Issuu on Google+

DOMINGO MACEIÓ - ALAGOAS 31 DE MARÇO DE 2013 No1706 R$ 3,00

TRIBUNA

INDEPENDENTE

EXEMPLAR DO ASSINANTE

tribunahoje.com

Calçadão da orla vira ‘terra de ninguém’

Bicicletas, patins, triciclos e pedestres disputam o mesmo espaço no calçadão da orla marítima de Maceió e o resultado disso é uma confusão cotidiana, presenciada por quem frequenta o local ou trabalha próximo. A falta de educação de muitos usuários de cada faixa e a ausência de sinalização são os principais motivos para as pequenas e frequentes brigas e acidentes já registrados ao longo da área urbanizada. PÁGINA 9 SANDRO LIMA

CRIMES DA DITADURA

Jornalista lamenta criação atrasada da Comissão da Verdade O jornalista alagoano Audálio Dantas lamenta que a Comissão da Verdade, instituída pelo governo Dilma para apurar os crimes da ditadura militar, tenha chegado tão tarde, “apenas para elucidar o passado”. Sobre o tema, lançou o livro “As Duas Guerras de Vlado Herzog”.

PÁGINA 2

CICLISTAS e tricíclos invadem área dos pedestres, que se queixam de acidentes e brigas frequentes em consequência do desrespeito; área não é fiscalizada

ADAILSON CALHEIROS

EXTINTA PELA ANTONIO LESSA DITADURA MILITAR, ‘PEC 37 não acaba PANAIR TROUXE com autonomia do DESENVOLVIMENTO Ministério Público’ Extinta em 1969, poucos O delegado Antônio Carlos Lessa, presidente da Adepol, defende a aprovação da PEC 37, que, para ele, não acabaria com a autonomia institucional do Ministério Público, pois, “constitucionalmente a prerrogativa de investigar os crimes é das polícias judiciárias”.

PÁGINA 4

anos após ter as atividades suspensas pela ditadura militar - medida que está sendo investigada pela Comissão da Verdade - , a Panair do Brasil operou no bairro do Vergel do Lago. Os moradores que ainda se lembram da época dizem que a empresa levou desenvolvimento à região.

PÁGINA 11

BRASILEIRA VÍTIMA ALTOS INVESTIMENTOS DO PLANO COLLOR PAÍS TERÁ ESTE ANO SOFRE CONFISCO 64 INAUGURAÇÕES DE TAMBEM NO CHIPRE SHOPPING CENTERS PÁGINA 7

Bom a parcialmente nublado com possiblidades de chuvas em áreas isoladas

22º

Máxima

32º

BOA NOTÍCIA!

PÁGINA 14

TEMPO

Mínima

MORADOR do bairro, José Bertolino Filho mostra o que restou da rampa do campo de pouso das aeronaves na margem da lagoa

Marés

00:06 06:11 12:28 18:49

0.3 2.0 0.3 1.9

FINANÇAS DÓLAR COMERCIAL R$ 2,01 R$ 2,02 DÓLAR PARALELO R$ 2,05 R$ 2,14 OURO: R$ 104,50 POUPANÇA: 0,4134%

Vale Verde começa em julho obras para sua planta industrial

COM DESFALQUE, CSA ENFRENTA O MURICI, QUE TENTA A CLASSIFICAÇÃO

A um custo de R$ 840 milhões, a Mineradora Vale Verde inicia as obras de sua planta industrial em Craíbas em julho, disseram executivos da empresa ao secretário Luiz Otavio Gomes. Segundo eles, há recursos minerais para produzir ferro e cobre pelos próximos 18 anos.

PÁGINA 16 CLÁSSICO PAULISTA

SÃO PAULO DEFENDE LIDERANÇA CONTRA O CORINTHIANS PÁGINA 16

ENGENHEIROS e técnicos já inspecionaram o solo e confimaram jazidas de ferro e cobre

PÁGINA 14


TRIBUNAINDEPENDENTE

2 POLÍTICA MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

Política

Ela [ditadura] proporcionou no mínimo, 50 anos de atraso, já que o país estava num momento de grande ascensão socioeconômica e calou toda a nação.” AUDÁLIO DANTAS JORNALISTA

Vlado: a história que ninguém contou

De volta à terra natal, Audálio Dantas lança livro que narra a saga do jornalista que virou símbolo de luta contra a ditadura SANDRO LIMA

ERIK MARIA REPÓRTER

O

alagoano de Tanque d’Arca Audálio Dantas esteve em Alagoas para a instalação da Comissão da Verdade do Sindicato dos Jornalistas. Ele, que preside a Comissão da Verdade da Federação Nacional dos Jornalistas, foi amigo de Vladimir Herzog, jornalista assassinado durante o regime militar e declarado pelos órgãos oficiais como sendo um suicida. Nesta entrevista, Audálio fala sobre o papel das comissões e sobre o livro “As Duas Guerras de Vlado Herzog”, de sua autoria. Tribuna Independente - No dia 18 deste mês foi emitida uma nova certidão de óbito para Vlado Herzog, que no antigo havia sido considerado um suicida e após quase 38 anos o novo documento diz que ele foi vítima de tortura e que morreu por conta disso. Já podemos esperar uma reedição do livro atualizada? Audálio Dantas - Eu acho que é a única coisa que está faltando no livro, já que todos os demais fatos estão nele e foram comprovados. Restava isso, que era uma expectativa antiga e na verdade era só uma coisa que faltava no papel. É importante isso porque é um documento oficial, mas o fato é que a versão do suicídio nunca foi aceita e o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo denunciou o assassinato no dia seguinte. Mas de qualquer maneira, isso é uma vitória importante, porque mostra que a Comissão da Verdade dos Jornalistas está produzindo frutos, já que é de lá que partiu essa proposta, que foi concedida pela justiça e terminou com esta modificação. E mais importante ainda é que todos os casos em que as pessoas que tiveram parentes mortos podem pedir para retificar os atestados no mesmo sentido, pedindo para que se conste o que realmente aconteceu. T.I. - Isso não aconteceu muito tarde? Audálio Dantas - Isso é impressionante, já que a morte ocorreu em 1975 e hoje estamos em 2013. São aproximadamente 38 anos. Eu acho é que a Comissão da Verdade é que veio muito tarde ‘mas antes tarde do que nunca’. A Comissão veio a existir e é importante nesse sentido de provocar o debate em questões que estavam esquecidas. T.I. - Por que o senhor acha que as comissões surgem tardiamente? Audálio Dantas - Ela surge muito tardiamente sem qualquer compromisso com a punição, mas com uma função importantíssima, que é trazer para o debate uma coisa que estava quase sendo esquecida, que é a ditadura militar. Já que hoje parece

Jornalista Audálio Dantas lamenta que as comissões da verdade chegaram tardiamente com a função apenas de elucidar o passado

É importante isso [o novo atestado de óbito] porque é um documento oficial, mas o fato é que a versão do suicídio nunca foi aceita e o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo denunciou o assassinato no dia seguinte.”

que não houve nada nesse sentido no país. Nós sabemos muito bem que o que aconteceu levou a um prejuízo quase que total de uma geração, entre os anos de 1969 a 1985, que a ditadura provocou. Ela proporcionou no mínimo, 50 anos de atraso, já que o país estava num momento de grande ascensão socioeconômica e calou toda a nação. Quer dizer, quem viveu essa época parece que esteve em um eclausuramento, um encapsulamento, de forma que a Comissão tem esse papel de fazer um resgate, já que uma das consequências importantes é o surgimento de Comissões da Verdade em todos os seguimentos da sociedade, inclusive dos jornalistas. Aliás, a dos jornalistas tem um papel muito importante, que é da própria natureza do jornalista, investigar, saber das coisas e passar para o conhecimento da sociedade. T.I. - Anos passados do fim da ditadura, hoje, o que é possível fazer para restabelecer esse lapso temporal? Audálio Dantas - Eu acho que nos resta denunciar, e se possível exigir do Estado brasileiro, que tem condições de apontar e punir, quem foram os responsáveis. Eu queria aqui aproveitar para fazer uma revelação, que eu acho importante. Quando eu estava pesquisando para escrever meu livro, que chama “As Duas Guerras de Vlado Herzog”, no Arquivo Nacional, em Brasília (DF), onde foram depositados os papeis do Serviço Nacional, o centro da espionagem, da arapongagem do país, a primeira coisa que aconteceu, e isso eu acho um absurdo, por isso

As comissões de cada sindicato dependem muito da organização deles, mas de modo geral, funcionam bem, já que a categoria recebeu isso com bastante interesse.”

Há sim, um relatório posterior que diz, de maneira mais absurda, que o Vladimir havia arrumado o emprego na TV para espionar os meios de comunicação do país inteiro.” faço aqui essa denúncia: me exigiram para quê saber sobre o caso do Vladimir Herzog, mas especificamente sobre o atestado de óbito dele [Vladimir é o nome adotado por Vlado, nome de batismo, após o processo de naturalização, já que havia nascido na Iugoslávia]. Aí eu saí de lá indignado. Como eu ia apresentar um atestado de óbito se o atestado que existe dele é falsificado? O tal atestado apresenta como causa da morte um suicídio, e ninguém aceitou esse documento como sendo verdadeiro.

Então, o Estado Brasileiro depois de anos e anos, após eleições democráticas, ainda não conseguiu evitar coisas desse tipo. Agora, ainda pior do que isso, é quando eu pesquisei o período relativo ao caso Herzog, desde que ele assumiu a direção da TV Cultura, em São Paulo, passando pelo assassinato e depois passando pelas repercussões desse período, está praticamente vazio. Então, isso eu conto no livro, porque é evidente que foram surrupiados, assim como os meus, já que o meu dossiê tinha o

dobro do tamanho do dossiê do Vlado, que foi apanhado e morto por ser considerado comunista. O meu dossiê tinha cerca de 180 páginas e não encontrei o período em que fui presidente do Sindicato dos Jornalistas, em São Paulo, quando denunciei o assassinato do Vlado. Há sim, um relatório posterior que diz, de maneira mais absurda, que o Vladimir havia arrumado o emprego na TV para espionar os meios de comunicação do país inteiro. T.I. - Existe outra dificuldade para se fazer esse resga-

te?

Audálio Dantas - Outra dificuldade é, por exemplo, que as pessoas não querem falar, por incrível que pareça, porque o grande mal sofrido por esse país foi esse, tanto que até hoje as pessoas têm medo de falar e sofrer algum tipo de retaliação. T.I. - O senhor falou de enclausuramento provocado pela censura. Esse foi o mal maior? Audálio Dantas - Sem dúvida, Primeiro no sentido geral, porque sobre os jornalistas a censura praticamente impede o exercício da função; depois a repressão contra jornalistas, e isso é uma coisa que pouca gente sabe: foram registrados 22 casos de jornalistas mortos durante o período da ditadura, um deles aqui de Alagoas, que era o Jaime Amorim de Miranda, e o último deles que foi Vlado Herzog, que foi uma espécie de gota d’água, já que foi a partir da morte do Vlado que a imprensa brasileira começou a combater, e a ditadura começou a cair. De forma que, com a comissão formada por jornalistas, nós vamos querer saber quais foram os prejuízos reais, o que eles sofreram de repressão política, profissionalmente, no sentido que muitos perderam os empregos e tudo isso será investigado pelas comissões que foram e estão sendo instaladas em todos os estados, já que com isso a primeira grande vítima da ditadura contra os jornalistas foi a sociedade que foi privada de informação. T.I. - Já que o senhor falou sobre o Jaime Miranda, o Sindicato dos Jornalistas de Alagoas convidou a jornalista Olga Miranda, filha de Jaime Miranda, que desapareceu durante a ditadura e é considerado desaparecido até hoje, para participar da comissão da verdade. Isso pode atrapalhar o resultado dos trabalhos? Audálio Dantas - Nós consideramos importante que as pessoas que tem alguma informação e condições de buscar esclarecimentos são importantes e bem vindas à Comissão. Mais eu acho que uma das preocupações da Comissão é de que tudo seja documentado e que as entrevistas de pessoas que sofreram violência, de jornalistas, no caso, ou de familiares, sejam feitas sempre por duas ou mais pessoas para que não haja uma emoção prevalecendo. No caso dela, a emoção da filha, que é muito justa e natural. No caso do Jaime Miranda, que é muito conhecido, resta agora dizer o que a família dele reivindica, e não é reparação financeira, é reparação moral. T.I. - Como andam os trabalhos das comissões instaladas pelo país? Audálio Dantas - As comissões de cada sindicato dependem muito da organização deles, mas de modo geral, funcionam bem, já que a categoria recebeu isso com bastante interesse. Você acabou de dizer que aqui em Alagoas a filha de uma das vítimas compõe a comissão e certamente haverá outras vítimas cuja história será revelada.


TRIBUNAINDEPENDENTE

Conjuntura

FLAVIO GOMES DE BARROS - flavio.gb@ig.com.br

A náusea de Jabor

T

recho de artigo de Arnaldo Jabor: “... Não aguento mais ver a cara do Lula, o homem que não sabe de nada, talvez nem conheça a Rosemary, não aguento mais ver o Sarney mandando no País, transformando-nos num grande ‘Maranhão’, com o PT no bolso do jaquetão de teflon, enquanto comunistas e fascistas discutem para ver quem é mais de ‘esquerda’ ou de ‘direita’, com o Estado loteado por pelegos sem emprego, não suporto a dúvida impotente dos tucanos sem projeto; não dá mais para ouvir quantos campos de futebol foram destruídos por mês nas queimadas da Amazônia, enquanto ecochatos correm nus na Europa, fazendo ridículos protestos contra o efeito estufa; Não aguento mais contar quantos foram assassinados por dia, com secretários de segurança falando em ‘forças-tarefas’ diante de presídios que nem conseguem bloquear celulares, não suporto a polêmica nacionalismo-pelego x liberalismo tucano, tenho enjoo de vagabundos inúteis falando em ‘utopias’, bispos dizendo bobagens sobre economia, acadêmicos decepcionados com os ‘cumpanheiros’ sindicalistas, mas secretamente fiéis à velha esquerda, que só pensa em acabar com a mídia livre, tremo ao ver a República tratada no passado, nostalgias masoquistas de tortura, indenizações para moleques, heranças malditas, ossadas do Araguaia e nenhuma reforma no Estado paralítico e patrimonialista; Não tolero mais a falta de imaginação ideológica dos homens de bem, comparada com a imaginação dos canalhas, o que nos leva à retórica de impossibilidades como nosso destino fatal e vejo que a única coisa que acontece é que não acontece nada, apesar dos bilhões em propaganda para acharmos que algo acontece...”

Figurantes

Não é nada de pessoal, apenas uma constatação: afinal, o que fazem, no exercício do mandato de deputado estadual, Severino Pessoa e Thaíse Guedes? Já no terceiro ano de mandato, ou eles mudam de postura ou ampliam a galeria daqueles parlamentares que entraram mudos para iniciar seus mandatos e saíram calados da vida pública.

Atendido

Por sugestão do deputado federal Givaldo Carimbão (PSB-AL), à Casal, a barragem que abastece Paulo Jacinto, quase seca, está sendo interligada à Barragem Helenildo Ribeiro, também conhecida por “Dois Braços”. Nos 13 quilômetros de distância será implantada uma tubulação provisória, de forma emergencial, e, depois, uma definitiva.

À prática

O desembargador Sebastião Costa Filho, vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral, no exercício da Presidência, instituiu, comissão multidisciplinar para elaborar a proposta do Programa de Acessibilidade da Justiça Eleitoral. Criado em 2012, o programa prevê que os eleitores com deficiências físicas tenham acesso mais fácil aos locais de votação.

Avanços

A Braskem melhorou seus indicadores de SSMA - Saúde, Segurança e Meio Ambiente, no ano passado. Em relação a 2011, reduziu em 11% a geração de efluentes; em 6% o consumo de água; em 2% o consumo de energia. Desde a fundação da empresa, em 2002, diminuiu a geração de resíduos sólidos e efluentes - de 61% e 39%, respectivamente.

Sentimento

Do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, numa sutil colocação: “Não há grande incômodo nas grandes massas. Não há na classe média esse sentimento, nem de forma generalizada no empresariado. Mas há, nesse instante, nas elites, grande preocupação com o futuro. Há o sentimento de que as coisas podem piorar.”

Inutilidade

É lamentável, num país com tanto potencial cultural, a euforia verificada com o final de mais um Big Brother Brasil, inclusive na repercussão, no dia seguinte, nos programas da TV Globo. Só muito apego ao dinheiro justifica um profissional do quilate de Pedro Bial se passar para comandar algo sem nenhum conteúdo, para incautos telespectadores.

Safadeza

O Ministério da Saúde ampliou o acesso dos cidadãos à cirurgia de redução de estômago, que poderá ser feita a partir dos 16 anos. Mas, na prática, a espera pela cirurgia bariátrica no SUS demora de três a 12 anos. Pelos planos de saúde, é bem mais rápido. Mas, inclusive em Alagoas, médicos exigem pagamento de honorários “por fora”.

Há grupos resistentes, que argumentam que o acolhimento tem base religiosa e espiritual. Eles simplesmente ignoram que a espiritualidade é acompanhada de muito afeto e conhecimento médico.” GIVALDO CARIMBÃO Deputado federal do PSB/AL, sobre a resistência que vem enfrentando por defender medidas de acolhimento compulsório de dependentes de drogas

*O programa “Aplauso” de hoje, das 10 às 12 horas, pela Educativa FM, tem como atração o cantor e compositor Mílton Nascimento, um dos ícones da música popular brasileira. Mílton, inclusive, se apresentará sábado, dia 6, no Centro de Convenções de Maceió. *O Senai abrirá, em maio e junho, 360 vagas nos cursos de qualificação profissional do Pronatec, para alunos do ensino médio da rede pública estadual. Entre os dias 2 e 14 de abril uma equipe estará no CEAGB, das 9 às 17 horas, fazendo inscrições. * O Sebrae/AL promove, amanhã e depois, o V Encontro de Administração e Finanças da Região Nordeste, no Hotel Radisson, em Maceió. Participarão unidades da Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e Alagoas. * Outro evento, amanhã e depois, no Sebrae/AL: o curso “Ganhe dinheiro com o PAIS – Produção Agroecológica Integrada e Sustentável”, visando a capacitação para melhorar a produção nos micro e pequenos empreendimentos da chamada agricultura familiar. * Depois da vitória de 3x2 sobre o Corínthians, na 4ª feira, o CSA volta a campo pelo hexagonal, às 17 horas de hoje, no Trapichão, contra o Murici. O time azulino precisa vencer para manter as esperanças de chegar ao título no ano do seu centenário.

