Page 1


Veículo: Site – Rede Amazônica Editoria: Pag: Assunto: Aades abre inscrições para contratação de 35 profissionais na Fapeam Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Programa:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Aades abre inscrições para contratação de 35 profissionais na Fapeam Salários variam de R$1.500 a R$2.500. Inscrições são gratuitas. por amazonasfm.com.br radar10@redeamazonica.com.br MANAUS - Inicia nesta quarta-feira (14) as inscrições para preenchimento de 35 vagas do Projeto de Implantação dos Sistemas de Monitoramento e Avaliação das linhas de Ação da Fundação de Amparo à Pesquisas do estado do Amazonas (Fapeam). As inscrições são gratuitas e válidas para candidatos de todo o território brasileiro pelo site da Aades. Os salários variam de R$1.500 a R$2.500. Segundo informações da presidente da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (Aades), Ana Paula Aguiar, o processo seletivo visa preencher cinco linhas de ação: Fomento à Formação e Capacitação de Recursos Humanos para C,T&I; Fomento à Pesquisa, Tecnologia e Inovação; Apoio à Infraestrutura e Organização Institucional para C,T&I; Fomento à Popularização e Difusão da Ciência, Tecnologia e Inovação e Apoio ao Intercâmbio e Cooperação Interinstitucional, Nacional e Internacional impactando positivamente para o desenvolvimento econômico e social da região. http://www.redeamazonica.com.br/amazonasfm/noticias/aades-abre-inscricoes-para-contratacao-de35-profissionais-na-fapeam/


Veículo: Site – Jus Brasil Editoria: Pag: Assunto: UEA lança incubadora para incentivar criação de novas empresas no Estado Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

UEA lança incubadora para incentivar criação de novas empresas no Estado A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) lançou, na tarde desta terça-feira, 13 de agosto, a primeira incubadora de empresas da instituição. A IN-UEA vai oferecer suporte técnico, financeiro e estrutural para 15 projetos de empresários e empresas de base tecnológica que atuem com ações de inovação. O edital para participar da seleção também foi lançado na mesma ocasião e pode ser acessado no site da UEA ( www.uea.edu.br). As empresas que forem aprovadas no edital vão receber além de apoio financeiro e estrutural, assessoria técnica, auxílio na captação de recursos e de mercado, consultorias e treinamento. Esse trabalho será realizado por técnicos e docentes da UEA. A incubadora atenderá empresas e projetos mistos, que tratem tanto de desenvolvimento tecnológico, quanto para o comércio em geral, que poderão ficar incubadas por até três anos. De acordo com o idealizador e coordenador do projeto, o professor Wlademir Leite, a incubadora beneficiará quatro empresas residentes, que vão contar com o apoio e infraestrutura do local, como salas e equipamentos; oito empresas associadas, que já estão em funcionamento e receberão apoio para desenvolver os trabalhos; e três empresas na categoria hotel de projetos, que não estão implantadas, mas já possuem ideias concebidas. Inovação – Wlademir explicou que, uma das poucas exigências feitas aos interessados em participar do processo seletivo é de que os projetos sejam inovadores. “Não queremos nada que não seja novo, nada que já exista no mercado. Nossas empresas têm por obrigação trabalhar com a inovação”. Segundo ele, os responsáveis pelas empresas e projetos selecionados, além do suporte recebido,


serão incentivados a participar de editais de financiamento estaduais e federais e da própria Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), que atualmente não têm tido grande procura no Estado. Ele acredita que a procura pelo edital será grande. “Já venho recebendo algumas ligações, que demonstram o interesse em torno do programa”. Momento histórico – O reitor da UEA, Cleinaldo de Almeida Costa, afirmou que o lançamento é um momento histórico para a instituição e que o momento é ideal para a implantação para esse tipo de projeto. “Essa é uma enorme oportunidade para que nós aprendamos sobre empreendedoramente. Todos temos que ter noção de como isso acontece”. Incentivo da Fapeam – A incubadora da UEA conta com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e apoio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-AM), inicialmente de R$ 100 mil. Por meio de um programa do Governo do Estado, o Pró-incubadora, lançado pela Fapeam, foi disponibilizado, por meio de edital, R$ 1,7 milhão para o incentivo e apoio a novos projetos, como no caso da IN-UEA, e para incubadoras já existentes. O Amazonas tem hoje nove incubadoras e outras três devem ser criadas no interior do Estado. http://gov-am.jusbrasil.com.br/politica/104262821/uea-lanca-incubadora-para-incentivar-criacaode-novas-empresas-no-estado


Veículo: Site – UEA Editoria: Pag: Assunto: Acordo de cooperação vai levar internet banda larga para sete municípios Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Acordo de cooperação vai levar internet banda larga para sete municípios O sonho de ter internet de boa qualidade nos municípios do Amazonas em breve será uma realidade para os municípios de Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru. Isso graças a uma ação transversal inovadora de articulação entre instituições e investimentos de um pouco mais de R$ 9 milhões. Com o benefício os habitantes dessas localidades terão não apenas acesso à internet de alta velocidade, mas cidadania, emprego e renda, segurança e inclusão digital. Nesta terça-feira, 13, o Governador do Amazonas, Omar Aziz reuniu-se com secretários e gestores da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI-AM), Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan), Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), Processamento de Dados do Amazonas S/A (Prodam) e prefeitos dos municípios envolvidos para assinatura do Acordo de Cooperação Técnica do Projeto Cidades Digitais, que integra a Rede Estadual de Comunicação, referente ao trecho Coari-Manaus. O Acordo visa a implantação de equipamentos de recepção de sinal de internet para as sedes dos 7 municípios envolvidos nessa extensão. A fibra óptica para interligação do trecho foi cedida pela Empresa Telecomunicações Brasileiras S/A (Telebras) e já está instalada. A velocidade da conexão a ser disponibilizada será de 14 Mega. SOLUÇÕES E BENEFÍCIOS O Governo do Amazonas, por meio da SECTI-AM, vem buscando soluções inovadoras para


ampliar e melhorar o acesso à internet em todo o Estado. Com a identificação do problema nos municípios do trecho Coari-Manaus foram buscadas alternativas que pudessem solucionar o problema. Assim, foi firmado acordo com a Telebrás para disponibilizar um par de fibra ótica do backbone (ponto principal de fibra ótica) da Petrobras, que acompanha o gasoduto de Coari até Manaus. A partir daí, outros órgãos foram consultados para, em parceria, executar o projeto de iluminação dessas fibras. Esse par de fibra ótica é suficiente para interligar os sete municípios que estão à margem do gasoduto, e outro ponto importante é que outros municípios próximos ao ponto também poderão ser beneficiados, pois a interligação será híbrida, ou seja, por meio de fibra ótica e rádio. Segundo o titular da Secti, Odenildo Sena, a iniciativa trará benefícios à população dos municípios, em diferentes áreas: saúde, educação, segurança e cidadania. Outro aspecto positivo e inovador é a interligação de instituições das esferas municipal, estadual e federal de maneira a garantir uma melhor prestação de serviços. A população também terá disponíveis locais públicos (hotspot wi-fi) para conectividade gratuita. Com a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica, a Prodam inicia a execução do projeto que envolve a instalação de equipamentos até às sedes dos municípios. A previsão é que em janeiro dois municípios já estejam com acesso à internet banda larga. CIENCIAemPAUTA, por Marlúcia Seixas e Rosilene Correa http://www1.uea.edu.br/noticia.php?notId=27684


Veículo: Site – G1.Globo Editoria: Pag: Assunto: Projeto deve levar internet de 14MB para 7 municípios do interior do AM Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Projeto deve levar internet de 14MB para 7 municípios do interior do AM Cidades beneficiadas são as situadas ao longo do gasoduto Coari-Manaus. Outros seis municípios deverão receber benefício no futuro, segundo Omar. Adneison Severiano Do G1 AM A partir de janeiro de 2014, sete municípios do interior do Amazonas deverão receber sinal de internet com velocidade de 14 MB (megabytes) através da Rede Estadual de Comunicação. O investimento de mais de R$ 9 milhões beneficiará órgãos estaduais e municipais, prefeituras e população das cidades situadas ao longo do gasoduto Coari-Manaus. O lançamento da nova rede ocorreu na reitoria da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), na manhã desta terça-feira (13), na capital. Na ocasião, o governo anunciou que na próxima etapa outras oito cidades também serão beneficiadas com o Projeto Cidades Digitais. O planejamento do projeto iniciou em 2010 por meio da Secretaria Estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia (Secti). Agora a iniciativa tornou-se parceira das Telecomunicações Brasileiras (Telebras), sendo executada pela empresa de Processamento de dados do Amazonas (Prodam). Um dos pares de fibra ótica já existente do gasoduto será utilizado pela Rede Estadual de Comunicação, levando internet aos municípios de Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru. Na primeira fase, a Rede Estadual de Comunicação envolve também as Secretarias de Educação (Seduc), de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan), de Fazenda (Sefaz), de Segurança Pública (SSP), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), da UEA e do Centro de Educação Tecnológica (Cetam).


Luzia Raquel Queiroz, chefe do Departamento de Apoio à Pesquisa da Secti, explicou que a rede de fibra ótica do gasoduto atualmente se encontra apagada porque ainda não dispõe dos equipamentos necessários para quer por ela o sinal de internet. "Primeiramente será iluminada essa fibra, instalando esses equipamentos. A segunda etapa do projeto é a instalação da rede ótica, levando ramificações dessa rede para sede de cada município. Encerrada essa etapa vamos instalar soluções de rádio, instalando torres de transmissão de sinal e antenas de recepção em cada órgão público das três esferas do governo estadual", informou a especialista. Antenas (hotspot wi-fi) serão instaladas em praças públicas das cidades para que a população tenha acesso ao sinal de internet de forma gratuita por dispositivos móveis como celulares, smartphones e tablets. O governador Omar Aziz destacou que a iniciativa é importante para a internet com boa velocidade chegue ao interior, que vem sofrendo muitas dificuldades com a qualidade e lentidão da internet. Segundo ele, as condições econômicas dos municípios do interior inibem os investimentos no setor, sendo necessária uma intervenção do Estado. "Existe a possibilidade de utilizarmos três pontos para levar internet de qualidade ao interior do Amazonas. Uma das possibilidades é através da rede da Embratel que sai de Porto Velho passa pelo Rio Madeira, por Humaitá e chega à Manaus. Outra consiste por meio da estrutura do Linhão de Tucuruí, que abrange a Região do Baixo Amazonas. Porém, no primeiro momento, utilizaremos a rede de fibra ótica do gasoduto Coari-Manaus", ressaltou o governador. Omar anunciou que futuramente outros municípios devem ser beneficiados com investimentos no setor de comunicação, dentre eles: Nhamundá, Parintins, Maués, Urucurituba, Itacoatiara e Silves. Entretanto, ainda não há previsão de quando as ações do projeto chegarão às demais cidades, pois depende da captação de recursos federais e de autorização de órgãos do setor de telefonia nacional. O secretário estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia, Odenildo Sena, frisou que esse projeto inicial possibilitará expandir a rede uma série de outras cidades. Além disso, a Secti aguarda aprovação de oito outros projetos de Cidades Digitais no Ministério das Comunicações. "Esses projetos visam ampliar além desse percurso Coari-Manaus. Cada um está orçado em cerca de R$ 800 mil reais. Caso tenham parecer favorável esses oito projetos irão se juntar aos outros três aprovados no ano passado. Isso vai dar um fôlego enorme para internet do interior do estado", enfatizou o secretário. http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2013/08/projeto-deve-levar-internet-de-14mb-para-7municipios-do-interior-do-am.html


Veículo: Site – Rede Saci Editoria: Pag: Assunto: Sessões de violino estimulam crianças e adolescentes autistas Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Sessões de violino estimulam crianças e adolescentes autistas Ciência em pauta Amazonas - BR, 13/08/2013 Projeto voltado para crianças autistas entre 6 e 15 anos usa o violino como técnica para aprendizagem. Débora Martins Estimular crianças e adolescentes autistas e conciliar o hobby com a profissão é um desejo antigo da pesquisadora Thais Helena Chaves Castro, doutora em informática pela Pontifícia Universidade Católica (PUC -RJ) e professora de computação da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Grande admiradora do violino, Castro inicia este mês as atividades do projeto "Investigação em Tecnologia Assistiva voltada à Socialização de Crianças com Necessidades Educacionais Especiais através da Musicalização em Ambientes Virtuais Imersivo"’. O projeto é voltado para crianças e adolescentes autistas entre 6 e 15 anos, e tem duração de dois anos. A iniciativa conta com o apoio do Governo do Estado do Amazonas, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado Amazonas (Fapeam), através do Programa Primeiros Projetos (PPP), e é voltada para o desenvolvimento de atividades que envolvem técnicas de ensino de musicalização com ênfase em violino e sistemas computacionais. “O objetivo é encontrar um método de integração entre tecnologia assistiva e técnicas de ensino de violino, para assim chegar a um novo processo de ensino pra crianças com autismo”, afirmou a pesquisadora.


