Issuu on Google+

7daZi^bIg^bZhigVa

FESTA NO CHIADO A próxima edição da Festa no Chiado terá lugar entre 12 e 19 de outubro e será dedicada a Almada Negreiros, comemorando os 120 anos do seu nascimento.

CLAUDIO MAGRIS VENCE PRÉMIO EUROPEU HELENA VAZ DA SILVA O Prémio Europeu Helena Vaz da Silva para a divulgação do Património Cultural, instituído pela Europa Nostra, pelo Centro Nacional de Cultura e pelo Clube Português de Imprensa e apoiado pelo Turismo de Portugal, pelo Banco Espírito Santo, pela Secretaria de Estado da Cultura e pela Representação da Comissão Europeia em Portugal, foi atribuído, pela primeira vez, ao escritor italiano Claudio Magris, que se distinguiu como autor de “uma obra notável sobre a identidade europeia, como realidade diversa que se deve preservar enquanto património material e imaterial”.

Ò Ekj Ò Del Ò :[p

É')

Ao atribuir o Prémio Europeu Helena Vaz da Silva a Claudio Magris, o Júri foi também sensível «aos esforços continuados de Olivér Kovács e Ozgen Acar, o primeiro pela mobilização dos cidadãos a favor do Património da Hungria, e o segundo pela luta internacional contra o tráfico ilegal de tesouros do Património com origem na Turquia », tendo deliberado atribuir-lhes uma Menção Especial. O escritor receberá o Prémio no dia 21 de outubro numa sessão que terá lugar na Fundação Calouste Gulbenkian e que prestará também homenagem aos galardoados portugueses com o Prémio Europa Nostra 2013: Liceu Passos Manuel, Chalet da Condessa d’Edla, Fundação Ricardo Espírito Santo e projeto SOS Azulejo.

Durante uma semana serão propostas inúmeras iniciativas especiais, a maioria gratuitas, das quais se destacam Concertos, visitas “Encontros à Esquina” e “Portas Abertas”, Cafés Literários, Atividades Infantis, Exposições, Colóquios, Conferências e Animações de rua. Esteja atento à agenda da Festa que estará disponível na receção do CNC e no site www.cnc.pt

MECENAS OURO

1


Notí Notícias CIAS JORNAL FALADO Neste ciclo de conversas e debates informais à volta de temas da atualidade, o Centro Nacional de Cultura organiza este trimestre as seguintes sessões de entrada livre:

[ 16 de outubro | 18h30 ] viva almada! No âmbito da FESTA NO CHIADO e das comemorações dos 120 anos do nascimento de Almada Negreiros. com: Guilherme d’Oliveira Martins, Duarte Ivo Cruz e Paulo Henriques, Diretor do Museu do Chiado.

[ 6 de novembro | 18h30 ] Fernando Pessoa, pesquisador com: Pedro Saraiva, Victor Pomar, José Barreto,Teresa Sobral Cunha, Pedro Teixeira da Mota e Guilherme d’Oliveira Martins. Estarão em exposição trabalhos de Graça Delgado.

[ 13 de novembro 18h30 ] helena cidade moura Helena Cidade Moura foi responsável pela maior campanha de alfabetização organizada em Portugal no pós-25 de Abril. Acompanhou mais de 400 cursos de alfabetização e foi deputada à Assembleia da República na I, II e III legislaturas. Esteve desde sempre ligada ao Centro Nacional de Cultura onde colaborou em inúmeras iniciativas. com: diversas personalidades amigas e familiares da homenageada.

2

DIA ANTÓNIO LOBO ANTUNES O Centro Cultural de Belém e o CNC organizarão a 27 de outubro o “Dia António Lobo Antunes”. O programa estará disponível brevemente no site de ambas as instituições.

JANTARES-DEBATE “PORTUGAL: QUE ESTADO, QUE SOCIEDADE, QUE SOBERANIA?“ O Clube Português de Imprensa, o Centro Nacional de Cultura e o Grémio Literário juntam-se novamente para promover, a partir de outubro, um novo ciclo de jantares-debate, desta vez subordinado ao tema “Portugal: que Estado, que Sociedade, que Soberania?“. Recorde-se que o ciclo de jantaresdebate “Portugal: o presente tem futuro? “ que decorreu em 2012 e 2013, contou com a presença de diversas personalidades representativas da sociedade portuguesa: Guilherme d`Oliveira Martins, Vasco Graça Moura, Marcelo Rebelo de Sousa, António

Barreto, João Bosco Mota Amaral, José Silva Peneda, Fernando Ulrich, Francisco Balsemão, Zeinal Bava, Manuela Ferreira Leite e Miguel Poiares Maduro. Esta série de jantares-debate que terminou com um balanço muito positivo, funcionou como um espaço onde se promoveu um amplo debate e uma proveitosa troca e partilha de ideias. Pode consultar informação mais detalhada sobre este 2º ciclo no nosso site www.cnc.pt ou no portal www.e-cultura.pt

DUAS AMIGAS DO CNC Deixaram-nos inesperadamente Helena Langrouva e Teresa Amado, a quem o CNC muito deve. Recordamos a tradução pela primeira da obra de Lanza del Vasto, bem como os seus estudos e contributos sobre Ruben A. e M.S.Lourenço. Teresa Amado era filha de Fernando Amado, fundador do CNC, ensaísta e investigadora,especialista de Fernão Lopes, foi sempre de uma grande disponibilidade e generosidade para connosco. Exprimimos a mais viva homenagem e não esquecemos a amizade de ambas.

