Issuu on Google+

U A N DE C A PÍ T GR

O DE

JANEIRO

Gabinete Estadual do Rio de Janeiro Janeiro de 2012 - nº 004 - ano 01

ESTADO DO DO

RI

DeMolayRJ

LO

2005

GRANDE LOJA - RJ Um dia inesquecível para a Ordem DeMolay - RJ pág. 05

CONGREGAÇÕES Veja o que aconteceu nas Congregações Ritualísticas do estado do Rio de Janeiro! pág 30

Ordem DeMolay homenageada no Lavradio. pág. 08

HISTÓRIA

Quem foram os Pobres Cavaleiros de Cristo? pág 30


Índice SCODB Ato n.10 / 2011 - 2012

02

GABINETE ESTADUAL A importância do Apoio da Maçonaria

03

Ordem DeMolay presente na Grande Loja -RJ

05

Ordem DeMolay homenageada no Lavradio

08

Desafio DeMolay

09

Ordem DeMolay é notícia no jornal “A Voz do Escriba”

09

Grande Censo Estadual supera expectativas

10

Parceria com empresa de RH

10

Kleber Alvez Rayol, sinônimo de superação

11

Instalação e primeira iniciação em Saquarema Iniciação no Capítulo Obreiros do Século XXI

14 16

Ordem DeMolay é notícia no jornal “Gazeta do Maçom” 16 Congregações: Metropolitana e Baixadas Litorêneas

18

Congregações: Serrana e Centro Sul-Fluminense

19

Congregações Ritualísticas: Metropolitana II

20

DeMolays em favor da sociedade

21

Iniciação no Capítulo Obreiros de Irajá

21

Iniciação no Capítulo Frank Sherman Land

22

Iniciação no Capítulo Guy D’auvergnie

22

PERGUNTAS E RESPOSTAS PACC

23

ARTIGO DEMOLAY Os Mordomos

27 Equipe DeMolay RJ:

HISTÓRIA Quem eram os Templários

30

PALAVRA DO MESTRE CONSELHEIRO ESTADUAL

36

EFOC

38

Mobilização Estadual

39

Mobilização Estadual

40

Raphael Castro Marcel Ximenes Felipe Neumann Adalberto Júnior contato: revistagcerj@gmail.com


Fundado e Instalado no dia 12 de Abril de 1985

ATO Nº 010 / 2010-2011 HUGO PINTO MARTINS , Grande Mestre Nacional do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo Estatuto Social e pelo Regulamento Geral do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil; CONSIDERANDO, que a Ordem DeMolay tem como objevo principal à preparação de melhores cidadãos e líderes para um futuro próximo, enfazando as Virtudes do Amor Filial, Reverência pelas Coisas Sagradas, Cortesia, Companheirismo, Fidelidade, Pureza e Patriotismo; CONSIDERANDO que o Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil é a única e legíma autoridade em todos os assuntos relacionados com a administração de toda a Ordem DeMolay do Brasil, tendo completa autonomia, poderes e privilégios necessários para tal Administração; CONSIDERANDO, o cumprimento do Argo 24, Capítulo VI – “Da Administração”, do Estatuto Social do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil; RESOLVE; Art. 1 o – Para todos os efeitos legais, nomear e considerar empossado no cargo de Presidente da Grande Comissão de Relações Institucionais do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil , o Ilustre Irmão ILAN KELSON DE MENDONÇA CASTRO, CID Nº 69.444, membro da Aug e Resp Loj Simb “Acácia Teresinense” Nº 1.234 / GOB-PI. Art. 2º - Apresentar nossas felicitações ao Ilustre Irmão Ilan Kelson de Mendonça Castro, fazendo votos do mais completo êxito em sua nova missão. Art. 3 - O Muito Ilustre Irmão Grande Secretário Geral é o encarregado das anotações competentes, do registro e da publicação do presente ATO, que entra em vigor nesta data, revogando-se as disposições em contrário. Dado e traçado, na Cidade de João Pessoa, Estado da Paraíba, sede do XVIII Congresso Nacional da Ordem DeMolay para o Brasil, aos trinta e um dias do mês de julho do ano de dois mil e onze, 26° ano da fundação do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil.

HUGO PINTO MARTINS Grande Mestre Nacional PAULO HEITOR GUGLIELMO Grande Secretário Geral

Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil Rua Cônego Felipe, 246 - Taquara - Jacarepaguá - 22713-010 - Rio de Janeiro - RJ - Brasil Tel/Fax: (21) 2456.8145 -(21) 2456.8927 secretaria@demolay.org.br www.demolay.org.br


A importância do apoio da Maçonaria

Mestre Conselheiro Estadual RJ realiza visita á Grande Loja Maçônica do Rio de Janeiro.

A IMPORTÂNCIA DO APOIO DA MAÇONARIA A Ordem DeMolay foi fundada graças á inspiração e à fé de um maçom na juventude, e hoje, existe graças ao apoio e ao patrocínio da Maçonaria à Ordem DeMolay. Acreditando nisso, essa Gestão do Gabinete Estadual RJ, com o apoio do Grande Capítulo, tem a cada dia buscado aproximar mais a Maçonaria da Ordem DeMolay. ORDEM DEMOLAY PRESENTE NA GRANDE LOJA MAÇÔNICA DO RIO DE JANEIRO Guiado por esse objetivo, no dia nove de novembro, nosso Mestre Conselheiro Estadual, Ir. Raphael Castro, foi recebido na sede da Mui Respeitável Grande Loja Maçônica do Estado do Rio de Janeiro para reunir-se com o Tio Campêlo, Grande Orador, Tio José Maria, Grande Secretário de Organizações Paramaçônicas e com o Tio Wilson, Grande Secretário da Grande Loja. Revista DeMolay RJ

Na ocasião, expôs a realidade da Ordem DeMolay do nosso Estado, que hoje é composta por vinte e oito Capítulos ativos e em plena expansão, apresentou o plano de crescimento do Estado e os projetos desenvolvidos. Além disso, aproveitou para agradecer à Grande Loja pelo apoio que as Lojas Maçônicas jurisdicionadas a esta grandiosa Potencia tem dedicado a muitos dos nossos Capítulos no Estado. 3


O RECONHECIMENTO DA GRANDIOSIDADE DESSA ORGANIZAÇÃOJUVENIL Nosso querido Tio Campelo, fazendo uso de sua bela oratória destacou que “A Ordem DeMolay é uma escola de civismo e patriotismo, que prepara líderes que tornarão nosso país melhor” e lembrou que, “Alberto Mansur é o grande pai espiritual e moral das ordens jovens no Brasil, tendo prestado assim, um grande serviço á maçonaria e ao Brasil”. E nosso Ir. Raphael Castro destacou que “Essa nossa visita á Grande Loja sela esse apoio da Maçonaria à Ordem DeMolay no Rio de Janeiro” e acrescentou, “Nosso objetivo maior com essa reunião foi mostrar às Lojas Patrocinadoras de Capítulos DeMolays no Estado, a maturidade da nossa organização, todos os maçons que abraçam essa causa podem ter certeza que apoiam uma organização séria a ponto de ser reconhecida e recebida para um encontro na sede da Grande Loja. E essa é uma conquista de todos aqueles que fazem e acreditam nessa grandiosa organização juvenil”. O RECONHECIMENTO DA GRANDIOSIDADE DESSA ORGANIZAÇÃOJUVENIL

Como resultado dessa primeira visita oficial do Mestre Conselheiro Estadual RJ à Grande Loja, no dia 16 de novembro, o Gabinete Estadual da Liderança Juvenil/GCE-RJ, representado pelo Ir. Raphael Castro, MCE-RJ e pelo Ir. Vinicius Azeredo, Sec. de Comunicação do GCE-RJ, e o Circulo Feminino Claudia Zveiter da Grande Loja Maçônica do Rio de Janeiro, realizaram em conjunto uma belíssima filantropia, com a entrega de 30 caixas de alimentos e muitos materiais de higiene ao Instituto Conselheiro Macedo Soares (www.macedosoares.com.br). Essa parceria entre o Circulo Feminino Claudia Zveiter e a Ordem DeMolay RJ ocorreu a convite da nossa querida tia Vera Campelo, Secretária do Circulo Feminino. Para aqueles que ainda não tiveram maior contato com essa organização, o Circulo Feminino é hoje presidida pelo queria tia Cecília Zveiter e preocupa-se em mudar a realidade e transformar o mundo, sendo um exemplo magnífico de engajamento social. Revista DeMolay RJ

4


Um dia inesquecível para a Ordem DeMolay - RJ

caram seu paramento para certificarem-se que estivessem perfeitamente alinhados e dirigiram-se O Estado do Rio de Janeiro para o Hotel Guanabara, com o feé o berço da Ordem DeMolay no liz presságio de que algo magnífico Brasil, e ao longo desses trinta e estava para acontecer. um anos, existiram momentos da nossa história que nunca esque- DeMolays escoltam a entrada ceremos, pois estarão para sem- do Grão Mestre na Assembléia da Grande Loja RJ pre gravados em nossos corações e mentes. São momentos raros e Eis que pela primeira vez na únicos, como o dia dezessete de história da Grande Loja Maçônica dezembro de 2011. Ao amanhecer desse gran- do Estado do Rio de Janeiro, está dioso dia, via-se um belo sol ilumi- abriria as portas de sua Assembléia nando a cidade do Rio de Janeiro, para que os DeMolay realizarem a como se estivesse anunciando que recepção do Tio Waldemar Zveialgo fantástico estava por aproxi- ter, Sereníssimo Grão Mestre da mar-se. Então, um grupo de jovens Grande Loja Maçônica do Rio de DeMolays acordaram cedo, che- Janeiro. O inicio de um dia que entrou para a história.

Revista DeMolay RJ

5

Então, dentro do Salão onde seria realizada a Assembléia, os mais de vinte jovens presentes formaram duas filas, metade paramentados de DeMolay e a outra metade de Cavaleiros, estes portando devidamente suas espadas, sob a liderança do Ilustre Comendador Cavaleiro sobrinho Hiran Azevedo. E na frente, os dois DeMolay mais novos portando a Bandeira da Ordem DeMolay. Ao anunciarem a entrada do Grão Mestre, Tio Waldemar Zveiter, o jovem DeMolay Raphael Castro, Mestre Conselheiro Estadual do Rio de Janeiro, aproximou do Sereníssimo e o perguntou, “Tio, posso ter a honra de escoltá-lo?”,


tendo sido autorizado, seguiram. Nesse momento, nas palavras do sobrinho Raphael Castro, “na hora em que começamos a andar meu coração bateu mais forte, pois tinha ao meu lado um dos maiores nomes da maçonaria de todos os tempos, um grande tio cuja história e trajetória inspira tanto a mim, quanto à todos os jovens DeMolays do nosso Estado, e desde o primeiro passo, sabia, esse momento representaria o inicio de uma nova fase na história da Ordem DeMolay do nosso Estado e em todo o Brasil”. Então, o Sereníssimo Grão Mestre foi escoltado pelo Mestre Conselheiro Estado ao seu lado, seguido do Mestre Conselheiro Nacional, sobrinho Rafael dos Reis, de dois Mestres Conselheiros Regionais, sobrinhos Marcelo Jr. e Carlos Andre e mais dois cavaleiros. À medida que passava pela guarda formada, os cavaleiros o saldavam, apresentando-lhe armas.

