Issuu on Google+

EMEF. PROF. JOÃO DE SOUZA FERRAZ

ARTIGO DE OPINIÃO

Alunos do 9º ano 2012

A Dança é mais do que Arte, é vida!


A arte não surge apenas de quadros, das mãos dos pintores, da boca dos poetas ou da sincronia dos atores, mas também no dia-a-dia, na correria da vida. Surge num choro, num sorriso, na inspiração de cada artista, na emoção que vem do peito. Arte significa momento, cultura, história, nasce na rotina de cada ser humano e busca não ter fim na boca dos estranhos, que a cantam com o seu corpo e a expressam com a sua alma. A arte de movimento é a dança. A dança sempre esteve presente, desde os primórdios da história. No Egito, as danças eram feitas em homenagem ao deus Osíris e na Grécia já passou a ser usada como uma maneira de se expressar. No início dos tempos modernos, a dança era limitada as particularidades do teatro. O balé é um exemplo disso, começou no teatro como uma dança rígida com movimentos precisos, mas com o passar do tempo novos estilos o invadiu e ele deixou de pertencer somente ao teatro. Por mais bela que ela seja, a dança e seus bailarinos são vistos com olhos errados. Na Idade Média, era vista como uma forma de exaltar a carne e o pecado, logo uma forma de expressão promíscua e profana. Porém, na Antiga Grécia, a dança era considerada essencial na formação dos indivíduos. Hoje, a dança é mais valorizada e é considerada uma forma de se divertir, de exaltar a alegria etc. O fato é que a dança pode servir para mudar a vida das pessoas, que encontram nela uma forma de viver e faz com que muitos larguem vícios, maus hábitos etc.


Um exemplo disso são os “b-boys” Gerê, Sena e Novenber. Esses três, por meio da dança, conseguiram tirar várias pessoas do mau caminho. No começo, havia muita discriminação, pois o hip-hop era visto como cultura de marginais. Porém, a cada dia o hip-hop e outros estilos de dança estão sendo mais aceitos pela sociedade e conquistando seus espaços. A arte, para muitos, é uma forma de se libertar e, a dança, é o meio que faz isso acontecer da forma mais bela, natural e espontânea possível. Sim, a dança muda a vida das pessoas.

“Dança é mais do que arte… É VIDA!”

Eduardo Cesar Faria e Bárbara Berna

A TV e suas influências


Hoje em dia, a tv está muito repetitiva, as pessoa ligam suas tvs e só vem a mesma coisa pai mantando filho, filho mantando, pai sequestro e estrupo. A pessoa só vem isso e ainda mais as novelas ensinam a trair, a matar a ser uma pessoa ruim. Muitas pessoas vivem como os personagens de novela, usando brincos, roupas falando igual aos personagens, parecem papagaios tudo que vem repetem sendo bom ou mau. Deveriam mudar suas atitudes e começar a ver se é ou não bom para seus filhos imitarem o que estão assistindo, pois podem se transformar em pessoas ruins. Hoje em dia, é bem obvio que a tv influencia sim a formação dos jovens, temos vários exemplos de mudanças de personalidade por causa da TV. Temos muitos exemplos de pessoa imitando, por exemplos, a personagens Suelen, da novela Avenida Brasil, mas a personagem não é um símbolo a ser imitado, as pessoas mudam seu jeito de agir para parecer com uma mulher vulgar. A globo mesmo mostra um comercial de uma criança brincando na frente da Tv e imitando o programa que estava mostrando. Só que esse não é o problema, o problema é que o programa mostra atitudes muito feias e que não devem ser imitados pelas crianças. As pessoas devem proteger seus filhos, pois eles são o futuro da humanidade. Não podem deixar seus filhos assistem qualquer programa. Por outro lado, a tv não é só ruim, a tv também nós alerta sobre o mundo e informa o que realmente está acontecendo nas ruas e em outros países. Claro que não é para punir a tv e sim vero que é adequado para as pessoas assistirem. Todos falam, mas muitos não são sinceros, dizendo que deveriam ter mais programas educativos, mas as pessoas não querem ver programas chatos, pois a tv é um meio de lazer. Então as pessoas deviam dizer que querem programas de lazer que ensinam e também divertem assim as pessoas aprenderiam a ser divertiriam. É muito importante que os responsáveis pela Tv transformam este canal de informação num


ambiente e que se possa aprender de fato a valorizar o ser humano a arte, a cultura e a vida em todas as formas, por isso cada um tem que fazer a sua parte para tornar o mundo melhor.

