Issuu on Google+


2

“Mas doutô uma esmola a um homem qui é são Ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão”(Luiz Gonzaga)


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Em 2012, o ChildFund Brasil se reinventou. Ampliou a área de atuação. Investiu em esforços para a captação de padrinhos brasileiros. Tudo para assegurar o compromisso e o propósito de transformar a vida das crianças brasileiras menos favorecidas.

3


4

Principais resultados 2012 Mais de 800 comunidades beneficiadas em

188 mil

54 municípios de

pessoas atendidas

5 estados Mais de 2 mil voluntários

Dentre essas

108 mil

são crianças, adolescentes e jovens

38 mil

crianças apadrinhadas por estrangeiros

10 mil

por brasileiros

R$ 29 milhões

investidos em 2012 para a superação da pobreza infantil no Brasil

200 mil 641

correspondências entre afilhados e padrinhos

264 projetos sociais executados em 2012

77

organizações sociais parceiras


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Conselho de Administração 2012 | 2015 Presidente Valseni José Pereira Braga Vice-Presidente Rosber Neves Almeida 1º Tesoureiro Gilson Souto de Magalhães 2º Tesoureiro Ednilton Gomes de Soárez 1º Secretário Navantinho Alves Filho 2º Secretário Maria do Perpétuo Socorro França Pinto

Diretor Nacional Gerson Pacheco

Assembleia Geral Airton Maia Nogueira Ami Ribeiro de Amorim Ednilton Gomes de Soárez Geraldo Caliman Gilson Souto de Magalhães Guilherme Soárez Herbert Borges Paes de Barros Jadyr Elon Braga José Júlio dos Reis José Raimundo da Silva Lippi Maria do Perpétuo Socorro França Pinto Natalia Jereissati Navantino Alves Filho Othoniel Silva Martins Priscila Soares Raymundo Rabello Mesquita Rosber Neves Almeida Valseni José Pereira Braga

Conselho Fiscal 2012 | 2015 Titulares Priscila Soares Ami Ribeiro de Amorim Guilherme Soárez

Suplentes José Raimundo da Silva Lippi Airton Maia Nogueira José Júlio dos Reis

5


6

Conselho Consultivo de Belo Horizonte/MG Amadeu Roselli Cruz Ami Ribeiro de Amorim Ângela Rodrigues Guimarães Carlos Alberto de Sousa Gilberto Madeira Peixoto Hélio Bitar João Bosco Fernandes Júnior José Raimundo da Silva Lippi Navantino Alves Filho Ricardo Pires

Conselho Consultivo de Fortaleza/CE Airton Maia Nogueira Ednilton Gomes de Soárez Germano Francisco de Almeida José Rosa Abreu Vale Júlio Alexandre Damasceno Rocha Maria do Perpétuo Socorro França Pinto Othoniel Silva Martins Renata Meira Lima Costa Sinézio Bernardo de Oliveira

Conselho Consultivo de Brasília/DF Alethele Santos Geraldo Caliman Herbert Borges Paes de Barros José Júlio dos Reis Ronaldo Martins Rosber Neves de Almeida

Conselho Consultivo de São Paulo/SP Elisabete Waller Flávia Lippi Gilson Souto de Magalhães Guilherme Soárez Luiz Alexandre de Medeiros Araújo Mário Mariz Natalia Jereissati Priscila Soares Thais Correia

Conselho Consultivo do Rio de Janeiro/RJ Davidson Freitas João Batista Borges Marcos Simas Maria Aparecida Cunha Rogério Garber Dalton Penedo Sardenberg


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

7

Ficha Técnica

Diretor Nacional: Gerson Pacheco Gerente de Marketing e Mobilização de Recursos: Mauricio Bianco Redação e edição: Patrícia Bragança e Priscila Oliveira Projeto gráfico: Lorrayne Bicalho Revisão: Claudine Andrada e Luza Marinho Fotos: Centro de Documentação e Memória - ChildFund Brasil

Expediente

ChildFund Brasil – Fundo para Crianças CNPJ: 17271925/0001-70 Inscrição Municipal: 404447/004-8 Inscrição Estadual: Isento Escritório Nacional Rua Curitiba, 689 - 5º andar - Centro CEP 30170-120 - Belo Horizonte - MG Fone: (0**31) 3279-7400 - Fax: (0**31) 3279-7416

www.childfundbrasil.org.br


8

Sumário Mensagem do presidente

09

Mensagem do diretor

10

Quem somos

11

De onde vem nossa força

17

ChildFund Brasil expandiu fronteiras em 2012

27

O que fazemos: Programas e Projetos

31

Nossas Organizações Sociais Parceiras

53

A voz das crianças

56

46 anos de atuação no Brasil

63

Nossos parceiros

65

Cada vez mais perto de você

69

Administração e Finanças

71


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Mensagem do presidente “Somar para dividir com mais pessoas é a razão para a existência da nossa organização”. Valseni José Pereira Braga Presidente do ChildFund Brasil Mais de 800 comunidades atendidas no nosso país, 188 mil pessoas alcançadas pelos nossos projetos sociais. Dessas, 108 mil são crianças e adolescentes que vivem em situação de privação, exclusão e vulnerabilidade social. Resultados positivos em um cenário que exige ainda mais esforços para impactar positivamente a vida de mais crianças que se encontram em situação de risco social. Em 2012, construímos um modelo de voluntariado de governança imprescindível para a busca permanente pela transparência que contribui também para a visibilidade e a conquista de novos apoiadores para nossa causa. Tratase de um vigoroso modelo que reúne profissionais voluntários, membros dos Conselhos de Administração, Fiscal e Consultivos que dedicam tempo, conhecimento e reputação ao ChildFund Brasil, oferecendo todo o suporte à gestão da organização. Esses voluntários de alta gestão são peças fundamentais nos direcionamentos e nas decisões estratégicas e estão profundamente comprometidos com a conduta ética da organização. A Fundação Dom Cabral - FDC criou a chamada Parceira de Organizações Sociais – POS com aproximadamente 12 organizações sociais para a troca de conhecimentos. Como membro da POS desde 2010, o ChildFund Brasil se juntou à FDC para a construção do modelo voluntariado de governança. Essa aliança estratégica tem como prioridade o desenvolvimento da excelência no processo de governança direcionado aos membros de nossa Assembleia e dos Conselhos de Administração e Fiscal. De um lado, o ChildFund Brasil se beneficia do potencial de gestão que a FDC proporciona, enquanto que, de outro, a FDC se apropria do conhecimento do Terceiro Setor, fruto da nossa experiência de 46 anos. Como resultado do trabalho desenvolvido por ambas as organizações, foi publicado o primeiro documento da parceria: ‘Voluntariado de Governança’ – 2012* – Uma publicação referência para outras organizações que atuam no Terceiro Setor e que desejam aprimorar práticas de governança. O ChildFund Brasil completou 46 anos de atuação em 2012 e já vislumbra um cinquentenário com inúmeras conquistas para celebrar, sempre com o foco na solução de problemas sociais que possam impactar positivamente a vida de crianças e suas famílias, com forte atuação no enfrentamento à pobreza. Tanta inovação não seria realidade sem o apoio de padrinhos, madrinhas, parceiros, doadores, voluntários, apoiadores e fornecedores. É este apoio que torna viável essa caminhada para a transformação de milhares de vidas. Somar para dividir com mais pessoas é a razão para a existência da nossa organização. Os desafios ainda são muitos, mas seguimos em frente confiantes no nosso trabalho em prol de crianças, adolescentes, jovens e comunidades. ‘Voluntariado de Governança’ – 2012* (Veja na página 16)

9


10

Mensagem do diretor “Reconhecer resultados é necessário, mas convocar à cooperação e à solidariedade é fundamental!” Gerson Pacheco Diretor Nacional do ChildFund Brasil No ano em que se comemora o centenário do grande compositor Luiz Gonzaga, não poderemos deixar de lembrar os inúmeros ensinamentos com que ele nos presenteou, à partir da estreita convivência com o povo brasileiro e sua realidade. Ao longo do relatório, compartilhamos algumas passagens do Rei do Baião. Ao longo do ano de 2012, foram realizados 264 projetos sociais nas mais de 800 comunidades em que atuamos no país, com o apoio de 77 organizações sociais parceiras de base comunitária. Foram investidos 29 milhões de reais na busca incansável pela superação da pobreza infantil nas comunidades brasileiras. Foi um ano muito produtivo e alguns resultados merecem ser destacados. O ChildFund Brasil expandiu fronteiras e deu início, junto à Fundação Amazonas Sustentável – FAS, ao Programa de Apadrinhamento de Escolas no Amazonas, uma nova e desafiadora área de atuação para contribuir com melhor qualidade na educação para crianças ribeirinhas. O foco socioambiental é uma tendência mundial, por isso nos preparamos para uma abordagem efetiva de desenvolvimento nessa área. O combate à pobreza e a conservação ambiental são estratégias complementares que tornam efetiva a sustentabilidade da sociedade. Ainda em 2012, foram dados os primeiros e fundamentais passos para outra necessidade premente: o enfrentamento à violência sexual que atinge as crianças. Nosso desejo é proteger e transformar a vida das crianças e direcionar esforços pela defesa dos seus direitos para que não sofram essas agressões. O Brasil sediou a Copa das Confederações e vai sediar, também, em breve, outros eventos esportivos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. São grandes oportunidades para o país, mas que, contudo, atraem muitos estrangeiros que vêm ao Brasil com informações distorcidas sobre práticas ilegais. Considerando este cenário, identificamos que é importante desenvolver alianças estratégicas e planos para prevenir este problema social, e, assim, evitar a violência sexual de nossas crianças e de nossos adolescentes. Ao longo de 2012, tivemos o desafio de conviver com um cenário em que a ajuda de padrinhos estrangeiros diminuiu, já que o mercado internacional entende que, pelo fato de o Brasil estar entre as 10 maiores potências econômicas do mundo, o país tem condições de solucionar os seus próprios problemas sociais. Por outro lado, sabemos da generosidade do povo brasileiro e de sua ambição por um país mais justo e menos desigual e, por isso, contamos com que, cada vez, mais brasileiros cuidem de brasileiros que necessitam. Enxergamos essas ações como indispensáveis na luta contra a pobreza e na busca permanente pela transformação de crianças que vivem em situação de extrema pobreza. Neste relatório de atividades, compartilhamos com transparência os expressivos resultados alcançados pelo ChildFund Brasil em 2012, com a fundamental contribuição de nossos padrinhos, parceiros, voluntários e funcionários que fazem todas essas ações se tornarem realidade. Reconhecer resultados é necessário, mas convocar à cooperação e à solidariedade é fundamental!


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Quem somos O ChildFund Brasil - Fundo para Crianças é uma organização de desenvolvimento social e proteção infantil. Há mais de 46 anos no país, o ChildFund Brasil - Fundo para Crianças acredita e investe no potencial de crianças, adolescentes e jovens que vivem em situação de exclusão, privação e vulnerabilidade, por acreditar no poder que eles têm para a realização de mudanças sustentáveis em suas vidas, famílias e comunidades. O ChildFund Brasil é filiado ao ChildFund International que compõe a rede de organizações do ChildFund Alliance, presente em 57 países e que atua em prol da superação da pobreza infantil no mundo. Para superar esse quadro de pobreza infantil no país, o ChildFund Brasil atua por meio de programas e projetos em comunidades que vivem em risco social, sempre com ações fundamentadas em uma análise profunda do contexto urbano e rural em que as crianças e os adolescentes brasileiros vivem e compreendem suas vulnerabilidades, suas angústias, seus anseios e suas percepções em relação às condições de vida, à violação dos direitos e às expectativas para o futuro. Amplificar a “voz da criança” é nossa constante busca e nosso diferencial, promovendo pesquisas e processos participativos nas comunidades para entender as causas e os desafios reais da pobreza. O ChildFund Brasil é um integrador de recursos, tecnologias sociais e ferramentas de gestão que permitem a modelagem de soluções para os problemas enfrentados pelas crianças e pelas comunidades em situação de pobreza. Valorizamos o papel da família, criando um ambiente propício para o desenvolvimento das crianças nos diferentes ciclos de vida: infância, adolescência e juventude.

Ideologia Nossa ideologia é promover a transformação social e a superação da pobreza, por meio da integração e da articulação com crianças e adolescentes, famílias, comunidades, apoiadores e parceiros que atuam como agentes de mudanças sustentáveis, com foco no desenvolvimento e no bem-estar das crianças.

Missão Apoiar o desenvolvimento de crianças em situação de privação, exclusão e vulnerabilidade social, tornandoas capazes de realizar melhorias em suas vidas e de aproveitar a oportunidade de se tornarem jovens, adultos, pais e líderes que conferirão mudanças sustentáveis e positivas a suas comunidades. Mobilizar pessoas e instituições para atuarem na valorização, proteção e promoção dos direitos das crianças na sociedade.