Revista DeMolay RJ

Mensagem da Ordem DeMolay ao Grão Mestre e a Grande Loja do RJ Quando o querido Tio Waldemar Zveiter chegou em seu posto na presidência da mesa de honra, o Mestre Conselheiro Estadual RJ dirigiu à sua frente e emocionado disse, “Querido Tio Waldemar Zveiter, Sereníssimo Grão Mestre e todos nossos tios maçons presentes, venho diante dos senhores com a honrosa tarefa de trazer-lhes uma mensagem em nome dessa grande legião de jovens: a Ordem DeMolay. Nossa Ordem tem a ousada missão de manter a chama do bem vida no coração de todos os jovens, de ensinar-lhes a importância da devoção ao Pai Celestial, do companheirismo para com seu irmão, do amor para com seus pais, da cortesia e da lealdade ao seu país. Enquanto diariamente descobrimos inúmeros usurpadores das riquezas do nosso país e corruptos que desonram a sua pátria, em nossos Capítulos DeMolays testemunha-

6

mos jovens tornarem-se homens de bem e cidadãos que sempre lutarão contra a injustiça, defendendo nossa pátria, nossas riquezas e nosso povo”, e acrescentou, “e para termos sucesso, contamos com o apoio do organização que um dia fundou a Ordem DeMolay, e hoje, nos patrocina e inspira, a Maçonaria, e muito em especial, a Grande Loja Maçônica do Rio de Janeiro, que sob a brilhante liderança do nosso querido Tio Waldemar Zveiter, já nos deu inúmeros exemplos de amor á juventude e de apoio à Ordem DeMolay, por isso, Sereníssimo Grão Mestre, os jovens DeMolays de todo o Rio de Janeiro, agradecem ao senhor, por acreditar na força transformadora da Ordem DeMolay, por acreditar na juventude e porque é graças ao senhor e a Grande Loja Maçônica do Estado Rio de Janeiro, que a Ordem DeMolay do nosso Estado possui tamanha grandiosidade. Então, para materializar esse laço fraterno entre a Ordem DeMolay e a Grande Loja do Rio de Janeiro,


gostaríamos de lhe presentear com essa plana, e deixar nosso muito obrigado, pois estamos certos que o senhor faz a diferença e é importante na vida dos jovens DeMolays do nosso Estado e de todo o Brasil, que sempre o referenciarão”. Ao recorda-se desse momento, o sobrinho Raphael Castro lembra que “quando estive pela primeira vez á frente do Tio Waldemar Zveiter, como em pouquíssimos momentos da minha vida, fiquei sem palavras, precisei respirar fundo, fechar os olhos e falei aquilo que nesse momento senti no meu coração”. Seguida dessas palavras de agradecimento ao Grão Mestre e a Grande Loja do Rio de Janeiro, foi entregue a placa em nome do Grande Capítulo Estadual da Ordem DeMolay do Rio de Janeiro e do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil. Então, o Tio Waldemar Zveiter beijou a testa do sobrinho Raphael Castro, e proferiu palavras emocionadas em relação á essa homenagem que acabará de receber, em relação á esse momento o sobrinho Raphael Castro afirmou, “quando me aproximei do Grão Mestre para entregar-lhe a placa, proferi duas palavras ‘muito obrigado’, e vê-lo emocionado pela homenagem e referir-se aos DeMolays como ‘fiRevista DeMolay RJ

lhos’, foi uma imensa emoção”. Por fim, o Mestre Conselheiro Estadual RJ afirmou que “os DeMolays inspirados no ideal de cavalaria dos Templários, bem sabem que só devemos referenciar a Deus ou um homem de grandiosa honra, e nesse momento, os DeMolay lhe saúdam Tio Waldemar Zveiter”, seguida dessas palavras, os cavaleiros formaram uma cruz em frente ao altar, todos se ajoelharam, fizeram uma prece silenciosa seguida de “à Deus e seus domínios” e retiraram-se ao som vibrante das palmas dos presentes. Um momento eternizado na memória dos que lá estivaram. Homenagem á Tia Cecília Zveiter e a ACOMI Durante a parte pública da Assembléia da Grande Loja do Rio de Janeiro, depois da belíssima apresentação do coral da ACOMI – Círculo Feminino Claudia Zveiter. A Ordem DeMolay RJ prestou homenagem à Tia Cecília Zveiter e a todas as nossas queridas tias que compõem a ACOMI, na ocasião, o sobrinho Raphael Castro proferiu as seguintes palavras, “querida Tia Cecília Zveiter e nossas queridas tias da ACOMI, venho em nome da 7

Ordem DeMolay do nosso Estado, primeiro parabenizar pela belíssima apresentação, enquanto ouvia o coral cantar a música ‘Amigos para sempre’, pude com saudosismo relembrar todos os meus anos como DeMolay e os muitos amigos e irmãos que fizemos e encontramos ao longo dessa jornada, e como o companheirismo e o sentimento de fraternidade é algo tão latente em nossas fileiras, afinal, não há reconhecimento maior do que ser chamado de ‘irmão’. E agradeço ainda ao trabalho desempenhado pelas senhoras, pois bem sabemos que muito do caos que hoje vemos no mundo, é fruto da perda de valores e do enfraquecimento do papel da família na sociedade, e graças ao exemplo das senhoras, que realizam um belíssimo trabalho em favor da sociedade, que ajuda a manter vivo nos DeMolays o sentimento de que é possível transformarmos a sociedade e edificarmos um mundo melhor”, e acrescentou, “em reconhecimento á este trabalho, em nome de todos os DeMolays, gostaria de presentear nossa querida Tia Cecília Zveiter com o pin da Ordem DeMolay, pois ele carrega com sigo todas as virtudes e ideais de um DeMolay”.


Ordem DeMolay homenageada no Lavradio - GOB-RJ

No dia 9 de dezembro a Loja Estrela do Rio Comprido n° 2045, jurisdicionada ao Grande Oriente do Brasil, realizou uma Sessão Solene de Comemoração dos 33 anos de sua instalação. A Cerimônia foi realizada em um dos Templos Maçônicos do Palácio do Lavradio e contou com a presença do Tio Fernando Nery, Eminente Grão Mestre em Exercício, e do Tio Edmo Muniz Pinho, Eminente Grão Mestre Eleito, além de diversas outras autoridades maçônicas, inclusive de outras potências como o Tio Ítalo Aslan, Ex-Grão Mestre do Grande Oriente Independente do Rio de Janeiro (GOIRJ). Conduzida pelo Venerável Mestre da Loja, o Tio Lindemberg Mendes, a noite foi repleta de homenagens a diversos maçons da Loja e de ouRevista DeMolay RJ

tros muito importantes para os tra- Também foram concedidas as hobalhos da Maçonaria. menagens para o Irmão Max Moishe – também Ex-Grande Mestre do SCODB, e Tio Alberto Mansur, Homenagem Importante para a Grande Mestre Fundador da OrOrdem Demolay dem DeMolay no Brasil, que não puderam comparecer na ocasião. Importantes figuras da Ordem Demolay foram chamadas no A entrega das comendas fodia para serem homenageadas re- ram feitas pelo Irmão Matheus cebendo a Comenda de Reconhe- Frigols, Ex-Mestre Conselheiro do cimento Maçônico pelos valorosos Capítulo Guy D’Auvergnie (mestrabalhos dados à nossa institui- mo capítulo dos Irmãos Paulo Heição. Essas comendas foram entre- tor e Raphael Castro) e Aprendiz gues para os Irmãos Paulo Heitor recém-iniciado da Loja Estrela do Guglielmo – Grande Secretário Rio Cumprido. e Ex- Grande Mestre do Spremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil (SCODB), Rodrigo José do Nascimento – Grande Mestre Estadual Adjunto, e Raphael Castro – Mestre Conselheiro Nacional. 8


DESAFIO DEMOLAY: O MAIOR TORNEIO ENTRE CAPÍTULOS DA HISTÓRIA DE NOSSO ESTADO de Formulários de Pontuação, a ser disponibilizado no site:

DESAFIO DEMOLAY Neste ano, o Gabinete Estadual/GCE-RJ desafiou os Capítulos DeMolays de todo o nosso Estado a se superarem e vencerem obstáculos, encarando o maior torneio entre Capítulos da história do nosso Estado: Desafio DeMolay.

www.demolayrj.com.br

Premiação: Será concedida no CEOD 2012, e os prêmios para o em conjunto com outros Capítulos primeiro, segundo e terceiro lugar e Lojas Maçônicas”. serão, respectivamente, R$ 700,00, R$ 500,00 e R$300,00. O valor poNas palavras do Ir. Raphael derá ser usado na Loja DeMolay Castro, MCE-RJ, “nossas perspec- ou para regularização de membros tivas iniciais já foram superadas, dos Capítulos premiados. todos os Capítulos do Estado já estão envolvidos nesse Desafio, e Para mais informações, vepreocupados em se melhorarem jam o Edital do Desafio DeMolay para buscarem alcançar os pontos no site da Ordem DeMolay RJ, necessários para vencerem esse www.demolayrj.com.br. Os vídeos torneio. Vamos ficar na expectati- oficiais podem ser vistos no Canal va”. Oficial da Ordem DeMolay RJ:

Segundo o responsável pela Secretaria de Cultura do Gabinete Estadual RJ, Ir. Antonio Barbosa, que lidera o projeto, “desejamos reconhecer e premiar os Capítulos que alcancem um excelente padrão de qualidade em áreas admiPara participar: Todos os nistrativa, gestão, observância dos Capítulos DeMolays do Estado dias obrigatórios, participação em estão automaticamente inscritos, eventos institucionais e trabalhos sendo necessário o preenchimento

www.youtube.com /rjdemolay

ORDEM DEMOLAY É NOTÍCIA NO JORNAL MAÇÔNICO “A VOZ DO ESCRIBA” Um dos mais prestigiados jornais maçônicos da atualidade, o “A Voz do Escriba”, mais uma vez firmando-se como um meio de comunicação progressista e preocupado com a juventude brasileira, nesse ano de 2012, firmou parceria com o Gabinete Estadual da Liderança Juvenil/GCE-RJ, e como resultado dessa parceria na edição de setembro do “A Voz do Escriba” pode ser encontrado uma belíssima matéria sobre o 18º Congresso Nacional da Ordem DeMolay do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil, com especial destaque a presença do nosso amado Tio Alberto Mansur, pai da Ordem DeMolay brasileira. E em sua Edição de final de ano, haverá uma matéria especial sobre a Ordem DeMolay no Estado do Rio de Janeiro...aguardem!!! Revista DeMolay RJ

9


GRANDE CENSO ESTADUAL SUPERA EXPECTATIVAS Durante os dias 08 e 09 do mês de outubro, a Ordem DeMolay no Estado do Mato Grosso do Sul esteve em festa. Com o tema central: “Ordem DeMolay sul-mato-grossense, rumo ao desenvolvimento”, a cidade de Campo Grande, foi palco do maior evento DeMolay do Estado, o XX Congresso Estadual, contando com a presença de mais de duzentos presentes, DeMolays de todo o Estado, tios maçons e familiares, todos participando desse momento histórico. Com uma programação dinâmica e interativa, ocorreram palestras, uma belíssima Iniciação Estadual ao Grau DeMolay, com uma equipe que trabalha junto há três anos, e tornou essa cerimônia marcante e inesquecível. E a

Ordem de Cavalaria no Estado fortaleceu-se, com a investidura de mais DeMolays ao Grau de Cavaleiro, realizada pelo Convento Sir Guy D’Auvergnie nº007. E para premiar esse grande final de semana, ocorreram as Cerimônias de Instalação da Nova Gestão Administrativa do Estado, tendo deixado o posto de Grande Mestre Estadual, nosso Tio Sergio Gonçalves, já eleito e empossado Segundo Grande Conselheiro do Supremo Conselho DeMolay, e nosso amado Ir. Fabiano Santos, já nomeado Secretário da Macro-Região do Centro Oeste. O evento contou com a presença do nosso Ir. e Tio Hugo Pinto, Grande Mestre Nacional, e Ir. Rafael Reis, Mestre Conselheiro Nacional, além dos

ilustres Ir. Raphael Castro, Mestre Conselheiro Estadual RJ e Ir. João Pacheco, Mestre Conselheiro Estadual do Mato Grosso. Nas palavras do nosso Ir. Castro, “esse Congresso foi um marco, é a concretização do ideal de união entre as lideranças estaduais de todo o Brasil, e temos, a cada dia, tornado também esse sonho realidade”, e acrescentou, “Fico muito feliz em presenciar esse final de gestão do meu amado Ir. Fabiano e do Tio Sergio, duas grandes lideranças da nossa Ordem, além de ver nosso Ir. Rayan Wolf assumir a malhete da liderança juvenil do Estado, que haverá de guiar muito bem os DeMolays. O Mato Grosso do Sul e o Rio de Janeiro, mais que nunca, caminham lado a lado”.

