Issuu on Google+


Veículo:

Site Passei Aki

Editoria:

Pag:

Assunto:Vestígios humanos são descobertos em áreas "intocadas" na Amazônia ( ) Release da assessoria de imprensa (X) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (X) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

( ) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo

Data: 17/12/2012

(X) Não

Programa:

Vestígios humanos são descobertos em áreas "intocadas" na Amazônia MANAUS -Estudos realizados do Programa de Pós-Graduação em Ecologia (PPG Eco) do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) mostraram sinais de ocupação humana em áreas antes consideradas "virgens". A pesquisa foi realizada em seis módulos do Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio) ao longo da BR-319, que liga Manaus (AM) a Porto Velho (RO), se restringindo a região do interflúvio Purus-Madeira. Baseados em outros estudos, pesquisadores pensavam que a domesticação da Amazônia não passava das margens dos rios principais. Com a descoberta da extensão de florestas antropogênicas ao longo do interflúvio, foram encontrados castanhais, seringais e caiauézais, próximo aos rios, além de Terra Preta de Índio e carvão mineral. O pesquisador Charles Clement, da coordenação de Tecnologia e Inovação do Instituto, diz que o resultado mostra até onde o homem pode ir, já que se espera uma área mais trabalhada perto do local onde ele mora e ao longo do caminho se espera menos modificações". A pesquisa faz parte do mestrado da estudante Carolina Levis, junto com Priscila Figueira, Juliana Schietti, Thaise Emilio, José Luiz Pinto e Flávia Costa. "O diferencial do meu estudo foi incluir uma perspectiva histórica dentro da ecologia e, sobretudo, mostrar que o homem teve um efeito sobre a composição de árvores da floresta no interflúvio Purus-Madeira", frisa Levis.


A pesquisa demonstrou que o uso sustentável e a conservação da Floresta Amazônica serão mais eficazes "se considerar o grau de domesticação da paisagem, já que a floresta ainda concentra árvores úteis resultantes do enriquecimento humano passado". Segundo Levis, os estudos irão impulsionar novas pesquisas na busca do entendimento do legado deixado pelas populações passadas na floresta, além de acentuar a importância da inclusão do efeito da população humana nos estudos ecológicos. A pesquisadora ainda planeja construir seu projeto de doutorado expandindo o tema deste estudo para outras áreas da Amazônia Portal Amazônia, com informações da Fapeam http://www.passeiaki.com/noticias/vestigios-humanos-sao-descobertos-areas-intocadas-amazonia


Veículo:

Portal de Boa Vista do Ramos

Editoria:

Pag:

Assunto:Em Maués, processo de ensino-aprendizagem é valorizado por meio de projetos do PCE (x) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (X) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa: PCE

Em Maués, processo de ensino-aprendizagem é valorizado por meio de projetos do PCE Os dois projetos apresentados no Seminário de Avaliação Final do Programa Ciência na Escola (PCE), em Maués (distante a 276 quilômetros de Manaus) surpreendem pela qualidade dos conteúdos, em que destaca a preservação da memória cultural do município. A exposição ocorreu nesta terça-feira, 14 de agosto, na Escola Estadual São Pedro. Na ordem de apresentação estava o projeto 'Guaraná natureza viva', da Escola Estadual Walton Rodrigues Bizantino, que teve a coordenação da professora Socorro Maria dos Santos Melo, seguido do 'Aluno leitor e escritor', da escola São Pedro, que foi coordenado pela professora Maria do Socorro Libório dos Santos. FAPEAM

acompanha

Seminário

Na solenidade de abertura, a assessora da diretoria técnico-científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), Irlene Arce, ressaltou a importância do PCE no âmbito escolar, como uma ferramenta primordial que propicia ao estudante e ao professor a prática da investigação científica. “O PCE desencadeia o


despertar da vocação científica de ambas as partes, orientando para novas descobertas de investigação”, completou. Arce também convocou os professores da rede pública de ensino daquele município a submeterem suas propostas de projetos ao novo edital da FAPEAM. “A Fundação está à disposição para esclarecimentos quanto ao preenchimento de formulários e outras dúvidas quando houver”, disse. PCE fortalece o processo ensino-aprendizagem A doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Pedagogia, pela Universidade Federal do Amazonas, e consultora do PCE, professora Heloísa da Silva Borges, disse que ambos os projetos resgatam o conceito de que a escola é um espaço atrativo, por meio do PCE. “O programa proporciona à escola a reflexão sobre os conteúdos escolares e também agrega esses novos conhecimentos adquiridos à própria realidade dos alunos, por meio da pesquisa”, afirmou. Borges disse que a pesquisa na escola faz com que o aluno observe a realidade de forma diferenciada, permitindo a interação no processo ensino-aprendizagem, trazendo a reflexão de que a escola é um espaço que propicia o conhecimento, cultivando novos saberes. “O PCE proporciona esse cenário e deve continuar incentivando, cada vez mais, o envolvimento das escolas na prática, não somente da pesquisa, mas de desenvolvimento da relação ensino-aprendizagem”, comentou a consultora. Preservação

da

memória

Para a mestra em Língua Portuguesa e professora do Instituto Federal do Amazonas (Ifam), consultora Gislane Aparecida Martins Siqueira, a apresentação dos projetos lhe surpreendeu pelo ótimo desempenho dos alunos. Segundo ela, ambos os projetos resgatam a cultura local, lembrando a comunidade escolar da importância de se preservar a identidade cultural do município. “É interessante que a sociedade local participe e analise a exposição desses alunos para que reflita sobre a identidade cultural, no sentido de preservar a memória da cidade”, completou Siqueira. Empresa

cria

oportunidade

aos

estudantes

Na ocasião, a gerente de processos agrícolas (Fazenda Santa Helena), da Ambev de Maués, Miriam Frota, que acompanhou as apresentações, afirmou que é possível a parceria entre a empresa e as escolas da rede pública de ensino do município. “A parceria é perfeitamente possível, até porque, a empresa está instalada há mais de 40 anos realizando pesquisa e participando das ações do município”, disse a gerente. Frota também salientou que o envolvimento do aluno com a pesquisa científica traz qualidade ao ensino na rede pública. “É de suma importância essa prática da pesquisa tanto para o aluno quanto para toda a comunidade do município, pois abre um leque de oportunidades”, afirmou. Sobre

o

PCE

O Programa Ciência na Escola (PCE) é uma iniciativa do Governo do Estado, via FAPEAM, que incentiva alunos dos ensinos Fundamental, Médio e de educação


profissional a participarem de projetos de pesquisa desenvolvidos em escolas públicas municipais e estaduais da capital e interior do Amazonas. O programa é realizado em parceria com as secretarias Estadual de Educação (Seduc) e Municipal de Educação (Semed) de Manaus e Itacoatiara, e de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-AM). Fonte: FAPEAM

http://www.portalbvr.com.br/2012/08/em-maues-processo-de-ensino.html


Veículo:

INPA

Editoria:

Pag:

Assunto:Coordenadora de tecnologia social do Inpa lança livro sobre cuidados com a saúde pública ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria (x) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (X) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Coordenadora de tecnologia social do Inpa lança livro sobre cuidados com a saúde pública Na tarde desta quinta-feira (13) foi lançado o livro “Papel da Família na Produção de Cuidados da Saúde”, de Denise Machado Duran Gutierrez, coordenadora de tecnologia social do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (Inpa/MCTI), no auditório Salão Canoas do Instituto Leônidas e Maria Deane da Fundação Oswaldo Cruz (ILMD/Fiocruz). Lançado pela Editora da Universidade Federal do Amazonas (EDUA/Ufam), a obra resultada de uma tese de doutorado sobre saúde pública e retrata o cuidado da saúde sendo a família o objeto central. “Esse livro tende a mostrar que a família não é um objeto passivo na saúde, mas sim a protagonista. Embora a gente tenha como política pública de saúde uma das mais importantes do Programa Saúde da Família (PSF) e a família esteja centrada como unidade de intervenção, pouco se conhece sobre família e sua constituição, sobre suas relações e suas formas de funcionar em contextos específicos, como aqui no Norte”, explicou a autora. Trabalhando por anos como psicóloga clínica, Gutierrez observou e interagiu com famílias buscando seu entendimento e dinâmica e notou a invisibilidade que a família tem no recurso que ancora, sendo que tem grande importância nos cuidados da saúde. “O livro tem uma postura clara, ética e política de trazer a família para esse status de protagonismo, para que a gente entenda que a família não é simplesmente uma entidade passiva que recebe cuidado, mas ela mesma produz cuidados para saúde”, frisa Gutierrez. A autora define seu público-alvo como os serviços de saúde já que a pretensão é estimular a mudança no modo de trabalhar com a família.


O trabalho foi feito com o auxílio de um grupo de famílias das periferias de Manaus e outro de pesquisadores e patrocinado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM). Onde encontrar O livro está disponível no Sindicato dos Servidores de Ciência, Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde Pública (Asfoc-SN) na Fiocruz pelo custo de R$ 15. Para mais informações contate telefone (92) 3621-2323. Em breve o livro também estará disponível na Livraria Lua, localizada no Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL), setor Norte da Ufam. Para mais informações contate a EDUA: (92) 3231-1139. http://www.inpa.gov.br/noticias/noticia_sgno2.php?codigo=2652


Veículo:

Site JusClip

Editoria:

Pag:

Assunto: Fapeam prorroga prazo de inscrições para 4ª edição do Prêmio de Jornalismo Científico ( ) Release da assessoria de imprensa (x) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (X) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Fapeam prorroga prazo de inscrições para 4ª edição do Prêmio de Jornalismo Científico A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) prorrogou para o dia 8 de fevereiro de 2013 o encerramento das inscrições e envio de materiais para participação na 4ª edição do Prêmio Fapeam de Jornalismo Científico. Nesta edição, serão concedidos R$ 50,8 mil em prêmios para assessorias de comunicação/e ou imprensa, profissionais e estudantes de jornalismo que tenham produzido matérias relacionadas à Ciência, Tecnologia e Inovação em 2012, com objetivo de incentivar o jornalismo científico no Estado e estimular a popularização da ciência. As propostas submetidas serão pré-analisadas pela equipe técnica da instituição que verificará os requisitos exigidos no edital. As propostas passarão ainda por uma análise de mérito e relevância, na qual todos os trabalhos serão julgados por uma comissão composta por cinco membros convidados pela Fapeam. Neste ano, os concorrentes podem inscrever até cinco matérias por categoria. O vencedor será o candidato que conseguir a maior nota da comissão avaliadora. A divulgação dos resultados está prevista para abril de 2013 e a entrega do prêmio será feita durante cerimônia, em local ainda a ser definido, em maio do ano que vem. Prêmio para assessorias -A modalidade ‘Comunicação Institucional’ vai reconhecer o trabalho das


assessorias de comunicação e/ou imprensa de instituições de Ensino Superior e/ou Pesquisa (IPES), de órgãos públicos em geral (municipais, estaduais e federais), ou ainda, de empresas (públicas ou privadas) que atuam na divulgação de ações institucionais relacionadas à ciência, tecnologia e inovação. Será concedida uma premiação de R$ 10 mil, a ser entregue ao assessor de comunicação e/ou imprensa na forma de auxílio-pesquisa, para promoção de melhorias na infraestrutura do setor. Será entregue ainda um troféu a instituição e certificados a cada membro da equipe atuante na assessoria de comunicação. Como já aconteceu nas edições anteriores, jornalistas profissionais e estudantes na modalidade ‘Comunicação institucional’ que atuam em assessorias de comunicação e/ou imprensa de instituições e/ou empresas focadas na divulgação científica podem concorrer em três categorias: impresso-jornal, impresso-revista e internet com prêmio de R$ 1,2 mil para estudantes e R$ 3 mil para profissionais. Divulgação científica – Na modalidade ‘Comunicação de Massa’ não houve alteração e continuam os prêmios destinados a categorias voltadas à ‘TV/TV disponível na web – reportagem e videorreportagem’ e ‘TV/TV disponível na web – grande reportagem e documentário jornalístico’. Nesta modalidade, o objetivo é prestigiar os profissionais autores de documentários jornalísticos e atuantes em videorreportagens que popularizam a ciência cotidianamente. Também serão premiados profissionais e estudantes nas categorias de impresso-jornal, impressorevista, rádio/rádio disponível na web, internet e fotojornalismo. Os prêmios são de R$ 1,2 mil para estudantes e R$ 3 mil para profissionais. Sobre o Prêmio – O Prêmio Fapeam de Jornalismo Científico é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-AM) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (FAPEAM), e tem o objetivo de incentivar o jornalismo científico no Estado e estimular a popularização da ciência. O Edital 019/2012 e o Aditamento e Retificação do edital do Prêmio de Jornalismo Científico da FAPEAM, com todas as regras, informações e instruções necessárias aos interessados estão disponíveis para consulta no site da Fundação. Modalidade Comunicação Institucional: Será premiada individualmente nesta modalidade a seguinte categoria: NÍVEL CATEGORIA Institucional Assessoria de Comunicação e/ou Imprensa – Projeto de Comunicação Institucional/ Portfólio/ Periodicidade dos produtos Profissional Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica Estudante Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica Modalidade Comunicação de Massa: Serão premiadas individualmente nesta modalidade, em seus respectivos níveis, as seguintes categorias: NÍVEL CATEGORIA Profissional Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica TV/TV disponível na Web – Reportagem ou Videorreportagem (até 2’ minutos) – Matéria de Divulgação Científica TV/TV disponível na Web (superior a 2’ minutos) – Grande Reportagem de Divulgação Científica


ou Documentário Jornalístico de Divulgação Científica Rádio/ Rádio disponível na Web – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica Fotojornalismo – Fotografia de Divulgação Científica Estudante Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica TV/TV disponível na Web – Reportagem ou Videorreportagem de Divulgação Científica (até 2’ minutos) Rádio/ Rádio disponível na Web – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica Fotojornalismo – Fotografia de Divulgação Científica CRONOGRAMA ATIVIDADES DATA Lançamento do Edital 27 de novembro de 2012 Inscrições Até 8 de fevereiro de 2013 Divulgação dos selecionados abril de 2013 Entrega do Prêmio maio de 2013 http://jusclip.com.br/fapeam-prorroga-prazo-de-inscricoes-para-4%C2%AA-edicao-do-premio-dejornalismo-cientifico/


Veículo:

JusClip

Editoria:

Pag:

Assunto:Pesquisa financiada pela Fapeam revela fatores sociais que influenciam no envelhecimento ( ) Release da assessoria de imprensa (x) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (X) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Paic

