. appears in the allegorical car­

touches. some figurative details of habits and

customs and the depiction of animais.

0'-______ -=--________----"

Os pigmentos utilizados na camada cromática destes objectos apresentam uma elevada qualidade e são usados desde tempos antigos. É de realçar a presença de azul ultramarino , pigmento dispendioso, nas figuras e barcos, nos mares, oceanos e fundo do globo celeste, embora em zonas mais extensas tenha sido aplicado numa forma mais diluída o pigmento de prata foi detectado nos centros das estrelas.

The varnishes

The surface is totally and evenly covered with

an intensely bright and thick finishing coat.

This is composed of three types of varnish :

pine resin (probably the original varnish).

copal resin '<I and lacquer "l, which is the least

common '''.

The conservation condition of the spheres.

O globo terrestre, menos colorido que o ~ pela adição de Branco de chu mbo celeste, tem a marcação dos mares com aguarela azul aplicada num riscado, com maior intensi­ dade junto às costaS terres­ tres e nas zonas circun­ dantes aos barcos . As áreas ocupadas pelas terras apresentam o con­ torno pintado a verde ou vermelho, com alguns interi­ ores totalmente preenchi­ dos com um vermelho rosa- @J Corte estratigráfico do pigmento .zul da Taça . do e outros com tonalidade ' I· Pa el. 2 - Azul ultrama rino.

The two globes are in a similar conservation condition. varying only in terms of the extent of certain pathologies and the impact of pre­ vious restoration work.

Marcação dos meridianos e opacidade de algumas co res

castanha "0 . É nas cartelas alegóri­ cas e em alguns pormenores figurativos de usos, costumes e representação de animais, que encontramos maior concentração de pin­ tura , com cores mais densas e vivas.

.J

The successive coats of var­ nish applied over the years have deteriorated. resulting in a yellowish hue and some opacity that partially obscu­ res the printed design and seriously alters the painted colours. The blues, which form the entire background of the celestial globe, have turned green ; the whites have become yellow; ali the subtle nuances of the greys, blues and reds on the plumage of the birds and the drapery have merged into a single, dense colour, while the printed design, when partially covered by paint that uses lead white in the compound, can no longer be properly seen

Os vernizes A superfície apresenta uma cobertura total e homogénea de camada de acabamento com brilho intenso e espessura considerável. Compreende três tipos de vernizes: resina de pinheiro (provavelmente correspondente ao verniz original), resina copal'" e goma laca'42, este último com menor ocorrência nos pon­ toS analisados'''.

Areas that have come Ioose and severe cracking of the varnish has aided the depositing of dust on the pape r and oxidisation due to direct contact with the air resulting in darkening of areas or reticular lines . New coats of varnish have been used to cover these areas but the darkened colour of the pape r suggests that it was left unprotected and exposed to the air for a considerable period of time.Areas where cracks define a small area of varnish that has peeled off are clearly visible, while different

_ .....-e C(lnvas flbres were Identl~ed through mlCJoscoÇ>lC observatlon af lhe transversal anel longitudinal cross-sectlons. 1~ lum sulphàte and anlmill glue,The compoSltJan af lhe plasters was Identlfled by mlCro·chemlCdl anal)'Sls anel IV spectroscopy (mS-FTIR1, a technlque th<l l õlloNs organlC materklls to be deflned by lhe charactenstlc wave!ength bands -j

~:enals

,..;hen suble<.ted to m(rared radlalloo.

S sepc.ratlQO VIas observed Ir arel1s adJacent to lhe plasters reffiO\'ed from preVlOLS restoratlon work.

: ..! "T -

_ ... ~.e-oe

L3yers of ver'( comP,lct. pasted paper may fonn three strata. for the segments may have been supenmposed on thlS sample. • .. "T -~ U"lI('J"leS5eS Indl(ated for lhe v3nous leveis refer to lhe areas where prevlOus Inlerven\JQns has been re and may not be true for the entlre surface As such. they are only mtended as approxJmate SIZes. • - :>C ..t:ed lfI PISCIS Austrahs. ..j.,n '"\e'j are the lines In lhe paper thilt correspond to lhe W1res Ihal fixed lhe \·.~res for lhe lald hnes of lhe sheet. : ::. :. ","r-'"f"l"\3.f'1<.s are produced by Inserllng a network of wlres In lhe papel' mould lo form a partem ar letters dunng paper produCllon.The paper pulp depoSlted In those areas IS not as thick. wtllch makes lhe panem less opaque and VlS­ . .,.. r gores and or gore fragments IemOve<l dunng Ihls process dld not feature dny watermark "

M

..

t·NO

57


Estado de Conservação das esferas As duas esferas apresentam um estado de con­

servação semelhante. variando a extensão de

algumas patologias e intervenções de restauro

anteriores.

As sucessivas camadas de verniz aplicadas ao

longo do tempo degradaram-se. apresentando

um tom amarelo escuro. uma certa opacidade.

encobrindo parcialmente o desenho gravado e

alterando acentuadamente as tonalidades da

pintura. Os azuis. todo o fundo do globo

celeste. tornaram-se verdes; os brancos trans­

formaram-se em amarelos; todo um cambiante

suave de tonalidades cinzentas. azuis e rosas

58

thicknesses covered by new coats of varnish can be seen. suggesting that the original var­ nish was never removed When removing the varn ish. it beca me apparent that the process of sizing the paper was more effective on the celestial globe.This greater protection was not only achieved by applying glue to the paper but also by the use of pigments and the respective binders that acted as a barrier. preventing the varnish from penetrating. However. in areas where peeling also removed some of the watercolour, leav­ ing the paper unprotected. some of the var­ nish applied subsequently did penetrate.

presente na plumagem das aves e nos paneja­ mentos transformaram-se em empastamentos ::::~===========~=::::::::~ l G4l 1 de cor única'. desenho gravado. parcialmente L:J . Zonas de destacamento do vern;z encoberto pela pintura. quando utilizado o

branco de chumbo no composto. perdeu leitu­

Areas where the varnish has been worn away - in some cases also affecting the underlying Iayers - are a1so common to bot h g Io b es. Colours were applied directly onto the bare paper in innumerable such cases

ra.

There is no evidence to suggest that paper was used to cover these gaps. nor was the printed design repainted except in the case of red aureole of the stars and the extensive repainting over the plaster used to restore Sagittarius

Zonas de destacamento e um estalado acentu­

ado do verniz favoreceram a deposição de

poeiras no papel e a sua oxidação pelo contac­

to directo com o ar. resultando no seu

escurecimento. em mancha ou em reticulado.

Novas camadas de verniz foram tapando estas

zonas. mas o tom enegrecido do papel indica

um tempo considerável de contacto directo

com o ar. sem protecção. Zonas em que as

fissuras delimitaram uma pequena área do

verniz que se destacou em bloco. são bem visíveis. Cobertas com novas aplicações de verniz podemos observar espessuras muito diferentes. colocando como hipótese que o verniz original nunca tenha sido removido

Durante o processo de remoção dos vernizes.

verificámos que a impermeabilização do papel

era mais eficaz no globo celeste. Esta maior

protecção foi conseguida. não só pela aplicação

da encolagem no papel. como pela presença

dos pigmentos e respectivos aglutinantes que

actuaram como barreira à penetração do

verniz. Nas zonas em que o seu destacamento

arrastou também a aguarela. deixando o papel

sem protecção, verificámos alguma penetração

dos vernizes aplicados posteriormente.

Zonas de abrasão do verniz e. em alguns casos.

das camadas subjacentes. são também comuns

aos dois globos. Nestas foi aplicada. em

inúmeros casos. uma tonalização directa na

superficie de papel a descoberto

Nada indica a inclusão de papel para preenchi­

mento de zonas de lacuna nem o repinte do

The chromatic layer is in a good conservation condition. However. some pigments. such as the copper-rich greens - verdigris and verditer - are prone to oxidation and have become brittle or turned a brownish colour . Oxidation may be observed in the underlying support and around the areas where they have been applied Some areas of ultramarine that contain a higher quantity of pigmentation. as found in Crater. either have little binder or it has deteriorated. resulting in a rather crumbly chromatic layer In Cetus. the colour based on charcoal and lead white has changed signifi­ cantly, leaving a very grainy texture with low adhesion to the support. The very low number of creases and wrinkles in the paper and the fairly accurate positioning of the gores demonstrate the high levei of skill used in construction. The metal calottes at the poles of the terres­ trial globe. riveted onto the structure. may have been added at the same time as the filling plaster'''. They were applied using pressure. which altered the globe's spherical formo The effect is most noticeable around the south pole. as the area immediately surrounding the metal has shifted inwards and covering the

108 BAYNES·COPE. AO.. 01"'1. P 12. McKl'nlcxk TK. op.OL. P 136

Im Celeste

nO Inv. I I 89: Terrestre

nD Inv. 1183.

110 Com um peso de 51 kg (esfera celeste).

II I Com peso de 43 kg (base do globo celeste).

112 CORDEIRO. Luoano. op. C'I P 259

113 A esfenCldade é quase períNa O circulo medido no equador do globo terrestre e de 3042 em e nos pólos de 3040 em.

114 Colocamos como hipótese. Que estes elementos metálicos tenham continuidade por baixo do topo do el)',o central, resultando num ponto de reforço piJrd O espigão. Não foi possO I confirmar esta IdeJJ pela leitura dd radIOgrafia. poiS na Imagem eXiste sobrepoSlçào destes elementos: com <lS calotes metâhcJs. 115 Observámos uma numeraçào gravada em algumas aduelas vertICaiS. 116 /"5 madeiras presentes nestes elementos. baS5 quadrrtngurares e adue!as. não foram analisadas No entanto. pela observação. podemos apontar para madeira de casqulnh.:J


I

desenho gravado, exceptuando casos pontuais da auréola vermelha das estrelas e um repinte extenso sobre as massas de restauro na constelação Sagitário. A camada cromática apresenta bom estado de conservação. Alguns pigmentos, no entanto, como os verdes - verdigri e verditer - ricos em cobre, são susceptíveis à oxidação, tornan­ do-se friáveis ou alterando a sua cor para cas­ tanho 11 . " . Podemos observar uma oxidação do suporte na zona subjacente e cir­ cundante às áreas em que foram aplicados ~ Pigmento azul alterado. na Taça . Algumas áreas de azul ultramari­ no com maior quantidade de pigmento, como • na constelação Taça , revelam pouco agluti­ nante ou a sua degradação, resultando uma camada cromática com alguma desagregação . Na constelação Baleia, a cor à base de carvão vegetal e branco de chumbo, apresenta alteração acentuada, com textura muito granulosa e com pouca adesão ao suporte.

I

o

número muito reduzido de vincos e rugas no papel e a justaposição rigorosa dos fusos , são demonstrativos de grande perícia de mon­ tagem.

print in ' an area with a diameter of 35 cm"is' invisible. Th is globe has a more frag ile inte r woo den structure . and t he layers of pljls!!)r have crumbled and suffered major loss. while some pieces of the structure have broken or shifted position due to fa lls. externai impact and poss ibly the appl ication of the metal calottes '''. One vertical stave is broken w here it slots into the triangle at the south pole; two triangles are disp laced and the beech wood covering has gaps betwee n two staves . Furthermore. one of the pieces of metal at the end of the central ax is, by the north pole is (\ also partially detac hed Substantia l areas of both globes are filled ­ particu larly in the southern hemisphere - by non -origina l plaster made up of chalk, an ima l glue an d in some places o il''', covered in green paint. Smaller gaps were fi ll ed with plas­ ter of varying colours and hardness. revealing little concern with match ing the surrounding colour. In fact, these plasters were designed to consolidate the pape r and the missing under­ Iying leve is, and were appl ied in a rather haphazard fash ion, go ing beyond t he edges of t he gaps and serious ly overlapp ing t he printed gores . This type of intervention far more common in number and size on the terrestrial globe. covering approximately fifth of its surface.

Possivelmente contemporâneo da colocação de massas de preenchimento, foram aplicadas as calotes metálicas nos pólos do globo Glo~o celeste. I • Sobreposição das massas na gravura terrestre, cravadas na estrutura '''. A sua apli­ o ri mal. 2 - Massas. 3 ­ Massa tonalizada a verde Removal of the non-origina l plaster from the cação por pressão provocou uma alteração da terrestrial globe revealed holes ma d e by woodwor m esfericidade, mais acentuada no pólo sul, resultando num rebati­ (apparent ly now inactive) in t he papier-mâc hé layer. t he underly­ mento para o interior de toda a zona circundante ao metal e na ing canvas and the beechwood, particularly in the areas over the obstrução total do desenho na área correspondente. num respective ve rtical staves. Direct observation of the sphere's inte­ diâmetro de 35 cm. Este globo, com uma estrutura interna de r ior did not revea l any signs of the insect in the wooden staves. madeira mais frágil, teve quebras e destacamentos consideráveis During th is phase. a fragment of Sociedade Industria l Aliança bis­ nas camadas de massas e quebra ou deslocação de alguns elemen­ cuit wrapping paper was removed "'. toS da estrutura interna de madeira. provocadas por queda do objecto, por impactos exteriores e, possivelmente, pela aplicação T he beechwood covering on th e terrestrial globe is in a very frag­ das calotes metálicas '''. Uma aduela vertical estava partida junto ao il e state due to the large numbers of insect ho les, breakage in encaixe no triângulo do pólo sul; dois triângulos estavam desloca­ some strips and one missing piece . A we ll- defined stain seems to dos; o revestimento de faia apresentava lacuna entre duas aduelas; have been caused by oxidation resulting from direct contact with e um dos elementos metálicos do topo do eixo central junto ao metal, possibly a ca li bration plate. One area on the papier-mâc hé pólo norte, apresenta destacamento parcial. [I, layer has been re inforced by a canvas patch '<8 held in place by industrially produced nails.Th is has no apparent structural purpose Os globos apresentavam grandes áreas, com maior incidência no as there is no underlying hole. hemisfério sul , com massas não originais numa composição à base The nai ls ho lding the woodst rips have been serious ly affected by de cré, cola de pele e, em alguns casos. óleo ''', revestidas a tinta rust, w hi ch has also impacted on the ad jacent wood. verde. Nas lacunas de menor dimensão o preenchimento foi feito com massas de cor e grau de dureza diferentes, tonalizadas com T he celestial globe has a thicker layer of varnish than the terres­ aproximação pouco cuidada à cor circundante. Estes preenchimen­ trial globe and a smaller area of fi lling plaster. There are serio us tos, para consolidação do papel e camadas subjacentes em falta, signs of abras ion o n the area around the south pole , caused by the foram aplicados de forma pouco cuidada, ultrapassando as mar­ gens da lacuna existente , numa sobreposição considerável aos poor positioning on t he meridian ring of the merid ian gu ide, and fusos gravados . Este tipo de intervenção é muito around the Equator due to contact and fr iction against the hori­ superior em número e extensão no globo terrestl-e, ocupando zo n r ing.The internai wooden structure seems to be in good con­

B

130 Sctanna states lhal Coronelh pnnted lhe gores by covenng half af lhe copper plJte wlth paper. pnntrng one half .1t a time and creatlng t\vo hal( pnnts af lhe same pldte to make 1\ eaSler to pubhsh In tx>Ok form. In ract there 1$ a pnnted black hne lha! 1$ nol part af lhe globe's cact raphy .11 certaln ponts where lhe two hatves af a gore meet Thls hne m'ght be lhe edge cf lhe uncovered half platc and lhe half plale covered by paper The margln af thrs paper: wtuch kepl a cerlam amount af Ink. mlght cause a black hne dunng prinllOg. SOANNA N1colangela. cp. Clt. p. 181 -182. 131 The small overlaps bet\veen lhe gores suggest Ihat lhe globes vvere constructed In thls arder: 132 Etch,ng lhe process af corrodlf1& lhe plate Ihrough the use of aod Engravlng uSlng a bunn dlrectty on the plãte,le<1Vlng a tnangular cul In lhe su!Íace. 133 In North AfncJ, E.ilst a f lhe f.v-st mendlan. bet\-veen 15° and 25<l longitude anel 30" btltude Norlh. 134 USlng mlCroscopK observa\Jon cf lhe transversal croS$-5e(tlonS af lhe samples. In order to define lhe stratlgraph'es and mlCfO-chemlCal ana s a f lhe mdlVlCluaJ ptgments food In lhe vanous clYomatJC Ia)e"s CIld ther" pIly5IcM properta In conluncllOn Wllh dala obtalned by lhe X-Rar Fluorescenl Spectrometer (XRF) d qUJlltatlVe and seml-quahtatlVe analysl$ echnique for the chemlCal elements of a partICular ma enal 135 The blUlsh grey af lhe Monoceros consteHatlon 15 obtalned by supenm!XlSlng a COrl( aflead wtute wrth some ultramanne plgrnenlS on a coaI af lead ....fllle wM charcoaLThe f1esh tore 11"1 theV.-go C~ate~by~ poSlng a coaI af vermhan Wlth charcoal an il coaI of ledd whlte.

59


aproximadamente 20% da sua superficie. Após levantamento das massas de intervenção no globo terrestre, verificou-se a existência de galerias provocadas por insecto xilófago, apare ntemente inactivo:

na camada de paPier mâché, na tela subjacente e nas faixas de madeira, nestas com maior incidência nas zonas sobrepostas às aduelas

verticais correspondentes. A observação directa do interior da esfera não indicia a pre­ sença do insecto xilófago nas aduelas de madeira. Durante esta operação foi retirado do interior do globo um fragmento de papel de embalagem de bolachas da Sociedade

dition, since both the ax is and the staves are stable . Removal of the calotte pape r at the south pole revea led some lack of adherence between the original two layers of plaster.This was less evident on

the terrestrial globe.

Both globes show signs of the deterioration

of the original plasters, with separation and

crumbling in the underlying zones and around the plasters used in the previous restoration . The non-original plasters vary in thickness, often touch the papier-mâché and are generaliy pinkish in colou r ''', in areas around holes , next to the original layer with average leveis of hardness.

Industrial Aliança"'.

o globo terrestre apresenta no revestimen­ to de faia uma zona com grande fragilidade provocada pelas inúmeras galerias de insecto, com quebra de algumas faixas e uma lacuna.

Uma mancha com limites bem definidos, parece resultar da oxidação provocada por

contacto directo com um elemento metálico, possivelmente uma placa de calibração da esfera. Uma área sobre o paPier mâché foi reforçada com remen­ do de tela "·, fixada com pregos de ferro de fabrico industrial, aparentemente sem função estrutural pois não existe lacuna subjacente. Os pregos de fixação das faixas estão muito oxidados, tendo a ferrugem atingido a área de madeira adjacente.

60

O globo celeste apresenta uma camada de verniz mais espessa que o terrestre, com menor extensão de massas de preenchimen­ to. Possui abrasão acentuada na zona circundante ao pólo sul, resultado do mau posicionamento do anel meridiano no guia metálico, e na zona do equador provocada pelo contacto e fricç ão junto ao anel do horizonte . A estrutura interna de madeira apre­ senta-se em bom estado de conservação, com o eixo e aduelas estáveis. Depois de removida a calote polar sul verificou-se algu­ ma falta de aderência entre as duas camadas de gesso original, o que era menos evidente no globo terrestre. A deterioração, com destaca mento e pulverização das massas originais nas zonas subjacentes e circundantes às aplicadas em intervenção anterior, é comum aos dois globos . As massas não originais variam em espessura, atingindo, em muitos

casos, o paPier mâché e na maioria, uma massa com tonalidade

rosada '''de dureza média, nas áreas circundantes da lacuna, junto à camada original. Os espigões metálicos colocados nos pólos que unem o eixo interno ao meridiano metálico, apresentam estabilidade fís ica e boa união com a estrutura interna.

The metal pivots, placed at the po les to join the internai axis to the meta l meridian, are physicaliy stable and properly attached to the internai structure.

The meridians

The meridians do not match the high stan­ dards set by the rest of these globes. Objects of this size and va lu e normaliy have solid bronze meridians, which suggests that these are not the original rings. Instead, they were probably fitted at a later date to substitute the missing or damaged originais. The rings have a 56 x 22 mm rectangular cross-section and con­ sist of a wooden core 'so covered with brass on ali four sides.The brass plate on the in ner face of the terrestr ial globe's meridian ring is missing, while the one on the celestial globe is coated with a dark paint, possibly to prevent light reflec ti ng from the globe's polychrome surface.The other sides have a thick coat of co lou red varnish 15 '. The brass coverings consists of four plates that are sol­ dered together and fixed to the wooden core through cast iron screws with a countersunk head . In turn, the wooden core comprises seven pieces with horizontal ha lved joints. The metal pivots are held at opposite points of the circle by two cast-iron pieces that screw in.The lower piece, at the south po le ''', is closed at the base to act as a support for the pivot and prevent it from slipp ing down, which would bring the paper in to contact with the meridiano The upper piece, at the north pole, is open at both ends so that the globe can be assemb led on the meridian oIn the areas underneath, the wood is not covered by brass, but there is a notch (reinforced with iron) to hold the pivot and attach the screws . The upside of the ring, at the north pole, has two gaps in the metal, possibly so that a now lost hour-ring could be attached.The metal between these two notches is painted black. The rear of the ring has the degrees engraved into the meta l.

Os anéis meridianos The conservation condition of the meridians Os anéis meridianos não possuem as características equivalentes ao valor destes globos. Peças desta dimensão e valor apresentam normalmente um anel meridiano de bronze maciço, sendo provável que estes não sejam os originais, podendo ter sido feitos poste ri117 rJlxa

The meridians are in reasonab le condition . The metal plating has alteration points , especialiy near the screws and means of attachment. The varnish, which has an ingrained layer of dust, also

Tira de madeira fina. com espessura supenor a I mm.

118 Globo celeste; Fagus sp.: Globo terrestre: Fagus sylvatlcJ LAs madeiras presentes nos folheados foram rdentflCadas por observação mluuscóplCa de amostras: numa zona de quebra do fasqueado (globo ten-estre) e numa

área subjacente a massas de restauro (globo celeste). I 19 Numa ZOI'\3 de levantamento de restauros antenores no globo terrestre OOservou-se sobreposição entre dois fragmentos de tela onglnal 120 Na radIOgrafia podemos obs€:uar pregos ao longo das aduelas. para fixaçao das faixas de fala e da tela. Cf. Imagem 59. !2! Ponto de le<elagem simples. alternando um ponto de tela e um ponto de trama. 122 As fibras das telas foram identificadas por observação microscópICa dos cortes transversal e longitudinal. 123 Sulfato de cálciO e cola animal. A compoSIção das f1"klssas fOI Iclenllflcild.1 por anál!se mKroqu(mKJ e espectroscoplJ de IV (mS-FTIR) (Té<mea que pennte a caractenzação de matenals orgânICOS atraves das bandas de Vibração característICas que os maten.i1!'5 apresentam quando SU]fltos à radiação Infravermelha)

124 Esta separaçJ.o foi observada na" lOnas ad\dCentes aos levanwnenlos de mdSSdS da Intervenção de restauro anlenm


I

ormente para substituição de outros desaparecidos ou danificados. Estes anéis com secção rectangular de 56 x 22 mm, são constituí­ dos por uma alma de madeira '" coberta com folhas de latão nas quatro faces. A folha da face interior do anel meridiano do globo terrestre desapareceu e no globo celeste está pintada com uma tinta escura, possivelmente para evitar o reflexo da superfície poli­ cromada do globo. As outras faces apresentam cobertura espessa com verniz colorido'" .As folhas de latão nas várias faces são consti­ tuidas por quatro placas com uniões soldadas. A fixação à alma de madeira é feita através de parafusos em ferro fundido com cabeça de embutir. A alma de madeira é composta por sete ele­ mentos unidos por meio de empalmes horizontais.

has remains of cleaning products t hat were used on t he metal platé and riched the wooden core.

