Page 1

FAC promoveu jantar de aniversário O Famalicense Atlético Clube comemorou, na passada sexta-feira, dia 3, o seu 62º aniversário, num restaurante famalicense, na freguesia de Ribeirão. Este jantar contou com a presença de uma centena de participantes, entre atletas das diversas modalidades, amigos, sócios e dirigentes. Presente neste convívio, esteve o vereador do desporto da autarquia famalicense, Leonel Rocha, que destacou, no seu discurso, o trabalho desenvolvido pelo presidente da colectividade na reestruturação incutida no clube, garantido também, na ocasião, o apoio contínuo da Câmara Municipal. Por sua vez, o presidente do FAC, Gouveia Ferreira, valorizou a componente desportiva, lembrando que este “seria o ano de todas as subidas”.

AD Oliveirense sofre goleada de 6-0 na Madeira Atleta do FAC foi a melhor portuguesa Decorreu, no passado fim-desemana, a segunda edição dos Internacionais Juniores de Portugal em Badminton. O torneio, que decorreu nas Caldas da Rainha, ditou uma estreia auspiciosa da atleta Sónia Gonçalves. Ao ultrapassar duas eliminatórias em singulares e uma em par misto, a atleta atingiu os oitavos de final da competição, tornando-se a única atleta portuguesa a chegar tão longe. Em singular, beneficiou da não comparência da espanhola Maria Carmen Casermeiro na primeira eliminatória e na segunda defrontou a fortíssima Sueca Emelia Lamberthz, vencendo por 2-0. Nos oitavos de final, perdeu com a categorizada jogadora Ucraniana Darya Samarchants, quinta cabeça de série, por 2-0. Também Inês Moniz e Pedro Cardoso estiveram presentes neste evento. A dupla Sónia/Inês não conseguiu fazer frente às polacas Macedonska/Poprzeczko e não conseguiram discutir o resultado em pares senhora. Em par misto, Sónia e o seu parceiro estiveram em óptimo nível. Venceram os cipriotas Savvas Kazantzis/Maria Avraamidou por 2-0 e nos oitavos de final, não conseguiram superar uma dupla dois anos mais velha.

Sónia Gonçalves

Pedro Cardoso não teve a sorte a seu lado. Perdeu na primeira ronda de singulares com Tomasz Persona por 2-0 e também em Pares Mistos, a dupla Pedro /Inês foi derrotada por uma dupla espanhola que chegaria à final. Como balanço final fica a boa estreia da atleta Sónia Gonçalves, que na primeira participação internacional, chegou mais longe que outros atletas mais experientes. Este resultado vem incentivar a atleta a atingir o seu objectivo para a temporada, ser campeã nacional.

Resultado é um marco para o clube

Grupo Desportivo de Natação é terceiro melhor clube nacional O Grupo de Natação de Vila Nova de Famalicão (GDNVNF) sagrouse o terceiro melhor clube nacional, alcançando uma marca histórica para o clube famalicense. Foi no Campeonato Nacional de Clubes de Natação, que teve lugar no passado fim-desemana, no complexo de Piscinas do Clube Fluvial Portuense. O campeonato nacional é disputado entre os oito clubes que militam na primeira divisão masculina e depois de todas as provas, o Clube Natação da Amadora venceu, o Futebol Clube do Porto classificou-se em segundo e a equipa famalicense conquistou o último lugar do pódio. Este feito surpreendeu muitos dos presentes neste campeonato e representa um marco para o clube, para o desporto e para Famalicão. “Foi, uma vez mais, feita história, para a natação famalicense. É fantástico ser o terceiro melhor clube português da actualidade. Perante um conjunto muito selectivo de apenas oito clubes que disputam a primeira divisão nacional, competindo com clubes de renome e que já têm várias déca-

Natação famalicense está de parabéns por mais um triunfo

das de existência, conseguir definir a estratégia desportiva ideal para superar os pontos fortes dos adversários e proporcionar que os nossos nadadores reúnam condições para demonstrar o seu real valor é fruto de muito trabalho e de muita dedicação à modalidade, por parte deste conjunto de nadadores de excelência que merecem todo o reconhecimento pelo feito histórico que alcançaram”, frisou Pedro Faia, treinador do GDNVNF.

Também o escalão feminino obteve um excelente resultado. A conquista do sexto lugar nacional demonstrou um grande esforço e dedicação por parte das nadadoras famalicenses que, com muita agressividade, chegaram longe nestes campeonatos. “Já somos uma referência da natação nacional, já construímos um trajecto de sucesso e queremos continuar a fazer história”, sublinhou o mesmo responsável técnico do GDNVNF.

Mais uma jornada na Liga de Futsal de Famalicão A Liga de Futsal de Famalicão cumpriu mais uma jornada no escalão de pré-escolas. No Pavilhão Municipal das Lameiras os jogos ditaram a derrota do Santa Eulália ante a Geração Benfica por três bolas a quatro, a vitória da Sportfut por nove bolas a uma ante o Lousado e a derrota da Associação Juventude de Joane por duas bolas a três frente ao Académico. O jogo entre o

Artes Movimento e FC Vermoim foi adiado. Depois desta jornada a classificação fica assim ordenada: no grupo A: 1º lugar, Geração Benfica com quatro pontos; 2º lugar, Barrimau FC com três pontos; 3º lugar, Artes Movimento com dois pontos; 4º lugar, Santa Eulália com um ponto; 5º lugar, FC Vermoim com zero pontos. No grupo B: 1º lugar, Sportfut e Juventude Aca-

démico com seis pontos; 3º lugar, Juventude Joane com três pontos; 4º lugar, Covense com zero pontos; 5º lugar, Lousado, com zero pontos. Esta jornada fica marcada pela confirmação, por parte da Juventude de Joane, das dificuldades com que os atletas deste clube se deparam todos os dias. “O reduzido espaço do pavilhão onde treinámos,

que tem menos de metade das dimensões dos restantes pavilhões, acaba por ter influência no trabalho desenvolvido e nos resultados. Depois de se adaptarem ao espaço, os atletas acabam por desenvolver segundas partes totalmente diferentes, como se verificou mais uma vez na partida do passado fim-de-semana”, afirmaram os responsáveis deste clube. pub.


