Page 1


f la fa l preside dent nte e fa fala la pre resi side si dent de nte nt e fala presidente

EDITORIAL

#

Sem contar a organização da vitrine, que é fundamental. A frente da loja deve transmitir como é o interior do empreendimento. O ideal é que a parte externa seja bem produzida, inovadora e atraente. O cliente entrou na loja? Saiba que a disposição dos produtos e a iluminação interna também influenciam no processo de consumo. É claro que faltando poucos dias para o início da Copa do Mundo, não deixaríamos de escrever sobre o assunto. Mais do que torcer pelo Brasil no mundial é possível também aproveitar as oportunidades de negócio que os jogos favorecem. No decorrer das próximas páginas, você também saberá sobre os próximos eventos da ACE. Teremos Dia dos Namorados, Jantar de 91 anos, Dia dos Pais e Feira do Emprego na programação dos próximos meses. Além disso, nesta edição há dicas de leitura no Espaço do Empreendedor, cobertura completa da ação de Dia das Mães que aconteceu na Praça da Matriz e um artigo interessante na coluna Ponto de Vista.

[Passando uma boa impressão]

D

esde a primeira edição da Varejo em Foco, enfatizamos que a revista foi criada e desenvolvida para apontar caminhos para que o comércio se fortaleça e seja respeitado em sua função de gerar renda e criar uma economia forte.

Para contribuir e melhorarmos cada dia mais este veículo de comunicação da entidade, envie sua sugestão de tema. Queremos tornar a ACE cada dia mais a casa do empresário e contribuir com o sucesso da sua empresa. Boa leitura e bons negócios!

Reges Donatti Filho Presidente

[EXPEDIENTE]

Neste mês, uma das matérias aborda a importância da fachada, afinal, é a primeira impressão que nós, comerciantes, passamos aos nossos clientes. Presidente Reges Donatti Filho Textos e fotos COMpasso Comunicação Diagramação e Projeto Gráfico Nort Marketing Estratégico Jornalista responsável Elis Soares - MTB 48.990/SP

Diretoria e Conselho ACE Marcos Meerson Carla Maltoni Armando Tomaducci Mara Migliato Danilo Rosa Fabiano Roncoletta Giulliana Milamonti Mário Sérgio Murilo Offa Domingo Zaniqueli (in memoriam)

Tiragem: 4 mil exemplares Revisão: Gilmara Berverte Magro

ACE Jundiaí

Rua Rangel Pestana, 533 - loja 1 Edifício Palácio do Comércio Centro - Jundiaí/SP CEP: 13.201-903 (11) 3308-4305 www.acejundiai.com.br

A Revista Varejo em Foco é um produto da ACE Jundiaí e Nort Marketing Estratégico, em parceria COMpasso Comunicação. Contato Comercial Thiago Bastos (11) 9.7092-6324 comercial@agencianort.com.br


EMPREENDEDORISMO INDIVIDUAL

MEU NEGÓCIO

14 18 PONTO DE VISTA: FERNANDA LOBO

DIA DOS NAMORADOS

22 28 CAPA: COPA 2014

A CARA DA SUA LOJA

índice índice

8

índi ín diice c

6


empreendedorismo

Depois de morar em três países diferentes, Flávia encontrou no Brasil o equilíbrio entre vida profissional e pessoal

MUITOS PAÍSES PARA

MORAR, MAS APENAS UM

PARA VIVER 6

varejo EM FOCO

[

[

Com criação e formação americanas, jovem opta por empreender no Brasil, mais especificamente em Jundiaí