Pesquisa financiada pela Fapeam revela fatores sociais que influenciam no envelhecimento Diversos fatores sociais como gênero, escolaridade, idade e naturalidade exercem forte influência na forma de envelhecer. Com o objetivo de verificar a abrangência desses fatores foi desenvolvida a pesquisa “Papéis sociais desempenhados por idosos que moram no Conjunto 31 de Março, Japiim 2”, realizada pelo psicólogo e pesquisador Andrews do Nascimento Duque. O estudo foi desenvolvido na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e contou com o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Paic). Duque explicou que a pesquisa objetivou conhecer os papéis sociais desempenhados por um grupo de idosos moradores do Conjunto 31 de Março, localizado no bairro Japiim 2, zona sul de Manaus, assim como identificar as tarefas evolutivas e os papéis sociais por eles exercidos. De acordo com ele, o estudo partiu de uma perspectiva do desenvolvimento humano no curso de vida, a qual privilegia a visão do desenvolvimento humano do nascimento até a morte. “Esta teoria afirma que as mudanças normativas e não normativas relacionadas às questões biológicas, psicológicas e sociais afetam a trajetória de desenvolvimento das pessoas, de forma que as mesmas alocarão recursos internos e externos com o objetivo de fazer um equilíbrio entre ganhos e perdas. Neste sentido, o envelhecimento assume configurações diferentes em cada contexto”, ressaltou o pesquisador. Inclusão social – De acordo com Duque, durante a pesquisa, foi possível perceber que o idoso de


hoje, não pensa mais como antigamente quando eles envelheciam num processo de isolamento. Hoje, eles adquiriram muitos benefícios que contribuíram para a inclusão social, mas há fatores que persistem em deixá-los fora de certas atividades que ainda poderiam desenvolver e com elas resgatar a autoestima e a qualidade de vida. “Para o idoso, a aposentadoria não é o fim, é um direito. E depois dela, ele ainda tem muito a contribuir para a sociedade com a sua experiência. Mas a falta de oportunidade, como voltar ao mercado de trabalho, voltar a estudar, assim como a adaptação de quem vem do interior para a cidade, a mobilidade urbana, o medo da violência e outros fatores, afetam a forma de envelhecimento e contribuem para um perfil diferenciado de velhice. Com essas lacunas, as atividades de lazer e a família são os principais suportes para superar e compensar essas possíveis perdas”, enfatizou. Sobre o Paic – O Programa de Apoio à Iniciação Científica do Amazonas consiste em apoiar, com recursos financeiros e bolsas institucionais, estudantes de graduação interessados no desenvolvimento de pesquisa em instituições públicas e privadas do Amazonas. http://jusclip.com.br/pesquisa-financiada-pela-fapeam-revela-fatores-sociais-que-influenciam-noenvelhecimento/


Veículo:

Site JusBrasil

Editoria:

Pag:

Assunto:Articulação do Amazonas traz Congresso de Comunicação para o Estado ( ) Release da assessoria de imprensa ( x ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( X) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Parev

Articulação do Amazonas traz Congresso de Comunicação para o Estado Em 2013, as etapas regional (Norte) e Nacional do Congresso de Ciências da Comunicação serão realizadas no Amazonas, respectivamente, nos meses de maio e setembro. O tema será "Comunicação em tempo de redes sociais: afetos, emoções, subjetividades". A vice-presidente da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), professora doutora Marialva Barbosa, destacou a articulação realizada no Amazonas para a organização do 36º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. "O Amazonas está se destacando pelo empenho na organização do congresso de 2013 pela forte articulação com os pesquisadores e estudantes locais e na captação de recursos. O lançamento do evento foi um sucesso, em plena greve das Universidades Federais, conseguiram reunir quase mil pessoas, tem tudo para ser um sucesso", afirma. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) vai apoiar o Intercom Norte e o Intercom Nacional de forma institucional e por meio do Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos e Tecnológicos no Estado do Amazonas (Parev). Conheça o site do 36º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação no link intercomanaus.com/brasil/intercom2013/ 7º Sinacom - Com o tema "Geração Intercom -novas artífices das Ciências da Comunicação", o 7º Simpósio Nacional das Ciências da Comunicação (Sinacom 2012) reuniu pesquisadores de várias localidades do país em São Paulo, nos dias 12 e 13 de dezembro. A programação contou com um


resgate histórico da Intercom e com planejamento para o futuro da pesquisa no Brasil. O evento foi realizado no Centro Cultural Professor José Marques de Melo e fez parte de uma programação intensa que comemorou os 35 anos da Intercom no decorrer deste ano. As mesas de discussões foram direcionadas à história das ciências da comunicação no Brasil, à história da Intercom e às tendências e desafios da Sociedade para os próximos anos. http://governo-am.jusbrasil.com.br/politica/103837064/articulacao-do-amazonas-traz-congresso-decomunicacao-para-o-estado


Veículo:

Site Difusora Amazonas

Editoria:

Pag:

Assunto:Inpa desenvolve estudo sobre a diversidade genética do pássaro ‘pretinho’ ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( x ) Release de outra instituição ( x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Inpa desenvolve estudo sobre a diversidade genética do pássaro ‘pretinho’ Na região Amazônica, diferentes tipos de vegetação compõem o bioma: floresta densa de terra firme, várzea, igapó, campinas, campinaranas, cerrados ou savanas, floresta de bambu, entre outras. As características físicas dessas vegetações não são visivelmente distintas, elas acontecem de forma gradual e harmoniosa, permitindo que os animais não se fixem no mesmo lugar. Uma pesquisa desenvolvida no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI), que estuda a origem e diversidade genética da espécie Xenopipo atronitens, conhecida popularmente como pretinho – característica das campinas amazônicas -, pretende compreender a evolução deste ambiente e entender o movimento desses indivíduos entre campinas. O estudo foi realizado em três regiões da Amazônia: Aracá, norte do município de Barcelos; Jaú, no município de Novo Airão; e Uatumã no município de São Sebastião do Uatumã (todos localizados no estado do Amazonas), intitulado “Combinando filogeografia e genética da paisagem para compreender a evolução deXenopipo atronitens (Aves; Pipridae), uma espécie característica da campina Amazônica”, desenvolvido pelo estudante do Programa de Pós-Graduação em Ecologia (PPG-ECO) do Inpa, João Marcos Guimarães Capurucho. A pesquisa foi orientada pela tecnologista do Instituto, Camila Cherem Ribas, e coorientada por Cintia Cornelius Frische, pesquisadora colaboradora no Projeto de Dinâmica Biológica de


Fragmentos Florestais (PDBFF) do Inpa e professora da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), além de receber o financiamento das fundações de amparo à pesquisa do Amazonas (Fapeam) e de São Paulo (Fapesp). João Capurucho afirma que a espécie Xenopipo atronitens está distribuída por toda a Amazônia e está relaciona a outra espécie: Xenopipo uniformis, conhecida como dançarino-oliváceo. As duas espécies têm provável origem na região de Tepuis, localizada na parte norte do escudo das Guianas. ORIGENS Nessas regiões, de acordo com Capurucho, é possível que a formação da paisagem dos Tepuis pelo processo erosivo tenha levado ao isolamento entre as populações que deram origem a estas espécies. Ele ressalta que a origem pode ser fruto de um evento de dispersão das campinas para as terras altas nos Tepuis, ou vice-versa. “Ainda são necessários mais estudos para compreender a origem destas duas espécies a partir de um ancestral comum”, observa. Em cada região de estudo foi coletado sangue de no mínimo 10 indivíduos da espécie Xenopipo atronitens, usando redes de neblina, para extração e análise do DNA em laboratório. “Nós queríamos entender a movimentação desses indivíduos entre as campinas e como eles têm essa característica de estarem isolados em plena floresta, queríamos entender como a composição do ambiente (mais ou menos floresta), influencia na conectividade entre populações”, explica Capurucho. Por meio dos estudos filogeográficos – distribuição da diversidade genética no espaço – e de genética da paisagem – estudo da genética de populações e ecologia da paisagem – foi observado que apesar da espécie estar aparentemente isolada nas ilhas de campina, os indivíduos são geneticamente similares por toda a Amazônia. O ecólogo observa que, após a análise do DNA dos indivíduos coletados, as populações não são geneticamente distintas, na escala da paisagem, que é a escala dentro de cada uma dessas regiões do Aracá, Jaú e Uatumã. “Nós não observamos nenhuma estrutura populacional, ou seja, os indivíduos aparentemente estão se movimentando entre essas campinas e não isolados em cada uma”, afirma. O estudo sugere que esse não isolamento, diferente do que ocorre na região originária, têm duas explicações possíveis. “Este resultado pode significar duas coisas: primeiro, que os indivíduos são capazes de atravessar grandes extensões de floresta ou corredores de outros tipos de habitat (campinaranas e igapós, que são ambientes também utilizados pela espécie), mantendo assim, o fluxo gênico entre populações; ou as florestas de terra-firme são uma barreira ao fluxo gênico, sendo que este é restrito atualmente, e as populações foram isoladas recentemente após o último máximo glacial com a consequente expansão das áreas florestais”, avalia. Do site da Secti-AM http://www.difusora24h.com/inpa-desenvolve-estudo-sobre-a-diversidade-genetica-do-passaropretinho/


Veículo:

Portal do Governo

Editoria:

Pag:

Assunto:’Secti articula implantação de especialização de Agente de Inovação e Difusão Tecnológica ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

(x) Release de outra instituição (x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Secti articula implantação de especialização de Agente de Inovação e Difusão Tecnológica A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Amazonas (SECTI-AM) tem norteado vários debates e articulado ações com foco na questão da inovação tecnológica. Uma das principais é a realização do Fórum de Inovação do Amazonas. Sob a coordenação da Secti-AM, o fórum tem por finalidade debater estratégias que contribuam para promover a integração entre a academia e o setor produtivo visando ao fortalecimento da área. Nesta sexta-feira (14), ocorrerá a última reunião do Fórum de Inovação do Amazonas na sede da Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi), em Manaus, a partir das 14h30. Na programação, além da palestra “Tecnova: um instrumento de desenvolvimento regional”, que abordará sobre o programa de subvenção econômica para aplicação em micro e pequenas empresas, lançado recentemente pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), será apresentado o curso de especialização Agente de Inovação e Difusão Tecnológica (Agintec), que visa à formação de profissionais capacitados para negociar e catalisar os processos de difusão e apropriação econômica e social do conhecimento para fortalecer a cultura da inovação no país.. A apresentação será feita pelo diretor de Relações Interinstitucionais da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica (Abipti), Félix Andrade da Silva. A Secti-AM é apoiadora da iniciativa no estado e está articulando a implantação do curso no Estado, junto à Universidade do Estado do Amazonas (UEA).


Lançamento Pró-Incubadoras - Neste ano, houve ainda uma reunião ordinária anterior do Fórum de Inovação e três reuniões extraordinárias em conjunto com o Fórum Estadual de Gestores de Ensino e Pesquisa. Na reunião ordinária, ocorreu o lançamento da primeira edição do Programa de Apoio a Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica (Pró-Incubadoras), ação promovida pela Secti-AM em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). Na ocasião, os presentes também puderam aprender mais sobre o papel do movimento de incubadoras de empresas no desenvolvimento e fortalecimento regional, durante palestra proferida pela representante da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), Sheila Oliveira Pires. As discussões giraram em torno do incentivo à incubação de micro e pequenas empresas no Estado e das vantagens oferecidas pelas incubadoras de instituições de ensino e centros de incubação na região. Reuniões conjuntas com Fórum de Gestores - O grupo responsável pelo fórum de inovação também debateu sobre a possibilidade de criação de uma empresa estadual de capital misto capaz de explorar a comercialização de bioprodutos da região de forma competitiva, em conjunto com gestores de instituições de CT&I durante duas reuniões extraordinárias do Fórum Estadual de Gestores de Ensino e Pesquisa. Nos encontros, os representantes de várias instituições debateram a viabilidade do bionegócio no Estado. As discussões foram pautadas com base nos potenciais, mas também foram questionados os gargalos para a execução da proposta, onde as dificuldades da cadeia produtiva ganharam destaque. Na terceira reunião do fórum de inovação feita em conjunto com o fórum de gestores, a pauta foi sobre os novos paradigmas das Políticas de Apoio à Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e articulação entre Empresas e Instituições de Ensino Superior (IES). Na ocasião, também houve a apresentação do Sistema de Indicadores Online de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Amazonas (Sion-AM). Trata-se da primeira plataforma estadual de banco de dados criada no País, com foco exclusivamente na área de CT&I. A iniciativa foi idealizada pela Secti-AM e realizada em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), que financiou o projeto, e a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), responsável pela execução. Também foi tratado sobre os requisitos da Lei Estadual de Inovação. http://www.amazonas.am.gov.br/2012/12/secti-articula-implantacao-de-especializacao-de-agentede-inovacao-e-difusao-tecnologica/


Veículo:

Portal do Governo

Editoria:

Pag:

Assunto:Fapeam prorroga prazo de inscrições para 4ª edição do Prêmio de Jornalismo Científico ( ) Release da assessoria de imprensa (x) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Fapeam prorroga prazo de inscrições para 4ª edição do Prêmio de Jornalismo Científico 17:40 - 14/12/2012 A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) prorrogou para o dia 8 de fevereiro de 2013 o encerramento das inscrições e envio de materiais para participação na 4ª edição do Prêmio Fapeam de Jornalismo Científico. Nesta edição, serão concedidos R$ 50,8 mil em prêmios para assessorias de comunicação/e ou imprensa, profissionais e estudantes de jornalismo que tenham produzido matérias relacionadas à Ciência, Tecnologia e Inovação em 2012, com objetivo de incentivar o jornalismo científico no Estado e estimular a popularização da ciência. As propostas submetidas serão pré-analisadas pela equipe técnica da instituição que verificará os requisitos exigidos no edital. As propostas passarão ainda por uma análise de mérito e relevância, na qual todos os trabalhos serão julgados por uma comissão composta por cinco membros convidados pela Fapeam. Neste ano, os concorrentes podem inscrever até cinco matérias por categoria. O vencedor será o candidato que conseguir a maior nota da comissão avaliadora. A divulgação dos resultados está prevista para abril de 2013 e a entrega do prêmio será feita durante cerimônia, em local ainda a ser definido, em maio do ano que vem.


Prêmio para assessorias - A modalidade ‘Comunicação Institucional’ vai reconhecer o trabalho das assessorias de comunicação e/ou imprensa de instituições de Ensino Superior e/ou Pesquisa (IPES), de órgãos públicos em geral (municipais, estaduais e federais), ou ainda, de empresas (públicas ou privadas) que atuam na divulgação de ações institucionais relacionadas à ciência, tecnologia e inovação. Será concedida uma premiação de R$ 10 mil, a ser entregue ao assessor de comunicação e/ou imprensa na forma de auxílio-pesquisa, para promoção de melhorias na infraestrutura do setor. Será entregue ainda um troféu a instituição e certificados a cada membro da equipe atuante na assessoria de comunicação. Como já aconteceu nas edições anteriores, jornalistas profissionais e estudantes na modalidade ‘Comunicação institucional’ que atuam em assessorias de comunicação e/ou imprensa de instituições e/ou empresas focadas na divulgação científica podem concorrer em três categorias: impresso-jornal, impresso-revista e internet com prêmio de R$ 1,2 mil para estudantes e R$ 3 mil para profissionais. Divulgação científica – Na modalidade ‘Comunicação de Massa’ não houve alteração e continuam os prêmios destinados a categorias voltadas à ‘TV/TV disponível na web – reportagem e videorreportagem’ e ‘TV/TV disponível na web – grande reportagem e documentário jornalístico’. Nesta modalidade, o objetivo é prestigiar os profissionais autores de documentários jornalísticos e atuantes em videorreportagens que popularizam a ciência cotidianamente. Também serão premiados profissionais e estudantes nas categorias de impresso-jornal, impressorevista, rádio/rádio disponível na web, internet e fotojornalismo. Os prêmios são de R$ 1,2 mil para estudantes e R$ 3 mil para profissionais. Sobre o Prêmio – O Prêmio Fapeam de Jornalismo Científico é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-AM) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (FAPEAM), e tem o objetivo de incentivar o jornalismo científico no Estado e estimular a popularização da ciência. O Edital 019/2012 e o Aditamento e Retificação do edital do Prêmio de Jornalismo Científico da FAPEAM, com todas as regras, informações e instruções necessárias aos interessados estão disponíveis para consulta no site da Fundação. Modalidade Comunicação Institucional: Será premiada individualmente nesta modalidade a seguinte categoria: NÍVEL

CATEGORIA

Institucional

Assessoria de Comunicação e/ou Imprensa – Projeto de Comunicação Institucional/ Portfólio/ Periodicidade dos produtos

