Page 1

DISTRIBUIÇÃO

GRATUITA 20.000 EXEMPLARES

Pituba, Itaigara e Caminho das Árvores ■ Salvador - Bahia http://www.canal2.com.br/nossobairro

TECNOLOGIA

Região tem vários pontos de acesso gratuito a internet. Saiba onde.

Ano II - Nº 10

COMPORTAMENTO

Vida dos solteiros na Pituba Página 12

Página 11

Nosso Bairro completa 1 ano Para comemorar em retrospectivaconfira das as nossas ediçõto es

Imóveis da Orla desvalorizam 20% em 10 anos Preço caiu, mas ainda continua alto. Região tem qualidades que se destacam.

Página 04

Território do Amapá e os buracos Imensos exemplos de descuido com o asfalto do bairro. Moradores reclamam. Motoristas pagam o prejuízo. Página 03

Futebol com direito a garçom Cada vez mais pessoas estão trocando os estádios da cidade pelo conforto de uma mesa de bar. Confira matéria e descubra os principais points para se acompanhar jogos na região. Página 10

Veja ainda Dicas de segurança para quem mora em condomínios Página 03

Número de casos de AIDS voltam a subir Página 08

Descaso na região Lixo abandonado, esgoto a céu aberto e passeios destruídos. Pituba, Itaigara e Caminho das Árvores estão esquecidos? Página 04

Cidade Linda na Pituba Orla recebe ação do projeto Página 05

Guia especial de tecnologia Página 11

Fofocas, colunas e muito mais. Página 15


2

INSTITUCIONAL

Editorial Quando lançado, em maio de 2008, o Jornal Nosso Bairro tinha como objetivo se tornar um veículo que mostrasse os problemas, as qualidades e as novidades dos bairros da Pituba, Itaigara e Caminho das Árvores. Sempre em suas matérias o jornal buscou ter a voz do bairro, entrevistando moradores e mostrando problemas que mexem com o dia-a-dia dos bairros. Uma casa abandonada na esquina da rua, uma falha na prefeitura que prejudica um imóvel, uma travessa com pouca segurança. Enfim, assuntos que normalmente se conversa com um vizinho, com um amigo que também mora no bairro. Nestas nove edições passadas, o Nosso Bairro levantou importantes questões sobre os bairros. Como a não existência do Itaigara e Caminho das Árvores de maneira oficial como bairros, a prostituição na Pituba e o custo de vida na região entre outras. Além disso, desde sua primeira edição acompanha a área do antigo Clube Português, que ainda possuía moradores e passou por uma votação, até se tornar uma praça. O Nosso Bairro quer ter justamente esta participação. Estar mais próximo do seu público. Os jornais de maior circulação buscam atrair mais leitores, se universalizar, e para isso tem que tratar de vários assuntos e temas, se distanciando ao invés de se aproximar. No Nosso Bairro sempre estamos próximos daqueles que querem saber o que acontece ao lado de sua casa, na esquina do seu trabalho. Quanto mais ciente e próximo daquilo que interessa, mais fácil se ter consciência dos problemas que cercam e como resolvê-los. E assim, nesta edição comemorativa de um ano, o Nosso Bairro agradece aqueles que prestigiaram nossas edições anteriores e pede aos leitores que continuem a participar, enviando críticas e sugestões, solicitando a participação do jornal para solucionar problemas. Afinal, somos todos vizinhos!

Canal 2 Comunicação e Eventos Ltda. Rua Rio de Janeiro, 365 - Pituba, CEP - 41.820-000 - Telefones: (71) 3344-1911/2416 E-mail: contato@canal2.com.br web-site: www.canal2.com.br/nossobairro Diretor Executivo Luciano Dórea luciano@canal2.com.br

Direção de arte publicitária Adrien Tournillon arte@canal2.com.br

Edição Felipe Vergili – MTB 37.388

Departamento Administrativo / Financeiro Mara Machado mara@canal2.com.br Carlos Dórea carlos@canal2.com.br

Chefia de reportagem Márcia Ribeiro - MTB 39.432 Fale com a redação: nossobairro@canal2.com.br Textos Aina Kaorner, Anaísa Freitas, Louise Cibelle, Lucas Sérvio, Márcia Ribeiro Design Editorial Alan Alves Elaine Quirino

Esta Edição 20 mil exemplares Julho 2009 As cartas para a redação deste jornal devem ser enviadas para a sede da Canal 2 Comunicação. O s artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do Nosso Bairro e da Canal 2.

SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO II - Nº 10

Foi notícia Salvador e Estado da Bahia em dívida com a União

Fiscalização da Lei contra fumo já começou em Salvador

Pelo menos 73% dos municípios brasileiros têm alguma

Fiscais da Prefeitura de Salvador começaram em junho a

irregularidade com a União. Das 5.562 cidades do país,

fiscalizar o cumprimento da lei que proíbe o fumo em es-

4.080 estão com o nome registrado no Cauc (Cadastro

tabelecimentos fechados, públicos ou privados, da capital

Único de Convênios). Elaborado pelo Tesouro Nacional, o

baiana. A lei, aprovada na Câmara e sancionada pelo pre-

cadastro contém a relação de municípios e Estados que

feito João Henrique prevê multas de entre R$ 200 e R$ 2

estão em dívida com o governo federal. Dentre os devedo-

milhões para fumantes e proprietários de estabelecimen-

res, a cidade de Salvador e o Estado da Bahia.

tos. O fumo só está liberado em ambientes ao ar livre.

Lei Seca faz número de mortes por atropelamento cair 12% A Lei Seca completa em 20 de junho um ano. Se-

Entre junho de 2007 a março de 2008 - foram 4.025

gundo dados das polícias Militar e Rodoviária, entre

casos. Entretanto, houve 11 estados onde a redução

junho de 2008 e março de 2009, houve diminuição de

não foi apresentada, pelo contrário. Em Rondônia,

mortes por atropelamentos e colisões da ordem de

Ceará, Sergipe, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul

12,4% em comparação com o mesmo período anterior.

houve alta acentuada.

INFORME PUBLICITÁRIO

Mercado de trabalho exige cada vez mais curso de pós-graduação lcançar um lugar no atual mercado de trabalho ou manter a vaga já ocupada são metas cujo pré-requisito fundamental é o curso superior de graduação. No entanto, as exigências mercadológicas cada vez mais elevadas condicionam os profissionais a buscarem maiores níveis de qualificação. Por isso, a ordem é não parar de estudar, mesmo depois de concluído o terceiro grau. Há um consenso entre especialistas de que o curso de pós-graduação, aliado a vontade de crescer, amplia a possibilidade de ascensão na carreira. Além de adquirir conhecimento prático para o êxito profissional, o indivíduo tem a possibilidade de fazer um intercâmbio de experiências. De acordo com Silvio Alcântara, gerente local da Efetiva RH, a pós continua sendo um diferencial forte nos processos de seleção, servindo, em muitos casos, enquanto critério de desempate. Diante de tantas possibilidades de cursar uma pós, como o grande número de instituições oferecendo grades cada vez maiores de opções, ele explica que as empresas de consultoria empregam quesitos para avaliação. Um dos modos que elas utilizam para avaliar as instituições que oferecem esses cursos é através de feedbacks, ou seja, pelos resultados dos processos de triagem. “É medido o nível dos candidatos ao longo das etapas de testes e, posteriormente, utilizado como parâmetro para avaliar as faculdades”, diz o gerente.

A

A escolha da pós-graduação também varia conforme a intenção do aluno. Para quem deseja estar mais próximo da vida acadêmica, pode optar pela Stricto Sensu, ou seja, Mestrado Acadêmico, Mestrado Profissional, Doutorado e Pós-Doutorado. Quem quer se especializar em área especifica, Lato Sensu, com Especialização ou MBA (Master in Business Administration) Executivo. A última é mais recomendada para para quem tem certeza sobre a vocação para o mundo dos negócios. No Brasil, há instituições com valorização internacional, que atrai pessoas de outros países para suas salas de aula. E Salvador integra a lista de capitais com pós-graduações de alto nível reconhecimento. Uma delas é a CENID Business School, cuja mantenedora é a UNICENID - União de Ensino Superior Pesquisa e Extensão. Há 32 anos na Bahia, foi pioneira em Lato Sensu na área de Administração. “A nossa meta anterior de criar uma instituição de linha, dedicada ao estudo da gestão e da ad-

ministração, deu certo”, avalia Ivan Barroso, presidente da UNICENID. Apesar das mais de três décadas de criação, a pós-graduação tem visão de futuro e se empenha para dar ao aluno a melhor qualificação através de parcerias como o convênio internacional com a Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. A marca de pioneirismo da instituição mais uma vez traz destaque no fenômeno da transnacionalização do ensino, pela bi-titulação. A prática funciona de modo que, “através do convênio, será dado ao aluno dois diplomas com um único curso, sendo um deles válido em toda União Européia”, explica Barroso. Na perspectiva de análise da tendência do mercado atual, a CENID Business School dinamiza os cursos e disponibiliza duas novas modalidades: Gestão de Hotelaria Hospitalar e Gestão Imobiliária. “A pesquisa de mercado, aliada à sensibilidade de nosso grupo, nós observamos quais as tendências do mercado”.

