Page 1

revista

Distribuição gratuita

Ano X - n° 113 - Março 2013 - www.cotripal.com.br

Leitura

receita para uma vida melhor Prevenção de acidentes de trabalho em propriedades rurais

Água da vida

Receita: Peixe Kerala


Editorial

Leitura e inteligência A invenção da agricultura causou uma divisão revolucionária na História da Humanidade. Antes dela, os seres humanos viviam como nômades caçadores-coletores, totalmente dependentes daquilo que a natureza lhes disponibilizava. A partir dela, eles passaram a se organizar em torno de sistemas produtivos, o que possibilitou tanto a formação de sociedades organizadas quanto o seu desenvolvimento contínuo. O verbo ler, originário do latim “legere”, refere-se a essa experiência transformadora de sucesso. O seu significado, “colher, escolher, recolher”, aponta para a prática de tomar e selecionar palavras a fim de semear o espírito. Assim, ele se torna capaz do mais espetacular e poderoso feito humano: a produção de ideias. Em nosso país, o incentivo à leitura, entretanto, ainda se apresenta como um movimento de iniciativas pontuais, isoladas, em vez de constituir o caráter da cultura popular. Poucos são aqueles que superaram o mero discurso de defesa da importância da leitura e passaram à sua prática habitual. O que, lamentavelmente, a maioria ainda parece não perceber é o perigoso abismo que há entre tal discurso e a sua realização, pois na escuridão desse vale profundo se criam os monstros da ignorância que tanto impedem o crescimento pessoal do cidadão e o consequente progresso coletivo do povo.

As reportagens publicadas na revista “Atualidades Cotripal” são muito importantes, com dicas de saúde, segurança, entrevistados de relevância, culinária e tantos outros temas. Eu gosto muito porque ela tem matérias para os agricultores e para nós, donas de casa. Solange Petry Pimmel, produtora associada da Cotripal e moradora da linha Timbará, Panambi Sugestões e comentários sobre as reportagens podem ser enviadas para o email: mileni@cotripal.com.br

REVISTA ATUALIDADES COTRIPAL A matéria de capa desta edição traz informações que reforçam essa retórica de defesa, demonstrando as diversas vantagens do ato de ler. Cabe a cada um de nós, porém, sair da simples retórica e superar o abismo para alcançar as terras férteis da leitura. Nelas, podemos selecionar boas sementes para cultivar a nossa inteligência – cuja origem da palavra, por sinal, também vem do latim, “intelligere”, significando a capacidade que uma pessoa desenvolve de “colher em seu próprio íntimo”.

COTRIPAL AGROPECUÁRIA COOPERATIVA Rua Herrmann Meyer, 237 - Centro - CEP: 98280-000 Panambi/RS Fone: (55) 3375-9000 - Fax: (55) 3375-9088 www.cotripal.com.br .

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Presidente: Germano Döwich Vice-Presidente: Dair Jorge Pfeifer Conselheiros: Ivo Linassi, Jeferson Fensterseifer, Eliseu Dessbesell, Delmar Schmidt, Davi Keller, Roland Janke, Ari Augusto Schmidt, Gerhardo Strobel e Ernani Neumann .

CONSELHO FISCAL Efetivos: Carlos André Schmid, Cezar Augusto Mello de Oliveira e Lino Carlos Breitenbach . Suplentes: Germano Nesio Feiden, Lorinei Gianluppi e Afonso Doneda. .

Sintonize!

Programa Atualidades Cotripal

Rádio Sorriso FM 103.5 De segunda à sexta 6h10 e 11h45 – Sábado 6h10 Cotações e preços de segunda à sexta 8h20 Rede Colinas FM 88.7 Cotações e preços de segunda à sexta 8h20 Atualidades Cotripal: sábado 7h40 Rádio Sulbrasileira AM 1320 Avisos: de segunda à sexta 7h05 Atualidades Cotripal: sábado 11h Rádio Blau Nunes AM 1210 Atualidades Cotripal: sábado 11h40 .

02

março 2013

EDITOR RESPONSÁVEL Marco André Regis .

EXPEDIENTE Comunicação e Marketing Cotripal .

DESIGN GRÁFICO Charlei Haas e Valdoir do Amaral .

EQUIPE DE REDAÇÃO Gislaine Windmöller Mileni Denardin Portella - Mtb/RS 13916 .

REVISÃO Vinícius Dill Soares .

CONTATO Maiglon Hess - Fone:(55) 3375 9061 Email: maiglon@cotripal.com.br Email: mileni@cotripal.com.br .

IMPRESSÃO Kunde Indústrias Gráficas Ltda Tiragem: 6.000 exemplares


Pecuária

Um dever do criador Todos os anos, o criador gaúcho preenche um formulário com relação à quantidade de animais que existem em sua propriedade. Conforme previsto na Lei 11.099, todos os animais de produção precisam ser devidamente declarados de acordo com sua categoria, idade, sexo e tipo de exploração. Esse preenchimento é solicitado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Agronegócio do Estado, a fim de monitorar, catalogar e atualizar o inventário de todo o rebanho do Rio Grande do Sul. O prazo final para entrega do documento preenchido e assinado pelos produtores é dia 31 de maio – após essa data, nenhuma declaração será aceita. Os formulários podem ser retirados na Inspetoria Veterinária e Zootécnica de cada município. Segundo Wilmar Godoy Brandão, auxiliar de serviços rurais da IVZ de Panambi, a ficha deve ser preenchida com antecedência para que não haja transtornos no período final de declaração. “Pedimos que os criado-

A Declaração Anual do Rebanho é obrigatória para todos os criadores. Mas atenção: o prazo para preenchimento vai até o dia 31 de maio.

res entreguem o formulário o quanto antes. Isso agiliza o trabalho frente à Seappa (Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Agronegócio), principalmente levando em consideração que a vacinação da febre aftosa começa em maio”. Ele explica que para cada espécie, o criador deverá optar por apenas uma finalidade de criação e um tipo de exploração. A opção mista é válida apenas para as pequenas propriedades. “Os produtores que tiverem mais de uma propriedade precisam preencher formulários diferentes para cada uma delas”. Brandão ainda reforça: “Aqueles que não entregarem o documento poderão ser multados. Essa penalidade está prevista em Lei”. A declaração complementar para atualização, que indica os animais nascidos e mortos no ano, também deve ser apresentada na IVZ no prazo determinado. O formulário pode ser encontrado na internet, no site: www.seappa.rs.gov.br

Notícia

Diagnóstico de doenças no rebanho será feito pelo Governo Estadual Os animais serão testados para melhorar as estratégias de controle e de erradicação de doenças, como tuberculose e brucelose. No dia 25 de fevereiro, o Governo do Estado do Rio Grande do Sul noticiou que o DDA (Departamento de Defesa Agropecuária) irá coordenar uma ação para fazer testes no rebanho bovino gaúcho. O objetivo destes procedimentos é detectar a prevalência da tuberculose e da brucelose nos animais. Essas duas doenças causam queda de produtividade e fertilidade, podendo acarretar ainda riscos à saúde humana, por serem zoonoses – enfermidades passíveis de transmissão do animal ao homem. Se forem detectadas, seguindo as regras sanitárias, o animal será sacrificado para evitar o contágio do restante do rebanho. Desta forma, o inquérito pretende elevar a valorização da produção de leite e carne do Estado, visto que a sanidade é padrão determinante para garantir mercados e obter melhores preços. Wilmar Godoy Brandão, auxiliar de serviços rurais da Inspetoria Veterinária e Zootécnica de Panambi, ressalta que é

fundamental o produtor fazer a vacinação, para não correr o risco de ter animais abatidos em sua propriedade, bem como evitar as perdas econômicas. “Até mesmo no momento da venda: o produtor que não apresentar o atestado de vacinação do rebanho não poderá vender seu gado”. Anelise Döwich Decian, supervisora do Departamento Técnico Veterinário da Cotripal, explica que os atestados de vacinação feitos pela Cooperativa podem ser retirados junto ao Departamento Técnico Veterinário durante o horário de atendimento. “As notas entregues no momento da vacina não servem como atestado e impossibilitam a atualização da ficha do produtor junto à Inspetoria”. Ela lembra que, para fazer a vacinação, o produtor precisa se inscrever com antecedência e ficar atento ao roteiro, que é pré-estabelecido. “Sempre pedimos que o produtor esteja com a ficha da IVZ em mãos e que tenha alguém na propriedade para auxiliar. Na dúvida, os associados podem entrar em contato conosco através do telefone (55) 3375-9089”.

março 2013

03


Mercado agrícola

Referente a fevereiro de 2013

por João Carlos Pires

Soja

João Carlos Pires Supervisor comercial joaoc@cotripal.com.br

O mês de fevereiro foi de muita volatilidade na Bolsa de Chicago, com a cotação oscilando entre US$ 14,18 e US$ 14,95 o bushel. No primeiro dia do mês e no último, a cotação da Bolsa de Chicago esteve igual, US$ 14,74 o bushel. A grande volatilidade ocorreu, pelo lado positivo, devido à falta de chuva na Argentina e o excesso delas, no início de fevereiro, no Centro-Oeste brasileiro. Também o atraso no embarque de navios no Brasil e o mercado físico norte-americano muito apertado melhoraram os preços. Pelo lado negativo, houve previsões e ocorrências de chuvas na Argentina e Sul do Brasil, além de expectativa de uma boa safra sul-americana, que poderá chegar a 145 milhões de toneladas. Diante desses fatos, a Bolsa de Chicago trabalhou com alta volatilidade, ora subindo, ora caindo, tendo o clima como influência preponderante no período. No cenário interno, o mercado acompanhou a Bolsa de Chicago, com pouca alteração nos preços pagos à vista. O preço pago ao produtor oscilou entre R$ 56,04 e R$ 57 a saca.

