Page 1

Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no Estado de Minas Gerais Ano III - Edição 35 Tiragem: 5.900

10 de Outubro de 2011

Pressão pelo PCS continua

Servidores de Minas deliberam por novo ato dia 11 e paralisação de 24 horas dia 19 informando que, segundo vários deputados que se pronunciaram na sessão da Comissão de Finanças e Tributação – CFT daquela quarta-feira, a comissão fez um acordo para que no dia 26 de outubro o PL 6613/2009 seja pautado e votado na sessão, independentemente do fechamento de um acordo orçamentário entre os três poderes. O compromisso foi, inclusive, registrado na ata da sessão. Apesar da novidade representar um avanço na luta, a própria Fenajufe recomenda que os sindicatos e servidores mantenham-se alertas e não relaxem a pressão sobre os parlamentares, para que não haja uma desmobilização da categoria.

Erinei Lima

Na última quarta-feira, 5 de outubro, mais de 750 servidores reuniram-se em frente ao Tribunal do Trabalho, na rua Mato Grosso, em Belo Horizonte, para, mais uma vez, dizer em uníssono que não vão desistir de lutar pelo PL 6613/2009, o PCS. Para o ato, os servidores fizeram um “arrastão” nas varas do trabalho chamando os colegas a participarem e decidirem sobre os próximos passos da luta pelo reajuste salarial. Diversos trabalhadores das Justiças Eleitoral e Federal também compareceram à mobilização. Os músicos Rubens Pinheiro (Rubinho) e Henrique Rezende, ambos do TRT, se encarregaram da música. Assim como no ato do dia 29 de setembro, todo o evento foi transmitido ao vivo pela Rádio SITRAEMG – os próximos também serão. Lúcia Bernardes, coordenadora geral do SITRAEMG, abriu o ato cumprimentando os servidores e já alertando para os ataques da mídia e as falsas notícias que visam, em sua opinião, somente desmobilizar a categoria e jogar a população contra as justas reivindicações dos servidores públicos. A coordenadora também chamou a atenção para a entrevista concedida pelo ministro Cezar Peluso, presidente do Supremo Tribunal Federal - STF ao jornal Folha de São Paulo, em 2 de outubro. “Não se deixem levar. O ministro não foi a favor dos servidores; ele somente quis jogar os juízes contra nós. Se ele realmente estivesse do nosso lado, já teria ido conversar com a presidenta (Dilma) sobre o nosso reajuste”, esclareceu Lúcia. Hélio Ferreira Diogo, também coordenador do SITRAEMG, conclamou os companheiros a se juntarem à mobilização e não terem medo de reações negativas dos tribunais. “A greve é um direito que vocês devem exercer sem medo. Não se iludam achando que o PCS vai ser aprovado na Câmara sem pressão da categoria”, avisou. Ainda no dia 5, foi publicada notícia

Deliberações Os servidores presentes também decidiram, por meio do voto, durante o ato público, sobre as próximas atividades de mobilização. Assim sendo, haverá novo ato público na próxima terça-feira, dia 11 de outubro, às 13h, em frente ao prédio do Tribunal Regional Eleitoral – TRE (avenida Prudente de Morais, 100, bairro Cidade Jardim) e outra paralisação de 24 horas na quarta-feira seguinte, 19 de outubro, acompanhada de ato público, desta vez em frente ao prédio da Justiça Federal em Belo Horizonte (avenida Álvares Cabral, 1805, bairro Santo Agostinho), também às 13h. Para os servidores do interior, permanece a orientação de se organizarem em seus locais de trabalho para mostrar sua insatisfação com a intransigência do governo em negociar. O Sindicato pede, ainda, que enviem fotos e informes da mobilização, para divulgação nos veículos da entidade. O e-mail é comunicação@sitraemg.org.br. Ao final do ato público, a diretoria do SITRAEMG informou que, durante este período, os coordenadores do Sindicato estarão se reunindo com as administrações dos tribunais para negociar as paralisações e respaldar o movimento dos servidores.

Quase por unanimidade, os mais de 750 servidores reunidos em frente ao TRT decidiram por mais atos e paralisações

AGENDE-SE: Dia 11 de outubro, terça-feira, às 12h30: Ato Público em frente ao TRE, em Belo Horizonte (Avenida Prudente de Morais, 100, bairro Cidade Jardim) Dia 19 de outubro, quarta-feira: paralisação de 24 horas e Ato Público em frente à Justiça Federal, em Belo Horizonte (avenida Álvares Cabral, 1805, bairro Santo Agostinho), às 12h30

PELA APROVAÇÃO DO PCS NA CFT!

