Page 1

UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES

Projeto Fly CARLA MOURA GOMES 2/2019


CARLA MOURA GOMES LABORATÓRIO ENTOMOLÓGICO COM BORBOLETÁRIO E COLMEIAS DE ABELHAS SEM FERRÃO ARQUITETURA E URBANISMO ORIENTADORA: ARQ. MARTHA LUCIA CARDOSO ROSINHA


DEDICO ESTE TRABALHO A DEUS QUE ME TROUXE ATÉ AQUI, JUNTAMENTE AOS MEUS PAIS, MARIA ELIZABETE MOURA GOMES E CARLOS ROBERTO GOMES E A TODOS OS MEUS FAMILIARES E AMIGOS.


"AQUELES QUE OLHAM PARA AS LEIS DA NATUREZA COMO UM APOIO PARA OS SEUS NOVOS TRABALHOS COLABORAM COM O CRIADOR. ” (ANTONI GAUDÍ)


SUMÁRIO O PROJETO......................................................... 8 OBJETIVO............................................................ 9 LABORATÓRIO ENTOMOLÓGICO.............. 10 BORBOLETÁRIO............................................... 11 COLMEIA DE ABELHAS SEM FERRÃO.... 13 ESTUDO DE CASO............................................ 15 VISITA TÉCNICA................................................ 21 LOCAL DE INTERVENÇÃO............................. 27 LEGISLAÇÃO....................................................... 31 PERFIL DO CLIENTE......................................... 34 CONCEITO........................................................... 36 PARTIDO ARQUITETÔNICO.......................... 37


ESQUEMAS ESTRUTURANTES................................ PROJETO ARQUITETÔNICO ANTERIOR............. PROJETO ATUAL........................................................... IMPLANTAÇÃO............................................................... PAISAGISMO................................................................... PLANTA - BAIXA............................................................ CORTES............................................................................. LAYOUT............................................................................. PRÉ-DIMENSIONAMENTO ESTRUTURAL............ PLANTA - BAIXA DOS PONTOS ELÉTRICOS....... PLANTA - BAIXA DOS PONTOS HIDRÁULICOS. MAQUETE ELETRÔNICA............................................. MEMORIAL DESCRITIVO............................................ SUSTENTABILIDADE.................................................... CONSIDERAÇÕES FINAIS.......................................... REFERÊNCIAS................................................................

38 48 55 57 60 62 70 77 85 92 99 106 112 117 122 124


O PROJETO

Ao longo dos anos, o impacto ambiental tem aumentado drasticamente, usos excessivos de materiais naturais e o descarte desenfreado dos resíduos no meio ambiente, interferem não somente no equilíbrio natural, mas também na vida de animais importantes para a continuidade da progênies da flora nativa. Dentro dessas espécies estão as borboletas, abelhas e outros diversos insetos, que são fundamentais para a ecologia. Porém com a pouca visibilidade e a falta de empatia, faz com que esses animais corram um grande risco de extinção, e também, a diminuição da reprodução da flora, consequentemente, o decrescimento na produção da agronomia e a apicultura 7


OBJETIVO Como há uma deficiência na visibilidade da classe dos insetos, o projeto proporciona a educação ambiental de forma que o publico conviva com esses animais de forma lúdica e natural, um espaço em que ambos tenha comodidade. Contando também com pesquisas licenciadas no ramo entomológico (área de estudo da classe dos insetos), aumentando a produtividade de conteúdos cientificísticos, em que auxiliam não somente a ecologia e agronomia, mas também na prevenção e produção de medicamentos e vacinas. A experiência do contato com esses animais, pode fazer com que oportunidades  futuras gerações iniciem carreira científica e haja maior reconhecimento na área de pesquisas cientificas, permitindo que a ciência faça parte da estrutura cultural brasileira. 8


LABORATÓRIO ENTOMOLÓGICO


MODELOS DE LABORATÓRIOS

Laboratório

ENTOMOLÓGICO

A entomologia estuda toda a classe insecta, ou seja, insetos em sua ampla diversidade, desde borboletas, a besouros, moscas, carrapatos, abelhas, formigas e entre outras espécies. Por estarmos em constante mudanças urbanas, a entomologia vem sendo essencial para o estudo ambiental e o seu controle, mas por ser uma área especifica é necessário um espaço destinado a tal singularidade, a maioria das vezes esses centros de pesquisa são encontrados em universidades agropecuárias ou ambientais.

Linha do tempo

[...] a causa principal ou o declínio e a extinção de insetos, pelo menos em populações locais, se não em espécies imigrantes, é a perda de seus habitats naturais. ”(GULLAN, Penny J.; CRANSTON, Peter S. Os insetos: um esboço de entomologia. John Wiley & Sons, 2014 – pg 18)

Laboratórios são espaços de pesquisa e análise científicos estruturados por materiais e objetos específicos. Por serem um espaço abrangente, há vários modelos de laboratórios em diversas áreas da ciência, como laboratórios clínicos, laboratórios de pesquisa na área da construção civil, laboratórios biológicos gerais e laboratórios biológico mais específicos, como por exemplo os laboratórios entomológicos. Por serem bem específicos a estrutura contém espaço de armazenagem de insetos, área de secagem, freezers, armários para guarda desses insetos catalogados e em seu âmbito geral, balcões com materiais comuns químicos, sendo assim a 33 popularidade desses laboratórios são bem menores e são difíceis de serem encontrados. São encontrados em:

UNIVERSITÁRIO

ANTIGO EGITO

RENASCENTISMO

ESTUDOS DOS INSETOS E USO EM SUAS ESCRITAS

VALORIZAÇÃO DO ESTUDO BIOLÓGICO GERAL E ENTOMOLÓGICO

SÉC. XX

SÉC. XX

MUSEU

ATUALMENTE

VINDA DE INÍCIO DA MUSEUS E PESQUISADORES PESQUISA DO UNIVERSIDADES ENTOMOLÓGICO CIENTISTA FRITZ COM CENTROS S AO BRASIL PLAUMANN DE PESQUISAS NA ÁREA DA ENTOMOLOGIA

10


BORBOLETÁRIO


Borboletário

MODELOS DE BORBOLETÁRIO

As borboletas são animais formosos e cham atenção por sua delicadeza e sensibilidade e realmente são, principalmente sensíveis, esses animais só procriam e habitam em habitats de boa qualidade ambiental, sendo indicativos de equilíbrio e diversidade ambiental. “As borboletas são indicadores biológicos. A variação de quantidade e proporção das espécies pode mostrar se a qualidade do habitat está melhorando ou piorando” (FREITAS, Prof. André, Jornal UNICAMP 4 de março de 2007, p. 12)

São populares entre poetas e em metáforas, mostrando a grande metamorfose desses animais, em que a maior parte de sua vida é na forma de lagarta, em que se alimenta e cresce para poder se transformar em borboleta, mas (dependendo da espécie) a sua vida com sua exuberância é curta, permitindo poucos dias de voo e reprodução (muitas vezes copulam, desovam e morrem).

Linha do tempo DESCONHECIDA

1976

INICIO DOS BORBOLETÁRIOS

PRIMEIRA EXPOSIÇÃO DE BORBOLETAS

A estrutura de um borboletário é simples, mas conforme a popularização destes, iniciou-se grandes espaços concentrando vegetações e passeios para que o observador possa transitar por dentre ele. Por isso os modelos variam entre si dependendo da quantidade de borboletas que conterá e se será algo caseiro ou de maior escala. Os modelos são:

AQUÁRIO

GEODÉSIA

TELA

ESTUFA

“Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante. Do que ter aquela opinião formada sobre tudo Do que ter aquela opinião formada sobre tudo

2005

2015

2015

INALGURAÇÃO INAUGURADO O INALGURAÇÃO DO MAIOR MAIOR DE UM BORBOLETÁRIO BORBOLETÁRIO BORBOLETÁRIO NO BRASIL PRIVADO - SÃO EM PORTO PARÁ PAULO SEGURO - BA

Eu quero dizer agora o oposto do que eu disse antes... Eu quero viver nessa metamorfose ambulante ...” (SEIXAS, cantor Raul – Metamorfose Ambulante de 1973)

12


COLMEIAS DE ABELHAS SEM FERRÃO


MODELOS DE COLMEIAS

Colmeia ABELHAS SEM FERRÃO As abelhas são uma das maiores polinizadoras naturais no meio ambiente, onde há flores em que só as abelhas as polinizam, a maioria das abelhas vivem de forma coletiva, onde possuem uma hierarquia e pela alimentação de suas larvas, serão determinados sua classe na hierarquia e também mudara diretamente sua fisiologia, se forem alimentadas por geleia real, a larva se tornará uma rainha, se for alimentada por mais pólen e mel, se tornara operaria e os não fecundados, tornam-se zangões. Dependendo da flor ou arvore há especificas espécies de abelhas para polinizarem-na, como orquídeas, maracujazeiro entre outras espécies, sendo assim a importância desses insetos, juntamente com as borboletas e pássaros são de ajudar na reprodução da flora, permitindo troca genética e também equilíbrio ambiental.

Linha do tempo

TRIBOS INDÍGENAS

SÉC. XVIII

1950

ABELHAS ABELHAS USO DAS MATÉRIAS EUROPÉIA AFRICANAS PRIMAS DAS TRAZIDAS PARA TRAZIDAS PARA ABELHAS PARA O BRASIL PELOS ESTUDO PELA MEDICAMENTOS E JESUÍTAS USP ALIMENTAÇÃO

ATUALMENTE

ATUALMENTE

ABELHAS HIBRIDAS USADAS PARA APICULTURA

POUCAS ABELHAS NATIVAS SEM FERRÃO

Atualmente existem apenas dois modelos de colmeia, as artificiais e naturais, onde os naturais são de abelhas silvestres, com uma seleção natural e iniciando-se por uma rainha e aos poucos vai se construindo uma estrutura feita por abelhas operárias, totalmente orgânica. Já as colmeias artificiais são construídas para o uso de colmeias para a venda ou consumo de mel retirado da mesma, muitas vezes caseiro, mas no mundo todo a apicultura é bem popular para grandes indústrias de mel e produtos derivados da colmeia, onde a comercialização é constante para produtos orgânicos, remédios caseiros ou farmacêuticos. A estrutura desses modelos são:

NATURAL

ARTIFICIAL

HOTEL

““[...] apesar da consciência dos produtores da necessidade destas abelhas para polinizarem suas culturas, o péssimo manejo de paisagem destas áreas, com a remoção das matas nativas que servem de local de abrigo, descanso e nidificação para estas abelhas, uso pesado de agroquímicos e falta de divulgação de formas de criação e manejo destas abelhas [...]” (FREITAS e PAXTON, 1996; 1998; MALERBO-SOUZA et al., 2003; MARCO JR. e COELHO, 2004)

14


ESTUDO DE CASO


BORBOLETÁRIO/ 3DELUX FICHA TÉCNICA Arquitetos: 3deluxe Interiores: 3deluxe, Germany Localização: Al Noor Island - Sharjah - Emirados Árabes Unidos Área: 230.0 m²

DESCRIÇÃO O Projeto do Borboletário, encontra-se em um parque de 2,5 hectares, onde há um conjunto de edifícios e pavilhões temáticos, e o mesmo está localizado no Pavilhão das Borboletas. Os arquitetos que assumiram projetar esses pavilhões, tinham como objetivo fazer com que os visitantes explorassem suas emoções, a intelectualidade e toda sua forma física, para isso tomaram medidas para que o projeto fosse interdisciplinar sem limitar a funcionalidade, trazendo consigo uma enorme quantidade de elementos estéticos, numerosas instalações e estruturas pequenas, trilha sonora e plantas exóticas. O pavilhão é constituído por um borboletário e área externa de lazer com mobiliários urbanos, o projeto consiste em uma arquitetura poligonal metálica, revestida com vidro, que com delicadeza divide o externo com o interno. Há aberturas zenitais orgânicas, que fazem com que as sombras da cobertura entrem juntamente com feixes de luz natural, enriquecendo a esfera naturalista em seu interior. O biótipo de floresta tropical abrange uma área de 230m² e apresentam 500 borboletas exóticas, vindas da Malásia duas vezes por semana, podem ser observadas desde lagarta até a sua metamorfose Por ser um ambiente artificial, as condições climáticas devem ser controladas, em média uma borboleta vive uma semana após a eclosão do casulo, e é de extrema importância para animal ser mantido em uma temperatura ambiente de em 26°C e uma umidade elevada.

Fonte: BORBOLETÁRIO/ 3DELUX - ArchDaily

16


JARDIM DAS BORBOLETAS - EMILIO OLIVO + ROSA JULIA FICHA TÉCNICA Arquitetos: Emilio Olivo, Rosa Julian Localização: Av. República de Argentina - Santo Domingo - República Dominicana Área: 720m² Ano do Projeto: 2014 Entomólogo: Kelvin Guerrero Paisagismo: Francina Lama de Barletta, Nicolas e Kelvin Guerrero

DESCRIÇÃO O Jardim Botânico Nacional e a Fundação Jardim das Mariposas fundaram um Borboletário, para ser um cenário de conscientização, sensibilização, educação e conservação da biodiversidade nativa, que diretamente auxilia no manejo sustentável, promovendo uma área artística, experimental e informativa para os visitantes. O objetivo do projeto é conscientizar e encorajar a proteção e a preservação do meio ambiente e a biodiversidade, fazendo-o um exemplo de habitat de reprodução e conservação das borboletas nativas. O Parque tem aproximadamente 6.600m², na qual 90% são de vegetação existente e explorações agrícolas para o desenvolvimento do jardim. Já os 10% restantes são destinados 200m² de área construída, como laboratório, loja, área de reprodução de borboletas e banheiros e 340m² são destinados ao pavilhão descoberto. Na área construída, foi utilizado como aço vegetal o bambu e a cana como material de cobertura, já no borboletário, utilizaram uma estrutura de ferro coberta e fechada com policarbonato A vegetação, a água e a natureza dos materiais são criadas para a utilização correta, buscando uma expressão naturalista, sem estilo determinado e uma estética especifica, mas sim um espaço natural, utilizando ventilação cruzada e iluminação natural e energias renováveis, fazendo-o um edifício sustentável e um exemplo de espaço público ambientalmente correto

Fonte: JARDIM DAS BORBOLETAS - EMILIO OLIVO + ROSA JULIA - ArchDaily

17


MANGAL DAS GARÇA DESCRIÇÃO O projeto do borboletário está introduzido no parque ecológico, em que foi criado pelo Governo do Pará em 2005, em que o local é resultado de uma revitalização, cerca de 40.000m² as margens do Rio Guamá. A área em que o parque foi instituído, estava alagado com um extenso anigal, uma vegetação invasora que possui benefícios ao parque, em que possibilita outras espécies nascerem no local, como buriti, açaí entre outras e também faz um sombreamento na área. No parque a preocupação da preservação da vegetação foi um dos pilares fundamentais do projeto, já que a flora característica do local é a várzea do estuário amazônico. A entrada no parque é gratuita, exceto nos espaços de visitação monitorada, como o Farol de Belém, o Viveiro das Aningas, o Memorial Amazônico da Amazônia e o Borboletário José Márcio Ayres, escolas públicas, grupos de terceira idade e entidades sociais podem agendar as visitas a esses espaços. O borboletário homenageia o cientista paranaense José Márcio Ayres, o espaço abriga cerca de 5.000 de borboletas, sendo 16 espécies diferentes, entre elas 4 são espécies fixas, em que se reproduzem o ano todo e 12 sazonais, duram entorno de 1 a 3 meses, dependendo da espécie. Dentre essas espécies estão a borboleta olho de coruja - caligo illoneus, ponto de laranja - anteosmenippe, Júlia - dryas iulia, brancão - ascia monusti e battus - battus polydamas. O espaço possui 1.350m², intitulado como um dos borboletário mais importantes da América Latina. A visitação se inicia no criadouro, em que o processo é autossustentável, todos os dias os funcionários retiram as plantas hospedeiras (onde as borboletas desovam) e fazem a captação dos ovos, cerca de 500 ovos, que de 3 a 5 dias ocorre a eclosão das lagartas e cerca de 45 dias depois a lagarta entra no processo de pupa e depois de um certo tempo, sai a borboleta. Na parte interna do borboletário há vegetações especificas para cada espécie, cascatas e espelhos d’água e a tela que encobre a estrutura, faz com que a luz natural entre de forma controlada, mantendo a temperatura necessária e a ventilação natural.

