Page 1

Janeiro de 2012

II SessĂŁo do VIII CapĂ­tulo Provincial www.redentoristas.org.br


ÍNDICE

Palavra do Provincial: Sessão Capitular foi um tempo de graça . . . . . . . . . . 04 Síntese da II Sessão do VIII Capítulo Provincial. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 05 Anexos: documentos utilizados na II Sessão Capitular - Anexo 01: Documento final de I Sessão. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14 - Anexo 02: Relatório do Secretariado Vocacional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17 - Anexo 03: Relatório da Formação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19 - Anexo 04: Relatório Econômico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21 - Anexo 05: Relatório da Campanha Família do Devoto Perpétuo . . . . . . . . 23 - Anexo 06: Fundo de solidariedade para paróquias/santuários da província . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24 Para ser refletido nas comunidades locais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25 Participação dos leigos no capítulo provincial. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26 Equipe Missionária no Santuário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27 Vocações de Campo Grande. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28 Retiro vocacional em Telêmaco Borba . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29 Almoço de Natal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30 Região Redentorista do Suriname . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 Posse da nova comunidade de Guaratuba. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35 Alguns fatos importantes na província . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38 Datas importantes para os confrades. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39 Noviciado 2012 tem início em Tietê . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40 Aniversariantes do mês . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 03


PALAVRA DO PROVINCIAL

SESSÃO CAPITULAR FOI UM TEMPO DE GRAÇA REFLEXÕES E RECOMENDAÇÕES EM VISTA DA MISSÃO A Segunda Sessão do Oitavo Capítulo Provincial (5 a 7 de janeiro de 2012) foi um tempo muito especial de graça, onde os confrades avaliaram a caminhada e fizeram várias recomendações em vista da revitalização da Vida Apostólica. Os capitulares saíram convencidos que o bom êxito da caminhada da Província depende profundamente da resposta de cada confrade, seja onde este estiver inserido. Por isto, quanto mais radical for a conversão, mais autêntica será a resposta apostólica dos confrades. Tendo o texto do Cardeal Pirônio1 como ‘pano de fundo’, os capitulares buscaram trabalhar inspirados pela Palavra, convencidos que a conversão é o caminho da autenticidade e que o Espírito Santo é quem ilumina as decisões. Caso contrário, a sessão capitular ficaria apenas movida por interesses próprios e multiplicando palavras em documentos, as vezes até bonitos, mas que não geram vida e ação apostólica. Por isto, incentivo os confrades a estudarem estas decisões e recomendações nas comunidades locais. Assim vamos compreendendo que o fortalecimento da Vida Apostólica passa pela responsabilidade da cada confrade.

Pe. Joaquim Parron, CSsR Superior Provincial

1.

Eduardo F. Pirônio, LOsservatore Romano, em 5 de setembro de 1976, páginas 6 e 7.

04 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


VIII CAPÍTULO PROVINCIAL

SÍNTESE DA II SESSÃO DO VIII CAPÍTULO PROVINCIAL 05 A 07 DE JANEIRO DE 2012 – CASA DO POSTULANTADO – CURITIBA/PR O Provincial, Pe. Joaquim Parron CSsR, abriu oficialmente a Segunda Sessão do Oitavo Capítulo e em seguida passou a palavra para os moderadores, Pe. Dirson Gonçalves CSsR e Pe. Sérgio Campos CSsR. Padre Dirson também ficou encarregado de fazer a síntese dos encaminhamentos. A seguir está a síntese das decisões.

INTRODUÇÃO Iniciando o ano de 2012, o VIII Capítulo provincial, em sua segunda sessão, reuniu-se na casa do Postulantado, no Bairro Rebouças, em Curitiba/PR. A festa de São João Neumann marcou o início dos trabalhos. A motivação inicial do Capítulo foi tirada de uma inspiração do Cardeal Pirônio, que define o “Capítulo, seja provincial ou geral, não uma simples reunião ou algo superficial, mas mo-

mento forte de conversão e de fortalecimento do carisma e espiritualidade de uma Congregação”. E realmente foi perceptível o envolvimento de todos capitulares nos estudos, discussões, encaminhamentos, oração. Foi uma sessão mais longa, e por isso mesmo, mais produtiva. A dinâmica usada facilitou a participação de todos de um modo mais livre e aprofundado.

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 05


Outra novidade dessa sessão foi a participação efetiva de leigos. Vieram representantes de várias paróquias e santuários da província para que, no segundo dia, fosse apresentado um projeto dos leigos no sentido de uma mais efetiva participação na vida apostólica da província. Enfim, pela graça de Deus e intercessão de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, foi um momento marcante para a Província de Campo Grande. Agora, pela ação do Espírito Santo, possamos colocar em prática todos os encaminhamentos feitos durante esta reunião capitular. Que seja realmente “momento forte de conversão e de fortalecimento do carisma e espiritualidade da Congregação”. Segue abaixo, a síntese da II Sessão.

SÍNTESE CAPITULAR: 01. Espiritualidade. A oração inicial com temática em São João Neumann, aconteceu às 8h30, na capela da casa de formação do Postulantado. Padre Celso Cruz conduziu este momento de espiritualidade. Em seguida passamos para a sala de reuniões.

eleição e definição dos participantes”. 03. Em seguida Padre Parron fez a leitura do texto sobre o Sentido do Capítulo. O texto apóia-se em três pontos: a conversão como “capacidade de transformar a inteligência e o coração de todos”; a Palavra de Deus que “deve sempre presidir o Capítulo”; e o Espírito Santo porque “um Capítulo é sempre uma obra profunda do Espírito Santo”. A partir desse tripé, o texto pontua “sete elementos que são fundamentais na reflexão e tomada de decisão nesta sessão capitular”. 04. O primeiro texto a ser estudado foi o Documento Final da Primeira Sessão do VIII Capítulo, que aconteceu em janeiro de 2011 (anexo). A dinâmica para este momento foi a seguinte: leitura do texto e tempo para partilhas e reflexões em busca de uma avaliação pontuando os avanços alcançados.

02. Aprovações. Iniciando a sessão, foi aprovada a pauta inicial, os horários para todos os dias, os procedimentos nas discussões dos documentos e postulados, a indicação e aprovação dos escrutinadores Padre Celso Cruz e Fr. Thiago Palmeira. Foi acolhido o Padre Francisco Lima, como membro ex-ofício do Capítulo, pelo secretariado de Evangelização. Também foi aprovada por unanimidade a participação de leigos na apresentação e na discussão do projeto de leigos redentoristas. A partir da importante discussão e da relevância do tema, o padre Parron fez uma proposta: “que o Capítulo regulamente sobre a participação de leigos nas assembléias e capítulos da província. Ou seja, como será o processo de

06 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande

a) Sobre a Vida Apostólica, surgiram excelentes reflexões sobre a vida apostólica da provincia. Percebeu-se que foram dados passos significativos nesta área especialmente no apoio e atenção aos confrades que mais precisam de ajuda na área humana. Foi ressaltado que as comunidades onde faltam oração e reunião comunitária estão mais sujeitas a conflitos e dificuldades na caminhada. Naquelas onde os confrades rezam juntos e fazem reuniões semanais, a vida e a pastoral fluem com mais facilidade. Também se destacou a presença do governo provincial junto às comunidades locais, como apoio e motivação. b) Sobre Santuários destacou-se que a caminhada foi muito positiva no ano de 2011. Os santuários como lugares de alimento espiritual dinamizaram as suas ações, cada um à sua maneira


e dentro da sua realidade. Houve crescimento. Ressaltamos a presença dos formandos em momentos pontuais em nossos santuários. Mas ainda faltam alguns aspectos: valorizarmos mais as conquistas e vitórias uns dos outros; integrar mais os confrades dos santuários; adequar os projetos do santuário com a ação evangelizadora da Igreja no Brasil; estudar os projetos pastorais dos santuários com todos os confrades que trabalham nestes locais de missão, para que todos estejam cientes do caminhar e da dinâmica própria do santuário. c) Sobre Missões Itinerantes destacouse a integração entre as equipes missionárias e os santuários de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Curitiba e Campo Grande. É a proposta inovadora de ser “um santuário missionário e a missão no santuário”. Também se destacou o fortalecimento dos trabalhos com leigos (parceiros da Missão) especialmente no Paraná e com os Jovens (JUMIRE), especialmente no Mato Grosso do Sul. Tem acontecido uma boa integração. O centro missionário conseguiu caminhar bem na reflexão e também na elaboração de novos materiais para a missão. Foram colocadas algumas propostas para o centro missionário: elaborar um material sobre o histórico do trabalho com a juventude (JUMIRE); produzir material celebrativo para ser disponibilizado para as paróquias e santuários da província; estar mais integrado com o Secretariado de Evangelização. d) Sobre Paróquias Missionárias também houve avanços. Praticamente todas as paróquias têm conselhos administrativos e pastorais formados e

funcionando. Há uma busca de criar unidade com as dioceses e os planos de pastoral dos lugares onde estamos. Há também, visivelmente, uma conversão pastoral em nossas paróquias missionárias. No entanto, percebe-se que falta mais formação de gestão paroquial para nossa província como um todo, e por isso foi colocada a seguinte proposta: “que este curso de gestão administrativa seja realizado ainda no ano de 2012. Para isso, que o Secretariado de Evangelização prepare propostas de datas e esboços de cursos e apresente na reunião de reitores e párocos, que acontecerá no próximo dia 31 de janeiro, em Curitiba”. e) Sobre Formação foi feita a leitura das aprovações da primeira sessão e deixou-se a discussão para quando da leitura do relatório da formação mais a frente nesta segunda sessão. f) Sobre a Lei Eleitoral Provincial foi apreciada pelos capitulares e acolhida a alteração que já foi, inclusive, aprovada pelo Governo Geral. O encaminhamento do Capítulo para o Governo Provincial foi de que seja feita uma nova edição (publicação) da Lei Eleitoral e distribuída para todos os confrades. 05. Carta do Governo Geral. No final da tarde de quinta-feira, dia 05 de janeiro, foi feita a leitura da carta do Governo Geral sobre a visita realizada à província nos meses de agosto e setembro de 2011. Depois da leitura encerraram-se os trabalhos e deixaram-se as partilhas para o dia seguinte. Na sexta-feira, após a oração da manhã, procedeu-se à apreciação da Carta. Em geral o texto assinado pelo Superior Geral, Pe. Michael Brehl, assinala aspectos que foram detalhados mais profundamente no relatório final