CENID Rua Rio Grande do Sul, 332 -7º and. Pituba, Salvador-BA, Tel.:(71) 3346-1099 CAMPUS: Faculdade de Ciências Gerenciais da Bahia Rua das Hortênsias, 696, Pça. Ana Lúcia Magalhães - Itaigara,Salvador-BA, Tel.: (71) 3351-1791 PÓS-GRADUAÇÃO: CENID Business School Rua das Hortênsias, 696, Pça. Ana Lúcia Magalhães - Itaigara,Salvador-BA, Tel.: (71) 3351-1791 http://www.unicenid.edu.br/


SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO II - Nº 10

LOCAL

3

Buracos atrapalham trânsito na Território do Amapá Por Felipe Vergili “O buraco é tão grande que logo vai ter gente morando nele”. “Lá cabe mais água do que na minha caixa d água de casa”. O bom humor dos moradores faz graça dos dois imensos buracos no asfalto da Rua Território do Amapá, mas de engraçado mesmo eles não tem nada. “Quando chove a água cobre estas crateras e já vi vários carros furarem até o pneu aqui”, relata o morador Joseval Nunes. Os buracos são realmente imensos. Um deles já começa a acumular lixo, o que mostra que já está lá há bastante tempo. “O maior já tem uns três meses, os outros são mais recentes”, diz Ana Claudia, que vende doces

na rua. Questionados se alguém da rua já tomou uma atitude junto à prefeitura para corrigir o problema, a resposta surpreendente. “De que adianta tomar atitude, eles vem e tapam esses e daqui a poucas semanas abre

outro, as vezes no mesmo local. Fechar com material ruim não adianta”, relata Joseval. O mesmo descaso com os buracos também é visto na pequena praça encontrada no cruzamento da Rua Território do

Amapá com a Rua Pernambuco. Passeio destruído, plantas mal cuidadas e bancos aos pedaços. “Não me lembro da última vez que limparam essa praça, com certeza faz mais de um ano”, conta Pedro Lemaroi , que reside

próximo a praça. Além disso, Pedro diz que a praça a noite serve de ponto de reunião de moradores de rua. “Eles se reúnem para usar drogas e outras coisas, dá até medo sair na rua”, conta.

SEGURANÇA EM CONDOMÍNIOS

Prevenir é melhor que remediar MORADORES E FUNCIONÁRIOS DEVEM TRABALHAR JUNTOS PARA EVITAR CRIMES Por Márcia Ribeiro Por ser um bairro de classe média e alta, a Pituba atrai muitos criminosos. Por isso, todo cuidado é pouco, inclusive para quem mora em condomínios, pseudo-redutos de segurança. Hoje em dia, ter portaria 24 horas e sistemas informatizados já não é mais garantia de sossego e confiança, embora seja importante tê-los. Aliado a esses mecanismos, funcionários e moradores devem agir preventivamente para minimizar os riscos, evitando atitudes que facilitem a atuação dos criminosos. Os sistemas eletrônicos de segurança foram desenvolvidos para monitorar, detectar irregularidades e prevenir, mas isso não funciona se os funcionários não

forem devidamente treinados e os moradores não respeitarem os procedimentos pré-estabelecidos pelo seu condomínio. Segundo Paulo Roberto Arruda, síndico de um prédio na Pituba (ele não quis identificar o nome do edifício por motivo de segurança), os criminosos têm desenvolvido diversas técnicas para invadir condomínios, por isso, é necessário treinar funcionários, conscientizar moradores e investir em tecnologia e na melhoria da infraestrutura. Fernando Silva, estudante de biologia, mora com os pais e dois irmãos mais novos em um prédio com portaria eletrônica 24 horas e câmeras de segurança na Pituba. Mesmo assim, ele já foi assaltado em frente ao seu prédio quando saía para ir para a faculdade. “Não percebi que co-

mecei a ser seguido logo que deixei o prédio e quando estava chegando ao ponto de ônibus, o bandido anunciou o assalto. Ele levou meu relógio, meu celular e o dinheiro que eu tinha na carteira”, conta o estudante. Os condomínios que pretendem instalar um sistema de segurança devem contratar uma empresa especializada para fazer a instalação de equipamentos e dispositivos eletrônicos como alarmes, circuito fechado de TV e controles de acesso. A empresa precisa fazer uma análise de risco do imóvel e indicar qual o melhor sistema de segurança a ser implantado no condomínio. Esse planejamento deverá incluir não apenas equipamentos, mas treinamento e normas de conduta para funcionários e moradores.

• Os condomínios devem ter o mínimo possível de entradas; • A guarita deve ser blindada e ficar situada entre o portão de veículos e o de pedestres; • Pizzas e demais encomendas devem ser recebidas pelos moradores na portaria • As visitas dos prestadores de serviços devem ser agendadas com antecedência e acompanhadas por um funcionário • A os moradores tenham o poder de decidir quem entra no condomínio. • Os moradores não devem deixar chaves do apartamento ou correspondências com dinheiro na portaria; • É essencial checar as referências e antecedentes criminais dos funcionários • Observe se existem pessoas suspeitas ou estranhas próximas ao edifício, sempre que for sair ou entrar na garagem; • Não abra a porta do apartamento se a visita não foi anunciada pelo interfone;


4

CAPA

SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO II - Nº 10

Acontece na Região Programa visa atender crianças de Rua na Pituba

Imóveis da Orla desvalorizam 20% nos últimos 10 anos PRÉDIOS MAL-CUIDADOS, CASAS SUCATEADAS E FAVELIZAÇÃO DA ORLA DESVALORIZAM, MAS NÃO SÃO O BASTANTE PARA O BAIRRO PERDER A SIMPATIA DOS BAIANOS

Por Louise Cibelle Em geografia, orla é a linha que separa o mar da terra. Corresponde ao limite entre o oceano e o continente. O Brasil possui uma linha costeira contínua de 8.000 km de extensão, uma das maiores do mundo. Ao longo dessa faixa litorânea podemos identificar diversas paisagens. Belas paisagens, na maioria das vezes. Por esse motivo, imóveis situados próximos a orla marítima costumam ser mais valorizados. Quase todo mundo quer morar em frente (ou perto) da praia. Em Salvador, a Pituba é um dos bairros litorâneos de classe alta. Para morar ali, é preciso ter maior poder aquisitivo, portanto. A Pituba apresenta dois contrastes interessantes, que é a tranquilidade do interior em algumas partes e o dinamismo e movimento da capital em outras. Isso traz vantagens, como o fato de que, para se resolver muitas coisas, não é preciso se deslocar até o centro, além de estar próxima de bairros completos como o Rio Vermelho e a região do Iguatemi/Tancredo Neves. Mesmo assim, o melhor de tudo é localizar-se à beira-mar. No caso de residência, o bairro da Pituba é uma excelente opção, pois concentra um grande número de serviços, como bancos, supermercados, escolas e opções de lazer. Por isso, é uma região muito procurada (e tende a ser assim por muito tempo). Se-

gundo levantamento feito por Nosso Bairro, apartamentos de quarto e sala de até 200.000 reais têm alta aceitação na região. Em Salvador há alguns anos, houve um estouro na comercialização de flats. Adivinha onde está localizada boa parte destes flats? Mas nem tudo é praia, brisa e sol na Pituba. Embora os preços sejam praticados com certa elevalação, para cobrir, de maneira naturalmente capitalista, as altas despesas operacionais do bairro, o que se vê, atualmente, são casas sucateadas, prédios velhos e feios e uma orla favelizada (mesmo após reforma). Diante deste cenário, fizemos uma pesquisa com o objetivo de identificar a valorização ou desvalorização de um investimento em imóvel residencial no local. Foram coletados dados referentes a 20 apartamentos de 2, 3 e 4 quartos que guardaram uma certa homogeneidade com relação ao padrão de construção. A tabulação e análise de dados, fornecida pela engenheira civil Ludmila Cabrine, teve como parâmetro o preço do metro quadrado de área privativa no momento da aquisição do imóvel e da avaliação do seu preço de venda atual, fazendo-se uma análise comparativa com os indicadores econômicos INCC, IPCA, dólar, poupança e CDI. Os resultados mostraram uma depreciação de aproximadamente 20% do valor do imóvel durante o período pesquisado (dez anos).

Mesmo que esta conclusão, puramente financeira, seja inibidora deste tipo de investimento, conversando com corretores de imóveis, percebe-se que, ainda assim, a Pituba continua sendo a “queridinha” dos baianos ao comprar um imóvel para morar ou para comércio. “No confronto do custo-beneficio, moradores concluem que, gastos e tempo com locomoção para áreas menos dispendiosas, acabam nivelando qualquer acréscimo no preço. Além disso, é na Pituba que estão localizados os melhores bares, boates e restaurantes”, defende Samuel Souza, corretor há 25 anos. Na Pituba, não paga caro só quem mora próximo à praia. O bairro, que hoje conta com 25 alamedas (além das grande avenidas) e mais de 150 ruas, tem como eixo principal a Avenida Manoel Dias da Silva. Estudando um pouco a história da Pituba, notamos que esta avenida foi o “pontapé” inicial para o surgimento desse bairro de proporções imensas (quase ninguém sabe exatamente os seus limites, tão vasto é o seu alcance). É redundante, então, falar que morar na avenida central do bairro – onde estão localizadas escolas, prédios, igrejas, teatro, praça e galerias – não é mais barato que morar na orla. E mais, na Avenida Manoel Dias, não houve nenhuma desvalorização, como houve na orla.

Foi lançado em junho o programa 'Salvador Cidadania', que visa implementar ações de proteção de média e alta complexidade no atendimento de crianças e adolescentes que vivem nas ruas de Salvador, retirando-os da situação de risco e dando assistência social. O 'Salvador Cidadania' será executado, de início, nas regiões do Pelourinho, na Piedade e na Pituba, locais de grande circulação de crianças e adolescentes pedintes e serão abordados por equipes de educadores da Secretaria Municipal do Trabalho.

Paróquia Nossa Senhora da Luz está na internet Um portal completo com informações, notícias e programação de eventos. Enfim, todo o serviço necessário a você que freqüenta a Paróquia Nossa Senhora da Luz está disponível na internet. No site é possível a leitura de evangelhos diários, conhecer as obras sociais realizadas pela igreja, além de ler testemunhos e saber dos eventos a serem realizados, como a festa junina que foi um sucesso. Anote o endereço e visite o site: www.pnsluz.com.br

Feirantes do Itaigara atrapalham trânsito e pedestres Quem tenta passar a pé ou de carro pelas proximidades dos shoppings Itaigara e Pituba Center já deve ter se irritado com os comerciantes que vendem frutas e marmitas nas calçadas. São várias barracas que funcionam em um pequeno espaço, atrapalhando os pedestres que tem que passar pela rua para poderem seguir seu caminho. Assim, carros precisam desviar e trazem mais caos ao complicado trânsito da região. Além disso, os restos de frutas e verduras muitas vezes ficam jogados nas sarjetas provocando mal cheiro e uma sujeira terrível.

Descaso Este esgoto a céu aberto não está em um bairro de periferia. Fica na Pituba, na Av. Miguel Navarro, também conhecida como Rua do Canal. Os moradores até já se acostumaram com o mul cheiro dos dias de forte calor. E com essa imagem, será que dá para se acostumar? Se você possui algum exemplo de descaso com o bairro, próximo a sua casa ou do seu trabalho, nos envie uma foto no email: nossobairro@canal2.com.br.