Andréa J. Silva e Gabriel Dias

O JOVEM E A TELEVISÃO: UMA DUPLA SAUDÁVEL?


Um meio muito comum e tradicional de cultura e lazer Para diversos jovens é a televisão. Eles passam horas do seu dia em frente a telinha acompanhando a programação, e então surge a questão: será que a televisão tem alguma influência sobre a formação das crianças e adolescentes? Muitas pessoas têm diversas opiniões diferentes para responder tal pergunta, e na grande maioria, a resposta é que a televisão tem sim influência na formação dos jovens, pois a programação tem focado mais na violência do que nos conteúdos educativos, como comprova a pesquisa divulgada no dia 08 de julho de 2001 pela folha de são Paulo sobre a programação da TV globo, na qual constava que durante 22horas diárias em que o canal permanece no ar, o telespectador é “bombardeado” por cenas de variados tipos de violência. Porém, os fatos não são tão simples assim. Não é porque a programação da televisão expõe atos de violência e ilegalidade, que os jovens tenham que agir de tal modo. Seria a televisão mais forte que a mente humana, capaz de controla-la? Não! O problema não está necessariamente na televisão, e sim no mau uso dela. O jovem pode sim absorver na televisão aquilo que lhe for útil e saudável, como os ensinamentos que são passados todos os dias, já os maus conteúdos devem ser descartados, não só pelos jovens, mas também por seus pais, pois a programações têm classificações etárias, e isso deve ser observado pelos familiares para que as crianças e adolescentes não assistam aquilo que não lhes é adequado. A participação dos pais na vida dos filhos e a imposição de regras são essenciais para a sua formação, use não, a situação sai de controle, como cita a seguir a psicóloga Marina Buenos: “ os menores, por exemplo, são educados por babás e muitos pais nem conhecem seus filhos como deveriam. Com isso, eles crescem sem nenhuma noção de valores morais e de respeito”. Nos estados unidos, os índices de crimes cometidos por menores vêm crescendo nas ultimas duas décadas, e o professor de psicologia e pesquisador Leonard Econ. da universidade de Michigan diz que a televisão não é a única causa desse comportamento dos jovens, porém , definitivamente é uma delas .


Na verdade a causa do comportamento dos menores infratores é a falta de educação e disciplina que lhes deveria ter sido aplicadas desde que eles estavam começando a descobrir o mundo. Realmente, a falta de valores morais pode tonar aquilo que a televisão transmite uma arma nas mãos desses jovens. Mas como já foi dito, o problema não está necessariamente na programação da TV, é sim no uso que dela está sendo feito.

Carla Leticia Martins Francisco

Hip Hop Linguagem das Ruas


Hip hop é um movimento em que a periferia vem usando para expressar assuntos como: política, fome pobreza, drogas, violência, racimos, educação entre outros. Hip hop retrata a vida na periferia que não é agradável. E conta a verdade sobre as ruas que não é mostrada em meios de comunicação. Neste contexto, nascem diferentes manifestações artísticas de rua, criadas por jovens ligados por esse movimento, de ser fazer música, dança, poesia e pintura. O hip hop , foi criado com o objetivo de denunciar os vários problemas dos jovens do subúrbio. Por meio do rap, as periferias vêm tendo alguns progressos mesmo sendo poucos vêm seus resultados. Seus protestos acontecem em locais públicos, abrangendo assuntos quem vêm sendo discutidos pela sociedade, que tem como objetivo buscar as suas soluções, e acabar com as desigualdades sociais que ainda existem hoje, e que são muitos. Mesmo sendo um movimento criado para que a periferia tivesse seus progressos e se desenvolvesse, há pessoas que vêm sendo contra o hip hop, usando como argumentos, que o hip hop é uma organização de gangues, como uma forma de revolta diante a sociedade. Mas não é bem assim, hip hop é cultura e deve ser valorizado e cultivado, pois é um meio que não se envergonha ao expressar o que sentem e o que vivem.