Envie sua carta aos deputados pedindo que aprovem o PL 6613/2009 A Fenajufe e sindicatos da sua base farão pressão para que o PL 6613/09 seja de fato votado na sessão da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados – a CFT, programada para 26 de outubro, conforme notícia já amplamente divulgada. Para reforçar essa mobilização, o SITRAEMG pede aos servidores do Judiciário Federal em Minas que enviem a carta disponibilizada no site a todos os integrantes da CFT pedindo apoio ao projeto de revisão salarial da nossa categoria. Acesse e envie a sua, pelo www.sitraemg.org.br, clicando no banner na coluna da direita. Servidor, essa luta também é sua – participe!

Toninho do Diap faz uma análise sobre o PL 1992/2007 em artigo

Confira informações e fotos sobre a mobilização pelo PCS em todo o estado

Página 2

Página 4 e 5

Programe-se: festa de confraternização do SITRAEMG já tem data

Página 8


JORNAL DO SITRAEMG

Opinião

ANO III - EDIÇÃO 35

PL 1992/07: previdência complementar do servidor em urgência constitucional

Por Antônio Augusto de Queiroz (foto)*

O projeto de lei que institui a previdência complementar e cria o fundo de pensão dos servidores públicos passou a tramitar em regime de urgência constitucional, conforme mensagem da presidenta Dilma enviada ao Congresso, pela qual a matéria deverá ser apreciada em 45 dias sob pena de bloqueio da pauta do plenário. A condução desse tema pelo governo não tem sido das melhores, por várias razões. Em primeiro lugar pela incoerência de reduzir receita e aumentar despesa num momento em que o governo promove um duro ajuste fiscal, com o congelamento do salário de servidores, não contratação de concursados e o adiamento ou suspensão de concursos públicos este ano. Em segundo lugar, pela afronta que a transformação do projeto em lei representa para os servidores públicos, incluindo o modo como a matéria foi conduzida na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público. Em terceiro, porque o governo não se entende sobre o assunto, com uma parte abrindo negociações com os servidores, como no caso da Secretaria-Geral da Presidência, que inclusive realizou seminários conjuntos com o fórum que representa as carreiras exclusivas de estado, o Fonacate, e outra parte, no caso o Ministério da Previdência Social, solicitando urgência para votação do projeto. Em quarto lugar, porque o fundo oferta o pior dos planos de benefícios, que é o de contribuição definida, exatamente aquele cujo risco é todo do participante e a complementação da aposentadoria depende do resultado das aplicações financeiras, sem qualquer solidariedade do patrocinador. Se ao menos garantisse o plano de benefício definido, que assegura ao participante a complementação contratada, inde-

pendentemente de oscilações e crises no mercado financeiro... No momento da aposentadoria, por este plano, o servidor terá assegurada a complementação contratada, ainda que ao longo do tempo tivesse variação em sua contribuição e na do patrocinador, para maior ou para menor. Na Previ do Banco do Brasil, por exemplo, não apenas os funcionários com planos de benefício definido estão há anos sem contribuir, pela excelente situação do plano, como tem recebido parcelas do superávit do fundo. Mas esses funcionários ingressaram na previdência complementar num período em que o marco legal era outro e o patrocinador podia, sem qualquer impedimento, contribuir com quantas vezes quisesse mais que o participante. E em quinto, isto é mais grave, com manipulação de informações. As simulações apresentadas pelo Ministério da Previdência em defesa do projeto, segundo informações seguras, não consideram a paridade de contribuição, de 7,5% do participante e 7,5% do governo. O cálculo apresentado considera 7,5% do governo, como patrocinador, e 11% do servidor público, como participante. Isso não é correto. Se a simulação fosse paritária, com o limite de 7,5% de cada, a complementação seria irrisória. A Anfip – Associação dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil, fez o cálculo com as contribuições paritárias, de 7,5% cada (participante e patrocinador), e chegou à conclusão de que o servidor que contribuir durante 35 anos terá direito a uma complementação de 80% de sua última remuneração, pelo prazo máximo de onze anos. Como em nosso sistema previdenciário as mulheres se aposentam cinco anos mais cedo do que os homens, tanto em idade quanto em tempo de serviço, elas terão que trabalhar pelo menos cinco anos a mais para

Reprodução da internet / CSPB

2

poder usufruir por onze anos do benefício complementar. Se for professora, terá que trabalhar mais dez anos ou receber um benefício complementar insignificante. Em outras palavras, um servidor (homem ou mulher) que se aposentar aos 60 anos de idade e 35 de contribuição só terá sua complementação até os 71 anos, passando, após essa idade, a viver exclusivamente com o benefício do regime próprio, que fica limitado ao teto do INSS, atualmente de R$ 3.689,66. Não bastasse tudo isto, ainda existe a suspeita de que o projeto pode favorecer o mercado financeiro, já que o artigo 15 do substitutivo aprovado na Comissão de Trabalho prevê a contratação de instituições financeiras para administrar a carteira de valores mobiliários, podendo cada contratada aplicar até 40% de todas