Metodologia do projeto O projeto conta com um método diferenciado com o uso de lousa interativa e jogos no computador. A audição é um sistema a ser usado pela professora de violino Núbia Barros que também atua com os alunos por meio da repetição, executando o som para que eles possam reproduzi-lo. Barros acredita que não há pessoas incapazes de aprender, uma vez que sejam estimuladas por meio de estratégias de aprendizagem diferenciadas, e vê essa iniciativa uma nova perspectiva de ensino. As atividades estão acontecendo às quintas-feiras, nos horário de 10h às 11h e de 14h às 15h, na Faculdade de Tecnologia (FT), no Instituto de Computação, sala 1118, setor Norte da Ufam. O que é o autismo? O autismo é um transtorno de desenvolvimento que aparece nos três primeiros anos de vida, suas causas exatas continuam desconhecidas, mas essa é uma área de pesquisa ativa. O autismo afeta o desenvolvimento normal do cérebro relacionado às habilidades sociais e de comunicação. Sobre o Programa Primeiros Projetos (PPP) Visa dar suporte à fixação de jovens pesquisadores e nucleação de novos grupos, em quaisquer áreas do conhecimento. O Programa Primeiros Projetos desenvolvido em parceria com o Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq), consiste em apoiar a aquisição, instalação, modernização, ampliação ou recuperação da infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica nas instituições públicas e particulares, sem fins lucrativos, de ensino superior e/ou de pesquisa sediadas ou com unidades permanentes no Estado de Amazonas. http://saci.org.br/index.php?modulo=akemi&parametro=38632


Veículo: Site – D24Am Editoria: Pag: Assunto: Governador assina acordo que vai levar internet banda larga para sete municípios Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Governador assina acordo que vai levar internet banda larga para sete municípios 13 Ago 2013 . 14:03 h . Com informações de assessoria . portal@d24am.com Os municípios beneficiados serão Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru, que passarão a ter acesso à internet com velocidade de conexão de 14 Mega. Manaus - O governador Omar Aziz assinou na manhã desta terça-feira, 13 de agosto, o Acordo de Cooperação Técnica do Projeto Cidades Digitais, que compõe a Rede Estadual de Comunicação no trecho Coari-Manaus. O acordo visa a implantação de equipamentos para recepção de sinal de internet nas sedes de sete municípios da área de influência do gasoduto Coari-Manaus, a partir da rede de fibra ótica existente no traçado dos dutos. Os municípios beneficiados serão Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru, que passarão a ter acesso à internet com velocidade de conexão de 14 Mega. O projeto foi desenvolvido pelo Governo do Amazonas, sob a coordenação da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), em parceria com a Telecomunicações Brasileiras S/A (Telebras), e será executado pela empresa Processamento de Dados do Amazonas S/A (Prodam). Segundo o governador Omar Aziz, o acordo permite a utilização da rede de fibra ótica que acompanha o gasoduto para oferecer internet banda larga de qualidade e mais rápida nesses municípios. Omar Aziz afirma que Governo do Estado está investido R$ 9 milhões para viabilizar o projeto. Os recursos são oriundos dos órgãos estaduais que possuem atividades fins nos municípios, a exemplo das secretarias estaduais de Educação (Seduc), da Fazenda (Sefaz), de Segurança Pública (SSP), de Planejamento (Seplan), além da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), da


Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeam) e do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), que também assinaram o acordo. “Todas as secretarias têm atividade fim nesses municípios. Essas pastas estão contribuindo com seus orçamentos, pois a internet eficiente vai facilitar o desenvolvimento dos projetos”, disse o governador. Ele citou como exemplo o Centro de Mídias da Seduc e da UEA, que oferece ensino à distância, assim como a Susam, que mantém, nos mesmos moldes, um programa de Telemedicina, no qual os exames são feitos nos municípios e enviados para serem analisados na capital, via internet. “Estamos instalando mamógrafos em todos os municípios para ajudar no diagnóstico de câncer de mama e vamos precisar de internet boa”, disse o governador, ressaltando que o Estado vai economizar os recursos que hoje gasta com aluguel de satélite para manter os projetos. Prevista para começar a funcionar em janeiro de 2014, inicialmente, a internet vai ser disponibilizada para os órgãos públicos e a população também terá disponíveis locais públicos (hotspot wi-fi) para conectividade gratuita. Depois de ajustes, será disponibilizada a toda a população. “É um investimento pequeno, mas de um impacto social muito grande na formação da cidadania no interior”, disse o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Odenildo Sena. A rede de fibra ótica que será interligada às sedes dos municípios foi cedida pela Telebras. Por meio de acordo, a estatal está disponibilizando um par de fibra ótica do backbone (ponto principal de fibra ótica) da Petrobras que acompanha o gasoduto de Coari até Manaus. Esse par de fibra ótica é suficiente para interligar os sete municípios que estão à margem do gasoduto. Outros municípios do entorno também poderão ser beneficiados, pois a interligação será híbrida – por meio de fibra ótica e rádio. O projeto Cidades Digitais prevê, ainda, a expansão da internet banda larga para outras localidades. O Governo do Estado negocia com a Embratel para que os municípios do rio Madeira utilizem a rede de fibra ótica que sai de Porto Velho a Manaus. Da mesma forma, há acordo com a Eletrobrás para a utilização da rede de fibra ótica que acompanha o Linhão de Tucuruí para beneficiar os municípios do baixo Amazonas que estão no traçado do projeto. http://www.d24am.com/noticias/tecnologia/governador-assina-acordo-que-vai-levar-internet-bandalarga-para-sete-municipios/93324


Veículo: Site – CBN Manaus Editoria: Pag: Assunto: Municípios da área do gasoduto Coari-Manaus receberão internet por meio de rede de fibra ótica Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Municípios da área do gasoduto Coari-Manaus receberão internet por meio de rede de fibra ótica Portal da CBN Manaus 12/08/13 – Um Acordo de Cooperação Técnica do Projeto Cidades Digitais, que compõe a Rede Estadual de Comunicação no trecho Coari-Manaus, vai permitir a implantação de equipamentos para recepção de sinal de internet banda larga nas sedes de sete municípios da área de influência do gasoduto Coari-Manaus, a partir da rede de fibra ótica existente no traçado dos dutos. O acordo será assinado nesta terça-feira (13), às 10h, pelo governador Omar Aziz Os municípios beneficiados serão Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru, que passarão a ter acesso à internet com velocidade de conexão de 14 Mega. O projeto foi desenvolvido pelo Governo do Amazonas, sob a coordenação da Secretaria de Estado de Inovação, Ciência e Tecnologia (Secti), em parceria com a Telecomunicações Brasileiras S/A (Telebras), e será executado pela empresa Processamento de Dados do Amazonas S/A (Prodam). Participam da assinatura do acordo representantes das prefeituras municipais que receberão os equipamentos de recepção de internet e das Secretarias de Educação (Seduc), de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan), de Fazenda (Sefaz), de Segurança Pública (SSP), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e do Centro de Educação Tecnológica (Cetam), além da Prodam e da Secti. Segundo o secretário estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia, Odenildo Sena, a iniciativa trará benefícios à população dos municípios, pois possibilitará a interligação de instituições de governo nas esferas municipal, estadual e federal, de maneira a garantir uma melhor prestação de serviço aos cidadãos. http://www.cbnmanaus.com.br/ronaldotiradentes/municipios-da-area-do-gasoduto-coari-manausreceberao-internet-por-meio-de-rede-de-fibra-otica/


Veículo: Site – Portal do Antônio Zacarias Editoria: Pag: Assunto: Omar Aziz assina acordo que vai levar internet banda larga para sete municípios Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Omar Aziz assina acordo que vai levar internet banda larga para sete municípios O governador Omar Aziz assinou na manhã desta terça-feira, 13 de agosto, o Acordo de Cooperação Técnica do Projeto Cidades Digitais, que compõe a Rede Estadual de Comunicação no trecho Coari-Manaus. O acordo visa a implantação de equipamentos para recepção de sinal de internet nas sedes de sete municípios da área de influência do gasoduto Coari-Manaus, a partir da rede de fibra ótica existente no traçado dos dutos. Os municípios beneficiados serão Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru, que passarão a ter acesso à internet com velocidade de conexão de 14 Mega. O projeto foi desenvolvido pelo Governo do Amazonas, sob a coordenação da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), em parceria com a Telecomunicações Brasileiras S/A (Telebras), e será executado pela empresa Processamento de Dados do Amazonas S/A (Prodam). Segundo o governador Omar Aziz, o acordo permite a utilização da rede de fibra ótica que acompanha o gasoduto para oferecer internet banda larga de qualidade e mais rápida nesses municípios. Omar Aziz afirma que Governo do Estado está investido R$ 9 milhões para viabilizar o projeto. Os recursos são oriundos dos órgãos estaduais que possuem atividades fins nos municípios, a exemplo das secretarias estaduais de Educação (Seduc), da Fazenda (Sefaz), de Segurança Pública (SSP), de Planejamento (Seplan), além da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), da Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeam) e do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), que também assinaram o acordo.


“Todas as secretarias têm atividade fim nesses municípios. Essas pastas estão contribuindo com seus orçamentos, pois a internet eficiente vai facilitar o desenvolvimento dos projetos”, disse o governador. Ele citou como exemplo o Centro de Mídias da Seduc e da UEA, que oferece ensino à distância, assim como a Susam, que mantém, nos mesmos moldes, um programa de Telemedicina, no qual os exames são feitos nos municípios e enviados para serem analisados na capital, via internet. “Estamos instalando mamógrafos em todos os municípios para ajudar no diagnóstico de câncer de mama e vamos precisar de internet boa”, disse o governador, ressaltando que o Estado vai economizar os recursos que hoje gasta com aluguel de satélite para manter os projetos. Prevista para começar a funcionar em janeiro de 2014, inicialmente, a internet vai ser disponibilizada para os órgãos públicos e a população também terá disponíveis locais públicos (hotspot wi-fi) para conectividade gratuita. Depois de ajustes, será disponibilizada a toda a população. “É um investimento pequeno, mas de um impacto social muito grande na formação da cidadania no interior”, disse o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Odenildo Sena. A rede de fibra ótica que será interligada às sedes dos municípios foi cedida pela Telebras. Por meio de acordo, a estatal está disponibilizando um par de fibra ótica do backbone (ponto principal de fibra ótica) da Petrobras que acompanha o gasoduto de Coari até Manaus. Esse par de fibra ótica é suficiente para interligar os sete municípios que estão à margem do gasoduto. Outros municípios do entorno também poderão ser beneficiados, pois a interligação será híbrida – por meio de fibra ótica e rádio. O projeto Cidades Digitais prevê, ainda, a expansão da internet banda larga para outras localidades. O Governo do Estado negocia com a Embratel para que os municípios do rio Madeira utilizem a rede de fibra ótica que sai de Porto Velho a Manaus. Da mesma forma, há acordo com a Eletrobrás para a utilização da rede de fibra ótica que acompanha o Linhão de Tucuruí para beneficiar os municípios do baixo Amazonas que estão no traçado do projeto. http://www.portaldoantoniozacarias.com/site/noticia/Omar-Aziz-assina-acordo-que-vai-levarinternet-banda-larga-para-sete-municipios/


Veículo: Site – Portal do Antônio Zacarias Editoria: Pag: Assunto: Centro’ para empresas é lançado nesta terça-feira (13) pela UEA Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Centro’ para empresas é lançado nesta terça-feira (13) pela UEA Incubadora de empresas voltada para a área de projeto e inovação será lançada hoje pela UEA 13 de Agosto de 2013 ADAN GARANTIZADO O centro pretende abrigar doze empresas que já estejam formalizadas e quatro delas podem usufruir do espaço físico O centro pretende abrigar doze empresas que já estejam formalizadas e quatro delas podem usufruir do espaço físico (Marcio Melo) Com financiamento de R$ 100 mil da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), lança nesta terça-feira (13) uma incubadora de empresas voltada para a área de inovação: A IN/UEA. A estrutura ficará abrigada na Escola Superior de Ciências Sociais (ESO), bairro Cachoeirinha, Zona Centro-Sul. A IN/UEA pretende abrigar doze empresas que já estejam formalizadas. Quatro delas, podem, inclusive, usufruir do espaço físico na Escola de Ciências Sociais. A incubadora também vai agrupar três propostas de negócios e desenvolvê-las junto aos idealizadores dos projetos. Alunos, professores e funcionários da instituição de ensino terão prioridade de ingresso, mas projetos e empresas de fora da Universidade também poderão concorrer ao edital, que será lançado pelo reitor Cleinaldo de Almeida Costa, durante o evento de inauguração da IN/UEA, hoje, às 17h.