The lack of fixing screws has led to a slight deformation in brass plating, which has pulled away from t he wooden core.

The stands

The stand is the support for the globe and meridian ring. It

consists of three separate and detachable parts: the lower hexag­

onal section in polychrome wood with lion claw feet, the central

section in carved polychrome wood, and the octagonal horizon

ring in polychrome wood supported by four meta l arches (i n . ~<

Em pontos opostos do círculo, dois elementos aparafusados, em ferro fundido, fixam os espigões This stand is similar to those on other metálicos Ir '. O elemento inferior, Coronelli globes in various museum co llec­ correspondente ao pólo sul''', é fechado na base tions '" and matches the des ign that he pro­ para apoio do espigão e impedir que este desça, o posed in Libro dei Globi. que provocaria o contacto do papel da esfera com o anel meridiano, O elemento superior, correspon­ The lower section is in polychrome red dente ao pólo norte, é aberto nos dois extremos, ochre and gi lded Scotch pine . It is hexagonal Eler:n~nto aparafusado do anel meridiano para fixação do para permitir a montagem do globo no anel meridiand has a Lou is XV style, comprising four esplgao ano. Nas zonas subjacentes a estes elementos, a superimposed pieces that are glued and joined madeira não está coberta com folha de latão, apresentando um sulco together. The top has a cavity for the iron pivot from the upper reforçado com ferro para inserção do espigão e fixação dos parafusos. section. It rests on six lion claw feet that are attached to the lower surface using glue and nails. The feet contain brass casters that are A face superior do anel, na zona correspondente ao pólo norte, tem held in place by iron screws . duas aberturas na folha metálica possivelmente para o encaixe de um anel de horas actualmente desaparecido. A folha metálica, entre estes The central section. connected to the former, is made of poly­ dois sulcos está pintada de preto. A face posterior do anel apresenta chrome wood in red, decorated with gold leaf. It has carved acan­ a marcação dos graus, gravada no metal. thus leaves and is pierced at its centre which means it can be crossed by the upper pivot. A metal cross-shaped piece in gi lded brass stands on top, held by iron nai ls. Two casters fit over this Estado de conservação dos anéis meridianos piece, enab li ng the meridian to move " .

B

O estado de conservação destes elementos é razoávelA folha metálica tem pontos de alteração, com maior incidência junto aos parafusos e aos ele­ mentos de fixação. No verniz muito alterado com camada de sujidade aderente, são visíveis resíduos de produtos de limpeza na folha metálica, bem como na alma de madeira. A falta de alguns parafusos de fixação, provo­ cou uma ligeira deformação da folha de latão, com destacamento em rela��ão à alma de madeira.

As bases Estrutura de suporte das esferas e do anel meridiano, a base é constituída por três partes distintas destacáveis entre si: elemento inferior em madeira policromada, de formato IBases dos globos 45 hexagonal, com pés em garra de leão; elemento central em madeira entalhada policromada e tábua do horizonte octogonal em madeira policromada, suportada por quatro arcos metálicos

EJ

The upper section is the horizon, an octagonal ring he ld in place by four gilded iron spiralling arches connected to a metal pivot that connects it to the lower section of the base. The horizon is made of mahogany and the outside is finished in gold leaf, while the inner face is covered w ith a fine layer of plaster painted blue and the lower side is painted red. The ring is formed by pieces of wood set in two layers,The upper levei '" consists of e ight pieces with diagonal halved joints, wh il e the lower levei'" also has eight pieces but with halved joints.At opposite points on the circle, two 2.7 cm wide grooves hold the meridian oThe joint on the terrestrial globe's horizon is strengthened on the inside by two pieces of metal, while the celestial globe has a leather protective finishing on the inside and on ly remains of the same on the other side.The upper side of the ring is covered with eight separate sheets of paper that bear the signs of the Zod iac, the calendar and a graduation, pasted directly onto the wood .

L .- - - ' ' - - - - - - - - - - - - - - - - - '

The points analysed revea led three chromatic layers.The presence 136 The green af leafs :: verdter + lead whrte: the bfO\'m af Argo Navrs :: red ochre + charcoaL lhe red on Vwgo's rolJes = lead red + lead wtute: the dali:. 137 The blue af the (rater constei lon. the grey af lhe Monoceros CQ(lstellahon 138 Genenc name for glyods found In cellulose. swrches and gums. 139 The yeltow In Leo. the brown In Al"go Navls. the red af the robes In Vlrgo. the black In ScorplO. 140 Thls browmsh tane IS probably due to ,llteratlons In a green plgmenl 141 Natural feSlns af vegetable angln. 142 OrganK reSln of anllTLal angln 143 The compoS/llon of lhe varnlsr.es 'Nas lCIentlfied through mfCro·chemlCal and spectroscoplC !1nJlyslS uSlng IV (mS-FTIR) 41 W lth forged 1I""0n nalls wrth a square cross·sectlon and measunng approxlm<ltely 8 em long. 4S PO<;Slbty dunng the 1755 earthquake. INhen the dome of the Paço da RJbelra tower coHapsed. Thls 'Nas v..,here the Royal Llbrary was Installed

ue af

boats on the lerres

globe :: ultramanne + charcooL

61


Esta base apresenta características semelhantes às de outros globos Coronellí pertencentes a colecções de vários museus'Sl e segue o desenho proposto pelo veneziano no Libro dei G/obi.

o

elemento inferior, em madeira de casquinha policromada a vermelho-ocre e dourad a, com formato hexagonal e um perfil ao estilo Luís XV, é constituído por quatro ele­ mentos sobrepostos, ligados entre si por cola­ gens e encaixes. No topo, possui uma cavidade Ele~~mo aparafusado do anel onde encaixa o espigão de ferro da parte supe­ esplgao rior.Assenta em seis pés em forma de garra de leão fixos na face inferior por meio de colagem e pregos, que possuem no seu interior rodízios de latão fixos com parafusos de ferro .r , que já não existem no globo terrestre.

8

o elemento central, que faz a ligação com o anterior, em madeira policromada a vermelho e folha de ouro, entalhado em folhas de acanto é vazado ao centro, o que permite ser atravessado pelo espigão da parte superior. Sobre ele está assente um elemento metálico em forma de cruz, em latão dourado, fixado através de pregos de ferro , onde encaixam dois rodízios, que permitem o movimento do anel meridiano

o

64

elemento superior é constituído pela tábua do horizonte, formando um anel

octogonal, sustido por quatro arcos em espi­

rai de ferro dourado ligados a um espigão tam­ bém de fer ro que faz a ligação com o elemen­ to inferior da base. A tábua do horizonte , em madeira de mogno, apresenta a face exterior coberta a folha de ouro, a face interior revestida com uma camada fina de gesso pin­ tado de azul e a face inferior de vermelho. O anel é composto por pranchas de madeira em dois níveis, sendo que a superior '" apre­ senta oito elementos de madeira com uniões por empalme diago­ nal e a inferior'" oito elementos com uniões a meia madeira. Em pontos opostos ao círculo, duas ranhuras com 2,7 cm de largura, servem de encaixe ao anel meridiano. A tábua do horizonte do globo terrestre tem este encaixe reforçado interiormente com dois elementos metálicos, e no globo celeste um dos encaixes apresenta uma protecção em pele numa das faces e resíduos na outra. A face superior deste anel serve de suporte a oito folhas independentes de papel gravado com o Zodíaco, o calendário e uma graduação, colada directamente na madeira. Nos pontos analisados foram identificadas três camadas cromáti­ cas, destacando-se a presença de pigmentos, como o verde de crómio e o azul de cobalto, que surgem apenas no início do séc. XIX, cor respondendo a repintes ou intervenções posteriores c, • No elemento inferior, subjacente ao vermelho foram detectadas velaturas de verde de crómio'S6 aglutinado a óleo de linho, e vestígíos de uma preparação em que está presente o zinco. As garras e o elemento de acantos central apresentam vestígios intercalares de folha de ouro, estando a su perfície actualmente coberta com folha de ouro falso' S7. A preparação original, à base de

of pigments such as chrome green and cobalt blue, which only appeared at the beginning of the nineteenth century and were thus from repainting or later restoration work is of particular note. Chrome green glaze '56 was detected under the red on the lower section, using linseed oil as the binder and traces of a preparation in which zinc was used. The claws and central acanthus leaves retain sporadic remains of gold leaf, with the current surface totally covered in false gold meridiano para fixação do leafl57. The original preparation, using gypsum and chalk bound with animal glue, can be found in samples taken from these areas .The metal parts, arches and the guide with casters are finished in false gold leaf. Conservation condition of the stands The wooden parts of the base were seriously damaged by the now inactive wood-eating insect, as shown by numerous holes and even loss of support to the central parto These pieces also have frac ­ tures due to the wood warping, caused by tluctuations in temperature and humidity, the excessive weight placed on them and the oxi­ dised nails inside them.The claws have deteri­ orated where they are fixed to the hexagonal part above them, and the polychromy has cracked and peeled away in places. A layer of dust covered the entire base, partic­ ularly the more exposed parts, and there are traces of the damaged caused by the insects. The metal pieces are badly oxidised, particularly the nails that attach the claws to the lower section .The casters also have traces of the green characteristic of copper oxidising. The re-gilded iron arches, whose varnish has deteriorated and darkened, are partially detached with a crack in one partoThe surface of the iron pivot that sits into the lower part is severely corroded. Ali the metal parts (polar calottes, pivots, nails and iron) found on the base and spheres are forged, even if they were originally cast, for each piece was later given appropriate treatment. The horizon ring has gaps in its gold leaf at the corners and where the wood is joined. There are also holes in the paper 15" , mainly on the outside margin of the horizon, and the printing has faded . The entire surface had an intense , bright protective covering that has changed substantially, acquiring a brownish tone that masks the design oThis also covers the places where the paper has missing areas

THE INTERVENTION The aim of the conservation and restoration work was to guaran­ tee the stability of the.globes and restore the cartographic infor­ mation lost over time.Although the latter aspect is not consensual

125 Identificação efectu..lda por metO de observação microscópICa das fibras diSSOCiadas A deSIgnação "papel de fibras de trapo" resulta do facto este tipo de papel ser obtido pela rn.aceração de tecidos e desperdíCIOS têxteis. Estas duas camadas de papel. murto compactadas e coladas, pc .~ o corresponder apenas a três estratos. podendo ter Sido observada uma zona de sobrepoSlcão dos gomos nesta amostra. 126 As espessuras Indicadas parJ as vanas camadas referem-se às zonas em que foram levantadas Intervenções antenores. podendo nào corresponder li realidade de toda a superlíCle dos globos. SJo Indicadas apenas como dimensão aprOXimada, 127 Localizada sob a coostelaçâo Peixe Austral 128 Os pontusars são Imhas no papel correspondentes aos arames que fazem J fixação dos arames das vergaturas na fOrrnd de fabnco da folha 129 A marca de água. ou filigrana . e consegUIda pela Inserção (""bordado··) de arames na rede de fabnco da folha. fOflTlando um desenho ou letrdS. Nesta z . a depoSição da pasta de papel é de menor espessura. resultando numa f'"tIe1lor opaCidade rhl zona do desenho. observdvel a luz transmltldQ. Os fusos. ou fragmentas de fusos,destacados durante o tratamento não apresent.wam marca de água


/

gesso e cré aglutinados a cola de pele, está presente nas amostras levantadas nestas duas zonas. Os elementos metálicos. arcos e o guia com rodízios , estão dourados a ouro falso.

among specialists, it seems a valid option givj!n the extent of the missing areas, particularly n the terrestrial globe and the chance to access the original or a highly similar design for the gores. thanks to the co-operation of the Bibliothéque National de France.

Estado de conservação das bases The scale of the missing areas filled with paint­ Os elementos de madeira da base encontravamed plaster on the terrestrial globe defined the se muito atacados por insecto xilófago, hoje criteria for replac ing the facsimile gores. In inactivo, apresentando inúmeras galerias e turn, the quality and range of the colours used mesmo perda de suporte no elemento central. on the celestial globe determined the total Estes elementos também apresentavam fracturas: r:;ã' rC - o-r-te-e-st-ra-,;-gra-.-fi.c-o-d-ou-ra- d-o-d-e-u-m-a- - removal of the yellowed varnishes. Since these pelo movimento da madeira provocado por L gam .IPreparação:2. Bolos: 3· Dourado: globes are a pair, the same cri teria were 'I d h .d d I 4- Preparação: S- Amarelo: 6- Verde: 7- Verde escuro: OSCI açoes e temperatura e uml a e, pe o 8. Dourado: 9· Maré';. orgãn;ca: IO.Vermelho ___ appiled to both , and the crumbilng of the excessivo peso exercido sobre eles e também original plaster defined the number and size of the original gores to be detached. pela presença de pregos oxidados no seu interior. As garras estão debilitadas ao nível da sua fixação com o elemento hexagonal que se lhe sobrepõe e a policromia encontra-se fissurada, com alguns destaAs mentioned above, the Chalcography Department at the Louvre camentos. still has the plates for the celestial gores produced by Nolin in

J . t

1693 . However. that edition has some differences to the gores on the globes from the Sociedade de Geografia. In the Paris version, the design features crosshatching to show the shading and volume of figures. in contrast to the outline and internai decoration of the pieces in question oIn addition. the texts are engraved in a different font, there are no nashki characters and the sky is shown in a con­ vex formo with inverted figures.

Uma camada de sujidade cobria toda a base, em especial nos ele­ mentos mais expostos, bem como vestígios da presença de insectos. Os metais encontravam-se bastante oxidados. em especial os pre­ gos que prendiam as garras à estrutura da parte inferior. Os rodízios apresentavam pontos com tonalidade verde, característi­ cos da alteração do cobre. Os arcos em ferro redourados e com o verniz alterado e escurecido. apresentavam destacamentos e uma fractura num dos ele­ mentos. O espigão de ferro que encaixa no elemento inferior, apresentava corrosão acen­ tuada à superfície.

Based on a photo-engraved copy of the Paris plates ''', Alain Roger printed new gores using the silkscreen technique '60. This enabled the figures to be rotated while keeping the same texts. by printing twice on the same pape r and alternately covering the inverted figures and the text in its correct position .

Podemos considerar que todos os elementos metálicos (calotes polares, espigões, pregos e ferros das bases) presentes nas bases e esferas são forjados , mesmo que originalmente tenham sido fundidos, tiveram tratamento posterior apropriado a cada peça.

As the engraving style is different, the final result was not deemed satisfactory. Gores were used to cover the gaps where the design lines were of lower intensity, achieving a positive final result as lost information ­ specifically texts - were recovered.There is no text in the gaps in Ophiucus or Hercules.The introduction of very intense and dense crossed lines would strip away the aesthetic qualities of the car­ tography. By reducing the intensity of the engraved lines, it is pos­ sible to create a similar outline. followed by tinting with colours that are similar to those of the surroundings.

O anel do horizonte apresenta lacunas na folha de ouro, nos can­ toS e uniões das madeiras. Existem lacunas no papel, principal­ mente nas zonas exteriores da periferia da tábua do horizonte, e desgaste da gravura. Toda a superfície apresentava camada de pro­ tecção com brilho intenso, muito alterado, com tonalidade castanha que mascara o desenho, incluindo as áreas de lacunas de papel'"

As the original plates for the terrestrial globe no longer exist,

Alain Roger and his team reproduced new plates of these gores

through mapping processes based on satellite observation. Using a

computer program ospherical images are created from a well-pre­

served globe and then adapted to a horizontal image. The con­

server-restorer processes this image and carries out "virtual restoration" work that involves removing the varnish, eliminating stains. closing tears or replacing lost letters copied from another area of the globe. The gores used to cover gaps on the terrestrial globe from the Sociedade de Geografia are prints taken from these new plates

IN rERVENC AO

A intervenção de conservação e restauro, teve como objectivo a estabilidade física destes objectos e a reposição da informação car­ tográfica que se perdeu ao longo do tempo. Este segundo aspecto, não sendo consensual entre os críticos, parece-nos uma opção válida, atendendo à extensão das lacunas, essencialmente no globo terrestre, e à possibilidade de acesso ao desenho original, ou muito 146 MlCro-chemlc.a1 and Infrared MKro-spectrOSCope (mS-FTIR) dl)(l!ysrs, The oI! 10 these samples may be a component us.ed 147 It has not yel been posslble to date lhe wrapper. whlCh would establlsh lhe time cf Orle plece Df restorauon 'NQrl<:

.

In

Raw conon canVdS. ! 49 P1asler made frorn gypsum. chatk. animai glue, 011 and ochre ISO Probably'..valnu1 Juglans sp. (ooservahOn by magnrfymg glass). 151 The use af coloured vamrsh and areas parnted ln black IS (Ommoo In meta] soen tl fic Instruments. 152 The pre<e on the meodran af lhe celestial globe does not seem to be onginal. as It 15 m,lde af brass anel IS slighdy smatler. 15 J Austnan Na"onal L,br,l'Y B<bI,oteca fedene(~na. ~a~ f S4 1em thlck. on the ten"e'5tnal globe and 2 em on the celestial globe ISS 3 em lhlCk:. on the terrestnat globe e 2 em on lhe celestIal gtobe.

the plaslers

Of In

the

palot

used

In

the retouchlng,

65


semelhante, dos fusos, devido à colaboração da Bibliothéque National de France. A extensão das lacunas preenchidas com massas pintadas, no globo terrestre , definiu o critério de reposição de fusos fac­ -similados. A qualidade e a variedade da paleta de cores no globo celeste, determinaram a remoção total dos vernizes amarelecidos. Constituindo estes objectos um par, os mesmos critérios foram aplicados a ambos, tendo a desagregação das massas originais determinado o número e extensão de fusos originais a destacar. Como referimos anteriormente, o Departamento da Calcografia do Museu do Louvre conserva as chapas da gravura dos fusos celestes, executadas por Nolin em 1693. Essa edição apresenta algumas diferenças em relação aos fusos dos exemplares da Sociedade de Geografia. Na edição de Paris, o desenho apresenta linhas cruzadas para o sombreado e volumetria das figuras - por oposição ao con­ torno e traçado interior nas peças em estudo - os textos são grava­ dos com um tipo de letra diferente, não tem os caracteres árabes nashki, e a representação do céu é feita na versão convexa, estando as figuras invertidas. Partindo da reprodução das chapas de Paris , executada em fotogravura'S9, Alain Roger imprimiu novos fusos, recorrendo à técnica da serigrafia '60 . Esta solução permitiu a rotação das figuras mantendo os textos iguais, através de duas impressões no mesmo papel, tapando alternadamente, as figuras invertidas e o texto na posição correcta.

66

Como o estilo da gravura é diferente, o resul­ tado final não foi satisfatório. Nas lacunas em que o desenho apresentava menor intensidade do traçado, a aplicação dos fusos foi mantida, sendo o balanço final positivo pela reposição de informação perdida, nomeadamente os tex­ tos. Na lacuna existente nas constelações Serpentário e Hércules não existe texto. A intro­ dução de desenho com linhas cruzadas muito intensas e compactas, desvirtuava o carácter estético do desenho cartográfico. Com um desvanecimento da intensidade dos traços da ~ gravura, é possível uma aproximação ao con­ torno da figura, seguido de uma tonalização aproximada às cores circundantes. Nào existindo as chapas originais do globo ter­ restre, Alain Roger e a sua equipa, reproduzi­ ram novas matrizes destes fusos, recorrendo a processos utilizados na cartografia a partir de satélites de observação. Utilizando um progra­ ma informático, são criadas imagens esféricas, a partir de um globo em bom estado de conser­ vação, e adaptadas para uma imagem plana. O conservador-restaurador intervém na fase de tratamento de imagem, fazendo um "restauro virtual": remoção do verniz, eliminação de manchas, união de rasgões ou reposição de

0

I

The spheres Having overcome the first obstacle - moving the globes - we built a working support to suspend and rotate the globes during the different phases of restoration . '" After dismantling the meridian, the spheres were placed on this supports to enable analysis of their interior wooden structure. Initial ly, a small hole was made in an area of non-original plasters on the celestial globe to allow an endoscope '62 to be introduced. The interior structure was observed in greater detail by expanding this hole, which was made possible by the size of the area of plaster and the absence of any stave '6J. The interior of the terrestrial globe was observed through a hole in the beech covering, following the removal of non-original plaster. The interior was lit by a smal l incasdescent light, and only short observations were made as the lamp heated the globe's interior. Following the analysis of the non-original plasters and paints ''', tests were carried out to remove them. The application of tepid water, ac idified water '6S and Tylose®'6ó softened them, but quickly reached the underlying layers due to the high hygroscopicity of the chalk and plaster, making it diffjcult to remove them without affecting the paper. Mechanical removal proved effi­ cient, but the movement caused some loss of Q the surrounding original plaster, which was o already at an advanced stage of crumbling.The use of paint-stripper worked reasonably well in removing the paint app lied to the plaster, but posed certain risks at the edges by the original paper. Ali these processes were used, depending on the characteristics of the respective area being restored .

Fusos fa c-similados. Globo te rreStre

The thinner outer edges of the plasters were removed first , always revea ling a considerable overlap on the printed paper. Mechan ical remova l achieved the best results , particularly in areas where the underlying paper still had its varn ish , which acted as a protective barrier. However, th is process did not prove adequate in many cases due to the great hardness of the materiais. It was there­ fore necessary to soften them, using Tylose®, a slower but more controlled moistening process than acid ified water I.

