Page 1

Publicação de textos de alunos do 6º ano

Palavras

Borla Publicação digital | Nº 1 | 1º Período | Ano Lectivo 2010/2011

erd Lib

ção

ina

ag

ade

Im

Ideias

Pe

o

nh

So

ns am en to

Fantasia

dade

ivi Criat

Escola EBI de Forjães


Palavras

Borla A produção de textos é um acto inerente ao ser

Apresentação

humano. Desde tenra idade, as crianças são capazes de, livremente e sem grandes preocupações quanto

Os irmãos

ao uso da língua, fantasiar uma história, de relatar um acontecimento ou descrever um passeio. É, neste caso, uma produção de texto oral. Todavia, foi a

Aquele dia de 1507 foi deveras tenebroso! Chovia

partir deste mesmo “conceito”, mas agora com os

torrencialmente, com trovões tão fortes que assustavam

devidos cuidados, que os alunos das turmas do 6º

qualquer pessoa.

ano da Escola EBI de Forjães foram desafiados, nas

No ano de 1487, nasce, finalmente, o filho da rai-

aulas de Língua Portuguesa, a redigir textos escri-

nha, mas, para surpresa de todos, nasce outro filho de

tos. Tal como quando eram crianças, a liberdade

seguida.

foi a palavra de ordem na escolha das temáticas e

O segundo foi escondido até aos seus 12 anos, ida-

dos assuntos a escrever. Não obstante, para os mais

de com que foi preso, numa cela, com uma máscara de

indecisos, foram sugeridos alguns temas.

ferro.

E é por isso que esta publicação tem o nome de

O outro irmão foi sempre bem tratado, com gran-

“Palavras de Borla”. Os textos surgem de uma forma

des luxos e fortunas, mas com muita maldade na alma.

“avulsa” e despreocupada. Efectivamente, não há,

Ele, depois de se tornar rei, teve sempre três cavaleiros

nestas páginas, nenhum fio condutor capaz de deter-

fiéis que o protegiam, apesar de antes ter quatro.

minar o género desta publicação. Ela é, tão somente,

Mas, um dia, um desses cavaleiros falou com o seu

uma miscelânea de alguns textos que os alunos fo-

colega D’arton, outro dos cavaleiros do rei que estava

ram escrevendo e que, agora, tiveram a possibilidade

farto dele e das suas ordens inadmissíveis. Então, os

de voarem para fora das paredes da sala de aula e

dois, juntamente com outros, conspiraram uma troca

chegarem a outras paragens. E este é, na verdade, um

do rei pelo irmão gémeo. Foram buscá-lo à cela usando

dos principais objectivos desta publicação! Há textos

disfarces de padre, para fazer de conta que o prisioneiro

interessantes, hinos à imaginação, que os alunos, por

se ia confessar. Fugiram sem os guardas repararem e le-

vezes, escrevem e que, após uma ou duas leituras, su-

varam-no para o palácio, para lhe ser retirada a máscara

bitamente se tornam defuntos nas brancas páginas

e ser preparado para lvir a ser rei.

de um caderno.

Um mês depois, houve um baile de máscaras no sa-

A divulgação destes trabalhos pretende ser, tam-

lão do palácio e eles fizeram a troca sem problemas, mas

bém, um estímulo, um incentivo, aos alunos para a

quando iam a fugir com o verdadeiro rei, as tropas dele

escrita. O facto de eles terem consciência de que o

apareceram e tentaram prendê-los, porém, os cavaleiros

resultado do seu trabalho e da sua imaginação che-

conseguiram fugir.

gará a mais pessoas, tenderá a impor um maior esfor-

Voltaram depois para terminar o que tinham ini-

ço na elaboração dos textos, o que se poderá tra-

ciado. No confronto que se deu, d’Arton foi morto. Os

duzir (ou não!) em resultados com mais qualidade.

cavaleiros prestaram-lhe uma homenagem e instituíram

Todavia, o objectivo primordial não reside, para já,

rei o antigo prisioneiro.

em conseguir que os alunos redijam textos com grande qualidade, mas sim que escrevam. Dessa forma,

Bárbara Alves, nº 4, 6º C

estarão a evoluir e a qualidade acabará por aparecer!