22

sport: 8 de Dezembro de 2010

grande área

Fórum Municipal do Desporto realizou-se na passada quarta-feira

FAC vence nas Taipas Boa exibição do Famalicense Atlético Clube (FAC), na nona jornada do Campeonato Nacional da terceira divisão. Nas Taipas, frente ao CART, quatro golos, dois em cada parte, sentenciaram o vencedor de um jogo que se antevia complicado mas que o conjunto do FAC soube encarar com a tranquilidade que um líder da tabela classificativa deve ter. A formação do FAC foi intransponível, com um colectivo muito forte e com muito espírito de entreajuda. Com golos de Paulo Morais, Hugo Pereira, André Barbosa e Pedro Lei, o resultado de quatro bolas a zero torna-se justo. Ricardo, na baliza, e Marinho como homem mais próximo da nossa baliza, fizeram um jogo excepcional. Com este triunfo, e com a conjugação de resultados, o FAC é agora ainda mais líder. Subiu a vantagem para cinco pontos em relação ao segundo classificado e seis para o terceiro. No feriado, dia 8, pelas 19 horas e no Pavilhão Municipal, recebe o Lavra, da segunda divisão, em encontro referente à 2ª eliminatória da taça de Portugal. O próximo encontro para o campeonato é no próximo sábado, frente ao Fão, também no Pavilhão Municipal de Famalicão. O jogo está marcado para as 19 horas.

“Tempo da subsídio dependência já passou” Bruno Marques* O Auditório da Universidade Lusíada de Famalicão recebeu, na passada quarta-feira, o Fórum do Desporto 2010 que abordou as relações entre as associações e clubes desportivos e as autarquias locais. Com organização do pelouro do Desporto da Câmara Municipal de Famalicão, uma das principais conclusões foi que as colectividades desportivas não podem depender das autarquias. Tendo, essencialmente, como destinatários os dirigentes das associações desportivas do concelho de Famalicão, o Fórum contou com a presença, entre outros, de Cândido Barbosa, ex-ciclista e agora vereador do Desporto na Câmara de Paredes, bem como de Leonel Rocha que desempenha iguais funções na autarquia famalicense. Ambos abordaram as relações entre Câmaras e colectividades, concordando que não pode existir uma total dependência dos clubes em termos de apoios financeiros. Referindo-se à sua experiência pessoal enquanto ciclista, Cândido Barbosa destacou alguns dos clubes que representou e que começaram a depender das autarquias. “Esses mesmos quando quiseram acre-

ditar que por conta da autarquia podiam desenvolver e crescer o seu projecto, enganaram-se por completo”, adiantou, concluindo que “as autarquias têm de estar e apoiar o desporto, mas de uma forma diferente do simples patrocínio”. Para o ex-ciclista, o apoio deve ultrapassar a pura atribuição de verbas, “o papel de patrocinador directo”, para ter antes um papel, em termos de associativismo, de “criar infraestruturas”. Leonel Rocha alinhou pelo mesmo discurso, acrescentando que “o tempo de se olhar para a Câmara Municipal como o banco ou a caixa multibanco necessariamente já passou”. “O tempo da subsídio dependência das associações já terminou e apesar da responsabilidade social das autarquias no desenvolvimento de actividades para os seus concidadãos, tem também as suas dificuldades financeiras e o dever de colocar ao dispor das colectividades ferramentas para que possam desenvolver-se por si só”, disse. Leonel Rocha referiu ainda a importância desta iniciativa para que se partilhem ideias e se encontrem soluções conjuntas para muitos dos problemas que as associações atravessam em termos

de viabilidade financeira. O vereador abordou depois as várias formas que a Câmara de Famalicão tem para apoiar os clubes e associações do concelho, sublinhando que o apoio à formação desportiva é a prioridade da autarquia e é onde esta investe mais. Entre os vários tipos de apoios, o autarca destacou o pagamento das inscrições dos atletas da formação, um apoio mais abrangente no futebol, mas que a Câmara quer estender a várias modalidades. A Câmara Municipal de Famalicão apoia ainda os clubes através da disponibilização gratuita dos equipamentos municipais, do acesso a consultas de medicina desportiva, uma bolsa de formação, e ainda com o apoio financeiro à melhoria das infra-estruturas, cuja verba pode chegar aos 50% do custo total das obras, e da colocação de relvados. No que se refere a este último, Leonel Rocha declarou que, quando este executivo chegou ao poder, em 2001, encontrou recintos em muito mau estado. “Muito se fez nesta área, mas a Câmara Municipal não foi a única, também foi muito importante a dinâmica dos clubes”, apontou.

Os mais novos já praticam rugby

Decorreu, no passado dia 1 de Dezembro, mais uma jornada da 3ª Divisão do Campeonato Interclubes, da fase regional, em Seniores Masculinos. Em formato de Taça Davis, o Ténis Clube de Famalicão (TCF) venceu, com distinção, o Lawn Tennis Clube da Foz (LTCF), por uns esclarecedores cinco a zero. No primeiro singular, Sérgio Paiva, do TCF, defrontou Diogo Archer e venceu em dois sets, por 6-3 e 6-1. No segundo singular, Hugo Fernandes venceu, também, agora Bernardo Soares, por 6-2 e 6-0. Após estas duas vitórias, bastava mais um resultado positivo para que a jornada estivesse ganha. Contudo, as vitórias não ficaram por aqui. Cedric Cruz, frente a Manuel Matos, venceu por 6-3 e 6-0. Com a jornada já definida, realizaram-se os encontros de pares. No primeiro jogo, a dupla António Sousa e Hugo Fernandes (TCF) venceram a dupla do LTCF em três sets. No segundo jogo de pares, Sérgio Paiva e Cedric Cruz (TCF) defrontaram Manuel Matos e António Leitão e venceram em dois sets. Depois de todas estas vitórias, a jornada fechou com o esclarecedor resultado de cinco a zero para o TCF.

*com Magda Ferreira

António Freitas

ATC organiza Torneio de Natal em minibasquete A Academia de Basquetebol da Associação Teatro de Construção de Joane (ATC) organiza, no próximo sábado, dia 11, o 8º Torneio de Natal de Minibasquete. Este evento realizar-se-á no Pavilhão Terras de Vermoim, entre as 11 e as 13 horas. Destinado ao escalão de minis 10 e minis 12, este torneio terá a participação de 84 atletas representando 12 equipas. A promoção da prática desportiva, dos valores da educação pelo desporto e a procura do envolvimento dos pais, atletas e treinadores são os objectivos desta actividade. “Com a realização do 8.º Torneio de Natal de Minibasquete, a ATC vai ao encontro dos valores que ao longo dos anos têm servido de referência na realização das suas actividades, demonstrando uma vez mais a sua capacidade e dinâmica organizativa, ao serviço da juventude e do desporto”, referiu a organização.

