Page 1

Luciano Pereira

ENSINO SUPERIOR

PODER DA EXPERIÊNCIA

Secretário do Ministério da Educação fala sobre a necessidade de o país proporcionar maior acesso às universidades PÁG. 7

JORNAL DA

Adriano Silva dá a dica: procure uma referência em seu time, cole nele e aprenda com ele PÁG. 15

i

WWW.UNISC.BR

JORNAL DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL, ANO XIV, NÚMERO 73, JULHO DE 2007

DE GIRASSOL A BIODIESEL

Trainees estrangeiros da Aiesec atuam em projeto de inclusão digital PÁG. 6

extração de óleo dos grãos do girassol, plantado em lavouras experimentais. O material foi repassado à Universidade, onde será utilizado para fabricar biodiesel que, posteriormente, será testado em tratores PÁG. 10

Luciano Pereira

Jô Nunes

A primeira etapa do projeto de aproveitamento do girassol para produção de biodiesel, desenvolvido pela Unisc e pela Afubra, foi concluída. Na apresentação dos resultados, no início de julho, foi feita a demonstração da

INTERCÂMBIO

UNISC TV E CANAL FUTURA Parceria estréia nova programação no canal 15 da Net PÁG. 4

INCUBADORA TECNOLÓGICA

Cinco empresas de Venâncio Aires já estão incubadas pela Itunisc PÁG. 11 Divulgação

BALANÇO SOCIAL

Em meio às atividades comemorativas ao 14º aniversário da Unisc, a Apesc apresentou à comunidade e à imprensa o seu Relatório de Responsabilidade Social e o Balanço Social 2006. Mais do que números, o material mostra as atividades de ensino, de pesquisa e de extensão que as quatro mantidas da Apesc desenvolveram ao longo do ano PÁGs. 8 e 9 Fernanda Mallmann

ROBÓTICA EDUCATIVA O Robokit, desenvolvido pelo curso de Licenciatura em Computação em parceria com a empresa Imply, foi criado para levar às crianças tecnologia e pesquisa. Equipamento foi colocado em prática na Escola Educar-se, que validou o produto

PÁG. 3

Lilian Tremea

VER-SUS EXTENSÃO

Estudantes de diversos cursos trocam as férias por trabalho com educação popular PÁG. 10


2

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

PÁGiNA

2

CARTA AO LEITOR

PALAVRA DO REITOR A Universidade vive hoje um momento de grandes desafios. Em face das mudanças no cenário educacional, há necessidade de implementar ajustes internos para manter a Instituição na rota do crescimento com qualidade. Na verdade, ajustes estão sendo efetuados há vários anos, desde que foi percebido no cenário do ensino superior brasileiro e regional uma diminuição do ritmo de crescimento e, ao mesmo tempo, a proliferação de instituições superiores, muitas delas não universitárias, estabelecendo acirrada concorrência de vagas e preços. Diversas universidades do país, incluindo várias Comunitárias gaúchas, estão fazendo ajustes. As medidas adotadas nos últimos anos pela Unisc, de redução de custos e de otimização de serviços e investimentos, permitiram evitar aumentos reais nas mensalidades e até oportunizaram a redução das mesmas em alguns cursos, mas temos a convicção de que é necessário ir além. Precisamos praticar preços mais acessíveis, sem comprometer nossa qualidade. É uma tarefa complexa que só pode ser enfrentada com a cooperação de toda a comunidade acadêmica. Diversas medidas de ajuste orçamentário estão no momento sendo implementadas e outras estão em discussão. Em seu conjunto, elas visam reduzir custos, sem cortar investimentos, objetivando preservar as funções estratégicas da Universidade, seu qualificado

Fazendo jus à tradição da Unisc, as propostas estão sendo discutidas com tranqüilidade e transparência corpo funcional, suas atividades abrangendo todas as áreas do conhecimento, suas atividades de extensão e sua presença marcante no contexto regional, mantendo a Unisc no patamar de outras Universidades Comunitárias bem-sucedidas. Fazendo jus à sua tradição democrática e participativa, as propostas estão sendo discutidas em um clima de tranqüilidade e de transparência. É esse ambiente que possibilitou à Unisc chegar onde chegou. É esse ambiente que vai possibilitar as adequações necessárias para os novos tempos. Os novos tempos são, em 2007, objeto de debates intensos, também por conta da elaboração dos grandes instrumentos de planejamento da Universidade: o Projeto Político-Pedagógico Institucional e o Plano de Desenvolvimento Institucional. O primeiro deles é um documento que contém as grandes diretrizes filosóficas e políticas da Instituição. Nele constam a Missão, a Visão, os Objetivos, os Valores, os Compromissos e as Políticas de Ensino, Pesquisa, Extensão e Gestão. Os debates em curso indicam que as linhas fundamentais da Universidade serão mantidas, mas com aprofundamento e atualização das diretrizes da vida institucional. O Plano de Desenvolvimento Institucional, que deve ser concluído durante o segundo semestre, envolve o planejamento da Unisc para os próximos cinco anos. Ele detalhará as metas e ações associadas às políticas da universidade, definindo prioridades e responsabilidades. O envolvimento da comunidade acadêmica nessas importantes tarefas é um diferencial da nossa Instituição, e é importante porque, mais uma vez, possibilita ao conjunto de docentes, técnicos e alunos ajudar a definir os rumos da Unisc. Vilmar Thomé Reitor da Unisc

No dia 25 de junho de 2007, a Universidade de Santa Cruz do Sul completou 14 anos. Como de costume, diversas atividades foram promovidas não apenas no mês do reconhecimento como Universidade, mas também ao longo de todo o ano, para festejar a data. Torneios esportivos, shows, palestras, concursos de crônicas e de fotos, entre outros. No dia 25, porém, a Universidade homenageou professores e funcionários que completaram qüinqüênio na Instituição, contando-se, inclusive, os anos de trabalho na antiga Fisc e nas faculdades isoladas. Após as homenagens, houve apresentação do Corpo de Danças da Unisc, seguida de torta e salgados para todos. Três dias antes, também como parte das comemorações de aniversário, o secretário de Educação Superior do MEC, Ronaldo Mota, falou aos professores e funcionários da Universidade sobre o tema Educação Superior no contexto do Plano de Desenvolvimento Educacional e sobre a necessidade de o país proporcionar o acesso ao Ensino Superior, mas com qualidade, inclusão social e visão

de territorialidade. Tema polêmico, sala lotada, e um pouco da opinião de Mota pode ser lido na página 7 desta edição, em entrevista concedida ao Jornal da Unisc. Aproveitando a ocasião, os festejos e a presença da comunidade acadêmica e da imprensa, logo após a palestra o reitor da Unisc e presidente da Apesc, Vilmar Thomé, apresentou o Relatório de Responsabilidade Social e o Balanço Social 2006 da Apesc. Em meio às comemorações do seu 14º aniversário, a Unisc e as demais mantidas mostram que o presente quem ganha é a comunidade, razão de ser da Instituição. Ao longo de 2006, foram mais de 80 mil atendimentos gratuitos à comunidade, o que significa um investimento de mais de R$ 3 milhões na prestação de serviços nas áreas da Saúde, da Educação e do Direito. Nas páginas centrais deste Jornal é apresentado um pouco do Balanço Social e do Relatório da Apesc, que inclui ainda os serviços e projetos do Hospital Santa Cruz, da Escola Educarse e do Centro de Educação Profissional (Cepro).

como

BUSCAR NOVAS FONTES DE ENERGIA? As sociedades primitivas tinham baixa necessidade energética. Basicamente, era suprida pela alimentação e pelo fogo, fazendo com que houvesse uma satisfação das necessidades exigidas. Conforme a sociedade foi se tornando mais complexa, as necessidades energéticas foram mudando. Hoje, a energia é o processo básico para qualquer ação humana. Vejamos: da alimentação, de onde suprimos a energia básica para a sobrevivência, passamos a depender de energia para o deslocamento, para a comunicação, para a saúde, para o trabalho. Enfim, se formos analisar todas as atividades que a sociedade desenvolve, a energia é fator fundamental. Atualmente, a maior fonte energética vem dos combustíveis fósseis (petróleo, carvão e o gás). Essa demanda, por ter crescido muito nas últimas décadas, teve como conseqüências o aquecimento global. A busca por alternativas energéticas para suprir ou substituir as fontes hoje existentes tornou-se um fator fundamental para o desenvolvimento de um país ou de uma região. Nessa procura são buscadas fontes alternativas nos biocombustíveis e em novas hidrelétricas. Em entrevista re-

cente na revista Newsweek, o cientista Craig Venter, que trabalha com biologia molecular, afirmou que a energia é, provavelmente, a maior pressão de demanda de nosso planeta. Ele afirma ainda que os combustíveis são um mercado de trilhões de dólares. Nesse sentido, ele procura desenvolver novos organismos transgênicos (modificados geneticamente) para que células sejam fábricas bioquímicas que produzam combustíveis (energia) a partir do açúcar ou o do sol, por exemplo. Como se pode ver, a busca por novas fontes de energia é controversa. Assim, é preciso buscar produzir formas de energia mais limpas, como a solar, a eólica ou os biocombustíveis, por meio da produção de vegetal (cana de açúcar, soja, girassol), aproveitamento de biomassa, pequenas centrais hidrelétricas etc. Porém, alguns querem essa produção pela transgenia e todas as conseqüências que ela possa provocar. De tudo isso, para a nossa sociedade, vale o seguinte: cuide do planeta – economize energia. Prof. Dionei Minuzzi Delevati Coordenador do Núcleo de Recursos Hídricos

Onde encontrar o Jornal da Unisc Campus Venâncio Aires Campus Sobradinho Campus Capão da Canoa A Banca Aquarius Hotel Flat Residence Biblioteca Municipal Casa das Artes Colégio Luiz Dourado

Escola Ernesto Alves Escola Willy Carlos Fröhlich Escola Goiás Escola Santa Cruz Galeria Farah Hospital Santa Cruz Iluminura Livraria Café Loja do Posto do Gordo Shopping Center Santa Cruz

Sine Zaffari Campus Santa Cruz: Central de Informações Centro de Convivência Clínica de Fisioterapia Blocos 8, 12, 18 e 53 Reitoria

EXPEDIENTE Conselho Editorial: Reitor: Prof. Vilmar Thomé Vice-Reitor: Prof. José Antônio Pastoriza Fontoura Pró-Reitora de Graduação: Profª Carmen Lúcia de Lima Helfer Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação: Profª Liane Mählmann Kipper Pró-Reitor de Extensão e Relações Comunitárias: Prof. Luiz Augusto Costa a Campis Pró-Reitor de Administração: Prof. Jaime Laufer Pró-Reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional: Prof. João Pedro Schmidt Editor: Luciano Pereira, reg. prof. 9234 Reportagem e Redação: Fernanda Mallmann, reg. prof. 10.208; Luciano Pereira, reg. prof. 9.234; e Thiago Stürmer Projeto Gráfico e Capa: Agência da Casa Editoração Eletrônica: Assessoria de Imprensa Revisão: Roque Neumann JORNAL DA UNISC: Órgão Informativo da Universidade de Santa Cruz do Sul. Entidade filiada ao Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung), ao Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub) e à Associação Brasileira das Universidades Comunitárias (Abruc) Tiragem: 8 mil exemplares Versão On-Line: Erion da Silva Lara Site: www.unisc.br/jornaldaunisc Endereço: Av. Independência, 2293, bloco 3, sala 309. Santa Cruz do Sul/RS. CEP: 96.815-900. Telefone: (51) 3717-7466. E-mails: fernandm@unisc. br ou lpereira@ unisc.br Este material é produzido em papel reciclável.