2


Palavras

Borla A aventura do Super Dog Era uma vez um cão que vivia com uma família rica. Os pais tinham encontrado esse cão num canil e ofereceram-no a Beatriz, como prenda de natal. Beatriz sempre desejara ter um cão. Quando o recebeu, ela saltou de alegria. Até já tinha preparada a coleira. Estava no seu quarto. Era a coleira do lendário Super Dog, um cão que tinha salvado uma criança da família, há muito tempo atrás. O cão gostou muito de Beatriz e passavam muito tempo juntos. Até que um dia, Beatriz teve de viajar para o Brasil. Bolt (era o nome do cão) não poderia ir e ficaria em casa. No entanto, ele previa uma tragédia e, por isso, não queria deixar Beatriz ir embora. Beatriz viu-se obrigada a prender o cão, mas o cão continuava muito agitado. Ele previa que o avião iria cair no meio do mar. Beatriz despediu-se de toda a família e de Bolt. Algumas horas depois, Beatriz viajava, calmamente, quando o avião começou a perder combustível. Bolt começou, então, a ficar ainda mais nervoso e, de repente, transformou-se em Super Dog: conseguia saltar mais do que todos, correr muito rápido e, o melhor de tudo, conseguia voar. No preciso momento em que o avião onde ia Beatriz começou a despenhar-se, Bolt apareceu e conseguiu salvar Beatriz e os cem passageiros que iam dentro do avião. Bolt apareceu na televisão e ficou muito famoso. E assim termina uma aventura do Super Dog.Joana Costa, nº 8, 6º A

Turma 6 A

Tenho Uma turma fixe! Respeitamo-nos Muito e somos Amigos

Tenho Uma turma simpática! e! mpr Risonhos andamos se Ginástica! em Maravilhosos somos Alegres todos os dias

6º A... Amigos do coração!

6º A, grande turma! Amigos para sempre! s, nº 11, 6º A

Luana Caseiro Sá,

Mariana Mende

3

nº 9, 6º A


Palavras

Borla Entrevista ao André VilLas Boas Fábio (F) - Sr. André Vilas Boas, está contente com

F - E o jogo contra o Rapid de Viena está prepa-

a vitória ao Benfica?

rado?

André Villas Boas (AVB) - Sim, digamos que o

AVB - Sim, e não vamos facilitar. Queremos ganhar,

jogo foi muito disputado, mas conseguimos dar

para passarmos com mais pontos. F - E o que acha da sua equipa?

uma grande “abada”. F - O que acha da posição do Futebol Clu-

AVB - Acho que é uma equipa boa, com

be do Porto neste campeonato?

grandes jogadores, como o Hulk, o Falcão,

AVB - Acho que estamos seguros nes-

o João Moutinho ou o Helton. Eu consi-

te lugar, com uma diferença confortável

dero esses os melhores. F - Muito obrigado por esta en-

de 10 pontos sobre o Benfica e 12 sobre o Sporting.

trevista.

F - Está triste por não estar na

AVB - De nada!

Champions? AVB - Sim, porque eu nunca entrei

Daqui, Fábio Moreira Rodrigues, em

num campeonato desses, mas, para o ano, va-

directo do Estádio do dragão. Não perca, já

mos estar!

a seguir, a gala da Casa dos Segredos!

F - E a Liga Europa? Acha que está a correr bem? AVB - Sim, estamos apurados para os 16 avos de

Fábio Rodrigues, nº 16, 6º C

final.

