Issuu on Google+

Akikolรก Akikolรก Julho.indd 1

02 09/07/2014 10:58:33


Contemplação!

A

explosão de cenas, imagens, fatos que a pluralidade comunicativa dos tempos atuais propicia todos os dias, borda um tecido com as mais variadas cores e desenhos. Comunicação é palavra chave numa sociedade em que todos, grandes e pequenos, buscam apresentar suas culturas, valores, fé. Uma das maiores conquistas, pelo menos nas experiências ocidentais, trata-se da democracia, do direito de expressão, da dignidade das diferenças, do diálogo como arte de conviver sem o peso da violência. No entanto, tais avanços não justificam um olhar superficial sobre o cenário como se bastassem posturas do tipo

“tudo vale”. Ou seja, é preciso apostar mais numa escuta atenta dos fatos, da existência. Sem uma atitude contemplativa, certamente não haverá profundidade nas escolhas, solidez nas conclusões e a vida perderá em densidade. Isso mesmo, contemplação! Essa palavra, na tradição espiritual cristã, tem pelo menos duas dimensões importantes. Primeiramente, ela exige um olhar um pouco mais demorado, com inteligência e afeto, sobre as acontecências pessoais e grupais. As boas conclusões não nascem de uma hora para outra. Carecem de tempo para serem mais sinceras e profundas. Aliás, a demora faz parte

Expediente: Coordenação: Pe. Vicente de Paula Ferreira, C.Ss.R. Jornalista Responsável: Brenda Melo - MTB: 11918 Colaboração: Luiz Henrique Freitas - MTB: 16778 Projeto gráfico: SM Propaganda Ltda Impressão: Gráfica América Tiragem: 2.000 exemplares

02 Akikolá Julho.indd 2

Akikolá 09/07/2014 10:58:34


do parto existencial. O problema é querer, apressadamente, ver o sol nascer sem atravessar o silêncio da noite. A vida, companheiro, só tem sabor quando fermentada lentamente com apostas trabalhosas. Paciência operante é postura de quem sabe dar intensidade aos ciclos. Então, contemplar é deixar não somente as coisas chegarem até a razão e coração, todavia elaborar também uma opinião, um discernimento, uma reflexão sobre o que chegou. Muita gente sabe dar notícia de tudo, mas infelizmente não tem palavra própria e isso pode se tornar arma perigosa nas mãos de quem gosta de dominar, de impor ou até mesmo de vender falsas promessas. Aquele que adquire um estilo contemplativo, aprende discernir diariamente entre paz e guerra, bem e mal, vida e morte. Outro ponto que emerge da contemplação, é que a acolhida atenta do evento de cada momento da vida, provoca movimentos interessantes, fazendo o caminhante andar com mais

Akikolá Akikolá Julho.indd 3

esperança. Tem mais chances de encontrar clareiras que se abrem em plena mata escura. Cria novas possibilidades, novos rumos, orienta atitudes, faz germinar boas posturas criativas para um viver mais intenso. Geralmente, as tramas da história de quem perscruta com profundidade os mistérios de tudo que é, são carregadas de aberturas, buscas, inquietude de seguir além. O estilo contemplativo não aceita acomodar-se, por exemplo, a um processo que torna as pessoas massa e não sujeitos. De fato, o poeta, o artista, a pessoa de fé, o santo, aprofunda os acontecimentos com um jeito de ser que resiste em cair na tentação da banalidade de que o valor se resume em mercado. Essas figuras são portadoras de alguma coisa imortal que um olhar distraído não consegue enxergar, que um coração agitado não pode desfrutar e tampouco uma inteligência orgulhosa consegue alcançar. Pe. Vicente Ferreira, C.Ss.R. Superior Provincial

03 09/07/2014 10:58:34


Entrevista

Pe. Paulo Sérgio Carrara, C.Ss.R.