ENSiNO

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

3

A educação e a tecnologia podem andar juntas, mesmo quando se tratar do ensino para crianças. Prova disso foi apresentada a alunos, pais, professores e comunidade no dia 14 de junho, na Unisc. O curso de Licenciatura em Computação da Universidade, em parceria com a empresa Imply Tecnologia Eletrônica e a Escola Educar-se, lançaram o Robokit, um kit de robótica educativa. A idéia do Robokit surgiu há um ano, no curso de Licenciatura em Computação. “Queríamos criar um produto para a educação que fosse nosso, pois todos os produtos nessa área são importados”, explica a professora Márcia Kniphoff da Cruz, coordenadora do curso. O passo seguinte foi procurar uma empresa que tivesse a tecnologia. “Encontramos a Imply e colocamos o plano em prática. Estamos felizes porque hoje temos um produto pensado para educação, que une conhecimento lógico e imaginação”, reforçou. Para o reitor da Unisc, Vilmar Thomé, o mérito do produto é conseguir trabalhar tecnologia e pesquisa com crianças. “A Universidade amplia o seu alcance com inovações como essa. Uma das nossas metas deve ser levar isso para

outras escolas também”, ressaltou. O diretor da Imply, Tironi Paz Ortiz, que acompanhou a solenidade, destacou a parceria e o resultado. “O trabalho em conjunto com a Universidade nos deu um novo aprendizado. Esperamos que ele leve conhecimento às escolas e às crianças”, observou. Robokit Consiste em um kit de robótica educativa que possui caixa controladora independente (funciona sem computador), motores pequenos e leds (pequenas luzes). A caixa apresenta um teclado colorido, próprio para crianças e adolescentes. Por meio de programação, nesse teclado é possível controlar os motores e os leds. O kit é ideal para o desenvolvimento de programação e robótica, animando maquetes e inventos dos alunos da educação básica. É composto por quatro leds, dois motores contínuos e um motor de passo. O Robokit permite, ainda, a programação de sons, a repetição de comandos e a elaboração de procedimentos. O Robokit foi colocado em prática na Escola Educar-se, que validou o equipamento. A comercialização do produto é feita pela Imply.

Coordenadora do curso de Licenciatura em Computação da Unisc, Márcia Kniphoff da Cruz

10 anos do Curso de Turismo Em comemoração aos 10 anos do Curso de Turismo da Unisc, foi realizado, no dia 29 de junho, o evento Tendas Gastronômicas. A atividade ocorreu na sede da Associação dos Docentes da Universidade, no campus de Santa Cruz do Sul. O Tendas Gastronômicas oportunizou aos acadêmicos da disciplina de Serviços de Alimentação I, ministrada pelo professor Roberto do Nascimento e Silva, demonstrar a teoria e a prática em conjunto. O evento contou com relato histórico e apresentação de pratos de diversas culinárias para degustação dos presentes. O Curso de Turismo da Unisc já formou, nesses 10 anos, cerca de 180 profissionais.

Alunos da Educar-se trabalharam com o Robokit. Escola validou o equipamento desenvolvido pelo curso de Licenciatura em Computação em parceria com a Imply

Alunos da Medicina iniciam atendimentos Mais um incremento na qualidade da saúde pública municipal. Desde maio, alunos do curso de Medicina da Unisc estão realizando os primeiros atendimentos a pacientes do Sistema Único de Saúde - SUS, encaminhados dos postos de saúde. Pacientes clínicos, que necessitem de avaliação médica e de realização de exames poderão estar sendo orientados a procurar o Centro de Educação Profissional, anexo ao Hospital Santa Cruz, onde serão atendidos pelos alunos, coordenados por professores médicos do curso de Medicina da Universidade. Inicialmente, o atendimento está sendo oferecido duas vezes por semana, nas terçasfeiras pela manhã e nas quartasfeiras no turno da tarde, sendo disponibilizadas 10 consultas clínicas por turno. “Nós estaremos realizando este primeiro atendimento aos pacientes vindos dos PSF, onde faremos o diagnóstico, realizaremos os exames necessários e encaminharemos o paciente já com sua avaliação a especialistas, médicos dos postos para acompanhamento ou até mesmo ao plantão de urgência, quando da necessidade de

Assessoria de Comunicação / HSC

Kit permite programação de sons, repetição de comandos e elaboração de procedimentos

Fotos: Fernanda Mallmann

UNISC E IMPLY LANÇAM ROBOKIT EDUCACIONAL

Alunos do curso de Medicina estão realizando os primeiros atendimentos a pacientes do Sistema Único de Saúde

internação hospitalar”, salientou a professora e médica do HSC, Cynthia Caetano, uma das responsáveis pela coordenação acadêmica. Além das salas de aula e dos laboratórios de ensino, a área acadêmica do HSC possui doze consultórios médicos novos, equipados e prontos para atender aos pacientes encaminhados das unidades de saúde do município. Para ter acesso a esse serviço, o paciente deverá procurar o posto de saú-

de de seu bairro, que marcará as consultas com a Secretaria Municipal de Saúde e, conforme a disponibilidade de vagas, encaminhará o paciente até a área acadêmica do hospital. Mais esclarecimentos podem ser obtidos na Secretaria Municipal de Saúde, com Daniele, pelo telefone (51) 2109-9317, ou na secretaria da área educacional da medicina, com Tássia, pelo telefone (51) 3713- 2204.


4

360º

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

Junio Nunes

CAMPUS EM MONTENEGRO Foi aprovado por unanimidade, no dia 12 de junho, na Assembléia Legislativa, o projeto de lei que destina uma área de 6 hectares para a instalação de um campus da Unisc em Montenegro. O projeto estava em tramitação desde dezembro do ano passado. Segundo o pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, João Pedro Schmidt, a Universidade e a prefeitura de Montenegro deverão se reunir para discutir o andamento do projeto. “Acreditamos que, a partir de agora, o processo será agilizado”, afirma o pró-reitor. A expectativa da Universidade é iniciar os trabalhos em Montenegro até o primeiro semestre de 2009.

FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA Já estão abertas as inscrições para o 4º Congresso Sul Brasileiro de Fisioterapia Respiratória e Fisioterapia em Terapia Intensiva (Sulbrafir), que ocorrerá na Unisc de 5 a 7 de outubro. O evento é realizado pela Associação Brasileira de Fisioterapia Cardiorrespiratória e Fisioterapia em Terapia Intensiva (Assobrafir) e é promovido a cada dois anos. Paralelamente ao congresso também ocorrerá a 5ª Jornada Gaúcha de Fisioterapia Respiratória e Fisioterapia em Terapia Intensiva, vinculada à Assobrafir, regional Rio Grande do Sul.

Os eventos contam com a participação de renomados palestrantes que vão tratar de temas como fisioterapia hospitalar, reabilitação pulmonar, músculos respiratórios e fisioterapia respiratória ambulatorial. Também serão discutidas evidências rumo à integralidade e à qualidade de vida. As inscrições podem ser feitas até 5 de outubro no site www.unisc.br/sulbrafir2007. Para envio de resumos, a data limite é 20 de agosto. Mais informações e a programação do evento podem ser obtidas também no site.

OS 14 ANOS DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL A Unisc completou, no dia 25 de junho, 14 anos como Universidade. Para comemorar a data, foram realizadas uma série de atividades. No dia 22, além da palestra do secretário da Sesu/MEC, Ronaldo Mota, foi realizado à noite o espetáculo Círculo Eletrônico, com patrocínio do Sesc. Nos dias 24 e 25, a comunidade foi presenteada com os concertos da Orquestra Jovem Unisc e da Orquestra Municipal de Teutônia, no auditório central. No dia do aniversário, no anfiteatro do bloco 18, foram homenageados todos os docentes e técnicos administrativos que, em 2007, completam qüinqüênios de trabalho na Unisc.

O que é a fisioterapia respiratória? É uma das especialidades que mais evolui no aperfeiçoamento de sua praxis clínica e no seu perfil científico. Hoje o fisioterapeuta faz parte da equipe multiprofissional do ambiente hospitalar. Isso se deu devido à demanda de pneumopatas carentes de medidas de reabilitação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

REDE DE ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS O Corede realizou uma reunião no dia 19 de junho com os municípios envolvidos no projeto Rede de Estações Meteorológicas. O trabalho já está protocolado junto ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, que deve destinar R$ 80 mil para a aquisição das estações e dos demais equipamentos. “Mantivemos contato com o ministério e é muito provável que esses recursos sejam destinados. Acreditamos que até o segundo semestre deste ano já teremos a verba para iniciar o trabalho”, ressalta o pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da Unisc, João Pedro Schmidt.

O valor restante – o custo total do projeto é de R$ 123 mil – deve ser dividido entre as sete cidades participantes do trabalho, que são Estrela Velha, Boqueirão do Leão, Candelária, Encruzilhada do Sul, General Câmara, Pantano Grande e Sinimbu. A proposta de localização das estações leva em conta aspectos geográficos e a variedade de microclimas da região. A instalação vai possibilitar a obtenção de dados climáticos da região do Vale do Rio Pardo que, posteriormente, serão interpretados e utilizados em favor de cada município. A Unisc é a entidade gestora e a prefeitura de Sinimbu, a entidade executora do projeto.

CULTIVO AGROECOLÓGICO DE FRUTAS A Unisc promoveu, no dia 1º de junho, o curso Cultivo agroecológico de frutas. Foram abordados assuntos relacionados ao manuseio de pomares agroecológicos e soluções tecnológicas para o desenvolvimento sustentável. As atividades foram ministradas pelo professor da Unisc Marcelino Hoppe. O curso faz parte do projeto Beneficiamento de frutas cultivadas agroecologicamente na região do Vale do Rio Pardo, financiado pela Secretaria da Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul e vinculado ao Pólo de Modernização Tecnológica do Vale do Rio Pardo (PMT/VRP), ao Departamento de Química e Física, ao Departamento de Ciências Contábeis e ao Departamento de Engenharia, Arquitetura e Ciências Agrárias da Universidade.

UNISC TV E CANAL FUTURA A Unisc TV estreou, no dia 28 de junho, a nova programação em parceria com o Canal Futura. Para marcar a data, foi apresentado um programa ao vivo do Centro de Convivência da Universidade (Foto). Além de retransmitir o sinal do Canal Futura, a Unisc TV passa a participar dos programas em rede nacional. Reportagens produzidas localmente serão apresentadas, para todo o Brasil, no Jornal da Futura e outros programas também vão contar com a participação da Unisc. A grade de programação local será enriquecida com novos programas. O primeiro estreou também no dia 28. O Que rua é essa? vai contar histórias sobre o nome das ruas da cidade, a memória dos moradores e os fatos que marcaram a história das ruas. A Unisc TV foi fundada em 1996 e pode ser assistida pelo canal 15 da Net. A programação é composta por programas feitos pelos estagiários do Curso de Comunicação Social da Unisc.

