Issuu on Google+

POLĂ?TICA 7&8HQWUHJDDR0LQLVWpULR3~EOLFR)HGHUDORVQRPHVGRVÂżFKDVVXMDVDODJRDQRV 5 EXEMPLAR DO ASSINANTE

SEXTA-FEIRA

MACEIĂ“ - ALAGOAS - 22 DE JUNHO DE 2012 - NÂş 1476 - R$ 1,50 ADAILSON CALHEIROS

tribunahoje.com

Usuårios de drogas afastam os cidadãos das praças de Maceió A presença de usuårios de drogas e o descuido com a conservação estão esvaziando as praças de Maceió. A isso soma-se, ainda, as raras

apariçþes do policiamento ostensivo. Poucos se arriscam sentar num banco quando ainda estå inteiro - e descansar, principalmente se

for à noite, quando a iluminação quase sempre Ê precåria. É uma situação que contrasta com o passado vivido pelo maceioense em praças

como a Deodoro, a Faculdade e a Sinimbu. Outras mais recentes, como a do Skate e a Vera Arruda, tĂŞm os mesmos problemas. 10

LDO

Luiz Otåvio vai à ALE e apresenta as Diretrizes Orçamentårias PRAÇA DA FACULDADE estå tomada por desocupados

ABSURDO!

Mulher dĂĄ Ă  luz em corredor de maternidade superlotada ApĂłs peregrinar por diversas maternidades de MaceiĂł, sem conseguir atendimento, uma parturiente que nĂŁo teve o nome revelado acabou dando a luz no corredor da Casa Maternal Santa MĂ´nica. A diretora Rita Lessa confirmou o fato e disse que

o estabelecimento estĂĄ superlotado e sem condiçþes para atender mulheres parturientes que nĂŁo estĂŁo em situação de alto risco e sĂŁo recusadas por outras maternidades. “Se o sistema funcionasse isso nĂŁo aconteceriaâ€?, disse a diretora. 9

O secretĂĄrio do Planejamento e Desenvolvimento EconĂ´mico, Luiz OtĂĄvio Gomes, apresentou ontem, em audiĂŞncia pĂşblica na Assembleia Legislativa Estadual, o Projeto de Lei de Diretrizes OrçamentĂĄrias (LDO) do Governo do Estado para 2013. As metas e prioridades do projeto sĂŁo GHÂżQLGDVGHDFRUGRFRPR Plano Plurianual (2012-2015), traçado para atender as açþes e os 25 projetos estruturantes do Programa Alagoas Tem Pressa, planejamento do Governo do Estado atĂŠ 2022. “Trata-se de um gesto de transparĂŞncia e responsabilidade com os alagoanosâ€?, disse Luiz OtĂĄvio. PĂĄg. 4

ELEIÇÕES 2012

AILTON VILLANOVA Professora muito dedicada ao trabalho e aos alunos, Rosiberta Ê religiosa ao extremo. Muito bonita, parece uma anja. É, anja, mesmo! Rosiberta Ê mais conhecida como Rosi. Um dia ela teve um treco em plena sala de aula, quando... Påg. 11 TEMPO Bom a parcialmente nublado com possiblidades de chuvas em åreas isoladas

MĂ­nima

20Âş

MĂĄxima

29Âş

MarĂŠs

05:11 11:34 17:43 23:41

2.0 0.3 1.9 0.5

FINANÇAS DÓLAR COMERCIAL R$ 2,05 R$ 2,05 DOLAR PARALELO R$ 2,04 R$ 2,18 OURO: R$ 103,60 POUPANÇA: 0,5053%

SECRETĂ RIO Luiz OtĂĄvio explicou aos deputados o planejamento do governo para 2013

CULTURA

3URFHVVRTXHUHFRQKHFHRĂ€OpFRPR patrimĂ´nio imaterial tem andamento A continuidade do processo administrativo de Registro de 3DWULP{QLR,PDWHULDOSDUDDUHQGDÂżOpIRLDSURYDGDRQWHP pelo Conselho Estadual de Cultura, em reuniĂŁo ordinĂĄria no SalĂŁo de Despachos do PalĂĄcio Marechal Floriano Peixoto. O Conselho avaliou o pedido feito pelo Sebrae. PĂĄg. 13

ADAILSON CALHEIROS

ECONOMIA

Em campanha, vereadores de MaceiĂł deixam de ir Ă s sessĂľes

Associação das Empresas do Polo aposta no desenvolvimento

As sessþes da Câmara Municipal de Maceió quase não WrPPDLVQ~PHURVX¿FLHQWHGH vereadores para deliberaçþes. É que com a campanha pela reeleição jå nas ruas a maioria não estaria conseguindo conciliar com as atividades parlamentares. Resultado disso Ê que vårios projetos de lei estão com suas apreciaçþes em atraso, como Ê o caso do TXHGH¿QHD/HLGH'LUHWUL]HV Orçamentårias (LDO), e ainda dos trabalhos da Comissão Especial de Investigação (CEI) da Violência. Apenas três vereadores - Francisco MANOEL MARQUES preside Hollanda, Carlos Ronalsa e Luiz Pedro - não são candida- a Associação de Empresas do Polo de Marechal Deodoro tos à reeleição. Påg. 2

Em visita ontem Ă  Tribuna Independente, o presidente da Associação das Empresas do Distrito Industrial de Marechal Deodoro, empresĂĄrio Manuel Marques, da Joplas, fabricante de tubos e conexĂľes em PlĂĄstico Reforçado com Fibra de Vidro, reforçou sua crença no desenvolvimento do Estado. “As melhorias em infraestrutura no Polo de Marechal e a chegada de mais oito empresas, que se unem Ă s 16 existentes, sĂŁo prova desse crescimentoâ€?, disse o empresĂĄrio, ao elogiar a disposição do governador Teotonio Vilela. Marques tambĂŠm disse acreditar na economia do PaĂ­s.


TribunaIndependente

2 POLĂ?TICA MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

PolĂ­tica

Atrasos sĂŁo por conta do trânsito e DXVrQFLDVVmRLQĂ€XHQFLDGDVSRUSOHLWR O presidente da Câmara de MaceiĂł, *DOED1RYDHV, disse que os atrasos das sessĂľes e da nĂŁo realização de algumas acontecem em decorrĂŞncia do “trânsito de MaceiĂłâ€?. Novaes reconheceu que as eleio}HVSRGHPLQĂ€XHQFLDUQDDXVrQFLDGRVYHUHDGRUHVPDVGHVWDFRX o esforço da Casa em manter a pauta em dia. “NĂŁo estamos com nenhum projeto importante atrasado. EstĂĄ tudo caminhando dentro do prazo estabelecido e temos conseguido colocar tudo em diaâ€?.

Eleiçþes 2012 jå prejudicam Câmara

Presença dos vereadores maceioenses tem sido cada vez mais rara nas sessþes da Casa de Mårio Guimarães

ESPLANADA /($1'520$==,1, contato@colunaesplanada.com.br

Banqueiros perdem jatinhos

S

ão de banqueiros e investidores da Bovespa os aviþes apreendidos pela PF na Operação Pouso Forçado, nos hangares de Congonhas, Jundiaí e Campinas. Marcelo Kalim, um dos sócios do BTG, e Gilberto Sayão, da Vinci Partners, podem perder os dois Gulfstream G450. Um dos donos do Banco Tendência, Leo Kryss teve apreendido seu G550. Todos avaliados, cada um, em US$ 50 milhþes. Eles sonegaram impostos de importação. A Receita federal pode arrestå-los pela Justiça e levå-los a leilão.

&RQWUDEDQGRDpUHR AlĂŠm do risco de perderem os jatinhos, por serem produtos ‘contrabandeados’, os executivos pagarĂŁo multas que chegam a um terço do valor do aviĂŁo.

3HORVDUHV Pelo menos cinco outros jatinhos estĂŁo ‘foragidos’ no exterior, façanha usada pelos donos para esquentar os registros. A PF sĂł espera os pilotos voltarem para a apreensĂŁo.

Drogas Pelo menos 400 projetos de políticas sobre drogas estão entre a tramitação lenta ou a gaveta da Câmara dos Deputados e do Senado.

$ÂżQDomRVXSUHPD (VWmRDÂżQDGtVVLPRVRVPLQLVWURV-RVp(GXDUGR&DUGR]RGD-XVWLoD candidato ao Supremo Tribunal Federal, e Luiz Fux, da corte. Fux ĂŠ o padrinho da candidatura do petista, ainda discreta. Foi Cardozo quem anunciou a Fux, dentro de seu gabinete no ministĂŠrio, que ele seria o ministro escolhido pela presidente Dilma para o STF.

6XPLoR O deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) sumiu da CPI nas últimas duas semanas. Concentrou-se em sua defesa no Conselho de Ética, acusado de ligaçþes com o araponga Dadå. E depois viajou para Israel pela Comissão de Segurança.

30'%36'% São boatos sobre Teresa Surita ser substituída pelo PMDB na candidatura em Boa Vista (RR). A chapa PMDB-PSDB, com vice Marcelo Moreira, estå valendo, dizem aliados dos dois lados: Não haverå qualquer intervenção.

7{EUDED Dilma estĂĄ brava com as ONGs e mĂ­dia estrangeiras que propalam fracasso da Rio+20. Empurram a culpa para o Brasil sem citar a incompetĂŞncia de presidentes europeus.

2yEYLR PF e Justiça se perguntam se Cachoeira sabia da operação Monte Carlo. Obviamente. Fez sumir dias antes o principal homem-bomba, seu contador, atÊ hoje foragido.

SANDRO LIMA

LUIS VILAR REPĂ“RTER

C

oincidentemente ou não, o início do período eleitoral trouxe uma GLÀFXOGDGH D PDLV SDUD R cotidiano da Casa de Mårio Guimarães: conseguir realizar as três sessþes ordinårias previstas a cada semana às terças, quartas e quintas. Ultimamente, os vereadores só têm conseguido se reunir HP TXDQWLGDGH VXÀFLHQWH para a realização dos trabalhos às terças-feiras, mesmo diante da existência de pauta e do andamento de duas Comissþes Especiais de Investigação (CEIs) na Casa. Tem sido incomum semanas como esta, quando houve sessão na terça e na quarta. O motivo pode ser a preocupação de grande parte dos vereadores, jå que a maioria disputa a reeleição este ano. Dos vereadores eleitos em 2008, poucos são os que não são prÊ-candidatos. São eles, Francisco Holanda (PP), Carlos Ronalsa (PP) e Luiz Pedro (PMN). Os demais aparecem no påreo. O presidente da Casa, o vereador Galba Novaes (PRB), busca costurar alianças para consolidar sua candidatura à Prefeitura Municipal de Maceió.

(VYD]LDPHQWRGD&DVDGH0iULR*XLPDUmHVMiHUDHVSHUDGRSURMHWRVH&(,VÂżFDPSDUDOLVDGRV

Por conta das poucas realizaçþes das sessþes, alguns projetos podem sofrer atrasos, outros foram tirados atÊ mesmo das discussþes. Um dos casos Ê a Lei de Diretrizes Orçamentårias (LDO), TXHFKHJRXDFDVDQRÀQDOGH maio deste ano. A peça - de

autoria do Executivo - Ê de suma importância para a elaboração do orçamento para 2013, que jå deve chegar à Casa de Mårio Guimarães no segundo semestre, por meio da Lei Anual Orçamentåria (LOA). A LDO - que jå foi lida em

plenårio - deve passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) de Orçamento e Finanças para então ser discutida e votada. Mas, ainda não hå data certa para votação. Os atrasos podem prejudicar o andamento das CEIs.

APERTADO

Comissþes da Casa se esforçam por prazos O presidente da CEI da Transpal, Paulo Corintho (PDT), jå sabendo do período eleitoral destaca a necessidade de correr contra o tempo para entregar o relatório atÊ o dia 30 de junho, GDWDTXHFRLQFLGHFRPRÀQDO das convençþes partidårias. Corintho - que Ê prÊ-candidato à reeleição - salienta que não quer dar conotação

eleitoreira aos trabalhos realizado pelos vereadores. Na outra Comissão - a CEI da Violência -, o presidente Ricardo Barbosa (PSOL), destaca que o atraso no início dos trabalhos se deu por uma questão burocråtica - que nada teve a ver com o ano eleitoral - mas sim com a contratação do consultor Pedro Montene-

gro para atuar em conjunto com os vereadores. Barbosa acredita na possibilidade do UHODWyULR ÀQDO VHU HQWUHJXH dentro do prazo, jå no início do segundo semestre. O petista - junto com os demais membros - jå apresentou, inclusive, um cronograma de acþes para a Comissão a ser cumprido neste mês. ATRASOS

PorÊm, quem acompanha o cotidiano da Câmara Municipal de Maceió tem SHUFHELGR D GLÀFXOGDGH GRV vereadores se reunirem. Hå sessþes que só começam próximo das 10h e após uma segunda chamada que deveria ter apenas 15 minutos de tolerância. Enquanto isto, projetos de lei estão a espera de aprovação. (L.V)

9RYy0DIDOGD Consultora da coluna, Vovó Mafalda, que Ê pateta mas não boba, diz TXHR7&8GHYHULDVRQGDUR%1'(6VREUHR¿QDQFLDPHQWRSDUDHPSUHiteiras amigas do governo na à frica, antes que a PF faça um estrago. Por aqui.

'DSUDWHOHLUD $ÂżOKDGRH[YLFHJRYHUQDGRUGR5LR(UL5LEHLURGRQRGDID]HQGDRQGH haveria fornos crematĂłrios para sumiço de corpos de militantes de esquerda, tenta na Justiça tirar de circulação o livro ‘MemĂłrias de uma guerra suja’, da Topbooks.

CadĂŞ? 2JRYHUQRHVWiFRPGLÂżFXOGDGHVQRSURJUDPDGHDFROKLPHQWRGHYLFLDdos em crack. NĂŁo deu certo o edital de chamamento da SaĂşde para unidades de tratamento. A contrapartida para prefeituras ĂŠ alta demais, reclama o deputado Givaldo CarimbĂŁo.

3DQRUkPLFD Carimbão (AL), relator do programa de políticas sobre drogas, viajou em 2011 e atÊ mês passado 18 países e as 27 capitais do Brasil para conhecer políticas de tratamentos de viciados. Garante que o problema Ê de segurança, não saúde pública.

%DVWLGRUHV O Instituto Cultural ESPM lança na terça, em São Paulo, o livro Tempo de Gangorra, de Saïd Farhat, ex-ministro da Comunicação do governo João Figueiredo.

Wanted Procuram-se Fernando Cavendish, dono da Delta, e o contador de Cachoeira, Geovani Pereira, mais vistos em Paris e Miami, respectivamente.

3RQWR)LQDO 1R3DUDJXDLDWpSURFHVVRGHLPSHDFKPHQWSDUHFHIDOVLÂżFDGR Com *LOPDU&RUUHDH+RVD)UHLWDV www.colunaesplanada.com.br contato@colunaesplanada.com.br TZLWWHU#OHDQGURPD]]LQL

6(*85$1d$

Vereador diz que ‘Plano’ nĂŁo pode errar

O vereador pastor JoĂŁo Luiz (DEM) disse ontem, 21, que o Plano Nacional de Segurança a ser implantado em Alagoas como “pilotoâ€?, terĂĄ que se transformar em “modelo exitosoâ€? no combate Ă  criminalidade, sob pena do Estado virar “habitat seguroâ€? para criminosos. “Segundo dados do MinistĂŠrio da Justiça, 52% dos homicĂ­dios em Alagoas acontecem em MaceiĂł e Arapiraca, o que exige desse plano uma atenção maior a esses muniFtSLRVÂľDĂ€UPRX “O ministro da Justiça [JosĂŠ Eduardo Cardozo] deu entrevista Ă  imprensa nacional falando sobre as medidas policiais para Alagoas enfrentar e reduzir os Ă­ndices de criminalidade, mas ĂŠ preciso que o Estado intensiĂ€TXHHLPSODQWHDo}HVHSURjetos que reduzam de fato e em um prazo mais ĂĄgil a pobreza em Alagoasâ€?, destacou o vereador, lembrando que a droga chega a todo lugar, mas â€œĂŠ na misĂŠria que ela faz as vĂ­timas fatais da violĂŞnciaâ€?. Segundo o vereador, Ala-

ADAILSON CALHEIROS

Vereador pastor JoĂŁo Luiz salienta que mesmo com Plano, misĂŠria deve ser combatida efetivamente

goas tem recebido nos últimos anos grandes empreendimentos, mas isso não UHà HWH QD SREUH]D SRUTXH a exclusão social não tem escola ou qualquer aptidão SURÀVVLRQDO ´( LVVR OHYD j

criminalidade, aos assaltos, jV GURJDV DR WUiĂ€FR j YLRlĂŞnciaâ€?, advertiu. “O poder pĂşblico precisa investir na educação, na cidadania, caso contrĂĄrio nĂŁo serĂĄ possĂ­vel vencermos a

YLROrQFLDFRPHĂ€FiFLDÂľUHIRUçou JoĂŁo Luiz. “O Plano ĂŠ importante, ĂŠ fundamental, estou junto nessa luta conjunta, mas nĂŁo vejo perspectiva de futuro sem o investimento no combate Ă  pobrezaâ€?.


TribunaIndependente

3

Toninho estĂĄ livre e quer voltar para prefeitura

Sinal de alerta Alagoas tinha carência de hotÊis, antes de TÊo Vilela assumir, em 2007, e estabelecer uma política de captação de empresas, inclusive nessa årea. Agora, jå hå preocupação, dentro do próprio governo e na iniciativa privada, com excesso de leitos, por conta de tantos empreendimentos inaugurados e outros em fase de implantação. Empresårios do setor cobram compromissos do governo, assumidos na campanha de 2010, em relação à refrigeração da årea de exposição do Centro de Convençþes, à construção de um novo Centro de Convençþes e ao aumento da divulgação do destino Alagoas. Dependem de o acertado ser cumprido e da consolidação de Maceió como destino de grandes eventos para pleitearem, junto às companhias aÊreas, a ampliação do número de voos – que só se HIHWLYDFRPRDXPHQWRQRà X[RGHSDVVDJHLURV2XWURVSUREOHPDV ainda estão pendentes, como a conclusão de trabalho de ampliação do saneamento de Maceió e açþes efetivas nas åreas de segurança, OLPSH]DXUEDQDHFDSDFLWDomRSURÀVVLRQDO7RUQDVHLQGLVSHQViYHO discutir a questão jå agora, para evitar quebradeira no futuro.

Presença O jornalista Esdras Gomes, diretor-editor da revista “Alagoas S.A.â€?, comemora o sucesso da edição especial que circulou na Rio+20. A Edição 7 foi totalmente voltada a mostrar as açþes da iniciativa privada e dos gestores RÂżFLDLVHP$ODJRDVYLVDQGRRGHVHQYROYLPHQWR sustentĂĄvel, por meio de investimentos que buscam o lucro, mas com consciĂŞncia ambiental. “Alagoas S.A.â€? ocupou o estande da delegação do IMA.

&RQ¿UPDGR O governo estadual vai mesmo ampliar a primeira faixa salarial, para HIHLWRGRSDJDPHQWRGRVVHUYLGRUHV4XDQGRIRLGH¿QLGRTXHDIROKD VHULDSDJDHPGXDVIDL[DVDSULPHLUDIRL¿[DGDHPDWp5PLOOtTXLGRV Com os 6,5% de reajuste em maio, muitos servidores, por pequena diferença, passaram à primeira faixa, que recebe salårio depois.

Avaliação Aparentemente, Ronaldo Lessa (PDT), por ter sido governador por dois mandatos, tem mais respaldo, como candidato a prefeito, junto aos servidores públicos estaduais. No entanto, a assessoria de Rui Palmeira (PSDB), que surge como seu principal adversårio, detecta bom apoio no IXQFLRQDOLVPRDRWXFDQRDWpSRUVHU¿OKRGH*XLOKHUPH3DOPHLUD

Peixe grande Marcos Calheiros, presidente regional do PSC em Alagoas, foi designado pela direção nacional do partido para assumir tambÊm o diretório municipal de Maceió. Uma das primeiras decisþes suas foi anunciar que o PSC irå apoiar Rui Palmeira (PSDB). Marcos Ê tambÊm presidente, em Alagoas, do Conselho Regional de Economia.

Modelo Luciano Barbosa, prefeito de Arapiraca, entrega, hoje, a 10ÂŞ Escola em 7HPSR,QWHJUDOQRPXQLFtSLRHPFRQWLQXLGDGHDXPSURMHWRHORJLDGRHP todo o Brasil. A nova escola, no bairro Planalto, terĂĄ 25 salas de aula e FDSDFLGDGHSDUDUHFHEHUDOXQRV2PLQLVWURGD(GXFDomR$ORtVLR Mercadante, e o senador Renan Calheiros participarĂŁo.

Cidadania Marlon Reis, juiz de direito no Maranhão e um dos responsåveis pela criação da Lei da Ficha Limpa, då palestra, hoje, às 8 horas, na sede da Escola Superior da Magistratura de Alagoas. O evento Ê destinado a magistrados, servidores do Poder Judiciårio, estudantes e público em geral. Coordenação do juiz Alberto Jorge de Barros Lima.

Prefeito afastado de Rio Largo ĂŠ acusado de fraude em venda de terreno SANDRO LIMA

BRENO AIRAN REPĂ“RTER

O

prefeito afastado de Rio Largo, Toninho Lins - tambÊm afastado do PSB - deixou a Academia de Polícia Militar, onde estava preso hå 28 dias. O habeas corpus foi concedido pelo desembargador Otåvio Leão Praxedes. A defesa de Lins, formada pelo advogado JosÊ Fragoso Cavalcanti conseguiu fazer com que o magistrado acatasse os argumentos e revogasse a prisão do prefeito. De acordo com o despacho do magistrado, Toninho Lins Ê rÊu primårio, tem bons antecedentes, alÊm de colaborar com as investigaçþes, chegando atÊ a se entregar após o pedido de prisão determinado pelo Tribunal de Justiça de Alagoas. Praxedes entendeu que o político supostamente envolvido em esquemas de venda de terrenos não precisaria ÀFDUSUHVRMiTXHDVSURYDV foram colhidas. $SHVDU GDV MXVWLÀFDWLYDV apresentadas pelo desembargador, Toninho Lins terå de seguir à risca quatro regras. Em caso de desobediência, sua soltura serå revogada. A partir do dia 30 de cada

Livre, prefeito Toninho Lins pretende agora lutar por sua cadeira na administração municipal

mês, o prefeito precisa comparecer periodicamente ao gabinete do desembargador Otåvio Leão Praxedes; contribuir com a instrução processual, em nada interferindo na eventual posterior coleta de provas Ê a segunda norma; participar dos atos

processuais quando regularmente intimado pelo Poder Judiciårio, não ofertando objeçþes Ê outra norma a ser VHJXLGDSRUÀPQmRDOWHUDU de residência/endereço sem prÊvia permissão da autoridade processante, ou ausentar-se por mais de oito dias

de sua residĂŞncia sem comunicar Ă  Relatoria o lugar onde serĂĄ encontrado. Toninho deixou a prisĂŁo QRĂ€QDOGDPDQKmGHTXDUta-feira (21) acompanhado de seu advogado. Ao sair em seu veĂ­culo, ele nĂŁo quis falar com a imprensa.

Ă€ ESPERA DO TJ

Retorno à administração jå foi requerido Em liberdade, o próximo passo de Toninho Lins Ê retornar ao comando da Prefeitura de Rio Largo, atualmente comandada por sua vice, Maria de Fåtima Costa (PSD). Apesar de ter fechado com a mesma chapa na última eleição, as divergências políticas e ideológicas entre Lins e Fåtima vieram a público. Após não poder mais administrar o município, mesmo preso na Academia

de Polícia Militar, onde despachou por 15 dias, a defesa de Toninho Lins entrou com um recurso no Judiciårio para reaver a Prefeitura de Rio Largo assim que um desembargador revogasse a sua prisão. De acordo com JosÊ Fragoso Cavalcanti, advogado do prefeito afastado, cabe apenas à Justiça decidir se Toninho Lins deve voltar ao cargo de prefeito ou não. FESTA A repulsa de uns se cons-

trastava com a alegria de outros na cidade. A notĂ­cia chegou aos ouvidos de Rio Largo e houve atĂŠ comemoração. Durante a tarde de ontem, um grupo de correligionĂĄrios e alguns servidores pĂşblicos orgnizaram uma carreata na cidade. Em meio ao buzinaço, alJXQVGRVVHXVĂ€pLVHOHLWRUHV gritavam: “O meu prefeito voltou. Vamos colocar essa cidade novamente nos trilhosâ€?.

Jå o Movimento Contra a Corrupção e Violência Política de Rio Largo considerou que o retorno de Toninho Lins Ê prejudicial à cidade. Eles argumentam que as denúncias da venda de um terreno que serviriam para a construção de casas para os moradores que perderam tudo nas enchentes são provas de que o Executivo não tem condiçþes de continuar sob a administração de Lins. A prefeita Maria de Fåtima não se manifestou. (N.S)

SEM PARTIDO, SEM REELEIĂ‡ĂƒO

Cubanização O apego do PT ao poder parece não ter limites, assim como a tendência de lideranças do partido pelo autoritarismo. O mais novo episódio dessas facetas Ê que mesmo doente o ex-presidente Lula articula, por meio de senadores ligados a ele, uma PEC fazendo do Senado uma instância revisora de decisþes do Supremo Tribunal Federal.

“

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012 POLĂ?TICA

Cortar esse cordão umbilical (entre a democracia e a liberdade de imprensa) Ê matar as duas� AYRES BRITO Presidente do Supremo Tribunal Federal, defendendo a vinculação entre ambas

* Reunido ontem, em Brasília, o Conselho Deliberativo da Associação Nacional dos Procuradores de Estado aprovou voto de pesar pelo falecimento de Humberto Gomes de Barros, ex-presidente do STJ. A proposta foi de Omar Coêlho de Mello. * Hoje, a partir das 8 horas, na sede do Sebrae, em Maceió, produtores de ostras de Barra de São Miguel, Coruripe, Passo do Camaragibe e Porto de Pedras participarão da apresentação do Estudo de Viabilidade Econômica da Produção de Ostras. 26mR-RmRR¿FLDOGH0DFHLySURVVHJXHKRMHjQRLWHFRPRFRQFXUVR GHTXDGULOKDVHVKRZVGH%DWRUp,ULQHXH%DQGDH%UDKPDGR)RUUy na Vox Room. No Estacionamento de Jaraguå, Galã do Brega, Ivaldo 0DFHLy'DQDGRVGR)RUUyH&HOHEULGDGHVGR)RUUy * Em São Miguel dos Campos, a festa junina tem como atraçþes, hoje jQRLWH%UDVDVGR)RUUy*DOmGR%UHJDH)DVFtQLR$PDQKm&DODQJR Aceso, Mel com Terra e Celebridades do Forró; domingo, Desejo de Menina, Cheia de Charme e Nosso Xote. 2$UUDLiGD$OWHUQDWLYDKRMHjVKRUDVQR%DUURFRHP-DUDJXip mais um evento a homenagear Luiz Gonzaga, no ano do seu centenårio. Participaçþes de RogÊrio Dias, Eliezer Setton, Demis Santana, Roberta Aureliano, Rudson França e Rodrigo Avelino. * Era grande a expectativa do torcedor alagoana pela participação conjunta de dois clubes do Estado na SÊrie B do Campeonato Brasileiro. Mas ASA e CRB têm se igualado na irregularidade e na preocupação com o rebaixamento.

36%DLQGDDQDOLVDĂ€PGHDIDVWDPHQWR Toninho Lins ainda tem outras questĂľes que precisam ser ajustadas. Ao ser preso, o Partido Socialista Brasileiro (PSB) comunicou que ele estaria afastado dos quadros da sigla. Foi designada uma comissĂŁo para estudar se o prefeito de Rio Largo ainda estaria apto para permanecer no PSB. O fato ĂŠ que o caso ainda serĂĄ comunicado Ă  Executiva estadual, presidida pela secretĂĄria de Estado da Mu-

lher e dos Direitos Humanos, Kåtia Born. De acordo com Geraldo Majela, integrante da comissão, existe a expectativa de entregar a anålise sobre Toninho Lins antes do dia 30, um domingo, última data das convençþes partidårias. ´-i À]HPRV GXDV UHXniþes em Rio Largo com os ÀOLDGRVGRSDUWLGRHSUpFDQdidatos do PSB à Câmara de Vereadores. A comissão ainda estå avaliando o caso

para posteriormente entregar o relatório à Executiva estadual. Não då ainda para dizer se Toninho Lins permanece ou terå outros rumos no partido, no entanto, ele estå apenas afastado�, sustenta Majela. AlÊm de Geraldo, Fernando Costa, Ana Maria Fernandes e Nelson Tenório compþem a comissão do PSB. DENÚNCIA O prefeito foi alvo de mais uma ação do MinistÊ-

rio PĂşblico do Estado. Ele agora ĂŠ acusado de desviar R$ 150 mil por meio de fraudes licitatĂłrias e pode ganhar novo decreto de prisĂŁo. Desta vez, o esquema consistiu em forjar processos de licitação de materiais de construção. “O rombo nos cofres pĂşblicos podem ser ainda maioresâ€?, diz o procurador-geral de Justiça, Eduardo Tavares. De acordo com o MinistĂŠrio PĂşblico, hĂĄ indĂ­cios de fraudes em outras dez licitaçþes. (N.S)

CĂ‚MARA

HABEAS CORPUS

A 17ª Vara Criminal da Capital conseguiu o afastamento de dois vereadores em Rio Largo. Thales Luiz Peixoto Cavalcante, (PSB), e Maria das Graças Lins Calheiros (PMDB) não foram presos porque não estavam na sessão da Câmara, mas, conseguiram um habeas corpus para não serem considerados foragidos. Ambos não estão exercendo os mandatos porque a Justiça acabou dando posse a todos os suplentes este mês. Os vereadores mesmo protegidos pelo HC, não assumem.