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 07


da visita. O texto foi bastante apreciado pela clareza e objetividade em que pontua, reflete e acentua quatro áreas específicas: “A formação inicial; A vida consagrada como Missionários Redentoristas; A vida apostólica e o dia comunitário; e o planejamento pastoral para a ação missionária. Pela densidade dos conteúdos destas áreas específicas, o encaminhamento do Capítulo foi de que nos Dias Regionais e na Assembléia Provincial seja estudado o relatório final da visita, com todos os confrades, principalmente os pontos mais relevantes. 06. O Relatório do Secretariado Vocacional foi apresentado pelo Pe. Parron. Em geral relata como foi a experiência neste primeiro ano em que a promoção vocacional foi feita por um secretariado, formado segundo os critérios do Governo Geral da Congregação. A avaliação sobre esse novo modelo foi bastante positiva pois para a convivência vocacional foram apresentados 15 jovens, dos quais 10 foram aprovados para ingressar na formação em 2012. Destacou-se o papel dos dois promotores vocacionais (Pe. Donizete e Pe. Mello), que têm desenvolvido uma boa parceria entre confrades, formandos, formadores e leigos ligados à nossa vida apostólica, de modo especial o JUMIRE, de onde vieram quatro dos dez que serão propedeutas em 2012. Também foram aprovadas as proposições do secretariado: a) Que a promoção vocacional continue sendo urgência em nossa província; b) Que haja ainda mais participação dos formandos, e para isso seja organizado da seguinte forma: formador e formandos do postulantado, ter atividades vocacionais em Curitiba, Guaratuba e Paranaguá; formador e formandos do propedêutico, ter mais atividades em Ponta Grossa e Telêmaco Bor-

ba; Formador-Promotor e Junioristas, ter mais atividades no Norte do Paraná. E no Mato Grosso do Sul o promotor vocacional continuar a ótima parceria com a Juventude Missionária (JUMIRE). Também foi aprovada a agenda vocacional para 2012: dia 31 de janeiro, motivação no encontro com os reitores e párocos; dia 15 de março na festa de São Clemente, divulgação da vocação redentorista em todas as nossas comunidades. Por fim, o Capítulo ainda fez os seguintes encaminhamentos: que o Secretariado de Evangelização junto como Centro Missionário apresente ao Secretariado Vocacional um subsídio para ser usado pela província no mês de agosto. O secretariado vocacional cuidará da edição, publicação e distribuição desse material a todas as comunidades. Também foi sugerido inserir mais os Parceiros da Missão no trabalho vocacional e expandir ainda mais essa “cultura vocacional” na província. 07. O Relatório da Formação foi apresentado pelo Pe. Celso Cruz. Foi também bastante apreciado pelo Capítulo e aprovada a proposta de que “atendendo ao pedido do Governo Geral e acreditando que é importante para a formação dos nossos jovens, que todo formando quando estiver cursando a teologia possa ter a oportunidade de fazer um ano de seu estudo fora do país. Talvez no terceiro ano, segundo os critérios do COP (Conselho Ordinário da Província).” Também o Capítulo aprovou os quatro pontos práticos propostos pelo Secretariado: 1. Toda comunidade da província seja acolhedora aos formandos e seja testemunho e motivação vocacional; 2. Que os formadores, nos recessos durante o ano possam criar espaços de formação para não deixar os jovens ociosos e nem enviá-los para casa da família; 3. Que pro-

08 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


motores e formadores possam se esforçar para estarem presentes nos tríduos e animações vocacionais; 4. Seria fundamental se durante o processo de formação os formandos tivessem uma paróquia para exercerem atividades pastorais. 08. O Relatório Econômico foi apresentado pelo Ir. Hélio Nunes. Com o tema “trabalhando para manter a missão”, o relatório apresenta como está hoje o funcionamento do escritório central, os investimentos feitos em 2011, os investimentos na área pastoral, as fontes da província, os valores em caixa e aplicação e sobre como estão alguns processos judiciais. O relatório ainda propôs a seguinte reflexão: “Existem alguns familiares de confrades que fazem parte do plano da Unimed. Fazemos uma pergunta: não poderia a comunidade local onde está o confrade ou o próprio confrade contribuir para esse pagamento?” Foi muito positiva a apreciação sobre a proposta, especialmente quando se trata daqueles confrades que não devolvem à província os investimentos que ela faz com planos de saúde de seus familiares. O Capítulo então fez o seguinte encaminhamento: Que o Economato encaminhe esse tema com cada confrade envolvido e também que publique no relatório financeiro mensal os nomes, tanto daqueles que devolvem quanto dos que ainda não estão colaborando. Isso será uma forma de transparência para com a província. No entanto, nos casos de necessidade, siga-se o Diretório de Economia da Província 3.1, sobre ajudas de emergência: 3.1.1. Por fim, foi feito um agradecimento ao Ir. Hélio pela sua condução nos trabalhos administrativos da província. Ele tem dado um toque de espiritualidade a esse serviço envolvendo, inclusive, os nossos

colaboradores e funcionários do escritório e das lojinhas. Isso é muito positivo pois humaniza o serviço, envolve todos em nosso carisma e dá uma visão não tão fria e burocrática para os trabalhos administrativos. 09. O Relatório da Campanha Família do Devoto Perpétuo foi apresentado pelo Pe. Parron. O texto fala sobre os objetivos da campanha, as estratégias, meios, planos de ação e, por fim, algumas sugestões que foram apreciadas e aprovadas pelo Capítulo: “1.Cada comunidade da Província ter uma pessoa ou uma equipe para animar este projeto no local. Com certeza isto motivará mais a devoção na comunidade local e também abrirá novos horizontes na paróquia; 2. Os formadores e formandos realizem mensalmente uma ação, em alguma paróquia ou missão, para divulgar o projeto; 3. Ter um programa em Rádio ou TV neste ano de 2012 (’lançar as redes em alto mar, onde estão os peixes fora do aquário’).” Além desta aprovação e encaminhamento, foi dito que a campanha foi o grande avanço e a grande notícia da província em 2011 pelo crescimento que teve; é sem dúvida um novo modo de evangelização; é uma forma de missão; a revista é o rosto redentorista sendo mostrado e é também um ponto de unidade porque através dela se atinge um grande numero de pessoas (hoje são mais de 11 mil inscritos que recebem mensalmente a revista). E foram feitas algumas sugestões: ter mais interação com os “assinantes”; promover encontros regionais ou locais com os que fazem parte da “Família”; e visualizar mais a questão social da província na revista e como parte dos objetivos da campanha. 10. A proposta do Fundo Provincial de Solidariedade foi apresentada pelo Ir. Hélio. Diz o texto que “Na busca de fortalecer a

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 09


solidariedade entre as comunidades da Província o fundo de solidariedade é para ajudar as paróquias/santuários em situação emergencial. A fonte será a doação das comunidades, estando aberto para receber outras doações. A administração é feita pelo economato. Os pedidos de empréstimo devem ser feitos por escrito, assinado pelos redentoristas locais, pelo coordenador de CPP e CAEP. Nenhum recurso é doado, mas emprestado. Quem aprova o pedido é o CEP, em reunião presidida pelo ecônomo provincial.” O Capítulo aprovou a proposta e pediu que seja apresentada a todos os confrades na próxima Assembleia Provincial. 11. O texto Subsídio para Definir Prioridades, foi apresentado pelo Pe. Gelson Mikuszka. É um estudo aprofundado que fala sobre a Missão Redentorista, seus interlocutores, o conteúdo, as estruturas e os métodos. O texto parte de algumas questões fundamentais: Quem são os mais abandonados de hoje? Qual é o conteúdo que transmitimos na Evangelização? Quais são as estruturas e métodos missionários redentoristas? A partir destes pontos foi sendo construído o subsidio que foi bastante apreciado pelos capitulares. Foi dito, inclusive, que serve como um “retiro espiritual” porque nos leva a mergulhar na essência de nosso CARISMA, que é a prioridade de nossa vida como redentorista. O Capítulo pediu então ao Pe. Gelson que ele elabore para o encontro de párocos e reitores um texto mesclando esse texto (que foi muito bem escrito) com as cinco urgências da ação evangelizadora da Igreja no Brasil, dando um colorido ou um “toque” redentorista às cinco urgências. 12. Prioridade Redentorista e Urgências Missionárias da Igreja no Brasil Prioridade é sempre o que vem primeiro. A Congregação tem um carisma, que é

10 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande

prioridade mundial: “continuar o exemplo de Jesus Cristo Salvador, pregando aos pobres a Palavra de Deus, como disse Ele de si mesmo: Enviou-me para evangelizar os pobres” (C. 1). Tudo o que vier a partir disso, em cada contexto, é urgência pastoral. Os desafios são continentais e as urgências são sempre regionais. A Igreja no Brasil (CNBB) lançou cinco urgências (regionais) do continente latino-americano. Viver a prioridade da CSSR a partir dessas urgências é missão do redentorista no Brasil. 1ª Urgência: Igreja em estado permanente de missão. A CSSR vive a missão como Igreja em vista do Reino de Deus: “atendendo, com dinamismo missionário, às urgências pastorais e se esforçando por evangelizar os homens mais abandonados, principalmente os pobres” (C. 1). Para a CSSR, os mais abandonados não são uma questão de minoria ou categoria social, mas “os que (...) a Igreja não pôde ainda prover de meios suficientes de salvação; os que nunca ouviram o anúncio da Igreja” (C. 3). O redentorista é chamado a dar a tudo o que vive e faz um sentido missionário. A missão do redentorista é alcançar a todos, em todas as dimensões e direções. Não é competir por fiéis, nem buscar privilégios, mas viver profundamente o anúncio do Reino, sabendo que, distante de Deus, a vida corre risco. É dar testemunho, vivendo o compromisso pessoal e comunitário. Todas as estruturas redentoristas – paróquias, santuários, missão popular, etc – são convidadas à missionariedade. Não é negar o que foi feito, mas viver sob o prisma da missão em todas as circunstâncias e sombras desta realidade brasileira. 2ª Urgência: Igreja: casa da iniciação à vida cristã. “Escolhem os Redentoristas a pessoa de Cristo como centro de sua vida.