SEMINÁRIO INTERNACIONAL DO DIREITO O mestrado em Direito da Universidade promoveu, nos dias 31 de maio e 1º de junho, o 4º Seminário Internacional Demandas Sociais e Políticas Públicas. Durante os dois dias do evento, foram discutidos temas relacionados à área, como o Direito no Constitucionalismo Contemporâneo, o Direito Privado e os Direitos Sociais. Entre os palestrantes estiveram diversos nomes do Direito internacional, de países

como Alemanha, Itália, Espanha, Uruguai, além de professores de diferentes universidades do país e de representantes de órgãos de classe. O objetivo é oportunizar a reflexão sobre os Direitos Sociais e as Políticas Públicas na sociedade contemporânea. Paralelamente ao seminário também ocorreu o 2º Encontro do Programa Nacional de Cooperação Acadêmica (Procad), que reuniu mestrandos em Direito da Unisc, da Unimep, da UFSC e da UFPB.

Luciano Pereira

Voltare O Cine Imigranthe, de Santa Cruz do Sul, agora dá mais dois dias de cinema com desconto para os cadastrados no Programa Voltare, que é destinado a ex-alunos da Unisc. Além das segundas-feiras, o Voltare tem 50% de desconto também nas terças e quintasfeiras. Para isso, basta mostrar a carteira de sócio. A programação de filmes pode ser conferida no site http://portal.via.com.br/ cinemas.php. Mais informações sobre o Programa Voltare podem ser obtidas pelo e-mail voltare@unisc.br ou pelo telefone (51) 3717- 7309.


360º

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

5

Junio Nunes

CENTRAL ANALÍTICA É NOVAMENTE 100% Testes realizados nas análises de água da Central Analítica da Unisc foram validados com grau máximo de exatidão pelo Programa de Ensaios de Proficiência em Análises Microbiológicas de Águas Naturais da Rede Metrológica do Rio Grande do Sul (Rede Metrológica-RS). Além do laboratório de Microbiologia, da Central Analítica, apenas outros dois laboratórios, dos 24 participantes, obtiveram 100% de exatidão nos resultados. As análises microbiológicas realizadas foram de águas de poço e de água superficial, que

representam a maior demanda de análises do referido laboratório. A Rede Metrológica-RS foi criada em 1992 por iniciativa conjunta do sistema Fiergs e da Comunidade Científica e Tecnológica do Rio Grande do Sul. É constituída por laboratórios especializados em Calibração e Ensaios com padrões internacionais. O programa avalia a qualidade das análises de águas, por meio de resultados enviados a Porto Alegre. Essa foi a primeira etapa do programa, em 2007. Em todas as etapas das três primeiras edições, as análises da Unisc foram validadas.

SIPAT/2007 NA UNISC

Espaço Aberto Apoio: Charrua Hotel Local: Centro de Convivência Dia 11 de julho - 12h15 às 13h Daniel da Silva violão e voz

O professor Rudinei Kopp ficou em primeiro lugar com a crônica A caixa

Nos dias 19, 20 e 21 de junho foi realizada na Unisc a Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho (Sipat/2007). A finalidade é divulgar, orientar e promover a prevenção de acidentes, segurança e saúde no trabalho. Nesse ano, a Sipat da Unisc teve como tema Equilíbrio: a fonte da qualidade de vida. As atividades, propostas pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), têm o propósito de desenvolver a consciência da importância de se eliminar os acidentes do trabalho e de se criar uma atitude vigilante, permitindo reconhecer e corrigir condições e práticas nocivas ao ambiente de trabalho, de modo a proporcinar um ambiente saudável e equilibrado. Divulgação

CRÔNICAS PREMIADAS O 4º Concurso de Crônicas da Unisc já tem os seus vencedores. Rudinei Kopp, professor do Departamento de Comunicação Social da Instituição, ficou com o primeiro lugar e o prêmio de R$ 1,5 mil com a crônica A caixa. O resultado foi divulgado no dia do aniversário da Unisc, 25 de junho. Flavio Williges, que é professor do Departamento de Ciências Humanas, teve a crônica Entre um mate pelando e outro classificada em segundo

lugar. Minha vida por aqui, de autoria do estudante Felipe Luz, ficou em terceiro. Também receberam menções honrosas Daniela Aline Kaufmann, com o texto As nuances de um ser biopsicossocial; Glauco Schneider Rolim, com Paixão secreta; Leonardo José Andriolo, que escreveu a crônica Primeiro dia de aula; Pamella Tucunduva da Silva, com A pasta Unisc; e Pedro Nunes de Castro, com o texto A Unisc para meu filho.

PROFESSOR NA GRÉCIA

Professores do Turismo visitaram Instituições, estabeleceram parcerias e participaram de palestras e congressos

TURISMO NO CHILE Entre os dias 23 e 31 de maio, os professores Regia Maria Hermes Eichenberg e Michel Bregolin, do curso de Turismo, viajaram ao Chile para cumprir uma extensa programação no país. Entre as atividades desenvolvidas, destacam-se visita a Instituições para estabelecimento de parcerias, palestras sobre o turismo no Brasil e a apresentação de um artigo em Congresso Internacional de Pesquisadores de Turismo. O início das atividades acadêmicas ocorreu em Valdivia, passando por Villarica e Pucón, importantes referências na área de Ecoturismo e Aventura. Em Valdivia, os professores visitaram o Instituto e a Escola de Turismo da Universidad

Austral de Chile (UACH), onde também acertaram os termos do convênio de cooperação que será estabelecido durante o ano de 2007. Na cidade de Talca, os professores da Unisc realizaram contatos com os professores da Universidad de Talca, vinculados ao Centro de Investigaciones sobre el Desarollo Turístico (Cidetur), instituição com importante atuação na pesquisa de processos de desenvolvimento turístico em regiões vitivinícolas. Por fim, participaram de uma conferência voltada para empresários da Asociación Chilena de Empresas de Turismo (ACHET), entidade responsável por 90% do fluxo de turistas estrangeiros que visitam o país.

O coordenador do curso de Direito da Unisc, professor doutor Ricardo Hermany, foi selecionado para apresentar trabalho durante o 7º Congresso Mundial da Associação Internacional de Direito Constitucional. O encontro ocorreu de 11 a 15 de junho, em Atenas, na Grécia. A exposição (Re)discutindo as políticas públicas no espaço local: interconexões entre federalismo, subsidiariedade e direito social no Brasil é resultado do grupo de pesquisa em Gestão Local e Políticas Públicas, coordenado por Hermany e vinculado ao Mestrado em Direito da Unisc.

EX-BOLSISTAS DO DAAD O professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Unisc, Sílvio Marcus de Souza Correa, e a pesquisadora alemã Karin Elinor Sauer, estagiária de pós-doutorado da Universität Tübingen junto ao Centro de Pesquisa em Desenvolvimento Regional (Cepeder/Unisc), foram convidados pelo Serviço de Intercâmbio Acadêmico Alemão (DAAD) para participarem do primeiro encontro interamericano de ex-bolsistas do DAAD. O evento ocorreu em São Paulo entre os dias 7 e 10 de junho e reuniu pesquisadores de 18 países. O tema central do encontro foi sobre biografias, migração e mobilidade nas ciências no

mundo. O fenômeno da fuga de cérebros (brain drain), que afeta vários países em desenvolvimento, e o intercâmbio técnico-científico entre os países dos hemisférios norte e sul foram alguns dos temas debatidos pelos ex-bolsistas do DAAD. Sílvio e Karin são exemplos de trajetórias acadêmicas que se inscrevem no campo científico globalizado. Com passagem por universidades da Europa e da América do Norte, ambos os pesquisadores conhecem bem a lógica e a dinâmica da sociedade do conhecimento. Ambos já foram bolsistas do DAAD. O pesquisador brasileiro foi também bolsista da Capes, na Alemanha e no Canadá.

Música Dia 18 de julho - 20h30 Recital de Violão Tiago Oliveira - Porto Alegre Local: Auditório Central Entrada franca Apoio: Restaurante Centenário Dia 17 de julho - 15h Masterclass Inscrições: (51) 3717-7346 Dia 27 de julho - 20h Sarau Professores e alunos da Escola de Música da Unisc Local: Capela do Hospital Santa Cruz Entrada franca Dia 30 de julho - 20h Grupo Instrumentarium / França Flautas, cravo, alaúde e viola de gamba Projeto Música Antiga nas Igrejas Local: Capela do Hospital Santa Cruz Entrada franca Apoio: Restaurante Centenário e Aquarius Hotel Patrocínio: Banrisul e Randon Financiamento: Lei Rouanet Ministério da Cultura

Teatro Dia 24 de julho - 20h Sonhos de uma noite de verão Local: Auditório Central da Unisc Dia 25 de julho - 20h Local: Sociedade Rio Branco, em Cachoeira do Sul Direção: Patrícia Fagundes Patrocínio: AES Sul Financiamento: LIC/Sedac/RS Realização: Cida Planejamento Cultural / Co-promoção: Unisc Dia 24 de julho - 15h Oficina de Teatro Com Patrícia Fagundes Vagas limitadas Inscrições: (51) 3717-7346

Exposição De segunda a sábado, das 9h às 12h Exposição permanente Telas e estudos de Regina Simonis Local: Casa das Artes Regina Simonis, 2º Piso Informações: (51) 3056-2086


6

GERAL

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

Divulgação

NPU entrega Plano Diretor No mês de maio foi feita a entrega oficial ao município de Candelária da proposta de lei do Plano Diretor Participativo. O Plano Diretor foi desenvolvido pela assessoria do Núcleo de Planejamento Urbano (NPU) da Unisc. O projeto engloba todo o território municipal e foi financiado pelo Programa de Fortalecimento de Gestão Urbana, do Ministério das Cidades. Esse é o primeiro Plano Diretor feito nos 80 anos de existência do município. O trabalho incluiu a produção de mapas territoriais, a realização de oficinas de capacitação para a comunidade e o acompanhamento das etapas de análise, de diagnóstico e de elaboração de pro-

postas da minuta de lei. Segundo o coordenador do NPU, o arquiteto Luiz Schneider, a próxima etapa do trabalho é a apreciação da proposta de lei junto à Câmara de Vereadores, com a documentação das oficinas, reuniões e audiências públicas realizadas no município. A elaboração do Plano Diretor contou com a participação dos professores e dos funcionários da Unisc João Telmo Vieira, Veridiana Rehbein, Heleniza Ávila Campos, Rosi Espindola da Silveira e Luiz Schneider. Houve ainda a contratação do arquiteto Rafael Martin, para elaboração dos mapas temáticos, e da bolsista Sirlei Kaddatz, responsável pelo suporte operacional. Divulgação

Alunos executaram trabalhos como um portal de internet, um programa de rádio e fotografia, além dos projetos Microphonia Online e Unisc TV/Futura

NO AR, A FEIRA DO LIVRO Alunos da Comunicação aprendem durante o evento Acadêmicos de Comunicação Social da Unisc trocaram a sala de aula pela Praça Getúlio Vargas, durante a 20ª Feira do Livro, que ocorreu no mês de junho. É lá que eles colocaram em prática assuntos estudados no curso. Durante a feira, os alunos foram orientados pelos professores e executaram trabalhos como

um portal de internet, um programa de rádio e praticaram técnicas de fotografia. Além disso, participou do evento o projeto Microphonia Online e a Unisc TV/Futura. “É uma oportunidade de formação do aluno em uma situação real. Eles estão aprendendo, mas também atendendo a uma demanda da comunidade de se informar sobre a

Feira do Livro” destaca o chefe do Departamento de Comunicação Social e membro da comissão organizadora da Feira, Rudinei Kopp. Cerca de 20 estudantes participaram, envolvendo os alunos das quatro habilitações do curso: Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Relações Públicas e Produção em Mídia Audiovisual.