No entanto hip hop não obriga a aceitar suas metas e modos, que defendem, mas cabe a nós vemos o seu lado positivo e assim respeitar, suas ideias, métodos e seu espaço.

Chayenne R. M. Canuto Jonathan dos Santos Ribeiro

O hip hop é uma cultura das periferias


O hip hop é uma cultura artística que surgiu na década de 1970 nas áreas centrais de comunidades jamaicanas, latinas e afro –americanas , em nova York. E quando virou uma febre, foi se espalhando pelo mundo. No Brasil, o berço do hip hop é são Paulo e surgiu em 1980. E agora onde surgem mais Rap’s é MCs são nas periferias. O hip hop é considerado sim uma cultura das periferias, pois várias vezes eles colocam vamos rever está a vida da periferia, mas músicas e assim fazem sucesso. No hip hop existem 4 pilares essenciais para essa cultura: -o rap - o Djing -o breakdance - o grafite Suas outras características são: -música -poesia -dança -pintura


-moda Nessas características os jovens tentam pregar contextos sociais, para protestar contra algo político ou social. Muitos artistas reconhecidos como: Theide, DJ HUM, STULLO SELVAGEM, RACIONAIS MC’s e RAPPIN HOOD . Entre outros fazem esse tipo de hip hop. Mas nem sempre os RAP’S ou MC’s SE DÃO BEM NAS RUAS, vários jovens acabam mesmo assim entrando no mundo das drogas. Esses jovens que têm sua trajetória interrompida no auge da carreira tentam voltar depois de negociações de tratamento, vários conseguem e acabam com uma história de vida. Então o hip hop é um tipo de salvação para os jovens negros e pobres que querem vencer na vida.

Nayara Antonelli Garacisi

HIP HOP: Mudando Conceitos.


Há anos, o hip hop, vem mudando e alterando, opiniões e conceitos, com uma forma diferenciada de expressar a voz da periferia. O hip hop saiu das periferias e vem abrangendo grande parte das metrópoles mundiais. Ele é uma cultura que veio da comunidade e que várias pessoas utilizam como um caminho para expressar o que acontece em sua vida e no seu cotidiano, relatam o que falta em sua comunidade e o que precisa ser feito. Com sua forte cultura e com seu poder de alcançar diferentes classes sociais é muito conhecido e reconhecido pelas pessoas. Por ser um movimento originário da “favela” ainda existe preconceito com o mesmo. Ainda há muitas pessoas que se opõem , afirmando que o hip hop não é cultura mas sim uma manifestação de revolta que as pessoas usam para expressar o que sentem ou vivem. Mas o hip hop é muito mais do que isso, é um estilo de vida… uma ideologia e tudo o que suas pessoas falam não faz jus ao que é realmente. Para muitos jovens, o hip hop vem fazendo a diferença, mudando jeitos de pensar, dando oportunidades e denunciando a desigualdade social e racional e racial e ainda se torna tão urbano quanto as construções de concreto e as estações de metrô. Pessoa como : Thaide , vocalista e segunda voz do grupo racionais, Will I Am, tupac, snoop Dogg, Eminem 50 cent , kid cudi e etc. O hip hop pode surpreender a muitas pessoas e também ser muito inovador e todos podemos aprender e viver uma experiência inovadora e diferente.