Areas with average thickness, without any underlying paper, were removed both mechan­ ically and thro ugh the successive application of cotton compresses with acid ified watel", enabling the uppermost layer to be cut "i nto si ices". In areas of greater thickness '67 , such as the centre of larger areas, a chisel, gouge and X-act blade or scalpel were variously used r-"':"'--=====~~~~~::II~~~ with light blows from a hammer.This led to the S_'_I'_d_e_tr.!_b_'_lh_o____________ removal of fragments or pieces of varying

LI

130 Soanna refere que (orondl! terá Impresso os fusos tapando metade da chapa de cobre com um papel. ou seja metade de cada vez. resultando em duas melas Impressões da mesma chapa para faclhdade de publKação em lIVrO. De facto. podemos observar em alguns pontos da Unkl.o entre estas duas metades de fuso LKTld linha negra Impressa. que não tem correspondência no desenho cartogr~flco do globo. Esta Imha podcna corresponder ~ fronteira entre a c')Jp,. ,:j descoberto e a metade tap<3da com papel. A ourela deste papel. retendo alguma tJf1tJ. pocIena provocar uma linha a negro na Impressão. SClANNA NKolangelo, op. Clt.. p. 181 -182. 13 1 Apontam para estil ordem de montagem. <lS pequenas sobrepOSições que se podem observar entre fusos 132 Gravura a água-forte - processo de ataque Indlrecto da chapa. através do uso de áCido. Gr3VUr""a a bunl esso de ataque dlrecto à chJpa com Instrumento que abre um sulco tnangular no metal. 133 No norte de Afnca. a Este do pnmelro mendlaoo. entre os ISto e 250 de longitude e os 30" de latitude norte 134 Por meio da observ3cão mICroscópica dos cortes lransver$JIS das amostras para definKão das estratlgrafias e análise mlcroquimKa cfectuada sobre os pigmentos IndIVIdualizados d<ls vanas C31T1ddas crom.l\lcJs e das suas propnedades fiSlcas. conJunlJmcnte com os d~dos obtidos por ESpec1.r"Ometna de Ruorescénoa de RaiOS X (FRX) TécnICa de análise qUdlrtatlVd e semi-quantitativa dos elementos quim1cos que constituem um matcfl.J1.


I

letras perdidas, reproduzidas de outra área do globo. Reimpressões destas matrizes fornece ram os fusos aplicados nas lacunas do globo terrestre da Sociedade de Geografia '

sizes, sometimes taking the upper layer of the papier-mâché off wji: ' it when the paper was in direct contact. In the central part of latg­ er areas of the terrestrial globe, the thickness of the plast~r was reduced with a mini-craft abrasive disk.

As esferas

The paint inside some of the larger areas was removed mechani­ cally at the same time as the underlying plaster. In smaller and thinner areas, paint-stripper"8 was applied, alternating with water rinses to see the border with the original pape r and subse9uently remove the underlying plaster. These border areas were always removed mechanically.

Ultrapassada a primeira dificuldade, que foi o transporte destes objectos, procedemos à construção de um suporte de trabalho, que permitisse a suspensão e rotação dos globos durante as várias fa ses de tratamento"' .

Após a desmontagem do anel meridiano, as esferas foram colo­ cadas nos suportes de trabalho e analisado o sistema construtivo da estrutura interior de madeira. Numa primeira abordagem, foi efectuada uma pequena perfuração no globo celeste, numa área com massas não originais, para introdução de um aparelho de endoscopia'·'. A estrutura interior foi observada mais detalhada­ mente através da ampliação da abertura, pois a extensão da massa e a não sobreposição com uma aduela assim o permitiu'·'. O inte­ rior do globo terrestre foi observado através de uma lacuna no revestimento de faia, após remoção das massas não originais. A ilu­ minação interior foi efectuada com uma lâmpada incandescente de pequena dimensão, com observações de curta duração, pois esta provocava aquecimento no interior do globo. Na sequência das análises efectuadas à composição das massas e tin­ tas não originais' ''', procedeu-se a ensaios de levantamento das mes­ mas.A aplicação de água tépida, água acidulada '65 e Tylose® ' 66 amole­ ceu as massas, mas, pela alta higroscopicidade do cré e do gesso, rapidamente atingiu as camadas subjacentes, tornando dificil a sua remoção isolada sem arrastamento do papel. A remoção mecânica era eficaz, mas provocava, pela trepidação, algum destacamento das massas originais circundantes, em estado avançado de desagregação. O uso de decapante resultava medianamente na remoção das tintas aplicadas sobre as massas, mas comportava alguns riscos nas zonas limítrofes junto ao papel original. Todos estes processos foram aplicados conforme as características da zona interven­ cionada. Em primeiro lugar foram removidas as zonas limitrofes das massas n " com menor espessura. tendo-se sempre verificado uma sobreposição considerável ao papel gravado. A remoção mecânica revelou os melhores resul­ tados , essencialmente nas zonas em que o papel subjacente ainda apresentava a camada de verniz, tendo actuado como barreira de procecção. No entanto, em muitos pon­ tos este processo não resultava, pelo grau elevado de dureza das massas, sendo necessário recorrer ao seu amolecimento. Nesses casos utilizámos a Tylose"', processo de humidificação mais lento. I. mas mais controlado que a água acidulada As zonas de espessura média, sem papel subjacente. foram removi­ das por meio mecânico e por aplicações sucessivas de compressas

It was initially decided to maintain the protective varnishes while reducing the thickness and thus the intensity of its yellow tone . Various solvents were tested, including acetone (quick and effective action) ; I-Methyl-2-Pyrrolidinone gel (average effect); iso­ propyl alcohol and toluene ge l (average effect) and isopropyl alcohol gel (average effect) "'. The gel solvents provide a controlled means of removing the var­ nishes, offer better working conditions for the user and less inhala­ tion of tox ic vapours. Since they have similar leveis of effectiveness, the least toxic (isopropyl alcohol ge l) '70 was selected. Approximately half the surface of each globe was cleaned with this ,which was applied over a small area and worked for gel some seconds before being removed with cotton swad 17 ' . Between each application, a solvent'" was used to remove residues. Ali che varnish was removed from the pape r gores that needed to be taken off due to the deterioration of the underlying layers. This was necessary because the paper had to be moistened so it could be removed and later replaced. Therefore. ali the varnish had to be stripped away. enabling the pape r to be moved with relacive proportionality in ali directions to avoid any distortion . At chis stage. it was noticed that chere would be difficulties in escablishing uniformity between the areas where the varnish had been totally or only partially removed. Given the colours revealed on the celestial globe during this stage. it was decided to remove the varnish completely.The same criceria were applied to the terrestrial globe . The solvent that had produced the best results in the tests was used. Acetone was applied using cotton compresses, absorbent paper and fine Japanese paper.The last of chese methods brought the best results . The solvent was brushed onto a small rectangle of fine Japanese paper'''. applied and removed a few seconds later. As the solvent evaporates. the varnish is transferred onto the paper f 1" I ' 5 and 561 .The compresses were applied in alternate rectangles (as in a chessboard), never exceeding an area that could be completed in one working period. The aim of this alternation and definition of

50:: PruSSlan Blue + chrome yeUow.

:: ~ X.R.,,_ Flvorescent Spectrometry sliowed lhat copper w ilS lhe dommdnl elen'lent

::: v:'- e r'\JmerOU5 on the celestial honzon.

: :. ... " • "íl reprod tons (rom J newfy engraved plate avolds using lhe ongcndl and enJbles a klrgc number af pnnts lo be made - - .;. <:ss af pidnographlC prntlng In wtllch lhe Ink. 1$ apphed through a net ..JTth photo-senSlllve emJl5Ion lha! proteCls the lmage

67


de algodão com água acidulada , o que permitiu cortar "em fatias" a camada mais superficial. Nas zonas de maior espessura''', como o centro das áreas de maior extensão, recorremos ao formão, goiva e lâmina de X-acto ou bisturi, com batimentos ligeiros com martelo. Este processo provocava o destacamento por fragmentos ou blocos de menor ou maior dimensão e arrastava, por vezes, a camada superficial do paPier méiché, quando este estava em con­ tacto directo. No globo terrestre, na parte central das áreas mais extensas, a espessura da massa foi reduzida com disco abrasivo aplicado com mini-craft. Na parte interior das áreas mais extensas a tinta foi removida mecanicamente, em simultâneo com a massa subjacente. Nos preenchimentos de menor dimensão e também de menor espessura, aplicou-se decapante'68, com eliminações intercalares com água, para se visualizar a fronteira com o papel original. para posterior remoção das massas subjacentes. As zonas limítrofes foram sempre removidas mecanica­ mente. Numa primeira abordagem aos vernizes de protecção, pensá mos manter esta camada, reduzindo a sua espessura e, consequente­ mente, diminuindo a intensidade da sua tonalidade amarela. Foram testados vários sol­ ventes, entre eles: acetona (acção rápida e efi­ caz); gel de I Metil 2 Pyrrolid inona (acção

média); gel de isopropanol e toluol (acção média) e gel de iso­

propanol (acção média)'''.

68

Os solventes na forma de gel permitem uma acção controlada na remoção de vernizes, com melhores condições de trabalho para o utilizador e menor inalação de vapores tóxicos. Demonstrando igual eficácia, a escolha recaiu sobre o de menor toxicidade, gel de isopropanol"o Aproximadamente metade da superfície de cada que, aplicado sobre uma globo foi limpa com este gel pequena área, actuava durante segundos, sendo removido com isopo'71 de algodão. Entre cada aplicação, era usado um solvente'" para remoção dos resíduos. Procedeu-se ao levantamento total do verniz

nos fusos de papel com necessidade de desta­

camento, pela deterioração das camadas subja­

centes. Sendo necessária a aplicação de humi­

dade no papel para o seu destacamento e pos­

terior reposicionamento, foi essencial a

remoção total do verniz, para que o papel se

pudesse movimentar em todas as direcções,

com relativa proporcionalidade, de modo a evi­ tar distorções nas folhas. Nesta fase do tra­ balho, verificou-se que iriam ocorrer dificul­ dades em uniformizar as áreas com levanta­ mento total e as de levantamento parcial do verniz. Atendendo às cores reveladas no globo celeste durante esta operação, optou-se pela remoção total desta camada, aplicando-se o mesmo critério no globo terrestre.

the area was to minimise the creation of aureoles, which are more difficult to eliminate since they are formed by varnish that is regenerated by the solvent. This operation was repeated until ali the varnish had been eliminated and The number of applications required varied according to the var­ nish's thickness and state of deterioration. The surface of the globe that had been partially cleaned with the gel, proved to be more resistant to the acetone due to varnish regeneration . The use of solvent on the surface that had not previously been cleaned with gel caused some fragmenting of the varnish into slivers t . In these cases, light fr iction from a brush or blade accelerated the process, removing part of the crumbling varnish . Some areas were removed with cotton swabs, using solvent or cleaning gel, or sometimes directly by scalpel. This method proved high ly advantageous.The use of an intermediary layer of paper avoided direct mechanical impact on the chromatic layer and removing varnish through solvent evaporation, minimising the potential removal of damaged pigments. Simu ltaneously, it involved using less solvent and faster evapora­ tion, reducing the risk of varnish penetrating , the paper. However, there was some penetration of the paper by solvent and varnish on the terrestria l globe, which is less protected by the chromatic layer and has weaker sizing, resulting in dark stains on areas of the paper. The in painting work carried out directly onto the layers of pape r was totally or partially removed with Fred gel "" neutralised with solvent"5 and applied with cotton swads . Some areas where the paper had darkened, either due to oxidation or dust deposits , were lightened through the use of synthetic saliva.

Whenever possible, the removal of gores respected the existing joints. In cases where missing part was small, the gore was cut on a secondary circle to prevent its complete detachment. Vertical inci­ sions were made around the area to facilitate the total removal of underlying layers of paper, as the printed gores had a low levei of resist­ ance to hand ling. They were protected by a papier-bol loré facing onto which a 4% solution of Tylose was applied before being covered by MelineX®"6 to prevent rapid evaporation and provide a means of support for the gore . The Tylose provided the humidity required to Aplicação de acetona sobre papel japonês weaken the underlying glue and ease the removal of the various layers of paper. The gores had many lacks, corresponding to the add ition of non-original plasters and crumbling of the underlying plaster, which came away unevenly and created points of severe tension in the pape r The ~e

Utilizou-se o solvente que apresentou melhores

gores were treated ind ividually on a fiat surface . The facing and Melinex® protection

o Cinzento azulado da constelação Unlcómlo é obtido pela sobrepoSIção de uma camada de branco de chumbo com alguns pigmentos de <Jlul ultralTldnno sobre umd (amada de branco de chu com carvão vegeta; a carnação da constelação Virgem é obtida pela sobrepoSIÇão de uma camada de vermelhão com carvão vegetal sobre uma camada de branco de chumbo. 136 O verde das folhagens = verdlter + branco de chumbo: o castanho da Nau = ocre vennelho + carvão vegetal: o vermelho do panejJ.mento da Virgem :::: vermelho de chumbo + branco de chumbo: o azul-escuro dos

135

barcos. no globo terrestre :::: azul uttramanno + carvão vegeta! 137 O azul da constelação Taça. o Cinzento da cOflstelação Un!cÓmfO. 138 Nome genénco dos gl'ClCios. presentes na celulose. os amidos e as gomas. 139 O amarelo da constelação Leão. o cast;)nho da constelação Nau. o vermelho do panelamento da cOflslelação VIrgem. o prelO da constelação Escorpião !40 Esta tonalidade castanha deverá ser resultrldo da alteração de um PIgmento verde. 14 1 Re'ifnJ5 naluralS de ongem vegeta! 142 Resll'IJ orgânica de ongcm animaI.


I

were removed and the plaster residue~M underlying paper on the rear e liminat ~'> dampening them with water or Tylose and scraping them with a blade.Any traces of var­ nish left on the front were removed with ace­ tone. The gores were flattened and reinforced with Japanese pape r and starch glue.The lacks were filled after the globe had been assemb led, as doing so before wou ld have led to distor­ tions and misplacements during repositioning.

resultados nos testes prévios. A acetona foi aplicada em compressas de algodão, papel absorvente e papel japonês fino, sendo este último o método que apresentou melhores resultados.

o

solvente foi aplicado a pincel sobre um pequeno rectângulo de papel japonês fino' '', removido depois de actuar alguns segundos. Com a evaporação do solvente o verniz é transportado para o papel As compressas de papel foram aplicadas em rectângulos alternados (como num tabuleiro de xadrez), nunca ultrapassando uma área possível de executar num período de trabalho. Esta alternância e a delimitação da área de aplicação teve como objectivo minimizar a formação de auréolas. Estas por serem de verniz regenerado pela aplicação do solvente são mais difíceis de eliminar. A operação foi repetida até à elimi­ ' e nação total do verniz.

o

número de aplicações variou consoante a espessura e o estado de degradação do verniz. A superfície do globo parcialmente limpa com o gel de limpeza ofereceu maior resistência à acção da acetona, resultado da regeneração do verniz. A aplicação do solvente, na superfície sem acção prévia do gel, provocou alguma que­ bra do verniz em forma de palhetas . Nestes casos, ligeiras fricções com uma trincha ou lâmina aceleraram o processo, retirando parte do verniz em desagregação. Algumas áreas foram removidas pontualmente com isopo, utilizando o sol­ vente ou o gel de limpeza, ou mesmo pela acção mecânica do bisturi. Este método revelou grandes vantagens, pois a utilização de um papel intercalar evita uma acção mecânica directa na camada cromática e a captação do verniz pela evaporação do solvente, mini­ mizando a possibilidade de arrastamento dos pigmentos com alguma desagregação. Em simultâneo, implica uma quantidade menor de solvente e uma evaporação rápida, diminuindo a possibilidade da penetração do verniz no papel. No entanto, verificou-se alguma pene­ tração do solvente e verniz no papel do globo terrestre, menos protegido pela camada cromática e por uma encolagem mais fraca, resultando zonas de manchas escurecidas do papel.

Simultaneously, the parts of the interior wooden structure were consolidated . Once the non-original plasters had been removed , the cloth patch was eliminated and the origi­ nai canvas over the most fragile area was cut. The beechwood covering that had suffered badly from insect damage and some rot, as well as some broken parts, was opened by cutting the wood in an area measuring approximately 40 cm2. Two nails from the south pole calotte that had caused distortions to the interior were totally removed. The tri­ angular pieces that had become partially detached were repositioned by using a wood ­ en ruler (introduced through the hole cut into the covering) to exert pressure The broken parts - one triangle and its stave - were repositioned and glued. The nails were replaced with brass screws that enabled the pieces to be properly fixed, while exert­ ing a slight counterforce to the pressure caused by the externai metal calotte .The heads of the screws was matched to the colou r of the calotte.The wood removed from the covering was rep laced by new strips of beechwood fixed to the staves with fine wire nails . The original canvas was stretched and nailed , and a layer of PVA 177 was applied to isolate it . Once the original but crumbled plasters had been removed, the holes were filled with a layer of paper pulp 178 with PVA until the cor­ rect thickness was achieved . . After drying, plastered gauze 179 was applied.This had been dampened and cut into rectangles to form interconnected crosses that help distribute the strenght. At the edges of the lacks, the plastered gauze was introduced into the papier-mâché using a meta ll ic spike, creat­ ing a strongly fixed reinforcement in the sur­ rounding area.This process was carried out in layers alternating with drying periods until the holes were filled to the upper layer levei and without any excessive increase in weight.

Os repintes efectuados directamente nas camadas de papel, foram removidos com Fred gel 17", neutralizado com solvente' 75, aplicados a isopo. O destacamento dos fusos respeitou, sempre que possível, as uniões existentes entre eles. Naqueles em que a lacuna ocupava uma área diminuta, optou-se pelo corte a meio do 161 The transport box and the workJng suppOr't are

eXilmlned In

plaster 'ao ula

the sectlOn on preventatrve conservatJon.

162 Loaned by the Llboratóno de Mineralogia e Petrologla, Instituto Supenor TecnlCo.

61 Thls process requwed cun ng J small square cf lhe beech covenng. whlCh was replaced when (',e.... plaster was added

64 The removal of samples to <In ':yse and Identlfy plgments and lhe respectlVe blnders 'Nas camed out after the vamsh had been removed.

165

5oIutloo cf waler

+ acetJe aod in a pH 4 SOIUllon

66 Cellulose ether WhlCh, In a water solutloo. may be used dS glue In Ihls case , It \-\las applied a~ a hum1cH)'lng agent.

67 In some areas.these non-onglna! p(asters reached the leveI lhe papler-mâché (eve! wilh a thlckness of up lo 2 em.

68 Robblalac® O-O 13-0070 washable stnpper'

69 WOLBtRS. Rlch>lrd . New Methods of Oeaning Palnted Surfaces. pP 45-46

ar

The sphere was fin ished once these layers had been estab li shed. The surface of the missing areas was covered with fine grain acry lic in thin successive layers using a curved cardboard spat­ alternating with drying periods. Uniformity was

69


fuso. seguindo a marcação de um círculo secundário. para evitar o seu destacamento completo. Fizeram-se incisões verticais nos limites da área a destacar, para levantamento total das camadas de papel subjacente. pois os fusos gravados apresentavam pouca resistência face ao manuseamento. Estes foram protegidos com um facing em papier bol/oré sobre o qual foi aplicada Ty/ose a 4%, cobrindo-se em segui­ da com Melinex'""" para impedir uma evapo­ ração rápida e providenciar um suporte para o fuso. A Ty/ose proporcionou a humidade necessária para amolecer a cola subja­ cente e favorecer o destacamento das várias camadas de papel. Os fusos apresentavam inúmeras lacunas, correspon-dentes à inclusão das massas não originais e desagregação do gesso subjacente, que se destacou de forma irregular resultando em pontos de grande tensão no papel. ; -

Estes fusos foram tratados individualmente em plano. Removido o facing e a protecção de Me/inex"'. eliminaram-se os resíduos das massas e do papel subjacente do verso. humedecendo-os com água ou Tylose e raspagem com lâmina. Os vestígios de verniz que ainda permaneciam na frente do papel foram removidos com acetona. Os fusos foram planificados e reforçados com papel japonês e cola de amido. O preenchimento das lacunas foi efectuado depois da montagem no globo, pois a fazer-se antes implicaria dis­ torções e deslocações durante o processo de reposicionamento na esfera.

70

Em simultâneo, procedeu-se à consolidação dos elementos da estrutura interior de madeira do globo terrestre. Removidas as massas não originais, eliminou-se o remendo de tecido e cortou-se a tela original sobrepos­ ta à zona de maior fragilidade. A zona do revestimento de faia que apresentava fone ataque de insecto xilófago e algum apodreci­ mento com quebra de elementos, foi aberta através do cone da madeira, numa área aproximada de 40 cm' . Dois pregos da calote metálica sul, que provocavam distorções na parte interior, foram

removidos. Os elementos triangulares que se encontravam parcial­ mente destacados foram reposicionados, utilizando uma régua de madeira para exercer pressão. introduzida pela abertura do revestimento I Os elementos partidos, um triângulo e respectiva aduela, foram

reposicionados e colados. Os pregos removi­ dos foram substituídos por parafusos de latâo,

que permitiram a fixação destes elementos. exercendo uma ligeira força contrária à pressão provocada pela calote metálica exterior. A cabeça dos parafusos foi tonalizada com a cor da calote polar metálica. As madeiras removidas no revestimento foram substituídas por novas faixas de faia. fixadas às aduelas com A tela pregos de arame fino original foi esticada e pregada , aplicando-se

uma camada de PVA'" como isolamento.

achieved by sanding by hand or using an elec­ tric abras ive disk. A cardboard pattem with a circul;1r edge was used to create the correct shape. defining the surface limits of the inter­ vention and . .The origina l pape r surrounding the small holes was cut in a cross shape and slightly lifted to allow the insertion of plastered canvas and/or plaster. Th ick Japanese paper. cut into sections that were positioned so that they did not co incide with the overlapping of the gores above. was used as a barrier between the plaster and the printed paper.After the paper had been moistened. it was past­ ed onto the globe using a mixture of PVA and starch paste app lied onto the plaster. Pressure was exerted using a Teflon® spatula to eliminate any pockets of air or excess glue .

After drying. the facsimile gores were placed over the lacks . including areas where the original gores had already been removed. Before this. the gores printed on white. laid paper were tinted bu aerographer with an acrylic paint'·' that was slightly lighter in colou r than the terrestrial globe . The edges were thinned on the rear to avoid excessive thickness in overlapping areas and fragments of original gores were pasted over the new ones.The facsimi le and original gores were dampened'·' and glue app lied to the sur­ face of the globe. High pressure was used to fix the gores. forcing the pape r to mould itself to the spherical form and the cartographic design to coincide with the adjacent gores . Finally. pressure from a spatula helped to elim­ inate pockets of air and excess glue was removed with a sponge . These processes always used an intermediate layer'·3 to protect against the mechanical action. The gores for each area were positioned during a single working period so that adjustments could be made and to ensure that the same layer dried simultaneously "" . After this processo the fragments of the original gore were rep laced and pasted on. with the underlying fac­ simile gores acting as guides

For small holes where the original gores had not been removed. fragments of the facsimile gores were cut ando after the required filling of the under lying layers. app lied and matched to the surrounding area. Lacks in the upper layers were filled with paper o r paper powder'·' and tinted with watercolours. After the pasted gores we re completely dry,

the surface was re-sized with a 4% solution of

Tylose MH300P, applied by brush in successive

layers until the required levei of paper satura­

tion was achieved . After drying, the colours of

the non-original gores were matched over this

layer. using acrylic paint and watercolours '86.

diluted in water and applied by brush.

Protective varnish was app lied as the final coat on the entire sur­

143 A compoSição dos vernizes foIldenllficaoo por analise mKroqu{mlCà e espectlUSCoplJ. de IV (mS-FTIR).

J 44 Com Dregos de ferro rOf'Jildo. de se<Ção quadrangular e com compnmento aproXimado de 8 em.