Esforçam-se por se unir sempre mais a Ele" (C. 23). Jesus não pode ser pressuposto, mas o centro da vida do redentorista. Como missionário do Redentor, o redentorista precisa intensificar o estado permanente de missão, pela iniciação cristã, na família e em toda a sociedade. A iniciação não se esgota nos sacramentos, mas vai além e supõe adesão a Jesus a ser refeita diariamente em comunidade. Isso estimula a acolhida, diálogo, oração e vivência comunitária, elementos fortes de testemunho e sintonia com Deus e seu projeto. Assim, o redentorista ganha um perfil de verdadeiro evangelizador. O conteúdo do redentorista é sempre o evangelho, mas a perspectiva de leitura desse evangelho é sempre o amor redentor e o Reino de Deus. 3ª Urgência: Igreja: lugar da animação bíblica da vida e da pastoral. Há grande sede da Palavra de Deus no mundo atual. “O testemunho de vida e de caridade conduz ao testemunho da Palavra...” (C. 10). Para levar ao encontro com Cristo, toda ação redentorista, vinculada à iniciação cristã, precisa destacar a Palavra de Deus. Evangelização, Palavra e testemunho se requerem mutuamente. Evangelizar as novas gerações requer testemunhar a Palavra na comunidade. Evangelizar pelo testemunho a partir da Palavra é força para este período de incertezas. Ela dá autoridade ao missionário e ajuda a ouvir a voz de Jesus entre tantas outras vozes. É preciso buscar novos espaços e modos de evangelização. A missão acontece na inquietação e na disponibilidade, reconhecendo que a humanidade é maior e mais exigente que nosso mundo ou métodos; é abrir-se à vida, descobrir e encontrar os mais necessitados da Palavra e da presença da Igreja. 4ª Urgência: Igreja: comunidade de Comunidades. “A conversão pessoal (...) se

realiza na comunidade eclesial. Por isso a finalidade de toda a obra missionária é suscitar e formar comunidades...” (C. 12). Todo redentorista é chamado a viver em comunidade, pois sem vida em comunidade não há vida cristã. Desde a comunidade redentorista precisa valorizar as comunidades territoriais (nas paróquias), transterritoriais, ambientais afetivas, virtuais, CEBs. Não pode querer um único modo de comunidade num território, isso seria fundamentalismo para a realidade plural e atual. Os Estatutos da Conferencia redentorista (2011) dizem que a participação e corresponsabilidade no processo de reestruturação implica junção de todas as forças – confrades, leigos e pessoas ligadas à missão –, essa comunhão acompanha o processo de reestruturação, que começa pela conversão. Tudo precisa confluir para o convívio, vínculos profundos, afetividade e interesses comuns. Maiores desafios para a comunitariedade é o individualismo e a urbanização aguda, por isso, redentorista preza a setorização da paróquia e valoriza intensamente os ministérios leigos e seus carismas. 5ª Urgência: Igreja a serviço da vida plena para todos. Redentorista tem como missão o “anúncio explícito do Evangelho em solidariedade com os pobres” (C. 5). Para isso, as estruturas precisam ser sempre repensadas, pois estrutura é limitada, métodos são falíveis e não “sagrados”. Sagrados são o carisma, interlocutores e mensagem. Estes não mudam, é para eles que a Congregação existe: “devem renovar-se os métodos apostólicos, de modo que sejam mantidos os meios válidos, corrigidos os que apresentem falhas e abandonados os inadequados” (C. 17). Os redentoristas “não podem instalar-se em condições ou estruturas nas quais sua atuação já não seja

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 11


missionária” (C. 15) e “integrem-se nas obras e estruturas missionárias da diocese ou da região nas quais trabalham, segundo as urgências da Igreja e da época” (c. 18). Tudo deve estar em vista da vida. Redentorista precisa viver a missão como serviço à vida plena. Há situações de pessoas excluídas e ignoradas em todas as dimensões, que contradiz o projeto de Deus. A omissão disso será cobrada do redentorista pela história e por Deus. Por isso, é preciso combater as mortes que hoje nos rondam. A missão se dá na realidade da vida em vista do Reino de Deus: começa aqui e ruma à plenitude.

13. O Projeto Comunidade Missionária de Leigos Redentoristas foi apresentado por um grupo de leigos ligados à nossa caminhada missionária: jovens do JUMIRE e Parceiros da Missão. Essa apresentação marcou um momento histórico para nossa província. Foi a primeira vez que leigos participaram de uma sessão capitular, inclusive com direito a apresentar a proposta e participar das discussões. O projeto em questão trata sobre a criação de uma forma de comunidade mais afinada com a vida religiosa e comunitária redentorista. Foi apresentado que existem duas formas disso acontecer: O primeiro modelo é a Comunida-

12 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande

de de Aliança: quando um grupo de leigos continua em seus trabalhos na sociedade, residindo em suas casas, com suas famílias, mas participam em momentos pontuais da vida redentorista, “bebem” da espiritualidade da congregação, participam de formações, assumem certos trabalhos nas paróquias, santuários e missões, sempre a partir do carisma redentorista. Ou seja, mantém e fortalecem uma aliança com a Congregação, através das comunidades locais, que são o suporte para manter e fortalecer esses laços (aliança) no desejo de realizarem juntos, a missão redentorista. O segundo modo é a Comunidade de Vida: quando os membros moram numa casa em comum, fazem compromissos religiosos, têm regras de vida próprias e baseadas na espiritualidade e carisma redentorista. Por ser comunidade de vida, tem uma afinidade muito intensa com os religiosos redentoristas. Como é um tema novo em nossa província, despertou ainda muitos questionamentos e curiosidades sobre como seria efetivamente isso. Foram feitas várias partilhas e reflexões. Em geral foi um tema bastante apreciado porque mostra que o carisma redentorista é amado e respeitado por muitas pessoas que, mesmo num outro estado de vida (casados ou solteiros) desejam ardentemente participar mais intensamente desse carisma e beber mais fortemente desta fonte espiritual. E para tanto estão dispostas, inclusive, a entrar numa “estrutura apostólica” que lhe permita vivenciar de modo mais pleno essa vocação. Por fim, o Capítulo encaminhou da seguinte forma: “apreciou a proposta e pediu que a província intensifique as experiências que já existem com leigos e que estes, gradativamente, vão se configurando de fato numa Comunidade Missio-


Fernandes, da UFRRJ (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro).

nária de Leigos Redentoristas com seus núcleos ligados às comunidades locais.” Além disso, o Capítulo pediu que se continue a reflexão, inclusive em nível provincial, sobre o tema. Não se pode fugir dessa realidade do trabalho estreito com a participação dos leigos em nossa vida, cada vez mais inseridos em nossa vida comunitária, mas é preciso refletir e pontuar bem as formas dessa participação para que a parceria se dê de modo intenso, fraterno e construtivo do ponto de vista do Reino. 14. Sobre o Congresso Missionário. O Pe. Agenor apresentou o programa do “1º Congresso Missionário Redentorista da Província de Campo Grande”, a ser realizado na Comunidade Santo Agostinho, do Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Campo Grande/MS, de 16 a 19 de fevereiro/12. Desde outubro de 2011, uma equipe está organizando este encontro que tem como promotor o Secretariado Provincial de Evangelização. A assessora do congresso será a Professora Doutora Silvia Regina Alves

15. Os dois últimos assuntos foram sobre a Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, de Londrina, e sobre a construção de um centro comercial no terreno que pertence à província e fica situado na Rua Ubaldino do Amaral, em Curitiba. Sobre a paróquia, depois de uma longa partilha, onde os confrades acreditam na importância que continuamos a missão nesta paróquia, foi encaminhado para o Conselho Provincial tomar as providencias. Sobre a construção, ficou para posterior apresentação à província para conhecimento de todos os confrades. 16. Com um almoço de confraternização e ação de graças encerrou-se a segunda sessão do capítulo ao meio dia de 07 de janeiro de 2012. Fraternalmente, os capitulares: Joaquim Parron, CSsR - ex-oficio (Provincial) Antonio Mello, CSsR - ex-oficio (Conselheiro) Francisco Santos Lima, CSsR - ex-oficio (Sec. Evangelização) Adilson Schamne, CSsR Agenor Martins da Silva, CSsR Celso Vieira da Cruz, CSsR Dirson Gonçalves, CSsR Gelson Luiz Mikuszka, CSsR Helio Nunes, CSsR Henrique de Lima, CSsR Primo Hipólito, CSsR Sérgio Sviental Campos, CSsR Thiago Palmeira Machado, CSsR Vicente Gomes de Melo, CSsR

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 13


VIII CAPÍTULO PROVINCIAL

ANEXOS Documentos utilizados na Segunda Sessão Capitular ANEXO 1: DOCUMENTO FINAL DA I SESSÃO DO VIII CAPÍTULO PROVINCIAL

INTRODUÇÃO

I. SOBRE VIDA APOSTÓLICA

Na busca de “anunciar o Evangelho de modo sempre novo”, como buscava S. Clemente, “com renovada esperança, corações renovados e estruturas renovadas para a missão”, os capitulares da Província de Campo Grande estiveram reunidos em Curitiba, entre os dias 03 a 05 de Janeiro de 2011. O material de estudo elaborado pelas comissões e que havia sido enviado anteriormente a todos os confrades foi a base para todos os trabalhos do Capítulo.

01. No que se refere à vida comunitária: Que o Conselho Ordinário forneça mensalmente subsídios para que levem os confrades a partilharem (sentimentos, aspirações...) em comunidades. Que os conselhos estejam atentos para ajudar os confrades que mais precisam de ajudas na área humana.

No material que segue a seguir, estão apenas as decisões finais e encaminhamentos. Tais decisões foram organizadas dentro das áreas específicas da província, a saber: vida apostólica, santuários, missões itinerantes, paróquias missionárias, formação, lei eleitoral e sobre administração e economato. O espírito que conduziu toda essa sessão capitular foi muito agradável e fraterno. Foi, com toda certeza, um momento de Deus falando ao coração de nossa província. Essas decisões servirão para animar a nossa caminhada missionária. Que Santo Afonso interceda por todos nós, que temos o desejo de “continuar o exemplo de Jesus Cristo Salvador” anunciando o Evangelho de modo sempre novo.

02. No que se refere à vida de oração: que os confrades rezem ao menos uma vez por dia juntos nas comunidades locais para fortalecer a espiritualidade pessoal e comunitária. E que continuem as motivações para que todos participem do retiro provincial. 03. No que se refere à vida pastoral: Que o Secretariado de Evangelização forneça subsídios para a conversão pastoral. E que os conselhos continuem insistindo na linha de nova abordagem pastoral nas paróquias-santuários-missões, que seja ‘eminentemente missionária conforme pede a Conferência de Aparecida’. 04. No que se refere à consagração: Que a Profissão Religiosa e os conselhos evangélicos sejam revitalizados na vivência, para que sejam sinais proféticos na ação evangelizadora. A espiritualidade da

14 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


consagração seja fortalecida com encontros e retiros. 05. No que se refere às vocações: -“A promoção vocacional deve ser uma prioridade em cada Unidade.” (Manuale da CSsR, p. 392). Desse modo, o Capítulo aprovou a estruturação do SECRETARIADO VOCACIONAL como pede o “Manuale Formatorum” do Secretariado Geral de Formação. O secretariado seja formado: pelo Provincial, promotores vocacionais, os junioristas e dois postulantes escolhidos e outros confrades que o Conselho Ordinário considere necessário. Que os promotores vocacionais residam em comunidade da Província, tendo no mínimo 15 dias, mensalmente, de atuação direta na pastoral vocacional, e os outros 15 dias atuando na comunidade local (seja paroquial, formativa ou itinerante). Que os promotores promovam semanas ou tríduos vocacionais, dirigidas aos jovens, em nossas comunidades e também nas paróquias não pastoreadas pelos Redentoristas. Este trabalho também deve ser feito em comum com as comunidades missionárias itinerantes. 06. No que se refere às coordenações da vida apostólica: Que o Conselho Ordinário intensifique os encontros regionais e setoriais da Província, especialmente animando a Vida Apostólica Redentorista. Quanto aos reitores: “Assim como a primeira responsabilidade do Provincial é a Província, do mesmo modo a primeira responsabilidade do superior local é a comunidade local e sua missão. Deve ser pastor, administrador e animador a serviço da comunidade. Sua principal responsabilidade é ajudar a comunidade a viver inteiramente sua vocação Reden-torista”3. “Os superiores locais animam com seu e-

xemplo. As palavras caem no vazio quando não são sustentadas por uma prática visível. Os superiores locais são homens que devem estar capacitados para o trabalho em comum.”4 07. No que se refere ao Postulado enviando pelo Pe. Lourenço Kearns (“Que os superiores locais promovam uma reunião semanal dos membros da comunidade. E que o cumprimento dessa reunião seja cobrado pelo COP em suas visitas”). Esse postulado foi muito apreciado pelos capitulares e ficou como uma recomendação a ser encaminhada pelo conselho. II. SOBRE SANTUÁRIOS 8. Conforme os documentos Pontifício Conselho para Pastoral dos Migrantes e itinerantes, O Santuário, Memória, Presença e Profecia do Deus Vivo. Edições Paulinas, 1999. Documento de Aparecida, V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe. E baseado no Diretório Provincial de Pastoral de 2006, o VIII Capítulo, em sua primeira sessão decidiu: 9. Assumir os Santuários em uma perspectiva Pastoral que lhe são próprias, tornando-os centros de acolhida, de peregrinações, encontro com Deus e com o outro. Assim como lugar de evangelização e entusiasmo para a vivência Cristã e eclesial. 10. A partir da devoção popular valorizada e resgatada realizar a evangelização, seja no Santuário ou em suas atividades nos veículos de comunicação. 11. Tornar nossos santuários acolhedores dinâmicos, missionários e “atrativos” durante todos os dias da semana promovendo retiros, celebrações especiais e romarias. 12. Oficializar os convênios com as dioceses a fim de regularizar as relações mútuas. 13. Criar maior intercâmbio entre os confrades dos Santuários

2.

