Page 1

n.º 4 NOVeMBRO 2010

EQUIPA PROVINCIAL DE PASTORAL VOCACIONAL

PROVÍNCIA PORTUGUESA DA SOCIEDADE SALESIANA

bússola € €em dia > Pe. José Aníbal Mendonça

Expressões de fé O mundo inteiro acordou sobressaltado com o drama daqueles 33 mineiros da mina de São José, no Chile, que, de repente, se viram presos a 700 metros de profundidade, sem contacto com o exterior, sem luz, com imenso calor e humidade e, sobretudo, sem saberem qual seria a sua sorte…

da mihi animas > Pe. José Miguel Núñez

«Deus providenciará» €€ Sempre admirei em Dom Bosco a tenacidade com que enfrentou e levou a cabo cada projecto ao longo de toda a sua vida. Perseverança: Dom Bosco procurou agir sempre com prudência, mas com uma perseverança tenaz. Confiava sem limites no Senhor e avançava com firmeza exclamando “Deus providenciará!”. Lemos nas Memórias Biográficas: O Caminho: “Quando encontro uma dificuldade, mesmo das maiores, faço como os que vão pelo caminho e a certo ponto o encontram obstruído por uma grande pedra. Se não puder tirar o obstáculo do meio, passo por cima, ou sigo por um caminho mais longo dando uma volta. Ou então, suspensa a empresa começada, para não perder tempo inutilmente à espera, começo logo outro projecto. Mas nunca perco de vista a obra começada até terminar. Com o tempo, os frutos amadurecem, os homens mudam, as dificuldades aplanam-se”. Nem as dificuldades da meninice, nem a grave doença no início da sua missão

Felizmente essa história terminou bem, muito bem! Graças ao interesse do governo chileno e às várias ajudas externas, a cápsula Fénix resgatou aqueles homens, um a um, perante as lágrimas de alegria e alívio de todo o mundo, que seguiu tintim por tintim os dois meses e tal desta operação.

com os jovens de Turim, nem as incompreensões com o bispo Gastaldi – para citar apenas alguns exemplos – conseguiram fazê-lo afastar do caminho que Deus lhe marcava. Confiamos: Como sempre fez na nossa família, também hoje confiamos que Deus fará florescer as pobres obras das nossas mãos. Com a invencível tenacidade do nosso Pai, enfrentamos projectos até à temeridade quando está em causa o bem dos jovens. Por muito fortes que soprem os ventos, Deus convertê-los-á em brisa suave; por muito altos que sejam os montes, Deus aplaná-los-á. Não duvides, há sempre caminhos. No carreiro árido e tortuoso, Deus sempre providencia aos de coração grande, de vistas largas e de passo firme.

Ficaram-me na retina impressionantes expressões de fé desses homens. Fez-me recordar o salmo que diz que não há buraco ou lugar, por mais profundo e isolado que seja, onde Deus não nos encontre – “se descer aos abismos, ali Vos encontrais” (Sl 138). Não há barreiras para a fidelidade e iniciativa do amor de Deus. Ama-nos perdidamente e sempre! Fez-me lembrar também que há tantos missionários deste Amor, espalhados por todo o mundo, que continuam a tentar resgatar seres humanos, filhos de Deus muito amados, enterrados em buracos de miséria, violência e abandono. Para mim era bem merecido que esses também pudessem ser colocados nas primeiras páginas dos jornais com a cápsula Fénix!


página 2 n.º 4 Novembro 2010

o guia... > Pe. David Teixeir a

Vocação a ser feliz e a ser Homem €€

É verdade que a vocação implica descobrir aquilo que Deus quer de nós, mas podemos já assegur ar: uma das coisas que Deus mais quer de nós é que sejamos verdadeir amente felizes.