Milho O mercado de milho oscilou negativamente na Bolsa de Chicago, saindo de US$ 7,36 para US$ 6,90, e encerrando o mês em US$ 7,19. A exportação balizou o mercado interno. No início do mês, o que deu suporte aos valores mais elevados foi a cotação em nível superior a US$ 7 o bushel. Depois, com a queda na Bolsa de Chicago, os preços recuaram na exportação. Outro fator relevante, que acabou pressionando o mercado, foi o maior volume de oferta local.

O preço pago ao produtor variou entre R$ 28,02 e R$ 27. .

Trigo A cotação na Bolsa de Chicago oscilou, negativamente, caindo de US$ 7,65 para US$ 6,99 o bushel, fechando o mês em US$ 7,07 o bushel. O mercado interno também reduziu os preços. Fez travar o mercado a divulgação, por parte do governo federal, de que no período de abril a junho a TEC (Tarifa Externa Comum), de 10%, será zerada para volumes de um milhão de toneladas, podendo chegar a dois milhões de toneladas. Além disso, ainda influenciaram a parada de comercialização a queda dos preços no mercado internacional e a perspectiva de leilões dos estoques públicos. A indústria moageira, estrategicamente, reduziu o interesse na compra do grão, pressionando os preços. O preço pago ao produtor caiu de R$ 32,04 para R$ 31,02 a saca.

Dólar O dólar continuou em queda, mas não tão forte como no mês anterior, oscilando entre R$ 1,993 e R$ 1,955. No cenário internacional, o dólar continua em alta frente a outras moedas, devido às incertezas econômicas e políticas na Zona do Euro. Internamente, o presidente do Banco Central informou que a autoridade monetária está preocupada com a alta nos preços e que a inflação tem apresentado mais resistência do que o esperado. Alguns analistas dizem que, aparentemente, o governo estabeleceu uma banda informal entre R$ 1,95 e R$ 2, com o objetivo de reduzir o custo dos produtos importados e, assim, diminuir a pressão altista sobre os preços.

Leite & Mercado Preços em alta no Brasil O preço pago ao produtor pelo leite entregue em janeiro se manteve estável na maioria das regiões do Rio Grande do Sul. Este cenário tem previsão de mudança já para o próximo mês, levando em consideração que a produção teve queda nas principais bacias leiteiras do país, fortalecendo, assim, a procura. Para o leite entregue em fevereiro, acredita-se em alta. Isso acontece devido ao fato de elevação na concorrência entre os laticínios pela compra da matéria-prima, e há expectativa de retomada da demanda com o fim das férias.

04

março 2013


MKT-Cotripal

02 demaio

Pneus agrícolas e de carga Óleos lubrificantes Peças agrícolas

Sem juros juntos somos mais

Crédito sujeito à análise.

Pagamento só em


Entrevista

Pais, professores e alunos união ideal para educação de qualidade Atualmente, enquanto os pais depositam a expectativa de educação dos filhos nos professores, os professores esperam que os pais assumam esta responsabilidade. No meio disso, estão os alunos sem saber o que fazer. O jogo de empurra gera uma série de equívocos e mitos sobre o relacionamento entre família e escola, prejudicando os estudantes. Para esclarecer qual é o papel de cada um, a revista Atualidades Cotripal convidou a secretária de Educação de Panambi Elenir de Fátima Dill Winck para tratar do assunto. 06

março 2013


Os pais tendem a esperar que a escola seja a maior responsável pela educação de seus filhos? Diante do atual contexto sociocultural, percebe-se que os pais delegam muitas atribuições com relação à educação dos seus filhos à escola. Muito disso se deve ao fato de a mulher assumir atividades profissionais no comércio e na indústria, tendo, consequentemente, menos tempo para estar em casa e instruir os filhos. Considerando esta nova realidade, a família passou a contar com a escola para educar as crianças.

necessário que os responsáveis participem de reuniões e programações organizadas pela escola, que estejam em constante sintonia com os professores, para se inteirar do desenvolvimento de seus filhos em todos os aspectos. Acreditamos que se a família e a escola caminharem de mãos dadas, irão gerar sucesso. Conforme nos diz Eunice Rodrigues, “quando a escola e a família assumirem, de verdade, o seu papel, com certeza os esforços da educação escolar brasileira revelarão melhores resultados”.

E qual é o papel dos pais e responsáveis na educação dos filhos? Como professores, entendemos que o papel dos pais e responsáveis na educação dos filhos deveria acontecer no âmbito privado, isto é, da família, o que inclui a socialização das crianças e a construção de valores éticos e morais. Enquanto que a escola, no âmbito público, deveria se ocupar com a formação intelectual dos educandos no que diz respeito às diversas áreas do conhecimento que fazem parte do currículo escolar.

Filhos que têm pais participantes, no âmbito escolar, têm melhor desempenho na escola? Certamente. Aqueles com pais que participam ativamente da proposta educativa desenvolvida na escola têm um desempenho muito melhor na aprendizagem, pois percebem o apoio e atenção daqueles que deveriam ser os maiores interessados no seu sucesso escolar.

A lição de casa, tão importante para o aprendizado, é um ponto de grande conflito entre pais, professores e alunos. Os pais normalmente participam da vida escolar dos Por quê? A lição de casa cumpre importante papel na aprendifilhos ou a participação ainda é pequena diante de sua zagem, uma vez que ela, normalmente, tem como objetivo relevância? A educação das crianças e dos adolescentes fixar o conteúdo trabalhado em sala de aula ou então preparar precisa acontecer em um clima de parceria entre escola e o aluno para a proposta que será desenvolvida posteriormenfamília. Por isso, entendemos que os responsáveis deveriam te. Lição de casa não é castigo, mas, sim, oportunidade de estar mais presentes no ambiente educacional, afinal, os desenvolver aprendizagens. Os pais deveriam aproveitar o exercício de casa para interaprofessores estão educando gir com seus filhos, inteirar-se os filhos deles. O trabalho dos conteúdos que eles estão dos professores é de grande estudando e fortalecer os relevância para pais e alunos ‘‘A educação das crianças e dos adolescenvínculos afetivos. e, consequentemente, para a sociedade. E sempre desafites precisa acontecer em um clima de parNeste tempo de informação amos os familiares a particiceria entre a escola e a família.’’ tecnológica, educar não é parem ativamente da vida apenas investir em aparato escolar dos seus filhos, pois de informática. É preciso isto favorecerá o desenvolviensinar sobre como os mento de todos. jovens devem usar esses Por que é importante os pais participarem da vida escolar recursos de maneira responsável, ética e segura. Qual é o dos seus filhos? Pais e filhos precisam criar e manter víncu- papel da escola e da família com relação a esse tema? los e, neste sentido, participar da vida escolar é de suma Nossas escolas estão equipadas com laboratórios de informáimportância. Desta forma, as crianças e adolescentes se sen- tica. Neles, atuam monitores ou técnicos formados na área tem muito mais motivados a estudar e a produzir resultados para dar suporte ao professor que pretende desenvolver ativipositivos para si. Isso certamente refletirá dentro da família, e dades pertinentes à sua área do conhecimento. Ao oferecer a sociedade colherá os frutos, tendo profissionais comprome- acesso ao mundo virtual, o objetivo da Secretaria é auxiliar na tidos e responsáveis atuando nos mais diversos segmentos educação das crianças e adolescentes e mostrar como fazer que a compõem. A escola faz parte do cotidiano do aluno, e os uso disso de forma responsável, ética e segura. Entendemos pais devem estar envolvidos em todo o processo de aprendi- que a informática é um recurso que deve servir como mais um zagem. Com certeza, quanto maior o envolvimento familiar, suporte no desenvolvimento da educação. Além disso, o papel melhor o aproveitamento. Isso tudo contribuirá para uma edu- da escola é acompanhar e orientar o uso da informática, estando atenta às produções dos alunos, para que não reprocação de sucesso, com sucesso e para o sucesso. duzam material da internet, mas saibam elaborar seu conheciComo a família e a escola podem estabelecer parcerias mento a partir das pesquisas realizadas. Igualmente, a família produtivas a favor do êxito escolar? A escola organiza seu precisa desafiar seus filhos na construção do conhecimento e, calendário, contemplando diversas atividades que requerem e por isso, deve acompanhar as suas produções. Por outro lado, oportunizam a presença da família. A sintonia entre pais e entendemos também que se faz necessário monitorar os escola, certamente, favorecerá o desenvolvimento intelectual, acessos aos sites, para que os filhos sejam criteriosos nas psíquico e emocional das crianças e adolescentes, o que é escolhas, evitando páginas impróprias para sua idade e objetifundamental para o bom desenvolvimento como um todo. É vos.

março 2013

07


AutoCentro

O Autocentro Goodyear Cotripal está com uma novidade. Agora, você pode trocar o óleo e o filtro do seu carro aqui. E tem mais, comprando o produto conosco, a troca é GRATUITA.


