Page 1

Automotive Ano 1 | Novembro/Dezembro 2013 | Preço 3€ | Edição nº 8 | Publicação Mensal

Este exemplar é gratuito

operação “La Poste”

mega operação Da fábrica de Mangualde ao carteiro de Paris

Entrevista

Pesados

Pós-venda

Ensaio

Pernod Ricard Generali Seguros

IVECO Mercedes-Benz

RPL online Auto Esfera

Lexus IS 300h Peugeot 308


Índice 04 Ecolub 06 Escolher Qualidade 08 Auto Esfera 10 RPL Clima 11 Sparkes & Sparkes 16 Tirso Pneus 20 Salão de Tóquio 23 First Stop 24 Peugeot 308 27 Generali

Editorial Em Roma, sê romano e feliz

E

sta edição com capa de novembro/dezembro refere-se aos acontecimentos desses dois meses. A próxima revista constará na capa fevereiro, mas reportará às notícias de janeiro. Está confuso? Nós também. Foi nossa opção seguir a metodologia já adotada pelas demais publicações mensais e harmonizar com elas a nomenclatura. O leitor fica a ganhar nesta edição mais recheada e com mais condimento. Pela diversidade dos temas abordados, pela exclusividade e amplitude da informação. Esta quadra festiva será verdadeiramente alegre e cheia de bom humor em companhia da Automotive. Aproveitamos para desejar a todos os nossos leitores, clientes, parceiros e companheiros de caminhada, boas festas e bons negócios em movimento para 2014. Juntos faremos mais e melhor, porque só assim é possível construir com civilidade, equidade e justiça. Juntamente com esta edição faremos a distribuição do calendário da Sogilub, numa demonstração clara da nossa associação às iniciativas protetoras do ambiente. Tomamos a liberdade de citar Fernando Pessoa, para encerrar este editorial, porque não encontramos melhor forma de vos desejar felicidades: “Ser feliz é encontrar força no perdão, esperanças nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros. É agradecer a Deus a cada minuto pelo milagre da vida.”

30 GEFCO 33 Arval 36 Pernod Ricard 39 ALD Automotive

48 Renault Clio Dci 52 HBC II 54 IVECO

42 EVS 27 Barcelona 44 Mazda CX-5 46 Lexus IS 300h

56 Sodicentro 58 Carsistema

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

3


Pós-Venda

Revista Automotive

Sogilub acrescenta mais uma palavra ao dicionário Paulatinamente a sociedade vem compreendendo a importância do respeito pelo ambiente; fruto de uma intervenção educativa ativa, mas também das consequências que todos já sentem - uns mais outros menos. Legislar é fácil, dar as condições para a sua execução

a função. São devidamente identificados com a marca

é sempre difícil. As grandes e médias empresas já têm

Ecolub, observam as normas de segurança e estão pre-

nas suas carteiras compromissos ambientais. O pro-

parados para armazenar óleos lubrificantes usados..

blema reside nas pequenas e micro empresas, muitas vezes unipessoais e que se debatem com falta de meios. Ninguém gosta de ser prevaricador e muito menos poluidor, mas nem sempre as prioridades passam por

4

Foi assim que a Sogilub através da sua marca Ecolub inovou: na palavra oleão, cujo plural é oleões. Criou uma alternativa válida e resolveu um problema que se

aquisição de meios de armazenagem de materiais

depara aos produtores de óleos usados - a sua capacida-

poluidores.

de para os armazenar de forma correcta.

A Sogilub – Sociedade de Gestão Integrada de Óleos Lu-

Segundo Aníbal Vicente, gerente da Sogilub, entidade

brificantes Usados – verificou essa realidade no terreno

que está a promover a distribuição gratuita dos oleões,

e partiu para a ação: distribuição de 1.000 oleões por

1.000 empresas terão no seu “sapatinho” um oleão.

todo o país. O oleão é um reservatório com capacidade

Pretendem abranger todo o país de forma equitativa,

de armazenamento de 600 litros, construído com pare-

ajudando assim a eliminar situaçõesmais críticas e

de dupla, resistente à corrosão, com indicador de nível,

recorrentes de incumprimento. Afirma que “na área

detetor de fugas e está devidamente homologado para

automotiva há cada vez mais profissionais esclarecidos,

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

competentes e responsáveis, que exigem qualidade nos produtos e responsabilidade ecológica no armazenamento, recolha e reciclagem. Só assim podemos crescer de forma ecologicamente sustentada, com segurança e confiança no futuro.” Já o Sr. Paulo Jorge da Conceição Santos proprietário desde 1981de uma oficina em Caneças, e aderente à Sogilub desde o seu início em 2006; estava ansioso para substituir o bidão que tinha atrás da porta, por um recipiente mais à altura dos padrões da sua oficina.

Pós-Venda

“É agora que as oficinas precisam deste nosso apoio. Estamos a investir no futuro do nosso ambiente”.

Segundo Paulo Jorge: “apesar de sermos uma oficina de pequena dimensão, produzimos cerca de 1.400 litros de óleos usados por ano. Queremos ser mais responsáveis na nossa atividade e uma correta recolha e armazenamento de óleos usados, para além dos benefícios ambientais, contribuem para uma boa imagem de qualquer oficina.” Outra vantagem dos oleões está na facilidade de recolha por aspiração, as viaturas trazem mangueiras apropriadas que aspiram de modo seguro, rápido e limpo o óleo usado. Paralelamente é feita também a colheita de duas amostras, uma que fica na oficina e outra que acompanha o carro tanque para, se necessário, posterior análise. A análise permite verificar se há contaminação do óleo com outros tipos de produtos. A palavra acrescentada agora ao dicionário tem um valor de mercado de cerca de 500 Euros por unidade , que Aníbal Vicente afirma e bem, ser um investimento porque “é agora que as oficinas precisam deste nosso apoio. Estamos a investir no futuro do nosso ambiente e inclusivamente a fomentar parcerias. Antigamente o Paulo Jorge aceitava os óleos dos vizinhos, mas era por boa vontade. Agora aceita porque tem as melhores condições possíveis para o fazer.”

Paulo Jorge e filho; João Reis, Rodrigo Alves e Aníbal Vicente da Sogilub

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

5


Pós-Venda

Revista Automotive

Da reunião para a ação Um grupo de profissionais de empresas na área das peças e componentes automóveis de Espanha, em boa hora reuniu-se e resolveu ter uma atitude mais proactiva em prol dos seus serviços e equipamentos. Ao invés de carpir nas desgraças e nas incongruências, de fo-

rio, está em ir de encontro, apresentar soluções e estar presente

mentarem litígios, desavenças e fações, optaram por unirem-se e

nos momentos mais cruciais.

incentivarem a congruência e o mutualismo positivo. Lançaram a campanha Escolher Qualidade, Escolher Confiança, uma forma de sensibilizar as oficinas em Espanha.

da “primeira lição de confiança”, que visa apoiar o mecânico em sua relação comercial com o cliente através de argumentos ra-

Por ser a primeira iniciativa desse género e com estes contornos,

cionais, práticos e simples. Exemplificamos as desvantagens e as

a Revista Automotive não podia perder essa excelente oportuni-

graves consequências de uma reparação inadequada. Queremos

dade. Entrevistamos o porta-voz da comissão.

proteger o profissional e o seu negócio, porque é uma garantia que se vai manter mais tempo no mercado de forma sustentada

Unidos, com que objetivo?

e confiante.

Dar destaque à oficina profissional como figura-chave no processo de compra de setor de peças, valorizando o profissionalismo do mecânico e a segurança dos condutores. Temos o apoio de associações profissionais e de vários grupos de distribuição de peças que levam a nossa mensagem a todas as oficinas pertencentes as redes.

Para o cliente final quais são os benefícios dessa iniciativa? Garantia de confiança e segurança na reparação da sua viatura. Para as pessoas em geral, o esclarecimento em alguns pontos faz toda a diferença. Uma pessoa esclarecida faz a sua opção de forma consciente e racional; transmite essa confiança quando recomenda a um amigo. Tem argumentos que justificam a sua

Que marcas perceberam o vosso objetivo e quiseram fazer parte da iniciativa?

preferência e aconselha com fundamento. Estão a prever mais iniciativas?

Atualmente, a iniciativa tem o apoio de 16 fabricantes de equipamentos: ATE , Bosch, Brembo, DAYCO , GATES , HELLA , KYB , MANN -FILTER , NTN- SNR , PHILIPS, SKF, TEXTAR , TRW , VALEO , VARTA e VDO .

Sim. O “terreno” não nos deixa parar. Recebemos muitas sugestões, vindas dos mais diversos setores, tornou-se um movimento mobilizador. Neste momento estamos a preparar novas ações para 2014,

Que tipo de informação está sendo transmitida ao mercado?

procurando manter a colabora-

Todas as marcas envolvidas têm maturidade no mercado,

no sector: fabricantes, grupos

conhecem as necessidades dos clientes; assim como têm longa

de distribuição, associações

experiência industrial e comercial. São os pilares sobre os quais

profissionais e oficinas, que

a campanha é suportada. Eles sabem melhor do que ninguém

formam um eixo fundamen-

proporcionar qualidade e confiabilidade, é o que todos preten-

tal para o desenvolvimento

demos. É preciso manter a fidelidade e rentabilidade em todos

de toda a campanha. Uma

os passos e processos. Um mercado estável, seguro e rentável é

indústria unida torna um setor

vantajoso para todos: é a nossa convicção por isso é a informação

mais forte. Esperamos em breve

que transmitimos.

apresentar mais novidades.

Como passaram da reunião para a ação? As reuniões foram fundamentais para clarificar objetivos e metas; aparar arestas e principalmente desobscurecer algumas mentes. Daí para a ação foi o mais motivador, durante o ano de 2013, a iniciativa Escolher Qualidade, Escolher Confiança esteve presente em diversos eventos com profissionais do setor em varias regiões de Espanha, ouvi-los, conhecê-los e esclarecer as suas dúvidas. É com a proximidade que conseguimos sensibilizar e atuar. Os novos desafios não estão por detrás das mesas, muito pelo contrá-

6

Avançamos recentemente para uma nova mensagem denomina-

Nov/Dez 2013

Revista Automotive

ção de todos os intervenientes


Pós-Venda

Revista Automotive

Auto Esfera

há 66 anos em movimento Desenvolver negócios com qualidade exige, antes de tudo que também haja produtos de qualidade à venda. Em entrevista à Revista Automotive, Manuel Gonçal-

acesso na avenida Cidade do Porto, em Braga, com um

ves, gerente da empresa, fez questão de salientar que

grande armazém e uma renovada loja para melhor aten-

um dos pilares deste sucesso e manutenção das suas

der aos nossos clientes, maioritariamente profissionais

atividades ao longo das últimas seis décadas é o fato de

do setor. A nossa nova fachada tem um único logotipo,

comercializarem algumas das melhores e mais reputa-

que alude propositadamente a um rolamento: o da Auto

das marcas de peças automóvel.

Esfera que não pára”.

“Apesar dos muitos anos no setor, não parámos e

Marcas de topo

estamos constantemente a investir no nosso negócio. Prova disso são as nossas atuais instalações. Inicialmente estávamos no centro da cidade de Braga, um bom espaço, mas que com o passar do tempo tornou-se de difícil acesso.

8

“Comercializamos peças das melhores marcas em todo país, graças à nossa força de vendas e nas encomendas que recebemos diariamente através do nosso site. Para além da SKF, também comercializamos as marcas de qualidade premium como NGK, Ferodo, Brembo,

Assim, pensando no futuro do negócio e na garantia de

Sachs, Pagid, Sogefi, Federal Mogul, entre outras. Es-

emprego aos nossos mais de trinta colaboradores, deci-

tamos bem apoiados na parte técnica e comercial por

dimos investir em instalações mais amplas e de melhor

todas elas.

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

Pós-Venda

“Não parámos e estamos constantemente a investir no nosso negócio” Em particular, destaco a nossa relação comercial com a SKF, aproveitamos as campanhas que a marca estrategicamente desenvolve, assim como utilizamos todo o apoio técnico e comercial que recebemos da SKF aqui no norte, através do seu gestor José Oliveira. Posso dizer com muito orgulho que comercializamos os produtos da SKF praticamente desde a fundação da nossa empresa. É através desta estratégia que conseguimos apresentar condições mais vantajosas aos nossos diversos clientes. Apesar da forte concorrência e vasta oferta de produtos neste nosso mercado, a Auto Esfera deverá terminar o ano em linha com os objetivos comerciais que traçámos. Para 2014 temos como meta continuar a crescer nas vendas através de um conjunto de iniciativas, entre as quais destaco as jornadas de formação destinadas aos nossos clientes e desenvolvidas pelos nossos parceiros. Desejamos chegar aos 70 anos de existência mais sólidos e mais próximos dos nossos clientes.

Manuel Gonçalves Gerente da Auto Esfera

PUB

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

9


Pós-Venda

Revista Automotive

Rui Lopes Administrador Comercial da RPL Clima

RPL Clima mais ativa na computação em nuvem Rui Lopes e Rui Pedro os administradores decidiram organizar toda a informação disponível que estava espalhada em vários tipos de formato, agora em sites específicos. A trabalhar neste mercado da climatização automóvel há

à exportação dos nossos produtos para países como Espa-

14 anos, reunimos muita informação relevante. Face ao

nha, Angola, Moçambique ou Cabo Verde.

volume e à diversificação optamos por dividir por área de interesse criando sites distintos. Só assim se consegue facilitar o acesso, agilizar as respostas e otimizar o tempo dos nossos clientes.

encontrar uma vasta base de dados referente a peças para frio de transporte de mercadorias, transportes profissionais de produtos alimentares. O site tem também diversas infor-

Renovamos o nosso site principal: www.rplclima.com

mações documentadas aplicadas a esta área específica do

destinado a um primeiro contato com a nossa empresa e

frio de transporte. Como vendemos a profissionais disponi-

que dá ao visitante uma noção geral das nossas potencia-

bilizamos bases de dados referentes as peças e a produtos

lidades. Abre e carrega muito rapidamente e é muito fácil

como compressores, por exemplo. Há ainda orientações

encontrar o que procura.

sobre montagem, informação relevante e de interesse. E

www.rplclima2.com está mais vocacionado para ponto

10

Lançamos o www.friodetransporte.com neste site poderá

também promoções aliciantes.

de contacto com o mercado internacional. É uma primeira

O site www.avariasarcondicionadoauto.com não tem

abordagem para quem não nos conhece. Abre o caminho

lamúrias, garanto, pelo contrário tem soluções. Nosso obje-

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

Pós-Venda

tivo para este site é oferecer uma informação concisa sobre funcionamento, avarias e os componentes do ar condicionado automóvel. O site proporciona o acesso a um leque de conteúdos que vai desde vídeos tutoriais a documentos com informações técnicas sobre esta temática, passando pela legislação aplicada ao sector, juntamente com os Organismos de Atestação de Formação de técnicos para intervenções em sistemas de ar condicionado auto. Como informação complementar ao mercado, temos o www.rplclimanews.com é uma plataforma para a apresentação de notícias e novidades relacionadas com o setor de climatização automóvel e os últimos lançamentos dos produtos e serviços disponibilizados pela RPL Clima. Com uma newsletter sobre as nossas atividades dando destaque às nossas presenças em eventos nacionais e internacionais. Já está disponível a Edição n.º 89/Dezembro 2013, a não perder. RPL Clima promove sempre o bom tempo dentro da sua viatura ou cabine. Agora também está na nuvem informática e de computação, mais uma vez num bom clima de informação, esclarecimento, vendas e satisfação do cliente.

