Page 1

especial

Futebol

10/11 Coordenação: André Lopes Fotos: Élio Batista, Filipe Rego, Manuel Lopes e arquivo

As equipas, treinadores, jogadores, dirigentes, orçamentos, rankings e calendários dos clubes do distrito na Liga de Honra, 3ª Nacional - Série D e Divisão Principal


24 ESPECIAL FUTEBOL 10/11 | ABERTURA

O Ribatejo

24 | Setembro | 2010

O futebol no Distrito em 2010/2011 Apresentamos aqui as equipas do distrito de Santarém que participam em competições oficiais de futebol na época 2010/2011. Excepção feita para os clubes do campeonato distrital da Divisão Secundária (que começa a 3 de Outubro), um empreendimento que necessitaria de mais dois cadernos iguais a este, porque são cerca de trinta equipas. Tendo este caderno iniciado com a entrevista ao presidente da Associação de Futebol de Santarém, Rui Manhoso, na última edição de O Ribatejo, dá-se agora continuidade com um retrato geral de cada equipa, tomando o pulso ao estado das coisas: quais as propostas de cada clube para a nova época, a constituição dos plantéis e das equipas técnicas, passando pelos indispensáveis orçamentos ou tendências financeiras assumidas pelos dirigentes. São quinze as equipas apresentadas. Esta temporada há três equipas ribatejanas no Nacional, mais uma do que na época passada; o Atlético Riachense junta-se ao Monsanto na 3.ª Divisão Nacional (começou no dia 12 de Setembro) e ao Fátima na Liga Orangina (que começou a 28 de Agosto). Seguem-se as doze equipas da Divisão Principal da Associação de Futebol de Santarém, cujo calendário foi inaugurado no dia 5 de Setembro.

Liga de Honra

3.ª Divisão - Série D

Divisão Distrital Principal

O Centro Desportivo de Fátima chega pela primeira vez à segunda época consecutiva na Liga de Futebol Profissional com trouxa para se instalar definitivamente. Com o maior orçamento de sempre, quer definir-se como um clube profissional, tendo para isso de atingir um nível que cause impacto na sua massa associativa, nos adversários e nos patrocinadores.Para já, está a conseguir um feito insólito no distrito, que estava há muitas décadas sem representante nos escalões máximos do futebol. EQUIPAS: Fátima, GilVicente, Aves, Penafiel, Estoril, Leixões, Trofense, Moreirense, Covilhã, Oliveirense, Arouca, Feirense, Belenenses, Santa Clara – Freamunde, Varzim

O Monsanto, clube que há meia dúzia de épocas andava pelo distrital, tem despontado como um elemento estranho e extraordinário na região, dada a sua pequena dimensão. Depois de duas épocas na 2.ª Divisão Nacional, há quem considere que atingiu o ponto mais alto da sua história no jogo da 3.ª eliminatória da Taça de Portugal com o Benfica na época passada. Agora o Monsanto regressa à 3.ª Divisão apostado em provar que a descida foi apenas um percalço. Olhando para a aposta na época que agora começa, só se pode deduzir que o clube já não se sente bem neste escalão, onde desta vez vai reencontrar o velho conhecido Atlético Riachense na série D. Três épocas e uma recusa de promoção depois, o Riachense regressa aos campeonatos nacionais para fazer o melhor possível. O clube alvi-negro tem-se destacado pela estabilidade que incute no plano desportivo, vencendo troféus atrás de troféus no Distrital. De facto, era difícil ter feito melhor; dos seis troféus das duas últimas épocas, só não ganhou um. Vamos ver como se sai num campeonato mais exigente, também em termos financeiros, uma vez que as equipas da série D, nenhuma fica aqui ao lado… Tal como na Divisão Principal do Distrital, este escalão nacional é disputado em séries de doze equipas, no sistema de duas fases, em que a segunda fase haverá seis equipas no grupo do apuramento de campeão e seis no da descida/manutenção. EQUIPAS: Monsanto, Atl. Riachense, Águias do Moradal, Ac. Viseu, Nogueirense, Oliveira do Bairro, Marinhense Tocha, Vigor da Mocidade, Sourense – Gândara, Benf. C. Brancow

A época 2010/2011 do campeonato distrital da Divisão Principal volta a ser disputado a doze equipas e duas fases, com jogos a duas voltas. A meio, o campeonato divide-se entre uma série de apuramento do campeão (seis equipas) e outra de manutenção (seis equipas). O discurso da contenção orçamental é transversal a todas as equipas que vão participar no campeonato. Contudo, não foi esse factor que impediu a constituição de equipas muito competitivas, fazendo antever mais um campeonato extremamente interessante e mesmo difícil de prever. Por outro lado, Torres Novas, Cartaxo e Fazendense são as equipas que sobressaem pela ambição renovada através de apostas fortes e propósitos de conquista anunciados, almejando criar, acima de tudo, um futebol predominante na Divisão Principal. Outras equipas, U. Tomar, Mação, Pego, Ouriquense, Ouriense, Benavente, Alcanenense, Samora Correia e Amiense, apresentam-se com propostas aparentemente mais terra-a-terra, com menos revoluções visíveis nos seus plantéis (com excepção para o Amiense), sempre dispostos a dar luta e conseguindo assegurar reforços que deixam adivinhar um ou outro brilharete, sem dúvida. Acima de tudo, que se jogue bem à bola ao domingo, para que ganhe também o espectador, o adepto e o associado. EQUIPAS: Torres Novas, U. Tomar, Mação, Pego , Fazendense, Ouriquense, Cartaxo, Ouriense, Benavente, Alcanenense, Samora Correia, Amiense


CALENDÁRIOS | ESPECIAL FUTEBOL 10/11 25

O Ribatejo

24 | Setembro | 2010

LIGA DE HONRA - LIGA VITALIS 1ª

JORNADA Varzim Santa Clara Feirense Covilhã Gil Vicente Moreirense Oliveirense Belenenses

JORNADA Arouca Penafiel Fátima Estoril Aves Trofense Freamunde Leixões

17ª

18ª

19ª

20ª

10ª

Aves Trofense Estoril Feirense Arouca Santa Clara Freamunde Leixões

22ª

12ª

23ª

13ª

24ª

14ª

25ª

15ª

Varzim Estoril Moreirense Penafiel Oliveirense Belenenses Aves Fátima

1ª 28ª

JORNADA

Águias Moradal Vigor Mocidade Marinhense Tocha Riachense BC Branco

30ª

Oliveirense Moreirense Gil Vicente Belenenses Covilhã Santa Clara Arouca Feirense