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013 POLÍTICA

3

Estilo de Rui é de cobrar e sempre estar presente Gestão tucana em Maceió é marcada por cobrança de resultados diretos

P

ara quem quer marcar época na gestão em Maceió, o prefeito Rui Palmeira (PSDB) começou com o pé direito. Taxativo, ele reuniu esta semana secretários das chamadas pastas “executivas” – Infraestrutura, Meio Ambiente e Superintendências de Limpeza, Trânsito e Iluminação – para cobrar ações efetivas nas pastas. Como exemplo, o chefe do Executivo cobrou que fossem tomadas medidas para resolver as condições estruturais dos “passeios” pela cidade, cobrado há quatro semanas. Isso por que, o próprio Palmeira foi pessoalmente, com os secretários apontar os pontos críticos em Maceió. Um dos secretários cobrados queixou-se em reservado da falta de aprovação da Lei Orçamentária Anual (LOA) e ouviu do prefeito: “Você está aqui para fazer, não para reclamar. Vamos resolver. Quero que resolva”, afirmou, taxativo. Amanhã, será o próprio prefeito quem fiscalizará a operação tapa-buraco no bairro do Poço. Esse é o estilo que o tucano quer deixar como estilo de governo em seus quase cem dias de gestão. A busca por resultados e

SECOM/MACEIÓ

Rui Palmeira faz questão de estar próximo de seu secretariado, cobrar e fiscalizar obras na cidade

a cobrança de respostas de sua equipe, a fiscalização em pessoa da execução de serviços nos bairros, a valorização do planejamento e muitas peregrinações a Brasília por mais recursos para a Maceió indicam o modo Palmeira de governar.

Sem “pirotecnia” e tendo como herança da antiga gestão uma dívida de bem mais que R$ 150 milhões somente com prestadores de serviço e fornecedores, Rui já conseguiu garantir reajuste de 9% a servidores, assinar ordem de serviço de nova avenida e

melhorar serviços como limpeza e iluminação em toda a cidade. Some-se a isso a determinação de transparência nas ações, como ficou patente com a publicação integral da folha de pagamentos dos servidores município.

EM BRASÍLIA

Em pouco tempo, prefeito ganha apoios Um estilo diferente do prefeito anterior. Cícero Almeida era personagem presente no noticiário com falas que o fizeram perder muitos “amigos” e “irmãos” na política, muitas vezes protagonizando “bate bocas” ao vivo pelas ondas do rádio. Pouco presente em Brasília, Almeida devotou seu mandato, principalmente o primeiro, a algumas obras de infraestrutura que ainda durante sua gestão se mostraram ineficazes para melhorar o trânsito na cidade. “O prefeito Rui está a par de tudo o que se passa na gestão e faz questão de cobrar resultados”, sintetiza um secretário municipal ouvido pela Tribuna Independente. “E se o assessor não levar resposta, é bronca na certa”, arrematou o gestor, pedindo sigilo sobre seu nome. Andando de muletas desde que rompeu ligamentos da região do pé no mesmo local pela quarta vez, Rui Palmeira já se reuniu em Brasília com ministros como o da Saúde, Alexandre Padilha; da Cultura, Marta Suplicy; da Controladoria Geral da União, Jorge Hage; e dos Esportes, Aldo Rebelo. Após a conversa com Palmeira, Aldo Rebelo fez questão de

SECOM/MACEIÓ

Ministros, como Alexandre Padilha, da Saúde, receberam Rui e prometeram ajudar gestão

vir a Maceió lançar o Programa Segundo Tempo. “Ele [Palmeira] está na busca por recursos. Somente recursos próprios não dão conta das necessidades da gestão. Diversos projetos estão sendo realizados em várias áreas. A ordem do pre-

feito é arrumar a casa para poder colocar em ação estes projetos, com responsabilidade”, disse o assessor. O estilo de Rui Palmeira é também marcado pela presença do prefeito nos bairros. Desde o primeiro sábado de sua gestão, Palmeira está

quase que semanalmente em uma comunidade durante o final de semana e por sua determinação as secretarias criaram o projeto Bairro Vivo, com prestação de serviço diretamente em comunidades carentes de Maceió.

ONIPRESENTE

PRIMEIRA VEZ

Na lavagem do Comércio, a noite, o prefeito de Maceió também fez questão de ir. Rui começa seu dia cedo, lendo todos os jornais e ligando para secretários. A ordem da assessoria direta e dele próprio é para que os telefones dos secretários sempre estejam ligados e que sempre sejam atendidos, de primeira. “Se não atender, dá problema”, revela outro assessor de Palmeira. O tablet é um companheiro permanente, já que Rui é usuário de redes sociais como Twitter e Facebook.

Sábado, dia 23 de março, o Bairro Vivo ocorreu na Chã da Jaqueira. Ontem (30), em virtude da Semana Santa, o projeto foi adiado. “Mas ele [Rui Palmeira] já ordenou que na próxima semana quer o Bairro Vivo em algum bairro de Maceió”, afirmou um secretário. “A noite já ocorreram várias vistorias da iluminação, com o prefeito à frente. Num Bairro Vivo, uma rua na região de Fernão Velho foi iluminada pela primeira vez. Na orla de Maceió, as luzes estão sendo religadas.

Palmeira não larga o tablet em visitas

Iluminação chega onde não tinha


TRIBUNAINDEPENDENTE

4 POLÍTICA MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

BARTOLOMEU DRESCH bartolomeu_dresch@hotmail.com.br

As fraudes na ciência

N

ão é errado afirmar que o maior fantasma da comunidade científica atualmente é a prática de fraude na ciência. O número de casos relatados de plágio, falsificação e até a “invenção” de resultados em trabalhos científicos têm aumentado bastante nos últimos anos e uma das causas é a facilidade de acesso à internet e a softwares que facilitam a prática das fraudes. Os dados mais impressionantes chegam dos Estados Unidos por meio do Escritório de Integridade de Pesquisa, orgão do Departamento de Saúde do governo americano. Nos últimos dez anos o número de trabalhos retratados somente na área das ciências biomédicas aumentou 435%, levando em conta os artigos listados na base PubMed, referência bibliográfica internacional para pesquisas. Foram 375 artigos retratados em 2012 contra 271 em 2011 e 70 em 2010. Em média são registradas 198 denúncias de fraudes por ano, sendo que 36% são comprovadas em resultam em condenação. No Brasil, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) criou há um ano uma comissão para analisar denúncias de fraudes. Foram feitas duas reuniões: a primeira com quatro casos e a segunda com dez. Existem casos de plágio, falsificação de dados da pesquisa, falsificação de dados curriculares e por quebra de sigilo. A situação é vista com preocupação e por isso mesmo todas as denúncias são investigadas, mas até as punições devem ser aplicadas com cuidado, para evitar injustiças.

PEC-37 gera opiniões diversas em Alagoas Proposta tem por objetivo impedir que o MP exerça funções investigativas SANDRO LIMA/ARQUIVO

T

Reserva de Limoeiro Organismos e entidades ambientais de Alagoas saudaram a iniciativa do prefeito Marlan Ferreira, de Limoeiro de Anadia, que decidiu transformar a Reserva do Tamanduá, localizada no povoado Olho d’Água da Pedra, em uma área de conservação ambiental. Técnicos do Instituto do Meio Ambiente visitaram o local e deverão fazer em breve um levantamento vegetal, animal e floral. A partir de então a área poderá ser transformada em Unidade de Conservação Pública, com um parque ecológico, uma reserva ambiental ou até ser uma Área de Proteção Ambiental (APA). De imediato a prefeitura vai trabalhar um projeto de reflorestamento no local com o plantio de mudas de Craibeira, Angico, Umbaúba e Jacarandá, que foram doadas pelas usinas Seresta e Coruripe.

Cutucando a onça Ele gosta da confusão. O deputado Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, entregou a relatoria de um dos projetos mais polêmicos em tramitação, a seu maior aliado. O projeto que trata da regulamentação da profissão de prostituta foi entregue ao deputado Pastor Eurico (PSB-PE) ferrenho defensor de Feliciano. E o que é pior: O projeto é de autoria do deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) líder do grupo opositor ao grupo de Feliciano e que não o aceita na presidência da Comissão dos Direitos Humanos. A indicação do Pastor Eurico para a relatoria foi entendida como um ato de provocação.

Cutucando a onça 2 O projeto apresentado pelo deputado Wyllys foi batizado de “Lei Gabriela Leite”, homenagem a uma ex-prostituta, militante da causa e criadora da grife “Daspu”. A proposta regulamenta a atividade dos profissionais do sexo, proíbe a apropriação de mais de 50% do rendimento da prestação do serviço sexual por terceiros, permite a criação de cooperativa da categoria e a possibilidade de tornarem-se trabalhadores autônomos. O autor do projeto justifica que “mesmo remontando a antiguidade, a atividade sofre exclusão normativa do ponto de vida da moral e dos bons costumes. Mas é um moralismo superficial, causador de injustiça social e negação dos direitos aos profissionais”.

Cursos de qualificação O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) vai ofertar nos meses de maio e junho, 360 vagas para cursos de qualificação profissional para alunos matriculados no ensino médio da rede pública estadual. A partir desta segunda (1º) uma equipe estará no Centro de Treinamento do Cepa para inscrever os candidatos. As áreas disponíveis são alimentos, artes gráficas, automotiva, construção civil, eletricidade, gestão, polímeros, informática, instrumentação, metalomecânica, madeira e mobiliário, refrigeração, solda/caldeiraria, têxtil e vestuário. O aluno deve levar CPF, RG, comprovante de escolaridade e de residência.

Denominações estranhas O mercado de trabalho brasileiro cresce a cada ano e exige igualmente a capacitação em determinadas profissões específicas, algumas delas com nomes estranhos. Confira alguns exemplos: chanfrador (que corta o couro em ângulos específicos); colometrista (que prepara a tinta para carros batidos no mesmo tom da original); duteiro (que fabrica dutos de ar condicionado); espeleólogo (que estuda e trabalha em cavernas); extrusor de sopro (faz a regulagem da sopradora, para embalagens descartáveis); faccionista (modela, corta e costura roupas para pronta entrega); faquista (faz facas para uso gráfico); herpetólogo (estuda répteis e anfíbios); ficóloga (que estuda as algas).

Denominações estranhas 2 E mais: guaribador (responsável pelo polimento e limpeza de automóveis); gemológo (que atua com gemas e pedras preciosas); ictiólogo (especialista no estudo de peixes); madrilador (que trabalha com máquinas de precisão); mirmecologista (que estuda as formigas); micologista (que estuda os fungos); migueiro (que trabalha com soldas em estruturas pesadas, principalmente na indústria naval); ornitóloga (que estuda as aves); papiloscopista (especialista em identificação humana); piloteiro (o antigo prático na navegação em portos); podólogo (especialista em terapia dos pés); tricologista (especialista em tratamento de pelos e cabelos). • A reabertura da programação semanal do Cine Misa (Museu da Imagem e do Som), vai ser marcada por uma grande homenagem ao cinema alagoano, iniciando com a reapresentação do histórico filme “Ponto das Ervas” de Celso Brandão. • O filme, uma dos mais importantes do cinema alagoano, está completando 35 anos de lançamento, será mostrado nesta quarta-feira, dia 3, com uma sessão às 19h, na sede do Misa, em Jaraguá. • Nesta nova programação do Cine Misa, serão exibidos ainda em sessões gratuitas os filmes Zé do Chalé, também de Celso Brandão, Barro do Muquém e De Barro a Louça de Alice Jardim, além de O cantor da Ilha do Ferro de Vladimir Lima. • Além da nova programação o Cine Misa continua com sessões no mesmo horário tradicional, das 19horas das terças feiras. • Nesta nova temporada o Misa também esta fechando parcerias com diversos grupos artísticos, diversificando suas atividades para diversas áreas culturais. • Não fique enganando tudo e a todos, o tempo todo. Fale a verdade, pelo menosamanhã.

RENATO BUARQUE COLABORADOR

Antonio Carlos Lessa, da Adepol, defende reforço das polícias judiciárias, por meio da PEC 37

ENTENDIMENTO

Adepol nega que proposta de emenda beneficie a impunidade O presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Alagoas (Adepol), delegado Antônio Carlos Lessa, se posicionou de forma favorável à aprovação da PEC 37. Segundo Lessa, a PEC não acabaria com a autonomia institucional do Ministério Público. O delegado salientou que, constitucionalmente, a prerrogativa de investigar os crimes pertence às polícias judiciárias e que é este o principal objetivo da PEC, dar mais autonomia a estas instituições. “Tem gente dizendo que

esta é a PEC da Impunidade, mas eu entendo que esta é a PEC da legalidade. Nós queremos fazer com que as polícias judiciárias, tanto a Polícia Civil, nos estados, quanto a Polícia Federal sejam robustecidas e tenham mais autonomia. A prerrogativa, prevista na nossa Carta Magna, é a de que as investigações devem ficar a cargo destas instituições e nós defendemos com veemência esta vertente da análise”, disse Lessa. Já os representantes da polícias Civil e Militar de Alagoas reiteraram a parce-

ria com o Ministério Público Estadual e concordaram que a autonomia e a prerrogativa institucional de cada entidade deve ser preservada. O comandante da Polícia Militar, coronel Dimas Cavalcante, ressaltou a parceria e sintonia com o MP. Já a PC, por meio da sua Assessoria de Comunicação, afirmou que a tramitação e a eventual aprovação da PEC não mudaria as prerrogativas investigativas da Polícia Civil. Ressaltando que a boa relação será mantida, caso seja aprovada a PEC. (R.B)

VOLTAR ATRÁS

Cientista política afirma que PEC 37 é retrocesso democrático A cientista política Luciana Santana afirmou que a PEC-37 não deve ser aprovada, mas foi pontual ao afirmar que a eventual aceitação do projeto pode causar um sério problema institucional. Segundo ela, os próprios legisladores do Congresso Nacional, onde a PEC tramita, não se entendem sobre o tema, o que deve fazer com que o projeto perca força. “Acredito que esta Proposta de Emenda Constitucional não deve ser aprovada, os membros do Congresso não entram em consenso

sobre o tema. Entendo que, se esta medida for aprovada constituirá um retrocesso democrático, causando uma série de problemas entre instituições, sobretudo entre o Ministério Público e as polícias judiciárias”, disse Santana. A professora argumentou que as investigações devem ser feitas pelas polícias judiciárias, e assim salientou o trabalho da Polícia Federal; porém neste sentido, os Ministérios Públicos e os Tribunais de Contas são instituições autônomas que pre-

cisam exercer seu papel de investigação e controle sobre as ações neste sentido. “O MPs e os TCs são orgãos independentes e devem agir de acordo com as prerrogativas à disposição de procuradores e promotores, ou seja de investigar, de forma independente e isenta, a existência de crimes. Acredito que, nos últimos anos, a PF tem feito um trabalho muito importante para a sociedade, entretanto, sou favorável à independência dos orgãos de controle e fiscalização”, afirmou. (R.B)

PERIGO

PRERROGATIVAS

Em recente entrevista à Tribuna Independente, o chefe do Ministério Público Estadual (MP/AL), Sérgio Jucá, confirmou que pretende na verdade reforçar os elos com os demais entes de segurança. “Queremos apenas exercer supletivamente a atividade de investigação. Porque se houver exclusividade, e não existe exclusividade da polícia judiciária investigar no texto da Constituição Federal, o MP vai ser o caudatário do inquérito policial, somente um mero receptor”, pontuou.

A opinião do representante da Adepol de Alagoas, delegado Antonio Carlos Lessa, vai de encontro com a vertente defendida pela Associação dos Delegados de Polícia do Brasil, que por meio de uma cartilha afirmou que algumas informações divulgadas em relação a este tema são falseadas. Na cartilha divulgada pela Adepol-BR, a opinião da instituição é a de que a Constituição deveria ser respeitada, respeitando o princípio ressaltado por Antônio Carlos Lessa.

Caso passe, MP será apenas coadjuvante

ramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda Constitucional de número 37, a PEC-37. Pelo teor do projeto, caso este venha a ser aprovado pelos senadores e deputados federais, o Ministério Público perderá a prerrogativa de exercer o papel investigativo. A medida é controversa e tem gerado uma certa dúvida acerca das atribuições do Ministério Público em uma eventual aprovação. Até o momento, os legisladores não se entendem sobre o rumo do processo. Muitos entendem que a medida fortaleceria às polícias judicárias - Civil e Federal -, que teriam ainda mais autonomia investigativa. Por outro lado, alguns políticos acreditam que com o papel do Ministério Público sendo diminuído, muitos crimes de improbidade administrativa e de corrupção poderiam ficar impunes. Aliás, tal vertente é veementemente defendida pelo procurador-geral de Justiça de Alagoas, Sérgio Jucá. Ele é enfático ao repudiar a tramitação da PEC, que entende como sendo uma medida para desconstruir a boa imagem que o Ministério Público tem conseguido, junto à opinião pública nos últimos tempos. “Esta medida é um insulto à sociedade brasileira. O Ministério Público é constitucionalmente liberado para realizar determinados tipos de investigação. Caso a emenda passe no Congresso, muitos crimes, que na maioria das vezes não são devidamente apurados pela Polícia Judiciária, como os de improbidade administrativa e de corrupção no meio político poderão adecer de impunidade”, disse Jucá. Ele afirmou ainda que o Ministério Público, tanto o de Alagoas, quanto os demais em todo o Brasil não pretende entrar nas prerrogativas de função das Polícias Judiciárias. Jucá ressaltou a necessidade de uma parceria entre as instituições. “Não queremos tomar a função de ninguém. O Ministério Público vai continuar desempenhando seu papel de caudatários dos inquéritos policiais e vai continuar ajudando no transcorrer das investigações. Em Alagoas, temos uma boa relação com as polícias Federal, Civil e Militar, com a Secretaria de Defesa Social e o resultado desta parceria é o crescente número de ações de repercussão contra a criminalidade”, disse o procurador. Quanto a adesão da sociedade em favor da referida PEC, o procurador-geral de Justiça de Alagoas foi enfático em dizer que a sociedade é favorável à causa do Ministério Público e que acha difícil que a medida seja aprovada no Congresso. “Temos nos fortalecido e a sociedade civil organizada tem sido simpática ao posicionamento do Ministério Público. Tanto é que o processo, que vinha sendo discutido forma recorrente no Congresso vem perdendo força em meio aos parlamentares. Temos ainda o apoio da Bancada Federal de Alagoas e acredito que este projeto não seja aprovado”, afirmou Sérgio Jucá.