Cândido Barbosa foi um dos oradores do Fórum Desporto 2010 pub.


sport: 8 de Dezembro de 2010 23

futebol

Equipa madeirense ocupa lugares cimeiros da tabela classificativa

Chuva intensa danificou terreno do jogo

Ribeirão vence no Oliveirense pantanal madeirense sofre pesada derrota na Madeira Pedro Marques

0-1

Campo Complexo do Marítimo

Ár bitro : Pedro Mendes (Santarém) Auxiliares: Afonso Silveira e Paulo Raposo

Maritimo B GD Ribeirão

U. Madeira AD Oliveirense Adriano Tiago (64’ Vítor Hugo) Fábio Ervões Emerson Alex Valter Rúben Andrade Gleibson Hugo Santos Hernâni (77’ Narcisse) Matão (64’ Bertinho)

Pedro Freitas Nuno Guimarães (45’ Jorge Miguel) Flávio Laureta Fifas João Cruz Nuno Sousa Cadete Ismael (50’ Almeida) Pedro Moreira (45’ Meira) Capela

Treinadores Daniel Ramos

António Re melgado

Golos: 5’ e 21’ Matão; 50’ Rúben Andrade g.p; 73’ Vitor Hugo; 76’ Gleibson; 78’ Valter. Cartões Amarelos: 37’ Nuno Guimarães; 92’ Adriano. C artõ es Vermelho s: 49’ Pedro Freitas; 92’ Meira.

Pedro Marques A formação da Oliveirense deslocou-se até à Madeira para defrontar um candidato aos lugares cimeiros da classificação. Apesar do bom campeonato que está a realizar, a formação famalicense saiu derrotada do jogo e por uns esclarecedores seis a zero. O jogo foi dominado pela equipa da União que, apesar de nunca ter

II DI VI SÃO

Oliveirense saiu derrotada da Madeira

Sé rie A

R E S U LTA D O S

Mer., 0; Andorinha, 0 Fafe, 2; Tirsense, 2 União, 6; Oliveirense, 0 Camacha, 2; Bragança, 0

Marítimo B, 0; Ribeirão, 1 M Cavaleiros, 3; Pont., 1 Caniçal, 0; Chaves, 1 Vizela, 1; Lousada, 1

PRÓXIMA JORNADA Merelinense - Fafe Tirsense - União Oliveirense - Camacha Bragança - Marítimo B

Ribeirão - Mac. Cavaleiros Pontassolense - Caniçal Chaves - Vizela Andorinha - Lousada

CLASSIFICAÇÃO

1. União 2. Tirsense 3. Chaves 4. Fafe 5. Camacha 6. Oliveirense 7. Andorinha 8. Ribeirão 9. Merelinense 10. M Cavaleiros 11. Vizela 12. Lousada 13. Marítimo B 14. Bragança 15. Caniçal 16. Pont.

J

V

E

D

F

C

P

10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 9 10 10 9

7 7 7 5 5 5 4 3 3 3 2 3 2 2 2 0

2 2 1 2 2 1 3 5 3 3 5 2 3 1 1 2

1 1 2 3 3 4 3 2 4 4 3 5 4 7 7 7

18 17 15 16 13 11 11 12 12 10 10 11 9 10 7 7

5 9 8 12 12 15 16 10 11 10 10 14 9 15 14 19

23 23 22 17 17 16 15 14 12 12 11 11 9 7 7 2

Treinadores Duarte Correia

José Lemo s

Golos: 27’ Vítor Bruno. C artõ es Amarelos: 4’ Feliz; 54’ André Boas; 87’ Júlio Alves. C artõ es Vermelho s: Não houve.

Famalicão 1 – Barroselas 1

Equipa famalicense ataca mas não marca O Famalicão recebeu, no passado sábado, a formação do Barroselas em jogo a contar para a 14ª jornada do Nacional de Juniores da segunda divisão. O resultado final foi um empate a uma bola, o que não condiz em nada com o que se passou dentro das quatro linhas. Numa partida em que o resultado final poderia ter ditado uma goleada para a equipa da casa pois tantas foram as oportunidades criadas e não concretizadas pelos atacantes famalicenses, a partida, que poderia até ser fácil, transformouse num autêntico pesadelo pois nos minutos finais, a formação do Barroselas acreditou mesmo que poderia levar de Famalicão os três pontos. Se na primeira parte já o Famalicão tinha desperdiçado uma mão cheia de possibilidades de concretização, então na segunda, e com as alterações efectuadas, o Famalicão teve nos pés a possibilidade de conseguir um resultado histórico. As perdidas sucediam-se, umas atrás das outras, com os casos mais flagrantes para João Miguel, que só à sua conta teve duas perdidas, para Álvaro com outras duas e três para Silva, que até tinha entrado na segunda parte. No final do jogo, a repartição de pontos foi uma injustiça para as cores do Famalicão. Mesmo não fazendo uma grande partida, teve muitas oportunidades para marcar

Carlos Alberto

Árbitro : José Laranjeira (Coimbra) Auxiliares: Miguel Aguilar e Márcio Gonçalves

e só marcou uma vez e de livre. guel. Jogaram ainda, Telmo, José Com este empate, o Famalicão per- Pedro e Petina. deu uma boa possibilidade de su- JUNIORES II Divisão bir na tabela ficando assim na oiFamalicão, 1; Barroselas, 1 Abambres, 0; Penafiel, 1 tava posição com 18 pontos. Limianos, 0; P. Ferreira, 1 Gil Vicente, 3; Aves, 1 Palmeiras, 1; Paredes, 3 Trofense, 0; Fafe, 0 Na próxima jornada, que se disputa no próximo dia 8, o Famalicão SIFICAÇÃO J V E D F C P desloca-se ao terreno do Fafe, CLAS 1. Paços Ferreira 14 12 0 2 40 10 36 equipa que se encontra na se- 2. Fafe 14 9 3 2 26 13 30 3. Gil Vicente 14 9 2 3 25 12 29 gunda posição com 30 pontos. 14 5 5 4 26 20 20 Nesta partida, e com a arbitra- 5.4. Trofense Penafiel 14 6 2 6 23 19 20 gem de Renato Banqueira, o Fa- 6. Paredes 14 6 1 7 16 20 19 14 5 3 6 19 19 18 malicão alinhou com: Marco, Bru- 7. Famalicão 13 5 1 7 16 18 16 ninho, Carlos, João Carlos, Amaral, 9.8. Aves Palmeiras 14 4 3 7 16 22 15 Pedro, Luís, Cláudio, Pinheiro, Ál- 10. Barroselas 14 3 6 5 14 22 15 13 3 2 8 15 42 11 varo e João Miguel jogaram ainda, 11. Abambres 12. Limianos 14 2 0 12 7 26 6 Silva, Fredy e Gil. O Barroselas disputou a partida com: Carlos, Sousa, Paredes - Abambres Fafe - Famalicão Pedro, Merralho, Faria, Filipe, RuPenafiel - Limianos Barroselas - Gil Vicente ben, Cubilhas, Xanana, Lene e MiPaços Ferreira - Trofense Aves - Palmeiras RE SULTA DOS