Na última Assembleia Provincial, realizada em maio deste ano, o Pe. Paulo Sérgio Carrara, C.Ss.R. lançou seu livro – que é a publicação da sua tese de doutorado – intitulado: “Elevatio Entis ad Patrem – a oração de Jesus e do cristão à luz do mistério pascal na teologia de François Xavier Durrwell”. Vamos, então, conhecer um pouco mais sobre o autor e sua obra! Conte-nos um pouco da sua Teresianum de Roma, aprofundei caminhada redentorista. o estudo da espiritualidade e da mística cristãs. Voltando ao BraEntrei para a Congregação em sil, tive a oportunidade de fazer o 1986 e fiz a profissão religiosa doutorado, na Faculdade Jesuíta em 1992, sendo ordenado padre de Filosofia e Teologia de Belo em 1997. Trabalhei em Campos Horizonte. Nos meus estudos, (RJ) e em Montes Claros (MG). aprofundei a espiritualidade na Depois, fui estudar em Roma sua relação com a teologia dog(ITA) por dois anos. Voltando ao mática. Tive como orientador o Brasil, trabalhei como formador grande teólogo jesuíta, Pe. João dos estudantes de Teologia du- Batista Libanio, falecido recenterante 7 anos. Atualmente, traba- mente. Aprendi muito com ele, lho como reitor na Paróquia São um dos intelectuais mais brilhanJosé, em Belo Horizonte (MG). tes que conheci. Pesquiso nestas áreas, com especial atenção Nos últimos anos, o senhor tem às questões contemporâneas. se dedicado ao estudo da Teologia. Fale sobre a sua formação O senhor está lançando um liacadêmica e suas linhas de pes- vro, edição de sua tese doutoral. quisa. Apresente-nos o tema da obra. Cursando mestrado em Teologia na Pontifícia Faculdade Teológica

04 Akikolá Julho.indd 4

Na tese de doutorado fiz um estudo bíblico-dogmático sobre a

Akikolá 09/07/2014 10:58:34


Entrevista

a Santíssima Trindade e dizendo o seu sim a Deus, servindo-O depois nos irmãos. Como as pessoas podem adquirir o livro? Quem desejar adquirir o livro e for morador de Belo Horizonte, pode encontrá-lo na lojinha da Paróquia São José e também na loja da Editora Loyola, na Rua Espírito Santo, próximo à Igreja relação da oração de Jesus e do São José. Para quem não é de cristão com o mistério pascal de BH, pode entrar em contato pelo Cristo – sua morte e ressurreição e-mail pecarraracssr@gmail.com –, a partir de um teólogo reden- que enviaremos. torista francês, François Xavier Durrwell. A oração cristã decor- Deixe uma mensagem para nosre, portanto, da morte e ressur- sos leitores. reição de Jesus e nos insere neste mistério, central em nossa fé. Desejo que Deus abençoe a todos. E que todos descubram o valor da oração e a pratiquem como forma de entrar em comunhão com Deus, que é Pai, A oração pertence ao núcleo Filho e Espírito Santo, para viver fundamental da existência cristã, mais profundamente a proposta pois expressa sua filiação divina. do Reino que Jesus, o Filho de O Espírito Santo configura o cris- Deus, inaugurou. tão a Cristo e o torna apto a chamar Deus de Pai, como fez Jesus. É na oração que ele adere a Cristo e a seu evangelho, entranPe. Flávio Leonardo, C.Ss.R. Belo Horizonte, MG do em profunda intimidade com Qual a importância da oração na vida cristã?

Akikolá Akikolá Julho.indd 5

05 09/07/2014 10:58:34


Interparoquial 2014

E

ntre os dias 23 e 25 de maio, aconteceu, na Casa de Retiros São José (Belo Horizonte, MG), o Interparoquial 2014. O encontro que reúne pastorais das paróquias e santuários da Província do Rio contou com a participação de membros de todas as unidades. Para o Secretário de Vida Pastoral, Pe. Cláudio Teixeira, C.Ss.R., o momento serve para

06 Akikolá Julho.indd 6

trocar experiências: “aqui podemos verificar em cada realidade o que se precisa mais e, claro, o que cada unidade tem para oferecer, ajudando umas as outras. Assim, seremos uma Igreja que poderá servir melhor”, relatou. As pastorais de comunicação de cada paróquia e santuário fizeram, paralelamente, um encontro particular. Para o secretário de comunicação da

Akikolá 09/07/2014 10:58:36


Província do Rio, Pe. Flávio Leonardo, C.Ss.R., esse momento é importante para a unidade entre as igrejas: “é a busca de uma linguagem comum para anunciar de modo sempre novo e com a esperança renovada o evangelho anunciado por Jesus”. No encontro da PASCOM, foi oferecida uma oficina de vídeo. Para a representante da Paróquia de Santo Afonso no Rio de Janeiro, Ana Cristina Rodrigues, o momento inspirou novos trabalhos: “agora é absorver tudo que aprendi aqui e por em prá-

tica”. A oficina gerou um projeto da WebTV do Sintonia Redentorista, que você pode ver através do site: www.provinciadorio.org. br/webtv. Luiz Henrique Freitas Juiz de Fora, MG

