Issuu on Google+

POLITÉCNICO DO PORTO PLANO ESTRATÉGICO 2008-2012


PLANO ESTRATÉGICO 2008-2012


|

Politécnico do Porto

|

—2


|

Plano Estratégico — 2008/2012

|

—3


ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO

|

Politécnico do Porto

|

—4


|

Plano Estratégico — 2008/2012

Sumário Missão do Politécnico do Porto · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · Valores · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · Visão do Politécnico do Porto · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · Eixos Estratégicos · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · Objectivos Estratégicos · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · ·  Formação · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · ·  Investigação · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · ·  Transferência de Conhecimento e Tecnologia · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · ·  Criação e Divulgação da Cultura · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · ·  Pessoas · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · ·  Relações com Parceiros Sociais · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · ·  Gestão Estratégica · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · ·  Comunicação e Marketing · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · Grupo de Trabalho · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · · ·

|

—5

5 7 9 11 19 20 21 22 23 24 25 26 27 29


ESCOLA SUPERIOR DE ESTUDOS INDUSTRIAIS E DE GESTÃO

|

Politécnico do Porto

|

—6


|

Plano Estratégico — 2008/2012

MISSÃO DO POLITÉCNICO DO PORTO A missão do Politécnico do Porto é ser líder no ensino superior politécnico em Portugal, assumindo-se como comunidade socialmente responsável que – num quadro de referência internacional – procura a excelência na formação de cidadãos de elevada competência profissional, científica, técnica e artística numa ampla diversidade de perfis de qualificação; no desenvolvimento da investigação e transferência aplicada de tecnologia e de conhecimento; na criação e difusão da cultura; e no compromisso com o desenvolvimento sustentado da região.

|

—7


ESCOLA SUPERIOR DE MÚSICA E DAS ARTES DO ESPECTÁCULO

|

Politécnico do Porto

|

—8


|

Plano Estratégico — 2008/2012

VALORES Partilha, diálogo e participação na vida das comunidades Diversidade Curiosidade criativa Liberdade intelectual Cooperação Espírito crítico Criação de progresso

|

—9


ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS

|

Politécnico do Porto

|

— 10


|

Plano Estratégico — 2008/2012

VISÃO DO POLITÉCNICO DO PORTO É uma instituição reconhecida como motor da transformação social e do desenvolvimento económico, sustentada numa formação de qualidade, atractiva, diferenciada e competitiva, adequada às realidades variáveis, sustentada por investigação própria residente, facilitadora da empregabilidade, da flexibilidade e da mobilidade. Que coloca o conhecimento e a inovação ao serviço da comunidade através de uma investigação centrada em áreas de conhecimento estratégicas (de qualidade consolidada), apoiada numa política de excelência, reconhecida nacional e internacionalmente, propiciadora do intercâmbio, da mobilidade e da participação dos estudantes. Uma instituição de referência plenamente comprometida com a sociedade, que através da transferência de conhecimento e tecnologia, face à procura de inovação e serviços especializados nos diferentes âmbitos da sociedade, do mundo empresarial e da administração pública, contribui decididamente para o progresso económico e social. Uma instituição criadora, inovadora e difusora de hábitos e formas culturais criticas, participativas e solidárias, que actua como fórum de discussão das distintas tendências nos distintos campos em que incide a sua actuação, através das suas “embaixadas culturais” disseminadas pela sua zona geográfica de influência

|

— 11

e pela participação activa nos órgãos de decisão das entidades de referência. Socialmente reconhecida pelo prestígio do corpo docente, pela formação integral dos seus estudantes/ diplomados e pelo profissionalismo do pessoal não docente, altamente qualificados, motivados, comprometidos e com um forte sentimento de pertença e orgulho à instituição. Parceiro privilegiado no envolvimento e comprometimento em projectos com a sociedade, a nível nacional e internacional (IES, empresas, grupos de interesses) no âmbito científico, tecnológico e cultural, reconhecido pela excelência dos serviços prestados. Uma instituição que se distingue por uma gestão transparente, eficaz, eficiente, prestadora de contas à sociedade, orientada para a satisfação dos seus clientes e que assegura que as tomadas de decisões são coerentes e congruentes com os objectivos estratégicos definidos. Uma instituição de prestígio nacional e internacional, capaz de comunicar uma imagem que permita consolidar a credibilidade da sua formação, investigação e serviços à comunidade, influenciadora de comportamentos e comprometida com o desenvolvimento de estratégias que respondam à satisfação das necessidades detectadas na sociedade.


ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DO PORTO

|

Politécnico do Porto

|

— 12


|

Plano Estratégico — 2008/2012

EIXOS E OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS 1. Formação Conseguimos criar instrumentos de controlo capazes de monitorar a oportunidade e atractividade das nossas formações, de forma a adequá-las às realidades variáveis, respondendo à concorrência e às políticas educativas. A qualidade da nossa formação graduada é reconhecida pela sociedade. Temos toda a formação sustentada por investigação própria, residente. Não existe diferencial apreciável entre a nossa formação e a média do espaço europeu de formação superior, com o nosso modelo referencial nacional, coerente com o espaço europeu, de ensino politécnico. Temos uma estrutura que permite avaliar a inserção dos nossos diplomados no mercado de trabalho e capacidade de captar novos públicos para formação avançada/ pós-graduada/especializada e profissional. Temos capacidade própria de reconversão e adequação dos recursos metodológicos e dos nossos formadores. 2. Investigação Existe um sistema integrado de (estruturas de ligação/ coordenação) por macro-áreas [1], as quais promo-

|

— 13

vem as actividades de investigação na sua área. Estas estruturas: — definem as principais linhas de investigação estratégicas para o Politécnico do Porto; — promovem colaboração entre os núcleos [2] de investigação em cada área; — promovem a integração dos vários núcleos em redes de referência nacionais ou internacionais; — promovem sinergias internas e externas entre os núcleos e evitam o desperdício e sobreposição das actividades de investigação; — promovem contratos programa entre o Politécnico do Porto e investigadores/núcleos; — promovem a transferência de conhecimento e tecnologia. Existe uma estrutura transversal que define linhas estratégicas de investigação transversais às macro-áreas, define os mecanismos de avaliação do desempenho das várias macro-áreas e apoio e fomenta a transferência de conhecimento e tecnologia. Esta estrutura integra elementos internos e externos ao Politécnico do Porto. Os núcleos de investigação conduzem actividades de investigação e transferência, integrando estudantes do Politécnico, promovendo e estabelecendo ligações com o exterior (empresas, administração pública, e outros). Estes núcleos também prestam serviços de apoio à formação (de 2º ciclo e formação especializada ao longo da vida).


INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO DO PORTO

|

Politécnico do Porto

|

— 14


|

Plano Estratégico — 2008/2012

E O

Existem linhas de investigação com reconhecimento nacional e internacional em todas as macro-áreas. Toda a investigação realizada capitaliza para o Politécnico do Porto, sendo que a realizada em redes externas é feita de forma protocolada. [1] Ciências da educação, saúde, tecnologias, ciências empresariais e artes. [2] Os núcleos podem assumir diversas formas e dimensões, variando entre centros de investigação e pequenos grupos ligados a redes internas e/ou externas. 3. Transferência de Conhecimento e Tecnologia Salvaguardando os valores descritos na missão, o Politécnico do Porto aumentou a transferência de conhecimento e tecnologia para o exterior, transformando-nos numa instituição de referência, através de uma produção científica reconhecida, da consolidação de centros tecnológicos que responderam às necessidades do mercado (procurado pelos sectores) com registo sistemático de patentes, de parcerias que promovem a partilha de conhecimento e tecnologia entre o Politécnico do Porto e o exterior, de organismos (jovens empresas/empreendimentos [spin off], de centros de prestação de serviços [start up]) que estabelecem a ligação entre o Politécnico do Porto e a sociedade envolvente.

|

— 15

4. Criação e Divulgação da Cultura Os estudantes destinam uma percentagem dos créditos dos curricula a áreas de formação complementar. A larga maioria da comunidade participa regularmente em actividades extracurriculares. Promovem-se e acolhem-se regular e sistematicamente actividades de expressão e divulgação cultural e científica, e desenvolveu parcerias com entidades externas científicas e culturais, passando a figurar nos órgãos de decisão de grande parte das entidades de referência, influenciando a definição de políticas. Criaram-se várias “embaixadas culturais” inseridas na rede social das localidades da nossa zona geográfica de influência. Produzem-se conteúdos culturais e científicos reconhecidos socialmente como excelentes. Promovem-se responsavelmente actividades de lazer e cultura igualmente disseminadas pela população. 5. Pessoas O trabalho em rede, o conhecimento mútuo e a participação activa em actividades inter escolas fomenta um sentimento de pertença à Instituição. Discentes Os discentes são públicos diversificados que buscam diferentes ofertas formativas. Na vertente da formação