Agricultura

Prevenção de acidentes de trabalho em propriedades rurais As palavras-chave quando se procura evitar acidente de trabalho são: conscientização e prevenção. Desta forma, torna-se possível operar com segurança e, assim, garantir tanto integridade física quanto qualidade de vida. Quando se fala em acidentes de trabalho, na maioria das vezes o primeiro pensamento se volta às rotinas industriais. Isso porque, historicamente, muita gente acabou incapacitada devido a ocorrências em alguma fábrica. No entanto, isso pode acontecer nas mais diversas atividades e locais, como escritório, indústria, ambiente doméstico e agrícola, entre outros. Os acidentes de trabalho são definidos como aqueles que ocorrem no momento em que o trabalhador está em pleno exercício de suas funções, a serviço da empresa. Provocam lesão corporal ou perturbação funcional, podendo ser permanente ou temporária, causando perda ou redução da capacidade produtiva e em casos extremos a morte. Na área de abrangência da Cotripal, a atividade agrícola é responsável por uma parcela significativa da economia, envolvendo e gerando ocupação para famílias inteiras, além de mão de obra contratada. Por isso, é preciso reconhecer e avaliar possíveis perigos nas propriedades rurais. Na agropecuária existe uma série de tarefas que expõem a pessoa a condições de acidentes. Desde o preparo do solo com maquinários, até as técnicas de cultivo, aplicação de insumos, manejo de animais de grande porte, colheita, transporte

e armazenagem. Cada uma das tarefas tem particularidades e potenciais de risco. De acordo com Rogerio Franco, engenheiro de segurança do trabalho da Cotripal, acidentes não acontecem por acaso. Eles são resultado de uma sucessão de fatores, tais como: máquinas que não atendem aos padrões de segurança; falta de manutenção nos equipamentos; pessoas sem treinamento adequado; terrenos em declive; excesso de confiança; uso de roupas e sapatos inadequados; e falta de atenção. “O acidente de trabalho traz consequências ruins para o trabalhador e sua família, e também para o empregador rural. Isso porque, além da lesão sofrida pelo acidentado, ainda há os danos materiais, os dias parados em decorrência do problema, a necessidade de reposição da mão de obra. Sem mencionar os casos fatais, quando se trata de acidentes graves”, explica Rogerio. O engenheiro de segurança ainda diz que acontecimentos assim podem ser evitados e, para isso, é necessário atenção, adoção de máquinas e equipamentos seguros, procedimentos adequados para realização de tarefas, treinamento e uso de EPIs (equipamentos de proteção individuais).

Alguns cenários de acidentes em propriedades rurais: - Perigo de picada de animais peçonhentos, como cobras e aranhas - Uso de máquinas e ferramentas sem os devidos cuidados - Engolfamento em silos de grãos e moegas

- Falta de atenção na movimentação de máquinas, como tratores e colheitadeiras - Manipulação e aplicação de defensivos agrícolas sem proteção - Uso de equipamentos com partes móveis desprotegidas, como polias

março 2013

09


por Denio Oerlecke

Direto do campo Lagartas preocupam produtores de soja

Denio Oerlecke Supervisor do Departamento Técnico Agronômico denio@cotripal.com.br Enquanto que em janeiro o tripes foi a grande preocupação dos produtores, em fevereiro outra praga apareceu com maior incidência nas lavouras. Durante todo esse mês, os técnicos e engenheiros agrônomos da Cotripal tiveram bastante trabalho. Eles saíram a campo e ficaram apreensivos com a situação de algumas lavouras, principalmente na semana do dia 18, quando a lagarta apareceu de forma preocupante nas áreas de nossa abrangência. A maior incidência, no entanto, foi da lagarta falsa medideira, que exigiu atenção, visto que estava localizada mais ao meio da massa da soja. Em função desse aparecimento, é importante que o produtor faça uma vistoria constante em suas lavouras, principalmente naquelas em que foram plan-

tadas cultivares com desenvolvimento de mais massa foliar, fator que dificulta o controle da praga. Vale ressaltar a importância do controle preventivo, da observação e do monitoramento periódico da área com soja. Esses cuidados são fundamentais para que nenhuma praga ou doença se alastre silenciosa. A ocorrência de tripes, no entanto, diminuiu bastante. Acreditamos que isso tenha sido causado pelo clima mais ameno e pelas aplicações feitas. E, se tratando de massa foliar e do tamanho da planta de soja na lavoura, este fato aconteceu porque as chuvas, no início do desenvolvimento, em novembro e dezembro, foram muito boas. Para fazer um comparativo, em outros anos, como na safra 2011/2012, a soja era muito menor e com massa foliar pequena também. Se voltarmos um pouco no tempo e lermos a revista Atualidades de março do ano passado, a gente pode perceber a diferença das plantas de um ano para o outro nas fotos ilustrativas da matéria de capa. Algumas áreas em 2012 apresentavam plantas pouco maiores que uma caneta, com cerca de 20 centímetros. Essa quantidade de massa, porém, não demonstra a produtividade da oleaginosa, como muitos acreditam. As vagens e grãos, neste período em que a cultura se encaminha para o final, ainda

precisam de chuvas em quantidades significativas para manter a produtividade. Com relação ao milho, na área de abrangência da Cotripal, cerca de 80% das lavouras já foram colhidas. A produtividade se apresentou muito boa, com relatos de médias de 140 sacas por hectare. Em março, essa atividade será concluída. Restarão apenas os híbridos plantados para a produção de silagem. Para março, o produtor deve concentrar suas atividades no controle final de pragas nas lavouras de soja. Como já falamos, é preciso uma observação constante de todas as pragas. Queremos ressaltar também que já estamos em período de colheita, e é preciso fazer a revisão do maquinário o quanto antes, para que não tenhamos problemas na lavoura. Quanto mais preparado o agricultor estiver, melhores serão os resultados. Verificamos, ainda, um aumento da ocorrência de ácaros no início de março, exigindo o controle por parte dos agricultores. Além disso, deixamos o convite para que todos os associados participem do Dia de Campo Cotripal – Culturas de Verão, nos dias 12, 13 e 14 de março. Os experimentos demonstrados lá são muito importantes para o futuro e, consequentemente, para o melhoramento das áreas de abrangência da nossa Cooperativa.

Ocorrência de chuvas/fevereiro

precipitação (mm)

560 520 480 440 400 360 320 280 240 200

159

160

121

120 80

60

59

Panambi

Condor

110

99

152 100

90

Pejuçara

Capão Alto

92

40 0 Belizário

Esquina Beck Mambuca

Gramado

S. Bárbara

Ajuricaba março 2013

11


Produção de trigo para biscoito se torna oportunidade no campo Com o incentivo dado no país à produção do trigo tipo pão, destinado à panificação, a matéria-prima para a bolachinha do café da tarde – trigo tipo brando – ficou mais rara e agora se transforma em oportunidade. Atender a essa demanda da indústria, com produção anual de 1,2 milhão de toneladas, virou um nicho de mercado para os produtores. O avanço do trigo pão nas lavouras foi resultado do incentivo dado por agricultores e governo federal ao cultivo da variedade – a indústria de panificação é responsável por cerca de 60% do uso do cereal no Brasil –, como forma de reduzir a dependência do produto vindo da Argentina. Com isso, a produção do trigo brando perdeu espaço no território nacional. No entanto, houve quem aproveitou para se especializar no fornecimento da matéria-prima para a produção de bolachas. Um exemplo é a Cooperalfa, cooperativa com base na região oeste de Santa Catarina, onde cerca de 4,5 mil famílias produzem 10 mil toneladas de trigo brando por safra, vendidas às indústrias de biscoitos. “Desde os anos 1980, nossos cooperados produzem trigo brando. Já é uma característica da região. Por causa disso, buscamos clientes nesse mercado. Com o incentivo para a produção do trigo pão, vimos na redução da matéria-prima uma chance de crescer”, ressalta Julio Bridi, supervisor do moinho da Cooperalfa. Apenas 10% da produção do país é do tipo brando No Rio Grande do Sul, ainda não existem cooperativas organizadas com este foco. Conforme dados da Embrapa Trigo, nos últimos sete anos, o número de cultivares de trigo brando disponíveis no mercado brasileiro diminuiu de 60% para 6%. O chefe-geral da instituição, Sérgio Dotto, avalia que apenas 10% da produção do cereal no país é da variedade para as indústrias de biscoitos e bolachas, que tem menor força de glúten – conjunto de proteínas que auxiliam no crescimento da massa do pão. “Com o tempo, a tendência é de que este se torne um mercado dirigido, sob encomenda. O produtor pode destinar uma pequena parte para este segmento”, salienta Dotto. No forno Apesar da diferenciação, o reflexo ainda não deve ser sentido nos preços.