Secretariatus Generalis de Formatione C.Ss.R. Manuale formatorum. Roma, 2009, pp. 27 39. Cúria Generalis da C.Ss.R., Guia pastoral para os superiores. Roma, 2002, p. 33. 4. Ibid, p. 35. 3.

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 15


da Província. 14. Fazer com que os Santuários estejam sempre pautados na mídia. 15. Ter como extensão pastoral dos Santuários redes de comunicação em rádios, TVs, revistas e jornais. 16. Envolver os formandos Redentoristas nas Pastorais dos Santuários e em seus veículos de comunicação. 17. Dinamizar a Ação Social e tê-la como Pastoral que caracteriza o trabalho e a Missão dos Redentoristas nos Santuários juntos aos necessitados. 18. Ter uma assessoria de Marketing voltada para a captação de recursos, que ajude a pensar o Santuário em sua expansão em uma perspectiva evangelizadora. 19. De acordo com a necessidade, ampliar a infra-estrutura de acolhida. 20. Incentivar e criar a dimensão Vocacional nos Santuários. 21. Que cada Santuário faça um Plano de ação Pastoral e o apresente ao Governo Provincial. 22. Que o CEP indique confrades para formarem uma comissão para pensar a dimensão da comunicação nos Santuários, e em especial, para viabilizar a aquisição de veículos de comunicação para os mesmos. III. SOBRE MISSÕES ITINERANTES 23. O Capítulo aprovou a criação do Centro Missionário. Que as equipes missionárias dinamizem e viabilizem o centro missionário, contemplando os Parceiros da Missão Redentorista (PMR) e a Juventude Missionária Redentorista (JUMIRE) e outras pessoas interessadas em aderir ao projeto. 24. Que haja uma avaliação dos encaminhamentos e novos procedimentos desse trabalho na segunda sessão deste Capítulo. As Equipes ficam responsáveis de apresentar os relatórios ao Capítulo para que a avaliação possa ser feita. 25. Que a província fortaleça o trabalho com a juventude na dimensão missionária, agregando todos os jovens que despertam para essa área.

IV. SOBRE PARÓQUIAS MISSIONÁRIAS 26. O Capítulo pede o fortalecimento do carisma redentorista; Mapear, rever, e fortalecer as pastorais. Aprofundar a dimensão da pastoral urbana (DAp, 509519). Despertar para o espírito missionário: Formar, capacitar as lideranças. Setorizar as paróquias (DAp., 372). Fortalecer os grupos de base (DAp., 372) Ter vida financeira equilibrada. Destacar a ação social. Elaborar, junto com as lideranças, o planejamento pastoral paroquial. Atuar mais diretamente com os meios de comunicação social. Ser uma paróquia realmente missionária, modelos de organização e dinamismo missionário. 27. No que se refere ao postulado enviado pelo Pe. Dirson Gonçalves (Que os confrades que trabalham em paróquias e/ou santuários redentoristas elaborem um planejamento administrativo-pastoral contendo metas pastorais, composição dos Conselhos Comunitários e Conselho Administrativo Paroquial e Programação Anual; assim como uma organização administrativa capaz de ter sustentabilidade e arcar fielmente com os compromissos financeiros: quota diocesana, contribuição para a província, manutenção da casa paroquial e dos confrades). O postulado foi apreciado pelo Capítulo e decidiu-se que ele fica como uma recomendação para que o Conselho encaminhe. V. SOBRE A FORMAÇÃO 28. Que se eleja o nosso “Diretório de Formação” como documento norteador de toda a linha formativa da Província. 29. Que o Secretariado durante o primeiro semestre de 2012 estude atentamente o Diretório de Formação e elabore um Plano Formativo, definindo O QUE se precisa cumprir em cada etapa, (Propedêutico,

16 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


Postulantado e Juniorato) e COMO isso será feito para que se atinja esse objetivo. 30. Que seja pedido aos formadores e àqueles que se pretende encaminhar para esse serviço que entrem num programa sistemático de formação permanente pertinente à missão que vão exercer. Que possam, por exemplo, cursar, uma “Escola para Formadores”.

31. Quanto ao Postulado enviado pelo Pe. Lourenço Kearns (Que a formação integral seja dada em todos os níveis por meio de uma equipe determinada pelo secretariado de formação). O Capítulo apreciou a proposta e acolheu como recomendação que será considerada pelo Conselho e pelo Secretariado de Formação.

ANEXO 2: RELATÓRIO DO SECRETARIADO VOCACIONAL O Secretariado Vocacional da Província de Campo Grande, foi organizado segundo os critérios propostos pelo Secretário Geral Redentorista de Formação, seguindo o Manual Formationis, e aprovado por este Capítulo em sua Primeira Sessão. O primeiro encontro do secretariado foi realizado no dia 1º. de fevereiro de 2011, no Escritório Central, onde foram traçados os objetivos, as estratégias e ações. Um segundo encontro realizouse no dia 30 de junho de 2011, em Londrina, fazendo um balanço do primeiro semestre. Uma terceira reunião foi realizada no dia 19 de novembro, após a convivência vocacional. Foram realizadas durante o ano semanas, tríduos e retiros vocacionais em várias paróquias. Intensificou-se também a distribuição de materiais, divulgando a identidade Redentorista. Deste processo tivemos 15 jovens para convivência vocacional, dos quais 10 foram convidados para o ingresso em 2012: - Dois da Paróquia S. José: Ponta Porã. - Dois do Santuário do P. Socorro: Campo Grande. - Um da Paróquia N. Sra. da Guia: Campo Grande. - Um de Bodoquena. - Um de Maringá. - Um de Campo Mourão (através da visita da imagem do Rocio).

- Um de T. Borba (através da Campanha do Devoto da outra paróquia). - Um de Londrina (através do juniorato) Destaca-se o papel do JUMIRE na promoção vocacional, pois três jovens estão vindo devido o trabalho da juventude missionária.

Abaixo descrevemos as palavras do Pe. Donizete Araújo: Francisco Visciano escreveu no léxico familiar redentoristas que “responsabilidade indica a resposta e a capacidade de responder a uma palavra que nos é dirigida”. Durante este ano, 2011, soubemos como equipe vocacional administrar esta responsabilidade buscando dar respostas de maneira mais abrangente, envolvendo boa parte dos confrades. Este envolvimento parcial foi de fundamental ajuda no processo formativo. Eu, Donizete, presenciei de perto neste ano este envolvimento através de nossas paróquias e santuário no MS. Aproveito aqui para parabenizar as comunidades São José de Ponta Porã, Santuário e NSra da Guia de Campo Grande, representadas pelos seus respectivos reitores, padres Paulo, Dirson, Sérgio R e JUMIRE que demonstraram interesse em colaborar com o processo formativo. Porém enfatizo que ainda precisamos, ainda

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 17


mais, “criar” uma cultura vocacional, uma cultura religiosa. Esta cultura só será enraizada se todos fizerem sua parte como promotores vocacionais, “todos os confrades são co-responsáveis pela obra da formação dos candidatos e de todos os confrades” (82). Esta co-responsabilidade é fundamental quando está alicerçada pelas nossas condizentes atitudes. As pessoas ainda vêem no padre/irmão religioso presença de Jesus no mundo, temos uma mística que deve ser protegida pelas atitudes boas. As pessoas que desejam entrar para o seminário se espelham muito em cada um de nós, confrades, por isso deve haver muita conversão entre nós. Muitas vezes somos (não todos) pouco receptivos entre nós, procuramos nossos próprios interesses particulares (centralizamos) e esquecemos que a missão só acontece no conjunto de nossas capacidades. Confrades futuros não podem crescer neste tipo de cultura. Por isso, ressalto a necessidade de conversão só assim estaremos dando resposta de Amor a Deus e à Congregação ajudando com nossas boas atitudes nas etapas de formação. Em nome do secretariado de formação espero continuar contando com suas orações, abertura à missão e apoio.

enviado a servir e a evangelizar desde a vocação cristã específica a que é chamado por Deus a seguir a Jesus Cristo. Deste modo, todos juntos, complementariamente, vamos instaurando o Reino de Deus aqui na terra. Tendo em conta a grande necessidade que a Igreja experimenta hoje e, não muito diferente a Província de Campo Grande, de novos agentes para levar a cabo sua missão, sobretudo de religiosos e presbíteros, e acolhendo o convite do Senhor Jesus a rogar ao “dono da messe para que envie operários para a sua messe” (Mt 9, 38), queremos potenciar e fortalecer, em nossa Província, a tarefa de suscitar, acolher e acompanhar as vocações específicas, ajudando assim a favorecer a resposta positiva dos chamados. Nesta primeira convivência, sob a coordenação do Secretariado, formado por dois promotores vocacionais (PR/MS), pelo Provincial, formadores, junioristas, postulantes e propedêutas já sentimos o reflexo dessa nova maneira de trabalhar com as vocações. Salientamos, também, a participação e empenho de muitos confrades que, em suas comunidades e em seu agir missionário, têm demonstrado amor e interesse pelas vocações. Pe. Mello, CSsR

Pe. Donizete Araújo, CSsR

PROPOMOS PARA 2012: Em seguida transcrevemos as palavras do Pe. Antônio Mello:

“A promoção vocacional deve ser uma prioridade em nossa Unidade.” (Cf. Manuale da CSsR, p. 39).

