Issuu on Google+

“Pessoas ordinárias vêem a vida acontecer; Pessoas extraordinárias fazem a vida acontecer”. A. W. Tozer

Alerta Jovem Junho/2009


Comissão organizadora

Editor

Organização

Orientador Irªº. Daniel

Davi Felix

Projeto Alerta Jovem

Membro da mesa diretória do Projeto Alerta Jovem

www.alertajovem.blogspot.com projetoalertajovem@gmail.com

Jovem, Alerta Revista (1.:2009/junho-Salvador) estudos bíblicos, informativos todos os direitos reservados; autores citados categoria; vida cristã, doutrina

Conselheiro Geral


Apresentação

É com grande satisfação como um sonho realizado poder partilhar com meus jovens leitores algo de Deus. Não sou um escritor (ainda não) mas há um desejo no meu coração de escrever, tipo Calvino, Spurgeon, Artur W. Pink, Lucado, entre outros, como não chegou a hora! Deixo em suas mãos esta humilde revista Alerta Jovem, não menos importante de grandes obras pois nesta esta contido artigos escritos por homens de Deus que detiveram ou detém profundo conhecimento das sagradas escrituras. Numa sociedade pós-moderna onde o secularismo mundano tem atingido muitas igrejas é preciso está atento a esta hostilidade e “bater de frente” defendendo o evangelho puro do Nosso Senhor Jesus, de que forma? Buscando de maneira intensa, o conhecimento da parte de Deus. Se clamares por conhecimento, e por inteligência alçares a tua voz, Se como a prata a buscares e como a tesouros escondidos a procurares, Então entenderás o temor do SENHOR, e acharás o conhecimento de Deus. Porque o SENHOR dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento...(Pv 2.3-6).

Você encontrará aqui temas importantes dos mais variados assuntos direcionado aos jovens, tais como: oração, disciplina, namoro, santidades, estudos(bíblicos e secular) e muito mais. Tudo para o progresso da fé em Cristo Jesus, então, Boa Leitura! Davi Felix


Pensamentos sobre leitura

Por Albert Mohler Eu realmente não me recordo de um tempo em que eu não apreciasse ler livros. Sei que eu era ávido para aprender a ler e rapidamente me vi imerso no mundo dos livros e da literatura. Isso pode ter sido um tipo de sedução, e o discípulo cristão deve estar sempre alerta para conduzir seus olhos para livros que merecem a atenção de um discípulo de Cristo – e existem muitos desses livros. Como Salomão nos exortou: “Não há limite para fazer livros” (Ec 12.12). É impossível ler tudo o que existe, e nem tudo o que existe merece ser lido. Digo isso com o objetivo de me opor ao conceito de que qualquer pessoa, em qualquer lugar, pode dominar o conteúdo de tudo quanto lê. Eu leio muito, e boa parte do tempo em que estou acordado é dedicado à leitura. A leitura devocional para o benefício espiritual é uma parte importante do dia, e ela começa com a leitura das Escrituras. Em se tratando de administração do tempo, não sou muito ortodoxo. Para mim, a melhor hora para gastar tempo na Palavra é tarde da noite, quando tudo está quieto e tranqüilo, e estou com a mente alerta e bem acordado. Isso não acontece quando levanto pela manhã e tenho que me esforçar para encontrar cada palavra na página ou fazer qualquer outra coisa. Eu leio muitos livros no decorrer de uma semana. Sou consciente do quanto posso prosperar em erudição e do estímulo intelectual que recebo através da leitura. Como minha esposa e família diria, posso ler quase em todo o tempo, em qualquer lugar, em quaisquer circunstâncias. Sempre carrego um livro comigo, e sou conhecido por separar alguns


momentos para ler enquanto o semáforo está fechado. Não, eu não leio enquanto estou dirigindo – apesar de admitir que, às vezes, isto é uma tentação. Eu levava livros para os eventos esportivos do ensino médio, quando eu tocava na banda. (E havia uma porção de vaias e gozações!) Lembro-me dos livros... e você, lembra dos jogos? Algumas sugestões inicias: 1. Mantenha projetos regulares de leitura. Organizo minhas estratégias de leitura em seis categorias: teologia, estudos bíblicos, vida na igreja, história, estudos sobre culturas e literatura. Sempre tenho alguns projetos em andamento, em cada uma dessas categorias. Seleciono livros para cada projeto, e os leio de capa a capa em um determinado período de tempo. Isso me ajuda a ter disciplina em minhas leituras e me mantém trabalhando em diversas áreas.

