Page 1

www.radiocorfm.com.br

PUBLICAÇÃO MENSAL DA PARÓQUIA SÃO VICENTE FÉRRER FORMIGA MG ANO XIV - Nº 276 - FEVEREIRO DE 2014

Atendimento Paroquial Segunda a Sexta-feira: 08:00 às 17:30hs Sábado: 08:00 às 11:00hs Confissões Terça a Sexta-feira: 08:00 às 11:00hs - 14:00 às 17:00hs Sábado: 08:00 às 11:00hs Missa em louvor a São Vicente Férrer todo dia 05 do mês às 12:00hs Venha participar conosco!!!

P. 04

Rádio Cor

106,5 FM 106,5 FM www.radiocorfm.com.br


Fevereiro de 2014

J

Editorial

aneiro já se foi. Agora é tempo de recomeçar as nossas atividades com um ânimo novo de realizar tudo aquilo que desejamos.E neste recomeço temos, à nossa frente, o mês de fevereiro, que mesmo sendo o menor dos meses, traz em seus 28 dias ricos momentos à nossa fé. Fevereiro abre os seus dias com a festa da Apresentação de Jesus a Deus Pai, a bênção de São Brás e temos, também, Maria que se faz presente na imagem de Nossa Senhora de Lourdes. A ela, todos os doentes suplicam a bênção de Deus e a cura tanto física como espiritual para os seus males. Fevereiro, também, é tempo de recomeçar transformando a nossa realidade seguindo as palavras de Jesus: “Vós sois o sal da terra. Vós sois a luz do mundo.” E ser sal e luz do mundo implica em ter uma nova postura diante do mundo. Implica em querer dar sabor novo do mundo; temperar, com o nosso testemunho de fé as estruturas da sociedade. Implica em querer iluminar os espaços onde falta Deus, onde falta a vida, onde falta o amor. Implica em ser um cristão diferente, um cristão que faz a diferença. Implica em agir com doçura e com firmeza ao mesmo tempo, cumprindo nossa missão com leveza e profundidade. Diante das palavras de Jesus não devemos deixar que a nossa presença salgue demais o ambiente ou que a nossa claridade ofusque os olhos dos outros. Somos convidados apenas a temperar a vida do mundo, a sermos um “pontinho de luz”, suficiente para iluminar o caminho. Esse ponto luminoso, que às vezes se vê ao longe, renova a esperança de quem o avista, e dá a certeza de um trajeto seguro. Precisamos ser os cristãos que Deus deseja; ser os instrumentos de Deus para que a Luz divina brilhe na sociedade e para que a vida de cada ser humano tenha o mesmo sabor de vida divina.

Patrícia Melo Coordenadora do Informativo INFORMATIVO

São Vicente Praça São Vicente Férrer, 27 Formiga-MG CEP: 35.570-000 Fone: (0xx37) 3322-2131 psvf@paroquiasaovicenteferrer.com.br www.paroquiasaovicenteferrer.com.br

Fundador: Pe. Cláudio Weber scj Data de Fundação: 01/10/1990 Editor Responsável: Pe. Aurélio Pereira, scj Digitação e Diagramação: Wasley Caetano Amim Redação: Equipe Informativo São Vicente Tiragem: 5.000 - Distribuição: Gratuita Impressão: FUMARC - (0xx31) 3249-7400 As matérias disponibilizadas nesta edição são de responsabilidade de seus autores.

02

FEVEREIRO É UM PERIGO JOSÉ LUÍS DOS SANTOS

A história se repete ano após ano: o Natal começa em outubro, as festividades de ano novo terminam em 5 de janeiro, e o carnaval começa imediatamente aí. Com todo respeito aos que gostam, para mim não faria a menor falta se deixasse de existir. Nada de moralismo, nada de puritanismo, nada de religiosidade envolvida. O problema é que a vida não anda antes do carnaval, isso é fato. Vamos agendar algo, alguém sempre intervém dizendo “mas e o carnaval?” Dá vontade de mandar o carnaval pra sua origem. Melhor não falar qual. Como se n ã o bastasse a inércia que ele atrai, neste ano e l e resolveu avacalhar de acordo, caiu em março... Algo do tipo no meio do caminho. I s s o mesmo, no meio do caminho. A m i n h a preocupação vai além do calendário com manchas vermelhas; eu, na verdade, vivo as outras cores e nem gosto tanto das machas vermelhas nos calendários. A minha preocupação, neste ano é outra: março é um perigo milenar, mas em 2014 será pior. Janeiro começou atrasado, veio fevereiro com a maior preguiça do mundo, louco para que março apareça. Aí a farra será geral! Quebra madeira! Até passar a ressaca da galera, já estaremos em abril. Em abril teremos a quaresma, época de reencontrarmos gente que há décadas não aparece na Igreja. A maioria bem intencionada, outros tantos tentando comprar ticket de entrada pro céu, de preferência um kit que tenha também um “abadá” branco. Vou lembrar novamente aqui: não há roleta no céu, cuide de abrir portas bem abertas aqui para você e outros passarem livremente por elas, sem medo algum.

A Semana Santa terá uma multidão enorme até na sexta-feira. Depois de carregarem o esquife, tchau... Feriadão na segunda-feira, dia 21 de abril. Se uma grande parte do povo gosta mesmo é do velório, com esse feriado na segunda é que o tchau vai ser looonngo! Passado o feriadaço, virá maio todo bonitão, parecendo dizer “eu começo sempre bem”, mais um feriado logo de cara. Junho, esqueçam. Bola prá tudo que é lado, gritos de gol, mil elogios à mãe do juiz, vergonha com nossas telecomunicações falhando, trânsito engarrafando, o mundo t o d o o l h a n d o para nosso país e todos deixando o trabalho mais cedo p a r a assistirmos aos jogos. Amor total ao ócio, ninguém vai trabalhar. Julho, das duas uma: comemoração e cachaçada com a conquista do hexa campeonato mundial ou um chororô danado, mil e uma explicações para a derrota, milhões de pessoas secando as outras seleções, etc. Mês imprevisível. Agosto será hora de trabalhar! Setembro virá com muitas flores e nenhum feriado e, novamente, outubro, trazendo aquele velho gordo, chato e vermelho, enchendo a paciência da gente! Fim de ano novamente. Parece estranho falar em março, abril, maio, junho, etc na edição de fevereiro: é vontade demais que passe logo tudo isso. Não aguentei esperar as próximas edições... Venha e vá, Sr. Março, não demore porque dezembro “tá de olho no senhor!” Fica a dúvida: vamos ter tempo para sermos nós mesmos nessa confusão toda? Blog do autor: pesdomensageiro.wordpress.com

As dificuldades e ilusões na prevenção contra as drogas:

(Baseado em Içami Tiba – Anjos caídos) 1. Não adianta achar que os jovens não se aproximarão delas por medo. Se isso funcionar enquanto criança, mais tarde a coisa muda de ‘figura’. 2. Não basta saber os perigos e consequências do abuso das drogas, pois estas informações podem ser trocadas por outras que atendam ao interesse do usuário. 3. O argumento da ilegalidade é fraco, visto haver drogas lícitas que danificam a saúde e que entram na composição daquelas reconhecidamente ilícitas. 4. Os valores morais e familiares também são insuficientes pra evitar o caminho da droga, pois entram em ‘cheque,’ em algum momento da adolescência/juventude. 5. Também a superproteção e a vigilância rigorosa não funcionam por completo, visto que, em alguns casos, o(a) próprio(a) filho(a) não se defende dos riscos. 6. Não se trata apenas de receber muito afeto pra não ‘cair’ nas drogas! Quem não aprende a retribuir o afeto torna-se ‘aleijado’ relacionalmente e não amadurece. 7. É simplismo afirmar que o abuso se deve apenas a auto-estima baixa: para muitos, a droga é um aditivo, estímulo para curtir a vida e não uma ‘porcaria’ qualquer! 8. Os esportes por si só não afastam do caminho das drogas, haja visto os inúmeros casos de dopping e de astros desportistas envolvidos com algum tipo de droga. 9. Não existe uma ‘receita’ geral e infalível: nem a religião, nem a psicologia ou outros caminhos de cura. Cada caso é único e se encaminha de modo próprio. 10. Claro que não podem faltar alguns auxílios pra todos: equilíbrio físico+psíquico+ espiritual, socialização, interação com a natureza, disciplina, gratidão, ética e cidadania. Na maioria das vezes, a falta ou excesso de um ou mais destes é que fazem o adolescente ou jovem enveredar pelo mundo das drogas! Vamos ajudá-los a valorizar estes recursos e prevenir-se adequadamente?!

Associação Dom Couto


03

Fevereiro de 2014

Datas importantes do mês de fevereiro!

01- 2Sm 12,1-7a.10-17; Sl 51; Mc 4,35-41 02- Apresentação do Senhor Ml 3,1-4; Sl 24; Hb 2,14-18; Lc 2,22-40 03- 2Sm 15,13-14.30.16,5-13a; Sl 3; Mc 5,1-20 04- 2Sm 18,9-10.14b.24-25a.3019,3; Sl 86; Mc 5,21-43 05- Sta Águeda- 2Sm 24,2.9-17; Sl 32; Mc 6,1-6 06- S. Paulo Miki e comps.- 1Rs 2,1-4.10-12; 1Cr 29,10-12; Mc 6,7-13 07- Eclo 47,2-11; Sl 18,31-51; Mc 6,14-29 08-1Rs 3,4-13; Sl 119,1-14; Mc 6,30-34 09- 5º Dom. Comum- Is 58,7-10; Sl 112; 1Cor 2,1-5; Mt 5,13-16 10- Sta Escolástica- 1Rs 8,1-13; Sl 132; Mc 6,53-56 11-1Rs 8,22-30; Sl 84; Mc 7,1-13 12- 1Rs 10,1-10; Sl 37; Mc 7,1423 13- 1Rs 11,4-13; Sl 106,1-40; Mc 7,24-30 14- Ss Cirilo e Metódio- 1Rs 11,29-32.12,19; Sl 81; Mc 7,3137 15- 1Rs 12,26-32.13,33-34; Sl 106,1-22; Mc 8,1-10 16- 6º Dom. Comum- Eclo 15,1520; Sl 119,1-34; 1Cor 2,6-10; Mt 5,17-37 17- Tg 1,1-11; Sl 119,67-76; Mc 8,11-13 18- Tg 1,12-18; Sl 94; Mc 8,1421 19- Tg 1,19-27; Sl 15; Mc 8,2226 20- Tg 2,1-9; Sl 34; Mc 8,27-33 21- Tg 2,14-26; Sl 112; Mc 8,349,1 22- Cátedra de São Pedro -1Pd 5,1-4; Sl 23; Mt 16,13-19 23- 7º Dom. Comum- Lv 19,12.17-18; Sl 103; 1Cor 3,16-24; Mt 5,38-48 24- Tg 3,13-18; Sl 19; Mc 9,1429 25- Tg 4,1-10; Sl 55; Mc 9,30-37 26- Tg 4,13-17; Sl 49; Mc 9,3840 27-Tg 5,1-6; Sl 49; Mc 9,41-50 28- Tg 5,9-12; Sl 103; Mc 10,112 A tua palavra, Senhor, para sempre está firmada nos céus. Sl 119 Leia a Bíblia!