Deus chama a todos os seres humanos. Chama-os à fé e pela fé, a entrar em comunhão com Ele e com todas as pessoas, formando parte do Povo de Deus. Este chamado que nos faz especialmente pelo Batismo, Crisma e Eucaristia, é também um chamado à comunhão e participação na vida e missão evangelizadora da Igreja. Assim, pois, se cada cristão é chamado à santidade, pelo Batismo, é

Que os confrades ajudem esta prioridade a ser PRIORIDADE no cotidiano da nossa vida. Esta prioridade deve permear todos os nossos compromissos (paróquias, santuários, missões, trabalhos especiais...). Os confrades devem estar envolvidos no processo (“Todos os confrades... na medida de sua estima e amor à própria vocação, dediquem-se

6.

Secretariatus Generalis de Formatione C.Ss.R. Manuale formatorum. Roma, 2009, pp. 27 39.

18 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


ao apostolado de promover vocações para a Congregação” C. 796).

Ponta Grossa e Paróquia N. Sra. de Fátima (Telêmaco Borba).

Participação dos formandos (Propedêutas, Postulantes e Junioristas):

- Os junioristas, junto com o formador-promotor, ter atividades na região do Norte do Paraná.

Os dois promotores continuam com a atuação no modelo de dois estados (PR e MS), no entanto, o Secretariado propõe ter mais envolvimento dos formandos no processo da promoção vocacional. - Junto com o formador do Postulantado: ter atividades vocacionais no Santuário N. Sra. do Perpétuo Socorro (Curitiba), Paróquia N. Sra. do Bom Sucesso (Guaratuba) e Santuário do Rocio (Paranaguá). - Junto com o formador dos Propedeutas: ter atividades vocacionais na região de

- Junto com a juventude missionária, tanto no PR como no MS.

Calendário inicial: Dia 31 de janeiro/12: encontro com os reitores e párocos. Curitiba/PR. Dia 15 de março/12: divulgação sobre a vocação Redentorista em todas as nossas comunidades/paróquias.

ANEXO 3: RELATÓRIO DA FORMAÇÃO Apresentamos neste relatório, de maneira resumida, alguns elementos do nosso processo de formação, considerando as diversas fases: promoção vocacional, propedêutico, postulantado, noviciado e juniorato. 1.TRABALHO VOCACIONAL A Província sofre com um declínio no número de candidato vocacional e diante desta realidade a 1ª. Sessão do VIII Capítulo decidiu alterar alguns procedimentos para atrair mais jovens para o processo formativo. Por muitos anos um promotor vocacional visitava as comunidades e procedia o trabalho de motivação vocacional. Concluiu-se que uma nova abordagem era necessária para responder os desafios atuais. 1.1. Como a Província está respondendo a este desafio: Como foi visto no relatório do Secretariado

Vocacional, a Província está, pouco a pouco, correspondendo responsavelmente esta importante dimensão da Congregação. 1.2. Como ficou organizado o Secretariado: O Secretariado é formado pelo provincial, por dois confrades promotores, um em cada estado (Mato Grosso do Sul e Paraná), com a participação dos formandos. 2. DAS ETAPAS DE FORMAÇÃO São quatro as etapas da formação, a saber: Propedêutico, Postulantado, Noviciado e Juniorato. 2.1. Propedêutico A etapa de formação no Propedêutico é um dos passos do caminho de formação a vida religiosa na congregação buscando levar o formando a uma coerente maturidade humana cristã. O objetivo do Propedêutico é acompanhar o jovem, através de uma vida co-

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 19


munitária, humana, espiritual e intelectual, oferecendo ao jovem a possibilidade de um crescimento na totalidade do seu ser. No ano de 2011 esses passos foram dados. A província ofertou aos propedeutas uma formação eficiente. 2.1.1. Das mudanças A novidade no ano de 2011 foi que os propedêutas, que já tinham ensino médio, puderam iniciar a faculdade de filosofia. Ao ouvir formador (padre Pedro Hélio) e formandos Adriano e Diego) constatamos que é muito importante o fato de freqüentar a faculdade nesse período da formação. “Seria um tempo ‘perdido’ se ficasse somente no cursinho, frequentando aulas do terceirão, desmotivando os jovens candidatos à Vida Religiosa. O fato de frequentar uma faculdade motivou ainda mais os jovens propedeutas a seguirem a vida Religiosa”. Outro fator, é que a faculdade de filosofia em Ponta Grossa, é frequentada por alunos leigos. A convivência com os leigos motivou uma maior seriedade nos estudos e na vivência religiosa. Sobre a Faculdade Santana a avaliação é que é uma faculdade que tem seriedade pedagógica muito grande, onde as religiosas Servas do Espírito Santo coordenam todo o processo de ensino e aprendizagem. O curso além de ser reconhecido teve uma alta avaliação do MEC em 2011, considerado um dos melhores do Paraná. Os professores, pelo fato de ter uma coordenação mais próxima, dedicam muito bem ao ensino e preocupa-se com o processo de aprendizagem do aluno (que às vezes não é considerada em grandes universidades). Outro aspecto que merece destaque é o fato do curso não ser seminarístico (onde as vezes tem-se muita infantilidade), onde os leigos, que pagam pelo curso, exigem um ensino sério e competente. 2.1.2. Dos formandos Iniciaram no propedêutico em 2011 cinco jovens. Dois deles desistiram no caminho: Paulo Henrique e Luiz (este último está sendo

acompanhado e deve retornar a formação em 2012). Concluíram o ano e segue para o postulantado: Adriano, Diego e Paulo Zatta. 2.2. Postulantado O objetivo do postulantado é formar um juízo sobre a aptidão e a vocação do candidato; comprovar o nível de instrução religiosa e, em caso necessário completá-lo; fazer gradualmente a transição da vida secular a própria do noviciado; averiguar se existe maturidade humana e afetiva suficiente; e certificar-se se o candidato infunde esperanças de que poderá assumir as obrigações da vida religiosa e progredir neste caminho. 2.2.1. Dos formandos Iniciaram no postulantado em 2011 oito jovens. Três deles ficaram no caminho: Bruno, Cleverson e Sérgio. Concluíram o ano e segue no processo formativo: Cássio, Óliton, Robson, Rodrigo e Rubens. O Óliton e Rodrigo ingressam no noviciado em janeiro de 2012. 2.3. Noviciado Desde 1997 o noviciado vem acontecendo na província de São Paulo. Neste ano temos o noviço Fernando da cidade de Telêmaco Borba. Sua primeira profissão será no dia 04 de fevereiro de 2012. 2.4. Juniorato O juniorato por um bom tempo teve residência em São Paulo/SP e os estudos teológicos acontecia no ITESP. Hoje temos casa na cidade de Londrina e a teologia é feita na PUC. 2.4.1. Dos Formandos Iniciaram no juniorato em 2011 três jovens: Aparecido, Marco e Thiago. O Marco não está mais conosco. Concluíram e continuam no processo formativo o Aparecido e Thiago. Lembrando que o Aparecido professará os votos perpétuos no dia 01 de maio no santuário nossa senhora do Perpétuo Socorro em Campo Grande.

20 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


3. PROPOSTA Atendendo ao pedido do governo geral e acreditando que é importante para a formação de nossos jovens consideramos importante “que todo formando quando estiver cursando a teologia possa ter a oportunidade de fazer um ano de seu estudo fora do país. Talvez no terceiro ano de teologia”. 4. CONSIDERAÇÕES Para que o nosso processo formativo continue sendo fecundo consideramos importante que: 1) Toda comunidade religiosa que acolher os formandos para trabalhos pastorais possa ser comunidade que testemunhe a vida de oração, que dêem testemunho de uma

verdadeira comunidade redentorista. Sendo motivadora na vocação do formando. 2) Que os formadores possam criar espaços de formação e, ou, trabalhos apostólicos quando os formandos estiverem em recesso na faculdade. Não deixar esse tempo ocioso e nem enviá-los para casa da família. 3) Que promotores e formadores possam se esforçar para estarem presentes em tríduos e animação vocacional. 4) Seria fundamental se durante o processo de formação os formandos tivessem uma paróquia para exercerem atividades pastorais. Roguemos a Deus para que nos dê muita sabedoria para bem conduzir os nossos jovens e animá-los para a vida religiosa redentorista. Que Deus nos ilumine e nos guarde. Amém!

ANEXO 4: RELATÓRIO ECONÔMICO Este relatório econômico tem a finalidade em apresentar, de maneira sintética, os passos dado pelo economato neste primeiro ano do quadriênio. É um material resumido, pois mensalmente os confrades recebem o relatório completo (saídas e entradas) pelo correio eletrônico (e-mail). Temos também trabalhado como Secretariado de Finanças e com assessorias especializadas. Assim, em primeiro lugar, agradecemos todos os confrades que colaboram para o bom andamento da administração provincial. 1. FUNCIONAMENTO DO ESCRITÓRIO No início de 2011 decidimos trabalhar por áreas no escritório central: A. Área de controle: Olga

E. Família do Devoto Perpétuo: Carla Todas estas áreas supervisionadas pelo ecônomo provincial. Assessorias: Contábeis (auditor Machado), Jurídico (escritório do Arns de Oliveira), Imobiliária (Marcos da Sólida). A partir de 2012 a contabilidade e a folha de pagamento serão terceirizadas, pelo custo de R$ 2.000,00 (R$ 3.000,00 - R$ 1.000,00 da auditoria = R$ 2.000,00. (Tb. São feitas as contabilidades e folha de pagamento da Com. Vida Nova e do Projeto Sarnelli). - A área de artigos religiosos vai tornar-se uma entidade, com CNPJ de filial, e segundo a auditoria estamos oficializando esta área diante do fisco. Estamos estudando, com assessores, como melhor fazer isto.

B. Área de pagamentos e folha: Sandro C. Área contábil e controle das lojas: Reni D. Área comercial: Geni

2. INVESTIMENTO EM 2011 Esta área de investimento tem em vista o retorno econômico para Província: - Aquisição

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 21


de um armazém em S. José dos Pinhais (próximo do Pedágio), por R$ 218.000,00. Está alugado por R$ 2.000,00 mensal. - Aquisição de computadores e outros instrumentos para Família do Devoto. 3. COM A FORMAÇÃO + SAÚDE + AMPLIAÇÃO DA CASA

do conclui que a Congregação tem obrigação de ‘dar tudo a ele’. Pode-se entrar no processo de ‘aprender a somente a receber’ e ‘não aprender a produzir para usar na missão’. O que podemos fazer? Um outro elemento para refletir é ajudar os formandos e confrades a trabalharem com orçamento. Uma família para sobreviver precisa necessariamente trabalhar ‘dentro do orçamento’.

- Entre a manutenção dos formadores (INSS+ Unimed), funcionários e mensalidades... em torno de R$ 55.000,00 mensal. - Saúde (Unimed + atendimento dos idosos... + INSS) uma média de R$ 40.000,00. - Apoio à pastoral: em torno de R$ 30.000,00. - Administração: em torno de R$ 20.000,00. - Está sendo pago neste ano R$ 60.000,00, para ampliação da Casa da Saúde, que havia ficado do ano pas sado.