Idealizador da incubadora, o professor do curso de administração da UEA, Wlademir Leite, disse que a IN/UEA é uma necessidade do mercado local. O professor defende que a cultura de empreender deve fazer parte da formação escolar e acadêmica dos alunos. “Em cursos como engenharia e medicina, isso é deixado de lado. Assim, o estudante não se vê estimulado em montar uma construtora ou um novo hospital. Ele não saberia como administrá-los. E isto é algo que deve ser estimulado o mais cedo possível”, comentou. Prazo As empresas que fecharem contrato com a incubadora terão dois anos para desenvolver seus projetos, com prazo prorrogável por mais um ano. “Vamos disponibilizar consultoria, treinamento, captação de mercado ára estas empresas progredirem. A UEA produz muitas teses e dissertações. Agora nós precisamos aplicar todas estas ideias na sociedade”, argumentou Wlademir. “O nome de incubadora segue os mesmos moldes do setor do hospital. Só que lá eles cuidam de crianças recémnascidas que precisam ser assistidas. Aqui, nós vamos cuidar de empresas. Muitas ideias boas acabam sendo perdidas por esta falta de assessoramento. Queremos evitar isto”, finalizou o professor da Universidade do Estado do Amazonas. http://acritica.uol.com.br/noticias/Centro-empresas-lancado-terca-feira-UEA_0_973702640.html


Veículo: Site – Portal Flagrante AM Editoria: Assunto: Banda larga para Manaus e alguns municípios? Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Pag: Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Banda larga para Manaus e alguns municípios? terça-feira, 13 de agosto de 2013 O governador Omar Aziz participa, nesta terça-feira, dia 13 de agosto, às 10h, da solenidade de assinatura do Acordo de Cooperação Técnica do Projeto Cidades Digitais, que compõe a Rede Estadual de Comunicação no trecho Coari-Manaus. O acordo visa a implantação de equipamentos para recepção de sinal de internet nas sedes de sete municípios da área de influência do gasoduto Coari-Manaus, a partir da rede de fibra ótica existenteno traçado dos dutos. Os municípios beneficiados serão Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru, que passarão a ter acesso à internet com velocidade de conexão de 14 Mega. O projeto foi desenvolvido pelo Governo do Amazonas, sob a coordenação da Secretaria de Estado de Inovação, Ciência e Tecnologia (Secti), em parceria com a Telecomunicações Brasileiras S/A (Telebras), e será executado pela empresa Processamento de Dados do Amazonas S/A (Prodam). Participam da assinatura do acordo representantes das prefeituras municipais que receberão os equipamentos de recepção de internet e das Secretarias de Educação (Seduc), de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan), de Fazenda (Sefaz), de Segurança Pública (SSP), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e do Centro de Educação Tecnológica (Cetam), além da Prodam e da Secti. Nota da Redação: Os manauras ainda vivem o tempo do celular (foto) tijolão.Segundo o secretário estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia, Odenildo Sena, a iniciativa trará benefícios à população dos municípios, pois possibilitará a interligação de instituições de governo nas esferas municipal, estadual e federal de maneira a garantir uma melhor prestação de serviço aos cidadãos. http://www.portalflagranteam.com.br/2013/08/banda-larga-para-manaus-e-alguns.html


Veículo: Site – Portal Amazônia Editoria: Pag: Assunto: Amazonas firma acordo para implantar Internet banda larga em sete municípios Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Programa:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Amazonas firma acordo para implantar Internet banda larga em sete municípios Cidades receberão serviço com velocidade de conexão de 14 Mega Enviar a um amigo MANAUS - O Amazonas fechou acordo nesta terça-feira (13) para implantar equipamentos de recepção de sinal de Internet em sete municípios da área do gasoduto Coari-Manaus. Os municípios beneficiados são Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru, que passarão a ter acesso ao serviço com velocidade de conexão de 14 Mega. O secretário estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia, Odenildo Sena, apontou que a iniciativa levará benefícios à população dos municípios. "Serviço possibilitará a interligação de instituições de governo nas esferas municipal, estadual e federal de maneira a garantir uma melhor prestação de serviço aos cidadãos", explicou. O projeto de instalação será executado pela empresa Processamento de Dados do Amazonas S/A (Prodam), mas foi desenvolvido sob a coordenação da Secretaria de Estado de Inovação, Ciência e Tecnologia (Secti), em parceria com a Telecomunicações Brasileiras S/A (Telebras), e será executado


Participam da assinatura do acordo representantes das prefeituras municipais que receberão os equipamentos de recepção de internet e das Secretarias de Educação (Seduc), de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan), de Fazenda (Sefaz), de Segurança Pública (SSP), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e do Centro de Educação Tecnológica (Cetam), além da Prodam e da Secti. http://www.portalamazonia.com/noticias/ciencia-e-tecnologia/20130813/amazonas-firma-acordopara-implantar-internet-banda-larga-sete-municipios/1379.shtml


Veículo: Site – skyscrapercity Editoria: Pag: Assunto: Governador assina acordo que vai levar internet banda larga para sete municípios Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Governador assina acordo que vai levar internet banda larga para sete municípios 13 Ago 2013 . 14:03 h . Com informações de assessoria . portal@d24am.com Os municípios beneficiados serão Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru, que passarão a ter acesso à internet com velocidade de conexão de 14 Mega. Manaus - O governador Omar Aziz assinou na manhã desta terça-feira, 13 de agosto, o Acordo de Cooperação Técnica do Projeto Cidades Digitais, que compõe a Rede Estadual de Comunicação no trecho Coari-Manaus. O acordo visa a implantação de equipamentos para recepção de sinal de internet nas sedes de sete municípios da área de influência do gasoduto Coari-Manaus, a partir da rede de fibra ótica existente no traçado dos dutos. Os municípios beneficiados serão Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru, que passarão a ter acesso à internet com velocidade de conexão de 14 Mega. O projeto foi desenvolvido pelo Governo do Amazonas, sob a coordenação da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), em parceria com a Telecomunicações Brasileiras S/A (Telebras), e será executado pela empresa Processamento de Dados do Amazonas S/A (Prodam). Segundo o governador Omar Aziz, o acordo permite a utilização da rede de fibra ótica que acompanha o gasoduto para oferecer internet banda larga de qualidade e mais rápida nesses municípios. Omar Aziz afirma que Governo do Estado está investido R$ 9 milhões para viabilizar o projeto. Os recursos são oriundos dos órgãos estaduais que possuem atividades fins nos municípios, a exemplo das secretarias estaduais de Educação (Seduc), da Fazenda (Sefaz), de Segurança Pública (SSP), de Planejamento (Seplan), além da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), da


Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeam) e do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), que também assinaram o acordo. “Todas as secretarias têm atividade fim nesses municípios. Essas pastas estão contribuindo com seus orçamentos, pois a internet eficiente vai facilitar o desenvolvimento dos projetos”, disse o governador. Ele citou como exemplo o Centro de Mídias da Seduc e da UEA, que oferece ensino à distância, assim como a Susam, que mantém, nos mesmos moldes, um programa de Telemedicina, no qual os exames são feitos nos municípios e enviados para serem analisados na capital, via internet. “Estamos instalando mamógrafos em todos os municípios para ajudar no diagnóstico de câncer de mama e vamos precisar de internet boa”, disse o governador, ressaltando que o Estado vai economizar os recursos que hoje gasta com aluguel de satélite para manter os projetos. Prevista para começar a funcionar em janeiro de 2014, inicialmente, a internet vai ser disponibilizada para os órgãos públicos e a população também terá disponíveis locais públicos (hotspot wi-fi) para conectividade gratuita. Depois de ajustes, será disponibilizada a toda a população. “É um investimento pequeno, mas de um impacto social muito grande na formação da cidadania no interior”, disse o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Odenildo Sena. A rede de fibra ótica que será interligada às sedes dos municípios foi cedida pela Telebras. Por meio de acordo, a estatal está disponibilizando um par de fibra ótica do backbone (ponto principal de fibra ótica) da Petrobras que acompanha o gasoduto de Coari até Manaus. Esse par de fibra ótica é suficiente para interligar os sete municípios que estão à margem do gasoduto. Outros municípios do entorno também poderão ser beneficiados, pois a interligação será híbrida – por meio de fibra ótica e rádio. O projeto Cidades Digitais prevê, ainda, a expansão da internet banda larga para outras localidades. O Governo do Estado negocia com a Embratel para que os municípios do rio Madeira utilizem a rede de fibra ótica que sai de Porto Velho a Manaus. Da mesma forma, há acordo com a Eletrobrás para a utilização da rede de fibra ótica que acompanha o Linhão de Tucuruí para beneficiar os municípios do baixo Amazonas que estão no traçado do projeto. http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?p=106137173


Veículo: Site – Voz de Manacapuru Editoria: Pag: Assunto: Festival de Cirandas é o momento crucial da vida anual de Manacapuru e a cidade deveria estar um brinco Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Festival de Cirandas é o momento crucial da vida anual de Manacapuru e a cidade deveria estar um brinco 13/08/2013 | 11:43 Toda cidade turística prepara seu grande momento com esmero. Campos do Jordão (SP) e Gramado (RS), cidades que têm o frio como atração, recebem os turistas floridas, limpas, sinalizadas, organizadas. O turismo, indústria que oferece sete empregos indiretos para cada um direto, é a alma desses locais e os seus prefeitos sabem disso. Manacapuru tem o Festival de Cirandas como o grande momento. Precisava estar um brinco para receber os visitantes. E não está. Há uma série de atitudes que precisam ser tomadas, previamente, para que a cidade esteja à altura do momento crucial em que as cirandas atraem milhares de visitantes. Os fornecimentos de luz e telefone, por exemplo, que não são responsabilidade direta do Município, podem e devem ter a gestão política do prefeito, no sentido de alertar as operadoras para a gravidade do momento e auxiliá-las no que for possível. O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) deveria hoje ser um parceiro diário da Prefeitura, ajudando a qualificar os funcionários dos diversos restaurantes, bares e lanchonetes da cidade, estruturando esse importante segmento receptivo para o atendimento aos visitantes. Os hotéis deveriam ter incentivo da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Fapeam), ao longo dos últimos 12 meses, desde o Festival de Cirandas do ano passado, para melhorar o enxoval


