Page 1

boletim informativo

5ª edição: Jul | Ago | Set 2015

Com o objetivo de promover a reflexão sobre a importância da água e a necessidade do seu uso racional, a ARM promoveu visitas à ETA da Alegria e de Santa Quitéria. » pág. 14

ativi da des 3º tri m/2015

eq u i pa a rm

s e n s i b i l iza ção

Intervenção Furo Captação » pág. 5

Conheça a equipa de SIG e Cadastro » pág. 10

Campanha poupança água » pág. 13


ativi dad e s ARM - 3 o tr i m 2 01 5

(Sistemas municipais de Câmara lobos, Machico, Porto Santo, Ribeira rava e santana)

Quantidade Água Fornecida N.º Contratos Ativos Quantidade Resíduos Recolhidos

1 410 232 m3 35 974 contratos 8 057 toneladas 918 pedidos

Recolhas Resíduos Verdes e Monos Contentores Lavados

13 467 contentores

urante o 3º trimestre de 2015, a ARM executou várias intervenções na rede por forma a melhorar o abastecimento público de água aos seus clientes. De seguida apresentam-se algumas delas. Intervenção no Porto da Cruz, na Maiata de Baixo: substituição de 100m rede em ferro galvanizado, DN 1” por nova conduta em PEAD DN 90, incluindo a recuperação/reabilitação de uma câmara de perda de carga, tendose melhorado significativamente as condições de abastecimento aos consumidores nesta localidade.

Via Expresso Faial - Santana: substituição de rede em ferro galvanizado DN 2” por conduta em FFD DN 125 numa extensão de 830m, incluindo também a execução de uma nova rede em PEAD DN 125, numa extensão de 680m, e em PEAD DN63, numa extensão de 60m.

1


Intervenção no Caminho Igreja São João, Ribeira Brava: substiuição de 90 metros de rede antiga, em ferro galvanizado DN 3/4” por nova conduta de DN63 PN16, incluindo substituição de 10 ramais.

Intervenção

no

Caminho

da

Adega,

freguseia do Campanário - Ribeira Brava: supressão da rede antiga e execução de 35 ramais na rede nova.

Remodelação da câmara de manobras da Estação Elevatória da Ribeira Garcia. Foram anuladas as antigas bombas horizontais, substituidas por duas bombas de eixo vertical de maior capacidade.

An t e s

Depoi s

-

-

800 91 0 500

2


água é um recurso essencial à vida, cuja exploração não deve comprometer a sobrevivência dos ecossistemas atuais nem das gerações futuras. É essencial garantir a sustentabilidade na utilização deste recurso, por forma a garantir a sua disponibilidade, em quantidade e qualidade, às gerações vindouras. Especialistas em alterações climáticas perspetivam, a médio prazo, uma redução da disponibilidade hídrica, pelo que é imperativo tomar ações que visem a melhoria da eficiência na utilização deste recurso, como contributo para a sustentabilidade dos recursos naturais. O Plano Nacional para o Uso Eficiente da Água (PNEUA) estabelece como meta a atingir até 2020, para a ineficiência no uso da água no setor urbano, 20% de perdas. A topografia, a idade das redes, a pressão e o tipo de material são fatores que contribuem para o nível de perdas de uma rede de distribuição de água. As perdas de água na rede de distribuição nos municípios aderentes ao sistema multimunicipal de distribuição de água sob gestão da ARM está acima dos 60%. Há um longo caminho a percorrer. No sentido de inverter esta situação, a ARM tem em curso um projeto (PROJETO DE EXECUÇÃO DA REMODELAÇÃO E AMPLIAÇÃO DOS SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E DE DRENAGEM DA ZONA LESTE - FASE 1) com objetivos de melhoria da gestão e funcionamento dos serviços municipais, nomeadamente no que se refere à distribuição de água e à drenagem de águas residuais, prevendo-se para o efeito a instalação de dispositivos de monitorização e controlo, bem como a resolução de problemas pontuais de funcionamento dos respetivos sistemas. A par disso, e no sentido de combater as perdas de água nas redes, a ARM efetua um controlo ativo de perdas, ou seja, dispõe de uma equipa que percorre a rede de distribuição de água, onde são colocados equipamentos de deteção de fugas.