MAI BENEFÍCIOS PARA OS DEMOLAYS DO RIO DE JANEIRO! A Ordem DeMolay RJ, através do Gabinete Estadual e do Grande Capítulo do Estado do Rio de Janeiro, firmou parceria com a Lins e Silva Consultoria, Recursos Humano e Treinamentos LTDA, que tem como sócio fundador e diretor o Tio Romel Muniz. Essa Empresa busca recrutar pessoas interessadas em trabalhar em Call Center, tendo como principais parceiras as duas maiores empresas desse segmento no mercado: Atento Brasil (multinacional espanhola) e Contax S.A (gigante nacional). Estas duas empresas nos demandam cerca de 400 a 500 vagas por mês, com produtos diversos dentro deste segmento. Para se candidatar às vagas, é necessário ter idade igual ou superior a 18 anos, ensino médio concluído, conhecimento básico de informática e boa fluência verbal. E para a maioria das vagas Revista DeMolay RJ

não é necessário ter experiência essa importante parceria do Granprofissional, sendo a possibilidade de Capítulo. do primeiro emprego. E agora, os DeMolays interessados, além das documentações No dia 20 de outu- exigidas, citadas no site www.linsebro, contando com a presença do silva.biz, deverão apresentar cópia Ir. Raphael Castro, MCE-RJ, Ir. do Cartão de Identificação DeMoRodrigo Azeredo, Sec. Estadual de lay (CID) Regular, e estará asseAdministração e do nosso querido gurado um tratamento totalmente Ir. Leandro Garrido, Tesoureiro diferenciado e privilegiado durante Nacional do Supremo Conselho e o processo de seleção. Grande Comendador da Corte de Chevalier Jose Arlindo dos Santos Esse é mais um benefício nº. 001, foi firmada oficialmente para os DeMolays do RJ!!! 10


CAPÍTULO KLEBER ALVES RAYOL, Nº149 É SINÔNIMO DE SUPERAÇÃO

Chegada da Ordem DeMolay A Ordem DeMolay alcançou Sapucaia, uma cidade pequena da Região Serrana, que faz divisa com Minas Gerais, em dezesseis de agosto de 1991, quando foi fundado o Capítulo Sapucaia Nº 149, patrocinado pela Loja Maçônica 7 de Setembro Nº 34. O Capítulo Sapucaia só seria, então, instalado em dezoito de fevereiro de 2006. Em pouco tempo, regularizou-se com o Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil, adotando o nome de Capítulo Kleber Alves Rayol - Sapucaia Nº 149. Recebeu o nome do Tio Kleber Alves Rayol, membro fundador da Loja Patrocinadora e Venerável Mestre na ocasião da fundação do Capítulo. Muito trabalho, apesar das dificuldades Nossa Ordem em Sapucaia, apesar de rejeição de parcela da população, em função de uma visão deturpada em relação à Maçonaria, desenvolveu importantes projetos filantrópicos e eventos marcantes para a nossa Ordem no Estado. E das suas fileiras saíram grandes líderes para a sociedade e para a Ordem DeMolay, como o Ir. Mow Azevedo, que liderou a Região como Mestre Conselheiro Regional e presidiu o Convento Águia Branca e Negra nº78, e o Ir. Luth Lemos, Ex-Mestre Conselheiro Estadual Adjunto, que hoje voltou a presidir o Capítulo. Revista DeMolay RJ

11


Com o passar dos anos, somando-se as dificuldades, evasão de membros que se deslocavam para estudar ou trabalhar em outras cidades e o baixo número de renovação, levaram o Capítulo a praticamente deixar de se reunir em 2010. Com uma quantidade insuficiente de membros presentes para abrir reunião, o Capítulo via poucas chances de continuar funcionando. Uma nova estratégia é lançada Passado o Congresso Estadual DeMolay 2011, ocorrido no último final de semana de maio, os recém empossados Tio Luis Alberto, Segundo Grande Mestre Estadual, e o Ir. Raphael Castro, Mestre Conselheiro Estadual, em visita a cidade de Três Rios, reuniram-se com o Ir. Luth Lemos, MC do Cap. Kleber Alves Rayol, para avaliar a situação da nossa Ordem em Sapucaia. Foi, então, lançado o grande desafio: o Capítulo Kleber Alves Rayol iria realizar uma grande gincana na cidade de Sapucaia, como forma de divulgar nossa Ordem e envolver a sociedade em nosso trabalho filantrópico.

O poder de transformar um sonho em realidade Sob a liderança do Ir. Luth Lemos a Ordem DeMolay em Sapucaia conquistou o apoio da Prefeitura do Município, contando com o entusiasmo da Sra. Magda Zanon , Secretária de Assistência Social e Primeira Dama da Cidade, presente durante todo o evento. Os membros mais afastados do Capítulo motivaram-se a voltar, os Capítulos Três Rios e Sulparaibano estiveram presentes, tornando real a Primeira Gincana Cultural “Resgatando o Passado”, ocorrida no dia 06 de agosto de 2011. O resultado foi a participação de 75 jovens, a arrecadação de mais de 870kg de alimentos não perecíveis, doados para as instituições beneficentes da cidade e dois computadores novos doados para a APAE de Sapucaia.

Revista DeMolay RJ

12


Vivendo uma nova realidade A grande coroação desse esforço ocorreu no dia 25 de setembro. Depois de mais de dois anos sem realizar iniciações, superando todas as dificuldades, ingressaram nas fileiras desse Capítulo mais quatro jovens. Em uma belíssima Cerimônia de Iniciação, que contou com a presença de cerca de 40 DeMolays dos Capítulos Kleber Alves Rayol, Três Rios, Imperial de Petrópolis, Sulparaibano e Além Paraíba. Nas palavras do Ir. Raphael Castro, Mestre Conselheiro Estadual RJ, “Olhei à minha volta e vi um templo totalmente lotado, percebo uma região unida e crescimento em conjunto; hoje, escrevemos as páginas da história da nossa Ordem; esse dia sempre será lembrado”, e acrescentou, “o Capítulo Sapucaia é sinônimo de superação, um Capítulo quase fechado, agora ver um futuro próspero à frente, e isso é só o começo dessa nova fase”. O Ir. e Tio Rodrigo Amorim, Grande Mestre Estadual RJ, também esteve presente com o responsabilidade de entregar ao Tio Evando Dias, Presidente do Comselho Consultivo, o título de Membro Honorário do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil. Esse ilustre tio, com seus 80 anos, é um verdadeiro exemplo de espírito jovem e incalculável amor pela juventude. Nas palavras do Ir. Amorim, “Esse irmão é um verdadeiro exemplo do ideal maçônico, sempre apoiou incansavelmente os DeMolays, sinto-me imensamente honrado em poder ser o portador dessa grandiosa e merecida homenagem do Supremo Conselho da Ordem DeMolay”. Agora, o Capítulo Kleber Alves Rayol, com o apoio e ajuda de toda a Família DeMolay RJ, vive uma nova fase da sua história, na qual poderão continuar a acreditar na beleza de um sonho e na certeza que poderão torná-lo realidade. Todos sabem fazer história - mas só os grandes sabem escrevê-la.” Oscar Wilde Revista DeMolay RJ

13


PRIMEIRA INICIAÇÃO DA ORDEM DEMOLAY NA CIDADE DE SAQUAREMA “Os raios da sete grandes luzes DeMolay chegam à cidade de Saquarema”

preparação dos candidatos, sob a liderança do Ir. Adalberto Martins, No dia quatro de dezembro, Secretário Estadual de Expansão, a cidade de Saquarema tornou- responsável pela articulação desse -se a sede da Ordem DeMolay no evento. Estado do Rio de Janeiro, quando Depois do café da manhã e pela primeira vez em sua história, essa cidade da Região dos Lagos do almoço oferecido pela Loja Sede nosso Estado tornava-se palco de a todos os presentes, os DeMolays uma Cerimônia de Iniciação á Or- juntaram-se no Templo e organizadem DeMolay, com o ingresso de ram a nominata sob a liderança do nove jovens em nossas fileiras. Um Ir. Raphael Castro, nosso Mestre evento sediado e patrocinado pela Conselheiro Estadual, responsável Loja Maçônica Novo Horizonte de por presidir as cerimônias desse Saquarema nº30 - da Grande Loja dia, que afirmou, “hoje estamos contamos com a presença de mais do RJ. de trinta DeMolays e vinte maçons, O dia começou cedo, duas e todos estão empenhados em fazer vans foram mobilizadas pelo Gran- uma belíssima Cerimônia, já sendo de Capítulo Estadual para facilitar o prenúncio de um dia marcante e a participação do maior número histórico”. de DeMolays nesse dia marcanCom o apoio de membros te: uma van saindo do Capítulo Cáxias e outra do Capítulo Guy dos Capítulos Gonçalense, Guy D’Auvergnie. Ás 10h, as duas vans D`Auvergnie, Grão Mestre Mochegaram á cidade de Saquarema, acyr Arbex Dinamarco, Obreiros indo ao encontro de muitos outros de Irajá, Duque de Caxias, Frank DeMolays e tios maçons presen- Sherman Land, contando ainda tes na Loja Sede que desde cedo com presença de tios maçons das arrumavam os preparativos para Lojas Novo Horizonte de Saquareesse grande dia e dando inicio á ma, Cavaleiros de York, Três Folhas Início de um grande dia

Revista DeMolay RJ

14

de Acácia,Reunião, União de Cabo Frio, Luzes de Iguabinha, Nova Estrela do Oriente e com a presença do Tio Manoel, Delegado da XII Distrito da Grande Loja Maçônica do Rio de Janeiro, e com as ilustres presenças do Ir. Rafael dos Reis, Mestre Conselheiro Nacional, Ir. Leandro Garrido, Grande Tesoureiro Nacional, representando nosso Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil, nosso Ir. e Tio Rodrigo Nascimento, Primeiro Grande Mestre, representando o Grande Capítulo Estadual do Rio de Janeiro e o Ir. Marcelo Jr, Mestre Conselheiro da Região Metropolitana 2. As Luzes DeMolays são acesas Quando foi dado inicio á Cerimônia de Iniciação, era nítido no semblante de todos os presentes o sentimento de seriedade e um tom de nervosismo, afinal de contas, era a primeira vez que a nossa Ordem reunia-se nessa cidade, e esse dia representava o primeiro grande passo para que em um futuro próximo seja fundado um Capítulo DeMolay em Saquarema.


Nove jovens se ajoelharam diante do Altar DeMolay, comprometeram-se com os elevados ideais dessa Fraternidade e tornaram-se nossos irmãos, em meio a um imenso sentimento de alegria e felicidade de todos os presentes, que viam diante deles, assim como ocorrido nos primórdios da Ordem DeMolay, os nove primeiros jovens, representando o início da nossa Ordem em Saquarema. Os familiares e convidados marcaram presença Às 16 horas, o Mestre Conselheiro Estadual declarou recesso para começar a Cerimônia Pública, com o Templo já cheio de DeMolays e Maçons, agora, lotou-se totalmente com o grande número de familiares e convidados, passando do número de 100 presentes. A primeira cerimônia apresenta foi as “Luzes”, realizada pelos cavaleiros do Convento Sir Percival de Gales, liderados pelo Sir Hiran Tassinare, Ilustre Comendador Cavaleiro, e do Tio Rubem Azeredo, Presidente do Conselho Consultivo do Convento. Uma apresentação excelente que tornou públicos aos presentes os ideais e princípios da Ordem DeMolay, com especial ênfase para nosso Companheirismo, e demostrando o nosso sentimento de união e irmandade.

Durante a palavra, todos os nossos novos nove irmãos falaram, apresentando-se para todos os presentes. O Ir. Douglas Vivas Rocha, Secretário da Região Metropolitana, foi muito feliz em homenagear o Ir. Adalberto Martins, o DeMolay que mais se empenhou para tornar esse dia realidade, o presenteando com um Pin Especial do SCODB para aqueles com mais de 15 anos de Ordem DeMolay. Nosso Ir. Raphael Castro, emocionado, afirmou, “certa vez um homem disse que tinha um sonho, e movido por esse sonho, foi capaz de mudar a realidade de um país, e hoje, nesse Templo, olhando para todos vocês, vejo o poder de um sonho, e vivencio, mais uma vez, o verdadeiro sentimento da Ordem DeMolay” e acrescentou, “agradeço a todos os DeMolays que ouviram nosso chamado e estão abrilhantando esse dia, aos nossos Tios Maçons que acreditam na juventude e cada vez mais apoiam essa Ordem e aos nossos novos Irmãos, vocês agora estarão nos ajudando a tornarmos esse sonho realidade, e claro, devo, em nome de toda a Ordem DeMolay do nosso Estado parabenizar o Ir. Adalberto Martins, que tem desenvolvido um trabalho fantástico á frente da Secretária de Expansão,

Logo em seguida foi apresentada a Cerimônia das Flores, apresentada pelo Ir. Adalberto Martins, uma belíssima dramatização da nossa primeira virtude, “Amor Filial”. Levando todos os presentes a se emocionarem, sobretudo quando os nossos novos DeMolays entregaram rosas para suas mães, levando todas elas a chorarem por emoção com aquela demonstração de carinho e amor dos seus filhos. Revista DeMolay RJ

15

superando obstáculos e conquistando novos horizontes para a nossa Fraternidade”. Esse dia chega ao fim Os convidados retiram-se da Sala Capitular, a Cerimônia Ritualística é encerrada, e todos juntaram-se no Salão de Festas para um último encontro, fotos e conversas. O Ir. Adalberto Martins, apesar de cansado depois do longo dia, transparecia alegria e felicidade pelo imenso sucesso do evento, lembrando que, “Segundo Raul Seixas, sonho que se sonha só é sonho, sonho que se sonha junto é realidade. O trabalho foi de uma equipe, fomos apenas um membro que ajudou no processo, que está apenas iniciando”. Com a noite já tendo chegado, os DeMolays voltaram para suas vans, outros para os carros e voltaram para suas casas, em meio a muitas brincadeiras, diversão e sorrisos, no clima que imperou durante todo esse dia, que com certeza, sempre estará nas felizes lembranças de todos aqueles que estiveram presentes nesse dia inesquecível.


