Issuu on Google+


Veículo: Site – Blog do Marcos Santos Editoria: Assunto: Fapeam realiza última edição do Ciência na Feira de 2013 Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Pag: Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Fapeam realiza última edição do Ciência na Feira de 2013 Postado em 04/12/2013 - 11:19 O Governo do Amazonas, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), realiza até esta sexta- feira, 06 de dezembro, das 8h às 12h, a terceira e última edição da exposição Ciência na Feira, desta vez o local escolhido é a Feira Municipal da Panair, que fica a Avenida Rio Negro, bairro Educandos, na zona centro-sul de Manaus. O objetivo da exposição é popularizar as atividades relacionadas à ciência, tecnologia e inovação que estão sendo desenvolvidas com o apoio da Fapeam, instituição que completou dez anos neste ano. Durante esta semana, são apresentados ao público dois projetos que abrangem as áreas de saúde e tecnologia O médico Geriatra Euler Ribeiro participa da ação ministrando palestras junto a Universidade Aberta da Terceira Idade Unati/UEA, sobre qualidade de vida na terceira idade explanando assuntos como a prática de exercícios físicos e a alimentação, adequada a terceira idade, feita com produtos naturais e regionais conforme resultado de seus estudos financiados pela Fapeam. No local, o público que visitar o stand da Fapeam, encontra ainda a Empresa Pentop, com uma evolução em ciência e tecnologia, a Caneta Falante Interativa, um dispositivo que tem o formato de uma caneta e possui um sensor posicionado em sua ponta e um computador interno, capaz de


decodificar o material impresso e reproduzir sons previamente gravados. Ao apontar sobre textos, cedulas de dinheiro e imagens, pode-se ouvir e traduzir as informações para qualquer idioma, repetir quando necessário, além de permitir ouvir músicas em som estéreo Hi-Fi, guardar arquivos e gravar conversas e sons. Esse também é um produto criado através de estudos financiado pela Fapeam. A Fapeam ainda disponibiliza ao público todas as informações sobre os programas desenvolvidos e disponíveis a população em geral, com distribuição de panfletos e colaboradores no local. Na última edição, que foi na feira da Compensa, zona oeste de Manaus, cerca de 5 mil pessoas visitaram o stand da Fapeam e a perspectiva é que este número ultrapasse os 10 mil visitantes, na feira da Panair. http://www.blogmarcossantos.com.br/2013/12/04/fapeam-realiza-ultima-edicao-do-ciencia-na-feirade-2013/


Veículo: Site – Portal do Governo do Estado do Amazonas

Editoria:

Pag:

Assunto: Fapeam realiza última edição do Ciência na Feira de 2013 Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Fapeam realiza última edição do Ciência na Feira de 2013 18:41 - 04/12/2013 O Governo do Amazonas, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), realiza até esta sexta-feira, 6 de dezembro, das 8h às 12h, a terceira e última edição da exposição Ciência na Feira, desta vez o local escolhido é a Feira Municipal da Panair, que fica a Avenida Rio Negro, bairro Educandos, na zona centro-sul de Manaus. O objetivo da exposição é popularizar as atividades relacionadas à ciência, tecnologia e inovação que estão sendo desenvolvidas com o apoio da Fapeam, instituição que completou dez anos neste ano. Durante esta semana, são apresentados ao público dois projetos que abrangem as áreas de saúde e tecnologia. O médico geriatra Euler Ribeiro participa da ação ministrando palestras junto a Universidade Aberta da Terceira Idade (Unati) da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), sobre qualidade de vida na terceira idade. Ribeiro irá falar sobre a prática de exercícios físicos e a alimentação adequada na terceira idade, que deve ser feita com produtos naturais e regionais, conforme resultado de seus estudos financiados pela Fapeam. Caneta falante interativa – No local, o público que visitar o stand da Fapeam, encontra ainda a Empresa Pentop, com uma evolução em ciência e tecnologia, a caneta falante interativa, um dispositivo que tem o formato de uma caneta e possui um sensor posicionado em sua ponta e um computador interno, capaz de decodificar o material impresso e reproduzir sons previamente gravados.


Ao apontar sobre textos, cédulas de dinheiro e imagens, pode-se ouvir e traduzir as informações para qualquer idioma, repetir quando necessário, além de permitir ouvir músicas em som estéreo Hi-Fi, guardar arquivos e gravar conversas e sons. Esse também é um produto criado através de estudos financiado pela Fapeam. A Fapeam ainda disponibiliza ao público todas as informações sobre os programas desenvolvidos e disponíveis a população em geral, com distribuição de panfletos e colaboradores no local. Na última edição, que foi na feira da Compensa, zona oeste de Manaus, cerca de 5 mil pessoas visitaram o stand da Fapeam e a perspectiva é que este número ultrapasse os 10 mil visitantes, na feira da Panair. http://www.amazonas.am.gov.br/2013/12/fapeam-realiza-ultima-edicao-do-ciencia-na-feira-de2013/


Veículo: Site – D24Am Editoria: Pag: Assunto: Projeto leva ciência e tecnologia para Feira da Panair, em Manaus Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Projeto leva ciência e tecnologia para Feira da Panair, em Manaus 04 Dez 2013 . 18:40 h . Com informações de assessoria . portal@d24am.com O objetivo da exposição é popularizar as atividades relacionadas à ciência, tecnologia e inovação que estão sendo desenvolvidas com o apoio da Fapeam. Manaus - A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) realiza até esta sexta-feira (06), das 8h às 12h, a terceira e última edição da exposição 'Ciência na Feira', na Feira Municipal da Panair, que fica na Avenida Rio Negro, bairro Educandos, na zona sul de Manaus. O objetivo da exposição é popularizar as atividades relacionadas à ciência, tecnologia e inovação que estão sendo desenvolvidas com o apoio da Fapeam, instituição que completou dez anos neste ano. Durante esta semana, são apresentados ao público dois projetos que abrangem as áreas de saúde e tecnologia. O médico geriatra Euler Ribeiro participa da ação, ministrando palestras sobre qualidade de vida na terceira idade, prática de exercícios físicos e a alimentação adequada a terceira idade, feita com produtos naturais e regionais. A ação é realizada junto com a Universidade Aberta da Terceira Idade Unati/UEA. O segundo projeto trata-se da Caneta Falante Interativa, um dispositivo que tem o formato de uma caneta e possui um sensor posicionado em sua ponta e um computador interno, capaz de decodificar o material impresso e reproduzir sons previamente gravados.


Ao apontar sobre textos, cédulas de dinheiro e imagens, a caneta reproduz e traduz as informações para qualquer idioma, repete quando necessário, além de permitir ouvir músicas em som estéreo HiFi, guardar arquivos e gravar conversas e sons. Esse também é um produto criado através de estudos financiado pela Fapeam. Na última edição, que foi na feira da Compensa, zona oeste, cerca de 5 mil pessoas visitaram o stand da Fapeam e a perspectiva é que na atividade de sexta visitem 10 mil pessoas, na feira da Panair. A Fapeam ainda disponibiliza ao público todas as informações sobre os programas desenvolvidos e disponíveis a população em geral, com distribuição de panfletos e colaboradores no local. http://www.d24am.com/amazonia/ciencia/projeto-leva-ciencia-e-tecnologia-para-feira-da-panairem-manaus/101610


Veículo: Site – G1.Globo Editoria: Pag: Assunto: Cientistas conseguem decodificar DNA mais antigo de ancestral humano Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Cientistas conseguem decodificar DNA mais antigo de ancestral humano Hominídeo de 400 mil anos tem elo genético com grupo que viveu na Ásia. Nova técnica científica possibilitou análise de DNA mitocondrial degradado. Do G1, em São Paulo Usando novas técnicas, pesquisadores conseguiram analisar o DNA do ancestral Homo heidelbergensis, a partir de uma ossada de 400 mil anos encontrada no sítio arqueológico de Sima de los Huesos, na Espanha. É a amostra mais antiga de material que já foi possível decodificar, informam os autores - da mesma idade, apenas DNA congelado já pode ser observado. O estudo foi feito pelo Instituto de Antropologia Evolutiva, em Leipzig, na Alemanha, e divulgado nesta quartafeira (4) pela revista "Nature". A pesquisa analisou a sequência do genoma mitocondrial deste hominídeo, comparando-a com resultados obtidos em pesquisa semelhante feita com o homem de Denisova. Os resultados permitem estabelecer relações genéticas entre o exemplar de Sima de los Huesos com o homem de Denisova, ancestral do ser humano que viveu na região da Sibéria, na Ásia. O estudo indica que eles tiveram um ancestral comum há cerca de 700 mil anos. Para alcançar o resultado, os pesquisadores alemães, liderados por Matthias Meyer, desenvolveram novas técnicas para recuperar e sequenciar DNAs degradados pelo tempo. Eles aplicaram as novas metodologias em uma amostra genética de um urso que viveu nas cavernas de Sima de los Huesos.


Em seguida, os cientistas coletaram 2g de pó de um osso da coxa do hominídeo da caverna, extraíram seu DNA e sequenciaram o genoma das mitocôndrias (mtDNA), uma pequena parte do genoma que é transmitida pela linhagem materna. DNA parecido Os estudiosos então compararam o DNA mitocondrial antigo com os de neandertais, do homem de Denisova, de macacos e o homem de hoje. A análise calculou que o Homo heidelbergensis viveu há cerca de 400 mil anos, mas compartilhava um ancestral comum com os Denisovas. "O fato de o mtDNA do hominídeo de Sima de los Huesos compartilhar um ancestral comum com o homem de Denisovas é inesperado, já que seus restos esqueléticos carregam características derivadas de neandertais" , diz Matthias Meyer. De acordo com a pesquisa, o resultado aponta para um complexo padrão de evolução na origem dos neandertais e humanos modernos. Considerando sua idade e características, os hominídeos encontrados na Espanha teriam relação com a população ancestral dos neandertais e do homem de Denisova. Outra possibilidade é que o fluxo de genes de outro grupo de hominídeos trouxe o mtDNA de Denisova à espécie de Sima ou seus antepassados. Os pesquisadores vão agora se concentrar em recuperar o DNA de outros indivíduos encontrados na caverna e procurar decifrar a sequência do DNA nuclear, utilizando a nova técnica científica. "Podemos agora estudar o DNA de ancestrais humanos que viveram há centenas de milhares de anos. Isso abre perspectivas para estudar os genes dos ancestrais dos neandertais e Denisovas . É tremendamente emocionante ", diz Svante Pääbo , diretor do instituto de Leipzig. http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2013/12/estudo-indica-que-hominideos-de-epocasdiferentes-tem-elo-genetico.html