Fonte: MANGAL DAS GARÇA OFICIAL

18


LABORATÓRIO BIOKILAB/ TALLER BÁSICO DE ARQUITETURA FICHA TÉCNICA Localização: 01510 Miñano Mayor, Álava - Espanha Arquitetos: Taller Básico de Arquitetura Arquitetos Responsáveis: Javier Pérez Herreras e Javier Quintana De Uña Área: 3.428 m² Ano do Projeto: 2010

DESCRIÇÃO O projeto envolve formas simples e frias, sendo ele um par de caixa de concreto sustentado com estrutura metálica. O terreno tem uma leve declividade e a estrutura cria um nível plano aos laboratórios, permitindo que as caixas se interliguem por uma pequena ponte. Em cada parede das caixas, contém uma única janela quadrada ou porta. A janela é toda de vidro, não é utilizada pata ventilação do edifício, mas sim para a integração com o externo, são janelas grandes, deixadas pata que o público de fora contemple o que ocorre dentro do laboratório, mas também que os usuários e funcionários do mesmo possam visualizar a paisagem. A implantação é simples, sem elementos paisagísticos e somente acessos para os edifícios. O enfoque está na estrutura metálica que tem formato de cruz, pintada de vermelho e possui iluminação para o cruzamento das vigas metálicas, atraindo todo o olhar do observador, mostrando uma sensação de gravidade e leveza., já que dependendo do ângulo, é possível ver a continuidade da paisagem por entre a sustentação dos blocos. Fonte: LABORATÓRIO BIOKILAB/ TALLER BÁSICO DE ARQUITETURA - ArchDaily

19


EL HUMEDAL – TAAR – TALLER DE ARQUITECTURA DE ALTO RENDIMIENTO FICHA TÉCNICA Arquitetos: Emilio Olivo, Rosa Julian Localização: Av. República de Argentina - Santo Domingo - República Dominicana Área: 720m² Ano do Projeto: 2014 Entomólogo: Kelvin Guerrero Paisagismo: Francina Lama de Barletta, Nicolas e Kelvin Guerrero

DESCRIÇÃO O projeto El Humedal é designado para estudos ambientais, onde documenta e processa todos os assuntos que prosseguem da floresta e dos pomares, para conhecimento dos benefícios do ecossistema e os seus recursos. O edifício gera 100% dos seus recursos que necessita para seu funcionamento, usando os princípios de não desperdício e net-zero, conformando um ciclo de uso e ressuo. O sistema de captação da agua da chuva consegue reutilizar 130.000 litros usando para parte interno, e também possui tratamento de esgoto, onde são utilizadas plantas de tratamento, geram compostos das fezes humanas e de podas das florestas. O partido arquitetônico é baseado na arquitetura local, usando uma alta porcentagem, de materiais locais e materiais reciclados, selecionados por características termo estéticas e de mesmo modo toda a funcionalidade do projeto provem da orientação solar e da ventilação predominante, aumentando a eficiência energética e gerando conforto ambiental de maneira natural e sustentável. Sendo assim, o projeto não é só funcional, mas também estético, a maneira em que o paisagismo se conecta a toda a floresta e pomares já existentes faz com que o usuário se conecte a essa atmosfera natural e ecossistêmica, aumentando a produtividade e deixando o ambiente mais livre e relaxante.

Fonte: El Humedal – TAAR – Taller de Arquitectura de Alto Rendimiento - ArchDaily

20


VISITA TÉCNICA


LABORATÓRIO UMC A Universidade de Mogi das Cruzes contém uma ampla quantidade de cursos, incluindo biologia, curso que estuda todos os seres vivos e matérias orgânicas e inorgânicas, abrangendo o ambiente, a biodiversidade e suas classificações. Uma das salas contém animais empalhados, no formol e conservados em caixas de madeira lacrada com vidro, em que os estudantes vão até as salas para observar, abrir e estudar os animais, um desses animais são as borboletas, em que na sala de laboratório contém um armário onde as borboletas estão catalogadas e conservadas juntamente com mariposas.Nesta mesma sala, há balcões com microscópios e banquetas, para que os estudantes possam fazer suas pesquisas, além do armário em que estão os insetos catalogados, possui outros armários com materiais químicos e instrumentos de laboratório guardados para uso. No centro tem uma área restrita, somente para os professores e os responsáveis pelas salas dos laboratórios, lá tem armários com produtos para limpeza de equipamentos uma pia grande para lavagem dos equipamentos e computadores. A sala tem espaço para cerca de 16 alunos para uso dos microscópios, mas por ter números elevados de estudantes por semestre, os professores usam grupos de 3 pessoas para cada microscópio, deixando o local apertado e aumentando índices de acidentes. Porém, se o uso for de acordo com o espaço projetado o layout das bancadas são bem distribuídas e a sala tem boa iluminação e ventilação natural.

22


LABORATÓRIO UMC

LABORATÓRIO

ESPAÇO

CATALOGAÇÃO

ILUMINAÇÃO E VENTILAÇÃO NATURAL FALTA DE MANUTENÇÃO E TECNOLOGIA ORGANIZAÇÃO

Fonte: Arquivo autoral

23


MUSEU CATAVENTO

O Museu Catavento Cultural e Educacional foi construído para ser um espaço interativo de ciência de forma instigante para crianças, jovens e adultos, inaugurado em 2009, um espaço público e de fácil acesso, funcionando de terça-feira a domingo, incluindo feriados, das 9hrs ás 17hrs. O museu encontra-se na Cidade de São Paulo na Av. Mercúrio do Parque Dom Pedro II, é possível ir de carro onde o próprio museu contém estacionamento pago ou de trem-metrô. Da estação de trem estudantes até o metrô Dom Pedro II dura cerca de 2hrs, com uma caminhada de 10 minutos da estação de metrô Dom Pedro II até o Museu. No jardim há uma variedade de flora, para as abelhas que possuem colmeia e para o hotel das abelhas, um mobiliário estruturado com madeiras perfuradas para abelhas que geralmente que vivem individualmente e só precisam de um local para ficarem, pois não vivem coletivamente em colmeia. O borboletário é feito por uma estrutura geodésica metálica coberta com tenda, em que gerando iluminação e ventilação natural. A umidade continua adequada por causa das vegetações do entorno e da parte interna do borboletário. Ao entrar no borboletário, o visitante é monitorado por duas funcionárias e cuidadoras, onde explicam o processo de metamorfose das borboletas, levando-nos até ao poço tampado ao centro do jardim.

24


MUSEU CATAVENTO

No poço as funcionárias nos apresentam os ovos das borboletas coletados nas vegetações do jardim interno em que a borboleta as depositam e depois é nos mostrado as lagartas, que também são coletadas e transferidas para um recipiente transparente com papel toalha no fundo, pois em sua transformação elas começam a umidificar seu corpo para que ocorra a sua metamorfose de lagarta a pulpa. Os recipientes são divididos por datas e controlados diariamente, até que a lagarta se torne pupa.

Logo após a amostragem das lagartas, a monitora apresenta o outro passo da metamorfose, a pupa, em que são coletadas do recipiente e catalogadas por datas em um painel suspenso no centro do poço fechado. Lá elas ficam cerca de 30 a 40 dias até que vire borboleta e saia voando pelo jardim interno do borboletário.

Depois das explicações e da apresentação da metamorfose, o visitante pode ficar livre para observar o jardim e as borboletas. No borboletário existe atualmente duas espécies, a borboleta olho de coruja - caligo illoneus e a branquinha – Ascia monuste, existe cerca de 30 borboletas atualmente. Como o clico de vida da borboleta é pequeno a reprodução e a reposição deve ser constantes, juntamente com a reposição da vegetação do jardim interno, já que as borboletas se alimentam destas.

25


MUSEU CATAVENTO

COLMEIA

HOTEL

COLMEIAS

HOTEL PARA ABELHAS QUE VIVEM INDIVIDUALMENTE

COLMEIAS DE ABELHAS SEM FERRÃO NATIVAS DA MATA ATLANTICA

COLMEIA ARTIICIAL COM PROTEÇÃO DE ACRÍLICO

VISITAÇÃO MONITORADA

APRESENTAÇÃO

ESTRUTURA GEODÉSIA COM TELAS E ENTRADA POR PORTA METÁLICA Fonte: Arquivo autoral

DUAS PROFISSIONAIS DA BIOLOGIA

AMOSTRAGEM DOS RECEPIENTES COM LAGARTAS VIVAS

JARDIM EXTERNO USO DE FLORA COMO ATRATIVO PARA AS ABELHAS

CONTROLE AMOSTRAGEM DO CONTROLE E SEPARAÇÃO DAS PULPAS

ÁTRIO O JARDIM E O BORBOLETÁRIO DENTRO DO MUSEU

JARDIM INTERNO VEGETAÇÃO ESPECÍFICA PARA ALIMENTAÇÃO DAS BORBOLETAS

26


LOCAL DE INTERVENÇÃO


MOGI DAS CRUZES - SP Mogi das Cruzes lidera o ranking da melhor cidade do Alto Tietê para se viver, e numa contagem de 5.500 municípios brasileiros, chega a 7º lugar, segundo levantamentos de dados do IBGE e da ONU, com base de dados de 2010, e conforme desempenho municipal averiguado vem sendo um dos principais focos de investimentos. Embasada pela proximidade da cidade de São Paulo, margeada pelas Serra do tapeti e Serra domar, de vegetação farta. Próxima as cidades de calmaria e cidades litorâneas, possibilitando os moradores a uma maior qualidade de vida e bem-estar pela localização e infraestrutura. Cidade antiga, formada pelos bandeirantes, à utilização de circulação por meio de carroças e hoje pelos automóveis. As ruas projetadas ao centro são com menor espaçamento, gerando hoje intenso trafego viário, uma das preocupações impostas nas bases do planejamento da cidade para soluções de melhorias. Fonte:Google Imagens

28


TERRENO

O terreno em que o projeto será introduzido encontra-se em Mogi das Cruzes, São Paulo – Brasil, na Rod. Henrique Eroles e a Av. Francisco Rodrigues Filho ao lado do Parque Centenário e da Estação de Tratamento de Esgoto – E.T.E. O local era usado por uma balada sertaneja, mais conhecida como Vaca Louca, que atualmente está funcionando no terreno do lado. O terreno está à venda e possui construções a demolir e uma ampla área de vegetação rasteira e um perfil topográfico quase plano plano. Uma área de aproximadamente 22.965m², o terreno está próximo ao Rio Tietê e a área de proteção ambiental – APA, além disso, a localização do terreno facilita o acesso de estudantes universitários, já que a Universidade de Mogi das Cruzes e o Centro Universitário Brás Cubas estão próximas e a Fatec também. Fonte: Arquivo autoral

29


USO E OCUPAÇÃO DO SOLO O terreno escolhido para a introdução do projeto tem limites relevantes para o planejamento do projeto arquitetônico. A zona do terreno é a ZUC2 – Zona de uso controlado 2 com proximidade a área de proteção ambiental e zonas residenciais e comerciais. 115 Como o projeto é um conjunto de centro de pesquisas e borboletário, pelo Anexo IV - Permissão de uso segundo atividade o projeto se enquadra em duas categorias o de C - 1 – Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais e a K - 2 – Apicultura e Criação de outros animais não especificados anteriormente, encaixando nos critérios urbanísticos da zona do terreno escolhido. Área do Terreno – 22.965m² TO (Taxa de Ocupação) – 9.186m² 22.965 - 100% X

- 40%

(22.965 . 4 ) / 10 = 9.186 Cab. (Coeficiente de Aproveitamento) – 57.412,50 m² - 6 andares 22.965 . 2,5 = 57.412,50 / 9.186 = 6,25 Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

30


LEGISLAÇÃO


IBAMA O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (IBAMA) é um órgão protetor e regulador de recursos naturais, da fauna e da flora nativa. Além de conter várias diretrizes de uso, exploração e controle, o IBAMA também combate crimes ambientais, como desmatamento irregular, contrabando de animais exóticos e nativos e controle de recursos industriais. Na normativa IBAMA N° 7, de 30 de abril de 2015 há instruções de uso de fauna silvestres nativas, sendo ela abrangente a espécies desses animais, no Artigo 2 da norma, é apresentado várias classes de animais e no inciso VI é apresentado a classe dos animais que serão apresentados no projeto Pelo Artigo 5 da norma, não há necessidade de autorização para a apresentação e uso cientifico de abelhas nativas Já o Borboletário, por ser um espaço que conterá grande número de borboletas, criadouro e a exposição destes, será necessário a apresentação do projeto arquitetônico e outras medidas para a autorização do espaço.

32


CONAMA Conforme a normativa do IBAMA sobre abelhas nativas, o CONAMA permite o uso de abelhas para alguns afins, dentro delas as disposições que se encaixam no projeto estão no capitulo I no Art. 2° no inciso I e II, que são eles: CAPÍTULO I Art. 2o Para fins dessa Resolução entende-se por: I - Utilização: o exercício de atividades de criação de abelhas silvestres nativas para fins de comércio, pesquisa científica, atividades de lazer e ainda para consumo próprio ou familiar de mel e de outros produtos dessas abelhas, objetivando também a conservação das espécies e sua utilização na polinização das plantas; II - Meliponário: locais destinados à criação racional de abelhas silvestres nativas, composto de um conjunto de colônias alojadas em colmeias especialmente preparadas para o manejo e manutenção dessas espécies.

33


PERFIL DO CLIENTE


PERFIL DO CLIENTE

GER AL TURISTAS, CIDADÃOS DA REGIÃO, ESTUDANTES, CURIOSOS, CRIANÇAS E IDOSOS

ESP ECÍF IC O ESTUDANTES ENTOMOLÓGICOS E BIOLÓGICOS, PESQUISADORES, PROFESSORES, ADMINISTRADORES E DIRETORES

35


DINÂMICO - TRANSPARÊNCIA - EFICIENTE

CONCEITO ORGÂNICO - NATURAL - EXPERIÊNCIA

36


PARTIDO ARQUITETÔNICO Como o projeto possui uma característica ambiental, a utilização de meios bioclimáticos e materiais que remetem a conscientização ambiental e da biodiversidade. Sendo assim, a utilização de grandes aberturas protegidas por brises  são essenciais para diminuir o consumo de energia e a valorização da luz solar e da ventilação natural no ambiente. Também como partido, jardins internos e jardins verticais para que auxilie no processo de refrescamento e trazendo iluminação e personalidade, Juntamente com isso, haverá um contexto natural entre construção e natureza, interligados por grandes massas de vegetação, transparência, decks interligando o passeio, introdução de lagoas artificiais autossustentáveis, trazendo a identidade e conscientização por meio da arquitetura.

