A vida de santidade exige sacrifício

Page 1


Perfil Caro (a) Amigo (a),

ACESSE E

Reze conosco! Portal Coração Fiel

coracaofiel.com.br .................................................

Rádio Coração Fiel AM 1250 .................................................

................................................. Expediente Presidente: Pe. Delton Filho Editora Geral: Paula Gontijo Correção Ortográfica: Raiane Firmiano Arte Gráfica: Paula Gontijo Impressão: Digital Gráfica Fotos: Missionários Coração Fiel Fotografe+ Tiragem: 1000 exemplares

Comunidade Coração Fiel CNPJ: 07.447.282/0001-19 Rua Coração Fiel N. 50 - Rialma II CEP: 76 310 000 - Rialma / GO Site: www.coracaofiel.com.br e-mail: informativo@coracaofiel.com.br

É novembro! É tempo de nos unirmos em oração pelas almas dos fiéis defuntos. Mais uma edição do Informativo chegando até você, sua casa, sua família. Intensifiquemos nossas orações! Supliquemos também a intercessão dos santos por cada um de nós, nossas familias, nossa nação brasileira. Que tal nesse mês de novembro você dedicar um tempo maior de oração implorando a intercessão do seu Santo de Devoção? Precisamos da ajuda deles para seguir adiante. Boa leitura!

TESTEMUNHO Olá, meu nome é Júlia Alexandre Gonçalves, eu tenho 17 anos, sou Fiel Oblata da Comunidade Coração Fiel e faço parte do Núcleo do Movimento Coração Jovem há um ano. Hoje eu gostaria de testemunhar a você, o quanto a Obra Coração Fiel é importante na minha vida e tem um papel essencial na minha trajetória com Deus e busca pela santidade. Eu quase sempre morei Rialma mas não tinha conhecimento da Comunidade Coração Fiel, só fui conhecê-la em 2019, quando fui em um Momento de Adoração do Movimento Coração Jovem. Depois disso, participei de um acampamento, o acamps, em 2019 e me tornei fiel, todos os sábados, ao movimento coração jovem. Após algum tempo, aconteceu o acampamento de carnaval em 2020, onde eu tive uma grande experiência com o Espírito Santo e o Coração de Jesus, desde então, o Coração de Jesus foi me aproximando, pouco a pouco, cada vez mais, da Comunidade Coração Fiel. Em setembro de 2020, recebi o convite pela segunda vez para participar do Núcleo do Movimento Coração Jovem e fazer a Oblação ao Coração de Jesus e aceitei. Depois da Oblação, por Providência de Deus a Comunidade Coração

Fiel tem se feito cada vez mais parte da minha vida e de quem eu tenho me tornado pela graça de Deus. Essa Comunidade, através do Padre Delton, das Missas, homilias, dos Missionários, do Movimento Coração Jovem, tem me ajudado e sustentado espiritualmente na busca de ser uma pessoa melhor e de agradar o Coração de Jesus. Sou grata à Comunidade Coração Fiel por todo auxílio e convido a você hoje, se tornar Amigo Fiel, ajude essa Obra que é de Deus! Assim você também contribuirá na missão de conquistar e reconquistar corações para Cristo e a sua Igreja. Júlia Alexandre Rialma - GO


Palavra do Fundador

A VIDA DE SANTIDADE exige sacrifício...

Como viver bem os nossos dias? Como podemos experimentar a realização completa da nossa existência? A questão não se refere apenas a ‘alegrias’. Estamos falando de ‘Felicidade’. A distinção é muito importante entre essas duas palavras. As alegrias são momentâneas; dizem de um momento. A Felicidade é um estado de alma; dizem de estabilidade. O mundo pode dar prazeres (alegrias), mas só Deus pode dar a Felicidade! Como isso acontece? Por meio da vida na Presença do Senhor. Viver assim também pode se chamar: santidade. Atenção: o santo não é uma pessoa que não peca ou nunca pecou. Com exceção de Nosso Senhor Jesus Cristo e Nossa Senhora, todos nós estamos sujeitos ao pecado neste mundo. A Santidade que gera a realização interior (Felicidade), acontece quando optamos por Deus. Ao tomar a decisão de ser de Deus, não apenas pensamentos e palavras começam a mudar, transforma-se também nosso modo de agir!