inicial, a maioria está bem preparada para ser estudante do ensino superior e escolheu o Politécnico do Porto como primeira opção. O Politécnico do Porto é uma referência para os indivíduos e as instituições que apostam na requalificação. As condições oferecidas pelo Politécnico do Porto proporcionam bem-estar social e académico e permitem que os estudantes estejam motivados para as suas formações e consigam terminá-las com sucesso pessoal e académico. Colaboradores O Politécnico do Porto possui um sistema de gestão de recursos humanos, que envolve activamente os seus colaboradores, promovendo o desenvolvimento das suas competências pessoais e profissionais. A gestão dos recursos humanos permite manter um corpo de colaboradores motivado, satisfeito, disponível, competente, produtivo, dedicado e integrado na instituição. Os colaboradores actualizam permanentemente os seus conhecimentos, de forma a desempenharem com maior eficácia e eficiência as suas funções. O Politécnico do Porto promove políticas de pessoal que explicitam os objectivos, as funções e as responsabilidades, tornando mais claras, para cada um, as expectativas profissionais.


INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO

|

Politécnico do Porto

|

— 16


|

Plano Estratégico — 2008/2012

6. Relações com Parceiros Sociais O Politécnico do Porto terá uma participação clara e empenhada dos parceiros sociais na gestão e desenvolvimento do Politécnico do Porto, com as Autarquias mais envolvidas no desenvolvimento de projectos, com Associações, Fundações, Empresas e Personalidades capazes de influenciar as políticas do Politécnico do Porto, no âmbito de um conjunto alargado e diversificado de parcerias com entidades externas. O Politécnico do Porto terá capacidade para influenciar os seus parceiros no desenvolvimento de políticas de responsabilidade social e de compromisso com o desenvolvimento sustentável, marcando desta forma a agenda das políticas culturais, sociais e científicas. Estará assim consolidada a interacção entre os dois níveis de desenvolvimento interno e externo e reforçadas as dinâmicas de cooperação biunívocas. O Politécnico do Porto terá uma participação elevada em projectos internacionais, aumentando significativamente a sua influência na acção das Associações Internacionais relevantes, contará ainda com a presença de um número significativo de estudantes, docentes e investigadores estrangeiros em todos os programas de formação e investigação, e terá uma presença efectiva em projectos internacionais de cooperação na formação, na investigação e no desenvolvimento económico, cultural e social.

|

— 17

O Politécnico do Porto visa ainda ser a primeira escolha em todas as suas áreas de intervenção, especialmente no que se relaciona com as famílias, a administração pública, os clientes e com a criação/prospecção de parcerias. 7. Gestão Estratégica Está implantado no Politécnico do Porto um sistema de gestão Estratégica, envolvendo todos os sectores e integrando a diversidade das linhas de orientação das várias unidades orgânicas, alicerçado num sistema de informação eficaz. Foi implementada uma estrutura organizativa coerente e consistente de gestão de qualidade que sustenta e dinamiza o desenvolvimento e avaliação do plano estratégico e assegura a participação de toda a comunidade Politécnico do Porto em diferentes níveis, bem como a integração sistémica da informação. 8. Comunicação e Marketing O sistema de comunicação interna e externa do Politécnico do Porto garante a difusão nacional e internacional da sua imagem institucional e influencia os comportamentos dos diferentes públicos relevantes para a instituição, através de diferentes meios de comunicação (físicos e virtuais).

A sociedade reconhece a marca Politécnico do Porto como instituição de prestígio pela credibilidade na formação, investigação e serviços à comunidade, contribuindo para que mais e melhores candidatos ingressem na instituição. O Politécnico do Porto identifica e adapta as actividades desenvolvidas nas suas UO (formação, investigação e serviços à comunidade) às necessidades da sociedade.