MECENAS PRATA ANA ­‑ Aeroportos de Portugal, SA | Banco Espírito Santo | Correio da Manhã (Presslivre) | Diário de Notícias | DID ­‑ Doc. Informática

Desenv. | Grupo Babel – Editorial Verbo, SA | Hoteis Heritage Lisboa | Imprensa Nacional ­‑ Casa da Moeda | Instituto Nacional de Estatística | Jornal de Notícias Metropolitano de Lisboa | Fundação Manuel António da Mota | REN ­‑ Rede Eléctrica Nacional | Tabaqueira II, SA


Notí Notícias CIAS BOLSAS CRIAR LUSOFONIA Está aberto o concurso BOLSAS CRIAR LUSOFONIA 2013 Trata-se de uma iniciativa apoiada pela Secretaria de Estado da Cultura, através da Direção Geral do Livro e Bibliotecas, que tem por objetivo a atribuição de bolsas no domínio da escrita para estadas de longa duração em países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. Pretende-se criar oportunidade de contacto aprofundado com outros países lusófonos aos escritores/investigadores de língua portuguesa a fim de produzirem uma obra destinada à divulgação no espaço lusófono. São instituídas duas bolsas de criação / investigação literárias que permitirão estadas de quatro meses em Portugal ou num dos outros sete países lusófonos, sendo uma das quais obrigatoriamente atribuída a um português. Prazo de candidatura: 30 de outubro de 2013 Mais informações e regulamento em www.cnc.pt

VIAGEM À REPÚBLICA POPULAR DA CHINA, MACAU E HONG KONG Um grupo de 36 sócios do CNC participou entre 31 de agosto e 12 de Setembro na viagem do ciclo “Os Portugueses ao encontro da sua História” à República Popular da China (Pequim, Xi’an e Xangai), Macau e Hong Kong organizada em colaboração com o Centro de Estudos dos Povos e Culturas de Expressão Portuguesa (CEPCEP) da Universidade Católica Portuguesa e guiada pelo Prof. António Graça de Abreu. Durante a viagem decorreu um Seminário Cientifico dedicado a Tomaz Pereira - astrónomo,

ASSOCIAÇÕES

musicólogo, diplomata - que teve lugar no Observatório Imperial de Pequim, organizado em colaboração com a Embaixada de Portugal em Pequim e o Senhor Embaixador Jorge Torres-Pereira. Nos dias 9 e 10 de Setembro, o grupo pôde também assistir ao II Encontro de Poetas Chineses e Lusófonos em Macau, organizado em conjunto com a Fundação Jorge Álvares e o Instituto Internacional de Macau e coordenado pelo poeta Yao Jing Ming, no qual participaram os poetas portugueses Diogo Vaz Pinto, Fernando Pinto do Amaral, Inês Fonseca Santos, Luís Quintais e Manuel Afonso Costa. Pode ler as crónicas desta viagem da autoria de Guilherme d’Oliveira Martins no site do CNC.

APAI ­‑ Associação Portuguesa de Arqueologia Industrial | ASC ­‑ Amigos do São Carlos | ATL ­‑ Associação de Turismo de Lisboa | Associação de Valorização do Chiado | FESPAC ­‑ Federação Portuguesa das Associação e Sociedades Científicas | Fundação Passos Canavarro ­‑ Arte, Ciência e Democracia | Ofícios do Património e da Reabilitação Urbana | SEDES ­‑ Associação para o Desenvolvimento Económico e Social | SLP ­‑ Sociedade da Língua Portuguesa

3


Notí Notícias CIAS COLÓQUIO INTERNACIONAL SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN EM LIVRO A Porto Editora, com a colaboração do Centro Nacional de Cultura, vai editar no início de novembro as Atas do Colóquio Internacional Sophia de Mello Breyner Andresen, que se realizou em janeiro de 2011, na Fundação Calouste Gulbenkian. A obra literária de Sophia, o imaginário que lhe corresponde e a sua relação com outros grandes autores portugueses são aqui analisados por estudiosos, críticos e tradutores nacionais e estrangeiros.

ROTEIROS TURÍSTICOS DO PATRIMÓNIO MUNDIAL – IMPÉRIO, DESTINO E SONHO Dando continuidade à parceria com o Turismo de Portugal, o Centro Nacional de Cultura está a produzir os conteúdos da III Série dos Roteiros Turísticos do Património Mundial, desta vez dedicados, em 3 volumes, a Lisboa, Sintra e Évora/ Elvas. O CNC volta a contar com a colaboração e coordenação científica do Professor Paulo Pereira, autor da I Série destes Roteiros, dedicada a Alcobaça, Batalha e Tomar. A II Série, lançada no início deste ano, incide sobre o Norte de Portugal – Porto, Guimarães e Alto Douro Vinhateiro/Parque Arqueológico de Foz Coa.

ATELIERS INFANTIS  CHIADO/CHIADINHO – CULTURA SOLIDÁRIA O Centro Nacional de Cultura está a desenvolver, no âmbito dos projetos dedicados à Cultura Solidária, ateliers infantis para crianças do 1º ciclo do ensino

4

APOIOS

básico, em escolas com necessidade de intervenção prioritária. A primeira série de ateliers, que terá início em outubro, contará com a participação de crianças das Escolas do Agrupamento BaixaChiado, nomeadamente as escolas Padre Abel Varzim, As Gaivotas e São José. Pretende-se promover a interligação de várias artes (património, leitura, escrita, ilustração) para que seja potenciada a expressividade e a criatividade destas crianças e para que a vivência e o contacto com estas realidades lhes permita um melhor desenvolvimento da sensibilidade. Através de Jogos de Apresentação, Leitura de Contos, Jogos de Escrita Criativa/ ilustração e de Observação pretende-se desenvolver nas crianças o interesse pelo património artístico e cultural, dar-lhes a conhecer uma Lisboa com História, desenvolver a sua criatividade, integrar outras atividades de expressão no processo “leitura” e estimular o seu “mundo do imaginário”.

