Issuu on Google+

Medicina

Vestibular 2012

1ª Jornada de Neurologia e Neurocirurgia

PUC-SP divulga datas

como anatomia em 3D, doenças desmielinizantes, avanços no tratamento de doenças cerebrovasculares, neurointensivismo, hidrocefalia, entre outros, foram ministradas por docentes da FCMS e especialistas da área, como Paulo Diniz, Feres Chaddad e Marcelo Mudo. |pág. 7

A PUC-SP acaba de divulgar as datas do Vestibular Unificado 2012 (Verão). De 10/10 a 10/11 estão abertas as inscrições e a prova se realiza no dia 20/11. A divulgação da primeira chamada ocorre dia 15/12, e as matrículas, dias 19 e 20/12. |pág. 2

Bruna Pretel

A Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde realizou no final de agosto a 1ª Jornada de Neurologia e Neurocirurgia de Sorocaba. O evento, que reuniu cerca de cem pessoas, foi promovido pela Liga de Neurologia da FCMS (foto). Durantes os três dias, aulas com temas

www.pucsp.br Ano 3 • Número 37 2ª quinzena agosto - 2011

Jornal quinzenal da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

65 anos

Aniversário tem a marca PUC-SP Atividades tiveram participação cultural, social, política e educacional Da Redação

No dia 5/8, o Tuca foi sede do lançamento do Comitê Paulista em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável. O objetivo é fortalecer a iniciativa do Comitê Brasil contra o projeto que modifica o Código Florestal Brasileiro. Na ocasião, foram lançados um manifesto e um abaixo-assinado

online contra o projeto de lei, além da campanha Floresta Faz a Diferença (www.florestafazadiferenca. org.br). O evento contou com a presença da ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, do senador Eduardo Suplicy e do ex-ministro da Fazenda Rubens Ricúpero, entre outras personalidades e entidades. |pág. 3

Bete Andrade / DCI

Inclusão Derdic firma nova parceria

Divulgação

Solenidade, hotsite (à esq.) e bolo (à dir.) integraram as comemorações

Alunos surdos e ouvintes ganham oportunidade de estudar juntos Bete Andrade /DCI

“A comemoração dos 65 anos foi emblemática porque, como vem fazendo a PUC-SP ao longo de sua história, abarcou plataformas que vão além dela própria, com saberes compartilháveis, discussões sociais e manifestações políticas”, assim o professor Hélio Roberto Deliberador sintetiza o aniversário da PUC-SP, comemorado em agosto. O docente, pró-reitor de Cultura e Relações Comunitárias, esteve à frente da organização geral do evento. Outra marca dos 65 anos, segundo Deliberador, foi a riqueza de contribuições em relação a materiais que “contassem” a história da Universidade e a maneira como as novas tecnologias puderam intensificar esse processo. “Nosso trabalho, junto com diversos setores, foi para desencadear um processo que não terminasse com a passagem da data da criação da PUC-SP. O hotsite sobre os 65 anos Universidade traz um rico e interessante retrato destas décadas, mas está e continuará aberto a novas intervenções de textos, imagens, áudios, depoimentos, enfim, fragmentos que mostrem como a PUC-SP vem se construindo ao longo de seis décadas. Também é um campo aberto para que façamos as projeções de um futuro iluminado para nossa Universidade”, afirma. Deliberador ressalta, no entanto, que fez questão de organizar um livro junto à Educ para marcar o aniversário da PUC-SP – 65 anos de história, tradição e vanguardismo 1946-2011. “O livro é um objeto emblemático na cultura, na ciência, na história humana e não poderia estar fora dos eventos comemorativos do aniversário dos 65 anos da PUC-SP”, afirma Deliberador, na introdução da obra. A primeira tiragem tem mil exemplares, que vem sendo distribuídos para integrantes de todos os segmentos. O livro traz junto de si um

Meio Ambiente Defesa das florestas ganha comitê

CD, com a íntegra do vídeo sobre a história da PUC-SP (apresentado na solenidade oficial do Tuca) e depoimentos do reitor Dirceu de Mello e do grão-chanceler Dom Odilo Pedro Scherer. “Neste 65º aniversário da PUC-SP, vale recordar que os motivos da sua fundação e existência continuam plenamente válidos, são permanentes e também profundamente motivadores para um constante e dinâmico confronto com sua proposta institucional e acadêmica com a realidade mutante do convívio social, econômico e cultural. A PUC-SP tem a vocação de preparar pessoas e cidadãos com elevada formação

acadêmica e, igualmente, elevado senso moral, a partir de uma visão cristã sobre a pessoa, o mundo e as atividades humanas. [...] Quem escreve o presente capítulo da história da PUC-SP somos todos nós, Comunidade Puquiana!”, afirma Dom Odilo, em seu texto. O livro pode acessado no www. pucsp.br/65anos. Na contracapa do livro, há um CD com um vídeo sobre a PUC-SP, além dos depoimentos de Dom Odilo e do prof. Dirceu. A cobertura completa da programação dos 65 anos você vê nas páginas centrais desta edição. |pág. 4 e 5

