Page 1

UNIVERSIDADE METODISTA DO ESTADO DE SÃO PAULO FACULDADE DE COMUNICAÇÃO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

AGÊNCIA UTREND

ÉTICA E GESTÃO NA PUBLICIDADE

SÃO BERNARDO DO CAMPO 3° SEMESTRE DE 2017


AGÊNCIA UTREND BEATRIZ ALMEIDA FELIPE LOFFREDA JOÃO VITOR MENDES KAMILA PEREIRA LUCAS MORAES LUCAS OLIANI LUCAS PERES RAFAEL BONINI VITOR FARIA

ÉTICA E GESTÃO NA PUBLICIDADE

Projeto

Integrado

apresentado

no

curso

de

graduação à Universidade Metodista de São Paulo, Faculdade de Comunicação, como requisito parcial para conclusão do 3º período do curso de Publicidade e Propaganda. Coordenação: Prof. Ms. Altair Achetta Scheneider e Prof. Ms. Marina Jugue Chinem. Orientação: Prof. Ms. Altair Achetta Scheneider, Prof. Ms. Luciano Bonetti, Prof. Ms. Marina Jugue Chinem, Prof. Dr. Paulo Bessa da Silva, Prof. Ms. Roberto Malacrida, Prof. Ms. Rodney Gonçalves Ribeiro

SÃO BERNARDO DO CAMPO 3° SEMESTRE DE 2017 2


Projeto Integrado realizado pelos alunos do 3° semestre de Publicidade e Propaganda da Universidade Metodista de São Paulo. Banca Examinadora

____________________________________________ Prof. Dra. Marina Julgue Chinen Orientadora - FAAP/UMESP

____________________________________________ Prof. Altair Anchetta Scheneider Membro - UMESP

____________________________________________ Prof. Luciano Bonetti Membro - UMESP

____________________________________________ Pro. Paulo Bessa Membro - UMESP

____________________________________________ Prof. Roberto Malacrida Membro - UMESP

____________________________________________ Prof. Rodney Gonçalvez Ribeiro Membro - UMESP

3


DEDICATÓRIA

Dedicamos este projeto integrado, primeiramente a todos os professores, pela paciência, dedicação, compreensão e auxilio durante sua elaboração. Dedicamos também a nossos pais que nos apoiaram desde o início do curso. E finalmente a todos os apaixonados pela publicidade.

4


''O homem erudito é um descobridor de fatos que já existem, mas o homem sábio é um criador de valores que não existem e que ele faz existir.'' Albert Einstein

5


RESUMO

Este projeto integrado tem como objetivo realizar todos os processos necessários para uma agência de publicidade conseguir ingressar no mercado, toda preparação e estudo feito para conseguir montar uma estrutura sólida. A U Trend é uma agência criada para simular como seria a criação de uma agência focada no setor de varejo, se aproximando ao máximo da realidade em suas experiências, na abertura é numa possível forma de atuação, com uma proposta de lançamento, oferecendo opções diferenciadas para se destacar neste mercado concorrido da publicidade, seguindo a risca todos os processos que a burocracia do país exige, incluindo todos impostos e custos que necessários e seguindo todas as leis exigidas para os serviços entrarem em vigor sem restrições. Para ajudar na estratégia de como entrar no mercado foi realizada entrevistas com empresários de pequenas e médias lojas, para podermos adquirir a visão do cliente, quais são os seus maiores objetivos e o que ele mais espera de serviços do nosso ramo, e captar suas experiências, e como está a atuação de agências no mercado atual, entre outras diversas pesquisas realizadas para compreender melhor o comportamento do consumidor. Também foi criado um plano de lançamento, buscando a melhor forma de divulgar a agência e nos comunicarmos com o mercado transmitindo nossa identidade e tudo que podemos oferecer incluindo o que estamos propondo como diferencial para se destacar neste mercado concorrido da publicidade.

Palavras – Chave: Publicidade – U Trend - Criação - Varejo - Estratégia Entrevistas - Cliente - Serviços - Consumidor - Divulgar - Identidade - Diferencial

6


ABSTRACT

This integrated project aims to carry out all the processes necessary for an advertising agency to enter the market, all preparation and study done to build a solid structure. U Trend is an agency created to simulate how it would be to set up an agency focused on the retail sector, getting closer to reality in its experiences, opening it up in a possible way, with a launching proposal, offering differentiated options for To stand out in this crowded advertising market, following all the processes that the bureaucracy of the country demands, including all taxes and costs that are necessary and following all the laws required for services to enter into force without restrictions. To assist in the strategy of how to enter the market, interviews were held with entrepreneurs from small and medium-sized stores, in order to acquire the client's vision, what are their main objectives and what they expect from our branch services, and capture their experiences , And how agencies are performing in the current market, among other diverse research conducted to better understand consumer behavior. A launch plan was also created, seeking the best way to promote the agency and communicate with the market, transmitting our identity and everything we can offer including what we are proposing as a differential to stand out in this busy advertising market.

Key – words: Advertising – U Trend - Creation - Retail - Strategy Interviews - Customer - Services - Consumer - Disclosure - Identity - Differential

7


LISTA DE FIGURAS

FIGURA 1: CÍRCULO DE OURO...............................................................................23 FIGURA 2: MX DE MARKETING...............................................................................84 FIGURA 3: ORGANOGRAMA....................................................................................94 FIGURA 4: FLUXOGRAMA........................................................................................95 FIGURA 5: PORTFÓLIO EXTRA...............................................................................96 FIGURA 6: PORTFÓLIO EXTRA II............................................................................96 FIGURA 7: PORTFÓLIO LEROY MERLIN................................................................96 FIGURA 8: PORTFÓLIO LEROY MERLIN II.............................................................97 FIGURA 9: PORTFOLIO CASAS BAHIA...................................................................97 FIGURA 10: PORTFOLIO CASAS BAHIA II..............................................................97 FIGURA 11: APRESENTAÇÃO DA AGÊNCIA........................................................132 FIGURA 12: INTRODUÇÃO DE PROSPECT..........................................................133 FIGURA 13: PORQUÊ U TREND?..........................................................................133 FIGURA 14: PENSAMENTOS.................................................................................134 FIGURA 15: O QUE FAZEMOS? QUEM SOMOS?.................................................134 FIGURA 16: INVESTIMOS EM VOCÊ.....................................................................135 FIGURA 17: PENSAMENTOS II..............................................................................135 FIGURA 18: NOSSA MISSÃO.................................................................................136 FIGURA 19: NOSSA VISÃO....................................................................................136 FIGURA 20: NOSSOS VALORES............................................................................137 FIGURA 21: PENSAMENTOS III.............................................................................137 FIGURA 22: O QUE É SER U TREND?...................................................................138 FIGURA 23: 12 MANDAMENTOS U TREND...........................................................138 FIGURA 24: NOSSO ESPAÇO................................................................................139 FIGURA 25: INTEGRANTE U TREND DE PLANEJAMENTO.................................140 FIGURA 25: INTEGRANTE U TREND DE FOTOGRAFIA......................................140 FIGURA 27: INTEGRANTE U TREND DE CRIAÇÃO.............................................141 FIGURA 28: INTEGRANTE U TREND DE ATENDIMENTO....................................141 FIGURA 29: INTEGRANTE U TREND DE MÍDIA SOCIAL......................................142 FIGURA 30: INTEGRANTE U TREND DE PESQUISAS.........................................142 8


FIGURA 31: INTEGRANTE U TREND DE REDAÇÃO............................................143 FIGURA 32: INTEGRANTE U TREND DE ARTE E EVENTOS...............................143 FIGURA 33: INTEGRANTE U TREND DE CRIAÇÃO E REDAÇÃO.......................144 FIGURA 34: AGÊNCIA U TREND............................................................................144 FIGURA 35: PENSAMENTOS IIII............................................................................145 FIGURA 36: PORTFÓLIO U TREND.......................................................................145 FIGURA 37: TRABALHOS REALIZADOS...............................................................146 FIGURA 38: TRABALHOS REALIZADOS...............................................................146 FIGURA 39: TRABALHOS REALIZADOS...............................................................147 FIGURA 40: CONTATOS.........................................................................................147 FIGURA 41: FIM DA APRESENTAÇÃO DE PROSPECT.......................................148 FIGURA 42: LOGO U TREND..................................................................................149 FIGURA 43: MANUAL DE INDENTIDADE U TREND..............................................150 FIGURA 44: APRESENTAÇÃO...............................................................................151 FIGURA 45: ÍNDICE.................................................................................................151 FIGURA 46: CONSTRUÇÃO...................................................................................152 FIGURA 47: CONCEITO..........................................................................................152 FIGURA 48: CONCEITO..........................................................................................153 FIGURA 49: CONCEITO..........................................................................................153 FIGURA 50: MALHA CONSTRUTIVA......................................................................154 FIGURA 51: PADRÃO CROMÁTICO.......................................................................154 FIGURA 52: VERSÕES DA MARCA.......................................................................155 FIGURA 53: VERSÕES DA MARCA........................................................................155 FIGURA 54: VERSÕES DA MARCA II....................................................................156 FIGURA 55: ACROMÁTICO....................................................................................156 FIGURA 56: PADRÃO TIPOGRÁFICO....................................................................157 FIGURA 57: ÁREA DE PROTEÇÃO........................................................................157 FIGURA 58: REDUÇÃO MÁXIMA............................................................................158 FIGURA 59: USOS INCORRETOS..........................................................................158 FIGURA 60: FUNDOS..............................................................................................159 FIGURA 61: FUNDOS PERMITIDOS......................................................................159 FIGURA 62: FUNDOS VETADOS............................................................................160 FIGURA 63: FUNDOS FOTOGRÁFICOS................................................................160 9


FIGURA 64: FUNDOS ESPECIAIS..........................................................................161 FUNDO 65: GRAFISMOS........................................................................................161 FUNDO 66: GRAFISMOS........................................................................................162 FUNDO 67: GRAFISMOS........................................................................................162 FUNDO 68: GRAFISMOS........................................................................................163 FIGURA 69: APLICAÇÕES......................................................................................163 FIGURA 70: APLICAÇÕES......................................................................................164 FIGURA 71: APLICAÇÕES......................................................................................164 FIGURA 72: APLICAÇÕES......................................................................................165 FIGURA 73: APLICAÇÕES......................................................................................165 FIGURA 74: APLICAÇÕES......................................................................................166 FIGURA 75: APLICAÇÕES......................................................................................166 FIGURA 76: APLICAÇÃO - SIMULAÇÃO DA FACHADA........................................167 FIGURA 76: FIM DA APRESENTAÇÃO DO MANUAL DE INDENTIDADE............167 FIGURA 77: APRESENTAÇÃO DO BRANDBOOK U TREND................................168 FIGURA 78: POR QUÊ UTREND?..........................................................................168 FIGURA 79: O QUE SIGNIFICA SER U TREND PARA NÓS?...............................169 FIGURA 80: PENSAMENTOS IV.............................................................................169 FIGURA 81: AGÊNCIA U TREND............................................................................170 FIGURA 82: PENSAMENTOS IIV............................................................................170 FIGURA 83: MISSÃO, VISÃO E VALORES.............................................................171 FIGURA 84: NOSSOS SERVIÇOS..........................................................................171 FIGURA 85: O QUE FAZEMOS?.............................................................................172 FIGURA 86: PENSAMENTOS VIII...........................................................................172 FIGURA 87: 12 MANDAMENTOS U TREND...........................................................173 FIGURA 88: INTEGRANTE U TREND DE PLANEJAMENTO.................................174 FIGURA 89: INTEGRANTE U TREND DE FOTOGRAFIA......................................174 FIGURA 90: INTEGRANTE U TREND DE CRIAÇÃO.............................................175 FIGURA 91: INTEGRANTE U TREND DE ATENDIMENTO....................................175 FIGURA 92: INTEGRANTE U TREND DE MIDIA SOCIAL......................................176 FIGURA 93: INTEGRANTE U TREND DE PESQUISAS.........................................176 FIGURA 94: INTEGRANTE U TREND DE REDAÇÃO............................................177 FIGURA 95: INTEGRANTE U TREND DE ARTE E EVENTOS...............................177 10


FIGURA 96: INTEGRANTE U TREND DE CRIAÇÃO E REDAÇÃO.......................178 FIGURA 97: PENSAMENTOS VIII...........................................................................178 FIGURA 98: PORTFÓLIO........................................................................................179 FIGURA 99: NOSSOS CLIENTES DE VAREJO......................................................179 FIGURA 100: FIM DA APRESENTAÇÃO DO BRANDBOOK..................................181 FIGURA 101: OUTDOOR.........................................................................................181 FIGURA 102: REVISTA/JORNAL............................................................................182 FIGURA 103: REDES SOCIAIS...............................................................................182 FIGURA 104: SITE...................................................................................................183

11


LISTA DE TABELAS

TABELA 1: CRESCIMENTO DO FATURAMENTO...................................................25 TABELA 2: EXPANSÃO DE LOJAS EM 2015...........................................................25 TABELA 3: INVESTIMENTO INICIAL........................................................................82 TABELA 4: PARTICIPAÇÃO DE FATURAMENTO....................................................89 TABELA 5: PARTICIPAÇÃO DE MERCADO.............................................................90 TABELA 6: PARTICIPAÇÃO DE MERCADO.............................................................91 TABELA 7: INVESTIMENTO INICIAL........................................................................98 TABELA 8: CONCORRENTES................................................................................105

12


SUMÁRIO INTRODUÇÃO...........................................................................................................17

1.CONHECENDO O CONSUMIDOR.........................................................................19

1.1 CONHECENDO O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR.............................19 1.1.2 ENTENDENDO O CONSUMIDOR....................................................................19 1.1.3 PSICANALISE...................................................................................................21 1.1.4 TEORIA COGNITIVA........................................................................................22 1.1.5 GESTALT..........................................................................................................22 1.1.6 O CIRCULO DE OURO.....................................................................................22 1.1.7 BEHAVIORISMO...............................................................................................23 1.1.8 GERAÇÃO PÃO DURO....................................................................................24 1.1.9 FAZENDO A CANOA COM POUCOS PAUS...................................................26 1.1.10 E POR FIM, O MERCADO VAREJISTA COM ISSO......................................28 1.2 PESQUISA MERCADOLÓGICA..........................................................................28 1.2.1 INTRODUÇÃO..................................................................................................28 1.2.2 OBJETIVOS......................................................................................................29 1.2.3 METODOLOGIA...............................................................................................30 1.2.4 AMOSTRAGEM................................................................................................30 1.2.5 ABRANGÊNCIA E PERÍODO DE ESTUDO.....................................................30 1.2.6 ROTEIRO DAS ENTREVISTAS........................................................................31 1.2.7 PRINCIPAIS RESULTADOS.............................................................................32 1.2.8 RECOMENDAÇÕES.........................................................................................38

2 O ETERNO INICIO..................................................................................................39

1.1

ÉTICA, MORAL E DIREITO.............................................................................39

1.1.1 ETICA..............................................................................................................39 1.1.2 MORAL............................................................................................................40 1.1.3 DIREITO..........................................................................................................41 1.1.4 ETICA PROFISSIONAL...................................................................................41 13


1.1.5 ETICA PROFISSIONAL DE PUBLICIDADE....................................................42 1.1.6 ABERTURA DE EMPRESA.............................................................................42 1.2

COMPETÊNCIAS DE UMA ASSOCIAÇÃO DE CLASSE...............................44

1.2.1 TERCEIRO SETOR E SUAS DEFINIÇÕES....................................................44 1.2.2 CONCEITO DA ASSOCIAÇÃO.......................................................................46 1.2.3 CONSTITUIÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES..........................................................46 1.2.4 ESTRUTURA...................................................................................................47 1.2.5 ORGANIZAÇÕES............................................................................................47 1.2.6 MARKETING SOCIAL E RESPONSABILIDADE SOCIAL..............................48 1.2.7 ASSOCIAÇÃO DE CLASSE............................................................................48 1.2.8 A PRAXIS........................................................................................................50 1.2.9 ORGANIZAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO................................................................50 1.3

CONTRATOS..................................................................................................51

1.3.1 CONTRATO DE TRABALHO..........................................................................51 1.3.2 FUNÇÃO OCUPADO PELO EMPREGADO....................................................52 1.3.3 JORNADA DE TRABALHO.............................................................................52 1.3.4 REMUNERAÇÃO............................................................................................52 1.3.5 PRAZO DE CONTRATO.................................................................................53 1.3.6 CLAUSULAS ESPECIAIS................................................................................54 1.3.7 O DIREITO APLICÁVEL..................................................................................54 1.4

CONTRATO DE ESTÁGIO..............................................................................54

1.4.1 QUEM PODE SER ESTAGIÁRIO....................................................................54 1.4.2 TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO (CONTRATO DE ESTÁGIO)..................................................................................................................55 1.4.3 CONTRATO DE ESTÁGIO..............................................................................56 1.4.4 JORNADA DE TRABALHO.............................................................................56 1.4.5 BOLSA AUXÍLIO..............................................................................................57 1.4.6 SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS...........................................................57 1.4.7 CARTEIRA DE TRABALHO............................................................................57 1.5

CONTRATO COMERCIAL..............................................................................57

1.6

MARCAS..........................................................................................................68

1.7

PATENTES......................................................................................................70

1.8

DESENHO INDUSTRIAL.................................................................................71 14


1.9

TRIBUTOS.......................................................................................................72

1.9.1 TRIBUTOS FEDERAIS....................................................................................73 2.10 MIX MARKETING (4P`s)..................................................................................83

2.

NEGÓCIOS......................................................................................................85

2.1

MACROAMBIENTE.........................................................................................85

2.1.1 AMBIENTE.......................................................................................................85 2.1.2 AMBIENTE SOCIOCULTURAL.......................................................................86 2.1.3 AMBIENTE POLÍTICO-LEGAL........................................................................87 2.1.4 AMBIENTE TECNOLÓGICO...........................................................................87 2.1.5 AMBIENTE COMPETITIVO.............................................................................88 2.1.6 AMBIENTE ECOLÓGICO................................................................................89 2.2

MATRIZ BCG...................................................................................................89

2.2.1 INTERNA PROJETADA...................................................................................89 2.2.2 EXTERNA ENTRANTE....................................................................................90 2.2.3 EXTERNA PROJETADA.................................................................................90 2.3

ANÁLISE SWOT..............................................................................................91

2.4

ESTRATÉGIA DE PRODUTO.........................................................................93

2.4.1 ORGANOGRAMA............................................................................................93 2.4.2 FLUXOGRAMA................................................................................................94 2.4.3 PORTFÓLIO....................................................................................................95 2.5

FLUXO DE CAIXA...........................................................................................98

2.5.1 INVESTIMENTO INICIAL................................................................................98

3.

DO SERVIÇO UM PRODUTO.......................................................................101

3.1

BRIEFING......................................................................................................101

3.2

MERCADO.....................................................................................................106

3.3

CONSUMIDORES.........................................................................................112

3.4

OBJETIVOS...................................................................................................117

3.5

ESTRATÉGIA BÁSICA..................................................................................119

3.6

PLANO DE LANÇAMENTO...........................................................................122 15


3.7

APRESENTAÇÃO DE PROSPECT...............................................................133

4.

IDENTIDADE U TREND................................................................................148

4.1

PORQUE U TREND......................................................................................149

4.2

MANUAL DE IDENTIDADE...........................................................................150

4.3

BRANDBOOK................................................................................................168

4.4

PEÇAS DE LANÇAMENTO...........................................................................181

CONSIDERAÇÕES FINAIS.....................................................................................184 REFERENCIAS........................................................................................................185 TRANSCRIÇÃO DAS ENTREVISTAS.....................................................................187

16


INTRODUÇÃO O tema deste trabalho é o empreendedorismo. Se trata especificamente da abertura de uma agência de Publicidade e Propaganda. Para uma Agência ter sucesso, é necessário que ela entenda o mercado em que participa, saiba que uma agência de propaganda também é uma empresa e que é necessário ter conhecimento de métodos e processos administrativos para desenvolvimento de uma boa estrutura de trabalho. Criar anúncios de qualidade e veiculá-los não é o suficiente quando se trata de uma organização que tem como objetivo se inserir no mercado e ter reconhecimento pelos serviços prestados neste mesmo mercado. Portanto conhecimentos dos direitos legais e de processos administrativos também tem suma importância no momento em que uma Agência é aberta para se inserir no mercado publicitário. A partir deste tema deste tema conseguimos desenvolver este trabalho acadêmico. Em um primeiro momento, foi criada uma agência fictícia chamada U Trend, e o segmento passado para a mesma foi o varejo, onde iríamos desenvolver o foco principal de nossos clientes. Após definirmos o nome da agência e o segmento que estaríamos inseridos, fomos submetidos a fazermos pesquisas exploratórias em profundidade com empreendedores/empresários de pequenas e médias empresas, desde que já tivessem tido algum contato direto com alguma agência de publicidade e propaganda. Desta maneira adquirimos alguns conhecimentos sobre o mercado, sobre o que já existe em excesso e sobre o que falta dentro da publicidade. Em seguida, foi estudado a influência da psicologia no comportamento do consumidor, para que com isso, conseguíssemos ter melhor conhecimento sobre as influências psicológicas que o nosso ramo tem sobre o comprador, no momento em que o mesmo está consumindo, conhecemos os hábitos para entender melhor sobre o público-alvo. Com base nas pesquisas feitas, a U Trend teve uma perspectiva maior do que se era necessário para que uma Agência funcionasse da melhor forma, e o que os clientes esperam na hora do fechamento de uma parceria. Foi constatado que é de extrema importância saber as leis que regem o ramo publicitário, e quais são as 17


exigências legais para que se possa fazer a abertura de uma agência, sendo assim ético, responsável e planejador. Desta maneira foram utilizadas todas as normas legais que dirigem o processo de estabelecimento de uma empresa de Publicidade e Propaganda. Foi necessário desenvolver uma análise para definir o posicionamento da agência onde foi colocado claramente de que além de ser uma empresa, também temos de ter um posicionamento social, onde nos colocamos como um estabelecimento diferente que pode fazer diferente no mercado em que participa. Foram estabelecidos métodos para prospecção de clientes, estratégias e ações para lançamento da marca U Trend no mercado publicitário. Após este processo, foi concedida a U Trend, a comunicação visual, onde está incluso um Manual de Identidade, que apresenta o nosso logotipo e todo o conceito visual que utilizamos para compor o mesmo. Também na comunicação visual temos o Brandbook, onde apresentamos melhor a nossa agência, com fotos profissionais de todos integrantes da agência, e apresentação do nosso conceito de trabalho e de vivência.

18


1 CONHECENDO O CONSUMIDOR 1.1 Conhecendo o Comportamento do Consumidor É clara a relação de psicologia e publicidade, com os métodos de transformar desejos em necessidade utilizado pelos profissionais da área. Algo que você realmente não precisa ter ou fazer, porém, com o estímulo correto se torna uma necessidade, algo que você não se sentirá completo enquanto não obter. As tendências fazem parte de algo futurista, como nosso próprio nome já diz, somos a “tendência” no mercado, usando isso como fator psicológico a nosso favor, todos querem algo que é uma tendência futura. Nós da U Trend achamos que com a utilização correta da psicologia, unida às teorias estudadas em aula, tudo se torna possível e plausível de venda, com algumas mudanças de estratégia com a variação do público-alvo. Empresas com bons desempenhos no mercado resultam da compreensão e satisfação das necessidades do cliente. De acordo com Solomon (2016, p. 6), comportamento do consumidor é o estudo dos processos que estão envolvidos quando indivíduos ou grupos escolhem, compram, utilizam ou desfazem-se de produtos, serviços, experiências ou ideias que satisfaçam essas necessidades e desejos. Conclui-se então que o consumo não depende somente do indivíduo, mas também do ambiente ao seu redor, sendo movido também por influências pelo prazer de possuir, ter status perante a sociedade e sentir-separte dela.

“Marketing é psicologia. É preciso, acima de tudo, estudar seus clientes, e a melhor forma de estudo é se colocar no lugar deles” (Thales Valentim)

1.1.2 Entendendo o consumidor Diante da realidade de crise em que estamos inseridos, a segmentação de mercado deve ser uma estratégia competitiva imprescindível para as marcas se manterem no mercado. O conceito de segmentação de Smith (1956, apud. FREIRE e CASTRO, 2016, p.04) entende o mercado como espaço heterogêneo, de onde surgem demandas muito distintas umas das outras provenientes de grupos menores 19


e homogêneos, que compartilham das mesmas necessidades e dos mesmos desejos. Sendo assim, esse é o primeiro passo para se traçar estratégias publicitárias eficientes e eficazes: descobrir qual o seu público, dentro do contexto atual, e estabelecer um diálogo com ele. No entanto, esta não é tarefa fácil. É sabido que apenas a proximidade entre as idades dos indivíduos não é o bastante para dividi-los em grupos, ou gerações, como se costuma denominar, estudos apontam que “é necessário identificar um conjunto de vivências históricas compartilhadas –obviamente, de caráter macrossocial– que determina alguns princípios de visão de vida, contexto e, certamente, valores comuns” (GARCÍA, STEIN e RAMÓN, 2008, p.01). Nos últimos anos se convencionou denominar o grupo ao qual pertencem os jovens da contemporaneidade de geração Y (pessoas nascidas a partir da década de 1980), e percebeu-se que “se as gerações anteriores se caracterizavam por receber as mensagens, as modas, a música de modo uniforme, a Y, ao contrário, destaca-se pela diversidade” (GARCÍA, STEIN e RAMÓN, 2008, p.04). Essa é uma geração que nasceu em meio a uma profusão de informações de variados temas nos meios de comunicação eletrônicos, reforçando uma maior diversidade cultural em um mesmo espaço. Foram criados em meio ao instantâneo, imediato e desenvolveram uma certa impaciência para tudo e todos. Querem acelerar as coisas e conhecem, diariamente, algo novo, convivendo, assim, muito bem com as diferenças. Segundo pesquisa do Ibope Mídia (2010), a geração Y é a de pessoas com maiores hábitos de consumo, sendo que 69% dos entrevistados compraram alguma coisa no mês anterior à pesquisa24. Ainda sobre a geração Y, também chamada de Millennial, informações da empresa de consultoria Booz Allen, disponíveis no site do SEBRAE25, relatam que até o final do ano de 2016 estas pessoas representarão 44% dos consumidores ativos brasileiros. São tão multifacetados que a expressão geração Y possui diversos sinônimos, tais como Geração Digital, Millenials, Geração da Internet e Nativos Digitais (TABSCOTT, apud. MAGNONI e MIRANDA, 2012). Sinônimos esses que traduzem o quão relacionado com o ambiente digital este grupo está. Não estamos em uma época em que a criação de produtos por si é o bastante para que uma marca se mantenha no mercado, pois, como nos esclarece Lipovestsky (2011), “é preciso criar uma identidade ou uma cultura de marca por 20


meio do marketing, do superinvestimento publicitário e da hipertrofia da comunicação.

Esse

fenômeno

é

consubstancial

à

era

midiático-mercantil

hipermoderna” (LIPOVETSKY, 2011, p.95).

1.1.3 Psicanálise A teoria de Freud da psicanálise estabelece que motivações são responsáveis pela aceitação ou rejeição de produtos ou bens de consumo pelo consumidor de forma inconsciente. No marketing, essa teoria é utilizada com a finalidade de estudar os apelos que mais favorecem na propaganda para levar o ho0mem ao consumo. O objeto de estudo da psicanálise é o inconsciente, sendo assim, foram estabelecidas três instâncias psíquicas responsáveis pelo comportamento: Id: fonte de energia dos impulsos primitivos, possuindo como intuito a obtenção do prazer. Ego: regula os impulsos selvagens do id, na tentativa de estabelecer equilíbrio entre seus desejos e a realidade. Superego: representa as regras morais, impedindo a realização dos desejos, gerando proibições e limites por meio das regras morais. Analistas tentaram utilizar dessa teoria para averiguar a personalidade e estrutura psíquica, procurando saber quais traços do produto teriam maior aceitação, de forma que atraia e satisfaça os consumidores. Damos por exemplo uma situação em que uma pessoa vai ao mercado, realizar compras de rotina, em sua mente, ela já estabeleceu um produto ou marca, o id encontra-se então operando. O ego, faz com que vá direto para a gôndola onde se tem o costume de pegar o produto, lá analisa-se os produtos e pega-se o de interesse, aquele que já se tinha a intenção de compra gravado no inconsciente. O superego é o que faz refletir, se for realmente necessária a compra do produto, se o gasto financeiro foi necessário, dando-se conta da situação ocorrida.

21


1.1.4 Teoria Cognitiva Essa teoria pode ser definida como o conjunto mental de habilidades necessárias para construir conhecimento sobre o mundo, processando informações que serão absorvidas, internalizadas e transformadas em conhecimento. Levando esse pensamento para a publicidade, podemos associar a teoria em questão que tem foco em processar informações, com a interpretação que o consumidor faz de uma campanha publicitária. Assim, é necessário saber transmitir a mensagem correta para o público-alvo, estimulando o poder de cognição, fazendo com que o mesmo tenha o desejo de consumir o produto.

“A tarefa não é tanto ver aquilo que ninguém viu, mas pensar o que ninguém ainda pensou sobre aquilo que todo mundo vê” (Arthur Schopenhauer)

1.1.5 Gestalt É basicamente o processo de percepção, interpretação e organização de informações visuais no cérebro, seu conceito é de que não enxergamos partes de uma imagem isoladas, mas sim relações, ou seja, vemos primeiro o todo antes de perceber as partes. As contribuições dessa teoria na publicidade é a forma em que o consumidor percebe a imagem, então cada detalhe do anúncio faz diferença, formas, cores e texto, levando o consumidor a ter diferentes tipos de reações e sensações. 1.1.6 O Círculo de Ouro

22


FIGURA 1: CÍRCULO DE OURO

A teoria criada por Simon Sinek é dividida em três partes: porquê, como e o quê. O “porquê” procura responder quais os propósitos da empresa, suas causas e crenças. “Como” você faz isso? E “o quê” você faz? Empresas se comunicam de dentro para fora, a partir do seu “porquê”. Quando as empresas são reconhecidas por seus “porquês”, não precisam se diferenciar das empresas que utilizam a teoria ao inverso, iniciando do “o quê”, se ela se define por isso, será a única coisa capaz de fazer. A agência U Trend tem essa teoria como base, esperamos que nossos clientes saibam por que nós fazemos e não o que fazemos.

1.1.7 Behaviorismo O behaviorismo é um conceito proposto na psicologia da analisa a resposta a um estímulo. A teoria defende que é possível condicionar o comportamento através de estímulos exteriores, como por exemplo, sinais, agressões ou formas de 23


recompensa. Existem dois tipos de condicionamento, o básico e o operante. O básico encontra-se no ambiente, jingles, slogan, fazendo com que o consumidor mude de ideia e queira adquirir o produto. O operante é quando o comportamento é estimulado por uma recompensa desejada, como promoções, brindes, sorteios. Na publicidade, capturam-se os desejos e necessidades do consumidor e prepara-se o estímulo para que ele sinta a vontade de adquirir determinada marca ou produto, ou então, fazendo com que mude sua opinião sobre algum produto para efetuar a compra da mesma.

1.1.8 Geração pão-duro Os clientes mudaram. Hoje, resistem em abrir a carteira e descartam o que consideram supérfluo. Não dá para ignorar: os consumidores não são mais os mesmos. Perderam aquela ânsia de comprar dos tempos de bonança. E, quando entram em uma loja, abrem a carteira com parcimônia. „Há no ar uma desafeição pelo consumo‟, diz Dario Caldas, diretor do Instituto Observatório de Sinais, especializado em tendências de consumo e comportamento. „As pessoas passaram a repensar o estilo de vida consumista como um todo e a adotar novos limites para definir o que é essencial e o que é supérfluo.‟ De acordo com uma pesquisa publicada 2015 no site do Centro de Inteligência Padrão e Serasa Experian de Atividade do Comércio, por conta da elevada inflação, da restrição de crédito e aumento do desemprego, o nível de consumo caiu. No varejo, a redução foi perceptível, o volume de vendas encolheu 4,3% no ano.

24


TABELA 1: CRESCIMENTO DO FATURAMENTO EM 2015

TABELA 2: EXPANSÃO DE LOJAS EM 2015

Pesquisas mais atuais feitas pelo órgão, o movimento das lojas do Brasil caíram 2,1% no início de 2017. No começo do ano passado, a queda do movimento foi maior, com redução de 4,2%. 25


Com o desemprego em alta, a prioridade do consumidor passou a ser a quitação de dívidas, com o objetivo de sair da inadimplência, mantendo o mercado enfraquecido no começo de 2017. Dentre os segmentos varejistas, a queda mais notável foram nas lojas de materiais de construção, com recuo de 3,6%. No setor de veículos, motos e peças, a redução foi de 2,4%, e no segmento de móveis, eletrodomésticos e informática, com retração de 2,2%. Houve também perceptível redução de 1,6% no segmento de combustíveis e lubrificantes, tecidos, vestuários, calçados e acessórios. Tendo variação positiva somente em supermercados, hipermercados, setores de alimentos e bebidas. No marketing, o assunto preço tem despertado maior interesse dentre as variáveis do marketing mix – produto, praça, promoção. O preço pode ser definido como quantificação numérica de quanto o consumidor deve desembolsar para adquirir determinado produto ou serviço, sendo a única variável do marketing mix que produz receita para a empresa. Dentre as variáveis do marketing mix, segundo especialistas da área, o preço é a variável que mais afeta a competitividade, o volume de vendas e as margens de lucro da empresa, especialmente quando relacionado ao varejo, por ter rápida implementação e ser de fácil manipulação. Observamos sob uma perspectiva diferente, o preço é expresso como a soma dos benefícios trazidos pelo produto, dividido pelo custo sofrido pelo consumidor para sua obtenção. O preço passa a envolver não só as características do produto, mas também os esforços empreendidos para que o mesmo fosse adquirido, como tempo, distância de deslocamento, fila, tempo gasto no processo de procura, etc. O preço, por ser facilmente manipulável e eficácia de extrema rapidez, levam a uma política de curto prazo pelos varejistas, visando a lucratividade sem atender as expectativas de valores para os consumidores. 1.1.9 Fazendo a canoa com poucos paus Diante desse cenário de crise em que estamos inseridos, as empresas têm cada vez mais que achar maneiras mais criativas, baratas e eficientes de chamar a 26


nossa atenção, para não perder parcelas do mercado para seus concorrentes (que cada vez são um número maior), batendo de frente com uma nova filosofia social e um público-alvo cada vez mais endividado em com poder aquisitivo reduzido. A Skol, em 2017, por exemplo, encontrou uma maneira criativa de não só ser pioneira diante de uma sociedade machista/ racista resumida em propagandas de cerveja com "bundas", "peitos" e "gostosas",

"brancos felizes" e "negros

inferiores", inseridas nas raízes mais profundas de nossa sociedade, reposicionando sua marca com peças inteligentes e criativas, transformando a mulher, que antes era vista por ela e seus concorrentes como objeto de consumo em protagonistasintelectuais de suas peças, convidando artistas plásticas (todas mulheres) para recriar peças antigas e machistas feitas pela Skol em pôsteres e caricaturas, descarregando a carga machista inserida nessas peças pela marca, transformando as "gostosas", em seres de poder, modificando o protagonismo das mesmas nas peças anteriores. A Skol ainda se tornou pioneira com a linha de latinhas com as cores diferentes, retratando as cores de todos os brasileiros, desde quase branco até a quase negra, dizendo que somos todos da mesma cor: da cor de pessoa. A peça tem como objetivo pulverizar nossas raízes de nos acharmos superiores por que temos determinada cor de pele. Em 2016, a campanha intitulada “Tudo Lindo & Misturado”, da marca C&A, teve suas primeiras peças, em formato impresso, veiculadas na revista Veja. O encarte de 12 páginas fez parte da primeira campanha desenvolvida pela agência AlmapBBDO – responsável pela publicidade da marca no Brasil, desde 2015 - para a rede varejista. Na semana seguinte, no dia 14 de março, dando continuidade à campanha, foi lançado o filme Despertar, com duração de 1 minuto, no intervalo da estreia da novela Velho Chico, em horário nobre da emissora de TV Aberta mais assistida do país, a Rede Globo. A campanha se concentra em divulgar o novo posicionamento da marca, que sempre foi mais tradicional, com foco na assinatura das campanhas e das coleções por celebridades como Gisele Bündchen, Alexandre Herchcovitch, Grupo Porta dos Fundos e a última celebridade da TV brasileira a estrelar a campanha anterior, Maria Casadevall. Além de ter mantido por mais de 20 anos o modelo Sebastian em seus anúncios, fazendo com que ele se tornasse referência quando o assunto era C&A. Com foco na diversidade e na liberdade de 27


escolhas, a campanha conta com comerciais de televisão, anúncios em revistas, mídia online e presença constante nas redes sociais. Para o vice-presidente de Marketing e operações da empresa, Elio Silva, “a campanha retrata um novo cenário, em que saímos de uma visão de moda imposta para dar espaço a uma moda mais livre, que permite aos nossos clientes ousar, experimentar e combinar peças”. Erroneamente ou assertivamente, não podemos dizer que pelo menos essas empresas não se esforçaram em ordem de alavancar as suas vendas e deixar para trás uma filosofia social ultrapassada, aproveitando a deixa da crise para reposicionar as suas marcas no mercado e criando estratégias diferentes para atrair o público-alvo. O consumidor atualmente está muito diferente dos anos anteriores, já que este se encontra mais engajado com causas sociais que dizem respeito aos princípios sociais vigentes em nossa sociedade contemporânea, como a igualdade entre sexos e raças.

1.1.10 E, por fim, o mercado varejista com isso? Vejamos então como estão algumas empresas varejistas (especialidade da agência U Trend). Só no Brasil, segundo informações da ABRAVEST (Associação Brasileira de Vestuário), as grandes redes varejistas só têm crescido, mesmo num cenário de crise. Em 2014, a líder no segmento da moda, C&A, cresceu 4,2%, e em 2015, 4,9% e a Renner cresceu 5%, e a previsão é de que esses números continuem subindo. Sabendo do cenário econômico em que estamos inseridos atualmente, sugere-se e ressalta-se a importância da conexão entre inovação e competitividade, identificando que a competitividade de uma empresa permite que seus gestores inovem nas práticas mercadológicas.

1.2 PESQUISA MERCADOLÓGICA 1.2.1 Introdução 28


De acordo com os cursos de Publicidade e Propaganda oferecido no país, sua divulgação e meios de manipulação de informação, observamos que é algo presente em nosso cotidiano, mas pouco notado. Observamos também que este tipo de curso não é divulgado com tanta ênfase, não apresenta ao publico o leque correto de informações e criatividade que exerce em sua função. Contudo, realizamos uma breve pesquisa com diversos empreendedores, diretores, gestores e etc. Sendo homens e mulheres que possuem contato com este tipo de seguimento, como a agência publicitária, de bom conhecimento sobre o assunto, com experiências boas ou ruins, com dicas para os publicitários da nova geração,com que acreditam, suas visões e opiniões sobre o mundo publicitário de hoje, como vêem este tipo de curso no mundo, qual a importância disto para os entrevistados e conselhos que podem dar sobre o curso e a agência que exerce a função, para que tornemos o mundo melhor tanto na Publicidade quanto na vida.

“Uma mente aberta, pensadora e criativa é o maior patrimônio que uma agência de publicidade pode ter” (Kléber Novartes)

1.2.2 Objetivos

Temos como os seguintes objetivos para a realização da pesquisa.

Objetivos Principais:

Analisar opiniões sobre o mercado publicitário

Experiências no mercado publicitário

Opinião sobre o marketing digital

O que torna uma agência inteligente

O que mais chama a atenção na agência publicitária

O que uma agência publicidade deve fazer para se tornar melhor para

satisfazer o cliente

29


Objetivos secundários:

Situações com as agências

Opinião sobre os cursos de publicidade no país

Escolha de profissão

Escolha de cargo conquistado

Estudo de personalidade do cliente

1.2.3 Metodologia

'' O estudo foi realizado em uma etapa qualitativa, através da aplicação das técnicas de entrevistas em profundidade. As entrevistas foram realizadas com base num roteiro semi-estruturado, gravadas e posteriormente transcritas para analisar. ''

1.2.4 Amostragem

De acordo com o perfil dos participantes, encontra-se homens, de idade entre 22 e 43 anos, entre eles casados e solteiros, de classe média, grau de instrução de nível técnico e superior. Lidam diretamente com a agência publicitária e/ou estão diariamente ligados a publicidade.

De acordo com o perfil dos participantes, encontra-se mulheres, de idade entre 23 e 49 anos, entre elas casadas e solteiras, de classe média, grau de instrução de nível técnico e superior. Lidam diretamente com a agência publicitária e/ou estão diariamente ligados a publicidade.

1.2.5 Abrangência e Período de Estudo

As entrevistas foram realizadas na região da Grande São Paulo no período de 29/03 a 03/04 de 2017. 30


1.2.6 Roteiro das Entrevistas 1.

Como é trabalhar com uma agência de Publicidade e Propaganda para

2.

Quais os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir?

3.

Você acredita que o marketing digital é importante para sua empresa?

você?

Porquê? 4.

O que para você tornaria uma agência publicitária inteligente?

5.

O que você espera de uma agência publicitária perante ao

desenvolvimento com a sua empresa, seja em seus produtos ou no atendimento? 6.

Já houve alguma experiência ruim com uma agência? Qual?

7.

Como cliente, o que aprendeu e evitaria ao trabalhar com uma

agência? 8.

Se fosse o dono de uma agência publicitária, qual sugestão daria e o

que faria de diferente com os que já teve contato? 9.