Elaboração do Plano Diretor de Candelária contou com a participação de professores e de funcionários da Unisc

Luciano Pereira

Unisc e Aiesec promovem a inclusão digital Trabalho desenvolvido pelo Departamento de Comunicação Social da Universidade no bairro Bom Jesus conta, agora, com a participação de trainees estrangeiros A Unisc, em parceria com o Projeto Santa Cruz do Sul da Aiesec em Santa Maria, recebeu no mês de junho uma trainee mexicana que está atuando no projeto de extensão Caiu na Rede é Cultura - Núcleo de Ação Digicultural, coordenado pelo professor Militão de Maya Ricardo, do curso de Comunicação Social. A chegada da primeira trainee, Montserrat Perez, ocorreu no dia 4 de junho. Montsie, como é chamada, irá desenvolver a interação do projeto com a associação de moradores do bairro Bom Jesus, trabalhando na captação de recursos externos para a construção de um Telecentro naquela comunidade. “Queremos oferecer, às crianças do bairro, a oportunidade de acesso freqüente à tecnologia digital de informação e comunicação”,

explica a mexicana. O projeto de inclusão digital e social é desenvolvido desde 2005 no Departamento de Comunicação Social da Unisc, por meio do laboratório do curso de Produção em Mídia Audiovisual. O objetivo é beneficiar comunidades culturais de grupos sociais menos favorecidos, economicamente Fazem parte do projeto professores e alunos dos cursos de Comunicação Social, Ciência da Computação, Serviço Social, Arquitetura e agora também os trainees estrangeiros do Projeto Santa Cruz do Sul da Aiesec Santa Maria, que desenvolverão trabalhos voluntários por três meses. Em julho, é aguardada a chegada de outro trainee estrangeiro. Vinda da Aiesec México, Montsie tem 24 anos e é acadêmica de Marketing no Instituto

Tecnológico de Monterrey, campus Toluca, e no próximo ano concluirá o curso. A opção pelo Brasil teve a ajuda de um primo que mora em São Paulo. “Sobraram como opções Brasil, Canadá, Estados Unidos e Itália”, conta. “Como já morei sete anos nos Estados Unidos, que é muito parecido com o Canadá, fiquei entre Itália e Brasil, mas optei pela cultura brasileira, que é muito diferente”. No dia 28, a estudante mexicana ainda participou do Mate Papo Cultural Aiesec - Edição México, promovido em parceria com o Centro de Línguas e Culturas da Unisc. O encontro foi realizado na Sala de Conferências da Biblioteca da Unisc e contou com a presença dos acadêmicos de Língua Espanhola III, do Curso de Letras da Universidade, além da comunidade em geral.

Montsie auxilia crianças e adolescentes do bairro Bom Jesus a terem acesso às novas tecnologias

Saiba mais A Aiesec é a maior organização de jovens do mundo. Seu objetivo é servir como uma plataforma internacional para seus membros descobrirem e desenvolverem seus potenciais pra agir positivamente na sociedade. Está presente em mais de 1,1 mil universidades em 100 países. É uma rede global que possui mais de 23 mil membros e realiza mais de quatro mil intercâmbios ao ano, além de proporcionar mais de 5 mil posições de liderança e realizar cerca de 350 conferências. Em Santa Cruz do Sul, o escritório do Projeto funciona no Núcleo de Relações Públicas da Unisc. Telefone para contato é (51) 3717-7503. As atividades da Aiesec na cidade contam com o apoio da Assessoria para Assuntos Internacionais e Interinstitucionais da Unisc.


ENTREViSTA

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

{ {

7

FERNANDA MALLMANN Dentro das atividades comemorativas ao seu 14º aniversário, a Unisc recebeu, no dia 22 de junho, o secretário de Educação Superior do MEC, Ronaldo Mota. Ele falou aos professores e aos funcionários da Universidade sobre o tema Educação Superior no contexto do Plano de Desenvolvimento Educacional e sobre a necessidade de o país proporcionar o acesso ao Ensino Superior, mas com qualidade, inclusão social e visão de territorialidade. Jornal da Unisc – O senhor afirmou que a situação da educação brasileira pode ser dita em 11 palavras: “Expandir com qualidade, promovendo inclusão social, e com visão de territorialidade”. Como o Brasil está nesse contexto? Ronaldo Mota – Educação é um processo, nós nunca podemos dizer que algo está totalmente satisfatório em educação. O que nós precisamos é ter uma consciência das prioridades absolutas da educação como parte integrante do processo de desenvolvimento econômico, social e cultural de um país e isso está bem porque isso está em curso no país, progressivamente. Cada vez há mais consciência do papel fundamental que a educação tem. Mas esse processo não pode se constituir numa estratégia que se completa e se abandona. Pelo contrário: quanto mais se tem educação, mais se demanda educação. O que nós queremos é aumentar a demanda por educação, mas em outro patamar. Nós queremos sempre demandar educação a partir de patamares cada vez melhores. Não é suficiente expandir se não for com qualidade, e não é suficiente expandir com qualidade se isso não gerar programas de integração social que

Luciano Pereira

Educação é um processo, nós nunca podemos dizer que algo está totalmente satisfatório em educação

EDUCAÇÃO CONJUGADA incorporem as classes populares nos projetos educacionais. Também não é suficiente somente expandir com qualidade, incorporando as classes populares, se isso não for um processo que tenha a dimensão do tamanho do Brasil. Portanto, quando nós conseguimos conjugar a expansão, com qualidade, com integração social pela educação e contemplando a dimensão que o país merece, nós estamos no caminho certo. Isso não é o fim, é o processo, o meio. JU – Hoje somente 11% dos jovens brasileiros têm acesso ao Ensino Superior. Como o governo está trabalhando para aumentar esse número e em qual período de tempo? Mota – Teoricamente existe uma lei, expressa no Plano Nacional de Educação, que demanda que nós cheguemos ao fim desta

Não é suficiente expandir a educação com qualidade, incorporando as classes populares, se isso não for um processo que tenha a dimensão do Brasil

{ { década, entre 2010 e 2011, com 30% da população jovem, dos 18 aos 24 anos, na escola superior. Nós estamos longe disso, estamos com 11%. Eu não acho que seja factível completar essa meta. O

que eu acho obrigatório é que qualquer governo, independente de qual seja, brigue para chegar o mais próximo possível. O atual governo tem feito um conjunto de investimentos muito claros em instituições públicas federais, tem estimulado as instituições públicas estaduais, tem fortalecido programas que procuram atingir especialmente as universidades comunitárias e vem fazendo programas de incentivo à qualidade, que façam com que, a partir desse conjunto de medidas administrativas, não necessariamente se cumpra o que está previsto, mas se aproxime do limite das nossas possibilidades. JU – Como o senhor vê a questão da avaliação do Ensino Superior? E a abertura de novos cursos e instituições? Mota – Existe hoje uma lei, aprovada no Congresso Nacional, chamada Lei do Sinaes, que é o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior. Ela está em curso com muitos e com bons sintomas de progressivos avanços. Nós estamos no meio do ciclo avaliativo e fazendo isso num regime de parcerias, com todas as instituições, inclusive com a Unisc. Portanto, nós temos todo um instrumental avaliativo para, a partir da avaliação, fazer uma correta regulação. E regulação é isso: autorizar cursos, reconhecer cursos, renovar o reconhecimento de cursos e, se preciso, fechar cursos. Mas isso não pode ser feito de uma maneira não-sistemática. É preciso fazer de forma organizada, justificada e consciente. Portanto, tudo que for feito no país hoje, do ponto de vista de regulação da educação superior, passa por cumprir uma etapa avaliativa.

JU – Qual é o perfil do estudante universitário hoje? E como atender às expectativas desse estudante? Mota – O perfil está se alterando. Nós temos, progressivamente, cada vez mais indo para as escolas superiores, um público de

Existe uma lei que demanda que nós cheguemos ao fim desta década com 30% da população jovem na escola superior. Nós estamos longe disso

{ { faixa etária mais avançada, ou seja, o nosso percentual de estudantes com mais de 24 anos está crescendo. Hoje ele é em torno de 40%, mas há indicadores que nós cruzaremos a próxima década com a maioria dos nossos estudantes tendo mais de 24 anos. Tipicamente, esse estudante é alguém que vem do mundo do trabalho, é alguém que a partir do seu processo de reflexão, ao ser um trabalhador, percebe que para ele é fundamental ter um curso superior, seja porque isso implica sua eventual progressão profissional, seja para sua satisfação individual enquanto pessoa, em suma, um conjunto de elementos está associado ao ensino superior. Quando esse estudante procura o ensino superior é

preciso que as metodologias em sala de aula levem em conta que ele é um sujeito maduro, capacitado, disciplinado, capaz de se autoalimentar, se auto-organizar. Portanto, você pode explorar metodologias que estimulem que a matéria que será discutida em sala de aula, seja lida com antecedência pelo aluno, fazendo com que o debate em sala de aula tenha uma qualidade com que, em geral, os cursos não têm se preocupado devidamente, transformando a aula em muito repetitiva, chata, onde só o professor fala e o aluno só copia quando isso poderia ter uma dinâmica - às vezes, não necessariamente sempre - diferenciada, propiciando mais trabalhos em equipe, discussões e seminários, debates sobre temas em que o aluno teve oportunidade de ter o material disponibilizado com antecedência. Em suma, são pequenas variações que trazem grande impacto positivo na qualidade do processo de aprendizagem. JU – Como o senhor vê a importância de universidades, como a Unisc, nas regiões onde elas estão inseridas? Mota – O Brasil é muito complexo e muito diverso. Uma pessoa morando nas grandes capitais brasileiras e mesmo tendo uma grande vivência internacional, por não ter obrigação de conhecer o Brasil mais profundamente, não consegue perceber a importância que uma instituição educacional tem em regiões do interior. E elas têm uma importância muito forte. Então isso pode passar a falsa impressão de que as universidades, mesmo não sendo exatamente na dimensão da USP, por exemplo, não possam desempenhar um trabalho tão importante quanto o da USP no seu contexto regional.


