Page 1

Gazeta Maiquiniquense

A EXPRESSÃO DA REALIDADE Maiquinique-Bahia – Ano III – Edição11 – Fevereiro de 2011 – Tiragem 800 exemplares

ESCÂNDALO! RESULTADO DO CONCURSO DE MAIQUINIQUE GERA POLÊMICA! SUSPEITA DE FRAUDE PODE LEVAR A ANULAÇÃO DO CONCURSO DA PREFEITURA DE MAIQUINIQUE !

Pág. 4

Obras da Prefeitura são abandonadas após eleições

MAIQUINIQUE CONTAS DA PREFEITURA APROVADAS COM DEZENAS DE RESSLAVAS As contas da prefeitura de maiquinique, exercício 2009 recebe parecer do TCM com dezenas de ressalvas deixando o prefeito Jesulino Porto em maus lençóis. Pág. 3

BRASIL NOVO MÍNIMO É APROVADO

iversas obras da prefeitura, tais como a pavimentação de algumas ruas em diversos bairros, instalação de redes de saneamento e a construção de um PSF no bairro Bela Vista estão paralisadas desde Novembro do ano passado, logo após o fim das eleições. Pág. 5

D

Notícias Divulgada nova Lista de multados pelo TCM trazendo novamente, nomes de peso na atual administração, tais como o vereador Luciano Oliveira, o secretário de administração Gimaldo Bispo dos Santos, e os exprefeitos José Francisco de Lacerda (Zé Tupete), e Nemésio Meira Júnior (Meira).

Pag. 3

Social

Com a rejeição de duas emendas que previam reajustar o salário mínimo para R$ 560 (do DEM) e R$ 600 (do PSDB), a Câmara dos Deputados aprovou integralmente, no início da madrugada da última quinta feira (17), o projeto de valorização do mínimo apresentado pelo governo. Pág. 6

MUNDO QUE BOM SERIA SE O EGITO FOSSE AQUI

Pag. 8

SOLIDARIEDADE SAUDADES Funcionários da Lembranças daqueVulcabrás Azaléia les que se foram, dão um verdadeiro mas deixaram um exemplo de solida- legado de fé, esperiedade, união e rança e coragem. consciência social.

Em todo o Egito, dezenas de milhares de árabes enfrentaram gás lacrimogêneo, canhões de água, granadas e tiroteio para exigir o fim da ditadura de Hosni Mubarak depois de mais de 30 anos. Pág. 2


E EDITORIAL

C

GAZETA MAIQUINIQUENSE PÁGINA 2

CRÔNICA DA REDAÇÃO

reio que ninguém, de sã consciência, queira o fracasso da administração municipal, independente de quem seja o prefeito. O que se critica, e deve ser criticado mesmo, são os atos falhos da administração, na esperança de que sejam corrigidos. Cabe ao prefeito, se for homem de visão, analisar as críticas e denúncias e tentar corrigir os problemas, ao invés de se ofender e sair contestando tudo, na base da porrada. Essa tem sido a função do Gazeta, ao longo desses quase 2 anos de circulação. Esse jornal, por sua integridade, impessoalidade e independência conquistou o respeito e a admiração de toda a comunidade de bem de nossa querida cidade. Prova disso é que nesses 4 meses que o jornal não foi lançado recebemos uma enxurrada de mensagens e apelos para que não parássemos com esse grandioso trabalho, e para que déssemos continuidade a esse prestigioso meio de comunicação e entretenimento, afim de que a população tivesse algum veículo de informação o qual pudesse

confiar, por ser independente e não possuir vínculo partidário ou político algum. Em suma, um meio de comunicação livre. Mas aqui estamos, firmes e fortes, de volta ao polêmico cenário político-social de nossa cidade, com nosso compromisso primário que é o compromisso com a verdade e a qualidade da boa informação, visando cada vez mais esclarecer e levar o cidadão Maiquiniquense a uma reflexão acerca dos seus valores políticos, morais e sociais, e assim formar opiniões. Através da nossa linguagem crítica exercemos a nossa cidadania, mostrando aos poderosos que o dinheiro não compra a todos. Nós não nos intimidaremos, não descansaremos, não deixaremos barato, não recuaremos, e sobretudo, continuaremos com o nosso propósito que é fazer Democracia.