Com relação aos empresårios da MSL Empreendimentos Imobiliårios, citados pelo MinistÊrio Público como prinFLSDOEHQH¿FLDGDQD compra do terreno, os habeas corpus mantêm os cinco proprietårios longe da prisão. AtÊ o momento, a 17ª Vara Criminal da Capital, não se manifestou sobre o caso. A empresa continua fazendo o seu trabalho no terreno adquirido junto à Câmara de Vereadores, com apoio do prefeito de Rio Largo, Toninho Lins, como jå denunciou o MinistÊrio Público.

17ÂŞ Vara afasta GRLVYHUHDGRUHV

(PSUHViULRVWDPEpPIRUDPEHQHĂ€FLDGRV


TribunaIndependente

4 POLĂ?TICA 0$&(,Ă?6(;7$)(,5$'(-81+2'(

%$572/20(8'5(6&+EDUWRORPHXBGUHVFK#KRWPDLOFRPEU

Eles nĂŁo se “emendamâ€?

C

om o Congresso praticamente vazio, em função da conferĂŞncia Rio+20 e das festas juninas, uma comissĂŁo especial da Câmara dos Deputados aprovou uma proposta de emenda constitucional que acaba com o teto salarial dos servidores pĂşblicos da UniĂŁo, dos estados e dos municĂ­pios. A proposta vincula, ainda, os salĂĄrios dos parlamentares aos vencimentos dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Ou seja, cada vez que o Congresso aprovar aumento salarial para os ministros do STF, ele serĂĄ repassado automaticamente para os deputados e senadores, sem que haja a necessidade do desgaste pĂşblico de aprovar outro SURMHWRFRQFHGHQGRR´DXWRUHDMXVWHÂľ2WH[WRĂ€[DRPHVPRVDOiULR para os trĂŞs Poderes. Nessa “levaâ€? de aumento, tambĂŠm sĂŁo beQHĂ€FLDGRVRSUHVLGHQWHGD5HS~EOLFDRYLFHPLQLVWURVGH(VWDGR procurador-geral da RepĂşblica e o defensor pĂşblico-geral. E o salĂĄrio do ministro do STF tem efeito cascata para toda a magistratura. A proposta ainda precisa ser aprovada em dois turnos no plenĂĄrio da Câmara, para seguir ao Senado. Caso isso aconteça, a proposta acaba com as reformas administrativas dos presidentes Fernando Henrique e Lula, que foram criadas para frear os supersalĂĄrios no serviço pĂşblico, e tentar estabelecer limites para os gastos com o funcionalismo. A proposta foi aprovada por unanimidade pela comissĂŁo especial e nĂŁo estabelece o tamanho do impacto nas contas pĂşblicas. Um verdadeiro golpe no Brasil.

Prefeito de Pilar gasta R$ 35 mil sem licitação 5HQDWR&DQXWRDVVXPLXDSUHIHLWXUDQR¿PGHPDUoRDSyVUHQ~QFLDGH2]LHO $548,92

A

A Voz do Brasil 2PLQLVWURGDV&RPXQLFDo}HVPaulo BernardoGLVVHRQWHPTXHRJRYHUQRDFHLWDD ÀH[LELOL]DomRGRKRUiULRGHWUDQVPLVVmRGR SURJUDPD³$9R]GR%UDVLO´FDVRDSURSRVWDVHMDDSURYDGDSHOD&kPDUDGRV'HSXWDGRV2PLQLVWURJDUDQWLXTXHpIDYRUiYHO jSURSRVWDGHVGHTXDQGRFRPHoRXDVHU HODERUDGDHHOHHVWDYDjIUHQWHGDSDVWD GR3ODQHMDPHQWR6HJXQGRRSUHVLGHQWH GD&kPDUDGHSXWDGR0DUFR0DLD 3756  DSURSRVWDHQWUDUiQDSDXWDGHYRWDomRGDSUy[LPDVHPDQD³$9R]GR %UDVLO´IRLFULDGDSHORJRYHUQRGH*HW~OLR9DUJDVFRPDREULJDWRULHGDGH GHVHUWUDQVPLWLGDGHVHJXQGDjVH[WDIHLUDVHPSUHjVKSRUWRGDV DVUiGLRVGRSDtV$SURSRVWDpDGHTXHDVHPLVVRUDVWHQKDPDOLEHUGDGHGHHVFROKDGRKRUiULRDVHUWUDQVPLWLGD

Plano de segurança $WHFQRORJLDDOLDGDjFDSDFLWDomRGRVSROLFLDLVHDRLQYHVWLPHQWR¿QDQFHLURVmRRVSRQWRVEiVLFRVGHVXVWHQWDomRGR3ODQR1DFLRQDOGH6HJXUDQoDDVHUODQoDGRQDSUy[LPDTXDUWDIHLUDHP$ODJRDV7DQWR R*RYHUQR)HGHUDOFRPRRHVWDGXDODSRVWDPVXDV¿FKDVQDLPSOHPHQWDomRGR3ODQRHQDREWHQomRGRVUHVXOWDGRV3DUDLVVRDSHUtFLDORFDO VHUiUHIRUoDGDSRUSHULWRVGD)RUoD1DFLRQDOHHTXLSDPHQWRVGH~OWLPD JHUDomRSROLFLDLVVHUmRTXDOL¿FDGRVHWDPEpPXWLOL]DUmRVLVWHPDVPDLV PRGHUQRVGHFRPXQLFDomR UiGLRVHWDEOHWV HGHDUPDPHQWR6HUmR FULDGDVGXDVIRUoDVWDUHIDVXPDSDUDDWXDUQRVLVWHPDSULVLRQDOHRXWUD QDDJLOL]DomRGHLQTXpULWRVHVHUmRLQYHVWLGRVGHLPHGLDWR5PLOK}HV GR*RYHUQR)HGHUDOH5PLOK}HVGR*RYHUQRGR(VWDGR

Aumento da gasolina 23DOiFLRGR3ODQDOWRMiGHXRVHXDYDOHDHTXLSHHFRQ{PLFDGRJRYHUQRGHYHGHÂżQLUDWpRSUy[LPRPrVTXDOVHUiRSHUFHQWXDOGHUHDMXVWH SDUDRVFRPEXVWtYHLV3RVVLYHOPHQWHHVWHDXPHQWRVHUiGHQD UHÂżQDULDPDVQmRGHYHVHUUHSDVVDGRLQWHJUDOPHQWHDRFRQVXPLGRU1R HQWDQWRH[LVWHXPWHPRUTXHRUHDMXVWHSRVVDSUHMXGLFDUDVFDQGLGDWXUDV JRYHUQLVWDVQDVHOHLo}HVGHRXWXEUR$SUHVLGHQWHGD3HWUREUDV*UDoD )RVWHUMiKDYLDFRQYHQFLGRDHTXLSHHFRQ{PLFDGHTXHRFRQJHODPHQWR GRVSUHoRVGRVFRPEXVWtYHLVHVWDYDDIHWDQGRRFDL[DGDHPSUHVDH FRPSURPHWHQGRDFDSDFLGDGHGHLQYHVWLPHQWR

Aumento da gasolina 2 1DYHUGDGHRJRYHUQRTXHUPDLVXPWHPSRSDUDEXVFDUXPDDOWHUQDWLYD SDUDDFRQFHVVmRGRUHDMXVWHGRVFRPEXVWtYHLV$OpPGRSUHMXt]RHOHLWRUDOTXHSRGHFDXVDUWDPEpPKDYHUiLPSDFWRQRFiOFXORGDLQĂ€DomR3RU LVVRPHVPRRJRYHUQRSRGHXVDUDHVWUDWpJLDGHUHGX]LURSHUFHQWXDO GD&LGH FRQWULEXLomRGHVWLQDGDDUHJXODURSUHoRGRVFRPEXVWtYHLV QR SUHoRGDJDVROLQDHGRyOHRGLHVHO2SUREOHPDpTXHSDUDUHDMXVWDUR SUHoRGRVFRPEXVWtYHLVHPVHPUHSDVViORDRFRQVXPLGRUÂżQDO RJRYHUQRWHULDTXH]HUDUDFREUDQoDGD&LGHRTXHFRPSURPHWHULD RXWUDViUHDVGHLQYHVWLPHQWRV

Bagaço para o gado &ULDGRUHVGHJDGRGD%DFLD/HLWHLUDHGR6HUWmRGH$ODJRDVTXHVRIUHP FRPDHVWLDJHPYmRSDVVDUDUHFHEHUXPUHIRUoRSDUDFRPSOHPHQWDU DDOLPHQWDomRGRVDQLPDLV$6HFUHWDULDGR(VWDGRGD$JULFXOWXUDHGR 'HVHQYROYLPHQWR$JUiULRDWHQGHQGRDXPDGHPDQGDGRVHWRUHVWi DGTXLULQGRVHLVPLOWRQHODGDVGHEDJDoRGHFDQDGHDo~FDUSRUPHLR GHUHFXUVRVOLEHUDGRVSHOR)XQGR(VWDGXDOGH&RPEDWHH(UUDGLFDomR GD3REUH]DQRYDORUGH5PLOK}HV$DTXLVLomRGRSURGXWRWDPEpP IRLDQDOLVDGDSHOR&RPLWr,QWHJUDGRGH&RPEDWHj6HFDTXHDSURYRX HUHFRPHQGRXDPHGLGD$6HFUHWDULDHPSDUFHULDFRPDVSUHIHLWXUDV WDPEpPSURYLGHQFLDUiRWUDQVSRUWHGREDJDoRSDUDDVUHJL}HVEHQH¿FLDGDV

A tortura de Dilma 2GHSRLPHQWRGDSUHVLGHQWH'LOPD5RXVVHIISUHVWDGRi&RPLVVmRGH 'LUHLWRV+XPDQRVGH0LQDV*HUDLVHPVREUHDVWRUWXUDVVRIULGDV SRUHODQDSULVmRHP-XL]GH)RUDQRSHUtRGRGDGLWDGXUDIRLUHTXLVLWDGR SHOD&RPLVVmRGD9HUGDGH2GRFXPHQWRIRLSXEOLFDGRSHORMRUQDO³(VWDGRGH0LQDV´QR~OWLPRGRPLQJRHLPSUHVVLRQRXSHODYHUDFLGDGHHSHOR UHODWRGRORULGRRLWRDQRVDQWHVGHDVVXPLUD3UHVLGrQFLDGD5HS~EOLFD (ODGHVFUHYHXRVWLSRVGHWRUWXUDDTXHIRLVXEPHWLGDQRSDXGHDUDUD FKRTXHVHOpWULFRVSDOPDWyULDHVRFRVTXHOKHGHVORFDUDPRPD[LODU 2VLQWHJUDQWHVGD&RPLVVmRGD9HUGDGHGLVVHUDPTXHDLQGDQmRKi QHFHVVLGDGHGHFRQYRFiODPDVQmRHVWiGHVFDUWDGDDSRVVLELOLGDGHGH RXYtODVREUHDWRUWXUD ‡9LQWH3RQWRVGH&XOWXUDUHFHEHUDPHVWDVHPDQDSODFDVGHLGHQWL¿FDomRFRPRHQWLGDGHVUHJLVWUDGDVSHOD6HFUHWDULD(VWDGXDOGH&XOWXUDSRU PHLRGD5HGH$ODJRDQDGH3RQWRVGH&XOWXUD ‡(QWUHRV3RQWRVGH&XOWXUDTXHUHFHEHUDPDLGHQWL¿FDomRR¿FLDOHVWmR ³(QVHDGDVGDVFDQRDV\DUiJXiFXOWXUDO´3RQWR0LVD&XOWXUDO)DFHD IDFHH&DPLQKRVGH&DQWRULDGH9LRODGH0DFHLy ‡$RVDQRVRMRUQDOLVWD3HGUR%LDOLQLFLDXPDQRYDIDVHSUR¿VVLRQDO $SDUWLUGRSUy[LPRGLDHVWUHLD³1DPRUDO´ORJRDSyV³*DEULHOD´QD 5HGH*ORER ‡(OHGL]TXHRSURJUDPDpXPDQRYLGDGHTXHVHWUDQVIRUPDDFDGD VHPDQDHSRGHWHUXPSRXFRGHWXGR³$LGHLDFHQWUDOGRSURJUDPDp GLVFXWLUHDSURIXQGDUGHIRUPDOHYHHGLYHUWLGDTXHVW}HVTXHQRVDIH WDPHGHVD¿DP´WHQWDH[SOLFDU%LDO ‡(OHDFUHGLWDTXHRFDPLQKRpXVDUGLIHUHQWHVIRUPDWRVSDUDRSURJUDPDPXGDQGRDFDGDVHPDQD$SUHWHQVmRpXVDURFRQFHLWRGH³DXWR]DSSLQJ´PXGDQGRVHPSUHjVYH]HVGHQWURGRSUySULRHSLVyGLR

nĂŁo autoriza a ausĂŞncia de liFLWDomR ,VVR FRQĂ€JXUD IUDFLRnamento de despesa, o que Prefeitura de Pilar vai tambĂŠm ĂŠ irregular. gastar R$ 35 mil sem Renato utilizou uma brelicitação. O prefeito Re- FKD OHJDO SDUD MXVWLĂ€FDU D LUnato Rezende (PSDB) assinou regularidade. Em um de seus portaria municipal autorizan- pontos, a Lei das Licitaçþes do a contratação da empresa permite a contratação de proCosta e Melo Assessoria e Con- Ă€VVLRQDLV HVSHFLDOL]DGRV VHP sultoria Ltda. sem qualquer realização de concorrĂŞncia concorrĂŞncia pĂşblica. pĂşblica. O contrato formalizado O benefĂ­cio, no entanto, sĂł pela prefeitura tem duração deve ser concedido a emprede sete meses. A portaria pu- sas de notĂłria capacidade tĂŠcEOLFDGD QR 'LiULR 2Ă€FLDO GL] nica. Em Pilar, foi um parecer que a empresa vai “prestar da procuradoria do municĂ­pio serviços tĂŠcnicos especializa- que atestou a competĂŞncia dos de consultoria e assesso- da empresa Costa e Melo Asria em gestĂŁo administrativa, sessoria e Consultoria Ltda e licitaçþes e contratos admi- garantiu o contrato sem licinistrativosâ€?. tação. Para prestar os serviços, PREFEITO NOVO a Costa e Melo Consultoria e Renatinho Canuto — alAssessoria Ltda vai receber cunha dada por ser sobrinho R$ 5 mil por mĂŞs. SerĂŁo pagos do ex-prefeito Carlos Alberto 5PLODRĂ€PGRFRQWUDWR Canuto — assumiu a prefeiO valor parece baixo, mas nĂŁo tura de Pilar em março. Ele deixa de ser questionĂĄvel. era vice de Oziel Barros, que A Lei Federal 8.666/93, renunciou o mandato apĂłs que trata das licitaçþes, esti- uma negociação partidĂĄria. O pula o teto de R$ 8 mil para curto tempo no comando jĂĄ foi contratação de serviços. Com VXĂ€FLHQWHSDUDUHDOL]DUDFRQuma Ăşnica empresa contra- tratação. tada, a prefeitura excedeu o A reportagem tentou enlimite em 340%. trar em contato com RenatiA divisĂŁo do valor global nho. As ligaçþes, no entanto, do contrato em sete parcelas nĂŁo foram atendidas atĂŠ o fe— uma a cada mĂŞs — tambĂŠm chamento da edição. VICTOR AVNER 5(3Ă?57(5

Renato RezendeXWLOL]RXEUHFKDMXUtGLFDSDUDFRQWUDWDU

IRREGULARIDADE

MP de Contas vai investigar contrato O contrato da prefeitura de Pilar com a empresa Costa e Melo Consultoria e Assessoria Ltda. vai ser investigado pelo MinistÊrio Público de Contas. O prefeito Renatinho Canuto deve ser alvo de uma representação junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) por causa da ilegalidade. O procurador de Contas Gustavo Santos Ê o responsåvel por analisar os contratos do município. Em sua avaliação, hå indícios de irregularidade na contratação de uma empresa de consul-

toria sem licitação. “[Hoje] vou instaurar um procedimento, requisitando documentos da prefeitura. Ao que parece, ĂŠ uma contratação irregularâ€?, pontua o procurador de Contas. Se Ă€FDU FRQVWDWDGD D LUUHJXODridade, o prefeito serĂĄ representado no TCE. Segundo o procurador de &RQWDVQmRKiMXVWLĂ€FDWLYDV para a contratação de uma empresa de consultoria sem concorrĂŞncia pĂşblica. “Inexigibilidade de licitação ĂŠ para algo singular, de natureza excepcional. Isso ĂŠ um servi-

ço corriqueiroâ€?, comenta. CONCURSO PĂšBLICO Para o procurador de Contas, nĂŁo hĂĄ sequer necessidade de contratar uma empresa para prestar assessoria em gestĂŁo administrativa. “Isso ĂŠ o bĂŞ-a-bĂĄ da administração pĂşblicaâ€?, pontua Santos. Ao invĂŠs de contratar uma empresa para auxiliar a gestĂŁo municipal, a solução se daria com a realização de concurso pĂşblico. É que a prefeitura deve possuir servidores disponĂ­veis para lidar com a elaboração

de licitaçþes e demais questĂľes administrativas. “Na verdade, o prefeito deveria ter funcionĂĄrios capacitados em seus quadros. O ideal, nesse caso, ĂŠ realizar concurso pĂşblico. Mas os gestores teimam em evitarâ€?, ressalta o procurador. CRIME Renatinho tambĂŠm pode ser alvo de ação penal. De acordo com a Lei das Licitaçþes, contratar uma empresa sem licitação ĂŠ crime. Nesse caso, ĂŠ o MinistĂŠrio PĂşblico do Estado que deve denunciar o prefeito. (V.A.)

NA ASSEMBLEIA

SecretĂĄrio lĂŞ projeto da LDO 2013 O secretĂĄrio de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento EconĂ´mico, Luiz Otavio Gomes, esteve ontem (21), na Assembleia Legislativa do Estado, para participar da audiĂŞncia pĂşblica onde foi apresentado o Projeto de Lei de Diretrizes OrçamentĂĄrias (PLDO) para 2013. Luiz Otavio apresentou as competĂŞncias da Lei de Diretrizes OrçamentĂĄrias, elaborada com o propĂłsito GH GHĂ€QLU PHWDV H SULRULGDdes da Administração PĂşblica Estadual. “A LDO serve

para orientar a elaboração da Lei Orçamentåria Anual (LOA), alÊm de dispor sobre alteração na legislação tributåria e estabelecer a política de aplicação das DJrQFLDVÀQDQFHLUDVRÀFLDLV de fomento�, explicou. As metas e prioridades LQVHULGDVQR3/'2VmRGHÀnidas de acordo com o Plano Plurianual (2012-2015), que foi traçado para atender as açþes e os 25 projetos estruturantes do Programa Alagoas Tem Pressa, planejamento do Governo do Estado atÊ 2022. Desta forma,

o Anexo de Metas e Prioridades estabelece os principais eixos da administração pĂşblica estadual para a alocação dos recursos na Lei OrçamentĂĄria Anual. “Apresentar a Lei de Diretrizes OrçamentĂĄrias para o Legislativo ĂŠ um gesto de transparĂŞncia e responsabilidade com os alagoanos. Estamos aqui para abrir o debate na construção desse projetoâ€?, completou Gomes. A Lei de Diretrizes OrçamentĂĄrias contempla as ĂĄreas de educação; saĂşde; segurança pĂşblica; desenvol-

DAVID BARROS

PILAR

2XWURSUHIHLWRGH$ODJRDVHVWi VHQGRLQYHVWLJDGRSRUFRQWUDWDU HPSUHVDVGHFRQVXOWRULDVHP OLFLWDomRDavid Barros 37%  GH*LUDXGR3RQFLDQRpDOYR GHXPLQTXpULWRGR0LQLVWpULR 3~EOLFRGR(VWDGR 03$/ 1D VHPDQDSDVVDGDR'LiULR2ÂżFLDO DSUHVHQWDYDSRUWDULDGRSUHIHLWR DXWRUL]DQGRDFRQWUDWDomRGH XPDHPSUHVDHVSHFLDOLVWDQD iUHDWULEXWiULD2FRQWUDWRVHP OLFLWDomRpVXSHULRUD5 PLOK}HV2SURPRWRU+XPEHUWR %XOK}HVGDFRPDUFDGRPXQLFtSLRDVVLQDRLQTXpULWR

1mRpDSHQDVD/HLGDV/LFLWDo}HVTXHDSRQWDLUUHJXODULGDGH QDFRQWUDWDomRGHHPSUHVDV VHPFRQFRUUrQFLDS~EOLFD$ SUySULD/HLGD,PSURELGDGH $GPLQLVWUDWLYDGL]TXHRJHVWRU TXHQmRUHDOL]DOLFLWDo}HVSRGH VHUDOYRGHVDQo}HV³2SUHIHLWR SRGHVHUDOYRGHXPDDomRFLYLO SRULPSURELGDGHDGPLQLVWUDWLYD 3RGHDWp¿FDULQHOHJtYHO´FRPHQWDRSURFXUDGRUGH&RQWDV Gustavo Santos0DVDSHQDVR 03$/RXDSUySULDSURFXUDGRULDPXQLFLSDOTXHPWrPSRGHUHV SDUDUHSUHVHQWDURSUHIHLWR

Prefeito de Girau tambĂŠm ĂŠ investigado

MP pode entrar com ação civil contra gestor

vimento econômico; cultura; meio ambiente; assistência social e gestão pública. Os principais indicadores são as estatísticas relacionadas à pobreza; pobreza extrema; analfabetismo entre os jovens; mortalidade infantil; taxa de homicídios e a concentração de renda em Alagoas. $RÀQDOGDDSUHVHQWDomR o secretårio esclareceu os principais questionamentos dos parlamentares sobre a distribuição de recursos, programas de governo, objetivos, entre outras açþes.


TribunaIndependente

0$&(,Ă?6(;7$)(,5$'(-81+2'(2012 POLĂ?TICA

5

TCU apresenta os ‘contas sujas’ de AL 5LFDUGR3HVVRDHQWUHJDOLVWDGHJHVWRUHVFRPFRQWDVUHMHLWDGDVSHOR7ULEXQDODRSURFXUDGRU5RGULJR7HQyULR 1,*(/6$17$1$

Cotidiano

NIGEL SANTANA 5(3Ă?57(5

O

LININHO NOVAIS - FRQWDWR#OLQLQKRFRP

E 2010 se repete!

A

ssim como num relacionamento amoroso, na polĂ­tica tambĂŠm muitos vivem de aparĂŞncia. Para a sociedade ĂŠ tudo lindo e entre quatro paredes ĂŠ um ‘Deus nos acuda’. Esse cenĂĄrio tem sido corriqueiro nos Ăşltimos dias entre tucanos e democratas ao tratar das eleiçþes em MaceiĂł. Apesar de ninguĂŠm FRQĂ€UPDUSRUpPFRJLWDVHXPDGREUDGLQKDLJXDODTXHDFRQWH FHXHPXQLQGR7HRWRQLRH7KRPD]1RQ{FRPXPVDOGRSRVL tivo que garantiu a reeleição do grupo tucano derrotando Ronaldo Lessa. Quem cederia para uma frente palaciana considerada por PXLWRVFRPR´XPIRUWHÂľ"2ROKDUGRJUXSRGR3DOiFLR5HS~EOLFD GRV3DOPDUHVQmRWHPVLGRGLIHUHQWHGRVGHPDLVYROWDPVHSDUD 2014, e caso aconteça uma cartada errada o desejo de Teotonio em YROWDUSDUDR6HQDGR)HGHUDOHGH1RQ{HPJRYHUQDU$ODJRDV poderĂŁo nĂŁo se tornar realidade.

“Eu avisei!â€? /RJRGHSRLVGHR0LQLVWpULR3~EOLFRDEULUDÂłFDL[DSUHWD´GD3UHIHLWXUDGH 5LR/DUJRRDGYRJDGR$GULDQR6RDUHVQmRGHL[RXSRUPHQRVHGLVSDURXÂł7HPSRVDWUiVTXHVWLRQHLDDWXDomRGR0LQLVWpULR3~EOLFRORFDOHP 5LR/DUJR'L]LDHXTXHKDYLDGDGRXPWUDWDPHQWRGLIHUHQFLDGRHPIDYRU GRSUHIHLWR7RQLQKR/LQV2VIDWRVTXHDJRUDHVWmRYLQGRjWRQDPRVWUDP RVDEVXUGRVTXHHUDPSUDWLFDGRVSRUDTXHODJHVWmR$SHQDVTXDQGR KRXYHPXGDQoDVQR0LQLVWpULR3~EOLFRORFDOHR*HFRFS{GHDWXDU FRPDOLGHUDQoDGRSURPRWRU$OIUHGR*DVSDUGH0HQGRQoDDVFRLVDV FRPHoDUDPDDSDUHFHU´

NĂŁo serĂĄ dessa vez 8PSRXFRPHQRVYHOR]GRTXHVHSHQVDHVWiRGHSXWDGRIHGHUDO *LYDOGR&DULPEmRTXHGHVFRQYHUVDVHPSUHTXHSHUJXQWDGRVREUHDV DOLDQoDVGR36%SDUDHOHLo}HVQDFDSLWDODODJRDQD0HVPRFRQWDQGR FRPRDYDOGRJRYHUQDGRUGH3HUQDPEXFR(GXDUGR&DPSRVTXHOKH JDUDQWLXHVWUXWXUDSDUDWHQWDUFRQTXLVWDDFDGHLUDGH&tFHUR$OPHLGDR SDUODPHQWDUSDUHFHWHUFDQVDGRHGHYHUiDQXQFLDUVXDGHVLVWrQFLDORJR DSyVXPDFRQYHUVDFRPRVOLGHUHVGRSDUWLGRHP$ODJRDV

'HVDÂżR &ULVWLDQR0DWHXVFDPLQKDYDDRODGRGRSURIHVVRU(GLEHUWR2PHQDSHOR SRYRDGRGD0DVVDJXHLUDTXDQGRHVFXWRXXPDEX]LQDHDRVJULWRV GLVVHUDPTXHQmRH[LVWLUDYLFHSUHIHLWRPHOKRUGRTXH$QGUp%RFmR)D]HQGRVLQDOSRVLWLYRHVHPSHUGHURSLTXH&ULVWLDQRROKRXSDUD(GLEHUWR HGHVDÂżRRDVHJXLUPDLVFLQFRTXLO{PHWURV

Falando nisso... 230'%HP0DUHFKDO'HRGRURFRQÂżUPRXSDUDR~OWLPRGLDGRSUD]R HOHLWRUDODFRQYHQomRTXHKRPRORJDUiRVFDQGLGDWRVDSUHIHLWRYLFH YHUHDGRUHVHDFROLJDomRFRPRXWURVSDUWLGRV

Um dia antes -iQDFLGDGHGH3LUDQKDVR30'%UHDOL]DUiQRGLDDFRQYHQomRTXH LUiUHIHUHQGDURQRPHGDDWXDOSUHIHLWD0HOOLQD)UHLWDVFRPRFDQGLGDWDj UHHOHLomRQDKLVWyULFDFLGDGHULEHLULQKD

Peregrinação $SyVXPDVHPDQDLQWHLUDHP%UDVtOLDTXHPFKHJRXRQWHPjQRLWHHP 0DFHLyIRLRVHQDGRU5HQDQ&DOKHLURV1RDHURSRUWRHVWDYDPGLYHUVRV FRUUHOLJLRQiULRVDHVSHUDGHXPDSRVLomRGRVHQDGRUVREUHDVHOHLo}HV SHORLQWHULRU

SilĂŞncio 2V~OWLPRVGLDVGH5RJpULR7HyÂżORWrPVLGRUHVHUYDGRVDRUHFROKLPHQWR HVSLULWXDO6HPPXLWRDODUGHWHPSUHIHULGRDVDUWLFXODo}HVQRVEDVWLGRUHV SDUDQmRHQWUHJDURMRJRDRVDGYHUViULRV(PVHXSDODQTXH7HyÂżOR JXDUGDVXUSUHVDVSDUDD~OWLPDKRUDHJDUDQWHTXHWXGRVDLUiFRQIRUPH RSODQHMDGR

Em posse da lista, Ricardo Fahr Pessoa crĂŞ que Rodrigo TenĂłrio terĂĄ trabalho facilitado este ano

OLHO D’à GUA DO CASADO

Prefeito JosÊ Gualberto Pereira Ê denunciado por improbidade O MinistÊrio Público Fe deral em Arapiraca (AL) DMXL]RXQHVWDVHPDQDDomR civil pública por ato de im probidade administrativa FRQWUD R SUHIHLWR GH 2OKR d’à gua do Casado, JosÊ Gualberto Pereira (PSDB). Recai sobre ele a não pres tação de contas de recursos GR )XQGR 1DFLRQDO GH 'H senvolvimento da Educação )1'(  A ação, de autoria do pro curador da República JosÊ *RGR\ %H]HUUD WHYH FRPR origem denúncia feita por JosÊ Gualberto contra o ex SUHIHLWR:HOOLQJWRQ'DPDV ceno Freitas, o Xêpa. O atu al gestor acusava Xêpa por QmRSUHVWDUFRQWDVGR)1'( de 2008. O convênio entre a pre feitura e o MinistÊrio da

Educação, no valor de R$ 125.482,50, era para compra de um transporte escolar, amparada no Programa do &DPLQKR GD (VFROD JRYHU no federal). A prestação de contas deveria ter sido feita atĂŠ 19 de março de 2009. Em 1Âş de janeiro do mesmo ano, JosĂŠ Gualberto assumiu a prefeitura. Consta na ação que os documentos para a presta ção foram encontrados na prefeitura em setembro de  1R HQWDQWR HOHV QmR foram enviados. “Gualberto optou por representar o ex SUHIHLWR D SUHVWDU FRQWDV perante o ĂłrgĂŁo competen WHÂľDĂ€UPDRSURFXUDGRU Godoy esclarece: “a re presentação ofertada por -RVp *XDOEHUWR PRVWURXVH inĂłcua e tendenciosaâ€?. Foi

o atual gestor que nĂŁo en YLRXDRJRYHUQRIHGHUDO1mR KRXYH VHTXHU VROLFLWDomR GH SURUURJDomRGHSUD]R3DUDR representante do MPF, ape VDU GR FRQYrQLR WHU VLGR Ă€U PDGRQDJHVWmRGH:HOOLQJ ton Damasceno, a prestação de contas era de responsabi lidade de JosĂŠ Gualberto PUNIĂ‡ĂƒO Caso seja comprovada a responsabilidade de Gual berto, ele pode perder a fun ção pĂşblica e ter suspensos os direitos polĂ­ticos por atĂŠ cinco anos, alĂŠm de ser obri gado a pagar multa civil de DWpFHPYH]HVRYDORUGDVXD remuneração como prefeito. É acusado por “deixar de prestar contas quando es WHMD REULJDGR D ID]rORÂľ DWR previsto no artigo 11, caput e inciso VI, da mesma lei.