Uma parceria entre a Divisão de Educação e Reabilitação dos Distúrbios da Comunicação (Derdic) e o Colégio Luiza de Marillac (campus Santana da PUC-SP) vem beneficiando estudantes surdos desde 2010. A parceria permite que estudantes da Escola Especial de Educação Básica da Derdic (que oferece até o 9º ano do ensino fundamen-

tal) possam dar continuidade aos seus estudos no Marillac, em meio a alunos ouvintes. O Marillac foi o primeiro colégio particular da região a aceitar alunos surdos. Atualmente, o projeto atende três alunos surdos, que cursam a primeira série do ensino médio – a idéia é ampliar o projeto a cada ano. |pág. 3

Universidades Católicas Reitor integra congresso mundial O reitor Dirceu de Mello e o chefe de gabinete Cláudio José Pereira representaram a PUC-SP no Congresso Mundial de Universidades Católicas. O evento foi realizado na Universidade Católica Santa Teresa de Jesus de Ávila (Espanha), entre os

dias 12 e 14/8, e reuniu mais de 540 participantes, de 200 universidades e instituições educativas e religiosas de 41 países. Confira na próxima edição do jornal PUC em Notícias mais detalhes sobre o evento e a participação da PUC-SP.


Micro, pequenas e médias empresas Os profs. Windsor Espenser Veiga e Fernando de Almeida Santos (Ciências Contábeis) lançam o livro Contabilidade com ênfase em Micro, Pequenas e Médias Empresas (Editora Atlas). www.pucsp.br

02 Direito

O evento contou com presenças de peso na área, como a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, o senador Eduardo Suplicy, o ex-ministro da Fazenda Rubens Ricupero, o físico e ex- presidente da SBPC José Goldemberg, além de representantes da CUT, OAB e MST, entre outros. As lideranças destacaram a importância da mobilização dos vários setores da sociedade para sensibilizar o Senado a votar contra as alterações do Código Florestal, ressaltando ainda as implicações para o Brasil e para o mundo caso essas alterações sejam sancionadas. Boa leitura!

2ª quinzena de agosto - 2011 Grão-Chanceler: Dom Odilo Pedro Scherer Reitor: Dirceu de Mello Vice-reitor: Antonio Vico Mañas Pró-Reitores: André Ramos Tavares (Pós-Graduação) Haydee Roveratti (Educação Continuada) Hélio Roberto Deliberador (Cultura e Relações Comunitárias) José Heleno Mariano (Planejamento, Desenvolvimento e Gestão) Marina Graziela Feldmann (Graduação) Chefe de Gabinete: Claudio José Langroiva Pereira Diretora da Divisão de Comunicação Institucional: Eveline Denardi (MTb 27.655) Editora: Thaís Polato (MTb 30.176) Reportagem: Bete Andrade Eveline Denardi Priscila Lacerda Thaís Polato Thiago Pacheco Assistente-administrativa: Vera Lucas Projeto Gráfico e Editoração: Núcleo de Mídias Digitais Impressão: Artgraph Tiragem: 2 mil exemplares Redação: Rua Monte Alegre, 984, sala T-34 Perdizes, São Paulo, SP CEP 05014-901 Tel.: (11) 3670-8196 E-mail: comunicacao@pucsp.br

Pensar que o capitalismo possa andar lado a lado com o humanismo pode soar, em princípio, como um paradoxo. Não para os professores da Fac. de Direito (PUC-SP) Ricardo Hasson Sayeg e Wagner Balera, que lançaram, dia 5/8, o livro O Capitalismo Humanista – Filosofia Humanista de Direito Econômico (Editora KBR). É grande a responsabilidade que hoje recai sobre os operadores do Direito, especialmente sobre os magistrados, pois é preciso compreender sua complexa estrutura normativa, sem deixar de identificar, em cada situação concreta da vida, o ideal de dignidade da pessoa humana. Esta é a proposta

dos autores: expor as implicações de uma sociedade de risco para trazer à luz a noção de que o ato de produzir riquezas não se destina somente à acumulação de recursos financeiros. Valendo-se de uma vasta bibliografia, produzida por pensadores clássicos e contemporâneos, o livro conduz o leitor a cenários e circunstâncias onde o capitalismo deverá evoluir para que a sociedade possa resistir aos seus desafios futuros. Lançado pela KBR Digital, O Capitalismo Humanista pode ser encontrado nas principais livrarias online do Brasil nas versões e-book e POD (impressão sob demanda).

Reprodução

Para importantes figuras e entidades de apoio à questão ambiental, trazem um perigoso retrocesso. No início de agosto, como você poderá ler na página 3 desta edição, a Universidade cedeu o nobre e simbólico espaço do Tuca para o lançamento do Comitê Paulista em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável. O objetivo da entidade é se juntar ao Comitê Brasil na luta contra o texto modifica o Código Florestal Brasileiro.

Livro aborda capitalismo humanista

Vico Mañas recebe prêmio Administrador Destaque

Marcelo Marques

A polêmica está posta e, mais uma vez, claro, a PUC-SP não vai se furtar ao debate: as alterações propostas pelo deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB) trazem avanços ou retrocessos ao Código Florestal Brasileiro?