– toalhas, roupas de cama etc. – e atender melhor aos hóspedes. Idem para a própria estrutura de construção. Água, então, que tem no Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), um órgão municipal, não poderia estar na situação em que se encontra, com tantos bairros sofrendo desabastecimento. O Parque do Ingá, também conhecido como Cirandódromo, uma conquista da festa e da população, teria que ser checado centímetro a centímetro, e ficar melhor que no ano anterior. Com pequenas melhorias, introduzidas até com recursos próprios, ano a ano, o palco da festa acabaria se tornando ainda mais atrativo e correspondendo ao papel crucial que lhe cabe. O Festival de Cirandas, ao atrair tantos visitantes-turistas, se torna um elemento de divulgação da cidade. As pessoas sairão daqui ou falando bem para os familiares e amigos que não vieram ou falando mal e dispostos a nunca mais voltar. É temerário atrair tanta gente com tantos problemas. É como se o dono de um supermercado investisse milhões em propaganda e, na hora da inauguração, tivesse menos produtos no estoque que o concorrente da outra esquina. Manacapuru tem todas as condições para estar à altura da criatividade e talento dos cirandeiros, brincantes, artistas e diretores, que fazem uma festa com tantas qualidade e que, apesar dos pesares, cresce a cada ano. Falta apenas a consciência da importância que o Festival de Cirandas tem. http://www.vozdemanacapuru.com.br/2013/08/13/festival-de-cirandas-e-o-momento-crucial-davida-anual-de-manacapuru-e-a-cidade-deveria-estar-um-brinco/


Veículo: Site – D24Am Editoria: Pag: Assunto: Programa Ciência sem Fronteiras concede 43.609 bolsas de estudo Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Programa:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Programa Ciência sem Fronteiras concede 43.609 bolsas de estudo 13 Ago 2013 . 19:00 h . Agência Brasil . portal@d24am.com A meta é oferecer, em quatro anos, 101 mil bolsas. Dessas, 26 mil são financiadas pela iniciativa privada Brasília – O Programa Ciência sem Fronteiras concedeu 43.609 bolsas em graduação e doutoradosanduíche, pós-doutorado, doutorado pleno e bolsa Jovens Talentos e Pesquisador Visitante, desde julho de 2011, quando foi lançado, o equivalente a 43,17% da meta. O balanço foi divulgado nesta terça-feira (13) pelo Ministério da Educação (MEC). A meta do programa é oferecer, em quatro anos, 101 mil bolsas. Dessas, 26 mil são financiadas pela iniciativa privada. O país com o maior número de bolsistas é os Estados Unidos, com 9.788. Em seguida, está a França, com 4.725; e o Canadá, com 4.428. Portugal, cujas bolsas foram suspensas no começo do ano e a procura era superior a dos demais países, está em sexto lugar, com 3.103 bolsas. "Não vamos ter dificuldade em cumprir a meta do Ciência sem Fronteiras", disse o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Ele explica que a contagem do governo se dá pelas bolsas aprovadas e que nem todos os 43 mil estudantes estão no exterior. Segundo Mercadante, "todas as bolsas serão concedidas até dezembro de 2014", declarando que alguns desses estudantes vão embarcar para os países para os quais foram selecionados apenas em


2015. O programa, de acordo com o ministro, "é um dos maiores programas de bolsa de estudos do mundo e um dos programas mais bem avaliados por onde a gente passa pelo mundo". Um dos objetivos é que os estudantes aprendam uma segunda língua. Para que possam participar dos editais, que exigem proficiência em inglês, o MEC lançou o Programa Inglês sem Fronteiras, que oferece aulas online e presenciais, além da aplicação de testes para verificar o nível de inglês dos universitários brasileiros. De acordo com o MEC, são 453.804 alunos cadastrados no módulo online. Foram enviadas 395.647 senhas. Estão ativos 348.988 alunos. A meta é entregar 2 milhões de senhas até 2014. No módulo presencial, são atendidos mais de 20 mil alunos. O Ciência sem Fronteiras visa a promover a mobilidade internacional de alunos e pesquisadores e incentivar a visita de jovens pesquisadores qualificados e professores experientes ao Brasil. As áreas prioritárias são: ciências exatas (matemática e química), engenharias, tecnologias e ciências da saúde. O programa mantém parcerias em 35 países. http://www.d24am.com/amazonia/ciencia/programa-ciencia-sem-fronteiras-concede-43609-bolsasde-estudo/93360


Veículo: Site – D24Am Editoria: Assunto: Cientistas desenvolvem tecido de coração humano Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Pag: Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não

Programa:

Data: 14/08/2013

Cientistas desenvolvem tecido de coração humano 13 Ago 2013 . 19:16 h . Agência France Press . portal@d24am.com Uma equipe da Universidade de Pittsburgh, Pensilvânia, usou células-tronco pluripotenciais induzidas, geradas a partir de células-tronco humanas para criar células precursoras cardíacas denominadas MCPs Paris - Cientistas disseram nesta terça-feira ter usado células-tronco para desenvolver tecido cardíaco humano que se contraiu espontaneamente em uma placa de petri, representando um avanço na busca da produção de órgãos para transplante. Uma equipe da Universidade de Pittsburgh, Pensilvânia, usou células-tronco pluripotenciais induzidas (iPS), geradas a partir de células-tronco humanas para criar células precursoras cardíacas denominadas MCPs. As iPS são células humanas maduras, "reprogramadas" para um estado versátil e primitivo, a partir do qual elas podem ser induzidas a desenvolver qualquer tipo de célula do corpo. As células cardíacas primitivas criadas desta forma foram colocadas no "scaffold" (andaime, numa tradução literal) do coração de um camundongo, do qual os cientistas removeram todas as células cardíacas originais, redigiram na revista Nature Communications. O "scaffold" é uma rede de tecido não vivo, composto de proteínas e carboidratos à qual as células aderem e crescem. Inseridas neste andaime tridimensional, as células precursoras cresceram e desenvolveram músculo


cardíaco e, após 20 dias sendo alimentadas com sangue, o órgão reconstruído da cobaia "começou a se contrair novamente à taxa de 40 a 50 batimentos por minuto", informou em um comunicado a Universidade de Pittsburgh. "Ainda estamos longe de fazer um coração humano completo", acrescentou o pesquisador sênior Lei Yang. É preciso encontrar formas para fazer o coração se contrair forte o suficiente para bombear sangue de forma eficaz e reconstruir o sistema de condução elétrica do coração. "No entanto, nós oferecemos uma nova fonte de células - células MCPs derivadas de iPS - para a futura engenharia de tecido cardíaca", informou Yang em e-mail à AFP. "Esperamos que nosso estudo seja usado no futuro para recolocar um pedaço do tecido danificado por um ataque cardíaco ou talvez um órgão inteiro em pacientes com doença cardíaca", acrescentou. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que 17 milhões de pessoas morram de problemas cardiovasculares todos os anos, a maioria vítima de doenças do coração. Devido à falta de doadores de órgãos, "a insuficiência cardíaca terminal é irreversível", destacou o estudo. Mais da metade de pacientes com doenças cardíacas não se beneficia do uso de medicamentos. "A engenharia do tecido cardíaco representa uma grande promessa, com base na reconstrução do músculo cardíaco específico do paciente", escreveram os cientistas. Até alguns anos atrás, quando as células iPS foram criadas, a única forma de se obter células-tronco era coletá-las de embriões humanos. Seu uso é controverso porque requer a destruição do embrião, um processo rejeitado, entre outros, por conservadores religiosos. http://www.d24am.com/noticias/saude/cientistas-desenvolvem-tecido-de-coracao-humano/93362


Veículo: Site – Ciência em Pauta Editoria: Pag: Assunto: Governador Omar Aziz assina acordo que vai levar internet banda larga para sete municípios Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Governador Omar Aziz assina acordo que vai levar internet banda larga para sete municípios Postado em 13/08/2013 O governador do Amazonas Omar Aziz assinou na terça-feira, 13 de agosto, o Acordo de Cooperação Técnica do Projeto da Rede Estadual de Comunicação no trecho Coari-Manaus. O acordo visa a implantação de equipamentos para recepção de sinal de internet nas sedes de sete municípios da área de influência do gasoduto Coari-Manaus, a partir da rede de fibra ótica existente no traçado dos dutos. Os municípios beneficiados serão Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru, que passarão a ter acesso à internet com velocidade de conexão de 14 Mega. O projeto foi desenvolvido pelo Governo do Amazonas, sob a coordenação da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI-AM), em parceria com a Telecomunicações Brasileiras S/A (Telebras), e será executado pela empresa Processamento de Dados do Amazonas S/A (Prodam). Segundo o governador Omar Aziz, o acordo permite a utilização da rede de fibra ótica que acompanha o gasoduto para oferecer internet banda larga de qualidade e mais rápida nesses municípios. Omar Aziz afirma que Governo do Estado está investido R$ 9 milhões para viabilizar o projeto. Os recursos são oriundos dos órgãos estaduais que possuem atividades fins nos municípios, a exemplo das secretarias estaduais de Educação (Seduc), da Fazenda (Sefaz), de Segurança Pública (SSP), de Planejamento (Seplan), além da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), da Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeam) e do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), que também assinaram o acordo.


“Todas as secretarias têm atividades fins nesses municípios. Essas pastas estão contribuindo com seus orçamentos, pois a internet eficiente vai facilitar o desenvolvimento dos projetos”, disse o governador. Ele citou como exemplo o Centro de Mídias da Seduc e da UEA, que oferece ensino à distância, assim como a Susam, que mantém, nos mesmos moldes, um programa de Telemedicina, no qual os exames são feitos nos municípios e enviados para serem analisados na capital, via internet. “Estamos instalando mamógrafos em todos os municípios para ajudar no diagnóstico de câncer de mama e vamos precisar de internet boa”, disse o governador, ressaltando que o Estado vai economizar os recursos que hoje gasta com aluguel de satélite para manter os projetos. Prevista para começar a funcionar em janeiro de 2014, a internet vai ser disponibilizada para os órgãos públicos, mas a população também terá disponíveis locais públicos (hotspot wi-fi) para conectividade gratuita. Depois de ajustes, será disponibilizada a toda a população. “É um investimento pequeno, mas de um impacto social muito grande na formação da cidadania no interior”, disse o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Odenildo Sena. Odenildo Sena, secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação. Foto:Filipe Augusto Odenildo Sena, secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação. Foto:Filipe Augusto A rede de fibra ótica que será interligada às sedes dos municípios foi cedida pela Telebras. Por meio de acordo, a estatal está disponibilizando um par de fibra ótica dobackbone (ponto principal de fibra ótica) da Petrobras que acompanha o gasoduto de Coari até Manaus. Esse par de fibra ótica é suficiente para interligar os sete municípios que estão à margem do gasoduto. Outros municípios do entorno também poderão ser beneficiados, pois a interligação será híbrida – por meio de fibra ótica e rádio. O Projeto da Rede Estadual de Comunicação prevê, ainda, a expansão da internet banda larga para outras localidades. O Governo do Estado negocia com a Embratel para que os municípios do rio Madeira utilizem a rede de fibra ótica que sai de Porto Velho a Manaus. Da mesma forma, há acordo com a Eletrobrás para a utilização da rede de fibra ótica que acompanha o Linhão de Tucuruí para beneficiar os municípios do baixo Amazonas que estão no traçado do projeto. Fonte: Agecom http://www.cienciaempauta.am.gov.br/2013/08/governador-omar-aziz-assina-acordo-que-vai-levarinternet-banda-larga-para-sete-municipios/