Aniversariantes

Julho

Akikolá Akikolá Julho.indd 7

06/07 – Fr. Ederson Rodrigo de Andrade, C.Ss.R. 07/07 – Pe. Anderson Trevenzoli, C.Ss.R. 16/07 – Pe. Luciano Silveira Ivo, C.Ss.R. 18/07 – Pe. Sérgio Luiz e Silva, C.Ss.R. 19/07 – D. Fernando J. M. Guimarães, C.Ss.R. 19/07 – Fr. Heliomarcos Costa Ferraz, C.Ss.R. 23/07 – Pe. Mário Ferreira Gonçalves, C.Ss.R. 23/07 – Ir. José Domingos de Vasconcelos, C.Ss.R. 26/07 – Pe. Tarcísio Generoso da Fonseca, C.Ss.R. 26/07 – Pe. Vanderlei Santos de Souza, C.Ss.R. 27/07 – Pe. Mauro de Almeida, C.Ss.R. 28/07 – Fr. Paulo Roberto de Morais Júnior, C.Ss.R.

07 09/07/2014 10:58:38


Espiritualidade

A CONDIÇÃO CRISTÃ

U

m dia haveremos de entender que ser batizado é também assumir a pertença a toda a humanidade. Pelas águas batismais irão morrendo em nós as estreitezas das identidades nacionais e preconceitos por conta das diferenças. Temos a Trindade como guia. O oposto do que acontece nestes dias na Copa de futebol da Fifa. Reviviscências nacionais quando não nacionalistas. Como é preciso sonhar uma humanidade unida pela paz, na diversidade das culturas. Sonhar a diferença que o cristianismo pode gerar na história humana. Na permuta dadivosa com os demais, poderemos discernir quem somos e o que devemos ser, juntos. Sonhar uma humanidade na alegre esperança de viver a vida cuidando de todos e do planeta Terra. A vida criativa humana como um jogo. Belo jogo. Um amor de jogo, pois jogo de amores. Se é preciso sonhar esta humanidade nova, urge atentar para as desagregações. O que vem acontecendo nesta Copa no-lo evidencia. Afinal, em linguagem de nossa fé: por uma humanidade redimida, cantando a canção dos redimidos em todas as cirandas do mundo. CIDADÃOS DO REINO. Somos cidadãos do Reino, reinado de Deus.

08 Akikolá Julho.indd 8

Junto à nossa identidade pessoal se agrega o sermos parte de uma comunidade: família ou tribo, nação ou continente. O Reino não abole a identidade pessoal, amplia-a. Eu sou, porque somos, a partir de circunstâncias específicas. É que sendo Igreja de Jesus, somos CATÓLICOS. Em grego: Katha holon ou seja “de acordo com o conjunto”. Em sintonia intrínseca. Comunhão universal. O uno na versatilidade do múltiplo diferenciador. Assim, não nos é facultado uma identidade que tenha como base a exclusão. Com que palavras expressar tamanha pertença? Com que posturas (usos e costumes) proclamar nossa comum solidariedade tão visibilizada na JMJ de 2013? O estrago da globalização econômica, estilo capital-mercado-consumo, deixa-nos em estado de alerta: não ao racismo, não às guerras, não à pobreza, não à depredação do planeta. Uma contra-cultura para contrapor a harmonização. Estamos em sistema azedado... A novidade do cyberespaço seria uma imagem boa para dizer a catolicidade? Não seria. Está eivada de distorções e perversões. Devíamos ser nós Igreja esta imagem... O somos por escolha. Não o somos por história de algumas acontecências; o somos por missão a nós entregue por Jesus. Ainda não efetivamos,