QUE BOM SERIA SE O EGITO FOSSE AQUI Pode ser o fim. Ainda que não o fim, todos e mais um pouco os problemas do com certeza é o começo do fim. Em todo o Egito, e isso só a nível de Maiquinique. Egito, dezenas de milhares de árabes enMas o que nos falta e nos é deficiente a frentaram gás lacrimogêneo, canhões de muito é a coragem e a atitude de mudança água, granadas e tiroteio para exigir o fim que aquele povo teve. da ditadura de Hosni Mubarak depois de Apesar de viver trinta anos sob um regime mais de 30 anos. opressor, e só agora acordar e desprenderA indignação de um povo diante de um se dos grilhões que os subjugavam, o Egito regime corrupto decadente e opressivo foi é um exemplo que o Brasil pode e deve se um dos principais ingredientes para que miespelhar. Também já tivemos nosso molhões de pessoas fossem ás ruas e exigissem mento Egito em 92 com os caras pintadas, a saída do ex ditador Mubarak da presidênmas em algum trecho desse caminho nos Manifestante hasteia bandeira do Egito cia de seu país. perdemos, e até hoje não nos encontramos. após vitória da revolução Com as ilegalidades e imoralidaAgora estamos presenciando aqui em nossa des que tem sido cometidas reiteradamente nesta cidade, (e cidade uma das maiores agressões e total falta de respeito ao no país) por agentes públicos de todas as esferas e ramos, cidadão Maiquiniquense, o impedimento do direito de ter ditendo Maiquinique um dos maiores níveis de corrupção de reito. Isso porque, com a falta de transparência e lisura dos toda a Bahia... Me pergunto e pergunto a todos: Porque, resultados do concurso fomos lesados nos nossos direitos pacificamente mas com firmeza, o Egito não pode ser a- mais básicos. E o que, em primeiro momento pareceu que iria qui? Aqui mesmo em nossa cidade, se transformar em uma revolução que iria conscientizar e por em nosso Estado ou em nosso Pa- fim aos desmandos e atrocidades de uma administração púE EXPEDIENTE ís? O que nos falta para agirmos e blica falida, acabou por se calar e se esconder nas conversiGazeta Maiquiniquen- sairmos dessa inércia, desse con- nhas de esquina, ou bares, Blog: Maiquiniquevista.blogspot.com formismo que só nos leva cada vez até se apagar de vez, aE-mail: guardando que fato semegazetamaiquiniquense@hotmail.com mais para o fundo? Acaso não teDiagramação: Rafael de Jesus mos corrupção o bastante aqui em lhante aconteça para novaRedação: Juliano Silveira Maiquinique? Acaso não presenci- mente “sair e se lamentar e Rafael de Jesus Fone: (77) 9117 8584 / 9117 8383 amos diariamente desrespeito e se esconder e se calar”... Rua Hélio Silveira, 27 Bairro União Operária violência aos princípios éticos e Maiquinique-BA morais de nossas famílias? Pois Acorda Maiquinique! sim, caros leitores, possuímos aqui


notícias

GAZETA MAIQUINIQUENSE PÁGINA 3

CONTAS DA PREFEITURA DE MAIQUINIQUE SÃO APROVADAS COM DEZENAS DE RESSALVAS s contas da Prefeitura de Maiquinique, referentes ao exercício de 2009, apresentaram dezenas de ressalvas de acordo o Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM). O Relator do TCM decidiu aprovar, porém com ressalvas as referidas contas, aplicando uma multa de R$ 2.500,00 (DOIS MIL E QUINHENTOS REAIS) ao então prefeito Jesulino Porto. Dentre as várias irregularidades apontadas pelo TCM, está o descumprimento do limite da despesa com pessoal, tendo o prefeito, gasto 56,80% de despesa com pessoal, explicando assim a farra de contratações durante o período eleitoral, existência de déficit orçamentário, demonstrando que o Município gastou mais do que arrecadou; descumprimento da Lei nº 8.666/93 em face da ausência de licitações no valor de