Associação nacional pede respeito


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013 POLÍTICA

5

Sobre PEC, Congresso está dividido Deputado federal João Lyra enfatiza o que há na Constituição Federal sobre investigações e sua exclusividade

Cotidiano

SANDRO LIMA/ARQUIVO

U

LININHO NOVAIS - contato@lininho.com

Em pauta

D

o professor Vladimir Safatle em artigo publicado em Carta Capital: “Iniciado com um ano e meio de antecedência, o debate sobre as eleições presidenciais de 2014 demonstra o raquitismo político ao qual o eleitor brasileiro se encontra submetido. Já sabemos de antemão quais devem ser os candidatos a presidente. Ainda é difícil, porém, encontrar pautas de debates que poderiam permitir ao País sintetizar novas soluções para seus problemas. Por enquanto, sabemos apenas que o candidato tucano Aécio Neves está disposto a dar um salto para trás no tempo e recuperar o ideário liberal que alimentou seu partido nos anos 1990, inclusive ao trazer os mesmos nomes de sempre para pensar seu programa de governo. Como se nada tivesse ocorrido no mundo nos últimos 15 anos, como se o modelo liberal não tivesse naufragado desde a crise de 2008, o candidato tucano demonstra que a guinada conservadora do chamado partido “social-democrata” brasileiro é mesmo um horizonte terminal. (...) Cabe à esquerda dizer em alto e bom som que temas como casamento igualitário, direito ao aborto e políticas de combate à desigualdade racial são pontos inegociáveis a ser implementados com urgência. Dessa forma, fecha-se um círculo no qual uma pauta de modernização socioeconômica, política e social pode guiar nossos debates”.

Confiança Depois de ter passado pelas pastas da saúde e trabalho, Herbert Motta tem sido o ‘homem-forte’ do governo de Teotonio Vilela. Com perfil técnico e gerencial, Motta tem incomodado alguns da ala ‘vem nós, vosso reino nada’.

Bate ou não? Vereador Wilson Júnior (PDT) tem negado aos quatro cantos que não deseja disputar a eleição no próximo ano. Porém, Ronaldo Lessa já mandou escalar o apresentador para fortalecer as bases do partido, já que foi ensaiada a debandada dos deputados Isnaldinho Bulhões, Jota Cavalcante e Sergio Toledo.

Falando nisso... ... Foi por água abaixo o desejo de Wilson Júnior voltar à TV, dividido entre o perdão do clã Sampaio e a proposta do Sistema Pajuçara, a demora do ‘deixar eu pensar’ acabou deixando o apresentador fora do ar.

O pai quer Quem iniciou o mandato de vereador com o pé direito foi Jorge Mello (PTB), em Marechal Deodoro a popularidade do filho de Euclides Mello está alta, e já se comenta em sua possível candidatura a prefeito, no lugar de Cristiano Matheus (PMDB).

Sucessora O prefeito de Coruripe, Joaquim Beltrão (PMDB), tem aproveitado estes primeiros 100 dias de governo para realizar viagens a Brasília. Seus assessores mais próximos afirmam que ele está matando as saudades do tempo de deputado federal. Esta semana, em Maceió, ele foi questionado sobre a gestão no município litorâneo. Em resposta, ele retrucou: ‘A Dalva Edith, minha vice-prefeita, me substitui muito bem’.

Em silêncio O professor Guilherme Soares (PSOL), agora vereador, está sentado no lugar de Ricardo Barbosa, ex-vereador pelo PSOL e PT, e com a mesma distância da vereadora Heloísa Helena. Ambos sequer trocam ideias ou cumprimentos.

Em discussão Após o feriado da Semana Santa, a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), retoma a sua programação de reuniões semanais. Na segunda-feira, dia 1º, a partir das 10h, serão discutidos entre os prefeitos dois assuntos importantes para o desenvolvimento municipal: meio ambiente e educação.

Resíduos sólidos Para cumprir a meta do fim dos lixões, como prevê o Plano Nacional de Resíduos Sólidos, a AMA e o Estado orientam os municípios a se unirem em forma de consórcio, uma solução que pode baratear os custos e otimizar os recursos.

Fundeb A AMA vai orientar e precaver os prefeitos a respeito das perspectivas para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), de acordo com a capacidade financeira e a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Jovens talentos Estudantes que ingressaram em universidades federais e institutos federais de educação no segundo semestre de 2012 e no primeiro semestre de 2013 podem participar do Programa Jovens Talentos para a Ciência. As inscrições foram prorrogadas até a próxima quarta-feira, 3 de abril.

EDITORIA DE POLÍTICA COM ASSESSORIA

João Lyra admira trabalho desenvolvido pelo MP, mas tem arestas

ma grande polêmica instalou-se no Congresso Nacional e em diversos segmentos da sociedade civil, em decorrência do que prevê a Proposta de Emenda à Constituição nº 37/2011, ou simplesmente PEC 37. O único parlamentar alagoano a comentar foi o deputado federal João Lyra (PSD) que explicou a polêmica. De autoria do deputado Lourival Mendes (PTdoB/MA), acresce o parágrafo 10 no artigo 144 da Constituição, determinando que “a apuração das infrações penais de que tratam os parágrafos 1º e 4º deste artigo, incumbem privativamente à Polícia Federal e à Polícia Civil dos Estados e do Distrito Federal, respectivamente”. “Caso aprovada a PEC, implicará a retirada do poder do Ministério Público de investigar ações criminais. O deputado Lourival Mendes reitera que o MP ‘nunca teve a competência ou atribuição de realizar referidas investigações, mas esse tipo de procedimento ilegal vem crescendo gigantescamente no decorrer do tempo e está

tomando força e proporções impressionantes’, ressaltou o parlamentar alagoano. João Lyra lembrou que seu colega de parlamento citou que “o MP cresceu muito e ficou muito forte, e está tentando fazer investigações semelhantes às da Polícia Federal e da Polícia Judiciária”. Lourival Mendes afirmou que “é grande admirador do trabalho desenvolvido pela instituição, contudo ela só pode acompanhar todo o processo investigatório, mas não realizar a investigação”. No mérito, na avaliação de João Lyra, faltam regras claras, definindo a atuação dos órgãos de segurança pública, e isso tem causado grandes problemas ao processo jurídico no Brasil. Para ele, referendado pelo autor da proposta, “depreende-se que a aprovação da PEC 37, em nenhuma hipótese causará prejuízos à atuação do MP”. CNMP A PEC 37 vem sendo combatida por um grande número de instituições, mais enfaticamente pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). A instituição estudo em que critica duramente os termos da proposição.

DEFESA

Parlamentar lembrou argumentos João Lyra reforçou que a proposta inserida na emenda constitucional não irá prejudicar as competências e atribuições da investigação criminal, como previsto na Constituição Federal, “o CNMP registra ser fundamental analisar o cerne de toda a questão e a finalidade principal da PEC 37/2011, que é o de acrescentar na Carta Magna a expressão ‘incumbem privativamente às polícias federal e civil a apuração de todas as infrações penais’”. O CNMP repete à exaus-

tão, segundo o parlamentar, no seu estudo, que os efeitos da PEC 37/2011 não se resumem em proibir o Ministério Público de investigar fatos criminosos e também não é verdade que as demais competências e atribuições serão mantidas. “Mas, é bom frisar que a PEC 37 conta, igualmente, com poderosos defensores. O primeiro deles é a Ordem dos Advogados do Brasil [OAB], que, por meio do seu representante, Edson Alfredo Smaniotto, disse que a entidade é favorável à PEC 37”,

recordou o deputado federal. João Lyra ainda lembrou que Magnus Barreto, diretor da Associação dos Delegados de Polícia do Brasil (Adepol), acentuou que a Constituição determina funções específicas para representantes de cada ordem, como promotores, delegados e juízes. “O papel do MP é elencado, podendo promover ação civil pública e inquérito público e tem função de controle externo da Polícia, mas sem interferir nas investigações policiais”, completou o deputado alagoano.

Dentro do tiroteio em que se transformou a tramitação da PEC, o parlamentar alagoano destacou a postura do jurista Ives Gandra Martins, que também saiu em defesa da proposição, afirmando que “nada me parece mais correto. Em minha avaliação, nem precisaria que uma PEC viesse a reiterar algo que está implícito na Constituição Federal”. O jurista é de opinião que a PEC é absolutamente desnecessária, “mas, num país como o nosso, sempre é bom deixar o óbvio mais óbvio ainda”. (EP)


6

OPINIAO

TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

Opinião

Economia em recuperação

A

Carta de Conjuntura do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) indica uma recuperação moderada da economia nacional. De acordo com o estudo, após um período de desaceleração econômica, iniciado em 2010, registrou-se melhora a partir do segundo trimestre de 2012. A Carta aponta que o atual ciclo econômico brasileiro difere, em muitos aspectos, daqueles observados em outros momentos da história recente do país, pois não se originou de crises externas, nem de medidas de aperto monetário. A atividade econômica brasileira encontra-se em um processo de recuperação cíclica, com o PIB tendo registrado taxas de variação crescentemente positivas nos últimos três trimestres do ano passado, na série dessazonalizada, após um movimento de desaceleração que se iniciou no segundo semestre de 2010. Mas o atual ciclo possui características bem distintas

daqueles observados em outros momentos da história recente do país. Primeiro, porque não se originou (ao menos não claramente) de crises externas e/ou de fortes medidas de aperto monetário, como os anteriores. Segundo, porque o mercadode trabalho não sofreu impactos significativos. Na verdade, a taxa de desemprego manteve-se em queda contínua,e alcançou seu mínimo histórico em 2012 (5,5%), caindo mais um pouco em janeiro último, na série dessazonalizada(5,4%). E a geração de empregos formais manteve-se forte, ainda que com alguma desaceleração nos últimos meses. Terceiro, porque a inflação manteve-se sempre acima da meta oficial, ao passo que em outros momentos de desaceleraçãoteve reduções importantes. E quarto, porque a atividade não reagiu da maneira esperada às reduções de taxas de juros e a um amplo conjunto de estímulos fiscais.

JOÃO LYRA Deputado federal pelo PSD de Alagoas

A reeleição de Dilma Há um pouco mais de um ano e meio para as eleições de 2014, as recentes pesquisas Ibope/CNI e DataFolha mostraram que a presidenta Dilma Rousseff se reelegeria com folga já no primeiro turno. A verdade é que os resultados positivos têm muito a ver com o desempenho da economia, embora o crescimento do PIB, em 2011 e 2012, tenha sido bem inferior à média dos anos das chamadas “décadas perdidas”, de 1980 e 1990. No DataFolha, o governo de Dilma, em seu terceiro ano, tem uma aprovação de “ótimo” por 65% da população, número jamais alcançado por qualquer candidato, desde a retomada do ciclo eleitoral a partir de 1989, em especial depois do advento do segundo turno que, em 1998, reelegeu FHC. A aprovação do governo é ainda mais espetacular, somando-se os 65% de “ótimo” com os 27% de “regular”, significando que 92% dos brasileiros se encontram satisfeitos com a situação em que vivem. Ademais, é bom notar-se que 80% dos entrevistados cravaram um dado que botou em polvorosa toda a chamada oposição: os que votariam na reeleição de Dilma bateram no teto de 80%. Um massacre contundente.

Mas, há os que teimam em ir de encontro aos fatos. As análises e avaliações de conhecidos setores, de que estamos no “prior dos mundos” chegam a ser engraçadas, se ridículas não fossem: recomendam irritantemente a demissão em massa de trabalhadores e o concomitante aumento da Selic e das taxas de juros praticadas pelo mercado. Segundo eles, o motivo seria pôr um freio na inflação e o vertiginoso aumento nos custos da produção. Por a+b procuram demonstrar que “o jogo está apenas começando”. É, pode ser, mas o ineditismo dos resultados demonstra que é cada vez mais distante e improvável a realização de um segundo turno. A “opinião abalizada” daqueles críticos parece coisa encomendada e dela não concorda o mestre Delfim Netto: “são os gênios dos juros altos”, costuma replicar o ex-ministro, considerando que, apesar dessa hipótese não estar totalmente descartada, sua adoção inibiria mais fortemente os investimentos. Uma apreciação menos apaixonada e objetiva talvez explique melhor o êxito da avaliação pessoal da Presidenta (79%) e do seu governo (92%): em 2012, o aumento

do consumo das famílias foi duas vezes o apurado para o PIB, o volume de exportações cresceu 10%, a taxa de desemprego é a metade da registrada no início de 2005, o salário médio compra mais 30%, os empréstimos às famílias mais que duplicaram como proporção do PIB, seguindo-se a desoneração da cesta básica de alimentos e a queda nas contas de luz, com forte impacto nos salários reais das populações mais pobres. E ainda vem mais por aí: a desoneração de tributos nos planos de saúde e das mensalidades escolares, a ser anunciada no Dia do Trabalho. Esses cenários nos levam a crer que, mantido o curso normal da economia, a reeleição de Dilma Rousseff é só uma questão de tempo. Enquanto isso, as candidaturas “de fantasia” batem cabeça, perdidas em um labirinto sem saída e sem respaldo popular, como bem falaram as pesquisas. Todavia, é oportuno lembrar que a oposição, mesmo em frangalhos, dispõe em seu favor de poderoso aparato midiático que, com raras exceções, se comporta como verdadeiro partido oposicionista. No mais, é esperar, ter paciência, azeitar a máquina, botar o pé na estrada e comemorar a vitória anunciada.

EMIR SADER Filósofo, cientista político e professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), onde coordena o Laboratório de Políticas Públicas

Por que a direita perde no Brasil? OLÍVIA DE CÁSSIA CORREIA DE CERQUEIRA Jornalista - blog oliviadecassia.blogspot.com

Um ritual de passagem... Aprendi desde cedo na escola, como católica apostólica romana, que a Páscoa é um ritual de passagem e que representa a passagem de um tempo de trevas para outro de luz, isto muito antes de ser considerada uma das principais festas da cristandade. Os historiadores contam que a celebração da Páscoa era feita desde a antiguidade, principalmente pelos povos europeus, mas com o objetivo de comemorar a entrada da primavera, que traz vida e a possibilidade de plantio e colheita de alimento. Dizem que para entender a Páscoa é necessário que a gente se volte para a Idade Média e lembre dos antigos povos pagãos europeus que, nesta época do ano, homenageavam Ostera, a deusa da Primavera. Com o passar dos anos essa época passou a ter significações religiosas, com interpretações diferentes dependendo da religião. A palavra Páscoa vem do hebreu e significa a passagem da escravidão para a liberdade. É a maior festa cristã, pois é nessa data que se celebra a ressurreição de Cristo e é uma festa móvel, ou seja, varia o dia depen-

dendo do ano, pois ocorre aos 47 dias após o Carnaval, e esse período é chamado de Quaresma. Depois de ser crucificado e morrer na cruz, o corpo de Jesus foi colocado em um sepulcro, onde permaneceu por três dias, até sua ressurreição. Esse momento onde Jesus ressuscitou que dá o verdadeiro significado para a Páscoa, pois foi um ritual de passagem, tornando-se o dia santo mais importante para os cristãos. Sempre me emocionei nessa época do ano, pois quando a gente era criança, lá na Rua da Ponte, meus pais jejuavam e nos davam orientações de que durante esse período era um tempo de orações e de a gente procurar ser melhor. Na Sexta-feira Santa nós também só fazíamos as principais refeições e era um dia triste. Papai levava a gente para beijar o Senhor morto na igreja; os santos ficavam todos cobertos de panos roxos, na igreja e nas casas também. Seu Antônio Timóteo, pai de Nivalda e Tita, proprietário de um bar na cabeça da ponte, passava o dia todo ouvindo bem alto

TRIBUNA

INDEPENDENTE

Rua da Praia, 134 - sala 303 - centro - Maceió Alagoas Endereço Comercial: Av. Menino Marcelo - 10.440 - Serraria Maceió - Alagoas - CEP: 57.083.410 CNPJ: 08.951.056/0001 - 33

a história de Jesus e eu me comovia ouvindo aquela saga de um homem tão bom que morreu na cruz para salvar a humanidade. No cinema passava a história do ‘Marcelino Pão e Vinho’ e lembro-me de uma única vez que meu pai foi com toda a família o cinema para assistir a fita. Mas o que a gente gostava mesmo era das comidas gostosas que minha mãe fazia, próprias da época. Era um verdadeiro banquete que ela preparava sozinha, além da casa arrumada que era sempre um brinco, como se dizia no interior. Tenho muita saudade daquele tempo e sinto-me reflexiva também nessa época do ano. Hoje em dia a Páscoa é mais alegre, uma celebração em família, muitas cores e muitas brincadeiras para as crianças, além de muito chocolate e muita comida. Mas a gente não deve se esquecer do que representa para todos nós: o ritual de passagem para uma vida melhor. Uma feliz Páscoa para todos e que possamos meditar um pouco sobre o que estamos fazendo das nossas vidas. Bom domingo e fiquem com Deus.