18ª

AC Viseu Nogueirense Oliveira Bairro Sourense Monsanto Riachense

JORNADA AC Viseu Nogueirense Oliveira Bairro Sourense Monsanto Riachense

17ª

19ª

BC Branco Gândara Águias Moradal Vigor Mocidade Marinhense Tocha

JORNADA

AC Viseu Gândara Águias Moradal Vigor Mocidade Marinhense BC Branco

BC Branco Águias Moradal Vigor Mocidade Marinhense Tocha Riachense

JORNADA

Gândara Águias Moradal Vigor Mocidade Marinhense Tocha BC Branco

16ª

Gândara AC Viseu Nogueirense Oliveira Bairro Sourense Monsanto

JORNADA Gândara AC Viseu Nogueirense Oliveira Bairro Sourense Monsanto

29ª

Leixões Freamunde Aves Trofense Estoril Fátima Penafiel Varzim

JORNADA Varzim Penafiel Fátima Estoril Aves Trofense Freamunde Leixões

3ª DIVISÃO NACIONAL – SÉRIE D

Moreirense Gil Vicente Covilhã Feirense Santa Clara Arouca Leixões Oliveirense

JORNADA Arouca Santa Clara Feirense Covilhã Gil Vicente Moreirense Oliveirense Belenenses

27ª

Aves Fátima Penafiel Oliveirense Varzim Belenenses Estoril Trofense

JORNADA Varzim Penafiel Fátima Estoril Aves Trofense Freamunde Belenenses

26ª

Covilhã Santa Clara Feirense Arouca Leixões Freamunde Moreirense Gil Vicente

JORNADA Arouca Santa Clara Feirense Covilhã Gil Vicente Moreirense Freamunde Leixões

Feirense Arouca Freamunde Leixões Trofense Gil Vicente Santa Clara Covilhã

JORNADA Arouca Santa Clara Feirense Covilhã Gil Vicente Trofense Freamunde Leixões

JORNADA Varzim Penafiel Fátima Estoril Aves Trofense Oliveirense Belenenses

Fátima Gil Vicente Oliveirense Moreirense Penafiel Estoril Belenenses Varzim

JORNADA Varzim Penafiel Fátima Estoril Aves Moreirense Oliveirense Belenenses

11ª

Santa Clara Freamunde Trofense Aves Covilhã Leixões Arouca Feirense

JORNADA Arouca Santa Clara Feirense Covilhã Aves Trofense Freamunde Leixões

21ª

Covilhã Belenenses Gil Vicente Varzim Fátima Oliveirense Moreirense Penafiel

JORNADA Varzim Penafiel Fátima Estoril Gil Vicente Moreirense Oliveirense Belenenses

Moreirense Covilhã Belenenses Penafiel Gil Vicente Feirense Varzim Oliveirense

JORNADA Varzim Penafiel Fátima Covilhã Gil Vicente Moreirense Oliveirense Belenenses

JORNADA Arouca Santa Clara Feirense Estoril Aves Trofense Freamunde Leixões

Trofense Fátima Santa Clara Freamunde Leixões Aves Estoril Arouca

JORNADA Arouca Santa Clara Fátima Estoril Aves Trofense Freamunde Leixões

Feirense Belenenses Varzim Covilhã Oliveirense Moreirense Gil Vicente Santa Clara

JORNADA Varzim Penafiel Feirense Covilhã Gil Vicente Moreirense Oliveirense Belenenses

16ª

Penafiel Arouca Freamunde Leixões Trofense Estoril Fátima Aves

JORNADA Nogueirense Oliveira Bairro Sourense Monsanto Riachense Tocha

22ª

Oliveira Bairro Sourense Monsanto Riachense Tocha Marinhense

JORNADA Oliveira Bairro Sourense Monsanto Riachense Tocha Marinhense

21ª

BC Branco AC Viseu Gândara Águias Moradal Vigor Mocidade Marinhense

JORNADA

Nogueirense AC Viseu Gândara Águias Moradal Vigor Mocidade BC Branco

20ª

Nogueirense Oliveira Bairro Sourense Monsanto Riachense Tocha

JORNADA

Oliveira Bairro Nogueirense AC Viseu Gândara Águias Moradal BC Branco

10ª

JORNADA

BC Branco Monsanto Riachense Tocha Marinhense Vigor Mocidade

11ª

25ª

Sourense Oliveira Bairro Nogueirense AC Viseu Gândara Águias Moradal

JORNADA

Sourense Oliveira Bairro Nogueirense AC Viseu Gândara Águias Moradal

24ª

Sourense Monsanto Riachense Tocha. Atl. Marinhense Vigor Mocidade

26ª

Monsanto Riachense Tocha Marinhense Vigor Mocidade BC Branco

23ª

BC Branco Nogueirense AC Viseu Gândara Águias Moradal Vigor Mocidade

CAMPEONATO DISTRITAL DE SANTARÉM • DIVISÃO PRINCIPAL – 1ª FASE 1ª

JORNADA

12ª

JORNADA

13ª

Cartaxo Pego Ouriense U. Tomar Samora Correia Amiense

Torres Novas Alcanenense Ouriquense Benavente Mação Fazendense

Fazendense Alcanenense Ouriquense Benavente Mação Torres Novas

Samora Correia Cartaxo Pego Ouriense U. Tomar Amiense

JORNADA

14ª

JORNADA

15ª

Torres Novas Fazendense Amiense Alcanenense Cartaxo Ouriquense Pego Benavente Ouriense Mação Samora Correia U. Tomar

Fazendense Samora Correia Alcanenense Torres Novas Ouriquense Amiense Benavente Cartaxo Mação Pego U. Tomar Ouriense

JORNADA

16ª

JORNADA

17ª

Fazendense Alcanenense Torres Novas Ouriquense Amiense Benavente Cartaxo Mação Pego U. Tomar Samora Correia Ouriense

Alcanenense Ouriquense Benavente Mação U. Tomar Ouriense

Samora Correia Fazendense Torres Novas Amiense Cartaxo Pego

JORNADA

18ª

JORNADA

20ª

JORNADA

19ª

10ª

JORNADA

21ª

Alcanenense Fazendense Torres Novas Amiense Cartaxo Samora Correia

Ouriquense Benavente Mação U.Tomar Ouriense Pego

Ouriquense Benavente Mação U. Tomar Ouriense Pego

Samora Correia Alcanenense Fazendense Torres Novas Amiense Cartaxo

Ouriquense Benavente Alcanenense Mação Fazendense U. Tomar Torres Novas Ouriense Amiense Pego Samora Correia Cartaxo