SALVADOR, JULHO

DE 2009 - ANO II -

Nº 10

CAPA

5

Altos valores de aluguéis geram grande rotatividade no comércio Por Lucas Sérvio Quem costuma freqüentar o bairro da Pituba, não poderá deixar de notar a grande quantidade de estabelecimentos comerciais que estão de portas fechadas, como alguns bares, lanchonetes, restaurantes, salões de beleza, lojas e escritórios. O interessante, é que a procura por esses locais para aluguel ou compra ainda é intensa, devido à variedade de serviços e a boa infra-estrutura da região. O professor Leandro Lima ressalta que, com o atual momento de crise, ficou difícil para as empresas se manterem com o alto custo da infra-estrutura da Pituba. “Todos querem economizar o momento é complicado, mas o bairro possui empreendimentos comerciais de alto nível”, afirma. Para a consultora imobiliária Cláudia Alonso, a região é supervalorizada e requisitada. “Por isso, que existe essa rotatividade, alguns estabelecimentos

comerciais fecham as portas, ou seja, logo em seguida já têm empresários querendo alugar ou comprar esses centros comerciais”, diz. O administrador de empresas João Marcelo acredita que os comerciantes que resolverem abrir algum negócio no bairro poderão apostar que a infra-estrutura é um dos atrativos, tanto para clientes como para quem

deseja se instalar. “Posso citar a Avenida Manoel Dias da Silva, importante centro comercial de Salvador. O bairro também possui acesso as diversas partes da cidade. E a Pituba tem shopping, supermercados, faculdades, escolas, bares e restaurantes, isto é, fundamental para as construtoras, e com certeza continuará recebendo importantes empreendimentos”, comenta.

Orla da Pituba recebe ação do projeto Cidade Linda FISCAIS RETIRARAM PLACAS, PUBLICIDADES IRREGULARES E FAIXAS, QUE SÃO PROIBIDAS PELA LEGISLAÇÃO MUNICIPAL, E TAPUMES EM MAU ESTADO DE CONSERVAÇÃO Cidade Linda de um lado a outro. Essa é a proposta do projeto lançado pela Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município (Sucom), que visa o combate à poluição visual na cidade e coibir construções irregulares. De início, os fiscais realizaram uma grande ação na orla da capital. Duas equipes partiram da praça onde ficava o antigo Clube Português, na Pituba, e se deslocaram até o Farol da Barra. Enquanto outros dois grupos saíram da Praça da Sereia, em Itapuã, e seguiram até a praça do antigo Clube Português. Durante o trajeto, uma equipe

com cerca de 50 profissionais, entre fiscais, gerentes e técnicos de apoio retirou placas e publicidades irregulares, faixas (que são proibidas pela legislação municipal) e tapumes em mau estado de conservação. Algumas das divulgações removidas foram faixas de borracharia e propaganda em lojas; uma placa sem alvará de um posto de combustível e um boneco móvel, em uma cadeira de rodas, que divulgava um estabelecimento comercial, figura que já se tornava folclórica no trecho da orla na Pituba. No total, foram realizadas 51 notificações para regularização

de publicidade, recuperação de estrutura, apresentação de alvará de construção, remoção de engenhos em área pública e demolição de estrutura em área pública. A equipe executou 12 advertências, dez remoções de publicidades irregulares (banners, faixas, etc), quatro apreensões de estrutura metálica e publicidade irregular em via pública, nove apreensões de publicidade irregular, um auto de infração de publicidade irregular e um auto de infração de atividade irregular.

necessidade de manter a cidade ordenada, além de requalificar a orla marítima, deixando as construções, os estabelecimentos comerciais e as peças publicitárias em conformidade com a legislação. Segundo o superintendente da Sucom, Cláudio Silva, um dos propósitos da campanha é preparar a cidade para a Copa de 2014, quando Salvador receberá turistas do mundo todo. “Queremos uma capital organizada, com instalações que não estejam agredindo a paisagem natural”, concluiu Silva.

Requalificação da orla A ação visa conscientizar os empresários e a população sobre a

Regularização de tapumes Visando combater a polui-

ção visual na cidade e assegurar a integridade da população soteropolitana, dos operários e das propriedades vizinhas, o prefeito João Henrique sancionou novas regras para a fiscalização de tapumes instalados em construções. De acordo com o Decreto n° 19.606/09, publicado no Diário Oficial do Município de 28 de maio, a conservação dos tapumes empregados em obras públicas ou privadas é de inteira responsabilidade do licenciado, que agora deverá providenciar a recuperação, manutenção, reforma e restauração de tapumes, enquanto durar a sua utilização.


6

INFORME PUBLICITÁRIO

SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO II - Nº 10

Famettig desenvolve ações para o bairro de Nazaré O bairro de Nazaré sempre foi um referencial na área de Educação em Salvador, com diversas instituições de ensino espalhadas em suas ruas. Não são poucos os cursos pré-vestibulares, escolas de Ensino Médio e faculdades que trazem diariamente milhares de estudantes para essa região da cidade. Completando 42 anos de atuação, as Faculdades Olga Mettig têm um papel importante nesse processo. A instituição foi criada pela educadora Olga Pereira Mettig, um dos principais nomes da história da educação no país, e é considerada hoje uma das mais tradicionais instituições de ensino superior da Bahia. Em 1948 a então professora primária Olga Pereira Mettig conseguiu a documentação necessária para que a Secretaria de Educação da Bahia autorizasse o funcionamento de uma nova escola primária montada em sua própria residência. A Escola Nossa Senhora do Carmo possuía quatro alunos, seis mesas individuais, seis mesas com dois lugares, 12 cadeiras e uma mesa para um professor. As inovações pedagógicas propostas pela educadora transformaram

Fametigg abre inscrições para processo seletivo

seu empreendimento em um sucesso e em 1967 o Colégio (já instalado em um grande prédio na Rua da Mangueira) se transformaria no que hoje são as Faculdades Olga Mettig. Durante todo esse tempo a Famettig, como é conhecida, formou milhares de estudantes em cursos pioneiros de Pedagogia, Turismo e Administração. Seus cursos de Pós-Graduação – muitos exclusivos e inovadores – também oferecem uma formação exclusiva, com ampla aceitação do mercado. Mas o alcance da Famettig vai além; nos últimos anos ela vem desenvolvendo uma série de ações e projetos com o objetivo de proporcionar o aumento da

qualidade dos serviços oferecidos para alunos, professores e colaboradores da instituição e o estreitamento da relação da comunidade acadêmica com a sociedade em geral. Sendo assim, os pátios da instituição já foram transformados diversas vezes em galerias de arte, recebendo várias manifestações artísticas. “Ações como essas têm um papel fundamental na formação da bagagem e identidade cultural do estudante”, afirma o Prof. Marcelo Rocha, Diretor Geral da Famettig. Para ele, é esse diálogo que possibilita a verdadeira intersecção entre o espaço acadêmico e as comunidades de Salvador.

Outra ação recente com benefícios diretos para o bairro de Nazaré foi o Projeto Comúsica, realizado em parceria com a Fundação CEFETBAHIA e o Instituto de Educação Musical. O projeto ofereceu gratuitamente oficinas de educação musical para 47 professores de classes iniciais do curso fundamental, pertencentes a escolas públicas localizadas no bairro de Nazaré e entorno. ”Além dele vamos retomar o Projeto Treinar, através do qual jovens da rede pública de ensino aprimoram habilidades que lhes possibilita serem encaminhados ao mercado de trabalho com ferramentas diferenciais”.

A Famettig abre inscrições para seu processo seletivo 2009/2. O Vestibular Agendado Fanmettig será realizado entre os dias 06 a 25 de julho; o candidato agenda a prova e comparece na Faculdade no horário marcado. Estão sendo oferecidas vagas para os cursos de Turismo (Seqüencial e Bacharelado), Pedagogia e Administração. A inscrição presencial deve ser feita na Secretaria Geral da FAMETTIG, à Rua da Mangueira, 32, Nazaré, sempre das 8h às 13h e das 15h às 20h, de segunda a sexta-feira. Estão abertas também as inscrições para o processo seletivo complementar, que inclui estudantes interessados em reingresso (ex-alunos da instituição) e transferência (alunos vindos de outras instituições), além dos portadores de diploma (já graduados) e alunos especiais (candidatos interessados em algumas disciplinas dos cursos).


SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO II - Nº 10

EDUCAÇÃO

7

Jovens concurseiros A CADA ANO AUMENTA A PROCURA POR CURSOS PREPARATÓRIOS PARA CARREIRA PÚBLICA

Por Anaísa Freitas Está aberta a corrida em busca do emprego público e nem os elevados números de concorrentes desanimam os desafiantes. Tal como em uma maratona, alcançar a vaga exige disciplina, dedicação e privações. Ainda assim, jovens tem superado essas dificuldades e investido alto no preparo. A principal motivação dos novos concorrentes é a busca por uma colocação segura no mercado de trabalho, conforme afirma Waldir Santos, especialista em Direito Constitucional. Professor há 11 anos em cursos preparatórios para concurso público, ele acredita que a atenção da imprensa sobre essa nova “alternativa profissional” tenha contribuído para o crescimento no número de candidatos por vaga. “Essa divulgação dos concursos popularizou o acesso”, frisa. A expansão das faculdades que oferecem graduação em Direito criou um novo perfil de estudante, agora interessado nesse curso na intenção dos concursos para a carreira jurídica pública. Sobre essa postura, o professor ressalta a existência de um fenômeno de migração dos concorrentes para outras áreas de concursos, tais

como analista e técnico administrativo, pela incapacidade de atender a toda demanda de bacharéis em Direito. Por outro lado, o modo como o funcionalismo público brasileiro é mal visto, difundiu entre jovens a noção de que, em cargo público, “trabalha-se pouco e se ganha sempre mais”. Waldir Santos põe tal mito abaixo e esclarece que se trata de uma informação equivocada, já que, na maioria das repartições, o trabalho é árduo. A atual saturação do mercado de trabalho generaliza os baixos salários e o risco constante de demissão, fatores que estimulam jovens como Leandro Mota, 19 anos a mudar de planos. Após cursar quatro semestre em Ciências Biológicas, ele decidiu trancar a faculdade para se dedicar aos estudos. Desde agosto passado ele segue à risca uma exaustiva rotina de estudos. “Fiz isso porque fiquei com receio de terminar o curso e ficar com diploma na mão sem exercer meu ofício”, justifica. Este ano, Mota pretende prestar concurso em diferentes estados do país visando, em especial, os cargos jurídicos. Quando alcançar a meta, ele afirma que terminará a graduação e iniciará Direito para,

então, se especializar em Direito Ambiental. Recém-formada em Pedagogia, Débora Rezende, 24 anos, busca melhores propostas de emprego. Ela conta que preferiu recusar as ofertas de muito trabalho com baixos salários e fazer como seus amigos, investindo “pesado” em concurso público. “A desvalorização do profissional de educação é vergonhosa. Ainda assim, eu adoro essa área, mas, infelizmente, não vou seguir carreira”, desabafa. Apesar da iniciativa, ela admite que não acredita conseguir passar em concurso ainda este ano, mas se diz interessada em aprender tudo que precisa e tentar as vagas de outras cidades.