2. Trabalhe com porções maiores das Escrituras. Estou terminando uma série de exposições no livro de Romanos, pregando versículo após versículo. Tenho pregado e ensinado diversos livros da Bíblia nos últimos anos e planejo minhas leituras de modo a continuar progredindo. Estou passando para o livro de Mateus, coletando informações e seguindo em frente – ainda não planejei mensagens específicas, mas estou lendo para absorver o máximo possível de obras valiosas a respeito do primeiro evangelho. Leio constantemente obras de teologia bíblica e estudos exegéticos. 3. Leia todos as obras de alguns autores. Escolha com cuidado, mas identifique alguns autores cujos livros mereçam sua atenção. Leia tudo o que eles escreveram, observe como suas mentes trabalham e como desenvolvem seus pensamentos. Nenhum autor pode completar seus pensamentos em um único livro, não importando o quão extenso seja.


4. Adquira uma coleção grande e leia todos os volumes. Sim, invista nas obras de Martinho Lutero, Jonathan Edwards e outros. Estabeleça um projeto para si mesmo e leia toda a coleção. Gaste tempo nisso. Você ficará surpreso em ver que chegará mais longe do que espera, em menos tempo do que imagina.

5. Permita-se ler algo por entretenimento e aprenda a apreciar a leitura através de livros agradáveis. Gosto de muitas áreas da literatura, mas realmente amo ler biografias e obras históricas, em geral. Além disso, aprecio muito a ficção de qualidade e obras literárias conceituadas. Quando garoto, provavelmente descobri meu amor pela leitura através desse tipo de livro. Sempre que possível, separo algum tempo, a cada dia, para fazer esse tipo de leitura. Viva com um pouco de emoção.

6. Faça anotações em seus livros, sublinhe-os; mostre que são seus livros. Os livros são feitos para serem lidos e usados, e não colecionados e mimados. Abra uma exceção para aqueles livros raros dos antiquários, aqueles que são considerados tesouros por causa de sua antiguidade. Não deixe marcas de caneta em uma página antiga, nem use um marcatexto em um manuscrito. Invente o seu próprio sistema ou copie-o de alguém, mas aprenda a dialogar com o livro, com uma caneta na mão. Gostaria de escrever mais sobre este assunto, mas preciso continuar minhas leituras. Retornarei a ele mais tarde. Por agora: Tolle, lege! Editora Fiel 2009 © Todos os direitos reservados


Aqui vai algumas dicas de Bons Livros: Livro e autor

Contexto

O peregrino

Publicado na Inglaterra em 1687, o livro é

John Bunyan

uma alegoria da vida cristã, o peregrino tenciona o leitor a refletir sobre como deve ser vigilante na vida de cristão. O livro mais vendido no mundo entre os cristão depois da Bíblia.

Sê perfeito Andrew Murray

Heróis da Fé Orlando Boyer

Sê perfeito trata do desejo de andar com Deus em obediência que o crente precisa manter constantemente em seu coração. Biografia de vinte Homens de Deus que deixaram suas marcas no evangelismo mundial. Impressionante, (dica: todo cristão deve ter um livro desse em casa)

“ quem não lê, mal ouve, mal fala, mal vê”


A Maldição do Homem Moderno A.W. Tozer Existe uma maldição antiga que permanece conosco até hoje — a disposição da sociedade humana de ser completamente absorvida por um mundo sem Deus. Embora Jesus Cristo tenha vindo a este mundo, este é o pecado supremo dos incrédulos, o qual levou o homem a não sentir — nem sentirá — a presença dEle que permeia todas as coisas. O homem não pode ver a verdadeira Luz, tampouco pode ouvir a voz do Deus de amor e verdade. Temos nos tornado uma sociedade “profana” — completamente envolvida em nada mais do que os aspectos físico e material desta vida terrena. Homens e mulheres se gloriam do fato de que são capazes de viver em casas luxuosas, vestir roupas de estilistas famosos e dirigir os melhores carros que o dinheiro pode comprar — coisas que as gerações anteriores nunca puderam ter. Esta é a maldição que jaz sobre o homem moderno — ele é insensível, cego e surdo em sua prontidão de esquecer que existe um Deus. Aceitou a grande mentira e crença estranha de que o materialismo constitui a boa vida. Mas, querido amigo, você sabe que o seu grande pecado é este: a presença eterna de Deus, que alcança todas as coisas, está aqui, e você não pode senti-Lo de maneira alguma, nem O reconhece no menor grau? Você não está ciente de que existe uma grande e verdadeira Luz que resplandece intensamente e que você não pode vê-la? Você não tem ouvido, em sua consciência e mente, uma Voz amável sussurrando a respeito do valor e importância