Viagens com a colaboração do CNC: 200 ANOS DE VERDI – VIAGEM A ITÁLIA

Entre 17 e 24 de novembro visitaremos Milão, Briosco, Parma, Busseto, o Lago Como, Vicenza e Veneza, assinalando os 200 anos do nascimento de Giuseppe Verdi.

OS PORTUGUESES: TRANSFORMAÇÃO E CONTROLO DA ECONOMIA NO REINO DE MÚRCIA (SÉCULOS XVI E XVII) Terá lugar no Centro Nacional de Cultura no próximo dia 26 de setembro, pelas 18 horas, uma conferência intitulada “Os portugueses: transformação e controlo da economia no Reino de Múrcia (séculos XVI e XVII)”, promovida pela Associação Portuguesa de Genealogia e em que será orador o Dr. Luís Ludeña Lopez. Síntese de um aprofundado trabalho de investigação que reflete uma realidade muito pouco conhecida nos âmbitos histórico, mercantil, económico, social e cultural criada por um pequeno grupo de portugueses no Reino de Múrcia em geral e em Villa de Calasparra em particular, criando riqueza e prosperidade e demonstrando grandes competências como financeiros e mercadores.

Resumo do programa 

[ 17 novembro | Domingo ] LISBOA / MILÃO

Voo direto para Milão. Check-in no hotel. Almoço e primeira visita panorâmica da cidade. Jantar no hotel. Alojamento.

[ 18 novembro | Segunda ] MILÃO

De manhã visita dos lugares de Verdi em Milão, incluindo a casa dos músicos onde será possível visitar o lugar onde o músico foi sepultado, o Teatro alla Scala e a Igreja Santa Maria Maggiore com a visita da famosa Última Ceia. À tarde visita do Duomo e Galerias Vitor Emanuel II. À noite RECITAL JUAN DIEGO FLOREZ no Teatro alla Scala. Jantar no hotel. Alojamento.


Notí Notícias CIAS [ 19 novembro | Terça ]

MILÃO / BRIOSCO / MILÃO Partida para Briosco onde se poderá visitar a coleção de pianos de Fernanda Giulini, o mais importante espólio de instrumentos mostrando a evolução desde os primeiros cravos até aos pianos, na Villa Medici. O grupo assistirá a um concerto privado e a seguir ao espetáculo almoço na villa. Regresso a Milão após a refeição. Às 19h30 tem início a ÓPERA AÍDA no Teatro alla Scalla. Jantar no hotel. Alojamento.

mais antigo de Veneza). Almoço em Veneza. À 19h assistimos à ÓPERA A AFRICANA no Teatro la Fenice. Após o espetáculo , jantar de despedida no Restaurante Taverna Fenice. Alojamento.

[ 24 novembro | Domingo ] VENEZA / LISBOA

Manhã livre e almoço em Veneza. OPCIONAL: visita à BIENAL DE VENEZA Regresso a Lisboa

[ 20 novembro | Quarta ]

Visita à cidade de Sofia: Museu de História Natural, cátedra Alexander Nevski, Rotunda de São Jorge, Igreja Boyana Transfer para a estação de Sofia e partida de comboio para Varna (belo porto já nas margens do Mar Negro). Alojamento no comboio (cabines de 1ª classe, individuais ou duplas)

[ 13 de novembro | Quarta-feira ] VARNA-STARA ZAGORA 

[ 21 novembro | Quinta ]

MILÃO / BERGAMO / LAGO COMO / MILÃO

MILÃO / VICENZA / VENEZA De manhã partida de autocarro para Veneza fazendo paragem em Vicenza para a visita de um dos mais antigos teatros projetados por Palladio. Almoço em Vicenza. De tarde chegada a Veneza a tempo de visitar o Museu Wagner. Check-in e jantar no hotel. Alojamento.

[ 23 novembro | Sábado ] VENEZA

Tour de Veneza dedicado à Música: Teatro La Fenice, Igreja Santa Maria della Pietá (local onde Vivaldi ensinou música a jovens órfãos), a sala de música no Ospedaletto, terminando na visita do Teatro Malibran (o

BUCARESTE

Manhã livre para compras. Passeio por Bucareste: Calea Victoriei , Piata Revolutiei, Museus (Museu de História Nacional ou o Museu de Arte da Roménia). Alojamento no comboio (cabines de 1ª classe, individuais ou duplas)

SOFIA

De manhã partida para Parma onde se conhecerá os lugares relacionados com Verdi. Almoço em Parma. De tarde visita de Roncole (terra natal do compositor) e Busseto onde veremos o Teatro Verdi, o Salão Barezzi e a Villa Sant’Agata. Regresso a Milão. Jantar no hotel. Alojamento.