- Total: 100%

4. COM A ÁREA PASTORAL

8. CAIXA (aplicação hoje)

- Ampliação e reforma da casa dos Redentoristas na Paróquia Nossa Senhora da Guia (Campo Grande): R$ 104.859,00; - Aquisição de um veículo (Fox) para Paróquia Nossa Senhora da Guia: R$ 36.000,00; - Apoio mensal (a partir de outubro) de R$ 3.000,00 à Comunidade Redentorista da Paróquia Nossa Senhora da Guia. - Pagamento do Unimed + INSS para algumas comunidades que não podem pagar. 5. UM REFLEXÃO SOBRE UNIMED DE FAMILIARES - Do tempo antigo, temos ainda alguns familiares que fazem parte do plano da Unimed. Fazemos uma pergunta; “Não poderia a comunidade local onde está o confrade ou o próprio confrade contribuir para este pagamento?”

7. FONTES HOJE DA PROVÍNCIA - Aluguéis: 45% - Artigos religiosos (lojinhas): 25% - Devolução da Unimed+ INSS: 12% - Campanha ‘Família do Devoto': 13% - Cursos + doações + aposentadoria: 5%

9. PROCESSOS JUDICIAIS São vários: - Um trabalhista (ex-seminarista e ex-funcionário Edgar), um de reparação moral (ex-seminarista Marco), INSS da Escola de Ponta Porã (2ª. Instância), Acidente e morte do Renaldo Zeihrut, de IPTU de Ponta Porã, Ponta Grossa e Colombo. 10. PAUTA ABERTA PARA PERGUNTAS E ESCLARECIMENTOS:

Agradecemos a todos os confrades no crescimento da responsabilidade com a administração da Província. Percebe-se um crescimento do senso de pertença na área administrativa. Muito obrigado!

6. UMA REFLEXÃO: FORMAÇÃO No processo formativo, as vezes, a dimensão econômica não é valorizada, onde o forman-

22 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande

Ir. Helio Nunes, CSsR Ecônomo Provincial


ANEXO 5: RELATÓRIO DA CAMPANHA “FAMÍLIA DO DEVOTO PERPÉTUO”

“A Família do Devoto Perpétuo” é uma campanha da Província de Campo Grande, iniciada na Comunidade do Perpétuo Socorro em 2009 e assumida pela Província na Primeira Sessão do Oitavo Capítulo, início de 2011. Descrevemos os objetivos, as estratégias e os meios utilizados.

- Missas em nossas paróquias no dia 27 de cada mês na intenção dos membros da campanha.

4. MEIOS - Uma pessoa (secretária) coordena todo o trabalho desta campanha.

1. OBJETIVO GERAL

- Uma jornalista trabalha meio-período.

“Contribuir na propagação da devoção à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, ‘cujo culto foi confiado pela Santa Sé aos Redentoristas para ser promovido’ 7, através da fidelização de pessoas ajudando-as a serem discípulos missionários.”

- Economato faz a coordenação deste trabalho.

2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS - Evangelizar através dos Meios de Comunicações Sociais atualmente está sendo realizado pela revista da Família do Devoto (’evangelizar fora do aquário’). - Levantar fundos para que a Província possa adquirir meios de comunicações sociais. - Fortalecer a identidade da Congregação e despertar as pessoas para a dimensão vocacional.

3. ESTRATÉGIAS

- Algumas paróquias e alguns confrades apoiaram o projeto durante o ano. - Está nos sites dos dois santuários, está no twitter, facebook e agora outras novas mídias. - O projeto está contanto com a assessoria gratuita da empresa Opus/multiplus.

5. PLANO DE AÇÃO O projeto foi iniciado em meados de 2009 e no início de 2011 contava com aproximadamente 1.500 pessoas inscritas. No final de dezembro de 2011 temos um pouco mais de 11 mil pessoas inscritas que recebem mensalmente a revista e a carta da Congregação. Temos que planejar para chegar em 30 mil pessoas inscritas e que contribuam com este projeto Redentorista até o final de 2012.

- Inscrição de pessoas nas paróquias e santuários da Província.

SUGESTÕES:

- Publicação mensal da revista Família do Devoto.

- Cada paróquia da Província ter uma pessoa ou uma equipe para animar este pro-

7.

Estatuto Geral dos Redentoristas, n. 05.

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 23


jeto no local. Com certeza isto motivará mais a devoção na comunidade local e também abrirá novos horizontes na paróquia. - Os formadores e formandos realizem men-

salmente uma ação, em alguma paróquia ou missão, para divulgar o projeto. - Ter um programa em Rádio ou TV neste ano de 2012 (’lançar as redes em alto mar, onde estão os peixes fora do aquário’).

ANEXO 6: FUNDO DE SOLIDARIEDADE PARA PARÓQUIAS/SANTUÁRIOS DA PROVÍNCIA – FUNDO EMERGENCIAL

Na busca de fortalecer a solidariedade entre as comunidades da Província de Campo Grande propomos criar um fundo de ’solidariedade para ajudar as paróquias/santuários em situação emergencial’. A fonte inicial será a doação das comunidades que farão ao caixa provincial neste início de 2012, estando aberto para receber outras doações.

1. ADMINISTRAÇÃO DO FUNDO O fundo seja administrado pelo Ecônomo Provincial, numa conta da Congregação, separada da conta geral da Província.

2. CRITÉRIOS DE USO DO FUNDO Este fundo tem como finalidade primeira ajudar a comunidade que tem necessidade urgente. Todo pedido deve ser apresentado por escrito, assinado pelos membros da Comunidade Religiosa Redentorista e pelo coordenador do CPP local.

3.DEVOLUÇÃO DO RECURSO Nenhum recurso será doado, mas sempre emprestado, onde a comunidade terá que devolver ao caixa deste fundo. Poderá ter correção monetária, mas nunca juros.

4. COMO APRESENTAR O PEDIDO O projeto deve ser apresentado por escrito, constando como e quando será a devolução deste recurso.

5. QUEM APROVA OS PEDIDOS Os pedidos devem ser aprovados pelo CEP. A reunião que decidirá sobre aprovação ou não do projeto será presidida pelo Ecônomo Provincial.

24 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande

Ir. Helio Nunes, CSsR Ecônomo Provincial


VIII CAPÍTULO PROVINCIAL

PARA SER REFLETIDO NAS COMUNIDADES LOCAIS APROFUNDANDO AS DECISÕES DO CAPÍTULO

Os capitulares sugeriram que as Comunidades Locais façam um estudo das decisões e recomendações da II Sessão do VIII Capítulo. Para ajudar a reflexão em comunidade propomos três elementos para serem refletidos e cada comunidade traga uma síntese da reflexão local para ser apresentada no dia Regional de 2012.

1. VIDA APOSTÓLICA A Constituição n. 1 diz: “A vida apostólica compreende, a um só tempo, a vida especialmente dedicada a Deus e a obra missionária dos Redentoristas.” Isto é, a Vida Apostólica compreende a vida comunitária, a vida de oração e a vida pastoral. - Como a vossa comunidade integra estes elementos? Vocês fazem reuniões semanais? Vocês rezam juntos? Partilhem sobre isto!

2. VOCAÇÕES A Manual de formação (Secr. Geral) pede que a Promoção das Vocações deve ser uma

urgência em cada (vice) Província. A Constituição 79 diz: “Todos os confrades... na medida de sua estima e amor à própria vocação, dediquem-se ao apostolado de promover vocações para a Congregação”. A sessão capitular pediu que isto torne-se algo fundamental na vida da nossa Província. - Como vocês promovem as vocações Redentoristas em vossa comunidade/apostolado? Quais são as vossas sugestões para que a Província, como corpo missionário, avance na área da Promoção e Formação de novas vocações?

3. URGÊNCIAS PASTORAIS A Igreja no Brasil definiu cinco urgências pastorais: 1) Igreja em permanente estado de missão, 2) iniciação à Vida Cristã, 3) dimensão bíblica e pastoral, 4) comunidade de comunidades e 5) defesa da vida. A Segunda Sessão Capitular decidiu fortalecer estas cinco urgências numa perspectiva Redentorista. - Como vocês percebem que a vossa comunidade está integrando estas urgências no trabalho apostólico?

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 25


VIII CAPÍTULO PROVINCIAL

PARTICIPAÇÃO DOS LEIGOS NO CAPÍTULO PROVINCIAL ABERTURA AO NOVO E À BUSCA DE UNIDADE

No dia 06 de Janeiro tivemos a graça de participar de uma Sessão do Capítulo Provincial, onde como Leigos e Leigas Missionários Redentorista, tivemos a oportunidade de apresentar aos Padres e Irmãos desta Província nosso anseio de participar de fato mais ativa e constantemente na Vida e Missão Redentorista. Para nós foi um momento muito importante, esta abertura da Província demonstrou uma grande acolhida a todos os Leigos e Leigas, por parte dos Religiosos com quem trabalhamos com muita alegria. Fizemos ali a experiência de uma Igreja que busca a unidade e a partilha, rompendo assim todo e qualquer tipo de preconceitos, tendo como único objetivo, o Anúncio da Redenção, que se faz mais bonito e eficaz quando ambos os lados são ouvidos e tem a oportunidade de refletirem juntos a realidade Pastoral.

É nosso desejo colaborar sempre mais com a Missão confiada aos Missionários Redentoristas. Queremos também nós ser no mundo esta presença do Cristo Redentor, na vocação a qual fomos chamados. Todo Leigo e Leiga das Paróquias e Santuários Redentoristas à partir do contato com o carisma pelo testemunho dos Religiosos Missionários sente este anseio de avançar para águas mais profundas, conhecer mais do carisma, aprofundar nesta Espiritualidade firmando uma Aliança entre Leigos e Religiosos por uma Evangelização cada vez mais forte.

Em nome de todos os Leigos e Leigas da Província de Campo Grande, ficamos profundamente agradecidos por tamanha oportunidade e confiança, isso só faz com que nos sintamos cada vez mais parte desta grande Família de Santo Afonso.

26 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande

Luciana Barbosa Amorim Campo Grande/MS


MISSÕES

EQUIPE MISSIONÁRIA E SANTUÁRIO JUNTOS NA EVANGELIZAÇÃO

A Equipe Missionária de Mato Grosso do Sul que até então residia na Paróquia Imaculada Conceição, em Aquidauana, está começando uma nova caminhada. A partir da experiência muito positiva da equipe do Paraná residindo no Santuário de Curitiba, a equipe do MS está também residindo no Santuário de Campo Grande. O Governo Provincial foi muito sensível aos anseios dos missionários e atendeu ao sonho dos membros da equipe. A idéia é realizar a “missão no santuário e ter um santuário missionário”, ou seja, as duas comunidades formam um só corpo, atuando juntas na missão.

da equipe missionária de MS estamos muito felizes, pois caminharemos juntos com o Santuário Perpetuo Socorro formando uma só comunidade. Com certeza neste ano de 2012 será muito abençoado por Deus. O sonho da congregação está sendo realizado. A nossa primeira experiência será a Missão na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, da Vila Planalto, em Campo Grande. A missão começa em fevereiro e será feita, na realidade, em três mãos: Equipe Missionária, Santuário Perpétuo Socorro e JUMIRE, que tem uma forte atuação nesta região.