Jorgraf UM PRODUTO:

Cooperativa dos Jornalistas e Gráficos do estado de alagoas

A direita esgotou suas distintas modalidades de governo – ditadura militar, governos neoliberais – entre 1964 e 2002, ficou esvaziada de alternativas e tem que ver, passivamente, governos pós-neoliberais derrotá-la – de 2002 a 2010, muito provavelmente 2014, completando, pelo menos, 16 anos fora do governo. Por que isso acontece? Em primeiro lugar, porque se equivoca nos diagnósticos dos problemas brasileiros e coloca em prática soluções equivocadas, sem capacidade de fazer autocritica e emendar seus caminhos. Prévio ao golpe de 1964, o diagnóstico se voltava contra “a subversão”, acusando complôs internacionais que buscaria implantar no Brasil “o comunismo”. O Estadão, por exemplo, chamava, nos seus vetustos editoriais, o moderado governo Jango de governo “petebo-castro-comunista”. Daí que o centro do regime militar foi a repressão, para extirpar todos os vírus da subversão, limpando o organismo brasileiro dos elementos infiltrados. Nasceu de um golpe apoiado consensualmente pelo bloco dominante – grande empresariado, imprensa, Igreja católica, governo dos EUA, FFAA. Passada a euforia inicial, o regime se estabilizou apoiado sempre na repressão, mas também numa política econômica, em que o santo do “milagre” foi o arrocho salarial, que permitiu o crescimento exponencial da exploração dos trabalhadores e dos lucros das grandes empresas nacionais e estrangeiras. A retomada do crescimento econômico se baseou num modelo com um marco classista evidente: se baseava no consumo das esferas altas do mercado e na exportação, relegando a grande massa da população, afetada pelo arrocho salarial. Foi uma lua de mel idílica para o grande capital, que recebia todo o apoio governamental e não encontrava resistência nos sindicatos –

PRESIDENTE Antonio Pereira Filho DIRETOR ADMINISTRATIVO FINANCEIRO: José Paulo Gabriel dos Santos Editor geral: Ricardo Castro

todos sob intervenção militar. Foi um sucesso que, assentado também nos empréstimos externos – especialmente quando o capitalismo internacional passou do seu ciclo longo expansivo do segundo pós-guerra a seu ciclo longo recessivo, iniciado em 1973 –, o que fez com que o modelo se esgotasse com a crise da divida – na virada dos anos 1970 à década seguinte. Passou-se a apostar na democracia como a solução de tantos problemas acumulados no Brasil. O bloco dominante fez uma tortuosa transição da passagem do apoio à ditadura para a democracia, ajudado pela fundação do PFL e pela aliança, pela derrota da campanha das diretas e pela eleição do novo presidente pelo Colégio Eleitoral, que consagrou a aliança entre o velho e o novo – este na sua modalidade mais moderada, com Tancredo Neves. O governo Sarney funcionou como transição entre a temática ditadura/democracia para a temática Estado/mercado. A democratização reduziu-se ao restabelecimento formal dos direitos políticos, sem democratizar nenhuma outra estrutura da sociedade: nem as grandes corporações privadas, nem os bancos, a terra, a mídia. Com Collor introduziu-se no Brasil o diagnóstico neoliberal: a economia não voltava a crescer por excesso de regulamentação. E, no seu bojo, vieram as privatizações, o Estado mínimo, a precarização laboral, a abertura do mercado. A queda do Collor deixou essas bandeiras disponíveis, que encontraram em FHC sua reformulação – naquela que passou, até hoje, a ser o diagnóstico da direita sobre os problemas do Brasil, resumidos num tema: o Estado não é a solução, mas o problema – como enunciado por Ronald Reagan há já mais de 30 anos. Lula veio para desmontar esses diagnósticos. O Estado mínimo favoreceu a centralidade do mercado

e, com ela, a exclusão social e a concentração de renda, pela falta de proteção que politicas sociais levadas a cabo pelo Estado poderiam levar adiante. O sucesso dos governos Lula e Dilma deixa desarmados e desconcertados os próceres – partidários e midiáticos – da direita. A crise do capitalismo iniciada em 2008 e que segue sem hora para acabar, gerou um novo consenso na necessidade de intervenção anticíclica do Estado. A capacidade de resistência dos governos progressistas da América Latina pela prioridade das politicas sociais, dos processos de integração regional e dos intercâmbios Sul-Sul, e pela recuperação do Estado como indutor do crescimento econômico e garantia das dos direitos sociais da maioria – terminou de desarvorar a direita e deixá-la sem plataforma e sem alternativas. Os candidatos que buscam uma brecha para se projetar – sejam Serra, Heloisa Helena, Alckmin, Marina, Plínio, Aécio, Eduardo Campos – se situam à direita do governo. Não conseguem reconhecer o extraordinário processo de democratização social que o pais vive há mais de 10 anos. Ou tentam aparecer como seus continuadores – como na primeira parte da campanha do Serra em 2010 –, ou desconhecem o novo panorama social brasileiro e atacam o Estado – de forma direta, como o Alckmin em 2006, ou de forma indireta, com a centralidade do combate à corrupção, outra forma do diagnostico de que o problema do Brasil é o Estado ou ainda na temática ecológica com a visão de que a “sociedade civil” é alternativa ao Estado, como a Marina. Assim, a direita perdeu em 2002, 2006, 2010, e tem todas as possibilidades de seguir perdendo em 2014 e depois também. Porque não entende o Brasil contemporâneo, seu diagnóstico ainda é o neoliberal.

Nosso noticiário nacional é fornecido pelas agências: Agência Folha e AGência Nordeste PABX: 82.3311.1338 COMERCIAL: 82.3311.1330 - 3311. 1331 REDAÇÃO: 82.3311.1328 - 3311.1329 CENTRAL DE ASSINANTE: 82.3311.1308 - 3311.1309 comercial.tribunaindependente@gmail.com redação.tribunaindependente@gmail.com

ricardocastro@tribuna-al.com.br

DIRETORA COMERCIAL: Marilene Canuto

OS ARTIGOS ASSINADOS SÃO DE RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES. NÃO REPRESENTANDO, NECESSARIAMENTE, A OPÍNIÃO DESTE JORNAL.


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013 POLÍTICA 7

Pequeno país se junta à Grécia e Espanha na crise que assola a Europa

‘Ainda tinha contas para pagar. Agora fica difícil com o confisco’, diz brasileira

O Chipre é a terceira menor economia da zona do euro, com um PIB de US$ 24,7 bilhões em 2011, segundo o Banco Mundial, para uma população de 1,1 milhão. O país representa apenas 0,2% do PIB da zona do euro, mas os líderes da região temem que a crise possa afetar outros países europeus, principalmente os que já vinham enfrentando problemas econômicos, como Grécia, Espanha e Itália.

Mônica conta que, ao receber a notícia, correu para o computador na tentativa de pagar suas contas e cartões de crédito. “Nos caixas eletrônicos, as filas já eram imensas e parece que, em dado momento, acabou o dinheiro. Eu ainda tinha contas para pagar neste mês e agora vai ficar um pouco mais difícil com os bancos fechados e esse possível confisco”, afirma a brasileira. Para piorar, como lembra Mônica. As famílias cipriotas já estão vulneráveis e fragilizadas do ponto de vista financeiro.

BBC BRASIL/ARQUIVO PESSOAL

Vítima do Plano Collor confiscada também no Chipre Brasileira Mônica Rodrigues relembrou situação no Brasil ao se deparar com suas contas bloqueadas

Q

Brasileira Ana Lima: protesto contra bloqueio de sua conta com o fechamento dos bancos no Chipre

DESESPERO

‘Sem dinheiro e sem comida’, afirma Mônica No dia 19 de março, terça-feira, os termos da nova taxa foram rejeitados em uma votação no Parlamento cipriota. Agora, políticos do país estão tentando chegar a um Plano B para evitá-la, mas a possibilidade de que alguma cobrança direta sobre os correntistas ainda venha a ser adotada não foi totalmente descartada. E além disso, até que esse Plano B seja costurado, os bancos do país devem permanecer fechados. “Não tenho um tostão no bolso. Todo nosso dinheiro estava em uma conta poupança e não conseguimos transferir para uma conta corrente para poder usar o cartão de débito”, diz a brasileira Ana Lima, também casada com um cipriota. “O limite do cartão de crédito se esgotou na semana passada e meu marido tem 10 euros com o qual podemos comprar pão e leite, mas por enquanto não dá pra gastar em mais nada, nem pagar contas – e não adianta tentar pedir emprestado para os amigos porque ninguém tem.” “Todos estão muito frustrados e revoltados”, diz Mônica. “Eu estava fazendo uma poupança para garantir o futuro de minhas duas filhas e agora não sei o que pode acontecer com esses recursos. Temo que eu e elas tenhamos de pagar por erros cometidos por políticos e bancos.” CRISE A crise econômica europeia foi o que transformou a realidade de Mônica e dos outros milhares de habitantes do Chipre, desatando a pior crise da ilha desde 1974, quando o país sofreu um golpe de Estado e foi invadido por tropas turcas.

uando acordou no sábado (16 de março) em sua casa em Nicósia, a capital do Chipre, a brasileira Mônica Rodrigues, teve a sensação de que havia voltado no tempo cerca de 20 anos. Milhares de pessoas corriam para os caixas eletrônicos, fazendo filas enormes para tentar retirar seu dinheiro do banco, trabalhadores e aposentados protestavam contra o achatamento de seus rendimentos e um governo recém-eleito tentava justificar medidas impopulares. Ao longo da semana, a situação não melhorou: o dinheiro dos caixas eletrônicos acabou, os bancos não abriram as portas e as transações bancárias foram bloqueadas.

“Lembrei de quando saí do Brasil, nos anos 90. Era estudante quando o Plano Collor foi adotado, confiscando a poupança dos brasileiros. O caos econômico que o Brasil vivia naquele período influenciou minha decisão de vir morar no Chipre, juntando-me à minha mãe, que havia se casado com um cipriota”, disse Mônica à BBC Brasil. “Aqui havia segurança e estabilidade, as pessoas podiam planejar sua vida com tranquilidade e tinham muitas oportunidades”, lembra a brasileira, que, como a mãe, também terminou se casando com um cipriota e hoje trabalha como auxiliar administrativa. TAXA REJEITADA Os protestos, a corrida

aos caixas eletrônicos e fechamento dos bancos no Chipre foram uma resposta à proposta para a adoção de uma taxa (que está sendo chamada também de imposto ou mesmo confisco) que seria cobrada compulsoriamente sobre todos os depósitos nos bancos do país. A cobrança, anunciada no sábado, foi incluída em um acordo negociado com a União Europeia (UE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI), para permitir a aprovação de um pacote de resgate de 10 bilhões de euros (R$ 29 bilhões) para a economia cipriota. Originalmente, seria de 6,75% para os correntistas com menos de 100 mil euros (aproximadamente R$ 290 mil) e de 9,9% para os que tivessem mais.


8 PUBLICIDADE MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

TRIBUNAINDEPENDENTE


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

Cidades

CIDADES

9

Ciclovia virtual é alternativa para quem trafega de bicicleta nas ruas da cidade Se na ciclofaixa, o ciclista não é respeitado, imagine nas ruas e avenidas onde elas não existem? Pensando nisso, uma empresa criou a ciclovia virtual, que é uma faixa criada no chão com luzes instaladas na própria bicicleta. A faixa mostra que aquele espaço precisa ser respeitado e alerta os condutores de automóveis. Na ciclovia virtual, saem da lanterna traseira luzes de laser em duas linhas paralelas. O design atende os padrões de segurança da ABNT. O produto pode ser comprado por diversos sites por cerca de R$ 85. Porém, mesmo com as lanternas, é preciso muito cuidado e atenção do ciclista.

Ciclistas e pedestres disputam calçadão Na orla de Maceió, situação já motivou brigas e é vista como problema por quem frequenta região ou trabalha por lá ANA PAULA OMENA REPÓRTER

A

confusão é generalizada na orla de Maceió quando ciclistas e pedestres resolvem disputar a mesma faixa, fato corriqueiro por lá. Marcos Calheiros, morador do bairro da Ponta Verde, área nobre da capital alagoana, diz já ter presenciado uma dezena de brigas entre ciclistas, pedestres, patinadores, skatistas e até ambulantes. Para a funcionária de uma banca de revista localizada na Praia da Pajuçara, enquanto não houver conscientização e educação dos que utilizam o espaço público na orla de Maceió, não será possível resolver o problema. “Se cada um procurasse respeitar o direito do outro, resolveria essa situação, mas não é o que acontece por aqui”, afirmou. O funcionário da Pedala Maceió, uma empresa que

aluga bicicletas, triciclos, entre outros veículos para passeios na ciclovia da orla, Maikel Frank, ressalta que além de não haver sinalização nas ciclovias da extensão da orla marítima da cidade, a falta de orientação por parte da Prefeitura Municipal é um agravante. Porém, o serviço prestado pela empresa em que ele trabalha tem contribuído para a confusão. “Não vemos a prefeitura fazer uma ação educativa na área, no sentido de levar conscientização para os pedestres e ciclistas. A Associação Alagoana de Ciclismo [AAC] já realizou algumas campanhas, porém não teve garantia de solução. O pessoal é mal educado e até nos repreende quando levamos ações educacionais para eles. Já levei muita charada de pessoas que acham ruim nosso trabalho”, explicou Maikel Frank. SANDRO LIMA

Associação cobra sinalização em ciclovias, como placas verticais

EM BLOG

Turista reclama da falta de educação de maceioenses O estudante de medicina, Rafael Darrouy, passou as férias de janeiro em Maceió e contou, em seu blog, que teve a oportunidade de verificar a falta de respeito da população com o espaço das ciclovias da cidade e considerou a situação muito ruim. Como forma de protesto, ele fez um vídeo denunciando as péssimas condições de sinalização nas ciclovias e, principalmente, a falta de educação de pedestres que desrespeitavam a faixa específica para cada frequentador da orla. Com o título “Você conseguiria pedalar aqui”, o estudante faz registros de pesso-

as caminhando livremente pela faixa reservada para ciclistas, entre elas ambulantes, como se o espaço tivesse sido criado para pedestres. Mas parece que o problema da falta de educação e infraestrutura não é um caso pontual de Maceió. Na semana passada, uma dupla de ciclistas, desta vez na Avenida Papa João XXIII, em Mauá, no ABC paulista, registrou a dificuldade de circular na ciclovia. Para usar o espaço de quase três quilômetros, os ciclistas precisam driblar postes, bueiros sem tampa e caixas de medição de energia, água e esgoto.

SANDRO LIMA

Pedestres na ciclovia e ciclistas na faixa para pedestres são vistos com frequência no calçadão, o que já deu motivo para brigas no local

NO MPE

CICLOVIAS

Uma Audiência Pública está marcada para acontecer na próxima terça-feira, entre o Ministério Público Estadual (MPE) e a Associação Alagoana de Ciclismo (AAC) cobrando providências do órgão quanto à falta de sinalização nas ciclovias de Maceió. De acordo com o presidente do Conselho Administrativo da Associação de Ciclismo, Antonio Facchinetti, que é engenheiro e fundador da entidade, há mais ou menos seis anos, a ciclovia da orla foi inaugurada e até hoje não recebeu uma sinalização adequada. “Falta compromisso da Prefeitura de Maceió. A ciclovia já começou errada pelo comprimento dela, que pelo certo seria dois metros e meio e não dois metros como foi feita. Nossa reivindicação também é pela manutenção das ciclovias, onde a pintura já não se vê faz tempo. Além disso, cobramos placas verticais, e ainda advertências ao ciclista quanto à prioridade dos pedestres nos níveis mais altos existentes para os que possuem alguma restrição de locomoção, ou seja, alguma deficiência”, mencionou. Um exemplo de ciclovia bem organizada existe em Curitiba, no Paraná, onde nasceu um site chamado “Ciclovias de Curitiba”, que tem como objetivo, além da simples visualização espacial das ciclovias, colocar dicas que possam orientar os ciclistas com informações a respeito de segurança, condições do piso, iluminação, áreas de tráfego intenso, pontos críticos dentre outros. As informações pretendem atender principalmente a quem pedala sozinho ou acompanhado de crianças. Ainda que em sua fase inicial, o projeto tem como base os recursos do Google Earth e Google Maps. (A.P.O.)