O grande desafio é aceitar as condições para viver na Presença de Deus. Assim como água e óleo não se misturam, a Presença de Deus não consegue se manter diante da duplicidade do coração, do fingimento, da falsidade. Viver na Presença de Deus gera em nós o desejo de ter os mesmos sentimentos Dele. Por vezes essa realidade vai exigir sacrifícios. O próprio Deus fez sacrifício ao enviar Seu Filho ao Mundo para nos redimir. O Filho de Deus, Jesus de Nazaré, foi o homem do sofrimento, do sacrifício. Corpo entregue, sangue derramado – foi o que Ele anunciou na noite da última ceia(Cf Mt 26,26ss). Quem quiser me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me (Lc 9,23)! Essa afirmação brotou dos lábios do Divino Mestre que jamais rejeitou cumprir sua missão, que incluiu traição, flagelação, crucifixão e sepultura. O Servo não é maior do que o Seu Senhor; se queremos seguir os passos de Jesus, teremos de abraçar o que Ele abraçou: a cruz. Todavia, o sacrifício e o sofrimento da Cruz não ficam sem resposta diante de

Deus. Assim como Deus Ressuscitou Jesus no Terceiro Dia. O Pai do Céu também ressuscitará os que tiverem seguido as pegadas de Cristo. Davi, ao manifestar seu desejo de agradar a Deus e receber Seu perdão afirmou: “Meu sacrifício é minha alma penitente!” (Sl 50). Esse é um ótimo exemplo. A alma penitente reconhece seus pecados. Chora suas culpas. Deus enxuga essas lágrimas e purifica os que o temem. É essa a obra da redenção pessoal que nos espera. Buscando isso, estamos no caminho da santidade. Ser santo não é algo extraordinário ou anormal. Anormal é uma pessoa que foi Criada para Deus, viver longe Dele. Extraordinário é permitir que uma alma imortal acabe por perder Aquele que a criou do jeito que é. Saiba: o primeiro interessado em viver com você é o Senhor Deus. Deus quer a nossa santidade. No Coração de Jesus, Pe. Delton Filho Fundador da Comunidade Coração Fiel


Projeto Junto ao Coração

A maior riqueza de Nosso Senhor

foi sua pobreza

‘Nosso Senhor foi pobre. A maior riqueza terrena de Nosso Senhor foi Sua pobreza, através dela atraiu para si muitos corações. A pobreza não é não ter nada. A verdadeira pobreza é aquela que consiste em fazer uso das coisas deste mundo, do dinheiro, dos bens, de milhões, sem porém, sentir-se apegado a nada.’ Esta citação faz parte de nosso Estatuto Canônico, Regra de Vida, onde nós somos exortados a viver a pobreza de Jesus. Lembrando que Ele, como nós, em sua pobreza, teve as pessoas que O ajudava a manter Sua missão no anúncio da Boa Nova, “Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes; Susana e muitas outras, que o assistiram com as suas posses.” (Conf. Lc 8,13). Podemos aqui, citar outras passagens onde Jesus e Seus discípulos tiveram, como até hoje têm, que dar duro na luta pela evangelização, junto com pessoas que os ajudavam, sem, no entanto, serem apegados a qualquer tipo de posse. “Na verdade, julgo como perda to-

das as coisas, em comparação com este bem supremo: o conhecimento de Jesus Cristo, meu Senhor. Por ele tudo desprezei e tenho em conta de esterco, a fim de ganhar Cristo” (Conf. Fil 3,8). Ah se todos entendessem o que realmente vale a pena, não se perderia tempo, não haveria tanta miséria em nossos corações! Apegar-se só a Jesus, viver por e com Ele. Imitando-O em Suas virtudes, com certeza teríamos um mundo melhor, famílias melhores, crianças, jovens, adultos, anciãos melhores e mais felizes. A verdadeira riqueza consiste em ‘tudo fazer a vontade do Pai’. Nós, Comunidade Coração Fiel, buscamos, permitir que a vontade de Deus se faça em nossas vidas e na missão a nós confiada. Por isso, lutamos, trabalhamos, nos desgastamos em prol da Evangelização e da missão. Somos pobres, vivenciamos a pobreza e repetimos o que São Paulo nos ensina: ‘Viver para nós é Cristo’, o resto... é resto! Nesse ano enfrentamos