PUB

Rui Pedro Administrador Financeiro da RPL Clima


Pós-Venda

Revista Automotive

C. Santos

Agora com mais qualidade

A Galp Energia está presente em todas as fases da cadeia lubri-

1.500 viaturas e 14.000 mudanças de óleo por ano, atingindo

ficante: do desenvolvimento à produção, da comercialização à

um volume de lubrificantes que se calcula que poderá alcançar

distribuição; o que lhe permite controlar na íntegra a quali-

os 200 mil litros. Das seis oficinas oficiais da Mercedes Benz em

dade dos seus produtos, reconhecidos pela sua tecnologia e

Lisboa, cinco passarão a utilizar exclusivamente lubrificantes

performance.

Galp Energia.

A C. Santos Veículos e Peças, S. A., celebrou um contrato com

Adicionalmente a C. Santos passará a usar o cartão Galp Frota

Galp para fornecimento de lubrificantes a toda a rede de

como meio preferencial de pagamento para os seus consumos

stands e oficinas autorizadas da Mercedes Benz e Smart do

de combustíveis, estimados em 300 mil litros por ano, en-

país, com 11 representações distribuídas de norte a sul. Este

quanto as estufas de pintura auto passarão a usar gás natural

contrato abrange um universo de vendas anuais de cerca de

fornecido pela Galp Power.

Primeira oficina AutoCrew no distrito de Faro Inaugurada a 8 Novembro, completa as 13 de 2013. A Rede Oficinal da Bosch em Portimão através da sua rede AutoCrew em Portugal, mudou as cores da empresa JV Car Service enquadrando-a no seu fecho deste ano de expansão da rede. Aguardamos como será 2014, 13 é o número da sorte, mas num mercado tão competitivo e vulnerável é imprescindível a presença e a força do Grupo Bosch para cativar e motivar mais agregados.

Ficha técnica Proprietário/editor: Prosa Serena Unipessoal, Lda. Nif: 509890326 Diretor da revista: Eduardo Gaspar egaspar@automotivept.com Nº registo na ERC: 126335 Depóstio Legal: 357202/13 Sede Redação: Pq. Indust. Alto da Bela Vista, Sulim Park, Pav. 50. 2735-340 Cacém; Telf: +351 21 917 10 88. Tiragem: 5000 exemplares

12

Nov/Dez 2013

Preço: 3 Periodicidade: Mensal Gráfica: Mx3 Artes Gráficas; Parque Industrial Alto da Bela Vista, Sulim Park, Pav. 50. 2735-340 Cacém Paginação: Daniel Sobral Crédito das Fotos: Fotos Media Center das marcas divulgadas; Fotos divulgação. Envio de notícias para: press@automotivept.com Publicidade e outros assuntos comerciais: comercial@automotivept.com

Revista Automotive

© Copyright: nos termos legais em vigor é totalmente interdita a utilização ou a reprodução desta publicação, no seu todo ou em parte, sem a autorização prévia e por escrito do proprietário e editor da Revista Automotive. Ressalva: As entrevistas, comentários, opiniões e pontos de vista dos profissionais publicados nesta edição não representam necessariamente as opiniões e pontos de vista das empresas para as quais exercem funções, nem representam necessáriamente as opiniões e pontos de vista da Revista Automotive.


Revista Automotive

Pós-Venda

No meio está a virtude A CEPSA está a comemorar meio centenário, quem ganha são os

“Porque EU Volto”: que acumula pontos que valem descontos em

clientes. Desde um automóvel a um depósito cheio, vale tudo

combustível e permite o acesso automático aos sorteios, sem

para presentar quem utiliza os seus cartões “Porque EU Volto”.

complicações”, afirmou Ricardo Hermenegildo, Diretor de Marke-

Basta abastecer um valor igual ou superior a 30€ e já se habilita

ting e Comunicação da CEPSA Portuguesa.

aos prémios. “Esta campanha foi pensada para premiar a fidelidade dos clientes CEPSA e para reforçar a experiência positiva com o programa

Turbocompressores remanufaturados da Delphi Acrescente ao seu dicionário a palavra remanufaturado: são bens

funcionamento e o produto deverá ser remontado e operar com a

usados que passam pelo processo industrial da remanufatura.

mesma segurança e eficiência de um produto novo.

Condições a cumprir: os componentes primários deverão ser provindos de um produto usado; o produto usado deverá ser desmontado na extensão necessária a se determinar as condições de seus componentes; os componentes do produto usado deverão ser completamente limpos e livres de ferrugem e corrosão; todas as peças faltantes, defeituosas, quebradas ou desgastadas deverão ser restauradas ou substituídas por novas ou usadas de forma que apresentem boas condições de funcionamento; o produto deverá passar por operações como usinagem, rebobinagem, acabamento, entre outras, para chegar a plenas condições de

PUB

A Delphi colocou em prática a palavra e lançou 29 turbocompressores remanufaturados que cobrem boa parte do parque automobilístico. A Delphi dá garantia de 12 meses, quilometragem ilimitada e uma solução completa incluindo formação, suporte técnico e diagnóstico para o sistema de gestão do motor. Está também disponível o catálogo digital em várias línguas com dados pormenorizados de aplicação, referências cruzadas com fabricantes e boletins técnicos.


Pós-Venda

Revista Automotive

Sr. Sparkes e Diamantino Costa

Sparkes & Sparkes Qualidade & Garantia Diamantino Costa, diretor comercial da empresa especializada na reconstrução de caixas de velocidades manuais para carros de passageiros e comerciais ligeiros, falou à Revista Automotive e explicou-nos o seu negócio. Temos 50 anos de atividade em Inglaterra e mais de 20

conseguimos estar mais próximos, ser mais visitados e fazer

anos em Portugal, acumulámos uma experiência ímpar

bons negócios.

na reparação de caixas de velocidades. A nossa equipa está capacitada para orientar o cliente na correta monta-

Temos todo o tipo de clientes, mas nos últimos tempos têm

gem da caixa e usamos peças de origem e recomendadas

tido mais relevância o frotista, porque o custo de ter uma

pelas marcas.

viatura parada é muito elevado; pode significar a perda de

Para além do fornecimento direto a clientes que nos visitam, a Sparkes & Sparkes tem um serviço de entregas rá-

14

um negócio, logo de um bom cliente. Com mais de 15 mil referências de caixas de velocidade reconstruídas, rara-

pidas para todo o país. Daí a nossa base ser muito alargada,

mente ou nunca deixamos de atender a qualquer pedido.

a sede é em Santo Tirso, onde temos um espaço acolhedor

Trabalhamos também com muitas oficinas e reparadores

e um excelente restaurante logo em frente. No entanto,

autorizadas e também com concessionários, porque o nos-

procuramos manter a presença no Salão da Batalha porque

so serviço oferece qualidade e garantia.

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

Pós-Venda

O nosso trabalho de reconstrução das caixas é manual e em muito se assemelha à precisão da reparação de um relógio. Sempre que surge uma situação nova numa determinada caixa de velocidade, reunimos a nossa equipa e partilhamos o problema entre todos os profissionais. Desta forma, a nossa equipa adquire novos conhecimentos de forma mais rápida e fica capacitada para situações futuras. A qualidade passa também pela preocupação de incluir o óleo indicado para caixas de velocidades. Não é comercializado à parte, está incluído no pack da reconstrução. Impedimos assim o uso de lubrificantes não recomendados que põem em causa o nosso trabalho e prejudicam o nosso cliente. É reconhecido pelo mercado automóvel que os nossos colaboradores são muito experientes. Mesmo assim, a nossa gerência preocupa-se em dar-lhes formação constante, porque as caixas de velocidades estão sempre a evoluir. Veja-se o caso dos carros híbridos: que são viaturas com elevado grau de desenvolvimento e onde a caixa de velocidades assume um papel de grande importância no bom funcionamento e alternância de motor.

skf

Pequenos pontos – grandes informações

O código QR (Quick Response) é um código de barras

A SKF tem desenvolvido estes programas para ajudar os

bidimensional que foi adotado pela SKF nas embalagens da

clientes a melhorar a sua eficiência nos negócios, proporcio-

gama de Kits de rolamentos de roda VKBA. Estes códigos dão

nando-lhes acesso rápido à informação importante, enquan-

acesso a informação detalhada sobre o produto, montagem e

to permite igualmente reduzir a pegada de carbono minimi-

desmontagem, bem como informação técnica, proporcionan-

zando o volume de impressões em papel.

do aos mecânicos reduzir o tempo de mão-de-obra reduzindo igualmente o tempo de espera por parte do cliente final. Qualquer pessoa com um smartphone ou tablet pode ter acesso imediato a uma biblioteca de informação online, na maioria dos casos específica, para os kits de rolamentos de roda. Permite identificar o produto correto, instruções de montagem, informações técnicas, resolução de problemas e material de formação. Paulatinamente o código QR será alargado a outros produtos disponibilizando uma vasta gama de recursos online. Adicionalmente a SKF lançou o catálogo de juntas homocinéticas, eixos de transmissão e foles; com 700 páginas contendo informação clara, útil e precisa que facilita uma procura rápida e eficiente. Com mais de 50.000 links para veículos comerciais e de turismo europeus e asiáticos, agrega 2.000 kits, com uma gama completa de imagens.

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

15


Pós-Venda

Revista Automotive

Paulo Santos e Cristina Lázaro da Tirso Pneus

Tirso Pneus dinamiza Confortauto Hankook Masters Hankook Tire e Grupo Soledad, que em Portugal tem como

oferta de pneus, através da rede Confortauto. Somos uma

filial a Tirso Pneus, estão prestes a celebrar o segundo ano

rede de oficinas multimarcas e por isso também oferece-

de sucesso do programa Confortauto Hankook Masters

mos produtos multimarcas ao cliente profissional ou ao

(rede de serviços rápidos), resultado da união dos serviços

particular.”

de mecânica automóvel com a experiência por parte de Hankook na fabricação de pneus premium para turismos e

Segundo Paulo Santos, responsável pela Tirso Pneus –

frotas de camiões.

distribuidora de pneus, a Hankook tem vindo a crescer

Esta rede de oficinas independentes especialistas em pneus foi constituída com o propósito vender produtos premium, baseado nos melhores serviços ao cliente e na máxima qualidade, através de 700 agentes localizados em Portugal e Espanha.

produtos de elevada qualidade destinada ao transporte de longa distância. A marca tem investido em desenvolvimento de novos produtos e acompanhado a profissionalização das empresas e do setor de transportes nos últimos dois anos. Com isto, a Hankook tem todas as condições de con-

Rosa Teixeira, responsável pela comunicação da Neumáticos Soledad falou à Revista Automotive que um dos objetivos do Grupo Soledad é reforçar a posição da

16

no mercado europeu dos pesados, graças a uma gama de

quistar mais vendas e mais quotas de mercado, frisou. Rosa Teixeira e Paulo Santos afirmam que “somos um

sua filial Tirso Pneus em Portugal, como um dos maiores

grupo forte com atividades que vão desde a produção,

distribuidores de pneus na península ibérica. “Apesar de

distribuição e comercialização de pneus. A nossa rede

sermos representantes oficiais da marca Hankook, também

Confortauto tem vindo a expandir-se de forma sustentada.

trabalhamos com marca própria como é o caso da Rodatec

2014 será um bom ano para o Grupo Soledad na expansão,

e com isto conseguimos oferecer ao cliente final uma larga

consolidação e fidelização.”

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Pós-Venda

Revista Automotive

berner

inaugura loja virtual João Correia, responsável de marketing da Berner Foi inaugurada no dia 1 de Dezembro a loja on-line da Berner

Trouxemos também para o Salão alguns novos kits de manuten-

onde o profissional faz compras, consultas as referências, aplica-

ção para os veículos híbridos e elétricos, uma gama de ferramen-

ções, as fichas técnicas e de seguranças dos vários produtos. A in-

tas com novos módulos de arrumação em espuma, complementa-

tenção é melhorar a conectividade com os clientes profissionais,

mos com algumas promoções diárias.

tornando o processo de consulta e de vendas eficaz, disponível 24 horas por dia, todos os dias.

O feedback dos nossos comerciais e o contacto direto com os nossos clientes, servem de base para uma melhor orientação das

A Berner também esteve presente no no Salão da Batalha, onde João Correia, responsável de marketing da empresa em Portugal disse à Revista Automotive que o motivo principal desta

nossas estratégias de vendas, desenvolvimento de novos produtos, novos serviços e melhores soluções para os profissionais do pós-venda automóvel.

presença era ter um contacto mais direto com os seus clientes

Em jeito de balanço do ano de 2013, houve uma boa recuperação

e potenciais clientes. “É muito importante ouvi-los, saber onde

nas nossas vendas nesta segunda metade do ano e notámos que

poderemos melhorar os nossos serviços e que expectativas têm

os profissionais do nosso setor estão mais confiantes nas suas

da nossa marca.”

atividades. Isto dá-nos boas perspetivas para 2014.

Sogilub - Um calendário, várias mensagens O Luis Gameiro da Sogilub até nos calendários de 2014 procura otimizar recursos; foi assim que iniciou a sua explicação. Para além da sua função básica: nos localizar no tempo, principalmente logo pela manhã quando se chega ao trabalho. Será a montra para a exposição de 12 dos 87 trabalhos em Banda Desenhada apresentados no CONCURSO LUBI, um desafio nacional promovido pela Sogilub no âmbito das suas ações de Comunicação e Sensibilização, em parceria com a ABAE – Associação Bandeira Azul da Europa, em que participaram 58 escolas, durante o ano letivo de 2012/13, envolvendo alunos e professores dos 2.ºs e 3.ºs ciclos. Também no calendário constam 12 separadores com informação importante sobre o Sistema de Gestão de Óleos Usados, orientações, lembretes, entre outros pontos importantes no que toca à conservação do meio ambiente. As imagens são bastante criativas e a comunicação é resumida. Como Natal deve ser o Ano todo, principalmente porque partilhamos a mesma prenda (a terra), a Sogilub aproveitou para inserir um cartão de Boas Festas, com a mensagem: “Porque o óleo tem mais vidas” e será só o óleo? Acreditando que devemos refletir sobre esses valores e sobre os impactos que provocamos na sociedade, como cidadãos e como profissionais, a Revista Automotive fez-se acompanhar dos calendários, nesta edição, gratuitamente.