eterna de sua alma, mas, apesar disso, tem dito: “Não ouço nada?” Muitos homens imprudentes e inclinados ao secularismo respondem: “Bem, estou disposto a agarrar minhas chances”. Que conversa tola de uma criatura frágil e mortal! Isto é tolice porque os homens não podem se dar ao luxo de agarrar as suas chances — quer sejam salvos e perdoados, quer sejam perdidos. Com certeza, esta é a grande maldição que jaz sobre a humanidade de nossos dias — os homens estão envolvidos de tal modo em seu mundo sem Deus, que recusam a Luz que agora brilha, a Voz que fala e a Presença que permeia e muda os corações. Por isso, os homens buscam dinheiro, fama, lucro, fortuna, entretenimento permanente ou apego aos prazeres. Buscam qualquer coisa que lhes removam a seriedade do viver e que os impeça de sentir que há uma Presença, que é o caminho, a verdade e a vida. Eu mesmo fui ignorante até aos 17 anos, quando ouvi, pela primeira vez, a pregação na rua e entrei numa igreja onde ouvi um homem citando uma passagem das Escrituras: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim... e achareis descanso para a vossa alma” (Mt 11. 28,29). Eu era realmente pouco melhor do que um pagão, mas, de repente, fiquei muito perturbado, pois comecei a sentir e reconhecer a graciosa presença de Deus. Ouvi a voz dEle em meu coração falando indistintamente. Discerni que havia uma Luz resplandecendo em minhas trevas.


Novamente, andando pela rua, parei para ouvir um homem que pregava, em um cantinho, e dizia aos ouvintes: “Se vocês não sabem orar, vão para casa, ajoelhem-se e digam: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador”. Isso foi exatamente o que eu fiz. E Deus prometeu perdoar e satisfazer qualquer pessoa que estiver com bastante fome espiritual e muito interessado, a ponto de clamar: “Senhor, salva-me!” Bem, Ele está aqui agora. A Palavra, o Senhor Jesus Cristo, se tornou carne e habitou entre nós; e ainda está entre nós, disposto e capaz de salvar. A única coisa que alguém precisa fazer é clamar com um coração humilde e necessitado: “ó Cordeiro de Deus, eu venho a Ti; eu venho a Ti!


Educacional


Estratégia para lutar contra a Lascívia Por John Piper Estou pensando em homens e mulheres. Para os homens, isto é óbvio. É urgente a necessidade de lutar contra o bombardeamento de tentações visuais que nos levam a fixar-nos em imagens sexuais. Para as mulheres, isto é menos óbvio, porém tal necessidade se torna maior, se ampliamos o escopo da tentação de alimentar imagens ou fantasias de relacionamentos. Quando uso a palavra ―lascívia, estou me referindo principalmente à esfera dos pensamentos, imaginações e desejos que visualizam as coisas proibidas por Deus e freqüentemente nos levam a conduta sexual errada. Não estou dizendo que o sexo é mau. Deus o criou e o abençoou. Deus tornou o sexo agradável e definiu um lugar para ele, a fim de proteger sua beleza e poder — ou seja, o casamento entre um homem e uma mulher. Mas o sexo tornou-se corrompido pela queda do homem no pecado. Portanto, temos de exercer restrição e fazer guerra contra aquilo que pode nos destruir. Em seguida, apresentamos algumas estratégias para lutar contra desejos errados. Evitar — evite, tanto quanto for possível e sensato, imagens e situações que despertam desejos impróprios. Eu disse ―tanto quanto possível e sensato, porque às vezes a exposição à tentação é inevitável. E usei os termos ―desejos impróprios porque nem todos os desejos por sexo, alimento e família são maus. Sabemos quando tais desejos são impróprios, prejudiciais e estão se tornando escravizantes. Conhecemos nossas fraquezas e o que provoca tais desejos. Evitar é uma estratégia