Raissa Almeida e Leticia Santana

O Hip-hop abre Portas


O hip-hop já existe desde a década de 70. Há muitos rappers se comunicando com a sociedade através do hip-hop, mostrando na música como são as sociedades, o sofrimento de cada morador, o racismo, tráfico e muitas outras coisas que eles passam. É no som, na dança, na pintura que eles colocam para fora a dor do seu sofrimento e de cada pessoa que passa por tudo que algum dia eles já passaram. O hip-hop não é simplesmente música, dança, poesia ou pintura. Mostra a realidade de pessoas em comunidades; outra realidade ou um mundo sem esperança, amor, compaixão. A arte do hip-hop é formada por pessoas pobres que buscam melhorar sua vida através da voz. E de uma voz que mexe com a emoção. O hip-hop não existiria se nosso governo não fosse incapaz de pensar nas comunidades, nas pessoas que necessitam de ajuda. Eles têm uma grande quantidade de dinheiro, só que o mesmo é investido em coisas sem necessidade como em copas e novos estádios. Porque não investir na educação, saúde e hospitais se são disso que precisa a população? Todo dia nós nos preguntamos: “Não fomos nós que os escolhemos para governar nosso país?” e sim, fomos. Mas antes de se elegerem fazem propagandas falsas enchendo a população de esperanças com algo que não vai acontecer. O governo tem que parar e olhar para as coisas que estão acontecendo nas comunidades, porque elas existem, e se o governo não tomar suas providências, vai piorar. O hip-hop está atrás disso, de buscar a melhoria de suas moradias, do seu povo e ele busca isso até hoje, pois o governo não toma providência e ainda estão gastando dinheiro da sociedade com coisas desnecessárias.


E se o governo não tomar as medidas, o hip-hop vai usar suas artes maravilhosas para o mundo olhar para eles de uma forma diferente, e não como simples rappeiros, mas sim seres humanos que precisam de saúde, educação e boas condições para sobreviver. Rafaela Mendes e Thauany Ap.

Há uma grande diferença entre Pichar e Grafitar?


Existe uma diferença bem grande entre pichar e grafitar. No grafite, os grafiteiros desenham o que acontece no nosso dia-a-dia, onde eles moram… isso é um jeito deles expressarem a sua opinião. Muitos consideram como vandalismo, mas é uma arte. Agora a pichação já pode ser considerada vandalismo porque não é uma arte, e sim uma rivalidade entre grupos que picham para marcar território. O grafite é uma arte, muitos saíram do crime e do mundo das drogas depois que conheceram o grafite. Por exemplo, artistas como: Otávio e Gustavo (Os Gêmeos), Binho Ribeiro, Nina Pandoyo entre outros. Os pichadores deveriam conhecer um pouco mais sobre o grafite, porque mesmo para o grafite precisa de talento, e eles têm. No grafite eles poderiam se expressar sem correrem riscos, mas muitos fazem por adrenalina porque sabem que é errado. Com isso, eles acabam prejudicando a cidade, pois esse ato deixa a cidade suja e acaba contribuindo para a violência entre esses grupos. Proibir não é o melhor ato, tínhamos que insistir com os jovens e mostrar para eles um pouco sobre essa arte.

Débora de Castro

Há uma grande diferença entre Pichar e Grafitar


O ato de pichar e grafitar são feitos por muitos adolescentes de periferia que não possuem muitas esperanças no futuro e usam esse meio como forma de se expressar. Algumas pessoas usam por causa da arte em si, e outras por vandalismo mesmo. A diferença entre pichar e grafitar é grande. A pichação é o ato de escrever ou rabiscar e já o grafite é a forma de manifestação artística em espaços públicos. O grafite ajuda as pessoas a se expressarem de forma pública, já a pichação uma forma de demarcação de territórios entre grupos. O grafite deixa nossas ruas mais bonitas ao contrário da pichação. A pichação é prejudicial a nossa cidade, além do fato dos pichadores descumprem com os artigos da lei. Muitos pichadores e pessoas são a favor da pichação, mas isso só estraga a nossa cidade. Para algumas pessoas, isso é uma forma de se expressar e até mais, pois eles se expressam de forma violenta. Já outras pessoas gostam do grafite, além de deixar nossa cidade bonita evita as pichações, que é ruim, pois não é correto destruir o que não nos pertence. Desta forma, todos possuem uma forma de se expressar, inclusive nós. Por isso, não devemos falar mal ou reclamar da forma de cada um ser e agir.