18

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


FROTAS

Revista Automotive

Relato de um diretor comercial em viagem Exclusivo para a Revista Automotive, Luís Almeida diretor comercial da Japopeças, avalia a sua viagem às terras do oriente. Fui ao Salão do Automóvel de Tóquio que este ano apre-

A Porsche apresentou simultaneamente em Tóquio e

sentou 76 modelos em estreia mundial. O número total de

em Los Angeles o seu primeiro SUV compacto: Macan. A

visitantes chegou a 902.800, o que representa um aumento

Mercedes deu destaque à versão especial do SLS AMG GT

de 7% face ao anterior e foram mais de 10.000 os profissio-

Final Edition. Ambos os stands muito visitados e com boas

nais da comunicação social que se deslocaram de vários

perspetivas de negócios.

pontos para acompanharem mais de perto. Em comum todas as marcas automóveis tinham nos stands

e a Lexus com os seus diversos modelos híbridos, a

uma viatura híbrida, em resposta à apetência do mercado

não perder.

por este tipo de viatura. No Japão ainda faz mais sentido, não só pela concentração populacional, mas pelo largo consenso em passar para energias renováveis e ambientalmente sustentáveis.

20

Destaco o bom trabalho no terreno das marcas Toyota

A Nissan que partilha algumas plataformas e motorizações de alguns dos seus modelos com a Renault apresentou o BladeGlider, o minicarro Dayts Roox, a versão Nismo do superdesportivo GT-R, o novo X-Trail, a gama 2014 do

Dentre os híbridos destaco o da Volkswagen que apresen-

Note e o novo Skyline, colocado à venda no Japão neste

tou o Twin-Up Concept, um veículo com duas motoriza-

fim de ano. Muitas opções, muito ao gosto do consumidor

ções, uma a combustão de dois cilindros a diesel e outra

detalhista, que vai ao pormenor e que escrutina muito bem

elétrica, com potência combinada de 74 cavalos.

as diferenças.

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

A Mazda lançou o Mazda 3, discreta, mas muito sofistica-

marca automóvel pode ter. A sua influência na paisagem e

da no stand utilizou uma harmonia de corres das viaturas

imagem do local, a importância da sua comunhão com as

expostas, todas na mesma cor, para atrair atenção dos visi-

pessoas e os lugares. O hospital, as farmácias, os edifícios

tantes para os pormenores dos vários modelos expostos. O

de habitação e de escritório, e mesmo a rede de transpor-

efeito visual foi positivo, muito ao sabor oriental de leveza,

tes, todos estes serviços dependem ou têm uma gestão li-

harmonia e suavidade.

gada ao mundo empresarial da Toyota. A fábrica é acolhida

Relativamente aos fabricantes de componentes automóveis Estiveram presentes e bem representados, o público assediou os stands. Verifiquei a presença nos stands de profissionais das engenharias, eletrónicas, mecatrónica, seguradoras, frotistas, redes oficinais, oficinas, lojas de peças, etc. Um público bastante especializado, diferenciado e autónomo, muito distante do estereótipo do mecânico sujo de óleo. Destaco a AISIN, por razões óbvias (somos seus

pelas pessoas, porque ela também contribui para a (boa) vida das pessoas. É uma relação que me pareceu harmoniosa, respeitosa e de interajuda. Os japoneses são muito zelosos naquilo que fazem. O rigor e a disciplina não são filosofias vazias, mas práticas diárias. Quando se fala que um produto tem qualidade, este produto tem mesmo que ter qualidade. Culturalmente são muito fortes e não basta o marketing da mensagem, a qualidade de facto tem que existir.

distribuidores), mas confesso que agrada-me o desenvolvi-

Quando fui ao Salão de Tóquio senti mais proximidade

mento da imagem e dos padrões que exigem para os seus

ainda com a Toyota, a Lexus e a Mazda porque tinham em

stands. Na mesma linha de elevados padrões de qualidade

exposição modelos que estavam a ser fabricados a poucos

destaco o stand da Denso, marca de equipamentos do gru-

quilómetros de distância, é bom este sentimento de

po Toyota e o stand da Bosch; as três estiveram muito bem

pertença. A Toyota já é a marca automóvel número um em

posicionadas face aos seus concorrentes.

vendas no mundo.

Faz sempre sentido estar presente num salão com a

A visita à fábrica da Toyota

envergadura e o novo folego de Tóquio, há sempre onde aprender, espaço para novos negócios e oportunidades para alargarmos os nossos limites.

FROTAS

Um mundo à parte. Tive o privilégio de observar na prática o sistema de produção da Toyota que é baseado na metodologia do Just in Time. Este modelo de trabalho, desen-

Fui visitar a cidade de Toyota onde tive a oportunidade

volvido por Sakichi Toyoda (fundador da marca Toyota)

de compreender o impacto económico e social que uma

tem por base o fato de nenhuma peça ou componente do

PUB

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

21


FROTAS

Revista Automotive

automóvel ser produzida, transportada ou comprada antes

e destinado. Num ritmo de produção diária, constante

da hora exata, visando reduzir stock desnecessários nas

e preciso.

fábricas e os elevados custos daí decorrentes. A gestão da linha de montagem da Toyota utiliza também

conhecer os fluxos de produção e pormenores do fabrico.

o sistema Kanban (palavra de origem japonesa que cujo

Penso que é de realçar o controlo de qualidade que é feito

significado assemelha-se a placa ou cartão de sinalização numa linha de produção), que auxilia os fluxos de produção nas fábricas. Por exemplo: na Toyota é possível a mon-

em estações intermédias localizadas na linha de produção, sobre um grande volume de peças e não apenas por amostragem no final do processo produtivo.

tagem de dois modelos diferentes de viatura na mesma

A marca está a investir no domínio da tecnologia de segu-

linha, graças a um perfeito controlo de separação e fluxo

rança ativa, na eficiência dos motores a combustão e em

de peças, chassis e motores a montante.

equipamentos para veículos elétricos e híbridos. Quando

O processo Kanban é tão lógico que sincroniza a entrega da peça certa no momento exato na linha de montagem

na Japopeças vendemos uma peça da marca AISIN sabemos do todo o processo que antecede o pequeno gesto da venda. Temos a responsabilidade final de transmitir tudo o que

da viatura. Não se produz nenhum carro naquela fábrica da

vimos e aprendemos. É uma grande tarefa para um curto

Toyota, sem que o mesmo esteja previamente encomenda-

espaço de tempo, mas é a longevidade e segurança do

do pelas filiais da marca.

equipamento que vão dar a garantia final ao nosso cliente.

A AISIN é um dos maiores fornecedores de peças para o grupo Toyota Com precisão de um relógio suíço, de 15 em 15 minutos

PUB

Daí fazer todo o sentido visitar as instalações da AISIN, para

Só assim se constrói a reputação de uma marca que integra 178 empresas que compõem o Grupo AISIN. Agradeço o convite que a Automotive me fez para relatar este diário de um diretor em viagem. Foi uma experiência

a linha de montagem da Toyota está a receber peças para

muito interessante porque colocou-me na “pele de outro”.

montagem de um determinado modelo. Nada de stocks.

Acabei por ter um olhar mais geral e fazer uma espécie de

Tudo o que chega das fábricas da AISIN para as linhas de

balanço, que quanto a mim foi francamente positivo. Fica o

montagem da Toyota já está previamente identificado

desafio para o próximo que se segue.


Revista Automotive

FROTAS

A equipe de gestão da Garagem da Lapa, aderentes da rede First Stop

First Stop conta, resume e desafia Mário Mendes, responsável da First Stop, descortina os proximos passos da rede. A rede First Stop em Portugal nasceu

cializadas em pneus, também se especializarão na vertente dos

em 1997 e hoje conta com mais de 75

serviços de assistência técnica para os clientes finais: particu-

agentes autorizados no continente e

lares e empresas. Para isto precisamos dotar os nossos agentes

ilhas e representa mais de 35% das ven-

de equipamentos e soluções informáticas que já estão a ser

das de pneus da Bridgestone Firestone

testadas, para entrarem em funcionamento já no começo do

no nosso país. First Stop é o conceito

próximo ano.

de retalho de pneus da Bridgestone que se desenvolveu por toda a Europa

Uma rede tão ampla e que abrange uma área tão grande,

através de parcerias, sob forma de rede.

tem que ter alternativas ajustadas às diferentes procuras e

No decorrer destes 16 anos de experiência, fomos conhecendo

expetativas.

e compreendendo melhor as necessidades dos nossos clientes,

Lidar com o cliente final empresa ou particular, implica relações

agentes e parceiros de negócio. Estamos atentos para onde

humanas estáveis e de confiança, por isso vamos reconhecer o

caminham as redes oficinais e como podemos evoluir num

mérito daqueles que diariamente o fazem; e sem dúvida motivar

mercado muito competitivo e com tantos outros bons conceitos

todos a fazerem mais e melhor.

oficinais. O caminho do desenvolvimento da nossa rede FirstStop será Sinal dessa evolução foi a criação de uma nova empresa a

reforçar o que já fazem bem e ajudar a otimizar aquilo que fazem

nível Ibérico que se chama First Stop South West que nasceu

menos bem. Além disso, vamos procurar replicar bons exem-

em Julho deste ano A FirstStop SouthWest tem as suas raízes nestes 16 anos de história, o tronco de apoio das marcas Bridgestone e Firestone, mas os ramos serão desenhados e moldados de acordo com o mercado português. Temos que ajustar as respostas; tanto da nossa empresa, quanto da rede, à nova realidade económica e social. É imperativo homogeneizar as respostas, os perfis, os serviços, entre outros.

plos, como o caso de aderentes que desenvolveram com grande sucesso parcerias com as principais gestoras de frotas no nosso país e com elas tem dinamizado todos os demais serviços que não passam apenas pela venda de pneus. O ano de 2013 serviu para fazer muito trabalho interno, fazer o ponto da situação, avaliar as potencialidades e “tomar balanço” para começar 2014 embalados num movimento contínuo e crescente. Estamos a preparar novas parcerias para aprimorar e

A FirstStop está aberta para novos aderentes, bem como para

especializar o nosso serviço de manutenção de viaturas e com

o desenvolvimento de parcerias com fornecedores do setor

isso potenciando novos negócios. Aguardem-nos! E não terão

automóvel. As empresas aderentes, para além de serem espe-

que esperar muito…

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

23


FROTAS

Revista Automotive

Origens nas duas rodas Localizada no distrito de Aveiro, a cidade de Águeda é terra de tradição no fabrico de veículos de duas rodas, como Órbita e Famel, que construíram a sua história ao longo de várias décadas. Acompanhando o crescimento deste setor, surge em 1997

primeira vez com rodas emborrachadas feitas em parce-

a firma Aguesport, vocacionada para a comercialização de

ria com a Michelin (talvez para compensar aquela “cena”

componentes para bicicletas e em 2008 inaugurou as suas

das 3 rodas).

atuais instalações na zona industrial de Barrô, no concelho de Águeda. Assim, já sobejamente conhecida no âmbito das duas rodas a Aguesport avançou para a importação e a distribuição de pneus, continuando a garantir aos seus clientes um serviço de confiança e de qualidade. Por seu turno, a família Peugeot começou a fabricar bicicletas em França em 1882, sete anos depois produziu os seus primeiros quatro automóveis, mas apenas com 3 rodas. Esteve presente na primeira corrida automobilística

24

O que têm em comum Aguesport e Peugeot? Pedro Conceição administrador da Aguesport foi apanhado nas malhas da Revista Automotive, que o convidou para fazer um passeio por Águeda e quando deu por ele estava sentado ao volante dum Peugeot 308 novinho; e para fazer um assessment. Eis as suas impressões:

do mundo, entre Paris e Rouen e no ano de 1885, na corrida

O novo Peugeot 308 tem um estilo elegante com linhas

entre Paris e Bordeaux, os seus carros competiram pela

bastante modernas. Evoca a eficácia e a leveza do mo-

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

vimento, quase como uma bicicleta. Noto que a junção

lombar, do andamento silencioso que permite uma condu-

entre a elegância e a tecnologia também se encontra no

ção agradavelmente eficaz.

habitáculo deste carro, com um bom espaço interior e com acabamentos muito bem trabalhados. Este carro evoluiu muito. É agradável na condução, tem um volante ergonómico, é ágil, possui um design que o distingui de outras viaturas do seu segmento. O tablier é simples, sem demasiados botões, que só dificultam a vida de quem está a conduzir. O touch screen localizado no centro do

Aspetos que são relevantes Dou muito mais importância a resposta de um carro nas ultrapassagens ou mudança de direção do que propriamente à velocidade de ponta. Saindo da zona industrial de Barrô e percorrendo as estradas de acesso ao centro de Águeda podemos desfrutar do motor do Peugeot. O rolar em piso irregular pouco se nota e o teto panorâmico oferece aos

painel e a consola elevada permite um acesso intuitivo aos

ocupantes uma vista sem igual, tornando qualquer viagem

comandos.

mais agradável. Quase como se estivéssemos a andar de

O aviso de proximidade do carro à frente é um alerta muito

FROTAS

bicicleta ao ar livre.

prático para os condutores mais distraídos, evitando o risco

Estou verdadeiramente impressionado com a qualidade e a

de uma colisão. Gosto do posto de condução, do apoio

imagem do novo Peugeot 308. É um produto de vanguarda.

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

25


FROTAS

Revista Automotive

“Se tiver um bom valor residual, tem tudo para ser um carro de frota e de sucesso empresarial.” A câmara de visualização traseira é muito funcional. Estamos a entrar nos armazéns da Aguesport e a manobra foi muito facilitada pela câmara, que assinala os objetos e nos orienta por meio de traços, a posicionar corretamente o carro. Passando aos negócios Somos uma empresa de média dimensão com uma frota de viaturas que é utilizada pelos nossos comerciais e pelos quadros superiores. Trabalhamos com dois segmentos de mercado distintos, o mercado das bicicletas e o mercado da distribuição de pneus. O Peugeot 308 é uma viatura que se adapta bem a estas duas realidades de negócio tão distintas. Se do ponto de vista do negócio, oferecer um bom valor residual, tem tudo para ser um carro de frota e de sucesso empresarial. Devo dizer que 60% do negócio da Aguesport ainda depende do setor das bicicletas. Mas a nossa empresa

26

Nov/Dez 2013

Revista Automotive

evoluiu muito nos últimos 11 anos. Empregamos cerca de 30 funcionários e estamos a dinamizar outras áreas como a importação e a distribuição de pneus. Hoje somos representantes das marcas Federal e Kumho, duas marcas asiáticas que estão a desenvolver pneus de qualidade e com desenhos dos pisos adaptados à realidade do mercado europeu.