AS FILEIRAS DA ORDEM DEMOLAY SE FORTALECEM: OBREIROS DO SÉCULO XXI Na manha do dia nove do mês de novembro desse ano, quatro jovens puderam conhecer os segredos de nossa Ordem em uma belíssima Cerimônia de Iniciação, ocorrida no templo da Loja Maçônica George March n°2051, por convite de nossos queridos tios que nos proporcionaram momentos agradáveis e de ensinamentos. Contamos com a presença ilustre do nosso Mestre Conselheiro Regional, Ir. Hugo Gomes e de mais de 13 tios das três Lojas Maçônicas da cidade e, contamos ainda com a presença de vários DeMolays ativos e seniores.O tio José Vicente Gomes, membro do Conselho Consultivo, falou sobre essa iniciação, dizendo que ela “representou o apoio que a ordem maçônica dá à Ordem DeMolay e que o evento emocionou a todos os presentes.” ORDEM DEMOLAY É NOTÍCIA NA GAZETA DO MAÇOM! Pela primeira vez Ordem DeMolay é noticia na Revista Oficial da Grande Loja Maçonica do Estado do Rio de Janeiro. Fruto da histórica e inédita participação da Ordem DeMolay na Assembléia da Grande Loja Maçônica do Rio de Janeiro pela primeira vez nossa Ordem foi noticia na Revista Gazeta do Maçom, meio Oficial de Comunicação da Grande Loja Maçônica do Rio de Janeiro. Esse importante revista maçônica é enviada á todas as Lojas Maçônicas da Grande Loja do nosso Estado, que nessa edição lerão em 4, das suas 20 páginas, uma excelente narração escrita pelo nosso Tio Braga, editor chefe da Revista Gazeta do Maçom, sobre a nossa presença na Assembléia da Grande Loja, quando o Grande Capítulo Estadual do Rio de Janeiro e o Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil estiveram presentes e representados. Uma conquista de toda a Família DeMolay do nosso Estado e do Brasil que a cada dia conquista o reconhecimento e o apoio da Maçonaria do Estado do Rio de Janeiro.

Revista DeMolay RJ

16


CONGREGAÇÕES RITUALÍSTICAS FORAM UM SUCESSO Um projeto que surgiu há dois anos, as Congregações Ritualísticas Regionais têm o objetivo de reunir os Capítulos tendo como foco principal o estudo do nosso Ritual. E nesse ano de 2011, superaram todas as expectativas. Pela primeira vez desde sua idealização, ocorreram com sucesso em todas as Regiões Administrativas do nosso Estado. Os Capítulos Sedes deram verdadeiros exemplos de organização, dedicação e compromisso, elevando esse encontro ritualístico a um novo patamar. Nas linhas a seguir, todos poderão relembrar ou conhecer como foram esses eventos, que com certeza, entraram para a história das Regiões Administrativas do Rio de Janeiro. CONGREGAÇÕES RITUALÍSTICAS: COSTA VERDE E MÉDIO-PARAÍBA

O mais antigo Capítulo regular do Brasil, e um dos mais tradicionais do Estado, Capítulo Barra Mansa nº. 002, já conhecido por sua habilidade para realizar eventos de grande sucesso e por sua receptividade, esse ano, superou-se. No dia primeiro de outubro, ofereceu aos presentes na Congregação um cronograma dinâmico e diversificado, além de uma excelente instrução para os Graus DeMolays, um divertidíssimo “Quiz DeMolay” que animou a todos os presentes. Os irmãos mais uma vez inovaram, com uma palestra do

Revista DeMolay RJ

nosso Ir. Bruno Fontenla, do Capítulo Agulhas Negras nº. 134, sobre o organograma da Ordem DeMolay, apresentando a nossa estrutura, muitas vezes pouco conhecida pelos nossos membros, e destacando a responsabilidade e atribuição de cada liderança. Nas palavras do Ir. Magno Maleck, “a congregação regional desse ano foi um sucesso, o Capítulo Barra Mansa realizou um ótimo trabalho em sua organização, o evento foi muito proveitoso e pode contar com o apoio e presença de vários irmãos da região. Vivemos hoje, um momento totalmente novo na nossa Região.”

17

A Região da Costa Verde e Médio Paraíba, em função de alguns problemas, como a distância geográfica dos Capítulos, sempre teve problemas quanto à integração dos DeMolays. Contudo, essa Congregação mostrou que se isso era um problema, estamos prontos para superá-lo, e foi batido recorde de publico e Capítulos representados, com a presença de quarenta DeMolays, e dos cinco Capítulos da Região, três estavam representados, Capítulo Barra Mansa, sede, e os Capítulos Wilton Cunha nº. 005 e Agulhas Negras nº134.


CONGREGAÇÕES RITUALÍSTICAS: METROPOLITANA E BAIXADAS LITORÂNEAS O Capítulo Obreiros de Irajá nº. 249 sediou, no dia 29 de outubro, pela primeira vez um evento regional, aceitando esse desafio com grande entusiasmo. E mais uma vez, comprovaram o espírito inovador e realizador do Obreiros de Irajá. O dia começou cedo, às 9h, com a chegada dos DeMolays e o credenciamento dos congressistas, seguida de uma excelente palestra proferida pelo nosso Ir. Leonardo Lacerda, Secretário Estadual de Ritualística, acerca dos simbolismos do nosso Ritual e a forte influência da cultura de povos antigos. Durante essa exposição, estava nítido o interesse dos presentes com o tema abordado. Nas palavras do Ir. Leonardo, “nessa Congregação verificamos, com a participação de vários irmãos e tios, que a aplicações dos ensinamentos encontrados na Ordem DeMolay em nossas vidas diárias é infinito”, e acrescentou, “devemos relembrar que muito do que somos hoje, devemos a nossa Iniciação na Ordem”. Como organização e dedicação são sinônimos de sucesso, e ambas as qualidades encontradas na realização desse evento, a conhecida “Metropolitana 1” que

Revista DeMolay RJ

vivia um momento de distanciamento dos Capítulos, começa a vivenciar um novo momento, contanto com a presença de 40 DeMolays presentes, e dos oito Capítulos da Região, seis estavam presentes, superando o Congresso Regional desse ano, e deixando uma grande expectativa quanto ao Congresso Regional de 2012. Nas palavras do Ir. Marcos Massena, Mestre Conselheiro do Capítulo Sede, “Essa foi uma experiência única! Melhor que estar com irmãos do mesmo Capitulo, é estarmos com irmãos dos Capítulos de toda região e poder passar uma tarde exercendo a Irmandade que nos liga em nossa fraternidade”.

18

E para encerrar brilhantemente, ocorreu uma belíssima Cerimônia de Iniciação ao Grau DeMolay, com uma excelente equipe que tornou a Cerimônia inesquecível para todos os presentes. “A Congregação da Região Metropolitana e Baixadas Litorâneas foi uma verdadeira prova de união entre os capítulos em busca do desenvolvimento de nossa Ordem no Estado do Rio de Janeiro” Carlos André, Mestre Conselheiro Regional.


CONGREGAÇÕES RITUALÍSTICAS: SERRANA E CENTRO-SUL FLUMINENSE

“Essa Congregação, além de simbolizar a força dessa grande região, representa um marco na história do Capítulo Sulparaibano nº. 552 (sede desse encontro)”, assim o nosso Ir. Raphael Castro, Mestre Conselheiro Estadual RJ, definiu esse evento, ocorrido no dia 30 de outubro. O Capítulo sede foi reaberto há poucos anos atrás, e hoje, conta com a presença de dezoito DeMolays ativos nas reuniões, e em pleno crescimento, tendo sido abraçado pela região nesse dia. Contando com a presença de mais de 60 presentes, entre DeMolays e Maçons, inclusive de todos os Mestres Conselheiros dos Capítulos da Região o evento teve inicio com uma palestra sobre “Os ensinamentos DeMolays no dia a dia”, quando foram apresentadas as lições presentes no nosso Ritual e sua aplicabilidade na vida, seguido de um debate sobre os nossos mistérios e simbolismos. Sobre o evento, o Ir. Hugo Gomes, Mestre Conselheiro Regional, afirmou, “foi um dia muito especial para a nossa região, que vive um momenRevista DeMolay RJ

Cerimônia das Luzes o Ir. Pedro Ignácio, ambos do “Imperial”. E o Ir. Thiago, MC do Cap. Sede, destacou, “essa congregação foi o maior evento sediado pelo nosso Capítulo, foi um dia que ultrapassou minhas expectativas, foi muito gratificante ver a união entre irmãos, só me resta agradecer a presença de todos e, em especialmente, aos Irs. Ramon, Hugo Gomes (MCR) Ocorreu ainda, o Torneio Ri- e Mário (MC do Capitulo Três tualístico Regional, vencendo na Rios)”. categoria “Perguntas e Respostas” o Ir. Marco Aurelio, e na categoria to incrível. Agradeço aos esforços dos nossos MCs, do Tio Pedro Paulo, V.:M da Loja Patrocinadora do Capitulo Sede, e ao Ir. Raphael Castro, MCE-RJ, que tem apoiado sem igual a nossa região”. Ainda lembrou, “essa Congregação foi dedicada ao Tio Manoel Vieira de Mello, um tio que sempre trabalhou em prol da Ordem DeMolay”.

19


CONGREGAÇÕES RITUALÍSTICAS: METROPOLITANA II A Região Metropolitana 2 mostrou mais uma vez a sua força, através de uma Congregação que contou com uma exemplar organização do Capítulo sede, o Luz do Universo, que mais uma vez superou-se, e com uma região que abraçou esse evento, contando com a presença de mais de sessenta presentes. “O Capítulo Luz do Universo, n404, elevou o nível de organização de um evento na Metropolitana 2, tanto na divulgação, quanto na Cerimônia de Iniciação ao Grau DeMolay, única, marcante e inesquecível, eles se superaram em todos as áreas, parabéns a eles e aos Capítulos da região que abraçaram a idéia e marcaram presença”, afirmou o Ir. Raphael Castro, Mestre Conselheiro Estadual. Na ocasião, aproveitaram para realizar um fórum regional, para discutir a realidade dos Capítulos da região, e ocorreu ainda uma Mesa Redonda liderada pelos Irmãos Hiran Azeredo e Raphael Castro, quanto ao papel da Ritual e sua importância na vida diária do DeMolay.

gional. Tivemos uma semana muito corrida e agitada para que ficasse tudo na mais perfeita ordem”, e acrescentou, “as palestras e as discussões sobre a nossa região foram de grande valia para o crescimento e fortalecimento da metropolitana 2 e, fica o meu agradecimento por todos aqueles que nos prestigiaram, participaram e me deram E o Ir. Deivison, Mestre Con- suporte no evento, muito obrigado, selheiro do Capítulo Sede acres- minha família!”. centou, “Um evento muito gratificante para o capítulo, fazia tempo Para o Ir. Marcelo Jr., Mestre que o nosso capítulo não abria as Conselheiro Regional “O saldo da portas para sediar um evento re-

Revista DeMolay RJ

congregação é muito positivo, visto que conseguimos reunir mais de 60 irmãos em um ambiente de fraternidade e muito produtivo! Além de uma ótima cerimônia de iniciação ao grau DeMolay. O Capitulo Luz do Universo está de parabéns, assim como todos os capítulos e DeMolays presentes”.

20


DEMOLAYS EM FAVOR DA SOCIEDADE Norteado por esse pensamento, o Cap. Frank Sherman Land nº. 257 realizou uma grande campanha filantrópica em conjunto com o Departamento Feminino Maria João de Deus, da Loja Maçônica Francisco Cândido Xavier, no dia 20 de outubro, quando foram doadas cerca de 100kg de alimentos não perecíveis e 50 unidades de leito em pó ao Orfanato Santa Rita de Cássia. Essa instituição acolhe meninas internas e externas, entre 04 e 15 anos, que sofreram maus tratos e abusos, e é situada na rua Florianópolis, 1305, Praça Seca Rio de Janeiro.

“Para ser útil à sociedade não é necessário ser um DeMolay, mas para ser um DeMolay é necessário ser útil à sociedade”.

AS FILEIRAS DA ORDEM DEMOLAY SE FORTALECEM: OBREIROS DE IRAJÁ Aos oito dias do mês de outubro, ingressaram nas fileiras do Capítulo Obreiros de Irajá nº. 249, em belíssima cerimônia de iniciação, com o templo lotado, mais onze jovens, que agora, tornaram-se nossos irmãos nessa grandiosa fraternidade. E na parte da tarde, em Cerimônia Pública, com a presença de autoridades DeMolay como nosso Primeiro Grande Mestre Estadual, o Oficial Executivo Regional e nosso Mestre Conselheiro Regional, contamos ainda com a ilustre presença do Tio José Maria, Grande Secretário de Paramaçônicas da Grande Loja, quando ocorreu a Cerimônia de Maioridade de cinco membros do Capítulo. Na ocasião fez-se a entrega de um dos notbooks correspondentes ao PID (Prêmio de Inovação DeMolay), da Gestão 2010-2011 do

GCE-RJ, um projeto idealizado pelos Irmãos Raphael Castro e Adalberto Martins (este último, então Sec. Estadual de Treinamento). E o Capítulo Obreiros de Irajá alcançou o primeiro lugar na categoria

Projeto Filantrópico com o projeto “DeMolay na Veia”. A entrega foi realizada pelo Ir. Leandro Garrido, Grande Tesoureiro do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil.

