Page 1


Palavra do Pároco

Q

A CIDADE QUE QUERO E SONHO

uero o meu povo sorrindo feliz, lutando e trabalhando para conquistar seu lugar ao sol. Quero a cidade crescendo e se desenvolvendo, reconquistando seu lugar no Estado e no País. Protagonista que foi, em outros tempos, em tantas frentes, intimidou-se e foi perdendo muito de seu brilho. Sonho com uma cidade ousada e empreendedora em todas as áreas. “Cidade Universitária” que é, onde está a cultura ganhando as ruas e praças e centros culturais? Sonho com a volta do Museu Mariano Procópio, fechado há tantos anos, esperando uma reforma que nunca parece chegar. Sonho com ruas limpas e bem cuidadas, onde ninguém jogue lixo no chão ou nos ermos terrenos e a limpeza pública seja eficiente. Sonho com nossas praças arborizadas e floridas, onde as pessoas possam se encontrar, conversar e crianças brincar sem se sentirem inseguras por ali estar. Sonho com segurança para nossos jovens e idosos, diante do visível aumento da violência em muitos bairros. Sonho com a vitória sobre as drogas que mais e mais vão vitimando e destruindo a tantos. Sonho com oportunidades de trabalho e capacitação dos mais pobres, para que seja garantido o direito básico de um sustento digno de suas famílias. Sonho com lojas e prédios abertos com novas iniciativas e serviços. É que me dói ver tantos espaços comerciais fechados. Penso não só nos funcionários dispensados, mas também nos pequenos empresários que ali investiram seus recursos e sonhos e tiveram de fechar as portas. Sonho com nosso povo sendo bem atendido em todas as repartições públicas, especialmente na hora em que a saúde dá lugar à doença. Quero uma administração pública próxima ao povo, que entre em diálogo com as diversas instâncias da sociedade. Quero uma Vereança que realmente represente os setores diversos da cidade e que legisle com lisura, tendo em vista o progresso de nossa cidade. Vereadores que não apareçam apenas de quatro em quatro anos, estendendo a mão para

nos cumprimentar. Sonho com a superação da indiferença com aquilo que é de todos. Escolas públicas com ensino de qualidade e merenda saudável; o fim da depredação dos prédios públicos, especialmente das mesmas escolas, por vândalos que parecem impunes. Quero o fim dos buracos nas ruas e aqueles que são tapados e retapados, camada sobre camada, sacolejando quem por eles passa nos carros e, principalmente, nos ônibus. Quero que as prometidas obras viárias se façam realidade e que não demorem outros quatro anos. Quero o fim das mortes na linha férrea que corta a cidade. Quero que se mantenha o que é bom, que se possa dar continuidade ao que se fez de positivo em cada administração municipal. Sonho com o fim do descaso de tantos. E não estou falando só da administração pública. Sonho com todas as forças vivas da sociedade – inclusive a Igreja – e cada cidadão, dando-se as mãos para juntos construirmos um lugar melhor para se viver e conviver, uma cidade do presente e não apenas do futuro. Quero que não se repita mais a usual expressão: “Juiz de Fora tem tudo pra dar certo, só que não dá”, porque vai dar certo! Só depende de cada um de nós! Quero, com orgulho, dizer: sou juizforano e ajudo minha cidade a ser melhor! Desejo ao Ex.mo Sr. Prefeito, Bruno Siqueira, seu Secretariado e aos Srs. Vereadores muitas luzes em sua exigente tarefa. Deus a todos dê sabedoria e que possam orar como o sábio rei Salomão: “Dai-me, Senhor, a Sabedoria que partilha do vosso trono para que, junto de mim, tome parte em meus trabalhos, e para que eu saiba o que vos agrada” (Sabedoria 9, 4.10). Quanto a mim, quero dar minha contribuição naquilo que estiver ao meu alcance. Quero dizer: Juiz de Fora, conte comigo!