145 Eventualmente durante o terramoto de 1755. com J queda da cúpula do tOfTeão do Paço da RIbeira. onde estanam Instalados os gabmetes da BIblioteca Real

146 Af1áhse mICro quim1ca e M1croespeC\I'Os.copld de Infravermelhos (mS-FTIR). O óleo presente nestas amostras poderá corresponder a um componente das massas 00 das tintas utlhzadas nos replnte5 que as cobrem.

147 Não fOI aInda possivel dirta/" est,1 emb,1)Jgem. o que permltlna uma cronologld de U'nJ das Intervenções de reS1.duro

148Tela de algodão (ru

149 Massa com compoSl(i.o de gesso. (ré. cola de pele. óleo e acre.

150 Provavelmente rnddelfd de nogueira )ugldns sp (observação d lupa blnocul,lr).

151 A utilização de verniz colondo e zonJSplnlddas com linta preld é comum em Instrumentos CIentificas mctJhcos

152 No dnel mendlano do globo celeste. este elemento 11.:10 parece ser ongn1à1 pOIS é felt o em latão e com dimensão ligeiramente Infenor.


I

Removidas as massas originais em desagregação, as lacunas foram preenchidas com uma camada de polpa de papel'" com adição de PVA. até atingir a espessura necessária Depois da secagem. foi aplicada tela gessada'" humedecida e cortada em rectângulos. formando cruzamentos entre si. para distribuição das forças exercidas. Nas margens das lacunas. a tela gessada foi intro­ duzida no paPier mâché. com a ajuda de um pico metâlico. resultando um reforço com fixação forte às zonas circundantes. Este processo é efectuado por camadas, com secagens inter­ calares. possibilitando um preenchimento até à camada superficial, sem aumento excessivo do peso.

face . A natural resin diluted in ethanol was applied in strokes with a pad "' . The cloth used was dipped in varn ish an applied after the resin had been fully absorbed. as shown whel1 the shine on the cloth disappears. Watercolour was used between the two layers of this va'r- . nish to colour areas of small holes in the orig­ inai gores rlrnage 72) .

The stands The intervention on the bases of the globes consisted of preventive and curative treat­ ment of the wood. clean ing and fixing the polychrome. consolidating the wooden struc­ ture. removing products causing alterations and stabi li sing and protecting the metais. The polychromy was fixed using a PVA'88 and water '8. solution app lied by brush . Simulta­ neously. the surface was cleaned with w hite spirit. and the most resistant areas of dirt removed by a solution of water and deter­ gent '90.

Sobre estas camadas. procedeu-se à finalização da esfera. A superfície das lacunas foi coberta com uma massas acrilica de grão fino' ao. em finas camadas sucessivas, com secagens inter­ calares. e com a ajuda de uma espátula curva em cartão , uniformizando-se com lixa manual ou disco abrasivo eléctrico. Para atingir a forma correcta. foi utilizado um padrão em cartão com recorte circular. para definição dos limites superficiais da inter­ venção e . Nas lacunas de menor dimensão, o papel original circun­ da nte foi cortado em cruz e ligeiramente levantado. para inserção de tela gessada e/ou massa.

A different methodology. depending on the respective state of conservation. was required to consolidate the woods. which was neces­ sary for the structural stability of various pieces. The holes in the claws were fi ll ed with cellulose paste"' . PVA and slivers of balsa wood Successive layers of cellu­ lose paste. water-based wood paste'" were applied to the lower section before finishing with a fine-grain acrylic plaster'9J tinted with acrylic paint and gouache . This acted as the base for the final colour matching.The central section was impregnated with success ive applications of a Paraloid B72 '94 solution diluted with xylol in a 6% concentration.

Como barreira entre a massa e os fusos de papel gravado. foi aplicado um papel japonês espesso. cortado em gomos e com sobreposi­ ções não coincidentes com as dos fusos superi­ ores. O papel. depois de humedecido. foi colado sobre a esfera. com uma mistura de PVA e cola de amido, aplicada sobre a massa. e pressionado com espátula de Teffon'" para eliminação de bol­ sas de ar e excessos de cola. 67

Finalização da aplicação de massas. Globo te rrestre

Após secagem. fo ram aplicados os fusos fac­ -similados nas lacunas existentes. incluindo as zonas em que se destacaram os fusos originais. Antes de serem colados estes fusos impressos em papel avergoado de cor branca. foram tonalizados com tinta acrilica " '. com uma cor ligeiramente mais clara que o fundo do globo terrestre. aplicada com aerógrafo. As mar­ gens foram desbastadas no verso. para evitar espessuras exageradas nas zonas de sobrepo­ sição e os fragmentos dos fusos originais foram colados por cima dos novos. Os fusos fac-simi­ lados e os originais, foram bem humidificados"2 e a cola aplicada na superfície do globo. A sua fixação foi feita sob forte tensão. obrigando o papel a acompanhar a forma esférica e o desenho cartográfico a coincidir nos fusos adjacentes. No final, a pressão exercida com uma espátula. ajudou a eliminar as bolsas de ar e os excessos de

Gaps in the chromatic layer were retouched using acrylic paint and gouache. which had a gold pigment'95 added for the lacks in the gold leaf. The entire surface was protected with microcrystalline wax. The metal pieces. arches and casters were cleaned with ethanol to remove the varnish. followed by the application of a 3% solution of citric acid '96 to remove deterioration products . The results of changes to the nails were mechanically removed and the metal pro­ tected with microcrystalline wax.

Work on the metal pivot from the upper sec­ tion involved mechanically removing the results of changes and stabilising with tannic acid.The surface was then pro­ tected with microcrystalliAe wax and the application of Melinex.® a film that isolates changes forming on the metal surface and prevents

170 lsopropyl akohol (300 ml) + water (50 ml) + Elhomeen® C25 (20 ml ) + Carbopol® 954 (6 g)

I71 Speofrcally (otton buds. 72 Wh,te sp,nt + ,soprupyl akohol (11) . 73 In thlS processo fine paper lhat adapts eaSlly to a rounded sunace and that has s.orne capaClty for absorptron can be used. Examples Include japanese paper and pap!er bolloré (quahty fine paper wlth no wood paste) 174 I.Methyl·2·PyrrolKl,none ( 100 ,oi ) + waler (25 ml) + Ethomeen C25 (20 ml) + Carbopol (2 g). '75 Whl te splnt + ISOprOPyl alcohol (I: I). 76 Transparent polyester (11m from Ouponl andTe'Jin Fllms '77 Poly\on~ acelate.

178 Pappmaché® by Eberhard Faber Gmhl-l.

179 Gauze '.'11th colloldal p)aster

71


cola removidos com uma esponja.

Estes processos utilizaram sempre uma película

intercalar de protecção'eJ à acção mecânica.

Para cada lacuna a colocação dos fusos foi feita

num único período de trabalho, para verificação

dos acertos das folhas e secagem simultânea da

mesma camada' .... Após este processo, os frag­

mentos dos fusos originais foram reposiciona­

dos e colados, servindo os fusos fac-similados

subjacentes como guia de acerto

Nas lacunas menores, sem levantamento dos

fusos originais, foram recortados fragmentos

dos fusos fac-similados e, depois de executado

o processo de preenchimento das camadas

subjacentes necessárias, aplicados com

justaposição à área circundante. Lacunas das

camadas mais superficiais foram preenchidas

com papel ou pó de papel '8'

tonalizado com aguarela.

any potential staining of the wood. The horizon ring was first cleaned with syn­ thetic saliva'" to remove the dirt deposited on it over the years. Like the globes, the pro­ tective layers were removed in order to con­ solidate the printed paper. The holes in the pape r were filled with fragments of facsimile gores and tinted with acrylic paint. A protec­ tive layer of natural resin was applied over a previous layer of size with Tylose MH 300p.

The meridians Work on rhe meridian rings involved disman· tling the metal plates by removing the fixing screws to analyse the state of conservation of the wooden core and to eliminate ali residues of cleaning product. The metal parts were treated in identical fashion to those on the bases stands: a new protective layer was applied and the iron screws replaced by brass.

Após secagem total dos fusos colados pro­

cedeu-se à impermeabilização da superfície,

utilizando Tylose MH300P a 4% aplicada a trin­

cha, em camadas sucessivas-até atingir um grau

de saturação do papel. A integração cromática

sobre os fusos não originais foi executada

sobre esta camada, depois de seca . Para tal, uti­

lizou-se tinta acrílica e aguarela '86, diluídas em

água e aplicadas a pincel.

72

Como camada final de toda a superfície foi

aplicado um verniz de protecção. Utilizou-se

uma resina natural, diluída em etanol, aplicada a

boneca'87 em movimentos circulares. Esta era mergulhada no verniz e aplicada após absorção deste no seu interior, o que se detecta quando desaparece o brilho no tecido. Áreas de peque­ nas lacunas dos fusos originais foram tonalizadas a aguarela entre as duas camadas deste verniz

As bases A intervenção efectuada nas bases dos globos

compreendeu o tratamento preventivo e cura­

tivo da madeira, a limpeza e fixação da policro­

mia, a consolidação da estrutura de madeira e

a remoção de produtos de alteração, estabiliza­

ção e protecção dos metais.

A fixação da policromia foi efectuada com uma

solução de PVA'88 e água''', aplicada a pincel. Em

simultâneo, procedeu-se à limpeza da superfície

com White sPirit, sendo os pontos de sujidade

mais resistentes removidos com uma solução

de água com detergente"".

Preventive conservation One of the main difficulties encountered in conserving these objects is related to trans­ port. For smaller globes, a box with means of support and holding is sufficient. However, addi­ tional care has to be taken with larger globes. The transport box was designed to provide a working base for conservation work on the globes . The box is made of ply­ wood and can be dismantled for easy storage. It also has four smaller supplementary lateral boards which can form a working box that can be filled with inert material.The meridian is protected and supported by pieces of polyethylene foam '''. The sphere was fixed inside 50 that it would not be able to rotate. For the conservation and restoration work to be carried out, it had to be possible to turn the globe with some ease to various angles. Work can be done on a smaller globe provid­ ed it is resting on a basin protected by non­ abrasive material or on rings made of cork, polyethylene or polystyrene cut to the required size. For larger globes, a wooden sup­ port where the sphere can be rotated through­ out the process is preferable.The latter option was taken for the conservation work on the globes from the Sociedade de Geografia.

A consolidação das madeiras, necessária para a 153 ~blloteCJ NaCIonal da ÁUS1na: BIblioteca Federeuanll.ltáha

154 Com espessura de I em no globo terrestre e 2 em no globo cele'lte 155 Com espessura de 3 em no globo terrestre e 2 em no globo celeste 156 Azul da PrúsSIa + ilmilre!o de crórnlo

157 A Espe<tometna de Fluor(>S((-no,l de RaIOS· X detectou o cobre como elemento m.:uorrtcÍno,

158 MaiS numerosas na t,jbua do honzonle celeste.

159 A reprodução de uma nova chapa gravada evita o uso das Ch.1pd'i> orIginais e permite um número elevado de Impressões.

160 Processo de Impressão planografico em que a tinta e aplicada Através de urna rede com uma ernuls.'lo fot0ssensivel. onde se pro,eclou a Imagem 161 Sobre a Cdlxa de transporte e o suporte de trabdlho falaremos no capítulo da Corservação PreventNa. 162 Aparelho facultado pelo LaboratÓflO de Mlneralogta e Petrologltl do Instituto Supenor TécnKo

This support consists of two vertical sup­ ports, with notches for the globe's pivots, and horizontal blocks in the lower and upper sec­ t ions to ensure that the verticais do not sep­ arate.Two pieces whose upper side is protect­


I

estabilidade estrutural dos vários elementos, seguiu metodologias diferentes, consoante o seu estado de conservação. As lacunas das garras foram preenchidas com pasta de celulose"', PVA e peque­ nas faixas de madeira de balsa N o elemento inferior, foram aplicadas camadas sucessivas de pasta de celulose, pasta aquosa de madeira'" e, por último, uma massa acrílica de grão fino' " tonalinda com tinta acrílica e guache, que serviu de base para a integração cromática final. O elemento central foi impregnado com uma solução de Paraloid B72'" diluído em xilol numa concentração a 6%, por aplicações sucessivas. As lacunas da camada cromática foram integradas com tinta acríli­ ca e guache, à qual se adicionou pigmento dourado'9S para as lacu­ nas da folha de ouro. Toda a su perfície foi protegida com cera microcristalina. Os elementos metálicos, arcos e rodízios, foram limpos com etanol para remoção do verniz, seguido de aplicação de uma solução de ácido cítrico a 3%'" para remoção dos pontos de alteração. Os pro­ dutos de alteração dos pregos foram removidos mecanicamente e o metal protegido com cera microcristalina. A intervenção no espigão metálico do elemento superior compreen­ deu a remoção mecânica dos produtos de alteração e estabilização com ácido tânico. Em seguida fez- se a protecção com cera micro­ cristalina e um envolvimento com Me/inei<. Esta película isola os pro­ dutos de alteração que se formam à superfície do metal, impedindo um possível tingimento da madeira. Na tábua do horizonte foi feita uma limpeza prévia com saliva sin­ tética'" para remoção da sujidade que se depositou na superfície ao longo dos anos. À semelhança dos globos, removeram-se as camadas de protecção superficial para consolidação do papel gravado. As lacunas do papel gravado foram preenchidas com fragmentos dos fusos fac-simil ados e ton aliza dos com tinta acríli­ ca. Sobre uma camada prévia de encolagem com Tylose MH 300p, foi aplicada a boneca uma camada de protecção com uma resina natural

Os anéis meridianos Para a intervenção nos anéis meridianos, procedeu-se à desmon­ tagem das folhas metálicas, através da remoção dos parafusos de fixação, para análise do estado de con­ servação da alma de madeira e elimi­ nação dos resíduos de produtos de limpeza. Os elementos metálicos foram tratados à semelhança dos existentes nas bases e aplicada nova camada de protecção, sendo os para­ fusos de ferro substituídos por outros de latão.

L74 ~

ISO

ed by foam are also set in the horizontal block, acting bothas a tiona l support and preventing the globe from moving Irnage.7 Like any other piece, the conservation of globes fundamentaJly implies maintaining them in proper condition where they are in exhibition or storage .

The Sala da índia and the adjoining Sala dos Padrões, located on the second floor of the Sociedade de Geografia in Lisbon were the alternatives proposed by Professor Aires de Barros and Dr. Manuela Cantinho for the future exhibitíon of the Coronelli globes. In selecting the exhibition space , ali options that even cir­ cumstantially involved the globes being moved or touched were discarded, avoiding any mechanical problems and direct Contact with the public. The prospect of the pieces returning to their for­ mer site of exhibition, the Sala da Biblioteca, is not currently the most appropriate as the site is wide ly used and does not have a museum vocation. Moreover, there are certain problems regarding vibrations and protection from visitors. Consequently, a study was carried out on the lighting and thermo­ hygrometric conditions of the selected rooms . According to the monitoring, the two rooms have similar thermo­ hygrometric conditions. However, while the fluctuations in relative humidity and temperature are slow, they are smaller in the Sala dos Padrões, as it is an interior area without any windows and is con­ nected to the Sala da índia through a central door that is always open.The Sala da índia recorded both the highest and low­ est leveis of relative humidity and temperature' 99.

AA

I~AL

)

.

TEMPERATURE RELATIVE HUMIDITY Minimum Maximum Minimum Maximum 31.6°C

37 %

71.1 %

14.l o C

29.6°C

39.4 %

65.1 %

In order to conserve the globes as an integral part of the muse­ um's collection. these figures do not raise any significant problems. The oscillations observed are slow and not of great extent, enabling the differing organic and hygroscopic materiais (wood, canvas, plaster/chalk. paper) that may vary in size to adapt without mechanical stress. The RH detected remained within a range that does not pose a threat to conservation since the highest figures tend to minimise mechanical damage and the lowest minimise chemical alterations, such as corrosion to the metal pieces. No extreme leveis were recorded outside the 25%-75% RH range. Had such leveis occurred, they would have been criticai threats to the globes ' physical and chemical sta­ bility.

Transporte dos globos da Sociedade ~ Geografia

Pol,fi~®

181 Llqu1teX® EmulSlon pa1nls.

182 The facslmle gores were Immersed In waler fOfO,1 (ew mlnulcs uN11 lhe pJper WdS sufficlently SJlurated to respood weU to lhe handhng needed 10 a.dapt 1\ to lhe shape of lhe globe 183 Reemay (non-textlle po/yester) or paple,"bolloré. 84 The glue used v/as a mlxture of starch glue rtnd PVA (I: I). 185 Paper powder atman CF I I 186 LlqulteX'® anel Wrndsar & Newton watercolours 187 USlng a cloth \-\1th raw cotton InSlde to form d ball. The comers 01 lhe cloth c.lce \lghtly tV/151ed

ISS Mo,'..I,th DMC 2

73

13.6°C


Conservação preventiva Uma das primeiras dificuldades que encontramos na conservação destes objectos prende-se com o seu transporte. Nos globos de menores dimensões uma caixa com material de suporte e trava­ mento será suficiente , mas para um globo de maiores dimen­ sões outros cuidados são necessários. A caixa de transporte foi concebida de modo a proporcionar uma base de trabalho para a conservação dos globos (In1.lgem 74) . Construída em contraplacado, os vários elementos que a com­ põem são desmontáveis para fácil acondicionamento em reserva, e quatro placas laterais suplementares mais baixas, que podem proporcionar uma caixa de trabalho preenchida com um material inerte. Elementos em espuma de poli etileno'''', servem de encaixe e apoio ao anel meridiano. A esfera foi travada no seu interior para que não pudesse rodar. Para o trabalho de conservação e restauro foi essencial a manipu­ lação do globo em diversos ângulos e com alguma facilidade. Nos globos menores é possível trabalhar com o globo apoiado numa bacia protegida com material não abrasivo ou sobre anéis de cortiça, polietileno ou poliestireno talhados na dimensão ade­ quada. Nos globos de maiores dimensões é possível o recurso a um suporte de madeira que permita a rotação da esfera O durante todo o processo de intervenção. Esta última foi a opção escolhida para o trabalho de conservação dos globos da Sociedade de Geografia.

74

Although the Sala da índia is rarely used except for major recep­ tions , when t he space is only occupied for a short period, it does have certain shortcomings th at must be considered. First, there are five large w indows (w ithout curtains) that occupy almost ali of two walls in the room.Th is raises pro blems of excess light and regulating its entrance, in additio n to havi ng a negative impact on the room's thermo-hygro metric properties. Moreover, as the contents of th is room mostly consist of pieces of furniture - w hich many visi tors believe sti ll serve a utilitarian purpose - the globes would have to be cordo ned off by rope or some form of metal barrier. The smaller Sala dos Padrõ es, reached either via the Sala da índ ia or the Sala Po rtugal, does not have any window, only stain ed glass. The room was rece ntly restore d to house a pe r manent exhibition mostly consisting of stone pieces.The lighting comprises two rows with moveable spotlight s on either side of the room.The readings of lighting leve is in t hi s room are of 50 lux or less, wh ich matches the requ irements to conserve the globes. If the spaces ana lysed maintain their present conditions, then the Sala dos Pad rões offers the best condi­ ti ons for the future conservation of the globes. If the limitatio ns imposed by the­ mati c coherence can be overcome, this is O currently the best solution.

Este suporte é constituído por dois apoios verticais, com encaixes laterais para os espigões do globo, e travamento horizontal, na parte inferior e superior, para impedir qualquer afastamento dos primeiros ele­ mentos. Dois elementos com encaixe no travamento horizontal e com a parte supe­ rior protegida com espuma servem de apoio adicional e travamento à esfera. (ImJgens 75) A conservação de globos, como de qual­ quer outro objecto, implica antes de mais ~

Garras de leão após o preenchimento das lacunas

a sua manutenção em boas condições no local de exposição ou de armazenamento. A Sala da índia e a Sala dos Padrões, contíguas, situadas no segundo piso da Sociedade de Geografia de Lisboa, foram as alternativas sugeridas, pelo Prof. Dr. Aires de Barros e a pela Dra. Manuela Cantinho, para a exposição futura dos Globos Coronelli. Na selecção do espaço de exposição foram postas de lado soluções que obrigassem, ainda que circunstancialmente, a que os globos fossem deslocados ou mexidos , evitando que estivessem sujeitos a constrangimentos mecânicos ou ao contacto directo com o públi­ co. A hipótese das peças voltarem para o seu local anterior de exposição, a Sala da Biblioteca, não é de momento a mais indicada, já que este, além de ser um espaço de uso comum e não propri­ 163 NC".ite processo, fot ncce~no (Of t.~r um pequeno qUo1drddo no re-o.estlmcnto de fJI3 repo$lclooado dur"nte o preenctllmento com nOVd':> m,,<;' S 164 O le\ldnt<!mento de amo':>tras par~ an~hSC' e Identificação dos pigmento') e respectIVos aglut1rr:lntes fOI efe<:lutldo aposlevantamento dos 'vCfntlCS

165 SoIuçJo de j gUi! + aodo 3CCtl(O. com pH 4 166 Éter de celulose que. em <:f'\luç..i.o :=tqUO'>A pode ser utilIZado como cola 00 (,TiColJgem No (asa presente fof empregue como agente humldlficantc 167 Em algumas Z00a5. estas m.:l.S<::o\S flAo on~iflals cheg.1v.:lm à cam1da de pJPIC! míche. podendo íHlnglr umJ e;pessura de 2 cm 168 OecapJnte lav.jve\ Robblillac® 0·013-0070 [69 WOLBERS. R!chJ(d. Nr.'_ Mcthods of (I(''''1110g Pillnted Sulidces. [p 45- 46 J 170 \ pJnol ()OO ml) + JRW ISO mlJ ;. I thomccn® C~5 120 mil t C.Jrbopo:® 95-1 (605) 171 Cutonete

72 Whlte

Splfll ..- ')C>pf\JnnI (

I


amente museológico, apresenta também alguns problemas de vibração e de protecção em relação aos utentes. Procedeu-se assim ao estudo das condições de iluminação e do comportamento termohigrométrico das salas seleccionadas. A partir da monitorização realizada verificou-se que as duas salas possuem um comportamento termohigrométrico semelhante. No entanto, as oscilações de humidade relativa e temperatura, ainda que lentas em ambas, são mais pequenas na Sala dos Padrões, o que se deve ao facto desta ser um espaço interior sem janelas, que comunica com a Sala da índia somente através de uma porta cen­ trai, que nem sempre se encontra aberta. Na Sala da índia regis­ taram-se os valores mais elevados e mais baixos, tanto de humi­ dade relativa, como de temperatura''': TEMPERATURA