Campo Adelino Rodrigues

acelerado muito, conseguiu impor o seu futebol e assim alcançar uma vitória dilatada. A Oliveirense queixa-se, e com razão, da inexistência de falta, no lance da grande penalidade: isolado, Hugo Santos rematou para a defesa de Pedro Freitas e, na sequência, tropeçou no guarda-redes da Oliveirense, sem qualquer irregularidade. Mas, para todos os efeitos, nessa altura o resultado já era de 2-0, e os unionistas, claramente superiores em todos os aspectos, tinham o jogo completamente dominado. O penálti, e consequente expulsão do guarda-redes, abriu caminho à goleada, perante um adversário reduzido no número de jogadores, mas também no aspecto anímico. A partir daí, o jogo não teve mais história. No final do jogo, António Remelgado, treinador da Oliveirense, não escondeu o desagrado. "A grande penalidade condiciona completamente o jogo. E foi uma autêntica invenção do árbitro e ainda por cima ficamos a jogar com dez. Ninguém viu falta naquele lance, só mesmo ele. Isto foi uma palhaçada. E o União não precisava destas ajudas para vencer o jogo. Se calhar a equipa de arbitragem que dirigiu este jogo, está a habilitar-se visitar mais vezes a Madeira”, afirmou o responsável técnico no final do jogo.

Hugo Magalhães Tiago Moreira Júlio Alves Paulo Rola Vítor Bruno (59’ Marcelo) João Faria Gilmar (92’ Forbes) Feliz (86’ Wilson) Miguel Vaz Augusto Ricardo Martins

PRÓXIMA

6-0

Ricardo Nandingna (75’ Helmut) Cristiano (75’ Marakis) Rafael Luís Olim Yuri André Boas Sami (83’ Romeu) Edivânio Fidélis Arsénio

Com a ambição em alta, o Grupo Desportivo de Ribeirão deslocou-se até a Madeira para defrontar a equipa B do primodivisionário Marítimo. Num terreno transformado num pantanal devido à forte chuva que se fez sentir durante o fim-de-semana, o Ribeirão conseguiu uma vitória importante para as suas aspirações. Com o estado do relvado a um nível muito baixo, as dificuldades para ambas as formações foram notórias em toda a partida tendo o Marítimo B perdido o jogo devido a uma grande falta de eficácia. O Ribeirão, com jogadores experientes, soube defender-se bem e aguentar um maior ascendente verde rubro, que foi patente desde o início, procu-

rando ser feliz no contra-ataque. E foi através de Feliz, jogador do Ribeirão, que a formação famalicense chegou à vantagem. Depois de uma excelente jogada, Vítor Hugo inaugurou o marcador. O lance de contra-ataque acabou por ditar o resultado final desta partida. Na segunda parte, em dois ou três lances, o Ribeirão podia ter ampliado a vantagem, sempre em lances de contraataque. Também o Marítimo, que teve, por exemplo, oito cantos a seu favor contra zero do Ribeirão, dispôs de oportunidades para empatar tendo, no momento, Hugo Magalhães defendido ou os jogadores madeirenses falhado. A falta de eficácia maritimista aliada à experiência ribeirense ditou o resultado final.


futebol pub

Depois de cinco jogos consecutivos a somar pontos, Joane empatou

Pontos divididos em Rebordosa Sérgio com o Joane a sentir muitas dificuldades em adaptar-se às condições do relvado. Mais cinco minutos e de novo o perigo a esEstádio Monte de Azevido Árbitro: Arnaldo Araújo (Vila Real) preitar a baliza joanense. A partir daqui o jogo Auxiliares: José Teixeira e Nuno Fraguito entrou numa fase mais pausada mas mesmo assim o domínio era dos donos da casa. PouRebordosa GD Joane cos minutos depois, Pedro Correia, num passe magistral colocou o esférico em Jorginho e Adriano Sérgio este muito rápido ficou sem concorrência na Jorginho Zé Pedro área contrária e à saída de Sérgio colocou a Ricardo Gomes André Campos Calica Miguel Lemos bola no fundo da baliza colocando a sua (68’ Nini) Pedro Pinto equipa a vencer por 1-0. A perder, a equipa de Gustavo (90’ João Ribeiro) Jorge Batista sentiu que tinha que mudar a sua Joel Sócrates forma de jogar e aos poucos foi reagindo e já (72’ Piquet) Hugo Matos perto do intervalo dispôs duma boa situação Poeira Pedro Borges para empatar o jogo. No reatamento da partida (79’ Nani) Gil foi a equipa de Jorge Batista quem foi à procura Ricardo Carlos Manuel do prejuízo e com 57 minutos de jogo, Vítor Sousa Daniel Carlos (43’ Vítor Hugo) Hugo, com um remate forte e colocado, alterou Pedro Correia o resultado para 1-1. A partir daqui o jogo dividiu-se nos dois meios campos. Ambas as Treinadores equipas, com um futebol muito directo, poCarlos B arbosa Jorge Batista diam ter chegado á vantagem, mas o resultado Golos: 32’ Jorginho (1-0); 57’ Vítor Hugo (1-1). não ia sofrer alteração até ao final. A divisão de Cartões Amarelos: 38’ Ricardo Gomes; 39’ Gustavo; 77’ Ricardo; 83’ Moreira; 85’ Sousa; 52’ Hugo Matos; 53’ André Campos; 53’ Gil; 55’ Pedro pontos assenta bem ao futebol praticado peBorges. las duas equipas com destaque para Vítor Cartões Vermelhos: Não houve. Hugo que entrou prematuramente no jogo, Aristides Ferreira beneficiando da lesão de Daniel, mas foi preponderante no equilíbrio registado no seNum cenário de autêntico dilúvio, Rebordosa gundo período e com um golo de belo efeito e Joane dividiram os pontos. colocou justiça no resultado final. Começou melhor a equipa da casa. Logo Com este resultado, os joanenses contiaos cinco minutos o perigo rondou a baliza de nuam a realizar um campeonato dentro das aspirações traçadas CLASSIFICAÇÃO J V E D F C P para este tempoIII DI VI SÃO Sé rie B 1. Candal 10 5 4 1 19 12 19 rada, ou seja, con2. Paredes 10 5 2 3 12 11 17 seguir ficar nos R E S U LTA D O S 3. Famalicão 9 5 2 2 10 9 17 seis primeiros e na Vila Meã, 0; Amarante, 0 Oliveira Douro, 0; Candal, 2 4. Joane 10 4 4 2 17 10 16 segunda fase disRebordosa, 1; Joane, 1 Sousense, 0; Paredes, 0 5. Leça 10 4 4 2 14 8 16 cutirem os lugares Serzedelo-Famalicão (08/12) Mondinense, 1; Leça, 1 6. Rebordosa 10 4 3 3 23 16 15 de subida. 7. Amarante 10 4 3 3 9 6 15 O árbitro teve 8. Sousense 10 3 3 4 8 9 12 PRÓXIMA JORNADA alguns percalços 9. Vila Meã 10 3 3 4 10 14 12 Candal - Sousense Amarante - Rebordosa mas olhando ao 10. Serzedelo 9 2 4 3 13 15 10 Paredes - Mondinense Joane - Serzedelo estado do terreno 11. Mondinense 10 2 3 5 11 16 9 Leça - Vila Meã Famalicão - Oliveira Douro acabou por estar à 12. Oliveira Douro 10 0 1 9 9 29 1 altura do jogo.

