Page 1

Automotive Ano 1 | Outubro 2013 | Preço 3€ | Edição nº 7 | Publicação Mensal

Este exemplar é gratuito

cartões de frota soluções para gerir o combustível de forma eficaz e segura

híbridos agitam o mercado

Entrevista

Pesados

Pós-venda

Ensaio

Sherwin Williams Standox

HBC II RETA

SKF Distinguida 40 Anos AISIN

Mercedes E300 Peugeot 508


Editorial Gigante adormecido

E

Índice Japopeças

04

sta frase muito utilizada pelos brasileiros, quando se referem ao seu país, encaixa-se nas suas dimensões continentais e enormes recursos naturais (gigante), mas pelo fato de estar adormecido, nunca se tornou uma potência mundial ou sequer fez parte do grupo de países mais ricos (G8).

40 anos da AISIN no mercado do pós-venda.

A Revista Automotive tem o privilégio de estar com pessoas realmente e verdadeiramente espetaculares, com índole positiva e participativa: no mercado do pós-venda, das frotas, das marcas automóveis, combustíveis, entre outras. Pessoas incomparáveis que fazem a diferença com a sua atitude, mas depois por ocuparem alguns cargos dentro das empresas, ficam amordaçadas por questões de normas, rivalidade, competitividade e até um pseudo segredo empresarial e de negócios.

Inciativa “Eleger qualidade, eleger confiança”.

Encontro

06

SKF

15

Distinção como uma das empreas mais sustentáveis.

Fazendo a conexão com os dois parágrafos anteriores temos assim, um mercado com grande diversidade e alta competitividade, mas adormecido. E tudo o que dorme é vulnerável e frágil como uma criança. Criança que quando tentam acordar faz birra, reclama e barafusta. Não quer sair da sua zona de conforto, não quer explorar, aprimorar, participar, viver.

Cartões Frota 17

Nesta edição a Automotive, teve o prazer de publicar a iniciativa “Eleger qualidade, Eleger confiança”, que poderá passar desapercebida, pelo que chamo a vossa atenção. Não por ser inovação, nova tecnologia ou rocket science, simplesmente porque no país vizinho, já acordaram.

Híbridos

Fácil: conversar sobre o que os une e não gritar sobre o que os separa; unir forças para combater um problema em comum, utilizando cada um a sua melhor estratégia; construir junto ao invés de derrubar os poucos; ter ainda mais próximo os “inimigos” do que os “amigos”, enfim ter a coragem de criar momentos intensos e fortes, reunir consenso positivo proveitoso e acima de tudo: crescer, amadurecer e ser efetivamente como pessoa e empresa, realmente e totalmente incomparável.

Como gerir o combustível de forma eficaz e segura.

25

Nesta edição avaliamos dois modelos Híbridos.

HBC II

40

Fazer a diferença no pós-venda dos Pesados.

Boutiques

46

Sugestões de prendas para esta época.

Salão Frotas 50 O relato de um correspondente na 1º edição em Madrid

Revista Automotive

Outubro 2013

3


Pós-Venda

Revista Automotive

Japopeças participa dos 40 anos da AISIN no pós-venda De 1973 a 2005 “ASCO” era o que se lia no produto e na embalagem, enquanto “AISIN” aparecia nos produtos do equipamento original. De 1973 a 2005 “ASCO” era o que se lia no produto e na embalagem, enquanto “AISIN” aparecia nos produtos do equipamento original. Em 2005 a marca resolveu assumir que não havia qualquer diferença e passou a tratar tudo por AISIN. Passados 40 anos desde o início da comercialização para o pós-venda, a marca hoje, como então, reúne números assombrosos. Com mais de 70.000 funcionários em todo o mundo é o quinto maior fabricante de equipamento original, quinto maior fornecedor de peças, atrás apenas da Bosch, Denso, Continental e Magna International. A AISIN tem origem japonesa e nunca perdeu as suas raízes, embora esteja presente nas principais economias mundiais. Esteve sempre muito próxima das Universidades do seu país aproveitando e investindo não só em pesquisas mas também em desenvolvimento corporativo e administrativo, principalmente no âmbito organizacional e em qualidade. A AISIN na Europa tem

4

Outubro 2013

Revista Automotive

três unidades produtivas que fornecem a maioria dos construtores de automóveis Europeus. Ao longo dos anos, a AISIN tem acompanhado a cultura local aonde as unidades estão instaladas e também tem participado do crescimento e desenvolvimento de algumas regiões geográficas. Embora ainda seja o maior fornecedor da marca Toyota, tem evitado concentrar o fornecimento para uma só marca através da diversificação da clientela e dos produtos, alvo maior dos seus investimentos. Por exemplo, no Brasil, a companhia tem explorado as oportunidades que irão surgir com o Inovar-Auto que é um novo regulamento automotivo que incentiva o uso de peças produzidas localmente. Por falar em partes, a AISIN consegue fazer boa parte de um veículo sozinha, e só não avança mais porque não vê vantagens. Tem partilhado verbas para o centro de pesquisas no IMRA Europe, para o Centro Michigan para a Ciência nos EUA entre outros pontos fortes da pesquisa


Revista Automotive automotiva. Estão envolvidos em todas as temáticas automóveis: redução da poluição e dos resíduos; eficiência de combustível; maximização da segurança; conforto e conveniência; incluindo os veículos híbridos, elétricos e alternativos.

merciais da AISIN e tem-no feito de forma brilhante: é que pela 5ª vez consecutiva recebe o prémio de melhor “Distribuidor Aisin em Portugal” referente ao ano 2012.

“A AISIN tem reforçado os valores dos seus produtos principalmente no que concerne à qualidade”

Em termos de divulgação da marca e acreditação da imagem: participam em todas feiras e salões, sempre com stands de bom gosto, discretos e com uma imagem muito suave; e são bastante seletivos nos meios de divulgação. A AISIN tem reforçado os valores dos seus produtos principalmente no que concerne à qualidade e está profundamente envolvida no combate à fraude/falsificação. Faz parte da JAPIA (Associação das Indústrias Japonesas de Componentes Automotivos) e disponibiliza no seu site um espaço exclusivo para denúncias. Tem feito campanhas de esclarecimento não só à população em geral, mas a todos da área automóvel. A mensagem principal é que um produto falsificado jamais garante a sua vida (em todos os sentidos). No site da marca também estão disponíveis cartazes e folhetos sobre o tema.

Pós-Venda

Segundo Luís Costa, gerente e fundador da Japopeças,” tem sido um honra e um prazer representar as marcas do Grupo AISIN no nosso país, principalmente porque tem-se revelado uma parceria de sucesso. É bom ganhar com mérito, fruto de muito trabalho e com a confiança dos altos responsáveis da marca que nos premeia. Continuamos a fazer o nosso trabalho da melhor maneira possível, apoiados numa equipa muito motivada. A cada ano, temos aprimorado o nosso trabalho, adquirido mais conhecimentos, maturidade, mantido a fidelidade dos nossos clientes e alargado para outros”. ▌

Em Portugal a empresa Japopeças, na qualidade de distribuidor autorizado, representa os interesses co-

Valorpneu só números no verde De 2003 a 2012 foram recolhidas e tratadas

Climénia Afonso, responsável pela Valorpneu estava bastante satisfeita com os números que levou para

893 mil toneladas de pneus usados em Portugal. Estes geraram 207 mil toneladas

o encontro anual dos seus associados, realizado na

de pneus recauchutados, 422 mil toneladas

Guarda no dia 16 de Outubro. Não é para menos,

foram recuperadas em matérias-primas

quando tantos apresentam contas no vermelho é

como granulado de borracha e aço. E 255

prazeroso apresentá-las no verde, em todos os senti-

mil toneladas foram utilizadas como com-

dos, mas especialmente quando se trata de responsa-

bustível para fornos, evitando o consumo

bilidade ambiental. ▌

do coque de petróleo, por exemplo, que é um combustível sólido muito poluente.

Revista Automotive

Outubro 2013

5


Pós-Venda

Revista Automotive

Iniciativa “Eleger qualidade, Eleger confiança”

Os profissionais e empresas da área das peças e componentes

Com esta ação, as marcas de primeiro equipamento visam estar

automóveis: fabricantes, grupos de distribuição, associações pro-

um passo à frente no suporte aos mecânicos profissionais em sua

fissionais e media, reuniram-se neste mês de outubro em Madrid

relação com o cliente final, através de diferentes iniciativas. Uma

sob o tema “Conversas de qualidade, Conversas de confiança”, um

delas é a pasta de lições de confiança. Os mecânicos têm agora

evento organizado no âmbito da iniciativa “Eleger qualidade, Ele-

a possibilidade de fornecer aos clientes das oficinas, uma pasta

ger confiança”, com a finalidade de estabelecer um diálogo aberto

com as lições de confiança onde constam as principais recomen-

entre os diferentes intervenientes do setor automotivo.

dações para uma manutenção adequada dos veículos e suas

Na reunião, também foi apresentado oficialmente a incorporação da PHILIPS Automotive Ibérica como mais um membro da inicia-

Outro tema abordado nesta reunião foi a importância de se

tiva “Eleger qualidade, Eleger confiança”, uma marca de primeiro

incorporarem novas marcas à iniciativa. Os profissionais do setor

nível que se junta a outras 15 marcas que já fazem parte desta

querem que cada vez mais grupos e associações deem suporte

iniciativa, a saber: ATE, Bosch, Brembo, Dayco, Gates, Hella, KYB,

à mensagem e participem nas diversas atividades da iniciativa

MANN-FILTER, NTN-SNR, SKF, Textar, TRW, Valeo, VARTA e VDO.

“Eleger qualidade, Eleger confiança”.

Novo espaço em Lisboa para a Leirilis Como o objetivo de servir melhor os seus clientes e com proximidade, a Leirilis abriu no passado dia 14 de outubro uma nova loja em Lisboa, localizada na Rua Vasco da Gama, na Portela de Sacavém. Este novo espaço permitirá ao cliente encontrar uma vasta gama de produtos automotivos, com marcas de equipamento original, capazes de satisfazer todas as necessidades de uma oficina multimarcas. Podendo ainda usufruir de um serviço com quatro entregas diárias na área da Grande Lisboa. Além deste serviço, a Leirilis oferece ainda acesso a um portal onde o cliente poderá efetuar a identificação de peças, consultar stocks, realizar encomendas e consultar a sua conta corrente.

6

peças sobressalentes.

Outubro 2013

Revista Automotive


Entrevista

Entrevistamos Mónica Alves, responsável pela rede AutoCrew em Portugal que começou por explicar à Automotive como se posicionam no mercado.

Kit de Roda com Disco de Travão


Pós-Venda

Revista Automotive

Bilstein

usa a pressão e o impacto a seu favor

da condução, na segurança e agilidade graças à recolha de dados de movimento provenientes de vários sensores. Além da fabricação de equipamento original, o mercado de reposição é um negócio importante e campo de desenvolvimento para os especialistas de suspensão. Quer para a instalação em série ou a otimização desportiva do veículo, a Bilstein tem produtos de alta qualidade disponíveis para todas as classes de veículos com personalização especial para

Bilstein começou em 1873 com a fabricação de acessórios

as finalidades de cada sistema de suspensão e afinação, de

de janelas pelo fundador da empresa August Bilstein em

uma forma única.

Altenvoerde, a cidade hoje é conhecida como Ennepetal e é considerada como o epítome da tecnologia de suspensão inovadora. Com uma força de trabalho de mais de 400 profissionais, ainda é um dos maiores e mais importantes empregadores da cidade.

Têm um programa de treinamento para oferecer a todos os grupos-alvo, sob os auspícios da Academia Bilstein em Ennepetal, onde transmitem a sua experiência no desenvolvimento do produto, na produção, no desporto motorizado e na oficina prática do dia-a-dia.

O francês Bourcier de Carbon descobriu o princípio da pressão dos gases e em 1954 Hans Bilstein investiu no potencial que o gás fornecia na compressão e expansão para ser aplicado na indústria automobilística. Desde então, usam este princípio para produzir monotubos com pressão de gás, mais conhecidos como amortecedores. Desse modo têm enfrentado com sucesso o desafio de satisfazer as mais altas exigências de qualidade e eficiência. Utilizando uma construção leve obtêm uma excelente performance no conforto

Juntamente com seus parceiros de distribuição, a Bilstein é representada hoje em 130 países em todo o mundo. No território nacional podemos contar com a formação e competência da Auto Silva Acessórios, desde 1976 em Portugal, tendo as suas raízes em Lourenço Marques (Maputo) – Moçambique desde 1966. Com armazéns no Porto e Lisboa, com mais de 50.000 referências de artigos, é conhecida nacionalmente pelos profissionais do pós-venda, pela sua variedade e disponibilidade em peças e acessórios para automóveis. ▌

Alidata reitera prémio e alarga parcerias A Alidata foi novamente galardoada como PME Líder, o que

informáticas, nomeadamente de software de gestão oficinal ou

reflete o bom momento que atravessa e permite-lhe ter acesso a

em processos de gestão e automatização de tarefas; a GT Motive,

condições privilegiadas a produtos financeiros, redes de serviços

que resultou da integração do software Alidata gestão de oficinas

e facilidades na relação com a banca.

com o GT Estimate, de forma a acrescentar vantagens aos utiliza-

A Alidata tem vindo a desenvolver importantes parcerias: com a ANECRA, que torna a Alidata a entidade exclusiva de aconselhamento dos milhares de associados, relativamente a soluções

8

Outubro 2013

Revista Automotive

dores de ambas as soluções; a parceria com a tecnológica cabo-verdiana CVGO Sistemas de Informação que permite oferecer um serviço de excelência no crescimento e fidelização dos seus clientes.


Revista Automotive

SWAG

revela novidades Os catálogos por marcas da SWAG foram recentemente atualizados e fornecem informações sobre as gamas de produto exclusivas para cada fabricante de veículos. Estão disponíveis em formato pdf e podem ser descarregados gratuitamente no site www.swag.de. A SWAG disponibiliza ainda os catálogos por gama de produto. No catálogo online - www. swag-parts.de – ainda pode fazer uma identificação simples e rápida das peças.