4


Palavras

Borla Sou um futebolista muito famoso Comecei por estar num clube de futebol chamado Benfica. Quando tinha 16 anos, fui chamado à selecção nacional. Jogámos contra a Espanha e ganhámos 3-2. Marquei dois golos. Aos 18 anos, fui chamado para os seniores do Benfica. Joguei lá quatro épocas e fui transferido para o Real Madrid. Tivemos, então, um jogo importantíssimo contra o Barcelona. Estava com medo, mas ganhámos 2-0. Nesse jogo, marquei um golo e fiz a assistência para o segundo. Era riquíssimo: ganhava dois milhões de euros por mês. Ia ao shopping e comprava coisas caras... comprava todas as chuteiras que estavam na moda. Era o melhor jogador da equipa e tinha muitas fãs. Um dia, fui nomeado pela FIFA o melhor jogador do mundo. Ganhei muitas taças! Quando tinha 35 anos, saí do Real Madrid e fui para o Benfica, como treinador. Com 65 anos, terminei a minha carreira de treinador. Vivia rico e comia à grande e à francesa! Quando os meus netos vinham à minha casa, nós saíamos, íamos ao shopping e comíamos no McDonald’s. Esta é a minha história... a história de um jogador muito famoso! Kevin Sousa, nº 15, 6º B

Um dia de terror na minha escola! No dia 30 de Novembro de 2010, o dia estava escuro, nada se via, pois a nossa amiga chuva resolveu aparecer e, com ela, o seu filho mais pesado e mais frio, o granizo. De manhã, o dia não estava assim tão mau, mas de tarde...ui.... estava um caos total! Houve a música dos trovões, as luzes das faíscas e o congelador, como nós dizemos, o vento. O campo da nossa escola ficou coberto de gelo. Se jogássemos futebol íamos todos para o hospital! E pronto, foi assim o nosso dia de terror! Cristiana Gião, nº 7, 6º C

5


Palavras

Borla

Viagem

à casa rada

assomb Era uma vez uma menina cha-

longe. A caminho da casa, a Zoe en-

Zoe e o Silvestre já não tinham medo

mada Zoe, que fora abandonada pe-

contra um gato, que também parecia

de estar ali, até que conseguiram pro-

los pais enquanto bebé.

abandonado. Então, decidiu ficar

var isso mesmo às criaturas daquela

A Zoe tem agora dez anos e

com ele, para não se sentir sozinha.

casa.

mora num orfanato. Ela é muito di-

A Zoe e o gato, o Silvestre, caminha-

Então, a Zoe, o Silvestre e

ferente das outras raparigas que vi-

ram até à casa. Chegaram, então, ao

aqueles seres estranhos tornaram-se

vem lá. Ela gosta de aventuras e de

grande portão verde da casa.

grandes amigos. E a casa continuou

histórias assustadoras, acredita em

Os dois juntos entraram e esta-

com aquele seu aspecto assustador e

monstros e em criaturas terrivelmen-

vam cheios de medo. A Zoe acredita-

sombrio, apenas tinha mais dois ha-

te assustadoras.

va em histórias de terror, mas nunca

bitantes.

Certo dia, já farta daquele or-

pensara em viver nenhuma.

fanato, a Zoe, durante uma noite

A casa era muito estranha e,

escura e sombria, foge em busca de

tal como a Zoe pensava, nessa casa

algum lugar para passar a noite.

habitavam fantasmas, vampiros e

Andou durante horas, perdida,

monstros horríveis.

Os vampiros transformaram a Zoe e o Silvestre e, desde então, foram todos muito felizes. A Zoe tinha encontrado, finalmente, uma família!

num bosque, sem saber o que fazer,

Os estranhos habitantes da casa

até que encontrou uma casa aban-

fizeram da Zoe e do Silvestre seus

Catarina Caramalho Gon-

donada, que ainda ficava um pouco

prisioneiros durante uma semana. A

çalves, nº 6, 6º A

os

a aos mais pequenin

A liberdade contad Para mim, a liberdade é a coisa mais importante.

perder.

