Issuu on Google+

>> quinta-feira, 17 de marco de 2011

raggadrops.com.br MSN >> raggadrops@hotmail.com

FOTOS: REPRODUÇÃO

Zines brasileiros são tema de documentário

DVD Rick e Ricardo >> Pokémon Black e White >> Eu sou número quatro >> Masturbação x virgindade

Depois de chegar perto da extinção, essas publicações voltam a ganhar espaço no Brasil Páginas 4 e 5


Ragga agência de comunicação integrada

POR Ricardo Tokumoto

POR Guilherme Torres

Acelera aê!

EM 140 CINCO No sábado, a Cinco vai bombar ao som de muita house music com o trio Audiolike. O projeto é dos DJs Lucas “Yoshi” Rennó, Michel Lara e Rodolfo Brito. Mais: cincoclub.com.br

Celeiro de duplas consagradas na música sertaneja, Minas Gerais já levou para o Brasil nomes como Cesar Menotti e Fabiano, Victor e Leo, Don e Ruan, e já tem nova promessa: a dupla RICK & RICARDO. Os irmãos de Juiz de Fora, que chegaram a BH há três anos, comandam o domingo sertanejo do Clube Chalezinho. Eles já se apresentaram na Granja do Torto, em festa organizada para o ex-presidente Lula. Também arrastaram multidão com o primeiro bloco sertanejo do Rio de Janeiro, o Chora Me Liga, no ano passado e, neste ano, repetiram o sucesso: foram mais de 40 mil pessoas na festa. Agora, eles estão com tudo pronto para a gravação do primeiro DVD, Rick e Ricardo acelerando o Brasil, amanhã, no Mix Garden. “Sair do interior e vir pra uma capital foi um desafio e uma ousadia muito grandes. Tínhamos bons amigos aqui e isso nos ajudou muito. Por isso, em agradecimento a essa cidade, vamos gravar em BH nosso primeiro DVD”, conta Ricardo.    O álbum da dupla será produzido por Dudu Borges e Ivan Myazato, responsáveis pelos trabalhos de Luan Santana, Jorge e Mateus, João Bosco e Vinícius. “O cenário do palco será de última geração, com muitas surpresas durante o show. O repertório do DVD está sensacional, além das músicas que a galera já conhece, como Força da paixão, Loucura, Agora é pra valer. Vamos cantar músicas de grandes compositores”, adiantou Rick. O show será open bar e contará com a participação especial do cantor Emmerson Nogueira, do DJ Siman e do duo Re-construction, que embalarão a pista.

MARRIAH Hoje tem novidade na Marriah, com o projeto Thursday master DJ. Abrindo a temporada, o DJ Tiago Mansur embala a noite com o melhor da e-music. Mais: marriah.com.br SEAL O cantor e compositor britânico Seal passa domingo em BH. Dono de hits famosos como Crazy e Kiss from a rose, ele apresenta o álbum Commitment. Mais: seal.com Interior DETONAUTAS – Arcos Sábado, Detonautas Roque Clube faz show no Olympia Clube, em Arcos. A banda apresenta o quinto álbum, Detonautas acústico, lançado em 2009. Mais: topoweb.com.br

rickericardo.com.br

Onde: Mix Garden // Rua Projetada, 65 – Jardim Canadá Quando: Amanhã, às 23h Outras informações: (31) 3286-3155 Classificação: 18 anos

DIVULGAÇÃO

raggadrops@hotmail.com

(31) 3225-4400

DIRETOR GERAL Lucas Fonda . DIRETOR DE MARKETING E PROJETOS ESPECIAIS Bruno Dib . DIRETOR FINANCEIRO J. Antônio Toledo Pinto . GERENTE DE COMERCIALIZAÇÃO E MARKETING Rodrigo Fonseca . EDITORA Flávia Denise de Magalhães . JORNALISMO Sabrina Abreu e Bruno Mateus . ESTAGIÁRIA DE JORNALISMO Izabella Figueiredo . DESIGN Marina Teixeira, Anne Pattrice, Isabela Daguer e Bruno Teodoro . FOTÓGRAFOS Bruno Senna, Carlos Hauck e Ana Slika . NÚCLEO WEB estagiário Lucas Oliveira . ARTICULISTA Lucas Machado. COLABORADORES Glauco Bertú, Guilherme Torres, Ricardo Tokumoto e Tomaz de Alvarenga