Profissional

Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica

Estudante

Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica


Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica Modalidade Comunicação de Massa: Serão premiadas individualmente nesta modalidade, em seus respectivos níveis, as seguintes categorias: NÍVEL

CATEGORIA

Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica TV/TV disponível na Web – Reportagem ou Videorreportagem (até 2’ minutos) – Matéria de Divulgação Científica TV/TV disponível na Web (superior a 2’ minutos) – Grande Profissional Reportagem de Divulgação Científica ou Documentário Jornalístico de Divulgação Científica Rádio/ Rádio disponível na Web – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica Fotojornalismo – Fotografia de Divulgação Científica Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica TV/TV disponível na Web – Reportagem ou Videorreportagem de Estudante Divulgação Científica (até 2’ minutos) Rádio/ Rádio disponível na Web – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica Fotojornalismo – Fotografia de Divulgação Científica CRONOGRAMA ATIVIDADES

DATA

Lançamento do Edital

27 de novembro de 2012

Inscrições

Até 8 de fevereiro de 2013

Divulgação dos selecionados

abril de 2013

Entrega do Prêmio

maio de 2013

http://www.amazonas.am.gov.br/2012/12/fapeam-prorroga-prazo-de-inscricoes-para-4a-edicao-dopremio-de-jornalismo-cientifico/


Veículo:

Portal do Governo

Editoria:

Pag:

Assunto:Pesquisa financiada pela Fapeam revela fatores sociais que influenciam no envelhecimento ( ) Release da assessoria de imprensa ( x) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Paic

Pesquisa financiada pela Fapeam revela fatores sociais que influenciam no envelhecimento Diversos fatores sociais como gênero, escolaridade, idade e naturalidade exercem forte influência na forma de envelhecer. Com o objetivo de verificar a abrangência desses fatores foi desenvolvida a pesquisa “Papéis sociais desempenhados por idosos que moram no Conjunto 31 de Março, Japiim 2”, realizada pelo psicólogo e pesquisador Andrews do Nascimento Duque. O estudo foi desenvolvido na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e contou com o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Paic). Duque explicou que a pesquisa objetivou conhecer os papéis sociais desempenhados por um grupo de idosos moradores do Conjunto 31 de Março, localizado no bairro Japiim 2, zona sul de Manaus, assim como identificar as tarefas evolutivas e os papéis sociais por eles exercidos. De acordo com ele, o estudo partiu de uma perspectiva do desenvolvimento humano no curso de vida, a qual privilegia a visão do desenvolvimento humano do nascimento até a


morte. “Esta teoria afirma que as mudanças normativas e não normativas relacionadas às questões biológicas, psicológicas e sociais afetam a trajetória de desenvolvimento das pessoas, de forma que as mesmas alocarão recursos internos e externos com o objetivo de fazer um equilíbrio entre ganhos e perdas. Neste sentido, o envelhecimento assume configurações diferentes em cada contexto”, ressaltou o pesquisador. Inclusão social – De acordo com Duque, durante a pesquisa, foi possível perceber que o idoso de hoje, não pensa mais como antigamente quando eles envelheciam num processo de isolamento. Hoje, eles adquiriram muitos benefícios que contribuíram para a inclusão social, mas há fatores que persistem em deixá-los fora de certas atividades que ainda poderiam desenvolver e com elas resgatar a autoestima e a qualidade de vida. “Para o idoso, a aposentadoria não é o fim, é um direito. E depois dela, ele ainda tem muito a contribuir para a sociedade com a sua experiência. Mas a falta de oportunidade, como voltar ao mercado de trabalho, voltar a estudar, assim como a adaptação de quem vem do interior para a cidade, a mobilidade urbana, o medo da violência e outros fatores, afetam a forma de envelhecimento e contribuem para um perfil diferenciado de velhice. Com essas lacunas, as atividades de lazer e a família são os principais suportes para superar e compensar essas possíveis perdas”, enfatizou. Sobre o Paic – O Programa de Apoio à Iniciação Científica do Amazonas consiste em apoiar, com recursos financeiros e bolsas institucionais, estudantes de graduação interessados no desenvolvimento de pesquisa em instituições públicas e privadas do Amazonas. http://www.amazonas.am.gov.br/2012/12/pesquisa-financiada-pela-fapeam-revela-fatores-sociaisque-influenciam-no-envelhecimento/


Veículo:

Portal do Governo

Editoria:

Pag:

Assunto:Articulação do Amazonas traz Congresso de Comunicação para o Estado ( ) Release da assessoria de imprensa (x) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Paic

Articulação do Amazonas traz Congresso de Comunicação para o Estado Em 2013, as etapas regional (Norte) e Nacional do Congresso de Ciências da Comunicação serão realizadas no Amazonas, respectivamente, nos meses de maio e setembro. O tema será “Comunicação em tempo de redes sociais: afetos, emoções, subjetividades”. A vice-presidente da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), professora doutora Marialva Barbosa, destacou a articulação realizada no Amazonas para a organização do 36º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. “O Amazonas está se destacando pelo empenho na organização do congresso de 2013 pela forte articulação com os pesquisadores e estudantes locais e na captação de recursos. O lançamento do evento foi um sucesso, em plena greve das Universidades Federais, conseguiram reunir quase mil pessoas, tem tudo para ser um sucesso”, afirma. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) vai apoiar o Intercom Norte e o Intercom Nacional de forma institucional e por meio do Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos e


Tecnológicos no Estado do Amazonas (Parev). Conheça o site do 36º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação no link intercomanaus.com/brasil/intercom2013/ 7º Sinacom – Com o tema “Geração Intercom – novas artífices das Ciências da Comunicação”, o 7º Simpósio Nacional das Ciências da Comunicação (Sinacom 2012) reuniu pesquisadores de várias localidades do país em São Paulo, nos dias 12 e 13 de dezembro. A programação contou com um resgate histórico da Intercom e com planejamento para o futuro da pesquisa no Brasil. O evento foi realizado no Centro Cultural Professor José Marques de Melo e fez parte de uma programação intensa que comemorou os 35 anos da Intercom no decorrer deste ano. As mesas de discussões foram direcionadas à história das ciências da comunicação no Brasil, à história da Intercom e às tendências e desafios da Sociedade para os próximos anos. http://www.amazonas.am.gov.br/2012/12/articulacao-do-amazonas-traz-congresso-de-comunicacaopara-o-estado/


Veículo:

Portal.Ufam

Editoria:

Pag:

Assunto:Melhores trabalhos apresentados no CONIC recebem o prêmio Professor Abraham Moysés Cohen ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( x) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Paic

Melhores trabalhos apresentados no CONIC recebem o prêmio Professor Abraham Moysés Cohen A Cerimônia de encerramento do XXI Congresso de Iniciação Científica da UFAM ocorreu na manhã desta sexta-feira (14/12), no auditório rio Alalaú, da Faculdade de Educação. Os melhores trabalhos apresentados no evento receberam o prêmio Professor Abraham Moysés Cohen Durante a cerimônia de premiação dos melhores trabalhos, a reitora, professora Márcia Perales, ressaltou o quanto é difícil para os avaliadores definirem que trabalhos devem ser premiados. “É um trabalho muito difícil para os comitês institucionais e o comitê externo, porque todos os projetos são de excelente qualidade. Sabemos que esse prêmio têm um grande valor para a vida acadêmica e para a satisfação pessoal dos premiados, pois reconhece o plus, o destaque da pesquisa deles, mas isso não significa demérito nenhum aos demais trabalhos, pois todos foram rigorosamente analisados e aprovados com mérito”. A representante do Comitê Assessor do CNPq na área de Ciências Humanas, Rosa Ester Rossini, afirmou que, independente de premiação, todos os estudantes que se apresentaram durante o evento serão profissionais diferenciados no mercado de trabalho. “Mesmo aqueles que não vão seguir a carreira científica, sabem que a pesquisa do PIBIC nunca será um investimento perdido. Quem tem PIBIC já é premiado, pois teve energia para desenvolver e concluir um trabalho de pesquisa. O coordenador do Congresso, professor Antônio José Inhamuns da Silva, afirmou que todas as atividades são um estímulo para que os alunos participem mais das atividades universitárias e


cresçam na ciência e na pesquisa na região. A Pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação, professora Selma Baçal destacou que o CONIC é um sucesso para a instituição. “O encerramento do XXI CONIC é um momento importante de reconhecimento dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos e pelos docentes da Universidade e a Universidade está em festa porque a iniciação científica da UFAM é o maior projeto de iniciação científica do Estado do Amazonas” comemorou a pró-reitora. As pesquisas desenvolvidas pelos bolsistas e voluntários do Programa Institucional de Iniciação Científica foram financiadas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológco (CNPq), pela Fundação de Amaparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) e pela Universidade Federal do Amazonas.

Confira abaixo, os estudantes que receberam o prêmio Professor Abraham Moysés Cohen. Thiago Albuquerque de Araújo – do curso de Ciências Agrárias - orientado pela professora Maria Teresa Gomes Lopes. Pesquisa: Diversidade genética de populações de buriti. Ana Paula Gualda Santos - Ciências Biológicas - orientada pela professora Daniele Aparecida Matoso. Pesquisa: Investigação de alterações cromossômicas e estruturais em portadores de deficiência mental. Márcia Brandão de Oliveira – do curso de Estatística - orientada pelo professor Celso Rômulo Barbosa Cabral. Pesquisa: Modelos de regressão linear assimétricos. José Carlos de Souza – do curso de Geografia – orientado pela professora Adorea Rebello. Pesquisa Estudo dos resíduos sólidos flutuantes do Igarapé do passarinho Manaus/AM. William Nascimento Litaiff Nogueira - do curso de Farmácia - orientado pela professora Cinthya Iamille Frithz Brandão de Oliveira. Pesquisa: Estudo da atividade antinociceptiva e antiinflamatória de frações biologicamente ativas de Aspidosperma nitidum Benth. Ex Mull. Arg. Wylnara dos Santos Braga - orientada pela professora Márcia Irene Pereira Andrade. Pesquisa: Avaliação dos Pós-acordos firmados no Núcleo de Conciliação das Varas de famílias. N.C.V.F TJ/AM,em 2011. Pedro Henrique Coimbra de Oliveira - do PIBIT -orientado pela professora Neila de Almeida Braga. Pesquisa. Produção de células eletroquímicas para oxidação de compostos orgânicos em amostras. http://portal.ufam.edu.br/index.php/comunicacao/172-melhores-trabalhos-apresentados-no-conicrecebem-o-premio-professor-abraham-moyses-cohen


Veículo:

Portal.Ufam

Editoria:

Pag:

Assunto:Encerramento do I Encontro Estadual da Associação Nacional de História – seção Amazonas ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria (x) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Paic

Encerramento do I Encontro Estadual da Associação Nacional de História – seção Amazonas O presidente da Associação Nacional de História (ANPUH), professor Benito Schmidt, foi um dos conferencistas do evento. Ele destacou que o I Encontro da ANPUH - seção Amazonas colabora para a integração nacional dos cerca de 4 mil associados da ANPUH Brasil. “É muito importante que nossa associação seja efetivamente nacional. Durante muito tempo, ela ficou concentrada no Sudeste e hoje vemos um movimento de todos os estados criando suas associações estaduais. Esse é o caso do Amazonas, ao promover o primeiro encontro da ANPUH estadual. Espero que seja o primeiro de muitos outros”, disse. Ele também comentou que o papel do historiador tem se diversificado muito nos últimos tempos. “Antes, pensava-se que quem se formava em História ou fazia pós-graduação nesta área, só poderia ser professor ou pesquisador acadêmico. Hoje, os historiadores estão trabalhando em outros espaços como museus, arquivos, centros de documentação, memoriais ou até mesmo com turismo. Encontros como este apontam os demais espaços em que o historiador pode atuar, como nas grandes discussões políticas do Brasil contemporâneo, o que pudemos perceber durante a Mesa redonda “Os historiadores e a Comissão da Verdade no Amazonas”. A programação do evento contou com 6 minicursos, 6 simpósios temáticos, 2 debates sobre o ensino em História, 3 mesas redondas e 4 conferências. Na avaliação do coordenador do encontro e presidente da Associação Nacional de História - seção Amazonas, professor Hideraldo Costa, a atividade alcançou todos os objetivos pretendidos. “Foi um evento de êxito. Aconteceu tudo o que


estava programado. Tivemos 225 inscritos num momento em que a Universidade tem vários eventos acontecendo ao mesmo tempo. Aproveito para agradecer o apoio recebido da UFAM; do Departamento de História e das instituições externas que atenderam as demandas acadêmicas como a UNINORTE, a UEA e a UNiNnIlton Lins. Os simpósios e as mesas redondas contaram com a colaboração de todas essa instituições. Agradeço a FAPEAM, que financiou mais de 90% do nosso encontro. Parabenizo também os alunos de História, que seguraram a organização do evento. Sabemos que a organização é um tema importante para a avaliação e não tivemos problemas quanto a isso”, relatou o coordenador. Os alunos aproveitaram para destacar o legado do evento para a formação deles. Alessandro Almeida, do 8˚ período do curso de História, elegeu os minicursos como a programação mais interessante do evento. “Aprendi muito, principalmente com o minicurso ministrado pelo professor Francisco Jorge. Ele nos apontou muitas possibilidades de pesquisa sobre a História da Amazônia e nos orientou a instruir nossos alunos durante os trabalhos de pesquisa. Ele também destacou que quando formos professores, devemos incentivar os estudantes a utilizarem as novas tecnologias”. Felipe Cabral percebeu que, apesar de ser aluno finalista, ainda tem muito para aprender. “Durante a conferência do professor da Universidade Federal de Sergipe, Itamar Freitas de Oliveira, pude compreender como podemos inserir, de forma didática, a História do Amazonas durante as aulas de História do Brasil no ensino básico. Foi uma contribuição importante, pois o conferencista compartilhou a experiência dele de ensinar a História de Sergipe, apesar de o Estado não possuir livros didáticos sobre a história regional. Ele deu muitos exemplos de como fazer isso e eu apreendi”. O evento aconteceu de 10 a 13 de dezembro, no Auditório Rio Amazonas, na Faculdade de Estudos Sociais. http://portal.ufam.edu.br/index.php/comunicacao/174-encerramento-do-i-encontro-estadual-daassociacao-nacional-de-historia-


Veículo:

Portal Amazônia.com

Editoria:

Pag:

Assunto:Convívio social afeta saúde de indígenas no Amazonas ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( x) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Paic

Convívio social afeta saúde de indígenas no Amazonas MANAUS – A pesquisa ‘Rastros da saúde indígena nos relatórios das inspetorias do Serviço de Proteção aos Índios no Amazonas’, analisou, no início do século 20, documentos do Serviço de Proteção aos Índios (SPI) sobre as condições de saúde e tratamento oferecidos à população indígena daquela época. A pesquisa possibilitou confirmar que entre os principais rastros de doenças estão: malária, gripe e tuberculose nos adultos e, principalmente, verminoses, entre as crianças. Segundo a graduanda do curso de História da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Lara Vieira Bentolila de Aguiar, com o levantamento foi possível observar, além da comprovação que as principais doenças que afetavam os índios eram oriundas do avanço do convívio social. Além disso foi verificado as doenças entre os indígenas da Amazônia naquela época eram constantes e diversas, oriundas das principais atividades realizadas por eles para seu sustento. O estudo teve apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), pelo Programa de Apoio à Iniciação Científica do Amazonas (Paic) e teve como objetivo principal mostrar como os agentes do SPI tratavam os povos indígenas quando eles necessitavam de tratamento médico. “Os documentos históricos apontam o processo de utilização dos índios, naquela época, como mão de obra. Então, a pesquisa vem prospectar, de forma histórica, as principais condições de saúde destes indígenas nas primeiras décadas do século”, afirmou Aguiar. Contribuição