Equ i pa me n tos de de t eç ão e x ata de f uga s – s onda s corre l ador a s

3


Os equipamentos utilizados são acústicos, ou seja, as fugas são localizadas com base no ruído que uma fuga provoca na rede. A água, ao sair por um orifício da fuga, origina vibrações nas tubagens, às quais associa-se um ruído característico definido por uma determinada gama de frequências dominantes.

fuga são colocadas sondas para a localização exata da mesma. A localização da fuga é efetuada através da correlação das frequências entre as várias sondas colocadas numa determina área. A título de exemplo, na rede de distribuição associada

As técnicas acústicas consistem em analisar as frequências e a intensidade da onda sonora proveniente da fuga de água na rede que, tendo por base expressões matemáticas, permitem determinar a localização da rotura.

ao R2 de Machico, após uma campanha de controlo ativo de fugas foi registado uma redução no consumo mínimo noturno (período do dia onde se regista menor consumo de água) de 23%.

Esta técnica tem duas fases, onde a primeira fase consiste

Colo c aç ão de sonda s pré-lo c a li zador a s na re de

na colocação de sondas pré-localizadoras que avaliam a probabilidade de existência de roturas na rede após um período de amostragem das frequências na rede. Após o período de amostragem, as sondas prélocalizadoras informam da probabilidade de existência de fugas de água nos locais onde foram colocadas. Nos locais em que foi identificada elevada probabilidade de

ARM visando a melhoria da qualidade da água fornecida aos seus clientes, deu início à implementação dos Planos de Segurança da Água (PSA) em 3 zonas de abastecimento dos concelhos do Porto Santo, Ribeira Brava e Câmara de Lobos, seguindo as metodologias preconizadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) numa perspetiva de análise e prevenção de riscos em sistemas de abastecimento de água. Os PSA têm por missão assegurar, com confiança, o fornecimento de água potável ao consumidor final em qualidade compatível com as exigências legais aplicáveis, minimizando os riscos para a saúde pública da população servida. Para tal, importa que na elaboração dos PSA participem todos os agentes envolvidos no processo, desde a captação, passando pelo tratamento até à torneira do consumidor, numa abordagem de gestão de riscos. Sendo preocupação da ARM fornecer água segura aos seus clientes, esta empresa convidou várias entidades externas com competência em matéria da qualidade da água, nomeadamente, a Direção Regional do Ordenamento do Território e Ambiente (DROTA), a Saúde Pública através do Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais, IP-RAM, Câmaras Municipais de Ribeira Brava, Câmara de Lobos e Porto Santo a participarem neste projeto. No passado dia 14 de agosto realizou-se a primeira reunião do grupo de trabalho, para apresentação da equipa e metodologia, bem como da 1ª fase de trabalhos que a ARM desenvolveu desde abril de 2015.

4


o passado dia 11 de agosto procedeu-se

conduta em aço de 8 polegadas. O peso do conjunto é

à

eletrobomba

de cerca de 5 a 6 toneladas. O trabalho de substituição de

submersível do furo 1 da ribeira de Santa Cruz.

um motor desta natureza envolve quatro fases de trabalho.

A operação de desmontagem destinou-se a substituir o

A 1ª fase consiste na desmontagem e remoção de toda a

motor do grupo eletrobomba que se encontrava avariado.

conduta, cabos elétricos e grupo eletrobomba e o transporte

Este grupo eletrobomba tem como função bombear

para a oficina do grupo eletrobomba e dos cabos elétricos.

desmontagem

do

grupo

água proveniente de um furo hertziano com um caudal nominal de 220 m3/h (61 l/s) para a Estação Elevatória de Santa Cruz onde é desinfetada e posteriormente elevada para o sistema adutor multimunicipal Machico-Funchal. A água proveniente deste furo de captação, junta-se à água captada por outros furos de captação nos diversos municípios entre Machico e Funchal, e após passar por vários estágios de bombagem distribui-se por vários reservatórios distribuídos entre os Concelhos de

A 2ª fase realizada em oficina consiste na montagem do novo motor e na ligação do motor aos cabos elétricos. A elaboração da junta dos cabos exige uma elevada especificidade técnica uma vez que esta união ficará colocada dentro de água e a sua estanquicidade é essencial. A 3ª fase do trabalho consiste na montagem da tubagem e do grupo submersível novamente no interior da coluna do furo que tem um diâmetro de 14 polegadas.