8

JORNAL DA

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

C E N TR A L

i

A P E S C A P R E S E N T A B A L A N Ç O S O C IA L 2 0 0 6 À C O M U N ID A D E Relatório de Responsabilidade Social e Balanço Social da Apesc foram apresentados após palestra comemorativa ao 14º aniversário da Unisc LUCIANO PEREIRA FERNANDA MALLMANN Os números expressos no Balanço Social 2006 e no Relatório de Responsabilidade Social daAssociação Pró-Ensino em Santa Cruz do Sul (Apesc), apresentados à comunidade e à imprensa na tarde do dia 22 de junho, dão a dimensão do impacto social e econômico que suas mantidas impõem em suas regiões de abrangência. A Unisc, por exemplo, investiu em 2006 mais de R$ 3 milhões na prestação de serviços gratuitos à sociedade, nas áreas da Saúde, da Educação e do Direito, realizando mais de 80 mil atendimentos. Mas o Relatório de Responsabilidade Social da Apesc não apresenta apenas números. Mostra também as atividades de ensino, de pesquisa e de extensão que a Universidade de Santa Cruz do Sul, a Escola de Educação Básica Educar-se, o Centro de Educação Profissional e o Hospital Santa Cruz desenvolveram em 2006. Na apresentação do dia 22 de junho, que

ocorreu dentro da programação comemorativa ao 14º aniversário da Unisc, o presidente da Apesc e reitor Vilmar Thomé falou dos projetos desenvolvidos nas áreas de esporte, de tecnologia e de meio ambiente, entre tantos outros. “Não podemos deixar de destacar, ainda, o conceito máximo atribuído à Unisc na Avaliação Institucional feita pelo Ministério da Educação, que consolidou a Universidade no patamar de qualidade que ela sempre se propôs a oferecer”, disse. Para o pró-reitor de Extensão e Relações Comunitárias da Unisc, Luiz Augusto Costa a Campis, que presidiu a Apesc até abril deste ano, os bons resultados de 2006 dão a certeza de que a Associação está no caminho certo. “Para isso foi fundamental o trabalho e o apoio de toda a comunidade”, destaca. “E esse envolvimento continuará sendo fundamental para que a Apesc continue cumprindo a sua missão de promover o desenvolvimento regional”. História A Apesc completou, em 2007, 45 anos de

A A s s o c ia ç ã o P r ó -E n s in o e m S a n t a C r u z d o S u l M is s ã o

V is ã o

"Promover o desenvolvimento regional, por meio de serviços de educação, de saúde, de preservação ambiental e de comunicação social".

"Ser uma associação comunitária de referência nacional em serviços de educação, de saúde, de preservação ambiental e de comunicação social, pela alta qualidade, confiabilidade e responsabilidade social de suas ações".

O b je t iv o s

- Criar, instalar e manter estabelecimentos de ensino de nível superior e de outros níveis, bem como estabelecimentos de saúde, todos sem fins lucrativos. - Mobilizar recursos econômicos, técnicos e humanos no sentido da manutenção e do desenvolvimento da Universidade de Santa Cruz do Sul - Unisc e das demais mantidas. - Atuar nas áreas de educação ambiental, turismo ecológico e na preservação e conservação do meio ambiente. - Prestar serviços especializados a pessoas jurídicas de direito público e/ou privado, nacionais e/ou estrangeiras, notadamente nas áreas de atuação de suas mantidas, no ensino, na pesquisa, na extensão e na saúde, conforme seus estatutos, regimentos e/ou regulamentos.

atuação na comunidade. Criada oficialmente em 17 de março de 1962 para atender à aspiração da comunidade de ter ensino superior no município, a Apesc possibilitou a implantação das quatro faculdades que deram origem às Faculdades Integradas de Santa Cruz do Sul (Fisc). Em junho de 1993, a Fisc foi transformada em Universidade de Santa Cruz do Sul. Nesse período aApesc também incentivou a criação da Escola de Educação Básica Educarse e do Centro de Educação Profissional (Cepro), adquirindo ainda o Hospital Santa Cruz (HSC), em 2003. Igualmente deu apoio à ampliação da estrutura física da Unisc, com a instalação de campi em outros municípios, e de novos cursos de graduação e de pós-graduação. A Assembléia Comunitária da Apesc, composta por 74 membros, tem representantes de órgãos públicos, educandários, iniciativa privada, Organizações Não-Governamentais, sindicatos e entidades da sociedade civil organizada, bem como segmentos da comunidade acadêmica.

B a la n ç o m o s t r a o im p a c t o n a r e g iã o

O desenvolvimento econômico das regiões em que atua sempre foi a principal preocupação da Apesc. Além da participação na Câmara da Indústria, Comércio, Serviços e Cultura do Vale do Rio Pardo, no Conselho Municipal de Saúde e no Conselho Regional de Saúde, assumiu o compromisso com a diversificação da economia. Como exemplos podem ser citados o projeto de pesquisa para a produção do biodiesel, proporcionando uma alternativa de sustento para o homem do campo. Outro projeto voltado para o desenvolvimento da economia regional é o Redes de Cooperação, promovido pela Secretaria do Desenvolvimento e dos Assuntos Internacionais do Estado Rio Grande do Sul (Sedai) com o apoio da Unisc. O programa é pioneiro no País e tem como objetivo unir e fortalecer as micro e pequenas empresas, ampliando o potencial das mesmas. Até agora já foram criadas mais de 210 redes no Rio Grande do Sul, envolvendo em torno de 4,4 mil empresas e mantendo 42 mil postos de trabalho, o que representa um faturamento médio de R$ 5 bilhões anuais. Nos vales do Rio Pardo e do Taquari, foram formadas 24 redes de cooperação, com 343 empresas envolvidas e 3,5 mil postos de trabalho. Em relação à área da saúde, a Apesc ajudou Santa Cruz do Sul a consolidar sua posição de pólo no Estado. Primeiro pela implantação de diversos cursos na área da Saúde e, depois, pelo curso de Medicina da Unisc, aprovado em 2006 pelo Ministério da Educação. Depois, pela ampliação e pelas melhorias na infraestrutura e nos serviços prestados no Hospital Santa Cruz.

CMYK


JORNAL DA

i

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

C E N TR A L Te c n o lo g ia e D e s e n v o lv im e n t o

M e io a m b ie n t e

Trabalhar pelo crescimento das mantidas da Apesc é uma meta constante. Mas, para a Associação, alcançar esse objetivo é uma conquista que deve vir em conjunto com o desenvolvimento sustentável. Por isso, o investimento em projetos e ações que buscam o equilíbrio ambiental. Em 2006, a Unisc continuou o trabalho de preservação da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), localizada em Sinimbu, doada pela Souza Cruz à Unisc, em 2005. No que se refere à criação oficial da RPPN, está em fase de finalização a fusão das propriedades que irão compor a reserva, para envio da documentação ao Ibama. Outro projeto de destaque para a Universidade, que entrou

em funcionamento em 2006, foi a Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), que faz o descarte de efluentes sanitários gerados no campus. O material tratado e lançado na rede pública possui acompanhamento, estando conforme as especificações da LegislaçãoAmbiental Estadual. Durante o ano passado, a Universidade também deu andamento a projetos como o Gestão das Águas na Bacia Hidrográfica do Rio Pardo - Comitê Pardo e Estudos sobre formas alternativas de saneamento urbano e rural a baixo custo. No Hospital Santa Cruz, um trabalho de destaque foi o da Comissão Interna de Gerenciamento dos Resíduos do Serviço de Saúde, que tem a função de minimizar o volume de material infecto-contagioso.

O conhecimento repassado aos alunos em sala de aula está, muitas vezes, embasado na pesquisa feita na Universidade. Com a participação de professores e de estudantes, ela se desenvolve, incentivando os acadêmicos à pesquisa e encontrando alternativas para problemas de diversas origens. No ano passado, a Universidade deu seguimento ao projeto Beneficiamento de frutas cultivadas agroecologicamente na região do Vale do Rio Pardo. Ele objetiva promover o desenvolvimento rural sustentável na agricultura do Vale do Rio Pardo.

Outra iniciativa de destaque em 2006 foi a ampliação do trabalho da Incubadora Tecnológica Unisc (Itunisc). A incubadora se expandiu também para o município de Vera Cruz, onde foi inaugurada a segunda unidade da Itunisc. Em Venâncio Aires também foram selecionadas cinco empresas para a unidade, que foi lançada em junho de 2007. Ainda em 2006, iniciaramse as discussões para a instalação do Parque Tecnológico Regional. O projeto foi apresentado a prefeituras, câmaras de vereadores e associações comerciais do Vale do Rio Pardo.

E s p o r t e p r o m o v e a in c lu s ã o s o c ia l

A Unisc possui mais de 10 projetos esportivos voltados para crianças e adolescentes de toda a área de abrangência da Universidade. No total são mais de 4 mil jovens beneficiados pelas atividades, que contam ainda com o apoio de empresas e de entidades de diferentes segmentos da região. O Relatório de Responsabilidade Social da Apesc apresenta cada um desses projetos, assim como os números relativos a

2006. A Unisc possui projetos sociais esportivos nas modalidades de lutas, futebol, futsal, ginástica rítmica e basquete. “Como o próprio slogan da Apesc define, desenvolvimento se faz com saúde e educação, e o esporte consegue sintetizar as duas coisas”, enfatiza o coordenador da Assessoria de Marketing Esportivo da Instituição, Éverson Carvalho de Bello. “Nossa preocupação é formar cidadãos por meio do esporte”.

Tr a b a lh a n d o p a r a a c o m u n id a d e in t e r n a e e x t e r n a

Hoje, a Apesc possui um total de 1.679 funcionários nas suas quatro mantidas. Em cada uma delas, a preocupação é propiciar ambientes de trabalho agradáveis, por meio de projetos que estimulam a qualidade de vida, e também oferecer capacitações para a constante atualização dos quadros. Para isso, em 2006, a Apesc ofereceu 32 capacitações aos funcionários. Outras oportunidades são as bolsas de graduação e de pós-graduação destinadas aos co-

CMYK

laboradores. Isso faz com que, entre os técnicos administrativos, 82 sejam pós-graduados, 210 tenham curso superior e 353 estejam cursando uma graduação. Já entre os docentes, de um total de 571, 136 são doutores e 343 são mestres. Fora das estruturas das mantidas, a Apesc trabalha pelo desenvolvimento das regiões onde atua. Com atividades de ensino, pesquisa e extensão, especialmente por meio de professores e de alunos da Unisc, é possível

atender a demandas da comunidade. Entre as ações, destacam-se as da área da saúde, da educação, das políticas e dos direitos sociais, do crescimento tecnológico e ambiental, da diversificação econômica, do desenvolvimento social e da arte e cultura. Em 2006, a Unisc prestou mais de 80 mil atendimentos à população, com serviços como tratamento odontológico, de enfermagem e assistência judiciária. Além de ações, a Unisc também participa de conselhos, auxilian-

do-os de diferentes maneiras. Atualmente, a Instituição participa de aproximadamente 30 conselhos. Um reconhecimento pelo trabalho desenvolvido, interna e externamente pela Instituição, veio no ano passado. Uma avaliação do MEC atestou que a Unisc é uma Universidade de qualidade comprovada, com nota 5, a média máxima, em função das suas diversas ações desenvolvidas tanto dentro da Instituição, como com a comunidade.

9

S an ta C r u z c o n s o lid a -s e c o m o p ó lo c u lt u r a l

As ações promovidas e apoiadas pela Apesc, por meio do Setor Artístico-Cultural (SAC) da Unisc, somaram em 2006 mais de 52 mil pessoas beneficiadas. Esse número, assim como a consolidação de grandes projetos, como a Orquestra Jovem Unisc, ajudaram para que Santa Cruz do Sul fosse citada pela RevistaAplauso, em sua edição 79, como a sexta no ranking cultural do Estado. Durante o ano de 2006, a Unisc apoiou e patrocinou dezenas de eventos, entre cursos, exposições, apresentações, entre outros, que engrandecem e estimulam a cultura regional. Foram 17 exposições de artes, com público aproximado de 32 mil visitantes; 19 ateliês, com 147 alunos; 19 apresentações teatrais, com público de 6.291 pessoas; e 15 shows musicais, prestigiados por 3.939 pessoas. A Escola de Música da Unisc ainda ofereceu 10 cursos práticos de instrumento e dois cursos de teoria e percepção musical para os alunos inscritos em aula prática, com 36 alunos. A Orquestra Jovem Unisc realizou 10 apresentações, com um público estimado de 4,5 mil pessoas, e o Programa Dançar beneficiou mais de 1,7 mil pessoas em 2006. Os talentos locais também são valorizados. O Espaço Aberto, promovido todas as quartasfeiras no Centro de Convivência do campus, teve 34 apresentações em 2006, com um público aproximado de 10,2 mil pessoas. O setor também promoveu três palestras do 2º Ciclo de Filmes e Palestras do Programa Uniarte, com 80 participantes.