Sem liberdade não há amor, alegria, amigos verdadei-

Eu, quando for grande, tenho de ser livre! É isso

ros...

que eu quero e acho que também é isso que tu queres.

Sem liberdade, nada faz sentido. Como será possí-

Porém, para sermos livres, também temos de fazer

vel viver feliz sem liberdade?

por merecer a liberdade. Liberdade implica responsa-

Para mim, a liberdade é indispensável à vida hu-

bilidade!

mana. Todos os dias se ouve falar daqueles que não têm

Sara Barros Quintas, nº 16, 6º A

liberdade, que a perderam ou estão em riscos de vir a 6


Palavras

Borla Fui rainha por um dia, fiz uma festa para repartir o meu dinheiro, Foi tão bom ver, nas pessoas, a alegria e arranjei um amigo verdadeiro. Dei ordens e mais ordens Mas de nada valeu, pois no meu reino eram só desordens: Em toda a casa e no quarto, que é só meu! O meu dia de rainha acabou... O ouro, a riqueza e o trono também! O meu coração de emoção suspirou! Acordei e fui ter com a minha mãe! Clara Eiras, nº 5, 6º B

7


Palavras

Borla Se eu fosse uma bióloga marinha...

Se eu fosse uma bióloga marinha podia ver de perto golfinhos, tubarões e muitos outros animais. Podia ver corais, um monte de plantas todas diferentes... seria fantástico!!! Eu adorava trabalhar num oceanário e em instituições ligadas à vida marinha. Gostaria muito de ir às profundezas do mar, mergulhar, procurar fósseis de animais, conchas e descobrir grutas. Eu adorava ser bióloga marinha!

A minha viagem à França

Inês Costa, nº 10, 6º B

H

oje é o dia em que irei à França. Primeiro, tenho que

preparar as minhas coisas: roupa, meias, sapatos, escova de dentes... Depois terei de comprar o bilhete de avião. Vai ser a minha primeira viagem! À tarde, arrancarei para o aeroporto e depois terei de aguentar duas horas dentro do avião. Quando chegar a Paris, verei a minha mãe, o meu pai e os meus irmãos! Mal posso esperar! Catarina Sofia Martins, nº 4, 6º B

8


Palavras

Borla

s e õ h l i m o r u E o e m u i a S

Num dia de sol, a minha mãe pediu-me para eu ir ao supermercado comprar

azeite. Quando cheguei ao supermercado, encontrei, no chão, junto á porta, um bilhete do Euromilhões. Eu peguei no bilhete e fui comprar o azeite. Quando cheguei a casa, fui ajudar a minha mãe a fazer o almoço e disse-lhe: - Mãe, encontrei um bilhete do Euromilhões! - E achas que vai sair alguma coisa? - perguntou a minha mãe. - Não sei! Mãe, quando é que passa o Euromilhões na televisão? - Vai ser hoje, às 21.00 horas - respondeu a minha mãe. - Posso ver? - Sim. Às 21.00 horas, liguei a televisão e estava a começar o Euromilhões. A apresentadora anunciou: “saíram os números 5, 13, 17, 25 e 33. As estrelas são o 1 e o 4”. Eu olhei para o bilhete e gritei: - SAIU-ME O EUROMILHÕES!!!!!! -Parabéns, filha! O que vais fazer com 100 000 000 de euros? - perguntou a minha mãe. - Vou construir uma casa de luxo, uma piscina muito grande, vou comprar um helicóptero, uma limousine, vou viajar pelo mundo com todos vocês, se quiserem, e dar dinheiro aos pobres e à Câmara Municipal. - E agora, o que vais fazer? - perguntou a minha mãe. - Agora vou dormir, porque hoje foi um dia em cheio. No dia seguinte, eu e a minha mãe fomos levantar o dinheiro que me saiu no Euromilhões. Então, eu perguntei à minha mãe: - Mãe, queres que eu te compre as roupas e as botas que tu querias? - Se não te importares, tudo bem! - respondeu a minha mãe. E lá fomos nós ao shopping... Patrícia Correia, nº 14, 6º A

9


Palavras

Saiu-me o Euromilhões,

Borla

Saiu-me o Euromilhões

que rico menino sou eu! Vou fazer aquela viagem que o meu pai me prometeu. Agora sou rico,

Proteger o ambiente

a minha vida mudou, pois, para mim, uma nova era começou

Proteger o ambiente Saiu-me o Euromilhões!