1-1

pub

Famalicão 1-Marinhas 0

Outro resultado era uma injustiça José Clemente O Famalicão recebeu, no passado domingo, o Marinhas, em jogo a contar para o Nacional de Iniciados. Só a vitória interessava aos jogadores famalicenses pois era um adversário directo pela manutenINICIADOS RE SULTA DOS

sport: 8 de Dezembro de 2010

I Divisão

Gil Vicente, 3; Vizela, 2 Mirandela, 0; Braga, 7 Varzim, 3; Merelinense, 1

CLASSIFICAÇÃO

1. Braga 2. Varzim 3. V. Guimarães 4. Gil Vicente 5. Barroselas 6. Merelinense 7. Vizela 8. Famalicão 9. Mirandela 10. Marinhas 11. Limianos 12. Bragança PRÓXIMA

24

J

V

14 14 14 12 14 10 14 6 14 6 13 6 13 6 14 3 13 4 14 3 14 3 13 1

Braga - Vizela Merelinense - Mirandela Limianos - Varzim

Bragança, 2; Limianos, 3 Famalicão, 1; Marinhas, 0 Barroselas, 0; V. Guimarães, 0

D

F

C

P

0 0 0 2 2 2 3 5 2 6 1 6 0 7 4 7 0 9 2 9 2 9 0 12

E

70 49 45 18 15 24 17 14 10 16 14 10

6 15 9 26 23 24 20 21 39 24 34 61

42 36 32 21 20 19 18 13 12 11 11 3

Marinhas - Bragança V. Guimarães - Famalicão Barroselas - Gil Vicente

ção e, em caso de vitória, ficaria em vantagem. Mesmo assim não foi um jogo fácil para os comandados de Luís Teixeira que conseguiram a vitória já no decorrer da segunda parte valendo para isso o golo de Cadete aos dez minutos da segunda parte. Esta foi uma vitória justa da formação famalicense que durante toda a partida foi superior ao adversário. O estado do terreno era muito pesado e com muita água, o que complicou a tarefa das duas equipas. Com esta vitória, o Famalicão só depende de si para conseguir os objectivos traçados no início do campeonato que é a manutenção e com esta vitória foi dado um passo de gigante para conseguir esses objectivo. Nesta partida e com a arbitragem de Luís Ferreira de Braga, o Famalicão alinhou com: Miguel, Hélder, Dany, Tigas, Rui Costa, Viana, Simão, Silva, Rafa, Mota e Cadete. Jogaram ainda, Zé Pedro e Jota. O Marinhas jogou com: Motinha, Fábio I, João, Neca, Fábio II, Diogo, Joel, Gonçalo, Rilandinho, Baçalo e Joanas. Jogaram ainda, Artur e Jony.


sport: 8 de Dezembro de 2010 25

publicidade

No centro da cidade, com óptimas áreas, Fica no 3º andar, tem um sótão, Excelente negócio. Valor: 65.000,00 €

Como nova Em Antas. Equipada com ar condicionado e aquecimento central, Cozinha mobilada e equipada, alarme, sistema de som em toda a casa, Janelas eléctricas, três quartos, duas casas de banho, uma suite com quarto de vestir e armários embutidos. Garagem para dois carros. Valor: 175.000,00 € (negociáveis)

Para venda ou para arrendamento. Perto do centro e com bons acessos.

Com a área de 145 m2, dois lugares de garagem e arrumos. Cozinha mobilada, sala com lareira, uma casa de banho completa e uma suite, tem seis armários embutidos, soalho em carvalho, ar condicionado e aquecimento central, tectos falsos com iluminação em focos e com duas varandas. Valor: 150.000,00 €

Tem a área de 95 m2, garagem fechada para um carro, quartos com armários embutidos, uma casa de banho e uma suite, cozinha, lavandaria e despensa, iluminação em focos, tem ar condicionado, uma varanda, pavimento em cerâmica e taco e garagem fechada para um carro. Valor: 90.000,00 €

Como novo. Quartos com armários embutidos, uma suite. Cozinha mobilada e equipada, lavandariaTem tectos falsos com iluminação em focos. Vidros duplos, aquecimento central. Uma varanda. O chão do hall de entrada é em mármore. Tem porta de segurança, vídeo - porteiro.

Com garagem e arrumos. Novo e com óptimas áreas. Perto do Parque da cidade. Tem cozinha mobilada, duas casas de banho. Com aquecimento central e aspiração.