Amortecedores novos evitam “galos” A Blue Print acaba de reforçar a gama de amortecedores, dispondo agora de um total de 167 referências. São específicos para a utilização na porta da bagageira, capot e vidros traseiros; permitem cobrir mais de 1.180 aplicações em veículos Asiáticos, Americanos e Europeus. Com a necessidade de utilização frequente da bagageira, tanto a nível familiar quanto profissional, o desgaste do amortecedor da porta da bagageira é acelerado. Muitas vezes as pessoas só se apercebem quando a tampa se precipita sobre a sua cabeça ou os seus dedos.

PUB

Glassdrive

integrada na comunidade Glassdrive para além das preocupações ambientais (reutilizar, reciclar e reduzir) insere-se agora como uma empresa que participa ativamente e em parceria com as demais instituições locais. Assim, utilizou a sua distribuição geográfica dos seus 130 centros e prontificou-se a recolher vestuário e brinquedos, que serão entregues nas respetivas Câmaras e Juntas de Freguesia para serem distribuídas pelas instituições vocacionadas para esse fim. Mais do que uma simples ação de cidadania e civismo, é uma articulação e parceria que demonstra a sua integração e implantação nas localidades. Os 130 centros da Glassdrive, ou seja toda a rede, de norte a sul do país e ilhas, disponibilizou-se para essa participação, que decorre no mês de Outubro e que derruba os muros da indiferença social.

Pós-Venda


Pós-Venda

Revista Automotive

AZ Auto dinamiza os Centros de Travões ATE Em Palmela realizou-se pelo segundo ano consecutivo, o encontro dos Centros de Travões ATE A ATE é uma marca alemã da Continental Teves – companhia integrada na Continental AG – especialista em travões, fornecedora de equipamento de origem e componentes para o mercado de substituição; além de equipamentos e ferramentas para oficinas. Os produtos ATE em Portugal são vendidos através da distribuidora de peças automóveis AZ Auto do grupo M. Coutinho. A AZ Auto, por sua vez, dinamizou no terreno os centros de travões ATE, que são uma oportunidade para todas as oficinas se tornarem “especialistas em travagem”. Em Palmela realizou-se pelo segundo ano consecutivo, o encontro dos Centros de Travões ATE. Para prestigiar o evento e promover o negócio, estive presente Bert Lembens responsável da Continental,

Bert Lemens, responsável da Continental

que entrevistamos. O que as oficinas ganham em integrar-se nos Centros de Travões ATE?

clientes (ATE) podem contar para além do produto: zação e o nosso investimento que dá ainda mais notoriedade e visibilidade dos nossos produtos.

é o expectável, mas a vantagem competitiva consegue-se quando as oficinas têm o conhecimento de reparar as novas. É aí que também fazemos a diferença. Veio a Portugal para prestigiar o trabalho da AZ Auto?

Trabalha com as oficinas a nível europeu, qual o panorama que traça?

Claro que sim. Mas não só. Sou um homem do terreno e estou sempre em contato com os responsáveis pelo desenvolvi-

Noto que as oficinas estão mais preocupadas com a qualidade dos produtos e com o nível de serviço que conseguem disponibilizar aos seus clientes. Não podem e não querem perder nem sequer um cliente, principalmente por não conseguirem encontrar uma solução para o seu problema.

Outubro 2013

técnico das oficinas, para fazer face ao aumento das tecnologias das viaturas novas. Reparar viaturas com mais idade

Para além de disponibilizarem os melhores produtos aos seus

10

Verifico que é prioritário elevar o nível de conhecimento

Revista Automotive

mento dos produtos e com o departamento de produção. Prefiro ser o primeiro a ouvir e a transmitir. Gosto de sentir o “pulsar” da ATE seja numa oficina em Coimbra ou em Cracóvia; seja no nosso centro de investigação e pesquisa.


P贸s-Venda


Pós-Venda

Revista Automotive

Etiqueta Europeia A Goodyear Dunlop organizou uma conferência com o objetivo de reunir os principais agentes e especialistas do setor, num debate sobre a evolução da etiqueta, agora que se aproxima o primeiro aniversário da implementação da norma. A etiqueta europeia do pneu, obrigatória para todos os pneus vendidos na Europa, classifica os pneus de turismo e de pesados, de acordo com três fatores: resistência à rodagem, aderência em piso molhado e ruído externo. A

Osram

onde o branco é mais branco e com maior alcance

legislação entrou em vigor em novembro de 2012. De modo geral as pesquisas demonstraram que a aderência em piso molhado é o parâmetro mais importante e

Numa altura em que as condições de iluminação diminuem com a chegada dos meses de outono e de inverno, a Osram disponibiliza ao mercado as lâmpadas automóvel de halo-

52% consideram-no um dos três principais aspetos a ter em conta no momento de comprar pneus. A eficiência de

géneo e de xénon mais brilhantes.

combustível, que está interligada a uma melhor resistên-

A lâmpada de halogéneo da Osram foi melhorada e agora

cia à rodagem, figurava entre as necessidades de 47% dos

proporciona um feixe de luz de maior de alcance e com 20%

consumidores, enquanto o ruído exterior preocupava mais

de luz mais branca. Por sua vez as novas lâmpadas de xénon

cerca de 41% das pessoas.

iluminam até mais 20 metros e têm 5% de luz mais branca

Para os fabricantes mais rigorosos, dentre eles a Goodyear, que analisam mais de 50 parâmetros para desenvolver os seus pneus, é redutor aparecer só três na etiqueta, mas um ponto de partida positivo para os consumidores e já

que as lâmpadas de xénon standard.

A lâmpada de halogéneo da Osram foi melhorada.

demonstrou ser uma ferramenta útil. Principalmente porque ajuda as pessoas a estarem mais consciente do importante

Lâmpadas de elevado desempenho garantem uma condu-

papel que os pneus desempenham no rendimento e eficiên-

ção segura e sem fadiga, bem como permitem identificar

cia de um veículo.

melhor e mais rapidamente os obstáculos. Com a luz mais branca, os objetos aparecem numa tonalidade mais natural

No entanto, a legislação só terá êxito e será credível se todos os pneus vendidos e importados pela União Europeia

e com cores mais reais, fundamentais para sinais de trânsito.

cumprirem a legislação.

Ficha técnica Proprietário/editor: Prosa Serena Unipessoal, Lda. Nif: 509890326 Diretor da revista: Eduardo Gaspar egaspar@automotivept.com Nº registo na ERC: 126335 Depóstio Legal: 357202/13 Sede Redação: Pq. Indust. Alto da Bela Vista, Sulim Park, Pav. 50. 2735-340 Cacém; Telf: +351 21 917 10 88. Tiragem: 5000 exemplares

12

Outubro 2013

Preço: 3 Periodicidade: Mensal Gráfica: Mx3 Artes Gráficas; Parque Industrial Alto da Bela Vista, Sulim Park, Pav. 50. 2735-340 Cacém Paginação: Luis Santos Crédito das Fotos: Fotos Media Center das marcas divulgadas; Fotos divulgação. Envio de notícias para: press@automotivept.com Publicidade e outros assuntos comerciais: comercial@automotivept.com

Revista Automotive

© Copyright: nos termos legais em vigor é totalmente interdita a utilização ou a reprodução desta publicação, no seu todo ou em parte, sem a autorização prévia e por escrito do proprietário e editor da Revista Automotive. Ressalva: As entrevistas, comentários, opiniões e pontos de vista dos profissionais publicados nesta edição não representam necessariamente as opiniões e pontos de vista das empresas para as quais exercem funções, nem representam necessáriamente as opiniões e pontos de vista da Revista Automotive.


Revista Automotive

Pós-Venda

Sogilub

faz distribuição gratuita de oleões A SOGILUB única entidade licencia-

das necessidades globais, assim

da em Portugal para gerir o Sistema

como promover as boas práticas

Integrado de Gestão de Óleos Usados

de manuseamento deste resíduo

(SIGOU), está a promover através da

poluente.

sua marca Ecolub, a distribuição gratuita de 1.000 oleões, pelos produtores de óleos usados. A ação vai-se desenvolver até ao fim do ano e cobre todo o território nacional, incluindo as regiões autónomas.

Os oleões devidamente homologados para a função, são fabricados em PEAD (Polietileno de Alta Densidade) e são resistentes à corrosão têm 600 litros de capacidade, um metro de diâmetro e 1,5m de altura,

Embora a correcta identificação,

com indicador de nível, parede

armazenagem e encaminhamento

dupla, detector de fugas e acom-

para o circuito de gestão dos óleos

panham as normas de segurança

lubrificantes usados, seja da responsa-

e o código LER – Lista Europeia de

bilidade dos produtores, a Sogilub visa

Resíduos.

com esta ação, responder aos pedidos mais prementes e avaliar a dimensão PUB

Revista Automotive

Outubro 2013

13


Pós-Venda

Revista Automotive

Center’s Auto

bons negócios com o alargamento da família A GT Radial está entre os 10 maiores fabricantes de pneus do

Entre os 22 associados que atualmente constituem a rede

mundo, pelo que a sua gama tem que ser ampla e completa,

Center’s Auto em Portugal, contam-se atualmente 5 totalmente

porque dá resposta às diferentes exigências dos 100 países onde

identificados com a imagem corporativa do grupo com boas

é comercializada. São necessárias 6 fábricas para dar resposta à

perspetivas de até ao final do ano que cerca de 10 associados

demanda e investe em 2 centros de investigação e desenvolvi-

concluam a sua identificação.

mento em território europeu, para aperfeiçoar os seus produtos.

Comparativamente com Espanha, Portugal ainda tem muita mar-

Com a intenção de dinamizar e diversificar mais ainda as suas

gem para crescer e ainda há áreas geográficas que precisam ser

atividades a GT Radial impulsionou a criação da rede Center’s

abrangidas e outras reforçadas, pelo que as expectativas são de

Auto. Com estreita e intensa colaboração do seu distribuidor

que até ao final do ano a “família” Center’s Auto seja alargada.

ibérico Tiresur, desde 2010 a rede de oficinas associadas Center’s Auto tem tido um crescimento relevante e importante para o setor. Atualmente conta com mais de 120 oficinas associadas em Espanha e 22 em Portugal, verificasse assim uma forte adesão e distribuição geográfica no país vizinho.

Faria & Rodrigues Pneus em Bragança, e Garagem Fonte da Moura no Porto adotaram a imagem corporativa da Center’s Auto e são por isso os associados mais recentes. Já estão a caminho mais algumas, mas estão na fase do “sigilo negocial”, pelo que só podemos desejar: bons negócios!

Com baterias FIAMM a IVECO Daily elétrica vence novamente A tecnologia disponibilizada pela FIAMM apresenta vantagens em termos ecológicos através da poupança de energia, 100% reciclável, máxima resistência às mudanças de temperatura, número elevado de ciclos sem manutenção, segurança máxima, longa vida útil e redução nos custos de gestão. É considerada uma das soluções mais adequada, confiável e eficiente para atender às necessidades dos sectores, onde os acumuladores de chumbo tradicionais não são apropriados. Assim, a tecnologia verde da FIAMM e as baterias da gama SONICK (Sódio/Níquel) já receberam o devido reconhecimento: o Galardão Europeu para a sustentabilidade no transporte e agora com a IVECO ganharam o primeiro prêmio na categoria de “Inovação em veículos alternativos”.

Sogefi atualiza catálogo Purflux 14

Outubro 2013

A nova edição contém os mais recentes produtos da Purflux e confirma a liderança da Sogefi na introdução de novas referências para modelos de carros recém-lançados. Estes incluem o Volkswagen Golf VII, a Mercedes CLA, o Adam Opel, o Renault Clio IV e Captur e o recém-lançado Peugeot 308.

Revista Automotive


Revista Automotive

Pós-Venda

SKF distinguida como uma das empresas mais sustentáveis do mundo

Desde que foi criado o Índice Dow Jones de Sustentabilidade a SKF tem sido consecutivamente classificada como uma das empresas mais sustentáveis do mundo.

E

ste ano a SKF foi distinguida novamente. O Índice Dow Jones de Sustentabilidade é um indicador de performance financeira, onde as empresas são classificadas como as mais capazes de criar valor para os acionistas a longo prazo, através da gestão dos riscos associados a fatores económicos, ambientais e sociais. Grisélia Afonso, Diretora Comercial & Marketing do Aftermarket Auto da SKF em Portugal destaca as soluções do portfólio SKF Beyond Zero que evitaram a emissão de 1.672.000 toneladas de gases causadores do aquecimento global.

substancialmente maior, torna-se um hábito saudável completamente integrado no nosso quotidiano. Um bom exemplo da abordagem da SKF com relação aos problemas ambientais pode ser visto no modo como a empresa aplica a estratégia de redução do impacto ambiental resultante das operações da SKF; assim como a sua capacidade de fornecer aos clientes novas tecnologias, produtos e soluções que propiciem um melhor desempenho ambiental.” Grisélia Afonso assegura também que essa preocupação ambiental é extensível, aos funcionários, às famílias e aos clientes.

“Se na empresa há um reforço, estímulo e apoio, torna-se mais fácil e prático no nosso dia-a-dia fomentar as boas práticas que podem e devem ser replicadas, em todos os ambientes. A médio e longo prazo o retorno é

Revista Automotive

Outubro 2013

15


FROTAS

Revista Automotive

TaxData esclarece dúvidas sobre IVA Algumas empresas de comércio automóvel podem estar equivocadamente a enviar uma proposta de venda de viaturas mistas com mais de três lugares e que no livrete surgem inscritas como viaturas de mercadorias. Alegam que essa inscrição no livrete seria suficiente para que se considere a viatura como sendo de mercadorias, ao abrigo do Código do IVA e passível de deduzir-se o IVA da aquisição da viatura e das despesas correspondentes.