bíblica. ―Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça ( 2 Tm 2.22). ―Nada disponhais para a carne no tocante às suas concupiscências (Rm 13.14). Não — diga ―não a todo pensamento lascivo, no espaço de cinco segundos. E diga-o com a autoridade de Jesus Cristo. ―Em nome de Jesus: Não! Você não tem mais do que cinco segundos. Se passar mais do que esse tempo sem opor-se a tal pensamento, ele se alojará em sua mente com tanta força, a ponto de se tornar quase irremovível. Se tiver coragem, diga-o em voz alta. Seja resoluto e hostil. Como disse John Owen: ―Mate o pecado, se não ele matará você.1 Ataque-o imediatamente, com severidade. ―Resisti ao diabo, e ele fugirá de vós (Tg 4.7). Voltar — volte seus pensamentos forçosamente para Cristo, como uma satisfação superior. Dizer ―não será insuficiente. Você tem de mover-se da defesa para o ataque. Combata o fogo com fogo. Ataque as promessas do pecado com as promessas de Cristo. A Bíblia chama a lascívia de ―concupiscências do engano (Ef 4.22). Tais concupiscências mentem. Prometem mais do que podem oferecer. A Bíblia as chama de ―paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância (1 Pe 1.14). Somente os tolos cedem a elas. ―Num instante a segue, como o boi que vai ao matadouro (Pv 7.22). O engano é vencido pela verdade. A ignorância é derrotada pelo conhecimento. E tem de ser uma verdade gloriosa e um conhecimento formoso. Esta é razão por que escrevi o livro Vendo e Provando a Cristo (Seeing and Proving

Christ — Crossway, 2001). Preciso de breves retratos de Cristo para me manter despertado, espiritualmente, para a sublime grandeza do Senhor Jesus. Temos de encher nossa mente com as promessas e os deleites de Jesus. E volvermo-nos imediatamente para tais promessas e deleites, depois de havermos dito ―não.


Manter — mantenha, com firmeza, a promessa e o deleite de Cristo em sua mente, até que expulsem a outra imagem. ―Olhando firmemente para... Jesus (Hb 12.2). Muitos fracassam neste ponto. Eles desistem logo. Dizem: ―Tentei expulsar a fantasia, mas não deu certo. Eu lhes pergunto: ―Por quanto tempo fizeram isso? Quanta rigidez exerceram em sua mente? Lembre: a mente é um músculo. Você pode flexioná-la com violência. Tome o reino de Deus por esforço (Mt 11.12). Seja brutal. Mantenha diante de seus olhos a promessa de Cristo. Agarre-a. Agarre-a! Não a deixe ir embora. Continue segurando-a. Por quanto tempo? Quanto for necessário. Lute! Por amor a Cristo, lute até vencer! Se uma porta automática estivesse para esmagar seu filho, você a seguraria com toda a sua força e gritaria por ajuda. E seguraria aquela porta... seguraria... seguraria... Jesus disse que muito mais está em jogo no hábito da lascívia (Mt 5.29). Apreciar — aprecie uma satisfação superior. Cultive as capacidades de obter prazer em Cristo. Uma das razões porque a lascívia reina em tantas pessoas é porque Cristo não lhes é muito cativante. Falhamos e somos enganados porque temos pouco deleite em Cristo. Não diga: ―Esta conversa espiritual não é para mim. Que passos você tem dado para despertar sua afeição por Cristo. Você tem lutado por encontrar gozo? Não seja fatalista. Você foi criado para valorizar a Cristo — de todo o coração — mais do que valoriza o sexo, o chocolate ou o açúcar. Se você tem pouco desejo por Cristo, os prazeres rivais triunfarão. Peça a Deus que lhe dê a satisfação que você não tem. ―Sacia-nos de manhã com a tua benignidade, para que cantemos de júbilo e nos alegremos todos os nossos dias (Sl 90.14). E olhe... olhe... e continue olhando para Aquele que é a pessoa mais magnificente do universo, até que você o veja da maneira como Ele realmente é.