Revista Automotive

FROTAS

Crescer no “não vida”. É possível. Santi Cianci, CEO da Generali em Portugal, recebeu a Revista Automotive para uma entrevista. Quais os desafios colocados às seguradoras neste novo

e consequentemente há uma maior procura dos seguros

contexto económico?

neste ramo.

O novo contexto económico do nosso país reflete-se dire-

Ainda no ramo dos seguros de saúde, registamos uma

tamente no setor das seguradoras, porque é uma atividade

maior sensibilidade por parte das empresas ao oferecer

intimamente ligada com toda a economia. Um dos impac-

este benefício aos seus empregados, quase como uma

tos mais visíveis no setor das seguradoras é a redução do

espécie de compensação pela inoportunidade ou impossi-

número de viaturas novas vendidas, que levará ao rápido

bilidade financeira de proporcionar um aumento salarial.

envelhecimento do parque de viaturas circulantes, afetando diretamente os negócios das seguradoras no ramo que nós chamamos não vida. Também no contexto empresarial a situação deteriorou-se em alguns sectores levando ao fecho de algumas empresas e com isto registou-se uma queda no volume de negócios nos seguros afetos às atividades das empresas como o se-

A Generali no segmento empresarial, qual o ponto de situação? No segmento empresarial, a Generali tem registado um bom desempenho este ano. Enquanto o mercado segurador regista uma queda de quase 4% no chamado ramo não vida, a nossa companhia está a crescer 2,2% e consequentemente também estamos a ganhar quota de mercado.

guro do património ou o seguro de acidentes do trabalho, entre outros.

Como a nossa empresa tem muitos seguros no setor automóvel, através de uma boa carteira de clientes frotistas e

O único ramo de seguro que acreditamos continuará a

de empresas de rent-a-car, estamos a ser beneficiados por

ter um crescimento sustentado será o seguro de saúde,

essa maior procura de viaturas pelo segmento empresarial,

face à degradação do Serviço Nacional de Saúde que leva

através das nossas parcerias com as principais gestoras

as pessoas a optarem pelos serviços de saúde privados

de frotas.

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

27


FROTAS

Revista Automotive

No setor empresarial temos uma quota de mercado 9%,

seguradora. Há um grande esforço das companhias segu-

quanto ao mercado global a nossa quota é de 3,5%. Isto

radoras em tentar manter os seus clientes e muito investi-

reflete a posição da Generali: muito voltada para as peque-

mento é feito no sentido de recuperar os 30% que todos os

nas e médias empresas no nosso país. Apesar de ser um

anos mudam de companhia. É preciso ter uma boa relação

mercado muito mais diluído e mais concorrido, sabemos

com o cliente. Não se pode descuidar do atendimento e

que para nos mantermos bem posicionados precisamos de

dos bons serviços.

uma estratégia baseada em bons produtos, boas soluções e tarifários à medida das empresas. Para atender os clientes empresariais, temos uma rede de 120 Agentes Principais e trabalhamos com mais de 1.000 mediadores. Isto faz da Generali uma empresa bem posicionada no atendimento ao cliente alem de muito sólida do ponto de vista financeiro.

Qual a sua antevisão do sector dos seguros para 2014? Vamos fechar o ano de 2013 de forma positiva com um bom crescimento, sobretudo no ramo vida, onde iremos evoluir acima dos 50%. Pela sua solidez e boa performance, os produtos financeiros da Generali têm sido muito procurados pelos aforradores em geral como uma forma de refúgio das suas aplicações em produtos que oferecem boa rentabilidade.

Que futuro para os seguros no ramo Automóvel?

Para 2014, embora não se preveja

O seguro do ramo automóvel

que o mercado segurador como

atingiu uma tarifação muito

um todo, venha a crescer de forma muito acentuada, a Generali deverá

baixa do ponto de vista do

continuar a registar crescimentos

preço, em comparação com o

acima das taxas de mercado e desta

que se verifica nos restantes

forma conquistar uma melhoria da

países europeus. A guerra das

sua quota, sobretudo no ramo vida

tarifas praticadas por algumas

(onde estão os seguros de saúde e

seguradoras colocou os preços das tarifas (prémios) a um

os produtos financeiros).

patamar muito baixo, quase

Hoje temos uma boa equipa de

insustentável.

colaboradores. A nossa política é de muita transparência interna e

Espero que todo o mercado

externa. Queremos ter uma equipa

aproveite o atual momento

unida mas também eficiente para

para fazer uma profunda

oferecer o melhor serviço aos nos-

análise das suas carteiras e

sos clientes.

entendam que os fatores que nos afetam são conjunturais

Implementamos, há alguns meses,

e, não sendo estáveis, podem

28

a peritagem de sinistros de viaturas

mudar a qualquer momento. A Generali tem uma posição

também aos sábados, que pode ser realizada no domicílio

clara sobre esta matéria, no sentido de que as segurado-

do nosso cliente ou em outro local que lhe seja mais con-

ras devem ter a sua justa remuneração para não ficarem

veniente. Por agora somos a única empresa em Portugal a

deficitárias .

oferecer este tipo de serviço ao automobilista.

A Generali no ramo automóvel: que serviços e que

A Generali está preocupada em facilitar a vida

parcerias?

das pessoas.

A Generali tem parcerias com as grandes empresas de rent-

No caso dos automóveis, temos o ITO que é um seguro com

-a-car e acordos com uma banca, para venda de produtos

todas as garantias, só para carros citadinos. Exclusivamente

nas operações de leasing. Apesar das novas tendências de

para os automóveis citadinos com até 1000cc, o seguro

compra via internet, ainda estamos bem conceituados pe-

ITO cobre tudo o que é necessário aos automóveis mais

los agentes e mediadores de seguro, e neste canal de ven-

pequenos, com condições à medida dessas viaturas indo de

da tradicional estamos crescemos cerca de 16% neste ano.

encontro a uma nova realidade de mobilidade urbana.

Utilizamos muitos instrumentos de marketing no sentido

Estamos a evoluir com o próprio mercado e a pensar em

de melhorar os nossos produtos e serviços e também para

seguros e serviços para as viaturas híbridas e para os carros

fidelizarmos os nossos clientes. Em Portugal, ao contrário

elétricos. Estas viaturas também têm necessidades e utiliza-

do que se verifica em Itália, França ou em Espanha, ao fim

ções específicas e não podem ser tratadas de forma igual às

de um ano, somente 70% dos clientes se mantêm fieis à sua

demais viaturas.

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


FROTAS

Revista Automotive

Vitor Mestre da GEFCO mostra o caderno de encargos

GEFCO transforma 4.700 viaturas para a La Poste De Mangualde para Paris a GEFCO reduz cada vez mais a distância. A GEFCO oferece soluções logísticas completas e eficientes

3 turnos aproximadamente 270 carros, produziu as 4.700

para os seus clientes na medida em que objetiva a otimiza-

viaturas destinadas à La Poste.

ção dos métodos: na distribuição dos produtos, no desempenho dos serviços, nas peças sobressalentes e em toda a cadeia de fornecimento. Qualidade para a GEFCO é simples e fundamentada, simples porque está por escrito, acordada logo no contrato; fundamentada porque tem lógica na sua implementação e é sistematicamente auditada.

inspecionados, não faz sentido começar um serviço numa viatura com alguma imperfeição; é raro, mas pode acontecer. Recebendo o OK, segue para a zona de oficina de transformações onde a porta do passageiro tem que ser desmontada. É necessário aumentar o angulo de abertura

É baseada nos pressupostos do parágrafo anterior que a

para 95 graus, modificar a grade divisória e o banco do

GEFCO desenvolve as suas atividades de transformação

passageiro para a colocação de uma bicicleta.

automóvel de grande e pequena escala. Desde o projeto da La Poste com 4.700 viaturas, passando pela PT com 450 viaturas, até a uma pequena frota de 5 viaturas. Acompanhamos o percurso das viaturas de Mangualde para a La Poste, empresa de capitais franceses, equivalente aos CTT.

30

Assim que os carros chegam a Setúbal são controlados e

Aqui temos que fazer uma paragem explicativa, é que a distribuição do correio nas artérias mais finas e centrais das cidades francesas é feita em bicicleta, assim sendo é mais uma ferramenta ao dispor do carteiro, mas também uma dificuldade acrescida para a alocar de forma prática e

O processo começa em Mangualde, onde a fábrica da PSA-

segura. Os critérios de transformação foram pensados ao

-Peugeot Citroen produz cerca de 90 carros por turno, em

ínfimo pormenor. A porta é um elemento de segurança da

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

FROTAS

viatura e a modificação na estrutura da porta, teve que ser acompanhada de garantias de segurança reforçada. Numa escala de 4.700 viaturas a responsabilidade é muito grande, um pequeníssimo raspão na pintura do chassis que passe desapercebido, faz com que essa zona esteja exposta à corrosão e depois se alastre neste elemento estrutural e provoca um problema de segurança do veículo. Feita a alteração na porta Avança-se então para a divisória e para o banco do passageiro que implica também modificar, logo repete-se o parágrafo anterior em termos de conforto, segurança e garantia. Acabada esta etapa é feito um controlo final e depois estacionado no parque. Daí segue em camião da GEFCO até Espanha em Gijón onde é embarcado no navio que também pertence à GEFCO, transportado para Saint-Nazaire. Desembarcado e colocado no camião da GEFCO que segue para os centros também GEFCO. São inspecionados, lavados e só então recebem os letreiros e as imagens da La Poste. Por fim são entregues por camiões GEFCO em 12 pontos de norte a sul de França. Este é um bom exemplo das vantagens de uma empresa multinacional e multimodal, do princípio ao fim apenas um fornecedor, responsável por todo o processo dessa grande viagem, em distância, mas especialmente em qualidade e sincronismo.

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

31


FROTAS

Revista Automotive

Novo Nissan Qashqai a pensar nas frotas Lançado em 2007, o Qashqai conquistou fama e proveito no

Para além dos bons atributos do seu design e funcionalidade, a

mercado nacional. Tornou-se um caso de sucesso nas vendas da

Nissan procura evidenciar na sua comunicação o elevado valor

Nissan e o motor da sua rentabilidade. Em seis anos de existên-

residual do Qashquai e um custo de utilização, dos mais compe-

cia, já conta com mais de 20 mil unidades vendidas em Portugal

titivos no mercado das viaturas compactas familiares.

e 2 milhões em todo o mundo.

Disponibilizando ao condutor uma tecnologia avançada e intui-

Apesar de ser um modelo bem-sucedido, a Nissan resolveu

tiva, o novo Nissan Qashqai posiciona-se como uma das grandes

renovar o Qashqai e já tem tudo preparado para colocar à venda

referências no tocante às baixas emissões de Co2, apenas 99 gr/

no próximo mês de Janeiro, a sua segunda geração. A respon-

km na motorização 1.5 dCi. Serão quatro as versões de equipa-

sabilidade será mante-lo na liderança do segmento das viatu-

mento disponíveis na nova geração do Nissan Qashqai, denomi-

ras Crossover, disputando mercado com mais 14 modelos de

nadas Visia, Acenta, N-Tec e Tekna.

outras marcas.

Guillaume Pelletreau para ficar até 2016 O Diretor Geral da Nissan, Guillaume Pelletreau trabalha no grupo há oito anos e tem acompanhado a situação do mercado português. Pretende preparar a sua rede de concessionários para incrementar as vendas e especialmente o pós-venda. A acrescentar ao novo Micra e o novo Note a Nissan prepara-se para lançar a nível global e até 2016 um produto novo a cada seis semanas. A rede poderá crescer no ritmo dos lançamentos, aproveitando a força dos meios de divulgação, a publicidade, a capacidade já instalada e fomentar novos negócios de acordo com a adequação do modelo às necessidades dos clientes. O investimento, a motivação e a preparação do terreno, são algumas das estratégias para atingirem oito por cento de quota de mercado mundial até ao final do seu ano fiscal de 2016.

32

Nov/Dez 2013

Guillaume Pelletreau afirma que “é com enorme satisfação que venho reforçar e apoiar a equipa Portuguesa. Sob a liderança de Marco Toro, a equipa fez um trabalho notável ao aumentar a quota de mercado da Nissan num clima económico tão difícil. Estou também muito confiante na capacidade das equipas Nissan de Lisboa e também de Barcelona. A rede de concessionários portugueses está habituada a desafios e fará toda a diferença com a sua motivação e força de vendas”.

Revista Automotive


Revista Automotive

FROTAS

Arval ajusta a frota aos profissionais Entrevista a José Madeira Rodrigues, Diretor Comercial da Arval. O que distingue a Arval? A filosofia que carateriza e distingue a Arval de outras gestoras de frota é que temos uma postura muito consultiva, aberta e sempre esclarecedora. Disponibilizamos como

Também avaliamos outros fatores, como o comportamento do condutor, a sua forma de condução, e a maneira como ela pode resultar em mais ou menos custos Enfim, a forma como utiliza e valoriza esta ferramenta de trabalho.

qualquer gestora de frota todos os serviços mais operacio-

Ajustam a frota às necessidades dos profissionais e não

nais, mas para além disso fazemos uma análise completa da

obrigam os profissionais a ajustarem-se à frota?

frota fornecendo ao cliente todas as informações importantes para a sua tomada de decisão.