12

março 2013

O mínimo estipulado pelo Ministério da Agricultura para o período entre julho de 2012 e julho de 2013 é de R$ 30,06 a saca de 60 quilos para a variedade pão, enquanto o brando, que se divide em básico e doméstico, varia de R$ 20,85 (básico) a R$ 25,02 (doméstico). A força de glúten é a principal diferença entre as duas variedades. O trigo brando tem força de glúten entre 160 a 200, enquanto o trigo pão tem entre 230 a 280. E a produção brasileira anual de biscoitos e bolachas é de 1,2 milhão de toneladas. O consumo de biscoitos dos brasileiros tem média de 6,5 quilos por habitante ao ano. Os preferidos são para biscoitos recheados, que representam 30% do total e crackers ou água e sal fica com 25% do mercado. O segmento de biscoitos e bolachas representa 50% do valor das exportações com derivados de trigo, com receitas que chegam a US$ 75 milhões por ano. Os principais destinos desses produtos são Angola, Paraguai, Estados Unidos e Uruguai. Fonte: www.zerohora.clicrbs.com.br

Supersafra sem saída Em fevereiro, o agronegócio brasileiro entra em contagem regressiva para o caos. Com o avanço da colheita de uma supersafra de grãos, o setor teme um apagão logístico. A estrutura de escoamento da produção – incluindo armazéns, estradas, portos e ferrovias – mostra que terá dificuldade como nunca para transportar a produção recorde de 185 milhões de toneladas. Um cenário que custa caro para o setor produtivo e preocupa os importadores, que, neste ano, contam com a produção nacional para saciar seu apetite. Buracos na BR-163 tornam o caminho mais longo em MT Na safra atual 2012/13, além de assumir a liderança mundial na produção de soja, o Brasil será o principal fornecedor do produto no planeta. Se a logística não atrapalhar os planos do mercado, o país vai embarcar mais de 36 milhões de toneladas da oleaginosa – 4 milhões de toneladas a mais do que no ano passado –, conforme previsões oficiais. Mas a viabilidade desse novo recorde depende de novos canais de acesso e mais estrutura nos corredores de exportação. Nenhum porto do Brasil carrega grãos em dias de chuva, por falta de cobertura nos berços

de atracação. Dos principais produtores, Mato Grosso é o que enfrenta pior condição de infraestrutura, constatou a Expedição Safra Gazeta do Povo depois de percorrer quase 10 mil quilômetros pelo estado. A colheita local, a maior do país, depende basicamente de carretas e rodovias para chegar ao seu destino. E apenas uma ferrovia, localizada no Sul, na divisa com Goiás, alivia o tráfego no asfalto. Algumas cargas precisam atravessar o estado inteiro por estradas perigosas. A principal delas é a BR-163 – esburacada, sem acostamento, com pouca sinalização e trechos em obras. Insuficiente, malha ferroviária não desafoga rodovias “Apagão logístico”. É assim que o diretor técnico da Aprosoja (Associação de Produtores de Soja de Mato Grosso), Luiz Neri Ribas, define a situação no estado neste ano. “Já está faltando caminhão, inclusive para transporte interno. As estradas são as mesmas, portos e hidrovias também”, resume. Enquanto isso, as lavouras de soja do país anunciam a chegada de cerca de 15 milhões de toneladas a mais do que no ciclo passado. Na medida em que a produção aumenta, a competição por transporte e armazenagem fica mais acirrada. O Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária) reconhece que falta pouco para o estado não conseguir armazenar nem sequer a produção de uma safra. Segundo levantamento da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), Mato Grosso tem capacidade de estocagem para 28 milhões de toneladas, contra uma produção de quase 40 milhões de toneladas, considerando soja e milho safrinha. Isolados, portos do Arco Norte têm capacidade limitada Além da falta de espaço para armazenagem dos grãos, Mato Grosso deve sofrer ainda com déficit de caminhões, disseram produtores e técnicos entrevistados pela Expedição. “Ainda não sabemos a dimensão do problema. No ano passado, com a quebra na produção do Sul, muitas carretas da região, especialmente do Paraná, foram deslocadas para socorrer o transporte no CentroOeste. Mas, neste ano, teremos safra recorde em praticamente todos os estados produtores”, destaca Daniel Latorraca, gestor do Imea. O custo da logística precária já pesa no bolso dos produtores e a tende a pesar ainda mais, prevê a Aprosoja. “Não


tenho dúvidas de que neste ano vamos superar a média histórica de preço do frete entre Sorriso/MT e Paranaguá/PR, trecho de referência, e ultrapassar os US$ 140 por tonelada”, aposta Ribas. Infraestrutura Setor privado assume investimentos A falta de alternativas para o escoamento da safra tem levado grupos privados a investir em logística. O grupo Amaggi, um dos mais fortes em produção de grãos do Centro-Oeste, pretende viabilizar um complexo portuário em Rondônia. A Ceagro grupo LosGrobbo amplia sua capacidade de armazenagem em regiões promissoras, como o Nordeste de Mato Grosso. Já a Seara, que cultiva cerca de 10 mil hectares no Paraná e em Mato Grosso, investe no transporte sobre trilhos para vencer o Custo Brasil. Com sede em Sertanópolis, a empresa paranaense está prestes a inaugurar um terminal na retroárea do Porto de Paranaguá. Além da unidade no litoral, que será inaugurada ainda este mês, Londrina/PR, Rondonópolis/MT e Marialva/PR receberão aporte de dinheiro. Ao todo, serão R$ 155 milhões em novos terminais de transbordo de cargas de caminhões para vagões e ampliação de

Hoje, a AP é uma ferramenta bastante utilizada pelos produtores brasileiros e vem crescendo na mesma proporção da produção. Com a intenção de orientar os pequenos e médios agricultores sobre as vantagens do uso da AP, o Ministério e a UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) firmarão convênio para a realização de cursos de capacitação em Fonte: www.gazetadopovo.com.br gestão da propriedade em AP, ao longo deste ano, em diferentes regiões do país. O objetivo é mostrar o que é Agricultura de Uso da Agricultura de Precisão cresce Precisão, sua importância para o produtor, no País além das vantagens econômicas para A ampliação do uso das tecnolo- quem produz. “Será uma parceria imporgias e ferramentas utilizadas na AP (Agri- tante que possibilitará mostrar a Agricultucultura de Precisão) que podem aperfeiço- ra de Precisão e como a sua utilização ar o uso dos insumos agrícolas, reduzir os pode aperfeiçoar a produção”, destacou o impactos ambientais da produção, secretário de Desenvolvimento Agropeaumentar a lucratividade do produtor e cuário e Cooperativismo do Mapa, Caio melhorar a gestão das propriedades é um Rocha. desafio do Mapa (Ministério da Agricultura, O Rio Grande do Sul está entre Pecuária e Abastecimento). Para dissemi- os estados brasileiros onde a AP mais nar essa meta, o Mapa promove diferentes avançou e um exemplo bem sucedido atividades, entre as quais a capacitação disso é o projeto Aquarius – que incentiva de seus técnicos sobre a Agricultura de as cooperativas e produtores a utilizarem Precisão nas diversas regiões do País. A as técnicas da Agricultura de Precisão. Ao intenção é que um número cada vez maior adquirir os equipamentos e oferecer ao de agricultores utilizem as ferramentas da associado, a cooperativa torna viável a AP, para melhorar a gestão e ganhar em utilização para os pequenos e médios competitividade e sustentabilidade. produtores. plantas já existentes. “Esses terminais encurtam a distância do caminhão e tornam o transporte ferroviário mais eficiente e barato na longa distância”, explica Vitor Goltz, gerente de operações da empresa. Segundo ele, a alternativa permite cortar em até 25% ao ano o gasto com frete em relação ao transporte rodoviário.

Fonte: www.agricultura.gov.br


14

marรงo 2013


Capa

Leitura receita para uma vida melhor

Ler é determinante à aprendizagem, pois através disso se enriquece vocabulário, obtém conhecimentos, dinamiza raciocínio e interpretação, além de ser um estimulador da memória. Assim, quem cultiva o hábito da leitura experimenta um constante crescimento pessoal, capacita-se para progredir profissionalmente e aumenta suas chances de sucesso na vida. Ler é essencial, embora muitos achem difícil. O hábito da leitura torna as pessoas mais reflexivas, auxilia na construção de novas ideias, amplia cultura e conhecimento, o que acarreta crescimento pessoal e profissional. Isso porque, a partir dessa prática, há possibilidade de melhorar vocabulário, escrita e fala. Quem lê adquire raciocínio lógico e rápido, boa memória e ainda tem momentos de diversão e bem-estar. Através dos livros todos podem viajar pelo mundo, adquirir experiência com a biografia de quem aprendeu coisas importantes com a vida, frequentar verdadeiras aulas com experts em assuntos importantes, deliciar-se com aventuras imaginárias ou inspirar-se com o enlevo da poesia. Infelizmente, o costume de ler está sendo substituído por horas em frente à televisão e ao computador. São poucas as pessoas que ocupam seu tempo livre com as páginas de um bom livro. Segundo Galeno Amorim, autor de 16 obras, ex-diretor do Observatório do Livro e da Leitura e do Cerlalc/Unesco (Comitê Executivo do Centro Regional de Fomento ao Livro na América Latina e no Caribe), o Brasil não é um país de leitores. Em poucos momentos, a literatura atingiu um público amplo. “Mesmo os nossos consagrados escritores, como Gonçalves Dias, Machado de Assis ou Carlos Drummond de Andrade, foram e continuam sendo lidos apenas por pequenos grupos mais interessados e informados.” No entanto, é preciso mudar. A leitura proporciona aumento da atividade neurológica e melhora da conexão entre os neurônios, que auxiliam na manutenção da memória. Quem comprovou esses benefícios foi o neurocientista francês Stanislas Nehaene, que pesquisou os níveis de recordações de pessoas na 3ª idade. “O hábito de ler induz o cérebro à plasticidade neural. Sendo assim, ele cria novas interligações e retarda os efeitos da senilidade. Isso se dá porque uma mente ativa sofre menos com a morte natural dos neurônios, visto que as sinapses, ligação

entre os neurônios, são mantidas por caminhos alternativos, criados no decorrer da vida.” O neurocientista Iván Izquierdo, coordenador do Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul, é o pesquisador mais citado em artigos científicos no mundo. Ele estuda a memória há diversos anos e já publicou livros dedicados ao tema. E é categórico ao dizer: “A leitura é o melhor exercício para a memória.” Ele ainda explica que “profissionais que leem muito no dia a dia, como atores, professores e jornalistas, costumam ter a memória mais desenvolvida e duradoura. Eles envelhecem mais tarde que os demais, do ponto de vista cerebral. Inclusive, doenças como o Alzheimer, quando acontecem, se manifestam em idade avançada e de forma lenta”. No entanto, o cientista diz que este não é um privilégio de alguns profissionais, mas das pessoas que criam o hábito da leitura e a praticam todos os dias. Testes realizados por pesquisadores da universidade de Stanford, nos Estados Unidos, comprovaram que a leitura pode ser um exercício valioso para o cérebro. Eles reuniram um grupo de convidados para ler um capítulo do romance Mansfield Park, de Jane Austen, dentro de uma máquina de ressonância magnética. Os participantes foram orientados a fazer a leitura de duas formas: primeiro, de maneira descompromissada; segundo, realizando uma análise da obra. A conclusão do estudo apontou que durante o segundo processo, os pontos de concentração do cérebro são ativados, assim como áreas menos ativas. Portanto, através da leitura é possível melhorar a atividade mental. O correr de olhos sobre as linhas escritas dos livros é a melhor “ginástica” para um cérebro saudável. Além de ser importante ferramenta de melhoria da educação, é uma forma de aumentar a cultura e o conhecimento da sociedade, aprimorando seus processos e tornando-a mais desenvolvida e próspera.

