Page 1

Feito para todas as classes

Itajaí, 3 de novembro de 2017 | Ano XXI | N° 840

Gomes da Costa paralisa atividades por falta de matéria prima e captura de atum está comprometida pela ineficiência governamental Página 3

CVV de Itajaí atende a média de 360 pessoas por semana em busca de apoio emocional

PÁGINA 5 2


Opinião

2

Ano XXI - edição 840 - 3 de novembro de 2017

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

POLÍTICA

Ainda da tempo de participar e ajudar:

Costelaço do Bem reverterá lucro para o Hospital Marieta Doação será via Associação Madre Teresa, entidade que luta por melhorias contínuas no principal hospital da região

:: Vereador de Itajaí busca solução para veículos abandonados em vias públicas

O vereador Murilo Pereira (PP) encaminhou ao poder Executivo indicação acompanhada de anteprojeto que visa permitir que a coordenadoria de Trânsito (Codetran) de Itajaí recolha veículos abandonados em vias públicas do município. Atualmente a Codetran não possui autoridade legal para recolher os veículos sem que sejam identificados seus proprietários. A redação proposta inclui esta possibilidade no Código de Posturas de Itajaí, após dado publicidade de notificação via Diário Oficial.

:: Sessão Itinerante de BC

A Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú realizará uma sessão itinerante no Bairro do Estaleiro, contemplando pela primeira vez a região das praias agrestes. O projeto “Câmara Itinerante” acontecerá no Centro Comunitário “Tonho Cilo, no dia 7 de novembro (terça-feira), a partir das 18h30min, e será antecedido por uma sessão da Câmara Mirim às 17h. Esta é a 11ª sessão itinerante, fora da sede do Legislativo Municipal, que busca aproximar os parlamentares do povo, transferindo as atividades legislativas para dentro da comunidade com o objetivo de ouvir as opiniões daqueles que vivem diariamente a realidade de cada bairro. Como em todas as sessões itinerantes, representantes das entidades constituídas no bairro e na região das praias agrestes terão espaço na Tribuna Livre.

A

união de forças mais uma vez garantirá melhorias estruturais no Hospital Marieta. Juntos, Rotary Club de Itajaí Norte e Associação Madre Teresa organizam a 12ª edição do Costelaço do Bem. O cardápio terá, além da costela de chão, ar-

roz, maionese, salada e farofa. O evento está marcado para o dia 4 de novembro, no Parque do Agricultor Gilmar Graf e é esperado um público de mais de mil participantes. A programação inicia às 10h, com música ao vivo de bandas locais e exposição de

carros antigos, fuscas, jipes e motos. Os convites custam R$ 40 por pessoa e estão à venda com os rotarianos e com os voluntários da Associação Madre Teresa. Todo o lucro será revertido à entidade, cujo foco é captar recursos para realização de projetos no Hospital Marieta. “Esta verba deve contribuir para o que estamos desenvolvendo atualmente que é a reforma de 14 quartos da Clínica João Paulo, que atende pacientes do SUS. As obras devem custar cerca de R$ 180 mil”, esclarece o presidente da AMT, o empresário Marco Aurelio Seara Junior. Até o final de agosto, o Hospital Marieta já havia realizado 60 mil atendimentos, mais de seis mil cirurgias e 2,7 mil partos. Embora tenha estes elevados índices, sofre com defasagem financeira e toda ajuda é bem-vinda. Para o evento, a Viação Praiana está colocando à disposição um ônibus que levará o público gratuitamente do Centro de Itajaí até o Bairro Itaipava, local do evento. A saída será da Loja Millium, próximo ao Colégio São José, e paradas na Igreja Matriz e Hospital Marieta, seguindo depois pela Avenida Contorno Sul em direção ao Parque do Agricultor. As idas estão previstas para as 11h, 12h e ROTAS DE ÓNIBUS (Grátis) 13h. Já os retornos estão pro- Saída na AV Marcos Konder, ao lado da loja Milium, passando ao lado da Igreja Matriz, em frente gramados para as 15h, 16h e ao Hospital Marieta e na Avenida Abrão João Francisco com destino ao Parque do Agricultor, às 11h, 12h e 13h. 17h. • - Retorno do Parque do Agricultor com destino ao centro da cidade às 15h, 16h e 17h.