Samora Correia Mação U. Tomar Atl.Ouriense Pego Cartaxo

Benavente Ouriquense Alcanenense Fazendense Torres Novas Amiense

11ª

JORNADA

22ª

Benavente Mação Ouriquense U. Tomar Alcanenense Ouriense Fazendense Pego Torres Novas Cartaxo Amiense Samora Correia


26 ESPECIAL FUTEBOL 10/11 | LIGA DE HONRA Fundado em 24 de Janeiro de 1966 Estádio Municipal de Fátima Relvado natural Lotação: 4000 espectadores Sócios: 900 Orçamento: 650 mil euros

O Ribatejo

24 | Setembro | 2010

Centro Desportivo de Fátima

GRUPO DE TRABALHO Presidente: Luís Albuquerque Treinador: Diamantino Miranda

JOGADORES Filipe Leão( gr ex-Estoril), Sérgio (gr exu. Serra, Hugo Pinheiro (g.r.), Veríssimo, Hélio Neto, Jorge Neves, Kata, Miguel Neves, Nuno Sousa, Pina (ex-Carregado), Bruno Mestre (ex-Louletano), Varela (exEstoril), Rui Baião (ex-Olhanense), Pedro Moreira (ex- U.Leiria), Edson (ex-Gondomar) e Mauro Bastos (ex-R. Caália). Yartley, João Pereira, André Carvalhas, Abel Pereira, Mário Rui, Evandro Brandão, José Coelho, Leandro Pimenta e Rafael (todos emprestados pelo Benfica).

A época da afirmação

Treinador Diamantino Miranda

Presidente Luís Albuquerque

Em Fátima pretende-se que 2010/2011 seja uma época de mudança, assumindose definitivamente como um clube profissional, com presença permanente na Liga. O objectivo primeiro é dar ao emblema uma dimensão nacional através de uma forte e consolidada afirmação na Liga. Para isso, Luís Albuquerque providenciou um treinador de renome e com experiência na Liga, um aumento de orçamento (cerca de 100

mil euros) e uma reestruturação de fundo do plantel. Assentes os fundamentos da nova época, o presidente pediu a Diamantino Miranda uma posição na primeira metade da classificação, ao que o segundo respondeu que a ambição do Fátima não pode ter limites e que pode chegar ainda mais longe. Na base da escolha de Diamantino para técnico principal está o protocolo firmado

com o Benfica, que transforma o Fátima na sua equipa satélite. Uma das vantagens desta situação é o conhecimento que o treinador tem das características individuais da equipa, uma vez que também ele veio dos juniores do Benfica, sendo esta “a melhor forma de fazer evoluir estes ex-júniores , como o próprio o disse. Outra vantagem é o facto de os jovens jogadores encararem a aventura no Fáti-

ma como uma rampa de lançamento para voos mais altos e assim redobrarem a sua motivação. No total são nove jogadores que ficam esta temporada a título de empréstimo, dos quais dois (André Carvalhas e João Pereira) já alinharam de vermelho-tinto no ano passado. Para já, o Fátima ultrapassou a primeira meta, que era passar a fase de grupos da Taça da Liga.


3ª DIVISÃO NACIONAL - SÉRIE D | ESPECIAL FUTEBOL 10/11 27

O Ribatejo

24 | Setembro | 2010

Fundado em 03 de Março de 1975 Estádio Joaquim Maria Batista, Alcanena (casa emprestada) Relvado natural Lotação: 4 000 Sócios: 300 Orçamento: 150 000

Grupo Desportivo e Recreativo de Monsanto

GRUPO DE TRABALHO Presidente: Rui Henriques Directores do futebol: João Pedro Filipe e José Torcato Treinador: Rui Gorriz Treinador-adjunto: Fernando Santos

JOGADORES Nuno Ribeiro (g.r. ex- Lourosa), Kléber (g.r. ex-Brasil), Pedro Fazenda, Ito, Filipe, Dani, Ba, Ragner, Bruno e Jamerson, Rui Figueiredo (ex-Onisilos, Chipre), Vivaldo (ex-Real Bétis), Pedro Mendes (ex-U. Serra), Pedro Gil (ex-Alcanenense), Wellington (ex-Alcanenense), Catita (ex-Amiense), Elton (ex-Portomosense), Pedro Emanuel (ex-Marinhense), Roberto (ex-júnior do Porto),Williams (ex-Vizela), Mirco (ex-Bragança), Neio (ex-Vigor).

Treinador Rui Gorriz

Director João Filipe

Fundado em 01 de Janeiro de 1932 Estádio Coronel Mário Cunha Relvado natural Lotação: 4 000 espectadores Orçamento: 40 mil euros

Objectivo elementar: ser o primeiro Mal tinha terminado a época passada, quando o Monsanto desceu à 3.ª Divisão Nacional, e já estavam alinhados os objectivos para a seguinte: regressar à 2.ª Nacional, como campeão da série D. Rui Gorriz, o treinador contratado no final da época passada na sequência de

uma chicotada psicológica, já mostrou ter pendor para o jogo de ataque, tendo em conta alguns resultados obtidos sob a sua batuta. O plantel à disposição de Górriz tem pouco a ver com o anterior, dado que foi feita uma remodelação profunda, com a ajuda

do novo director desportivo, José Torcato. Aos oito jogadores transitados da época passada junta-se um grupo de jogadores novos com origens muito diversas; desde o Alcanenense ao espanhol Bétis, havendo, ainda assim, maior incidência para clubes da região.

O Monsanto surge na série D como um dos favoritos à liderança da série D - juntando o forte investimento que foi feito na equipa à experiência e confiança do epíteto de equipa de 2.ª Divisão , o Monsanto tem os ingredientes necessários para acabar no topo.

