Issuu on Google+

Nascente Revista da Escola Básica e Integrada

de Forjães | Ano lectivo 2010/2011

Associação de Estudantes Actividades Escolares Jardim de Infância 1º ciclo

Redes Sociais Educação e Formação de Adultos Visitas de Estudo Saúde na Escola Corta Mato Escolar

Escola B ásic a

a de Forjães grad e t In

E muito mais...


Editorial

Editorial De um simples e recôndito recanto do Mundo, em Forjães, partiu e parte mensalmente uma mensagem de “feitos” de pequenos descobridores imberbes, mas aguerridos e aventureiros em nau catrineta que tem muito que contar. E tem mesmo muito que contar acerca do que se fez vida neste Agrupamento ao longo do ano que agora finda: as comemorações dos 25 anos da Escola, norteadas pelo lema “RAZÃO PARA CRESCER”, com um leque alargado de actividades culturais; a organização do desporto escolar, com as equipas de voleibol, orientação, badminton, com campeões regionais; a actividade desportiva interna – corta-mato escolar, torneios…; o programa Programa Regional de Educação Sexual em Saúde Escolar, com formação creditada; a criação de uma Unidade de Ensino Estruturado de Autismo, onde o brio profissional é levado ao topo; o Plano Nacional de Leitura; o Plano Nacional da Matemática; a implementação dos Novos Programas de Matemática e de Língua Portuguesa; a semana da leitura e feira do livro; as Crónicas do Quotidiano; o Cantinho dos Afectos; o Carnaval; o Olhar com Olhos de Ver; as exposições; os concursos; o Pensar o Futuro Sustentável; as visitas de estudo a ETAs e ETARs e outros locais de interesse cultural e pedagógico; o ensino articulado da Música; as eleições para a Associação de Estudantes; o trabalho de parceria com a Associação de Pais e Encarregados de

Educação, Junta de Freguesia e Câmara Municipal; as AECs (Actividades de enriquecimento escolar) para todos os ciclos do Agrupamento; as Redes Sociais - o que são, as suas virtudes e os seus perigos; a aplicação dos testes intermédios para todos os ciclos; as provas de aferição; os exames nacionais; as discussões sobre avaliação de desempenho; as reuniões dos grupos disciplinares, dos departamentos; a menção honrosa para o “Mensagem da Escolinha”; a gestão de conflitos, etc., etc. Foi um ano em que se queria que tudo fosse perfeito. Tudo foi construído com esse ideal, mas as falhas, de que estamos conscientes, foram mais que muitas. Foi uma luta dura e constante, uma luta com perdas… mas também com muitos ganhos. A “Escola” é neste momento uma superentidade à qual se assaca a consecução dos mais ousados objectivos e que se encontra esmagada por um excesso de missões que parece impossível cumprir. Mas não se pode perder a esperança. Por mais difícil que a vida seja, há sempre espaço para a imaginação, o conhecimento, a criação, o sorriso. E são estes a levedura, o fermento do nosso inconformismo, da nossa esperança, do nosso acreditar que, cortando com as amarras do pessimismo e do fatalismo, seremos capazes do impossível. É isto que podemos fazer, é isto que estamos a fazer: a dar o nosso melhor, a confrontar as mutações, a aprender permanentemente, a sentir que os medos de agora são os desafios necessários para nos projectarmos no futuro.

Director: Professor Manuel Ribeiro Redacção: Clube da Comunicação Paginação e edição gráfica: Fernando Marinho Colaboração: Comunidade escolar do Agrupamento Tiragem: 500 exemplares

3


Associação de EstudAntes

Eleição para a Associação de Estudantes

nha

pa A Cam

Ocorreu sem qualquer incidente que pudesse prejudicar a imagem das listas. Foram três dias de campanha onde o

principal objectivo era incentivar os eleitores desta comunidade escolar a votar em cada uma das listas. A lista A, encabeçada pelo Daniel Silva, do 9ºA, e a Lista B, encabeçada

pela Daniela Santos, do 9º B, embelezaram o espaço escolar com cartazes e painéis, revestidos de muito entusiasmo. Estão todos de parabéns!

4

O Debate As eleiç ões

Decorrera m no p assado dia 15 de Outubro, n o p olivalente da escola, te ndo estad mesa eleit o a oral abert a das 10h 15h30. L às ogo pela m a n h ã, era já longa a fila para v o ta r. Votaram 283 alunos e fi caram 22 por votar. Após o en c e rramento da mesa e leitoral, p rocedeu-s contagem eà de votos, te ndo-se ob tido os seg uintes resu ltados: Lista A - 1 57 votos Lista B 98 votos Votos nulo s-5 Votos em branco - 0

Moderado pelo nosso Director, o professor Manuel Ribeiro, decorreu na véspera do acto eleitoral, durante o intervalo grande do turno da manhã. O polivalente da escola estava bem composto e os apoiantes de cada uma das listas faziam-se ouvir a cada palavra dos seus líderes. Posteriormente foram colocadas algumas questões pelos alunos, tendo algumas delas deixado os nossos candidatos a reflectir sobre o cargo que desejavam ocupar

Os Vencedores Direcção Presidente: Daniel Silva Vice-Presidente: Mónica Sampaio Secretário: Jéssica Casal Tesoureiro: Daniela Salgueiro 1ºVogal: Ana Laranjeira 2ºVogal: Sara Torres Assembleia Geral Presidente: Vânia Sepúlveda Secretário: Juliana Soares Secretário: Eliana Montenegro Conselho Fiscal Presidente: Patrícia Coutada Secretário: Diana Côrte-Real Secretário/Relator: Rui Rodrigues


Entrevista

Entrevista ao Director - Quais são os planos para este ano lectivo? Como metas, que o abandono escolar seja de 0% e que o sucesso escolar se aproxime o mais possível dos 100%, ou seja, procurar que todos, alunos, pais e encarregados de educação, auxiliares de acção educativa e professores - Comunidade Educativa – trabalhem para que no final do ano cada um possa sentir a satisfação “Eu consegui , valeu a pena o meu trabalho, o meu esforço”

como Director, que está a trabalhar para que esta ameaça seja só uma ameaça. - Quanto ao ensino articulado, com a escola de música de Esposende, acha que o balanço tem sido positivo? Porquê? Estamos no início do 2º ano desta parceria e é difícil dizer se é positivo ou não. É mais uma ferramenta que se proporciona aos alunos que, de outra forma, nem sonhariam poder aprender música de uma forma tão completa. Mas acho que é muito positiva.

- O que mais o motiva/desmotiva como director da escola? O sentir que ainda posso fazer mais alguma coisa, o sucesso dos alunos, o bem estar desta segunda casa, a pro“Vamos trabalhar!” para cura das melhores condições para todos, etc. etc. O que mais me desmotiva é falta de respeito dos alu- que, no final do ano, sintamos nos para com os auxiliares, para com os professores, o lixo que se atira para o chão e a falta de empenho/trabalho de todos “Conseguimos”. alguns alunos. - Fala-se muito de que esta escola vai fechar. O que nos pode adiantar sobre este assunto? Esta escola pode fechar como muitas outras. Quando se fala em fechar é pelo número reduzido de alunos que ela tem. Só alunos das freguesias de Antas e de Forjães é que vêm para esta escola. Como cada vez são menos, é muito provável que a breve prazo isso venha a acontecer. No entanto, quero realçar que há uma Comissão composta pelo Presidente da Assembleia Geral da Associação de Pais, Presidente do Conselho Geral, dois Encarregados de Educação e por mim próprio

- Atendendo que é director do nosso agrupamento, o que nos pode dizer sobre o desempenho dos professores e funcionários desta escola? Têm desempenhado as suas funções com brio profissional.

- Que mensagem gostaria de transmitir aos alunos e encarregados de Educação? Como escrevi no editorial do mês de Outubro, “estamos num crescimento que se faz de tentativa e erro, por um cair e levantar…”, um sincero incentivo: “Vamos trabalhar!” para que, no final do ano, sintamos todos “Conseguimos”. Por: Afonso Quintão Fotografia: Edgar Casal

5


Actividades Escolares

A República nasceu há 100 anos Numa iniciativa do Departamento de Ciências Sociais e Humanas (área disciplinar de História) e por este coordenada, celebrou-se, a 4 de Outubro de 2010, o centenário da «Proclamação da República Portuguesa». A cerimónia, embora simples, revestiu-se de um brilho especial, fruto, em grande medida, da performance levada a cabo: em redor de uma grande bandeira nacional, erigida em serrim colorido (no chão, no exterior do Polivalente), toda a Comunidade Educativa (alunos, muitos professores e funcionários não docentes) ouviu uma versão daquilo que terá sido a proclamação que o Dr. José Relvas fez, da varanda da

6

Câmara Municipal de Lisboa, para o povo que o ouvia, nesse 5 de Outubro de 1910. O professor António Neiva, do Agrupamento de Barroselas e actor da companhia Teatro do Noroeste, no papel do dito Dr. José Relvas, empolgou a plateia com um desempenho que pareceu colocar, na cena real de 1910, os que assistiam à cena, tal foi o empolgamento que de todos se apossou. E o fascínio continuou quando uma salva de seis morteiros irrompeu pelos ares e o Hino Nacional (com o suporte dos professores da Escola de Música de Esposende e do coro dos nossos alunos que a frequentam) se cantou a plenos pulmões.