CTT assinam contrato de 13,2 milhões de euros Os CTT adjudicaram este mês um contrato de 13,2 milhões de euros à empresa ALD Automotive - para aluguer operacional de viaturas e prestação de serviços complementares para viaturas operacionais. O contrato assinado prevê o fornecimento de 822 viaturas durante quatro anos.

A Autoridade Tributária esclareceu através do Ofício Circulado n.º 30152 que as viaturas com mais de três lugares são consideradas viaturas de turismo, mesmo quando no livrete surgem inscritas como sendo viaturas de mercadorias.

Confrontada com o facto de os prazos de vigência dos últimos dois contratos deste tipo ainda não terem terminado, a empresa informou que os contratos destinam-se a substituir viaturas cujos contratos de locação estão a terminar e que foram celebrados por períodos diferentes, de modo a não concentrar a substituição de viaturas em fim de contrato num mesmo momento.

Novo Administrador da

Renault Portugal Xavier Martinet é, desde o dia 1 de Outubro de 2013, o novo Administrador-Delegado da Renault Portugal, SA, substituindo no cargo José Caro de Sousa que exerceu estas funções nos últimos cinco anos e meio. Xavier Martinet iniciou a sua carreira na Renault em 1997 onde ficou até 2010, altura em que assumiu funções na Nissan América do Norte. No seu regresso à Renault em 2013 passou pelo cargo de diretor da organização e produtividade da região europeia antes desta sua nomeação para Administrador-Delegado da Renault Portugal, SA. Mais do que uma pessoa experiente, Portugal espera de Xavier Martinet uma condução dos destinos da Renault com grande responsabilidade: económica, social e ambiental. A conservação da posição de liderança que faz dela uma referência incontornável do mercado e acima de tudo a manutenção da qualidade dos profissionais da empresa e da sua Rede de Distribuição. Porque só assim conseguirá que a Renault se mantenha no topo do sector no nosso País.

16

Outubro 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

FROTAS

Cartões de Frota Nas linhas que se seguem, o leitor da Revista Automotive encontrará um resumo das respostas às questões relacionadas com este meio de pagamento. Com o objetivo de oferecer uma informação atual e que contribua para um melhor entendimento das vantagens preconizadas pelos cartões de frota, abrimos espaço nesta edição para que as principais marcas de combustíveis possam apresentar as soluções, as vantagens competitivas e os serviços adicionais para os seus clientes. Atualmente os principais cartões de frota existentes no mercado nacional disponibilizam um conjunto serviços vantajosos, que ampliam e racionalizam a gestão do consumo. São uma ferramenta indispensável na gestão das despesas com os combustíveis (e não só, veremos) na maioria das empresas, tenham ou não uma frota estabelecida como tal. A brutal carga de impostos sobre os combustíveis fazem com que esses cartões movimentem valores elevados e que podem comprometer a viabilidade financeira, seja uma transportadora, um cliente-empresa ou um motorista profissional. ▌

simplicidade na utilização, segurança e controlo que oferece a todos os gestores de frotas. Em Portugal há 325 postos localizados nas principais vias e asseguram as necessidades de abastecimento de combustível da maior parte das frotas.

Cartão BP PLUS Segundo a BP o cartão PLUS distingue-se dos seus concorrentes através de uma cobertura europeia com acesso em mais de 18.000 postos de combustível e pelos benefícios na

A plataforma de serviços online BP PLUS oferece um conjunto de benefícios que permitem diferenciá-lo na segurança, controlo na utilização do cartão e gestão eficiente da frota. Permitem ainda gerir quase a 100% os cartões em tempo real, persona-

lizar os serviços de acordo com as necessidades de cada operador de frota, solicitar ou cancelar cartões e envar alertas para prevenir atempadamente potenciais fraudes. Podem ainda criar relatórios personalizados e adequados à gestão diária da frota. Outras vantagens são a recuperação do IVA no estrangeiro; a recuperação do imposto sobre gasóleo profissional em Espanha; o pagamento de portagens; o pagamento a crédito e ainda a assistência e reparação em viagens através do serviço Europnet.

Revista Automotive

Outubro 2013

17


FROTAS

Revista Automotive

Carteira de clientes BP Atualmente a BP trabalha com mais de 4.500 clientes de vários sectores de atividade, que podem fazer uso do serviço Via Verde, dos alertas BP PLUS, do portal online para a gestão da E-vignette: que permite o pagamento do imposto de circulação para frotas com veículos de mais de 12 toneladas que circulem na Dinamarca, Holanda, Bélgica, Luxemburgo e

Suécia e ainda do serviço exclusivo para o controlo de pagamento de portagens nas principais rotas europeias. Lançamento Europeu do FleetMove A marca está a lançar na europa o BP FleetMove que traz novos serviços de gestão de frotas e que incide na área da telemática. Através dos serviços online BP PLUS os gestores de frota podem definir antecipadamente que tipo de produ-

de cartões tem evoluído de acordo com a diversidade das soluções encontradas para o segmento profissional.

Cepsa – Cartões STAR A CEPSA lançou os primeiros cartões de frota em 1992, sendo por isso pioneira na Península Ibérica na emissão e disponibilização de ferramentas de gestão de frota, em particular na vertente do crédito a profissionais, reduzindo drasticamente os necessários avanços de tesouraria aos condutores, com plenas vantagens em termos de segurança e flexibilidade. Para aceder aos cartões de frota CEPSA STAR, um produto destinado a profissionais, são avaliadas diversas variáveis, das quais a marca destaca os consumos potenciais e a situação referente ao crédito. O cliente tem ao seu dispor um conjunto de serviços de apoio telefónico, no terreno e online; que ajudam a gestão da sua frota, sendo todos eles gratuitos. O leque

18

Outubro 2013

O cartão CEPSA STAR oferece um conjunto alargado de serviços em mais de 1.800 postos na Península Ibérica. Pode ser alargado através da parceria Eurotrafic aceite em 18 países europeus e Marrocos; passando assim a ter acesso a 11.000 postos, dos quais cerca de 3.000 especificamente preparados para veículos pesados de longo curso. Compromisso com a gestão da frota De acordo com a companhia, a adesão aos cartões e serviços STAR são, mais do que um acordo comercial, um compromisso com a gestão da frota dos clientes, sendo por isso asseguradas todas as questões de segurança, simplificação de gestão online e serviço de apoio a clientes durante as 24 horas. Do ponto de vista dos preços praticados, é garantido ao utilizador de cartões frota STAR o melhor preço em cada abastecimento. O cliente, dependendo do cartão, pode selecionar os serviços e produtos associados à utilização do cartão, de acordo

Revista Automotive

tos e serviços necessitam para cada um dos seus condutores com os seus respetivos cartões, selecionando previamente o local, dias e horas das transações. Estas funcionalidades geram benefícios no controlo da frota, controlo, organização e comodidade para os condutores e uma supervisão e acompanhamento praticamente em tempo real.

com os seus hábitos e necessidades. Podem ser limitados à simples operação de autorização para abastecimento de um tipo de combustível em Portugal até: pagamento de combustíveis, portagens, parqueamentos e consumo em lojas nos mais de 12.000 postos em toda a Europa e Norte de África. As várias soluções existentes permitem a marca trabalhar com um conjunto muito diferenciado de clientes, de pequenas frotas locais a grandes empresas de transporte internacional. Mas o volume mais significativo do negócio está centrado no transporte nos limites da Península Ibérica. A percentagem varia de acordo com localização e tipologia dos postos de abastecimento. Do ponto de vista de segurança, são cartões que requerem a introdução de um código e estão balizados por limites de crédito, por abastecimento, por dia e por período de faturação, minimizando desta forma utilizações abusivas e fraudulentas.


Revista Automotive

FROTAS

Galp – Cartões Corporate, Profissional e Business

dimento a clientes, disponível 24h nos dois países.

empresa; permite a recuperação do valor total ou parcial das multas aplicadas.

O cartão Galp Frota Corporate foi lançado no mercado nacional em 1992, seguindo-se o lançamento do cartão Galp Profissional em 2010 e em outubro de 2012, o cartão Galp Frota Business.

Para uma maior segurança contra fraudes cada cartão tem um PIN para validação. Este cartão, por ser de crédito e elimina a necessidade de transporte de dinheiro pelo motorista. Possibilita o acesso a postos de abastecimento automatizados com aceitação eletrónica do cartão.

A principal vantagem na utilização dos cartões Galp Frota é o acesso a uma vasta rede de postos na Península Ibérica e a uma gama de serviços disponíveis adaptados às necessidades de cada negócio. Quanto aos preços, nos cartões de Frota Galp Corporate e Profissional o desconto incide sobre o preço de referência de vendas a granel, que tendencionalmente é mais baixo que o preço da bomba. Adicionalmente, permitem às empresas o pagamento de Via Verde e Via T, em Portugal e Espanha, respetivamente. No cartão Galp Business é praticado o preço da bomba.

Frotas de pequena ou média dimensão Para uma empresa com uma frota de pequena ou média dimensão, a marca disponibiliza o cartão Frota Business, um cartão de desconto imediato no ato de pagamento, para racionalizar os custos da frota. Sem número mínimo de viaturas, é o cartão ideal para pequenas frotas, com acesso a uma rede de cerca de 700 postos em Portugal Continental. A adesão, emissão e reemissão de cartões é feita online e sem custos. Oferece apoio na gestão da sua frota através do portal Galp frota Business. Cartão de crédito Frota Corporate. Para uma empresa com consumos superiores a 9.000 litros/ano, a Galp desenvolveu o cartão de crédito Frota Corporate. Com vantagens dentro e fora do posto, pode ser utilizado numa rede de 1.400 postos na Península Ibérica. Permite o pagamento de portagens em Portugal e Espanha e oferece um serviço de aten-

Transporte de mercadorias ou passageiros Se a empresa se dedica ao transporte de mercadorias ou de passageiros, a solução para racionalizar os gastos da frota nas estradas ibéricas é o cartão de crédito Galp frota profissional. Uma das suas características é a faturação líquida de IVA. Mediante a formalização do pedido, permite ao cliente receber a faturação líquida de IVA, de produtos comercializados pela Galp Energia (Gasóleo A) e portagens (em Espanha).

O perfil do cliente utilizador dos cartões Galp Frota é igualmente diversificado estando presentes em vários setores de atividade, onde é possível encontrar frotas do Estado, transportadores, PME’s e grandes frotistas.

O cartão Galp frota Profissional oferece acesso a todo o processo de gestão de multas de uma viatura em Portugal e Espanha, minimizando os tempos de paralisação da frota e facilitando a desmobilização e o desbloqueio de veículos. No domínio da gestão das multas na

Revista Automotive

Outubro 2013

19


FROTAS

Revista Automotive

Repsol – Cartões SOLRED

Segurança reforçada

Os cartões SOLRED foram lançados em Portugal em 1996. A Repsol disponibiliza duas opções distintas: o cartão SOLRED Clássico que é o meio de pagamento da Repsol para profissionais e empresas com frota própria e com necessidades de abastecimento de âmbito ibérico. E o cartão SOLRED DKV que é a ferramenta disponível para transportadoras, porque oferece acesso a uma rede de estações de serviço com mais de 54.000 pontos de venda na Europa.

As transações com cartões SOLRED têm um elevado nível de segurança, com validação do código PIN. As autorizações on-line em cada transação impedem que os cartões não autorizados, possam efetuar transações. A existência de uma lista negra de cartões desaparecidos ou cancelados inibe a utilização dos mesmos. A Repsol permite aos clientes profissionais a escolha dos limites e restrições ao nível do cartão. É possível também restringir o tipo de produto a abastecer: gasolinas ou gasóleos por exemplo; e as datas nas quais esses abastecimentos serão permitidos.

Pensado na comodidade para o motorista Entre os vários benefícios do cartão SOLRED Clássico a Repsol destaca a comodidade para o motorista de não ser necessário viajar com dinheiro para pagar os abastecimentos, nem guardar os recibos das suas transações, pois toda informação é disponibilizada de forma detalhada na fatura mensal, ou via internet através do portal web SOLRED Direto. Permite pré-definir os vários tipos de transações que pretende que o cartão efetue e ter um único cartão para todo o tipo de compras que autorizar, com total controlo das transações efetuadas por cada cartão. Tem ainda a possibilidade de definir limites de utilização por cartão e de receber através de e-mail, informação sobre a sua faturação. De forma simples, os clientes podem proceder às consultas das suas operações. Através do portal, podem executar controlos rápidos que permitem verificar o uso dos seus cartões. A simplicidade da fatura permite uma recuperação simples e rápida do IVA do combustível gasto em atividades comerciais.

20

Outubro 2013

Outra vantagem oferecida pela Repsol aos seus clientes é a concessão de crédito sem custos e com descontos sempre competitivos, faturando o consumo aos seus clientes profissionais num sistema de best of, assegurando sempre o melhor desconto entre o seu e o da estação de serviço. Assim o gasóleo, por exemplo, é pago pelo menor dos preços ou de venda ao público, em vigor e praticado no local de abastecimento. Os restantes combustíveis adquiridos com o cartão “SOLRED” são pagos pelo preço de venda ao público em vigor e praticado no local de abastecimento, deduzido o desconto comercial acordado. Desta forma, os clientes não são prejudicados, quando uma estação de serviço tem uma promoção ou campanha especial. Pagamento de reparações O cartão SOLRED clássico está presente em Portugal, Espanha e Andorra enquanto o cartão SOLRED DKV está presente em toda a europa, em cerca de 42 países

Revista Automotive

e norte de África. Para além da compra de combustíveis de qualidade por todo o espaço europeu, os cartões SOLRED permitem o pagamento de portagens nos vários países, bem como na passagem de túneis e uso de ferries. Possibilitam ainda o pagamento de qualquer operação de reparação de uma viatura nas mais de 1.400 oficinas especializadas; o pagamento de multas nas estradas europeias ou um cash advance num país europeu. Novos sistemas de combate a fraude No âmbito dos serviços adicionais a Repsol oferece ainda o sistema SOLRED TELEMAT. Este sistema de segurança no abastecimento garante que todo o combustível faturado foi efetivamente colocado no depósito. O sistema funciona através de um micro chip que é instalado no veículo e conectado a um processador emissor de um sinal, colocado no bocal do depósito do veículo. Se durante a operação de abastecimento a pistola abastecedora for separada do depósito, a operação será alertada na fatura. Depois de cada abastecimento, a estação de serviço recebe toda a informação da operação (litros, quilómetros etc.) e processa-a no sistema SOLRED. Utilizado por clientes profissionais em geral, o cartão SOLRED tem conseguindo fazer a ponte entre a melhor plataforma tecnológica do mercado, acesso à uma vasta rede de postos, garantindo um preço competitivo.