O professor Antonio Vico Mañas, vice-reitor da Universidade, recebe o prêmio Ad-

ministrador Destaque, concedido pelo Conselho Regional de Administração de São Paulo

(CRA-SP). A homenagem ocorreu, dia 8/8, na sede do Conselho.

Jurista português realiza aula magna em Direito

Priscila Lacerda / DCI

Editorial

Diretor da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (Portugal), o professor Eduardo Vera-Cruz Pinto realizou dia 17/8 aula magna para alunos de graduação e pós-graduação em Direito da PUC-SP. Realização: Pós em Direito e Faculdade de Direito.

Vestibular PUC-SP divulga datas A PUC-SP acaba de divulgar as datas do Vestibular Unificado 2012 (Verão). De 10/10 a 10/11 estão abertas as inscrições e a prova se realiza no dia 20/11. A divulgação da primeira chamada ocorre dia 15/12, e as matrículas, dias 19 e 20/12. A PUC-SP pretende usar o Enem, da mesma forma que em anos anteriores, caso os resultados sejam divulgados em tempo hábil. Mais informações sobre o processo selestivo podem ser obtidas pelo site www.vestibular.pucsp.br. As obras literárias cuja leitura é exigida no exame são:

O Cortiço Aluísio de Azevedo Capitães da areia Jorge Amado Antologia poética Com base na 2ª edição aumentada, Vinícius de Moraes Dom Casmurro Machado de Assis Vidas secas Graciliano Ramos


Intercâmbio Estão abertas até 8/9 as inscrições para processo seletivo para os Programas de Intercâmbio da PUC-SP, referentes ao 1º semestre de 2012. Inf.: www.pucsp.br/arii. www.pucsp.br

03 Meio Ambiente

Inclusão de surdos

Comitê paulista defende florestas

Derdic firma parceria com Colégio Marillac

Ativistas e entidades se reúnem no Tuca contra alterações no Código Florestal

Escola funciona no campus Santana

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Ambientalistas defendem que as terras já exploradas são suficientes para dobrar a produção Bete Andrade No dia 5/8, o Tuca foi sede do lançamento do Comitê Paulista em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, que tem como finalidade fortalecer a iniciativa do Comitê Brasil, reunião de entidades diversas da sociedade contra o projeto de lei PLC 30/2011. O texto modifica o Código Florestal Brasileiro. Na ocasião, foram lançados um manifesto e um abaixo-assinado online contra o projeto de lei, além da campanha Floresta Faz a Diferença. O evento contou com a presença da ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, do senador Eduardo Suplicy, do ex-ministro da Fazenda Rubens Ricúpero, do deputado Ivan Valente (PSOL), do ex-presidente da SBPC José Goldemberg, do ator e ativista Victor Fasano e do jornalista Heródoto Barbeiro, além de representantes da CUT, OAB e MST, entre outros. As lideranças destacaram a importância da mobilização dos vários setores da sociedade como fator determinante para sensibilizar o Senado a votar contra as alterações do Código Florestal, ressaltando ainda as implicações para o Brasil e para o mundo caso essas alterações sejam sancionadas. Goldemberg falou sobre a importância dos dados científicos nas discussões sobre o tema, lembrando que a flo-

resta amazônica “não deve ser preservada somente por ser obra de Deus, mas também porque sua destruição seria irracional”. Já Ricúpero ressaltou a dimensão internacional do assunto e as consequências para o Brasil. “Existem compromissos inúmeros que o país assumiu em fóruns internacionais e que podem se tornar inviáveis, caso determinadas mudanças incluídas no projeto aprovado pela Câmara (dos Deputados) sejam consagradas no texto final. Basta lembrar, por exemplo, as metas de emissão de gases que o Brasil assinou em Copenhague”, enfatizou o ex-ministro. Para Marina Silva, a participação popular nessa campanha é imprescindível. “É a mobilização dos vários setores da sociedade que vai sensibilizar o Senado a votar contra as alterações do Código Florestal, pois se 80% da população têm uma posição contrária à aprovação das mudanças nos termos propostos pelo deputado Aldo Rabello (PC do B), então se faz necessário que se criem meios para que isso se manifeste de maneira mais efetiva”, enfatizou Marina. COMITÊ BRASIL - A mobilização contra as alterações no Código Florestal Brasileiro teve início em junho, quando, com a presença de senadores, deputados e a participação de mais de 100 entidades e redes da socieda-

de civil brasileira, foi lançado, na sede da OAB de Brasília, o Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável. A entidade tem como objetivo articular instituições da sociedade civil, assim como cidadãos brasileiros para avaliar e difundir as alterações no Código Florestal que estão sendo discutidas no Congresso Nacional. Também pretende buscar apoio favorável da opinião pública, a fim de interferir no processo legislativo, e promover alterações que conciliem a proteção às florestas e o desenvolvimento sustentável. POLÊMICA – O Código Florestal é o conjunto de leis que estipula regras para a preservação ambiental em propriedades rurais e define o quanto deve ser preservado pelos produtores. É ele também que determina as chamadas áreas de preservação permanente (APPs), que são considerados frágeis e devem ter a vegetação original protegida; e também estipula a reserva legal, área de mata nativa que não pode ser desmatada dentro das propriedades rurais. Toda a polêmica em torno do Código Florestal começou em junho de 2010, quando o deputado e relator Aldo Rebelo apresentou uma proposta com uma série de mudanças para alterar o código em vigência. A proposta sofreu críticas de diversos setores políticos, de ambientalistas e de muitos acadêmicos.