Mover – mova-se da ociosidade e de outros comportamentos vulneráveis para uma atividade útil. A lascívia cresce rapidamente no jardim da ociosidade. Encontre algo útil para realizar, com todas as suas forças. ―No zelo, não sejais remissos; sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor (Rm 12.11); ―Sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão (1 Co 15.58). Seja abundante em atividades. Faça alguma coisa: limpe um quarto, pregue uma tábua, escreva uma carta, conserte uma torneira. E faça tudo por amor a Jesus. Você foi criado para administrar e trabalhar. Cristo morreu para nos tornar zelosos ―de boas obras (Tt 2.14). Substitua as concupiscências e paixões enganosas por boas obras.

Pecar é humano, mas perseverar no pecado é diabólico. João Crisóstomo

O pecado é como a barba; reproduz-se e é preciso cortá-lo continuamente. Martinho Lutero


Amor à primeira vista Vamos criar uma estória: Era uma vez um jovem chamado Joãozinho. Ele estava muito contente, pois havia se encontrado com Mariazinha num lindo jardim, numa tarde primaveril. Passearam, conversaram, tomaram sorvete, comeram pipoca; tudo isso em uma hora. Após essa uma hora, Joãozinho, com a voz trêmula, olhos de coitado, disse à Mariazinha: - Olha, eu gosto muito de você. Pra dizer a verdade... eu te amo!!! Quero me casar com você! Você quer casar-se comigo? - O quê?! - espanta-se a moça - Como você pode me amar, se é a primeira vez que nos vemos? - Sabe como é, né? Eu te amo, eh, eh, eh! - Sorriu Joãozinho, tímido. - Mas como você pode me amar, se nem me conhece? - Insiste Mariazinha. - Bem, são tantas coisas... Acho que é AMOR À PRIMEIRA VISTA. Sei que muita gente não vai concordar, mas segundo o Dr. James Dobson, o amor é mais do que excitação romântica, atração física, maior do que a emoção da conquista da pessoa desejada. Amor não existe sem conhecimento. O que vocês acham, Joãozinho poderia amar Mariazinha em seu primeiro encontro? Seria muito diferente se depois de tê-la conhecido bastante, ele dissesse: Amo a sua maneira de ser, de ficar bravinha, a expressão que você tem ao chorar. Gosto da


maneira que você serve ao Senhor. Mesmo quando você perde a paciência ou é precipitada, eu te amo, é assim que eu te amo! Quando aqueles hinos mais tocantes são cantados, quanta gente declara o seu amor ao Senhor. Mas será que realmente amam ao Senhor? Ou ao primeiro sinal de descontentamento, o abandonarão? Será que cumprirão a mais sagrada regra do amor, que é ser inseparável em qualquer circunstância? Lembro-me de reuniões jovens em que abordávamos o conhecimento de Deus. A frustração era quase total!!! Não conheciam a Palavra de Deus. Não só muitos jovens, como também obreiros!!! É preciso conhecer para amar! Conhecendo a Palavra de Deus, Ela produzirá amor, louvor, transformação e um estilo de vida de impacto, com a escritura viva e eficaz, presente em sua vida. Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. (Hebreus 4:12). Amemos a Deus. E para que o façamos, devemos procurar conhecê-lo mais e mais, estudando a Sua santa Palavra. ...Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam. (Lucas 11:28)