Revista Automotive

com consumos mais reduzidos e poucas

média com cerca de 15 cartões atribuí-

viaturas e o “cartão PRIO rede+” dirigido

dos por cliente, o que realça a crescente

a médias e grandes empresas, tipica-

aceitação que o cartão tem tido nas

mente com frotas de maior dimensão e

grandes empresas portuguesas. O perfil

consumos de maior volume.

é composto por pequenas e médias em-

Acima de tudo a adesão aos cartões de frota permite ao cliente uma maior flexi-

Cartões de Frota Prio Os cartões de frota PRIO foram lançados em 2011. Disponibilizam duas modalidades de adesão: pós-pago e pré-pago. Segundo a PRIO, marca subholding do Grupo Martifer para a área dos biocom-

A busca e o acréscimo de benefícios e serviços é sempre um objetivo da PRIO.

dos custos de combustível das suas

Por isso a marca adianta que poderão

empresas. Para além disso, a Prio refere

surgir algumas novidades nos próximos

que o utilizador poderá obter descon-

tempos. Em termos de parcerias, realça-

tos no custo final do combustível que

-se a recentemente estabelecida com a

podem atingir os 10 cêntimos por litro.

ANTP – Associação Nacional das Trans-

são ao serviço dos seus cartões de frota.

cada cliente, os principais serviços e

Prio é a simplicidade dos processos. Ao longo dos últimos dois anos a PRIO desenvolveu um esforço significativo para oferecer uma solução simples e centrada no reconhecimento do valor de cada cliente.

empresas de transportes.

pagamento e gestão da conta-corrente

Com condições ajustadas à medida de

A principal vantagem do cartão de frotas

presas do setor dos serviços e algumas

bilidade e simplicidade no processo de

bustíveis, não há qualquer custo de ade-

benefícios associados aos cartões Prio

FROTAS

portadoras Portuguesas, que permite aos seus associados condições e benefícios especiais.

são: pagamento a crédito beneficiando sempre de descontos; uma rede de mais de 60 postos aderentes; segurança e comodidade no pagamento; sem custos de adesão ou anuidade; ausência de fidelização; gestão de frota através de um portal e sem custos adicionais; parame-

Através do sistema de gestão de transa-

trização por volume e linha de apoio.

ções online, os clientes dos cartões frota

Existe uma parceria com uma empresa

PRIO, têm o controlo dos custos/consu-

de gestão de cartões internacional para

mos com visual ização de consumos por

os casos de empresas que pretendam

veículo, extratos dos abastecimentos e

utilizar o cartão no Estrangeiro.

viaturas. Como serviços adicionais existe ainda a possibilidade de pedido e cancelamento de cartões, bloqueio por tempo

Perfil dos clientes

determinado, consulta de faturas liquida-

Embora com pouco menos de dois anos

das e por liquidar e consulta de plafond.

de presença neste mercado os cartões de frota PRIO continuam a registar uma grande procura. De acordo com os

Segmentação da oferta

resultados alcançados, a marca projeta

A PRIO dispõe de uma oferta segmen-

duplicar o número de cartões atribuídos

tada de cartões frota. O “cartão PRIO”

até ao final deste ano. A PRIO conta já

destina-se a micro e pequenas empresas

com várias centenas de clientes, em

Revista Automotive

Outubro 2013

21


FROTAS

Revista Automotive

Maserati Ghibli

em força para as frotas A Maserati está confiante no novo Ghibli que irá competir no mercado dos executivos premium, tais como o Audi A6, BMW Série 5, ou Mercedes-Benz Classe E. A marca conta com motores potentes, estilo sedutor e um interior luxuoso para conquistar compradores, o primeiro sedan de quatro portas de médio porte na história da Maserati, onde o preço base em Itália é de 66 mil euros. Este modelo é um dos pontos-chave da estratégia da marca italiana que quer passar dos 6.288 carros vendidos no ano passado para 50 mil em 2015. “A missão nas frotas não vai ser fácil porque o mercado de premium desportivos é onde as outras marcas, como por

exemplo a Jaguar, já estão bem implementadas. Mas tenho a certeza de que o estilo italiano, a tecnologia de ponta e a grande variedade de opções de personalização dará o Ghibli tudo o que precisa para ter sucesso”, disse o responsável de produto da Maserati, Giovanni Maria Varazi, em entrevista à Revista Automotive no Salão de Frankfurt. Varazi referiu que “o Ghibli tem todas as qualidades do Quattroporte, mas com um preço muito mais acessível”. O Ghibli é o primeiro carro de produção da Maserati com uma motorização diesel. Tem também uma versão a gasolina 3,0-litros V-6 construído pela Ferrari. Ambas motorizações possuem transmissão automática de oito velocidades da ZF.

LeasePlan concretiza mais um objetivo No final do contrato de renting de um veículo, podem surgir algumas surpresas desagradáveis; ou seja, poderá ter que pagar alguns danos (se houverem) e desgastes (pneus, interiores). Para salvaguardar esta situação no mínimo complicada, surgiram os seguros denominados de recondicionamento. A LeasePlan alargou a sua oferta de seguro de recondicionamento, agora com a opção que cobre danos até 500€ que vem juntar-se às 3 opções de capital já existentes: 750€, 1.000€ ou 1.500€.

22

Outubro 2013

Este alargamento das opções no âmbito do seguro de recondicionamento vem concretizar um dos objetivos estratégicos definidos pela gestora de frotas, assente na total transferência de riscos do cliente para a LeasePlan, protegendo os condutores no final do seu contrato de renting. O seguro de recondicionamento cobre danos no interior e no exterior do veículo, desgaste de pneus, danos nas jantes, danos em pára-brisas, óticas, faróis e farolins, peças em falta, entre outras situações e sem agravamento nem franquia.

Revista Automotive

Toda a rede Midas agora no seu TLM Com a versão mobile do site www.midas.pt pode saber qual a oficina Midas mais próxima da sua localização, a que distância está e o melhor caminho para lá chegar. Pode ainda fazer uma marcação online do serviço e receber a confirmação; simular o valor da revisão para o seu veículo e ainda consultar promoções e ter os contatos das várias oficinas Midas. É vantajoso para o cliente, rápido e fácil.


Revista Automotive

Finlog a fazer somas

FROTAS

PUB

Criada em 1993 e atualmente detida pelos Grupos Salvador Caetano e Mapfre, a Finlog gestora de frotas automóveis, tem uma variada gama de produtos e serviços. Atualmente a Finlog gere uma frota que ronda as 8.000 viaturas e tem mais de 40 colaboradores. E acaba de vencer o concurso da Câmara Municipal de Lisboa para o fornecimento de 21 viaturas transformadas para o transporte especializado de passageiros com dificuldades motoras. A entrega será concretizada durante os próximos meses. Soma-se ainda o fornecimento de 78 viaturas às Estradas de Portugal, 49 à Câmara de Loures e 40 à C.M. Funchal.

Toyota cada vez mais humanizada Empenhada em desenvolver tecnologias de segurança que permitem evitar os acidentes de trânsito e possíveis lesões em peões ou animais, a Toyota Motor Corporation desenvolveu um novo sistema de pré-colisão (PCS) que intervém na direção, em complemento da maior força de travagem e da travagem automática, ajudando a evitar colisões.

Revista Automotive

Outubro 2013

23


FROTAS

Revista Automotive

Schneider Electric e BMW i assinam parceria A BMW firmou uma parceria com a Sch-

Resta saber qual o custo financeiro para o

neider Electric, especialista global em ges-

utilizador, o quanto penalizará sua fatura

tão de energia. O acordo desta parceria

de eletricidade e até que ponto não nos

contempla a verificação das instalações

tornará reféns e escravos mais uma vez,

elétricas nos locais de carregamento do

das teias e dos monopólios: agora dos

consumidor, o fornecimento e montagem

combustíveis e impostos, no futuro da

de postos de carregamento, bem como

“eletricidade doméstica” e da “eletricida-

manutenção e outros serviços, o que per-

de combustível” e dos infinitos impostos

mitirá aos futuros proprietários dos mode-

sobre impostos… adicionando é claro a

los BMW i3 e BMW i8 um carregamento

taxa de audiovisuais.

rápido e seguro do veículo, em casa ou no escritório.

Novo Honda CR-V 1.6 diesel

de 589 litros. Este novo modelo pertence à 4ª geração Honda

A Honda marcou no passado fim-de-semana de 26 de outubro o

Europa, em virtude da recente atribuição 5 estrelas Euro NCAP

início da comercialização da nova motorização diesel 1.6 i-DTEC

, este automóvel será muito importante para a manutenção do

do novo Honda CR-V. Disponível com duas rodas motrizes (2WD)

crescimento das vendas em Portugal, cujo nível é superior ao de

e transmissão manual, o CR-V junta-se desta forma ao segmento

mercado, desde Janeiro de 2013. O novo CR-V estará disponível

mais significativo dos SUV, oferecendo ao mesmo tempo elevadas

em 3 versões com nível de equipamento muito completo, os

performances, baixas emissões de CO2 (119 g/km), um consumo

preços começam nos 29.900€.

CR-V, considerado como um dos automóveis mais seguros da

previsto de apenas 4,5lt/100km e uma capacidade de bagagem

Aplicação Vulco com novas funcionalidades A rede de oficinas Vulco, do grupo Goodyear Dunlop, lança a

pode ser feita por distrito, pelo tipo de combustível e pelo preço

versão 2.0 da aplicação gratuita para smartphones, que inclui

de determinada estação. Esta informação é atualizada diaria-

novas funcionalidades e que se descarrega a partir da página

mente. Além disso, é possível aceder às ofertas e promoções

web da Vulco: http://www.vulco.info/app-vulco.asp

das oficinas da rede Vulco comunicadas através da aplicação,

Os utilizadores podem agora consultar o preço do combustível que utilizam nas 5 estações de serviço mais próximas. A procura

para além de disponibilizar os valores de pressão ideias para os pneus, dependendo da marca do veículo.

SEAT Leon ST obtém 5 estrelas no Euro NCAP O novo SEAT Leon ST obteve a qualificação máxima possível dada pela agência europeia de proteção do consumidor: Euro NCAP 5 estrelas. Além disso, os inovadores sistema de travagem pós-colisão e o assistente de faixa de rodagem, também conquistaram prémios Euro NCAP Advanced.

24

Outubro 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

FROTAS

Híbrido a comandar as frotas Cheguei a casa disse à minha mãe que a redação tinha um carro híbrido para testar. Ela respondeu: “Meu filho, tudo o que mete água não é bom.” Pensei em explicar-lhe que estava a confundir híbrido com hídrico, mas pareceu-me perda de tempo…

capacidade de carga e de manobra em pequenos espaços. Foi aprovado.

Não vão acreditar, mas no dia marcado, desabou um dilúvio em Lisboa! Pensei: mãe está sempre certa! Continuando...

Assim que São Pedro permitiu saímos rumo a um circuito misto: citadino e de autoestrada. O Sr. Paulo Carvalho, como gerente da Carf e com grande experiência neste mercado, soube explorar muito bem as oportunidades da rota e foi-nos relatando o seu sentir:

Tivemos a honra de ter o Sr. Paulo Carvalho, ao volante do Mercedes-Benz E 300 Bluetec Hybrid e a sorte, porque durante o dilúvio foi possível acomodar o “possante” nas largas instalações da Carf em Loures. Enquanto esperávamos, o carro foi visto à lupa em todos os pormenores; inclusive na

Verifico que quando há menor necessidade de esforço fica a funcionar em módulo elétrico sem ser percetível. Assim como quando se tira o pé do acelerador ele corta o motor a combustível e aproveita sempre que se trava ou numa descida ele carrega a bateria. Gere bem as duas vertentes e não se faz

Revista Automotive

Outubro 2013

25


FROTAS

26

Revista Automotive

Outubro 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

FROTAS

sentir na passagem. Vejo vantagens aqui na economia de combustível sem perda da potência. Sempre gostei muito de velocidade, felizmente nunca tive nenhum problema, porque também sei como e onde “puxar” num carro. Vejo que é ágil na passagem, sinto que há uma grande evolução na passagem de caixa do Mercedes. Não gosto de carros moles, que adornam muito. Gostei deste que é rijo, espaçoso e nervoso com alma dentro; senão aborrece. Daí que com este rolar do elétrico eu não sinta a impaciência normal de ter que andar a 50 à hora, nas localidades. Ficamos irritados com as baixas velocidades, mas são mais suportáveis quando não estamos a consumir combustível. Também o fato do carro ficar silencioso transforma a “seca” em oportunidade de usufruir do habitáculo, da música, da insonorização, da paisagem… Em autoestrada o chassis é muito seguro e tem um bom comportamento, com velocidade não dá a sensação de carro no ar. Como ainda não tenho problemas de costas gosto de carros rijos, que estão sempre a nos mandar para a frente. Este é um carro que não sabe estar quieto, é “bicho que se vira ao dono”, se não se souber domá-lo. O volante transmite as sensações das irregularidades da estrada, sem perder a estabilidade e a postura. Sinto o carro no chão. Não sinto nenhum delay, a reação é rápida e com a caixa 7g não se sente a passagem. Chove torrencialmente, Sr. Paulo Carvalho avança: pois é, hoje era o dia ideal para testarmos um carro anfíbio… Depois de termos visto três acidentes, o tema era incontornável: o pós-venda vai precisar de peças. Normalmente há um intervalo de três dias entre um acidente e o pedido de peças, por causa dos seguros, aprovação dos orçamentos, etc. É importante frisar que a distribuição não se faz com o pé direito a fundo; faz-se com método, organização, disciplina e capacidade de resposta. Os profissionais da Carf tem que reconhecer as caixas pelo expedidor, tem que ter método na organização da carga, disciplina para não ultrapassar os limites da carga, da velocidade e do horário da entrega. Todas as carrinhas têm via verde para evitar a perda de tempo. (Creio que foi uma indireta, porque tivemos que parar na portagem!). Aprendemos com o tempo e por falar em tempo, posso-lhe dizer que gostei do carro, mesmo com este surtido de estações que atravessamos hoje. Como sabe com a chuva é preciso conhecer o piso. É preciso prudência e acima de tudo ter um carro com grandes potencialidades. ▌

Revista Automotive

Outubro 2013

27


FROTAS

Revista Automotive

Um lindo domingo de trabalho Há tipos com azar, Domingo de manhã fui escalado para trabalhar. Nos dias que correm é ótimo, não fosse eu ter-me esticado um pouco no dia anterior. Para além de não ter feito o trabalho de casa, por razões

Tive um Peugeot 407 e o conceito do carro manteve-se,

óbvias, ter acordado ligeiramente atrasado e ter-me vestido

inclusive a facilidade de utilizar o cruise control. Sou um

à pressa, ainda por cima o tempo não estava de con-

grande adepto do cruise control porque além de se ter uma

fiança… Segue.

viagem muito mais tranquila, em termos de poupança de

Cumprimento e agradeço o diretor de Marketing da Axalta

combustível noto que consome bem menos.