De um lado, os deputados da bancada ruralista defendem as mudanças propostas, alegando que o Código Florestal em vigor atrapalha o desenvolvimento do país, pois foi criado em um momento em que a agricultura e a pecuária tinham baixa produtividade e que a alteração é necessária para ampliação da produção. Contrários a essa afirmação, os ambientalistas defendem que as terras já exploradas são suficientes para dobrar a produção, e que a tecnologia pode auxiliar no aprimoramento de lavouras e pastos. Para eles, as mudanças no código podem abrir brechas para o aumento do desmatamento e põem em risco serviços ambientais básicos, como o ciclo das chuvas e dos ventos, a proteção do solo, a polinização, o controle natural de pragas, a biodiversidade, entre outros, causando um desequilíbrio que prejudicaria até mesmo a produção agropecuária, diretamente ligada a tais fatores ambientais. Em maio deste ano, o novo Código Florestal foi aprovado pela Câmara dos Deputados, apesar das divergências, e a discussão passou para o Senado, que poderá alterar os itens polêmicos – o que levaria o novo Código para uma nova análise por parte dos deputados. O próximo passo será encaminhar o código para sanção da presidente Dilma Rousseff, que tem a prerrogativa de vetar o texto parcial ou integralmente.

Uma parceria entre a Divisão de Educação e Reabilitação dos Distúrbios da Comunicação (Derdic) e o Colégio Luiza de Marillac (campus Santana) vem beneficiando estudantes surdos desde 2010. Na ocasião, as duas entidades firmaram o Convênio de Cooperação Institucional Marillac-Derdic, para incluir alunos surdos em uma escola de ouvintes. A parceria permite que estudantes da Escola Especial de Educação Básica da Derdic (que oferece até o 9º ano do ensino fundamental) possam dar continuidade aos seus estudos no Marillac, em meio a alunos ouvintes. Atualmente, o projeto atende três alunos surdos, que cursam a primeira série do ensino médio. “O Colégio Marillac se orgulha de ser parceiro da Derdic e de notar em nossa comunidade a disseminação da cultura do surdo”, afirma Luis Fernando Bronzatto, diretor do Marillac. Para se adequar às necessidades trazidas pela parceria, o Colégio contratou um intérprete de Libras (Língua Brasileira de Sinais), um professor surdo, capacitou funcionários e professores e alterou o regi-

mento escolar e seus currículos do último ano do ensino fundamental e das três séries do ensino médio para incluir Libras. Todas as ações objetivaram quebrar a barreira da comunicação entre os envolvidos no processo de ensinoaprendizagem. A parceria contou com o apoio dos especialistas da Derdic. Segundo Bronzatto, a receptividade dos alunos ouvintes com os novos colegas foi a melhor possível. “Pode-se notar que hoje a surdez é melhor compreendida por toda a nossa comunidade”, afirma. Diego de Oliveira Loureiro é um dos alunos beneficiados pelo projeto. “Gosto muito de estudar aqui e de estar junto com os ouvintes trocando experiências, estou realizando um sonho”, diz. Seu colega Alison Henrique ressalta que nunca havia estudado com alunos ouvintes antes. “Vejo que nós não temos dificuldade de comunicação. Essa é uma oportunidade que me deixa feliz”. Já José Ferreira Reis afirma sentir algumas dificuldades na comunicação com os colegas ouvintes, porque a maioria ainda não sabe a língua de sinais. “Mas isso não é um impeditivo para os meus sonhos. Me esforço bastante porque quero ter um futuro brilhante.”

Divulgação

Bete Andrade / DCI

Priscila Lacerda

Integração entre alunos surdos e ouvintes

Ouvir com o coração Em agosto, a Derdic realizou mais uma ação para beneficiar os alunos da Escola Especial de Educação Básica. Em parceria com a Fundação Salvador Arena, iniciou o projeto Ouvir com o Coração: recursos materiais para educar surdos com

qualidade, que leva material lúdico-pedagógico e de consumo a seus 105 alunos surdos de 3 a 17 anos. A Fundação Salvador Arena é uma instituição filantrópica que atua nas áreas de educação, saúde, habitação e transformação social.