Pr. Pastor Lourival de Almeida


Santidade Prática Por Arthur W. Pink

Temos de nos sentir muito agradecidos a Deus, depois que o Espírito Santo iluminou o entendimento de um homem, dispersou a névoa do erro e o firmou na Verdade. Mas isto é apenas o começo. As Escrituras Sagradas são proveitosas não somente para o “ensino”, mas também "pa-ra a repreensão, para a correção, para a educação na justiça” (2 Tm 3.16). Observe bem esta ordem: antes de estarmos prontos para ser instruídos na “justiça” (fazer o que é correto), há muito em nossa vida que Deus reprova e que Ele tem de corrigir. É necessário que seja assim, pois, antes de nossa conversão, tudo estava errado em nossa vida. Tudo que fazíamos tinha em vista a satisfação de nosso “eu”, sem nos preocuparmos com a honra e a glória de Deus. Portanto, a primeira grande necessidade e o principal dever de todo novo convertido não é estudar as figuras do Antigo Testamento, ou quebrar sua cabeça com profecias, e sim examinar com dedicação as Escrituras, a fim de descobrir o que é agradável a Deus e o que não é, aquilo que Deus nos proíbe e o que Ele nos ordena. Se você foi verdadeiramente convertido, sua primeira preocupação tem de ser determinar os detalhes de sua vida — no lar, na igreja, no mundo — de modo que agrade a Deus. E, ao realizar isto no presente, a ordem será esta: “Cessai de fazer o mal. Aprendei a fazer o bem” (Is 1.16-17); “Aparta-te do mal e pratica o que é bom” (Sl 34.14; cp. Sl 37.27). Tem de haver uma destruição, antes de ocorrer uma edificação (Ec 3.4). Tem de haver um esvaziamento do “eu”, antes de acontecer o enchimento do Espírito. Precisa ocorrer um desaprendizado, antes de acontecer o


verdadeiro aprendizado. Tem de haver um aborrecimento do “mal”, antes de existir o amor pelo “bem” (Am 5.15; cp. Rm 12.9). Ora, se o novo crente realmente utiliza as Escrituras Sagradas, de uma maneira prática, para regular seus pensamentos, seus desejos e suas ações, por intermédio das advertências e dos conselhos, das proibições e dos preceitos das Escrituras, isso determinará a medida em que ele desfrutará da bênção de Deus em sua vida. Deus, o Governador do mundo, observa nossa conduta e, mais cedo ou mais tarde, manifesta seu desprazer contra os nossos pecados, bem como sua aprovação sobre um andar de retidão, concedendo a medida de realização que contribui para o nosso bem e para a glória dEle mesmo. Em guardar os mandamentos de Deus, “há grande recompensa” (Sl 19.11), nesta vida (1 Tm 4.8). Oh! quantas bênçãos temporais e espirituais muitos crentes perdem, por causa de um conduta negligente e desobediente! (ver Is 48.18) O fato trágico é que, ao invés de o novo crente estudar diligentemente a Palavra de Deus, a fim de descobrir para si mesmo os detalhes da vontade divina, o crente novo faz muitas outras coisas. Muitos se envolvem em uma “obra pessoal” ou em alguma forma de “serviço cristão”, enquanto têm a vida repleta de coisas que desagradam a Deus. A presença dessas coisas desagradáveis, em suas vidas, obstrui a bênção de Deus sobre suas almas, corpos e afazeres temporais. E, para tais pessoas, precisamos dizer: “Os vossos pecados afastam de vós o bem” (Jr 5.25). A mensagem de Deus para seu povo é: “Desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor” (Fp 2. 12). Oh! quão pouco deste “temor e tremor” pode ser visto em nossos di- as! Ao invés disso, encontramos auto-estima, autoconfiança, vanglória e confiança na carne.


Há outros que se dedicam ao estudo diligente de doutrinas, porém, freqüentemente, falham em compreender que a doutrina das Escrituras não é uma série de proposições intelectuais, e sim a doutrina “segundo a piedade”. A “doutrina” ou “ensino” da santa Palavra de Deus é concedido não para a instrução de nosso intelecto, e sim para regular todos os detalhes de nossa vida diária; e isto acontece para que adornemos, “em todas as coisas, a doutrina de Deus, nosso Salvador” (Tt 2.10). Mas isso pode se realizar tão-somente por meio de uma constante leitura da Palavra, acompanhada pelo elevado propósito de descobrirmos aquilo que Deus proíbe e aquilo que Ele ordena; bem como por meio de nossa freqüente meditação naquilo que lemos e de oração fervorosa suplicando graça sobrenatural que nos capacita a obedecer. Se no início de sua vida cristã, o novo crente não forma o hábito de trilhar o caminho da obediência prática em relação a Deus, então, quando ele orar, não terá os ouvidos de Deus a escutá-lo. O apóstolo João afirmou com clareza uma das principais condições com as quais temos de buscar graça, para que as nossas petições recebam aceitação: “E aquilo que pedimos dele recebemos, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos diante dele o que lhe é agradável” (1 Jo 3.22). Mas se, ao invés de nos submetermos às santas exigências de Deus, seguirmos nossas próprias inclinações, então, poderá ser dito sobre nós: “As vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça” (Is 59.2). Isto é extremamente solene! Oh! que diferença faz o desfrutarmos ou não de acesso experimental à presença dEle! O novo crente, ao seguir o caminho da auto-satisfação, não somente reduz as suas orações a palavras vazias, mas também traz sobre si mesmo a vara de Deus e todas as conseqüências erradas de sua vida. Esta é uma das razões por que muitos