Twitter: @raggadrops

ESTADO DE MINAS >> quinta-feira, 17 de marco de 2011


raggadrops.com.br MANDA O SEU

Confira estas e outras fotos de quem estava lá: raggadrops.com.br FOTOS: CARLOS HAUCK/ESP. EM

NA VELVET CLUB

.......................................... Ana Flávia (18) e Felipe Carnevalli (23) ....................... Maria Luize Martins (20) e Julia Andrade (19) ........... Isadora Teles (20), Julia Carvalho (21) e Kasia Chojnacka (22)

..................................... Juliana Arcanjo (22) e Lua Magalhães (20) ................................................... Alan Parma (21) e Luiza Vianna (20) ............................... Rodrigo Almeida (18) e Cláudio Caetano (18)

.......................................................... Yasmim Melo (18) e Felipe Dias (18) ................................... Sâmela Oliveira (20) e Saulo Carrilho (20) ............................ Izabela Guarino (18) e Gustavo Moreno (18)

................................................. Lucas Zambelli (23) e Rita Cardoso (24) .................. Eduardo Pimentel (25) e Mariana Andrade (21) ................................. Lucas Pascoale (19) e Tiago Dale Borgati (19)


ESTADO DE MINAS >> quinta-feira, 17 de marco de 2011

REDE DE

Depois de quase ser extinto com a chegada da internet, o fanzine vive fase de ouro POR Flávia Denise de Magalhães Você chega em casa, liga o computador e abre o site da sua banda preferida. Lá, você pode conversar com gente do mundo inteiro sobre o quanto vocês adoram a música e como estão animados para a chegada do segundo álbum. Enquanto discute quais serão as influências do artista, entra em um site de esportes e confere como está indo o jogo do seu time em tempo real e comenta com gente do país inteiro. Você abre mais uma aba no navegador e acessa seu Twitter para passar os melhores momentos do jogo e os insights da discussão para seus amigos mais “íntimos”, além de receber links de sites e blogs do mundo inteiro sobre as coisas que você mais gosta. Viver na era da internet definitivamen-

te tem suas vantagens, mas nem todas as coisas boas começaram online. Em uma época em que as revistas de circulação nacional e a TV eram a principal fonte de informações, grupos de adolescentes dos anos 70, 80 e 90 criaram uma rede para trocar indicações de bandas, filmes, quadrinhos e livros. A base dessa rede era o fanzine, uma espécie de revista, normalmente xerocada, criada, escrita, editada e distribuída entre os aficionados por informação. É essa história que conta o documentário Fanzineiros do século passado: capítulo 1, de Márcio Sno. A rede social do fanzine não era tão simples quanto o Twitter. “As dificuldades eram muitas, mas, como não tinha inter-

net, a gente não tinha como fazer a comparação”, explica. “Digamos que a gente ia entrevistar uma banda de Goiânia. Eles mandavam a fita demo por correio, a gente escutava e mandava perguntas por carta. Às vezes eles demoravam um mês para responder”, relata Márcio. Para ele, a grande vantagem da época é que “tudo era feito com mais calor”. Todo mundo que fazia um zine se conhecia. Quando o material era finalmente impresso, o fanzineiro já tinha uma lista de gente que tinha mandado um zine para ele e estava esperando receber o material do cara. Cada cópia virava uma carta social (uma opção do correio, que permite que uma carta de uma página seja enviada por R$ 0,01) e assim elas rodavam o país. Lojas de vinil, fita cassete e CD também participavam no esforço da disseminação da informação. Em cima do balcão ficava o material grátis, mas muitas vezes os vendedores tinham os zines mais elaborados, às vezes impressos na gráfica, para quem

O SEU PRIMEIRO FANZINE Fazer o seu primeiro fanzine é o mesmo que passar por uma espécie de iniciação. Escolher cuidadosamente o material que você quer publicar, procurar as imagens, e brincar com a diagramação são passos divertidos e importantes para quem quer entrar no meio. Confira o nosso tutorial!

ANTES DE COMEÇAR:

A. Escolha um tema.

Sobre o que o seu fanzine vai falar?

B. Decida o número de páginas (8, 12, 16 etc.).

C. Escreva o texto. D. Faça fotos ou

procure imagens em revistas ou na internet.