MinistĂŠrio PĂşblico Federal recebeu da Secretaria de Con trole Externo do Tribunal de Contas da UniĂŁo em Alagoas, ontem (21), a lista GRV JHVWRUHV H[JHVWRUHV GHSXWDGRV H H[GHSXWDGRV que tiveram suas contas reprovadas pelo ĂłrgĂŁo fede ral. Todos os processos es tĂŁo em transitado e julgado e nĂŁo cabem mais recurso. 1RLQtFLRGDWDUGHGHRQ WHP 5LFDUGR )DKU VHFUH tĂĄrio do TCU/AL, entregou alguns documentos conten do quem sĂŁo os polĂ­ticos que SRGHP Ă€FDU LQHOHJtYHLV QDV eleiçþes deste ano. Ă€ im SUHQVD )DKU DUJXPHQWRX que o objetivo do Tribunal ĂŠ facilitar o trâmite do Minis tĂŠrio PĂşblico Eleitoral, e que a lista foi antecipada pelo TCU. “A Lei Eleitoral manda TXH DWp R GLD  MXOKR R 7UL bunal de Contas da UniĂŁo HQFDPLQKDVVH HVVD OLVWD GH gestores com contas irregu lares. Foi antecipada essa questĂŁo para facilitar o ca dastro dos polĂ­ticos em todo o Brasil. Com a proximidade GDV HOHLo}HV YDL Ă€FDU PDLV fĂĄcil para o MinistĂŠrio PĂşbli co Federal atuar, em caso de impugnação de candidatu UDVÂľGHFODURX5LFDUGR)DKU A documentação encami QKDGDSHOR7ULEXQDOGH&RQ tas da UniĂŁo marca em cada processo quando o gestor DJLXFRP´ERDIpHPiIpÂľe uma espĂŠcie de selo para de monstrar o crime de impro bidade administrativa. Com a documentação em mĂŁos, o procurador regional eleitoral Rodrigo TenĂłrio explica que as contas re jeitadas sĂŁo um indicativo forte de inelegibilidade, no entanto, os casos citados de vem ser analisados minucio samente pelos promotores eleitorais de cada municĂ­pio. “Os promotores sĂŁo res ponsĂĄveis pelas denĂşncias quando as eleiçþes sĂŁo muni cipais. O polĂ­tico nĂŁo estarĂĄ apto a disputar as eleiçþes em virtude da prĂĄtica de ato doloso de improbidade admi nistrativa. Esses processos que tiveram trânsito e jul gamento, nĂŁo cabendo mais recursos, apresentam fortes indĂ­cios de que um candida to estarĂĄ inelegĂ­velâ€?, ressal ta TenĂłrio. Os nomes dos 137 gesto UHVHVWmRGLVSRQLELOL]DGRVQR site www.tse.jus.br.

Segredo a trĂŞs 2JUXSRJRYHUQLVWDHP$UDSLUDFDYLYHGLDVGHH[SHFWDWLYDSDUDVDEHU TXHPVHUiRDJUDFLDGRHPUHFHEHUDVErQomRVGRSUHIHLWR/XFLDQR%DUERVDHVHMXQWDUj&pOLD5RFKDQDGLVSXWDSHORFRPDQGRGDFDSLWDOGR $JUHVWH1LQJXpPHVWiDXWRUL]DGRDFRPHQWDUVREUHRDVVXQWRSRUpP FRPRQmRH[LVWHVHJUHGRHQWUHGXDVSHVVRDVHXPDSDUHGHGHPDGHLUD GL]HPTXHRQRPHMiIRLGHFLGLGRGXUDQWHXPDUHXQLmRHP%UDVtOLD IDOWDQGRDSHQDVRDYDOGDSUySULD&pOLDTXHSRGHUiPXGDUDWpDSURUURJDomRGRGLDFLQFRGHMXOKR

Adiado $LQDXJXUDomRGDÂ?(VFRODGH7HPSR,QWHJUDOHP$UDSLUDFDpDGLDGD DSHGLGRGDDVVHVVRULDGRPLQLVWURGD(GXFDomR$ORtVLR0HUFDGDQWH TXHQmRSRGHULDFRPSDUHFHUjFLGDGHQHVWDVH[WDIHLUD  

REMI CALHEIROS

Convenção em Murici acontece dia 30 (DVFRQYHQo}HVHOHLWRUDLVYmR VHJXLQGR(P0XULFLDFRQWHFH GLDDFRQYHQomRSDUWLGiULD TXHFRQVROLGDDFDQGLGDWXUD do prefeito Remi Calheiros (PMDB) para mais um manGDWRQRPXQLFtSLR5HPLSULPR GRVHQDGRU5HQDQ&DOKHLURV 30'% PDLRUOLGHUDQoDGR SDUWLGRHP$ODJRDVIRLSUHIHLWR de Murici por dois mandatos VHJXLGRVIRLYLFHGH5HQDQ )LOKRKRMHGHSXWDGRIHGHUDOH DVVXPLXDSyVVDtGDGHOHFRPD YLWyULDHP5HPL&DOKHLURV tenta seu 4º mandato.

ALTERAĂ‡ĂƒO

Eduardo Cardozo chega dia 27 A Secretaria de Estado da &RPXQLFDomRFRQÂżUPRXRQWHP GLDRDGLDPHQWRGRODQoDPHQWRGR3ODQR1DFLRQDOGH 6HJXUDQoDTXHHVWDYDPDUFDGR SDUDDSUy[LPDWHUoDIHLUD   HP0DFHLy$QRYDGDWDVHJXQGRFRPXQLFDGRGD6HFRP VHUiQRGLDVHJXLQWHTXDUWDIHLUD  $DOWHUDomRRFRUUHX HPIXQomRGHDGHTXDomRGD DJHQGDGRPLQLVWURGD-XVWLoD JosĂŠ Eduardo CardozoTXH QDWHUoDIHLUDYLDMDUiD/LPDQR 3HUXUHSUHVHQWDQGRD3UHVLGrQFLDGD5HS~EOLFDHPPLVVmR RÂżFLDO6HJXQGRDGLDQWRX&DUGR]RR3ODQRSDUD$ODJRDVIRFDUi no aprimoramento da PerĂ­cia &ULPLQDOSDUDDSXUDUKRPLFtGLRV HDVVLPSXQtORV


6

OPINIAO

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

OpiniĂŁo

Postos de trabalho

N

os primeiros cinco meses deste ano foram criados mais 877.909 postos de trabalho no Brasil, uma expansão de 2,32% no nível de emprego. Nos últimos 12 meses, o aumento foi de 1.607.209 postos de trabalho, correspondendo à elevação de 4,32%. Em maio, houve um crescimento de 0,36% em relação ao estoque de abril, decorrente da criação de 139.679 empregos formais. Foram declarados 1.785.075 admissþes e 1.645.396 desligamentos. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) foram divulgados ontem. Em maio, sete dos oito setores de atividade econômica registraram alta no nível de emprego e um deles registrou relativa estabilidade. A agricultura foi o setor responsåvel pelo maior número de contrataçþes: 46.261 postos. O desempenho

do setor foi associado às atividades vinculadas à presença de fatores sazonais na Região Sudeste, como o cultivo de cafÊ e de cana-de-açúcar. No setor de serviços, com mais 44.587 postos, teve crescimento em todos os segmentos que o integram: alojamento e alimentação, mÊdicos e odontológicos, comÊrcio e administração de imóveis, transportes e comunicaçþes, ensino e insWLWXLo}HVÀQDQFHLUDV Todas as cinco regiþes registraram expansão do emprego: Sudeste, com mais 101.876 postos; Centro-Oeste, com mais 13.473; Sul, 9.913; Nordeste, 9.060; e Norte, com 5.357. O governo mais uma vez comemora o índice positivo que aponta para a necessidade de aperfeiçoar aqueles que estão sem emprego para ser tambÊm inseridos neste bom momento do país.

PETRUCIA CAMELO Poetisa e escritora alagoana

A tragÊdia da praça Descer os degraus defronte à Igreja dos Martírios e tomar o largo da praça Ê estar de frente com os meninos de rua; Ê ver diante de faces intumescidas de juventude nas mais diversas faixas etårias humanas marginalizados, de olhos irritados, mentes perturbadas por alucinaçþes visuais, corpos depauperados pela dependência do uso e abuso de inalantes químicos, bem à PRVWUDGLÀFXOWDQGRTXDOTXHU tentativa de aproximação. Achegar-se à praça ou mesmo a qualquer outro espaço público de Maceió, que faça chuva ou que faça sol, tem-se essa cena urbana, vê-se a delinquência a expelir chamas, perigosas à sociedade, e Ê justamente a percepção desses instantes que funcionam como à DVKTXHID]FRPTXHVHIDoD uma avaliação sobre o que se estå vivenciando; como bem expressa o grande cronista Rubem Braga: A verdade não Ê o tempo que passa Ê o instante. Essa expressão que se DÀUPDQDVSDODYUDVGRWHyULFR Jorge de Så: Brevíssimo instante, onde se oculta a com-

plexidade das nossas dores... protegidas pela mĂĄscara da banalidade. Voltemos, ainda, aos meninos presos nas desgraças deles. VĂŞ-los sozinhos ou em bandos, absortos no vicio sem DUWLĂ€FLDOLVPRV p OHU HP VHXV olhos que somos estranhos nas estranhezas deles. É escutar frases entrecortadas por alucinaçþes, numa linguagem tosca de frases incompletas: â€œĂ‰ vocĂŞ quem faz aquela estrelaâ€?? “Olhe tĂ´ vendo vocĂŞ lĂĄ na torre da Igrejaâ€?. Quando nĂŁo caem sem ânimo nas calçadas. Os meninos delinquentes percorrem um claro caminho de desagregação social, permissivo e aterrador; sobrevivem com meios escassos e marginais e sem a guarda da YRQWDGH SROtWLFD H GD  LQĂ XĂŞncia da memĂłria herdada, UHDĂ€UPDVH R TXH GL] D SVLcanalista Françoise Dolto: É angustiante. O que nĂŁo se faz em casa, nĂŁo existe. E acrescento: nada mais se ensina em famĂ­lia. E sem referencial, a vida nĂŁo se torna digna de ser vivida. Assim vĂŞ o olhar numa representação do que ĂŠ a rea-

lidade. Para a geração de jovens sem direção, sem opçþes, sem identidade e sem a presença do que precisam adquirir para a reintegração à sociedade, FRLVDDOJXPDWHPVLJQLÀFDGR E sem as formas pelos quais, possam extravasar os sentimentos de onipotência tão próprios da adolescência, ocupam os espaços públicos, ali levados em bandos, a apresentarem uma disponibilidade total para a libertinagem, agredindo o meio que os gerou. Ao passar pela praça, incomodada e descaracterizada, chama à atenção a beleza arquitetônica dos prÊdios seculares que a circundam, são espectadores da realidade que VHFDOFLÀFDDRVVHXVSpV Seja como for, o que fazer então diante de semelhante quadro? Hitler chacinaria os jovens e transformaria a praça num campo de concentração; a Igreja diz que se devem acolher as minorias. E os artistas, o que fariam os artistas? Sabiamente recorreriam à Arte, pois somente a arte resgata os devaneios.

JORGE VIEIRA Jornalista

CenĂĄrio polĂ­tico em MaceiĂł RAILTON TEIXEIRA Jornalista

As verdadeiras vĂ­timas As maiores vĂ­timas da violĂŞncia nĂŁo sĂŁo aqueles que sĂŁo roubados ou assassinados em praças ou em localidades em que habitam a burguesia, mas os prĂłprios ‘ladrĂľes’ e ‘assassinos’. É uma hipocrisia apenas destacarmos que chegou a hora de dar um basta na violĂŞncia e clamar por paz apĂłs o assassinato de mais um membro da castra, atĂŠ entĂŁo intocĂĄvel. NĂŁo se pode apenas tratar como mais um corpo estendido ao chĂŁo, mas tambĂŠm nĂŁo podemos desconsiderar as mais de 900 pessoas estendidas nas grotas, periferias ou cĂłrregos. NĂşmeros esses contabilizados e noticiados pelos veĂ­culos de comunicação de Alagoas, no que se refere do dia 1Âş de Janeiro atĂŠ os meados de junho, de 2012. Antes de qualquer julgamento ĂŠ preciso fazer uma UHĂ H[mRHYHUDWpRQGHVRPRV coniventes com o crescente nĂşmero de homicĂ­dios que coloca a capital alagoana como a 3ÂŞ cidade mais violenta do mundo, dado apresentado pela Organização das Naçþes Unidas

(ONU). Uma vez que reclamamos apenas no que fere o nosso prĂłprio conforto e bem estar social, enquanto nĂŁo estamos nem aĂ­ para o resto do mundo. Mas o dito bandido, rotulação pejorativa para aqueles que cometem crimes, ĂŠ privado de alguns direitos bĂĄsicos, que a burguesia os tem e de maneira muito fĂĄcil. Poderia citar i-nĂşmeros, nestas males traçadas linhas, mas algumas VHUmRVXĂ€FLHQWHVSDUDXPDUHĂ H[mR No entanto, a primeira delas ĂŠ a moradia, uma vez que os ‘marginais’ sĂŁo moradores de lugares subumanos e sem qualquer dignidade, convivendo com lixo, insetos e esgotos. 5HĂ H[RGDIDOWDGHXPDPRUDdia digna e consequentemente sem saneamento bĂĄsico se da no tocante que podemos chamar de saĂşde. Doenças causadas pela precariedade do local sĂŁo adquiridas e ao nĂŁo serem tratadas leva-os a complicaçþes sĂŠrias em alguns casos a morte. Vale Ă  pena destacar que essas consequĂŞncias sĂŁo ocasionadas por nĂŁo haver um

DWHQGLPHQWR GH XP SURĂ€VVLRnal da ĂĄrea, ou melhor, por negligĂŞncias do setor pĂşblico que criou um tal de Cora que DSHQDV GLĂ€FXOWRX R SURFHVVR e o que antes era necessĂĄrio XPD QRLWH GRUPLGD QD Ă€OD GH uma unidade de saĂşde, agora sĂŁo necessĂĄrios mais de seis meses de espera para a marcação de uma consulta. E uma Ăşltima, talvez nĂŁo menos importante ĂŠ em relação Ă  educação, que aliada Ă s LQ~PHUDVGLĂ€FXOGDGHVHQIUHQtadas sĂŁo responsĂĄveis pelo crescente nĂşmero de crimes praticados. O que na verdade ĂŠ uma pena. Sem falar que o discurso ĂŠ no tocante de erradicar o analfabetismo e alfaEHWL]DU EHVWLĂ€FDU R SDtV FRP uma educação decoreba e defensora dos ideais ditatoriais e facistas. Volto a frisar e deixar bem claro que ĂŠ preciso rever o conceito defendido e eliminar a visĂŁo etnocĂŞntrica em relação ao dito bandido ou marginal. Eles sĂŁo apenas vĂ­timas de um sistema excludentes e seletisWDEHQHĂ€FLDQGRDSHQDVDTXHles que sĂŁo ‘civilizados’. FILIADO AO

Jorgraf UM PRODUTO:

Rua da Praia, 134 - sala 303 - centro - Maceió Alagoas Endereço Comercial: Av. Menino Marcelo - 10.440 - Serraria Maceió - Alagoas - CEP: 57.083.410 CNPJ: 08.951.056/0001 - 33

Cooperativa dos Jornalistas H*UiÂżFRVGRHVWDGRGHDODJRDV

$ IRWRJUDÀD GR TXDGUR SRlítico e eleitoral que se desenha para Maceió em 2012, constituído no mosaico da aglomeração de partidos, de grupos políticos e de personalidades, expressa o conjunto de interesses que perpassam o mundo social e político alagoano, nordestino e brasileiro, construindo a disputa de 2014 para o governo do Estado e à presidência da República. Este cenårio aponta um tênue formato de projetos, no qual se LGHQWLÀFD R IRUWDOHFLPHQWR GH alguns grupos, em detrimento de outros. Pelas mensagens veiculadas atÊ o momento atravÊs de suas lideranças e, atÊ, com dose de especulação, lê-se nas candidaturas postas, sejam em nível pessoal, partidåria ou pluripartidåria, as disputas e consolidação dos grupos visando a conquista de espaço e de força política para os próximos embates eleitorais. As candidaturas do deputado estadual Jeferson Morais (DEM) e a do deputado federal Rui Palmeira (PSDB) têm esse caråter, visto que as duas principais lideranças dos respectivos partidos, Tomaz Nonô e Teotônio Vilela, são aliados de primeira hora.

PRESIDENTE Antonio Pereira Filho DIRETOR ADMINISTRATIVO FINANCEIRO: JosĂŠ Paulo Gabriel dos Santos Editor geral: Ricardo Castro

Considerando, portanto, o quadro de 2014, quando o atual mandatårio estadual pode entrar na disputa ao cargo de senador – caso não ocorra impedimento legal -, o viceJRYHUQDGRU DVVXPLULD R ÀQDO do governo e, naturalmente, disputaria a reeleição. Antevendo um possível fortalecimento da candidatura de Rui Palmeira, nada mais coerente politicamente do que colocar a cunha no processo. Na mesma lógica política, e não por obra e graça de algum plano extraterrestre, argumento comumente utilizado pelo parlamentar, coloca-se a candidatura do deputado federal Givaldo Carimbão (PSB). Com um detalhe, visando a reeleição da presidenta Dilma Rousseff, a principal liderança nacional do partido, o governador de Pernambuco Eduardo Campo, costura a disputa pela cadeira de vice-presidente do Brasil. &RQÀUPDQGRVH D DWXDO articulação, a outra força Ê composta por uma constelação partidåria (PDT, PMDB e PTB; entre outros), capitaneada por suas principais lideranças e aglutinada pelo ex-vereador, ex-prefeito e ex-governador Ronaldo Lessa

(PDT). Esse conjunto de forças expressa, obviamente, as candidaturas do senador Renan Calheiros ao governo do estado e a reeleição do senador Fernando Collor de Mello no pleito subsequente. Preliminarmente, ressaltando a possível presença de candidaturas estruturalmente minoritårias, o atual quadro aponta para a consolidação de dois grandes grupos que representam propostas e projetos diferenciados, com boa probabilidade de acontecer no seu conjunto, mesmo se ocorrer alguma deserção. Por um lado, o campo DEM/PSDB, com suas propostas liberalizantes e o seu projeto de Estado mínimo; do outro, as forças do Estado forte e empreendedor. Postos os times e mantida a presente composição eleiWRUDO ÀFD XPD LQWHUURJDomR o que aconteceu com o prefeito Cícero Almeida, com a vereadora Heloísa Helena e o Partido dos Trabalhadores? Constata-se que, motivados por realidades e conjunturas diferentes, emergiram como forças políticas determinantes; enquanto que, no atual cenårio, ou perderam espaço e/ou se transformaram em forças coadjuvantes.

Nosso noticiĂĄrio nacional ĂŠ fornecido pelas agĂŞncias: AgĂŞncia Folha e AGĂŞncia Nordeste PABX: 82.3311.1338 COMERCIAL: 82.3311.1330 - 3311. 1331 REDAĂ‡ĂƒO: 82.3311.1328 - 3311.1329 CENTRAL DE ASSINANTE: 82.3311.1308 - 3311.1309 comercial.tribunaindependente@gmail.com redação.tribunaindependente@gmail.com

ricardocastro@tribuna-al.com.br

DIRETORA COMERCIAL: Marilene Canuto

OS ARTIGOS ASSINADOS SĂƒO DE RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES. NĂƒO REPRESENTANDO, NECESSARIAMENTE, A OPĂ?NIĂƒO DESTE JORNAL.


TribunaIndependente

Brasil

MACEIÓ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

O ensaio para a disputa eleitoral para a Prefeitura de Fortaleza tem como principal teor a baixaria. Um dos mais importantes assessores da prefeita Liziane Lins (PT), Valdemir Catanho, revelou que o adversário, deputado Carlomano Marques, entrou em uma bebedeira que quebrou todo o quarto de um motel. Em resposta Marques disse: “Eu quebrei um motel, mas o prejuízo eu paguei. A prefeita está quebrando a cidade e não está pagando”, disse. Carlomano citou o ex-primeiroministro britânico Winston Churchill que segundo ele tomava um “goró”.

Informação é revelada em carta anônima enviada à mãe de ex-modelo PmH GD PRGHOR (OL]D 6DP~GLR 6{QLD 6DP~GLRUHFHEHXQD WHUoDIHLUDSDVVDGDXPDFDUWDGHQXQFLDQGRRORFDORQGH IRUDP GHL[DGRV RV UHVWRV PRUWDLV GD ÀOKD GHVDSDUHFLGD GHVGH MXQKR GH  $ FRUUHVSRQGrQFLD IRL HQWUHJXH HQTXDQWR 6{QLD SDUWLFLSDYD GH XP SURJUDPD GH 79 HP %HOR +RUL]RQWH (OL]D WHYH XP FDVR FRP R JROHLUR%UXQRH[)ODPHQJR 'HDFRUGRFRPRDGYRJDGR -RVp $UWHLUR &DYDOFDQWH TXH GHIHQGH D PmH GD PR-

GHOR QD FDUWD XPD SHVVRD UHYHOD TXH R FRUSR GH (OL]D IRLMRJDGRHPXPSRoRORFDOL]DGRQRWHUUHQRGHXPFRQYHQWR HP %HOR +RUL]RQWH ³ 6HJXQGR D GHQ~QFLD H[LVWH XPD SDVVDJHP FODQGHVWLQDSDUDRORFDO+iWUrV PHVHV HVVD PHVPD SHVVRD PH WHOHIRQRX GDQGR D PHVPD UHIHUrQFLD $ FDUWD VHUi HQWUHJXH KRMH jV K DR 'HSDUWDPHQWRGH,QYHVWLJDomRGD3ROtFLD&LYLOPLQHLUD $ EXVFD QR ORFDO GHYH VHU UHDOL]DGD QR PHVPR GLD ³ UHYHORX R DGYRJDGR

7

Deputado admite que quebrou quarto de motel depois de ter tomado todas

Corpo de Eliza Samudio foi lançado em um poço A

BRASIL

1D WDUGH GH RQWHP D DVVHVVRULD GD 3ROtFLD &LYLO LQIRUPRX TXH R GHOHJDGR :DJQHU 3LQWR FKHIH GR 'HSDUWDPHQWRGH+RPLFtGLRVH 3URWHomR j 3HVVRD '+33  DLQGDQmRWHYHDFHVVRjFDUWD 2 SUySULR %UXQR Mi HVWDULD VDEHQGR GH WXGR PDV QmR UHYHOD VHJXQGR VH HVSHFXOD QRV EDVWLGRUHV GD SROtFLD GH 0LQDV *HUDLV (P PDLR GH  D PRGHOR FRQKHFHX R MRJDGRU GH IXWHERO HP XPD IHVWD QR 5LR GH -DQHLUR (OD DOHJRX TXH QDTXHOD

QRLWH HQJUDYLGRX GR MRJDGRU QD pSRFD FDVDGR FRP 'D\DQH 5RGULJXHV (P RXWXEUR GR PHVPR DQR (OL]D UHJLVWURX TXHL[D FRQWUD %UXQR SRU DJUHVVmR 1R GLD  GH IHYHUHLUR GH  QDVFHX %UXQLQKR HP XP KRVSLWDO S~EOLFR GH 6mR 3DXOR $SROtFLDGHWHUPLQRXTXH R JROHLUR À]HVVH R WHVWH GH '1$ SDUD FRPSURYDU D SDWHUQLGDGH2~OWLPRFRQWDWR GH(OL]DFRPDDGYRJDGDTXH FXLGDYD GR FDVR QD -XVWLoD IRLQRGLDGHMXQKRGH

CARAJÁS

LÂMINA

Pelos menos 16 pessoas ÀFDUDP IHULGDV D WLURV HP XP FRQIURQWR RFRUULGR QD PDQKm GH RQWHP QD )D]HQGD &HGUR HP (OGRUDGR GRV &DUDMiV QR 6XGHVWH GR (VWDGR LQIRUPRX D &RPLVVmR 3DVWRUDO GD 7HUUD $ 'HOHJDFLD GH &RQÁLWRV $JUiULRV GH 0DUDEi FRQÀUPRX D RFRUUrQFLD H PDQGRX XPD HTXLSH SDUD R ORFDO GR FULPH $ &37 GLVVH TXH R FRQIURQWR HQYROYHX WUDEDOKDGRUHV UXUDLV H IXQFLRQiULRV GD ID]HQGD 6HJXQGR D &37 RV IHULGRV IRUDP OHYDGRV SDUD KRVSLWDLVGDUHJLmR2VPDLV JUDYHVIRUDPHQFDPLQKDGRV SDUDRKRVSLWDOGH(OGRUDGR GRV&DUDMiV$VYtWLPDVTXH WLYHUDPIHULPHQWRVOHYHVIRUDP OHYDGRV SDUD 0DUDEi 2DGYRJDGRGD&37-RVp %DWLVWD$IRQVRGLVVHTXHDV YtWLPDVIRUDPIHULGDVjEDOD

 8P PpGLFR RUWRSHGLVWD WHUiTXHSDJDU5PLOGH LQGHQL]DomR SRU WHU HVTXHFLGR D OkPLQD GH XP ELVWXUL GHQWUR GR MRHOKR GH XP SDFLHQWH $ FRQGHQDomR IRL FRQÀUPDGD SHOD &kPDUD GH 'LUHLWR&LYLOGR7ULEXQDOGH -XVWLoD GH 6DQWD &DWDULQD 2 FDVR RFRUUHX Ki GH] DQRV HP %OXPHQDX $SyV VH VXEPHWHU D XPD FLUXUJLD SDUD UHFRQVWUXLU SDUWH GRV OLJDPHQWRV R SDFLHQWH FKHJRX D UHDOL]DU FRQVXOWDV H XP UDLR; PDV R REMHWR QmR IRL ORFDOL]DGR $SHQDV HP  XP DQR GHSRLV GD RSHUDomR XP PpGLFR GHVFREULX TXH D OkPLQD GR ELVWXUL DLQGD HVWDYD QR MRHOKR GLUHLWR GR DXWRU GD DomR 2 RUWRSHGLVWD FRQGHQDGR DOHJRX TXH D UHWLUDGD GD OkPLQD SRGHULD DWUDSDOKDU H DWUDVDU D UHFXSHUDomR GR SDFLHQWH

6HLVIHULGRV (UURPpGLFR HPFRQÁLWRV UHVXOWDHP FRQGHQDomR SRUWHUUDV


8

MUNDO

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

Mundo

ChinĂŞs ĂŠ processado por bigamia, SRUQRJUDÂżDHFkPELRLOtFLWRGHPRHGD ApĂłs se livrar de acusaçþes que lhe custaram 81 dias de prisĂŁo e satisfaçþes diĂĄrias Ă  polĂ­cia da China, o artista e ativista Ai Weiwei estĂĄ sob a ameaça de enfrentar ao menos mais trĂŞs acusaçþes. Depois de sair pela primeira vez de casa em um ano, ele foi avisado por autoridades de que nĂŁo poderia viajar, pois ele ĂŠ suspeito de ter cometido “outros crimesâ€?, que incluem divulgação de SRUQRJUDÂżDELJDPLDHFkPELRLOtFLWRGHPRHGDHVWUDQJHLUD:HLZHLVHGL]YtWLPD de perseguição do governo chinĂŞs, que ĂŠ intolerante a crĂ­ticas de ativistas.

Presidente Lugo pode perder o cargo Senado paraguaio vota hoje proposta de impeachment acelerada depois da chacina de sem-terra em assentamento AFP

Assessores do presidente paraguaio Fernando Lugo considera o proceso como um golpe do estado

PRODUĂ‡ĂƒO ESTATAL

Maconha uruguaia poderå ser vendida em farmåcias Segundo o projeto de lei enviado ao Congresso na última quarta-feira, cada adulto consumidor poderå comprar atÊ 40 cigarros de maconha por mês. O preço unitårio tambÊm não IRL GHÀQLGR SRU HQTXDQWR O governo uruguaio DLQGD QmR GHÀQLX VH D SURdução da cannabis sativa, planta que origina a maFRQKD ÀFDUi QDV PmRV GR Estado ou de organizaçþes

privadas. O comĂŠrcio, porĂŠm, pode acontecer em farmĂĄcias, numa iniciativa que estĂĄ despertando polĂŞmica dentro e fora do paĂ­s. Julio Calzada, secretĂĄrio-geral da Junta Nacional de Drogas, revelou ao jornal uruguaio “El Paisâ€?, ontem, que, a princĂ­pio, a produção deve ser estatal. - Temos que tomar medidas para nĂŁo afetar os paĂ­ses vizinhos. Para que

não sejamos acusados de ser um centro de fabricação e distribuição de drogas. Por isso, nos parece melhor o controle do Estado sobre a produção da droga - defendeu Huidobro. Segundo Calzada, quem fumar a maconha vendida pelo governo terå que seguir as mesmas regras que os fumantes normais: não serå permitido usar a droga em espaços públicos.