Prezados leitores, vamos conhecer um pouco sobre datas importantes do mês de fevereiro, na vida da Igreja e de todos os cristãos católicos: · Dia 03 de fevereiro, celebramos a memória de São Brás. Foi um mártir, bispo e santo católico que viveu entre os séculos III e IV na Armênia. É padroeiro das doenças da garganta, e no dia de sua celebração, nas cidades da Espanha e algumas da América Latina, nas Igrejas católicas, muitas pessoas comparecem para benzerem a garganta. A vida e os feitos de São Brás atingem aquele ápice de alguns poucos, que atraem a profunda fé e a admiração popular. Ele é venerado no Oriente e Ocidente com a mesma intensidade ao longo de séculos e, até hoje, mães aflitas recorrem à sua intercessão quando um filho engasga ou apresenta problemas de garganta. A bênção de São Brás é procurada principalmente por quem tem problemas nesta parte do corpo. Em nossa Paróquia, todos os anos, temos a oportunidade de receber essa bênção. O dia 11 de fevereiro é um dia muito especial na vida da Igreja. Foi precisamente no dia 11 de fevereiro de 1858, que a Virgem Maria apareceu pela primeira vez a Santa Bernadete em Lourdes, na França. E, ainda, a 11 de fevereiro de 1992, por iniciativa do Papa João Paulo II, foi criado o Dia Mundial de Oração pelos Enfermos. Contudo, o que efetivamente

torna este dia marcante na vida da Igreja é o fato de, há 156 anos, a Virgem Santíssima ter aparecido a Bernadete em uma gruta na cidade de Lourdes, à margem do Rio Gave. A 11 de fevereiro de 1858, quando recolhia um pouco de lenha com suas duas irmãs, Bernadete, uma belíssima menina, porém muito pobre e muito doente, tem a graça de ver, pela primeira, de dezoito vezes, a Santíssima Virgem Mãe do Redentor, que lhe transmite uma mensagem de amor, paz e esperança. Bernadete relata que vira uma luz na gruta e uma dama vestida de branco, com uma faixa azul celeste presa em sua cintura, um rosário em suas mãos em oração e rosas douradas, uma em cada pé. Aquela maravilhosa aparição transformaria não somente a sua vida, mas também a vida de tantas pessoas que, mesmo sem poder ver, acreditaram e acreditam piamente em sua mensagem e nos milagres realizados dali para todo o mundo. Diante de tão expressiva devoção, o Papa João Paulo II declarou, em 1992, o dia 11 de fevereiro, memória litúrgica da Virgem de Lourdes, como o Dia Mundial de Oração pelos Enfermos. Portanto, no dia 11 de fevereiro, comemoramos o Dia Mundial do Enfermo. Por isso, considero oportuna uma reflexão sobre um dos pontos que mais suscita questionamentos entre as pessoas: o sofrimento. A dor nos acomete de diversas maneiras e, nos momentos difíceis, muitos se

interrogam: Por quê? Por que eu? Por que nesta hora em que eu era tão necessário? Aparentemente, nunca vamos conseguir sondar as razões do sofrimento até as suas profundidades: dores físicas, psíquicas, mentais, a sensação de ser inútil, sentir-se sem forças. Apenas a fé pode nos conduzir a encarar o sofrimento de forma positiva, como uma situação que pode ser fecunda e libertadora. Entretanto, toda enfermidade é um período de humildade, de humilhação mesmo, que expõe nossas próprias fraquezas, submetendo-nos à dependência de outros, encarregados de cuidar de nós. É momento de nos colocarmos face a face com nossa finitude humana, diante do Deus vivo e verdadeiro. Experimentar nossas próprias limitações torna-nos mais humanos e, por isso mesmo, mais próximos de Deus, como Jesus revelou a São Paulo: “Basta-te a minha graça, porque é na fraqueza que se revela totalmente a minha força” (2Cor 12,9). Por outro lado, a aceitação do sofrimento não pode jamais significar um conformismo diante dos problemas. Deus nos concedeu aptidões para serem empregadas na construção do mundo e na promoção do próprio ser humano. Peçamos a intercessão de São Brás e N. Sra. De Lourdes, principalmente pelos enfermos de nossas famílias.

JULIETA VOIETTA

VIDA: CAMINHO, TRABALHO E FÉ

RUY MARTINS Quando somos convidados a refletir sobre a vida e seu verdadeiro sentido, logo pensamos em felicidade, ou seja, que vida e felicidade estão intimamente relacionadas e a vida só tem sentido quando nos sentimos totalmente felizes. Uma frase atribuída a Mahatma Ghandi diz que “ não há caminho para a felicidade, mas a felicidade é o caminho”. De fato, a felicidade é construída, conquistada e vivida ao longo da nossa vida, num processo contínuo de amadurecimento e crescimento pessoal. Isso significa dizer que precisamos ir compreendendo cada momento e cada acontecimento de nossa vida como parte desse processo. Esse é o caminho sobre o qual a felicidade vai-se forjando. À medida que entendemos e vamos aprendendo a dar siginificado pra tudo que nos acontece, mesmo as coisas ruins, e que vamos nos conhecendo melhor, aprendendo a lidar com nós mesmos e com os que nos cercam, a vida se torna mais leve e plena e a felicidade verdadeira se constrói. Porém, o mais importante é que esse processo só pode ser completo a partir de uma perspectiva de fé. Ou seja, só é verdadeiro quando levamos em conta que Deus está presente e participa diretamente

da nossa caminhada. Por isso, devemos resignificar os acontecimentos a partir da ação e da presença de Deus em nossa vida. A tentativa de construir uma vida feliz sem a presença de Deus é, com certeza, frustrante. Aliás, indo mais a fundo, o próprio Jesus nos apresentou o verdeiro caminho dessa felicidade plena: Ele mesmo. “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. Assim, é através Dele, por Ele e com Ele, que podemos trilhar o verdadeiro caminho que constroi a felicidade. Mas o que significa, afinal, construir essa felicidade em Jesus? Significa em primeiro lugar, buscar mais e mais a pessoa e os ensinamentos Dele. Significa buscar, constantemente, maior intimidade com Deus, através de Jesus. Aí, sim, estaremos, através do fortalecimento de nossa fé, trilhando o caminho da verdadeira realização e felicidade. Muitas vezes, as coisas do mundo nos envolvem e nos cegam. Nos impedem de enxergarmos o que é essencial. Quantas vezes damos importância e valor ao que não é tão importante assim, e nos vemos envolvidos com tanto trabalho, afazeres e atividades que nos esquecemos dessa presença fundamental, sem a qual a felicidade não pode ser construída. Por isso mesmo é preciso estarmos sempre

atentos e alertas. É preciso acordar todo dia e lembrar que temos um Deus que nos ama, que se fez homem como nós e que caminha conosco e que nos quer felizes, conhece nossas difilculdades, nossas limitações, está sempre pronto a nos perdoar e nos orientar. Assim, cada passo que damos, cada atitude que tomamos, cada palavra que pronunciamos devem estar associadas e iluminadas pela presença de Jesus, seja através da nossa oração, da leitura e escuta de s u a palavra, d a reflexão o u meditação pessoal. D e s s a f o r m a , estaremos construindo, o caminho d a felicidade plena, ou s e j a , construindo já aqui na terra, o n o s s o céu.


Fevereiro de 2014 DEA CARVALHO

Os Anos Litúrgicos passam por três ciclos, chamados de anos A, B, C. Encerramos o ano C na festa de Cristo Rei. Com a celebração do Primeiro Domingo do Advento, iniciamos, em 2014, um novo ano litúrgico - A - para o qual a Igreja nos propõe como palavra iluminadora o evangelho de Mateus. O evangelho de Mateus é o primeiro dos livros do Novo Testamento e dos quatro evangelhos, conforme a ordem atual da Bíblia. Mateus escreve seu evangelho pensando, em primeiro lugar, nos cristãos provenientes do judaísmo. Seus primeiros destinatários são, pois, as comunidades judaicas cristãs; a elas dirige sua catequese. É considerado o evangelista de mentalidade mais judaica. Mateus tem a intenção de provar aos judeus que Jesus Cristo é o Messias prometido. Seus compatriotas judeus - especialmente os fariseus e saduceus — teimosamente recusaram-se a aceitáLo como seu Messias. Mais do que qualquer outro evangelho, o escritor cita o Antigo Testamento para mostrar como Jesus cumpriu as palavras dos profetas judeus. Descreve em detalhes a linhagem de Cristo desde Davi e usa muitas expressões familiares aos judeus. O amor e a preocupação do evangelista por seu povo é visível através de sua abordagem minuciosa de contar a história do evangelho. A intenção primordial do relato

DANILO COSTA

O mês de janeiro terminou. Para muitos este foi um mês para um bom e merecido descanso. Nada mais natural. Todos nós precisamos disso, de renovar as nossas energias. Pois bem, após esse período de descanso, é hora de voltar às nossas atividades com tudo. Muitos devem se perguntar quais são as motivações deste ano. Há um ano, a juventude católica estava cheia de expectativas, pois como eu cansei de falar ao longo daquele ano, que para a Igreja, aquele seria o ano da juventude. Tivemos a campanha da fraternidade voltada para nós e também a Jornada Mundial da Juventude no Rio, na qual o Papa Francisco se fez presente e emocionou a todos nós com o seu jeito de ser. Ou seja, não faltaram motivações para nos engajarmos cada vez mais na Igreja. E de fato isso aconteceu tivemos inúmeros jovens que voltaram para a Igreja e começaram a participar mais ativamente. Baseado nisso, acredito que temos dois desafios neste ano: descobrir, de fato, quais jovens realmente estão dispostos a viver o evangelho. Em outras palavras, é hora de ver, de fato, quem se identificou com o