Ewerton de Assis e Jaqueline Domenes

Onde o grafite é crime e a corrupção é arte


Ao invés de prender os verdadeiros criminosos, que são os corruptos, ou os drogados e assaltantes, os policiais prendem os grafiteiros, os “Picasso” das ruas. O grafite é a verdadeira arte. A nossa cidade precisa de um pouco mais de cor, não pichações, que são confundidas com o grafite. O grafite é uma forma de expressão artística, e suas obras são expostas nos muros da cidade, para apreciar, basta só olhar para os muros. A pichação apenas nomes escritos nas paredes. A maioria das pessoas é contra o grafite, pelo fato de confundirem o grafite com a pichação, e falam que tudo é a mesma coisa e sujam os muros do mesmo jeito. Mas na verdade, o muro não fica suja, sim com mais cores, onde os grafiteiros expressam seus sentimentos e revoltas. É claro que em alguns pontos de vista, o grafite é visto como a pichação, pois em muitos casos, acontecem sem a permissão dos donos dos muros, mas essa é a verdadeira arte moderna, a arte que não se encontra em museus e sim nas paredes, que são chamadas de molduras pelos verdadeiros artistas.

José Canedo


Os estudantes podem se mobilizar para atividades Sustentáveis

No início do século XXI, a união de atividades ecológicas ficou conhecida como sustentabilidade. Desviando-se do termo, as atividades sustentáveis são as práticas que a sustentabilidade propõe, mostrando como o planeta pode ser melhor se a população se mobilizar. Uma vez que a conscientização ecológica seja adquirida, essas atitudes tornam-se habituais. Apenas em 1972 a ONU realizou a primeira conferência mundial para tratar do assunto. A solução para controlar a poluição, apontada em relatório, vinculava a preservação dos recursos naturais à estabilidade econômica. Outro documento importante foi lançado em 1987, intitulado “Nosso Futuro Comum”, sintetizava o conceito de desenvolvimento sustentável. A “Cúpula da Terra”, também conhecida como Rio 92 ou Eco 92, foi a mais importante conferência mundial sobre questões relativas à biodiversidade, clima, florestas e desenvolvimento sustentável. Outros encontros se seguiram sempre na tentativa de resolver esses problemas. O objetivo da conferência é a renovação do compromisso político com o desenvolvimento sustentável.


Como podemos contribuir com o meio ambiente e fazer nossa parte? Por menor que seja a atitude com certeza será considerada e de alguma forma estará contribuindo, é cada um fazendo sua parte e através disso é possível ter um mundo melhor. Certamente já ouvimos falar em aquecimento global, o assunto mais debatido nos últimos anos, e com certeza ouvimos falar também que somos nós que estamos acabando com a natureza. Pois então, nós poderíamos jogar os papéis de bala e outros papéis no lixo, ou até substituir as lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes que consumem 60% menos energia, e tomar atitudes sustentáveis. Porém muitos dizem que as lâmpadas fluorescentes são bem mais caras, já não encontramos uma lata de lixo em qualquer lugar e ninguém terá tempo para ficar plantando árvores. Mas se pensássemos bem, com o mundo melhor nós iríamos viver melhor e nossos filhos e netos também viverão melhor, a poluição não iria ser tanta. E iríamos acabar com a grande parte do aquecimento global. Então vamos pensar nisso e fazer o que é certo para todos nós, pois contribuindo com tudo isso, não estaremos salvando uma só vida, mas iremos salvar várias e várias vidas.

Millena Silva e Rafaela Mendes


CRÉDITOS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DRE- SANTO AMARO EMEF PROF. JOÃO DE SOUZA FERRAZ PROFESSORA ORIENTADORA SANDRA CASTILHO PROFESSORA DE INFORMÁTICA DÉBORA LIEBER ALUNOS MONITORES ANA CAROLINA FERREIRA SILVA EDUARDO CÉSAR VALENTIN FARIA ALUNOS EDUARDO CESAR FARIA BÁRBARA BERNA ANDRÉA J. SILVA GABRIEL DIAS CARLA LETICIA MARTINS FRANCISCO CHAYENNE R. M. CANUTO JONATHAN DOS SANTOS RIBEIRO NAYARA ANTONELLI GARACISI RAISSA ALMEIDA LETICIA SANTANA RAFAELA MENDES E THAUANY AP. DÉBORA DE CASTRO JOSÉ CANEDO MILLENA SILVA RAFAELA MENDES


ARTIGOS DE OPINIÃO