R$ 69.500,00 em casos legalmente exigíveis com combustíveis, publicidade (R$ 69.500,00), fragmentação de despesa de R$ 156.176,83 para fugir ao procedimento com locação de veículos (R$ 119.152,78), medicamentos e material hospitalar (R$ 37.024,05), totalizando R$ 225.676,83 (fls. 678 a 685); Por esses motivos, e vários outros o TCM determinou ao gestor uma série de procedimentos, tais como: Adotar medidas urgentes concernente aos recolhimentos realizados e NÃO REPASSADOS ao INSS de R$ 185.409,89, porquanto deixar de repassar à Previdência Social, no prazo legal, as contribuições recolhidas dos contribuintes, caracteriza ilícito penal tipificado como “apropriação indébita previdenciária”, (Roubo), com as cominações previstas na Lei Federal nº 9.983, de 14 julho de 2000, além de multas por ter mantido os contratados após o período estipulado.

NOVA LISTA DOS MULTADOS PELO TCM

J

unto às contas da prefeitura, contendo dezenas de ressalvas, fora publicada, também, pelo TCM, uma lista dos multados por "incompetência", desvio de verbas públicas, e má aplicação dos recursos públicos. A lista traz, novamente, nomes de peso na atual administração, tais como o vereador Luciano Oliveira, o secretário de administração Gimaldo Bispo dos Santos, e os ex-prefeitos José Francisco de Lacerda (Zé Tupete), e Nemésio Meira Júnior (Meira). O TCM já havia publicado outras listas como esta, e na ocasião o Vereador Luciano Oliveira havia sido multado em 500 Reais. Informação essa que, para o desagrado do nobre vereador, fora publicada nesse Jornal, fato que gerou muita polêmica, deixando o ex-presidente da câmara Municipal furioso, atacando o jornal na bancada da casa legislativa, e em seu boletim informativo. Mas o nobre edil se calou logo que teve resposta a altura. Agora vejam: O vereador não só deixou de quitar a última multa no valor de R$ 500,00, como também recebeu uma nova multa de R$ 800,00. Nisso já passa de 1.300,00 reais as pendências do vereador com o TCM. Dessa vez ele vai ficar 800 reais mais furioso....

LISTA DOS MULTADOS TCM


Notícias

GAZETA MAIQUINIQUENSE PÁGINA 4

RESULTADO DO CONCURSO DE MAIQUINIQUE GERA POLÊMICA!

C

onfirmado os temores das pessoas que participaram do Concurso Público da Prefeitura Municipal de Maiquinique. Boa parte dos quase mil e trezentos concorrentes, não ficaram satisfeitos com o resultado divulgado no último dia 10 desse mês de fevereiro. E as reclamações são muitas por parte da população, e de todas as ordens. Imagine que tem candidatos e candidatas que fizeram o ponto de corte estabelecido pela empresa responsável e não foram aprovados, enquanto outros que alardearam não ter feito a pontuação necessária para aprovação, figuram na lista divulgada como aprovados. E pasmem, numa excelente colocação!!! Atitudes como essas, onde o aprendizado e o esforço pessoal de cada estudante (seja ele jovem, adulto, mãe ou pai de família) são deixadas de lado em função da bandeira partidária ou laço sanguíneo com algum político local, vem causando grande revolta entre os participantes do referido concurso. E isso em toda região de Maiquinique, já que estudantes de muitas cidades circunvizinhas participaram e acreditaram na lisura do concurso. A polêmica tomou proporções ainda maiores, quando um grande número de pesso-