[ 22 novembro | Sexta ]

[ 11 de novembro | Segunda-feira ] 

[ 12 de novembro | Terça-feira ]

MILÃO / PARMA / RONCOLE / BUSSETO / MILÃO

Partida de autocarro para Bergamo para uma visita sobre Donizetti. Almoço em Bergamo. Chegada ao fim do dia ao Lago Como onde jantamos. Depois do jantar assistiremos à ÓPERA O HOLANDÊS VOADOR no Teatro Sociale de Como. Regresso a Milão. Alojamento.

ao Castelo de Peles. Seguimos para Bran para visita ao Castelo do Drácula. Alojamento em Bucareste, hotel de 4 **** 

NA ROTA DO EXPRESSO DO ORIENTE

Entre 9 e 16 de novembro o Centro Nacional de Cultura e a Quinto Imperio Viagens organizam mais uma visita, desta vez de Bucareste a Istambul (via Sofia) percorrendo a reta final do famoso “Expresso do Oriente”, de comboio e pela estrada.

Chegada a Varna. Visita ao Museu Regional de Varna, partida de autocarro para Nesebar, uma encantadora cidade localizada à beira-mar incluída na rota do Expresso do Oriente. Visitas na parte antiga da cidade. Partida de autocarro para Stara Zagora. Partida de autocarro para Dimirovgrad onde apanharemos o comboio para Istambul. Alojamento no comboio (cabines de 1ª classe, individuais ou duplas)

[ 14 de novembro | Quinta-feira ]

ISTAMBUL

Resumo do programa 

Chegada a Istambul. Visita a parte asiática de Istambul. Jantar e alojamento no hotel em Istambul, hotel de 4 **** 

[ 9 de novembro | Sábado ]

[ 15 de novembro | Sexta-feira ]

Chegada a Bucareste e visita panorâmica a Bucareste. Concerto de Música Clássica. Alojamento em Bucareste, hotel de 4 **** 

Visitas em Istambul. Jantar típico com folclore Alojamento em Istambul, hotel de 4 ****

[ 10 de novembro | Domingo ]

[ 16 de novembro | Sábado ]

Partida de autocarro para Sinaia para visita

Manhã livre para compras e regresso a Lisboa.

BUCARESTE

PELES

ISTAMBUL

5


passeios de domingo Passeios de Domingo 4º Trimestre 2013

[1]

Alentejo Litoral Sines | Porto Covo | Santiago do Cacém

Sábado, 19 de outubro

Sines, berço histórico do navegador Vasco da Gama, ocupa uma vasta zona do litoral alentejano. O centro histórico da cidade estende-se ao longo da falésia, do Castelo ao Forte do Revelim, destacando-se as ruas comerciais em torno dos velhos eixos medievais, a Rua Vasco da Gama, onde se terá situado o solar que motivou a sua expulsão de Sines ou mesmo, se confiarmos na tradição, a casa onde o navegador nasceu e a Igreja de Nossa Senhora das Salas, curioso exemplo de gótico alentejano. Santiago do Cacém, dominada pelo castelo e situada perto da margem esquerda da ribeira de Santo André, foi conquistado aos mouros em 1217 e recebeu foral em 1512 pela mão de D. Manuel I. Aqui também merece visita o Museu Municipal e o Museu de Arte Sacra, para além dos solares que, sendo propriedade privada, vamos tentar visitar. Finalmente merece atenção o Largo Marquês de Pombal, em Porto Covo, uma das maravilhas da arquitetura iluminista portuguesa, que mantém quase intacta a traça oitocentista e é um espaço de visita absolutamente obrigatória. Guia: Anísio Franco Horário: 8h Duração: dia inteiro Limite: 45 pessoas Local de Encontro: Entrecampos

[2]

[3]

Museu do Oriente | Exposição Cantanhede – Cartazes de propaganda Os Romances chinesa – a arte ao serviço de Carlos Oliveira da política Sábado, 26 de outubro Domingo, 20 de outubro

O Museu do Oriente apresenta uma mostra de cerca de 100 cartazes de propaganda chinesa, produzidos entre 1959 e 1981 e que constituem um documento histórico do período que vai do Grande Salto em Frente e da criação das Comunas Populares ao fim da Revolução Cultural. Nesta exposição estão bem ilustrados os temas mais correntemente abordados à época, como a glorificação do presidente Mao e dos heróis comunistas, a prosperidade da economia, a luta contra o imperialismo, a felicidade do povo e o poder do exército. Guia: Museu do Oriente Horário: 10h Duração: manhã Limite: 35 pessoas Local de Encontro:

Museu do Oriente | Av. Brasília, Doca de Alcântara (Norte)

Eis a vila deserta. Luar. Setecentos, oitocentos fogos dispostos em ruas mais ou menos radiais. No centro, em redor do parque, ficam os Paços do Concelho, a Matriz, duas ou três casas apalaçadas, entre elas o Solar de D. Álvaro. Carlos de Oliveira, in Pequenos Burgueses. O testemunho do escritor neorrealista acerca de Cantanhede apoia o nosso objetivo em realizar este itinerário literário pelo território singular da Gândara. É sempre agradável percorrer os locais referidos numa obra invulgar que se acaba de ler e é o que nos propomos fazer em torno das narrativas de Carlos de Oliveira Casa na Duna e Uma Abelha na Chuva. Efetuaremos uma visita ao concelho de Cantanhede que apresenta um conjunto de locais que vale a pena visitar relacionados quer com a obra, quer com a vivência do escritor: Febres, S. Caetano, Olhos de Fervença, Praia da Tocha e Ançã. Nas suas palavras: “o meu ponto de partida, como romancista e poeta, é a realidade que me cerca.” (In O Aprendiz de Feiticeiro). Guia: Paula Oleiro Horário: 7h15 (o comboio parte às 8h) Duração: dia inteiro Limite: 45 pessoas Local de Encontro: Átrio Estação Santa