É verdade que a vocação implica descobrir aquilo que Deus quer de nós, mas podemos já assegurar: uma das coisas que Deus mais quer de nós é que sejamos verdadeiramente felizes. Peço desculpa por contrariar a ideia de que Deus se alegra com a nossa dor e o nosso mal. Eu, pessoalmente, não posso acreditar num Deus assim: seria demasiado mesquinho. Ao invés, acredito - e o Novo Testamento confirma - que o nosso Deus é o Deus da alegria, da festa, da felicidade. Neste tempo, temos andado obcecados à procura da felicidade e, no entanto, não parece que sejamos mais felizes. Temos andando à procura dela no sítio errado, com certeza… O que significa realmente ser feliz? Como podemos ser verdadeiramente felizes, segundo este Deus que nos quer felizes? Há um autor que diz que “a vontade de Deus é que o homem seja Homem”. Por isso é que Deus se fez homem - Jesus, o Homem mais humano - para nos mostrar como poderíamos

ser Homem. Por isso é que Ele nos chamou à vida para sermos homens, porque se nos quisesse anjos, ter-nos-ia criado como anjos e não como homens… Antes de ser qualquer outra coisa, somos então chamados a ser aquilo que somos: homens. E, portanto, quanto mais homens formos, mais felizes seremos, porque que estamos no bom caminho da nossa vocação.

© Martin Walls, Stock.xchng

Seria bom que pensássemos um pouco mais nisso, porque, infelizmente, hoje já ninguém se preocupa em ser homem… acham que é uma coisa normal, mas não é, porque sempre podemos escolher o homem que queremos ser: o Homem, com letra maiúscula. O que significa, portanto, ser Homem?  Ser corpo e espírito, uma unidade. Não somos um corpo que tem um espírito, antes, somos um espírito com corpo;  Ser livre de responder, actuar e produzir de acordo com a tua consciência, ainda que com algumas limitações;  Ser limitado, marcado pela ambivalência e pela contradição: pecador e virtuoso, livre e escravo, consciente e inconsciente, condenado à morte e convidado à ressurreição…  Ser social, que convive, interage e inter-sente com os outros;

contemplar

 Ser necessitado e capaz de Deus, ainda que muitos tentam substituir, quando não calar, esta necessidade;  Ser imagem de Deus: aquele que é amado e que ama incondicionalmente o outro/Outro. E também aquele que é mistério e incompreensível tal como Deus é mistério e incompreensível. Portanto, antes de te pré-ocupares com qualquer vocação, ocupa-te em ser Homem.

acontece

> Edições Salesianas

ADVENTO/Quatro semanas de qualidade � Antes do Natal, os cristãos têm um tempo de prepar ação: o Advento. São quatro semanas par a deixar crescer a esper ança e reencontr ar as r azões da alegria. O Deus verdadeiro que Se mostrou em Jesus de Nazaré quer-nos felizes. Ele vem ao nosso encontro. A sua presença ajuda-nos a superar as dificuldades. A sua companhia permite-nos ultrapassar os fracassos. Ele é como uma luz que nos aponta um caminho seguro para uma vida de alta qualidade. Advento é o tempo de colocar o coração em sintonia com o Deus-menino. É o tempo para aprendermos de novo o que é a beleza e a ternura. A liturgia da Igreja oferece-nos um caminho seguro para a esperança. Ao longo do Advento, a liturgia escolhe um conjunto de textos que ajudam o nosso coração a converter-se à esperança e ao optimismo. As Edições Salesianas prepararam um livrinho precioso - “Rezar

no Advento” - com uma meditação, uma imagem e uma oração para cada um destes dias, como esta que aqui deixamos, a do 8 de Dezembro. Lucas 1,26-38 Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra. No meio das nossas rotinas, da nossa normalidade, Deus aparece. E faz-nos propostas muito pouco normais. Lança-nos desafios que nos parecem impossíveis. Põe em causa todas as rotinas e hábitos. Com Maria, aprendemos a acolher Deus no nosso dia-a-dia. Aprendemos a abertura total ao amor com que Deus nos ama. Aprendemos a dizer “sim”. E, tal como Maria, a nossa vida fica cheia de Cristo. Senhor, ensina-me a dizer “sim” aos teus convites. A não ter medo da tua palavra. A correr o risco de Te dar a minha vida. © Joanna Kopik, Stock.xchng