A Direcção Executiva do Agrupamento e o Departamento de Ciências Sociais e Humanas deixam aqui público reconhecimento a todos aqueles cuja colaboração tornou possível esta realização, em especial, ao professor António Neiva, da Escola Básica 2,3 de Barroselas, aos professores Duarte Silva, Jorge Afonso e José Pinho, aos funcionários auxiliares António Carvalho, Amândio Dias e Eduardo Pinheiro, à Escola de Música de Esposende, aos alunos do 7ºA e do 9ºC, todos da EBI de Forjães, e às empresas Viana & Filhos, Lda, Lanafor e José Manuel Ribeiro. Professor Basílio Torres


Actividades Escolares

S. Martinho No passado dia 11 de Novembro, realizaram-se as celebrações do São Martinho, na EBI de Forjães, organizadas pela Associação de Estudantes da escola. Esta realizou actividades alusivas ao São Martinho, nomeadamente jogos tradicionais, entre eles: o jogo da corda, corrida de sacos, … Estes jogos destinaram-se a todos os alunos do 2º e 3º ciclos, que previamente se inscreveram, mas também os alunos do 1º ciclo puderam participar. Agradecemos a participação de todos os que estiveram envolvidos nesta actividade.

O Magusto Escolar do Agrupamento Escolas Terras do Baixo Neiva realizou-se no dia 11 de Novembro, com a participação activa da comunidade educativa. Esta iniciativa enquadra-se no âmbito do Plano Anual de Actividades do Agrupamento e, mais especificamente, no P.A.A. do Prosepe - Clube da Floresta "O Bugalho". Estiveram presentes e participaram nesta iniciativa "magusteira" os alunos de todas as turmas do 1º, 2º e 3º Ciclos, alunos do CEF-9º ano e da Unidade -Autistas, com a colaboração dos professores das turmas, Assistentes Operacionais e Associação de Estudantes. As demais turmas do Agrupamento, conjuntamente com o Clube da Floresta "O Bugalhinho"- Jardim de Infância de Forjães, também participaram nesta iniciativa, na escola de Guilheta. “Um abraço "Verde e Natural", com sabor a Ecologia e banhado com perfume do ecossistema e do aroma da biodiversidade.”

A Associação de Estudantes

7


Actividades Escolares

Educação e Formação de Adultos Pensar um Futuro sustentável na Escola de Forjães No passado di 12 de Novembro, os formandos dos cursos EFA da Escola Básica Integrada de Forjães realizaram, no polivalente da escola, a actividade integradora “Pensar um futuro sustentável”. Este evento desenvolveu-se no âmbito do tema “Ambiente e Sustentabilidade” e “Complexidade e Mudança”, dos cursos de Nível Secundário, e do tema “Reciclagem e Resíduos”, do curso Nível Básico. Consistiu na apresentação pública dos trabalhos realizados pelas diversas turmas, que englobou a exposição de cartazes e de objectos construídos a

8

partir de materiais reciclados, a distribuição de desdobráveis sobre a temática do ambiente, a divulgação de projectos associativos ambientais e ainda a apresentação de vários spots publicitários, todos eles relacionados com alertas distintos relativos ao meio ambiente. Desta forma os formandos pretenderam chamar a atenção para as questões relacionadas com o “Consumo e Eficiência Energética”, com os “Resíduos e Reciclagem”, com os “Recursos Naturais” e com “Alterações Climáticas.” Os formandos EFA 22/11/2010

EFA: Educação para a vida No passado dia 11 de Fevereiro, realizou-se mais uma Actividade Integradora na Escola Básica de Forjães. Esta actividade teve como tema “EFA: Educação para a Vida” e constituiu o tema final do Curso EFA de nível básico desta escola. A actividade começou com a exibição de um par de dançarinos de danças de salão, tendo-se seguido a apresentação dos trabalhos preparados pelos próprios formandos. Os formandos começaram por apresentar um bloco noticioso que incluiu notícias de âmbito local, notícias relativas aos Cursos EFA e uma entrevista a dois ex-

-formandos, cujo tema era a sua experiência de formação. Seguiu-se a apresentação de uma peça de teatro baseada na obra “Frei Luís de Sousa”, de Almeida Garrett, protagonizada pelos formandos. A noite continuou com a entrega dos diplomas simbólicos aos formandos finalistas, nos quais se destacavam as características de personalidade mais marcantes de cada formando. O encerramento foi feito por um grupo de concertinas que animou a noite e conduziu o público até um pequeno lanche convívio que encerrou as actividades.


Actividades Escolares

Saúde na escola Educação Sexual... um desafio O Agrupamento de Escolas Terras do Baixo Neiva irá proceder no presente ano lectivo à implementação da Educação Sexual em todos os anos de escolaridade do Ensino Básico, de acordo com a legislação em vigor. O Programa PRESSE-Programa Regional de Educação Sexual em Saúde Escolar -será uma mais-valia para o Agrupamento, uma vez que já prestou formação aos Coordenadores da Saú-

de e Enfermeiros dos Centros de Saúde, os quais procederão posteriormente à formação dos professores responsáveis pela Educação Sexual nas diferentes turmas. Este programa constitui um grande desafio para professores, assistentes operacionais e encarregados de educação, de forma a proporcionar uma verdadeira educação, uma abordagem efectiva dos afectos, do respeito pelo outro, da igualdade entre os sexos, da capacidade de lidar com frustrações, da prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas, da prevenção da gravidez na adolescência, etc...

Educação Sexual na escola Nos dias 8, 9, 17 e 18 de Novembro, realizou-se, na EBI de Forjães, uma acção de formação sobre Educação Sexual, destinada aos professores que serão responsáveis pela docência desta área, nas diferentes turmas do 2º e 3º ciclo. A acção foi excelentemente dinamizada pela professora Diana Costa e pelas enfermeiras Leonor Rosa e Joana Martins, responsáveis pelo Programa PRESSE na escola, que com eficiência e muita simpatia informaram e incentivaram ao debate e partilha de ideias, sobre temas tão variados como a abordagem dos afectos, o respeito pelo outro, a igualdade entre os sexos, a capacidade de lidar com frustrações, a prevenção de maus tratos, a aproximação abusiva e a prevenção da gravidez na adolescência. É de louvar o ambiente formidável em que decorreu a acção, permitindo que, em horário pós-laboral, o trabalho efectuado fosse muito produtivo e gratificante.

Profª Diana Costa Profª Paula Ferreira

Cantinho dos Afectos Olá, eu sou o Gabinete de Apoio e Informação ao Aluno, mas todos me tratam por “Cantinho dos Afectos”. Acabei de chegar à Escola Básica e Integrada de Forjães. Ufa… foi uma viagem e tanto! Na semana de 15 a 25 de Fevereiro conheci muitos meninos e meninas, lá da minha escola. Uns, os do 1º ciclo, muito curiosos e cheios de energia, encheram-me de alegria. Outros, os do 2º ciclo, aventureiros e amorosos, com vontade de descobrir muitas coisas sobre si e sobre os outros. Finalmente,

os jovens do 3º ciclo, assim um bocadinho mais contidos, mas cheios de perguntas misteriosas. Sabem eu gosto muito de mim, sou muito colorido, espaçoso e confortável. Tenho muitas almofadas, pufs, fotografias, um armário mágico e… Ah, lembrei-me! Aqui quase não existem mesas e cadeiras! Foi tão divertido! Aqueles meninos e jovens a espreitar pelas minhas janelas e encostados à minha porta. “Eu quero ser o primeiro” – dizia um. “O que estará a acontecer lá dentro?” – dizia outro

todo entusiasmado. Ainda não sabiam o que os esperava! Fizemos imensos jogos e dinâmicas, conversamos, debatemos, trocamos opiniões, enfim conhecemo-nos melhor. Todos ficavam admirados comigo! Sou muito diferente das salas de aulas. Aqui, neste cantinho, podem estar sentados no chão, conhecer melhor o vosso corpo, falar sobre afectos, colocar todo o tipo de questões e dúvidas, aprender a gostar e a respeitar o ser que cada um de vós é e assim poder compreender e amar o outro. Marquei encontro com os meus novos amigos todas as semanas, à hora de almoço e até já fizemos muitos planos… Estou muito Feliz! As responsáveis pelo Cantinho dos Afectos Diana Costa e Maria Bernardo