Pe. Sérgio Luiz e Silva, CSsR. www.padresergio.com www.facebook.com/falecompadresergio

Kempton Viana


O

‘Seja um jovem alegre e atuante na obra de Cristo’

s jovens do Brasil vivem um ano ímpar, com a realização da Jornada Mundial da Juventude. A Arquidiocese de Juiz de Fora também já se mobiliza para a data, com a Semana Missionária, que acontecerá entre os dias 14 e 20 de julho. Em entrevista ao Novo Tempo, o arcebispo de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, fala sobre a expectativa da Igreja para estes momentos. NT: Qual a importância da realização da Jornada Mundial da Juventude no Brasil, principalmente para Juiz de Fora, uma cidade tão próxima ao Rio de Janeiro? Dom Gil: As jornadas mundiais da juventude (JMJ) têm sido veículo eficaz e grandioso de evangelização dos jovens. Trata-se de um movimento de massa muito eficiente na geração de jovens autenticamente cristãos. O fato de nem todos os que participam se transformarem ou prosseguirem na caminhada de fé não diminui seu extraordinário valor, pois a adesão é sempre livre e é próprio dos jovens serem volúveis e alguns inconstantes. Para o Brasil, a JMJ 2013 será realmente um marco histórico na vida da Igreja de nosso país. Juiz de Fora, por estar muito próximo do Rio de Janeiro, onde se localizará a JMJ, poderá receber benefícios mais diretos, seja pela participação numerosa de jovens, seja pela parceria com a Arquidiocese do Rio de Janeiro para a logística de recepção. A realização da semana missionária deverá contar com grande participação da comunidade. - Como estão os preparativos para a Semana Missionária da Arquidiocese? Como os católicos da cidade podem contribuir? - A Semana Missionária está sendo construída com muito carinho, muita dedicação e muito profissionalismo. Há várias equipes de trabalho já em pleno funcionamento, para organizar tanto a parte espiritual, quanto a parte prática da acolhida aos jovens de outros lugares e até de outros países. Cada paróquia está sendo convidada a organizar sua Semana Missionária, com material produzido pela Comissão Central. Cada Colégio Católico está sendo visitado para aderir ao acolhimento de jovens estrangeiros ou brasileiros que venham de outras cidades. Há jovens e adultos treinando para colaborar na Semana Missionária

como intérpretes. Os católicos da cidade podem contribuir de muitos modos, desde o acolhimento para hospedagem, se oferecendo para serviços gerais, ou ainda contribuindo financeiramente. - Como vê o papel do jovem na Igreja de hoje? - Gostaria de parafrasear o Beato João Paulo II: o jovem é a face jovem da Igreja de hoje e o alicerce da Igreja de amanhã. Há jovens que são verdadeiros apóstolos, missionários, apaixonados por Jesus Cristo. Conseguem evangelizar outros jovens e fazer crescer o Reino de Deus entre nós. Há contudo alguns que são ainda apáticos e precisam ser despertados. Gosto do meio jovem, pois entre eles me rejuvenesço. É como se voltasse ao tempo de minha juventude, quando participei ativamente de movimentos juvenis na paróquia e na minha diocese de origem. O jovem por si só espalha alegria, ânimo e entusiasmo. Todo jovem na Igreja deve recordar que Deus espera dele uma grande força evangelizadora. - Que recado o senhor daria para nossos jovens neste ano tão importante para eles? - Caro jovem, não se deixe envelhecer pelo desânimo, pela inércia, pelo comodismo. Seja um jovem alegre e atuante na obra de Cristo. O seu tempo jovem não pode passar sem que você consiga fazer um grande bem às pessoas, e nem deixar de contribuir para que o mundo de amanhã seja bem melhor que o de hoje. Nunca se deixe levar pelas drogas, pois elas são diabolicamente enganadoras e destruirão sua vida. Não siga propostas do mal, siga somente a Jesus Cristo, que é o Senhor do bem. Una-se aos jovens da Igreja para fazer maravilhas ao mundo de hoje e de amanhã. Desejo que o ano de 2013 seja coberto das melhores bênçãos para você que agora me lê. Feliz ano novo, da fé e da juventude. Deus o(a) abençoe! Maria o(a) guarde como Mãe bondosa.