Excelente apartamento, só visto. Valor: 117.500,00 €

Como novo. Perto do centro. Tem garagem fechada. Opção de venda com mobília. Tem três frentes. Cozinha mobilada e equipada com electrodomésticos, sala comum, quarto com suite, Um armário embutido. Aspiração central, aquecimento central, gás canalizado,

Valor: 100.000,00 €

Ainda em projecto numa zona sossegada, com excelente exposição solar. Moradia com uma área de 360m2, tem 3 quartos, 1 suite, 3 casas de banho, 1 sala de estar com lareira, sala de jantar, cozinha, piscina, aquecimento central, ar condicionado, garagem, ainda com possibilidades de adaptar o projecto ao seu gosto, venha conhecer.

Valor: 105.000,00 €

Loja no Edifício Sagres. Para arrendar: 500,00 € Com a área de 106 m2, tem duas casas de banho. Escritório junto aos correios. Para arrendar: 225,00 € Tem a área de 40 m2, fica no 1º andar, em muito bom estado. Escritório na Rua de Sto. António. Para arrendar: 1.250,00 € Com dois pisos e um recuado. Com possibilidade de lugar de estacionamento privado. Está como novo, uma casa de banho remodelada e com sensores. Varanda na frente da rua principal. Lote Terreno No centro da cidade. Valor: Desde 58.000€

Apartamento T1 – No centro da cidade. Condomínio incluído. 260,00 €


sport: 8 de Dezembro de 2010

26

modalidades

Lagense 1 – Ruivanense 1 Na 10ª jornada do campeonato distrital da 1ª divisão Série B, o G.D. Lagense recebeu o Ruivanense, que é líder do campeonato, e empatou a uma bola. A equipa de Calendário entrou bem na partida e durante toda a primeira parte, apesar de não ter benefiR E S U L TA D O S

AFB I DIVISÃO

Série B

Tabuadelo, 2; Este, 2 Brito, 2; S. Cosme, 1 Lagense, 1; Ruivanense, 1 Antime, 1; Cabeceirense, 1

Travassos, 2; Fermilense, 1 Bairro, 1;Arco Baulhe, 2 Silvares, 0; Pica, 2 Campelos, 2; Guilhofrei, 4

J

V

E

D

F

C

P

1. Pica 2. Travassos 3. Ruivanense 4.Antime 5. Guilhofrei 6. S. Cosme 7. Brito 8. Lagense 9. Fermilense 10. Silvares 11.Arco Baulhe 12. Cabeceirense 13. Tabuadelo 14. Este 15. Bairro 16. Campelos

10 10 10 10 10 9 9 10 10 10 10 10 10 9 10 9

7 7 7 7 5 5 4 3 4 2 3 3 2 1 0 0

2 2 2 1 1 0 2 4 0 5 2 2 2 4 5 2

1 1 1 2 4 4 3 3 6 3 5 5 6 4 5 7

17 15 16 14 13 14 12 8 12 10 11 11 8 10 6 8

3 5 8 8 11 11 12 10 15 13 14 15 15 14 15 16

23 23 23 22 16 15 14 13 12 11 11 11 8 7 5 2

PRÓXIMA

CLASSIFICAÇÃO

Tabuadelo - Brito S. Cosme - Lagense Ruivanense -Antime Cabeceirense - Travassos

Fermilense - Bairro Arco Baulhe - Silvares Pica - Campelos Este - Guilhofrei

ciado de nenhuma grande oportunidade de golo criou perigo com remates de fora da área. A formação do Ruivanense forçava na marcação de pontapés de canto e causava algum perigo. A segunda parte foi sempre emotiva devido à entrega de ambas as equipas na procura da vitória. Aos 58 minutos, o Ruivanense chegou ao golo depois de um cruzamento para a área com finalização de cabeça ao segundo poste, fazendo passar a bola por cima do guarda-redes Hélder que nada pôde fazer. Na marcação de um livre directo, o Ruivanense quase chegava ao segundo golo, mas Hélder fez uma fantástica defesa evitando-o. Aos 80 mi-

nutos, numa tentativa de cruzamento para a área, o defesa esquerdo Vitinha conseguiu meter a bola no ângulo superior esquerdo da baliza contrária fazendo o golo da igualdade. A equipa de arbitragem passou despercebida no jogo tendo nota positiva. O Lagense alinhou com: Hélder, Diogo, Rui Faria, Vitinha, Vitor I, Mansilhas, Garganta, Sampaio e Morais. Jogaram ainda: Vítor Hugo, Dani e Vitor II. Pelo Ruivanense alinhou: Berto, Tuka, Rui, João, Macedo, Hélder, Peixoto, Carriço, Stéphane, Bezerra e Márcio. Jogaram ainda Ricardo Sá, Anísio e Vítor Hugo. Rui Faria

Louro 0 – Marinhas 4

Jogo de taça, onde tudo tinha que ficar decidido numa só partida. Talvez por isso as equipas entraram um pouco receosas e jogaram muito a meio campo, sem criar grande perigo junto dos guarda-redes. O futebol até era rápido, mas o desacerto dos avançados, ou a eficácia da defesa, fazia com que a tarde chuvosa transparecesse para o público que não via grande emoção. Porém, e ao minuto 30, Paulo Nóvoa aparece isolado frente a Gabriel e num remate torto atira para fora, perdendo assim a grande oportunidade de golo. No lado contrário Chica, aos 35 minutos, desmarca David mas Zé luís chega primeiro ao esférico. Parece que tinham acordado as equipas. David ar-

ranca ainda no seu meio campo, passa por alguns adversários e na linha de fundo cruza mas a bola leva demasiada altitude e sai pela lateral sem perigo. O jogo chega ao intervalo empatado a zero. Na segunda parte, o Louro viveu um momento de aflição, com vários ressaltos dentro da sua área, a bola saltitava sem que lhe dessem o melhor rumo, foi marco que despachou o esférico de qualquer maneira sobre a linha de golo. Na jogada seguinte Rui, após livre de Gijo, sozinho na área, cabeceia ao lado perdendo uma soberana ocasião de golo. No minuto 60 Gijo, dentro da área, remata mas a defesa desvia a bola. Na passagem do