E. Assim como as

fotos, o texto deve ser impresso. Programas de edição de texto, como o Word, dividem em duas ou mais colunas. Corte a página, separando os parágrafos.

Dobre as páginas ao meio, como uma revista. Enumere as páginas para não se perder.

Com as fotos e o texto já cortados, voc montar o zine. Você pode usar cola ou Cada página pode seguir uma orientação ou vertical), não se preocupe com regra cuidado para não perder a ordem


raggadrops.com.br

tivesse interesse. E, dessa forma, toda uma geração se comunicava. Bandas underground ganharam notoriedade, filmes que não arrecadaram nada nos cinemas faziam sucesso nas locadoras e livros eram emprestados. Isso até que a internet chegou. “Os anos 90 foram uma década paradoxal. A primeira metade foi a época em que foram produzidos mais fanzines no Brasil. Na segunda metade, os zines migraram para os blogs e os e-zines”, explica Márcio.

A VOLTA DOS FANZINES Márcio conta que a ideia inicial era fazer um documentário para registrar depoimentos dessa geração fanzineira, mas, ao longo das filmagens, acabou extrapolando o projeto original ao perceber que a arte que ele julgava morta está retornando. “No último ano rolou um boom na fabricação de fanzines. Isso rola por três motivos. O primeiro é a nostalgia, o pesso-

ZINESCÓPIO (zinescopio.wordpress.com) Tudo começou como uma brincadeira, mas acabou virando projeto sério. Seu criador está dedicando o seu 2011 para digitalizar todos os fanzines em sua coleção. Além disso, recebe material de gente do país inteiro e está criando uma biblioteca de zines.

1º ANUÁRIO DE FANZINES, ZINES E PUBLICAÇÕES (ugrapress.wordpress.com) A ideia é que ele seja um guia completo para editores e leitores de zines. São mais de 120 resenhas, além de entrevistas e matérias sobre o mundo dos zines.

Desmonte o fanzine e tire xerox das páginas. Depois disso é só grampear e distribuir. Quando chegar ao final, lembre-se de escrever o seu contato. Você pode imprimir ou escrever com uma caneta mesmo. Isso é muito importante para que seus leitores e outros fanzineiros possam entrar em contato com você!

Na hora de fazer a capa, o importante é ser criativo. Se você souber desenhar, agora é a hora!

CARLOS HAUCK/ESP. EM

cê começa a u fita crepe. (horizontal as. Só tome m do texto.

al está querendo publicar no formato impresso para poder pegar no papel, brincar com a diagramação. O segundo é o uso do material em sala de aula. Muito professor usa o fanzine como uma forma de incentivar a escrita, fazer um projeto diferente. O terceiro é que o formato em si é bacana. Eu comparo com a volta do vinil. O prazer de pegar o disco e colocar na vitrola”, explicou Márcio. Não faltam novos fanzines. Em fevereiro desse ano, os DJs Lola B, Carol Morena e elCabong lançaram um zine, A bolha, que acompanha uma festa mensal que eles discotecam em Salvador, na Bahia. O rocartê também é novidade na cena brasileira. Surgiu no último ano e está na segunda edição. “O problema é que hoje quem faz o zine lança um agora, e outro não sei quando. Existe uma rede, mas ela ainda está se constituindo, não é tão forte como antes. Talvez daqui a seis meses, um ano, ela possa ser comparada com o que tínhamos antes”, completa.

PARA SABER MAIS

REPRODUÇÃO

E PAPEL


ESTADO DE MINAS >> quinta-feira, 17 de marco de 2011

MONICA QUESADA/REUTERS

POR Tomaz de Alvarenga

@pedreiro_online TER INVEJINHA É COMO OUVIR MAMONAS ASSASSINAS DENTRO DO AVIÃO: PEGA MAL. @PiadasHomer Se um dia a vida lhe der as costas, passe a mão na bunda dela. #PiadasHomer @pecesiqueira Mulher de verdade gosta de caras barbados. Quem gosta de meninos com rosto liso feminino são teens do tipo fãs do Glee.

smashing pumpkins. com

@Deeercy No dia mundial do rim, acho que vou fazer uma boa ação e doar o meu... pra alguém que troque por um Ipad.