Sem dúvida. Centramos o nosso objetivo na satisfação das pessoas, nos nossos clientes e não nas marcas, modelos e

Alguns custos são imediatos e diretos, facilmente avaliados

promoções. Habitualmente quando as empresas querem

pelo cliente; mas outros são indiretos, como por exemplo a

reduzir custo, comparam várias marcas e várias gestoras

tributação autónoma, consumo de combustível e franquias

de frotas e escolhem a proposta mais barata. Mas isso é

relativas a sinistros .

apenas metade do trabalho, a outra metade tem a ver com

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

33


FROTAS

Revista Automotive

“ A maior parte das gestoras de frota recorrem a uma solução de call center, mas nós eliminamos o call center” Como a gestão de frotas pode aumentar a produtividade de uma empresa? De inúmeras formas. Evita a contratação de um ou vários profissionais para esse efeito, que ficarão afetos a essa área. Usufrui do know how de profissionais que se dedicam exclusivamente a gerir frotas permitindo que a empresa se concentre no seu core business. Desde 1999 em Portugal. O que a Arval tem para melhorar? Há sempre espaço para melhorar, daí que anualmente fazemos um estudo para avaliação da qualidade dos nossos os sinistros, consumos, custos do recondicionamento das viaturas no fim do contrato, etc. A única variável comum é o comportamento do utilizador. Daí que damos ênfase na visibilidade dos custos e na centralização no utilizador. Temos uma plataforma online para os nossos clientes, onde podem por exemplo monitorizar o comportamento dos utilizadores, através de vários parâmetros. Por exemplo, se têm vários colaboradores com o mesmo tipo de viatura, onde todas consomem 6litros/100km. Mas se houver uma que está a consumir 10lt/100km, nós evidenciamos isso no sistema e muitas vezes informamos o utilizador da respetiva viatura. Por vezes é um problema mecânico que o utilizador não detetou, outras vezes é uma má condução.

organizados para podermos garantir uma qualidade alta. Optamos por decalcar da nossa filial holandesa esta reorganização e temos vindo a verificar a uma crescente satisfação dos nossos clientes. Importa referir que a filial holandesa da Arval tem ao longo de 10 anos sistematicamente ganho o prémio da gestora com melhor qualidade a operar no mercado holandês, que é um mercado extremamente maduro e competitivo; é o país sede de duas grandes gestoras de frotas. Na componente da gestão operacional, a maior parte das gestoras de frota recorrem a uma solução de call center, mas nós eliminamos o

A vossa metodologia incentiva as boas práticas?

call center. Criamos as account

Sim, direta e indiretamente. Diretamente: os nossos clien-

forma física da mesa de trabalho. As

tes aproveitam essas plataformas de gestão de custos para

pessoas que estavam num call center

programas internos de motivação dos colaboradores para

e que atendiam uma diversidade mui-

uma condução mais ecologicamente responsável, menos

to grande de clientes, agora têm a seu

agressiva e explorando da melhor forma as capacidades

cargo clientes específicos: seus clientes.

dos veículos.

teams, onde foi pensada até a

Num call center se o cliente ligar duas

Indiretamente, por exemplo com as viaturas de entregas: os

vezes no mesmo dia é certo que falará

utilizadores habitualmente não têm sentido de carro como

com duas pessoas diferentes e terá que

ferramenta: propriedade, conservação e estima; no final do

repetir toda a história, perde-se

contrato o custo do recondicionamento é elevado. Há em-

tempo e paciência. As ac-

presas que propuseram aos utilizadores cujas viaturas não

count teams servem para

necessitassem de recondicionamento com valores elevados

humanizar a relação, criar

receberiam um prémio monetário e isso ajudou bastante.

proximidade, dar sequência e

É uma ideia simples mas funcional. O mesmo programa

lógica ao processo.

de incentivos foi alargado para redução no consumo de combustível.

34

serviços. Em 2008 decidimos mudar a forma como estamos

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

A negociação com um gestor

Tínhamos o exemplo da Grécia, que não deixava dúvidas.

de frota é muito centrada

Mas graças aos nossos acionistas que confiam no seu

na viatura?

negócio, não só mantivemos a operação em Portugal como

Sim, mas nós centramos no utilizador: na pessoa. Temos

também investimos na organização: desde os métodos às pessoas; das ferramentas às mentalidades.

um estudo feito por um

O Grupo BNP Paribas é muito seguro dos investimentos

colega português com

que faz e o facto de manter o investimento em Portugal é

uma empresa portugue-

porque em Paris temos uma palavra a dizer e somos mere-

sa, que foi um caso premiado

cedores dos investimentos feitos. Agora estamos capacita-

e divulgado pela Arval em todo o

dos como nunca estivemos e por isso nos próximos tempos

mundo. De forma resumida, o estudo

daremos a conhecer ao mercado as potencialidades do

tinha dois utilizadores, ambos com

nosso serviço.

Renault Mégane, 48 meses de renting, 150.000km contratados e ao fim de 4 anos um utilizador custou mais de 7.000 euros à empresa do que o outro utilizador. Provou e comprovou a importância essencial do utilizador de uma forma quantitativa e qualitativa. Alguns gestores de frotas ini-

FROTAS

O mercado das frotas é um “barómetro” da economia? As frotas são um medidor direto da atividade das empresas e pelos nossos clientes já conseguimos perceber que 2014 será um ano promissor. Notaram-se ajustes importantes neste mercado quer ao nível da oferta (com a saída das empresas com menos know-how) quer ao nível da procura que se mostra mais sensível ao controlo e otimização de custos relacionados com a frota e não só com o custo do aluguer.

cialmente pedem-nos relatórios exaustivos e minuciosos, porque estavam habituados a serem inundados com dados supérfluos e desnecessários. Depois de conhecerem e confiarem no seu account team, habituaram-se a esperar que sejamos nós a fazer a analise e recomendações! Como avalia o mercado das frotas atualmente? As exigências do mercado hoje são outras. Antes as frotas eram só para grandes empresas e o erro de um gestor era diluído pela dimensão e estrutura da empresa. Na nossa realidade agora, predominam as pequenas e médias empresas onde o gestor não pode errar, não pode desperdiçar recursos, nem tempo. Tem que se concentrar na sua atividade principal. Antes o colaborador só podia escolher entre dois modelos, agora pode optar entre dez. As ofertas de viatura eram consoante o grau hierárquico do trabalhador e tinham como critérios de atribuição variáveis como o pvp ou a cilindrada. Atualmente não faz sentido trabalhar assim. É preciso conhecer o TCO da viatura (Custo Total de Utilização) perceber que ao abrirmos o leque de opções devemos também disponibilizar viaturas de segmentos inferiores porque há sempre quem as aproveite o que pode levar a uma poupança para a empresa com maior satisfação para o colaborador Também a preferência por carros mais ecológicos e logo mais económicos verifica-se dentre a preferência de gestores e diretores. Quando Portugal foi intervencionado, o receio de uma retração não vos paralisou? José Madeira Rodrigues da Arval

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

35


FROTAS

Revista Automotive

A pluralidade da Pernod Ricard na singularidade de cada momento

Entrevista a Denis Fiévet, Diretor Geral da Pernod Ricard Portugal. Os costumes e tradições associam as bebidas alcoólicas ao

é a partir dos 18 anos que os jovens ganham o estatuto de

convívio social principalmente aos momentos de alegria.

imputáveis, ou seja responsáveis pelos seus atos. Levan-

Parece uma mensagem fácil de passar; mas quando se trata

do em consideração essas duas premissas, consideramos

de pedir a limitação desse consumo torna-se um paradoxo.

que as bases devem ser adquiridas no seio familiar, onde

Que estratégias utilizam para superá-lo?

os adolescentes encontrem bons modelos de comporta-

Bom senso. Para nós o fundamental é desenvolver o consumo e a nossa atividade a longo prazo; vendemos produtos premium. São produtos sofisticados e agradáveis, melhor

responsáveis, conscientes e com comportamentos de vida saudáveis.

empregues numa lógica de degustação e não numa logica

A Pernod Ricard assumindo as suas responsabilidades

de quantidade. Qualidade ao invés de quantidade.

sociais promove os hábitos de vida saudáveis, a ingestão de

Como comunicar aos adolescentes – considerando que a adolescência agora se prolonga até aos 28 anos – o consumo de álcool com moderação?

devem ser vendidas a maiores de 18 anos. Nos meios académicos e clínicos a adolescência vai até aos 28 anos; mas

Nov/Dez 2013

bebidas com moderação e especialmente a conscientização entre pares. Na adolescência fomentamos os cocktails sem álcool e ajudamos as associações de estudantes a passar a mensagem. Já na idade adulta, sensibilizamos para a mode-

É preciso reforçar que as bebidas alcoólicas só podem e

36

mento. Depois, é importante fomentar grupos de amigos

Revista Automotive

ração, a degustação e especialmente o convívio entre pares em ambiente seguro.


Revista Automotive

Álcool e condução não combinam. Qual a vossa melhor

Ricard como recebem formação e conhecem os produtos

campanha nesse âmbito?

em profundidade, fazem ações de rua e de vizinhança para

Pernod Ricard está em todo o mundo por isso fazemos as campanhas de acordo com cada país. É imperativo respeitar a cultura de cada um e comunicar sem agredir. Em Portugal apoiamos as campanhas da ANEBE e ACIBEV, mas temos várias campanhas próprias das quais eu destaco três: A campanha do Jameson no Parque Camões. O Jameson

explicar a qualidade das nossas bebidas, como degustá-las e apreciá-las, quais bebidas mais adequadas para as diferentes horas do dia, para diferentes eventos e como receber bem e agradar aos seus clientes. Deixamos material consultivo, folhetos explicativos e de divulgação, programas de consciencialização, criamos um ambiente de proximidade no tecido empresarial, só assim se fomenta

tem um paladar específico, mais agradável do que a maio-

um consumo responsável.

ria dos whiskies. É uma marca associada ao consumidor

“Don’t drink & Drive” – é mesmo para o público-alvo da

urbano, mais indicada para o fim do dia, em locais abertos mas com grande vivacidade como é por exemplo o Bairro Alto. Uma noite de convívio começa quando as pessoas estacionam o carro e vão para os locais onde podem descontrair e divertir-se e finaliza com todos a entrarem no carro para irem para suas casas. Por isso decoramos o Parque Camões, o ponto nevrálgico do estacionamento do Bairro Alto e a primeira mensagem que as pessoas vêm assim que saem do carro é “key to a memorable night is no car key”, ou seja, a chave para uma noite memorável é um

FROTAS

vossa Revista Automotive até costumo fazer o paralelo com os carros. Uma empresa que vende automóveis premium, capazes de superar os 200 km/h têm também de promover um modo de conduzir responsável. Conduzir um automóvel potente e com qualidade é um prazer mas se não for bem conduzido pode ser um perigo para o condutor e todos que o rodeiam. Ou seja, com responsabilidade e consciência, tudo tem o seu lugar e a sua hora, segurança e prazer não andam dissociados.

consumo responsável e é lembrar que depois do convívio

O nosso target é para gestores, diretores e responsáveis

vão conduzir.

de áreas, o que pode partilhar com eles?

“Responsib’All Day” - quanto mais se conhece o produto,

O mais importante é que as empresas fomentem um con-

melhor se aprecia e divulga. Os funcionários da Pernod

sumo responsável diariamente. Nos convívios de empresas

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

37


FROTAS

Revista Automotive

vai acabar e um consumo de degustação, apreciando as bebidas e valorizando o convívio com os amigos é a chave do sucesso para uma excelente noite. As pessoas podem decidir. O consumo em excesso torna a pessoa aborrecida, maçadora, descontrolada, a falar alto enfim a perturbar o ambiente. Um convívio agradável faz-se de pessoas bem-dispostas. Posicionamento premium e notoriedade, como manter? Pela qualidade dos produtos, pela variedade, pela perenidade, comunicação clara e inequívoca. Os media ajudam a consolidar a imagem e a qualidade. Temos produtos com qualidade elevada e temos que comunicar essa qualidade para os clientes saberem o que compram, porque senão optam por produtos mais baratos e sem qualidade. O período de festas Natalícias e de Fim-de ano se aproxima que sugestões dá para consumo e prendas? Champagnes: G.H. Mumm e Perrier-Jouët. São champagnes de alta qualidade para degustar e para festejar. O costuma-se também levar a família e os adolescentes vêm

posicionamento de G.H. Mumm é a celebração da vitória.

nos adultos os modelos a seguir, excelente oportunidade

Há sempre uma garrafa de G.H. Mumm nos pódios, seja na

para associar a posição hierárquica numa empresa e a res-

competição de barco à vela ou na Fórmula1.

ponsabilidade da moderação.

Temos os nossos whiskies: Chivas Regal, The Glenlievet,

Ao invés de cinco cervejas, sugerimos uma bebida de qua-

Royal Salute que são mais sofisticados. O cognac Martell,

lidade, requinte, diferenciadora onde se aprecie o verda-

inconfundível, requintado e sóbrio.

deiro sabor da bebida. Outra das coisas que fomentamos é beber água. Em um jantar não é necessário tomar álcool desde os aperitivos até à sobremesa. Nós aconselhamos as soft drinks e sobretudo, água que limpa o paladar entre bebidas, depura e hidrata.

Sugerimos sempre degustar uma bebida no conforto do seu lar e sem as pressões inerentes ao trânsito e ao trabalho. Para quem tem funcionários “abusadores” é preciso duas ressalvas: a primeira é que não o serão apenas no consumo de álcool, provavelmente serão incumpridores em outras funções, precisam de tratamento e acompanhamento. A segunda é que o alcoolímetro (mais conhecido como balão) revela produtos do metabolismo do álcool que saem pela expiração, sendo um método de rastreamento. O jejum prolongado ou diabetes não tratado podem dar positividade no teste. Consciencializar, acompanhar e fomentar o consumo responsável, faz parte da função social de qualquer empresa. Que campanha teve melhor impacto sob o seu ponto de vista? Sem dúvida, a campanha Jameson no Parque Camões. Antes de começar a noite as pessoas decidem como ela

Nov/Dez 2013

tre outros que são excelentes para preparar cocktails muito imaginativos, coloridos e agradáveis ao paladar. Como faço habitualmente: ofereço de prenda aquilo que

Especificamente para as frotas e os seus condutores

38

Para as festas temos Jameson, Absolut, e Havana Club en-

Revista Automotive

também gostaria de receber, sugiro qualquer um dos que enumerei anteriormente.