minuto 75, Rodrigo escapa-se bem à defensiva do Louro e faz o um a zero a favor do Marinhas. No minuto 80 é Everton que dá a melhor sequência ao cruzamento desviando para o segundo golo. O Louro esmoreceu, Emanuel Simões refrescou o meio campo, e perde a oportunidade de reduzir para dois a um numa confusão dentro da área, com vários remates, defesas e desvios e a bola a não entrar. Já sobre o fim do jogo, Hugo Venda, que tinha acabado de entrar aproveita a bola vindo do poste e faz o 3 a 0. Emanuel Simões é expulso do banco na sequência de protestos. Aos 91 Everton, novamente de cabeça, desvia para o quarto golo. O Jogo terminou logo de seguida mas ainda houve tempo para André rematar. O árbitro foi muito contestado pelos homens da casa. As equipas alinharam o Louro com: Gabriel, Marco, David, Nuno, Gijo, Morgado, Chica, Rui, Miguel, Mouro e Quim. Jogaram ainda, Tico, Edu e André. O Marinhas alinhou com: Zé Luís, Miguel, Paulo Nóvoa, Fial, Gil, Gabi, Zito, Alex, Everton, Filipe Edgar e Rodrigo. Jogaram ainda, Nuno Gomes, Hugo Venda e Diogo Vale. Tiago Faria pub.

FAC garante liguilha no torneio de abertura O Famalicense Atlético Clube, após terminar a oitava jornada do torneio de abertura, garantiu a liguilha para a continuidade na prova. Passando apenas o vencedor de cada uma das três séries, fica a faltar apurar o quarto conjunto que disputará a final four. Desta forma, ao vencer o Fenianos B por 4-0, o FAC A garantiu o segundo lugar na sua série e levou para a última jornada a decisão. Os segundos classificados disputarão entre si uma liguilha de forma a apurar o quarto clube apurado para a final. Leixões e FC Porto serão, à partida, outros dos clubes apurados. A equipa FAC B, já sem hipótese de qualificação, recebeu o Fenianos A e perdeu por 3-1 mas o empate pairou no ar até muito perto do final da partida. Esta competição, que marca o início da temporada e serve de preparação para a prova rainha, que é o campeonato nacional, vai parar e regressa só no fim-de-semana de 18 e 19 de Dezembro. O FAC vai disputar a 2ª divisão nacional mas assume já como objectivo o regresso à primeira divisão e o título de campeão nacional.

Jorge Bastos e Jorge Lopes em frente na Taça A taça de Portugal individual de bilhar às três tabelas teve, durante esta semana, vários jogos da segunda e terceira eliminatória. Jorge Lopes e Jorge Bastos jogaram e venceram. Jorge Lopes, em jogo a contar para a segunda eliminatória, deslocou-se ao Porto e bateu o seu adversário, Artur Pinto, do Bilhar Clube do Porto, por 2-0 e está apurado para a terceira eliminatória que será jogada na próxima quintafeira, dia 9, na Academia de Bilhar do FAC, frente a João Vale, do Padroense. Jorge Bastos, em jogo da terceira eliminatória, venceu Lameirão, por 2-0, e qualificou-se para os 1/64 de final onde defrontará Nuno Amaral do Leça FC em Leça. Esta eliminatória só será jogada em Março. Na próxima semana joga Vasco Moreira em Leça, na segunda-feira, dia 6, frente a R. Nogueira, num encontro em atraso da segunda eliminatória. O vencedor desloca-se ao Porto no dia 9 para enfrentar Adriano Lopes.

Voleibol sénior do FAC perde em Guimarães Iniciou-se a segunda volta do Campeonato Nacional da 2ª divisão em voleibol. O FAC, que terminou a primeira volta só com vitórias, sofreu em Guimarães, frente à equipa B do Vitória, actual segunda classificada do campeonato, a primeira derrota. O jogo rapidamente chegou ao 0-2, resultado positivo para o FAC mas as sucessivas desconcentrações da equipa famalicense ditou a perda contínua de pontos que reduziu, empatou e acabou por vencer por 3-2. Apesar desta derrota, o ponto somado neste jogo permite manter a grande diferença pontual o que pressupõe, no próximo jogo, o alcance da passagem à segunda fase do campeonato. Dentro de duas semanas, em Vila Real, frente à UTAD, o FAC tentará, assim, atingir este objectivo. Duas equipas seguirão para a segunda fase, sendo que uma delas será o FAC e a outra sairá do embate entre este Vitória e o GC Santo Tirso. pub


modalidades

Seniores do AVC só contam vitórias O Atlético Voleibol Clube (AVC) igualou o número de jogos com vitórias, no escalão sénior. Na passada quarta-feira, o AVC defrontou a equipa de Amares e venceu os locais por três sets a zero num jogo onde o desequilíbrio técnico e táctico foi notório. Já no domingo, dia 5, recebeu e venceu, também, a equipa da Senhora da Hora (Matosinhos), por três sets a zero. No feriado, dia 8, este escalão deslocar-se-á a Gondomar dando inicio à segunda volta do campeonato nacional A2, frente ao Gondomar Cultural. No domingo, dia 12, volta a jogar, agora com o Alto Douro, na Régua. Em Infantis, na quarta-feira, dia 1, o escalão infantil do AVC recebeu e venceu o Arcozelo por três sets a zero. Esta vitória demonstrou a evolução positiva que a equipa tem vindo a sofrer pois na primeira volta perdeu e agora venceu categoricamente, tal como no passado sábado, dia 4, quando se deslocou a Santo Tirso. Na primeira volta haviam perdido com a equipa local mas agora, depois de um bom jogo de voleibol, onde a concentração e disciplina foram notas dominantes, venceram por três sets a zero. No próximo dia 8, quarta-feira, este escalão defronta o São Mamede, em Infesta, e no sábado, dia 11, recebe o Castêlo da Maia, no Pavilhão das Lameiras. O jogo está marcado para as 15 horas. Quanto à equipa júnior do AVC, já não jogará mais em 2010. Depois de garantir a presença na próxima fase do Campeonato Nacional de Juniores, após terminar em segundo lugar, este escalão aguarda agora o sorteio dos grupos para conhecer as próximas adversárias.