Para o orientador da pesquisa, o doutor em história, Hideraldo Lima Costa, o estudo tem grande relevância para o cenário histórico da região, não apenas para os estudantes, mas principalmente para a população interessada em obter mais conhecimento sobre o assunto pesquisado. “Através da obtenção dos resultados da pesquisa, não é apenas a aluna responsável pelo estudo, a qual demonstrou excelente postura como pesquisadora, que sai ganhando, mas toda a sociedade acadêmica que tem um grande incentivador ao acesso ao conhecimento científico, que é o Conic”, destacou. http://www.portalamazonia.com.br/editoria/saude/convivio-social-afetou-saude-dos-indigenas-noseculo-20-no-amazonas/


Veículo:

Portal A Crítica

Editoria:

Pag:

Assunto:Projeto incentiva prática da meliponicultura em comunidades rurais do AM ( ) Release da assessoria de imprensa (x) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Projeto incentiva prática da meliponicultura em comunidades rurais do AM Os benefícios da produção de mel das abelhas jandaíra ou urucu-boca-de-renda, conhecidas como abelhas sem ferrão da espécie ‘Melipona Seminigra’, em conjunto com a preocupação ambiental, fizeram com que o técnico do Grupo de Pesquisa em Abelhas (GPA), Hélio Vilas Boas, realizasse em seu projeto de mestrado estudos sobre a indução de colmeias em propriedades rurais com orientação da pesquisadora Gislene Zilse do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (INPA). A pesquisa teve início em setembro de 2010 e verificou a capacidade de reprodução induzida de colmeias deste tipo de abelhas, usando dois processos de multiplicação e de quatro tipos de alimentação suplementar. Foram instaladas e monitoradas 40 colmeias matrizes no Ramal do Brasileirinho, localizado no bairro do Puraquequara, Zona Leste de Manaus. O resultado alcançado no final da pesquisa, que terminou em novembro de 2011, foram de 97 novas colmeias, totalizando 137 no Meliponário, como é chamada a coleção de abelhas sem ferrão. O projeto contou com a participação de agricultores que receberam cursos de capacitação voltados para o manejo técnico deste tipo de abelhas, atividade conhecida como ‘meliponicultura’ e é financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM). As abelhas produzem seus próprios alimentos, os quais servem também para alimentação humana:


mel e pólen. O excesso destes produtos pode ser extraído de uma colmeia para serem comercializados e este mel pode render de dois a três litros por colmeia/ano e chega a ser vendido por até R$ 80. “A importância da produção não está só na geração de renda, mas também na nutrição que o mel pode acrescentar na alimentação dos produtores. Já o pólen, um produto mais nobre que o mel, é escasso na região, precisando de maior produção para atender a demanda”, explica Vilas Boas. Vilas Boas salienta ainda a importância da ‘meliponicultura’ para a preservação ambiental: a atividade se torna uma reação em cadeia para a conservação do ambiente, pois o agricultor não precisará mais derrubar árvores para obter mel, além de não usar produtos químicos. Projeto Neste ano ainda estão sendo desenvolvidas etapas de produção de mel e boas práticas de colheita e armazenamento, além da comercialização, tudo isso, em parceria com outros pesquisadores e grupos de pesquisa como a Nodesta-Reforestation & Education e o Grupo Ambiental Natureza Viva (GRANAV). http://acritica.uol.com.br/amazonia/Amazonia-Amazonas-Manaus-Pesquisa-producao_de_melpreservacao_ambiental-INPA_0_828517174.html


Veículo:

CONSECTI

Editoria:

Pag:

Assunto:Debates promovidos pelo Fórum de Inovação contribuíram para aproximar academia e setor produtivo ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( x) Release de outra instituição (x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Debates promovidos pelo Fórum de Inovação contribuíram para aproximar academia e setor produtivo A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Amazonas (SECTI-AM) tem norteado vários debates e articulado ações com foco na questão da inovação tecnológica. Uma das principais é a realização do Fórum de Inovação do Amazonas. Sob a coordenação da SECTI-AM, o fórum tem por finalidade debater estratégias que contribuam para promover a integração entre a academia e o setor produtivo visando ao fortalecimento da área. Esta matéria integra a série que está sendo produzida pelo CIÊNCIAemPAUTA sobre as ações marcantes realizadas pela SECTI-AM neste ano. Nesta sexta-feira (14), ocorrerá a última reunião do Fórum de Inovação do Amazonas na sede da Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi), em Manaus, a partir das 14h30. Na programação, consta a realização da palestra “Tecnova: um instrumento de desenvolvimento regional”, que abordará sobre o programa de subvenção econômica para aplicação em micro e pequenas empresas, lançado recentemente pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Outro destaque será a apresentação sobre o curso de especialização Agente de Inovação e Difusão Tecnológica (AGINTEC), a ser feita pelo diretor de Relações Interinstitucionais da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica (Abipti), Félix Andrade da Silva. O curso visa à formação de profissionais capacitados para negociar e catalisar os processos de difusão e


apropriação econômica e social do conhecimento para fortalecer a cultura da inovação no país. A SECTI-AM é apoiadora da iniciativa no estado e está articulando a implantação do curso no Estado, junto à Universidade do Estado do Amazonas (UEA). LANÇAMENTO PRÓ-INCUBADORAS Este ano, houve ainda uma reunião ordinária anterior do Fórum de Inovação e três reuniões extraordinárias em conjunto com o Fórum Estadual de Gestores de Ensino e Pesquisa. Na reunião ordinária, ocorreu o lançamento da primeira edição do Programa de Apoio a Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica (Pró-Incubadoras), ação promovida pela SECTI-AM em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). Na ocasião, os presentes também puderam aprender mais sobre o papel do movimento de incubadoras de empresas no desenvolvimento e fortalecimento regional, durante palestra proferida pela representante da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), Sheila Oliveira Pires. As discussões giraram em torno do incentivo à incubação de micro e pequenas empresas no Estado e das vantagens oferecidas pelas incubadoras de instituições de ensino e centros de incubação na região. REUNIÕES CONJUNTAS COM FÓRUM DE GESTORES O grupo responsável pelo fórum de inovação também debateu sobre a possibilidade de criação de uma empresa estadual de capital misto capaz de explorar a comercialização de bioprodutos da região de forma competitiva, em conjunto com gestores de instituições de CT&I durante duas reuniões extraordinárias do Fórum Estadual de Gestores de Ensino e Pesquisa. Nos encontros, os representantes de várias instituições debateram a viabilidade do bionegócio no Estado. As discussões foram pautadas com base nos potenciais, mas também foram questionados os gargalos para a execução da proposta, onde as dificuldades da cadeia produtiva ganharam destaque. Na terceira reunião do fórum de inovação feita em conjunto com o fórum de gestores, a pauta foi sobre os novos paradigmas das Políticas de Apoio à Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e articulação entre Empresas e Instituições de Ensino Superior (IES). Na ocasião, também houve a apresentação do Sistema de Indicadores Online de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Amazonas (SION-AM). Trata-se da primeira plataforma estadual de banco de dados criada no País, com foco exclusivamente na área de CT&I. A iniciativa foi idealizada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Amazonas (SECTI-AM) e realizada em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), que financiou o projeto, e a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), responsável pela execução. Também foi tratado sobre os requisitos da Lei Estadual de Inovação. Fonte: Ciência em Pauta http://www.consecti.org.br/2012/12/14/debates-promovidos-pelo-forum-de-inovacao-contribuirampara-aproximar-academia-e-setor-produtivo/


Veículo:

CONFAP

Editoria:

Pag:

Assunto:Sustentabilidade no cultivo de peixes é tema de pesquisa no Lago do Tupé (x) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Paic

Sustentabilidade no cultivo de peixes é tema de pesquisa no Lago do Tupé Uma pesquisa realizada no período de novembro de 2011 a abril de 2013, na Comunidade São João, do Lago Tupé, localizada próximo a Manaus, avaliou o cultivo de Tambaqui, uma das espécies de peixes mais comercializadas na região, realizada de forma sustentável, em tanques-rede produzidos a partir de materiais recicláveis. O trabalho, de autoria do graduando do curso de Engenharia de Pesca da Ufam, Carlos Freire Calafate Ferreira, contou com o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), por meio do Programa Institucional de Iniciação Científica (Paic) e teve seus resultados divulgados no 21º Congresso de Iniciação Científica (Conic), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). “Os tanques-rede são um dos principais sistemas utilizados no desenvolvimento do setor produtivo da piscicultura, neste caso, produzidos a partir de material reciclável, como as garrafas PET, o que baixa o custo e proporciona a inserção direta da comunidade no cenário da produção do cultivo de peixes garantindo a geração de renda”, explicou o estudante. Ferreira também destaca que, além de avaliar a possibilidade de uma produção mais eficiente do tambaqui para a comercialização, a pesquisa teve a finalidade de levar a piscicultura para a produção familiar da comunidade assistida pelo projeto. “Aquela comunidade já tem produções para a geração de renda, mas o projeto veio para


complementar essa renda e contribuir no âmbito social, mostrando à população a importância da consciência ambiental nos sistemas de desenvolvimento produtivo sustentável e a eficácia no cultivo de peixes. Deixamos o legado com eles, agora o projeto faz parte da vida e da geração de renda dos produtores da comunidade”, frisou. Resultados Conforme Ferreira, os resultados obtidos na unidade experimental do Lago Tupé foram satisfatórios aos objetivos pretendidos. “Nosso objetivo era levar essa instalação a essa comunidade, fazendo com que eles implementassem a renda. E isso foi constatado de forma satisfatória com a comprovação de uma produtividade em maior escala e mais eficiente no cultivo do peixe”, destacou. Outro aspecto positivo da pesquisa, ressaltado por Ferreira, está relacionado à biologia do peixe. “O tambaqui já é uma espécie bastante comercializada no cenário amazônico, com a estrutura de nossa pesquisa podemos comprovar que o sistema de tanques-rede contribui de forma significativa para uma melhor e maior produtividade no final do cultivo, além do melhor desempenho do ganho de peso do peixe para a comercialização”, relatou o pesquisador. Incentivo Na avaliação do estudante, o apoio da FAPEAM para projetos de iniciação científica é de suma importância para o crescimento do graduando durante a experiência universitária e o incentivo como porta de entrada para o meio científico. “Muitas vezes, a comunidade universitária não tem condições de conhecer os resultados dos projetos desenvolvidos pelos acadêmicos. O financiamento da FAPEAM vem justamente para possibilitar a geração de conhecimento e, consequentemente, aplicar resultados e ganhos da pesquisa para quem realmente interessa, que é a população, isso é realmente muito importante”, finalizou. Sobre os tanques-rede O sistema de tanques-rede é uma das modalidades de cultivo de peixes com alta densidade de estocagem. Trata-se de uma criação intensiva cujo resultado final é uma alta produtividade. Em geral, são estruturas retangulares que flutuam na água e confinam peixes em seu interior. Esse equipamento é constituído basicamente por flutuadores (galões, bombonas, bambu, isopor, canos de PVC, etc.) que sustentam redes submersas na água, construídas com plástico perfurado, arames galvanizados revestidos com PVC ou ainda telas rígidas. O formato retangular permite uma melhor passagem e renovação da água dentro das gaiolas, removendo os dejetos produzidos pelos peixes. Sobre o Paic O Programa de Apoio à Iniciação Científica do Amazonas consiste em apoiar, com recursos financeiros e bolsas institucionais, estudantes de graduação interessados no desenvolvimento de pesquisa em instituições públicas e privadas do Amazonas. Fonte: Agência Fapeam http://www.confap.org.br/sustentabilidade-no-cultivo-de-peixes/


Veículo:

Agência Gestão CT&I

Editoria:

Pag:

Assunto:Diretor da ABIPTI apresenta especialização da entidade em fórum de inovação do Amazonas ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

(x) Release de outra instituição (x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Diretor da ABIPTI apresenta especialização da entidade em fórum de inovação do Amazonas Diretor de Relações Interinstitucionais da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica (ABIPTI), Félix Andrade da Silva, apresenta, nesta sexta-feira (14), em Manaus (AM), o curso de especialização Agente de Inovação e Difusão Tecnológica (Agintec). A palestra faz parte da programação da 6ª Reunião Ordinária do Fórum de Inovação do Amazonas, coordenado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Amazonas (Secti-AM). O evento será realizado na Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi), a partir das 14h30. O Agintec visa à formação de profissionais capacitados para negociar e catalisar os processos de difusão e apropriação econômica e social do conhecimento para fortalecer a cultura da inovação no país. A secretaria é apoiadora da iniciativa no Estado. Também faz parte da programação do fórum uma apresentação sobre o programa de subvenção econômica para aplicação em micro e pequenas empresas, lançado recentemente pela Finep. A palestra “Tecnova: um instrumento de desenvolvimento regional” será proferida pela diretora técnico-científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam), Andrea Waichman, e pelo secretário executivo adjunto da Secti-AM, Eduardo Taveira.


O programa será operado por parceiros descentralizados em cada Estado da Federação. A cartaconvite já foi encaminhada pela Finep. Além dos recursos da agência de fomento, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) participa de forma complementar com mais R$ 50 milhões, valor de utilização não obrigatória pelas empresas selecionadas, e que será voltado a atividades de gestão de negócio. O objetivo do fórum é debater estratégias que contribuam para promover a integração entre a academia e o setor produtivo com vistas ao fortalecimento na área de inovação tecnológica. (Agência Gestão CT&I de Notícias com informações da Secti-AM) http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3147:diretor-daabipti-apresenta-especializacao-da-entidade-em-forum-de-inovacao-do-amazonas&catid=1:latestnews


Veículo:

Contacto-latino.vom

Editoria:

Pag:

Assunto:Fapeam prorroga inscrição para 4º Prêmio de Jornalismo Científico (x) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Fapeam prorroga inscrição para 4º Prêmio de Jornalismo Científico Prazo de inscrição para profissionais e estudantes vai até 8 de fevereiro. Iniciativa visa incentivar a prática do jornalismo científico no Estado. http://contacto-latino.com/news/6886210/fapeam-prorroga-inscricao-para-4o-premio-dejornalismo-cientifico/


Veículo:

Notícias Últimas.com

Editoria:

Pag:

Assunto:Fapeam prorroga inscrição para 4º Prêmio de Jornalismo Científico (x) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Fapeam prorroga inscrição para 4º Prêmio de Jornalismo Científico Prazo de inscrição para profissionais e estudantes vai até 8 de fevereiro. Iniciativa visa incentivar a prática do jornalismo científico no Estado. http://noticiasultimas.com.br/2012/12/15/fapeam-prorroga-inscricao-para-4o-premio-de-jornalismocientifico/


Veículo:

Site Corrêa Neto

Editoria:

Pag:

Assunto:Fapeam prorroga inscrição para 4º Prêmio de Jornalismo Científico ( ) Release da assessoria de imprensa (X) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Vestígios humanos são descobertos em áreas “intocadas” na Amazônia MANAUS – Estudos realizados do Programa de Pós-Graduação em Ecologia (PPG Eco) do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) mostraram sinais de ocupação humana em áreas antes consideradas “virgens”. A pesquisa foi realizada em seis módulos do Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio) ao longo da BR-319, que liga Manaus (AM) a Porto Velho (RO), se restringindo a região do interflúvio Purus-Madeira. Baseados em outros estudos, pesquisadores pensavam que a domesticação da Amazônia não passava das margens dos rios principais. Com a descoberta da extensão de florestas antropogênicas ao longo do interflúvio, foram encontrados castanhais, seringais e caiauézais, próximo aos rios, além de Terra Preta de Índio e carvão mineral. O pesquisador Charles Clement, da coordenação de Tecnologia e Inovação do Instituto, diz que o resultado mostra até onde o homem pode ir, já que se espera uma área mais trabalhada perto do local onde ele mora e ao longo do caminho se espera menos modificações”. A pesquisa faz parte do mestrado da estudante Carolina Levis, junto com Priscila Figueira, Juliana Schietti, Thaise Emilio, José Luiz Pinto e Flávia Costa. “O diferencial do meu estudo foi incluir uma perspectiva histórica dentro da ecologia e, sobretudo, mostrar que o homem teve um efeito


sobre a composição de árvores da floresta no interflúvio Purus-Madeira”, frisa Levis. A pesquisa demonstrou que o uso sustentável e a conservação da Floresta Amazônica serão mais eficazes “se considerar o grau de domesticação da paisagem, já que a floresta ainda concentra árvores úteis resultantes do enriquecimento humano passado”. Segundo Levis, os estudos irão impulsionar novas pesquisas na busca do entendimento do legado deixado pelas populações passadas na floresta, além de acentuar a importância da inclusão do efeito da população humana nos estudos ecológicos. A pesquisadora ainda planeja construir seu projeto de doutorado expandindo o tema deste estudo para outras áreas da Amazônia Portal Amazônia, com informações da FAPEAM http://www.correaneto.com.br/site/noticias/35072


Veículo:

Blog do Marcos Santos

Editoria:

Pag:

Assunto: Fapeam prorroga prazo de inscrições para 4ª edição do Prêmio de Jornalismo Científico ( ) Release da assessoria de imprensa (X) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Fapeam prorroga prazo de inscrições para 4ª edição do Prêmio de Jornalismo Científico A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) prorrogou para o dia 8 de fevereiro de 2013 o encerramento das inscrições e envio de materiais para participação na 4ª edição do Prêmio FAPEAM de Jornalismo Científico. Nesta edição, serão concedidos R$ 50,8 mil em prêmios para assessorias de comunicação/e ou imprensa, profissionais e estudantes de jornalismo que tenham produzido matérias relacionadas à Ciência, Tecnologia e Inovação em 2012, com objetivo de incentivar o jornalismo científico no Estado e estimular a popularização da ciência. As propostas submetidas serão pré-analisadas pela equipe técnica da instituição que verificará os requisitos exigidos no edital. As propostas passarão ainda por uma análise de mérito e relevância, na qual todos os trabalhos serão julgados por uma comissão composta por cinco membros convidados pela FAPEAM. Neste ano, os concorrentes podem inscrever até cinco matérias por categoria. O vencedor será o candidato que conseguir a maior nota da comissão avaliadora. A divulgação dos resultados está prevista para abril de 2013 e a entrega do prêmio será feita durante cerimônia, em local ainda a ser definido, em maio do ano que vem. Segundo a diretora-presidenta da FAPEAM, Maria Olívia Simão, é uma satisfação realizar mais uma edição do Prêmio, especialmente no ano em que a Fundação comemora 10 anos de atuação. “Nosso objetivo é reconhecer publicamente o empenho de jornalistas e estudantes conceituados do


nosso Estado, além dos veículos de comunicação e assessorias de imprensa e comunicação que acompanham a trajetória da CT&I no Amazonas, por meio da cobertura jornalística”, afirmou a diretora-presidenta. Prêmio para assessorias Outra novidade é de que na modalidade ‘Comunicação Institucional’, o prêmio vai reconhecer o trabalho das assessorias de comunicação e/ou imprensa de instituições de Ensino Superior e/ou Pesquisa (IPES), de órgãos públicos em geral (municipais, estaduais e federais), ou ainda, de empresas (públicas ou privadas) que atuam na divulgação de ações institucionais relacionadas à ciência, tecnologia e inovação. Será concedida uma premiação de R$ 10 mil, a ser entregue ao assessor de comunicação e/ou imprensa na forma de auxílio-pesquisa, para promoção de melhorias na infraestrutura do setor. Será entregue ainda um troféu a instituição e certificados a cada membro da equipe atuante na assessoria de comunicação. Como já aconteceu nas edições anteriores, jornalistas profissionais e estudantes na modalidade ‘Comunicação institucional’ que atuam em assessorias de comunicação e/ou imprensa de instituições e/ou empresas focadas na divulgação científica podem concorrer em três categorias: impresso-jornal, impresso-revista e internet com prêmio de R$ 1,2 mil para estudantes e R$ 3 mil para profissionais. Divulgação científica Na modalidade ‘Comunicação de Massa’ não houve alteração e continuam os prêmios destinados a categorias voltadas à ‘TV/TV disponível na web – reportagem e videorreportagem’ e ‘TV/TV disponível na web – grande reportagem e documentário jornalístico’. Nesta modalidade, o objetivo é prestigiar os profissionais autores de documentários jornalísticos e atuantes em videorreportagens que popularizam a ciência cotidianamente. Também serão premiados profissionais e estudantes nas categorias de impresso-jornal, impressorevista, rádio/rádio disponível na web, internet e fotojornalismo. Os prêmios são de R$ 1,2 mil para estudantes e R$ 3 mil para profissionais. Sobre o Prêmio FAPEAM de Jornalismo Científico O Prêmio FAPEAM de Jornalismo Científico é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-AM) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (FAPEAM), e tem o objetivo de incentivar o jornalismo científico no Estado e estimular a popularização da ciência. O Edital 019/2012 e o Aditamento e Retificação do edital do Prêmio de Jornalismo Científico da FAPEAM, com todas as regras, informações e instruções necessárias aos interessados estão disponíveis para consulta no site da Fundação. Modalidade Comunicação Institucional: Será premiada individualmente nesta modalidade a seguinte categoria: NÍVEL

CATEGORIA

Institucional

Assessoria de Comunicação e/ou Imprensa – Projeto de Comunicação Institucional/ Portfólio/ Periodicidade dos produtos

Profissional

Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica


Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica Estudante

Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica

Modalidade Comunicação de Massa: Serão premiadas individualmente nesta modalidade, em seus respectivos níveis, as seguintes categorias: NÍVEL

CATEGORIA

Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica TV/TV disponível na Web – Reportagem ou Videorreportagem (até 2’ minutos) – Matéria de Divulgação Científica TV/TV disponível na Web (superior a 2’ minutos) – Grande Profissional Reportagem de Divulgação Científica ou Documentário Jornalístico de Divulgação Científica Rádio/ Rádio disponível na Web – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica Fotojornalismo – Fotografia de Divulgação Científica Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica TV/TV disponível na Web – Reportagem ou Videorreportagem de Estudante Divulgação Científica (até 2’ minutos) Rádio/ Rádio disponível na Web – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica Fotojornalismo – Fotografia de Divulgação Científica CRONOGRAMA ATIVIDADES

DATA

Lançamento do Edital

27 de novembro de 2012

Inscrições

Até 8 de fevereiro de 2013

Divulgação dos selecionados

abril de 2013

Entrega do Prêmio

maio de 2013

http://www.blogmarcossantos.com.br/2012/12/14/fapeam-prorroga-prazo-de-inscricoes-para-4aedicao-do-premio-de-jornalismo-cientifico/


Veículo:

Blog do Marcos Santos

Editoria:

Pag:

Assunto:7º Sinacom debate futuro das Ciências da Comunicação no Brasil ( ) Release da assessoria de imprensa ( X ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

() Release de outra instituição (x ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Parev

7º Sinacom debate futuro das Ciências da Comunicação no Brasil

Com o tema ‘Geração Intercom – novas artifícies das Ciências da Comunicação’, o 7º Simpósio Nacional das Ciências da Comunicação (Sinacom 2012) reuniu pesquisadores de várias localidades do país em São Paulo, nos dias 12 e 13 de dezembro. A programação contou com um resgate histórico da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) e com planejamento para o futuro da pesquisa no Brasil. O evento foi realizado no Centro Cultural Professor José Marques de Melo e fez parte de uma programação intensa que comemorou os 35 anos da Intercom no decorrer deste ano. As mesas de discussões foram direcionadas à história das ciências da comunicação no Brasil, à história da Intercom e às tendências e desafios da Sociedade para os próximos anos. Membro do Conselho Curador da Intercom, a professora doutora Anamaria Fadul apresentou as tendências da entidade e fez um paralelo à contextualização histórica apresentada no decorrer dos trabalhos. Fadul destacou as modificações no panorama da atual realidade da Comunicação no Brasil, a importância sobre a interlocução com o mercado de trabalho na formação de comunicólogos preparados para a realidade atual e o desafio de formar novos acadêmicos partindo de uma trajetória de pesquisa desde a graduação.


“Hoje os nossos alunos estão saindo da graduação com uma visão muito melhor do que os estudantes da década de 70. Eles participam dos congressos da Intercom e conhecem o Brasil e a diversidade cultural do nosso País”, comemorou Fadul. Entre as considerações dos pesquisadores das Ciências da Comunicação, o destaque ficou para a interdisciplinaridade a partir da perspectiva de que as modificações socioculturais impactam a formas de se comunicar e vice versa. A programação também contou com apresentações culturais e lançamentos dos livros ‘Coleção Beltranianas: A fortuna crítica de Luiz Beltrão’ e ’Metodologia do Ensino de Jornalismo’, além de uma homenagem à Angela Cassiano, uma das sócias-fundadoras da Intercom. Geração Intercom Entre as novidades apresentadas durante o 7º Sinacom estão as estratégias a serem adotadas por um grupo de pesquisadores que integram a Geração Intercom, formada por sócios pesquisadores que nasceram no ano de fundação da Sociedade, em 1977. Estes devem atuar como multiplicadores em seus respectivos Estados, juntamente como as lideranças de instituições e diretorias regionais da Intercom, a fim de fortalecer o compromisso com o futuro da pesquisa em Comunicação. Para o presidente de honra da Intercom e idealizador do Geração Intercom, professor doutor José Marques de Melo, é preciso pensar no futuro da comunicação. “É preciso criar formas de organizar em todo o País maneiras de envolver novos pesquisadores e dar continuidade ao trabalho que já vem sendo realizado há anos pela Intercom. Essa geração passa a ter uma importante missão para o futuro da comunicação no Brasil”, destacou. Atualmente o grupo é composto por 39 pesquisadores pertencentes a todas as regiões do País: sete do Norte, nove do Nordeste, um do Centro-Oeste, 12 do Sudeste e 10 do Sul. Intercom 2013 Em 2013, as etapas regional (Norte) e Nacional do Congresso de Ciências da Comunicação serão realizadas no Amazonas, respectivamente, nos meses de maio e setembro. O tema deste ano será ‘Comunicação em tempo de redes sociais: afetos, emoções, subjetividades’. A vice-presidente da Intercom, professora doutora Marialva Barbosa, destacou a articulação realizada no Amazonas para a organização do 36º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. “O Amazonas está se destacando pelo empenho na organização do congresso de 2013 pela forte articulação com os pesquisadores e estudantes locais e na captação de recursos. O lançamento do evento foi um sucesso, em plena greve das Universidades Federais, conseguiram reunir quase mil pessoas, tem tudo para ser um sucesso”, afirma. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) vai apoiar o Intercom Norte e o Intercom Nacional de forma institucional e por meio do Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos e Tecnológicos no Estado do Amazonas (Parev).

www.blogmarcossantos.com.br/2012/12/14/7o-sinacom-debate-futuro-das-ciencias-dacomunicacao-no-brasil/


Veículo:

Portal Ufam

Editoria:

Pag:

Assunto:7º Sinacom debate futuro das Ciências da Comunicação no Brasil ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

(x) Release de outra instituição ( ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Encerramento do I Encontro Estadual da Associação Nacional de História – seção Amazonas Durante quatro dias, o evento reuniu pesquisadores e estudantes da área de Ciências Humanas para discutir temas fundamentais para os historiadores, como a regulamentação da profissão de historiador e o papel deste profissional na atualidade. Foram mais de duzentos inscritos no encontro que trouxe renomados profissionais para compartilhar experiências. O presidente da Associação Nacional de História (ANPUH), professor Benito Schmidt, foi um dos conferencistas do evento. Ele destacou que o I Encontro da ANPUH - seção Amazonas colabora para a integração nacional dos cerca de 4 mil associados da ANPUH Brasil. “É muito importante que nossa associação seja efetivamente nacional. Durante muito tempo, ela ficou concentrada no Sudeste e hoje vemos um movimento de todos os estados criando suas associações estaduais. Esse é o caso do Amazonas, ao promover o primeiro encontro da ANPUH estadual. Espero que seja o primeiro de muitos outros”, disse. Ele também comentou que o papel do historiador tem se diversificado muito nos últimos tempos. “Antes, pensava-se que quem se formava em História ou fazia pós-graduação nesta área, só poderia ser professor ou pesquisador acadêmico. Hoje, os historiadores estão trabalhando em outros espaços como museus, arquivos, centros de documentação, memoriais ou até mesmo com turismo. Encontros como este apontam os demais espaços em que o historiador pode atuar, como nas grandes discussões políticas do Brasil contemporâneo, o que pudemos perceber durante a Mesa redonda “Os historiadores e a Comissão da Verdade no Amazonas”.


A programação do evento contou com 6 minicursos, 6 simpósios temáticos, 2 debates sobre o ensino em História, 3 mesas redondas e 4 conferências. Na avaliação do coordenador do encontro e presidente da Associação Nacional de História - seção Amazonas, professor Hideraldo Costa, a atividade alcançou todos os objetivos pretendidos. “Foi um evento de êxito. Aconteceu tudo o que estava programado. Tivemos 225 inscritos num momento em que a Universidade tem vários eventos acontecendo ao mesmo tempo. Aproveito para agradecer o apoio recebido da UFAM; do Departamento de História e das instituições externas que atenderam as demandas acadêmicas como a UNINORTE, a UEA e a UNiNnIlton Lins. Os simpósios e as mesas redondas contaram com a colaboração de todas essa instituições. Agradeço a FAPEAM, que financiou mais de 90% do nosso encontro. Parabenizo também os alunos de História, que seguraram a organização do evento. Sabemos que a organização é um tema importante para a avaliação e não tivemos problemas quanto a isso”, relatou o coordenador. Os alunos aproveitaram para destacar o legado do evento para a formação deles. Alessandro Almeida, do 8˚ período do curso de História, elegeu os minicursos como a programação mais interessante do evento. “Aprendi muito, principalmente com o minicurso ministrado pelo professor Francisco Jorge. Ele nos apontou muitas possibilidades de pesquisa sobre a História da Amazônia e nos orientou a instruir nossos alunos durante os trabalhos de pesquisa. Ele também destacou que quando formos professores, devemos incentivar os estudantes a utilizarem as novas tecnologias”. Felipe Cabral percebeu que, apesar de ser aluno finalista, ainda tem muito para aprender. “Durante a conferência do professor da Universidade Federal de Sergipe, Itamar Freitas de Oliveira, pude compreender como podemos inserir, de forma didática, a História do Amazonas durante as aulas de História do Brasil no ensino básico. Foi uma contribuição importante, pois o conferencista compartilhou a experiência dele de ensinar a História de Sergipe, apesar de o Estado não possuir livros didáticos sobre a história regional. Ele deu muitos exemplos de como fazer isso e eu apreendi”. O evento aconteceu de 10 a 13 de dezembro, no Auditório Rio Amazonas, na Faculdade de Estudos Sociais. http://portal.ufam.edu.br/index.php/comunicacao/174-encerramento-do-i-encontro-estadual-daassociacao-nacional-de-historia-secao-amazonas