O

presidente do Paraguai, Fernando Lugo, terĂĄ duas horas para se defender hoje no Senado do paĂ­s antes da sessĂŁo que votarĂĄ seu impeachment. Lugo enfrenta um processo relâmpago, apĂłs a morte de 17 pessoas na semana passada, durante a ação da polĂ­cia numa fazenda ocupada por sem-terras. Na manhĂŁ de ontem, a Câmara paraguaia aprovou o processo de impeachment por 76 votos a um, com o projeto seguindo para o Senado. Preocupada, a Unasul fez uma reuniĂŁo extraordinĂĄria no Rio de Janeiro e envia ainda hoje uma delegação a Assunção para acompanhar o assunto. Assessores do presidente paraguaio consideram que o processo iniciado por seus opositores “pode ser considerado uma espĂŠcie de golpe de Estadoâ€?. - Nunca vimos um julgamento polĂ­tico com tempos tĂŁo

acelerados como este em toda a HistĂłria da AmĂŠrica Latina - disse RubĂŠn Penayo, que integra a equipe de assessores em comunicação de Lugo. O ministro de Relaçþes Exteriores, Antonio Patriota, anunciou, apĂłs reuniĂŁo dos presidentes da Unasul presentes Ă  Rio+20 no gabinete da presidente Dilma Rousseff no Riocentro, que embarcou com uma missĂŁo de chanceleres dos paĂ­ses-membros para Assunção Ă s 19h de ontem. A missĂŁo serĂĄ integrada ainda pelo secretĂĄrio-geral da entidade, o venezuelano RodrĂ­guez. Segundo o ministro, na reuniĂŁo foi feita uma anĂĄlise dos Ăşltimos acontecimentos no Paraguai, desde os enfrentamentos do dia 15, e “em particular os desdobramentos polĂ­ticos que se seguiram ao episĂłdio, diante da iniciativa de partidos polĂ­ticos de promoverem o julgamento do presidente Fernando Lugoâ€?.

AUSTRĂ LIA

NaufrĂĄgio mata 75 em ilha de Natal

Pelo menos 75 pessoas morreram no naufrĂĄgio ontem de um barco de emigrantes perto da remota ilha australiana de Natal, no Oceano Ă?ndico, informou a polĂ­cia. Grande parte das 200 pessoas a bordo provavelmente morreu, declarou o porta-voz da polĂ­cia do Estado da AustrĂĄlia Ocidental, Karl O’Callaghan, a respeito da embarcação que partiu do Sri Lanka. “As primeiras informaçþes diziam que 75 pessoas morreram afogadas, mas insisto que sĂŁo inIRUPDo}HV QmR FRQĂ€UPDdasâ€?, disse O’Callaghan. “NĂłs acreditamos que havia 200 refugiados a bordo. De acordo com o que nos informam dos aviĂľes (enviados ao local para as operaçþes de socorro), nĂŁo havia 200 coletes salva-vidas no barcoâ€?, completou. A embarcação naufragou durante a tarde 120 milhas ao norte da ilha de Natal, a 2.600 km das costas do noroeste da AustrĂĄlia e a 300 km das costas da IndonĂŠsia. O barco havia emitido um pedido de socorro durante a tarde para anunciar o naufrĂĄgio, 120 milhas nĂĄuticas ao norte da ilha. “Ao que parece, o barco transporta 200 pessoasâ€?, DĂ€UPDUDPDLVFHGRXPDIRQte da Autoridade Australiana de Segurança MarĂ­tima $06$  TXH FRQĂ€UPRX VRbreviventes no acidente, mas sem divulgar um nĂşmero. Os serviços de emergĂŞncia da IndonĂŠsia coordenam os resgates.


TribunaIndependente

MACEIÓ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

Cidades

CIDADES

9

Zé Gotinha estará na orla de Maceió no domingo para incentivar vacinação 2VSDLVTXHDLQGDQmRYDFLQDUDPVHXV¿OKRVPHQRUHVGHFLQFRDQRVWHUmR uma oportunidade a mais de imunizá-los neste domingo (24). A direção do Programa Nacional de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau/AL) vai estar com uma equipe no espaço de lazer da Ponta Verde, a partir das 10 horas. A ação contará com a participação do Zé Gotinha, personagem tradicional das campanhas de vacinação contra a poliomielite, conhecida como paralisia infantil. O último boletim divulgado pela direção do PNI mostra que Alagoas está próximo de alcançar a meta preconizada pelo Ministério da Saúde de vacinar 80% das 276.467 crianças.

Mulher dá à luz em corredor de hospital

Gestante peregrinava por unidades maternais quando chegou à Santa Mônica, que já apresentava superlotação ANA PAULA OMENA REPÓRTER

U

ma gestante não LGHQWLÀFDGDGHXjOX] QRFRUUHGRUGD0DWHUQLGDGH(VFROD6DQWD0{QLFD UHIHUrQFLD HP DWHQGLPHQWR GH¶DOWRULVFR·QHVWDVHPDQD QR EDLUUR GR 3RoR HP 0DFHLy &RQIRUPH D GLUHomR GD XQLGDGH PDWHUQDO HVWD QmR IRLD~QLFDVLWXDomRJUDYHQRV ~OWLPRVTXDWURGLDV1DTXDUWDIHLUD RXWUD PXOKHU WDPEpPWHULDGDGRjOX]QREDQKHLUR GD PDWHUQLGDGH PDV HVVHFDVRQmRIRLFRQÀUPDGR SHOD GLUHomR GR KRVSLWDO 'HDFRUGRFRPDGLUHWRUD GD XQLGDGH PDWHUQDO 5LWD /HVVD D PXOKHU TXH GHX j OX]QRFRUUHGRUMiSHUHJULQDYDSRURXWURVHVWDEHOHFLPHQWRV GH VD~GH FRQYHQLDGRV SHOR6LVWHPDÔQLFRGH6D~GH 686  H D &HQWUDO GH 5HJXODomR GRV 6HUYLoRV GH 6D~GH &RUD DOHJDYDQmRWHUYDJDV GLVSRQLYpLVHPRXWUDVPDWHUQLGDGHVSDUDWUDQVIHUtOD ´$ VLWXDomR GD PDWHUQLGDGH p FRPSOLFDGD (VWDPRV FRPVXSHUORWDomRFRPOHLWRVPDVDWHQGHQGRDFLPDGD FDSDFLGDGHµ IULVRX 6HJXQ-

GR HOD D XQLGDGH PDWHUQDO UHJLVWURX VXSHUORWDomR QD TXDUWDIHLUD TXDQGR RFRUUHUDPRVGRLVHSLVyGLRV ´&RQVHJXLPRV ID]HU DOJXPDV WUDQVIHUrQFLDV FRPR SRU H[HPSOR DV FXUHWDJHQV PDV R SUREOHPD p TXH DV RXWUDV XQLGDGHV FRQYHQLDGDV Vy DFHLWDP DV SDFLHQWHV FRPDFHVVmRGRPHGLFDPHQWR 3URWRNRV &RQVHJXLPRV WUDQVIHULU WDPEpP DOJXPDV SDUWXULHQWHVSDUDD0DWHUQLGDGH 3DXOR 1HWR H GHX SDUD GHVDIRJDU D ORWDomRµ H[SOLFRXDGLUHWRUD (OD UHFODPRX TXH D PDteUQLGDGH QR PRPHQWR QmR SRGH FRQWDU FRP DV RXWUDV XQLGDGHV GH VD~GH FRQYHQLDGDV ´7HPRV TXH UHFHEHU DVSDUWXULHQWHVGHDOWRULVFR H WDPEpP DV TXH QmR VmR MXVWDPHQWHSHODVRXWUDVXQLGDGHV FRPR 6DQWR $QWRQLR 6mR5DSKDHO1RVVD6HQKRUD GH )iWLPD H $OHUWD 0pGLFR QmR DV UHFHEHUHP 6H D UHGHIXQFLRQDVVHQDGDGLVVR DFRQWHFHULDµ GLVSDURX 5LWD Lessa. $ GLUHWRUD UHVVDOWRX TXH XP SURMHWR GH DPSOLDomR GD PDWHUQLGDGH Mi IRL HQYLDGR SDUD D 6HFUHWDULD (VWDGXDO

ADAILSON CALHEIROS

GH6D~GH 6HVDX FRPRREMHWLYR GH GHVDIRJDU D XQLGDGH PDWHUQDO DPSOLDQGR R Q~PHUR GH OHLWRV SDUD DWHQGLPHQWR(ODDYLVRXDLQGDTXH RSUpGLRGHXPDUHWtÀFDTXH ÀFDDRODGRGD0DWHUQLGDGH 6DQWD0{QLFDMiIRLGHVDSURSULDGRSHOR(VWDGRFRPHVWH REMHWLYR ´&RQÀDPRV TXH FRP RV UHFXUVRV GR 0LQLVWpULR GD 6D~GH 06  PDLV D FRQWUDSDUWLGD GR JRYHUQR HVWDGXDODDPSOLDomRHVWDUi JDUDQWLGDµGLVVH RECURSOS 1R GLD  GH MXQKR ~OWLPR R PLQLVWUR GD 6D~GH $OH[DQGUH 3DGLOKD HVWHYH HP 0DFHLy SDUD SDUWLFLSDU GR &RQJUHVVR 1DFLRQDO GH 6HFUHWDULDV 0XQLFLSDLV GH 6D~GH &RQDVHPV  H DQXQFLRX UHFXUVRV QD RUGHP GH 5  PLOK}HV SDUD D FRQVWUXomR GH XPD PDWHUQLGDGH HP0DFHLySDUDDFRPSUDGH HTXLSDPHQWRVSDUDR+RVSLWDO *HUDO GR (VWDGR +*(  HSDUDR+RVSLWDO0XQLFLSDO GH$UDSLUDFD 1D RFDVLmR 3DGLOKD DVVLQRX XPD SRUWDULD YLDELOL]DQGRDFRQVWUXomRGHQRYDV XQLGDGHVGHVD~GHQR(VWDGR GH$ODJRDV Santa Mônica registrou dois casos de partos em locais inadequados esta semana por falta de leitos

NO IML

&LQFRFRUSRVGHL[DPGHVHU QHFURSVLDGRVFRPDJUHYH $ JUHYH GRV PpGLFRV OHJLVWDV GH $ODJRDV WHYH LQtFLR RQWHP MXVWR QR GLD HP TXHRQRYRGLUHWRUGR,QVWLWXWR0pGLFR/HJDO ,0/ GH 0DFHLy/XL]$QW{QLR0DQVXUDVVXPLXRFDUJRGHL[DGRSRU*HUVRQ2GLORQ $ UHSRUWDJHP HVWHYH QR SUpGLRQREDLUURGR3UDGR H FRQVWDWRX RV SUREOHPDV JHUDGRVSHODJUHYH2ORFDO HVWDYD YD]LR H DSHQDV GRLV IXQFLRQiULRV HVWDYDP GH SODQWmRQR,QVWLWXWR 3DUDFRPHoDUFLQFRFRUSRV Mi HVWDYDP QD ~QLFD JHODGHLUD TXH IXQFLRQD QR ORFDODJXDUGDQGRDQHFURSVLD TXH SHOR YLVWR YDL GHPRUDUSDUDDFRQWHFHU 'HDFRUGRFRPRDX[LOLDU

GHQHFURSVLD*LOGR/XFHQD DSHQDVGRVVHUYLoRVHVVHQFLDLVHVWmRVHQGRPDQWLGRV (OH H[SOLFRX TXH DSHQDV HP FDVRV GH HVWXSUR SULVmRHPÁDJUDQWHRXFRP UpXSUHVRRH[DPHGHFRUSR GHGHOLWRVHUiUHDOL]DGR 2 RGRQWROHJLVWD -RmR *XLPDUmHV TXH WDPEpP DJXDUGD D FDWHJRULD DGHULU j JUHYH SDUD UHIRUoDU DV UHLYLQGLFDo}HV FRQWD TXH KiGH]DQRVSDVVRXQRFRQFXUVRHGHOiSDUDFiQDGD IRL IHLWR SDUD PHOKRUDU R ,0/ ´2V HTXLSDPHQWRV HVWmR VXEXWLOL]DGRV H SRU HVWH PRWLYR RV ODXGRV VmR GHSpVVLPDTXDOLGDGH3DUD VH WHU XPD LGHLD QHP XP HTXLSDPHQWR SDUD H[DPH

GHUDLR;VHWHPµFULWLFRXR SURÀVVLRQDO 2 TXH R RGRQWROHJLVWD GLVVH SRGH VHU FRQVWDWDGR SHODUHSRUWDJHPTXHYLVXDOL]RXDSUHFDULHGDGHHPTXH R ,0/ GH 0DFHLy HQFRQWUDVH 6mR JHODGHLUDV TXHEUDGDV RX SUHVDV FRP HVSDUDGUDSRV LOXPLQDomR UXLP SRUWDV HVWRXUDGDV PHVDV GH QHFURSVLD HQIHUUXMDGDV VDODV FRP JDPELDUUDV VHP UHGHGHHVJRWRHQWUHRXWURV $OpP GLVVR PLOKDUHV GH DPRVWUDV GH '1$ VH DFXPXODP H RV H[DPHV GHL[DP GH VHU IHLWRV SRUTXH R FRQYrQLR FRP R ODERUDWyULR GD 8IDO YHQFHX H R JRYHUQR GR (VWDGR QmR UHQRYRX $32

LOTAÇÃO

7UDQVSRUWDGRUHVIHFKDPYLD SDUDSURWHVWDUFRQWUD6077 BRENO AIRAN NIGEL SANTANA REPÓRTERES

4XDWUR YHtFXORV )LDW 'REO{ EUDQFRV XP 9RONVZDJHQ 9R\DJH H YHtFXORV 'XFDWR IRUDP FRQGX]LGRV SRU WUDQVSRUWDGRUHV DOWHUQDWLYRV SRU YROWD GDV QRYH KRUDV GD PDQKm GH RQWHP SDUD D IUHQWH GDVHGHGD6XSHULQWHQGrQFLD 0XQLFLSDO GH 7UDQVSRUWHV H 7UkQVLWR 6077 QD$YHQLGD 'XUYDOGH*yHV0RQWHLURQR EDLUUR GR 7DEXOHLUR GR 0DUWLQV HP 0DFHLy 2 SURWHVWR VH GHX SRU FRQWD GD DSUHHQVmR GH DOJXQV YHtFXORV SHOD 6077 'HQWUR GRV FDUURV GH WUDQVSRUWH FRPSOHPHQWDU KDYLD LQ~PHURV SQHXV TXH

VHULDP TXHLPDGRV HP IUHQWH DRyUJmR 7RGDV DV JXDUQLo}HV GD 5DGLRSDWUXOKD 53  GD 3ROtFLD0LOLWDUIRUDPGHVORFDGDV SDUD R ORFDO GD PDQLIHVWDomR H DVVLP TXH RV SQHXV FRPHoDUDPDVHUFRORFDGRVQDYLD HOHVFKHJDUDPHIRUDPUHFHSFLRQDGRVFRPSHGUDVMRJDGDV SHORV TXH ID]LDP R SURWHVWR $V DXWRULGDGHV DWLUDUDP EDODV GH ERUUDFKDV FRQWUD RV WUDQVSRUWDGRUHV 2 PRWLYR SDUD WDO DWR p TXH RV WUDQVSRUWDGRUHV GH YHtFXORV DOWHUQDWLYRV ² TXH ID]HP ORWDomR ² HVWmR WHQGR VHXVFDUURVDSUHHQGLGRVSHORV DJHQWHV GD 6077 ´6y KRMH IRUDPGH]GHOHVSHJRVµGLVVH XPGRVPDQLIHVWDQWHV+DYLD GH]HQDV GH WUDQVSRUWDGRUHV

QR ORFDO SDUD QmR OLEHUDU D SLVWDDWpDOJRVHUDFRUGDGR 0DV FRP D FKHJDGD GH JXDUQLo}HV GR %DWDOKmR GH 2SHUDo}HV3ROLFLDLV(VSHFLDLV %RSH DSLVWDIRLOLEHUDGD2 ÁX[R GH YHtFXORV QR ORFDO ÀFRX FRPSURPHWLGR 7UrV PDQLIHVWDQWHV FKHJDUDP D VHU SUHVRVWRGRVHOHVPDLRUHVGH idade. 2 WUDQVSRUWH ORWDomR p SURLELGRHP0DFHLyHDPXOWD SDUDTXHPID]RVHUYLoRpGH 5DOpPGDDSUHHQVmR GRYHtFXORHGRVGRFXPHQWRV 1R LQtFLR GHVWH DQR HOHV À]HUDPRPHVPRSURWHVWRSRU FRQWDGRVPHVPRVLQFLGHQWHV HFKHJDUDPDYLUDUXPDYLDWXUD GD 6077 HP IUHQWH DR SUpGLR GR yUJmR QR PrV GH MDQHLUR


10

CIDADES

TribunaIndependente

0$&(,Ă?6(;7$)(,5$'(-81+2'(

Abandono afasta população das praças 3UDoDVWUDGLFLRQDLVGH0DFHLy¿FDPYD]LDVSHODIDOWDGHFRQVHUYDomRHSDVVDPDVHUGRPLQDGDVSRUXVXiULRVGHGURJDV DANIEL MAIA REPÓRTER

A

mbientes convidativos para namorar, apreciar as paisagens, praticar esportes e se debruçar sobre uma boa leitura, as praças tradicionais de MaceiĂł passam atualmente por um clima de indiferença. Na capital, existem 154, mas o medo da violĂŞncia força o esquecimento da expressĂŁo “a praça ĂŠ nossaâ€?. A Tribuna Independente identificou essa situação na Praça dos MartĂ­rios, na Pirulito e na Sinimbu, no Centro; na Praça da Faculdade, no bairro do Prado; na Praça Vera Arruda, no Stella Maris; e na Praça do Skate, na Ponta Verde. Na Praça do Skate, apesar do nome, poucos esportistas podem ser vistos. Na amplidĂŁo do local, o coreto construĂ­do para momentos solenes e culturais estĂĄ ocupado por uma famĂ­lia de moradores de rua hĂĄ trĂŞs anos. O comerciante Felipe Duarte fecha a banca de revistas Ă s 19 horas, por medo das investidas de bandidos. “Esta semana mesmo, eu perdi duas cadeiras. Por

causa de bebidas e crack, eles se alteraram e vieram brigar perto da minha banca de revista. Eles pegaram as cadeiras e jogaram uns nos outros. Foi o maior quebra pauâ€?, recorda. O casal de namorados Maria Vieira e Jackson Costa ĂŠ frequentador remanescente da Praça do Skate. PorĂŠm, Maria revela que jĂĄ foi assaltada na localidade. “A praça nĂŁo oferece mais segurança a ninguĂŠm. Sempre morei aqui e pude vir. Hoje, estou percebendo que as pessoas estĂŁo com medo. Nesse exato local, eu perdi o meu celularâ€?, lembra. O taxista FĂĄbio Oliveira diz que soube de tentativas de arrombamentos em uma das bancas de revista da praça. Ele afirma que o movimento no local depende exclusivamente desses estabelecimentos. “Quando anoitece, nem as bancas ficam abertas. A iluminação na praça ĂŠ precĂĄria. NinguĂŠm fica aqui. Eu ainda permaneço nesse ponto porque posso contar com o apoio da polĂ­cia. Pelo rĂĄdio, eu posso chamĂĄ-los, por isso os usuĂĄrios nĂŁo mexem comigoâ€?, explicou. $'$,/621&$/+(,526

$'$,/621&$/+(,526

Coreto da Praça do Skate,QD3RQWD9HUGHGHYHULDVHUYLUSDUDVROHQLGDGHVHDSUHVHQWDo}HVFXOWXUDLVPDVIRLRFXSDGRSRUPRUDGRUHVGHUXD

PRAÇA SINIMBU

População tem medo de esperar ônibus

Ponto de Ă´nibusQDSUDoDVyWHPJUDQGHPRYLPHQWRDWpDVK

Não são apenas as condiçþes físicas das praças que atormentam os seus frequentadores. A escassez de policiamento tambÊm Ê um dos fatores preocupantes para moradores do interior que vêm para Maceió e são obrigados a bater ponto diariamente no mesmo lugar para poder voltar para casa. Na Praça Sinimbu, localizada no Centro de Maceió, um grupo de pessoas tem que ficar esperando os coletivos todos os dias, temendo a ação de bandi-

dos, no esquisito dos finais de tarde. “Essa praça aqui ĂŠ onde ficam todas as pessoas que vĂŞm do interior. NĂłs somos de TeotĂ´nio Vilela. Tem outros que sĂŁo de Junqueiro, Messias, Pilar e Atalaia. EntĂŁo todos esses passageiros ficam por aqui. É um ponto que deveria ter segurança e nĂŁo temâ€?, explica Margarida Fagundes, que faz tratamento para a coluna em MaceiĂł. O estudante de Educação

FĂ­sica Elenildo da Silva defende uma teoria de segurança que sĂł tem ĂŞxito atĂŠ as 18 horas. “A prĂłpria sociedade estĂĄ dando segurança. Por exemplo, agora mesmo nĂŁo acontece tentativa de assalto porque tem muita gente. Mas, a partir das 18 horas, nĂŁo vai ficar muita gente aqui nĂŁoâ€?, declarou. SĂŠrgio Silva ĂŠ tĂŠcnico de enfermagem. Assim como os outros passageiros, ele ĂŠ residente do municĂ­pio de TeotĂ´nio Vilela. O medo que ele tem entre as

idas e vindas a MaceiĂł o tornou desiludido com o romantismo das praças. “Isso aĂ­ nunca vai acabar, nem nessa praça, nem em canto nenhum. Ainda faltam muitos policiais. Como vamos ter segurança de uma praça dessa com trĂŞs ou cinco seguranças em um bairro. Qual ĂŠ a mĂŁe que vai deixar seu filho vir para uma praça dessas? Mesmo que haja apresentaçþes de dança, teatro, nĂŁo vai ser seguro, ĂŠ temerosoâ€?. (D.M.) $'$,/621&$/+(,526

CAPITAL PARA INTERIOR

Secretaria afirma que ajuda sem-teto a voltar para casa O secretĂĄrio municipal de AssistĂŞncia Social, Francisco AraĂşjo, informou que a Secretaria entrega passagens diariamente Ă s pessoas que residem na rua, para que elas voltem para suas residĂŞncias. Ele explicou que 60% das pessoas que ocupam as calçadas, mirantes e praças de MaceiĂł sĂŁo do interior de Alagoas ou de outros Estados. “A maioria tem casa e vai pra a rua passar o dia na praça. Muitas das pessoas que vĂŞm do interior saem de casa quando as usinas de cana-de-açúcar param de moer. Elas sabem que hĂĄ uma demanda muito grande do interior para a capital e, por isso resolvem sobreviver aqui, pedindo esmolas e vulnerĂĄveis ao uso de drogasâ€?, explica o secretĂĄrio.

Segundo ele, a Secretaria tem como objetivo abordar o indivĂ­duo que estĂĄ na rua para tornĂĄ-lo cidadĂŁo. “Se eles precisam do programa Bolsa FamĂ­lia nĂłs veremos a viabilidade. Se crianças estiverem entre eles, nĂłs pedimos auxĂ­lio do Conselho Tutelarâ€?, elenca. AraĂşjo destacou ainda que um mapeamento das praças e logradouros ocupados por moradores de rua jĂĄ foi realizado pela pasta. Ele afirma que a Secretaria contabilizou no ano passado 800 moradores sem-teto, que se tornaram 300 com as açþes que sĂŁo denominadas guardiĂŁs. “Tiramos a documentação, tiramos passagem. Realizamos esse procedimento todos os dias. NĂŁo ĂŠ complexo, nĂŁo hĂĄ resistĂŞncia. Cada caso ĂŠ um casoâ€?, disse. (D.M.) $'$,/621&$/+(,526

Maioria dos ocupantesGDVSUDoDVGH0DFHLypGRLQWHULRUHUHFHEHDSRLRGD3UHIHLWXUD0XQLFLSDOSDUDUHWRUQDUSDUDFDVDVHJXQGRVHFUHWiULR

CULTURA DE RUA

Não hå projetos culturais para praças de Maceió )XQGDomR0XQLFLSDOGH$omR&XWXUDOQmRQHJDYRQWDGHSRUpPQmRWHPRUoDPHQWR

Em vez de açþes culturaisSUDoDYLYHDEDQGRQRHGHJUDGDomR

O tĂŠcnico de enfermagem SĂŠrgio Silva, que aguardava o coletivo na Praça Sinimbu, ĂŠ um dos muitos a concordar que o local deveria ser um ponto de incentivo cultural. “O incentivo deveria vir das Secretarias de cultura, esporte e educação. Tudo isso vai ser bom? Vai. Mas que tenha suporte governamental para que nĂŁo venham acontecer sequestros e assaltos, e ninguĂŠm vĂĄ estuprar uma meninaâ€?, disparou. A proposta de tornar as praças mais confiĂĄveis com a execução de oficinas de dança, teatro e mĂşsica estĂĄ longe de

ser executada. A presidente da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC), Paula Sarmento, comunicou que o ĂłrgĂŁo nĂŁo tem a missĂŁo de realizar esse tipo de iniciativa, embora demonstre interesse. O principal motivo ĂŠ a ausĂŞncia de projetos e a previsĂŁo orçamentĂĄria da prefeitura. “Ainda nĂŁo existe nenhuma polĂ­tica pĂşblica, nem viabilização orçamentĂĄria para isso. Seria muito bom que houvesse. Mas ĂŠ preciso toda uma organização, como a realização do calendĂĄrio de atividadesâ€?, explica a presidente. Paula deixa claro que as praças de MaceiĂł podem ser

utilizadas por grupos culturais para ensaios de integrantes do bumba-meu-boi e coco de roda, por exemplo. “Contanto que haja acordo com a comunidade do bairro, nĂŁo haveria problema. Esse tipo de ensaio pode ser realizado em qualquer praça que tenha apoio dos moradores. A praça ĂŠ pĂşblicaâ€?. Paula Sarmento citou a Praça MarcĂ­lio Dias, localizada no bairro do JaraguĂĄ, como um dos exemplos de espaço digno de ser visitado para a apreciação dos artistas da terra. “Seria Ăłtimo se todos os finais de semana os artistas pudes-

sem se apresentar e mostrar o seu valor. Mas Ê necessårio planejamento, eles precisam receber�, disse. ESPORTE E CULTURA A Secretaria Municipal de Planejamento (Sempla) tem projetos relacionados à construção de Praças dos Esportes e da Cultura (PEC) no Conjunto Frei Damião, localizado no Benedito Bentes, e no bairro da Santa Lúcia. A verba de R$ 44 mil para a concretização das obras Ê proveniente do MinistÊrio da Cultura, incluso no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). (D.M.)


TribunaIndependente

AĂ?LTON VILLANOVA ailton.villanova@gmail.com

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

CIDADES

11

4XDWURJUXSRVGHWUDĂ€FDQWHV GRPLQDPFLGDGHKiDQRV 3ROtFLD&LYLOHIHWXDSULV}HVPDV-XVWLoDVROWDDFXVDGRVHHOHVYROWDPDWUDÂżFDU ALANA BERTO REPĂ“RTER

P NĂŁo era o... jumento!

P

rofessora muito dedicada ao trabalho e aos alunos, Rosiberta ĂŠ religiosa ao extremo. Muito bonita, parece uma anja. É, anja, mesmo! Rosiberta ĂŠ mais conhecida como Rosi. Um dia ela teve um treco em plena sala de aula, quando administrava um exercĂ­cio de perguntas e respostas a alunos considerados digamos... atrasadinhos. AĂ­, parou diante do aluno CacĂĄ, pentelho de marca maior, e disse: - Meu anjo, eu vou escrever uma palavra na lousa e quero que vocĂŞ me diga que palavra ĂŠ essa e identifique que objeto ela representa, certo? - Certo! – respondeu o garoto. EntĂŁo, Rosi foi Ă  lousa e escreveu a palavra “rĂŠguaâ€? e perguntou: - CacĂĄ, o que foi que escrevi aqui? O garoto ficou titubeando. Como Rosi ĂŠ boazinha, ela pegou uma rĂŠgua que se achava em cima do birĂ´, mostrou pro garoto e repetiu a pergunta. E CacĂĄ, na batata: - É rĂŠgua! Em seguida, Rosi escreveu “bolsaâ€?. O garoto ficou reparando, mudo, olho apertado. Novamente, a bondosa Rosi socorreu o menino, apontando para a bolsa que se achava tambĂŠm sobre o birĂ´. CacĂĄ mandou: - Bolsa! Para encerrar o exercĂ­cio, a professora escreveu “relĂłgioâ€?. Mais uma vez o CacĂĄ em branco. Rose ficou em apuros, porque estava sem o seu marcador de horas no pulso. Depois de pensar alguns segundos, ela improvisou: ficou balançando o braço igualmente um pĂŞndulo, pra lĂĄ e pra cĂĄ. Finalmente, indagou: - EntĂŁo, CacĂĄ, o que ĂŠ isto? Dessa vez ele nĂŁo vacilou: - Isso aĂ­ ĂŠ o... o “negĂłcioâ€? tem debaixo da barriga do jumento, pra ele poder mijar! A angelical Rosi nĂŁo teve como evitar o desmaio. TĂŁo acanhada ela ficou!