Acredita que o tipo de trabalho que uma empresa espera da agência

são os trabalhos que valorizam a marca a longo prazo? Como? 10. Qual a maior falha que uma agência pode cometer? 11. Para você, qual a estimativa de tempo para avaliar o desempenho de uma agência contratada? Porquê? 12. Já passou por alguma situação de gafe cometida pela agência para obter bons resultados? Conte-nos. 13. Você acredita que a cultura interfira na divulgação de sua empresa, marca ou produto? Porquê? 14. Qual sua opinião sobre o mercado publicitário? 15. Quais os critérios que você avaliaantes de fechar acordo com uma agência publicitária e qual o grau de importância de cada critério? 16. Qual seria sua opinião sobre o CONAR? 17. Qual conselho você daria a nova geração de publicitários? 18. Dizem que somos o que lemos, ouvimos e assistimos. Sendo assim, o que você indica que os novos profissionais leiam, assistam ou ouçam para desenvolver uma cultura necessária como publicitário? 31


19. Em qual pessoa você se inspirou para chegar onde chegou e porquê? 20. Quais são suas referências de publicitários e porquê? 21. Qual sua opinião sobre os cursos de publicidade e propaganda oferecido no país? 22. Quais livros te inspiraram na sua trajetória? 23. Se tivesse 18 anos e tivesse a oportunidade de escolher sua carreira novamente, optaria pela mesma ou escolheria outra?

1.2.7 Principais Resultados Como é trabalhar com uma agência de publicidade e propaganda para você?

Acrescentar no desenvolvimento das ideias são pontos positivos para o cliente, que ajuda a solidificar e valorizar a marca, mas com um jeito correto, com um bom atendimento, paciência, criatividade, pontualidade e reciprocidade.

Quais os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir?

Havendo um bom atendido o cliente e a agência conseguem trabalhar em harmonia, transparecer melhor as necessidades e objetivos, e assim alcançar as metas, que irão acontecendo naturalmente. Divulgações de serviços, produtos e marcas, onde a divulgação e a construção da marca é o principal objetivo da agencia com a empresa, é imprescindível para poder reter clientes, e transformar em vendas, realizando campanhas para tornar mais conhecida.

Você acredita que o marketing digital é importante para sua empresa?

O marketing digital acaba sendo fundamental e importante, pois o brasileiro é um dos que mais passa tempo conectados na internet, principalmente nessa era de smartphones, e por lá conseguimos criar desejos e vontades, e eles se 32


aprofundam nas informações do produto/serviço/marca pela internet, e os clientes estão cada vez mais exigentes, e também prezam pela praticidade que a internet traz e está plataforma está crescendo cada vez mais, pois é um ótimo meio dos clientes expressarem suas opiniões e darem o “feedback” para a empresa.

O que para você tornaria uma agência publicitária inteligente?

Utilizam do conjunto interno toda sua agência de forma separada mas igual, onde cada um faz sua parte em busca do mesmo objetivo, usam a criatividade nos seus objetivos, com vista qual o objetivo a ser atingido, a agência inteligente consegue alcançá-lo com criatividade, acreditam na renovação. A agência que consegue inovar em todos os trabalhos, analisando cada situação como única em busca dos melhores resultados é a agência mais inteligente. Acreditando também na relação com cliente, em ter um contato pessoal junto do cliente, colocar os objetivos do cliente como se fosse próprio, atender de forma atenciosa para entender a visão do cliente e unir isso com a criação da campanha.

O que você espera de uma agência publicitária perante ao desenvolvimento com a sua empresa, seja em seus produtos ou no atendimento?

O básico é ter conhecimento da história e do que o cliente vende, só assim é possível o desenvolvimento da campanha toda. Esperam um resultado final perfeito, o mesmo que o cliente final espera, que é um produto, ou serviço bem feito, com o resultado final em 100%. Com uma boa formulação para toda divulgação e com muita ética e profissionalismo, nunca dando brechas para erros. Que seja ativa e comande a situação pois as vezes o cliente não tem tempo. E coloque os objetivos do cliente como prioridade pois o pior é uma agência que visa ganhar prêmios. Uma agência presente e pontual, que mantenha a par de tudo o que está acontecendo durante o processo e entregue tudo de acordo com os prazos combinados, com integridade, ética e dedicação. Reciprocidade também é uma palavra que define bem, pois o olhar da agência e o olhar do cliente se completam. 33


Já houve alguma experiência ruim com alguma agência? Qual?

Experiências ruins ou boas com as agências é algo a ser observado, pois muitas deixam de ouvir o cliente e acabam impondo as ideias sobre as do cliente, querendo fazer tudo do seu jeito. Atrasos para entregas, coisas fora do combinado e dificuldades de comunicação com a agência. Agências que deixaram os objetivos do cliente de lado, e tinha apenas como primeiro plano ganhar prêmios.

Como cliente, o que aprendeu e evitaria ao trabalhar com uma agência? Evitar agências que se preocupam com seu próprio status em primeiro lugar,deixando o cliente em segundo plano.

Se fosse o dono de uma agência publicitária, qual sugestão daria e o que faria de diferente com os que já teve contato?

A agência possui a oportunidade de investir no atendimento, pois é o mesmo que faz o primeiro contato e que deveria ter mais relacionamento com o cliente e como um todo deveria ter melhor conhecimento sobre o cliente, para que todos tratassem o mesmo com atenção e dedicação.

Acredita que o tipo de trabalho que uma empresa espera da agência são os trabalhos que valorizam a marca a longo prazo? Como?

Acaba sendo muito relativo sobre esperar ou não da agência a valorização dos trabalhos a longo prazo, pois depende da valorização da marca, onde é decidido pelo departamento da agência. Como também depende do atendimento da agência, do objetivo do cliente, se esperam valorização a curto prazo ou não.

Qual a maior falha que uma agência pode cometer? 34


A falta de comunicação interna da agência pode ser considerada falha, ''forçar a barra'' não pode ser legal para a reputação da agência, o atendimento com o cliente deve ser valorizado e a agência deixar de focar em ganhar prêmios e fazer cartelas de clientes, pois não lhe fará uma agência de boa reputação.

Para você, qual a estimativa de tempo para avaliar o desempenho de uma agência contratada? Porquê?

Variando de acordo com o atendimento feito ao cliente, podendo ser feito dentro de um mês há um ano, também variando conforme o desenvolvimento do produto pedido e no relacionamento do cliente com a agência durante este processo.

Já passou por alguma situação de gafe cometida pela agência para obter bons resultados? Conte-nos.

Acontecem situações de gafes entre a agência e o cliente, por muitas vezes dada pela agência se preocupar com seus próprios objetivos e deixando de priorizar os do cliente.

Você acredita que a cultura interfira na divulgação de sua empresa, marca ou produto? Porquê?

A cultura possui influência na produção, divulgação do produto, criação da marca, pronuncia de nome da empresa ou produto, limitando-a, variando de acordo com o estado e país.

Qual sua opinião sobre o mercado publicitário?

O mercado publicitário é considerado muito bom, pois agrega diversas ferramentas de divulgação, criatividade, interação com o público,porém necessita 35


ser melhorado, ser visto com mais atenção por muitas vezes se tornar desorganizado e competitivo.

Quais os critérios que você avalia antes de fechar acordo com uma agência publicitária e qual o grau de importância de cada critério?

O conhecimento sobre ferramentas e comprimento de prazo torna-se um critério necessário para o fechamento de contrato com uma agência. Avaliar a criatividade da agência, resultados e projetos anteriores, procurar saber sobe a agência, seu crescimento, atendimento e sobre os relacionamento que teve com outros clientes.

Qual seria sua opinião sobre o CONAR?

O CONAR é um órgão fundamental e importante, onde oferece um leque diversificado de informações e grandes ferramentas publicitárias, apesar de suas regras por sua vez exageradas e suas limitações sobre as propagandas, sobre devem ser feitas ou não, não deixa de ser totalmente necessário.

Qual conselho você daria a nova geração de publicitários?

Manter o pé no chão, possuir metas, focos e garra, torna-se diferencial para a nova geração, aproveitando cada oportunidade que lhe é dada. Obtendo um conhecimento amplo sobre tudo, priorizando o cliente e suas idéias, acreditando que o marketing é uma ferramenta de vendas e negócios importante para a publicidade e não fugindo do padrão, mas sendo inovador e possuindo visões e propostas novas.

Dizem que somos o que lemos, ouvimos e assistimos. Sendo assim, o que você indica que os novos profissionais leiam, assistam ou ouçam para desenvolver uma cultura necessária como publicitário? 36


Para um bom desenvolvimento no ramo é necessário que não ter dúvida sobre o que quer ser ou fazer, pesquisar, se informar, tirar dúvidas, procurar pessoas como referência, manter-se antenado a tudo e conectado ao mundo, ampliar o conhecimento sobre tudo que lhe dê cultura e evolução.

Em qual pessoa você se inspirou para chegar onde chegou e porquê?

Usa-se como inspiração a família, pessoas que conheceu ou apenas viu, amigos, gestores, criatividade de pessoas ou até de si próprio, coisas que leu ou ouviu.

Quais são suas referências de publicitários e porquê?

Utiliza-se como referência Publicitários renomados , criativos, com uma vasta carreira e conhecimento, como Washington Oliveto e agências de eventos como a CB Eventos.

Qual sua opinião sobre os cursos de publicidade e propaganda oferecido no país?

Os cursos de publicidade são considerados muito bons no Brasil, não sendo tão inferior aos cursos do exterior por sua alta tecnologia, mas podendo ser melhorado e somente indicado estudar no exterior cuja pessoa possua interesse em obter amplo conhecimento. Quais livros te inspiraram na sua trajetória? Foram utilizados livros para a inspiração como: ''Viagem de uma alma'', “Os sete hábitos de pessoas altamente eficazes'', como Steve Jobs'' e ''Os bastidores do 37


Google'', Ruben Fonseca e demais livros de ficção cientifica, entre livros sobre doutrina e marketing.

Se tivesse 18 anos e tivesse a oportunidade de escolher sua carreira novamente, optaria pela mesma ou escolheria outra?

Observa-se que a Comunicação Social está ente os principais objetivos por ser um curso aberto, renomado, com um leque diferenciado de informações e áreas em que se é possível atuar, com oportunidade de carreira e vivência no exterior.

1.2.8 Recomendações Ao decorrer da pesquisa, observamos e recomendamos que a agência tenha uma interação maior com o seu cliente, além do atendimento, mas que todos da agência procurem saber sobre o cliente, para que tenham como objetivo, um bom desempenho do produto que lhes foi proposto, que absorvam as idéias dadas para o cliente, que tenham um propósito para fazer com que a criatividade, dedicação e a imagem da sua empresa lhe traga mais clientes, e não apenas fazer clientes em sua cartela, se preocupar com prêmios, ou deixar que o atendimento de conta sozinho de saber sobre o cliente, interaja, esteja sempre por perto, faça do cliente o seu amigo, crie um laço de amizade, priorize o seu cliente. Recomendamos também, tanto para as agências quanto aos publicitários, que criem o hábito de lerem, ouvirem, aprenderem sobre tudo que o mundo lhe oferece, este leque de informações que lhes são entregues, façam uso, sejam curiosos, mantenham a criatividade em funcionamento a todo instante, façam algo que torne a sua vida, a vida da sua empresa e de seu cliente melhor, se inspirem em publicitários, escritores, pessoas que possuem um vasto conhecimento, pesquise, tire dúvidas, acrescente informações em pessoas ou coisas, seja inovador, focado, não desista.

“Descobrir consiste em olhar para o que todo mundo está vendo e pensar uma coisa diferente” (Roger Von Oech)

38


2 O ETERNO INÍCIO

2.1 ÉTICA MORAL E DIREITO

O segundo capítulo é recheado pela parte burocrática referente á estrutura para abertura de empreendimentos na área da publicidade, vimos aspectos legais para abertura de uma empresa, onde também se encaixam valores morais, éticos, profissionais e contratuais. Depois de compreendermos como funciona o mercado em que iremos nos inserir apresentaremos como se situam os valores sociais, legislativos e burocráticos na publicidade e o que é necessário para a abertura de uma agência de publicidade e propaganda.

"Determinação coragem e autoconfiança são fatores decisivos para o sucesso. Se estamos possuídos por

uma

superá-los.

inabalável

determinação

Independentemente

das

conseguiremos circunstâncias,

devemos ser sempre humildes, recatados e despidos de orgulho." (Dalai Lama)

2.1.1 Ética

A ética é um conjunto de regras e preceitos morais de um indivíduo, grupo social ou sociedade, ou seja a ética pode ser apenas um estudo do comportamento e costumes de uma sociedade, como pode ser a realização dos mesmos dentro da sociedade. Esta serve para que um certo equilíbrio seja mantido em determinada sociedade, porém não pode ser definida como lei pois não há nenhum regulamento vindo de algum órgão público específico para regê-la A mesma está diretamente ligada ao valores sociais e morais que por muitas vezes também tem ligação com o sentimento coletivo de uma população perante o todo, no caso, a sociedade. Ela não pode ser definida como lei, apesar de quase sempre as leis serem criadas com base nos princípios éticos, a diferença é que a não obediência á um

39


princípio ético não desencadeia um julgamento penal pelo estado, e a desobediência da lei, sim.

2.1.2 Moral A palavra “moral”, do Latim moralis "maneira, caráter, comportamento próprio", é o códoigo que designa o conjunto de costumes, tradições e modos que ditam o ritmo do “certo e errado – „moral ou imoral” de tederminada porção da sociedade, cultura. Pode ser ditada ou alterada de acordo com a religião, condição social ou até mesmo pela história recente ou antiga de certa sociedade. Em uma sociedade, há conceitos do que se pode ou não fazer, todos orientados pela moral e a ética, com a finalidade de facilitar o convívio social. A ética pode encontrar-se com a moral pois a suporta, na medida em que não existem costumes ou hábitos sociais completamente separados de uma ética individual. Da ética individual se passa a um valor social, e deste, quando devidamente enraizado numa sociedade, se passa à lei. Assim, pode-se afirmar, seguindo este raciocínio, que não existe lei sem uma ética que lhe sirva de alicerce. Segundo José Ferrater Mora, os termos 'ética' e 'moral' são usados, por vezes, indistintamente. Contudo, o termo moral tem usualmente uma significação mais ampla que o vocábulo 'ética'. A moral é aquilo que se submete a um valor. Hegel distingue a moral subjetiva (cumprimento do dever, pelo ato de vontade) da moral objetiva (obediência à lei moral enquanto fixada pelas normas, leis e costumes da sociedade, a qual representa ao mesmo tempo o espírito objetivo). Hegel considera que seja insuficiente a mera boa vontade subjetiva. É preciso que a boa vontade subjetiva não se perca em si mesma ou se mantenha simplesmente como aspiração ao bem, dentro de um subjetivismo meramente abstrato. Para que se torne concreto, é preciso que se integre com o objetivo, que se manifesta moralmente como moral objetiva. É a racionalidade da moral universal concreta que pode dar um conteúdo à moral subjectiva da mera consciência moral. Alguns dicionários definem moral como "conjunto de regras de conduta consideradas como válidas, éticas, quer de modo absoluto para qualquer tempo ou 40


lugar, quer para grupos ou pessoa determinada" (Aurélio Buarque de Hollanda), ou seja, regras estabelecidas e aceitas pelas comunidades humanas durante determinados períodos de tempo. Para ilustrar bem esse devaneio de informações, Auguste Comte, filósofo de origem francesa, conclui que “a moral consiste em fazer prevalecer os instintos simpáticos sobre os impulsos egoístas”.

2.1.3 Direito A palavra direito é originada do latim, de directus, a qual significa: “que segue regras pré-determinadas”. Existem diferentes tipos de direito, como: Direito trabalhista, direito processual, direito civil, direito penal, administrativo e constitucional. Todos esses tipos de direito vem do positivado, que é basicamente o sistema implantado no Brasil hoje em dia, que é constituído por uma série de normas escritas, as quais geraram os códigos que conhecemos, os direitos e deveres. Existe também o direito natural, o qual é formado pelos hábitos e crenças, que começam a fazer parte da rotina da sociedade. O direito foi instituído com o intuito de todos respeitarem as leis, com justiça, integridade e honra.

2.1.4 Ética Profissional

Ética profissional é uma junção de valores e normas de conduta e de relacionamento adotados no trabalho, que constituem a consciência do profissional. Os principais fatores da ética profissional são: honestidade, respeito, competência, responsabilidade, entre outros. O relacionamento entre pessoas de qualquer organização é importante para o andamento da empresa, que se adequam a padrões impostos pela sociedade sobre valores e ética, que se seguidos geram um ambiente agradável e consequentemente resultados melhores. 41


2.1.5 Ética Profissional de Publicidade

Em especial na publicidade, o código de ética tem como objetivo garantir a transparência na comunicação, para que o anunciante não passe nenhuma mensagem que não condiga com a verdade, podendo assim persuadir seu público de forma desonesta. O órgão que cuida do conselho de ética nessa área é o CONAR( Conselho Nacional de Auto – Regulamentação Publicitária), responsável por toda publicidade no Brasil, tendo como obrigação se pronunciar se alguma dessas publicidades fugir do seu código.

2.1.6 Abertura de Empresa

O mercado publicitário abrange muitas áreas, sendo assim, é uma ótima opção de investimento, pelo grande número de clientes que sempre precisam de uma agência em sua retaguarda ajudando-o com qualquer percalço em seu crescimento. Existe a possibilidade de ser o único dono, tanto quanto abrir a empresa em sociedade.

2.1.6.1Possíveis Tipos de Empresa

Existem alguns tipos de empresa, que são: Individual ou Empresário; Sociedade Simples Limitada, ocorre essa sociedade se dois ou mais sócios trabalharem com atividades intelectuais; por fim existe a Sociedade Empresária Limitada, que dois ou mais sócios trabalham na empresa.

2.1.6.2 Tipos de Sociedade

Sociedade quotista: É aquele que tem uma porcentagem da empresa, porém, não exerce função na mesma, apenas arca com lucros e prejuízos. 42


Sócio Administrador: Exerce funções diretas na empresa, esse sócio é quem administra a empresa. Existem apenas esses dois tipos de participação em relação à sociedade na empresa.

2.1.6.3 Situação do Titular ou Do(s) Sócio(s)

Funcionários públicos, e aposentados por invalidez não podem ser sócio administrador da empresa, eles têm apenas o direito de serem sócio quotista. Participação em outra empresa exige verificação do artigo 3º da Lei Complementar 123/2006, uma pessoa é permitida apenas a ter uma empresa do tipo Empresário em seu nome.

2.1.6.4 Nomes

Existem dois tipos de nomes: o nome Empresarial e o nome Fantasia. O nome Empresarial em caso de Empresário Individual é sempre constituído pelo nome civil do mesmo, não existindo abertura para abreviação do último sobrenome, existe apenas a opção de abreviação do nome do titular. No caso de Sociedade Empresaria Limitada o nome é constituído pela Razão Social, a qual é o nome ou abreviação de um dos sócios, acompanhado de “& companhia limitada” ou “&cia limitada”, isso indica à existência de outros sócios, a palavra “limitada” pode ser contida tanto em extenso quanto abreviada, abreviação a qual é “LTDA”, ou Denominação Social, que é composto por uma expressão ou termo ligado aos sócios, o qual tem relação com o negócio da empresa, com o acréscimo de “limitada” ou de sua abreviação. Nome Fantasia é o nome a qual a empresa será conhecida no mercado, com registro no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

43


2.1.6.5 Capital Social

Capital Social é o investimento primário da empresa, o quanto foi investido para abertura da mesma, isso inclui as despesas iniciais, como gastos com o local, divulgação, produtos e funcionários.

2.1.6.6 Atividades

As atividades da empresa são definidas pelo Código Nacional de Atividade Econômica (CNAE). Existem empresas de varejo, atacado e as prestadoras de serviços. As empresas de varejo são as que vendem os produtos diretamente para o consumidor final. As empresas atacadistas vendem os produtos para outras empresas de varejo, que revenderão ao consumidor final. As prestadoras de serviços são as empresas que prestam serviço para todos os tipos de consumidores e empresas.

2.1.6.7 Cadastro

Um contrato social é redigido com os dados referenciais da empresa e dos sócios, o contrato social deve ser cadastrado na Junta Comercial. Todas as empresas devem ser cadastradas na Secretaria da Receita Federal, que é o órgão que gera o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), além disso é necessário cadastro junto à Caixa Econômica Federal, visita do Corpo de Bombeiros Militar e aprovação da Prefeitura Municipal para conseguir o alvará de funcionamento. Depois desse processo e aprovação do mesmo, a empresa pode começar as suas atividades.

2.2 COMPETÊNCIAS DE UMA ASSOCIAÇÃO DE CLASSE

2.2.1 O Terceiro Setor e Suas Definições

44


Para que possamos entender o terceiro setor e por qual o tipo de organização é formado, é necessário que seja definido os demais setores: Primeiro setor e Segundo setor. O primeiro setor ou Estado, no qual é denominado por referir-se ao poder público e ao total de membros que competem desde poder, sendo representado pelos Governos Estaduais, Presidência da Republica e etc. Tem como definição a igualdade entre os indivíduos de uma sociedade, e é utilizado como ferramenta essencial de distribuição de renda e bem estar social. O Estado possui um monopólio, do qual utiliza ferramentas de arrecadação e transferência, para retirar daqueles que possuem mais e distribuir para aqueles que possuem de menos. Temos como exemplo a cobrança do imposto de renda, no qual tributa os brasileiros de acordo com seus bens declarados e aplica a cobrança dos impostos em obras públicas, neste caso vemos também que o Estado se apropria do bem privado, os tornando bens públicos que por fim se aplicam a bens públicos, porém o Estado deve gastar o mínimo possível em suas obras, desde a arrecadação do imposto á aplicação desde investimento de volta a sociedade. Uma vez que o Estado não possui valor monetário por si só, o mesmo utiliza do mercado privado, chamado segundo setor. Neste caso o segundo setor é voltado para auxiliar as empresas privadas de forma produtiva, independente se a mesma realiza serviços ou vendas de bens, por sua capacitação de valor, o segundo setor é conhecido como setor produtivo. O que o difere do Estado é a capacidade que o mercado privado possui de atender a diversas necessidades que a sociedade possuí, seja em qualquer quesito que o mercado oferece, ocupando por diversas vezes o lugar do setor público. Observamos que ao decorrer do processo, quando o segundo setor tende a se desenvolver, o primeiro setor o acompanha, atuando os dois de forma harmoniosa, porém se o primeiro setor se desenvolve e sobressai, a tendência é termos um Estado autoritário e muito grande que acaba ocasionando problemas devido ao seu grande desenvolvimento. Ocasionando a falência do Estado, entra o terceiro setor, formado por organizações sem fins lucrativos e não governamentais, ou seja, influencia na junção do setor privado com o setor público, deixando o dinheiro privado para os fins

45


públicos, o que não significa que o poder público não possa destinar verbas, pois afinal, sua função é promover recursos para a sociedade e auxiliar as organizações. As principais organizações são as fundações, que são as instituições que financiam o terceiro setor, atuando nas doações á entidades beneficentes, que são as maiores responsáveis, pois cuidam dos idosos, carentes, meninos de rua, órfãos e drogados, educam, profissionalizam, ensinam esportes, dão suporte as famílias, promovem os direitos humanos e de cidadania, entre outros.Temos os fundos comunitários, as entidades sem fins lucrativos, as ONGs não governamentais, empresas com responsabilidade social, empresas doadoras, pessoas físicas e imprensa.

2.2.2 Conceito da Associação

As associações desempenham atividades econômicas desde que sua renda seja revertida para atividades com fins lucrativos, como os estatuários, não podendo haver então atribuição de renda e lucro dos associados. O objetivo do terceiro setor é reverter os recursos em benefício da entidade ou comunidade no qual beneficia. Consideradas de natureza exógena, as associações de cunho social ou benefício mútuo, cujas atividades e ações são dedicadas a beneficio social, podendo ser citada as Associações de Classe e Patronais, no qual visam o bem público e trabalham em favor dos Sindicatos, como por exemplo. Tais definições são totalmente importantes para que se possa identificar as associações que podem ser beneficiadas com incentivos fiscais tanto para elas quanto para os associados.

2.2.3 Constituição Das Associações

As associações são definidas como sendo uma pessoa jurídica, com o propósito de criação a partir da união de forças e ideias de pessoas em torno de um propósito sem finalidade lucrativa. A personalidade jurídica das associações é de direito privado e provém do registro do estatuto nos órgãos competentes, conforme os artigos 53 e 61 do Atual Código Civil Brasileiro. 46


A constituição de uma associação, aconteceu com seu registro no Cartório Civil de Registro de Pessoas Jurídica. Para que isso aconteça, são necessários os seguintes documentos: ato de eleição da diretoria e do conselho fiscal, requerimento do registro, ato de constituição, estatuto social, denominação, fins e sede da associação, o modo como se administra, representação da sociedade, direitos e deveres dos associados, entre outros. As associações podem desempenhar atividades econômicas, desde que a renda seja revertida para atividades sem fins lucrativos para os associados. As associações podem também se diferenciar referente a sua associação ou cunho social, pois mesmo não gerando lucros,pode ter sido criada para favorecer os interesses dos associados. Estas associações possuem cunho social para favorecimento dos sócios, enquanto as associações apenas visam com suas atividades o bem público.

2.2.4 Estrutura

As associações devem possuir uma estrutura interna, para que possam realizar suas atividades, então constituem uma Diretoria e uma Assembléia Geral. Assembléia Geral é o nome dado a reunião da entidade, no qual possuem caráter obrigatório. Em tais reuniões são tomadas importantes decisões, como a eleição da Diretoria e as mudanças políticas internas. O conselho fiscal, compete fiscalizar as ações dos administradores, verificar o comprimento dos deveres legais, porém os dirigentes destas entidades não são responsáveis pelas obrigações da sociedade, a não ser que suas ações causem algum prejuízo.

2.2.5 Organizações

As organizações de terceiro setor nascem da motivação pessoal de um individuo ou grupo de pessoas, geralmente com intenções filantrópicas. O objetivo é o de criar uma organização com o intuito de diminuir o sofrimento ou resolver 47


problemas de uma comunidade, mas é muito importante que tais entidades se organizem de forma eficaz afim de que cumpram seu papel da forma que foram criadas. As organizações não importando ser do segundo ou terceiro setor, precisam se organizar de certa forma competente, caso o contrário perderão sua própria ineficiência.

2.2.6 Marketing Social e Responsabilidade Social

O marketing social é considerado como importante ferramenta para manter a competitividade das organizações. A responsabilidade social é visto como ação de contribuição para a melhoria de vida para a sociedade, um exercício de cidadania corporativa, empresas que querem valorizar seus produtos, serviços e estratégias sociais de desenvolvimento para a sociedade. As organizações de segundo setor podem fazer uso das organizações de terceiro setor, para que se promovam a responsabilidade social e o marketing social, também como as organizações de terceiro setor podem se auto promoverem e chamarem a atenção da comunidade com essa ferramenta para conseguir novos colaboradores, como uma propaganda de marketing social pode se desenvolver por meio de uma aliança de estratégia entre uma empresa e uma organização beneficente ou voluntária, com a área de interesse social definida ou por seu beneficio.

2.2.7 Associação de Classe

Entende-se que tais definições garantem um tipo de base daquilo que a associação deve desempenhar, garantir ou até mesmo controlar, para que se possa ter êxito na sua criação, porém este tipo de êxito não estão vinculadas em garantir normas, legislações ou estatutos, para que isso aconteça é preciso que as associações ajam de forma competente em suas atividades e em sua administração para que não enfrentaram. 48


Os associados ou o setor que os representa, segue outros deveres de uma associação de classe:

1.

O direito da associação é um direito natural, próprio do processo de

luta pela vida e transformação do meio em que vive o homem. É a expressão do trabalho, no qual se destina em mudar o mundo. 2.

O direito da associação é assegurado de acordo com os modelos

jurídicos, que estão conforme os modelos políticos adotados. A constituição geralmente é denominada pela classe que declara que é assegurada nos termos da Lei. 3.

São exigidas determinadas normas da organização e entidades, como:

nomes, sociedade anônima, banco e etc. 4.

Para que se constituam uma associação e para que ela venha a ter

êxito, é necessário que este elemento se forme por educação histórica e hábitos adquiridos. No Brasil os colonizadores portugueses proibiram a formação do espírito associativo, apenas permitindo associações líricas, ordens religiosas e etc. 5.

As

associações

reúnem

seus

membros

sob

denominações

convincentes e sem restrições, mas aquelas que tendem a se transformar em associações próprias da organização do trabalho, são regulamentadas totalmente. 6.

As associações de classe congregam seus associados para

reivindicações de acordo com as necessidades na experiência coletiva. Se a experiência de cada associado é pobre, as reivindicações nunca assumirão o grau necessário de luta em defesa do atendimento de necessidades. 7.

Quatro

elementos necessários

para

a

associação

de

classe:

convivência, experiência, ideologia e luta. 8.

Em 1964 o Estado se reforçou, os padrões enriqueceram por si ou em

grupos e os trabalhadores empobreceram como nunca jamais aconteceu. 9.

O futuro do associativismo em determinado ciclo vai chegar o grupo de

trabalhadores, perdendo assim a força e seus grupos econômicos, sendo o processo ou conteúdo histórico presente é de cooperação e liderança, ou seja, os estatuários de associação de classe, com ou sem objetivo de lucro. 10.

Falsas causas e efeitos serão atribuídos e as verdadeiras causarão

falsos efeitos, porque entre tais causas e efeitos estão os interesses de poder e de 49


capital, deformando assim a realidade. Assim como declarado pelos sociólogos, o regime em que vivemos é de plena alienação. 11. A de classe se adquire nos sindicatos, a de comunidade se adquire nos partidos, a de massa nas cooperativas e seus princípios seriam : um por todos e todos por um e que todo o membro de uma comunidade e responsável por todo bem estar.

2.2.8 A Praxis

Para entendermos melhor, Praxis é uma palavra de origem grega, com o significado de conduta ou ação, uma atividade correspondente a prática em oposição a teoria. A Praxis se classifica por uma atividade voluntária, orientada em um determinado fim ou resultado. A primeiras noções surgiram com Aristóteles, mas foi Karl Marx o responsável pelo aprofundamento. Praxis é um conceito básico da filosofia que remete para a transformação material da realidade, instrumentos que determinam a transformação da estrutura social, critica do idealismo e materialismo. A Praxis é gerada pelo desenvolvimento e de trabalho de defesa e luta de interesses, onde soma o modo de convivência com a experiência coletiva. Pela Praxissurge duas perspectivas que tem que ter na consciência e no esforço de cada associado: O estar que é a estabilidade, a segurança ou a ordem. E o tornar-se que é a transformação, mudança, desenvolvimento ou progresso. Gira em torno de três conjuntos globais de trabalho: A corte, o mercado e o grupo.

2.2.9 Organização da Associação

A associação tem como dever garantir que os interesses de seus associados estejam sempre em primeiro lugar. O diretor tem como mandato de três anos, e é eleita pelos próprios associados, que se revezam durante o poder da instituição. Além da organização política interna, a entidade também é composta por oito departamentos:

50


Assessoria de coordenação

Assessoria de imprensa

Relações internacionais

Tecnologia e Política

Informática

Administração e Finanças

Economia

Jurídico

Todos os trabalhos administrativos e de burocracia são realizados e administrados por funcionários de regime CLT, seguindo assim políticas da organização.

2.3 CONTRATOS

2.3.1 Contrato de Trabalho

A definição do contrato individual de trabalho é dada pela CLT, no art. 442, e é um acordo que pode ser feito de forma verbal ou tácito, escrito ou expresso e que trata das relações de emprego, entre empregado e empregador. Há, portanto, um vínculo empregatício, que é a relação entre ambas as partes, definida por meio de um contrato de trabalho que mostra a prestação dos serviços que serão oferecidos à empresa. Além disso, para a realização das atividades, o indivíduo precisará da Carteira de Trabalho, um dos principais documentos que constarão as atividades realizadas profissionalmente por um trabalhador. O contrato de trabalho virá acompanhado de originais ou cópias dos seguintes documentos do empregado: 

Documento de identificação;

Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS);

CPF (Cadastro de Pessoas Físicas, da Receita Federal do Brasil);

Título de eleitor (para os maiores de 18 anos);

51


Certificado de reservista ou alistamento militar (para os homens

maiores de 18 anos); 

Inscrição no PIS/PASEP (Programa de Integração Social/Programa de

Formação do Patrimônio do Servidor Público); 

Atestado de saúde ocupacional.

Além destes, a agência poderá exigir outros documentos, tais como cartas de recomendação, atestados de escolaridade e carteiras profissionais.

2.3.2 Função Ocupada Pelo Empregado

No contrato de trabalho, deve-se especificar tanto a função que será ocupada pelo trabalhador quanto as tarefas que serão por ele desempenhadas. Esta descrição evita eventuais discussões futuras sobre desvios de função - ou seja, a utilização não autorizada dos serviços do empregado em outros campos que não aquele inicialmente previsto.

2.3.3 Jornada de Trabalho

Conforme o Direito brasileiro, os trabalhadores não podem ser submetidos a jornadas de trabalho que ultrapassem 44 (quarenta e quatro) horas semanais e, igualmente, 8 (oito) horas diárias, salvo casos específicos. Para que seja considerado como trabalho a tempo parcial, por sua vez, a jornada não poderá contar mais de 25 (vinte e cinco) horas semanais.

2.3.4 Remuneração

Pelos

serviços

prestados

ao

empregador,

o

empregado

recebe,

normalmente, um salário, que se constitui em quantia fixa obtida periodicamente a título de contraprestação. O trabalhador poderá, entretanto, receber por meio de comissão, que pode ser considerado um salário por unidade de obra. Neste caso, 52


o empregado perceberá uma quantia proporcional ao seu desempenho no serviço prestado. Pode-se, ainda, combinar estes dois meios de recompensa, construindo um sistema misto em que o trabalhador é remunerado com um salário fixo e com as comissões, de acordo com sua performance no trabalho. Independente do meio escolhido de contraprestação, o valor percebido pelo empregado a tempo integral não poderá ser inferior a um salário mínimo. Em se tratando

de

empregado

a

tempo

parcial,

a

remuneração

será

definida

proporcionalmente, a partir do cálculo do salário mínimo em seu valor diário ou horário.

2.3.5 Prazo do Contrato

Quando as partes não definem uma data para que a relação de emprego termine, têm-se então um contrato de prazo indeterminado. Por outro lado, caso opte-se por indicar um período de validade para o contrato, este será a prazo determinado. Segundo

o

Direito

brasileiro,

os

contratos

de

trabalho

a prazo

determinado são válidos apenas em três situações: 1. Quando se tratar de contrato de experiência. 2. Quando a atividade prestada pelo empregador tem caráter temporário. 3. Quando a natureza ou a transitoriedade do serviço prestado pelo trabalhador justificar a determinação de prazo. Em se tratando de contrato de experiência, o prazo de sua duração não poderá ultrapassar 90 (noventa) dias. Para os outros contratos de prazo determinado, o tempo máximo de vigência será de 02 (dois) anos. Os instrumentos que estabeleçam prazos superiores a estes serão considerados automaticamente como contratos a prazo indeterminado. O presente modelo não é adaptado para contratos temporários que visam suprir a necessidade transitória de substituição de pessoal regular e permanente ou de acréscimo extraordinário de serviços, sob regulação da Lei Federal n. 6.019, de 3 de janeiro de 1974.

53


2.3.6 Cláusulas Especiais

Além das cláusulas comuns, que determinam os aspectos centrais da relação de emprego, pode-se incluir no contrato de trabalho algumas previsões específicas, que dizem respeito, principalmente, a obrigações impostas ao empregado. Durante o preenchimento deste modelo, será possível optar por incluir as principais destas cláusulas, tais como a de exclusividade, a de confidencialidade, a de não-concorrência, a de duração mínima do contrato, dentre outras. Para que tais cláusulas sejam aplicadas numa relação trabalhista é indispensável que estejam expressamente previstas no contrato de trabalho. Além disso, os tribunais têm entendido que elas apenas serão válidas se: 1. tiverem limitação temporal e territorial; 2. houver contraprestação financeira compatível com estes compromissos; 3. houver necessidade real para a fixação destas cláusulas.

2.3.7 O Direito Aplicável

As regras relativas aos contratos individuais de trabalho encontram-se previstas na Consolidação das Leis do Trabalho (Decreto-Lei n. 5.452, de 1º de maio de 1943).

2.4 CONTRATO DE ESTÁGIO

O vínculo empregatício vem, em primeiro lugar, as contratações de estagiários não são regidas pela CLT, desta forma, não incidem encargo social algum sobre estas contratações previstos em lei, o estagiário não entra na folha de pagamento.

2.4.1 Quem Pode Ser Estagiário?

54


Estudantes que estiverem frequentando o ensino regular, em instituições de educação superior, de educação profissional, de ensino médio, da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional da educação de jovens e adultos (art. 1º da Lei nº 11.788/2008).

2.4.2 Termo de Compromisso de Estágio (Contrato de Estágio)

Recomenda-se constar no Termo de Compromisso todas as cláusulas que nortearão o contrato de estágio, tais como: 

a) dados de identificação das partes, inclusive cargo e função do

supervisor do estágio da parte concedente e do orientador da instituição de ensino; 

b) as responsabilidades de cada uma das partes; Nova Cartilha

Esclarecedora sobre a Lei do Estágio Lei 11.788, de 25 de Setembro de 2008 28 9 Nova Cartilha Esclarecedora sobre a Lei do Estágio Lei 11.788, de 25 de Setembro de 2008 

c) objetivo do estágio;

d) definição da área do estágio;

e) plano de atividades com vigência; (parágrafo único do art. 7º da Lei

nº 11.788/2008); 

f) jornada de atividades do estagiário;

g) horário da realização das atividades de estágio;

h) definição do intervalo na jornada diária se for o caso;

i) vigência do Termo de Compromisso de Estágio;

j) motivos de rescisão;

l) concessão do recesso dentro do período de vigência do Termo de

Compromisso de Estágio; 

m) valor da bolsa, nos termos do art. 12 da Lei nº 11.788/2008;

n) valor do auxílio-transporte, nos termos do art. 12 da Lei nº

11.788/2008; 

o) concessão de benefícios, nos termos do § 1º do art. 12 da Lei nº

11.788/2008; 

p) número da apólice e a companhia de seguros. 55


2.4.3 Contrato de Estágio

A formalização das contratações de Estagiários é representada pelo Termo de Compromisso de Estágio, indiferentemente da presença ou não de um Agente de Integração. Fazendo o contrato direto com a Instituição de ensino, é necessário ter um Acordo de Cooperação. A Lei determina ainda que o Aluno, no período de vigência do Termo de Compromisso de Estágio, deve, obrigatoriamente, estar coberto por um Seguro de Acidentes Pessoais. Funções de estagiário As funções do estagiário devem estar de acordo com o curso que ele está cursando. Segundo a lei n° 11.788/2008: “O estágio faz parte do projeto pedagógico do curso, além de integrar o itinerário formativo do educando”. Período de estágio A duração do estágio, na mesma organização, não poderá exceder 2 (dois) anos, exceto quando se tratar de estagiário portador de deficiência.

2.4.4 Jornada de trabalho

A jornada de atividade em estágio não deve ultrapassar: a) 4 (quatro) horas diárias e 20 (vinte) horas semanais, no caso de estudantes de educação especial e dos anos finais do ensino fundamental na modalidade profissional de educação de jovens e adultos; b) 6 (seis) horas diárias e 30 (trinta) horas semanais, no caso de estudantes do ensino superior, da educação profissional de nível médio e do ensino médio regular; c) 40 (quarenta) horas semanais, no caso do estágio relativo a cursos que alternam teoria e prática, nos períodos em que não estão programadas aulas presenciais, desde que previsto no projeto pedagógico do curso e da instituição de ensino (incisos I, II e § 1º do art. 10 da Lei 11.788/2008).

56


2.4.5 Bolsa-Auxílio

No caso do estágio não obrigatório é compulsória a concessão de bolsa ou outra forma de contraprestação que venha a ser acordada no Termo de Compromisso do Estágio. Somente no caso de estágio obrigatório é que a concessão de bolsa ou outra forma de contraprestação é facultativa (art. 12 da Lei 11.788/2008).

2.4.6 Seguro de Acidentes Pessoais

A cobertura deve abranger acidentes pessoais ocorridos com o estudante durante o período de vigência do estágio. Cobre morte ou invalidez permanente, total ou parcial, provocadas por acidente. O valor da indenização deve constar do Certificado Individual de Seguro de Acidentes Pessoais e deve ser compatível com os valores de mercado.

2.4.7 Carteira de Trabalho

Não há obrigatoriedade para a expedição e anotação do estágio na CTPS, uma vez que estágio não é emprego, sendo definido em legislação própria. Todavia, fazendo a anotação esta não deve ser feita na parte referente ao contrato de trabalho. As anotações devem ser feitas na parte destinada às Anotações Gerais da CTPS, trazendo informações, tais como, curso frequentado, nome da instituição de ensino, da parte concedente e o início e término do estágio.

2.5 CONTRATO COMERCIAL 2.5.1 CLÁUSULA PRIMEIRA – OBJETO

1.1.