“A atuação da Ordem DeMolay no Estado do Rio de Janeiro ficou ainda mais sólida após uma serie de iniciações em alguns Capítulos do nosso Estado, mostrando a força e a vitalidade dessa legião de jovens que atuam em todo o Rio de Janeiro.” Revista DeMolay RJ

21


AS FILEIRAS DA ORDEM DEMOLAY SE FORTALECEM: FRANK SHERMAN LAND Aos quinze dias do mês de outubro desse mês, o Capítulo Frank Sherman Land, em observância ao Dia Devocional, realizou uma grande iniciação, quando ingressaram em nossas fileiras mais quatro jovens. Estiveram presentes membros dos Capítulos Duque de Caxias nº. 229 e do Luz do Universo nº. 104, o Ir. Marcelo Jr., Mestre Conselheiro da Região Metropolitana 2, o Ir. Gabriel Reis, Secretário Nacional de Comunicação e as nossas primas dos Bethéis Luz do Universo e Susie Holmes. O Capítulo que recebe o nome do fundador da Ordem DeMolay caminha cada vez mais forte. E nas palavras do Ir. Yuri Freitas, Mestre Conselheiro do Capítulo, “Hoje, mais uma vez, com essa bela Cerimônia e com o apoio de tantos Capítulos, tive ainda mais certeza, que nossas Cerimônias não são fórmulas vazias”. AS FILEIRAS DA ORDEM DEMOLAY SE FORTALECEM: GUY D’AUVERGNIE O Capítulo Guy D’Auvergnie nº. 027 começou cedo suas atividades no dia quinze de outubro, para receber em suas fileiras mais quatro jovens. Em uma bela cerimônia que contou com a presença de membros do Capítulo Obreiros de Irajá nº. 249, liderado pelo seu Mestre Conselheiro, Ir. Marcos Massena, e dos Capítulos Avalon nº. 568, Grão Mestre Moacyr Arbex Dinamarco. Prestigiaram ainda o evento o Ir. Raphael Castro, MCE-RJ e membro do Capítulo, Ir. Carlos André, Mestre Conselheiro da Região e o Ir. Douglas Vivas Sec. Regional. Esse evento foi uma grande oportunidade de aproximação de toda a Região.

Revista DeMolay RJ

22


TIRANDO DÚVIDAS!

PACC | PERGUNTAS E RESPOSTAS Iniciando nesta edição, a Revista DeMolay RJ sempre irá identificar alguma questão que venha gerar perguntas aos DeMolays. E claro, queremos saber sua opinião. Para enviar sugestões de temas, comentários e criticas, o e-mail revistagcerj@gmail.com está à disposição, escrevendo no item assunto a palavra “tirando dúvidas”.

PACC: Perguntas e Repostas O PACC surgiu em 2007, como Programa de Avaliação e Certificação de Conventos. Sua função era atestar a qualidade do conhecimento disponível sobre os graus do IRCB - o Ilustre Rito da Cavalaria do Brasil. Nesta época, os trabalhos eram apresentados pelo Convento como um todo e exigiam um forte embasamento acadêmico e teórico. Em maio de 2010, no entanto, o PACC se transformou em Programa de Avaliação e Certificação de Cavaleiros - a avaliação passou a ser individual e realizada por uma banca de Corretores composta por membros da Grande Comissão de Organizações Filiadas e Paralelas com o auxílio da Grande Comissão de Ritual, Liturgia e Jóias. Ao longo desse tempo que o PACC foi implementado, surgiram inúmeras dúvidas, perguntas e criticas. Para trazer respostas e esclarecimentos sobre esse assunto, a Revista DeMolay RJ, convidou o Ir. Hugo Lima, conhecido pelo seu notório conhecimento de ritualística. Ele é ex-presidente da Associação Alumni-RJ, e hoje Presidente da Grande Comissão de Organizações Filiadas e Paralelas, responsável por gerir o PACC, foi convidado para tirar algumas dúvidas que nos foram enviadas pelos DeMolays. Antes de tudo, muito obrigado Ir. Hugo pela disponibilidade em atender esse pedido da Revista DeMolay RJ. E primeiro, gostaríamos que você explicasse: o que representa a existência do PACC? Qual sua importância para a Ordem de Cavalaria brasileira? Durante o primeiro estágio de implementação dos graus do IRCB, entre 2005 e 2009, o objetivo era difundir a Série Histórica e a Série Filosófica no país. Se, por um lado, isto trouxe o benefício de apresentar estas lições para um grande número de Cavaleiros, Ativos e Seniores, pelo outro tornou impraticável a verificação do preparo do Cavaleiro para avançar cada um desses degraus. Uma memória nítida e representativa é da concessão do grau de Anon durante o Congresso Nacional em Ribeirão Preto. Ao término, um Cavaleiro virou para outro e disse “Não entendi nada”, ao que seu companheiro concordou. Grau somente para constar no SISDM é justamente contra o objetivo de uma Ordem Iniciática. Então, dentre as perguntas, tem sempre a dúvida primaria: investi na cavalaria, já fui regularizado no SISDM (Sistema de Informações DeMolay), o pagamento foi feito e o protocolo finalizado, então, quando vou precisar fazer meu primeiro trabalho do PACC? E como devo proceder? Para receber o grau de Cavaleiro da Capela, não é preciso cerficação no PACC. Somente após receber este primeiro grau do IRCB o Cavaleiro, depois de ter sua Investidura devidamente registrada no SISDM, deve acessar o site do PACC - www.demolaybrasil.com.br/moodle/ - e realizar seu cadastro, utilizando como login o número da sua CID. Enquanto isso, ele deve refletir sobre os ensinamentos recebidos e procurar material de apoio sobre os elementos históricos apresentados.

Revista DeMolay RJ

23


No início de cada mês, entre o 3º e o 5º dia útil, um Ciclo do PACC se abre. Neste período de tempo, através da Plataforma Moodle do site do PACC, o Cavaleiro pode enviar seu trabalho. As especificações para o trabalho - incluindo formatação, pontos importantes a serem mencionados e tamanho - estão todas detalhadas no próprio site do PACC, acessível somente para os cadastrados. Ou seja, quem precisa fazer os trabalhos para ser certificado no PACC? Deve fazer os trabalhos do PACC todo Cavaleiro que deseja receber um novo grau do IRCB. Os Cavaleiros que estão CONCEDENDO o grau não necessitam de Certificação - a única exceção é o grau de Cavaleiro da Cadência, onde se exige que os concessores também estejam certificados. Observo também que se o Cavaleiro possui o grau de Cavaleiro da Tríade, por exemplo, para receber o Ébano necessita se certificar em todos os graus anteriores - Cavaleiro da Capela, Cavaleiro da Cruz de Salém, Ex-Templário e o próprio Tríade. Considerando que o Sênior deixa de ter determinadas obrigações para com a Ordem DeMolay, diferente do DeMolay Ativo, uma pergunta comum é: Os Seniores precisam estar certificados no PACC para receberem os Graus da Cavalaria? Os Seniores não possuem privilégios nesse quesito. Os Cavaleiros Seniores que desejarem receber os graus do IRCB precisam se certificar da mesma forma que os Ativos. A diferença é que, de acordo com o Decreto nº 002/2010-2011, os Seniores não precisam cumprir o interstício entre os graus. O requisito único passa a ser, portanto, a certificação no PACC. Uma crítica já dita por alguns Cavaleiros Seniores, que na condição de Sênior se deixa de ter determinados direitos e deveres, inclusive, de votar nas decisões internas do Convento. Mesmo assim, deveriam precisar fazer o trabalho do PACC? É vital diferenciar o que é administrativo do que é Iniciático em nossa Ordem. Para receber um grau, o Cavaleiro deve demonstrar que compreendeu a essência das lições do grau anterior. Isto não deveria ser problema para um Sênior. Compreendemos, claro, que o Sênior tem diversas obrigações no mundo profano, mas um trabalho de 4 a 7 páginas a cada trimestre ou semestre não é sobrecarga. Algo muito comum ainda é esquecermos a nossa senha de acesso; nesse caso, como devemos fazer para recuperá-la ou gerar uma nova para poder voltar a acessar o sistema? Na página inicial do PACC, há uma pergunta abaixo do campo de senha, “Esqueceu o seu nome de usuário ou a sua senha?”, com um botão escrito “Sim, preciso de ajuda para acessar”. Para receber este auxílio, é preciso informar o e-mail de cadastro no site e o “Nome de usuário”, que deve ser a própria CID. Se o Cavaleiro também esquecer qual e-mail usou para se cadastrar ou não receber resposta do sistema, recomendamos entrar em contato pelo e-mail oficial da Comissão - filiadas@demolay.org.br. Em relação à correção, como a banca corretora é composta e como os trabalhos são divididos entre os grupos? A banca corretora, na verdade, é composta por membros da Comissão de Organizações Filiadas e Paralelas e Ritual, Liturgia e Jóias. Os trabalhos são distribuídos de modo que sejam corrigidos por, pelo menos, 3 corretores e não são identificados para evitar qualquer possibilidade de favorecimento ou prejuízo, mesmo involuntários. O Irmão André Sarkis é o responsável por reunir as notas, calcular as médias e lançá-las no sistema Moodle. Qualquer discrepância notória é verificada para assegurar uma avaliação justa.

Revista DeMolay RJ

24


Já ouvimos algumas reclamações quanto ao critério de correção, que a banca estaria sendo exageradamente rigorosa na avaliação dos trabalhos, o que estaria levando a um grande número de reprovações; o que você poderia comentar sobre isso? Quantos trabalhos costumam ser reprovados? Qual a nota média dos trabalhos corrigidos? Desde a implementação do PACC individual, a Comissão de Organizações Filiadas e Paralelas têm se esmerado para tornar a avaliação mais justa e criteriosa. Não é necessário ser historiador ou acadêmico para realizar um bom trabalho. O desenvolvimento das idéias sobre o aspecto filosófico e moral de cada um dos graus do IRCB tem um peso muito maior do que qualquer outra parte avaliada. Por Ciclo, a média de trabalhos reprovados varia entre 5 e 10%, com quase a totalidade desde percentual devido a plágio. É raro que um trabalho feito por um Cavaleiro, seguindo as orientações disponíveis no sistema, seja reprovado. A nota média varia entre os graus, tornando-se cada vez mais alta à medida que os Cavaleiros se acostumam à necessidade de realizar um trabalho para demonstrar seu entendimento. Enquanto nos trabalhos de Cavaleiro da Capela, temos uma média um pouco maior que 70 pontos, no grau de Ébano, por exemplo, a média se aproxima de 80 pontos. Quanto à correção, quais as características de um trabalho exemplar, segunda a opinião da banca corretora, e quais os principais fatores que levam à reprovação de um trabalho? Um trabalho exemplar não deve ser feito de qualquer maneira - e é difícil enfatizar como se torna fácil perceber algo feito “nas coxas”. Atenção ao português, bem como uma boa divisão em tópicos torna a leitura mais clara e permite uma transmissão melhor de ideias. A contextualização histórica deve ser capaz de mostrar que o Cavaleiro entende quais elementos reais levaram àquela situação. A reflexão sobre o grau não deve ser curta nem se limitar a repetir o que já está escrito no Ritual. O Cavaleiro também deve procurar relacionar estes novos ensinamentos com tudo o que já aprendeu dentro da Ordem. O principal fator que leva à reprovação é o plágio. Cópias descaradas de sites de internet e de trabalhos de Irmãos do mesmo Convento são motivo para receber um 0 automático. Do total de nossas reprovações, que é baixo e não passa de 10% dos trabalhos recebidos, quase 90% se deve a alguma forma de plágio. O segundo motivo é ignorar um dos dois elementos essenciais do trabalho - a contextualização histórica ou a reflexão sobre o grau. E o terceiro é fazer uma reflexão sobre os ensinamentos muito curta e vaga. Já recebemos trabalho em que o Cavaleiro resumia tudo o que tinha aprendido em uma linha e meia. Como a banca corretora pode saber o que o DeMolay compreendeu dos ensinamentos se o próprio DeMolay não demonstra? Onde um cavaleiro poderá encontrar matérias bibliográficas para serem usados na elaboração do trabalho? No próprio sistema temos recomendações de livros e artigos sobre os assuntos dos graus, bem como links úteis. Aproveito para lembrar que a parte histórica é muito importante, mas é a reflexão sobre as lições do grau que realmente é essencial. Por favor, não entendam isso como um pedido para ignorarem o contexto histórico, mas como um apelo para que dediquem ao menos uma página para colocar no papel o que você aprendeu e refletiu. Sabemos que só podemos acessar os espaços na página do PACC referente aos Graus que possuímos, e dos Graus anteriores. Assim sendo, quando recebemos mais um Grau, como ocorre essa atualização na página do PACC? Uma vez que o Cavaleiro tenha seu novo Grau registrado no SISDM, ele deve requisitar acesso à página do PACC correspondente. O Irmão Sarkis verificará a procedência do pedido e concederá admissão. Este é um processo que leva, no máximo, dois dias.