Veículo: Site – Ciência em Pauta Editoria: Pag: Assunto: Cachaça ou Aguardente? Teor alcoólico da bebida é o que determina Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Programa:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Cachaça ou Aguardente? Teor alcoólico da bebida é o que determina CIENCIAemPAUTA, por ROSILENE CORREA Postado em 13/08/2013 Produto deve seguir normas de qualidade e identidade. Foto: Divulgação Produto deve seguir normas de qualidade e identidade. Foto: Divulgação O Brasil vem ganhando espaço na exportação de aguardente. Com a ampliação do mercado internacional, o produto deve seguir normas de qualidade e identidade para conseguir essa denominação. Isso porque existe uma bebida muito parecida com o destilado, a famosa ‘água que passarinho não bebe’, que é a cachaça. O que diferencia uma bebida da outra é o nível do teor alcoólico. Com a proposta de avaliar algumas marcas oferecidas no mercado como aguardente, o acadêmico de Química da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Valdomiro Martins, verificou, através de imagens obtidas por scanner, os níveis de teor alcoólico concentrados em amostras de algumas marcas disponíveis no comércio. “Em duas amostras analisadas verificamos que o nível de teor alcoólico fugiu do padrão para exportação. As bebidas podem ser consideradas como cachaça e não como aguardente, pois a concentração de álcool em ambas ficou entre 37% e 38% em volume. Isso não compromete a bebida para consumo, mas compromete a exportação, pois está fora do padrão estabelecido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento”, explicou. O acadêmico informou que para as bebidas serem consideradas como aguardente elas devem ter


graduação alcoólica de 38% a 54% em volume, abaixo disso, elas são consideradas cachaça. “Pelo fato de o Brasil estar ampliando o consumo e a exportação da aguardente, o Ministério criou a instrução normativa, que define os parâmetros de qualidade e as normas que diferenciam uma bebida da outra, assim como os outros derivados da bebida”. Nível de teor alcoólico é o que diferencia a aguardente da cachaça. Foto: Divulgação Nível de teor alcoólico é o que diferencia a aguardente da cachaça. Foto: Divulgação ANÁLISE DAS IMAGENS A utilização de imagens obtidas através de scanner é uma nova metodologia e de acordo com Martins tem apresentado resultados positivos, quando comparado aos métodos clássicos de análises. “Há algum tempo utilizamos imagens para quantificar uma substância ou amostra, e o nível de confiança nos resultados obtidos é de 95%. Para esse estudo foram utilizados os dois métodos e os resultados foram iguais em todas as amostras”. Para o estudante o método de análise de imagens pode, a partir de agora, ser utilizado nos exames de rotina para identificação das substâncias nas bebidas. “A pesquisa apontou que não existe diferença significativa entre os dois métodos para determinação do teor alcoólico da bebida. Portanto, a técnica mostrou-se viável para o que foi proposto no estudo e pode ser incluída nos exames de rotina.”, salientou. Para realizar o trabalho intitulado ‘Doseamento de Etanol em Cachaça Baseado em Imagens Digitais Obtidas por Scanner’ o acadêmico contou com o apoio da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Ufam, e com fomento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). CIENCIAemPAUTA, por Rosilene Correa http://www.cienciaempauta.am.gov.br/2013/08/cachaca-ou-aguardente-teor-alcoolico-da-bebida-eo-que-determina-a-denominacao/


Veículo: Site – Ciência em Pauta Editoria: Pag: Assunto: Governo do Amazonas firma acordo para implantar internet banda larga em sete municípios Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Governo do Amazonas firma acordo para implantar internet banda larga em sete municípios Postado em 13/08/2013 O governador Omar Aziz participa, nesta terça-feira, dia 13 de agosto, às 10h, da solenidade de assinatura do Acordo de Cooperação Técnica do Projeto Cidades Digitais, que compõe a Rede Estadual de Comunicação no trecho Coari-Manaus. O acordo visa a implantação de equipamentos para recepção de sinal de internet nas sedes de sete municípios da área de influência do gasoduto Coari-Manaus, a partir da rede de fibra ótica existente no traçado dos dutos. Os municípios beneficiados serão Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru, que passarão a ter acesso à internet com velocidade de conexão de 14 Mega. O projeto foi desenvolvido pelo Governo do Amazonas, sob a coordenação da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), em parceria com a Telecomunicações Brasileiras S/A (Telebras), e será executado pela empresa Processamento de Dados do Amazonas S/A (Prodam). A rede de fibra ótica que será interligada às sedes dos municípios foi cedida pela Telebras. Por meio de acordo, a estatal está disponibilizando um par de fibra ótica do backbone (ponto principal de fibra ótica) da Petrobras que acompanha o gasoduto de Coari até Manaus. Esse par de fibra ótica é suficiente para interligar os sete municípios que estão à margem do gasoduto. Outros municípios do entorno também poderão ser beneficiados, pois a interligação será híbrida – por meio de fibra ótica e rádio. Participam da assinatura do acordo representantes das prefeituras municipais que receberão os equipamentos de recepção de internet e das Secretarias de Educação (Seduc), de Planejamento e


Desenvolvimento Econômico (Seplan), de Fazenda (Sefaz), de Segurança Pública (SSP), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e do Centro de Educação Tecnológica (Cetam), além da Prodam e da Secti. Segundo o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Odenildo Sena, a iniciativa trará benefícios à população dos municípios, pois possibilitará a interligação de instituições de governo nas esferas municipal, estadual e federal de maneira a garantir uma melhor prestação de serviço aos cidadãos. A população também terá disponíveis locais públicos (hotspot wi-fi) para conectividade gratuita. Fonte: Agecom http://www.cienciaempauta.am.gov.br/2013/08/governo-do-amazonas-firma-acordo-para-implantarinternet-banda-larga-em-sete-municipios/


Veículo: Site – Ciência em Pauta Editoria: Pag: Assunto: Pesquisa consegue identificar casos de morte causada por overdose Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Pesquisa consegue identificar casos de morte causada por overdose Postado em 13/08/2013 A pesquisa, desenvolvida pela estudante de mestrado do programa de Pós-Graduação em Entomologia (PPG-ENT) do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI), Tamires Rezende Vieira, analisou a presença de cocaína na cutícula de larvas de moscas criadas em tecido morto intoxicado, que dá possibilidade de saber o intervalo pós-morte (IPM) e se a causa foi por overdose da droga. A pesquisa faz parte do ramo da entomotoxicologia forense, que utiliza os insetos para detectar substâncias tóxicas. Essa informação pode ser útil para uma investigação dentro do âmbito judicial. No Inpa é o primeiro trabalho nesse sentido. “Trata da detecção de drogas de abuso (cocaína) em larvas de insetos que se desenvolvem em corpos em decomposição. Em pessoas que morrem pelo efeito de superdosagem, a droga pode ser detectada nos insetos, mesmo depois de vários dias após a morte”, explica o orientador e pesquisador do Inpa, José Albertino Rafael. MÉTODO Na experimentação, foram introduzidos 18 coelhos, seis para controle (sem droga), seis receberam DL 50 (dose que mata 50%) e outros seis receberam DL 100. Após a morte dos coelhos por injeção de uma overdose de cocaína, o fígado foi retirado para ser utilizado como substrato para a criação das larvas das moscas. O fígado é o órgão que absorve mais rapidamente a droga.


Segundo José Albertino, a vantagem desse método é que no caso do corpo em decomposição, a droga se dilui e dissipa, desaparecendo rapidamente no meio ambiente. Já nas larvas necrófagas (que se alimentam de tecido animal morto), ela absorve a droga que fica armazenada e concentrada no seu tecido. “Por meio da larva a droga é preservada no seu corpo e facilita a sua detecção para informar à polícia, por exemplo, que aquele corpo morreu ou, pelo menos, esteve envolvido com tal droga”, ressalta o pesquisador. O estudo se concentrou em analisar as larvas das moscas no estágio 3 – nesse estágio a larva está maior e acumula maior quantidade de cocaína, portanto mais fácil de detectar por métodos químicos. Foram utilizados dois métodos para detectar a presença de droga no tecido vivo da larva: imunohistoquímica e cromatografia de camada delgada. DIFERENÇA DE TAMANHO DAS LARVAS É INDICADOR Se comparado o tamanho das larvas presentes em indivíduos que estiveram sob o efeito da droga com larvas presentes em indivíduos sem a presença de droga no organismo, esse tamanho é diferente. Isso acontece porque, de acordo com o pesquisador, há drogas que aceleram o desenvolvimento da larva, num curto período de tempo, e há outras que retardam. No caso da cocaína, ela acelera o desenvolvimento. “Os resultados mostraram que é possível subsidiar laudos no âmbito judicial com base em informações coletadas nas larvas que se desenvolvem em carcaças sob suspeita de uso de cocaína. Mostrou ainda que as larvas criadas em substrato animal intoxicado com cocaína sofrem alterações morfológicas e físicas como peso, largura e comprimento que podem ser indicativo de influência da cocaína”, observou a estudante Tamires Vieira. EXPERIMENTOS FUTUROS De acordo com Albertino Rafael, o próximo passo é expandir os estudos utilizando outras drogas e firmar uma parceira com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que apoiou a pesquisa, a fim de subsidiar a Polícia Civil do Estado do Amazonas. O experimento teve autorização do Conselho de Ética do Inpa, apoio da equipe de veterinários do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) e a droga foi doada pela Polícia Federal do Amazonas. Foto: Inpa http://www.cienciaempauta.am.gov.br/2013/08/pesquisa-consegue-identificar-casos-em-que-mortepode-ter-sido-causada-por-overdose/


Veículo: Site – Ciência em Pauta Editoria: Pag: Assunto: Cresce o número de bolsas de iniciação científica para educação básica Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Cresce o número de bolsas de iniciação científica para educação básica Postado em 13/08/2013 Obter o diploma de um curso superior nem passava pela cabeça do estudante Willian Apolinário até 2011. Aluno de uma escola estadual de uma área pobre de Diadema, na região do ABC Paulista, ele planejava, no máximo, fazer um curso técnico profissionalizante e “achar um emprego numa firma”. Hoje frequentando a universidade, ele sonha fazer mestrado numa das instituições mais renomadas do País. Willian nunca tinha pisado num laboratório até que, no 3º ano do ensino médio, passou a fazer iniciação científica e a frequentar o laboratório de Engenharia Mecatrônica da Universidade de São Paulo (USP) com um grupo de colegas de escola, ganhando uma bolsa de R$ 100. Desde então, o garoto que chegou a estourar disjuntores da escola, mas se mostrava interessado em fazer cursos, viu seus horizontes se abrirem. O estudante faz parte de um grupo de adolescentes que teve a oportunidade de fazer iniciação científica antes mesmo de passar para uma faculdade. Ainda no ensino médio, eles frequentam laboratórios e salas de universidades e participam de pesquisas, aproximando-se mais cedo da ciência. É comum estes jovens melhorarem seu desempenho escolar e descobrirem mais facilmente que profissão querem seguir. “A iniciação científica muitas vezes tira o aluno da rua e lhe dá uma visão mais ampla; mostra que ele que pode ser participante de um grupo de pesquisa. Há crianças de nível social baixo que encontram oportunidades de crescer”, diz Lucimar Almeida, coordenadora de programas acadêmicos do CNPq.