11


12

Visão • Ser referência na gestão de excelência de programas e projetos socioambientais para a superação da pobreza infantil e na promoção dos direitos da criança e do adolescente. • Ser reconhecida como promotora do desenvolvimento local sustentável, por meio da mobilização de recursos diversificados. • Ser gestora do conhecimento produzido pela organização de forma sustentável, utilizando tecnologias digitais. • Ser percebida como uma organização que compartilha conhecimentos e modelo de gestão com outras organizações sociais no Brasil e em outros países. • Possuir 77 mil crianças apadrinhadas, com o apoio de 17.000 padrinhos brasileiros e 60.000 estrangeiros até 2020 e beneficiar 380 mil pessoas através dos programas sociais desenvolvidos pelo ChildFund Brasil.

Valores • Defesa e promoção dos direitos da criança. • Honestidade e integridade. • Respeito e valorização das pessoas. • Diversidade de pensamento e experiência. • Desafio gerando inovação. • Proatividade e colaboração.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Onde estamos No mundo O ChildFund Brasil é parceiro do ChildFund International, uma experiente rede mundial que atua em prol da superação da pobreza infantil no mundo. Com mais de 70 anos de experiência, a rede tem presença global, atua em mais de 57 países e já beneficiou mais de 15 milhões de pessoas no mundo. ChildFund International

ChildFund Alliance

Países membros Países com programas Através de parceiros locais

13


14

No Brasil Atuamos em mais de 800 comunidades brasileiras rurais e urbanas nos estados de Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Amazonas, beneficiando cerca de 188 mil pessoas, sendo que, dentre elas, mais de 108 mil são crianças, adolescentes e jovens.

1

9

2

3

4

Nordeste CE PE RN

1 Fortaleza

7

2 Noroeste Cearense 3 Sudeste Cearense

8

6

4 Sertão do Cariri

Sudeste

5

5 Belo Horizonte MG

6 Alto Vale do Jequitinhonha 7 Médio Vale do Jequitinhonha 8 Baixo Vale do Jequitinhonha

Norte AM

9 Unidades de Conservação Ambiental: Juma e Uatumã

Para promover o desenvolvimento de crianças e adolescentes, famílias e comunidades em situação de privação, exclusão e vulnerabilidade, contamos com a parceria de mais de 70 organizações sociais parceiras no Brasil.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

15

Governança Estrutura de Governança Ideologia Propósito

Missão

Promessas

Visão do Futuro

Marco Legal

Constituição e Liderança Executivo

Avaliação

Voluntários

Capital Humano Estratégia Corporativa Organização Plano Econômico Alianças Estratégicas Processos Infraestrutura

Independente

Assembleia Conselho Fiscal Conselho de Administração

Auditoria Externa Certificação Programática Benchmarking em Mobilização de Recursos Auditoria Interna Internacional

Ideologia Planos Estratégicos Programas Sociais(CSP) Mobilização Social Recursos Humanos Mobilização de Recursos (BP) Imagem Institucional Financeiro Parcerias Melhoria Contínua

Monitoramento Plano Operacional Anual Checklist de Controles Críticos (CCC) Indicadores de Performance Avaliação de Desempenho (PPE) Indicadores de Impactos Sociais Evolução das Estratégias Cenários do País Inteligência do Segmento

A gestão do ChildFund Brasil é fundamentada em uma governança que respeita conceitos de transparência, equidade, prestação de contas, eficiência e responsabilidade. Trata-se de um virtuoso modelo de gestão estruturado e profissional que suporta toda a administração de organização, direção e controle sobre as operações e relacionamento que estabelece com os diversos públicos. Os membros da Assembleia e dos Conselhos de Administração e Fiscal, são voluntários que dedicam tempo, conhecimento e reputação ao ChildFund Brasil, apoiam a gestão da organização, responsabilizam-se pelos direcionamentos e pelas decisões estratégicas e são profundamente comprometidos com a conduta ética da organização. São profissionais que estão empenhados em promover o crescimento sustentável da organização, com as melhores práticas de mercado e apoio de parceiros, para aprimorar os processos institucionais de apoio à criança. Para assegurar a transparência na gestão dos recursos e monitorar os investimentos sociais, o ChildFund Brasil e a rede de organizações sociais parceiras em todo o país são auditadas anualmente pela empresa internacional Ernest & Young. Os relatórios das demonstrações financeiras são publicados, anualmente, para que os doadores, os públicos de relacionamento da organização e a sociedade possam monitorar a aplicação dos recursos. Há dois anos, ChildFund Brasil e Fundação Dom Cabral – FDC são parceiros no assunto governança voluntária. Em 2012, essa parceria resultou no livro Voluntariado de Governança, elaborado por Pedro Lins, professor associado da Fundação, e pelo diretor nacional do ChildFund Brasil, Gerson Pacheco. O objetivo do estudo é desenvolver uma metodologia para a gestão do voluntariado de governança no ChildFund Brasil e para os membros da Parceria de Organizações Sociais – POS de forma didática.


16

DisponĂ­vel para download. (Clique aqui)


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

De onde vem nossa força Programa de Apadrinhamento de Crianças A força-motriz do Childfund Brasil é o Programa de Apadrinhamento de Crianças. Nossa organização existe e luta pela defesa dos direitos e pelo resgate de crianças e adolescentes que vivem em estado de privação, exclusão e vulnerabilidade. Por meio do Programa de Apadrinhamento de Crianças é possível contribuir para alcançar objetivos como os citados e, ainda, alcançar resultados positivos e casos de sucesso ao longo de tantos anos de atuação. Este programa, para muitas crianças, jovens, famílias e comunidades, é a oportunidade de se conseguir uma vida melhor, mais digna e com conhecimento dos direitos para poder lutar por eles. Tudo porque é por meio da inscrição da criança e do adolescente no Programa de Apadrinhamento que o leque de projetos, para cada ciclo de vida que o ChildFund Brasil executa, irá se abrir diante deles. Quem faz este Programa e vários projetos acontecerem? Majoritariamente, os padrinhos e as madrinhas de crianças, adolescentes e jovens, por meio de contribuições mensais!

Como funciona Com o comprometimento de uma contribuição mínima de R$ 52 mensais, qualquer pessoa pode se tornar madrinha ou padrinho e, assim, melhorar a qualidade de vida de uma criança junto a sua família e comunidade. Esse valor doado não é entregue diretamente à criança ou à sua família, e sim investido na execução de projetos sociais, de acordo com a necessidade de cada comunidade. A proposta é que o apadrinhamento viabilize os programas e projetos que podem beneficiar crianças e empoderar a comunidade, tornando-a mais independente, ao mesmo tempo em que ela aprende a lutar pelos direitos que tem perante os governantes. Para a criança, o apadrinhamento vai além da contribuição financeira. A relação afetiva construída entre padrinho/criança reduz distâncias geográficas e aproxima classes sociais por meio da solidariedade. É um relacionamento de troca que favorece os desenvolvimentos pessoal, humano e emocional. Este Programa de Apadrinhamento também propicia uma enorme sensação de bem-estar para padrinhos e madrinhas que, por sua vez, oferecem afeto, conselhos, estímulo e incentivos. Madrinhas e padrinhos atuantes são reconhecidos pelo ChildFund Brasil como verdadeiros mentores dos pequenos brasileiros que vivem em situação de vulnerabilidade social. A relação é solidificada pela troca de correspondências, as famosas cartinhas, pelas ligações telefônicas e pelas visitas. Tudo sempre intermediado por profissionais do ChildFund Brasil que prezam, acima de tudo, pela segurança de crianças e adolescentes, assim como pela privacidade do padrinho, em acordo com a Política de Conduta Ética para com Crianças. A simples troca das cartinhas faz com que sentimentos como carinho, amizade, admiração e gratidão sejam efetivamente revelados e considerados pela vida toda.

17


18

“Todos os três vai estudar Pois eu não quero fío meu analfabeto Quero no caminho certo da cartilha do abc Eu mesmo nunca tive essa sorte Mas eu luto inté a morte Móde eles aprender” Luiz Gonzaga

Incentivo sem fronteiras Raabe Feitosa Melo, de 22 anos, frequenta o Centro Social de Orós, organização social parceira do ChildFund Brasil, no interior do estado do Ceará, na cidade de Orós. Apadrinhada desde os oito anos de idade, Raabe conta da troca de correspondências com o padrinho da Alemanha. “Meu padrinho é um grande incentivador na minha vida. Nossa relação cada dia se torna mais sólida. Carinho, amor, dedicação, incentivo e apoio são transmitidos através das cartas que recebo dele e tento retribuir o máximo de carinho e gratidão que sinto por ele. Ter uma pessoa do outro lado do mundo que se importa comigo e que fala que estou no topo das prioridades dela é algo inacreditável”, ressalta a jovem. O maior incentivo que Raabe recebeu do padrinho foi com relação aos estudos. Além de estimular a jovem a continuar a estudar depois do Ensino Médio, o padrinho arca com as despesas da faculdade: uma atitude que vai além dos deveres dele enquanto padrinho. “Sei que Deus teve o propósito de um dia nos unir por meio das cartinhas. Percebo esse propósito pela mudança que se deu em minha vida quando decidi continuar os estudos e meu padrinho teve a atitude de pagar um curso superior para mim. Hoje, faço Faculdade de Enfermagem e já estou no oitavo período. Ele nunca deixou de acreditar em mim, sempre dizendo que sou capaz e que sou uma vencedora. Graças ao vínculo estabelecido pela troca de cartas, posso dizer que minha vida mudou e que ganhei não só um padrinho, mas também um pai”, confessa Raabe.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

A importância do apadrinhamento para jovens com até 24 anos “Nosso sistema social considera que o jovem de 18 anos seja considerado autônomo e preparado para as responsabilidades exigidas dos adultos. No entanto, sabemos que essa informação não procede, especialmente quando a transição para a vida adulta não é abordada ao longo do processo educacional. Considerando isso, o ChildFund Brasil entende que não pode interromper o trabalho de acompanhamento com o jovem de 18 anos, caso contrário o processo de formação e desenvolvimento dessa pessoa não será completo. Prolongar o apadrinhamento até os 24 anos representa a chance de poder trabalhar com maturidade essa fase de transição e apoiar os desenvolvimentos humano e social desse grupo socialmente vulnerável que são os jovens”, explica o gerente de Desenvolvimento Social do ChildFund Brasil, Dov Rosenmann.

Como aderir Para apadrinhar uma criança inscrita no Programa de Apadrinhamento é fácil, rápido e prático. Acesse o site www.apadrinhamento.org.br. Nele, estão dispostos todos os detalhes da ação e você vai conhecer as histórias de crianças que estão na fila de espera por um padrinho ou por uma madrinha. Se preferir, ligue para 0300 313 0110 (custo de uma ligação local).

Seja a mudança que você quer para o Brasil! Apadrinhe uma criança. Se você já é padrinho, fale da sua experiência para seus familiares e amigos. Vamos fazer mais forte essa rede do bem!

TRANSFORMANDO VIDAS www .apadrinhamento.org.br

0300 313 0110

19


20

Dia do padrinho Celebração com exposição de fotografias 15 de junho é, oficialmente, o Dia do Padrinho do ChildFund Brasil. A instituição da data foi uma forma carinhosa que a organização encontrou para homenagear as madrinhas e os padrinhos do Programa de Apadrinhamento de Crianças. Em 2012, a celebração do dia especial foi com muita alegria, comemorações e atividades pedagógicas em todas as organizações sociais parceiras do ChildFund Brasil. Um evento de destaque foi a comemoração realizada pela organização social parceira Conselho de Pais Criança Feliz, localizada no Aglomerado da Serra, em Belo Horizonte/ MG, oportunidade em que alguns padrinhos prestigiaram de perto a exposição de fotografia “Olhares da Serra: o foco está no olhar de quem vê”, promovido pelo ChildFund Brasil. Foram expostas 56 fotos de 28 crianças e jovens (de 9 a 14 anos) que participam do Projeto Olhares em Foco na comunidade, um projeto que utiliza oficinas de fotografias para promover a reflexão da realidade, o autoconhecimento e a identidade. Os padrinhos se admiraram com as imagens das fotos. Depois do aprendizado de técnicas fotográficas, os participantes são incentivados a refletir sobre suas experiências no contexto sociocultural no qual vivem. Entre os objetivos da proposta estão o crescimento de suas potencialidades e o fortalecimento de suas identidades.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

21

Programa Transformar Apadrinhamento em tempo recorde 2012 também marcou o lançamento de uma nova ação do ChildFund para alavancar o Programa de Apadrinhamento de Crianças: o Programa Transformar.

O momento é de agradecer a quem apoiou a ideia e de comemorar juntos os novos laços de afeto que se iniciaram com essa ação. A 1ª edição do Programa Transformar lançou o desafio para o apadrinhamento imediato de 47 crianças em Comercinho/MG e solicitou aos padrinhos apoio na causa, seja apadrinhando seja indicando a ação para familiares e amigos. Resultado? Todas as 52 crianças foram apadrinhadas em, aproximadamente, 60 dias (entre os meses de setembro e outubro de 2012). É por meio dessas pequenas transformações que conseguiremos mudar realidades pelo Brasil afora.

Apesar do desempenho econômico dos últimos anos, de acordo com o último relatório publicado pela ONU, o Brasil é o 4º país mais desigual da América Latina.