março 2013

15


A leitura deve ser estimulada Ler é um hábito, e, como todo o hábito, deve ser estimulado. O melhor período para fazer isso é a infância, para que, desde cedo, as crianças aprendam que essa é uma atividade importante e prazerosa. Segundo a Fundação Nacional de Leitura Infantil (National Children's Reading Foundation), dos Estados Unidos, o processo de aprendizagem está ligado à leitura. Ao ler, as crianças criam familiaridade com a escrita que, por sua vez, facilita a alfabetização. Educação e leitura devem andar de mãos dadas e, por isso, quem começa a ler cedo está muito mais preparado para estudos e trabalhos, pois aprende bem, pronuncia adequadamente as palavras e se comunica melhor. Assim se forma um adulto culto, perspicaz e dinâmico. O estímulo à leitura deve vir dos pais e da escola. Um bom exemplo é a E.E.E.M Pindorama, de Panambi, que, consciente da importância do ato de ler e da responsabilidade da escola para desenvolver o gosto por essa prática, lançou o projeto “Sacola da Leitura”, com a coordenação da professora Nair Hinnah. “Para a concretização do projeto, confeccionamos sacolas de leituras às turmas do 1º ao 6º ano. Os alunos as levam para casa cheias de livros infantis ou infanto-juvenis para eles e também de revistas e livros para os pais. Várias famílias enviam relatos positivos da atividade desenvolvida em casa. Com isso, ler se torna um hábito agradável e prazeroso, pois o aluno viaja sem sair do lugar, bem como se apropria dos conhecimentos desenvolvidos pela humanidade.”

Os benefícios da leitura Entendimento – O ato de ler leva à compreensão daquilo que antes estava obscuro ao entendimento. .

Ampliação de horizonte – Através da leitura é possível ter contato com várias culturas e descobrir como povos distantes se comportam. Assim, compreende-se melhor o outro, construindo a habilidade de lidar com o diferente e formar opiniões baseadas em fatos ao invés de suposições e preconceitos. .

Reflexão – Ler torna as pessoas reflexivas, ou seja, surgem ideias próprias, melhor fundamentadas e maduras a partir da análise dos diversos ângulos de uma mesma questão. .

Comunicação – Ao ler livros, as pessoas entram em contato com a língua portuguesa culta, e isso melhora sua capacidade de se comunicar, tanto por meio da fala quanto da escrita. Além disso, a pessoa que lê acumula um repertório de palavras muito mais avançado do que aquela que não possui esse hábito. .

Agilidade de leitura – Quem lê muito passa a refletir mais rápido. Logo, adquire agilidade ao ler. Ao passar os olhos em um texto já entende o tema, facilitando a compreensão. .

Diversão – Leitura proporciona diversão. Isso porque quem lê “viaja” junto com os personagens na imaginação. De acordo com Sérgio Sant'Anna, autor de diversos livros, entre eles “Um Crime Delicado” e “O Voo da Madrugada”, ler não é só adquirir conhecimento ou experiência de vida. É também a possibilidade de ter outra vida, de viver o imaginário. .

Informação – Através da leitura se adquire informação sobre todo e qualquer assunto, o que amplia consideravelmente a bagagem de conhecimento. .

Bem-estar – Quem lê cresce como pessoa e, portanto, tem maior chance de levar uma vida mais rica e feliz.

16

março 2013


Toda leitura tem um gran finale Não importa o que você lê, importa que comece. Leia por prazer. Leia por temor. Leia por coragem e por inocência. Como diz o neurocientista Iván Izquierdo: “Ninguém precisa começar lendo Marcel Proust – escritor francês, conhecido pela obra 'Em busca do tempo perdido', publicada em sete partes, entre 1913 e 1927 –, nem mesmo precisa ler Proust alguma vez na vida, embora eu ache que vale a pena. Leia aquilo que lhe dá prazer e crie uma história só sua com os livros, movida pela sua própria busca”. E, assim, haverá muitos “grandes finais” em sua vida. Além de mais conhecimento, cultura, diversão e memória saudável.

Encontre os livros Biblioteca da Afucopal (Associação dos Funcionários da Cotripal) .

A biblioteca da associação funciona em anexo ao Arquivo, no prédio do Centro Administrativo, em Panambi, e conta com 475 livros, sendo 50 adquiridos em 2013. Funcionários e associados da Cooperativa têm direito de locar os exemplares. Para retirar, o interessado pode comparecer ao local da biblioteca ou solicitar o título desejado por telefone. No caso de colaboradores da Cotripal, ainda há mais uma possibilidade, que é a reserva via sistema interno de cadastro. Para quem não é de Panambi ou tem dificuldade de ir até o Centro Administrativo, é possível enviar o livro por malote, para a unidade de trabalho do funcionário. E, no caso dos associados, o encaminhamento é para a unidade mais próxima de sua residência ou conforme combinado anteriormente. Os sócios podem retirar um livro por vez, com prazo de 15 dias para devolução, renováveis por mais 10 dias. No caso dos colaboradores em férias, o tempo se estende por 20 dias, prorrogável por mais 10 dias. Horário de funcionamento De segunda à sexta-feira, das 7h30 às 11h58 e das 13h30 às 17h50. Local: rua Hermann Meyer, nº 237 Telefone: (55) 3375-9051

Biblioteca Pública Municipal Adil Alves Malheiros – Panambi A Biblioteca Municipal de Panambi conta com mais de 35 mil livros. Para retirá-los, é preciso ser sócio do estabelecimento. O processo de associação consiste em comparecer ao local com carteira de identidade, comprovante de residência, uma fotografia no tamanho 3X4 recente e em cores e pagar a anuidade, no valor de R$ 10. Após esse procedimento, o leitor tem direito a retirar até dois livros por vez, com prazo de 15 dias para devolução. .

Horário de funcionamento - Segundas e terças-feiras, das 7h45 às 11h45 e das 13h30 às 21h. - Quartas-feiras, das 13h30 às 19h. - Quintas e sextas-feiras, das 7h45 às 11h45 e das 13h30 às 18h. Local: rua Herrmann Meyer, nº 43 Contato: (55) 3375-6808

março 2013

17


Cursos e treinamentos

Informática básica e gestão rural Data: 5 a 8 de fevereiro Local: Sindicato Rural de Panambi – núcleo Unidos do Vale de linha Caxambu e núcleo Unidos do Progresso de linha Rincão Frente, Panambi

Data: 19 a 22 de fevereiro Local: Sindicato Rural de Panambi – núcleo Sempre Avante de linha Ocearu, Panambi

Agricultura de precisão Data: 25 e 26 de fevereiro Local: Sindicato Rural de Panambi

Panificação caseira Data: 13 a 15 de fevereiro Local: Núcleo Unidos Venceremos linha Mambuca, Condor

18

março 2013


Jardinagem Data: 4 a 6 de março Local: Núcleo Vencedor – linha Rincão Fundo, Panambi

Agenda Perda na operação de colheitadeiras .

Data: 11 de março Local: Núcleo Unidos Venceremos – linha Mambuca, Condor

Curiosidade

Milho com sete espigas nasce em Santa Bárbara do Sul Normalmente, a planta de milho produz uma espiga, podendo chegar a duas em alguns casos. No entanto, no terreno de Jairo Antunes da Silva, vigilante da unidade de grãos da Cotripal de Santa Bárbara do Sul, cada “pé de milho” tem de 5 a 7 espigas. Jairo afirma que não usa adubação excessiva e não sabe por que isso aconteceu. Quem explica o fenômeno é Gilson Trindade, técnico em agropecuária da Cotripal. “A área plantada pelo Jairo fica próxima a um banhado e, por isso, a fertilidade da terra é alta. Ao que tudo indica, o terreno tem concentração de matéria orgânica e boa umidade.” Além disso, Jairo usa semente de milho híbrido de boa qualidade. “Essas características favoreceram o surgimento dessas plantas com prolificidade, ou seja, mais de uma espiga por planta”, explica o técnico.

março 2013

19


Vida saudável

Água

da vida

Uma pessoa pode suportar até 200 dias sem comer. Sem água, porém, esse tempo não passa de 36 horas, já que o organismo começa a entrar em colapso. Ou seja, sem esse líquido não há vida.