Já começou a preparação da jornada mundial da juventudE E O MJS VAI LÁ ESTAR! A JMJ celebra-se em Madrid de 16 a 21 de Agosto de 2011. Queres vir connosco? Tens vontade de participar? Se tens entre 16 e 35 anos não percas esta oportunidade. As inscrições estão abertas! Informa-te através do e-mail mjsmadrid11@gmail.com e em mjsmadrid11.blogspot.com.


página 3 n.º 4 Novembro 2010

a minha vez

indiscreto

> Fr ancisco Carneiro

> Ir. alzir a sousa

“O dia-a-dia é vivido em família”

Uma Irmã presente nas salas de aula e nos pátios

Sou o Francisco Cardoso Carneiro, tenho 17 anos e nasci em Lamego. Foi na catequese que aprendi a relacionar-me com Deus e comecei a ir acompanhado da minha vizinha que era também a minha catequista. Até chegar aos salesianos, frequentei várias escolas: o Colégio Imaculada Conceição (Lamego), o Colégio de Lamego e a Escola EB23/S ‘Dr. Leite Vasconcelos’. Depois de algumas experiências não muito bem sucedidas, a minha mãe, em conversa com uma pessoa amiga, foi aconselhada a inscrever-me no Colégio Salesianos de Poiares. Tinha quinze anos quando fui para lá e fiquei dois anos. Do que mais me marcou e que se distinguia das minhas experiências anteriores foi a relação próxima com os professores e os salesianos. Por causa desta proximidade, o Pe. Aníbal Mendonça, no meu primeiro ano, convidou-me para um encontro vocacional a nível nacional. Foi aí que nasceu o bichinho da vocação salesiana. A partir daí, fui falando mais amiúde com o Pe. Aníbal e com o salesiano Luís Almeida sobre isto. No segundo ano, participei, de novo, noutro encontro vocacional e foi uma confirmação daquilo que vinha sentindo. A entrada na Casa Imaculada Conceição aconteceu depois de várias conversas com o Pe. Aníbal, que me informou que havia uma possibilidade de reabrir esta casa que há muito estava sem jovens. E assim foi. Agora estou aqui, nesta comunidade, a fazer a experiência de aspirante. Pessoalmente, estou a adorar. O dia-a-dia é vivido em família, com trabalho, oração e estudo. Além disto, tenho vivido novas experiências: já tive a oportunidade de me encontrar com o Reitor-Mor; estou a aprender guitarra juntamente com o João e o Nuno; estou, com o Diogo, como quase-responsável de um grupo de acólitos; voltei a frequentar a catequese para, se Deus quiser, ser crismado ainda este ano; estou a aprender a rezar segundo o método da lectio divina, estou a aprender a ‘fazer limpezas’, ou seja, no sábado, temos um tempo para deixar a nossa casa num brinco; e, claro, estou a frequentar o décimo ano do curso tecnológico de Produção Gráfica. Estou a tentar viver tudo isto a cem por cento, pois nesta comunidade os salesianos são fantásticos, vivemos a ‘vida deles’ e ajudam-nos imenso, sobretudo na perspectiva de darmos uma resposta à nossa vocação. E, claro, tudo isto, sempre acompanhado pelo Senhor Jesus.