Faculdades brasileiras estão aumentando o número de vagas disponíveis para alunos do ensino médio em projetos de iniciação científica. Na Universidade de São Paulo (USP), 382 alunos frequentavam os campi em 2008, número que passará a 622 ainda este ano, com bolsas concedidas pelo CNPq e também pela iniciativa privada. APRENDENDO A PESQUISAR O CNPq, órgão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, também aumentou o número de bolsas oferecidas para alunos de iniciação científica. Atualmente, são 14.537 alunos recebendo bolsas de R$ 100 pelo período de um ano, num investimento que soma R$ 17,4 milhões anuais. Há oportunidades para todas as áreas de conhecimento. O CNPq tem três tipos de bolsa para iniciação científica no ensino básico, todas com o mesmo valor. Um deles é oferecido por meio de convênios com fundações estaduais de amparo à pesquisa (são 4.359 bolsas), outro resulta de parceria direta com universidades (somando 5.678) e um terceiro se destina exclusivamente para os medalhistas da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). A quantidade de bolsas dos dois primeiros tipos não mudou nos últimos anos, mas a reservada aos premiados na OBMEP aumentou. Atualmente, 4.500 agraciados na olimpíada são beneficiados. No biênio 2010/2011, eram três mil, e, em 2016, serão 12 mil bolsistas dos ensinos fundamental e médio. A maioria dos bolsistas do CNPq é de ensino médio, pois os alunos de ensino fundamental só são contemplados caso sejam premiados na OBMEP. Quatro vezes medalhista na OBMEP, o carioca Cesar Pontes de Oliveira Junior, de 16 anos, recebe orientação científica on-line de professores que o desafiam a estudar conteúdos mais avançados de Matemática do que os que vê nas aulas do 2º ano do ensino médio. Bolsista desde 2010, ele já fez iniciação científica com um grupo de medalhistas, frequentando aulas mensais no Colégio Militar, e toda semana recebe uma série de exercícios para fazer em casa. “O objetivo não é tirar boa nota, é a gente aprender a ser autodidata. Eu gosto do programa porque a matéria é complicada; são assuntos que a gente não vê na escola”, diz Cesar, que já usou o dinheiro da bolsa para ajudar o pai a comprar um computador. Em muitos casos, a iniciação científica é feita levando o aluno da educação básica para dentro da universidade. Por meio de encontros semanais com um professor tutor, os adolescentes passam a frequentar laboratórios e descobrem como pesquisar. “Eles aprendem primeiro sobre conceitos metodológicos. Depois, têm noções de algumas disciplinas como Cálculo, Física e Lógica, e só após isso desenvolvem um projeto, colocando a mão na massa no nosso laboratório de Mecatrônica, mexendo em equipamentos”, explica Diolino José dos Santos Filho, professor de Engenharia Mecatrônica da USP. Santos Filho orienta grupos de alunos de uma escola estadual de São Paulo na USP, e diz que os jovens passam a perceber, na iniciação científica, o potencial que têm. “A ideia é que os alunos passem adiante, para a comunidade deles, os conhecimentos que adquirem aqui. Eles começam a raciocinar por outros métodos e os aplicam em suas vidas”. Fazer parte do grupo do professor não é fácil. Só para ir de Diadema, onde moram, à cidade universitária, os alunos levam duas horas e pegam cinco conduções. Também recebem bastante material para leitura.


“Antes, eu não pensava em ir para a faculdade. Achava que tinha que trabalhar e deixar os estudos um pouco de lado. O professor conseguiu implantar o gosto pela pesquisa na gente, queria que a gente tivesse um pensamento crítico. Valeu a pena o sacrifício. Se eu não tivesse feito iniciação científica, não estaria fazendo curso superior hoje”, afirma Willian Apolinário, que deseja ter Santos Filho como seu orientador de mestrado. Acreditando na importância de se envolverem com a iniciação científica, vários adolescentes paulistas, de famílias simples, abriram mão de empregos como jovens aprendizes para frequentar os laboratórios da USP. “Larguei o meu emprego de garçom, em que ganhava sete vezes mais que a bolsa de iniciação científica, porque amo estudar. Meu vocabulário melhorou, e cresci muito com o projeto”, conta Ítalo Fraitas, de 18 anos, que se prepara para tentar uma vaga em Engenharia Mecatrônica na USP. Na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), hoje há 43 alunos de ensino médio bolsistas de iniciação científica. Para facilitar o controle de frequência dos alunos, porém, a instituição só concede bolsas para estudantes do seu colégio de aplicação. LEIA MAIS… >> PCE financia mais de mil projetos em dez anos >> Manaus sedia encontro sobre pesquisa científica aplicada à educação básica Fonte: O Globo, por Marcelle Ribeiro http://www.cienciaempauta.am.gov.br/2013/08/cresce-o-numero-de-bolsas-de-iniciacao-cientificapara-educacao-basica-nas-universidades/


Veículo: Site – Ciência em Pauta Editoria: Pag: Assunto: Cientistas brasileiros desvendam regeneração hepática com insulina Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Cientistas brasileiros desvendam regeneração hepática com insulina Postado em 13/08/2013 Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) fizeram uma descoberta que está chamando a atenção de cientistas de todo o mundo. Durante pesquisas de regeneração hepática com a insulina, o pesquisador e pós-doutorando, André Oliveira, percebeu que alguns receptores da substância, marcados por meio do processo de imunofluorescência, que os faz brilhar, estavam no núcleo das células. O questionamento, óbvio, era como e por que eles chegaram até lá. Investigando o fenômeno, a equipe fez uma descoberta que deverá mudar os livros de fisiologia humana. A insulina, além da função metabólica, em que capta e armazena nutrientes para nosso organismo utilizar como combustível, tem outra função até então desconhecida: ela penetra a célula por meio de um receptor específico. “É como uma chave e uma fechadura. A insulina é a chave e tem uma fechadura na célula, que é seu receptor. Uma vez conectado, esse receptor vai com a insulina para dentro do núcleo. Lá dentro, ela estimula a liberação de cálcio, que, por sua vez, dá início ao processo de multiplicação celular”, explicou a professora e pesquisadora Maria de Fátima Leite, do Departamento de Fisiologia e Biofísica do Instituto de Ciências Biológicas (ICB). O cálcio tem o papel de regular a taxa de proliferação da célula, um processo fisiológico importante na sobrevivência do ser humano. É por meio dele que uma pessoa ganha estatura e cicatriza feridas, entre várias outras situações normais do organismo. “A proliferação celular é considerada um efeito mais tardio da insulina, e esse mecanismo foi desvendado. Mostramos, em nosso estudo, como a insulina regula a regeneração hepática. O fígado é um órgão com alto potencial regenerativo,


processo fisiológico importante, visto que é um órgão desintoxicador do corpo. Para exemplificar, ao se removerem dois terços do fígado em seres humanos, o órgão regenera (volta à sua função normal) em algumas semanas. Ou seja, a multiplicação das células hepáticas é muito alta”, disse Leite. “Esse processo está condicionado a estímulos que vêm de hormônios ou de fatores de crescimento”, ponderou Gustavo Menezes, professor de biologia celular da UFMG. “É por isso que os diabéticos, que não produzem insulina, enfrentam maior dificuldade para a cicatrização de ferimentos”, completou Maria de Fátima Leite. Fonte: Correio Braziliense http://www.cienciaempauta.am.gov.br/2013/08/cientistas-brasileiros-desvendam-regeneracaohepatica-com-insulina/


Veículo: Site – Portal do Governo do Estado do Amazonas

Editoria:

Pag:

Assunto:Governador Omar Aziz assina acordo que vai levar internet banda larga para sete municípios Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Governador Omar Aziz assina acordo que vai levar internet banda larga para sete municípios 14:01 - 13/08/2013 O governador Omar Aziz assinou na manhã desta terça-feira, 13 de agosto, o Acordo de Cooperação Técnica do Projeto Cidades Digitais, que compõe a Rede Estadual de Comunicação no trecho Coari-Manaus. O acordo visa a implantação de equipamentos para recepção de sinal de internet nas sedes de sete municípios da área de influência do gasoduto Coari-Manaus, a partir da rede de fibra ótica existente no traçado dos dutos. Os municípios beneficiados serão Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru, que passarão a ter acesso à internet com velocidade de conexão de 14 Mega. O projeto foi desenvolvido pelo Governo do Amazonas, sob a coordenação da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), em parceria com a Telecomunicações Brasileiras S/A (Telebras), e será executado pela empresa Processamento de Dados do Amazonas S/A (Prodam). Segundo o governador Omar Aziz, o acordo permite a utilização da rede de fibra ótica que acompanha o gasoduto para oferecer internet banda larga de qualidade e mais rápida nesses municípios. Omar Aziz afirma que Governo do Estado está investido R$ 9 milhões para viabilizar o projeto. Os recursos são oriundos dos órgãos estaduais que possuem atividades fins nos municípios, a exemplo das secretarias estaduais de Educação (Seduc), da Fazenda (Sefaz), de Segurança Pública (SSP), de Planejamento (Seplan), além da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), da Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeam) e do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas


(Cetam), que também assinaram o acordo. “Todas as secretarias têm atividade fim nesses municípios. Essas pastas estão contribuindo com seus orçamentos, pois a internet eficiente vai facilitar o desenvolvimento dos projetos”, disse o governador. Ele citou como exemplo o Centro de Mídias da Seduc e da UEA, que oferece ensino à distância, assim como a Susam, que mantém, nos mesmos moldes, um programa de Telemedicina, no qual os exames são feitos nos municípios e enviados para serem analisados na capital, via internet. “Estamos instalando mamógrafos em todos os municípios para ajudar no diagnóstico de câncer de mama e vamos precisar de internet boa”, disse o governador, ressaltando que o Estado vai economizar os recursos que hoje gasta com aluguel de satélite para manter os projetos. Prevista para começar a funcionar em janeiro de 2014, inicialmente, a internet vai ser disponibilizada para os órgãos públicos e a população também terá disponíveis locais públicos (hotspot wi-fi) para conectividade gratuita. Depois de ajustes, será disponibilizada a toda a população. “É um investimento pequeno, mas de um impacto social muito grande na formação da cidadania no interior”, disse o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Odenildo Sena. A rede de fibra ótica que será interligada às sedes dos municípios foi cedida pela Telebras. Por meio de acordo, a estatal está disponibilizando um par de fibra ótica do backbone (ponto principal de fibra ótica) da Petrobras que acompanha o gasoduto de Coari até Manaus. Esse par de fibra ótica é suficiente para interligar os sete municípios que estão à margem do gasoduto. Outros municípios do entorno também poderão ser beneficiados, pois a interligação será híbrida – por meio de fibra ótica e rádio. O projeto Cidades Digitais prevê, ainda, a expansão da internet banda larga para outras localidades. O Governo do Estado negocia com a Embratel para que os municípios do rio Madeira utilizem a rede de fibra ótica que sai de Porto Velho a Manaus. Da mesma forma, há acordo com a Eletrobrás para a utilização da rede de fibra ótica que acompanha o Linhão de Tucuruí para beneficiar os municípios do baixo Amazonas que estão no traçado do projeto. http://www.amazonas.am.gov.br/2013/08/governador-omar-aziz-assina-acordo-que-vai-levarinternet-banda-larga-para-sete-municipios/


Veículo: Site – Portal do Governo do Estado do Amazonas

Editoria:

Pag:

Assunto:UEA lança incubadora para incentivar criação de novas empresas no Estado Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

UEA lança incubadora para incentivar criação de novas empresas no Estado 19:25 - 13/08/2013 A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) lançou, na tarde desta terça-feira, 13 de agosto, a primeira incubadora de empresas da instituição. A IN-UEA vai oferecer suporte técnico, financeiro e estrutural para 15 projetos de empresários e empresas de base tecnológica que atuem com ações de inovação. O edital para participar da seleção também foi lançado na mesma ocasião e pode ser acessado no site da UEA (www.uea.edu.br). As empresas que forem aprovadas no edital vão receber além de apoio financeiro e estrutural, assessoria técnica, auxílio na captação de recursos e de mercado, consultorias e treinamento. Esse trabalho será realizado por técnicos e docentes da UEA. A incubadora atenderá empresas e projetos mistos, que tratem tanto de desenvolvimento tecnológico, quanto para o comércio em geral, que poderão ficar incubadas por até três anos. De acordo com o idealizador e coordenador do projeto, o professor Wlademir Leite, a incubadora beneficiará quatro empresas residentes, que vão contar com o apoio e infraestrutura do local, como salas e equipamentos; oito empresas associadas, que já estão em funcionamento e receberão apoio para desenvolver os trabalhos; e três empresas na categoria hotel de projetos, que não estão implantadas, mas já possuem ideias concebidas. Inovação – Wlademir explicou que, uma das poucas exigências feitas aos interessados em participar do processo seletivo é de que os projetos sejam inovadores. “Não queremos nada que não seja novo, nada que já exista no mercado. Nossas empresas têm por obrigação trabalhar com a inovação”.