9


Visitas de Estudo

Viajando pela História No dia 12 de Novembro, as turmas A e C do 5º ano, da EBI de Forjães, efectuaram uma visita de estudo guiada aos monumentos megalíticos da região. Do roteiro constou o reconhecimento do Menir de São Paio de Antas, Dólmen do Rapido e Castro de S. Lourenço. A primeira paragem foi no Menir de S. Paio de Antas. A arqueóloga lá nos explicou que as comunidades recolectoras faziam os menires, monumentos megalíticos, para marcar território, pois se outros povos quisessem atacar, sabiam que aquele território já estava ocupado. Para fazer um menir, era preciso pegar num pedregulho de granito, desenhar a forma do menir, cobri-lo com objectos inflamáveis e pegar-lhe fogo, e depois deitar-lhe água fria para ele partir. De seguida fomos ao Dólmen ou Anta do Rapido, outro monumento megalítico, este ligado ao mundo dos mortos. As comunidades agro-pastoris

10

enterravam os mortos nestes monumentos na forma fetal e punham-lhes comida e deixavam-lhes instrumentos, pois acreditavam que os mortos renasciam. Nas escavações destes monumentos foram encontradas pontas de setas, pontas de lanças e pequenas facas. Por último, visitámos o Castro de S. Lourenço. Este castro serviu de morada aos povos Galaicos. Estava protegido por muralhas para defesa. Cada família tinha 3 casas: sala de estar, cozinha e casa de banho. Algumas tinham outra casa, a oficina. Em algumas casas encontraram-se objectos. De seguida fomos à capela que lá havia e tirámos uma foto. Da capela tínhamos a vista de Esposende até à Póvoa de Varzim. Por fim, a guia recomendou-nos a leitura do livro «Caturo, O Pequeno Guerreiro». Nesta visita fomos acompanhados pela professora de História, Arminda Moura, e pelos professores de Educação Visual e Tecnológica, Miguel Morais e Paulo Lima.

Visita de Estudo à ETA de Areias de Vilar

No dia 11 de Novembro, a turma B do 5º ano realizou uma visita de estudo à ETA de Areias de Vilar, em parceria com a Esposende Ambiente. Os alunos tiveram oportunidade de conhecer o local onde é tratada a água para consumo humano no nosso concelho e os processos de tratamento utilizados. “Não é magia … um toque e sai água da torneira”.


Visitas de Estudo

Alunos do 7º A em Foz Côa No passado dia 29 de Outubro, os alunos do 7º ano da Escola Básica Integrada de Forjães, acompanhados por alguns dos seus professores, fizeram uma visita de estudo a Vila Nova de Foz Côa. Saíram do recinto escolar às seis horas da manhã e foram de autocarro até ao destino. Como a viagem era longa, pararam numa estação de serviço, onde tomaram o pequeno-almoço. A viagem continuou com uns pequenos incidentes de percurso e, por volta das

onze horas, chegaram ao local da visita. Ainda de manhã, visitaram o Museu de Foz Côa e, da parte da tarde, foram, de jipe, em grupos de sete elementos, acompanhados por um professor e um guia local, ver as tão famosas gravuras e ouvir explicações sobre as mesmas. Os alunos do 7ºA tiveram também na sua companhia o formador na área do cinema, Victor Hugo Pedrosa, para, com a sua ajuda, elaborar um projecto

audiovisual sobre a visita. O objectivo desta visita consistia em aprofundar conteúdos abordados nas disciplinas de História e O Homem e a Sociedade, nomeadamente “A vida do Homem no Paleolítico” e “A Arte Rupestre”, além de promover o convívio e a interdisciplinaridade. Notícia elaborada pelos alunos do 7ºA na aula de Língua Portuguesa

A Exposição de uma vida Mais uma vez a nossa Escola acedeu a um projecto muito importante no desenvolvimento curricular dos seus alunos, como foi o caso ao nos proporcionar uma visita de estudo à excelente exposição internacional, que se encontra agora no Porto, “O corpo humano, como nunca o viu”. Esta exposição é toda ela marcante, contudo a parte mais emocionante é, na nossa opinião, a refe-

rente a gravidezes que não foram bem sucedidas, pois, a partir delas, conseguimos perceber, na perfeição, as várias etapas de desenvolvimento de um embrião humano. A exposição dá-nos uma perspectiva diferente, mas sem dúvida excelente, sobre o nosso corpo, pois estamos a observar corpos reais que têm a vantagem, em relação a maquetas, de nos dar a entender a verdadeira proporção e constituição dos nossos órgãos, alertando-nos também para as consequências dos mesmos serem maltratados, através

de uma alimentação desequilibrada, ingestão de álcool, hábito de fumar, etc. A exposição é fantástica e recomendamos, a quem ainda não a visitou, que não deixe passar a oportunidade. Para aquelas pessoas que não se sentem capazes de o fazer, por serem mais susceptíveis a este tipo de apresentação, apenas queremos lembrar que os corpos estão muito bem tratados, e que “aparentam ser apenas maquetas”. Pela professora Diana Costa

11


Visitas de Estudo

Trilho Pedestre À descoberta das árvores Segunda-Feira, dia 29 de Novembro, fomos fazer uma caminhada pela floresta aqui em Forjães. Saímos da escola por volta das 10:10h mas antes ainda estivemos à escuta do nosso percurso, e fizemos também um grande aquecimento… E, depois sim, começámos a nossa caminhada. Saímos em direcção ao Rio Neiva. Passámos por sítios com água e enlameados, pois tinha chovido, e quando lá chegámos dividimo-nos em três grupos com diferentes guias florestais da Esposende Ambiente (agora não me recordo do nome da guia que estava no meu grupo). Estivemos perto da margem a ouvir o nome das árvores que se podiam avistar lá no outro lado da margem do rio: carvalhos, pinheiros e uma árvore da qual eu gosto muito, o sobreiro. Depois de termos ouvido esse discurso partimos com rumo muito além! Enquanto uns iam à frente e outros atrás muito entretidos a falar de outras coisas, eu e a minha colega Fatinha andávamos à procura de coisas estranhas. Encontrámos várias pedras, todas diferentes, e ela deu com uma pinha muito gira e ao mesmo tempo estranha, de cor acastanhada que parecia mudar para um dourado escuro, o que era na verdade estranho.

12

Depois de muito andarmos chegámos a um sítio entre muitos… um chamado de “ Alto Brasileiro” onde aconteceram coisas muito esquisitas (há muito, muito tempo…vivia aqui uma menina que foi regar as plantas… foi andar a cavalo… e, a certa altura, encontrou um incêndio; o cavalo assustou-se e caiu… e ainda hoje vemos a forma de um cavalo e de uma menina na pedra…). Mais à frente parámos perto de um carvalho jovem onde ouvimos a explicação do bugalho. O guia fez-nos uma pergunta: “Qual é o fruto do carvalho?” Muitos responderam que era o bugalho mas na verdade não é, é a bolota. Depois dessa explicação partimos com rumo à Escola. Mas, antes de chegarmos, parámos num sítio para esperarmos pelos atrasados. Depois, todos juntos, continuámos a nossa caminhada… Ao chegar à escola esperámos que nos abrissem os portões. Já cansados e na escola, descansámos na aula de Formação Cívica. Vera Fernandes, 7º B


Visitas de Estudo

Visita de Estudo a Serralves No dia vinte e sete de Outubro de dois mil e dez, realizámos uma visita de estudo à Fundação de Serralves, no Porto, na qual participaram todos os alunos do quinto ano de escolaridade. Ao chegarmos lá fomos orientados para uma sala rodeada por jardins, pousámos os nossos sacos do lanche e os casacos que tínhamos vestidos e encontrámo-nos com uma jovem guia, de aproximadamente 20 anos, que nos explicou o teor desta visita e nos falou também um pouco sobre os animais que lá havia. Formámos, então, uma fila e deslocámo-nos a um jardim muito grande onde a jovem guia nos dividiu em grupos e pediu para apanharmos al-

guns bichinhos que por lá andavam, tendo-nos fornecido algum equipamento para o efeito. Bem, lá seguimos o caminho e, numa paragem em frente a um tanque cheio de água, rodeado por um pequeno arvoredo, a jovem insistiu para continuarmos a nossa procura. Conseguimos apanhar aranhas, minhocas, moscas, centopeias e outros seres que guardámos em pequenas caixas plásticas transparentes. Depois disso dirigimo-nos novamente para a sala inicial, entregámos o material fornecido à guia e com a sua ajuda classificámos todos os animais encontrados, preenchendo para o efeito uma ficha em

formato de livro. A jovem ficou muito satisfeita com o nosso desempenho. De seguida, reparámos que, na referida sala, existiam também umas caixas de acrílico que continham já alguns animais e nas quais depositámos os que havíamos encontrado no jardim. No final voltámos ao autocarro e regressámos à escola, felizes por ter passado uma manhã diferente e educativa! Carolina Garrido do 5ºB

Visita de Estudo ao Aterro Sanitário No dia 10 de Novembro, realizou-se uma visita de estudo ao Aterro Sanitário do Vale do Lima e Baixo Cávado com a turma C do 7º ano, em parceria com a Esposende Ambiente. Os alunos tiveram oportunidade de contactar directamente com a infraestrutura de tratamento de RSU (resíduos sólidos urbanos) existente na nossa região. Além do aterro

sanitário, local onde são depositados de uma forma controlada todos os RSU produzidos nos concelhos de Viana do Castelo, Esposende, Barcelos, Ponte de Lima e Ponte da Barca, os alunos ainda visitaram a unidade de separação selectiva. Para a unidade de separação selectiva são encaminhados todos os materiais recolhidos através dos ecopontos, sendo

depois encaminhados para a reciclagem. Salienta-se que neste espaço ainda se encontra uma ETAR para tratar os lixiviados e uma estação de produção de electricidade a partir do biogás, materiais estes produzidos pela decomposição dos RSU.