Clube Atlético Riachense

GRUPO DE TRABALHO Director do Futebol: Miguel Cunha Treinador: Nando Costa Treinador-adjunto: Pedro Monserrate

JOGADORES Rui Galrinho (g.r.), Nelsón (g.r. ex-Torres Novas), Cláudio (g.r. ex-Ferroviários), Bruno Lemos, Carioca, Moita, Murcela, Nuno Paulo, Saúl, Pedro Galrinho, Paulito, Marco Gomes, Diogo Dias, Rafa, Miguel Luz, Mikael, Lucas, Fábio Pereira, Santana (ex-Gavionenses), Gonçalo (ex-Gavionenses), David (ex-U.Tomar), Emerson (ex-Sintrense) Sérgio (ex-júnior do Fátima), Bruno Araújo (exjúnior do Fátima).

Mesma qualidade, nova realidade

Treinador Nando Costa

Director Miguel Cunha

Depois de duas épocas históricas no distrital de Santarém, o objectivo da presença do Atlético Riachense na 3.ª Divisão Nacional não pode ser outro que a manutenção. Nando Costa, o treinador que foi promovido de adjunto a principal, conhece bem o plantel que tem à disposição, visto que 16

dos jogadores são os mesmos que ganharam tudo o que havia para ganhar a nível distrital na época passada. Mexeu-se pouco na equipa vencedora, contudo o desafio é outro; a 3.ª Divisão tem pesos-pesados como o Ac. Viseu, o Oliveira do Bairro ou o vizinho Monsanto, todas

equipas cujos orçamentos não se comparam com o do Riachense. Há três épocas fora das lides do campeonato nacional, o director Miguel Cunha foi o primeiro a assumir cautela para a nova aventura: estamos desfasados daquela realidade que agora tem menos equipas,

em princípio, mais fortes”. Nos dois primeiros jogos oficiais o Riachense teve sortes diferentes: venceu a Supertaça na final com o Alcanenense e foi eliminado da Taça de Portugal ante o Cesarense da 2ª Nacional, onde deixou a impressão de ser uma equipa muito combativa.


28 ESPECIAL FUTEBOL 10/11 | DISTRITAL - DIVISÃO PRINCIPAL

O Ribatejo

24 | Setembro | 2010

Clube Desportivo Amiense Fundado em 01 Agosto de 1954 Campo da Azenha Relvado sintético Lotação: 1 500 Sócios: 600 Orçamento: 33 mil euros

GRUPO DE TRABALHO Directores Desportivos: João Serrote e Manuel Varanda Treinador: Gabriel Barra

O regresso às origens

JOGADORES Nuno Martins (g.r. ex-Monsanto), Fábio Santos (g.r. ex-júnior do Fátima), Rui Gaivoto, André Formiga, Carrapito, Cristiano, Ricardo Rei, Tiago Marinha, Luís Moleiro, Sérgio Mendes (ex-Cartaxo), Rui Zibaia (ex-Alcanenense), Cuba (ex-Alcanenense), Ivo Zibaia (ex-Alcanenense), Fojo (ex-Assentis), Hélder Casal (ex-Assentis), Amadeu (ex-U. Almeirim), Samuel (ex-Alcobertas), Parreira (inactivo), André Henriques (inactivo), João Torres (inactivo), João Filipe (ex-júnior), Mauro Garcia (ex-júnior), Sabiano (ex-júnior), Luís Nuno (ex-junior), Mauro Pulquério (ex-Rio Maior). E assim se faz uma equipa de raiz em três tempos. A prolongada indefinição directiva levou a que o Amiense perdesse quase toda a equipa. Quando foi decidida a par-

Director João Serrote

Treinador Gabriel Barra

ticipação, a duas semanas do começo do campeonato, os directores Serrote e Varanda tiveram de recorrer ao que estava mão. Tirando partido da forte envolvência criada

pela ligação da massa associativa aos atletas da formação - alguns parados há vários anos - o Amiense conseguiu reunir um plantel competitivo, onde se encontram, ainda

assim, várias referências da época passada. Já o guarda-redes Nuno Martins, que actuava no Monsanto na 2.ª Nacional, veio para se tornar uma delas. Gabriel Barra, que

treinou o Pontével, diz que ainda é muito cedo para avaliar o estado das coisas, mas tem a confiança de que os jogadores vão acabar por aparecer como equipa”.

à partida menos favorito do que no ano passado. Mas o dinheiro não é tudo e outras vertentes foram exploradas. O balneário sofreu uma pequena revolução, ficando apenas oito

jogadores do plantel anterior. Na base do planeamento está a descoberta de jovens talentos através da colaboração com o Monsanto, havendo vários jogadores estrangeiros ainda juniores que assina-

ram na esperança de dar nas vistas em Portugal. Como equipa, o novo colectivo é ainda uma incógnita, mas o veterano Paz Miguel veio de Torres Novas para se tornar capitão.

a uma dúzia de jogadores que fazem carreira na casa e à promoção de alguns juniores, juntam-se outros tantos vindos de fora para rejuvenescer e trazer mais-valias ao colectivo.

Contas feitas, o Cartaxo tem um plantel que oferece muitas e variadas opções ao técnico Cláudio Madruga, que vai assim tentar, ao seu segundo ano no clube, atingir o desejado equilíbrio entre experiência

e juventude, e sagrar-se campeão. A oferta qualitativa deste ano dá até margem de manobra suficiente para, do ponto de vista da táctica de jogo, baralhar os planos aos adversários.

AC Alcanenense Fundado em 01 de Janeiro de 1942 Estádio Joaquim Maria Batista Relvado natural Lotação: 4 000 Sócios: 550 Orçamento: 25 000

GRUPO DE TRABALHO Presidente: José Torcato Treinador: Alexandre Gama Treinadores Adjuntos: Pituxa e Nuno Vicente

Muita juventude

JOGADORES Ricardo Quaresma (g.r.), Danilo (g.r. júnior), Tóni, Peu, Eraldo, João Nuno, Hugo, Ismar, Soma, Alison, Diego (júnior, Brasil), Maicon (júnior, ex-Porto), Rodrigues (ex-júnior do Amiense), Filipe (ex-Torres Novas), Vinicius (ex-Monsanto), Fábio Pereira (ex-Torres Novas), Tiago Ferreira (ex-Torres Novas), Paz Miguel (ex-Torres Novas), Tiago Oliveira (ex-Ferroviários).