muitos desafios para levar adiante a Obra Coração Fiel, mas graças ao bom Deus, até aqui estamos em pé, seguindo sem desanimar! Agora, precisamos continuar, a obra não pode parar, nem tão pouco apenas se manter, é preciso olhar além. O mundo precisa de Deus e nós necessitamos apresentar o Coração de Jesus a todas as pessoas, nos lugares mais distantes. Precisamos ampliar nossa missão, nosso sistema de comunicação, construir a Cidade Fiel, dar passos porque Deus tem pressa. Por isso peço que ajude esta obra de evangelização, seja amigo fiel, cadastre-se através do nosso portal: coracaofiel.com.br/doehoje e seja como aqueles que seguiam e ajudavam com Jesus no anúncio da Boa Nova. Sua doação transforma vidas, famílias inteiras são resgatadas e faz de você um missionário (a) como nós!

Amarília Freire Missionária Coração Fiel


Nossa Missão



Caminhos

JOVENS E O DISCERNIMENTO

VOCACIONAL

Para deixar uma parte da responsabilidade do discernimento vocacional para você, neste texto de hoje não vou colocar os textos bíblicos na íntegra, deixarei as citações, e quero acreditar que você vai ler na sua Bíblia. Primeiro, (1Sm 3,3b10.19), no caso de Samuel, que esta citação antes descrita vai narrar, trata-se de Eli, sacerdote do templo, onde antigamente estava conservada a arca da aliança, antes de ser transportada para Jerusalém. Uma noite, Samuel, ouviu-se chamar no sono três vezes consecutivas e foi ter com Eli. Mas não era ele quem o chamava. Na terceira vez Eli compreendeu, e disse a Samuel: se te voltar a chamar, responde: “Fala, Senhor, o teu servo ouve-te” (1 Sm 3, 9). Segundo, (João 1, 3537), aqui já se trata dos discípulos de Jesus, precisamente a

dois deles João Batista indicou Jesus, dizendo: “Eis o cordeiro de Deus!” (Jo 1, 36), que equivalia a dizer: «Eis o Messias». E os dois seguiram Jesus, permaneceram por muito tempo com Ele e convenceram-se de que Ele era deveras o Cristo. Seja o livro de I Samuel ou Evangelho de São João, citado, um personagem destaca-se no discernimento vocacional: GUIA ESPIRITUAL. Querido jovem, não seja seu próprio ‘GPS’ vocacional. Não se guie, não defina sozinho, não decida sozinho, deixe-se guiar, seja humilde, seja dócil, permita-se ser conduzido até a vontade de Deus para sua vida. Não caia na tentação de ser autossuficiente e no orgulho dizer: sei o que estou fazendo. Deixe-se guiar! O Próprio Jesus se deixou ser guiado, veja que frase linda do Rei dos Reis, Senhor dos Senhores, ‘Eu vim para

fazer a vontade daquele que me enviou’. Jesus no ápice da sua missão transbordava o ápice da docilidade, da humildade, deixar-se ser condu-zido, não é demonstração de fraqueza ou de estar perdido, é sinal de maturidade na fé, e essa fé me faz enxergar no GUIA ESPIRITUAL, o Eli, ou o João Batista que me ajudará a realizar a vontade de Deus para minha vida. Você que precisa e quer fazer um discernimento vocacional sereno e acertado, reze, peça a Deus o GUIA ESPIRITUAL, Deus é o grande interessado na sua vida e vocação e vai lhe conceder este presente. Jovem o discernimento vocacional precisa ser maduro e orante, mas a maturidade e a oração preci¬sam ser guiadas. Rondiney Arantes Missionária Coração Fiel