13


Desporto Escolar

Prova de abertura da modalidade Orientação Foi num sábado gelado, muito gelado, que estes pequenos se iniciaram na prática da modalidade de Orientação… Nunca tinham experimentado, as expectativas e receios eram muitos! A equipa, com 33 atletas, saiu de Forjães e rumou à cidade de Braga, mais precisamente ao Bom-Jesus. O local, de belas paisagens, foi o palco de mais uma prova, desta feita de abertura, onde todos os grupos/equipa do distrito iam ver-se ou rever-se pela primeira vez este ano lectivo e prepararem-se para o campeonato que se avizinha. Os nossos atletas tinham a lição bem estudada, conheciam os objectivos desta prova (treinar/ aprender) e todas as estratégias a seguir, para tirarem o melhor partido deste momento. Seguiram à risca as indicações, foram responsáveis, empenhados, e comportaram-se com muito civismo. Estão todos de parabéns! Fizeram um verdadeiro trabalho de EQUIPA!! O mapa é considerado de dificuldade média, com escala de 1:4000, boa rede de caminhos, com zonas de parque, floresta, lagos… Os atletas principiantes realizaram um percurso com 18 pontos (1.500m) e os mais experientes um percurso com 28 pontos (2.700m). A próxima prova está agendada para 22 de Janeiro na Póvoa de Lanhoso -1ª do Ranking Regional Norte do desporto Escolar.

14

Adorámos a prova, alguns já conheciam o Bom Jesus. A parte de que mais gostámos foi andar à procura dos pontos. A pior parte foi ter de esperar pelos nossos colegas… Estava muito frio! Diana Vale e Francisca Carvalho

Em primeiro lugar, queria realçar que a prova foi um sucesso; pelo  menos eu falo por mim, que participei na prova com o mapa difícil (28 pontos). Em  segundo  lugar, acho que o comportamento foi dos melhores, visto que éramos muitos, cerca de 33 atletas. Em termos de prova, os tempos obtidos foram óptimos. A prova realizou-se num sitio agradável, o BOM JESUS. Mesmo com alguns percalços, como o frio, correu melhor que nunca! BJ. Ricardo David Sá


Desporto Escolar

Prova de Orientação na nossa escola Realizou-se na nossa escola no dia 17 de Dezembro, a III Prova Escolar de Orientação. Este ano a actividade realizou-se em articulação com o 1º Ciclo (3º e 4º anos). Os alunos de cada ciclo de ensino realizaram um percurso diferente em equipas de três elementos e o mapa utilizado foi a planta da escola. Contou com a presença de 240 alunos , professores e colaboradores. A manhã decorreu de forma divertida e colorida por todos os cantos da escola… É de salientar o empenho, responsabilidade, dedicação e empreendedorismo de alunos incluídos na organização desta actividade, pertencentes ao Clube de Orientação da escola. Para o próximo ano pretende-se aumentar o numero de participantes e a adesão de mais professores a esta modalidade ao alcance de todos!!

15


Redes Sociais

Redes Sociais

Na nossa opinião, as redes sociais são uma op cidadãos do Mundo, contactando não só com as pes também alguém que está nos antípodas, embora recon Na verdade, o que será que nos atrai tanto para que são óptimas não só para conhecer pessoas de qual tar com os amigos, partilhar e trocar informação e ide também promover campanhas de solidariedade, protec ou até, mais tarde, arranjar emprego, lançando aí o empresas também recorrem a uma ou outra rede para seus funcionários ou descobrir talentos. É exemplo d pessoas que receberam propostas de emprego através d Porém, as redes sociais também têm os seus imp Sabemos que, infelizmente, para muitos acaba por se to por vezes da família, dos verdadeiros amigos, dos estu Crónica

Impacto das redes sociais na educação Na penumbra do quarto destacava-se a luminosidade do computador, parcialmente coberto pela silhueta de Alberto. Viciado em jogos e chats, este estudante universitário passava horas em frente ao tão adorável e fiel ecrã. - Filho, vou ao super-mercado comprar cebolas. Toma conta do jantar – pediu a mãe delicadamente. - Tá bem, mãe, tá bem. Sem dar alguma importância ao pedido que a mãe tinha feito, Alberto continuava a controlar o jogo, enquanto falava no Messenger com os seus amigos. O jovem estranhou o cheiro a queimado, porém não reflectiu sobre o assunto e centrou-se no jogo do adversário. - Alberto, o que aconteceu? Eu não te pedi para tomares conta do refogado? – gritou a mãe, abrindo de rompante a porta do quarto. -Sim, mãe, … Desculpa, estava tão atarefado a estudar para o teste de amanhã que me esqueci… - Está bem. Uma vez que é por uma boa causa, não há necessidade de me

um futuro risonho para o seu menino. Foi mais uma das muitas desculpas Alberto para poder, assim, continuar a alimentar o seu vício e desfrutar da companhia do seu melhor amigo, o computador. Caro leitor, reconhece este perfil? Há tantos “Albertos”, espalhados por este mundo fora… Fazem parte de uma nova geração que passa horas sem fim em frente da “nova caixa mágica”. Estes tornam-se seres solitários, não interagindo socialmente com outras pessoas, comunicando apenas “virtualmente” com dezenas de “pseudo-amigos” que julgam fazer nas redes sociais. No entanto, do outro lado, sem sabermos, pessoas com más intenções podem fazer-se passar por outras, com identidades próximas das nossas, só para tentarem aproximar-se e marcar encontros com outros fins. Felizmente, os nossos pais controlam a participação nestes espaços de comunicação e os nossos professores ensinam-nos a proteger os nossos dados pessoais. Como é óbvio, também não trocamos uma saída com os nossos amigos reais, uma actividade desportiva ou artística por uns minutos com alguém que

chatear contigo. Continua a estudar que eu vou preparar outro jantar – resignou-se mais uma vez aquela senhora, que se sacrificava diariamente em nome de

só diz o que queremos “ouvir”.

16


Redes Sociais

Ligados em rede

portunidade de nos sentirmos ssoas que estão “ao lado” mas nheçamos que há perigos. as redes sociais? Nós diríamos lquer parte do planeta, contaceias, vídeos ou fotografias mas cção do ambiente, dos animais nosso currículo. De facto, as oferecer serviços, contactar os disto, o facto de conhecermos do facebook. pactos negativos na sociedade. ornar um vício, esquecendo-se udos e alguns até do emprego.

Adicionamos aos riscos a possibilidade de as pessoas poderem ser rejeitadas em entrevistas de emprego pelo facto de terem o seu perfil nas redes sociais. Como estamos muito atentos a este assunto, pois, por vezes, frequentamos alguns destes espaços de comunicação, preocupa-nos particularmente o cyberbulling, uma vez que são já conhecidos vários casos de adolescentes que enviam os seus dados pessoais a desconhecidos e estes manipulam as informações e fotografias, prejudicando-os de diversas formas. Assim, porque achamos muito útil e interessantíííííííiííííííííííííííííííííííííííííííííí ííiíímo este mundo virtual, deixamos aqui um conselho: Malta, falem com os vossos professores de TIC. Peçam conselhos sobre a melhor forma de protegerem os vossos dados pessoais. Alunos do 8ºA Ana Cruz ;Andreia Meira; Ricardo Costa; Sara Rodrigues

Rap em Red es Sem consciência do perigo Por trás do ecrã Somos influenciados Como se não houvesse amanh

ã.