crentes estão sofrendo tão dolorosamente quanto as infelizes pessoas mundanas: Deus está insatisfeito com os caminhos deles e não se mostra forte para com eles (2 Cr 16.9). Neste sentido, procuramos mostrar o remédio, que nos convoca à verdadeira humilhação diante do Senhor, à contrição santa, ao verdadeiro arrependimento, à confissão irrestrita, à firme determinação de corrigirmos nossos caminhos. Este remédio é: somente quando estivermos andando no caminho da completa submissão a Deus (e não antes), a fé poderá contar com a misericórdia dEle e com a paciente expectativa de que Ele realizará maravilhas por nós.


Uma Palavra aos Jovens Oração : “Ore até que você possa orar, e então ore até que você tenha orado.”

“Por isso vos digo que todas as coisas que pedirdes, orando, crede receber, e tê-las-eis” (Marcos 11:24). Pelas palavras “crede receber, e tê-las-eis”: entendemos, espere que Deus dê tais coisas a você. Mas é nesse ponto que muitos do povo de Deus falham freqüentemente em sua vida de oração. Existem três principais coisas com as quais devemos nos preocupar na oração. PRIMEIRO, assegure-se que está pedindo por algo que esteja de acordo com a Palavra de Deus: veja 1 João 5:14. Mas já aqui, o diabo lhe frustrará, se você não estiver em guarda. Ele virá como um anjo de luz e pregará um sermão sobre a santa vontade de Deus para você. Ó sim, o diabo é capaz de fazer até isso! É o nosso privilégio e dever saber qual é a vontade de Deus! “Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor” (Ef. 5:17). É a vontade revelada de Deus que está em vista nessas passagens, pois com sua vontade “secreta”, não temos nada a ver; ela não é da nossa conta. A vontade revelada de Deus é feita conhecida em Sua Palavra. Fixe isso em sua mente; nunca permita que Satanás lance um pensamento (Ef. 4:27) que o faça duvidar disso: que tudo quanto Deus ordenou que você faça, cada preceito e exortação lhe endereçada, é a “vontade de Deus” para você, e deve


ser levado em oração para receber graça capacitadora. É a vontade de Deus que você seja santificado (1Ts. 4:3), que você se regozije (Fp. 4:4), que você procure fazer cada vez mais firme a sua vocação e eleição (2Pe. 1:10), que você cresça na graça e no conhecimento do Senhor (2Pe. 3:18). SEGUNDO, tendo se assegurado que está orando de acordo com a vontade revelada de Deus, então implore por Suas promessas, tais como Mateus 7:7, Filipenses 4:19, etc. Peça-as em nome de Cristo, pedindo que Deus lhe dê os “desejos do teu coração” (Sl. 37:4) por causa de Cristo, que Ele possa ser honrado em e através do seu andar diário piedoso, e que o Seu povo possa ser ajudado e encorajado por seu exemplo. Esses são tipos de pedidos que Deus não recusa. TERCEIRO, e isso é o que deveríamos pressionar mais séria e amorosamente sobre o leitor cristão: ESPERE que Deus faça o que você pediu. A menos que haja uma expectativa, a fé não está em pleno exercício. É nesse esperar que Deus é honrado e agradado, e que sempre trás dele respostas de paz. Pode haver alguma dificuldade, problemas e provas se agigantando diante de você, que assumem as proporções de uma montanha. Nunca esqueça isso: não seja deprimido, desencorajado ou desanimado por tais coisas. Louve a Deus por estar escrito na eterna Palavra da Verdade: “Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidardes… se a este monte disserdes: Ergue-te, e precipitate no mar, assim será feito” (Mateus 21:21). Observe cuidadosamente, não “se não duvidardes e tiverdes fé”, mas “se tiverdes fé” e então (enquanto está esperando a resposta de Deus) “não duvidardes”, aguardando o cumprimento da Sua promessa. Quando se ajoelhar, implore a Deus no nome de Cristo e para a Sua própria glória, que opere em você, por Seu Espírito, essa esperança da fé que não receberá “NÃO” da parte dele; que reverente, mas