Akikolá 09/07/2014 10:58:38


mos em sua obra. Em jogo minha história, nossa história, a História... quando seremos todos vencedores. Quando terminar o jogo, afinal. A taça da vida agraciada a todos. De tudo isso, a Eucaristia é o sinal-sacramento: o pão de cada dia e o vinho da solidariedade. Uma protestação contra ídolos atuais: o desejo CORPUS CHRISTI. Nos primór- sem limites, a absolutização do que é dios do cristianismo, a alegria das individual e o dinheiro como sucesso fronteiras rompidas e a força da luta de vida vitoriosa. pelo Reino (a utopia de uma humanidade salva) se nutriam na refeição coENTRE A COMUNHÃO E A mum do pão e do vinho eucarísticos. MISSÃO. Vejo tensão entre os seguiEucaristia, esse comungar e dar gra- dores de Jesus, desde as primeiras ças, este ser acolhido por Deus com décadas. Uma tensão eucarística. o milagre da sua bondade redentora. Dois riachos da mesma torrente que Mistério de amor para sustento da hoje, a meu juízo, cá e lá se tornam condição cristã no curso de uma his- duas seleções em partida de jogo tória. Celebramos incontavelmente a decisivo. Equívoco que pode romper re-apresentação do triunfo da vida e a unidade. seu destino, desfeitas as tendências Eucaristia. Releia comigo Mc e o poder de destruição. A vida do 14,22-25 e Mt 26,26-29. Oxalá perhomem novo, a comum-união sobre ceba nestas narrativas uma tensão. tudo o que separa, divide, des-une e Percebo-a, eu. O Pão é para a cofragmenta. munhão com e entre os discípulos. O Nestes dias, celebramos o amor Vinho, sangue derramado por muitos eucarístico com a festa de Corpus ou por todos. Ponho-me a meditar: Christi. O corpo glorificado dado em a celebração da nova aliança por comunhão, Deus em nós, alimento uma nova humanidade, de um lado para a caminhada universal. Dimen- nos dá o aconchego de uma Casa são mística do crer na vida plenifica- (lar/lareira); de outro, instala um ir em dora. Vida em graça de ser-com e direção aos que estão fora de Casa. em comunhão e de ser enviado em Jo 10,16. Há que se ir para que a missão. O Pão e a Paz. Primícias de plenitude do Reino chegue. É como um sonho em realização, quando o se a ceia da despedida de Jesus esque é ternura se faz eterno. Jesus tabelecesse o seguinte: o “pão” para nos potenciando para prosseguir- vocês, em comunhão, vocês e Eu e

Akikolá Akikolá Julho.indd 9

Espiritualidade

atualmente, de forma convincente esta catolicidade. O que nos falta? Nossa vocação cristã pressupõe que nos empenhemos na busca de melhores modalidades de pertencermos, juntos, à raça humana, tornando-a comunidade do único Pai bom e santo, Pai de todos e para todos.

09 09/07/2014 10:58:38


Espiritualidade

entre vocês. O “cálice da salvação” para vocês e para todos os outros a serem buscados. É possível que esta tensão seja intrínseca à mesa eucarística e a seus comensais. Minha percepção se aguça sobre esta polaridade, recordando-me do que vi acontecer conosco, Igreja conciliar (Vaticano II) e pós-Conciliar. Aconteceu comigo a vibração com a chegada da revista CONCILIUM (1965), sustentando o projeto conciliar assim: o corpo doutrinal agrupado no Mistério da Encarnação: em Jesus Cristo, o Jesus de Nazaré, em quem Deus abraça a totalidade dos humanos, a humanidade. A condição humana assumida, redimida e glorificada. A vida da Igreja, então, centra-se na Missão: o Espírito Santo em ação em todas e em cada cultura. É preciso ir lá (ad Gentes). Ir até Ele. “Deus humanissimum”: tão humano assim este Jesus, que só mesmo sendo divino. Ora, em 1971 vejo surgir a revista COMMUNIO, cristãos inquietos com os rumos pós-conciliares. Urgia “transmitir o senso de comunhão, que é a vida interior da Igreja”. Que tensões! Já bem no começo, tensão semelhante entre Pedro e Paulo. Pedro na comunhão em comunidade de Judeus, seguidores de Jesus. Paulo lançando-se a proclamar a mesma boa nova para os gentios. Outros povos. A identidade de seguir Jesus oscila entre permanecer judeu-cristão

10 Akikolá Julho.indd 10

(= comunhão/Pão) ou abrir-se para os outros (gentios), oferecer-lhes o cálice da salvação. Uma nova aliança sem precisar de conversão ao judaísmo. Rm 11. Esta maneira de ver trouxe ameaças de divisões profundas logo nos inícios do cristianismo! Fico a contemplar a tensão hoje em nossa Igreja. Com Bento XVI, o pêndulo estava ao norte: comunhão, primeiro. Com o Papa Francisco, o pêndulo oscila ao sul: missão, primeiro e sem perder a comunhão. Mas revisar e reformar-se pela missão. É uma tensão dinamizadora se houver equilibração, diálogo e busca comum sem partidarismos. Por uma Igreja, lar acolhedor onde estamos todos em Casa e à vontade. Por uma Igreja atenta e votada para as exigências de um Reino para todos. Este binômio que o documento de Aparecida lança: discípulos e missionários. Pão e cálice da salvação. Sem oposições estéreis. Que sejamos, sim, uma clara sinalização de unidade na humanidade do Cristo Senhor. Unidade do Deus Trino e sua graça chamando as pessoas de todas as raças para efetivar a obra da criação no seu destino original. Ruminar orante: 1Jo 3,2. Jo 20,21-22. Rm 9-11.