Bem cedinho, o toque do telemóvel teima em pôr fim a um bom e merecido descanso… é hora de erguer-me e agradecer a Deus este “despertar” para um dia de história a realizar! O primeiro momento do dia na comunidade de quinze irmãs salesianas do Bairro do Rosário é a oração de Laudes e a meditação, escutando e acolhendo o dom da Palavra de Deus para esse dia e entregando ao Senhor as aspirações mais profundas que a Sua voz sugere. E a Eucaristia é a chave de ouro deste tempo matutino de especial encontro com o Senhor. Bem nutridas da Sua Presença, é tempo de viver na presença das irmãs e dos irmãos com quem a minha história se realiza. O pequeno-almoço é um momento rápido, pois dali a nada as vozes dos alunos, professores, auxiliares e colaboradores enchem a casa, o que merece uma presença nossa atenta e acolhedora. É difícil que haja um dia semelhante ao outro no Externato Nossa Senhora do Rosário. Com uma formação de base em economia deixei há pouco as práticas lectivas da matemática e estou profissionalmente dedicada à educação moral e religiosa católica. Como coordenadora da pastoral e professora, a melhor expressão para descrever a missão do dia-a-dia talvez seja estar e caminhar com. De facto, não são as aulas que se dão, ou o tempo que se investe a preparar e avaliar, que qualificam o perfil de uma salesiana, mas a atenção aos grupos de pessoas com quem se educa, tendo no coração uma grande paixão pelos jovens e a confiança nos recursos que têm para crescer e serem o melhor que podem ser, no presente e no futuro. O pátio é também um excelente momento que aproveito para dialogar e aprender com os alunos sobre os mais variados assuntos, para jogar e rir com eles, para ser um ombro amigo diante de um olhar preocupado, vazio ou triste de quem precisa de sentir que alguém se interessa pela sua vida. Ninguém passa indiferente na nossa vida e muito menos as crianças e jovens

que se cruzam connosco! Por isso é que na oração do final da tarde levo e confio a Deus as situações que “pesam” sobre tantas pessoas que conheço e de quem gosto muito. Há que confiar… Deus é imensamente maior do que aquilo que conseguimos humanamente ver e cuida dos seus filhos. Quando é dia de prática de estágio integrado numa escola pública tudo corre ainda a maior velocidade, pois obriga a fazer o trajecto entre Cascais e a Parede num brevíssimo espaço de tempo, para leccionar a uma turma giríssima do 7º ano: são miúdos curiosos, atentos e que desafiam imenso o professor de EMRC nos dias de hoje. Continuo, entretanto, a formação académica em Lisboa, com as aulas do Mestrado. Um ano especial, que requer muito empenho, método e vontade em ir revendo e aplicando o que se pensa saber bem, mas que afinal é sempre possível ir fazendo melhor. À noite, após a amena conversa em comunidade ao jantar, procuramos reunir-nos e estar um momento a conversar na sala de convívio enquanto aguardamos a Boa-noite dada pela Irmã Maria das Dores, Directora da Comunidade. Antes de adormecer, faço um flash-back do dia que passou e dirijo-me no íntimo a Nossa Senhora: nesta situação eu não fui capaz! Vá, ajuda-me ou lembra-me amanhã como posso melhorar e ser mais de Deus para os outros!