10

EXTENSÃO / PESQUiSA

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

Divulgação

Estudantes desenvolvem projeto de Vivência em Educação

VER-SUS MOBILIZA ALUNOS E COMUNIDADE

Marícia Simmianer foi uma das representantes do curso de Nutrição da Unisc que aceitou o desafio de passar por um período de vivência no distrito de Rio Pardinho, zona rural de Santa Cruz do Sul, no último verão, junto com outros acadêmicos de diversos cursos da Universidade. Cíntia Sulzbach, 20 anos, teve a mesma oportunidade, mas no bairro Renascença, área urbana da cidade. As duas, desde então, trabalham com seus grupos para desenvolver o projeto de Vivência em Educação Popular no Sistema Único de Saúde, o Ver-SUS Extensão. Para Marícia, tentar uma das vagas para ser estagiária no projeto proporcionado pela Universidade era questão de se diferenciar na formação acadêmica. “Eu estava percebendo que o conteúdo passado nas salas de aula não seria suficiente para me tornar a profissional que idealizo”. Juliana Ferreira, 23 anos, acadêmica de Psicologia, acompanhou Marícia no grupo de 19 acadêmicos em Rio Pardinho, mas com objetivos diferentes. “O que me motivou foi o completo desconhecimento sobre o SUS, as políticas públicas, o interesse pessoal por comunidades

Jovens constroem com os moradores ações permanentes que abordam temas voltados à educação, à saúde, ao meio ambiente, ao desenvolvimento auto-sustentável e à cultura

e trabalhar com grupos”. Já no Bairro Renascença, Cíntia conta que passava de ônibus todos os dias na frente da comunidade e nunca havia imaginado que um dia conheceria com profundidade a rotina, os valores e as carências daquele local. “Foi muito chocante em algumas casas visitadas ver uma realidade tão

diferente da minha. E eu me queixando, enquanto algumas pessoas tão perto não tinham condições básicas de saúde e moradia”. Os 34 jovens, o número total de envolvidos no Ver-SUS Extensão, têm continuado o trabalho nas duas comunidades, de forma a construir com os moradores ações permanentes que abordem temas

voltados à educação, à saúde, ao meio ambiente, ao desenvolvimento auto-sustentável e à cultura. Mas se engana quem pensa que o projeto é voltado apenas para acadêmicos da área da saúde. Sílvia da Rosa levou para o grupo no qual participou toda a sua bagagem de conhecimento adquirida nas salas de aula do cur-

so de Direito. Aos 26 anos, com o VER-SUS, ela mudou seus planos com as aprendizagens que teve em Rio Pardinho. “Dentre as coisas mais importantes, está uma nova percepção da realidade, um olhar mais tolerante, com o objetivo de realmente ver o que se passa à minha volta”, completa a estudante. Segundo uma das tutoras-docentes dos dois grupos, Rosylaine Moura, a atuação dos acadêmicos da Universidade nessas comunidades visa “fomentar a implementação de ações de educação e saúde no nível local por meio do fortalecimento da participação popular e do estímulo ao controle social”. O trabalho de Marícia, Juliana, Cíntia e Sílvia dentro da primeira edição do Ver-SUS Extensão terá uma nova fase de vivência na segunda metade de julho, quando os dois grupos voltarão a morar em Rio Pardinho e no bairro Renascença. O término desse projeto pioneiro em Santa Cruz está previsto para outubro. Os programas de Vivências em Educação Popular são desenvolvidos em 19 universidades de todo o país. Na Unisc, a supervisão é da Pró-Reitoria de Extensão e Relações Comunitárias. Os recursos financeiros vêm do Ministério da Saúde e da Organização PanAmericana da Saúde. (Colaboração: Lucas Nobre, Acadêmico do 7º semestre de Comunicação Social/Jornalismo e participante do Ver-SUS)

Pesquisa é parceria entre Unisc e Afubra A primeira etapa do projeto de aproveitamento do girassol para produção de biodiesel, desenvolvido pela Unisc e pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), foi concluída. Os resultados foram apresentados, no dia 2 de julho, para os municípios parceiros, sindicatos, Emater, pesquisadores e produtores. O início das atividades consistiu no plantio do girassol em lavouras experimentais. Na apresentação dos resultados, foi feita a demonstração da extração de óleo dos grãos. O equipamento extrator, desenvolvido por uma empresa de São Luiz Gonzaga, atingiu uma produção de 400 kg/hora. O óleo extraído foi repassado à Universidade, onde será utilizado para a produção de biodiesel. Depois, o produto transformado em biodiesel será testado. Já o girassol sem o óleo, a chamada “torta”, resultante da extração, será destinada aos produtores e também será pesquisada.

Fernanda Mallmann

Projeto de Biodiesel apresenta resultados Pós-Graduação abre inscrições

Professora Rosana explicou aos produtores como ocorre o processo de transformação do óleo para biodiesel

De acordo com os professores da Unisc envolvidos no projeto, Marcelino Hoppe e Rosana Schneider, a produtividade das lavouras atingiu, em média, 1.512 kg/ ha, igual à média nacional, mas abaixo do ideal, estipulado em 2.000 kg/ha. O custo atingiu R$ 533 por hectare, média considerada baixa em relação a outras culturas. A etapa seguinte será avaliar os resultados do processamento do biodiesel e do seu uso em motores, além de analisar os benefícios da torta de girassol na alimentação animal.

Nessa fase será feito um novo plantio de girassol, com a inclusão de duas lavouras agroecológicas. Há também previsão de auxílio financeiro, por parte do Ministério do Desenvolvimento Agrário. A Unisc participa do projeto por meio da área de Alimentos e Meio Ambiente do Pólo de Modernização Tecnológica do Vale do Rio Pardo, do Mestrado em Tecnologia Ambiental e dos departamentos de Engenharia, Arquitetura e Ciências Agrárias e de Química e Física.

No segundo semestre deste ano, a Unisc oferecerá 18 opções de cursos de especialização para profissionais já graduados, que procuram aperfeiçoamento e qualificação. A Universidade está com inscrições abertas para as pósgraduações que se iniciam entre os meses de agosto e setembro. Os cursos se dividem nas diversas áreas do conhecimento. Somente na Gestão, serão oferecidas sete opções, divididas em diferentes enfoques como Tecnologia de Alimentos, Serviços em Saúde, Responsabilidade Social Corporativa, entre outras. No Direito, há quatro pós-graduações com inscrições abertas, possibilitando a especialização dos profissionais em ramos específicos.

Áreas como Educação, Saúde e Informática também terão cursos iniciando no segundo semestre. O período de inscrições para a maioria dos cursos já está aberto. Para mais informações, os interessados podem acessar o site www. unisc.br/pg ou entrar em contato pelo e-mail posgrad@unisc.br e pelo telefone (51) 3717-7343. Alunos formados pela Unisc poderão receber 10% de desconto. Para isso, é necessário que façam parte do Programa Voltare, que pode ser acessado pelo site www. unisc.br/portaldodiplomado. Pelo Programa Parceria Unisc, instituições, empresas, prefeituras e entidades de classe que firmarem convênio, receberão benefícios conforme o número de matriculados.

Cursos com inscrições abertas Biologia Animal e Vegetal, Cooperativismo e Gestão Cooperativa, Direito Notarial e Registral, Direito Previdenciário, Direito Processual Civil, Direito Registral Imobiliário, Garantia e Controle de Qualidade de Medicamentos, Gestão e Tecnologia de Alimentos, Gestão Estratégica de Custos, Gestão de Marcas, Gestão de Pessoas, Gestão de Serviços em Saúde, História do Brasil, Informática Aplicada à Educação, MBA em Agronegócios, MBA em Gestão Empresarial, MBA em Gestão da Responsabilidade Social Corporativa, Nutrição Clínica


PESQUiSA Essa é a terceira unidade da Incubadora da Unisc A Incubadora Tecnológica Unisc (Itunisc) inaugurou, no dia 21 de junho, mais uma unidade. Agora, o município de Venâncio Aires também passa a ter uma incubadora. As cinco empresas estão incubadas no Parque do Chimarrão. Para a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Liane Mählmann Kipper, o início da incubadora em Venâncio Aires marcou uma nova fase no município. “As empresas podem se desenvolver com criatividade, buscando recursos externos e criando produtos inovadores. Isso tudo é fundamental para a nossa região”, observou. O reitor Vilmar Thomé reforçou o espírito empreendedor da incubadora. “Ela cria novas oportunidades, focadas em inovação e tecnologia, permitindo parcerias, inclusive, entre as empresas incubadas. Representa visão de futuro e desenvolvimento para Venâncio Aires e para o Vale do Rio Pardo”, enfatizou Thomé. As empresas receberão assistência da Unisc para desenvolver os seus produtos ou serviços inovadores durante o período de incubação. Nos primeiros seis meses, elas desenvolverão seus planos de negócios para, após, passarem para a incubação. Para um empreendimento ser incubado devem ser cumpridos pré-requisitos.

Fernanda Mallmann

ITUNISC EM VENÂNCIO

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

Tecnologia Ambiental tem primeira defesa Dissertação foi defendida no dia 29 de junho

Para o reitor da Unisc, Vilmar Thomé, Itunisc representa visão de futuro e desenvolvimento para Venâncio Aires

O principal deles é que o processo, produto ou serviço desenvolvido seja inovador. Possibilidades de mercado, grau de impacto do produto, viabilidade técnica e econômica também são considerados. As empresas podem permanecer na incubadora por dois anos,

podendo prorrogar o período por mais dois anos. Venâncio Aires é a terceira cidade a receber uma unidade da Itunisc. Ela já existe em Santa Cruz do Sul, com quatro empresas - uma já graduada -, e em Vera Cruz, com uma incubada.