Expediente

Diretor: Carlos Bittencourt | carlos@bteditora.com.br Edição: Raffael do Prado Reportagem: Joca Baggio | jornalismo@jornaldosbairros.tv Redação: 3344.8607 Diagramação: Solange Maria Pereira Alves (0005254/SC) solange@bteditora.com.br O Jornal do Bairros é uma publicação da empresa Letras Editora Ltda. (ME), com sede na Rua Anita Garibaldi, 425 Centro – Itajaí –SC. CNPJ: 03.334.705/0001-33 Telefone: (47) 3344.8600 Site: www.jornaldosbairros.tv

Colaboradora: Neide Uriarte

O Jornal dos Bairros não se responsabiliza pelos

Departamento Comercial: (47) 3344.8600

artigos assinados pelos seus colaboradores ou de

Circulação: Itajaí, Balneário Camboriú, Navegantes e região.

matérias oriundas de assessorias de imprensa de

Fale conosco: Sugestão de temas, opiniões ou dúvidas: carlos@bteditora.com.br | jornalismo@jornaldosbairros.tv

órgãos oficiais ou empresas particulares.

Jornal filiado à Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina Rua Adolfo Melo, 38, Sala 901, Centro, Florianópolis, CEP 88.015-090 Fone (48) 3029.7001 e-mail: adjorisc@adjorisc.com.br


Ano XXI - edição 840 - 3 de novembro de 2017

Economia WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

3

Se a situação da pesca estava ruim, pode piorar: Divulgação

Revogação de portaria pode impedir ou atrasar início da pesca de atum Por enquanto, não há perspectiva de que o problema seja resolvido

P

roblemas com a documentação de pescadores profissionais podem impedir ou atrasar o início da pesca de atum, que começaria no início do mês de novembro, em Itajaí. Isso porque o secretário nacional da pesca, Dayvson Franklin de Souza, revogou a portaria 1.275 do dia 26 de julho, que permitia aos sindicatos da categoria, como o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Pesca de Santa Catarina (Sitrapesca), emitir os documentos que substituíam a carteirinha. A medida paliativa foi a maneira encontrada pelo presidente do Sitrapesca, Henrique Pereira, para que os trabalhadores não ficassem parados. Isso porque, desde fevereiro, as carteirinhas não são mais emitidas. Com a revogação da portaria, isso não é mais permitido. O presidente do Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca de Itajaí e Região (Sindipi), Jorge Neves, garante que a instituição está atuando com o apoio da Frente Parlamentar Catarinense e o Conselho Nacional da Pesca (Conepe), numa solução para a retomada da emissão das Carteiras de Pescador. Nesta semana o presidente do Sitrapesca também deve pleitear, novamente, junto à Secretaria Nacional da Pesca, a solução do impasse. Os problemas da pesca, que sempre existiram, se tornaram ainda maiores depois que Michel Temer assumiu a Presidência da República. A partir de então a pesca perdeu status de ministério e, como secretaria nacional, já está na terceira pasta – saiu do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), foi transferida para o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Midic) e,