37


ESQUEMAS ESTRUTURANTES


PROGRAMA DE NECESSIDADES

39


40


41


42


43


AGENCIAMENTO ADM

Área de Convivência

Recepção Sala de Espera Sala de impressão e cópias

Balcão de Informações Lojas

Sala de Direção

Área externa

Sala Administrativa

Praça de alimentação

Sala de execução de serviços administrativos Sala de Reuniões DML Sala de controle do Laboratório Sala de controle do borboletário Arquivo Almoxarifado geral

Lanchonetes Sanitários

Borboletário

Laboratório

Jardim das borboletas

Laboratório Geral

Sala de apresentação

Laboratório Específico

Criadouro

Sala de equipamentos

Sanitários

Armaz. e preparo de insetos

Área Geral Refeitório Despensa Cozinha coletiva Vestiários Horta Espaço Relax

Sala de catalogação Sala de limpeza de equip. Impressão e cópias Dep. de Mat. Químicos Dep. de Res. Químicos Dep. de Res. Comuns Sanitários Copa DML

44


ORGANOGRAMA

ADM Recepção

Sala de Espera Sanitários

Entrada Geral Privada Sala de execução de serviços administrativos

Sala de impressão e cópias Arquivo Almoxarifado geral

Copa

Sala Administrativa

DML

Sala de controle do borboletário

Jardim das borboletas

Laboratório Laboratório Geral

Área de exposição

Sala de catalogação

Laboratório Específico

Auditório

Armaz. e preparo de insetos

Impressão e cópias

Sanitários

Foyer

Sala de apresentação

Criadouro

Área de convivência

Sala de Experiências

Copa

Sala de controle do Laboratório

DML

Sala de limpeza de equip.

Dep. de Mat. Químicos

Sala de equipamentos

Dep. de Res. Químicos Dep. de Res. Comuns

Sala de Reuniões

Balcão de Informações

Sanitários Lojas

Área externa

Lanchonetes Praça de alimentação Sanitários

Sala de Direção

Área Geral Vestiários

Espaço Relax

Cozinha coletiva

Horta

Despensa Refeitório

45


SETORIZAÇÃO

Área Geral

Área de convivência Borboletário Laboratório ADM

46


Jardim das borboletas

Sanitários

Sala de apresentação

Criadouro

Balcão de Informações

Área externa

Área de exposição

Sala de Experiências

Lojas

Praça de alimentação

Lanchonetes

Foyer

Auditório

Sanitários

Entrada Geral Privada

FLUXOGRAMA

Espaço Relax

Laboratório Geral

Sala de equipamentos

Horta

Laboratório Específico

Vestiários

Armaz. e preparo de insetos

Copa

Cozinha coletiva

Sala de catalogação

Sanitários

Despensa

Impressão e cópias

DML

Recepção

Sala de Espera

Sala de limpeza de equip. Dep. de Mat. Químicos Dep. de Res. Químicos Dep. de Res. Comuns

Refeitório Sanitários

Sala de impressão e cópias

Sala de Reuniões

Sala de execução de serviços administrativos

Arquivo

Sala de controle do Laboratório

Sala Administrativa

Almoxarifado geral

Sala de controle do borboletário

Sala de Direção

DML

Área Geral

Copa

Área de convivência Borboletário Laboratório ADM

47


PROJETO ARQUITETÔNICO ANTERIOR


IMPLANTAÇÃO

SEM ESCALA

49


N

PLANTA - BAIXA ÁREA PÚBLICA

SEM ESCALA

50


N

PLANTA - BAIXA ÁREA PRIVATIVA

SEM ESCALA

51


N

PLANTA - BAIXA ÁREA PARA FUNCIONÁRIOS

SEM ESCALA

52


FACHADA

ELEVAÇÃO LATERAL DIREITA

SEM ESCALA

53


ELEVAÇÃO LATERAL ESQUERDA

ELEVAÇÃO INFERIOR

SEM ESCALA

54


PROJETO ATUAL


O projeto anterior consistia no uso de formas simples e bem setorizadas, compondo uma arquitetura mais rígida, porém funcional, já no projeto atual, o uso das formas tornam um contexto com a temática. Foram usados vários hexágonos sobrepostos e o parcelamento dos mesmos, em que auxilia a iluminação natural por meio das aberturas estarem direcionadas sem bloqueios e também trazendo um dinamismo ao terreno.

Além disso, houve um aumento na quantidade das áreas construídas, priorizando um maior convívio ao publico com os espaços sem que percam o contato com o ambiente permeável. O projeto contém 6.238,53 m2 construídos e cerca de 6.393,44 m2 de área permeável.

56


IMPLANTAÇÃO


AV. Henrique Eroles

Francisco Rodrigues Filho

Canaleta de A.P

AV.

Can alet

a de

A.P

Cancela eletrônica H= 1,20m

60c

m

Can alet

a de

A.P

Bei

ral

60c

m

ral Bei

Can ale ta

m 60c

de

A.P

RUA BENEDITO FLORÉNCIO

Can

alet

a de

A.P

Can

alet

a de

A.P

ral Bei

m 60c

Bei ral

Telhado Verde

Bei

ral

60c

m

Can

Can

alet

alet

a de

a de

A.P

A.P

Can

alet

a de

A.P

Bei

ral

60c

m

Bei

ral

60c

m

Bei

ral

60c

m

Telhado Verde

Via de carros

Passeio

a de alet Can

Can

alet

a de

A.P

Estacionamento

A.P

Passeio

Bei

ral

85c

m

Área permeável

Can

alet

a de

A.P

Bei

ral

85c

m

Can

alet

Bei ral

a de

85c

A.P

m

Can

alet a de

A.P

Lagoa artificial com vegetação aquática

Telhado Verde Passeio

erna Cist 00L 10.0

a águ Cx`d 00 L 50.0

a de

A.P

Guia rebaixada

erna Cist 00L 10.0

Can

alet

a águ Cx`d 00 L 50.0

Horta Comunitária de ema de to Sist men zona trata por oto s esg de raíze

Horta Comunitária

Horta Comunitária

alet

a de

A.P

Horta Comunitária

Can

Área permeável

ale

ta

de

A.P

Mureta de 1,05m

Can

Via de Carga e Desgarga

ESCALA 1:750


AV. Henrique Eroles

AV. Henrique Eroles

AV.

AV.

Francisco Rodrigues Filho

Francisco Rodrigues Filho

741

TOPOGRAFIA NATURAL TERRENO - 1:175

No rte

740


PAISAGISMO


ESCALA 1:750


PLANTA - BAIXA


3.9 6

4.77

ARQUIVO ADM ÁREA: 29,67m²

7.87

4.7

4

7

3.96

9.77

4.5

4.4

8

3.96

5.7 7

SALA DE ADM

SALA DE EXECUÇÃO ENFER./ADM.

ÁREA: 47,31m²

ÁREA: 26,05m²

ALMOXARIFADO GERAL 5.0 6

1.8

7

6 5.0

4.54

3 4.8

7

4.41

14.31

4.7

ÁREA: 35,44m²

2.1

2.96

1.9

2

1

2.09

PONTO ÁREA: 6,64m² 4.6 3

2.70

2.46

5.2

5.2 3

4.11

2.47

3

ÁTRIO

2.46

2.28 2.21

SALA DA DIREÇÃO ÁREA: 14,77m²

9 1.6

DEPOSITO DE MATERIAIS ÁREA: 6,69m²

2.88

3.8

8

SALA DE CONTROLE DO BORBOLETÁRIO E DO LABORATÓRIO

ÁREA: 19 4.84

7

1.7

3.96

ÁREA: 13,19m²

3.96

3.6 1

SALA DE REUNIÃO

5.83

ÁREA: 17,64m²

SANITÁRIO

SANITÁRIO

ÁREA: 10,49m²

ÁREA: 12,21m² 3.47

VEST. FEM.

0

3.74

8

1.3

8.14

3

4.13

4.48

2.3

2.00

ÁREA: 46,66m²

5.00

DEPOSITO ÁREA: 4,94m²

1.20

3.80

4.8

1 3.9

DML ÁREA: 7,56m²

3.97

5.90 3.82

1.98

1.78

1.78

1.78

SALA DA DIREÇÃO ÁREA: 18,85m²

2.4

2.1

2

6

2.7

4.07

CIRCULAÇÃO

4.77

7

4.28

5.23

3 2.1 0 2.3

2.1 9 2.1 0

3.86 5.90 1.50

RECEPÇÃO 1.3 6

2

3.8

3.2

5.23

3

5.00

5.2

8

CIRCULAÇÃO E CONVIVÊNCIA

3

0

4.8

3

5.0

3

ÁTRIO

5.2

2.31

5.2

3 5.2

5.00

3 5.2

5.00

7 4.7

0

5.0

5.00

5.23

MINI AUDITÓRIO

0 7.5

2.4 3

ÁREA: 46,98m²

2.0

5.00

3

CIRCULAÇÃO E CONVIVÊNCIA

5.0 6

5.0 0

2.50

2.2

5.0 0

6

ÁREA: 12

0

0 5.0

5.0

0

5.0

Espaço Jardim com Colmeias ÁREA: 460,66m²

5.2 3

5.2 3

3

4.7

5.0

0

4.77

5.2

0

5.00

ÁREA: 52,08m²

PASSEIO EXTERNO

5.0

HORTA

0 5.0

5.2

3

REFEITÓRIO

4.77

7

PLANTA - BAIXA LABORÁTORIO - 1:150 0 5.0

HORTA

7

5.23

4.7

0

HORTA

5.0

5.00 10.32

REFEITÓRIO ÁREA: 60,95m²

5.23


6.11

SALA DE ARMAZENAGEM E PREPARO DE INSETOS

ÁREA: 22,92m²

ÁREA: 22,81m²

2.1 0

5.00

2.1

3.70

SALA DE CATALOGAÇÃO

3.70

0 3.7

6

.15 10 2.3

3

2.1

2.1 9

4.7 7

SALA DE ARMAZENAGEM E PREPARO DE INSETOS

3

4.89

2.31

4.8

4.9 4

2.31

ÁREA: 22,98m²

LABORATÓRIO GERAL 5.23

5.2 3

ÁREA: 46,53m²

1

6.1

1 3.6

SALA DE CATALOGAÇÃO

2.23

8

3 5.2

2.06

3

5.2

ÁTRIO

3.7

2.23

4.8 3

7.4 6

ÁREA: 22,73m²

LABORATÓRIO

SANITÁRIO

6.1

ÁREA: 23,03m²

1

3.7

8

ÁREA: 19,63m²

5.0

5.2

3

0

5.23

2.3

1

CIRCULAÇÃO

LABORATÓRIO 6 2.0

SANITÁRIO

ÁREA: 23,06m²

2.3

1

ÁREA: 19,49m²

5.00

7

3.9

5

DEPOSITO DE MATERIAIS QUIMÍCOS

4.77

4.9

7 4.7

5.00

SALA DE EQUIPAMENTOS

ÁREA: 17,18m²

ÁREA: 16,98m²

5.9 4

LABORATÓRIO GERAL

6 5.0

1.49

5.00

2.1

0

6

5 0.1

2.3

2.4 2 5.0 0

ÁREA: 47,65m²

VEST. MASC.

2.1

1 6.0

9

ÁREA: 46,63m²

7.54

ÁREA: 22,98m²

2.3

2.2 4

0 3.7

LABORATÓRIO 1

1

6.1

3

4.8

3

5

4.8

5.9

3 5.2

CIRCULAÇÃO E CONVIVÊNCIA

2.23

1.4 9

LABORATÓRIO ÁREA: 22,73m²

CIRCULAÇÃO

2

1.7 1 3.6

7.06

2.46

ÁTRIO

3.7 8

2.06

2.23

3.9 1

4.8

3

2.46

0 5.0

3.87

2.17

DML

COPA

ÁREA: 12,04m²

ÁREA: 14,45m²

LABORATÓRIO

4.13

ÁREA: 23,06m²

2.50

2.35

0 5.0

4.77

SALA DE REUNIÃO ÁREA: 47,33m² 1

2.3

8

LABORATÓRIO

3.7

4 7.5

10 .15

6.1

ÁREA: 23,06m²

3

2.2

7.37

REFEITÓRIO

5.00

4.8 3

6

2.4

5.00

6

5.00

2.0

3 5.2

2.2 9

ÁREA: 83,81m²

LABORATÓRIO GERAL ÁREA: 49,65m²

0 4.6 7 4.7

COZINHA COLETIVA

5.23

5.00

2.21

4.8

3

5.2

ÁTRIO

9

ÁREA: 40,26m²

4.9 4 7

COZINHA COLETIVA ÁREA: 47,39m²

4.7

5.23

5.2

3

PLANTA - BAIXA LABORÁTORIO - 1:150


3 .2 8

5.00

CONVIVÊN

3 5.2

4. 8

3

5.0 0

5.00

5.00

7 4.7

0 5.0

5.00

MINI AUDITÓRIO

5.0 0

ÁREA: 46,98m²

5.0 0

5.00

0 5.0

5.0

Espaço Jardim com Colmeias

0 3

5.2 3

ÁREA: 460,66m²

5. 2 5.0 0

HORTA

5.00

EXTER

4.77

4.7

5.0

0

4. 7

7

4.77

7

5.0 5.23

HORTA

10

.32

7

0

HORTA

4.7

7

4.7

5.00 10.32

0

HORTA

5.0

5.0

5.00

0

DECK EXTERNO

DEPÓSITO 5.0 0

ÁREA: 276,31m² .32

10

.32

10 .74 17 10.32

PLANTA - BAIXA LABORÁTORIO - 1:150

4.77

5.00


5.23

2 .4 2 5.0 0

1.49

5.00

VEST. MASC.