Revista Automotive

FROTAS

ALD Automotive especialista em mobilidade

Entrevista a Nuno Jacinto, Diretor Comercial Corporate da ALD Automotive. Fazem diferenciação e estratificam os vossos produtos para as empresas convencionalmente denominadas como pequenas e médias? Não. Essa catalogação não se adequa, todos os nossos clientes são importantes e disponibilizamos todos os nossos produtos para todas as empresas. Essa nomenclatura politicamente correta, não se encaixa na diversidade de empresas que constituem o nosso universo de clientes. Procuramos sempre a melhor resposta através das marcas automóveis, concessionários, instituições bancárias, garantindo eficiência na gestão e na renovação das frotas.

fatores que impulsionou este bom resultado foi o facto das

A ALD Automotive tem uma longa experiência no mercado,

grandes empresas de rent-a-car, terem feito grandes aqui-

o que nos permite acompanhar desde os “primeiros passos”

sições de viaturas no verão. Era importante aqui separar as

de uma empresa na formação da sua “primeira” frota, inde-

que efetivamente foram vendidas ao cliente particular.

pendentemente do número de viaturas; até quando atinge a sua plena maturidade e já se encontra estabilizada. Não há dúvida que temos notado um crescimento da demanda por parte das PME’s, mas é uma evolução natural dado que hoje em dia a viatura é mais uma ferramenta de trabalho

O volume das viaturas novas adquiridas através do renting cresceu 2,18% em igual período, levando em consideração a retração do mercado e o encerramento de empresas era expectável uma descida. Retiro daí que o renting é uma

que pode e deve ser otimizada por especialistas como nós.

solução adaptativa que veio para ficar, com grande acei-

Quando a viatura avaria é sempre um transtorno, como

resistido.

minimizá-lo?

tação e obviamente com retorno; caso contrário não teria

A ALD Automotive em Portugal registou de janeiro a

Reduzindo ao mínimo o tempo de paragem; ou seja: acesso

outubro último um crescimento de 54% na realização de

rápido e fácil às oficinas e seguradoras, através dos smar-

novos contratos, face a igual período do ano passado. Creio

tphones. É uma solução complementar ao call center e per-

que em resposta à nossa política de estabilidade de preços,

mite ao utilizador uma visualização imediata dos serviços

aos nossos parceiros de negócios e sem dúvida aos nossos

disponíveis. Apesar de ser uma ferramenta de fácil acesso,

clientes. A nossa solidez e a qualidade dos nossos serviços

ela implicou num grande trabalho de desenvolvimento já

pesam sempre nas decisões dos nossos clientes que assim,

disponível aos clientes da ALD Automotive. Portugal está

permitiram-nos aumentar a nossa quota de mercado na

entre os primeiros países, dos 37 em que a ALD Automotive

nova produção passando dos 9% em 2012 para 13% em

está presente no mundo, a beneficiar-se desta solução de

2013, e também aumentar o nosso market share (parque

conectividade. Dentro desta estratégia, iremos implemen-

de viaturas circulantes em Portugal com contratos na ALD

tar mais novidades a muito breve prazo aos nossos clientes.

Automotive), passando de 11,6% em 2012, para 12,3 % em

Como sentiu o mercado em 2013? O mercado de venda das viaturas novas tem vindo a melhorar no acumulado dos 11 meses, registando um crescimen-

2013 até à data. Como tem sido a evolução das vendas de veículos usados?

to de cerca de 8% quando comparado com igual período

A venda de viaturas usadas é um dos pilares da nossa ativi-

do ano passado. Mas é importante explicar que um dos

dade, a nossa empresa foi a primeira em Portugal, dentre as

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

39


FROTAS

Revista Automotive

“Ao controlar o canal de vendas dos usados, passamos a maximizar os valores das viaturas usadas” operadoras de gestão de frotas, a lançar um canal próprio de vendas de viaturas usadas diretamente ao particular. Este canal de negócio que é conhecido por ALD second drive, acaba de completar 6 anos, estamos satisfeitos porque fechamos o ciclo de vida da viatura de forma autónoma sem depender de terceiros. Antes, vendíamos mais de 90% dos nossos carros usados em final de contrato através de leiloeiras. Há 6 anos atrás decidimos complementar o nosso negócio tornando-o mais eficiente e autónomo: nós decidimos onde vender, como vender, a quem vender e por quanto vender cada viatura usada. Ao controlar o canal de vendas dos usados, passamos a maximizar os valores das viaturas usadas e ao mesmo tempo, conseguimos minimizar as unidades e o

Eco condução eficiente da ALD Automotive?

tempo de stock das viaturas, em benefício dos resultados

Há vantagens?

financeiros da empresa. Atualmente posso garantir que é um negócio estratégico para a nossa empresa.

Existem 3 grandes custos na utilização de uma viatura em

Canais de venda de usados

tível (que pode chegar aos 30%) e a tributação autónoma

Dispomos de quatro grandes canais de vendas de viaturas usadas. Em primeiro lugar, e através da nossa marca ALD carmarket, surgem os leilões on-line diretamente para pro-

que será agravada já em 2014. Se existe uma componente nos custos que ainda podemos melhorar é justamente no consumo do combustível.

fissionais, já representa mais de 50% das nossas vendas de

Dando um passo à frente na melhoria da utilização da

viaturas usadas. Realizamos 6 leilões semanais para cerca

viatura, a ALD Automotive desenvolveu o programa de Eco

de 800 utilizadores profissionais que compram os nossos

Condução Eficiente, uma oferta que disponibilizamos aos

carros através da internet.

nossos clientes e ao utilizador da viatura, onde preconiza-

Em segundo lugar temos o ALD second drive que representa 8% das nossas vendas, oferece ao particular duas

mos uma condução segura e mais económica, visando a redução do consumo de combustível.

possibilidades de acesso às viaturas, fisicamente através

É possível alcançarmos através de uma condução mais

da nossa unidade em Alcoitão onde pode ver o estado dos

eficiente, uma redução em cerca de 1 litro de combustível

carros e efetuar um test-drive e virtualmente através do

a cada 100 quilómetros. Numa empresa com uma pequena

site, onde o particular pode selecionar a viatura através

frota de 10 viaturas e onde cada viatura realize em média

da escolha da marca, modelo, valor, ano da matrícula ou

20 mil quilómetros num ano, a redução de custos pode ser

cilindrada.

muito significativa para esta empresa. (que poderá rondar

Os carros usados das gestoras de frotas gozam de uma boa reputação junto ao cliente particular, isto porque ele sabe que as viaturas, no âmbito do contrato com as empresas, cumpriram as manutenções programadas e que foram reparados com peças de qualidade. Daí termos também a venda diretamente ao utilizador que ao longo do contrato beneficiou da viatura e que a conhece, melhor do que ninguém.

menos do percentual dominante que registavam há 6 anos.

Nov/Dez 2013

cerca de 3000€ ano para uma frota desta dimensão). Leasing ou Renting para 2014? O orçamento de estado para 2014 vai implementar um aumento penalizante na tributação autónoma, face às mudanças de escalões dos preços de aquisição das viaturas. Este aumento será repassado aos novos contratos e aos existentes, porque o imposto incide sobre as despesas de manutenção, seguro e de consumo da viatura.

Temos ainda os leilões físicos que hoje representam muito

40

sistema renting: a renda mensal, o consumo do combus-

Revista Automotive


Revista Automotive

Face ao agravamento da tributação, o renting surge como uma vantagem para os clientes, porque os serviços de manutenção e seguros oferecidos pelas gestoras de frotas, são os mais vantajosos dentre os diversos operadores de mercado. Ora, se a tributação autónoma incide sobre estes custos anuais de manutenção da viatura, a opção de utilização de uma viatura através do renting torna-se ainda mais vantajosa por comparação com as outras formas de financiamento existentes no mercado, incluindo o Leasing. Que expectativas e oportunidades para 2014 para o mercado das frotas em Portugal? Os novos desafios e agravamentos fiscais que se avizinham para 2014, só habilitam as gestoras de frotas e as coloca numa posição privilegiada para oferecer o melhor aconselhamento e serviço aos clientes; sejam clientes-empresas e/ ou clientes-particulares. Não há como conseguir conjugar tantos fatores em simultâneo e descortinar a melhor forma de aquisição e gestão de uma viatura ou frota. As pessoas e empresas não podem se dar ao “luxo” de perder tempo e dinheiro a tentar desvendar esse emaranhado de armadilhas e dificuldades. Se no passado o valor da renda era o único fator de análise numa negociação, hoje existem outros fatores igualmente relevantes na tomada de decisão por parte dos nossos clientes. Entre eles destacamos a qualidade e a oferta dos PUB

serviços em geral, o rápido atendimento, as plataformas de gestão on-line, aconselhamento profissional na escolha mais correta da viatura face às características do negócio e necessidades de mobilidade das empresas e dos particulares. Para 2014 a ALD Automotive será sem dúvida a solução para a mobilidade e a otimização dos recursos dos nossos clientes, somos especialistas neste assunto.

FROTAS


FROTAS

Revista Automotive

EVS27 Barcelona

Foi de 17 a 20 de Novembro - analisada sob o olhar de João Dias, administrador da Prio A série EVS começou em 1969

com stands enormes, desproporcionados para a filosofia

como um fórum académico,

da mobilidade com responsabilidade. O Grupo Volkswagen

organizado pela World Electric

marcou presença com as suas marcas, Seat, Porsche, Skoda

Vehicle Association (WEVA) que

e Volkswagen, onde cada uma apresentou um ou dois mo-

progrediu das salas de aula e

delos totalmente elétricos.

laboratórios para o mercado. Atualmente está mais voltado para a divulgação, apresentação e intercâmbio para a utilização de tecnologias de transporte elétrico com uma forte componente comercial e de mercado.

42

A BMW criou um carro elétrico de raiz, não sei se por uma questão de orgulho ou por dificuldade de acesso à informação atualizada. E quando se cria um carro de raiz existem custos no desenvolvimento que depois têm de ser repassados para o cliente final. Outras marcas como a Volkswagen chegaram e simplesmente montam o motor

O 27º EVS aconteceu em conjunto com a exposição das

elétrico em modelos existentes com poucas adaptações,

smart cities. A mobilidade é uma das peças fundamentais

traduzindo-se em vantagem competitiva: diminuindo os

das cidades de agora e do futuro; mobilidade e energia

custos associados, maior facilidade de acesso às peças de

andam de mãos dadas. Já acompanho estes congressos há

reposição, reparação fácil e com proximidade, preço final

algum tempo, mas neste surpreendeu-me as marcas auto-

muito mais convidativo. Quando o carro é criado de raiz:

móveis: durante largos anos ignoraram e foram resistentes

as peças demoram para chegar, ficam “aprisionadas” na

à mudança e agora fazem um esforço tremendo para estar

marca, as reparações são mais morosas e normalmente

na linha da frente.

mais onerosas.

A BMW ou o grupo Volkswagen querem recuperar o tempo

Estas novas marcas não optaram pelo standard de carre-

perdido porque estiveram muito focados no desenvol-

gamento denominado Chademo e instalaram uma ficha

vimento de motores a combustão tentando reduzir o

diferente. Obriga os fabricantes de equipamentos de

consumo. Agora de uma hora para outra aparecem no salão

carregamento a ter os postos com vários tipos de man-

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

gueiras/fichas para abranger assim as diferentes marcas

redução do preço da eletricidade, diminuição da carga

automóveis. Parece um retrocesso, quando vimos exemplos

fiscal a ela associada, diminuição das margens de lucro das

mais ecologicamente amigáveis como os carregadores de

produtoras e retirada das tributações paralelas, como é o

telemóveis.

caso da taxa de audiovisual.

Marcas como a Renault, Nissan, Mercedes-Benz, Toyota já

Toda a indústria do carregamento elétrico esteve presente

são sobejamente conhecidas no meio elétrico e já estão

em força, de destacar: Schneider, Bosch, ABB e SKF entre

implantadas. Já têm outro comportamento tanto para

outras. Também a indústria de componentes e pós-venda

abordar a tecnologia do elétrico, como também já têm

também se fez sentir em força, principalmente empresas

uma clientela fidelizada. Com essas marcas já falamos em

asiáticas com kits de reparação, fichas, tomadas, manguei-

gama de elétricos e não é só automóvel, é também moto e

ras, adaptadores, etc. com grande variedade de referências

bicicleta. As marcas querem estar de uma forma transversal

e modelos.

no meio elétrico. Em termos de debates

FROTAS

Presença portuguesa Portugal esteve presente com a Efacec e a Magnum Cap que

Houveram vários. A questão em debate já não é a capaci-

produzem redes de carregamento. A Prio esteve presente

dade de carga das baterias mas sim o custo. É possível ter

com uma solução de bike sharing que estamos a desenvol-

baterias com autonomias muito boas, veja-se o caso da

ver para as cidades em conjunto com outros parceiros e em

Tesla, mas o diferencial de preço para um carro do mesmo

breve queremos disponibilizar porque foi um sucesso na

segmento ainda é visto como inibidor da compra.

feira. Tivemos muitos pedidos desde cidades na América Latina até ao Médio Oriente porque utilizamos uma tecnologia

Foram apresentadas várias soluções de veículos de duas rodas que serão uma componente também importante na mobilidade das cidades, dadas as restrições ao trafego que irão aumentar e também a economia em termos de custos. As motos elétricas já não sofrem do estigma da autonomia porque os percursos feitos habitualmente são

de fácil utilização e de rápida conectividade. Para se ter uma noção da velocidade das inovações, o car sharing que tem sido lançado recentemente em diversas cidades já se vai tornar um modelo ultrapassado. O futuro será algo como “mobility sharing”, ou mobilidade

sempre curtos.

partilhada, onde o utilizador pode escolher o veículo mais

Pela mesma altura estava a acontecer o Salão de Tóquio e

ou bicicleta, todos eles elétricos. Alarga-se o espetro das

o Salão de Los Angeles; mesmo assim as marcas estiveram

possibilidades, ajusta-se as respostas às reais necessida-

presentes em Barcelona. Algumas acordaram agora, mas

des, otimiza-se tempo e espaço, tudo isto gera ganhos e

é bom para engrossarem as reivindicações: no tocante à

vantagens.

adequado para cada deslocação, seja ele carro, scooter

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

43


FROTAS

Revista Automotive

Mazda CX-5 com aroma a ClausPorto A linha ClausPorto é exportada para mais de 50 paí-

Em 2007 nasce a unidade de Vila do Conde que centraliza

ses, para clientes do segmento de produtos de luxo. No

os serviços administrativos, comerciais, a produção de

mercado nacional, as marcas Ach Brito e Confiança estão

sabonetes sólidos e a loja de venda ao público. Compram

presentes nas grandes superfícies com um lote variado de produtos.

fábrica de sabonetes do país, permitindo a Ach Brito abarcar transversalmente todo o mercado de sabonetes e

Administrador das empresas Ach Brito e Confiança, José

perfumes.

