Issuu on Google+


Marhi Neli

A beleza pantaneira

O corpo feminino mesmo parado Não se preserva em silêncio. Há uma vontade além do próprio corpo Que do corpo se precipita, Semelhante a pequenas luzes No céu escurecido pelo tempo. E que as horas transijam na confluência do desejo, por ser mulher. Sem a pretensão do puritanismo Sem a manifestação da loucura A mulher por si só já desnudada. Todo desejo que no desejo acumula. Ser mulher é ser além do que se toca: Imaginação que exala a flor da aurora. Nilson Marques Jr.



Lobas 4ª edição