confiantemente diz: “Não te deixarei ir, se não me abençoares” (Gn. 32:26). Isso é o que honra a Deus, e Lhe agrada, e é o que obtém dele a resposta. “Um amigo no tribunal!” Sem dúvida essa expressão é mais ou menos familiar para os leitores mais velhos, mas está quase fora de uso nesta geração. Ela denota que tenho um amigo que possui influência com outra pessoa em autoridade, usando isso em meu favor. Quão indizivelmente bendito é saber que o cristão tem um amigo na corte, a Corte do Céu; “Um amigo mais chegado do que um irmão” (Pv. 18:24). Ele tem o ouvido de Deus, pois sobre a Terra declarou: “[Tu] sempre me ouves” (João 11:42). Então, faça uso dele, e peça que Ele apresente os pedidos ao Seu Pai e teu Pai, acompanhado por Seus méritos infinitos; e se forem para a glória de Deus e para o teu (real) bem, esteja plenamente certo que serão concedidos. Assim Cristo será honrado e a tua fé fortalecida.


LEIA A BÍBLIA : . . Eis agora uma novidade! Uma das maiores coisas que um jovem cristão pode fazer é a prática de ler a Bíblia sistematicamente de Gênesis a Apocalipse repetidas vezes ao longo da vida. Se você pode, faça assim nas línguas originais que é até melhor, mas eu só conheço um punhado de homens que são capazes de tal coisa, e não sou um deles. . . A maior parte do conhecimento dos cristãos das Escrituras é muito fragmentado, porque eles só leram partes da Bíblia. Conheci indivíduos que eram brilhantes em certos aspectos de doutrina, mas muito fracos no conhecimento geral da Bíblia. Para evitar este buraco, você deve ler a Bíblia SISTEMATICAMENTE de capa a capa. Ninguém em sã consciência leria um livro de literatura saltando para cá e para lá pelo livro e lendo só certos capítulos. Eles começariam do começo e seguiriam progressivamente pelo livro, capítulo por capítulo, até que eles chegassem ao fim. E ainda assim, muitos poucos cristãos já leram a Bíblia deste jeito! Lembre-se: a Bíblia é a Palavra inspirada e infalível de Deus entregue a nós em forma de livro. Para entendê-la no total e em parte, devemos ler toda ela! . . Um dos modos mais recompensadores de aprender as Escrituras é escrever as suas reflexões e perguntas enquanto você lê. Cada vez que você passar pelas Sagradas Escrituras você notará isto: você é capaz de responder muitos das suas velhas perguntas e que novas perguntas vieram a mente. Você também será capaz de refinar e clarear muitos das suas reflexões prévias. Desta forma, você aprenderá que a Bíblia é o melhor comentário dela mesma. . . Uma palavra de alerta: a maior parte de pessoas nunca lê a Bíblia inteira porque eles se desgastam tentando entender tudo, ou tentam escrever um comentário em


cada livro. Ofereço duas sugestões: primeiro, não fique atolado. Escreva breves resumos e as perguntas e continue lendo. Em segundo lugar, só escreva aquelas reflexões que Deus colocou sobre o seu coração para lembrar-se. SEJA BREVE! Já temos bastantes comentários para levar à falência cada estudante de seminário na terra! . . A um cristão jovem, a Bíblia pode parecer incrível. Isto nunca se modificará. A Bíblia é incrível! Ela contém mais verdades sobre Deus do que qualquer homem irá compreender ou obedecer. Ainda assim, é uma magnífica viagem ler por suas páginas e não só aprender, mas ser transformado. O Cristianismo requer que a mente esteja totalmente engajada, mas não apenas ou até principalmente sobre o intelecto. É sobre conhecer Deus de um modo pessoal e íntimo, e ser transformado na semelhança de Seu Filho. Não fique desencorajado! Cada dia que você lê à Palavra de Deus faz com que conseqüentemente você chegue a anos de estudo e uma riqueza de conhecimento bíblico. Cada dia perdido reduzirá o tamanho deste tesouro final.


Realização:


Livreto Alerta