Constitui objeto deste contrato a prestação de serviços pela

CONTRATADA atinentes à comunicação da CONTRATANTE com seu público 57


cliente, em todas as demandas características de um projeto integrado de comunicação, compreendendo os seguintes serviços além de outros que constituam seu desdobramento natural ou que lhes sejam complementares:

(a) O estudo do conceito, ideia, marca, produto ou serviço a difundir, incluindo a identificação e a análise de suas vantagens e desvantagens absolutas e relativas aos seus públicos e, quando for o caso, ao seu mercado e à sua concorrência;

(b) A identificação e a análise dos públicos e/ou do mercado no qual o conceito, ideia, marca, produto ou serviço encontre melhor possibilidade de assimilação;

(c) A identificação e a análise das ideias, marcas, produtos e serviços concorrentes;

(d) O exame do sistema de distribuição e comercialização, incluindo a identificação e a análise das suas vantagens e desvantagens absolutas e relativas ao mercado e à concorrência;

(e) A elaboração do plano publicitário, incluindo a concepção das mensagens e peças (criação) destinadas a veiculação em mídia e o estudo dos meios e veículos que, segundo técnicas adequadas, assegurem a melhor cobertura dos públicos e/ou dos mercados objetivados (planejamento de mídia);

(f) A execução do plano publicitário, incluindo orçamentação e realização das peças publicitárias (produção) destinadas a veiculaçã o em mídia e a compra, distribuição e controle da publicidade nos veículos contratados (execução de mídia), e o pagamento das faturas.

58


2.5.2 CLÁUSULA SEGUNDA – PROJETO DE COMUNICAÇÃO

2.1. Será formado um grupo de trabalho tendo como integrantes a alta direção da CONTRATADA, diretores de áreas e toda a equipe operacional necessária para a implementação das ações de comunicação. A diretriz básica de toda ação estratégica e operacional competirá à CONTRATANTE.

2.2. O projeto de comunicação será composto pelas seguintes fases:

(a) Definição em conjunto, mediante as diretrizes estabelecidas pela CONTRATANTE, sobre o que se deseja fazer acontecer com o esforço de comunicação a ser realizado;

(b) Levantamento das informações necessárias ao desenvolvimento do planejamento estratégico;

(c) Montagem do contexto mercadológico e diagnóstico, definição da linha de comunicação, elaboração do plano de ações e peças de comunicação destinadas a veiculação em mídia;

(d) A CONTRATADA apoiará todos os trabalhos de planejamento de mídia por meio das pesquisas de mídia por ela adquiridas e o desenvolvimento de conceitos e posicionamentos de comunicação por estudos e pesquisas por ela realizados quando necessário;

(e) A CONTRATADA será responsável para com a CONTRATANTE por todos os aspectos de produção de propaganda da marca e dos produtos que lhe são confiados destinada a veiculação em mídia e do controle da divulgação dos materiais publicitários por ela criados e produzidos em todos os veículos de todas as mídias. Responderá inclusive pela contratação de terceiros, que se dará após a apresentação de 03 (três) orçamentos de fornecedores distintos, quando houver essa possibilidade.

59


(f)

Discussão

do

conjunto

do

trabalho

com

a

direção

da

CONTRATANTE e o estabelecimento do consenso, incluindo cronograma de tarefas e orçamento; e

2.3. Fica certo que, durante a montagem do projeto de comunicação de médio e longo prazo a CONTRATADA estará atendendo a CONTRATANTE nas suas necessidades de comunicação de curto prazo.

2.5.3

CLÁUSULA

TERCEIRA

REMUNERAÇÃO

E

CONDIÇÕES

DE

PAGAMENTO

3.1.

Pelos serviços objeto deste contrato e efetivamente realizados as

CONTRATADAS receberão remuneração conforme as disposições da Lei 4.680/65, do Decreto n. 57.690/66 e das Normas-Padrão, incorporadas ao sistema legal por força do Decreto n. 4.563/02, ou seja: a)

20% sobre o valor da mídia, a serem pagos pelos Veículos de

Comunicação; b)

15% sobre os honorários de produção externa, desenvolvidos

sobre as criações da agência; c)

10% sobre os honorários de produção externa, a qual apenas foi

negociada pela Agência, sem participação criativa; d)

Custos internos atenderá a Tabela de Custos Internos editada

pelo Sindicato das Agências de Propaganda da base territorial da Contratada; e)

Honorários sobre serviços especiais: a combinar.

(OU, ALTERNATIVAMENTE: 3.1 Os honorários da CONTRATADA, relativamente a custos internos e honorários de produção externa estão expressos no Anexo I desse contrato, consistente em “fee” (valor fixo mensal) em substituição à forma clássica de remuneração de agências de publicidade, nos expressos termos do item 3.10 das

Normas-Padrão

do

Relacionamento

Comercial

entre

Anunciantes,

Agências de Publicidade e Veículos de Comunicação, incorporadas ao sistema 60


legal por força do Decreto n. 4.563/02, sem prejuízo dos honorário s de veiculação que são pagos pelos Veículos de Comunicação)

3.2.

Como agência da CONTRATANTE a CONTRATADA terá sempre

a responsabilidade pela intermediação de compra e autorização de todos os espaços de mídia em todo e qualquer meio de comunicação, incluindo internet e mídia exterior, tendo a CONTRATADA a sua remuneração de acordo com o item 3.1 supra.

3.3.

Casos

excepcionais

em

que

a

CONTRATANTE

negocie

diretamente com o veículo de comunicação a compra de espaços de mídia deverão

ser

do

prévio

conhecimento

e

consentimento

por

parte

da

CONTRATADA e não representarão a perda do direito da CONTRATADA a autorização dos materiais por ela desenvolvidos para a CONTRATANTE, ainda menos da sua remuneração conforme estabelecido no item 3.1 supra.

3.3.1.

A disposição contida na cláusula 3.3 retro não terá

aplicação nos casos em que a CONTRATADA não seja as criadora das peças e

campanhas

a

serem

veiculadas,

sendo

que,

nessas

situações,

a

CONTRATANTE poderá, diretamente, negociar e contratar veiculação em revistas voltadas ao trade. Ou seja, nestas hipóteses de negociação, fica a CONTRATANTE plenamente liberada para realizar contratação direta, sendo certo ainda que não haverá qualquer remuneração á CONTRATADA.

3.4.

Qualquer serviço adicional, nãoprevisto neste contrato, deverá ser

previamente negociado entre as Partes, por escrito, antes de ser iniciado.

3.5. Serviços

extraordinários,

tais

como:

folhetos,

catálogos,

marketingdireto, sites, hot sites, programação visual, embalagens, materiais promocionais e de ponto de venda, pesquisas quantitativas e qualitativas, levantamento de mercados, deskresearch, análise de dados de mercado, análise de dados Nilsen e organização de eventos, feiras e exposições, poderão, desde que solicitados pela CONTRATANTE serem desenvolvidos sob a orientação e 61


supervisão da CONTRATADA, pormeio da contratação de terceiros especializados, sendo os respectivos custos para a sua realização cobrados à parte, mediante prévia aprovação da CONTRATANTE. Nesses casos a remuneração da CONTRATADA atenderá as disposições das Normas-Padrão supra referidas.

3.6. As faturas de veículos e fornecedores relativas a trabalhos realizados por intermédio da CONTRATADA serão pagas a esta 01 (um) dia antes de seu vencimento estabelecido por cada um dos veículos e/ou fornecedores,

de

maneira

que

possam

ter

sua

quitação

nos

prazos

estabelecidos pelos mesmos veículos e fornecedores.

3.7. Faturas

relativas

a

valores

de

cachês

de

personalidades,

celebridades, artistas, serão quitados no prazo de 10 (dez) dias da apresentação da nota fiscal.

3.8. Sempre que forem necessários cancelamentos ou interrupções de um ou mais serviços contratados, por determinação da CONTRATANTE, a CONTRATADA atuará no regime de melhores esforços no sentido de negociar com os fornecedores e veículos envolvidos de maneira a minimizar as possíveis consequências do não cumprimento no seu todo das obrigações contratuais assumidas pela CONTRATANTE.

3.9. Em se tratando de interrupção ou cancelamento de mídia, deverão ser respeitados os prazos e condições praticadas por cada meio de divulgação, sendo certo que a CONTRATADA envidará esforços visando minimizar as possíveis causas negativas nas eventuais hipóteses de mudança ou cancelamento de mídia.

2.5.4 CLÁUSULA QUARTA – PROTEÇÃO À IMAGEM

62


4.1. A CONTRATADA compromete-se a envidar todos os esforços no sentido de preservar a imagem da CONTRATANTE tomando os cuidados necessários em especial atenção às disposições expressas no Código de Defesa do Consumidor. Para tanto, somente tomará a iniciativa de veicular materiais em nome da CONTRATANTE com sua prévia e expressa autorização quanto ao teor e a forma da comunicação.

4.2. A CONTRATANTE, por sua vez se compromete a fornecer elementos comprováveis sobre o(s) produto(s) e/ou serviço(s) a fim de que as criações e produções publicitárias atendam os dispositivos do Código de Defesa

do

Consumidor

e

Código

Brasileiro

de

Auto-regulamentação

Publicitária.

2.5.5 CLÁUSULA QUINTA – CONFIDENCIALIDADE

5.1. Se durante a vigência deste contrato, qualquer uma das Partes vier a tomar conhecimento e/ou receber informações concernentes a segredo industrial e/ou comercial e ideias patenteáveis ou não, bem como quaisquer outras informações de natureza confidencial tituladas pela outra, a referida parte

obriga-se

por

si,

e/ou

quaisquer

outras

pessoas

sob

sua

responsabilidade, que vierem a ter acesso a tais informações, a mantê -las em absoluto sigilo, sendo-lhe vedado, durante a vigência deste contrato e nos 24 (vinte e quatro)meses imediatamente subsequentes, revelar essas infor mações a terceiros, em qualquer hipótese. As informações de natureza confidencial aqui objetivadas excluem, entretanto, aquelas que:

(a) Sejam ou se tornem de domínio público, não por culpa da parte a quem tenham sido reveladas;

(b) Sejam reveladas por um terceiro autorizado a fazê-lo; ou

63


(c) Coincidam com informações já detidas por qualquer das Partes anteriormente ao início das tratativas relacionadas ao presente contrato.

5.2. Se qualquer informação relevante de natureza confidencial chegar indevidamente ao conhecimento de terceiros, por ato culposo ou doloso de qualquer

das

Partes

e/ou

de

quaisquer

outras

pessoas

sob

sua

responsabilidade, tal ocorrência será considerada infração contratual da parte envolvida, com as consequências cabíveis.

5.3. A utilização autorizada, por determinada Parte, de informações de natureza confidencial a que tiver acesso em função deste contrato, detidas pela

outra

Parte

e/ou

por qualquer

outra

empresa

ligada

direta

ou

indiretamente à mesma, cessará ao mesmo tempo em que:

(i) For solicitada pela CONTRATANTE a descontinuidade da prestação de serviço (campanha, promoção, publicidade e/ou propaganda) vinculada à informação de natureza confidencial cuja utilização foi autorizada; ou (ii) ocorrer a rescisão ou término deste contrato.

5.4. Na hipótese de cessação de determinada prestação de serviço, por qualquer motivo, as Partes devolverão, imediatamente, a quem de direito, quaisquer documentos, fórmulas, processos, desenhos em papel ou arquivo eletrônico e demais especificações que estejam em seu poder para a prestação do serviço descontinuado.

2.5.6 CLÁUSULA SEXTA – DIREITOS AUTORAIS

6.1. A CONTRATADA é a titular dos direitos autorais patrimoniais sobre todos os trabalhos publicitários desenvolvidos pelos seus profissionais, concedendo àCONTRATANTE, neste ato e por este instrumento, a utilização de todas aqueles durante a vigência do presente contrato e/ou de suas renovações, aplicando-se as

64


disposições da Lei 4.680/65, bem como do Decreto n. 57.690/66 e a Lei 9.610/98 (Lei de Direitos Autorais).

6.2. A CONTRATADA deverá assegurar que as obras publicitárias por ela criadas através de seus departamentos, possam ser usadas pela CONTRATANTE, a qualquer instante durante a vigência deste contrato, nos limites estabelecidos nos contratos firmados com outros titulares de direitos, tais como Produtoras Cinematográficas, Produtoras de Som, Fotógrafos, Atores e outros.

6.3. No caso de pretender a CONTRATANTE reutilizar os materiais criados pela CONTRATADA, após o encerramento desse contrato, além dos direitos da CONTRATADA, também os direitos de terceiros, fornecedores de produtos e/ou serviços auxiliares (produtores cinematográficos, de som, fotógrafos, ilustradores, artistas e modelos, etc) deverão ser negociados diretamente entre estes e a CONTRATANTE pela concessão de uso de suas criações e/ou imagens, som de voz, nome, etc., pelo prazo, território e finalidades determinadas em contrato específico.

2.5.7 CLÁUSULA SÉTIMA – FORNECEDORES SUBSIDIÁRIOS DA AGÊNCIA

7.1. Na eventualidade de quaisquer serviços que vierem a ser desempenhados ou de materiais que vierem a ser vendidos por fornecedor no qual a CONTRATADA, sócios, empregados ou prepostos, tenham interesses financeiros, inclusive de participações societárias, a CONTRATADA deverá revelar à CONTRATANTE este vínculo e obter aprovação antecipada da CONTRATANTE

para

contratar

serviços

ou

comprar

materiais

de

tal

fornecedor.

2.5.8 CLÁUSULA OITAVA – TRIBUTOS

65


8.1. Os tributos (impostos, taxas, emolumentos, contribuições fiscais e para fiscais) que sejam devidos em decorrência, direta ou indireta, deste contrato e de sua execução serão de exclusiva responsabilidade do contribuinte, assim definido na forma tributária, sem direito a reembolso. A CONTRATANTE, quando na fonte retentora, descontará e recolherá, nos prazos da Lei, os tributos a que esteja obrigada pela legislação vigente.

8.2. A CONTRATADA será a única obrigada ao pagamento do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN)incidentes sobre trabalhos por ela realizados, devido em razão da execução deste contrato, assumindo integralmente tal encargo.

2.5.9 CLÁUSULA NONA – AUDITORIA

9.1. Fica facultado à CONTRATANTE a qualquer momento, se assim desejar, auditar por intermédio de profissional habilitado, o controle de suas contas junto à CONTRATADA.

2.5.10 CLÁUSULA DÉCIMA– PRAZO E RESCISÃO

10.1 Este contrato é firmado por prazo indeterminado, com vigência a partir de ..................... e poderá ser rescindido mediante denúncia por escrito de uma das Partes à outra com o prazo mínimo de 60 (sessenta) dias.

10.2 Poderá ainda dar-se por rescindido este contrato nos seguintes casos: 10.3 10.4 (a) Por inadimplemento ou infração contratual, caso a Parte inadimplente ou infratora, após ter sido cientificada, não tome no prazo de07 (sete) dias contados da data da ciência, as medidas pertinentes para voltar à

66


situação de adimplência e cumpridora das cláusulas contratuais avençadas na forma deste instrumento; 10.5 (b) Se houver pedido de concordata, requerimento ou decretação de falência, insolvência civil ou medidas judiciais que impossibilitem ou afetem substancialmente a continuidade operacional deste contrato; e

(c) Se ocorrer a cessão, transferência a qualquer título, dos direitos e obrigações assumidos neste contrato, pela CONTRATADA, sem a expressa anuência prévia e por escrito da CONTRATANTE.

10.6 Em caso de cisão, incorporação, fusão ou mudança do controle societáriodas CONTRATADA caberá à CONTRATANTE decidir quanto à continuidade desta relação contratual, podendo considerá -la rescindida sem que haja a necessidade da denúncia prevista no item 10.1.

2.5.11 CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA - DA RESPONSABILIDADE JUDICIAL.

11.1 Se os empregados da CONTRATADA propuserem contra a CONTRATANTE reclamação trabalhista, desde já a CONTRATADA se obriga a requerer em juízo a exclusão da CONTRATANTE do feito, assumindo todos os ônus decorrentes desses eventuais processos, inclusive o pagamento integral de toda e qualquer parcela, custas judiciais, extrajudiciais e honorários advocatícios que, porventura, sejam exigidos da CONTRATANTE, tão logo esta lhe exigir o valor pleiteado em juízo pelos reclamantes ou autores, além dos acréscimos legais.

11.2. Aplicam-se ao presente contrato, naquilo que couber, as disposições da Lei 4680/65, dos Decretos nº 57.690/66, com as alterações introduzidas pelo 4563/02, da Lei 9.610/98 (Lei de Direitos Autorais) , as Normas Padrão da Atividade Publicitária e do Código de Ética dos Profissionais de Propaganda.

67


2.5.12 CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA – CESSÃO

12.1. É vedado à CONTRATADA ceder ou transferir os direitos e obrigações deste contrato, salvo consentimento prévio, e por escrito da CONTRATANTE.

2.5.13 CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA – TOLERÂNCIA

13.1. A tolerância de qualquer das contratantes quanto a qualquer violação a dispositivos deste contrato será sempre entendida como mera liberalidade, não constituindo novação, não gerando, portanto, qualquer direito oponível pelas Partes nem a perda da prerrogativa em exigir, de lado a lado, o pleno cumprimento das obrigações contratuais avençadas e a reparação de qualquer dano.

2.6 MARCAS

Desde os tempos antigos, nas primeiras civilizações, artistas, como escultores e pintores, assinavam seus trabalhos com características próprias como forma de diferenciá-las dos demais. Artesões e tecelões daquele tempo, tinham como hábito padronizar e suas mercadorias, identificando-as através de selos, siglas e símbolos. Era necessário para apontar a origem do produto, sua procedência agrícola ou manufaturada e sua qualidade. Na atualidade, as marcas se associam a produtos e empresas. Para o marketing é mais amplo, a marca se aplica a produtos, pessoas, serviços, empresas e criações. Basicamente, ela serve como rótulo para o consumidor. Seu verdadeiro valor, encontra-se na quantidade de informações que transmite, especialmente a ideologia do produto. A marca é a principal forma de comunicação entre consumidor e produto, muitas vezes, só de olhar já sabemos se um produto é caro, pra quem foi feito, e o que oferece. Pode evoluir ao longo do tempo, mudando conceitos e 68


valores. No marketing, é o Branding que cuida da criação de valores para as marcas. O registro de uma marca, permite que seu titular detenha exclusividade em território nacional, sobre ela, impedindo que terceiros utilizem, sinal igual ou semelhante sem seu consentimento, em produtos ou serviços idênticos ou semelhantes, ou seja, uma mesma marca pode ser registrada para diferentes setores de atividade, permitindo que um restaurante e um eletrodoméstico tenham o mesmo nome. Esse registro é concedido pelo órgão governamental INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), tendo validade de 10 anos, podendo ser renovado. O primeiro passo é realizar uma consulta, descobrindo se já existe alguma marca com nome ou desenho igual a que se pretende te registrar. É dada prioridade para registro a empresa que solicitou primeiro, mesmo que o processo ainda não tenha sido concluído. Antes de dar entrada no processo, deve-se saber quais são os tipos: - Marca de produto: distingue produtos de outros idênticos, semelhantes ou afins. - Marca de serviço: distingue serviço de outros idênticos, semelhantes ou afins. - Marca Coletiva: identificar produtos ou serviços provenientes de membros de um determinado grupo ou entidade. - Marca de Certificação: de acordo com art. 123, inciso II, da LIP, usada para atestar a conformidade de um produto ou serviço, com determinadas normas, padrões ou especificações técnicas, notadamente quanto à qualidade, natureza, material utilizado e metodologia empregada. E os tipos de apresentação de marca e em qual se encaixa: - Nominativa ou verbal: sinal constituído por uma ou mais palavras, no sentido amplo do alfabeto romano, entendendo os neologismos e as combinações de letras, romanos e arábicos, desde que não sejam apresentados sob forma figurativa ou fantasiosa. - Figurativa: constituído por imagem, desenho, figura, ou símbolo.

69


- Mista ou composta: combinação de elementos nominativos e figurativos, nessa categoria encontramos também elementos nominativos, cuja grafia se apresente sob forma fantasiosa ou estilizada. - Tridimensional: composta pela forma do produto ou de um formato específico de embalagem. Paga-se o valor da GRU – Guia de Recolhimento da União e entrega-se os documentos necessários para iniciar o processo, que é composto por diversas etapas, podendo ter duração de até 2 anos. O pedido é levado a público e técnicos, para deferimento ou indeferimento da solicitação. Se indeferido, pode-se apresentar recursos em um prazo de 60 dias, que será reavaliado pelo INPI.

2.7 PATENTES

O termo patente é usado para identificar um título de propriedade sobre uma invenção ou modelo de utilidade. A invenção é patenteada e a marca registrada. É um documento formal, por meio do qual se concede e reconhece direitos de propriedade e uso exclusivo para uma invenção detalhada profundamente. O pedido de concessão de patente deve ser feito também no INPI, vinculado ao

Ministério

do

Desenvolvimento,

Indústria

e

Comércio

Exterior.

Para que haja uma patente, é necessário que atender os seguintes requisitos: - Novidade: não pode ter sido revelada ao público, por nenhum meio de comunicação, fala, escrita, por apresentação, uso ou meios de comercialização. - Atividade inventiva: apresenta resultado acima da combinação de características conhecidas e de conhecimentos usuais para um tipo de especialista do assunto. - Aplicação industrial: pode ser produzida ou usada em qualquer tipo de indústria, dotada de repetitividade. Não é considerado patenteável: - O que for contrário à moral, aos bons costumes, a segurança, saúde pública e a ordem. - Que atendam os três requisitos de patenteamento, e que não sejam mera descoberta. 70


- Matérias, substâncias, elementos, misturas ou produtos de qualquer espécie, modificações de suas propriedades físico-químicas e os respectivos processos de obtenção ou modificação, quando resultam mudanças do núcleo atômico. No Brasil, não é possível patentear algo que já exista em outro país se você não for o titular daquela patente ou ter autorização por ele. Depois de patenteada, a invenção é exclusiva por um determinado tempo. A patente de invenção tem duração de 20 anos e de utilidade durando 15 anos. Esse limite ocorre como forma de incentivo aos inventores a estarem sempre criando e aperfeiçoando suas pesquisas. Ter uma patente funciona da mesma forma que registrar uma marca. É necessário fazer uma pesquisa, uma verificação de que não é protegida por terceiros. O processo só é iniciado após o pagamento da GRU e tem-se valor variado de acordo com o tipo de patente. Deve ser apresentado um relatório descritivo, quadro reivindicatório, listagem de sequências e resumo, os formulários necessários e comprovante de pagamento da GRU. Depois de protocolado, é acompanhado o pedido, tendo possibilidade de outras requisições durante o processo.

2.8 DESENHO INDUSTRIAL

Ao pensamentos em desenho industrial, pensamentos em aspectos de um objeto. Caso este objeto já tenha sido criado, como um brinquedo por exemplo, você pode pedir este registro, com tanto que o mesmo não se aplique a função de um objeto, nem a de uma marca. Para que este desenho seja solicitado, é necessário que leia a legislação relacionada aos desenhos industriais e apresentar uma GRU paga, um formulário de depósito, figuras e se for o caso, pedidos de relatórios, variantes e reivindicações. Após solicitado, é necessário que conforma os valores das taxas, seja pessoa física, microempresas, entre outras, todas tem direito a desconto. É necessário que emita e pague a guia, guarde-a para iniciar o processo.

71


O pedido é feito via sistema online e o processo passará por diversas etapas, no qual poderá exigir o envio de novos documentos. Para não perder os prazos, consulte as seguintes revistas: 

Revista da Propriedade Industrial, na qual é publicada as terças-

Acessar a busca, na qual pode acessar os ''meus pedidos'' e o

feiras

sistema informará caso haja alguma movimentação. Ao longo do processo, caso haja dúvidas, pode entrar em contato pelo sistema Fale Conosco do INPI ou pelos telefones disponíveis. O site do INPI é prático e de fácil acesso, sendo possível fazer buscas utilizando a palavra-chave na qual deseja verificar, número do processo ou nome do depositante. Após dar entrada no pedido, é necessário que pague uma taxa no quinto ano a partir do pedido, esta taxa deve ser paga de cinco em cinco anos. O desenho industrial é valido por 10 anos, podendo ser prorrogado.

2.9 TRIBUTOS

O tributo é uma obrigação de pagar, criada por lei, impondo aos indivíduos o dever de entregar parte de suas rendas e patrimônio para a manutenção e desenvolvimento do Estado, afinal vivemos em sociedade e o Estado deve representá-la se fazendo presente nas áreas de interesse desta, sobretudo saúde, educação, segurança, política econômica, entre outras. Na prática, todavia, não é bem assim ou como disse John Garland Pollard “O imposto é a arte de pelar o ganso fazendo-o gritar o menos possível e obtendo a maior quantidade de penas.” O tributo deve ser pago em dinheiro, não sendo possível que a dívida seja liquidada com outros bens, tais como móveis, veículos, sacos de cereais, etc. Havendo autorização legal, todavia, é possível o pagamento de tributo com imóveis. Nesse sentido temos o artigo 3º do Código Tributário Nacional (CTN) dispondo o assunto nos seguintes termos: 72


Tributo é toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada. Em termos gerais classificam-se cinco espécies de tributos: impostos, taxas, contribuições de melhoria, empréstimos compulsórios e contribuições para-fiscais, as quais se identificam como segue: Impostos: É a imposição de um encargo financeiro ou outro tributo sobre o contribuinte a partir da ocorrência de um fato gerador e que é calculado aplicando-se uma alíquota a uma base de cálculo. O não pagamento do imposto resulta em sanções civis e penais impostas à entidade ou indivíduo não pagador sob a forma de leis. O imposto é a viga mestra da arrecadação tributária. O imposto corresponde à captação de riqueza para o Tesouro Público. Taxas: É a exigência financeira a pessoa privada ou jurídica para usar certos serviços fundamentais, ou pelo exercício do poder de política, imposta pelo governo ou alguma organização política ou governamental. Contribuições de Melhoria: as contribuições de melhoria se originam da realização de obra pública que implique valorização de imóvel do contribuinte. Por exemplo: benfeitorias no entorno do imóvel residencial. Empréstimos compulsórios: têm por finalidade buscar receitas para o Estado afim de promover o financiamento de despesas extraordinárias ou urgentes, quando o interesse nacional esteja presente e; Contribuições Para-fiscais: são tributos instituídos para promover o financiamento de atividades públicas. São, portanto, tributos finalísticos, ou seja, a sua essência pode ser encontrada no destino dado, pela lei, ao que foi arrecadado.

2.8.1 TRIBUTOS FEDERAIS

2.8.1.1 Imposto Sobre a Renda e Proventos de Qualquer Natureza (IR)

O imposto de renda é cobrado pela modalidade de homologação: o contribuinte prepara uma declaração anual quanto deve do imposto, sendo que

73


esses valores deverão ser homologados. É um imposto federal, ou seja, somente a União tem competência para instituí-lo. O contribuinte do imposto pode ser pessoa física (IRPF) ou pessoa jurídica (IRPJ).

2.8.1.2 Programa de integração social (PIS)

É uma contribuição tributária de caráter social, que tem como objetivo financiar o pagamento do seguro-desemprego, abono e participação na receita dos órgãos e entidades, tanto para os trabalhadores de empresas públicas, como privadas. O PIS foi instituído através da Lei Complementar nº 7/1970 que era destinado aos trabalhadores de empresas privadas que eram administrados pela Consolidação das Leis do Trabalho. O PIS é administrado pelo Ministério da Fazenda e pago pela Caixa Econômica Federal. O PIS tem muitas semelhanças com o COFINS, sendo que uma delas é que existem dois regimes: um cumulativo e um não cumulativo. No regime cumulativo as alíquotas são de 0,65%, enquanto no não cumulativo são de 1,65%. O PIS também está relacionado com o o PASEP (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público) e muitas vezes as siglas aparecem em conjunto: PIS/PASEP. Em algumas situações, pessoas inscritas no PIS recebem um abono salarial, que equivale a um salário mínimo vigente. Para receber, além de estar cadastrado, é preciso cumprir alguns outros requisitos.

2.8.1.3 Contribuição Para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS)

É uma contribuição social aplicada sobre o valor bruto apresentado por uma empresa. Como o próprio nome indica, a COFINS tem como o objetivo financiar a Seguridade Social, ou seja, áreas fundamentais como a Previdência Social, Assistência Social e Saúde Pública.

74


Existem dois regimes de COFINS: o regime cumulativo e o regime não cumulativo. Quando a taxa não é cobrada de forma cumulativa, ela não é cobrada todos os meses. No entanto, em empresas que adotam o sistema de lucro presumido, a COFINS está no regime cumulativo. A não cumulatividade da cobrança desta contribuição surgiu com a lei 10.833 de 2003, que indica que as empresas que escolhem o sistema de lucro real devem descontar a contribuição da sua receita bruta. A COFINS é um tributo federal, cujos contribuintes são pessoas jurídicas de direito privado na sua generalidade, incluindo pessoas equiparadas com elas de acordo com a lei do Imposto de Renda. Existe a exceção das empresas pequenas e microempresas, que optam pelo regime Simples Nacional (regime estabelecido pela Lei Complementar 123 de 2006). O cálculo da COFINS é feito de acordo com todas as receitas da pessoa jurídica em questão, independentemente do tipo de atividade exercida ou a classificação atribuída às receitas de contabilidade. O cálculo tem como fundamento o faturamento mensal e a totalidade das receitas.

2.8.1.4 Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)

É um órgão do Ministério da Previdência Social, ligado diretamente ao Governo. O INSS foi criado em 1988, e tem diversas funções, em especial as contribuições de aposentadoria dos cidadãos. O INSS é o órgão responsável por receber as contribuições dos indivíduos, e tem como função fazer os pagamentos de aposentadorias, auxílio-doença, pensão por morte, auxílio-acidente, e outros vários benefícios previsto por lei. Cada estado brasileiro tem a capacidade de instituir suas próprias regras, em relação à previdência social, criando contribuições específicas para cada um. A previdência social é um seguro que as pessoas contribuem durante o período trabalhado, e é o INSS que repassa a renda a pessoas que não tem outras fontes de renda no momento, independente do motivo.

75


Os funcionários tem o valor do INSS descontados diretamente na sua folha de pagamento, e os valores a serem descontados vão depender do salário de cada um, e podem variar de 8% a 11%, quanto maior o salário, maior é o desconto.

2.8.1.5 Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL)

É uma contribuição criada pela Lei 7.689/1988 para que todas as Pessoas Jurídicas (PJ) e as equiparadas pela legislação do Imposto de Renda (IR) possam apoiar financeiramente a Seguridade Social. A Seguridade Social compõe-se de recursos provenientes dos poderes públicos federais, estaduais, municipais e de contribuições sociais das PJ, visando proteger os cidadãos no que se refere aos seus direitos com saúde, aposentadoria e situações de desemprego. A base de cálculo da CSLL é o lucro líquido do período de apuração antes da Provisão do Imposto de Renda. Tanto a base de cálculo como as alíquotas estão previstas no artigo nº 57 da Lei 8981/1995. As PJ que optarem pelo apuramento do IR por lucro real, presumido, arbitrado ou por estimativa, deverão ter igual procedimento com a CSLL, ou seja, não podem, por exemplo, optar pelo IRPJ por estimativa e pela CSLL por lucro real. O pagamento da CSLL é feito pela PJ mediante a utilização do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) nas agências bancárias que integram a Receita Federal.

2.8.1.6 Imposto Sobre Operações Relativas á Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal (ICMS)

O ICMS está presente na Constituição Federal de 1988, e somente os governos dos estados podem instituí-lo ou alterá-lo. O objetivo do ICMS é apenas fiscal, e o principal fato gerador é a circulação de mercadoria, até mesmo as que iniciam no exterior. O ICMS incide sobre diversos tipos de serviços, como telecomunicação, transporte intermunicipal e interestadual, importação e prestação de serviços, e etc. 76


Todas as etapas de circulação de mercadorias e em toda prestação de serviço estão sujeitas ao ICMS, devendo haver emissão da nota fiscal. Em alguns estados, o ICMS é a maior fonte de recursos financeiros. O imposto não incide sobre qualquer operação com livros, jornais, operações que destinem ao exterior mercadorias, operações relativas a energia elétrica e petróleo, operações com ouro, operações de arrendamento mercantil, e etc.

2.8.1.7 Apuração de Lucro

As agências de publicidade e propaganda não podem optar pelo simples sistema nacional de arrecadação e contribuições que as microempresas ou empresas de pequeno porte se utilizam, por tratar de agenciar serviços de publicidade, e também as suas veiculações por quaisquer meios. Deve se então optar por um dos seguintes regimes de tributação:

2.8.1.8 Lucro Real Anual

No Lucro Real Anuala empresa deve antecipar os tributos mensalmente, com base no faturamento mensal, sobre o qual aplicam-se percentuais predeterminados, de acordo com o enquadramento das atividades, para obter uma margem de lucro estimada (estimativa), sobre a qual recai o IRPJ e a CSLL, de forma semelhante ao Lucro Presumido.

Nesta opção, há, ainda, a possibilidade de levantar balanços ou balancetes mensais, reduzindo ou suspendendo-se o recolhimento do IRPJ e da CSLL, caso demonstre-se que o lucro real efetivo é menor do que aquele estimado ou que a pessoa jurídica está operando com prejuízo fiscal.

77


No final do ano, a pessoa jurídica levanta o balanço anual e apura o lucro real do exercício, calculando em definitivo o IRPJ e a CSLL e descontando as antecipações realizadas mensalmente.

Eventualmente, as antecipações podem ser superiores aos tributos devidos, ocasionando um crédito em favor do contribuinte. Então, a desvantagem é antecipar o pagamento dos tributos, tirando recursos no fluxo de caixa empresarial.

2.8.1.9 Lucro Real Trimestral

No Lucro Real trimestral, o IRPJ e a CSLL são calculados com base no resultado apurado no final de cada trimestre civil, de forma isolada. Portanto, nesta modalidade, teremos durante o ano 4 (quatro) apurações definitivas, não havendo antecipações mensais como ocorre na opção de ajuste anual. Esta modalidade deve ser vista com cautela, principalmente em atividades sazonais ou que alternem lucros e prejuízos no decorrer do ano. Nesta modalidade, os lucros e prejuízos são apurados trimestralmente, de forma isolada. O prejuízo fiscal de um trimestre só poderá deduzir até o limite de 30% do lucro real dos trimestres seguintes. Essa pode ser uma boa opção para empresas com lucros lineares. Mas para as empresas com picos de faturamento, durante o exercício, a opção pelo Lucro Real anual pode ser mais vantajosa porque poderá suspender ou reduzir o pagamento do IRPJ e da CSLL, quando os balancetes apontarem lucro real menor que o estimado ou até mesmo prejuízos fiscais.

2.8.1.10 Lucro Presumido

O IRPJ e a CSLL pelo Lucro Presumido são apurados trimestralmente. A alíquota de cada tributo (15% ou 25% de IRPJ e 9% da CSLL) incide sobre as receitas com base em percentual de presunção variável (1,6% a 32% do faturamento, dependendo da atividade). 78


Este percentual deriva da presunção de uma margem de lucro para cada atividade (daí a expressão Lucro Presumido) e é predeterminado pela legislação tributária. Há alguns tipos de receita que são acrescidas integralmente ao resultado tributável, como os ganhos de capital e as receitas de aplicações financeiras. Destaque-se, no entanto, que nem todas empresas podem optar pelo lucro presumido, pois há restrições relativas ao objeto social e o faturamento. Esta modalidade de tributação pode ser vantajosa para empresas com margens de lucratividade superior a presumida, podendo, inclusive, servir como instrumento de planejamento tributário. Empresas que possuam boa margem de lucro podem, respeitados eventuais impedimentos, utilizar-se do Lucro Presumido. Outra análise a ser feita é que as empresas tributadas pelo Lucro Presumido não podem aproveitar os créditos do PIS e da COFINS, por estarem fora do sistema não cumulativo, no entanto recolhem com alíquotas mais baixas. Portanto, a análise do regime deve ser realizada considerando a repercussão no IRPJ, na CSLL, no PIS e na COFINS.

2.8.1.11 Base de Cálculo

A base de cálculo do imposto é o preço normal que o produto, ou seu similar, alcançaria, ao tempo da exportação, em uma venda em condições de livre concorrência no mercado internacional, observadas as normas expedidas pelo Poder Executivo, mediante ato do Conselho Monetário Nacional. O preço à vista do produto, FOB ou posto na fronteira, é indicativo do preço normal. Quando o preço do produto for de difícil apuração ou for susceptível de oscilações bruscas no mercado internacional, o Poder Executivo, mediante ato do Conselho Monetário Nacional, fixará critérios específicos ou estabelecerá pauta de valor mínimo, para apuração de base de cálculo. Para efeito de determinação da base de cálculo do imposto, o preço de venda das mercadorias exportadas não poderá ser inferior ao seu custo de aquisição ou produção, acrescido dos impostos e das contribuições incidentes e de 79


margem de lucro de quinze por cento sobre a soma dos custos, mais impostos e contribuições. A lei pode adotar como base de cálculo a parcela do valor ou do preço excedente de valor básico, fixado de acordo com os critérios e dentro dos limites por ela estabelecidos.

2.8.1.12 Fato Gerador

O fato gerador do tributo é a ocorrência, em si, que traz à tona a exigência do respectivo ônus para o contribuinte. A lei descreve situações que, ao ocorrerem na vida real, fazem com que se fixe o momento do nascimento da obrigação tributária. Essa definição, contida na lei, das hipóteses em que o tributo incide ou em que o tributo deva ser cobrado, que denominamos de fato gerador da obrigação tributária. O fato gerador é, assim, a situação de fato, prevista na lei de forma prévia, genérica e abstrata, que, ao ocorrer na vida real, faz com que, pela materialização do direito ocorra o nascimento da obrigação tributária, seja esta principal ou acessória. Em direito tributário, alíquota é o percentual ou valor fixo que será aplicado sobre a base de cálculo para o cálculo do valor de um tributo. A alíquota será um percentual quando a base de cálculo for um valor econômico, e será um valor quando a base de cálculo for uma unidade não monetária.

2.8.1.13 Alíquota

As alíquotas em percentual são mais comuns em impostos e as alíquotas em valor ocorrem mais em tributos como empréstimo compulsório, taxas e contribuição de melhoria. A Alíquota é um dos elementos da matriz tributária de um tributo. Assim, há a exigência de que seu valor ou percentual seja estabelecido em lei.

80


2.8.2.14 Competência

Competência tributária é o poder de criar tributos, sendo esse poder conferido pela Constituição Federal à União, aos Estados-membros, ao Distrito Federal e aos Municípios. O legislador constitucional determinou quais tributos cada ente político pode criar, bem como limitou esse poder de criação, impondo limites. Competência tributária. Titulares. Entes Políticos. A competência tributária é a parcela de poder conferida pela Constituição a cada ente político (União, Estados, Distrito Federal e Municípios) para instituição de tributos. Apenas os entes políticos, pois, são titulares de competência tributária.

2.8.2.15 Principais Tributos de Uma Agência de Publicidade

Além de todos os tributos citados anteriormente (IRPJ, CSLL, IPI, ICMS, PIS, COFINS e INSS). É necessário acrescentar também o ISS (Imposto Sobre Serviços) O ISS é o Imposto Sobre Serviços e veio substituir o antigo ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza). Ele é um tributo de competência dos municípios e Distrito Federal e incide sobre a prestação de serviços. É regido, a partir de 01 de agosto de 2003, pela Lei complementar 116/2003. Tem como fato gerador a relação de serviços contida na Lei n.º11.438/1997. O ISS é pago pelas empresas prestadoras de serviços e profissionais autônomos. Aqueles que se encaixam no primeiro caso deverão recolher o ISS, além dos demais impostos – como IR, PIS, COFINS, contribuição social ou, substituídos pelo Simples Nacional, caso optante. As empresas pagam uma alíquota de 5% sobre o valor da nota fiscal, excetuando decretos municipais que incentivam serviços como o de informática que, em algumas cidades, chega a 2% (alíquota mínima – Emenda Constitucional nº 37 de 12 de junho de 2002). O profissional com curso superior, como advogados, médicos, arquitetos, administradores, entre outros que trabalhem sem vínculo empregatício, devem contribuir com o ISS. Nesse caso, eles devem pagar a contribuição anual, conforme a tabela proveniente dos serviços. Na situação em que o profissional não esteja 81


inscrito na prefeitura como autônomo, a contratante deverá pagar os tributos devidos, efetuando o pagamento do valor subtraído dos impostos correspondentes (valor líquido).

Investimento Inicial Vlr Unit

Qtde.