11

A aluna Bruna Vallandro Trolli defendeu, no dia 29 de junho, a primeira dissertação do mestrado em Tecnologia Ambiental da Unisc. Ela apresentou à banca examinadora o trabalho Fotodegradação de pesticidas presentes em efluente líquido do sistema Float de plantio de mudas de fumo, sob a orientação da professora Rosana Schneider. No trabalho foram apresentados os resultados referentes à fotólise e à fotoperoxidação dos pesticidas utilizados no plantio de mudas de fumo. Após o transplante das mudas, esses pesticidas podem ficar em nível de resíduos

na água utilizada no sistema Float e, com os devidos cuidados, esse efluente pode ser descartado no meio ambiente. O mestrado em Tecnologia Ambiental da Unisc foi recomendado pelo Conselho Técnico-Científico da Capes, em março de 2005, como curso de Pós-Graduação Stricto Sensu na área de Engenharia Sanitária e Ambiental. A primeira turma começou as aulas em agosto de 2005. O objetivo do curso é a prevenção da poluição e o uso das tecnologias limpas, conteúdos presentes nas disciplinas e enfoque para as dissertações. A banca examinadora da dissertação foi composta pelos professores da Unisc Rosana Schneider e Ênio Leandro Machado, além da professora da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Martha Bohrer Adaime. Fernanda Mallmann

As empresas Metalúrgica Schuster Ltda. - indústria de montagem de máquinas e equipamentos para produção Vetor Multimáquinas Ltda. - comércio atacadista de máquinas, equipamentos, peças, pneumáticos e câmaras; serviços de manutenção e reparação de caminhões, ônibus e outros veículos pesados; locações e revenda de máquinas agrícolas e rodoviárias Rudimar Griesang - fabricação de vidros para fins industriais e comércio varejista de vidros e espelhos Termav Sistemas Térmicos Ltda. - indústria de evaporadores para refrigeração industrial – metalurgia Sônia Stein - comércio varejista de artigos farmacêuticos Bruna Vallandro defendeu a primeira dissertação do Mestrado em Tecnologia Ambiental da Universidade

Unisc vai a Congresso de Pós em Contábeis A Unisc participou, de 17 a 19 de junho, em Gramado, do 1º Congresso da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (ANPCONT). O evento proporcionou a interação de pesquisadores, professores e estudantes e a divulgação da produção técnico-científico na área. O congresso concentrou as discussões em quatro áreas temáticas: Controladoria e Contabilidade Gerencial, Contabilidade para Usuários Externos, Educação e Pesquisa em Contabilidade e Mercado Financeiro, de Crédito e de Capitais. Foram encaminhados 289 trabalhos à apreciação do comitê científico do evento, sendo que 49 foram recomendados para apresentação e publicação nos anais do 1º Congresso da ANPCONT.

Entre eles, foi selecionado o estudo A Aplicabilidade do Método ABC no Setor de Processamento de Roupas de uma Instituição Hospitalar, de autoria da estudante Tatiani Worm e do professor da Unisc Eloi Almiro Brandt, do curso de pós-graduação em nível de especialização em Gestão Estratégica de Custos da Unisc. Conforme o coordenador do curso de Gestão Estratégica de Custos, professor João Arno de Oliveira Thiesen, o reconhecimento da Unisc, por meio da pós-graduação em eventos de âmbito nacional, mostra a atualização da Universidade. “É um desafio para a Unisc, diante das constantes mudanças no ambiente de negócios, propor uma maior dedicação das empresas e de seus profissionais na busca da vantagem com-

petitiva”. O professor destaca que os instrumentos de planejamento e de controle de custos têm sido insuficientes para manter as políticas de curto prazo. “A gestão estratégica de custos deverá envolver todos os pontos do processo produtivo na empresa, ou seja, a relação de cliente e de fornecedor se torna fundamental na maturação da cadeia de valor”, acrescenta. Para atender aos profissionais da área, a Unisc oferecerá, a partir do dia 10 de agosto, a segunda edição da pós-graduação em nível de especialização em Gestão Estratégica de Custos. O curso é voltado para graduados em áreas afins que pretendam aprofundar conhecimentos em planejamento e em gestão de custos, para desenvolver métodos que permitam a aplicação nas empresas.

Professores da Unisc ministram curso na FEE Os professores Marilia Ramos e Silvio Arend, do Programa de Mestrado e Doutorado em Desenvolvimento Regional da Unisc (PPGDR), ministrarão um curso de curta duração sobre avaliação de políticas públicas na Fundação de Economia e Estatística (FEE) do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, entre os dias 9 e 12 de julho. O curso faz parte do convênio que o PPGDR tem com a FEE e terá como público-alvo economistas e sociólogos daquela instituição, bem como técnicos da Secretaria do Planejamento do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. O curso enfatizará aspectos metodológicos e técnicos para o planejamento e a execução de projetos de avaliação de políticas e programas sociais. A relevância do curso está no seu ineditismo, por enfatizar aspectos técnicos centrados em avançados recursos estatísticos de modelagem para avaliação de programas e políticas sociais, os quais são procedimentos relativamente novos e dominados por poucos profissionais no cenário acadêmico nacional. Além disso, o referido curso propiciará o estreitamento de laços com órgãos do Governo do Estado e o fortalecimento do convênio entre o PPGDR da Unisc e a FEE.


12

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

VESTiBULAR Semestres: 8 Turno: Noite Campi em que é oferecido: Santa Cruz do Sul e Sobradinho

CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Reconhecimento, experiência e conhecimento. Ter a Unisc como referência é um diferencial para os alunos formados no curso de Ciências Contábeis. Com mais de 40 anos de atuação na região, a graduação da Unisc se tornou sinônimo de empreendedorismo, empregabilidade e aplicabilidade. “Como profissional de contabilidade formado pela Unisc recebi todos os subsídios para desenvolver o perfil de empreendedor”, garante o consultor empresarial Luciano Rabuske, 35 anos. “Ter feito o curso na Unisc foi fundamental para o meu desenvolvimento pessoal e profissional”, diz. O conhecimento obtido na formação contábil possibilita exercer diversas atividades e atuar de forma ampla em áreas administrativas, financeiras, fiscais, patrimoniais e societárias. No caso de Rabuske, o foco de seu trabalho está voltado para o planejamento tributário e para a implantação de controladoria, de sistemas de informação gerenciais e orçamentárias. A formação acadêmica é funda-

mental, ainda, para se analisar a viabilidade ou não de um projeto, pois este deverá estar adequado à realidade do mercado. Por meio do conhecimento obtido no curso, é possível analisar o mercado e viabilizar a constituição de uma empresa, tornando o profissional mais competitivo e versátil no mercado de trabalho. Na Unisc, a graduação é ainda complementada por meio da pósgraduação, de seminários, simpósios de contabilidade e demais cursos de atualização. “A formação em Ciências Contábeis foi de grande importância para o desenvolvimento de minha carreira, pois a aplicação do conhecimento adquirido nas disciplinas permitiu a implementação de ações para minha realização profissional, além de desenvolver a capacidade de tomar decisões”, afirma Rabuske. “A qualidade do curso é percebida por meio da sua estrutura e de profissionais com grande qualificação, com professores preocupados em formar profissionais de sucesso, o que faz toda a diferença nesse mundo competitivo”, define o consultor.

Arquivo Pessoal

PERFIL VERSÁTIL

O QUE FAZ? O profissional de Ciências Contábeis compreende e interage em questões técnicas e científicas, econômicas, financeiras e sociais nas diferentes organizações. Ele elabora pareceres e relatórios e desenvolve, analisa e implanta sistemas de informação contábil e de controle gerencial, avaliando as implicações organizacionais com a tecnologia da informação.

MERCADO DE TRABALHO O contador pode atuar em empresas públicas e privadas, exercendo atividades que exigem a aplicação de conhecimentos de natureza contábil, como contador de custos, contador geral, contador de várias empresas sob forma de organização, auditor interno, auditor independente, auditor do Tribunal de Contas, perito contábil, consultor econômico-financeiro, fiscal de tributos, professor, pesquisador, controller, assessor para gestão empresarial, entre outros.

INFRA-ESTRUTURA

Rabuske: curso da Unisc proporcionou subsídios para formar perfil empreendedor

O curso da Unisc possui: - Laboratório contábil - Centro de Estudos Contábeis - Gabinete de Assessoria e Consultoria Contábil


VESTiBULAR O curso de Psicologia forma profissionais comprometidos com a comunidade, aptos a propor ações de saúde mental em vários campos de atuação e capazes de atuar em diversas temáticas, como: processo saúde-doença, processos educativos e produção do conhecimento, processos comunitários e movimentos sociais, relações de e no trabalho. Psicólogos cientes de seu papel social e da realidade na qual estão inseridos.

MERCADO DE TRABALHO O diplomado pode desempenhar funções em diversos campos, entre eles: clínicas, hospitais, escolas, creches, sindicatos, fábricas, comunidades, empresas, instituições públicas e privadas, bem como prestar assessoria psicológica a entidades.

INFRA-ESTRUTURA O curso da Unisc oferece: - Laboratório de análise experimental do comportamento - Laboratório didático de psicologia cognitiva - Laboratório didático de mensuração - Laboratório de testagem psicológica - Laboratório de investigação dos processos psicofisiológicos - Laboratório de informática - Serviço Integrado de Saúde (SIS)

PSICOLOGIA

ENTENDER A MENTE O candelariense Marcos Vinícius da Rosa sempre conciliou a sua vida de baterista com suas outras atividades. “Sempre fui músico. Me sustentei com shows nos finais de semana, durante toda a faculdade”, conta Marcos, formado em Psicologia em 1999, pela Unisc. “O curso foi uma das melhores épocas da minha vida. Mantenho até hoje contato com colegas e professores que conheci na Universidade”, lembra. Hoje, Marcos é coordenador do Centro de Apoio Psicossocial (Caps) de Candelária. Ele foi um dos maiores incentivadores do centro, cadastrado em 2005. “Sinto-me orgulhoso disso. Há uma demanda muito grande de pessoas que precisam de ajuda”, diz Marcos. O Caps é uma unidade de atendimento intensivo e diário aos portadores de sofrimento psíquico, constituindo uma alternativa ao modelo centrado no hospital psiquiátrico, caracterizado por internações de longa permanência. Lá, Marcos desenvolve oficinas de educação física, de pintura e, é claro, de música com os seus pacientes. “Comecei a graduação querendo ser Freud, depois aprendi que existem várias outras linhas da Psicologia”, conta o psicólogo. “Se não for bem aplicado o tratamento, os problemas psíquicos se transformam em uma bola de neve. Esse tipo de paciente

13

Semestres: 10 Turno: M/T, T/N ou apenas à noite Campus em que é oferecido: Santa Cruz do Sul

Arquivo Pessoal

O QUE FAZ?

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

Marcos Vinícius desenvolve oficinas de educação física, de pintura e de música com os seus pacientes no Caps, de Candelária

precisa se ocupar e ter alguém ao seu lado”. Na Unisc, o curso de Psicologia apresentará um diferencial a partir do segundo semestre de 2007. Agora, a graduação será oferecida também no turno da noite. Conforme a coordenadora da Psicologia, Edna Linhares Garcia, em função de o curso proporcionar uma formação consistente, ele possui uma carga horária ampla, sendo que muitas pessoas não conseguiam aliar o

horário de trabalho ao do estudo. “Pensando nessas pessoas, organizamos o curso com disciplinas ofertadas prioritariamente no turno da noite, de forma flexível, para que o acadêmico possa trabalhar e estudar”, explica. As disciplinas que ocorrerão durante a semana serão à noite. As demais disciplinas serão aos sábados pela manhã e nos meses de janeiro e de julho, na modalidade intensiva. (T.S.)


