Revista Alimentação Animal n.º 121

Page 26

ALIMENTAÇÃO ANIMAL INVESTIGAÇÃO

O DESAFIO DA DESMEDICALIZAÇÃO NA PRODUÇÃO LEITEIRA MODERNA Os antimicrobianos são regularmente utiliza-

abordagem nutricional completa e soluções alter-

dos na nutrição animal por razões terapêuticas

nativas mais naturais.

ou ainda como promotores de crescimento em alguns Países. O uso excessivo de medicação está a contribuir para a resistência antimicrobiana (RAM) que afeta diretamente a saúde pública. A tendência mundial de regulação do uso de medicação conduz os atores da nutrição animal na busca de soluções e produtos alternativos, para uma produção animal mais resiliente Guillaume Olivier Diretor Marketing & Mercado Ruminantes – NEOVIA, ADM Group Artigo disponibilizado por ADM Portugal, SA

e um futuro mais sustentável. Um dos principais desafios à redução do uso de antibióticos é a manutenção da saúde dos seus animais e a competitividade da sua exploração de produção. O uso de antibióticos na alimentação animal como promotores de crescimento foi

Prevenção das doenças respiratórias As doenças respiratórias em ruminantes são bastante frequentes e dispendiosas, causadas por múltiplos fatores de forma isolada ou conjunta. Afetam o trato respiratório, inferior i.e., pulmões (pneumonia) ou superior (rinite, traqueíte, bronquite). A doença respiratória afeta principalmente ruminantes jovens e animais em fase de adaptação e agrupamento para engorda; ocorre principalmente em situações de stress ambiental e fisiológico. O desafio chave é a implementação de soluções preventivas e uma aproximação global aos fatores de risco da doença, de modo a limitar o uso de antibióticos.

completamente abolido na União Europeia desde

Prevenção de Mastites

2006. Em 2020 na China, foi banida a adição de

A mastite é uma infeção do úbere causada pelo

antibióticos à alimentação animal pelo Ministro

acesso de patógenos através do esfíncter do teto.

de Agricultura Chinês. Em fevereiro de 2021, o

A infeção desencadeia uma reação inflamatória

Ministro da Agricultura, Pecuária e Abasteci-

associada a um influxo de células brancas san-

mento (MAPA) do Brasil proibiu três promotores

guíneas (leucócitos) para o úbere, aumentando o

de crescimento (tylosina, tiamulina e lincomicina)

número de células somáticas no leite. A mastite

para suinicultura. Para enfrentar este problema

ainda é sistematicamente tratada com antibióti-

complexo, é necessária uma aproximação global

cos e permanece a principal causa de utilização

e completa. Estão identificados quatro problemá-

de antibióticos na bovinicultura de leite. O desa-

ticas principais, para um programa de redução de

fio chave é abordar a causalidade multifatorial

medicação na produção leiteira.

das mastites que requer soluções de maneio na exploração, em conjugação com produtos solução

26 |

ALIMEN TAÇÃO AN IMAL

Problemas técnicos a abordar

selecionados.

Substituição dos promotores de crescimento

Prevenção do parasitismo

O incremento dramático das resistências antimi-

Muitos tipos de parasitas (vermes, coccídeas,

crobianas a nível global tem conduzido à abolição

etc.) podem afetar os animais e causar diferen-

do seu uso como promotores de crescimento

tes doenças como Coccidiose, Cryptosporidiose e

em muitos países e a uma procura acrescida de

Babesiose. Os parasitas requerem a utilização de

alternativas eficientes e cost-effective. Os pro-

fármacos não antibióticos, mas sim de antiparasi-

motores de crescimento de bovinos dividem-se

tários, que podem igualmente causar o desenvol-

em diversos grupos: antibióticos, ionóforos, hor-

vimento de resistências. Afetam particularmente

monas e beta-agonistas. Alguns deles são ainda

animais jovens pois os animais mais velhos vão

permitidos em alguns países para melhorar a

desenvolvendo uma resposta imunitária mais forte

eficiência alimentar e aumentar a taxa de cres-

tornando-se menos suscetíveis. O desafio chave

cimento dos animais. O desafio chave é suportar

é a adoção de uma aproximação preventiva, que

e garantir as performances dos animais com uma

permite a redução do uso de moléculas químicas,