Fiscalização está atenta às irregularidades, afirma gestor

Audiência irá cobrar atenção para ciclovias

SMCCU garante que ainda não recebeu reclamações de usuários O fiscal do Setor de Posturas da Superintendência Municipal de Controle do Convívio Urbano (SMCCU), Charles Dias, disse que por enquanto não houve nenhuma reclamação quanto à invasão de pedestres ou vice-versa nas faixas específicas para cada um, na orla de Maceió. “A fiscalização está atenta, inclusive existem vários servidores da SMCCU naquela área com batas azuis fazendo a abordagem, atentos às irregularidades. Até o momento, posso garantir que ninguém apareceu para denunciar as invasões”, observou Charles Dias. O bancário Luciano Buarque Rocha foi um

dos bons exemplos identificados pela reportagem em toda a extensão da orla da capital alagoana. Ele conta que faz questão de usar todos os equipamentos de segurança e andar na faixa destinada aos ciclistas, mas lamenta que nem todos tenham a mesma conscientização e educação. “Já presenciei alguns acidentes, não muito graves, mas aconteceram. Infelizmente, o pessoal não respeita as faixas específicas e é por isso que ocorrem os contratempos. Nunca vi briga não, mas se um skatista, por exemplo, estiver na faixa que é de pedestre e acertar na canela de alguém, a pessoa irá sair machucada. É lamentável, por existir

muita imprudência”, destacou, lembrando que a falta de sinalização também contribui para a falta de educação. Luciano Rocha mora na Avenida João Davino, no bairro da Mangabeiras, mas todo dia troca o automóvel pela bicicleta e faz todo o percurso da orla em cima das duas rodas. Ele vai da Mangabeiras até o trabalho, que fica no bairro de Jaraguá. “Economizo bastante no final do mês com combustível, e ainda chego bem mais rápido no trabalho do que se viesse de carro. Alguns trechos da Avenida Álvaro Otacílio ficam intransitáveis em qualquer horário, por isso optei por vir de bicicleta”, pontuou. (A.P.O.) SANDRO LIMA

Luciano Rocha diz que já presenciou pequenos acidentes por conta da invasão das ‘faixas alheias’


10

CIDADES

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

TRIBUNAINDEPENDENTE

Paciente com marcapasso já pode fazer ressonância Alagoas realizou este mês a primeira cirurgia com material compatível com o exame SANDRO LIMA

ALAIN LISBOA COLABORADOR

A

lagoanos portadores de doenças coronárias que necessitem de implantes artificiais de marcapasso agora contam com tecnologia norte-americana e profissionais da região especializados. A novidade garante aos pacientes que passarem pelo procedimento a possibilidade de ser submetidos, sem risco à saúde, a exames de ressonância magnética. No dia 18 deste mês, o aposentado José Aluízio de Albuquerque Lopes, 62 anos, foi o primeiro no Estado a ter implantado o novo tipo de marcapasso e, apesar do incômodo que teve com o plano de saúde – que não cobriu a cirurgia –, ele conta com entusiasmo as promessas da tecnologia. O marcapasso Pró-RMI (Pró-Ressonância Magnética) existe no mercado internacional desde 2011 e garante aos pacientes a possibilidade de realizar exames de ressonância magnética com segurança, o que não ocorreria entre pacientes com o dispositivo convencional. Porém, de acordo com a médica especialista em estimulação cardíaca artificial, Eveline Teixeira Tenório, é preciso preparação especializada para o médico poder realizar o procedimento.

José Aluízio foi o primeiro paciente a receber o marcapasso moderno no Estado e pagou caro por isso

“Primeiro, o clínico constata o problema no paciente e encaminha para o cardiologista especialista, que faz o implante”, explicou. Em Alagoas, José Aluízio recebeu o Pró-RMI por determinação de sua médica. “Eu tinha uma arritmia muito forte. A frequência

cardíaca baixava muito. Eu estava com uma frequência cardíaca de 40 batimentos por minuto. Aí o que poderia acontecer comigo? Ou eu ter um infarto, ou um AVC”, relatou. Hoje, dez dias após o procedimento cirúrgico, o aposentado garante que está

com a saúde em perfeitas condições. “Antes eu cheguei a desmaiar, levei duas quedas. Mas hoje estou me sentindo muito bem”, garantiu e também afirmou que após a instalação do marcapasso, o coração dele tem entre 70 e 80 batimentos por minuto.

DESATUALIZADOS

Planos de saúde não cobrem cirurgia Custo do marcapasso mais comum é R$ 6,5 mil a menos do que a novidade Com a cirurgia cardíaca garantida devido às reservas financeiras, o aposentado José Aluízio de Albuquerque apontou falha nos planos de saúde no Brasil: nenhum deles cobre o implante do marcapasso Pró-Ressonância Magnética. “Eu tive de desembolsar à vista R$ 22 mil. E quem não pode pagar? Como fica? É um absurdo!”, lamentou. “Os planos dizem, teoricamente, que para a implantação de qualquer marcapasso eles dão cobertura, mas não foi o que aconteceu”, disse. Um marcapasso convencional custa em média R$ 15,5 mil. Como pagou, além desse valor, mais R$ 6,5 mil, José Aluízio entrará com uma ação na justiça para ser ressarcido. A médica Eveline Tenório disse que devido à novidade do produto, os planos de saúde no Brasil ainda não dão cobertura ao implante desse tipo marcapasso. A especialista explicou que o material utilizado na fabricação não está na lista reconhecida pelas administradoras. “Os planos de saúde cobrem os implantes de marcapasso convencionais. Como esse tem um material novo, não consta no hall dos planos. Eu acredito que isso é só uma questão de tempo para que eles negociem com os fabricantes”, disse. Ela avisa que o paciente que possui o marcapasso convencional não poderá trocá-lo pelo marcapasso Pró-RMI. “Ele é feito de material que não é ferromagnético. Então se você tem um marcapasso convencional, não adianta trocar por um Pró-RMI, pois os eletrodos do convencional têm material ferromagnético e não podem se submeter à ressonância”, alertou. “A ressonância funciona como um ímã poderoso. Ela atrai o metal”, lembrou. (A.L.)

SANDRO LIMA

Cardiologista Eveline Tenório diz que cobertura da operação por parte dos planos é questão de tempo

ESPECIALISTA

Compatibilidade é necessária para garantir segurança à saúde A médica Eveline Tenório também falou que exames de ressonância magnética são procedimentos que todo mundo pode precisar a qualquer momento, por diversas causas: “Neoplasia [crescimento exagerado das células], acidentes com fratura e outros. Então qualquer pessoa em qualquer idade pode precisar de uma ressonância, e os portadores de marcapasso, até então, não podiam se submeter a ela. O Pró-RMI se torna uma facilidade”, disse. Em Alagoas, além de Eveline Tenório, existem outros médicos especializados nesse

tipo de cirurgia e a perspectiva é de o número aumentar. “Meu objetivo é esse: divulgar para que a população tome conhecimento”, disse a médica. MITOS E VERDADES A pedido da Tribuna Independente, a cardiologista listou alguns mitos e verdades sobre os riscos e restrições que têm os pacientes com marcapasso. Segundo ela, é verdade que alguns portadores de marcapasso não podem passar por portas giratórias, pois algumas delas têm restrições aos portadores do dispositivo.

Geralmente, quando implanta um marcapasso, o paciente recebe uma carteirinha do portador do marcapasso. Ali está descrito todo material que foi utilizado no procedimento. Com essa carteirinha, ele está isento de passar pelo detector de metal do aeroporto, por exemplo. Nesse caso é feita uma revista manual. Não é verdade que possuidores de marcapasso não podem acender a luz, nem usar chuveiro elétrico ou microondas. Porém nesse último caso, ele terá de ter cuidado de manter alguns metros de distância enquanto o forno estiver ligado. (A.L.)


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

CIDADES

11

Asas da Panair já movimentaram Maceió Bairro do Vergel, onde há rua com o nome da empresa aérea fechada em 1965, ainda tem pista de pouso para aviões ALANA BERTO REPORTER

“A

maior das maravilhas foi voando sobre o mundo nas asas da Panair”. A letra de Milton Nascimento mostra a importância da companhia aérea Panair, que foi pioneira no Brasil e que por décadas dominou o setor. Em Alagoas, a Panair também fez história, na região do Dique-Estrada, no bairro do Vergel do Lago, onde foi construída uma pista de pouso em que os aviões aterrissavam, ainda dentro da Lagoa Mundaú, até chegar ao chão firme, o que causava agitação e curiosidade entre os moradores, pouco habituados a ver aquela cena. Hoje, no local, existe uma construção que, de

acordo com os moradores, servia para pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), mas está abandonada. O único voo que se pode presenciar no local atualmente é o das pipas empinadas pelas crianças que moram na região. A Panair entrou em falência em 1965 - segundo a história oficial, que hoje é contestada pela Comissão Nacional da Verdade - mas o aposentado José Bertolino, de 69 anos, contou que foi morador do Vergel do Lago durante 40 anos, entretanto chegou em 1969, quatro anos após a Panair deixar de operar no local. “Segundo os mais velhos, o avião pousava na água”, disse, ainda com ar impressionado. O aposentado disse que os mais velhos con-

tavam que a companhia ajudou muito no crescimento da região. “Isso aqui era bem limpo, bem movimentado. Eu ainda alcancei o tablado [onde os aviões pousavam]”, declarou. Apontando para a construção que ele afirma ser da Ufal, seu Bertolino explicou que levantaram o prédio há 15 anos. “Isso aqui era para fazer pesquisa da Ufal, e hoje está parado, mas ainda pagam vigilantes, tem barco e tudo aí dentro”, frisou. A importância da companhia foi tão grande para a região que existe uma rua próximo à pista de pouso que os moradores conhecem por Panair, nome que eles aportuguesaram e passaram a procunciar como se escreve. Por lá, ninguém entende outra pronúncia.

ADAILSON CALHEIROS

Único voo que se vê hoje na pista de pouso da Panair é o das pipas empinadas pelos garotos do bairro

PANAIR

História da aviação começa a se perder 48 anos depois Só os mais velhos viveram no tempo em que o avião pousava dentro d’água, mas deixaram relatos para os filhos Na Rua Panair, no bairro do Vergel do Lago, em Maceió, a equipe de reportagem da Tribuna Independente encontrou vários personagens, muitos não lembraram da pista de pouso que ainda existe ali perto, na margem da Lagoa Mundaú. O aposentado Jorge Men-

des, de 55 anos, com um pouco mais de idade que o fechamento da empresa de aviação, ao ser questionado respondeu enfaticamente: “Eu não lembro não”. A aposentada Madalena Vilela, disse que mora na Rua Panair há 43 anos, disse que não sabe a

história da aviação, e que hoje o nome da rua até já mudou, é Getúlio Correia de Lima, apesar de todos conhecerem como Rua Panair. “Quando chegamos aqui, essa região era um sítio. Acho que aqui não tem ninguém que saiba contar sobre a aviação. Os mais velhos sabiam,

mas já morreram”, declarou a moradora. O eletricista Luiz Figueiredo, de 44 anos, mora na Rua Panair desde que nasceu. ”O meu pai dizia que o avião pousava lá na lagoa e que a região cresceu muito por conta da pista de pouso”, relatou.

A reportagem continuou à procura de personagens que soubessem contar a história da aviação, foi quando encontrou a dona Benedita de Oliveira, de 77 anos, moradora da Rua Panair desde os 12 anos de idade. A aposentada relembra: “Isso aqui era tudo man-

gue. As casas eram de palha e, com a aviação, o local evoluiu”. Dona Benedita afirmou que frequentemente ia ver o avião pousar. “Eu achava bonitinho. O avião pousava com duas canoinhas do lado, mas eu nunca andei neles”, sorriu. (A.B.)


12

CIDADES

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

TRIBUNAINDEPENDENTE

Chocolate ajuda a prevenir AVC e câncer Alimento também não causa espinha, apesar da fama que ganhou como vilão da pele, segundo afirma dermatologista

CidadesemFoco ROBERTO BAIA robertobaiabarros@hotmail.com

Limoeiro de Anadia

A

informação é da Assessoria de Comunicação de Limoeiro de Anadia: preocupado com a preservação do nicho ecológico no município de Limoeiro de Anadia, o prefeito Marlan Ferreira (PP) decidiu transformar a Reserva do Tamanduá, localizada na comunidade Olho d’Água da Pedra, numa das mais importantes áreas de preservação ambiental da região Agreste.

Meio ambiente

Levantamento

Na manhã da última terça-feira, o prefeito convidou técnicos do Instituto do Meio Ambiente (IMA) e da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), que estiveram no município e fizeram uma visita de inspeção ao local. Na oportunidade, os ambientalistas mostraram-se satisfeitos com a variedade biológica existente na reserva, que ainda preserva mais de 12 nascentes d’água. “Essa área representa uma espécie de cinturão natural que, felizmente, não sofreu a ação destruidora dos homens. Estamos fazendo a nossa parte para que as futuras gerações possam usufruir dessa riqueza biológica”, frisou o prefeito Marlan.

De acordo com Gustavo Farias, técnico do IMA, no local será feito um levantamento vegetal, animal e floral. Através dos resultados, será feito um estudo para avaliar o tipo ideal de unidade de conservação a ser transformado o local. Dependendo dos estudos, a área poderá ser transformada em uma Unidade de Conservação Pública, que pode englobar desde um parque ecológico, monumento natural, reserva ecológica, até uma Área de Proteção Ambiental (APA).

Reflorestamento

Durante a visita, o grupo de técnicos apresentou ao prefeito Marlan algumas providências que poderão ser tomadas de imediato, a exemplo do reflorestamento da área, que poderá ganhar mudas de Craibeira, Angico, Umbaúba e Jacarandá. A doação das mudas já foi garantida pelas usinas Seresta e Coruripe.

Acompanhou

O superintendente de Meio Ambiente da Semarh, Anivaldo Miranda, acompanhou a vista e elogiou a iniciativa. “Me senti muito gratificado ao ser convidado por um chefe de Executivo Municipal para colaborar com um projeto de tamanha importância como este. Esta iniciativa deverá garantir a proteção de várias nascentes, assim como a biodiversidade presente nesta reserva”, alegou Miranda.

Briga boa E a “briga” entre a Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal) e a Coopervan, cuja sede está instalada em Arapiraca, saiu do campo jurídico e, ao que parece, enveredou para a violência. Vejamos: o chefe de fiscalização de transporte da Arsal, Márcio Gouveia, denunciou que foi ameaçado de morte na manhã de quarta-feira (27), durante uma operação ocorrida na AL 115, nas proximidades da Ufal de Arapiraca.

Foi preso O responsável pela ameaça, o transportador conhecido como “Xaropinho”, que foi preso em flagrante por policiais do Batalhão de Polícia Rodoviária Veicular (BPRv) que participavam da fiscalização e conduzido para a Delegacia de Craíbas. Segundo Márcio Gouveia, o veículo do acusado foi apreendido por estar irregular. “Após a apreensão, ele começou a chutar o guincho credenciado pela Arsal e afirmou se dirigindo a mim: ‘Você irá pagar com sangue’”.

Testemunha

A ameaça

Ainda segundo Márcio Gouveia, a ameaça foi testemunhada pelos outros fiscais e pelos policiais. Além de Xaropinho, outro transportador, identificado apenas como “George”, também fez ameaças, mas conseguiu fugir do flagrante.

“Eles disseram que queimariam o guincho comigo dentro e ameaçaram depredar o patrimônio público. Desde ontem, eu e os outros fiscais temos recebido ameaças, mas desta vez ela aconteceu na frente dos policiais, o que possibilitou a prisão em flagrante”, disse Márcio, acrescentando que ainda nesta tarde irá registrar um Boletim de Ocorrência (BO) na Central de Polícia Civil de Arapiraca.

Outro lado O presidente da Cooperativa de Transporte Complementar Intermunicipal de Passageiros (Coopervan), Marcondes Prudente, negou o fato e denunciou que a Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas cometeu irregularidades na apreensão de um veículo. “Eles cometem abusos e nos culpam, nossos advogados estão fazendo a nossa defesa”, assegura Marcondes. ... Os professores Agnaldo José dos Santos e José Ivanilson Barbalho foram escolhidos pela comunidade acadêmica, com 80% dos votos, para a Direção Geral e a Direção Acadêmica do Campus do Sertão. No próximo dia 1o de abril eles assumem com o compromisso de buscar maior aproximação com todos os segmentos que compõem aquela unidade da Universidade Federal de Alagoas. ... A consulta para escolha dos novos dirigentes teve chapa única e foi realizada no último dia 20 de março com participação expressiva de alunos e servidores. Dos 421 estudantes, 370 escolheram os professores Agnaldo e Ivanilson; dos 24 técnico-administrativos, 21 votaram, e dos 48 docentes, 31 disseram sim aos candidatos. ... No início da semana, os atuais dirigentes, Ricardo da Silva, diretor-geral do campus, e Gabriel Soares Bádue, diretor acadêmico, estiveram reunidos com o reitor Eurico Lôbo para apresentar os novos gestores. Eurico agradeceu o empenho e a dedicação da atual direção e parabenizou os recém-eleitos. ... “O processo de transição foi muito importante e muito bem conduzido pelo professor Ricardo, o que contribuiu para o belo exemplo de cidadania, que fortaleceu o processo democrático na universidade. Tivemos uma participação bastante expressiva da comunidade acadêmica e isso é valioso e enriquecedor”, declarou.

A

associação entre chocolate e espinha sempre foi automática para o desespero dos chocólatras. Mas segundo a dermatologista Cintia Otsubo, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, não há nenhuma referência na literatura médica que realmente comprove isso. “O que se sabe é que a acne é uma doença crônica e inflamatória da pele que geralmente ocorre em adolescentes. E as causas decorrem de inúmeros fatores, tais como: genéticos, hormonais, hipersecreção sebácea, hiperqueratinização do folículo piloso e a colonização bacteriana do Propionibacterium Acnes”, explica. Ainda segundo Cintia Otsubo, a gordura relacionada à acne é produzida principalmente pela glândula sebácea, que responde a estímulos hormonais. “Mas esta gordura não está relacionada com aquela que ingerimos através do chocolate. Portanto, não existe uma relação direta que ligue esta gordura que ingerimos do alimento à hipersecreção sebácea”, enfatiza a especia-

lista de São Paulo. O chocolate tem como sua principal matéria-prima o cacau, fruto descoberto há mais de dois mil anos pelos nativos das Américas. E embora tenha ganhado a fama de vilão, no que se refere à pele, ele oferece inúmeros benefícios à saúde, principalmente o amargo, pois contém maior concentração de cacau e menor adição de açúcares e gordura, além de vitaminas (A, E, B1, B2, B3, B6 e B12), ácido fólico e minerais essenciais, como magnésio, cobre, potássio, zinco, cálcio e manganês. “O segredo do chocolate amargo é a altíssima concentração de certos flavonóides, que atuam como antioxidantes e protegem o organismo da ação danosa dos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce, bem como pela incidência de doenças como o câncer. As catequinas, da mesma família dos flavonóides, agem nas artérias, promovendo a queda da pressão, diminuindo assim a chance de doenças cardiovasculares tais como infarto e AVC”, disse a dermatologista.