5

2 .1

0

6

0. 1

5.2 3

6 5.0

2.3

E CONVIVÊNCIA

2.1

1 6.0

9

ÁREA: 46,63m²

7.54

ÁREA: 22,98m²

6.1

1 2.3

2. 2

4

0 3.7

1

CIRCULAÇÃO E CONVIVÊNCIA

5

2.23

3 3 4.8

4.8 3

5.9

5.2

ÁTRIO

3 5.2

2.31

LABORATÓRIO

9 1.4

LABORATÓRIO ÁREA: 22,73m²

CIRCULAÇÃO 2 1.7 1 3.6

2.46

4.8 3

2.23

2.06

3.9

1

DITÓRIO

ÁTRIO

2.46

3.7 8

3.87

2.17

0 5.0

5.2 3

7.06 5.23

0 7.5

2.4 3

A: 46,98m²

DML

COPA

ÁREA: 12,04m²

ÁREA: 14,45m²

LABORATÓRIO

2.50

2.2

2.0 6

4.13

ÁREA: 23,06m²

2.35

6

0 5.0

3

5.0

CIRCULAÇÃO E CONVIVÊNCIA

4.77

SALA DE REUNIÃO ÁREA: 47,33m²

3 2.2

ÁREA: 23,06m²

REFEITÓRIO ÁREA: 83,81m² 2.2 9 2.4 6

4.8

3

6

5.0 0

2.0

3 5.2

5.00

5.00

LABORATÓRIO GERAL ÁREA: 49,65m²

5.2 3

7 4.7

0

0 5.0

COZINHA COLETIVA

5.23

4.6

REFEITÓRIO ÁREA: 52,08m²

5.00

2.21

4

3

4.9

5.2

ÁTRIO

4.7

5.23

7

COZINHA COLETIVA

3

ÁREA: 60,95m²

5.2

0

REFEITÓRIO

5.0

4.8

3

5.2

PASSEIO EXTERNO

9

ÁREA: 40,26m²

ÁREA: 47,39m²

2.3

2

7.37

7 2.3 9 2.1

4.83

3

4.8

ESPAÇO RELAX

0

ÁREA: 46,66m²

4.77

5.0

7

4.7

5.00

PLANTA - BAIXA LABORÁTORIO - 1:150

1

2.3 10

8 3.7

4 7.5

7.37

.15

6.1

LABORATÓRIO

5.00


5.0

4.77

0

4.06

4.7 0

CIRCULAÇÃO E CONVIVÊNCIA 5.00

7 4.7

5.00

SANITÁRIO 3.8 2

ÁREA: 24,85m²

5.0 0

ÁREA COMERCIAL

6.48

ÁREA: 31,47m² 2 3.8

SANITÁRIO

5.00

8.78

4.06

ÁREA: 24,85m²

4.8 3

ÁREA COMERCIAL

ÁREA COMERCIAL

ÁREA: 26,92m²

ÁREA: 16,56m²

4.7 5

14.55

5.0 6

5.0

0

14.54

2.3

3

0 2.3

LANCHONETE 1

2.1

ÁREA: 23,62m²

1

0 5.0

4.6 8

4.1

8

2.3

1

4.83

2.3

2.2

3 7

PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO

3.6

LANCHONETE

ÁREA: 293,10m²

2.30

4.8 3

9 2.3

6 4.6

2.30

2.13

0

2.4

3 4.8

4.8 3

3.6 5

ÁREA: 23,77m²

9 3.5 0

1

ÁREA: 23,68m²

2.2

2.3 1

4.7

ÁREA: 23,57m²

6 4.6

1

6 4.6

2.3

1

4.1

1 5

ÁREA: 23,64m²

2.3

LANCHONETE ÁREA: 23,65m²

1

5 2.2

7 2.3

2.3

4.65

5.0 0

0

5.0 0

5.0

5.0 0

5.00

5.0

ÁREA: 227,35m²

0

PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO

0

5.0 0

5.0

5.00

5.0

0

0

5.0

5.00

1

1

LANCHONETE

2.2

6.3

PLANTA - BAIXA ÁREA CONVENIÊNCIA - 1:200

LANCHONETE

3.7

0 3.7

LANCHONETE

4.63


4.77

1

7 4.7

ÁREA: 60,02m²

EXPOSIÇÃO

4.7

5.00

4.89

4 4.5 1 4.7

4.5 4

0

7

ÁREA: 28,84m²

SALA DE EXPERIÊNCIAS

5.0 0

5.0

4.7

SALA DE EXPERIÊNCIAS

7 4.7

4.7 7

4.77

5.00

ÁREA: 60,49m²

6 5.0 2.2

8

5.2 3

6 5.0

5.00

3 7.6

SANITÁRIO ÁREA: 31,47m²

4.7 7

EXPOSIÇÃO ÁREA: 122,94m²

SANITÁRIO ÁREA: 31,47m²

7.7 2

5.00

LAGOA ARTIFICIAL COM VEGETAÇÃO AQUÁTICA ÁREA: 50,01m²

5.0 0

3 2.2 5.0

6

EXPOSIÇÃO ÁREA: 122,15m²

0

5.0 0 5.0

4.8 0

5.0

3

FOYER ÁREA: 50,42m²

5.00

4.0 3

4.0

3

8.2

AUDITÓRIO

7

7

4.7

4.89

7.2 1

ÁREA: 65,20m²

4.7

7 4.7

6

0 5.0

AUDITÓRIO

ÁREA: 65,20m²

PLANTA - BAIXA ÁREA EXPOSIÇÃO - 1:150 9 4.8

4.77


10.55

11.88

10.02

HALL ÁREA: 35,50m²

ÁREA DE CONVÍVIO DAS BORBOLETAS

12.43

7.72

ÁREA: 48,67m²

ESPELHO D'ÁGUA ÁREA: 70,61m²

CIRCULAÇÃO COM PERGOLADO

ESPELHO D'ÁGUA

ÁREA: 37,05m²

8.12

21.71

ÁREA: 66,16m²

ÁREA DE CONVÍVIO DAS BORBOLETAS

19.44

ÁREA: 486,17m²

PLANTA - BAIXA BORBOLETÁRIO - 1:150

23.69


CORTES


Área de Exposição

CORTES A.A E B.B ÁREA EXPOSIÇÃO - 1:150

Área de Exposição

Área de Exposição

Área de Exposição


Auditório

Área de Exposição

Foyer

CORTE A.A.

Área de Exposição

Sanitário

CORTE B.B.


Área Comercial

Área Coberta

CORTES C.C E D.D ÁREA EXPOSIÇÃO - 1:150

Praça de Alimentação Externa

Praça de Alimentação

Praça de A


CORTE C.C. ESC. 1:100

Praça de Alimentação

Área Comercial

Área Comercial

CORTE D.D. ESC. 1:100


CORTE F.F.

ARQUIVO ADM SALA DE ARMAZENAGEM E PREPARO DE INSETOS

SALA DE ARMAZENAGEM E PREPARO DE INSETOS

SALA DE CATALOGAÇÃO

SALA DE ADM SALA DE EXECUÇÃO ENFER./ADM. LABORATÓRIO GERAL ALMOXARIFADO GERAL

SALA DE CATALOGAÇÃO

PONTO

SALA DE EXECUÇÃO ENFER./ADM. SALA DA DIREÇÃO SALA DE CONTROLE DO BORBOLETÁRIO E DO LABORATÓRIO

SANITÁRIO

SALA DE REUNIÃO

SALA DA DIREÇÃO

DML

SANITÁRIO

LABORATÓRIO

SANITÁRIO

LABORATÓRIO

VEST. FEM.

SANITÁRIO

DEPOSITO DE MATERIAIS QUIMÍCOS

DEPOSITO

SALA DE EQUIPAMENTOS

RECEPÇÃO LABORATÓRIO

LABORATÓRIO

VEST. MASC.

LABORATÓRIO

LABORATÓRIO

MINI AUDITÓRIO

COPA

DML

LABORATÓRIO

MINI AUDITÓRIO

LABORATÓRIO

Refeitório Espaço Jardim com Colmeias SALA DE REUNIÃO

Cozinha Coletiva

Refeitório

Refeitório

Cozinha Coletiva

Espaço relax

Circulação

CORTES A.A E B.B ÁREA EXPOSIÇÃO - 1:150

Espaço relax

Circulação

Vest. Masc


Circulação

Circulação

Laboratório

Laboratório

CORTE E.E.

CORTE F.F.


LAYOUT


LAYOUT LABORÁTORIO - 1:150


LAYOUT LABORÁTORIO - 1:150


LAYOUT ÁREA DE CONVENIÊNCIA - 1:175


LAYOUT ÁREA DE EXPOSIÇÃO - 1:175


LAYOUT BORBOLETÁRIO - 1:175


PRÉ - DIMENSIONAMENTO ESTRUTURAL


1

2

5.27

3

10.67

2.45

4

5

4.65

6

2.82

7

4.93

8

2.59

A

9

4.77

PC101(0.35X0.20)

2.57

10

4.96

PC102(0.35X0.20)

Lc1 PC105(0.35X0.20)

VC104(0.20X0.40)

C

VC113(0.20X0.40)

PC113(0.35X0.20)

VC106(0.20X0.40)

PC107(0.35X0.20)

Lc9

Lc10

VC115(0.20X0.40)

VC114(0.20X0.40)

Lc11

VC287(0.20X0.40)

VC107(0.20X0.40) VC286(0.20X0.40)

Lc8

VC284(0.20X0.40)

VC283(0.20X0.40)

4.14

Lc7

VC105(0.20X0.40)

Lc3

PC106(0.35X0.20)

VC103(0.20X0.40)

VC285(0.20X0.40)

B

Lc2

VC280(0.20X0.40)

4.30

VC279(0.20X0.40)

VC101(0.20X0.40)

Lc12

PC115(0.35X0.20)

VC116(0.20X0.40)

VC117(0.20X0.40)

PC114(0.35X0.20)

VC118(0.20X0.40)

D

PC121(0.35X0.20)

Lc24

PC122(0.35X0.20)

VC127(0.20X0.40)

VC299(0.20X0.40)

Lc23

VC298(0.20X0.40)

VC297(0.20X0.40)

Lc22

VC296(0.20X0.40)

4.44

VC295(0.20X0.40)

Lc21 Lc25

VC130(0.20X0.40)

VC129(0.20X0.40)

Lc26

PC123(0.35X0.20)

VC153(0.20X0.40)

Lc64

VC163(0.20X0.40) PC147(0.35X0.20)

VC311(0.20X0.40)

Lc65

VC165(0.20X0.40)

VC164(0.20X0.40)

4.55

PC155(0.35X0.20)

Lc66

PC148(0.35X0.20)

Lc76

H

VC155(0.20X0.40) PC141(0.35X0.20)

VC333(0.20X0.40)

PC140(0.35X0.20)

Lc54

PC156(0.35X0.20)

VC343(0.20X0.40)

4.32

G

Lc53

VC154(0.20X0.40)

PC139(0.35X0.20)

Lc63

VC142(0.20X0.40)

VC322(0.20X0.40)

Lc52

VC152(0.20X0.40)

PC138(0.35X0.20)

Lc41

VC141(0.20X0.40)

VC321(0.20X0.40)

Lc51

VC151(0.20X0.40) PC137(0.35X0.20)

VC320(0.20X0.40)

VC319(0.20X0.40)

Lc50

Lc40

PC131(0.35X0.20)

VC140(0.20X0.40)

VC139(0.20X0.40)

VC318(0.20X0.40)

4.32

F

Lc39

PC130(0.35X0.20)

VC138(0.20X0.40) VC137(0.20X0.40)

Lc49

VC310(0.20X0.40)

VC309(0.20X0.40)

Lc38

VC332(0.20X0.40)

PC129(0.35X0.20)

VC131(0.20X0.40)

VC331(0.20X0.40)

E

Lc37

VC308(0.20X0.40)

Lc36

VC307(0.20X0.40)

4.25

VC128(0.20X0.40)

Lc77

VC176(0.20X0.40)

PC157(0.35X0.20)

VC205(0.20X0.40)

VC204(0.20X0.40)

Lc104

VC206(0.20X0.40)

Lc105

VC230(0.20X0.40)

VC229(0.20X0.40)

PC194(0.35X0.20)

VC244(0.20X0.40) PC203(0.35X0.20)

M

VC232(0.20X0.40)

VC245(0.20X0.40)

VC247(0.20X0.40)

VC246(0.20X0.40)

PC202(0.35X0.20)

PC210(0.35X0.20)

VC254(0.20X0.40)

PC211(0.35X0.20)

VC435(0.20X0.40)

VC434(0.20X0.40)

4.15

VC263(0.20X0.40)

Lc175

VC264101(0.20X0.40) PC218(0.35X0.20)

Lc176 VC265(0.20X0.40)

PC219(0.35X0.20)

VC427(0.20X0.40)

Lc165

Lc166

VC255(0.20X0.40) PC212(0.35X0.20)

Lc174

VC426(0.20X0.40)

4.33

ESTRUTURAL N LABORÁTORIO - 1:150

Lc139

PC213(0.35X0.20)

VC356(0.20X0.40)

Lc140

VC235(0.20X0.40)

VC234(0.20X0.40)

Lc155

Lc156

VC248(0.20X0.40) PC204(0.35X0.20)

Lc164

O

Lc153

Lc154

Lc124

PC187(0.35X0.20)

PC195(0.35X0.20)

VC417(0.20X0.40)

Lc152

VC209(0.20X0.40)

VC219(0.20X0.40)

VC233(0.20X0.40)

VC416(0.20X0.40)

VC415(0.20X0.40)

VC414(0.20X0.40)

4.21

Lc151

Lc138

Lc107

PC177(0.35X0.20)

Lc123

VC404(0.20X0.40)

VC403(0.20X0.40)

Lc137

VC231(0.20X0.40)

Lc150

VC208(0.20X0.40)

PC186(0.35X0.20) VC218(0.20X0.40)

VC402(0.20X0.40)

Lc136

VC389(0.20X0.40)

VC388(0.20X0.40)

VC387(0.20X0.40)

VC217(0.20X0.40)

VC216(0.20X0.40)

VC401(0.20X0.40)

Lc135

Lc121

Lc122

VC418(0.20X0.40)

PC193(0.35X0.20)

VC400(0.20X0.40)

4.54

VC215(0.20X0.40)

L

Lc120

Lc106

VC207(0.20X0.40)

PC185(0.35X0.20)

PC184(0.35X0.20)

Lc134

VC386(0.20X0.40)

VC385(0.20X0.40)

4.34

K

Lc119

VC191(0.20X0.40)

VC190(0.20X0.40)

PC176(0.35X0.20)

PC175(0.35X0.20)

Lc118

VC189(0.20X0.40)

VC373(0.20X0.40)

Lc103

PC165(0.35X0.20)

VC372(0.20X0.40)

VC370(0.20X0.40)

VC369(0.20X0.40)

VC368(0.20X0.40)

VC203(0.20X0.40)

VC188(0.20X0.40)

VC390(0.20X0.40)

VC202(0.20X0.40)

Lc102

VC187(0.20X0.40)

VC371(0.20X0.40)

VC186(0.20X0.40)

VC405(0.20X0.40)

PC174(0.35X0.20)

VC367(0.20X0.40)

4.26

J

Lc101

Lc91

PC166(0.35X0.20)

PC164(0.35X0.20)

VC185(0.20X0.40)

Lc100

Lc90

Lc89

VC419(0.20X0.40)

PC163(0.35X0.20)

I

Lc88

VC355(0.20X0.40)

Lc87

VC354(0.20X0.40)

4.29

VC175(0.20X0.40)

PC205(0.35X0.20)

PC196(0.35X0.20)


11

2.62

12

13

4.98

14

2.67

15

4.92

2.58

16

4.78

17

PC103(0.35X0.20)

2.51

18

19

5.01

2.51

20

5.07

21

22

2.41

PC104(0.35X0.20)

PC118(0.35X0.20)

VC422(0.20X0.40)

Lc160

VC266(0.20X0.40)

VC294(0.20X0.40) VC306(0.20X0.40) VC317(0.20X0.40)

VC316(0.20X0.40)

VC330(0.20X0.40)

VC329(0.20X0.40)

VC342(0.20X0.40)

VC341(0.20X0.40)

VC353(0.20X0.40)

VC352(0.20X0.40)

VC351(0.20X0.40)

VC366(0.20X0.40)

VC363(0.20X0.40)

VC364(0.20X0.40)

PC172(0.35X0.20)

Lc117 Lc116

PC182(0.35X0.20)

VC398(0.20X0.40)

Lc132

VC227(0.20X0.40)

Lc148

PC183(0.35X0.20)

Lc133

PC191(0.35X0.20)

VC226(0.20X0.40) VC225(0.20X0.40)

Lc147

PC173(0.35X0.20)

VC382(0.20X0.40)

VC381(0.20X0.40)

VC380(0.20X0.40)

Lc115

VC397(0.20X0.40)

Lc131

Lc1

VC201(0.20X0.40)

VC384(0.20X0.40)

VC340(0.20X0.40) VC350(0.20X0.40) VC362(0.20X0.40)

VC361(0.20X0.40) VC379(0.20X0.40)

Lc146

VC228(0.20X0.40)

PC192(0.35X0.20)

Lc149

VC243(0.20X0.40) VC241(0.20X0.40)

Lc162

VC242(0.20X0.40)

PC208(0.35X0.20)

VC259(0.20X0.40)

VC267(0.20X0.40)

VC438(0.20X0.40)

Lc179

Lc180

VC268(0.20X0.40)

PC200(0.35X0.20)

PC201(0.35X0.20)

Lc163

PC209(0.35X0.20)

Lc172

VC261(0.20X0.40)

VC260(0.20X0.40)

Lc173

VC262(0.20X0.40)

PC216(0.35X0.20)

Lc181

VC269(0.20X0.40)

PC221(0.35X0.20)

Lc182

Lc189

Lc183

VC270(0.20X0.40) PC222(0.35X0.20)

Lc187

VC433(0.20X0.40)

Lc171

VC432(0.20X0.40)

Lc170

VC431(0.20X0.40)

Lc169

VC258(0.20X0.40)

VC437(0.20X0.40)

VC436(0.20X0.40)

Lc178

VC328(0.20X0.40)

VC327(0.20X0.40) VC339(0.20X0.40) VC349(0.20X0.40)

VC348(0.20X0.40) VC409(0.20X0.40)

VC410(0.20X0.40)

Lc161

VC252(0.20X0.40)

PC215(0.35X0.20)

Lc177

PC162(0.35X0.20)

VC199(0.20X0.40)

PC190(0.35X0.20)

VC440(0.20X0.40)

VC257(0.20X0.40)

VC256(0.20X0.40)

Lc86

VC253(0.20X0.40)

PC214(0.35X0.20)