P

ara entender a nacionalidade de Flávia Carla Gaeta, de 24 anos, são necessários pelo menos alguns minutos de conversa. O pai da moça é brasileiro, a mãe é italiana e, embora tenha nascido na Alemanha, já que seus pais moravam por lá na época de seu nascimento, seu registro não é considerado do país. A lei alemã rege que a criança tem a nacionalidade dos pais. Dessa forma, os pais de Flávia decidiram que ela seria brasileira. E acertaram! Da Alemanha, a família mudou-se para a Inglaterra, sempre em favor da vida profissional do pai. Por lá, nasceram mais dois filhos, uma menina e um menino. Quando Flávia completou seis anos, mais uma vez os Gaeta trocaram de país, dessa vez os Estados Unidos da América os acolheu. “Morei nos estados de Michigan e Nova Jersey. Mais tarde, quando fui para a universidade, optei por Nova Iorque”, relembra. Enquanto estudava, o pai de Flávia investiu em um negócio de autopeças no Brasil. A empresa não ia muito bem e por isso, ele optou por visitar o país. “Ele já queria uma nova oportunidade de carreira e aproveitou o ensejo para ficar aqui cuidando do próprio negócio”, relata. Tendo finalizado a graduação em administração e uma pós em contabilidade, Flávia permitiu-se férias, decidindo visitar o pai e conhecer melhor o Brasil. “Já havia vindo algumas vezes, quando era pequena. Mas essa vez foi diferente, passei três meses aqui, me identifiquei com o clima, a comida e as pessoas”, afirma. De volta aos Estados Unidos, Flávia trabalhou por um ano numa empresa e, quando o contrato acabou, escolheu o Brasil para viver. “Estou aqui há seis meses. Nesse tempo, aprendi os procedimentos administrativos e leis, que são bastante diferentes. Meu português também está bem melhor, graças à ajuda dos colegas de trabalho”, agradece. Ainda sobre a língua, ela acrescenta que mesmo sem saber falar, nunca se sentiu desconfortável. “Todos aqui são simpáticos, interessados e abertos. Quando falo com sotaque se preocupam em me ajudar e acham graça em meu jeito de falar”, elogia. Sobre as diferenças entre os países, Flávia ressalta que educação e saúde por aqui são

itens bastante acessíveis. “Eu, por exemplo, com a ajuda da empresa pagava $ 400 ao mês no convênio médico americano. Já a faculdade não saía por menos de $ 30 mil ao ano”, compara. A questão da alimentação é ainda mais elogiada por ela. Adepta de uma dieta saudável, ela afirma que lá precisava preparar os alimentos em casa e levar marmita ao trabalho. “Aqui eu facilmente consigo comer aquilo de que gosto, como legumes e frutas, em restaurantes por quilo, que além do mais têm preços acessíveis”, comemora. No Brasil, a jovem encontrou ainda mais um motivo para permanecer. Quando veio passar férias, conheceu o namorado com o qual está até hoje. “Ele até foi me visitar em Nova Iorque”, detalha. Mesmo com tão pouco tempo por aqui, Flávia não hesita ao confirmar sua nacionalidade, tendo certeza de que o registro brasileiro não foi um mero acaso. “Sentia-me uma estrangeira por lá. Aqui é que sou mais feliz”, finaliza.

Importados e originais Na Brazilian Imported Parts (BIP), empresa da família, o essencial é oferecer qualidade nas peças do setor automobilístico. “Temos uma marca própria, para os importados, e também trabalhamos com itens fabricados no Brasil, que são preferidos pelos clientes”, afirma. Desde que Flávia chegou, o negócio está se expandindo e as vendas aumentando, principalmente porque o estabelecimento deixou de atuar apenas no atacado para atender também pessoas físicas. “Temos quatro funcionários e estamos em busca de uma estagiária de administração. Os interessados podem enviar o currículo”, divulga. O objetivo da administradora é melhorar os procedimentos, alcançando mais eficiência e eficácia, e também melhorar a qualidade de vida dos colaboradores. “Preocupo-me com o bem-estar deles. Desde que cheguei, cuidei do ambiente, providenciei uma cozinha e um local para descansar, com bancos confortáveis”, explica.


meu negócio

EMPRESAS PODEM

CONTRIBUIR NA RECUPERAÇÃO DE UM

FUNCIONÁRIO Rodrigo contribui para que pessoas que lutam contra o vício recuperem a vida e retornem ao mercado de trabalho.

8

varejo EM FOCO


R

[

[

Excesso de faltas, queda de produtividade e mudança de hábitos podem ser sinais associados à dependência química; clínica abre as portas para mostrar como é o dia a dia e o tratamento de um dependente

De acordo com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o total de auxílios-doença concedidos a dependentes químicos foi mais de um milhão nos últimos oito anos. No ano passado, a soma passou de 140 mil afastamentos.

e recebe visitas uma vez a cada 30 dias. O quinto mês é de ressocialização. “A pessoa fica doente e a família adoece junto. Por isso, oferecemos acompanhamento aos familiares também e, em breve, trabalharemos com eles em reuniões”, completa Rodrigo.

Com o aumento ano após ano, a dependência química requer atenção em todos os contextos da sociedade, inclusive, no mercado de trabalho.

Entre os residentes da clínica, encontram-se de veterinários a advogados, que tratam de vícios contra o álcool, droga e jogo. “O mais importante é a pessoa reconhecer que precisa de ajuda. O período em que fica na clínica torna-se um processo de autoconhecimende recuperação, to”, enfatiza.