recentemente, foi transferida para a presidência da república. “Enquanto um dos setores mais importantes de Santa Catarina é tratado como joguete político na esfera federal, os trabalhadores seguem sem amparo governamental e os problemas, como a emissão das carteirinhas, por exemplo, se arrastam há meses. E agora conseguiram piorar ainda mais, tirando a autonomia que o sindicato tinha para resolver, mesmo que provisoriamente, essa situação”, explica o presidente do Sintrapesca, Henrique Pereira. Segundo a entidade laboral, o problema atinge todas as categorias de pesca. Nesta época do ano, especialmente os profissionais que capturam atum. De acordo com informações das indústrias, todos os barcos da frota de atuneiros têm pescadores com problemas da documentação. “Cada embarcação tem 25 pescadores, temos um desses barcos, por exemplo, que apenas quatro estão com a carteirinha em dia”, afirma Pereira. “E agora, por causa dessa decisão da secretaria nacional, o sindicato está de mãos atadas, sem ter como resolver os problemas desses profissionais”, lamenta. Outro fato que causa indignação do presidente do Sitrapesca foi o motivo apontado pelo secretário para revogar a portaria: a fraude descoberta nas colônias de pescadores artesanais que teriam utilizado o seguro defeso para desviar milhões, de acordo com investigações da Polícia Federal. “Os industriais não têm esse direito do seguro defeso e agora, por causa da falcatrua de algumas colônias artesanais, somos novamente prejudicados, isso é um absurdo”, afirma. •

Gomes da Costa paralisa atividades por falta de matéria prima

Os impactos da falta de governança no setor pesqueiro, que desde o início do governo Temer vem sendo jogado de ministério em ministério, sem nenhuma solução concreta, a Gomes da Costa, maior processadora e enlatado de pescados do Brasil que tem sede em Itajaí, paralisou suas atividades por uma semana por falta de matéria prima. Isso apenas cinco dias depois que o presidente do Grupo Calvo, controlador da empresa, assinar um protocolo de intenções com o prefeito Volnei Morastoni, para investimentos de R$ 1 bilhão no parque fabril de Itajaí no prazo de dez anos. A empresa liberou por uma semana mais de mil empregados justamente num dos períodos de maior produção, com vistas a abastecer o mercado durante a Quaresma. O problema se deu devido à baixa captura de sardinha na costa brasileira. A indústria esperava uma boa safra e chegou a fazer contratações no início do ano. No entanto, foi surpreendida pela pior safra dos últimos anos. Para garantir a produção, aumentou a fatia das sardinhas importadas na linha de produção de 30% para 95%. Porém, o problema não foi totalmente contornado, pois o insumo importado tem um custo mais alto que o nacional e também porque a ampliação nas importações prejudicou a velocidade de reposição dos estoques. Para agravar ainda mais a

situação, as importações de atum pela empresa foram prejudicadas por questões governamentais. Divergências na interpretação da lei fizeram o governo mudar a postura em relação à chegada do atum importado e passar a exigir documentos que, até então, não eram solicitados. A alteração resultou em uma série de contêineres da Gomes da Costa devolvidos ao país de origem e em dificuldade para conseguir a matéria-prima. Esta foi a primeira vez que a empresa paralisou as atividades nos últimos 10 anos. Além da produção de enlatados, o setor de embalagens da indústria também terá atividades suspensas entre os dias 6 e 20 de novembro. Para completar, o embargo pela Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) da indústria de processamento de bioproteína BFP, sócia da Gomes da Costa que reaproveitava os resíduos de pescado, porque vinha causando mau cheiro na vizinhança é outro problema que a gigante do setor de alimentos vem enfrentando nos últimos dias. A pergunta que paira no ar é se a empresa dará continuidade ao seu programa de investimentos na unidade brasileira diante dos tantos problemas enfrentados pelo setor pesqueiro – que por entraves governamentais vem tendo dificuldades na captura – e das dificuldades burocráticas para importar a matéria prima. •


Geral

4 WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Ano XXI - edição 840 - 3 de novembro de 2017

A Marinha do Brasil (MB) abrirá processo seletivo para o Serviço Militar Voluntário, com salário inicial de R$ 8.900 Serão oferecidas 645 vagas de ensino superior em diversas áreas do conhecimento, com salário bruto inicial de cerca de R$8.900. O vínculo entre a instituição e os futuros militares será renovado anualmente, podendo chegar a oito anos, não tendo a chance de adquirir a estabilidade.As vagas são para ambos os sexos, para candidatos com idade entre 18 e menos de 45 no ano da incorporação e as oportunidades estão distribuídas pelos nove Distritos Navais.