Tornou-se um vício Estar na rede social Sem nos apercebermos Esquecemos o real. Temos todos os dias Novidades para dar Amigos novos Fotos p’ra comentar. Chego da escola E só penso em teclar Mochila para um canto Quero socializar. Twiter, facebook, … É o que está a dar 24 Horas por dia Não tenho tempo p’ra estudar. Vantagens e desvantagens De uma rede social São muitas as opiniões Uns acham bem outros mal. Alexandre; Anthony; Miguel;

Pilar; Tiago.

17


Redes Sociais

Redes Sociais

18

O Facebook é uma das redes sociais mais utilizadas da actualidade, foi fundado por Mark Zuckerberg, Dustin Moskovitz, Eduardo Saverin e Chris Hughes, ex-estudantes da Universidade Harvard e lançado em 4 de Fevereiro de 2004. Inicialmente, a adesão ao Facebook era restringida apenas aos estudantes da Universidade Harvard, sendo, depois e em apenas dois meses, expandida ao Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), à Universidade de Boston, ao Boston College e a todas as escolas Lvy League.

Muitas universidades individuais foram adicionadas no a 27 de Fevereiro de 2006, o Facebook passou a aceitar també ensino secundário e algumas empresas. Desde 11 de Setembro de 2006, apenas podem incorpor com 13 ou mais anos de idade. O website possui mais de 500 milhões de utilizadores act maior site de fotografias, com mais de 60 milhões de novas foto

O Fotolog, líder de foto-blogging e um fenómeno cultural mundial, é um dos maiores sites de redes sociais da Internet, com mais de 22 milhões de utilizadores em mais de 200 países. O flog (abreviatura de Fotolog) conta com algumas ferramentas para classificar informações técnicas a seu respeito, todas elas sendo disponibilizadas na Internet por servidores exclusivos ou utilizadores comuns. Os sistemas de criação e edição de flogs são muito atractivos pelas facilidades de criação que propõem, pois não é preciso ter conhecimento de HTML. Isto leva as pessoas a preferi-los à criação de sites pessoais que envolvam programação. Num flog, o principal objectivo é compartilhar imagens de maneira interactiva, já que as pessoas que visitam o site, geralmente, podem fazer comentários, sugestões ou críticas.

Para alguns, os flogs consistem apenas numa maneira de m amigos e família; outros utilizam-nos a um nível mais profissio ções técnicas mais elaboradas.

O Hi5 é uma rede social virtual que, até 2008, foi dos 20 sites mais visitados na Internet. A empresa foi fundada em 2003 por Ramu Yalamanchi, que é actualmente o seu director. O Hi5 afirma que tem 60 milhões de membros activos, dos quais 4,2 milhões só em Madagáscar. No Hi5, os utilizadores criam uma página pessoal para mostrar os seus interesses, idade e local de habitação (se acharem bem), bem como carregar imagens onde outros utilizadores podem comentá-las. O site também disponibiliza a possibilidade de criar álbuns de fotografias, bem como instalar um leitor multimédia para reproduzir as suas canções favoritas. Os utilizadores podem enviar entre si pedidos de amizade, podendo aceitar e rejeitar os que receberem, bem como bloquear directamente os utilizadores. O Hi5 possui o sistema de grupos em que um utilizador pode aderir a um

determinado grupo consoante os interesses desse mesmo grupo canções, etc.) O hi5 está traduzido em várias línguas e encontra-se, tamb tes versões de uma mesma língua. Além de se encontrar em in estadunidense), o site está traduzido em diferentes versões de esp mexicano, argentino …), de português (europeu e brasileiro), mão, italiano, neerlandês, romeno, polaco, turco. Foi, também de relacionamentos com versão em mirandês.

Que perigos podemos correr? • Dados pessoais na página de perfil. • Apropriação de identidade. • Falsas identidades. • Imagens, opiniões e outros. Que cuidados devemos ter? • Não fornecer inadvertidamente dados pessoais, pois

Eduarda F


Redes Sociais

ano seguinte. Em ém estudantes do

rar-se utilizadores

semana, ultrapassando, inclusive, sites dedicados à fotografia. No Ad Planner Top 1000 Sites, divulgado em Fevereiro de 2011, o Facebook aparece como 1º classificado, com 590 milhões de visitas e um alcance global de 38,1%.

tivos. É, ainda, o os publicadas por

mostrar fotos aos onal, com produ-

Eduarda e Vânia, 8º A

• • •

vados. Colocar os perfis como privados. Ter cuidado com as fotografias colocadas. Não colocar informações sobre terceiros.

A violência já chegou às redes sociais estes não são pri-

o (países, cidades,

bém, em diferennglês (britânico e panhol (europeu, , em francês, alem, o primeiro site

Filipa, 8º B, n9

Na passada terça-feira, dia 24 de Maio, o país assistiu a um vídeo publicado nas redes sociais que mostrava uma jovem a ser agredida por outras duas, numa zona de Lisboa. Segundo conseguimos apurar, as duas jovens, com idades compreendidas entre 15 e 16 anos, agrediram uma terceira, de 13 anos, dando-lhe socos e pontapés em várias partes do corpo, inclusive na cabeça, enquanto um outro jovem filmava. Tudo isto ocorreu nas imediações do Centro Comercial Colombo, perante a indiferença de uns e o incentivo à violência por parte de outros, jovens, que por ali passavam. Uma das agressoras e o alegado autor do vídeo ficaram em prisão preventiva; a outra, num primeiro momento, foi dada como desaparecida. Entretanto, já foi encontrada e aguarda julgamento num centro educativo em Vila do Conde. A vítima saiu da zona de Belas, onde residia, e refugiou-se com a mãe e a irmã mais nova em Trás-os-Montes, com medo de represálias. Inês Correia, Mariana Miranda, Patrícia Morêncio, Rafael Cruz e Ricardo Correia

19


Desporto Escolar

Corta-mato escol

No dia 18 de Janeiro, decorreu em ambiente de grande festa mais um Corta-Mato Escolar. Conforme o ano anterior, a prova realizou-se no exterior, percorrendo algumas ruas da Vila de Forjães. Mas, este ano, com parte do percurso a passar dentro das instalações da escola. A festa de abertura teve início com

20

o tradicional desfile, com bombos e gigantones, de todos os participantes até ao Estádio Horácio Queiroz , seguida pela apresentação de uma dança coreografada a cargo de uma turma do 1º Ciclo. O início das corridas deu-se com as provas dos alunos do Jardim de Infância, seguindo-se as provas dos restantes escalões. Os professores de Educação Física introduziram, este ano, duas alterações que resultaram muito bem no desenrolar da prova: realização em simultâneo de provas de feminino e masculino no mesmo escalão e a substituição dos “velhos” dorsais de fio por pulseiras coloridas. No total participaram neste evento 390 alunos, distribuídos pelos seus respectivos escalões etários. As turmas mais participativas foram o 5ºB, no 2º ciclo, e o 7ºB e 7ºC, empatados, no 3º ciclo. Entre eles será sorteado um prémio de participação.


Desporto Escolar

lar

Os primei ros

Picachus: Catarina Sá, Lara Ribeiro, Beatriz Sá, Miguel Costa, António Carvalho, Rúben Cruz; Benjamins: Mónica Laranjeira, Ana Rodrigues, Catarina Silva, Tomás Araújo, Bruno Neiva, Jorge Lima;

Infantis A: Francisca Carvalh o (5ºC), Diana Vale (5ºC), Carolina Garrido (5ºB), Diego Baptista (5 ºB), Tiago Costa (5ºA ), Diogo Abreu (5ºC );

...

Infantis B: Helena Pereira (7ºC ), Andreia Rolo (6ºA ), Catarina Torres (7 ºB), Sérgio Caramalho (7ºC), Fábio Rodrigues (6 ºC), Tomé Cruz (7ºC); Iniciados: Eduarda Pereira (8 ºA), Sara Torres (9ºA), Mariana Miranda (8ºA), Hugo Cruz(9ºB), Anthony Esteves (8 ºA), David Rolo (9ºA);

Os três primeiros classificados de cada escalão foram os seguintes: Os seis primeiros classificados ficaram automaticamente apurados para representar a escola nos Corta-Matos de Esposende (04/02/11) e Guimarães (15/02/11). Parabéns a todos os participantes e um especial agradecimento a todos os alunos, professores e funcionários que colaboraram na organização deste evento.

Juvenis: André Baeta (CEF ), José Fernandes (9 ºA), Manuel Santos (C EF).