GÊNIO DIFÍCIL Conhece Billy Corgan? Hoje ele completa 44 anos e faz parte de uma das maiores e melhores bandas dos últimos 20 anos, o Smashing Pumpkins. Mas tudo tem um preço, e este senhor tem um temperamento complicado, oscilando entre êxtase e depressão, da mesma forma que sua banda (ainda na ativa, apesar de já ter entrado pra história). Depois de uma boa estreia em 1991, com o grunge Gish e ter obtido ótima repercussão dois anos depois com Siamese dream, o grupo deixou o mundo boquiaberto com Mellon collie and infinite sadness (1995). Com 28 músicas que beiram à perfeição, entre muito barulho e a completa

calmaria. Foi o álbum duplo mais vendido da história, com mais de 18 milhões de cópias só nos EUA. Em seguida vieram as brigas, excessos e trocas de integrantes. O grupo lançou o ótimo, triste e subestimado Adore (1998) e se despediu dignamente com Machina: the machines of God, 2000. Desde então, Billy se perdeu. Montou outra banda (Zwan, em 2003, que logo acabou), lançou um álbum solo esquisito em 2005, reatou a banda no decepcionante Zeitgeist (2007) e lançou vários EPs desde então: irregulares, mas com algumas preciosidades que relembram o brilhantismo de outrora. Vale a pena conferir.

@RespostaFail NOME: Matemática FUNÇÃO: diminuir suas notas, somar seus problemas, multiplicar seu tédio e dividir sua vida! @ParecoLegal #PareçoLegal, mas quando passa a vinheta do BBB eu fico: esse foi eliminado, esse tá, já saiu, não saiu. @DeanFacts Quem nunca salvou um documento com o nome de “ashajhha” não sabe o que é preguiça de digitar. @alessandravilas Mudei minha meta de academia. Quero ser Deborah Secco. Carolina Dieckmann is so last season. @CriancaMalvada Nome: Sabrina Sato | Função : – Olá, tudo bem com vocês? @FaroreaI Parabéns! Vc acaba de ser selecionado pra ganhar um iPhone da Apple! = Parabéns! Vc acaba de ser enganado e contemplado com um cavalo de Troia.

POR Glauco Bertú

POR Ricardo Lima

POKÉMON

FOREVER

bit.ly/MonstrosSA2 >> A continuação de Monstros S/A que nunca saiu do papel.

NINTENDO/DIVULGAÇÃO

rada pelos jogadores e habitada por 156 novos bichinhos, além dos 493 já conhecidos. Fora isso, as grandes novidades das novas versões são o sistema de combate revisado e melhorado, além da singela melhoria nos gráficos. O enredo também recebeu um polimento, e agora envolve mais o jogador. Se você tem um Nintendo DS e algum interesse por RPG, sugiro que jogue esse. Pode não mudar sua vida, mas com certeza vale seu tempo e dinheiro.

bit.ly/Willow21 >> O clipe novo da Willow Smith, 21st Century Girl. bit.ly/GwynethCD >> Gwyneth Paltrow vai investir na carreira de cantora. IMAGENS: REPRODUÇÃO DA INTERNET

Se você joga videogames hoje é bem provável que já tenha gasto algumas horas coletando monstrinhos virtuais em seu GameBoy. Na verdade, é difícil achar alguém que nunca tenha jogado alguma das versões de Pokémon, a série de maior sucesso da história dos portáteis. Caso não se lembre, a primeira versão data de 1996, antes mesmo da série animada, e hoje já são mais de 15 edições. Os novos Pokémon Black e White, lançados nos EUA no início de março, seguem a velha fórmula, mas trazem inovações. Desta vez, a aventura ocorre na região de Unova, ainda inexplo-

glo.bo/AngyFacebook >> Angry Birds vai para o Facebook!

bit.ly/XMenAnime >> X-Men vira anime. bit.ly/ScottPilgrim >> Músicas inéditas da banda do Scott Pilgrim.

tudoemgeral.blog.br // @tudoemgeral


raggadrops.com.br MANDA O SEU

Eu sou o número quatro POR Flávia Denise de Magalhães

REPRODUÇÃO

dzai.com.br/blog/livrolivre @bloglivrolivre

Ele é o número quatro, mas a cada mês responde por um nome diferente. Durante o tempo desse livro, ele é John Smith. Um garoto de 15 anos que saiu do seu planeta natal durante uma guerra, junto de nove outros alienígenas e seus guardiões. Cada um recebeu um número e, para que eles tenham proteção, um ancião colocou um feitiço. Eles só podem ser feridos ou mortos se os números que vêm antes deles tiverem morrido. Se eles se juntarem em um só local o feitiço é quebrado. Assim, eles são condenados a uma vida cercada de mentiras na Terra. Porém, o povo mesquinho e cruel que destruiu o seu mundo ainda está à procura dos sobreviventes.