A experiência em concurso rendeu ao estudante de engenharia civil, Saulo Moura, 23 anos, a aprovação no ano passado, embora ainda não tenha sido chamado para exercer a função. A perspectiva de ser convocado o fez planejar uma nova meta. “É um trabalho que vai me permitir estudar para outros concursos”, projeta ele. Perguntado sobre a graduação, o jovem diz que, por conta do limitado tempo de três horas diárias de estudos, crê que vai abandonar o curso.

Tecnologia em favor dos estudos: Concurseiros do país encontram a internet como ambiente

para compartilhar dúvidas e informações sobre as disciplinas. Além das aulas presenciais e das solitárias horas de estudos, os sites e programas de relacionamentos (Orkut, MSN) servem como ferramentas adicionais para a “batalha” dos concursos.

Dicas do professor: Waldir Santos é Advogado da União e autor do livro “Concurso público: estratégias e atitudes”. Na obra, ele ressalta a importância de prestar a maior quantidade possível de concursos públicos, para exercitar. Acrescido a isso, está a ênfase de se estudar as disciplinas em que se tem maior dificuldade de assimilação.

Atividades marcam semana do meio-ambiente no Anchietinha Reutilizar, Reduzir e Reciclar. Foi com base nesse conceito dos três 3R´s que os alunos do G2 à 4ª série do Colégio ANCHIETINHA participaram de diversas atividades na Semana do Meio Ambiente, realizada de 1º a 5 de junho, nas sedes Aquarius e Itaigara. Durante toda a semana, eles participaram de bate-papos com professores sobre reciclagem, economia de água, poluição do ar, entre outros assuntos, e como podem ajudar a preservar o meio ambiente. O encerramento do evento foi marcado com a plantação de uma muda de palmeira fênix, em ambas as sedes pelos próprios alunos, que também receberam mudas de pingo-de-ouro e torrênia para plantarem em suas casas.


8

SAÚDE

SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO I - Nº 10

Entidades contra a AIDS CASOS DA DOENÇA AUMENTAM NA BAHIA E GRUPOS SE MOBILIZAM NA CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O USO DA CAMISINHA

Por Anaísa Freitas No momento em que as discussões sobre a gravidade das novas mutações de vírus – como gripes aviária e suína – aumentam, o número de infectados por HIV se eleva. Os índices registrados são preocupantes e merecem atenção ímpar, principalmente por conta da rápida proliferação. De 1984, quando surgiu o primeiro diagnóstico de AIDS em Salvador, até 2008, foram notificados mais de 5,5 mil casos da doença só em adultos. As campanhas e os ensinamentos sobre os métodos de prevenção da doença, bem como da parceria entre entidades dispostas a reduzir essas estatísticas, ainda precisam de uma mudança na postura do coletivo. A Sociedade Brasileira de Doenças Sexualmente Transmissíveis Sede Bahia (SBDST-BA), através de convênios e parcerias com órgãos públicos e privados, promove ações para o controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST). Presente em 15 Estados, realiza eventos que reúnem e capacitam categorias de profissionais atuantes diretamente nas comunidades. Hoje, são 90 associados que colabo-

ram com a SBDST-BA, como explica Roberto Fontes, presidente da sede regional. Ele reconhece a AIDS como a DST mais cara e fatal, mas relembra que há um elo entre essa e as demais e que, portanto, é fundamental haver prevenção de todas as doenças relativas ao sexo, sem qualquer grau de prioridade. As medidas de prevenção da AIDS já foram amplamente abordadas ao longo das décadas, com bombardeio de informações sobre como evitar contrair o vírus. Em ordem inversa, o que se vê é um aumento no número de infectados, como revelam dados da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), que registrou – entre 2007 e 2008 – 9.319 novos casos e 2.671 mortes ocasionadas pela doença. Roberto acredita que a melhor hipótese para explicar essa contradição é a necessidade de haver mudança de hábitos culturais. “Você não educa a pessoa somente através da informação. Precisa haver outros elementos aliados a isso, como o projeto de vida dela. Por exemplo, ele pode saber dos métodos de prevenção, mas pode não mudar sua postura”. O trabalho de conscientização é árduo e, segundo ele, equipara-se ao de uma formiga porque exige paciência

para insistir nessa mudança. Além da preocupação com os dados da doença, a precoce vida sexual dos adolescentes é outro fator que responde pela disseminação das DST. O agrave não parece estar no fato deles iniciarem a vida sexual mais cedo, mas de manter várias relações sexuais sem uso de preservativo. Desde o final dos anos 90, essa faixa etária tem a proporção de infectados invertida, com mais meninas notificadas com AIDS em relação aos garotos. Os dados do último Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde revelam que essa tendência é mensurada ainda na faixa de adultos quando, em 1985, havia 15 casos da doença em homens para 1 em mulher, enquanto hoje a relação é de 1,5 para 1. De acordo com Socorro Farias, responsável pela Coordenação Central DST/AIDS da Secretaria Municipal de Saúde, esse novo panorama deve ser revisado com o trabalho da auto-estima e do cuidado pessoal dessas adolescentes, alertando sobre o fato de que a saúde deve estar acima de qualquer apelo do parceiro (como o sexo sem camisinha). A Coordenação trabalha de forma intensa a prevenção, sempre articulada às esferas esta-

dual e federal. O trabalho é desenvolvido em oficinas com profissionais de saúde, feiras e stands de prevenção e materiais educativos. Socorro explica que no mês de Junho o projeto estava capacitando os profissionais que atuam na rede municipal de saúde a aprenderem como utilizar o preservativo feminino. Como eles têm atuação direta com a comunidade, repassam o ensinamento para as mulheres que buscam os centros médicos municipais. As campanhas de alerta contra o HIV são intensificadas durante o período de Carnaval, mas acontecem durante todo o ano com a população. “Trabalhamos com a comunidade de rua, com as pessoas que sofrem de transtornos mentais, ação com adolescentes em escolas, com articulação com professores, além de orientação aos portadores do vírus. A intenção é chegar até as pessoas mais vulneráveis com a prevenção mais adequada”, revela Socorro. Por conta dos festejos juninos, é esperada uma campanha intensa veiculada em televisão, rádio e outdoors,

com o apoio de stands em shoppings e em shows típicos. A passos lentos, mas graduais, as mobilizações em torno da prevenção do HIV acaba gerando sensíveis mudanças de atitude. Uma delas é a aceitação dos idosos que estão voltando a ter vida sexual ativa. “Antigamente, quando se oferecia um preservativo a uma senhora, ela dizia que ia dar ao filho ou ao neto, e hoje já assumem que estão utilizando”, conta Socorro. Ainda assim, o público da melhor idade preocupa pelo crescimento acentuado dos casos de infecção. Em 1996, de cada 100 mil homens entre 50 e 60 anos de idade, mais de 18% confirmaram ter a AIDS. Em 2006, esse número chegou a quase 32%, de acordo com dados do Programa Nacional de DST e AIDS.

Grupo Gay da Bahia na luta contra AIDS Fundado em 1980, o Grupo Gay da Bahia, GGB, trabalha no combate à proliferação do vírus HIV. Em 1995, recebeu o título pelas melhores práticas de prevenção, na categoria do Ministério da Saúde. Apesar das dificuldades, como poucos recursos, reduzidos projetos e da banalização do tema AIDS, Marcelo Cerqueira, presidente do GGB, coordena as campanhas desenvolvidas. Para o público jovem, a sede do GGB

(localizada no Centro Histórico) oferece às terças-feiras o projeto “Se Ligue”, com discussões sobre o tema e a importância do uso de preservativos. O local também serve como núcleo de atendimento a qualquer interessado em se informar sobre a AIDS ou adquirir preservativos, independentemente da orientação sexual. Hoje sabe-se que a AIDS não se restringe a grupos específicos, mito muito divulgado nos anos 80, mas,

ainda assim, Marcelo acredita que o público homossexual merece atenção especial nas campanhas “porque a homofobia interna e da sociedade, acrescida da carência afetiva, fazem com que muitos deixem de usar o preservativo”, relata. Outro fator adicional mencionado por ele é o fenômeno da “banalização da doença”, quando os doentes ingerem o coquetel de medicamentos e ganham aparência de saudável, afastando qualquer sus-

peita de que possuem o vírus. Logo do surgimento da AIDS, outro argumento nada consistente dizia que a atuação dos profissionais do sexo dificultava a prevenção. O presidente do GGB relembra que muitos deles têm filhos, cônjuge e laços sociais que os tornam mais cautelosos com a saúde. “Hoje é mais seguro fazer sexo com um profissional do sexo do que com uma pessoa que você encontra na boate ou na rua”, opina ele.

Redes virtuais de comunicação – tais como Orkut, MSN, Fóruns – estão em uso para disseminar opiniões e iniciativas sobre temas. Mas o uso ativo com o propósito de prevenir a difusão do HIV parece distante da realidade. “No meu ponto de vista, as pessoas usam as redes para se relacionar ou namorar. Não vi nenhuma comunidade do Orkut com algo do tipo ‘faço com camisinha’, por exemplo”, diz Marcelo.


