Issuu on Google+

FOTO: CLEMENTE COUTINHO

ESPORTE

Na onda de Cristo Evangelizar e integrar o surfista em alguma comunidade local é o principal desafio, há mais de 20 anos, da Missão Surfistas de Cristo

impostas. A missão tem encontros semanais em alguns núcleos, e o voluntariado é o destaque dado pelo pastor. “Esses são os caras que fazem a missão acontecer. Pra você se filiar a missão oficialmente tem que ter comprometimento e congregar em uma igreja. O ministério desses voluntários é a missão. A gente tem lá o compromisso voluntário de ofertar sem valor estipulado”.

 CAPELANIA DO SURF

POR VINICIUS MARIANO

Com arrebentação* forte no inside* o surfista pode se afogar entre um caldo* e outro, mas para não deixar muitos dessa tribo alternativa levar vacas*... Calma aí, você deve estar se perguntando que linguagem é essa e o que o surfe tem a ver com evangelismo, não é mesmo? Devido à falta de conhecimento e até mesmo interesse em alcançar esse grupo minoritário é que a Missão Surfista de Cristo (MSC), criada em 1989, realiza um trabalho diferenciado de integração do atleta com uma igreja local.

É T I C A C R I S T Ã • 2 012

 PRIMEIRAS REMADAS

18

A missão nasceu no coração do surfista e pastor pernambucano Dario Fraga enquanto caminhava pela praia em Olinda (PE) e, hoje se espalha por toda a costa brasileira. Com um único objetivo em todos os 25 núcleos que banham a costa litorânea brasileira, é que a MSC busca aqueles de bermuda, com pele e cabelos queimados e prancha debaixo do braço, para apresentar Jesus de forma relevante. O evangelismo neste caso é baseado em um relacionamento de amizade e con-

 GESTÃO COM VISÃO DE REINO Diretor Nacional da missão desde 2004, Busatto sentiu desejo de trabalhar com surfistas em 2002, já que era um deles. Apoiado pela igreja Cristo Salva, da qual é pastor, Busatto com 20 anos passou por uma experiência real com Deus em 1992. Em seguida passou a realizar reuniões em seu lar. Com alguns anos de trabalho e experiência, Busatto conta que o maior desafio desde que assumiu a MSC é integrar o surfista na igreja. Inúmeros fatores contribuem para essa deficiência. “A gente capacita igrejas e líderes para falar com esse surfista integrado, mas por inúmeras razões ele (surfista) não dá continuidade. Às vezes por que não tem atenção necessária da igreja que é muito grande, o perfil dele não combina com o da denominação ou então a MSC falha nessa inserção do surfista. Mas temos tido bons resultados. É como a parábola da se-

 Marcos Santos, 34, é quem coordena todo o circuito nordestino de surfe como capelão.

mente, alguns caem em meio à terra boa, outros não”. O diretor destaca o fato de integrar o surfista convertido em ministérios com visão de reino e que apóiam o ministério sem interesse próprio. “Por não levantar bandeira de nenhuma denominação, muitas delas não dão atenção ao evangelismo de praia. No Brasil o trabalho missionário é um grande desafio e fazer missão com surfista é ainda mais. Creio que se levantássemos alguma bandeira teríamos muito mais apoio. Muitos pensam que evangelizar na praia é tirar férias, entregar uma bíblia e depois voltar pra casa, mas o evangelismo da Missão Surfistas de Cristo não é desse jeito que ocorre”. Qualquer um pode participar das reuniões semanais em alguns dos núcleos, mas Busatto destaca a importância daqueles que entram para a Missão Surfistas de Cristo com objetivo de ser voluntário, com algumas condições e responsabilidades

A missão é reconhecida no circuito do surfe nacional, por conta do projeto de capelania oferecido ao surfista. Com o apoio da Associação Brasileira de Surf Profissional (Abrasp), hoje o projeto, que já existia no circuito mundial, é uma realidade no cenário brasileiro. A capelania busca contribuir para o crescimento e desenvolvimento do surfista. Atualmente, Marcos Santos, 34, conhecido como Marquito, é quem coordena todo o circuito nordestino de surfe como capelão. O surfista que já foi campeão brasileiro e nordestino em 2008, está sempre competindo, mas entre uma bateria* e outra a dedicação é voltada nas conversas e orações com surfistas e Staff*. “Procuro ser a presença cristã no circuito. Faço oração e fico atento aos atletas para saber se necessitam de uma palavra” conta Marquito, que também lamenta o fato de não haver apoio suficiente das igrejas com a MSC. “As igrejas estão preocupadas em implantar novas igrejas. O reino não se resume somente a Jerusalém, mas também aos confins da terra”.

BÍBLIA DO SURFISTA A Bíblia do surfista surgiu na Austrália como projeto da CSI em parceria com a Sociedade Bíblia Mundial. Depois de publicada em cinco idiomas, incluindo o português do Brasil, é que Sérgio manteve contato com gráficas, pediu para amigos traduzir a versão em inglês do livro, mas tudo em vão. O diretor da Christian Surfers Internacional, Bratt Davis, não aprovou a ideia por se tratar de um livro sagrado. O sonho foi concretizado apenas em 2007, em parceria com a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), que imprimiu 20 mil exemplares da Bíblia do Surfista. Em 2010, a segunda edição já estava sendo distribuída entre os brothers, que, alcançavam outros surfistas durante as trips* com amigos.

 MARCOS SANTOS

DICIONÁRIO DO SURF* • • • • • • • • • • • • •

Arrebentação: Local ou momento onde as ondas quebram Bateria: sessões onde os surfistas são divididos para competir e quem vencer a bateria passa para a próxima Big Rider: Surfista de onda grande Brother: Irmão (tradução literal), amigo, parceiro Caldo: Quando se cai da prancha Drop: Descer a onda da crista até a base Flat: Mar sem ondas Inside: Qualquer lugar dentro da arrebentação das ondas Pipeline: Sequência de ondas gigantes em uma determinada época do ano no Havaí Staff: Equipe de apoio envolvida no campeonato Swell: Ondulação Trip: Viagem Vaca: Queda, tombo

É T I C A C R I S T Ã • 2 012

 Sérgio Busatto, 40 é surfista e diretor nacional da MSC

fiança, para que o surfista conheça gradativamente o evangelho. Nas igrejas nunca existiu um método para alcançar e integrar esta tribo a comunidade cristã. Nem sequer uma Bíblia especial, como a Bíblia do Surfista, para que a linguagem cristã tivesse fácil compreensão por eles. Mesmo assim, Dario não desistiu e fez do chamado uma grande missão, que atualmente conta com quase mil surfistas e já faz parte da ‘Surfistas de Cristo Mundial’ (Christian Surfers Internacional – CSI), criada em 2001, posteriormente à MSC. De sua fundação aos dias atuais, a direção nacional da MSC mudou apenas uma vez. Dario, que ficou 15 anos na liderança, decidiu orar para a sucessão e como resposta Sérgio Busatto, 40, o substituiu.

19


NA ONDA DE CRISTO