E eles já conseguiram encontrar e matar os três primeiros. John é o próximo, mas, felizmente, seus poderes estão começando a despertar. Será que ele vai conseguir ficar forte o bastante para se defender antes que os vilões o alcancem? O livro foi escrito pelo alienígena Pittacus Lore, mais conhecido no nosso mundo como James Frey e Jobie Hughes. A sequência já está planejada para agosto deste ano, e o filme do livro vai chegar aos cinemas brasileiros em abril. INFO Intrínseca // 352 páginas // R$ 39,90

POR Izabella Figueiredo

Masturbação e virgindade Todo mundo já passou por aquele momento em que descobre que seus órgãos genitais são mais interessantes do que pareciam inicialmente. A masturbação é uma atividade que começa na infância, se intensifica na adolescência e continua por toda a vida. Entretanto, muitos mitos, medos e culpas continuam a assombrar os adolescentes na prática masturbatória: É normal? As mulheres se masturbam? Tira a virgindade? Masturbação consiste na estimulação dos órgãos genitais com o objetivo de proporcionar prazer sexual. Os homens geralmente se masturbam utilizando a estimulação manual do pênis e as mulheres por meio da fricção do clitóris, num movimento de rotação. Algumas pessoas utilizam vibradores, jato d’água ou algum objeto nos órgãos genitais para se masturbar. Porém, cada pessoa tem seu jeito próprio de se masturbar. O ato é um processo de autoconhecimento, pois auxilia na compreensão do corpo, das sensações eróticas, do aprendizado do controle ejaculatório, da descoberta do orgasmo e do enriquecimento dos jogos sexuais. A masturbação não traz qualquer dano à saúde, sendo um ato natural. Homens e mulheres se masturbam e o ato não tira a virgindade. Ela está relacionada ao início das relações sexuais e não com práticas masturbatórias. É importante lembrar que a masturbação é um dos meios de a sexualidade se expressar, sendo uma prática autoerótica, uma fonte de prazer, diversão e descarga de energia. Por isso, deve ser feita de acordo com a vontade e a necessidade de cada um.

Homens e mulheres se masturbam e o ato não tira a virgindade

PELOS CINEMAS AFORA “Era uma vez, numa pequena cidade na floresta, uma menina muito boazinha chamada Chapeuzinho Vermelho. Um dia, a mãe da menina preparou alguns doces que a avó gostava e recomendou a Chapeuzinho que levasse os quitutes para ela: — Filha, vá levar estes doces para a vovó, mas tome cuidado, não pare para conversar com ninguém e não desvie do caminho certo. Há muitos perigos na floresta!” Mesmo que você já esteja cansado de escutar a história de Chapeuzinho Vermelho, não vai conseguir ficar alheio à nova versão do clássico que chega aos cinemas no fim de abril. Intitulado de A garota da capa vermelha, o filme deixa de lado toda a inocência do conto infantil e traz elementos indispensáveis para apimentar qualquer história de suspense: uma paixão, um crime em uma floresta sombria e um lobisomem. Nomes consagrados do longa, como Amanda Seyfried, Gary Oldman e Catherine Hardwicke (a mesma diretora de Crepúsculo) despertam mais curiosidade na trama. Amanda interpreta Valerie, apaixonada por um forasteiro (Peter Shiloh), porém prometida em casamento ao rico Henry (Max Irons). Valerie e Peter planejam fugir, até que tomam conhecimento de que a irmã mais velha de Valerie foi morta pelo lobisomem que vaga pela escura floresta que rodeia o vilarejo onde moram. Depois dessa, só nos resta desejar que o fim de abril chegue logo para podermos conferir o resultado da obra. Imagina se a moda pega e todos os clássicos infantis invadem as telonas? Chapeuzinho Vermelho perdeu sua inocência