Bagaço da Pintura Até 10/9, acontece no Espaço Cultural da Biblioteca Nadir Kfouri a exposição O Bagaço da Pintura, de Rogério Rauber. www.pucsp.br

04 65 anos

Fique por dentro das atividades que marcaram o anivers

Priscila Lacerda / DCI

Prof. Alípio Casali, representante da comunidade

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Professores, funcionários e alunos, durante ato solene, que também reuniu autoridades e representantes da sociedade de São Paulo, Augusto Fonseca de Arruda, o presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, Nelson Nazar, e a procuradora Mariângela Sarrubbo Fragata (representando o procurador-geral do Estado de São Paulo, Elival da Silva Ramos). COMUNIDADE – Alípio Dias Casali (Pós em Educação: Currículo) foi o professor convidado pela Pró-Reitoria de Cultura e Relações Comunitárias – que organizou as comemorações dos 65 anos – para falar em nome da comunidade. O docente ressaltou que a universidade é uma das instituições mais antigas da humanidade.

“Penso como são difíceis os caminhos de construção da universidade, ao longo de sua história como instituição. São caminhos tecidos em conflitos e contradições, mas de uma história permeada pelo essencial espírito de liberdade de pesquisa e de ensino, além da noção de que pesquisa não se faz só, mas em grupo”, afirmou Casali. Durante a solenidade pelos 65 anos da PUC-SP, também ocorreu o lançamento do livro 65 anos de história, tradição e vanguardismo: 19462011, realizado em parceria com a Educ. O evento contou ainda com a presença de diversas autoridades, além do Cuca (Coral da PUC-SP),

que cantou o Hino Nacional, e do projeto Gastronomia Solidária, responsável pelo coquetel. Ainda durante a cerimônia, foi exibido um ví-

deo realizado pela TV PUC sobre a história da Universidade. A produção pode ser vista no hotsite www.pucsp. br/65anos.

Acervo Ipiranga

“Meu coração, como o de todos aqui, é puquiano”, afirmou o reitor Dirceu de Mello, à platéia que lotava o Tuca durante a solenidade oficial pelos 65 anos da PUC-SP, em 23/8. “Nossa Universidade é buliçosa, irreverente, ousada. Se o auditório estivesse quieto eu diria: isso aqui não é PUC-SP. No entanto, neste momento, devemos preservar nossa Universidade. Peço que tenhamos tranqüilidade para superar esse triste episódio que nos coloca no olho do furacão. Em qualquer momento, principalmente nos mais tristes ou difíceis, é que temos que ter unidade para dizer que temos orgulho de ser PUC”, ressaltou o reitor, se referindo aos fatos que culminaram com a queda do ministro da Agricultura e que envolveram o nome da PUC-SP no noticiário, nas duas semanas que antecederam o aniversário da Universidade. O reitor Dirceu de Mello ressaltou em seu discurso de abertura a lisura do contrato firmado pela Fundação São Paulo e PUC-SP com o Ministério da Agricultura, via Coordenadoria Geral de Especialização, Aperfeiçoamento e Extensão (Cogeae). “A PUC-SP já realizou dezenas de convênios com órgãos públicos. Neste caso, o Ministério da Agricultura abriu edital que permitia que instituições de ensino se habilitassem a realizar trabalho de capacitação de servidores. A PUC-SP se habilitou, firmou contrato e vem prestando o serviço desde o ano passado. Nenhuma irregularidade de parte

da PUC-SP ou da Fundasp foi feita, posso garantir. Se algo se passou no Ministério da Agricultura, isso já foge à nossa alçada. Confirmamos a lisura do que fizemos, mas a situação nos deixa, de qualquer forma, constrangidos. O grande problema que o país enfrenta hoje, infelizmente, é a corrupção. Respeito as manifestações que vejo aqui em nossa platéia e que colocam em evidência esse terrível mal”, disse o prof. Dirceu. O reitor se referia às faixas e palavras de ordem de um grupo presente à solenidade que, além de se posicionar contra a corrupção no país, também defende a proposta de que 10% do PIB do país sejam destinados à educação. Além disso, os integrantes pediam que a professora Bia Abramides, atual presidente da Associação dos Professores da PUC-SP (Apropuc), tivesse direito a compor a mesa e a discursar. O professor Dirceu convidou a docente para subir ao palco e lhe concedeu a palavra. Bia afirmou: “Não podemos permitir que o ensino fique cada vez mais elitista. Vamos lutar por 10% do PIB para a educação já!”, defendeu. A mesa da solenidade foi composta ainda pelo secretário-executivo da Fundação São Paulo, pe. José Rodolpho Perazzolo (representando o grão-chanceler Dom Odilo Pedro Scherer), irmã Valdete Contin (também representando Dom Odilo), o vice-reitor Antonio Vico Mañas, a secretária da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo, profa. Eloisa de Sousa Arruda, o procurador-geral do Ministério Público

Gestores em evento no Ipiranga

Bete Andrade / DCI

De Redação

Bete Andrade / DCI

Solenidade oficial foi marcada por manifestações e discurso do reitor a respeito da lisura do contrato entre a Fundação São Pau

Cuca se apresenta no hall do teatro, durante coquetel de confraternização


Visita Dia 23/8, a Universidade recebeu a visita de representantes da Georgetown University (EUA) e do Conselho de Competitividade dos EUA, para estabelecer futuras parcerias. www.pucsp.br

