Issuu on Google+

Puericultura

Comer bem, ficar melhor

Alimentação nos primeiros anos de vida

Higiene dos miúdos

devem ser de fruta (maçã, a pêra, banana) e não devem ser lácteas. Já no lanche os iogurtes são uma boa opção e devem ser iniciados antes do leite de vaca. As farinhas também podem ser iniciadas, mas com alguma cautela para não dar energia a mais do que a criança necessita e essas também não substituem a fruta.

O primeiro ano de vida é um ano de aprendizagem de amor. Pelo menos metade do primeiro ano a criança deve passar ao peito da mãe. Ao fim dos 6 meses de aleitamento materno, é chegado o momento de iniciar a alimentação diversificada. Não deve existir uma tabela igual para todas as crianças, porque cada uma tem o seu próprio desenvolvimento e crescimento. Portanto, deve consultar o pediatra. Fique a saber que as sopas casei-

ras não são as sopas de boiões, e a fruta não é igual aos boiões de fruta. Fazer a sopinha em casa não custa nada e demora pouco tempo. A sopa de legumes deve ser preparada, inicialmente com os ‘legumes brancos’ como a batata, a abóbora, o arroz, a cenoura, a couve-flor, depois a couve-branca, batata doce e depois os ‘legumes verdes’ onde se incluem os espinafres, feijão verde, brócolos, alface, entre outros. As sobremesas do almoço e jantar

Alimentos ao natural Até ao primeiro ano, a criança deve saborear diferentes texturas e sabores e ser estimulada a mastigar para iniciar uma alimentação normal. Ensinar a comer significa calma e paciência e até um momento que pode ser divertido. A primeira regra é nunca substituir uma refeição por bolachas ou guloseimas que não os alimentam. Na refeição, os alimentos devem ser naturais, porque a preparação de uma refeição infantil é rápida e não exige muitos temperos, nem muitos graus de confecção. Já a partir dos 3 anos, a alimentação de uma criança deve contar 6-9 porções de fruta, legumes, pães e cereais, leguminosas (ervilhas, grãos, feijões) em forma de sopa, saladas, cruas cozidas, sumos; 2-4 iogurtes por dia ou ½ l de leite; 2 a 4 porções de carne/peixe, ovos. Deve usar moderadamente gorduras (como manteigas, margarinas, e fritos) e optar pelo azeite que faz parte da dieta mediterrânica. Evite açúcares, sal e farinhas refinadas.

Na saúde em geral seja de adultos ou crianças, a higiene pessoal e a limpeza do ambiente tem papel fundamental. Devemos ensinar hábitos de higiene pessoal e limpeza aos nossos filhos desde pequeninos. Os pais devem cultivar desde cedo nos seus filhos o hábito de tomar banho diário, mesmo que ele esteja com febre ou mal disposto, uma vez que o banho limpa e também relaxa o corpo. Escovar os dentes pela manhã, depois das refeições e antes de dormir, evita cáries, mau hálito e doenças de gengivas. Deve ensinar os mais pequenos a lavar as mãos antes das refeições e lavar as frutas antes de ingeri-las. Aproveite ainda para ensinar os seus filhos a arrumar o quarto, a guardar as roupinhas, a arrumar os brinquedos, assim desde cedo eles aprendem a ser independentes e não estar à espera de que alguém faça as tarefas por eles. pub


26

pública: 16 de Setembro de 2009

Medicina Termal no tratamento de doenças das vias respiratórias em crianças

No caso da Pediatria e especificamente na patologia respiratória infantil, o efeito benéfico da água termal baseia-se nas características dos seus constituintes que lhe conferem um forte poder mucolítico, anti-inflamatório, anti-anafilático, dessensibilizante, antiséptico, estimulante metabólico e regulador da permeabilidade vascular e do trofismo celular. Por exemplo, as Termas Caldas da Saúde, em Santo Tirso, recebem milhares de termalistas que ano após ano recorrem ou renovam o tratamento termal, com queixas do foro respiratório como a rinite, a sinusite, a asma, a amigdalite de repetição, a otite serosa, a bronquite, as tubo-timpanites e outras alergias. Aqui encontram na água das Caldas da Saúde, juntamente aos procedimentos ou técnicas terapêuticas indicadas, os meios adequados – por vezes alternativos – para ter uma melhor qualidade de vida.

especial

Ser feliz no infantário Na sociedade actual, os pais vêem-se obrigados a separarem-se dos seus filhos e a perderem, por vezes, grande parte dos momentos mais importantes do seu crescimento: os desenhos, as primeiras palavras, os primeiros passos, a primeira música, entre outros. Os pais trabalham e trabalham muito e a única opção é mesmo deixá-los num infantário. Neste momento, os pais devem escolher uma instituição que lhes ofereça confiança e que eles possam visitar à hora que entenderem. Procure saber das ementas, as actividades, as infra-estruturas que a instituição oferece e, claro, os profissionais. O seu filho irá passar muito tempo no infantário, mas lembre-se que lá ele irá aprender muitas coisas novas, desde o mais prático até às coisas do coração, como a amizade. É claro que a educação não se realiza apenas na instituição, porque em casa os pais devem participar no processo de desenvolvimento. Os momentos de conversa devem ser privilegiados sempre que possível. pub.