E AGORA

REFLEXÕES SOBRE CARREIRA E PROFISSÃO

O PODER DA EXPERIÊNCIA Este ano a Libertadores foi marcada pela supremacia de um veterano: Riquelme. (Mesmo daqui, longe do pampa, ouço agora o sorriso silencioso dos colorados – e o rancor surdo dos gremistas — ao ler esse nome.) Riquelme jogou muito. Fez o Boca Juniors desabrochar, foi decisivo em todos os momentos em que o time precisou dele para decidir. Riquelme, o craque blasé que abdicou da seleção argentina. (Decidiu voltar agora para a Copa América e é possível que nos chame para um tango lá na Venezuela.) E que escolheu o nome do meio, Roman, o menos significativo, para figurar abaixo do número 10 da camisa Xeneize que já foi de Maradona.

NÚMERO 73 JULHO DE 2007

15

Adriano Silva é executivo numa grande empresa de mídia brasileira

chegando cheia de tesão. Mas se você ainda estiver a fim de jogo, não desanime com essa história – muitas vezes verdadeira, infelizmente – de que não há vida corporativa promissora a quem tem mais de 50. Renove suas energias e jogue-se no trabalho. Peça a braçadeira de capitão e oriente o time em campo com a autoridade de quem já disputou centenas de partidas e incontáveis minutos de bom futebol. Trate de envelhecer bem, na ativa, e brilhe com passes de qualidade e arremates precisos. Quilometragem alta não é sentença de morte profissional. Não precisa ser. E se você ainda é jovem, procure em campo o Riquelme, o Zé Roberto que joga no seu time. E cole nele. Aprenda com ele. Trabalhe com ele.

O melhor jogador brasileiro na primeira metade deste ano também foi um tiozinho: Zé Roberto. Deu brilho à equipe mediana do Santos que atropelou no Paulista e descarrilou por detalhe na Libertadores – uma competição que, mais do que qualquer outra, se ganha e se perde nos detalhes. É importante ter gente experiente no time. Profissionais mais velhos dão solidez, peso, estatura a uma equipe. São âncora, binóculo, dicionário. Já viram muito, viveram um bocado. E podem ajudar o time a errar menos, a usar melhor os atalhos, a bater menos com a cara na parede. Para tanto, os velhos só não podem agir como velhos. Não podem andar na marcha lenta, impondo um ritmo senil aos demais. Só não podem se agarrar a dogmas de outrora, a velhas conquistas, a louros imemoriais, a paradigmas que serviram um dia mas que se tornaram obsoletos e não respondem mais às demandas do mercado. Só não podem viver noutro tempo e desdizer do novo, e dar as costas ao futuro, e dar de ombros ao presente. Profissionais rodados e que tenham gás para ir adiante, para se reinventar, são muito necessários. Mais do que isso: são estratégicos. A mistura da experiência obtida em anos de janela e de trincheira com o espírito de novato, com o frescor mental do aprendiz, com o dinamismo de quem ainda está a fim de marcar gols, rende um elixir raro. E que tende a se valorizar num mercado cada vez mais povoado por jovens inexperientes, solidamente calçados na teoria mas com pouca prática. Se você já está com as têmporas a caminho de ficar grisalhas, analise a si mesmo. Se estiver cansado, pare. Gaste suas energias preparando uma boa aposentadoria. E dê espaço à moçada que está

www.osfiguras.com.br

DICAS PARA LER... Livraria

A menina que roubava livros, de Markus Zusak Editora: Intrínseca Preço: R$ 39,90 (à vista 10%)

Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a Morte três vezes. E saiu viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história. Desde o início da vida de Liesel, ela precisou achar formas de se convencer do sentido de sua existência. O gosto de roubar livros deu à menina uma ocupação; a sede de conhecimento deulhe um propósito.

Biblioteca

As Andorinhas de Cabul, de Yasmina Khadra, 173 p. Editora: Sá Editora Localização:Arg843K45a2006

O Romance conta a história de dois casais, de origens diferentes, durante a invasão do regime Talibã em 2000, no Afeganistão. O autor mostra a complexidade dos relacionamentos e as situações dos povos muçulmanos que convivem com o arcaico e o moderno lado-a-lado. Primeiro livro de uma trilogia a ser lançada, desmistificando a história do Oriente para o Ocidente.

Edunisc

Tóbi, um cãozinho esperto, de Moina Mary Fairon Rech, 23 páginas Preço: R$ 20

Texto bilíngüe (português/ inglês) que conta a história de Tóbi/Toby, um cãozinho que veio para fazer companhia à Dona Zezé, uma professora aposentada. Mas um certo dia... Obra infantil de 23 páginas, no formato 21 x 29,5 cm e com ilustrações de Juan Carnero, pode ser adquirido na Livraria da Unisc com 40% de desconto.


JORNAL DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL NÚMERO 73 NÚMERO 73 JULHO DE 2007 JULHO DE 2007

ESPORTE

TORNEIOS COMEMORAM ANIVERSÁRIO Fotos: Divulgação

Futebol 7, xadrez e basquete já definiram os campeões do 14º Aniversário da Universidade Todos os anos, centenas de estudantes, funcionários e professores da Unisc, do Cepro, do Hospital Santa Cruz e da Escola Educar-se participam dos torneios de aniversário promovidos pela Universidade. Este ano, as modalidades de futebol 7, xadrez e basquete já conheceram seus campeões. Em setembro será a vez do futsal. No mês de maio, a equipe Vem q tem Candelária conquistou o título na modalidade de futebol 7, com uma vitória de 3 x 0 sobre o Pumas, de Vera Cruz. Na disputa do terceiro lugar, o time Das Caverna derrotou o Liga Extraordinária pelo placar de 1 x 0. O torneio premiou ainda o artilheiro Humberto Grehs, da equipe campeã, com 12 gols. Da mesma equipe foi o goleiro menos vazado, Uiliam de Figueiredo, com apenas quatro gols sofridos. O destaque da competição foi Ezequiel Schwantes, do Pumas. No início de junho foi a vez do xadrez. Jorge André Horta foi o primeiro colocado no torneio, realizado no Centro de Convivência da Universidade. Andréw Roberto Boesel ficou com o segundo lugar. Já no basquete, a campeã foi a equipe Drink’s Team. O torneio foi realizado no dia 16 de junho e teve, como vice-campeão, o time

de professores e monitores do Projeto Cestinha, seguido pela equipe Cestinha/Educar-se. O maior pontuador da competição foi Thiago Rauber, do Cestinha, com 41 pontos no total. O destaque foi Ícaro Parizzoto, do Cestinha/Educar-se. Futsal O Torneio de Futsal, também em comemoração aos 14 anos da Instituição, será realizado nos dias 15 e 29 de setembro. Podem participar do torneio alunos, professores, funcionários e membros de setores terceirizados da Unisc, do Cepro, da Educar-se e do Hospital Santa Cruz. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (51) 3717- 7629 e 3717-7485.

Drink’s Team foi a equipe campeã na Torneio de Aniversário de Basquete

Fique atento O quê: Torneio de 14º Aniversário da Unisc, na modalidade de futsal Onde: Ginásio da Unisc Quando: 15 e 29 de setembro Informações e inscrições: até 12 de setembro no setor de Piscinas, telefone (51) 3717-7629, ou na Assessoria de Marketing Esportivo, sala 309, bloco 3, telefone (51) 3717-7485

A atleta Sabine Heitling, da Unisc, conquistou a medalha de ouro e o recorde da competição em duas provas dos Jogos Universitários Brasileiros (JUBs), realizados no mês de junho, em Itajaí (SC). Ela conseguiu a façanha nos 3 mil metros com obstáculos, prova em que também obteve a vaga para o Pan, e nos 1.500 metros rasos. O treinador Jorge Peçanha festejou a conquista e avaliou o desempenho da equipe da Unisc. “Está sendo um bom campeonato, estamos muito bem. A Sabine está de parabéns por esse recorde na sua especialidade”, relatou o técnico. Fabiano Peçanha também obteve duas medalhas de ouro, nos 800 e nos 1.500 metros rasos,

O time de handebol feminino da Unisc ficou com o troféu de terceiro lugar no Torneio de Handebol de Santa Maria, realizado no final de maio. O grupo treina todas as segundas-feiras, às 22h15, e eventualmente aos sábados, preparando-se para a Copa Unisinos e para os Jirgs, no segundo semestre. Já a equipe masculina realizou dois amistosos no mês de junho, contra a Ulbra/SM e a ADC/Canoas, como preparação para o Campeonato Estadual Adulto, que inicia em agosto. Em julho, a equipe deverá jogar outros amistosos, ainda a serem definidos.

CESTINHA

Modalidade de xadrez foi disputada no Centro de Convivência do campus de Santa Cruz do Sul

Arquivo AI

na qual estabeleceu novo recorde da competição. Ele será um dos representantes do Brasil nas duas provas nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, que começam no dia 13 de julho. Ainda nos JUBs, Leonardo Trindade, Fabiano Peçanha, Juliano Peçanha e Everton Bonfim ficaram com a medalha de prata nos 4 x 400 metros rasos. Aline Sausen terminou na quarta colocação nos 5 mil metros com obstáculos e Gustavo Weiss ficou em sétimo lugar no arremesso de peso, mesma colocação de Everton Bonfim nos 400 metros rasos. No Troféu Brasil, disputado em São Paulo também no mês de junho, Sabine Heitling alcançou a vaga no Pan com uma medalha de bronze nos 3 mil metros com obstáculos. Já Fabiano Peçanha chegou em segundo lugar nas provas dos 800 metros e dos 1.500 metros rasos.

A equipe de atletismo da Unisc trouxe duas medalhas de bronze do Campeonato Brasileiro de Menores, disputado nos dias 16 e 17 de junho no Estádio do Ibirapuera, em São Paulo. Os medalhistas foram Rafaela Ritz dos Santos, nos 800 metros, e Pedro Severo, nos 10 mil metros da marcha atlética. Mais três atletas representaram a Universidade. Juliano dos Santos foi quarto nos 800 metros rasos; Cláucio Conrad, sétimo nos 1.500 metros rasos; e Matheus Trindade, sexto nos 100 metros rasos.

HANDEBOL

Atletismo traz medalhas dos JUBs e garante vagas no Pan Fabiano e Sabine confirmam presença no Pan do Rio

MENORES

O Projeto Cestinha Sesi/Unisc promoveu no dia 25 de junho, no Complexo Esportivo do Sesi, um encontro de basquete na categoria mini (9-10 anos). Durante todo o dia, foram realizados jogos envolvendo crianças de todos os pontos de Santa Cruz do Sul e de Vera Cruz beneficiadas pelo projeto. Além dos jogos, também foi realizada uma palestra com o monitor do projeto e atleta do time do Corinthians, Gaúcho, que falou e apresentou um vídeo sobre a importância dos estudos, da união, do trabalho em equipe e sobre outros fatores que o esporte ajuda a desenvolver. A mesma palestra foi apresentada, no dia 20 de junho, para os atletas federados do projeto. Os encontros do Projeto Cestinha ocorrem mensalmente, alternando as categorias, com distribuição de lanche e de medalhas aos participantes.

ATLETISMO NO PAN

Sabine confirmou a sua primeira paticipação em Jogos Pan-Americanos na prova dos 3 mil metros com obstáculos

Toda a torcida para Fabiano Peçanha e Sabine Heitling nos Jogos PanAmericanos do Rio de Janeiro, que ocorre de 13 a 27 de julho. As provas de atletismo começam no dia 23. Além de representar o Brasil, eles estarão levando, mais uma vez, o nome da Unisc para o Brasil e para o exterior.

Jornal da UNISC  

Jornal da UNISC - Nº 73 Julho de 2007