05

sário da PUC-SP Bruna Pretel

ulo e o Ministério da Agricultura

Bete Andrade / DCI

Exposição de fotos em Sorocaba

Maria Callas é tema de palestra

Acervo Ipiranga

Acervo Barueri

Priscila Lacerda / DCI

Celebração no campus Sorocaba

Campus Barueri também comemora os 65 anos

Missa no campus Ipiranga

Evento defende adoção de medidas sócio-educativas para recuperar jovens infratores a eles uma chance de mudança de vida. “Não adianta jogar as crianças atrás das grades, devemos dar para elas oportunidades de salvar suas vidas. Precisamos cumprir o que está no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA, 1990): promover as medidas sócio-educativas”, afirmou o padre Ovídeo de Andrade, coordenador da Pastoral do Menor do Regional Sul 1–CNBB. CAMPANHA – O cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, grão-chanceler da PUC-SP, também participou do evento. Ele exortou a platéia a participar da campanha: “Convido todos a se interessarem por esta causa, que não deve ser secundária. O menor não deve ser visto como um peso pela sociedade, ele é investimento. É nosso dever dar assistência às crianças, porque elas são o futuro, e não um

Bete Andrade / DCI

A Organização das Nações Unidas (ONU) proclamou 1979 como o Ano Internacional da Criança. Na época, a PUC-SP contribuiu para as discussões sobre o tema a partir de sua característica visão crítica e, em conjunto com a Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo, realizou a Semana do Menor Marginalizado. Trinta e um anos depois, nas comemorações dos 65 anos da Universidade, o tema voltou a mobilizar a comunidade, que lotou o auditório “Prof. Paulo de Barros Carvalho” (sala 239) para a mesa-redonda Políticas públicas e o jovem em conflito com a lei: Medidas sócio-educativas responsabilizam, mudam vidas. O mote do evento foi a campanha de mesmo nome, realizada pela Pastoral do Menor para incentivar a aplicação de medidas sócio-educativas aos jovens infratores, oferecendo

Debate lotou auditório no campus Perdizes peso para a sociedade”, declarou Dom Odilo. A mesa-redonda contou com as falas da irmã Maria do Rosário Leite Cintra (assessora da Pastoral do Menor do Regional Sul 1-CNBB) e do padre Júlio Lancelotti (vigário episcopal do Povo da Rua, da

Arquidiocese de São Paulo). Ambos apresentaram à platéia suas experiências com jovens infratores e reiteraram a necessidade de discutir o ECA, de maneira que a sociedade conheça a lei e ela possa ser efetivamente cumprida pelas autoridades competentes.

Já o desembargador Antonio Carlos Malheiros (professor da Faculdade de Direito) anunciou que irá montar na Cracolândia (região central da capital conhecida pela grande quantidade de usuários de crack) um posto, com 32 juízes voluntários, para trabalhar com os jovens e os adolescentes que circulam na região. “O juiz é agente público, deve se aproximar das pessoas”, justificou. “O ECA é maravilhoso e a Constituição está cheia de direitos. Mas o agente público deve ter coragem e vontade política de efetivar essas leis. Se não, perdemos tempo, perdemos as crianças e perdemos nosso futuro”, concluiu. FUNDAÇÃO CASA – O promotor Wilson Tafner (Infância e Juventude da Lapa) também participou da atividade, e defendeu um programa de emprego para adolescen-

tes e egressos da Fundação Casa (Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente, vinculada ao Governo Estadual): “É preciso garantir uma política de emprego para não jogar os jovens de mão beijada no tráfico”, argumentou. A abertura da mesa-redonda foi realizada pelo professor Hélio Roberto Deliberador (pró-reitor de Cultura e Relações Comunitárias), e a mediação, pela professora Maria Stela Graciani (diretora do Núcleo de Trabalhos Comunitários, NTC, Faculdade de Educação). A atividade foi promovida pela Faculdade de Educação, pela Pastoral Universitária, pelo Centro Santo Dias de Direitos Humanos (Arquidiocese de São Paulo) e pelo Núcleo de Trabalhos Comunitários (NTC, Faculdade de Educação), com apoio da Pró-Reitoria de Cultura e Relações Comunitárias.


www.pucsp.br

06


Pós em Administração Acaba de ser lançada a Revista de Carreiras e Pessoas – ReCaPe, do Grupo de Pesquisa Gestão de Carreiras e Transformação no Trabalho. www.pucsp.br

07 Semana Acadêmica 2011

Inscrição aberta para docentes e coordenadores Thaís Polato Estão abertas até 10/9 as inscrições para professores e coordenadores interessados em participar da Semana

Acadêmica 2011. As inscrições para alunos começam no dia 28/9 e seguem até 15/10. Este ano, a Semana Acadêmica será realizada de 7 a 11/11, em locais ainda a serem definidos. A pro-

gramação geral do evento estará disponível a partir do dia 5/9, no site www.pucsp. br/semanaacademica. Organização: Pró-Reitoria de Graduação e Pró-Reitoria de Pós-Graduação.