Ora, e precisa...? 8PGHÂżFLHQWHYLVXDOFDPLQKDYD FRPGLÂżFXOGDGHSHODUXD3HGUR0RQteiro, localizada no centro da cidade. De repente, trombou com o tal de 0RDFLU'LDVFRQKHFLGRSHORYXOJRGH “LacrĂĄuâ€?. - Ă”pa! Me desculpe, meu amigo! – GLVVHRFHJXLQKR - TĂĄ... TĂĄ bom! – respondeu o

Lacrau, todo abusado. -iTXHHVWDYDDOLRFHJXLQKR aproveitou para indagar do Lacrau: 2VHQKRUSRUDFDVRVDEHRQGH ¿FDD(VFRODGH&HJRV&\UR$FLRO\" Na maior ignorância, o sujeito respondeu: �FDUDHWXSUHFLVDGHHVFROD" 7XMiVDEHWURPEDUGLUHLWLQKR

Tudo jĂłia! 'RQD%DELO{QLDSURIHVVRUDHSVLFyORJDYROWRXGRWUDEDOKRORXFDGHVDXGDGH GRVVHXVWUrVGLDELQKRVÂą5RQH\]LQKR5RQDOGLQKRH5H\QDOGLQKR Mal acabou de estacionar o carro na garagem, o trio saltou sobre ela: 0DtQKD0DtQKD0DtQKD E ela, felicĂ­ssima: 2VPHXVDQMLQKRVVHFRPSRUWDUDPGLUHLWLQKR" Respondeu o primeiro: &RPSRUWDPRVPDtQKD(XODYHLWRGRVRVSUDWRV O segundo: (HXHQ[XJXHLPDLQKD Finalmente, o terceiro: (HXUHFROKLWRGRVRVFDFRV

depois de algum tempo sĂŁo liberados pela Justiça, e nossa missĂŁo ĂŠ investigar e prender novamenteâ€?, disse Nery. Os policiais vinham investigando Valderez Bezerra dos Santos, a “Valâ€?, de 38 anos, e seu companheiro, Marcos JosĂŠ do Nascimento Alves, o “LocĂŁoâ€?, hĂĄ trĂŞs meses e, na Ăşltima terça-feira, apĂłs receberem denĂşncia de que os traficantes seguiram atĂŠ a capital MaceiĂł para comprar crack no intuito de revender, efetuaram o flagrante. Os agentes ficaram esperando que eles voltassem Ă  residĂŞncia. Val foi presa, mas seu companheiro conseguiu fugir.

AlĂŠm de Valderez, seus filhos tambĂŠm possuem envolvimento com o trĂĄfico. Um deles ĂŠ conhecido como “Cabelinhoâ€? e estĂĄ internado no Hospital Geral do Estado (HGE), apĂłs ter tentado matar uma pessoa que reagiu, o deixando paraplĂŠgico. A filha de Val, conhecida como “Daniâ€?, tambĂŠm tem envolvimento com o trĂĄfico e estĂĄ presa no presĂ­dio feminino Santa Luzia. O genro de Val, conhecido como “Lungoâ€?, ĂŠ menor de idade e estĂĄ na Unidade de Internação para Menores. A PolĂ­cia Civil irĂĄ pedir a prisĂŁo preventiva de LocĂŁo.

PAI DE USUĂ RIO

Pedreiro ĂŠ morto quando voltava do trabalho MILTON RODRIGUES

PETRÔNIO VIANA MILTON RODRIGUES REPÓRTERES

O pedreiro Gerson Gonçalves da Silva, de 45 anos, foi executado no final da tarde de ontem na ĂĄrea conhecida como “Campo da Itagyâ€?, no Conjunto Village Campestre II, em MaceiĂł. Gerson havia saĂ­do do trabalho, em uma firma de engenharia e arquitetura localizada no Conjunto EustĂĄquio Gomes, e voltava para casa, no Village II. Quando passava pelo campo, de acordo com o sargento GalvĂŁo, do BatalhĂŁo de PolĂ­cia de Guarda (BPGd) da PolĂ­cia Militar, o pedreiro foi abordado pelos assassinos. A vĂ­tima ainda tentou fugir dos atiradores, mas foi perseguida e alvejada por vĂĄrios disparos nas costas, tĂłrax e cabeça. Como nĂŁo foram encontradas cĂĄpsulas de bala no local do crime, a polĂ­cia acredita que os ati-

Gerson Gonçalves da SilvaWHULDFRQIURQWDGRWUD¿FDQWHVTXHYHQGLDPGURJDSDUDVHX¿OKR

radores usaram revólveres calibre 38 para matar o pedreiro. Em conversa com a PM, a esposa de Gerson Gonçalves afirmou que o pedreiro provavelmente foi morto por traficante da região. Ele tem um filho que seria usuårio de drogas e jå teria con-

frontado os traficantes para que eles nĂŁo vendessem mais entorpecentes para seu filho. Em represĂĄlia, os bandidos teriam armado a emboscada e assassinado o pedreiro. A PM nĂŁo conseguiu localizar nenhuma testemunha que pudesse pas-

sar informaçþes sobre os assassinos. O Instituto de Criminalística e o Instituto MÊdico Legal foram acionados para periciar o local do crime e recolher o corpo de Gerson. O crime deverå ser investigado pela Delegacia de Homicídios.

INTERIOR

Projeto capacita servidores públicos No próximo mês, evento sobre administração pública acontece em Penedo

Nem choro e nem vela! Morreu na Brejal um dos mais populares pinguços do pedaço. Era FRQKHFLGRFRPR9HQkQFLR³&DUDpeba�. O velório dele foi aquela festa! Muito birinaite e muito nego FDFKDoXGR E ainda teve serenata, com GLUHLWRDODQFKHGHJDUDSDFRP ERODFKDGRFH 1DPDQKmVHJXLQWH&DUDSHED foi levado para sua última morada, na maior curtição. 1DKRUDHPTXHHVWDYDVHQGR enterrado, eis que surgiu o seu mais ¿HOFRPSDQKHLURGHFRSRR=H]p Perna de Rosca, que discursou para a galera: - Esse enterro do grande Cara-

oliciais do município da Barra de Santo Antônio, Litoral Norte do Estado, tentam acabar com o tråfico de drogas no município, mas não estão conseguindo. Hå mais de dois anos, o território da Barra estå demarcado por quatro traficantes e cada um Ê responsåvel por uma região. Segundo a Polícia Civil, jå foram efetuadas algumas prisþes, mas em pouco tempo os mesmos grupos são soltos pela Justiça e voltam a atuar no crime. De acordo com o chefe de serviço da delegacia da

Barra de Santo AntĂ´nio, Nery TenĂłrio, o trĂĄfico da Barra ĂŠ comandado por quatro grupos: um deles ĂŠ comandado por um homem identificado apenas como Van; outra ĂĄrea ĂŠ liderada por Juraci, conhecida como Jura; uma terceira ĂĄrea ĂŠ de Valderez, a “Valâ€?, que foi presa na Ăşltima terça-feira (19). Ela atua com o seu companheiro “LocĂŁoâ€?, que estĂĄ foragido. E o outro territĂłrio ĂŠ dominado por uma mulher conhecida como KĂ­via. O chefe de serviço afirmou que, desses traficantes, a mais poderosa ĂŠ a Jura. “Tanto o Van como os comparsas deles jĂĄ foram presos vĂĄrias vezes, mas

peba tå dado uma ideia arretada! Um dos bebaços quis saber: (TXDOpDLGHLDSDUrLD" E o Perna, com o maior bafo: - Não seria uma boa se a gente botasse um bar aqui no FHPLWpULR" 2UDPDVSUDTXr" - Pra gente se despedir dos colegas mais à vontade! &KRFDQWHELFKR(FRPR VHULDRQRPHGREDU" Perna de Rosca respondeu empolgado: - Bar da Saideira! - Genial, meu! Ocorre que a prefeitura cortou o barato. Não acatou a ideia!

A ågua do Leandro Uma comitiva de delegados da Polícia Civil de Alagoas viajou a Foz do Iguaçu para participar de um conclave nacional da categoria. Entre os mais de YLQWHUHSUHVHQWDQWHVGHQRVVD3&LQVHULDVHRFRPSDQKHLUR3DXOR/HDQGURWLGR HKDYLGRFRPRRPDLRU³SmRGXUR´GHVWDVEDQGDV 1R$HURSRUWR=XPELGRV3DOPDUHVPRPHQWRVDQWHVGRHPEDUTXH HQFRQWUDYDVHDWXUPDQD¿ODGRFKHFNLQTXDQGRVXUJLXR3DXOR/HDQGURQD estação de passageiros arrastando uma enorme mala de viagem. Embaixo do EUDoRFDUUHJDYDXPDDQWLJDJDUUDIDWpUPLFD$tRFROHJD(JLYDOGR0HVVLDV indagou intrigado: �3DXORSUDTXHYRFrHVWiOHYDQGRHVVDJDUUDID" (HOHEHPVpULR - A garrafa estå com ågua! - Não me diga! - Como jå sei que você vai perguntar de novo, eu respondo logo: estou OHYDQGRHVWDiJXDDTXLSRUTXH¿TXHLVDEHQGRSRULQWHUPpGLRGR0DPmRTXH HP)R]GR,JXDoXDiJXDpFDUDGHPDLV E levou a bendita ågua na garrafa. Quando desceu do avião em Fox, eis que desabou um pesado aguaceiro, que durou toda a semana do congresso de delegados de polícia. Doutor Paulo Leandro retornou à Maceió com a ågua que levou daqui, LQWDFWDSRUTXHDSURYHLWRXEDVWDQWHDiJXDGDFKXYDWDQWRSDUDEHEHUTXDQWR SDUDWRPDUEDQKR(DLQGDUHFODPRX 6HDGYLQKRTXHLULDFKRYHUHP)R]GR,JXDoXHXQmRWHULDOHYDGRDPLQKD ågua!

A Secretaria de Estado de Gestão Pública, atravÊs da Escola de Governo com a participação do Instituto Cidadão, realizou esta semana, na cidade de Palmeira dos �ndios, mais uma etapa do Projeto Escola de Administração Pública com participação de servidores da rede estadual. Participaram do evento representantes de vårios municípios da região, e aproximadamente 100 funcionårios públicos estaduais representantes de diversos

órgãos da Administração Pública. Os participantes do Projeto Escola de Administração Pública estão tendo capacitaçþes e treinamentos nas åreas de Atualização Ortogråfica da Língua Portuguesa e Redação Oficial, Referencial Pessoal e TÊcnico, Comunicação Eficaz e Equipes de Alto Desempenho e a Trilogia do Atendimento Excelente, com aulas presenciais que contam com a participação de especialistas e facilitadores que

procuram oferecer um programa dinâmico e eficiente buscando o aperfeiçoamento dos servidores públicos em apoio às suas atividades profissionais e melhoria dos serviços públicos oferecidos à população. O Projeto Escola de Administração Pública busca desenvolver açþes de forma integral e abrangente e tem como objetivos primordiais promover o desenvolvimento institucional, a política de gestão de pessoas e o aperfeiçoamento dos serviços

prestados à comunidade. NOVAS ETAPAS No mês de julho, o Projeto Escola de Administração Pública estå de volta à cidade de Penedo, reunindo os servidores públicos estaduais com a mesma programação. Jå no mês de agosto, serå a vez de Delmiro Gouveia sediar o Projeto Escola de Administração, que terminarå suas etapas com programaçþes em setembro com módulos em Maragogi e, em outubro, repetindo a programação realizada em Maceió e Arapiraca.

PALĂ CIO DO GOVERNO

Estudantes da Ufal protestam por segurança ADAILSON CALHEIROS

Estudantes da Ufal de Arapiraca pedem segurança no campus

Estudantes do campus Arapiraca da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) realizaram um protesto por mais segurança na instituição e mais investimentos na educação pelo governo estadual, na tarde de ontem, no Centro de Maceió. Vestidos de preto, com apitos e exibindo faixas de protesto, o grupo de universitårios caminhou em direção ao Palåcio República dos Palmares, onde exigiu uma audiência com o governador Teotonio Vilela Filho. O trânsito ficou compli-

cado na região entre o final da manhã e o início da tarde. Os estudantes cobram mais segurança dentro do campus, jå que a universidade foi alvo de uma invasão de detentos oriundos do presídio Desembargador Luiz Oliveira Souza – que fica ao lado da instituição. Eles cobram mais investimento em educação e segurança. Uma reunião entre os manifestantes e o governador Teotonio Vilela Filho foi agendada para hoje às 16 horas.


12

CIDADES

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

Eleiçþes no Sertão

P

rÊ-candidato a prefeito de Canapi, o ex-deputado estadual Celso Luiz poderå atÊ perder o mandato caso seja eleito este ano. O seu dilema Ê por conta da Justiça que o condenou, por improbidade administrativa, juntamente com outros deputados, no desdobramento da Operação Taturana que foi deflagrada em 2007 pela Polícia Federal e pelo MinistÊrio Público Estadual. A punição vai da perda da função pública, à suspensão de direitos políticos e ao pagamento de multas.

Foram condenados

Acusou “oposiçãoâ€?

De acordo com a decisão dos magistrados, os rÊus Celso Luiz Tenório Brandão, Cícero Paes Ferro, Arthur CÊsar Pereira de Lira e Fåbio CÊsar Jatobå tambÊm foram condenados a pagamento de multa civil de R$ 43.000, correspondente ao valor do dano causados por eles. AlÊm disso, foram condenados à perda da função pública e suspensão dos direitos políticos pelo prazo de cinco anos.

Antes da condenação, o ex-presidente da Assembleia Legislativa concedeu entrevista a Marcio Martins, responsĂĄvel Blog Canapi Agora, onde chegou a acusar a “oposiçãoâ€?. &HOVRHVWUDQKDPHQWHDÂżUPRXTXH a oposição criou o fato, que ele FRQVLGHUDDEVXUGRFRPDÂżQDOLGDGH de “desarticularâ€? um grupo polĂ­tico, liderada na ĂŠpoca pelo entĂŁo prĂŠ-candidato ao Governo de Alagoas, JoĂŁo Lyra.

A entrevista Reproduzimos parte da entrevista, onde o político fala da Operação Taturana, que culminou coma sua prisão: Mårcio Martins - Tanto o Sr. quanto o atual prefeito foram indiciados e presos pela Policia Federal por desvios de recursos públicos. O que o Sr. tem a dizer em sua defesa sobre a Operação Taturana, que o apontou como um dos chefes da organização criminosa que desviou cerca de 300 milhþes da Assembleia Legislativa? Celso Luiz - Esta entrevista Ê uma boa oportunidade para esclarecer esse triste episódio da minha vida. Como todos sabem, fui candidato a vice-governador, com o Dr. João Lyra candidato a governador do Estado. Nesta Êpoca ainda exercia o honroso cargo de presidente da Assembleia Legislativa, substituindo em diversas oportunidades o governador. Pois bem, a oposição precisava desarticular um grupo muito forte que conseguisse agregar em torno do nome do Dr. João Lyra e, para destruir este grupo e como consequência ganhar as eleiçþes era preciso criar um fato muito grave. E eles, a oposição, conseguiram criar este fato absurdo e completamente fora de contexto, à custa de muito sofrimento daqueles, inclusive eu, que estava na esperança de poder contribuir para evitar que Alagoas não estivesse na situação de misÊria e violência que estå hoje. Sou inocente quanto a estas absurdas acusaçþes e com o desfecho do processo a verdade com certeza irå aparecer. As pessoas têm que entender que a Constituição Federal garante a WRGRVRGLUHLWRGHGHIHVDHVyYHPDFRQVLGHUDUFXOSDGRTXDQGRDGHFLVmR¿QDO IRUSURFODPDGD(QHVWHFDVRHPSDUWLFXODUTXDQGRVDLUDGHFLVmR¿QDOVHUi reconhecido a minha inocência.

Não deu A informação Ê do jornalista Igor Castro: ³4XHPWUDEDOKDQmRFRQVHJXHDYLWyULD´$D¿Umação foi de Francisco de Souza Irmão, mais conhecido como Chico da Capial, presidente da Cooperativa Agropecuåria e Industrial de Arapiraca (Capial), em entrevista ao programa Comando Geral da Rådio Novo Nordeste. As palavras do líder sindical fazem referência às explicaçþes sobre sua não candidatura na eleição de outubro. De acordo com Chico da Capial, a maioria dos políticos usa verbas públicas para comprar votos.

“Estou foraâ€? “Estou fora da polĂ­tica. NĂŁo sou candidato. Quem trabalha nĂŁo consegue a vitĂłria. Quem consegue sĂŁo aqueles que mais possuem recursos para comprar o voto. O povo nĂŁo pode reclamar porque nĂŁo tem saĂşde, agricultura, emprego. Os polĂ­ticos continuam comprando as campanhas e eu nĂŁo tenho dinheiro e nem saberia comprarâ€?, falou.

Mais que absurdo 1 Caro leitor, olha sĂł que absurdo o que aconteceu em Coruripe. Vejamos apenas XPWUHFKRGHXPDÂł1RWD2ÂżFLDO´MXVWLÂżFDQGRRLQMXVWLÂżFiYHO “Prefeitura Municipal de Coruripe comunica Ă  população o cancelamento do SĂŁo JoĂŁo 2012 “Praia e ForrĂł. Aqui ĂŠ Melhor!â€?, em virtude da queda de 95% na arrecadação dos royalties da produção de gĂĄs natural do campo de Paru, localizado no municĂ­pio, tendo paralisado suas atividades para manutenção e reparo atravĂŠs da intervenção da Petrobras, o que comprometeu os royalties de junho, e tambĂŠm dos meses de julho e agosto. NĂŁo hĂĄ informação de quando serĂĄ normalizada a atividade. A prefeitura sĂł tomou conhecimento da referida paralisação, iniciada desde o Ăşltimo mĂŞs de março, na noite desta terça-feira (19)â€?.

Mais que absurdo 2 Âł1RWDRÂżFLDO´GRFROXQLVWD “Agora, os pequenos comerciantes que investiram e compraram alimentos e bebidas para revenderem na festa Ăł: top top top top!!!!! Isso sem falar em milhares de pessoas que estavam ansiosas para verem as atraçþes musicais que foram anunciadasâ€?. Mas diga aĂ­, tem jeito uma coisa dessas?!

Foi assinado O prefeito Luciano Barbosa (PMDB) e o presidente da Associação dos Moveleiros do Agreste de Alagoas (Amagre), empresårio Sóstenes Leite, assinaram, na manhã de quinta-feira (21), convênio e dois projetos de lei para concessão de LQFHQWLYRVDRVSUR¿VVLRQDLVHWUDEDOKDGRUHVOLJDGRVjHQWLGDGH A solenidade ocorreu no auditório do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de Arapiraca, e tambÊm contou com a presença do secretårio de Indústria, ComÊrcio e Serviços, Manoel Henrique Cavalcante; do secretårio de Meio Ambiente, Genaldo Barbosa; da tÊcnica do órgão, Lívia Acioly; do presidente da Câmara Municipal, Adalberto Saturnino (PMDB); vereador Daniel Rocha (PTB), e da presidente do Sindicato dos Moveleiros de Alagoas, Gerlane Carneiro. ... TambÊm participaram do evento, o conselheiro do Sebrae, Egnaldo Pedro, representantes de instituiçþes bancårias, como Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Banco do Nordeste (BNB), e o ex-superintendente da Caixa Econômica em Alagoas, Paulo SÊrgio Barboza de Melo, que ajudou o grupo na elaboração do convênio e dos projetos em benefício dos moveleiros. ... Na ocasião, o prefeito Luciano Barbosa e o presidente da Amagre, Sóstenes Leite, assinaram convênio de cooperação mútua para serviços de limpeza e manutenção do futuro condomínio. ... AlÊm disso, foram assinados dois projetos de lei para transformação da årea do atual Polo Moveleiro Nascimento Leão, localizado em uma årea com dez hectares, na comunidade de Canaã, em Perímetro Urbano Industrial, bem como a FRQFHVVmRGHLQFHQWLYRV¿VFDLVSDUDRVHPSUHViULRVPRYHOHLURV

Acusado de matar Giovanna serå ouvido dia 3 de julho Caminhoneiro vai depor pela primeira vez à Justiça desde o dia do homicídio BRENO AIRAN / ARQUIVO

ANA PAULA OMENA REPĂ“RTER

A

audiência de instrução do caminhoneiro Luiz Alberto Bernardino, acusado de participação no assassinato da estudante de fisioterapia Giovanna Tenório, de 28 anos, foi marcada para o próximo dia 3 de julho. Investigaçþes policiais apontaram que o celular da jovem universitåria estava com o acusado logo após o crime. A audiência estå marcada para as sete horas e 30. A decisão foi publicada no Diårio de Justiça Eletrônico de ontem. O juiz Maurício Brêda, da 8ª Vara Criminal da Capital, determinou que testemunhas arroladas pelo MinistÊrio Público Estadual (MPE) e testemunhas de defesa tambÊm sejam intimadas para comparecer à audiência. Luiz Bernardino foi denunciado pelo MPE por quatro crimes: homicídio duplamente qualificado, sequestro, ocultação de cadåver e furto. Ele estå preso hå pouco menos de dois meses, desde 25 de abril. As demais testemunhas que moram no interior de Alagoas serão ouvidas por meio de carta precatória, como Ê o caso de Josival Bernardino da Silva. Giovanna Tenório foi vista pela última vez saindo da

Luiz Alberto Bernardino foi denunciado por homicídio, sequestro, ocultação de cadåver e furto

faculdade Cesmac, no bairro do Farol. Câmeras da unidade de ensino mostraram os últimos passos da jovem antes de ser morta. Ela foi encontrada no dia 6 de junho de 2011, em um canavial da Fazenda Urucum, na zona rural de Rio Largo. A jovem foi morta por estrangulamento, con-

forme comprovou o laudo do Instituto MĂŠdico Legal (IML) de MaceiĂł. AUTORA INTELECTUAL

Mirella Granconato, acusada de ser a autora intelectual do crime, estĂĄ presa desde o dia 28 de junho do ano passado. O marido dela, AntĂ´nio Bandeira, o Toni, foi preso no mesmo

dia, mas foi libertado pelo Tribunal de Justiça de Alagoas em agosto do mesmo ano sob alegação de que o acusado não teria sido indiciado no inquÊrito que investigou az morte da estudante, nem denunciado na ação penal apresentada pelo MinistÊrio Público Estadual.

ARAPIRACA

Forte neblina marca início do inverno População do Agreste se anima com a esperança de que haja tambÊm chuva DAVI SALSA

DAVI SALSA REPĂ“RTER

A cidade de Arapiraca amanheceu ontem coberta de neblina. A nÊvoa cobriu boa parte da årea urbana da cidade. O espetåculo da natureza faz parte do começo do inverno e obrigou os condutores de veículos a manter as luzes acesas, a fim de evitar acidentes. A neblina se forma quando o vapor d’ågua Ê submetido a um resfriamento. Ele tende a se condensar, formando uma nÊvoa parecida com uma nuvem e, por ficar perto da superfície, o fenômeno Ê chamado de neblina. O inverno brasileiro começou às 20h9 de quarta-feira (20). Para os próximos dias, pode-se esperar uma forte frente fria, que deve provocar bastante chuva na Região Sul, em São Paulo, no Mato Grosso do Sul e no sul dos estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais. De acordo com o instituto de climatologia, boa parte das regiþes Norte e Nordeste terå chuva nos próximos dias, como parte do Amazonas, Parå, Piauí, Cearå, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Sergipe e Alagoas. A previsão anima os agricultores do Semiårido e Sertão, que ainda esperam a chegada de chuvas fortes este ano para compensar a estiagem de 2012. Em Arapiraca, as chuvas ocasionais que começaram a cair na semana passada jå animaram alguns agricultores mais esperançosos, que começaram a plantar milho e feijão.

Com a neblina, motoristas tiveram que manter farois dos carros acesos, por conta da falta de visibilidade

SHOPPING PĂ TIO

Polícia conclui inquÊrito sobre roubo na Casa Vieira A Polícia Civil informou na manhã de ontem que o inquÊrito sobre o furto ocorrido na Casa Vieira, no Shopping Påtio Maceió, durante o Carnaval deste ano, foi concluído e enviado para a 6ª Vara Criminal da Capital. O crime ocorreu na noite do dia 18 de fevereiro e só foi descoberto na quartafeira de cinzas, quando as atividades no estabelecimento comercial foram normalizadas. O trabalho de investigação foi iniciado pela equipe de policiais do 10º Distrito Policial e as diligências foram conduzidas pela delegacia geral da Polícia

Civil. Durante as investigaçþes, a polícia identificou a participação de um funcionårio no esquema, que deu um prejuízo ao estabelecimento de R$ 76 mil. AlÊm dos indícios e provas que levaram à autoria do crime, em depoimento, Rodrigo JosÊ da Silva, 27 anos, e JosÊ Luiz Nazårio dos Santos, tambÊm com 27 anos, confessaram suas participaçþes. Conforme eles afirmaram, cada um teria ficado com R$ 38 mil e usaram parte do dinheiro para comprar um grande volume de produtos alimentícios e de beleza, que pretendiam re-

vender. JosÊ Luiz Nazårio dos Santos, que era supervisor de segurança da loja, tinha conhecimento de que as câmeras estavam desligadas naquele período. Ele informou que escondeu cerca de R$ 10 mil dentro do tubo de um ventilador, que foi queimado, no momento em que sua esposa ligou o aparelho, provocando um pequeno incêndio em sua residência. Os autores confessos foram indiciados por furto qualificado, uma vez que houve abuso de confiança, jå que um deles trabalhava na segurança da loja, e uso de chaves falsas.


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

Economia

13

Lojas do Centro e shoppings não funcionarão no Dia do Comerciårio A Federação do ComÊrcio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Alagoas (FecomÊrcio/AL) informa que as lojas do Centro da Cidade estarão fechadas na próxima segunda-feira (25), Dia do Comerciårio. A praça da alimentação e as lojas dos shoppings Farol, Maceió e Påtio estarão fechadas. Apenas os cinemas vão manter a programação normal. Todas as lojas dos supermercados Extra, GBarbosa, Unicompra e Bompreço tambÊm estarão fechadas no próximo dia 25. Jå as três lojas do Palato vão funcionar normalmente. A loja Farol, das 7h atÊ meia-noite; Palato Parque (localizado no Parque Gonçalves Lêdo), das 7h às 10h, e Palato Ponta Verde, 24 horas.

Rio+20: artesãos vão vender ao Pão de Açúcar

ConvĂŞnio com grupo levarĂĄ produtos alagoanos para grandes centros do PaĂ­s

O

s artesĂŁos que expuseram seus produtos na Feira Internacional de Produtos Artesanais SustentĂĄveis, realizada durante a CĂşpula dos Povos na Rio+20, poderĂŁo fornecer objetos para o Grupo PĂŁo de Açúcar. Os artesanatos possuem um diferencial: a FHUWLĂ€FDomRGHTXDOLGDGHVRcioambiental conferida pelo Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. Afrânio Menezes, diretor da RegiĂŁo Nordeste do Conselho e coordenador de ConvĂŞnios do Instituto do Meio Ambiente (IMA), explica que os produtos chamam a atenomRSHODEHOH]DHSHORFHUWLĂ€cado conferido a quatro produtos no Estado. “O grupo PĂŁo de Açúcar possui um programa chamado Caras do Brasil para comercializar produtos sustentĂĄveisâ€?, disse. Os artesĂŁos representam grupos e associaçþes de diferentes lugares: Pontal do Coruripe, Feliz Deserto – sede do municĂ­pio e povoado Pontes, UniĂŁo dos Palmares – povoado Jacinto, TeotĂ´nio Vilela e SĂŁo Luiz do Quitunde – com artesĂŁo de Porto de Pedras. Eles saĂ­ram de MaceiĂł no dia 14 e estiveram presentes na Rio+20 entre os dias 17 e 20. Os objetos confeccionados por eles sĂŁo bolsas, cestas, porta pratos, sousplat, porta pirex, caminho de mesa e jogo americano, a partir da Ă€EUDGHRXULFXULFLSyWLWDUD bagaço de cana, taboa, bananeira e coqueiro. No Brasil todo, apenas mais 16 produtos artesanais possuem o selo de responsabilidade quanto ao consumo sustentĂĄvel e de promoção da cidadania por meio da geração de emprego e renda. “O prĂłximo passo agora ĂŠ preparar um catĂĄlogo com

ECONOMIA

DIVULGAĂ‡ĂƒO

LEITE

(PEUDSDH6HDJULĂ€QDOL]DP pesquisa sobre qualidade Uma pesquisa que avalia as condiçþes de produção e qualidade do leite da agricultura familiar em oito municĂ­pios alagoanos foi encerrada, esta semana, com a apresentação dos resultados gerais e D HQWUHJD GH FHUWLĂ€FDGRV DRV tĂŠcnicos de extensĂŁo rural. Conduzida por meio de uma parceria entre a Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento AgrĂĄrio (Seagri) e a Embrapa Tabuleiros Costeiros, a pesquisa avaliou cerca de 70 pequenos criadores de gado de leite, que durante o processo foram capacitados e receberam kits de ordenha manual higiĂŞnica. Os municĂ­pios que participaram da pesquisa foram CraĂ­bas, Girau do Ponciano, Minador do NegrĂŁo, Cacimbinhas, Maravilha, Ouro Branco, Canapi e Mata Grande. Em cada local, os agricultores receberam acompanhamento intensivo durante um ano. Nesse perĂ­odo, eram feitas coletas mensais de leite e enviadas para anĂĄlise na Embrapa Gado de Leite, em Minas Gerais. “O principal motivo era analisar a Contagem de CĂŠlulas SomĂĄticas (CCS) e a Contagem de BactĂŠrias Total (CBT) GR OHLWH SRLV LVVR GHĂ€QH VH D vaca estĂĄ com uma doença chamada mastite ou qual o nĂ­vel

de higiene e contaminação do produtoâ€?, explicou a zootecnista Ana ClĂĄudia Nobre, extensionista da GerĂŞncia Regional da Seagri no Agreste, que acompanhou os criadores de CraĂ­bas e Girau do Ponciano. Segundo ela, a mudança dos produtores na forma de fa]HU D RUGHQKD IRL VLJQLĂ€FDWLYD e a aceitação ao novo hĂĄbito de ordenhar foi muito positiva. “NĂŁo encontramos muita resistĂŞncia. Eles percebiam o quanto era importante obter um leite com mais qualidade. 2VUHĂ H[RVGLVVRWDQWRFKHJDP DR FRQVXPLGRU Ă€QDO TXDQWR j indĂşstria, que aos poucos vai reconhecer esse produto melhorâ€?, enfatizou a zootecnista. ApĂłs o repasse dos kits de ordenha manual higiĂŞnica, conta a extensionista, os Ă­ndices de CCS e CBT foram PHOKRUDGRV Ă€FDQGR GHQWUR das normas exigidas pela instrução normativa do MinistĂŠrio da Agricultura, PecuĂĄria e Abastecimento (Mapa). A pesquisa, conduzida pela Seagri e pela Embrapa Tabuleiros Costeiros, foi acompanhada pela indĂşstria de laticĂ­nios, que adquire os produtos dos agricultores familiares do Agreste. Em CraĂ­bas, um laticĂ­nio que antes comprava o leite por R$ 0,75 cada litro passou a comprar por R$ 0,80.