Coating Systems Portugal, Virgílio Maia, por ter aceite o

O Peugeot 407 foi o carro mais bonito que tive até hoje, na

nosso convite, peço desculpas pelo atraso e tudo o mais.

época tinha um design muito inovador inclusive face aos

Surpresa: veio acompanhado. Trouxe a filha. Há tipos

modelos premium germânicos. Gosto de sedans, não tanto

com sorte!

de carrinhas. No entanto, neste ano as minhas funções

Primeiras impressões do Peugeot 508 Allure Hybrid4?

alargaram-se também ao Marketing isso exige transporte de merchandising e de material de apoio, preciso de mais

Gosto de carros confortáveis e agradáveis interiormente

espaço de carga. Passei este ano a usar uma carrinha. Creio

e na primeira impressão parece-me que este modelo tem

que o porta-bagagem deste Peugeot 508 não daria bem

essas particularidades. É um carro bonito por dentro. O

conta do recado.

primeiro contacto é agradável, ainda não tinha conduzido este modelo e já vou bem à vontade na estrada o que

Este Peugeot 508 hibrido ajusta-se bem ao seu trabalho,

indica que é muito intuitivo apesar de toda a tecnologia

mas e no lazer?

incorporada.

Para isso vim com a minha filha Marta que vai-me ajudar a avaliar este modelo. Que tal?

28

Outubro 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

FROTAS

Marta - “O banco traseiro é muito confortável, tem uma excelente visibilidade, ouço perfeitamente o que falam à frente, o som está bem distribuído, os vidros são grandes, permitem entrar muita luz e dão uma grande sensação de privacidade. É um carro executivo que não perde o seu carácter familiar e tem todas as qualidades para proporcionar um passeio de fim-de-semana muito agradável”. Sente alguma diferença por ser hibrido? Pensei que por ser híbrido seria pouco reativo, mas quando mudo para o modo sport consigo sentir bastante diferença – a reação é rápida. O carro puxa por nós e as passagens de caixa fazem-se em rotações mais altas. Em modo 4WD sente-se que temos a potência bem distribuída pelos eixos, tornando o comportamento do carro ainda mais seguro, muito útil por exemplo em chuva ou piso escorregadio. Talvez para um carro com 200cv pudesse ser mais enérgico, mas o peso compromete e no fundo para uma frota pretende-se que os fatores segurança e conforto sejam prioridades e este carro passa na avaliação. O carro é branco-pérola e pintura é a sua área; passado algum tempo não ficará branco-queimado?

dinâmica e consegue garantir aos nossos clientes todo o suporte para trabalhar com estas novas cores. Marta - “A pintura do automóvel segue as tendências da moda e este branco perolizado está na moda, tais como o

Estas novas cores só as marcas que fazem parte de grupos

castanho dos Opel Insignia, o hot magenta dos Ford Fiesta,

multinacionais têm capacidade de desenvolvimento de

o cereja dos Renault Clio e são cores difíceis de se obter.

tecnologia que garante a qualidade e longevidade. Neste

A cor faz muita diferença num carro, que por sua vez mo-

carro foi utilizado um branco com efeito pérola. Se reparar,

difica o ambiente, o local e traz mais beleza e glamour até

vai variando a cor consoante o angulo de incidência da

mesmo nos carros utilitários os níveis de qualidade da cor

luz. Para tal é necessário um processo complexo de pintura

são altos. O que é muito bom”.

que requer uma adequação de produtos e de profissionais capacitados, o que só as marcas premium conseguem.

Comportamento em cidade?

A Axalta Coating está completamente integrada nessa

Na cidade, quando o motor desliga e entra em modo elétrico fica ainda mais confortável pelo silêncio interno. É neste ambiente de cidade, de stress, de pára-arranca, do trânsito

Revista Automotive

Outubro 2013

29


FROTAS

Revista Automotive

Pelo facto de ser hibrido deve perder em termos de valor residual pois as empresas de frotas costumam considerar as baterias um consumível e por isso o valor residual acaba por ficar comprometido, o que é uma pena face aos atributos deste carro. Como sou também responsável pela frota da Axalta Coating da empresa e recebo regularmente várias propostas, noto que nem todas deixam claro como calculam os valores residuais, é uma prática que não ajuda e não aprecio. Às vezes para o mesmo modelo duas empresas diferentes calculam os valores residuais de forma completamente diferente. E a frota da Axalta Coating? Em termos de frotas, temos 16 carros em renting, todos eles desta gama do Peugeot 508, de diversas marcas. Temos padrões de segurança exigentes o que leva a optar pela qualidade em primeiro lugar. Quanto à renovação de frotas, como as viaturas não foram adquiridas todas ao mesmo tempo, fazemos renovação intercalada. Faço uma gestão que noto ainda mais as vantagens do modo elétrico. O carro fica mais silencioso, transmite uma calma no rolar e faz com que a condução em cidade não seja tão desgastante e onde poupa por ser hibrido.

PUB

30

Outubro 2013

Revista Automotive

de frota de forma a aproveitar os quilómetros contratados através da troca de utilizadores e ajustando às rotas que temos previstas. ▌


Revista Automotive

FROTAS

Excelente relação

homem-máquina-ambiente Para vos falar da Renault Kangoo Maxi Business, tivemos

Já vir com ar condicionado, só demostra que foi pensado

o prazer de ter um profissional com “Maxi” experiência

como ferramenta de trabalho; a insalubridade provocada

e “Maxi”competência ao volante e a explorar todas as

pelas temperaturas mais extremas aumenta o cansaço,

capacidades dessa viatura. Convidamos o chefe de filial

diminui o rendimento físico e mental. Ar condicionado

da Europart Leiria, José Querido que prontamente aceitou

não é um luxo, é uma forma de aumentar a produtividade

o desafio.

dos motoristas. O carro é bastante estanque o que evita a

Trabalhei muitos anos sozinho a percorrer as estradas e sei

entrada do frio e do ruído exterior do trânsito.

bem o quanto uma viatura é parceira do profissional. Quan-

Com o botão ECO ligado, faz com que nos disciplinemos

to maior a simbiose, maior a produtividade e a motivação,

a fazer passagens de caixa mais curtas, o painel avisa para

são dois pilares para um bom desempenho.

engrenar uma mudança acima sempre que atingimos as

O banco do condutor desta viatura é bastante confortável,

3.000 rotações por minuto, porque assim existe uma pou-

tem um reforço lombar e a posição permite uma visibilidade muito boa em 180 graus, os espelhos retrovisores têm um angulo morto muito pequeno, ou seja, temos um domínio visual sobre o espaço circundante. A caixa de velocidades é leve e está posicionada próxima do volante, o que a torna prática e fácil de se manusear. Um dia inteiro a conduzir uma caixa que é difícil de engrenar torna o trabalho muito penoso. Neste caso é facilitadora, não existe esforço. O tablier com esta configuração tem muito próximo tudo aquilo que um profissional precisa para gerir a condução e os arrumos são práticos. Se fizer uma circunferência à volta do volante, num raio de 30 cm tenho tudo o que preciso próximo das mãos. Isso é fundamental para diminuir as distrações ao volante. O condutor não precisa de tirar os olhos da estrada se tiver que mexer nos instrumentos, retirar um papel da consola, o que é fundamental para a segurança.

Revista Automotive

Outubro 2013

31


FROTAS

Revista Automotive

pança em combustível. O sistema start-stop ajuda ainda

doria avulsa, ideal para pequenas entregas. O carro sai do

mais a poupar combustível.

armazém uma única vez e consegue-se responder a um mix

Gosto muito dos carros franceses. Para mim os carros têm de ser como as pessoas: modestos mas não muito rústicos, cómodos, seguros e fundamentalmente fiáveis. O carro faz parte da nossa convivência diária, passamos mais tempo dentro do carro do que com a nossa família. O carro é que nos permite trabalhar e é também o veículo que nos leva ao fim do dia para a família. Se nós nos portamos bem com o carro e ele se portar bem connosco conseguimos isso. Se tivermos um acidente e dependendo da gravidade, perdemos a ferramenta de trabalho e talvez não vejamos mais a família. Transmito esta filosofia aos

sos e agiliza o processo. Na palete com baterias da marca própria Europart, a balança marcava os 700kg. Se a carga máxima do carro são 800kg, significa que ainda temos mais 100kg para carregar e isso ainda é bastante material. Se reparar a roda traseira está muito próxima do fim da caixa de carga; pelo fato da distância entre eixos ser maior, permite que o carro com carga fique muito equilibrado, o que transmite segurança na condução. Grande vantagem desta viatura também é o sistema de ajuda no arranque em subida.

meus colaboradores porque é assim que a produtividade

A maior dificuldade quando o carro está carregado é fazer

fica assegurada.

o ponto de embraiagem numa subida, com piso escorre-

A caixa de carga é grande e os acessos são fáceis. Dá para colocarmos uma europalete junto às portas traseiras - e vimos que é fácil de colocar com o empilhador - como junto da porta lateral sobra bastante espaço para colocar merca-

32

de pedidos de clientes numa só rota o que poupa recur-

Outubro 2013

Revista Automotive

gadio. A quantidade de batidelas que tenho visto ao longo destes anos por causa disso é impressionante. Parece um pormenor irrelevante, mas o carro com carga descai com mais facilidade e é o suficiente para amassar o carro de trás


Revista Automotive

FROTAS

e perder um dia de entrega. Um dia perdido tem um custo que não se imagina. O sistema de ajuda no arranque em subida é um ótimo argumento deste carro. O terceiro banco à frente torna o carro mais versátil quando queremos transportar mais pessoas e não temos que levar outro carro; novamente poupa-se combustível e tempo. Quem trabalha 42 horas por semana numa viatura destas tem de sentir que o carro não é um empecilho mas sim um facilitador. Uma empresa como a Europart depende da competência dos profissionais e da versatilidade das viaturas. É na combinação perfeita homem-máquina que atingimos a excelência. Além disso, devemos o nosso crescimento contínuo na região de Leiria porque temos também uma excelente gestão de stocks, o que nos permite uma capacidade de

uma artigo da marca própria Europart na Alemanha e tê-la

resposta ao cliente muito eficaz. Aliada ao profissionalismo,

no cliente aqui em Leiria em 72horas.

organização e pró-atividade da equipa é a receita do nosso crescimento. Dizemos sempre que sim ao cliente, somos apoiados em termos de stock pela nossa sede Europart no Carregado, mas se for preciso conseguimos encomendar

Os nossos clientes são a razão do nosso negócio, mas é nas viaturas que está a nossa economia, eficiência e acima de tudo a nossa participação como empresa amiga do ambiente. ▌

PUB

Revista Automotive

Outubro 2013

33


REPINTURA

Revista Automotive

O impacto das estratégias A Revista Automotive entrevistou vários distribuidores da Sherwin Williams para saber o que pensam como está a decorrer o negócio.