Pe. Dalton Barros, C.Ss.R. Belo Horizonte, MG

Akikolá 09/07/2014 10:58:38


Comissão da Juventude Redentorista assume foco missionário no trabalho com os jovens

A

fim de dar continuidade aos trabalhos com a juventude, em sintonia com a União dos Redentoristas do Brasil (URB), a Comissão Nacional da Juventude Redentorista assumiu um foco missionário no projeto com os jovens. Buscando o fortalecimento da Juventude Missionária Redentorista (JUMIRE), a equipe preparou orientações que servirão como base para a consolidação da identidade da JUMIRE como um jeito missionário redentorista de ser. O material dá uma visão geral sobre a Juventude Missionária Redentorista, explicando de que forma ela se estrutura, seu campo de atuação e objetivos, ressaltando, assim, o comprometimento do jovem com o anúncio da Boa Nova, especialmente aos pobres mais abandonados. Um dos objetivos é promover o cresci-

Akikolá Akikolá Julho.indd 11

mento das ações jovens missionárias em cada unidade. De acordo com o postulante da Província de Campo Grande, Diego Fritz, as experiências adquiridas através de visitas, encontros e conversas têm sido a melhor forma do jovem viver e entender a espiritualidade redentorista. A decisão foi acordada em reunião realizada em Salvador (BA), de 26 a 28 de maio, na qual os membros da Comissão também partilharam as experiências vivenciadas no Ano Vocacional e definiram novos rumos para o trabalho com os jovens. “O clima é favorável nas unidades do

11 09/07/2014 10:58:39


Brasil. Temos a graça de ter uma juventude muito animada em nossas comunidades. Estamos mostrando a força do jovem e deixando que ele seja protagonista da missão”, avalia padre Vicente Ferreira, Superior da Província do Rio. O Ano de Promoção da Vocação Missionária Redentorista teve início em agosto de 2013 e se estenderá até novembro deste ano. A Congregação do Santíssimo Redentor desenvolveu, em todo o mundo, projetos e ações para promover a voca-

ção missionária em todas as suas dimensões. Os representantes das nove unidades brasileiras comungam da alegria do bom êxito das atividades realizadas nesse período. A próxima reunião da Comissão Nacional acontecerá entre os dias 23 e 25 de março de 2015, em Curitiba-PR.

Brenda Melo e Thamara Gomes pela Comissão Nacional da Juventude Redentorista

Encontro da JUMIRE MG-RJ-ES JUMIRE reúne 96 jovens no Seminário da Floresta

O

Seminário da Floresta, em Juiz de Fora (MG), sediou, nos dias 6, 7 e 8 de junho, o Encontro da Juventude Missionária Redentorista (JUMI-

12 Akikolá Julho.indd 12

RE), que contou com a participação das unidades de Campos, Cariacica, Rio de Janeiro, Juiz de Fora (Floresta e Glória), Belo Horizonte (São José e Venda Nova), Coronel Fabriciano e Curvelo, totalizando 96 pessoas. Na noite de sexta-feira, foi realizado um momento de ora-

Akikolá 09/07/2014 10:58:39


ção, tendo como tema “O Redentor te chama pelo nome”, a cargo dos seminaristas. Carlos e Gleison prepararam uma reflexão, trazendo também como tema o texto bíblico “O Chamado de Samuel” e contando com as presenças do Padre Vicente de Paula Ferreira, C.Ss.R., Superior Provincial MG-RJ-ES, e do Diácono Fagner Dalbem, C.Ss.R. Carlos Renato, de 20 anos, integrou a Juventude Redentorista e está há dois anos na Comunidade Vocacional Santo Afonso, em Juiz de Fora. Ele avaliou o encontro como “bom para unir toda a juventude e discutir temas missionários”. Além disso, enfatizou a “oportunidade de se ter um tempo de convivência para partilhar o carisma missionário redentorista” e ressaltou perceber este momento como um “olhar de esperança”, quando são dados “os primeiros passos daqueles que daqui a um tempo estarão incendiando, se apossando desta realidade de ser redentorista para propagar esta experiência onde estiverem”. Na manhã de sábado, o seminarista Maycon Ferreira Mar-