as procuraram a redação desse jornal e o vereador Juliano Silveira, que encabeçaram essa luta, organizando um abaixo assinado que fora preenchido com diversas assinaturas com a finalidade de pedir a revisão dos gabaritos, protocolando esse documento na promotoria da Comarca de Macaraní, levando também ao conhecimento da Ouvidoria do Estado, além de informar os diversos meios de comunicação, tendo sido publicada várias notas em programas como “Que venha o Povo” da TV Aratu, e “Se Liga Bocão” da TV Itapuã. Onde buscarão através de todos esses meios respostas para esse problema. É lamentável que a exemplo de outras cidades onde a Empresa Conpevem atuou como responsável por concursos, o problema vivido por cidades como Jaguaquara, Lauro de Freitas, Correntina, entre outras, venha também acontecer em nossa cidade, tirando o sagrado direito de pessoas honestas que pagaram suas inscrições, estudaram por dias e noites, comparecendo honestamente ao concurso em data e horário pré-estabelecido. A grande dúvida que não cala sobre a população é a seguinte: Por que essa empresa foi escolhida, se antes já se sabia da má fama que a mesma possui ? É lógico que por alguma razão … Com certeza as autoridades tomarão as devidas providências. E que a Justiça prevaleça dando direito a quem tem direito!!!

CONCURSO DE MAIQUINIQUE: PIADA?

I

CONCURSO PÚBLICO E AGORA, QUEM PODERÁ ME DEFENDER?

sso é o que pergunta João Povo, nosso personagem, pobre excluído, pai de família e desempregado. Há anos luta, corre atrás, faz o supletivo e sonha com o concurso público para ser aprovado e se tornar um legítimo funcionário efetivado da cidade que ama. Mas não contava João com o poder instituído que está nas mãos do opressor e cobre o sonho do povo com as asas da injustiça. João Povo incentiva seu filho a estudar e ser uma pessoa digna, acreditando na justiça. Mas o menino não entende porque o pai tirou ótima nota na prova do concurso e foi colocado abaixo de quem tirou nota ruim. E agora? Como explicar para o filho que a justiça não é justa e que quem tirou nota ruim, abaixo do pai, é amigo ou parente da turma dos poderosos (?) portanto é beneficiado pela justiça. Como evitar uma descrença e uma desilusão na cabeça de uma criança que vê o pai sendo excluído em benefício de outros que mesmo sem concurso público já tem seu lugar garantido (?) E para decepcionar ainda mais o filho do João Povo,

quem deveria fiscalizar e denunciar essa injustiça com seu pai batalhador, come na mão do “Grande Alí Babá”. Ora revoltado, Joãozinho questiona: “e o meu pai, também não é um pai de família? Acaso ele não tem tanto direito a ter um emprego efetivo quanto os amigos e parentes do prefeito? Quem são os legítimos funcionários: os que tem a verdadeira convicção de que foram aprovados no concurso ou os que, foram mal e no entanto vão assumir o lugar dos que foram bem? Joãozinho, as respostas todos sabemos mas... quem poderá nos defender(?)


reclame

GAZETA MAIQUINIQUENSE PÁGINA 5

OBRAS DA PREFEITURA ESTÃO PARADAS DESDE ANO PASSADO

O

sonho de ver os problemas urbanos mais freqüentes de nossa cidade resolvidos virou motivo de frustração em Maiquinique. Moradores denunciam que muitas obras iniciadas no ano passado pela Prefeitura estão paralisadas desde dezembro, o que causa transtornos à população. Em alguns casos, o secretário municipal da Cidade, Gimaldo Bispo disse que as obras estão paradas por conta das verbas que ainda não foram liberadas pelo Governo Federal.

Os moradores disseram ainda que os trabalhadores sumiram logo após as eleições. O secretário de administração Gimaldo Bispo diz que a prefeitura está apenas esperando a liberação das verbas para poder retomar os trabalhos.