Presidente José Torcato

Treinador Alexandre Gama

Os objectivos do novo treinador, antigo adjunto de Torcato, é ficar entre os seis primeiros no campeonato e vencer a Taça do Ribatejo. “Talvez à terceira final consecutiva seja de vez”, diz Gama em relação à

Taça. Para já, outro objectivo ficou pelo caminho: a Supertaça perdida para o Riachense. Em parte graças à redução do apoio camarário, o Alcanenense reduziu o orçamento, parecendo

Sport Lisboa e Cartaxo Fundado em 08 de Maio de 1937 Estádio Municipal do Cartaxo Relvado natural Lotação: 3 000 Sócios: 800 (pagantes) Orçamento: 45 000

GRUPO DE TRABALHO Director desportivo: João Anacleto Treinador: Cláudio Madruga

Umas das equipas mais fortes

JOGADORES Peter (guarda-redes), Tiago Travessa, (exAmiense), Bernardo, Neves, Eduardo, Gil, Miguel Calisto, João Isidoro, Joel, Serginho, Bruno Brito, Nuno Casimiro, Ruas (ex-Monsanto), Júlio Baptista (ex-Monsanto), Bruno Ferreira (ex-Monsanto), Hugo Monteiro (ex-Amiense), Tiago Dias (ex-Torres Novas), Sudesh (ex-Torres Novas), Quim Frazão (exBeneditense), Ricardo Henriques (ex-júnior), Miguel Moreira (ex-júnior) e Rafael Barbosa (ex-júnior). Se no começo do campeonato do ano passado, o Cartaxo apresentava no seu leque de reforços um número maior de jogadores da formação, este ano, ao contrário, virou-se mais para outras bandas,

Director João Anacleto

Treinador Claudio Madruga

conseguindo aliciar vários jogadores que, de uma ou outra forma, deram nas vistas recentemente. A metodologia do Cartaxo é um bom exemplo do que tantos outros clubes distritais fazem, ou seja,


DISTRITAL - DIVISÃO PRINCIPAL | ESPECIAL FUTEBOL 10/11 29

O Ribatejo

24 | Setembro | 2010

GD Torres Novas Fundado em 01 de Janeiro de 1945 Estádio Municipal Dr. Alves Vieira Relvado natural Lotação: 15 000 Sócios: 500 (pagantes) Orçamento: 50 mil euros

JOGADORES

GRUPO DE TRABALHO Presidente Comissão Administrativa: João Paulo Martins Treinador: João Henriques Treinador Adjunto: Paulo Fernandes

Aposta forte para conquistar título

André Fojo (g.r.), Telmo (g.r. ex-Alcanenense), Rui Carvalho, Nelson Ramos, Paulo Nuno, Ricardo Branco, Cajú, Martin, André Luís, Pereira, Bruno Ferreira, David Vieira, Mário Nelson, Miranda, Renato (ex-Alcanenene), Tiago Vieira (ex-Alcanenense), e João Caetano (exAlcanenense), Fred (ex-U. Serra), Nelson Rato (U.Serra), Luis Carlos (ex-Riachense), Ayrton (ex-Riachense), Pelarigo (exAmiense), Pedro Nobre (ex-Amiense) e Denilson (ex-Marítimo). Apesar de as intenções do Torres Novas passarem por “impor o nome do clube através de uma equipa competitiva” e “atingir a final da Taça Ribatejo”, restam poucas dúvidas de que, na corrida ao

Presidente João Paulo Martins

Treinador João Henriques

título de campeão 2010/11, parte na pole position. Basta ver que no novo elenco, várias opções seriam facilmente aceites em qualquer equipa do distrital. Pescando nos melho-

res plantéis da época passada, como o Riachense, o Amiense ou o Alcanenense, a gestão de João Martins também já nos habituou às contratações bombásticas: depois dos jogadores da selecção de

futebol de praia na época passada, este ano chega Denilson, um extremo emprestado pelo Marítimo. Confiança dá também a permanência da equipa técnica com que os amarelos foram campeões pela

última vez, em 2006/07, dirigida por João Henriques. Para já, a préépoca foi animadora: os amarelos venceram o torneio de Riachos em que participaram equipas de escalões superiores.

o U. Tomar aproveita um acordo com um agente desportivo responsável por colocar jogadores a rodar em diversos clubes. Às duas únicas novas contratações já feitas, o U. Tomar vai adicionar mais

dois jogadores estrangeiros ainda por revelar, fruto desse acordo. Com a estabilidade da maior parte do plantel e da equipa técnica, o director Paulo Moura é assertivo quando afirma que os toma-

renses têm capacidade para honrar o emblema do mesmo modo que tem acontecido ultimamente, ou seja, terminando a primeira fase com tranquilidade entre os seis primeiros.

Nacional (Alex, Zé Miguel) e alguns regressos à casa de criação (Fábio, Liká, Matias e outra vez Zé Miguel). Mas Filipe Rego, o técnico que ingressou a meio da época passa-

da quando a manutenção parecia cada vez mais difícil, quer vencer o seu primeiro título de campeão, sabendo à partida que não será fácil, tendo em conta os fortes adversários que partilham o

objectivo. Tem às suas ordens cerca de metade do plantel que transitou da temporada passada, outros tantos são caras novas, e há ainda lugar para três novatos.

União de Tomar Fundado em 04 de Maio de 1914 Estádio 25 de Abril Relvado Sintético Lotação: 2 000 Sócios: 1 200 Orçamento: 25 000 euros

JOGADORES Ricardo (g.r.), André Pira (g.r.), João Pedro (g.r. ex. júnior), Roriz, Marinheiro, André Ferreira, Tiago Mendes, Rui Ferreira, Rui Henriques, Tiago Patrício, Marquito, Paulo Godinho, Fábio Marques, Nuno Veríssimo, Quim, Nelson Santos, Fernando Gerardo (sem clube), China (ex-Alferrarede), Gabriel (ex-Assentis), Pedro Figueiredo (ex-júnior), João Carvalheiro (ex-júnior), Mauro Santos (ex-júnior), Melo (ex-júnior), Rito (ex-júnior).