Akikolá Akikolá Julho.indd 13

tins, da Comunidade Vocacional São Clemente, proferiu as palavras de acolhimento, apresentando as unidades presentes no evento. Em seguida, Fráter Marcos da Silva Santos, C.Ss.R., redentorista da Vice-Província da Bahia que há três anos reside na Comunidade Vocacional Dom Muniz (Belo Horizonte), fez uma explanação sobre a experiência missionária redentorista. Para ele, a importância do encontro consiste na “oportunidade de inquietar os corações dos jovens em seu desejo de ser Redentorista com a comunicação desta realidade missionária, que é própria de nossa Congregação e dos jovens. Sair de si e ir ao encontro do outro”. Os trabalhos da tarde foram conduzidos pelo padre Flávio Leonardo Campos, C.Ss.R., que apresentou formas práticas de

13 09/07/2014 10:58:40


ações missionárias, abordando aspectos a partir da vivência de Santo Afonso e do Carisma Redentorista. Foram partilhadas diversas experiências missionárias de cada unidade presente no encontro, objetivando a construção de um projeto comum para a missão dos jovens. À noite, a festa junina animou a juventude, embalada pela tradicinal quadrilha. Para o padre Flávio, o evento teve dois objetivos centrais: no primeiro, “reunir e entrosar a Juventude Redentorista, fortalecendo o elo de comunhão”. Em um segundo momento, “oferecer formação redentorista para os jovens que fazem parte de nossa família”. O encerramento do evento aconteceu no domingo, na Capela Nossa Senhora de Fátima, após a experiência missionária na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, sob a

14 Akikolá Julho.indd 14

coordenação da Juventude da Glória e da Floresta. Durante a missa, a Juventude de Campos dos Goytacazes fez uma homenagem para Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Ao avaliar o encontro, Padre Vicente de Paula Ferreira, C.Ss.R., Superior Provincial MG-RJ-ES, demonstrou plena satisfação e disse que os 96 jovens participaram ativamente. “Este é um grande projeto realizado em todo o Brasil, um convite aos jovens da Província para continuar o trabalho. Não somos apenas um grupo, mas buscamos um estilo de vida, um jeito de ser que é o jeito de Jesus, que precisa ser mostrado na vida através de ações missionárias”, disse o Provincial. O Encontro da JUMIRE tem caráter nacional e é realizado pelas nove unidades no Brasil, cada uma de acordo com a sua realidade, que trabalham sob as orientações de uma linha mestra elaborada na última reunião da Comissão Nacional da Juventude Redentorista, no final de maio. Geraldo Muanis Juiz de Fora, MG

Akikolá 09/07/2014 10:58:41


A Pastoral da Comunicação da Igreja São José fez o lançamento do novo site www.igrejasaojose. org.br durante a comemoração do 48º Dia Mundial das Comunicações Sociais, em 1º de junho. A equipe apresentou à comunidade paroquial mais um canal aberto como forma de promover a comunicação, iniciativa que vai

de encontro à recomendação do Papa Francisco para que a Igreja não tenha medo de percorrer os caminhos digitais em busca daqueles que estão inseridos no mundo virtual, acolhendo e cuidando, como o Bom Samaritano da parábola de Jesus. Não deixe de acessar e divulgar o site: www.igrejasaojose.org.br

Aconteceu na Província

Paróquia São José lança novo site

Portal Redentorista lança versão em português O portal online oficial da Congregação Redentorista agora também disponibiliza o acesso ao site na língua portuguesa. No portal, estão disponíveis notícias, artigos, agenda, canais multimídia e vários outros temas sobre os principais acontecimentos nas unidades brasileiras, abordando, ainda,

Akikolá Akikolá Julho.indd 15

aspectos da espiritualidade redentorista. Um espaço interativo é destinado aos usuários que quiserem enviar comentários, críticas, sugestões, contribuições, artigos, notícias e fotografias. Acesse: www.cssrredemptoristi.com/ portuguese

15 09/07/2014 10:58:41


02 Akikolรก Julho.indd 16

Akikolรก 09/07/2014 10:58:43


Akikolá - Julho/2014