SALVADOR, JUNHO DE 2009 - ANO II - Nº 10

RETROSPECTIVA

9

Nosso Bairro completa 1 ano Por Márcia Ribeiro O JORNAL NOSSO BAIRRO ACOMPANHOU, BUSCOU, QUESTIONOU E CONFERIU OS PRINCIPAIS ACONTECIMENTOS DA REGIÃO DA PITUBA, ITAIGARA E CAMINHO DAS ÁRVORES NOS ÚLTIMOS DOZE MESES. CONFIRA O QUE FOI NOTÍCIA NESSE PERÍODO E RELEMBRE AS MELHORES REPORTAGENS:

9ª Edição:

8ª Edição:

- Pituba sem Lei – Roubos de veículos crescem 71% na Pituba - Continua impasse entre barraqueiros e Prefeitura - Imóveis abandonados na Pituba podem ser focos de dengue

- Moradores consideram a praia da Pituba imprópria para banho e raramente a frequentam - Novela da Orla: obras atrasam novamente

7ª Edição: 6ª Edição:

5ª Edição:

- Prostituição na Pituba - As contradições da Paulo VI - Descaso na Praça Ana Lúcia Magalhães

- Caos no trânsito da Pituba - Área do Clube Português recebe nova praça - Parque Júlio César ganha nova praça

- Quanto custa viver na Pituba? - Reféns dos flanelinhas, motoristas são obrigados a pagar para estacionar em vias públicas - Colônia de Pescadores perde espaço na Pituba

2ª Edição: 3ª Edição: - População quer oceanário na área do antigo Clube Português - Águas da chuva não têm por onde escoar, diz especialista - Lei Seca gera polêmica e esvazia bares da cidade

- Itaigara e Caminho das Árvores não existem oficialmente - Bandidos vigiam o Parque da Cidade - Semáforos e agências bancárias são principais alvos dos bandidos na região

4ª Edição:

1ª Edição - População vai decidir o destino do antigo Clube Português - Situação dos barraqueiros da orla ainda está indefinida - Moradores reclamam da má conservação e falta de segurança das praças

- Moradores lutam contra invasão comercial no Caminho das Árvores - Aumenta a incidência de roubos e furtos de carros na região - Nova passarela no Itaigara - Entrevista com o ator Ricardo Castro

(Se você quiser algum exemplar das edições anteriores, entre em contato com a nossa redação: nossobairro@canal2.com.br ou veja as edições digitalizadas no nosso site: www.canal2.com.br/nossobairro)


10

ESPORTE

SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO I - Nº 10

Torcida de barzinho TORCEDORES PREFEREM ASSISTIR AOS JOGOS COM CONFORTO E SEGURANÇA Por Lucas Sérvio Para o torcedor do Bahia ou do Vitória, acompanhar às partidas de seu time é um programa sagrado. E os bares da Pituba tornaram-se pontos de encontro para esses rubro-negros e tricolores. Eles aproveitam o clima descontraído de um barzinho para comemorar com os amigos ou reclamar do juiz, além dos gritos de guerra, hinos e os famosos "uhh" que são suspirados durante os jogos. A mudança no hábito de consumo do torcedor brasileiro tem ocorrido com frequencia e muitas pessoas preferem assistir aos jogos em um barzinho do que ir ao estádio de futebol. Geralmente, os bares investem em conforto e segurança, no telão e na assinatura dos jogos em pay-perview (programação específica que pode ser adquirida através de compra). O estudante Hamilton Alves procura sempre assistir os jogos no barzinho. “Futebol e cerveja. Combinação perfeita para tricolores e rubro-negros...

(risos). E os torcedores que assistem aos jogos nos bares agem como se estivessem em um estádio, mas sem brutalidade. Uma torcida faz gozação, a outra responde. Os encontros também servem para rever sempre os amigos”, diz. Nesses pontos de encontro de torcedores de futebol, além da cerveja, há TVs de plasma (de 20 a 42 polegadas) petiscos, como o bolinho de bacalhau, siri, caranguejo, arrumadinho, carne do sol ou carne de fumeiro com pirão de aipim, batata frita e aipim frito. Martilio Santos, que é garçom, informa para os torcedores apaixonados. “Para quem não quer perder nenhum lance e ainda degustar um bom chope, o barzinho é uma boa pedida. A maioria dos bares transmite as partidas do Bahia na série B, e do Campeonato Brasileiro da série A, então, quando é dia de jogo o local onde eu trabalho! Fica cheio”, disse. Fanáticos – O futebol é também um campo fértil para rituais e superstições que os torcedores cum-

prem antes de cada jogo. “Eu tinha antigamente uma camisa que era das decisões. Mas vi que não existia isso. Era só um reforço pra minha mente. Mas em dias de jogos acordo diferente. coloco bandeira na janela, me visto cedo. e gosto de chegar cedo pra resenhar com amigos”, comenta o publicitário Pablo Caldas. Para o arquiteto Euclides Almeida, escutar o hino do Esporte

Clube Bahia, antes de uma partida é fundamental. “Sempre que acordo no dia de algum jogo, eu boto o hino tricolor para tocar...Dá muita empolgação! Representa muita alegria, enorme sentimento de bem estar, pois é uma forma de extravasar todo o estresse do dia-a-dia, é uma forma de esquecer os problemas e se confraternizar com toda uma Nação”, ressalta.

Points das torcidas na Pituba BARTOLOMEU RUA GUILLARD MUNIZ, 720 TEL: (71) 3451-5772 AMENDOEIRA RUA MINAS GERAIS, 111 TEL: (71) 3346-1554 PONTE AÉREA RUA SÃO PAULO, 404 TEL: (71) 3346-1200

Etapa da Stock Car confirmada em Salvador Está confirmado! No dia 9 de agosto próximo, Salvador será a sede da sexta etapa do ano do campeonato da Stock Car. O governo baiano e a Vicar Promoções, empresa que promove a Stock Car, assinaram nesta terça-feira o contrato, no valor de R$ 3,5 milhões, para a realização da primeira prova da categoria na Bahia. A etapa de Salvador será a primeira corrida da história de Stock Car em pista de rua. Ela acontecerá nas largas avenidas do Centro Administrativo da Bahia (CAB), em um percurso de 2,8 quilômetros. O governo

baiano já se comprometeu a reformar todo o asfalto do trajeto e a montar a estrutura para o evento, que inclui camarotes, boxes, alambrados e arquibancadas para 60 mil pessoas. Com esse investimento para receber a Stock Car, o governo baiano espera amenizar os efeitos da baixa temporada no turismo local. "Só de gente que vai trabalhar na corrida, são duas mil pessoas, que vão passar dez dias hospedadas na cidade", disse o secretário estadual de Turismo, Domingos Leonelli. "Isso sem falar dos milhares de aficionados pela velocidade."


SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO II - Nº 10

Pituba conectada

Outra possibilidade que as redes Wi-Fi oferecem é a conexão via celular. Aparelhos como o Blackberry Bold, Apple iPhone 3G, Nokia N85 e Samsung Omnia estão na lista dos modelos que já trazem a tecnologia

11

Por Anaísa Freitas

Por Anaísa Freitas

Conexão via celular:

TECNOLOGIA

Guia de compras

BAIRRO OFERECE PONTOS DE CONEXÃO GRATUITA A INTERNET

Em shoppings, aeroportos, museus ou hotéis é fácil encontrar alguém plugado na internet, sem pagar nada por isso. Utilizando um notebook com sistema wireless ativado em um hotspot (local para acesso à internet sem fio), o usuário pode usufruir dessa conexão. Na Pituba, a prática se popularizou e, cada vez mais, novos lugares disponibilizam a tecnologia das redes Wi-Fi (veja a tabela das redes sem fio). O processo não costuma ser complicado, bastando que o sistema wireless embutido no notebook esteja ativado para, então, captar o sinal da internet sem fio e pôr o usuário na internet. Caso o computador não possua o sistema, pode-se adquirir um cartão PCMCIA compatível com 802.11g, que custa cerca de R$ 200, ou um adaptador wireless para USB com especificações semelhantes, em torno de R$ 150. Ambos permitem que a rede sem fio seja igualmente acessada.

OS ÚLTIMOS LANÇAMENTOS DO MUNDO DIGITAL PODEM SER ENCONTRADOS NA PITUBA E REGIÃO BONS PREÇOS .

CONFIRA ALGUMAS DICAS DE COMPRAS:

inclusa, permitindo o acesso às redes sem fio. Essa conectividade deixa o usuário monitorar a caixa de e-mail com mais freqüência e também possibilita economizar nas ligações telefônicas, através do software Skype 2.5 para Windows Mobile (leia mais abaixo). Anderson Lomba, professor universitário, possui um iPhone e utiliza as redes Wi-Fi gratuitas de shoppings. Com a adição de novos softwares ao aparelho, ele explica que acessa programas de conversação, como MSN e Skype. A praticidade da telefonia móvel atual ainda esbarra no fator consumo de bateria. Um breve intervalo de tempo na utilização da rede sem fio é suficiente para descarregar o celular. A questão da segurança nessas redes é outro ponto que desencoraja muitos usuários, porque, normalmente, o aparelho celular é mais vulnerável a possíveis

ataques de invasores mal intencionados.

Mais notebooks nas ruas O mercado brasileiro de computadores vendeu mais de 2,2 milhões nos três primeiros meses desse ano, de acordo com dados da consultoria IT Data. Contratada pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), a pesquisa constatou ainda que, desse total, 710 mil itens comercializados foram notebooks (computadores portáteis). Apesar do predomínio das vendas desktops (computadores de mesa), os novos modelos portáteis já estão se tornando parte da rotina dos brasileiros. Mais leves, econômicos e fáceis de transportar, a maioria dos notebooks da nova geração já vem com tecnologia WiFi, possibilitando ao usuário o acesso à internet através de conexão sem fio (wireless).