Fernandes explicou-nos que a génese da atual empresa e

Convidamos José Fernandes, para fazer o assessment do

dos seus produtos remonta a 1887, uma época em que sabonetes e perfumes estavam apenas ao alcance de classes sociais mais abastadas. Foi nesta altura que dois alemães fundam no Porto, a primeira fábrica de sabonetes e perfumes nacionais dando-lhe o nome de Claus&Schweder. Mais tarde Achilles e Affonso de Brito adquirem a marca e mudam o nome para Ach Brito e compram a ClausPorto, a

44

a Saboaria e Perfumaria Confiança, a segunda mais antiga

Mazda CX-5. Este é o meu primeiro contato com este modelo, já tive o prazer de conduzir outras viaturas da Mazda. Esta viatura ainda tem aquele aroma a carro novo, que logo transmite uma agradável sensação de estreia. À partida este carro transmite uma rápida resposta à aceleração. Estou a conduzir a baixa velocidade e sinto uma reação muito rápida do

primeira vocacionada para o mercado interno; a segunda

motor ao mais leve toque no acelerador. Não é que a velo-

exclusivamente como marca de luxo para exportação.

cidade seja tão importante na minha forma de condução,

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

mas um carro com esta dimensão e peso, pode ter a sua performance comprometida se não for impulsionado por um motor potente. Mesmo não sendo uma viatura de topo tem algumas características de um modelo do segmento superior, pois proporciona uma condução dinâmica em estrada e surpreendentemente confortável na cidade. Gosto do posto de condução ser mais elevado porque permite uma boa visibilidade exterior, transmitindo uma sensação de liberdade, com segurança e mantendo o conforto. Adequado para o segmento das frotas Na minha vida profissional faço muitas viagens e percorro muitos milhares de quilómetros, perto de 70 mil quilómetros em média todos os anos. A viatura que estou atualmente a utilizar por exemplo, com apenas 3 anos, já tem mais de 200 mil quilómetros registados. A Ach Brito tem uma frota de serviço diversificada em termos de modelos e marcas, todas percorrem muitos quilóme-

“Tive que desenvolver uma visão de frotista dentro da empresa” atributos dos diversos bons modelos que existem à venda no mercado. A sede administrativa e fábrica da Ach Brito, estão em Vila do Conde, a fábrica de produtos da marca Confiança é em Braga. Empregamos cerca de 60 funcionários, estamos habituados a muitas deslocações entre as duas unidades de produção, especialmente os comerciais. Este Mazda CX-5 transmite a mesma sensação de liberdade que tanto procuro nos desportos que atualmente pratico, com muito conforto, distinção e segurança tão desejados por profissionais que estão em funções de topo nas empresas. Sei que este modelo é muito premiado na sua categoria e apreciado por clientes de toda a Europa que procuram

tros por ano.

carros flexíveis: estrada, cidade e campo.

Tive que desenvolver uma visão de frotis-

Este carro proporciona uma boa dinâmica de condução,

ta dentro da empresa, tenho facilidade na condução e tive que experimentar

FROTAS

uma motorização amiga do ambiente, creio que para lhe dar um toque nacional ficaria muito bem, se fazer acompanhar aquando da

quase todos os tipos de viaturas,

entrega a um cliente de

desde as mais citadinas às mais des-

um dos nossos produ-

portivas e por isso estou à-vontade

tos. Fica a sugestão.

para dizer que este Mazda CX-5 reúne os

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

45


FROTAS

Revista Automotive

Só para sentir como será Luís Costa - gerente da Japopeças ao volante do Lexus IS 300h Com tantos anos de experiência no mercado automóvel e

desfrutar do conforto de um andamento silencioso quando

caí nesta “armadilha” da Revista Automotive de fazer um

estamos a utilizar o modo elétrico.

assessment a uma viatura. Garantiram-me que a viatura tinha 4 rodas e um volante, excluíram-se assim as motas e

Sei que a maioria das marcas de automóveis ainda está

bicicletas, menos mal.

na fase de desenvolvimento ou de lançamento dos seus

Na hora marcada, toca a campainha e lá vou eu, peito aberto a balas.

afirmou como uma marca de referência no segmento dos carros destinados aos quadros de topo das empresas.

Não podia ser melhor: Lexus IS 300h cinza platina, mesmo a calhar. Este carro é um verdadeiro topo de gama das marcas japonesas. Combina de forma inteligente um avançado

46

primeiros automóveis híbridos e elétricos. A Lexus já se

Ao conduzi-lo sente-se o rigor e controlo aplicado a cada etapa de produção da viatura. O conforto interior, os de-

motor a gasolina com um motor elétrico de alto rendimen-

talhes do tablier, o seu estilo com um toque de elegância

to, aliando uma caixa de velocidade de variação contínua.

nas linhas laterais, o capot baixo e a grelha em forma de

Esta caixa transmite uma agradável sensação de potência e

fuso, conferem a esta viatura um grau de diferenciação que

agilidade a quem está a conduzir, sem retirar o prazer de se

poucas marcas de luxo conseguem oferecer.

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

Onde se toca sente-se a qualidade, a garantia de 60.000

topo, com visão de futuro: ajustado ao valor de mercado e

km, só confirma que este Lexus continuará a ser tão bom

com excelente valor residual.

como se fosse um carro novo, sem folgas nos pedais ou com ruídos parasitas.

Este carro será a minha futura escolha, provavelmente já havia verbalizado isto, daí vocês fazerem-me sentir como

Agrada-me que algumas marcas automóveis coloquem

será o meu quotidiano. Efetivamente confirmo este meu

à venda um carro de topo com tecnologia híbrida.

objetivo, porque sempre defendi a qualidade, segurança e

Porque permite circular com zero de CO2, com zero de ruído, zero stress e em modo elétrico com zero de combustível, é o sítio certo para colocar os zeros. Sob o meu ponto de vista este carro conjuga tudo, sem

FROTAS

fiabilidade. Como empresário com experiência na comercialização de peças automóveis para viaturas asiáticas reconheço que o Lexus tem baixo custo de manutenção e conheço como ninguém a sua rede de pós-venda. E mais não digo.

cobrar custos exorbitantes por isso, é um carro híbrido de

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

47


FROTAS

Revista Automotive

Clio DCI - rápida viagem da

mitologia à prática

Relato de João Frade - responsável pelo desenvolvimento de recursos humanos numa das 4 maiores empresas na área de auditoria, fiscalidade e consultoria. Preparei-me para este assessment fazendo o meu TPC:

Exterior e interior com linhas modernas, prático, citadino

rapidamente fui à net e vi que Clio é a musa da história e

suave que se enquadra bem em locais mais tradicionalistas.

da criatividade, divulga e celebra as realizações - senti-me

Em termos de espaço interior tem melhor aproveitamento

logo preparado para o desafio.

e melhor habitabilidade do que os modelos de gama mais

O jornalista disse-me que não era para fazer um romance mitológico, mas para testar o carro e ir direto ao assunto. Ainda bem que não me esforcei muito no meu TPC. Então avancemos sem medos: a cor chama atenção pela positiva, ainda são poucos os carros com estas cores e uma pequena diferença na tonalidade transmite logo exclusividade.

alta, o que me surpreende bastante. A qualidade também verifica-se no manuseio, o painel é prático, tem os botões essenciais, o ecrã em touch facilita o manuseamento dos menus e a conexão com Bluetooth é muito fácil. Quotidiano de um citadino Moro em Lisboa e trabalho em Lisboa, por isso o dia-a-dia é sempre feito em 1ª, 2ª e 3ª velocidade; raro engrenar a 4ª

48

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

velocidade. Quando a caixa

tante é valorizar os ativos. Este

de velocidades oferece

Clio parece que já foi feito a

resistência à mudança (mes-

pensar para um downgrade na

mo que ligeira), o percurso

frota de uma empresa, porque

no trânsito torna-se penoso,

em termos globais e comparati-

neste modelo isto já não

vamente com modelos da gama

acontece.

acima, só perde na capacidade de carga, mas compensa em

O curso da embraiagem é

conforto, equipamento, utiliza-

muito amplo, permite um

ção e adequação prática.

maior controlo na suavidade das mudanças, pode ser um

O downgrade não é necessa-

pouco desconfortável para

riamente negativo, o grande

quem conduz próximo do

problema é sempre a questão

volante, mas no meu caso

do status. Mas verdade seja

isso não acontece. Gosto de

dita, se um colaborador está

conduzir com o banco mais

mais preocupado com o status

para trás e quem vem atrás

do que com outras questões,

costuma sofrer com isso,

pergunto se será assim tão útil

mas este modelo até cabe

à empresa?

uma pessoa atrás o que prova que o espaço é adequado. Na minha área de serviços e consultoria não é necessário ter uma carrinha porque a carga mais preciosa que transportamos é o conhecimento. As consultoras já têm uma imagem sólida no mercado, os trabalhadores têm dress code formal, se existir uma ferramenta como por exemplo, o carro que quando visitamos um cliente, torne a imagem mais acessível e mais próxima, facilita-nos. Este carro ajuda nisso. Quantas vezes o carro serve para quebrar o gelo inicial e para fazermos paralelos com a nossa atividade. As frotas estão a ser repensadas, fala-se muito em redução

FROTAS

Importância do pós-venda para as frotas Percebi a importância do pós-venda para as frotas porque na empresa onde trabalhava anteriormente tinha um citadino novo, mas um mês depois de andar com ele começou a dar problemas no software. Andou-se no jogo do empurra com a gestora de frota, os concessionários e a marca sem que a situação se resolvesse, telenovela que demorou um ano. Resultado prático: sempre que tinha que visitar um cliente era um pânico, o carro à entrada das rotundas desligava-se. Imaginem o estado de nervos em que chegava às reuniões.

de custos, mas conhecendo o mundo empresarial o impor-

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

49


FROTAS

Revista Automotive

Para acrescentar, o filtro de partículas estava constantemente a entupir, no concessionário demoravam eternida-

tirar aquela imagem do citadino sem caráter e sem perso-

des para retirá-lo, limpá-lo e colocá-lo. Aceito que um carro

nalidade. Colocaram pormenores como a grelha mais larga,

pode apresentar defeitos, mas se o problema for rapida-

o friso preto na lateral, o aileron, detalhes que trouxeram

mente reparado, tudo bem. A problemática surge quando

minúcia e cuidado. Bagageira é suficiente. Cumpre os re-

não o conseguem resolver, não se esforçam para isso, nem

quisitos e supera as expetativas.

apresentam alternativas. O efeito negativo desse pós-venda atraiçoa a imagem e o conceito que temos da marca, nunca mais confiamos na empresa. Não quero referir a marca, mas felizmente não era um Renault por isso não trago pré-conceitos. Características que valorizo no carro É silencioso para um diesel, poupado e versátil. Tanto sinto agilidade em cidade como conforto em percursos longos de autoestrada. A potência é adequada e surpreende na resposta ao acelerador. Uma das minhas preocupações é a segurança que o carro transmite ao conduzir e nestes modelos citadinos é sempre pelos mínimos. Neste caso conseguiram fazer pelos máximos. Gostei.

PUB

50

Fizeram um design mais desportivo, mais arrojado para

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

FROTAS

Todos em linha Renault, Chronopost e LeasePlan estão em linha com os objetivos de: aumentar o espaço de carga, reduzir os custos de utilização dos veículos e minimizar o impacto ambiental em quase 100 toneladas de CO2 ano. A Chronopost queria fazer a renovação de uma parte da frota; a Renault sugeriu o Master e o Trafic pelas suas características; a LeasePlan enquanto gestora de frotas acompanhou, aconselhou e otimizou o melhor negócio. É assim: quando dois querem três não discutem. A Chronopost que pertence ao grupo GeoPost, que por sua vez pertence ao grupo La Poste, posiciona-se em 1 º lugar em França e em 2 º lugar na Europa no mercado do CEP (Courier Express Parcels). A Chronopost tem 13 entrepostos - Vila Real, Porto, Guarda, Viseu, Coimbra, Leiria, Torres Novas, Póvoa de Santa Iria, Lisboa, Seixal, Évora, Faro e Funchal.

As 280 unidades da Renault Master e Renault Trafic, para além do conforto vão permitir uma melhor capacidade de carga, fiabilidade, reduzir custos de manutenção e utilização. Com as novas viaturas, as distâncias parecerão mais curtas e a paisagem será melhor apreciada nos dois sentidos. Os colaboradores da Chronopost terão assim, bons motivos para fazer as entregas de Natal com bom humor e agilidade. Mais ainda, sob a gestão da LeasePlan, poderão fazer o ranking do colaborador mais poupado e ecológico. Este reforço da frota, também trará reforço nas vendas da Renault e com certeza precisará cada vez mais dos serviços LeasePlan, que por sua vez acompanha de perto as viaturas, seja no pós-venda, seja na utilização. Em linha com as necessidades dos clientes, com a sustentabilidade ambiental e do negócio, fazem com que todos cresçam no ritmo de cada um, mas com responsabilidade de não destruir nada pelo caminho.

Não precisa ficar refém da marca: a Euromaster liberta-o As revisões oficiais da Euromaster cumprem os mesmos pro-

início as tarefas que vão ser executadas no seu veículo; principal-

cessos das revisões do fabricante e conforme está previsto no

mente porque a fatura se ajuste ao orçamento de cada cliente.

Regulamento da Comissão Europeia nº 461/2010, que autoriza a livre concorrência no mercado de manutenção de automóveis, a revisão da Euromaster permite carimbar o livro de manutenção para que não perca a garantia do veículo. Desde o início de dezembro que a Euromaster Portugal implementou e colocou à disposição dos clientes o serviço de revisão oficial nos seus centros, feita em exclusividade por uma equipa de especialistas com garantia do serviço. Os clientes contam com a revisão de manutenção programada tal como exige o construtor do veículo, com todas as verificações especificadas pelo fabricante e mais outros pontos de segurança. A experiência tem-lhes permitido saber de antemão que alguns pontos merecem ser observados e testados; não só numa atitude preventiva, mas acima de tudo para evitar retornos posteriores desnecessários. Todo o procedimento: as tarefas a ser executadas, as peças sobressalentes, a periodicidade (em quilometragem ou tempo de utilização da viatura), são respeitadas segundo preconizado pelo fabricante, utilizando peças de qualidade, procurando ir de encontro às exigências técnicas de cada marca. Os orçamentos são simples, claros e detalhados, para que o cliente saiba desde o

Miguel Santos, Diretor de franquia da Euromaster em Portugal

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

51


Pesados

Revista Automotive

HBC II - condução com confraternização Segundo João Cordeiro, diretor comercial da HBC II, “o

estar ao lado de tantos colegas do setor dos transportes,

grande objetivo deste evento de Novembro foi proporcio-

num ambiente de descontração, muito necessário para os

nar aos clientes da empresa um dia bem passado. A Batalha

profissionais da nossa atividade. Somos uma empresa que

foi o local escolhido para acolher a prova. Para tornar o

valoriza este tipo de relacionamento e a gerência da HBC II

dia mais leve optámos por uma corrida de karts, mas com

está de parabéns pela sua iniciativa”.

pé direito de profissionais de pesados. Alguns de nossos clientes percorreram mais de 250 Km para participar, eles são assim: nem o tempo, nem a distância os dissuade.

considerou o evento positivo e espera voltar a participar no próximo ano (melhor preparado!). Desafios à parte, desta-

Após as inscrições, validação das equipas e um pequeno

cou que o mais importante foi a HBC reunir num ambiente

briefing onde foram explicadas a regras, começou a prova

desportivo tantos profissionais do setor dos transportes.

que foi dividida em duas mangas e uma finalíssima. A agi-

Foi positivo para os participantes e foi positivo para as

tação nas boxes, pelas trocas sucessivas nas classificações

empresas do setor de transportes.

foi empolgante, entusiasmando os pilotos e fazendo vibrar os presentes.