WARNER BROS. PICTURES/DIVULGAÇÃO

POR Claudia Marques – Psicóloga/Sexóloga – (31) 3225-0370


raggadrops.com.br

ESTADO DE MINAS >> quinta-feira, 17 de marco de 2011

POR Lucas Paio – Especial para o EM

CHINA

“Acho que a gente estuda demais”, diz Yang Fan, chinesa, 16 anos, sem esconder uma pontinha de cansaço. A rotina de um estudante na China não é moleza. Ela passa o dia na escola – entra às 7h30 e só sai às 17h – e ainda faltam dois anos para prestar o gaokao, o concorridíssimo vestibular chinês. Além de matemática, química, geografia e todas aquelas matérias que você conhece, ela ainda tem política, artes, música, informática, artesanato e duas optativas: este ano ela escolheu oceanografia e cultura do chá, mas a lista é imensa e inclui arquitetura, japonês e até computadores Apple. Yang Fan mora em Pequim, capital do país mais populoso do mundo. “A China tem tanta, mas tanta gente, que temos que estudar o que a sociedade necessita”, explica. Seu plano é cursar medicina na cidade de Nanquim, Leste do país, mas não para trabalhar num hospital qualquer. “Quero ser médica do Exército, que é uma profissão mais dinâmica, mais ativa.” Mas ela não descarta seguir seu outro sonho, que é trabalhar com cinema – ela edita os programas da TV da sua escola e adora. Casar? Só depois dos 30, para não atrapalhar a carreira. Como a maioria dos jovens chineses, Yang Fan não tem irmãos: uma política de controle populacional criada nos anos 1980 deu origem a uma

geração de filhos únicos. Amigos, por outro lado, ela tem de sobra, e vive passeando com eles pelos parques e hutongs (ruazinhas antigas) de Pequim. Quando está em casa, não desgruda do computador e dos sites Renren Network e Sina Weibo, os equivalentes chineses ao Facebook e ao Twitter. Fotografia e cinema são passatempos recorrentes. Pelo menos duas vezes ao mês ela vai assistir à comédias e romances chineses. Mas seu filme favorito vem dos EUA e é o mesmo de muitas adolescentes brasileiras: Crepúsculo. Também curte livros filosóficos e romances históricos, jogar vôlei e patinar em lagos congelados, uma das vantagens do friorento inverno pequinês. Isso quando sobra tempo: este ano, por causa de uma reforma na escola que esticará as férias de verão, Yang Fan tem aula todo sábado. “E geralmente tenho muito dever de casa, então compro uma batatinha e passo o resto do dia comendo e estudando”, diz. Será que, com essa vida tão atarefada, dá vontade de morar em outro lugar? “Não. Gostaria de conhecer a Inglaterra, a Itália, o Canadá, mas quero continuar vivendo na China, onde estão minha família e meus amigos.” Sem falar, é claro, em Han Geng, seu cantor pop predileto: “A mãe dele tem um restaurante aqui em Pequim. Já até encontrei ele lá, ele é muito simpático”, revela, com aquele típico sorriso de fã.

ARQUIVO PESSOAL

PATINAR NO GELO, COMER CHIPS, SAIR COM OS AMIGOS. ESSAS SÃO AS ATIVIDADES PREDILETAS DESSA CHINESA DE 16 ANOS

Perfil:

YANG FAN ( IDADE: 16 anos

ONDE MORA: Pequim, China (mas é natural de Jinan, capital da Província de Shandong, no Leste do país) MAIOR MEDO: assombração RELIGIAO: não tem FILME FAVORITO: Crepúsculo LIVRO FAVORITO: Aquelas histórias da dinastia ming, de Dang Nian Ming Yue ARTISTA PREFERIDO: Han Geng (cantor pop chinês) COMIDA FAVORITA: mantou (pãozinho cozido no vapor) e shaobing (pastel assado chinês)

Brothers e seus 15 minutos de fama Não há como negar que o Big brother Brasil proporciona 15 minutos de fama a todos os seus participantes. Porém, depois do programa, poucos brothers conseguem aumentar de maneira significativa seus 15 minutos. Não estou falando de dinheiro na conta ou coisa do gênero, mas de se manter na mídia de maneira significativa. Grazi Massafera está em alta como atriz e ainda colhe bons frutos com a publicidade. Juliana Alves também segue os mesmos passos. Isso sem contar a irreverente Sabrina Sato, que transforma tudo que faz em ouro.

)

Quem você acha que vai aumentar seus 15 minutos de fama e conquistar o país? Comente no dzai.com.br/blog/analistadobbb


Ragga Drops #160