Jornada feliz para o ténis famalicense Decorreu, no passado dia 1 de Dezembro, mais uma jornada da 3ª Divisão do Campeonato Interclubes, da fase regional, em Seniores Masculinos. Em formato de Taça Davis, o Ténis Clube de Famalicão (TCF) venceu, com distinção, o Lawn Tennis Clube da Foz (LTCF), por uns esclarecedores cinco a zero. No primeiro singular, Sérgio Paiva, do TCF, defrontou Diogo Archer e venceu em dois sets, por 63 e 6-1. No segundo singular, Hugo Fernandes venceu, também, agora Bernardo Soares, por 6-2 e 6-0. Após estas duas vitórias, bastava mais um resultado positivo para que a jornada estivesse ganha. Contudo, as vitórias não ficaram por aqui. Cedric Cruz, frente a Manuel Matos, venceu por 6-3 e 6-0. Com a jornada já definida, realizaram-se os encontros de pares. No primeiro jogo, a dupla António Sousa e Hugo Fernandes (TCF) venceram a dupla do LTCF em três sets. No segundo jogo de pares, Sérgio Paiva e Cedric Cruz (TCF) defrontaram Manuel Matos e António Leitão e venceram em dois sets.Depois de todas estas vitórias, a jornada fechou com o esclarecedor resultado de cinco a zero para o TCF.

Basquetebol do ATC carimbou passagem à fase final A equipa júnior feminina da Associação Teatro Construção (ATC) alcançou a passagem à fase final do Campeonato Distrital de Juniores em basquetebol. Quando falta ainda disputar uma jornada da fase regular deste campeonato, a equipa feminina alcançou já os seus objectivos. Num jogo bem disputado, a equipa da ATC venceu a formação rival do Maria da Fonte por 41-28, atingindo os seus objectivos iniciais. A determinação em vencer foi a tónica dominante deste jogo. Também já apuradas para as respectivas fases finais estão as equipas masculina e feminina do escalão de iniciados do ATC. Ambas venceram os jogos disputados neste fim-de-semana. As meninas do ATC venceram a formação do Diogo Cão por 73-45 enquanto que os rapazes venceram o Barcelos por 6429. Também a equipa de juniores masculino venceu, frente ao Basto, por 79-36.

sport: 8 de Dezembro de 2010 27

Patinagem artística abrilhantará a vila de Riba D’ Ave Decorrerá, no próximo domingo, dia 12, o primeiro festival de patinagem artística. A prova acontecerá no Pavilhão das Tílias, casa-mãe do Riba D’ Ave Hóquei Clube. Com entrada livre, o espectáculo iniciar-se-á pelas 16 horas e contará com a presença do Clube Araújo Patinagem Artística, o Grupo Nun’ Alvares, a Associação Desportiva Limianos e o Just Show Braga, da Universidade do Minho. pub


28

sport: 8 de Dezembro de 2010

motores

Em balanço da época de 2010

Mariana Carvalho defende mais mulheres no desporto automóvel Pedro Marques Depois de terminar a época de 2010, Mariana Neves de Carvalho e Filipe Martins, da equipa Macominho Sport, fizeram o balanço final. Na sua segunda época nos ralis, a piloto famalicense iniciou o ano logo com um desafio: iria pilotar um carro por si desconhecido, o potento Peugeut 206 GTI. Colocou, também, a fasquia elevada pois desejava terminar dentro dos cinco primeiros do Campeonato de Portugal Júnior de Ralis. Sempre acompanhada por Filipe Martins na navegação, a dupla teve um inicio de ano algo cauteloso, porque sendo o conhecimento do carro quase nulo e ainda se estar numa fase de aprendizagem e desenvolvimento, a piloto conseguiu terminar sete das nove provas que disputou. Apenas Barcelos e Loulé viram esta dupla desistir. Dentro das provas que terminaram, algumas tiveram o azar como nota dominante pois tanto uma saída de estrada no Rali do Videiro quando rodava nos seis primeiros e uma indisposição de Filipe Martins no Rali de Arganil, ditaram resultados menos bons. As restantes provas correram dentro do normal, tendo em conta que Mariana Neves de Carvalho estava numa fase de adaptação ao carro francês, conquistando ainda resultados de grande relevo como foi o caso dos ralis de Gondomar e Terras de Basto onde alcançou dois pódios na competição Júnior. “Apesar de este ser o meu segundo ano de competição, tive de o encarar como o ano zero, e apesar de já conhecer algumas das provas em que participámos, o facto de este carro ser mais potente, tinha que ter algumas cautelas e fazer uma boa adaptação, claro está, espreitando sempre bons resultados”, referiu Mariana Neves de Carvalho, em comunicado enviado ao Opinião Sport. “Ainda assim faço um balanço positivo, pois, em condições normais, mostramos que conseguimos andar junto dos da frente”, rematou a piloto famalicense. Quanto ao carro utilizado esta época, Mariana afirma que “é um carro fantástico, que me dá muito prazer em conduzir, pelo que nas primeiras provas havia que ter respeito e daí ter entrado no campeonato algo cautelosa, para depois de o conhecer melhor e saber os nossos limites, tirar o maior partido de toda a sua potência e também uma maior diversão nas provas”. A piloto deixa uma palavra de apreço à equipa Macominho Sport, que a apoiou durante esta época. “São pessoas extraordinárias. Colocaram-me sempre o carro nas condições ideais para disputar as provas. O meu conhecimento em determina-

das afinações não é o melhor, e eles, Ricardo Costa, Bruno Costa, Nuno, Tó, Abílio e Jorge, ajudaram-me sempre”, salientou Mariana Carvalho. Quanto à navegação, Mariana Neves de Carvalho rodou sempre com Filipe Martins. “Às vezes ele é um pouco tolo, parece não ter a noção do perigo, mas com a experiencia que acumulou, tem sempre tudo controlado e é uma peça importante nesta caminhada”, referiu a piloto. Considerado por muitos um desporto para homens, a presença feminina começa a marcar o seu espaço dentro da modalidade. Prova disso foram cinco as meninas

Carro de Mariana Carvalho

que esta temporada disputaram a Taça Feminina Júnior de Ralis onde a piloto fama-

license se classificou na segunda posição. “Gostava de ver mais mulheres neste desporto, até porque já provamos que em algumas situações conseguimos andar ao mesmo nível”, concluiu Mariana Neves de Carvalho. No final, a piloto famalicense terminou no sexto lugar do Campeonato Júnior de Ralis. No Campeonato Open, entre mais de uma centena de pilotos, terminou em 30º lugar. Pensando já no futuro, Mariana prepara a próxima época. Ao que tudo indica a piloto de Famalicão irá manter-se no Campeonato Open de Ralis. pub


OS970  

Também o escalão feminino obteve um excelente resultado. A conquista do sexto lugar nacional demonstrou um grande esforço e dedicação por pa...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you