Pavimentação

O estudante e comerciante Mateus Rodrigues, de 21 anos, ainda lembra o dia em que ouvia a rádio e carros de som nas ruas anunciando com toda a animação demagógica os calçamentos e a construção de um posto de saúde no bairro Bela Vista. “Fiquei empolgado com a valorização do bairro, e da cidade em geral, pois diversas ruas seriam pavimentadas facilitando o transporte, tanto de carros e motos quanto de pedestres”, disse ele. Quase cinco meses depois, entretanto, ele lamenta o prejuízo. “Fico triste ao perceber que uma coisa que poderia beneficiar milhares de Maiquiniquenses facilitando a vida de muita gente tenha sido jogado as traças dessa maneira”. Nossa reportagem esteve em alguns lugares onde as obras estão paradas e conversando com alguns moradores locais esses disseram não ver operários trabalhando desde dezembro. Em algumas localidades eles apenas quebraram a calçada de algumas ruas, e quando chove as enxurradas enche de lama as casas de vários moradores.

O projeto inicial, previa a pavimentação e instalação de rede de esgoto em todo o Bairro Morumbi, mas por questões político-eleitoral esse projeto não foi seguido e a prefeitura saiu fazendo diversas gambiarras em diversos bairros da cidade, na esperança de angariar votos para os candidatos apoiados pelo prefeito na ocasião. O resultado foi diversas obras mal feitas que mais parece bombas relógio pa-

Rua Melquíades Ferraz, recebeu os meio-fios, mas o calçamento ainda é apenas uma promessa.

ra os moradores e futuros gestores, sendo ainda que em um dos casos o próprio secretário afirmou que o prefeito utilizou os recursos da prefeitura para terminar o calçamento de sua rua, ao passo que os cidadãos de bairros como alto da colina, Morumbi e bela vista que moram em ruas que já deveriam ter sido calçadas, são obrigados a conviver com a lama e a poeira. No bairro Belo Vista onde um PSF está sendo construído, mais reclamações: “Pelo visto, ainda vai demorar muito. Após meses de obra parada, apenas dois funcionários trabalham nessa obra que está custando R$ 288.700,00 (duzentos e oitenta e oito mil e setecentos reais).


HUMOR

D

GAZETA MAIQUINIQUENSE PÁGINA 6

O SALÁRIO MÍNIMO

iante das acirradas discussões que tem se desenrolado na câmara dos deputados e no senado federal a respeito do aumento do novo salário mínimo, o Gazeta resolve publicar aqui uma crônica do apresentador e escritor, Jô Soares, que descreve muito bem porque essas discussões em torno do novo mínimo balança tanto os alicerces da nossa atual situação política, econômica e social. “Salário mínimo é tão pequenininho que cabe até no meu bolso. é por isso que ele é chamado de mínimo que quer dizer que menor não tem. Meu pai diz que o salário mínimo é um dinheiro que não serve pra nada, mas na televisão o moço disse que só pode ser isso mesmo, e está acabado. Meu pai quase quebrou a televisão depois que o moço falou. Meu pai anda chamando o salário mínimo de um outro nome, mas eu não vou dizer aqui, porque outro dia eu disse esse nome no recreio e a professora me deixou de castigo. O salário mínimo deve ser muito engraçado porque quando falaram que ele tinha aumentado, lá em casa todo mundo deu risada. Meu pai disse que uma vez um homem que era presidente falou que se ganhasse salário mínimo dava um tiro na cabeça, mas eu acho que ele estava brincando, porque quem ganha salário mínimo não tem dinheiro pra comprar revólver. O meu pai não ganha salário mínimo mas com o que ele ganha também não dá pra comprar muitos revólveres a não ser de brinquedo e só de vez em quando. O meu avô é aposentado. Ele não faz nada mas parece

O

Por: Jô Soares

que já fez. Ouvi dizer que o salário mínimo não aumentou mais por causa dele. Eu não sabia que o meu avô era tão importante. Minha avó não é aposentada. Também, ela é muito velhinha, não dá pra ser mais nada. Lá em casa falaram que com esse salário mínimo não vai dar mais pra comprar a cesta básica. Eu não sei muito bem o que é a cesta básica, mas parece que tem comida dentro. Se for, é só diminuir bastante o tamanho da cesta que aí cabe tudo. Ouvi meu tio desempregado dizendo que tem um livro chamado Constituição, onde está escrito que com o salário mínimo a pessoa tem que comer, morar numa casa, andar de condução, se vestir e uma porção de coisas. Coitado do meu tio. A falta de emprego está deixando ele doidinho. Quando eu crescer não vou querer salário mínimo, mesmo que seja o dobro. Parece que ele é tão pequeno que mesmo que seja o dobro do dobro ele continua mínimo. A minha mesada é muito pequena, mas inda bem que ninguém inventou a mesada mínima, porque com o que minha mãe me dá quase não dá pra comprar figurinha. Pronto. Isso é o que penso do tal salário mínimo. Espero que a professora dê uma boa nota porque ela é muito boazinha e merece ganhar muito mais do que todos os salários mínimos juntos. Só mais uma coisa: se eu fosse presidente da República mudava o salário mínimo para um salário bem grande e chamava ele de salário máximo.