Segundo ele, os responsáveis pelas empresas e projetos selecionados, além do suporte recebido, serão incentivados a participar de editais de financiamento estaduais e federais e da própria Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), que atualmente não têm tido grande procura no Estado. Ele acredita que a procura pelo edital será grande. “Já venho recebendo algumas ligações, que demonstram o interesse em torno do programa”. O coordenador, que é professor do curso de administração da UEA afirmou que a ideia de criação da incubadora começou há dois anos e foi pensada após se observar a necessidade da existência de projetos como esse e de estudar trabalhos semelhantes, que são desenvolvidos por outras instituições de ensino de Manaus. Momento histórico – O reitor da UEA, Cleinaldo de Almeida Costa, afirmou que o lançamento é um momento histórico para a instituição e que o momento é ideal para a implantação para esse tipo de projeto. “Essa é uma enorme oportunidade para que nós aprendamos sobre empreendedoramente. Todos temos que ter noção de como isso acontece”. Incentivo da Fapeam – A incubadora da UEA conta com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e apoio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-AM), inicialmente de R$ 100 mil. A presidente da Fapeam, Maria Olívia Simão destacou a importãncia do incentivo a implantação de novas incubadoras. “As universidades são espaços importantes para o empreendedorismo, onde possam colocar em prática as ótimas ideias, em ambientes mais favoráveis, para que saiam bem preparados para o mercado que é voraz”. Por meio de um programa do Governo do Estado, o Pró-incubadora, lançado pela Fapeam, foi disponibilizado, por meio de edital, R$ 1,7 milhão para o incentivo e apoio a novos projetos, como no caso da IN-UEA, e para incubadoras já existentes. O Amazonas tem hoje nove incubadoras e outras três devem ser criadas no interior do Estado. http://www.amazonas.am.gov.br/2013/08/uea-lanca-incubadora-para-incentivar-criacao-de-novasempresas-no-estado/


Veículo: Site – Blog do Marcos Santos Editoria: Pag: Assunto:UEA lança incubadora para incentivar criação de novas empresas no Estado Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

UEA lança incubadora para incentivar criação de novas empresas no Estado Postado em 13/08/2013 - 23:54 Shopping Ponta Negra A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) lançou, na tarde desta terça-feira, 13 de agosto, a primeira incubadora de empresas da instituição. A IN-UEA vai oferecer suporte técnico, financeiro e estrutural para 15 projetos de empresários e empresas de base tecnológica que atuem com ações de inovação. O edital para participar da seleção também foi lançado na mesma ocasião e pode ser acessado no site da UEA (www.uea.edu.br). As empresas que forem aprovadas no edital vão receber além de apoio financeiro e estrutural, assessoria técnica, auxílio na captação de recursos e de mercado, consultorias e treinamento. Esse trabalho será realizado por técnicos e docentes da UEA. A incubadora atenderá empresas e projetos mistos, que tratem tanto de desenvolvimento tecnológico, quanto para o comércio em geral, que poderão ficar incubadas por até três anos. De acordo com o idealizador e coordenador do projeto, o professor Wlademir Leite, a incubadora beneficiará quatro empresas residentes, que vão contar com o apoio e infraestrutura do local, como salas e equipamentos; oito empresas associadas, que já estão em funcionamento e receberão apoio para desenvolver os trabalhos; e três empresas na categoria hotel de projetos, que não estão implantadas, mas já possuem ideias concebidas. Inovação – Wlademir explicou que, uma das poucas exigências feitas aos interessados em participar do processo seletivo é de que os projetos sejam inovadores. “Não queremos nada que não seja novo,


nada que já exista no mercado. Nossas empresas têm por obrigação trabalhar com a inovação”. Segundo ele, os responsáveis pelas empresas e projetos selecionados, além do suporte recebido, serão incentivados a participar de editais de financiamento estaduais e federais e da própria Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), que atualmente não têm tido grande procura no Estado. Ele acredita que a procura pelo edital será grande. “Já venho recebendo algumas ligações, que demonstram o interesse em torno do programa”. O coordenador, que é professor do curso de administração da UEA afirmou que a ideia de criação da incubadora começou há dois anos e foi pensada após se observar a necessidade da existência de projetos como esse e de estudar trabalhos semelhantes, que são desenvolvidos por outras instituições de ensino de Manaus. Momento histórico – O reitor da UEA, Cleinaldo de Almeida Costa, afirmou que o lançamento é um momento histórico para a instituição e que o momento é ideal para a implantação para esse tipo de projeto. “Essa é uma enorme oportunidade para que nós aprendamos sobre empreendedoramente. Todos temos que ter noção de como isso acontece”. Incentivo da Fapeam – A incubadora da UEA conta com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e apoio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-AM), inicialmente de R$ 100 mil. A presidente da Fapeam, Maria Olívia Simão destacou a importãncia do incentivo a implantação de novas incubadoras. “As universidades são espaços importantes para o empreendedorismo, onde possam colocar em prática as ótimas ideias, em ambientes mais favoráveis, para que saiam bem preparados para o mercado que é voraz”. Por meio de um programa do Governo do Estado, o Pró-incubadora, lançado pela Fapeam, foi disponibilizado, por meio de edital, R$ 1,7 milhão para o incentivo e apoio a novos projetos, como no caso da IN-UEA, e para incubadoras já existentes. O Amazonas tem hoje nove incubadoras e outras três devem ser criadas no interior do Estado. http://www.blogmarcossantos.com.br/2013/08/13/uea-lanca-incubadora-para-incentivar-criacao-denovas-empresas-no-estado/


Veículo: Site – Blog do Marcos Santos Editoria: Pag: Assunto:Governador Omar Aziz assina acordo que vai levar internet banda larga para sete municípios Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Governador Omar Aziz assina acordo que vai levar internet banda larga para sete municípios Postado em 13/08/2013 - 14:17 Shopping Ponta Negra O governador Omar Aziz assinou na manhã desta terça-feira, 13 de agosto, o Acordo de Cooperação Técnica do Projeto Cidades Digitais, que compõe a Rede Estadual de Comunicação no trecho Coari-Manaus. O acordo visa a implantação de equipamentos para recepção de sinal de internet nas sedes de sete municípios da área de influência do gasoduto Coari-Manaus, a partir da rede de fibra ótica existente no traçado dos dutos. Os municípios beneficiados serão Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Iranduba e Manacapuru, que passarão a ter acesso à internet com velocidade de conexão de 14 Mega. O projeto foi desenvolvido pelo Governo do Amazonas, sob a coordenação da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), em parceria com a Telecomunicações Brasileiras S/A (Telebras), e será executado pela empresa Processamento de Dados do Amazonas S/A (Prodam). Segundo o governador Omar Aziz, o acordo permite a utilização da rede de fibra ótica que acompanha o gasoduto para oferecer internet banda larga de qualidade e mais rápida nesses municípios. Omar Aziz afirma que Governo do Estado está investido R$ 9 milhões para viabilizar o projeto. Os recursos são oriundos dos órgãos estaduais que possuem atividades fins nos municípios, a exemplo das secretarias estaduais de Educação (Seduc), da Fazenda (Sefaz), de Segurança Pública (SSP), de Planejamento (Seplan), além da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), da Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeam) e do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas


(Cetam), que também assinaram o acordo. “Todas as secretarias têm atividade fim nesses municípios. Essas pastas estão contribuindo com seus orçamentos, pois a internet eficiente vai facilitar o desenvolvimento dos projetos”, disse o governador. Ele citou como exemplo o Centro de Mídias da Seduc e da UEA, que oferece ensino à distância, assim como a Susam, que mantém, nos mesmos moldes, um programa de Telemedicina, no qual os exames são feitos nos municípios e enviados para serem analisados na capital, via internet. “Estamos instalando mamógrafos em todos os municípios para ajudar no diagnóstico de câncer de mama e vamos precisar de internet boa”, disse o governador, ressaltando que o Estado vai economizar os recursos que hoje gasta com aluguel de satélite para manter os projetos. Prevista para começar a funcionar em janeiro de 2014, inicialmente, a internet vai ser disponibilizada para os órgãos públicos e a população também terá disponíveis locais públicos (hotspot wi-fi) para conectividade gratuita. Depois de ajustes, será disponibilizada a toda a população. “É um investimento pequeno, mas de um impacto social muito grande na formação da cidadania no interior”, disse o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Odenildo Sena. A rede de fibra ótica que será interligada às sedes dos municípios foi cedida pela Telebras. Por meio de acordo, a estatal está disponibilizando um par de fibra ótica do backbone (ponto principal de fibra ótica) da Petrobras que acompanha o gasoduto de Coari até Manaus. Esse par de fibra ótica é suficiente para interligar os sete municípios que estão à margem do gasoduto. Outros municípios do entorno também poderão ser beneficiados, pois a interligação será híbrida – por meio de fibra ótica e rádio. O projeto Cidades Digitais prevê, ainda, a expansão da internet banda larga para outras localidades. O Governo do Estado negocia com a Embratel para que os municípios do rio Madeira utilizem a rede de fibra ótica que sai de Porto Velho a Manaus. Da mesma forma, há acordo com a Eletrobrás para a utilização da rede de fibra ótica que acompanha o Linhão de Tucuruí para beneficiar os municípios do baixo Amazonas que estão no traçado do projeto. http://www.blogmarcossantos.com.br/2013/08/13/governador-omar-aziz-assina-acordo-que-vailevar-internet-banda-larga-para-sete-municipios/


Veículo: Site – Confap Editoria: Pag: Assunto:Santa Catarina receberá investimento superior a R$ 100 milhões para o setor de CT&I Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Santa Catarina receberá investimento superior a R$ 100 milhões para o setor de CT&I Para estimular a inovação e o desenvolvimento tecnológico em Santa Catarina, o governador do Estado, Raimundo Colombo, e o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp, assinaram ontem (segunda-feira, 12) em Joinville, acordos institucionais e lançaram editais na área de tecnologia e inovação. Foram anunciados aproximadamente R$106 milhões de oito fontes de fomento, tanto estaduais como federais. A primeira assinatura foi do edital que selecionará até 75 projetos inovadores de empresas com faturamento de até R$ 3,6 milhões anuais. A liberação dos recursos será em forma de subvenção econômica – consiste na aplicação de recursos públicos não reembolsáveis -, podendo variar de R$ 180 mil até R$ 600 mil para cada projeto. Para essa ação, serão envolvidos R$ 22,5 milhões, sendo R$ 7,5 milhões do Governo do Estado por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação (Fapesc), e o restante da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Foram anunciados ainda R$ 30 milhões para financiamento de projetos para micro e pequenas empresas, por meio de parceria entre Badesc, Fapesc e Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS). Outro termo foi o de parceria e lançamento do edital do Programa Sinapse da Inovação, que selecionará 100 empresas em forma de subvenção econômica de até R$ 50 mil para cada projeto. Os recursos serão da Fapesc (R$ 5 milhões) e Sebrae (R$ 3,4 milhões). “Isso é inédito e produz um resultado extraordinário. É um projeto inovador importante de repercussão muito grande no estímulo e criatividade do nosso povo catarinense”, disse Colombo.


