Page 27

a

ARQUEOLOGIA al-madan online | adenda electrónica

Intervenção Arqueológica no Casal do Rebolo (Sintra) da diversidade das estruturas à larga diacronia de ocupação

r

e

s

u

m

o

Resultados das intervenções arqueológicas realizadas entre 2002 e 2005 no Casal do Rebolo (Almargem do Bispo, Sintra, Lisboa), as quais revelaram um ampla diacronia, da Pré-História antiga à Época Romana. A presença romana é a mais marcante, com estruturas de carácter habitacional ocupadas entre os séculos I e IV d.C., e uma necrópole de inumação e incineração utilizada nos séculos II-III. p a l a v r a s

c h a v e

Pré-História antiga; Época Romana; Villae; Necrópole; Arqueologia preventiva.

por Alexandre Gonçalves e Catarina Coelho Arqueólogos do Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas.

a

projecto para a construção do Complexo Desportivo da “Casa das Selecções”, no Casal do Rebolo (Almargem do Bispo, Sintra), implicou a realização de trabalhos arqueológicos preventivos, uma vez que na década de 1980 tinham sido reconhecidos no local vestígios de ocupações antigas. Durante as escavações desenvolvidas entre Novembro de 2002 e Março de 2005 pela equipa do Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas (MASMO) 1, foi confirmada, para além das ocupações paleolítica e romana, a existência de vestígios do Calcolítico Final. O local situa-se numa área de vertente, com uma altitude média de 200 metros, a Oeste do marco geodésico Rebolo, abastecido por uma linha de água subsidiária da Ribeira do Mourão, bem como por uma nascente e diversos poços que se encontram ainda hoje em utilização.

O

A jazida pré-histórica A presença de grupos humanos na área do actual Casal do Rebolo remonta ao Paleolítico Médio e encontra-se confirmada pela presença de largas dezenas de artefactos líticos que se espalham por toda a superfície do terreno, atestando a presença sazonal de grupos de caçadores recolectores, com o objectivo de explorar e usufruir dos recursos naturais existentes nesta área, também designada localmente por Várzea do Almargem. A jazida arqueológica da Várzea do Almargem é conhecida desde a década de 1980, altura em que ali foi recolhida uma incomensurável colecção de artefactos líticos atribuíveis ao Paleolítico Médio. Este conjunto de materiais caracteriza-se, na sua maioria, por lascas e núcleos de sílex, apesar de algumas peças terem sido produzidos sobre quartzito.

Os trabalhos arqueológicos desenvolvidos pelo MASMO permitiram definir uma realidade que caracteriza a ocupação paleolítica desta área como uma evidente estação de superfície pese embora a grande densidade de materiais arqueológicos espalhados sobre os terrenos pudesse fazer pensar na existência de estruturas ocupacionais ou estratigrafia preservadas. Esta realidade já havia sido observada, em 1991, no âmbito de uma curta campanha de trabalhos arqueológicos efectuada sob a direcção de Luís Raposo, nos terrenos do “Horto do Campo Grande”, na Várzea do Almargem. A erosão dos terrenos colocou a descoberto uma grande quantidade de artefactos de sílex que se dispersam no sentido Nordeste-Sudoeste, em direcção à Ribeira do Mourão, na zona meridional da área arqueológica. Esta lavagem dos terrenos ocasionada pelas correntes das águas pluviais é conhecida por ser um fenómeno que ocorre de forma natural, remobilizando os materiais arqueológicos, logo descontextualizando-os do seu local de deposição original. A campanha de escavações supracitadas desvendou igualmente a presença de comunidades pré-históricas mais recentes, nomeadamente do Calcolítico. Os vestígios desta ocupação são aparentemente muito residuais, não tendo sido até ao momento registadas estruturas ou níveis arqueológicos preservados. De facto, os materiais que testemunham a fixação nesta área de comunidades durante o terceiro milénio a.C. surgem em contextos onde se misturam materiais de Época Romana e Contemporânea, a par com cerâmica manual lisa e decorada e alguns artefactos líticos. Deste conjunto, destacam-se dois fragmentos de cerâmica campaniforme e algumas lascas

b

s

t

r

a

c

t

Results of the archaeological intervention carried out between 2002 and 2005 at Casal do Rebolo (Almargem do Bispo, Sintra, Lisbon), which have revealed a large diachronic range, from old Pre-history to Roman times. Roman presence stands out, with house structures that were occupied between I and IV centuries AD and a inhumation and incineration necropolis used in the II-III centuries. k

e

y

w

o

r

d

s

Early Pre-History; Roman times; Villae; Necropolis; Preventive archaeology.

r

é

s

u

m

é

Résultats des interventions archéologiques réalisées entre 2002 et 2005 dans le Casal do Rebolo (Almargem do Bispo, Sintra, Lisbonne), lesquelles ont révélé une vaste diachronie, de la Pré-histoire ancienne à l’Epoque Romaine. La présence romaine est la plus marquante, avec des structures de type habitationnel occupées entre le Ier et le IV° siècles ap. J.C., et une nécropole d’inhumation et d'incinération utilisée aux II° et III° siècles. m

o

t

s

c

l

é

s

Pré-Histoire ancienne ; Époque romaine; Villae; Nécropole; Archéologie préventive.

1 Os trabalhos de campo contaram com a participação dos técnicos do MASMO

João Luís Pedro, João Cardoso, Joel Marteleira, José Mateus, Miguel Baptista e Mónica Rolo, e com os voluntários Inês Chiolas, Joana Matos e Bruno.

V

1

al-madan online adenda electrónica

Al-Madan Online 15  

15 - Al-Madan Online (ISSN 2182-7265), n.º 15, apresentada publicamente a 1 de Março de 2008, em paralelo com edição em papel - Al-Madan (IS...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you