HUMIDADE RELATIVA

Mínimo

Máximo

Mínimo

Máximo

SALA DA íNDIA

13,6°C

31,6°C

37 %

71,1 %

SALA DOS PADRÕES

14,l

29,6°C

39,4 %

65,1 %

o

C

Para a conservação dos Globos, como parte integrante do acervo museológico ali contido, os valores registados nas salas não são problemáticos. As oscilações observadas são lentas e sem grande amplitude, permitindo aos diferentes materiais constituintes - orgâni­ cos e higroscópicos (madeira, tela, gesso/cré, papel), que podem variar dimensionalmente - a adaptação sem stress mecânico. Os valores detectados de HR mantiveram-se dentro de um intervalo que não põe em risco a preservação das obras, sendo que, entre estes, os mais elevados tendem a minimizar os danos mecânicos e os mais baixos minimizam as alterações químicas (como por exemplo, a cor­ rosão dos elementos metálicos). Não se observaram valores extremos, fora do intervalo de 25%-75% de HR, que, caso se man­ tivessem, seriam críticos para a estabilidade físico-química das peças. Dos espaços estudados, a manterem-se tal como hoje se encon­ tram, a Sala dos Padrões é a que possui de imediato as característi­ cas mais adequadas para a preservação futura dos globos e, con­ seguindo-se ultrapassar os constrangimentos relativos à coerência temática museológica, considera-se, por enquanto, a melhor solução. A Sala da índia, embora raramente utilizada - salvo em casos de grandes recepções em que o tempo de permanência é curto ­ apresenta alguns inconvenientes a ter em consideração. Por um lado, existem cinco janelas de grandes dimensões, sem cortinas, que ocupam quase na totalidade duas das paredes da sala, o que coloca problemas de excesso de luz e de dificuldade no seu con­ trolo, para além de se reflectir negativamente na estabilidade termohigrométrica do espaço. Por outro lado, esta é uma sala que pelas características do espólio, constituído maioritariamente por peças de mobiliário que para muitos visitantes mantêm o seu carácter utilitário, o que obrigará a que os globos, sendo aqui expostos, tenham de ser protegidos através de cordões que delimitem o espaço ou barreiras mecânicas dissuasoras. 189 By add,ng Agepon. a ~riJC1dnt that 1o'''''ef5 ~uriJc e ten'.i!Qn and enCOlIrJRes penetratton af the layers to be consolldated. 1901lssapol N - non-Ionl( detergent 191 Papel' pJlp + glue + wate r. 192 Veralme® + glue + wJler 193 Modostuc<8>. Chalk and kaolln- based pld'iter. I 94 Acryhe reslo from Rohm & HJJ'j. 195 Ouro R8yal and Ouro MICa

196 Later neutrahsed b, '.·/a5fln1l; ""/lth de-Iorused _",ater 197 Neutral pH clean,ng solutlcn mostly rnJde up of watcr but also In~ludlng .) range enr(mes, a chekmt agent a len';lO,lCtlve. Jnd polymenc m.ltcnill ......tl!ch (ames and transports the dw l removed. WOlBERS. Rlchard. op. Clt. pp é-7. 198 Ethafoam by Dow Cheml(JI.., - Extruded potyethylene foam 99 In general. for the penod from June to September. the room temper,1turc ranged on avclage bel\\een: 24° 29"( In ihe SaI.J. da Indld and 25°_ 28(l( In the Silla dos Padrões The temperaiure gradualfy druppec! In both roems dunng :ne (ourse of a.utumn Jnd the bes;mnlng af .',Ilnter 'o le,1ch about I·r C Relatl\e hUllIldrty bctv/€en June and Septembcr r"emalned on averJge betv"een 42% 54% In the Sala da Imkl dnd 47% - 54% In the Sala dos Padrões Be· .'. ~'1 OctObel dnd De{embe~ 54::0 68 10 the 5,:1.: d" hd· , are ~2' 62 In tne SrtJt! dos P3drõe'j

75


BIBLIOGRAFIA BIBLlOGRAPHY

FELLER, Robert L.; STOLOW. Nathan; JONES, Elizabeth H. On picture varnishes and their solvents. Washington: National Gallery of Arts, 1985. FERRONI, Alice - «Tecniche di costruzione dei globi e proble­ ALBUQUERQUE, Luís de - Duas obras inéditas do padre

mi di conservazione» . Kermes. 25 (1996); p. 66-75. Francisco da COSt.1. Universidade de Lourenço Marques, 1968. HUES, Robert - Tractatus de globis et eorum usu. A treatise Códice NVT do National Maritime Museum.

descriptive of the globes constructed by Emery Molyneux, and ALMEIDA, Guilherme de; RÉ, Pedro - Observar o céu profundo. published in 1592. New York: Burt Franklin Publisher, 1889. 2' ed. Lisboa: Plátano Edições Técnicas, 2003 .

JAVORSKY, Irene - «Pariser und Londoner Georarnen des 19 ALMEIDA, Luís Ferrand de Almeida - «D. João V e a Biblioteca Jahrhunderts». Journal for lhe study of globes and re lated Real». Revista da Universidade de Coimbra. Coimbra. Vol. 36 instruments.Viena de Austria UGI], nO 38/39 (Nov. 1990). (1991).

KROGT, Peter van der - Old globes in lhe Netherlands. BAYNES-COPE, AD. «The study and conservation of globes». Utrecht: H &S. Vitgevers, 1984. Der G/obusfreund, International Coronelli Society for the Study KUGEL, Alexis - Spheres, art des mécaniques célestes. 2' ed. of Globes and Related Instruments. 33/34 (1985); p. 1-105.

revue et corrigé, Paris: J.Kugel, 2002. BERNLEITHNER, E.- «Die osterreichische Sonderpostmarke KUNITZSCH, Paul - «European celestial globes with arabic zum V. Internationalen Symposium des Coronelli-Weltbundes inscriptions». Der G/obusfreund, International Coronelli Society der Globusfreunde». Der G/obusfreund, n° 25-27 (1977/78/79)

for the Study of Globes and Related Instruments.43/44 (1995); BONELLI, Maria Luisa - Coto logo dei globi antichi conservati in p.135-142. Italia. I globi de Vincenzo Coronel/i. Firenze: Leo S. Olschki Editori, LEWIS, Gillian ; LEANE,Anne ; SUMIRA, Sylvia - «Globe con­ 1960.

servation at the National Maritime Museum, London». Paper CORDEIRO, Luciano - «Globos terrestres e celestes». In Conservator. 12 (1988); p. 3-12. Exposição de Cartografia Nacional (1903 - 1904). sob a direcção LlPPINCOTT, Kristen - [Correspondência vária]. Museu de Ernesto de Vasconcelos. Lisboa: Sociedade de Geografia de Marítimo de Greenwich. Departamento das Ciências da Lisboa, 1904; p. 259-262.

Navegação. CORONELLI, Vincenzo - Bibliotheca Universale Sacro-Profana, MAGALHÃES, Elcio Torres de - Astrologia. [on line], [referên­ Antico-Moderno, In cui si Spiega com ordine Alfobetico ogni voce, cia de 15 de Julho de 2004] . Disponível na Internet em: anco straniera, che pua avere signiflcato nel nostro Idiomo Italiano, <http://www.astrologie.com.br/Secreto/Completo.doc. Appartenente Á Qualunque Materia.Venezia: À Spese di Antonio MANDROUX-FRANÇA, Marie-Thérese; PRÉAUD, Maxime ­ Tivani, 170 I.

Catalogues de la collection d'estampes de Jean V. Roi de CORONELLI,Vincenzo - Cronologia universale, che facilita lo stu­

Portugal par Pierre-Jean Mariette. Paris: Centre Culturel dio di qualunque Storia, Eparticolarmente serve di PRODROMO AI/i Calouste Gulbenkian: Bibliotheque Nationale de France; XXXXV volumi Del/a BIBLIOTECA, consecrata AI/'Eminentissimo Lísbonne: Fundação da Casa de Bragança, 2003. Prencipe FraVincenzo Maria Orsini,Ad usuo, s.d.

MCKLlNTOCK, T.K. - «Observations on the conservation of CORONELLI,Vincenzo - G/obi Celeste e Terraqueo dei P. Coronel/i. globes». In IIC Congress Baltimore, 2002; p. I 35-1 38. Dedicati al/"Eminentiss·. Prencipe il. Sig r. Cardinale Paolucci MILANESI, Marica - «Coronelli's large celestial printed globes: A complicated history». Der G/obusfreund. International Segretario di Stato. s/I. s/do Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra. Coronelli Society for the Study of Globes and Related Instruments.46/48 (1999); p. 143-160. CORONELLI,Vincenzo - Memoires Historiques & Geographiques MOORMANN, Eric; UITTERHOEVE, Wilfried - De Adriano a du Royaume de la Moree, Negrepont, & des Places Marítimes, Zenobia, Temas de historia clásica en literature, música, artes jusques à Thessalonique. Recueil/is & enrichis des Cartes des Paris, plásticas y teatro. Madrid: Ediciones Akal, 1998. & des Plans des Places, Par P. M. Coronel/i, Geographe de la MOSTO, Andrea de, I Dogi di Venezia nella vita pubblica e pri­ Republique de venise. Traduit de /'italien. Amsterdam: chez vata. Milano, 1966. Wolfgang, Waesberge, Boom, & van Someren, 1686. CORTESÃO, Armando - Cartografia e Cartógrafos OESTMANN, Günther - «On the construction of globe gores Portugueses das Séculos XV e XVI. Lisboa, 1935.2 vols. and the preparation of spheres in the sixteenth century». Der CORTESÃO.Armando; MOTA,Avelino Teixeira da - Portugaliae G/obusfreund. International Coronelli Society for the Study of Monumenta Cartographica. Lisboa, 1960 - 1962.6 vols. Globes and Related Instruments.43/44 (1995); p. 121-131. COSTA A Fontoura de - A Marinharia dos Descobrimentos.4" PELLETIER, Monique - Le sejour de Coronelli à Paris. Les edição. Lisboa, 1983. sources françaises des globes offerts à Louis XlV. [s/d] . XVII Exposição Europeia de Arte, Ciência e Cultura. I. PELLETIER, Monique; ROGER, Alain - «La Renaissance des globes de Coronelli (1650-1718) au Musée des Beaux-Arts de Jerónimos. Lisboa, 1983. DE JONG, Marijnke; DE GROOT,lrene - Ornamentprenten. in Lille», in Revue du Louvre, Restauration, 1993 . het Rijksprentenkabinet 1,15de 16de Eeuw, REIS, A Estácio dos - Concerto para dois globos. Lisboa: Academia de Marinha,1987. Amsterdam: Rij ksprentenkabinet: Rijksmuseum's Gravenhage: Staatsuitgeverij, REIS, A Estácio dos - «Globos antigos em colecção imag­ 1988. inária». Oceanos. N° 9 (1992); p. 36-49. DEKER, Elly - Globes at Greenwich: a catalogue of the globes REIS.A Estácio dos - «List of old globes in Portugal}), apresen­ and armillary spheres in the National Maritime Museum, tado no VI Simpósio Scientific Instrument Symposium . Greenwich. Oxford: Oxford University Press; Greenwich: Florença, 1986. in Journal for the study of globes and related instru­ National Maritime Museum, 1999. ments. Viena. N° 35/37, (1987). DOMINGUES, Mário, Dom João V, Lisboa, 1964. REIS, A Estácio dos - «Old globes in Portugal», in Boletim da DUNN, Richard; WALLlS, Helen - British Globes up to 1850: Biblioteca da Universidade de Coimbra, vol. 42, 1994. A Provisional Inventory. London, 1999.


REIS,A. Estácio dos - «The oldest existing globe in Portugal». Journal for the study of globes and related instrumentsViena. N° 38/39 (1990). Apresentado no VII Simpósio Internacional da Coronelli Society. Budapeste, 1989. REYDEN, Dianne van der, em: http://www.si.edu/scmre/relactiglobes.htm. 27-08-04.

RIDPATH, lan - Star Tales. Cambridge: Lutterworth Press, 1988. RIPA, Cesare - Iconologia, New York, Garland Publishing Inc., 1976. ROYER, Arlette - «Les globes terrestres et celestes». L'Estampille. Paris. N° 71 (Nov. 1975). SClANNA, Nicolangelo - «The Coronelli's three and a half globes». Der G/obusfreund. International Coronelli Society for the Study of Globes and Related Instruments.47/48 (1999); p. 171-186.

STEVENSON, Edward L. - Terrestrial and Celestial Globes,

their history and construction. New Haven, 1921.2 vols.

STOTT, Carole - Cartas celestes, antigos mapas do céu.

Lisboa: Dinalivro, 1992.

SUMIRA, Sylvia - «The conservation of globes - old and rel­

atively new». Der G/obusfreund. International Coronelli

Society for the Study of Globes and Related Instruments.

38/39 (1990): p. 141-147.

VASCONCELOS, Ernesto de - Exposição de Cartografia

Nacional (1903-1904). Lisboa: Sociedade de Geografia de

Lisboa. 1904.

VITERBO, F. Sousa - Trabalhos Náuticos dos portugueses nos

séculos XVI e XVII. Lisboa, 1898.

WALLlS, Helen - «Coronelli"s Libro dei Globl», Der

G/obusfreund. International Coronelli Society for the Study of

Globes and Related Instruments. 18/20 (1970): p. 124- 129.

WALLlS, Helen: GRINSTEAD, E.D. - «A Chinese Terrestrial

Globe. A.D.1623». The British Museum Quartely. Vol. 25

( 1962).

WHITFIELD, Peter - Image of the World, 20th centuries of

World maps, Cal ifornia : Pomegranate Artbooks, 1994.

WH ITFIELD, Peter - Mapping of the Heavens. London: The

British Library, 1995.

WOLBERS, Richard - New Methods of Cleaning Painted

Surfaces, Lisboa, I 999.Texto inédito.

WRIGHT, Anne - The Fixed Stars. [on line], [referência de

5 de Julho de 2004]. Disponível na Internet em:

<http://www.winshop.com.au/annew/


82

ARIES

ARIES

Os Gregos associavam Aries a Frixo, o herói filho de Atamas, que fugiu para Colquis com a irmã Hele, no dorso de um carneiro, para escaparem à fúria da sua madrasta, Ino. Quando chegou ao seu destino Frixo sacrificou o carneiro e pendurou a pele numa árvore de um bosque dedicado a Ares. Aí, a pele foi transformada em ouro tornando-se o objectivo da viagem dos Argonautas. (cf. Argo Navis).

The Greeks associated Aries with Phríxus, the hero-son of Athamas, who fled on the back of this Ram with his sister Helle to Colchis to escape the wrath of his stepmother Ino. On reaching his journey's end, Phrixus sacrificed the ram and hung its fleece in the Grove of Ares, where it was turned to gold and beca me the object of the Argonauts' quest (see Argo Navis).


Esta constelação é representada pela cabeça e patas dianteiras de um touro branco que se ergue do mar. Na literatura grega, Europa, filha de Agenor, rei da Fenícia, foi amada por Zeus que desceu do céu sob a forma de um touro branco. Enquanto colhia flores num prado, Europa observou um majestoso touro - Zeus, nesta forma - que parecia manso e amistoso. A princesa perdeu o medo e aven­ turou-se a montar o animal que, subitamente, correu em direcção ao mar com a sua presa. Quando chegaram a Creta, próxi­ mo da Grécia, o touro revelou a sua identidade a Europa e Zeus prometeu-lhe que toda a terra que ela via da ilha era sua e viria a ter o seu nome. Um dos seus filhos , Minos, (Corona Borealis), foi rei de Creta. Por vezes, Touro é caracteri­ zado como "rico em rapari­ gas" referindo-se aos seus grupos de estrelas, as sete Híades e Plêiades. As Plêiades sete filhas de das quais seis visiveis e invisível ou parecida". Eram virgens, co mpa­ nheiras de Artémis e, diz-se , for am trans­ portadas aos céus para escaparem às perseguições de Orion. As Híades, palavra que significa "as chu­ vosas", são um grupo de seis estrelas, em forma de V, situadas no focinho do Touro. As Híades eram sete filhas de Atlas, meias-irmãs das Plêiades, que ficaram prostradas de desgosto quando o seu irmão Hilas se afogou numa nascente, durante a expedição dos Argonautas (Argo Navis). Foram colocadas entre as estrelas como recon­ hecimento pelo seu amor fraternal e as suas lágrimas continuam a cair, como chuva.

This constellation consists of only the head shoulders and front legs of the snowy white buli as it rises from the sea . In Greek literature Europa was the daughter of Agenor, king of Phoenicia and Zeus, who fell in love with her, came down from the heavens, taking the form of a white bulI. As Europa gathered flowers her attention was caught by the majestic white buli - Zeus in animal form - looking friendly and handsome with no menace, he seemed completely placid . The princess lost her fear and ventured to mount the bulI. Suddenly, he sprang up from the sands, bearing his booty away over the sea. They flew to the island of Crete, near Gree ce, were the buli revealed his true identity to Europa. Zeus then told the girl that ali the land she could see from the island was hers, and would be named Europa. One of their sons, Minos (Corona Borealis), later became king of Crete. Sometimes Taurus is characterized as "rich in maidens" referring to its groups of stars the seven Hyades and the seven Pleiades. The Pleiades were the seven daughters of Atlas, six of whom are descri­ bed as visible, and one as invisible or "Iost". They were the virgin companions of Artemis and said to be translated into heaven in order to escape the importunities of Orion. The Hyades, wich means the "Rainy Ones", consist of a V-shaped open cluster of six stars situated on the face Taurus. The Hyades were the seven daughters of Atlas, half-sisters of the Pleiades, who were grief stricken when their brother Hylas drown in a well while on the Argonautic (Argo Navis) expedition. They were placed among the stars as reward for their sisterly love and their tears continue to fali as rain.

83


84

GEMI

GEMIN

Castor e Pólux, os Gémeos Celestes, foram colocados no céu po r Zeus, em recompensa pelo seu amor fraternal. Tíndaro, o pai de Castor, era rei de Esparta e a sua mulher Leda foi visitada por Zeus na noite de núpcias , sob a forma de um cisne (Cygnus) . Desta união nasceram Pólux e Helena. Na mesma noite, Leda deitou-se com o marido, Tindaro, de quem teve Castor e Clitemnestra. Assim, ainda que irmãos , Pólux era imortal enquanto Castor era mortal. A irmã de Pólux era a bela Helena, cujo rapto por Páris desencadeou a Guerra de Tró ia. Os dois irmãos Castor (o Cavaleiro) e Pólux (o Lutador) cresceram juntos, dedi­ cando-se à criação de gado. Durante uma incursão um primo enfureceu-se com Castor e matou-o. Pólux era imortal , mas implorou a seu pai, Zeus , que o deix­ asse morrer tam­ bém . O deus , impres­ sionado pelo amor do filho pelo irmão, permitiu que ambos partilhassem o Hades (o mundo subterrâ­ neo) e o Olimpo (o céu) , em dias alterna­ dos . Isto é reflectido claramente no movimen­ to diário do nascimento de Castor e Pólux. Quando Castor surge no oeste, Pólux segue-o de imediato e vice­ versa.

Castor and Pollux, the Heavenly Twins were placed in the sky by Zeus, in reward for their brotherly love. Castor's father,Tyndareus, was king of Sparta and his wife Leda was visited by Zeus on her wedding night in the guise of a swan (Cygnus), from which union were born Pollux and Helen. The same night, however, Leda al50 lay with her own husband,Tyndareus, by whom she beca me the mother of Castor and Kiytamnestra. $0 Castor and Pollux were brothers, but Pollux was immortal whereas Castor was mortal. Pollux's sister was the beautiful Helen, whose abduc­ tion by Paris would lead to the Trojan War. The tWO brothers Castor (the Horseman) and Pollux (the Boxer) were raised together and spent thei.. time raiding cattle. During one such catde raid a cousin beca me enraged at Castor and killed him. Pollux was immortal, but he beseeched Zeus, his father, to let him die too. The god stricken by Pollux's love for his brother, allowed them both to share Hades (the Underworld) and Olympus (the Heaven), on alternate days. This movement is reflected clearly in the daily rise and fali of Castor and Pollux. When Castor sets in the west, Pollux follows him immediately afterwards and, vice versa.


LEO

LEO

Nos mitos Greco-romanos, Leo representa o terrivel Leão de Nemeia que mantinha a população desta cidade em constante sobressalto. Hércules foi enviado por Hera para matar o monstro, mas como não conseguia afectar a besta com a sua clava agarrou o animal, sufocando-o nos seus braços e fazendo uma capa e

capacete com a sua pele. O Leão nem sempre foi a pequena figu­

ra que hoje observamos. Cerca de I 50 anos depois do nascimen­

to de Cristo, era um enorme animal que se estendia bem para o

oeste, agregando estrelas da constelação de Cancer, o

Caranguejo. O corpo manteve-se semelhante ao que

hoje observamos, com Denebola a marcar o

dorso e uma maravilhosa cauda que se

estendia até à constelação que hoje

designamos Coma Berenices.

In Greek and Roman myth Leo represents the terrible Nemean Lion which kept the people of Nemes in constant alarm, Hercules was sent to kill the beast by Hera, bur he could make no impression on the beast with his club, so he caught it in his arms, squeezed it to death, and made a cloai< and helmet from the crea­ ture's hide. Leo has not always been viewed as the small figure that we know now. Some ISO years after the birth of Christ, Leo was seen as an enormous animal that extended far to the west, incorpo­ rating stars of the constellation we now call Cancer, the Crab.The body remained the same as our present Lion, with Denebola as the rear quarters and a wonderful curly tail stretched upwards to the stars of the constella­ tion, which we now know as Coma

~~"""',t;:~~~~-d.!~~ ."iIo~_~rQ Berenices.

86


Virgo, a Virgem alada, segura o ramo de palma na sua mão esquer­ da e uma espiga na direita, onde se encontra a sua estrela mais bril­ hante, Spica. Há muito tempo, Astreia, filha de Zeus e T émis, viveu entre os mortais na Idade de Ouro, administrando com justiça a lei. No entanto, à medida que a maldade começou a dominar o mundo, ela voltou aos céus, onde se tornou a constelação da Virgem. Próximo, encontram-se as estrelas da constelação de Libra, a Balança, símbolo da justiça. Virgo é, por vezes, identificada com Deméter, a deusa das colheitas e da agricultura. É, tam­ bém, identificada com Proserpina, filha de Deméter e Zeus. Um dia de Primavera, o deus do mundo subterrâneo, Hades, passou com o seu carro negro por um campo onde Proserpina colhia flores. Quando a viu apaixonouse e raptou-a levando-a para o local sombrio onde habitam os demónios e os mortos. Deméter, em desespero, procurou em vão pela filha, decidindo afastar-se das col­ heitas enquanto não encon­ trasse Proserpina. Assim, tudo morreu, nada florescia e a Terra viu-se ameaçada com a fome. Descobrindo onde se encontrava a rapariga, Zeus ordenou a Hades que permitisse a Proserpina estar seis meses com a mãe, na superfície e que ela passaria os restantes meses com o marido, no mundo subterrâneo. Por isso, observamos a constelação da Virgem de Março a Agosto, durante os meses em que os cereais crescem e se fazem as colheitas. De Agosto até Março, Virgo é invisível , época em que os campos estão estéreis porque Deméter chora a separação da filha.