RRS – Gerente: Ricardo Rodrigues

Nilo Azul – Gerente: Cristina Silva

Distribuidor RRS – Gerente: Ricardo Rodrigues A Sherwin Williams foi uma das primeiras marcas que trabalhei e foi “amor à primeira vista”. Tem garantia de qualidade sempre constante e tenho a certeza que não vou ter reclamações. A nova importadora Sherwin Williams tem feito um bom trabalho em divulgar a marca com a garantir que os produtos estão nas oficinas o mais rápido possível. Por exemplo: um pedido de apenas 300gr de tinta, conseguimos em 12h entrega-lo em Chaves. Se o cliente precisa de 300gramas é exatamente isso o que vendemos. Por um lado cria uma confiança de que não se está forçar a venda, por outro, disciplina a oficina a otimizar o produto de acordo com os parâmetros de qualidade necessários. Nem mais, nem menos a quantidade certa para dar certo. Os nossos serviços fornecem a zona da Maia, Trás-os-Montes, Beiras e Alto Douro. A Sherwin Williams foi no passado pouco trabalhada, mas atualmente os clientes estão bem impressionados com o nosso trabalho e a equipa está motivada. Estamos a colher frutos a curto prazo, principalmente devido às más experiências que tiveram alguns clientes, com marcas low cost, muitas dessas reparações tiveram que ser refeitas, pela segunda vez provando que o “barato muitas vezes sai caro”. Quer queiramos ou não, a qualidade tem um preço porque as matérias-primas são mais elaboradas e mais caras. Assistimos a um novo ciclo onde o cliente final está cada vez mais informado sobre repintura e prefere pagar um pouco mais e ter um produto e serviço de qualidade. Isso permite que os espaços oficinais estejam melhor preparados e mais padronizados em termos de produtos, desde o primário até ao verniz, todos da mesma marca. Estou extremamente satisfeito em trabalhar com Sherwin Williams porque tem uma linha de produtos que garante

34

Outubro 2013

Revista Automotive

a qualidade desde o poliéster até ao verniz final, com um tempo de secagem em 15 a 20 minutos, sem descurar da qualidade. Temos uma dificuldade: pôr o cliente a experimentar. Depois de experimentar o cliente fica rendido às vantagens, principalmente em termos de poupança de energia e eliminação de tarefas na oficina como a secagem na estufa. As oficinas têm que gerir prazos de entrega das viaturas: quanto mais apressam o trabalho de repintura, pior o resultado final. Para acelerarem o processo optam por aumentar as temperaturas das estufas o que desgasta os produtos e não dão o acabamento essencial. Com o HPC 15 isso não acontece porque pode-se pintar em simultâneo vários carros ou partes. A secagem ao ar permite uma otimização da oficina, menor consumo de energia e de mão-de-obra. Além disso, não utiliza zonas escuras associadas às luzes ultravioletas, nem há necessidade de eliminação especial de resíduos associados. A Sherwin Williams cresceu mais na Europa do que nos EUA o que prova a sua melhor adaptação ao mercado Europeu, o que significa que evoluíram muito nas bases aquosa e que estão preocupados com o meio ambiente. Nos EUA a legislação é mais relapsa com os produtos poluidores do que na Europa, pelo menos neste ponto.

Distribuidor Nilo Azul – Gerente: Cristina Silva Disponibilizamos os produtos Sherwin Williams para as regiões da Moita, Feijó, Almada e Torres Vedras há 10 anos. É uma marca de primeira linha em termos de valores competitivos e tem uma boa cobertura termos de colometria europeia. Destaco duas armas fortes que temos neste momento: um primário com quatro funções e o verniz HPC15 de secagem


Revista Automotive

ao ar. Economiza o combustível da estufa e o tempo dos profissionais. A complexidade da repintura automóvel é que é uma arte (pintura) que tem que se fundir com uma ciência exata (gestão/economia). Como sou pintora e também abri o meu próprio negócio, só com a Sherwin Williams é possível

Portilaca – Gerente: Mário Ferreira

conciliar esses dois mundos. Por melhor que seja o pintor e a oficina, não fazem milagres. Precisam sempre de um bom produto e de o aplicar de modo correto, se houver redução de consumos, já é um ganho. O exterior do automóvel conta muito para o cliente final. Enquanto numa reparação mal feita se o injetor não estiver a funcionar tão bem é complicado do condutor notar, mas se uma porta não estiver perfeitamente pintada é fácil de notar a diferença.

Distribuidor Portilaca – Gerente: Mário Ferreira A Portilaca vai fazer 22 anos de existência e eu trabalho com tintas há 47 anos. Começamos a trabalhar Sherwin Williams este ano. Porque os nossos clientes precisam ter uma marca com boa relação preço-qualidade e que acompanhe as evoluções tecnológicas do mercado. Os nossos clientes vão desde o Alentejo da zona de Castro Verde para baixo, passando por Almodovar e depois desde Vila Nova de Santo André até Vila Real de Santo António. Temos uma zona de ação bastante abrangente. Vamos mudar brevemente para novas instalações, para melhorar a nossa resposta e se possível crescer mais e cada vez melhores.

Distribuidor Shercor - Gerente: Aires Cunha Trabalhamos Sherwin Williams há 15 anos e abrangemos a área de Barcelos, Braga, Póvoa do Varzim, Guimarães e Vila Nova de Famalicão. Durante estes anos temos tido muitos clientes fiéis e agora temos vindo a conquistar novos. Esta nova clientela procura-nos porque leem sobre a marca, querem conhecer o produto e confirmar aquilo que vem sendo divulgado.

REPINTURA

É importante todo o investimento que a Sherwin Williams faz, na investigação, implementação e divulgação do produto. Compete a nós dar as garantias da entrega nas melhores condições, de acordo com as necessidades do cliente e dar formação para uma excelente qualidade final. A aceitação do HCP 15 tem sido muito boa pelos meus

Shercor - Gerente: Aires Cunha

clientes antigos e os recentes. Pelo facto do verniz secar ao ar poupa-se na mão-de-obra, no tempo e nos consumos energéticos, três fatores essenciais para a rentabilidade de uma oficina. As novas viaturas trazem cores mais complexas, os carros clássicos tem maiores necessidades, pelo que só uma gama como a da Sherwin Williams consegue uma palete de cores que abrange um período de 2013 a 1928.

Distribuidor Marlupin – Gerente: Christian Oliveira Já estou na área da repintura há cerca de 6 anos e trabalhamos com Sherwin Williams há cerca de 4 meses. Um dos motivos foi porque as novas tinta de base de água trouxeram algumas dificuldades em termos de secagem, mas com os produtos Sherwin Williams conseguimos controlar melhor a secagem e garantir a qualidade final. Também têm primários e vernizes de secagem ao ar que nos diferencia do mercado. O produto em si tem excelente poder de cobertura, mais um dos fatores que nos levou a escolher a Sherwin Williams logo que testamos o produto. Com menos demãos temos uma opacidade completa. Trabalhamos com pistola a 1.2 ou 1.3 BAR, logo temos menos consumo de tinta. Os meus clientes têm aprovado, mas ainda existe alguma desconfiança em relação ao preço pois temos uma relação preço-qualidade bastante competitiva. Só testando é possível perceber que com custos controlados se consegue obter a mesma qualidade que na origem. A Sherwin Williams é uma marca que ainda não tinha sido bem apresentada no mercado principalmente na nossa zona: Leiria, Batalha, Marinha Grande, Alcobaça; existem muitos que não conhecem a marca. No entanto agora tem começado a criar notoriedade e tem sido cada vez mais conhecida, pelo que ainda temos espaço para crescer. ▌

Revista Automotive

Outubro 2013

35


REPINTURA

Revista Automotive

Standox – Redefinição e Crescimento A Standox, reconhecida marca de tintas cujo importador e distribuidor exclusivo para Portugal desde 1985 é a Robbialac; está a preparar uma redefinição da sua estratégia de atuação no mercado da repintura em Portugal, apesar de ter uma posição confortável entre as cinco marcas mais vendidas no nosso país. Quem o diz é Luís Alves, profissional com 25 anos de presença na empresa Tintas Robbialac e responsável pela coordenação do negócio da Standox em Portugal, que em entrevista à Revista Automotive apresentou as grandes linhas que irão conduzir a uma melhoria nos processos de venda e de distribuição da gama Standox no nosso país. Redefinir como? Crescer para onde? A Standox é atualmente uma marca premium no setor da repintura automóvel sendo uma das três marcas da Axalta Coatings. Bem diferente do que era há 28 anos atrás. Face à dimensão do grupo Axalta no mercado da repintura automóvel e diante da reputação e da qualidade da nossa gama de produtos, temos hoje capacidade estrutural e técnica para crescermos no mercado nacional. Para isso, definimos um plano de ação a três anos com o objetivo de incrementarmos as vendas, aumentar a nossa quota de mercado, garantir uma maior faturação da Robbialac e dar retorno financeiro aos nossos acionistas. A Standox ao longo destes anos desenvolveu uma vasta rede de revendedores e que hoje representam 80% das nossas vendas, os restantes 20% são vendas aos clientes diretos. Queremos consolidar este modelo de negócio com o apoio da nossa rede de distribuidores e de revendedores e ao mesmo tempo, melhorar as vendas da Standox na

36

Outubro 2013

Revista Automotive

nossa rede própria porque neste canal ainda tem uma boa margem para crescer. E de que forma projetam fazê-lo? Através de um melhor aproveitamento da nossa rede de 56 lojas próprias, distribuídas pelo país, das quais atualmente 18 já têm alguma atividade no negócio da repintura automóvel porque é um canal que garante melhores margens de negócio. Quanto aos revendedores estamos a estudar o alargamento do número de parceiros em determinadas regiões onde não estamos presentes e com isso melhorar e reforçar a nossa presença. Esta estratégia está pensada a três anos, tem limites éticos profissionais e empresariais, pelo que obviamente não entraremos em concorrência com os nossos distribuidores e revendedores.


Revista Automotive

Isto quer dizer que a rede de lojas da Robbialac terá um papel determinante na evolução do negócio da marca Standox em Portugal? Sem dúvida. Onde tivermos a presença de um distribuidor, iremos reforçar a nossa relação e potenciar mais negócios. Numa determinada zona onde detetarmos que essa presença é frágil ou não havendo presença de um distribuidor, então iremos dinamizar o negócio da repintura automóvel através da nossa rede de lojas próprias já existente. Neste sentido, estamos preparar a nossa loja da Via Rápida(no Porto) e a nossa loja do Lumiar (em Lisboa) para dotá-las de um espaço próprio dedicado à repintura automóvel, com atendimento técnico e venda de produtos Standox. Adicionalmente vamos melhorar e otimizar o nosso serviço de pós-venda e o serviço de entregas rápidas às oficinas, sem esquecer o fator humano, vamos dar mais formação na área da repintura automóvel aos funcionários destas lojas. E o cliente final? Como vão atuar num mercado onde o fator proximidade conta muito? Consolidando e otimizando os nossos canais de distribuição e a nossa rede de lojas, o passo seguinte será atuarmos com maior proximidade junto ao nosso cliente final que são as oficinas de repintura. Embora já o façamos há alguns anos, iremos reforçar as nossas ações de formação aproveitando a estrutura do nosso Centro de Formação, situada nas nossas instalações, e por outro lado, também queremos manter a formação no próprio local de trabalho dos nossos clientes. As formações são fundamentais para esclarecimentos de dúvidas, apresentação de novos produtos e serviços mas também é sobretudo para desmitificarmos a questão do preço0. Como em todas as áreas do negócio automóvel o preço é um fator importante mas não é o único e já nem é o mais importante. A qualidade de um produto, como é caso das tintas Standox, a disponibilidade e abrangência da gama e o apoio técnico que é prestado pela nossa empresa são fatores que estão acima da questão única do preço. Muitas vezes um produto que à partida é mais caro, no final de todo o processo de repintura acaba por revelar-se

REPINTURA

mais económico e com uma qualidade muito superior. É isto que nos diferencia e acreditamos que através de ações de formação o cliente ficará melhor esclarecido quanto às vantagens da nossa marca. Mas a equipa da Standox em Portugal também terá sua relevância nesta nova estratégia? A nossa empresa Robbialac está a completar 85 anos em Portugal e a nossa equipa técnica-comercial conta com mais de 10 anos de presença neste mercado de repintura automóvel e os nossos profissionais são fundamentais para implementarmos esta nova estratégia e para alcançarmos o sucesso nas vendas. Acreditamos que estaremos a dar os passos certos para que nos próximos 3 anos a marca Standox venha a ser uma das marcas líderes em repintura automóvel em Portugal. De que forma mantêm a ligação com a Axalta e a relação com a central na Alemanha? Dentro Axalta há uma pessoa que nós dá apoio direto e em exclusivo ao negócio Standox que é o Marcos Saraiva, profissional que faz a ponte com todas as áreas estratégicas do negócio da repintura dentro daquela empresa. No entanto, a autonomia que hoje a Robbialac tem na gestão da marca Standox permite-nos reforçar a relação com a nossa central na Alemanha criando maior facilidade de acesso às informações técnicas, maior proximidade em acompanhar o desenvolvimento de certos produtos e maior presença nas ações de formação. Toda essa rede de informação e apoio é muito importante no mercado da repintura automóvel porque o desenvolvimento técnico e a qualidade do produto são colocados evoluem, diariamente. Qual o alcance da marca Standox? Sendo a Standox uma marca premium do universo da Axalta Coating, temos o respaldo de um grupo que atualmente é líder no fornecimento de tintas para a indústria automóvel, quer como primeiro equipamento, quer em termos de repintura. Para além disso, a Standox é uma marca homologada pela maioria dos fabricantes automóveis em todo o mundo, o que abre caminho para todo o canal de distribuição, ou seja, desde as fábricas automóveis até à

Revista Automotive

Outubro 2013

37


REPINTURA

Revista Automotive

sua rede de distribuidores, chegando também as oficinas independentes. Ao completar 28 anos em Portugal, a marca vive um momento de grande dinamismo? Do facto, estamos a viver uma fase muito dinâmica no nosso negócio. A comunicação é também uma área que iremos desenvolver e a vossa revista é um meio importante para passarmos esta nossa nova imagem e estratégia de negócio. Posso adiantar que temos em perspetiva o desenvolvimento de várias ações. Uma delas, e em conjunto com a nossa sede, estamos a preparar uma convenção da marca a realizar antes do final deste ano com os nossos principais revendedores.