O primeiro passo para discutir o assunto é a muNo processo dança de concepção de que nos primeiros quatro meses, ser dependente De acordo com é, simplesmente, Rodrigo, ainda o residente não sai da clínica e uma fraqueza de existe preconceicaráter. O vício, to sobre o assunrecebe visitas uma vez a cada 30 além de ser deto no mercado corrente de um de trabalho. “Indias. O quinto mês é de desequilíbrio quífelizmente, ainda mico, também predomina a viressocialização. altera a forma são de que o decomo o depenpendente é inútil, dente se relacioporém ele está na com o mundo – mudando as emoções e, doente. Com a busca de ajuda e recupemuitas vezes, comprometendo a capacida- ração, voltará a ser um ótimo funcionário”, de de cognição e reflexos motores. defende.

Para ajudar pessoas que convivem com essa doença, Rodrigo da Silva, 33 anos, fundou o Greenville Projeto Terapêutico há oito meses. Atualmente, a clínica atende 25 homens, com idade entre 26 e 60 anos, que passam por um processo de recuperação de cinco meses, no mínimo. “Eles têm uma rotina com diversas atividades – de terapias e reuniões a pequenas tarefas, como cuidar do jardim”, conta. Para tanto, a clínica conta com 20 funcionários de diferentes áreas, como fisioterapeuta, enfermeiras, psicólogos, psiquiatras, monitores, jardineiro, cozinheiro e coordenadores. No processo de recuperação, nos primeiros quatro meses, o residente não sai da clínica

Para contribuir com a necessária quebra de paradigma entre os gestores e colegas de trabalho, Rodrigo tem planos bem definidos. “A ideia é oferecer palestras de orientação e prevenção nas empresas, pois o número de funcionários que usam droga e consomem álcool é alarmante e crescente”, finaliza. Sinais que podem estar ligados à dependência Ausência durante o expediente – atrasos para retornar do almoço ou saídas excessivas para ir ao banheiro, estacionamento, entre outros locais da empresa; Absenteísmo – excesso de faltas não justifi-


Queda de produtividade – não cumprimento de prazos para execução de tarefas ou atraso para entrega, dificuldade ou desculpas para realizar atividades pouco complexas; Mudança de hábitos – descuido com a higiene e aparência, mudança de comportamento, chegada ao trabalho cheirando a álcool logo pela manhã ou até mesmo em estado de embriaguez; Mudança nos relacionamento – reações exageradas às críticas de colegas, discussões e empréstimo de dinheiro. Sintomas de abstinência de álcool Os mais comuns são tremores de extremidade e lábios, associados a náuseas, vômitos, sudorese, ansiedade e irritabilidade. Em casos mais graves, podem ocorrer convulsões, desorientação e alucinações.

[

O que fazer? Por lei, o uso de drogas ou álcool pelo funcionário, quando vinculado à dependência química, não é motivo para demissão por justa causa. Ao notar que um funcionário é dependente químico, o empresário precisa fazer o encaminhamento para tratamento médico e afastamento pelo INSS. Como tentar evitar? Para contribuir com a diminuição da doença, as empresas podem implantar projetos de informação e conscientização sobre todos os tipos de dependência química. Samuel de Oliveira, engenheiro na empresa Wesa, especializada no desenvolvimento e fabricação de máquinas e serviços de usinagem, aprova a forma de divulgação. “O que mais me chamou a atenção foi a praticidade e a conveniência da propaganda que entra na casa do cliente num momento agradável e de forma não agressiva. Além disso, a embalagem é distribuída em locais onde meu público-alvo também está”, afirma.

Marcel, Ariele, Bruno, Larissa e Rodrigo são alguns dos profissionais envolvidos no processo de recuperação dos 25 residentes da clínica.

10

varejo EM FOCO

[

cadas ou não autorizadas e de licenças por doenças, habitualmente às segundas e sextas-feiras, próximos de feriados e da data de recebimento do salário;


ACE NO DIA A DIA N

esta edição, você, associado, conhecerá um pouco mais sobre o departamento administrativo/financeiro da ACE, que é uma das seis áreas da entidade. O setor tem responsabilidades internas, como: gestão de conta telefônica, documentação relacionada à diretoria, rotina de departamento de pessoal e compra de materiais para uso dos colaboradores. Também atende demandas externas: carta de exclusividade, contas a pagar, faturamento, cadastro dos associados, arquivo digital e cobrança.