pública: 16 de Setembro de 2009 27

especial

É fundamental para assegurar um crescimento correcto

Olhar para os pés dos pequeninos Os portugueses preocupam-se com a saúde dos seus filhos, no entanto existe ainda uma falta de conhecimento sobre a necessidade de avaliação precoce da saúde dos pés das crianças, assim como desconhecem como eleger o tipo de calçado mais apropriado para assegurar um crescimento saudável. Os pais atentos ao crescimento das crianças preocupam-se com as alterações que surgem nos dentes, nos olhos e noutras partes do corpo, que muitas vezes se esquecem, ou passam despercebidas, as alterações no pé em desenvolvimento. O diagnóstico e o tratamento precoce do pé da criança é fundamental para assegurar um crescimento correcto e prevenir o aparecimento de alterações estruturais e funcionais em adulto. A utilização de calçado apropriado pode minimizar o risco de aparecimento deste tipo de alterações. O crescimento e desenvolvimento do pé da criança, deve ser acompanhado pelo Podologista, assegurando um tratamento especializado e personalizado. O pé humano é uma estrutura complexa e delicada, que na criança se caracteriza por ser muito maleável e sensível. Pressões anormais a actuar sobre um pé destes podem provocar deformações que se poderão manter para o resto da vida. O pé de uma criança cresce rapidamente durante o primeiro ano de vida, podendo alcançar metade do tamanho que terá em adulto. São frequentes queixas relacionadas com desvios e posicionamento dos joelhos. Dependendo da idade, a orientação dos joelhos pode variar, em varo (“para fora”), ou em valgo (“para dentro”), em caso de quedas frequentes e desvios acentuados deverá consultar um Podologista para avaliar a situação Recomenda-se que ao sentar a criança se posicione à “chinês” e não em “W”. Sintomas e dores nos pés em crianças não são muito comuns comparando com adultos, devido à flexibilidade e resistência dos tecidos. Embora possam surgir alterações, nomeadamente, unhas encravadas, devido a mau corte e à fragilidade ungueal, dores de crescimento inespecíficas (predomínio nocturno) ou específicas, como é o caso da doença de Sever ou apofi-

síte do calcâneo, que se caracteriza por dores no calcanhar, dores no joelho (Doença de Osgood-Schlatter), deformidades à nascença (pé boto). Pés que transpirem muito podem dar origem a odores desagradáveis, muito comuns na infância. O pé plano ou pé pronado, é normalmente indolor, mas pode provocar alterações no caminhar bastante desconfortáveis, especialmente agravados por excesso de peso. No início da infância existe uma

“almofada de gordura” na planta dos pés que dá a aparência de pé plano, quando na realidade não o é. Se o pé “roda para dentro” (prona), isso sim, poderá significar alterações importantes. Grande parte desse tipo de pés poderá necessitar de tratamento ortopodológico através da utilização de ortoteses (palmilhas). Podologista Dr. André Azevedo Clínica de Podologia Podomed

Conselhos para a compra de sapatos para crianças:

Massagem do bebé

A prática da massagem, juntamente com os seus benefícios, é conhecida há muitos anos e transversal a diversas culturas. A Associação Internacional de Massagem Infantil (AIMI) tem como representante em Portugal a Associação Portuguesa de Massagem Infantil (APMI), que tem instrutores de cursos para pais de bebés dos 0 aos 12 meses. Estas formações baseiam-se na massagem indiana, sueca, na Reflexologia e no Yoga. As vantagens da técnica da massagem são reconhecidas quer pela experiência pessoal, quer pela investigação científica. Como benefícios podemos referir: A Interacção que promove a vinculação, a relação pais-filhos e tempo de

qualidade para a família; A Estimulação do sistema imunitário, nervoso, respiratório entre outros, do desenvolvimento da linguagem e da consciência corporal; O Aliviar dos transtornos do sistema digestivo (gases, cólicas, obstipação), dores de crescimento e desconforto dos dentes; E o Relaxamento que traz melhorias ao sono, à capacidade do bebé se acalmar e de uma melhor adaptação ao meio externo. “Nutrir uma criança mas não só com leite (…) é necessário conversar com a sua pele que tem tanta sede e fome como a sua barriga” Shantala- Leboyer. Neste sentido, a massagem é uma forma de comunicação privilegiada na relação pais-filhos. D r . ª N a t á l i a M a ch a d o

• Deve-se medir o pé da criança a cada 3 meses (poderão necessitar de novo calçado) • Para que um sapato sirva correctamente deverá restar a largura de um dedo, desde o pé e o fim do sapato • A sola do sapato não deverá ser muito curvada, relativamente direita, tal como o pé • Mecanismo de fecho simples e rápido (cordão, velcro) para que o pé não deslize dentro do sapato • O calcanhar deverá ser seguro pelo contraforte, forte e estável (parte de trás do sapato) • Deverá ser moderadamente maleável, mas sem dobrar em zonas que não são supostas dobrar. • Materiais nobres (pele natural), são mais duradouros e transpiráveis (evite os sintéticos e plásticos) • Os dedos deverão ter espaço para se movimentarem

Uma criança deverá consultar um Podologista sempre que apresente: • Desgaste assimétrico do calçado • “Altos”, inchaço, inflamação em qualquer parte do pé • Dor nos pés ou pernas • Alterações no caminhar, tropeçar e cair com frequência • Apresente alterações nas unhas e pele pub.


28

pĂşblica: 16 de Setembro de 2009

publicidade


OE906