Para melhorar o presente!

Que grande emoção!

Se o mundo queres mudar,

Vou dividir a minha fortuna

Tens de reciclar!

Com os meus pais e com o meu irmão. As árvores tens de proteger, Fiz muitas compras!

para o mundo sobreviver.

O meu dinheiro está a acabar!

Para o aquecimento global diminuir,

O resto que ainda tenho

não podemos poluir!

aos que mais precisam eu irei dar. Pouca energia gastar Que grande tesouro tenho!

para ajudar a poupar!

Todo ele vou gastar!

O papel temos de economizar

E quando ele acabar,

para as árvores preservar.

no Euromilhões vou continuar a tentar! Inês Enes Azevedo, nº 11, 6º B

O meu dinheiro acabou! Sinto-me triste e desiludido! Se eu tivesse poupado, não estaria assim abatido! Roberto Torres, nº 18, 6ºB

10


Palavras

Borla carta ao Pai Natal Querido Pai Natal,

Oopsss…! Vou ver quem é que

Espero que goste da minha

está à porta!

a chorar, que não estragasse as mi-

carta e que faça uma boa viagem até

-O-l-á-s-o-u-u-m-e-x-t-r-a-t-e-r-

aqui, para conversarmos e tomarmos

-r-e-s-t-r-e-e-v-i-m-e-n-t-r-e-g-a-r-o-

um chá quentinho. Eu encomendei

-d-i-n-a-u-s-s-a-u-r-o-.

um dinossauro pela “net”, não lhe pedi a você, porque não chegaria a

nhas coisas e que não me tirasse os mimos. Adoro-o e estou à sua espera

Obrigado, agora desande imediatamente da minha casa!

para tomar o cházinho e ver o que você consegue fazer quanto à ques-

tempo.Você, ainda por cima, está a

Pai Natal, voltei, esqueci-me de

ficar pobrezinho e não ia ter tempo...

lhe dizer que o dinossauro vai fazer-

por isso pedi-o a um extraterrestre

-nos companhia no chá.

vindo de Saturno.

mãozinho que não estivesse sempre

Para este Natal queria um ir-

tão do meu irmãozinho! Boa Sorte! Inês Lima Capitão, nº 13, 6º C

Magia do Natal Ah! O natal um tempo

Pai Natal, Pai Natal, Andas a engordar muito! Interessa-te por emagrecer!

Tempo mágico Mágico e cheio de alegria Alegria das crianças ao abrir as prendas Prendas que o Pai Natal deu Deu com muito carinho Carinho por depois ver todas as crianças com um sorriso. É pena, Pena que isto não seja verdade para todas as crianças,

No Natal, Andas muito atarefado, para todas as crianças Terem um presentinho no sapatinho, A volta ao mundo tens que dar para Lhes dar alegria

Crianças que não têm família Família para lhes dar carinho

Sofia Jaques, nº 19, 6º C

Carinho é um bem tão precioso Precioso e maravilhoso! Temos que ajudar Ajudar estas crianças Para elas terem Terem um Natal tão maravilhoso como o nosso! Cristiana Rodrigues, nº 8, 6º C