Como participar do processo seletivo

divididas em Língua Portuguesa (25) e Formação Militar-Naval (25), com data prevista para 4 de março. A bibliografia estará indicada no Aviso de Convocação. Após essa etapa, haverá também a Verificação de Dados Biográficos, Inspeção de Saúde, Prova de Títulos, Verificação Documental, Designação à Incorporação e Incorporação.

Os interessados devem entrar no site ww.ingressonamarinha. mar.mil.br, clicar em “Serviço Militar Voluntário”, escolher o Distrito Naval para o qual desejam concorrer e acessar o link da sua inscrição e o respectivo Aviso de Convocação.

Fases do processo seletivo

Mais detalhes no site: www.ingressonamarinha.mar.mil.br

Os candidatos farão uma prova com 50 questões objetivas

Município participa de audiência pública para reivindicar hemocentro para Itajaí O Município de Itajaí está reivindicando a implantação de um hemocentro ou posto de coleta de sangue fixo e centro transfusional em Itajaí. Para garantir a unidade, representantes da Secretaria de Saúde participaram de audiência pública na Assembleia Legislativa de Santa Catarina com a participação

dos deputados estaduais membros da Comissão de Saúde da Casa. O secretário de Saúde de Itajaí, Celso Luiz Dellagiustina, lembrou no encontro que a busca por um hemocentro em Itajaí é um pleito antigo dele e do prefeito Volnei Morastoni e destacou que o Estado está dividido

em nove macrorregiões, sendo que a Foz do Rio Itajaí representa cerca de 10% da população catarinense. “É inconcebível uma região tão importante não ter um centro transfusional perante as necessidades de saúde da população, que tem que recorrer a Blumenau sempre que precisa”, afirmou.

Atualmente, Itajaí conta apenas com coletas de sangue mensais ou quinzenais na Univali, conforme disponibilidade do Hemocentro de Blumenau. “Ter um hemocentro em Itajaí será importante não só para o Hospital Marieta, mas para todos os hospitais da região”, completa Dellagiustina.•


Especial

Ano XXI - edição 840 - 3 de novembro de 2017

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

5

Valorização da vida O CVV trabalha na prevenção ao suicídio e oferece, além de outros serviços, o apoio emocional e a promoção de palestras para debates e reflexões.

O

aumento no número de vítimas de suicídio a cada ano vem preocupando as autoridades e instituições, afinal, trata-se também de um problema de saúde pública, mas que por muitos ainda é tratado como tabu. Segundo dados oficiais, são 32 brasileiros que se suicidam por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Tem sido um mal silencioso, pois as pessoas fogem do assunto, por medo ou desconhecimento. No entanto, segundo a Organização Mundial da Saúde, nove em cada 10 casos poderiam ser prevenidos. Mas, para isso, é preciso que tanto a pessoa que esteja com ideias suicidas, quanto os que a rodeiam, saibam que é possível buscar ajuda. Segundo informações da instituição Centro de Valorização da Vida (CVV), quem tenta suicídio está pedindo socorro. A maioria apresenta algum transtorno mental, com sintomas leves, moderados ou severos. Os principais são depressão, dependência química e até a esquizofrenia. E seja qual for o transtorno e a sua gravidade, sempre haverá um momento crítico, e este, pelo menos na maioria das vezes, pode ser superado, desde que a pessoa em questão receba a ajuda certa. O CVV, por exemplo, dá apoio emocional e preventivo. Seus 2,2 mil voluntários em todo o Brasil que atendem gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone (188), pessoalmente nos 73 postos de atendimento distribuídos pelo país, pelo site www.cvv. org.br, via chat, VoIP (Skype) ou e-mail, 24 horas todos os dias. Não existem suicidas potenciais Não existe aquela história de “quem diz não se mata”, ou “suicídio é coisa de mulher”. A consta-