Literatura Professores da PUC-SP interpretam obras dos principais vestibulares da cidade Ciclo reúne obras exigidas pela PUC-SP, Fuvest e Unicamp Da Redação Nos meses de setembro, outubro e novembro, a PUC-SP realiza mais uma edição do Releituras – Ciclo de Palestras Vestibular e Literatura, no campus Perdizes. O evento traz professores da PUC-SP especializados em literatura para discutir as obras literárias indicadas nos vestibulares 2012 da PUC-SP, Fuvest e Unicamp. As palestras ocorrem aos sábados, das 10h às 12h30. O evento é gratuito, porém as vagas são limitadas. Interessados devem fazer a reserva no site www.pucsp. br/releituras.

3/9 - Dom Casmurro - Machado de Assis; Profa. Maria Aparecida Junqueira 10/9 - Iracema - José de Alencar; Profa. Juliana Loyola 17/9 - Auto da barca do inferno - Gil Vicente; Prof. Fernando Segolin 24/9 - Antologia poética (com base na 2ª ed. aumentada) – Vinícius de Moraes; Profa. Ana Salles 1/10 - Memórias de um sargento de Milícias Manuel Antônio de Almeida; Prof. Carlos Eduardo Siqueira 8/10 - Vidas secas - Graciliano Ramos; Profa. Noemi Jaffe 15/10 - Capitães da areia - Jorge Amado; Profa. Kátia Pellicci Cembrone 29/10 - A cidade e as serras - Eça de Queirós; Profa. Ana Paula da Costa C. de Jesus 5/11 - O cortiço - Aluísio Azevedo; Prof. Erson Martins

Thais Polato / DCI

Dia dos Pais: Hospital Santa Lucinda realiza programação especial Saiba tudo sobre a Semana Acadêmica 2011 - Quem pode inscrever um simpósio? Quem pode ser vice-coordenador? Qualquer professor-doutor da PUC-SP ou da Cogeae.

- O simpósio pode ser desmembrado? Se houver mais de seis alunos inscritos no simpósio, o professor pode optar por desmembrá-lo em duas ou três partes. - Quem pode ser debatedor? Qualquer professor convidado pelo coordenador, de qualquer instituição e com qualquer titulação.

Bruna Pretel

- Quantos simpósios cada professor pode inscrever? Até dois.

Em comemoração ao Dia dos Pais, celebrado em 14/8, o Grupo de Trabalho

de Humanização do Hospital Santa Lucinda (HSL) realizou uma programação

- Quem pode apresentar projetos nos simpósios? Qualquer aluno regularmente matriculado na PUC-SP ou na Cogeae. - Quanto tempo leva cada simpósio? Cada simpósio leva, em média, duas horas. - Quantas pessoas podem participar de cada simpósio? No mínimo quatro pessoas e no máximo oito. - Quem pode ser ouvinte nos simpósios? Qualquer pessoa pode participar como ouvinte, não é necessário se cadastrar, apenas assinar a lista com letra legível no dia do simpósio. - Como retiro meu certificado? Todos os certificados estarão disponíveis no dia 30/11, no site www.pucsp.br/semanaacademica. - Haverá lista de presença nos simpósios? Sim, haverá lista de presença para ouvintes e para alunos que vão apresentar trabalhos.

especial para os pacientes e pais cujos filhos encontram-se internados (foto), como a ampliação dos horários de visita, inclusive da UTI, e a entrega de lembranças. O objetivo do hospital com essa atitude é reforçar os vínculos afetivo e familiar e, assim, proporcionar um atendimento ainda mais humanizado. O evento contou com o apoio especial do Projeto Divulga HSL, que tem como patrocinadores as empresas Ortomed, Top Imagem, Air Liquide, Oliver Clean e Centro de Diálise e Transplante Renal (CDTR).

FCMS realiza 1ª Jornada de Neurologia e Neurocirurgia de Sorocaba Bruna Pretel Entre os dias 23 e 25/8, foi realizada a 1ª Jornada de Neurologia e Neurocirurgia de Sorocaba, no anfiteatro da biblioteca da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde (FCMS). O evento reuniu cerca de cem pessoas e foi promovido pela Liga de Neurologia da FCMS.

Durantes os três dias, aulas com temas como anatomia em 3D, doenças desmielinizantes, avanços no tratamento de doenças cerebrovasculares, neurointensivismo, hidrocefalia, entre outros, foram ministradas por docentes da FCMS e especialistas da área, como Paulo Diniz, Feres Chaddad, Marcelo Mudo, Maria Carolina Loureiro, Marcos Stá-

vale, Urbano Chamodoiro, Andrei Joaquim, Horácio Marenco e Sandro Esposito. Segundo Nicolle Cristina Bonnetti, presidente da liga, a jornada teve como objetivo incentivar o interesse dos alunos pela especialidade. “Queremos despertar o interesse dos alunos de medicina na área de neurologia e, para isso, é preciso levar conhecimento”, conta.