[

[

Ingridy Layse, Daniele de Oliveira, Erik Lima e Rosângela Santos são os colaboradores do departamento e executam as atividades citadas


SERVIÇOS

ACE BNI ACE O BNI é a maior organização baseada na geração de negócios através da troca de referências e da construção de relacionamentos. Só no Brasil são 32 grupos em atividade, sendo que em Jundiaí há três grupos formados. Falando em negócios, no primeiro quadrimestre deste ano, foi gerado R$ 1,4 milhão em negócios fechados nas equipes jundiaienses. O quarto grupo da cidade, que está em formação e tem parceria com a ACE, reúne-se quinzenalmente às terças-feiras, às 7h, no Hotel Serra de Jundiaí. Para conhecer mais o BNI, basta fazer um pedido de visita ao diretor regional, Eduardo Collinett, pelo e-mail eduardo.collinett@bnibrasil.com.br.

Jantar 91 anos A ACE promove uma festa de gala para comemorar os 91 anos da entidade. O evento será no dia 14 de junho, a partir das 20h30, na sede de campo do Clube Jundiaiense. O cardápio é assinado pelo Buffet Ancona. A banda Santa Maria é quem está responsável por animar a festa. O jantar conta com o apoio exclusivo do Maxi Shopping e o patrocínio da Crimark, Teddy Bear, Faculdade Pitágoras e Sicredi.

Feira do Emprego A terceira edição da Feira do Emprego está programada para o dia 18 de agosto, a partir das 8h, na sede central do Grêmio C.P. A ACE, junto com o Sindeprestem, promove o evento que consiste em disponibilizar oportunidades de trabalho e também orientar quem está em busca de um emprego, por meio de atendimentos individuais e cadastro de currículos. Além disso, palestras gratuitas sobre diversos temas são oferecidas durante todo o evento.

Café de Negócios Todo mês, a ACE organiza o Café de Negócios, evento que tem como objetivo reunir empresários da região para que troquem experiências e façam novos contatos. Em um ambiente agradável, a entidade apresenta os benefícios que oferece e os participantes se apresentam e interagem entre si. Os próximos cafés acontecem em 13 de junho e 11 de julho.

12

varejo EM FOCO


PESSOAL [ O diferencial do proďŹ ssional de sucesso

14

varejo EM FOCO

[

ponto de vista

MARKETING


O

s anos passam e aí está um tema que nunca nos cansamos de ler e estudar ou, pelo menos, não deveríamos, já que quem trabalha seu próprio marketing pessoal é sempre muito antenado e adepto a mudanças.

Durante os treinamentos de marketing pessoal e etiqueta corporativa, as pessoas sempre me dizem que é muito caro investir na própria imagem. Olhando por esse ponto de vista, parece-me que uma pessoa que investe em marketing pessoal é apenas aquela que usa roupas e acessórios de marca. No entanto, quem tem essa perspectiva está muito enganado, pois o marketing pessoal é uma mescla bem interessante do atitudinal com a “embalagem”, que não tem nada a ver com marca e sim com bom gosto.

O marketing pessoal é aquele aplicado na gestão da própria imagem, ou seja, você passa a entender e enxergar que o produto da vez é você! Arrisco-me a dizer que algumas pessoas já nascem com o “DNA do marketing pessoal” pura e simplesmente por uma questão cultural e familiar, em que esse A essa altura, vocês pensam: está bem, por tópico sempre foi muito bem desenvolvido e, onde eu começo? O mais recomendado é por isso, bastou seguir o modelo. Outras, no sempre colher frutos em galhos baixos, ou entanto, não nasceram com esse privilégio, seja, comece com expressões simples, mas mas perceberam que pessoas de sucesso ti- que despertem receptividade, tais como: nham algo em comum: sabiam valorizar as pois não, desculpe, por favor, posso ajudar suas qualidades e, com isso, trabalhavam em algo mais, obrigado(a), com licença, muito bem o seu bom dia, boa marketing pessotarde, bom final al e acabavam de semana. Jasendo lembradas mais, em tempo O marketing pessoal é aquele sempre por essas algum, presuma marcas positivas. algo sobre um aplicado na gestão da própria cliente interno imagem, ou seja, você passa a Vamos pensar no ou externo; dianseguinte exemde uma “barentender e enxergar que o produto te plo: um profissioriguinha”, evite nal chegou com perguntar: Quanda vez é você! uma hora de do vai nascer o atraso ao almobebê? É menino ço de negócios, ou menina? na pressa deixou de fazer a barba, foi deselegante com uma Procure se engajar em blogs que falam sobre funcionária, subiu pelo elevador falando ao o assunto e mantenha-se informado, sem dúcelular e deu boas tragadas onde se lia “É vida você terá sucesso no desenvolvimento proibido fumar”. Detalhe: possui dois cursos do seu marketing pessoal. superiores, fala três línguas e tem MBA. Vocês acham que ele conseguiu fechar o negócio? Pois é, existe uma coisa difícil de ser ensina- Fernanda Lobo - especialista em treida e que talvez por isso esteja cada vez mais namento e desenvolvimento de pesrara: a elegância do comportamento. Estu- soas; consultora em comunicação dos já comprovam que se julga o outro pelos interpessoal, marketing pessoal e etitrês primeiros minutos. A partir disso, cria-se queta corporativa; sócia-diretora da uma marca-referência que, se positiva, não ComunicAto necessariamente será usada mas, se for negativa, sempre será lembrada. Vale ressaltar que imagem não é preconceito, é uma regra muito clara.