Virgo, the Winged Virgin, holds the Paim Branch in her left hand, and the Ear of Wheat in her right, wich marks her brightest star, Spica. Long ago Astrea daughter of Zeus and Themis mixed with mortais and administrate just law in the Golden Age. But after wickedness took possession of the world, she returned to the heavens, where she became the constellation Virgo. Very dose to Virgo are the stars of the constellation Libra, the Scales, a remainding symbol of justice. Virgo is sometimes identified as Ceres, the goddess of crops and agriculture. Sometimes, however, is per­ sonified as Proserpina, Ceres' daughter, who was also Zeus daughter. One day the god of the underworld, Hades, was having a ride in his black chariot, to look at the fields of springtime. It so happened that Proserpina was gathering f1owers, and when Hades noticed her he fell in love and swiftly abducted her in his chariot and hurried back to the dark place of the wraiths and the dead. Ceres in utter despair vainIy sought her daughter, over lands and seas, and decided to have nothing further to do with the crops until she found Proserpina. So everything died, nothing would grow, and the Earth was threatened with a worldwide famine. Finding were the girl was, Zeus ordained that Hades should allow Proserpina to be with Ceres for six months of each year in the upperworld and that she could spend the other six months with her hus­ band in the underworld.This is why

we can see the constellation of

Virgo from March until August,

during the months when the grain and

other crops grow, ripen and are har­

vested. From August to the following

March, Virgo is invisible; at that time the

fields lie barren because Ceres weeps when

separated from her daughter.

87


-_ .......... -. ....................._...-

~IBI'IA

~IBRA

co..- -. _ ...... '. 50.", .. _ _ """",~", .... _ S ... _ _ •._ ... _ _

,.r. , ""'..

7 ' '-..10, "I!"" .. .. __• .............10 _ _

. . . ...... , ...._ .._"'. o,o_

.

_.

_~..,.

~

..

....... . - ......'_>10'"-.

_""_ ............... ,...........,.....

....

.... . . ..........

CO" .... . .. " ........... _ '

-~-""" b' .. , . . . . . . . . .

_ ~_

.. I<....

__ -' ' . . . . "Ito

.... . , . " _ " (oi ...

.. _

..

I ..

'--~- "

.. '


Scorpius, o Escorpião, foi o célebre matador do Gigante (cf. Orion) que se gabara de exterminar todos os animais. Gaia, a deusa da Terra, puniu-o pela sua arrogância enviando-lhe um escorpião, que glorificou no céu. Observando-se um mapa celeste ou um planisfério este mostra Orion a desaparecer no horizonte, a oeste, no momento em que o Escorpião surge a este. Este movimento representa o castigo do gigante, picado no calcanhar pelo escorpião enviado por Gaia. No entanto, Orion foi ressuscitado por Ophiuchus, que lhe deu um antídoto para o veneno, o que levou Zeus a enviar a Águia (cf. Aquila) com um dos seus raios para punir Ophiucus pela sua audácia. A estrela avermelhada Antares assinala o coração do Escorpião.

Scorpius, the Scorpion, was the reputed slayer of the Giant (see Orion) who boasted that he would exterminate ali the ani­ mais. The goddess of Earth, Gaia, punished him for his brazenness by senting a scorpion after him, and exalted the animal to the sky. A glance at a star map or planisphere will show how Orion disappears below the western horizon at the moment that Scorpius emerges over the eastern horizon.This movement repre­ sents the punishment of the giant, bitten in his heel by the scorpion sent by Gaia. However, Orion was brought back to life by Ophiuchus, who gave him an anti dote for the poison. Zeus punished Ophiucus for his audacity, and sent the Eagle (see Aquila), after him with one of his thunder­ bolts. The reddish star Antares marks the heart of Scorpius.


SAG TTARI

SAGI

o Arqueiro celeste; Sagittarius, pe rmanece com o seu arco retesa­

The heavenly Archer ; Sagittarius, stands with his bow drawn back, his arrow pointing at Antares, the star which marks the Scorpion's heart. Although the true meaning of Sagittarius is Archer, this constellation is usually depicted as a centauro The Roman mythologers identified Sagittarius in error with the gentle and wise centaur Chiron, which has led to frequent confusion with th e southern constellation Centaurus. However there is a distinct difference between the two creatures, Sagittarius is a hunter, and with threaten­ ing look, different from the mild aspect of the educated Chiron , the Centaur of the South.

do e uma seta apontada para Antares, a estrela que marca o coração do Escorpião. Ainda que o verdadeiro significado de Sagitário seja Arqueiro, esta constelação é normalmente represen­ tada como um centauro. Na mitologia romana, Sagittarius foi iden­ tificado, erradamente, como o sábio e gentil centauro Qu íron , o que levou a frequentes confusões com a figura da con­ stelação Centaurus, a sul. No entanto, existe uma distinta diferença entre as duas fig­ uras, Sagitário é um caçador, com aspecto ameaçador, diferente da atitude calma do educado Quíron, o Centauro do sul.

90


Tal como o seu oposto polar, Cancer, Capricórnio é a mais discre­ ta constelação do Zodíaco, representada por duas variações do mesmo animal: a Cabra montês e a Cabra marinha. O aspecto mais notório desta constelação é a natureza da sua estrela mais brilhante, que de facto é um aglomerado de cinco sóis designados "Algedi", o que significa, "a criança". Capricornius, the Cabra, é identificada como o deus sátiro grego, Pano Durante a batalha com os gigantes, os deuses olímpicos refugiaram-se no Egipto onde foram perseguidos por Tífon, um demoníaco monstro que exalava fogo. Ele podia viver nas chamas, mas não na água , assim. Pan o para escapar. mergulhou no Nilo e tentou transformar-se em peixe. mas só con­ seguiu parte da modifi­ cação. ficando com este aspecto. A mesma história é narrada acerca de Dionísio (deus do vinho e do êxtase). pelo que ele é. também . asso­ ciado com estas estrelas .

After its polar opposite. Cancer. Capricorn is the most inconspicuous constellation in the Zodiac and is represemed by two variations of the same animal: the Mountain Goat and the Sea-Goat. It is chiefly noted for the nature of its brightest star. which is actually a cluster of five suns called "the Algedi", wich means. "the kid". Capricorn , the Goat. is identified with the Greek goat-god. Pano During their war with the giams. the Olympian gods were driven into Egypt and pu r­ sued by Typhon. a fire-breathing monster-dragon. who could live in flames and fire but not in water. Pano leaped imo the Nile and tried to turn himself imo a fish to escape. However he managed only half his transformation. The same story being told of Dionysus (god of wine and ecstasy). 50 that he, toO. always was associated with its stars.

91


UARI Aquarius, o Copeiro, é uma das constelações mais antigas. Aquário

é sempre representado como um homem ou um jovem, trans­

portando um jarro ou vaso, cujo conteúdo verte. Na literatura

grega ele é Ganimedes, cujo nome significa "regozijar-se em virili­

dade", um rapaz frígio, considerado o mais belo dos mortais. Filho

mais novo do rei de Tróia, era ainda adolescente quando guardava

os rebanhos do seu pai , nas montanhas. Zeus apaixonou-se por ele

e transformando-se em águia (cf. Aquila) transportou-o para o

Monte Olimpo. Ganimedes foi escolhido por Zeus para

ser o sempre jovem copeiro do jarro dourado de

néctar divino, o qual servia aos deuses no

Olimpo. A constelação da Águia está

colocada sobre o Aquário, o

homem que transporta o jarro, o

qual parece seguir o movi­ mento da ave como se estivessem ligados por laços invisíveis.

92

AQU Aquarius , the Water Bearer, is one of the oldest constellations. Aquarius is always depicted as a man or boy. carrying a jar. bucket, or urn, the contents of which he is pouring out. In Greek literature it was Ganymedes, whose na me means 'Rejoicing in virility', a Phrygian boy. said to be the most beautiful of mortais. The youngest son from the King of Troy, when barely adolescent, was guarding his father's sheep in the mountains near Troy, Zeus fell in love with him. changed himself into an eagle (see Aquila) and bore Ganymedes to Mount Olympus. Ganymedes was cho­ sen by Zeus to be forever young as bearer of the golden cup of divine nectar, for the gods on Mount Olympus. The con­ stellation of the Eagle is placed just above the man carrying the pitcher of Aquarius, who follows the bird's - movement so closely that he seems to be drawn after it by unseen bonds.


Esta constelação, discreta e dispersa, representa dois peixes presos por um cordão nadando em diferentes direcções. As figuras dos peixes estão bastante separadas no céu, o do norte (o primeiro Peixe) está situado a sul na direcção da estrela Beta Andromedae (Mirach) ; o que se situa a sul (o segundo Peixe) , dirige-se para este na direcção de Aquarius e Pegasus. Os dois peixes estão ligados por uma "linha de pesca", e o nó desta é a estrela alfa Piscium, Alrisha, assinalando o nó que liga ambas, designado o "Chicote". A lenda refere que Tifon, um monstro que exalava fogo e que podia viver no fogo mas não na água, aterrorizou Afrodite e o seu filho Eros . A deusa , no entanto, nascera da espuma do mar pelo que ela e o seu filho transfor­ maram-se em peixes e desapareceram nas águas azuis do Eufrates. Para não se perderem na escuridão aquáti­ ca, prenderam-se com uma longa linha, escapando assim a Tifon.

This inconspicuous, scattered constellation represents two fishes bound by a cord and swimming in different directions. The figures of the two Fishes are widely separated in the sky, the north­ eastern one (first Fish), Iying just south of Beta Andromedae (Mirach) , headed towards it; the south­ western one (second Fish), east and headed towards Aquarius and Pegasus. Both Fishes are tied together by a 'fishing line'. and the knot of this line is the alpha-Piscium, Alrisha, marking the knot of the connecting bands, or what has been called the "Leash". The legend tells us that Typhon. a fire­ breathing monster-dragon. who could live in fiames and fire but not in water, startled Aphrodite and her son, Eros. The godess, however, had been born out of the foam of the sea, so both, Aphrodite and Eros changed into fishes and disappeared into the dark blue waters of the Euphrates. In order not to lose each other in the dark waters, they tied themselves together with a long line. In this way they escaped Typhon.

93


Há uma região no céu muitas vezes referenciada como "O Mar" e que se pensava estar sob o controle de Aquarius, a sua figura cen­ tra I. Capr icornus a Cabra marinha, Pisces os Peixes, Eridanus o Grande Rio, Delp hinus o Delfim, Piseis Austrinus o Peixe do Sul, C etus, a Bale ia e Hidra, a Serpente de Água, todos associados a elementos aq uáticos juntamente com o Argo Nav is, o Navio e Crater, a Taça, localizados na sua vizinhança. Juntos assina lam as constelações onde o Sol passa durante a estação das chuvas, as ferti lizantes "Águas Celestes", fonte de vida.

Eridanus está dividido entre as

correntes norte e sul, a primeira ,

sinuosa, a partir da estrela Rigel

de Orion até às patas de

Cetus. Ainda que os antigos

olhassem o Rio como

tendo uma extensão

infinita, a estrela Achernar,

que significa "o fim do

rio" , marca , hoje, o sul

de Eridanus.

O mítico rio Erídano

tem o nome do deus-rio

filho de Oceano e Tétis,

geralmente visto como

um rio do oeste. Ele é

referenciado na viagem de

Hércules (cf. Hercules) ao

jardim das Hespérides e teve,

igualmente, um papel na aventura

dos Argonautas (Argo Navis) .

94

Localizado entre Pegasus e Aquila encontra-se uma das mais belas das pequenas constelações - Delphinus, o Delfim. Para uma constelação tão pequena, o Delfim está associado a numerosas histórias. A mais conhecida refere a tentativa de Posídon conquistar Anfitrite para sua mulher. Anfitrite era filha de Oceano e não queria ligar-se a Posídon. Para escapar da sua atenção ela escondeu-se nas profundezas mar­ inhas. Posídon pediu ao pequeno e divertido Delfim para a localizar, o que ele sempre conseguia fazer. Quando a encontrou , Anfitrite concordou em tornar-se mulher de Posídon e rainha do Mar, e para demonstrar eterna­ mente a sua gratidão Posídon colo­ cou o pequeno delfim entre as estrelas.

There's a region of the sky often referred to as "The Sea" and thought to be under the control of Aquarius , it's central figure. Capricornus the Seagoat, Pisces the Fishes, Eridanus the G reat River, Delphinus the Dolp hi n, Piseis Austrinus, the Southern Fish, Cetu s the W hale, and Hydra the Water-snake, ali members of the watery elements, with Argo Navis t he Ship and Crater the Cup, are in this neighborhood. Together these make up the constellations of the fertilizing 'U pper Waters' of the sky, which were seen as the source of !ife, through which the Sun passed during the rainy season.

Eridanus is divided imo the Northern and the Southern Stream;the former winding from the star Rigel of Orion to the paws of Cetus. The star Achernar, which means "the End of the River", nowa­ days, marks the south end of Eridanus, although the ancients popularly regarded the River as of indefinite extent. The mythical river Eridanus is named after the river-god who was the son of Oceanus and Tethys. He is generally consid­ ered as a river of the West. He is fea­ tured in Heracles' (see Hercules) journey to the Garden of Hesperides and he also played a part in the voyage of the Argonauts (Argo Navis).

Located halfway between Pegasus and Aquila lie the stars of the prettiest little constellation in the skies - Delphinus, the Dolphin. For such a small constellation, Delphinus has a large number of stories. The best known is that about Poseidon's attempt to win Amphitrite as his wife .Amphitrite was the daughter of Oceanus, and at first would have nothing to do with Poseidon. To escape him she tried tO hide in deep water. Poseidon asked the Dolphin to trace her, which the playful little Dolphin always was able to do. He located her and Amphitrite agreed to beco me Poseidon's wife. To express his gratitude, Poseidon placed the little Dolphin in the stars to be remembered forever.


J Piseis Au strinus, "o Peixe do Sul", lo ca liza-se a sul de Capricornius e Aquariu s, com a boca do peixe sempre na di recção da água que verte do jarro do Aq uário.

Argo Navis é conhecido desde o periodo clássico como o grande navio construído por Glauco, para Jasão, lider dos cinquenta Argonautas . Auxiliado por Atena, ele transportou a famosa expedição da Tessália até à Cólquida, em busca do Velo de Ouro. Quando a viagem termi­ nou , a deusa colocou o navio no céu. Canopus, alpha Argo, é a estrela principal da constelação e 'a segunda mais brilhante no céu, depois de Sirius. O seu nome, de origem copta ou egipcía significa "Terra dourada" e está associado ao mestre piloto da frota de Menelau , o rei de Esparta, cuja mulher Helena fugiu com Páris o que provocou a Guerra de Tróia. No seu regresso, Canopus foi mordido por uma serpente e morreu nas coscas do Egipto. Em sua honra Menelau baptizou com o seu nome uma estrela de brilho esplêndido, que se erguia, então, no horizonte. Os árabes design avam Canopus como Suhel , o Singelo. Esta palavra era cambém um título na Aráb ia, símbolo de tudo o que é bril­ hante, glorioso e belo. Mesmo hoje, entre os nómadas, esta palavra aplicase a alguém atraente. Esta é uma impor­ tante estrela na na ve ga ção, con­ hec ida como o Faro l do Universo e, em gera l, serve como a estrela guia do Pólo sul.

Pisci s Austrinus, "the Southern Fish", lies imme­ diately so uth of Capricorn and Aquarius, the fish's mouth always caking in the water that po urs fro m t he jar of Aquarius.

Argo Navis has been known since classical times, the great ship built by Glaucus for Jason, leader of the fifty Argonauts. Aided by Athena, she car­ ried the famous expedition from Thessaly to Colchis in search of the Golden Fleece, and when the voyage was over, the godess placed the boat in the sky. Canopus, alpha Argo, is the main star in the conste llation, and the second biggest star in the sky after Sirius. Its name, which originates from the Coptic or Egyptian meaning 'Golden Earth', comes from the chief pilot of the fleet of Menelaus, th e Spartan King, whose wife Helen, eloped with Paris and brought about the Trojan War. On their return, Canopus was bitten by a serpent and died in the shores of Egypt, in his honor, Menelaus named the splendid bright shin­ ing star, which at that time rose above that horizon, after him. The Arabs knew Canopus as Suhel, the Piain. This word also was a personal title in Arabia, the symbol of what is brilliant, glorious, and beautiful, and even now among the nomad s is thus appl ied to a hand­ some person . It is a major nav­ star igation al and known as the Lighthollse Of The Universe and in a general way it served as a so uth­ ern pole scar - a guid ing star.

95


Crater, Corvus e Hydra são mencionados numa história relaciona­ da com Apolo. O deus enviou o corvo com a sua taça para que lhe trouxesse água. O corvo regressou tarde, porque esteve à espera numa figueira que os seus frutos suculentos amadurecessem . Para justificar-se, trouxe com ele uma cobra de água no interior da taça e disse a Apolo que fora a serpente a causadora do atraso. Apolo. no entanto, não se deixou enganar pela mentira, furioso colocou o Corvo, a Taça (Crater) e a cobra de água (Hydra) entre as estre­ las, onde esta protege o conteúdo da taça do sempre sedento corvo.

COR

96

Crater. Corvus and Hydra are mencioned in a story related to Apollo. The god sent a crow to fetch water in he's cup. The crow got back very late, beca use he waited at a fig tree for some lus­ cious figs to ripen before returning. He brought back a water snake along with the water-filled cup and told Apollo that the serpent had caused the delay.Apollo. however. could not be deceived by the lie. Angry he placed the Crow, the cup (Crater) and the water snake (Hydra) among the stars. where the snake guards the water from the everlastingly thirsty crow.

S

Corvus , o Corvo, era uma

constelação muito admira­

da por gregos e romanos

cuja mitologia associa­

va a ave a Apolo.

relacionando-a

com as funções

proféticas do deus.

Um dos mitos

mais conhecidos

associados ao

Cor\o é a histó­ ria de Corônis

e da sua infideli­ dade a Apolo.

Quando a ave

relatou ao deus

e sta notícia, Apolo

modificou a sua

plumagem prateada para

a negra que hoje conhece­

mos. Apolo e Corônis foram os pais de Esculápio, que se tornou o Senhor da Serpente, Ophiuchus.

CRA ER Na Grécia antiga representa­ va a Taça de Apolo, deus da profecia.

Co r vu s, th e Raven or Crow, was a

noted constellation with the Greeks and Romans whose mythology made the bird sacred to Apollo, in con­ nection with his prophetic functions . One of the best­ known myths asso­ ciated with Corvus is the story of Coronis, and of her unfaithful­ ness to Apollo, when the bird reported to his master this unwel­ come news he was changed from his former silver hue to the present black. Apollo and Coronis were the parents of Aesculapius, who became the Serpent-holder, Ophiuchus .

E In early Greek days it repre­ sented the Goblet of Apollo, the god of pro­ fecy.


Hydra é identificada com a cobra que o Corvo. Corvus. trouxe a Apolo. Outra história refere-se à Hidra de Lerna. com as suas múltiplas cabeças e que Hercules combateu. Quando Hércules matou a família num ataque de fúria. o oráculo de Delfos incumbiu­ o de uma série de tarefas sob a ordem de Euristeu, seu primo e rei de Micenas. O segundo trabalho levou-o a Lerna para matar o horrendo monstro conhecido como Hidra.A Hidra. filha de Tifon. era uma enorme serpente com nove cabeças. Com o auxílio de Atena (deusa da sabedoria) Hércules descobriu o covil do monstro. Acompanhado de lolau, filho do seu irmão gémeo.lfícles, Hércules chegou a Lerna, encontrou o monstro e forçou-o a emergir do pântano com setas incendiárias. Hércules atacou-a com a sua espada. mas quando ele se desviava um gigantesco caranguejo (cf. Cancer) , enviado pela sua inimiga, Hera, saiu do pân­ tano, atacando-lhe os pés. Rapidamente Hércules esmagou o Caranguejo e continuou a cortar as nove cabeças da Hidra, mas sempre que uma era cortada duas nasciam no seu lugar. lolau sugeriu derreterem os cotos antes que estes pudessem renascer e com o auxílio de uma tocha queimou as cabeças das serpentes, cauterizando-as com ferro fundido sempre que Hércules as decapitava e antes que elas pudessem surgir de novo.

Hydra is identified with the snake that the Raven, Corvus, brought to Apollo.Another story tell us about the Hydra of Lerna with its multiple heads. which Hercules encountered and combated. When Hercules killed his family in an insane rage , the oracle of Delphi assigned him a series of labors under the control of Eurystheus his cousin and king of Mycen<e. The second labor involved going to Lerna to kill the hideous monster named the Hydra. The Hydra. born of Typhon. was an enormous serpent with nine heads. With the help of Athena (goddess of wisdom), Hercules located the monster's lair. Accompanied by lolaus. son of his twin brother Iphicles. Hercules arrived at Lerna. found the monster and forced it to emerge from the marshes by means of flaming arrows. Hercules struck it with his sword. but even as he parried. a giant crab (see Cancer). sent by his enemy. Hera. scurried out of the marsh and attacked him, by nipping his feet. Quickly Hercules kicked the crab away. Every time Hercules struck off one of the Hydra nine heads with his sword two grew in its place. lolaus sug­ gested burning the stumps before they had a chance to grow back; and with the help of a red-hot torch lolaus burnt the snake's heads. cauterizing each stump with hot iron torches just as soon as Hercules chopped off each head and before it had a chance to grow back.

97


Andromeda, filha dos reis Cepheus e Cassiopeia da Etiópia, foi agrilhoada a uma rocha como oferenda ao monstro marinho Cetus, como castigo pela vaidade da sua mãe que considerava a sua beleza superior à das Nereidas. Ciumentas, as Nereidas pediram a Poseídon que vingasse o insulto, enviando um monstro que devas­ tou o país. Um oráculo predisse que a Etiópia seria libertada desta maldição se a filha de Cassiopéia fosse oferecida como vítima. Os habitantes do pais forçaram Cefeu a colocar Andromêda presa a um rochedo. O herói Perseus, de regresso da sua expedição con­ tra a Górgona, viu-a e apaixonou-se, prometendo a Cefeu que a libertaria se ela fosse sua mulher. Cefeu concordou e Perseu avi­ sou Andromêda para manter os olhos fechados. Maio monstro saiu da água, Perseu ergueu a cabeça de Medusa e transformou-o num enorme roche­ do. Após Perseu matar o monstro, ele e Andromêda casaram.

98

Andromêda é uma longa

constelação de estrelas

brilhantes, a sua cabeça

coincide com a estrela

Alpheratz que fo i

outrora a estrela

delta de Pégaso. O s

seus pés estão próx­

imos de Perseu.

Estrelas menos bril­

hantes represen­

tam os seus braços

estendidos presos

ao rochedo. Os

membros da

família real:

Andromêda,

Cassiopeia, Cefeu e

Perseu estão próxi­

mos da Via Láctea.