tação dos voluntários da CVV, que têm longa experiência nos atendimentos, é de que aquele que diz que vai se suicidar realmente faz isso e que tanto homens como mulheres são capazes deste ato, independentemente da idade. No entanto, estudos apontam que os maiores índices são registrados entre adolescente e idosos. Não há predominância de faixa etário ou gênero. “Hoje somos procurados por pessoas de todas as idades. São adolescentes de 12 a 13 anos que sofrem solidão, dificuldades de entrosamento no meio ao qual estão inseridos ou depressão, entre outras causas; idosos que sentem-se solitários, cansados de viver”, conta a voluntária Roberta Reis, que é responsável pela divulgação das ações do Núcleo de Apoio à Vida de Itajaí (NAVI). O NAVI está instalado na Rua Alfredo Trompovski, 61, na Vila Operária, e opera com 30 voluntários que dedicam à instituição uma carga horária semanal de quatro horas e meia e realizam cerca de 360 atendimentos por semana. Os turnos podem ser realizados a qualquer hora do dia ou de algumas noites por semana, pois nas terças e quartas-feiras o horário do posto de Itajaí é ininterrupto. “Mas quem ligar para o número 188 fora dos horários de atendimento da unidade local, em hipótese alguma deixará de ser atendido e acolhido, pois o sistema transfere automaticamente a ligação para uma unidade que esteja em operação”, acrescenta Roberta. A voluntária informa ainda que que quiser optar pelo atendimento pessoal, pode procurar o NAVI em qualquer dia da semana, das 11h às 15h. “Os atendimentos são sigilosos e temos um compromisso com o anonimato”, complementa. “Aprendi que muitas vezes uma simples conversa pode mudar o

Divulgação

Divulgação

dia de alguém. É incrível como existem pessoas que não tem com quem conversar, que precisam desabafar. E o CVV presta muito bem esse papel. As pessoas que têm depressão ou estão angustiadas e solitárias ligam para a instituição encontram no CVV uma oportunidade de desabafar”, relata a voluntária. Mapa dos suicídios no Brasil coloca Santa Catarina em alerta O primeiro Boletim Epidemiológico de Tentativas e Óbitos por Suicídio no Brasil, divulgado na última quinta-feira (21) pelo Ministério da Saúde, coloca a região Sul em destaque. Os três estados juntos respondem por uma taxa de 23% dos casos. Considerando que os Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná detêm somente 14% da população nacional, o número é preocupante. No Sudeste, por exemplo, são registrados 38% dos suicídios, mas a região representa 42% da população. Assim, o risco é menor no Sudeste do que Sul, onde há um aglomerado importante. Entre 2011 e 2015, as maiores taxas de óbito por suicídio foram registradas nos estados do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Mato Grosso do Sul, que apresentaram, respectivamente, 10,3, 8,8 e 8,5 óbitos por 100 mil habitantes. Outro dado alarmante é que, de acordo com as estatísticas da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC), em 2016, 2,99 mil catarinenses tentaram o suicídio e 603 foram a óbito. Em 2015, foram registradas 2,91 mil tentativas de suicídio e 598 óbitos. “Precisamos conhecer essa triste realidade para podermos desenvolver ações e atitudes para prevenção do suicídio, que é um grave problema de saú-

de pública no estado e em todo o país”, explica o diretor da Dive-SC, Eduardo Macário. Um dos alertas do boletim é a alta taxa de suicídio entre idosos com mais de 70 anos. Nessa faixa etária, foram registradas média de 8,9 mortes por 100 mil nos últimos seis anos no estado. A média nacional é 5,5 por 100 mil. Também chamam atenção o alto índice entre jovens, principalmente homens, e indígenas. O diagnóstico inédito vai orientar a expansão e qualificação da assistência em saúde mental no país. Segundo os números do Ministério da Saúde, entre os fatores de risco para o suicídio estão transtornos mentais, como depressão, alcoolismo, esquizofrenia; questões sociodemográficas, como isolamento social; psicológicos, como perdas recentes; e condições clínicas incapacitantes, como lesões desfigurantes, dor crônica, neoplasias malignas. No entanto, tais aspectos não podem ser considerados de forma isolada.