PC220(0.35X0.20)

Lc145

VC240(0.20X0.40)

VC251(0.20X0.40)

VC430(0.20X0.40)

VC429(0.20X0.40)

Lc168

Lc114

PC199(0.35X0.20)

VC239(0.20X0.40)

VC250(0.20X0.40)

Lc130

PC189(0.35X0.20)

PC207(0.35X0.20)

VC428(0.20X0.40)

Lc167

Lc144

Lc99

PC181(0.35X0.20)

VC441(0.20X0.40)

VC249(0.20X0.40) PC206(0.35X0.20)

Lc159

Lc113

PC161(0.35X0.20)

Lc1

VC184(0.20X0.40)

PC171(0.35X0.20)

VC224(0.20X0.40)

PC198(0.35X0.20)

VC421(0.20X0.40)

Lc158

Lc129

VC223(0.20X0.40)

VC238(0.20X0.40)

VC420(0.20X0.40)

Lc157

Lc128

VC408(0.20X0.40)

VC237(0.20X0.40) VC236(0.20X0.40)

Lc85

VC214(0.20X0.40)

VC424(0.20X0.40)

PC197(0.35X0.20)

VC407(0.20X0.40)

VC406(0.20X0.40)

Lc141

Lc143

Lc98

VC213(0.20X0.40)

VC222(0.20X0.40)

VC220(0.20X0.40)

Lc142

Lc112

PC180(0.35X0.20)

VC221(0.20X0.40)

PC188(0.35X0.20)

Lc84

PC154(0.35X0.20)

VC174(0.20X0.40)

VC198(0.20X0.40)

VC396(0.20X0.40)

VC393(0.20X0.40)

VC392(0.20X0.40)

VC391(0.20X0.40)

Lc127

PC153(0.35X0.20)

VC213(0.20X0.40)

Lc125 Lc126

PC170(0.35X0.20)

VC411(0.20X0.40)

VC212(0.20X0.40)

Lc97

Lc75

VC173(0.20X0.40)

VC413(0.20X0.40)

PC179(0.35X0.20)

VC210(0.20X0.40)

Lc74

PC160(0.35X0.20)

VC197(0.20X0.40)

VC439(0.20X0.40)

PC178(0.35X0.20)

VC196(0.20X0.40)

Lc111

Lc73

VC172(0.20X0.40)

VC425(0.20X0.40)

VC211(0.20X0.40)

9(0.20X0.40)

Lc83

Lc62

VC162(0.20X0.40) PC146(0.35X0.20)

VC183(0.20X0.40)

Lc96

Lc61

PC152(0.35X0.20)

PC151(0.35X0.20)

VC195(0.20X0.40)

Lc110

Lc60

VC182(0.20X0.40)

PC169(0.35X0.20)

VC377(0.20X0.40)

Lc109

VC376(0.20X0.40)

Lc108

VC375(0.20X0.40)

VC374(0.20X0.40)

Lc107

Lc95

PC168(0.35X0.20)

PC167(0.35X0.20) VC193(0.20X0.40)

Lc82

PC136(0.35X0.20)

PC145(0.35X0.20)

VC181(0.20X0.40)

VC360(0.20X0.40)

Lc94

VC360(0.20X0.40)

Lc93

Lc72

VC180(0.20X0.40) PC159(0.35X0.20)

VC359(0.20X0.40)

VC358(0.20X0.40)

VC178(0.20X0.40)

VC194(0.20X0.40) VC192(0.20X0.40)

(0.20X0.40)

Lc81

VC170(0.20X0.40)

VC423(0.20X0.40)

PC158(0.35X0.20)

VC357(0.20X0.40)

Lc80

VC179(0.20X0.40)

VC177(0.20X0.40)

Lc92

VC347(0.20X0.40)

VC346(0.20X0.40)

VC345(0.20X0.40)

VC344(0.20X0.40)

C176(0.20X0.40)

Lc71

Lc48

VC150(0.20X0.40)

VC161(0.20X0.40)

VC171(0.20X0.40) VC169(0.20X0.40)

Lc47

VC149(0.20X0.40)

VC160(0.20X0.40)

VC168(0.20X0.40)

PC149(0.35X0.20) VC167(0.20X0.40)

Lc79

VC338(0.20X0.40)

Lc70

VC378(0.20X0.40)

VC166(0.20X0.40)

Lc78

VC159(0.20X0.40)

VC395(0.20X0.40)

PC150(0.35X0.20)

Lc69

Lc46

VC148(0.20X0.40)

Lc59

PC144(0.35X0.20)

VC394(0.20X0.40)

Lc68

Lc35

PC128(0.35X0.20)

VC136(0.20X0.40)

VC147(0.20X0.40) PC135(0.35X0.20)

Lc58

PC143(0.35X0.20)

VC158(0.20X0.40)

VC336(0.20X0.40)

Lc67

Lc57

VC157(0.20X0.40)

VC335(0.20X0.40)

VC334(0.20X0.40)

65(0.20X0.40)

VC314(0.20X0.40)

VC313(0.20X0.40)

PC142(0.35X0.20)

PC141(0.35X0.20)

Lc45

VC146(0.20X0.40)

VC326(0.20X0.40)

Lc56

VC325(0.20X0.40)

VC324(0.20X0.40)

VC323(0.20X0.40)

Lc55

Lc34

VC126(0.20X0.40)

PC127(0.35X0.20)

PC134(0.35X0.20)

VC145(0.20X0.40) PC133(0.35X0.20)

VC144(0.20X0.40)

VC156(0.20X0.40)

C155(0.20X0.40)

Lc44

VC337(0.20X0.40)

VC312(0.20X0.40)

PC132(0.35X0.20) VC143(0.20X0.40)

Lc33

VC135(0.20X0.40)

VC134(0.20X0.40)

PC126(0.35X0.20)

Lc43

Lc42

Lc32

VC315(0.20X0.40)

VC132(0.20X0.40)

Lc20

PC120(0.35X0.20) VC125(0.20X0.40)

VC124(0.20X0.40)

VC133(0.20X0.40)

PC125(0.35X0.20)

PC124(0.35X0.20)

42(0.20X0.40)

Lc30

Lc19

PC119(0.35X0.20)

VC123(0.20X0.40)

VC303(0.20X0.40)

Lc29

131(0.20X0.40)

Lc91

VC302(0.20X0.40)

Lc28

Lc27

VC122(0.20X0.40)

VC121(0.20X0.40)

VC120(0.20X0.40)

PC116(0.35X0.20)

VC301(0.20X0.40)

VC300(0.20X0.40)

VC119(0.20X0.40)

Lc18

VC304(0.20X0.40)

PC117(0.35X0.20)

118(0.20X0.40)

Lc17

VC293(0.20X0.40)

Lc16

PC112(0.35X0.20)

VC112(0.20X0.40)

VC305(0.20X0.40)

Lc15

VC111(0.20X0.40)

VC110(0.20X0.40)

VC412(0.20X0.40)

Lc14

VC290(0.20X0.40)

VC289(0.20X0.40)

Lc13

PC111(0.35X0.20) VC109(0.20X0.40)

VC292(0.20X0.40)

VC108(0.20X0.40) VC288(0.20X0.40)

Lc12

Lc6

PC110(0.35X0.20)

PC109(0.35X0.20)

107(0.20X0.40)

VC291(0.20X0.40)

PC108(0.35X0.20)

Lc5

VC282(0.20X0.40)

Lc4

VC281(0.20X0.40)

VC102(0.20X0.40)

PC223(0.35X0.20)

PC217(0.35X0.20)

ESTRUTURAL LABORÁTORIO - 1:150


4.55

H

PC155(0.35X0.20)

PC156(0.35X0.20)

PC163(0.35X0.20)

PC164(0.35X0.20) VC186(0.20X0.40)

J

PC174(0.35X0.20)

VC202(0.20X0.40)

Lc101

VC368(0.20X0.40)

Lc100

VC367(0.20X0.40)

4.26

VC185(0.20X0.40)

VC203(0.20X0.40)

Lc102

VC187(0.20X0.40)

VC369(0.20X0.40)

I

Lc88

VC355(0.20X0.40)

Lc87

VC354(0.20X0.40)

4.29

VC175(0.20X0.40)

Lc103

VC205(0.20X0.40)

VC204(0.20X0.40)

L

PC193(0.35X0.20)

VC400(0.20X0.40)

4.54

VC215(0.20X0.40)

Lc135

VC230(0.20X0.40)

VC229(0.20X0.40)

VC387(0.20X0.40)

VC386(0.20X0.40)

Lc121

VC217(0.20X0.40)

PC185(0.35X0.20)

PC184(0.35X0.20)

Lc134

Lc120

VC216(0.20X0.40)

Lc136

VC402(0.20X0.40)

K

Lc119

VC401(0.20X0.40)

4.34

Lc118

VC385(0.20X0.40)

PC175(0.35X0.20)

PC194(0.35X0.20)

Lc137

VC232(0.20X0.40)

VC244(0.20X0.40) PC203(0.35X0.20)

M

Lc152

VC245(0.20X0.40)

PC210(0.35X0.20)

VC254(0.20X0.40)

PC211(0.35X0.20)

VC263(0.20X0.40)

VC264101(0.20X0.40)

VC271(0.20X0.40)

VC446(0.20X0.40)

4.92

Lc186

VC272(0.20X0.40)

PC224(0.35X0.20)

L190

VC275(0.20X0.40)

Lc191

Lc192

VC277(0.20X0.40) PC229(0.35X0.20)

Lc195 VC448(0.20X0.40)

4.67

VC273(0.20X0.40)

VC276(0.20X0.40) PC228(0.35X0.20)

Lc193

ESTRUTURAL LABORÁTORIO - 1:150

Lc185

VC447(0.20X0.40)

4.32

Lc184

PC219(0.35X0.20)

VC443(0.20X0.40)

VC442(0.20X0.40)

PC218(0.35X0.20)

Lc176 VC265(0.20X0.40)

Lc194

VC449(0.20X0.40)

O

VC435(0.20X0.40)

VC434(0.20X0.40)

4.15

Lc174

Lc175

VC278(0.20X0.40) PC230(0.35X0.20)

PC231(0.35X0.20)

PC225(0.35X0.20)

VC427(0.20X0.40)

Lc165

VC255(0.20X0.40) PC212(0.35X0.20)

R

VC246(0.20X0.40)

VC426(0.20X0.40)

4.33

N

Q

Lc153

PC202(0.35X0.20)

Lc164

P

VC416(0.20X0.40)

Lc151

VC415(0.20X0.40)

4.21

Lc150

VC414(0.20X0.40)

VC231(0.20X0.40)


Lc160

VC252(0.20X0.40)

VC259(0.20X0.40)

VC266(0.20X0.40)

VC351(0.20X0.40) VC363(0.20X0.40) VC381(0.20X0.40)

VC380(0.20X0.40)

VC397(0.20X0.40)

VC396(0.20X0.40)

VC412(0.20X0.40)

VC411(0.20X0.40)

Lc147

Lc148

VC243(0.20X0.40)

Lc162

VC242(0.20X0.40)

PC208(0.35X0.20)

PC200(0.35X0.20)

Lc163

PC209(0.35X0.20)

Lc181

VC269(0.20X0.40)

PC221(0.35X0.20)

Lc182

VC445(0.20X0.40)

VC444(0.20X0.40)

Lc188

Lc173

VC262(0.20X0.40)

Lc183

VC270(0.20X0.40) PC222(0.35X0.20)

Lc187

VC433(0.20X0.40)

VC432(0.20X0.40)

VC261(0.20X0.40)

VC260(0.20X0.40)

VC268(0.20X0.40)

VC267(0.20X0.40)

Lc172

VC441(0.20X0.40)

Lc180

Lc171

PC216(0.35X0.20)

VC439(0.20X0.40)

Lc179

VC438(0.20X0.40)

VC437(0.20X0.40)

VC436(0.20X0.40)

Lc178

VC226(0.20X0.40) VC225(0.20X0.40)

VC241(0.20X0.40)

VC440(0.20X0.40)

VC258(0.20X0.40)

Lc170

VC431(0.20X0.40)

Lc169

PC215(0.35X0.20)

Lc177

VC362(0.20X0.40)

VC361(0.20X0.40) VC395(0.20X0.40) VC410(0.20X0.40)

Lc161

Lc132

VC253(0.20X0.40)

PC214(0.35X0.20)

PC220(0.35X0.20)

Lc146

VC240(0.20X0.40)

VC251(0.20X0.40)

VC430(0.20X0.40)

VC429(0.20X0.40)

VC428(0.20X0.40)

VC257(0.20X0.40)

VC256(0.20X0.40) PC213(0.35X0.20)

Lc131

PC199(0.35X0.20)

VC239(0.20X0.40)

VC250(0.20X0.40)

Lc145

Lc166

Lc167

Lc115

PC190(0.35X0.20)

PC189(0.35X0.20)

PC207(0.35X0.20)

Lc168

VC350(0.20X0.40)

VC349(0.20X0.40)

VC348(0.20X0.40) VC360(0.20X0.40) VC409(0.20X0.40)

Lc144

Lc130

VC425(0.20X0.40)

Lc159

Lc114

PC181(0.35X0.20)

VC224(0.20X0.40)

PC198(0.35X0.20)

VC249(0.20X0.40) PC206(0.35X0.20)

PC205(0.35X0.20)

Lc129

VC424(0.20X0.40)

Lc158

VC199(0.20X0.40)

PC171(0.35X0.20)

Lc113

Lc99

VC198(0.20X0.40)

VC213(0.20X0.40)

VC223(0.20X0.40)

VC238(0.20X0.40)

VC421(0.20X0.40)

Lc157

Lc98

VC214(0.20X0.40)

VC394(0.20X0.40)

VC393(0.20X0.40)

VC237(0.20X0.40) VC236(0.20X0.40)

Lc156

Lc112

PC180(0.35X0.20)

Lc128

VC408(0.20X0.40)

VC407(0.20X0.40)

VC406(0.20X0.40)

PC197(0.35X0.20)

PC170(0.35X0.20)

VC222(0.20X0.40)

Lc143

VC184(0.20X0.40)

VC213(0.20X0.40)

VC422(0.20X0.40)

PC196(0.35X0.20)

Lc142

Lc97

VC379(0.20X0.40)

VC377(0.20X0.40)

VC376(0.20X0.40)

VC375(0.20X0.40)

VC374(0.20X0.40)

Lc141

VC248(0.20X0.40) PC204(0.35X0.20)

Lc127

PC160(0.35X0.20)

VC197(0.20X0.40)

VC221(0.20X0.40)

PC188(0.35X0.20)

Lc140

VC235(0.20X0.40)

VC419(0.20X0.40)

Lc155

PC179(0.35X0.20)

VC220(0.20X0.40)

VC405(0.20X0.40)

Lc139

Lc111

VC212(0.20X0.40)

Lc126

Lc96

VC196(0.20X0.40)

Lc125

VC234(0.20X0.40)

VC418(0.20X0.40)

VC417(0.20X0.40)

VC247(0.20X0.40)

Lc124

PC187(0.35X0.20)

PC195(0.35X0.20) VC233(0.20X0.40)

Lc154

VC211(0.20X0.40) VC210(0.20X0.40)

VC219(0.20X0.40)

VC404(0.20X0.40)

VC403(0.20X0.40)

Lc138

PC178(0.35X0.20)

PC169(0.35X0.20)

Lc85

VC183(0.20X0.40)

VC195(0.20X0.40)

Lc110

Lc84

VC182(0.20X0.40)

VC423(0.20X0.40)

PC186(0.35X0.20) VC218(0.20X0.40)

Lc109

VC391(0.20X0.40)

Lc123

Lc108

VC209(0.20X0.40) PC177(0.35X0.20)

VC390(0.20X0.40)

Lc122

VC389(0.20X0.40)

VC388(0.20X0.40)

VC207(0.20X0.40)

Lc107

VC392(0.20X0.40)