DESTAQUE [ FERNANDA SANDUVETTI

F

ernanda Sanduvetti de Paula Bauer, 33 anos, proprietária da Manipet, uma farmácia de manipulação veterinária.

“Sou farmacêutica de formação, já trabalhava na área de manipulação e sempre gostei, já meu marido é veterinário. Na época, começamos a conversar sobre o assunto e decidimos abrir a farmácia, em dezembro de 2008. Somos o único empreendimento na cidade na especialidade e temos registro no Ministério da Agricultura. Fazemos fórmulas especiais personalizadas, com foco no que

[

associado em destaque

ASSOCIADO EM

o veterinário prescreve e também na forma como o dono consegue administrar o remédio no animal. Além disso, desenvolvemos uma linha de florais e produtos especiais, como perfumes, cremes de hidratação e shampoos. Nosso diferencial é o apoio que damos aos médicos veterinários. Como vendemos para pessoa física e jurídica, associamos-nos à ACE Jundiaí para realizar consultas ao SCPC”.

16

varejo EM FOCO


NOVOS ASSOCIADOS

A

ACE Jundiaí dá boas-vindas aos novos associados e está de portas abertas para receber os empreendedores e à disposição para contribuir com o sucesso de cada empreendimento. • Carla Roberta Lima Freitas; • Manipet; • Lanchonete Restaurante Aeroclube; • Rosa Ortega Interiores e Marcenaria; • Centro de Beleza Personality e Equipe; • 7 Seven; • L E L Studio Hair; • Wilson Roberto Ramalho; • Hudson Almeida; • Sidnei Vitorino de Souza; • Eficahz; • Pedras Bandeirantes; • Horti Fruti Stella; • Ligieri Areia e Pedra; • AlphaGraphics Jundiaí; • Passarela Calçados; • Roberto Boa; • Casa no Interior Imóveis; • Espetinho Da Gosto; • Cristina Cabelo e Estética; • Auto Mecânica JK; • Cardelli; • Gira Pião; • IT Ar Condicionado; • Cantinho do Sabor Rotisserie;

• Pousada Luz Ely; • DDA Serviços Administrativos; • Favorita; • Ana Lúcia Ferreira da Silva Souza; • Fábio Antônio Braga Padrão Gomes; • Senador Imóveis; • Supermercado Estrela; • CB Freitas Construção Civil; • Gika Fashion; • Styllus Confecção; • Novitá Lingerie; • 2200 Funilaria; • Vianelo Imóveis; • Japi Printer; • Oficina de Beleza; • Mariane de Lima Oliveira; • Jaqueline Zerial; • Alexandre Antônio dos Santos; • Felicitá Soluções Imobiliárias; • Dreams; • Véio Restaurante; • Odontocopi Odontologia; • Buteko do Véio; • Greenville Projetos Terapêuticos; • Sol Xinello; • Infinity Desenvolvimento Humano; • Ponto Positivo; • Sr. Ozônio; • Delphos; • Bar da Léia.


18

varejo EM FOCO


DIA DOS NAMORADOS [ [

Pra não errar no presente: Data mais romântica do ano pede um carinho especial entre os casais

O

às 17h, os pombinhos poderão comemorar, se o time vencer, ou se consolar, caso o resultado seja negativo. Em qualquer uma das hipóteses, um presente cai bem.