04

ANO A - EVANGELHO DE MATEUS evangélico de Mateus centraliza-se na pessoa de Cristo, obviamente , e na Igreja. Com referência a Cristo, Mateus se propõe demonstrar que o homem Jesus de Nazaré é o filho de Deus e o Messias anunciado pelas profecias do Antigo Testamento e esperado pelo povo judeu. Suscita, assim, e fundamenta a fé cristã na pessoa de Jesus. Outro traço que Mateus acentua em Cristo, já a partir do relato ou evangelho da infância de Jesus, é sua condição de novo Moisés, legislador, mestre e guia do novo Israel. Por este motivo Jesus, cuja atividade Mateus reparte entre a Galiléia, primeiro, e a Judéia, depois entra em seguida em conflito com as autoridades religiosas do povo. Conflito que desemboca na rejeição de Jesus e de sua mensagem pelos judeus em seu conjunto. Isso determina que o Reino de Deus , anunciado por Jesus, seja tirado deles e entregue a um povo que produza frutos (21-43). Os pagãos são convidados também ao banquete do Reino. Esta missão de abertura missionária, Cristo a confia à sua Igreja. Esta, embora não se Identifique com o Reino de Deus, é seu lugar privilegiado. A Igreja é o segundo centro de interesse no evangelho de Mateus, único evangelista que emprega o termo “igreja” (16,18;18,17). Com razão se diz do primeiro evangelho que ele é o mais “eclesial” dos quatro. Nele

são realçadas a figura e a missão de Pedro, pedra invisível da unidade da Igreja na ausência de Jesus. A estrutura global do evangelho de Mateus relata, em sete seções (ou seis-varia de autores), os momentos do surgimento do Reino de Deus no mundo dos homens, por meio da pessoa e mensagem de Jesus de Nazaré, o Messias, o Filho de Deus. Evangelho da Infância de Jesus – (seção 1- capítulos 1-2). Relatos exclusivos de Mateus, pois não coincidem com os que Lucas relata. Ambos são os únicos evangelistas que falam sobre a infância de Jesus. Esses relatos são lidos no Advento e Natal. Princípio da Missão e Promulgação do programa do Reino – Seção II (cc 3-7). Precede a seção narrativa (3-4) para introduzir o discurso evangélico do Sermão da Montanha (Seção III. Cap.5-7), em que Cristo expõe o espírito, as atitudes e a fidelidade própria do Reino. (5-7: esta parte é lida nos domingos 4-9 do Tempo Comum do ano). Ministério de Jesus na Galiléia e Anúncio do Reino pelos discípulos Seção IV - (cc 8-10) Depois de uma seção narrativa de dez milagres do Senhor (8-9) vem o discurso apóstolico no qual Jesus instrui seus mensageiros para uma missão difícil e define as condições de seu seguimento (10 - nos domingos 11-13). O mistério do Reino de Deus - (cc 11-13). Como sempre, precede uma introdução narrativa- (cc11-12) ao Discurso parabólico sobre o Reino (13 -

MOTIVAÇÃO: AMOR projeto de Jesus Cristo e quem só começou a participar da Igreja por causa do “auê” e da empolgação que a JMJ causou em todos. Como diz o velho ditado, é hora de separar o joio do trigo. Digo isso, pois pude perceber que muitos começaram a participar da Igreja porque estava na moda falar que fazia parte da “juventude do Papa”. Essa participação motivada pelo modismo é um começo, mas é hora de ver quem realmente está disposto a viver, de fato, o Evangelho. O primeiro desafio é descobrir isso. Acredito que não será difícil, pois, como me disse certa vez um padre, o que é de Deus permanece e o que não é de Deus acaba por si próprio. Já o segundo desafio é o de manter essa juventude animada e engajada com a Igreja. Nessa questão entra um pouco da motivação que citei no início do texto. Na minha opinião, a principal motivação para que a juventude e todos aqueles que estão engajados com alguma pastoral ou movimento na Igreja deve ser o “AMOR”. Acredito que esta deva ser a nossa principal motivação. E aqui está o grande problema da nossa Igreja, muitos estão nela esperando algum

tipo de reconhecimento ou, então, alguma recompensa. E, quando uma dessas não chega, ficam extremamente frustradas e querem logo largar tudo. Quando somos movidos pelo amor, isso não acontece. Fazemos as coisas sem esperar nada em troca. Pensando um pouco na questão do amor, deixo aqui uma passagem bíblica que me fez pensar muito neste início de ano, a respeito das minhas motivações: “7Amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece Deus. 8Quem não ama, não chegou a conhecer a Deus, pois Deus é amor. 9Foi assim que o amor de Deus se manifestou entre nós: Deus enviou o seu Filho único ao mundo, para que tenhamos vida por meio dele. 10Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de reparação pelos nossos pecados.” (Primeira Carta de São João 4,7-10) É bem nítido o quanto Deus nos ama. Ele foi capaz de entregar o seu próprio filho para nos salvar. Só um cego não conseguiria perceber isso. Vendo esse amor imenso, como tem gente que não é capaz

com sete parábolas: lê-se nos domingos 15-17). A Igreja, primícias do Reino (cc 14-18). Depois da seção narrativa na qual destaca a confissão e o primado de Pedro (16,1320:domingo 21), em o Discurso eclesial sobre a fraternidade e o comportamento comunitário (18: domingos 23 e 24). Próxima vinda do reino - seção V-(cc 19-25) Seção que inclui na parte narrativa várias parábolas da vinha e do banquete de núpcias, que advertem sobre a passagem do Reino aos não-judeus (1923):domingos 25-28); e na parte doutrinal , o Discurso escatológico no qual o Senhor expõe a atitude vigilante do discípulo diante da crise final(24-25):1º domingo do Advento e 32-34). Paixão e Ressurreição do Senhor Sexta, Sétima e últimas seções(cc 26 a 28) em que se cumpre definitivamente a libertação humana mediante o Reinado do Salvador de Deus, atuando já eficazmente no mistério pascal de nosso Senhor Jesus Cristo (26-28: domingos de Ramos, Páscoa e Ascensão). O Ano A- através do evangelista Mateus, nos dá informações mais do que suficientes sobre a verdadeira natureza e identidade de Deus e de Jesus Cristo para justificar a nossa adoração e a nossa obediência.

de retribuir isso? Como ainda existem pessoas que querem fazer barganha com Deus? Que querem receber algum tipo de recompensa ou reconhecimento? Às vezes não consigo entender. Você acha que ainda precisa de alguma motivação extra, além do AMOR? Que neste ano possamos ser, de fato, uma juventude engajada e participativa, para levar este amor aos que ainda não conhecem ou que ainda não o conseguiram perceber.


Fevereiro de 2014

05

Somos todos celebrantes

ANDRÉ LUIZ SILVA É muito comum ouvir entre leigos: “qual o padre vai celebrar hoje? “ ou “foi o padre fulano quem celebrou para nós”. Estas expressões, liturgicamente, estão, em parte, corretas. O padre celebra, sim, mas com o povo e não para o povo. O principal celebrante da eucaristia é o próprio Cristo, presente no sacerdote. Ele preside a Santa Missa, e todos nós, povo reunido, também celebramos o nosso Deus. É como nos exorta São Paulo, “vós sois o corpo de Cristo e cada um, por sua vez, é um membro” (1Cor. 12, 27). Compete a cada um, portanto, assumir sua função. O ministro de música, obviamente, precisa estar inserido neste contexto. Conforme a Instrução Musicam Sacram, da Sagrada Congregação dos Ritos, este ministério “deve ser colocado de tal forma que claramente apareça sua natureza, isto é, que faz parte da assembleia de fieis e desempenha um papel particular; se torne mais fácil a execução de seu ministério litúrgico e possa cada um de seus membros facilmente obter uma participação plena na missa(...)l” (MS, 23). Para isso, seu melhor lugar é próximo à assembleia, não de costas para ela, voltado para o altar, à direita ou à esquerda, em lugar visível e cômodo, fora do presbitério. Portanto, além ajudar a assembleia a rezar, o ministro de música tem o dever e, mais ainda, o direito de também celebrar. Porém, nem sempre isso acontece. Há lugares em que os grupos não celebram junto com o povo. Parecem

estar ensaiando na hora da missa, tamanha a desorganização que demonstram: os integrantes conversam paralelamente, afinam ou transportam instrumentos durante a homilia e alguns demonstram nem saber por que estão ali, numa total falta de compromisso e de respeito ao sagrado. É necessário reconhecer que vários são os fatores externos que tentam o ministro de música: problema com as letras dos cantos escolhidos, com o equipamento de som, falta de comunicação da equipe de celebração, mas devemos nos esforçar para que isso, se acontecer, seja exceção e não regra. Para lidar com tais situações, recordo um ensinamento que há muito me foi dado por um sábio sacerdote: “improviso na liturgia, sim, mas não sempre; o Espírito Santo age a partir daquilo que você preparar”. Nunca mais me esqueci destas palavras, que revelam a grande responsabilidade que nos é confiada e a necessidade de se preparar bem para exercer o ministério, seja ele qual for. Verificar com antecedência as leituras do dia, escolher os cantos adequados, ensaiar o quanto for necessário, chegar com antecedência para montar o som, tentar entrosar com a equipe de celebração são medidas simples que ajudarão nosso ministério a ser mais eficaz e frutuoso. E não nos esqueçamos de rezar, para que Deus realize a Sua vontade em nós, dando-nos a serenidade, coragem e força para estar a serviço, “tudo, enfim, para celebrar”.

Brilhe vossa luz diante dos homens (Mt 5,16) LURDINHA GOMES

Catequese: início de mais um ano!