Vlr Total

Cadeiras

R$ 270,00

9

R$2.430,00

Mesa reunião

R$ 1.221,91 1

R$1.221,91

Mesa

R$ 187,00

9

R$1.683,00

Cadeira reuniao

R$ 270,00

14

R$3.780,00

Conjunto de Sofás

R$ 1.999,90 1

R$1.999,90

iMAC

R$ 6.599,99 10

R$65.999,90

Armário

R$ 267,89

9

R$2.411,01

Impressora

R$ 522,41

9

R$4.701,69

Telefone

R$ 37,90

9

R$341,10

Ar condicionado

R$ 699,00

2

R$1.398,00

Cafeteira

R$ 290,00

2

R$580,00

Alarme

R$ 495,00

1

R$495,00

TV

R$ 3.039,05 2

R$6.078,10

Microondas

R$ 664,91

R$664,91

Geladeira

R$ 2.099,00 1

R$2.099,00

Papelaria

R$ 1.200,00 1

R$1.200,00

Lixeira

R$

49,90

4

R$199,60

Material de Limpeza

R$

300,00 1

R$300,00

Material de Copa

R$

300,00 1

R$300,00

Campanha Lançamento

de

1

R$ 20.000,00

1

R$20.000,00

1

R$899,90

Impressora Laser

R$ 899,90

PABX

R$ 1.770,36 1

R$1.770,36 82


Total

R$120.553,38 TABELA 3: INVESTIMENTO INICIAL

2.10 Mix de Marketing (4P‟s) O meio publicitário tem exigido cada vez que empreendedores busquem conhecimento em diferentes áreas para ingressar no mercado e atingir determinado público-alvo, com esse pensamento, surgiu o Mix de Marketing, conhecido também como os 4P‟s, os pilares da publicidade, sendo eles produto, preço, praça e promoção. Quando os quatro encontram-se em equilíbrio, estabelece-se e mantémse a marca no mercado, conquistando e influenciando o público, mesmo diante das dificuldades. Uma empresa precisa fornecer algo, seja um produto ou serviço. Definir o que está sendo oferecido e porquê, sua necessidade no mercado e questionar aspectos como: características, funções, como e quando usá-lo, qual seu diferencial, suas variáveis (cores, tamanhos, estilos). O preço é o valor cobrado pela solução oferecida. É por ele que será indicado o futuro da empresa, o retorno para que a marca continue existindo, já que é a partir da circulação de dinheiro que é possibilitado pagar funcionários, fornecedores, investir e retirar lucro. Praça em inglês é Placement, que em tradução livre é entendido como colocação no mercado. É o elemento responsável por fazer com que o cliente chegue até o produto ou serviço. Podem passar por diversos meios para que chegue até o cliente, como transportadores, armazenadores e revendedores. Locais onde o público procura seu produto, pontos de venda, e-commerce, catálogo, redes sociais. Definem onde sua empresa estará mais acessível ao cliente. A promoção como elemento dos 4P‟s, tem como objetivo promover a marca numa estratégia de vendas, fazendo com que o público-alvo saiba do seu produto. Quando e onde passar as mensagens de marketing para atingir os clientes certos, quais os melhores meios de comunicação para se utilizar, estudar a concorrência para saber a influência que podem ter sobre sua promoção. 83


FIGURA 1: MIX DE MARKETING Apresentados os 4P‟s do Mix, identificaremos a estratégia de marketing do produto em questão, a agência U Trend, Sendo uma empresa de pequeno porte, com curto período de vida, selecionamos cores como o preto, branco e amarelo. A cor preta representando poder, elegância, formalidade e mistério, em contraste o branco simbolizando perfeição, segurança e por fim o amarelo, associado a alegria, inteligência e energia que uma agência deve transmitir. Além dos valores, com o objetivo de fixar a identidade da marca, temos: 

Ética

Qualidade

Originalidade

Sustentabilidade

Inovação

Nossa visão, missão e valores são levados a sério, para que seja perceptível para o cliente o quão importa para nós, e assim, conquistarmos sua confiança e fidelidade, tornando-o uma tendência. 84


A

U Trend optou por iniciar seus serviços com um diferencial no valor,

deixando-o abaixo da média de outras agências, como forma de conquistar novos clientes, e concorrendo agências que já encontram-se no mercado. É preciso analisar o financeiro da agência, para verificar a possível montagem de uma estratégia mercadológica. Formas de pagamentos que podem ser oferecidas para o cliente, deixando em aberto, possíveis formas de negociação. Trazendo visibilidade e credibilidade a agência com os serviços prestados. A praça, o local em que a agência se encontra fica em São Bernardo do Campo – SP. Foi escolhida a localização visando a necessidade da agência e a facilidade de acesso aos clientes. Foi escolhido também a locação do estabelecimento de acordo com o orçamento da agência. Temos como forma de contato com nossos clientes o e-mail da agência (contato@agenciautrend.com) e nosso site (agenciautrend.com.br). Temos disponibilizados nosso site, facebook, twitter e instagram, como formas de divulgação, sendo as fontes mais seguras de pesquisa sobre a UTrend. Para promover a agência, optamos por divulgar a agência em outdoors, revistas, como tentativa de prospectar novos clientes para trabalharem conosco.

3 NEGÓCIOS 3.1 MACRO AMBIENTE 3.1.1 Ambiente demográfico É o estudo da população humana em termos de tamanho, localização, densidade, idade, sexo, raça, ocupação e outros dados estatísticos. Este ambiente é de grande interesse para os profissionais de marketing porque envolve pessoas, e são as pessoas que constituem os mercados. Conhecer o público que pretende atingir é importante pois também defini a melhor forma de abordá-lo, interferindo diretamente no faturamento. A população do ABC superou a marca de 2,71 milhões de habitantes no ano de 2015, segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 85


(IBGE). Os sete municípios do ABC contavam em 2014 com população estimada em 2,70 milhões, variação de 0,65%, no comparativo dos dois anos. Mas a taxa de fecundidade em todo o país vem diminuindo o que faz com que o número de crianças e adolescentes seja menor que adultos e pessoas da 3º idade, ainda mais com os avanços na área medicinal aumentando a expectativa de vida. Também existe um crescimento grande de presença feminina no mercado, de acordo com o IBGE a maior parte de seu público nesta região pertence as mulheres. A agência U Trend por trabalhar com o ramo de varejo estará em busca de comerciantes, donos de seu próprio negócio, por isso estará realizando um trabalho um pouco mais especificado em cima dessas características, os empresários dessa região são bem variados se tratando de sexo e idade, porém a maioria na atualidade composta pelo público masculino, na terceira idade.

3.1.2 Ambiente sociocultural As variáveis socioculturais, como a própria denominação diz, são fatores de ordem social e cultural que, de alguma forma, influenciam e moldam o comportamento do consumidor e estão relacionadas ao ambiente em que as pessoas vivem, às relações que elas estabelecem e aos costumes que vão adquirindo. A publicidade utiliza muito da cultura para realizar suas peças, pois ajudam muito para atingir o púbico alvo. O Brasil como um país miscigenado, possui diversas culturas diferente, diferenciado por região principalmente, isso aumenta a importância de saber qual lugar você está se posicionando. Também é muito importante se manter atualizado pois é uma cultura que tende a seguir conceitos novos, as tendências variam e as pessoas seguem o certo modelo atual, nesta situação se destacam marcas, acabam se fortalecendo pelo status que ela transmite. Essa necessidade de se identificar com um grupo move o mercado e as empresas utilizam cada vez mais desses artifícios para criar um vínculo emocional com seu cliente, onde a qualidade não é o fator principal para o consumo. 86


Uma forma de se manter dentro da cultura das pessoas, no dia a dia, é estar atento as atualidades, muitas vezes existem notícias, historias e acontecimentos que movimentam muito os comentários das pessoas chamando a tenção de todos,, principalmente pela internet, por isso a U Trend entrará em uma espécie de plantão sobre atualidades do mundo e pelo Brasil.

3.1.3 Ambiente Político-Legal Este ambiente é constituído por leis, agências governamentais e grupos onde pressão que limitam e influenciam varias organizações e indivíduos em seu comportamento perante a sociedade. As mudanças no governo e a instabilidade política afetam diretamente as empresas por todo país, o que torna um desafio para essas empresas a manterem o seu faturamento alto e cada vez aumentando mais, a publicidade vem de grande ajuda nos momentos de crise pois serve de opção para tentar driblar as dificuldades que o momento traz. Em épocas de crise o consumidor se contem mais nas compras naturalmente procurando apenas obter o necessário e buscando valores menores, por isso a agência U Trend começara exercendo seus serviços com um preço especial, disposto a negociar o melhor preço que seja agradável para as duas partes e qual melhor forma.

3.1.4 Ambiente tecnológico O Ambiente tecnológico refere-se aos fatores, tendências e condições gerais que afetam todas as organizações tendo em vista que as organizações são sistemas abertos. A evolução da tecnologia ocorreu de forma intensa nos últimos anos e a tendência é que evolua muito mais, isso influencia na competitividade entre as empresas principalmente em busca de inovações. Acompanhar a evolução

87


tecnológica é uma estratégia segura para garantir a sobrevivência e eficácia da organização. As formas de comunicação foram uma das mais afetadas com os avanços tecnológicos, houve uma revolução na forma de chegar aos clientes, a internet trouxe um mundo totalmente novo repleto de possibilidades. Empresas investem muito dinheiro em mídias sócias e o e-commerce cresceu bastante com essas novidades também, existem muitas formas a mais de se chegar ao público, e com isso o público passou a se informar mais e conhecer mais opções e sendo mais seletivos na compra o que aumenta a disputa entre as empresas. Trazendo praticidade e mais transparência entre a relação empresa e cliente, a tecnologia é um grande aliado ao mercado, com grandes oportunidades a serem exploradas aumentando consideravelmente os faturamentos da empresa. U Trend também fará um trabalho específico com o marketing digital, pois de acordo com as nossas pesquisas de mercado, a maioria dos comerciantes já enxergam o marketing digital como uma tendência e sabem que precisam se atualizar, mas muitas vezes não sabem muito como adentrar a esse meio.

3.1.5 Ambiente Competitivo É o ambiente onde se analise sua posição no mercado diante de seus concorrentes, espaço que cada um tem no mercado, a distância para a concorrência, o motivo da distância, diferenciais e características. Como concorrentes diretos que atendem o mercado de varejo, temos as agências Attas, Cucas, Fullen localizadas na região do ABC. Existe em cima disso um trabalho de benchmarking em cima dessas empresas, para que com essa analise consigamos extrair informações que possam ser adaptadas e melhoradas para a agência U Trend. E existirá um trabalho sempre acompanhando o andar de nossas concorrentes e o como o mercado estará se desenhando, com possíveis novos concorrente aparecendo e com possíveis destaque dos atuais. 88


3.1.6 Ambiente Ecológico Toda empresa da atualidade possuem a responsabilidade de trazer consigo algum bem ou apoio ao mundo moderno sustentável, isso se tronou além de ajudar o mundo, uma bela forma de transmitir uma imagem positiva sobre a empresa, e devido a transparência que a tecnologia trouxe sobre uma empresa não existe espaço para divulgações irreais. Empresas que tem o desejo de ser vista como uma organização sustentável, precisa realmente exercer esta função. A preocupação com a natureza e com a sociedade e com o futuro do planeta é de grande movimento hoje em dia, é visto de forma muito positiva uma empresa que tenha esse compromisso e extremamente agregador ao trabalho publicitário que possa ser realizado em cima disso. A agência U Trend se preocupa com seu impacto no meio ambiente, e utiliza de matérias recicláveis em seu estabelecimento como, móveis, lâmpadas específicas, papel, entre outros. Além disso procura parcerias com ongs como greenpeace e a wwf, para poder divulgar seus trabalhos e para envolver mais pessoas em prol de ajudar o meio ambiente.

3.2 Matriz BCG 3.2.1 Interna Projetada

89


Atuação

CV

PF

Promoção MKT Relacionamento Assessoria de Imprensa Digital

6% 16% 5% 16%

40% 34% 20% 10%

TABELA 4: PARTICIPAÇÃO DE FATURAMENTO 3.2.2 Externa Entrante

Atuação

CV

PM

ATTA U' Trend CACA'S FULLENN

12% 18% 9% 5%

40% 0% 32% 18%

TABELA 5: PARTICIPAÇÃO DE MERCADO 3.2.3 Externa Projetada

90


Atuação

CV

PM

ATTA U' Trend CACA'S FULLENN

10% 19% 6% 8%

40% 10% 30% 10%

TABELA 6: PARTICIPAÇÃO DE MERCADO 3.3. Analise Swot S- Forças (Strenghts) Principal foco em serviços online – Agencia pretende utilizar diversas plataformas para divulgação, mas tem uma atenção especial em serviços pela internet por acreditar na crescente do e-commerce Preço acessível – por estar nascendo agora, agencia está disposta a negociar valores com seus clientes em uma forma que seja de agrado para todas as partes. Atendimento personalizado – No começo, não tendo muitos clientes, a atenção e o cuidado será exclusivos para os primeiros clientes. Pesquisas focadas no varejo – Como diferencial, queremos nos especializar no mercado do varejo, como ele se comporta, qual suas tendências, qual o 91


aprendizado podemos obter com seu passado, até mesmo buscando parcerias com consultorias sobre o assunto.

W - Fraquezas (Weaknesses) Agência nova no mercado – A falta de conhecimento do nome da agencia no mercado é um obstáculo a ser superado. Recursos financeiros limitados – Pelos baixos recursos financeiros que se tem ao abrir a agencia, podemos começar atrás em alguns aspectos.

O - Oportunidades (Opportunities) Muitas empresas do varejo procurando atendimento – Existem muitas empresas de pequeno e médio porte que procuram um atendimento eficiente de agências publicitárias. Tendência ao e-commerce – o mercado online vem crescendo muito e a tendência é aumentar ainda mais, seja por meio de divulgações e até vendas por este meio. Estimativa de aumento nas vendas do varejo – Estudos indicam um crescimento nas vendas dos varejista nos meses seguintes de acordo com o “Portal Novarejo”, o que resulta em mais dinheiro para investir em propagandas. Público alvo grande com grande chance de explorar – O público alvo dos varejistas possui diversas opções, muitas vezes podendo atingir mais de um fator relevante como idade, sexo... Dando a chance de trabalhar com mais material para atingi-los. Empresas grandes em busca de serviços rápidos e mais baratos – muitas empresas hoje em dia procurando usar do “freelancer”, alguma agência menor que realize um único serviço com um preço mais em conta em vez de associar uma agência em todas as funções.

92


T - Ameaças (Threats) Ramo da publicidade cada vez mais saturado - Quantidade de agências que vem surgindo é cada vez maior e o cliente tem diversas opções para contratar, por isso é importante um serviço com total qualidade, sem erros. Alterações no mercado varejista - O mercado varejista é muito instável e muito afetado pelas oscilações do mercado, inflação e situação financeira internacional.

3.5 Estratégia de Produto 3.5.1 Organograma A Agência U Trend escolheu fazer a apresentação do organograma por meio de uma estrutura celular, que significa que todos os departamentos têm de interagirem entres si, sugerindo também que não existe uma ordem hierárquica quando se trata das funções de cada integrante da agência pois sabemos que cada departamento tem extrema importância na hora de realizar um job. Temos consciência de que com um ótimo planejamento, teremos muito trabalho a ser feito, consequentemente muito a se criar, para se criar com qualidade será preciso ter pesquisas de qualidade, para se realizar pesquisas com determinados públicos é muito interessante a execução de eventos. Para a divulgação dos mesmos e até de nosso estilo de trabalho são necessárias as mídias sociais. E esse todo envolve o atendimento, que precisará estar por dentro de tudo para que possa apresentar a clientes e manter um desenvolvimento eficiente dentro da agência.

93


FIGURA 3: ORGANOGRAMA 3.5.2 Fluxograma É possível definir um fluxograma como uma representação gráfica de um procedimento, problema ou sistema, cujas etapas ou módulos são ilustrados de forma encadeada por meio de símbolos geométricos interconectados. No caso da agência o fluxograma estará representando o processo em que a nossa agência passa desde o momento em que recebe um briefing até o momento em que entrega o job em perfeitas condições para o cliente. Para se fazer um fluxograma de uma Agência de Publicidade e Propagando é necessário saber quais são os processos que ocorrem dentro da agência, no caso da U Trend, o atendimento irá ter uma conversa com o cliente, para que se acertem as ideias, metas e objetivos, sendo assim, estas mesmas ideias, metas e objetivos serão levadas cuidadosamente para nosso planejamento, que com muito profissionalismo, irá fazer a coleção de informações e dados necessários para a concretização do briefing que será passado para o atendimento, que levará o 94


mesmo até o cliente para aprovação. Desta maneira, com a aprovação do briefing, este, será enviado para o departamento de criação para a produção das peças necessárias. Após este processo, o job voltará para as mãos do atendimento que levará de volta ao cliente para a aprovação do trabalho de criação. Assim que a criação das peças forem aprovadas pelo cliente, o departamento de criação guiará as mídias e mídias sociais para que possam estar desenvolvendo um processo de veiculação das peças. E desta maneira a parte gráfica do fluxograma segue desta forma:

FIGURA 4: FLUXOGRAMA 3.5.2 Portfólio Nosso portfólio é repleto de peças publicitárias e exemplos de clientes com quem já trabalhamos, somos reconhecidos pela presteza no serviço prestado ao cliente e pela pontualidade e cordialidade quando se trata de negócios. Abaixo seguem algumas peças publicitárias que desenvolvemos para empresas que contrataram o nosso serviço: 95


FIGURA 5: PORTFÓLIO EXTRA

FIGURA 6: PORTFÓLIO EXTRA II

FIGURA 7: PORTFÓLIO LEROY MERLIN

96


FIGURA 8: PORTFÓLIO LEROY MERLIN II

FIGURA 9: PORTFÓLIO CASAS BAHIA

FIGURA 10: PORTFÓLIO CASAS BAHIA II 97


“O insucesso é apenas uma oportunidade para recomeçar com mais inteligência” (Henry Ford)

3.6 FLUXO DE CAIXA 3.6.1 Investimento inicial

Investimento Inicial Cadeiras Mesa reunião Mesa Cadeira reuniao Conjunto de Sofás IMAC Armário Impressora Telefone Ar condicionado Cafeteira Alarme TV Microondas Geladeira Papelaria Lixeira Material de Limpeza Material de Copa Campanha de Lançamento Impressora Laser PABX

R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$

Total

Vlr Unit 270,00 1.221,91 187,00 270,00 1.999,90 6.599,99 267,89 522,41 37,90 699,00 290,00 495,00 3.039,05 664,91 2.099,00 1.200,00 49,90 300,00 300,00 20.000,00 899,90 1.770,36

Qtde 9 1 9 14 1 10 9 9 9 2 2 1 2 1 1 1 4 1 1 1 1 1

Vlr Total R$ 2.430,00 R$ 1.221,91 R$ 1.683,00 R$ 3.780,00 R$ 1.999,90 R$ 65.999,90 R$ 2.411,01 R$ 4.701,69 R$ 341,10 R$ 1.398,00 R$ 580,00 R$ 495,00 R$ 6.078,10 R$ 664,91 R$ 2.099,00 R$ 1.200,00 R$ 199,60 R$ 300,00 R$ 300,00 R$ 20.000,00 R$ 899,90 R$ 1.770,36 R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ 120.553,38

TABELA 7: INVESTIMENTO INICIAL 3.6.1.1 Relatório de investimento inicial 98


Toda agência que é recentemente lançada no mercado tem necessidades que necessitam ser supridas. Para isso, foram feitos cálculos sobre o lucro e despesas da agência, levando em consideração o nível de necessidades a serem supridas inicialmente. A agência U Trend é composta por nove pessoas, portanto, é necessário efetuar a aquisição de nove mesas no valor de R$187,00 cada e nove cadeiras no valor de R$ 270 cada, sendo uma para cada integrante, a fim de que todos fiquem devidamente acomodados. Serão distribuídos nove aparelhos de telefone entre as mesas e o ambiente do escritório, no valor de R$ 37,90 cada, para que sejam sempre de fácil acesso na hora de atender a uma chamada e contatar clientes. Quatro lixeiras no valor de R$ 49,90 cada serão distribuídas no espaço da agência, dentre elas algumas próximas às mesas, cozinha e banheiro. Uma mesa de reunião no valor de R$ 1221,91 e um conjunto de 14 cadeiras por R$ 270,00 serão necessárias para compor nossa sala de reunião a fim de obter um ambiente completo e agradável onde receberemos nossos clientes para todas as reuniões. Serão adquiridos 10 iMAC‟S no valor de R$ 6599,99 cada, para o uso individual para cada integrante da agência, e mais um reserva para uso público, e para que todos tenham a oportunidade de desempenhar o seu papel dentro da agência da melhor qualidade possível. Contaremos com uma impressora Multifuncional a laser no valor de R$ 899,90 para impressões mais refinadas, e que será conectada a todos os computadores da agência para o uso de todos, além de nove impressoras individuais, no valor de R$ 522,41 cada. Fecharemos uma parceria com uma gráfica para facilitar mais impressões em papeis diferenciados, fechando o valor de R$1200,00. Por um ambiente estável e climatizado, obteremos dois ares condicionados estrategicamente localizados no ambiente no valor de R$ 699,00 cada. 99


Ainda pensando em proporcionar conforto a todos que passarem por nossa instalação, investiremos em um sofá de R$ 1999,90, onde nossos clientes poderão se acomodar na recepção, e, além disso, haverá duas máquinas de café no valor de R$ 290,00 cada à disposição de todos, afinal o café pode ser servido aos clientes como uma forma de gentileza e cortesia enquanto os mesmos esperam o atendimento e além do mais, o café também serve de impulso para a equipe, por ser uma bebida de teor energético, ela é bem vinda na vida intensiva diurna e noturna da equipe. Tendo em mente a sociedade de violência e assaltos em que estamos inseridos, orçamos no valor de R$ 495,00 um alarme instalado na agência e julgamos essencial esse item, já que os índices de violência atualmente no Brasil estão maiores do que nunca. Nove armários individuais no valor de R$ 267,89 cada será de extrema importância em nossa instalação para organizarmos documentos, arquivos e guardarmos o material do escritório. Teremos também o PABX, o ramal no valor de R$ 1770,36. Duas televisões no valor de R$ 3039,05 cada serão instaladas na sala de reuniões e no escritório, para apresentação de projetos e afins. Faremos a aquisição de um microondas no valor de R$ 664,91 e uma geladeira no valor de R$ 2099,00 para que, ao invés de sairmos do recinto da agência e gastarmos dinheiro com refeições em lanchonetes e restaurantes, poupemos gastos obtendo facilmente nossas refeições na própria agência. Além disso, reservaremos uma quantia de R$ 300,00 para os materiais de copa. O valor de R$ 300,00 será destinado ao material; de limpeza, para que a agência se mantenha sempre limpa e impecável, causando uma boa impressão aos clientes e visitantes que passarem por nós. A agência U Trend crê na infalibilidade de que como primeiro passo, a agência precisa de uma entrada com o pé direito no mercado, para causar uma boa impressão ao público e intimidar os com correntes. Considerando os fatos, concluímos que precisamos de muito trabalho e dedicação na campanha de 100


lançamento, para que saia devidamente tudo como foi planejado de início, portanto será investida uma quantia de 20,000 reais para dedicar a todo trabalho de elaboração e conclusão da campanha de lançamento. Assim sendo, por intermédio de um investimento inicial de R$ 120.553,38, a agência U Trend se lança no mercado publicitário com força e segurança.

4.

DO SERVIÇO UM PRODUTO

4.1 BRIEFING A AGÊNCIA Nome A Agência U Trend foi criada a partir da inspiração de publicitários visionários. Apaixonados pela profissão e pela loucura do mundo dos negócios, visam buscar e criar tendências para o mercado publicitário, saindo do que é normal e conseguindo se sobressair com novas e criativas ideias, buscando a originalidade e respeitando todo o mundo publicitário e seus valores. Temos como objetivo usar a tendência de cada momento para satisfazer nossas metas que são conquistar o cliente, ouvir o que ele tem a nos propor e tornar os objetivos dele como a nossa maior prioridade. Acreditamos que para alcançar o sucesso, é necessário prever e planejar, com isso, uma tendência não deixa de ser uma previsão do que está para acontecer, do que está para se tornar algo relevante e em grande destaque. Nós da U Trend queremos que nosso cliente se torne e se mantenha como uma tendência no mercado que participa, em cada projeto, em cada campanha fazemos isso com amor e total dedicação de todo o nosso elenco.

“Muitas coisas pequenas foram transformadas em grandes pelo tipo certo de publicidade” (Mark Twain)

Descrição 101


A U Trend busca sempre o novo, buscamos pesquisar sobre cada setor do mercado, para amplo conhecimento de todos os tipos de negócios e para fortalecer nossos próprios conhecimentos. Nossa agência tem como especialidade a área do varejo, pelo amplo funcionamento deste mercado e grandes oportunidades e projetos a serem explorados. Temos um departamento de pesquisa em varejo onde fazemos parceria com uma empresa que nos passa informações referentes a tudo que acontece neste segmento no mercado, para assim ter um melhor desempenho na hora de prever o que está para acontecer e desta forma criar tendências para conseguirmos cumprir metas e objetivos de nossos futuros clientes varejistas.

Propriedades Nossa agência é composta por áreas de atendimento, planejamento, criação, mídia sociais, eventos, e um departamento a mais que chamamos de departamento de pesquisa, onde um funcionário recolhe as informações trazidas pela empresa parceira e se aprofunda de cada informação para assim tratar com nossos clientes do que está acontecendo e do que provavelmente irá acontecer no mercado publicitário no segmento do varejo.

Diferencial Entender quais são os objetivos do cliente da forma mais clara possível e transformá-los em realidade e resultados. Acreditamos que com o simples fazemos o inimaginável, e isso é o que procuramos, sempre buscando um novo fluxo de ideias que possam juntar a simplicidade com a modernidade. Também possuímos um departamento especializado no segmento do varejo, onde queremos ter um maior foco, e desta forma consequentemente, ter maiores informações e maior conhecimento referente ao mercado varejista.

102


Histórico A agência U Trend é já existe á 5 meses e foi fundada pelo publicitário João Mendes que ocupa o cargo de diretor criativo. Com muito cuidado, João selecionou integrantes que para ele seriam os ideais e abriu a U Trend para chegar no mercado com uma proposta diferente de propaganda.

Identidade Visual O conceito para o logo foi exatamente pensado no significado do nome, utilizamos a figura principal como uma lâmpada que é um clássico que remete diretamente a ideia. Acrescentamos também no interior da lâmpada alguns dos principais ícones da modernidade como o celular, internet e o computador. Temos um megafone dentro da lâmpada para refletir a nossa área de especialidade que é a comunicação, e por fim, ainda dentro da lâmpada temos um cérebro, um lápis, as engrenagens e o quebra cabeça representando o trabalho duro que é um fundamento essencial para criação de novas tendências no mundo publicitário. A cor amarela que contorna a lâmpada serve para refletir a ideia de luz, que é algo essencial para a vida, tanto de nós seres humanos, quanto das plantas e dos animais. Portanto uma cor que representa a vida, não poderia faltar numa agência que tem como objetivo deixar no coração das pessoas a vontade de viver e ser feliz.

Local Nos localizamos na área de São Bernardo do Campo, localizada no Grande ABC de São Paulo. Escolhemos nos fixar nesta região pelo fato do grande mercado varejista existente na região, para desta forma facilitar a prospecção, marcação de visitas e divulgação do nosso trabalho.

103


Preço e Tendência Sendo uma agência de comunicação, nova no mercado e decidida a criar tendências, a agência U Trend começa com uma quantidade pequena de clientes, procurando a fidelização de cada um, priorizando acima de tudo a satisfação dos mesmos tanto no atendimento quanto no desenvolvimento de seus serviços, mais que a de seus próprios lucros, tendo como objetivo o mercado varejista dentro da Grande São Paulo. De inicio, apresenta-se preços baixos para ganhar clientes, de acordo com o seu crescimento, tem como visão o aumento de seus preços, mas não para encarecer seus serviços e sim para que seja uma forma de reconhecimento e referência de seu trabalho no mercado.

Posicionamento Mercadológico A agência U Trend busca criar tendências no mercado varejista visando bons resultados em seu crescimento, concentrando-se em altas chances de fidelização, afinidade, e atendimento diferenciado com cada empresa, para que se sintam satisfeitos com os serviços oferecidos e a vontade para nos apresentar suas idéias e opiniões. Temos como objetivo sermos vistos como uma agência exemplo, especializada no mercado varejista e diferenciada no tratamento de nossos clientes, possuindo características únicas das demais agências existentes.

Custo x Benefício Apesar de ser uma agência nova no mercado, o custo benefício tornou-se nosso maior aliado, por obtermos valores inferiores as outras agências existentes e por apresentamos serviços de alta qualidade para nossos clientes, fidelizando o cumprimento dos prazos, a valorização da marca de nossos clientes, o atendimento especial e a priorização na perfeição de nossos trabalhos. Ao garantir o serviço, o cliente economizará no tempo, pois tempo é dinheiro, na preocupação da garantia de seu pedido e na demora de entrega, pois facilitamos tudo para que ele se sinta a vontade sem deixar de participar. 104


Ao final, mostraremos o investimento feito como um serviço de excelência, mostrando que estaremos sempre a disposição para qualquer dúvida e felizes com a satisfação de nossos clientes.

Concorrentes Identificamos nossos concorrentes por atuarem e possuírem clientes dentro da Grande São Paulo com concentração no mercado varejista. A agência Atta é considerada uma concorrente, pois possui clientes como Manza Sushi Bar, Berlin costelaria, Colégio Stágio, GeovannaFacci, entre outros. A agência Cucas é uma concorrente forte, pois possui clientes como Sansung, Grupo Boticário, Assaí, Pão de Açucar, Cacau Show, entre outras A agência Fullen, como concorrente possui clientes como Balderi Pasta & Arte, Cisi Calçados, Pizza Prime, DS Artefatos, entre outros.

Nome

Agência ATTA

Agência CUCAS

Agência FULLEN

Preço

Médio

Alto

Médio

Qualidade

Média

Alta

Baixo

Localizaçã

São

Santo

Santo

o

Bernardo

do André

André

Campo Fonte: Agência U Trend TABELA 8: CONCORRENTES

Vantagens 105


Possuímos um setor especializado em nossa agência para atingirmos a satisfação total no mercado varejista, por ser um meio que necessita de conhecimento avançado e específico para a melhor comunicação com nossos clientes de forma efetiva, gerando vantagens perante aos nossos concorrentes. Somos uma agência que ultrapassamos barreiras, superando expectativas, atuando com dedicação, comprometimento, determinação, autenticação e colocando propósito no que fazemos, de maneira diferenciada para garantir o crescimento contínuo, gerando o sucesso.

Desvantagens Por ser uma agência de pequeno porte e nova, apresenta baixa participação no mercado, não possui um vasto portfólio, precisando ainda ser ampliada em sua quantidade de clientes, conhecimento no mercado e credibilidade em seus serviços, para que se expanda e seja reconhecida a fundo pelo seu trabalho.

4.2 MERCADO Canal de Venda de Mercadoria Oferecemos nossos serviços para o mercado varejista em geral, apresentando para os clientes um leque de variedades, como: Propaganda, Marketing, Promoção de Vendas, Mídias Sociais, Merchandising, Live Marketing, Eventos, Digital, Mídia Impressa e Pesquisa de Mercado. Por possuirmos um departamento exclusivo com amplo conhecimento em varejo, temos um atendimento diferenciado para cada segmento, além de canais específicos a total disposição para que possam nos conhecer e caso tenham desejo, nos contatarem.

Importância Relativa

106


Os canais principais são lojas de varejo em geral, incluindo lojas de informática, eletrônicos, livrarias, congelados, tabacaria, cosméticos, móveis, relojoaria, ótica, produtos hospitalares e ortopédicos... Veicularemos em mídias impressas como revistas diversificadas e jornais, mídias sociais como instagram, facebook, twitter, entre outros, mídias externascomo outdoors.

Como se vende Para conquistar nosso público-alvo, é necessário que nos destaquemos, demonstrando um ótimo rendimento, possuindo indicações, divulgações de mídia, portfólio, atendimento diferenciado, ideias inovadoras, qualidade de serviços e acima de tudo conquistar cada cliente para que haja indicações, o que faz com que aumente o conhecimento da agência no mercado.

Como Se Presta o Serviço Com muita transparência sobre todas as atividades realizadas na campanha para o cliente, onde o cliente também tem uma atenção especial sempre que precisar relatar algo para a agência onde sempre alguém da agência estará disponível e frequentemente até mesmo irá até o cliente para explicar as evoluções com os projetos para passar total segurança para o cliente. E devido inicialmente o maior número de clientes possuir pequeno a médio porte, estamos à disposição de negociar valores de uma forma que fique sustentável para ambos.

“Se você criar um caso de amor com seus clientes, eles próprios farão sua publicidade” (Philip Kotler)

Tamanho do Mercado (em volume e valor) - Presente e Potencial 107


Presente O mercado de médias e pequenas empresas é pouco explorado pelas agências de publicidade, a visão é atender as grandes contas, mas sem deixar de lado essa opção de atender os menores, principalmente no varejo que tem uma grande demanda de lojas, essa falta de atenção com as empresas pequenas tornase uma oportunidade para um grande crescimento de potenciais clientes, e uma grande chance de mostrar trabalho e ajudar na evolução dos seus clientes. Por isso investimos tanto em empresas de pequeno á grande porte, pois acreditamos em seus crescimentos e investimos o nosso tempo e trabalho nessas empresas, direcionando o nosso foco principalmente no crescimento da marca de varejo.

Potencial Todos os dias existem lojas novas na área do varejo, a ideia do empreendedorismo é bastante explorada nos tempos de hoje, o que é bom para a agência que tem bastante espaço para captar clientes e sempre buscando ampliar sua cartela de beneficiados por seus serviços. Temos também como pretensão a expansão de nossos serviços com a implantação de novas para melhor atender em todo o Brasil.

Sobreposição de Mercado A agência U Trend terá como foco principal o varejo, tendo como nossos clientes atuais as Casas Bahia, Torra Torra, Extra supermercado, Por conta do nosso segmento, concorremos diretamente com três agências do Grande ABC, como a Atta, a Cuca's e a Fullen.

Tendência de Vendas Estamos situados na cidade de São Bernardo do Campo, na região do Grande ABC, caracterizada como o berço da indústria automobilista no país, em 108


constante crescimento no setor terciário da economia e o quinto maior mercado consumidor brasileiro, o que faz com que a localização da agência seja um ponto forte para oportunidades de negócio. Segundo o Anuário Mega Brasil, o mercado de comunicação das agências do Grande ABC cresceu em média 19%, tendo cerca de 600 empresas registradas. No final de 2013, foi criada a AACP (Associação de Agências de Comunicação e Publicidade do ABC), que hoje conta com mais de 200 agências de comunicação e que se encontra em constante desenvolvimento, tendo como finalidade discutir e executar ações para reorganização do mercado publicitário na região. A U Trend trabalha com segmento varejista, ou seja, setores de comércio que vendem produtos e/ou serviços diretamente para o consumidor final, portanto nossa atividade será ampla, tendo como oportunidade desenvolver trabalhos com diversos clientes, criando um vasto conhecimento entre ambos e uma comunicação integrada na área, visando o crescimento.

Influências Regionais Devido a maior aceitação do publico, a região do Grande ABC demonstra constante crescimento na área de comunicação nos últimos anos, logo esperamos ser uma agência modelo com grandes clientes. Sazonais Tendo como base nossos clientes, podemos observar a época de mais lucro para a agência. As Casas Bahia, por ser uma rede completa e de variados produtos, pode aumentar sua comunicação no ano como no Dia das Mães, Dia dos Pais e Natal. A Leroy Merlin sendo uma loja de material de construção, acabamento e decoração, pode utilizar as mesmas datas festivas. O Extra por ser supermercado anuncia seus produtos o ano inteiro, destacando os finais de semana e datas comemorativas. Demográficas 109


Atualmente contamos com uma agência localizada na cidade de São Bernardo Campo, conforme o aumento da experiência e da participação da empresa no mercado, temos como intuito abrir novas agências pelo Brasil. Influências de Forças de Vendas Para a nossa agência é essencial que os produtos oferecidos para os nossos clientes sejam bem posicionados

no mercado, para que ele obtenha o

retorno desejado. Para que isso aconteça é necessário que tenha como propósito o foco em resultado de vendas, satisfação do cliente e da agência.

Efeito da Propaganda (no mercado) A forma como propagaremos tem total ligação ao objetivo do cliente, isso é fundamental para a U Trend, a necessidade do cliente vem sempre em primeiro lugar, e como o segmento de atuação será no varejo a maioria dos clientes buscam aumentar as vendas. A agência conta com profissionais bem empenhados a estudar o mercado de varejo e como são os processos de como cuidar de uma empresa de modo geral, qual a situação do mercado, quais os caminhos que ele possa acabar se direcionando e quais erros no passado não podem ser repetidos de jeito nenhum. Ter a visão do cliente para podermos entrar em sintonia pelo mesmo objetivo e explorar ao máximo todas as ações para que fluam em direção de conquistas maiores. O excesso de informação que existe na sociedade hoje se não usado de bom proveito pode atrapalhar no caminhar das coisas, essa é mais uma responsabilidade que a U Trend pretende cuidar e transformá-la em uma oportunidade, pois se usado com sabedoria e organização toda as informações que são jogadas nas mídias podem se tornar uma ferramenta extremamente importante para o sucesso, principalmente por meios online onde as informações circulam mais rápido e atingem uma quantidade de pessoas muito maior.

110


Entre outros meios pensados especificamente para o público que deseja ser atingido, para obter o máximo de aproveitamento possível nas campanhas que lançaremos. “Toda propaganda tem que ser popular e acomodarse à compreensão do menos inteligente dentre aqueles que pretende atingir” (Adolf Hitler)

Investimentos em Comunicação Para levar a importância da divulgação e propaganda à empresários de todos os portes, principalmente os da área varejista, temos em mente realizar e investir em feiras de exposição e participar de congressos. Visamos investir em preferencialidades em pesquisas por agência (principalmente na área varejista) no Google, e ainda iremos investir em telemarketing para prospectar potenciais clientes de nosso interesse

Estratégias de Marketing de concorrentes Atta: A agência utiliza da qualidade de seus serviços e da sua comunicação clara com cada cliente, prezam o respeito e o profissionalismo. Cucas: A agência utiliza de seu profissionalismo e de sua dedicação, priorizando para que seus clientes fiquem encantados com sua atenção diferenciada. Agência Fullen: Utiliza da alta qualidade e estratégia de seus serviços, que fazem com que os clientes queiram trabalhar com a agência. Se preocupam em satisfazer e fazer com que os clientes tenham vontade de voltar mais vezes e fazer novos acordos.

Share-of-voice

111


Visando destacar a nossa agência no mercado varejista em especial, somos bastante ativos no meio online e nas mídias sociais com página no Facebook,twitter, website, e aparecemos também em meio impresso, em revistas específicas voltadas ao público de donos de empresas da área de varejo e diretores de marketing das mesmas.

Share-of-mind Visamos entrar na mente não só dos nossos clientes, mas também do público-alvo, com peças eficientes e precisas, visionárias no ramo varejista, com muita criatividade e impacto, levando assim nossos serviços ao conhecimento cada vez mais popular, de forma a ficarmos cada vez mais famosos e, dessa forma, alcançar a excelência.

Share-of-heart Procuramos entender completamente o nosso cliente, em ordem de deixa-lo plenamente satisfeito conosco. Visamos ajuda-los em tudo o que nos for competente e cabível, fazendo o que outras agências não conseguem fazer. O que é fácil já foi feito por outras agências, o que nós fazemos é o diferencial, aquilo que faça com que o cliente sempre tenha em mente a agência U Trend na hora de fazer aquele job impactante a um preço bem justo.

4.3 CONSUMIDORES Compradores Donos de empresas de pequeno, médio ou grande porte, ou ainda diretores de marketing, principalmente do setor varejista, que seria nossa especialização. Atendemos também a outros segmentos do mercado, ou seja, todos os que precisarem divulgar suas marcas através do nosso serviço de divulgação através da publicidade. 112


Ocupação A agência U Trend é uma agência voltada para a área varejista. Visamos sempre conhecer bem nosso cliente, sua empresa e seus objetivos com a propaganda ou serviço que ele nos contratou para empenhar, para que assim possamos divulgar sua marca da melhor maneira possível em ordem de fazer um cliente feliz e satisfeito com nosso trabalho.

Potencial A agência UTrend é novidade no mercado e pretende buscar seu espaço nele. Para isso, conta com profissionais formados com méritos em uma das melhores faculdades de comunicação do país, a Universidade Metodista, contando com profissionais experientes na área varejista, tendo influência de grandes mestres da comunicação que nos orientam a criar uma agência de grande potencial.

Localização A agência UTrend possui sua matriz na cidade de São Bernardo do Campo, no estado de São Paulo, na rua Rio Branco, 84, Centro. Tendo profissionais que estão sempre a procura de novos clientes e visitando os que já tem contato com a agência, para que assim seja mantido um vínculo entre ambos.

Atitudes do Consumidor Preço Tem-se como referência a Tabela de Custos e Serviços Internos do Sinapro - SP (Sindicato das Agências de Propaganda do Estado de São Paulo), mas devido ao conhecimento de que pequenas e médias empresas têm dificuldade em adquirir e manter seus vínculos com agências, pode oferecer valores reajustados, tornando o preço justo para que fiquem mais acessíveis aos clientes da UTrend, e deixando clara a importância da atividade que a agência exerce na empresa. 113


Qualidade Um dos valores essenciais da agência U Trend é a qualidade de seus serviços, este ponto positivo para uma agência nova no mercado demonstra profissionalismo e respeito ao cliente.

Utilidade O cliente que compra o serviço da agência, tem o pensamento de precisar, de ter uma necessidade de contratar a agência de publicidade, que para ele será um custo, o que pode acarretar que este tipo de cliente aposte no trabalho da agência, e que tenha um sentimento de querer uma agência, pois acredita ser fundamental para os seus negócios, o que remete a um investimento.

Convivência O cliente escolhe uma agência de acordo com seus serviços e praticidade, como um pacote de serviços por um único valor, seu foco ou até mesmo o destaque, pois lhe é conveniente determinados trabalhos ou status, por exemplo. Podemos observar também que o preço de acordo com o serviço e a sua qualidade também são grandes influenciador na sua decisão de escolha, no qual atenderá seu custo benefício.

Atitudes Subconscientes Um cliente sendo exposto a informações sobre a agência através de mídias sociais positivas, revistas, jornais e sites de comunicação, pode levar seu subconsciente a assimilar e acreditar nas mesmas, se forem positivas ou negativas, definindo se é favorável para ele e a levá-lo a conhecer melhor a agência. Grau de conscientização sobre o produto

114


É importante que o cliente saiba e conheça como funciona uma agência de publicidade, os serviços prestados por ela e seus custos, para que haja um conhecimento sobre a área e que conheça melhor a tabela de custos do Sinapro.