Para o Prêmio Stemmer da Inovação foi assinado o edital que beneficiará seis empresas nas categorias Micro e Pequenas Empresas; e Médio e Grandes Empresas, no valor total de R$ 220 mil. Em uma parceria entre Fapesc e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), foi homologado o edital referente à primeira parte da operação do Programa de Formação de Recursos Humanos em Ciência, Tecnologia e Inovação. A ação pretende disponibilizar 105 bolsas de mestrado e 100 bolsas de doutorado, em quatro anos. A Fapesc investirá R$ 9 milhões, e o Capes, R$ 18 milhões. “O evento desta noite é da maior importância, seja pelo seu conteúdo e pela mobilização, pois reuniu em Joinville autoridades, empresários, reitores e um ministro”, comentou o presidente da Fapesc, Sergio Gargioni. Destinados ao fomento a grupos de pesquisa, o governador e o reitor da Udesc, Antonio Heronaldo de Souza, assinaram também o termo de parceria técnico-financeira para o investimento de R$ 1,8 milhão, sendo 50% da Udesc e os outros 50% da Fapesc. Fonte: assessoria de comunicação do Governo de Santa Catarina http://www.confap.org.br/santa-catarina-recebera-investimento-superior-a-r-100-milhoes-para-osetor-de-cti/


Veículo: Site – Confap Editoria: Pag: Assunto:Abipti abre vagas para mais uma edição do curso “Elaboração de Projetos e Captação de Recursos Financeiros em CT&I” Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Abipti abre vagas para mais uma edição do curso “Elaboração de Projetos e Captação de Recursos Financeiros em CT&I” A 5º edição do curso “Elaboração de Projetos e Captação de Recursos Financeiros em Ciência, Tecnologia e Inovação: da Teoria à Prática”, promovido pela Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (Abipti) ocorrerá entre os dias 5 e 8 de novembro, na sede da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). As inscrições serão abertas no início de setembro. Os preços variam de R$ 600 (associados) a R$ 900 (não associados). O objetivo do curso é suprir a falta de conhecimento das organizações na hora de elaborar projetos submetidos às agências de fomento e instituições de apoio financeiro da área de CT&I. De acordo com o diretor de Relações Interinstitucionais da Abipti e instrutor do curso, Félix Silva, a capacitação conta com aulas expositivas, trabalhos práticos e suporte a distância. “Além de aprender a construir uma proposta, o treinamento permite uma interação entre os alunos, o que simplifica a captação do conteúdo”, ressalta. Mais informações sobre cursos da Abipti pelo telefone (61) 3348-3103 ou pelo site www.abipti.org.br http://www.confap.org.br/abipti-abre-vagas-para-mais-uma-edicao-do-curso-elaboracao-deprojetos-e-captacao-de-recursos-financeiros-em-cti/


Veículo: Site – Consecti Editoria: Assunto:Emprego vira ‘ciência’ e negócio para startups Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Pag: Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Emprego vira ‘ciência’ e negócio para startups Eliminada de processos seletivos na área de recursos humanos por ser formada em jornalismo, Anamaíra Spaggiari, de 24 anos, aceitou a sugestão de um amigo para testar um tipo diferente de recrutamento, a partir de um teste online. O algoritmo criado pela startup brasileira 99jobs promete colocar jovens de 18 a 24 anos em contato com vagas e empresas com alto grau de compatibilidade com seus objetivos. A seleção é feita com base nas respostas de um questionário virtual. Anamaíra se candidatou para uma vaga de analista de negócios na Fundação Estudar, que segundo o site tinha mais de 90% de compatibilidade com seu perfil. Em dez dias estava contratada. ?Foi um processo que considerou minha experiência e não a formação?, diz. Na 99jobs o currículo está fora do processo inicial de seleção. ?Não nos importamos com o curso que a pessoa fez e se ela é comunicativa ou introspectiva. Consideramos com que tipo de trabalho, pessoa e ambiente aquele candidato quer se conectar?, diz Bárbara Teles, gerente de relacionamento da startup. Softwares como esse são pouco conhecidos no Brasil, mas estão ganhando força nos Estados Unidos, onde o uso deles já ganhou um nome: workforce science (algo como a ciência da força de trabalho). Trata-se do uso da tecnologia de análise de dados, conhecida como Big Data, para aprimorar os processos de recursos humanos. Com a tecnologia é possível correlacionar dados de um candidato com base em diversas fontes – um teste online, informações armazenadas online ou no computador do trabalho. A análise ajuda a entender como a pessoa se comunica, que tipo de desafio prefere e quais empresas têm mais o seu perfil. Para se ter ideia do potencial de mercado, o site eHarmony – popular serviço dos EUA para encontrar casais compatíveis – está atualizando o algoritmo do seu teste de compatibilidade amorosa para lançar uma versão para o mercado de trabalho.


A mesma tecnologia também pode ser usada para fazer as empresas chegarem ao candidato ideal – algo especialmente interessante em países com baixos índices de desemprego. ?Quem está feliz no trabalho não vai olhar sites de vagas. Com as redes sociais, conseguimos fazer as empresas chegarem aos candidatos passivos, que hoje são 80% da nossa base, a partir de filtros de características?, diz Milton Beck, diretor de vendas do LinkedIn. Criada em 2007, a Evolv é uma das empresas que estão popularizando a workforce science nos EUA. ?Da mesma forma que o Google diz a uma pessoa o que comprar, nós dizemos quem contratar, como o empregado vai atuar e quando vai sair?, diz o cofundador e vice-presidente Jim Meyerle. A startup, que recebeu US$ 42 milhões em investimento, desenvolveu um sistema para reunir e analisar dados de funcionários de áreas variadas ao longo da carreira – desde a contratação até a demissão. Assim, ela define os fatores que aumentam as chances de sucesso na contratação. Em um trabalho para a Xerox, a Evolv descobriu que a capacidade criativa, e não a experiência na área, aumenta a chance de um candidato permanecer por mais tempo no emprego. A Gild, outra startup norte-americana, criou um software para avaliar programadores com base nos trabalhos publicados por eles na internet. Isso fez com que candidatos, antes eliminados de processos seletivos, fossem contratados pelas empresas certas. ?Muitos profissionais estão interessados em entrar na indústria de tecnologia e aprender novas habilidades fora da sua formação. Nós usamos a Big Data para descobrir novos talentos?, diz Michael Stapleton, vicepresidente de marketing da Gild. Fonte: O Estado de São Paulo http://www.consecti.org.br/destaques/emprego-vira-ciencia-e-negocio-para-startups/


Veículo: Site – Consecti Editoria: Pag: Assunto:Seminário discute a regulamentação da profissão de cientista Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

Seminário discute a regulamentação da profissão de cientista Ter, 13 de Agosto de 2013 16:37 Escrito por Camila Cotta O seminário “Regulamentação da profissão de cientista” promoveu um debate com parlamentares, professores e representantes da área de ciência, tecnologia e inovação sobre a criação de uma proposta que aprove uma lei para a criação da profissão de cientista no Brasil. O evento foi realizado na manhã desta terça-feira (13), na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF). Para o líder do PSB, deputado Beto Albuquerque, para se desenhar um cenário positivo aos profissionais da ciência é preciso um comprometimento do Estado. “Os cursos de licenciatura nas áreas de matemática, física, química e biologia deveriam ser públicos ou pagos pelo governo. Que futuro poderia ter um país que forma poucos professores nessas áreas estratégicas?”, indagou. Albuquerque acrescentou que esses profissionais são poucos reconhecidos e mal remunerados, por isso os jovens evitam a formação nessas áreas e procuram cursos mais rentáveis, tais como direito, administração e medicina. “Estamos perdendo bons profissionais. Se não resolvemos esta questão, como podemos evoluir e resolver os problemas, principalmente os de cunho tecnológico, do nosso País?”. A questão da seca no Nordeste, para o deputado Ariosto Holanda (PSB-CE), já poderia ter sido resolvida se o Brasil investisse mais nas pesquisas cientifica e desta forma nos profissionais da área. “Acredito que o grande fator da CT&I não ser reconhecida é a falta de uma base educacional. O problema está no ensino fundamental”, explica. Para ele, ciência, tecnologia e inovação começam no início da escola e, infelizmente a política pública não investe em professores para fortalecer esse segmento. “Temos que discutir a cadeia do conhecimento. C&T só será forte quando o ensino


fundamental for fortalecido”, observou. O deputado federal Izalci Lucas (PSDB-DF), que também é o presidente da Frente Parlamentar de CT&I na Câmara, comentou que vai aproveitar o debate para incluir o tema nas propostas de alteração do marco regulatório da inovação. “Sabemos da dificuldade em fazer CT&I no Brasil. Temos que propor mudanças para melhorar o Brasil”, finalizou. A alterações na leis que regulam as atividades de pesquisa e desenvolvimento (P&D) estão sendo discutidas na Câmara dos Deputados. Os membros da Comissão Especial conseguiram avançar na tramitação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que visa alterar os artigos referentes às atividades P&D. O grupo conseguiu reunir 204 assinaturas a favor da proposta. http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=4354:seminariodiscute-a-regulamentacao-da-profissao-de-cientista&catid=3:newsflash


Veículo: Site – Jornal da Ciência Editoria: Pag: Assunto:15. Museu Espaço Ciência Viva promove o "II Encontro de Divulgadores da Ciência - 30 anos de divulgação científica no Brasil" Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013

15. Museu Espaço Ciência Viva promove o "II Encontro de Divulgadores da Ciência - 30 anos de divulgação científica no Brasil" Profissionais, estudantes e público interessado podem se inscrever através do site do ECV O Museu Espaço Ciência Viva convida a todos para o "II Encontro Internacional de Divulgadores da Ciência - 30 anos de divulgação científica no Brasil", que será realizado nos dias 26, 27 e 28 de setembro de 2013, no Rio de Janeiro. O evento está sendo organizado em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (Faperj). O objetivo é criar um espaço de debate para discutir as ações e trajetória da divulgação científica no país e no mundo, com a participação de profissionais, estudantes, pesquisadores e demais interessados na área. O Encontro, que também faz parte da comemoração dos 30 anos do Espaço Ciência Viva, terá três eixos temáticos: Museus e Centros de Ciências, Comunicação e Ciência e Ciência e Arte. Dentro disso, o público poderá assistir a conferências e apresentação de pôsteres nos dias 26 e 27/09, além de participar da edição especial do Sábado da Ciência no último dia, que vai reunir módulos interativos do próprio museu e de instituições convidadas. Aqueles que desejarem submeter seus trabalhos, de acordo com os eixos temáticos acima, devem enviar um resumo até o dia 28/08 seguindo as explicações no site


http://www.cienciaviva.org.br/ecv30anosinscricoes. Entre os profissionais que já confirmaram presença, encontram-se o físico com ampla atuação na área de divulgação científica Ildeu de Castro Moreira, José Mariano Gago (Ciência Viva de Portugal), José Modesto (Exploratorium), Catarina Chagas (editora assistente do Ciência Hoje das Crianças Online), o físico Ennio Candotti, José Renato Monteiro (curador nacional da Mostra Ver Ciência), Federico Abrile (Programa Vinculación Tecnológica Universidad de la Punta, da Argentina), entre outros. Fique de olho no site do Encontro (http://www.cienciaviva.org.br/ecv30anos) e na página do Facebook (https://www.facebook.com/ECV30anos?fref=ts) para buscar mais informações e acompanhar a programação completa. Histórico O "I Encontro de Divulgadores da Ciência", realizado no Espaço Ciência Viva, aconteceu no dia 23/09 de 2007. A visita do Professor Catalão Jorge Wagensberg, do museu CosmoCaixa-Barcelona, rendeu um importante intercâmbio de experiências. Vários estudantes, professores e cientistas de diferentes ramos do conhecimento mostraram, na prática, como a ciência permeia a sociedade. Segundo Wagensberg, um museu de ciências é um lugar próprio para conversas: seja ela entre um leigo e um cientista, ou entre um cientista e uma criança. Neste sentido, o Espaço Ciência Viva pretende mediar uma vez mais o debate sobre a divulgação da ciência, oferecendo um evento cultural para apresentar o que os centros do Rio de Janeiro têm desenvolvido para a popularização da área. O ECV O Espaço Ciência Viva é o primeiro museu participativo de ciências do Brasil. Foi fundado por um grupo de cientistas, pesquisadores e educadores interessados em aproximar essas áreas do público em geral. Criado em 1982, o museu funciona em um galpão de 1600 m2, cedido pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, localizado na Praça Saens Peña, na Tijuca. O ECV integra a Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro, a Rede de Popularização da Ciência da América Latina e Caribe (RedPop) e a Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciências (ABCMC). (Ascom do Espaço Ciência Viva) http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=88691


Veículo: Jornal – Em Tempo Editoria: Política Assunto:Projeto da UEA incentiva a criação de empresas no AM Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Pag: A2

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013


Veículo: Jornal – Jornal do Commercio Editoria:Negócios Assunto:Planos de Negócios serão selecionados Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Pag: B2

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013


Veículo: Jornal – Jornal do Commercio Editoria:Negócios Assunto:Realidade do Mercosul é tema de premiação Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Pag: B4

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013


Veículo: Jornal – Jornal do Commercio Assunto:Novo código deve entrar em vigor Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Pag: B7 Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Editoria:Negócios

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013


Veículo: Jornal – Jornal do Commercio Assunto:Inscrições para bolsas de pesquisa Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Pag: B4 Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Editoria:Negócios

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 14/08/2013


Veículo: Jornal – A Crítica Assunto:Fapeam Lança novo Portal Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Editoria:Cidades

Pag: C2 Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 14/08/2013


CLIPPING FAPEAM - 14.08.2013  

Clipping de notícias selecionadas com assuntos sobre CT&I no Estado do Amazonas.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you