WANDA PICARDI

O início de cada ano, em todas as áreas de nossa vida, é um tempo de parada, de reflexão, de replanejamento. E, na catequese, de forma especial, isso deve acontecer porque todos os que se dedicam a ela estão a serviço de Jesus Cristo e sua Igreja. É preciso, portanto, procurar executar esse trabalho com o máximo de zelo e dedicação. O ideal da Catequese é fazer com que os catequizandos tenham um encontro pessoal com Jesus Cristo, como seu Salvador, Mestre e Guia. E só o catequista que vive esse encontro com o Senhor é capaz de despertar tal desejo em seus catequizandos. Que este seja o nosso primeiro ponto para reflexão, neste início de ano – como tem sido meus encontros com o Senhor? Depois, poderíamos nos perguntar: Como tem sido minha vivência, na Igreja e na Comunidade? - Como vai meu relacionamento com os irmãos? - O que tenho feito para tornar o mundo mais humano e fraterno? Depois de uma reflexão bem profunda sobre nossa atuação como “missionários do Senhor”, poderíamos,

então, partir para um planejamento de nossas atividades para o novo ano; para isso, pontos muito importantes devem ser levados em conta: 1. O planejamento global das atividades de nossa paróquia. Como catequistas devemos ter conhecimento desse planejamento e participar do que for possível como os catequizandos. 2. O planejamento paroquial da catequese. Mediante este, fazer o planejamento das atividades de nossa turma; neste planejamento, levar em conta as características de cada catequizando e de sua família. 3. Rever o conteúdo passado na etapa anterior. 4. Planejar o conteúdo previsto para a nova etapa. 5. Prever bastante atividades lúcidas e recreativas, tendo em vista a faixa etária da turma. 6. Programar a participação da turma em celebrações litúrgicas. 7. Programar gincanas bíblicas e outros momentos de contato com a Palavra de Deus. Estas são algumas sugestões para o planejamento de uma catequese ativa e comprometida com a Igreja de hoje. Façamos isso com responsabilidade e carinho.

Até o fim do Século II, foi o evangelho de Mateus o mais importante e, praticamente, formou o alicerce das comunidades cristãs, comprometidas com a pessoa de Jesus e dispostas a continuar sua ação no tempo e no lugar em que viviam. Mais ou menos no ano 80 d.C, Mateus escreveu o evangelho para as comunidades já formadas, que tinham nascido na Palestina. Ele foi um judeu convertido ao cristianismo e se dirige ao mesmo tipo de pessoas. Mateus nos mostra que Jesus e sua ação realizam tudo o que o Antigo Testamento anunciava, pedia e prometia. Mostrou que o Cristianismo também é ruptura com a religião judaica oficial, cujas formas e vivência já estavam superadas e distantes do projeto de Deus revelado e realizado em Jesus. O evangelho de Mateus é rico em parábolas e nos mostra que as comunidades não devem ficar fechadas em si mesmas, que a Palavra e a ação libertam para a vida nova. Neste ano de 2014, a liturgia de nossas celebrações nos mostram especialmente dois Evangelistas: Marcos e Mateus. Os evangelhos não são biografias de Jesus; eles representam uma segunda etapa do anúncio de Jesus

e de sua missão. A nós todos cabe a tarefa de, inspirados por Ele, recriarmos em nosso tempo e lugar a Palavra e a ação que concretizam o projeto de liberdade e vida que Deus quer para todos nós. No capitulo 5, o evangelista enumera 8 bem-aventuranças, mas a primeira é a “locomotiva do trem que puxa os outros 7 vagões”. (5,312) Quando no mundo reina a justiça, os pobres se sentem libertos e começam a gozar a felicidade que Deus quer para todos. Enfim, chegamos num dos temas mais importantes: somos o sal da terra e a luz do mundo! É assustador, consolador e de uma responsabilidade indescritível! Mateus foi ousado quando fez esta afirmativa! João diz “Deus é luz” (1Jo 1,5) e Jesus é a “Luz do mundo” (Jo 8,12). Mateus diz que aqueles que se comprometem com Deus e Jesus são “a luz”, é Deus que brilha através deles. Cap. 5,16: “Que a luz de vocês brilhe diante dos homens para que eles vejam as boas obras que vocês fazem e louvem o pai de vocês que está no céu”. Cabe a nós repartir esta infinita riqueza entre todos nós. Então, veremos a beleza da vida! E como Deus é justo!


Fevereiro de 2014

CASTANHA DO PARÁ

“O Senhor Deus fez brotar da terra toda sorte de árvores de aspecto agradável e frutos bons para comer.” (Gen 2,9)

Batizados Matriz no 2º e 4º Domingos às 9h30 Santo Antônio 3º Sábado às 19h Santa Luzia 1º Sábado às 19h Imaculada 1º e 3º Domingo às 8h Rosário 3º Domingo às 17h Santo Expedito 2º Domingo ás 09h30

Encontro para Pais e Padrinhos em Fevereiro Dia 08 Rosário

Sábado às 14:00hs Dia 28 Imaculada Conceição

Sábado às 14:00hs

Dias 21 e 22 Sábado às 18h30 Domingo 07h Salão Paroquial São Vicente Férrer

LÚCIA GIAROLA N o m e científico: Bortholetia excelsa. Conhecida p o r castanha do Brasil, é a rainha da f l o r e s t a amazônica. Vive mil anos e atinge cinquenta metros. O fruto é conhecido por ouriço. É a única semente comercializada e que tem que ser coletada na floresta. Encontrada, principalmente, no Pará, Rondônia, Acre, Amazonas, norte de Goiás e Mato Grosso. É encontrada também no Piauí e Bolívia. Cultivar a castanheira para exploração comercial não deu certo porque ela só produz fruto no habitat natural. A castanha do Brasil é alimento considerado funcional. Está no auge em nosso país e no mundo todo. O conselho é bem prático: uma castanha por dia, não mais do que isso, é vantajoso para o cérebro. Mas o efeito só se sente após o uso constante da preciosidade. Por isso, para funcionar, tem que usar uma todo dia. São palavras de Bárbara Cardoso, nutricionista da Faculdade de Ciência Farmacêutica da USP. Ela investiga os efeitos no alimento tipicamente brasileiro sobre os neurônios. E ela diz que a proeza é ser a castanha rica em selênio. Ela é o reduto maior do mundo com tal substância. O selênio atua sobre enzimas responsáveis por controlar radicais livres; moléculas formadas no organismo em excesso ocasionam a morte dos neurônios e predispõem a males com o Alzheimer, esclerose múltipla, Parkinson e outras. Uma castanha por dia já supre a necessidade diária de selênio. Na Universidade de Illinois, Estados Unidos, eles averiguaram de que forma o selênio interage na química do organismo para oferecer proteção. Como é muito extenso o publicado, vou dizer, em palavras simples, a que conclusão chegaram: o selênio evita a propagação do câncer, diminui sua incidência, previne cardiomiopatias e melhora o sistema imunológico. Atua no hormônio ativo da tiroide, reduz a toxidade de metais pesados e protege o organismo contra danos provocados por radicais livres, enfim, evita o envelhecimento. Eta, castanha danada de boa! Conheça mais: Na região norte, devido a seu valor nutritivo e de vitaminas A,B,C e E, ela é usada em forma de farinha pelo SUS e é distribuída à população ribeirinha e escolas. Os desmineralizados, anêmicos e tuberculosos encontram na castanha alimento precioso. As

proteínas encontradas em duas castanhas equivalem a um ovo de galinha. Os nativos fazem um leite super nutritivo para ninguém colocar defeito, ralando a castanha e colocando água, sem nenhuma contra indicação. Os agentes de saúde utilizam de castanha crua, esmagada, para cauterizar feridas. A água do umbigo do ouriço da castanha serve para nativos tratarem fígado, hepatite, malária, desnutrição e é energizante. A casca do caule também tem efeito para as moléstias do fígado e é antimalárica. A gordura vegetal na castanha contida monoinsaturada auxilia na queima de gordura ruim, como o mau colesterol, e melhora o HDL, aumentando-o. O óleo também extraído é riquíssimo na alimentação. Usar uma ou duas colheres e temperar saladas. É muito usado na perda de peso, nas dietas de emagrecimento, pois mantém o nível de açúcar estável e ativa o metabolismo. Mas, deve-se usar sem exagero. O óleo também é usado em cosmetologia, em cremes especiais, por ser ótimo hidratante, emoliente e nutritivo. O zinco existente na castanha auxilia na produção de glóbulos brancos; o magnésio ajuda a controlar a pressão, evitando oscilações e controlando a TPM; o potássio faz desempenhar bem o desenvolvimento dos músculos. Princípios ativos encontrados Ácido alfalinoleico, ácido linoleico, ácido oleico, ácido palmítico, ácido esteárico, antimônio, cálcio, cério, césio, escândio, esteróis, európio, éter, estearina, excelsina, ferro, fósforo, iodo, térbio, lantânio, lutécio, oleína, proteína, samário, selênio, tântalo, tungstênio e vitaminas. Atenção! Castanha velha, rançosa é perigosa, pois contém a flotoxina (substância indutora de câncer no fígado). É preferível comprá-la com casca para conservar e preservar os nutrientes, quebrando uma castanha todo dia. Se comprar descascada, verifique a qualidade e conserve-a na geladeira. É tempo de castanha-do-pará. Aproveite e faça a sua reserva.