11


Palavras

Borla

Quadras de natal Hoje é dia de Natal, muitas prendinhas vão ter! Vai ser um grande dia em que ninguém devia sofrer O menino está dormindo nas palhinhas despidinho. Os reis magos Lhe estão cantando para dormir um grande soninho. Neste dia eu como muito, Vou acabar por me fartar! É que é tanta a comida que eu não vou aguentar! O menino que nasceu hoje chama-se Menino Jesus e quando Ele adormecer uma luz se vai acender! Os reis magos vêm aí, estão quase a chegar! Ouro, incenso e mirra ao Menino Jesus vão dar. A cabana era pequena e não cabiam lá os três! Adoraram o Menino Jesus Cada um por sua vez. Ana Rita Sampaio, nº 2, 6º B

12


Palavras

Borla

Porque Amas e Imaginas. Nós Agradecemos Tudo o que fazes. Amar é a coisa mais Linda que há. Cristiana Gião, nº 7, 6º C

A vida difícil do Pai Natal Estive a pensar e já repararam que o Pai Natal tem

dá nada.

uma vida muito complicada? Olhem... se ele não tiver

Vêem?!?! A vida do Pai Natal é muito difícil! Portan-

trenó, tem de transportar os presentes às costas e ficará

to, não se esqueçam: na noite de Natal, antes de irem para

todo torto; anda sempre ao frio para que todas as crianças

a cama, deixem umas bolachas e um copinho de leite ao

recebam presentes e depois fica com febre e com gri-

lado da árvore de Natal, porque ele bem merece!

pe; tem de entrar pela chaminé, porque as portas estão sempre trancadas, e fica todo sujo; e, por último, ele vai

César, nº 6, 6º C

à árvore de Natal, coloca lá os presentes e ninguém lhe

13


Palavras

Borla

eD

s, 3 d

Forjãe

ro de ezemb

,

Natal

2010

se unca n e u que q Qu empre enina s , m e a a ai um e cas a estr eu fu hos d , l r o a a s b n s a a e r ei Este er os t has a atrav ar e d t z a n f e e m ali ceu d elhin banco esque a as v o v i a e d d o u ju , aj mereç nda a o i podia n a a , o e e est ste an obres. eio qu da. E r p c s u o e e: iro a atal, guint N e s i a o dinhe P a so, ueri es Por is recess ília, q das. e f m n o e a r f e p ue lh inha es de aam tava q mont r s a o p g , , mãe Agora inha m a a m; -Par ambé t , e d leta. estes ; , saú saúde eu pai , uma bicic nceder-me m o ão paz es co -Para eu irm smo é puder e m o o m ã o n a -Par quer r, se ue eu r favo o q p o , e s qu Ma bra-te ! m e l , s é tudo abraço. o n desejo a e . est nde undo ue por m gra q u no m o h m c o a me c Bom, speçoe d , Assim es s Jaqu e r i P Sofia Pai erido

14


Palavras

Borla

Queri

Forjãe

do Pa

i Nat

s, 3 d

al,

e Deze

mbro

de 20

Olá, P ai Você s Natal. abe q pedir ue eu para t já and er um o há q É alg i r m uase u ãozin o que m an h com e o e u o u oa q le e po uero m uma i d rmãz uito, p ia-o e dia ap inha. nsina orque rende r a an podia r mui a cria d brinc to com ar e a nça m ar falar. igo e ais fe muito e E u l l iz do com e e pofeliz, pla le. Fa porqu zinho ria e teria neta e eu s . eria ta dele a aleg m ria de Adeu s, que ter um bém suges irmão tão e m rido Pai N atal. ande pensa Pense um m rem n n a min ail ao o assu s meu ha nto! s pais para e Um b les eijinh o , Mara Quin tas A lmeid a

15

10


Publicação Digital para divulgação de textos realizados pelos alunos das turmas do 6º ano Coordenação: Prof. Fernando Marinho Escola EBI de Forjães

Palavras de Borla  

Publicação elaborada pelas turmas do 6º ano (A, B e C) da Escola Básica Integrada de Forjães, no ano lectivo 2010/2011, com a coordenação do...