Perseu que salvou

Andromêda, eleva-se

protectoramente

sobre ela, tendo um

dos pés apoiado nas

Plêiades. Nas suas mãos

tem a horrenda cabeça

de Medusa,Algol.

Um significado etimológico

de Andromêda é "a qu e

comanda os homens",

provavelmente porque na

Antiguidade esta constelação foi

dedicada à antiga deusa assíria do

Amor e da Guerra, Astarte.

Andromeda, the daughter of King Cepheus and Queen Cassiopeia of Ethiopia, was chained to a rock in exposure to the Sea Monster, Cetus, as punishment for her mother's boast of beauty superior to that of the Nereids. In jealousy the Nereids asked Poseidon to avenge this insult, Poseidon sent a monster, to lay waste to the country. An oracle predicted that Ethiopia would be freed from this scourge if Cassiopeia's daughter were to be abandoned as a victim. The inhabitants of the country forced Cepheus to agree to this and Andromeda was bound to a rock.The hero, Perseus, on his return from his expedition against the Gorgon, saw her and fell in love with her and promised Cepheus to free her if she could become his wife. Cepheus agreed Perseus told Andromeda to keep her eyes firmly closed. As soon as the monster crawled out of the water, Perseus pulled Medusa's head and the monster instantly changed into a great rock. After Perseus killed the monster he and Andromeda were married.

Andromeda is a long line of fairly bright stars; her head coincides with the star Alpheratz, which used to be the delta star of Pegasus. Her feet lie near Perseus. Fainter stars repre­ sent the out­ stretched arms of Andromeda that are chained to the rock.The members of the royal family, Andromeda, Cassiopeia, Cepheus and Perseus Iying continuous to each other, in the Milky Way. Perseus who rescued Andromeda towers protectively over her, standing with one foot on the Pleiades. In his hand hangs the awful head of Medusa, Algol. One etymological meaning of Andromeda's name "ruler of men", is because in early time s this constellation was dedicated to the ancient Assirian goddess of love and war, Astarte.


ASSIOpC Cassiopeia, a lendária rainha da Etióp ia, está sentada num trono de mármore. Ela foi condenada pelos deuses a oscilar para sempre à volta do pólo norte celeste, um cas­ tigo simbólico que recebeu pela sua ofensa às ninfas do mar. Descrita como presa na sua cadeira, o que impede que possa cair, ela passeia pelo pólo de cabeça para baixo. Este local específico do céu, foi escolhido pelas inimi­ gas da rainha para lhe dar uma lição de humil­ dade, pois qualquer colocação próxima do equador acabaria por per­ mitir que ela se mantivesse sem pre direita . Quando Cass iopeia se encontra acima do Pólo Norte celeste as suas seis estrelas predominantes for­ mam a letra M, quando abaixo deste pólo as mesmas estrelas formam a letra W.

CASSIOPEIA Cassiopeia , the legendary Ethiopian queen, is seated on a marble throne. She was condemned by the gods to swing forever around the North Celestial Pole because it is symbolic of the punishment she received for her offense to the Sea nymphs. Described as bound to her sea t, and thus secured from falling out off it, in going around the pole head downward; this particular spot in the sky having been selected by the queen's enemies, to give her an effecrual lesson in humility; becau­ se a location nearer the equator would have kept her nearly upright. When Cassiopeia is above the North Celestial Pole, her six prominent stars form the letter M. When below the North Celestial Pole , these same stars form the lerrer W.


Cefeu é uma conste lação c ircumpo lar discreta localizada no hemisfério norte e assim visível todo o ano. Cefeu rei da Etiópia era filho de Belos. rei do Egipto. o mítico inventor da Astronomia. Ele é muitas vezes representado com os braços erguidos como um suplicante, provavelmente implorando aos deuses que poupem a vida de sua filha Andromêda. Outras interpretações. no entanto, apresentam-no mais digno exprimindo uma autoridade régia.

100

Cepheus is an inconspicuous circumpo lar constellation in the northern hemisphere and so on view ali year. Cepheus. King of Ethiopia. was the son of Belus. king of Egypt. said to be th e mythical inventor of astronomy. H e is often portrayed with his arms upheld as a supplicant. presumably beseeching the gods to spare the life of his daughter Andromeda. but some inter­ pretations picture him as a more regai. authoritarian king.


c us

CE U

Cetus, o Monstro Marinho ou a Baleia, é uma constelação extensa e longa: o seu corpo volumoso encontra-se a sul do equador celeste, enquanto a cabeça ergue-se acima do equador, o que a torna uma das maiores figuras no céu. Ainda que represente uma baleia, esta constelação baseia-se no mito de Cetus, uma gigantesca criatura fantástica. Uma constelação antiga, Cetus, não possui interesse particular, excepto por ter o pólo sul da Via láctea e a "estrela maravilhosa", a variável Mira.

Cerus, the Sea-Monster, or Whale, is a large sprawling figure: its bulky body lies south of the Celestial Equator while its head protrudes above the Equator, and so is one of the most extended of the sky figures. Although a whale sometimes represents this constellation, the myth of Cetus is based more on a big, fabulous creature than on any real form of life. An old constellation, Cetus is by no means of special interest, except as possessing the South Pole of the Milkr War and the 'Wonderful Star'; the variable Mira.

10


A constelação de Pegas o apresenta-o normalmente como parte de um cavalo e acredita-se que ele sai do oceano enquanto o resto do corpo se encontra submerso. Pégaso "nascente do oceano", era filho de Poseídon e da Górgona Medusa, decapitada por Perseu, nascido do sangue que jorrou da cabeça desta e que caiu ao mar. Ele tinha forma de cavalo pois Poseídon assumira esta aspecto no momento da sedução. O grande quadrado que forma as estrelas de Pégaso é composto pela alpha Pegasi, (ou Markab, "a sela"), beta Pegasi, (ou Scheat ou Menkhib, "dorso do cavalo"), gamma Pegasi , (ou Algenib, "a asa") e a alpha Andromedae, (Alpheratz "a cabeça da princesa").

102

Pegasus is usually shown as half a horse, it is believed is just rising

from the ocean, the other half being still submerged.

Pegasus, 'Springs of Ocean' was the son of Posídon, and the

Gorgon Medusa, sprung from the blood of the Medusa's head,

which dropped, into the sea after Perseus had severed her head .

He was horselike because Poseidon had been in the shape of a

horse at the time of the seduction. The great square formed by the stars of Pegasus is composed by alpha Pegasi, (or Markab, "the Saddle"), beta Pegas i, (or Scheat or Menkhib, "the Horse's Shoulder"), gamma Pegasi , (or Algenib, "the Wing") and alpha Andromedae, (Alpheratz the Princess's Head).


ERS Perseu é uma das constelações mais extensas do céu. Ele ainda segura a cabeça de Medusa, de brilho cambiante pois Algol é uma estrela binária sujeita a eclipses. Para os antigos árabes este brilho era assustador e chamavam Algol "estrela do demónio". Algol: Beta Perseus , representa a cabeça que Perseu carrega na sua mão esquerda, alguns sugerem que não pretence realmente à figura e que dev ia ser encarada como uma constelação por direito próprio. Medusa , "a astuta" era uma mulher muito bela que Poseidon vio­ lou, pelo o que se tornou mesquinha e vingativa em relação aos homens. Consternada, Atena transformou

Medusa num monstro horren­ do com serpentes em lugar

do cabelo. Como resultado

todos os que olhavam a

Górgona eram transfor­

mados em pedra. Perseu

matou Medusa e ofere­

ceu a sua cabeça a

Atena, que a colocou na

sua couraça (ou escu­ do) chamado Aegis.

Capulus é considerada

uma estrela maléfica e

representa a mão de .

Perseu que segura a

espada.

Perseu era filho de

Zeus que seduziu a/

sua mãe Danae sob a.

forma de uma chuva

de ouro. Ele cresceu ·

como um jovem guer­

reiro e há medida que o

tempo passou o re i .

Polidectes apaixonou-se '

por Danae e quis casar

com ela, mas era um

homem cruel e Perseu não

quis a união. Polidectes odia­

va-o e um dia o rei enganou o

jovem fazendo-o prometer que

lhe traria a cabeça de Medusa.

Perseus is one of the most extended constellations in the heavens. He still holds the head of Medusa in the heavens, which changes its brightness because Algol is an eclipsing binary. Ancient Arabian people thought it was spooky, and called the star Algol, the "demon star". Algol: Beta Perseus, the head, that Perseus is car­ r ying under his left arm and some suggest that it does not really belong to the constellation Perseus , and should be categorized in a con­ stellation of its own. Medusa, wich means the "cunning one", is represented by Algol, whose head Perseus is carry­ ing. She was a most beautiful woman but Poseidon raped her, and she became petty and vin­ dictive toward men. Appalled Athena transformed Medusa into a hideous beast with hair formed of dozens of coiling snakes.As a result, ali who beheld the Gorgon were instantly turned to stone when their eyes meto Perseus slew Medusa and gave the head to Athena who mounted it onto a breastplate (or shield) called the Aegis. Capulus is also con­ sidered an evil star and represents the hand of Perseus that holds the sword. Perseus was the son of Zeus who came to his mother, Danae, in a shower of gold. Perseus grew up to be a brave young mano As time went by, King Polydectes fell in love with Danae and begged her to marry him; but he was a cruel man and Perseus would have none of him . Polydectes grew to hate Perseus. One day, the King tricked the young man into promising to obtain the head of Medusa.


Se estudarmos os movimentos destas constelações num planis­ fério podemos ver uma repetição da lenda de Orion e do Escorpião. Quando Orion jurou que mataria todos os animais da Terra, Gaia (deusa da Terra) enviou um escorpião para o atacar. Isto é representado no céu pelo movimento destas constelações. Quando Orion mortalmente ferido se afasta para oeste o escor­ pião ergue-se a este , gabando-se do sucesso da sua missão. O triunfo do Escorpião, no entanto, não durou muito pois na noite seguinte, quando e le surge a Oeste, Ofiucos aparece sobre ele e esmaga-o até à morte. Ofiucos dá então a Orion uma gota do seu elixir e devolve a vida ao gigante. Quando Ofiucos chega a oeste a Águia (cf. Aquila) pode ser vista ameaçadoramente sobre ele , simbolizando a morte de Ofiuco, ferido por um raio de Zeus. Assim , esta cena de batalha decorre dia apó s dia , estação após estação, ano após ano.

By studying the movements of these constellations with a plani­ sphere one can see a reminder of the Orion - Scorpius legend. Briefly, when Orion swore he would kill ali the animais on Earth. Gaia, the Earth goddess , sent the Scorpion after him. This act is represented in the sky movement of these two constellatio ns. When Orion, mortally wounded, sets in the west, the Scorpion is just rising in the east, gloating over the success of his mission. Scorpius' triumph does not last long, however, fo r the next evening - as Scorpius sets in the west - Ophiuchus stands above and tram ­ pies him to death . Ophiuchus then gives Orion a sip of his elixi r and restores the giant to life. When Ophiucus sets in the west, the Eagle (see Aquila) can be seen in a threaten ing position above him, symbolizing that Ophiuchus is dying, mortally wounded by Zeus thunderbolt. So this battle scene can be fol ­ lowed day after day, season after season, year after year.

04

OPHIUCHUS

OU SERPEN ARIUS

Ofiuco significa "o que segura a serpente" pois é as que ele é representado. A constelação aparece normal­ mente sob a forma de um homem idoso calcando o Escorpião e agarrando a Serpente (Serpens) nas suas mãos tendo os anéis desta rodeando o seu corpo. Ofiuco está sempre associado com Esculápio, o filho do deus Apolo e de uma mulher mortal chamada Corónis. Um dia, Corónis atraiçoou o deus e o Corvo (cf. Corvus), que Apolo pusera como seu guardião contou essa indiscrição. O deus lançou uma seta a Corónis que esta­ va grávida do seu filho. Demasiado tarde ele arrependeu-se deste castigo cruel e retirou o seu filho do ventre da mãe, salvan­ do-o das chamas e transportando-o para a caverna de Quiron, o Centauro. Quíron ensinou Esculápio na arte da medicina e cura, nas quais desenvolveu habilidade excepcional. No entanto, isto não agradou a Hades "rei do mundo subterrâneo e dos mortos". Hades queixou-se ao seu irmão Zeus dizendo que Esculápio esta­ va a destruir a ordem natural. Zeus enviou-lhe Aquila, a águia, com um dos seus raios para o eliminar. Como Zeus não quis que o con­ hecimento de Esculápio desaparecesse colocou o famoso médico entre as estrelas, carregando a serpente que lhe ensinou os segre­ dos do elixir da vida.

OPHIUCHUS OR SERPENTARIUS Ophiuchus means "he who holds the serpent" and that is how he is depicted. The constellation generally has been shown as an elderly man, standing on the Scorpion and grasping the Serpent (Serpens) in his hands, the serpent's coils around his body. Ophiuchus is always associated with Aesculapius, the son of the god Apollo and a mortal woman called Coronis. One day Coronis was unfaithfull and the crow (see Corvus), which Apollo had put as guard over Coronis told him of the indiscretion.The god pierced Coronis, who was pregnant with his son, with an arrow.Too late, the lover repented of the cruel punishment he had exacted and snatched his son from his mother's womb, saved him from the flames and carried him to the cave of Chiron, the Centauro Chiron taught Aesculapius in the arts of medicine and healing, in which Aesculapius developed exceptional skill. This, however, was not to the liking of Hades, King of the Underworld and the Dead. Hades complained to his brother Zeus, saying that Aesculapius was destroying the order of nature. Zeus called a stop to this by send­ ing Aquila the Eagle after Aesculapius with one of his thunderbolts. As Zeus did not wish to let the knowledge of Aesculapius disappear into oblivion, he placed the famous medicine man among the stars, carrying the snake that gave him the secrets of life's elixir.


Aquila, a águia, é representada a voar para este, atravessando a Via Láctea, tendo as suas estrelas a sul constituído a hoje aban­ donada constelação Antinoo. A águia era a ave de Zeus e desempenhou numerosas tarefas difíceis para o deus.

Orion, o caçador divino é o senhor dos céus no Inverno, com a sua armadura dourada, clava numa mão e segurando um trofeu . Orion era famoso pelas suas façanhas quer como caçado r quer como amante. Ele tinha, supostamente, uma estatura e força acima de qualquer outro mortal. Ártemis, deusa da Lua e da Caça, apaixonou-se por ele o que levou ao desagra do de Apolo, o deus do Sol, seu irmão, po is ele achava que ela estava a negligenciar os seus deveres de caçadora . Ass im, engendrou um plano para que a deusa matasse Orion , dizendo­ lhe que ela não conseguia acertar numa lebre que lhe parecia mover-se na terra, sabendo que era Orion que aí caçava . Ártemis , sem pensar, disparou uma flecha matando Or ion. Zeus, a pedido de Ártemis, colocou Orion entre as estrelas para que o famoso caçador nunca fosse esquecido. O cinto de Orio n: Um dos aspectos mais óbvios pa ra quem observa o céu são as três estrelas que formam um "cinto" a meio da constelação de Orion ; Mintaka, cujo nome vem da palavra árabe "cinto" é a estrela mais a oeste; Alnilam , que significa "cinto de pérolas" é a estrela central; e Alnitak, "a faixa" é a estrela mais a este.

Aquila, the Eagle, is shown f1ying towards the east and across the Milky Way, its southern stars constituting the now discarded constellation Antinous. Aqui la was Zeus's bird and has carried out many a difficult tasks for the god.

Master of the winter skies is the heavenly Hunter, Orion, in his golden armor, club in hand, and holding a trophy. Orion, was famous fo r his prowess both as a hunter and as a lover. He supposedly had greater strength and stature than any other mortal. Artemis, goddess of Moon and of the Hunt, fell deeply in love with him and her brother, Apollo, the Sun god, had bee n displeased beca use hi s sister see med to neglect her hunting duties, tricked her into shooting Orion by telling that she could not even shoot a hare, which he thought he saw move in the under­ growth, knowing that Orion was hunting there . Artemis, w ithout thinking, grabbed her bow and arrow and fired a shot, killing Orion. Zeus, at Artemis's bidding, placed Orion in the stars so that the illustrious hunte r would never be forgotten . The Belt of Orion: One of the most obvious features people see in the sky is the three stars that form the "belt" across the middle of Orion; Mintaka, the western­ most star in the belt, comes from the Arabic word for "belt"; Alnilam, the center star, mea ns "a belt of pearls"; and Alnita k, the eastern-most star, means "the girdle".

105


CANIS MAJ Orion tinha dois cães; Canis Major, o Cão Maior e Canis Minor, o Cão Menor. Estas duas constelações pos­ suem duas das estrelas mais brilhantes e visíveis no céu - Sirius e Procyon. Sirius, a estrela mais bril­ hante do céu nocturno, forma o nariz do Cão Maior.

06

Canis Minor, o Cão Menor, encontra­ se próximo da Via Láctea, no lado oposto do Canis Major, o Cão Maior. Ele era conhecido de Romanos e Árabes como "Cão Menor" ou o "Cão que vai na frente" devido à sua estrela Procyon, que significa "o cão que se ergue antes de Sírius"" (Procyon surge uma hora antes de Sirius).

EPUS Lepus, a lebre, era conhecida desde a Antiguidade e é facilmente localizada aos pés do gigante Orion .

IS

AJOR

Orion had two dogs; Canis Major the Greater Dog and Canis Minor, the Lesser Dog. These two constella­ tions contain two of the brightest stars visible to us - Sirius and Procyon. Sirius, the brightest star seen in the night sky, forms the nose of Canis Major.

Canis Minor, the Little Dog, lays over the edge ofthe MilkyWay,on the opposite side to Canis Major, the Greater Dog. Known to the Romans and Arabian s as The Lessor Dog', and 'the Preceding Dog' due to his star Procyon, which means "The Dog Rising before Sirius" (Procyon rises an hour before Sirius).

P S Lepus, the hare, has been known since ancient times and it is easily found at the feet of the giant Orion.


Ara representa o altar celeste criado pelos deuses no Monte Olimpo, para celebrar a derrota dos Titãs. Diz-se que foi a partir do seu fumo que foi criada a Via Láctea.

Ainda qu e muito antiga, Lupus é uma constelação discreta. Quer Gregos quer Romanos não tinham uma designação espe­ cial para estas estrelas, encarando-as simples­ mente como "Therion", a Fera e "Hostia", a Vítima . Em ambas as culturas o Centaurus era representado ferindo o animal e oferecendo-o em sacri­ fício no Altar (Ara).

Centauros, são criaturas selvagens, meio-homem. meio-cavalos, mas a figu­ ra desta constelação representa Quíron, "o habilidoso", filho de Cronos , criado por Apolo, deus da música, poesia, profecia e artes curativas e por Ártemis, a deusa da Lua e da caça. Como o mais sábio e justo da sua raça, ele era visto como calmo, de aparência nobre e bondosa, muito difer­ ente do aspecto ameaçador do centauro Sagittarius (com quem é frequentemente confundido). Acreditava-se que Quíron fora o primeiro a agrupar as estrelas em constelações e a ensi­ nar os homens a interpretar o céu.

Ara represents the heavenly altar created by the gods of Mount Olympus to celebrate the defeat of the titans where. The smoke from the altar was said to pour out to cre­ ate the Milky Way.

Although very ancient, Lupus is an inconspicuous constellation.The Greeks and Romans did not specially designate these stars, and thought of them merely as 'Therion", a Wild Beast, and "Hostia", the Victim. Both cultures depicted Centaurus spearing this animal and offering it as a sacrifice on the Altar (Ara).

Centaurs, four-Iegged creatures that were half­ horse, half-man, were a savage lot, but the stellar figure repre­ sented Chiron , 'the Handy One', son of Chronos raised by the twins Apollo, god of music, poetry, archery, prophecy and the healing art, and Artemis, Moon-goddess, and huntress. As the wisest and most just of his race, he was imagined as of mild and noble look and kindhearted, very different from the threaten­ ing aspect of the centaur Sagittarius (with whom he is often confused) . It was believed to be Chiron who first grouped the stars into the constellations and taught humans how to read the sky.

107


A palavra 'Bootes' significa "Boieiro", mas como ele se encontra associado às duas ursas (cf. Ursa Major e Ursa Minor) é muitas vezes encarado como o Guardião das Ursas, aquele que as persegue junto da estrela polar, Polaris. Diz-se que Bootes inventou o arado, o que agradou a Deméter, deusa da Agricultura, que pediu a Zeus que o colocasse entre as estrelas, como forma de gratidão. Bootes é conheci­ do pela sua estrela princi­ pal Arcturus.

108

The word 'Bootes' actually means "Ox Driver", but in connection with the two Bears (see Ursa Major and Ursa Minor) he is often seen as a Bear Driver who chases the Bears around the pole star. Polaris. It is said that Bootes invented the plough. wich pleased Demeter. the goddess of Agriculture. and she asked Zeus to place Bootes amongst the stars as a token of gratitude. Bootes has been known for its prom inent star Arcturus.


J

RSA MAJO

Ursa Major. a Ursa Maior e Ursa Minor. a Ursa Menor. estão nor­ malmente associadas na mitologia. Licaon, rei da Arcádia. tinha uma filha muito bela chamada Calisto, a "muito formosa". Calisto gosta­ va de caçar e admirava Ártemis, deusa da caça. Um dia. prometeu entregar a sua vida à deusa, o que significava. entre outras coisas, que deveria permanecer virgem. Mas Zeus apaixonou-se por ela e assumindo o aspecto . de Ártemis seduziu-a. Quando a sua gravidez foi descoberta ela foi expulsa da companhia de Ártemis. Quando descobriu que, na floresta da Arcádia, nascera um filho de Zeus. chamado Arcas. Hera achou que esse castigo não fora suficiente. Assim. trans­ formou a bela Cal isto numa ursa , que se refugiu nos bosques para escapar aos caçadores a quem outrora pertencera. Para tornar o cas­ tigo mais penoso, Hera deixou Calisto com os sentidos humanos e não os de um urso. Entretanto. o filho de Calisto, Arcas, crescera desconhecendo o que sucedera com a sua mãe. Um dia, encontrou uma ursa, Cal isto, que esquecendo o seu aspecto avançou na direcção do filho, para o abraçar maio reconhecendo. Arcas, no entanto, pensou que estava a ser atacado e tê-la-ia atingido mortalmente com uma seta se Zeus não interviesse, apiedado de Cal isto. Assim, transformou Arcas num urso e transportou-os para os céus. sob a forma de constelações. Calisto como Ursa Maior e Arcas como Ursa Menor.