página 4 n.º 4 Novembro 2010

animais ferozes > Pe. Mauro Costantini

vale a pena? finalmente, ao menos é isso que se espera, a escola e uma profissão. Durante este período reconstrói-se a rede de amizades e de família de P. com muitas dificuldades, pois custa-lhe Há tantas histórias para a falar da própria história, contar, mas muitas vezes tenho composta de tantos abusos medo de esquecer alguns e violências. Os voluntários pormenores e, sobretudo, o que passam dificuldades para sinto mais intensamente é o pudor conseguir reconstruir um tecido e respeito por quem viveu ou “roto” e, muitas vezes, só com © Alicia Solario, Stock.xchng ainda vive certas situações. a fé conseguem manter esse esforço. Sim, é verdade, porque se num Encho-me de coragem e começo assim: dia se consegue um passo para a frente, … também hoje veio ao Centro, contente por frequentemente no dia seguinte dão-se estar connosco. Brincou, comeu uma maçã e dois para trás. É mesmo a imagem do bom um pão e agora dorme profundamente no pastor à procura da ovelha tresmalhada que banco … estranhamente hoje não vagueia os impele a encontrar soluções mesmo que pela rua e nem vai trabalhar porque, tal aquela ovelha perdida os arranhe ou se como tantos outros seus coetâneos, também revolte. ele quer celebrar a festa de Dom Bosco. De Assim acabava de acontecer com P. que, no facto, hoje o Centro está em festa e também dia anterior, tinha aparecido tarde em casa e o P. festeja e quer ajudar-me em tudo. Além um pouco “exaltado” por ter estado a respirar disso, hoje não deve preocupar-se em ir ao gasolina… e agora ei-lo a dormir como um porto ganhar a jornada, porque o Pe. Roberto anjo… prometeu jogos e pão, como acontece para Enquanto olhas para ele pensas no seu os miúdos da sua idade que frequentam a futuro e perguntas-te: vale a pena? Sim, claro escola. P. é um rapaz de 13 anos, um dos que vale, vale tanto para alguém que, como tantos que o Pe. Roberto encontra durante dizia Dom Bosco, esteja disposto a arrastar a a noite nas ruas de Luanda; procura-os, língua desde Valdocco até ao cimo do monte encontra-se com eles e ensina-os a viverem sobranceiro à cidade, chamado Superga! como pessoas e como cristãos. Não à lamentação e sim à vida, também P. já fez metade desse percurso. Vive a meias para o P., porque o Senhor ama-o pelo que entre a rua e uma casa de acolhimento, e os ele é, e porque continua hoje a ser um dos próximos passos serão uma “casa família” e tantos meninos da rua de Luanda. Muitas vezes na vida, as situações difíceis são de tal ordem que não sabemos ou não queremos afrontá-las porque nos “incomodam”.

cartoon > Prof. Nuno Quaresma

Gostavas de conhecer melhor a vocação salesiana? Queres receber este jornal no teu e-mail?

Bússola

Jornal da Equipa de Pastoral Vocacional Pe. Álvaro Lago alvaro.lago@salesianos.pt Ir. Alzira Sousa alzirasousa.fma@gmail.com Pe. David Teixeira david.teixeira@salesianos.pt Pe. João Chaves joao.chaves@salesianos.pt Pe. José Aníbal Mendonça anibal@salesianos.pt Pe. Juan Freitas juan@salesianos.pt Ir. Maria João Garcia mjoao.garcia@hotmail.com Propriedade da Província Portuguesa da sociedade Salesiana Rua Saraiva de Carvalho, 275 1399-020 Lisboa t: 21 090 06 00 f: 21 090 06 39 w. www.salesianos.pt Casa Salesiana Imaculada Conceição t: 22 589 80 45 f: 22 589 80 46 Fotografia da capa: © RTVE

vem aí � 25 de Novembro Neste dia festeja-se Mãe Margarida, a mãe de D. Bosco e do Oratório � 8 de Dezembro Dia Santo - Solenidade da Imaculada Conceição � 18 e 19 de dezembro Retiro Vocacional FMA “Vem e sê a minha luz!” - Casa provincial, Monte Estoril

sugestões DOS HOMENS E DOS DEUSES de Xavier Beauvois Este filme, vencedor do festival de Cannes, conta-nos a história dos monges de Tiberin na Argélia. Uma comunidade cisterciense de 9 monges ameaçada pelo terrorismo e o fanatismo de alguns muçulmanos. A pergunta que se repete ao longo de todo o filme è: partir ou ficar? No fim a resposta…”O Bom Pastor não abandona as suas ovelhas quando vem o ladrão.” Exemplo de doação e serviço desinteressado aos irmãos seja de que religião forem. PREPARA O BERÇO: É NATAL de Angelo Comastri Neste livro Mons. Comastri, com a sua sabedoria e profundidade convida-nos a ir além da balbúrdia e da confusão que hoje acompanham inevitavelmente o Natal, e a contemplar o centro deste mistério, criando um espaço de silêncio no qual se possa deixar falar Deus, que desceu ao meio de nós. Para que no tempo de advento que se aproxima não esqueçamos o que realmente interessa.

Bússola n.º 4  

Jornal da Equipa de Pastoral Vocacional da Província Portuguesa da Sociedade Salesiana. Número 4. Novembro 2010

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you