AÍLTON VILLANOVA ailton.villanova@gmail.com

Solidariedade grandiosa

O

repórter Ródio Nogueira é um cara bastante sensível. Vez ou outra está se derramando em lágrimas. Essa é uma qualidade de pessoas do bem. O colega não foge à regra. Certa feita entrou no IML, para dar cumprimento à sua rotina diária de colheita de informações para o noticiário policial do Jornal de Alagoas, quando se deparou com uma cena comovente: desesperadíssima, uma madame chorava aos berros. - Qual é o seu caso, minha senhora? - indagou o Ródio, já com lágrimas nos olhos. E a chorosa madame: - É o meu filho... O meu filho morreu! Buááááá... - Morreu? Como?... Snif! - Afogado! O coitadinho morreu afogado! Buáááá... Ródio não conseguiu se segurar: - Snif! Afogado? Doloroso, madame! Buáááá... Aí, ele perdeu totalmente o controle e agarrou-se com a desesperada mãe. A choradeira aumentou de tom, a ponto de chamar a atenção até das pessoas que passavam na rua. - Buáááá... Urghaaaaiiii! - Snif! Buaaaaahhhaiiii! Maior drama! O negócio ficou tão emocionante que o IML encheu de gente. Daí a pouco, uma fila enorme de populares e curiosos era formada diante do casal chorão. Ródio era o mais consolado dos dois. Com certeza pelos seus cabelos brancos. - Tenha calma, meu velhinho. A vida é assim mesmo! - disse um. Chegou outro e apertou-lhe a mão: - Meus pêsames, vovô! Segure firme! Fé em Deus! Mais outro: - Tenho muita pena do senhor... Cuidado com o coração. Nessa idade é perigoso emocionar-se desse jeito! Em resumo: Ródio Nogueira deixou o IML desmaiadão, nos braços de uma multidão comovidíssima.

Dois de 30 José Florisvaldo Ferreira, o folclórico Zé Flor, fez fama no Sertão das Alagoas. Era um homem decente, honesto, mas brabo virado no cão. Nunca perdeu uma eleição porque sempre foi homem de honrar a palavra. Analfabetão, mal sabia assinar o nome. Aliás, não assinava, desenhava. Certa feita, estava despachando em seu gabinete com a secretária, que vinha a ser sua esposa, dona Carola, quando o tesoureiro da prefeitura, Anacleto Barros, entrou lá com uma papelada nas mãos: - Cô licência, incelênça? - Uquié qui tu qué, Nacréto? O auxiliar explicou: - Tem aqui uma conta de 60 mirréis do impeletêro do açude, quiéra mode pagá derna d’onte! - Ôxi! E tu num pagô não, condenado? - E o sinhô arturizô? - Arturizei não, Nacréto? Entonce, agora tá arturizado! Anacleto pegou papel e caneta e ficou parado diante do alcáide, que indagou - Uquié qui tá ispiando, dizinfiliz? Fáis logo esse ricibo da bobônica! O tesoureiro então falou, todo chateado: - E cuma é qui s’iscreve 60? É cum “S” ou cum “C”? E Zé Flor: - Nesse causo tu fáis dois de 30, narfabeto dos inferno!

Bebida provocante Não se pode negar que o garçom Deraldo, do Bar do Duda, é gente boa. Do mesmo modo é justo reconhecer que, mais das vezes, é estouvado. Dia desses, o bar entupido de clientes - maioria os de sempre. Todo mundo rangando ou biritando - mais da metade biritando - numa boa. E o Deraldo numa atividade febril. De repente, tropeçou num pé de mesa e deixou que o martini geladíssimo que carregava na bandeja derramasse nas costas de uma loura de fechar comércio. - Oooohhhhh! A gostosura levantou-se dando pulinhos, jogou o cabelo para trás, sacudiu os ombros arrepiados e gritou para o namorado, que, de boca aberta, espiava o saculejo dela: - Vamos embora Edmilson! Vamos logo pro motel! Na mesa ao lado havia um casal de veteranos. A madame chamou o e pediu, ansiosa: - Por favor, garçom, me traga com urgência, uma dose dupla da bebida que você serviu para aquela loura!

Riu e quase morreu! Depois de ter apresentado mais uma edição do seu programa de televisão, o jornalista Jeferson Morais - que ainda atuava na TV Alagoas -, se preparava para deixar a emissora quando foi procurado por um certo Manuel Jorge, que caminhava com certa dificuldade e manifestava o desejo de lhe fazer uma denúncia. Morais espantou-se quando reparou no estado do cara: hematoma pra tudo quanto era lado, um olho roxo, a cabeça rachada e a roupa toda rasgada e suja de barro. - O que foi que houve com você, bicho? Foi assaltado? - perguntou Morais, bastante curioso. - Não! - respondeu o infeliz. - Andou brigando? - Também não! - Foi atropelado? - Não! - Ah, já sei! Levou um pau da polícia! - Negativo. - Então o que foi que houve com você, rapaz? Tá vindo de onde, esculhambado desse jeito? - Tô vindo do cemitério! - Do cemitério?! Quizeram lhe enterrar vivo, não foi? - Não foi bem assim. Minha sogra morreu e, então, fui pro enterro dela, no cemitério do Jaraguá. Até aí, tudo bem. Acontece que na hora em que ela estava sendo enterrada eu tive uma crise de riso e caí dentro da sepultura. Depois que me tiraram de dentro dela, todo mundo bateu eu mim. Inclusive minha própria mulher!


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

ECONOMIA

13

Docinhos caseiros e renda à produtora Marca Sr. Brown faz referência à cor do chocolate e trabalhos da empresa são feitos apenas sob encomenda

B

ombom de queijo do Reino, balinhas de leite ninho, gotinhas de menta e biscoitinhos amanteigados são algumas das especialidades da marca de doces Sr. Brown. Feitos pelas mãos de Dona Rita Rezende, conhecida também como Ritinha, as guloseimas conquis-

tam cada vez mais clientes por todo o Estado, e constituem, hoje, principal fonte de renda de Ritinha. A fábrica de doces é na casa dela, no bairro do Trapiche, e a produção é feita somente por encomenda. “Quem trabalha com padrão

e qualidade não fica fora do mercado”, esse é o lema de Ritinha. Tudo começou em 2004, quando ela foi a Recife por questões familiares e, lá, fez um curso de bombons de cupuaçu. A empreendedora, que trabalhava como professora da rede pública, complementava sua renda tra-

balhando na Dona Batata, onde adquiriu alguns conhecimentos tanto na cozinha como na área administrativa. De volta a Maceió, ela resolveu investir e começou a fazer pequenas encomendas para algumas pessoas conhecidas. A partir dessas pequenas ações,

surgiu a marca Sr. Brown (fazendo referência, em inglês, à cor do chocolate), que prometia destacar-se pelo seu diferencial. Percebendo que o cupuaçu não estava agradando muitos clientes, Rita decidiu diversificar a produção e acrescentar outros sabores aos doces, como

brigadeiro, creme com passas, castanha de caju e maracujá da fruta. A empresária diz que prefere trabalhar com os produtos naturais, e evita ao máximo conservantes e essências. Ao todo, são 12 sabores tradicionais e uma infinidade de outros feitos somente em ocasiões especiais.

DOCEIRA

Produtora lançou licor de chocolate O trabalho de Dona Rita, ou Ritinha, é feito com muito cuidado e com produtos de alta qualidade. Quando está muito atarefada, ela contrata uma ajudante, e as duas fazem os diversos doces. A cozinha refrigerada é um ponto forte para que nada dê errado. Aos poucos, ela foi ganhando espaço no mercado, e seus clientes só aumentaram. Atualmente, além dos brindes, seus serviços são encomendados para eventos diversos, principalmente casamentos. Vários cerimoniais recomendam seus produtos, e o resultado disso é sua agenda lotada até novembro. “Todos amam meu chocolate. Prefiro trabalhar na madrugada porque é um horário mais calmo, e o chocolate é um elemento sensível, que deve ser tratado com cuidado. A marca Sr. Brown é benquista por todo o meu público, que é muito variado”, conta Ritinha, completando que vários sabores e ideias de doces foram sugeridos pelos seus consumidores. Uma grande novidade produzida pela doceira é o licor de chocolate. Para conseguir chegar à bebida, ela fez várias tentativas e realizou degustações com amigos próximos e clientes. A especialista em doces diferenciados também faz decorações especiais para a Páscoa e para o Natal. “2013 é um ano que começa muito bem para a Sr. Brown. Pretendo encontrar um tempo entre as variadas encomendas e alavancar o meu negócio, e sei que o Sebrae Alagoas estará pronto para me ajudar naquilo que for preciso”, conclui.

RENDA

Exclusividade eleva 40% preço do filé A renda tradicional de Alagoas, o filé, está prestes a receber um selo de identificação geográfica que garantirá o reconhecimento de que a técnica foi criada e é exclusiva do Estado. O processo está em fase de levantamento histórico e será apresentado, em breve, ao INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), valorizando em 40% o artesanato. Um grupo artesãs de Maceió, capital do estado, está reivindicando a autoria da técnica para garantir um diferencial no seu trabalho e valorizar a confecção de peças como porta-bandejas, toalhas de mesa e até peças de vestuário, como xales, saias e vestidos. A técnica do filé consiste em um bordado com pontos geométricos, que tem como base a rede de pesca presa a um tear de madeira. Segundo a presidente da Associação de Mulheres do Pontal da Barra, Petrucia Ferreira Lopes, 45, com o selo de identificação geográfica elas poderão cobrar mais caro pelo produto. Hoje, os preços variam de R$ 8 a R$ 400, dependendo da peça. Após o reconhecimento, a estimativa de Lopes é que os produtos valorizem em até 40%. “Quem comprar as nossas peças terá a garantia de que elas foram feitas com as características regionais. Vamos conseguir nos diferenciar daqueles que não fazem o legítimo filé e tiram a credibilidade do nosso trabalho”, afirma.

FILÉ

Reconhecimento do INPI deve demorar cerca de dois anos

O grupo conta com a ajuda do Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) para conseguir o selo. Após o reconhecimento – que deve demorar dois anos

para ser concretizado –, somente as artesãs alagoanas poderão fazer o bordado. Se uma profissional da Bahia quiser produzir peças com o filé, por

exemplo, o produto não será reconhecido como o verdadeiro bordado alagoano. As artesãs começaram a ganhar visibilidade após formarem a as-

sociação, em 1999. Antes, de acordo com Lopes, as vendas eram em quantidades menores e uma mesma peça poderia ter preços diferentes, dependendo de quem a produziu.

Hoje, no entanto, elas têm planilhas de custos, que levam em consideração o material e o tempo gasto para produzir uma peça. Todas as decisões são tomadas em grupo.


14

ECONOMIA

TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

Vale Verde confirma início das obras para mês de julho Recursos minerais garantem produção de mineradora pelos próximos 18 anos em jazidas de cobre e ferro

O

presidente e chefe executivo oficial da Aura Minerals, James Bannantine, esteve na Secretaria de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico (Seplande), na quarta-feira (27), para apresentar ao secretário Luiz Otavio Gomes o andamento das obras da Mineradora Vale Verde. A Aura Minerals é a empresa responsável pelo projeto da planta industrial do empreendimento, que será construída no Projeto Serrote da Laje, no município de Craíbas. De acordo com o presidente, o cronograma do projeto continua mantido como apresentado ao governador Teotonio Vilela no final do ano passado. A perspectiva é o início da construção para julho deste ano e a operação para o primeiro semestre de 2015, visto que já existem recursos minerais para produzir pelos próximos 18 anos, com um total de 165 milhões de toneladas de cobre e ferro extraídas de duas

jazidas (2/3 em Craíbas e 1/3 em Arapiraca), resultando em uma área total de 2.500 hectares. R$ 840 MILHÕES “Toda a parte de engenharia está correta e os equipamentos já estão comprados. Para o início da construção só estamos finalizando o pedido de financiamento sob coordenação do Banco Itaú, em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) e o do Nordeste (BNB), mas toda a documentação já foi encaminhada. A nossa ansiedade em começar as obras é grande e só temos a agradecer pelo apoio do governo, que sempre atendeu às nossas condições para instalação”, destacou Jammes. O projeto, orçado em R$ 840 milhões e que já emprega mais de 40 pessoas, prevê a geração de 1.250 postos de trabalho diretos e 5.000 indiretos na fase da construção. Já na operação, 385 pessoas serão empregadas diretamente e 1.540 indiretamente. As

vagas serão preenchidas com 80% de mão-de-obra nacional, primeiramente pelas comunidades locais e estaduais. “Estou animado com o cronograma e não tenho dúvidas do sucesso que será esse empreendimento do ponto de vista da planta industrial. No que cabia ao Estado, como a questão da água e da energia que foram condições impostas, os encaminhamentos foram feitos”, lembrou o secretário Luiz Otavio Gomes aos empresários. A questão do fornecimento de água será resolvida com a nova adutora do Agreste, a ser inaugurada no final de 2014. A energia que será consumida pela mineradora contará com a infraestrutura da Eletrobras Distribuição Alagoas. A Mineração Vale Verde atuará no mercado nacional e internacional e sua capacidade de produção é de aproximadamente 230 mil toneladas ao ano de cobre e cerca de 1 milhão de toneladas de ferro.

Executivos da Mineradora Vale Verde se reuniram com o secretário de Desenvolvimento, Luiz Otavio Gomes

PESQUISA

País terá 64 inaugurações de shopping centers em 2013

Segmento de shopping centers vai bater recorde de novos empreendimentos no Brasil este ano

O setor de shopping centers conti nua crescendo em ritmo acelerado, influenciado pelo aumento da renda dos brasileiros e, consequente, crescimento do consumo. Neste ano o segmento vai bater o recorde de inaugurações vistas até hoje no País: serão 64 novos complexos em operação, de acordo com Cadastro de Shopping Center, base de dados do IBOPE Inteligência. Cerca de 39% dos empreendimentos previstos para os próximos anos, serão inaugurados em municípios que ainda não possuem nenhum empreendimento com esse perfil. Atualmente, o Brasil conta com 423 complexos em operação. O Sudeste lidera a lista de regiões com mais lançamentos, totalizando uma previsão de 35 novos shoppings. Na segunda posição está o Nordeste, que chama a atenção pelo número de investimentos que vem rece-

bendo do setor, com expectativa de 12 empreendimentos até o final de 2013. O Norte e o Sul do Brasil estão empatados nesse ranking com seis projetos cada, seguidos do Centro – Oeste com cinco shoppings. Com apenas dois anos de atuação no mercado, a 5R Shopping Centers - especializada na prospecção, desenvolvimento, comercialização e administração de complexos com esse perfil – já anunciou nove projetos em todo o País, que totalizam R$ 1,8 bilhão em investimentos. PLENA EXPANSÃO “O setor continuará em expansão nos próximos anos, pois o aumento do poder de consumo da população estimulou uma demanda muito grande no Brasil, e ainda existem muitas oportunidades para as companhias”, explica Cesar Garbin, sócio e diretor de operações da empresa.

Atualmente o Sudeste apresenta o maior número de shoppings em operação, com 224 empreendimentos, seguido do Sul (77), Nordeste (60), Centro-Oeste (43) e Norte (19), respectivamente. “Embora contemple mais empreendimentos que as outras localidades, há uma grande movimentação de negócios em outras regiões, onde muitas cidades não possuem nenhum shopping center”, comenta Garbin. 5R Shopping Centers: A 5R Shopping Centers é uma joint venture entre duas grandes especialistas nas áreas de incorporação, desenvolvimento e administração. Trata-se da união entre uma holding criada pela família Rossi, tradicional incorporadora no mercado imobiliário com a comprovada experiência de grandes executivos do mercado de shopping centers como Felipe Fulcher e Cesar Garbin.


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

PUBLICIDADE

15


16 ESPORTES

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

Esportes

TRIBUNAINDEPENDENTE

Maceió será sede do Torneio Brasileirinho de futebol e futsal Maceió recebe entre maio e julho o Torneio Brasileirinho de Futebol e Futsal 2013, com categorias sub-7, sub-9, sub-11, sub-13, sub-15 e sub-17. A competição, que tem apoio do CRB, conta com equipes de Alagoas, Pernambuco, Sergipe, Amazonas, Pará, Paraíba, Bahia, Amapá, Rio Grande do Norte, Maranhão e Ceará. A abertura será no dia 28 de maio e o encerramento no dia 2 de julho. As inscrições podem ser feitas entre os dias 1o a 15 de abril, através do e-mail: tacamaceiofutsal@hotmail.com.

CSA enfrenta hoje o Murici no Trapichão Azulão tem desfalques no setor defensivo e espera dar sequência ao bom momento vivido dentro de campo

O

CSA encara o Murici neste domingo, às 17h, no Rei Pelé. O técnico Beto Almeida perdeu o zagueiro Adalberto, suspenso, para o jogo. A tendência é que ele escale na zaga Leandro e Henrique. Quem preocupa é o lateral Rogerinho, que sofreu uma lesão muscular ainda no primeiro tempo e foi substituído por Claudinho. Com 11 pontos na tabela de classificação, o Azulão vem mostrando muita garra

em campo, em jogos de superação. Esse poder de reação, sehundo o treinador, credencia o CSA a buscar o título estadual. “Passamos por uma prova de fogo na última quarta contra o Corinthians Alagoano, e passamos bem. O adversário terminou o primeiro tempo melhor, poderia ter feito o terceiro gol e conseguimos reagir. Os jogadores brigaram no intervalo, tivemos até que intervir, mas provamos que temos capacidade de reação.

Estamos no caminho certo para o título”, disse Almeida. O CSA ganhou uma referência ofensiva desde a estreia do atacante Diego Clementino. Já no clássico contra o CRB, o jogador demonstrou que não pode ter muito espaço na área e, com a sequência das partidas, fez jus à fama. Contra o Corinthians, ele tratou de mostrar serviço e neste domingo quer mais gols. “Sou um atacante que gosta de ajudar o grupo mas

ADAILSON CALHEIIOS

também faço meus gols. Tenho um companheiro de muita qualidade (Everaldo), que briga pela artilharia, mas o pensamento meu, dele e de todos é no conjunto, no grupo”, revelou Clementino. MURICI Ainda sonhando com classificação, o Murici tenta se reabilitar. O time perdeu para o CEO no meio de semana e o técnico Bilu deve promover alterações na equipe e o ataque deve ter Alex Junior e Reinaldo Alagoano.