Machico, Santa Cruz e Funchal abastecendo populações

Por fim, a 4ª fase consiste na execução das ligações

situadas entre a cota 0 e a cota 600.

ao quadro elétrico, a realização de ensaios elétricos,

A operação levada a cabo pela equipa de manutenção do departamento de produção de água (DPA) envolveu 8 funcionários e a intervenção de dois camiões grua, um de 18 toneladas e um de 3 toneladas. O grupo eletrobomba submersível encontra-se montado a uma profundidade de 75 metros e suspenso numa

nomeadamente, medições de isolamento e ensaios de funcionamento finais. Devido à elevada procura de água naquela altura do ano (pico do Verão), a operação teve de ser efetuada no menor tempo possível. A execução das quatro fases de trabalho decorreram entre as 9h do dia 11 e as 16h do dia 12 de agosto.

Estas operações de mudança de motores submersíveis é realizada pela equipa de manutenção do Departamento de produção de água e neste ano de 2015 já foram realizadas 5 operações destas. 5

O motor submersível substituído que se encontrava à cota mais profunda foi o da Ribeira de João Gomes a 114 metros de profundidade.


o 3º trimestre de 2015, a ARM recolheu 8 057 toneladas de resíduos, entre os quais, 7 235t de resíduos indiferenciados, 110t de embalagens de plástico e metal, 238t de papel e cartão, 280t de vidro, 194t de resíduos verdes, monos (eletrodomésticos, móveis, etc.). Relativamente ao trimestre anterior (recolheram-se 6 662t de resíduos) verificou-se um acréscimo de 1 395 toneladas, 21% na totalidade dos resíduos recolhidos. Registe-se ainda o aumento de 36% nas embalagens de plástico e metal, 43% no vidro e 25% no papel/cartão. Os munícipios com maior produção de resíduos indiferenciados por habitante/trimestre foram Porto Santo (183,7 kg/hab/trim.) e Machico (95,3 kg/hab./trim.). E aqueles em que as pessoas mais separaram foram os de Porto Santo (31,9 kg/hab./trim.) e de Santana (7,7 kg/hab./trim.). Produção resíduos indiferenciados (kg/hab./trimestre)

Produção resíduos seletivos (kg/hab./trimestre)

31,9

95,3

Machico

75

Santana

71,6

Câmara de Lobos

75,7

Ribeira Brava

183,7

Porto Santo

5,5

7,7

5,4

6

Machico

Santana

Câmara de Lobos

Ribeira Brava

Porto Santo

O serviço gratuito (aos clientes domésticos até à 2ª hora do serviço prestado) de recolha de resíduos verdes e monos é disponibilizado nos concelhos pertencentes à ARM, mediante pedido, através do n.º verde 800 910 500 na ilha da Madeira e do n.º 291 980 560 na ilha do Porto Santo. No 3º trimestre deste ano, a ARM recebeu 918 pedidos. No total foram recolhidas 194 toneladas de resíduos verdes, monos (eletrodomésticos, móveis, etc.) e outros.

ARM presta aos seus clientes um serviço único na Região Autónoma da Madeira – a lavagem automática de contentores de resíduos. As viaturas, exclusivamente dedicadas à lavagem de contentores públicos de recolha de resíduos, percorrem os vários municípios aderentes, procurando garantir a lavagem dos contentores entre 2 a 6 vezes por ano, com maior incidência nas zonas urbanas. Entre julho e setembro de 2015, foram lavados 13 467 contentores, contribuindo-se desta forma para a limpeza, higiene e segurança na via pública.