Internacional Estão abertas até 30/9 as inscrições para o processo de seleção ao Programa Fórmula Santander de Bolsas de Mobilidade Internacional. Inf.: www.pucsp.br/arii. www.pucsp.br

08 Teatro

12 homens e uma sentença estréia no Tucarena Peça mantém a atenção do espectador por quase duas horas Assista

Da Redação

12 homens e uma sentença Drama 9/9 a 20/11 Sexta e sábado, 21h Domingo, 19h30 100 minutos 12 anos Tucarena Rua Monte Alegre, 1024 Perdizes Sexta R$ 40 Sábado e domingo R$ 50 R$ 10 (PUC-SP)

João Caldas

Dança Encontro de setembro aborda imigrantes e brincadeiras populares 19h30, seguida da aula espetáculo Do Papo o Passo, com a Cia. Soma (São Paulo). O evento se realiza em uma sala do Tuca, com entrada gratui-

mentos realmente constroem uma cidade, uma população, uma família, um indivíduo, e qual a relevância da população nativa ou imigrante para a constante evolução da sociedade de determinado lugar. O bailarino-criador Deca Madureira utiliza a dança e a música ao vivo para demonstrar sua interpretação sobre a construção da cidade de São Paulo, bem como a situação dos imigrantes na cidade, que muitas vezes trabalham em subempregos, escondendo potenciais criativos devido à falta de oportunidades.

Demonstrando as danças das brincadeiras populares as dançarinas contam ao público o caminho da construção de seu repertório coreográfico e mostram cenas de diferentes espetáculos. Espetáculo com as intérpretes-criadoras Maria Eugenia Almeida e Marina Abib.

Filipe Edmo

Rogério Ortiz

Espetáculo de dança criado a partir de pesquisas de campo realizadas em São Paulo, sobre a situação dos imigrantes na cidade, a partir do projeto Entorno – Encontro Latino-Americano de Dança Contemporânea, da Sec. Municipal de Cultura e Núcleo Corpo Rastreado. A intervenção propõe a reflexão sobre quais ele-

ta e indicação etária livre – é preciso retirar ingresso com uma hora de antecedência, na bilheteria do teatro. Inf.: (11) 3670-8453.

Do Papo ao Passo

Canteiro de Obra

Crianças Curso de teatro está com inscrições abertas Idéia é despertar o espírito lúdico e o gosto pelas artes Da Redação

Entrada é franca e indicação etária, livre A série Encontros de Dança apresenta, em setembro, a intervenção Canteiro de Obra, apresentada pelo Núcleo Brasilica (Brasílica), 6/9, às

(11) 4003-1212

Elenco do premiado espetáculo, que já foi visto por quase 30 mil espectadores

A Escola de Atores do Tuca (foto) está com inscrições abertas para o curso regular de Teatro para Crianças. No período da manhã, a atividade é voltada para crianças de 4 a 8 anos, à tarde, de 9 a 13 anos. O curso se realiza a partir de jogos e exercícios lúdicos e estimula a expressão através do teatro. Os alunos criam cenas e personagens, exercitam o vôo da imaginação e a capacidade de exprimir as próprias sensações com estímulos rítmicos, visuais e temáticos. O objetivo é despertar o gosto pelo teatro, a vivência coletiva e incentivar a experimentação artística através da criação teatral. No processo de criação o aluno é sujeito ativo, e procura descobrir os meios mais eficazes para exprimir suas idéias e sensações. Além disso, o curso também estimula o fluxo har-

Acervo PUC

Doze jurados estão reunidos para decidir se condenam ou não à morte na cadeira elétrica um jovem acusado de assassinar o pai. 12 homens e uma sentença, de Reginald Rose, chega ao Tuca no início de setembro, num surpreendente exercício de argumentação e conflito de paixões acirradas. A peça, que tem também duas versões para o cinema, com Henry Fonda e Jack Lemmon, se tornou um clássico do teatro. A atual montagem já teve duas indicações ao Prêmio Shell (melhor diretor, Eduardo Tolentino; melhor ator, Norival Rizzo), mais de cem apresentações e quase 30 mil espectadores.

mônico e equilibrado entre mente, corpo e sensações, propiciando uma maior consciência da própria personalidade. O espaço de expressão, bem como o exercício da movimentação livre de padrões pré-estabelecidos, traz ao aluno a autoconfiança, a capacidade de criar, de experimentar e comunicar os sentimentos e as sensações que escapam à linguagem verbal e racional; enfim, qualidades fundamentais para um serhumano livre, que conheça as suas necessidades individuais e saiba conquistá-las junto ao coletivo.

OBJETIVOS – O objetivo é estimular a criança à descoberta das suas potencialidades artísticas, à experiência de criação em grupo, procurando cultivar o desenvolvimento social, cognitivo e emocional. O intuito é que o aluno, ao experimentar jogos e improvisações, ative seu espírito lúdico, meios artísticos da expressão e comunicação, bem como o prazer em fazer e assistir aos espetáculos de Teatro. Mais informações podem ser obtidas no site www.teatrotuca.com.br ou pelo telefone (11) 3670-8462.


Edição 37