GRUPO DE TRABALHO Dep. Futebol: Paulo Moura Treinador: Eduardo Fortes Fisioterapeuta: João António

Honrar o clube com uma boa classificação

Com um orçamento assumidamente idêntico ao do ano passado, os nabantinos estão de volta com mais uma produção caseira. Que aquele terreno é fértil, já as épocas passadas o indica-

Director Paulo Moura

Treinador Eduardo Fortes

ram, e os seis juniores promovidos à equipa adulta este ano provamno mais uma vez. São a equipa do distrital que subiu mais juniores na corrente época. À semelhança de alguns clubes da região, também

AD Fazendense Fundada em 08 de Maio de 1944 Estádio José Sousa Gomes Relvado sintético Lotação: 2 000 Sócios: 300 Orçamento: 50 mil euros

GRUPO DE TRABALHO Presidente: Botas Moreira Treinador: Filipe Rego Treinador-adjunto: Carlitos

Voltar a correr pelo título

JOGADORES Pedro Miguel (g.r.), Palhoto, André Batata, Miguel Henriques, João Madeira, Tiago Capeto, Nuno Lucas, Valter Xaparro, Bruno Carrapato e Pedro Rebita. Sérgio Russo, (ex-Ouriquense), Ruben (ex-Atlético da Malveira), Kiko (ex-Académica de Santarém), Fábio Matias (ex-Académica de Santarém), Alex (ex-Monsanto), Liká (ex-Amiense), Fábio (ex-Cartaxo), Jorge Matias (ex-U. Almeirim), Zé Miguel (exU.Serra), João (ex-júnior), Nuno Ramos (exjúnior) e Fidalgo (ex-junior). Querer fazer do Fazendense um clube de divisão nacional é algo que já não passa pela cabeça dos dirigentes do clube de Fazendas de Almeirim. Contudo, o prestígio de conseguir ser a melhor equipa

Presidente Botas Moreira

Treinador Filipe Rego

do campeonato distrital é um desiderato que ninguém consegue esconder. Nem o plantel conseguido este ano. Repleto de bons valores, o grupo inclui jogadores de 2.ª Divisão


30 ESPECIAL FUTEBOL 10/11 | DISTRITAL - DIVISÃO PRINCIPAL

O Ribatejo

24 | Setembro | 2010

AD Mação Fundada em 19 Novembro de 1978 Estádio Agostinho Pereira Carreira Relvado sintético Lotação: 1 500 Sócios: 200 Orçamento: 40 000 euros

GRUPO DE TRABALHO Presidente: João Espírito Santo Treinador: Paulo Costa Treinador Adjunto: Paulo Esteves

Querer mais do que o mínimo

JOGADORES Mário Lopes (guarda-redes), Carlos Nabais (guarda-redes, ex-Ferroviários), Cláudio Marques (guarda-redes, ex-júnior), Pelé, Bruno Pita, Luís Esteves, Luís Vieira, Nuno Rodrigues, Pedro Fernandes, Seninho, Jorge Rosado, Gonçalo Santos (ex-Gavionenses), Pedro Roldão (ex-Pego), Vany (ex-Gavionenses), Rui Sousa (ex-Pego), José Santos (ex-Alferrarede), Marco Alemão (exFerroviários), Sérgio Salgado (ex-Ferroviários), João Victor (ex-júnior), João Miguel (ex-júnior) e Guilherme (ex-júnior do Benfica de Abrantes). Ser o melhor dos últimos nunca foi sossego para ninguém, nem ajuda ao espírito competitivo das equipas. Por isso, com o novo treinador, Paulo Costa, o Mação renova as ambições, almejando evitar

Presidente João Espírito Santo

Treinador Paulo Costa

a todo o custo as aflições por que tem passado nas últimas épocas para conseguir a manutenção. O novo treinador veio do Ferroviários, que no ano passado fez uma primeira fase da Divisão Secundá-

ria quase imaculada, e confessa querer fazer do Mação uma equipa inabalável em busca dos pontos. A distância geográfica dificulta o aliciamento de atletas de fora para jogar em Mação, ainda para

mais com o orçamento cada vez mais apertado, como postula João Espírito Santo. Apesar de tudo, são nove os reforços para a presente época, três dos quais seguiram o treinador do seu antigo clube.

Além do objectivo da manutenção, o Mação não quer perder a tradição recente de chegar longe na Taça, que conquistou há três épocas e onde chegou à meia-final na passada.

consecutiva na Principal, os pelados não podem voltar à competição. E, com esta, já vão duas. Mas o Pego acabou por reunir facilmente uma equipa onde se incluem vários bons reforços. En-

tre eles, velhas raposas que são referências distritais: o guardaredes Vítor Bernardes e o médio Telmo foram contratados para injectar experiência e confiança num plantel muito jovem, a maio-

ria com 18/20 anos. Os pegachos têm a estrelinha de causar surpresas nos jogos do campeonato e Fernando Costa, que tem mostrado saber do ofício, afirma que têm vantagem nos jogos em casa.

Quem também regressou ao Ouriense para dar um novo ânimo foi o presidente João Sousa, que para isso abandonou a Associação de Futebol, determinado a ajudar a progredir o clube da sua terra.

Carlos Jorge, um jovem treinador em evolução, há quatro anos como técnico principal, tem esta época à disposição um grupo de jogadores que conhece muito bem: a maioria dos quais são da

formação do clube e contam já com permanências prolongadas em Ourém. Estarão certamente muito motivados uma vez que, na época passada, foram campeões indiscutíveis.

GD Pego Fundado em 23 de Março de 1987 Parque Desportivo do Pego Pelado Lotação: 2000 Sócios: 350 Orçamento: 35 000 euros

GRUPO DE TRABALHO Presidente: Hermínio Rosado Treinador: Fernando Costa Treinador Adj: Sérgio Fontinha

Exemplo de resistência

JOGADORES Paulo Rosado (guarda-redes), Vítor Bernardes (guarda-redes, ex-Gavionenses), João Rosa (guarda-redes, ex-júnior do Eléctrico), João Ruivo, Nó, Hugo Emídio, Bechalha, Chippy, Vítor Lúcio (ex-Alferrarede), André Calor (ex-Bemposta), Bruninho (ex-Gavionenses), Telmo (ex-Ferroviários), Lucas (ex-Mação), Pedro Fernandes (ex-Arreciadas), Nuno Mateus (ex-Gavionenses), Gil (ex-futsal, dos Patos), Dani (ex-júnior do Eléctrico), João Oliveira (ex-júnior). “O importante é ficar neste campeonato, embora saibamos que não temos as mesmas condições que outras equipas”. Quem o diz é Hermínio Rosado, o dirigente que confessa ser “difícil atrair jo-

Presidente Herminio Rosado

Treinador Fernando Costa

gadores para jogar num pelado”. O Pego perdeu vários jogadores por causa do seu terreno de jogo, inclusivamente alguns que preferem a relva na Divisão Secundária. A verdade é que à quarta época

Atlético Ouriense Fundado em 27 de Junho de 1949 Campo da Caridade Relvado Sintético Lotação: 1 000 Sócios: 600 Orçamento: 40 000 euros