as reservas e recursos garantidores do plano de benefício. O projeto, que ainda deveria passar por três comissões – Seguridade; Finanças e Tributação; e Constituição e Justiça – poderá ser votado em plenário a qualquer momento. Se não houver um recuo do governo ou mudanças significativas no texto, a previdência complementar será aprovada com todas essas implicações e porá fim à aposentadoria integral do servidor. *Jornalista, analista político, diretor de documentação do Diap, colunista da revista “Teoria e Debate” e do portal Congresso em Foco, autor dos livros "Por dentro do processo decisório - como se fazem as leis", "Por dentro do Governo - como funciona a máquina pública" e “Perfil, Propostas e Perspectivas do Governo Dilma”.

EXPEDIENTE SITRAEMG - Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no Estado de Minas Gerais •Endereço Rua Euclides da Cunha, 14 - Prado - Belo Horizonte - MG - CEP: 30410-010 •Telefones (31) 4501-1500 ou 0800.283.4302 •Site www.sitraemg.org. br •Diretoria Executiva - Coordenadores Gerais: Adriana Valentino, Hebe-Del Kader Bicalho, Lúcia Bernardes de Freitas; Coordenadores de Finanças: Artalide Lopes e José Francisco Rodrigues; Coordenadores Executivos: Carlos Humberto Rodrigues, Débora Mansur, Fernando Guetti, Hélio Ferreira Diogo, Osmar Souto e Paulo Márcio Santos; Coordenadores Regionais: Aldemar Simões, Eliézer Grangeiro, Iclemir Costa, Líliam de Oliveira, Marisa Campos e Raimundo Alves. •Edição e Reportagens Generosa Gonçalves - Mtb 13265, Gil Carlos Dias - Mtb 01759 e Janaina Rochido - Mtb 13878 •Projeto Gráfico/Editoração Flávio Faustino


JORNAL DO SITRAEMG

ANO III - EDIÇÃO 35

3

Nos dias 4 e 5 de outubro, o SITRAEMG marcou presença em Brasília com mais uma caravana, composta pelos coordenadores Hebe-Del Kader e Débora Mansur, além dos filiados Alírio César Almeida Gomes, Paulo Henrique Patrício e Leonardo Castro de Andrade. Os servidores fizeram um trabalho de corpo a corpo com integrantes da CFT, solicitando-lhes a inclusão do PCS na pauta da sessão de quarta-feira, 5, e o voto pela aprovação. Em contato com o também mineiro Lincoln Portela, líder do PR na Câmara, reivindicaram o apoio dele no sentido de convencer a base aliada do governo a votar pela aprovação do PL 6613/09. Caravanas de vários estados, lideradas pela Fenajufe, conversaram com vários parlamentares, titulares ou suplen-

tes da CFT, pedindo que comparecessem à sessão daquele dia (5 de outubro) e que se esforçassem pela inclusão do projeto na pauta e sua aprovação, já que a matéria aguarda votação na comissão há cerca de um ano e meio. A sessão da CFT acabou não acontecendo pela manhã, pois os deputados foram convocados para outras votações em plenário. Foi, então, transferida para as 14 horas. Ao final, foi selado um acordo segundo o qual o projeto será pautado para a sessão de 26 de outubro. Enquanto isso, o trabalho de mobilização junto ao Legislativo, Judiciário e Executivo prosseguirá, ininterruptamente, assim como a “costura” do acordo entre os deputados da comissão e seus respectivos partidos.

Cedidas pelo servidor Leonardo de Andrade

SITRAEMG mais uma vez presente nas mobilizações em Brasília

Mobilizações nos dias 4 e 5 de outubro

Em 28 de setembro, dia anterior à paralisação de 24 horas em Minas, uma comitiva de servidores mineiros, organizada pelo SITRAEMG, esteve em Brasília (DF) para convencer os deputados da Comissão de Finanças e Tributação (CFT) a votarem e aprovarem o PL 6613/09. A sessão acabou não sendo realizada, por falta de quorum, graças a uma manobra da base governista. Mas o endurecimento do governo, ao contrário do que esperava o Palácio do Planalto, só fez aguçar o ânimo dos servidores para a luta. Imediatamente, eles se espalharam em grupos na Câmara para se mobilizarem junto aos parlamentares da bancada mineira, em defesa do PCS.

Cedidas por servidores

Corpo a corpo também em 28 de setembro

Na capital federal, servidores encontraram-se, dentre outros, com os deputados mineiros Vitor Penido (DEM) e Gilmar Machado (PT)...