Inicialmente, 47 crianças estavam disponíveis para a ação do Programa Transformar. Porém, surgiram mais pessoas interessadas em apadrinhar crianças que o esperado e conseguimos incluir mais crianças, chegando ao número de 52. Objetivo atingido graças ao envolvimento e ao desejo de mudança de padrinhos e madrinhas. Eles acreditam no potencial de uma criança e, por isso, indicaram amigos e familiares para que eles também possam investir no desenvolvimento de nossas crianças. O simples gesto de apadrinhar é apenas o início de uma transformação profunda na vida desses pequenos. A hora agora é de celebrar essa conquista e esquentar os motores para as próximas edições do Programa Transformar.


22

“Sempre vi os anúncios do ChildFund Brasil e tinha vontade de participar, mas uma certa desconfiança me consumia. Comecei a observar os resultados e me aproximei de pessoas que se dedicam à organização há muitos anos e concluí positivamente sobre a dedicação, a seriedade e o amor envolvidos neste trabalho. Assim, ao receber um folheto do ChildFund não tive mais dúvidas e apadrinhei uma criança. Confesso que ao receber as primeiras informações sobre ele e sua família fiquei muito emocionada, o que foi percebido por duas pessoas que estavam próximas de mim. Ao falar com eles sobre a realidade do meu afilhado, elas imediatamente também resolveram apadrinhar uma criança e estão, como eu, imensamente felizes por isso. Tenho recebido cartas das irmãs mais velhas do meu afilhado querido e me emociono todas as vezes que as leio. Espero me aproximar cada vez mais do ChildFund Brasil e contribuir para a efetividade do seu trabalho tão significativo para a sociedade, assim como, pessoalmente para todos nós”... (Depoimento da madrinha do ‘Programa Transformar’ Gislene Valadares)

“Fiquei muito feliz por ter sido apadrinhada. Minha irmã mais nova já tinha um padrinho e eu queria ter também. Já enviei uma cartinha e minha madrinha me respondeu e me deu um livro de presente. Ela disse que é muito importante a leitura. Carrego o livro sempre comigo e a cartinha também”. Alessandra Santos tem 11 anos e foi apadrinhada com a 1ª ação do Programa Transformar. Na Associação Rural de Atendimento Infanto-Juvenil de Comercinho - Araic, parceira do ChildFund Brasil, ela participa do cantinho dos sonhos itinerante que está dentro do Programa Crianças Educadas e Confiantes.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Estratégia Eclesiástica O ChildFund Brasil não faz nenhuma distinção de crença, etnia e gênero no desenvolvimento do trabalho realizado junto a crianças, família, comunidades, apoiadores e parceiros. Por sua vez, a organização trabalha de maneira intensa com o público religioso. Considerando princípios e inciativas de apoio e ajuda ao próximo deste público, o ChildFund Brasil vislumbrou no meio eclesiástico mais uma grande oportunidade de fazer crescer o número de padrinhos. A aliança ChildFund Brasil e organizações religiosas cria a oportunidade e o caminho para esse setor aprimorar a atuação social de maneira integrada à sociedade civil organizada. “Nesse meio, encontramos um número grande de pessoas incomodadas com a paralisia social. Por isso, esses espaços se abrem para possibilidades de falar diretamente com adolescentes e jovens que serão os protagonistas desta transformação”, diz a

analista de relações eclesiásticas do ChildFund Brasil, Viviane Guimarães.

23


24

Mapeamento Em trabalho conjunto com Governo Federal, o ChildFund Brasil planeja uma “inteligência social”, a partir dos dados do IBGE (Pesquisa de Orçamentos Familiares - POF e Censo 2010) para a identificação de 12 áreas de maior concentração de pessoas em condição de extrema pobreza e vulnerabilidade social para atuar junto ao público eclesiástico.

A estratégia consistirá em três vertentes: • Aliança com 12 instituições religiosas. • Parceria com 300 instituições religiosas. • Prospecção de 3.000 instituições religiosas.

Resultados A atuação do trabalho eclesiástico começou, efetivamente, em abril de 2012. Até o momento, ele representa 22% do total de novos padrinhos para o Programa da organização desde então.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Campanha de Natal 2012

“Ano de seca e verão Toda dureza do chão Faz também duro O homem que vive no sertão”. Luiz Gonzaga

25


26

Em 2012, fizemos uma campanha de Natal diferente! Nossos olhares se voltaram para a pior seca do Nordeste dos últimos 50 anos! Com o intuito de dar um basta ao sofrimento de crianças, adolescentes, jovens e comunidades nordestinas que são atendidos ou não pelo Childfund Brasil, assumimos o problema e, junto com a Campanha de Apadrinhamento de Crianças do último Natal, reunimos esforços para minimizar os efeitos da seca!

52 mil reais foram arrecadados na Campanha de Natal 2012 em dois meses, resultado alcançado por inúmeros padrinhos e doadores que se sensibilizaram com a iniciativa. O resultado esperado é contribuir para a mitigação dos efeitos da seca nas comunidades atendidas pelo ChildFund Brasil na região do Cariri, bem como mobilizar as famílias para ampliar a consciência em relação ao meio ambiente e à convivência com o semiárido nordestino.

Proposta: Com o valor arrecadado, juntamente com outras doações que o ChildFund Brasil recebe, estão previstas as seguintes ações para 2013: • 20 cisternas de placas construídas com o apoio de mão de obra das famílias beneficiárias do projeto, por meio de mutirão ou fundo rotativo. • Constituição de Comissão Gestora, formada por membros das famílias ou associações comunitárias locais, para monitoria da construção, distribuição e manutenção das cisternas. • Distribuição de 2 mil mudas de espécies nativas e frutíferas para recomposição de áreas degradadas próximas a mananciais e cursos d’água nas comunidades. • Realização de quatro processos de formação com as famílias de beneficiários com temáticas relacionadas a gestão associativa, preservação de recursos hídricos, convivência com semiárido e produção agroecológica.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

O ChildFund Brasil expandiu fronteiras em 2012 Programa de Apadrinhamento de Escolas no Amazonas Entre tantas novidades em prol das crianças, que são a esperança de um futuro melhor para o país, o ChildFund Brasil inovou em 2012. Chegou ao Amazonas e lançou o desafio para o apadrinhamento de escolas ribeirinhas.

Para ampliar a atuação no país, desde o mês de setembro de 2012, o ChildFund Brasil Fundo para Crianças deu início a seu projeto socioambiental no Amazonas e conta com a parceria da Fundação Amazonas Sustentável - FAS para a execução do Programa de Apadrinhamento de Escolas. O Programa vai contribuir com a educação, a formação cidadã e a consciência sustentável de crianças e adolescentes ribeirinhos, os verdadeiros guardiões da floresta. A missão é fornecer os recursos necessários para a promoção da educação, como a capacitação de professores e, até mesmo, de melhorias e construção de espaços para o aprendizado das crianças e dos adolescentes da região. Na primeira fase, o programa busca beneficiar mais de 20 escolas e quase 300 crianças e adolescentes de comunidades ribeirinhas. Unidades educacionais das Reservas de Desenvolvimento Sustentável – RDS Juma e Uatumã, no interior do Amazonas, já são beneficiadas pelo projeto. Na RDS de Juma, são noves escolas das comunidades de Águas, Boa Vista, Primor e Nova Jerusalém. Na RDS Uatumã, 11 escolas dessa reserva, inseridas nas comunidades de Bom Jesus, Canaã, Ebenezer, têm sido contempladas. A expectativa é de que o apadrinhamento favoreça, nesta fase inicial, 145 crianças do Ensino Fundamental da RDS de Uatumã e 146 em Juma. Além das crianças, são atendidos 61 alunos de faixa etária superior a 12 anos em Uatumã e 63 na RDS de Juma.

“O programa de apadrinhamento de escolas em comunidades ribeirinhas do Amazonas é a oportunidade para aqueles que querem contribuir para um mundo mais justo, menos desigual e com mais felicidade. A educação nas comunidades ribeirinhas da Amazônia precisa ser profundamente repensada. O modelo de educação utilizado nas áreas urbanas apresenta problemas graves e, quando transportado para o mundo ribeirinho, a situação adquire contornos trágicos. Nós não queremos substituir o governo, mas facilitar o desenvolvimento”, destacou o superintendente da FAS, Virgílio Viana

Apadrinhe uma Escola no Amazonas

www.apadrinheamazonas.org.br

27


28

Educação do Amazonas Além da má qualidade da educação, crianças e adolescentes ribeirinhos têm dificuldade de acesso às escolas. A maioria enfrenta o transporte fluvial, a rabeta*. O fornecimento de merenda escolar e de água potável é precário. Outro problema são as salas multisseriadas nas quais crianças e adolescentes de diversas séries estudam juntos, o que dificulta o aprendizado. Por acreditar que não há perspectiva adequada de desenvolvimento sustentável sem que as próximas gerações sejam preparadas para os desafios, desde 2010, o ChildFund Brasil, em parceria com a FAS, trabalha para incluir na pauta de desenvolvimento sustentável do estado o tema da infância e da adolescência. As informações disponíveis sobre a educação no Amazonas são preocupantes por escolas das Unidades de Conservação não estão incluídas nos sistemas de avaliação da qualidade do ensino, seja estadual seja federal.

Como mudar esse cenário Com apenas 25 reais mensais, qualquer pessoa pode ser padrinho de uma escola no Amazonas e contribuir para a promoção da educação e da consciência sustentável de crianças/adolescentes ribeirinhos. Os verdadeiros guardiões da floresta. Para apadrinhar uma escola no Amazonas, basta acessar o site www.apadrinheamazonas.org.br ou ligar para 0300 313 2003. Mais informações também poderão ser obtidas pelo e-mail: apadrinhamento@childfundbrasil.org.br Os padrinhos receberão, trimestralmente, o boletim eletrônico Vozes da Floresta, elaborado pelo ChildFund Brasil e pela FAS, com informações do cenário da educação e da comunidade ribeirinha e com as melhorias que serão ou foram realizadas! * Rabeta: espécie de canoa com motor acoplado.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Ainda não temos um número de padrinhos considerável para uma mudança profunda na educação no Amazonas. Até dezembro de 2012, eles eram apenas 25. Por isso, o Programa de Apadrinhamento de Escolas no Amazonas trabalha intensivamente na busca de mais pessoas que vislumbrem a educação e melhores condições para crianças e adolescentes ribeirinhos.

Junte-se ao ChildFund Brasil nesse desafio! A sua ajuda é fundamental! Conte essa novidade para os seus amigos e os convide a conhecer o programa e a apadrinhar uma escola no Amazonas. É somente por meio da educação que poderemos sonhar com um país melhor para todos.

“Escolhemos começar o projeto no estado do Amazonas, estado que possui vasta riqueza em termos de biodiversidade, mas que, em contrapartida, apresenta carência de indicadores na área da educação em comunidades ribeirinhas e severas necessidades sociais nessas comunidades específicas. Por meio do investimento em escolas e necessidades congêneres, são beneficiadas suas famílias, seus professores e as comunidades. Com essa iniciativa, a intenção é preparar as crianças e os jovens para que sejam os verdadeiros guardiões da floresta”, afirma o diretor nacional do ChildFund Brasil, Gerson Pacheco.

29


30

Mensagens da floresta Desafio Por falta de educadores na comunidade, o processo seletivo de professores ocorre nas sedes dos municípios, e eles são remanejados para atuarem em outras escolas. Muitos desistem de concorrer ao trabalho, por ser preciso residir em um ambiente que carece de infraestrutura. A professora Gilcele Miriam Pereira Coutinho sugere que para educar os futuros guardiões da floresta é fundamental valorizar as pessoas que fazem parte da comunidade.

“Futuramente desejo que o filho desta comunidade desempenhe o trabalho na escola como professor”.

Mudança de realidade Ao receber o convite para lecionar na Escola Municipal Maanain, localizada na comunidade ribeirinha do Amazonas, que tem o mesmo nome, onde o único meio de acesso é pelo rio Uatumã, a professora Maria José Clarinho demonstra que para ser educadora, além do amor pela profissão, deve existir a responsabilidade social com alunos.

“O que me motivou a ajudar esses alunos é o desejo de contribuir com essa comunidade”, confessa Maria

José.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

O que fazemos Programas e Projetos O ChildFund Brasil integra recursos, tecnologias e ferramentas de gestão que permitem a criação de soluções para problemas sociais enfrentados por crianças, adolescentes, jovens, famílias e pelas comunidades nas quais vivem. A estratégia é valorizar o papel da família e criar um ambiente propício e promissor para o desenvolvimento infantil, humano e social. São os parceiros locais, como organizações sociais, lideranças comunitárias, voluntários e instituições que, junto ao ChildFund Brasil, tornam realidade a execução dos programas e projetos sociais para a promoção de mudanças positivas nas comunidades em que a organização atua. As comunidades participam dos processos de diagnóstico, problematização, priorização, desenvolvimento, execução, monitoramento e avaliação de cada projeto. As crianças, os adolescentes e os jovens participam ativamente desses processos, assegurando que suas opiniões sejam consideradas e respeitadas em todas as etapas. As organizações sociais parceiras recebem capacitação técnica, apoio financeiro e tecnológico que suportam os processos de gestão organizacional, planejamento, execução, monitoramento e avaliação dos projetos sociais. Para assegurar a transparência na gestão dos recursos, essas organizações são auditadas anualmente e também estão comprometidas com a conduta ética e com o modelo de gestão do ChildFund Brasil. Os atores e parceiros locais são preparados para atuar de forma independente e sustentável. Por tempo determinado, o ChildFund Brasil atua nas comunidades. Concluída a participação do ChildFund Brasil, a organização social parceira dá continuidade às atividades previstas nas metodologias adquiridas que estejam ligadas ao desenvolvimento das comunidades.