ALAGOANO Grupo Pão de Açúcar possui programa chamado Caras do Brasil para comercializar produtos sustentåveis

imagens, descrição e preço de cada um dos produtos. O grupo serå o mesmo que expôs na Rio+20�, comenta Afrânio Menezes. LIVRO Os Postos Avançados da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Ê o nome do livro lançado na Rio+20 e escrito por Afrânio Menezes, diretor da Região Nordeste do Conselho Nacional da Reserva da Biosfera e coordenador de Convênios do Instituto do Meio Ambiente (IMA). O trabalho levou um ano SDUDÀFDUSURQWRHDSUHVHQta o que são os espaços de divulgação e informação de

açþes e projetos de preservação. Escrito entre maio de 2011 e maio de 2012, “foi feito para marcar os 20 anos de reconhecimento pela Unesco da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. É um elemento de divulgação do que ĂŠ, o que faz e para que servem os postos avançadosâ€?. Criados em outubro de 1997, durante reuniĂŁo do Conselho em UniĂŁo dos Palmares (AL), sĂŁo espaços de “divulgação e informação de ideias, conceitos, programas e projetos desenvolvidos nas reservasâ€?. Possuem entre seus objetivos preservar, gerar renda e valorizar os conheci-

mentos populares. Segundo Afrânio, hoje existem 130 mil hectares de åreas protegidas por Postos Avançados no país. Desse total, cerca de 29 mil hectares estão localizados em Alagoas. Outros dois livros foram lançados no mesmo dia, no Parque dos Atletas – um dos locais da Conferência: o Anuårio da Mata Atlântica, que trata de um inventårio da situação atual em relação ao compromisso e as cinFRPHWDVÀUPDGDVHP$LFKL (Japão); e o Saberes e Fazeres da Mata Atlântica, produzido pela Associação para Proteção da Mata Atlântica do Nordeste (Amane).

Conselho de Cultura aprova SHGLGRGHUHJLVWURGRĂ€Op

O Conselho Estadual de Cultura (CEC) aprovou ontem, em reunião ordinåria realizada no Salão de Despachos do Palåcio Marechal Floriano Peixoto, a continuidade do processo administrativo de Registro de Patrimônio Imaterial para UHQGD ÀOp 2 &(& DYDOLRX R pedido realizado pelo Sebrae, HQFDPLQKDGR j 6HFUHWDULD GH Estado da Cultura (Secult). Estiveram presentes o secretårio de Estado da Cultura, Osvaldo ViÊgas; o secretårio adjunto à lvaro Otacílio Vasconcelos, e representantes das instituiçþes que compþem o CEC, Eduardo Lyra (Ufal), Jaime Messias (Ama), Pablo Cristiano Maia (Iphan), Guilherme Lamenha (Seplande), Fåtima Menezes (Rede de Pontos de Cultura), Renata Fonseca e Vanessa Fagå (Sebrae/AL) e o arcebispo metropolitano de Maceió, dom Antônio Muniz. Durante a reunião, foi apresentado aos conselheiros o

parecer tĂŠcnico favorĂĄvel, dado pela diretoria do PrĂł-MemĂłria, que foi acatado pelo Conselho Estadual de Cultura. ApĂłs a aprovação do CEC, o processo retornarĂĄ ao PrĂł-MemĂłria, setor competente, que darĂĄ continuidade e providenciarĂĄ a instrução tĂŠcnica do processo administrativo, conforme determina a Lei 7.285/11. De acordo com Adriana GuimarĂŁes, do PrĂł-MemĂłria, o parecer tem como base a Lei que institui o Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial e que constituem PatrimĂ´nio Cultural Alagoano. Segundo ela, o parecer foi favorĂĄvel devido aos elementos histĂłriFRVHFXOWXUDLVTXHFHUWLĂ€FDPR artesanato. “Observamos informaçþes consistentes que tornaram o parecer favorĂĄvel, porĂŠm, como o processo ainda esta em andamento, vamos solicitar outros elementos para compor esse registroâ€?, salientou.


14

ECONOMIA

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

etjornalista@gmail.com

Capela, bronca sobre a Casal

“A

pÊssima condição do serviço de abastecimento de ågua da Casal em nossa cidade, jå extrapolou os limites. Não temos a menor condiçþes de conviver hoje com esse descaso; falta de respeito, entre outros grandes problemas que a população capelense vem enfrentando; apesar das sucessivas reivindicaçþes que jå À]HPRVDRORQJRGHVVHV~OWLPRVDQRV MXQWRDHPSUHVDHP0DFHLyDÀP de que a mesma pudesse resolver tal situação�. Esse recado foi dado como desabafo na manhã de quarta-feira, pelo vereador e presidente da Câmara de Capela, DedÊ Almeida (PSD) durante sessão realizada na Casa. O denunciante por sinal, vem sendo cogitado para compor a chapa da reeleição do prefeito Adelminho, na qualidade de vice.

Capela- lama

Roteiro

“Aqui tem semanas que a gente passa dois, trĂŞs e atĂŠ quatro dias sem ĂĄgua nas torneiras. E o pior: NĂŁo somos pelo menos nem avisados de forma antecipada, para questĂŁo de se prevenir com estoque de ĂĄguaâ€?, disse 'HGpDUJXPHQWDQGRTXHÂżFRX impressionado na Ăşltima segundafeira, quando mandou fazer limpeza em sua caixa d’ågua, e deparou cerca de 20 centĂ­metros de lama concentrada na parte de baixo.

Na terça-feira, o prefeito FĂĄbio JatobĂĄ realizou para todos os funcionĂĄrios pĂşblicos do municĂ­pio uma grande festa com o “ArraiĂĄ do Desenvolvimentoâ€?. “A festa foi muito boa e teve PXLWR[HQKHQKpP´DÂżUPDD Assistente Social, Jeane Lima. $DQLPDomRÂżFRXSRUFRQWDGD banda ForrozĂŁo JatobĂĄ, que agitou todos os presentes num HYHQWRTXHPDLVXPDYH]ÂżFRX registrado como de grande sucesso para todos.

AlĂŠm das sucessivas falta d’ågua em Capela, o produto que chega Ă s torneiras ao que parece nĂŁo ĂŠ tratado como manda Ă s normas da Vigilância SanitĂĄria. É que a ĂĄgua tem sido bastante semelhante Ă  cor de suco de maracujĂĄ; ou seja barrenta, sobretudo em perĂ­odo chuvoso. Essa situação jĂĄ vem preocupando o serviço de SaĂşde do municĂ­pio, face aos constantes casos de diarreia, infecção intestinal entre outros que aparecem na regiĂŁo. “A Ăşnica solução que temos agora, ĂŠ criar um SAAE como a melhor alternativa para o nosso povo; a exemplo do que jĂĄ foi feito em muitas cidades alagoanas, que conviviam em situação semelhante a nossaâ€?, advertiu o vereador DedĂŠ.

Roteiro- elogio

Capela- doenças

“Tivemos muitas brincadeiras e surpresas para o prefeito e todos os funcionĂĄrios que tiveram um momento especial, no qual foi apresentado um vĂ­deo retratando o grande desenvolvimento que o municĂ­pio alcançou durante essa gestĂŁo . Uma gestĂŁo marcada por muitas conquistas TXHÂżFDUmRQDKLVWyULDGRSRYR da regiĂŁoâ€?, comentou Jeane Lima, salientando que a gestĂŁo de FĂĄbio JatobĂĄ ĂŠ pautada pelo compromisso, empenho e dedicação que por sua vez trouxe um divisor de ĂĄguas para o crescimento de toda população roteirense.

Palmeira $SyVVROLFLWDomRGD$FDGHPLD3DOPHLUHQVHGH/HWUDV&LrQFLDVH$UWHV $SDOFD R*RYHUQR0XQLFLSDOVDQFLRQRXDOHLTXHGH¿QHRGLDGH Junho como o dia municipal da Cultura. A decisão foi celebrada ontem na academia com festividades. Para Isvânia Marques presidente da Apalca, a cultura não sobrevive por si mesma, mas pelo amparo de instituiçþes do mesmo cunho cultural ou governamental que colaboram para o seu desenvolvimento, no exercício de seu papel diante da comunidade a qual pertence

Palmeira – evento O dia, escolhido pela academia por ser a data de sua fundação, foi comemorado com o lançamento do V Concurso Prosa e Verso profª 5RVLQKD3LPHQWHOHVHJXLGRGHDSUHVHQWDo}HVIROFOyULFDVORFDLVQD Praça da Independência, no Centro da cidade. A instituição comemora 12 anos de existência e, segundo Isvânia Marques, presidente da $FDGHPLDDGH¿QLomRGHXPGLDSDUDFRPHPRUDUDFXOWXUDGRPXQLFtSLR Ê de cunho relevante devido à notoriedade que Palmeira dos �ndios tem nesse âmbito.

Olho d’à gua do Casado O prefeito Gualberto foi ajuizado esta semana pelo MinistÊrio Público Federal em Arapiraca (AL) por uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa. Recai sobre o gestor a omissão quanto à prestação de contas referente a recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Olho d’à gua do Casado – estranho

O curioso Ê que essa ação, de autoria do procurador da República, JosÊ Godoy Bezerra de Souza, teve como origem denúncia feita pelo SUySULR-RVp*XDOEHUWRFRQWUDRH[SUHIHLWRGRPXQLFtSLRR:HOOLQJWRQ Damasceno (Xêpa) (2005/2008). O atual gestor acusava Xêpa por não prestar contas sobre valores do FNDE, no exercício de 2008.

SĂŁo Miguel

Coruripe

Nos últimos dois dias, funcionårios da rede municipal de ensino participaram do primeiro dia do projeto Formação Continuada na Escola Municipal Esther Soares Torres. O projeto Ê uma realização da Secretaria Municipal de Educação e Cultura em parceria com o Centro de Educação 3UR¿VVLRQDOH6XSHULRU Santa Maria Madalena (Cenfap).

Ontem as costureiras da Associação Nova Esperança, de Coruripe, ganharam mais um reforço para o aumento da produção de equipamentos de proteção individual (EPIs). É que a Desenvolve – Agência de Fomento de Alagoas liberou, o valor referente à renovação do crÊdito de R$ 59 mil tomados emprestados pela Associação, no ano passado. A Associação, localizada na comunidade Pindorama, chega a produzir, por mês, mais de 4.500 peças de EPI, que incluem bonÊs årabes, manga canavieira, batas e uniformes.

Costureiras produzem mais de 4.500 EPIs ao mĂŞs

Elas atuam na Cooperativa Pindorama e renovam crĂŠdito com a Desenvolve

A

s costureiras da Associação Nova Esperança, de Coruripe, acabam de ganhar mais um reforço para o aumento da produção de equipamentos de proteção individual (EPIs). É que a Desenvolve – AgĂŞncia de Fomento de Alagoas liberou ontem, o valor referente Ă  renovação do crĂŠdito de R$ 59 mil tomados emprestados pela Associação, no ano passado. A Associação, localizada na comunidade Pindorama, chega a produzir, por mĂŞs, mais de 4.500 peças de EPI, que incluem bonĂŠs ĂĄrabes, manga canavieira, batas e uniformes. Segundo a gerente do NĂşcleo Incubador de Empresas de Pindorama (Niep), Marinalva Vilela, por apresentar proposta condizente com a realidade e dentro dos paGU}HV GH DSRLR Ă€QDQFHLUR D Desenvolve foi a responsĂĄvel pelo desenvolvimento da produção e pela qualidade dos produtos confeccionados pelas costureiras da associação. “Com o primeiro emprĂŠsWLPR TXH Ă€]HPRV D DVVRFLDção duplicou os seus recursos e fez novos investimentos. Compramos novas mĂĄquinas de costura e matĂŠrias primas, o que nos proporcionou dar continuidade aos nossos trabalhosâ€?, contou. 3DUD HOD R UHĂ€QDQFLDmento vai ser de grande utilidade para, alĂŠm de possibilitar a quitação do dĂŠbito anterior, as costureiras comprarem mais equipamentos. “Graças a Deus, a demanda estĂĄ aumentando cada vez mais e, para suprir todas as necessidades, precisamos de ainda mais equipamentos e matĂŠrias primas. Agora, com

DO AGRESTE

Alunos do IFAL conhecem APL da Horticultura TĂŠcnicos da Secretaria do Planejamento e do Desenvolvimento EconĂ´mico (Seplande), apresentaram o Arranjo Produtivo Local (APL) Horticultura no Agreste para alunos do curso tĂŠcnico em agronomia do Instituto Federal de Alagoas (IFAL), no auditĂłrio da instituição em Satuba. A ação marcou o encerramento de um ciclo de pesquisas e visitas aplicadas pela prĂłpria instituição, e tambĂŠm teve como REMHWLYRGLVFXWLUDGLYHUVLĂ€FDomR da produção agrĂ­cola do Estado e apoio tĂŠcnico ao APL Horticultura no Agreste. AlĂŠm disso, o encontro trouxe a oportunidade de atração de novas parcerias para o APL, com o IFAL e a Fundação de Amparo Ă  Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal). “Apresentar o que ĂŠ o APL e como ele funciona naquela regiĂŁo para esses estudantes ĂŠ o primeiro passo para o desenvolvimento que estamos sempre tentando articular nesse programa.

PAULO RIOS

Costureiras fazem uniformes numa das salas do Centro de Treinamento da Cooperativa Pindorama

esse novo emprĂŠstimo, poderemos comprarâ€?, salientou a gerente. O diretor-presidente da Desenvolve, Antonio Carlos Quintiliano, destaca que os recursos disponibilizados pela AgĂŞncia de Fomento devem ser investidos na produção, valorizando a capacidade de gerar mais emprego e renda para a regiĂŁo atendida. “Prezamos pelo desenvolvimento econĂ´mico e social das regiĂľes, visando Ă  sustentabilidade dos pequenos negĂłcios em todo o estadoâ€?, destacou. CRESCIMENTO Composta atualmente por 26 costureiras, a Asso-

ciação Nova Esperança foi criada em 2004 para unir forças em prol de um objetivo comum: o desenvolvimento sustentåvel atravÊs da confecção de equipamentos de proteção individual (EPIs). As costureiras trabalham em uma das salas do Centro de Treinamento Rural da Cooperativa Pindorama (Cetrup), e têm como uma de seus clientes a própria cooperativa, que adquire os fardamentos produzidos pelo grupo para os trabalhadores de suas fåbricas. De acordo com a gerente do Núcleo Incubador de Empresas de Pindorama (Niep), Marinalva Vilela, responså-

vel pela gestĂŁo da Associação, a venda dos produtos pode alcançar um valor bruto de R$ 58 mil por mĂŞs. “Em ĂŠpoca de colheita nas usinas, a associação bate recordes de produção. Isso eleva os gastos, mas sobe tambĂŠm o faturamento com a venda dos produtosâ€?, ressaltou. Para Maria CĂ­cera dos Santos, que vive da costura hĂĄ 11 anos, fazer parte da Associação ĂŠ fundamental para a renda familiar. “Antes, sĂł meu marido ajudava em casa. Agora nĂłs dividimos as contas, e com o salĂĄrio que recebo com a costura eu posso comprar minhas coisas sem depender de ninJXpPÂľDĂ€UPRX


TribunaIndependente

MACEIÓ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

ESPORTES 15

7LWHGL]TXHHVWDUQDÀQDO¶DLQGDpSRXFR· Corinthians decidirá pela primeira vez em sua história uma Taça Libertadores da América e a ordem é controlar a ansiedade

S

atisfeito e com sentimento de quero mais. Assim o técnico Tite apareceu para uma demorada e descontraída entrevista após o empate por 1 a 1 com o Santos, na última quartafeira, e a classificação à final da Libertadores. Com a vaga assegurada, o treinador fez uma análise da semifinal e garantiu que o Corinthians mereceu chegar à decisão. “O time mereceu em 180 minutos. Ainda é pouco para a história, para nossas ambições, mas vale muito e está registrado pela qualidade que o grupo, essa equipe tem”, afirmou, não aceitando que ninguém desmereça as apresentações de seu grupo. Responsável por uma mudança tática que mudou o rumo da partida, com o deslocamento de Danilo para a beirada e a entrada de Liedson no meio, no intervalo, ele tampouco preferiu colher os méritos sozinho. “Fico contente em proporcionar a alegria aos outros. Dividir me deixa ainda mais feliz. E também por outra coisa: não tem vencer a qualquer custo, dando porrada e o que não seja do jogo. Corinthians mereceu classificar contra o extraordinário time campeão da Libertadores do ano passa-

do. Mereceu em 180 minutos”, repetiu. O treinador, após a partida, disse que ia tomar uma “caipirinha gigante” com a mulher, Rose, e o filho Matheus. Ao acordar na manhã de ontem sua missão seria ver a alegria do torcedor, do time e curtir a classificação. À tarde ele comandou um treino para os reservas e à noite acompanhou o duelo entre Boca Juniors ou Universidad de Chile. A direção do Corinthians não quer mais saber de perder pontos no Brasileiro por causa da escalação da equipe reserva e entrou na CBF, com um pedido formal para que os jogos contra Botafogo (dia 30, no Pacaembu, entre as duas decisões da Libertadores) e Sport (8 de julho, na Ilha do Retiro, logo após o confronto de volta) sejam adiados. Os dirigentes também vão sugerir que o clássico deste domingo, diante do Palmeiras, siga o mesmo rumo, apesar de não acreditarem em mudança já que são necessários 10 dias para a formalização de um pedido de adiamento. Ano passado, envolvido na fase decisiva da Libertadores, o Santos conseguiu o adiamento de quatro jogos, um deles contra o próprio Corinthians. AFP

TERRA

Com orientações ao longo de todo o jogo, técnico do Corinthians conseguiu segurar avanços de adversários santistas na Libertadores CBF

EURO 2012

Alemanha pega Grécia pelas quartas-de-final

Adriano vive a expectativa de voltar aos gramados pelo Flamengo

SÉRIE B

Paraná pode encostar hoje no Joinville O Paraná Clube recebe o Joinville hoje, na Vila Capanema, pela sétima rodada do Brasileirão Série B. A partida, às 21h, será o 11º encontro dos times na história. O time paranaense está em vantagem com cinco vitórias contra três do representante catarinense. Apenas dois jogos ficaram no empate e nenhuma partida ficou sem o placar ser aberto. O Tricolor marcou 21 vezes contra 14 do JEC. O primeiro jogo da história aconteceu em 1991 pelo Campeonato Brasileiro e terminou empatado em 1 a 1. Além dos encontros pelo Brasileirão, os times também fizeram amistosos, jogos treinos e disputaram jogos pelas Copa João Havelange e Copa Sul-Minas. O último encontro aconteceu em um jogo treino em 2010, vencido pelo Paraná: 1x0. Jogando em Curitiba o Paraná nunca foi derrotado pelo adversário. JOGOS DE HOJE Guaratinguetá x Avaí Paraná Clube x Joinville

APÓS BRONCA

Adriano madruga e cumpre horário no Flamengo A exemplo do que ocorreu na quarta, Adriano pulou cedo da cama ontem e novamente chegou antes do horário ao Ninho do Urubu. A atividade do Imperador estava prevista para começar às 9h30, assim como o treino do grupo rubro-negro, mas às 9h15 o jogador já estava a postos. Na tarde de quarta-feira, Adriano, que se recupera de uma cirurgia no tendão de Aquiles, teve uma conversa de cerca de 1h20 com o diretor de futebol Zinho. No papo, o dirigente abraçou, deu carinho, mas deixou claro que profissionalismo está acima de tudo. Ele decretou um prazo de 40 dias, até 1º de agosto, para que o atacante cumpra a rigorosa fase de recuperação para que um possível acerto com o Fla entre em pauta. Mesmo sem vínculo formal com o clube, para tentar reconstruir a imagem de Imperador, ele terá que perder peso, cumprir a programação com raras folgas e mudar radicalmente o comportamento, seu maior adversário ao longo dos últimos anos.

Alemanha e Grécia entram em campo a partir das 15h45 (de Brasília), pelas quartas-de-final da Eurocopa. Os gregos estão confiantes para o duelo hoje em Gdansk, na Polônia. “Não será o nosso último jogo no Europeu. Os jogadores pensam assim. É para isso que estamos aqui. Quanto mais temos, mais queremos. As coisas vão ficando difíceis de jogo para jogo e esperamos seguir em frente para dar uma felicidade à Grécia. Uma coisa é certa, não será fácil”, disse o atacnte Dimitris Salpingidis. “A capacidade de sofrimento é a nossa principal característica. Vamos dar tudo em campo mas vai ser preciso um pequeno milagre. A Alemanha é favorita, nós somos zebra mas vamos lutar até ao fim”, finalizou. Thomas Müller tinha apenas 19 anos quando surpreendeu o planeta bola. Era meados de 2010 e o meia-atacante do Bayern de Munique acabou a Copa do Mundo como revelação e um dos artilheiros, com cinco gols. A evolução aconteceu, ele tornou-se protagonista tanto na seleção como no clube, mas tem experimentado um outro lado nesta Eurocopa 2012. E que já o incomoda. Müller atua aberto pela ponta-direita, função que já desempenhara na África do Sul. O problema, no entanto, é a escassez de gols. Candidato a herói na final da Liga dos Campeões até Drogba empatar para o Chelsea, o jogador não marca uma vez sequer pela Alemanha desde 15 de novembro de 2011, na vitória por 3 a 0 sobre a Holanda. As atuações começam a ser questionadas. “Fui o artilheiro, esperam muito de mim e sei disso. Mas, por outro lado, não dá para comparar os dois torneios. São adversários diferentes, enfrentamos três times com boas posições no ranking da Fifa (Portugal, Holanda e Dinamarca). O nível é muito alto”, argumentou.

Oscar e Neymar devem estar no grupo da seleção brasileira para os amistosos do mês de setembro

AMISTOSO

Após desistência do Chile, seleção deve enfrentar a África do Sul O adversário da seleção brasileira para o amistoso do dia 7 de setembro está praticamente definido. De acordo com o presidente da CBF, José Maria Marin, a África do Sul deverá ser escolhida para a partida. Anteriormente, o Chile seria o oponente, mas, por conta de uma data comemorativa no país vizinho, eles pediram o cancelamento. Outras seleções de maior relevância foram procuradas para o amistoso, mas por conta da Eurocopa as negociações ficaram complicadas. “Tentamos outras seleções, mas acho que a vai acabar sendo a África do Sul mesmo”, explicou. O presidente confirmou que a partida será mesmo disputada no Morumbi. “Todos os estádios de São Paulo têm condições de receber jogos, mas é claro que para a seleção brasileira nós tentamos que sejam disputados no Morumbi. Tem uma capacida-

de maior e recebe melhor o público”, disse o presidente. No dia 11 a seleção irá disputar outro amistoso. Este ainda não tem local definido, mas deve ser no Brasil. O jogo estava programado para o dia 13, mas a CBF recuou para o dia 11. “Como não estamos participando das eliminatórias para a Copa cada jogo será muito importante para sequência de trabalhos do Mano Menezes e toda comissão técnica. Quero ressaltar que ele tem todo apoio da presidência, diferente do que vem sido especulado em alguns órgãos de imprensa do país”, ressaltou o presidente. NOVIDADE Marin revelou que a entidade vai criar um conselho de notáveis. Em entrevista ao site oficial da entidade, o dirigente citou até alguns nomes para compor o grupo, entre eles o empresário

carioca Eike Batista e os campeões mundiais Carlos Alberto Parreira (1970 e 1994) e Mario Jorge Lobo Zagallo (1958, 1962, 1970 e 1994). Segundo o mandatário, a intenção é que os conselheiros tenham até mesmo uma sala na nova sede da Confederação Brasileira de Futebol. - Queremos fazer um conselho de notáveis, com homens de projeção nacional, mas que não ocupam nenhum cargo no futebol e adoram o esporte. Em São Paulo, nós temos o Almir Pazzianotto (jurista), o Mário Garnero (empresário). No Rio, o Eike Batista. Ainda temos o Abílio Diniz (empresário), que foi goleiro na juventude. Essas pessoas com grande prestígio e renome podem dar uma grande contribuição ao futebol. Podemos contar também com o Parreira e com o Zagallo. A intenção é criar benefícios ao futebol - disse.


16 ESPORTES

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

Esportes

$6$FRQÂżUPDGRLVUHIRUoRVSDUDVHTXrQFLD GR&DPSHRQDWR%UDVLOHLURGD6pULH% $GLUHWRULDGR$6$FRQÂżUPRXGRLVUHIRUoRV2SULPHLURpRDWDFDQWH0DUDQKmR TXHHVWDYDQDHTXLSHGD3RQWH3UHWD-iRVHJXQGRUHIRUoRpSDUDDODWHUDOGLUHLWD0DLFRQTXHHVWDYDQDHTXLSHGR%RD(VSRUWHWDPEpPFKHJDUiDR$6$ SDUDUHIRUoDUDHTXLSHQHVWD6pULH%)LFRXGHÂżQLGRTXHR$6$UHDOL]DUiXPD ÂľLQWHUWHPSRUDGDÂśQDFLGDGHGH&RUXULSHHXVDQGRDVHVWUXWXUDVGRFOXEHGDFLGDGHGR/LWRUDO6XODQWHVGDSDUWLGDFRQWUDR$%&QRGLD  SHODÂ?URGDGD GD6pULH%8PYRODQWHSHUWHQFHQWHDR*UrPLR56GHYHUiVHUDQXQFLDGRPDV VHXQRPHDLQGDQmRIRLUHYHODGR$OpPGHMRJDGRUHVRFOXEHDLQGDYDLFRQWUDWDU XPÂżVLRORJLVWDSDUDDMXGDUQDUHFXSHUDomRItVLFDGRVDWOHWDV

CRB muda e aumenta carga de treinos &RPLVVmRWpFQLFDTXHUDSULPRUDUSDUWHItVLFD-DGtOVRQGHYHYROWDUDRVWUDEDOKRVFRPEROD7KLDJR*RPHVFKHJDKRMH $6&20&5%

5REHUWR/RSHVH*HRYDQLrecuperaram a posição de titular no CRB e agora trabalham forte para atuar bem diante de seu ex-treinador Paulo Comelli, hoje, no Criciúma ADAILSON CALHEIROS

$=8/­2

CSA tem base pronta para estreia domingo na SÊrie D A estreia estå marcada. Sem mistÊrio, o tÊcnico Lorival Santos deve escalar o CSA domingo contra o Vitória da Conquista, às 16h, no Rei pelÊ, com a base que vinha atuando no time titular nos amistosos. Assim, o Azulão deve entrar em com Flåvio; Leandrinho, Leandro, Adalberto e Fabaiano; Sinval, Celico, Jucemar Gaúcho e Ronaldo; Washington e Paulinho Macaíba. Hoje acontece o coletivo apronto no campo de jogo e Lorival deve fazer apenas alguns ajustes. A diretoria do CSA informa que o torcedor que comprou ingresso para o jogo contra o Vitória da Conquista antes da paralisação da SÊrie D não vai ter problema para entrar no Estådio Rei PelÊ O preço dos bilhetes estå definido: R$ 15 (arquibancadas altas e baixas) e R$ 40 (cadeiras). A as-

sessoria do clube tambÊm informa que os ingressos começaram a ser vendidos ontem no Estådio do Mutange e na loja Base Azul. 2/+21(/(6 Após os jogos treinos que foram realizados durante a paralisação do inicio da Serie D, o treinador do Vitória da Conquista, Elias Borges, aproveitou para fazer algumas observaçþes no esquema tåtico que ele pretende colocar em pråtica durante a competição. Levando em consideração as escalaçþes que Borges utilizou nestes jogos o time base que deve estrear contra CSA, neste domingo, às 16 horas, no Estådio Rei PelÊ, terå a seguinte formação: Rodolfo, ZÊ Leandro, Sílvio, Junior Gaúcho (Emílio) e Claudemir, Edimar, Renilton, Rubens (Junior Gaúcho), Carlinhos, Éder CaititÊ e Roni.

&6$VHJXHo ritmo forte de treinamento e deve fazer hoje, no EstĂĄdio Rei PelĂŠ, o coletivo apronto

),1$/,67$6

0$&(,Ă?