Veículo:

Site Olhar Direto

Editoria:

Pag:

Assunto:Fapeam prorroga inscrição para 4º Prêmio de Jornalismo Científico ( ) Release da assessoria de imprensa ( x ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (x ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Fapeam prorroga inscrição para 4º Prêmio de Jornalismo Científico A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) prorrogou as inscrições para a 4ª edição do Prêmio Fapeam de Jornalismo Científico. Profissionais e estudantes da área de comunicação do Amazonas que tenham interesse em concorrer em uma das modalidades da premiação podem inscrever os trabalhos até o dia 8 de fevereiro de 2013. Segundo a organização do evento, a iniciativa visa incentivar a prática do jornalismo científico no Estado e estimular a popularização da Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) premiando trabalhos jornalísticos que tenham contribuído, no ano de 2012, com a disseminação do setor. "É possível observar o aumento do interesse pela área de CT&I graças ao prêmio, que a cada ano busca reconhecer o importante papel de profissionais e estudantes nesse processo de divulgação científica, e procura incentivar o aprimoramente dessa prática, que vem dando destaque à área, deixando a ciência cada vez mais em pauta", explicou a diretora-presidente da Fapeam, Maria Olívia Simão. Novidades A organização do prêmio informou que algumas mudanças irão ocorrer na edição de 2013, dentre elas a modalidade Comunicação Institucional passará a oferecer apenas a categoria 'Assessoria de Comunicação e/ou Imprensa' com a premiação de R$ 10 mil. O intuito é incentivar a consolidação das assessorias e fomentar o interesse pela divulgação científica, por meio de investimento direcionado à infraestrutura. Outra mudança será a alteração na modalidade Comunicação de Massa nas categorias voltadas à


'TV/TV disponível na web – reportagem e videorreportagem' e 'TV/TV disponível na web – grande reportagem e documentário jornalístico', que tem como objetivo prestigiar os profissionais autores de documentários jornalísticos e os atuantes no jornalismo multimidiático das videorreportagens. Já as menções honrosas serão direcionadas a um veículo de comunicação que se destacou entre os demais pelo empenho em divulgar reportagens de CT&I e a um profissional atuante na área que será intitulado 'Jornalista Amigo da Ciência'. Seleção As propostas submetidas serão pré-analisadas pela equipe técnica da instituição, onde serão verificados os cumprimentos dos requisitos exigidos no edital. Após essa etapa, as propostas serão deverão passar por análise do mérito e relevância, de forma que todos os trabalhos serão julgados por uma comissão composta por cinco membros externos convidados. Neste ano, os concorrentes podem inscrever até cinco matérias por categoria, porém o edital indica que só poderá ganhar em uma das categorias oferecidas pelo prêmio aquele que apresentar a maior nota conferida pela comissão julgadora. Entre as categorias da modalidade Comunicação de Massa estão: Impresso-Jornal, Impresso-Revista, TV/TV disponível na web - reportagem ou videorreportagem, TV/TV disponível na web - grande reportagem ou documentário jornalístico, Rádio/Rádio disponível na web, Internet e Fotojornalismo. Premiação De acordo com a organização do evento, a lista dos finalistas será divulgada até o dia 27 de março e a entrega da premiação será realizada em abril de 2013. A assessoria, os profissionais e os estudantes vencedores receberão um troféu, um diploma e uma bolsa-prêmio da Fapeam. O prêmio único da modalidade Comunicação Institucional é de R$ 10 mil, direcionado à categoria 'Assessoria de Comunicação e/ou Imprensa'. Já na modalidade Comunicação de Massa, o valor da premiação individual, oferecida aos primeiros colocados em cada categoria, será de R$ 3 mil para profissionais e R$ 1,2 mil para estudantes. O valor total a ser distribuído entre os vencedores chegará a R$ 38,2 mil. O Edital 019/2012 do Prêmio de Jornalismo Científico da Fapeam, com todas as regras, informações e instruções necessárias aos interessados já está disponível para consulta no site da instituição. http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp? noticia=Fapeam_prorroga_inscricao_para_4_Premio_de_Jornalismo_Cientifico&edt=22&id=29626 7


Veículo:

Em Tempo online

Editoria:

Pag:

Assunto:Orquestra amazonense com disco disponível no iTunes ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

(x) Release de outra instituição ( ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Orquestra amazonense com disco disponível no iTunes "Dei Due Mondi” (algo como “Dois Mundos”, traduzido do italiano). Esse é o título do álbum gravado na Europa pela Orquestra Barroca do Amazonas (OBA), que já está disponível para aquisição faixa a faixa, pelo site iTunes. Ao todo, 12 obras buscam apresentar o panorama de pesquisa e resgate de composições que a própria história da música parecia ter esquecido. Segundo o maestro da OBA, Márcio Páscoa, as peças estão à venda desde o início da semana e, em breve, o disco físico deve sair da prensagem e chegar na gravadora. Depois disso, perto do Natal, ele entra no catálogo de produtos do site Amazon.co.uk, que é a versão inglesa do endereço eletrônico de compras virtuais. “Coisas da distribuição. A Amazon quer um número de discos disponíveis para pronta entrega e acho que o caminho mais barato é a Inglaterra. Quando chega lá, entra no site inglês e depois os outros replicam. Foi a melhor solução encontrada”, diz Márcio Páscoa. As obras – que podem ser encontradas no endereço itunes.apple.com/album/dei-due-mondiamazonas-baroque – apresenta o compositor David Perez (“Concerto para flauta e cordas em sol maior”, “L’incerto il Mio Pensiero”, “O Almen Qualor Si Perde” e “Io So Qual Pena Sia”), José Palomino (“Concerto para Cravo e Cordas”), Gaetano Schiassi (“Concerto para Flauta e Cordas em Ré Maior”), e Antonio Leal Moreira (“Misera Me/Ah, Cangiar D’affetto”).


Atividades Márcio Páscoa explica que, de fato, o disco contempla sete músicas distintas, mas que foram distribuídas nas 12 faixas, com 70 minutos de duração. “Por enquanto, a OBA está em recesso das atividades. Os discos físicos devem chegar às minhas mãos logo em janeiro. A partir disso, vamos nos programar para marcarmos algum concerto em Manaus”, comenta o maestro sobre a iminência de realizar uma apresentação de lançamento do álbum. Pelas estimativas de vendas do CD propriamente dito, talvez, na opinião de Páscoa, o lançamento do produto em Manaus pode ser a partir da segunda tiragem, uma vez que na primeira estão sendo prensadas mil cópias. Gravação realizada este ano em Portugal O disco foi gravado entre setembro e novembro deste ano, em Portugal, e todas as obras foram restauradas no Laboratório de Musicologia e História Cultural da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam). O álbum chega ao mercado sob o selo europeu Numérica, que também assina a coprodução do material, juntamente com a própria orquestra. Inicialmente, a orquestra estava em dúvida sobre a escolha do nome do disco, que poderia ter sido em inglês, representando uma abrangência maior de mercado mundial, ou em italiano, como acabou ficando, ficando mais próximo das origens das músicas tradicionais. No iTunes, o álbum completo custa US$ 11,99. A orquestra é especializada em música erudita barroca, com performances em cópias fiéis de instrumentos da época, feitos sob encomenda, obedecendo a modelos pesquisados, incluindo Alessandro Gagliano (1725), Antonio Stradivarius (1730) e Grancino (1745). www.emtempo.com.br/cultura/20083-orquestra-amazonense-com-disco-disponivel-no-itunes.html


Veículo:

I Saúde.net

Editoria:

Pag:

Assunto:Search maps historical aspects of indigenous health in the Amazon ( ) Release da assessoria de imprensa (x) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (x ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Search maps historical aspects of indigenous health in the Amazon A study from the historical perspective found in the documents of the Indian Protection Service (SPI) reveal health conditions and treatment offered to the indigenous population in the early 20th century. Historical documents indicate the process of using the Indians at that time as labor. Then comes the research prospect of historical form, the main health conditions of indigenous peoples in the early decades of the century, Bentolila said Lara Vieira de Aguiar, researcher and graduate history course at the Federal University of Amazonas (Ufam). According to the student with the research we observed, in addition to evidence that the major diseases affecting the Indians were from the advance of social interaction was also found that diseases among the Indians of the Amazon at the time were constant and diverse, coming from main activities undertaken by them for sustenance. The survey also allowed confirming that among the main traces of diseases mentioned in historical reports of SPI in the early 20th century, are diseases such as malaria, tuberculosis and influenza in adults and especially worms among children. For guiding the research, the Ph.D. in history, Hideraldo Costa Lima, the study has great relevance


to the historical setting of the region, not only for students, but especially for people interested in obtaining more knowledge on the subject researched. By obtaining the search results, not just the student who led the study, which demonstrated excellent position as researcher, who wins, but the entire academic society that has a great encourager access to scientific knowledge, which is the Conic, said. The study was supported by the Foundation for Research Support of the State of Amazonas (FAPEAM), the Program for Support of Undergraduate Research of the Amazon (PAIC) and aimed to show how the agents of SPI treated the indigenous people when they needed treatment physician. <i> information Fapeam </ i> http://www.isaude.net/en/noticia/32721/general/search-maps-historical-aspects-of-indigenoushealth-in-the-amazon


Veículo:

Jornal Brasil on-line

Editoria:

Pag:

Assunto:Estudo mapeia área de inundação na orla de Manaus (x) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Paic

Estudo mapeia área de inundação na orla de Manaus Na tentativa de mitigar os efeitos das enchentes dos rios amazônicos na orla de Manaus, a estudante de Geografia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Eliana dos Santos Brasil, está fazendo um levantamento da área de inundação para fazer um diagnóstico que será encaminhado à Defesa Civil do Município. A pesquisa intitulada 'Uso de Imagem ADS-80 para delimitação de área de inundação na região de Manaus, Amazonas' realizada há três meses no Centro Regional de Manaus (CR-MN) / Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), deve se estender até julho de 2013. O estudo é financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), por meio do Programa de Apoio à Divulgação Científica (Paic). Segundo Eliana dos Santos Brasil, o objetivo é simular as áreas sujeitas a inundações para fazer um diagnóstico padrão do uso do solo nessas regiões e municiar a Defesa Civil do município na tentativa de mitigar os efeitos das enchentes dos rios amazônicos. “O estudo é essencial para ordenação do uso e ocupação do solo, especialmente em Manaus, que tem um regime de seca e cheia inconstante”, ponderou a pesquisadora.


Os dados iniciais do projeto foram apresentados, na última segunda-feira, 10, durante a apresentação de acompanhamento das pesquisas em andamento realizadas por meio do Paic, no Censipam. Análise por meio de fotos A pesquisadora contou que o estudo é focado na orla da cidade de Manaus, que tem sofrido nos últimos anos com inundações. Este ano, o Amazonas registrou o índice mais alto de cheia, que chegou a 29,97 metros e invadiu algumas vias próximas à orla da cidade. “Faremos uma fotoanálise por meio de imagens capturadas com o ADS-80 para fazer uma simulação das áreas sujeitas a inundação nos próximos anos”, explicou Brasil. O ADS 80 é um sistema aerofotogramétrico digital no qual uma câmera de imageamento aéreo de alta resolução gera imagens digitais contínuas ao longo do voo. O orientador do estudo, que é mestre em Ciências Florestais e Ambientais pela Ufam e, atualmente, trabalha como especialista em Geoprocessamento no Censipam/CR-MN, Jorge Alberto Lopes da Costa, explicou que as imagens serão processadas e organizadas em forma de mosaico. “Iremos subdividir as regiões homogêneas e retirar informações das imagens para elaborar um mapa da área de inundação em torno da orla de Manaus”, disse Costa. Sobre o Paic O programa consiste em apoiar, com recursos financeiros e bolsas institucionais, estudantes de graduação interessados no desenvolvimento de pesquisa em instituições públicas e privadas do Amazonas. Fonte: Agência FAPEAM http://www.jornalbrasil.com.br/?pg=desc-noticias&id=65106&nome=Estudo%20mapeia %20%E1rea%20de%20inunda%E7%E3o%20na%20orla%20de%20Manaus


Veículo:

Jornal Brasil On-line

Editoria:

Pag:

Assunto:Sustentabilidade no cultivo de peixes é tema de pesquisa no Lago do Tupé (x) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (x ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Paic

Sustentabilidade no cultivo de peixes é tema de pesquisa no Lago do Tupé Uma pesquisa realizada no período de novembro de 2011 a abril de 2013, na Comunidade São João, do Lago Tupé, localizada próximo a Manaus, avaliou o cultivo de Tambaqui, uma das espécies de peixes mais comercializadas na região, realizada de forma sustentável, em tanques-rede produzidos a partir de materiais recicláveis. O trabalho, de autoria do graduando do curso de Engenharia de Pesca da Ufam, Carlos Freire Calafate Ferreira, contou com o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), por meio do Programa Institucional de Iniciação Científica (Paic) e teve seus resultados divulgados no 21º Congresso de Iniciação Científica (Conic), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). “Os tanques-rede são um dos principais sistemas utilizados no desenvolvimento do setor produtivo da piscicultura, neste caso, produzidos a partir de material reciclável, como as garrafas PET, o que baixa o custo e proporciona a inserção direta da comunidade


no cenário da produção do cultivo de peixes garantindo a geração de renda”, explicou o estudante. Ferreira também destaca que, além de avaliar a possibilidade de uma produção mais eficiente do tambaqui para a comercialização, a pesquisa teve a finalidade de levar a piscicultura para a produção familiar da comunidade assistida pelo projeto. “Aquela comunidade já tem produções para a geração de renda, mas o projeto veio para complementar essa renda e contribuir no âmbito social, mostrando à população a importância da consciência ambiental nos sistemas de desenvolvimento produtivo sustentável e a eficácia no cultivo de peixes. Deixamos o legado com eles, agora o projeto faz parte da vida e da geração de renda dos produtores da comunidade”, frisou. Resultados Conforme Ferreira, os resultados obtidos na unidade experimental do Lago Tupé foram satisfatórios aos objetivos pretendidos. “Nosso objetivo era levar essa instalação a essa comunidade, fazendo com que eles implementassem a renda. E isso foi constatado de forma satisfatória com a comprovação de uma produtividade em maior escala e mais eficiente no cultivo do peixe”, destacou. Outro aspecto positivo da pesquisa, ressaltado por Ferreira, está relacionado à biologia do peixe. “O tambaqui já é uma espécie bastante comercializada no cenário amazônico, com a estrutura de nossa pesquisa podemos comprovar que o sistema de tanques-rede contribui de forma significativa para uma melhor e maior produtividade no final do cultivo, além do melhor desempenho do ganho de peso do peixe para a comercialização”, relatou o pesquisador. Incentivo Na avaliação do estudante, o apoio da FAPEAM para projetos de iniciação científica é de suma importância para o crescimento do graduando durante a experiência universitária e o incentivo como porta de entrada para o meio científico. “Muitas vezes, a comunidade universitária não tem condições de conhecer os resultados dos projetos desenvolvidos pelos acadêmicos. O financiamento da FAPEAM vem justamente para possibilitar a geração de conhecimento e, consequentemente, aplicar resultados e ganhos da pesquisa para quem realmente interessa, que é a população, isso é realmente muito importante”, finalizou.