VC208(0.20X0.40)

PC176(0.35X0.20)

VC373(0.20X0.40)

Lc106

Lc83

VC181(0.20X0.40)

Lc95

PC168(0.35X0.20)

PC167(0.35X0.20) VC193(0.20X0.40)

VC420(0.20X0.40)

VC206(0.20X0.40)

Lc105

Lc94

Lc82

VC180(0.20X0.40)

VC378(0.20X0.40)

Lc93

VC194(0.20X0.40) VC192(0.20X0.40)

VC191(0.20X0.40)

VC190(0.20X0.40)

VC372(0.20X0.40)

Lc104

VC371(0.20X0.40)

VC370(0.20X0.40)

VC188(0.20X0.40)

VC189(0.20X0.40)

Lc81

PC159(0.35X0.20)

PC166(0.35X0.20) PC165(0.35X0.20)

VC347(0.20X0.40)

VC178(0.20X0.40)

VC358(0.20X0.40)

VC357(0.20X0.40)

VC356(0.20X0.40)

Lc90

Lc89

Lc92

Lc80

VC179(0.20X0.40)

VC177(0.20X0.40) PC158(0.35X0.20)

Lc91

VC346(0.20X0.40)

Lc79

VC360(0.20X0.40)

VC176(0.20X0.40)

PC157(0.35X0.20)

Lc78

VC345(0.20X0.40)

VC344(0.20X0.40)

Lc77

VC359(0.20X0.40)

.35X0.20)

VC343(0.20X0.40)

Lc76

PC223(0.35X0.20)

Lc189

VC274(0.20X0.40) PC226(0.35X0.20)

PC227(0.35X0.20)

ESTRUTURAL LABORÁTORIO - 1:150

PC217(0.35X0.20)


1 2.61

5

4

3

2 4.79

2.70

4.80

A

7

6 2.64

PB1 (0.35X0.20)

4.77

8 2.55

PB2 (0.35X0.20)

VB

VB167(0.20X0.40)

0) 0.4 16 5

(0.2 0X

4.34

VB103(0.20X0.40)

VB104(0.20X0.40)

Lb3

)

PB4 (0.35X0.20)

.40 X0 PB5(0.35X0.20)

VB105(0.20X0.40)

VB175(0.20X0.40)

VB173(0.20X0.40)

VB174(0.20X0.40)

VB112(0.20X0.40)

Lb10

.20

X0

.40

)

Lb17

18

Lb16

PB11 (0.35X0.20)

VB

Lb15

VB113(0.20X0.40)

3(0

VB181(0.20X0.40)

Lb14

Lb9

PB10 (0.35X0.20)

VB180(0.20X0.40)

0)

VB179(0.20X0.40)

Lb13

Lb8

VB111(0.20X0.40)

VB110(0.20X0.40)

VB178(0.20X0.40)

0.4 0X

(0.2

Lb12

Lb7

PB9 (0.35X0.20)

PB8 (0.35X0.20)

VB177(0.20X0.40)

76

1 VB

Lb11

VB172(0.20X0.40)

VB109(0.20X0.40)

VB108(0.20X0.40) VB107(0.20X0.40)

4.26

VB171(0.20X0.40)

VB170(0.20X0.40)

) X0 .40 VB 16

9(0

.20

4.23

PB7 (0.35X0.20)

Lb6

) .40 X0 .20

Lb5

1(0 10 VB

C

Lb4

PB6 (0.35X0.20)

VB106(0.20X0.40)

VB102(0.20X0.40)

VB182(0.20X0.40)

PB3 (0.35X0.20)

.20

B

Lb2

(0 68

Lb1

1 VB

VB166(0.20X0.40)

VB101(0.20X0.40)

VB117(0.20X0.40)

VB121(0.20X0.40)

Lb26

PB20(0.35X0.20)

.40 )

Lb27

VB

Lb25

VB122(0.20X0.40)

.20 X0

VB193(0.20X0.40)

VB192(0.20X0.40)

VB191(0.20X0.40)

0) 0X 0.4 VB 1

90 (0.2

4.51

Lb24

VB188(0.20X0.40)

PB19 (0.35X0.20)

VB120(0.20X0.40) PB18 (0.35X0.20)

Lb23

Lb22

19 5(0

VB119(0.20X0.40)

PB17 (0.35X0.20)

) .40

E

X0 .20

Lb21

0)

0.4 0X

(0.2

Lb20

9(0

84

4.33

PB16 (0.35X0.20)

18 VB

1 VB

Lb19

VB118(0.20X0.40)

PB15 (0.35X0.20)

VB187(0.20X0.40)

PB14 (0.35X0.20)

Lb18

VB194(0.20X0.40)

VB116(0.20X0.40)

VB115(0.20X0.40)

PB13 (0.35X0.20)

VB186(0.20X0.40)

VB114(0.20X0.40) PB12 (0.35X0.20)

VB185(0.20X0.40)

D

PB23(0.35X0.20)

VB201(0.20X0.40)

VB199(0.20X0.40)

VB198(0.20X0.40)

VB197(0.20X0.40)

.40 ) 0X 0 6(0 .2 19 VB

Lb34

0)

Lb33

.4 X0

Lb32

.20

Lb31

PB25(0.35X0.20)

VB127(0.20X0.40)

3(0

4.30

PB24 (0.35X0.20)

20 VB

Lb28

Lb30

VB126(0.20X0.40)

VB125(0.20X0.40)

VB123(0.20X0.40)

VB202(0.20X0.40)

VB124(0.20X0.40)

PB22 (0.35X0.20)

PB21 (0.35X0.20)

VB200(0.20X0.40)

F

Lb35

Lb29 VB132(0.20X0.40)

VB130(0.20X0.40)

) .40 X0 .20 1(0

) .40

Lb56

X0

Lb55

)

.40

VB225(0.20X0.40)

Lb54

VB224(0.20X0.40)

Lb53

VB223(0.20X0.40)

X0

.20

0(0

VB222(0.20X0.40)

22

Lb52

Lb58

.20

Lb57 VB221(0.20X0.40)

VB

4.25

VB146(0.20X0.40)

VB145(0.20X0.40)

Lb50

Lb49

7(0

VB144(0.20X0.40)

Lb48

22

VB143(0.20X0.40)

VB142(0.20X0.40)

VB141(0.20X0.40)

Lb47

VB

Lb46

VB218(0.20X0.40)

VB215(0.20X0.40)

VB214(0.20X0.40)

VB213(0.20X0.40)

) .40 X0 .20 2(0 21

Lb45

VB139(0.20X0.40)

VB138(0.20X0.40)

) .40

VB

Lb44

21 PB30 (0.35X0.20)

VB137(0.20X0.40)

0 0X

VB140(0.20X0.40)

Lb51

VB210(0.20X0.40)

VB135(0.20X0.40)

Lb42

.2 9(0 21

4.34

Lb41

VB

PB31 (0.35X0.20)

Lb40

VB226(0.20X0.40)

0)

0.4

I

Lb39

VB209(0.20X0.40)

Lb38

VB136(0.20X0.40)

Lb43

PB28 (0.35X0.20) VB134(0.20X0.40)

VB217(0.20X0.40)

X .20 4(0

4.35

20 PB29(0.35X0.20)

Lb37

VB207(0.20X0.40)

VB

H

VB133(0.20X0.40)

VB131(0.20X0.40)

VB206(0.20X0.40)

Lb36

VB205(0.20X0.40)

VB129(0.20X0.40)

VB

VB128(0.20X0.40)

VB208(0.20X0.40)

PB26 (0.35X0.20)

VB216(0.20X0.40)

G

VB148(0.20X0.40)

VB147(0.20X0.40) PB33 (0.35X0.20)

VB149(0.20X0.40)

VB150(0.20X0.40)

PB34 (0.35X0.20)

VB234(0.20X0.40)

) .40 X0 .20 1(0 23 ) .40 X0 .20 1(0 24

VB159(0.20X0.40)

VB246(0.20X0.40)

VB245(0.20X0.40)

VB244(0.20X0.40)

VB163(0.20X0.40)

VB162(0.20X0.40)

1(0

.20

X0

.40

)

Lb77

25

0) 0.4 0X

(0.2

8 24

Lb76

VB

VB

VB249(0.20X0.40)

PB47 (0.35X0.20)

VB250(0.20X0.40)

4.33

VB243(0.20X0.40)

Lb74

PB46(0.35X0.20)

Lb75 4.33

)

)

.40

VB161(0.20X0.40)

.40

X0

VB160(0.20X0.40) PB45 (0.35X0.20)

X0

Lb73

.20

Lb72

7(0 24

Lb71

VB

.20

2(0

24

VB

N

ESTRUTURAL ÁREA EXPOSIÇÃO - 1:200

Lb69

PB44 (0.35X0.20)

Lb70

O

PB42 (0.35X0.20)

VB

VB239(0.20X0.40)

VB238(0.20X0.40)

VB

VB237(0.20X0.40)

) .40 X0 .20 23

6(0

4.33

VB233(0.20X0.40)

.40 X0 .20 VB

23

2(0

4.33

VB158(0.20X0.40)

)

VB157(0.20X0.40)

.40

VB156(0.20X0.40)

X0

PB43 (0.35X0.20)

Lb64

VB155(0.20X0.40)

VB154(0.20X0.40)

Lb68

.20

M

Lb66

Lb67

5(0

Lb65

VB153(0.20X0.40)

PB41 (0.35X0.20)

Lb63

PB39 (0.35X0.20)

23

PB40 (0.35X0.20)

Lb62

VB152(0.20X0.40)

VB

)

PB38 (0.35X0.20)

VB240(0.20X0.40)

K

Lb61

VB

)

.40

X0

.20

8(0

4.33

22

VB

Lb60

VB230(0.20X0.40)

Lb59

L

VB151(0.20X0.40) PB35 (0.35X0.20)

VB229(0.20X0.40)

J

VB164(0.20X0.40) PB48 (0.35X0.20)

PB49 (0.35X0.20)

PB36 (0.35X0.20)

PB32(0.35X0.20)


1

2

3

2.62

A

4

4.69

5

2.76

VA101(0.20X0.40)

6

4.89

7

2.87

PA2 (0.35X0.20)

4.58

PA3 (0.35X0.20)

8 2.51

VA105(0.20X0.40)

PA4(0.35X0.20)

VA161(0.20X0.40)

VA 15 9(0

VA160(0.20X0.40)

VA157(0.20X0.40)

VA156(0.20X0.40)

VA 15 5(0

4.21

.20

X0 .40

)

PA7 (0.35X0.20)

VA107(0.20X0.40)

VA106(0.20X0.40)

La6

)

0)

PA6 (0.35X0.20)

La5

.40 X0

0.4

VA104(0.20X0.40)

VA103(0.20X0.40)

La4

.20

0X

La3

2(0

(0.2

VA102(0.20X0.40)

58

PA5 (0.35X0.20)

La2

1 VA

B

La1

16 VA

.20 X0 .40 )

PA1 (0.35X0.20)

VA108(0.20X0.40)

)

PA9(0.35X0.20)

VA110(0.20X0.40)

VA111(0.20X0.40)

(0.2 0

X0 .40 )

La15

VA 17 2

La12

La14

VA171(0.20X0.40)

La13

VA170(0.20X0.40)

.20 VA 16 6(0

La11

VA168(0.20X0.40)

VA167(0.20X0.40)

X0 .40

)

VA165(0.20X0.40)

La10

0 0.4 0X

VA113(0.20X0.40)

VA112(0.20X0.40)

PA12 (0.35X0.20)

PA10 (0.35X0.20)

0.4

0X 0)

D

VA114(0.20X0.40)

La18 6(0 .20 X0 .40 )

(0.2

La17

VA 17

73

4.45

1 VA

La16

VA175(0.20X0.40)

PA11 (0.35X0.20) VA174(0.20X0.40)

) .40 X0

0 0.2

VA164(0.20X0.40)

La9

(0.2

3(

4.22

La8

9 16 VA

16 VA

La7

VA109(0.20X0.40)

C

PA14 (0.35X0.20)

VA179(0.20X0.40)

VA 17

La21

)

VA178(0.20X0.40)

.20 X0 .4 7(0

4.46

.40

VA117(0.20X0.40)

VA116(0.20X0.40)

X0

PA16 (0.35X0.20)

.20

VA115(0.20X0.40)

PA15 (0.35X0.20)

La20

0(0

La19

18 VA

0)

PA13 (0.35X0.20)

E

VA118(0.20X0.40)

PA17 (0.35X0.20)

PA18 (0.35X0.20)

VA187(0.20X0.40)

.40 )

0X 0 2(0 .2 20 VA

VA200(0.20X0.40)

4.45

VA199(0.20X0.40)

) .40 )

.40 X0

VA135(0.20X0.40)

PA28 (0.35X0.20)

.20

La42

4(0

)

.40

X0

.20

8(0

VA133(0.20X0.40)

PA27 (0.35X0.20)

La40

PA26 (0.35X0.20)

20

19

VA

H

La39

VA132(0.20X0.40)

La41

VA

La38

X0 VA

PA25 (0.35X0.20) VA131(0.20X0.40) VA130(0.20X0.40)

VA203(0.20X0.40)

VA128(0.20X0.40)

PA24 (0.35X0.20)

VA201(0.20X0.40)

PA23 (0.35X0.20)

VA129(0.20X0.40)

.20 19

VA196(0.20X0.40)

VA194(0.20X0.40)

VA193(0.20X0.40)

VA192(0.20X0.40)

)

G

VA127(0.20X0.40)

La37

7(0

VA185(0.20X0.40)

VA184(0.20X0.40)

VA183(0.20X0.40)

VA182(0.20X0.40)

X0 .40 (0.2 0 VA 18 1

4.21

VA186(0.20X0.40)

.40

La35

X0

VA191(0.20X0.40)

.20

VB190(0.20X0.40)

La36

5(0

La33

La34

19

)

0 0.4

0X

4.21

La32

)

PA22 (0.35X0.20) VA126(0.20X0.40)

VA

(0.2 89

1 VA

La31

La29

VA125(0.20X0.40)

PA21 (0.35X0.20) VA124(0.20X0.40)

VA122(0.20X0.40)

La30

La28

.40

VA123(0.20X0.40)

PA20 (0.35X0.20)

La27

La26

X0

VA121(0.20X0.40)

La25

.20

La24

8(0

VA120(0.20X0.40)

La23

18

PA19 (0.35X0.20)

La22

VA

)

VA119(0.20X0.40)

F

La43

VA136(0.20X0.40)

0(0 .20

X0

.40

)

La49

VA

21

La48

VA209(0.20X0.40)

La47

La46

VA208(0.20X0.40)

La45

VA207(0.20X0.40)

La44

VB206(0.20X0.40)

VA

20

5(0

4.34

.20

X0 .40 )

VA134(0.20X0.40)

I

VA138(0.20X0.40)

VA137(0.20X0.40)

VA139(0.20X0.40)

PA30(0.35X0.20)

21 4(0

.20 X0 .40

)

La52

0)

VA

La51

VA213(0.20X0.40)

VA212(0.20X0.40)

.4 X0

.20

4.33

1(0 21

VA

VA141(0.20X0.40)

21 VA

La55

0)

VA216(0.20X0.40)

.40 X0 5(0

.20

4.44

0.4

VA144(0.20X0.40)

VA143(0.20X0.40)

0X

PA36 (0.35X0.20)

.2 8(0

VA142(0.20X0.40)

PA35 (0.35X0.20)

La54

21

La53

PA34 (0.35X0.20)

VA

)

PA33 (0.35X0.20)

VA217(0.20X0.40)

J

K

VA145(0.20X0.40)

PA37(0.35X0.20)

L

VA146(0.20X0.40)

) .40 X0 .20

VA149(0.20X0.40)

PA39 (0.35X0.20)

VA147(0.20X0.40)

4(0 22

La61 PA38 (0.35X0.20)