21


Jardim de Infância

Jardim de Infância Olhar com olhos de ver Estamos a terminar o mini projecto "As profissões". Esta temática foi explorada de forma articulada, envolvendo todas as áreas de conteúdo das Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. As profissões e o papel social de cada uma delas são conceitos que as crianças em idade pré-escolar devem adquirir de forma a construírem plenamente a sua cidadania. Com o desenvolvimento do tema, pretendeu-se, de forma geral: reconhecer a importância das profissões na sociedade; identificar profissões mais e menos comuns; e associar concei-

tos e características de diferentes profissões. Neste contexto, cada criança falou sobre a profissão dos Pais, familiares ou amigos, descrevendo a sua importância, e trouxe para a Escola os instrumentos de trabalho utilizados em cada uma delas. Alguns Pais prontificaram-se a vir explicar às crianças aquilo que faziam, para que as aprendizagens fossem consolidadas de melhor forma. O interesse do grupo por este pequeno projecto levou ao conhecimento de outras profissões. E, assim, convidámos Graça Paz, pintora e decoradora que adoptou a vila de Forjães como sua terra e, se-

gundo ela, “adora aprender com a liberdade que só as crianças têm”. E lá apareceu para dar alma à sua veia de "Professora", transportando caixas de lápis, folhas, paciência, boa vontade e uma excelente disposição. Ensinou-os a observar e a desenhar com os olhos, desenvolvendo desta forma a criatividade e a sensibilidade estética. Todos tiveram o seu apoio de forma individualizada e uma palavra de incentivo à “obra” em execução. O resultado foi maravilhoso! Temos verdadeiros artistas… Educadora Rita Caetano

Partilha de saberes e afectos O Jardim de Infância é inúmeras vezes definido como o primeiro espaço de iniciação às práticas de cooperação e de solidariedade de uma vida democrática. Nele, as crianças deverão criar com os adultos as condições materiais, afectivas e sociais para que, em comum, possam organizar um ambiente institucional capaz de ajudar cada uma delas a apropriar-se dos conhecimentos, dos processos e dos valores morais e estéticos, gerados pela humanidade no seu percurso histórico-cultural. Fazendo parte do quotidiano da criança e sendo o prolongamento do lar, onde a criança se socializa e partilha a sua rotina pessoal., consideramos que os Pais devem estar envolvidos em

22

todo o processo de aprendizagem. No Jardim de Infância de Forjães, temos incentivado os Pais a participar mais activamente na vida escolar dos seus filhos. E eles, de bom grado, têm acedido aos convites! As crianças pedem aos Pais colaboração para a realização dos seus projectos, quer na recolha das informações que hão-de ser trabalhadas na sala de actividades, quer convidando-os para virem “fazer coisas”. São as próprias a dizer: “A minha Mãe sabe contar muito bem histórias”; “a minha Mãe sabe cantar”; “a minha Mãe sabe fazer iogurtes” e tantas outras coisas que os seus Pais sabem fazer tão bem… E insistem para que os Pais venham!

Esta interacção contínua entre todas as partes envolvidas no processo educativo, através de experiências partilhadas e de trabalho em comum, acrescenta motivação e significado às aprendizagens escolares, criando um ambiente facilitador para o desenvolvimento pleno das crianças. Nestes momentos de partilha (que esperamos continuem a existir), trocaram-se saberes e construíram-se afectos. Educadora Rita Caetano


Jardim de Infância

Jardim de Infância de Forjães é premiado com mais uma menção honrosa

O jornal Público, através do projecto que promove, “O Público na Escola”, atribuiu, pela segunda vez, uma menção honrosa ao Jardim de Infância de Forjães, pela sua participação, com o jornal “Mensagem da Escolinha”, no concurso de jornais escolares, no ano lectivo 2009/2010. O passado dia 23 de Março foi mais um dia vitorioso para nós, que nos deslocámos a Braga, para receber, das mãos do júri que seleccionou o nosso jornal, a bonita menção honrosa que todos apreciámos e da qual nos orgulhámos, por simbolizar o resultado de todo um esforço colectivo, baseado na partilha de saberes, experiências, habilidades e vivências, em benefício de um querer aprender a fazer mais e melhor. Estamos, portanto, todos de parabéns e, muito especialmente, os nossos “pequenos grandes leitores e escritores”, que são os principais mobilizadores e construtores do projecto, pondo à prova a sua capacidade de iniciativa, cooperativismo, expressão e comunicação, imaginação, criatividade, sentido estético, espírito crítico… Era nosso desejo, assim como do Dr. Jorge

Madureira, coordenador e responsável do projecto “O Público na Escola”, que todas as crianças, educadoras, assistentes operacionais, pais/encarregados de educação e outros intervenientes no jornal estivessem presentes na cerimónia de entrega de prémios, que decorreu no maravilhoso salão medieval da Universidade do Minho, dado que todos, sem excepção, são vencedores, na medida em que o merecem; contudo, devido a condicionalismos de transporte, de logística e das obrigações profissionais da maioria dos envolvidos, tal não foi possível. Deste modo, estiveram presentes os representantes dos pais/encarregados de educação de cada grupo/sala, acompanhados dos respectivos filhos/educandos, representantes das educadoras, o Director do Agrupamento, o senhor Presidente da Junta de Freguesia e um professor responsável pelo Clube da Comunicação do Agrupamento. O jornal “Mensagem da Escolinha” é um projecto que teve início no ano lectivo 2006/2007, tendo sido distinguido, logo nesse ano, com uma menção honrosa, na categoria de design. Constituiu um novo e importante desafio, no qual se envolve-

ram directa e indirectamente todas as crianças do Jardim de Infância, as educadoras, as assistentes operacionais, os pais/encarregados de educação e toda a comunidade educativa. Através do nosso jornal, pretendemos dar uma maior visibilidade e divulgar as actividades desenvolvidas na educação pré-escolar e, consequentemente, o seu valioso contributo para o desenvolvimento global e harmonioso das crianças, que nelas participam activamente. Por outro lado, é um importante veículo de comunicação entre escola – famílias – comunidade, desempenhando um papel relevante na valorização e fortalecimento destas relações, estimulando e favorecendo sempre a participação activa de todos na vida da escola, de uma forma consciente e responsável. O nosso muito obrigado a todos os que contribuem para o sucesso educativo das crianças e parabéns por o fazerem de um modo tão gratificante! O prémio que recebemos é com certeza mais um estímulo para continuarmos a desenvolver este projecto no sentido da sua melhor qualidade. Artigo elaborado pela educadora Irene

23


1 Ciclo

1º Ciclo

Para o nosso amigo Cristóvão O Cristovão, na nossa Escola, foi um grande amigo. Na sala, no recreio, na cantina, ou na rua , o Cristovão tinha sempre um sorriso para nos dar. Era muito empenhado e trabalhador, dizia o Raul, seu primo que brincava muito com ele e afirmou que o Cristovão nunca se zangava. Tinha um coração muito bom e era simples e generoso. Mas, um dia, o seu coração parou. A nossa alegria acabou e veio a tristeza, e a saudade nunca mais morrerá nos nossos corações. Sabem uma coisa? Não conseguimos escrever mais… Texto colectivo: Turma 3 AF Professor: Carlos Manuel de Lima Barros

XI Encontro Distrital de Clubes da Floresta

O Agrupamento Vertical de Escolas Terras de Baixo Neiva esteve presente no XI Encontro Distrital de Clubes da Floresta, em Celorico de Basto, no dia 27 de Maio de 2011. As turmas do 2º e 3º anos de escolaridade dos professores Carlos Barros e Manuel Boaventura participaram neste Encontro, acompanhados pelas Assistentes Operacionais Dª Rosa e DªIsabel. Foi uma iniciativa com forte pendor cultural: exposição, jogos tradicionais, visitas a moinhos, espigueiros e uma inevitável

24

caminhada pedestre, onde as crianças de Forjães foram resistentes, atentas e muito bem comportadas. Para "rechear" este convívio, o prof. Marcelo Rebelo de Sousa esteve presente entre as nossas crianças e a sua simpatia contagiou-nos a todos. O nosso bem-haja à Câmara Municipal Esposende e Esposende/Ambiente pelo apoio dado - transporte - num veículo excelente com uma comodidade maravilhosa. Valeu a pena: a Floresta está nos nossos corações.