... além de participar de sessões da CFT


4

JORNAL DO SITRAEMG

ANO III - EDIÇÃO 35

Paralisação de 24 horas em Minas: b

Atendendo ao apelo do SITRAEMG e conscientes da necessidade de se engajarem na luta pela aprovação do PL 6613/09 e pela garantia do PCS dia 29 de setembro. De forma surpreendente, e demonstrando força e união em torno da causa, quase 1.000 servidores compareceram ao ato púb outubro, com assembleia geral em frente ao prédio do TRT da Rua Mato Grosso. Ao microfone, atuais coordenadores e ex-dirigentes do Sindicato revisão salarial. Em várias cidades do interior - João Monlevade, Monte Azul, São Sebastião do Paraíso, Juiz de Fora, Teófilo Otoni, São João Del tados da bancada mineira. Em Uberlândia, servidores da Justiça Federal, Justiça do Trabalho e Justiça Eleitoral também fizeram pressão sobre d seminário regional sobre a Proposta de Lei Orçamentária Anual (PLOA). Em conversas com os pa Confira as várias fotos da mobilização,

Fotos: Erinei Lima

Ato público em BH, em frente à Justiça Federal – 29 de setembro:

Atos e mobilizações no in

Justiça Federal, Uberlândia

Seminário da CMO em Uberlândia servidores da Justiça Federal

TRT, Divinópolis

TRT, Betim

Justiça Federal, São João Del Rey

Justiça Federal, Varginha

Seminário da CMO em Uberlândia servidores da JT com o deputado Gilmar Machado (PT-MG)

Ato público, São João Del Rey


JORNAL DO SITRAEMG

ANO III - EDIÇÃO 35

5

braços cruzados na Capital e interior

S no orçamento de 2012, servidores do Judiciário Federal de Belo Horizonte e de várias cidades do interior aderiram à paralisação de 24 horas do blico realizado em frente ao prédio da Justiça Federal, na Capital, e, ao final, aprovaram a marcação de nova paralisação de 24 horas, para 5 de o, alertaram os colegas sobre o quadro de dificuldades que se apresenta à categoria nesse momento, nesse espinhoso caminho rumo à tão esperada l Rey, Uberaba, Pouso Alegre, Divinópolis, São Lourenço e outras -, também houve manifestações, reuniões e trabalho de corpo a corpo com depudeputados e senadores integrantes da Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional que estiveram na cidade para participar do arlamentares e em faixas exibidas no local do evento, reivindicaram a inclusão do PCS na proposta. em Belo Horizonte e interior do estado:

Fotos: Erinei Lima

Ato público em BH, em frente à Justiça do Trabalho – 5 de outubro:

Justiça Federal, Pouso Alegre

Justiça Federal, São Sebastião do Paraíso

TRT, Teófilo Otoni

TRT, Monte Azul

Justiça Federal, Divinópolis

Uberaba, com o deputado Aelton Freitas (PTB-MG), ao centro

TRT, João Monlevade

Ato público, Juiz de Fora

Fotos cedidas pelos servidores

nterior – 29 de setembro:


6

JORNAL DO SITRAEMG

TRT

ANO III - EDIÇÃO 35

Erinei Lima

SITRAEMG cumprimenta e leva pleitos à nova presidenta

A presidenta do TRT, desembargadora Deoclécia Amorelli (2ª a partir da esquerda), o juiz auxiliar Orlando Alcântara (de camisa branca) e os coordenadores do SITRAEMG Débora Mansur, Lúcia Bernardes, Hélio Diogo, Marisa Campos e Artalide Lopes

Os coordenadores do SITRAEMG Lúcia Bernardes, Marisa Campos, Débora Mansur, Hélio Ferreira Diogo e Artalide Lopes reuniram-se, em 29 de setembro, com a nova presidenta do TRT, desembargadora Deoclécia Amorelli. Também esteve presente o juiz auxiliar da Presidência, Orlando Tadeu Alcântara. Além de apresentar e levar os cumprimentos da Diretoria Executiva do SITRAEMG à nova direção do TRT, o encontro teve por objetivo começar a dialogar sobre alguns temas de interesse dos servidores da Justiça do Trabalho elencados pelo Sindicato. Foram os seguintes os temas pautados: Remoção; Resoluções nº 153, do TRT, e 83, do CSJT; liberação de filiados para atividade sindical; paralisação da categoria pelo PCS; Portaria nº 03/10 do TRT; solicitação para que com a decisão sobre a retirada da função comissionada com a aplicação das RA(s), os servidores sejam avisados com tempo prévio; descontos do plano de saúde; a volta da jornada de 6 horas; a sobrecarga de trabalho, com audiência até às 22 horas; e falta de servidores em varas como a de Formiga. A seguir, o que foi discutido sobre cada tema pautado:

Liberação de filiados para atividade sindical Lúcia Bernardes falou sobre as paralisações da categoria que estão ocorrendo no momento, pela aprovação do PCS na Comissão de Finanças e Tributação, na Câmara dos Deputados, e pela inclusão da verba para pagamento do plano na Proposta de Lei Orçamentária Anual (PLOA), e, pediu a liberação de servidores para participação em eventos de interesse

da categoria. E, tendo em vista a greve por tempo indeterminado que pode vir a ser deflagrada a partir de meados de outubro, falou-se sobre a importância da negociação das condições para que este direito constitucional não seja lesado. A coordenadora geral do Sindicato solicitou que fosse revista a Portaria nº3/10 do TRT, pois o artigo 2º, em seu parágrafo 2º, retira o direito de greve dos servidores do TRT. A presidenta do TRT se comprometeu a dar atenção à solicitação e dialogar com o Sindicato a respeito do pleito, caso a greve venha a ocorrer.

Remoção

A desembargadora Deoclécia Amorelli afirmou que há grande dificuldade de conseguir servidores interessados em se transferir para cidades do interior, destacando, no entanto, a eficácia dos concursos regionais de remoção. E quando é realizado um concurso é visando à necessidade do serviço naqueles locais. Quanto à remoção no estágio probatório, ela acha muito difícil, uma vez que, se a pessoa foi para aquele local, foi por escolha dela e necessidade do serviço.

Jornada de 6 horas

O SITRAEMG reivindicou o apoio da direção do TRT à luta dos servidores pela jornada de 6 horas, para que eles tenham mais qualidade de vida e mais tempo para se dedicar à família e participar de eventos e cursos visando ao aprimoramento dos conhecimentos profissionais e, assim, possam também oferecer uma prestação jurisdicional mais qualificada e célere. A coordenadora Débora Mansur ficou de protocolar os pedidos junto com estudos e pesquisas realizadas

sobre a saúde de servidores e magistrados do Judiciário Federal brasileiro e os argumentos sobre a importância da redução da carga horária para que a qualidade da prestação jurisdicional seja alcançada juntamente com o bem-estar de quem trabalha. Relembrando o voto do relator Antônio Álvares contrário ao aumento da jornada de trabalho, um dos argumentos apresentados pelo magistrado foi de que o problema da eficácia do Judiciário não é de carga horária e sim de gestão: organizacional, de projetos, processos e pessoas. A coordenadora Débora pediu também que haja espaço para parcerias entre o SITRAEMG e a Administração do TRT em questões que sejam de interesse tanto dos servidores quanto dos cidadãos que se beneficiam dos serviços da Justiça do Trabalho. Falou-se de “fóruns de discussões” e da “mediação” enquanto negociação no (e sobre) o trabalho.

Aviso prévio para retirada da função do servidor Os coordenadores do SITRAEMG chamaram a atenção para o fato de que, sobretudo, depois da implantação da Resolução 63/83 do CSJT, e 153 do TRT/MG, muitos servidores estão perdendo a função sem que lhes avisem previamente sobre isso e sem que tenham clareza quanto aos critérios que estão sendo utilizados. Pediram que os avise, pelo menos, com três meses de antecedência. Os representantes do Tribunal disseram acreditar que, a partir da gestão de cada juiz, esse problema não se repetirá. O coordenador Hélio Ferreira Diogo sugeriu à desembargadora Deoclécia que este assunto seja discutido com a Comissão de Estudos das RA 63 / 83.

Informatização dos Processos

A coordenadora Marisa Campos, que é secretária do foro de João Monlevade, disse perceber diariamente o medo dos servidores em relação à lida com o processo eletrônico. A presidente do Tribunal respondeu-lhe dizendo que a Justiça do Trabalho deverá promover cursos de treinamento para o uso da tecnologia da informação nos processos judiciais.

Plano de saúde Lúcia Bernardes informou à presidente do TRT que os servidores estão reclamando dos R$ 27,90 que estão sendo cobrados em seus contracheques para o plano de saúde Unimed. Queixam-se, afinal, porque tal cobrança nunca foi feita. A resposta foi de que não havia necessidade anteriormente da cobrança e que, agora, há. Quanto ao questionamento sobre a necessidade da cobrança desse valor e à possibilidade de buscar soluções que não onerem o servidor, a presidenta Deoclécia Amorelli informou que o TST tem buscado um plano de saúde que seja nacional, para toda a Justiça do Trabalho.

Vara de Formiga A presidenta disse que já estão estudando como resolver os atuais problemas vividos pelos servidores da Justiça do Trabalho de Formiga, até mesmo por meio de um mutirão, e que, em breve, tudo será resolvido. Ao se despedirem dos representantes do TRT, os coordenadores do SITRAEMG disseram que esperam contar sempre com a abertura para o diálogo entre a Administração do TRT e o Sindicato, pois, a negociação é o primeiro e melhor caminho para que sejam atendidos, nas relações de trabalho, tanto os interesses dos agentes públicos quanto os dos jurisdicionados.