Veículo: Site – G1.Globo Editoria: Pag: Assunto: Cientistas descobrem gene que aumenta eficiência no plantio de arroz Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Cientistas descobrem gene que aumenta eficiência no plantio de arroz Infundido com gene Spike, grão pode aumentar até 36% sua produção. Testes com novas variedades estão em andamento em vários países. Cientistas descobriram um gene que pode aumentar a eficiência na produção mundial do arroz, um dos cultivos alimentares mais importantes do planeta, anunciou nesta terça-feira (4) o Instituto Internacional de Pesquisas do Arroz (Irri). Testes preliminares mostram que as produções das variedades modernas de arroz grão longo (Indica), o tipo mais cultivado no mundo, podem aumentar entre 13% e 36% quando infundido com o gene chamado Spike, informou o instituto de pesquisas, sediado nas Filipinas. "Nosso trabalho mostrou que o Spike é um dos grandes genes responsáveis pelo aumento da produção que os agricultores passaram tantos anos procurando", afirmou em um comunicado a diretora do laboratório de transformação genética do IRRI, Inez Slamet-Loedin. Os testes com as novas variedades de arroz infundidas com o gene estão em andamento em vários países em desenvolvimento da Ásia, disse o rizicultor Tsutomu Ishimaru, diretor do programa de plantio Spike, conduzido pelo Irri. "Nós acreditamos que elas vão contribuir para a segurança alimentar nestas áreas assim que as novas variedades forem disseminadas", afirmou Ishimaru. Aumentar a produção significa cultivar mais arroz na mesma quantidade de terra, usando os mesmos recursos. Mas não há uma escala de tempo definitiva para quando o arroz contendo o gene Spike será distribuída para fazendeiros, segundo a porta-voz do Irri, Gladys Ebron.


Este gene foi descoberto pelo agricultor japonês Nobuya Kobayashi, depois de uma longa pesquisa iniciada em 1989 com a variedade de arroz tropical "Japonica", plantada na Indonésia, disse Ebron. O arroz Japonica cresce principalmente no leste da Ásia e responde por 10% da produção global do grão. http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2013/12/cientistas-descobrem-gene-que-aumentaeficiencia-no-plantio-de-arroz.html


Veículo: Site – Inpa Editoria: Pag: Assunto: Em encontro no Inpa comunidade científica defende manutenção da Reserva Ducke Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não

Programa:

Data: 05/12/2013

Em encontro no Inpa comunidade científica defende manutenção da Reserva Ducke 2013-12-04 - 20:13:37 “Seria um enorme impacto para Manaus e para a ciência caso a Reserva Ducke se transforme em Zona Transição”, afirma o pesquisador do Inpa Philip Fearnside. Por Luciete Pedrosa Pesquisadores, estudantes e líderes de movimentos sociais estiveram reunidos na nesta quarta-feira (4), no auditório da Ciência, no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) para debaterem o novo Plano Diretor de Manaus, que está em fase final de votação e que transforma o entorno da Reserva Florestal Adolpho Ducke em Zona de Transição. Criada nos final dos anos de 1950, a Ducke é uma reserva federal administrada e gerenciada pelo Inpa que se mostrou preocupado com a questão em documento oficial. “Praticamente metade das espécies de pássaros dos fragmentos florestais estudados ao Norte de Manaus desapareceu localmente em pouco tempo após a fragmentação ter ocorrido. Espécies de macacos, onças ou outros mamíferos que dependem de uma área contínua grande para sobreviver tendem a desaparecer também”, disse o pesquisador do Inpa, o Ecólogo José Luís Camargo, coordenador científico do Projeto Din��mica Biológica de Fragmentos Florestais (PDBFF), em documento final do workshop que também representa o posicionamento do Instituto. O vereador Elias Emanuel (PSD), relator Plano Diretor de Manaus, que compareceu pela manhã ao


evento, afirmou que a cidade de Manaus precisa crescer para o Norte, mas com o desafio de crescer para si própria, porque 60% dos lotes existente em Manaus estão inutilizadas segundo ele. Na avaliação do vereador, a classificação como Zona de Transição no entorno da Reserva Ducke já existe há 11 anos. Ele defende a manutenção da mesma, citando outras Zonas de Transição como a Tarumã-Açu, Praia da Lua e Ducke explicando que para cada uma delas existem um conjunto de atividades que podem ser realizadas especificamente e que não sejam impactantes. Para o professor do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Marcos Castro, defende a proposta de transformar a área em Zona de Amortecimento permitindo que a reserva não perca o contato com a floresta. “A intenção dos pesquisadores é não desconectar a Reserva Ducke do restante da floresta porque isso causaria alguns problemas que poderiam transformar o entorno da reserva em fragmentos florestais urbanos e esses fragmentos vão sendo pressionados e aos poucos diminuídos. A proposta do Plano Diretor é transformar aquela área em Zona de Transição, o que significa dizer que em pouco tempo poderá ser totalmente desmatada e no lugar abrigar núcleos habitacionais e um dia se transformar em Zona de Expansão Urbana”, explica o professor Castro. De acordo com o Coordenador de Extensão do Inpa, Carlos Bueno, o debate foi planejado para que outros atores possam contribuir sobre a importância de se preservar não apenas a Ducke, mas também a área do entorno da reserva, mostrando os problemas que podem ser acarretados de ordem econômica, social e ambiental em função de um “desenvolvimento” da cidade no entorno dessa floresta. “O debate também vai contribuir para que a Reserva Ducke não se transforme em um fragmento florestal, mas que continue a exercer o papel de uma floresta, inclusive na manutenção do clima e das cabeceiras dos vários igarapés que existem naquela área”, destaca Bueno. Segundo o vereador Bibiano Garcia (PT), o que se questiona nesse debate é a expansão da cidade indo para a zona Norte. “Estamos recorrendo aos cientistas para nortear os estudos técnicos para a defesa da importância da manutenção das áreas verdes em Manaus, especificamente no entorno da Reserva Ducke, e discutir o novo Plano Diretor da cidade”. Durante a programação, o pesquisador do Inpa, Philip Fearnside, responsável pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Serviços Ambientais da Amazônia (SERVAMB), ressaltou a importância da Reserva Ducke e a contribuição que ela dá aos pesquisadores, sendo aquele o lugar mais estudado por causa da sua biodiversidade. O pesquisador afirmou que o crescimento da cidade para o Norte ameaça a reserva e que a prioridade no momento é manter a floresta. “Seria um enorme impacto para Manaus e para a ciência caso a Reserva Ducke se transforme em Zona Transição. Essa área é importante para se obter dados dos serviços ambientais como o estudo da água e do solo”, disse. Foto da chamada: Daniel Jordano http://www.inpa.gov.br/noticias/noticia_sgno2.php?codigo=3085


Veículo: Site – Inpa Editoria: Pag: Assunto: Inpa mostra-se preocupado em transformar entorno da Reserva Ducke em Zona de Transição Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Inpa mostra-se preocupado em transformar entorno da Reserva Ducke em Zona de Transição 2013-12-04 – 20:02:00 Em documento intitulado “Consequências da fragmentação florestal na Amazônia: caso da Reserva Ducke”, Instituto diz que é preciso, ao máximo, evitar o isolamento das margens da reserva Da Redação da Ascom* O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) mostra-se preocupado com a proposta contida no Plano Diretor de Manaus em transformar a área do entorno da Reserva Florestal Adolpho Ducke em área de transição. Em documento apresentado no Workshop Reserva Ducke e o Plano Diretor de Manaus, nesta quarta-feira (4), o instituto aponta que se “deve ao máximo evitar o isolamento das margens” (área do Puraquequara e zona rural além da reserva), como aconteceu com os lados circundados pelos bairros Cidade Novos e Santa Etelvina, ao Norte de Manaus. Pesquisadores, estudantes, comunitários e vereadores participaram do debate. “O jogo não está totalmente perdido, pois mesmo visíveis ou perceptíveis, os dois lados mais distantes desse quadrado (no mapa se vê a reserva com um grande quadrado de 10 km por 10 km de lado) fazem parte da zona rural, ainda florestal, do município”, disse o pesquisador do Inpa, o Ecólogo José Luís Camargo, coordenador científico do Projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais (PDBFF), em documento que também representa o posicionamento do Instituto. De acordo com Camargo, o crescimento desordenado da malha urbana da cidade de Manaus, em poucas décadas desmembrou, fragmentou e extirpou florestas que estavam pelo caminho. Poucos fragmentos urbanos resistiram, mas de forma isolada, como os do Inpa, da Universidade Federal do


Amazonas (Ufam), Sesi e do Aeroporto ou BIS. Apesar disso, os fragmentos florestais são encarados como bons prestadores de serviços ambientais a uma regiã e para a sua população associada. O PDBFF se dedica a estudar e monitorar os efeitos da fragmentação florestal nos remanescentes florestais na Amazônia nos últimos 35 anos. De acordo com o documento, nas pesquisas foi descoberto que após o desmatamento e a consequente fragmentação florestal, as bordas florestais criadas expõem a floresta remanescente a mudanças bruscas na estrutura e composição. Isso torna a floresta mais vulnerável aos fortes ventos associados a tempestades, e como conseqüência à queda de árvores, a criação com maior frequência de clareiras e ao surgimento de bosques secundários compostos de espécies pioneiras – plantas com capacidade de colonizar áreas após perturbações com crescimento acelerado. “A fragmentação, portanto, ao longo do tempo leva o fragmento a um colapso de biomassa”, aponta. Além de muitas espécies de árvores ficarem mais vulneráveis em fragmentos florestais, a fauna diretamente associada a essas árvores pode diminuir suas populações ou mesmo correr perigo de extinção local. “Praticamente metade das espécies de pássaros dos fragmentos florestais estudados ao Norte de Manaus desapareceu localmente em pouco tempo após a fragmentação ter ocorrido. Espécies de macacos, onças ou outros mamíferos que dependem de uma área contínua grande para sobreviver tendem a desaparecer também”, diz o documento. *Com informações de José Luís Camargo Foto da chamada: Sávio Filgueiras http://www.inpa.gov.br/noticias/noticia_sgno2.php?codigo=3084


Veículo: Site – Ciência em Pauta Assunto: Ciência na Feira desta vez na Panair Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Editoria:

Pag: Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

- Negativo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Programa:

Sim

Não Data: 05/12/2013

Ciência na Feira desta vez na Panair Postado em 04/12/2013 O Governo do Amazonas, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), realiza até esta sexta- feira, 6, das 8h às 12h, a terceira e última edição do Ciência na Feira. O local escolhido para a exposição é a Feira Municipal da Panair, que fica no bairro Educandos, na zona centro-sul de Manaus. O objetivo da exposição é popularizar as atividades desenvolvidas com o apoio da Fapeam relacionadas à ciência, tecnologia e inovação. Durante esta semana são apresentados ao público dois projetos que abrangem as áreas de saúde e tecnologia. O médico geriatra Euler Ribeiro, da Universidade Aberta da Terceira Idade Unati/UEA, participa ministrando palestras sobre qualidade de vida na terceira idade, e fala da importância da prática de exercícios físicos e de uma boa a alimentação. O público que visita o estande da Fapeam na Panair encontra ainda a empresa Pentop, que expõe a Caneta Falante Interativa, um dispositivo que tem o formato de uma caneta e é capaz de decodificar o material impresso e reproduzir sons previamente gravados. A edição anterior do Ciência na Feira foi na feira da Compensa, zona oeste de Manaus. Cerca de 5 mil pessoas visitaram o estande da Fapeam. A expectativa desta edição é de 10 mil visitantes. Fonte: Agência Fapeam http://www.cienciaempauta.am.gov.br/2013/12/ciencia-na-feira-desta-vez-na-panair/


Veículo: Site – Ciência em Pauta Editoria: Pag: Assunto: Cientistas acham sinais de água em cinco planetas distantes, diz Nasa Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Cientistas acham sinais de água em cinco planetas distantes, diz Nasa Postado em 04/12/2013 Duas equipes de cientistas afirmam ter encontrado sinais sutis de presença de água em atmosferas de cinco planetas distantes, divulga nesta terça-feira (03), a agência espacial americana (Nasa). Segundo a agência, já havia sido reportada presença de água na atmosfera de alguns exoplanetas (como são chamados os planetas localizados fora do Sistema Solar), mas esta é a primeira vez que a forma e intensidade da presença de água são medidas e comparadas. As descobertas foram feitas graças ao telescópio Hubble. Por meio de sua câmera, o Hubble explorou detalhes de absorção de luz nas atmosferas dos exoplanetas quando passam em frente de sua estrela hospedeira. Segundo a Nasa, as observações foram feitas em comprimentos de onda de infravermelho, que detectam sinais de água, a trilhões de quilômetros de distância. Os planetas em cuja atmosfera foram detectados sinais de água são denominados WASP-17b, HD209458b, WASP-12b, WASP-19b e XO-1b. Eles são grandes e orbitam perto de suas estrelas hospedeiras. Segundo nota da Nasa, são “Jupiters quentes”. Os sinais de água mais intensos estão nos planetas WASP-17b e HD209458b. Todos os sinais encontrados foram menos intensos do que o esperado pelos cientistas. Eles suspeitam de que o motivo seja uma camada de neblina ou de poeira que cobre cada um dos cinco planetas. A camada pode reduzir a intensidade dos sinais de água, do mesmo modo como as neblinas suavizam as cores de uma fotografia.


“Detectar a atmosfera de um explaneta é extremamente difícil. Mas fomos capazes de obter um sinal muito claro e é água”, afirma L. Drake Deming, da Universidade de Maryland, em nota divulgada pela Nasa. Deming liderou censo de atmosferas de exoplanetas, do qual fizeram parte as pesquisas. Segundo a Nasa, os resultados estão publicados em artigo no Astrophysical Journal. Fonte: G1 http://www.cienciaempauta.am.gov.br/2013/12/cientistas-acham-sinais-de-agua-em-cinco-planetasdistantes-diz-nasa/


Veículo: Site – Ciência em Pauta Editoria: Pag: Assunto: Computação em nuvem mobiliza pesquisa conjunta do Brasil, Uruguai e França Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Computação em nuvem mobiliza pesquisa conjunta do Brasil, Uruguai e França Postado em 03/12/2013 Universidades do Brasil, do Uruguai e da França se unem para desenvolver projetos voltados para a computação em nuvem. As instituições envolvidas são: Universidade Federal de Pernambuco, representada pelo Prof. Stênio Fernandes; Universidade Federal do Ceará, representada pelo Prof. Neuman de Souza; Université d’Evry (França), representada pelo Prof. Nazim Algoumine e a Universidad de La Republica (Uruguai), representada pelo Prof. Javier Baliosian. Chamado de SLA4Cloud: Measurement and SLA Management of Heterogeneous Cloud Infrastructures, o projeto tem como objetivo iniciar a colaboração de grupos de pesquisa da América do Sul e França na área de Computação em Nuvem. O escopo da iniciativa envolve o desenvolvimento de serviços de computação em nuvem com representações de acordos de nível de serviços, através da implantação de mecanismos de composição de políticas de segurança e desempenho, para melhorar a qualidade de serviço de provedores de serviços de nuvem. O projeto terá a participação de professores, pesquisadores (pós-doutorado) e alunos de doutorado das instituições envolvidas, resultando na transferência e compartilhamento de experiências científicas e tecnológicas no escopo do projeto. A iniciativa terá duração de dois anos e será financiado pela Capes (Brasil), CNRS (França) e ANII (Uruguai). Fonte: Convergência Digital http://www.cienciaempauta.am.gov.br/2013/12/computacao-em-nuvem-mobiliza-pesquisaconjunta-do-brasil-uruguai-e-franca/


Veículo: Site – Ciência em Pauta Editoria: Pag: Assunto: Setor Naval será tema da 10ª edição do Fórum de Inovação do Amazonas Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Setor Naval será tema da 10ª edição do Fórum de Inovação do Amazonas CIÊNCIAEMPAUTA, POR DANYELLE SOARES Postado em 04/12/2013 A décima edição do Fórum de Inovação do Amazonas está marcada para esta quinta-feira (05), no auditório do Senai, zona sul de Manaus. O evento deve reunir empresários, gestores e pesquisadores para discutir a inovação no setor naval do Estado. O objetivo é debater as demandas, buscar alternativas e melhorar as tecnologias disponíveis para serem aplicadas na área. O Fórum é coordenado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI-AM) e contará com a presença do vice-coordenador do Comitê Gestor da Rede de Inovação Competitividade na Indústria Naval e Off Shore (Ricino), Floriano Pires Junior. Este será o último encontro deste ano. Ao todo, em 2013, foram realizados quatro fóruns para debater a inovação no Amazonas, tendo como subtemas: aplicação do Lei do Bem; uso e acesso ao patrimônio genético; tecnologias; identificação por rádio frequência e diversas palestras. “Os Fóruns este ano tiveram bons resultados. Conseguimos agregar muito conhecimento sobre várias áreas e alcançamos conquistas, como o edital do Polo Naval, que veio após uma demanda de um Fórum de Inovação”, disse o chefe do Departamento de Apoio à Inovação (DAT) da SECTIAM, Domingos Oliveira. LANÇAMENTO


Durante o evento também deve ocorrer o lançamento da primeira edição do Caderno de CT&I, que é uma publicação da SECTI-AM, com o intuito de mostrar os principais temas relacionados às áreas de Ciência, Tecnologia e Inovação. A primeira publicação trará os resultados da pesquisa sobre as incubadoras no Amazonas. O Caderno será trimestral. O Forúm de Inovação será às 14h, no Auditório Arivaldo Fontes, no Senai, Bola da Suframa, no Distrito Industrial de Manaus. CIÊNCIAemPAUTA, por Danyelle Soares http://www.cienciaempauta.am.gov.br/2013/12/setor-naval-sera-tema-da-10-a-edicao-do-forum-deinovacao-do-amazonas/


Veículo: Site – Ciência em Pauta Editoria: Pag: Assunto: Tecnologia assistiva terá Rede Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Tecnologia assistiva terá Rede Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Postado em 04/12/2013 O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Viver sem Limite – passa a contar com uma Rede Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologia Assistiva. A portaria, assinada pelo ministro Marco Antonio Raupp nesta terça-feira (03), no Palácio do Planalto, prevê a instituição de um sistema composto por 90 núcleos de pesquisa ligados a 54 instituições, entre elas, universidades e institutos de ciência, tecnologia e educação. O documento faz parte de uma série de ações anunciadas pelo Governo Federal pelo Dia Internacional de Luta das Pessoas com Deficiência. De acordo com o secretário de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secis/MCTI), Oswaldo Duarte Filho, hoje são 29 núcleos de tecnologia assistiva. Com a criação da rede, serão 90, o que aumentará a capacidade de desenvolvimento de produtos. “Já com os 29 tínhamos 50 produtos desenvolvidos, com mais universidades e pesquisadores o resultado será ainda melhor”, disse. O Plano Viver sem Limite foi lançado pela presidenta Dilma Rousseff em 17 de novembro de 2011 (Decreto Nº 7.612), e tem por objetivo promover programas e ações voltados ao exercício dos direitos das pessoas com deficiência, mediante a articulação e integração de diversas políticas públicas. O MCTI integra a iniciativa por meio da Secis. Está ligado ao ministério o Centro Nacional de Referência em Tecnologia Assistiva (CNRTA), responsável por articular a rede atual de núcleos, voltada para o desenvolvimento de bens e serviços


tecnológicos. O CNRTA funciona nas instalações do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI), unidade do MCTI em Campinas (SP). EXPOSIÇÃO Durante a solenidade, foi inaugurada a exposição “Acesso para Todos”, que tem apoio do ministério e traz uma mostra de produtos de tecnologia assistiva desenvolvidos ou certificados pelo CTI, pelo Instituto Nacional de Tecnologia (INT), pela Universidade Federal do ABC (Ufabc), pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e pelo Ministério da Educação (MEC). Entre as novidades apresentadas, estão cadeiras de rodas de última geração, equipamentos para desportistas paraolímpicos, roupas especiais, mural eletrônico, catálogo virtual e peças qualificadas pelo CTI para uso de pessoas com deficiência na rede de ensino (como máquinas de escrever, mouses adaptados e material pedagógico), além de painéis que relatam as iniciativas desenvolvidas na área desde 2005. Após visitar a mostra, Raupp falou sobre a importância do trabalho feito pela pasta nesta área. “Temos orgulho de participar desse esforço. Essas tecnologias podem ajudar nos processos de inclusão dos cidadãos com deficiência na sociedade brasileira, criando oportunidades para que eles participem do processo de desenvolvimento do País”, disse. “É também uma oportunidade de mostrarmos como a ciência, a tecnologia e a inovação podem dar grandes contribuições à sociedade”. INCLUSÃO Para a presidenta Dilma, com o Viver sem Limite, o Estado cumpre o seu dever constitucional de oferecer condições às pessoas com deficiência. “Temos de valorizar todas as ações que removam barreiras, impedimentos e limites. Que tenham de fato consideração com as pessoas e que percebam que é possível, necessário, e absolutamente importante para cada um de nós que essas pessoas vivam sem limites”. Na avaliação do coordenador de educação inclusiva de Secretaria de Educação do Distrito Federal, Antônio Leitão, a tecnologia é “a melhor porta para a liberdade das pessoas com deficiência para que elas realmente vivam sem limites”. Leitão, que é cego, conta que usa celular, relógio e computador adaptados. “Posso me considerar uma pessoa muito mais preparada. As pessoas precisam e merecem ter oportunidade de acesso aos bens sociais e, através da tecnologia assisitiva, isso é garantido para quem tem deficiência”. Fonte: MCTI http://www.cienciaempauta.am.gov.br/2013/12/tecnologia-assistiva-tera-rede-nacional-de-pesquisae-desenvolvimento/