Apolónia (junto às bilheteiras) Transporte; almoço

(em frente ao edifício da Câmara Municipal de Lisboa – Campo Grande, 25) Transporte; almoço

6

PHILIPS apoia a Galeria do CNC


passeios de domingo Passeios de Domingo [4]

[5]

[6]

Domingo, 27 de outubro

Sexta, sábado e domingo, 1, 2 e 3 de novembro

sábado, 9 de novembro

Caminhos da Maçonaria em Lisboa A Maçonaria é um dos sistemas religiosos mais incompreendidos devido ao funcionamento esotérico velado por uma complexa simbologia. Lisboa, destruída pelo terramoto de 1755, renasce a partir de projetos iluministas permanecendo pela cidade vários símbolos esotéricos que marcam a arquitetura sagrada. Esta simbologia baseada numa tradição hermética milenar é interpretada de forma a compreender as fundações teológicas das principais lojas maçónicas assim como a sua influência e obra ao serviço da sociedade. Começamos no Terreiro do Paço e acabamos nos Restauradores, com passagem pelo Bairro Alto e Chiado, com visita ao Museu Maçónico do Grémio Lusitano e ao Palácio Foz. Guia: José Manuel Anes Horário: 11h Duração: manhã Limite: 35 pessoas Local de Encontro: Terreiro do Paço

(junto à Estátua)

Douro vinhateiro

Em dezembro de 2001, a UNESCO elevou o Alto Douro Vinhateiro a Património da Humanidade. Um título atribuído por unanimidade, que premiou a Região vinícola demarcada mais antiga do mundo, decretada pelo Marquês de Pombal, em 1756. Região única por reunir as virtudes do solo xistoso e da sua exposição solar privilegiada com as características ímpares do seu microclima em conjunto com o trabalho árduo do homem do Douro. A sua Paisagem evidencia três aspetos principais: o caráter único do território, a relação natural da cultura do vinho com a oliveira e a amendoeira e a diversidade da arquitetura local. Para além destes aspetos, a candidatura destacou o trabalho notável realizado pelo homem na construção de muros em xisto que prolongam as encostas e, sobretudo, a autenticidade e integridade da paisagem cultural. Guia: Anísio Franco Horário: 18h30 (o comboio parte às 19h) Duração: fim de semana Limite: 35 pessoas Local de Encontro: Átrio da Estação de

Sta. Apolónia (junto às bilheteiras) Transporte; alojamento; 4 refeições

Património da Marinha II Ainda hoje se sente a grande azáfama do estaleiro naval do século XVI, junto ao rio Coina, do tempo em que se construíam ali os navios dos Descobrimentos. Palhais era local de fabrico do célebre biscoito (um pão feito com trigo, água e sal) que alimentava as campanhas marítimas. Coração dos Descobrimentos, o Complexo Real de Vale de Zebro (que abrange a zona ocupada pela atual Escola de Fuzileiros Navais) tinha 27 fornos, armazéns de cereal, cais de embarque, um moinho de maré de oito moendas e um enorme pinhal. Neste espaço existe um extraordinário museu que traça a história dos fuzileiros e da Marinha, em que pode descobrir a parte da sua história, das fardas ao armamento, desde a época em que integravam o Terço da Armada Real, em que a principal missão era proteger as naus que entravam no Tejo carregadas de ouro e especiarias ameaçadas pelos piratas, ao tempo em que na Brigada Real da Marinha, protegiam a rainha D. Maria I até ao diversificado papel nas múltiplas campanhas militares portuguesas. Guia: Anísio Franco e Comandante Rocha e Abreu Horário: 9h30 Duração: dia inteiro Limite: 45 pessoas Local de Encontro: Entrecampos (em frente ao edifício da Câmara Municipal de Lisboa – Campo Grande, 25) Transporte; almoço

7


passeios de domingo Passeios de Domingo [7]

Jazz em cascais – uma história de 80 anos Domingo, 10 de novembro

Cascais e Jazz são dois sinónimos na história deste género musical entre nós. A relação entre ambos remonta a 1928 – há precisamente 85 anos – data em que se realizou no Grande Casino Internacional do Monte Estoril um histórico concerto pelos Robinson’s Syncopators, a primeira banda norteamericana de jazz a atuar em Portugal. Os anos 30 e 40 trouxeram várias orquestras europeias, mas foi a partir das décadas de 60/70, através de Luís Villas-Boas, que tocaram no concelho os grandes nomes do «som da surpresa», como Oscar Peterson, Keith Jarrett, Miles Davis, Duke Ellington, Sarah Vaughan, Charles Mingus e Dave Brubeck. Os palcos preferenciais foram o Luisiana Jazz Clube, o mítico Cascais Jazz – epicentro de vários incidentes políticos, incluindo a detenção de Charlie Haden pela PIDE/DGS – e, já nos anos 80/90, os festivais Jazz num Dia de verão e Estoril Jazz. É toda esta rica e interessante história que o Roteiro do Jazz em Cascais revela através da visita a cerca de 15 edifícios/ recintos, terminando no Cascais Jazz Club, a mais recente morada do jazz no concelho. A condução do passeio é realizada por João Moreira dos Santos, autor de oito livros sobre a história do jazz em Portugal e do programa “Jazz a Dois” (RDP - Antena 2). Guia: João Moreira dos Santos Horário: 14h30 Duração: tarde Limite: 25 pessoas Local de Encontro: Entrecampos

[8]

[9]