13 467 contentores lavados 6


proj etos e m cu rso

stão em fase de projeto um conjunto de obras de remodelação/ampliação das redes de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais da Zona Leste da ilha da Madeira (municípios de Machico e de Santana), incluindo a introdução de sistemas de monitorização e de controlo de perdas. Os trabalhos previstos são os seguintes: a) Modelação do comportamento hidráulico das redes de abastecimento de água da Zona Leste (municípios de Machico e de Santana), com base nos dados de cadastro, na faturação e nos equipamentos de controlo; b) A recolha dos dados necessários para o desenvolvimento/calibração do modelo de análise do comportamento hidráulico (sendo da responsabilidade do cocontratante o fornecimento e instalação dos equipamentos de medição de caudal - e eventualmente de pressão - portáteis nos locais de interesse para o modelo para recolher a informação necessária durante um determinado período). c) Análise e identificação das principais deficiências nos sistemas de abastecimento, com base na modelação hidráulica e na informação disponibilizada pela ARM (frequência/localização das roturas nas redes, identificação localização das zonas onde ocorre falta de água e a sua frequência, etc.); d) Projeto de execução da remodelação/substituição da rede de abastecimento, incluindo a definição da sectorização das redes tendo em vista a monitorização das perdas e fugas; e) Levantamento das deficiências de funcionamento das redes de drenagem de águas residuais, com base na informação de cadastro e informação dos serviços operacionais e elaboração do respetivo projeto de execução.

Sa n tana

7

M achico


A ARM tem também em fase de contratação um conjunto de obras de remodelação e ampliação das redes de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais da Zona Oeste da ilha da Madeira, em particular no município de Câmara de Lobos. Os principais trabalhos previstos são:

C â m ar a de Lobos

a) Introdução de sistemas de monitorização, controlo de perdas e respetivas obras acessórias; b) Substituição /reformulação de cerca de 45km de rede de abastecimento de água potável; c) Lançamento de redes de drenagem em zonas sem cobertura por redes de drenagem de águas residuais; d) Eliminação de eventuais descargas de águas residuais não tratadas em meio natural identificadas.

ARM encontra-se a ultimar a contratação para a obra de construção da nova ETAR de Câmara de Lobos para adequação do nível de tratamento das águas residuais urbanas às disposições preconizadas na legislação em vigor. As intervenções a realizar são de manifesto interesse público e assumem extrema importância para promover a melhoria das condições de recolha e tratamento das águas residuais do

P roj e to E TAR C â m ar a de Lobos

município de Câmara de Lobos. De forma a atingir os objetivos propostos, prevê-se a realização da empreitada, com base nas peças de projeto e no demais fixado em caderno de encargos, concretizando: a) Execução da ETAR de Câmara de Lobos , com cobertura ao nível máximo do terreno de modo a se ajustar/ integrar no tecido urbano envolvente, com área de implantação de cerca de 915m² e área de construção de cerca de 2250 m² incluindo respetivos equipamentos, instalações elétricas e automação, de modo a atingir os seguintes principais requisitos funcionais: i. Nível de tratamento (primário); ii. População/Equivalente Populacional (56.000 e.p.); iii. Capacidade de Tratamento (Horizonte de Projeto); iv. Solução de tratamento; b) Execução de exutor submarino com risers/difusores na extremidade de jusante; c) Execução de proteção costeira de proteção à ETAR; A ETAR será construída em cumprimento com o disposto na Diretiva das Águas Residuais Urbanas (DARU).

8


m dos atuais e principais problemas existentes no Lanço Sul do Canal do Norte consiste na dificuldade de satisfação das necessidades do regadio hidroagrícola ao perímetro entre a Ribeira Brava e Câmara de Lobos, nos períodos de maior escassez hídrica. A situação em questão deve-se ao facto de durante o Inverno, sempre que ocorrem precipitações de alguma intensidade, estas provocam derrocadas em zonas de risco (troços críticos da levada). O troço compreendido entre a Ameixieira e o Espigão é um dos mais critícos, com uma extensão aproximada

E spigão - Ri be i r a BR ava

de 5 045 metros, que fruto da sua localização na escarpa quase vertical sobranceira à margem esquerda da Ribeira Brava, apresenta zonas de abismos, com pouca ou nenhuma segurança e de difícil circulação. Resumidamente, neste projeto pretende-se assegurar condições de segurança à passagem de água no trecho crítico compreendido entre a Ameixieira e o Espigão, com recurso à construção de um túnel para transporte de águas, contornando o trecho crítico de canal , assim proporcionando o funcionamento como by-pass à atual levada.