06

ESPIRITUALIDADE DO CORAÇÃO DE JESUS O QUE É ESPIRITUALIDADE? De modo bem simples, podemos dizer que é tudo que se refere à busca de Deus. É tudo o que se refere ao relacionamento do homem com Deus. É uma característica de todas as religiões e de toda pessoa que busca Deus. A espiritualidade cristã se relaciona, essencialmente, com a presença e ação do Espírito Santo em nós, pelo fato de que Deus se revelou em Jesus e tudo o que Ele vivenciou e ensinou, sendo dom e obra do Espírito Santo. Espiritualidade é, assim, o enfoque segundo o qual se vive o Evangelho sob a ação do Espírito Santo. Espiritualidade é fonte da própria vida e do apostolado. Ela nasce de um carisma, que lhe dá uma característica especial. O QUE É CARISMA? Carisma é entendido como um dom de Deus que uma pessoa recebe para perceber uma característica da vida de Deus. O carisma exige uma experiência profunda de fé que uma pessoa faz de Deus, movida pelo Espírito Santo. Sem essa experiência de fé nada é possível. O carisma revelado a uma pessoa é sempre dado para toda a Igreja. É importante ser fiel ao carisma recebido. Contudo, o carisma é dinâmico para poder adaptar-se ao seu tempo. ESCOLAS DE ESPIRITUALIDADE NA IGREJA Toda espiritualidade está centrada na Sagrada Escritura, nos Evangelhos. Ela é manifestada a muitos homens e mulheres que, chamados por Deus, vivenciam uma experiência original, especial de Deus e receberam a missão de transmiti-la aos irmãos. Daí, a vida de uma espiritualidade estar ligada à vocação-missão. Desse modo, podemos distinguir muitas escolas de espiritualidade: franciscana, agostiniana, vicentina e também a dehoniana. A espiritualidade da Congregação fundada pelo Pe. Dehon é a espiritualidade do Coração de Jesus, a espiritualidade do AMOR. Esta espiritualidade nasce da profunda experiência de fé que Pe. Dehon teve através da contemplação do Coração de Jesus, sentindo a dor do seu lado transpassado pela lança do soldado, de onde brotaram sangue e água. Pe. Dehon sente o último e profundo amor com que Deus nos ama e percebe a necessidade de responder a esse AMOR. A vocação do Pe. Dehon foi a iluminação do Espírito para perceber e sentir a revelação especial do amor de Deus. A missão do Pe. Dehon se constitui em viver e comunicar esta iluminação à Igreja, à humanidade. A espiritualidade dehoniana se expressa em três dimensões.

FR. TÚLIO MARCOS, SCJ


07

DIZIMISTAS

Fevereiro de 2014

ANIVERSARIANTES DE FEVEREIRO MARIA RENI DE OLIVEIRA GLORIA DE PAULA FONSECA

ABADIA ESPINDOLA ADELIA VIANA SILVA ADELINA DE PAULA MENDONCA ADEMAR DIAS DE SOUZA ADILSON MACHADO ROQUETE ADRIANA APARECIDA GOMES SILVA ADRIANA APARECIDA MENDES SOUSA ADRIANA CANTO BARBOSA BORGES ADRIANA DE FATIMA FONSECA ADRIANA MODESTO PEREIRA ADRIANO SILVA ALAIDE DE OLIVEIRA GOMES ALDENISIA CASSIMIRO COMITANTE ALDERICO BARBOSA ALESSANDRA LAUDARES LOPES ALESSANDRO NACIF DE MOURA ALINE SOUZA ALISSON LUIS LIMA ALTAIR GENEROSO VIANA AMANDA FERREIRA BELO AMARILDO FATIMA NASCIMENTO ANA ARANTES GOMES ANA DALVA MESQUITA ANA DOS SANTOS CARDOSO ANA FELIZARDA DA MOTA ANA MARIA DA CRUZ ANA ROSA DE SOUZA ANA SOARES DE OLIVEIRA ANDERSON OLIVEIRA DUARTE ANDREA ALVES MENDONCA ANDREIA CASSIA DE OLIVEIRA GARCIA ANDREIA MARIA DE OLIVEIRA ANGELA MARIA DA SILVA ANTONIA TEREZA DOS SANTOS ANTONIO ALBERTO DE SOUZA ANTONIO BENTO PALHARES ANTONIO DA SILVA ANTONIO DE SOUZA ANTONIO DE SOUZA ANTONIO FERREIRA SOUTO ANTONIO MIGUEL CUNHA ANTONIO RIBEIRO DA FONSECA APARECIDA DE ANDRADE BELO APARECIDA FATIMA CARVALHO RIBEIRO APARECIDA MARIA PIRES SILVA APARECIDA MENDONCA DA SILVA ARI RIBEIRO DAMASCENO ARI SOARES DE DEUS ARNALDO VIEMAR LARES AYANNE OLIVEIRA DE CASTRO BARBARA MARIA MONTSERRAT LOPES BEATRIZ MAGDA AVELAR MOLINARI BEATRIZ MARIA DA SILVA PAULA BENJAMIM BELO E ROSANGELA GARCIA BONIFACIO FONSECA DE OLIVEIRA BRUNA CARVLHO D’ALESSANDRO CARLOS ROBERTO DA CUNHA CARMEM PEREIRA GONCALVES CELINA COSTA E SILVA CLERIO REMACLO DE MOURA CLOVES PIRES VIANA CONCEICAO DE OLIVEIRA DAMASCENO CRISTIANE FRADE CHICRE DAIZA MARCIA DE SOUZA DAIZA MARCIA DE SOUZA DAMIAO ALEXANDRE TEIXEIRA E FAMILIA DANIELA CRISTINA RESENDE DENNER SILVA VASSALO DIANE CORDEIRO COSTA DILMA MARIA NAZARIO OLIVEIRA DILZA MARIA DA SILVA DIOMARIA RODRIGUES FONSECA DIONEIA BARUDE BOTTREL DIVINO FERNANDES SOUTO DIVINO GERMANO RANGEL DIVINO GERMANO RANGEL DONIZETE VAZ DE OLIVEIRA DORA DA CONCEICAO SILVA DORIVAL LOPES DA CUNHA DYEGO WINDSON CASTRO ARANTES EDGAR FERREIRA DA CUNHA ELAINE MARIA DE ALMEIDA SOTERO ELIANA MARIA DE ALMEIDA FARIA ELIAS GONTIJO ELISA NUNES NOGUEIRA ELIZABET OLIVEIRA ELIZABETH TEREZINHA SILVA RODRIGUES ELIZALDO FRADE ELMO LUIS DA CUNHA ELOINA RODRIGUES BELO ELTO IDALINO DA CUNHA ELVIRA CAMILO RODRIGUES ELZIRA SANT’ANA E SERGIO PAIN EMANUELLY APARECIDA DE JESUS PEREIRA ESTELA MARA DE CASTRO VIEIRA EVA MARA FELINA PEREIRA EVAIR DA MOTA EVANDRO DA SILVA EXPEDITO TEIXEIRA LUZ EZIO SILVA OLIV. E SIRLEI A. CASTRO FABRICIO RODRIGUES GONDIM FAMILIA ARAUJO E SILVA FARLEY MAGELA SILVA FATIMA CATARINA BORGES FATIMA CATARINA BORGES FELIPE AUGUSTO DE CASTRO COUTO FLAVIO DO COUTO CASTRO FRANCISCO MODESTO COUTO GEISIANE APARECIDA LAMOUNIER GENI MARTINS FERREIRA CUNHA GERALDO CRISTINO DE OLIVEIRA GERALDO N. MATIAS DA SILVA GERSON SILVA RIBEIRO GILBERTO ANTONIO PIRES GILMAR MARTINS GILSON BRAS ONOFRE GISELE FIGUEIREDO STELZER GISLENE LUIZA MATEUS GIULLIA CARVALHO D’ALESSANDRO GLAYDS FATIMA SILVA

GUILHERME GERALDO DA SILVA GUIOMAR SILVA GUSTAVO DIAS PACHECO GUSTAVO NOGUEIRA BARBOSA HELENA MARIA DE MELO SALVIANO HELENA MARIA RAMOS HELENICE REIS DE FARIA HILDA VALADAO IEDA SILVA IGOR FELIPE CUNHA REZENDE ILDA MARIA TEIXEIRA INACIO JOSE DE OLIVEIRA IRONDINA DE SOUZA CUNHA ISMAEL LOPES IVANI GONCALVES PIRES JADER MOISES DA SILVA JANAINA MARIA CARDOSO JANAINA RITA DE OLIVEIRA JANETE REGINA DE PAULA JOANA DAVID ALVES JOANA RAMOS DE LIMA JOAO DA SILVA ARANTES JOAQUIM CARLOS BRAZ JOAQUIM FERREIRA NETO JOAQUIM MESSIAS FILHO JOEL JOSE DE SOUZA JOEL RIBEIRO JOELMA APARECIDA EVARISTO JORGE ANDRE CARVALHO JOSE BASILIO DA SILVA JOSE GERALDO MARQUES JOSE JAMIR CHAVES JOSE MARCOS CUNHA JOSE MAURICIO DA COSTA JOSE OLINTO ARANTES JOSE RITA DA SILVA JOSE RONALDO MACHADO JOSE VALENTINO DE OLIVEIRA JUAREZ BATISTA SALVIANO FILHO JULIANA MARIA DE OLIVEIRA JULIO CESAR FERREIRA JUSCELIA REGINA RODRIGUES DE CASTRO KENIO ALVES FERREIRA KENIO ANTONIO DA CUNHA LAZARO PIRES DE LIMA LELIO GERMANO DA COSTA E FAMILIA LEZIR MARIA MONTSERRAT LINDAURA RIBEIRO DA SILVA LIVIA RESENDE CARVLHO LUCIANA APARECIDA DE PAULA LUCIANA LEMOS TAVARES LUCIANO LOURENCO DE PAULA LUCILENE DA SILVA LUCIMAR DA CRUZ LUCIMAR MARIA DE SOUZA LUIS GONZAGA MOREIRA BARBOSA LUZIA ALMEIDA DE ALVARENGA LUZIA GERALDA DA SILVA MOURA MAGNA DE OLIVEIRA MELO MAGNO LUIZ DA SILVA MAIR VITORIA LOPES MAIRA DE FREITAS MAIZA DE FREITAS MARA RESENDE FRADE MARCELO CANTO FERREIRA MARCELO VAZ BARBOSA MARCELO VAZ DE CAMPOS E FAMILIA MARCIO PEREIRA DOS SANTOS MARCO CESAR PRADO E SANDRA PRADO MARIA ALVES MOREIRA MARIA AP RIBEIRO MENDES F VELOSO MARIA APARECIDA ALVES PACHECO MARIA APARECIDA BATISTA DE SOUZA MARIA APARECIDA COSTA FERREIRA MARIA APARECIDA RODRIGUES SILVA MARIA APARECIDA SILVA MARIA BARBARA DE RESENDE E FAMILIA MARIA CANDIDA MUNIZ MARIA CECILIA MOREIRA MARIA CLEUSA NUNES MARIA DA CONCEICAO LOURENCO ASSIS MARIA DA CONCEICAO PEDROSA MARIA DA GLORIA V. SOUZA E PAULO MARIA DAS DORES ROCHA ARANTES MARIA DAS DORES SILVA MARIA DAS GRACAS DA SILVA MARIA DAS GRACAS GONCALVES DA SILVA MARIA DE FATIMA ALVES CASTRO MARIA DE FATIMA MELO BARUDE RIBEIRO MARIA DE LOURDES SOARES MARIA DIRLENE DE OLIVEIRA TORRES MARIA DO CARMO DIAS MARIA DO CARMO MENEZES MARIA DO CARMO MENEZES PARREIRA MARIA DO CARMO NASCIMENTO SILVA MARIA DO CARMO RAMOS MARIA DO PERPETUO SOCORRO DA SILVA MARIA ELIZABETH DE CASTRO MARIA ELIZABETHE FERNANDES MARIA ELIZANGELA LIMA VASCONCELOS MARIA GOMES DE OLIVEIRA MARIA HELENA REZENDE MARIA HELENA RODRIGUES DE BRITO MARIA ISABEL PEREIRA VAZ MARIA JOSE DE SOUSA DA COSTA MARIA JOSE RANGEL DE FARIA MARIA LUZIA DO NASCIMENTO MARIA LUZIA FERREIRA MARIA MADALENA RODRIGUES NUNES MARIA MARCAL DA SILVEIRA BORGES MARIA MARILSA FARIA MARIA MARLENE DA SILVA MARIA MARLI DA SILVA TEIXEIRA MARIA NAZARE RAMOS MARIA NILZA PEREIRA MARIA ONELIA DA SILVA FERREIRA