A boa notícia é que independentemente do resultado do primeiro jogo, Brasil e Croácia,

Agradar ao par cabe em qualquer bolso. Preparamos uma lista de ideias para você não errar:

décimo segundo dia do mês de junho terá sabor ainda mais especial em 2014. É quando começa também o campeonato mundial de futebol, que acontece em terras brasileiras.


O QUE ELAS QUEREM

O QUE ELES QUEREM

Até R$ 30: Flores, bilhetes ou cartas de amor (se mandar pelo Correio melhor ainda); bichos de pelúcia; canecas, porta-retratos ou almofadas personalizadas com foto do casal; cosméticos e maquiagem.

Até R$ 30: Chocolate e camiseta. De R$ 30 a R$ 100: Relógio, roupa, calçados, show da banda preferida, itens relacionados ao time do coração ou às seleções da Copa, perfume.

De R$ 30 a R$ 100: Jantar romântico, massagens relaxantes, cestas customizadas, roupas, calçados e perfumes.

Acima de R$ 100: Video game, jogos, acessórios para o carro.

Acima de R$ 100: Filhotes com laço vermelho no pescoço e joias.

O QUE OS DOIS QUEREM Celular, tablet, viagem a dois, carro, casa e surpresas românticas em geral.

20

varejo EM FOCO


“Nada nunca é opção. Pelo menos um bilhete eu preciso receber.” (Rosângela Santos)

“Prefiro ser surpreendido. Gosto de ganhar momentos especiais, quanto mais exclusivos melhor!” (William Paixão)

“O tempo do namoro influencia no presente. No início da relação, dar ou receber algo muito caro assusta um pouco...” (Ingridy Layse da Silva)

ACE SORTEIA

JANTAR AOS APAIXONADOS

N

as compras acima de R$ 100, os consumidores que comprarem nas mais de 200 lojas identificadas com o cartaz da promoção, que acontece entre 15 de maio e 15 de junho, concorrem a 30 jantares românticos no restaurante Beira Rio em Jundiaí.


matéria de capa

A T S A E S F S A NO É 22

varejo EM FOCO


N

a loja especializada em festas, administrada por Richard Alexandre Gonella, de 27 anos, o campeonato de futebol mais famoso do mundo já começou. Entre os itens à disposição, é possível encontrar copos, chapéus, convites, velas em forma de jogador, cartolas, tiaras, buzinas e muitos outros, tudo para que a festa de aniversário ou comemoração com a galera seja personalizada enquanto os jogos estiverem acontecendo. “A procura já começou, mas ainda é tímida. Sabemos que o brasileiro deixa esse tipo de compra para a última hora e estamos a postos para atender a demanda que deve se apresentar”, avisa o empresário. Em um ano comum, os meses de maio, junho e julho não são especialmente movimentados no estabelecimento, o que deve ser diferente em 2014. “Esperamos um acréscimo de 30% em relação ao mesmo período do ano passado”, aposta Richard. A fim de atrair os consumidores, o jovem empreendedor usa as mídias sociais para divul-

[

[

Aproveitar a Copa do Mundo pode significar também ganhar muito dinheiro. Segmentos como alimentação, festas e bancas de jornal estão empolgados com o Mundial, que promete alavancar as vendas

gar as novidades. “Nossa página no Facebook está sempre atualizada”, avisa. Quem também está animada com as oportunidades do mundial é Heloyna Márcia Coelho Soares, de 33 anos. Ela é proprietária, há dez anos, de lanchonete e restaurante instalados no aeroclube de Jundiaí, onde também funciona uma escola de aviação. “Nossos clientes são pilotos, estudantes, funcionários do local e visitantes. Normalmente, na época de férias, em junho e julho, o faturamento cai, mas já estou percebendo que 2014 está sendo mais lucrativo”, aponta. Segundo a empresária, o movimento já cresceu 30% nos últimos dias. “Percebo a chegada de profissionais da capital, contratados para a manutenção dos jatos que terão mais circulação no período da Copa, visto o aluguel dos aviões por parte de empresários que acompanharão os jogos”, relata Helô, como gosta de ser chamada. Com o objetivo de atender com mais qualidade os clientes e atraí-los para consumir no estabelecimento, a empresária investe em