A equipa da Transportes São Luís, veio de Paredes (Porto) e acostumada a percorrer grandes distâncias, saiu da

Resultados: 1º Lugar Transporcarga de Leiria; 2º Lugar

Batalha satisfeita com a posição alcançada e com bom

Transportes Sousa Gomes de Pombal e em 3º Lugar

ambiente que encontrou. Nuno Salgado, responsável pela

Transportes São Luís de Paredes.

qualidade e manutenção da frota da empresa expressou

A bem da verdade contaram os resultados por ordem de chegada, mas se fosse por ordem de animação, festejo e boa disposição ficavam todos empatados. Foi realmente um dia repleto de descontração, alegria e divertimento. A gerência da HBC II Peças Auto aproveita esta oportunidade de estar aqui presente na Revista Automotive para mais uma vez agradecer a todos os seus colaboradores, clientes e todas as pessoas que tornaram este evento possível”. Quisemos confirmar no terreno e entrevistamos Rui Lisboa gerente da Transporcarga, que nos disse “que mais importante que o resultado desportivo, a verdadeira vitória foi

52

António Sousa gerente da Transporte Sousa Gomes

Nov/Dez 2013

Revista Automotive

um rasgado elogio à iniciativa da HBC II e espera poder voltar a participar do evento no próximo ano.


Revista Automotive

Pesados

Mercedes-Benz aprova mais um Fuchs O TITAN GT1 PRO C-4 SAE 5W-30 foi aceite por outro titã: a marca Mercedes Benz. A aprovação oficial da Mercedes Benz, surge na sequência da utilização em alguns dos seus modelos, dos novos motores de 4 cilindros com tecnologia Renault. Também o novo Mercedes Classe C, cujo lançamento está previsto para 2014, contará com motores desenvolvidos pela Renault, no âmbito do acordo de partilha de tecnologia entre as duas marcas. O lubrificante TITAN agora aprovado é um óleo de motor para primeiros enchimentos, destinado aos modernos motores a gasolina ou a diesel das viaturas ligeiras de passageiros, equipadas com filtros de partículas.

Luís Simões faz contas à poupança A empresa Luís Simões associou-se pelo segundo ano consecuti-

passado, quando comparado com 2007, ano de implementação

vo, ao projeto “Árvores do Futuro”, programa ambiental de plantar

do programa ‘Eco-Driving’.

árvores na Área Metropolitana do Porto, através do transporte de 6.000 árvores nativas, desde os viveiros do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) até à plataforma de distribuição na região. Os últimos indicadores de sustentabilidade indicam que a Luis Simões reduziu o consumo médio de combustível em 5,7%, no ano PUB

Com este projeto, o grupo obteve uma redução de 3.572.824 litros de combustível e de 10.184.987 milhões de kg de emissões de dióxido de carbono. Uma forma de aumentar a sustentabilidade ambiental, reduzir a fatura energética e fazer face à complexidade da atual conjuntura.


Pesados

Revista Automotive

Ruggero Mughini, Diretor Geral da IVECO (ao centro), Nuno Ferreira, Gerente da Ferreira&Filhos (direita) e David Carlos da IVECO

Iveco alarga os seus horizontes Esteve presente no Salão da Batalha o diretor geral da Iveco Portugal Ruggero Mughini, para prestigiar o concessionário Ferreira & Filhos e dar-nos em exclusividade esta entrevista Assumiu a direção geral da Iveco em abril, como

Espanha. Trata-se de uma evolução e de uma confiança

se avalia?

no nosso negócio. Vamos disponibilizar pela primeira vez

Inicialmente ouvinte atento, depois participante ativo da mudança para melhor. Este ano incorporamos o concessionário Ibertruck na Castanheira do Ribatejo e agora

54

desde que a Iveco chegou a Portugal, as nossas próprias soluções do renting que é uma solução financeira fundamental nas vendas para o mercado dos pesados.

passamos a vender diretamente para os clientes da zona

Em termos de produto, estamos bem e ainda vamos ficar

de Lisboa e norte do país. Assim a nossa marca passa a ter

melhores, graças ao lançamento dos motores que incor-

mais um contacto direto com o cliente, assegurando uma

poram a nossa tecnologia HI-eSCR, posicionando a Iveco

excelente compra e garantindo um pós-venda de qualidade

como uma das primeiras marcas a oferecer uma ampla

e com eficiência para todo o país.

gama com a norma Euro 6.

Mas há mais. Estamos lançando o nosso próprio serviço

Estamos a voltar a investir em Portugal. A aquisição do

de renting, através da abertura de uma filial em Portugal

concessionário e a melhoria das instalações e do serviço de

da nossa empresa financeira, cuja sede está localizada em

pós venda do concessionário Ibertruck, o lançamento de

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

uma filial da Iveco para a área do renting, e a uma maior di-

tor, acanhado e pequeno. Se fazemos bons produtos temos

nâmica por parte da nossa força de vendas, são as estraté-

que lhes garantir longevidade, retorno e acima de tudo

gias que estamos a implementar no imediato para também

segurança. O concessionário Ferreira & Filhos tem sido um

voltarmos a crescer.

bom exemplo desta dinâmica. Esta empresa tem garantido

A gama Daily continua a ser um produto de sucesso da Iveco? Positivamente sim. Trouxemos para o salão uma versão da Daily que incorpora três vantagens numa única viatura: suspensão pneumática, motorização multijet de 146 cavalos

as vendas, mas a sua gerência tem também garantido o pós-venda com qualidade, confiança e garantia. É hoje uma referência dentro da nossa rede. Como esperam voltar a atrair atenção dos clientes para os serviços da rede Iveco?

e garantia de 5 anos. É um produto premium dentro classe

Temos uma iniciativa para o pós-venda que já estamos a

dos furgões, muito competitivo sobretudo ao nível dos pre-

praticar através da venda de peças de segunda vida para

ços. Escolhemos expô-lo no stand da Ferreira & Filhos por

viaturas Iveco com mais de 5 anos. Numa economia com

uma questão de mérito e para demonstrar o nosso apoio a

dificuldades e após os períodos de garantia e das manuten-

quem diariamente nos representa e da melhor forma.

ções programadas, os clientes tendem a fugir das oficinas

A Iveco é uma marca muito dinâmica e com longa tradição no setor dos furgões e dos veículos pesados de mercado-

de marca e irem à procura de alternativas mais económicas de peças no mercado secundário mais baratas.

rias e de passageiros. Por isso iremos lançar algumas moto-

Preocupada com esta situação a Iveco agora disponibiliza

rizações que vão incorporar as novas tecnologias HI-eSCR,

tanto peças originais novas para viaturas com menos de

como é o caso do Eurocargo, que recentemente passou a

cinco anos, como peças de segunda vida para viaturas com

ser comercializado com motores da geração Euro 6, ainda

mais de cinco anos. É uma alternativa forte da nossa marca

mais eficazes e que contribuem para uma efetiva redução

e uma clara demonstração de que queremos satisfazer os

nos consumos de combustíveis.

nossos clientes com uma excelente gama de produtos e de

A estratégia é aprender com os erros e começar a reconhecer o valor ao pós-venda?

Pesados

serviços, mas também oferecendo peças originais a preços economicamente muito competitivos.

É verdade. Inicialmente a estratégia das marcas era focada nas vendas, mas agora verifica-se que só isso é muito redu-

EUROPART presente na Solutrans grande atração para os visitantes foi a exposição do camião da Racing 14, que participou no Campeonato Europeu de Camiões com o patrocínio da Europart. A Solutrans de 2013 contou com 800 expositores, mais 8% do que a edição de 2011 e alcançou os 35 mil visitantes. Em simultâneo com a 12ª Solutrans realizou-se o Fórum Mundial de Camiões e Autocarros onde a Europart através de Pierre Fleck, administrador atual, falou como convidado para uma plateia de mais de 200 especialistas do setor. A temática foi sobre as opções disponíveis para operadores de frotas, visando a redução de custos operacionais, através da aquisição de forma mais eficiente, de peças de reposição. Com mais de 5.000 referências de produtos com marca própria, a A Europart empresa de referência na comercialização de peças para camiões, semirreboques e autocarros, participou pela primeira vez na 12ª edição da Solutrans, Feira de Transporte

Europart está igualmente forte na distribuição graças à estrutura logística com grande flexibilidade no fornecimento de mercadorias dentro do espaço europeu em até 24 horas.

de Lyon realizada em novembro, com um stand próprio onde a

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

55


Pesados

Revista Automotive

Alexandre Abreu da Sodicentro: simplesmente o melhor. Falando à Revista Automotive, Alexandre Abreu explicou

Na final realizada durante dois dias na sede da Mercedes,

que há quinze anos trabalha dentro da rede Mercedes-

em Estugarda, estiveram em competição 54 profissionais.

-Benz, tendo participado de algumas provas de seleção a

A equipa portuguesa era composta por 6 profissionais da

nível nacional do Global TechMaster, mas esta foi a primeira

rede de concessionários, sendo um da Mercentro de Aveiro,

vez que chegou a uma grande final e ficou em 1º lugar na

dois da C. Santos da Maia e dois da Mercedes de Alverca,

categoria de Gestor de Clientes na área de veículos comerciais pesados.

“As avaliações decorreram primeiro de forma individual,

“É uma satisfação muito grande saber que fui o melhor classificado na grande final, sobretudo porque em competição estavam profissionais muito qualificados dos concessionários Mercedes do Brasil, Africa do Sul, Itália, Espanha,

56

todos representando diferentes áreas dos pós venda.

através de testes teóricos e testes práticos e depois através de provas em grupo. Foram efetuadas simulações de atendimento em oficina a clientes profissionais da área de veículos comerciais pesados, desde a receção até à entrega da viatura. No meu caso, explicou Alexandre Abreu, a ava-

Alemanha, Bélgica, Suíça e Turquia”. Estes foram os países

liação decorreu com clientes que representavam a figura de

finalistas, sendo que Portugal acabou por se destacar, com

dono de empresa ou gestor de frota. Estou muito satisfeito

o meu prémio, em 1ºlugar na categoria de atendimento e

com o prémio: valorizou a minha profissão, a minha forma

satisfação do cliente.

de atuação e enriqueceu o meu currículo”.

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

Pesados

Criado para estimular o desempenho e promover a qualificação dos seus profissionais da área do pós-venda, o concurso interno da Mercedes-Benz, denominado Global TechMasters Truck reúne profissionais de diversos países e coloca-os à prova. O evento anualmente promovido pela Mercedes, procura selecionar os melhores perfis das diversas áreas dos pós-venda da sua rede de concessionários. Com base nos seus perfis profissionais, os participantes competem em provas práticas e teóricas e no final, um júri da marca seleciona o melhor do mundo em cada categoria de trabalho, bem como a melhor equipa de oficina dentre todos os países finalistas presentes na competição.

A equipa portuguesa da rede Mercedes-Benz

PUB

Revista Automotive

Nov/Dez 2013

57


REPINTURA

Revista Automotive

Repintura completa Francisco Andrade, diretor executivo da Carsistema faz um breve resumo dos 30 anos da Sotinar e descortina 2014 A Sotinar de Coimbra foi o berço do grupo empresarial e das 12 unidades de negócio em Portugal, Espanha, França e Marrocos. Cinco anos depois, ou seja, há 25 anos nasce a Portepim empresa importadora da marca de tintas MaxMeyer; e posteriormente a Carsistema empresa que importa produtos e equipamentos, necessários para as oficinas de repintura automóvel. O core business do nosso Grupo empresarial é claramente a repintura automóvel. Mais de 90% do nosso volume de negócios é feito na repintura automóvel e só recentemente estendemos a nossa atividade a outros sectores, nomeadamente industriais e sobretudo do mobiliário de madeira, dada a proximidade de processos e necessida-

qualidade. Criámos a nossa marca Car Repair System,

des de acabamento de superfícies, entre os 2 sectores.

que já tem um peso relevante nas nossas vendas nacio-

A Carsistema e a Portepim vendem diretamente uma rede

cresce para os 90% pois as empresas de Espanha, França e

de 30 a 40 empresas de distribuição que são empresas

Marrocos, vendem praticamente em exclusivo a gama Car

retalhistas, estas sim, que vendem diretamente às oficinas

Repair System.

de repintura automóvel e cobrem a totalidade do mercado nacional, Açores e Madeira incluídos. A Sotinar de Coimbra, Leiria, Aveiro, Lisboa, Porto e Santa Maria da Feira, são uma parte importante desta referida rede de distribuição e inte-

nais, cerca de 55%. Internacionalmente, esta importância

Como disse anteriormente, esta marca é muito completa, engloba equipamentos, químicos, material de proteção e isolamento, higiene e segurança pessoal, permitindo sa-

gram o perímetro de consolidação do nosso grupo.

tisfazer praticamente todas as necessidades no âmbito da

A Carsistema representa as melhores marcas mundiais, mas

sim contínuo ao ir acrescentando novos produtos.

também temos a nossa marca própria: a Car Repair System, com uma gama completa de produtos da mais elevada

repintura. Este não é obviamente um processo fechado mas

O nosso crescimento internacional foi seguindo a matriz geográfica, mas também podemos dizer que a empresa seguiu os seus produtos. Em França, contamos com a Equipauto, que aumentou a nossa notoriedade, particularmente junto dos países francófonos do Magreb. Temos distribuidores em Angola, Moçambique, Cabo Verde, Austrália, Irlanda, Caribe francês (Martinica e Guadalupe), Republica Checa, Sérvia e Hungria. Descortinando 2014 Planeamos a inauguração das novas instalações em 2014, para ampliar e otimizar a gestão do armazém, para criar uma área destinada à reparação e assistência técnica dos equipamentos, maior comodidade para os nossos colaboradores e é claro, receber bem quem nos quiser prestigiar com uma visita.

58

Nov/Dez 2013

Revista Automotive


As suas compras valem mais. Mais pontos. Mais vantagens.

eMBPeรงas - plataforma Mercedes-Benz para oficinas independentes e frotistas. Registe-se e descubra todas as vantagens do eMBPeรงas. www.embpecas.com

Automotive n8  

ARVAL; ALD Automotive; Chronopost e Renault; Mazda CX5; GEFCO; Generali; Pernod Ricard; Berner; Autocrew; Euromaster; Delphi; Ecolub Oleão;...

Automotive n8  

ARVAL; ALD Automotive; Chronopost e Renault; Mazda CX5; GEFCO; Generali; Pernod Ricard; Berner; Autocrew; Euromaster; Delphi; Ecolub Oleão;...

Advertisement