Assistência para preservar a vida Uma das metas do Ministério da Saúde é reduzir a mortalidade por suicídio em 10% até 2020. O índice foi acordado no Plano de Ação em Saúde Mental, lançado em 2013, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o qual o Brasil é signatário. Isso representa expandir a atuação dos Centros de Apoio Psicossocial (CAPS). De acordo com o boletim, locais que contam com esse serviço têm queda de até 14% no risco de suicídio. Também está no horizonte do órgão ampliar o atendimento em parceria com o Centro de Valorização da Vida (CVV). Tornar gratuita a ligação para esta instituição já foi uma das medidas tomadas em oito Estados, incluindo Santa Catarina, a partir do último dia 30. Além disso, os serviços públicos de saúde mental de Santa Catarina contam com 99 Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) em diversos municípios e diferentes modalidades, e mais 23 estão em fase de implantação.• Divulgação

É bastante alta a taxa de suicídio entre idosos com mais de 70 anos


Geral

6

Ano XXI - edição 840 - 3 de novembro de 2017

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

VÍDEO MAIS ACESSADO

Prefeitura de Balneário contratará empresa que vai decorar cidade para o Natal

A O vídeo mais visualizado dessa semana no Facebook do Jornal dos Bairros mostra a ação de dois bandidos em uma farmácia da Rua 701, Centro de Balneário Camboriú. O crime ocorreu a menos de 50 metros do Atlântico Shopping. Os criminosos usavam jaqueta e capuz e estavam com uma faca. Confira o vídeo, que teve 3,9 mil visualizações, e curta nossa página.

prefeitura de Balneário Camboriú abriu licitação para contratar a empresa que vai decorar a cidade para o Natal. As interessadas em participar da licitação, que é da modalidade Pregão Presencial do tipo menor preço, devem entregar documentação e proposta de preço até 9 de novembro, às 9h, na Secretaria de Compras, data em que ocorrerá a abertura dos envelopes. A vencedora será responsável pela locação, instalação, manutenção periódica e retirada dos materiais de decoração e iluminação do evento “Brilhos de Natal 2017”, que será realizado em diferentes pontos do Município, sob a coordenação da Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico. O investimento será de R$ 595.572,69. Rece-

berão decoração o Calçadão da Avenida Central, Praça Almirante Tamandaré, Passarela da Barra, Praça do Pescador, Capela Santo Amaro, Barra Sul, Pontal Norte, Ponto de Informações Turísticas, Ponte do Pontal Norte, Praça das Bandeiras e dez bairros da cidade. Materiais que estão guardados serão recuperados por artesãos e também utilizados na decoração da cidade. Uma das novidades da decoração neste ano é a ampliação das áreas da cidade que serão decoradas. “O Natal neste ano tem novidades. A primeira delas é a inclusão de novas atrações e novos locais que vão ser decorados. Incluímos a Passarela da Barra, a igreja da Barra, a Praça do Pescador. Além disso, vamos ampliar o projeto de decoração nos bairros”, diz o secretário de Turismo, Miro Teixeira.•


Ano XXI - edição 840 - 3 de novembro de 2017

Social WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Neide Uriarte

7

neidefestas@matrix.com.br (47)9977.2390 Neide Pasold Uriarte

Aniversário de Enrico Vieira Locatelli

No dia 21 de outubro foi realizada a “Festa do Homem Aranha”, para Enrico Vieira Locatelli comemorar seu 3° Aniversário. Enrico é filho de Luísa Vieira Locatelli e Leonardo Michelin Locatelli. O Biso Aranha (Mário Uriarte Filho) ajudou o Enrico a apagar as velinhas. Parabéns, Enrico! Que o Menino Jesus lhe abençoe e proteja sempre!

Aniversário de Katiúscia Vicente

Aniversário da amiga Mada

A Diretora do “CEI Professora Mauricélia André do Nascimento”: Katiúscia Vicente comemorou aniversário no dia 30 de outubro e recebeu homenagens de toda equipe de trabalho e das crianças, que frequentam diariamente a creche.