GRUPO DE TRABALHO Presidente: João Sousa Dep. Futebol: Pedro Simões Treinador: Carlos Jorge (Cajó)

Daqui ninguém nos tira

JOGADORES Nuno Batalha (g.r.), André (g.r.) e Filipe (g.r. ex-júnior do Fátima), Nuno Tordo, Joel, Diogo, Mika, Bolinhas, Nuno Reis, Dino, Célio, Dércio, João Simões, Jogui, Leandro, Ricky, Rui, Marco, Steven, Rodrigo (ex-Trafaria), Ricardo Coelho (ex-Sp. Pombal), Etienne (ex-Villemomble - França), André Pereira (ex-Ferroviários), João Silva (ex-júnior), Fabien (ex-júnior) e Tiago Crachat (ex-júnior do Fátima). O campeão distrital da Divisão Secundária regressa para o pé dos mais fortes com armas apontadas à intermitência competitiva do clube, que o tem levado a competir numa divisão diferente em cada

Director Pedro Simões

Treinador Carlos Jorge

uma das últimas quatro épocas. É Pedro Simões, de regresso à direcção do futebol depois de dois anos de interregno, quem afirma o principal objectivo para este ano: consolidar o clube na Principal.


DISTRITAL - DIVISÃO PRINCIPAL | ESPECIAL FUTEBOL 10/11 31

O Ribatejo

24 | Setembro | 2010

Estrela Ouriquense Fundado em 01 de Julho de 1937 Complexo Desportivo Ribeiro Ferreira Relvado sintético Lotação: 2000 Sócios: 432 Orçamento: 25 000 euros

GRUPO DE TRABALHO Presidente: Carlos Albuquerque Treinador: Pedro Murteira

Fazer uma época tranquila

JOGADORES Ivo (g.r.), Fábio (g.r., ex-junior), Castanheira (g.r. ex-Pernes), Morais, Dani, Tiago Santos, Afonso, Sequeira, Serôdio, Gonçalo Francisco, Luís Oliveira, Roque, Jorge Antunes, César Costa, Aranha, Sacramento (ex-Ac. Santarém), Carlos Monteiro (ex-Moçarriense), João Rodrigues (exMoçarriense), Jorge Velez (ex-Emp. Comércio), Carlão (Ex-Pernes), José Santos (ex-Pernes), Gabi (ex-Cartaxo), Ricardo Godinho (ex-Cartaxo), Bernardo (júnior), Lisboa (ex-júnior do Cartaxo). Ao contrário do ano passado, o Estrela passa por um período de tranquilidade directiva e financeira. Com as contas pagas e a previsão de uma temporada tranquila

Presidente Carlos Albuquerque

Treinador Pedro Morteira

nesse aspecto, Carlos Albuquerque é assertivo quando se fala na preparação: quem quer quer, quem não quer então há muitos jogadores bons na região”. Este é um aspecto bem visível

grupo dos seis primeiros. Apesar de Murteira ser conhecedor dos fortes investimentos de alguns adversários, não se amedronta, partindo para todos os jogos com o objectivo da vitória.

no plantel, com 12 reforços, muito deles vindos da Divisão Secundária com vontade de vingar num clube da Principal, como são os casos daqueles que o treinador Pedro Murteira trouxe de Pernes.

De resto, Gabi e Ricardo Godinho podem ser considerados como reforços experientes. O objectivo da permanência emerge assim com mais naturalidade, com os olhos postos no

para colmatar algumas baixas no plantel. É o caso de Luís Semeano, 37 anos, que saiu do Atlético Clube de Portugal, militante da 2.ª Nacional, para ajudar a equipa da sua

terra natal, no terreno e no banco, acumulando as tarefas de treinador e jogador. O grande objectivo é passar ao grupo de apuramento de campeão sem peripécias, já na 1.ª

fase. Segundo o director desportivo Joaquim Ganhão, o Benavente está mais forte do que estava na época em que foi despromovido e tem capacidades para ombrear com os seis primeiros.

que para isso tenha alterado os seus planos prioritários de estabilidade financeira. No ano passado saíram vários jogadores, ficaram os da casa e João Bancaleiro foi promovido a treinador Principal.

Tudo isto foi bastante para conseguir a subida e agora ter a possibilidade de testar o grupo que é 90 e tal por cento formado na casa” na divisão máxima do distrital. Posto isto, o plantel está prati-

camente na mesma deste a época passada, tendo sido acrescentados apenas quatro ex-júniores e três reforços, dos quais Fábio Alves e Piri, como bons filhos que a casa tornam.

GD Benavente Fundado em 05 de Setembro de 1950 Estádio Portas do Sol Relvado natural Lotação 2 500 Sócios: 600 Orçamento: 30 000

GRUPO DE TRABALHO Dep. Futebol: Joaquim Ganhão Treinador/jogador: Luís Semeano

Capacidade para incomodar

JOGADORES Nuno Sebastião (guarda-redes), Marco Godinho (guarda-redes), Sérgio Antunes (guarda-redes ex-Arepa), Cação, Ganhão, Jorge Santinho, Cláudio Cardoso, Fábio Duarte, Lino Perdigão, Bruno Daniel, Formiga, Bruno Pedro, Vando, Nuno Teixeira, Luís Parracho, Márcio Semeano, Alexon Sousa, Nuno Gaiato, Semeano (Atlético C. P.), Franklin (exFazendense), Tocha (ex-Fazendense), Bruno Santinho (Bélgica). Como as outras equipas que foram promovidas, o Benavente executou apenas ligeiras alterações no plantel. Os poucos reforços são, ainda assim, jogadores com gran-

Director Joaquim Ganhão

Treinador Luís Semeano

de experiência futebolística e só podem acrescentar valor a uma equipa já de si competitiva, como a época passada provou, quando foi promovida. Os planeadores dizem que foram escolhidos a dedo

GD Samora Correia Fundado em 08 de Setembro de 1975 Estádio da Murteira Relvado natural Lotação: 3 000 Sócios: 500 pagantes Orçamento: 25 000

GRUPO DE TRABALHO Dep. Futebol: Jorge Martins Treinador: João Bancaleiro Teinadores-adjuntos: Luís Catarino

JOGADORES Carrelhas (g.r.), António Silva (g.r. exjúnior), Tavares, Valdo Oliveira, Luís Resende, Achim, Carlos, Paulo Sérgio, Caveira, Ricardo Esteves, Ivo, João Pernes, Pimenta, Nuno Matias, Cardoso, Tancredo, Victor Hugo, Andry Levchenko, Fábio Alves (ex-Benavente), Piri (ex-Benavente), Paiva (ex-Arepa), Ângelo Lopes (ex-júnior), Bruno Pernes (ex-júnior), Ernesto (ex-júnior).