31


32

Modelo da estratégia programática (2010 -2015)

Desde 2010, o ChildFund Brasil orienta as atividades programáticas sobre o tripé: 1- Programas sociais por ciclos de vida. 2- Estatuto da Criança e do Adolescente. 3- Conceitos de privação, exclusão e vulnerabilidade. A atuação fundamentada nessas diretrizes amplia a visão sobre questões que prejudicam diretamente as crianças e sobre os esforços a serem destinados para promoção, defesa e proteção dos direitos que elas têm. Acreditamos que para um crescimento saudável da criança é preciso cuidar do seu entorno: família e comunidade. Só assim será possível garantir a ela as saúdes física, social e emocional necessárias para o seu pleno desenvolvimento. Por isso, nossos programas e projetos sociais buscam soluções de forma global e completa e contam com a participação efetiva de crianças, adolescentes, jovens, famílias e atores locais que enfrentam problemas sociais. Para monitorar a execução dos projetos e estar próximo às famílias e comunidades beneficiadas, o ChildFund Brasil possui cinco Unidades de Campo - UC nos territórios onde atua. Cada UC trabalha dentro de várias áreas geográficas, de acordo com a sua localização, conforme estratégia da organização.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças Veja como estão divididas as UCs do ChildFund Brasil: • Unidade de Campo Jequitinhonha/MG. • Unidade de Campo Belo Horizonte e Região Metropolitana/MG. • Unidade de Campo do Sertão do Cariri/CE (responsável também por Pernambuco). • Unidade de Campo Fortaleza/CE (responsável também por Rio Grande do Norte). Tais unidades têm o suporte de uma equipe técnica que acompanha os projetos desenvolvidos pelas organizações sociais parceiras. Essa equipe também é responsável por fortalecer a articulação institucional com outros atores nas regiões e, assim, estabelecer parcerias em prol da garantia dos Direitos da Criança.

33


34

Programas e Projetos O ChildFund Brasil desenvolve cinco programas sociais e cada um deles é composto por modelos de projetos que apoiam o desenvolvimento por ciclo de vida de crianças, adolescentes e jovens. Esses projetos sempre envolvem envolvem a participação direta das famílias, dos atores sociais locais e da sociedade de um modo geral. Em 2012, foram executados 264 projetos sociais junto a 77 organizações sociais parceiras de base comunitária. A execução dos projetos sociais está alinhada às políticas públicas do Ministério de Desenvolvimento Social e à Política Nacional de Assistência Social - PNAS. Ainda em 2012, foram investidos 23 milhões de reais em projetos sociais nas comunidades em que atuamos.

Distribuição dos 264 projetos sociais executados por área programática

55; 21%

10; 4%

122; 46%

61; 23% Programas:

16; 6%

2012

%

122

46%

Infância Saudável e Segura (0-5 anos)

16

6%

Criança Educada e Confiante (6-14 anos)

61

23%

Jovens Capacitados e Participativos (15-24 anos)

55

21%

Sociedade Mobilizada para a Promoção e Proteção dos Direitos de Crianças Adolescentes e Jovens

10

4%

264

100%

Famílias e Organizações Integradas para o Desenvolvimento

Total de Programas ativos


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Programa: Família e Organização e Integradas para o Desenvolvimento

35 2012

%

66 23 33

54% 19% 27%

122

100%

Projetos de Competências Familiares

13

81%

Projetos de A Criança e o Ambiente Favorável para o seu Desenvolvimento Pleno

3

19%

Total de Projetos

16

100%

Projetos Eu, Você e Minha Escola: Integração que Transforma

10

16%

Projetos Eu, Você e a Paz: Um Pacto que se Faz

51

84%

Total de Projetos

61

100%

Projetos de Promoção da Participação Ativa dos Jovens

11

20%

Projetos de Qualificação Pessoal e Profissional

19 25 55

35% 45% 100%

Projeto de Competências Municipais

1

10%

Projetos de Sociedade Mobilizada para os Direitos à Educação, Participação e Proteção

9

90%

Total de Projetos

10

100%

Projetos de Fortalecimento de Vínculos Interpessoais Projetos de Sustentabilidade do Lar Projetos de Convivência Comunitária: Participação e Cidadania Total de Projetos

Programa: Infância Saudável e Segura (0-5 anos)

Programa: Criança Educada e Confiante (6-14 anos)

Programa: Jovens Capacitados e Participativos (15-24 anos)

Projetos de Identidade e Cultura Cidadã Total de Projetos

Programa: Sociedade Mobilizada para a Promoção e Proteção dos Direitos de Crianças, Adolescentes e Jovens

R$ 1.819.287; 8%

R$ 5.823.154; 25%

R$ 4.402.459; 19%

R$ 346.417; 2% R$ 1.874.362; 8%

R$ 2.812.636; 12% R$ 4.732.356; 20%

R$ 108.513; 0%

R$ 1.402.473; 6%


36 Distribuição dos 264 projetos sociais executados por área programática

Distribuição dos investimentos nos 264 projetos sociais executados em 2012 R$ 1.819.287; 8% R$ 5.823.154; 25%

R$ 4.402.459; 19%

R$ 346.417; 1%

R$ 1.874.362; 8%

R$ 2.812.636; 12% R$ 6.606.718; 28% R$ 108.513; 0,5%

Programa: Famílias e Organizações Integradas para o Desenvolvimento

R$ 1.402.473; 6%

2012

%

R$ 5.823.154

25%

R$ 346.417

1%

Programa: Criança Educada e Confiante (6-14 anos)

R$ 2.812.636

12%

Programa: Jovens Capacitados e Participativos (15-24 anos)

R$ 1.402.473

6%

Programa: Infância Saudável e Segura (0-5 anos)

Programa: Sociedade Mobilizada para a Promoção e Proteção dos Direitos de Crianças, Adolescentes e Jovens

R$ 108.513

0,5%

Programa de Apoio para a Coordenação, o Monitoramento e a Avaliação de Projetos de Desenvolvimento Comunitário Centrados na Criança

R$ 6.606.718

28%

R$17.099.911

73%

Intermediação de presentes

R$ 4.402.459

19%

Apoio direto aos Programas Sociais

R$ 1.819.287

8%

R$ 23.321.657

100%

SUBTOTAL

TOTAL


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Programa Famílias e Organizações Protetoras e Integradas para o Desenvolvimento Investimento em 2012: R$ 5.823.154 Este programa tem o objetivo de promover ações de integração entre crianças, famílias e organizações sociais, para que trabalhem juntas nos processos de elaboração, implementação e monitoramento de propostas de desenvolvimento para suas comunidades, por meio de uma participação ativa, inclusive com o envolvimento de diversos atores locais, como representantes do poder público, organizações não governamentais e outros que atuam nas comunidades, fortalecendo, assim, o Sistema de Garantia dos Direitos. Para atingir esse objetivo, o programa é composto pelos seguintes modelos de projetos sociais: • Fortalecimento dos vínculos interpessoais - Ações de prevenção à violência doméstica e de construção de vínculos familiares saudáveis. • Sustentabilidade do lar - Ações que contribuem para a garantia do direito à sobrevivência e ao desenvolvimento das crianças e de suas famílias através de melhorias na geração de renda: agricultura familiar, hortas comunitárias, criação de grupos produtivos e apoio na aquisição de equipamentos. • Convivência comunitária: participação e cidadania - Fortalecimento dos conhecimentos e afetividade familiar, com enfoque nas mulheres, para que elas assegurem a suas crianças cuidados, nutrição e proteção em casa e na comunidade.

37


38 Dentre outros, a metodologia Gol.d integra o Programa Famílias e Organizações Protetoras e Integradas para o Desenvolvimento. Em 2012, a metodologia contribuiu para que várias comunidades tivessem acesso a novos conhecimentos para administrar da melhor forma a renda familiar. Conheça:

Conhecimento e empreendedorismo para superar a pobreza Solidariedade, empreendedorismo e troca de experiências entre pessoas de uma mesma comunidade são recursos que podem ser utilizados para propor soluções em busca da superação da pobreza infantil. Essa foi a proposta lançada em 2012 pelo ChildFund Brasil em parceria com a Visão Mundial, por meio do Projeto Redes. O Projeto Redes visa facilitar a redução da pobreza junto às organizações sociais parceiras do ChildFund Brasil, através da integração regional das Capacidades Locais de Negócios no Nordeste do Brasil e do Norte de Minas Gerais, incluindo o nordeste do estado de Minas Gerais. Para alcançar esse objetivo, o projeto utiliza a metodologia Gol.d, que permite a criação de grupos formados por pessoas capazes de absorver e tratar os mais diversos aspectos do desenvolvimento comunitário, como economia solidária, saúde, educação, resgate dos direitos individuais e coletivos e melhoria da renda e da qualidade de vida. A metodologia utiliza técnicas de mobilização, organização de grupos, desenvolvimento do hábito da poupança e empreendedorismo.

Resultado: Capacitação Gol.d 2012 Minas Gerais • 190 pessoas participaram das oficinas de sensibilização e capacitação nos municípios de Padre Paraíso, Carbonita, Jequitinhonha, Medina, Comercinho, Veredinha, Minas Novas e Diamantina, localizados na região do Vale do Jequitinhonha. Ceará • 104 pessoas participaram das capacitações nos municípios de Itapiúna e Ocara, e nos distritos de Sereno e Palmatória. A proposta é que os grupos dessas regiões possam usufruir dos conhecimentos adquiridos e gerar impactos positivos nas comunidades em que vivem, por meio da poupança, do empreendedorismo ou de outros conhecimentos apreendidos.

“Para mim, o Gol.d é muito importante, porque eu aprendi a economizar, a não gastar com coisas desnecessárias e, além disso, percebi que a união do nosso grupo é importante para nosso desenvolvimento e da comunidade”. Gleiciene Holanda Ferreira da Silva, 31

anos - Grupo: Unidas para Crescer da comunidade Serrote Preto, município de Itapiúna/CE.

“O Gol.d é uma iniciativa muito boa. A gente aprende a economizar e ajudar uns aos outros. Agora quando estou necessitada peço ajuda”. Maria Ester Furtado da Silveira, 70 anos / Grupo: Gol.d Mulheres Unidas pela Arte, município de Itapiúna/CE


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Programa Infância Saudável e Segura (0 – 5 anos de idade) Investimento em 2012: R$ 346.417

Os seis primeiros anos de vida são fundamentais para o desenvolvimento integral das crianças. Nessa faixa etária, é preciso atenção integral para o sucesso escolar dos pequenos e, ainda, para o desenvolvimento de fatores de resiliência e autoestima, necessários para a aprendizagem e a formação das relações sociais, influindo na autoproteção requerida para a independência econômica e no preparo para a vida familiar. O Early Childhood Development – ECD (em português: Desenvolvimento Integral da Primeira Infância) inclui os desenvolvimentos físico, social, emocional, linguístico e cognitivo, considera como aspectos fundamentais para a vida da criança como sobrevivência, saúde, nutrição, participação, proteção e educação, fatores que influenciam diretamente o bem-estar e o desenvolvimento desses indivíduos ao longo da vida. Para garantir às crianças condições de sobrevivência e desenvolvimento digno e assegurar os direitos humanos, o ChildFund Brasil desenvolve os seguintes projetos sociais: • Competências Familiares - Fortalecimento dos conhecimentos e afetividade familiar com enfoque nas mulheres, para que elas assegurem às suas crianças cuidados, nutrição e proteção em casa e na comunidade. • A criança e o Ambiente Favorável para seu Desenvolvimento - Ações locais que contribuem para que organizações comunitárias trabalhem pelo desenvolvimento integral da criança pequena através de melhorias na pré-escola e na creche, atividades de recreação e cultura, estímulo ao aprendizado, Casinha de Cultura e brinquedoteca. Dentro do Programa Infância Saudável e Segura, temos uma metodologia que se destacou em 2012 no atendimento a crianças, adolescentes e jovens e a suas famílias: o Animador Comunitário. Conheça a proposta!