Hábitos de compra/uso Os hábitos de escolha e compras do serviço de uma agência, varia de acordo com o que o cliente deseja, se é de médio a longo prazo, o porque ele compra o serviço de uma agência, se é um custo preciso ou necessário e o quanto ele pretende aplicar. Tais hábitos e atitudes influenciam diretamente no plano de lançamento, pois se é do interesse da agência que determinado executivo lê uma determinada revista, então é nela que será anunciada a sua agência, ou se ele frequenta determinados eventos, são nestes eventos que devem estar.

Frequência de compra/uso O comportamento das famílias e a sazonalidade é o que determina o volume de vendas no varejo durante o ano, como consequência as empresas investem em comunicação de acordo com as variáveis. Portanto é indispensável que uma agência que trabalha no segmento de varejo note, por exemplo, que o mês de dezembro é a época do ano em que mais ocorrem eventos, festas e considerando as férias, por isso as vendas no varejo alavancam, principalmente nos segmentos de vestuários,

acessórios,

calçados,

eletrônicos,

eletrodomésticos,

móveis

e

informática. Os supermercados têm como estimativa de venda altíssima, com seus alimentos e bebidas. Em consequência destes acontecimentos, os segmentos varejistas são os que mais investem seu capital em comunicação nesse mês. Já o mês de fevereiro é considerado o pior ano do varejo, pelo menos no Brasil, pois ocorre o acúmulo de contas a pagar, não havendo tanto gasto em comunicação por parte das empresas. De julho á dezembro as vendas de materiais de construção e automóveis aumentam, devido ás reformas para as festas e o ano novo, além de ser uma época que os gastos pesam menos no orçamento e os 115


modelos das frotas irem sendo renovados, desvalorizando os atuais. É justamente nessa época do ano que as empresas de cada setor varejista investem em ações de comunicação.

Principais razões de compra/uso As principais razões de compra/uso de uma agência estão geralmente ligadas a reconhecimento e prêmios conquistados, a qualidade do serviço prestado e a alta porcentagem de shareofmarket, que é o percentual de participação no mercado. Já as razões emocionais podem variar, como querer trabalhar com uma agência pelo status que ela possui ou estar ligado ao sentimento que o cliente possui sobre ela, no caso o shareofheart, que é causado quando o serviço é reconhecido, elogiado e conquistado.

Influenciadores de compra Podemos observar como influenciador de compra o diretor de sua empresa, o departamento de marketing e até mesmo o setor de compras. Os fatores externos que influenciam na compra, na escolha de uma agência, são pesquisas realizadas na internet, em revistas sobre comunicação, prêmios conquistados pela agência e por muitas vezes seu reconhecimento no mercado.

Necessidades do produto/serviço para o consumidor As agências de publicidade foram criadas para atender as necessidades de clientes, dependo do segmento da agência. São procuradas para desenvolver criações, divulgar, realizar campanhas, auxiliar na área de comunicação das empresas através de soluções inteligentes, inovadoras, através de melhorar ou promover a imagem do cliente no mercado.

116


Decisões de compra Sendo a U Trend uma agência especializada no segmento varejo, contamos com um setor de pesquisa varejista e parceria com uma empresa que nos proporciona informações referentes ao segmento no mercado atual. Com esse diferencial, pode-se afirmar no plano de prospecção que as decisões são tomadas através de pesquisas que estão sempre em constantes atualizações para que se tenha conhecimento do que acontece com o setor tornando nosso trabalho mais confiante. A decisão de contratação da agência é realizada pelo dono ou diretor de marketing da empresa, sendo essas as pessoas que devemos prospectar para conquistar suas contas.

4.4 OBJETIVOS Objetivos Estratégicos da Agência Realiza-se o diagnóstico da empresa e seu ambiente, definindo seus objetivos, fixando metas, determinando etapas e recursos necessários e como e por quem devem ser implementados, para que se obtenha um planejamento eficaz para a empresa. Diante da atual situação econômica em que o país se encontra, sabe-se que haverá oscilações e incertezas no mercado, afetando também os investimentos dos clientes. Por esta razão, é preciso reforçar a importância do trabalho da agência com o cliente, cultivando-os estabelecendo uma relação de confiança para continuar trabalhando construindo e desenvolvendo uma boa imagem de nossos clientes. “Que os vossos esforços desafiem as impossibilidades, lembrai-vos de que as grandes coisas do homem foram conquistadas do que parecia impossível” (Charles Chaplin)

117


Objetivo de Marketing Tendo em vista o curto período de vida da agência, possui-se a expectativa de fechar contratos com pelo menos seis clientes ao longo do ano, sendo eles grandes, médios e pequenos clientes. A agência U Trend adota a prática do Marketing Mix, que procura estabelecer um preço competitivo, distribuição com maior potencial de compra e realizar promoção das mercadorias para o público certo, atingindo as expectativas dos clientes. É preciso conquistar a lealdade dos clientes, aumentar sua visibilidade, gerenciar suas marcas tornando-as fortes, consolidando com uma percepção positiva do público, projetando e defendendo seus valores.

Objetivos percebidos da propaganda dos concorrentes Os principais objetivos dos concorrentes em suas propagandas são de prospectar os clientes, aproximá-los do púbico-alvo e posicioná-los na área. Alcançam estes clientes com o seu ótimo atendimento, mostrando estratégias de trabalho da agência, além da participação ativa de cada cliente em suas mídias sociais.

Objetivo de comunicação Atingir donos e diretores de marketing de empresas do setor varejo, apresentando os serviços da agência ressaltando a especialidade no segmento, conquistando varejistas da região do Grande ABC, comunicando com qualidade, criatividade, responsabilidade, tornando a marca presente e visível para os consumidores, obtendo como resposta a fidelidade para com a agência.

Problemas

118


O varejo é um mercado instável, sensível à oscilações, pois existem as variáveis que influenciam o setor como elevação da inflação, queda no consumo, crise, aumento de juros, redução do período de financiamento, entre outros, com o conseqüente crescimento de inadimplentes, causa declínio de vendas. E a concorrência, que obrigam as empresas a inovarem e trabalharem em estratégias para manter seus produtos no mercado.

Oportunidades O mercado varejista engloba múltiplos fatores, como idade, sexo, classe econômica, fazendo com que sejam atingidos por diversas campanhas que procura como foco principal seu público-alvo. O e-commerce, que nada mais é do que o comércio eletrônico, encontra-se em crescimento, podendo ter alcance maior do que as lojas físicas, vendendo o produto para qualquer lugar do país. É necessário investir e ajustar para que haja interação entre a loja física com a virtual, estimulando o consumidor a entrar em contato fora da loja, acessando outros canais de vendas.

4.5 ESTRATÉGIA BÁSICA Ferramentas de Comunicação Sugeridas A agência U Trend utiliza como meios de comunicação: Mídias sociais, outdoor, anúncios impressos, stands em feiras, eventos, portfólios, folders, mala direta e e-mails marketing. Sempre possibilitando um contato maior com seus clientes e levando a informação para aqueles que ainda não conhecem os nossos serviços.

Peças sugeridas e conteúdo básico

119


Peças que possuam conteúdo ilustrativos, inovador e com cores chamativas, utilizados especificamente pela agência. Quando utilizados em eventos nos quais participaremos, especificados com local e horário.

Posicionamento A

U Trend quer ser reconhecida no mercado como uma agência que

prioriza a qualidade de seus profissionais, sua inovação e inteligência para levar a seus clientes uma agência diferenciada, buscando sempre uma comunicação efetiva. Temos como intuito sermos vistos como uma agência especializada e diferente das demais existentes, tanto na comunicação com nossos clientes quanto nas características incomuns no mercado, como por exemplo o nosso departamento especializado em varejo.

"Para se ter sucesso, é necessário amar de verdade o que se faz. Caso contrário, levando em conta apenas o lado racional, você simplesmente desiste. É o que acontece com a maioria das pessoas." (Steve Jobs)

Approach Criativo A

U Trend é uma agência inteligente e inovadora. Procuramos sempre

satisfazer nossos clientes apresentando-lhes nossa criatividade, efetividade e transparência, de modo correto e ético, pois uma comunicação não necessita somente do brilho que a agência possui, mas também de uma verdade. Como Cita Julio Ribeiro (p.56, 1994): ''O brilho é a forma mágica que rompe a inércia do consumidor. A verdade é o conteúdo que prende o produto.'' Com base neste trecho, podemos concluir que nosso approach criativo se assemelha ao nosso conceito de inspiração e transpiração. Inspiração para efetuar um trabalho e surpreender nossos clientes com novas idéias e transpiração para 120


colocar em prática. Um toque de ousadia e amor no que fazemos, o que nos torna um diferencial.

Target Primário e Secundário Como intenção de atingirmos o primário, o B2B, com uma forma de comunicação estratégica, focada em empresas de pequeno, médio e grande porte que pertencem ao mercado de varejo e que desejam e necessitam de nossos serviços inovadores e de comunicação ampla e direta. Em secundário, B2C, procuramos atingir o público-alvo do B2B, pessoas que utilizam e estão diretamente ligadas à área de varejo.

Mercados (Regiões e segmentos a serem descobertos) A agência U Trend tem como segmento específico o varejo, mas ainda não possuímos uma quantidade alta clientes atuantes do mesmo, mas pretendemos conquistar clientes nos setores de cosméticos, perfumaria e vestuários. Além disso, temos como foco futuro a expansão da agência pelo Brasil, que pode se destacar com o crescimento dos investimentos no mercado varejista.

Meios e Veículos Dispomos de meios de comunicação como: mídia digital, mídia exterior, mídia impressa e assessoria de imprensa, eventos. Utilizamos a mídia como forma de alcançar e atingir cada cliente e situação de forma exclusiva, para que o cliente não gaste seu tempo e dinheiro com uma mídia que não lhe traga retorno. Na mídia impressa temos o jornal PropMark e a revista ABC da Comunicação. Na mídia digital teremos as redes sociais: facebook, instagram, twitter, snapchat e aplicativo. Na mídia externa trabalharemos com o outdoor. Também estaremos presentes em eventos de varejo e comunicação e estaremos realizando em nossa sede assessoria de empresa. 121


Estilo (da marca ou segmentos) A U Trend possui um estilo único, inovador, otimista, eficaz e acolhedor. Queremos que nossos clientes se sintam como nós e nos vejam com profissionalismo, mesmo que sejamos novos no ramo.

4.6 PLANO DE LANÇAMENTO A agência U Trend antes do plano de prospecção, planeja colocar o plano de lançamento em prática, no qual é formado por sete ações de divulgação, no qual possui o objetivo apresentar e posicionar a U Trend no mercado publicitário. Para concluirmos este plano, foi separado uma verba de R$20.000,00do orçamento total da agência.

1ª Ação: Conhecimento e comunicação profissional Site: http://agenciautrend.com.br/utrend E-email: contato@agenciautrend.com.br No site nosso público-alvo poderá nos conhecer de uma forma mais ampla, desde nossa missão, visão e valores, o que fazemos, como trabalhamos, principais clientes e trabalhos já realizados para eles. Além disso, também disponibilizamos email para contato profissional, apresentação de prospect e nossas redes sociais como meio de interação conosco, para aqueles que gostam ou se interessam por publicidade.

2ª Ação: Digital - Mídias Sociais Facebook:facebook.com/agenciautrend Instagram: instagram.com/agenciautrend Twitter: twitter.com/agenciautrend 122


Snapchat: snapchat.com/agenciautrend As redes sociais vêm crescendo em seus números de usuários a cada dia que passa. As empresas percebendo esse crescimento continuo, se tornaram grandes aliadas as redes na hora de vender seus produtos e serviços e interagir com o público-alvo. Como toda a agência que tem amor por que faz, a agência U Trend não poderia deixas as mídias sociais de lado. No Facebook compartilharemos o dia a dia de nossa agência e como lidamos com os nossos principais desafios. No Instagram estarão as principais ações da agência, como a presença em eventos da área de comunicação, nos quais serão mostradas através de fotos, imagens ilustrativas e no Snapchat contaremos os vídeos ao vivo. No Twitter compartilharemos notícias sobre a comunicação, o mercado publicitário e o mercado varejista em geral. Disponibilizaremos também o aplicativo, no qual pode ser baixado pelo GooglePlay ou pelo AppStore. Este aplicativo contará com ferramentas de fácil manuseio, e que facilitará o conhecimento do executivo de varejo, contendo informações objetivas e atualizadas sobre o mercado varejista no mundo.

3ª Ação: Mídia Impressa Revistas:ABC da Comunicação e Exame Jornais:PropMark Estaremos nas revistas ABC da Comunicação, pois ela apoia as agências do Grand ABC, onde estamos situadas, e será de grande ajuda para nos promover no mercado publicitário. Como outra opção de divulgação também estaremos no jornal impresso PropMark e por panfletos entregues de 15 em 15 dias como informativos sobre a agência, nossos serviços e valores. Também contaremos com o Brandbook, uma apresentação impressa da agência, no qual estarão contidos nossa missão, visão e valores, peças que dizem respeito as campanhas de comunicação, profissionais que fazem parte do corpo de

123


funcionários da agência e suas funções, o logotipo e frases que transmitam os nossos pensamentos.

4ª Ação: Mídia Externa Para atingirmos o número desejado de clientes, procuramos outros meios de divulgação, na área de comunicação, como o outdoor com duas opções: um com jogo de luz e logo, que acende de noite e de dia se mantém apagado e outro localizado nos pontos estratégicos mais vistos na região.

5ª Ação: Assessoria de Imprensa A apresentação da agência será feita através de uma Assessoria de Imprensa, que se realizará na sede da agência U Trend, localizada na (?). Por estar situada em uma área de grande movimentação, por ser centro, todos poderão ver e conhecer as instalações, toda a equipe e tirar suas dúvidas sobre quem somos e como trabalhamos.

6ª Ações: Eventos Estaremos presentes em eventos na área da comunicação e nos eventos de varejo, com stands para que possam conhecer nossa agência e saber o que fazemos. Para divulgação, estaremos fazendo postagens em nossas redes sociais com o local e horário para que tenham facilidade de acesso.

7ª Ação: Press Kit O nosso Press Kit será composto por uma caneta, um pen drive que contém as principais informações da agência, sobre os nossos trabalhos, nossa localização, nosso logo e fotos apresentando todos os componentes da equipe, e um bloco de anotações com o logo, dentro de uma caixa personalizada, feita com carinho. Este kit será entregue a todos os empresários da área. 124


Os kits compostos têm como utilidade e uso diário, tendo como propósito levar a estampa do logotipo da agência para fazer com que as pessoas, durante o uso destes objetos lembrem da U Trend, fixando-a na cabeça do público-alvo que temos como propósito prospectar.

PLANO DE PROSPECÇÃO Para manter uma empresa viva e move-la é necessário que ela possua clientes. Para que isso aconteça, é necessário que sejam conquistados e para que isso dê certo, existem no mercado muitas ferramentas, dentre elas o ato da prospecção, que nada mais é do que buscar clientes. Considerando a prospecção uma ferramenta principal para conquistar clientes, é necessário criar um plano de prospecção elaborado de forma consistente e baseado em uma boa estratégia, que leve em conta diversos fatores, que nada mais são características de posicionamento, objetivos a serem conquistados e os interesses que a agência U Trend possui, mas para que isso aconteça é necessário que haja uma identificação de segmentos para saber para qual caminho seguir. Em um bom plano de prospecção de uma agência de Publicidade e Propaganda não pode faltar a estratégia de ação. Temos como principal objetivo atender e satisfazer as necessidades de nossos futuros clientes, nos preocupando em sempre atender e compreender seu momento perante o mercado, auxiliando no fortalecimento do relacionamento do cliente com a agência, realizando trabalhos com excelência. Nossa prioridade é fidelizar clientes e satisfaze-los, obtendo sucesso nos trabalhos realizados, estabelecendo uma relação harmoniosa entre nós da agência e o cliente. Temos como agência de pequeno porte, o objetivo de levar o conhecimento dos nossos serviços para o mercado publicitário, a diferenciação do nosso trabalho das demais agências e conquistar a fidelidade de cada cliente. No intuito de fixar o nome da agência não só pela fama, mas também pelo reconhecimento, não como principal mas que também é importante, pela oportunidade de um dia poder

125


acrescentar algo importante na história do nosso país e realmente fazer diferença viajando e levando nossas idéias inspiradoras. O nosso próximo passo foi pensar em formas/ações que nos ajudariam a chegar o mais perto possível do cliente prospecto, sendo assim construindo pontes para chegar até ele, tendo como meio os telefonemas, um dos meios mais tradicionais e antigos do ramo, onde as conversas é a distância e as informações de forma mais direta e precisa. Um ponto utilizado também é o e-mail marketing, usado como ferramenta para o marketing direto, como uma maneira de atingir o públicoalvo, dando a escolha para que ele continue recebendo informações sobre a agência ou não, porém já deixando clara a existência da mesma. Estar presente em eventos, que envolvam o cliente desejado, agrados e lembretes criativos para que ele utilize e passe sempre a lembrar da agência.

Entrevista Outra forma necessária de alcançar um cliente de forma amistosa é utilizarmos um questionário, onde será considerado: 

Porte/ Tamanho da empresa: Será coletada informações físicas do

local, como empresa pequena, média e grande. 

Segmento: Qual a preferência do cliente sobre a divisão do seu modo

de trabalho e se tende a oferecer mais serviços no ramo do varejo. 

Localização: Será a onde trataremos de negócios. Especificar de modo

direto qual o melhor local para uma reunião, onde está localizada a empresa em si e se podemos contatá-la no local indicado.

Disponibilização de verba (quantidade/valor): Refere-se á um trabalho

que exige responsabilidade, seriedade e comprometimento. Precisamos ser informados sobre a renda que será investida no projeto, se haverá negociações

126


sobre esse valor caso tenhamos que ampliar a ideia e levá-lá ao cliente para sua aprovação.

Exigência e restrições: Toda a informação que o cliente tiver sobre a

identidade de sua marca na qual não poderá ser modificada, rasurada, sobreposta, invadida, esquecida ou até mesmo ignorada. Todo e qualquer detalhe será de extrema importância e é necessário que o cliente cite cada uma das restrições.

Entendendo os prospects Como meta por dia, considerando a quantidade de funcionários em cada cargo na agência, pretendemos realizar 20 ligações, enviar 15 e-mails marketing, estar sempre ligados nas datas dos eventos e elaborando lembretes criativos. Porém, esses serão somente pontos de partida, pois também iremos acompanhar os clientes, reforçando sempre que continuamos interessados em conquistar o cliente para adquirir a sua conta. Para isso pensamos da seguinte forma: num final de semana útil, chegamos ao número de 80 ligações e 75 e-mails, pois recebemos retorno em 20 contatos, sendo 10 das ligações e 10 dos e-mails marketing. Porém, ainda não chegamos na etapa final do nosso processo, teremos que convencer esses 10 contatos a fecharem contrato conosco. No próximo passo, uma reunião é muito boa, porque podemos estar mais perto dos clientes que almejamos ter, apresentando assim a nossa de modo excelente. Logo após fazermos uma breve apresentação, direta e efetiva, em seguida levaremos o cliente para conhecer nosso local de trabalho, deixando ainda mais evidente se seremos um bom investimento ou não. Supondo que desses 20 clientes apenas 10 tenham se interessado, nos responsabilizaremos com a estratégia de estar sempre os lembrando de nossos serviços e que estaremos sempre dispostos a trabalhar para eles e esperamos por sua resposta. Os 10 interessados passaram a ser 5 pois os outros 5 já fecharam com outras agências, então focaremos nossos projetos nesses 5 clientes, conseguindo fechar 2 contratos. 127


“A filosofia por trás de muita propaganda é baseada na velha observação de que todo homem é na realidade dois homens — o homem que ele é e o homem que ele quer ser” (William Feather)

Potenciais Clientes Mas o que seria de um plano de prospecção sem os clientes que serão prospectados? Abaixo estão os clientes que nos auxiliarão a tornar todo esse plano possível

FIGURA 5: PORTFÓLIO EXTRA Supermercado Extra - Rede nacional de lojas varejistas pertencente ao GPA (Grupo Pão de Açúcar), varia entre hipermercados, onde oferecem ampla variedade de

produtos

alimentícios

e

não

alimentícios,

desde

eletroeletrônicos,

eletrodomésticos e informática, como também roupas, itens para o carro, para a casa e para o animal de estimação. Também é possível encontrar serviços como drogaria, posto de combustível, galeria com lojas e restaurantes. Os supermercados, oferecem sortimento completo para o dia a dia, com destaque para o açougue e para a padaria, além de utensílios para a casa e produtos de cama, mesa e banho. Já os minimercados, estão voltados para a compra prática, ágil e conveniente em alimentos para o dia a dia e destaque para os produtos perecíveis. Tendo sua sede em São Paulo, a rede tem como principais concorrentes Carrefour e Walmart.

128


FIGURA 7: PORTFÓLIO LEROY MERLIN Leroy Merlin - Loja de materiais de construção, acabamento, decoração, jardinagem e bricolagem é líder no mercado e está presente em diversas cidades de São Paulo. Foi fundada na França em 1923 por Adolphe Leroy e Rose Merlin, mas só chegou ao Brasil em 1998 e está situada em outros 10 países. Tem como principal concorrente a C&C.

FIGURA 9: PORTFOLIO CASAS BAHIA Casas Bahia - É a maior e mais popular rede de varejos de móveis e eletrodomésticos do Brasil. Foi fundada em 1952, em São Caetano do Sul - São Paulo, onde está localizada a matriz. Teve seu inicio como mascote, vendendo seus produtos de porta em porta, onde a maioria de seus clientes eram baianos, o que se deu o nome da empresa. Em 2009 o Grupo Pão de Açúcar inicia compra das Casas 129


Bahia, tornando-se parte de um integrante do atualmente maior grupo varejista brasileiro.

Como encontrar os prospects

Com a intenção de prospectar cada vez mais clientes, estaremos presentes em eventos do principal segmento da agência, com o intuito de conseguir novos contatos. 

FEBRAVAR (Feira Brasileira de Varejo) - O evento tem como objetivo

reunir lojistas e fornecedores do ramo de varejo, apresentando suas inovações que podem impactar no setor futuramente. Em 2014 o evento contou com cerca de 40 exposições sobre o mercado varejista e recebeu cerca de 4 mil visitantes. 

ELETROLAR SHOW - Maior feira da indústria de varejo de

eletrodomésticos da América Latina. Realizada em São Paulo anualmente, movida por suas tecnologias, tem como intuito aproximar a indústria do comércio varejista, estreitando suas relações. 

ABF Franchising Expo - A maior feira de negócios de franquias do

mundo, que acontece em São Paulo e reuni cerca de 480 marcas em exposição. Seu principal objetivo é oferecer ao público a oportunidade de investimentos em diversos segmentos, incluindo o varejo. 

MERCOSUPER - Possuindo 30 anos de tradição, a feira é uma das

mais influentes para o varejo nacional em realização de negócios. Esta feira acontece geralmente no mês de abril no Paraná.

Formadores de Decisões e Influenciadores de Decisão É necessário identificar quem toma as decisões e responde pela empresa, a partir disso o trabalho do atendimento se torna mais fácil, com menos barreiras de

130


comunicação a serem quebradas. Para isso ocorrer, é necessária uma pesquisa sobre os membros da empresa.

“Sonhos determinam o que você quer, ações determinam o que você conquista” (Aldo Novak)

Ações a Serem Tomadas Após termos encontrado quem responde pela empresa, seguimos com nosso plano de primeiro contato, focados em deixar claro que apesar de sermos novos no mercado, temos profissionais de qualidade para atender a empresa a qual ele responde. Como primeiro passo no contato utilizaremos telemarketing, contando um pouco sobre nossa agência, demonstrando interesse em marcar uma reunião para uma apresentação formal. Nessa reunião apresentaremos nossa agência, a qual tem parceria com empresas de pesquisa de mercado varejista, possibilitando nossa previsão de tendências do mercado, assim podendo atender da forma mais eficaz empresas desse setor mercadológico.

Acompanhamento Junto ao Cliente Após a conquista o prospect, tornando-o nosso cliente, é necessária uma fidelização do mesmo, tal fidelização é conquistada com muito suporte e satisfação do mesmo com o trabalho da agência. A U Trend manterá contato diária, com visitas marcadas semanalmente, dando todo suporte necessário para o cliente. Com profissionais dispostos a atender as necessidades a qualquer momento, via ligação, e-mails e até mesmo visitas de última hora para solucionar algum problema o qual não esperávamos. Entrando em contato todos os dias com nossa parceira de pesquisa de mercado de varejo, nós atualizaríamos diariamente

131


com dados e gráficos nossos clientes, para terem controle das tendências do mercado e facilitar nosso trabalho junto ao mesmo.

4.7 APRESENTAÇÃO DE PROSPECT

FIGURA 11 : APRESENTAÇÃO DA AGÊNCIA

132


FIGURA 12: INTRODUÇÃO DE PROSPECT

133


FIGURA 13: PORQUÊ U TREND?

FIGURA 14: PENSAMENTOS

O QU E FAZEM OS? QU EM SOM OS? Som os um a Agên cia especializada em com un icação e m ar ketin g do segm en to var ejista. Con tam os com um cen tr o desen volvido de pesquisa n o m er cado var ejista. Estudam os, plan ejam os, cr iam os e tr an sfor m am os você n a ten dên cia. Seus objetivos ser ão alcan çados com m ais r apidez em um cur to per íodo de tem po e com cer teza ser á m uito m ais visado par a o público.

134


FIGURA 15: O QUE FAZEMOS? QUEM SOMOS?

I N VESTI M OS EM V OCÊ A nossa empr esa cont a com um set or t ot alm ent e desenvolv ido par a pesquisas, desenvolvendo sempr e o m elhor est udo sobr e o seu negócio, seus client es, suas vendas, seus concor r ent es e t udo o que engloba o seu negócio. Com esses r esult ados nós conseguimos uma m aior per feição no desenvolv im ent o da campanha par a que sua empr esa possa pr ospect ar muit o m ais com a ajuda da U Tr end.

FIGURA 16: INVESTIMOS EM VOCÊ

135


FIGURA 17: PENSAMENTOS II

FIGURA 18: NOSSA MISSÃO

FIGURA 19: NOSSA VISÃO 136


FIGURA 20: NOSSOS VALORES

FIGURA 21: PENSAMENTOS III 137


O que é ser U Tr end? Fazer par t e de um t ime que nunca est a sat isfeit o com as t endências do moment o, sempr e quer er t r azer o fut ur o par a o pr esent e. Sempr e cr escer e evoluir const ant ement e apr endendo cada dia m ais com o client e e conosco. Não há bar r eir as par a nós, sempr e com cr iat ividade aguçada, inovação, cr iação, est udos e pesquisas são as nossas fundament ações par a t udo.

FIGURA 22: O QUE É SER U TREND?

138


FIGURA 23: 12 MANDAMENTOS U TREND

NOSSOESPAÇO Nosso local de t r abalho, t ot alment e adequado par a nós, um local onde nós gost amos de passar nossas hor as, r ealizando sempr e o m elhor par a o nosso cl ient e.

FIGURA 24: NOSSO ESPAÇO 139


FIGURA 25: INTEGRANTE U TREND DE PLANEJAMENTO

FIGURA 25: INTEGRANTE U TREND DE FOTOGRAFIA 140


FIGURA 27: INTEGRANTE U TREND DE CRIAÇÃO

FIGURA 28: INTEGRANTE U TREND DE ATENDIMENTO 141


FIGURA 29: INTEGRANTE U TREND DE MÍDIA SOCIAL

FIGURA 30: INTEGRANTE U TREND DE PESQUISAS 142


FIGURA 31: INTEGRANTE U TREND DE REDAÇÃO

FIGURA 32: INTEGRANTE U TREND DE ARTE E EVENTOS 143


FIGURA 33: INTEGRANTE U TREND DE CRIAÇÃO E REDAÇÃO

FIGURA 34: AGÊNCIA U TREND 144


FIGURA 35: PENSAMENTOS IIII

FIGURA 36: PORTFÓLIO U TREND 145


N OSSOS TRABALH OS

Conteúdo(portfolio

EXTRA SUPERMERCADOS 2017.

FIGURA 37: TRABALHOS REALIZADOS

Conteúdo(portfólio

LEROY MERLIN 2016.

FIGURA 38: TRABALHOS REALIZADOS 146


Conteúdo(portfólio

CASAS BAHIA 2015

FIGURA 39: TRABALHOS REALIZADOS

CON TATOS A A gência U Tr end, com o um m eio de com unicação t am bém não poder ia deix ar de se pr eocupar com a sua pr ópr ia com unicação, por isso ent r e em cont at o conosco ou siga-nos em nossas r edes sociais e apr ofunde-se no mundo U Tr end cada vez m ais. Telefone: ( 11) 4396-0000 End.: Rua Sacr ament o, 168 Rudge Ramos, SBC-SP CEP:09820000 I nst agr am : @agut r end Twit t er : @agut r end Facebook : / agut r end Snapchat : A gut r end agenciaut r end.com.br

FIGURA 40: CONTATOS 147


FIGURA 41: FIM DA APRESENTAÇÃO DE PROSPECT

5 IDENTIDADE UTREND A arte é um setor extremamente importante em uma Agência de Publicidade, para que haja uma prospecção de cliente a agência necessita ter uma identidade visual, um estilo, e para que tudo isso possa ser transmitido com total transparência, para que o cliente possa ver quem é a U Trend, a arte precisa estar presente, dominando esse assunto. Além de ser o que todos veem em prática e o resultado final de todo um processo de pesquisas, estudos, reuniões, dias e semanas, a arte é uma ferramenta indispensável, ela é o final de tudo, é como nos comunicamos com o nosso público, é assim que os alcançamos. Sabendo então da importância que o setor de arte e criação tem em uma Agência, a U Trend trabalhou com base em muitos estudos na sua parte visual, utilizando um plano de lançamento, e toda a imaginação dos integrantes da Agência, 148


um trabalho todo fundamentado na essência de cada integrante, artisticamente falando, foi introduzido e juntado para que a identidade visual U Trend pudesse ser criada. Gerando então grandes ideias fundamentais para a imersão e ingressão positiva da empresa no mercado da comunicação.

5.1 Porque UTREND U Trend, junção das palavras em inglês „‟You” abreviado em U e Trend. Traduzindo para o português é a junção de Você com Tendência, que é o propósito central da agência, transformar o cliente em uma tendência, unir o novo em paralelo ao presente, para que o cliente possa ser um exemplo no mercado em que compete ele deve se tornar uma tendência, uma moda, algo que todos estão sempre atentos e interessados, e para que isso ocorra o igual já não interessa mais, e por isso o novo precisa ser inventado e introduzido no mercado. Nossa Agência então carrega esse nome por ser o real objetivo da Agência. Utilizamos para representar visualmente o nosso propósito de inovação com a figura central de uma lâmpada representando as novas ideias que podemos introduzir no mercado, e alguns ícones de ferramentas essências para nossa criação de projetos.

FIGURA 42: LOGO U TREND

149


Junto a tudo isso acrescentamos o nosso nome, fazendo uma junção ao logo com o „‟fio‟‟ da lâmpada e no final o plug de tomada, querendo mostrar que estamos sempre dispostos a nos conectar com o cliente, e que juntos podemos acender a lâmpada e inovar sempre. A escolha da cor amarela representa graficamente a lâmpada se acendendo e tem um significado de criatividade, descontração, otimismo, alegria, prosperidade e felicidade, representando a nossa essência que é criar e inovar sempre com alegria e total entusiasmo de chegar no perfeito para o cliente. A tipografia utilizada para o logo é chamada de Bromello e tem uma característica mais manuscrita, além de conseguir transmitir a nossa ideia ela ainda é uma fonte visualmente agradável que chama a atenção das pessoas pelos traços bonitos. 5.2 Manual De Identidade

1

FIGURA 43: MANUAL DE INDENTIDADE U TREND

150


FIGURA 44: APRESENTAÇÃO

FIGURA 45: ÍNDICE 151


4

FIGURA 46: CONSTRUÇÃO CONSTRUÇÃODA MARCA | CONEITO

CON CEI TO O con cei to desen volvido pela Agên cia par a desen volvim en to do n om e, é baseado em um vocabulár io casual e am er ican o, con ten do abr eviações típicas do vocabulár io, o n om e U Tr en d, foi desen volvido par tin do do pr in cípio de que n ós quer em os cr i ar n ovas ten dên cias, ten dên cias se r efer em a n ovas ideia, n ovos hor izon tes, algo que tem um objetivo e ten de a ser alcan çado, a palavr a ten dên cia tr aduzida par a o In glês “Tr en d” foi adicion ada ao n osso n om e, par tin do dessa ideia. Jun tam os com a ten dên cia, você. A em pr esa tem o objetivo de fazer com que você se tor n e a ten dên cia, de que você con osco ten ha a capaci dade de atin gir seus objetivos, en tão acr escen tam os jun to ao n osso n om e a abr eviação de ”você” em in glês ”U”, por questão fon ética, visual e par a dar um a im pr essão m ais casual a n ossa agên cia. For m an do en tão a U Tr en d. 05

FIGURA 47: CONCEITO 152


CONSTRUÇÃODA MARCA | CONCEITO

Nosso con cei to cr i ado par a o logo, foi ex atam en te pen sado n o sign ificado do n om e, utilizam os a figur a pr in cipal da lâm pada par a fazer a r efer ên cia a n ovas ideias, a n ovas cr i ações, a lâm pada é um objeto que pode ser r epr esen tado com o um ícon e gr áfico da palavr a ideia. Acr escen tam os tam bém jun to a lâm pada algum as das pr in cipais coi sas que são ten dên cias hoje n o m un do, com o o celular, a in ter n et, o com putador. Jun to tam bém tem os algum as figur as que n os r em et em a com un icação com o o m egafon e, e par a fin alizar tem os o cér ebr o o lápis as en gr en agen s e o quebr a-cabeça que são fun dam en tos essen ciais par a a cr i ação de n ovas ideias e ten dên cias n o m un do de hoje. Nosso con cei to básico e tr an sm itir par a o clien te toda a essên cia de que n ossa em pr esa visa cr i ar n ovas ideias r elacion adas as ten dên cias que o m un do tem n o seu pr esen te, e jun to a elas acr escen tar n ovos hor izon tes par a o clien te. Fazen do dele um a ten dên cia.

06

FIGURA 48: CONCEITO

FIGURA 49: CONCEITO 153


CONSTRUÇÃODA MARCA | MALHA CONSTRUTIVA

M ALH A CON STRU TI VA

08

FIGURA 50: MALHA CONSTRUTIVA

CONSTRUÇÃODA MARCA | PADRÃOCROMÁTICO

PADRÃO CROM ÁTI CO

Amar elo U Tr end C: 6 M: 29 Y: 79 K : 0 R: 251 G: 196 B: 99 Pan ton e 142 C

PALETA DE CORES ADI CI ON AL A Mar ca U Tr en d n ão con ta com cor es adicion ais, é obr igatór i o o uso da cor estabeleci da ou da logom ar ca em for m ato Acr om ático (apr esen tado n as págin as seguin tes).

09

FIGURA 51: PADRÃO CROMÁTICO 154


CONSTRUÇÃODA MARCA | VERSÕES DA MARCA

VERSÕES DA M ARCA A m ar ca U Tr en d possui algum as ver sões opci on ais par a ser em utilizadas com o for m a de facilitação n o uso da logom ar ca, é r ecom en dável que a ver são com pleta seja utilizada. Haven do a im possibilidade do uso da ver são com pleta, os elem en tos que com põe essa ver são poder ão ser separ ados, dês de que cum pr a as r egr as pr evistas par a a utilização cor r et a da m an eir a alter n ativa.

Ver são Com pleta Recom en dada.

10

FIGURA 52: VERSÕES DA MARCA

CONSTRUÇÃODA MARCA | VERSÕES DA MARCA

Apen as o sím bolo, esta ver são pode ser utilizada som en te em ocasi ões de gr afism o em m ater iais, por ém n ão pode ser utilizada com o a Assin atur a da m ar ca, pr in cipalm en te pelo fator de n ão con ter o n om e da m ar ca U Tr en d.

Sím bolo isolado.

Ver são tipogr áfica.

Esse tipo de ver são tipogr áfica pode ser adotado com o um a opção tam bém , por ém só pode ser utilizada em ocasi ões on de com o uso da ver são com pleta seja in capaz a leitur a do n om e da Agên cia, com o por exem plo o uso do logo em um lápis ou pen -dr ive.

11

FIGURA 53: VERSÕES DA MARCA 155


CONSTRUÇÃODA MARCA | VERSÕES DA MARCA

VERSÕES DA M ARCA A m ar ca pode ser utilizada tam bém em outr as ver sões, on de pode haver con tr ast e de cor es, levan do em con ta o local da aplicação da m ar ca, pode ser usado com o opção as seguin tes for m as:

Ver são Negativa.

Ver são Positiva.

Ver são que deve ser utilizada som en te em locais com o fun do especi ficadam en te de tom m ais escur o.

Ver são Outlin e.

Ver são que deve ser utilizada som en te em locais com o fun do especi ficadam en te de tom m ais clar o.

Ver são que deve ser utilizada som en te em casos ex tr em os, on de n en hum a das ver sões apr esen tadas an ter ior m en te for em com patíveis e/ ou ideais. 12

FIGURA 54: VERSÕES DA MARCA II

CONSTRUÇÃODA MARCA | ACROMÁTICO

ACROM ÁTI CO A n ossa logom ar ca con ta com o for m ato acr om ático par a casos on de apen as o uso de um a ún ica cor for per m itido, ou seja quan do a ver são cr om át ica apr esen tada n ão for possível de ser utilizada. É obr i gatór io o uso da logom ar ca n essa ocasi ão das m an eir as exem plificadas abai xo.

13

FIGURA 55: ACROMÁTICO 156


FIGURA 56: PADRÃO TIPOGRÁFICO

CONSTRUÇÃODA MARCA | ÁREA DE PROTEÇÃO

ÁREA DE PROTEÇÃO Esta sessão m ostr a a ár ea de pr oteção par a fin s de in tegr idade visual da m ar ca, m ostr a os lim ites que devem ser r espeitados par a evitar possíveis in ter fer ên cias visuais de elem en tos n ão pr oven ien tes da m ar ca U Tr en d.

a

=Ár ea m étr ica.

15

FIGURA 57: ÁREA DE PROTEÇÃO 157


CONSTRUÇÃODA MARCA | REDUÇÃOMÁXIMA

REDU ÇÃO M ÁXI M A A fin s de con ser var a legibilidade visual da m ar ca U Tr en d, algun s lim ites de r edução m áx im a de logom ar ca for am cr i ados, par a que n ão haja pr oblem as de ilegibilidade.

2 cm

Ver são Com pleta (Recom en dada)

1 cm

0,5 cm

3 cm

1,5 cm 0,5 cm Ver são Tipogr áfica.

Ver são Sím bolo.

16

FIGURA 58: REDUÇÃO MÁXIMA

CONSTRUÇÃODA MARCA | USOS INCORRETOS

U SOS I N CORRETOS Par a que a m ar ca possa se m an ter com sua or igin alidade, legibilidade e in tegr idade, n ão devem ser violados os ter m os de uso. Abai xo algun s exem plos de per spectiva, m odificações dos elem en tos, cor es n ão pr oven ien tes da m ar ca que n ão devem ser executas em hipótese algum a com a m ar ca U Tr en d.

NÃO INCLINAR

NÃO INSERIR TEXTURA

NÃO DISTORÇER PROPORÇÃO

NÃO MODIFICAR COR

NÃO ESTICAR

NÃO INSERIR GRADIENTE

17

FIGURA 59: USOS INCORRETOS 158


FIGURA 60: FUNDOS

FUNDOS| FUNDOS PERMITIDOS

F U N DOS PERM I TI DOS Os fun dos par a n ossa logom ar ca n ão são tão r ecom en dados. Por ém caso haja a n ecessidade de utiliza-los algum as n or m as devem ser cum pr idas par a que a legibilidade do m esm o se m an ten ha, é de sum a im por tân cia que os fun dos sejam em cor es clar as. É im por tan te que os lim ites da ár ea de pr oteção sejam r espeitados.

19

FIGURA 61: FUNDOS PERMITIDOS 159


FUNDOS| FUNDOS VETADOS

F U N DOS VETADOS Algun s fun dos são ex pr essam en te pr oibidos par a utilização, com o fun dos com cor es quen tes, e cor es que causam con tr ast e visual n a logom ar ca da em pr esa, algun s exem plos de fun dos vetados seguem abai xo:

20

FIGURA 62: FUNDOS VETADOS

FUNDOS| FUNDOS FOTOGRÁFICOS

F U N DOS F OTOGRÁF I COS Em ocasi ões on de a logom ar ca for in clusa em fun dos fotogr áficos, depen de-se da fotogr afia par a saber qual o tipo de visualização que ser á in clusa n o logo. Com o por exem plo fotos em pr eto e br an co dever á utilizar a logo m ar ca em estilo color i do (ver são com pleta com pr eto ou br an co), ou em caso de fotos com um con tr ast e m ais escur o, utilizar a ver são Acr om ática do logo.

21

FIGURA 63: FUNDOS FOTOGRÁFICOS 160


FUNDOS| FUNDOS ESPECIAIS

F U N DOS ESPECI AI S Ex istem algun s fun dos que são con sider ados com o fun dos especi ais pois podem car r egar a logom ar ca em sua ver são sím bolo isolado de for m a vazada, por em devem seguir um padr ão.

Em fun dos com padr ão, com o papéis de par ede, quan do o tom pr edom in an te do fun do for escur o o logo dever á ser utilizado n a for m a n egativa, e vice-ver sa.