Veículo: Site – Amazonas Notícias Editoria: Assunto: Fapeam realiza última edição do Ciência na Feira de 2013 Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Pag: Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Fapeam realiza última edição do Ciência na Feira de 2013 04 dezembro, 2013 O Governo do Amazonas, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), realiza até esta sexta-feira, 6 de dezembro, das 8h às 12h, a terceira e última edição da exposição Ciência na Feira, desta vez o local escolhido é a Feira Municipal da Panair, que fica a Avenida Rio Negro, bairro Educandos, na zona centro-sul de Manaus. O objetivo da exposição é popularizar as atividades relacionadas à ciência, tecnologia e inovação que estão sendo desenvolvidas com o apoio da Fapeam, instituição que completou dez anos neste ano. Durante esta semana, são apresentados ao público dois projetos que abrangem as áreas de saúde e tecnologia. O médico geriatra Euler Ribeiro participa da ação ministrando palestras junto a Universidade Aberta da Terceira Idade (Unati) da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), sobre qualidade de vida na terceira idade. Ribeiro irá falar sobre a prática de exercícios físicos e a alimentação adequada na terceira idade, que deve ser feita com produtos naturais e regionais, conforme resultado de seus estudos financiados pela Fapeam. Caneta falante interativa – No local, o público que visitar o stand da Fapeam, encontra ainda a Empresa Pentop, com uma evolução em ciência e tecnologia, a caneta falante interativa, um dispositivo que tem o formato de uma caneta e possui um sensor posicionado em sua ponta e um computador interno, capaz de decodificar o material impresso e reproduzir sons previamente gravados.


Ao apontar sobre textos, cédulas de dinheiro e imagens, pode-se ouvir e traduzir as informações para qualquer idioma, repetir quando necessário, além de permitir ouvir músicas em som estéreo Hi-Fi, guardar arquivos e gravar conversas e sons. Esse também é um produto criado através de estudos financiado pela Fapeam. A Fapeam ainda disponibiliza ao público todas as informações sobre os programas desenvolvidos e disponíveis a população em geral, com distribuição de panfletos e colaboradores no local. Na última edição, que foi na feira da Compensa, zona oeste de Manaus, cerca de 5 mil pessoas visitaram o stand da Fapeam e a perspectiva é que este número ultrapasse os 10 mil visitantes, na feira da Panair. http://amazonasnoticias.com.br/fapeam-realiza-ultima-edicao-do-ciencia-na-feira-de-2013/


Veículo: Site – Confap Editoria: Assunto: Fapeam realiza última edição do Ciência na Feira de 2013 Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Pag: Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Fapeam realiza última edição do Ciência na Feira de 2013 O Governo do Amazonas, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), realiza até esta sexta- feira, 06 de dezembro, das 8h às 12h, a terceira e última edição da exposição Ciência na Feira, desta vez o local escolhido é a Feira Municipal da Panair, que fica a Avenida Rio Negro, bairro Educandos, na zona centro-sul de Manaus. O objetivo da exposição é popularizar as atividades relacionadas à ciência, tecnologia e inovação que estão sendo desenvolvidas com o apoio da Fapeam, instituição que completou dez anos neste ano. Durante esta semana, são apresentados ao público dois projetos que abrangem as áreas de saúde e tecnologia O médico Geriatra Euler Ribeiro participa da ação ministrando palestras junto a Universidade Aberta da Terceira Idade Unati/UEA, sobre qualidade de vida na terceira idade explanando assuntos como a prática de exercícios físicos e a alimentação, adequada a terceira idade, feita com produtos naturais e regionais conforme resultado de seus estudos financiados pela Fapeam. No local, o público que visitar o stand da Fapeam, encontra ainda a Empresa Pentop, com uma evolução em ciência e tecnologia, a Caneta Falante Interativa, um dispositivo que tem o formato de uma caneta e possui um sensor posicionado em sua ponta e um computador interno, capaz de decodificar o material impresso e reproduzir sons previamente gravados. Ao apontar sobre textos, cedulas de dinheiro e imagens, pode-se ouvir e traduzir as informações para qualquer idioma, repetir quando necessário, além de permitir ouvir músicas em som estéreo Hi-Fi, guardar arquivos e gravar conversas e sons. Esse também é um produto criado através de estudos financiado pela Fapeam.


A Fapeam ainda disponibiliza ao público todas as informações sobre os programas desenvolvidos e disponíveis a população em geral, com distribuição de panfletos e colaboradores no local. Na última edição, que foi na feira da Compensa, zona oeste de Manaus, cerca de 5 mil pessoas visitaram o stand da Fapeam e a perspectiva é que este número ultrapasse os 10 mil visitantes, na feira da Panair. A Diretora – Presidenta da Fapeam, Maria Olívia Simão estará no local concedendo entrevista a imprensa nesta quinta – feira 05/12, as 09h. Outras informações podem ser obtidas através do Departamento de Comunicação da Fapeam pelos telefones 3878-4011 e 3878-4032. Maxcilene Azevedo – Agência Fapeam http://www.confap.org.br/fapeam-realiza-ultima-edicao-do-ciencia-na-feira-de-2013/


Veículo: Site – Confap Editoria: Pag: Assunto: Conselho Consultivo da FINEP se reúne pela última vez neste ano Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Conselho Consultivo da FINEP se reúne pela última vez neste ano Sergio Gargioni, presidente do CONFAP (Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa), participa, no dia 2 de dezembro, da reunião do Conselho Consultivo da FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos). OLYMPUS DIGITAL CAMERA As deliberações do Conselho Consultivo da FINEP são tomadas por maioria de votos, cabendo ao presidente do Conselho voto comum e de desempate. A FINEP é uma empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, dotada de personalidade jurídica de direito privado e patrimônio próprio, tendo em sua estrutura o Conselho Consultivo que é o órgão de assessoramento estratégico do Conselho de Administração. Os membros do Conselho Consultivo se reúnem geralmente a cada trimestre. http://www.confap.org.br/conselho-consultivo-da-finep-se-reune-pela-ultima-vez-neste-ano/


Veículo: Site – Confap Editoria: Assunto: Aprovado por unanimidade parecer sobre PEC 290 Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Pag: Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não

Programa:

Data: 05/12/2013

Aprovado por unanimidade parecer sobre PEC 290 “Aprovamos a PEC 290A na Comissão Especial. Agora vamos trabalhar para sua aprovação em Plenário antes do Natal”, postou o deputado federal Sibá Machado Oliveira, em seu perfil na rede social. Em 40 minutos, 13 mil pessoas já haviam curtido a mensagem, postada logo após a sessão realizada hoje (4 de dezembro) na Câmara dos Deputados e acompanhada pelo Secretário Executivo do CONFAP (Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa), Luiz Carlos Nunes. siba-machado Deputado federal Sibá Machado Entre as 14h30 e as 16hs desta quarta-feira, houve um debate na Comissão Especial que culminou com a votação e aprovação – por unanimidade – do parecer do relator, Deputado Izalci, à PEC 290/13. Esta Proposta de Emenda à Constituição foi finalizada em 16 de julho de 2013, e “altera e adiciona dispositivos na Constituição Federal para atualizar o tratamento das atividades de ciência, tecnologia e inovação”. A PEC foi apresentada pela Deputada Margarida Salomão, que participou da sessão, na qual também se aprovou Emenda da CCJC, com substitutivo. “Esta PEC é uma construção coletiva da comunidade da ciência, tecnologia e inovação no Brasil, dos diversos parlamentares que incorporaram generosas contribuições e do governo federal com o qual tivemos inúmeros encontros”, explica Margarida Salomão. “O relatório do nobre Deputado Izalci Lucas Ferreira corroborou a necessidade de alteração na Constituição pelo bem público e pelo


progresso da ciência em nosso país. Ressalto o processo de trabalho extraordinariamente rico feito por esta comissão.” Ela adianta: “estamos levando, imediatamente, à mesa diretora da Câmara a necessidade de votarmos a PEC 290/13 no Plenário na próxima terça-feira, 10 de dezembro”. Confira no link abaixo a tramitação da PEC 290/13 http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=586251 Assessoria de Imprensa FAPESC http://www.confap.org.br/aprovado-por-unanimidade-parecer-sobre-pec-290/


Veículo: Site – Ministério da Ciência, Tecnologia Editoria: e Inovação

Pag:

Assunto: Mast apresenta programação para dezembro Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Mast apresenta programação para dezembro 04/12/2013 - 12:51 O Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast/MCTI) divulgou a programação para o mês de dezembro. Há duas atividades programadas para esta quarta-feira (4): das 17h30 às 18 horas ocorre o “céu do mês” e das 18h30 às 21 horas, a “observação do céu”. Visitas guiadas ao museu, que fica no Rio de Janeiro, planetário inflável digital e mesa redonda sobre astronomia integram as atrações, que seguem até o dia 15/12. Clique aqui e acesse a programação. Texto: Isadora Grespan - Ascom do MCTI http://www.mcti.gov.br/index.php/content/view/351552/Mast_apresenta_programacao_para_dezem bro.html


Veículo: Site – Ministério da Ciência, Tecnologia Editoria: e Inovação

Pag:

Assunto: Para Dilma, Prêmio Finep reforça centralidade da inovação no país Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Para Dilma, Prêmio Finep reforça centralidade da inovação no país 04/12/2013 - 17:07 Ao entregar o Prêmio Finep de Inovação, nesta quarta-feira (4), em cerimônia no Palácio do Planalto, a presidenta Dilma Rousseff declarou que a condecoração distribuída pela Financiadora de Estudos e Projetos reafirma a centralidade da inovação na estratégia de desenvolvimento nacional. “O prêmio reconhece o talento e a inventividade de pessoas e empresas que, a partir de ideias inovadoras, buscam produzir novos conhecimentos e novas tecnologias em favor de avanços produtivos e de mais qualidade de vida para a sociedade brasileira”, disse a presidenta. “A inovação resulta em ganhos de produtividade, que são requisitos para a continuidade e a sustentabilidade de nossa trajetória de crescimento com distribuição de renda.” Dilma destacou a evolução do número de participantes ao longo das 16 edições do prêmio. “Em 1998, 25 candidatos se inscreveram”, lembrou. “Neste ano, foram 570 inscritos, incluindo uma bem vinda surpresa: a categoria Pequena Empresa registrou o maior número de concorrentes, nada menos que 166. Em um país de empreendedores como o Brasil, é animador que a inovação esteja inscrita entre os objetivos das nossas pequenas empresas.” Somados os valores das duas etapas do prêmio, os vencedores recebem R$ 8 milhões. Os campeões das nove categorias nacionais levam, além do troféu, as seguintes quantias: Instituição de Ciência e Tecnologia – R$ 200 mil; Inovação Sustentável – R$ 100 mil; Inventor Inovador – R$ 100 mil; Média Empresa – R$ 300 mil; Micro e Pequena Empresa – R$ 200 mil; Tecnologia Assistiva – R$ 100 mil; Tecnologia Social – R$ 200 mil; Grande Empresa – R$ 500 mil; e Inovar Fundos – R$ 100


mil, para cada uma das três subcategorias. “A vencedora na categoria Pequena Empresa, a Marina Tecnologia, é um excelente exemplo, pois coleciona prêmios por suas inovações nos produtos de borracha que desenvolve lá em Triunfo, no Rio Grande do Sul”, observou a presidenta. “Vejam o CBPAK, que utiliza mandioca e água para fazer recipientes biodegradáveis, ou ainda a Fundação de Tecnologia do Estado do Acre, responsável pela fábrica de preservativos produzidos com látex, vendidos para o SUS, ou mesmo a F123 Consulting, que desenvolveu um leitor de telas para deficientes visuais de baixo custo e ampla utilização.” Grande ano O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, ressaltou que 2013 mobilizou o Brasil em torno do tema. “Essa mobilização se justifica, uma vez que a inovação certamente é o meio mais eficaz para aumentarmos de maneira substantiva e sustentável a competitividade das nossas empresas e da nossa economia”, disse. “Melhorar nossas condições para competir na economia global é hoje um dos maiores desafios do país.” Raupp classificou este ano como “o mais emblemático e auspicioso que o Brasil já viveu no campo da inovação”, pelo volume de recursos públicos disponíveis para empresas fazerem pesquisa e desenvolvimento, ou, em outras palavras, pela “disposição do governo federal de compartilhar com as empresas os custos dos riscos tecnológicos da inovação”. Para o ministro, o Plano Inova Empresa, anunciado em março, é um salto sem precedentes no financiamento à atividade, com investimentos de R$ 32,9 bilhões para 2013 e 2014. “Se a disposição do governo foi exemplar, a resposta das empresas esteve sempre à altura. Os editais lançados neste ano já somam perto de R$ 19 bilhões. As propostas iniciais enviadas por 2,6 mil empresas e instituições de pesquisa chegaram a R$ 63 bilhões. Nossas empresas têm, sim, projetos de inovação, e querem inovar”, avaliou. Raupp ainda enumerou como avanços o aumento de eficiência da Finep, a mobilização de diversos ministérios – “apesar de ter inovação em seu nome, o MCTI não quer exclusividade” –, o marco legal discutido no Congresso Nacional e a institucionalização da Empresa Brasileira de Pesquisa Industrial e Inovação (Embrapii), cujo contrato de gestão deve ser assinado quinta-feira (5). “Com isso, a Embrapii deixará de ser um projeto piloto para se tornar um condutor do Brasil pelos caminhos da inovação”, previu o ministro. Diferença Na opinião do presidente da Finep, Glauco Arbix, o prêmio é um dos principais instrumentos para incentivar e reconhecer o desenvolvimento de soluções inovadoras no país. “As empresas que estão aqui têm algo a mais”, afirmou. “No Brasil, as empresas que inovam remuneram 23% a mais [os empregados] do que as que não inovam. Elas são até sete vezes mais produtivas do que as outras e geram postos de trabalho mais estáveis e de melhor qualidade.” Arbix lembrou que o Plano Inova Empresa tem “uma família de programas inéditos em andamento”, para agricultura, energia, saúde, área espacial, petróleo e etanol, e anunciou que estão “no forno” iniciativas semelhantes para sustentabilidade, telecomunicações, mobilidade urbana e educação, além do edital Inova Petro Engenharia e da segunda versão do Plano Conjunto de Apoio à Inovação Tecnológica Industrial dos Setores Sucroenergético e Sucroquímico (Paiss), voltada ao setor agrícola relacionado ao etanol. Texto: Rodrigo PdGuerra – Ascom do MCTI (atualizado às 17h38) http://www.mcti.gov.br/index.php/content/view/351559/Para_Dilma_Premio_Finep_reforca_central idade_da_inovacao_no_pais.html


Veículo: Site – Ministério da Ciência, Tecnologia Editoria: e Inovação

Pag:

Assunto: Reunião discute novos mecanismos para estimular a inovação no país Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Reunião discute novos mecanismos para estimular a inovação no país Clique para ver todas as fotos de Reunião discute novos mecanismos para estimular a inovação no país 04/12/2013 - 18:50 Representantes do Grupo de Trabalho e Assessoramento Interno de Propriedade Intelectual (GTAPI) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) discutiram, nesta quarta-feira (4), em Brasília, a possibilidade de implantação de novos mecanismos para estimular e acelerar o processo de inovação no país. Entre as propostas debatidas está a viabilidade de criação de uma incubadora de patentes e tecnologia que, por meio de uma parceria com o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), teria o apoio necessário para financiar o processo de patenteamento internacional de uma prova de conceito ou de um protótipo. A ideia foi apresentada pelas analistas da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCTI) Lucia Helena Viegas, da Coordenação de Cooperação Internacional da agência, e Ada Cristina Gonçalves, da área de planejamento. De acordo com Lucia Viegas, a proposta surgiu a partir de um acordo assinado pela Finep com o CAF durante a conferência Rio+20, em junho do ano passado, que prevê o apoio ao desenvolvimento de ações e planos na área de sustentabilidade. A intenção com as incubadoras ou aceleradoras voltadas para o patenteamento internacional é que sejam submetidas ideias antes mesmo do seu desenvolvimento.


Caberia ao banco identificar a necessidade da proposta a partir de temas pré-estabelecidos e avaliar o seu potencial de mercado. Por outro lado, o desenvolvimento da pesquisa ou do projeto seria posterior e contaria com instrumentos já utilizados no país. “Poderíamos aproveitar a oportunidade do CAF e fazer a interface com outros mecanismos de apoio existentes, a partir dos nossos agentes financeiros, por exemplo, para construirmos um modelo de incubadora de patentes”, explicou Ada Gonçalves. Novo paradigma Para o coordenador-geral de Serviços Tecnológicos da Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Setec/MCTI), Jorge Campagnolo, a iniciativa representaria uma “mudança de paradigma e de cultura para o Brasil”, onde a ciência é vista como um processo anterior à inovação. O secretário da Setec, Alvaro Prata, coordenou a reunião. Ele sugeriu avaliação de proposta por uma comissão técnica do grupo. Na sua opinião, trata-se de um instrumento interessante para que “se possa dar condições aos inventores para que esses tenham os recursos necessários para proteger suas ideias”. O GTA-PI tem como sua principal missão assessorar o ministro do MCTI nas questões de propriedade intelectual, além de promover a articulação das áreas do ministério no que diz respeito ao tema.

Texto: Denise Coelho – Ascom do MCTI http://www.mcti.gov.br/index.php/content/view/351570/Reuniao_discute_novos_mecanismos_para _estimular_a_inovacao_no_pais.html


Veículo: Site – Agência Gestão CT&I Editoria: Pag: Assunto: CPqD conquista Prêmio Finep de Inovação 2013 na categoria ICTs Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

CPqD conquista Prêmio Finep de Inovação 2013 na categoria ICTs Qui, 05 de Dezembro de 2013 10:33 Escrito por Agência Gestão CT&I O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) conquistou nesta quartafeira (4) o primeiro lugar na região Sudeste do Prêmio Finep de Inovação 2013, na categoria Instituição de Ciência e Tecnologia (ICT). A cerimônia de premiação ocorreu no Palácio do Planalto, em Brasília, com a presença da presidenta Dilma Rousseff; do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Marco Antonio Raupp; e do presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Glauco Arbix. “O compromisso com a inovação nas Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) faz parte da natureza do CPqD, que tem como missão contribuir para aumentar a competitividade e a riqueza do país. Ficamos honrados com esse prêmio, que representa o reconhecimento do nosso modelo de atuação, do qual temos muito orgulho”, afirma Claudio Violato, vice-presidente de Tecnologia do CPqD. Entre as inovações introduzidas no mercado a partir do programa de pesquisa e desenvolvimento do CPqD, destacam-se, por exemplo, as tecnologias de produtos nas áreas de sistemas de comunicações ópticas - transferidas, principalmente, para a Padtec - e de comunicações sem fio (para a WxBR). Na área de sistemas de software, que são comercializados diretamente pelo CPqD, merecem destaque os sistemas de suporte a operações e negócios (OSS/BSS) que hoje têm participação importante não só no mercado brasileiro, mas também em países como Chile, Colômbia, Uruguai, Estados Unidos e Angola.