MARIA ROSA MENDONCA DE OLIVEIRA MARIA SUELI MENDONCA MARIA TEODORA BARBOSA LIMA MARIA TEREZA DE JESUS MARIA TOMAZIA GOMES MARIA VANDA RIBEIRO MARIA VITORIA CHAVES MARIA ZILDA BORGES MARIANA TEIXEIRA MARIANO MOURA SOBRINHO MARIELA ALVES SILVA MARILDES FERNANDES LIMA MARINA PEREIRA DE ASSIS MARISA FONSECA MARLI GERALDA NASCIMENTO CUNHA MARLUCE ARANTES CAMPOS PAIVA MARLUCE ARANTES TEIXEIRA MATEUS DE AVELAR PEREIRA MAYARA CRISTINA SOUZA MICHEL VINNY PEDROSA MILENE OLIVEIRA SILVA MIRLEI CHAVES RIBEIRO MYRIAM GONZAGA DIAS NATALIA MARTIELE DE OLIVEIRA SILVA NAYARA SOUZA COUTO DA CUNHA NELI DE ALMEIDA MENDONCA NELMAR MONTSERRAT NEUSA MARIA DOS REIS NEUZA MARIA PEDROZO ODILIA DOS SANTOS OLIMPIO TEIXEIRA DE OLIVEIRA OLINDA GARCIA TEIXEIRA OLIVIA LOPES NUNES PATRICIA BORGES DI LUIGI REZENDE PATRICIA HELENA MIRANDA PATRICIA JAQUELINE VIEIRA BORGES PATRICIA MARIA DE SOUZA PAULO CESAR RODRIGUES COSTA PAULO HENRIQUE VITOR PAULO MARCIO SILVA PAULO ROBERTO ALVES DA SILVA PAULO ROBERTO DA SILVA PAULO ROBERTO DE ALMEIDA SILVA PAULO RODRIGUES DOS SANTOS PEDRO DAMASCENO SOUZA POLIANA FELIX FONSECA POLIANE DA SILVA PRISCILA MAYRA RAMOS QUIRINO JOSE DE MENDONCA RACILANE ANTONIO DA SILVA COSTA RAIMUNDA BOAVENTURA DA SILVA RANIER RODRIGUES FRAZAO REGINALDO HENRIQUE DOS SANTOS REINALDO ALZIRO GARCIA REMACLO ELIAS DE SOUZA REMACLO LUIZ DOS SANTOS RENATA APARECIDA DAMASCENO DA SILVA RICARDO GLADSTONI PACHECO RITA MARIA MENDONCA FERREIRA ROBERTO CARLOS DINIZ ROBERVANE ALMEIDA DA COSTA RONAN DALARIVA RONILSON MARTINS OLIVEIRA ROSALIA SANTOS DE MORAES ROSANA MARIA DE MENEZES ROSANGELA MARIA DA SILVA OLIVEIRA ROSILENE APARECIDA MELO DE PAULA ROSILENE RIB. DE MENDONCA LIDGERO RUTH PASSOS SORAGGI RUY MARTINS FERREIRA JUNIOR SANDRA MARA CORREA SANDRA MARIA DE FARIA SANDRA SILVA RIBEIRO SANZIO LUIS CORREA SEBASTIAO ELI DA SILVEIRA SEBASTIAO MENDONCA SERGIO LUIS NUNES SEVERINO MANOEL DA SILVA SILVANA MARIA SILVA SOLANGE APARECIDA MARTINHO CARDOSO SONIA APARECIDA DE MOURA SONIA CRISTINA VIEIRA STANGEL DEIPSON DE CARVALHO STELA MARIS VIEIRA SUELEN SANTOS MOURA SUELI APARECIDA DE C. SIQUEIRA SUELI MARIA DE MENDONCA TADEU LEONEL MINUCCI TAMARA ROBERTA RODRIGUES DE SOUSA TERESINHA ARAUJO SOUSA TERESINHA MARIA LAUDARES TEREZA LOPES FIGUEIREDO TEREZINHA ALVES DE CARVALHO TEREZINHA DA SILVEIRA VALDECI JOVINO DE SOUSA VALMIR LOPES VALQUIRIA GUIMARAES PEREIRA COSTA VALTER ELIAS DE MELO VERA LUCIA BRAGA FERREIRA VERA LUCIA FERREIRA LIMA VICENTE DOS REIS GOMES VICENTE RODRIGUES NUNES VICENTE VIEIRA LOPES VINICIUS GARCIA ALMEIDA OLIVEIRA VITORIO DE PAULA FONSECA VITORIO DOS REIS VIVIANE RIBEIRO VIVIANE RIBEIRO RODRIGUES WALDIR RODRIGUES NUNES WALTEMIRO DE PAULA WALTER BRAZ DE OLIVEIRA WALTER SODRE DOS SANTOS WANDA RIBEIRO MONTEIRO WANDA ROCHA WANDERSON RAIMUNDO DA SILVA WILMA GERALDA MOURA ZENOBIA GONCALVES DE CASTRO ZILMA DOS REIS RODRIGUES ZILMA MARIA DE MENESES ZOE SELMA SILVA RODRIGUES ZUMIRA LACERDA GOMES

É bom lembrar!!! Data

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25

S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T

26 27 28

Q Q S

Hora

Agenda Paroquial de Fevereiro Atividade

Local Rosário

12:00

Celebração da Palavra Aniversário de Vida Religiosa dos Padres Aurélio e José Pastoral da Criança - reunião mensal Reunião do Dízimo Missa em Louvor a S. Vicente

14:00

Reunião de inicio das atividades dos MEP

Salão Paroquial

Início da catequese

Matriz e Comunidades

Show com Eros Biondine Show com Eros Biondine

Vicentão Vicentão

08:00 13:00

Santo Antônio Salão Paroquial Matriz

Reunião do Clero Reunião do Conselho dos Presbíteros

Visite o site de nossa Paróquia! www.paroquiasaovicenteferrer.com.br

Escute a Rádio Cor! 106,5 FM Assista o Programa Fala Sério! Na TV Oeste todas os Sábados às 13h com reprise no Domingo às 11h e Quarta-feira às 21h30

Nossos patrocinadores: Transportes de passageiros, cargas, encomendas e turismo Formiga São Paulo B.Horizonte Campo Belo

Minas Comercial Materiais de Construção R u a : Av. G u i o m a r G a r c i a N e t o, 2 0 5 , C e n t r o Fone: 3322-2960

Vista-se bem...para ser bem visto

R. Barão de Piunhi, 53- Formiga Fone: 3322-1308 - Fax: 3322-1843

CASA 505 Temos o presente que você procura pelo preço que você deseja. Fone: 3321-2877


Fevereiro de 2014

IV RETIRO DO EJC - REESTRUTURAÇÃO

08


04/02 MARIA APARECIDA PEREIRA DA CRUZ

É preciso nascer de novo pessoas como Deus as vê.

ACOLHIDA ANIMADOR: Caros Irmãos e Irmãs é com muita alegria e cheios da graça de Deus que iniciamos os nossos Encontros do Mês de Fevereiro. Com muita luz e com renovada disposição, vamos nos lembrar, hoje, que em cada dia precisamos nascer de novo na Graça de Cristo. Que a novidade de Deus nos ajude a abrir nosso coração para as coisas novas, pois elas fazem parte da nossa vida de batizados. Iniciemos, cantando: Em nome do Pai... PEDIDO DE PERDÃO ANIMADOR: Deus nos concede a graça de nascermos de novo, a cada vez que caímos no pecado, que deixamos o nosso espírito em segundo plano pois, nessas horas, é como se a gente morresse para Deus, mas Ele nos dá nova chance e nos chama a levantar. Peçamos perdão, de todo o coração, e a graça de nos levantarmos sempre, guiados pela Mão de Deus. TODOS: Eu, pecador, confesso a Deus...

me

LEITOR 1. Talvez a expressão que mais ouvimos nesses últimos tempos, é que vivemos num mundo em mudança. Tantas vezes não nos sentimos em condição de acompanhar as mudanças na linguagem, nos costumes, nas tecnologias. E a novidade, normalmente, amedronta. Será que vai dar certo, é a nossa dúvida diante do novo. Lembremos que Jesus, um dia, disse a Nicodemos: “É preciso nascer de novo”. É claro que Jesus não estava falando da novidade como modismo, mas das mudanças que o Espírito de Deus provoca no ser humano, quando ele aceita o novo. TODOS: A capacidade de se adaptar às mudanças que acontecem ao nosso redor, também é um segredo de felicidade. LEITOR 2. Se não cultivarmos uma atitude de quem está constantemente aberto ao que vai acontecendo, podemos ficar amargos e até tristes, nos sentindo

A PALAVRA DE DEUS ANIMADOR: O nosso processo de adaptação é como um novo nascimento e nos coloca em situações inteiramente novas para nós. Saber viver esse momento e adaptar – se não é fácil, mas é lindo, porque a vida é feita de pequenas coisas. Vamos alimentar o nosso interior com a Palavra de Deus. Cantemos: Aleluia (3 vezes) Quando estamos unidos, estás entre nós e nos falarás de Tua vida. Aleluia (3 vezes) Ouçamos: João 3, 1 - 21

à margem das mudanças. Se não acompanharmos as mudanças de linguagem, corremos o risco de ficarmos fora do convívio, principalmente dos jovens. A mudança, a capacidade de adaptação, exige de cada um de nós, primeiramente, a atitude de abertura que nos mantém em relacionamento com as pessoas e aceitos na comunidade. E isso nos faz felizes. TODOS: É preciso abrir a porta da mente e do coração para deixar entrar o novo que vai acontecendo. LEITOR 3. A mudança requer de nós constante discernimento. Abrir – se ao novo que acontece, mas saber distinguir o que é passageiro e o que é valor que vai permanecer. Por exemplo, a atenção e o amor ao próximo são valores que não passam, enquanto falar gírias e seguir a moda passa logo. Quando Nicodemos visita Jesus e quer entender o mistério de sua vida e do Reino de Deus, pergunta: “Como é que um homem pode nascer de novo se já é velho?” TODOS: A capacidade de adaptar – se às novas situações e circunstâncias da vida não deixa de ser também um parto.