Beato Pedro Donders

Santidade vivida entre os leprosos *Nascimento: Holanda - 27 de outubro de 1809 +Morte: Suriname - 14 de janeiro de 1887

R

ecentemente, a União dos Redentoristas do Brasil pediu que fosse divulgada a vida e espiritualidade desse santo dos leprosos. Santo? Na verdade, beato. O que significa que ainda está em processo de ser canonizado. Um caminho longo que passa por algumas exigências importantes como reconhecer, por exemplo, que ele realizou milagres. Então, com essa motivação, para que seja incentivada sua devoção é necessário conhecer sua vida, suas realizações. E que seja ele celebrado nas comunidades, de modo especial na data de sua memória, 14 de janeiro. De fato, o que se busca é conhecer mais esse homem de Deus chamado por João Paulo II de autêntico apóstolo dos tempos atuais e exemplo de missionário. Em sua juventude foi considerado fraco e sem talentos para a vida presbiteral. No entanto, foi ordenado em 1841, na Holanda, e no ano seguinte, enviado como missionário ao Suriname. Trabalhou por alguns anos com as comunidades negras e indígenas e, em 1867, entrou para a Congregação Redentorista. Nesta ocasião, já exercia um importante trabalho em Batavia, numa colônia de leprosos localizada no meio de uma distante e espessa floresta. Morou ali, no anonimato, durante muitos anos com os leprosos, falecendo em 14 de janeiro de 1887. No processo de sua beatificação, constam testemunhos que chamam a atenção sobre seu modo de servir aos pequenos, aos sofredores, aos condenados pela doença física e pela maior dor que é a exclusão. Andreas, por exemplo, afirmou: “Eu mesmo vi com meus olhos, como ele curava as feridas dos doentes, como ele os ajudava a comer e a beber, quando ele ia buscar água, quando ele trazia madeira para queimar e como ele limpava as sujeiras” (Traduzido por Ronaldo Sergio de Faria do Livro de J.L.F. Dankelman, PeekeDonders). Por três vezes tive a graça de passar uma semana nas terras onde Donders viveu sua vida de doação a Deus e aos pobres. Os redentoristas brasileiros, enfrentando muitos desafios, há mais de dez anos, têm uma comunidade

Pe. Vicente de Paula Ferreira, CSsR pe.vicente@veloxmail.com.br missionária em Paramaribo, capital. Nas reuniões, encontros, partilhas, celebrações com a comunidade sempre ficou a imagem da pluralidade cultural, da desinstalação, do convite ao desapego para o serviço. E nas romarias à Batavia, aflorava na alma a convicção de que a oblação total, a kênosis divina, oferece ao coração humano a oportunidade de ser também doação. Somente a graça que vem do alto pode capacitar uma vida humana para a oferta de si aos mais abandonados da história. Por isso, guardo esse pedido que sempre faço ao beato: que não falte nos missionários redentoristas e nos cristãos a força transformadora do amor oblativo. Sugestão de leitura: Espiritualidade Redentorista 11. Vida espiritual do Beato Pedro Donders. Goiânia: Scala, 2012.

MISSA EM HONRA AO BEATO PEDRO DONDERS:

Venha celebrar conosco no dia 29 de janeiro, às 19h, na Igreja da Glória Arquivo Provincialado

Padre Vicente no Suriname em 2010


Dezembro em festa

B

ênçãos sobre bênçãos. Assim foi o mês de dezembro na Paróquia da Glória. Celebrações e eventos culturais marcaram o final do ano na comunidade, que se reuniu em torno da mesa do Pai para agradecer todas as dádivas recebidas ao longo de 2012. fotos: Alessandra Assis, Cecília Freire, Natália Lott, Sílvia Carvalho / PASCOM

Natal iluminado

Confraternização das Pastorais 10/12/2012

Encenação de Natal - Grupo Redentorarte 16/12/2012

Encerramento da Novena de Natal 18/12/2012 Inauguração do painel do Ano da Fé 16/12/2012