Serviços Centrais Presidência

|

Politécnico do Porto

|

— 18


|

Plano Estratégico — 2008/2012

OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS

|

— 19


|

Politécnico do Porto

/ FORMAÇÃO Objectivos Estratégicos

Objectivos Operacionais

1.1. Garantir a concepção e atractividade dos nossos cursos através da adequação e diversificação da oferta formativa, para todos os níveis e para todos os públicos

1.1.1. Conseguir uma oferta formativa racional e ajustada às necessidades da sociedade e às determinações da política educativa 1.1.2. Promover uma cultura de proximidade com vista ao reconhecimento de acções concretas com impacto nas comunidades

1.2. Garantir a qualidade da formação por forma a sermos um referencial nacional dentro do espaço europeu do ensino superior

1.2.1. Conceber a formação de acordo com os avanços tecnológicos e metodológicos, potenciando a aquisição de competências para a ampliação das capacidades dos formandos e seus formadores 1.2.2. Potenciar a interacção entre os docentes das diferentes escolas que desenvolvem actividade na mesma área científica 1.2.3. Promover a avaliação interna e externa da oferta formativa e da qualidade da formação

|

— 20


|

Plano Estratégico — 2008/2012

/ INVESTIGAÇÃO Objectivos Estratégicos

Objectivos Operacionais

2.1 Potenciar a investigação no instituto em linhas estratégicas definidas, através do apoio aos núcleos de investigação

2.1.1 Reforçar as actividades desenvolvidas pelos núcleos em funcionamento 2.1.2 Alargar o espectro de linhas de investigação do Instituto através do fomento de núcleos em novas áreas 2.1.3 Assegurar o estabelecimento e monitorização em contínuo das linhas estratégicas de investigação

2.1 Potenciar a investigação no instituto em linhas estratégicas definidas, através do apoio aos núcleos de investigação

2.2.1 Assegurar a coordenação e integração transversal da actividade de investigação, para potenciar a participação em redes e projectos 2.2.2 Estimular a participação em redes e projectos nacionais e internacionais, através da identificação e monitorização em contínuo das oportunidades e capacidades da Investigação

|

— 21


|

Politécnico do Porto

/ Transferência de Conhecimento e Tecnologia Objectivos Estratégicos

Objectivos Operacionais

3.1. Promover a gestão do conhecimento, de modo a consolidar o nosso papel como instituição de referência do ponto de vista científico e tecnológico

3.1.1 Garantir a aproximação do sistema de investigação aplicada ao tecido empresarial 3.1.2 Potenciar a produção científica em todas as suas vertentes, nomeadamente através de patentes, licenciamentos, publicações e participação em reuniões científicas

3.2. Garantir a aplicação dos resultados da produção científica e tecnológica ao meio envolvente

3.2.1 Promover um sistema de parcerias, spin-offs, start-ups e centros tecnológicos, de acordo com as necessidades do meio envolvente 3.2.2 Fomentar iniciativas empreendedoras, facilitando o acesso ao capital de risco;

|

— 22


|

Plano Estratégico — 2008/2012

/ Criação e Divulgação da Cultura Objectivos Estratégicos

Objectivos Operacionais

4.1 Satisfazer biunivocamente as necessidades de desenvolvimento sociais e institucionais na rede de influência geográfica e social da instituição

4.1.1 Fortalecer as distintas dimensões do desenvolvimento pessoal dos múltiplos agentes da comunidade do Politécnico do Porto, envolvendo-os de modo integrado em acções de afirmação da sua marca identitária 4.1.2 Influenciar a gestão e as políticas de entidades externas de referência, pela participação nos seus órgãos de decisão, e proporcionando a participação mútua dos agentes implicados nas actividades promovidas 4.1.3 Promover e acolher regular e sistematicamente actividades de expressão cultural de valor socialmente reconhecido, integrados em redes

4.2. Desenvolver uma cultura de divulgação e abertura à sociedade, motivando a comunidade do Politécnico do Porto para a participação na produção de conteúdos culturais e científicos próprios

|

— 23

4.2.1 Desenvolver meios de produção endógenos integrados 4.2.2 Produzir conteúdos culturais reconhecidos socialmente como excelentes


|

Politécnico do Porto

/ Pessoas Objectivos Estratégicos

Objectivos Operacionais

5.1 Promover o desenvolvimento pessoal e profissional dos colaboradores potenciando a motivação e o sentimento de pertença à instituição

5.1.1 Assegurar a gestão integrada do sistema de recursos humanos entre as diferentes unidades orgânicas 5.1.2 Garantir a aplicação sistemática das políticas de pessoal em todos os níveis da organização

5.2 Melhorar o ambiente psico-sociológico e a qualidade de vida das pessoas na instituição

|

— 24

5.2.1 Propiciar um ambiente profissional e social equilibrado e estável 5.2.2 Melhorar o clima sócio laboral


|

Plano Estratégico — 2008/2012

/ Relações com Parceiros Sociais Objectivos Estratégicos

Objectivos Operacionais

6.1 Aprofundar as relações externas com Instituições político-administrativas, municipais, académicas, empresariais e a sociedade civil para reforçar a nossa capacidade de intervenção