Em fun dos com o papéis, on de o tom é clar o, usar a ver são acr om ática do logo.

22

FIGURA 64: FUNDOS ESPECIAIS

23

FUNDO 65: GRAFISMOS 161


GRAFISMOS| GRAFISMOS

GRAFI SM OS Cr iado par a dar um a estabilidade e equilíbr io sem pr e que a logom ar ca for utilizada, com fin s de n ão padr on izar apen as o logo e n ão se tor n ar can sat ivo o uso do m esm o in úm er as vezes, o gr afism o foi desen volvido. Par a ser aplicado em objetos de papelar ia, br in des, m ater iais destin ados a pr om oções e afin s. Pode ser utilizado em qualquer un idade de tam an ho e quan tidade, sem pr e que pr opor cion al.

24

FUNDO 66: GRAFISMOS

GRAFISMOS| GRAFISMOS

GRAFI SM OS A lâm pada do logo pode ser utilizada tam bém com o um a opção de gr afism o de n as aplicações (algum as apr esen tadas n o pr óx im o capítulo). O logo deve ser utilizado n a ver são Sím bolo Isolado n as cor es: Pr eto com Am ar elo U Tr en d ou som en te Pr eto em tr an spar ên cia 35%.

25

FUNDO 67: GRAFISMOS 162


GRAFISMOS| CORES

CORES As cor es utilizadas n os n ossos gr afism os, n ão são cor es difer en tes das cor es ex isten tes n a logom ar ca, pr in cipalm en te pelo fato de seguir m os o con cei to da m ar ca que segue um padr ão de cor es que são (Am ar elo U Tr en d, Pr eto e Br an co). No n osso gr afism o utilizam os um fun do com um tom m ais escur o que o br an co par a poder dar um con tr ast e equilibr ado ao sím bolo U Tr en d br an co n o gr afism o. A cor utilizada é:

C: 22 M: 20 Y: 44 K: 0 R: 213 G: 202 B: 159 Pan ton e 4545 C

26

FUNDO 68: GRAFISMOS

FIGURA 69: APLICAÇÕES 163


FIGURA 70: APLICAÇÕES

FIGURA 71: APLICAÇÕES 164


FIGURA 72: APLICAÇÕES

APLICAÇÕES| PAPELARIA

CARTÃO DE VI SI TA

Papel: Couche Fosco 350G Acabam en to: Lam in ado Fosco Tam an ho: 2,9 x 7,1 cm Logotipo: 2 x 3 cm En der eço: Fon te Padr ão UTr en d

31

FIGURA 73: APLICAÇÕES 165


APLICAÇÕES| PAPELARIA

CD E CAPA DE CD

Tar ja Br an ca: 6 x 2 cm Tam an ho: 12 x 12 cm Logotipo: 8 X 5 cm

32

FIGURA 74: APLICAÇÕES

APLICAÇÕES| PAPELARIA

CARTÃO DE I DENTI FI CAÇÃO

Fon te:: Padr ão U Tr en d Tam an ho: 5,5 X 8,6 cm Logotipo: 2 X 4 cm Im pr essão: Tér m ica em PVC

33

FIGURA 75: APLICAÇÕES 166


APLICAÇÕES| SIMULAÇÃOFACHADA

SI M U L AÇÃO FACH ADA

34

FIGURA 76: APLICAÇÃO - SIMULAÇÃO DA FACHADA

35

FIGURA 76: FIM DA APRESENTAÇÃO DO MANUAL DE INDENTIDADE 167


5.3 Brandbook

FIGURA 77: APRESENTAÇÃO DO BRANDBOOK U TREND

168


FIGURA 78: POR QUÊ UTREND?

Como nosso próprio nome já diz: Nós somos a tendência. Onome U Trend, é a abreviação de you trend, que significa: “você como” tendência. Fazer parte dessa agência é nunca estar satisfeito com as tendências do momento, sempre trazemos o futuro para o presente, não há barreiras que não possam ser quebradas para o nosso time. Sempre com a criatividade aguçada, inovação e criação são as nossas palavras-chave.

FIGURA 79: O QUE SIGNIFICA SER U TREND PARA NÓS?

FIGURA 80: PENSAMENTOS IV 169


FOTO$DA$AGÊNCIA$TODA$EM$ FUNDO$BRANCO

FIGURA 81: AGÊNCIA U TREND

FIGURA 82: PENSAMENTOS IIV 170


M I SSÃO Eficiência, criatividade e originalidade na comunicação prestada ao cliente para que possamos satisfazê-los e surpreende-los para que possamos torna-los uma grande tendência.

VI SÃO Temos como diferencial vislumbrar as tendências do mercado publicitário, focados em tornar nosso cliente uma tendência no mercado em que participa, para nós, não existe o inalcançável e muito menos o impossível.

SLIDE:'MISSÃO'VISÃO'E'VALORES VALORES -Ética -Qualidade -Originalidade -Sustentabilidade -Inovação -Paixão

FIGURA 83: MISSÃO, VISÃO E VALORES

N OSSOS SERVI ÇOS Nossa em pr esa tem um foco pr in cipal in clin ado par a o setor var ejista, con tam os com pr ofission ais especi alizados n a ár ea além de um com pleto CP (Cen tr o de Pesquisas) for m ado em par cer ia com um a em pr esa focada n esse ser viço, tem os in for m ações sem an alm en te detalhadas e pr ecisas a r espeito de com por tam en to de con sum o, público-alvo, ten dên cias n o var ejo, pesquisas de pr eço, m elhor m eio de com un icação com o público var ejista, en tr e outr os tipos de ser viços... Ofer ecem os en tão com esse tipo de difer en cial, um a cam pan ha publicitár ia m ais pr ecisa, com m aior es chan ces de sucesso e de r etor n o positivo. Ser viços atr avés de m ídia digital, m ídia ex ter i or, m ídia in door, pan f letos, an ún ci os em ger al, são feitos por n ossa equipe com um só in tuito, poder sat isfazer o clien te e poder cum pr i com a n ossa palavr a n o fin al de cada job. E qual é a n ossa palavr a? Aqui n ós fazem os você se tor n ar um a ten dên cia!

FIGURA 84: NOSSOS SERVIÇOS 171


O QU E FAZEM OS? Nossa agência é constituída por publicitários inovadores e criativos, com características diferentes, que buscam juntos o mesmo objetivo e que com a capacidade individual de cada um atingimos nossas finalidades. Procuramos sempre atender os interesses e necessidades dos nossos clientes, tendo como foco superar as expectativas e levar algo novo e diferente do tradicional. Onosso diferencial é que conseguimos passar para as publicidades a tendência de cada cliente que nos procura, assim podendo deixar a trabalho com mais originalidade.

SLIDE:'O'QUE'FAZEMOS?'

FIGURA 85: O QUE FAZEMOS?

FIGURA 86: PENSAMENTOS VIII 172


FIGURA 87: 12 MANDAMENTOS U TREND

173


Slide&Bia

FIGURA 88: INTEGRANTE U TREND DE PLANEJAMENTO

Slide&Felipe&Loffreda

FIGURA 89: INTEGRANTE U TREND DE FOTOGRAFIA 174


Slide&João&

FIGURA 90: INTEGRANTE U TREND DE CRIAÇÃO

Slide&Ka

FIGURA 91: INTEGRANTE U TREND DE ATENDIMENTO 175


Slide&Lucas& Oliani

FIGURA 92: INTEGRANTE U TREND DE MIDIA SOCIAL

Slide&Lucas&Moraes

FIGURA 93: INTEGRANTE U TREND DE PESQUISAS 176


Slide&Lucas&Peres

FIGURA 94: INTEGRANTE U TREND DE REDAÇÃO

Slide&Rafa&Bonini Precisa&de&outra&foto,&será&tirada&hoje...&

FIGURA 95: INTEGRANTE U TREND DE ARTE E EVENTOS 177


Slide& Victor&Faria

FIGURA 96: INTEGRANTE U TREND DE CRIAÇÃO E REDAÇÃO

FIGURA 97: PENSAMENTOS VIII 178


FIGURA 98: PORTFÓLIO

VAREJ O

Conteúdo(portfolio

EXTRA SUPERMERCADOS 2017.

FIGURA 99: NOSSOS CLIENTES DE VAREJO 179


Conteúdo(portfólio

LEROY MERLIN 2016.

Conteúdo(portfólio

CASAS BAHIA 2015

180


FIGURA 100: FIM DA APRESENTAÇÃO DO BRANDBOOK 5.4 Peças de Lançamento

181


FIGURA 101: OUTDOOR

FIGURA 102: REVISTA/JORNAL

In stagr am

Sn apchat

Facebook Fã Page

FIGURA 103: REDES SOCIAIS 182


FIGURA 104: SITE

183


CONSIDERAÇÕES FINAIS O Projeto Integrado do terceiro semestre de Publicidade e Propaganda desse ano de 2017 na Universidade Metodista propôs ao nosso grupo a criação de uma agência de publicidade do zero, assim como faríamos na vida real, com todos os processos, desde jurídicos até os criativos maquinados desde o zero. Dessa forma, nasceu a U Trend, que com muito suor e dedicação que aplicaríamos na construção de uma agência real, surgiu como nosso projeto, e está registrado nessa monografia. Com foco na área de varejo, analisamos que gestão, ética, legislação e atendimento são os pilares, os primeiros impulsos para que uma agência cresça e evolua no mercado de forma sólida, segura, e, acima de tudo, com credibilidade. Comportamento do consumidor e pesquisa de mercado são de extrema importância para saber com o que estamos lidando antes de começar um job, e para atingirmos ou superarmos os resultados esperados, o público-alvo correto deve ser selecionado e a expectativa e satisfação do nosso cliente deve ser plena. Vimos também que um setor de criação não é eficiente sem uma base inovadora, com estudos e pesquisas que envolvem comunicação, arte e cultura, agregando, assim, valor ao trabalho e o tornando diferenciado no mercado. Com a ajuda de profissionais extremamente competentes que são os professores da Universidade Metodista e de todos os nove integrantes da agência, temos o orgulho de poder dizer que concluímos essa estruturação, trabalho esse que certamente agregou a todos nós da U Trend muita experiência e conhecimento para entrarmos em um mercado extremamente competitivo que nos aguarda pela frente, que alguns de nós até mesmo já enfrenta atualmente.

184


REFERĂ&#x160;NCIAS http://www.inpi.gov.br/ http://www.industriahoje.com.br/mix-de-marketing-conheca-mais-sobre-os-4ps-de-marketing http://marketingdeconteudo.com/4-ps-do-marketing/ http://www.portaldomarketing.com.br/Artigos/Comportamento_do_Consumidor .htm http://marketingdeconteudo.com/o-circulo-dourado/ http://www.sadsj.org/index.php/revista/article/view/37 http://www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/o-conceitodo-varejo-e-a-importancia-da-tomada-de-decisao/67341/ http://www.administradores.com.br/artigos/academico/marketingcomportamento-do-consumidor-e-decisao-de-compra/74801/ <http://www.cedet.com.br/index.php?/Tutoriais/Marketing/mix-demarketing-4-pas-produto-preco-promocao-e-praca.html>. <http://www.dicionarioinformal.com.br/moral/> <www.ĂŠticanapublicidade.com.br> <http://estagios.fundap.sp.gov.br/index.php?option=com_content&view=article &id=100&Item:id=121> <http://guiadoestudante.abril.com.br/blogs/pordentrodasprofissoes/tag/publicid ade-2/> https://oglobo.globo.com/economia/com-crise-economica-mercadopublicitario-aposta-em-midia-tradicional-15890142 http://www20.opovo.com.br/app/opovo/economia/2015/10/23/noticiasjornaleco nomia,3523145/mercado-publicitario-enxerga-a-crise-pelo-lado-bom.shtml 185


<http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias/Como-montarumaag%C3%AAncia-de-publicidade#naveCapituloTopo> JONES, DAVID. Empresas que cuidam prosperam: porque neg처cios que praticam o bem: s찾o os melhores neg처cios. S찾o Paulo: Integrare Editora,2012. http://economia.culturamix.com/mercado/o-mercado-publicitario-no-brasil http://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/2016/09/06/sinaprosp-um-perfil-do-mercado-publicitario-regional.html http://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/2016/09/06/sinaprosp-um-perfil-do-mercado-publicitario-regional.html http://onegociodovarejo.com.br/as-25-maiores-empresas-de-moda-do-mundo/ http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-02/vendas-do-varejoem-todo-o-pais-caem-42-em-janeiro-diz-pesquisa https://pt.wikipedia.org/wiki/Moral http://www.contabilrca.com.br/passo-a-passo.html http://fgmarcas.com.br/o-que-e-patente/ http://www.evef.com.br/artigos-e-noticias/administracao-de-marketing/143conceitos-da-administracao-de-marketing http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/tipos-de-contrato-detrabalho/65088/ http://www.ignicaodigital.com.br/quais-sao-os-tipos-de-contratos-de-trabalhoque-posso-ter-na-minha-empresa/ https://pensador.uol.com.br/epigrafe_para_tcc_publicidade/ http://posgraduando.com/frases-celebres-para-monografias-dissertacoes-eteses/ http://www.descomplicandotcc.com.br/2015/08/dicas-de-15-pensamentos-efrases-para.html?m=1 186


http://www.administradores.com.br/frases/philip-kotler/ https://nequidnimis.wordpress.com/2013/09/26/epigrafes-frases-celebrespara-monografias-dissertacoes-e-teses/ https://www.significados.com.br/etica/ https://www.significados.com.br/moral/ http://www.techtudo.com.br/dicas-e-tutoriais/noticia/2015/12/como-fazer-umorganograma-no-word.html

ANEXOS Anexo A: Pesquisa de Mercado ROTEIRO SEMI-ESTRUTURADO Tema Central: expectativas dos pequenos e médios empresários com o desempenho, atuação das agências de propaganda e quais são suas necessidades na área de comunicação. Tópicos a serem abordados: 

Como é trabalhar com uma agência publicitária?

Quais os principais objetivos da empresa que a agência deve

Qual a maior falha que uma agência pode cometer?

Qual sua opinião sobre o mercado publicitário?

Qual sua opinião sobre o CONAR?

Qual conselho você daria para a nova geração de publicitários?

Quais suas referências de publicitários?

O que para você tornaria uma agência publicitária inteligente?

Você acredita que a cultura interfira na divulgação de sua

atingir?

empresa, marca ou produto? 187


Para você, qual a estimativa de tempo para avaliar o

desempenho de uma agência para obter bons resultados?

ENTREVISTAS EM PROFUNDIADE

Entrevista: N°1

Data: 29/03/17

Das 17h29 às 17h50

Local: Sala de reunião da empresa Amplo. Entrevistado: Caio Leite

Idade: 37 anos

Grau de instrução: Pós- gradua do. Empresa: Amplo Comunicação. Cargo ocupado: Atendimento

Entrevistador: Como é trabalhar com uma agência de publicidade e propaganda para você?

Entrevistado: Pra mim, pra mim é ótimo, né, porque a gente desenvolve, né, as nossas ideias, opiniões, né, então tudo o que a gente imagina, né, pra ter um resultado positivo com o cliente, a gente consegue na maioria das vezes desenvolver isso na arte da comunicação.

Entrevistador: Quais os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir?

Entrevistado: Como principal objetivo, né, é atingir a meta que o, que o cliente necessita, né, a gente precisa fazer o gosto do cliente, a gente precisa fazer a vontade do cliente, colocar em prática aquilo que o cliente desenvolveu, né.

Entrevistador: Você acredita que o marketing digital é importante para sua empresa?

188


Entrevistado: É o marketing digital assim, ele é muito importante, é uma das melhores ferramentas que, que a gente consegue trabalhar hoje. Então, assim, elE é fundamental pra agência.

Entrevistador: O que para você tornaria uma agência publicitária inteligente?

Entrevistado: O que tornaria a agência inteligente, eu acho que isso depende dos próprios colaboradores, né, então acho que cada um dando a sua parcela ai, torna mais inteligente.

Entrevistador: O que você espera de uma agência publicitária perante ao desenvolvimento com a sua empresa, seja em seus produtos ou no atendimento?

Entrevistado: Eu acho que, tanto o que eu espero, quanto o que o cliente final espera, é um bom desenvolvimento do produto, um ótimo trabalho, um resultado final, assim, com 100% de aproveitamento, né, independente do trabalho que é executado.

Entrevistador: Já houve alguma experiência ruim com alguma agência? Qual?

Entrevistado: É, eu não... Eu vou falar de um modo geral, né, eu não tive assim grandes problemas, os problemas que a gente tem que é cotidiano, né, são os problemas do dia a dia, prorrogação de boletos, pagamentos, esse tipo de coisa, né, acho que fora isso a gente sempre teve um bom aproveitamento ai dos produtos das agências.

Entrevistador: Como cliente, o que aprendeu e evitaria ao trabalhar com uma agência?

Entrevistado: (fungada) O que eu aprendi com uma agência, é, é que a gente tem que passar todos os detalhes possíveis referente a arquivos, referente a 189


tudo, né, pra ter um resultado positivo, porque às vezes se você deixa de passar um detalhezinho, ai (pausa)

às vezes, pode sair algum produto errado, pode sair

alguma coisa errada, então, eu acho isso, então, referente ao aprendizado, a gente colocar todos os detalhes na hora de passar pra agência o que a gente necessita, pra gente ter um resultado positivo.

Entrevistador: Se fosse dono de uma agência publicitária, qual sugestão daria e o que faria diferente com os que já teve contato?

Entrevistado: É, se eu fosse dono duma agência, o que eu poderia tá fazendo, é, tudo o que eu fosse fazer numa área interna, pra resolver algum trabalho, ou procurar um produto, eu sinceramente pediria a opinião de todos os colaboradores, eu colocaria todo mundo a par do que ta acontecendo, é, pra gente buscar um pouco do conhecimento de cada um, conhecimento e experiência de cada um, né, e junto, juntando todas elas, a gente consegue ter um resultado final bem mais específico, uma coisa mais trabalhada, uma coisa mais bonita.

Entrevistador: Acredita que o tipo de trabalho que uma empresa espera da agência são os trabalhos que valorizam a marca a longo prazo? Como?

Entrevistado: Humm... Eu acho que não, eu acho que, independente se a longo prazo, se é a curto prazo, eu acho que a empresa espera um resultado positivo, né, e que, e que atinja os objetivos dela, né, então independente se é a longo, a curto prazo, a gente tem que atender aquilo que a agência ta procurando, a gente tem que entender aquilo que a empresa ta procurando.

Entrevistador: Qual a maior falha que uma agência pode cometer?

Entrevistado: A pior falha que existe é a falta de comunicação interna, eu acho que é aquilo que eu falei desde o começo, se a gente não tem uma boa comunicação e deixa passar algum detalhe o negócio não vai pra frente, então na minha opinião, todo mundo tem que ser bem comunicativo pra que tenha um resultado positivo. 190


Entrevistador: Para você, qual a estimativa de tempo para avaliar o desempenho de uma agência contratada? Porquê?

Entrevistado: (fungada e pausa) Estimativa de tempo, eu acho que isso se da a partir do momento que o cliente liga na empresa e ele já é bem atendido, eu acho que os primeiros minutos, eu acho que ag... já são importantes pra isso, né, então eu acho que a gente já tem que conquistar o cliente já logo no primeiro contato dele, seja por telefone, seja por e-mail, eu acho que o quanto antes possível melhor.

Entrevistador: Já passou por alguma situação de gafe cometida pela agência para obter bons resultados? Conte-nos.

Entrevistado: Humm...Vou dar um exemplo que aconteceu a pouco tempo, né, é foi diferente até a própria falta

de comunicação interna mesmo, então a

agência mandou um arquivo pra poder rodar, pra poder imprimir e o cliente fez uma modificação nesse arquivo, né, e na rede, a pessoa que mandou o arquivo, colocou o arquivo novo, mas deixou o antigo na pasta da rede, né, então o que foi pra impressão foi o arquivo antigo, que não tinha sido modificado ainda, então como era algo simples, né, vou dar o exemplo, eram cinco banners, e um arquivo tinha o emblema do, de um supermercado, né, e no outro arquivo não tinha o emblema, o arquivo novo tinha que ter esse emblema, então a gente resolveu da seguinte forma, né, a gente imprimiu cinco banners sem o emblema, né, e os emblemas foram impressos por em adesivos e instalados, foram colocados nos banners, né, então foi uma solução rápida, uma solução inteligente, né, sem que a gente tivesse nenhum tipo de prejuízo.

Entrevistador: Você acredita que a cultura interfira na divulgação de sua empresa, marca ou produto? Porquê?

Entrevistado: Eu não acredito que a cultura faça diferença não, eu acho que o que faz a diferença é o bom trabalho, o bom desempenho de cada um dentro da agência, né, e buscando bons resultados, né, eu acho que vamos dizer assim que 191


se for falar da cultura vamos falar assim, a boca a boca, né, um cliente indica, outro cliente indica por conta de ter bons resultados, mas a cultura assim em si do nosso país inclusive hoje, não permite que a gente tenha resultados a partir da própria cultura, eu acho que é invalido isso, eu acho que é o bom desempenho da empresa que, que promove isso, e não a cultura.

Entrevistador: Qual sua opinião sobre o mercado publicitário?

Entrevistado: Pra falar a verdade eu acho que ta uma bagunça(risada), né, porque assim, tem muita gente trabalhando com internet, muita gente trabalhando com outdoor, muita gente trabalhando com jornal, então, assim, é um, a mídia a gente não, não sabe ao certo onde vai encontrar uma, a, a marca, né, hoje em dia ta difícil a gente saber onde a gente vai atingir a o maior público, mas é um dos mercados assim, que, que giram, que, que movem a economia do país, vamos dizer assim, eu acho que é isso, né, eu acho que ta meio bagunçado o negócio.

Entrevistador: Quais os critérios que você avalia antes de fechar acordo com uma agência publicitária e qual o grau de importância de cada critério?

Entrevistado: A... Os critérios pra mim podem fechar um acordo com uma agência, é aquilo que eu falei algumas questões atrás, acho que a partir do momento que eu sou bem atendido, né, e então assim, seria o primeiro contato e é lógico né, que ninguém foge disso, os valores, né, o orçamento em si, e a qualidade, tem qualidade que vão suprir os valores, né, então assim, eu vou procurar indicações, né, e se os valores tiverem de acordo com as indicações que eu tive, com a qualidade que a empresa tem, eu acho que esses são os principais critérios, né. Atendimentos, valores e qualidade.

Entrevistador: Qual seria sua opinião sobre o CONAR?

Entrevistado: O CONAR, é a minha opinião, né, eu acho que é válida o que eu falei já desde o começo também, que é um tipo dum evento que reúne, né os publicitários e a gente busca as ideias né, então acho que a ideia da, de toda essa 192


galera ai, faz com que a gente desenvolva novos projetos, abre um leque, né um leque de opções pra gente, então eu acho, acho muito válido, acho que é um evento que vale muito a pena continuar, e vale à pena a gente comparecer quando tiver oportunidade.

Entrevistador: Qual conselho você daria a nova geração de publicitários?

Entrevistado: O conselho que eu daria, eu acho o seguinte, eu acho que o mundo que a gente vive hoje, a gente tem que ter uma garra, mais uma garra assim, muito determinada pra correr atrás dos clientes, porque o mercado ta assim, muito, mas muito competitivo nessa área, então se o publicitário quer seguir esse rumo, tem que ter o pé no chão, nem que, tem que determinar metas e tem que cumpri-las, com unhas e dentes, cumprir as metas que foram exercidas, pra, pra ter um resultado.

Entrevistador: Dizem que somos o que lemos, assistimos e ouvimos. Sendo assim, o que você indica que os novos profissionais leiam, assistam ou ouçam para desenvolver uma cultura necessária como publicitário?

Entrevistado: Bom, na minha opinião assim, é como eu falei né, a publicidade hoje em dia ta muito bagunçada, você ouve muitas coisas, você lê muitas coisas e você assiste muitas coisas que não tem, que não fazem o menor sentido, então o que eu indico pra um publicitário seria procurar uma pessoa né que tem experiência no ramo, que não sabe o que ta faltando, que já viveu experiências né, pra, pra poder seguir o rumo, entendeu? Porque eu acho que a própria mídia em si ta bagunçada e às vezes a gente vê coisas que não tem nexo nenhum, então o que eu indicaria seria uma pessoa experiente pra tirar as suas duvidas, pra aprender um pouco mais e vai ser melhor até inclusive porque vai ta aprendendo na prática né, essa é minha opinião.

Entrevistador: Em qual pessoa você se inspirou para chegar a onde chegou e porquê? 193


Entrevistado: Qual pessoa que eu me inspirei, bom, pra falar a verdade, pra chegar onde eu cheguei, eu fui a muito fundo na prática, pesquisando, né, e, estudando muitas pessoas, né, mas falar assim que eu me inspirei em alguém, não, eu me inspirei pra falar a verdade em mim mesmo, e... Eu trabalhei, eu estudei, fui a fundo pra ter os meus méritos hoje.

Entrevistador: Quais são suas referências de publicitários e porquê?

Entrevistado: Minhas referências com agência publicitária, o que eu achei, os melhores, ótimo assim, que fizeram trabalhos excepcionais, que, que tiveram assim, né, que tiveram um, um desenvolvimento bacana, um projeto legal, com, 100% de aproveitamento, essa galera quetrabalha com, com shopping, né, com evento, tal, alguma empresa tipo CB Eventos, Ruban Eventos, que são aquelas pessoas que, que entram dez horas da noite e transformam o espaço, né em uma coisa magnífica.

Entrevistador: Qual sua opinião sobre os cursos de publicidade

e

propaganda oferecidos no país?

Entrevistado: A vigésima primeira, minha opinião sobre os cursos de publicidade e propaganda, eu acho que assim, tem algumas coisas que, que realmente vai que digamos assim a gente realmente paga caro e tem um conteúdo legal, mas o que o país oferece de gratuito assim, eu acho é algo assim, que tem, muito vago né, que faltam algumas coisas que na realidade a gente aprende a maioria na prática.

Entrevistador: Quais livros te inspiraram na sua trajetória?

Entrevistado: Os livros que me inspiram, é, eu sou uma pessoa, digamos assim, que acredita muito no espiritismo, né, que acredita na, tsc, que acredita no, na paz de espírito, né, então na minha trajetória até hoje um livro que mexeu bastante comigo, chama Viagem de Uma Alma, é um livro que, que observa os dois 194


lados da história, e observa assim, só o lado bom, desse lado daqui, é um livro que oferece só as coisas boas.

Entrevistador: Se tivesse 18 anos e tivesse a oportunidade de escolher sua carreira novamente, optaria pela mesma ou escolheria outra?

Entrevistado: Não, se eu tivesse 18 anos, né, e com a cabeça que eu tenho hoje, gostando do que eu faço, tudo, eu optaria sim por esse ramo, né, sem duvida, é... não escolheria outra coisa não, é... aquilo que eu falei em outras questões, né, quando a gente se dedica de corpo e alma realmente é naquilo que a gente gosta, é o que a gente quer fazer, então eu optaria essa mesmo, publicidade.

Entrevista: N°02

Data: 03/04/2017

Horário: 10:15 até

10:28 Local: Diadema Auto-Peças Entrevistado: Fábio Posenato Nogueira

Idade:

43 Grau de Instruão: Graduado em administração Empresa: Diadema Auto-Peças Cargo ocupado: Dono

Entrevistador: Boa tarde. Estamos aqui com o Fábio, dono de uma autopeças em Diadema, que gentilmente concordou em nos passar parte de sua experiência em publicidade e marketing hoje.

Entrevistado: Boa tarde, é um prazer ajudar vocês. Espero que ajude mesmo né? (risos, entrevistado levemente sem graça)

Entrevistador: Pois então comecemos.

195


Entrevistador: Como é trabalhar com uma agência de publicidade e propaganda para você?

Entrevistado: É dar valor à sua marca e querer que se solidifique. Tem que ter muita criatividade e paciência para atender da melhor forma possível as empresas que desejam anunciar suas marcas e/ou ideias. Tem que saber lidar com loucos eu imagino também (risos).

Entrevistador: Tendo isso em mente, quais os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir?

Entrevistado: Inserir a marca no mercado, consolidar e dar resultado, é claro!. Quero dizer, é imprescindível que a agência consiga divulgar da melhor maneira possível o cliente, em ordem de a empresa se tornar mais conhecida dentre as suas concorrentes.

Entrevistador: Absolutamente...E me diga uma coisa: Você acredita que o marketing digital é importante para sua empresa?

Entrevistado: Importantíssimo. O consumidor atual está cada vez mais exigente. Quer comodidade e que as suas necessidades de consumo sejam atendidas em poucos cliques e sem sair de casa. O marketing digital pode com certeza atender à essas necessidades, né, pelo menos é uma boa opção à médio e longo prazo, pelo menos até lançarem uma tecnologia mais eficiente, não é verdade?

Entrevistador: Concordo, viu? (risos). O que para você tornaria uma agência publicitária inteligente?

196


Entrevistado: Buscar diariamente novas formas de engajar os consumidores às marcas que estão sob seus cuidados, e, para ser bem sincero e objetivo, a agência que atinge os melhores resultados, na minha opinião pelo menos, pode ser automaticamente considerada a mais inteligente.

Entrevistador: É por aí... E me diga: O que você espera de uma agência publicitária perante ao desenvolvimento com a sua empresa, seja em seus produtos ou no atendimento?

Entrevistado: A agência tem que entender o básico do que o cliente vende, podendo assim ter melhor visão do mercado e idealizar a campanha sem erros, completando inclusive a sua pergunta anterior, tornando uma agência inteligente que entende dos negócios de seu cliente, que engaja todas as suas áreas para produzir um produto final bem aceitável.

Entrevistador: Já houve alguma experiência ruim com alguma agência? Qual?

Entrevistado: Não. Já trabalhei com agências que fizeram campanhas que não alavancaram tanto quanto o esperado as vendas, mas aí acho que era mais eu sendo pretencioso demais do que um erro em si da agência, entende?

Entrevistador: Correto, Fábio, e como cliente, o que aprendeu e evitaria ao trabalhar com uma agência?

Entrevistado: Como sempre esperamos de mais por menos. Contrato bem detalhado é o principal. Não complicaria muito na hora do briefing, acredito que o melhor a se fazer nessas horas seja deixar a imaginação dos publicitários “voar”, até porque é por isso que eu os contrato. Só um tema principal na campanha já é mais do que o necessário.

197


Entrevistador: Isso, exatamente, deixe-nos voar! Só tome cuidado para não nos deixar voar em uma casinha de teto muito baixo (risos das duas partes). Se fosse dono de uma agência publicitária, qual sugestão daria e o que faria diferente com os que já teve contato?

Entrevistado: Alguns publicitários acham que são deuses, acho que deveriam fazer um curso de atendimento ao cliente. Proporcionaria a todos a oportunidade de um curso detalhado de atendimento ao cliente (mesmo os que não forem de atendimento).

Entrevistador: Ok, e acredita que o tipo de trabalho que uma empresa espera da agência são os trabalhos que valorizam a marca a longo prazo? Como?

Entrevistado: Acredito que sim, pois o que mais interessa em primeiro momento é a consolidação da marca no mercado ao meu ver, cabe à agência fazer peças memoráveis o suficiente para valorizar a empresa e deixa-la mais famosa a médio e longo prazo.

Entrevistador: E qual a maior falha que uma agência pode cometer?

Entrevistado: o “tiro sair pela culatra” (risos). Muita brincadeira ou forçação de barra na hora errada pode custar a cabeça da agência, uma vez que uma má reputação e condenável nesse mercado da propaganda, que (uma pena) é tão cruel com tantas censuras e “politicamente correto”.

Entrevistador: Está certo...E para você, qual a estimativa de tempo para avaliar o desempenho de uma agência contratada? Porquê?

Entrevistado: Acredito que deve ser feito uma avaliação a cada dois ou três meses, pondo-se em consideração a agilidade nas tarefas executadas, é... A qualidade no atendimento ao cliente, a nós (o cliente, por exemplo), se a primeira campanha foi com erro ou não, se persiste no erro, e é isso aí, por essa linha aí eu 198


acho, avaliação é por serviço prestado, todo contexto do serviço que ela presta, desde o desenvolvimento até... o atendimento, o retorno ao cliente, a nós clientes, por exemplo.

Entrevistador: E já passou por alguma situação de gafe cometida pela agência para obter bons resultados? Conte-nos.

Entrevistado: Não. Por sorte (risos) nunca tive que passar por isso, uma gafe de uma agência nunca é algo que está no nosso orçamento, né? (risos).

Entrevistador: Realmente (risos)...E você acredita que a cultura interfira na divulgação de sua empresa, marca ou produto? Porquê?

Entrevistado: Se tomarmos por base a cultura da empresa, eu acredito que assim, que é na cultura da empresa que se tem a identidade da empresa, como que é, como que são seus funcionários, as normas da empresa, os valores, os comportamentos, da toda a equipe. E isso, o cliente sente, ele percebe ao entrar na sua empresa. O que acontece: A cultura da empresa tem que estar ligada direto com essa comunicação, com o marketing, então se é uma empresa aberta, onde se trata bem o funcionário por exemplo, vai ser mais fácil ter uma comunicação empresarial fora dali. Se é uma empresa mais conservadora, que o funcionário tá lá só pra aquilo mesmo, não é tratado como pessoa, vai ser mais difícil a divulgação dela no mercado, porque o cliente quando entra dentro da empresa, a cultura daquilo ali o cara tá só ali praquilo, não pra tratar bem o cliente, não pra tratar as pessoas como pessoas, entendeu? Eu acho que é por esse lado, se for mesmo da cultura da empresa, aí eu entendo que interfira sim.

Entrevistador: Muito bem, e qual sua opinião sobre o mercado publicitário?

Entrevistado: O mercado publicitário no meu entender é o canal que as empresas têm para melhor entender os nossos consumidores que estão cada vez mais exigentes, então o mercado publicitário vem pra isso, como eu já falei em 199


outras questões, então a gente tem que procurar entender cada vez melhor e fazer a divulgação, então o mercado publicitário tá aí, tem que ser, estar sempre aí, então o publicitário tem que estar sempre atualizado para estar sempre entendendo as pessoas, e passar pras empresas o que as pessoas querem.

Entrevistador: Excelente, e quais os critérios que você avalia antes de fechar acordo com uma agência publicitária e qual o grau de importância de cada critério?

Entrevistado: Segue aí: qualidade da equipe, conhecimento no meu setor, é...webmarketing, nas mídias sociais, enfim... acho que é isso aí, além de cumprimento de prazo na execução da tarefa completam a lista.

Entrevistador: Se você diz... (risos) e qual seria sua opinião sobre o CONAR?

Entrevistado: É importante, apesar da loucura ser parte da publicidade, às vezes até a loucura deve ser brecada um pouco né... (risos), como já disse anteriormente, na sociedade do politicamente correto e tudo mais, qualquer exagero pode custar a cabeça da empresa.

Entrevistador: Correto. E qual conselho você daria a nova geração de publicitários?

Entrevistado: Se especializar em ser humano, ver as pessoas como pessoas, e não só como consumidores, se comunicar bem e façam o curso de atendimento ao cliente! (insistiu e riu depois).

Entrevistador: Pode deixar, e dizem que somos o que lemos, assistimos e ouvimos. Sendo assim, o que você indica que os novos profissionais leiam, assistam ou ouçam para desenvolver uma cultura necessária como publicitário?

200


Entrevistado: Publicitário deve estar interado a tudo e a todos, conectado no mundo, e tem que ler e assistir, estar interado no cotidiano mesmo.

Entrevistador: E em qual pessoa você se inspirou para chegar aonde chegou e porquê?

Entrevistado: No mercado de trabalho que eu estou, para exercer a função que eu exerço de administrador, comprador, quem mais me inspirou foi o meu pai, que já tem 54 anos de mercado e tá aí firme e forte, essa é a maior inspiração. Cara f... mesmo (não conseguiu esconder o palavrão para expressar o que sente em relação ao pai).

Entrevistador: Seguindo o gancho, quais são suas referências de publicitários e porquê?

Entrevistado: Duda Mendonça (risos). Até porque quem fez o nosso querido Lula ser efeito merece muito mais do que o nosso reconhecimento.

Entrevistador: Concordo plenamente (risos). E qual sua opinião sobre os cursos de publicidade e propaganda oferecidos no país?

Entrevistado: Cursos com o apoio de altas tecnologias, não perde em nada para os cursos da Europa ou dos EUA, com corpo docente muito qualificado, com grandes profissionais que servem de referência no mundo todo.

Entrevistador: Muito bem, e continuando, tá quase acabando, tá? Quais livros te inspiraram na sua trajetória? (risos)

Entrevistado: Pode ficar tranquilo (risos), pelo menos espero estar colaborando para não te transformar em um publicitário meia-boca, não é verdade? E quanto ao livro, “Os sete hábitos de pessoas altamente eficazes,” acredito que seja muito bom e inspirador. Leia para mais informações (risos). 201


Entrevistador: A última, juro, pode comemorar.Se tivesse 18 anos e tivesse a oportunidade de escolher sua carreira novamente, optaria pela mesma ou escolheria outra?

Entrevistado: Olha, Lucas, eu não me imagino trabalhando em outro lugar, viu, cara? É uma coisa que eu não..., eu acho que eu estou no lugar certo, não sei se eu faço bem ou mal, mas eu to no lugar certo, eu gosto daquilo que eu faço, não me imagino em outra profissão. (Percebeu-se certa carga emocional na entoação dessas palavras).

Entrevistador: Muito obrigado mesmo, Fábio, por colaborar com o nosso trabalho e por passar sua experiência (Ou pelo menos parte dela, né? Sucesso, e tudo de bom com a sua loja.

Entrevistado: Saiba que o prazer é todo meu, ajudar a formar mais uma grande geração de publicitários. E quanto ao sucesso da loja, espero que continue muito boas as vendas. Com a crise, dependemos cada vez mais de publicitários para alavancar as vendas! (risos). Entrevista: N°03

Data: 30/03/17

Horário: das 10:15 ás

10:35 Local: Sala de reunião da empresa Revert Bombas Entrevistado: Gustavo Carrillo

Idade: 22

anos Grau de instrução: Graduado Empresa: Revert Bombas Cargo ocupado: Marketing

Entrevistador: Como é trabalhar com uma agência de publicidade e propaganda para você?

202


Entrevistado:Muito interessante, pois é um lugar repleto de criatividade e idéias no qual me identifico, eles sempre dão um jeito de atender todas as minhas exigências da melhor forma possível, até incluindo coisas as quais eu nunca imaginei.

Entrevistador: Quais os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir?

Entrevistado:A agência precisa sempre tentar atingir todos os objetivos da empresa, que variam de cliente pra cliente, porém, fazer campanhas para tornar a empresa mais conhecida no mercado e valorizar seus produtos, é o foco principal.

Entrevistador: Você acredita que o marketing digital é importante para sua empresa?

Entrevistado:Sim, porque após o cliente conhecer o produto, a primeira coisa que faz é procurar informações sobre o mesmo na internet, hoje em dia é necessário todos os produtos estarem na anunciados, todos fazem pesquisas pela internet antes de comprar qualquer produto.

Entrevistador: O que para você tornaria uma agência publicitária inteligente?

Entrevistado:Ter um excelente relacionamento com o cliente, não só ver o lado da agência, mas também entender o lado do cliente, não apenas como cliente, mas como pessoa.

Entrevistador: O que você espera de uma agência publicitária perante ao desenvolvimento com a sua empresa, seja em seus produtos ou no atendimento?

Entrevistado:Espero que a agência atinja os meus objetivos, referente a formulação de divulgação do produto, porém, sempre com ética profissional, nunca esquecendo que qualquer erro pode gerar inúmeros problemas. 203


Entrevistador: Já houve alguma experiência ruim com alguma agência? Qual?

Entrevistado: A agência só queria cartela de clientes pra ser sincero, então desvalorizava minhas idéias referente ao produto e imperava as dela. Não acredito que uma agência que trabalhe desta forma vá tão longe.

Entrevistador: Como cliente, o que aprendeu e evitaria ao trabalhar com uma agência?

Entrevistado:Evitaria agências que desde o primeiro contato imperasse seus objetivos, sem ouvir os do cliente. Eles precisam atender as nossas necessidades primeiramente, depois sugerir-nos as ideias deles, pra saberem se aprovamos, ou não.

Entrevistador: Se fosse dono de uma agência publicitária, qual sugestão daria e o que faria diferente com os que já teve contato?

Entrevistado: Faria com que as demais áreas da agência tivessem mais dialogo entre eles e que dessem mais valor ao atendimento, que é o principal dentro da empresa, é quem gera a confiança entre cliente e agência, eles deveriam ter mais crédito.

Entrevistador: Acredita que o tipo de trabalho que uma empresa espera da agência são os trabalhos que valorizam a marca a longo prazo? Como?

Entrevistado: Acredito que não, pois os de curto prazo também são valorizados, sempre é importante ter resultados menores, porém rápidos.

Entrevistador: Qual a maior falha que uma agência pode cometer? 204


Entrevistado: Deixar de dar a devida atenção ao cliente, porque afinal, um cliente também é uma pessoa e pode indicar aquela agência para outras empresas, então devem estar mais atentos sobre isso, procurar não passar uma imagem negativa para quem eles atendem.

Entrevistador: Para você, qual a estimativa de tempo para avaliar o desempenho de uma agência contratada? Porquê?

Entrevistado: Durante o desempenho e desenvolvimento do produto, marca, durante os serviços prestados para a empresa, por isso acho que não há uma estimativa de tempo, tudo depende do quão longo e trabalhoso é o pedido.