Ursa Major. the Great Bear and Ursa Minor, the Little Bear. are usually paired together in mythology. King Lycaon of Arcadia possessed a beautiful daughter named Callisto, the "most fair". Callisto was very fond of hunting and worshipped Artemis, the goddess of the Hunt. One day she promised to devote her entire life to the goddess, which meant among other things that she would remain a virgin. But Zeus fell in love with her and changed himself into the guise of Artemis seducing her. When her pregnancy was dis­ covered she was driven from the retinue of Artemis. However, Hera found out that in the forest of Arcadia had been born a son of Zeus, named Arcas. 50 she changed Callisto into a bear, and to make matters worse Hera left Callisto with her human feelings rather than those of a bear. Meanwhile, Callisto's son, Arcas had grown and one day he encountered a bear, which was in fact Callisto. Forgetting she looked Ii ke a bear, she rushed forward as soon as she recognized her son o Arcas thought that he was being attacked and drew an arrow with a deadly result had not Zeus intervened changing them in constellations. Callisto as Ursa Major and her son Arcas as Ursa Minor.

URS

URSA

MI

OR

As sete estrelas que definem a Ursa Menor são menos brilhantes. com a excepção de Polaris. do que as sete estrelas que rep resentam a Ursa Maior, as quais são o grupo mais proemine nte do céu. A Ursa Meno r é famosa po r ter a Estrela Polar. Polaris : alpha Ursa Minor, do latim, Stella Polaris. que significa 'Estrela Polar', tem sido um guia

outros que seguiam o se caminho pelas estrelas . Localizada no extremo da cauda da Ursa Menor, ela não parece erguer-se ou desapare cer do céu . Simplesmente brilha com a chegada da noite e desvanece-se com o inicio do dia.

IN With the exception of Polaris, the seven stars making up the Lesser Bear. are much fainter than the seven star making up Ursa Major. which is the most prominent group of stars in the sky. The Litde Bear is famous as the home of the Pole Star. Polaris: alpha Ursa Minor, from the Latin, Stella Polaris, mean­ ing 'Pole Star', has long been an important star to sailors, caravans of old winding their way over the desert by night and others who navi­ gated their way by the stars. Located at the tip of the tail of the Litde Bear, Ursa Minor, it does not rise or set but simply brightens with the coming of night and fade s with the advent of day.


cu

Hercules, cujo nome significa , talvez, 'glória do ar' , é o herói que realizou doze tarefas de grande envergadura . A figura da conste­ lação representa, geralmente , este homem pode roso, ajoelhado, vestido com uma pele de leão (cf. Leo), com a sua clava e o Ramo de Maçãs (cf. Draco). Herakles/Hércules era filho de Zeu s, que desejara a sua mãe, Alcmena, casada com Anfitrião de Te bas. Enquanto Anfitrião estava fora, numa batalha, o astuto Zeus, assumiu o aspecto e a voz de Anfitrião, fazendo crer que voltara a casa para estar com Alcmena. O seu filho Hércules é o herói supremo da cultura ocidental.

10

HERCULES

Hercules, whose name, perhaps, means 'glory of the air', is the hero who performed twelve labors of heroic proportion . The stellar figure generally shows the Strong Man kneeling, clothed in the lion's skin (see Leo), with his club and the Apple Branch (see Draco). Herakles/Hercules was the son of the Zeus who had greatly desired the mortal woman Alcema, who was married to Amphitryon of Thebes. While Amphitryon was away fighting, the cunning Zeus turned himself and his voice into the likeness of Amphitryon, pretending to have come home from the army to be with Alcema. Their son Hercules is the hero of heroes in Western culture.


o

Draco, o D ragão, é uma esplêndida constelação composta por cerca de quinze estrelas. A estrela Thuban (alpha Draconis), desta constelação circumpolar, foi outrora a Estrela Polar. Uma das histórias mais conheci­ das relacionadas com esta con­ stelação associa-a ao décimo primeiro trabalho de Hé rcu les . O herói teve de roubar os frutos dourados da macieira que Gaia, deusa da Terra, dera a Hera. A deusa escolhera Ládon, um mosntruoso dragão com cem cabeças, para guardar a sua preciosa árvore. Hérc ules matou Ládon , rapidamente, e fugiu com três maçãs. Hera colocou o monstro nos céu, enroscado no Pólo Norte.

Auriga é uma vasta constelação que, de acordo com a mitologia grega, representa Erictônio, filho de Vulcano e Gaia, a Terra, que inventou o carro para esconder os se us pés que eram os de um dragão. Outros dizem que Erictônio era coxo, aspecto que herdara do seu pai e que, por isso, achara necessá rio inventar um meio fáci l de locomoção. Ele cresceu e tornou-se rei de Atenas, tendo estabelecido o culto à deusa Atena . Capella O corno da abundância: Alpha Auriga, está associada com Amalteia , a Cabra que amamentou Zeus. De acordo com uma versão mais antiga, ela era a ninfa Amalteia, filha de Melissus, re i de Creta, que cuidou do infante Zeus, alimentando-o com leite de cabra. Quando cresceu, Zeus ofereceu o corno da cabra à sua ama,Amalteia, dotando-o de poderes mágicos, para que todo aquele que o possuísse obtivesse de imediato e em abundân­ cia o que desejara.

Draco, the Dragon, is a splendid constellation made up of fifteen or so stars. The constellation is circumpolar and Thuban (alpha Draconis) was once the Pole Star. One of severa I well-known stories relates this constellation with the eleventh task of Hercules. The hero had to steal the golden apples from the apple tree, which Gaia (the goddess of Earth) had given to Hera. The godess had chosen Ladon, a monstrous dragon with a hundred heads, to guard her precious tree. Heracles killed Ladon instantly, and walked away with three apples. As for Ladon, Hera placed the monster in the heavens, coiled around the North Pole.

Auriga is a large constellation, and, according to Greek mythology, Erichthonius, son of Vulcan and Gaia (the Earth), who invented the chariot to conceal his feet , which were those of a dragon. Others say that Erichthoniu s had inherited his father's lameness and found it necessary to invent some easy mean s of locomotion. He grew up to beco me king of Athens, and establisher of the cult of Athena. Capella the Horn of Plenty:Alpha Auriga, is associated with Amalthea, the Goat, nurse of Zeus. According to an earlier versio n, she was the nymph Amalthea the daughter of Me lissus, the King of Crete, who nursed the infant Zeus, feeding him with the milk of a goat.After he grew up, Zeus gave the goat's horn to his nurs e, Amalthea, endowing it with magical properties, so that whosoever possessed it should immediately obtain in abundance ali he des ired.

III


O nome desta constelação vem de girafa, que os antigos gregos denomi­ navam o "camelo leopardo".

112

This constellation is named after the giraffe, what the ancient Greeks called the "Ieopard camel."

o Na mitologia grega uma pomba guiou os Argonautas (cf. Argo Navis) entre as Simplegades, dois rochedos que habitual­ mente esmagavam-se um contra o outro, destruindo tudo o que se encontrava entre eles. Quando o navio Argo se aproximou das rochas esmagadoras, Jasão, que fora pre­ venido do perigo, enviou uma pomba para observar como ela conseguiria passar entre estes dois temíveis rochedos.A pomba, auxiliada por Atena, passou entre as rochas a grande velocidade e elas chocaram, sem matar a ave. O sucesso da pomba foi visto como um presságio favorável e , assim, o navio Argo precipi­ tou-se em grande velocidade e conseguiu passar o estreito sem ser esmagado pelas duas rochas. Atena, para comemorar o corajoso feito da ave, colocou a Pomba no céu.

In Greek myth a dove guided the Argonauts (see Argo Navis) between the Symplegades, two rocks that had a habit of rush­ ing violently against each other, crushing everything in between . When the ship, Argo, approached the clashing rocks, jason, who had been fore­ warned of this danger, sent out a dove to see how it would fare as it fiew between these dangerous rocks. The white dove , aided by Athena, shot between the rocks with such speed that they crashed against each other without killing the bird. The suc­ cess of the dove was seen as a propitious omen, so the ship Argo was rowed into the dan­ gerous area at top speed and completed the passage without being crushed by the clashing rocks. Athena as a memento of the bird's daring deed placed Columba in the sky.


ORO

O E

Este requintado conjunto de estrelas é muito semelhante a uma coroa. Uma das estrelas do grupo é particularmente brilhante e localiza-se a meio da sua curva, ela é a alpha - Coronae Borealis, Gemma, também chamada Alphecca, "a brilhante" . De acordo com a versão mais conhecida da lenda, a Coroa pertencera a Ariadne, filha de Minos, rei de Creta, cujo novelo de fio que entregara a Teseu, auxiliou-o na derrota do Minotauro e a escapar do Labirinto. Fugindo com Teseu, eles chegaram a Naxos onde Ariadne adormeceu. Quando despertou , estava só. Segundo alguns autores Dionísios apaixonara-se por Ariadne e ordenara a Teseu que a abandonasse. Quando o deus abraçou a jovem, retirou-lhe a coroa e lançou-a ao céu , transformando-a numa constelação para sua eterna glória.

c

B

00 Segundo alguns autores esta constelação representa uma grinalda outrora usada pelo Sagittarius.

Os gregos conheciam Cygnus como a 'ave que voa a sudoeste da Via Láctea' . Uma lenda refere que Cignus era um amigo de Faetonte, o filho mortal de Apolo, que um dia tentou guiar o carro do Sol. Faetonte não con­ seguiu dominar os fogosos cavalos e tornou-se uma ameaça, pondo em perigo a abóbada celeste, os palácios dos deuses assim como a Terra e os seus habitantes. Finalmente, Zeus precipi­ tou Faetonte para fora do carro do Sol e ele atingiu a Terra como uma estrela cadente, caindo no rio Eridano. Cignus não podia acreditar que o seu amigo mor­ rera e tentou recolher nas mar­ gens do rio os ossos calcinados. Zeus e a sua corte celeste comoveram-se com a dedicação de Cígnus e, assim, o deus transformou-o num cisne transportan ­ do-o para os céus, para a Via Láctea, o local onde ficara marcado o caminho calci­ nado da cavalgada infeliz de Faetonte. Outra lenda refere que esta constelação é a imagem da ave em que Zeus se tran sformou quando seduziu Leda (cf. Gemini).

L

This exquisite circlet of stars looks very much like a crown . One star in this group outshines ali the others; situated about halfway along the curve, this star is alpha - Coronae Borealis, Gemma. also called Alphecca, 'the Bright'. According to the most famous version of the legend, the Crown, belonged to Ariadne, the daughter of King Minos of Crete, whose ball of thread helped Theseus to defeat the Minotaur and escape from the labyrinth. Escaping with Theseus, they reached Naxos where Ariadne fell asleep. When she awoke. she was alone. Some claim that Dionysus ordered Theseus to abandon Ariadne, as he himself had fallen in love with her. When the god put his arms around Ariadne, he took the crown from her forehead and set it as a constellation in the sky, to bring her eternal glory.

T

IS

This constellation is said by some authors to represent a cast-off garland once worn by Sagittarius.

The Greeks knew Cygnus as 'the Bird flying south­ est in the Milky Way'. One legend says that Cycnus was the friend of Phaethon, the mortal son of Apollo, who tried to drive the Sun Chariot for one day. Phaethon could not manage the fiery steeds and beca me a menace, endangering the heavenly vault and the palaces of the gods as well as the Earth and its inhabitants. Finally, Zeus himself catapulted Phaethon out of the Sun Chariot, and he fell to the river Eridanus. Cycnus could not believe that his faithful friend was dead and did ali he could to collect the charred bones from the riverbed , so that he could give Phaethon a proper burial. Zeus and his heavenly host were very moved by the devotion Cycnus showed. So, Zeus chan­ ged Cycnus in to a Swan , and placed in the stars amidst the Milky Way, the scorched path of Phaethon's disastrous ride. One of the more enduring legends suggest that it was the image of the bird into which Zeus transformed himself while visiting Leda (see Gemini) .

II


EQUULE Equuleus, o Potro, é a segunda constelação mais pequena do Hemisfério norte. Não possuindo uma lenda defini­ da, Equuleus é suposto repre­ sentar Celeris, que significa "veloz", irmão de Pegasus , ou, segundo outros, seu filho.

EQU

EUS

Equuleus is the second smallest constellation in the Northern Hemisphere .There is no certain legend applied to Equuleus and it is supposed to re present Ceie ris, wich means "swift", the brother of Pegasus, others say his offspring.

14

LYRA Lyra situa-se no extremo oeste da Via Láctea e comemora o instru­ mento fabuloso de Apolo, um dos atributos do deu s e símbo­ lo dos seus do ns de profecia. O título ára be AI Naar ai W ak i 'a águia que arrebata a pedra do deserto' refere-se às estrelas alpha (Vega), eta e zeta que, em conjunto, repre­ sentam esta ave com as suas asas fechadas, em contraste com AI Nasr ai Ta-ir, a "águ ia que voa", ou Aqui la. Vega: Outrora, Vega foi a Estrela Polar, mas quarto mil ano s passaram desde que ocupou esta posição. A palavra Vega, alpha Lyra , tem origem ára be e significa "a que mergulha" .

LYRA Lyra is on the western edge of th e Milky Way, and commemorates the fabled instrument, one of Apo llo's attributes and symbo l of t he god's powers of divina­ tion. The Arab title AI Naar ai Waki 'the Swooping Stone Eagle of the Desert' refers to the stars alpha (Vega) , eta, and zeta collectively, which shows this bird with half-c losed wings in contrast to AI Nasr a i Ta - ir, the "Flying Eagle", or Aquila. Vega: At one time Vega wa s the Pole star; but fourteen millenniums have passed since Vega occupied that position. The word Vega , alpha Lyra , derives from the Ara b and means the "Plunging One".


MO

OCEROS

MONOCEROS

115

MUSCA AUSTRALI

MUSCA AUSTRALlS


SAGITTA Sagitta, a Seta, é a terceira constelação mais pequena do céu e local iza-se na Via Láctea. Ainda que antiga, não possui nenhum mito especifico associado, sendo, por vezes, considerada uma seta disparada pelo Arco de Cupido.

TRIA

G

Três estrelas compõem a constelação do triângu­ lo que, sendo pequena e pouco visivel , é con­ hecida desde a antiguidade.

S GI T Sagitta, the Arrow, is the third smallest constellation in the sky. Although ancient, there isn't any estab­ lished myth associated with Sagitta. Sometimes it has been regarded as the Arrow of Cupid's bow.

TR

GULU

Only three stars make up the constellation of Triangulum. and although small and faint. it is an old constellation.

16

TRIANGULUM AUSTRALlS

TRIANGULUM AUSTRALlS


o

nome apus significa em grego "sem pes . numa referência ao mito da andor inha que se dizia não ter as patas durante o voo. Esta constelação também está associada a espécimes antigos de uma Ave do Paraíso indiana. Nesta área do céu. onde hoj e se encontra Apus, parecem ter existido sempre figuras de aves.

The name apus literally means "no feet" in G reek; a reference to a Greek myth about the swallow which was said to be legless in flight. This constellation also refers to early speci­ mens of an Indian Bird of Paradise .This part of the sky where Apus now is has apparently always been associated with birds.

117

Grus, o Gru, encontra-se junto do Piseis Austrinus. e foi outrora parte desta constelação. No Egipto. o grú era considerado o sím­ bolo do astrónomo, provavelmente devido ao seu voo elevado.

Grus, the Crane lies just below Pisei s Au strinus. and at one time was pa rt of that constellation. In Egypt the crane was the symbol of a star­ observer, presumably from its high flight.


PAVO

PAVO

Pavo, o Pavão, é uma grande constelação que exibe a cauda da ave aberta. Zeus apaixonou-se por lo, filha do deus-rio lnacus e sacerdotisa de Hera, sua mulher e senhora dos Céus. Zeus transfor­ mou-se numa nuvem e seduziu lo. Desta forma ele pensava que Hera, a sua ciumenta mulher, não se aperceberia do caso, no entanto, ela suspeitou de algo e desco­ briu o que acontecera. Assim, foi ter com Zeus, que entre­ tanto transformara lo numa vitela, e pediu-lhe que lhe desse o animal como pre­ sente, tendo-a colocado à guarda de Argos, o gigante dos cem olhos. Como Argos nunca dormia tinha sempre parte dos abertos, Zeus, que queria lo, enviou Hermes disfarçado de tor para fazer amizade com o monstro. Hermes tocou a sua nauta e lentamente Argos caiu num sono profundo. Assim que adormeceu cortou-lhe a cabeça, matando-o. Em sua memória Hera colocou os seus olhos nos céus, na cauda da sua ave preferida, o Pavão.

Pavo the Peaco ck is a large constellation, showing the tail of the peacock in full display. When Zeus fell in love with lo, daughter of the River God Inachos, and priestess in th e temple of Hera, his wife, and Queen of the heavens. Zeus come down in a cloud and slept with lo. In this dis­ guise he hoped that his jealous wife Juno would not notice his " escapade, but she beca me suspi­ cious and found out. She asked Zeus, who had quickly changed into a white heifer, to give the ~mal to her as a present and plà'és~d the animal under the gua-rd of Argus. the giant with óne hundred eyes. / Zeus decided to liberate lo, however, Argus never slept because he always had some of his eyes open. So the god asked Hermes to disguised himself as a shepherd's boy and made friends with Argus . Hermes played his nute and slowly Argus was lulled into a deep sleep. As soon as Argus was asleep, Hermes hacked the bent neck of the demon, and so Argus perished. As a monument to the slain Argus, Hera placed ali o f its eyes in the heavens, on the tail of her sacred bird, the peacock.

118

PH Esta esplêndida ave erguia-se de manhã das águas do Nilo, como o Sol, e a lenda afirma que se imolava co m o crepúsculo, desaparecen­ do, para renascer de novo das cinzas.

This splendid and fabulous bird rose at dawn from the waters of the Nile like the Sun, and leg­ end states that it burnt itself to ashes and went out like the Sun in the darkness of the night, only to be reborn from those ashes.


TUCANA

TUCANA

119

NUVEM DE MAGALHAES

MAG 路 LANIC CLOUD


DORADO

DORADO

Esta constelação localizada no extremo sul não deve o seu nome aos peixes dourados dos aquários , mas ao mahi-mahi, uma espécie de golfinho havaiano. O mahi-mahi possui uma pele lustrosa que se torna azul e dourada à medida que o peixe morre.

This far south constellation is not named after the pet goldfish but

after the mahi-mahi , a Hawaiian dolphinfish. The mahi-mahi has a

lustrous skin that turns blue and gold as the fish dies.

20

VOLANS

VOLANS


CHAMAELEO

CHAMAELEON

-tYDRU Esta constelação que não deve ser confundida com a antiga Hidra, encontra-se junto de Tucana; com a cabeça próxima da Pólo Sul e a cauda quase a tocar a magnífica estrela Achernar, de Eridanus.

This constellation, which must not be confounded with the anciem Hydra, lies near Tucana; the head adjoining the South Pole, the tail almost reaching the magnificent star Achernar of Eridanus.


Entre Grus e Pavo. encontra-se esta constelação que se supõe enaltece o típico índio da América, tal como os exploradores europeus o viam no século XVI.

22

It lies between Grus and Pavo. and is generally supposed to commemorate a typical American Indian as seen by European explorers of the 16th century.


Crux encontra-se na Via Láctea e na antiguidade não era conhecida deste modo, pois a suas quarto estrelas, observadas por Ptolomeu, eram consideradas parte do Centauro, que hoje a rodeia por três lados. Na proximidade desta constelação, na zona junto da Via Láctea, próximo do Pólo Sul, encontra-se uma constelação em forma de pêra, dita "saco de carvão", que é hoje con hecida como a "Nuvem Negra de Magalhães", e que pos­ suí uma única estrela visível a olho nu.

Coma Berenice, a Cabeleira de Berenice é uma constelação que consiste num grande conjunto de estrelas, algumas aglomeradas, nebulosas e galáxias. Esta constelação refere-se a uma história relativa ao cabelo de Berenice, mulher de Ptolomeu Soter 111, do Egipto. Quando Ptolomeu se envolveu numa guerra con­ tra os Assírios, Berenice, receando pela vida do marido prometeu sacrificar o seu cabelo a Vénus, deusa do Amor. Após semanas de espera ansiosa, Ptolomeu regressou e ela dirigiu-se ao temp lo onde o cabelo lhe foi cortado, pelos sacerdotes, junto ao altar da deusa. No dia seguinte, quando o rei quis ver o cabelo da sua mulher, descobriu, furioso, que este desaparecera. Convocou os sacerdotes e teria ordenado a sua morte, não fosse o astrónomo real. Conon de Samos , declarar que Júp iter descera do céu para levar a cabeleira dourada para um local onde pudesse ser admirada por todos, expli­ cação que satisfez o rei.

Crux lies in the Milky Way and was unknown to the ancients by its present title, its four main stars being noted by Ptolemy as part of the Centaur, which now surrounds it on three sides. Partly within the constellation's boundaries, and at the point of the nearest approach to the Milky Way to the South Pole , is the pear-shaped 'Coal-sack', containing only one star visi­ ble to the naked eye, which is

now referred to as the 'Black Magellanic Cloud'.

Coma Berenice, Beren ice's Ha ir, is a constellation that consists of a multitude of stars, severa I clusters, nebulae and galaxies. This constellation refers to a classical story concerning the hair of Berenice, the wife of Ptolemy Soter III of Egypt. It happened that Ptolemy had to fight against the Assyrians. Berenice feared for his life and pray that if Ptolemy were to return safely she prom­ ised to sacrifice her hair to Venus, the Goddess of Love . After weeks of ten sion and waiting Ptolemy returned safe and she went to the temple where her hair was ~ cut off and laid on the altar by the priests. The next day when the king went to have a look at his wife's hair, he was furious to find it had been stolen . He summoned the priests and would have put them to death , however, the ro yal astronomer Conon of Samos, declared that Jupiter had descended from Heaven to take the golden locks where they could be admired by the whol e world, not only by one nation. The king was satisfied with this explanation.

123


ANTINOOS

24

Algumas das estrelas da conste­ lação Aquila foram. outrora, conhecidas sob a designação de Antinoos. Diz-se que esta co nstelação foi assinalada no ano 132 d. C. pelo Imperador Adriano. em honra de Antinoo. Um oráculo egípcio avisou Adriano que ele ou alguém que o estimasse iria morrer. Diz-se que Antinoo se afogou no Nilo, acreditando que a vida do Imperador seria prolongada pela força deste acto de amor.

ANTINOOS Certain stars from the constel­ lation of Aquila were called Antinous now a discarded con­ stellation. This constellation it's said to be introduced to the sky in the yeal" 132 a. C. by the Emperor Hadrian in honor of Antinous. An Egyptian , .o racle warned Hadrian that e'ither he or his beloved would die.Antinous is said to drowned himself in the in the belief that the Emperor's life would thereby be prolonged. so strong was his love.


o

CEPTRO DA JUSTiÇA Composta por Hevelius em 1690, a partir de estrelas localizadas entre Andromeda e Cygnus, esta conste­ lação foi substituída por Lacerta, o Lagarto.

o

LíRIO

A constelação símbolo da monarquia francesa , foi formada em 1674 e substituída pela Mosca do Norte.

THE SCEPTRE AND HAND OF JUSTICE Formed by Hevelius in 1690 from outlying stars between Andromeda and Cygnus, is today occupied by Lacerta, The Lizard

THE LlLIUM fleur-de-lis. of constellation in 1674, was changed in the Nothern Fly.


Livro Globos Coronelli