Premiação Somados os valores das duas etapas do prêmio, os vencedores recebem R$ 8 milhões. Os campeões das nove categorias nacionais levam, além do troféu, as seguintes quantias: Instituição de Ciência e Tecnologia – R$ 200 mil; Inovação Sustentável – R$ 100 mil; Inventor Inovador – R$ 100 mil; Média Empresa – R$ 300 mil; Micro e Pequena Empresa – R$ 200 mil; Tecnologia Assistiva – R$ 100 mil; Tecnologia Social – R$ 200 mil; Grande Empresa – R$ 500 mil; e Inovar Fundos – R$ 100 mil, para cada uma das três subcategorias. Edição 2013 As inscrições do Prêmio em 2013 - abertas de 8/4 a 8/8 - totalizaram 570 candidatos, nas nove categorias - Micro e Pequena Empresa, Média Empresa, Grande Empresa (apenas na etapa nacional), Instituição de Ciência e Tecnologia, Tecnologia Social, Inventor Inovador, Tecnologia Assistiva, Inovação Sustentável e Inovar Fundos - também restrita à etapa nacional e dividida em três subcategorias – Governança, Equipe e Operação. O maior número de inscritos foi na categoria Pequena Empresa, com 166 formulários preenchidos. Confira os vencedores: Categoria: ICT Vencedor: Fundação CPqD – Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações Categoria: Inventor Inovador Vencedor: José Roberto do Amaral Assy Categoria: Inovação Sustentável Vencedor: CBPAK Categoria: Tecnologia Assistiva Vencedora: F123 Consulting Categoria: Tecnologia Social Vencedora: Fundação de Tecnologia do Estado do Acre Categoria: Pequena Empresa Vencedora: Marina Borrachas LTDA. Categoria: Média Empresa Vencedora: Braile Biomédica Indústria, Comércio e Representações LTDA. Categoria: Grande Empresa Vencedora: Natura Cosméticos S/A Categoria: Inovar Fundos – Equipe Vencedor: DGF Investimentos Gestão de Fundos LTDA. Categoria: Inovar Fundos – Governança Vencedor: Invest Tech Participações e Investimentos LTDA. Categoria: Inovar Fundos – Operação Vencedor: DGF Investimentos Gestão de Fundos LTDA. (Agência Gestão com informações do CpqD) http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=4920:cpqdconquista-premio-finep-de-inovacao-2013-na-categoria-icts&catid=1:latest-news


Veículo: Site – Agência Gestão CT&I Editoria: Pag: Assunto: Funtac vence categoria Tecnologia Social no Prêmio Finep de Inovação 2013 Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Funtac vence categoria Tecnologia Social no Prêmio Finep de Inovação 2013 Qui, 05 de Dezembro de 2013 10:35 Escrito por Agência Gestão CT&I A Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac) recebeu, nesta quarta-feira (4), em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília, o Prêmio Finep de Inovação 2013. Vendecora na categoria Tecnologia Social, na etapa nacional, a Fundação foi premiada devido à qualidade do material produzido na Fábrica de Preservativos Masculino de Xapuri (Natex), a partir do látex retirado da floresta. “Receber o prêmio foi uma surpresa e representa o reconhecimento do trabalho de todos os que fazem parte do nosso quadro funcional. Mais da metade das pessoas que trabalham aqui tem uma relação direta com a floresta: ou o pai era seringueiro, ou o avô. Para eles também é uma forma de reconhecimento do trabalho de extrativismo de gerações”, disse Dirley Bersh, diretora da Natex. A fábrica existe desde 2008 e conta com 90% dos trabalhadores de Xapuri. As camisinhas fabricadas pela Natex são feitas a partir do látex nativo, têm alta qualidade e são distribuídas gratuitamente nos postos de saúde do Acre. O trabalho é feito por 700 famílias de seringueiros que vivem na Reserva Extrativista Chico Mendes. “Esse é um orgulho que carregamos. Uma de nossas conquistas, desde que começamos, é a melhoria da renda da população aqui do município. Isso não tem preçol”, explicou a diretora.


Prêmio Finep de Inovação As categorias que concorrem no Prêmio Finep são Micro e Pequena Empresa, Média Empresa, Grande Empresa (apenas na etapa nacional), Instituição de Ciência e Tecnologia, Tecnologia Social, Inventor Inovador, Tecnologia Assistiva, Inovação Sustentável e Inovar Fundos, também restrita à etapa nacional e dividida em três subcategorias – Governança, Equipe e Operação. Em 2013, serão ofertados de R$ 100 mil a R$ 500 mil para os primeiros colocados regionais e nacionais de cada categoria, totalizando R$ 8 milhões. (Agência Gestão CT&I com informações da Funtac) http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=4921:funtacvence-categoria-tecnologia-social-no-premio-finep-de-inovacao-2013&catid=1:latest-news


Veículo: Site – Agência Gestão CT&I Editoria: Pag: Assunto: Finep lança edital com recursos de R$ 20 milhões para tecnologia assistiva Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Finep lança edital com recursos de R$ 20 milhões para tecnologia assistiva Qui, 05 de Dezembro de 2013 10:31 Escrito por Agência Gestão CT&I No Dia Internacional de Pessoas com Deficiência, comemorado todo dia 3 de dezembro, a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) lançou um edital voltado à seleção de projetos de desenvolvimento tecnológico e inovação na área de tecnologia assistiva. A novidade marcou a abertura da 1ª Exposição Acesso para Todos, que está aberta no Palácio do Planalto, em Brasília, até domingo, dia 8. As propostas selecionadas no edital deverão ser desenvolvidas por instituições de pesquisa científica e tecnológica (ICTs), públicas ou privadas sem fins lucrativos, em parceria com empresas brasileiras. Ao todo, serão comprometidos recursos não reembolsáveis do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) até o limite de R$ 20 milhões. As tecnologias vão atender pessoas com deficiência, idosas e com mobilidade reduzida em três temas distintos. O Formulário para Apresentação de Propostas (FAP) estará disponível no site da financiadora a partir de 10 de dezembro. Os candidatos têm prazo até o dia 12 de fevereiro de 2014 para o envio das propostas por meio eletrônico. No primeiro deles, os projetos deverão prever o desenvolvimento de tecnologias prioritárias para as compras públicas de produtos assistivos dos ministérios da Saúde e da Educação, viabilizando sua fabricação em território nacional e com preço final compatível com o produto importado, contribuindo dessa forma para a substituição das importações e para a ampliação do acesso aos


recursos de tecnologia assistiva. Serão apoiadas, ainda, soluções inovadoras e diferenciadas, que tragam vantagens técnicas e/ou econômicas. Uma terceira temática prevê o apoio a projetos de pesquisa e desenvolvimento tecnológico de produtos inovadores, incluindo métodos e técnicas, não enquadradas nos temas anteriores. Cada proposta precisará, obrigatoriamente, enquadrar-se entre o mínimo de R$ 500 mil e o máximo de R$ 4 milhões. Na chamada pública é exigido aporte mínimo de cada empresa participante, podendo ser mais de uma em um mesmo projeto. Esta contribuição será um percentual do valor solicitado à Finep e vai variar de acordo com o porte da empresa. Ainda segundo o edital, a Finep poderá financiar os recursos alocados pelas empresas como aporte obrigatório, além de outros investimentos necessários ao desenvolvimento do projeto. "Para isso, também estão sendo disponibilizados R$ 100 milhões para operações de crédito do Programa Inova Brasil", afirma o superintendente da Área de Tecnologia para o Desenvolvimento Social da Finep. Dos recursos financeiros a serem concedidos, 30% deverão ser aplicados nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Mais informações neste link. Exposição A Finep estará presente na 1ª Exposição Acesso para Todos, organizada pelo Palácio do Planalto e pela Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social do MCTI, com três projetos de sucesso, financiados pela agência. Os projetos são: Implantes bioabsorvíveis para ossos da face e crânio, desenvolvido numa parceria entre a Universidade Federal de Santa Catarina e a empresa MDT Implantes; segunda cadeira de rodas mais leve do mundo fabricada em fibra de carbono, com tecnologia aeronáutica, da Holos, empresa residente do Polo Náutico da Universidade Federal do Rio de Janeiro; e finalmente uma cadeira de rodas com suspensão, utilizando fluidos, que proporciona maior conforto ao usuário, desenvolvida pela empresa Proshock System, que também levará para a exposição o projeto de uma handbike inovadora em alumínio aeronáutico, com estreia prevista na Paralimpíada de 2016, modalidade ciclismo de estrada. Além do baixo peso e design arrojado, a handbike estará equipada com sistemas inovadores embarcados e incorporação do monitoramento eletrônico dos parâmetros fisiológicos do paratleta. Este projeto também tem o apoio da Finep. (Agência Gestão CT&I com informações da Finep) http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=4919:finep-lancaedital-com-recursos-de-r-20-milhoes-para-tecnologia-assistiva&catid=1:latest-news


Veículo: Site – Jornal da Ciência Editoria: Pag: Assunto: 16. Tecnologia assistiva terá Rede Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

16. Tecnologia assistiva terá Rede Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência - Viver sem Limite - passa a contar com uma Rede Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologia Assistiva A portaria, assinada pelo ministro Marco Antonio Raupp nesta terça-feira (3), no Palácio do Planalto, prevê a instituição de um sistema composto por 90 núcleos de pesquisa ligados a 54 instituições, entre elas, universidades e institutos de ciência, tecnologia e educação. O documento faz parte de uma série de ações anunciadas pelo governo federal pelo Dia Internacional de Luta das Pessoas com Deficiência. De acordo com o secretário de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secis/MCTI), Oswaldo Duarte Filho, hoje são 29 núcleos de tecnologia assistiva. Com a criação da rede, serão 90, o que aumentará a capacidade de desenvolvimento de produtos. "Já com os 29 tínhamos 50 produtos desenvolvidos, com mais universidades e pesquisadores o resultado será ainda melhor", disse. O Plano Viver sem Limite foi lançado pela presidenta Dilma Rousseff em 17 de novembro de 2011 (Decreto Nº 7.612), e tem por objetivo promover programas e ações voltados ao exercício dos direitos das pessoas com deficiência, mediante a articulação e integração de diversas políticas públicas. O MCTI integra a iniciativa por meio da Secis. Está ligado ao ministério o Centro Nacional de Referência em Tecnologia Assistiva (CNRTA),


responsável por articular a rede atual de núcleos, voltada para o desenvolvimento de bens e serviços tecnológicos. O CNRTA funciona nas instalações do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI), unidade do MCTI em Campinas (SP). Exposição Durante a solenidade, foi inaugurada a exposição "Acesso para Todos", que tem apoio do ministério e traz uma mostra de produtos de tecnologia assistiva desenvolvidos ou certificados pelo CTI, pelo Instituto Nacional de Tecnologia (INT), pela Universidade Federal do ABC (Ufabc), pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e pelo Ministério da Educação (MEC). Entre as novidades apresentadas, estão cadeiras de rodas de última geração, equipamentos para desportistas paraolímpicos, roupas especiais, mural eletrônico, catálogo virtual e peças qualificadas pelo CTI para uso de pessoas com eficiência na rede de ensino (como máquinas de escrever, mouses adaptados e material pedagógico), além de painéis que relatam as iniciativas desenvolvidas na área desde 2005. Após visitar a mostra, Raupp falou sobre a importância do trabalho feito pela pasta nesta área. "Temos orgulho de participar desse esforço. Essas tecnologias podem ajudar nos processos de inclusão dos cidadãos com deficiência na sociedade brasileira, criando oportunidades para que eles participem do processo de desenvolvimento do país", disse. "É também uma oportunidade de mostrarmos como a ciência, a tecnologia e a inovação podem dar grandes contribuições à sociedade".