No Brasil, há hotspots gratuitos ou pagos que podem ser localizados através do link http://www.wifilivre.com.br. Em Salvador, esses pontos de acesso a redes sem fio estão catalogados no site https://blog.ufba.br/wifisalvador/. Veja onde conectar-se gratuitamente na Pituba: 1. Faculdades Hélio Rocha (Rua Fernando Menezes de Góes, 570, Pituba) - Hotspot Gratuito, mas apenas para os alunos e professores mediante cadastro dos seus dispositivos (notebooks, PDAs, etc.). 2. Salvador Trade Center (Av. Tancredo Neves, 1632) - Conexão gratuita; o hotspot abrange o lobby das duas torres. 3. Salvador Shopping (Av. Tancredo Neves, 2915, Caminho das Árvores) - Conexão Wi-Fi Gratuita em todo o interior do Shopping. 4. Restaurante Academia de Tênis (Av. Tancredo Neves, 1063, Caminho das Árvores) - Conexão gratuita, mas com senha de acesso (WiTech). 5. Shopping Iguatemi (Av. Tancredo Neves, 148. Caminho das Árvores) - Conexão Gratuita; Os hotspots estão localizados na Praça Newton Rique (praça de alimentação no 3º piso), Praça Menininha do Gantois (praça da Perini no 3º piso) e Restaurante Gengibre (3º piso). 6. Restaurante Pasta Fast (Av. Octávio Mangabeira, nº 50, Pituba) - Conexão gratuita.

A novidade da HP é o computador IQ510BR PC TouchSmart. A tela widescreen de 22 polegadas, sensível ao toque, e o gabinete integram o mesmo módulo, com um design moderno. A tecnologia HP BrightView aprimora o contraste e a nitidez do visor, tornando as cores mais brilhantes. O processador Intel Core 2 Duo T5850 e os 4GB de memória RAM DDR2 667 MHz aceleram a performance da máquina. O espaço físico permite o armazenamento de até 500 GB no HD SATA 7200 rpm e a placa de vídeo NVIDIA GeForce 9300M GS HD. Preço: R$ 4.999,00 Onde encontrar: HP STORE (Papel & Cia) Shopping Iguatemi, 3º piso - 3450-1370

A Câmera Digital Sony CyberShot DSC-W215 possui 12.1 megapixel de resolução, zoom óptico 4x e tela de LCD 2.7". O estabilizador de imagem Steady Shot elimina distorções causadas pela movimentação da máquina durante a foto e o sistema inteligente detecta 5 tipos de cena em um enquadramento. O Face Detection reproduz com nitidez a pessoa, otimizando a captura de detalhes do rosto. A máquina tem altura de 5.0 cm, largura de 9.0 cm, profundidade 2.0 cm e peso de 117 g. Preço: R$ 1.199,00. Onde encontrar: Ponto Frio Digital - Shopping Iguatemi, 2º piso - 3460-2295

Para os fãs de vídeos do YouTube, a JVC criou a filmadora GZ-MS100. Um botão apenas e o vídeo feito é postado no site. Prática e compacta, a filmadora trás lentes Konica Minolta, realçando brilho, zoom óptico de 35x e Mecanismo Gigabrid, protegendo a imagem de distorções provocadas por ruídos. O Laser Touch mantém o LCD livre de manchas e a iluminação automática do LCD ilumina a tela para uma excelente visualização em áreas internas e externas. O botão Direct DVD permite, com o auxilio de um Share Station, gravar vídeos em uma mídia de DVD com apenas um toque. Um dado interessante é que, em média, 10 minutos de vídeo utilizam 100MB de memória. Preço: R$ 999,00 Onde encontrar: Nagem - Shopping Salvador, piso L1 – 4004-2021


12

ATUALIDADES/ENSINO

SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO II - Nº 10

A Pituba na internet Moradores pouco usam a rede como fonte de informação sobre o bairro Por Louise Cibelle

Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite AS DORES E DELÍCIAS DE SER SOLTEIRO EM SALVADOR Por Aina Kaorner Mesmo com índice pluviométrico de 439,6 milímetros, o que não falta são opções para não ficar em casa sozinho, assistindo ao Zorra Total. Chega a hora de usar o melhor perfume, murchar a barriga, estufar o peito e levantar a bandeira machista: “homem solteiro tem que ser garanhão e mulher solteira não pode ficar encalhada”. Primeira parada num barzinho da moda, a cena se repete durante toda a noite: uísque e energético na mão e cara de quem está apenas curtindo o som (mesmo não sabendo se aquilo é trance, house ou techno). Pouco importa. Todos estão empolgados na mesma sintonia e em prol do mesmo objetivo: “Vida de solteiro é assim; sem hora pra chegar em casa e sem ninguém pra dar explicações”, afirma a vendedora Juliana Silva (24). Após uma longa semana de trabalho e estudo, a jovem costuma sair com as amigas para dançar, conversar e curtir a baladas. “A paquera é uma coisa que acaba acontecendo, mas não é o motivo principal”, justifica, acompanhada por risos das colegas. Aliás, solteiro que se preze tem sempre a agenda lotada no celular: Carla da Academia, Mariana do prédio, Priscila do Bompreço... Bompreço? “Foi uma menina que estava paquerando enquanto fazia compras”, responde o estudante Ricardo Campos (26), ao ser indagado sobre a extensa agenda telefônica. O importante mesmo é não perder tempo. Ninguém quer receber uma ligação sábado à noite da operadora de celular oferecendo a mais nova promoção para trocar a linha prépaga por pós-paga. Para o médico e terapeuta Moacir Oliveira, esta é uma consequência do atual modo de vida das pessoas. “Esse estilo contemporâneo, voltado prioritariamente para os trabalhos e negócios, acaba fazendo com que nos sintamos muito sozinhos”, conta. Para ele, a frieza do mundo virtual gera solidão, carência e provoca um comportamento em busca da complementação do ser. “Por conta disso, as pessoas acabam desenvolvendo contatos rápidos, superficiais e sem compromisso, não

conseguindo manter uma relação duradoura”, explica o doutor. Aí é que começa o problema: Na maioria dos casos a mulher sai em busca de um companheiro, um parceiro; enquanto o homem procura a realização momentânea do prazer. O resto da história você já conhece. E no princípio, o “verbo” - Como nem sempre é fácil arranjar uma namorada no supermercado, uma das táticas preferidas dos solteiros modernos é o uso do MSN, Orkut e outros sites de relacionamento para garantir a companhia do final de semana: “Vi o perfil do Márcio no Badoo e marcamos um encontro. Estamos nos conhecendo e vamos ver no que vai dar”, conta a professora Marcela Santos (31): “Viver sozinho não é fácil, precisamos buscar alguém para conversar, desabafar e compartilhar nossas experiências”. Não ter ninguém para dividir o apartamento pode ser o sonho de muita gente, principalmente pela falta de cobranças e divergência de opiniões, mas depois de um tempo a comidinha de microondas perde o gosto e vem aquela vontade de assistir Sex in the City, mesmo quando seu estilo é mesmo Senhor das Armas. Antes só que mal acompanhado - A solteirice pode ser uma boa opção quando se quer buscar equilíbrio pessoal e autoconhecimento. “Às vezes é preferível ficar sozinho para pensar melhor, se conhecer e perceber que felicidade está dentro da gente. Certos encontros podem comprometer nossos sonhos e esperanças. Somos muito egocêntricos e tentamos criar algo idealizado, mas esquecemos que o outro também tem seu próprio mundo”, observa Oliveira: “Esperar de alguém o que você deposita nela pode gerar grande frustração e sensação de abandono”. Por isso, quem passou o mês dos namorados sozinho, vale a pena enxergar o lado positivo, agradecer por ter escapado dos shoppings lotados e continuar escutando no carro a poesia contemporânea do Jammil: “sou praieiro, sou guerreiro, tô solteiro, quero mais o quê?”; fazendo a coreografia no sinal vermelho e rezando para a Transalvador não lhe parar no teste do bafômetro.

No mundo inteiro, o site Twitter, espécie de blog mais ágil e compacto, atrai mais de 6 milhões de usuários. O Brasil já está entre os dez países mais adeptos da ferramenta. Na Bahia, órgãos públicos estão no Twitter, jornais estão no Twitter, revistas, teatros, museus, tatuadores e tantas outras pessoas e estabelecimentos fazem parte desta novidade (que já nem está tão nova mais). Provavelmente seu vizinho também twitta e você nem sabe. Na Pituba, um dos bairros nobres mais populosos da capital baiana, onde a maioria esmagadora dos moradores tem acesso fácil à internet, quase ninguém usa o Twitter como serviço ou meio de obter notícias sobre o bairro. O bairro tem comunidades de todos os tipos e para todos os públicos no Orkut. Em uma rápida “passeada” pelo site, pode-se encontrar comunidades de escolas, cursinhos, igrejas, condomínios, academias, bares e até comunidades voltadas especificamente para o público gay. “Msn - Salvador, povo da Pituba”, “Galera da Praça - Pituba” e “Moradores e amigos da Pituba” são alguns exemplos de comunidades feitas por grupos de moradores da região. O caso é que, em meio a tantas comunidades e usuários, pasmem, o jornal não conseguiu fazer contato com nenhum membro. Tudo bem se as pessoas não vêem graça nos sites de relacionamento como viam antes. Mas, voltando ao ponto inicial, e quanto aos serviços? Em uma época em que tempo vale mais do que ouro, por que boa parte da Pituba não otimiza a sua realidade ao pedir, por exemplo, um táxi pela internet enquanto termina aquele relatório que precisa ser entregue ao chefe com urgência? Por que, na hora de comprar algo, não verifica primeiro se seu vizinho tem para vender? Na era da Lei Seca, é uma boa sacada poder voltar a pé ou pagar barato por um táxi se o happy hour for pertinho de casa. Quem mora na Pituba está com “a

faca e o queijo” na mão, e não aproveita. Isto porque o local é um dos poucos que possui um site segmentado e constantemente atualizado, oferecendo quase todas as informações que o morador necessita para se divertir e economizar tempo e dinheiro. De um ponto de vista mais abrangente, é possível notar que os moradores da Pituba não interagem também entre si. Geralmente, estas pessoas mal conhecem quem mora no apartamento ao lado e os amigos que possuem moram em outros bairros. Por mais que a balada seja próxima, dificilmente pessoas que moram na mesma rua saem juntas. É o caso de Carine Freitas, moradora da Pituba há 10 anos. Ela conta que só tinha amigos no bairro na época do colégio. Pelo fato da instituição se localizar ali, a maioria dos alunos morava nas redondezas. “Faz tanto tempo que eu não sei o que é ir à casa de uma amiga da rua. Vejo amigos que moram em outros bairros sempre perto dos vizinhos e percebo que a Pituba perdeu muito disso”, conclui. Quem sabe se este não é o motivo pelo qual os habitantes deste bairro, que é um dos mais bonitos e badalados de Salvador, não se aventuram mais por estas “bandas largas”? É preciso promover a socialização, ser amigo do vizinho e ter vizinhos como amigos. Como dizem por aí, os vizinhos são os parentes mais próximos. É com quem se pode contar na hora do “aperto”, e (por que não?) na hora da diversão! Em todas as possibilidades, tem-se também a ajuda da internet que, nestes momentos, é uma verdadeira “mão na roda”.


SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO II - Nº 10

Colcha de Retalhos – Espaço destinado a colunas dos

repórteres do jornal Nosso Bairro. Neste edição: Aina Kaorner

Socorro, meu Deus! Eu não quero morrer! Enquanto você aproveita para folhear as páginas dos mais novos empreendimentos imobiliários, com pagamento previsto até seu bisneto concluir o MBA em manutenção de aeronaves extraterrestres, o trânsito, em Salvador, continua mais lento que as Naus da Idade Média. Breve, este se tornará um novo nicho mercadológico a ser descoberto nos brainstormings das grandes empresas. Quem sabe um serviço rápido de manicure, fast food ou massagens relaxantes. As concessionárias também irão oferecer como brindes CD’s de New Age, cantigas do Padre Marcelo Rossi ou a Bíblia Sagrada, narrada por Cid Moreira. Em casos mais graves, parcerias com farmácias para descontos na compra de benzodiazepínicos. Quando chove, então, o caso fica muito mais grave. Além de triângulo e extintor, os botes e coletes salva vidas farão parte dos novos equipamentos de segurança obrigatórios em veículos que trafegam na cidade. Com o significativo aumento do número de veículos, as vias da cidade não apresentam estrutura adequada para comportar a frota, além disso, muitos motoristas precisam voltar para a autoescola, ou até mesmo para o Jardim de infância, para aprender dicas de comportamento e boas maneiras. Quem pensa que é a própria encarnação de Pôncio Pilatos, pagando os pe-

cados ao esperar duas horas no trânsito, para chegar ao dentista, no quarteirão ao lado, tente se sentir privilegiado por não ter que pegar um ônibus Estação Mussurunga, escutando uma Ave Maria, na Avenida Tancredo Neves. Nesse momento, você até pensa em passar umas férias na Arábia Saudita, mas logo é interrompido por um bom sujeito, que está desempregado e “poderia estar roubando”, mas prefere honestamente pedir dinheiro para realizar o fechamento de uma colostomia, com direito à exposição anatômica dos procedimentos médicos. Isso quando não tem briga com motoristas e cobradores, discussões entre passageiros, assaltos, ou até mesmo os famosos tarados que se aproveitam do “calor humano” da condução. Para diminuir o número de veículo nas ruas e evitar o congestionamento, um bom começo seria a implantação de ações efetivas para a melhoria do transporte coletivo, que além de caro, não possui nenhum tipo de conforto e segurança. E o metrô? Bem, falar sobre lendas urbanas certamente fugirá do tema.

SEGURANÇA

13

Um paulista na capital baiana Sonho de criança Por Felipe Vergili * Q u a n d o criança, sonhava ser piloto de helicóptero. Achava incríveis aquelas máquinas que voavam com leveza. O som das hélices me animava. Imaginava poder ver a cidade lá de cima, ver os carros passando, as pessoas seguindo suas vidas. E eu lá parado, vendo tudo e ainda podendo ver à frente. Vendo o horizonte. Prestes a completar 30 anos, ainda não voei de helicóptero. Andei de Boeing, cruzei o Atlântico em um Airbus quando ainda eram seguros. Até em bimotor já andei. Com a leveza de um helicóptero, porém, ainda não tive o prazer. Teria sido eu um bom piloto de helicóptero? Sou ótimo com máquinas. Dirijo bem. Tenho bom senso de distância. Talvez tenha nascido para pilotar helicópteros. Mas onde eu desviei do caminho? Onde abandonei, deixei de lado a obstinação por pilotar helicópteros? Bom, quando ainda adolescente, não me lembro de ninguém encorajar o meu sonho. Seria isso uma desculpa? Não teria tido eu força de vontade o suficiente para ser um piloto de helicóptero? Antes de dar por mim, foram aparecendo as provas da faculdade, as contas para pagar, as horas a cumprir. Apareceram também os beijos a trocar, as promessas de amor a realizar, a vida real para viver. Penso eu, porém, que não há motivo específico. Acho que sempre fui deixando o meu sonho de pilotar helicópteros de lado. “Um dia ainda vou ser piloto”. “Nunca é tarde para começar”. Assim, essa lembrança que já me acompanha há tanto tempo vem sendo substituída por emoções e pensamen-

tos mais recentes, no momento, mais importantes. Um sonho de criança, afinal, sempre pode ser deixado de lado. Só que de algum modo ainda quero pilotar helicópteros. Do mesmo modo que queria quando criança. Ainda não sei como fazer, qual caminho seguir para tal. Mas ainda quero. Conforto-me ao pensar que todos devemos ter um sonho que não sabemos como realizar. Talvez seja melhor deixar ele como um sonho, para podermos sempre nos apegar a esta esperança. É difícil se ter esperança quando somos muito cientes da realidade. Por isso, um sonho de criança se torna quase que uma crença. É muito gostoso sonhar com uma coisa boba, como ser piloto de helicóptero. Olha eu me desfazendo do meu sonho novamente. Mas tudo bem, “nunca é tarde para começar”. Como lhes disse, nem andar em helicóptero eu ainda andei. Mas, de certo modo, tenho visto a vida das pessoas lá de cima. Elas seguindo as suas vidas. E eu vendo o horizonte. * Felipe Vergili é paulista, jornalista e mora em Salvador há um ano. Mais textos no blog: http://spemssa.blogspot.com Email: fvergili@gmail.com


14

INFORME PUBLICITÁRIO

SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO II - Nº 10

Como se preparar para concursos públicos á era o último de inscrição para o concurso do BNB. Na carteira do candidato Ozio, nem um tostão. Recorreu, então, a uma última tentativa: ligou para uma prima que conseguiu o dinheiro. Prova feita, resultado divulgado, pronto! A vida de Ozio começava a mudar. Ele já era o mais novo funcionário do Banco do Nordeste do Brasil. Mas o caminho que levou Ozio Rodrigues Neto até a realização foi longo. “Eu larguei meu emprego, me matriculei na Casa dos Concursos e coloquei esta meta em minha vida! Aqui, tive toda orientação e estímulo. Nunca acreditei em aula telepresencial. Gosto do contato direto com o professor, o calor humano, a dúvida dos colegas... a cooperação faz a diferença! Na Casa dos Concursos tive tudo isso”, diz, vitorioso. Ozio optou pelo cargo público pelo mesmo motivo que leva milhares de brasileiros a este caminho: a estabilidade financeira. Em um momento de intensas oscilações econômicas, surgem, a cada novo edital, inúmeros novos candidatos a vagas públicas. Segundo o professor André Dórea, coordenador pedagógico da instituição que mais aprova no Norte-nordeste do país, Casa dos Concursos, o perfil do candidato vem mudando: “atualmente, quem faz concurso vê na administração pública uma oportunidade de realização profissional, sim! Ozio procurou por isso! Ele sabia do seu potencial e queria ser reconhecido em uma instituição que o valorizasse. As pessoas querem qualidade de vida. Se a iniciativa privada, em muitos casos, não consegue fazer isso pelo trabalhador, é no cargo público que ele vai procurar satisfação como profissional”. André acrescenta, ainda, que um dos grandes atrativos do cargo público é a isonomia

J

na seleção dos candidatos. “A Constituição nos dá este direito! Para a administração pública não deve importar se você estudou na faculdade X ou Y, se você é rico ou pobre, bonito ou feio, se alguém te indicou ou não. Todos são iguais e têm o mesmo direito de tentar um cargo público”, comemora o docente. Joalvo Magalhães Filho ouviu as palavras de Dórea. Aluno da Casa dos Concursos, ele estudou e conseguiu a aprovação. Muitas horas de aula, dias sem ver os amigos, e até a namorada precisou ser compreensiva com as ausências. Mas todo esforço valeu a pena. Ele foi aprovado em dois concursos: para técnico e, posteriormente, em 1º lugar no de analista do TRT. O seu desempenho nas aulas da Casa dos Concursos rendeu mais que a aprovação em concursos, rendeu um convite para integrar a equipe de docentes da instituição. “Esta nossa atitude

em convidar Joalvo, sem dúvida, mostra que estamos aqui para crescermos juntos. Joalvo se dedicou, vimos o esforço dele. Além de ter realizado o sonho, ele agora está preparado para ajudar a outras pessoas nessa mesma jornada”. José Fernandes Pereira Neto, aprovado no último concurso da Polícia Rodoviária Federal, também passou pela Casa dos Concursos e conseguiu a aprovação. “Aqui, eu tive uma orientação que me possibilitou não perder tempo. Sem dúvida eu pude encurtar o caminho que me levou à aprovação, como diz o slogan da Casa!”, brinca o policial. Jeziel Dórea, gerente administrativo da Casa dos Concursos salienta que a equação que vem dando os grandes resultados conquistados pela Casa dos Concursos é a orientação da Casa com a dedicação do aluno. “Aqui, nós damos todos os passos. Ensinamos o caminho das pedras. Mas pre-

cisamos contar com a ajuda, a dedicação do aluno fora da sala de aula também”. José Fernandes vai além e ressalta a importância de “conciliar o conteúdo, o estudo, com o emocional. Na hora da prova, isso também vai ser cobrado de você”, diz o exaluno da Casa dos Concursos. José Fernandes está concluindo o bacharelado em Direito e pensa em fazer outros concursos. Porque em concurso é assim: o candidato passa em um cargo e já vislumbra em sua frente outras posições ainda melhores na administração pública. Lembra de Ozio? Pois é. Com ele não é diferente. Ele já está no segundo emprego público e não pensa em se acomodar. Agora, ele já começa a se preparar para voos mais altos: já estuda na Casa dos Concursos para ser auditor fiscal. De uma coisa ele tem certeza: nunca mais precisará pedir dinheiro emprestado para fazer inscrições.