Lisboa Story Centre Sábado, 23 de novembro

Os vários episódios que compõem a História de Lisboa e alguns dos seus protagonistas são agora apresentados no Lisboa Story Centre, onde todos são convidados a realizar uma viagem no tempo e descobrir as memórias da cidade, desde a sua fundação até aos dias de hoje. O percurso da visita está organizado em seis núcleos fundamentais: Lisboa: Mitos e Realidades, onde se aborda o Rio, a Terra, o Mar, o Céu, Primórdios mitológicos, Colonizadores e conquistadores e as Muralhas da Cidade. Segue-se o núcleo Lisboa: Cidade Global, que apresenta a Cidade Cosmopolita, o Armazém do Mundo, Para Além do Horizonte, o Padre Voador, a Cidade Magnificente, Morte e Política e a Igreja. Na secção dedicada ao 1 de novembro de 1755, o dia de Todos os Santos, é abordado o Terramoto e a cidade em ruínas, passando para o núcleo sobre a Visão de Pombal que apresenta o Planeamento da Cidade Moderna. E, por fim, o núcleo Terreiro do Paço, no qual é abordada a Praça: Política e Lazer.

Centro de Arte Moderna | Exposição Sob o Signo de Amadeo: Um Século de Arte Domingo, 24 de novembro

No ano em que o CAM comemora os 30 anos da sua abertura ao público – a 25 de julho de 1983 –, a sua Coleção invade todos os espaços do Centro, numa exposição que percorre um século de arte, de 1910 até aos dias de hoje, naquela que é a mais significativa coleção de arte portuguesa do século XX com importantes pontuações internacionais. A exposição apresentará pela primeira vez a quase totalidade do acervo de Amadeo de Souza-Cardoso, o grande pioneiro do modernismo em Portugal, e a grande referência da Arte portuguesa do século XX. Guia: Isabel Carlos, Diretora do CAM Horário: 11h Duração: manhã Limite: 35 pessoas Local de Encontro: Centro de Arte

Moderna, Fundação Calouste Gulbenkian

Guia: José Sarmento de Matos Horário: 11h Duração: manhã Limite: 35 pessoas Local de Encontro:

Terreiro do Paço – ala nascente (lado esquerdo de frente para o rio)

(em frente ao edifício da Câmara Municipal de Lisboa – Campo Grande, 25) Transporte, pequeno concerto de jazz

C OORGANI ZADORE S

8

NÚCLEO PORTO

PATR O C IN ADO R


passeios de domingo Passeios de Domingo [10]

Ciclo história do(s) teatro(s) Teatros e edifícios históricos no Algarve Sábado e domingo, 30 de novembro e 1 de dezembro

Faro tem hoje dois importantes teatros, representativos de diferentes épocas e estilos e expressões arquitetónicas e de espectáculo. Assim, o Teatro Lethes está instalado no antigo Colégio dos Jesuítas que ficou devoluto com a expulsão da Ordem em 1769. Ainda nos finais do seculo XVIII retoma a vocação pedagógica até que em 1843 é adquirido por um médico italiano, Dr. Lázaro Dogliuoni, que o transforma em teatro. Como tal funciona até hoje, constituindo um dos poucos exemplos, em Portugal, da arquitetura de espetáculo oitocentista, com relevo para a estrutura da sala em frisas e camarotes e da decoração, com destaque para uma alegoria à música, no teto e na boca de cena. Mas também em Faro visita-se o Teatro Municipal, inaugurado em 2005, segundo projeto arquitetónico de Gonçalo Birne. É uma poderosa estrutura de arquitetura e decoração bem atual de excelente qualidade, implantada junto ao Solar da Horta dos Ourives, cuja capela remonta a 1740 e que integra a chamada Casa das Figuras, conjunto insólito de seres antropomórficos, meio humanos meio animalescos. O edifício do Teatro, com lotação para 800 espetadores, contrasta assim, no ponto de vista arquitetónico, com a zona em que se implanta mas também com a traça e a decoração do Teatro Lethes. Aproveitamos a estada para uma visita às ruínas romanas de Milreu e outros pontos de interesse histórico e patrimonial em Faro.

[11]

Património de Loures Sábado, 7 de dezembro

A articulação entre a herança saloia, o património paisagístico e construído e as festividades fazem de Loures um destino a conhecer ou revisitar. Síntese de um passado essencialmente rural e de um presente dominado quer pelo desenvolvimento económico quer pelo crescimento demográfico e requalificação do território, Loures foi evoluindo como um concelho de contrastes. Paisagens urbanas e industriais marcam a zona oriental, aldeias e vilas saloias, terrenos agrícolas e zonas verdes selvagens, por sua vez, são características a norte. Vamos conhecer a riqueza histórica, etnográfica, paisagística, arqueológica e cultural que Loures tem para oferecer. Guia: Adélia Caldas Horário: 10h Duração: dia inteiro Limite: 45 pessoas Local de Encontro: Entrecampos

(em frente ao edifício da Câmara Municipal de Lisboa – Campo Grande, 25) Transporte, almoço

[12]

Museu Nacional do Teatro

Sábado, 14 de dezembro O Museu Nacional do Teatro é o grande arquivo das memórias e da História das artes do espetáculo em Portugal. Através das suas coleções, procura desenvolver o conhecimento tanto da história e da situação atual das artes do espetáculo, bem como tratar, conservar preservar, organizar, investigar, documentar e divulgar todas as suas coleções. Está instalado no Palácio Monteiro-Mor, um edifício do século XVIII que foi restaurado e adaptado especificamente para este efeito. Atualmente, a coleção do museu, que começou a ser constituída em 1979, já apresenta perto de 250.000 peças. Estas incluem trajes e adereços de cena, cenários, figurinos, cartazes, programas, discos e partituras e cerca de 120.000 fotografias. Existe também uma biblioteca especializada com 35.000 volumes. Guia: José Carlos Alvarez, Diretor do Museu Horário: 11h Duração: manhã Limite: 35 pessoas Local de Encontro:

Museu Nacional do Teatro - Estrada do Lumiar, 10

Guia: Duarte Ivo Cruz e Anísio Franco Horário: 8h (o comboio parte às 8h24) Duração: fim de semana Limite: 45 pessoas Local de Encontro: Estação do Oriente

(local mais exato a designar) Transporte; alojamento, 3 refeições

Números de telefone para contacto no dia dos Passeios: 965 271 877 • 966 911 997 • 969 082 566

9


Cursos Livres

[I]

diálogos entre literatura e arte: o romantismo e o realismo

5ª Sessão: Visita guiada à Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves. 6ª Sessão: A poesia do “pintor de atmosferas”, Cesário Verde | Os Maias, de Eça de Queirós. Coordenação: Paula Oleiro

Continua a parceria da abordagem interdisciplinar por parte das duas formadoras das áreas da Literatura Portuguesa e da História de Arte, desta feita em torno de um conjunto de obras literárias, pictóricas e escultóricas relacionadas com o século XIX. Este curso constitui a forma articulada de promover o conhecimento e o desenvolvimento de competências nas diferentes áreas do saber, centrando a Arte e a Literatura como elementos unificadores do conhecimento. Serão considerados autores que encararam o mundo da sua atividade literária através de uma perspetiva pictórica. 1ª Sessão: Introdução ao período do Romantismo | A poesia de Almeida Garrett e Alexandre Herculano. 2ª Sessão: Visita guiada ao Museu do Chiado 3ª Sessão: Viagens na Minha Terra, de Almeida Garrett e Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco 4ª Sessão: Uma Família Inglesa, de Júlio Dinis | Introdução ao realismo

10

e Maria de Lurdes Riobom

sessões teóricas às quartas-feiras; das 18h às 19h30 sessões práticas: 26 de outubro e 9 de novembro às 10h30 Duração: 6 sessões – de 23 de outubro a 13 de novembro Horário:

[II]

a economia portuguesa revisitando o passado, interrogando o(s) futuro(s) O objetivo deste curso de quatro sessões é o de proporcionar elementos de reflexão que permitam: • Melhor compreender a natureza estrutural da atual crise da economia portuguesa, ou seja do seu modelo de funcionamento e do padrão de inserção na economia global que se veio formatando nas últimas décadas e que explicam um já longo interregno de estagnação.

• Relacionar de forma mais clara a relação dessa dinâmica portuguesa com a transformação ocorrida na dinâmica de integração europeia no pós-guerra fria e no pós-reunificação da Alemanha • Identificar o enquadramento externo europeu, que pode tornar muito difícil retomar o crescimento de forma sustentada, ao mesmo tempo que existem na dinâmica da Globalização processos que podem facilitar essa mesma retoma, contradição que resulta, provavelmente, de a Europa que conhecemos estar na periferia da Globalização A organização temática das sessões será a seguinte: 1ª sessão: Portugal

– Transformações na estrutura económica empresarial, vagas de internacionalização e conjunturas de transição 1953-2013 2ª sessão: Portugal e os choques externos na mudança de milénio – uma Economia a descoberto 3ª sessão: o enquadramento actual da economia portuguesa: a Alemanha e a Europa – na periferia da globalização? 4º sessão: Portugal – reposicionar-se na globalização para retomar o crescimento Coordenação: José

Manuel Félix Ribeiro quintas-feiras; das 18h30 às 20h Duração: 4 sessões – de 7 a 28 de novembro Horário:


4.º Trimestre 2013

Regras para Marcação de Passeios • As reservas podem ser feitas pelo telefone 213 466 722 das 11.00h às 13.00h e das 14.30h às 17.00h, ou pessoalmente das 17.00h às 19.00h, nos dias 10 e 11 de outubro de 2013. • Os passeios são atribuídos por ordem de inscrição e os pagamentos deverão ser feitos nos dias 10 e 11 de Outubro. • A partir de 14 de Outubro, os sócios poderão inscrever-se por telefone durante a semana anterior a cada passeio, no caso de haver vagas • Os sócios-participantes nos Passeios devem sempre comparecer

no local de partida com antecedência, de maneira a não pôr em causa a hora de partida e os horários estabelecidos. • Se em vez de vir pessoalmente levantar as senhas para os Passeios e para os Cursos, preferir que elas sejam enviadas pelo correio, bastará que nos envie, incluída no cheque com o pagamento, a quantia de 0,75 € para despesas postais. • Números de contacto no dia dos passeios: 966 911 997 ou 965 271 877 ou 969 082 566

Caro(a) Sócio(a) O Centro Nacional de Cultura vem chamar a atenção para as regras de marcação dos passeios, designadamente no que diz respeito aos prazos de pagamento e a confirmação da participação nas atividades. Sendo sempre marcados dois dias destinados aos pagamentos, solicitamos o cumprimento desta regra. Tendo em conta a logística de organização dos Passeios, designadamente os de dia inteiro e de fim de semana, em que é necessário adiantar pagamentos junto de restaurantes e hotéis, não é possível esperar até à véspera para ter confirmação de número de participantes. Assim, seremos rigorosos na aplicação da regra da confirmação

do passeio apenas com o pagamento integral (no caso dos passeios de meio dia ou de um dia) e de um sinal de 50% no ato da inscrição e o restante com 15 dias de antecedência (no caso dos passeios de fim de semana). Apenas nos passeios de meio dia poderão ser admitidos sócios sem inscrição prévia no próprio dia do passeio, ficando sempre sujeitos à existência de vagas, sendo neste caso o pagamento da senha feito no local do passeio. Os pagamentos dos passeios poderão fazer-se no CNC, por cheque enviado por correio, por multibanco ou por transferência bancária, sendo neste caso obrigatório enviar documento comprovativo por correio ou e-mail info@cnc.pt