OLHA O CARANGUEJO

s grupos políticos mais tradicionais de Maiquinique, sempre foram apelidados por seus adversários e acabaram assimilando esses apelidos e utilizando-os nas campanhas políticas, a seu favor. No ano de 2004 existiam 2 grupos: os „Sopa rala‟ do atual prefeito Jesulino Porto e os “Panelas Furada” do grupo liderado pelo ex prefeito Nemésio Meira Júnior (Meira). Mais recentemente, dois grupos também receberam seus apelidos: os „Lambaris‟ do líder Adilson Martins e os „Tubarões‟, do prefeito Jesulino Porto. Hoje, ainda persistem os „Lambaris‟ e os „P anel as Furada‟, mas falta um apelido de peso

para o grupo do prefeito Jesulino Porto, pois o que foi dado, „Tubarão e sopa rala‟, não pegou. Ouvindo as bases e os principais adversários do prefeito, alguém me sugeriu um bom apelido:CARANGUEJO, pois só anda para trás, vive enterrado na lama e adora cavar buracos. Uma boa sugestão ! Texto Original: Sudoestehoje.com.br, adaptação Gazeta Maiquiniquense


Políticas

GAZETA MAIQUINIQUENSE PÁGINA 7

FEBEACI 4

S

♪ “É NÓIS É NOIS É NOIS DE NOOVO”♫

era? Qual nada. Já to até duvidando, sabe pessoal. É que de acordo os últimos acontecimentos, a coisa tá ficando difícil para o “circo dos animaizinhos”. Pois tá aí novamente. Aqui estamos mais uma vez com o nosso 4º Febeaci (festival de besteiras que assola a cidade). Até tentamos dar um tempo, mas como a maquininha de fazer besteiras das nossas “otoridades pulíticas” não pára, decidimos que não podíamos mais ficar sem dar

as caras. E foi só anunciar que voltaríamos que os “cocorocas otoridades pulíticas” começaram a se “amostrarem” querendo ganhar um espaço ou uma notinha aqui no Febeaci. Mas nós mudamos. É sim, mudamos. Não queremos mais ficar aqui falando dos mandos e desmandos das Vossas excelências, até mesmo por que nós respeitamos o circo dos animaizinhos. (qualquer semelhança com a realidade é apenas uma infeliz coincidência). Pois bem, mudamos e decidimos que melhor que falar e escrever, é cantar e compor. Já temos até uma bandinha e algumas músicas gravadas. Uma inclusive já é sucesso absoluto e ta na boca do povo. O refrão é o maior sucesso, e a “galera” toda canta. ♪ “VOCÊ PASSOU? PASSEI NÃO! NÃO PASSOU POR QUE? EU NÃO, PASSEI NÃO “BUNECÃO” NÃO DEIXOU NÃO. ”♫ ♪ “VOCÊ PASSOU? PASSEI SIM! PASSOU POR QUE? EU SIM, PASSEI SIM “BUNECÃO” É MEU “PADIM”. ”♫

PORQUE A OPOSIÇÃO É IMPORTANTE.