Inclusão Para a presidenta Dilma, com o Viver sem Limite, o Estado cumpre o seu deve constitucional de oferecer condições às pessoas com deficiência. "Temos de valorizar todas as ações que removam barreiras, impedimentos e limites. Que tenham de fato consideração com as pessoas e que percebam que é possível, necessário, e absolutamente importante para cada um de nós que essas pessoas vivam sem limites". Na avaliação do coordenador de educação inclusiva de Secretaria de Educação do Distrito Federal, Antônio Leitão, a tecnologia é "a melhor porta para a liberdade das pessoas com deficiência para que elas realmente vivam sem limites". Leitão, que é cego, conta que usa celular, relógio e computador adaptados. "Posso me considerar uma pessoa muito mais preparada. "As pessoas precisam e merecem ter oportunidade de acesso aos bens sociais e, através da tecnologia assisitiva, isso é garantido para quem tem deficiência". (Denise Coelho - Ascom do MCTI) http://www.mcti.gov.br/index.php/content/view/351527/Tecnologia_assistiva_tera_Rede_Nacional_ de_Pesquisa_e_Desenvolvimento.html http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.php?id=91028


Veículo: Site – Jornal da Ciência Editoria: Pag: Assunto: 23. Universidade Federal de Goiás sedia 6ª Fórum de Ciência e Tecnologia do Cerrado Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

23. Universidade Federal de Goiás sedia 6ª Fórum de Ciência e Tecnologia do Cerrado Secretário regional da SBPC participa de debate sobre financiamento de pesquisa e inovação O Campus Samambaia da Universidade Federal de Goiás (UFG) realiza a 6ª edição do Fórum de Ciência e Tecnologia do Cerrado. O evento iniciado ontem (03) e termina nesta quarta-feira (04), no Anfiteatro do ICB2, Campus Samabaia da UFG. Com o tema "Consolidar, Ampliar e Integrar as Políticas de Ciência, Tecnologia & Inovação em Goiás", a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) irá debater o financiamento de pesquisa e inovação para 2014. O secretário regional da SBPC, Reginaldo Nassar, explica que a ciência e a tecnologia ainda estão ligadas à questão cultural das pessoas, que devem entender que a qualidade de vida e o progresso dependem das duas vertentes. A intenção da SBPC- Goiás é reforçar o trabalho realizado pela comunidade científica atuante em instituições de ensino e pesquisa, localizadas tanto na capital como no interior, que tem pressa para a implantação de novos programas de pós-graduação ou consolidação daqueles já existentes. A expectativa é de que por meio dessas ações e parcerias entre comunidade cientifica, governos municipais, estadual e federal sejam destinadas bolsas de fixação de pesquisadores experientes e de iniciação científica em número maior e alocados recursos para desenvolver pesquisas e treinar recursos humanos. A proposta da SBPC/GO é que os municípios que abrigam universidades apliquem em pesquisas, e que a FAPEG, por exemplo, destine para os projetos e pesquisas igual valor em contrapartida para se enfrentar os problemas que estão entravando o desenvolvimento


regional. O Evento conta com o apoio da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Goiás, do Fórum dos Secretários Municipais de Ciência e Tecnologia e da Associação dos Pós-Graduandos da UFG. Programação Dia: 4 de dezembro de 2013 Local: Anfiteatro do ICB2 - Campus Samambaia da UFG 10 h- Mesa Redonda - Investimentos em Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil em 2014 Debatedores: Prof. Dr. Romão da Cunha Nunes (SBPC-Goiás), Profª Dra. Milca Severino (Pró -Reitora de Pesquisa da PUC) e Prof.ª Dra. Divina das Dores de Paula Cardoso (Pró-Reitora dePesquisa da UFG) Arguidores: Coordenadores dos Programas de Pós-Graduação e Pesquisadores. 11h30- Lançamento do Prêmio SBPC - Goiás de Popularização da Ciência 2014.

(Radio CBN de Goiás e Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás) http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.php?id=91035


Veículo: Site – Jornal da Ciência Editoria: Assunto: 24. Ciência Hoje On-line: Ciência na TV Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Pag: Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Programa:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

24. Ciência Hoje On-line: Ciência na TV Produtor executivo da BBC e apresentador português compartilham com o público brasileiro experiências sobre divulgação científica na televisão Alguém gastaria seu tempo livre assistindo vídeos sobre teoremas matemáticos ou comidas apodrecendo? "Depende da maneira de contar", disseram os palestrantes do Seminário Internacional de Ciência na TV em entrevista exclusiva à CH On-line. O produtor executivo da BBC, o britânico Paul Overton, e o apresentador da série Isto é matemática, o lusitano Rogério Martins, vieram ao Brasil a convite da mostra Ver Ciência para falar sobre suas experiências em contar boas histórias científicas pela televisão. Leia o post completo na CH On-line, que tem conteúdo exclusivo atualizado diariamente: http://cienciahoje.uol.com.br/blogues/bussola/2013/11/ciencia-na-tv http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.php?id=91036


Veículo: Site – CNPq Editoria: Pag: Assunto: Tecnologia assistiva terá Rede Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Tecnologia assistiva terá Rede Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento 04 Dez 2013 13:54:00 -0200 O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Viver sem Limite - passa a contar com uma Rede Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologia Assistiva. A portaria, assinada pelo ministro Marco Antonio Raupp nesta terça-feira (3), no Palácio do Planalto, prevê a instituição de um sistema composto por 90 núcleos de pesquisa ligados a 54 instituições, entre elas, universidades e institutos de ciência, tecnologia e educação. O documento faz parte de uma série de ações anunciadas pelo governo federal pelo Dia Internacional de Luta das Pessoas com Deficiência. De acordo com o secretário de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secis/MCTI), Oswaldo Duarte Filho, hoje são 29 núcleos de tecnologia assistiva. Com a criação da rede, serão 90, o que aumentará a capacidade de desenvolvimento de produtos. “Já com os 29 tínhamos 50 produtos desenvolvidos, com mais universidades e pesquisadores o resultado será ainda melhor”, disse. O Plano Viver sem Limite foi lançado pela presidenta Dilma Rousseff em 17 de novembro de 2011 (Decreto Nº 7.612), e tem por objetivo promover programas e ações voltados ao exercício dos direitos das pessoas com deficiência, mediante a articulação e integração de diversas políticas públicas. O MCTI integra a iniciativa por meio da Secis. Está ligado ao ministério o Centro Nacional de Referência em Tecnologia Assistiva (CNRTA), responsável por articular a rede atual de núcleos, voltada para o desenvolvimento de bens e serviços


tecnológicos. O CNRTA funciona nas instalações do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI), unidade do MCTI em Campinas (SP). Exposição - Durante a solenidade, foi inaugurada a exposição “Acesso para Todos”, que tem apoio do ministério e traz uma mostra de produtos de tecnologia assistiva desenvolvidos ou certificados pelo CTI, pelo Instituto Nacional de Tecnologia (INT), pela Universidade Federal do ABC (Ufabc), pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e pelo Ministério da Educação (MEC). Entre as novidades apresentadas, estão cadeiras de rodas de última geração, equipamentos para desportistas paraolímpicos, roupas especiais, mural eletrônico, catálogo virtual e peças qualificadas pelo CTI para uso de pessoas com deficiência na rede de ensino (como máquinas de escrever, mouses adaptados e material pedagógico), além de painéis que relatam as iniciativas desenvolvidas na área desde 2005. Após visitar a mostra, Raupp falou sobre a importância do trabalho feito pela pasta nesta área. “Temos orgulho de participar desse esforço. Essas tecnologias podem ajudar nos processos de inclusão dos cidadãos com deficiência na sociedade brasileira, criando oportunidades para que eles participem do processo de desenvolvimento do país”, disse. “É também uma oportunidade de mostrarmos como a ciência, a tecnologia e a inovação podem dar grandes contribuições à sociedade”. Inclusão - Para a presidenta Dilma, com o Viver sem Limite, o Estado cumpre o seu dever constitucional de oferecer condições às pessoas com deficiência. “Temos de valorizar todas as ações que removam barreiras, impedimentos e limites. Que tenham de fato consideração com as pessoas e que percebam que é possível, necessário, e absolutamente importante para cada um de nós que essas pessoas vivam sem limites”. Na avaliação do coordenador de educação inclusiva de Secretaria de Educação do Distrito Federal, Antônio Leitão, a tecnologia é "a melhor porta para a liberdade das pessoas com deficiência para que elas realmente vivam sem limites”. Leitão, que é cego, conta que usa celular, relógio e computador adaptados. “Posso me considerar uma pessoa muito mais preparada. As pessoas precisam e merecem ter oportunidade de acesso aos bens sociais e, através da tecnologia assisitiva, isso é garantido para quem tem deficiência”. Texto: Denise Coelho – Ascom do MCTI http://www.cnpq.br/web/guest/noticiasviews/-/journal_content/56_INSTANCE_a6MO/10157/1621 877