Tabela de Preços – Passeios e Cursos PASSEIOS DE DOMINGO PASSEIO

DATA

SÓCIO

JOVEM SÓCIO

[1]

Alentejo Litoral

19 out

75 €

60 €

[2]

Museu do Oriente – “Cartazes de Propaganda Chinesa”

20 out

9€

9€

[3]

Cantanhede – os Romances de Carlos Oliveira

26 out

75 €

60 €

[4]

Lisboa Maçónica

27 out

7€

7€

[5]

Douro Vinhateiro

1, 2 e 3 nov

307 €*

245,60 €*

[6]

Património da Marinha II

9 nov

55 €

44 €

[7]

Roteiro do Jazz em Cascais

10 nov

35 €

28 €

[8]

Lisboa Story Centre

23 nov

14 €

14 €

[9]

Centro de Arte Moderna – Sob o Signo de Amadeu: Um século de Arte

24 nov

9,5 €

9,5 €

[10]

Ciclo História do(s) Teatro(s) – Algarve

30 nov e 1 dez

285 €**

228 €**

[11]

Património de Loures

7 dez

45 €

60 €

[12]

Museu Nacional do Teatro

14 dez

7€

7€

* suplemento single 55 € ** suplemento single 30 €

CURSOS LIVRES

 

CURSO

[I]

Diálogos entre Literatura e Arte: o romantismo e o realismo

[II]

A Economia Portuguesa – revisitando o passado,

Nº DE SESSÕES

ADULTO [ S | NS ]

‹ 25 OU › 65 ANOS [ S | NS ]

6 | 4ªs | 23/out a 13/nov

108 € | 129 €

86 € | 104 €

4 | 5ªs | 7 a 28/nov

72 € | 86 €

57 € | 69 €

interrogando o(s) futuro(s)

[ S ] Sócio [ NS ] Não Sócio

11


SERVIÇOS Serviços 1. Café No Chiado do almoço à ceia, no interior ou na esplanada, um café literário todos os dias das 10h às 2h

2. Galeria Fernando Pessoa

Descobertas n.º3, Ano VI ­‑ Nova série DEPÓSITO LEGAL N.º:

para almoços de negócios, para apresentação de produtos, para jantares de anos, ou para lançamentos de livros, com ou sem “surpresa musical”, com ou sem catering.

N.º REGISTO ERC:

3. Ciber­‑Chiado

DESIGN:

uma ligação ao mundo num ambiente de requinte português de segunda a sexta das 10h30 às 19h00

125 483

Propriedade / Administração / Redação: Diretor:

“apartamentos de charme” no Chiado (mínimo 1 semana máximo 2 meses)

5. Loja Atelier 55 mesmo ao lado do CNC um espaço de acolhimento para turistas, onde pode encontrar as nossas edições e peças únicas, artesanato e mobiliário português

6. Festas­‑Surpresa uma maneira leve de animar festas, com qualidade, com ou sem catering

7. GRAF – Consultas Grafológicas análises para empresas, para admissão de pessoal análises individuais para orientação

CNC

Guilherme d’Oliveira Martins

Atelier B2

IMPRESSÃO: Multitipo - Artes Gráficas Lda,

Rua Sebastião e Silva, 19, 2715-311 Queluz Tiragem deste n.º:

4. Residência de artistas

282 473/08

Periodicidade:

3.000 exemplares

3x/ano (Janeiro, Abril e Outubro)

Distribuição Gratuita

CNC Lisboa Rua António Maria Cardoso, n.º 68 | 1249­‑101 Lisboa Tel: +351 213 466 722 | Fax: +351 213 428 250 E­‑mail: info@cnc.pt Horário de atendimento ao público: 2.ªs a 6.ªs feiras das 10h00 às 19h00 CNC Porto Palacete Viscondes de Balsemão Pça. de Carlos Alberto, n.º 71 | 4050­‑157 Porto Telemóvel: +351 961 371 760 E­‑mail: info.porto@cnc.pt | aqfaria@gmail.com

8. Gabinete de Tradução de e para várias línguas, rápido e com qualidade

9. Lisbon Walks passeios a pé, para portugueses e estrangeiros, guiados em várias línguas

10. Gincanas para Crianças

Homepage:

www.cnc.pt www.facebook.com/centronacionaldecultura TWItter: www.twitter.com/cncultura Portal e­‑cultura: www.e­‑cultura.pt FACEBOOK:

para escolas e aos sábados mediante inscrição

O CNC gostaria de entrar em contacto consigo mais vezes. O papel é um produto renovável e reciclável. Todos os papéis provenientes de florestas com gestão sustentável são ambientalmente responsáveis.

12

Envie­‑nos do seu e­‑mail uma mensagem para lmendes@cnc.pt com o seu nome e número de sócio para que registemos o seu endereço eletrónico, ou devolva­‑nos este boletim por correio ou fax: Nome: N.º sócio: Endereço eletrónico: Rua António Maria Cardoso, 68 – 1249­‑101 Lisboa ­‑ Fax 213 428 250


Descobertas_4º Trimestre 2013