Vigília de Daniel 22/12/2012

Missa dos Casais de Dezembro 22/12/2012

6

Missa das Lidas Terminadas 30/12/2012 Novo Tempo


Concerto de Natal - Polícia Militar 18/12/2012

Missa da Vitória 23/12/2012

Cantata de Natal - Coral Vox Gloria 23/12/2012

Concerto de Natal - Pró Música 23/12/2012

Missa de Natal 24/12/2012

Vigília de Natal 24/12/2012 Novo Tempo

Última Adoração ao Santíssimo do ano na Capela São Roque - 27/12/2012

Missa de Ano Novo 31/12/2012

7


Benditas Águas

Pe. Sérgio Luiz e Silva, CSsR www.padresergio.com

Pela virtude das águas primordiais das quais tudo foi criado, para que minha origem seja recriada no amor, bendita seja esta água! (Gn 1, 2) Pela renovação feita com as águas do dilúvio, para que tudo em mim se renove, bendita seja esta água! (Gn 7, 17) Pela providência nas águas das quais Moisés foi salvo, para que a Providência Divina atue em minha vida, bendita seja esta água! (Ex 2, 5) Água: uma bênção nela Pela libertação operada no recuo das águas do Mar Vermelho, mesma. Portadora de para que todo jugo de escravidão se quebre em mim, bendita seja esta água! (Ex 14, 21) vida e renovação. Pela purificação das águas amargas que se tornaram apropriadas no lançar do madeiro, Experimente fazer um para que toda amargura seja retirada de mim, bendita seja esta água! (Ex 17, 25) momento de oração Pela sede saciada através da água que jorrou da rocha no Horeb, para que seja retirada de meu coração a dureza, bendita seja esta água! (Ex 17, 6) com a água, usando esta Pelo cuidado divino manifestado nas águas da torrente de Carit das quais bebeu o profeta Elias, bênção. Ao final, beba para que eu seja sempre conduzido à Fonte, bendita seja esta água! (1Rs 17, 5) da água. Pela cura operada no sírio Naamã ao banhar-se nas águas do Jordão, para que meu corpo seja preservado na saúde, bendita seja esta água! (2Rs 5, 14) Pelo zelo do Bom Pastor que conduz as ovelhas às águas de refrigério, para que eu possa atravessar incólume os desertos da vida, bendita seja esta água! (Sl 22, 2) Pelo manancial das águas de salvação prometidas por Deus através do profeta Isaías, para que eu sempre possa delas haurir, bendita seja esta água! (Is 12, 3) Pela força de restauração nas águas que correm do templo, que por onde passam tudo sanam, para que meu ser por elas (sejam restauradas) seja restaurado, bendita seja esta água! (Ez 47, 9) Pela conversão sinalizada nas águas do Jordão onde João batizava, para que eu me converta de todo pecado, bendita seja esta água! (Jo 1, 28) Pela abundância comunicada na água transformada em vinho nas bodas de Caná, para que se multiplique o que falta em mim, bendita seja esta água! (Jo 2, 9) Pelo dom da Graça divina prometida por Jesus à samaritana na água por (ele) Ele oferecida, para que eu receba a água da vida, bendita seja esta água! (Jo 4, 10) Pela presença do Anjo movendo as águas por ele visitadas e que a todos curava, para que eu mergulhe nesse banho restaurador, bendita seja esta água! (Jo 5, 4) Pela visão restituída ao cego ao lavar seus olhos nas águas da piscina de Siloé, para que meus olhos se abram e eu veja o caminho que devo seguir, bendita seja esta água! (Jo 9, 7) Pela fonte plantada pelo Espírito Santo, como água que corre do interior de quem crê, para que a fecundidade me siga por onde eu for, bendita seja esta água! (Jo 7, 38) Pela humildade feita serviço nas águas com as quais Jesus lavou os pés dos discípulos, para que se torne serviço ao próximo o que tenho e sou, bendita seja esta água! (Jo 13, 5) Pela misericórdia derramada na Água que jorrou do peito aberto de Jesus, para que no Divino Coração eu encontre abrigo e proteção, bendita seja esta água! (Jo 19, 34) Pela vida nova recebida pelo eunuco nas águas em que foi batizado pelo apóstolo Filipe, para que tudo se faça continuamente novo em mim, bendita seja esta água! (At 8, 36) Pela filiação divina que me foi outorgada nas águas do Batismo nas quais fui lavado, para que eu me torne digno desta graça, bendita seja esta água! (1Pd 3, 21) Pela herança final que me espera na água do Rio da Vida que corre do Trono de Deus, para que eu possa dela beber na eternidade feliz, bendita seja esta água! (Ap 22, 1) “O Espírito e a Esposa dizem: Vem! Possa aquele que ouve dizer também: Vem! Aquele que tem sede, venha! E que o homem de boa vontade receba, gratuitamente, da água da vida!” Ap 22,17

Informativo Novo Tempo - Janeiro 2013  

Informativo da Paróquia Nossa Senhora da Glória, Juiz de Fora (MG)

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you