Você já parou para pensar na quantidade de líquidos que ingere diariamente? Ou com que frequência os consome? Parecem detalhes com baixa importância, mas são vitais para o ser humano. É a água que constitui a solução fundamental para a vida, possibilitando a ocorrência dos processos metabólicos e celulares. Sem ela, a digestão, a absorção dos nutrientes e a circulação ficam comprometidas, levando à desidratação corporal. Cerca de 60% a 70% do peso de uma pessoa adulta é constituído de líquidos. Eles estão presentes em músculos, cérebro, sangue, ossos e em todos os membros corporais de qualquer ser vivo. Além disso, regulam a temperatura corporal e ajudam a converter os alimentos em energia, bem como a remover toxinas. Desta forma, seu consumo é essencial para o bom funcionamento de todos os sentidos. E a indicação de que precisamos tomar dois litros de líquidos diariamente se torna justa e verdadeira. Isso porque o corpo elimina cerca de 2300ml diariamente, através da urina, suor e fezes. Os níveis podem variar, dependendo da temperatura diária, do tipo de atividade desenvolvida e exercício realizado. Essa perda precisa ser reposta através da ingestão de água propriamente dita, ou do consumo de alimentos. Isso acontece porque o organismo não possui nenhum mecanismo para o armazenamento de água. De acordo com Débora Schmidt Linn, nutricionista da Cotripal, o consumo de água deve ser tarefa para todo o ano. “É preciso prestar atenção às doses adequadas ingeridas durante o dia. Isso vale para o ano inteiro, seja inverno ou verão”. Segundo ela, no frio, como transpiramos menos, não sentimos tanta sede, o que não significa que nosso corpo esteja bem hidratado. “Toda vez que não repomos os líquidos perdidos, estamos deixando nosso organismo desidratado, e isso prejudica consideravelmente suas funções e processos”. Então, em alusão ao Dia Mundial da Água, comemorado em 22 de março, uma boa dica: fique atento ao consumo diário para que o organismo responda da melhor maneira possível. Água é vida, lembre-se!

20

março 2013


Verdades e mentiras sobre a água

Tomar água gelada queima calorias.

Tomar água em jejum emagrece.

Água com gás engorda da mesma forma que refrigerante.

Ingerir líquidos durante a refeição atrapalha a digestão.

Beber água faz bem para a pele.

Necessitamos beber dois litros de água pura por dia. Outros líquidos não contam.

Devemos beber líquidos mesmo sem ter sede.

Podemos substituir refeições por grandes copos de água.

Verdade

Mentira

Mentira

A água gelada apresenta uma temperatura inferior à corporal. Desta forma, quando houver sua ingestão, o corpo precisa trabalhar para aquecê-la, gerando um aumento no consumo de energia, promovendo a queima calórica. Mas ela não é significativa: para cada meio litro de líquidos, há perda de 17 calorias. Em jejum, se torna importante para eliminar as toxinas provenientes do período sem alimentação. Isso provoca uma distensão gástrica, que pode ocasionar uma diminuição de apetite. Mas não significa que em jejum auxilie no emagrecimento. Os dois líquidos têm gás carbônico em sua composição. Porém, no refrigerante há açúcar. Esse é o diferencial na hora da balança: as calorias do açúcar.

Mentira

Segundo o endocrinologista João Carlos Castro Soares, em entrevista ao iG, não há embasamento científico para tal afirmação. No entanto, consumir muita água poderia causar um mal-estar no indivíduo, atrapalhando a digestão. Tudo que é em demasia se torna prejudicial.

Verdade

As toxinas presentes no organismo são eliminadas através da urina e do suor. Quando estiver bem hidratada, a pele as elimina com maior facilidade, o que a deixa com aspecto mais saudável.

Mentira

Beber dois litros por dia é fundamental, mas pode ser feito de várias formas: no chimarrão, no tererê, com sucos naturais, água saborizada, entre outros. A água presente nas frutas também vale. Todos esses tipos contam como líquidos ingeridos. Mas a pura tem grande valor e importância: Não a deixe de lado!

Verdade

No inverno, a percepção de sede diminui consideravelmente, o que não significa que beber água seja dispensável. Vale manter o hábito em qualquer estação do ano. Quando sentimos sede, significa que o organismo está começando a ficar desidratado.

Mentira

Substituir as refeições por água para perder peso é um grande engano. Essa atitude só leva a pessoa a ter mais fome para a próxima refeição e acaba privando o organismo de vários nutrientes que só são absorvidos com o consumo de uma dieta equilibrada.

março 2013

21


As doenças sexualmente transmissíveis estão difundidas entre a população. Por vezes silenciosas, causam, além de desconforto em virtude de feridas, bolhas e corrimentos, complicações sérias que tornam o sistema imunológico do infectado vulneráveis a doenças graves. Mesmo em relações estáveis há riscos de contaminação, já que algumas DSTs não são somente transmissíveis de forma sexual, mas também por meio de contágio com objetos. Por isso, a prevenção, em todos os casos, é o melhor remédio.

Bom saber

DSTs prevenção é o melhor remédio

22

março 2013

As DSTs, sigla dada ao conjunto de doenças sexualmente transmissíveis, também chamadas de venéreas, nem de longe são males da modernidade. Elas têm suas prováveis origens ligadas ao surgimento das primeiras civilizações. Na Grécia antiga, celebrações homenageavam os deuses da fertilidade, entre eles Vênus, a deusa do amor, e é do seu nome que deriva o termo “venéreo”. Também há relatos de doenças desse tipo na Bíblia, e indícios das suas presenças até nas antigas tumbas do Egito. Essas doenças infecciosas podem ser de diversos tipos e ocasionar diferentes consequências, caso não sejam combatidas adequadamente. Mas, antes de precisar haver qualquer tratamento, a recomendação máxima do Departamento de DST do Ministério da Saúde é a prevenção. Elas são transmitidas, principalmente, por contato sexual sem o uso de preservativo com uma pessoa que esteja infectada, e geralmente se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas. Porém, algumas dessas enfermidades não apresentam sintomas, o que dificulta o diagnóstico e o tratamento posterior. Por isso, o Ministério da Saúde orienta que quem pratica atos sexuais sem preservativo deve procurar o serviço de saúde para consultas com profissionais especializados. Algumas doenças são silenciosas e podem se agravar com o tempo. As DSTs são consideradas como um dos problemas de saúde pública mais comuns do mundo. Elas estão intimamente ligadas com a mortalidade materna e infantil, pois, em ambos os sexos, tornam o organismo doente vulnerável a outras enfermidades. No Brasil, as estimativas da Organização Mundial da Saúde são de que haja mais de 1,5 milhão de casos de gonorreia a cada ano, quase 2 milhões de contaminados com clamídia, e cerca de 1 milhão de ocorrências anuais de sífilis. A DST mais conhecida e perigosa é a AIDS, causada pela contaminação com o vírus HIV, e ela já foi tema desta editoria na edição anterior – nº 112, fevereiro de 2013. Por isso, conheça agora as particularidades de outras DSTs populares, e saiba como tratá-las.


Sífilis Segundo informa o Ministério da Saúde, esta é uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum, e pode aparecer em três estágios, com ou sem sintomas. As suas primeiras manifestações são pequenas feridas nos órgãos sexuais e caroços nas virilhas, que surgem entre 7 e 20 dias após a infecção. Estes ferimentos não doem nem coçam, e tendem a desaparecer com o tempo. Mas isso não significa que a doença esteja curada. Se não tratada, a sífilis possivelmente ficará estacionada no organismo do doente por meses ou anos, e esta é a fase mais perigosa, já que pode ocasionar complicações como cegueira, paralisia e doenças cerebrais e cardíacas que levam ao óbito. A recomendação médica é de que todas as pessoas sexualmente ativas, principalmente as gestantes, devem realizar o teste para diagnosticar sífilis. Se descoberta em grávidas no início da gestação, há tratamentos que evitam o aborto, a má formação do feto e a morte na hora do parto. O diagnóstico é feito com teste laboratorial e a terapia mais adequada em cada caso deve ser indicada por um médico especializado.

Herpes É uma doença incurável causada por um vírus, mas, apesar disso, possui tratamento. Se caracteriza pelo surgimento de pequenas bolhas agrupadas que se rompem e viram feridas, principalmente localizadas na região genital, tanto do homem quanto da mulher. Depois que o paciente se contamina com o vírus, os sintomas tendem a reaparecer sistematicamente, e fatores como estresse, cansaço, esforço exagerado, febre, exposição ao sol, traumatismo, uso prolongado de antibióticos e menstruação interferem no reaparecimento. O contágio acontece através da relação sexual sem preservativo com alguém infectado, e também a gestante pode contaminar o bebê na hora do parto, se cuidados médicos não forem tomados. Para tratar, a recomendação médica é de que as bolhas não sejam furadas e que nenhuma pomada seja passada no local sem orientação especializada.

Clamídia É a DST de maior incidência do mundo. Conforme informações do portal do Dr. Drauzio Varella na inter-

net, esta é uma doença causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, e pode contaminar homens, mulheres e bebês no momento do parto. A infecção ocasionada pela bactéria atinge especialmente a uretra e a região genital, mas também inflama a faringe e causa complicações pulmonares, além de, em alguns casos, tornar o doente infértil. O período de incubação bacteriana é de 15 dias, e a doença pode não apresentar sintomas. Porém, quando eles ocorrem, são semelhantes em ambos os sexos: dor ou ardência ao urinar, aumento de micções e nas mulheres há perda de sangue no intervalo do período menstrual e dor no baixo ventre. O diagnóstico é feito também com exame laboratorial e o tratamento se dá com medicamentos antibióticos específicos.