Director Jorge Martins

Treinador João Bancaleiro

Um capricho do destino

Com uma redução para cerca de metade do orçamento relativamente à última vez que esteve nesta divisão (2008/2009), o regresso do Samora aparece na história quase como um acontecimento

inevitável. O clube que renunciou à presença na Divisão Principal no ano passado acabou por terminar num lugar de promoção da Secundária, regressando agora ao conjunto dos doze magníficos, sem


ESPECIAL FUTEBOL 09/10| RANKING


RANKINGS | ESPECIAL FUTEBOL 10/11 33

O Ribatejo

24 | Setembro | 2010

Os clubes mais vitoriosos do distrito CAMPEÕES DISTRITAIS DA 1ª DIVISÃO

RANKING DOS CLUBES DO DISTRITO EM CAMPEONATOS NACIONAIS (Presenças entre 1938/39 e 2009/2010) CLUBES 1 C.D. TORRES NOVAS 2 U. TOMAR 3 U. D. SANTARÉM * 4 U. ALMEIRIM 5 C.D. FÁTIMA 6 A. C. ALCANENENSE 7 G. D. FERROVIÁRIOS 8 U.D. RIO MAIOR ** 9 S.L. CARTAXO 10 G.D. BENAVENTE 11 TRAMAGAL S.U. 12 G.D. O CORUCHENSE 13 G.D. SAMORA CORREIA 14 G.D. MATRENA 15 C.D. ALFERRAREDE 16 C.A. RIACHENSE 17 A.D. FAZENDENSE 18 C.D. AMIENSE 19 C.D. MARINHAIS 20 ABRANTES F. C. 21 MONSANTO 22 ACAD. SANTARÉM 23 ROSSIENSE 24 SPORTING TOMAR 25 U.F. ENTRONCAMENTO 26 C.D. OS ÁGUIAS ALPIARÇA 27 VASCO DA GAMA 28 OURIQUENSE

1ª DIV. 3 -

L. HONRA 2 -

2º DIV. 24 16 13 4 11 4 10 7 3 1 8 5 3 4 4 1 4 2 2 1 -

3ª DIV. 27 17 19 26 13 20 13 15 19 18 10 13 14 7 11 11 10 7 5 1 4 2 1 1 1

TOTAL 51 36 32 30 26 24 23 22 22 19 18 18 17 11 11 11 10 7 5 5 5 4 4 2 1 1 1 1

* Inclui sete participações na 3ª divisão do S.G.S. “Os Leões” de Santarém, que juntamente com Operário viriam a dar origem ao U. D. Santarém. ** Inclui uma participação na 2ª divisão (1945/146) do C. F. “Os Mineiros” de Rio Maior, clube que esteve na origem do U. D. R.io Maior.

1924/25 SGS Os Leões 1925/26 SGS Os Leões 1926/27 SGS Os Leões 1927/28 Torres Novas FC 1929/30 SGU Operária 1930/31 SGU Operária 1931/32 SGU Operária 1932/33 SGU Operária 1933/34 SGS Os Leões 1934/35 SGU Operária 1935/36 SGU Operária 1936/37 Ac. Santarém 1937/38 Ac. Santarém 1938/39 Ac. Santarém 1947/48 Rossiense 1948/49 Rossiense 1949/50 Torres Novas 1950/51 Ferroviários 1951/52 Ferroviários 1952/53 SGS Os Leões

1953/54 Torres Novas 1954/55 Torres Novas 1955/56 Torres Novas 1956/57 Torres Novas 1957/58 Torres Novas 1958/59 Torres Novas 1959/60 Tramagal 1960/61 Tramagal 1961/62 Tramagal 1962/63 Tramagal 1963/64 Tramagal 1964/65 U. Tomar 1965/66 Tramagal 1966/67 Tramagal 1967/68 Ferroviários 1968/69 Alcanenense 1969/70 Alferrarede 1970/71 Amiense 1971/72 Cartaxo 1972/73 Alferrarede

1976/77 1977/78 1978/79 1979/80 1980/81 1981/82 1982/83 1983/84 1984/85

1985/86 1986/87 1987/88 1988/89 1989/90 1990/91 1991/92 1992/93 1993/94

1973/74 Alcanenense 1974/75 Benavente 1975/76 Matrena 1976/77 Amiense 1977/78 Rio Maior 1978/79 Coruchese 1979/80 Alferrarade 1980/81 U. Almeirim 1981/82 Marinhais 1982/83 Samora Correia 1983/84 Fátima 1984/85 Ág. Alpiarça 1985/86 Cartaxo 1986/87 Marinhais 1987/88 U. Tomar 1988/89 Torres Novas 1989/90 Marinhais 1990/91 Benavente 1991/92 Rio Maior 1992/93 U. Almeirim

1993/94 Samora Correia 1994/95 Alcanenense 1995/95 Fazendense 1996/97 Samora Correia 1997/98 U. Tomar 1998/99 Ferroviários 1999/00 U. Almeirim 2000/01 Riachense 2001/02 Rio Maior 2002/03 Abrantes 2003/04 Monsanto 2004/05 Ouriquense 2005/06 Cartaxo 2006/07 Fazendense 2007/08 Torres Novas 2008/09 Riachense 2009/10 Riachense

VENCEDORES DA TAÇA RIBATEJO Amiense Não se disputou U. Santarém Riachense Tramagal Tramagal Samora Correia Cartaxo Ág. Alpiarça

Sardoal Ág. Alpiarça Pego Vasco da Gama Ferreira do Zêzere Benavente Alferrarede Alferrarede Samora Correia

1994/95 1995/96 1996/97 1997/98 1998/99 1999/00 2000/01 2001/02 2002/03

Tramagal Coruchense Coruchense Ferroviários Azinhaga Rio Maior Cartaxo Rio Maior Abrantes

2003/04 2004/05 2005/06 2006/07 2007/08 2008/09

Monsanto Amiense Fazendense Ouriquense Mação Riachense

2009/10 Riachense

Suplemento Futebol Santarém 2010-2011  

Especial de futebol dedicado às equipas do distrito de Santarém.