Entrevistador: Já passou por alguma situação de gafe cometida pela agência para obter bons resultados? Conte-nos.

Entrevistado:Não, não passei por nenhuma situação grave que eu me lembre.

Entrevistador: Você acredita que a cultura interfira na divulgação de sua empresa, marca ou produto? Porquê?

Entrevistado: Acredito, tanto que a cultura da empresa interfira quanto a cultura do lugar, vemos o nome como exemplo, em cada estado tem um sotaque diferente e em cada país também, então existem diferentes pronuncias como também existem diferentes modos de fazer algo.

Entrevistador: Qual sua opinião sobre o mercado publicitário?

Entrevistado:O mercado publicitário é muito bom, estão formando cada vez mais publicitários excelentes, sempre preocupados com a inovação de seus serviços, nunca deixam de se atualizar em relação ao mercado. 205


Entrevistador: Quais os critérios que você avalia antes de fechar acordo com uma agência publicitária e qual o grau de importância de cada critério?

Entrevistado: Avalio o relacionamento que a agência tem com o cliente desde o início, o respeito, a prestatividade para ouvir o cliente, é sempre bom fazer pesquisas sobre as agências, saber o que o mercado diz sobre elas e como estão avaliadas.

Entrevistador: Qual seria sua opinião sobre o CONAR?

Entrevistado:O CONAR é necessário, pois é onde está situado todo o conhecimento sobre a publicidade

Entrevistador: Qual conselho você daria a nova geração de publicitários?

Entrevistado: Que estudem e se possível façam um intercâmbio, pois conhecimento e experiência é algo importantíssimo para o mercado de trabalho, saber nunca é demais, tentar conhecer o máximo sobre o maior número de assuntos.

Entrevistador: Dizem que somos o que lemos, assistimos e ouvimos. Sendo assim, o que você indica que os novos profissionais leiam, assistam ou ouçam para desenvolver uma cultura necessária como publicitário?

Entrevistado: Amo os livros do Benny Him, não tem nada a ver com publicidade mas é um escritor excelente e acredito que um bom publicitário deve ler, assistir e ouvir de tudo.

Entrevistador: Em qual pessoa você se inspirou para chegar a onde chegou e porquê?

206


Entrevistado: Não me inspirei em ninguém em especifico, mas sempre tive o apoio dos meus pais durante toda a minha vida, acredito que tenha me ajudado muito a chegar a onde cheguei.

Entrevistador: Quais são suas referências de publicitários e porquê?

Entrevistado: Considero o Marcelo Serpa como uma grande referência, por estar entre os homens mais criativos do mundo, pela sua vasta carreira. Possui um grande posicionamento no mercado publicitário.

Entrevistador: Qual sua opinião sobre os cursos de publicidade

e

propaganda oferecidos no país?

Entrevistado: São bons, mas se tiverem a oportunidade de estudar em uma universidade no exterior e vivenciarem algo diferente por lá, é algo a mais no conhecimento.

Entrevistador: Quais livros te inspiraram na sua trajetória?

Entrevistado:Li muito sobre marketing, mas não possuo nenhum livro em específico.

Entrevistador: Se tivesse 18 anos e tivesse a oportunidade de escolher sua carreira novamente, optaria pela mesma ou escolheria outra?

Entrevistado: Teria morado no exterior quando mais novo, apenas. O restante faria exatamente igual, a única diferença é que estaria em outro país. Entrevista n°: 04

Data: 29/03/2017 Horário: Das 14h30 as 14h39

Local: Sala de reuniões Entrevistado: Silvia Carla Jorge

Idade: 49 anos

Grau de instrução: Graduada 207


Empresa: Jetta Serviços Cargo Ocupado: Diretora Geral Entrevistador: Como é trabalhar com uma agência de publicidade e propaganda para você? Entrevistado: Trabalhar com agência de publicidade é saber que terei uma arte e ideias criativas, é, mas no meu caso muitas vezes a agência não tinha muito a ver com os meus interesses porque como eu trabalhava com painéis né, muitas vezes os interesses das agências não iam de acordo com os meus interesses e nessas horas rolava um conflito de ideias. Entrevistador: Quais os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir? Entrevistado: Eu acho que a agencia ela tem que sempre visar os objetivos do cliente, seja em metas de vendas ou propriamente na parte artística, uma agência que entra em conflito com os objetivos do cliente não tem como continuar com a parceria, porque ela tem que entender o que a gente quer né, se não, não dá certo. Entrevistador: Você acredita que o marketing digital é importante para sua empresa? Entrevistado: Eu acho que hoje em dia tudo envolve o marketing digital, principalmente na área de comunicação, então sim, a resposta é sim eu acho muito importante. Entrevistador: O que para você tornaria uma agência de publicidade inteligente? Entrevistado: Eu acredito que pegar os objetivos do cliente e transforma-los em seus próprios objetivos né pra que haja uma boa relação. Entrevistador: O que você espera de uma agência publicitária perante ao desenvolvimento com sua empresa, seja em seus produtos ou no atendimento?

208


Entrevistado: Eu espero uma agência que seja presente né, de rápido serviço e que não enrole pra entregar o serviço que a gente solicita, por exemplo quando a gente tinha que contratar a agência pra fazer a comunicação visual no outdoor e eles não colocavam a gente como prioridade e algumas vezes atrasavam os prazo, isso era um problemão. Entrevistador: Já houve alguma experiência ruim com alguma agência? Qual? Entrevistado:To tentando, me recordar mas, eu acho que quando, não digo que seja uma experiência ruim mas quando a agência quer fazer do jeito dela e a minha empresa de outra forma, eu acho que isso aconteceu em algumas. Entrevistador: Como cliente, o que aprendeu e evitaria ao trabalhar com uma agência? Entrevistado: É, a única coisa que eu evito sempre, é manter um funcionário que não deixa o cliente em primeiro lugar, e que seja preguiçoso, hoje em dia tem muito funcionário desse tipo. Entrevistador: Se fosse dono de uma agência publicitária, qual sugestão daria e o que faria diferente com os que já teve contato? Entrevistado: Ah, eu não tenho uma sugestão técnica né, mas eu visaria sempre a satisfação do cliente, é isso que eu faço na minha empresa. Entrevistador: Acredita que o tipo de trabalho que uma empresa espera da agência, são os trabalhos que valorizam a marca a longo prazo? Como? Entrevistado: Depende muito do tamanho da empresa né, normalmente as empresas maiores valorizam mais esse tipo de serviço na minha opinião, eu acho importante é, marcar a marca, um serviço mesmo que seja a longo prazo que ele fixa a imagem como por exemplo o painel, né, o painel você está ali marcando as pessoas que passam tão ali marcando o nome, tão ali marcando o logo da empresa e isso fica pra sempre, quando você consegue marcar a marca. Entrevistador: Qual a maior falha que a agência pode cometer?

209


Entrevistado: Não priorizar os objetivos do cliente como eu disse anteriormente, pra mim é a maior falha. Entrevistador: Para você, qual estimativa de tempo para avaliar o desempenho de uma agência contratada? Porquê? Entrevistado: Não sei se existe um tempo assim determinado sabe? Mas acho que logo no inicio você já consegue ganhar se a agência tem a cara da empresa e se vai conseguir desenvolver o trabalho do jeitinho que você quer ou não.

Entrevistador: Já passou por alguma situação de gafe cometida pela agênciapara obter bons resultados? Conte-nos Entrevistado: Não, não, sempre foram muito profissionais apesar de alguns desacordos de ideias. Entrevistador: Você acredita que a cultura interfira na divulgação de suaempresa, marca ou produto? Porquê? Entrevistado: Totalmente, a cultura é extremamente importante em qualquer lugar do mundo e qualquer situação, se uma agência quer atingir determinado publico por exemplo, com certeza ela vai precisar saber os costumes desse determinado publico pra poder saber levar ele, acho que a palavra melhor seria persuadir né... Ela precisa saber os costumes pra conseguir uma persuasão melhor na hora da propaganda. Entrevistador: Qual sua opinião sobre o mercado publicitário? Entrevistado: Se eu fosse mais jovem eu faria publicidade, gosto muito da área e acho que é um mercado muito disputado, porém muito gostoso de se trabalhar, eu não cheguei a trabalhar dentro de uma agência, mas já ouvi falar muito bem de agências e que dentro delas existe um ambiente muito agradável. Entrevistador:Quais os critérios que você avalia antes de fechar acordo com uma agência publicitária e qual o grau de importância de cada critério?

210


Entrevistado: Eu acho que pra mim o mais importante é o atendimento, é, se ele me convencer, me mostrar e me provar o porque que eu devo fazer, com certeza faremos uma parceria, mas isso precisa ser comprovado, então acho que a confiança que o atendimento me passa na hora das reuniões é uma das coisas mais importantes na hora de fechar uma parceria. Entrevistador: Qual seria sua opinião sobre o CONAR? Entrevistado:Ele é importante né, porque ele filtra o que deve ou não ser veiculado pelas mídias, apesar de eu saber que algumas das propagandas que eu achava bem legais foram cortadas por determinados motivos que não achei que tinha tanta importância, mas nesse assunto eu prefiro não me aprofundar pois não tenho muito critério pra palpitar. Entrevistador: Qual conselho você daria para nova geração de publicitários? Entrevistado: Que aproveitem a oportunidade para melhorar o mundo para deixar as coisas e os sentimentos bons nas pessoas, porque querendo ou não, fica na mente né, seja um comercial que a gente veja na televisão ou uma propaganda num ponto de ônibus né, a gente querendo ou não querendo aquela imagem ou aquele som que a gente ouviu na propaganda acaba ficando no nosso inconsciente, e acho que isso é muito importante, querer deixar alguma mensagem que agregue mesmo que seja no inconsciente. Entrevistador: Dizem que somos o que lemos, assistimos e ouvimos. Sendoassim, o que você indica que os novos profissionais leiam, assistam ou ouçampara desenvolver uma cultura necessária como publicitário? Entrevistado: Tudo que trás cultura e evolução, eu acho que todo publicitário ele tem que estar ligado a tudo, tem que ta muito antenado, em tudo que acontece em tudo que muda, porque o mundo muda muito rápido, então você tem que estar ligado nessas mudanças. Entrevistador: Em qual pessoa você se inspirou para chegar a onde chegou e porquê? Entrevistado: Meus filhos, meus filhos sempre foram minha grande e única inspiração. 211


Entrevistador: Quais são suas referências de publicitários e porquê? Entrevistado: Não eu não tenho referência, até porque eu não sou publicitária né, mas gostaria de conhecer os publicitários bastante conceituados até porque experiência nunca é demais né. Entrevistador: Qual sua opinião sobre os cursos de publicidade e propaganda oferecidos no país? Entrevistado: Eu acho que os cursos de publicidade no país são muito bons, não é atoa que muitos publicitários brasileiros são conhecidos mundialmente. Entrevistador: Quais são os livros que te inspiraram na sua trajetória? Entrevistado: Livros assim, que me inspiraram exatamente na minha carreira profissional, eu acho que nenhum, mas assim gosto muito de ler, já li muitos livros, hoje atualmente eu gosto de ler livros referentes a doutrina que sigo porque me distrai e me fazem amadurecer e me sentir bem. Entrevistador: Se tivesse 18 anos e tivesse a oportunidade de escolher a sua carreira novamente, optaria pela mesma ou escolheria outra? Entrevistado: É, eu acho que, eu faria publicidade ou jornalismo, são duas áreas que eu gosto bastante, mas com certeza faria algo relacionado a comunicação que conforme minhas experiências foi onde eu mais aprendi coisas que me influenciaram a chegar onde estou hoje.

Entrevista: N°05

Data: 01/03/17

Horário: 16:10 ás

16:24 Local: Sala de reunião da empresa LS Serviços Entrevistado: Marcelo Lira

Idade: 35 anos

Grau de instrução: Pós-Graduado Empresa: LS Serviços Cargo ocupado: Diretor Comercial

212


Entrevistador:

Como é trabalhar com uma agência de publicidade e

propaganda para você?

Entrevistado: Muito bom, pois auxiliam no desenvolvimento de campanhas, da marca e da identidade visual da empresa.

Entrevistador: Quais os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir?

Entrevistado: Ter um ótimo relacionamento com o cliente e auxiliar em atingir os objetivos do mesmo.

Entrevistador: Você acredita que o marketing digital é importante para sua empresa?

Entrevistado: Acredito, pois muitas pessoas hoje em dia deixam de pesquisar o produto pessoalmente para procurar em sites, onde acreditam encontrar mais facilidade.

Entrevistador: O que para você tornaria uma agência publicitária inteligente?

Entrevistado: Saber atender o cliente como pessoa e atingir seus objetivos.

Entrevistador: O que você espera de uma agência publicitária perante ao desenvolvimento com a sua empresa, seja em seus produtos ou no atendimento?

Entrevistado: Espero que da agência integridade e ética com seus clientes.

Entrevistador: Já houve alguma experiência ruim com alguma agência? Qual?

213


Entrevistado:

Nunca

tive

nenhuma

experiência

ruim,

que

fosse

extremamente memorável.

Entrevistador: Como cliente, o que aprendeu e evitaria ao trabalhar com uma agência?

Entrevistado: Agências que se preocupam com seu próprio status e esquece do cliente, querem apenas montar cartelas de clientes e conseguirem prêmios, como o de Canes.

Entrevistador: Se fosse dono de uma agência publicitária, qual sugestão daria e o que faria diferente com os que já teve contato?

Entrevistado: Faria com que houvessem reuniões da agência

com os

clientes com mais frequência, sempre atualizando o cliente de qualquer mudança que houver na agência.

Entrevistador: Acredita que o tipo de trabalho que uma empresa espera da agência são os trabalhos que valorizam a marca a longo prazo? Como?

Entrevistado: Acredito que sim, pois auxiliar na valorização da marca.

Entrevistador: Qual a maior falha que uma agência pode cometer?

Entrevistado: Deixar de dar atenção a área de atendimento, deixar de capacitar o atendimento, pois é ele que faz toda a ponte da agência com o cliente.

Entrevistador: Para você, qual a estimativa de tempo para avaliar o desempenho de uma agência contratada? Porquê?

214


Entrevistado: Acredito que durante o processo de criação, a agência e a empresa se reúnem para discutir idéias, durante este processo é viável perceber o desempenho da empresa com os seus objetivos.

Entrevistador: Já passou por alguma situação de gafe cometida pela agência para obter bons resultados? Conte-nos.

Entrevistado: Uma vez pedi que priorizassem na marca da empresa, com algumas idéias que tive, porém dispensaram minhas idéias e utilizaram apenas as deles, como não era o que eu queria, acabou que não trabalhei mais com eles.

Entrevistador: Você acredita que a cultura interfira na divulgação de sua empresa, marca ou produto? Porquê?

Entrevistado: Sim, acredito que interfira. Pois cada estado ou país possui uma cultura diferente, e isso interfere tanto na pronuncia quanto no desenvolvimento do produto.

Entrevistador: Qual sua opinião sobre o mercado publicitário?

Entrevistado:

Considero

o

Mercado

publicitário

muito bom,

muitos

profissionais excelentes atuando e mudando o conceito de publicidade cada vez mais, para melhor.

Entrevistador: Quais os critérios que você avalia antes de fechar acordo com uma agência publicitária e qual o grau de importância de cada critério?

Entrevistado: Avalio como a agência trata o cliente, não só como um cliente que lhe trará prêmios, mas como um cliente que lhe trará mais clientes com o bom trabalho que a agência irá fazer.

Entrevistador: Qual seria sua opinião sobre o CONAR? 215


Entrevistado: O CONAR é muito necessário, pois cuida de toda da publicidade.

Entrevistador: Qual conselho você daria a nova geração de publicitários?

Entrevistado: Leiam, ouçam e assistam de tudo, um bom publicitário como em qualquer área, tem de ter conhecimentos não só do que irá atuar, mas também em outras coisas.

Entrevistador: Dizem que somos o que lemos, assistimos e ouvimos. Sendo assim, o que você indica que os novos profissionais leiam, assistam ou ouçam para desenvolver uma cultura necessária como publicitário?

Entrevistado: Indico que leiam, ouçam e assistam de tudo, pois conhecimento nunca é demais.

Entrevistador: Em qual pessoa você se inspirou para chegar a onde chegou e porquê?

Entrevistado: Me inspirei no meu pai, que foi um grande homem para mim.

Entrevistador: Quais são suas referências de publicitários e porquê?

Entrevistado: Não possuo nenhuma referência como publicitário, já ouvi falar de alguns, mas nenhum como referência em específico.

Entrevistador: Qual sua opinião sobre os cursos de publicidade

e

propaganda oferecidos no país?

Entrevistado: Acho os cursos de publicidade e propaganda do Brasil maravilhosos, cada vez mais formando grandes publicitários. 216


Entrevistador: Quais livros te inspiraram na sua trajetória?

Entrevistado: Não possuo nenhum livro em específico, leio bastante ficção cientifica.

Entrevistador: Se tivesse 18 anos e tivesse a oportunidade de escolher sua carreira novamente, optaria pela mesma ou escolheria outra?

Entrevistado: Se eu tivesse 18 anos, teria viajado o mundo inteiro para depois ter escolhido estudar e fazer minha carreira, pois o mundo tem muito de conhecimento a oferecer.

Entrevista: N°06

Data: 30/03/2017Horário: das 11:30 ás 11:50

Local: Sala de reunião da empresa EngeBravo Entrevistado: Antonio Carlos Pereira

Idade: 45

anos Grau de instrução: Graduado Empresa: EngeBravo Cargo ocupado: Gerente Comercial

Entrevistador:

Como é trabalhar com uma agência de publicidade e

propaganda para você?

Entrevistado: A agência de publicidade é nosso principalfornecedor, é, é onde encontramos ferramentas para nossas ações. É um parceiro estratégico, pois, nós falamos com eles todo dia e usamos a principal ferramenta de marketing, é que a propaganda.

Entrevistador: Quais os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir?

217


Entrevistado: A agência nos ajuda em dois objetivosprincipais, um é a, a, construção de marca, e o segundo objetivo é o produto, que é a, a, divulgação e a criação de desejo pelos nossos serviços prestados, então eles nos ajudam a vender este desejo.

Entrevistador: Você acredita que o marketing digital é importante para sua empresa?

Entrevistado: O marketing digital é super importante, porque, porque depois de criar o desejo pelo produto, a primeira coisa que o consumidor faz hoje em dia é ir buscar informação na internet, então temos que, que, estar presente na internet, porque é lá que as pessoas vão fazer o seu processo de descobrimento do produto, antes de chegar lá na, na loja.

Entrevistador: O que para você tornaria uma agência publicitária inteligente?

Entrevistado: Saber ser criativo e ter um propósito para realizar o trabalho, então não adianta a gente ter criatividade sem propósito. A criatividade deve ser aplicada no sentido de atender os objetivos da empresa, então, se eu, se eu tenho objetivo de vender, a criatividade deve servir esse propósito de vender, de vender o meu produto. Entrevistador: O que você espera de uma agência publicitária perante ao desenvolvimento com a sua empresa, seja em seus produtos ou no atendimento?

Entrevistado: Espero que eles sejam inteligentes, que eles, que eles me auxiliem nos meus objetivos, o pior que pode acontecer com uma agência, é, é querer ganhar prêmio. Acredito que a agência tem que estar muito focada nos objetivos do cliente e ajudá-lo em seus objetivos de criação de imagem, marca eee venda.

Entrevistador: Já houve alguma experiência ruim com alguma agência? Qual? 218


Entrevistado: Sim, é, experiência com agências que só pensam em ganhar prêmios, que fazem qualquer tipo de trabalho para um cliente, apenas para conseguir, para conseguir um cliente na carteira, deixando de lado os objetivos do cliente e agências que se acomodam, a agência para de pensar no cliente, parar de prestar seus serviços de mídia e trabalha no modo automático, apenas para cumprir seus determinados objetivos, deixando de lado, é, os interesses do cliente.

Entrevistador: Como cliente, o que aprendeu e evitaria ao trabalhar com uma agência?

Entrevistado: Evitaria agências que estão mais preocupadas com seu próprio negócio, com seu próprio desempenho, e a, e a médio prazo deixam de atender os objetivos apresentados pelo cliente.

Entrevistador: Se fosse dono de uma agência publicitária, qual sugestão daria e o que faria diferente com os que já teve contato?

Entrevistado: Se eu fosse dono de uma agência, bom, eu, é, colocaria todos os departamentos mais próximos do cliente, não apenas o atendimento. Hoje em dia o que se vê é que, é que o atendimento faz a ponte entre as outras áreas da agência, tanto na criação quanto no planejamento, mas faria com que todas as áreas tivesse mais contato com o cliente.

Entrevistador: Acredita que o tipo de trabalho que uma empresa espera da agência são os trabalhos que valorizam a marca a longo prazo? Como?

Entrevistado: Acredito que a valorização da marca a longo prazo é , que, que deve ser pensado pelo departamento de planejamento da agência, mas isso, também é, também depende bastante do objetivo do cliente, talvez o objetivo do cliente seja vender muito esse ano, então a agência tem que estar focada nisso e

219


não no pensamento a longo prazo em relação a marca, pois é objetivo é o que o cliente quer.

Entrevistador: Qual a maior falha que uma agência pode cometer?

Entrevistado: Então, são duas falhas na verdade. Uma é quando a agência se preocupada mais em ganhar prêmios, usando sua criatividade sem propósito em atender os objetivos do cliente. A segunda é quando a agência começa a focar mais energia em seus departamentos de concorrência, ou seja, em, em trazer novos clientes e nisso acaba deixando de atender os clientes que já tem em ''casa''.

Entrevistador: Para você, qual a estimativa de tempo para avaliar o desempenho de uma agência contratada? Porquê?

Entrevistado: Eu acho que aproximadamente um mês. Acho que um mês já deu tempo de conhecer o cliente, do cliente, é, do cliente conhecer a agência em seu primeiro serviço, e de avaliar se a agência corresponde as expectativas nesse um mês.

Entrevistador: Já passou por alguma situação de gafe cometida pela agência para obter bons resultados? Conte-nos.

Entrevistado: Não me lembro de nenhuma gafe não, nada que gerasse constrangimento, é, hm, o que eu recordo são situações onde a agência não priorizou os meus objetivos e sim os seus próprios objetivos.

Entrevistador: Você acredita que a cultura interfira na divulgação de sua empresa, marca ou produto? Porquê?

Entrevistado: Acho que a cultura interfere muito na divulgação de produtos, um exemplo clássico é a pronuncia dos nomes das empresas ou produtos em

220


diversos países, hm, outra coisa são os atributos do produto, suas valorizações de forma diferente.

Entrevistador: Qual sua opinião sobre o mercado publicitário?

Entrevistado: O mercado publicitário é maravilhoso, acho que o que precisa ser revisto é a relação entre agências e seus clientes, é, a história do BV que é épica no Brasil, então acho que isso é um modelo que está sendo revisto.

Entrevistador: Quais os critérios que você avalia antes de fechar acordo com uma agência publicitária e qual o grau de importância de cada critério?

Entrevistado: Os critérios tem que ser afinidade, entre o cliente e agência, é, hm, muito debate para descobrirem se tem afinidade, procurar conhecer quem são os profissionais da agência, quem são os clientes desta agência, o que é muito importante, ver quais clientes a agência esta atendendo.

Para poder, para

descobrir se são melhores com agências pequenas ou grandes, porque, é, vai da preferência de cada cliente, isso depende do momento da marca também, que é um critério que merece ser avaliado e o tamanho que a agência quer ter dentro do mercado.

Entrevistador: Qual seria sua opinião sobre o CONAR?

Entrevistado: O CONAR, bom o CONAR ele é necessário, pois é um órgão de alto regulamentação, ele é formado também por pessoas do mercado. Ele é, hm, algum tipo de controle sobre tudo que é publicidade, porque se não pode virar uma guerra em tudo quanto é mídia, pode virar algo ofensivo pra crianças, por isso é muito importante.

Entrevistador: Qual conselho você daria a nova geração de publicitários?

221


Entrevistado: Nunca perca o foco em quais são os objetivos do cliente, porque, talvez a curto prazo uma campanha muito criativa funcione, mas, mas ao longo prazo o que prevalece são os interesses e objetivos do cliente, então sempre foque no cliente.

Entrevistador: Dizem que somos o que lemos, assistimos e ouvimos. Sendo assim, o que você indica que os novos profissionais leiam, assistam ou ouçam para desenvolver uma cultura necessária como publicitário?

Entrevistado: Leia Mario Sérgio Cortela, que é um filósofo brasileiro, é, Nizan Guanaes é um ótimo publicitário, empreendedor e polêmico e, bom, deve ser estudado tudo em relação ao cliente, sobre a empresa do cliente, suas parcerias, o trabalho que faz e quem forma a empresa. Leia tudo, tudo sobre o setor de seu cliente e tudo sobre outras coisas que estão pelo mundo, desde jornal noticiário a filmes de ficção cientifica.

Entrevistador: Em qual pessoa você se inspirou para chegar a onde chegou e porquê?

Entrevistado: Não me inspirei especificamente em ninguém, é, mas, mas eu sempre gostei muito de marketing, por ser uma área que ao meu ver dava espaço para a criatividade, para meu ramo de vendas, e eu sempre gostei muito de trabalhar com criatividade, porém acredito que esta criatividade deve haver um propósito

Entrevistador: Quais são suas referências de publicitários e porquê?

Entrevistado: Gosto muito do Nizan Guanaes, do Duda Mendonça, do, Washington Oliveto. Temos muitos exemplos no Brasil, uma série de pessoas muito boas na publicidade, que formam pessoas muito boas pelos seus exemplos de pessoas. Mas acredito que esses homens são os principais nomes da propaganda.

222


Entrevistador: Qual sua opinião sobre os cursos de publicidade

e

propaganda oferecidos no país?

Entrevistado: Acredito que os cursos de publicidade no Brasil são muito bons, pois, existem faculdades muito boas espalhadas, tanto privadas quanto federais. Mas acredito que deveriam investir um pouco mais nessa área, dar mais ênfase aos alunos sobre os campos deste curso, mais infra-estrutura, para que possam realmente vivenciar como é um ambiente publicitário dentro de uma empresa ou agência.

Entrevistador: Quais livros te inspiraram na sua trajetória?

Entrevistado: Eu sempre li Rubem Fonseca, é um livro de ficção, mas sempre gostei muito. Acredito que, é, ler sempre te da cultura, independente do gênero, sempre agrega, seja qual for o livro ou seu auto favorito, por mais que não tenha a ver com publicidade. Então, é, sempre li muito Rubem Fonseca, entre outros livros de ficção, porém nenhum a ver com publicidade também.

Entrevistador: Se tivesse 18 anos e tivesse a oportunidade de escolher sua carreira novamente, optaria pela mesma ou escolheria outra?

Entrevistado: Se eu tivesse 18 anos, provavelmente faria muita coisa diferente (risada) na minha vida, mas acredito que a carreira seria a mesma, eu gosto muito do que eu faço, me sinto realizado na área que eu escolhi. Gosto muito mesmo, estou muito feliz, faria tudo igual e para quem deseja iniciar nesta área eu apoio bastante, pois possuem muitas ferramentas na publicidade para trabalhar em diversas áreas.

Entrevista: N°07

Data: 31/03/17

Horário: das 14:05 ás 14:15

Local: Sala de reunião da empresa Estética Solarium Entrevistado: Natália Santos

Idade: 23 anos

Grau de instrução: Graduada 223


Empresa: Estética Solarium Cargo ocupado: Dona

Entrevistador:

Como é trabalhar com uma agência de publicidade e

propaganda para você?

Entrevistado: A agência de publicidade é nosso principalfornecedor e quem cuida do marketing da empresa.

Entrevistador: Quais os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir?

Entrevistado: A construção da marca, a boa divulgação e a criação de desejo pelos prestação de produtos que fazemos

Entrevistador: Você acredita que o marketing digital é importante para sua empresa?

Entrevistado: O marketing digital é super importante, porque depois de criar desejo pelo produto, a primeira coisa que o consumidor faz é buscar informação na internet.

Entrevistador: O que para você tornaria uma agência publicitária inteligente?

Entrevistado: Saber aliar atender e atender os objetivos da empresa.

Entrevistador: O que você espera de uma agência publicitária perante ao desenvolvimento com a sua empresa, seja em seus produtos ou no atendimento?

Entrevistado: Espero que eles auxiliem nos meus objetivos, não tornando um cliente apenas ''um cliente'', mas dando a devida atenção

224


Entrevistador: Já houve alguma experiência ruim com alguma agência? Qual?

Entrevistado: Pedi para que fizessem um trabalho simples de divulgação, me prometeram uma data e atrasaram muito a entrega e quando entregaram não foi o que combinamos, foi bem chato.

Entrevistador: Como cliente, o que aprendeu e evitaria ao trabalhar com uma agência?

Entrevistado: Evitaria agências que se preocupam com seus próprios negócios, se esquecendo das prioridades do cliente.

Entrevistador: Se fosse dono de uma agência publicitária, qual sugestão daria e o que faria diferente com os que já teve contato?

Entrevistado: Faria com que as áreas tivessem mais relacionamento com o atendimento.

Entrevistador: Acredita que o tipo de trabalho que uma empresa espera da agência são os trabalhos que valorizam a marca a longo prazo? Como?

Entrevistado: Acredito que não, tanto a longo prazo quanto a curto prazo, acredito que a valorização da marca é algo que deve ser pensado pelo departamento de planejamento estratégico da agência.

Entrevistador: Qual a maior falha que uma agência pode cometer?

Entrevistado: Quando ela deixa de ver o cliente como pessoa e passa a ver somente como cliente, procurando aumentar sua cartela e quando esquecem de sua criatividade e focam apenas em prêmios. 225


Entrevistador: Para você, qual a estimativa de tempo para avaliar o desempenho de uma agência contratada? Porquê?

Entrevistado: Acredito que aproximadamente um mês.

Entrevistador: Já passou por alguma situação de gafe cometida pela agência para obter bons resultados? Conte-nos.

Entrevistado: Sim, quando a agência priorizou os objetivos dela e esqueceu os da empresa, somente para satisfazer seus desejos, se preocupando com prêmios.

Entrevistador: Você acredita que a cultura interfira na divulgação de sua empresa, marca ou produto? Porquê?

Entrevistado: Sim, acredito, que a cultura interfere muito na divulgação de produtos, dependendo do estado ou país.

Entrevistador: Qual sua opinião sobre o mercado publicitário?

Entrevistado: Acho o mercado publicitário maravilhoso, as formas de veiculação, a capacidade de criatividade e de interagir com o publico em suas criações, é sensacional.

Entrevistador: Quais os critérios que você avalia antes de fechar acordo com uma agência publicitária e qual o grau de importância de cada critério?

Entrevistado: Avalio a afinidade com que ela tem com o cliente, o atendimento em si, como respeito, dedicação, ser prestativo e acima de tudo profissional.

226


Entrevistador: Qual seria sua opinião sobre o CONAR?

Entrevistado: O CONAR ele é necessário, por ser um órgão de regulamentação e entender sobre tudo de publicidade.

Entrevistador: Qual conselho você daria a nova geração de publicitários?

Entrevistado: Estudem, e se puderem estudem mais e mais, adquiram conhecimento de todos os veículos possíveis, leaim de tudo, ouçam de tudo. Conhecimento é a nossa melhor ferramenta para entrar no mercado.

Entrevistador: Dizem que somos o que lemos, assistimos e ouvimos. Sendo assim, o que você indica que os novos profissionais leiam, assistam ou ouçam para desenvolver uma cultura necessária como publicitário?

Entrevistado: De filmes antigos a filmes novos, de Jazz a Gospel, escutem e leiam de tudo.

Entrevistador: Em qual pessoa você se inspirou para chegar a onde chegou e porquê?

Entrevistado: Não tem ninguém em especifico no qual eu tenha me inspirado.

Entrevistador: Quais são suas referências de publicitários e porquê?

Entrevistado: Washington Oliveto, por ser um grande publicitário.

Entrevistador: Qual sua opinião sobre os cursos de publicidade

e

propaganda oferecidos no país?

227


Entrevistado: São muito bacanas, dependendo da instituição é bem aprofundado, mas acredito que possa melhorar.

Entrevistador: Quais livros te inspiraram na sua trajetória?

Entrevistado: Como leio de tudo, não possuo nenhum em específico.

Entrevistador: Se tivesse 18 anos e tivesse a oportunidade de escolher sua carreira novamente, optaria pela mesma ou escolheria outra?

Entrevistado: Se eu tivesse 18 anos faria muita coisa diferente, teria me formado em advocacia, mas estou muito feliz com a minha carreira e realizada, não tenho do que reclamar.

Entrevista: N°08

Data: 30/03/17

Horário: 11:45 até

12:07 Local: Salão de beleza Entrevistado: Thamires Paiva

Idade: 27

Grau de instrução: Graduada em Comunicações Mercadológicas Empresa: Esmalteria Blessed Cargo ocupado: Dona

Entrevistador: Como é trabalhar com uma agência de publicidade e propaganda para você?

Entrevistado: Trabalhar com agência de publicidade no dia-a-dia é muito positivo, considerado mais um braço dentro da equipe.

Entrevistador: Quais os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir?

228


Entrevistado: Os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir são excelência e qualidade na entrega, para poder atingir o melhor resultado.

Entrevistador: Você acredita que o marketing digital é importante para sua empresa?

Entrevistado: Acredito que o marketing digital seja superpositivo pra empresa, primeiro porque é uma plataforma que vem crescendo cada vez mais, uma plataforma que veio 100% pra ficar.

Entrevistador: O que para você tornaria uma agência publicitária inteligente?

Entrevistado: O que torna uma agência inteligente é ter sempre o olhar do cliente, ter a visão de como o cliente se comportaria.

Entrevistador: O que você espera de uma agência publicitária perante ao desenvolvimento com a sua empresa, seja em seus produtos ou no atendimento? Entrevistado: Eu espero da agência parceria e dedicação para um melhor resultado.

Entrevistador: Já houve alguma experiência ruim com alguma agência? Qual?

Entrevistado: Nunca tive nenhuma experiência negativa com nenhuma agência, só algumas falhas com relação ao atendimento, mas nada grave, que impactasse algum resultado efetivo.

Entrevistador: Como cliente, o que aprendeu e evitaria ao trabalhar com uma agência?

229


Entrevistado: Como cliente, aprendi que a relação entre cliente e agência precisa ser sempre de parceria e procuro sempre evitar agências de porte muito grande, que acaba tornando o cliente só mais um „‟dentro da carteira‟‟.

Entrevistador: Se fosse dono de uma agência publicitária, qual sugestão daria e o que faria diferente com os que já teve contato?

Entrevistado: Sendo dona de agência, daria bastante atenção e foco pra parte de atendimento que é o principal canal junto ao cliente.

Entrevistador: Acredita que o tipo de trabalho que uma empresa espera da agência são os trabalhos que valorizam a marca a longo prazo? Como?

Entrevistado: Entre tanto trabalho que a agência presta dentro da empresa é pra agregar e potencializar a marca.

Entrevistador: Qual a maior falha que uma agência pode cometer?

Entrevistado: O maior erro que a agência pode cometer é não conhecer o cliente a fundo, não entender como funciona e quais são as principais características da empresa.

Entrevistador: Para você, qual a estimativa de tempo para avaliar o desempenho de uma agência contratada? Porquê?

Entrevistado: Acredito que uma estimativa boa para avaliação seja de um ano, um ano e meio, que é o tempo em que a agência pode pegar todo o calendário.

Entrevistador: Já passou por alguma situação de gafe cometida pela agência para obter bons resultados? Conte-nos.

Entrevistado: Não me recordo de nenhuma situação que tenha sido grave. 230


Entrevistador: Você acredita que a cultura interfira na divulgação de sua empresa, marca ou produto? Porquê?

Entrevistado: A cultura da empresa impacta porque ela limita até onde pode ir e qual é o alcance que a marca pode ter.

Entrevistador: Qual sua opinião sobre o mercado publicitário?

Entrevistado: Minha opinião do mercado publicitário é que está em crescimento, em desenvolvimento, e precisa ser olhada com mais atenção, maior dedicação.

Entrevistador: Quais os critérios que você avalia antes de fechar acordo com uma agência publicitária e qual o grau de importância de cada critério?

Entrevistado: O principal critério é a parte criativa. Isso tem um peso maior porque é o mais difícil de se ter, hoje, dentro da empresa.

Entrevistador: Qual seria sua opinião sobre o CONAR?

Entrevistado: O CONAR é fundamental para impor as regras e limites nas propagandas enganosas, entre outras.

Entrevistador: Qual conselho você daria a nova geração de publicitários?

Entrevistado: Meu principal conselho é que acreditem que realmente publicidade e marketing é uma ferramenta pra venda e negócios.

Entrevistador: Dizem que somos o que lemos, assistimos e ouvimos. Sendo assim, o que você indica que os novos profissionais leiam, assistam ou ouçam para desenvolver uma cultura necessária como publicitário? 231


Entrevistado: Recomendo todos os filmes da Disney e um livro que fala sobre a DisneyWorld.

Entrevistador: Em qual pessoa você se inspirou para chegar aonde chegou e porquê?

Entrevistado: Me inspirei no meu gestor, que começou como gerente de marketing e hoje está como diretor.

Entrevistador: Quais são suas referências de publicitários e porquê?

Entrevistado: Não tenho nenhuma grande referência como publicitário

Entrevistador: Qual sua opinião sobre os cursos de publicidade e propaganda oferecidos no país?

Entrevistado: Eu acho que o curso de publicidade no Brasil é um curso bacana, mas tem uns pontos ainda para desenvolver.

Entrevistador: Quais livros te inspiraram na sua trajetória?

Entrevistado: Não tenho nenhum livro que tenha efetivamente trazido alguma influência, alguma referência tão forte.

Entrevistador: Se tivesse 18 anos e tivesse a oportunidade de escolher sua carreira novamente, optaria pela mesma ou escolheria outra?

Entrevistado: Sim, escolheria o mesmo curso, Publicidade e Propaganda ou Comunicação Social (Comunicação Mercadológica).

232


Entrevista n°: 09

Data: 29/03/2017

Horário: das 15:06 ás

15:16 Local:Sala

de

reunião

Agencia

de

publicidade

e

propaganda

conectando pessoas Entrevistado: André Santos

Idade: 24

anos Grau de instrução: Graduação Empresa: Agencia de publicidade e propaganda conectando pessoas

Cargo Ocupado: Designer

Entrevistador: Como é trabalhar com uma agência de publicidade e propaganda para você? Entrevistado: É uma área diferenciada, temos um ambiente bom, na maioria das vezes, apesar de muitas vezes sermos pressionados em cobrança do nosso trabalho, mas faz parte do trabalho em agência. Entrevistador: Quais os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir? Entrevistado: Os principais objetivos dependem dos objetivos da empresa em si, têm empresas que quer divulgar sua marca, têm empresas que divulga produtos, têm empresas que divulga serviços, no meu caso, é divulgação do serviço para retenção de novos clientes. Entrevistador: Você acredita que o marketing digital é importante para sua empresa? Entrevistado: Acredito que o marketing digital é muito importante, querendo ou não estamos na era digital, tudo agora envolve internet, é... tanto para divulgar o produto, é... divulgar uma marca, ou até mesmo para os próprios clientes, “derem”... 233


Darem a opinião deles. Tudo está envolvendo a internet 100%, e... isso é muito bom para uma marca, é muito importante ter... ter esse trabalho de marketing digital. Entrevistador: O que para você tornaria uma agência de publicidade inteligente? Entrevistado: Uma agência inteligente é uma agência que é inovadora, que ela num se molda conforme as outras, ela sempre vem trazendo algo novo pro cliente e pro próprio mercado é uma agência que não se conforma com que já existe, que gosta de criar e inovar. Entrevistador: O que você espera de uma agência publicitária perante ao desenvolvimento com sua empresa, seja em seus produtos ou no atendimento. Entrevistado: Espero uma agência que, que corra atrás, que n-não fique apenas esperando, que dê o primeiro passo antes do cliente que, que pensando na frente, porque muitas vezes, é, o cliente não tem tempo, não tem ideias e a gente tem que tomar a frente pra, pra mostrar o serviço, e mostrar o trabalho e mostrar o quanto que ela é, é boa naquilo que ela faz é, é uma agência que, que não seja dependente do cliente, mas que o cliente dependa da agência pra, pra existir essa parceria. Entrevistador: Já houve alguma experiência ruim com alguma agência? Qual? Entrevistado: Experiência ruim com agência nunca tive, apenas uma vez que o atendimento era muito ruim, porém a parte criativa era muito boa, então... uma coisa superou a outra, é... Isso não ficou marcado como uma experiência ruim de fato. Entrevistador:Como cliente, o que aprendeu e evitaria ao trabalhar com uma agência?

Entrevistado: Eu evito trabalhar com agências que esperam muito, eu gosto de agências que... correm atrás, que perguntam, que buscam, isso mostra interesse e mostra que... querem trabalhar e fazer algo diferente, eu evito... essa demora em atendimento, a... falta de perguntas, não é algo que me agrada. 234


Entrevistador: Se fosse dono de uma agência publicitária, qual sugestão daria e o que faria diferente com os que já teve contato?

Entrevistado: Caso eu fosse dono de uma agência de publicidade, eu investiria em um atendimento diferenciado, talvez... uma... agência que... disponibilizasse designers, e o atendimento... atendimento criativo, no caso, alugado pelas empresas, pelo tempo de criação, pelo o menos, pela... pela primeira parte, pra entender de perto como funciona, que... até hoje toda agência que eu trabalhei não tinha esse tipo de atendimento, era tudo feito via email, um contato ou outro em reunião, mas... a criação era feita toda... toda parte, talvez, um... um... trabalho com... designer no local que esta sendo atendido, talvez tenha uma grande diferença, pra mim agilizaria bastante. Entrevistador: Acredita que o tipo de trabalho que uma empresa espera da agência são os trabalhos que valorizam a marca a longo prazo? Como?