39


40

Animador Comunitário - Educação Permanente de Pais, Mães e Jovens O objetivo da metodologia Animador Comunitário é promover a capacitação continuada de líderes comunitários voluntários que são chamados animadores comunitários, que podem ser pais, mães ou jovens. Essa capacitação pode ser entendida como o desenvolvimento da habilidade de ler crítica e criativamente as mudanças dos contextos sociais, culturais e políticos e de estimular nas pessoas a curiosidade e a vontade de aprender sempre mais. Os animadores acompanham um grupo de até 20 famílias com visitas domiciliares, reuniões e encontros onde coletam informações sobre as condições de vida da comunidade. Eles orientam as famílias na construção de soluções para as próprias necessidades, assim como levam noções básicas de saúde, e estimulam os integrantes a acompanhar a educação dos filhos, participar dos programas/projetos desenvolvidos pelas organizações parceiras, dentre outras ações. A capacitação dos animadores procura engajá-los de forma mais competente em movimentos e lutas populares, para que possam influir em políticas públicas e provocar mudanças sociais expressivas. Essa metodologia promove a formação de sujeitos autônomos e mais esclarecidos. A metodologia Animador Comunitário acontece em várias comunidades urbanas e rurais atendidas pelo ChildFund Brasil. Conheça o trabalho realizado na organização social parceira Associação Rural de Assistência à Infância – Arai, localizada na cidade de Berilo/MG. • 100 animadores atuantes em 29 comunidades atendidas; • 796 pessoas beneficiadas; • maior participação das famílias na comunidade. Em 2012, por meio dos animadores, foram realizadas capacitações nas quais os voluntários realizaram visitas às famílias de crianças inscritas no Programa de Apadrinhamento e transmitiram informações necessárias sobre os projetos da Arai e outros temas, como noções básicas de saúde, nutrição, gestação e cuidados com o bebê.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

41

“Igor foi uma criança de baixo peso até os 7 anos e, graças à participação e ao incentivo do animador nas visitas, bem como às ações e orientações repassadas tanto pelo animador quanto pela organização a criança saiu do baixo peso. Hoje, aos 14 anos, Igor é um adolescente forte, saudável, muito inteligente e gosta de participar das atividades realizadas pela Arai”,

disse a mãe do menino, Rita.

“Passei por um quadro de depressão, mas graças às orientações recebidas consegui recuperar a autoestima. O trabalho dos animadores é muito importante para a comunidade. Eles nos ensinam como, por exemplo, fazer o soro caseiro, cuidar das infecções respiratórias, fazer a limpeza adequada e o tratamento da água do filtro caseiro, utilizar o hipoclorito de sódio, como utilizar a farinha enriquecida, assim como aproveitar melhor os alimentos, com uma alimentação alternativa e saudável. Além disso, ainda nos ensinam o manejo adequado do lixo, dentre outros. Gosto de participar das atividades porque os resultados são bons e é sempre uma vitória”. Rita de Souza é moradora da Comunidade Lagoa Ezequiel no município de Berilo/MG. Rita mora com o marido Geraldo e os filhos Marco Antônio, de 19 anos, Vagner, de 16 anos e Igor, de 14. Além de ser acompanhada pelo animador comunitário, a família participa de oficinas, palestras e projetos do ChildFund Brasil executados pela Arai.


42

Programa Criança Educada e Confiante (6 a 14 anos de idade) Investimento em 2012: R$ 2.812.636 “Esperança foi semente Que alguém um dia plantou” Luiz Gonzaga

A escola é fundamental no processo de aprendizagem, mas para que ela se torne ainda mais eficiente nesse processo é preciso que seja integrada a outros espaços, ultrapassando a sala de aula. Com criatividade, ruas, parques, centros de convivência comunitária, organizações sociais e outros espaços de socialização se tornam lugares com potencial para a promoção da aprendizagem, nos quais crianças brincam, experimentam, aprendem e descobrem o mundo de uma forma mais interativa com o ambiente. Não se pode esquecer que o ambiente familiar é destacado como o espaço prioritário para o desenvolvimento de processos educativos e a construção da identidade das crianças. Além de ser um direito fundamental, a educação ainda amplia o conhecimento e garante os demais direitos humanos e sociais. A escola deve ser um ambiente de interação das crianças com o universo de diferenças. Ela deve considerar, em todas as ações, as desigualdades de raça, etnia e outras, e ser um lugar para crianças e adolescentes expressarem seus sentimentos, potenciais e ideias. O ChildFund Brasil atua para promover a educação e o aprendizado em todos os espaços de convivência da criança e do adolescente. Assim, trabalha para que o lar, a escola e a comunidade ofereçam ambientes acolhedores e estimulantes para o favorecimento da aprendizagem e da criatividade, com a finalidade de garantir que as crianças cresçam com confiança e desenvolvam o pleno potencial. Para essa faixa etária, o ChildFund desenvolve os seguintes projetos: • Eu, você e minha escola: integração que transforma - Promoção da participação de crianças, adolescentes e seus pais no ambiente escolar, através de oficinas de reforço escolar, educação ambiental e iniciação científica para crianças, capacitação para educadores e pais, bibliotecas itinerantes, campanhas educacionais, jardins de infância e apoio educacional. • Eu, você e a paz: um pacto que se faz - Ações socioeducativas realizadas fora da escola, complementando atividades escolares e despertando em crianças, jovens e famílias a busca pela cidadania, justiça social e paz.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças Dentre as organizações que se destacaram na execução desses dois modelos de projetos em 2012, conheça um pouco do trabalho do Grupo de Educação e Desenvolvimento Apoio ao Menor – Gedam, organização parceira do ChildFund Brasil, com o projeto “A Hora do Conto”.

A Hora do Conto – aprendizado, educação socioambiental e leitura O projeto “A Hora do Conto” do Gedam teve o objetivo de proporcionar um momento único entre pais e filhos, por meio da leitura. Além disso, buscou contribuir para a disseminação da educação ambiental entre crianças e adolescentes da educação infantil e socialização infantojuvenil, respectivamente. O projeto conduziu os participantes para a interação familiar, o conhecimento e cuidado com a natureza. Além da parceria do ChildFund Brasil, o Gedam contou, ainda, com o apoio da empresa Consultoria Estratégica e Técnica na Área Ambiental – YKS, focada nos princípios mundiais de sustentabilidade para a realização da ação. O Gedam desenvolveu várias atividades dentro da sede da organização para a realização do projeto e ainda aproveitou os espaços de socialização da comunidade. A “Hora do Conto” teve 280 participantes, sendo 180 crianças da educação infantil e 100 crianças e adolescentes de de 6 a 14 anos da socialização infantojuvenil. Atividades realizadas: • “A Hora do Conto” na Instituição. • Compartilhamento da história em casa (as crianças levaram o livro para ler com a família). • Montagem da peça a partir da história do livro “Eduarda e a Floresta”. • Encenação da peça na escola e compartilhamento do aprendizado com outras crianças. • Encenação da peça no Parque das Mangabeiras (espaço ecológico em Belo Horizonte/MG) para crianças de outras escolas no Dia Mundial do Meio Ambiente – 5 de junho/12. • Visita à Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte – FZB/BH, ampliando o aprendizado sobre espécies de animais e vegetais. • Oficinas com profissionais da empresa parceira YKS, nas quais foi distribuído para cada participante um exemplar da história “Eduarda e a floresta”, além de alguns exemplares serem destinados para a biblioteca do Gedam.

“Eu gostei muito de levar o livro para casa e ler junto com meus pais, gostei muito de conhecer a reserva na Fundação Zoo-Botânica onde ninguém pode entrar e nós fomos convidados para entrar e conhecer. Lá tem um macaquinho da espécie da Eduarda e ele se chama Zidane. Ele está lá para reproduzir e a espécie dos muriquis ser preservada.” Ingrid - 10 anos

Nesse contexto de jovens capacitados e participativos, vale destacar o Projeto Redescobrir da organização social parceira do ChildFund Brasil, Projeto Semear Esperança – Prosesc, da cidade de Carbonita/MG.

43


44

Programas Jovens Capacitados e Participativos (15 a 24 anos de idade) Investimento em 2012: R$ 1.402.473 “Tem amor e ninguém sabe Tem tristeza e ninguém vê Tem carinho à sua moda Pra ninguém compreender Por aí está se vendo Que também tem coração” Luiz Gonzaga

Com a participação de adolescentes e jovens, o programa visa desenvolver estratégias de enfrentamento a situações de riscos pessoal e social, por meio de ações de prevenção à violência. O programa busca, ainda, estimular a convivência social, a participação cidadã e a formação para o mundo do trabalho. Família e comunidade são espaços para a efetivação da inclusão do jovem. Por isso, há a necessidade de promover o fortalecimento dessa convivência familiar e comunitária, na qual o diálogo seja favorecido assim como a construção de novos conhecimentos e o desenvolvimento de competências e habilidades que apoiem o jovem na escolha racional e consciente para o futuro. Com o intuito de garantir que os jovens possam participar ativamente da vida social e ser incluídos no mundo produtivo, o ChildFund Brasil desenvolve os modelos de projetos sociais: • Promoção da participação ativa dos jovens - Envolvimento dos jovens no debate político do município e na definição de políticas públicas. • Qualificações pessoal e profissional - Capacitação dos jovens para o mercado de trabalho, como forma de sobrevivência e de combate a drogas e violência. • Identidade e cultura cidadãs - Fortalecimento da identidade dos jovens, melhorando sua autoestima, vínculos familiares, comunitários e sociais. Nesse contexto de jovens capacitados e participativos, vale destacar o Projeto Redescobrir, da organização social parceira do ChildFund Brasil, Projeto Semear Esperança – Prosesc, da cidade de Carbonita/MG.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Terapia para ver além dos problemas e ressaltar a competência A Terapia Comunitária Integrativa - TCI é uma metodologia diferenciada que escuta e acolhe famílias, adolescentes e jovens que precisam aliviar tensões, angústias, sofrimentos e que buscam autonomia e resgate da autoestima. O projeto é voltado principalmente para aqueles que têm envolvimento e contato com drogas lícitas e ilícitas. Essa metodologia tem possibilitado ver além dos problemas, para ressaltar a competência. A partir dessa busca e do Diagnóstico Rápido Participativo - DRP surgiu o projeto Redescobrir. O DPR é um levantamento dos principais problemas que envolvem a comunidade, realizado pelos próprios membros desta. O projeto Redescobrir trata da capacitação de pessoas para conduzir as rodas de Terapia Comunitária e foi desenvolvido em parceria com a Secretaria do Estado de Defesa Social – Seds de Minas Gerais.

Resultados do Projeto Redescobrir em 2012: • Capacitação de 50 pessoas dos municípios mineiros de Carbonita, Diamantina, Veredinha, Turmalina, Minas Novas, São Gonçalo do Rio Preto, Serro, Araçuaí, Datas e Pirapora para multiplicar a metodologia TCI. • 363 rodas de TCI nos municípios mineiros de Carbonita, Itamarandiba, Diamantina, Turmalina, Minas Novas, Rio Preto, Veredinha, Datas, Serro e Araçuaí. • Aproximadamente 3 mil 630 pessoas, entre crianças, adolescentes, jovens e adultos beneficiadas pela TCI. A metodologia contribui diretamente para o enfrentamento das questões sociais, bem como para o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários.

“A Terapia Comunitária ajudou melhorar minha autoestima, meus relacionamentos, principalmente com a minha família. Hoje me sinto melhor, autoconfiante e vejo que meus problemas têm solução. O que mais me marca nas rodas de Terapia são os abraços acolhedores que a cada roda me fortalecem mais”. Valdirene Ferreira, educadora social no Prosesc.

45


46

Projeto Olhares em Foco O Olhares em Foco é outro projeto que envolve os jovens com bastante resultado em 2012 Manusear uma câmara fotográfica pela primeira vez e dominar aos poucos a técnica exige atenção e zelo. Mãos ansiosas de jovens que querem capturar instantes únicos e aprisionar nas imagens denúncias, sentimentos, visão de mundo e identidade, é este o grau da realidade documentada nas fotografias dos jovens que participam do projeto Olhares em Foco, que está integrado ao projeto Identidade e Cultura Cidadã. A missão do Olhares em Foco é proporcionar aos jovens uma visão crítica e atitudes para mudar realidades e histórias de vida. Nas oficinas do projeto, os jovens são instigados a questionarem sobre si, sua família e comunidade e buscar soluções para melhorar e solucionar problemas pessoais e coletivos. A ferramenta utilizada para que tais reflexões se tornem atitude é a fotografia. A câmera fotográfica, além de servir como um instrumento para atrair os jovens a participarem das oficinas, é a ferramenta utilizada para o fortalecimento da identidade e a construção de um olhar crítico sobre o ambiente em que vivem. Assim, é iniciado todo um questionamento sobre identidade, direitos humanos, o coletividade, discriminação e preconceito, retratados por meio da imagem: um processo de desenvolvimento com possibilidades reais para que os jovens tenham consciência crítica e atitude para promover mudanças no cenário local.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Por ser um projeto atrativo tanto para quem participa como para quem vê o resultado por meio das fotos, o Olhares em Foco rompeu os limites da comunidade e invandiu espaços sociais de todos os públicos. Com grande visibilidade, foi o projeto mais divulgado pela mídia em 2012! • Mais de 300 crianças e jovens já participaram; • 18 edições realizadas no ano em diversas cidades do Ceará e de Minas Gerais (municípios de Virgem da Lapa/MG, Caucaia/CE, Medina/MG, Belo Horizonte/ MG, Barbalha/CE, e Fortaleza/CE); • fortalecimento da identidade pessoal e coletiva; • reflexão sobre o contexto local em que moram; • transformação da própria realidade; • fomento da cidadania entre os participantes e suas comunidades; • jovens que se tornarão adultos melhor preparados para enfrentar seus problemas; • permite que os jovens possam adquirir outra visão de si e do mundo.