$0$'25

&RULQWKLDQVH$6$LUmRGHFLGLUR &DPSHRQDWR$ODJRDQRGH)XWHERO$PDGRUQDFDWHJRULDVXE FRPUHSUHVHQWDomRSURÂżVVLRQDO 3DUDFKHJDUjGHFLVmRR$6$ HOLPLQRXR&6(SRU[HP 3DOPHLUDGRVĂ‹QGLRVH[HP $UDSLUDFD-iR&RULQWKLDQVSDVVRXSHOR'tQDPRHPSDWDQGR DSULPHLUDSDUWLGDSRU[H YHQFHQGRRMRJRGHYROWDSRU [&RQIRUPHRUHJXODPHQWR GDFRPSHWLomRDVGXDVHTXLSHV GHFLGHPRWtWXORHPLJXDOGDGH GHFRQGLo}HVHHVWmRFODVVLÂżFDGDVSDUD&RSD63-XQLRUHV

2&RPLWr 2UJDQL]DGRUGR 3URMHWR$ODJRDV Centro de TreiQDPHQWRGH6HOHo}HVGD&RSD  &RPFRSD $ODJRDV UHDOL]RXUHXQLmRGH WUDEDOKRFRP DSUHVHQoDGR VHFUHWiULRGH(VWDGRGD,QIUDHVWUXWXUD0DUFRV)LUHPDQSDUDTXHRV SRQWRVHVWUXWXUDLVDLQGDSHQGHQWHVQDVUHDOL]Do}HVGR&RPLWrIRVVHP GHPDQGDGRVHDSDUWLUGHDJRUDPRQLWRUDGRVSHOD6HLQIUD3DUDTXH R5HL3HOpFRQTXLVWHDSRVLomRGH&HQWURGH7UHLQDPHQWRGH6HOHo}HV &76 IDOWDXPDSLVFLQDGHUHFXSHUDomRXPDVDODGHPXVFXODomR DOpPGDHIHWLYDFRQVWUXomRGR0HPRULDO5DLQKD0DUWD

2ž&DPSHRQDWR,QIDQWLOGDV &RPXQLGDGHVGH0DFHLySURPRYLGRSHOD3UHIHLWXUDGH0DFHLy SRUPHLRGD6HFUHWDULD0XQLFLSDO GH(VSRUWHH/D]HU 6HPHO WHYH LQtFLRQD9LOD2OtPSLFD/DXWKHQD\ 3HUGLJmR9LODJH&DPSHVWUH9LQWH JROVIRUDPDVVLQDODGRVQDURGDGD GHDEHUWXUD$PDQKmDVHJXQGD URGDGDWHPRVVHJXLQWHVMRJRV )OXPLQHQVH[*UrPLR3URMHWR3HULIHULD[3DMXoDUDH7UH]H[(VWUHOD $ODJRDQDSHODPDQKm*UXSR$ H06)XWHERO[9LODUHDOHĂˆJXLDV GH&ULVWR[1iXWLFR *UXSR%  IROJDQGRR,PSpULR5HDO

Corinthians e ASA irĂŁo decidir o Sub-18

ComitĂŞ da Copa se reĂşne com secretĂĄrios

Campeonato das Comunidades de MaceiĂł

N

ada de festas juninas. O CRB vai trabalhar hoje a amanhĂŁ. Na agenda, esta sexta tem treino com bola pela manhĂŁ. SĂĄbado ĂŠ dia de trabalhos em dois perĂ­odos. Um jogo-treino contra um time amador ou que se prepara para a Segunda do Alagoano estĂĄ sendo tentado pela direção regatiana. Ontem pela manhĂŁ musculação e core trainning. Pela tarde fortalecimento e condicionamento na praia de Pajuçara. O elenco do CRB teve um dia repleto de atividades fĂ­sicas com os preparadores ClĂĄudio Creato e FĂĄbio Guerreiro. “Estamos atentos nesse longo perĂ­odo para que o grupo esteja bem. Fizemos um cronograma de exercĂ­cios com base nos dados recolhidos dos jogadores nas avaliaçþes das semanas anterioresâ€?, destacou Guerreiro. O grupo foi dividido em dois para que os profissionais possam acompanhar e corrigir os movimentos. Os fisioterapeutas Bruno Almeida e AndrĂŠ Mello jĂĄ estĂŁo concluindo os trabalhos com o lateral-esquerdo Jadilson, que ficou de fora do Ăşltimo jogo por cansaço muscular. “Nesta sexta-feira estamos devolvendo o JadĂ­lson para os trabalhos em campoâ€?, confirmou Bruno, que tambĂŠm jĂĄ liberou o lateral Luiz Felipe e o atacante AloĂ­sio Chulapa do departamento mĂŠdico. O CRB volta a campo pela SĂŠrie B apenas no dia 30 deste mĂŞs, contra o CriciĂşma, no EstĂĄdio Heriberto Hulse. AtĂŠ lĂĄ o elenco trabalha forte. A viagem estĂĄ programada para a prĂłxima quinta-feira (28). Contratado para a SĂŠrie B, o zagueiro Thiago Gomes, ex-Ituano, tem chegada prevista para hoje na Pajuçara. A diretoria espera que ele esteja Ă  disposição da comissĂŁo tĂŠcnica jĂĄ para a prĂłxima partida. O presidente licenciado do Galo, Marcos Barbosa, disse que o tĂŠcnico Roberto Fonseca e os jogadores do elenco regatiano estĂŁo prestigiados. “NĂŁo vai haver mudanças no clube neste momento. Confiamos no trabalho do Robertoâ€?, declarou. Nos prĂłximos dias, a diretoria do Galo deve anunciar pelo menos mais trĂŞs reforços para a sequĂŞncia da temporada. Dois volantes e um meia de ligação sĂŁo as prioridades, mas possĂ­veis nomes ainda nĂŁo foram divulgados.


TribunaIndependente

0$&(,Ă?6(;7$)(,5$'(-81+2'(

Richard Lynch, ator de “Halloweenâ€?, ĂŠ encontrado morto nos EUA

Jim Parsons e Rihanna dublarão ¿OPH³+DSS\6PHNGD\´

Richard LynchDWRUTXH¿FRXFRQKHFLGRSHODFLFDWUL]IDFLDOHSHODDWXDomRQR ¿OPH³+DOORZHHQ´IRLHQFRQWUDGRPRUWRHPVXDFDVDQRV(VWDGRV8QLGRV'H DFRUGRFRPVHXSRUWDYR]/\QFKTXHWLQKDDQRVIRLHQFRQWUDGRSRUXPD DPLJDQDFDVDRQGHPRUDYDQD&DOLIyUQLD2SRUWDYR]GLVVHDLQGDTXHQHQKX PDLQYHVWLJDomRSROLFLDOIRLDEHUWDSDUDLQYHVWLJDURFDVR/\QFKIH]FDUUHLUDQR FLQHPDGHWHUURULQWHUSUHWDQGRYLO}HVGH¿OPHVFRPR³2(VSDQWDOKR´GHH ³+DOORZHHQ2,QtFLR´GHGLULJLGRSRU5RE=RPELH6HX~OWLPRSDSHOLQWHU SUHWDGRIRLQR¿OPH³7KH/RUGVRI6DOHP´TXHVHUiODQoDGRDWpR¿QDOGHVWHDQR

-LP3DUVRQVR6KHOGRQGH³7KH%LJ%DQJ7KHRU\´H5LKDQQDGXEODUmRRV SHUVRQDJHQVSULQFLSDLVGR¿OPH³+DSS\6PHNGD\´GD'UHDPZRUNV2¿OPH TXHGHYHVHUODQoDGRQR¿PGHVHUiGLULJLGRSRU7LP-RKQVRQFRGLUHWRUGH ³)RUPLJXLQKD]´2URWHLURVHUiHVFULWRSRU7RP-$VWOHH0DWW(PEHUHFRQWDUi DKLVWyULDGHDOLHQtJHQDVTXHVHHVFRQGHPGHLQLPLJRVSHULJRVRVQD7HUUD(VWH QmRVHUiRSULPHLURWUDEDOKRGH5LKDQQDQRFLQHPD(ODHVWUHRXQDVWHODVQHVWH DQRQR¿OPH³%DWWOHVKLS´HGHFODURXTXHJRVWDULDGHVHGHGLFDUPDLVjFDUUHLUD GHDWUL]³9RXSDUWLFLSDUGHDOJXQVIHVWLYDLVQHVWHDQRPDVTXHURID]HUPDLV DOJXQV¿OPHVDQWHVGHYROWDUDID]HUWXUQrV´GLVVHDFDQWRUDHPDEULO

DIVERSĂƒO&ARTE

1

A

epĂ­grafe sugere logo que hĂĄ algo por trĂĄs das palavras de “Sagrada famĂ­liaâ€?, novo livro de Zuenir Ventura. “SĂł dez por cento ĂŠ mentira. O resto ĂŠ invençãoâ€?, dizem os versos de Manoel de %DUURVHPEDUDOKDQGRĂ€FomRH realidade, romance e reportagem, imaginação e memĂłria. É uma mistura instigante que vem acompanhando Zuenir nos Ăşltimos dez anos, o tempo necessĂĄrio para que ROLYURĂ€FDVVHSURQWR2XPDLV apropriado, ĂŠ uma mistura que acompanha o escritor, jornalista e colunista por toda uma vida.

Editado pela Alfaguara, “Sagrada famĂ­liaâ€? jĂĄ chega jVOLYUDULDVQHVWHĂ€PGH semana, mas terĂĄ seu lanoDPHQWRRĂ€FLDOQD)HVWD LiterĂĄria Internacional de 3DUDW\ )OLS QRLQtFLRGHMXlho. A narrativa do romance ĂŠ em primeira pessoa, feita por ManuĂŠu AraĂşjo sobre histĂłrias de seus parentes durante a dĂŠcada de 1940, quando ele era um menino e passava fĂŠrias numa cidade do interior do Estado do Rio. NĂŁo por acaso, Zuenir, hoje FRPDQRVYLYLDHP)ULburgo naquele tempo e tinha SDUHQWHVFRPELRJUDĂ€DVWmR interessantes quanto as de seus personagens. “Este livro ĂŠ uma mistura de memĂłrias: as minhas, as dos outros e as inventadasâ€?, diz Zuenir. “Sempre Ă€]OLYURVVREUHRSDVVDGR mas a partir da memĂłria dos outros. Este ĂŠ o primeiro em que trabalhei com um material que me dava total liberdade. NĂŁo houve nada melhor do que saber que eu poderia inventar Ă  vontadeâ€?. O enredo principal de “Sagrada famĂ­liaâ€? segue as histĂłrias em torno de Cotinha, Leninha e Nonoca, duas primas e uma tia de ManuĂŠu que moravam na Ă€FWtFLDFLGDGHGH)ORULGD No inĂ­cio do livro, as meninas tĂŞm 15 e 14 anos, e tia Nonoca ĂŠ uma “balzaquiana de 37â€?. “Eu a teria descrito hoje como uma bela e excitante mulher, mas aos olhos da ĂŠpoca, e principalmente aos meus, era ou devia ser uma veneranda, respeitĂĄvel senhoraâ€?, esclarece o narrador, logo no primeiro capĂ­tuORDSyVFRQWDUTXHĂ DJUDUD sua tia numa caprichada sessĂŁo de “injeçãoâ€? com um farmacĂŞutico da vizinhança. Pois bem, apesar de a “sagrada famĂ­liaâ€? do narrador ser recordada com uma certa inocĂŞncia, hĂĄ no livro um tom irĂ´nico, um tanto jocoso atĂŠ, sobre as verdades mascaradas pelos mais velhos. SĂŁo inevitĂĄveis, portanto, as comparaçþes com os relatos rodriguianos: picantes, que rompem hipocrisias e mostram o quĂŁo absurda pode

MUITO TEMPO SE PASSOU $XWRUGHFOiVVLFRVGRMRUQDOLVPROLWHUiULR =XHQLU9HQWXUDODQoDRURPDQFHÂľ6DJUDGDIDPtOLDÂś OLYURTXHHOHFRPHoRXDHVFUHYHUKiGH]DQRV ser a realidade. Assim como seu personagem, Zuenir teve primas, uma tia e muitos casos de famĂ­lia a partir dos quais pĂ´de tirar assunto para sua obra. Esse gĂŞnero do romance de memĂłria ĂŠ inĂŠdito em sua carreira. Zuenir ĂŠ reconhecido primordialmente por sua imensa capacidade para apurar e narrar grandes reportagens — alguns amigos jornalistas o chamam, inclusive, de “mestre Zuâ€?. SĂŁo dele livros clĂĄssicos como “1968 — O ano que QmRWHUPLQRXÂľ  H´&LGDGHSDUWLGDÂľ  $PERV GHQmRĂ€FomR Sua Ăşnica incursĂŁo anWHULRUQDSURVDGHĂ€FomR havia sido com “Inveja: mal VHFUHWRÂľ  REUDIHLWD sob encomenda para uma sĂŠrie em que sete autores

sĂŁo riscados, e neles foram usados os nomes verdadeiros dos personagens nos quais o autor se baseou para o livro. O mĂŠtodo, usado em todas as suas obras, serve para que Zuenir possa ter sempre consigo um caderninho, de capa mole, dobrado BIOGRAFIA DE no bolso. Ele ganha ao poder GLAUBER ‘ROUBADA’ escrever em qualquer canto Zuenir começou a escreonde esteja. Mas pode perver “Sagrada famĂ­liaâ€? hĂĄ der no risco. uma dĂŠcada, alternando seu “Em 1984, eu ia fazer tempo com outros trabalhos XPDELRJUDĂ€DGR*ODXEHU que iam surgindo. Tudo Ă  Rocha. NĂłs fomos muito mĂŁo. Seus livros foram priamigos e, depois que ele meiro escritos em cadernos, morreu, conversei com antes de serem passados a muita gente sobre ele. Vialimpo no computador. O atu- jei para Sintra, em Portual romance estĂĄ todo dividi- gal, onde ele viveu, recolhi do em mais de dez cadernimaterial na casa dele, e fui nhos infantis, com bonecos e anotando tudo nos cadernibichos fofos estampados nas nhosâ€?, lembra Zuenir. “AtĂŠ capas. As pĂĄginas sĂŁo raque um dia tive o carro rousuradas, alguns parĂĄgrafos bado em Ipanema. Os caderescreveram sobre os pecados capitais. Mas mesmo ali houve reportagem, em que o prĂłprio Zuenir foi pesquisar sobre a inveja, fato que ele descreve no livro. Com “Sagrada famĂ­liaâ€?, porĂŠm, seu texto segue uma narrativa HVWULWDPHQWHĂ€FFLRQDO

ninhos estavam lĂĄ. Cheguei a botar um anĂşncio no MRUQDOSHGLQGRTXHĂ€FDVVHP com o carro, mas que devolvessem os caderninhos. Perdi dois anos de anotaçþes. )RLXPDIUXVWUDomRLPHQVD HXĂ€FDYDVRQKDQGRFRPR dia em que eles iriam reaparecer. Mas nĂŁo apareceram, HHXQXQFDĂ€]ROLYURÂľ Depois, passado o lançamento de “Sagrada famĂ­liaâ€?, Zuenir nĂŁo sabe ainda qual serĂĄ seu prĂłximo trabalho, mas lembra que muitos casos de sua famĂ­lia ainda estĂŁo guardados no misterioso baĂş da memĂłria. As chances de uma continuação, assim, sĂŁo grandes. Talvez uma parcialmente inventada, talvez uma bastante real. Mas certamente apoiada no talento para contar histĂłrias que Zuenir tem.


2

TribunaIndependente

DIVERSĂƒO&ARTE MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

Festival estudantil Estão abertas as inscriçþes da 16ª edição do Festival Estudantil de Teatro, realizado pelo Sindicato dos Artistas e TÊcnicos em Espetåculos de Diversþes do Estado de Alagoas (Sated-AL). Podem participar grupos teatrais de escolas alagoanas. As inscriçþes terminam no dia 10 de agosto e as informaçþes e documentos necessårios estão no site do Sated-AL: www.satedal.com.br. O festival acontecerå de 4 de setembro a 15 de outubro no palco do Teatro Deodoro. Mais Informaçþes: 8864-2422 / 9915-8817 / 9126-9196. www.satedal.com.br.

GonzagĂŁo Mais um evento junino irĂĄ homenagear o Rei do BaiĂŁo, no centenĂĄrio do “GonzagĂŁoâ€?. Em uma combinação de forrĂł, coco e poesia, o cantor RogĂŠrio Dias apresenta o show ForrĂł ao Coco. Outra atração que vai animar o arrasta-pĂŠ ĂŠ o grupo Cumbuca, marcado por ritmos como o baiĂŁo, forrĂł, xote e bumba-meu-boi. Ainda haverĂĄ comida tĂ­pica, apresentação de quadrilha e dos artistas Eliezer Setton, Demis Santana, Roberta Aureliano, Rudson França e Rodrigo Avelino. O ArraiĂĄ acontece amanhĂŁ, Ă s 22h, no Barroco (JaraguĂĄ, prĂłximo Ă  FAL). Os ingressos custarĂŁo R$ 10. Contato: 8823-9713 ou 8839-0481.

Eek

Banda RastapÊ No próximo domingo, em comemoração ao Dia do Comerciårio, o Sesc oferece o show das bandas Xote.Com e a Banda RastapÊ. O show que Ê gratuito e acontecerå na unidade Sesc-Poço. Jå na segunda-feira, data em que se comemora o Dia do Comerciårio, a unidade Sesc-Guaxuma realizarå uma sÊrie de açþes festivas, a partir das 10h da manhã, dentre elas: apresentação de quadrilhas, torneio de jogos de salão e muito forró com a apresentação da Banda Mô Fio, que serå realizada às 13h. Mais Informaçþes: 0800 284 2440.

A banda Eek farå um novo show, repleto de cançþes novas, no projeto Teatro Deodoro Ê o Maior Barato. A apresentação acontece no dia 26 de junho, às 19h, no Teatro Deodoro. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia), à venda na bilheteria do teatro ou com integrantes da banda. Mais informaçþes: (82) 9316-1537.

Baile dos Pedros

Vermelho e preto

Da Paz

Garça Torta

Muita diversão, forró e comidas típicas. Isso Ê o que promete o São João vermelho e preto, que serå realizado amanhã, no Jaraguå Tênis Clube, a partir das 10h. A festança serå comandada por Wilma Araújo e banda e Trio PÊ de Serra. O buffet serå incluso no preço da festa (que não foi fornecido pelos organizadores).

SerĂĄ realizado no prĂłximo domingo, Dia de SĂŁo JoĂŁo, o “SĂŁo JoĂŁo da Pazâ€?, com apresentação de grupos de guerreiro, quadrilha e coco de roda. A programação WHUiLQtFLRjVKQDSUDoDTXHÂżFDHP frente Ă  Guarda Municipal, no Conjunto Joaquim LeĂŁo, no bairro do Vergel, numa realização do NĂşcleo Cultural da Zona Sul, uma uniĂŁo de diversos grupos e manifestaçþes culturais daquela regiĂŁo de MaceiĂł, que promove diversos eventos e açþes de valorização dos artistas locais.

Quem gosta de São João de arrasta-pÊ poderå encontrar a autêntica música junina hoje, no Quintal Bar e Restaurante, na Praia de Garça Torta. O arrasta-pÊ começa a partir das 20h e ¿FDSRUFRQWDGRV1DYHJDQWHVGR)RUUy e da banda de Pífanos Fulô da Chica Boa. O couvert artístico custa R$ 10, revertidos em consumação de alguns produtos típicos da Êpoca. O Quintal ¿FDQD3UDoD6mR3HGURSUy[LPR ao Restaurante Lua Cheia. Informaçþes: 9939-0391.

A banda Forró da Gente vem diretamente de Caruaru (PE) para animar a tradicional festa Baile dos Pedros, no dia 28 de junho, no Iate Clube Pajussara. Com venda de mesas na secretaria do clube para sócios e não sócios. Mais informaçþes pelos telefones: 3231-8877 e 3231-3842 ou no site www.iateclubepajussara. com.br.

Infantil Depois de percorrer vĂĄrias cidades do Nordeste, o espetĂĄculo infantil “As Aventuras dos TrĂŞs Porquinhosâ€? volta ao palco do Teatro Deodoro no prĂłximo dia GHMXOKRjVK$SHoDpXPDDGDSWDomRGDFOiVVLFDKLVWyULDHGHVFDUWDDÂżJXUDGRORERPDX8PGRVLUPmRVpTXHPVHSDVVDSHORSDSHO$LQWHQção do disfarce ĂŠ ensinar os outros porquinhos a enfrentar o medo. Os atores Moabi Oliveira, Bruno Oliveira e Rey Tito fazem o papel dos porquinhos. A GLUHomRGHDUWHHFHQRJUDÂżDpGH$OEHUWRGR&DUPRHDSURGXomRpGD'XHWXV,QJUHVVRV5H5 HVWXGDQWHVHLGRVRV 9HQGDVQDELOKHWHULDGR teatro e nas lojas To You (MaceiĂł Shopping e Ponta Verde). + Informaçþes: 3034-0930 e 8825-2808. FALE CONOSCO - A Agenda ĂŠ um serviço gratuito de orientação ao leitor. Os interessados em divulgar eventos, shows e exposiçþes podem enviar material atravĂŠs do endereço: tiagenda@hotmail.com

RESUMO DE NOVELAS GLOBO 18h AMOR ETERNO AMOR

Melissa lĂŞ uma notĂ­cia sobre a morte de ZenĂłbio. Clara ensina Michele, Junior e JoĂŁo a se protegerem. Jacira nĂŁo conta para Tobias que fez as fotos como modelo. Regina assina um termo que dĂĄ direito a Valdirene de conviver com 0LFKHOH5LEDPDUÂżFDLQGLJQDGRDRVDEHUTXH Carmem, ZĂŠ e JosuĂŠ abrirĂŁo um bar no edifĂ­cio SĂŁo Jorge. Melissa descobre que Rodrigo farĂĄ um tratamento de regressĂŁo. Rodrigo se surpreende quando seu gato estranha Elisa.

GLOBO 19h CHEIAS DE CHARME

Fabian manda Tom acertar sua participação no show de premiação das Empreguetes. Sandro pede para Alana aviså-lo quando Penha for sair com Gentil. Rosårio obriga Penha a aceitar o convite de Gentil para sair. Sônia se irrita com Sarmento por marcar um jantar com Måslova. Inåcio Ê confundido com Fabian na boate. Otto leva Penha em casa e Alana se surpreende. Fabian e Chayene veem a foto de Rosårio e Inåcio juntos. Sandro confronta Otto ao vê-lo se despedir de Penha.

GLOBO 21h AVENIDA BRASIL

Nina pede mais um tempo para Jorginho. Leleco incentiva TufĂŁo a investir em sua paixĂŁo. Carminha explica para Max que sua saĂ­da da mansĂŁo ĂŠ parte de um plano para reverter a sua situação. Roni acompanha Suelen atĂŠ o hospital, mas ela pede que ele vĂĄ embora. Silas descobre TXH7XImRÂżFRXFRP0RQDOLVD,YDQDHVWUDQKD ao ver Jorginho e Nina conversando. Carminha comunica Ă  famĂ­lia que deixarĂĄ a mansĂŁo com ĂˆJDWD7XImRWHQWDFRQYHQFHU&DUPLQKDDÂżFDU mas ela se mostra irredutĂ­vel. TufĂŁo implora SDUDHODÂżFDUHGL]TXHDDPD

RECORDE 21h MĂ SCARAS

Após o casamento, Otåvio procura por Martim. Eliza apresenta Otåvio a Dinorå. Disfarçados, Laís e Jairo cumprimentam Eliza. Jairo aconselha Eliza a ter cuidado com os falsos amigos. Fausto aponta a arma para Big Blond quando passam pelo segurança. Luma mente SDUD7{QLDD¿UPDQGRHVWDUJUiYLGD3XOJDGL] a Eliza que viu Fausto saindo com Big Blond. Eliza conclui que Big Blond comprou Fausto. Big One ameaça matar Otåvio (Martim) se Big Blond não for pego.


TribunaIndependente

0$&(,Ă?6(;7$)(,5$'(-81+2'( DIVERSĂƒO&ARTE

3

',98/*$d­279&8/785$

FLĂ VIO RICCOFRODERUDomR-RVp&DUDORV1HU\ZZZWZHWWHUFRPĂ€DYLRULFFR

TV TUDO

Record faz teste da OlimpĂ­ada no cinema

Check-in

E

m seu Estúdio A, na sede da Barra Funda, em São Paulo, a Record, na última quarta-feira, realizou testes para exibir parte dos Jogos Olímpicos, entre 27 de julho e 12 de agosto, com tecnologia 3D, em salas de cinema. O sinal de Londres chegou sem qualquer problema, com total aprovação ao modelo de transmissão adotado. (VVHWUDEDOKRGHÀQLGRFRPR3URMHWR2OLPStDGD' basicamente vai funcionar como um programa de esportes, com seus momentos ao vivo e tambÊm VTS, apresentado por Octavio Muniz e Fåbio Sormani. Foi montado um cenårio especial. Vale ressaltar que o programa sempre serå gerado da Record, e transmitido via satÊlite para 20 salas da rede de cinemas CinÊpolis, equipadas com tecnologia 3D. Serão mostradas competiçþes ao vivo de atletismo, natação, mergulho, mergulho sincronizado, ginåstica artística, ginåstica rítmica e trampolim, cerimônias de abertura e de encerramento, entre outras. Mas o futebol em tempo real, não, só momentos em VT, devido a uma sÊrie de impedimentos, que envolvem a Fifa e patrocinadores como a Sony.

$(VSQYDLOHYDUSURÂżVVLRQDLV EUDVLOHLURVSDUDDFREHUWXUDGRV -RJRV2OtPSLFRVGH/RQGUHV -RmR3DORPLQR-RVp7UDMDQR+HOYtGLR0DWWRV0DUFHOR'XDUWH(GXDUGR0RQVDQWR5RJpULR9DXJKDQ $QGUp.IRXUL&RQUDGR*LXOLHWWLH $QGUp3OLKDOHQWUHRXWURV

No mesmo espaço 8PHVW~GLRFRPYLVWDSDUDR HVWiGLRROtPSLFRHVWiPRQWDGR HP/RQGUHVHVHUiFRPSDUWLOKDGR SHODVHPLVVRUDVGD(VSQGR%UDVLO $UJHQWLQD5HLQR8QLGR6LQJDSXUD H(VWDGRV8QLGRV (VSHUDVHTXHWRGDVQDPDLVSHUIHLWDSD]HKDUPRQLD

Delay 2³-RUQDOGR%yULV´GR&DULRFDQR ³3kQLFR´HVWiFRPPDLVGHXPPrV HPHLRGHDWUDVR2RULJLQDO³-RUQDO GD1RLWH´FRP%RULV&DVR\WURFRX RFHQiULRHSDFRWHJUi¿FRDLQGDQR LQtFLRGRPrVSDVVDGR 2VGRLVSURGXWRVVmRGDPHVPD HPLVVRUDeSUHFLVRDWXDOL]DU

É preciso dizer $5HGH79WHPOiRVVHXVSUREOHPDVTXHQmRVmRSRXFRVPDV WDPEpPFRQWDFRPDGHGLFDomRHR WUDEDOKRGHH[FHOHQWHVSUR¿VVLRQDLV 0{QLFD3LPHQWHOHQWUHHOHV$VXD HQWUHJDDRVDVVXQWRVGR$UWtVWLFR FKDPDDDWHQomRGHWRGRV

Estreia no próximo dia 26QRSURJUDPD³&DUWmR]LQKR9HUGH´GD &XOWXUDDHGLomRHVSHFLDO³)HUDVH)HULQKDV´TXHLUiDRDUWRGDVDV WHUoDVIHLUDV$VFULDQoDVOLGHUDGDVSRU&ULVWLQD0XWDUHOOLUHFHEHUmR FRQYLGDGRVGRPXQGRGDERODSDUDIDODUVREUHFDUUHLUDRDWXDO FHQiULRGRIXWHEROHSURMHo}HVSDUDRHVSRUWH2SULPHLURGD¿ODp RH[JROHLUR=HWWL'HSRLVGHOH$GHPLUGD*XLD3HSHH%LUR%LUR DOpPGH6LOYLR/XL]H9ODGLU/HPRV

Protesto

Novo jornal

'LUHWRUHVGDVHPLVVRUDVDÂżOLDGDVGD 5HGH5HFRUGFRPHoDPDSURWHVWDU PDLVYHHPHQWHPHQWHFRQWUDDV VXFHVVLYDVPXGDQoDVQDJUDGHGH SURJUDPDomR ,VWRVHJXQGRHOHVVyWHPFRQWULEXtGRSDUDIUDJLOL]DUDLQGDPDLV DSRVLomRGDHPLVVRUDMXQWRDR S~EOLFRHDQXQFLDQWHV

³$JRUD%UDVLO´pRQRPHGRSURMHWR TXHWDPEpPSRGHYLUDUWtWXORGR QRYRMRUQDOSROLFLDOGR6%7VRQKR GRGRQR6LOYLR6DQWRVDLQGDFRP FKDQFHVGHHVWUHDUQRGHFRUUHU GHVWHDQR2SLORWRIRLJUDYDGRSRU 1HLGH0HGHLURVkQFRUDGR³6%7 %UDVtOLD´H5RJpULR)RUFROHQGR5LR GH-DQHLUR

Forte ruĂ­do $LQIRUPDomRTXHFRUUHQRPHUFDGRpTXHRPDLVDOWRFRPDQGRGD5HGH 5HFRUGHVWijSURFXUDGHQRYRVH[HFXWLYRVSHVVRDOPDLVHVSHFLDOL]DGR SDUDGDUXPMHLWRQDWHOHYLVmR(VVDQRWtFLDMiSURYRFDFHUWDPRYLPHQWDomR QRPHUFDGRSULQFLSDOPHQWHQDVHPLVVRUDVFRQFRUUHQWHV)DODVHLQFOXVLYH QDH[LVWrQFLDGHDOYRVEHPGHÂżQLGRV

Outra da sĂŠrie 6mRSDXOLQRVHFRULQWLDQRVXWLOL]DQGRVHGRTXHDTXLIRLSXEOLFDGR HDSHVDUGDULYDOLGDGHGHPXLWR WHPSRSHORPHQRVQXPDFRLVD VREUH$QGUpV6DQFKH]H-XYHQDO -XYrQFLRHVWmRSHUIHLWDPHQWHGH DFRUGRR$QGUpVSHQVDTXHpGHXV R-XYHQDOWHPFHUWH]DTXHp

A propósito... 1R6%7QmRID]PXLWRWHPSRFHUWR GLUHWRUGDFDVDIRLSURFXUDGRSRU DOJXpPFRPSURMHWRGHSURJUDPD TXHWHQWDYDID]HUDVXDLGHLDFKHJDU DR6LOYLR6DQWRV 2GLUHWRUHVTXLYDQGRVHDFRQVHOKRXDHVWDSHVVRDTXHHODPHVPD SURFXUDVVHSHOR66(DLQGDDFUHVDepois de um SHUtRGRIRUDGRDUSRUFDXVDGRIXWHEROGD(XURFRSDR FHQWRX ³0XLWR0DLV´YROWDUiDVHUDSUHVHQWDGRDSDUWLUGHVHJXQGDIHLUDQD%DQG YRFrSHQVDTXHR6LOYLRpGHXV" Alexandre Frota VHUiRFRQYLGDGRHVSHFLDOGD$GULDQH*DOLVWHX 4XHQDGD'HXVpIXQFLRQiULRGHOH

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br Alça a tiracolo à qual se prende a espada

Š Revistas COQUETEL 2012

Oferta de agĂŞncias de viagens na alta temporada O maior do mundo ĂŠ o Baikal

Classificação da pedofilia Anciã

"Ser" e "ir", quanto à conjugação (Gram.) A arte de manobras de guerra

Difamar; injuriar Ardente; caloroso Tony Blair, ex-premier britânico Oi Elemento de minas de platina

Estado da capital Palmas (sigla) Sufixo de "boiada" "Vinho", em "enofobia"

Abraça (uma causa)

Tipo de cerveja inglesa A pilha "palito" A cor da safira (?) CasĂŠ: apresenta o "Esquenta" (TV)

MolÊstia Maio, em inglês (?) drive, armazenador de dados Projeto social do Governo Dilma Agnaldo (?), cantor brasileiro conhecido por cançþes italianas Agreste; rural

A regência do Padre Feijó (Hist.) Preposição de lugar Mitologia (abrev.)