completa mais de 30 dias


Formação

Finados

A CELEBRAÇÃO DA ESPERANÇA! “Como Jesus morreu e ressuscitou, Deus ressuscitará os que nele morreram.”(1Tes 4,14) É com esta passagem da Sagrada Escritura que a Igreja inicia, com a antífona de entrada, a Liturgia Eucarística da Comemoração de Todos os Fiéis Defuntos, ou seja, pelos Finados. É interessante notar que a Igreja diz “Comemoração”, mas comemora-se o quê? A morte? A dor? A tristeza? A resposta se encontra no Prefácio da própria Missa: “Nele (Jesus) brilhou para nós a esperança da feliz ressurreição. E, aos que a certeza da morte entristece, a promessa da imortalidade consola. Senhor, para os que creem em vós, a vida não é tirada, mas transformada. E, desfeito o nosso corpo mortal, nos é dado, nos céus, um corpo imperecível.” Comemora-se, portanto, a Esperança! Esperança que não se baseia em contos de fada, ou em promessas vazias, mas em um fato real: Jesus Ressuscitou! E, porque Jesus venceu a morte, os que n’Ele creem, experimentarão a ressurreição. Na celebração de finados nós católicos exprimimos a esperança de que os nossos entes queridos que já morreram chegaram ao destino final que é a comunhão pessoal e íntima com Deus. Destino de todos nós. Destino planejado para nós, por um Deus que nos ama. Destino feliz, de tal maneira que o Dia de Finados pode ser uma das nossas maiores festas. Uma das nossas celebrações mais alegres e felizes, porque aqueles que nós amávamos já chegaram a um destino tão maravilhoso. O que nós celebramos neste dia, é a festa da ressurreição dos nossos entes queridos, e a esperança firmemente fundamentada em Jesus Cristo, que também nós, um dia, vamos ressuscitar. Editoria Informativo


Espaço Jovem

O CAMINHO PARA SANTIDADE

é uma luta diária!

SANTIDADE… Ao ouvir ou ler essa palavra, imediatamente em nossa mente surgem os grandes santos: São Francisco de Assis, Santa Terezinha do Menino Jesus, São João Bosco, São João Paulo II, entre tantos outros que foram reconhecidos e canonizados pela nossa Igreja. Mas, o que é santidade? O que é ser santo? Ser santo, buscar a santidade é constantemente estar com o Senhor, é olhar para a cruz de Jesus e lembrar que foi por amor que Ele se doou por nós. Deus quando sonhou cada um de nós, Ele nos sonhou para sermos santos, Sua Imagem e Semelhança. “Sede santos, porque eu sou santo.” (I Pe 1, 16) Essa é a ordem do Senhor para nós! Então, vamos lá! Vamos lutar pela SANTIDADE!

Ao olharmos para a vida de santidade dos nossos amigos no céu, algo em comum podemos destacar, a santidade deles foi alcançada vivendo bem, com amor o ordinário do dia a dia. Podemos aqui citar: Santa Terezinha do Menino Jesus que viveu a santidade no amor as pequenas coisas; “Sigamos o caminho da simplicidade. Entreguemonos com todo o nosso ser ao amor. Em tudo busquemos fazer a vontade de Deus.”; São Francisco de Assis, ele viveu a radicalidade da pobreza, o desapego de si e o amor ao próximo sobretudo nos pobres e doentes; São João Paulo II, o santo dos nossos dias, viveu sua vida de santidade na simplicidade de coração, no amor a Jesus crucificado e a Virgem Santíssima, “A

vocação à santidade consiste na capacidade de responder ao apelo divino por meio da vivência evangélica do próprio estilo de vida”. É caminhando que se faz o caminho. Se coloque a caminho da santidade. Lute! Viva o ordinário do seu dia a dia com amor! Se cair, se levante! As lágrimas virão, os dias de trevas também, mas o sol ainda brilha lá fora. “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo” (Mt 28, 20). Assim como os nossos santos de devoção enfrentaram suas batalhas, nós também com a força que vem de Deus podemos alcançar a santidade, afinal é uma LUTA DIÁRIA. Não desista! Lute! A santidade é para todos nós!

Editoria do Informativo



Benfeitores

62-3307 -1482

62-3307 -1481