AÇÃO

Programa Estádio Vivo terá novas modalidades esportivas ARQUIVO

Volei de praia será a nova atração do Programa Estádio Vivo

A Secretaria de Estado Adjunta do Esporte confirmou a inserção de nove oficinas pedagógicas que passarão a fazer parte das atividades do Programa Estádio Vivo, desenvolvido no Rei Pelé. Serão oferecidas gratuitamente para a comunidade as oficinas de serigrafia, marcenaria, artesanato, horta, jardinagem, cozinha experimental, dança, teatro e música. A previsão é de que esses cursos se iniciem

na segunda quinzena de abril O Programa Estádio Vivo já vem desenvolvendo atividades de macroginástica – com o Projeto Longevidade; judô, karatê, taekwondo e a Casa do Atleta Ministro Aldo Rebelo – oferecendo hospedagem para atletas locais de outros estados participantes de competições. “A partir da próxima semana mais uma modalidade será oferecida no programa: o vôlei de praia.

Marielson voltou de lesão e segue como destaque do CSA no estadual

São Paulo completo contra o Corinthians Tricolor quer a vitória no clássico para consolidar a liderança no Paulistão 2013 e aumentar auto-estima dos atletas

O

São Paulo atuará com sua equipe considerada titular no clássico contra o Corinthians, domingo, às 16h, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista. Apesar de já estar classificado para as quartas de final, o técnico Ney Franco revelou que só preservará jogadores que tiverem problemas físicos. Na quinta, o Tricolor enfrenta o Strongest, na Bolívia, pela penúltima rodada da fase de grupos da Taça Libertadores. - Só vai ser retirado do clássico algum jogador que corre risco de lesão. Vamos com força máxima, principalmente pelo momento que vivemos no Paulista – afirmou o comandante, referindo-se às quatro vitórias consecutivas e à liderança isolada do estadual, com 35 pontos. TIMÃO O atacante Alexandre

Pato avisou pela internet que voltará ao time do Corinthians neste domingo. Em preparação física desde que sentiu um cansaço muscular na coxa direita, há duas semanas, ele espera participar do clássico. “Estou pronto! Treinar bem esta semana e ficar à disposição do professor Tite pra domingo! Semana muito importante!”, escreveu no Twitter o atleta, dizendo-se livre das dores que o tiraram da vitória do Timão sobre o Tijuana, pela Copa Libertadores. “Venho trabalhando muito forte, não vejo a hora de voltar. Estou vindo de uma sequência que não tinha fazia muito tempo. Estou muito tranquilo”, comentou OUTROS JOGOS Guarani x A.Sorocaba Oeste x Santos S.Caetano x Mogi Mirim Barbarense x S.Bernardo TERRA

UOL

São Paulo e Corinthians se enfrentam neste domingo e os atacantes Luis Fabiano e Alexandre Pato esperam fazer muitos gols

CARIOCA

Ibson espera voltar ao time do Flamengo

Jorginho ainda não confirmou o retorno de Ibson ao time do Flamengo

O Flamengo soma quatro pontos em três jogos e está em terceiro lugar do Grupo B da Taça Rio. A próxima partida será contra o Audax neste domingo, às 16h, em Moça Bonita. Entre as novidades da equipe de Jorginho, que venceu o Bangu esta semana, a que mais chamou a atenção foi a ausência de Ibson. Até do banco de reservas. O volante, que estava concentrado e até então havia disputado todas as partidas do time na temporada, deu lugar

ao meia-atacante Gabriel. Com isso, Elias e Amaral foram os que atuaram mais recuados. O motivo da barração só foi comentado pelo técnico após a partida. O comandante revelou uma conversa “olho a olho” com o jogador e deixou claro que foi uma opção técnica. Segundo ele, decisão essa amparada em estratégias com os demais atletas relacionados e nas condições do gramado do Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. “Falei com ele antes da preleção. Eu sou assim, olho

a olho. Disse a ele: ‘Olha, não vou te utilizar hoje’. Ele estava um pouco gripado, mas já tinha apresentado uma melhora. Achei por bem ter o Renato (no banco), campo molhado, pelo chute que ele tem, um jogador alto... Se optasse pelo Ibson, teria de deixar ou Cleber [Santana] ou Renato fora, já que o Rodolfo iria entrar. E Nixon era o único atacante do banco”, justificou Ibson parece ter entendido a escolha do treinador e não demonstrou abatimento. Sem os

trajes futebolísticos, e mesmo cortado da relação para a partida, o volante acompanhou a delegação no Raulino de Oliveira para apoiar os companheiros. E torcer. Com boné do Flamengo, ele esteve na tribuna do estádio e viveu uma noite de torcedor (veja no vídeo acima). Postura que foi muito elogiada por Jorginho. “Foi boa a postura dele de ficar aqui e incentivar o grupo. Sei que o jogador não gosta de ficar fora, mas o Flamengo é uma equipe. Mesmo se ficar fora, tem de apoiar.”


D&A3103A TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013 DIVERSÃO&ARTE

Palco Sunset do Rock in Rio terá Offspring e Zé Ramalho juntos

Criadores da saga ‘Matrix’ farão série para o site Netflix

O palco Sunset do Rock in Rio terá peso de Palco Mundo na edição de 2013, com atrações como Offspring, Living Colour, Nando Reis, Samuel Rosa, Zé Ramalho e Pepeu e Moraes. A escalação foi anunciada nesta terça-feira, num evento no MAM (Rio), com alguns shows de artistas anunciados: Mallu Magalhães, Nando Reis, Tico Santa Cruz, Renegado, entre outros. A banda americana Living Colour, que vinha sendo cogitada, vai se apresentar no primeiro dia do festival junto com Angélique Kidjo.

Seguindo a recente onda de sites produzindo suas séries de TV, o Netflix anunciou que os irmãos Andy e Lana Wachowski, criadores da saga “Matrix”, desenvolverão um seriado para ser exibido via streaming. O programa se chamará “Sense8”, e será feito em parceria com o criador da série “Babylon 5”, J. Michael Straczynski. Será a primeira incursão dos irmãos Wachowski num formato televisivo. A primeira temporada terá dez episódios, que serão transmitidos on-line pelo Netflix. A estreia de “Sense8” está marcada para 2014 e não se sabe nada sobre a trama ainda.

DIRETO, TRISTE E BÁRBARO Com atuações sem floreios, ‘Barbara’, em cartaz no Cine Sesi, é retrato honesto de país

B

arbara” ou: o que seria do cinema alemão se não fosse a Alemanha Oriental? Ela já nos deu a comédia da derrubada do muro, depois o drama das escutas clandestinas. Agora estamos diante de uma médica, Barbara Wolff, que tenta deixar o país. Tudo o que nos é dado ver sugere que seja uma atitude sábia. Embora esteja em uma cidade de província, trabalhando em um hospital secundário (o que já é um castigo do regime, por ter pedido visto para o exterior), Barbara é vigiada quase que em tempo integral. O que não é, diga-se, tão terrível assim: pior é o sentimento de que todos estão,

de uma forma ou de outra, vigiados. No filme de Christian Petzold, Barbara deve, ao mesmo tempo, desenvolver uma amizade com um simpático médico local, tratar de sua fuga e proteger uma jovem que chega ao hospital vinda de uma colônia penal -e Barbara não tem meias palavras para qualificar o campo de presidiários: trata-se, para ela, de um campo de extermínio. A favor de Petzold e seu filme diga-se, primeiro, que a descrição de certos aspectos da vida numa pequena cidade alemã oriental traz aspectos interessantes do cotidiano. Por exemplo, a rudeza de tratamento pessoal em certos casos ou ainda um

presente, alguns legumes, que vemos transformar-se numa ratatouille atraente menos por suas virtudes do que por tão pouco significar tanto, em vista da espécie de modéstia extrema -nunca penúria- em que vivem as pessoas. Diga-se, ainda, que Petzold não trapaceia: investe na atuação seca de seus atores, sem floreios ou choramingações, muito frequentes nesse gênero de filme. Para resumir, eis aí um filme honestamente informativo sobre a Alemanha Oriental nos anos 1980. Essa é também sua limitação: por um lado, condena seus atores a uma atuação monocórdica (Barbara em particular); por outro, pede ao espectador uma integral

adesão ao seu conteúdo. Por que devemos acreditar que a vigilância era tão cerrada na Alemanha Oriental? Bem, porque sabemos que era. O filme confirma informações que tínhamos, sem acrescentar novas. No caso mais extremo, o dos campos: seriam mesmo colônias penais, como queriam as autoridades, ou campos de extermínio, como sustenta Barbara Wolff? Quem quiser buscar a verdade sobre esses detalhes nada desimportantes deve procurá-la em outra parte. Este filme bem simpático nos informará, em troca, sobre a Natureza, os carros velhos, as bicicletas, a rudeza da vida na Alemanha do lado de lá do muro. É mais do que nada.

1


2

TRIBUNAINDEPENDENTE

DIVERSÃO&ARTE MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

Elaine Kundera Capital Inicial

Ballet de Londrina O Ballet de Londrina vai passar por Alagoas com sua turnê comemorativa das duas décadas de atividade. As apresentações acontecerão nos dias 17 e 18 de abril, no Teatro Deodoro. As duas sessões acontecerão sempre às 20h. A produção não informou ainda os valores dos ingressos, nem os locais de venda. Mais informações: (82) 3034.0930 / 8825.2808

A casa de show Musique, localizada no bairro de Stella Maris, recebe na sextafeira (19) a banda Capital Inicial. Oriundos de Brasília, os músicos traziam a realidade da política brasileira para as suas canções, usando o punk rock como meio de expressão para a crítica social. A formação atual do grupo tem Dinho Ouro-Preto nos vocais, Flávio Lemos no baixo, Fê Lemos na bateria e o ex-guitarrista do Viper, Yves Passarell. Nas turnês, a banda é reforçada pelo tecladista Robledo Silva e pelo guitarrista Fabiano Carelli. Com Gazeta do Povo. Mais informações: (82) 9127-4844 / 9971-2700 / 2121-4000 (ramal 962).

Arte e fé Um olhar de fé, coragem e sofrimento. Olhar que envolve, acolhe e ama. São os Olhares de Maria, tema da exposição que acontece no Museu Palácio Floriano Peixoto (Mupa), até o dia 8 de abril. A exposição é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e apoio do Ateliê Tendão de Achiles. Através de técnicas de fotografia e desenho, artistas revelam os Olhares de Maria diante da anunciação da Paixão (Via Crucis) e da Ascensão de seu filho, Jesus Cristo. Com curadoria de Achiles Escobar, a exposição apresenta o olhar das fotógrafas alagoanas Kelly Baeta, Viviane Duarte, Sandra Aguiar e da paraguaia Nímia Braga e desenhos de Achiles Escobar e Miguel Fernandes.

Biquini Cavadão

A banda Biquini Cavadão estará em Maceió na sexta-feira (5). O grupo de rock se apresenta no Maikai Show Bar e apresentará os grandes sucessos da banda. A abertura do evento ficará por conta do cantor Wado. Os ingressos estão sendo vendidos ao preço de R$ 50,00 (Meia entrada) e RS100,00 (Inteira) e podem ser comprados nos cartões Mastercard, Visa e Hipercard. Valor: R$ 50,00 (Meia); R$100 (Inteira). Pontos de Venda: Maikai e Academia Ação Livre, no Stella Maris. Mais informações: 3305.4400

Quinta-feira (4), a partir das 21h, a cantora Elaine Kundera estará se apresentando no Taverna Gulandim, localizado na Avenida Capitão Marinho Falcão, no Santo Eduardo.

Maria Gadu A nova data do show da cantora Maria Gadu é 5 de abril, ainda na Musique. Ela faz o lançamento do show : “Mais uma página”. Simplesmente imperdível para todos os amantes da boa música. Ingressos - 1o lote: Pista - R$ 40,00 (meia entrada), Mezanino - R$ 60,00 (meia entrada), Cadeira individual (Frontstage) - R$ 80,00 e Mesa (Frontstage): para quatro pessoas - R$ 700,00 e para 6 pessoas - R$ 1.000,00. Venda de ingressos individuais (pista, mezanino, cadeira): Forum (Ponta Verde), Chilli Beans (Maceió Shopping), Folia Brasil (Gbarbosa Stella Maris) e Viva Alagoas (Maceió Shopping). Mais informações:82.3327.8700 // 82.9306.9306 e Reservas de Mesa: 82.9653.6653

Marrom A casa de shows Musique vai ser o palco da turnê “Duas Faces”, que comemora os 40 anos de carreira da cantora Alcione. No dia 27 de abril, é a vez de Alagoas receber seu espetáculo, que já passou por lugares como Salvador, Recife, Belo Horizonte, São Luís, São Paulo, Mossoró e Natal. O show é fruto do projeto registrado em dois CDs/DVDs que foram lançados, oficialmente, durante a turnê. A cantora comemora da maneira que mais gosta: cantando para os fãs numa turnê nacional, que teve início no dia 15 de outubro e não tem data para terminar. Ingressos: R$ 100,00 (mezanino) / R$ 40,00 (pista) / R$ 960,00 (mesa para seis pessoas). Pontos de venda: Casa das Tintas (Farol e Ponta Verde). Vendas de mesas: Colcci (Maceió Shopping). Vendas online: www. gaproducocoes.com. Realização: GA Produções. Mais informações: (82) 3032-5210 ou 9601-2828.

Milton Nascimento O Teatro Gustavo Leite recebe no dia 6 de abril, às 21h, o show “Uma Travessia”, do cantor Milton Nascimento,que comemora 50 anos de carreira. Os valores dos ingressos se dividem por setor. Na plateia A, os valores custam R$ 250 (inteira) e R$ 125 (meia); na plateia B, R$ 200 (inteira) e R$ 100 (meia); na plateia C, R$ 150 (inteira) e R$ 75 (meia), e mezanino, R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia). Mais informações podem ser obtidas pelos números 3235-5301 e 9928-8675. FALE CONOSCO - A Agenda é um serviço gratuito de orientação ao leitor. Os interessados em divulgar eventos, shows e exposições podem enviar material através do endereço: tiagenda@hotmail.com

Nando Reis O cantor Nando Reis desembarca em Maceió. O show será realizado no Maikai Show Bar, localizado no Stella Maris, no dia 26 de abril. O show faz parte da turnê “Sei”, do último álbum do músico. O cantor comemora também 30 anos de carreira. Mais informações: 3305.4400


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013 DIVERSÃO&ARTE

3

FLÁVIO RICCO - colaboração: José Carlos Nery - www.twitter.com/flavioricco

Mistério envolve venda do ‘Agora é Tarde’ para Argentina

N

a Argentina, um programa, com o título “Antes que seja tarde”, AQST, da rede América TV, está sendo comparado com o “Agora é Tarde”, aqui do Brasil. As brincadeiras e todo o visual, inclusive cenário e elementos de cena, são muito semelhantes e existem vídeos disponíveis no YouTube para quem ainda não viu. Atualmente, é bom que se diga, está fora do ar e não existem confirmações se irá voltar ou não. Isto, no entanto, é o que menos importa. Quanto ao caso também está completamente descartada qualquer dúvida ou discussão sobre “quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha”. O nosso aqui, todos os registros comprovam, tem mais tempo de vida. Oficialmente, a Band jura de pés juntos que não vendeu o formato pra ninguém e Danilo Gentili, que se coloca como criador do “Agora é Tarde”, alega que também não recebeu nada por nenhuma venda. O curioso é que em entrevista à jornalista Cristina Padiglione, do Estadão, em maio do ano passado, o próprio diretor artístico Diego Guebel confirmava a existência do negócio. Resumindo, conclui-se que, no meio disso tudo, tem alguém que está mentindo. Resta saber quem.

Vai em frente

TV TUDO Futebol 1 O pessoal da Bandeirantes, animado, promete uma grande cobertura da Série B do campeonato brasileiro neste ano. A primeira transmissão será no dia 25 de maio, em São Paulo, Palmeiras e Atlético Goianiense.

Futebol 2 Como em todo domingo, pela manhã, a Rede TV! vai de campeonato paulista, Série A2. Hoje tem Portuguesa e São Carlos, com Silvio Luiz, Bruno Prado, Maurício Capela e Luiz Ceará.

Teatro Daniele Valente e Christiano Cochrane estreiam, quinta-feira, no Rio, a peça “100 dicas para arranjar namorado”. A apresentadora Marília Gabriela faz uma participação em “off” no espetáculo como uma sogra... Como ela, de fato, é da Daniele.

Vida que segue 1 “O Jornal da Record vai continuar na mesma batida” - essa é a opinião do Celso Freitas, agora dividindo a bancada com Adriana Araújo. Ainda segundo ele, o informativo já retomou o ritmo normal, depois da saída de Ana Paula Padrão. E, quanto a Adriana, declara que ela engrandeceu o currículo, amadureceu, trabalhando como correspondente e que também é muito talentosa. Voltou para somar.

Ivete Sangalo participa do “Esquenta”, hoje, na Globo, ao lado de Xande de Pilares, Péricles, Pedro Cardoso, Arlindo Cruz e Leandro Sapucahy ALEX CARVALHO./TV GLOBO

Adriana Araújo assumiu o lugar da Ana Paula Padrão no “Jornal da Record” terça-feira passada (26). E este será, a partir de agora, o seu único trabalho. O “Domingo Espetacular”, sem ela, continuará com Fabiana Scaranzi, Janine Borba e Paulo Henrique Amorim

A jornalista Rosana Jatobá, inicialmente, ficaria no ar até maio com o “Super Domingo”, às 21 horas, no NatGeo, da Fox, com foco em documentários sobre temas impactantes, nacionais e internacionais. Este plano, no entanto, foi alterado e a sua permanência será ampliada. Na verdade, estão todos satisfeitos com a repercussão alcançada.

Não tem dia A direção de novelas a Record continua trabalhando meio que no escuro, tanto no que diz respeito ao término de “Balacobaco”, como em relação à estreia de “Dona Xepa”. O final de uma e começo da outra já foi alterado mais de 4 vezes. Percebe-se que dentro da própria emissora existe certo receio em falar sobre isso.