Gonorreia A bactéria causadora dessa DST se chama Neisseria gonorrheae e ela tem um período de incubação muito rápido: 24 horas após a contaminação através da relação sexual a doença já se desenvolve. Em mulheres geralmente não surgem sintomas, mas em homens ela causa inflamação no canal da uretra, dor e ardência ao urinar e secreção de pus. Porém, eventualmente a bactéria pode se disseminar na corrente sanguínea, agredir as grandes articulações e causar lesões na pele. A gonorreia é curável com antibióticos e seu diagnóstico é rápido, mas, se não tratada, acarreta processos inflamatórios graves que levam à infertilidade.

HPV Causada por um grupo viral denominado Papilomavírus humano, esta DST engloba mais de 100 diferentes vírus e, segundo Dr. Drauzio Varella, provoca a formação de verrugas na pele e nas regiões oral, anal, genital e da uretra. Mas essas lesões aparentemente simples são propensas a acarretar um alto risco, já que são precursoras de tumores malignos, especialmente do câncer do colo do útero e do pênis. Além da via sexual, há probabilidade do vírus ser transmitido da mãe para o feto e, de menor intensidade, através do contato com objetos contaminados. A doença é marcada por nuances. Apesar de provocar consequências graves, ela também pode ser eliminada espontaneamente, sem que o infectado sequer saiba que esteve com o vírus. Depois de diagnosticado, o HPV é tratado com medicamentos, ou, em casos específicos, com cirurgia e cauterização.

Fique ligado! Prevenção é fundamental! Há uma forma básica de se prevenir de todas as DSTs, inclusive da AIDS: através do uso de preservativo em toda e qualquer relação sexual. Praticar o sexo seguro, com camisinha, é o método mais eficaz de se manter livre de doenças. O preservativo é seguro, impermeável, e inúmeras pesquisas já comprovaram a sua eficácia. Distribuída gratuitamente desde 1994 em todas as unidades básicas de saúde do país, a camisinha é fácil de guardar e manusear e, além da sua função preventiva de doenças, evita uma possível gravidez indesejada.

março 2013

23


Classificados VENDE-SE S10 – ano 1998 Cabine dupla, turbo, 4x4, prata, a diesel, aceita troca Contato: (55) 9158-7931 ou 9149-9617 Belina – ano 1985 A álcool Moveis para salão de beleza Lavatório, espelho, cadeira de corte, mesa para manicure Contato: (55) 9168-5202 Uno Mille EP – ano 1996 Cinza, trava, vidros elétricos, ar condicionado, 4 pneus novos, bom estado Contato: (55) 9957-8189 Parati – ano 1999 Modelo 2000, 4 portas, vidro elétrico, ar condicionado Área de terras com 11,5 hectares Com moradia, água e luz, localizada a 3km da cidade de Panambi, recebe casa na cidade no negócio Contato: (55) 9934-3870 Caminhonete S10 – ano 2000 Completa, azul, 4x4, ar condicionado, direção hidráulica, ótimo estado Contato: (55) 9926-9261 ou 9997-1000 Gol – ano 2000 Série ouro, completo, bom estado, cor dourada Contato: (55) 9199-9209 F250 XLL – ano 2000 Completa, a diesel, motor MWM 6 cilindros Colheitadeira Massey Ferguson 5650 – ano 2002. Cabinada, plataforma de 17 pés de corte, bom estado Contato: (55) 3375-2964 Saveiro CLI – ano 1997 Contato: (55) 9159-2660 Corcel I – ano 1974 Bom estado Contato: (55) 9944-8074 ou 9157-8386 Brasília – ano 1979 Contato: (55) 9615-5687 Van Trafic Chevrolet – ano 1995 A diesel, motor 2.2, credenciada para transporte escolar Contato: (55) 9126-7623 Moto Honda CG 150 – ano 2004 Titan, ESD, preço tabela Fipe, aceita terneiros de corte no negócio Contato: (55) 9176-8917

24

março 2013

Trator Valmet 85 – ano 1981 Trator Massey Ferguson 290 – ano 1982 Com comando duplo, em ótimo estado Contato: (55) 9128-7533 Trator CBT 2105 – ano 1981 Bom estado, pneus recapados, comando e direção hidráulica Filhotes de cachorro Raça poodle branco Contato: (55) 9145-2819 ou 9195-0489 Trator Massey Ferguson 65 – ano 1974 Revisado, com toldo e comando, trocase por trator maior Contato: (55) 9911-0493 Colheitadeira 1530 – ano 1978 F-1000 preta – ano 1998 Aceita troca por casa com terreno em Panambi ou Condor Contato: (55) 9983-2565 Colheitadeira New Holland – ano 1985 13 pés de corte, bom estado Contato: (55) 9615-5649 Colheitadeira Massey Ferguson 3640 – ano 1982, cabinada Contato: (55) 9936-6398 Colheitadeira SLC 1000 – ano 1977 Único dono, bom estado Contato: (55) 9911-7722 Colheitadeira Ideal 1175 – ano 1981 Pneus novos, bomba nova, mecânica boa Contato: (55) 9136-4828 Colheitadeira Massey Ferguson 5650 – ano 1988 Colheitadeira Massey Ferguson 3640 – ano 1980 Contato: (55) 9189-7918 Colheitadeira New Holland 5050 Contato: (55) 9626-7187 Semeadeira TD300A Semeato – ano 1993 19 linhas, ótimo estado Contato: (55) 9976-4852 Plantadeira Imasa MT 2000 – ano 2005 20 linhas de trigo e 10 de soja Contato: (55) 9126-7620 Plantadeira Frankhauser MTS-A 15 linhas de trigo e 6 linhas de soja Contato: (55) 9982-4003

Triturador elétrico monofásico de 2CV Contato: (55) 9147-1466 Triturador Nogueira DPM4, com ciclone Contato: (55) 9122-6677 Espalhador de ureia Modelo 1300, hidráulico Contato: (55) 9973-0010 Carreta graneleira Becker – ano 2010 6 toneladas, com descarga Marcador de linha Tecnomak 2 anos de uso Contato: (55) 9105-1611 Silo para ração Com capacidade para 5 mil quilos Ordenhadeira Eurolatte Canalizada com 4 conjuntos, com aquecedor e kit cardan Resfriador Delaval 1.600 litros, com sistema de lavagem automático Contato: (54) 9115-5437 Dois aros para trator Valmet 85 Para pneu largo Contato: (55) 9124-0783 Plataforma de milho 4 linhas Contato: (55) 9956-5720 Tanque de combustível Com capacidade de 5 mil litros Contato: (55) 9149-5249 Pulverizador Montana 600 litros, com marcador de linha, braço hidráulico de 14 metros Contato: (55) 9112-8822 Pulverizador Jacto Modelo cruzador, 3 mil litros, com 25 metros de barra Contato: (55) 9973-0010 Pulverizador Jacto – ano 2001 600 litros, modelo Falcon, com aumento de barra para 20 metros Contato: (55) 9955-1610 Pulverizador Montana 4 vias, 17 metros de barra Contato: (55) 9963-3173 Pulverizador 600 litros, com 12 metros de barra hidráulica Contato: (55) 9159-4448


Pulverizador Jacto M12 Contato: (55) 9168-0548 Ordenhadeira Westfalia Motor e bomba Contato: (55) 9917-9134

Casa mista Com 85m², localizada no bairro Italiana, em Panambi. Aceita troca por outra casa ou terreno Contato: (55) 9909-8131

Resfriador de 500 litros Ordenhadeira Contato: (55) 9982-9126

Área de terras com 41 hectares Com benfeitorias, 20 vacas, resfriador a granel 1000 litros, 2 tratores Massey Ferguson, 1 plantadeira MP, 2 ordenhadeiras Fockink e um resfriador de água de 300 litros. Negocia por casa na cidade ou terreno Contato: (55) 9207-7789

Resfriador de água 300 litros Ordenhadeira Contato: (55) 9982-9126 Resfriador a granel 350 litros, bom estado Contato: (55) 9104-3825 ou 9157-8482 Resfriador de leite 600 litros Transferidor Contato: (55) 9138-6518 Resfriador a granel Sulinox 550 litros Contato: (55) 9168-3816 ou 9168-0215

Área de terras com 7,7 hectares de terra Localizado na linha Maraney, com 6 hectares de lavoura e 1,7 de mato Contato: (55) 9174-7015 ou 8445-7411 Área de terras com 33,7 hectares Localizada na linha Pontão do Fiúza, em Panambi, com benfeitorias Contato: (55) 9157-4099

Marrecos de Pequim Ligar preferencialmente ao meio dia e à noite Contato: (55) 9118-5337 Novilha jersey prenha Contato: (55) 9139-5331 75 vacas em lactação Holandesas e jersey Contato: (55) 8419-7487 ou 9610-3520 9 novilhas – 1 ano Contato: (55) 9161-1009 Junta de novilhas – 1 ano e meio Contato: (55) 9926-2943 Touro gir leiteiro – 1 ano e meio Contato: (55) 9159-9580 7 vacas holandesas 6 vacas jersey Contato: (55) 9603-2533 ou 8451-4727

COMPRA-SE

Transferidor Eletromak – ano 2008 3 anos de uso, bom estado Contato: (55) 9149-0835

Chácara com 2 hectares Localizada na linha Macuglia, Pejuçara, com casa Contato: (55) 9649-3793, 9124-1678 ou 8435-1186