Veículo: Site – Jornal Brasil Editoria: Pag: Assunto: Pesquisa mostra sofrimento de parentes de dependentes químicos Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Pesquisa mostra sofrimento de parentes de dependentes químicos 04/12/2013 Quarta-Feira, Dia 04 de Dezembro de 2013 as 11 Pesquisadores brasileiros divulgaram estudo do perfil de famílias de dependentes de drogas do Brasil e as dimensões dos transtornos psicológicos e físicos causados aos parentes mais próximos ao usuário. O estudo contou com o financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI). O Levantamento Nacional de Famílias dos Dependentes Químicos (Lenad Família) entrevistou 3.153 famílias de todas as regiões do país, de junho de 2012 a julho de 2013. Coordenado pelo pesquisador Ronaldo Laranjeira, do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas (Inpad, apoiado pelo CNPq), o Lenad Família traz informações sobre as características sociodemográficas, percepção do problema e tempo para a busca por ajuda, impacto financeiro e psicológico da família e impressões sobre os tratamentos usados. De acordo com Laranjeira, o conhecimento dessas informações é de fundamental importância para o planejamento de tratamentos mais amplos e eficientes e de políticas de saúde pública com foco no amparo da população. Vulnerabilidade A habilidade de trabalhar ou estudar foi afetada na metade das famílias que tem dependentes de substâncias em casa, e ter um parente nestas condições incomoda e atrapalha a vida social. Há também o relato de quase um terço que menciona roubo de pertences e empréstimos de objetos sem


devolução e ameaças por parte dos parentes dependentes. Identificou-se também que a família do dependente se apresenta em situação de vulnerabilidade e de riscos para o desenvolvimento de problemas de saúde. “O estudo mostrou que familiares de dependentes químicos apresentam significativamente mais sintomas físicos e psicológicos que a média da população. Observou-se também que as mães sofrem mais sintomas físicos e psicológicos decorrentes do uso de seus filhos que outros familiares, independente da substância que levou ao tratamento”, destaca o estudo. O Lenad Família se soma ao 2º Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (2º Lenad), recentemente divulgado pelo Inpad, que estimou que 8 milhões de brasileiros (5,7% da população) são dependentes de álcool e/ou maconha e/ou cocaína, e que pelo menos 28 milhões de pessoas vivem no Brasil com um dependente químico. Perfil da família A pesquisa revelou que as mulheres (66%) são as responsáveis pelo tratamento do dependente de álcool e/ou de substâncias ilícitas. Essas mulheres, de acordo com o estudo, sofrem forte impacto negativo e “têm uma sobrecarga de cuidar do filho dependente e ser responsável pelos cuidados da família”. Elas foram a maioria dos entrevistados (80%). Grande parte dos pacientes em tratamento tinha entre 12 a 82 anos, com média de idade de 32 anos. Entre as substâncias usadas regularmente pelos pacientes, o Lenad levantou que a maioria era poliusuária de drogas, sendo mais da metade consumidores de maconha (68%), álcool (62%), cocaína (60,7%) e crack (42%). Os familiares relataram que tinham conhecimento que o paciente consumia droga por um tempo médio de nove anos e que a recusa por parte do dependente foi a principal razão na demora por iniciar o tratamento. Somente 30% dos familiares procuraram ajuda assim que tiveram o conhecimento sobre o uso de substâncias pelo paciente. Dos pacientes, quase um terço tinham ensino superior incompleto ou completo. Impacto financeiro O tratamento dos dependentes de substâncias no país é pago exclusivamente pelo próprio familiar em mais da metade dos casos e o uso de convênios foi citado em 9% dos relatos. Esse dispêndio, de acordo com os pesquisadores, afetou “muito ou drasticamente as finanças da família em quase metade dos casos entrevistados (45%)”. A internação foi citada com a mais positiva e eficiente (56%) entre os tipos de ajuda procurada e impressão da eficiência, seguida por grupos de mútua ajuda como Alcoólicos Anônimos, Narcóticos Anônimos e Amor Exigente, Alanon e Pastoral da Sobriedade. http://www.jornalbrasil.com.br/index.php?pg=desc-noticias&id=114692&nome=Pesquisa %20mostra%20sofrimento%20de%20parentes%20de%20dependentes%20qu%EDmicos


Veículo: Site – Jornal Brasil Assunto: Desafios para a inovação Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Editoria:

Pag: Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013

Desafios para a inovação 04/12/2013 Quarta-Feira, Dia 04 de Dezembro de 2013 as 11 Colocar em pauta os caminhos que levam à inovação, o que ela significa em termos econômicos e sua capacidade de induzir o desenvolvimento humano. Com esse objetivo, o 4º Fórum Regional de Barueri, realizado no sábado (30/11) na Câmara Municipal de Barueri (SP), propôs debater a qualidade da educação pública, os desafios e oportunidades para a inovação científica e tecnológica em São Paulo, além do papel das médias e pequenas empresas no crescimento do Estado. Promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide) – organização de caráter privado fundada no Brasil em 2003 que reúne empresários de 12 países e quatro continentes –, o fórum contou com a participação do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que abriu o evento apresentando os números da economia paulista. “São Paulo é a 19ª economia mundial, mas, para manter ou avançar nesse patamar, o setor produtivo precisa inovar”, afirmou Alckmin. Com base em dados sobre o papel da pesquisa no desenvolvimento de São Paulo, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado, Rodrigo Garcia, falou sobre a participação paulista na produção científica brasileira. “São Paulo responde por 50% de toda a produção científica nacional e 1,6% do PIB do Estado é investido em pesquisa e desenvolvimento. Além disso, mais de 12% do dispêndio anual do Estado é direcionado ao ensino superior e à pesquisa e desenvolvimento.” Segundo o secretário, ações como a instalação, no dia 13 de novembro, do Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia (Concite) vão ajudar a identificar pontos críticos e a enfrentar com mais eficiência os gargalos.


“O Concite pretende fazer um levantamento detalhado das atividades relacionadas a Ciência, Tecnologia e Inovação (C,T&I) e a Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) implementadas por instituições públicas e privadas no Estado, que tem um plano de investimentos de R$ 155,6 bilhões, sendo R$ 93,6 bilhões em verbas públicas e outros R$ 62 bilhões em parcerias público-privadas”, disse. Uma das ações desse investimento destacada por Garcia são os Parques Tecnológicos. Segundo ele, 28 localidades no Estado possuem iniciativas efetivas para a implantação desses parques, como, por exemplo, São José dos Campos, o primeiro município do Estado a receber o credenciamento definitivo do sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec). Em sua apresentação, o secretário destacou também a necessidade de implantar os centros de inovação, com laboratórios compartilhados por empresas incubadoras de base tecnológica. Ele destacou o sistema de incubadoras de Israel, que é sustentável e serve de modelo para o projeto paulista. “Para criar produtos inovadores a preços competitivos é preciso aproximar a academia do setor produtivo, algo essencial para vencer o desafio da C&T no Estado”, disse. Exemplificando esse tipo de cooperação, projetos de pesquisa realizados em parceria entre os setores público e privado foram apresentados por Celso Lafer, presidente da FAPESP, que esteve presente ao fórum como debatedor. Segundo Lafer, a FAPESP realiza diversas ações para aproximar o setor produtivo das universidades, apoiando a pesquisa em conjunto entre universidades, institutos de pesquisa e empresas. “As empresas que se relacionam com a FAPESP formam uma carteira relevante. Há casos em que elas aportam 50% dos recursos nessas parcerias público-privadas, a exemplo de acordos de cooperação firmados em 2013 para a implantação de centros de pesquisas em áreas estratégicas para o desenvolvimento tecnológico do Estado de São Paulo”, disse. Lafer citou os recentes acordos da Fundação com as empresas BG Brasil, GlaxoSmithKline Brasil, Peugeot Citroën Brasil e Natura, que juntas vão compartilhar investimentos de R$ 114 milhões, por período entre cinco e dez anos, em pesquisas voltadas a aplicações nas áreas de energia, química sustentável, engenharia de motores a combustão, neurociências e ciências do comportamento. “No exercício de uma gestão, deve haver a combinação entre curto e médio prazo, além de uma visão de futuro. Esses projetos são de larga escala, com empresas líderes em suas áreas de atuação, porque precisamos trabalhar voltados para ampliar e potencializar essa sinergia entre o setor público e o setor privado”, finalizou. Desafios da educação Destacada como um alicerce para todas as demais ações de desenvolvimento econômico e social, a educação foi tema da apresentação do secretário da Educação do Estado de São Paulo, Herman Voorwald, que traçou um panorama do ensino e da aprendizagem. Segundo o secretário, que é ex-reitor da Universidade Estadual Paulista (Unesp), a universalização promovida nos últimos anos elevou o índice de crianças de 6 a 14 anos que frequentam a escola


para 98,8%, mas entre os jovens de 15 a 17 anos esse índice ainda não atingiu o ideal, ficando em 84,4%. Para ele, manter esses jovens na sala de aula configura um dos maiores desafios de São Paulo para a inovação. O Estado possui uma rede de 5.300 escolas públicas de ensino fundamental e médio e 4,3 milhões de alunos. “A solução para um ensino de qualidade, que mantenha os alunos na escola e tenha reflexos no desenvolvimento econômico e social, passa pelo ensino integral. Trata-se de um grande desafio, mas sabemos que, quanto mais tempo o aluno frequenta a escola, mais completa se torna sua formação”, disse. Segundo ele, a média brasileira nesse quesito é ainda menor. Conforme dados do IBGE de 2009, 49,8% dos jovens brasileiros de 19 anos não conseguiram concluir o ensino médio e, dos que conseguem concluir, apenas cerca de 10% apresentam um desempenho considerado adequado ao término de sua série. A mesma pesquisa aponta que apenas 14,4% dos jovens brasileiros entre 18 e 24 anos frequentam o ensino superior, o que acarreta em falta de mão de obra especializada para 64% dos empregadores. “Com qualidade abaixo dos níveis atingidos por países com PIB similar ao do Brasil, nosso desafio é acelerar o ritmo atual, que evolui apenas 1% ao ano, o que é muito lento. Caso contrário, seriam necessários 44 anos para atingir os índices recomendados. Não podemos esperar”, afirmou Voorwald. Para tanto, de acordo com o secretário, foi iniciado em São Paulo um programa para elevar a qualidade do sistema de educação, com a melhoria na qualidade e na gestão dos investimentos, associando cada etapa dessa melhoria a um conjunto de intervenções. Para o secretário, é preciso que os jovens tenham novamente no magistério uma opção profissional. “Não falta verba para a educação, mas ainda falta obtermos mais eficiência na gestão dos recursos.” Setor produtivo Representado pelas pequenas e médias empresas, o setor produtivo foi apresentado no fórum como o terceiro pilar para a inovação. Em sua apresentação, com o tema Empreendedorismo, o presidente do conselho do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Alencar Burti, afirmou que há 1,8 milhão de pequenos negócios em atividade no Estado de São Paulo, responsáveis por 4,6 milhões de empregos com carteira assinada, conduzidos por 3,3 milhões de empreendedores. “Precisamos de um sistema que ajude o empreendedor a manter seu negócio, como uma alíquota de impostos que o motive a crescer e não o obrigue a permanecer pequeno para manter menor sua carga de impostos”, enfatizou. Fonte: Agência FAPESP http://www.jornalbrasil.com.br/index.php?pg=desc-noticias&id=114681&nome=Desafios%20para %20a%20inova%E7%E3o


Veículo: Jornal – Jornal do Commercio Editoria:Negócios Assunto: Fapeam realiza último 'Ciência na Feira' de 2013 Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Pag:B3 Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 05/12/2013


Veículo: Jornal – Jornal do Commercio Assunto: Incubadoras ganham empresas locais Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Pag:B1 Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Editoria:Negócios

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 05/12/2013


CLIPPING FAPEAM - 05.12.2013