Revista DeMolay RJ

25


Uma queixa que também recebemos foi que um cavaleiro recebeu certo Grau, e quando foi acessar a página do PACC para pegar as informações necessárias para a elaboração do seu trabalho, não teve acesso ao espaço do Grau que recebeu. Nesse caso, o que deve ter acontecido? E como ele deve proceder para solucionar essa questão? É muito provável que o Grau não tenha sido devidamente registrado no SISDM. O Cavaleiro deve verificar seu cadastro no Sistema de Informações DeMolay e entrar em contato com o Protocolista de seu Convento caso este realmente seja o problema. Se este não for o caso, um erro do Moodle deve ter ocorrido. Basta enviar um e-mail para filiadas@demolay.org.br explicado a situação e tudo será resolvido. Nesse momento chegamos ao fim das dúvidas que recebemos, temos certeza que sua participação foi muito importante para sanar questões, e também para ajudar a divulgar o PACC. Mais uma vez, a Equipe da Revista DeMolay RJ, agradece sua disponibilidade, e se quiser deixar alguma mensagem, falar alguma coisa importante que tenha faltando, por favor, fique à vontade. Agradeço a oportunidade de apresentar e desmitificar o PACC. Gostaria de parabenizar o trabalho do Gabinete Estadual da Liderança Juvenil e da Equipe da Revista DeMolay RJ, que se empenham em promover a comunicação e a divulgação de conhecimento para os Capítulos e Conventos de nosso estado.

ENTREVISTADO: Nome: Hugo RobertoLima Ramirez CID: 72205 Iniciação: 02/04/2006 Capítulo: Imperial de Petrópolis, 470 Convento: Príncipes do Real Segredo, 06 Grau: Cavaleiro da Cadência Cargo: Presidente da Comissão de Organizações Filiadas e Paralelas, SCODB

Revista DeMolay RJ

26


ARTIGO DEMOLAY: OS MORDOMOS

Prezados, Estou com esse projeto engavetado e vamos tentar tirá-lo devagar. Nosso ponto de partida é que cada oficial no ritual demolay tem o objetivo de nos ensinar qualidades. Vejamos os primeiros oficiais: os mordomos, pesquisando sua origem, que, infelizmente, não vai até os sumérios. De acordo com a wikipedia, o mordomo do palácio era um dos mais altos dignitários de alguns estados medievais europeus, nomeadamente dos reinos francos dos séculos VII e VIII, sendo responsável pela administração da casa real. A designação do cargo tem origem no latim “major domus” (maior ou superior da casa), abreviatura da designação completa do cargo “quasi magister palatii seu major domus regiæ” (por assim dizer, mestre do palácio ou maior da casa do rei). Durante o século VII, o cargo de mordomo do palácio acabou por se tornar no detentor do verdadeiro poder por trás do trono da Austrásia, a parte setentrional do Reino dos Francos durante a Dinastia Merovíngia. A partir de meados do período merovíngio, o mordomo passou a deter e a exercer real e efetivamente o poder no que dizia respeito às decisões que afetavam o Reino, reduzindo-se os reis ao desempenho de funções meramente cerimoniais, o que os tornava em pouco mais do que reis nominais e semples figuras de proa. Por esta altura, o mordomo pode ser comparado a um primeiro-ministro de uma moderna monarquia constitucional - concentrando o poder efetivo, em nome de um rei meramente cerimonial - ou das figuras do xogun japonês e do peshwa indiano. O cargo tornou-se hereditário em favor da família dos pipinidas, de onde saíram poderosos mordomos do palácio, entre os quais Carlos Martel, sendo que nos últimos quatro anos do seu governo nem sequer existiu a figura de um rei, ainda que meramente de fachada, reinando ele próprio com o título de “duque e príncipe dos Francos” (dux et princeps Francorum). Depois da reunião da Austrásia e da Nêustria num único reino, Pepino, o Breve (mordomo desde 747) tomou a coroa aos meRevista DeMolay RJ

27


rovíngios em 751, fundando uma dinastia de reis carolíngios. O seu filho, Carlos Magno, assumiu um poder ainda maior, ao ser coroado Imperador em 800, tornando-se numa das maiores figuras da história da Europa. Em outros estados da Europa medieval, como foram os casos dos vários reinos ibéricos, existiram também os cargos de mordomo, segundo o modelo franco. Ainda segundo a wikipedia, existem três acepções para a função: 1. O mordomo é um empregado doméstico, o chefe dos criados de uma grande casa. 2. Mordomo é também o administrador dos bens de uma irmandade ou confraria ou o organizador (e contribuinte) de uma festa popular, normalmente de cariz religioso. 3. Mordomo foi também um magistrado encarregado de cobrar impostos e de fazer citações e execuções judiciais. Ainda existe uma passagem que merece nossa atenção em Lucas 16, sobre o mordomo infiel e a questão do esbanjamento no uso dos bens. Há uma reflexão sobre essa passagem bíblica: Parábola do Mordomo Infiel Rodolfo Calligaris “Havia um homem rico que tinha um mordomo; e este lhe foi denunciado como esbanjador dos seus bens. Chamou-o, então, e lhe disse: Que é isto que ouço dizer de ti? Dá conta da tua administração, pois não podes mais ser meu administrador. Disse o mordomo consigo: Que hei de fazer, uma vez que meu amo me tira a administração? Não sei cultivar a terra, e de mendigar tenho vergonha. Já sei o que farei, a fim de que, quando me houverem tirado a mordomia, encontre pessoas que me recebam em suas casas. Chamou cada um dos que deviam a seu amo e perguntou ao primeiro: Quanto deves a meu amo? O devedor respondeu: cem cados de óleo. Disse-lhe então : Toma a tua obrigação, senta-te ali e escreve depressa outra de cinqüenta . Perguntou em seguida a outro: Quanto deves tu? Respondeu ele: cem cados de trigo. Disse-lhe: Toma o documento que me deste e escreve um de oitenta. O amo, sabendo de tudo, louvou o mordomo infiel, por haver procedido com atilamento, porque os filhos do século são mais avisados no gerir seus negócios do que os filhos da luz. E eu vos digo: Empregai as riquezas da iniqüidade em granjear amigos, a fim de que, quando elas vierem a faltar-vos, eles vos recebam nos tabernáculos eternos. Aquele que é fiel nas pequenas coisas sê-lo-á também nas grandes, e quem é injusto no pouco também o é no muito. Ora, pois, se não houverdes sido fiéis no tocante às riquezas de iniqüidades, quem vos confiará as verdadeiras? Se não fostes fiéis com o alheio, quem vos dará o que é vosso?” (Lucas, 16:1-12). Esta parábola, interpretada ao pé da letra, pode dar a entender que o Mestre esteja apontando o roubo e a fraude como exemplos de conduta dignos de serem imitados. Considerada, porém, em seu verdadeiro sentido, seguindo o espírito que vivifica, encerra uma profunda lição de sabedoria e de bondade que poucos hão sabido entender. Inicialmente, identifiquemos as duas principais personagens da historieta evangélica, e o local em que a ação se desenrola. O rico proprietário é Deus, o Poder Absoluto que sustenta todo o Universo; o mordomo é a Humanidade, ou seja, cada um de nós; e a fazenda é o planeta Terra, campo em que se desenvolve atualmente nossa evolução. Os bens que nos foram dados a administrar são tudo o de que nos jactamos estultamente nesta vida: propriedades, fortuna, posição social, família e até mesmo nosso corpo físico. Todas essas coisas nos são colocadas à disposição pelo Supremo Senhor, durante algum tempo, a fim de seRevista DeMolay RJ

28


rem movimentadas para benefício geral, mas, em realidade, não nos pertencem. A prova disso está em que sempre chega o dia em que seremos despojados delas, quer o desejemos, quer não. Nossa infidelidade consiste em utilizarmo-nos desses recursos egoisticamente, como se fossem patrimônio nosso, dilapidando-o ao sabor de nossos caprichos, esquecidos de que não poderemos fugir à devida prestação de contas quando, pela morte, formos despedidos da mordomia. Pois bem, já que abusamos da Providência, malbaratando os bens de que somos simples administradores, tenhamos ao menos o atilamento do mordomo de que fala a parábola. Que fez ele? Para ter quem o favorecesse, quando demitido do cargo que desempenhava, tratou de fazer amigos, reduzindo as contas dos devedores de seu amo. E’ o que Jesus nos aconselha fazer, quando diz: “granjeai amigos com as riquezas iníquas”. Em outras palavras, isto significa que os sofredores de todos os matizes são criaturas que se acham endividadas perante Deus, são pecadores que têm contas a saldar com a Justiça Divina, e auxiliá-los em suas necessidades, minorar-lhes as dores e aflições corresponde a diminuir-lhes as dívidas, de vez que, via de regra, todo sofrimento constitui resgate de débitos contraídos no passado. Se assim agirmos, ganharemos a amizade e a gratidão desses infelizes, que se solidarizarão conosco quando deixarmos este mundo, bem assim a complacência do Pai Celestial, porque muito Lhe apraz ver-nos tratar o próximo com misericórdia . Não falta, aqui na Terra, quem admire “os filhos do século” pelo fato de se empenharem a fundo, com inteligência, denodo e sacrifícios até, no sentido de assegurarem aquilo a que chamam “o seu futuro”. Quão maiores louvores, entretanto, haveriam de merecer de Deus “os filhos da luz”, os já esclarecidos acerca da vida espiritual, se procedessem com igual esforço e dedicação, empregando a bondade na conquista dos planos superiores, situados além deste orbe de trevas? Sejamos, pois, colaboradores fiéis da Divindade, gerindo os bens materiais de que dispusermos em conformidade com os ensinamentos sublimes que nos foram ditados por Jesus no Sermão da Montanha; assim fazendo, estaremos acumulando, no céu, um tesouro verdadeiramente imperecível. Sim, porque as virtudes cristãs, que formos adquirindo no convívio com nossos semelhantes, são as únicas riquezas efetivamente nossas, e só elas nos poderão dar a felicidade perfeita, nos tabernáculos eternos! Podemos afirmar que, além de serem os responsáveis pela ativação, em nosso altar, dos símbolos das liberdades religiosa e intelectual, trazem a lição de que precisamos aprender a administrar os bens que estão em nossas mãos. Isso pode ser comprovado pelo Cerimonial de instalação, quando diz: “...muitas oportunidades de desempenhar serviços eficientes e seu próprio cargo lhe ensina que todo trabalho é honrado e digno de fiel desempenho.” Ficam duas lições sobre a função, então: servir e aprender a administrar os bens, não só os próprios, mas os de outros. O AUTOR:

Amplexos!

Nome: Adalberto Martins Júnior CID: 25102 Iniciação: 09/11/1996 Capítulo: Gonçalense, 209 Convento: Sir Arthur, 027 Grau: Cavaleiro da Cadência Cargo: Secretário Estadual de Expansão do GCE-RJ

Revista DeMolay RJ

29


HISTÓRIA: QUEM ERAM OS TEMPLÁRIOS (PARTE 1)

Prezados irmãos, Atualmente já tratamos de alguns textos sobre símbolos, interpretações ritualísticas e fraternidade dentro da Ordem DeMolay. Dando continuidade ao projeto da Secretaria de Ritualística do GCERJ dessa vez abordaremos o tema Cavaleiros Templários, origem do nosso nome e nosso patrono.

Trás enorme carga cultural que fortalece sua liberdade intelectual. A Ordem dos Cavaleiros Templários pode dividir a história das Ordens Iniciáticas em antes e depois e sua existência. O local de sua origem foi Jerusalém após a primeira cruzada cristã contra os judeus e muçulmanos, portanto logo de princípio aprendemos o que existe de comum entre essas três religiões. Eles se estabeleceram no local aonde foi o Templo de Salomão e lá se tornaram a mais poderosa Ordem de Cavalaria de todos os tempos, portanto devemos nos perguntar a importância da estadia nesse local e o que era o Templo de Salomão. Seus envolvimentos com os primeiros reis de Jerusalém após sua retomada que eram o que alguns historiadores chamam de família merovíngia, portanto envolve também o estudo da mitologia do Rei Arthur. Suas alianças com as ordens islâmicas e judaicas nos levam ao esoterismo cristão e dessas duas religiões. Sua íntima relação com as ordens de construtores que redescobriram o estilo gótico, construindo catedrais que ainda hoje desafiam a engenharia.