Este túnel terá a dupla função de transporte e de armazenamento, permitindo desta forma também reforçar o volume total de armazenamento associado a este sistema. Além do referido, o projeto tem ainda como objetivos: a eliminação das perdas de água, com a recuperação de troços degradados do Lanço Sul do Canal do Norte que, devido ao seu estado significativo de degradação apresentam perdas elevadas, com prejuízo para os utilizadores (regadio e abastecimento), assim como o melhoramento dos sistemas de monitorização e recuperação da instalação de apoio à exploração da Levada, danificada pelos incêndios de Julho de 2012 (casa de Abrigo da Eira do Mourão).

projeto visa a construção de uma solução subterrânea, na via pública, destinada à recolha de Embalagens, Papel/ Cartão, Vidro e Resíduos Sólidos Urbano que, em relação aos contentores tradicionais, de superfície, apresenta como principais vantagens uma maior capacidade de depósito, a redução da emissão de odores, menor impacto visual e uma menor ocupação da via pública, contribuindo para a requalificação dos espaços urbanos. Está prevista a execução, no período 2016-2020, de 20 Ilhas Ecológicas, 4 em cada um dos municípios da ARM.

9

Importa salientar que já existem 4 Ilhas Ecológicas, ao dispôr da população, uma em cada um dos seguintes municípios: Câmara de Lobos, Machico, Porto Santo e Ribeira Brava.


Serviço de Informação Geográfica e Cadastro (PCCA) tem por principais funções a conceção e gestão da estrutura do Cadastro de Infraestruturas, gerindo e garantindo o bom funcionamento das diversas aplicações que o integram, assim como efetuar a Gestão dos Ativos da ARM. O PCCA surgiu da necessidade da empresa elaborar o cadastro digital das infraestruturas da ARM, através da construção e manutenção de um Sistema de Informação Geográfica e pela elaboração de diagramas que refletem o modo de operação das infraestruturas. Para além do referido, o PCCA é responsável pela codificação de infraestruturas e equipamentos, assim como a etiquetagem dos ativos geridos pela ARM, o que permite identificar facilmente a localização de cada um desses mesmos ativos dentro da estrutura de cadastro da empresa. Para a gestão do cadastro de infraestruturas, o PCCA dispõe de uma equipa de cadastro constituída por 5 técnicos, nomeadamente: Ricardo Freitas, Carolina Marques, Duarte Nunes, Lina Andrade e Vânia Dias. A estrutura de cadastro é sustentada através de saídas de campo por parte dos técnicos do PCCA, onde é feito o registo geométrico (com recurso a tecnologia GPS), alfanumérico e

fotográfico

das

infraestruturas

e

equipamentos,

complementada por ou apoiada em informação fornecida por outros Serviços (Telas Finais, Intervenções, etc.).

O objetivo principal é conceder aos diversos utilizadores/ serviços da empresa, o conhecimento das instalações e equipamentos que constituem os sistemas de abastecimento de água e de águas residuais, permitindo a espacialização da informação relativa às infraestruturas, equipamentos,

qualidade,

caudal,

clientes,

etc.,

disponibilizando assim ferramentas de análise e de gestão de informação de apoio aos processos inerentes à atividade dos diversos utilizadores/serviços, dotando a organização de informação necessária à tomada de decisão. O PCCA está envolvido noutros projetos tais como a monitorização de roturas nas redes de abastecimento de água, o acompanhamento do projeto do Estudo do Meio Marinho, prestando também apoio a outros Departamentos e Serviços em estudos, projetos e na área operacional.

10


s e n s i b i lizacao am b i e ntal

os meses de Verão, normalmente, há pouca procura para a realização de visitas às estações da ARM

v i si ta e tzl /e t - p orto n ovo

E B2+3 Porto M on i z

e ações de sensibilização, uma vez que as escolas encontram-se encerradas para férias. Por isto, durante julho, agosto e setembro foram sensibilizadas 40 pessoas para a separação dos resíduos; importância da água e necessidade de usá-la adequadamente nas ativiades diárias. No entanto, a ARM colaborou com outras entidades com a cedência de material para sensibilização ambiental.

orque um dos grandes entraves à correta deposição dos resíduos nos Ecopontos é o desconhecimento das regras de separação, a ARM colocou autocolantes com esta informação em todos os contentores dos seus pontos de recolha. Nestes autocolantes lembramos as pessoas do que devem depositar, mas também fazemos referência ao que não devem depositar, assim como os cuidados a ter quando colocam os resíduos dentro dos contentores. Desta forma, tentamos melhorar a qualidade dos resíduos que seguirão para reciclagem. Da próxima vez que levar os seus resíduos a um ponto de recolha ARM, atente na informação dos autocolantes. O ambiente agradece!