A amiga Mada Miranda, uma das proprietárias do “Salão Perphil Cabelereiros” comemorou aniversário no dia 29 de outubro. Uma excelente profissional, que nos atende com muita simpatia, carinho e dedicação. Parabéns, Mada! Que sua vida seja repleta de: amor, paz, saúde, alegrias e prosperidade!

Bodas de Vinho de: Miranda e José Sandri Muito linda e emocionante a comemoração das “Bodas de Vinho” do casal Sra. Miranda Zermiani Sandri e José Sandri, que reuniu a família e amigos, para um almoço no Castelo Montemar. Na foto está o casal, que comemorou 70 Anos de Casamento junto com os irmãos do Sr. José Sandri.

Destaque da Coluna: Dr. Raphael Lira

A Coluna destaca esta semana, o trabalho do Médico Veterinário Dr. Raphael Lira, que atende em sua Clínica, junto ao “Pet Shop Lira”, na Rua Brusque - Centro - Itajaí. Ele é filho do casal Maria Thereza Farias Lira e Maurino Lira e irmão da linda jovem Marina Lira.


8 WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Geral

Ano XXI - edição 840 - 3 de novembro de 2017

Instalação de presídio de segurança máxima em Itajaí gera polêmica

A

Câmara de Vereadores de Itajaí realizou na noite da última segunda-feira (30) audiência pública para discutir a possível implantação de um presídio federal de segurança máxima em Itajaí. A reunião foi presidida pelo vereador Fabrício Marinho (PPS) e teve a participação de representantes do Executivo Municipal, do Sistema Penitenciário Federal, da OAB de Itajaí, da ACII, além da comunidade. O secretário Municipal de Segurança do Cidadão, Francisco José da Silva, explicou que o Governo Federal estava em busca de locais para instalação de presídios federais. Itajaí foi um dos vários municípios que demonstrou interesse, pois segundo o secretário, a Prefeitura viu uma possibilidade de melhorar a segurança já existente no Município. Silva destacou que no protocolo de intenções encaminhado pela Prefeitura foram elencadas diversas contrapartidas para que o acordo seja realizado, como aumento de efetivo da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil e Polícia Militar, aquisição de equipamentos para a Guarda Municipal Armada, além de obras de infraestrutura.

O presidente da subseção, Murilo Zipperer, fez uso da tribuna durante a audiência pública que discutiu a possibilidade de instalação de um presídio federal de segurança máxima em Itajaí, e fez alguns encaminhamentos, entre eles: pediu que os membros da audiência oficiassem o secretário municipal de segurança pública e o prefeito de Itajaí para pedir a suspensão de qualquer tramitação para a instalação do presídio federal no município. O vereador Fabrício Marinho, que propôs a audiência pública, tem diversas preocupações relacionadas a instalação do presídio. Entre elas, o aumento da criminalidade em locais que receberam o investimento, conforme demonstrou em estatísticas. Além disso, o parlamentar questionou se as contrapartidas solicitadas pela Prefeitura realmente serão cumpridas e quando, pois o Governo Federal está cortando investimentos em todas as áreas, inclusive na segurança pública. Já o agente federal de execução penal, Antônio Fortes, ressaltou que por enquanto só existe um debate sobre a possibilidade de implantação do presídio federal

no Município, pois ainda não foi encontrado um terreno que se adeque às exigências do Governo Federal. No entanto, o secretário de Segurança de Itajaí acompanhou na última semana uma comi-

tiva de técnicos do Ministério da Justiça em visita a um terreno nas imediações do Complexo Prisional da Canhanduba, para avaliar se a área comporta o presídio federal de segurança máxima.

A obra do presídio deverá custar R$ 70 milhões e espera-se que gere cerca de 400 empregos. A unidade que está sendo projetada para Itajaí comporta cerca de 200 detentos.•

Jornal dos Bairros - 01 Novembro 2017  

Jornal dos Bairros - 01 Novembro 2017

Advertisement