Frank Arthur Marshall, criador do nosso ritual, não era só apaixonado por simbolismo, mas em sua carreira de jornalismo havia escrito artigos sobre Templários e Jacques DeMolay. E foi com a imagem do nosso patrono sendo queimado vivo que ele se inspirou para produzir nossos rituais, segundo nos diz o livro “Hi Dad”. Portanto é justo que nós como DeMolays tomemos conhecimento de quem foi Jacques DeMolay e os Cavaleiros Templários. Isso não só ajuda a compreender de onde vieram nossas virtudes, baluartes e Elevação, como também é um auxílio e incentivo ao caminho dentro da Ordem de Cavalaria e seus graus. Sem comentar o enorme valor cultural Enfim, o valor de termos que isso nos trás. como patrono Jacques DeMolay e apoiarmos nossos graus sobre essa O estudo dos Cavaleiros Ordem de Cavalaria são de imenso Templários não útil somente em valor cultural e nos ajudam a envalor da Ordem DeMolay e Ordem tender nossas virtudes e baluartes. de Cavalaria, mas vai muito além. Revista DeMolay RJ

30

Passo um texto interessantíssimo sobre os Cavaleiros Templários de autor desconhecido. Peço que repassem para listas Capitulares. Se desejarem entrar em algum assunto dentro dos emails, criticas ou sugestões só mandar email. OS TEMPLÁRIOS


INTRODUÇÃO Cavaleiros andantes que tinham como suporte a realização espiritual, os Templários, ordem guerreiro-religiosa, influenciaram definitivamente a Idade Média e a história da Civilização Ocidental, propiciando descobrimentos e progresso científico.Apesar de todos os conhecimentos adquiridos através do contato com os povos com os quais guerrearam e se relacionaram, os Templários tinham como função primordial manter viva a fé cristã nos seus aspectos iniciáticos e difundir essa doutrina.Valentes, arrojados, aventureiros, detentores do saber da época, incumbidos de nobres missões, os Templários eram respeitados por reis e papas, e deixaram atrás de si, um rastro de lendas e estórias que até hoje são motivo de estudos e investigações.Seus tesouros, lendários, nunca foram encontrados. Possivelmente esse tesouro tenha sido todo o conhecimento armazenado e a compreensão das razões simbólicas profundas das tradições espirituais.Tinham como lema: “Non nobis Domine, non nobis sed Nomini Tuo ad Glóriam.” “Não para nós, Senhor, não para nós, mas para Glória de teu Nome.”

em 636, lhes pôs termo, já que os islamitas consideravam Jerusalém uma cidade Santa e Jesus, um profeta, até que no decorrer do séc. XI, os turcos seljurcidas ocuparam toda a Palestina, incluindo Jerusalém (1078). Esses orientais eram fanáticos pagãos e perseguiam os peregrinos, a quem infligiam sevícias e torturas. Desta forma, o acesso à Terra Santa tornou-se arriscado, inibindo os cristãos de se aproximarem do Santo Sepulcro, o que causou verdadeira indignação em toda a Europa Medieval, então profundamente impregnada de espírito religioso. Acreditava-se que quem visitasse o túmulo de Cristo, teria assegurada a bem-aventurança eterna.

As “peças” eram figuras de imperadores, reis e cavaleiros de nomes sonantes na história e na lenda: Godofredo de Bouillon, primeiro rei de Jerusalém, Tancredo, Ricardo Coração de Leão, Frederico Barba-roxa, S. Luís Rei de França, e muitos outros do lado cristão, enquanto que do lado muçulmano erguia-se a silhueta de Saladino (Salah-ed-Din), Sultão do Fechar Jerusalém significava Egito, um curdo em torno do qual fechar as portas do céu, e por isso, se contam muitas lendas, por suas organizaram-se na Europa várias façanhas, inteligência e nobreza de expedições militares onde senho- caráter. res feudais, reis e imperadores se aliavam para libertar os Lugares Como resultado dessas exSantos no movimento que veio a pedições fundaram-se no Orienchamar-se “As Cruzadas”. te vários estados feudais sendo o

OS CRUZADOS: Predecessores dos Templários

Desde a morte de Cristo que os fiéis de todas as partes se habituaram a ir, em peregrinação, aos Lugares Santos, isto é, àquelas terras da Palestina (Jerusalém, Belém, Nazareth, Cafarnaum, etc.) onde viveu, pregou e padeceu o Divino Redentor. Após a queda do Império Romano, tais peregrinações continuaram, e nem mesmo a tomada pelos árabes dos Lugares Santos Revista DeMolay RJ

As Cruzadas, gigantesco jogo de xadrez entre o Ocidente e o Oriente, era jogado num “tabuleiro” que ocupava a Bacia do Mediterrâneo e as “casas” se chamavam Jerusalém, Bizâncio, Cairo, São João de Acre, Túnis, Krak dos Cavaleiros e outros nomes de evocação romanesca.

31


principal o reino de Jerusalém, conquistado em 1099. Para concorrer à defesa da Palestina , e à semelhança do que sucedia entre os árabes, criaram-se entre a Cristandade, duas ordens monástico-militar, verdadeiras milícias de Cristo. Uma, a Ordem do Hospital, a outra, a Ordem do Templo, cujo nome oficial era “Milícia de Jesus Cristo”, ou “Irmãos Soldados, Pobres de Jesus Cristo”.A Terra Santa, simbolizava o local da Sabedoria e da Espiritualidade, logo, quem guardasse esse local guardaria também esses valores.Certa vez, em resposta aos judeus, Cristo afirmou: - “Desfazei este Templo, e eu em três dias o farei ressurgir”.Os judeus replicaram:- “Este templo foi construído em quarenta e seis anos e Tu em três dias o hás de fazer ressurgir?” Cristo se referia ao Templo do seu Corpo (São João, 2:21). Essa afirmação mostra claramente que seu Corpo é o Templo, e n’Ele habita a plenitude da Divindade. Há que se pensar que os Revista DeMolay RJ

Templários eram os guardiões do verdade divina e as revelações teoTemplo, ou seja, eles guardavam a sóficas da Kabbalah, que era a hisdoutrina divina. tória da criação com suas fórmulas herméticas - conseguindo interASCENSÃO pretar os símbolos que adornavam as paredes do Templo, utilizanA Ordem do Templo foi fun- do alguns deles como referências dada na Terra Santa em 1128 por para sua saga.A pedido do Rei de Hugo de Payens (Payns, Pains ou Jerusalém, São Bernardo colige as Paganis - essa última a forma la- regras da Ordem, baseadas nas de tinizada) e Godofredo de Santo Santo Agostinho, e torna-se o insOmer, fidalgos franceses, a quem pirador espiritual e intelectual dos em breve se juntaram outros sete Templários.No Concílio de Troyes, cavaleiros, dentre eles, Arnaldo da em 1128, na presença de seu GrãoRocha, que se presume tenha sido -mestre (figura mais elevada) português. Dispunham de poucos Hugo de Payens, a pedido do Papa recursos - apenas um corcel para Horácio II e do Patriarca de Jerudois cavaleiros, diz a história, se salém Guasimondo, os Templários bem que a interpretação simbóli- ganharam o hábito branco. Cerca ca seja mais profunda: o cavaleiro de 1150, o Papa Eugênio II deterque dirigia o animal, representa- minou que sobre o hábito usassem ria a parte espiritual; o que vinha a cruz vermelha, simbolicamente atrás, a parte material. A junção formada por duas achas de armas dessas duas partes simbolizava a cruzadas. Sua bandeira com a “balUnidade.O Rei de Jerusalém, Bal- sa” repartida de negro - terror e duíno II, consciente dos serviços morte do inimigos - e branco - fé que lhe seriam prestados, alojou- e caridade para os cristãos, trazia -os nas ruínas do antigo Templo de a cruz vermelha, circundada pelo Salomão, daí o seu nome - Ordem salmo de David. “não a nós Senhor, do Templo. Diz-se que, ao percor- não a nós, mas para glória do Teu rerem os labirintos do Templo, en- nome”, padrão de modéstia e adocontraram o que durante milênios ração a Deus. constituíra o segredo dos levitas - a Desinteressados dos valores 32


materiais, abnegados na sua devota missão protetora, dedicando-se à caridade pública e dispostos a auxiliar militarmente o Rei de Jerusalém, os Templários tiveram o melhor acolhimento possível.Cavaleiros francos, normandos, germânicos, portugueses e italianos acudiram a engrossar as fileiras da Ordem, que em pouco tempo se converteria na mais pujante de todas as sociedades religiosas do séc. XII. Guardavam cisternas, estradas, protegiam os peregrinos e colonos que chegavam da Europa, combatendo inimigos e bandidos muçulmanos sob o compromisso de três votos: pobreza, castidade e obediência.Ao mesmo tempo, instituía-se também a doutrina secreta, o esoterismo, que, interpretando os símbolos do Templo de Jerusalém, criava uma nova mentalidade baseada nas trinta e duas vidas da sabedoria da Kabbalah. A Ordem possuía quatro classes: os cavaleiros, os escudeiros, os irmãos leigos e os capelães, formando este o clero privativo da instituição. Para obter o grau de cavaleiro exigia-se condição de nobreza, isto é, descendência de família de cava-

Revista DeMolay RJ

leiros e de matrimônio legítimo. O candidato devia estar livre de qualquer compromisso ou voto, não ser casado ou ter noiva. O Grão-mestre, eleito como todos os dignatários, tinha categoria de príncipe entre os reis, e o título de vigário geral do Papa. Nos Concílios tomava assento depois dos bispos e antes dos embaixadores. Os outros altos dignatários eram o grande Prior, o Senescal, o Marechal, o Tesoureiro, o Porta Estandarte e o Turcopelier (general de cavalaria ligeira, cujos soldados se chamavam Turcopolos, no Oriente). Todos os superiores dispunham de um irmão de armas para sua defesa. Os mestres provinciais tinham dois cavaleiros por assistentes. Os filiados à Ordem seguiam rígida disciplina. Todos os dias assistiam ao Ofício Divino.Quando os deveres militares disso os impedissem, rezariam certo número de orações, jejuando certos dias da semana e não devendo consumir ovos ou leite nas sextas-feiras. Era-lhes vedada a caça de aves ou animais não ferozes.O juramento prestado após as provas do fogo, da água, e de extenso interrogatório, vinha assegurar as verdadeiras razões da Ordem: “Juro consagrar minhas

33

palavras, minha força e minha vida à defesa da crença em Deus e dos Mistérios da Fé, prometendo inteira obediência ao Grão-mestre da Ordem.E sempre que os Sarracenos invadirem terras da Cristandade, atravessarei os mares, para libertar meus irmãos, socorrendo com o meu braço a Igreja e os Reis Cristãos contra os infiéis, combatendo, se preciso for, sem fugir,mas somente se forem Muçulmanos. Pouco antes de 1150, os Templários estabeleceram-se na França, no Nordeste de Paris.Sua sede erguia-se numa região pantanosa e pouco salubre. Com pouco mais de trinta anos de existência a Ordem contava, espalhada na Europa, com cerca de nove mil casas, templos e fortalezas. Apesar de não aparentar muito na fase inicial, a Ordem se desenvolveu de uma maneira extraordinária, expandindo-se tanto na Europa como na Terra Santa, uma vez que despertou o”. interesse e imaginação de muitos cavaleiros idealistas da época, que, cansados da vida mundana, procuraram na vida ativa e bélica dos monges guerreiros uma razão para viver e uma causa justa para morrer. Cada vez mais foram os