Sobre os tanques-rede O sistema de tanques-rede é uma das modalidades de cultivo de peixes com alta densidade de estocagem. Trata-se de uma criação intensiva cujo resultado final é uma alta produtividade. Em geral, são estruturas retangulares que flutuam na água e confinam peixes em seu interior. Esse equipamento é constituído basicamente por flutuadores (galões, bombonas, bambu, isopor, canos de PVC, etc.) que sustentam redes submersas na água, construídas com plástico perfurado, arames galvanizados revestidos com PVC ou ainda telas rígidas. O formato retangular permite uma melhor passagem e renovação da água dentro das gaiolas, removendo os dejetos produzidos pelos peixes. Sobre o Paic O Programa de Apoio à Iniciação Científica do Amazonas consiste em apoiar, com recursos financeiros e bolsas institucionais, estudantes de graduação interessados no desenvolvimento de pesquisa em instituições públicas e privadas do Amazonas. Fonte: Agência FAPEAM http://www.jornalbrasil.com.br/?pg=desc-noticias&id=65107


Veículo:

Jornal Brasil On-line

Editoria:

Pag:

Assunto:7º Sinacom debate futuro das Ciências da Comunicação no Brasil (x) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Parev

7º Sinacom debate futuro das Ciências da Comunicação no Brasil Com o tema ‘Geração Intercom – novas artifícies das Ciências da Comunicação’, o 7º Simpósio Nacional das Ciências da Comunicação (Sinacom 2012) reuniu pesquisadores de várias localidades do país em São Paulo, nos dias 12 e 13 de dezembro. A programação contou com um resgate histórico da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) e com planejamento para o futuro da pesquisa no Brasil. O evento foi realizado no Centro Cultural Professor José Marques de Melo e fez parte de uma programação intensa que comemorou os 35 anos da Intercom no decorrer deste ano. As mesas de discussões foram direcionadas à história das ciências da comunicação no Brasil, à história da Intercom e às tendências e desafios da Sociedade para os próximos anos. Membro do Conselho Curador da Intercom, a professora doutora Anamaria Fadul apresentou as tendências da entidade e fez um paralelo à contextualização histórica apresentada no decorrer dos trabalhos. Fadul destacou as modificações no panorama da atual realidade da Comunicação no Brasil, a importância sobre a interlocução com o mercado de trabalho na formação de comunicólogos preparados para a realidade atual e o desafio de formar novos acadêmicos partindo de uma trajetória de pesquisa desde a graduação. “Hoje os nossos alunos estão saindo da graduação com uma visão muito melhor do que os estudantes da década de 70. Eles participam dos congressos da Intercom e conhecem o Brasil e a


diversidade cultural do nosso País”, comemorou Fadul. Entre as considerações dos pesquisadores das Ciências da Comunicação, o destaque ficou para a interdisciplinaridade a partir da perspectiva de que as modificações socioculturais impactam a formas de se comunicar e vice versa. A programação também contou com apresentações culturais e lançamentos dos livros ‘Coleção Beltranianas: A fortuna crítica de Luiz Beltrão’ e ’Metodologia do Ensino de Jornalismo’, além de uma homenagem à Angela Cassiano, uma das sócias-fundadoras da Intercom. Geração Intercom Entre as novidades apresentadas durante o 7º Sinacom estão as estratégias a serem adotadas por um grupo de pesquisadores que integram a Geração Intercom, formada por sócios pesquisadores que nasceram no ano de fundação da Sociedade, em 1977. Estes devem atuar como multiplicadores em seus respectivos Estados, juntamente como as lideranças de instituições e diretorias regionais da Intercom, a fim de fortalecer o compromisso com o futuro da pesquisa em Comunicação. Para o presidente de honra da Intercom e idealizador do Geração Intercom, professor doutor José Marques de Melo, é preciso pensar no futuro da comunicação. “É preciso criar formas de organizar em todo o País maneiras de envolver novos pesquisadores e dar continuidade ao trabalho que já vem sendo realizado há anos pela Intercom. Essa geração passa a ter uma importante missão para o futuro da comunicação no Brasil”, destacou. Atualmente o grupo é composto por 39 pesquisadores pertencentes a todas as regiões do País: sete do Norte, nove do Nordeste, um do Centro-Oeste, 12 do Sudeste e 10 do Sul. Intercom 2013 Em 2013, as etapas regional (Norte) e Nacional do Congresso de Ciências da Comunicação serão realizadas no Amazonas, respectivamente, nos meses de maio e setembro. O tema deste ano será ‘Comunicação em tempo de redes sociais: afetos, emoções, subjetividades’. A vice-presidente da Intercom, professora doutora Marialva Barbosa, destacou a articulação realizada no Amazonas para a organização do 36º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. “O Amazonas está se destacando pelo empenho na organização do congresso de 2013 pela forte articulação com os pesquisadores e estudantes locais e na captação de recursos. O lançamento do evento foi um sucesso, em plena greve das Universidades Federais, conseguiram reunir quase mil pessoas, tem tudo para ser um sucesso”, afirma. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) vai apoiar o Intercom Norte e o Intercom Nacional de forma institucional e por meio do Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos e Tecnológicos no Estado do Amazonas (Parev). Conheça o site do 36º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação clicando aqui: intercomanaus.com/brasil/intercom2013/

Fonte: Agência FAPEAM


Veículo:

Jornal Brasil On-line

Editoria:

Pag:

Assunto:Fatores sociais influenciam na forma de envelhecer, diz pesquisa (x) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:Paic

Fatores sociais influenciam na forma de envelhecer, diz pesquisa Diversos fatores sociais como gênero, escolaridade, idade e naturalidade exercem forte influência na forma de envelhecer. Com o objetivo de verificar a abrangência desses fatores foi desenvolvida a pesquisa ‘Papéis sociais desempenhados por idosos que moram no Conjunto 31 de Março, Japiim 2’, realizada pelo psicólogo e pesquisador Andrews do Nascimento Duque.

O estudo foi desenvolvido na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e contou com o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Paic). Duque explicou que a pesquisa objetivou conhecer os papéis sociais desempenhados por um grupo de idosos moradores do Conjunto 31 de Março, localizado no bairro Japiim 2, zona sul de Manaus, assim como identificar as tarefas evolutivas e os papéis sociais por eles exercidos. De acordo com ele, o estudo partiu de uma perspectiva do desenvolvimento humano no curso de vida, a qual privilegia a visão do desenvolvimento humano do nascimento até a morte. “Esta teoria afirma que as mudanças normativas e não normativas relacionadas às questões biológicas, psicológicas e sociais afetam a trajetória de desenvolvimento das pessoas, de forma que as mesmas alocarão recursos internos e externos com o objetivo de fazer um equilíbrio entre ganhos e perdas. Neste sentido, o envelhecimento assume configurações diferentes em cada contexto”, ressaltou o pesquisador. De acordo com Duque, durante a pesquisa, foi possível perceber que o idoso de hoje, não pensa mais como


antigamente quando eles envelheciam num processo de isolamento. Hoje, eles adquiriram muitos benefícios que contribuíram para a inclusão social, mas há fatores que persistem em deixá-los fora de certas atividades que ainda poderiam desenvolver e com elas resgatar a autoestima e a qualidade de vida. “Para o idoso, a aposentadoria não é o fim, é um direito. E depois dela, ele ainda tem muito a contribuir para a sociedade com a sua experiência. Mas a falta de oportunidade, como voltar ao mercado de trabalho, voltar a estudar, assim como a adaptação de quem vem do interior para a cidade, a mobilidade urbana, o medo da violência e outros fatores, afetam a forma de envelhecimento e contribuem para um perfil diferenciado de velhice. Com essas lacunas, as atividades de lazer e a família são os principais suportes para superar e compensar essas possíveis perdas”, enfatizou. Os resultados da pesquisa possibilitaram trazer para o âmbito acadêmico uma melhor compreensão de aspectos da vivência do envelhecimento de forma a contribuir para que novas políticas surjam em benefício da promoção de um envelhecimento com qualidade de vida, mas também com qualidade de oportunidades. Metodologia O estudo foi realizado com 30 idosos. Os dados foram coletados por meio de questionário contendo 17 questões abertas e 15 questões fechadas, perfazendo um total de 32 questões. O questionário foi composto por dez blocos de questões que tiveram por objetivo levantar informações sobre o local de moradia, escolaridade, atividade profissional, saúde, família, amigos, sinais e percepção de envelhecimento, atividades sociais e planos para o futuro dos adultos e idosos. A pesquisa, que teve a vigência de um ano, já foi concluída e apresentada no 21º Congresso de Iniciação Científica da Universidade Federal do Amazonas (Conic/Ufam). O evento aconteceu no período de 10 a 14 de dezembro. “Esse projeto foi finalizado, mas o mesmo abre possibilidades para outros estudiosos do tema se aprofundarem em outras pesquisas que ajudem a configurar e reconfigurar o idoso amazônida”, disse Duque. O pesquisador ressalta a importância da FAPEAM para o desenvolvimento da pesquisa no Estado. “Enquanto agência de fomento à pesquisa em nossa região, a FAPEAM teve fundamental importância neste estudo. O incentivo que recebi teve impacto na execução e conclusão de todas as etapas da pesquisa. O apoio me possibilitou a segurança para seguir até o fim e, com isso, obter excelentes resultados”, finalizou. Sobre o Paic O Programa de Apoio à Iniciação Científica do Amazonas consiste em apoiar, com recursos financeiros e bolsas institucionais, estudantes de graduação interessados no desenvolvimento de pesquisa em instituições públicas e privadas do Amazonas.

Fonte: Agência FAPEAM http://www.jornalbrasil.com.br/?pg=desc-noticias&id=65226&nome=Fatores%20sociais %20influenciam%20na%20forma%20de%20envelhecer,%20diz%20pesquisa


Veículo:

Jornal Brasil On-line

Editoria:

Pag:

Assunto:FAPEAM prorroga prazo de inscrições para 4ª edição do Prêmio de Jornalismo Científico (x) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( x) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

FAPEAM prorroga prazo de inscrições para 4ª edição do Prêmio de Jornalismo Científico A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) prorrogou para o dia 8 de fevereiro de 2013 o encerramento das inscrições e envio de materiais para participação na 4ª edição do Prêmio FAPEAM de Jornalismo Científico. Nesta edição, serão concedidos R$ 50,8 mil em prêmios para assessorias de comunicação/e ou imprensa, profissionais e estudantes de jornalismo que tenham produzido matérias relacionadas à Ciência, Tecnologia e Inovação em 2012, com objetivo de incentivar o jornalismo científico no Estado e estimular a popularização da ciência. As propostas submetidas serão pré-analisadas pela equipe técnica da instituição que verificará os requisitos exigidos no edital. As propostas passarão ainda por uma análise de mérito e relevância, na qual todos os trabalhos serão julgados por uma comissão composta por cinco membros convidados pela FAPEAM. Neste ano, os concorrentes podem inscrever até cinco matérias por categoria. O vencedor será o candidato que conseguir a maior nota da comissão avaliadora. A divulgação dos resultados está prevista para abril de 2013 e a entrega do prêmio será feita durante cerimônia, em local ainda a ser definido, em maio do ano que vem. Segundo a diretora-presidenta da FAPEAM, Maria Olívia Simão, é uma satisfação realizar mais uma edição do Prêmio, especialmente no ano em que a Fundação comemora 10 anos de atuação. “Nosso objetivo é reconhecer publicamente o empenho de jornalistas e estudantes conceituados do nosso Estado, além dos veículos de comunicação e assessorias de imprensa e comunicação que acompanham a trajetória da CT&I no Amazonas, por meio da cobertura jornalística”,


afirmou a diretora-presidenta. Prêmio para assessorias Outra novidade é de que na modalidade ‘Comunicação Institucional’, o prêmio vai reconhecer o trabalho das assessorias de comunicação e/ou imprensa de instituições de Ensino Superior e/ou Pesquisa (IPES), de órgãos públicos em geral (municipais, estaduais e federais), ou ainda, de empresas (públicas ou privadas) que atuam na divulgação de ações institucionais relacionadas à ciência, tecnologia e inovação .

Será concedida uma premiação de R$ 10 mil, a ser entregue ao assessor de comunicação e/ou imprensa na forma de auxílio-pesquisa, para promoção de melhorias na infraestrutura do setor. Será entregue ainda um troféu a instituição e certificados a cada membro da equipe atuante na assessoria de comunicação. Como já aconteceu nas edições anteriores, jornalistas profissionais e estudantes na modalidade ‘Comunicação institucional’ que atuam em assessorias de comunicação e/ou imprensa de instituições e/ou empresas focadas na divulgação científica podem concorrer em três categorias: impresso-jornal, impresso-revista e internet com prêmio de R$ 1,2 mil para estudantes e R$ 3 mil para profissionais. Divulgação científica Na modalidade ‘Comunicação de Massa’ não houve alteração e continuam os prêmios destinados a categorias voltadas à ‘TV/TV disponível na web – reportagem e videorreportagem’ e ‘TV/TV disponível na web – grande reportagem e documentário jornalístico’. Nesta modalidade, o objetivo é prestigiar os profissionais autores de documentários jornalísticos e atuantes em videorreportagens que popularizam a ciência cotidianamente. Também serão premiados profissionais e estudantes nas categorias de impresso-jornal, impresso-revista, rádio/rádio disponível na web, internet e fotojornalismo. Os prêmios são de R$ 1,2 mil para estudantes e R$ 3 mil para profissionais. Sobre o Prêmio FAPEAM de Jornalismo Científico O Prêmio FAPEAM de Jornalismo Científico é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-AM) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (FAPEAM), e tem o objetivo de incentivar o jornalismo científico no Estado e estimular a popularização da ciência. O Edital 019/2012 e o Aditamento e Retificação do edital do Prêmio de Jornalismo Científico da FAPEAM, com todas as regras, informações e instruções necessárias aos interessados estão disponívModalidade Comunicação Institucional: Será premiada individualmente nesta modalidade a seguinte categoria:

NÍVEL

CATEGORIA

Institucional

Assessoria de Comunicação e/ou Imprensa - Projeto de Comunicação Institucional/ Portfólio/ Periodicidade dos produtos

Profissional

Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica

Estudante

Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de


Divulgação Científica

Modalidade Comunicação de Massa: Serão premiadas individualmente nesta modalidade, em seus respectivos níveis, as seguintes categorias:

NÍVEL

CATEGORIA

Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica TV/TV disponível na Web – Reportagem ou Videorreportagem (até 2’ minutos) Matéria de Divulgação Científica Profissional TV/TV disponível na Web (superior a 2’ minutos) – Grande Reportagem de Divulgação Científica ou Documentário Jornalístico de Divulgação Científica Rádio/ Rádio disponível na Web – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica Fotojornalismo – Fotografia de Divulgação Científica

Estudante

Impresso-Jornal – Matéria de Divulgação Científica Impresso-Revista – Matéria de Divulgação Científica TV/TV disponível na Web – Reportagem ou Videorreportagem de Divulgação Científica (até 2’ minutos) Rádio/ Rádio disponível na Web – Matéria de Divulgação Científica Internet – Matéria de Divulgação Científica Fotojornalismo – Fotografia de Divulgação Científica

CRONOGRAMA ATIVIDADES

DATA

Lançamento do Edital

27 de novembro de 2012

Inscrições

Até 8 de fevereiro de 2013

Divulgação dos selecionados

abril de 2013

Entrega do Prêmio

maio de 2013

Confira abaixo o edital e o aditamento com atualização das regras: Edital Aditamento

Fonte: Agência FAPEAM http://www.jornalbrasil.com.br/?pg=desc-noticias&id=65215&nome=FAPEAM%20prorroga %20prazo%20de%20inscri%E7%F5es%20para%204%AA%20edi%E7%E3o%20do%20Pr %EAmio%20de%20Jornalismo%20Cient%EDfico


Veículo:

Jornal Brasil On-line

Editoria:

Pag:

Assunto:Diretor da ABIPTI apresenta especialização da entidade em fórum de inovação do Amazonas ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( x) Release de outra instituição ( ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Diretor da ABIPTI apresenta especialização da entidade em fórum de inovação do Amazonas Diretor de Relações Interinstitucionais da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica (ABIPTI), Félix Andrade da Silva, apresentou, na sexta-feira (14), em Manaus (AM), o curso de especialização Agente de Inovação e Difusão Tecnológica (Agintec). A palestra faz parte da programação da 6ª Reunião Ordinária do Fórum de Inovação do Amazonas, coordenado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Amazonas (Secti-AM). O evento será realizado na Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi), a partir das 14h30. O Agintec visa à formação de profissionais capacitados para negociar e catalisar os processos de difusão e apropriação econômica e social do conhecimento para fortalecer a cultura da inovação no país. A secretaria é apoiadora da iniciativa no Estado. Também faz parte da programação do fórum uma apresentação sobre o programa de subvenção econômica para aplicação em micro e pequenas empresas, lançado recentemente pela Finep. A palestra “Tecnova: um instrumento de desenvolvimento regional” será proferida pela diretora técnico-científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam), Andrea Waichman, e pelo secretário executivo adjunto da Secti-AM, Eduardo Taveira. O programa será operado por parceiros descentralizados em cada Estado da Federação. A carta-convite já foi encaminhada pela Finep. Além dos recursos da agência de fomento, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) participa de forma complementar com mais R$ 50 milhões, valor de utilização não obrigatória pelas empresas selecionadas, e que será voltado a atividades de gestão de negócio. O objetivo do fórum é debater estratégias que contribuam para promover a integração entre a academia e o setor produtivo com vistas ao fortalecimento na área de inovação tecnológica.