Nas palavras do Pe. Dirson, reitor do santuário, essa é a “realização de um sonho: a integração para fazer o trabalho juntos”. Nós

Pe. Roberto Claudiano da Silva Filho CSsR Coordenador da Equipe Missionária

“Interpretem fraternalmente as angústias dos homens, para discernir nelas os verdadeiros sinais da presença e desígnio de Deus”

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 27


VOCAÇÕES

VOCAÇÕES DE CAMPO GRANDE DIZENDO SIM A JESUS REDENTOR

A vocação, além de um chamado de Deus, é a nossa resposta a esse Chamado. Deus nos chama a cada dia, a cada momento e nós muitas vezes não damos uma resposta do nosso coração. Após rezarmos esse chamado, estamos dando nossa resposta. Nós, vocacionados da cidade de Campo Grande (Edmar, Leonardo e Gabriel) nos alegramos muito em ingressar no Seminário Redentorista no ano de 2012. A província, que já teve sua sede nesta cidade, está nos acolhendo e nós nos alegramos em poder participar da vida desta congregação. Dois de nós somos do Santuário (Edmar e Leonardo) e um da Paróquia Nossa Senhora da Guia (Gabriel). A vivência do Carisma Redentorista com a ajuda toda especial do JUMIRE (Juventude Missionária Redentorista) em nosso dia-a-dia nos fez apaixonar pela Congregação do Santíssimo Redentor. Na congregação, a partir do testemunho dos missionários que conhecemos, aprendemos a nos apaixonar por um Deus maravilhoso, que está sempre a nos ouvir, atender e ajudar. Isso nos encanta e nos faz dizer “sim” ao chamado carinhoso de Deus para sermos redentoristas.

ser coerentes com a voz que chama no nosso coração, mesmo que essa nossa resposta chegue para muitos a representar uma loucura. A nossa Felicidade Vocacional está em não estacionar, mas dar passos a cada dia rumo ao crescimento pessoal e espiritual como formandos redentoristas. Que Santo Afonso e todos os santos redentoristas intercedam por nós seus vocacionados.

Sabemos que nós só encontraremos a verdadeira felicidade quando conseguirmos

Edmar Fernandes dos Santos Campo Grande/MS

28 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


MISSÕES

RETIRO VOCACIONAL Telêmaco Borba/PR

Nos dias 09, 10 e 11 de dezembro, no Centro de Formação, em Telêmaco Borba, sob a orientação do Pe. Mello, com a colaboração dos junioristas Aparecido e Thiago, com o apoio do Pároco, Pe. Henrique, jovens atuantes e muito bem preparados, conduziram com muito entusiasmo e seriedade o primeiro retiro vocacional daquela cidade e Paróquia Nossa Senhora de Fátima. Participaram cerca de 90 jovens (rapazes e moças).

Destinatários: Jovens de 15 anos em diante. Objetivo: Iluminar a própria vida desde a experiência de daqueles que responderam e continuam respondendo ao chamado de Deus. Partimos a princípio da importância de todos os elementos vocacionais, mas por ser o primeiro retiro, achamos conveniente abordar o tema: “Desperta tu que dormes”. Todas as pregações, inclusive sobre o pecado, tiveram um cunho vocacional. Pe. Antonio Carlos de Mello CSsR Telêmaco Borba, 11 de Dezembro de 2011

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 29


CELEBRAÇÃO

ALMOÇO DE NATAL DESPERTANDO A MÍSTICA DE SANTO AFONSO

A celebração do Natal é um dos aspectos forte na espiritualidade de Santo Afonso. A Novena de Natal escrita pelo nosso fundador têm relevância até hoje na espiritualidade natalina. Na perspectiva de valorizar esta celebração a Província promoveu o ALMOÇO DE NATAL no dia 22 de dezembro em Curitiba e dia 27 de dezembro em Campo Grande. Agradecemos os confrades que organizaram estes encontros e os confrades que valorizaram e participaram deste momento de partilha.

30 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


MISSÕES

REGIÃO REDENTORISTA DO SURINAME UNIDADES DO BRASIL SÃO AS RESPONSÁVEIS POR ESTA MISSÃO O Provincial de Campo Grande, Joaquim Parron, em nome da U.R.B. (União dos Redentoristas do Brasil), junto com Jorge Tarachuque, esteve visitando pastoralmente a Região Redentorista do Suriname por oito dias. A seguir descrevemos um pouco da história e do processo como os brasileiros tornaram-se os responsáveis por esta missão.

BREVE RELATO HISTÓRICO: Esta região foi assumida pelos Redentoristas holandeses em 1865 e tornou-se vice-Província mais tarde, tendo mais de cinquenta confrades atuando neste país. Em 1997, após o Capítulo Geral, em West End, USA, os holandenses apresentaram ao Governo Geral o pedido para que a URB (União dos Redentoristas do Brasil) assumisse esta missão. Depois de muito diálogo, todos os (vice) Provinciais brasileiros assinaram uma carta (Compromisso das Unidades da CSsR no Brasil com a Região do Suriname – Belo Horizonte, 21 de setembro de 2001) junto com Joseph Tobin, assumindo uma comunidade internacional no Suriname. Em 13 de junho de 2008 o Conselho Geral emitiu o Decreto passando a Região do Suriname para a URB (Prot n. 282/2007, Roma, 13 de junho de 2008). Em setembro de 2010, os (vice) Provinciais brasileiros expressaram ao Governo Geral as dificuldades com esta missão. No entanto, o Conselho Geral, em sua carta insistiu na permanência da URB nesta região (Cf. Roma, 10 de janeiro de 2011. Prot. 0061 193/2010). Desde então, os Redentoristas Brasil têm uma responsabilidade pastoral com o povo católico do Suriname. Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 31


A CONFERÊNCIA REDENTORISTA DA AMÉRICA LATINA E AS MISSÕES INTERPROVINCIAIS No XXIV Capítulo Geral (2009) foi decidido que a América Latina/Caribe forma uma Conferência, subdividido em três sub-conferências: URB (as Unidades do Brasil), URNALC (União dos Redendoristas do Norte da América Latina/Caribe: As Províncias do Equador, Colômbia, Venezuala...) e URNSAL (União dos Redentoristas do Sul América Latina: As Províncias do Paraguay, Argentina, Chile...). Cada sub-conferência ficou com uma missão interprovincial: A URB ficou com a Região do Suriname, a URSAL ficou com a missão no Uruguay e a URNALC ficou com a missão em Cuba.

Tarachuque com o bispo De Bekker no barco na romaria

REDENTORISTAS NO SURINAME HOJE Atualmente são três brasileiros (Pe. Ronaldo Faria CSsR da Província do Rio, Pe. R. Croon CSsR da Província de São Paulo e Pe. Gilson

Romeiros no barco indo para Batávia local de Pedro Donders

Bem aventurado Pedro Donders CSsR

Silva CSsR da Vice da Bahia). Chegam para esta missão o Ir. Jorge Tarachuque CSsR da Província de Campo Grande e Pe. José Ribeiro CSsR da Província de Porto Alegre. Também estão nesta região dois Redentoristas surinameses, Pe. Waldi, com 76 anos de idade e Pe. Moessai, com 85 anos de idade. Pe. Moessai está alojado num asilo muito pobre e o Pe. Waldi, ainda debilidado, cuida de uma área pastoral.

32 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


Os Redentoristas brasileiros são responsáveis de uma área pastoral na região de Latour (periferia de Paramaribo) onde está a população mais pobre. Além dos católicos surinameses desta região, segundo as estatísticas são mais de 60 mil brasileiros sem assistência religiosa católica (a Igreja Assembleia de Deus e a Igreja Universal estão conquistando muitos brasileiros que eram católicos no Brasil).

bispo soube que J. Tarachuque tem experiência de trabalhos na área da ética social e direitos humanos o convidou para fazer parte da Comissão de Justiça e Paz da diocese.

O último Redentorista holandês deixou a região nos meados de 2010. Os Redentoristas atuais lamentam o fato dos holandeses terem vendido todas as propriedades e não terem deixado um patrimônio para os Redentoristas que estão chegando.

SÍNTESE DA VISITA NO SURINAME Joaquim Parron CSsR e Jorge Tarachuque CSsR estiveram visitando a região por oito dias. Primeiramente tiveram um encontro com a comunidade religiosa Redentorista e também uma reunião com o bispo local (De Bekker). O bispo foi muito acolhedor e tem o desejo que os Redentoristas brasileiros reforcem a missão nesta diocese. Quando o

Bispo De Bekker e Gilson CSsR - túmulo de Pedro Donders

Gilson CSsR, Irmã, Croon CSsR, Ronaldo CSsR, Tarachuque CSsR e Waldi CSsR

Também foi visitado a Batávia, lugar onde o Bem Aventurado Pedro Donders trabalhou com os leprosos. É um local distante da capital (Paramaribo) e ainda têm sinais da atuação do bem aventurado Redentorista Donders. Mensalmente é feito romarias para este local sagrado. Finalmente foi visitada a paróquia de Saramaco onde atua o Redentorista surinamês Waldi. É uma paróquia no meio da floresta onde ele atende os povos indígenas e imigrantes. No final da visita foi elaborado, com a comunidade local, um plano para ser apresentado na reunião da URB. O plano tem em vista que em 10 anos esta missão possa ser auto-sustentável e ao mesmo tempo tenha vocações nativas para levar adiante o trabalho evangelizador. Este plano também inclui duas celebrações anuais, em todas as igrejas/santuários pastoreados pelos Redentoristas no Brasil, conscientizando o povo e os confra-

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 33


des sobre o nosso compromisso com a Missão no Suriname.

PERSPECTIVAS VOCACIONAIS Pe. Ronaldo Faria CSsR, jovem Redentorista da Província do Rio afirmou: “As Unidades do Brasil que enviarem confrades para esta missão serão abençoadas com vocações, pois esta atitude abre para uma realidade nova. Toda abertura gera ‘vida’ e todo fechamento gera ‘morte’. Além do mais, nossa vida apostólica aqui nesta terra do Bem Aventurado Pedro Donders vai gerar sinais para o Reino e será uma bênção para a Congregação.” Ir. Jorge Tarachuque CSsR, da Província de Campo Grande ressaltou: “Nossa presença apostólica nesta região vai promover a defesa da vida e também a revitalização da Congregação neste meio. Pedro Donders é um exemplo radical de vida apostólica.” De fato, os confrades brasileiros estão empenhados

Ronaldo Faria CSsR, superior da missão

no trabalho pelo Reino nestas terras e sem dúvida, a abertura para esta missão vai motivar mais o trabalho vocacional tanto no Brasil como em Suriname. Bem aventurado Pedro Donders, rogai por nós!