1 Ciclo

Dia Mundial da Música Algumas opiniões dos alunos do 3º ano: (3º AF): Para a nossa professora de Música Lara Rodrigues “Eu gosto muito de música”. “Adoro tocar piano e até tenho um em casa” Inês Santos

“Os meus cantores preferidos são: Tony Carreira , Zé Amaro e Quim Barreiros”. Pedro Miguel “A minha actividade preferida é a música porque me inspira a cantar e a tocar”. “O Dia da Música é importante para mim, descontrai-me e diverte-me…”

“A Música é magia da liberdade do 25 de Abril”. “A música é uma flor num jardim”. “É a cor do céu!...” Andreia Liliana

Joana Lima

“Gostava de tocar violino. Gosto da música da Lady, Ahakira, Jonas Brothers, Katy Deny e A música dos Morangos com Açúcar”. Eva Lima “O Tony Carreira canta bem e tem uma banda e é fixe”. “Ele é um espectáculo…” “As pessoas adoram-no e já fez tatuagens…”

“Gosto da Música porque me faz descontrair” “Tenho bandas preferidas: Shakira, L. Gagy , Mickel Jackson…” Tomás “Eu adoro música porque gosto de tocar piano, flauta e bateria”. “Os meus cantores preferidos são: Tony Carreira, D`zert”, Santamaria…” Ana Sofia “Gosto muito de música porque é muito divertida” Ana Margarida

António Sérgio “A Música é uma onda de beleza que desliza sobre as superfícies oceânicas” “A Música é o coração da vida…” “A Música é o nosso “ciclo da vida”…” CMLB

“Adorava tocar piano porque gosto da música de piano” Cláudia Coutinho “Eu gosto da Música e o meu instrumento preferido é a bateria”.

cOMO SE FAZ UM FOLHÁRIO? Uma senhora engenheira da Câmara Municipal de Esposende, veio à nossa sala - turma do 3º AF – ensinar-nos como se fazia um folhário. Mostrou-nos alguns cartazes, falou-nos de técnicas para se fazer esse folhário e nós estivemos muito atentos à sua explicação. Uma funcionária da Câmara ajudou-nos, depois, a fazer esse trabalho. Os alunos observaram desenhos de folhas de várias árvores e identificaram-nas com o nome comum e científico, fazendo diversos desenhos. Era

cada nome cientifico mais esquisito!... Deram-nos folhas secas de árvores , com os nomes comuns e científicos, que foram coladas numas folhas de cartão reciclado e, todas juntas e furadas, construímos o nosso folhário com as folhas presas por um cordel ou fio. Como somos uma turma curiosa, quisemos fazer o nosso folhário um pouco diferente e, mãos à obra, com a ajuda do nosso professor. O nosso amigo professor Carlos ajudou-nos

a apanhar algumas folhas de árvores existentes na nossa escola e colocámos essas folhas dentro de uma lista telefónica velha. Passados uns dias, essas folhas ficaram secas e fizemos um novo folhário. Agora temos dois folhários para comemorar o Dia da Floresta Autóctone. Turma 3 AF

25


Comemoração

Festa dos 25 anos 25 anos - Uma razão para continuar Boa Noite, Em 1º lugar quero agradecer a Vª presença porque sem ela nada disto tem razão de ser. Em 2º lugar agradecer a todos aqueles que trabalharam afincadamente para que tudo isto fosse possível – alunos, n/docentes e professores, bem como a Comunidade Educativa que colaborou da forma mais diversificada. Estamos a encerrar as comemorações dos 25 anos de escola e iniciar o seu vigésimo sexto. Muita coisa sonhamos fazer neste ano para que esta data fosse de facto um marco mas… Muitas coisas se fizeram, mas o nosso caminho não é feito de um ano. O nosso caminho tem se feito caminhando, por isso é que estamos aqui. Reparem na escola, reparem em todos os que por aqui passaram e que hoje se encontram nos mais variados cantos do mundo. Esta é a nossa marca - a marca da escola. Marca que lança saberes, cultura interrogações, dúvidas, E, é por isso, que estamos aqui. Não nos acomodamos no tempo – Temos: Cursos de Educação e Formação de Jovens (CEFs), temos os cursos EFAs (Educação e formação de adultos) (Lanço mais uma vez repto inscrevam-se,) estamos com os novos programas de Matemática, participamos no programa de apoio à Matemática (PAM), somos das poucas escolas a trabalhar no programa PRESSE (programa de saúde escolar), temos uma participação máxima nos programas educativos da Câmara Municipal, ensino articulado de música, etc. etc, por isto é que estamos aqui. Também temos as nossas lacunas, os nossos problemas, as nossas falhas, queremos corrigir, melhorar. Também é por isto que estamos aqui. Mas, estamos em festa - vamos à festa Também é por ela que estamos aqui. 25 anos e com razão para crescer O Director Manuel Ribeiro Texto lido na abertura da Festa Comemorativa dos 25 anos da nossa escola

26


Actividades Escolares Conta com a Matemática De acordo com o Plano Anual de Actividades e organizado pela Área disciplinar de Matemática, decorreu, no dia 22 de Fevereiro, a fase Inter-Turmas, de apuramento para o 7º Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos. Para o efeito, reuniram-se no polivalente da Escola Básica Integrada de Forjães os alunos de cada turma e ano de escolaridade apurados para esta fase. Foi num ambiente de entusiasmo e desafio que os concorrentes do 1º, 2º e 3º ciclos aguardaram pela sua vez de jogar. Assim, sucessivamente, foram-se apurando, ao longo da tarde, finalistas dos jogos Semáforo, Cães & Gatos, Hex, Ouri e Rastros, que, depois de vários jogos e eliminatórias, saíram triunfantes, com bilhete para Lisboa, para disputar a Fase Final, no dia 18 de Março, no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Pela professora Sandrina Afonso Lima

E dos pacotes de leite, sumos... se decorou a nossa escola A Área Disciplinar de Educação Visual e Tecnológica não deixa de nos surpreender!!! Um presépio gigantesco todo feito com bocadinhos de embalagens tetra-pac e uma árvore, também ela, com as mesmas embalagens e igualmente enorme… tão grande que

não conseguimos arranjar espaço para ela no nosso jornal! Agradecimentos? Claro! A toda a comunidade educativa, pelas embalagens disponibilizadas, a todos quantos colaboraram na execução do painel, ao Professor Jorge Afonso e ao Senhor Amândio, pela estru-

tura da árvore, e um pedido de desculpas aos alunos e respectivos professores, pelo transtorno provocado pela necessária troca de salas.

27


Actividades Escolares

Nuno Castelo Quintão vence o concurso Landmarks

A editora que publicou o meu livro de língua inglesa (Upload 5ºano ) lançou o concurso Landmarks. Fiquei muito curioso e, no dia em que a minha professora de Inglês, professora Paula Ferreira, nos explicou o concurso, fui imediatamente consultar na Internet o desafio que era lançado a nível nacional. Confesso que fiquei entusiasmado, pois o trabalho consistia em elaborar um desdobrável, que descrevesse a história de um monumento local. Pensei logo na Escola Rodrigues de Faria, agora Centro Cultural Rodrigues de Faria. Se fosse o vencedor, ganharia uma Nintendo Wii; vinha mesmo a calhar, pois desejava muito ter uma. E não só… A minha escola e a minha professora de Inglês, que me orientaria na elaboração e correcção do trabalho, também seriam contempladas com um prémio.

Comuniquei aos meus pais que queria participar e eles disseram: - Concorre, mas não te convenças de que vais ganhar! Mesmo assim resolvi concorrer; afinal não perdia nada. No dia da divulgação dos resultados, estava ansioso, apreensivo, e pensava “ Quem será o vencedor”? Mal cheguei a casa vindo da escola, fui logo à Internet e qual o meu espanto quando li: “And the winner is… Nuno Miguel Castelo Quintão”. Nesse dia senti-me muito feliz. Saltei, saltei e saltei de alegria até a minha mãe chegar a casa. Ela não acreditava que eu tinha ganhado o concurso. Mais tarde, chegou o meu pai que não se convencia. Mas era verdade! Artigo elaborado pelo aluno Nuno Quintão do 5ºB com o auxílio da professora de Inglês Paula

Semana da Leitura Decorreu de 21 a 25 de Março a Semana da Leitura e, desde o PréEscolar aos EFA, alunos, professores e encarregados de educação, todos leram ou ouviram ler. histórias de encantar, poesia, as notícias mais recentes ou textos de opinião. Houve de tudo um pouco, na expectativa de agradar a todos.

28

Ferreira


Unidade de Autismo

Unidade de Autismo O Autismo O autismo é uma desordem do desenvolvimento cerebral caracterizada, para além de comportamentos restritos e repetitivos, pela degradação da interacção social e da comunicação. Estes sinais começam antes de a criança completar três anos de idade. Quando as crianças com autismo crescem, desenvolvem variados comportamentos sociais. Alguns permanecem indiferentes, não entendendo muito bem o que se passa na vida social. Comportam-se como se as outras pessoas não existissem, olham através de nós como se não estivéssemos lá e não reagem a alguém que fale com elas ou as chame pelo nome. Frequentemente as suas faces mostram muito pouco de suas emoções, excepto se estiverem muito agitadas. São indiferentes ou têm medo dos seus colegas e usam as pessoas como utensílios para obter alguma coisa que queiram. As crianças com autismo têm graves dificuldades na comunicação, na interacção social, na imaginação, e, consequentemente, apresentam problemas comportamentais.