Edital de Convocação Assembleia Geral Extraordinária Os Coordenadores Gerais do SITRAEMG, em conformidade com as previsões contidas nos arts. 13 a 16 do estatuto da entidade, convocam todos os filiados para as Assembleias Gerais Extraordinárias nos dias 11 e 19 de outubro de 2011, às 12h30 em primeira convocação e 13h, em segunda e última chamada, a serem realizadas, respectivamente, em frente ao prédio do Tribunal Regional Eleitoral (Av. Prudente de Morais, 100 – Cidade Jardim – BH) e Justiça Federal (Av. Álvares Cabral, 1805 – Santo Agostinho – BH), para deliberar sobre a seguinte pauta: - Mobilização pela aprovação do PCS. Belo Horizonte, 6 de outubro de 2011. Adriana Corrêa Valentino Hebe-Del Kader Batista Bicalho Lúcia Maria Bernardes de Freitas (Coordenadores Gerais)


JORNAL DO SITRAEMG

ANO III - EDIÇÃO 35

7

Foi em clima de festa, companheirismo e integração com a natureza que foi realizada a reunião mensal de aposentados de setembro, no dia 30. Desta vez, os cerca de 40 filiados aposentados do SITRAEMG reuniram-se no condomínio Cachoeiras do Tangará, no município de Rio Acima, para um dia de caminhadas, passeios pelas cachoeiras do local e confraternização com os colegas. Acompanhando o grupo, estavam a coordenadora de Assuntos de Aposentadoria e Pensão, Artalide Lopes, e as coordenadoras gerais Adriana Corrêa Valentino e Lúcia Bernardes de Freitas. A programação diferenciada agradou em cheio aos aposentados. Os depoimentos comprovam que a mudança de ares foi mais do que aprovada e deveria, inclusive, ser feita mais vezes. Os maiores destaques foram para a promoção da maior integração e conhecimento entre os participantes, o relaxamento da estadia em meio à natureza e a oportunidade de

“esquecer” as más notícias que o governo tem propiciado à categoria. A aposentada do Tribunal do Trabalho em Belo Horizonte, Eliana Maria Ribeiro, achou muito válida a experiência e sugeriu que ela fosse realizada mais vezes ao ano, além de ter gostado de conhecer melhor outros colegas aposentados: “acho que houve mais integração. Acho que isso de comermos todos juntos, caminharmos e colhermos frutas no pé fez com que a gente se aproximasse mais e deixou os colegas mais tranquilos e propensos a falarem mais de si, de suas vidas”, comentou. Para Geraldo Augusto Santos, também aposentado da Justiça do Trabalho na capital, o encontro foi “excelente, coisa que há muito tempo não se via”, elogiou. Santos vai além e aponta que foi um enorme ganho em qualidade de vida passar o dia com os colegas em meio à natureza, ao invés de “sentar para ouvir as notícias sobre o

Foto cedida por Artalide Lopes

Reunião de aposentados em meio à natureza agrada a filiados

Mudança de ares foi aprovada pelos participantes, que destacaram a oportunidade de estar mais próximos dos colegas

qute esse governo tem feito contra os aposentados e servidores”. Ele ainda acrescenta que “essa reunião foi uma coisa diferente, agradável. Foi maravilhoso poder esquecer um pouco disso tudo, porque ficar só preocupado com coisas ruins até diminui o tempo de vida que a

gente tem”, acredita. A programação para a próxima reunião de aposentados, com data prevista de realização para o dia 28 de outubro, ainda não está fechada – assim que houver definição, o SITRAEMG dará ampla divulgação.

Dia do Servidor Público: SITRAEMG comemora com coral e teatro Em comemoração ao Dia do Servidor Público (28 de outubro), o SITRAEMG preparou duas atrações especiais a serem oferecidas em sua sede. No dia 21 de outubro, uma sexta-feira, os servidores poderão conferir, a partir das 19h, uma apresentação do Coral Arte em Canto e, logo após, às 20h, a peça teatral “Doce traição”, de autoria do servidor Lauro Higino da Silva, da Justiça Militar, em Juiz de Fora. A peça, que se passa den-

tro de uma confeitaria, trata das relações humanas do ponto de vista do universo feminino. Após a peça, será oferecido um coquetel aos participantes, que poderão levar acompanhantes ou familiares. Segundo a coordenadora geral e membro da Comissão de Cultura do Sindicato, Adriana Corrêa Valentino, outras atividades para comemorar a data ainda estão sendo preparadas. Fique atento à programação!