Neste momento, estamos em fase de pré-lançamento do novo sistema de pintura de base mais verniz denominado Standoblue, cujo grande arranque de implementação junto às redes ocorrerá em 2014. Atualmente dispomos de cerca de 20 grandes clientes concessionários e oficinas multimarca, entre os quais da rede Mercedes-Benz, a utilizar este sistema que inclui um produto claramente mais amigo da oficina, ou seja, que pode ser aplicado com temperaturas/ humidade altas ou baixas, com redução do tempo de secagem e com redução do consumo de energia em cerca de 40% no processo de repintura. Apesar de ser um produto premium está muito bem posicionado em termos de rentabilidade/preço, sendo uma das vantagens que oferecemos aos nossos clientes e nos fará conquistar quotas de mercado no próximo ano. ▌

Festool lança novas turbinas de aspiração central O fabricante alemão de equipamentos para serviços de pintura nas oficinas, acaba de lançar a sua nova linha de aspiração central de turbinas TURBO II, agora com otimização no consumo de energia. O destaque das novas turbinas TURBO II é o controlo da relação entre o poder de sucção de ar e o dispêndio mínimo de energia necessária para garantir 100 % de sucção. Desta forma, pode economizar até 80% de energia em comparação com as gerações anteriores de turbinas. Em duas versões principais: TURBO II 8 -WP para

até 8 usuários em simultâneo e Turbo II de 14 WP para 14 usuários simultâneos. Permitem a integração de cabeças Festool EAA sem costura que fornecem pontos de conexão de ferramentas pneumáticas e elétricas. Em muitos casos, também suportam as instalações existentes de braços e cabeças de outras marcas, podendo melhorar o desempenho e a eficiência dessas instalações.

Permasolid Secagem rápida e perfeita O novo Permasolid HS Performance 5320 é um produto de base acrílica com alto teor de sólidos, tem uma excelente absorção na pulverização, assim como uma superfície suave e sem textura e pode ser lixado de forma rápida após a secagem. Poderá ser aplicado de uma a três demãos, disponível em três cores: branco cinzento médio e preto. Tem uma excelente adaptação para a posterior aplicação da base. Esta é mais uma solução que as oficinas têm para trabalhar com um sistema integrado e completo Spies Hecker - Hi-TEC Performance Sistema - o Permasolid Aparelho HS Performance 5320, juntamente com Permahyd Hi-TEC 480.

Nova pistola compacta SATA A nova pistola compacta SATAminijet 4400 B para a pintura de superfícies pequenas, substituí a SATAminijet 3000B. Além de um novo design, os técnicos da marca incorporaram nesta pistola novidades úteis: maneabilidade melhorada; compatível com todos os depósitos de tinta e garantia de durabilidade. Estas pistolas foram desenhadas para utilização industrial ou em oficinas, em áreas de difícil acesso, onde a superfície a ser pintada é pequena. Com a maneabilidade melhorada, é possível evitar indesejáveis sombras, que tipicamente ocorrem em pinturas de tom prata. Foi dado ênfase à durabilidade através do revestimento de cromo resistente contra corrosão por dentro e por fora da pistola

38

Outubro 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

Pesados

MANN-FILTER a pensar na sua saúde

FUCHS alarga tecnologia inovadora XTL para motores de veículos pesados

Durante a primavera e o verão,

A FUCHS Lubrificantes é uma empresa portuguesa, filial do Grupo FUCHS PETROLUB SE um dos

de fuligem e poeira O pólen,

maiores produtores a nível mundial, com um portefólio de mais de dez mil referências. Dentre

além de ser um dos principais

elas a gama TITAN, que é uma extensa e completa linha de lubrificantes, agora com vários bene-

alérgenos, ainda contribui

fícios graças à tecnologia XTL eXtreme Temperature Lubrication.

para obstruir o filtro da cabine

Com a utilização regular dos óleos de motor - TITAN CARGO MAXX SAE 10W-40 e o 5W-30 indicado para veículos comerciais pesados, que já incorporam a tecnologia XTL, é possível: reduzir o consumo de combustível e do óleo; otimizar o arranque a frio e a lubrificação de todas as peças; prolongar a vida útil do turbocompressor e o efeito sente-se não só no desempenho, mas também na durabilidade dos componentes do veículo. Qualquer um que tenha tido a necessidade de mudar prematuramente um catalisador ou um filtro de partículas de carbono, sabe que a qualidade do óleo está diretamente relacionada com a duração destes componentes.

o ar é fortemente contaminado com pólen, partículas

dos veículos. Antes de gastar dinheiro em medicamentos ou pensar que está constipado; a Mann recomenda trocar o filtro da cabine, é mais saudável, mais barato e vai garantir um me-

É nesta senda que a marca procura obter os melhores resultados: aumentar os intervalos entre

lhor e mais rápido aquecimen-

as mudanças de óleo e assegurar a máxima rentabilidade, alargada aos óleos para os motores

to no inverno.

dos veículos pesados. PUB


Pesados

Revista Automotive

HBC II

Fazer a diferença no pós-venda dos pesados A empresa iniciou a sua atividade em Portugal em 1986

(Truck & Trailer Parts) assente numa gestão tripartida com

através do seu fundador e atual gerente Herminio Batalha

base num parceiro com sede em Espanha e outro em Itália.

Cordeiro que na altura desenvolvia a atividade de compra e

Com base nessa parceria, desenvolveram uma gama de

venda de camiões usados, adquiridos em alguns países da

produtos de marca própria para camiões da linha Scania,

Europa, sobretudo na Holanda. Com o crescimento desta

com qualidade assegurada e com preços competitivos face

atividade, surgiu a necessidade de se montar uma oficina

às marcas de primeiro equipamento.

de apoio ao negócio dos camiões usados levando ao surgimento de uma nova área de negócio que foi o desmantelamento e venda de peças usadas de camiões. Passados alguns anos e face ao crescimento das vendas de camiões e peças usadas, a gerência da empresa toma a decisão de criar em 1995 duas novas empresas: a HBC II

Entrevistámos João Cordeiro, diretor comercial da HBC II que falou à Revista Automotive sobre o atual momento da empresa que foi eleita PME – Excelência em 2012. Ter uma marca própria alavancou os resultados da HBC II?

Reparações Auto, que se transformou numa oficina inde-

A nossa marca própria TTP já contribui com uma faturação

pendente da marca de camiões Scania, e HBC II Peças Auto,

anual na ordem de um milhão de euros e isto é muito im-

dedicada à comercialização de peças usadas e novas. Neste

portante para o negócio global da HBC II. Através da nossa

momento com uma faturação que ronda os oito milhões

marca TTP oferecemos a opção de peças novas para siste-

e meio de euros, a HBC II ganhou dimensão e comercializa

mas tão distintos como travagem ou suspensão, e produtos

diversas marcas de prestígio com destaque para a Eurori-

tão diversos como baterias, espelhos e até para-choques.

cambi, Timken, TRW, Diesel Technic, Federal Mogul, Febi,

Conseguimos conquistar a confiança dos nossos clientes

FTE, Nissens, Sachs, ZF e SogefiPRO.

através da qualidade dos produtos e não através do preço. Os nossos clientes sabem que é fundamental ter peças de

Com o alargamento da venda de peças usadas da marca

qualidade evitando problemas de paralisação ou avarias

Scania e de peças novas de marcas de referência, a HBC II

inesperadas no equipamento, provocado pela utilização de

deu mais um passo à frente na sua expansão. Em 2006 ini-

uma peça defeituosa ou não homologada.

ciou a comercialização da marca própria denominada TTP

40

Outubro 2013

Revista Automotive


Revista Automotive

Como caracteriza os clientes da HBC II? A nossa carteira de clientes é bastante diversificada e fidelizada. É caracterizada por transportadoras de mercadorias, oficinas independentes e mais recentemente transportadoras de passageiros. Com as alterações de mercado verifica-

“As empresas de frotas têm sido o nosso foco de atenção”.

das nos últimos anos no setor dos pesados, a HBC II teve de se preparar para estar cada vez mais próxima dos seus clientes e com isto garantir o fornecimento de um serviço cada vez mais completo e eficiente. De ano para ano temos vindo a incrementar mais produtos ao nosso portfólio. Hoje

clientes. Estamos atentos à evolução do comportamento dos mercados.

em dia diversidade com qualidade faz toda a diferença no

As empresas de frotas têm sido o nosso foco de atenção.

setor do pós-venda dos pesados. Com isto também garan-

O setor dos pesados tem sido fortemente penalizado pelo

timos uma melhoria na nossa faturação e rentabilidade do

aumento dos preços dos combustíveis e isto cria algumas

nosso negócio.

dificuldades de caixa às empresas. Assim, a concessão de

Pode-se dizer que a HBC II é uma empresa regional com escala nacional? Sem dúvida. Embora tenha sede na Batalha, a HBC II tem escala nacional através da sua rede de lojas onde Alverca foi a primeira, seguindo-se a de Pombal, Ovar, Ermesinde

PUB

de estarmos constantemente a fazer prospeção de novos

crédito foi uma das áreas de negócio que mereceu uma grande atenção da nossa empresa. Conseguimos melhorar esta gestão, o que tem sido positivo para ambos os lados. A especialização na venda de peças novas e usadas para camiões da linha Scania garantiu um prémio de PME-

e mais recentemente em Rio Maior, com atendimento

Excelência. Como encaram esta distinção?

inclusive aos sábados. Para além desta rede de vendas, não

Apesar da HBC II ter sido eleita uma PME – Excelência

descuramos de visitar regularmente os nossos clientes e

entendemos que o patamar de excelência somente será

Pesados


Pesados

Revista Automotive

que atendam às suas necessidades rapidamente de forma a evitar paralisações. É neste quadro que a HBC II se insere como um parceiro à altura no pós-venda de peças novas e usadas para camiões. As nossas vendas assentam em 65% na marca Scania, 25% para as marcas Volvo e DAF e os restantes 5% para as marcas MAN, Iveco, Renault e Mercedes que têm registado algum crescimento. Quais os planos para os próximos anos da HBC II? Apesar da nossa especialização na gama Scania, estamos licenciados para o abate de camiões e para a venda de peças recondicionadas com garantia (motor, diferenciais e caixas de velocidade), iremos continuar a diversificar alcançado com a satisfação plena dos nossos clientes.

os nossos serviços e gama de produtos. Tem sido a chave

E neste domínio ainda há muito para ser feito dentro e

do nosso sucesso e também da nossa evolução ao longo

fora da nossa empresa. O nosso esforço para melhoria

destes 28 anos. Somos uma empresa que emprega mais de

dos nossos serviços tem sido diário. No tocante às nossas

60 pessoas e queremos manter a dinâmica, diversidade e

oficinas, temos vindo ao longo dos anos a implementar

qualidade dos nossos serviços, apoiados na abrangência do

algumas ferramentas de diagnóstico e no princípio de 2014

nosso stock com mais de 8.000 referências ativas de peças

vamos introduzir um banco de potência, para acrescentar

para pesados. Representamos e comercializamos marcas de

e melhorar a oferta de serviços aos nossos clientes. É um

prestígio e a nossa marca própria tem vindo a ganhar im-

investimento de monta mas necessário.

portância nas nossas vendas. O mercado nacional é a nossa

A venda de peças ao balcão é uma área estratégica para a HBC II? estratégico na nossa empresa. Os nossos pontos de venda espalhados pelo país são estratégicamente próximos das grandes empresas transportadoras e de oficinas importantes. Estes são clientes exigentes que procuram serviços

Outubro 2013

Assim, os nossos planos são de continuar o investimento no nosso negócio e naquilo que nos diferencia no mercado

A venda de peças de camiões ao balcão tem um peso

42

prioridade mas estamos atentos às novas oportunidades.

Revista Automotive

dos pesados em Portugal. ▌


Revista Automotive

Pesados

RETA

O caminho mais curto para as grandes soluções Entrevista a Paulo Caires – Diretor de Marketing e Vendas da RETA Pode explicar-nos no que consiste o vosso serviço “rent-a-cargo”? Claro que sim. Vou dar-lhe um exemplo, sem citar nomes para não ferir suscetibilidades. Imagine uma grande superfície que faz uma grande aquisição de um produto, pela primeira vez com um fornecedor. A transportadora fará uma movimentação de mercadorias, que dantes não fazia, pelo que necessita de mais: ou camiões completos; ou apenas de mais semirreboques. Vale a pena comprar? Não. Por quê? Porque poderá ser apenas por uma vez, o investimento é alto e o retorno incerto. Neste caso a Reta fará o aluguer dos semirreboques que forem necessários e de todas as tipologias, isto é, frigoríficos, lonas ou furgão. Se a venda do produto for um sucesso e os transportes passarem a ser mais regulares então a transportadora decidirá entre o aluguer e o leasing. O que importa é que todos os envolvidos na cadeia acrescentem valor a actividade e aproveitem todas as oportunidades que surgem. As boas práticas de gestão aconselham a uma gestão mista entre aluguer e aquisição. Qual a vossa capacidade de resposta? Temos cerca de 600 semirreboques em regime de aluguer e também tratores a operar em regime de aluguer de curta duração. Dos 600 semirreboques que dispomos, uma grande parcela são semirreboques frigoríficos, e isto

é decorrente a uma adaptação da nossa frota às necessidades do mercado, ou seja, ao longo dos últimos anos tem havido uma maior procura por parte das empresas pelos semirreboques frigoríficos em detrimento dos semirreboques de lona. Creio que isso é muito importante destacar, porque significa que tanto as empresas quanto as transportadoras estão a melhorar os seus indicadores de qualidade. Um produto transportado numa temperatura controlada, apresenta-se ao cliente final com melhor qualidade. O aumento da procura pelos semirreboques frigoríficos demonstra também que não obstante a conjuntura actual, os produtos alimentares não revelam uma queda tão acentuada como outros. A taxa de ocupação da nossa frota ronda os 92%, número que temos vindo a manter nos últimos dois anos. É uma taxa excelente, tendo em conta a necessidade de manutenção, substituição e operacionalização de cada equipamento antes de seguir para um novo serviço.

“A Reta veio solucionar a falta de viaturas pesadas em alturas de pico.”