La63

VA

La59

La62 La60

VA223(0.20X0.40)

La58

VA222(0.20X0.40)

VA221(0.20X0.40)

VA220(0.20X0.40)

VA

21

4.22

9(0 .20

X0

.40 )

La56

La57

PA40(0.35X0.20)

VA228(0.20X0.40)

0) 0.4 0X 7(0 .2 VA

22

VA227(0.20X0.40)

VA229(0.20X0.40)

VA153(0.20X0.40)

VA152(0.20X0.40)

PA43 (0.35X0.20)

23

4(0 .2

0X

0.4

0)

La72

VA

0)

0.4

0X

.2 1(0

23

La71

VA233(0.20X0.40)

La70

VA232(0.20X0.40)

PA42 (0.35X0.20)

VA

4.33

0)

La69

0.4 0X

VA151(0.20X0.40)

La68

0.2

VA150(0.20X0.40) PA41 (0.35X0.20)

La67

0(

4.23

La66

23

La65

VA

0)

0.4

0X (0.2

5 22

VA

La64

VA226(0.20X0.40)

VA148(0.20X0.40)

M

ESTRUTURAL ÁREA EXPOSIÇÃO - 1:200

PA31 (0.35X0.20) VA140(0.20X0.40)

La50

N

PA8 (0.35X0.20)

VA105(0.20X0.40)

VA154(0.20X0.40) PA44 (0.35X0.20)

PA45 (0.35X0.20)

PA32(0.35X0.20)

PA29 (0.35X0.20)


PLANTA - BAIXA DOS PONTOS ELÉTRICOS


4.77

200w

200w

2

2

2x

S

2x 200w

2x

2x

200w

200w

200w

2

2

2

200w

2

2

2x

2x

2x

2x

S 2x

200w 2

Legenda:

2

2x 200w

S

200w 2

S S Tomada de corrente no piso

200w 200w

2

200w

2

2

Tomada de corrente a meia altura (1,30m do piso) Tomada de corrente na parede, baixa (30cm do piso) Tomada de corrente alta (2m do piso)

S

200w

200w

2

2

Ponto de luz no teto

S

Ponto de interruptor

S

Ponto de luz na parede (arandela)

S

200w 2

200w 2

200w

200w

2

2

Ligações das iluminarias ao interruptor 200w 2

S

200w

S

200w

2

2

200w 2

S S

S

S

200w 2 200w

200w

200w

200w

2

2

2

2

2

200w

200w

200w

2

2

2

S

200w 200w 200w

S

2

2

S S 200w 2

200w 2 200w 2

S

S

200w 2

200w 2

S

200w 2

200w

S

2

200w 2

200w 2

S

200w

200w

2

200w

2

200w

2

2

200w

S

2

200w 2

S

200w 2

200w 2

200w

200w

2

2

S 2x

200w 2

200w 2

200w 2

200w 2

200w

S

200w 2

200w 2

2

200w 2 200w 2

PLANTA ELÉTRICA LABORÁTORIO - 1:150 200w 2

200w 2


200w

200w

2

2

200w

200w

2

2

200w 200w

2

2

S

2x 200w

200w

2

2 200w 2

200w

S

200w

S

2

200w 2 200w 2

2x 200w 200w

2

2

S 200w

200w 2

2

S

200w 2 200w 2

S 200w 200w

200w

2

2

S

2

S S

S

200w

200w

2

2

200w

200w 2

200w

200w

200w

2

2

2

200w

200w

2

2

S 200w 2 200w 2

S

200w

200w

2

2

200w 200w

2x

2

2

2x

S 2x

200w

200w

2

2 200w 200w

200w

2

2

2

S

200w 2

200w

S

2 200w

200w

2

200w 2

2

S 2x S

S

200w 2 200w 2

200w 2

S

S

200w

200w

2

2

200w 2

200w 2

S 200w 2

200w

200w

200w

2

2

2

S

200w 2

200w

2x

2

200w

200w

2

200w

2

2

S

200w 2

200w

200w

2

2

2x 200w 2

200w 2

2x S 2x

200w 2

2x


S

200w 2

200w 2

200w

200w

2

200w

2

2

S

Legenda: Tomada de corrente no piso Tomada de corrente a meia altura (1,30m do piso)

200w 2

200w

200w

2

2

Tomada de corrente na parede, baixa (30cm do piso) Tomada de corrente alta (2m do piso) Ponto de luz no teto

S

Ponto de interruptor 200w 2

Ponto de luz na parede (arandela)

200w 2

200w 2

Ligações das iluminarias ao interruptor

200w 2

200w 2

200w 2

S

200w 2

200w 2

200w 2

200w 2

200w 2

PLANTA ELÉTRICA LABORÁTORIO - 1:150

200w 2

200w 2

200w 2

200w 2

200w 2

200w 2

200w 2

200w 2


200w 200w

2x

2

2

2x

S 2x

200w

200w

2

2 200w 200w

200w

2

200w

2

2

2

S

200w 2

200w 2 200w

S

2 200w

200w

2

S

200w 2

2

S

200w 2

2x S

S

S

200w 2

200w

200w

200w

2

2

2

S

S

200w

200w

2

200w

2

200w 2

200w 2

200w 2

S S

200w

200w

2

2

200w

200w

200w

2

2

2

S S 2x

200w 2

200w

2x

2

200w

200w

2

200w

2

200w

2

S

2

200w 2

200w

200w

2

2x

200w

S

2

2 200w 2

200w

200w

2

2

2x S 2x

200w 2 200w 2

2x

200w 2 200w 2

200w 2

S

S

200w

S

2

2x 200w

200w

2

2

200w 2

200w 2


S

200w

200w

2

2

S S

200w 2

200w

200w

2

2

S 200w

200w

2

200w

2

2

S 200w

200w

2

2

Legenda:

200w

200w

2

200w

2

2

S

Tomada de corrente no piso Tomada de corrente a meia altura (1,30m do piso)

200w

200w

2

Tomada de corrente na parede, baixa (30cm do piso)

200w

2

Tomada de corrente alta (2m do piso)

2

S

Ponto de luz no teto

S

Ponto de interruptor

200w

200w

2

200w

2

2

Ponto de luz na parede (arandela) Ligações das iluminarias ao interruptor

S

S

200w 2 200w

200w

200w

2

2

200w

200w

2

2

2

200w 2 200w 2

200w 2 200w 2

200w

200w

2

200w

2

200w

2

2

200w

S

2

S S

S

200w

S

2

S

200w 2

200w

200w

2

200w

2

2

200w

200w

2

2 200w

200w

2

2

200w 2

200w

200w

200w

2

2

2

200w 200w

200w

2

2

2

S

S

200w

200w

2

2

200w 200w

2

2

S

S S S

200w 2

200w 2

200w

200w 2

200w 2

200w 2

2

200w 2

200w

200w 2

2

200w 2

200w 2

PLANTA ELÉTRICA ÁREA DE CONVENIÊNCIA - 1:175

200w 2


200w

200w

2

2 200w

200w

2

2

S 200w 200w

200w

2

200w

2

200w

2

200w

2

2

2

S

Legenda: Tomada de corrente no piso Tomada de corrente a meia altura (1,30m do piso)

S

200w

200w

2

2

Tomada de corrente na parede, baixa (30cm do piso) Tomada de corrente alta (2m do piso) Ponto de luz no teto 200w

S

200w

2

Ponto de interruptor

2

Ponto de luz na parede (arandela) Ligações das iluminarias ao interruptor 200w

200w

2

2

S 200w

200w

2

2

S 200w

200w

2

2

S

200w

200w

2

2

200w

200w

2

2

200w

200w

2

2

S

S

200w

200w

2

2

200w

200w

2

S

2

200w 2

S S

200w 2 200w 2

S 200w

S

200w

2

2

200w 2

200w 2

S

200w

200w

2

2

200w 2 200w 2

S

200w 2

S

PLANTA ELÉTRICA ÁREA DE EXPOSIÇÃO - 1:175


PLANTA - BAIXA DOS PONTOS HIDRÁULICOS


Ralo Tubo de ventilação Tubo de ligação de esgoto Tubo de esgoto Tubo de água fria

CG

Caixa de gordura

CI

Caixa de inspeção

CI

CI

PLANTA HIDRÁULICA LABORÁTORIO - 1:150


CI

CI

CI

rna Ciste 00L 10.0

ua d ág Cx` 00 L 50.0

rna Ciste 00L 10.0

CG

CI ua d ág Cx` 00 L 50.0

de ma e Siste ento d a m r zon ta a tr po s to o esg e raíze d


Ralo Tubo de ventilação Tubo de ligação de esgoto Tubo de esgoto Tubo de água fria

CG

Caixa de gordura

CI

Caixa de inspeção

PLANTA HIDRÁULICA LABORÁTORIO - 1:150


CI

rna Ciste 00L 10.0

ua d ág Cx` 00 L 50.0

rna Ciste 00L 10.0

CG

CI ua d ág Cx` 00 L 50.0

de ma e Siste ento d a m on trata por z s oto esg e raíze d


Saída de esgoto para rua

CI

CI

CG

Ligação com a caixa d'água

PLANTA HIDRÁULICA ÁREA CONVENIÊNCIA - 1:175


Saída de esgoto para rua

CI

PLANTA HIDRÁULICA ÁREA DE EXPOSIÇÃO - 1:175

Ligação com a caixa d'água


MAQUETE ELETRÔNICA


107


108


109


110


111


MEMORIAL DESCRITIVO


Revestimentos

Revestimento Escama de peixe preto

Revestimento Escama de peixe turquesa vidrificado

Revestimento Escama de peixe azul marinho vitrificado

Revestimento Escama de peixe azul claro brilhante

Revestimento Escama de peixe amarelo perolado

Revestimento Escama de peixe branco brilhante

Tijolinho branco com junta seca

Parede revestida com madeira ripada envernizada 

113


Materiais contrutivos Estrutura metálica descontrutiva como estrutura do borboletário

Tijolo escológico

Tela PET de sombreamento 80% - preta

Janelas de alumínio na cor preto fosco

Porta de aluminio folha dupla na cor preto fosco

Brise de madeira na cor preto fosco Deck de madeira no piso de circulação

Chapas de ACM preto nos beirais

114


Vegetação Manacá - da - serra

Helicônia papagaio

Lavanda Manacázinho - de - cheiro Helicônia Bananeira Hibisco Cambará Ixora vermelha

Penta Sálvia azul Grama esmeralda Amoreira Astromélia Gaura Lindheimeri

Ipê branco

115


Sustentabilidade


Tela Ecosombra preta 50%

O que é? A estrutura da cobertura é simples, uma forma hexagonal metálica pintada de preto, em que a cobertura será revestida por uma tela de sombreamento, permitindo a iluminação e ventilação natural direta e indireta.

Onde será usado:

Fonte: Cobertura - Arquivo autoral / Tela Ecosombra - Google

Será utilizado em coberturas nas entradas principais e nas saídas dos mini auditórios, para que haja a proteção sem perder a iluminação natural. E também dará uma volumetria ao projeto, trazendo a característica de colmeia, remetendo a especificação do mesmo. Fonte: Elevação - Arquivo autoral

117


Sistema de tratamento por zona de raizes

O que é? O sistema de tratamento por zona de raízes nada mais é que um espaço natural, com uma variação de camadas na qual a função é filtrar o esgoto e transformar em água limpa, permitindo o reuzo. São utilizadas plantas macrófitas (plantas que vivem em brejos), seguido por camada de britas e areia e

Fonte: Cobertura - Arquivo autoral / sem escala

o espaço revestido por manta para que não haja vazamento no solo comum.

Onde será usado: O sistema será implantado próximo a caixa d'água, em que a água tratada será armazenada na duas caixas de cisterna para que haja o reuso nos sanitários, limpeza e jardinagem, principalmente nas áreas da colmeias em que é envolvido por um jardim.

Fonte: Área de implantação - Acervo pessoal Fonte: Cobertura - Arquivo autoral / sem escala

118


Telha Tesla

O que é? A estrutura do painel solar ainda é um impasse estético para alguns conceitos arquitetônicos, por isso as telhas tesla usam a característica das telhas convencionais e unem com o sistema das placas solares, mantendo a função e a estética.

Fonte: Cobertura - Arquivo autoral / Telha Tesla - Google

Onde será usado: Será utilizado em cobertura do depósito, uma área de aproximadamente 276m². A sua inclinação é de 14° a 90° e sua dimensão é de 365mm x 184 mm Fonte: Telha Tesla - Tesla.com

119


Tijolo ecológico O que é? O tijolo ecológico funciona de maneira econômica e sustentável, em que é utilizado solo natural, depois de um processo de avaliação, do próprio terreno, com a maquina especifica há compressão desse solo com alguns agregados, depois há um tempo de cura e depois 28 dias pode ser utilizado.

Fonte: Tijolo ecológico - Google

Onde será usado: O tijolo será usado em toda extensão edificada, desde o laboratório á praça de alimentação e na área de exposição.

Fonte: Tijolo ecológico - Google

120


Telhado verde O que é? O telhado verde é uma composição de camadas com o objetivo de manter vegetações vivas sobre a cobertura de um edifício, para que haja um conforto bioclimático, aumento da umidade local, incluindo a oxigenação e a permeabilidade, sem contar com o aumento da biodiversidade nativa.

Fonte: Telhado Verde - Google

Onde será usado: O telhado verde será utilizado nos dois edifícios da fachada do terreno, com o objetivo de aumentar a biodiversidade nativa e também um conforto bioclimático no entorno dos edifícios. Fonte: Telhado Verde - Google

121


CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL

CONSIDERAÇÕES FINAIS EXPERIÊNCIA - PERSPECTIVA - INCENTIVO


Quem tenta ajudar uma borboleta a sair do casulo a mata. Quem tenta ajudar um broto a sair da semente o destrói.  Há certas coisas que não podem ser ajudadas.  Tem que acontecer de dentro para fora.

Rubem Alves


Referências ABELHA. A importância das abelhas na conservação das florestas - a.b.e.l.h.a.. Disponível em: <abelha.org.br>. Acesso em: 02 mar. 2019. ACCUWEATHER. previsão do tempo para 25 dias em parque centenário - previsão accuweather para são paulo brasil. Disponível em: <www.accuweather.com>. Acesso em: 25 abr. 2019. AMATTINA DIGITAL NEWS. Museu catavento inaugura "mundo das abelhas". Disponível em: <news.lamattinadigital.com.br>. Acesso em: 20 abr. 2019. ARCH DAILY BRASIL. El humedal / taar / taller de arquitectura de alto rendimiento. Disponível em: <www.archdaily.com.br>. Acesso em: 18 abr. 2019. ARCH DAILY BRASIL. Jardim das borboletas / emilio olivo + rosa julian. Disponível em: <www.archdaily.com.br>. Acesso em: 18 abr. 2019. ARCH DAILY. Care lab / dmva architects. Disponível em: <www.archdaily.com>. Acesso em: 01 abr. 2019. ARCH DAILY. Pavilhão bamboo playhouse / eleena jamil architect. Disponível em: <https://www.archdaily.com.br/br/792451/pavilhaobamboo-playhouse-eleenajamil-architect?ad_medium=widget&ad_name=recommendation>. Acesso em: 13 abr. 2019. ARCH DAILY. Ágora szeged / bahcs architects. Disponível em: <www.archdaily.com.br>. Acesso em: 15 abr. 2019. ARCHDAILY BRASIL. Borboletário / 3deluxe. Disponível em: <www.archdaily.com.br>. Acesso em: 13 abr. 2019. ARCHDAILY BRASIL. Laboratórios biokilab / taller básico de arquitectura. Disponível em: <www.archdaily.com.br>. Acesso em: 13 abr. 2019. ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Decreto nº 12.342, de 27 de setembro de 1978. Disponível em: <www.al.sp.gov.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. BOMBEIROS. Normas técnicas do cbmgo – corpo de bombeiros militar. Disponível em: <www.bombeiros.go.gov.br>. Acesso em: 01 mai. 2019.