Templários se infiltrando e ganhando confiança generalizada. Os postulantes, que eram artífices, agricultores, mercadores, serviam à Ordem dentro de suas habitações profissionais, cultivando terras, administrando propriedades, exercendo seus ofícios. Foram-se multiplicando. Praças fortificadas, templos e castelos iam sendo edificados e a relação dos Templários com as corporações medievais de artes e ofícios deu origem, mais tarde, a numerosas especulações sobre uma possível integração da Ordem na seqüência dos predecessores da moderna Maçonaria.O fato de existirem mulheres na Ordem é sujeito a dúvidas. A figura feminina era a representação da beleza. Nos seus escudos de combate haviam legendas amorosas. A cruz era um pretexto e o amor um fim. Conta-se que a Ordem do Templo teve um cavaleiro Gerardix (Gerardine de Brisson), que, na defesa da Praça de São João de Acre contra os turcos seljurcidas, realizou prodígios de bravura antes de cair prisioneiro. Aí surge a revelação sensacional: o heróico cavaleiro era mulher, disfarçada. É possível que muitas mulheres tenham usado deste artifício.Apoiada pelo Papa-

do, recebendo numerosos legados e avultadas doações de membros do clero e grandes senhores, atingiu a Ordem uma dimensão gigantesca.Por determinação do Papa Inocêncio II em 1139, a Ordem passou a depender da Santa Sé, o que a tornou independente dos bispos e das monarquias reinantes, ganhando assim larga independência de caráter internacional e vasto poder, conseqüentemente. Sem conhecer fronteiras, a Ordem do Templo, organização paramilitar, com uma rede de atividades econômicas resultantes da administração de bens espalhados pela Europa e Oriente Próximo, passou a ser um Estado quase independente, dentro dos estados. Sua isenção e seriedade em matéria de finanças tornou-os merecedores da confiança de todos. Sua reputação como guardiões seguros de estradas e caminhos, leva a que fossem considerados os melhores e mais eficientes transportadores de dinheiro e valores da época. Funcionavam como uma instituição bancária com agências em toda a Europa Ocidental e Terra Santa: adiantamentos, transferências de fundos, pagamentos à distância,

sistemas de contas-correntes e empréstimos contra garantias (sem juros, pois isso era contrário à Lei da Igreja). Difundiram também as letras de câmbio, transferindo dinheiros sempre que necessário, utilizando a segurança de suas frotas e de suas escoltas. Criaram uma vasta rede que, cruzando os mares, transportava tropas, peregrinos e mercadorias entre Europa e Oriente Próximo. A rigor, a nenhum dos cavaleiros era permitido auferir vantagem pessoal dos valores da Ordem, possuir quaisquer bens, nem trazer dinheiro particular consigo.Administrando tesouros reais, tornaram-se uma força econômica notável, numa época em que e economia era basicamente primária, agrícola e local.Aliando a esta grandeza um poderio militar enorme, cheia de prestígio, tanto entre cristãos como entre os muçulmanos, a Ordem tornou-se uma força política tremenda, jogando com o Papado e as monarquias mais importantes da época de igual para igual.Presididos pelo Grão-mestre, de forma rígida e severa, com exagerada discrição na reuniões e capítulos que decorriam à portas fechadas, num sigilo total, acumulavam segredos impenetráveis. Conselheiros de reis, respeitados por sua integridade e capacidade militar e política, começaram a despertar invejas e preconceitos. Seis de seus vinte e dois grão-mestres morreram heroicamente em batalhas. Seu equipamento militar era idêntico aos dos outros cavaleiros da época: escudo, lança, elmo, coifa, cota de malha, mas a espada de dois gumes tinha a ponta arredondada, o que apenas permitia acutilar, nunca ferir de ponta. O CONHECIMENTO

Revista DeMolay RJ

34


Por causa das viagens e do contato com culturas e civilizações tão diversas, os Templários armazenaram conhecimentos e técnicas provenientes dos povos com os quais mantiveram contato: técnicas de orientação usadas pelos guias de caravanas dos desertos asiáticos e africanos e pelos pilotos que navegavam no Oceano Índico; conhecimentos astrológicos, no que se referia às estrelas, constelações e movimentos dos astros. O contato com turcos-bizantinos, árabes, armênios, egípcios, ismaelitas, etc., fizeram com que tivessem acesso às fontes dos conhecimentos e filosofias orientais: á astronomia, álgebra, à geometria e até à química, que dava os primeiros passos sob a égide da alquimia. Confrontavam idéias com judeus cabalistas, sabiam dos segredos das Pirâmides e dos Faraós. As tradições sagradas desses povos foram assimiladas por eles, se bem que sua missão era Revista DeMolay RJ

manter a pureza do Cristianismo, diretamente a uma etapa da hisno seu aspecto iniciático. O her- tória dos grandes descobrimentos metismo da fé cristã foi mantido marítimos. vivo pelos Templários. A sabedoria proveniente de outras filosofias e crenças foi assimilada e o ocultismo de elevado valor, só acessível a iniciados, fazia parte de sua ampla cultura.Contribuíram largamente para o progresso da humanidade, difundindo CONTINUA... seu conhecimento e favorecendo

O AUTOR: Nome: Leonardo Cestari Lacerda CID: 76726 Iniciação: 13/04/2008 Capítulo: Imperial de Petrópolis, 470 Convento: Águia Branca e Negra, 78 Grau: Cavaleiro Ex-Templário Cargo: Secretário Estadual Ritualística, GCE-RJ

35


Palavras do Mestre Conselheiro Estadual

Queridos Irmãos e tios, O último final de semana de maio, quando estivemos em nosso Congresso Estadual e assumimos a responsabilidade de servir á Ordem DeMolay do Rio de Janeiro, já parece uma lembrança distante. Afinal, foram seguidos de meses de árduo trabalho, quando vivemos intensamente a Ordem DeMolay. E agora, quando o ano se encerra, podemos olhar para aqueles meses que já se encontram no passado e lembrarmos com grande alegria dos momentos vividos. Não por terem sido fáceis, pois vimos á nossa frente obstáculos, mas porque foram graças a eles, quando foi preciso, chamamos os nossos Capítulos e convocamos nossos DeMolays que tivemos a certeza da unidade, força e do Companheirismo dessa grande Ordem, da Família DeMolay do Estado do Rio de Janeiro, que nunca deixou Revista DeMolay RJ

de ouvir e atender a esse chamado. Nesses meses de 2011 já estivemos em mais da metade dos Capítulos do nosso Estado, sempre com a proposta de não apenas visitá-los, mas aproveitar essa oportunidade para levarmos treinamentos, para vermos de perto a realidade de cada Capítulo e juntos, traçarmos metas e buscarmos soluções. Como acredito que devemos tratar “desiguais de modo desigual”, nos Capítulos com problemas mais graves a Equipe do Gabinete Estadual esteve presente em seu dia a dia, oferecendo o suporte emergencial que há tanto tempo necessitavam, e já estamos colhendo os frutos de alguns casos, e outros virão no futuro. Esse ano, realizamos o primeiro Grande Censo Estadual dos últimos anos, mapeando a realidade da Ordem DeMolay no nosso Estado, tornando possível que nossa Equipe defina metas ousadas para o nosso Gabinete e para o Estado. 36

As Congregações Ritualísticas Regionais de 2011 foram um imenso sucesso em todas as Regiões Administrativas do Estado. Seja pelo recorde de público em todas elas, pelo maior número de Capítulos representados, na maioria dos casos com todos os Capítulos da Região presentes ou pela excelência da organização das Congregações, elevando esse encontro regional a um novo patamar. Uma conquista dos nossos Mestre Conselheiros Regionais, que estão sendo exemplares na condução de suas responsabilidades, e ouso afirmar que são o melhor grupo de MCRs vistos nos últimos anos no nosso Estado. A comemoração do Dia da Independência do Brasil foi à altura que essa data merece. No já tradicional Desfile Cívico em Petrópolis, a Ordem DeMolay esteve presente com recorde de irmãos


dos últimos anos, com mais de 100 presentes; marcamos presença no desfile da cidade de Petrópolis e recebemos homenagem da Prefeitura. Assim como os DeMolays estiveram presentes no Desfile Cívico de Sete de Setembro das cidades de Volta Redonda, com membros do Capítulo Wilton Cunha e Barra Mansa, e na cidade de Resende, com membros do Capítulo Agulhas Negras. E chegado o mês de dezembro para encerramos esse ano magnífico á altura, realizamos a primeira iniciação á Ordem DeMolay na cidade de Saquarema, ingressando em nossas fileiras mais 9 DeMolays. Um dia marcante, quando mais de 30 DeMolays, 20 maçons e inúmeros familiares e convidados lotaram o Templo para participarem desse dia histórico, dando o primeiro grande passo para em um futuro próximo fundarmos um Capítulo DeMolay naquela cidade, fazendo brilhar naquela região os raios das Sete Grande Luzes DeMolay. Ao Ir. Adalberto Martins e todos aqueles que ouviram esse chamado e estiveram presentes, muito obrigado por nos apoiarem nesse projeto e logo estaremos novamente em Saquarema para a fundação de mais um Capítulo no Rio de Janeiro.

Vale ainda destacar que mesmo estando no Rio de Janeiro há mais de 30 anos, a Maçonaria do nosso Estado pouco nos conhece. E graças ao trabalho dos nossos Capítulos e de toda essa equipe, hoje já alcançamos um patamar inédito, a relação entre Ordem DeMolay e Maçonaria tem sido a cada dia ainda melhor. Representando nossa Ordem no Estado, tive a honra de realizar uma palestra na Soberana Assembléia Legislativa do Grande Oriente Independe do Rio de Janeiro, com a presença do presidente da casa, do Tio Rafael Grão Mestre do GOIRJ, Tio Sergio Antônio - Sec. de Paramaçônicas do GOIRJ e de tios Deputados de todo o Estado. Um fato inédito na história da Soberana Assembléia do GOIRJ. Estivemos também no Lavradio, na presença do Grão Mestre em Exercício do GOB - RJ e do Grão Mestre Eleito do GOB-RJ, recebendo a Medalha de Mérito Maçônico oferecida pela Loja Maçônica Estrela do Rio Comprido. E como último evento oficial do ano, pela primeira vez na história da Grande Loja Maçônica do Estado do Rio de Janeiro, os DeMolays estiveram presentes na Assembleia de Final de Ano desta importante Potência Maçônica. Na ocasião, escoltamos a entrada do

Ir. Raphael Castro Mestre Conselheiro Estadual RJ

Revista DeMolay RJ

37

Tio Waldemar Zveiter, Grão Mestre da Grande Loja do RJ, em sua entrada á Assembléia, recebendo apresentação de armas dos cavaleiros presentes, em uma cerimônia belíssima que emocionou a todos os presentes. E agora, já tendo raiado o ano de 2012, esse momentos relembrados são como um prelúdio dos meses que teremos pela frente. Parabenizo nossa excelente equipe, que a cada dia tem dado verdadeiro exemplo de superação e compromisso, e cada DeMolay, destaco a dedicação que vejo em cada Capítulo visitado e agradeço pelo apoio sempre presente. E que os meses próximos meses sejam tão intensos e fantásticos como aqueles já vividos. Vamos sustentar o mesmo ânimo e força, mantermos o ritmo e indo sempre e ainda mais longe. Inspirados pelo lema dito pela primeira vez no Congresso Estadual de 2011 e que levaremos como nosso bandeira, sempre firme, “Preservando Virtudes, Inovando Idéias e Concretizando sonhos”, vamos juntos, em 2012, tornar ainda mais sonhos realidade, rumo a novos horizontes para a Ordem DeMolay do RJ. “Enquanto existir essa Ordem: nós estaremos unidos”


ENCONTRO FLUMINENSE DA ORDEM DE CAVALARIA O Encontro Fluminense da Ordem da Cavalaria (EFOC) é o encontro anual entre os membros da Ordem de Cavalaria no estado do Rio de Janeiro e tem o objetivo de desenvolver nos Cavaleiros aprofundamento nas áreas intelectual/filosófica, através de estudos e concessões de graus.

Janeiro, recebeu singela homena- Nesse ano de 2012 o EFOC será gem do Grande Capítulo Estadual/ muito movimentado com ... RJ, pelo apoio constante ao trabalho da Ordem no estado. - Assembléia Estadual - Investidura noturna ao Grau de Assim como em 2011, nes- Cavaleiro, te ano o EFOC será sediado pelo - Palestras GOIRJ e organizado pelo Conven- - Concessão dos Graus do Ilustre to Sir Percival de Gales nº001. Rito da Cavalaria Brasileira – do Cavaleiro da Capela até o Tríade Para aqueles que desejam O EFOC vem com grandes - Távola Festiva maiores informações a respeito do novidades. A comissão de organi- - Instruções Ritualísticas assunto, a Ordem de Cavalaria é zação promete surpreender todos - Reunião de liderança uma organização filiada à Ordem, os presentes, oferecendo um exce- - PROCAP de Protocolista e Ritudestinada a DeMolays a partir de lente encontro. alística 17 anos, contando com Graus históricos e filosóficos. Os maçons Esse ano, o EFOC tem a pretem livre acesso aos trabalhos de- tensão de ser um fórum de discussenvolvidos, bastando apenas tra- são, de troca de informações sobre jar terno, sem uso de outros para- a realidade da ordem de cavalaria mentos (aventais, balandraus, etc). e de experiências entre os Conventos, mapeamento dos problemas e O 1º EFOC ocorreu na cida- concessão de graus, instruções e de de Niterói, em 2003. Na época, estudos. havia apenas o grau de Cavaleiro e a Ordem do Ébano. O evento foi Sobretudo, uma oportunidaorganizado pelo Convento Sir Ar- de de congraçamento de toda a Orthur “O Pendragon” nº027. Em se- dem de Cavalaria e de toda a famíguida, foram implementados pelo lia DeMolay do estado de Janeiro. WWW.EFOC.COM.BR SCODB, o Ilustre Rito da Cavalaria Brasileira (IRCB), ampliando o número de graus, organizando-os em um sistema, e o PACC (Programa de Certificação de Conventos, modificado depois para Programa de Certificação de Cavaleiros), a fim de estimular o estudo dos cavaleiros. Com isso, ser investido nas ordens (graus) passou a significar merecimento por um estudo desenvolvido. Por outro lado, trouxe maiores responsabilidades aos Conventos na instrução de seus cavaleiros. Na edição anterior, em 2011, o tio Antônio Carlos Rafael, Soberano Grão Mestre do Grande Oriente Independente do Rio de Revista DeMolay RJ

38


Revista DeMolay RJ

39


FOTOS

Revista DeMolay RJ

40


Revista DeMolay RJ

41


Revista demolayrj 004