Massa Freska: parte da minha história a década de 1980, Cida e Romero abriram a MASSA FRESKA uma excelente casa especializada em pasteis que funcionou por mais de 10 anos na Pituba, no 1º andar do Shopping Atlântico Center, localizado à Rua Piauí, esquina com Manuel Dias da Silva. A MASSA FRESKA foi o ponto de encontro da garotada da época, inicialmente os clientes eram os garotos dos prédios vizinhos, posteriormente, foram seus pais e depois os seus amigos. A MASSA FRESKA que funcionava de segunda a segunda, fervilhava ao domingos. Toda a garotada da Pituba e seus amigos passavam

N

por lá. A turma o Nobel, a turma do Colégio Militar, a turma do encontro de Jovens da Igreja Nossa Senhora da Luz, os grupos se misturavam e criavam um ambiente alegre, bonito e muito saudável. A MASSA FRESKA fez parte da história de muita gente. Cida e Romero que tinham filhos adolescentes a época cuidavam com olhos de pais de toda a garotada. E hoje matam a saudade dos antigos clientes no PONTO DE PARTIDASNOOKER BAR. Inaugurado em novembro de 2008, trás de volta o sabor e qualidade dos pasteis da MASSA FRESKA. A mesma receita, o

mesmo sabor, a mesma qualidade, os mesmos pastel da época. A idéia de trazer de volta a MASSA FRESKA foi de Cida que sempre ouviu solicitações dos seus antigos clientes para reabrir a pastelaria. Ela buscou e encontrou ex-funcionários da pastelaria e incluiu no cardápio do PONTO DE PARTIDA SNOOKER BAR, empreendimento da sua filha Renatha Karen, os pasteis vendidos na MASSA FRESKA, o cardápio mantém o nome dos pasteis que na década de 80 foram sucesso e que prestigiam a Cidade de Salvador com nomes dos bairros e nomes ligados ao Nordeste. Tais como: Pi-

tuba, Barra, Itapua, Tabaréu, Lampião e Maria Bonita, Amizade, Soteropolitano, Paulista, Siciliano, Mordomia, Massa Freska, Carijó, Beabá, Romano,etc. O novo endereço dos pasteis MASSA FRESKA é Rua da Paciência, 263 – Rio Vermelho (próximo a farmácia Santana, em frente às quadras de futebol) no PONTO DE PARTIDA SNOOKER BAR. Você que foi cliente da MASSA FRESKA, venha matar a saudade. Quem provou não esqueceu. Você que não teve a oportunidade de experimentar, venha conferir. Sabor, qualidade e bom atendimento, pasteis MASSA FRESKA de volta.


SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO II - Nº -10

Xuxa se ajoelha aos pés de Ivete Sangalo Um encontro cheio de emoção marcou a visita de Ivete Sangalo ao palco do TV Xuxa, na Rede Globo. A loura recebeu a amiga de muitos anos ajoelhada para beijar e abraçar sua barriga e elas conversaram sobre sua gravidez e o futuro. A cantora baiana ainda cantou sucessos como “Dalila” e “Agora eu já sei”. Esta última em homenagem ao seu bebê, que está no seu novo dvd 'Pode Entrar'. Recém lançada, a obra já está entre as mais vendidas. O programa está previsto para ir ao ar em 27 de junho.

GENTE

15

Ivete está na moda: vai virar marca de roupa, perfume... Segundo a coluna “Radar”, da Revista Veja de domingo, 14 de junho, Ivete fechou um contrato para licenciar sua marcar com a Prime, mesma empresa que já detém os direitos da marca Pelé. A partir de novembro, o mercado será inundado por itens de vestuário e acessórios, como camisetas, bolsas e perfume. Depois, vem a linha de cosméticos.

Lilia Cabral leva prêmio de melhor atriz por Divã Atriz foi premiada no Festival de Miami. O companheiro de filme, Cauã Reymond, levou prêmio de melhor ator por outro longa, “Se nada mais der certo”.

Gugu na Record

...Justus e Eliana no SBT Devolvendo o golpe dado pela Record na contratação de Gugu, o SBT acertou a vinda de Roberto Justus e Eliana para a sua grade de programação. O primeiro deverá comandar a partir de Agosto um programa semanal de perguntas e respostas, enquanto Eliana deve seguir com um programa de variedades, como fazia na Record.

Paola Oliveira é a solteira mais cobiçada pelos internautas Em enquete realizada pelo site Ego, a atriz Paola Oliveira é a solteira mais cobiçada por 77% dos votantes. Jennifer Aniston, a Rachel do finado seriado "Friends", foi a segunda colocada. Isis Valverde, a Camila de "Caminho das Índias", ficou com a terceira posição.

O apresentador e jornalista Augusto Liberato, 50, assinou contrato com a Record, que terá duração de oito anos (prorrogáveis). Trata-se da maior negociação de um único artista na TV brasileira. Somente em salários o contrato chega a cerca de R$ 300 milhões, mas esse valor poderá crescer muito mais, caso apresentador e Record façam novos acordos sobre licenciamento de marcas e produtos. Apesar da assinatura, Gugu só vai estrear na Record em abril de 2010, porque se recusou a romper contrato com o SBT, que vence em março. Os bispos se ofereceram para pagar R$ 15 milhões da multa de rescisão, porque queriam o novo programa já em setembro, mas o apresentador rejeitou essa ideia.

Rodrigo Santoro admite saudades das novelas Politicamente correto, Rodrigo Santoro nem pensa em fazer novelas por enquanto, mas também não descarta a possibilidade de isso acontecer mais para frente e até mostra uma pitadinha de nostalgia. “Agora não está nos planos pelo processo de feitura, que é muito longo. Estou investindo em outras coisas. Fiz novela de 1993 a 2003. Continuo dizendo que não tenho o menor preconceito. Até tenho saudades de algumas coisas, das relações que você tem, porque você faz uma família ali”, disse ao jornal Folha de São Paulo.


16

CINEMA NACIONAL

SALVADOR, JULHO DE 2009 - ANO II - Nº 10

Cinema nacional conquista de vez o gosto popular PÚBLICO DOS SEIS PRIMEIROS MESES DE 2009 SUPERA TODO O DE 2008

Filmes nacionais nas locadoras CONFIRA ALGUMAS DICAS DE BONS FILMES BRASILEIROS DE 2008 JÁ DISPONÍVEIS PARA LOCAÇÃO:

Por Felipe Vergili

Estômago Com 9,5 milhões de espectadores, os filmes nacionais voltaram a viver uma ótima fase nos cinemas. Este número alcançando nos seis primeiros meses de 2009 já é maior do que o total de espectadores em todo o ano de 2008. Filmes como “Se eu fosse você 2”, “A Mulher Invisível” e “Divã” chegaram a liderar as bilheterias em dias onde grandes blockbusters de Hollywood também estreavam. Nas primeiras 24 semanas do ano, oito tiveram como líder de bilheteria um filme nacional. "Se eu fosse você 2", continuação com Tony Ramos e Glória Pires, é, de longe, o filme mais visto do ano, com seis milhões de ingressos vendidos. "Divã", uma peça de teatro adaptada para as telas, com Lilia Cabral e Cauã Raymond, já atraiu quase dois milhões de espectadores. E "A mulher invisível", que estreou no início de junho, passou dos 800 mil. Em comum, contam no elenco com grandes nomes de sucessos em novelas e são comédias. “O sucesso das comédias brasileiras tem raízes antigas”, diz o crítico de cinema Marcos Petrucelli. “As boas fases do cinema brasileiro sempre contaram com filmes engraçados. A gente tem a chanchada, lá dos anos 40, com Oscarito. Depois a gente tem Mazzaropi. E aí chega depois a comédia erotizada, que é “Dona flor e seus dois maridos”. Hoje, a gente está vendo se dá para repetir essa história”, conta. O filme baseado na obra de Jorge Amado, inclusive, é a

Conta a história de Raimundo Nonato (o ator baiano João Miguel) que sai do Nordeste para São Paulo, onde aprende a cozinhar, num boteco e num restaurante italiano. E vira um ótimo cozinheiro. Só que, faz uma bobagem e acaba na prisão. Estômago trata de dois temas universais: a comida e o poder. Mais especificamente, a comida como meio de adquirir poder.

Última parada 174 Luana Piovani é a mulher ideal na cabeça do protagonista de "A Mulher Invisível" maior bilheteria de todos os tempos de um filme brasileiro, com 12 milhões de espectadores. E 2009 tem tudo para continuar batendo recordes. O ano ainda conta com várias grandes estréias de filmes brasileiros. A história do mineiro morto em Londres Jean Charles chegou aos cinemas em junho em filme protagonizado por Selton Mello. Já a continuação de “Os Normais”, baseado na série de TV, estréia em Agosto. “A Deriva”, com Taís Araújo e Cauã Reymond, e “Do começo ao fim”, com Tony Ramos, também prometem atrair grande público. Para o ano que vem, pelo menos dois grandes sucessos são aguardados ainda em janeiro. “O doce veneno do escorpião”, que leva às telas a história da prostituta Bruna Surfistinha, e “O Bem Amado”, com Marco Nanini no papel de Odorico Paraguaçu, são promessas de muito sucesso.

Versão ficcional da vida do ex-menor de rua, assaltante e sobrevivente da Chacina da Candelária, que cometeu o seqüestro do ônibus da linha 174, em junho de 2000, no Rio de Janeiro. Em rigorosa reconstituição dos fatos, "174" foi filmado em locações no Centro do Rio de Janeiro, como a Igreja da Candelária, o bairro do Jardim Botânico e as favelas Tavares Bastos e de Curicica.

Bezerra de Menezes – Diário de um espírito O universo do sertão permeia a trama no início do filme, na qual Bezerra de Menezes vive a infância e a adolescência. Aos dezoito anos, o protagonista inicia no Rio de Janeiro seus estudos de Medicina. Lá, elegeu-se vereador e deputado em várias legislaturas e defendeu as idéias abolicionistas. Mas, o que lhe trouxe o maior reconhecimento de seu povo foi o trabalho anônimo realizado em prol dos desfavorecidos, além dos seus estudos sobre o espiritismo.

Nosso Bairro  

Nosso Bairro - Jornal da Pituba

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you