PARTILHA ANIMADOR: 1. De que maneira Deus mostrou o novo a Nicodemos? 2. Como nós sabemos que estamos dispostos a aceitar o novo? 3. Por que Nicodemos ia ver Jesus à noite? LEITOR 1. Na passagem de Nicodemos, notamos que ele reconhecia a natureza divina de Jesus. Mesmo assim, ele procurou se esconder e foi ver Jesus à noite. Ele agiu como muitas pessoas que querem seguir Jesus, mas só O encontram nas “noites” de sua vida, quando as tristezas, a solidão, a desesperança as atormenta. Não têm a coragem de dizer com todas as letras “Eu amo Jesus, eu quero Jesus na minha vida, nas tristezas, sim, mas também nas alegrias e realizações.” TODOS: Quem ama Jesus realmente, tem em si uma luz, que se reflete do seu interior para iluminar a todos. LEITOR 2. No dia em que aceitarmos o Espírito Santo, verdadeiramente, e quisermos ser pessoas renovadas, todo o nosso modo de pensar e nosso comportamento serão mudados. Para que esse milagre aconteça, precisamos reconhecer que estamos perdidos e aí sentiremos uma enorme necessidade de buscar uma intimidade maior com Deus, pois passaremos por um novo nascimento. TODOS. Só assim veremos as

PRECES ANIMADOR:“É preciso nascer de novo” nos diz Jesus. Pelo Batismo recebemos essa graça do nosso nascimento pelo Espírito, nós, que já tínhamos nascido pela carne. Rezemos uma dezena do terço, pedindo a Maria que nos dê a graça de estarmos sempre em sintonia com tudo o que Jesus nos pede. Foi ela que disse: “Fazei tudo o que Ele vos disser” Pai Nosso, Ave Maria, Salve Rainha ENCERRAMENTO ANIMADOR: Na Igreja, como somos todos irmãos, procurou conhecer nossos irmãos e conviver com eles. É um lugar apropriado para demonstrarmos a nossa fé o nosso renascimento a cada dia. São os Sacramentos que nos permitem essa constante renovação de vida. A Eucaristia é a fonte da fé e o Batismo que um dia recebemos foi à fonte de água viva, que nos permitem a perseverança na fé. Levemos para nossas casas a certeza de que, crendo em Cristo e cumprindo os Mandamentos, estaremos em renovação contínua

em nossas vidas

CANTO: Bendito, louvado seja...


Fevereiro de 2014

11/02

E-2

Talentos são dádivas do Criador

ACOLHIDA ANIMADOR:Queridos amigos e amigas, sejam bem – vindos ao nosso Encontro semanal. Estamos reunidos e unidos como família de Deus para louvar a vida e a nossa caminhada dentro da Igreja e da nossa comunidade. No nosso Batismo, recebemos do Espírito Santo muitos dons, muitos talentos e é sobre eles que hoje vamos meditar. Iniciemos, invocando o Espírito Santo para que Ele nos ilumine agora e sempre: Vinde Espírito Santo... Em nome do Pai...

LEITOR 3. Na sociedade de hoje, fala – se muito em competência. É preciso ser competente no que se faz. Precisamos nos sentir competentes porque, quando realizamos as tarefas para as quais temos talento, sejam elas quais forem, serão

reconheçamos. Somente o Senhor é que nos capacita e acalma nosso coração, quando Ele percebe que nós, realmente, estamos empenhados em exaltar a Sua glória. Na Igreja podemos demonstrar nosso dons, seja limpando um banco, acolhendo uma pessoa, cantando ou dirigindo uma celebração.

PARTILHA ANIMADOR:1. Se alguém perguntasse, qual talento temos, o que responderíamos? 2. Temos vergonha de mostrar nossos talentos? 3. Como podemos desenvolver nossos talentos na comunidade?

PEDIDO DE PERDÃO ANIMADOR: Os talentos que nos foram dados em nosso Batismo são para serem lapidados e usados em nossa própria vida e na vida de nossos irmãos. Pelas vezes que nós os ocultamos ou não os usamos pelo bem do irmão, pedimos perdão. TODOS: Que Deus nos perdoe pelo mau uso dos nossos talentos. LEITOR 1. Cada pessoa recebe, com a vida, talentos. Talentos que são dádivas do Criador e que se referem a qualidades humanas e espirituais. Elas fazem parte da personalidade de cada um. E o ser humano, que está no mundo, é chamado para ser feliz e fazer os outros felizes. No capítulo 25 do Evangelho de Mateus, vemos a parábola do homem que distribuiu os seus talentos e depois voltou para cobrar o seu uso. TODOS: A cada um deu os talentos de acordo com suas possibilidades. LEITOR 2. É interessante perceber que essa parábola faz parte do capítulo 25 de Mateus, quando se refere ao fim dos tempos. Faz parte do discurso sobre a vinda do Filho do Homem. E, com essa história, a comunidade cristã faz a reflexão sobre o fruto que se faz dos talentos que Deus dá. Em outras palavras, os dons precisam ser usados bem. TODOS: Senhor, que nossos dons cresçam e frutifiquem em prol de nossos irmãos.

talentos lembra que cada um recebeu de acordo com a sua capacidade. Se os talentos foram dados de modo pessoal, cabe a cada um responder de acordo com sua responsabilidade. Vamos acolher a Palavra de Deus, para que sejamos mais atuantes através dos talentos que recebemos. Cantemos: Quando Jesus passar... Ouçamos Mateus 25, 14 – 30

desempenhadas com prazer e, consequentemente, serão bem feitas. Por isso é importante conhecer os talentos pessoais, as qualidades e habilidades. Conhecer e desenvolver os talentos que recebemos faz parte do projeto de Deus, que é de vida. TODOS: É importante lembrar que recebemos todos os talentos de graça e é assim que os oferecemos. LEITOR 1. Muitas vezes pensamos que não temos dons. Mas temos, sim, e muitos. Para descobrir nossos talentos, devemos orar, pedindo a Deus que nos guie, nos oriente, faça se aflorar em nós, todos os dons e talentos que Dele recebemos, sejam eles materiais ou espirituais. É preciso pedir Sua bênção para que os

TODOS: Não há uma habilidade mais importante que a outra. LEITOR 2. Não fiquemos preocupados, se os dons que estamos usando se destacam ou se são notados pelos outros ou elogiados. Isso não tem a menor importância. Devemos nos preocupar, sim, para que eles sejam agradáveis a Deus e que sirvam para edificar aqueles que fazem parte da Igreja. O nosso papel principal é o de agradecer a Deus pelos dons, talentos e habilidades que servirão para o nosso crescimento pessoal e o de toda a nossa comunidade. TODOS: Louvores a Vós, Senhor, por todo o Vosso Amor para conosco. A PALAVRA DE DEUS ANIMADOR: A parábola dos

PRECES TODOS: Senhor Jesus, eu te entrego a minha vida para cuidar de meus irmãos. Eu te entrego a minha vida para ser cuidada por meus irmãos. O Teu projeto de amor nos uniu para cuidar e ser cuidado. Pelo Espírito Santo, dai– me a graça de servir e ser servido. Servir é amar. Que minha fé seja viva, que minhas obras sejam vivas, que o meu amor seja concreto. Eu sou Teu apóstolo, Senhor, inteiro teu, eternamente teu. Amém. (Padre Marcelo – Ágape). Pai Nosso, Ave Maria, Salve Rainha, Consagração a Nossa Senhora. ENCERRAMENTO ANIMADOR: Pois, é. Cada um de nós vai responder pelas capacidades que recebeu. Mas o grande mal da maior parte das pessoas é se comparar com os outros. Querem ser iguais aos outros e se esquecem de conhecer e desenvolver os seus próprios dons. Além dos dons pessoais que temos, nós recebemos do Espírito Santo, no Batismo, os 7 dons que são: sabedoria, entendimento, conselho, fortaleza, ciência, piedade, temor de Deus. Vamos colocar em prática esses dons? Até o próximo Encontro, se Deus quiser. CANTO: Põe a semente na terra...


E-3

18/02

Fevereiro de 2014

Vivendo a oferta na comunidade

ACOLHIDA ANIMADOR: Caros irmãos e irmãs em Cristo, mais uma vez, aqui reunidos, vamos louvar o Senhor e agradecer todos os bens que Ele, de graça, nos dá. Sabemos que a vida em comunidade tem muitos problemas, mas muitas alegrias também e que Deus está sempre presente, onde dois ou mais estiverem reunidos em Seu Nome. Assim, em Seu Nome, iniciemos cantando: Em nome do Pai...

produzimos, uma parte destinamos à comunidade Igreja, local onde Deus faz residir o Seu Nome. Ofertas: são aquelas deixadas no altar do Senhor dentro da liturgia. Muitos não vivem esse momento.

comungamos também tudo o que é ofertado diante do altar, porém, tornado pleno na pessoa de Cristo. Isso transforma a vida e realiza os milagres e as graças necessárias, para que, fortalecidos vençam os

PARTILHA ANIMADOR 1. Como podemos explicar essas duas afirmações retiradas da Bíblia: “Oferecer não somente com o coração, mas o coração” e “Aquele que sabe dar está pronto para receber”. Em qual delas nos colocamos ?