U

ltimamente tem se discutido muito no Brasil o papel e a importância da oposição, suas funções, seus limites de atuação, sua eficácia e os instrumentos políticos

Na Bahia estamos vendo a mesma situação, uma vez que o governador reeleito, Jaques Wagner (PT) possui a maioria dos deputados na Câmara Estadual, o que o deixou bem a desta. vontade para anunciar esta semaFato é que, seja em um regime na que cortaria mais de 1,1 BiDemocrático, autoritário, conserlhão do orçamento do Estado, vador ou liberal, a oposição tem o agora reflitam; se a educação, a sagrado papel de buscar e proteger segurança, a saúde e a infraos direitos das minorias, exercer estrutura da Bahia que já não ia lá uma real fiscalização sobre os deessas coisas, imagine agora com tentores do poder político (dada à esse arrocho no orçamento. Em Maiquinique a situação paremáxima de Montesquieu no sence ser ainda mais crítica quando tido de que todo aquele que disfalamos em manutenção e divisão põe de poder tem a tendência natural de dele abusar), garantir de poder, uma vez que o prefeito a possibilidade de alternância no governa com quase a totalidade poder e, ainda, o trabalho absoluto dos vereadores, o que gera um de se garantir que o Estado respeiprejuízo enorme para a democrate e preserve, de maneira plena e cia, a ética e a moral política e integral, os direitos fundamentais dos cidadãos. administrativa de nosso município. Na última semana fora aprovado pela Câmara Federal o Quem não se lembra da aprovação por 8 votos a um do nosso novo salário mínimo. Com um aumento de R$ 5,00 código tributário de Maiquinique, o qual dispõe sobre a coreais, o salário mínimo que tinha o valor de 540 reais, a par- brança de impostos para Porto, Ferroporto, Aeroporto Ferrotir de agora será de 545 reais. Essa vergonha se deu por que vias e outras bizarrices mais? Ou então da aprovação por 7 a oposição, que cobrava os valores de R$ 560,00 e R$ votos a 1 para a alienação (venda) da cesta do povo, que a600,00, é minoria na câmara e no senado. Logo, se tivésse- pós denúncias desse jornal e da oposição, continua a ser do mos um equilíbrio de poder em Brasília, ou a oposição fosse município. maioria, mês que vem, nós os pais e mães de famílias estaríPra não citar o vários projetos absurdos que são pautados amos recebendo um salário de R$ 560,00 ou R$ 600,00 re- pela agenda do prefeito e aprovados pela maioria dos vereaais, o que ainda é pouco para se viver em um país como o dores daquela casa legislativa. Seu voto é sua maior arma. nosso, mas é muito melhor que míseros R$ 545,00 reais. Pensem nisso.


COLUNA SOCIAL

GAZETA MAIQUINIQUENSE PÁGINA 8

UMA AULA DE SOLIDARIEDADE esforço pessoal, ou financeiramente, ajudando e procurando sempre melhorar a vida dos mais carentes. Como exemplo, o dia de ação social da Igreja Batista, onde um grande número de fiéis, comerciantes, pessoas comuns, se unem num projeto belíssimo a fim de poder fazer algo de bom para aqueles mais carentes e necessitados. Temos também vários exemplos individuais, como é o caso do professor e educador Adaildo Ferreira, que não mede esforços em está sempre s atividades solidárias fazem parte ajudando aqueles que precisam, seja atrada cultura brasileira, fato este que vés de seu trabalho, ajudando estudantes vem amenizando algumas carências de em concursos, ou através da ajuda pessouma parcela menor da população, po- al, de apóio e amizade àqueles que precirém que reflete, uma característica notá- sam. vel no povo brasileiro. E querendo ou Como exemplos coletivos, gostaria de não, em Maiquinique não é diferente. destacar também, além da já citada Igreja Temos aqui em nossa cidade vários e- Batista, as igrejas Assembléia de Deus, a xemplos de pessoas solidárias, que se Católica, e várias outra comunidades crisimportam com a causa alheia e procura tãs de nossa cidade, que fazem vários sempre, seja com seu trabalho, com seu trabalhos solidários não se cansando