Álbum simples custa R$ 5,90 e edição especial com capa dura sai por

Itens para decoração de festas com motivos do Copa Mundo variam

R$ 24,90; figurinhas são vendidas a R$ 1 o pacote com cinco

de R$ 2 a R$ 17


matéria de capa

infraestrutura, cardápio e promoção. “Compramos outra geladeira, para caberem mais bebidas, e outra televisão, para ser instalada na área externa, a fim de que, enquanto assistem aos jogos, os clientes também possam olhar os aviões”, explica. “Incluímos também novas porções, como salgadinhos em verde e amarelo, coxinha e bolinha de queijo, que tenho certeza de que vão agradar aos clientes”, acredita. “E também, quem consumir três cervejas recebe um cupom para concorrer a uma caixa térmica que será sorteada no último jogo”, divulga.

com capa dura, que custa R$ 24,90. “Infelizmente, a edição especial está em falta. Meu faturamento seria muito maior, já que a procura é grande”, lamenta. A venda também é fomentada pela simples visita à banca. “Se a mãe vem comprar figurinhas para o filho, acaba levando uma revista. E se junto traz consigo a filha, o gasto é ainda maior, porque, enciumada, a menina também deseja ter seu próprio álbum, porém com outro tema mais feminino, como as princesas”, comemora. Presentes também são muito comuns. “Os avós querem agradar aos netos e por isso sempre visitam a banca em busca das figurinhas”, explica.

Colecionando clientes Mais satisfeita ainda com o mundial está Marina Mendes Pereira, de 48 anos, proprietária de banca de jornal. Embora o ponto esteja instalado na Avenida Nove de julho, em Jundiaí, há 16 anos, a administração é dela desde 2011, sendo, portanto, a primeira Copa em que ela acompanhará as vendas. “Estava para entregar o negócio, porém fui indicada a pelo menos esperar o campeonato passar. Realmente, não me arrependi”, relata.

-se.

Por dia são vendidas, em média, mil embalagens de figurinhas, a R$ 1 cada, sendo cinco por pacote. “Desde que a promoção começou, em 4 de abril, vendi cerca de 150 álbuns. Porém, tenho certeza de que a procura ainda vai aumentar, pois o mundial nem começou”, prevê. São duas as opções de álbuns, o mais simples, vendido a R$ 5,90, e outro exemplar

E n t r e os casos mais curiosos, Marina cita um cliente que está fazendo quatro álbuns simultaneamente e também um casal. “Os dois possuem álbum. Ela, que se diz mais azarada em encontrar os jogadores, já gastou, escondida do namorado, mais de mil reais com figurinhas e ainda assim não completou a coleção”, diverte-

Aproveitando ao máximo as oportunidades da Copa do Mundo 2014, a empresária usa sua banca como ponto de troca. “Faço duas figurinhas por uma e assim mantenho um bom estoque, possibilitando novas trocas. Também as vendo individualmente, por R$ 0,35. Mais feliz ainda fico por saber que, além de mim, outros colegas do segmento estão ganhando com a realização do mundial”, finaliza.

24

varejo EM FOCO


Copa 2014 deve impactar mais de 300 mil micro e pequenas empresas paulistas Levantamento da Fundação Getúlio Vargas aponta 456 oportunidades de negócios que surgirão no estado com o mundial. A cidade de São Paulo deve receber, segundo o Ministério do Turismo, cerca de 258 mil turistas estrangeiros e aproximadamente 1,2 milhão de visitantes de todo o país. Estima-se que cerca de 300 mil micro e pequenas empresas paulistas, de todos os setores, têm chances de crescimento econômico com a chegada do mundial de futebol. A Copa do Mundo 2014 começa em 12 de junho, quinta-feira, e o primeiro jogo será entre Brasil e Croácia, às 17h.


acontece na ACE

ACONTECE NA ACE Dia das Mães Para comemorar o Dia das Mães, a ACE organizou uma ação social na Praça Governador Pedro de Toledo (Praça da Matriz). Durante cinco horas, os consumidores que estiveram na área central aproveitaram para cortar os cabelos, hidratar o rosto e aprender técnicas de maquiagem.

Para que novos projetos sejam desenvolvidos mais próxima dos associados, a ACE adquiriu um automóvel. O veículo já circula pela cidade.

A Uniodonto foi uma das empresas parceiras, orientando sobre saúde bucal e distribuindo brindes.

Durante a ação, a população presente também pôde realizar consultas de nome gratuitas ao SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) e receber orientações sobre finanças pessoais com o educador financeiro Pedro Braggio.

26

varejo EM FOCO


Para que as mães pudessem aproveitar o evento, um espaço destinado às crianças foi montado, com desenhos para colorir e pintura facial. Além disso, pipoca e algodão-doce foram distribuídos.