Entrevistado: Acredito que... a empresa... valoriza, é claro, um resultado a longo prazo, mas também esperam esperam algo a curto prazo, porque.... gera uma expectativa quando você contrata uma empresa que os problemas vão ser resolvidos, eu acho que... tanto curto tanto a longo prazo, os trabalhos são valorizados. Entrevistador: Qual a maior falha que uma agência pode cometer? Entrevistado: Acredito que a maior falha que... que uma agência pode cometer, é de não valorizar ou menosprezar o cliente, ou achar que tem baixo potencial, acho que... os contratos que... elas deixam de fazer por menosprezar o cliente, acho que é uma falha, porque quando.... o.... contrato é fechado ela se empenham pra fazer o melhor, mas antes, o pré-atendimento é essencial e .... muitas agências falham nisso. Entrevistador:Para você, qual a estimativa de tempo para avaliar o desempenho de uma agência contratada? Porquê?

235


Entrevistado: Acredito que o mínimo da estimativa de tempo são de três meses, menos que isso não da pra saber o trabalho de uma agencia e o resultado, que... que vai causar, o impacto que vai ter, três meses é o mínimo. Entrevistador: Já passou por alguma situação de gafe cometida pela agência para obter bons resultados? Conte-nos Entrevistado: Não, nunca...passei por situações dessas, de gafe para obter bons resultados. Entrevistador: Você acredita que a cultura interfira na divulgação de sua empresa, marca ou produto? Porquê?

Entrevistado: Sim, a cultura interfere muito na marca, o produto, dependendo da sua localidade, alguma coisa bem vista aqui, por exemplo não é bem vista em um país com uma cultura diferente, religiosa, é... isso influência bastante, também não pode variar nem de país pra país, de cidade pra cidade já tem um grande atrito cultural que já interfere muito.

Entrevistador: Qual sua opinião sobre o mercado publicitário? Entrevistado:Eu vejo o mercado publicitário como um mercado muito competitivo, isso ajuda na... no desenvolvimento dos negócios na geração de ideias, soluções criativas, eu acho que é... um bom mercado. Entrevistador: Quais os critérios que você avalia antes de fechar acordo com uma agência publicitária e qual o grau de importância de cada critério?

Entrevistado: Os critérios que eu mais avalio são... os trabalhos e resultados obtidos pela... agência anteriormente, isso influencia diretamente, no... na escolha e na... na procura, na minha busca de agência de publicidade e propaganda. Entrevistador: Qual seria sua opinião sobre o CONAR? Entrevistado: No momento, eu, não tenho nenhuma opinião formada sobre o CONAR. 236


Entrevistador: Qual conselho você daria a nova geração de publicitários? Entrevistado: Se fosse pra dar um conselho seria pra sempre inovar, fugir das expectativas, fugir do padrão, não se conformar com o que já existe, tentar ver novas soluções, ter novas visões, e aplicar... é... apesar de pouca, é... a vivência deles e.. tudo que eles conheceram no trabalho e no modo de pensar, porque... o que vai diferir é.. uma agência de outra, um trabalho de outro são as experiências de quem, de quem... ta... conduzindo aquilo, então sempre inclua experiência, para gerar novos trabalhos, novas ideias, novas propostas, isso muda muito. Entrevistador: Dizem que somos o que lemos, assistimos e ouvimos. Sendo assim, o que você indica que os novos profissionais leiam, assistam ou ouçam para desenvolver uma cultura necessária como publicitário?

Entrevistado: Não tenho nenhuma referência pra passar...de cabeça. Entrevistador: Em qual pessoa você se inspirou para chegar a onde chegou e porquê?

Entrevistado: No momento não existe nenhum publicitário em que eu me inspire. Entrevistador: Quais são suas referências de publicitários e porquê?

Entrevistado: Mesma coisa da 19, não tem, não tem... nenhum publicitário mais pra nenhuma pessoa, com padrão de publicidade eu não me inspiro em ninguém. Entrevistador: Qual sua opinião sobre os cursos de publicidade e propaganda oferecidos no país?

Entrevistado: Os professores são bons, referências boas, num... tem nada o que reclamar, o ensino do Brasil é de qualidade, é um belo ensino do país. Na qual, a prova disso é que saem muitos profissionais qualificados do ensino do nosso país. Entrevistador: Quais livros te inspiraram na sua trajetória? 237


Entrevistado: Não tem nenhum livro que eu me inspire, eu tenho algumas referencias, mas....inspiração... não existe nenhum livro que eu tenha lido que tenha sido uma inspiração pra mim. Entrevistador: Se tivesse 18 anos e tivesse a oportunidade de escolher sua carreira novamente, optaria pela mesma ou escolheria outra?

Entrevistado: Com certeza escolheria novamente essa profissão, como dizem né? Pra... quando a gente tem que escolher um trabalho que a gente ama, a gente não trabalha, a gente ta fazendo aquilo que a gente gosta nem parece que ta trabalhando, isso motiva, você acorda motivado, com mais vontade de trabalhar, com mais vontade de aprender, de criar coisas novas, isso é o que eu amo fazer, e o que eu escolheria sempre.

Entrevista: N°010

Data: 29/03/17

Horário: 10:41 ás

11:05 Local: Prefeitura de São Bernardo do Campo Entrevistado: Rodrigo Ribeiro

Idade: 33

Grau de instrução: Pós- graduado Empresa: Divisão de Turismo de São Bernardo do Campo Cargo ocupado: Diretor de Marketing

Entrevistador:Olá, tudo bem? Meu nome é Lucas, sou estudante da Universidade Metodista, e eu to aqui representando a agência U Trend e queria fazer essa entrevista com você e para começar eu queria que você falasse um pouco sobre você, sua formação, seu trabalho, pode ser?

Entrevistado: Pode ser, vamos lá. Sou Rodrigo Ribeiro, tenho 33 anos, atualmente trabalho na divisão de turismo de São Bernardo do campo, na parte de Marketing, cuidando da divulgação dos atrativos da cidade, do site, das redes sociais, feiras de eventos que ocorrem na cidade, os matérias gráficos, as capacitações enfim, tudo que envolve a parte de turismo da cidade, o programa 238


famoso de turismo industrial, Cidade da criança e os demais atrativos que a gente oferece ai entre tantos. Sou publicitário, sou formado pela Universidade Bandeirantes de São Paulo, eu fiz rádio e TV também, e atualmente estou providenciando ai planejamento em marketing e turismo, fazer uma pós graduação pra melhorar um pouco o trabalho que venho desenvolvendo.

Entrevistador:Ok, Para começar, a primeira pergunta eu queria saber como é trabalhar com uma agência de publicidade e propaganda para você?

Entrevistado: Bom pra gente,ter essa parceria ai com uma agência é de uma importância né, porque “po” duas cabeças sempre pensam melhor do que uma, ter essa parceria é bacana porque o pessoal vem com novas idéias, coisas que a gente, uma outra visão, coisas que a gente acaba não vendo as vezes, e assim é legal mas também tem que ter aquela parceria né, “po” a gente precisa daquela pontualidade do pessoal, a reciprocidade, eles tem que entender a cidade que a prefeitura tem, mas assim quando a parceria ela acompanha o raciocínio uma da outra, assim a gente consegue desenvolver as ações com bastante sucesso.

Entrevistador: Beleza, a segunda pergunta, eu gostaria de saber, Quais os principais objetivos da empresa que a agência deve atingir? Entrevistado: Bom acredito que um bom atendimento né, em primeiro plano, é o principal objetivo que a agência tem que atingir, a gente tem que ser bem atendido, tem que ter um resultado daquilo que a gente procura, é quando a gente é mal atendido a gente geralmente não volta e não da credito pra aquilo que o “cara” passou pra gente num trabalho feito, ai tem essa responsabilidade de manter uma boa relação com o cliente, sempre que acontece uns problemas a gente tem que resolver rápido, para amenizar a situação da forma mais rápida possível, até porque a publicidade é um trabalho muito célere, e assim por mais boa que seja qualquer agência, como é um trabalho muito dinâmico acontece alguns problemas, ai a gente releva uns problemas que acontecem , essas pisadas de bola que o pessoal dá mas também a gente julga como é que eles fazem para solucionar esse tipo de coisa, e assim seguindo o raciocínio que eu falei na outra pergunta, é sempre bom ter um 239


bom relacionamento e um bom atendimento, entendendo que um bom atendimento seria atendimento rápido, ágil e sempre olhando o que o cliente precisa né.

Entrevistador: Ok, a terceira pergunta, eu gostaria de saber se você acredita que o marketing digital é importante para sua empresa?

Entrevistado: Marketing digital... olha eu acredito que hoje para qualquer marca desde os maiores lideres do mercado até o mercadinho do seu Zé na esquina que a gente costuma comprar um picolé, o marketing digital é fundamental, o brasileiro é um dos que mais passam tempo conectados na internet, é o país que mais tem smartphones, se não me engano, é não vou lembrar agora ao certo, se não me engano ta em segundo lugar depois do Estados Unidos, e ta em primeiro no consume de smartphone, todo mundo da aquela olhadinha no facebook, rede social, no instagram que seja... antes de comprar um produto, o “cara vai olhar no Mercado livre, na Amazon o “cara” vai olhar em qualquer lugar, você olha, sei La, de três a quatro sites ai pra ter uma dimensão pra que loja você vai se deslocar para ver se vai efetuar a compra ou não, as vezes você acaba comprando até pela internet, e ainda tem esses aplicativos que mostram os melhores preços, até pra você fazer uma viagem, por exemplo oi trivago coisa e tal, é então é assim você precisa mostrar o lado bom da marca que é suma importância, então acredito que é de fundamental importância essa ferramenta que a gente tem na mão de forma barata e muitas vezes até de forma gratuita né, que a gente pode postar lá “vendo nosso produto e a gente não tem nenhum tipo de gasto com isso.

Entrevistador: Certo, a quarta pergunta,O que para você tornaria uma agência publicitária inteligente?

Entrevistado: Bom pra mim uma agência completa é uma agência que consegue unir um bom atendimento e uma boa criação, porque são as duas faces da moeda né, não dá pra você... as vezes a agência tem uma boa criação mas não tem um bom atendimento, ou tem um bom atendimento mas não tem uma boa criação e a coisa não desenvolve bacana porque sempre fica devendo de um lado por mais que seja muito bom no outro, então pra mim antes de qualquer coisa uma 240


agência completa é uma agência que trabalha em harmonia, todo mundo trabalha no mesmo pique, num raciocínio confluente que assim seja, para que a coisa ande de forma legal, uma boa criação e um bom atendimento, é bacana também uma agência que se atenta ao mercado, porque a gente costuma ver muita coisa repetida, muita coisa que não inova, muita coisa que acaba sendo meio que copia de outras assim de determinados produtos, sempre vendendo o produto da mesma maneira, eu acho que assim na minha opinião uma agência completa seria uma agência antenada no mercado né, sempre trazendo novidade, sempre mostrando coisas novas, pra mim isso seria uma agência inteligente.

Entrevistador: Ok, agora quinta pergunta, o que você espera de uma agência publicitária perante ao desenvolvimento com a sua empresa, seja em seus produtos ou no atendimento?

Entrevistado:Bom na minha linha de pensamento assim, o que eu espero de uma agência que vá trabalhar comigo, é em primeiro lugar a reciprocidade, acho que para o desenvolvimento de uma campanha ou de um produto que a gente vá lançar no mercado, vá recolocar no mercado a gente precisa dessa troca de informações né, essa troca de idéias, acho que a agência precisa se colocar no lugar do cliente, porque muitas vezes o cliente não vai ter esse olhar que a agencia tem para vender o produto e não vai saber passar para o cliente o que ela realmente espera da venda do produto, então assim a agência tem que se colocar no lugar do cliente para saber orientar o cliente, poder ajudar na consolidação dessa marca, para poder vender esse produto de uma forma mehor, da forma que ele espera, então acredito que seja fundamental essa troca de experiência entre o cliente e a agência para o desenvolvimento bacana da campanha, da empresa, o desenvolvimento de um prouto ou a recolocação de um eventual produto

Entrevistador:Ok,pergunta numero seis, Já houve alguma experiência ruim com alguma agência? Se sim qual?

Entrevistado: Eu acho que nunca tive uma experiência ruim, mas agora assim posso dar um exemplo aqui, a gente tem o site de turismo da prefeitura de 241


São Bernardo e quem cuida é uma agência, é uma agência parceira nossa ai e desde que trocou a gestão em janeiro a gente vem tentando marcar uma reunião com eles mas sempre tem uma desculpinha, “não posso” “não vou estar na cidade” “tenho uma reunião marcada já” então e isso não é muito bom, já chegou a acontecer de chegar no dia e o cara ligar pra falar que não vai poder, e isso é o que ta atrapalhando um pouco a gente, até porque a gente não consegue sentar, desenvolver a idéia do site, ver o que é fundamental para o turista que vai vir aqui, que vem para a cidade para conhecer a cidade e não da pra desenvolver uma idéia bacana para criar um site legal então assim na minha opinião desde a nova gestão essa é uma experiência ruim que eu venho tendo com uma agência parceira, que a gente formou essa parceria... que a gente já tinha essa parceria mas que depois que começou essa nova gestão ta ficando um pouco desgastada e eu acho que esse tipo de falta de atenção que a gente sofre pode causar ai que eles acabem perdendo o cliente entendeu.

Entrevistador: Ok, pergunta número sete, eu queria saber como cliente, o que aprendeu e evitaria ao trabalhar com uma agência?

Entrevistado: Bom como falei nas perguntas anteriores, então o que eu penso é o seguinte, tem que ter a troca de idéia, aquela reciprocidade, o trabalho de equipe do cliente e da agência porque o cliente mais do que ninguém conhece o produto dele, conhece a marca dele, sabe do que quer vender, sabe aonde quer chegar, tem uma idéia de publico que ele quer atingir, sabe o que ele quer transmitir para o cara que consume o produto dele ou que vai usar do serviço dele, mas muitas vezes ele não sabe como, e esse “como” é onde a agência entra então o que eu evitaria é sempre deixar a campanha 100% na mão da agência, porque muitas vezes o resultado não vai sair de agrado do cliente, porque a gente não vai entender a parte dele, a agente vai saber o que transmitir mas não como transmitir então essa reciprocidade, esse trabalho em conjunto é o que no meu entendimento,pela minha experiência profissional, é a forma de sucesso assim eu diria.

242


Entrevistador: Ok, próxima pergunta, Se fosse dono de uma agência publicitária, qual sugestão daria e o que faria diferente com os que já teve contato?

Entrevistado: Olha se eu fosse dono de uma agência eu ia querer que o cliente fosse tratado com toda atenção, amor, dedicação e carinho possível, a gente tem que tratar o cliente da maneira como gostaria de ser tratado e muitas vezes não tem esse pensamento porque como eu falei na pergunta anterior ou uma pergunta atrás , esse problema que eu to tendo com a agência que vai cuidar do nosso site aqui do turismo, e “po” a gente não conseguiu marcar uma reunião simplesmente para bater um “papo” pra saber como é que vai ser essa nova gestão deles, que ta entrando agora esse ano e claro se já começou assim a gente fica com um pouco de pé atrás, e se eu fosse o dono da agência com certeza teria um atendimento maior, com uma dedicação e uma vontade maior de ver meu cliente satisfeito, e ia tratar o desejo do meu cliente com uma certa prioridade pra mim né até porque é disso que eu vivo, se o cara não ficar satisfeito ele não trabalha mais comigo.

Entrevistador:Certo, a próxima pergunta, acredita que o tipo de trabalho que uma empresa espera da agência são os trabalhos que valorizam a marca a longo prazo? Como?

Entrevistado:Olha eu acredito sim, eu tenho uma experiência aqui em São Bernardo, a gente faz um programa de turismo industrial e um dos empresários que abrem a empresa para visita, fala que prefere receber o público universitário porque são estudantes técnicos, e a empresa no caso produz plástico né, e ele expondo essa marca para estudantes, pessoas que estão começando a carreira de trabalho agora que daqui a 5 ou 10 anos podem vir a ser diretores, gerentes né, não sei talvez até donos de uma empresa, quando precisarem comprar algum tipo plástico, vão comprar dele porque vão ter essa memória de conhecer a fábrica né ter aquela visita e ele vê isso como uma ação de marketing que ele pratica a longo prazo, porque ele pensa num público que pode vir a consumir dele no futuro, é uma ação interessante, diferente do que a gente costuma vê e acho que tem muita agência que pensa e valoriza a marca a longo prazo, até porque quanto mais ela valoriza, 243


mais ganha recursos financeiros, e quanto mais ela investe em propaganda eles tem o retorno então é importante sim pensar em valorizar a marca a longo prazo, e é isso que mjita gente vem fazendo né, faz uma ação hoje pra ter um retorno num tempo ai maior, até como esse no caso do empresário que eu citei aqui que tem uma indústria de plástico no caso de 5 a 10 anos, um pouco longo eu diria mas é um retorno bacana.

Entrevistador: Certo, Qual a maior falha que uma agência pode cometer?

Entrevistado: Falha... bom assim (tosse) falha, olha a principal falha que uma agência pode cometer, acho que não só uma agência, como acho que qualquer empresa que trabalha com prestação de serviços, é assim como eu falei nas perguntas anteriores, é sobre o bom atendimento do cliente, o cliente precisa ser bem atendido então assim embora você tenha um portifólio legal e execute uns trabalhos legais, as vezes vai atender o cara de uma forma ai ele não vai gostar e vai acabar procurando alguém que atenda de forma melhor, dando uma atenção maior pra ele, que assim ele se sinta mais importante para aquela agência entendeu, se ele se sentisse mais valorizado por aquela agência, então é isso acho que dar uma atenção acho que falta de atenção poder a maior causa de uma perda de um cliente, acho que essa seria a maior falha que uma empresa ou juma agência poderia cometer entendeu.

Entrevistador:Para você, qual a estimativa de tempo para avaliar o desempenho de uma agência contratada? Porquê?

Entrevistado:Olha não tem bem um tempo assim pra você avaliar uma empresa, não tem um prazo estipulado, você vai avaliar ela pelo projeto que foi contrato para ela efetuar, por exemplo a gente fecha a parceria com uma agência, para fazer a ação de um produto que seja e a gente vai avaliar a entrega dessa ação né, a gente vai avaliar a conclusão do projeto em si, se ela alcançou o objetivo ou não, quais os problemas no decorrer do trabalho porque não tem como julgar o trabalho antes de ver o resultado da coisa, por exemplo eu que trabalho com turismo, pra mim tipo meu cliente que seria um turista vai avaliar o todo da visita dele 244


a cidade, que se eu atender mal ele, se ele for maltratado na cidade, numa outra oportunidade que tiver vai preferir visitar outra cidade que não seja a minha, você precisa avaliar o todo, eu costumo avaliar os meus clientes assim, que eu faço parceria de forma mais contundente assim no primeiro trabalho, porque se o cara pisa na bola feio comigo no primeiro trabalho a gente já, a gente não costuma a contratar pra uma segunda eventual ação, um segundo projeto que a gente poderia tar realizando com eles.

Entrevistador:Já passou por alguma situação de gafe cometida pela agência para obter bons resultados? Conte-nos.

Entrevistado: Não, não, gafe acho que eu não cheguei a passar, gafe ainda não, passar uma vergonha assim né numa eventual execução de projeto ou de uma ação acho que eu não passei por isso ainda não, até porque a gente costuma trabalhar de forma a prevenir este tipo de coisa, e Graças a Deus nos nunca tivemos problema desta dimensão assim.

Entrevistador:Você acredita que a cultura interfira na divulgação de sua empresa, marca ou produto? Porquê?

Entrevistado:Com certeza a cultura influência na divulgação do produto, porque você pegar por exemplo aqui em São Bernardo né, eu trabalho muito com a forte cultura japonesa que a gente tem aqui na cidade, ai o cara tem um jeito diferente de te cumprimentar de te olhar e até de comer, então se você vai fazer uma coisa voltada para o japonês vai pensar na credibilidade né, em passar credibilidade, que é isso que a cultura dele passa pra você e você teria que passar essa imagem pra ele, e as vezes também muitas marcas que você vê, os comerciais que elas fazem apela para a cultura brasileira pra vender né, então hoje em dia você tá tendo uma evolução nisso tipo você não vê em comercial de cerveja mostrando mulher pelada tomando uma cerveja no buteco, agora tem mais coisa que envolve a cultura Brasil, mostra um cara jogando futvolei na praia, aquele momento de descontração, tudo aquilo que a marca gira em torno né, tá atrelado a cultura do 245


país na qual ela pertence e isso vale para os dois lados, a maneira como quer vender o produto e para as pessoas que quer vender também

Entrevistador:Qual sua opinião sobre o mercado publicitário?

Entrevistado: olha na minha opinião, o mercado de trabalho, no qual eu trabalho é o mercado publicitário né, e é o que vocês vão vir a trabalhar é que hoje é um mercado extremamente fechado né, difícil de entrar no ramo, que a região aqui que eu trabalho e vocês estudam, São Bernardo, é extremamente difícil né, se o cara vai acabar arranjando trabalho em outros centros né, vai pra São Paulo achar trabalho e mesmo assim são poucas agências que existem e é muito difícil lançar também e querer trabalhar por conta, muitos colegas meus de faculdade tentaram e não emplacaram com o negócio deles e até pra agências é difícil vender o produto delas... o serviço delas, é um mercado forte e competitivo, e falar em sucesso é no estudo né, porque conseguem trabalhar no ramo os que se sobressaem mesmo, então vocês que tão estudando ai e tão começando agora é mão na massa e estuda bastante pra quando chegar a hora de ingressar no mercado de trabalho estarem preparados e conseguirem tá entre os melhores e conseguir trabalhar dentro da profissão.

Entrevistador:Quais os critérios que você avalia antes de fechar acordo com uma agência publicitária e qual o grau de importância de cada critério?

Entrevistado: Opa boa pergunta essa, bom acho que o primeiro critério que a gente olha assim, a gente vai olhar os portifóliosdas empresas, das agências né, a gente vai olhar por exemplo, pra nós aqui uma coisa que a gente vê no histórico da empresa, no portifolio da empresa, na pesquisa, ele vão apresentar o portifolio deles, a gente vai fazer uma pesquisa também de mercado sobre... das ações que fizeram pra gente, que fizeram para outros clientes, é se são empresas que conseguem cumprir o prazo que a gente estípula, porque como a gente trabalha muito com evento, turismo, a gente trabalha com prazo que precisa ser rigorosamente cumprido e a gente tem que tá preparado para o evento, então o cara precisa estar com as peças preparadas para o dia do evento, para divulgação do 246


evento, então assim tudo em prazo determinado, isso é de extrema importância e acho que em segundo lugar como a gente abordou aqui outras vezes é o atendimento por eles prestados, estou batendo nessa tecla do atendimento porque no turismo a nossa principal objetivo é o bem receber do turista, então a gente quer o bem receber, pessoas que se preocupam com o bem receber, então se o cara não consegue me receber, ele não vai conseguir ajudar no meu objetivo que é bem receber o turista da cidade.

Entrevistador:Qual seria sua opinião sobre o CONAR?

Entrevistado: Olha minha opinião sobre o CONAR é bem semelhante a opinião que eu tenho sobre a sociedade em si, a sociedade contemporânea né, meu hoje em dia é muito “mimimi”, nada pode, tudo é racista, tudo é preconceito, ai você acaba limitando o trabalho do publicitário né, até porque o cara vai fazer uma divulgação que em tese deveria ser uma coisa mais descontraída né, a publicidade é um trabalho descontraído né, você tem que divulgar sua marca de forma, meu, divertida né. Eu entendo que precisa ter uma regulamentação, se não a galera abusa também né, vai além dos limites mas acho que pode existir um meio termo em que o publicitário consiga usar da sua imaginação ao limite do possível né, e extrair o melhor do potencial dele, sem que haja nenhuma regulamentação exagerada que vá ofender alguém né, que e acho que as vezes o pessoal da uma exagerada ai e limita muito o que pode ou não pode fazer em uma campanha.

Entrevistador: Qual conselho você daria a nova geração de publicitários?

Entrevistado: Olha acho que o principal conselho que posso dar para vocês é que vocês tem que manter, vocês vão ter manter quando ingressarem no mercado de trabalhoo equilíbrio emocional né, porque não é todo dia que você tá “inspiradasso” pra promover uma campanha, pra promover uma marca né, pra você produzir né, até porque a gente é ser humano né como qualquer outra pessoa, não é todo dia que se tá legal também, as vez tá com problema em casa, você tem outras coisas na cabeça além do seu trabalho, e se tem que saber lidar com tudo isso e não deixar interferir no trabalho, e publicidade é um trabalho bem dinâmico e como 247


eu falei não é todo dia que você tá inspirado, não é todo dia que a ideia vem, não é todo dia que você vai conseguir produzir, você tem que manter a calma e entender que uma hora aquilo vai sair entendeu. E fora isso tá sempre antenado no que tá rolando de novo, tá sempre se renovando e procurar não ficar plagiando o trabalho dos colegas de trabalho que é uma pratica bem costumeira, a gente costuma ver gente plagiando na “cara dura” trabalho de outras pessoas né, acho que você não estuda 4 anos pra copiar o trabalho do outro né, não é esse o caminho.

Entrevistador: Dizem que somos o que lemos, assistimos e ouvimos. Sendo assim, o que você indica que os novos profissionais leiam, assistam ou ouçam para desenvolver uma cultura necessária como publicitário?

Entrevistado: Olha o que eu indico que vocês leiam, assistam, escutem, eu gosto muito de bezerra da silva por exemplo, costumo assistir bastante humor né, que eles fazem a gente se descontrair e essas sacadas que eles tem ajudam a gente a desenvolver a imaginação e um autor que eu gosto muito também é Dan Brown, as ficções dele fazem a gente imaginar muita coisa, lugar que a gente gostaria de conhecer, a imaginar alguns lugares e isso acaba desenvolvendo sua imaginação, então eu procuro ouvir, assistir e ler esse tipo de coisa que me descontraia e que aguce minha curiosidade, que faz a minha imaginação trabalhar entendeu, que a imaginação para o publicitário é a ferramenta de trabalho equivalente ao martelo para o pedreiro.

Entrevistador: Em qual pessoa você se inspirou para chegar a onde chegou e porquê?

Entrevistado: Olha eu não tenho bem assim um ídolo né, que é o caso da pergunta, um cara que eu me inspirasse pra seguir os passos dele, pra ser igual ele, que eu quisesse superar, assim não sou o Robinho do Neymar, eu não tenho esse personagem. Eu cheguei a ser comediante ai um tempo atrás, fazia stand up, cheguei até a dar aula pra palhaço e hoje to trabalhando com turismo ai, deixando essa parte de pessoa publica um pouco de lado assim, fazendo só para amigos mesmo, por pedidos né mais ocasional, mas foi o que eu falei, essas pessoas que 248


eu acabei citando na última pergunta, uns caras mais engraçados né, esses são os que me inspiram, acho bacana levar o trabalho da publicidade um pouco para o lado do humor, claro que embora você entre na publicidade achando que tudo que fará são ações voltadas ao postos Ipiranga da vida, totalmente apelado por esse lado do humor, voltado para esse lado do humor, mas não é assim que funciona né, obviamente você ta envolvido com isso mas nem todas as projeções, as divulgações que você vai fazer vai ser voltada para comédia, mas acho que se você for de bom humor para realizar o seu trabalho vai ajudar 100% na execução, e são essas pessoas que me inspiro, eu procuro ver bastante stand up antigo, essas pessoas acabam me inspirando para executar meu trabalho.

Entrevistador: Quais são suas referências de publicitários e porquê?

Entrevistado: Cara um publicitário que eu curto bastante é o Pulga, Igor Pulga, um cara com um pensamento critico bacana, legal, não é um cara de ego inflado, todo mundo vê nas entrevista que ele dá, nas palestras que não é um cara que fica se auto promovendo, se vangloriando de tudo, um cara novo, jovem e com um currículo para ninguém colocar defeito, o cara fez propaganda ai para o Itaú, para Ambev e isso não é pra qualquer um, é um cara que vale a pena vocês darem uma olhada no trabalho dele que vocês vão aprender e gostar bastante tenho certeza.

Entrevistador:Qual sua opinião sobre os cursos de publicidade e propaganda oferecidos no país?

Entrevistado: Olha acho que os curso de Publicidade oferecidos no Brasil são em média muito bons sim, a própria Metodista de vocês oferece um excelente curso de publicidade, super reconhecido, a Uniban no meus caso, que foi a faculdade que eu fiz, na minha época era nota 4 no Mac e hoje que foi comprada pela Anhanguera e não sei como é que tá a nota, deve ter dado uma caída, uma crítica que eu faço assim mas não especificamente para faculdade de Publicidade mas para qualquer outro curso é que o superior te prepara pra ser um peão né, não 249


te prepara pra ser o gestor, te prepara pra ser o gestor da criação né mas não o dono da agência, te prepara pra ser o advogado mas não o dono do escritório né

Entrevistador: Quais livros te inspiraram na sua trajetória?

Entrevistado: Olha eu me considero ai um bom leitor né, ao longo da minha trajetória profissional ai foram muitos livros, eu gosto de ler, procuro sempre tá lendo, tá sempre antenado mas acho que dois livros marcantes ai que vale a pena pra vocês é “Faça como Steve Jobs” não vou lembrar o autor agora, e assim Steve Jobs ele reinventou o marketing né, provavelmente uma das maiores mentes ai do século, comparado com Henry Ford e o principal forte dele era vender os produtos da Apple, acho que não é a toa que a Apple ficou tanto tempo como uma das empresas mais valiosas do mundo muito pelo marketing que ele oferecia né, acho que é um livro que vale o tempo assim gasto pra se ler, outro livro que eu acho legal pra vocês ai é “Os bastidores da Google” que é ai hoje a empresa mais valiosa do mundo né, a empresa mais importante do mundo e mostra como é que funcionam as coisas, porque hoje acho que tudo que você vai comprar você pesquisa no Google antes, tá tudo atrelado ao google, o que você pesquisa lá vai ser oferecido a você, que vai passar as informações para empresa que compram as informações do google, as empresas que vendem estes produtos e vai gerar publicidade na sua cara, vai abrir o facebook e vai tá o que você pesquisou, então esses são doias livro que valem a pena

Entrevistador: Se tivesse 18 anos e tivesse a oportunidade de escolher sua carreira novamente, optaria pela mesma ou escolheria outra?

Entrevistado: olha eu optaria por fazer Publicidade denovo sim, eu fui feliz na escolha de profissão que eu fiz, foi uma faculdade muito boa pra mim, é o que eu gosto de fazer até hoje, fui fazer faculdade de radiotv pra me aprimorar né, porque acho que publicitário precisa ter essa dimensão de como produzir né no cinema na rádio, na Tv, isso é bom pra gente, e hoje to com esse projeto aqui com a prefeitura de São Bernardo em turismo, porque turismo ta muito ligado a publicidade, você precisa fazer a publicidade do lugar, porque pode ser o lugar mais paradisíaco do 250


mundo se a pessoa não souber vender o lugar, aspessoas não irão até lá, nosso caso o cara fala “meu o que eu vou fazer ai em São Bernardo... lá só tem indústria” ai a gente usa essa nossa carência de pontos turísticos como forte né, então hoje a gente traz pessoas do mundo todo pra conhecer as industrias de São Bernardo, é Scania, Volkswagen, Mercedes, nesse projeto ai a gente vem fomentando os restaurantes, os barzinhos. Esse projeto tem até referência na Europa, de pessoas do mundo todo visitando ai as empresas de São Bernardo, e ta sendo muito bacana e eu espero ta desenvolvendo ai o meu trabalho de forma legal e que crie resultados positivos e que crie resultados como esse vem gerando.

Anexo B: Cotação de Móveis

Ar Condicionado

251


https://www.google.com.br/shopping/product/7358744484960906216?q=ar+condicionado+ split&rlz=1C1NHXL_ptBRBR693BR693&espv=2&site=webhp&sqi=2&biw=1366&bih=662&bav=on.2,or.r_cp.&bvm=bv.1521 80690,d.Y2I&ion=1&tch=1&ech=1&psi=X17uWKPpII2wwgSWoqYAg.1492016740783.3&sa=X&ved=0ahUKEwi2m9XBs5_TAhVJFZAKHaTeCHkQ8wIItgMwAQ

Cafeteira

252


https://www.google.com.br/shopping/product/4639970345985966425?sclient=psyab&rlz=1C1NHXL_ptBRBR693BR693&biw=1366&bih=662&site=webhp&q=cafeteira+expresso&oq=&pbx=1&bav=on.2,or. r_cp.&bvm=bv.152180690,d.Y2I&ion=1&espv=2&pf=p&tch=1&ech=11&psi=X17uWKPpII2wwgSWoqYAg.1492016740783.3&sa=X&sqi=2&ved=0ahUKEwiE_vKttJ_TAhVCF5AKHeSOC-MQ8wIIxQMwAQ

253


Cadeira de Cliente

http://www.e-cadeiras.com.br/Produto/1938151/cadeira-de-escritorio-base-fixa-texaspreta-15016/?gclid=CN6x0Ni9n9MCFYcGkQodt-kA_A

254


Computador

255


https://www.google.com.br/shopping/product/16809613207640068564?sclient=psyab&rlz=1C1NHXL_ptBRBR693BR693&biw=1366&bih=662&site=webhp&q=computador&oq=&pbx=1&bav=on.2,or.r_cp.& bvm=bv.152180690,d.Y2I&ion=1&espv=2&sns=1&pf=p&tch=1&ech=7&psi=X17uWKPpII2wwgSWoqYAg.1492016740783.5&sa=X&sqi=2&ved=0ahUKEwiwxYHhvZ_TAhXEnJAKHSUECOsQ8gIImwQwAQ

Telefone

256


https://www.google.com.br/shopping/product/6971424977261897524?sclient=psyab&rlz=1C1NHXL_ptBRBR693BR693&biw=1366&bih=662&site=webhp&q=telefone&oq=telefone&pbx=1&bav=on.2,or.r_ cp.&bvm=bv.152180690,d.Y2I&ion=1&espv=2&tch=1&ech=1&psi=X17uWKPpII2wwgSWoqYAg.1492016740783.7&sa=X&ved=0ahUKEwjc38m_vp_TAhXEHZAKHUceCTMQ8gII7gQwDw

IMAC (Criação)

257


https://www.walmart.com.br/item/3832372/sk?utm_source=googlepla&adtype=pla&utm_medium=ppc&utm_term=3832372&utm_campaign=acessorios_tecnologia+3 832372

Cadeira de Reunião

https://www.google.com.br/shopping/product/649619919864475271?sclient=psyab&rlz=1C1NHXL_ptBRBR693BR693&biw=1366&bih=662&site=webhp&q=cadeira+reuni%C3%A3o&oq=&pbx=1&bav=on. 2,or.r_cp.&bvm=bv.152180690,d.Y2I&ion=1&espv=2&sns=1&pf=p&tch=1&ech=26&psi=X17uWKPpII 258


2wwgSWoqYAg.1492016740783.7&sa=X&sqi=2&ved=0ahUKEwiPn8egv5_TAhXITJAKHdfVCOoQ8gIIvQQwCA

Cadeira de Escritรณrio

https://www.google.com.br/shopping/product/649619919864475271?sclient=psyab&rlz=1C1NHXL_ptBRBR693BR693&biw=1366&bih=662&site=webhp&q=cadeira+reuni%C3%A3o&oq=&pbx=1&bav=on. 259


2,or.r_cp.&bvm=bv.152180690,d.Y2I&ion=1&espv=2&sns=1&pf=p&tch=1&ech=26&psi=X17uWKPpII 2wwgSWoqYAg.1492016740783.7&sa=X&sqi=2&ved=0ahUKEwiPn8egv5_TAhXITJAKHdfVCOoQ8gIIvQQwCA

Mesa de Reunião

http://www.lojix.com.br/moveis-para-escritorio/mesa-de-reuniao-acerto-dna-lojix-270cm?parceiro=4632&gclid=CILIkIfAn9MCFYaBkQodtFsCXA

260


Mesa de Escritรณrio

http://www.shoptime.com.br/produto/19153137/mesa-para-escritorio-platinaultra?WT.srch=1&condition=NEW&cor=PLATINA&epar=&epar=bp_pl_00_go_pla_mv_geral_3p&gclid =CMyvpaLAn9MCFckHkQod2WMHQg&opn=GOOGLEXML&sellerId=18173277000181

Impressora 261


http://www.magazineluiza.com.br/impressora-brother-hl1212w-laser-monocromatica-wi-fiusb/p/2145333/ia/iaim/?partner_id=4652&utm_source=google&utm_medium=pla&cmptype=pla&p rofileid=466&campaignid=8549&utm_campaign=PLA_IA&gclid=CKC19_-o_NMCFUKBkQodB-QKdg

Alarme

262


http://vetti.com.br/produto/smart-alarm-kit/?gclid=CKPnpsmp_NMCFRIIkQodLqsJ9Q

TV

263


http://www.magazineluiza.com.br/smart-tv-led-55-lg-full-hd-55lh6000-webos-conversordigital-wi-fi-3-hdmi-2usb/p/1933853/et/elit/?partner_id=4657&utm_source=google&utm_medium=pla&cmptype=pla&pr ofileid=466&campaignid=8559&utm_campaign=PLA_ET&gclid=CPDf5baz_NMCFYUFkQodqiUOvQ

Conjunto de Sofรกs

264


https://www.carrefour.com.br/sofa?destaque=B1-98371089834400&crfetp_rop=sem&crfetp_ed=google_pla&crfetp_ad=ef_campaign&crfetp_cnt=ef_campaig n&crfetp_trm=keyword&xml_category=moveis+sofa&xml_source=googleshopping&xml_sku=B198371089834400&crfetp_rop=sem&crfetp_ed=google_pla&crfetp_ad=Sof%C3%A1&crfetp_cnt=Moveis&crfe tp_trm=&s_kwcid=AL!705!3!172008722107!!!g!269314403896!&ef_id=VsjSGAAAAfcqRAqJ:2017051 9160545:s

Geladeira 265


https://www.carrefour.com.br/geladeira?destaque=9733361&crfetp_rop=sem&crfetp_ed=g oogle_pla&crfetp_ad=ef_campaign&crfetp_cnt=ef_campaign&crfetp_trm=keyword&xml_category= eletrodomesticos+geladeira&xml_source=googleshopping&xml_sku=9733361&crfetp_rop=sem&crfe tp_ed=google_pla&crfetp_ad=Geladeira&crfetp_cnt=Eletrodomesticos&crfetp_trm=&s_kwcid=AL!70 5!3!172008721630!!!g!63115019814!&ef_id=VsjSGAAAAfcqRAqJ:20170519160743:s

Microondas 266


http://www.magazineluiza.com.br/micro-ondas-brastemp-ative-bmj38arana-38linox/p/0842431/ed/mond/?partner_id=4660&utm_source=google&utm_medium=pla&cmptype=pla &profileid=466&campaignid=8531&keyword=&utm_campaign=PLA_ED&autype=pla&gclid=CJW6jver _NMCFYMHkQodmCQFAw

Papelaria 267


https://www.printi.com.br/papelaria?gclid=CPjx0NGt_NMCFQIGkQodeRIMSQ

Lixeira

268


https://www.carrefour.com.br/lixeira?destaque=8648000&crfetp_rop=sem&crfetp_ed=goog le_pla&crfetp_ad=ef_campaign&crfetp_cnt=ef_campaign&crfetp_trm=keyword&xml_category=limp eza-elavanderia+lixeira&xml_source=googleshopping&xml_sku=8648000&crfetp_rop=sem&crfetp_ed=go ogle_pla&crfetp_ad=Lixeira&crfetp_cnt=Limpeza%20e%20lavanderia&crfetp_trm=&s_kwcid=AL!705 !3!140334001150!!!g!148330696629!&ef_id=VsjSGAAAAfcqRAqJ:20170519162329:s

269


Material de Limpeza

http://www.thandertrade.com.br/?gclid=CPymsbKv_NMCFUEJkQod1YALkQ

Material de Copa 270


http://www.thandertrade.com.br/?gclid=CPymsbKv_NMCFUEJkQod1YALkQ

Impressora Laser

https://www.submarino.com.br/produto/9845267/impressora-hp-laserjet-p1102wwireless?WT.srch=1&condition=NEW&epar=&epar=bp_pl_00_go_g35172&gclid=COLFg7mw_NMCF UkJkQodSmwIzA&opn=XMLGOOGLE&sellerId=7272825000104 271


PABX

http://www.casadopabx.com.br/detalhes.php?cod=36

NOTEBOOK

272


http://www.dell.com/br/p/alienware-17laptop/pd?oc=cuaw17r41080brk4&dgc=ST&cid=310459&lid=5860651&acd=1225513272620560&ve n1=s&ven2

ARMĂ RIO 273


https://www.lojaskd.com.br/armario-2-portas-multiuso-tabaco-zanzini22079.html?origem=googlead_product_listing_ads&productid=22079&local=1001767&device=c&ne twork=g&gclid=CLL-y5G1_NMCFVIJkQodhfwCvw

274

Ética e gestão na publicidade  

Este projeto tem como objetivo realizar uma simulação da criação de uma agência de publicidade, desde a criação do nome, até sua estréia no...

Ética e gestão na publicidade  

Este projeto tem como objetivo realizar uma simulação da criação de uma agência de publicidade, desde a criação do nome, até sua estréia no...

Advertisement