Natação Estruturada A Natação estruturada fez parte do currículo dos alunos da Unidade de Ensino Estruturado de Autismo, que funcionou na nossa escola pelo primeiro ano. Esta unidade deu apoio a 5 alunos com perturbações do espectro do autismo, matriculados no 1º ano de escolaridade. A modalidade de Natação decorreu na piscina Municipal de Forjães às segundas-feiras pela manhã com dois grupos de trabalho de 45 minutos cada: o primeiro grupo, com três alunos (Guilherme, Bruno e Simão), e o segundo, com dois alunos (Diogo e Rafaela). Funcionou, como o nome indica, com o planeamento de tarefas estruturadas em imagem real, fixadas individualmente num horário. Estas tarefas são iguais para todos, mas aplicadas com objectivos e estratégias diferenciados. Durante a realização das actividades aquáticas, muitas outras competências e capacidades são estimuladas em simultâneo como a linguagem oral; a classificação de objectos, animais, cores, números; a coordenação; a motricidade fina, etc. As metas traçadas para cada aluno foram alcançadas, com maior destaque para a competência do saber estar e o cumprimento de tarefas propostas. A adaptação ao meio aquático ainda não foi adquirida em pleno por todos, mas os progressos foram visíveis. Alguns já seguem todos os procedimentos estipulados na estrutura da aula sem grandes indicações: ao terminar uma tarefa, dirigem-se ao horário, retiram a tarefa realizada colocando a imagem no cesto, apontam para a actividade seguinte e procuram-na na berma da piscina. Equipa de Ensino Especial

29


Textos dos alunos

Os alunos escrevem:

Desespero... e...! Este pobre estudant tudo...

Estudo, estudo, es dos... Sempre sem resulta mim! Tudo depende de as! Uma salva de palm . Desta já me livrei.. Aleluia, aleluia... Não posso é parar! r. Tenho de continua Esta vou ganhar...!

Bárbara Alves, nº

30

4, 6º C

Prof. Fernando Marinho

Quando eu for crescidinho Um lugarzinho quero ter! Andar nesse mundo, sem Nada que temer, Demasiado pequenino! O meu pensamento é verdadeiro!

Quando for crescido

Estudante Oração do

Ó Meu Deus... para Rezo todos os dias Amanhã acordar ência do mundo, Çom toda a intelig ta, no teste, tirar... Ãpenas para boa no tudar! Ó paciência para es

terceiro número, que será publicado perto do final do 3º período. Estas publicações podem ser vistas, na Internet, através dos endereços: Publicação 1: http://issuu.com/coisinhas/docs/palavras_borla1 Publicação 2: http://issuu.com/coisinhas/docs/palavras_borla_2

Formam-se boas ideias para quando eu crescer. O que eu quero ser quando for grande? Resta-me ainda pensar, mas eu tenho a Certeza que contigo posso contar... Reescrever nas paredes: Eu sei que consigo ! Sempre sonhei , e vou ser digno de Conhecer e Investigar qual, no mundo, o meu lugar! Dentre os dedos se move a curiosidade, mas só O tempo saberá qual o lugar que me esperará! Catarina Gonçalves, 6º A

Inspiração

No decorrer deste ano lectivo, os alunos das turmas do 6º ano foram desafiados para levarem a cabo um pequeno projecto: elaborar uma publicação digital que fosse, na íntegra, composta apenas por textos da autoria deles. A ideia foi bem aceite e a adesão fez-se notar. Nasceu, então, o “Palavras de Borla”. Até ao momento, foram elaborados dois números desta publicação, um no final do 1º e outro no final do 2º períodos, estando, na forja, a elaboração do

Vamos fazer um poema!

Como, se não temos inspiração?

Inspiramos, expiramos e esperamos a

Arrastando o cansaço e a insatisfação.

inspiração

Versos teimosos, versos rasgados…

Criatividade ausente nestes pensamentos

Vamos fazer uma planificação!

e palavras

Para quê?! Se não ficam ritmados! Vamos tentar outra vez! Escrevemos, riscamos… ah, versos teim osos

Não temos tema nem lema …

!

E assim acaba este poema!

8ºB – Artur; Ana; Catarina, Graciela,

Diogo


Esta revista pertence a:


ção Evolução Persistência

Sonho Diferença

Ciência

Aprender Crescimento Educação Evoluç Ensino

Comunidade Futuro Forjães ducação uralidade SucessoEnsino Desporto encontro Amor Saúde Sonho Escola Mundo

Cidadania

Sentimento

Igualdade Diferença Educação

Escola Dedicação

Alegria

Amor

Escola Mundo

Educação Am

Saúde Cultura Esforço Pluralidade Humanidade Desilusão Desencontro

abalho Escola Pl u ral i d ade Sucesso Ensino Cidadania scimento

Pluralidade

Igu

So Comunicação Arte Progresso EvoluçãoPersistência Sonho Aprender Crescimento De a EducaçãoEscola Ensino Escola Educação ultura Educação Forjães Comunidade Futuro Esc sforço Amor Dedicação Choro

Alegria

Cidadania

Pluralidade

usão Desencontro

Ciência

Diferença

Mundo

Sentimento

Amor SucessoEnsino Desporto Sonho Saúde

Alegria

Cultura Educ

Trabalho Esforço Plurali Humanidade Desilusão Desenco Pluralidade

ia Forjães Igualdade Choro Comunicação Cidadania ão Evolução Persistência Sonho Arte Progresso Aprender Crescimento Diferença Escola Evoluçã Comunidade Futuro Ensino Escola Educação Forjães Escola ucação Amor Dedicação Cultura ralidade SucessoEnsino Desporto Amor Saúde Esforço Educação F ncontro Pluralidade Sonho Igualdade Saúde Desilusão Humanidade Desencontro Amo Diferença Igua balho Escola Pl u ral i d ade Sucesso Pluralidade Ensino Cidadania imento So Choro Comunicação Arte Progresso Sonho Educação Evolução Persistência Aprender Crescimento Des Diferença Escola Ev Ensino Escola Educação ura Educação Forjães Comunidade Futuro Escol orço Pluralidade Amor Dedicação Cultura ão Desencontro Amor SucessoEnsino Desporto Trabalho Esforço Educa Pluralid Saúde Sonho Igualdade Humanidade Desilusão Desencon acimentoForjães Comunicação Cidadania Cid Arte Progresso Sonho Educação Evolução o Persistência Aprender Crescimento Escola EvoluçãoPersis Ensino Escola Educação tura Educação Forjães Comunidade Futuro Escola forço Amor Dedicação

Ciência

Mundo

Cidadania

Sentimento

Alegria

Mundo

Educação

Alegria

Mundo

Cidadania

Choro

Alegria

Alegria

Pluralidade

Ciência Ensino Desporto Sonho Cidadania

são Desencontro

Ciência

Diferença

Mundo

Pluralidade

Sentimento

Amor Sucesso Saúde

Sentimento

Chor

Educação Forjã Amor Sucess

Alegria

Mundo

Saúde Cultura Esforço Pluralidade Humanidade Desilusão Desencontro

Igualdade Diferença a o Trabalho Ensino EscolaComunicação Cidadania Pluralidade Igualdade der Crescimento Pluralidade SucessoChoro Sonho Educação Evolução Persistência Sonho Arte Progresso Desport Aprender Crescimento Diferença scola Escola dicação Cultura Evoluçã Comunidade Futuro Ensino Escola Educação Forjães Escola alho Esforço Educação Amor Dedicação Cultura Pluralidade F Amor SucessoEnsino de Desilusão Desencontro Desporto Trabalho Esforço Educação Pluralidade Sonho Humanidade Desilusão Desencontro Igualdade Saúde Amo dania Pluralidade ForjãesChoro mento Igu Comunicação Cidadania Cida Educação Evolução Persistência Sonho Arte Progresso Aprender Crescimento Diferença Escola Choro Educação Evolução Futuro Comunidade Persistê Ensino ra Educação Forjães Escola Escola Amor Dedicação rço Pluralidade Forjãe o Desencontro Amor SucessoEnsino Desporto Educação Saúde Cultura Esforço Pluralidade Sonho Humanidade Desilusão Desencontro Amor Sucesso Diferença a Trabalho Igualdade Saúde Igualdade Escola Pl u ral i d ade Sucesso Pluralidade Ensino Cidadania er Crescimento Sonho Choro Comunicação Arte Progresso Sonho Educação Evolução Persistência Aprender Crescimento Desporto Diferença cola Escola ação Cultura Evolução Ensino Escola Educação Escola Educação Forjães Comunidade Futuro lho Alegria

Educação

Mundo

Cidadania

Alegria

Sentimento

Mundo

Cidadania

Sentimento

Ciência

Ciência

Alegria

Alegria

Mundo

Mundo

Educação

Alegria

Mundo

Cidadania

Sentimento

Alegria

Mundo


Revista Nascente