Vida que segue 2 Em relação ao seu contrato com a Record, Celso Freitas revelou que as conversas sobre renovação ainda não começaram. E não começaram porque ainda tem um bom tempo pela frente para o término do compromisso atual – cerca de um ano.

Ficou estranho Subiu no telhado a contratação das gêmeas Bia e Branca Feres, do nado sincronizado, pela Band, para substituir Paloma Tocci no “Deu olé”. Já chegou a ser uma certeza, mas alguma coisa estranha aconteceu depois disso. Informalmente, fala-se que ainda não é um caso encerrado, mas está perto disso.

Outro assunto Ainda da Bandeirantes, o caso Nadja Haddad parece que caiu no esquecimento. Depois do Carnaval e das férias, ela foi tirada do ar e ninguém mais tocou no seu assunto. O contrato da jornalista e apresentadora vai até junho.

Bate-rebate ·Glória Pires e Marcelo Adnet serão algumas atrações do “Domingão do Faustão”, logo mais. ·Adriane Galisteu e a Band continuam conversando sobre novo contrato. ·Mas, nada, ainda. ·Vera Fischer perdeu excelente oportunidade de ficar calada. ·Há muito tempo distante da TV, recebeu da Glória Perez uma oportunidade de reaparecer em “Salve Jorge”. ·E, depois sai falando mal. Foi, no mínimo, deselegante. ·Helio Vargas já está totalmente envolvido no “Caldeirão do Huck”. ·Inclusive participando diretamente de todas as suas externas. ·Flávio Saretta, que pendurou a raquete, é o novo contratado do Bandsports. ·Aliás, depois de participar de algumas transmissões como convidado, agora ele será o comentarista oficial no torneio de Roland Garros.

C’est fini Diretor do Jô, Willem van Weerelt pretende trazer pessoas “menos conhecidas” ao programa, mas com boas histórias para contar. O Mundial e a Olimpíada também passam a ser dois focos importantes. As figuras mais expressivas do esporte, inclusive jornalistas, irão participar do programa. Ficamos assim. Mas amanhã tem mais. Tchau!

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br

© Revistas COQUETEL 2013

Reclamar (gír.) O maior estado da Origem arquitetônica Alemanha do casario de Uidá e Porto Novo, no Benim

Os três últimos modelos de sistema operacional do Windows (Inform.) Forma de acondicionamento de cervejas

Peça anatômica que protege a costureira em seu trabalho Louco, em inglês

Animado (?) Barbosa, jurista e político Sucesso de Cartola (MPB)

(?) de saia: mulher (pop.) Marca comum na pessoa ruiva

Parte do rosto massageada em caso de estresse Atitude que caracteriza a hipérbole

Leste (abrev.) Queimar, em inglês Orgulhos Emilio motivados Estevez, por realiator e zações cineasta

(?) Fernandes, jornalista brasileiro

Perfeito; impecável Tipo mais simples de semicondutor

(?) Leal, atriz Planta ornamental

Loja real ou virtual de livros usados

Viviane Senna, empresária paulista

Inglês (abrev.)

Tarefa profissional Regidos por lei

À (?): por motivo frívolo

A (?): denomina a amante

T

O

A

Sucesso de Chitãozinho & Xororó

Day (?): folga, em inglês Ed (?), personagem de Verissimo

Prestações (?): forma de pagamento utilizada em carnês "Banda", em PNBL O clima deprimente e pessimista

3/alô — mad — out — sim. 4/burn — mora. 7/baviera. 12/vista xp e sete. 14/luso-brasileira. M L S E O

V

M A G I S T R A L D E D A L

www.coquetel.com.br

A M A R D A B O B U D R I N O D O O U T M R A

NAS BANCAS e livrAriAS

O R

de 11 a 15 anos

T

√9 + 22 cabeças

C S I L H R U I M S A M P O R B G E R O L E A N O S R V I Ç I S L A A E S A I S L R O A S

uM BiCho De

X

matemática não é

I

DeSCuBrA que A

16

Solução B V A I V S I T E A R X A P E B S E E G T O E N I B A

BANCO

Atraso em dívida, que acarreta multa

9, em romanos

HORÓSCOPO

ÁRIES - (21/3 a 19/4) – Mantenha o equilíbrio e a ponderação. Use e abuse de diálogos francos e sinceros para superar todo e qualquer conflito. No amor, encare as dificuldades do relacionamento com mais disposição e não desista de solucionar as pendências. TOURO – (20/4 a 20/5) – Os trânsitos da Lua pelo seu setor profissional, e concentrada no seu setor de crise, indicam grandes dificuldades que tendem a tencionar o ambiente. Evite um comportamento centralizador, distribua funções e responsabilidades. GÊMEOS – (21/5 a 21/6) – A tensão da Lua no seu setor de prazeres revela dificuldades no relacionamento com as pessoas. Assuma uma postura séria e estável e conduza a guerra de interesses de forma educada e ponderada. No amor, mantenha o relacionamento no foco do dia e evite perder a cabeça com situações difíceis do dia a dia. CÂNCER – (22/6 a 22/7) – Não se sinta desestimulado pelos problemas afetivos, pois o seu amor precisa ser renovado a cada dia para se fortalecer mais e mais. A tensão dos astros sobre o relacionamento deve ser contornada com firmeza e disposição. LEÃO – (23/7 a 22/8) – A desarmonia entre sua terceira e nona casas prejudica a forma com você expõe suas opiniões. Evite argumentar sobre questões mais complexas, já que seu íntimo se encontra controverso. Reserve-se por um período! No amor, encare os problemas com serenidade e invista tempo e atenção ao bem-estar da relação e da convivência com a pessoa querida. VIRGEM – (23/8 a 22/9) – Uma instabilidade financeira, momentânea, lhe causa inquietação, com a Lua desarmônica e sob tensão com seu setor material. Procure manter o equilíbrio emocional, principalmente diante de tomada de decisões que incidam em grandes despesas. LIBRA – (23/9 a 22/10) – A passagem da Lua pelo seu signo e em desarmonia com a concentração de planetas no seu setor de relacionamentos lhe causa estresse e inquietações pelo comportamento ofensivo das pessoas. Reserve-se

mais e exponha suas opiniões, somente quando for preciso. No amor, procure renovar, constantemente, sua relação amorosa. Apesar da tensão dos astros sob seu signo, mantenha- se firme no propósito de exaltar as qualidades da pessoa amada e o que há de positivo no romance. Cuide do seu amor! ESCORPIÃO – (23/10 a 21/11) – O seu desafio para este dia é o de manter o romance com a mesma harmonia de sempre, apesar das dificuldades. A passagem dos astros lhe sugere promover transformações no romance e na forma com expressa seus sentimentos ao seu amor. SAGITÁRIO – (22/11 a 21/12) – Seus relacionamentos de amizade ficam vulneráveis pela briga por espaço, o que sugere muita maleabilidade. A desarmonia no seu setor social indica que não é hora de se abalar por comportamentos agressivos. Busque as reconciliações. No amor, bom momento para você dar atenção especial aos seus sentimentos e não permitir que a divergências amorosas lhe façam perder a cabeça. Cuide melhor da pessoa querida e seja coerente em suas decisões. Não guarde ressentimentos. CAPRICÓRNIO – (22/12 a 19/1) – A passagem dos astros no seu signo lhe sugere uma restauração afetiva para que suas emoções se destaquem em detrimento aos conflitos do convívio. Expresse seus verdadeiros interesses em priorizar o amor, neste dia! AQUÁRIO – (20/1 a 18/2) – Sua nona e terceira casas em total desarmonia prejudica sua maleabilidade, principalmente diante de novidades. Procure a neutralidade ao expor suas ideias, sempre usando de sinceridade e verdade. PEIXES – (19/2 a 20/3) -Reflita sobre suas atitudes e sobre o que lhe incomoda. Organize sua vida e seu coração. No amor, a passagem dos astros em desarmonia no seu signo compromete a sintonia do romance e de suas relações. Encare com seriedade as dificuldades com a pessoa amada e suas amizades. Cuide dos seus sentimentos e das pessoas que você quer bem.

GRUPO PARANAENSE

Gang do Eletro disponibiliza primeiro álbum no Facebook

O

grupo paraense Gang do Eletro disponibilizou seu primeiro álbum na íntegra na internet. O disco pode ser ouvido via streaming na página oficial da banda no Facebook. Composto por dez faixas, o álbum leva o mesmo nome da banda. De acordo com o comunicado emitido pela assessoria de imprensa do grupo, a produção, mixagem e masterização

da obra foram feitas pelo DJ Waldo Squash, chamado de “um dos principais responsáveis pela propagação do chamado eletromelody no Brasil e no mundo”. As músicas contam também com os vocais de Keila Gentil, William Love e Maderito. Segundo a nota, as bases são feitas por Squash e misturam ritmos como dance europeu, cumbia, carimbó, reggaeton, tecnobrega, entre outros.


4

DIVERSÃO&ARTE

TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - DOMINGO, 31 DE MARÇO DE 2013

“O Cristo não pediu muita coisa, não exigiu que as pessoas escalassem o Everest ou fizessem grandes sacrifícios. Ele só pediu que nos amássemos uns aos outros”

FOTOS BY CHICO BRANDÃO

Glam Leopard

R

Mirella Coelho, uma amiga do coração, empresária hoteleira que se destaca em nível nacional e internacional com o conhecido Hotel Ritz Lagoa da Anta. Feliz Páscoa!

Janaína Almeida, um ser humano iluminado, dona de uma beleza angelical e marcante, passa o domingo de Páscoa cercado dos filhos e do amado Clodovaldo. Feliz Páscoa!

Ovo Branco de Colher 2 PORÇÕES 40 MIN INGREDIENTES OVO •100 grama(s) de chocolate meio-amargo •1 quilo(s) de chocolate branco ralado Recheio •2 latas de leite condensado •1 gema •1 e 1/4 xícara(s) de chá de creme de leite •150 grama(s) de chocolate branco ralado para decorar

E

Parceria

m parceria com o Instituto Ronald McDonald, a Coquetel destinará parte da venda da série Aprender é Divertido para ações em benefício de crianças e adolescentes com câncer. A coleção consiste em uma série de livros paradidáticos, para crianças, com atividades que reforçam o conteúdo aprendido na escola. De forma lúdica, conceitos de todas as matérias se transformam em jogos e passatempos que tornam prazerosa sua assimilação. Cerca de 200 mil exemplares – tiragem total das dez edições – estão disponíveis em revistarias e bancas de jornal em todo o Brasil.

A

Sig Bergamin

Maria Alice & Leandro

O

s empresários Breno, Lepoldo e Dedé Gama, leiase Maria Antonieta, nos confirmado que a bela casa estará aberta neste feriado de Semana Santa, com direito a menu especialíssimo. Faça a sua reserva e aproveite o feriado! Reservas pelos fones 3202-8828.

O

alumínio até que cristalize. Repita esse processo mais uma vez (para uma casca mais grossa) e acerte as beiradas com uma espátula. Leve o ovo à geladeira por 15 minutos ou até que solte da forma. Não pode ficar muito tempo para não pegar umidade. Desenforme o ovo e use o chocolate meio-amargo derretido para decorar a parte externa. RECHEIO Em uma panela, junte o leite condensado e as gemas. Leve ao fogo médio e mexa sem parar até que a massa comece a desgrudar da panela. Fora do fogão, acrescente o creme de leite. Deixe esfriar e depois recheie o ovo com o brigadeiro já frio. Vire o ovo no chocolate branco ralado de forma que ele grude no recheio.

FOTO BY CHICO BRANDÃO

“P

O

Básico?

Oligoflora José e Ana Dórea, um casal supertop em nossa sociedade, retornam ao nosso convívio depois de uma bela temporada na Europa. Bem-vindas, amiga!

C U

ma camiseta é sinônimo de item básico e barato, certo? Errado se estivermos falando de uma camiseta masculina de “chiffon de crocodilo”, da coleção Primavera 2013 da grife francesa Hermès. A peça está à venda na loja da marca, na Madison Avenue, em Nova York, por US$ 91,500, cerca de R$ 183 mil. É bem mais do que custa um dos itens mais desejados da marca, a icônica bolsa Birkin. Com esse valor é possível comprar, ainda, oito carros populares 0 km.

Preciosidades

onfeccionados minuciosamente com materiais nobres como ouro, mármore e pedras preciosas, os ovos de Páscoa que possivelmente são os mais valiosos do mundo são ainda mais valorizados pela mística em torno de sua história, marcada tanto pelo luxo quanto pela tragédia. Avaliados em milhões de dólares, os ovos Fabergé foram feitos entre 1885 e 1916 por encomenda da Corte Imperial Russa. Dos 42 exemplares sobreviventes (eram 50, no total) são disputados em leilões de casas como Christies e a Sotheby’s. Alguns pertencem a colecionadores privados e outros podem ser admirados por turistas em museus na Rússia, nos Estados Unidos e na Alemanha.

Alexandre & Luciene apresentam

Bienal

governo de Alagoas confirmou o apoio para a realização da VI Bienal Internacional do Livro de Alagoas. O anúncio foi feito ao reitor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Eurico Lôbo. A Bienal, que em sua sexta edição terá como percepção conceitual a cultura portuguesa, acontecerá entre os dias 25 de outubro e 3 de novembro, no Centro de Convenções de Maceió. Durante o evento, serão expostos e comercializados livros; ocorrerão lançamentos de novos títulos no mercado, palestras, cursos e oficinas com autores nacionais e internacionais; apresentações culturais também fazem parte da programação.

Feliz Páscoa!

áscoa é renascimento, é passagem do velho para o novo, é mudança e transformação. É se fazer de Novo a partir da própria libertação. É deixar para trás aquilo que não nos serve mais e iniciar uma nova jornada iluminada pela Luz do Cristo que agora ressurreto em nosso interior guia o caminho, renova as esperanças.” Que nesta Páscoa tudo se renove em sua vida e que seu caminho seja Iluminado pelo Cristo Vivo. A todos os nossos amigos, leitores e colaboradores, os nossos mais sinceros votos de um renascimento cheio de luz e uma Páscoa de felicidade.

s jovens Maria Alice e Leandro escolheram a belíssima Igreja Nossa Senhora Mãe do Povo para dizer o clássico sim no próximo dia 6 de abril. A cerimônia terá início às 20h e, após o sim, os noivos recepcionarão - na companhia dos pais Márcio e Rosiana Beltrão, e Roque e Glória Meliande - os convidados para uma big festa no Espaço Pierre Chalita. A união promete ser um dos grandes casamentos do ano. Felicidades aos noivos.

parceria finalmente saiu do papel: Sig Bergamin assinou a transformação do primeiro episódio do “Lar Doce Lar” para a temporada 2013 do “Caldeirão do Huck”. Neste ano, Marcelo Rosenbaum saiu de cena e cinco arquitetos assumiram o quadro. O episódio de Sig irá ao ar no dia 6 de abril e as gravações aconteceram durante 15 dias na Vila Ema, em São Paulo.

Maria Antonieta

MODO DE PREPARO OVO Derreta o chocolate ao leite em banho-maria . O ideal é que ele atinja a temperatura entre 40 e 45 graus, quente, mas suportável ao toque. Jogue o chocolate em mármore (ou outra superfície lisa e fria) e mexa com uma espátula (temperagem do chocolate) até que ele amorne (temperatura de 29 graus). Isso evita que ele fique esbranquiçado. Preencha a forma de ovo de páscoa com o chocolate temperado até a borda. Bata a forma na superfície para que saiam as bolhas. Isso fará com que não haja imperfeições na casca do ovo. Vire a forma para retirar o excesso de chocolate do ovo e leve-o à geladeira virado sobre um pedaço de papel manteiga ou papel

Sempre atenta às novidades na dermartologia nacional, a conhecida médica Cleide Vieira passa o domingo de Páscoa cercada dos familiares, oferecendo um big almoço em seu belo apê. Feliz Páscoa!

esponsável por jóias-hit entre as fashionistas mais estilosas, Jack Vartanian acaba de lançar uma nova coleção, batizada de Glam Leopard. Como o nome sugere, as peças foram inspiradas no felino, mas ganharam um toque oitentista, e o resultado passa longe do clichê da clássica estampa de leopardo. Pense em anéis, braceletes e brincos em ouro amarelo, branco e ródio negro cravejados de diamantes com texturas do animal e shapes inusitados, como o brinco que avança pela orelha, que já nasce objeto de desejo.

C

arol Azevedo fazendo o maior sucesso entre a turma do ‘bemestar’ com as mais variadas linhas da Oliglofora. Além dos tratamentos diferenciados, a clínica oferece produtos para pele, alimentação e proteção corporal. Tudo, claro, com a proposta de tornar você ainda mais linda e saudável. Informações pelo telefone 82 3325-6252.

N

Chanel

ão adianta negar. A maioria das mulheres é vítima confessa da moda. Por isso, o nosso desejo do dia é coisa de fashionista. Tratase do tênis bordado com flores de couro da Primavera/Verão 2013 – 2014 da Chanel. O modelo é inusitado, e divide as opiniões. E você, vai encarar?

D

Retornando

epois de uma belíssima viagem ao Velho Mundo, os amigos José e Ana Dórea retornam ao nosso convívio para a alegria de todos os amigos. O casal de empresários ‘acontece’ na cidade com o sucesso da Dry Clean Ponta Verde e Dry Clean Stella Maris. Sejam bem-vindos, amigos!

M

orar bem traz qualidade de vida a qualquer pessoa. Pensando nisso, os empresários Lucienne e Alexandre Moraes fizeram das lojas Evviva Bertolini, um caminho para uma casa cheia de estilo, funcional e elegante. Os móveis planejados são perfeitos para todos os ambientes e dão um toque de classe à sua casa. Você encontra as lojas da Evviva no bairro do Farol e na Ponta Verde. Não deixem de conferir o novo showroom.

Márcia Maciel ‘causando’ g entre as elegantes da cidade com a nova coleção da Strassa para a Maison Márcia



Edição número 1706 31 de março de 2013