47


48

“Aprendi que não precisa montar ou arrumar fotografia para ela ser bela e que a visão do fotógrafo é que deixa ela bonita, é o que ele tem de belo por dentro. Além disso, eu aprendi a ver minha comunidade com outros olhos” Donato Melo, 16 anos, participante do Olhares em Foco no Ceará.

“Aprendi a ter outra visão sobre minha realidade, tanto do ponto de vista de denunciador, como de promover uma intervenção para tentar modificar a realidade”.

Evellyn Cavalcante, 16 anos, participante do Projeto Olhares em Foco no Ceará.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças Olhares em Foco teve repercussão internacional em 2012! O projeto foi um dos assuntos apresentados no Seminário internacional Metodologias Participativas Visuais, realizado em julho de 2012, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa – UNL, em Portugal. O jornalista e doutor em Ciências da Comunicação, Daniel Meirinho, realizou a palestra “A fotografia participativa como ferramenta metodológica para o engajamento social de jovens: o caso Olhares em foco”, um momento em que apresentou os resultados do projeto criado por ele, em 2011, e mantido por meio do Programa de Apadrinhamento de Crianças do ChildFund Brasil.

49


50

Programa Sociedade Mobilizada para a Promoção e Proteção dos Direitos de Crianças, Adolescentes e Jovens Investimento realizado no programa em 2012: R$ 108.513 Influenciar as políticas públicas e estimular a implementação de planos, programas e projetos voltados para promoção, proteção e defesa dos direitos das crianças, adolescentes e jovens em situação de privação, exclusão e vulnerabilidade; esta é a principal estratégia deste programa na tentativa de responder aos efeitos da falta de políticas públicas, investimento e valorização das instâncias de controle e participação popular. Nossa proposta é desenvolver ações que, além de trazerem recursos, tornem o poder público e a sociedade, em geral, mais atentos para as questões da infância e a adolescência. O importante é que o engajamento de todos, seja em ações diretas, na participação, no processo ou na cobrança das instâncias responsáveis, tudo para garantir o cumprimento dos Direitos da Criança. Com essa finalidade, o ChildFund Brasil desenvolve os modelos de projeto: • Competências municipais - Fortalecimento da capacidade institucional dos setores de saúde, educação e assistência social do município. • Sociedade mobilizada para a defesa dos direitos a educação, participação e proteção - Ações para reforçar o compromisso da sociedade com os direitos humanos da criança, através da construção de uma rede de organizações (públicas, privadas e da sociedade civil). • Organizações juvenis influenciando as políticas públicas nacionais - Incentivo à criação de comitês comunitários juvenis e à capacitação para que os mesmos possam intervir na criação de políticas públicas que garantam os direitos de crianças, adolescentes e jovens. Em 2012, o ChildFund Brasil se reuniu a outros atores sociais para traçar uma estratégia focada no enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes. O pontapé inicial foi o Simpósio Latino Americano de Multidisciplinaridade em Ofensas Sexuais.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Violência sexual – responsabilidade de todos! Em setembro de 2012, aconteceu em Belo Horizonte o Simpósio Latino Americano de Multidisciplinaridade em Ofensas Sexuais, idealizado pelo ChildFund Brasil. Foi um momento de discussão sobre as questões ligadas à violência sexual contra a criança. O evento reuniu diversas organizações sociais, profissionais e palestrantes do Brasil e do exterior que atuam na defesa de crianças e adolescentes contra a violência sexual: um público de 120 pessoas, com o intuito de pensar coletivamente em estratégias de combate a essas práticas que atingem milhares de crianças e adolescentes. O problema é recorrente e, embora se trate de um problema de saúde, as questões relacionadas à violência sexual ficam na maioria dos casos restritas às vítimas de abuso, dentro das próprias famílias. O medo e o constrangimento estão entre as razões para esse tipo de comportamento. A cada oito minutos, uma criança é vítima de ofensa sexual no Brasil, de acordo com a Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República. Os números do Ministério da Saúde apontam ainda que abuso sexual é o segundo tipo mais comum de violência contra a criança, ficando apenas atrás das notificações de abandono e negligência. De acordo com o Mapa da violência 2012, Crianças e Adolescentes no Brasil, os principais agressores são pais, padrastos, madrastas ou parentes próximos. Esse papel também é assumido por amigos ou conhecidos, e também por desconhecidos.

O encontro foi o primeiro de uma série de eventos patrocinados pelo ChildFund Brasil e contou com a parceria das organizações Ambulatório Especial de Acolhimento e Tratamento de Famílias Incestuosas – Amefi, do Hospital das Clínicas, da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG; do Centro de Estudos e Atendimento Relativos ao Abuso Sexual – Cearas, da Universidade de São Paulo - USP; do Happy Child International; e da Associação Brasileira de Prevenção e Tratamento das Ofensas Sexuais - Abtos.

Projeto “Depoimento sem Dano” Idealizado pelo desembargador Antonio Daltoé César, o projeto “Depoimento sem Dano” foi apresentado pelo magistrado. A iniciativa visa à proteção psicológica das crianças, adolescentes, vítimas e testemunhas de abuso sexual do excesso de formalismo presente numa sala de audiências. A iniciativa visa promover práticas mais adequadas quando da inquirição das vítimas em questão, preservando-as inclusive, de ouvir perguntas inapropriadas, serem expostas a situações constrangedoras e até mesmo de um possível encontro com o suposto agressor. Para tal, é necessário todo um aparato que vai desde a necessidade de salas adaptadas, com áudio e vídeo, redução do número de entrevistas por outros profissionais a outros procedimentos que visam diminuir o sofrimento das vítimas.

Avanços Nesse contexto, o encontro representou um grande passo e contribuiu para o avanço das questões pertinentes à violência sexual “na medida em que reuniu grandes estudiosos e pesquisadores da área, promovendo a disseminação do conhecimento e de experiências relevantes, fortalecendo, assim, a rede de proteção, acolhimento e tratamento de crianças e adolescentes”, pondera a médica pediatra da Organização Médicos de Cristo, Soraya Dias, que esteve presente no Simpósio.

51


52

Articulação Social O ChildFund Brasil tem em sua estratégia, a participação em espaços de controle social para a ampliação da democracia e o fortalecimento da cidadania. Os resultados e impactos mais significativos da atuação social do ChildFund Brasil estão relacionados ao fortalecimento das redes locais. Para a incidência política, é fundamental que os atores se unam e fortaleçam a ação. Os espaços democráticos têm propiciado troca, proposições e tomadas de decisões de forma coletiva para o controle social. Outra ação importante do ChildFund Brasil é mobilizar a rede de organizações sociais parceiras a participar da Semana de Ação Mundial pela Educação de Qualidade e, assim, envolver a comunidade e outros atores sociais para pressionar as esferas governamentais no cumprimento dos acordos feitos. • Fórum Estadual de Erradicação e Combate ao Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador – Fectipa. • Comitê Gestor Estadual para a Criança e Adolescente do Semiárido Mineiro. • Articulação da Frente Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente no Polo Itaipé - Caraí, Catuji e Novo Cruzeiro. • CEDCA - Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente de MG. • Fórum Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. • Comitê de Mobilização Social pela Educação.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Nossas Organizações Sociais Parceiras Mais de 70 organizações sociais parceiras compõem uma rede do bem e utilizam metodologias participativas do ChildFund Brasil para envolver crianças, adolescentes, jovens, famílias e comunidades a fim de promover o desenvolvimento social local. As organizações sociais parceiras recebem capacitação técnica, apoio financeiro e tecnológico que suportam os processos de gestão organizacional, planejamento, execução, monitoramento e avaliação dos projetos sociais. Para assegurar a transparência na gestão dos recursos, essas organizações são auditadas anualmente e também estão comprometidas com a conduta ética e o modelo de gestão do ChildFund Brasil. Os atores e parceiros locais são preparados para atuar de forma independente e sustentável. O ChildFund Brasil atua por tempo determinado nas comunidades. Assim, concluída sua participação, a organização social parceira dá continuidade às atividades previstas nas metodologias adquiridas que estejam ligadas ao desenvolvimento das comunidades.

53


54 “Encher de vida essa gente Esperar sem reclamar Plantar de novo a semente Que brote o fruto”. Luiz Gonzaga

Organizações sociais parceiras – Sudeste 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

Grupo de Desenvolvimento Comunitário – Gdecom (Belo Horizonte/MG) Creche Comunitária Maria Floripes (Belo Horizonte/MG) Grupo das Crianças Carentes da Vila São Caetano – Griasc (Betim/MG) Grupo Criança em Busca de uma Nova Vida – Gcriva (Vespasiano/MG) Instituto Educacional Fraternidade Cristã (Governador Valadares/MG) Associação Comunitária da Vila Presidente Vargas – Viva (Belo Horizonte/MG) Grupo Produtores Rurais de Tombadouro (Datas/MG) Associação de Desenvolvimento Comunitário Ação Social Clube de Mães de São Gonçalo Rio das Pedras (Serro/MG) 9. Grupo de Apoio à Criança e ao Adolescente do Cabana e Região (Belo Horizonte/MG) 10. Projeto Caminhando Juntos – Procaj (Diamantina/MG) 11. Grupo de Educação, Desenvolvimento e Apoio ao Menor – Gedam (Belo Horizonte/MG) 12. Associação Comunitária do Bairro Felicidade – Abafe (Belo Horizonte/MG) 13. Federação das Associações Comunitárias de Felício dos Santos (Felício dos Santos/MG) 14. Federação das Associações Comunitárias de São Gonçalo do Rio Preto (São Gonçalo do Rio Preto/MG) 15. Creche Comunitária Pingo de Gente (Belo Horizonte/MG) 16. Conselho Amigos das Crianças de Jequitinhonha – Conacreje (Vale do Jequitinhonha/MG) 17. Associação Comunitária de Padre Paraíso – Ascoop (Padre Paraíso/MG) 18. Associação Comunitária Municipal de Medina – Ascomed (Medina/MG) 19. Centro Social de Apoio à Criança e ao Adolescente do Conjunto Paulo VI (Belo Horizonte/MG) 20. Associação de Promoção Infantil Social e Comunitária – Aprisco (Virgem da Lapa/MG) 21. Associação Municipal de Assistência Infantil – Amai (Francisco Badaró/MG) 22. Associação Beneficente de Itaporé – Abita (Coronel Murta/MG) 23. Associação de Promoção ao Lavrador e Assistência ao Menor de Turmalina (Turmalina/MG) 24. Associação Rural de Assistência à Infância – Arai (Berilo/MG) 25. Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – Apae (Sete Lagoas/MG) 26. Associação Comunitária e Infantil de Araçuaí – Associar (Araçuaí/MG) 27. Associação Minasnovense de Promoção ao Lavrador e à Infância de Área Rural – Ampliar (Minas Novas/MG) 28. Associação Chapadense de Assistência às Necessidades do Trabalhador e da Infância – Achanti (Chapada do Norte/MG) 29. Conselho de Pais Criança Feliz (Belo Horizonte/MG) 30. Projeto Semear a Esperança de Carbonita - Prosesc (Carbonita/MG) 31. Associação de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente de Veredinha - Adecave (Veredinha/MG) 32. Associação Jenipapense de Assistência à Infância - Ajenai (Jenipapo/MG) 33. Associação da Criança e do Adolescente de Itaobim - Ascai (Itaobim/MG) 34. Associação Rural de Atendimento Infanto-Juvenil de Comercinho – Araic (Comercinho/MG).