11


stá em curso uma campanha para a divulgação do serviço gratuito de recolha de resíduos verdes e monos, que a ARM tem ao dispôr dos seus clientes domésticos: munícípios de Câmara de Lobos, Machico, Porto Santo, Ribeira Brava e Santana. O objetivo da divulgação deste serviço é o de evitar o abandono de eletrodomésticos, móveis, resíduos provenientes da limpeza de jardins e terrenos, entre outros, na via pública, junto aos contentores, ribeiras e na floresta, promovendo assim a limpeza dos espaços públicos, e consequentemente o bem-estar, segurança e saúde da população. Esta iniciativa conta com o apoio da Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais e dos municípios aderentes acima referidos.

Serv Grat iço uito

Como fazer o pedido?

depois de feito o pedido..

12


ARM – Águas e Resíduos da Madeira, S.A., colaborou com a Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais, com a campanha de sensibilização para a poupança de água em vários meios de comunicação (televisão, rádio, impressa escrita e redes sociais, entre outros), que se iníciou no passado mês de agosto e se estende até o fim do mês de outubro. O objetivo primordial da campanha consiste na demonstração inequívoca de que é possível, diariamente e com pequenas mudanças de hábitos, reduzir substancialmente o consumo de água, até porque é um imperativo global que toda a população assuma uma atitude de responsabilização individual, como forma de coletivamente marcar a diferença. Só adotando um consumo racional do recurso hídrico se pode garantir que, hoje e futuramente, este seja disponibilizado em quantidade e qualidade para o consumo de toda a população, bem como para outros fins essenciais como, por exemplo, o abastecimento agrícola. Nesse sentido, a campanha contemplou uma métrica

rentes de cheias, secas, furacões, inundações marítimas,

perfeitamente entendível (garrafão de 5 litros) para que

ondas de frio e de calor até à catastrófica perda de vidas

toda a população compreenda a dimensão do desperdí-

humanas.

cio de água, quando não são adotadas pequenas alterações na sua rotina diária. As alterações climáticas, com o aquecimento global e a diminuição da precipitação, bem como a ocorrência de eventos extremos mais frequentes, incorrem em efeitos diversos, desde elevados prejuízos económicos decor-

Le mb re -se que . . .

13

O aquecimento global, a diminuição da precipitação e o aumento do nível médio do mar, irão provocar uma diminuição da quantidade e qualidade da água subterrânea. Esta é uma situação problemática, uma vez que este recurso corresponde à principal fonte de abastecimento, satisfazendo na Madeira cerca de 70% das necessidades de consumo da população.w


ara Assinalar o Dia Nacional da Água, com o intuito de promover a reflexão sobre a importância da gestão adequada dos recursos hídricos e a necessidade do seu uso racional, a ARM – Águas e Resíduos da Madeira, S.A. dinamizou visitas guiadas a duas Estações de Tratamento de Água (ETA), abertas ao público. Foram realizadas visitas, no dia 1 de outubro de 2015, às 9h30 e às 14h00, à ETA Eng. Manuel Rafael Amaro da Costa (Alegria) e à ETA de Santa Quitéria. A Secretária Regional do Ambiente e Recursos Naturais, Professora Doutora Susana Prada, juntou-se a esta iniciativa e esteve presente na visita da manhã, à ETA Engº. Manuel Rafael Amaro da Costa (Alegria). Neste visita esteve também presente um grupo do Curso de Engenharia Civil, da Universidade da Madeira (UMa).

Na parte da tarde, um grupo de colaboradores da Direção Regional do Ordenamento do Território e Ambiente (DROTA) visitou a ETA de Santa Quitéria.

14


/aguasdamadeira www.aguasdamadeira.pt T. 291 20 10 20 geral@aguasdamadeira.pt

Boletim informativo arm 5ª edição  

Boletim Informativo ARM - 5ª edição Boletim informativo com o resumo das principais atividades da ARM - Águas e Resíduos da Madeira, S.A. no...

Advertisement