*(Com informações da Secti-AM)

Fonte: Agência Gestão CT&I de Notícias* http://www.jornalbrasil.com.br/?pg=desc-noticias&id=65190&nome=Diretor%20da%20ABIPTI %20apresenta%20especializa%E7%E3o%20da%20entidade%20em%20f%F3rum%20de%20inova %E7%E3o%20do%20Amazonas


Veículo:

Portal Amazônia.com

Editoria:

Pag:

Assunto:Vestígios humanos são descobertos em áreas “intocadas” na Amazônia ( ) Release da assessoria de imprensa (x) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (X) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

( ) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( x) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Vestígios humanos são descobertos em áreas “intocadas” na Amazônia MANAUS – Estudos realizados do Programa de Pós-Graduação em Ecologia (PPG Eco) do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) mostraram sinais de ocupação humana em áreas antes consideradas “virgens”. A pesquisa foi realizada em seis módulos do Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio) ao longo da BR-319, que liga Manaus (AM) a Porto Velho (RO), se restringindo a região do interflúvio Purus-Madeira. Baseados em outros estudos, pesquisadores pensavam que a domesticação da Amazônia não passava das margens dos rios principais. Com a descoberta da extensão de florestas antropogênicas ao longo do interflúvio, foram encontrados castanhais, seringais e caiauézais, próximo aos rios, além de Terra Preta de Índio e carvão mineral. O pesquisador Charles Clement, da coordenação de Tecnologia e Inovação do Instituto, diz que o resultado mostra até onde o homem pode ir, já que se espera uma área mais trabalhada perto do local onde ele mora e ao longo do caminho se espera menos modificações”. A pesquisa faz parte do mestrado da estudante Carolina Levis, junto com Priscila Figueira, Juliana Schietti, Thaise Emilio, José Luiz Pinto e Flávia Costa. “O diferencial do meu estudo foi incluir uma perspectiva histórica dentro da ecologia e, sobretudo, mostrar que o homem teve um efeito sobre a composição de árvores da floresta no interflúvio Purus-Madeira”, frisa Levis. A pesquisa demonstrou que o uso sustentável e a conservação da Floresta Amazônica serão mais eficazes “se considerar o grau de domesticação da paisagem, já que a floresta ainda concentra


árvores úteis resultantes do enriquecimento humano passado”. Segundo Levis, os estudos irão impulsionar novas pesquisas na busca do entendimento do legado deixado pelas populações passadas na floresta, além de acentuar a importância da inclusão do efeito da população humana nos estudos ecológicos. A pesquisadora ainda planeja construir seu projeto de doutorado expandindo o tema deste estudo para outras áreas da Amazônia. http://www.portalamazonia.com.br/editoria/ciencia-e-tecnologia/vestigios-humanos-saodescobertos-em-areas-intocadas-na-amazonia/


Veículo:

G1 Amazonas

Editoria:

Pag:

Assunto:Fapeam prorroga inscrição para 4º Prêmio de Jornalismo Científico (x) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição (X) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Fapeam prorroga inscrição para 4º Prêmio de Jornalismo Científico A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) prorrogou as inscrições para a 4ª edição do Prêmio Fapeam de Jornalismo Científico. Profissionais e estudantes da área de comunicação do Amazonas que tenham interesse em concorrer em uma das modalidades da premiação podem inscrever os trabalhos até o dia 8 de fevereiro de 2013. Segundo a organização do evento, a iniciativa visa incentivar a prática do jornalismo científico no Estado e estimular a popularização da Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) premiando trabalhos jornalísticos que tenham contribuído, no ano de 2012, com a disseminação do setor. "É possível observar o aumento do interesse pela área de CT&I graças ao prêmio, que a cada ano busca reconhecer o importante papel de profissionais e estudantes nesse processo de divulgação científica, e procura incentivar o aprimoramente dessa prática, que vem dando destaque à área, deixando a ciência cada vez mais em pauta", explicou a diretora-presidente da Fapeam, Maria Olívia Simão. Novidades A organização do prêmio informou que algumas mudanças irão ocorrer na edição de 2013, dentre elas a modalidade Comunicação Institucional passará a oferecer apenas a categoria 'Assessoria de Comunicação e/ou Imprensa' com a premiação de R$ 10 mil. O intuito é incentivar a consolidação das assessorias e fomentar o interesse pela divulgação científica, por meio de investimento direcionado à infraestrutura. Outra mudança será a alteração na modalidade Comunicação de Massa nas categorias voltadas à 'TV/TV disponível na web – reportagem e videorreportagem' e 'TV/TV disponível na web – grande reportagem e documentário jornalístico', que tem como objetivo prestigiar os profissionais autores


de documentários jornalísticos e os atuantes no jornalismo multimidiático das videorreportagens. Já as menções honrosas serão direcionadas a um veículo de comunicação que se destacou entre os demais pelo empenho em divulgar reportagens de CT&I e a um profissional atuante na área que será intitulado 'Jornalista Amigo da Ciência'. Seleção As propostas submetidas serão pré-analisadas pela equipe técnica da instituição, onde serão verificados os cumprimentos dos requisitos exigidos no edital. Após essa etapa, as propostas serão deverão passar por análise do mérito e relevância, de forma que todos os trabalhos serão julgados por uma comissão composta por cinco membros externos convidados. Neste ano, os concorrentes podem inscrever até cinco matérias por categoria, porém o edital indica que só poderá ganhar em uma das categorias oferecidas pelo prêmio aquele que apresentar a maior nota conferida pela comissão julgadora. Entre as categorias da modalidade Comunicação de Massa estão: Impresso-Jornal, Impresso-Revista, TV/TV disponível na web - reportagem ou videorreportagem, TV/TV disponível na web - grande reportagem ou documentário jornalístico, Rádio/Rádio disponível na web, Internet e Fotojornalismo. Premiação De acordo com a organização do evento, a lista dos finalistas será divulgada até o dia 27 de março e a entrega da premiação será realizada em abril de 2013. A assessoria, os profissionais e os estudantes vencedores receberão um troféu, um diploma e uma bolsa-prêmio da Fapeam. O prêmio único da modalidade Comunicação Institucional é de R$ 10 mil, direcionado à categoria 'Assessoria de Comunicação e/ou Imprensa'. Já na modalidade Comunicação de Massa, o valor da premiação individual, oferecida aos primeiros colocados em cada categoria, será de R$ 3 mil para profissionais e R$ 1,2 mil para estudantes. O valor total a ser distribuído entre os vencedores chegará a R$ 38,2 mil. O Edital 019/2012 do Prêmio de Jornalismo Científico da Fapeam, com todas as regras, informações e instruções necessárias aos interessados já está disponível para consulta no site da instituição. http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2012/12/fapeam-prorroga-inscricao-para-4-premio-dejornalismo-cientifico.html


Veículo:

Jornal da Ciência

Editoria:

Pag:

Assunto:Doutorado Pleno no Exterior abre inscrições para 2013 e publica

regulamento ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

(x ) Release de outra instituição ( ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

( ) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo (x ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Doutorado Pleno no Exterior abre inscrições para 2013 e publica regulamento A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) recebe, até o dia 31 de janeiro de 2013, exclusivamente pela internet, as inscrições para o processo seletivo do programa Doutorado Pleno no Exterior. Entre outros tópicos, o regulamento trata da duração e benefícios das bolsas de estudo, da candidatura e seleção, da implementação da bolsa e das obrigações dos bolsistas, além de conter apêndices contendo a documentação necessária para inscrição e componentes da concessão de doutorado pleno no exterior.

As bolsas destinam-se a candidatos de elevado desempenho acadêmico, que se dirijam a instituições estrangeiras de excelência, com exceção daquelas situadas na Alemanha que são orientadas por edital específico.

Os bolsistas selecionados receberão benefícios como mensalidade; adicional para dependente, quando for o caso; auxílio-instalação, quando for o caso; auxílio-deslocamento; e auxílio para aquisição de seguro saúde. A bolsa dos candidatos selecionados deverá ser implementada no segundo semestre de 2013.


Doutorado Pleno no Exterior - O programa tem como objetivo oferecer bolsas de doutorado pleno no exterior como alternativa complementar às possibilidades ofertadas pelo conjunto dos programas de pós-graduação no Brasil, de forma a buscar a formação de docentes e pesquisadores de alto nível.

http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=85403


Veículo:

Jornal da Ciência

Editoria:

Pag:

Assunto:Mata tropical tem 18 mil espécies de artrópodes por hectare ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

(x Release de outra instituição ( ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

( ) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo (x ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Mata tropical tem 18 mil espécies de artrópodes por hectare Um esforço sem precedentes, reunindo mais de uma centena de cientistas, esquadrinhou uma floresta tropical do Panamá de alto a baixo na tentativa de responder uma pergunta aparentemente simples: quantas espécies de artrópodes (o grupo dos insetos e aranhas, entre outros bichos) existem ali? O resultado - nada menos que 18 mil tipos de artrópodes em apenas meio hectare de mata - é a estimativa mais precisa já obtida a respeito da diversidade desses seres, que correspondem a mais de 80% dos animais da Terra. "Até onde sabemos, conseguimos amostrar todos os habitats, do solo da floresta ao alto das árvores, e todos os principais grupos de artrópodes", diz o brasileiro Sérvio Pontes Ribeiro, da Universidade Federal de Ouro Preto, coautor do estudo na edição de hoje da revista "Science".

Ribeiro é especialista na diversidade de bichos no chamado dossel superior, a área mais alta da floresta. Paradoxalmente, diz ele, o ambiente nessa região lembra o do cerrado: muita luz solar, pouca umidade e nutrientes mais escassos.

As condições especiais favoreceram a evolução de insetos que põem seus ovos dentro das folhas e formam uma espécie de tumor vegetal nelas - um abrigo mais úmido e nutritivo para elas. Mapeando esse e outros ambientes com vários tipos de armadilhas e redes, os cientistas estimam que, em toda a floresta de San Lorenzo, com seus seis mil hectares, há cerca de 25


mil espécies.

Curiosamente, um único hectare é suficiente para abrigar dois terços desse total. "Essa é a grande mudança trazida pelo nosso estudo", afirma Ribeiro.

"Achava-se que a maioria das espécies de artrópodes existia em espaços muito pequenos. O que nós estamos vendo é que elas ocorrem em áreas amplas e provavelmente precisam de territórios grandes."

A equipe está replicando a metodologia em outros lugares, como a Austrália e Vanuatu, na Polinésia. Com mais dados, a expectativa é que seja possível ter uma ideia mais clara sobre outro número misterioso: quantas espécies, no total, existem na Terra toda. (Folha de São Paulo)

www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=85396


Veículo:

G1.com

Editoria:

Pag:

Assunto:Estudo sugere que filho pode resistir mais ao vício de cocaína que os pais ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( x) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

( ) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo (x ) Não

Data: 17/12/2012

Programa:

Estudo sugere que filho pode resistir mais ao vício de cocaína que os pais Estudo realizado por cientistas da Universidade de Pensilvânia e do Hospital Geral de Massachusetts, nos Estados Unidos, sugere que os filhos do sexo masculino de pais viciados em cocaína podem resistir mais à dependência do que seus progenitores. A pesquisa, realizada com ratos, foi publicada neste domingo (16) pela revista "Nature Neuroscience". Para chegar ao resultado, os pesquisadores prepararam os ratos "pais" de maneira que eles poderiam se autoadministrar cocaína por 60 dias, até atingir a maturidade sexual. Os filhotes machos nascidos destes pais apresentaram resistência significativa à dependência da droga, fato que não ocorreu com as fêmeas. Ao estudar os cérebros dos filhotes, os cientistas descobriram que ocorreu um aumento da expressão de um gene, chamado BNDF, no córtex pré-frontal médio dos animais. A expressão deste gene no córtex é conhecida por inibir comportamento de vício. A análise mostrou que o gene BNDF sofreu uma alteração química nos filhotes, o que fez com que ele adquirisse expressão maior no cérebro, dizem os pesquisadores. A mesma alteração foi encontrada no esperma dos pais roedores, o que sugere que o fenômeno ocorreu em resposta ao uso da cocaína e foi transmitida para os filhos. A descoberta contradiz dados médicos em humanos, que indicam que o uso de cocaína pelos pais aumenta as chances do uso da droga pelos filhos.


Os cientistas afirmam que as conclusões são preliminares e devem ser lidas com cuidado, e que é preciso mais pesquisas sobre as influências biológicas, comportamentais e do meio em que as pessoas vivem sobre o uso de drogas, para determinar a existência ou não de um fator hereditário. http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2012/12/estudo-sugere-que-filho-pode-resistir-mais-aovicio-de-cocaina-que-os-pais.html


Veículo:

Jornal do Commercio

Editoria:Ciência&Inovaçâo

Pag:B5

Assunto:Acesso à banda larga deve crescer 52% ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria ( x ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam: Programa:

( ) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo (x ) Não

Data: 17/12/2012


Veículo:

Jornal Diário do Amazonas

Editoria:Sociedade

Pag:16

Assunto: Pesquisador estuda reprodução de espécie da Região Amazônica ( ) Release da assessoria de imprensa (x) Matéria articulada pela assessoria ( ) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (x) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam:

(x) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Programa: Programa Primeiros Projetos - PPP

Data: 17/12/2012


Veículo:

Jornal Diário do Amazonas

Editoria:Economia

Pag:16

Assunto: É tempo de empreender e inovar ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria (x) Iniciativa do próprio veículo de comunicação ( ) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam: Programa:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012


Veículo:

Jornal Em Tempo

Editoria:

Plateia

Pag:D3

Assunto: Orquestra amazonense com disco disponível no iTunes ( ) Release da assessoria de imprensa ( ) Matéria articulada pela assessoria (x) Iniciativa do próprio veículo de comunicação (X) Pesquisa financiada pela Fapeam Projeto: Pesquisador(a):

( ) Release de outra instituição ( ) Publicado no Site da FAPEAM Cita a Fapeam: Programa:

(X) Sim

Conteúdo (X) Positivo ( ) Negativo ( ) Não

Data: 17/12/2012


CLIPPING FAPEAM