6.1.1 Envolver a comunidade externa no nosso processo de tomada de decisões estratégicas 6.1.2 Estimular e alargar a participação activa nas estruturas onde estamos presentes 6.1.3 Promover iniciativas que despertem interesse junto dos parceiros sociais

6.2. Potenciar as relações internacionais para atrair e criar projectos fora do âmbito nacional

6.2.1 Promover um conjunto de relações internacionais que garanta o aproveitamento de oportunidades e a cooperação para o desenvolvimento de projectos 6.2.2 Fomentar a mobilidade e cooperação em particular nas áreas com pósgraduação e mestrado

|

— 25


|

Politécnico do Porto

/ Gestão Estratégica Objectivos Estratégicos

Objectivos Operacionais

7.1 Aperfeiçoar a gestão estratégica aumentando a participação de todas as pessoas que integram a organização, garantindo a integração dos modelos de gestão

7.1.1 Garantir um modelo de Gestão estratégica apoiado na implementação de um sistema de gestão por objectivos que permita uma maior eficácia nos resultados 7.1.2 Desenvolver um modelo de gestão económica que sustente a tomada de decisões e que propicie a eficiência 7.1.3 Potenciar um modelo integrado de gestão da qualidade/ambiente global, que envolva todos os níveis da instituição

7.2. Garantir um sistema organizativo e de suporte para todo o processo de gestão

7.2.1 Conseguir optimizar o funcionamento da instituição através da implementação de uma estrutura coerente com a direcção estratégica 7.2.2 Dispor de um sistema integrador dos diversos sectores e unidades organizacionais garantindo o fluxo de informação 7.2.3 Assegurar o funcionamento adequado dos demais processos logísticos (aprovisionamento, serviços, infra-estruturas) que permita o suporte material à instituição

|

— 26


|

Plano Estratégico — 2008/2012

/ Comunicação e Marketing Objectivos Estratégicos

Objectivos Operacionais

8.1 Promover a imagem institucional de acordo com as expectativas e percepções dos diferentes públicos alvo acerca da formação, investigação e serviços à comunidade realizada nas suas escolas, aumentando a notoriedade da marca junto de potenciais estudantes e outras partes interessadas

8.1.1 Consolidar a imagem da instituição procurando aumentar a sua notoriedade e difundir os seus valores na sociedade

8.2 Influenciar os comportamentos e atitudes dos públicos relevantes para a instituição, através da garantia de um sistema interno e externo de comunicação, que potencie o impacto da instituição na sociedade

8.2.1 Garantir a operacionalidade de um sistema de comunicação interna para conhecimento das actividades desenvolvidas em cada escola, a estudantes e colaboradores do universo Politécnico do Porto

8.1.2 Perceber as diferentes expectativas dos públicos alvo da instituição procurando antecipar as necessidades em relação à formação, investigação e serviços à sociedade

8.2.2 Garantir a operacionalidade de um sistema de comunicação externa que difunda para a sociedade as actividades desenvolvidas nas UO do Politécnico do Porto 8.2.3 Favorecer a integração dos sistemas de comunicação interna e externa das UO do Politécnico do Porto que potencie o impacto da instituição

|

— 27


|

Politécnico do Porto

|

— 28


|

Plano Estratégico — 2008/2012

GRUPO DE TRABALHO Alberto Jorge António Costa Carlos Azevedo Cecília Sequeira Cristina Melo Cristina Pinto da Silva Deolinda Ribeiro Dorabela Gamboa Eduardo Silva Emanuel Thiago Oliveira Ester Vaz Estrella Varela Fernando Malheiro Magalhães Helena Soares Joan Cortadellas João Manuel Rocha João Meireles Joaquim António Almeida Joel Fernandes José Abel Ferreira de Andrade José de Freitas Santos José Francisco da Silva Beja José Veiga Pereira

|

— 29

Liliana Isabel Lopes Luís da Costa Lima Luís Miguel Neves Luís Miguel Pinho Marco Bruno Rocha Barros Maria do Rosário Gambôa Maria João Cunha Marina Sousa Mário Guerra Maurício Brito Olímpio Castilho Orlando Fernandes Paulo Eduardo Duque Pedro Miguel Esteves Pedro Silva Rui Manuel Ferreira Vitor Lélio Braga Vitor Santos Vitor Verdelho


|

Politécnico do Porto

|

— 30


|

Plano Estratégico — 2008/2012

|

— 31



Plano Estratégico