100


BORBOLETAS (LEPIDOPTERA) AMEAÇADAS DE EXTINÇÃO EM MINAS GERAIS, BRASIL. Borboletas (lepidoptera) ameaçadas de extinção em minas gerais, brasil. Disponível em: <www.scielo.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. BORBOLETÁRIO SP. Conheça o primeiro borboletário de são paulo. Disponível em: <www.borboletario.aguiasdaserra.com.br>. Acesso em: 02 mar. 2019. BUTTERFLY WORD. Butterfly world - onde 20.000 borboletas exóticas e pássaros voam!. Disponível em: <www.butterflyworld.com>. Acesso em: 29 mar. 2019. CARTILHAMELIPONIDEOS.PDF. Cartilha meliponideos. Disponível em: <www.cpra.pr.gov.br>. Acesso em: 04 mar. 2019. CATAVENTO CULTURAL. Em julho, o museu catavento inaugurou o seu charmoso borboletário! | catavento cultural. Disponível em: <www.cataventocultural.org.br>. Acesso em: 20 abr. 2019. CENTRO UNIVERSITÁRIO INTEGRADO. Infraestrutura. Disponível em: <www.grupointegrado.br>. Acesso em: 16 abr. 2019. CETESB. Monografia-fernanda-senda.pdf. Disponível em: <cetesb.sp.gov.br>. Acesso em: 04 mai. 2019 CIA DA ABELHA. Cia da abelha - colméias. Disponível em: <www.ciadaabelha.com.br>. Acesso em: 22 mar. 2019. COLOMBIA 4U. Jardim botânico e borboletário | tours pela zona cafeteira | colombia4u. Disponível em: <www.colombia4u.com>. Acesso em: 29 mar. 2019. CONEXÃO PLANETA. Museu catavento inaugura <conexaoplaneta.com.br>. Acesso em: 04 mai. 2019.

exposição

CORPO DE BOMBEIRO - SP. Microsoft word - it 11 <www.corpodebombeiros.sp.gov.br>. Acesso em: 01 mai. 2019.

“mundo rev

das

03nov09

abelhas”, para

em

são

sociedade

paulo.

Disponível

em:

civil.doc.

Disponível

em:

CORPO DE BOMBEIROS - SP. 02-it.pmd. Disponível em: <www.corpodebombeiros.sp.gov.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. DDE. Organograma. Disponível em: <www.entomologia.ufv.br>. Acesso em: 16 abr. 2019. DECRETO Nº 12.342, DE 27 DE SETEMBRO DE 1978. Decreto nº 12.342, de 27 de setembro de 1978 - assembleia legislativa do estado de são paulo. Disponível em: <www.al.sp.gov.br>. Acesso em: 04 mai. 2019.

101


DECRETO Nº 12.342, DE 27 DE SETEMBRO DE 1978. Decreto nº 12.342, de 27 de setembro de 1978 - assembleia legislativa do estado de são paulo. Disponível em: <www.al.sp.gov.br>. Acesso em: 05 mai. 2019. DEZEEN. Dezeen_biokilab-laboratories-by-taller-basico-de-arquitectura_13.gif (468×242). Disponível em: <static.dezeen.com>. Acesso em: 13 abr. 2019. EMENDA 9077. Microsoft word - emenda 9077.doc. Disponível em: <www.cnmp.mp.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. ENTOMOLOGISTAS BRASILEIROS. Entomologistas do brasil. Disponível em: <www.ebras.bio.br>. Acesso em: 05 mar. 2019. ESTADÃO. Em 2018, taxa média de desemprego em são paulo ficou em 13,3% - economia - estadão. Disponível em: <economia.estadao.com.br>. Acesso em: 27 abr. 2019. FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA DA USP. Coleção entomológica de referência. Disponível em: <www.fsp.usp.br>. Acesso em: 05 mar. 2019. FEALQ. Fealq borboletas. Disponível em: <fealq.org.br>. Acesso em: 02 mar. 2019. FOLHA - ECONOMIA. taxa de desemprego em sp sobe para 16,9% e quase 2 milhões estão sem trabalho - 25/04/2018 - mercado. Disponível em: <www1.folha.uol.com.br>. Acesso em: 27 abr. 2019. FREITAS, Breno Magalhães; IMPERATRIZ-FONSECA, Vera Lúcia. A importância econômica da polinização. 80 ed. Ceará: Universidade Federal do Ceará, 2005. 46 p. G1. Cidade de são paulo tem 12,2 milhões de habitantes e é a mais populosa do país | são paulo | g1. Disponível em: <g1.globo.com>. Acesso em: 26 abr. 2019. G1. Desemprego é maior entre jovens, mulheres e trabalhadores sem ensino superior | concursos e emprego. Disponível em: <g1.globo.com>. Acesso em: 27 abr. 2019. G1. G1 - mangal das garças é o maior borboletário público do brasil - notícias em é do pará. Disponível em: <g1.globo.com>. Acesso em: 19 abr. 2019. GASTROLANDIA. Abelhas sem ferrão, mel, geleia real, própolis: afinal, o que é tudo isso? – gastrolândia – por ailin aleixo. Disponível em: <gastrolandia.com.br>. Acesso em: 29 mar. 2019.

102


GILLOTT, Cedric. Entomology. 3 ed. Holanda do Sul: Springer, 2005. 775 p. GOOGLE ACADÊMICO. Entomologia. Disponível em: <scholar.google.com.br>. Acesso em: 04 mai. 2019. GOVERNO DE SÃO PAULO. História | governo do estado de são paulo. Disponível em: <www.saopaulo.sp.gov.br>. Acesso em: 26 abr. 2019. GUIA DO AGRICULTOR MANDRIÃO. Guia do agricultor mandrião: colmeia natural. Disponível em: <guiadoagricultormandriao.blogspot.com>. Acesso em: 29 mar. 2019. GULLAN, P.j.; CRANSTON, P.S.. The insects: An Outline of Entomology. 4 ed. Austrália e Estados Unidos da América: Wiley Blackwell, 2010. 589 p. IBAMA. instituto brasileiro do meio ambiente e dos recursos naturais renováveis. Disponível em: <www.ibama.gov.br>. Acesso em: 30 abr. 2019. IBAMA. Carta-de-servicos-ao-cidadao.pdf. Disponível em: <www.ibama.gov.br>. Acesso em: 30 abr. 2019. INMETRO. Acreditação de laboratórios (abnt nbr iso/iec 17025:2005). Disponível em: <www.inmetro.gov.br>. Acesso em: 30 abr. 2019. INSTAGRAM. 44 arquitetura no instagram: “borboletário / 3deluxe. fotografia de joaquín busch #instarch #instalike #instabuilding #building #borboletario #architecture…”. Disponível em: <www.instagram.com>. Acesso em: 13 abr. 2019. INSTITUTO DE CIÊNCIA AGRARIA. Entomologia e zoologia. Disponível em: <www.ica.ufmg.br>. Acesso em: 16 abr. 2019. MANGAL DAS GARÇAS. Borboletário. Disponível em: <www.mangaldasgarcas.com.br>. Acesso em: 19 abr. 2019. MARCELO BARRA. Quantificac3a7c3a3o2.jpg (441×63). Disponível em: <marcelosbarra.com>. Acesso em: 04 mai. 2019. MARCELO SBARRA. Determinando o número de sanitários necessários no projeto -. Disponível em: <marcelosbarra.com>. Acesso em: 05 mai. 2019. MELIPONÁRIO CAMPEIRAS. Tudo sobre abelhas nativas. Disponível em: <g5meliponario.wordpress.com>. Acesso em: 02 mar. 2019. MUSEU CATAVENTO CULTURAL - SP. Visitação | catavento cultural. Disponível em: <www.cataventocultural.org.br>. Acesso em: 20 abr. 2019. NBR-6034.PDF. Nbr-6034.pdf. Disponível em: <www.etecdesapopemba.com.br>. Acesso em: 05 mai. 2019.

103


NBR12693. Nbr12693-sistemasdeproteoporextintoresdenopw-120613141221phpapp01.pdf. Disponível em: <pcpreventivo.com.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. NET NATURE. Guia de identificação de campo para lepidopteros de são paulo. |. Disponível em: <netnature.wordpress.com>. Acesso em: 01 mar. 2019. PAG12. Borboletas indicam qualidade ambiental. Disponível em: <www.unicamp.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. PARQUE ESTADUAL FRITZ PLAUMANN. Parque estadual fritz plaumann. Disponível em: <www.parquefritzplaumann.org.br>. Acesso em: 05 mar. 2019. PLANTA_BAJA_CONJUNTO.JPG (2000×1651). Planta_baja_conjunto.jpg (2000×1651). Disponível em: <images.adsttc.com>. Acesso em: 19 abr. 2019. PORTAL EMBRAPA. Os aningais: um tipo de vegetação "quase extinta nas cidades amazônicas".. Disponível em: <www.embrapa.br>. Acesso em: 02 mar. 2019. PORTAL FIO CRUZ. coleção entomológica do ioc completa 115 anos de ciência, história e ensino. Disponível em: <portal.fiocruz.br>. Acesso em: 05 mar. 2019. PREFEITURA DE MOGI DAS CRUZES. Anexo 4 - permissão de uso segundo atividade. <http://www.pmmc.com.br/public/site/doc/2017010914162858739b3c0c11f.pdf>. Acesso em: 26 abr. 2019.

Disponível

em:

PREFEITURA DE MOGI DAS CRUZES. Anexo 5 - tabela i - subcategoria de uso do solo - classe - níveis de incomodidade. Disponível em: <http://www.pmmc.com.br/public/site/doc/2017010914151958739af7585e1.pdf>. Acesso em: 26 abr. 2019. PREFEITURA DE MOGI DAS CRUZES. Anexo 6 – parâmetros técnicos e permissão de uso segundo o zoneamento municipal:. Disponível em: <http://www.mogidascruzes.sp.gov.br/public/site/doc/201901171411235c40a92b01e 4d.pdf>. Acesso em: 26 abr. 2019. PREFEITURA DE MOGI DAS CRUZES. Anexo 7 – parâmetros técnicos e permissão de uso segundo eixo de dinamização urbana:. Disponível em: <www.mogidascruzes.sp.gov.br>. Acesso em: 26 abr. 2019. PREFEITURA DE MOGI DAS CRUZES. Anexo 8 - zoneamento especial_oficial.xlsx. Disponível em: <www.pmmc.com.br>. Acesso em: 27 abr. 2019. PREFEITURA DE MOGI DAS CRUZES. Decreto n° 15.306, de 22 de setembro de 2015. Disponível <http://www.mogidascruzes.sp.gov.br/public/site/doc/201707121816465966678eeb1 c3.pdf>. Acesso em: 27 abr. 2019.

em:

104


PREFEITURA DE MOGI DAS CRUZES. Legislação de ordenamento do uso e ocupação do solo (louos). Disponível em: <www.mogidascruzes.sp.gov.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. PREFEITURA DE MOGI DAS CRUZES. Zoneameto vila oliveira. <http://www.pmmc.com.br/public/site/doc/201701091436565873a0087c94f.pdf>. Acesso em: 25 abr. 2019.

Disponível

em:

PROGEP. Interpretação de catálogos técnicos. Disponível em: <www.progep.ufra.edu.br>. Acesso em: 30 abr. 2019. REDALYC.BORBOLETAS (LEPIDOPTERA: PAPILIONOIDEA E HESPERIOIDEA) OCORRENTES EM DIFERENTES AMBIENTES NA FLORESTA OMBRÓFILA MISTA E NOS CAMPOS DE CIMA DA SERRA DO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL. Borboletas (lepidoptera: papilionoidea e hesperioidea). Disponível em: <www.redalyc.org>. Acesso em: 01 mai. 2019. SCIELO. Borboletas (lepidoptera) ameaçadas de extinção em minas gerais, brasil. Disponível em: <www.scielo.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. SCIELO. Scielo. Disponível em: <www.scielo.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA E MEIO AMBIENTE. Secretaria de infraestrutura e meio ambiente. Disponível em: <www.ambiente.sp.gov.br>. Acesso em: 05 mar. 2019. SEI ONDE. Parque centenário. Disponível em: <www.seionde.com.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. SISTEMA DE INFORMACIÓN CIENTÍFICA REDALYC RED DE REVISTAS CIENTÍFICAS DE AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE, ESPAÑA Y PORTUGAL. Redalyc.borboletas (lepidoptera: papilionoidea e hesperioidea) ocorrentes em diferentes ambientes na floresta ombrófila mista e nos campos de cima da serra do rio grande do sul, brasil. Disponível em: <www.redalyc.org>. Acesso em: 01 mai. 2019. TALLER BÁSICO DE ARQUITECTURA. Taller básico de arquitectura. Disponível em: <www.tallerbasico.es>. Acesso em: 02 abr. 2019. THE GALLERIA. Butterfly aviary 3deluxe archdaily. Disponível em: <thegalleria.eu>. Acesso em: 13 abr. 2019. UFPPB. Ufppb. Disponível em: <www.ufpb.br>. Acesso em: 04 mai. 2019. UFRGS. Borboletas (lepidoptera, papilionoidea e hesperioidea) do parque estadual do espinilho e entorno, rio grande do sul, brasil. Disponível em: <www.lume.ufrgs.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. UFRJ. Departamento de entomologia | museu nacional. Disponível em: <www.museunacional.ufrj.br>. Acesso em: 29 mar. 2019.

105


UNICAMP. Pag. 12. Disponível em: <www.unicamp.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Laboratório de entomologia, zoologia e apicultura — universidade tecnológica federal do paraná. Disponível em: <www.utfpr.edu.br>. Acesso em: 22 abr. 2019. USP - BORBOLETAS. Borboletário. Disponível em: <borboletasbr.blogspot.com>. Acesso em: 06 mar. 2019. USP - ENTOMOLOGIA E ACAROLOGIA. Borboletas. Disponível em: <www.lea.esalq.usp.br>. Acesso em: 17 abr. 2019. USP - ENTOMOLOGIA E ACAROLOGIA. Entomologia e acarologia. Disponível em: <www.lea.esalq.usp.br>. Acesso em: 17 abr. 2019. USP. Borboletas - esalq. Disponível em: <www.lea.esalq.usp.br>. Acesso em: 22 abr. 2019. USP. Entomologia e acarologia. Disponível em: <www.lea.esalq.usp.br>. Acesso em: 04 mai. 2019. V15N1A21.PDF. Borboletas (lepidoptera) ameaçadas de extinção em <http://www.scielo.br/pdf/rbzool/v15n1/v15n1a21.pdf>. Acesso em: 02 mai. 2019.

minas

gerais,

brasil

1.

Disponível

em:

VEREADOR NATALINI. Relatorioderevisaodocodigosanitariosp_v1.pdf. Disponível em: <www.vereadornatalini.com.br>. Acesso em: 01 mai. 2019. VILLAS-BÔAS, Jerônimo. Abelhas: nativas sem ferrão. 2 ed. Brasília: ISPN, 2018. VILLAS-BÔAS, Jerônimo. Mel: de abelhas sem ferrão. 1 ed. Brasília: ISPN, 2012. 98 p. VISITE COLOMBIA. Jardim botânico do quindío , colombia. Disponível em: <www.colombia.travel>. Acesso em: 07 mar. 2019. WIKIPÉDIA, A ENCICLOPÉDIA LIVRE. Entomologia. Disponível em: <pt.wikipedia.org>. Acesso em: 04 mai. 2019.

106

Profile for Carla Moura

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO II - PROJETO FLY  

LABORATÓRIO ENTOMOLÓGICO COM BORBOLETÁRIO E COLMEIA DE ABELHAS SEM FERRÃO.

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO II - PROJETO FLY  

LABORATÓRIO ENTOMOLÓGICO COM BORBOLETÁRIO E COLMEIA DE ABELHAS SEM FERRÃO.

Advertisement