A CARA DA

SUA LOJA

28

varejo EM FOCO

[

[

A vitrine e a fachada s達o a chance que um empreendedor tem de conseguir se diferenciar dos demais e atrair o cliente para dentro do seu ponto de venda


M

uitos empreendedores reclamam que os clientes passam por seu estabelecimento, mas nem sequer entram para conhecer o produto. Se esse é o seu caso, experimente ir até a frente de sua loja e ficar alguns minutos observando sua vitrine e fachada. Você entraria num ambiente assim para consumir? A resposta pode dar bons direcionamentos de que a hora de reformar ou apenas atualizar as peças em exposição chegou. Carina Fogagnolo Prado, de 36 anos, conseguiu nitidamente perceber a importância da vitrine para seu negócio. “Abri a loja há cinco meses. No início, coloquei alguns pufs para chamar a atenção dos clientes, porém, apesar de se interessarem pelo produto, eles decepcionavam-se quando descobriam o preço, visto que trabalho com itens de mais qualidade e por isso também com valor maior”, relembra. A empresária resolveu a questão quando modificou a vitrine e colocou ambientes mais bem elaborados e completos, destacando os móveis de alto padrão para a visualização de quem passasse pelo local. “Como mágica, novos clientes, exatamente enquadrados no público que quero atingir, começaram a entrar e as vendas aumentaram”, comemora. “Essa simples troca marcou a identidade da loja”, acredita. Por sempre trabalhar na área de Arquitetura, já que é formada em design de interiores, Carina, mesmo antes de abrir, se preocupou com o visual de seu negócio. “A vitrine é atrativo, desperta o interesse do consumidor e por isso cuidei de cada detalhe. No próximo lançamento de coleção, pretendo contar com a ajuda de profissionais na ambientação da loja a fim de agradar ainda mais”, planeja.

Como montar uma vitrine atraente e aumentar as vendas Simples mudanças que podem fazer o cliente entrar e comprar: •O ideal é focar a exposição dos produtos nas necessidades reais do consumidor. Se, mesmo no inverno, o tempo esquenta, é recomendável, em uma loja de roupas, expor alguns produtos com cara de verão; •Para decidir o que expor na vitrine, o empreendedor deve conhecer qual é percentual das vendas dos produtos. O que é mais vendido precisa aparecer mais; •Cuidado com o uso das cores. Uma dica é colocar apenas três para não gerar confusão visual nos clientes; •O empreendedor que decidir fazer sua vitrine sozinho precisa treinar a equipe. Um colaborador terá de ser o responsável por essa área e realizar os ajustes necessários periodicamente; •Conheça o corredor comercial onde se atua. Uma boa vitrine em um local poderá não surtir o mesmo efeito em outro. Por isso, uma loja de rua e uma de shopping são diferentes; •Outra dica é descobrir qual é ponto forte do negócio. Um exemplo são as Casas Bahia. O forte deles é o parcelamento. Então, tudo na vitrine chama para isso e o preço total do produto fica escondido; •Toda a comunicação tem de estar na altura dos olhos do cliente. Caso contrário, a vitrine gerará desconforto visual; •Trocar os objetos expostos e a ambientação da vitrine periodicamente é essencial para não cansar o olhar dos clientes. O tema pode ser trocado mensalmente, mas os produtos têm de ser mudados toda semana.


[LEITURA] [Dica 1] No livro Transformando suor em ouro, o técnico Bernardinho apresenta uma fórmula para se alcançar o sucesso, que é: trabalho + talento = sucesso. Na obra, ele aponta que esforço e perseverança são fundamentais para todos os profissionais, independentemente do setor em que se atua. Outro ponto defendido é o trabalho em equipe.

Atualmente, a produtividade é um assunto bastante discutido. Criar um método, ter foco, fazer reuniões curtas e saber dizer NÃO são algumas das atitudes, apontadas por especialistas, que podem contribuir para que seu tempo renda e consiga executar mais tarefas e trabalhar menos.

Bernardinho é considerado por muitos o símbolo da liderança moderna.

[Dica 2] Na rotina de um empreendedor, o agendamento de reuniões é comum, por isso torná-las produtivas deve ser a meta. Vai se reunir com um cliente? Pesquise sobre a empresa e área de atuação, estabeleça um tempo de duração, documente informações importantes, deixe pronto o material que precisa ser apresentado e intercale as formas de se encontrar com ele – com tantas mídias disponíveis, além de presenciais, algumas reuniões também podem ser virtuais.

30

varejo EM FOCO


Revista Varejo em Foco - ACE Jundiaí #3  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you