Ao lado, poster de divulgação da peça "Doce traição", de autoria de Lauro Higino da Silva, servidor da Justiça Militar em Juiz de Fora

Coral Arte em Canto, do SITRAEMG, participa de encontro de corais O coral formado por servidores, Arte em Canto, que ensaia no SITRAEMG todas as quartas-feiras, está participando de um encontro de corais, programado para os meses de setembro, outubro e novembro. As apresentações são realizadas em Belo Horizonte e região metropolitana. A participação do Arte em Canto, regido pelo maestro Álvaro Rodrigues, será realizada em 29 de outubro, sábado, às 10h, na cidade de Ibirité, na Escola Estadual Pedro Evangelista Diniz, localizada no centro da cidade. Junto ao coral, vão se apresentar

outros corais locais. Segundo os organizadores do encontro de corais, “o intuito do evento é fortalecer o movimento coral por meio do intercâmbio cultural entre grupos da região”. Apesar de serem uma tradição, herança da cultura setecentista mineira, os organizadores acreditam que, atualmente, o movimento “carece de iniciativas que apoiem, estimulem e proponham ações para fortalecer o intercâmbio cultural e promover a troca de experiências, valorizando a diversidade cultural e artística e incentivando novos talentos”.

Novos filiados: bem-vindos!

O SITRAEMG dá as boas-vindas a seus novos filiados:

99Afrânio Silva de Souza - TRT 99Aline Santos Caldeira - JF 99Ana Paula Silva Soares Santos - TRE 99 Antonio Carlos Gonçalves dos Santos - JF 99Beatriz Bueres Batista - TRT 99Claudia Maria Starling Lopes - JF 99Gina Paula da Cunha Nunes - JF 99Glades da Cruz Anastácio - TRT 99Jairo Batista da Silva - TRT

99Juliana Santana Rick - JF 99Luciana de Mello Dumont - TRT 99Luciana Tavares de Paula Criscolo - JF 99 Maria Graziela de Oliveira Figueiredo - TRT 99Paulo Pereira dos Santos - TRE 99Pedro Henrique de Almeida Macedo - TRT 99Rosiane Maria Pereira Garcia - TRE 99 Tatiana Calabria Tahan Sab Guimarães - TRT 99Úrsula Rita Fernandes da Cruz - TRT

Quer se filiar ao SITRAEMG? Acesse nosso site e clique na aba “Filie-se” ou entre em contato pelos telefones (31) 4501-1500 ou 0800-283-4302


8

JORNAL DO SITRAEMG

ANO III - EDIÇÃO 35

Diretores de base: estão abertas inscrições para 2ª turma do curso "Organização nos Locais de Trabalho"

SITRAEMG NA INTERNET

já podem fazer sua inscrição com Cássia ou Margareth, pelo telefone (31) 4501-1500 e 0800-283-4302, ou pelo e-mail falecom@sitraemg. org.br. ATENÇÃO: a confirmação de presença deve ser feita o quanto antes, para fins de transporte e reserva de hospedagem.

Ministro Peluso fala à Folha de SP

Gil Carlos

quanto do interior. O conteúdo programático prevê os seguintes pontos: dificuldades encontradas no envolvimento dos trabalhadores/ as na luta sindical; alienação e sofrimento no trabalho: o “novo conformismo” e os entraves para a partiParticipantes da primeira turma do curso cipação nos movimentos; realizada em 24 de setembro e condições e instrumenRealizado para a primeira turtos para a ação coletiva e a ma de inscritos, no mês passa- organização de base. do (sábado, 24 de setembro), o Cartas-convite a respeito do SITRAEMG abre inscrições para a curso já foram encaminhadas a segunda turma do curso de “Orga- todos os diretores de base para a nização nos Locais de Trabalho”, primeira turma e continua valena ser realizado no dia 22 de outu- do também para a segunda turma, bro, na sede do Sindicato, das 9h alterando-se somente a data do às 18h. O curso é destinado aos próximo, que será o dia 22 outuDiretores de Base, tanto da capital bro. Os interessados em participar

Sobre o palestrante Graduado em Teologia com Pós-Graduação em Ciências Sociais pela Unicamp, Emílio Gennari é educador popular há mais de 22 anos e membro do Núcleo de Educação Popular 13 de Maio. Sindicalista, foi assessor em vários sindicatos de trabalhadores e atualmente é escritor e organizador/coordenador de cursos de Formação Sindical.

Programe-se: Festa de Confraternização será dia 11 de novembro Está agendada para 11 de novembro, sexta-feira, a partir das 21h, a festa anual de confraternização que o SITRAEMG oferece a seus filiados. O local escolhido para este ano é o Clube Labareda, em Belo Horizonte (avenida Portugal, 4020, bairro Itapoã). Como nas edições passadas, os participantes podem esperar muita música e animação para marcar o fim do ano. Para esta edição, a novidade é que não haverá convite impresso a ser distribuído: os interessados em ir deverão confirmar sua presença pelo telefone 0800-283-4302 até dia 5 de novembro, com Adriana Maura – o servidor deverá informar se levará ou não acompanhante à festa. Mas atenção: a apresentação da carteira de identidade será OBRIGATÓRIA. Para mais detalhes, informe-se pelos telefones ou e-mails do SITRAEMG.