EstĂĄgio culminante de um processo

Pedro Nava, memorialista mineiro

Primeiro nĂşmero com quatro dĂ­gitos

Prudentes; cautelosas 3/ale — may — pen. 5/anosa. 9/talabarte.

31

Solução P T A C F O T E A D P E F E R I C A S

A L A B A A L U N G O S O O O S A D A E R E N M A O M E Z A N U A Y O L C R M P E S E N S A

V R T E I A R T B M I O C S A A A L N E R O E M G A M I L I N O T A S

BANCO

HORĂ“SCOPO

Ă RIES - (21/3 a 19/4) – Lua e PlutĂŁo estĂŁo opostos e afetam seu setor IDPLOLDUHRSURÂżVVLRQDORTXHUHYHOD XPPRPHQWRGHWHQVmRGHYLGRjV SUHVV}HVGRPHLRHDVLWXDo}HVTXH YRFrQmRSRGHFRQWURODU0DQWHQKD VHFDOPRHQmRÂżTXHQDGHIHQVLYD FRPDVPXGDQoDV1RDPRUHVWi QDKRUDGHVHHPSHQKDUPDLVQD VXDUHODomRDPRURVD'rFDULQKRj VXDFDUDPHWDGHHPRVWUHTXHHVWi GLVSRVWRDOLGDUFRPRVSUREOHPDV TOURO – (20/4 a 20/5) – A WHQGrQFLDpTXHKRMHYRFrWHQKD TXHLQWHUDJLUFRPSHVVRDVFRQWURODGRUDVHLVVRSRGHDEDODUVHX HTXLOtEULRHPRFLRQDOeKRUDGHXVDU DLQWHOLJrQFLDGLDQWHGRVH[FHVVRV GRVRXWURVVHPDFDWDULPSRVLo}HV GHVPHGLGDVPDVVHPGHVDYHQoDV 1RDPRURVDVVXQWRVGRFRWLGLDQR VmRLPSRUWDQWHVPDVpSUHFLVR GLYLGLUXPSRXFRVXDDWHQomR6XD YLGDDPRURVDWDPEpPSUHFLVDGH GHGLFDomRGDVXDSDUWHSDUDTXHVH GHVHQYROYDFRPRYRFrHVSHUD0RVWUHSUHRFXSDGRFRPREHPHVWDUGD SHVVRDDPDGD GĂŠMEOSÂą D ÂąeKRUD GHDJLUFRPWUDQTXLOLGDGHHFRQÂżDQoDSDUDFRQVWUXLUDIHOLFLGDGHTXH YRFrWDQWRTXHUQDVXDUHODomRDPRURVD1mRGHL[HTXHQDGDDWUDSDOKH DKDUPRQLDHQWUHYRFrHDSHVVRD DPDGD0DQWHQKDRERPKXPRU CĂ‚NCERÂą D Âą9RFr SDVVDSRUXPPRPHQWRGHLQTXLHWDo}HVDJUDYDGRSHODLQFRPSUHHQVmRGDVSHVVRDVTXHWHQGHPDQmR UHVSHLWDUHVVDFRQGLomR$WHQVmR HQWUH/XDH3OXWmRSHGHTXHYRFr HYLWHFRPSDUWLOKDUVXDVLGHLDVH VHXVVHQWLPHQWRV3UHVHUYHVH LEĂƒO – (23/7 a 22/8) – Com Lua e 3OXWmRHPRSRVLomRpLQGLFDGRTXH YRFrVHUHFROKDSDUDSRXSDUIRUoDV SRLVJUDQGHVHVWUHVVHVSRGHP VXUJLUGHYLGRDVLWXDo}HVTXHYRFr QmRSRGHFRQWURODU1mRpPRPHQWR GHWRPDUGHFLV}HV)RTXHQRVHX IRUWDOHFLPHQWRHPRFLRQDO1RDPRU VHMDPDLVWUDQTXLORHFRQÂżDQWHDR OLGDUFRPRVSUREOHPDVSHORVTXDLV VXDUHODomRSDVVD0RVWUHTXHHVWi GLVSRVWRDUHVROYrORVHDMDGHPRGR REMHWLYRSUHRFXSDQGRVHFRPR GHVHQYROYLPHQWRGDXQLmR VIRGEM – (23/8 a 22/9) – O moPHQWRpGHGHFLVmRHPVXDYLGD DIHWLYD2VDVWURVOKHLPSXOVLRQDP

DFRQYHUVDUFRPVXDFDUDPHWDGH DÂżPGHDFHUWDURVSRQWHLURVH PHOKRUDURFRQYtYLRHQWUHYRFrV (QIUHQWHRVSUREOHPDVFRPÂżUPH]D FRORFDQGRVHXDPRUHPSULPHLUR OXJDU LIBRA – (23/9 a 22/10) – NĂŁo se GHL[HDEDWHUSRULPSRVLo}HVH[WHUQDVDVVLPFRPRQmRDVVXPDDWLYLGDGHVHPH[FHVVRSDUDTXHYRFr QmRVHGHVFRQWUROHDRUHDOL]DODV$ WHQVmRHQWUH/XDH3OXWmRSHGHTXH YRFrVHLPSRQKDHDSUHQGDDGL]HU QmRTXDQGRSUHFLVR ESCORPIĂƒO – (23/10 a 21/11) – O DQWDJRQLVPRHQWUH/XDH3OXWmR OKHGHL[DFRQIXVRHPUHODomRDRV VHXVVHQWLPHQWRVHHVVDFRQGLomR ÂżFDDSDUHQWHHPVXDVRSLQL}HV SROrPLFDV2PHOKRUpQmRSDUWLFLSDU GDTXLORTXHYRFrQmRDFUHGLWDUHDOPHQWHPHVPRTXHVRIUDSUHVV}HV SAGITĂ RIO – (22/11 a 21/12) Âą(VWiQDKRUDGHLQYHVWLUQD LQWLPLGDGHHQDFULDWLYLGDGHSDUD DSULPRUDUVXDYLGDDPRURVD2V SODQHWDVHPVHXVLJQRLQFHQWLYDP TXHYRFrDWXHSHORVHXHTXLOtEULR HPRFLRQDOWRPDQGRFXLGDGRFRP RTXHGL]HID]TXDQGRRDVVXQWRp amor. CAPRICĂ“RNIO – (22/12 a 19/1) Âą(VWHPRPHQWRVHUiGHGHVJDVWH DRHQIUHQWDURVSUREOHPDVGHVXDV UHODo}HVSHVVRDLV$WHQVmRHQWUH /XDH3OXWmRSHGHTXHYRFrQmRVH VXEPHWDDSHQVDPHQWRVREVHVVLYRV DROLGDUFRPDLQVWDELOLGDGHGRV RXWURV1mRHQWUHQHVVDVLQWRQLD AQUĂ RIO Âą D Âą0RVWUH TXHYRFrHDSHVVRDDPDGDHVWmR QDPHVPDVLQWRQLDVHQGRPDLV FXLGDGRVRFRPVXDVDWLWXGHVQR UHODFLRQDPHQWR6HMDPDLVFDULQKRVRHGHGLTXHPDLVWHPSRDTXHP YRFrWDQWRDPD2VGRLVVyWrPD JDQKDU PEIXES – D 6HXV UHODFLRQDPHQWRVVRFLDLVSDVVDPSRU XPDIDVHGHOLFDGDSRLVRFRQĂ€LWRGH LQWHUHVVHVSRGHFDXVDUDWULWRV&RP /XDH3OXWmRHPDQWDJRQLVPRp PHOKRUTXHYRFrQmRHQWUHQRFOLPD GHFRPSHWLWLYLGDGHRXHPGHEDWHV 0DQWHQKDVHDIDVWDGR1RDPRU RVSODQHWDVHPVHXVLJQRLQGLFDP TXHHVWHpRPRPHQWRGHLQYHVWLUQD VXDYLGDDPRURVD$VGLÂżFXOGDGHV H[LVWHPPDVVHXVDWRVGHYHPVH PDQWHUFRHUHQWHVFRPVHXVVHQWL-

Bate-rebate Â%DEL;DYLHUWDPEpPIRLFRQ¿UPDGD QRHOHQFRGH³-RVp'H(VFUDYRD *RYHUQDGRU´SUy[LPDPLQLVVpULHGD 5HFRUG Â$FRQWUDWDomRGH9DO0DUFKLRULSHOD 5HFRUGIRLLPSRVWDSHODSUySULD GLUHomRGDHPLVVRUD2UGHPTXH YHLRGHFLPD Â$OLQQH0RUDHVDFDEDGHHVWUHDUQR 7HDWUR3RHLUD5LRDSHoD³'RURWHLD´GR1HOVRQ5RGULJXHV Â3URJUDPDGD)iWLPD%HUQDUGHV DSDUWLUGHVHJXQGDIHLUDQRDULUi UHFHEHUGLDULDPHQWHFRQYLGDGRV QDSODWHLD Â$OLiVHPXPDGDVVXDVUHFHQWHV YLVLWDVDR3URMDF:LOOLDP%RQQHUIRL FRQKHFHUGHSHUWRRHVW~GLRHRV FHQiULRVGR³(QFRQWURFRP)iWLPD %HUQDUGHV´ Â([SUHVV}HVWXUFDVVHUmRXVDGDV IUHTXHQWHPHQWHQRVFDStWXORVGH ³6DOYH-RUJH´GD*OyULD3HUH] VXEVWLWXWDGH³$YHQLGD%UDVLO´QD *ORER Â&HUWDPHQWHH\YDOODK¹DWpORJRH EUDYR¹ERPWUDEDOKRHQWUHHODV Â1R6%7HVWiSUDWLFDPHQWHSURQWRR SURMHWRGHXPQRYRWHOHMRUQDOORFDO FXMRPRGHORVHUYLUiSDUDDVPDLV GLIHUHQWHVSUDoDV Â2FRQWUDWRGH5HQDWD'LDV*RPHV FRODERUDGRUDGH,QJULG=DYDUH]]L HP³0DOKDomR´WHUPLQDMXQWRFRPD DWXDOWHPSRUDGD. Â3RUHQTXDQWRHODHD*ORERQmR FRQYHUVDUDPVREUHUHQRYDomR Â2³*ORER(VSRUWH´FRPSRQWRV HDWUDQVPLVVmRGH&RULQWKLDQVH 6DQWRVSHOD/LEHUWDGRUHVFRP GHUDPUHFRUGHGHDXGLrQFLDj *ORERTXDUWDIHLUD

&¡HVWÀQL (PQRWDD79$UDWXD¿OLDGDGR 6%7DQXQFLRXDFRQWUDWDomRGH &DUOD3HUH]¹OHPEUDGHOD"¹SDUD DSUHVHQWDUXPSURJUDPDLQIDQWLO (VWUHLDSUHYLVWDSDUDMXOKR )LFDPRVDVVLP0DVDPDQKmWHP PDLV7FKDX

DE VOLTA

Remanescentes do Jackson Five iniciam nova turnĂŞ

O

s quatro membros remanescentes do Jackson Five iniciaram ontem uma nova turnĂŞ, dias antes do terceiro aniversĂĄrio de morte do irmĂŁo Michael. A turnĂŞ “Unityâ€? começou no cassino Rama, em OntĂĄrio, no CanadĂĄ, e terminarĂĄ no dia 29 de julho num cassino em Snoqualmie, Washington, nos EUA. O grupo passarĂĄ no total por 16 cidades - algumas datas foram canceladas por problemas de agenda -, se apresentando no Apollo Theater, em Nova York, no dia 28 de junho. VĂĄrias combinaçþes dos irmĂŁos – Marlon, Jermaine, Tito e Jackie – se apresentaram atravĂŠs dos anos, entre elas uma aparição especial no concerto “Michael Foreverâ€?, ano passado, mas essa serĂĄ a primeira reuniĂŁo dos quatro desde 1985.

ApĂłs a morte de Michael, eles participaram de um reality show da A&E chamado “The Jacksons: A Family Dynastyâ€?, sobre as tentativas de um retorno aos palcos antes do falecimento do irmĂŁo mais famoso. Jermaine Jackson disse Ă  Associated Press que os ensaios tĂŞm sido difĂ­ceis. “Meus irmĂŁos nĂŁo sabem disso, mas em vĂĄrias oportunidades eu nĂŁo aguentei e chorei durante os ensaiosâ€?, disse ele, “Estava tĂŁo acostumado a ter Michael Ă  direita, antes de Marlon, Jackie e por aĂ­ vai. Nunca vamos nos acostumar a issoâ€?. Ele acrescenta que o grupo fez novos arranjos para adapar os clĂĄssicos do Jackson Five dos anos 1970 a suas vozes hoje. O show deve incluir um tributo a Michael, terminando com a mĂşsica “Gone Too Soonâ€?.


4

DIVERSĂƒO&ARTE

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2012

³$IpHP'HXVQRVID]FUHUQR incrível, ver o invisível HUHDOL]DURLPSRVVtYHO´

Fotos by Chico BrandĂŁo

Inauguração

F

oi bastante concorrida a VROHQLGDGHGHLQDXJXUDomRGR Palato Farol, ocorrida na WHUoDIHLUD2HYHQWRFRQWRXFRPD SUHVHQoDGDPtGLDHVSHFLDOL]DGD DOpPGRJRYHUQDGRU7pR9LOHODH GRYLFH-RVp7KRPD]1RQ{ÂŹ QRLWHIRLDYH]GRS~EOLFRFRQIHULU SHODSULPHLUDYH]XPGRVPDLV LQRYDGRUHVFHQWURGHFRPSUDVH gastronomia da capital. Sucesso QRYRHPSUHHQGLPHQWR

Maria Antonieta

D David e Lívia Pereira, dois amigos empresårios da nova geração, explodem de sucesso com a conhecida Mahogany CosmÊticos, no 2º piso do Shopping Maceió

I

Pedro e Lygia Coutinho, um casal adjetivo, que sempre merecerå a nossa admiração e os nossos aplausos. Pedro foi o aniversariante mais festejado do último dia 20

PavĂŞ mousse de maracujĂĄ

ngredientes: 1 lata de leite condensado, 1 lata de creme de leite sem soro, 1 lata de suco de maracujå concentrado, 1 pacote de biscoito champanhe 180 g. Para o suspiro: 4 claras, 4 colheres de sopa de açúcar. Para a calda: Polpa de 2 maracujås, 1/2 xícara de chå de ågua, 4 colheres de sopa de açúcar. Modo de Preparo: Bater os ingredientes da mousse QROLTXLGL¿FDGRUFRORFDUHPXPDWUDYHVVDEDWHUDVFODUDVHPQHYH FRPRDo~FDUOHYDUDRIRJRRVLQJUHGLHQWHVGDFDOGDGHL[DUUHGX]LU por 10 minutos mais ou menos. Montagem: Sobre a mousse colocar os ELVFRLWRVFRORFDURVXVSLURjVFROKHUDGDV ¿FDPDLVERQLWR OHYDUDR IRUQREHPIRUWHMiDTXHFLGRSRUDPLQXWRVSDUDGRXUDUUDSLGDPHQWH UHWLUDUGRIRUQRFRORFDUDFDOGDHOHYDUSDUDJHODU

O

Biaggio e Kåtia Faracco, dois amigos vips da cidade, sempre marcam presença nas reuniþes mais concorridas do empresariado alagoano

Fios de Cabelo

Tatiana Brasil

Fios de Cabelo bateu recorde no 7UHQG9LVLRQ$ZDUGVOHYDQGR VHLVGXSODVjVVHPLÂżQDLVGRFRQFXUVRGD :HOOD3URÂżVVLRQDLVJDUDQWLQGRSDUWLFLSDomR nas categorias TendĂŞncia Celeste, Roxi e %OD]H2VEHDXW\DUWLVWV)LRVUHSUHVHQWDUmR $ODJRDVQDVHJXQGDIDVHGDHWDSD1RUWH 1RUGHVWHGDPDLRUFRPSHWLomRGHKDLUVW\OLQJPXQGLDOPDUFDGD SDUDGLDGHMXOKRHP5HFLIH&ODVVLÂżFDGRV7HQGrQFLD&HOHVWH 0RQLTXH&DVDGRH$OLQH2OLYHLUD-DQHFOHLGH0DULQKHLURH$GULDQH Pessoa, Cleciane Lima e Belinha Laurentino. TendĂŞncia Roxi: (YHUWRQ)HOL[H5RVH$PDUDO$QGUHVVD0HORH$GULDQD*RQoDOYHV 7HQGrQFLD%OD]H$OLQH)HUUHLUDH'DQLHOH5RFKD

A

FKHI7DWLDQD Brasil ganhou cor de parabÊns pra lå de especial puxado pelo bemamado Thiago Daniel Barros, e pelos pequenos Rodrigo, Nuno e Paula na última semana, pela passagem de PDLVXPQLYHU0DVTXHPSHQVDTXH ela abandonou as caçarolas estå muito HQJDQDGR$EHODTXHpUHVSRQViYHO SHORVXFHVVRGR%XIIHW*RXPHUWHULD DVVLQRXDVGHOtFLDVVHUYLGDVQDUHXQLmR íntima. ParabÊns, querida!

Fotos by Chico BrandĂŁo

U

Toro Loco

C

Baile dos Pedro

RQWDJHPUHJUHVVLYD2 FRPRGRUR0RDF\U$OEXTXHUTXH QRVFRQYLGDQGRSDUDR7UDGLFLRQDO Baile dos Pedro, que acontece no dia 28 de junho, no Iate Clube Pajussara. O baile contarĂĄ com a DQLPDomRGDEDQGD)RUUyGD*HQWH GH&DUXDUX$VPHVDVMiHVWmRj YHQGDQDVHFUHWDULDGRFOXEHSDUD VyFLRHQmRVyFLR,QIRUPDo}HV 3231-8877/3231-3842 ou pelo site: www.iateclubepajussara.com.br.

A

Design

amiga Mårcia Marques nos comunicando a chegada das SHoDVGDQRYD FROHomRQD sua Imaginarium, entre as peças, FXMRGHVWDTXHpDFULDWLYLGDGHHDV cores, a empresåria nos apresenta a linha de porta-retrato nos mais YDULDGRVHVWLORVGHVGHRVFRORULGRV HGLYHUWLGRVDWpRVGLJLWDLV9DOHD SHQDFRQIHULUQRžSLVRGR0DFHLy Shopping.

O

Spettus

HPSUHViULR-XOLmR.RQUDG XOWLPDQGRRVSUHSDUDWLYRVSDUD a reabertura do Spettus de MaceiĂł. A casa serĂĄ instalada dentre de trĂŞs semanas em uma ĂĄrea SULYLOHJLDGDGDFDSLWDO2H[SHUW Humberto Zirpoli toca o projeto de UHDEHUWXUD2QRYR6SHWWXVGHYHUi seguir o estilo da casa na capital SHUQDPEXFDQD%UHYHGDUHPRV mais detalhes.

No Foco

Up To Date

m grupo de especialista EULWkQLFRVHOHJHXXPYLQKR YHQGLGRHPVXSHUPHUFDGR SRUDSHQDVOLEUDV DSUR[LPDGDPHQWH5  como um dos melhores do mundo. Trata-se do espanhol Toro Loco Tempranillo, de 2011, da marca do próprio mercado e que ganhou a PHGDOKDGHSUDWDHPFRPSHWLomR internacional no Reino Unido e que a partir de agosto passa a ser exportado para o Brasil ao preço ¿QDOGH5

epois do sucesso do jantar do Dia dos Namorados, os empresĂĄrios Breno, DedĂŠ e /HRSROGR*DPDYROWDPjURWLQD GHVXFHVVRjIUHQWHGR0DULD $QWRQLHWD$FDVDYLURXSRLQWGD FLGDGHHDWUDLFDGDYH]PDLV clientes pela culinĂĄria excepcional, FDUWDGHYLQKRVSUHPLDGDDOpP de ambiente selecionado. Uma H[FHOHQWHRSomRSDUDHVVHÂżPGH semana.

Sexta UniversitĂĄria

A

Presidente da Kraft Foods Nordeste, Bårbara Miranda, Douglas Cintra (ASPA ) e Danielle Viana gerente da Kraft Foods no lançamento das açþes da Sonho de Valsa em Caruaru

Sapatos com

Q

Andryelle

T

oda mulher tem no guarda-roupa aquele sapato “quebra-galhoâ€?, que ĂŠ companheiro para qualquer RFDVLmRHFDLEHPFRPLQ~PHURV looks. Mesmo com dinheiro de VREUDQREROVRDVIDPRVDVWDPEpP possuem seus queridinhos dos SpVHQmRKHVLWDPHPUHSHWLORV TXDQWDVYH]HVIRUSUHFLVR6HYRFr tem o seu, seja scarpin, peep toe, meia-pata, alĂŠm de sandĂĄlias, a GLFDGDFROXQDpFRQIHULUDVSHoDV GDFROHomRRXWRQRLQYHUQRGD6DSDWLÂżOXVGDDPLJD$QGULHOO\2OLYHLUD ORFDOL]DGDQR0DFHLy6KRSSLQJ

A

Bistrot-CafĂŠ

OLFH9LOHODYHPDtFRPDTXHOH TXHSURPHWHVHURQRYRSRLQW GDFLGDGH$FDVDTXHOHYDR QRPH%LVWURW&DIpÂżFDHP IUHQWHDR/H&RUEXHWHPSURMHWR DUTXLWHW{QLFRDVVLQDGRSHOR respeitado e queridĂ­ssimo Beto &DQDYDUUR-iRFDUGiSLRÂżFRXD cargo de ninguĂŠm menos que a FKHI6LPRQH%HUW$OJXPDG~YLGD do sucesso?

Em famĂ­lia

uerido por todos, o DQLYHUVDULDQWH mais ilustre do ~OWLPRGLDIRL o empresĂĄrio Pedro Coutinho. Figura conhecida pelo seu carĂĄter, Pedro WHYHFRURGH parabĂŠns puxado pela amada /\JLDHSHORVÂżOKRV3HGURpXP ser humano Ăşnico, que merece todas as homenagens que lhe IRUDPSUHVWDGDV$SURYHLWDPRV a oportunidade para desejar ao DPLJRVLQFHURVYRWRVGHVD~GH SD]HPXLWRVXFHVVR3DUDEpQV amigo!

O

XWURTXHULGRTXHWHYHR WHOHIRQHFRQJHVWLRQDGR GHYLGRDPDLVXPDYLUDGDGH FDOHQGiULRIRLRHPSUHViULR &DUORV/\UD1HWRTXHIRLVXSHU SDUDEHQL]DGRQR~OWLPRGLD &HUFDGRSRUIDPLOLDUHVHDPLJRV &DUORV/\UDFHOHEURXDGDWDHQWUH os Ă­ntimos. ParabĂŠns.

Maria Helena Miranda e Moacira Cunha, dois nomes que simbolizam valores quando falamos em negĂłcios, foram destaque em recente acontecimento fashion na Casa Moa

3URÂżVVLRQDOL]DQWH

U

ma das ĂĄreas da economia que mais tem crescido em Alagoas ĂŠ o turismo. E para atender a demanda do mercado as empresas GRPHLRQHFHVVLWDPGHPmRGH REUDTXDOLÂżFDGD9LVDQGRLVVRD Fits, em parceria com o Instituto de 'HVHQYROYLPHQWR3URÂżVVLRQDOGH $ODJRDVRIHUWDFXUVRVGHH[WHQVmR SURÂżVVLRQDOL]DQWHVYROWDGRVSDUDR UDPRGRWXULVPR$VLQVFULo}HVMi HVWmRDEHUWDV$OJXPDVDXODVMiWrP inĂ­cio no dia 23 de junho na Fits.

Caribe brasileiro

A

Copa do Mundo de 2014 estĂĄ chegando e as principais cidades turĂ­sticas do Brasil jĂĄ LQLFLDUDPRVSUHSDUDWLYRVSDUD UHFHEHURPDLRUHYHQWRGHIXWHERO GRPXQGR1R~OWLPRÂżPGH semana, Maragogi, conhecido tambĂŠm como Caribe Brasileiro, VLWXDGRDTXLO{PHWURV da capital MaceiĂł, recebeu o workshop Talentos do Brasil Rural, do MinistĂŠrio do Turismo. AlĂŠm de Maragogi, outros 23 ZRUNVKRSVVHUmRUHDOL]DGRVHP PXQLFtSLRVQRHQWRUQRGDV cidades-sede.

Adidas x Racismo

A

Adidas anunciou em sua pågina do Facebook o lançamento GHXPQRYRWrQLVQDOLQKDRXWRQR LQYHUQR'HVHQKDGRSHOR HVWLOLVWD-HUHP\6FRWW5RXQGKRXVH RFDOoDGRWUD]SXOVHLUDVGHERUUDFKD simulando correntes, que muitos LQWHUQDXWDVYLUDPFRPRXPD UHIHUrQFLDjHVFUDYLGmR$HPSUHVD LQLFLDOPHQWHGHIHQGHXRGHVLJQHU GHVFUHYHQGRVHXHVWLORFRPR ³RULJLQDO´HDOHJUHPDVRIDEULFDQWH DOHPmRHPLWLXXPFRPXQLFDGRRQGH SHGHGHVFXOSDVDRVRIHQGLGRVFRP RFDVRHD¿UPDTXHRPRGHORQmR VHUiFRPHUFLDOL]DGR

A

Lopana

hora do almoço estå chegando... e YRFrMiVDEH o que comer e onde?! O empresårio Eduardo Sales, do Lopana, apresenta uma das especialidades da casa: &DUQHGR6RO/RSDQHVD6mRWLUDV de carne de sol acompanhadas de purê de banana e creme de queijo coalho gratinado. E aí?!

Assine a Tribuna Independente e esta coluna

pelo telefone (82) 3311-1308

Acesse o portal Tribunahoje.com e leia na Ă­ntegra a coluna Top News no Blog Elenilson Gomes

elenilsontopnews@gmail.com

Loop Lounge Club armou SURJUDPDomRSUDOiGHDQLPDGD SUDPDLVXPDHGLomRGD6H[WD 8QLYHUVLWiULD(QWUHDVWUDo}HV (VTXDGUmRGH%DOL0{)LR'M,YR Schelb, alĂŠm de Thiaguinho Pad. Nesta sexta, dia 22. TĂĄ esperando o quĂŞ?

Biodiversidade

A

Rio+20 se encerrou nesta quinta, 21. E, apesar das FRQWURYpUVLDVVREUHRTXHID]HU para garantir medidas que SUHVHUYHPRPHLRDPELHQWHXP GRVGHVWDTXHVGDFRQIHUrQFLD IRLDSURJUDPDomRDOWHUQDWLYD 3RQWRSDUD$ODJRDVTXHHVWHYH UHSUHVHQWDGDSRUDUWHVmRVGR PXQLFtSLRGH)HOL]GHVHUWR &RUXULSH7HRW{QLR9LOHOD 3RUWRGH3HGUDVH8QLmR dos Palmares, na Praça da %LRGLYHUVLGDGH3RUOiRV DUWHVmRGHUDPERQVH[HPSORV GHDo}HVTXHXWLOL]DPSURGXWRV VXVWHQWiYHLVUHWLUDGRVGD 0DWD$WOkQWLFDQDSURGXomRGH artesanato.

A

Niver

semana começou WUD]HQGR DQLYHUVDULDQWHV para lå de ilustres. Neste dia 19 IRLDYH]GRV amigos Edinete *RPHVGH&DUYDOKR+pOLR-RVp do Monte Vasconcelos e o mÊdico 3DXOR/LUDWHUHPVHXVWHOHIRQHV congestionados pelas inúmeras IHOLFLWDo}HVSRUPDLVXPDYLUDGD de calendårio. Pessoas queridas e admiradas de nossa sociedade, RVDQLYHUVDULDQWHVUHFHEHUDP LQ~PHUDVKRPHQDJHQVGHIDPLOLDUHV e amigos. Daqui, nossos mais VLQFHURVYRWRVGHVD~GHSD] VXFHVVRHPXLWDVIHOLFLGDGHV a todos.


Edição número 1476 - 22 de junho de 2012