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Organizações sociais parceiras – Nordeste 35. Associação Beneficente Infantil do Paracuru (Paracuru/CE) 36. Conselho Beneficente de Crianças e Trabalhadores Carentes de Quitaiús (Lavras de Mangabeiras/CE) 37. Projeto Esperança das Crianças Sertanejas (Itapiúna/CE) 38. Associação de Promoção Social Feminina Carente (Baturité/CE) 39. Sociedade em Benefício à Família (Barbalha/CE) 40. Sociedade de Educação e Saúde à Família (Barbalha/CE) 41. Projeto Guadalajara (Caucaia/CE) 42. Associação Familiar do Parque Água Fria (Fortaleza/CE) 43. Associação Unidos para o Progresso (Limoeiro do Norte/CE) 44. Associação Futuro da Criança (Jaguaruana/CE) 45. Associação Comunitária Cultural, Educacional e Agrícola do Vale do Curu (São Luís do Curu/ CE) 46. Projeto Bem-Estar Comunitário (Fortaleza/CE) 47. Projeto Alegria da Criança(Caucaia/CE) 48. Projeto Feliz Jornada (Caucaia/CE) 49. Projeto da Criança da Comunidade Unida (Fortaleza/CE) 50. Projeto Comunitário Sorriso da Criança (Fortaleza/CE) 51. Projeto Frente Beneficente para Criança (Fortaleza/CE) 52. Associação Sonho Infantil (Fortaleza/CE) 53. Frente de Assistência à Criança Carente (Fortaleza/CE) 54. Projeto Criança Feliz (Fortaleza/CE) 55. Projeto União (Fortaleza/CE) 56. Sociedade de Assistência à Criança (Milagres/CE) 57. Associação Infantil da Palestina (Orós/CE) 58. Associação Comunitária de Assistência à Família – Acoafa (Missão Velha/CE) 59. Associação Comunitária do Guarani (Campos Sales/CE) 60. Comunidade Educacional Padre Anchieta (Trairi/CE) 61. Sociedade Nova Esperança (Russas/CE) 62. Associação Creche Comunitária Padre Zanella (Fortaleza/CE) 63. Associação Menor Também Constrói (Fortaleza/CE) 64. Associação Recreativa de Solonópoles (Solonópoles/CE) 65. Sociedade de Apoio à Família Sobralense (Sobral/CE) 66. União Popular Pela Vida (Missão Velha/CE) 67. Centro de Apoio à Criança (Itapiúna/CE) 68. Sociedade de Promoção e Apoio à Família de Itapipoca (Itapipoca/CE) 69. Associação União das Famílias (São Gonçalo do Amarante/CE) 70. Centro Social de Orós (Orós/CE) 71. Sociedade de Apoio à Família (Barbalha/CE) 72. Conselho de Pais de Campos Sales (Campos Sales/CE) 73. Movimento de Ajuda Familiar de Ocara (Ocara/CE) 74. Comunidade de Base de São Pedro (Jucás/CE) 75. Sociedade de Apoio à Família Carente (Crato/CE) 76. Associação dos Moradores de Cariri Mirim (Moreilândia/PE) 77. Associação dos Moradores dos Bairros Frutilândia I e Fulô do Mato (Açu/RN)

55


56

A voz das crianças Pesquisa Small Voices Big Dreams 2012 Educação e meio ambiente são as maiores preocupações das crianças Foi o que revelou a pesquisa divulgada pelo ChildFund Brasil sobre sonhos e preocupações de mais de 6 mil crianças de 47 países. A terceira edição da pesquisa Small Voices Big Dreams 2012 – Pequenas Vozes, Grandes Sonhos foi realizada de junho a agosto de 2012, com resultado divulgado em novembro do mesmo ano. O objetivo principal é ouvir as crianças de todo o mundo e mostrar as suas maiores preocupações. O estudo foi promovido pelo ChildFund Alliance, com 6.200 crianças entre 10 e 12 anos de 47 países. A pesquisa mostrou que as crianças da África, da Ásia e das Américas. Conferem grande importância para escolaridade e têm altas aspirações para o seu futuro.

Países participantes: Afeganistão Angola Austrália Canadá Benin Bolívia Brasil Burkina Faso Cabo Verde Coreia Dinamarca Dominica & São Vicente Equador Estados Unidos Etiópia Filipinas

França Gâmbia Camboja Gana Guatemala Guiné Honduras Índia Indonésia Irlanda Japão Quênia Laos Libéria Mali Moçambique

México Mongólia Nepal Nicarágua Nova Zelândia Paraguai Quênia Senegal Serra Leoa Sri Lanka Suécia Taiwan Timor-Leste Uganda Vietnã Zâmbia


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças “Se você fosse presidente ou líder de seu país, o que você faria para melhorar a vida das crianças?” Uma em cada duas crianças de países em desenvolvimento econômico melhorariam a educação ou ofereceriam maiores oportunidades de geração de renda. 22% supririam necessidades básicas como alimentos, roupas e abrigo. Quando perguntadas sobre o que querem ser quando crescer, mais uma vez o tema educação esteve no topo. A maioria das crianças, nos países em desenvolvimento econômico, responderam que queriam profissões que exigem uma educação universitária. 27% delas indicaram a profissão de médico e 24%, de professor. Foi a primeira vez que o estudo incluiu questões ambientais. Pelo menos uma em cada três crianças (40%) de países em desenvolvimento já teve alguma experiência com secas; 33%, com inundações e 30%, com queimadas. As crianças ainda demonstraram grande preocupação ecológica com a crescente ameaça de poluição ao meio ambiente. Uma em cada quatro crianças (26%) citou diversas formas de poluição como o “problema ambiental que mais as preocupa”. Sobre como mudar o ambiente em torno de sua comunidade, 28% das crianças de países em desenvolvimento falou sobre a necessidade de se plantar árvores e construir mais parques e 29% das crianças dos países desenvolvidos disse que a principal prioridade seria reduzir ou parar de jogar lixo em lugares impróprios.

“Pequenas Vozes, Grandes Sonhos” no Brasil revela preocupação com meio ambiente e medo de ameaças familiares No Brasil, foram 103 participantes de 15 organizações sociais parceiras do ChildFund Brasil nos estados de Minas Gerais, Ceará e Pernambuco, entre 10 e 12 anos de idade, sendo 57% meninas e 43% meninos. Sobre o que fariam para melhorar a vida das crianças em seu país, se fossem presidentes, 54% dos brasileirinhos, assim como as crianças do mundo, também melhorariam a educação e proporcionariam oportunidades de geração de renda; 36% dos nossos pequenos ainda disseram que proveriam necessidades básicas como alimentação, vestuário e abrigo, e 20% investiriam na diminuição da desigualdade e na criação por mais postos de trabalho. Assim como as crianças de outros países em desenvolvimento, 23% também responderam que pretendem ser médicos, enfermeiros ou dentistas quando crescerem e 16% querem ser professores. O problema ambiental que mais preocupa as crianças brasileiras é a poluição (37%), em seguida vem o desmatamento com 23%. Sobre o que fariam para mudar o ambiente em torno da comunidade em que vivem, os brasileirinhos seguiram a mesma linha das crianças de países desenvolvidos. 30% delas eliminariam ou diminuiriam o lixo, mesma atitude de crianças de países desenvolvidos; outros 21% melhorariam a infraestrutura e 17% plantariam mais árvores e construiriam mais parques. Outro dado revelado pela pesquisa é que o maior medo das crianças brasileiras, além do medo de animais, resposta da maioria das crianças do mundo, está relacionado às ameaças familiares (25%). De acordo com o Mapa da Violência 2012 – Crianças e Adolescentes do Brasil, desenvolvido anualmente pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos - Cebela, os números de vítimas de violência domésticas revelam uma realidade preocupante: cerca de 40 mil crianças e adolescentes foram atendidos em 2011 pelo Sistema

57


58 Único de Saúde - SUS, vítimas de violência doméstica, sexual e/ou outras. Dois de cada três casos tiveram a própria residência como local do ato, sendo o agressor alguém muito próximo. Dos atendimentos realizados, pouco mais de 40% foram por violência física (faixa etária de 1 a 19 anos de idade), 20%, por sexual(de 5 a 14 anos de idade), 17% registraram violências moral e psicológica e, em 16% dos casos, a negligência e o abandono foram o motivo do atendimento (forte concentração na faixa de 1 a 4 anos de idade).

Os dados são alarmantes e o ChildFund Brasil, preocupado em diminuir e, aos poucos, mudar este cenário, atua com o projeto “Eu, você e a paz: um pacto que se faz”, inserido no programa “Crianças Educadas e Confiantes”. O projeto atende crianças e adolescentes (de 6 a 14 anos) e realiza um trabalho focado na cultura de paz. Um projeto que vai além do trabalho com a criança e o adolescente, estendendo-se até a sua família e comunidade. É como se nosso projeto plantasse pequenas sementes de paz que nas comunidades em que atuamos.

O Diretor Nacional do ChildFund Brasil, Gerson Pacheco, ressaltou a importância de se ouvir as crianças: “Precisamos ouvir sempre nossas crianças para direcionar os projetos sociais das diferentes regiões do país em que atuamos. A pesquisa nos permite entender o que a criança pensa com relação à comunidade em que vive, revela seus desejos e anseios. No Brasil, assim como em outros países, o destaque foi a preocupação dos pequenos com o meio ambiente e a educação. Porém, o medo das ameaças familiares, registrados em 25% das respostas das crianças brasileiras, chamou a nossa atenção. Trata-se de um mal silencioso que atinge milhares de lares, mas que buscamos minimizar por meio dos programas que o ChildFund Brasil desenvolve em mais de 800 comunidades no país”.

Victoria foi uma das crianças entrevistadas e, como a maioria das crianças brasileiras, ela se preocupa com o lixo nas ruas. Para solucionar este problema, sugere que, tanto ela como a comunidade colaborem para a reciclagem do lixo que fica jogado nas ruas da comunidade. Acredita que investir na educação é o melhor caminho para a mudança. Para ela, é preciso mostrar para as pessoas que o lixo é um problema que afeta todo mundo, e sugere que seja realizada uma palestra de sensibilização para cuidar bem do lixo. “Se eu pudesse, reciclaria todo o lixo das ruas e retirava todo o lixo dos rios”, contou a menina. Victoria, 11 anos, reside na sede do distrito Quitaipus, em Lavras da Magabeira, no estado Ceará - Brasil. Ela participa das atividades da organização social parceira do ChildFund Brasil - Conselho Beneficente de Crianças e Trabalhadores Carentes de Quitaiús - Cobec.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Francisco também participou da pesquisa Pequenas Vozes Grandes Sonhos em 2012 e, como a maioria das crianças no mundo, se fosse o presidente do seu país, melhoraria o ensino. Ele disse que construiria escolas melhores e contribuiria para o aumento da renda das famílias. Faria tudo isso para proporcionar uma vida mais digna para as crianças brasileiras.

Francisco, 12 anos, reside no Sítio Fortaleza, município de Moreilândia, Pernambuco – Brasil e é atendido pela organização social parceira do ChildFund Brasil - Associação dos Moradores de Cariri Mirim.

A pesquisa Small Voices Big Dreams – Pequenas Vozes, Grandes Sonhos foi realizada pelo ChildFund Alliance. Dos 47 países em que a pesquisa foi realizada, 36 são países em desenvolvimento econômico na África, na Ásia e nas Américas. Das 6.204 crianças entrevistadas, 3.665 crianças são de países em desenvolvimento e 2.539 crianças são de nações desenvolvidas. O questionário incluiu cinco perguntas abertas e uma fechada. Todas as respostas traduzidas foram fornecidas a GfK Roper, uma das maiores empresas de pesquisa do mundo. (Mais informações no site: www.childfundbrasil.org.br)

59


60

PEA 2012 Planejamento Estratégico de Área – PEA Ouvir para solucionar Só é possível conhecer e tentar solucionar as dificuldades e os desafios das pessoas que vivem em estado de vulnerabilidade, privação e exclusão por meio do diálogo e da pesquisa com quem convive com os problemas. Em 2012, o ChildFund Brasil iniciou mais um processo para ouvir das pessoas em estado de risco social os problemas que enfrentam, desafios e oportunidades e quais soluções serão possíveis em cada localidade atendida. Assim, nasceu o PEA! O Planejamento Estratégico de Área - PEA (ou Area Strategic Plan, ASP, sigla em inglês) é um processo de mobilização e engajamento no qual crianças e adultos de um determinado local são consultados sobre os problemas que enfrentam. Com os dados coletados, o ChildFund Brasil poderá entender a realidade da comunidade em que eles vivem para, assim, traçar planos e projetos e tentar solucionar os problemas levantados no local. A proposta é realizar um estudo que promoverá maior governabilidade das ações nas 21 áreas geográficas de atuação do ChildFund Brasil e um alto nível de corresponsabilidade junto às organizações sociais parceiras. A fase inicial do PEA, inclui cinco etapas (preparação, consulta às comunidades, sistematização dos problemas, validação e planejamento dos programas e projetos) e foi executada em todas as organizações sociais parceiras do ChildFund Brasil nos últimos seis meses de 2012. O próximo passo será a execução de projetos sociais que contribuíram para diminuição ou erradicação dos problemas levantados, fase que terá a duração de três anos (de 2013 a 2015). Ao final desses três anos, será realizada uma nova consulta comunitária para a revisão da proposta e o replanejamento para uma nova fase de três anos até completar o ciclo de 15 anos, quando o ChildFund Brasil almeja a sustentabilidade das organizações sociais parceiras.

Envolvimento de Crianças, Jovens e Adultos no Planejamento Estratégico Local Estágio 1: 2-4 semanas

PREPARAÇÃO

Estágio 2: 4-8 semanas

Estágio 3: 1-2 semanas

Estágio 4: 3-4 semanas

Estágio 5: 2-4 semanas

CONSULTAS ÀS COMUNIDADES SINTETIZAR PROBLEMAS

Vamos descobrir o que os outros pensam.

PLANEJAR PROGRAMAS

VALIDAR

Vamos usar estas informações para planejar em conjunto. O que nós pensamos?

Consulta da criança Consulta do adulto

Estes são os problemas que meus parceiros identificaram.