Dicas culturais Biutiful (Biutiful)

Divulgação

Direção de Alejandro González Iñárritu – Espanha / México, 2010 – 147 minutos

Javier Bardem: prêmio em Cannes (2010) pela atuação como um homem que precisa preparar sua partida ao se descobrir com um câncer

Alejandro González Iñárritu é um diretor mexicano famoso por sua trilogia formada pelos filmes “Amores Brutos”, “21 Gramas” e “Babel”, no qual ele explora histórias de pessoas comuns (ou nem tanto) que se cruzam em algum momen-

E você, servidor, tem alguma dica interessante? Livro, filme, show ou CD, envie para a gente: comunicacao@sitraemg.org.br to fechando uma narrativa que só pode ser realmente compreendida ao final. Outra característica da direção de Iñárritu é conseguir arrancar delicadeza, de forma muito sutil, de situações que poderiam passar por meros acontecimentos desagradáveis no cotidiano das pessoas – e esse é um recurso muito bem explorado em Biutiful, mais nova produção do diretor, indicada aos Oscar 2011 de melhor filme estrangeiro e melhor ator. Desta vez acompanhamos a vida de Uxbal ( Javier Bardem), um homem que vive da exploração de sua mediunidade e de trabalhos ilícitos no submundo de Barcelona para criar um casal de filhos, cuja mãe tem problemas psicológicos. A vida de Uxbal entra numa espiral quando, após passar semanas sentindo dores, ele vai a um hospital e descobre que tem câncer – e lhe restam apenas alguns meses de vida. A partir daí, todo o drama e desespero

silencioso de Uxbal nos tocam através da atuação brilhante de Bardem, que precisa mostrar a luta de um pai para preparar sua partida de maneira que nada falte a seus dois filhos. No meio desse caminho, Uxbal ainda precisa lidar com seus temores e situações inesperadas envolvendo a mãe de seus filhos e os imigrantes ilegais com os quais trabalha. É interessante notar que em nenhum momento o câncer prevalece sobre o instinto de sobrevivência do ser humano. Para perceber toda a sensibilidade oculta atrás da crueza de Biutiful, o espectador precisa estar atento aos detalhes, especialmente a seus ouvidos: cada pequeno som de uma respiração ou de um cigarro sendo tragado dizem muito sobre as sensações daquele momento. E é isso que conquista a quem assiste ao filme, pois é por meio dessas sutilezas que sofremos e nos preocupamos junto com Uxbal a cada êxito ou tropeço. Trata-se de um filme emocionante, que compensa ser assistido pelo menos duas vezes.

O presidente do Supremo Tribunal Federal - STF, ministro Cezar Peluso, participou do programa “Poder e Política Entrevista”, conduzido pelo jornalista Fernando Rodrigues. A conversa foi realizada no estúdio do Grupo Folha em Brasília, gravada em 30 de setembro de 2011 e publicada no site do jornal em 2 de outubro, domingo. Apesar de ter se declarado a favor do reajuste dos servidores do Judiciário Federal, considerando-o, inlcusive, prioritário frente ao reajuste dos juízes, o ministro Peluso não ajudou muito: a fala provocou protestos dos juízes e ataques às reivindicações dos servidores por meio de declarações dos magistrados na imprensa. Ainda, na opinião de coordenadores do SITRAEMG, essa postura do ministro arrisca as lutas da categoria, posto que traz o risco de uma desmobilização dos servidores. (A íntegra dessa matéria foi publicada no site do SITRAEMG em 03/10/2011).

1º Encontro Estadual do Movimento Mulheres em Luta Foi realizado nos dias 24 e 25 de setembro, com o apoio do SITRAEMG, o 1º Encontro Estadual do Movimento Mulheres em Luta – MML, no qual 117 pessoas reuniram-se na cidade mineira de Mateus Leme para debater temas de impacto direto na vida das mulheres, como machismo, a condição da mulher nos dias de hoje e direitos e políticas para mulheres e demais trabalhadores. Etur Zehuri, aposentada do TRT filiada ao SITRAEMG e ex-diretora da entidade, esteve presente ao evento representando o Sindicato e participou da mesa de abertura. Confira no site do Sindicato a matéria a respeito, pela jornalista do MML, Lívia Furtado, e veja mais informações e detalhes sobre o encontro em www.mulheresemlutamg. blogspot.com. (A íntegra dessa matéria foi publicada no site do SITRAEMG em 03/10/2011).

Jornal do SITRAEMG Nº35_Baixa  

Jornal do SITRAEMG Nº35_Baixa

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you