Jogo de pneus estreitos Com aro e câmera Contato: (55) 9977-6279

Área de terras com 1,5 hectares Com casa e armazém medindo 18x22 Contato: (55) 3375-0388 ou 9626-9600

Telefone rural Linha de prefixo 3505 Contato: (55) 8421-8837

20 vacas mestiças com jersey Contato: (55) 9917-6936

Grade Stara com 40 ou 42 discos Contato: (55) 9171-5281

5 vacas 2 jersey e 3 holandesas 2 novilhas Ordenhadeira Westfalia Contato: (55) 9647-8554

Reboque de carga para carro Capacidade 500kg Contato: (55) 9107-9428

Terreno no bairro Zona Norte Rua Portugal, 15x25, com calçamento Contato: (55) 9961-2584 ou 9948-2283 Casa de alvenaria com 146m² Localizado no bairro Medianeira, terreno com 336,25m² Contato: (55) 9154-0837, 9112-1737 ou 3375-6245 Casa no bairro Italiana, Panambi, para alugar Com 2 quartos Contato: (55) 3375-4448 Apartamento para alugar Com 2 quartos, sala, cozinha, banheiro, lavanderia, localizada na rua Josino Leal Malheiros, 53, próximo ao CEP, em Panambi Contato: (55) 9159-4448 Casa nova Na rua Primo Dal Forno, bairro Fristch, com 90m² Contato: (55) 9924-7063

11 vacas holandesas e 1 vaca jersey Contato: (55) 9975-2033 9 vacas holandesas com jersey Resfriador 300 litros Ordenhadeira Fockink Contato: (55) 9116-3873 10 vacas 5 holandesas e 5 holandês com jersey 1 touro aberdeen Contato: (55) 9163-5657 Filhotes de cachorro raça boxer Contato: (55) 9679-0773 ou 3505-9041 10 novilhas holandesas prenhas Contato: (55) 9137-9144 Filhotes de pastor alemão capa preta Contato: (55) 9126-7622

Casa para venda que já esteja financiada Preferencialmente no bairro Zona Norte, Panambi Contato: (55) 9147-1466 Calcariadeira com esteira Contato: (55) 9920-4648 ou 9163-9885

Cadela da raça linguiça Preferencialmente filhote Contato: (55) 9670-0270

PROCURA-SE Caseiro para morar em granja Contato: (55) 9920-4648 ou 9163-9885 Casa pequena para alugar Casal sem filhos Contato: (55) 3375-6518, 9106-6984 ou 9132-5975 Casal sem filhos para trabalhar em granja A mulher para serviços como limpeza e cozinhar e o homem para serviços gerais. Pede-se referência Contato: (55) 9932-0106

março 2013

25


Prata da casa

Cuidar é uma atitude de amor Dono de hábitos simples e de um coração enorme, o associado entrevistado deste mês é um verdadeiro apaixonado pela agricultura e pela vida no campo. Seu Valdemar Kühn tem fascínio por seus animais e não abre mão do contato com a natureza, por mais que esteja residindo na cidade há pouco mais de dois anos. Líder nato, envolve-se em atividades nas comunidades onde atua, e cuida dos bichos e do seu trabalho assim como cuida das pessoas: com amor, dedicação e eficiência. Seu espírito empreendedor, seu carisma e toda a sua trajetória de sucesso o credenciam como prata da casa deste mês. Nome: Valdemar Kühn Idade: 68 anos Esposa: Acilda Kühn Associado da Cotripal desde: outubro de 1971 Localidade: Linha 32 Norte, Ajuricaba Filhos: Dulce, Leila e Marcio Netos: Josiane, Jardel e Ana Quem é o senhor Valdemar Kühn? Me considero trabalhador e batalhador. Lutei a vida toda para ir para frente, progredir, mas sempre de forma ética e honesta. Nunca precisei passar por cima de alguém, e foi assim que criei os filhos e conduzi minha família. O senhor fala da família com emoção. Não é para menos, é a riqueza mais linda que um homem pode ter. Quando reúno a família, a minha felicidade está completa; meus netos são minha maior alegria. Se estamos bem em casa, tudo vai bem. O senhor é um homem religioso? Sim, sou evangélico luterano atuante na comunidade a qual pertenço, na linha Mambuca. A fé é fundamental, ela não deixa a pessoa se perder no mundo. Como foi seu início na agricultura? Sempre morei com minha família no interior, na Linha 32, em Ajuricaba. Meu pai já trabalhava com agricultura e eu quis seguir por esse mesmo caminho. Quando casei, ficamos morando por dois anos com meus sogros, até que comprei um pedacinho de terra. Éramos agricultores pequenos, tivemos dificuldades no início, mas, com muito trabalho, fomos vencendo os obstáculos. O senhor sempre quis ser agricultor? Sim, nunca pensei em fazer outra coisa. Trabalhar no campo é a minha vida. Há dois anos moramos na cidade, aqui em Condor, e até agora não me acostumei direito. Meu lugar é na colônia, em contato com a lavoura, perto dos animais. Como o senhor chegou à Cotripal? Eu me associei para

26

março 2013

entregar a minha produção. Escolhi a Cotripal porque já sabia das ótimas vantagens de ser um associado. E olha que no início não era fácil, a Cooperativa tinha poucos armazéns, eu vinha até Panambi descarregar a colheita. Qual é a sua relação com a Cooperativa hoje? Tudo o que precisamos a gente encontra na Cotripal, ela nunca vai nos deixar desamparados, e eu também nunca vou abandoná-la. Desde o começo entrego todos os meus grãos na Cooperativa, confio nela como se fosse uma mãe. Também sempre fui atuante na Cotripal, exerci o cargo de líder de núcleo durante muitos anos, participo dos eventos, gosto muito da Reunião de Famílias e do Dia de Campo. Qual a importância do Dia de Campo para o seu trabalho? É muito importante. Através dos experimentos que o Departamento Técnico da Cotripal faz que o agricultor vai aprimorando seu trabalho. Eu adoro participar. Observo os cultivares e o manejo mais adequado e trago para minha propriedade. Vejo que o senhor fica feliz ao ver o crescimento da Cooperativa em todos esses anos. Feliz, orgulhoso e emocionado. Eu sempre defendi e defendo a Cotripal com unhas e dentes. Como é a sua rotina hoje? Acordo cedo, tomo chimarrão com minha esposa, e quase todos os dias vou até minha propriedade, lá em Ajuricaba, onde meu filho ficou morando com minha nora. E o que esperar do futuro? Desejo uma vida melhor para meus filhos e meus netos. E espero também manter sempre a esperança. Com toda a sua experiência de vida e de trabalho, deixe um conselho para o jovem produtor. Encare o trabalho na agricultura com amor, não desista e não abandone o campo. Precisamos de jovens engajados nesse ramo, para garantir o futuro de nossos filhos e netos.


Peixe um saudável sabor

Ele é nutritivo, leve e rico em ômega 3 – um ácido graxo que faz bem para o coração. O peixe é destaque na Culinária desta edição, justamente no mês em que celebramos a Paixão de Cristo, com a Sexta-feira Santa, e optamos por ele em nossas refeições como sinal de respeito à tradição cristã. Mas não basta apenas aproveitar as suas propriedades benéficas nutricionais. Por isso, escolhemos duas receitas em que diferentes ingredientes se combinam e causam uma verdadeira explosão de sabor. Bom apetite!

Peixe Kerala Ingredientes Para o peixe 250g de filé de salmão 1 pitada de sal 1 pitada de pimenta 1 colher de sopa de farinha de trigo Suco de 1 limão

Para o molho Kerala Para o peixe

Para o molho

Tempere o filé com sal, limão e pimenta. Passe o filé na farinha de trigo e frite. Reserve.

Aqueça a manteiga e doure a cebola e as sementes de cominho. Acrescente o leite de coco e a mostarda. Corrija o sal e finalize com a cebolinha. Cubra o filé com o molho e sirva imediatamente.

2 colheres de sopa de manteiga 2 colheres de sopa de cebola picada 1 pitada de sementes de cominho ¼ de xícara de chá de leite de coco 1 colher de sopa de mostarda 2 colheres de sopa de cebolinha picada

Todas as receitas são previamente testadas pelas culinaristas da Cotripal.

Modo de preparo

Filé de tilápia ao forno Ingredientes 1 kg de filé de tilápia Suco de ½ limão 4 tomates em rodelas 2 cebolas grandes em rodelas ½ xícara de chá de azeitonas pretas picadas ½ kg de batatas cozidas 1 colher de sopa de manteiga ½ xícara de chá de creme de leite ½ xícara de chá de queijo parmesão ralado Azeite Sal

Modo de preparo Tempere os filés com sal e limão. Em um refratário, coloque uma camada de cebola e uma de tomates. Disponha os filés de tilápia sobre a camada. Cubra com outra camada de cebola, tomate, azeitona. Regue com azeite. Leve ao forno a 180ºC por 15 minutos. Retire e reserve. Esprema as batatas. Em uma panela, derreta a manteiga, acrescente as batatas e o creme de leite. Coloque o purê por cima dos filés e polvilhe o queijo parmesão ralado. Leve ao forno para gratinar por 5 minutos.

Compartilhe a sua receita preferida! Se você quer ver publicado aqui aquele prato especial que alguém da sua família prepara, entre em contato conosco. Mande sua dica para vinicius@cotripal.com.br ou ligue para (55) 3375-9071

março 2013

27


Revista Atualidades Cotripal nº113  

www.cotripal.com.br