“Entre os grupos humanos mais necessitados de auxílio espiritual atenderão de modo especial os pobres, mais fracos e oprimidos, cuja evangelização é sinal da obra messiânica (cf. Lc 4,18) e com os quais o Cristo mesmo quis, de certa maneira, identificar-se (cf. Mt 25,40)”

34 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


VOCAÇÕES

POSSE DA NOVA COMUNIDADE DE GUARATUBA PE. FRANCISCO ENFATIZA A COMUNHÃO, PARTICIPAÇÃO E A MISSÃO

Numa celebração muito bem participada, neste dia 22 de janeiro, na Igreja Matriz de Guaratuba, a nova comunidade religiosa Redentorista assumiu os trabalhos do pastoreio nesta paróquia, tendo padre Francisco Lima CSsR como pároco e padres Marcos Vinicius CSsR e Vicente Melo CSsR como vigários. Dom João Alves dos Santos OFMcap, no ritual da posse, mostrou muito carinho com os Redentoristas. Também participaram Ir. Helio Nunes CSsR e Pe. Joaquim Parron CSsR. Nesta liturgia os Redentoristas de Guaratuba e padre Parron agradeceram todo trabalho pastoral que o padre Miguelito realizou nesta paróquia nestes últimos quatro anos. Padre Francisco destacou que empenhará para trabalhar na dimensão da comunhão, participação e missão, ressaltando o valor e a dimensão da comunidade Redentorista neste empenho apostólico.

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 35


COMUNHÃO, PARTICIPAÇÃO E MISSÃO Discurso de posse dos Missionários Redentoristas - 22/01/2011 “SE COMPREENDERDES ISSO, SERÃO FELIZES SE O PUSERDES EM PRÁTICA... NISTO TODOS RECONHECERÃO QUE SOIS OS MEUS DISCÍPULOS” (JO 13,17.35).

Querido pastor dom João Alves, bispo da nossa Diocese de Paranaguá, caro padre Joaquim Parron, provincial redentorista da Província de Campo Grande demais padres, confrades redentoristas, religiosos e religiosas, e estimado povo de Deus, nós, Missionários Redentoristas, bendizemos a Deus com ânimo agradecido, porque nos chamou para sermos instrumentos de seu reino de amor e de vida, de justiça e de paz (DAp 25) aqui na Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso. Agradecemos a Deus por nos fazer seus colaboradores para que sejamos solidários neste Projeto Pastoral: Comunhão, participação e missão. São ainda muito oportunas as palavras do Documento de Aparecida para este discurso de posse, assentadas não apenas em mim, padre Francisco, como pároco, mas acima de tudo, em comunhão, participação e missão com os demais Missionários Redentoristas, os padres Marcos e Vicente, quando no dizem: “Neste encontro, queremos expressar a alegria de sermos discípulos do Senhor e de termos sido enviados com o tesouro do Evangelho. Ser cristão não é uma carga, mas um dom: Deus Pai nos abençoou em Jesus Cristo seu Filho, Salvador do mundo.” (DAp 23). É, pois, neste contexto de discípulos missionários do Deus da Vida que se compreendem as leituras bíblicas deste Terceiro Domingo do Tempo Comum, cuja reflexão recorda, uma vez mais, que Deus ama cada homem e cada mulher e os chama à vida de comunhão, participação e missão

no Reino (Jn 3,1-5.10; Sl 24; 1Cor 7,29-31; Mc 1,14-20). Este tripé: comunhão, participação e missão, para o qual, está cimentado nas Sagradas Escrituras, no Documento de Aparecida e nas Novas Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja do Brasil (2011-15), expressa a alegria de torná-lo mais claro em n o ss a s co m u n i d a d e s , p a s t o r a i s e movimentos. Ao convocar a nossa Comunidade Redentorista ao “discipulado missionário”, nesta querida terra do litoral paranaense, especificamente aqui na Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso, parcela do povo de Deus na Diocese de Paranaguá e Corpo Místico de Cristo, formatado nas dezenove comunidades, com suas redes de pastorais e movimentos, Deus nos confia uma desafiante missão para a qual queremos exercê-la com nossas vidas entregues. Nesse sentido, o mesmo Documento de Aparecida, em sua mensagem final, deixanos o seguinte apelo e que, de modo admirável, vale muito para o nosso ardor missionário: “Recobremos, portanto, o 'fervor espiritual'. Conservemos a doce e confortadora alegria de evangelizar, inclusive quando é necessário semear entre lágrimas. Façamo-lo como João Batista, como Pedro e Paulo, como os demais apóstolos, como essa multidão de admiráveis evangelizadores que se sucederam ao longo da história da Igreja, façamos tudo isso com ímpeto interior que ninguém e nada seja capaz de extinguir. Seja essa a maior alegria

36 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


de nossas vidas dedicadas” (DAp 552). Desejamos, senão, com esse projeto pastoral de comunhão, participação e missão - na Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso, seja ela verdadeiramente uma Igreja discípula missionária, que está à escuta da Palavra; uma Igreja fraterna, amorosa e alegre de mãos dadas na pluralidade de ministérios em nossas comunidades; uma Igreja serva e pobre, simples e humilde; mais preocupada com o serviço do que com o poder e os interesses particulares, mais aberta à ternura da missão do que às conversas alheias que nada edificam o Reino de Deus; uma Igreja que tenha olhos para ver as necessidades e os sofrimentos dos nossos irmãos e irmãs; inspirada nas palavras e

ações para confortar os desanimados e oprimidos, a exemplo de Cristo (Oração Eucarística VI-D - Jesus que passa fazendo o bem Missal, p. 860); e enfim, uma Igreja peregrina, sempre a caminho, inserida na história das pessoas deste querido povo guaratubano e dos nossos amados turistas. “Quem tem ouvidos, ouça!” (Mt 13,9) Acompanhe-nos sempre a terna e materna intercessão de nossa padroeira paroquial Nossa Senhora do Bom Sucesso e do nosso fundador Santo Afonso Maria de Ligório. Noite de Domingo, 22 de janeiro. Verão de 2012. Terceiro Domingo do Tempo Comum. Comunidade Nossa Senhora do Bom Sucesso. Missionários Redentoristas de Guaratuba.

“Esforçam-se por se unir cada vez mais a Ele em comunhão pessoal. Dessa maneira estarão o próprio Redentor e seu Espírito de amor presentes no coração da comunidade, para formá-la e sustentá-la.”

Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 37


MISSÕES

ALGUNS FATOS IMPORTANTES NA PROVÍNCIA

NOVICIADO Dois jovens da Província de Campo Grande, Ólinton Ferreira Gomes e Rodrigo de Castro das Dores, iniciaram o ano de noviciado, no noviciado Inter-Provincial em Tietê/SP, neste 21 de janeiro. Rezemos pelas vocações Redentoristas!

PROFISSÃO RELIGIOSA O jovem Fernando Batista Cordeiro vai emitir os votos religiosos no dia 04 de fevereiro (sábado) às 19h30, na igreja Matriz de Telêmaco Borba/PR. Agradecemos a Deus pelo SIM de Fernando!

JUBILARES 2012 Neste ano teremos os seguintes jubilares: - 25 anos de Vida Religiosa:

Ir. Helio Nunes CSsR (02/fev/1987)

- 50 anos de Vida Religiosa:

Pe. Alfeo Prandel CSsR (02/fev/1962)

- 25 anos de Vida Presbiteral: Pe. Antonio Mello CSsR (28/Nov/1987) Pe. Afonso Tremba CSsR (05/dez/1987) Pe. Joaquim Parron CSsR (12/dez/1987). Demos graças ao Senhor pela perseverança na Vida Redentorista!

A celebração dos jubilares será na Assembleia Provincial!

38 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


AGENDA

DATAS IMPORTANTES PARA OS CONFRADES DIAS DE FORMAÇÃO CONTÍNUA: A Congregação insiste na formação contínua dos confrades (Cf. Const 90), assim sendo, os encontros, os dias regionais, retiro e assembleia terão este caráter.

Dia 31 de janeiro (terça-feira): encontro dos párocos/reitores, no Postulantado, Curitiba/PR. Início às 8h30 da manhã. Convidados: todos os párocos e reitores. Dias 6 a 10 de fevereiro: Encontro em Aparecida/SP: Espiritualidade Redentorista. Convidados: todos os Redentoristas do Brasil. Dias 16 e 19 de fevereiro: 2º. Fórum paroquial/santuário. São 15 vagas por paróquia/santuário. Local: Campo Grande/MS. Dia 22 de fevereiro: Quarta-feira de cinzas: início da Quaresma e CF. Abertura da C. F. nas paróquias/santuários. Dias 5 a 9 de março: Encontro em Aparecida/SP sobre Espiritualidade Redentorista. Convidados: todos os Redentoristas do Brasil. Dias 20 a 23 de março: Retiro provincial. Ponta Grossa. Convidados: todos os confrades da Província. Dia 21 de abril: Encontro/retiro para funcionários das casas e paróquias (43) 3342-7385 (Carmelo). Convidados: todos os funcionários das nossas casas e paróquias. Dias 21 e 22 de maio: Regional do PR – Curitiba. Início às 12h do dia 21 de maio. Convidados: todos os confrades do PR. Dias 28 e 29 de maio: Regional do MS – Campo Grande. Início às 12h do dia 28 de maio. Convidados: todos os confrades do MS. Dias 23 a 26 de outubro: Assembleia Provincial em Curitiba. Convidados: todos os confrades da Província. Informativo Oficial da Província de Campo Grande | 39


VOCAÇÕES

NOVICIADO 2012 TEM INÍCIO EM TIETÊ É TEMPO DE CRESCER NA FÉ, NA ESPERANÇA E NO AMOR!

Na perspectiva do noviciado interprovincial, foi realizado a abertura neste dia 21 de janeiro em Tietê-SP, com a participação de noviços do Rio de Janeiro, São Paulo e Campo Grande, tendo como mestre do Pe. Dal Bó CSsR e o vice o Pe. Mauro Matiazzi CSsR. Da Província de Campo Grande ingressaram os jovens Rodrigo das Dores e Óliton Ferreira Gomes. Na missa de abertura participam dos confrades, de Campo Grande, Celso Cruz CSsR, Antonio Mello CSsR e Thiago Palmeira CSsR. Também alguns formandos (Postulantes e Propedeutas) participaram da missa de abertura. Rezemos pelas vocações Redentoristas!

40 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


Informativo Oficial da ProvĂ­ncia de Campo Grande | 41


COMEMORAÇÃO

ANIVERSARIANTES DE JANEIRO Dia 09 › Pe. Ricardo Blissert e Pe. Celso Junior Dia 13 › Pe. Primo Hipólito Dia 27 › Pe. Armando Russo

ANIVERSARIANTES DE FEVEREIRO Dia 05 › Pe. Marcelo Pereira Dia 18 › Pe. Eduardo Moriarty Dia 27 › Pe. Angelo

42 | Informativo Oficial da Província de Campo Grande


Informativo Oficial da Província de Campo Grande Responsável: Pe. Dirson Gonçalves Fone: (41) 3252 5015 - ferreiracssr@hotmail.com

Contact janeiro  

Contact janeiro