PEDIDO DE PERDÃO ANIMADOR: De todas as virtudes, a mais importante é, sem dúvida, a caridade. Nem a fé, nem a esperança, nem a caridade são completas. Exercer a caridade é um modo de agradar a Deus e de se sentir recompensado. Jesus, perdão pelas vezes que não soubemos ser caridosos com nossos irmãos, principalmente os mais carentes. Perdão, Senhor, se achamos que uma moeda jogada num chapéu é caridade, quando uma palavra nossa valeria muito mais. TODOS: Perdão, Senhor, se não tivemos caridade com nossos doentes, nossos idosos, nossas crianças. LEITOR 1. Muita confusão é feita com os vários termos utilizados nas atitudes generosas: caridade, esmola, donativo, contribuição, ofertas. A caridade é o maior dos dons, elimina pecados, mas não substitui o dízimo, nem tampouco a oferta do altar. Esmolas: somos chamados a viver de modo íntegro com nossos irmãos necessitados que nos pedem e batem à nossa porta. Donativos: são doações esporádicas que realizamos em caso de campanhas beneficentes. TODOS: Em tudo está presente a caridade. LEITOR 2. Contribuição: é aquela assumida em caráter provisório ou permanente, destinada às instituições filantrópicas e, outra, como ajuda por simpatia ao trabalho realizado. Dízimo: tem por base a nossa produção, pois de tudo o que

e os animais para prover nossas necessidades, a água que mata nossa sede, as leis que nos conduzem à felicidade e ainda se ofereceu como sacrifício para nos redimir. Ofereceu, ainda, o Espírito Santo, que nos inspira para que tenhamos parte com o Deus Altíssimo. Cantemos: Um coração para amar... Ouçamos: II Coríntios 9 7 – 11

TODOS: Tudo isso é revertido em obras à comunidade. LEITOR 3. Muitas pessoas não reconhecem a importância da oferta no momento do ofertório, tão importante na liturgia. Muito diferente do que se está acostumado a viver nas celebrações litúrgicas, o ofertório não é um momento de esmolas, mas é um momento especial que prepara o ofertasse para o ponto alto da celebração que é a Eucaristia. O altar do sacrifício recebe, em fé e memória, o Sacrifício de Cristo que se oferece a seu povo. TODOS: Quando Pão e Vinho são levados para o altar, ambos são sinais do trabalho e do sacrifício do homem, são símbolos que representam todas as ofertas. LEITOR 1. Quando comungamos,

desafios diários. TODOS: O sacrifício do Cordeiro imolado é o próprio Filho de Deus sacrificado. LEITOR 2. Parte das ofertas vai para a sustentação da Casa de Deus, através do sacerdote ou de agentes pastorais, pois a Eucaristia é o comer em família, diante do Senhor, momento de bênçãos que, muitas vezes, deixamos passar, ficando sentados no banco, como se nada estivesse acontecendo. TODOS: Que a prática de ofertar seja cada vez mais intensa e profunda. A PALAVRA DE DEUS ANIMADOR: Ofertar a Deus é entrar em profunda comunhão com Ele, pois Ele é uma oferenda constante na vida de todos. Ele nos ofereceu o dom da vida, as plantas

PRECES TODOS: Senhor, eu Te peço que eu não tenha um coração mesquinho, eu sei o quanto eu recebi de graça, o quanto eu tenho sem merecer. Eu Te peço um coração livre dos apegos, um coração capaz de partilhar. Eu sei que não é possível abraçar a mim mesmo. Eu sei que há tanto de mim trancado, não partilhado. Ajuda – me, Senhor, a partilhar. Eu quero partilhar o pão para que ele seja multiplicado. Obrigado, Senhor, por me fazeres compreender a lição do amor. Amém (Padre Marcelo O Ágape) ENCERRAMENTO ANIMADOR: De hoje em diante, vamos fazer com que o nosso ofertório não seja só uma esmola, mas seja a oferta viva de nós mesmos, Àquele que, um dia, se ofertou a nós e se ofereceu para apagar os nossos pecados. A oferta será, então, um momento de gratidão ao Pai que nos criou, ao Filho que nos remiu e ao Espírito Santo que nos santifica a cada dia. Assim, nossas ofertas serão feitas de coração aberto e nossas vidas transformadas. Até o próximo Encontro, se Deus quiser. CANTO: Jesus está aqui...


Fevereiro de 2014

24/02 ACOLHIDA ANIMADOR: Caros Irmãos e Irmãs da comunidade estamos hoje, encerrando nossos Encontros de Fevereiro de 2014 e, para fechar com “chave de ouro”, meditaremos um tema apaixonante: o amor sem medidas. Quando amamos alguém não medimos esforços para fazer essa pessoa feliz, nem medimos a ternura, o carinho. Assim é o amor de Deus para conosco e deve ser o nosso para com Ele. Iniciemos invocando a Trindade Santa: Em nome do Pai...

Amar sem medidas estamos completamente envolvidos e sujeitos às consequências desse amor, ou não é amor. “O amor tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”

LEITOR 1. Amar! Amar a todos! Amar a Deus! Amar sempre! Ninguém pode se sentir “cansado” de amar os de longe e os de perto, os amigos e os inimigos, os simpáticos e os antipáticos. O amor,

TODOS (Cantando) Tende piedade, tende piedade, tende piedade de nós, ó Senhor. Vosso povo é santo, mas também é pecador.

TODOS: Jesus merece o nosso amor em plenitude, sem medidas. LEITOR 2. Quando não nos sacrificamos pelas pessoas da nossa família ou não, nós não estamos amando como Jesus nos ama . Aí a gente percebe que falhou e vê o quanto ainda precisa aprender a amar incondicionalmente, sem esperar nada em troca. No amor não podemos ter medo dos riscos. Ou

mundo está assim, por que Deus ainda o ama? É porque Seu amor é de Pai para filhos, completo, irrestrito, paciente e esperançoso de que, algum dia, essa situação possa mudar. Deus não se cansa de nós! Cantemos: Eu confio em Nosso Senhor... Ouçamos: I Coríntios 13, 1–8 PARTILHA ANIMADOR 1. D e todas as verdades que São Paulo fala em sua Carta aos Coríntios, qual a que chamou mais sua atenção? Por quê? (Deixar que todos falem e expressem a sua opinião sobre o amor.)

PEDIDO DE PERDÃO ANIMADOR: Senhor, com um amor tão grande por nós, não podemos agir de outra forma a não ser retribuir, mas, erramos, tropeçamos, caímos pelos nossos pecado. Por vossa misericórdia infinita, tende piedade, perdoai–nos.

LEITOR 1. “A melhor medida de amar, é amar sem medidas. “Muitas vezes não nos damos conta dessa afirmação tão profunda: “Amar sem medidas”. Qual seria a medida de amar? Até que ponto podemos chegar em nossas manifestações de amor a Jesus Cristo? Se nós perguntássemos a Ele, ouviríamos a resposta: “Até o sangue! Foi assim que fiz contigo, quando dei a minha vida para salvar a tua...foi por amor. “Se nós formos fazer um pequeno exame em nossas vidas, com tudo o que passamos e com tudo o que já vivemos, vamos ver que ainda não amamos tanto a Jesus.

E-4

TODOS: Amar a Deus não é mais que uma obrigação, é um prazer. LEITOR 3. Peçamos sempre a Deus, em oração, a graça de podermos amar cada vez mais a Ele e a nossos irmãos, mesmo àqueles que ainda não amamos bastante, ou que, um dia, achamos que não eram dignos do nosso amor. O amor vem de Deus e, se amamos, Ele se manifesta em nós e permanece. O amor, hoje em dia, é um dos valores que está desgastado em seu significado. Se a maior prova é dar a vida pelo irmão, não encontraremos muita gente com essa disposição. Quem não ama, não conhece Deus. TODOS: Quem diz amar a Deus, mas não ama o irmão é, no mínimo, incoerente.

para ser verdadeiro, tem que ser concreto, ativo, vivo, traduzido em obras. O amor é alegre, é sorriso, é partilha, é doação. Quem consegue ver Jesus Cristo nos outros está possuído pelo amor. Quando nos acomodamos e achamos que já amamos suficientemente a Deus, é aí que precisamos recomeçar tudo de novo. A nossa felicidade está na nossa capacidade de amar e, por isso, recordamos que Jesus está à espera da nossa prova de amor, pois Ele deu a vida por amor. TODOS: O amor de Deus é pura misericórdia e beleza! A PALAVRA DE DEUS ANIMADOR: Deus nos ama a ponto de ter dado Seu Filho único para nos salvar. Esse amor se torna ainda mais profundo, quando o vemos derramado sobre um mundo ingrato, perdido, arruinado, culpado. Se o

PRECES ANIMADOR: Cada vez que meditamos o profundo amor de Deus por nós e por toda a humanidade, contemplando a Sagrada Cruz somos conduzidos para a presença forte e amorosa de Nossa Senhora. Jesus Cristo, preparando-se para Sua Paixão e Morte, na doação total de Sua vida, ainda nos concede o amor de Sua Mãe para ser assumida por nós, como nossa Mãe. Rezemos, pois, uma dezena do terço, pedindo a essa Mãe amorosa que faça com que nosso amor por Deus seja cada vez maior. Coloquemos também aí nossas intenções particulares, pois Maria nos escuta. Pai Nosso, Ave Maria, Salve Rainha ENCERRAMENTO ANIMADOR: De onde veio esse amor? O amor de Deus surge Dele mesmo. Ele ama porque é a Sua natureza, porque sabemos que “Deus é amor”. Deus nos ama porque Ele quer amar, precisa outra razão? Como retribuir? Amando nossos irmãos, principalmente aqueles que mais necessitam de nosso amor, de nosso apoio, de nossas orações. Até o próximo Mês, se Deus quiser. Vamos nos dar o abraço da Paz, cheio de amor. CANTO: Quero te dar a paz...

Informativo fevereiro ed 276 2014  

formação e informação

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you