Revista Automotive

Outubro 2013

43


Pesados

Revista Automotive

Que opções oferecem? Fazemos aluguer de um dia até 60 meses. Temos uma flexibilidade muito grande no período de utilização da nossa frota. A renda paga pelo aluguer inclui o total de quilómetros negociados, a manutenção da viatura e o seguro de responsabilidade civil, colisão e de assistência em viagem, viatura de substituição e nos casos dos alugueres superiores a três anos, incluímos também a publicidade dos nossos clientes nas nossas viaturas. Além dessas vantagens, os clientes sabem exatamente qual o valor da renda mensal e dessa forma controlam totalmente os custos e conseguem gerir melhor o valor a cobrar no transporte. Devo referir também que em 2010 a Reta lançou um projeto de aluguer de tratores. Mesmo sabendo que as marcas de camiões estão muito bem implementadas no mercado, procuramos diferenciar-nos oferecendo aos clientes a possibilidade de aluguer de um trator por um período de curta duração, sempre com o objetivo de reduzir custos na gestão de frotas e fazer fase aos períodos de maior fluxo de trabalho. E aqui também temos vindo a registar taxas de ocupação muito elevadas. Que diferença fazem no mercado? Toda. Antes as transportadoras e as empresas da grande distribuição sempre que notavam um aumento do fluxo da produção optavam pela aquisição de viaturas novas. Implicava um custo inicial, com retorno duvidoso e acima de tudo a falta de garantia de utilização plena. Hoje já não é assim. Mesmo com o aumento do fluxo de mercadorias, as empresas são mais ponderadas e primeiro optam pela solução do aluguer e se mais à frente a movimentação de mercadoria mantiver aquecida, aí sim, poderão partir para a aquisição de novas viaturas para as suas frotas. Por isso o aluguer é a melhor solução para o mercado: preço justo, rentabilidade garantida, plena utilização, ausência de investimento inicial e com a opção de uma futura aquisição. Como fazem a gestão da frota da Reta? Parque interno, parque externo? Complexo, mas possível. É uma gestão que não se compadece com amadorismo. No parque interno, e como as

44

Outubro 2013

Revista Automotive

nossas viaturas não necessitam de manutenção todas ao mesmo tempo, desenvolvemos um sistema de controlo de quilómetros e de revisões em sintonia com as necessidades de utilização da nossa frota por parte dos nossos clientes. Com o parque externo o cliente tem o custo fixo perfeitamente controlado no uso das viaturas. Ele não tem que se preocupar com a mudança de pneus, da reparação de algum dano da viatura e não corre o risco de ter uma viatura avariada e imobilizada. Como é o nosso departamento que faz a gestão da frota, o cliente pode focar-se integralmente no seu negócio deixando aos profissionais da Reta as preocupações da gestão da frota. Que mais-valias trazem ao mercado? Para além das que implicitamente estavam nas respostas anteriores, a nossa empresa possui uma frota moderna e operacional e a disponibilidade da mesma permite que o cliente tenha acesso imediato à viatura que necessita, com todo um conjunto de serviços e de facilidades associadas. Atualmente a dificuldade de financiamento provocado pela banca abre caminho para oportunidades de negócio que os clientes não podem perder por falta de frota. A Reta veio solucionar a falta de viaturas pesadas em alturas de pico. Temos soluções à medida dos clientes. Apesar de sermos um concessionário da marca de camiões DAF para assistência e venda de peças e de termos uma joint venture com a LeciTrailer, a Reta é essencialmente uma empresa multimarca focalizada na qualidade do serviço ao cliente. Como é composta a vossa carteira de clientes? O segmento onde estamos inseridos é o B2B,ou seja, trabalhamos para clientes profissionais. Tipicamente e na grande maioria os nossos clientes são transportadoras pequenas e médias, e também as grandes superfícies. No entanto, estamos sempre abertos a novos negócios, outras propostas e até outras soluções. A Reta aproveita também a sua capacidade de gestão de frotas, por isso fazemos a gestão de qualquer frota. Estamos ansiosos para que os clientes nos coloquem novos desafios e isto nos motiva. Em 2014 vamos replicar os nossos serviços para outros pontos do país. ▌


Revista Automotive

Pesados

Bridgestone com novidades… A Bridgestone lançou o novo pneu R168PLUS para reboque que

No novo R168PLUS a mais recente combinação tecnológica foi in-

entre outras características oferece carcaças de alta durabilidade,

tegrada: um bloco de telas estabilizadoras mais largo que permite

baixa resistência ao rolamento e grande potencial de quilometra-

uma melhor proteção da carcaça e o desenho do piso que evita

gem para reduzir os custos totais de vida útil. Ideal para as frotas,

a retenção de pedras. Está disponível na medida 385/65R22.5

em operações regionais, porque oferece mais longevidade e uma

nos mercados de substituição e equipamento de origem desde o

melhor resistência no arranque, graças ao seu composto de alta

início de outubro.

performance e à construção robusta da sua carcaça.

Renovação da Frota de Tratores Durante o ano de 2013 a Empresa de Transportes António Figueiredo (ETAF) executou um plano de renovação da sua frota tratores, foram já substituído 84, por viaturas novas. Com esta medida, a ETAF pretende obter maior produtividade nos custos de operação, por redução do consumo de combustível, maior fiabilidade dos equipamentos e melhor assistência pós-venda por parte do construtor. É também relevante o impacto ambiental, devido à menor emissão de CO2, 60% da frota própria já tem nível de emissão Euro 5. A renovação terá continuidade em 2014, para poder manter os níveis de eficiência e confiabilidade da frota, a empresa caminha a passos largos na consolidação da responsabilidade ambiental em parceria com os fabricantes. PUB


Boutique

Revista Automotive

Prenda com toque da marca A redação da revista Automotive convidou-me para fazer um artigo sobre prendas uma vez que nós mulheres pensamos nisso com a devida antecedência. Fiquei lisonjeada e aflita: lisonjeada porque…, aflita porque

tiv (fio condutor) é o automóvel. Onde é possível personalizar

só me vinham ao pensamento carros maravilhosos cheios

o seu Lamborguini, a sua casa, iate, escritório, mobiliário, etc.,

de glamour e de sonho; acessível a mesmo muito poucos,

com criações exclusivas de elevado valor artístico e monetá-

infelizmente.

rio, que remetem para o automóvel de sua preferência. Até

Comecei a minha pesquisa e fiquei surpreendida com o leque de opções que encontrei e neste pequeno artigo tentarei vos transmitir. Nesta área automotiva, é possível encontrar um verdadeiro estilo de vida em todas as dimensões. A começar pela Mansory, uma das mais criativas e glamorosas empresas de luxo, que cria um estilo personalizado de vida cujo leitmo-

46

Outubro 2013

Revista Automotive

nas malas para as viagens, no serviço de jantar, na gravata ou no lenço, em tudo há arte, valor e muito bom gosto. Assim, a Mansonary fornece aos seus clientes exclusividade, valor e um estilo de vida único. Um sonho, mas como escreveu Fernando Pessoa: “Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma.


Revista Automotive

Boutique

Brincar com segurança Scania; para que as primeiras viagens num camião sejam em segurança.

Lenço de Seda

Relógio Porsche

Jaguar Land Rover; Crepé de seda italiana;

Torres Distribuição; modelo automático ‘essen-

disponivel em quatro cores diferentes.

cial’ de três ponteiros.

O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso.” Nesta pesquisa encontrei o que me pareceu inusitado: uma empresa de pesados, a Scania, que fabrica camiões TIR e outros veículos de dimensões gigantescas, se você precisar, pode comprar-lhes uma chucha. Sabia? Que cuidado e que carinho, uma empresa dessa envergadura preocupar-se com esse artigo de primeira necessidade e urgência, principalmente quando o filho está inconsolável na cabina.

Revista Automotive

Outubro 2013

47


Indo agora diretamente ao que fui chamada, tomo a liberdade de sugerir aos leitores desta revista, sugestões de prendas natalícias e não só, que vão mesmo de encontro às necessidades e aos sonhos de quem pretende presentear. Quase todas as marcas têm o seu boné é o artigo mais comum e mais identificador, assim como os porta-chaves e as miniaturas. Mas atrevo-me a sugerir que vá mais longe, entre numa loja ou num concessionário e explore tudo o que têm para oferecer, onde possa manusear para ver as dimensões, o peso, a qualidade e principalmente se vai de encontro ao seu gosto. Não dê aquilo que não gostaria de ganhar, sabe sempre a falso. Se não pode esticar o seu cartão, pense numa prenda útil como um casaco, colete, meias, enfim artigos que dão sempre jeito e uso. Além disso, pode sempre oferecer artigos de segurança e conforto no trabalho (workwear), de certeza que a pessoa agraciada vai usar por pelo menos dois motivos: porque gosta de quem deu e porque além da segurança e

Conjunto Moinhos

conforto, trazem-lhe boas lembranças.

Peugeot; conjunto Moinhos ZELI Sal e Pimenta

Vá a uma loja ou a um concessionário da marca de sua preferência, para além de lhe darem mais algumas sugestões, pode sempre dar uma espreitadela nas novidades automóveis da sua marca preferida. Quem lhe garante que junto com o porta-chaves, vem um automóvel? Depende do vendedor e dos seus sonhos… ▌

Tampas para garrafa Mercedes-Benz; formato da alavanca de mudanças do 300 SL.

Relógio Cronógrafo Mercedes-Benz; movimento quartzo, função data e com logotipo vintage.

48

Outubro 2013

Revista Automotive


Pesados

Impermeável

Relógio WTCC

Casaco Mulher

Jaguar Land Rover; Capa exterior impermeável

Honda Racing; relógio oficial do campeonato

Scania; para maior comodidade em viagens

com interiores em algodão.

do mundo de turismos - WTCC.

longas ou para caminhadas.

Especial Bebés

Porta Chaves

Miniatura CLA

Scania, chucha para bebés

Scania; merchandising oficial do campeonato

Mercedes-Benz; escala 1:18

do mundo de turismos - WTCC

Revista Automotive

Outubro 2013

49


Diversos Revista Automotive

Taxação das frotas na perspectiva dos Recursos Humanos No seguimento das mais recentes notícias sobre as viaturas das

Pedro Amorim explica que ”em algumas áreas e funções este cor-

empresas e a respetiva taxação nos colaboradores, mais uma vez

te tem-se revelado difícil de concretizar, principalmente porque

levanta-se a questão da atribuição de viatura de serviço enquan-

mais do que um incentivo, uma viatura hoje em dia, é funda-

to benefício na negociação contratual. Em conversa com Pedro

mentalmente uma ferramenta de trabalho. Atualmente temos

Amorim, Diretor da Experis (empresa da ManpowerGroup), refere

assistido a um maior controlo pelas empresas, no que concerne

que ”empresas de vários setores utilizam este benefício no pro-

a plafonds de combustível limitados, da quilometragem e dos

cesso de atração e negociação com os profissionais, sendo que

consumos feitos fora do período laboral”, justamente para evitar

em termos de fiscalidade compensava a atribuição da viatura em

os excessos provocados por alguns funcionários sem ética, moral

detrimento de um acréscimo salarial que internamente poderia

e responsabilidade profissional.

provocar desajustes salariais”.

“A efetivação do agravamento da tributação autónoma, quer em

Diversas empresas utilizaram o argumento da crise económica

sede de IRS quer em sede de IRC, resultará mais uma vez numa

para fazerem cortes nestes benefícios, inicialmente descendo o

sobrecarga de impostos sobre empresas e famílias” conclui Pedro

tipo de categoria da viatura atribuída e mais recentemente com a

Amorim. ▌

eliminação deste benefício.

1º Salão de Frotas e Veículos Comerciais de Madrid A revista Automotive para este salão optou por servir apenas de

No espaço do salão constavam 6 auditórios onde ao longo dos

intermediária, ou seja, pedimos para um profissional com grande

3 dias do salão decorreram palestras, mesas redondas etc. Cada

experiência na área que nos desse o seu ponto de vista. Encarre-

auditório tinha uma entidade dinamizadora e dos temas apre-

gue desta missão ficou Diamantino Costa, diretor comercial da

sentados cativaram a minha atenção: “Como gerir eficientemente

Sparkes & Sparkes, empresa dedicada exclusivamente à recons-

os veículos do meu negócio” e “O renting como serviço integral.

trução de caixas de velocidades manuais.

Modelo de redução de custos”.

A motivação para ir a uma salão em Madrid foi o cumprimento

A melhorar: dar mais visibilidade dos serviços automotivos, di-

dos nossos objetivos comerciais: captar clientes, divulgar a em-

vulgar corretamente o número de expositores, maior divulgação

presa, avaliar o mercado, observar a concorrência, internacionali-

do salão tanto pela entidade promotora, como pelos expositores.

zação entre outros.

É um evento que dá agora os primeiros passos, em contraci-

Na lista de expositores constavam 74 empresas, efetivamente estiveram presentes não mais de 50. É mau, sentimo-nos logo enganados, adiante.

Citroën, Peugeot, Grupo BMW, Kia, Nissan, Hyundai, Mercedes e Volvo. Empresas de revenda de combustíveis, de localização de veículos, bancos, algumas empresas ligadas ao renting e ao leasing, empresas de manutenção, reparação e aluguer de automóveis. Um pouco de tudo e ainda bem, na diversidade está também a novidade. Como a Sparkes & Sparkes tem um grande stock de peças e de caixas já reconstruídas, é possível atender a alguns pedidos com rapidez. Ter o material para pronta entrega é uma ajuda preciosa para quem necessita de uma caixa de velocidades, com garantia, num curto prazo de tempo. Em mais de 90% dos casos conseguimos fornecer no dia seguinte à encomenda; os proprietários de frotas automóveis sabem bem quanto custa ter os veículos parados.

Outubro 2013

negócios, atualizar informação, divulgar e consolidar a Sparkes & Sparkes e fazer este report para a Revista Automotive, em jeito de reportagem... ▌

Estavam presentes as grandes marcas: Grupo Volkswagen, Fiat,

50

clo, o que é de valor. Foi possível fazer muitos contatos, alguns

Revista Automotive


Automotive n7  

Cartões de Frota BP, Cepsa, Galp, Repsol e Prio. Pós-Venda: SKF distinguida, 40 anos AISIN com Japopeças Entrevista Sherwin Williams, Stando...

Automotive n7  

Cartões de Frota BP, Cepsa, Galp, Repsol e Prio. Pós-Venda: SKF distinguida, 40 anos AISIN com Japopeças Entrevista Sherwin Williams, Stando...

Advertisement