Agora vamos começar a trabalhar juntos.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Principais problemas apresentados no PEA Ao ouvir crianças, adolescentes e adultos das comunidades, foram detectados problemas comuns a todas as regiões de atuação no ChildFund Brasil, como uso de drogas lícitas e ilícitas por adolescentes e jovens, violência doméstica e violência sexual contra crianças e adolescentes, limitados espaços para lazer, desemprego dos jovens, dentre outros mais específicos para cada região. Veja: • O que mais chama a atenção, dentre os problemas apontados, foi a indicação dos vínculos familiares enfraquecidos pela maioria das pessoas consultadas, principalmente nas comunidades nordestinas. • Além de todos os problemas comuns citados anteriormente, as comunidades atendidas na região metropolitana de BH apontaram ainda questões relacionadas à presença de lixo, bullying e preconceito. • Ainda em Minas Gerais, no Vale do Jequitinhonha foram adicionados aos problemaschave o alcoolismo, a gravidez na adolescência e a precariedade de serviços e políticas públicas como problemas consideráveis. • No Nordeste, dentre as dificuldades mais citadas estão falta de escolaridade, migração, falta de água, poluição e questões ambientais. Destaca-se que as prioridades estabelecidas no PEA estão diretamente relacionadas às políticas públicas existentes nas áreas, fato que favorece a adoção de práticas destinadas à mobilização de investidores sociais para a ampliação da capacidade de desenvolvimento social na área.

61


62

“No final de agosto de 2012, as organizações sociais parcerias do ChildFund Brasil Projeto Comunitário Sorriso da Criança, Associação Sonho Infantil, Projeto União e Projeto Criança Feliz participaram do 1º estágio do treinamento do PEA e foi muito produtivo. Foram momentos de aprendizagem, interação, troca e a certeza de que a UNIÃO é o mote. Teremos muito trabalho pela frente, assim como todas as organizações envolvidas, cada qual em sua área. Desejo sucesso a todos para que o trabalho iniciado há décadas passadas, em parceria com o ChildFund Brasil, seja a base de boas práticas conquistadas para a construção de um novo sonho” Alilian Gradela, coordenadora do Projeto Comunitário Sorriso da Criança.

“Em 2012 aconteceu a 1ª etapa do PEA, com o tema PREPARAR E COMPROMETER. Foi uma experiência riquíssima. Destaco com muito prazer a presença das lideranças jovens e adultas que abrilhantaram a ocasião com sua participação ativa” Mirilene Santana, assessora de Desenvolvimento Social e Humano no Ceará.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

46 anos de atuação no Brasil No dia 30 de agosto de 2012, o ChildFund Brasil completou o 46º ano de atendimento a crianças, adolescentes, jovens, famílias e comunidades brasileiras que vivem em estado de risco social, por meio do Programa de Apadrinhamento de Crianças. Esta é uma história construída com amor e dedicação, e com o compromisso de padrinhos brasileiros e estrangeiros, parceiros, organizações sociais parceiras e funcionários. Um trabalho com o objetivo nobre de transformar vidas à medida que orienta as comunidades na luta pelos seus direitos, empodera os indivíduos, cuida, acolhe, ensina, trabalha o indivíduo para extrair o seu melhor e, assim, mostrar o valor e o poder para que as mudanças nos cenários adversos sejam apenas uma questão de tempo. O ChildFund Brasil desenvolve projetos voltados para a leitura, brincadeira, educação de qualidade, formação técnica e oportunidades de inserção no mercado de trabalho, sustentabilidade do lar, capacitações e várias outras ações que preparam os indivíduos para uma vida mais digna e para se tornarem adultos engajados e responsáveis. A data foi comemorada com uma confraternização entre o ChildFund Brasil e organizações sociais parceiras. Funcionários do escritório ChildFund Brasil em Belo Horizonte/MG visitaram o Centro de Apoio à Criança e ao Adolescente do Conjunto Paulo VI e o Grupo de Apoio a Crianças e Adolescentes do Cabana e Região, organizações parceiras localizadas na capital mineira.

63


64

Também em comemoração ao aniversário de 46 anos do ChildFund Brasil, o presidente Valseni Braga, o diretor nacional Gerson Pacheco e alguns membros dos Conselhos e da Assembleia visitaram organizações sociais parcerias na região do Cariri no Ceará. Durante as visitas, o grupo teve a oportunidade de conhecer a realidade das famílias daquela região e também o trabalho desenvolvido pelas organizações sociais parcerias e pela equipe da Unidade de Campo do Cariri.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Nossos parceiros “Foi puxando nessa vida Que achei uma saída Foi no topo da subida Que cheguei à conclusão No mundo quem não puxou Não se deu, não se arrumou Não foi bom puxador” Luiz Gonzaga

Cris Guerra É chique ser solidário! A madrinha e embaixadora do ChildFund Brasil, Cris Guerra, foi a primeira blogueira fashionista de moda diária no Brasil. Conhecida no país inteiro, é dona do blog “Hoje vou assim”, referência para a moda nacional. Cris é uma mulher que vive a mil por hora! Como tantas outras mulheres brasileiras, ela se divide em ser mulher, esposa, mãe, profissional e, ainda, em ser solidária. Mesmo com toda a agitação do mundo fashion, Cris consegue dar atenção ao seu afilhado e sempre está emprestando a sua voz e imagem para as nossas campanhas, em busca de mais padrinhos para crianças, adolescentes e jovens. Com a divulgação do Programa de Apadrinhamento de Crianças no blog, ela consegue tocar o coração de pessoas que querem andar na moda do vestuário e da solidariedade. Afinal, é chique ser solidário! São muitos os padrinhos que chegam até o ChildFund Brasil por meio do trabalho no blog da fashionista. Todo esse apoio resulta em apadrinhamento de crianças! Em 2012, foram 43 apadrinhamentos de pessoas que conheceram o programa por meio do blog “Hoje Vou Assim” da Cris Guerra!

Se você é padrinho e também quer apoiar o ChildFund Brasil na divulgação do Programa de Apadrinhamento de Crianças, entre em contato pelo telefone 0300 313 2013.

65


66

Victor Dzenk Mais uma vez, moda e solidariedade fazem uma mistura fashion em benefício das crianças Para conseguir recursos e realizar projetos em benefício de crianças, adolescentes e jovens em todo o país, ainda no mundo da moda, o ChildFund Brasil – Fundo para Crianças fez uma parceria com Victor Dzenk. Victor Dzenk é um estilista mineiro reconhecido como um dos mais importantes nomes do cenário da moda brasileira. O estilista estudou em Esmof, escola de moda em Paris e, posteriormente, criou a sua própria marca. A grife está em, aproximadamente, 200 pontos de venda no Brasil e 22 no exterior; além disso, tem duas lojas próprias no Rio de Janeiro e uma em Belo Horizonte/MG.

O resultado dessa parceria foi o início de um projeto de responsabilidade social, a camiseta solidária, lançada pelo estilista durante a edição de verão do Minas Trend Preview Verão 2012 – maior evento de moda de Minas Gerais, realizado na Casa Bernadi em Belo Horizonte/MG.

Dzenk elaborou uma estampa exclusiva para a camiseta e a renda arrecadada com a venda é investida nos projetos do ChildFund Brasil.

O evento de lançamento foi uma grande festa e adolescentes do Projeto Olhares em Foco estiveram presentes e registraram imagens com o estilista, a camiseta solidária e toda a coleção de verão de Dzenk.


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Adolescentes atendidos pelo ChildFund Brasil participaram do evento

Antes disso, os adolescentes que participam do Projeto Olhares em Foco no Conselho de Pais Criança Feliz, organização social parceira do ChildFund Brasil, participaram de uma sessão de fotos da fotógrafa de moda Luíza Villaroel com a madrinha Cris Guerra, que vestia a camiseta solidária. Na oportunidade, os adolescentes também registraram fotos. Várias fotografias foram selecionadas para compor a exposição no dia do lançamento, na Casa Bernardi.

67


68

Destaque Pague Menos 2012 O ChildFund Brasil e a rede de farmácias Pague Menos são parceiros na campanha “Doe seu troco” desde 2010. É uma iniciativa que estimula as pessoas que vão até as farmácias Pague Menos a doarem o seu troco para que o ChildFund Brasil possa atender ainda mais crianças, adolescentes e jovens, por meio de projetos. A campanha “Doe seu troco”, em 2012, alcançou R$13.733,45 em arrecadação. Em 2012, ainda mais parceiros estiveram com o ChildFund Brasil em prol de uma vida mais digna para crianças, adolescentes e jovens. Conheça os nossos parceiros:

Fundação Dom Cabral Programa Parceria com Organizações Sociais (POS)

Instituto Brasileiro de Governança Corporativa

Oracle Implantação do Sistema People Soft

Grupo de Institutos, Empresas e Fundações

RGarber Estatística e Inovação Pesquisas de Mercado

Dotz Campanha Doe seus Dotz

Geraldo Lustosa – Laboratório Médico Divulgação do Universidade de São Paulo – USP Programa de Apadrinhamento Apoio a projetos sociais

Fiat Automóveis Projeto Esportista Cidadão

Universidade Federal de Minas Gerais Apoio a projetos sociais

Ideia Fixa – Gestão da Informação Clipping impresso

Farmácias Pague Menos Campanha Doe seu Troco

Ícone Informação Clipping eletrônico

Interclip Clipping web

Engetec Apadrinhamento Corporativo

Noir Produção audiovisual


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Cada vez mais perto de você Nossos canais de comunicação e mídias sociais

De acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Inteligência de Mercado, o Ibramerc, realizada em abril de 2012, o Facebook estava em 1º lugar nas redes sociais que se destacam no mundo, com 20% da preferência, seguido pelo Twitter, com 17% e Youtube, com 14%.

Já é realidade! A internet faz parte da vida de milhões de brasileiros e o ChildFund Brasil ingressa nas redes para dar visibilidades a suas causas e projetos. As mídias sociais são a oportunidade que os usuários têm de estar em contato direto com a organização, esclarecer dúvidas, oferecer sugestões, questionar sobre alguma ação e estar mais próximo do que a organização realiza. Com a onda virtual, padrinhos e madrinhas que conhecem bem o ChildFund Brasil podem propagar nosso trabalho e contribuir com a organização. Acesse nosso site, veja nossos perfis e compartilhe nossas notícias e ações. Sua ajuda é muito importante! Visite os nossos sites e blog: Institucional: www.childfundbrasil.org.br Programa de Apadrinhamento de Crianças: www.apadrinhamento.org.br Programa Apadrinhamento de Escolas: www.apadrinheamazonas.org.br Nosso Blog: childfundbrasil.blogspot.com.br Conheça e divulgue as nossas mídias sociais: Facebook: www.facebook.com/ChildFundBR Twitter: www.twitter.com/ChildFundBrasil

Você, padrinho, que se liga nas mídias sociais, contribua com a divulgação do Apadrinhamento!

Youtube: www.youtube.com/childfundbr Google+: plus.google.com Investimos em ações nas mídias sociais que se concretizaram em apadrinhamento de crianças.

69


70

Assessoria de Imprensa A assessoria de imprensa também é uma estratégia de comunicação para fortalecer a imagem institucional e promover a visibilidade da organização em forma de mídia espontânea (quando você conquista um espaço em veículos de comunicação como jornal, televisão, rádio, site, TV, dentre outros, de forma gratuita). Essa ação também gera resultados em entrevistas e matérias sobre nossos programas e projetos na mídia, assim como resultados em apadrinhamento de crianças. De janeiro a dezembro de 2012, 62 crianças foram apadrinhadas por meio da assessoria de imprensa. Pessoas que leram, viram e ouviram sobre o trabalho do ChildFund Brasil ficaram convencidas de nossas ações para a melhoria de vida de milhares de crianças, adolescentes, jovens e comunidades brasileiras. E-mail: comunicacao@childfundbrasil.org.br


ChildFund Brasil - Fundo para Crianças

Administração e Finanças

71


Demonstração Financeira 2012-2011 Demonstrativo financeiro gerencial Receitas Doações do exterior

17.449.114

Doações locais

5.533.088

Intermediação de presentes

4.402.459

Isenção INSS Financeira Aluguel Alienação de bens do ativo imobilizado

620.252 3.702 459.821 84.858 28.553.294

Despesas Verba aos projetos conveniados para assistência social 21.502.370 Apoio direto aos Programas Sociais

1.819.287

Despesas gerais e administrativas

4.654.143

Despesas financeiras

182.460

Isenção INSS

620.252

Depreciação e amortização

201.281 28.979.793

Demonstrativo financeiro gerencial

Confira as notas explicativas nos anexos do Relatório das Demonstrações Financeiras 2012


Balanรงo patrimonial


Anexos: A seguir, as demonstrações financeiras para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 foram elaboradas e estão sendo apresentadas, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis às entidades sem fins lucrativos (ITG 2002). As presentes demonstrações financeiras foram aprovadas pelo Conselho Fiscal da Entidade em 11 de abril de 2013 e pelo Conselho de Administração em 22 de abril de 2013.



Relatório Anual