A

JOSÉ MARTINS, O HOMEM CENTENÁRIO no ultimo dia 05 de fevereiro de 2011 F aleceu aos 112 anos e 10 meses de idade, o Sr. Jo-

sé Martins Marques. Nascido no dia 06 de Maio de 1898, seu “Zé Martim” como era conhecido no município de Maiquinique, participou dos três últimos séculos. Casado três vezes deixa como fruto, 19 filhos - dos quais 13 ainda vivos, mais de 50 netos e alguns bisnetos. Com imensa vocação para o trabalho desde muito cedo saiu de sua terra natal, a cidade de Cedro, no Estado de Sergipe. Aos 12 anos aportou acompanhado pelos seus pais pela primeira vez na cidade de Salvador em busca de trabalho. Aos 15 anos, ainda garoto contribuiu de forma significativa como ajudante de pedreiro para a construção da Catedral de ILHÉUS. Em nossa região, foi tropeiro, comerciante e enquanto trabalhador braçal ajudou na construção da estrada que liga Maiquinique a Macarani e Maiquinique ao distrito de Pouso Alegre, além da construção da Igreja Católica do nosso Município e do distrito de Pouso Alegre. Acreditando sempre nos seus sonhos, até os 105 anos era possível vê-lo pelas ruas de nossa cidade exercendo alguma atividade. Assim foi “Seu Zé”, enquanto cidadão; homem de bem cumpridor dos seus deveres, pioneiro e desbravador; trabalhador que muito contribuiu para o desenvolvimento de nossa região. Enquanto pai de família, exemplo de homem simples, de caráter ilibado e conduta irrepreensível. Para o povo de Maiquinique “Seu Zé” deixa uma lacuna que jamais será preenchida; à história caberá, no entanto a eterna preservação da sua memória. Por: Jesmário Jardim

nunca, sempre procurando amenizar a situação de calamidade de muitas famílias, dando comida a quem não a tem, e principalmente oferecendo esperanças e perspectivas de uma vida melhor para muitas pessoas. GOSTARÍAMOS DE PARABENIZAR E DESTACAR AQUI O TRABALHO DE UM GRUPO DE AMIGOS, FUNCIONÁRIOS DA VULCABRÁS AZALÉIA, QUE ATRAVÉS DA SOLIDARIEDADE, DA UNIÃO E DA CONSCIÊNCIA SOCIAL, TÊM SE ENGAJADO CADA VEZ MAIS EM UMA LUTA SOLIDÁRIA, PROCURANDO LEVAR UM POUCO DE CONFORTO, CARINHO, E ESPERANÇA A QUEM PRECISA. ATITUDE ESSA QUE MERECE NOSSO APOIO E ATENÇÃO. PARABÉNS PELA INICIATIVA E PELO BELO EMPLO. CONNTINUEM

A TRAGETÓRIA DE UM VENCEDOR o dia 11 de fevereiro de 2011, Maiquinique ficou N abalada e triste com a perda de mais um filho muito querido: Amon de Jesus Pedroso Santos. Filho de Dona Vera Lúcia Pedroso e do senhor José Gonçalves Santos. Aos 23 anos termina a trajetória de Amon, que ainda muito jovem, aos 13 anos, decide deixar Maiquinique em busca de melhor condição para seus estudos. Daí por diante, apesar dos muitos obstáculos, e das dificuldades financeira muitas vitórias seriam alcançadas, pois sua família e seus verdadeiros amigos não mediam esforços para ajudá-lo. Apesar da pouca idade conquistou muito, e se não fosse a fatalidade de ter sua vida interrompida, conquistaria muito mais. Formado em Ciências da Computação pela UFBA, fora aprovado no vestibular com uma pontuação bastante satisfatória, além de ter ainda outras metas a serem alcançadas. Um filho exemplar, que muito orgulho trouxe aos pais e irmã, um amigo verdadeiro. Dedicação, amor, trabalho duro e honestidade são qualidades que se encaixam facilmente nesse ser. Que sua história de vida, suas lutas e vitórias, sirvam de exemplo para os que começam e para aqueles que pensam em desistir por simples problemas... Por: Gilvanete Pedroso

GAZETA 11ª EDIÇÃO  

11ª EDIÇÃO DO JORNAL GAZETA MAIQUINIQUENSE

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you